Sistema de Administração de Provedores Integrado NEWSAPI

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Sistema de Administração de Provedores Integrado NEWSAPI"

Transcrição

1 ORGANIZAÇÃO SETE DE SETEMBRO DE CULTURA E ENSINO LTDA. FACULDADE SETE DE SETEMBRO FASETE CURSO DE BACHARELADO EM SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Rafael Marinho dos Santos Sistema de Administração de Provedores Integrado NEWSAPI Paulo Afonso - BA Dezembro/2011

2 Rafael Marinho dos Santos Sistema de Administração de Provedores Integrado NEWSAPI Monografia apresentada ao curso de Sistemas de Informação da Faculdade Sete de Setembro, como requisito para avaliação conclusiva. Orientador: Prof. Msc. Igor Medeiros Vanderlei Paulo Afonso BA Dezembro/2011

3 DEDICATÓRIA À Deus Hoje posso dizer que venci, mas é verdade que se não me curvei pelo cansaço e não me abati pelas dificuldades foi porque nos momentos difíceis voltei-me para meu coração e la te encontrei (Giselle Silva Magalhães). À minha família Mas se desejarmos fortemente o melhor e, principalmente, lutarmos pelo melhor... O melhor vai se instalar em nossa vida. Porque sou do tamanho daquilo que vejo, e não do tamanho da minha altura (Carlos Drummond de Andrade).

4 AGRADECIMENTOS Agradeço a todos que contribuíram de forma direta ou indireta para conclusão dessa etapa da minha vida. À Deus por está presente sempre em todos os momentos seja nas vitórias seja nos sofrimentos, mais sempre me mostrando o caminho certo a seguir. Aos meus pais Antonio Francisco e Maria de Fátima, aos meus irmãos Rodrigo e Robson, as minhas sobrinhas Karinne, Palewa e Eloá, sempre presente em todos os momentos com todo apoio e suporte que necessitei durante essa batalha da minha vida. A minha segunda família, Lene, Fernanda e Gustavo em especial a minha esposa Fabiana pelo apoio, paciência e contribuição. Aos meus colegas de trabalho Jessica, Marcondes, Josivaldo, Sergio e Gustavo em especial a Márcio Eduardo pelo apoio incondicional em todas as etapas deste projeto. Aos meus professores da graduação que contribuíram para os meus conhecimentos até aqui. Ao meu orientador Igor Medeiros pelo apoio, paciência, atenção e contribuição para o desenvolvimento do projeto. Aos meus colegas do carro da faculdade com quem passei por vários momentos alegres e difíceis. Nunca desista dos seus sonhos, pois a única saída dos fracos é a desistência das coisas e de seus sonhos, mas para os fortes a única alternativa é a persistência daquilo que tanto almejam! (Lennon)

5 SANTOS, Rafael Marinho. Sistema de Administração de Provedores Integrado - NEWSAPI f. Monografia de graduação do Curso de Bacharelado em Sistemas de Informação. Faculdade Sete de Setembro FASETE, Paulo Afonso-BA. Os provedores de acesso à internet geralmente utilizam o Mikrotik, sistema capaz de gerenciar o acesso dos clientes, porém o sistema não supre todas as necessidades de um provedor, o presente estudo analisou um provedor de internet em Canindé de São Francisco SE, que já utiliza um sistema que durante o estudo apresentou algumas falhas relatadas por funcionários e administradores, o NEWSAPI tem como objetivo solucionar os problemas encontrados, e apresentar uma nova ferramenta capaz de integrar com um sistema de autenticação e administrar de forma integrada e eficaz provedores de acesso a internet. Palavra Chave: Sistema de Administração de Provedores, mikrotik, desenvolvimento de sistemas, Radius, integração com sistema de autenticação.

6 SANTOS, Rafael Marinho. Management system integrated providers - NEWSAPI f. Monograph undergraduate Information Systems. Faculdade Sete de Setembro - FASETE, Paulo Afonso-BA. ABSTRAT Service providers often use the Internet Mikrotik, system capable of managing customer access, but the system does not meet all the needs of a provider, this study analyzed an ISP in San Francisco Canindé - SE, which has a system that uses during the study had some flaws reported by employees and managers, the NEWSAPI aims to solve the problems encountered, and present a new tool that can integrate with an authentication system and manage an integrated and efficient access to providers the Internet. Keywords: Management System Provider, MikroTik, systems development, Radius, integration with authentication system.

7 LISTA DE FIGURAS FIGURA 1 ARQUITETURA DO NEWSAPI FIGURA 2 - EXEMPLO DE FUNCIONAMENTO DE AUTENTICAÇÃO FIGURA 3 DIAGRAMA DE CLASSES FIGURA 4 DIAGRAMA DE CASOS DE USO FIGURA 5 PÁGINA DE LOGIN FIGURA 6 ÁREA ADMINISTRATIVA PÁGINA PRINCIPAL FIGURA 7 MENU ARQUIVO E SUBMENU BÁSICO FIGURA 8 MENU ARQUIVO E SUBMENU ESTOQUE FIGURA 9 MENU ARQUIVO E SUBMENU FINANCEIRO FIGURA 10 CONSULTAR CLIENTES POR IP/MAC FIGURA 11 MENU CLIENTES FIGURA 12 INFORMAÇÕES DO CLIENTE CADASTRADO FIGURA 13 JANELA DE CADASTRO DE CLIENTES FIGURA 14 PÁGINA DE LOGIN DA CENTRAL DO ASSINANTE FIGURA 15 PÁGINA PRINCIPAL DA CENTRAL DO ASSINANTE FIGURA 16 JANELA DE ALTERAÇÃO DA SENHA DA CENTRAL DO ASSINANTE FIGURA 17 JANELA DE ALTERAÇÃO DA(S) SENHA(S) DE ACESSO À INTERNET... 36

8 SUMÁRIO 1 INTRODUÇÃO JUSTIFICATIVA PROBLEMAS DE PESQUISA HIPÓTESES OBJETIVOS OBJETIVO GERAL OBJETIVOS ESPECÍFICOS METODOLOGIA DE DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE METODOLOGIA DE PROGRAMAÇÃO EXTREMA (XP) VALORES DA METODOLOGIA XP PRINCÍPIOS DA METODOLOGIA XP PRÁTICAS DA METOLOGIA XP SERVIDOR WEB SERVIDOR WEB TOMCAT SERVIDOR RADIUS MIKROTIK ROUTEROS LINGUAGEM DE PROGRAMAÇÃO E FERRAMENTAS LINGUAGEM JAVA POSTGRESQL HIBERNATE ECLIPSE CARACTERÍSTICAS DO SISTEMA PROPOSTO FUNCIONALIDADES ARQUITETURA DO SISTEMA NEWSAPI DIAGRAMA DE CLASSES BÁSICAS DIAGRAMA DE CLASSES SERVIDOR RADIUS DIAGRAMA DE CASOS DE USO... 28

9 4 INTERFACE GRÁFICA DO NEWSAPI PÁGINA DE LOGIN ÁREA ADMINISTRATIVA PÁGINA PRINCIPAL PÁGINA DE LOGIN DA CENTRAL DO ASSINANTE PÁGINA PRINCIPAL DA CENTRAL DO ASSINANTE CONSIDERAÇÕES FINAIS REFERÊNCIAS... 39

10 11 1. Introdução A informatização das empresas nos últimos tempos tem melhorado de forma significativa a administração e gestão, evitando falhas humanas e desenvolvendo as necessidades administrativas da empresa, antes feitas de forma manual, essas tecnologias têm reduzido tempo e custo para as empresas. Os provedores de internet necessitam de um sistema capaz de gerenciar o tráfego de acesso dos seus clientes, realizar gerenciamento financeiro, bloquear clientes inadimplentes, exibir mensagens de aviso de débito e desbloquear o cliente, caso este regularize a sua situação financeira, entre outras funções. A maioria dos provedores de acesso a internet utilizam o sistema operacional Mikrotik, que atende as necessidades básicas supracitadas, entretanto, na maioria das vezes, as operações são realizadas de forma manual através do sistema que exige do usuário um conhecimento técnico de redes de computadores. Este trabalho tem por objetivo desenvolver um sistema de informação, para facilitar as tarefas de gerenciamento do Provedor de Internet New Speed Internet Banda Larga localizado em Canindé de São Francisco SE. 1.1 Justificativa Atualmente é constante encontrar provedores de internet que trabalham com a administração de forma manual, utilizando o próprio sistema do Mikrotik, que exige conhecimentos técnicos de redes e configurações mais complexas, dificultando o controle dos processos da empresa, o que pode ocasionar falhas administrativas. A falta de integração nas informações entre as diversas áreas da empresa também contribue para que ocorram problemas operacionais, como por exemplo, o cliente inadimplente continua tendo acesso a internet e não recebe nenhum aviso de bloqueio.

