Programa de Comunicação Social e Educação Ambiental - PCSEA

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Programa de Comunicação Social e Educação Ambiental - PCSEA"

Transcrição

1 Programa de Comunicação Social e Educação Ambiental - PCSEA LICENÇA AMBIENTAL DE INSTALAÇÃO E OPERAÇÃO LAI E LAO Recuperação de Áreas Degradadas Empreendimento: Rua Bertolina May Kechelle, s/n Bairro Mulde Baixa Indaial SC. Indaial, 26 de outubro de 2014.

2 SUMÁRIO 1 Introdução Objetivos Público Alvo Área de Atuação Período de Execução Medidas e Ações Comunicação Social Divulgação Pública e Comunicação com Partes Interessadas Relatórios Periódicos Recursos Materiais e Humanos Educação Ambiental Metodologia... 9 Encerramento ANEXOS... 14

3 1 INTRODUÇÃO Por meio do Programa de Comunicação Social e Educação Ambiental resolverá as demandas de comunicação entre empreendedor e partes interessadas durante a construção e ao longo de todo o ciclo de vida operacional do empreendimento. No mundo atual, a sociedade apresenta se cada vez mais informada e exigente sobre questões que se referem e influenciam o seu bem estar e a sua qualidade de vida. Por outro lado, o mercado cada vez mais competitivo, vem estimulando que as empresas, não se restrinjam ao cumprimento da legislação, mas implantem uma Política de Gestão Ambiental eficiente, considerando ações preventivas a riscos e danos ambientais e à saúde humana. Às empresas que têm como um dos seus princípios a responsabilidade socioambiental, cabe identificar processos que conduzam a uma produção limpa e eficiente, gerenciando resíduos e otimizando o consumo de energia, água e matérias primas, além de manter uma boa relação com o público interno e externo, buscando atender os anseios e ouvindo sugestões propostas. A Lei n 9.795/1999 que dispõe sobre a Educação Ambiental e institui a Política Nacional de Educação Ambiental, no seu Art.3, inciso V incumbe as empresas, entidades de classe, instituições públicas e privadas, a promover programas destinados à capacitação dos trabalhadores visando à melhoria do controle efetivo sobre o meio ambiente de trabalho, bem como o processo produtivo no meio ambiente Neste contexto, compreende-se que a educação ambiental, por incentivar a participação cidadã na prevenção de riscos ambientais e cuidados com o meio ambiente, tem um papel fundamental na implantação da Política de Gestão Ambiental nas empresas. A educação ambiental associada à comunicação permite que todos aqueles que fazem as empresas, entendam e reflitam sobre a importância do seu papel na gestão ambiental, passando a assumir posturas pró ativas que possam contribuir para soluções dos problemas ambientais no âmbito do local de trabalho e fora dele. Experiências têm mostrado que a adoção de programas de educação ambiental e comunicação social pelas empresas tem resultado em melhorias significativas que são traduzidas em otimização de investimentos e respeitabilidade na sociedade e no mercado nacional e internacional.

4 Tomando como base esses fatores, foi elaborado o Programa de Educação Ambiental (PEA), para o aterro sanitário Municipal de Indaial, que contempla os subprogramas de Educação para a Gestão Ambiental e Saúde e Segurança do Trabalho, que devem ser executados de maneira articulada. Assim concebido, devem favorecer estratégias que venham contribuir com a tomada de consciência dos envolvidos, sobre a importância da gestão ambiental participativa para prevenção de riscos ambientais e à saúde humana, minimização de impactos ambientais e melhoria de qualidade ambiental, bem como proporcionar a identificação dos compromissos socioambientais do Município de Indaial, através da divulgação das suas ações, planos, programas e projetos. 2 OBJETIVOS O objetivo do Programa de Comunicação Social e Educação Ambiental é promover ações de cunho educativo junto a diferentes setores da sociedade local de modo a: Conscientizar a população da importância do Saneamento Básico em sua qualidade de vida, e desenvolvimento e na proteção do meio-ambiente; Destacar o importante papel da população para o correto funcionamento dos sistemas mencionados e ensinar procedimentos que o cidadão comum deve adotar; Capacitar sistematicamente o público interno da companhia de modo a atualizar e reciclar conhecimentos e procedimentos; Capacitar em especial as equipes operacionais no que tange a Saúde e Segurança no trabalho; Divulgar informações claras e acessíveis aos públicos externos e internos sobre o empreendimento em suas diferentes fases; Estabelecer estratégias de comunicação social para garantir que as informações sejam bem elaboradas e transmitidas com eficiência, precisão e transparência às partes interessadas;

5 3 PÚBLICO ALVO O público alvo do programa proposto abrange todos os interessados nas questões socioambientais do Município de Indaial advindos de diferentes setores da sociedade organizada: órgãos públicos, empresas privadas, escolas, núcleos sindicais, religiosos, entre outros. 4 ÁREA DE ATUAÇÃO A área de atuação do presente programa é basicamente o Município de Indaial. 5 PERÍODO DE EXECUÇÃO O período de execução coincide, inicialmente, com o período de concessão dos sistemas, mas como é de praxe, ações educativas deverão se prolongar para muito além desse período, sob-responsabilidade do gestor do aterro sanitário. 6 MEDIDAS E AÇÕES 6.1 COMUNICAÇÃO SOCIAL DIVULGAÇÃO PÚBLICA E COMUNICAÇÃO COM PARTES INTERESSADAS Para garantir a transmissão de informação transparente sobre o empreendimento, inicialmente, sobre as atividades de construção e o andamento do cronograma de obras, e depois, sobre as atividades operacionais do PRAD, o Município de Indaial deverá desenvolver um trabalho de comunicação social junto aos diversos públicos-alvo, mediante ações de divulgação pública.

6 Tais ações incluirão, basicamente: A formulação de estratégias e projetos de campanhas de divulgação, de acordo com a finalidade da informação e as características do público-alvo; A realização de reuniões e consultas com partes interessadas, para definição de demandas e ações de comunicação; A programação de inserções de boletins informativos nos veículos de comunicação locais e regionais, tais como rádio, televisão e jornais; A elaboração de material impresso como boletins informativos, cartazes e folders, e sua distribuição em locais estratégicos, como escolas, prefeitura, órgãos públicos, etc. As ações de divulgação e comunicação na fase de construção demandarão um canal de diálogo estreito entre o Município e a Construtora que administrará a obra, a fim de atualizar continuamente os avanços no cronograma físico da construção e na implantação dos programas ambientais de responsabilidade da Construtora, de modo a divulgar dados confiáveis e transparentes. Assim, durante a fase de construção, serão realizadas, principalmente, campanhas de divulgação para o público externo, para informar a população sobre a evolução das obras, desde a etapa inicial de mobilização do canteiro até a finalização dos trabalhos. Os conteúdos informativos deverão focalizar: Os benefícios sociais e econômicos do empreendimento; Os avanços no cronograma físico das obras; Os impactos e riscos associados às fases de construção e operação; Os compromissos de gestão ambiental assumidos pelo empreendedor no âmbito do processo de licenciamento junto à FATMA. Para o público interno, composto pelos funcionários da Construtora e das empresas de montagem eletromecânica, serão realizadas campanhas e palestras para

7 transmitir informações básicas sobre o empreendimento e sobre os cuidados a ser tomado com o meio ambiente, o patrimônio arqueológico, as comunidades do entorno e os aspectos de segurança do trabalho e saúde ocupacional, durante a execução dos procedimentos construtivos. Nesse sentido, o PCS deverá dar o apoio necessário à divulgação de informações e resultados das ações de Gestão Ambiental do empreendimento (interface com o PGA), bem como das medidas/ações implantadas no âmbito dos demais programas ambientais da fase de construção. Durante a fase de operação, os procedimentos básicos de divulgação incluirão: Acompanhamento de notícias sobre o empreendimento nos meios de comunicação (clipping); Veiculação de informações sobre as atividades da Concessionária a públicos externosvia meios de comunicação, incluindo os websites da Prefeitura e da Concessionária,além de jornais, rádio e TV locais; Veiculação de informações e convocações para reuniões (caso necessário) para as comunidades utilizando carros de som; Divulgação de boletins informativos para o público interno. As estratégias de divulgação para os públicos externos na fase de operação deverão privilegiar os resultados das ações da Concessionária, informando: A evolução dos indicadores de saneamento básico no município, mais precisamente, os níveis de atendimento por rede geral de água potável e rede de coleta de esgotos, e níveis de tratamento do esgoto coletado, resultantes dos investimentos da Prefeitura; As ações de educação ambiental desenvolvidas no âmbito do PEA da fase de operação; As ações e resultados dos demais programas ambientais da fase de operação;

