NATIONAL POLICY ON CLIMATE CHANGE AND CARBON CAPTURE AND STORAGE IN BRAZIL

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "NATIONAL POLICY ON CLIMATE CHANGE AND CARBON CAPTURE AND STORAGE IN BRAZIL"

Transcrição

1 NATIONAL POLICY ON CLIMATE CHANGE AND CARBON CAPTURE AND STORAGE IN BRAZIL Viviane Romeiro, Ph.D Candidate University of Sao Paulo USP Porto Alegre, 12 de agosto de 2013

2 PRESENTATION OVERVIEW Climate Change 1- International Climate Change Regime 2- National Policy on Climate Change in Brazil CCS 3- International CCS policy and regulation 4- Nationall CCS policy and regulation in Brazil Final Remarks Acnowledgements and References

3 1- International Climate Change Regime

4 Kyoto Protocol map

5 NEGOCIAÇÕES INTERNACIONAIS Conference of Parties (COP) UNFCCC 18 th COP - Mix results - Common but Differentiated Responsibility (CBDR) - Second commitment period of Kyoto Protocol Ad Hoc Working Group Durban Platform for Enhanced Actions

6 2- National Policy on Climate Change in Brazil

7 limate Change Policy Framework in Brazil 2000 Brazilian Forum on Climate Change 2007 Comitê Interministerial sobre Mudança do Clima 2008 National Plan on Climate Change 2009 National Policy on Climate Change 2009 National Fund on Climate Change 2010 Decree - National Policy on Climate Change Sectoral plans

8 CLIMATE CHANGE GOVERNANCE IN BRAZIL

9 National Plan on Climate Change Fundamentar e orientar a implementação da PNMC por meio de ações e medidas que objetivem a mitigação da mudança do clima e a adaptação aos seus efeitos; O Plano é estruturado em quatro eixos temáticos: I - mitigação; II - vulnerabilidade, impacto e adaptação; III - pesquisa e desenvolvimento; e IV - capacitação e divulgação.

10 National Policy on Climate Change Reduzir as emissões antrópicas por fontes e fortalecer as remoções antrópicas por sumidouros de GEE Definir e implementar medidas para promover a adaptação à mudança do clima das comunidades locais, dos Municípios, Estados, regiões

11 Sectoral plans Planos de Ação para controle do desmatamento na Amazônia Legal (PPCDAm) Plano de Ação para a Prevenção e Controle do Desmatamento no Cerrado (PPCerrado) Plano Decenal de Expansão de Energia - PDE Plano de Agricultura de Baixa Emissão de Carbono Plano ABC Plano Setorial para a Consolidação de uma Economia de Baixa Emissão de Carbono na Indústria de Transformação - Plano Indústria Plano de Mineração de Baixa Emissão de Carbono - PMBC Plano Setorial de Transporte e de Mobilidade Urbana Plano Setorial da Saúde Plano de Redução de Emissões da Siderurgia. Plano Setorial para a Mineração

12

13 Emissões de GEE em 2005 e Emissões de GEE em 2020 (com meta de 36,1%) Dados: Elaboração própria com base no Segundo Inventário e no o Decreto nº de 2010.

14 Taxa de desmatamento anual na Amazônia Legal (PRODES)

15 Projeção 2020 da taxa de desmatamento na Amazônia e o alcance das metas em 2012 Fonte: Elaboração própria com base no Prodes, 2012 e na metodologia do Decreto de 2010.

16 Políticas e fóruns sobre mudança do clima no Brasil

17 3- International CCS Policy and Regulation

18 CCS POLICY AND REGULATION The scale-up of CCS projects raises many regulatory issues: - Public health - Safety - Environment protection Regulatory framework: - to build public confidence - to foster the use of this technology as part of international and national climate change policies.

19 CCS Political and regulatory aspects Disseminação de informação Treinamento Incentivos financeiros Taxação Acordos e leis correlacionadas Regulamentações Manuais e boas práticas Códigos e normas de conduta Mecanismos de mercado IEA, GCCSI, CSFL, etc. U.S. RECS and IEAGHG UK : US$1,5 bilhões Lei de CO2 Noruega Tratados ambientais US, EU, AU, etc. WRI, NETL, IEA EPS CDM, EU ETS

20 CCS Political and regulatory aspects Disseminação de informação Treinamento Incentivos financeiros Taxação Acordos e leis correlacionadas Regulamentações Manuais e boas práticas Códigos e normas de conduta Mecanismos de mercado IEA, GCCSI, CSFL, etc. U.S. RECS and IEAGHG UK : US$1,5 bilhões Lei de CO2 Noruega Tratados ambientais US, EU, AU, etc. WRI, NETL, IEA EPS CDM, EU ETS

21 CCS under UNFCCC Treaty Adoption Entry into Force Number of Parties London Convention UNCLOS Basel Convention Espoo Convention OSPAR London Protocol 1996 No 41 Source: IPCC, Adapted and updated by the author.

22 LONDON CONVENTION Convention on the Prevention of Marine Pollution by Dumping of Wastes and Other Matter WASTE MANAGEMENT Annex I list of wastes that places an absolute prohibition upon the dumping of wastes Annex II list of wastes that require a prior special permit to be obtained in order to dump Annex III - all other substances may be dumped, but require a prior general permit issued

23 LONDON CONVENTION Convention on the Prevention of Marine Pollution by Dumping of Wastes and Other Matter WASTE MANAGEMENT Annex I list of wastes that places an absolute prohibition upon the dumping of wastes Annex II list of wastes that require a prior special permit to be obtained in order to dump Annex III - all other substances may be dumped, but require a prior general permit issued Implications for CCS

24 LONDON PROTOCOL Protocol to the Convention on the Prevention of Marine Pollution by Dumping of Wastes and Other Matter WASTE MANAGEMENT It prohibits ocean disposal of any material not specified in the protocol

25 LONDON PROTOCOL Protocol to the Convention on the Prevention of Marine Pollution by Dumping of Wastes and Other Matter WASTE MANAGEMENT It prohibits ocean disposal of any material not specified in the protocol Implications for CCS Amendment in 2006 to allow CO2 streams from CCS

26 OSPAR Convention United Nations Economic Commission for Europe (UNECE) Convention on Environmental Impact Assessment in a Trans-boundary Context Cooperation on the marine environment of the North East Atlantic

27 OSPAR Convention United Nations Economic Commission for Europe (UNECE) Convention on Environmental Impact Assessment in a Trans-boundary Context Cooperation on the marine environment of the North East Atlantic Implications for CCS 2007 amendment to allow CCS

28 IPCC Special Report on Carbon Dioxide Capture and Storage (IPCC, 2005) Guidelines for National Greenhouse Gas Inventories (IPCC, 2006) Site characterization (including leakage pathways) Assessment of risk of leakage (simulation / modeling) Monitoring plan Reporting (including CO2 injected and emissions from storage site)

29 CCS Political and regulatory aspects Disseminação de informação Treinamento Incentivos financeiros Taxação Acordos e leis correlacionadas Regulamentações Manuais e boas práticas Códigos e normas de conduta Mecanismos de mercado IEA, GCCSI, CSFL, etc. U.S. RECS and IEAGHG UK : US$1,5 bilhões Lei de CO2 Noruega Tratados ambientais US, EU, AU, etc. WRI, NETL, IEA EPS CDM, EU ETS

30 CCS Political and regulatory aspects Regulamentações 2006 Australia Offshore Petroleum and GHG Storage Act 2008 UK Energy Act 2009 EU Directive 31/EC 2010 U.S. EPA s Class VI Regulations 2012 Canadian Standard CSA-Z741

31 CCS Political and regulatory aspects Disseminação de informação Treinamento Incentivos financeiros Taxação Acordos e leis correlacionadas Regulamentações Manuais e boas práticas Códigos e normas de conduta Mecanismos de mercado IEA, GCCSI, CSFL, etc. U.S. RECS and IEAGHG UK : US$1,5 bilhões Lei de CO2 Noruega Tratados ambientais US, EU, AU, etc. WRI, NETL, IEA EPS CDM, EU ETS

32 CCS Political and regulatory aspects Guides 2008 WRI s CCS Guidelines 2010 IEA Model Framework 2012 NETL Best practice for carbon storage 2012 WRI CCS Regulatory Matrix

33 CCS Aspectos regulatórios

34 CCS Political and regulatory aspects Disseminação de informação Treinamento Incentivos financeiros Taxação Acordos e leis correlacionadas Regulamentações Manuais e boas práticas Códigos e normas de conduta Mecanismos de mercado IEA, GCCSI, CSFL, etc. U.S. RECS and IEAGHG UK : US$1,5 bilhões Lei de CO2 Noruega Tratados ambientais US, EU, AU, etc. WRI, NETL, IEA EPS CDM, EU ETS