11 12 O NEWSAPI tem como objetivo otimizar a administração dos provedores, através de uma ferramenta com interface web, que pode ser acessada a partir de qualquer sistema operacional, através de qualquer browser. No NEWSAPI, os funcionários e administradores terão acesso de forma fácil e eficaz às informações do provedor. Atualmente a empresa já possui um sistema de informação para gerenciar as suas atividades, entretanto, o desenvolvimento de um novo sistema se torna necessário, pois o sistema atual não atende plenamente às necessidades dos usuários e apresenta algumas falhas relatadas por usuários e administradores, tais como: A senha do cliente de acesso a internet pode ser vista por usuários do sistema através de um relatório que o sistema exibe no momento em que o cliente faz a solicitação de autenticação. Não existe um controle de ativação do cliente, de tal forma que o boleto para pagamento da mensalidade dos clientes novos precisa ser gerado manualmente, pois nem sempre o cliente passa a ter acesso à internet no momento do seu cadastro e não se pode cobrar por um serviço que ainda não está disponível. Ao bloquear os clientes o sistema não exibe nenhuma mensagem de aviso, apenas bloqueia as credencias do cliente não permitindo que o mesmo possa autenticar e acessar internet, por exemplo, quando um cliente bloqueado digita suas credencias o sistema retorna a tela de login e não informa ao cliente o motivo do erro, com isso os clientes ficam sem saber qual foi o problema, ocasionando chamados ao suporte por falta de uma mensagem. Para acessar o sistema existente é necessário realizar uma instalação do mesmo, que possui apenas versões compatíveis com a plataforma Windows.

12 13 O Sistema proposto traz inovações e soluções para os problemas citados, tais como: Tendo em vista que a senha de acesso do cliente é restrita ao mesmo, o sistema apenas exibe a mensagem para o usuário da empresa mostrando qual o erro, por exemplo, se o cliente estiver digitando a senha errada o sistema exibe uma mensagem informando que o erro está na senha, se o erro for o usuário digitado incorreto, o sistema exibe a mensagem de erro de usuário, a senha do cliente é criptografada. O cadastro de clientes tem um controle de data de ativação, assim sendo, quando o cliente começar o seu acesso a internet, o próprio sistema calcula automaticamente os seus dias de uso e conseqüentemente o valor da sua primeira mensalidade, caso não exista data de ativação o sistema não gera boleto para o cliente. O sistema é web e funciona com arquitetura cliente/servidor, podendo ser acessado por qualquer browser e sistema operacional. 1.2 Problema de pesquisa O desenvolvimento de um sistema de informação gerencial integrado ao Mikrotik apresentará um melhor desempenho a administração do provedor, o problema principal seria como fazer para controlar o acesso e o tráfego dos clientes sem necessitar que o funcionário do provedor tivesse acesso direto ao sistema responsável por controlar o acesso, desenvolver um sistema que seja capaz de interagir com um banco de dados e o Mikrotik. Para desenvolver o sistema com essas características faz-se necessário esclarecer alguns questionamentos: Quais são as formas de integração disponíveis no Mikrotik? Que linguagem de programação oferece suporte para esta integração? Qual é a plataforma mais adequada para desenvolvimento deste sistema?

13 Hipóteses Através da interface amigável do NEWSAPI, os erros humanos da área operacional serão minimizados, pois o funcionário não terá a necessidade de interagir diretamente com o Mikrotik. A central de assinante, incluída no NEWSAPI trará comodidade ao cliente que necessita de uma segunda via do seu boleto, extrato de acesso, troca de senhas, entre outras funcionalidades disponíveis. Exibir uma mensagem de aviso de bloqueio clara e objetiva para os clientes bloqueados trará como benefício à redução do número de chamadas ao suporte, além de uma melhoria da imagem institucional do provedor, pois os clientes não confundirão a situação de estar bloqueado com a indisponibilidade do serviço causado por algum problema técnico na rede da empresa ou por algum erro ao digitar seu usuário e senha de acesso à internet. Permitir uma personalização do boleto bancário inserindo no boleto informações como: Faturas em atraso, referência de localização, serviços contratados com detalhes do(s) plano(s) escolhido com velocidade e valor, e informações diversas que o provedor poderá inserir entre outras funções, com isso o provedor poderá exibir mensagens no boleto sem a necessidade de enviar novos informativos quando necessário como por exemplo carta de cobrança que já estará incluso no boleto 1.4 Objetivos Objetivo geral Desenvolver um sistema de informação integrado para administração de provedores de acesso à internet chamado de NEWSAPI, visando melhorar a administração e facilitar o trabalho da empresa.

14 Objetivos específicos Analisar o sistema implantado na empresa para identificar os pontos que precisam ser melhorados. Analisar Metodologia de Desenvolvimento de Software Extreme Programming (XP), como forma de garantir que suas especificações serão seguidas. Desenvolver o sistema que seja capaz de controlar as atividades necessárias para o funcionamento administrativo e tecnológico de um provedor de acesso a internet, solucionar os problemas encontrados no sistema existente com a empresa pesquisada, com uma linguagem uma linguagem de programação moderna e segura. 2. Metodologia de desenvolvimento do software Metodologias de desenvolvimento é de grande importância para o desenvolvimento agil e produtivo de projetos, os processos de desenvolvimento de software têm que se preocupar com a garantia da construção de um software de qualidade, a redução de custos de produção e tempo tendo em vista os prazos estabelecidos. Com isso, tornase indispensável o conhecimento e aplicação da Engenharia de Software, tais fundamentos abrangem o uso de modelos abstratos e precisos que permitem ao engenheiro de software produzir e manter sistemas com qualidade e eficiência (LEITE, 2011). Entre as várias metodologias de software existentes, a escolha da mais adequada deve levar em consideração as características do projeto e da equipe de desenvolvimento. A Metodologia de Programação Extrema (XP) foi escolhida para o ciclo de desenvolvimento do NEWSAPI pois tem apresentado resultados no desenvolvimento evitando falhas comuns no ciclo de desenvolvimento, alem de ser a mais utilizada por varios desenvolvedores no mundo com facil aprendizado, e geralmente utlizada em projetos que muda de requisitos com uma certa frenquência e em programação orientada a objetos A XP é uma maneira leve, eficiente, de baixo risco, flexível, previsível, científica e divertida de desenvolver software (KENT BECK, 2004).

15 Metodologia de programação extrema (XP) O desenvolvimento de qualquer sistema exige uma serie de cuidados para não ultrapassar prazos, e evitar falhas tendo que retornar ou corrigir algo que ja esteja desenvolvido. O custo de consertar um problema em um software qualquer aumenta exponencialmente ao longo do tempo. Um problema que talvez custe um dólar para ser consertado, se encontrado durante a análise de requisitos pode custar milhares de dólares quando o software estiver em produção (KENT BECK, 2004). A Extreme Programming foi criada sob a visão de que mudanças nos requisitos são inevitáveis e funcionalidades devem ser incorporadas a todo instante, para isso, estabelece como de fundamental importância a participação do cliente e usuários do sistema durante todo o processo de desenvolvimento. Essa participação tem em vista uma interação entre o cliente e a equipe de desenvolvimento. Isso permite que ao longo do desenvolvimento do sistema sejam realizadas mudanças no sistema para que se adéqüe ao que realmente o cliente deseja, evitando a implementação de funcionalidades que nunca serão utilizadas (KENT BECK, 2004) Valores da metodologia XP O primeiro valor, comunicação, Quando analisamos alguns problemas que acontecem em projetos, encontramos casos que são provocados por falta de comunicação entre, integrantes da equipe ou até mesmo entre cliente e equipe, provocado por alguém que deixou de comunicar algo importante. A falta de comunicação não acontece por acaso. Existem varias circunstâncias que levam a problemas de comunicação. Por exemplo, o cliente diz algo importante ao engenheiro do projeto e o mesmo esquece a informação e não a repassa para o programador. A XP procura manter as comunicações certas fluindo através do emprego de varias práticas que não podem ser realizadas sem comunicação. Essas práticas que fazem sentido em curto prazo, como teste de unidade, programação em pares e estimativa de tarefas. O efeito de testar, programar em pares e estimar é a comunicação entre programadores, clientes e gerentes (KENT BECK, 2004). O segundo valor, a simplicidade sugere que seja adotada a solução mais fácil que possa funcionar, encontrando-se a solução mais simples e fácil para possíveis e futuras melhorias e entendimento para os demais membros da equipe. Além de evitar o desenvolvimento antecipado de funcionalidades que muitas vezes não são tão úteis (KENT BECK, 2004).

16 17 O terceiro valor, o Feedback, permite que o sistema seja avaliado através de testes escritos e executado pelos programadores, o cliente por sua vez obtém o feedback através de testes funcionais e retorna a equipe a sua opinião e sugestões. Esse feedback é de extrema importância para que seja corrigido eventuais erros e que se acrescente as novas idéias do cliente e conseqüentemente as melhorias para o sistema (KENT BECK, 2004). O quarto valor, a coragem, estabelece que, para o uso da metodologia, é necessário que atitudes como modificar o código pronto e que está em pleno funcionamento, compartilhamento de código com toda equipe, sejam simples e de fácil aceitação. Essas atitudes exigem coragem e não devem ser evitadas pelo medo de executá-las (KENT BECK, 2004) Princípios da Metodologia XP Os valores apresentados na metodologia têm em vista os princípios que permitem o emprego desses valores no desenvolvimento, esses princípios são: Feedback rápido Simplicidade presumida Mudanças incrementais Aceitação das mudanças Alta qualidade Através do Feedback rápido, a equipe de desenvolvimento estão sempre se comunicando, com isso o aprendizado sobre o sistema em desenvolvimento se torna coletivo. A simplicidade presumida é de grande importância, testes, boa comunicação, são tarefas que tornam os trabalhos mais simples. Essas tarefas permitem que sejam resolvidos os problemas atuais e desenvolve novas técnicas para adicionar complexidade quando for necessário (KENT BECK, 2004). O princípio da mudança incremental, afirma que quanto maior o numero de mudanças menor é a chance de acontecer bons resultados. Para obter resultados com satisfação de todos os integrantes da equipe, mudanças devem ser realizadas de forma incremental e aos poucos. A XP permite que os programadores realizem varias mudanças no sistema original (KENT BECK, 2004). Trabalho com qualidade, esse princípio tem como característica principal da XP. Embora a definição da qualidade possa variar de pessoa para pessoa, na XP qualidade é acrescentar o maior valor possível para o sistema do cliente atendendo todos os requisitos de fundamental importância para o projeto com qualidade e eficiência (KENT BECK, 2004).