8 As parcerias com instituições públicas, ONGs e empresas, e as ações e resultados dos projetos e campanhas realizados; Notícias na mídia (clipping) e novidades referentes a investimentos e ações da Prefeitura na área do saneamento e em outras áreas de interesse público. Para o público interno, o PCS divulgará boletins informativos periódicos ou comunicados isolados, de acordo com as necessidades de comunicação levantadas pela diretoria e pela equipe de engenheiros da Construtora, ou para atender as demandas de comunicação dos demais programas ambientais da fase de operação, tais como: divulgação das ações de Gestão Ambiental; campanhas internas de educação ambiental, prevenção de acidentes no trabalho, prevenção de doenças infecto-contagiosas, economia de água e energia elétrica, etc.; avisos e comunicados em geral, e outras demandas RELATÓRIOS PERIÓDICOS No âmbito do PCS, deverá ser produzido um Relatório de Andamento ao fim de cada semestre, o qual incluirá a descrição de todas as realizações do PCS, incluindo: materiais impressos elaborados; comprovantes de publicidade de reuniões, eventos, palestras, campanhas e boletins informativos na mídia; registros do serviço de atendimento a consultas e reclamações; e registros do canal interno de comunicação entre empresa e funcionários. Boletins informativos de circulação exclusivamente interna poderão ser publicados trimestralmente. Comunicados e avisos avulsos terão periodicidade variável RECURSOS MATERIAIS E HUMANOS Para a realização do Programa de Comunicação Social, será necessário contratar uma empresa ou equipe de profissionais da área social (sociologia, comunicação social,

9 assistência social, publicidade, etc.) com experiência em ações de comunicação em empresas, que integrará a Equipe Técnica de Gestão Ambiental do empreendimento em suas diferentes fases. Esta equipe será responsável por todas as ações do PCS, incluindo a elaboração dos relatórios semestrais. Além disso, o PCS demandará recursos materiais, tais como: telefone/pabx; computadores; impressoras; cartuchos de tinta; maquina fotográfica; filmadora; baterias/pilhas; material de escritório em geral. 6.2 EDUCAÇÃO AMBIENTAL METODOLOGIA Os métodos e as estratégias a serem utilizados no Programa de Educação Ambiental devem considerar o envolvimento e a participação do público que atua diretamente e indiretamente na empresa funcionários, terceirizados, fornecedores e clientes, bem como o público externo, representados pelos diversos segmentos sociais locais do município de Indaial Poder Público, Organizações Comunitárias de Base, Organizações Não-Governamentais e outros setores civis. Para a promoção da integração dos subprogramas faz-se necessária, aos executores, uma leitura técnica integrada dos macro-temas: meio ambiente, saúde humana e segurança do trabalho. Considerando a tipologia do Municipio de Indaial, alguns temas específicos são aqui identificados: Meio ambiente, cidadania, desenvolvimento e qualidade de vida; Saúde e segurança no trabalho; Problemas socioambientais locais e globais, Produção mais limpa; Economia e uso racional da água; Uso das instalações sanitárias;

10 Manutenção de caixas d água; Para a abordagem dos temas, sugerem se as seguintes atividades: Palestras; Oficinas de arte educação ambiental; Eventos comemorativos em datas especiais tais como o Dia Mundial da Água, Dia Mundial do Meio-Ambiente, entre outros; Campanhas em veículos de comunicação; Produção de material educativo impresso e em meio digital. Os materiais de divulgação e de formação oportunizarão a socialização de conhecimentos e a difusão de informações, enaltecendo sempre o valor da participação coletiva. A seguir apresenta-se o detalhamento de cada programa PROGRAMA EDUCAÇÃO PARA GESTÃO AMBIENTAL As atividades propostas para este programa estão associadas a métodos que favorecem o envolvimento e a participação, principalmente do público que atua diretamente na empresa, mas também de outros setores sociais locais, identificados pelos executores do PEA. A condução pedagógica das atividades deve buscar garantir o acesso à informação aos participantes, estimulando-os a refletirem sobre os temas socioambientais internos e externos á empresa SEMANA SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE Tem por objetivo promover ações educativas continuadas que contribuam para a formação da consciência ambiental dos funcionários, estimulando-os a se perceberem

11 como agentes da melhoria das condições ambientais do local onde trabalham e, inclusive, do local onde moram. O projeto prevê a participação articulada da Comissão Gestora do PCEA, no planejamento e execução de um conjunto de atividades: 04 palestras, 02 encontros, 06 vídeos-debate, 01 gincana e 02 concursos de poesias e de desenhos. As atividades serão programadas para um período de um ano priorizarão os seguintes temas: Meio Ambiente e Cidadania; Saúde e Qualidade de Vida no Trabalho; Problemas Ambientais e Alternativas de Soluções; Resíduos Sólidos: prática dos 3Rs e coleta seletiva; Água: cuidar para não faltar; Plástico: usos múltiplos, tipos de plásticos, cadeia produtiva, estratégia de negócios, impactos do plástico no meio ambiente e prevenção e minimização de impactos ambientais. Algumas dessas atividades podem estão relacionadas a datas comemorativas: Dia do Meio Ambiente (05 de junho), Dia da Água (22 de março) Semana da Árvore (última semana de março) e o Dia Mundial da Segurança e Saúde no Trabalho (28 de abril). Para um melhor alcance de resultados das ações, deverão, ser convidados para participarem dos eventos, os funcionários e seus familiares, os terceirizados, clientes, fornecedores, detentos e familiares, além do público externo representado pelos segmentos sociais locais - Poder Público, Organizações Comunitárias de Base, escolas, e Organizações não Governamentais do município de Indaial PROGRAMA DE SAÚDE E SEGURANÇA DO TRABALHO Com a finalidade de promover atividades de saúde laboral e de segurança para os trabalhadores. Informar às autoridades, clientes, funcionários e às comunidades locais sobre as medidas de segurança, proteção e emergências adotadas pelo Municipio de Indaial para situações de riscos à saúde, à segurança e ao meio ambiente, advindos de incidentes relacionados aos processos de instalação do empreendimento, em conformidade com as Normas de Segurança.

12 Os focos principais do subprograma são: a promoção e manutenção da saúde e da segurança dos trabalhadores e da sua capacidade de trabalho e devem está definidos no conjunto da Política de Segurança e Saúde do Trabalho, da instituição. O projeto inclui ações que visam a saúde integral do trabalhador considerando a segurança dos ambientes de trabalho, a prevenção e educação em saúde e os cuidados às doenças do trabalho. O conhecimento e a avaliação dos possíveis perigos e riscos ambientais possibilitarão a elaboração de um Programa de atendimento emergencial para casos de acidentes e incidentes nos empreendimentos, bem como contribuirão para determinar parâmetros de avaliação de saúde geral dos trabalhadores, permitindo o controle de doenças como hipertensão, ergonomia, males causados por sedentarismo, entre outras. As atividades de saúde ocupacional, propostas para o projeto, se caracterizam principalmente por enfocar ações preventivas na área de saúde, não agindo apenas na prevenção de acidentes e doenças profissionais, mas também em práticas que promovam à saúde. Nesse contexto, sugerem se, para compor o projeto as seguintes atividades: Palestras sobre os temas: Meio Ambiente e Saúde, Comportamento Alimentar, Doação de Sangue, Estresse e Depressão, Higiene e Saúde, LER/ DORT Distúrbios Osteomusculares Relacionados ao Trabalho, DST - Doenças Sexualmente Transmissíveis, Segurança no Trabalho: cuidados com o uso de materiais perigosos, proteção contra incêndios e atendimento às emergências; Sessões de Ginástica Laboral, com o objetivo de proporcionar bem-estar físico e diminuir níveis de desconforto e fadiga nos empregados; Treinamentos de Emergências: associado ao uso adequado de equipamentos de segurança e realizado para todos que trabalham nos empreendimentos. Tem como objetivo evitar e/ou minimizar riscos ao meio ambiente, instalações e pessoas. O responsável pela execução deste Programa de mitigação é do Municipio de Indaial diretamente ou através de empresa contratada.