35 CO 2 Emission Performance Standards for Coal Fired Power Plant Country or State EPS Level Type of plant Australia 1,100 lb of CO2/MWh 500 kg CO 2 /MWh New AU Queensland Clean coal technologies such as CCS New AU - Western Australia Clean coal technologies such as CCS New AU - South Australian 1,540 lb of CO2/MWh 700 kg CO 2 /MWh New AU - Victoria 1,760 lb of CO2/MWh 800 kg CO 2 /MWh New (abandoned) European Union 1,100 lb of CO2/MWh 500 kg CO 2 /MWh New United Kingdom 880 lb of CO2/MWh 400 kg CO 2 /MWh New (rejected) Scotland All its existing coal-fired power plants with CCS New and existing (by 2025) Germany 1,694 lb of CO2/MWh 700 kg CO 2 /MWh New Canada 825 lb of CO2/MWh 375 kg CO 2 /MWh New (Only after 2015) US Federal 1,000 lb of CO2/MWh 454 kg CO 2 /MWh New US - Oregon 1,100 lb of CO2/MWh 500 kg CO 2 /MWh New US - California 1,100 lb of CO2/MWh 500 kg CO 2 /MWh New US - Washington State 1,100 lb of CO2/MWh 500 kg CO 2 /MWh New US Montana CCS for at least 50% of CO 2 New US - Illinois CCS - 50, 70 or 90% of CO 2 New US - Maine 1,100 lb of CO2/MWh 500 kg CO 2 /MWh New US - New Mexico 1,100 lb of CO2/MWh 500 kg CO 2 /MWh New US - New York 925 lbs CO2/MWh 420 kg CO 2 /MWh New Brazil Source: EPA s regulations Adapted reforestation by the authors (1/3),renewable energy or energy efficiency (2/3) Environmental licensing

36 CCS Political and regulatory aspects Disseminação de informação Treinamento Incentivos financeiros Taxação Acordos e leis correlacionadas Regulamentações Manuais e boas práticas Códigos e normas de conduta Mecanismos de mercado IEA, GCCSI, CSFL, etc. U.S. RECS and IEAGHG UK : US$1,5 bilhões Lei de CO2 Noruega Tratados ambientais US, EU, AU, etc. WRI, NETL, IEA EPS CDM, EU ETS

37 CCS Political and regulatory aspects Market mechanisms UNFCCC CDM Discussion since COP-10 in 2004 Mutatis Mutandis Most CDM aspects and rules remain for CCS projects

38 CCS under UNFCCC to allow projects with a trans-boundary component, and require joint governance and collaboration between DNAs to only allow projects without a trans-boundary component

39 CCS under UNFCCC Some countries that are against CCS under CDM: Bolivia Venezuela Brazil

40 CCS under UNFCCC CONCERNS lack of an international CCS regulation potential infringement of international law cross-border disagreements long-term liability

41 CCS under UNFCCC Some countries that support CCS under CDM: Australia Canada Norway Saudi Arabi European Union Japan Indonesia Qatar United Arab Emirates

42 CCS under UNFCCC OPPORTUNITIES encourage synergies/knowledge transfer and build enabling environments. Emission versus storage capacity

43 ALLOCATION OF LIABILITY UNFCCC CIVIL LIABILITY GLOBAL EMISSION IMPACTS SHORT-TERM Project participant obligation to compensate damages Project participant obligation to account for any seepage as project emissions MEDIUM-TERM Project participant obligation to compensate damages Project participant obligation to surrender carbon assets equivalent to seepage or otherwise ensure equivalent emission reductions LONG-TERM [Host] [buyer] government obligation to compensate damages Host] [buyer] government obligation to cancel carbon assets equivalent to seepage or otherwise ensure equivalent emission reductions Source: UNFCCC Secretariat, September 2011

44 CCS under UNFCCC

45 CCS Political and regulatory aspects UNFCCC CDM Transferência de responsabilidade CER reserve account 5% of issued CERs Transboundary CCS

46 SCENARIUM 1

47 SCENARIUM 2

48 SCENARIUM 3

49 SCENARIUM 4

50 SCENARIUM 5

51 What act does generate the credits?

52 CCS Political and regulatory aspects Fonte: ROMEIRO, 2012

53 RECOMMENDATIONS UNFCCC NATIONAL GOVERNMENTS International and National regulations Establish criteria Project comply with: - international law - National regulation Align modalities and procedures with international law Ensure agreement of parties and consistency of regulations Relevant Authority Establish criteria to register project only where DNA of all parties endorse national approval to host the project Establish a competent authority for one jurisdiction or a joint regulatory responsibility for operations. Liability Require definition of: long-term responsibility any transfer of liabilities The national approvals should clearly specify the corresponding responsibilities.

54 RECOMMENDATIONS UNFCCC NATIONAL GOVERNMENTS Seepage Establish criteria to assure that project proponents have established appropriate arrangements to address any seepages. Ensure environmental regulatory frameworks that provide in both countries: -environmental impact assessments -responsibility for accounting - monitoring and for any related seepage Boundary Establish criteria to ensure clear definition of the extent of the project boundary to guarantee that migration of CO2 to other underground sites is detected. Ensure that no issue related to a transboundary component is in conflict in both countries.

55 KEY ISSUES for the UNFCCC - - specific challenges - - regulatory uncertainty - - lack of human resources - - consider postponing the decision - - learning by doing - - casis by casis

56 4- CCS Policy and Regulation in Brazil

57 BRAZIL DOMESTIC ENERGY SUPPLY

58 CCS BRASIL Status Matriz elétrica 88,8% energias renováveis (EPE, 2012) Matriz energética 46% energias renováveis (BEN, 2012) Inventário nacional: 75% emissões de GGE desmatamento 2020 setor enérgetico principal emissor Exploração de petróleo: milhões bpd (EPE, 2011) milhões bpd (EPE, 2011)

59 CCS BRASIL Status Transição de sistemas energéticos de baixo carbono (Ketzer, 2010) CO2 associado ao Pré-Sal (Rocha, 2010) Ciclo de vida da produção de etanol (Pacca & Moreira, 2009) Valorização do etanol brasileiro (Moreira, 2011)

60 CCS in Brazil: Political and regulatory aspects P&D e demonstração PRORESERVA, CARBMAP Disseminação de informação Eventos e seminários Treinamento Curso CEPAC e Petrobrás Incentivos financeiros Não identificado Taxação - Acordos voluntários PNMC, 2008 e PNMC, 2009 Regulamentações Co-rrelacionadas Códigos e normas de conduta EPS para termelétricas à carvão Mecanismos de mercado UNFCCC e MDL Posição do Brasil

61 CCS in Brazil: Political and regulatory aspects P&D e demonstração PRORESERVA, CARBMAP Disseminação de informação Eventos e seminários Treinamento Curso CEPAC e Petrobrás Incentivos financeiros Não identificado Taxação - Acordos voluntários PNMC, 2008 e PNMC, 2009 Regulamentações Co-rrelacionadas Códigos e normas de conduta EPS para termelétricas à carvão Mecanismos de mercado UNFCCC e MDL Posição do Brasil

62 CCS in Brazil: Political and regulatory aspects P&D e demonstração PRORESERVA, CARBMAP Disseminação de informação Eventos e seminários Treinamento Curso CEPAC e Petrobrás Incentivos financeiros Não identificado Taxação - Acordos voluntários PNMC, 2008 e PNMC, 2009 Regulamentações Co-rrelacionadas Códigos e normas de conduta EPS para termelétricas à carvão Mecanismos de mercado UNFCCC e MDL Posição do Brasil

63 CCS in Brazil: Political and regulatory aspects Brazilian Federal Constitution of 1988: Art São bens da União: IX - os recursos minerais, inclusive os do subsolo; All the resources in public or private lands with possible economic value are owned by the Government. The law regards oil and other extracted resources, but does not mention about reinjected substances. Fonte: EPE, 2011.

64 So, who does own the property rights of storage CO2? Who would be responsible for any potential damage? BRASIL : emissão de CO2 Densidade de emissão de CO2 por fonte estacionária no Brasil Fonte: CEPAC, 2011

65 CCS in Brazil: Political and regulatory aspects P&D e demonstração PRORESERVA, CARBMAP Disseminação de informação Eventos e seminários Treinamento Curso CEPAC e Petrobrás Incentivos financeiros Não identificado Taxação - Acordos voluntários PNMC, 2008 e PNMC, 2009 Regulamentações Co-rrelacionadas Códigos e normas de conduta EPS para termelétricas à carvão Mecanismos de mercado UNFCCC e MDL Posição do Brasil

66 CCS in Brazil: Political and regulatory aspects Plano Nacional sobre Mudança do Clima Energia Melhoria da eficiência da oferta e distribuição de energia, substituição de combustíveis mais carbonointensivo por aqueles com menor teor de carbono ou por combustíveis de fontes renováveis, e captação e armazenamento de carbono. Indústria Utilização de equipamentos eficientes, adoção de práticas de reciclagem e de substituição de materiais, controle das emissões de gases, e captação e armazenamento de carbono. (PNMC, 2008/ Capítulo 9: Estudos da área de mitigação, p.97).