17 Práticas da Metodologia XP A XP possui doze práticas que foram desenvolvidas com base nos valores e nos princípios da metodologia, Kent Beck, afirmam que estas práticas não é novidade, elas já foram utilizadas, testadas e avaliadas ao longo de vários anos, em projetos de desenvolvimento de software. O jogo do planejamento é responsável pelo planejamento e iterações, onde tem como base as histórias de uso, que são descrições dos casos de uso de forma mais simplificada. Para sua elaboração toda a equipe deve participar, ate mesmo o cliente, nesse desenvolvimento as pessoas da área do negócio segundo Kent Beck precisam decidir sobre: Escopo Quanto de um problema precisa ser resolvido para que o sistema tenha valor em produção? A pessoa da área de negócios está em posição de entender o quanto não é suficiente e o quanto é demais. Prioridade Se em um primeiro momento você só pudesse ter A ou B, qual você escolheria? A pessoa da área de negócios está em posição de decidir isso, muito mais do que um programador. Composição das versões O quanto precisa ser feito para que o(s) negócio(s) esteja(m) em melhor situação com o desenvolvimento do software do que sem desenvolvê-lo? A intuição do programador sobre essa questão pode estar completamente errada. Datas de entrega Quais são as datas importantes, quando a presença do software (ou uma parte dele) faria bastante diferença. Releases pequenos segundo Kent Beck, cada release deve ser tão pequeno quanto possível, contendo os requisitos mais importantes para o negócio, ou seja, tem-se releases freqüentes, o que por sua vez, resulta em maior feedback para clientes e programadores facilitando o aprendizado e a correção dos defeitos do sistema. Metáfora, a criação de uma visão simples em um formato de fácil entendimento para os clientes e programadores deve ser construída na forma de metáfora, com isso é realizado analogias entre o sistema em desenvolvimento e os sistemas já existentes, não precisa ser um software completo, mas um sistema onde todos entendam e seja claro para que possa construir um vocabulário comum o que facilitará o desenvolvimento do projeto (KENT BECK, 2004). Testes, nessa metodologia são divididos em dois tipos, o unitário que deve ser realizado através do programador durante a fase de desenvolvimento e o de aceitação que é realizado pelo cliente ou usuários do sistema devendo comprovar que as funcionalidades desenvolvidas e exigidas estão presentes e funcionando como o cliente necessita. As execuções desses testes devem ser realizadas durante o ciclo de desenvolvimento do projeto (KENT BECK, 2004).

18 19 Projeto simples tendo em vista que todo desenvolvimento deve ser projetado de forma mais simples que possa solucionar os problemas, onde as funcionalidades já definidas devem ter soluções fáceis para evitar perder tempo em busca de soluções (KENT BECK, 2004). Semana de quarenta horas, a equipe de desenvolvimento é obrigada a trabalhar 40 horas por semana, segundo Kent Beck, diz que não se deve trabalhar além das 40 horas por duas semanas consecutivas, pois o cansaço pelas horas extras pode trazer perda de qualidade para o sistema Servidor Web Servidor Web é responsável por receber pedidos http de clientes, e enviar a resposta ao usuário com as informações disponíveis na pagina web, imagens, dados e etc.. Os pedidos http que se referem habitualmente a páginas HTML são normalmente feitos através de browsers. O processo se inicia com a conexão entre o computador onde está instalado o servidor web e o computador do cliente; como na web não é possível prever a que hora se dará essa conexão, os servidores web precisam estar disponíveis dia e noite. A partir daí é processado o pedido do cliente, e conforme as restrições de segurança e a existência da informação solicitada, o servidor devolve os dados. (Oficina da net, 2010) Servidor Web Tomcat O Tomcat é um servidor desenvolvido para executar projetos web em especial em Java. O Tomcat é um servidor de aplicações desenvolvido completamente em Java, é distribuído como software livre e foi desenvolvido dentro do conceituado projeto Apache Jakarta. O Tomcat é oficialmente endossado pela Sun Microsystems como a Implementação de Referência para as tecnologias Java Servlet e JavaServer Pages (JÚNIOR,2011). O servidor acima citado foi escolhido para a utilização do NEWSAPI, tendo em vista a linguagem escolhida Java e necessário de um servidor com suporte à especificação JSP, tal como o tomcat, além do mesmo ser de grande reconhecimento pela comunidade de desenvolvedores de sistemas, além de ser gratuito.

19 Servidor Radius O Servidor Radius é responsável por fazer a integração do banco de dados do sistema com o Mikrotik. RADIUS é o mais utilizado servidor de autenticação no mundo. É a base para várias ofertas comerciais. Ele supre as necessidades de muitos provedores de internet e empresas que necessitam de autenticação com integração com uma base de dados. É também amplamente utilizado na comunidade acadêmica, O servidor é rápido, rico em recursos, modular e escalável (freeradius.org, 2011). O FreeRADIUS, foi escolhido para a implementação com o NEWSAPI, por ser OpenSource, além de suprir as necessidades do sistema para a interação com o Mikrotik e o NEWSAPI, fazendo assim em conjunto o controle da rede Mikrotik Routeros Mikrotik Routeros é um sistema operacional da empresa Mikrotik RouterBOARD hardware, os produtos de fabrica possui o sistema instalado e licenciado, estes equipamentos é geralmente utilizado por empresas que necessita utilizar roteadores para a rede, o sistema também pode ser instalado em qualquer computador e configurar todas as características do roteador. As principais características do sistema são: Firewall Roteamento Largura de banda (controle) Hotspot PPPoe VPN Servidor de DHCP e Cliente E muito mais... RouterOS 1 suporta vários métodos de configuração - local acesso com teclado e console de monitor, com uma série aplicação terminal, Telnet e acesso SSH seguro sobre redes, uma ferramenta de configuração personalizada GUI chamada Winbox, uma simples interface de configuração baseada na Web e uma API interface de programação para a construção de seu próprio controle aplicação. No caso não há acesso local, e não há um problema com o nível de comunicação IP, também RouterOS suporta uma conexão de nível MAC baseado com o costume.(mikrotik.com, 2011) 1 Sistema operacional da empresa Mikrotik, com funções apropriadas para provedores de internet

20 21 O Hotspot faz um controle de acesso exibindo para o cliente quando é executada a abertura do navegador pela primeira vez ou ate que o usuário conclua a autenticação, enquanto o usuário não autentica no sistema o seu acesso permanece bloqueado, o hotspot apenas libera o acesso após a confirmação das credencias digitadas Linguagem de programação e ferramentas Tendo em vista o uso na atualidade da linguagem java com base na sua segurança e modernidade a linguagem escolhida para o desenvolvimento do SAPI, é a linguagem JAVA Linguagem java A linguagem Java é mais utilizada por programadores que buscam uma portabilidade para o seu sistema tendo em vista a possibilidade de escrever uma vez um código e reutilizar em qualquer local no sistema. Isso exerce uma atração muito forte, além da sua sintaxe amigável, recursos orientados a objeto e gerenciamento de memória. Java tem várias funções interessantes, com uma biblioteca imensa, contendo vários códigos reaproveitáveis, e é também um ambiente de execução que permite fornecer um serviço com segurança, portabilidade para vários sistemas operacionais. Um aspecto importante da linguagem Java são as extensões, dentre as principais o Java Server Pages. Tecnologia Java Server Pages permite que desenvolvedores web criem projetos web dinâmicos. Como extensão da tecnologia Java, JSP permite um desenvolvimento rápido de aplicações baseadas na web que independente de plataforma. JSP separa interfaces de usuário de geração de conteúdo, permitindo aos designers para alterar o layout geral da página sem alterar o conteúdo dinâmico. (java.sun.com, 2011). Tendo sido originalmente concebida para o desenvolvimento de pequenos aplicativos e programas de controle de aparelhos eletrodomésticos e eletroeletrônicos, Java mostrou-se ideal para ser usada na rede Internet. O que a torna tão atraente é o fato de programas escritos em Java poderem ser executados virtualmente em qualquer plataforma, mas principalmente em Windows, Unix e Mac. Em meio a essa pluralidade, Java é um idioma comum, falado por todos. Isto significa que Java é ideal para expressar idéias em forma de programas universalmente aceitos. Soma-se a isso o fato de programas Java poderem ser embutidos em documentos HTML, podendo assim ser divulgados pela rede. Diferente da linguagem C, não é apenas o código fonte que pode ser compartilhado pela rede, mas o próprio código executável compilado, chamado bytecodes.(schützer E MASSAGO, 2011)