13

14 ANEXOS T O P O G R A F IA

15

CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM MARKETING (Extrato do Projeto Pedagógico)

CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM MARKETING (Extrato do Projeto Pedagógico) CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM MARKETING (Extrato do Projeto Pedagógico) PERFIL PROFISSIONAL DO EGRESSO São habilidades e competências gerais trabalhadas no projeto pedagógico: Visão Holística e Cultural:

Leia mais

4.21 - Programa de Apoio a Infraestrutura Local... 1/7

4.21 - Programa de Apoio a Infraestrutura Local... 1/7 2935-01-EIA-RL-0001-00 LT 500 KV GILBUÉS II - OUROLÂNDIA II ÍNDICE... 1/7 4.21.1 - Objetivos... 1/7 4.21.2 - Justificativas... 1/7 4.21.3 - Metas... 2/7 4.21.4 - Metodologia... 2/7 4.21.5 - Público-alvo...

Leia mais

PROGRAMA DE GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS SÓLIDOS DE IJUÍ PROPOSTA PRELIMINAR - 2007

PROGRAMA DE GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS SÓLIDOS DE IJUÍ PROPOSTA PRELIMINAR - 2007 PROGRAMA DE GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS SÓLIDOS DE IJUÍ PROPOSTA PRELIMINAR - 2007 APRESENTAÇÃO DA PROPOSTA A presente proposta articula um conjunto de sugestões, cenários e arranjos institucionais e sociais,

Leia mais

MA160.MA.77/RT.001 3.18. PROGRAMA DE ATENDIMENTO MÉDICO SANITÁRIO PARA A POPULAÇÃO RESIDENTE NA AID

MA160.MA.77/RT.001 3.18. PROGRAMA DE ATENDIMENTO MÉDICO SANITÁRIO PARA A POPULAÇÃO RESIDENTE NA AID 3.18. PROGRAMA DE ATENDIMENTO MÉDICO SANITÁRIO PARA A POPULAÇÃO RESIDENTE NA AID 3.18.1. Introdução O quadro de saúde da região da área de influência direta do empreendimento traduzido pelas condições

Leia mais

EDUCAÇÃO AMBIENTAL NA EMPRESA

EDUCAÇÃO AMBIENTAL NA EMPRESA EDUCAÇÃO AMBIENTAL NA EMPRESA 1 MÁRIO GOMES FILHO Graduação: Engenharia Civil - 1983 Pós : Educação Ambiental 1999 Pós : Gestão Ambiental 2002 2 A empresa Sabesp - Companhia de Saneamento Básico do Estado

Leia mais

Questionário de Levantamento de Informações

Questionário de Levantamento de Informações Questionário de Levantamento de Informações Critérios para Inclusão de Empresas no Fundo Ethical 1 INTRODUÇÃO Nos últimos anos se observou um aumento significativo da preocupação das empresas com questões

Leia mais

RELATÓRIO EXECUTIVO DAS AÇÕES DOS PROGRAMAS DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL E COMUNICAÇÃO SOCIAL COMPANHIA DOCAS DO ESPÍRITO SANTO CODESA

RELATÓRIO EXECUTIVO DAS AÇÕES DOS PROGRAMAS DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL E COMUNICAÇÃO SOCIAL COMPANHIA DOCAS DO ESPÍRITO SANTO CODESA RELATÓRIO EXECUTIVO DAS AÇÕES DOS PROGRAMAS DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL E COMUNICAÇÃO SOCIAL COMPANHIA DOCAS DO ESPÍRITO SANTO CODESA Vitória Agosto/2015 a de Educação Ambiental e Relatório Executivo das Ações

Leia mais

5.4. Programa de Comunicação Social. Revisão 00 NOV/2013. PCH Jacaré Plano de Controle Ambiental - PCA PROGRAMAS AMBIENTAIS

5.4. Programa de Comunicação Social. Revisão 00 NOV/2013. PCH Jacaré Plano de Controle Ambiental - PCA PROGRAMAS AMBIENTAIS PROGRAMAS AMBIENTAIS 5.4 Programa de Comunicação Social NOV/2013 CAPA ÍNDICE GERAL 1. Introdução... 1 1.1. Ações já Realizadas... 2 2. Justificativa... 3 3. Objetivos... 4 4. Área de Abrangência... 4

Leia mais

SERÁ ENCAMINHADO AO CONSELHO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO O NOVO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM MATERIAIS, COM INÍCIO PREVISTO PARA 2008

SERÁ ENCAMINHADO AO CONSELHO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO O NOVO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM MATERIAIS, COM INÍCIO PREVISTO PARA 2008 SERÁ ENCAMINHADO AO CONSELHO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO O NOVO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM MATERIAIS, COM INÍCIO PREVISTO PARA 2008 CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM MATERIAIS PROJETO PEDAGÓGICO I OBJETIVOS

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA PARA ELABORAÇÃO DE ESTUDO DE VIABILIDADE AMBIENTAL - EVA

TERMO DE REFERÊNCIA PARA ELABORAÇÃO DE ESTUDO DE VIABILIDADE AMBIENTAL - EVA TERMO DE REFERÊNCIA PARA ELABORAÇÃO DE ESTUDO DE VIABILIDADE AMBIENTAL - EVA 1. OBJETIVO GERAL As instruções técnicas contidas no presente Termo de Referência objetivam estabelecer os procedimentos e os

Leia mais

Diretrizes para programas de leitura organizados por bibliotecas - algumas sugestões práticas

Diretrizes para programas de leitura organizados por bibliotecas - algumas sugestões práticas Diretrizes para programas de leitura organizados por bibliotecas - algumas sugestões práticas Introdução A Seção de Leitura da IFLA tem o prazer de apresentar algumas sugestões práticas para as bibliotecas

Leia mais

Projeto Básico Ambiental (PBA) UHE Teles Pires

Projeto Básico Ambiental (PBA) UHE Teles Pires UHE Teles Pires P.41 - Programa de Interação e Comunicação Social Equipe Responsável pela Elaboração do Programa Responsável Registro Cadastro Técnico Profissional Federal IBAMA Ana Maria Iversson DRT

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA PARA PROGRAMA DE COMUNICAÇÃO SOCIAL NO PROCESSO DE LICENCIAMENTO AMBIENTAL DO ESTADO DE MATO GROSSO DO SUL

TERMO DE REFERÊNCIA PARA PROGRAMA DE COMUNICAÇÃO SOCIAL NO PROCESSO DE LICENCIAMENTO AMBIENTAL DO ESTADO DE MATO GROSSO DO SUL TERMO DE REFERÊNCIA PARA PROGRAMA DE COMUNICAÇÃO SOCIAL NO PROCESSO DE LICENCIAMENTO AMBIENTAL DO ESTADO DE MATO GROSSO DO SUL O presente Termo de Referência visa orientar e fornecer subsídios para a elaboração

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA PARA EDUCAÇÃO AMBIENTAL NÃO FORMAL 1 NO PROCESSO DE LICENCIAMENTO AMBIENTAL DO ESTADO DE MINAS GERAIS

TERMO DE REFERÊNCIA PARA EDUCAÇÃO AMBIENTAL NÃO FORMAL 1 NO PROCESSO DE LICENCIAMENTO AMBIENTAL DO ESTADO DE MINAS GERAIS 1 TERMO DE REFERÊNCIA PARA EDUCAÇÃO AMBIENTAL NÃO FORMAL 1 NO PROCESSO DE LICENCIAMENTO AMBIENTAL DO ESTADO DE MINAS GERAIS O presente Termo de Referência visa a orientar a elaboração de programas de educação

Leia mais

Mensagem do Presidente

Mensagem do Presidente Mensagem do Presidente A PISOAG DO BRASIL está no mercado desde 1980, atuando com empresas nacionais e internacionais dos mais diversos segmentos, com qualidade, tecnologia e o elevado padrão de responsabilidade

Leia mais

PACTO GLOBAL DAS NAÇÕES UNIDAS COP - COMUNICADO DE PROGRESSO 2015. AX0003/00-Q5-RL-1001-15 Rev. 0 < MAIO 2015> ELABO.: SBMo VERIF.: CF APROV.

PACTO GLOBAL DAS NAÇÕES UNIDAS COP - COMUNICADO DE PROGRESSO 2015. AX0003/00-Q5-RL-1001-15 Rev. 0 < MAIO 2015> ELABO.: SBMo VERIF.: CF APROV. PACTO GLOBAL DAS NAÇÕES UNIDAS COP - COMUNICADO DE PROGRESSO 2015 AX0003/00-Q5-RL-1001-15 Rev. 0 < MAIO 2015> ELABO.: SBMo VERIF.: CF APROV.: CK AX0003/00-Q5-RL-1001-15 2 ÍNDICE PÁG. 1 - INTRODUÇÃO...