67 CCS in Brazil: Political and regulatory aspects Política Nacional de Mudança do Clima Art. 4 A Política Nacional sobre Mudança do Clima -PNMC visará: II - à redução das emissões antrópicas de gases de efeito estufa em relação às suas diferentes fontes; III VETADO IV- ao fortalecimento das remoções antrópicas por sumidouros de gases de efeito estufa; ( ) Sumidouro (art. 2): processo, atividade ou mecanismo que remova da atmosfera gás de efeito estufa, aerossol ou precursor de gás de efeito estufa;

68 CCS in Brazil: Political and regulatory aspects Ausência de menção ao CCS nos Planos Setoriais;

69 CCS in Brazil: Political and regulatory aspects P&D e demonstração PRORESERVA, CARBMAP Disseminação de informação Eventos e seminários Treinamento Curso CEPAC e Petrobrás Incentivos financeiros Não identificado Taxação - Acordos voluntários PNMC, 2008 e PNMC, 2009 Regulamentações Leis correlacionadas Códigos e normas de conduta EPS para termelétricas à carvão Mecanismos de mercado UNFCCC e MDL Posição do Brasil

70 CCS in Brazil: Political and regulatory aspects Leis de mineração Leis sobre conservação de recursos naturais, sobre águas (potáveis), Leis sobre disposição de resíduos radioativos, Leis sobre produção de óleo e gás, sobre tratamento de gases em alta pressão e outros.

71 CCS in Brazil: Political and regulatory aspects P&D e demonstração PRORESERVA, CARBMAP Disseminação de informação Eventos e seminários Treinamento Curso CEPAC e Petrobrás Incentivos financeiros Não identificado Taxação - Acordos voluntários PNMC, 2008 e PNMC, 2009 Regulamentações Co-rrelacionadas Códigos e normas de conduta EPS para termelétricas à carvão Mecanismos de mercado UNFCCC e MDL Posição do Brasil

72 CCS in Brazil: Political and regulatory aspects P&D e demonstração PRORESERVA, CARBMAP Disseminação de informação Eventos e seminários Treinamento Curso CEPAC e Petrobrás Incentivos financeiros Não identificado Taxação - Acordos voluntários PNMC, 2008 e PNMC, 2009 Regulamentações Co-rrelacionadas Códigos e normas de conduta EPS para termelétricas à carvão Mecanismos de mercado UNFCCC e MDL Posição do Brasil

73 5- Final Remarks

74 FINAL REMARKS 1- International Climate Change Regime Complexity of decisions Diversity of parties and interests Improvement of tools Creation of more robust agreements

75 FINAL REMARKS 2- National Policy on Climate Change in Brazil Global competitiveness Low carbon economy CDM implications: changing the business culture Perverse effects of innapropriated policy implementation Bettere definition of regulatory aspects Harmonization of subnational policies on climate change

76 FINAL REMARKS 3- International CCS policy and regulation Skepticism about climate change Lack of commitment from countries to reduce GHG emissions Lack of strong public policies Public acceptance Fonte: Global CCS Institute, 2012

77 FINAL REMARKS LONG TERM LIABILITY Complexity of underwriting the risk and ensuring the sort of liability Private to public transfer of liability; Market committed to supporting companies and governments ; Case by case basis.

78 FINAL REMARKS INTERNATIONAL REGULATION Inclusion of CCS under CDM? Other incentive mechanisms? However, the challenges remain to questions of long term liability and how CDM could appropriately assure it.

79 FINAL REMARKS 4- CCS policy and regulation in Brazil Lack of a national CCS regulation How to engage the public and private sectors Lack of clear role of responsabilities Government regulation transfer of liability

80 AKNOWLEDGMENTS University of Sao Paulo - USP Environment and Energy Institute (IEE) Prof. José Goldemberg University of Maryland - UMD School of Public Policy - SPP Prof. Nathan Hultman Brazilian Agency For Scientific And Technological Development CNPq

81 REFERENCES Directive 2009/29/EC of the European Parliament and of the Council of 23 April 2009 amending Directive 2003/87/EC so as to improve and extend the greenhouse gas emission allowance trading scheme of the Community. Global Carbon Capture Storage Institute. A review of existing best practice manuals for carbon dioxide storage and regulation. CO2CRC: Australian, Last access in August, 14, IEA - International Energy Agency, Legal Aspects of Storing CO2: Update and Recommendations. IEA, Paris, IPCC- ntergovernmental Panel on Climate Change (2005), Carbon Dioxide Capture and Storage, Special Report, B. Metz, O. Davidson, H. de Coninck, M. Loos and L. Meyer (eds.), Cambridge University Press, United Kingdom. IPCC-Intergovernmental Panel on Climate Change (2006), 2006 IPCC Guidelines for National Greenhouse Gas Inventories, IPCC, Switzerland. UCL Carbon Capture Legal Programme (CCLP) Dedicated CCS Legislation. Directive 2009/31/EC on the geological storage of carbon dioxide. Available at Last access in August, 15, UNEP (United Nations Environment Programme) Can Carbon Dioxide Storage help cut greenhouse emission? A simplified guide to the IPCC s Special Report on Carbon Dioxide Capture & Storage Disponível em: Last access in August, 11, UNFCCC (United Nations Framework Convention on Climate Change) Decision /CMP.6 - Carbon dioxide capture and storage in geological formations as clean development mechanism project activities. Available at UNFCCC, Technical workshop on modalities and procedures CCS-CDM. Available at World Resources Institute (WRI). Guidelines for Carbon Dioxide Capture, Transport, and Storage. Washington DC, 2008.

82 REFERENCES Basel Convention on the Control of Trans-boundary Movements of Hazardous Wastes and their Disposal (1989). Available at: ESPOO Convention on Environmental Impact Assessment in a Trans-boundary context (1991). IMO-International Maritime Organization (2010). Information on work on CCS in sub-seabed geological formation and ocean fertilization under the London Convention and London Protocol. IEA - International Energy Agency, Legal Aspects of Storing CO2: Update and Recommendations. IEA, Paris, IPCC- ntergovernmental Panel on Climate Change (2005), Carbon Dioxide Capture and Storage, Special Report, B. Metz, O. Davidson, H. de Coninck, M. Loos and L. Meyer (eds.), Cambridge University Press, United Kingdom. IPCC-Intergovernmental Panel on Climate Change (2006), 2006 IPCC Guidelines for National Greenhouse Gas Inventories, IPCC, Switzerland. London Convention on the Prevention of Marine Pollution by Dumping of Wastes and Other Matter (1972). Available at: London Protocol Adopts Amendment Allowing for Sub-seabed Carbon Dioxide Storage Available at: OSPAR Commission Secretariat (1992). Available at:http://www.ospar.org/welcome.asp?menu=0 UNFCCC (2011b). Synthesis of views on modalities and procedures for carbon dioxide capture and storage in geological formations as clean development mechanism project activities. Available at World Resources Institute (WRI). Guidelines for Carbon Dioxide Capture, Transport, and Storage. Washington DC, 2008.

83 Obrigada! Viviane Romeiro

Política Nacional sobre Mudança do Clima e o CCS no Brasil

Política Nacional sobre Mudança do Clima e o CCS no Brasil Política Nacional sobre Mudança do Clima e o CCS no Brasil Porto Alegre, 01 de agosto de 2012 Haroldo Machado Filho Comitê Interministerial sobre Mudança do Clima - CIM Decreto n. 6263, de 21 de novembro

Leia mais

Overview of the GHG Protocol. - Rachel Biderman

Overview of the GHG Protocol. - Rachel Biderman Overview of the GHG Protocol - Rachel Biderman O Greenhouse Gas Protocol O GHG Protocol foi lançado em 1998 por Parceria multi-stakeholder entre empresários, ONGs, governos e outros Objetivos Simplificar

Leia mais

Histórico do setor florestal no MDL e expectativas internacionais com relação a este mecanismo de flexibilização

Histórico do setor florestal no MDL e expectativas internacionais com relação a este mecanismo de flexibilização Histórico do setor florestal no MDL e expectativas internacionais com relação a este mecanismo de flexibilização Marcelo Theoto Rocha matrocha@esalq.usp.br 1 2 O Mecanismo de Desenvolvimento Limpo (MDL)

Leia mais

Salud Brasil SECRETARIA DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE

Salud Brasil SECRETARIA DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE Salud Brasil SECRETARIA DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE IV EXPOEPI International Perspectives on Air Quality: Risk Management Principles for Oficina de Trabalho: Os Desafios e Perspectivas da Vigilância Ambiental