21 22 A linguagem Java foi escolhida para o desenvolvimento do NEWSAPI por ser amplamente utilizada por programadores web, tendo em vista suas características e funções apropriadas com itens de segurança para um sistema web PostgreSQL O PostgreSQL é um SGBD (Sistema Gerenciador de Banco de Dados) objeto-relacional de código aberto. É conhecido por ser robusto e confiável, além de ser flexível e rico em recursos. Ele é considerado objeto-relacional por implementar, além das características de um SGBD relacional, algumas características de orientação a objetos, como herança e tipos personalizados. A equipe de desenvolvimento do POSTGRESQL sempre teve uma grande preocupação em manter a compatibilidade com os padrões SQL92/SQL99.(postgresql.org, 2011). O PostgreSQL foi escolhido por ser OpenSouce (gratuito), além de ter varias funções e ser um dos SGBDs em crescimento e mais utilizado no mundo Hibernate O Hibernate é responsável por fazer o mapeamento objeto/relacional em ambiente Java. O mapeamento é uma técnica capaz de criar uma representação de dados de um modelo de objeto para dados de modelo relacional com uma estrutura baseada em SQL. Hibernate não trata apenas do mapeamento de classes Java para tabelas de banco de dados (e de tipos de dados Java para tipos de dados SQL), através do mesmo é possível realizar consultas, entre outras funções. Pode reduzir significativamente o tempo de desenvolvimento gasto com outra forma de dados movimentação manual de cargas no SQL e JDBC. O objetivo principal de usar Hibernate no projeto é aliviar o desenvolvimento de 95% dos dados comuns de persistência tarefas relacionadas à programação, eliminando a necessidade de processamento manual, artesanal dados usando SQL e JDBC. (hibernate.org, 2011).

SISTEMA DE WORKFLOW PARA MODELAGEM E EXECUÇÃO DE PROCESSOS DE SOFTWARE. Aluno: Roberto Reinert Orientador: Everaldo A. Grahl

SISTEMA DE WORKFLOW PARA MODELAGEM E EXECUÇÃO DE PROCESSOS DE SOFTWARE. Aluno: Roberto Reinert Orientador: Everaldo A. Grahl SISTEMA DE WORKFLOW PARA MODELAGEM E EXECUÇÃO DE PROCESSOS DE SOFTWARE Aluno: Roberto Reinert Orientador: Everaldo A. Grahl Roteiro de apresentação Introdução Objetivos Fundamentação Teórica Workflow Processo

Leia mais

Versão <1.0> Documento de Requisitos. Documento de Requisitos. Equipe:

Versão <1.0> Documento de Requisitos. Documento de Requisitos. Equipe: Versão Documento de Requisitos Documento de Requisitos Equipe: Bruno Harada (bhhc) Edilson Augusto Junior (easj) José Ivson Soares da Silva (jiss) Pedro Rodolfo da Silva Gonçalves (prsg) Raphael

Leia mais

Banco de Dados de Músicas. Andre Lima Rocha Campos Osório Pereira Carvalho

Banco de Dados de Músicas. Andre Lima Rocha Campos Osório Pereira Carvalho Banco de Dados de Músicas Andre Lima Rocha Campos Osório Pereira Carvalho Definição Aplicação Web que oferece ao usuário um serviço de busca de músicas e informações relacionadas, como compositor, interprete,

Leia mais

SISTEMA GERENCIAL TRATORPLAN

SISTEMA GERENCIAL TRATORPLAN SISTEMA GERENCIAL TRATORPLAN SIGET Fabrício Pereira Santana¹, Jaime William Dias¹, ², Ricardo de Melo Germano¹ ¹Universidade Paranaense (Unipar) Paranavaí PR Brasil fabricioblack@gmail.com germano@unipar.br

Leia mais

Geração e execução de scripts de teste em aplicações web a partir de casos de uso direcionados por comportamento 64

Geração e execução de scripts de teste em aplicações web a partir de casos de uso direcionados por comportamento 64 direcionados por comportamento 64 5 Estudo de caso Neste capítulo serão apresentadas as aplicações web utilizadas na aplicação da abordagem proposta, bem como a tecnologia em que foram desenvolvidas, o

Leia mais

LEI DE ACESSO A INFORMAÇÃO DIREITO DO CIDADÃO

LEI DE ACESSO A INFORMAÇÃO DIREITO DO CIDADÃO DESCRIÇÃO DO SIGAI O SIGAI (Sistema Integrado de Gestão do Acesso à Informação) é uma solução de software que foi desenvolvida para automatizar os processos administrativos e operacionais visando a atender

Leia mais

Índice INSTALAÇÃO DO SOFTWARE EM SISTEMAS WINDOWS...2 INSTALAÇÃO DO SOFTWARE EM SISTEMAS LINUX...3 TESTANDO A CONEXÃO DA REDE LOCAL...

Índice INSTALAÇÃO DO SOFTWARE EM SISTEMAS WINDOWS...2 INSTALAÇÃO DO SOFTWARE EM SISTEMAS LINUX...3 TESTANDO A CONEXÃO DA REDE LOCAL... Índice INSTALAÇÃO DO SOFTWARE EM SISTEMAS WINDOWS...2 INSTALAÇÃO DO SOFTWARE EM SISTEMAS LINUX...3 TESTANDO A CONEXÃO DA REDE LOCAL...4 Configurações iniciais...5 Arquivo sudoers no Sistema Operacional

Leia mais

MANUAL PARA USO DO SISTEMA GCO Gerenciador Clínico Odontológico

MANUAL PARA USO DO SISTEMA GCO Gerenciador Clínico Odontológico MANUAL PARA USO DO SISTEMA GCO Gerenciador Clínico Odontológico O GCO é um sistema de controle de clínicas odontológicas, onde dentistas terão acesso a agendas, fichas de pacientes, controle de estoque,

Leia mais

DEFINIÇÃO DE REQUISITOS SISTEMA DE CONTROLE DE FINANÇAS WEB 1.0 BAIXA DE CONTAS A PAGAR RELEASE 4.1

DEFINIÇÃO DE REQUISITOS SISTEMA DE CONTROLE DE FINANÇAS WEB 1.0 BAIXA DE CONTAS A PAGAR RELEASE 4.1 DEFINIÇÃO DE REQUISITOS SISTEMA DE CONTROLE DE FINANÇAS WEB 1.0 BAIXA DE CONTAS A PAGAR RELEASE 4.1 SUMÁRIO DEFINIÇÃO DE REQUISITOS 4 1. INTRODUÇÃO 4 1.1 FINALIDADE 4 1.2 ESCOPO 4 1.3 DEFINIÇÕES, ACRÔNIMOS

Leia mais

Manual de Utilização

Manual de Utilização Se ainda tiver dúvidas entre em contato com a equipe de atendimento: Por telefone: 0800 642 3090 Por e-mail atendimento@oisolucoespraempresas.com.br Introdução... 3 1. O que é o programa Oi Backup Empresarial?...

Leia mais

Manual do Usuário Cyber Square

Manual do Usuário Cyber Square Manual do Usuário Cyber Square Criado dia 27 de março de 2015 as 12:14 Página 1 de 48 Bem-vindo ao Cyber Square Parabéns! Você está utilizando o Cyber Square, o mais avançado sistema para gerenciamento

Leia mais

Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos DESIG/GPGEM

Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos DESIG/GPGEM Manual do Usuário SFC SISTEMA DE FATURAMENTO CORPORATIVO ECT EMPRESA BRASILEIRA DE CORREIOS E TELÉGRAFOS DESIG - DEPARTAMENTO DE SISTEMAS DE GESTÃO Elaborado por Claudimiro José dos Santos Neto Analista

Leia mais

Relatório do GPES. Descrição dos Programas e Plugins Utilizados. Programas Utilizados:

Relatório do GPES. Descrição dos Programas e Plugins Utilizados. Programas Utilizados: Relatório do GPES Relatório referente à instalação dos programas e plugins que estarão sendo utilizados durante o desenvolvimento dos exemplos e exercícios, sendo esses demonstrados nos próximos relatórios.

Leia mais

SISTEMA PARA AUTOMATIZAR O MONITORAMENTO DE ROTEADORES DE UM PROVEDOR DE ACESSO

SISTEMA PARA AUTOMATIZAR O MONITORAMENTO DE ROTEADORES DE UM PROVEDOR DE ACESSO FURB Universidade Regional de Blumenau Bacharelado em Ciência da Computação SISTEMA PARA AUTOMATIZAR O MONITORAMENTO DE ROTEADORES DE UM PROVEDOR DE ACESSO Jean Victor Zunino Miguel Alexandre Wisintainer

Leia mais

Documento de Requisitos de Rede (DRP)

Documento de Requisitos de Rede (DRP) Documento de Requisitos de Rede (DRP) Versão 1.2 SysTrack - Grupo 1 1 Histórico de revisões do modelo Versão Data Autor Descrição 1.0 30/04/2011 João Ricardo Versão inicial 1.1 1/05/2011 André Ricardo

Leia mais

ArpPrintServer. Sistema de Gerenciamento de Impressão By Netsource www.netsource.com.br Rev: 02

ArpPrintServer. Sistema de Gerenciamento de Impressão By Netsource www.netsource.com.br Rev: 02 ArpPrintServer Sistema de Gerenciamento de Impressão By Netsource www.netsource.com.br Rev: 02 1 Sumário INTRODUÇÃO... 3 CARACTERÍSTICAS PRINCIPAIS DO SISTEMA... 3 REQUISITOS DE SISTEMA... 4 INSTALAÇÃO