Leia mais

UHE SANTO ANTÔNIO DE JARI

UHE SANTO ANTÔNIO DE JARI UHE SANTO ANTÔNIO DE JARI PLANO DE TRABALHO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL PCS Plano de Trabalho ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO... 1 2. OBJETIVO... 1 2.1. Objetivos Específicos... 1 3. PÚBLICO ALVO... 2 4. METAS... 2 5.

Leia mais

Capacitação de Usuários no uso de Sistemas de Informação

Capacitação de Usuários no uso de Sistemas de Informação Capacitação de Usuários no uso de Sistemas de Informação Projeto Básico (pdf) A Gerência de Sistemas GESIS, da Gerência Geral de Gestão do Conhecimento e Documentação- GGCON, tem como objetivo Implantar

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE VOLTA REDONDA SECRETARIA MUNICIPAL DE PLANEJAMENTO DEPARTAMENTO DE ORÇAMENTO E CONTROLE PROGRAMA Nº- 250

PREFEITURA MUNICIPAL DE VOLTA REDONDA SECRETARIA MUNICIPAL DE PLANEJAMENTO DEPARTAMENTO DE ORÇAMENTO E CONTROLE PROGRAMA Nº- 250 PROGRAMA Nº- 250 QUALIFICAÇÃO E CAPACITAÇÃO DE PROFISSIONAIS E DEPENDENTES QUÍMICOS SUB-FUNÇÃO: 244 ASSISTÊNCIA COMUNITÁRIA Realizar Cursos de Capacitação para Profissionais que atuam na área de reabilitação

Leia mais

NORMA ISO 14004. Sistemas de Gestão Ambiental, Diretrizes Gerais, Princípios, Sistema e Técnicas de Apoio

NORMA ISO 14004. Sistemas de Gestão Ambiental, Diretrizes Gerais, Princípios, Sistema e Técnicas de Apoio Página 1 NORMA ISO 14004 Sistemas de Gestão Ambiental, Diretrizes Gerais, Princípios, Sistema e Técnicas de Apoio (votação 10/02/96. Rev.1) 0. INTRODUÇÃO 0.1 Resumo geral 0.2 Benefícios de se ter um Sistema

Leia mais

MANUAL DE RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL

MANUAL DE RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL MANUAL DE RESPONSABILIDADE Definição: A responsabilidade socioambiental é a responsabilidade que uma empresa ou organização tem com a sociedade e com o meio ambiente além das obrigações legais e econômicas.

Leia mais

Instruções Específicas para Desenvolvimento de Trabalho Social em Intervenções de Urbanização de Assentamentos Precários

Instruções Específicas para Desenvolvimento de Trabalho Social em Intervenções de Urbanização de Assentamentos Precários MININSTÉRIO DAS CIDADES Secretaria Nacional de Habitação Instruções Específicas para Desenvolvimento de Trabalho Social em Intervenções de Urbanização de Assentamentos Precários Programa: Urbanização Regularização

Leia mais

TÍTULO: PROJETO DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL NA FACULDADE ANHANGUERA DE ANÁPOLIS

TÍTULO: PROJETO DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL NA FACULDADE ANHANGUERA DE ANÁPOLIS TÍTULO: PROJETO DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL NA FACULDADE ANHANGUERA DE ANÁPOLIS CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E SAÚDE SUBÁREA: FARMÁCIA INSTITUIÇÃO: FACULDADE ANHANGUERA DE ANÁPOLIS AUTOR(ES):

Leia mais

MANUAL DE CONTROLES INTERNOS

MANUAL DE CONTROLES INTERNOS 1. INTRODUÇÃO Entende-se como responsabilidade socioambiental, no âmbito da Magliano SA CCVM, o processo contínuo de: Respeito e proteção aos direitos humanos por meio da promoção de diversidade, inclusão

Leia mais

EDUCAÇÃO PARA O TRÂNSITO

EDUCAÇÃO PARA O TRÂNSITO EDUCAÇÃO PARA O TRÂNSITO Neste ciclo, o projeto é desenvolvido de forma integrada, a partir de um tema as áreas de conhecimento do currículo escolar devem contribuir com seus conteúdos e metodologias no

Leia mais

7. PLANO DE CONTROLE E MONITORAMENTO AMBIENTAL 7.1. PROGRAMA DE PROTEÇÃO DO TRABALHADOR E SEGURANÇA DO AMBIENTE DE TRABALHO

7. PLANO DE CONTROLE E MONITORAMENTO AMBIENTAL 7.1. PROGRAMA DE PROTEÇÃO DO TRABALHADOR E SEGURANÇA DO AMBIENTE DE TRABALHO 7. PLANO DE CONTROLE E MONITORAMENTO AMBIENTAL O plano de controle e monitoramento técnico e ambiental tem como objetivo propor soluções para controlar e/ou atenuar os impactos ambientais adversos gerados

Leia mais

RESÍDUOS DA CONSTRUÇÃO CIVIL FICÇÃO E REALIDADE

RESÍDUOS DA CONSTRUÇÃO CIVIL FICÇÃO E REALIDADE RESÍDUOS DA CONSTRUÇÃO CIVIL FICÇÃO E REALIDADE NÚMEROS RCC => 1,50kg/hab/dia RCC => 0,10m³/m² de construção Densidade RCC = 1,20T/m³ 45% dos resíduos de uma cidade RCC classe A = 90% do total de RCC 75%

Leia mais

GUIA RÁPIDO DO CURSO TÉCNICO EM SEGURANÇA DO TRABALHO

GUIA RÁPIDO DO CURSO TÉCNICO EM SEGURANÇA DO TRABALHO UNIVERSIDADE ANHEMBI MORUMBI A Universidade Anhembi Morumbi foi criada em 1970 com o intuito de oferecer o primeiro curso superior de Turismo. Na década de 80, amplia sua oferta de cursos em diferentes

Leia mais

Tabela para classificação de ações de extensão

Tabela para classificação de ações de extensão Tabela para classificação de ações de extensão Linha de Extensão 1. Alfabetização, leitura e escrita Formas mais freqüentes de operacionalização Alfabetização e letramento de crianças, jovens e adultos;

Leia mais

2 - PROGRAMA DE COMUNICAÇÃO SOCIAL 2.1 SUBPROGRAMA DE COMUNICAÇÃO SOCIAL 2.1.1 - JUSTIFICATIVAS

2 - PROGRAMA DE COMUNICAÇÃO SOCIAL 2.1 SUBPROGRAMA DE COMUNICAÇÃO SOCIAL 2.1.1 - JUSTIFICATIVAS 2 - PROGRAMA DE COMUNICAÇÃO SOCIAL 2.1 SUBPROGRAMA DE COMUNICAÇÃO SOCIAL 2.1.1 - JUSTIFICATIVAS A implantação da Ferrovia poderá gerar inquietação, expectativa e demandas entre os diversos segmentos da

Leia mais

17 a 20 de agosto de 2010, Rio de Janeiro. Sustentabilidade Mariana Thozo Vieira

17 a 20 de agosto de 2010, Rio de Janeiro. Sustentabilidade Mariana Thozo Vieira 17 a 20 de agosto de 2010, Rio de Janeiro Sustentabilidade Mariana Thozo Vieira Panorama Geral Cidade: Mirassol/SP; População: 55.000 habitantes; Concessão Plena de Água e Esgoto - 30 anos, iniciada em

Leia mais

NORMA GERAL AMBIENTAL. Tipo de Atividade: Meio Ambiente

NORMA GERAL AMBIENTAL. Tipo de Atividade: Meio Ambiente NGL-5.3.1-16.27 1 / 18 Sumário 1. MOTIVAÇÃO...2 2. OBJETIVOS...3 2.1. Objetivo Geral...3 2.2. Objetivos Específicos...3 3. ASPECTOS LEGAIS...5 4. DIRETRIZES...6 4.1. Orientação...6 4.2. Procedimentos...6

Leia mais

PLANO DE DESENVOLVIMENTO DO APL CONSTRUÇÃO CIVIL NO ESPÍRITO SANTO 2010/2014

PLANO DE DESENVOLVIMENTO DO APL CONSTRUÇÃO CIVIL NO ESPÍRITO SANTO 2010/2014 PLANO DE DESENVOLVIMENTO DO APL CONSTRUÇÃO CIVIL NO ESPÍRITO SANTO 2010/2014 RESUMO 1. APRESENTAÇÃO Com a missão de promover ações para o fortalecimento do segmento da construção civil no Espírito Santo,