Leia mais

Greenhouse Gas Protocol: Ferramentas para gestão de emissões na cadeia de valor

Greenhouse Gas Protocol: Ferramentas para gestão de emissões na cadeia de valor Greenhouse Gas Protocol: Ferramentas para gestão de emissões na cadeia de valor Rachel Biderman World Resources Institute (WRI BRASIL) rbiderman@wri.org www.wri.org Greenhouse Gas Protocol Lançado em 1998

Leia mais

13º Encontro Internacional de Energia - FIESP. Mudanças. Geopolítica Energética: Energia no Contexto da Economia Sustentável

13º Encontro Internacional de Energia - FIESP. Mudanças. Geopolítica Energética: Energia no Contexto da Economia Sustentável 13º Encontro Internacional de Energia - FIESP Mudanças Geopolítica Energética: Energia no Contexto da Economia Sustentável Rodrigo C. A. Lima Gerente-geral do ICONE www.iconebrasil.org.br São Paulo 6 de

Leia mais

INVENTÁRIO DE EMISSÕES DE GASES DE EFEITO ESTUFA. Metodologia, resultados e ações

INVENTÁRIO DE EMISSÕES DE GASES DE EFEITO ESTUFA. Metodologia, resultados e ações INVENTÁRIO DE EMISSÕES DE GASES DE EFEITO ESTUFA Metodologia, resultados e ações CARTA ABERTA AO BRASIL SOBRE MUDANÇAS CLIMÁTICAS CARTA ABERTA AO BRASIL Compromissos Assumidos A. Publicar anualmente o

Leia mais

Tecnologia e inovação na UE Estrategias de internacionalização

Tecnologia e inovação na UE Estrategias de internacionalização Tecnologia e inovação na UE Estrategias de internacionalização Belém, 25 de Setembro 2014 Estrutura da apresentação 1. Porque a cooperação com a União Europeia em inovação é importante para o Brasil? 2.

Leia mais

Fundado em 2003, o Instituto Totum conta com profissionais com grande experiência e altamente qualificados em projetos de créditos de carbono.

Fundado em 2003, o Instituto Totum conta com profissionais com grande experiência e altamente qualificados em projetos de créditos de carbono. Fundado em 2003, o Instituto Totum conta com profissionais com grande experiência e altamente qualificados em projetos de créditos de carbono. Os serviços envolvem uma ampla faixa de consultoria, desde

Leia mais

AÇÃO AMBIENTAL 2015 - FIRJAN: Painel 1 Visão Geral sobre Mudança do Clima e Perspectivas para a COP21

AÇÃO AMBIENTAL 2015 - FIRJAN: Painel 1 Visão Geral sobre Mudança do Clima e Perspectivas para a COP21 AÇÃO AMBIENTAL 2015 - FIRJAN: Painel 1 Visão Geral sobre Mudança do Clima e Perspectivas para a COP21 Adriano Santhiago de Oliveira Diretor Departamento de Mudanças Climáticas Secretaria de Mudanças Climáticas

Leia mais

CITIES AND BRAZILIAN POLICY FOR CLIMATE CHANGE

CITIES AND BRAZILIAN POLICY FOR CLIMATE CHANGE CITIES AND BRAZILIAN POLICY FOR CLIMATE CHANGE NOVEMBER 2010 Laura Machado de Mello Bueno PUC Campinas Research group Water in urban environment Environmental problems, climate change and social justice

Leia mais

MUDANÇAS CLIMÁTICAS E OS MECANISMOS DE GESTÃO AMBIENTAL

MUDANÇAS CLIMÁTICAS E OS MECANISMOS DE GESTÃO AMBIENTAL Brasília, 12 de maio de 2011 MUDANÇAS CLIMÁTICAS E OS MECANISMOS DE GESTÃO AMBIENTAL Eduardo Delgado Assad Secretário de Mudanças Climáticas e Qualidade Ambiental Emissões de GEE Média Anual das Emissões

Leia mais

CONTAMINATED SITES WITH POPs IN SÃO PAULO STATE

CONTAMINATED SITES WITH POPs IN SÃO PAULO STATE Stockholm Convention on Persistent Organic Pollutants Regional/Subregional Capacity Building Workshop on Implementation of Article 5 and Practical Use of the Guidelines es on Best Available Techniques

Leia mais

Politica Nacional sobre Mudanças do Clima Plano Nacional de Mudanças climáticas

Politica Nacional sobre Mudanças do Clima Plano Nacional de Mudanças climáticas Brasília, 21 de setembro de 2011 Audiência Pública Senado Federal 5a. Reunião Comissão Mista Permanente sobre Mudanças Climáticas -CMMC Politica Nacional sobre Mudanças do Clima Plano Nacional de Mudanças

Leia mais

Inventário de emissões de Gases de Efeito Estufa (GEE) e adoção de políticas de mudanças climáticas pelas empresas. 16 de Março de 2010

Inventário de emissões de Gases de Efeito Estufa (GEE) e adoção de políticas de mudanças climáticas pelas empresas. 16 de Março de 2010 Inventário de emissões de Gases de Efeito Estufa (GEE) e adoção de políticas de mudanças climáticas pelas empresas. 16 de Março de 2010 UNIDADE DE NEGÓCIO CARBONO - UNICAR Efluentes e Resíduos Inventários

Leia mais

O Brasil e a Conferência de Paris

O Brasil e a Conferência de Paris O Brasil e a Conferência de Paris José Domingos Gonzalez Miguez Secretaria Execu8va Ministério do Meio Ambiente Dois Trilhos na Convenção sobre Mudança do Clima Grupo de Trabalho Ad Hoc sobre a Plataforma

Leia mais

QUANTO VALE A FLORESTA AMAZÔNICA?

QUANTO VALE A FLORESTA AMAZÔNICA? Moving Beyond Technical Hurdles in Regulated and Voluntary Carbon Markets [Evoluindo além m das Tecnicalidades nos Mercados Regulamentados e Voluntários] Paulo Moutinho moutinho@ipam.org.br, pmoutinho@whrc.org

Leia mais

Inventário de Emissões de Gases de Efeito Estufa. Relatório de Atividades em Evento de Sustentabilidade FIESC 2012

Inventário de Emissões de Gases de Efeito Estufa. Relatório de Atividades em Evento de Sustentabilidade FIESC 2012 Inventário de Emissões de Gases de Efeito Estufa Relatório de Atividades em Evento de Sustentabilidade FIESC 2012 Julho de 2012 A natureza criou o tapete sem fim que recobre a superfície da terra. Dentro

Leia mais

Eficiência Energética em tempos de COP-21. Nov 2015

Eficiência Energética em tempos de COP-21. Nov 2015 Eficiência Energética em tempos de COP-21 Nov 2015 1 Schneider Electric, o especialista global em gerenciamento de energia e automação 25 bilhões receita em 2014 ~5% das receitas aplicadas em P&D ~170,000

Leia mais

OS PROJETOS FLORESTAIS NO MECANISMO DE DESENVOLVIMENTO LIMPO / FORESTRY PROJECTS IN THE CLEAN DEVELOPMENT MECHANISM

OS PROJETOS FLORESTAIS NO MECANISMO DE DESENVOLVIMENTO LIMPO / FORESTRY PROJECTS IN THE CLEAN DEVELOPMENT MECHANISM Artigos 9 ARTIGOS TÉCNICOS / ARTICLES OS PROJETOS FLORESTAIS NO MECANISMO DE DESENVOLVIMENTO LIMPO / FORESTRY PROJECTS IN THE CLEAN DEVELOPMENT MECHANISM MARCELO THEOTO ROCHA Engenheiro Agrônomo Doutor

Leia mais

Empresas e as mudanças climáticas

Empresas e as mudanças climáticas Empresas e as mudanças climáticas O setor empresarial brasileiro, por meio de empresas inovadoras, vem se movimentando rumo à economia de baixo carbono, avaliando seus riscos e oportunidades e discutindo

Leia mais

INVENTÁRIO DE GEE BICBANCO 2014

INVENTÁRIO DE GEE BICBANCO 2014 INVENTÁRIO DE GEE BICBANCO 2014 A liberação de gases de efeito estufa (GEE) associada às atividades humanas em todo o mundo é reconhecida como a principal causa das mudanças climáticas que vem sendo observadas

Leia mais

THE BRAZILIAN PUBLIC MINISTRY AND THE DEFENSE OF THE AMAZONIAN ENVIRONMENT

THE BRAZILIAN PUBLIC MINISTRY AND THE DEFENSE OF THE AMAZONIAN ENVIRONMENT THE BRAZILIAN PUBLIC MINISTRY AND THE DEFENSE OF THE AMAZONIAN ENVIRONMENT Raimundo Moraes III Congresso da IUCN Bangkok, November 17-25 2004 ENVIRONMENTAL PROTECTION IN BRAZIL The Constitution states

Leia mais

Reflexões sobre a COP-18 e o futuro das negociações internacionais sobre mudança climática

Reflexões sobre a COP-18 e o futuro das negociações internacionais sobre mudança climática Núcleo de Pesquisa em Políticas e Regulação de Emissões de Carbono NUPPREC OP-ED Reflexões sobre a COP-18 e o futuro das negociações internacionais sobre mudança climática As Negociações Climáticas de

Leia mais

CRÉDITOS DE CARBONO (FINANCIAMENTO)

CRÉDITOS DE CARBONO (FINANCIAMENTO) CRÉDITOS DE CARBONO (FINANCIAMENTO) ILÍDIA DA A. G. MARTINS JURAS Consultora Legislativa da Área XI Meio Ambiente e Direito Ambiental, Organização Territorial, Desenvolvimento Urbano e Regional JANEIRO/2001

Leia mais

Parágrafo único. Os programas e ações do Governo Federal que integram o Plano Plurianual deverão observar o previsto no caput.