Leia mais

Guia do Usuário. versão 1.2. GiuSoft Tecnologia - www.giusoft.com.br

Guia do Usuário. versão 1.2. GiuSoft Tecnologia - www.giusoft.com.br Guia do Usuário versão 1.2 GiuSoft Tecnologia - www.giusoft.com.br Sumário Introdução 2 O que é o Alitem? 3 Portal de aplicativos na Internet 3 Site de relacionamentos 3 Infra-estrutura de desenvolvimento

Leia mais

WebEDI - Tumelero Manual de Utilização

WebEDI - Tumelero Manual de Utilização WebEDI - Tumelero Manual de Utilização Pedidos de Compra Notas Fiscais Relação de Produtos 1. INTRODUÇÃO Esse documento descreve o novo processo de comunicação e troca de arquivos entre a TUMELERO e seus

Leia mais

Guia do Usuário Administrativo Bomgar 10.2 Enterprise

Guia do Usuário Administrativo Bomgar 10.2 Enterprise Guia do Usuário Administrativo Bomgar 10.2 Enterprise Índice Introdução 2 Interface administrativa 2 Status 2 Minha conta 3 Opções 3 Equipes de suporte 4 Jumpoint 5 Jump Clients 6 Bomgar Button 6 Mensagens

Leia mais

MANUAL BÁSICO PARA OPERAR O ERPMK

MANUAL BÁSICO PARA OPERAR O ERPMK 1 ERPMK Sistema de Gestão Mikrotik SISTEMA DE GESTÃO PARA PROVEDORES ERPMK MANUAL BÁSICO PARA OPERAR O ERPMK REVISÃO 06/04/2015 2 ERPMK Sistema de Gestão Mikrotik 1. INTRODUÇÃO O QUE É ERPMK? O ERPMK é

Leia mais

EIMOBILE INSTITUIÇÕES DE ENSINO MOBILE

EIMOBILE INSTITUIÇÕES DE ENSINO MOBILE UNIVERSIDADE CATÓLICA DE PELOTAS CENTRO POLITÉCNICO TECNOLOGIA EM ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS EIMOBILE INSTITUIÇÕES DE ENSINO MOBILE por Miguel Aguiar Barbosa Trabalho de curso II submetido como

Leia mais

Guia de uso do Correio Eletrônico Versão 1.1

Guia de uso do Correio Eletrônico Versão 1.1 Guia de uso do Correio Eletrônico Versão 1.1 Índice Introdução ao Serviço de E-mail O que é um servidor de E-mail 3 Porque estamos migrando nosso serviço de correio eletrônico? 3 Vantagens de utilização

Leia mais

GUIA RÁPIDO DE UTILIZAÇÃO DO PORTAL DO AFRAFEP SAÚDE

GUIA RÁPIDO DE UTILIZAÇÃO DO PORTAL DO AFRAFEP SAÚDE GUIA RÁPIDO DE UTILIZAÇÃO DO PORTAL DO AFRAFEP SAÚDE INTRODUÇÃO O portal do Afrafep Saúde é um sistema WEB integrado ao sistema HEALTH*Tools. O site consiste em uma área onde os Usuários e a Rede Credenciada,

Leia mais

Processos (Threads,Virtualização e Migração de Código)

Processos (Threads,Virtualização e Migração de Código) Processos (Threads,Virtualização e Migração de Código) Roteiro Processos Threads Virtualização Migração de Código O que é um processo?! Processos são programas em execução. Processo Processo Processo tem

Leia mais

DEFINIÇÃO DE REQUISITOS SISTEMA DE CONTROLE DE FINANÇAS WEB 1.0 MANTER FUNCIONÁRIO RELEASE 4.1

DEFINIÇÃO DE REQUISITOS SISTEMA DE CONTROLE DE FINANÇAS WEB 1.0 MANTER FUNCIONÁRIO RELEASE 4.1 DEFINIÇÃO DE REQUISITOS SISTEMA DE CONTROLE DE FINANÇAS WEB 1.0 MANTER FUNCIONÁRIO RELEASE 4.1 SUMÁRIO DEFINIÇÃO DE REQUISITOS 4 1. INTRODUÇÃO 4 1.1 FINALIDADE 4 1.2 ESCOPO 4 1.3 DEFINIÇÕES, ACRÔNIMOS

Leia mais

Metodologias de Desenvolvimento de Sistemas. Analise de Sistemas I UNIPAC Rodrigo Videschi

Metodologias de Desenvolvimento de Sistemas. Analise de Sistemas I UNIPAC Rodrigo Videschi Metodologias de Desenvolvimento de Sistemas Analise de Sistemas I UNIPAC Rodrigo Videschi Histórico Uso de Metodologias Histórico Uso de Metodologias Era da Pré-Metodologia 1960-1970 Era da Metodologia

Leia mais

1998-2009 Domínio Sistemas Ltda. Todos os direitos reservados.

1998-2009 Domínio Sistemas Ltda. Todos os direitos reservados. Saiba que este documento não poderá ser reproduzido, seja por meio eletrônico ou mecânico, sem a permissão expressa por escrito da Domínio Sistemas Ltda. Nesse caso, somente a Domínio Sistemas poderá ter

Leia mais

WiNGS Wireless Gateway WiNGS Telecom. Manual. Índice

WiNGS Wireless Gateway WiNGS Telecom. Manual. Índice Wireless Network Global Solutions WiNGS Wireless Gateway Manual Índice Pagina Características Técnicas 3 Descrição do Aparelho 4 Quick Start 5 Utilizando a interface de administração WEB 7 Login 7 Usuários

Leia mais

AS VERSÕES DESCRIÇÃO DAS FUNÇÕES

AS VERSÕES DESCRIÇÃO DAS FUNÇÕES Controle de Clientes para Servidores Linux O controle de clientes é um programa para controle de clientes, controle de tráfego e de conexões, desenvolvido em plataforma Linux e está disponível nas versões:

Leia mais

4 Desenvolvimento da ferramenta

4 Desenvolvimento da ferramenta direcionados por comportamento 38 4 Desenvolvimento da ferramenta Visando facilitar a tarefa de documentar requisitos funcionais e de gerar testes automáticos em uma única ferramenta para proporcionar

Leia mais

Planejando o aplicativo

Planejando o aplicativo Um aplicativo do Visual FoxPro geralmente inclui um ou mais bancos de dados, um programa principal que configura o ambiente de sistema do aplicativo, além de uma interface com os usuários composta por

Leia mais

MANUAL DO USUÁRIO SUMÁRIO

MANUAL DO USUÁRIO SUMÁRIO SUMÁRIO 1. Home -------------------------------------------------------------------------------------------------------- 7 2. Cadastros -------------------------------------------------------------------------------------------------

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA. Informatização de farmácias publicas utilizando software livre.

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA. Informatização de farmácias publicas utilizando software livre. UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA Informatização de farmácias publicas utilizando software livre. MURILO NUNES ELIAS FLORIANÓPOLIS SC 2007/2 UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA DEPARTAMENTO DE

Leia mais

GERADOR DE CÓDIGO JSP BASEADO EM PROJETO DE SGBD. Acadêmico: Maicon Klug Orientadora: Joyce Martins

GERADOR DE CÓDIGO JSP BASEADO EM PROJETO DE SGBD. Acadêmico: Maicon Klug Orientadora: Joyce Martins GERADOR DE CÓDIGO JSP BASEADO EM PROJETO DE SGBD Acadêmico: Maicon Klug Orientadora: Joyce Martins Roteiro Introdução Objetivos do trabalho Fundamentação teórica Desenvolvimento do trabalho Conclusão Extensões

Leia mais

Especificações Técnicas

Especificações Técnicas Visual COBOL é a solução líder da indústria para o desenvolvimento de aplicações COBOL e implantação em sistemas Windows, Unix e Linux. Ele combina as melhores ferramentas de desenvolvimento de sua classe

Leia mais

1 Sumário... 2. 2 O Easy Chat... 3. 3 Conceitos... 3. 3.1 Perfil... 3. 3.2 Categoria... 3. 4 Instalação... 5. 5 O Aplicativo... 7 5.1 HTML...

1 Sumário... 2. 2 O Easy Chat... 3. 3 Conceitos... 3. 3.1 Perfil... 3. 3.2 Categoria... 3. 4 Instalação... 5. 5 O Aplicativo... 7 5.1 HTML... 1 Sumário 1 Sumário... 2 2 O Easy Chat... 3 3 Conceitos... 3 3.1 Perfil... 3 3.2 Categoria... 3 3.3 Ícone Específico... 4 3.4 Janela Específica... 4 3.5 Ícone Geral... 4 3.6 Janela Geral... 4 4 Instalação...

Leia mais

Sistema de Chamados Protega

Sistema de Chamados Protega SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO... 3 2. REALIZANDO ACESSO AO SISTEMA DE CHAMADOS... 4 2.1 DETALHES DA PÁGINA INICIAL... 5 3. ABERTURA DE CHAMADO... 6 3.1 DESTACANDO CAMPOS DO FORMULÁRIO... 6 3.2 CAMPOS OBRIGATÓRIOS:...

Leia mais

Linguagem de Programação Visual

Linguagem de Programação Visual Linguagem de Programação Visual Unidade 1 Ambiente de desenvolvimento Curso Técnico em Informática SUMÁRIO INTRODUÇÃO... 3 SOBRE O JAVA... 3 AMBIENTE DE DESENVOLVIMENTO... 5 RECURSOS DA FERRAMENTA NETBEANS...