Leia mais

MANUAL INTEGRADO DOS SISTEMAS DO MEIO AMBIENTE E DE SAÚDE OCUPACIONAL E SEGURANÇA (EHS)

MANUAL INTEGRADO DOS SISTEMAS DO MEIO AMBIENTE E DE SAÚDE OCUPACIONAL E SEGURANÇA (EHS) 1/20 DO MEIO AMBIENTE E DE SAÚDE Emitido pelo Coordenador de EHS Luis Fernando Rocha Aguiar Aprovado pela Gerência da Usina de Itaúna Valério Toledo de Oliveira 2/20 Índice: 1 Objetivo e campo de aplicação

Leia mais

POLÍTICA DE DESENVOLVIMENTO SOCIAL

POLÍTICA DE DESENVOLVIMENTO SOCIAL POLÍTICA DE DESENVOLVIMENTO SOCIAL Outubro de 2008 1 INTRODUÇÃO A Política de Desenvolvimento Social formaliza e orienta o compromisso da PUCRS com o desenvolvimento social. Coerente com os valores e princípios

Leia mais

PROPRIEDADE REGISTRADA. O que fazer para alcançar ar o Desenvolvimento Empresarial Sustentável?

PROPRIEDADE REGISTRADA. O que fazer para alcançar ar o Desenvolvimento Empresarial Sustentável? . O que fazer para alcançar ar o Desenvolvimento Empresarial Sustentável? . Conceitos: Responsabilidade Social Ecoeficiência Conceitos Responsabilidade Social - é a relação ética e transparente da organização

Leia mais

COMPROMISSO HONESTIDADE PARCERIA TRANSPARÊNCIA CÓDIGO DE ÉTICA INTEGRIDADE VALORES RESPEITO SUCESSO. Versão 01-13

COMPROMISSO HONESTIDADE PARCERIA TRANSPARÊNCIA CÓDIGO DE ÉTICA INTEGRIDADE VALORES RESPEITO SUCESSO. Versão 01-13 COMPROMISSO HONESTIDADE PARCERIA TRANSPARÊNCIA CÓDIGO DE ÉTICA INTEGRIDADE VALORES RESPEITO SUCESSO Versão 01-13 1 C Ó D I G O D E É T I C A Introdução A ÉTICA é o ideal de conduta humana, desenvolvido

Leia mais

Sustentabilidade em energia e o concreto. Sonia Maria Capraro Alcântara, MSc

Sustentabilidade em energia e o concreto. Sonia Maria Capraro Alcântara, MSc Sustentabilidade em energia e o concreto Sonia Maria Capraro Alcântara, MSc RESPONSABILIDADE SOCIAL EMPRESARIAL GRI IBASE Responsabilidade Social & Sustentabilidade Empresarial 1999 2001 a 2003 2006 AÇÃO

Leia mais

Ações de extensão, áreas temáticas e linhas de extensão mais relacionadas com o Curso de Ciências Biológicas

Ações de extensão, áreas temáticas e linhas de extensão mais relacionadas com o Curso de Ciências Biológicas Ações de extensão, áreas temáticas e linhas de extensão mais relacionadas com o Curso de Ciências Biológicas 1. AÇÕES DE EXTENSÃO São consideradas ações de extensão os programas, projetos, cursos, eventos,

Leia mais

Carta de Adesão à Iniciativa Empresarial e aos 10 Compromissos da Empresa com a Promoção da Igualdade Racial - 1

Carta de Adesão à Iniciativa Empresarial e aos 10 Compromissos da Empresa com a Promoção da Igualdade Racial - 1 Carta de Adesão à Iniciativa Empresarial pela Igualdade Racial e à sua agenda de trabalho expressa nos 10 Compromissos da Empresa com a Promoção da Igualdade Racial 1. Considerando que a promoção da igualdade

Leia mais

22o. Prêmio Expressão de Ecologia

22o. Prêmio Expressão de Ecologia 22o. Prêmio Expressão de Ecologia 2014-2015 Página da Prefeitura Lançando o Selo Verde Apresentação para Empreendedore e Interessados do Selo Verde Página da Prefeitura Lançando o Selo Verde Selo Verde

Leia mais

MODELO PARA ENVIO DE CONTRIBUIÇÕES REFERENTE À CONSULTA PÚBLICA Nº 019/2014

MODELO PARA ENVIO DE CONTRIBUIÇÕES REFERENTE À CONSULTA PÚBLICA Nº 019/2014 MODELO PARA ENVIO DE CONTRIBUIÇÕES REFERENTE À CONSULTA PÚBLICA Nº 019/2014 NOME DA INSTITUIÇÃO: COPEL DISTRIBUIÇÃO AGÊNCIA NACIONAL DE ENERGIA ELÉTRICA ANEEL ATO REGULATÓRIO: CONSULTA PÚBLICA N 019/2014

Leia mais

Evento de extensão do dia 29/09/2012

Evento de extensão do dia 29/09/2012 PROGRAMA DE ETENSÃO UNIVERSITÁRIA: UNIVERSIDADE A SERVIÇO DA SOCIEDADE Autores: alunos da Especialização em Docência do Ensino Universitário Professora Organizadora: Drª Andréia Cristina Fregate Baraldi

Leia mais

PACTO GLOBAL RELATÓRIO DE SUSTENTABILIDADE

PACTO GLOBAL RELATÓRIO DE SUSTENTABILIDADE PACTO GLOBAL RELATÓRIO DE SUSTENTABILIDADE PACTO GLOBAL Lançado em 2000, o Pacto Global das Nações Unidas constitui uma convocação às empresas de todo o mundo para que alinhem suas estratégicas e operações

Leia mais

Cidadania Global na HP

Cidadania Global na HP Cidadania Global na HP Mensagem abrangente Com o alcance global da HP, vem sua responsabilidade global. Levamos a sério nossa função como ativo econômico, intelectual e social para as Comunidades em que

Leia mais

Gestão acadêmica de programas de pós-graduação com o SIGAA

Gestão acadêmica de programas de pós-graduação com o SIGAA EMENTAS A) Eventos de Capacitação do Ambiente Administrativo Aquisição de materiais e serviços Identificar métodos de aquisição de materiais e serviços, utilizando as ferramentas disponíveis no SIPAC.

Leia mais

PATRUS ANANIAS DE SOUZA Ministro de Estado do Desenvolvimento Social e Combate à Fome

PATRUS ANANIAS DE SOUZA Ministro de Estado do Desenvolvimento Social e Combate à Fome apresentação do programa Brasília, maio 2007 PATRUS ANANIAS DE SOUZA Ministro de Estado do Desenvolvimento Social e Combate à Fome ONAUR RUANO Secretário Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional CRISPIM

Leia mais

Renata Filardi/BRA/VERITAS18/10/2006 ÍNDICE: 1 INTRODUÇÃO 1.1 ESCOPO MANUAL 1.2 VISÃO E MISSÃO DO BUREAU VERITAS 1.2.2 - VISÃO 1.2.

Renata Filardi/BRA/VERITAS18/10/2006 ÍNDICE: 1 INTRODUÇÃO 1.1 ESCOPO MANUAL 1.2 VISÃO E MISSÃO DO BUREAU VERITAS 1.2.2 - VISÃO 1.2. Aprovado ' Elaborado por Renata Filardi/BRA/VERITAS em 18/10/2006 Verificado por Renato Catrib/BRA/VERITAS em 18/10/2006 Aprovado por Renato Catrib/BRA/VERITAS em 18/10/2006 ÁREA DGL Tipo MANUAL Número

Leia mais

PROJETO 3R é JOIA Rogério Dias Regazzi & Silvia Blumberg. Case Agenda Ambiental Água e Resíduos

PROJETO 3R é JOIA Rogério Dias Regazzi & Silvia Blumberg. Case Agenda Ambiental Água e Resíduos PROJETO 3R é JOIA Rogério Dias Regazzi & Silvia Blumberg Case Agenda Ambiental Água e Resíduos Subprojetos ou Famílias: Amor Concreto / Canteiro de Jóias / A Jóia do Lixo / O resíduo é Jóia / Ser Responsável

Leia mais

5.2. Programa de Mobilização e Desmobilização da Mão de Obra. Revisão 00 NOV/2013

5.2. Programa de Mobilização e Desmobilização da Mão de Obra. Revisão 00 NOV/2013 PROGRAMAS AMBIENTAIS 5.2 Programa de Mobilização e Desmobilização da Mão de Obra CAPA ÍNDICE GERAL 1. Introdução... 1 1.1. Ações já realizadas... 2 2. Justificativa... 6 3. Objetivos... 8 4. Área de abrangência...