Parágrafo único. Os programas e ações do Governo Federal que integram o Plano Plurianual deverão observar o previsto no caput. DECRETO Nº 7.390, DE 9 DE DEZEMBRO DE 2010. Regulamenta os arts. 6o, 11 e 12 da Lei no 12.187, de 29 de dezembro de 2009, que institui a Política Nacional sobre Mudança do Clima - PNMC, e dá outras providências.

Leia mais

Administração e Sustentabilidade

Administração e Sustentabilidade Administração e Sustentabilidade Prof. André Pereira de Carvalho andre.carvalho@fgv.br POI/ FGV-EAESP www.fgv.br/eaesp Centro de Estudos em Sustentabilidade (Gvces) www.fgv.br/ces Dilema: Falso dilema?

Leia mais

Economia de Baixo de Carbono, onde estamos? para onde vamos?

Economia de Baixo de Carbono, onde estamos? para onde vamos? Seminário sobre Sustentabilidade no Setor Elétrico Brasileiro Economia de Baixo de Carbono, onde estamos? para onde vamos? 21 de novembro de 2014 Aneel Brasília O conteúdo deste relatório foi produzido

Leia mais

Incentivos a Economia de Baixo Carbono no Brasil: Vendo para Depois de 2020 Ronaldo Seroa da Motta ronaldo.seroa@ipea.gov.br

Incentivos a Economia de Baixo Carbono no Brasil: Vendo para Depois de 2020 Ronaldo Seroa da Motta ronaldo.seroa@ipea.gov.br Incentivos a Economia de Baixo Carbono no Brasil: Vendo para Depois de 2020 Ronaldo Seroa da Motta ronaldo.seroa@ipea.gov.br Workshop Fomento à Economia de Baixo Carbono e Crescimento Verde da Indústria

Leia mais

Federal Court of Accounts Brazil (TCU) Auditing Climate Change Policies

Federal Court of Accounts Brazil (TCU) Auditing Climate Change Policies Federal Court of Accounts Brazil (TCU) Auditing Climate Change Policies JUNNIUS MARQUES ARIFA Head of Department of Agriculture and Environmental Audit TCU s mandate and jurisdiction 1. Role of Supreme

Leia mais

Sustentabilidade e Mudança Climática

Sustentabilidade e Mudança Climática Sustentabilidade e Mudança Climática 23 de Setembro 2009 Definindo uma Estratégia Corporativa para lidar com Mudanças Climáticas de forma sustentável Aceitar que o debate está concluído Entender a sua

Leia mais

Demandas e escalas para a contabilidade de emissões de Gases de Efeito Estufa - GEE

Demandas e escalas para a contabilidade de emissões de Gases de Efeito Estufa - GEE Demandas e escalas para a contabilidade de emissões de Gases de Efeito Estufa - GEE Secretaria de Políticas e Programas de Pesquisa e Desenvolvimento X Convenção do Clima UNFCCC é um tratado ambiental

Leia mais

Comércio Eletrônico e a proteção de dados pessoais do consumidor E-commerce and the protection of consumer's personal data

Comércio Eletrônico e a proteção de dados pessoais do consumidor E-commerce and the protection of consumer's personal data Comércio Eletrônico e a proteção de dados pessoais do consumidor E-commerce and the protection of consumer's personal data Seminário de Proteção à Privacidade e aos Dados Pessoais International Seminar

Leia mais

A. Situação / Situation

A. Situação / Situation A. Situação / Situation A Assembleia Mundial da Saúde (OMS) aprova em 1969 o Regulamento Sanitário Internacional, revisto pela quarta vez em 2005. Esta última versão entrou em vigor no plano internacional

Leia mais

Opções de Mitigação de Gases de Efeito Estufa (GEE) em Setores-Chave do Brasil

Opções de Mitigação de Gases de Efeito Estufa (GEE) em Setores-Chave do Brasil Opções de Mitigação de Gases de Efeito Estufa (GEE) em Setores-Chave do Brasil Régis Rathmann e Maurício Francisco Henriques Jr. Identificação do Projeto Agência implementadora: PNUMA Financiamento: Doação

Leia mais

Problemas ambientais urbanos

Problemas ambientais urbanos MEC, 4º ano, 2º sem, 2008-09 Desafios Ambientais e de Sustentabilidade em Engenharia Problemas ambientais urbanos 3ª aula Maria do Rosário Partidário CITIES ENVIRONMENT Inputs Outputs Energy Food Water

Leia mais

Lloyd s no brasil. 2 anos após a abertura do mercado de resseguros MARCO ANTONIO DE SIMAS CASTRO

Lloyd s no brasil. 2 anos após a abertura do mercado de resseguros MARCO ANTONIO DE SIMAS CASTRO Lloyd s no brasil 2 anos após a abertura do mercado de resseguros MARCO ANTONIO DE SIMAS CASTRO July 2010 Lloyd s no Brasil abril 2008: O Lloyd s foi o primeiro ressegurador a receber a licença da SUSEP,

Leia mais

Econergy International PLC. Projetos de MDL

Econergy International PLC. Projetos de MDL Econergy International PLC. Projetos de MDL São Paulo, 18 de agosto de 2006 Econergy Escritórios rios Ireland Boulder (CO) Washington D.C. Monterrey São Paulo Buenos Aires Nossa Missão é Agregar Valor

Leia mais

Inventário Municipal de Emissões de GEE Belo Horizonte. João Marcelo Mendes jmendes@waycarbon.com

Inventário Municipal de Emissões de GEE Belo Horizonte. João Marcelo Mendes jmendes@waycarbon.com Inventário Municipal de Emissões de GEE Belo Horizonte João Marcelo Mendes jmendes@waycarbon.com Sobre a WayCarbon 7 anos no mercado sul-americano de consultoria em mudanças climáticas Portifólio de projetos

Leia mais

MÓDULO I: Mudança do Clima e Acordos Internacionais. Efeito Estufa. Fontes de Emissões. Impactos. Acordos Internacionais

MÓDULO I: Mudança do Clima e Acordos Internacionais. Efeito Estufa. Fontes de Emissões. Impactos. Acordos Internacionais MÓDULO I: Mudança do Clima e Acordos Internacionais Efeito Estufa Fontes de Emissões Impactos Acordos Internacionais Fontes de Emissões Antropogênicas Fonte: Quarto Relatório de Avaliação do IPCC, 2007.

Leia mais

INVENTÁRIO DE GEE BICBANCO 2013

INVENTÁRIO DE GEE BICBANCO 2013 INVENTÁRIO DE GEE BICBANCO 2013 A liberação de gases de efeito estufa (GEE) associada às atividades humanas em todo o mundo é reconhecida como a principal causa das mudanças climáticas que vem sendo observadas

Leia mais

Implementação da CITES na União Europeia

Implementação da CITES na União Europeia Implementação da CITES na União Europeia Reunião com IBAMA sobre Aniba rosaeodora Manaus, 23 de fevereiro 2015 The views expressed in this presentation do not necessarily reflect the views of the European

Leia mais

Fundo Nacional sobre Mudança do Clima (FUNDO CLIMA)

Fundo Nacional sobre Mudança do Clima (FUNDO CLIMA) Fundo Nacional sobre Mudança do Clima (FUNDO CLIMA) Conteúdo A Política Nacional sobre Mudança do Clima O Fundo Nacional sobre Mudança do Clima (Fundo Clima) Aplicações Não-Reembolsáveis Aplicações Reembolsáveis

Leia mais

EFICIÊNCIA DE RECURSOS: EMBASANDO AS POLÍTICAS EUROPEIAS ALAVANCANDO UM SETOR DE CIMENTO DE BAIXO CARBONO

EFICIÊNCIA DE RECURSOS: EMBASANDO AS POLÍTICAS EUROPEIAS ALAVANCANDO UM SETOR DE CIMENTO DE BAIXO CARBONO EFICIÊNCIA DE RECURSOS: EMBASANDO AS POLÍTICAS EUROPEIAS ALAVANCANDO UM SETOR DE CIMENTO DE BAIXO CARBONO Vagner Maringolo CEMBUREAU Environment & Resources Manager 19 a 21 maio 2014 São Paulo/SP Brasil