Leia mais

Satélite. Manual de instalação e configuração. CENPECT Informática www.cenpect.com.br cenpect@cenpect.com.br

Satélite. Manual de instalação e configuração. CENPECT Informática www.cenpect.com.br cenpect@cenpect.com.br Satélite Manual de instalação e configuração CENPECT Informática www.cenpect.com.br cenpect@cenpect.com.br Índice Índice 1.Informações gerais 1.1.Sobre este manual 1.2.Visão geral do sistema 1.3.História

Leia mais

ShoeSystem 1.0 Sistema para loja de calçados

ShoeSystem 1.0 Sistema para loja de calçados Artigo apresentado ao UNIS, como parte dos requisitos para obtenção do título de tecnólogo em Análise e Desenvolvimento de Sistemas 1 ShoeSystem 1.0 Sistema para loja de calçados André Luis dos Reis Revair,

Leia mais

UNIVERSIDADE CATÓLICA DE PELOTAS CENTRO POLITÉCNICO TECNOLOGIA EM ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS SISTEMA DE GESTÃO DO CAPITAL INTELECTUAL.

UNIVERSIDADE CATÓLICA DE PELOTAS CENTRO POLITÉCNICO TECNOLOGIA EM ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS SISTEMA DE GESTÃO DO CAPITAL INTELECTUAL. UNIVERSIDADE CATÓLICA DE PELOTAS CENTRO POLITÉCNICO TECNOLOGIA EM ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS SISTEMA DE GESTÃO DO CAPITAL INTELECTUAL por Luisiane Pereira Costa Pinto Trabalho de Curso II submetido

Leia mais

Curso de Aprendizado Industrial Desenvolvedor WEB

Curso de Aprendizado Industrial Desenvolvedor WEB Curso de Aprendizado Industrial Desenvolvedor WEB Disciplina: Programação Orientada a Objetos II Professor: Cheli dos S. Mendes da Costa Modelo Cliente- Servidor Modelo de Aplicação Cliente-servidor Os

Leia mais

1.Introdução. 2. Posicionamento

1.Introdução. 2. Posicionamento 1.Introdução 1.1 Finalidade Este documento tem o objetivo de demonstrar as necessidades e problemas que a rede de clínicas de vacinação IMUNIZA encontra em seu dia a dia, propondo após um levantamento

Leia mais

Omega Tecnologia Manual Omega Hosting

Omega Tecnologia Manual Omega Hosting Omega Tecnologia Manual Omega Hosting 1 2 Índice Sobre o Omega Hosting... 3 1 Primeiro Acesso... 4 2 Tela Inicial...5 2.1 Área de menu... 5 2.2 Área de navegação... 7 3 Itens do painel de Controle... 8

Leia mais

Sumário. Nós chegamos onde você nem imagina! 1. Criar Conexão PPPOE Windows XP ------Pag.1. 2. Criar Conexão PPPOE Windows 7 -------Pag.

Sumário. Nós chegamos onde você nem imagina! 1. Criar Conexão PPPOE Windows XP ------Pag.1. 2. Criar Conexão PPPOE Windows 7 -------Pag. Sumário 1. Criar Conexão PPPOE Windows XP ------Pag.1 2. Criar Conexão PPPOE Windows 7 -------Pag.6 3. Entendendo os erros mais comuns no Windows XP / Seven -------------Pag.9 4. Desativar Protocolo TCP/IP

Leia mais

Metodologias e tecnologias de software Wplex

Metodologias e tecnologias de software Wplex Metodologias e tecnologias de software Wplex Mauro Ransolin Wplex Software Florianópolis SC http://www.wplex.com.br Objetivo O objetivo deste documento é apresentar um resumo da abordagem adotada pela

Leia mais

15/8/2007 Gerencia de Tecnologia da Informação Claudia M.S. Tomaz

15/8/2007 Gerencia de Tecnologia da Informação Claudia M.S. Tomaz 15/8/2007 Gerencia de Tecnologia da Informação Claudia M.S. Tomaz MANUAL DE UTILIZAÇÃO DO WEBMAIL GETEC 01 2/13 Como acessar o Webmail da Secretaria de Educação? Para utilizar o Webmail da Secretaria de

Leia mais

AFRE. a. ( ) Instalando um programa gerenciador de carregamento, como o LILO ou o GRUB. a. ( ) Data Werehouse ; Internet ; Linux

AFRE. a. ( ) Instalando um programa gerenciador de carregamento, como o LILO ou o GRUB. a. ( ) Data Werehouse ; Internet ; Linux 1. De que forma é possível alterar a ordem dos dispositivos nos quais o computador procura, ao ser ligado, pelo sistema operacional para ser carregado? a. ( ) Instalando um programa gerenciador de carregamento,

Leia mais

InfoMix Tecnologia. Soluções em Tecnologia da Informação. SYSFARM Sistema de Gerenciamento de Farmácias

InfoMix Tecnologia. Soluções em Tecnologia da Informação. SYSFARM Sistema de Gerenciamento de Farmácias SYSFARM Sistema de Gerenciamento de Farmácias Documento de Visão Versão 3.0 Histórico de Revisão Data Versão Descrição Autor 06/08/2009 1.0 Levantamento das necessidades do cliente, e planejamento das

Leia mais

Sistema de Automação Comercial de Pedidos

Sistema de Automação Comercial de Pedidos Termo de Abertura Sistema de Automação Comercial de Pedidos Cabana - Versão 1.0 Iteração 1.0- Release 1.0 Versão do Documento: 1.5 Histórico de Revisão Data Versão do Documento Descrição Autor 18/03/2011

Leia mais

Processo de Desenvolvimento de Software. Unidade V Modelagem de PDS. Luiz Leão luizleao@gmail.com http://www.luizleao.com

Processo de Desenvolvimento de Software. Unidade V Modelagem de PDS. Luiz Leão luizleao@gmail.com http://www.luizleao.com Processo de Desenvolvimento de Software Luiz Leão luizleao@gmail.com http://www.luizleao.com Conteúdo Programático desta aula Modelo Cascata (Waterfall) ou TOP DOWN. Modelo Iterativo. Metodologia Ágil.

Leia mais

CURSO DESENVOLVEDOR JAVA WEB E FLEX Setembro de 2010 à Janeiro de 2011

CURSO DESENVOLVEDOR JAVA WEB E FLEX Setembro de 2010 à Janeiro de 2011 CURSO DESENVOLVEDOR JAVA WEB E FLEX Setembro de 2010 à Janeiro de 2011 O curso foi especialmente planejado para os profissionais que desejam trabalhar com desenvolvimento de sistemas seguindo o paradigma

Leia mais

GLADIADOR INTERNET CONTROLADA v.1.2.3.9

GLADIADOR INTERNET CONTROLADA v.1.2.3.9 GLADIADOR INTERNET CONTROLADA v.1.2.3.9 Pela grande necessidade de controlar a internet de diversos clientes, a NSC Soluções em Informática desenvolveu um novo produto capaz de gerenciar todos os recursos

Leia mais

Aula 1 - Introdução e configuração de ambiente de desenvolvimento

Aula 1 - Introdução e configuração de ambiente de desenvolvimento Aula 1 - Introdução e configuração de ambiente de desenvolvimento Olá, seja bem-vindo à primeira aula do curso para desenvolvedor de Android, neste curso você irá aprender a criar aplicativos para dispositivos

Leia mais

CONHECENDO O AMBIENTE VIRTUAL DE APRENDIZAGEM Moodle - Learning Management System Versão 1.3

CONHECENDO O AMBIENTE VIRTUAL DE APRENDIZAGEM Moodle - Learning Management System Versão 1.3 CONHECENDO O AMBIENTE VIRTUAL DE APRENDIZAGEM Moodle - Learning Management System Versão 1.3 Este tutorial não tem como finalidade esgotar todas as funcionalidades do Ambiente, ele aborda de forma prática

Leia mais

SERVIDOR HOTSPOT PARA HOTÉIS/POUSADAS - SMARTWEB MANUAL DE OPERAÇÕES

SERVIDOR HOTSPOT PARA HOTÉIS/POUSADAS - SMARTWEB MANUAL DE OPERAÇÕES SERVIDOR HOTSPOT PARA HOTÉIS/POUSADAS - SMARTWEB MANUAL DE OPERAÇÕES O SMARTWEB é um servidor baseado na plataforma Mikrotik que permite o gerenciamento e controle de acessos à internet. Libera acesso

Leia mais

Procedimento para instalação do OMNE-Smartweb em Raio-X

Procedimento para instalação do OMNE-Smartweb em Raio-X Procedimento para instalação do OMNE-Smartweb em Raio-X A primeira coisa a analisarmos é onde ficará posicionado o servidor de Raio-x na rede do cliente, abaixo será colocado três situações básicas e comuns

Leia mais

SISTEMA DE CONTROLE INTERNO DE FLUXO DE CAIXA DO SETOR DE APOIO FINANCEIRO (ULBRA GUAÍBA)