Leia mais

Relatório de Educação Ambiental Canteiro de Obras

Relatório de Educação Ambiental Canteiro de Obras APROVEITAMENTO HIDRELÉTRICO JIRAU AHE JIRAU Relatório de Educação Ambiental Canteiro de Obras 1º SEMESTRE ENESA ENGENHARIA LTDA 088 - UHE-JIRAU PORTO VELHO-RO 1 Sumário 1.0 INTRODUÇÃO... 3 2.0 ATIVIDADES

Leia mais

Termo de Referência para Elaboração de Plano de Gestão de Praça do PAC modelo de 3000m 2

Termo de Referência para Elaboração de Plano de Gestão de Praça do PAC modelo de 3000m 2 MINISTÉRIO DA CULTURA Diretoria de Infraestrutura Cultural Secretaria Executiva Termo de Referência para Elaboração de Plano de Gestão de Praça do PAC modelo de 3000m 2 1. Objetivos A Praça do PAC é de

Leia mais

Realizado de 25 a 31 de julho de 2010. Porto Alegre - RS, 2010. ISBN 978-85-99907-02-3

Realizado de 25 a 31 de julho de 2010. Porto Alegre - RS, 2010. ISBN 978-85-99907-02-3 DIMENSÕES DE SUSTENTABILIDADE NOS PROGRAMAS DE COLETA SELETIVA DE RESÍDUOS SÓLIDOS. Márcio José Celeri Doutorando em Geografia da UNESP/Rio Claro marcioceleri@yahoo.com.br Ana Tereza Cáceres Cortez Docente

Leia mais

GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS SÓLIDOS - A IMPORTÂNCIA DA EDUCAÇÃO AMBIENTAL NO PROCESSO DE IMPLANTAÇÃO DA COLETA SELETIVA DE LIXO O CASO DE IJUÍ/RS 1

GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS SÓLIDOS - A IMPORTÂNCIA DA EDUCAÇÃO AMBIENTAL NO PROCESSO DE IMPLANTAÇÃO DA COLETA SELETIVA DE LIXO O CASO DE IJUÍ/RS 1 GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS SÓLIDOS - A IMPORTÂNCIA DA EDUCAÇÃO AMBIENTAL NO PROCESSO DE IMPLANTAÇÃO DA COLETA SELETIVA DE LIXO O CASO DE IJUÍ/RS 1 Juliana Carla Persich 2, Sérgio Luís Allebrandt 3. 1 Estudo

Leia mais

Profa.ª Zenaide Campos Escola Municipal Prof. ª Noilde Pessoa Ramalho - Natal/RN

Profa.ª Zenaide Campos Escola Municipal Prof. ª Noilde Pessoa Ramalho - Natal/RN Profa.ª Zenaide Campos Escola Municipal Prof. ª Noilde Pessoa Ramalho - Natal/RN Escolas Sustentáveis... Novas ações, novos hábitos, novas atitudes Escolas sustentáveis: aquelas que mantêm relação equilibrada

Leia mais

Plano Básico Ambiental - PBA. Estrada Parque Visconde de Mauá - RJ-163 / RJ-151. Novembro de 2009

Plano Básico Ambiental - PBA. Estrada Parque Visconde de Mauá - RJ-163 / RJ-151. Novembro de 2009 - PBA Estrada Parque Visconde de Mauá - RJ-163 / RJ-151 4.8 - Programa de Comunicação e Responsabilidade Social - PCRS Elaborado por: SEOBRAS Data: 18/11/2009 Revisão Emissão Inicial INDÍCE 4.8 Programa

Leia mais

Pós graduação EAD Área de Educação

Pós graduação EAD Área de Educação Pós graduação EAD Área de Educação Investimento: a partir de R$ 109,00 mensais. Tempo de realização da pós graduação: 15 meses Investimento: R$109,00 (acesso ao portal na internet e livros em PDF). Ou

Leia mais

Educação Ambiental Projeto 2013 Estrutura

Educação Ambiental Projeto 2013 Estrutura Educação Ambiental Projeto 2013 Estrutura Metodologia O projeto será realizado em Escolas Municipais do Município de Santos (SP), sendo voltado para alunos do Ensino Fundamental. Serão ministradas palestras

Leia mais

PROPOSTA DE AÇÕES PARA ELABORAÇÃO DO PLANO ESTADUAL DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA

PROPOSTA DE AÇÕES PARA ELABORAÇÃO DO PLANO ESTADUAL DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA PROPOSTA DE AÇÕES PARA ELABORAÇÃO DO PLANO ESTADUAL DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA Proposta de ações para elaboração do Plano Estadual da Pessoa com Deficiência Objetivo Geral: Contribuir para a implementação

Leia mais

Plano de Gerenciamento de Resíduos Sólidos. - Instrumento da PNRS -

Plano de Gerenciamento de Resíduos Sólidos. - Instrumento da PNRS - Plano de Gerenciamento de Resíduos Sólidos - Instrumento da PNRS - VISÃO para os Planos : 1 - conjunto de ações voltadas para a busca de soluções 2 - considerar as dimensões política, econômica, ambiental,

Leia mais

MANUAL DO CANDIDATO. Processo Seletivo 2013 CURSOS TÉCNICOS PRESENCIAIS 2 SEMESTRE

MANUAL DO CANDIDATO. Processo Seletivo 2013 CURSOS TÉCNICOS PRESENCIAIS 2 SEMESTRE MANUAL DO CANDIDATO Processo Seletivo 2013 CURSOS TÉCNICOS PRESENCIAIS 2 SEMESTRE APRESENTAÇÃO Neste Manual, desenvolvido pela Comissão de Processo Seletivo (COPESE) do Instituto Federal de Educação, Ciência

Leia mais

Padrão de Desempenho 1: Sistemas de Gerenciamento e Avaliação Socioambiental

Padrão de Desempenho 1: Sistemas de Gerenciamento e Avaliação Socioambiental Introdução 1. O Padrão de Desempenho 1 destaca a importância do gerenciamento do desempenho socioambiental durante o ciclo de um projeto (qualquer atividade comercial sujeita a avaliação e administração).

Leia mais

EDITAL PARA SELEÇÃO DE PROJETOS SOCIAIS 2014

EDITAL PARA SELEÇÃO DE PROJETOS SOCIAIS 2014 EDITAL PARA SELEÇÃO DE PROJETOS SOCIAIS 2014 1. DO OBJETO 1.1. O presente edital tem por objeto realizar uma chamada pública nacional para seleção de projetos sociais. O edital destina-se às organizações

Leia mais

PLANO DE AULA DO PROCESSO SELETIVO DOCENTE GERAL (PSD-G) 2012.2

PLANO DE AULA DO PROCESSO SELETIVO DOCENTE GERAL (PSD-G) 2012.2 ANEXO AO MODELO DO PLANO DE AULA DO (PSD-G) 2012.2 ARQUITETURA E URBANISMO Graduar arquitetos e urbanistas com uma sólida formação humana, técnico-científica e profissional, que sejam capazes de transformar

Leia mais

MELHORIA DA INFRAESTRUTURA FÍSICA ESCOLAR

MELHORIA DA INFRAESTRUTURA FÍSICA ESCOLAR MELHORIA DA INFRAESTRUTURA FÍSICA ESCOLAR Este projeto visa investir na melhoria da infraestrutura escolar, por meio de construção, ampliação e reforma, bem como dotá-las com equipamentos e mobiliários

Leia mais

Edital 02/2015 Seleção de Projetos Comunitários 2016

Edital 02/2015 Seleção de Projetos Comunitários 2016 UNIVERSIDADE LUTERANA DO BRASIL PRÓ-REITORIA ACADÊMICA ASSOCIAÇÃO EDUCACIONAL LUTERANA DO BRASIL AELBRA. Reconhecida pela Portaria Ministerial n.º 681 de 07/12/89 D.O.U. de 11/12/89 Edital 02/2015 Seleção

Leia mais

relatório de SUSTENTABILIDADE

relatório de SUSTENTABILIDADE relatório de SUSTENTABILIDADE 2015 2015 relatório de SUSTENTABILIDADE O Pacto Global é uma iniciativa desenvolvida pelo ex secretário-geral da ONU, Kofi Annan, com o objetivo de mobilizar a comunidade

Leia mais

ROTEIRO PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS

ROTEIRO PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS ROTEIRO PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS Introdução Independentemente do nível de experiência da proponente na elaboração de projetos, o Instituto Cooperforte empresta apoio, orientação e subsídios às Instituições

Leia mais

Marketing/Vendas. Financeiro/Controladoria. Recursos Humanos e área Corporativa (por ex.. estratégia, comunicação) Outros

Marketing/Vendas. Financeiro/Controladoria. Recursos Humanos e área Corporativa (por ex.. estratégia, comunicação) Outros Favor indicar sua função na empresa: 54% N=107 5% 11% 2% 12% 16% P&D Marketing/Vendas Produção Financeiro/Controladoria Recursos Humanos e área Corporativa (por ex.. estratégia, comunicação) Outros Outros:

Leia mais

PROGRAMA DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL NAS ESCOLAS.