Leia mais

Estimulando a demanda por reduções de emissões de REDD+: A necessidade de uma intervenção estratégica para 2015-2020

Estimulando a demanda por reduções de emissões de REDD+: A necessidade de uma intervenção estratégica para 2015-2020 Estimulando a demanda por reduções de emissões de REDD+: A necessidade de uma intervenção estratégica para 2015-2020 Resumo: Informações preliminares do quinto relatório de avaliação do IPCC mostram que

Leia mais

A Norma ISO 14064 Mudanças Climáticas. Vitor Feitosa Coordenador do SC-09 da ABNT/CB-38

A Norma ISO 14064 Mudanças Climáticas. Vitor Feitosa Coordenador do SC-09 da ABNT/CB-38 A Norma ISO 14064 Mudanças Climáticas Vitor Feitosa Coordenador do SC-09 da ABNT/CB-38 ISO WG5 Mudanças Climáticas ISO TC 207 - Environmental Management Working Group 5 Mudanças Climáticas Implantado em

Leia mais

Mariano Colini Cenamo mariano@idesam.org.br

Mariano Colini Cenamo mariano@idesam.org.br IntroduçãoaosMercadosde de Carbono Mariano Colini Cenamo mariano@idesam.org.br CURSO DE CAPACITAÇÃO EM SERVIÇOS AMBIENTAIS PARA TÉCNICOS DO GOVERNO DO ACRE SECRETARIA DE ESTADO DE MEIO AMBIENTE SEMA FOREST

Leia mais

WP8 Quality and Management/Governance National study Portuguese version 2012

WP8 Quality and Management/Governance National study Portuguese version 2012 With the support of the Lifelong Learning Programme of the European Union Identifying Barriers in Promoting the European Standards and Guidelines for Quality Assurance at Institutional Level IBAR Agreement

Leia mais

SUMÁRIO EXECUTIVO COMUNICAÇÃO ESTADUAL EMISSÕES NO SETOR DE ENERGIA: ABORDAGEM DE REFERÊNCIA (TOP DOWN)

SUMÁRIO EXECUTIVO COMUNICAÇÃO ESTADUAL EMISSÕES NO SETOR DE ENERGIA: ABORDAGEM DE REFERÊNCIA (TOP DOWN) COMUNICAÇÃO ESTADUAL 1º INVENTÁRIO DE EMISSÕES ANTRÓPICAS DE GASES DE EFEITO ESTUFA DIRETOS E INDIRETOS DO ESTADO DE SÃO PAULO EMISSÕES NO SETOR DE ENERGIA: ABORDAGEM DE REFERÊNCIA (TOP DOWN) SUMÁRIO EXECUTIVO

Leia mais

The Brazil United States Consumer Product Safety Conference Brazil United States Joint Press Statement June 10, 2011 Rio de Janeiro, Brazil Common Interests Ensuring a high level of consumer product safety

Leia mais

feam engebio 129 ANEXO F Planilha Check List Uberlândia

feam engebio 129 ANEXO F Planilha Check List Uberlândia feam engebio 126 feam engebio 127 feam engebio 128 feam engebio 129 ANEXO F Planilha Check List Uberlândia feam engebio 130 feam engebio 131 feam engebio 132 feam engebio 133 REFERÊNCIAS ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA

Leia mais

O Compromisso Crescimento Verde e a Sustentabilidade na Secil

O Compromisso Crescimento Verde e a Sustentabilidade na Secil O Compromisso Crescimento e a Sustentabilidade na Secil GONÇALO SALAZAR LEITE CEO GRACE - Encontro Temático Crescimento 1 Ponto de Partida O cimento é um bem essencial ao conforto, segurança e património

Leia mais

Inventários e monitoramento das emissões e remoções de GEE. Gustavo Luedemann Coordenação-Geral de Mudanças Globais de Clima

Inventários e monitoramento das emissões e remoções de GEE. Gustavo Luedemann Coordenação-Geral de Mudanças Globais de Clima Inventários e monitoramento das emissões e remoções de GEE Gustavo Luedemann Coordenação-Geral de Mudanças Globais de Clima HISTÓRICO UNFCCC IPCC Comunicação Nacional do Brasil Política Nacional sobre

Leia mais

Rede Clima Sub rede Energias Renováveis 2009 a 2013

Rede Clima Sub rede Energias Renováveis 2009 a 2013 Rede Clima Sub rede Energias Renováveis 2009 a 2013 COORDENADORES LUIZ PINGUELLI ROSA (lpr@adc.coppe.ufrj.br) MARCOS AURÉLIO VASCONCELOS DE FREITAS (mfreitas@ivig.coppe.ufrj.br) NSTITUIÇÃO COORDENADORA

Leia mais

NECESSIDADE DE CONHECIMENTO DAS EMISSÕES NOS PROCESSOS PRODUTIVOS. Inventários de Emissões

NECESSIDADE DE CONHECIMENTO DAS EMISSÕES NOS PROCESSOS PRODUTIVOS. Inventários de Emissões NECESSIDADE DE CONHECIMENTO DAS EMISSÕES NOS PROCESSOS PRODUTIVOS Inventários de Emissões O QUE É UM INVENTÁRIO? Um inventário corporativo de emissões diretas e indiretas de gases de efeito estufa é a

Leia mais

X Congreso Latinoamericano de Dinámica de Sistemas III Congreso Brasileño de Dinámica de Sistemas I Congreso Argentino de Dinámica de Sistemas

X Congreso Latinoamericano de Dinámica de Sistemas III Congreso Brasileño de Dinámica de Sistemas I Congreso Argentino de Dinámica de Sistemas 1 Hipótese Dinâmica do Mercado de Carbono para Projetos de Mecanismo de Desenvolvimento Limpo Dynamic Hypothesis of Carbon Market for Clean Development Mechanism Projects Simone Leticia Raimundini, MSc.,

Leia mais

Tendências de Mecanismos de Mercado para Estimulo as Energias Renováveis e Tecnologias Verdes

Tendências de Mecanismos de Mercado para Estimulo as Energias Renováveis e Tecnologias Verdes Tendências de Mecanismos de Mercado para Estimulo as Energias Renováveis e Tecnologias Verdes Agenda 1.Introdução 2.Matriz energética mundial 3.Soluções para sustentabilidade 4.Mecanismos de mercado 5.

Leia mais

Low Carbon Scenarios for Brazil. Amaro Pereira PPE/COPPE/UFRJ

Low Carbon Scenarios for Brazil. Amaro Pereira PPE/COPPE/UFRJ Low Carbon Scenarios for Brazil Amaro Pereira PPE/COPPE/UFRJ Project Team Co-ordinators Prof. Emilio La Rovere and Carolina Dubeux Technical team Amaro Pereira (Energy) Anamélia Medeiros (Agriculture)

Leia mais

Technical Information

Technical Information Subject Ballast Water Management Plan To whom it may concern Technical Information No. TEC-0648 Date 14 February 2006 In relation to ballast water management plans, we would advise you that according to

Leia mais

INVENTÁRIO DE EMISSÕES DE GASES DE EFEITO ESTUFA PARA O MUNICÍPIO DE SABARÁ 1

INVENTÁRIO DE EMISSÕES DE GASES DE EFEITO ESTUFA PARA O MUNICÍPIO DE SABARÁ 1 INVENTÁRIO DE EMISSÕES DE GASES DE EFEITO ESTUFA PARA O MUNICÍPIO DE SABARÁ 1 KRETTLI, Luísa Guimarães; PIMENTA, Mariana Antunes ; ALVARENGA, Luiza Helena Barbosa; MICHELLI, Andressa Miguez de Souza; NASCIMENTO,

Leia mais

Inventário de Gases de Efeito Estufa do Festival de Turismo das Cataratas do Iguaçu 2013

Inventário de Gases de Efeito Estufa do Festival de Turismo das Cataratas do Iguaçu 2013 Inventário de Gases de Efeito Estufa do Festival de Turismo das Cataratas do Iguaçu 2013 Sumário 1. APRESENTAÇÃO... 2 2. GHG PROTOCOL... 2 2.1 Premissas... 3 2.1.1 Definições... 3 2.1.1.1. Período... 3

Leia mais

Perguntas Frequentes Mudanças Climáticas

Perguntas Frequentes Mudanças Climáticas Perguntas Frequentes Mudanças Climáticas 1) O que é Mudança do Clima? A Convenção Quadro das Nações Unidas para Mudança do Clima (em inglês: United Nations Framework Convention on Climate Change UNFCCC),

Leia mais

A Importância da Elaboração dos Inventários de Emissões de Gases de Efeito Estufa nas Capitais Brasileiras

A Importância da Elaboração dos Inventários de Emissões de Gases de Efeito Estufa nas Capitais Brasileiras A Importância da Elaboração dos Inventários de Emissões de Gases de Efeito Estufa nas Capitais Brasileiras Emilio Lèbre La Rovere Coordenador, CentroClima/LIMA/PPE/COPPE/UFRJ 2º Encontro dos Secretários

Leia mais

NORMAS PARA AUTORES. As normas a seguir descritas não dispensam a leitura do Regulamento da Revista Portuguesa de Marketing, disponível em www.rpm.pt.