SISTEMA DE CONTROLE INTERNO DE FLUXO DE CAIXA DO SETOR DE APOIO FINANCEIRO (ULBRA GUAÍBA) SISTEMA DE CONTROLE INTERNO DE FLUXO DE CAIXA DO SETOR DE APOIO FINANCEIRO (ULBRA GUAÍBA) Alessandra Lubbe 1 Alexandre Evangelista 2 Jeandro Perceval 3 José Ramiro Pereira 4 Luiz Gustavo Mahlmann 5 RESUMO

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO DE SISTEMAS OPERACIONAIS SERVIÇOS DE ACESSO REMOTO (TELNET E TERMINAL SERVICES) Professor Carlos Muniz

ADMINISTRAÇÃO DE SISTEMAS OPERACIONAIS SERVIÇOS DE ACESSO REMOTO (TELNET E TERMINAL SERVICES) Professor Carlos Muniz ADMINISTRAÇÃO DE SISTEMAS OPERACIONAIS SERVIÇOS DE ACESSO REMOTO (TELNET E O que é roteamento e acesso remoto? Roteamento Um roteador é um dispositivo que gerencia o fluxo de dados entre segmentos da rede,

Leia mais

SISTEMA DE AGENDAMENTO E GERENCIAMENTO DE CONSULTAS CLÍNICAS

SISTEMA DE AGENDAMENTO E GERENCIAMENTO DE CONSULTAS CLÍNICAS SISTEMA DE AGENDAMENTO E GERENCIAMENTO DE CONSULTAS CLÍNICAS Pablo dos Santos Alves Alexander Roberto Valdameri - Orientador Roteiro da apresentação Introdução Objetivos Motivação Revisão bibliográfica

Leia mais

CURSO DESENVOLVEDOR JAVA Edição Intensiva de Férias

CURSO DESENVOLVEDOR JAVA Edição Intensiva de Férias CURSO DESENVOLVEDOR JAVA Edição Intensiva de Férias O curso foi especialmente planejado para os profissionais que desejam trabalhar com desenvolvimento de sistemas seguindo o paradigma Orientado a Objetos

Leia mais

Microsoft Visual Studio Express 2012 for Windows Desktop

Microsoft Visual Studio Express 2012 for Windows Desktop Microsoft Visual Studio Express 2012 for Windows Desktop Apresentação da ferramenta Professor: Danilo Giacobo Página pessoal: www.danilogiacobo.eti.br E-mail: danilogiacobo@gmail.com 1 Introdução Visual

Leia mais

Processo de Engenharia de Software II

Processo de Engenharia de Software II UNIOESTE - Universidade Estadual do Oeste do Paraná CCET Centro de ciências Exatas e Tecnológicas Colegiado de Ciência da Computação Curso de Bacharelado em Ciência da Computação Processo de Engenharia

Leia mais

Requisições de Materiais - Almoxarifado Módulo Portal Administrativo - SIPAC

Requisições de Materiais - Almoxarifado Módulo Portal Administrativo - SIPAC 1 Requisições de Materiais - Almoxarifado Módulo Portal Administrativo - SIPAC Perfil: Requisitor e Autorizador de solicitações de materiais de consumo 2 Maceió, Fevereiro de 2013. Histório de versões

Leia mais

Manual para uso do HELPDESK

Manual para uso do HELPDESK EXACTUS Suporte e Atendimento - versão 1.0 Página 1 de 14 Manual para uso do HELPDESK Visão Cliente EXACTUS Suporte e Atendimento - versão 1.0 Página 2 de 14 Introdução O serviço possui um pacote com todas

Leia mais

Software Web para: Empresas, Governo, Organizações, Entidades de Classe, Sindicatos, ONG's e Profissionais Liberais

Software Web para: Empresas, Governo, Organizações, Entidades de Classe, Sindicatos, ONG's e Profissionais Liberais MANUAL DO USUÁRIO BITÁVEL GERENCIADOR ONLINE DE NEWSLETTERS (GOLNEWS) Software Web para: Empresas, Governo, Organizações, Entidades de Classe, Sindicatos, ONG's e Profissionais Liberais Versão 1.0 1 Índice

Leia mais

Implementar servidores de Web/FTP e DFS. Disciplina: Serviços de Redes Microsoft Professor: Fernando Santorsula fernando.santorsula@esamc.

Implementar servidores de Web/FTP e DFS. Disciplina: Serviços de Redes Microsoft Professor: Fernando Santorsula fernando.santorsula@esamc. Implementar servidores de Web/FTP e DFS Disciplina: Serviços de Redes Microsoft Professor: Fernando Santorsula fernando.santorsula@esamc.br Conteúdo programático Introdução ao protocolo HTTP Serviço web

Leia mais

MANUAL DO ADMINISTRADOR

MANUAL DO ADMINISTRADOR WinShare Proxy admin MANUAL DO ADMINISTRADOR Instalação do WinShare Índice 1. Instalação 2. Licenciamento 3. Atribuindo uma senha de acesso ao sistema. 4. Configurações de rede 5. Configurações do SMTP

Leia mais

Aluno: Paulo Roberto Alves de Oliveira Trabalho da disciplina Segurança em Windows 2010. Comparativo entre Apache e IIS.

Aluno: Paulo Roberto Alves de Oliveira Trabalho da disciplina Segurança em Windows 2010. Comparativo entre Apache e IIS. Aluno: Paulo Roberto Alves de Oliveira Trabalho da disciplina Segurança em Windows 2010 Comparativo entre Apache e IIS. Apache versus IIS 1. Resumo Os programas de computador Apache, da fundação Apache

Leia mais

Manual do Usuário. SCA - Sistema de Controle de Acesso

Manual do Usuário. SCA - Sistema de Controle de Acesso Manual do Usuário SCA - Sistema de Controle de Acesso Equipe-documentacao@procergs.rs.gov.br Data: Julho/2012 Este documento foi produzido por Praça dos Açorianos, s/n CEP 90010-340 Porto Alegre, RS (51)

Leia mais

SISTEMA DE GESTÃO DE PRODUÇÃO DE EVENTOS

SISTEMA DE GESTÃO DE PRODUÇÃO DE EVENTOS SISTEMA DE GESTÃO DE PRODUÇÃO DE EVENTOS Rodrigo das Neves Wagner Luiz Gustavo Galves Mählmann Resumo: O presente artigo trata de um projeto de desenvolvimento de uma aplicação para uma produtora de eventos,

Leia mais

CURSO DESENVOLVEDOR JAVA Edição 2009

CURSO DESENVOLVEDOR JAVA Edição 2009 CURSO DESENVOLVEDOR JAVA Edição 2009 O curso foi especialmente planejado para os profissionais que desejam trabalhar com desenvolvimento de sistemas seguindo o paradigma Orientado a Objetos e com o uso

Leia mais

Utilizaremos a última versão estável do Joomla (Versão 2.5.4), lançada em

Utilizaremos a última versão estável do Joomla (Versão 2.5.4), lançada em 5 O Joomla: O Joomla (pronuncia-se djumla ) é um Sistema de gestão de conteúdos (Content Management System - CMS) desenvolvido a partir do CMS Mambo. É desenvolvido em PHP e pode ser executado no servidor

Leia mais

AVISO. O conteúdo deste documento é de propriedade intelectual exclusiva da GVDASA Sistemas e está sujeito a alterações sem aviso prévio.

AVISO. O conteúdo deste documento é de propriedade intelectual exclusiva da GVDASA Sistemas e está sujeito a alterações sem aviso prévio. AVISO O conteúdo deste documento é de propriedade intelectual exclusiva da GVDASA Sistemas e está sujeito a alterações sem aviso prévio. Nenhuma parte desta publicação pode ser reproduzida nem transmitida

Leia mais

Linguagem de Programação JAVA. Professora Michelle Nery Nomeclaturas

Linguagem de Programação JAVA. Professora Michelle Nery Nomeclaturas Linguagem de Programação JAVA Professora Michelle Nery Nomeclaturas Conteúdo Programático Nomeclaturas JDK JRE JEE JSE JME JVM Toolkits Swing AWT/SWT JDBC EJB JNI JSP Conteúdo Programático Nomenclatures

Leia mais

Ferramenta de apoio a gerência de configuração de software. Aluno: Rodrigo Furlaneto Orientador: Everaldo Artur Grahl

Ferramenta de apoio a gerência de configuração de software. Aluno: Rodrigo Furlaneto Orientador: Everaldo Artur Grahl Ferramenta de apoio a gerência de configuração de software Aluno: Rodrigo Furlaneto Orientador: Everaldo Artur Grahl Roteiro de apresentação Introdução Objetivos Fundamentação Teórica Gerência de Configuração

Leia mais

Manual de instalação, configuração e utilização do Assinador Betha

Manual de instalação, configuração e utilização do Assinador Betha Manual de instalação, configuração e utilização do Assinador Betha Versão 1.5 Histórico de revisões Revisão Data Descrição da alteração 1.0 18/09/2015 Criação deste manual 1.1 22/09/2015 Incluído novas

Leia mais

Como acessar o novo webmail da Educação? Manual do Usuário. 15/9/2009 Gerencia de Suporte, Redes e Novas Tecnologias Claudia M.S.