PROGRAMA DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL NAS ESCOLAS. PROGRAMA DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL NAS ESCOLAS. O Programa de Educação Ambiental nas Escolas terá como marcos norteadores: - A educação ambiental contida na Política Nacional de Educação Ambiental (PNEA),

Leia mais

CONCURSO SOCIOAMBIENTAL FENABB 2011 RECURSOS SOLÍDOS AQUECEDOR SOLAR COM MATERIAIS RECICLAVEIS

CONCURSO SOCIOAMBIENTAL FENABB 2011 RECURSOS SOLÍDOS AQUECEDOR SOLAR COM MATERIAIS RECICLAVEIS CONCURSO SOCIOAMBIENTAL FENABB 2011 RECURSOS SOLÍDOS AQUECEDOR SOLAR COM MATERIAIS RECICLAVEIS Tapera-RS 2012 1. IDENTIFICAÇÃO 1.1. NOME DA AABB: Programa AABB Comunidade Tapera 1.2. TÍTULO: Aquecedor

Leia mais

PLANO DE GESTÃO DE LOGÍSTICA SUSTENTÁVEL

PLANO DE GESTÃO DE LOGÍSTICA SUSTENTÁVEL PLANO DE GESTÃO DE LOGÍSTICA SUSTENTÁVEL Comissão Gestora do Plano de Gestão de Logística Sustentável Rodovia CE 292, KM 15, Gisélia Pinheiro - CEP 63.115-500 - Crato - Ceará Fone (88) 3586 8100 1. Introdução

Leia mais

Edital de seleção para formação em gestão de Organizações da Sociedade Civil Fundação Tide Setubal 2011

Edital de seleção para formação em gestão de Organizações da Sociedade Civil Fundação Tide Setubal 2011 Edital de seleção para formação em gestão de Organizações da Sociedade Civil Fundação Tide Setubal 2011 INTRODUÇÃO A Fundação Tide Setubal nasce em 2005 para ressignificar e inovar o trabalho pioneiro

Leia mais

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA Gabinete de Consultoria Legislativa

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA Gabinete de Consultoria Legislativa ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA Gabinete de Consultoria Legislativa LEI Nº 11.730, DE 9 DE JANEIRO DE 2002. (publicada no DOE nº 007, de 10 de janeiro de 2002) Dispõe sobre a Educação

Leia mais

em parceria com Pós-Graduação Gestão de Negócios Imobiliários MANUAL DO CANDIDATO ESPM - Campus Rodolfo Lima Martensen

em parceria com Pós-Graduação Gestão de Negócios Imobiliários MANUAL DO CANDIDATO ESPM - Campus Rodolfo Lima Martensen em parceria com Pós-Graduação Gestão de Negócios Imobiliários MANUAL DO CANDIDATO ESPM - Campus Rodolfo Lima Martensen Rua Joaquim Távora, 1240 Vila Mariana São Paulo/SP Informações: Central de Candidatos:

Leia mais

ANEXO AO MODELO DO PLANO DE AULA DO PROCESSO SELETIVO DOCENTE GERAL (PSD-G) 2013.2

ANEXO AO MODELO DO PLANO DE AULA DO PROCESSO SELETIVO DOCENTE GERAL (PSD-G) 2013.2 ANEXO AO MODELO DO PLANO DE AULA DO PROCESSO SELETIVO DOCENTE GERAL (PSD-G) 2013.2 ADMINISTRAÇÃO Formar administradores estrategistas, comprometidos com o desenvolvimento da sociedade. A UNIFEBE, através

Leia mais

ISO 14004:2004. ISO14004 uma diretriz. Os princípios-chave ISO14004. Os princípios-chave

ISO 14004:2004. ISO14004 uma diretriz. Os princípios-chave ISO14004. Os princípios-chave ISO14004 uma diretriz ISO 14004:2004 Sistemas de Gestão Ambiental, Diretrizes Gerais, Princípios, Sistema e Técnicas de Apoio Prof.Dr.Daniel Bertoli Gonçalves FACENS 1 Seu propósito geral é auxiliar as

Leia mais

Soluções para implantação de RDS com recursos inteligentes em áreas urbanas

Soluções para implantação de RDS com recursos inteligentes em áreas urbanas Soluções para implantação de RDS com recursos inteligentes em áreas urbanas Ronaldo Antonio Roncolatto RAR Manuel Luis Borges Campos NB&C Antonio Paulo da Cunha Sinapsis João José dos Santos Oliveira Redenel

Leia mais

17 a 20 de agostode 2010, Rio de Janeiro. Programasde responsabilidadesocial Juliana Calsa e Milena Noenta

17 a 20 de agostode 2010, Rio de Janeiro. Programasde responsabilidadesocial Juliana Calsa e Milena Noenta 17 a 20 de agostode 2010, Rio de Janeiro Programasde responsabilidadesocial Juliana Calsa e Milena Noenta DADOS DA FOZ DO BRASIL Saneamento Atende a 3 milhões de habitantes no Brasil. Resíduos Urbanos

Leia mais

DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO E COMUNICAÇÃO (Tecnologia, Inclusão Digital e Comunicação)

DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO E COMUNICAÇÃO (Tecnologia, Inclusão Digital e Comunicação) DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO E COMUNICAÇÃO (Tecnologia, Inclusão Digital e Comunicação) OBJETIVOS E METAS 1. Garantir a inclusão digital, instalando computadores nas escolas públicas de ensino fundamental

Leia mais

Gestão do Processo de Manutenção Eletromecânica A quebra de paradigmas em busca da excelência.

Gestão do Processo de Manutenção Eletromecânica A quebra de paradigmas em busca da excelência. PNQS 2010 Categoria IGS Inovação da Gestão em Saneamento RDPG Relatório de Descrição de Prática de Gestão Gestão do Processo de Manutenção Eletromecânica A quebra de paradigmas em busca da excelência.

Leia mais

ANEXO DAS PRIORIDADES E METAS DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA

ANEXO DAS PRIORIDADES E METAS DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA PREFEITURA MUNICIPAL DE JOAO PESSOA SECRETARIA MUNICIPAL DE PLANEJAMENTO EXERCÍCIO: 2010 ANEXO DAS PRIORIDADES E METAS DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA ÓRGÃO: ALFABETIZAÇÃO E INCLUSÃO DIGITAL PROMOVER A ALFABETIZAÇÃO

Leia mais

Lei Nº 1223/2014. Capítulo I. Da Educação Ambiental e Mobilização Social. Do Conceito e Princípios

Lei Nº 1223/2014. Capítulo I. Da Educação Ambiental e Mobilização Social. Do Conceito e Princípios Lei Nº 1223/2014 DISPÕE SOBRE O PROGRAMA DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL E MOBILIZAÇÃO SOCIAL PARA O SANEAMENTO BÁSICO E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS A Câmara Municipal aprovou e eu, Prefeito Municipal, sanciono a seguinte

Leia mais

Financiamento de Construções Sustentáveis Desafios e Possibilidades. Brasília, 20 de Agosto 2009

Financiamento de Construções Sustentáveis Desafios e Possibilidades. Brasília, 20 de Agosto 2009 Financiamento de Construções Sustentáveis Desafios e Possibilidades Brasília, 20 de Agosto 2009 Nossa Crença Porque Construção Civil Obra Sustentável O que aprendemos? Nossa Crença Nossa Crença Um país