NORMAS PARA AUTORES. As normas a seguir descritas não dispensam a leitura do Regulamento da Revista Portuguesa de Marketing, disponível em www.rpm.pt. NORMAS PARA AUTORES As normas a seguir descritas não dispensam a leitura do Regulamento da Revista Portuguesa de Marketing, disponível em www.rpm.pt. COPYRIGHT Um artigo submetido à Revista Portuguesa

Leia mais

Local & Regional Development. Expanding the positive impacts of mining projects

Local & Regional Development. Expanding the positive impacts of mining projects Local & Regional Development Expanding the positive impacts of mining projects Defining local and regional development Factors: Economic Social Specific to communities Need for ongoing consultations Link

Leia mais

CRONOGRAMA DE APRESENTAÇÃO DOS TRABALHOS CR3+2015 11.11.15

CRONOGRAMA DE APRESENTAÇÃO DOS TRABALHOS CR3+2015 11.11.15 Horários 13h30 às 15h30 11.11.15 13h30 às 15h30 SESSÃO 1: APRESENTAÇÃO DE TRABALHOS Sala 1 Painel Estratégias e Horários Sala 2 - Painel Políticas Públicas e Práticas Sustentáveis P1 Consumo e Produção

Leia mais

Melhorando o ambiente de negócios por meio da transparência no Estado de São Paulo Dentro do MoU (Memorando de Entendimento) que o Governo do Estado tem com o Reino Unido estão sendo promovidos vários

Leia mais

Climate Change - Coal Overview

Climate Change - Coal Overview CSLF : Capacity Building Climate Change - Coal Overview Fernando Luiz Zancan President - Associação Brasileira do Carvão Mineral - ABCM Salvador - 08 September 2008 BRAZILIAN COAL INDUSTRY Resources: 31,7

Leia mais

V FEIRA INTERNACIONAL DA AMAZÔNIA CARBONO PARA ESTIMULAR SUSTENTÁVEL NO ESTADO DO

V FEIRA INTERNACIONAL DA AMAZÔNIA CARBONO PARA ESTIMULAR SUSTENTÁVEL NO ESTADO DO Universidade Federal do Amazonas Centro de Desenvolvimento Energético Amazônico V FEIRA INTERNACIONAL DA AMAZÔNIA MERCADO VOLUNTÁRIO DE CARBONO PARA ESTIMULAR PROJETOS DE DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL NO

Leia mais

Inovação da Gestão em Saneamento IGS

Inovação da Gestão em Saneamento IGS Prêmio Nacional da Qualidade em Saneamento PNQS Inovação da Gestão em Saneamento IGS GESTÃO DE GASES DE EFEITO ESTUFA (GEE) Ciclo 2013 2 Organograma Simplificado Organograma simplificado da OC, com ênfase

Leia mais

RETROSPECTIVA DAS AÇÕES DA REDE CLIMA DA CNI EM 2013

RETROSPECTIVA DAS AÇÕES DA REDE CLIMA DA CNI EM 2013 RETROSPECTIVA DAS AÇÕES DA REDE CLIMA DA CNI EM 2013 Cenário Nacional e Internacional De acordo com os termos do protocolo Kyoto, as nações industrializadas se comprometeriam a reduzir em 5,2% as emissões

Leia mais

Enterprise Europe - Portugal

Enterprise Europe - Portugal Enterprise Europe - Portugal Oportunidades de Cooperação Internacional Agência de Inovação Bibiana Dantas Lisboa, 5-Jun-2012 Enterprise Europe Portugal Jun 2012 2 A União Europeia é um mercado de oportunidades!

Leia mais

HOW DO YOU BECOME A LAWYER IN BRAZIL?

HOW DO YOU BECOME A LAWYER IN BRAZIL? HOW DO YOU BECOME A LAWYER IN BRAZIL? Doing Business in Brazil: Pathways to Success, Innovation and Access under the Legal Framework Keynote Speaker: Mr. José Ricardo de Bastos Martins Partner of Peixoto

Leia mais

Desmatamento Amazônico e Mudanças as Climáticas

Desmatamento Amazônico e Mudanças as Climáticas Desmatamento Amazônico e Mudanças as Climáticas Ciclone Catarina: evidência de mudança a do clima? Evidência do Aquecimento Global Emissões Globais 70-75% 75% das Emissões de GEE Queima de Combustíveis

Leia mais

PRODUTIVIDADE DO TRABALHO E COMPETITIVIDADE: BRASIL E SEUS CONCORRENTES

PRODUTIVIDADE DO TRABALHO E COMPETITIVIDADE: BRASIL E SEUS CONCORRENTES PRODUTIVIDADE DO TRABALHO E COMPETITIVIDADE: BRASIL E SEUS CONCORRENTES Eduardo Augusto Guimarães Maio 2012 Competitividade Brasil 2010: Comparação com Países Selecionados. Uma chamada para a ação África

Leia mais

CONHECIMENTO como GERADOR

CONHECIMENTO como GERADOR CONHECIMENTO como GERADOR 2001 Licenciada Bioquímica (Coimbra) 2008 Doutorada Biologia Molecular, Microbiologia e Evolução (Aveiro, Oxford e Barcelona) 2012 MBA Especialização Finanças, Porto Business

Leia mais

Verificação de resultados do mercado de carbono no setor de resíduos sólidos. Silvia Cruz (Unicamp) Sônia Paulino (EACH/ USP) Delhi Paiva (EACH/ USP)

Verificação de resultados do mercado de carbono no setor de resíduos sólidos. Silvia Cruz (Unicamp) Sônia Paulino (EACH/ USP) Delhi Paiva (EACH/ USP) Verificação de resultados do mercado de carbono no setor de resíduos sólidos Silvia Cruz (Unicamp) Sônia Paulino (EACH/ USP) Delhi Paiva (EACH/ USP) Estrutura 1.Contextualização 2. Objetivo 3. Metodologia

Leia mais

AVALIAÇÃO COMPARATIVA DO ABATIMENTO DAS EMISSÕES DE CO 2 A PARTIR DE ATIVIDADES SUSTENTÁVEIS NO SETOR ENERGÉTICO, DE TRANSPORTES E FLORESTAL NO BRASIL

AVALIAÇÃO COMPARATIVA DO ABATIMENTO DAS EMISSÕES DE CO 2 A PARTIR DE ATIVIDADES SUSTENTÁVEIS NO SETOR ENERGÉTICO, DE TRANSPORTES E FLORESTAL NO BRASIL AVALIAÇÃO COMPARATIVA DO ABATIMENTO DAS EMISSÕES DE CO 2 A PARTIR DE ATIVIDADES SUSTENTÁVEIS NO SETOR ENERGÉTICO, DE TRANSPORTES E FLORESTAL NO BRASIL ALINE G. MONTEIRO CLAUDINE P.DERECZYNSKI JÚLIO NICHIOKA

Leia mais

Adicionando Credibilidade às Ações em Mudanças Climáticas: Validações e Verificações ISO14064, VCS e MDL Britcham, 30 Setembro 2008

Adicionando Credibilidade às Ações em Mudanças Climáticas: Validações e Verificações ISO14064, VCS e MDL Britcham, 30 Setembro 2008 Adicionando Credibilidade às Ações em Mudanças Climáticas: Validações e Verificações ISO14064, VCS e MDL Britcham, 30 Setembro 2008 Luis F. Filardi Carneiro Gerente GHG América Latina Agenda Introdução;

Leia mais

Challenges and lessons learned from the Surui Forest Carbon Project, Brazilian Amazon. Pedro Soares / IDESAM

Challenges and lessons learned from the Surui Forest Carbon Project, Brazilian Amazon. Pedro Soares / IDESAM Challenges and lessons learned from the Surui Forest Carbon Project, Brazilian Amazon Pedro Soares / IDESAM Project Proponent & Partners Proponent: Support and supervise the project activities and will

Leia mais

Consequências da escassês ou desaparecimento dos serviços ambientais. Hannah Murray

Consequências da escassês ou desaparecimento dos serviços ambientais. Hannah Murray Consequências da escassês ou desaparecimento dos serviços ambientais Hannah Murray Objetivos Oferecer exemplos concretos de serviços das florestas relacionados aos recursos hídricos, seqüestro de carbono,

Leia mais

PROMINP / CTMA Workshop Técnico do Projeto MA-09 Grupo 01 Integridade de poços

PROMINP / CTMA Workshop Técnico do Projeto MA-09 Grupo 01 Integridade de poços PROMINP / CTMA Workshop Técnico do Projeto MA-09 Grupo 01 Integridade de poços Integridade de poços Introdução 9 profissionais 18 artigos internacionais Grupo 01 Andrea Nicolino IBP/Petrobras Carlos Henrique

Leia mais

Segurança de suprimento. availability 3 A (WEC) Mix energético balanceado. Eficiência econômica. Compatibilidade ambiental.