Como acessar o novo webmail da Educação? Manual do Usuário. 15/9/2009 Gerencia de Suporte, Redes e Novas Tecnologias Claudia M.S. Como acessar o novo webmail da Educação? Manual do Usuário 15/9/2009 Gerencia de Suporte, Redes e Novas Tecnologias Claudia M.S. Tomaz IT.002 02 2/14 Como acessar o Webmail da Secretaria de Educação? Para

Leia mais

DESENVOLVIMENTO COM JAVA EE E SUAS ESPECIFICAÇÕES

DESENVOLVIMENTO COM JAVA EE E SUAS ESPECIFICAÇÕES DESENVOLVIMENTO COM JAVA EE E SUAS ESPECIFICAÇÕES Hugo Henrique Rodrigues Correa¹, Jaime Willian Dias 1 Universidade Paranaense (Unipar) Paranavaí PR Brasil hugohrcorrea@gmail.com, jaime@unipar.br Resumo.

Leia mais

UFG - Instituto de Informática

UFG - Instituto de Informática UFG - Instituto de Informática Especialização em Desenvolvimento de Aplicações Web com Interfaces Ricas EJB 3.0 Prof.: Fabrízzio A A M N Soares professor.fabrizzio@gmail.com Aula 5 Servidores de Aplicação

Leia mais

PROGRAMAÇÃO PARA DISPOSITIVOS MÓVEIS

PROGRAMAÇÃO PARA DISPOSITIVOS MÓVEIS PROGRAMAÇÃO PARA DISPOSITIVOS MÓVEIS Depurando aplicações Professor: Danilo Giacobo OBJETIVOS DA AULA Aprender dicas e técnicas para encontrar erros em aplicações Android. Conhecer os recursos que auxiliam

Leia mais

GUIA DE AUXÍLIO PARA UTILIZAÇÃO DA REDE DE DADOS DO IAU GUIA DE AUXÍLIO PARA UTILIZAÇÃO DA REDE DE DADOS DO INSTITUTO DE ARQUITETURA E URBANISMO (IAU)

GUIA DE AUXÍLIO PARA UTILIZAÇÃO DA REDE DE DADOS DO IAU GUIA DE AUXÍLIO PARA UTILIZAÇÃO DA REDE DE DADOS DO INSTITUTO DE ARQUITETURA E URBANISMO (IAU) GUIA DE AUXÍLIO PARA UTILIZAÇÃO DA REDE DE DADOS DO INSTITUTO DE ARQUITETURA E URBANISMO (IAU) O presente guia tem como objetivo auxiliar os usuários da rede de dados do Instituto de Arquitetura e Urbanismo

Leia mais

Introdução. O que é Serviços de Terminal

Introdução. O que é Serviços de Terminal Introdução Microsoft Terminal Services e Citrix MetaFrame tornaram-se a indústria padrões para fornecer acesso de cliente thin para rede de área local (LAN), com base aplicações. Com o lançamento do MAS

Leia mais

Manual Easy Chat Data de atualização: 20/12/2010 16:09 Versão atualizada do manual disponível na área de download do software.

Manual Easy Chat Data de atualização: 20/12/2010 16:09 Versão atualizada do manual disponível na área de download do software. 1 - Sumário 1 - Sumário... 2 2 O Easy Chat... 3 3 Conceitos... 3 3.1 Perfil... 3 3.2 Categoria... 4 3.3 Ícone Específico... 4 3.4 Janela Específica... 4 3.5 Ícone Geral... 4 3.6 Janela Geral... 4 4 Instalação...

Leia mais

Dados em Java. Introdução

Dados em Java. Introdução Interface Gráfica e Banco de Dados em Java Introdução Java and all Java-based marks are trademarks or registered trademarks of Sun Microsystems, Inc. in the U.S. and other countries. Licença para uso e

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO ESCOLA DE ENGENHARIA DEPARTAMENTO DE ELETRÔNICA. Sistema de Gerenciamento Eletrônico de Documentos

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO ESCOLA DE ENGENHARIA DEPARTAMENTO DE ELETRÔNICA. Sistema de Gerenciamento Eletrônico de Documentos UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO ESCOLA DE ENGENHARIA DEPARTAMENTO DE ELETRÔNICA Sistema de Gerenciamento Eletrônico de Documentos Autor: Evandro Bastos Tavares Orientador: Antônio Claudio Gomez

Leia mais

Manual de Instalação

Manual de Instalação Manual de Instalação Produto: n-server Versão: 4.5 Versão do Doc.: 1.0 Autor: César Dehmer Trevisol Data: 13/12/2010 Aplica-se à: Clientes e Revendas Alterado por: Release Note: Detalhamento de Alteração

Leia mais

Moodle FTEC Versão 2.0 Manual do Usuário Acesse a área de LOGIN do site da FTEC www.ftec.com.br

Moodle FTEC Versão 2.0 Manual do Usuário Acesse a área de LOGIN do site da FTEC www.ftec.com.br Moodle FTEC Versão 2.0 Manual do Usuário Acesse a área de LOGIN do site da FTEC www.ftec.com.br Índice Como acessar o Moodle Editando seu PERFIL Editando o curso / disciplina no Moodle Incluindo Recursos

Leia mais

Estudo da Ferramenta Cacti, para análise de desempenho de rede

Estudo da Ferramenta Cacti, para análise de desempenho de rede Estudo da Ferramenta Cacti, para análise de desempenho de rede Eduardo Perez Pereira 1, Rodrigo Costa de Moura 1 1 Centro Politécnico Universidade Católica de Pelotas (UCPel) Félix da Cunha, 412 - Pelotas

Leia mais

Manual do Sistema "Venda - Gerenciamento de Vendas, Estoque, Clientes e Financeiro" Editorial Brazil Informatica

Manual do Sistema Venda - Gerenciamento de Vendas, Estoque, Clientes e Financeiro Editorial Brazil Informatica Manual do Sistema "Venda - Gerenciamento de Vendas, Estoque, Clientes e Financeiro" Editorial Brazil Informatica I Venda - Gerenciamento de Vendas, Estoque, Clientes e Financeiro Conteúdo Part I Introdução

Leia mais

Manual do Aplicativo - Rastreamento Veicular

Manual do Aplicativo - Rastreamento Veicular Manual do Aplicativo - Rastreamento Veicular Sumário Apresentação... 2 Instalação do Aplicativo... 2 Localizando o aplicativo no smartphone... 5 Inserindo o link da aplicação... 6 Acessando o sistema...

Leia mais

Versão 8.2C-01. Versão Final da Apostila de Novidades

Versão 8.2C-01. Versão Final da Apostila de Novidades Versão 8.2C-01 Versão Final da Apostila de Novidades Saiba que este documento não poderá ser reproduzido, seja por meio eletrônico ou mecânico, sem a permissão expressa por escrito da Domínio Sistemas

Leia mais

Portal de Fornecedores Não-Revenda

Portal de Fornecedores Não-Revenda Portal de Fornecedores Não-Revenda Introdução ao Portal e Requisitos Técnicos Consulte nesta orientação os processos iniciais para cadastro e acesso ao Portal de Fornecedores Não Revenda assim como os

Leia mais

Symantec Backup Exec 12.5 for Windows Servers. Guia de Instalação Rápida

Symantec Backup Exec 12.5 for Windows Servers. Guia de Instalação Rápida Symantec Backup Exec 12.5 for Windows Servers Guia de Instalação Rápida 13897290 Instalação do Backup Exec Este documento contém os seguintes tópicos: Requisitos do sistema Antes de instalar Sobre a conta

Leia mais

A versão SonicOS Standard 3.9 conta com suporte nos seguintes equipamentos do SonicWALL: SonicWALL TZ 180 SonicWALL TZ 180 Wireless

A versão SonicOS Standard 3.9 conta com suporte nos seguintes equipamentos do SonicWALL: SonicWALL TZ 180 SonicWALL TZ 180 Wireless SonicOS Notas de versão do SonicOS Standard 3.9.0.1 para TZ 180/180W Conteúdo Conteúdo... 1 Compatibilidade da plataforma... 1 Como alterar o idioma da interface gráfica do usuário... 2 Aprimoramentos...

Leia mais

PORTAL DE RELACIONAMENTO GROUP

PORTAL DE RELACIONAMENTO GROUP PORTAL DE RELACIONAMENTO GROUP MANUAL DO USUÁRIO Portal de Relacionamento - Manual do usuário... 1 SUMÁRIO 1. Informações gerais... 3 2. Sobre este documento... 3 3. Suporte técnico... 3 4. Visão Geral

Leia mais

Data: 22 de junho de 2004. E-mail: ana@lzt.com.br

Data: 22 de junho de 2004. E-mail: ana@lzt.com.br Data: 22 de junho de 2004. E-mail: ana@lzt.com.br Manual do Suporte LZT LZT Soluções em Informática Sumário VPN...3 O que é VPN...3 Configurando a VPN...3 Conectando a VPN... 14 Possíveis erros...16 Desconectando

Leia mais

Documentação do Sistema de Reserva de Salas da Intranet do ICMC-USP

Documentação do Sistema de Reserva de Salas da Intranet do ICMC-USP UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação Departamento de Ciências da Computação e Estatística Documentação do Sistema de Reserva de Salas da Intranet do ICMC-USP André

Leia mais

FileMaker Pro 12. Utilização de uma Conexão de Área de Trabalho Remota com o

FileMaker Pro 12. Utilização de uma Conexão de Área de Trabalho Remota com o FileMaker Pro 12 Utilização de uma Conexão de Área de Trabalho Remota com o FileMaker Pro 12 2007 2012 FileMaker Inc. Todos os direitos reservados. FileMaker Inc. 5201 Patrick Henry Drive Santa Clara,

Leia mais