Leia mais

Rita/João Abril -2014

Rita/João Abril -2014 Rita/João Abril -2014 Conteúdo Programático (Qui)10/04 Estratégia de gerenciamento de pessoas com foco em resultado e gestão por competências Rita (Qui)17/04 - Conceitos de liderança, equipes eficazes,

Leia mais

Prefeitura Municipal de Catanduva Banco Interamericano de Desenvolvimento. Programa de Desenvolvimento Urbano Integrado de Catanduva

Prefeitura Municipal de Catanduva Banco Interamericano de Desenvolvimento. Programa de Desenvolvimento Urbano Integrado de Catanduva Prefeitura Municipal de Catanduva Banco Interamericano de Desenvolvimento Programa de Desenvolvimento Urbano Integrado de Catanduva ESTRUTURA DE ORGANIZACIONAL DO PROGRAMA O esquema organizacional do Programa,

Leia mais

Texto para Coluna do NRE-POLI na Revista Construção e Mercado Pini - Junho 2010

Texto para Coluna do NRE-POLI na Revista Construção e Mercado Pini - Junho 2010 Texto para Coluna do NRE-POLI na Revista Construção e Mercado Pini - Junho 2010 A FORMAÇÃO DE PROFISSIONAIS PARA O SETOR DE REAL ESTATE Prof. Dr. João da Rocha Lima Jr. Prof. Dr. Claudio Tavares de Alencar.

Leia mais

REGULAMENTO INSTITUCIONAL DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO OBRIGATÓRIO E NÃO OBRIGATÓRIO CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES

REGULAMENTO INSTITUCIONAL DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO OBRIGATÓRIO E NÃO OBRIGATÓRIO CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES REGULAMENTO INSTITUCIONAL DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO OBRIGATÓRIO E NÃO OBRIGATÓRIO CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1º O presente regulamento da Faculdade Católica do Tocantins (Facto), mantida

Leia mais

5.17 - Programa de Gestão Fundiária e Patrimonial... 1/13. 5.17.1 - Objetivos... 1/13. 5.17.2 - Justificativa... 2/13. 5.17.3 - Metas...

5.17 - Programa de Gestão Fundiária e Patrimonial... 1/13. 5.17.1 - Objetivos... 1/13. 5.17.2 - Justificativa... 2/13. 5.17.3 - Metas... 2818-00-EIA-RL-0001-00 LT 500 KV ESTREITO FERNÃO DIAS ÍNDICE 5.17 - Programa de Gestão Fundiária e Patrimonial... 1/13 5.17.1 - Objetivos... 1/13 5.17.2 - Justificativa... 2/13 5.17.3 - Metas... 4/13 5.17.4

Leia mais

VALID / Relatório de Sustentabilidade / 2011. Gestão

VALID / Relatório de Sustentabilidade / 2011. Gestão 54 VALID / Relatório de Sustentabilidade / 2011 8. Gestão VALID / Relatório de Sustentabilidade / 2011 55 8. Gestão PÚBLICOS DE RELACIONAMENTO A Valid desenvolve seus relacionamentos com os públicos de

Leia mais

REGULAMENTO DO PRÊMIO 2014

REGULAMENTO DO PRÊMIO 2014 REGULAMENTO DO PRÊMIO 2014 1 ÍNDICE CRONOGRAMA ------------------------------------------------------------------------------- 3 CATEGORIAS -------------------------------------------------------------------------------

Leia mais

Anexo 6.3-4 Cópia do protocolo da minuta do projeto social-brasil Novo

Anexo 6.3-4 Cópia do protocolo da minuta do projeto social-brasil Novo RELATÓRIO CONSOLIDADO DE ANDAMENTO DO PBA E DO ATENDIMENTO DE CONDICIONANTES CAPÍTULO 2 ANDAMENTO DO PROJETO BÁSICO AMBIENTAL Anexo 6.3-4 Cópia do protocolo da minuta do projeto social-brasil Novo Projeto

Leia mais

LEI Nº 6559 DE 16 DE OUTUBRO DE 2013. INSTITUI A POLÍTICA ESTADUAL DO IDOSO E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS.

LEI Nº 6559 DE 16 DE OUTUBRO DE 2013. INSTITUI A POLÍTICA ESTADUAL DO IDOSO E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. LEI Nº 6559 DE 16 DE OUTUBRO DE 2013. INSTITUI A POLÍTICA ESTADUAL DO IDOSO E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. O GOVERNADOR DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO Faço saber que a Assembléia Legislativa do Estado do Rio de

Leia mais

Apresentação do Banco de Dados Mundial sobre Fortificações

Apresentação do Banco de Dados Mundial sobre Fortificações Apresentação do Banco de Dados Mundial sobre Fortificações Roberto Tonera Projeto Fortalezas Multimídia - Universidade Federal de Santa Catarina Brasil projeto@fortalezasmultimidia.com.br artonera@hotmail.com

Leia mais

TÍTULO DO PROJETO. Melhoria nas condições de trabalho da equipe de profissionais da Unidade Móvel de Coleta de Sangue do HEMOAL

TÍTULO DO PROJETO. Melhoria nas condições de trabalho da equipe de profissionais da Unidade Móvel de Coleta de Sangue do HEMOAL CURSO DE ATUALIZAÇÃO Gestão das Condições de Trabalho e Saúde dos Trabalhadores da Saúde TÍTULO DO PROJETO Melhoria nas condições de trabalho da equipe de profissionais da Unidade Móvel de Coleta de Sangue

Leia mais

OBSERVAÇÃO: O USUÁRIO É RESPONSÁVEL PELA ELIMINAÇÃO DAS REVISÕES ULTRAPASSADAS DESTE DOCUMENTO

OBSERVAÇÃO: O USUÁRIO É RESPONSÁVEL PELA ELIMINAÇÃO DAS REVISÕES ULTRAPASSADAS DESTE DOCUMENTO Página 1 de 10 DESCRIÇÃO DAS REVISÕES REV DATA ALTERAÇÃO OBSERVAÇÃO 08/06/29 Emissão Inicial OBSERVAÇÃO: O USUÁRIO É RESPONSÁVEL PELA ELIMINAÇÃO DAS REVISÕES ULTRAPASSADAS DESTE DOCUMENTO ELABORAÇÃO Nome

Leia mais

INFORMATIVO. Carreiras reestruturadas e concursos públicos realizados para. uma melhor prestação de serviços

INFORMATIVO. Carreiras reestruturadas e concursos públicos realizados para. uma melhor prestação de serviços INFORMATIVO GESTÃO DE PESSOAS 2013-2016 Maio - 2016 Carreiras reestruturadas e concursos públicos realizados para uma melhor prestação de serviços uma sociedade cada vez mais complexa e dinâmica exige

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA PARA A ELABORAÇÃO DE PLANOS DE GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS SÓLIDOS (PGRS)

TERMO DE REFERÊNCIA PARA A ELABORAÇÃO DE PLANOS DE GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS SÓLIDOS (PGRS) TERMO DE REFERÊNCIA PARA A ELABORAÇÃO DE PLANOS DE GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS SÓLIDOS (PGRS) 1 - DIRETRIZ GERAL O presente Termo de Referência tem o objetivo de orientar os empreendimentos, sujeitos ao

Leia mais

NOTA TÉCNICA CGPEG/DILIC/IBAMA Nº 02/10

NOTA TÉCNICA CGPEG/DILIC/IBAMA Nº 02/10 NOTA TÉCNICA CGPEG/DILIC/IBAMA Nº 02/10 I. INTRODUÇÃO Esta Nota Técnica tem por objetivo destacar quais foram as alterações feitas pela CGPEG/IBAMA no texto da minuta da Nota Técnica CGPEG/DILIC/IBAMA

Leia mais

01/12/2012 MEIO AMBIENTE E RESPONSABILIDADE SOCIAL. Guarantã do Norte/MT A SOCIEDADE ESTÁ EM TRANSFORMAÇÃO

01/12/2012 MEIO AMBIENTE E RESPONSABILIDADE SOCIAL. Guarantã do Norte/MT A SOCIEDADE ESTÁ EM TRANSFORMAÇÃO MEIO AMBIENTE E RESPONSABILIDADE SOCIAL Guarantã do Norte/MT A SOCIEDADE ESTÁ EM TRANSFORMAÇÃO TAREFAS ESTRUTURA PESSOAS AMBIENTE TECNOLOGIA ÊNFASE NAS TAREFAS Novos mercados e novos conhecimentos ÊNFASE

Leia mais