Segurança de suprimento. availability 3 A (WEC) Mix energético balanceado. Eficiência econômica. Compatibilidade ambiental. Carvão Mineral: Ações de Mitigação das Mudanças Climáticas Eng. Fernando Luiz Zancan Presidente da Associação Brasileira do Carvão Mineral ABCM Brasília 27 de Junho de 2007 Segurança de suprimento availability

Leia mais

Capacitação em Sistema de Monitoramento Florestal para promover o REDD+

Capacitação em Sistema de Monitoramento Florestal para promover o REDD+ Capacitação em Sistema de Monitoramento Florestal para promover o REDD+ Thiago Zampiva Att: Japan International Cooperation Agency - JICA Surgimento do REDD+ O que aconteceu Princípios da UNFCCC Compromisso

Leia mais

EMISSÕES DO SETOR DE RESÍDUOS SÓLIDOS E EFLUENTES LÍQUIDOS (2009-2010)

EMISSÕES DO SETOR DE RESÍDUOS SÓLIDOS E EFLUENTES LÍQUIDOS (2009-2010) EMISSÕES DO SETOR DE RESÍDUOS SÓLIDOS E EFLUENTES LÍQUIDOS (2009-2010) Sumário Executivo De acordo com a Convenção Quadro das Nações Unidas sobre Mudança do Clima (UNFCCC), adotada em 1992, as mudanças

Leia mais

Governancia da Água. Contributo de Portugal e da PPA para o Plano Estratégico de Implementação da Parceria Europeia para a Inovação no Domínio da Água

Governancia da Água. Contributo de Portugal e da PPA para o Plano Estratégico de Implementação da Parceria Europeia para a Inovação no Domínio da Água A Água e o Programa Horizonte 2020 (8ºPQ) Contributo de Portugal e da PPA para o Plano Estratégico de Implementação da Parceria Europeia para a Inovação no Domínio da Água Governancia da Água Francisco

Leia mais

Redução de GEEs e Oportunidades de Negócio na Mineração Brasileira

Redução de GEEs e Oportunidades de Negócio na Mineração Brasileira Redução de GEEs e Oportunidades de Negócio na Mineração Brasileira MUNIR SOARES 13 o Congresso Brasileiro de Mineração A Mineração e o Novo Cenário Sócio Econômico 2009 AGENDA INSTITUTO TOTUM UM BREVE

Leia mais

I Simpósio de Inovação Tecnológica e Soluções para o Meio Ambiente A CONTRIBUIÇÃO DA PETROBRAS PARA A MITIGAÇÃO DA MUDANÇA DO CLIMA

I Simpósio de Inovação Tecnológica e Soluções para o Meio Ambiente A CONTRIBUIÇÃO DA PETROBRAS PARA A MITIGAÇÃO DA MUDANÇA DO CLIMA I Simpósio de Inovação Tecnológica e Soluções para o Meio Ambiente A CONTRIBUIÇÃO DA PETROBRAS PARA A MITIGAÇÃO DA MUDANÇA DO CLIMA Leonardo Mitidiero Mansor Gerente Setorial de Articulação e Contingência

Leia mais

Protocolo de Quioto e MDL: Breve Introdução Histórico-Jurídica ao tema

Protocolo de Quioto e MDL: Breve Introdução Histórico-Jurídica ao tema De Rosa, Siqueira, Almeida, Mello, Barros Barreto e Advogados Associados Protocolo de Quioto e MDL: Breve Introdução Histórico-Jurídica ao tema EMBRAPA - Jaguariúna, 18.08.2003 1 Background... (Conferência

Leia mais

INVENTÁRIO DE EMISSÕES DE GASES DE EFEITO ESTUFA CORPORATIVAS UNIMED CUIABÁ

INVENTÁRIO DE EMISSÕES DE GASES DE EFEITO ESTUFA CORPORATIVAS UNIMED CUIABÁ INVENTÁRIO DE EMISSÕES DE GASES DE EFEITO ESTUFA CORPORATIVAS UNIMED CUIABÁ Abril de 2015 Sumário Resumo Executivo 03 1. INTRODUÇÃO 04 2. IDENTIFICAÇÃO DA INSTITUIÇÃO 06 3. OBJETIVO 06 4. MATERIAL E MÉTODOS

Leia mais

Future Trends: Global Perspective. Christian Kjaer Chief Executive Officer European Wind Energy Association

Future Trends: Global Perspective. Christian Kjaer Chief Executive Officer European Wind Energy Association Future Trends: Global Perspective Christian Kjaer Chief Executive Officer European Wind Energy Association Brazil Wind Power 2010 Rio de Janeiro 1 September 2010 Members include the following leading players:

Leia mais

Brasil, a mudança do clima e o período pós-quioto

Brasil, a mudança do clima e o período pós-quioto Brasil, a mudança do clima e o período pós-quioto Eliezer Martins Diniz * RESUMO - O artigo discute a negociação de um acordo no período pós-quioto e o posicionamento do Brasil face a esse tema. Para isso,

Leia mais

Sumário. Resumo Executivo 1 INTRODUÇÃO 04 2. IDENTIFICAÇÃO DA INSTITUIÇÃO 06 3. OBJETIVO 06 4. MATERIAL E MÉTODOS 06. 4.1 Limites Organizacionais 06

Sumário. Resumo Executivo 1 INTRODUÇÃO 04 2. IDENTIFICAÇÃO DA INSTITUIÇÃO 06 3. OBJETIVO 06 4. MATERIAL E MÉTODOS 06. 4.1 Limites Organizacionais 06 INVENTÁRIO DE EMISSÕES DE GASES DE EFEITO ESTUFA CORPORATIVAS UNIMED dezembro de 2011. Sumário Resumo Executivo 03 1 INTRODUÇÃO 04 2. IDENTIFICAÇÃO DA INSTITUIÇÃO 06 3. OBJETIVO 06 4. MATERIAL E MÉTODOS

Leia mais

Mudanças Climáticas na Vale

Mudanças Climáticas na Vale 30/09/2011 Mudanças Climáticas na Vale Gerência de Nova Economia e Mudanças Climáticas Departamento de Desenvolvimento Sustentável Política de Sustentabilidade Operador Sustentável Legado Econômico, Social

Leia mais

Interface between IP limitations and contracts

Interface between IP limitations and contracts Interface between IP limitations and contracts Global Congress on Intellectual Property and the Public Interest Copyright Exceptions Workshop December 16, 9-12:30 Denis Borges Barbosa The issue Clause

Leia mais

Inventário de Emissões de GEE: Ferramenta Estratégica para uma Economia de Baixo Carbono

Inventário de Emissões de GEE: Ferramenta Estratégica para uma Economia de Baixo Carbono Inventário de Emissões de GEE: Ferramenta Estratégica para uma Economia de Baixo Carbono Temas abordados 1. Quem somos 2. Efeito estufa e aquecimento global 3. Marco regulatório 4. O inventário de emissões

Leia mais

INTERNATIONAL CRIMINAL COURT. Article 98 TREATIES AND OTHER INTERNATIONAL ACTS SERIES 04-1119

INTERNATIONAL CRIMINAL COURT. Article 98 TREATIES AND OTHER INTERNATIONAL ACTS SERIES 04-1119 TREATIES AND OTHER INTERNATIONAL ACTS SERIES 04-1119 INTERNATIONAL CRIMINAL COURT Article 98 Agreement between the UNITED STATES OF AMERICA and CAPE VERDE Signed at Washington April 16, 2004 NOTE BY THE

Leia mais

Inovação e Empreendedorismo

Inovação e Empreendedorismo Inovação e Empreendedorismo Kami Saidi Diretor de Operações & Sustentabilidade HP Brasil 09-maio-13 HP Commitment Many assume, wrongly, that a company exists simply to make money... the real reason HP

Leia mais

Versão Web Inventário Corporativo de Gases de Efeito Estufa

Versão Web Inventário Corporativo de Gases de Efeito Estufa Inventário Corporativo de Gases do Efeito Estufa 2011 Versão Web Inventário Corporativo de Gases de Efeito Estufa Gerente do Projeto: Iris Gobato Gercov Consultora: Adriane Elise de Assunção Flausino Consultor:

Leia mais