UNIJUI - UNIVERSIDADE REGIONAL DO NOROESTE DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL RÉGIS LUIS KLAUS

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "UNIJUI - UNIVERSIDADE REGIONAL DO NOROESTE DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL RÉGIS LUIS KLAUS"

Transcrição

1 UNIJUI - UNIVERSIDADE REGIONAL DO NOROESTE DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL RÉGIS LUIS KLAUS DIREITO DIGITAL E A RESPONSABILIDADE CIVIL DOS PROVEDORES DE INTERNET Três Passos (RS) 2012

2 2 RÉGIS LUIS KLAUS DIREITO DIGITAL E A RESPONSABILIDADE CIVIL DOS PROVEDORES DE INTERNET Monografia final do Curso de Graduação em Direito objetivando a aprovação no componente curricular Monografia. UNIJUÍ Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul. DCJS Departamento de Ciências Jurídicas e Sociais. Orientador: MSc. Tobias Damião Correa Três Passos (RS) 2012

3 3

4 Dedico este trabalho aos meus pais, Luis Fernando Klaus e Sires Maria Portz Klaus a meu irmão Eduardo Fernando Klaus, em especial minha esposa Lizelote Minéia Schlosser que acompanhou na integra toda a dedicação e empenho para a conclusão deste trabalho e a todos aqueles que não mediram esforços para que eu desse mais este passo importante em minha vida. 4

5 5 AGRADECIMENTOS A Deus, pois sem ele não estaríamos aqui. Ao professor e orientador Tobias Damião Corrêa por seu apoio e dedicação fazendo como que lograsse êxito na conclusão deste trabalho. À professora Anna Paula Bagetti Zeiffert que com toda a sua paciência nos orientou e incentivou fazendo com que fosse possível a conclusão desta monografia. A todos os professores da UNIJUÍ, do Curso de Direito, que foram tão importantes na minha vida acadêmica e no desenvolvimento desta monografia. Aos amigos e colegas, pelo incentivo e pelo apoio constantes. A todos que colaboraram de uma maneira ou outra durante a trajetória de construção deste trabalho, meu muito obrigado!

6 6 A humidade não te faz melhor do que ninguém, mas te faz diferente de muitos." (Adele)

7 7 RESUMO O avanço da tecnologia tem proporcionado muita facilidade e comodidade, contudo traz grandes preocupações, pois se está em constante vigilância, eis que o conforto e a segurança de nossa casa, nem sempre é a mesma segurança que se tem diante das relações virtuais. Por isso, o presente estudo monográfico pretende maximizar o entendimento do que é direito digital, que nada mais é do que a evolução do próprio direito. No ordenamento jurídico brasileiro não existem leis específicas acerca do direito digital, assim os conflitos que surgem são solucionados pela legislação nacional vigente. O presente trabalho também irá diferenciar as espécies de provedores de internet, bem como abordar a responsabilidade civil dos provedores frente as postagens feitas na rede mundial. Palavras-Chave: Direito Digital. Internet. Provedores de Internet. Responsabilidade Civil.

8 8 ABSTRACT The advancement of technology has provided much ease and convenience, but has major concerns, because it is constantly monitoring, behold, the safety and comfort of our home is not always the same security you have in front of virtual relationships. Therefore, this monographic study aims to maximize the understanding of what is right digital, which is nothing more than the evolution of law itself. In the Brazilian legal system there are no specific laws about digital rights, and the conflicts that arise are solved by existing national legislation. This work will also differentiate the species from internet providers, as well as address the liability of providers against the posts made on the worldwide web. Keywords: Digital Law. Internet. Internet Service Providers. Liability.

9 9 SUMÁRIO INTRODUÇÃO A SOCIEDADE DA INFORMAÇÃO E A GERAÇÃO INTERNET O direito digital e a nova realidade A sociedade digital Elementos e características do direito digital A RESPONSABILIDADE CIVIL EM AMBIENTES DIGITAIS Um olhar panorâmico sobre a responsabilidade civil Espécies de provedores de internet A responsabilidade civil dos provedores de internet CONCLUSÃO REFERÊNCIAS

10 10 INTRODUÇÃO A sociedade atual está em constante transformação, se modificando e assumindo novas formas em uma lógica temporal muito própria. Dentro deste contexto, a internet desponta como uma ferramenta de comunicação/interligação que abre infindáveis possibilidades, o que altera a própria perspectiva jurídica, fazendo surgir novas áreas como o direito digital, que nada mais é do que uma evolução do próprio direito. No presente trabalho se observará que existem diferentes tipos de provedores de internet, como é o caso dos provedores de acesso, provedores de serviços e provedores de informação. Na abordagem de cada uma das espécies será analisada a responsabilidade civil. O presente estudo do tema demonstrará a evolução dos meios de comunicação e das mídias, em especial da internet, ferramenta que está ao alcance de todas as pessoas, fazendo parte de nosso cotidiano. E com todas estas evoluções, naturalmente necessitam-se de mecanismos que protejam as relações entre os usuários e o comércio digital, introduzindo esta relação no ordenamento jurídico vigente. Tendo em vista a escassez de legislação especifica em sua defesa o direito digital traz no mínimo grande curiosidade, diante disso pode-se considerar que o direito digital faz e fará parte do ordenamento jurídico e cada vez mais terá força e necessidade de aprimoramento, pois a evolução das legislações infelizmente não acompanha a evolução digital.

11 11 1 A SOCIEDADE DA INFORMAÇÃO E A GERAÇÃO INTERNET Ao longo dos anos a evolução da tecnologia foi estrondosa, e com ela veio a internet, facilitando a interatividade entre diversos povos de diferentes culturas, não importando a distância entre eles, pois a facilidade e a comodidade faz com que a sociedade fique cada vez mais atrelada às informações contidas na rede. Este novo comportamento da sociedade acarreta mudanças do sistema jurídico, uma vez que este terá que ter a flexibilidade para adaptar-se as mudanças, tão bruscas, que por diversas vezes serão mais rápidas que a constituição de novas legislações. Esta nova geração de internet, por exemplo, substitui a carta e passa a utilizar o , deixa de lado os diários da adolescência e passa a ter blogs, esquece de vez o CD e passa a ouvir as músicas preferidas em Mp3. A evolução percorreu a revolução agrícola, em que a terra era o foco principal, passando pela revolução industrial, na qual tudo girava em torno do capital e os seus bens de produção, até chegar à atualidade, na revolução digital, em que se prioriza a informação e o conhecimento, tudo isso no tempo real propiciado pela internet. Esta mudança de comportamento não é apenas uma mudança tecnológica, mas também uma mudança social, comportamental, e com isso se muda também o direito, pois quando a sociedade muda, o direito também deve adaptar-se. 1.1 O direito digital e a nova realidade Hoje grande parte da população integra a rede mundial de computadores, sendo na forma domiciliar ou nos chamados cybercafés ou então nas Lan Houses. Esta tecnologia tão indispensável surgiu no ano de 1969 como um projeto piloto militar, com o intuito de transmitir dados via computadores interligados, porém distantes, para a troca de dados sem a interferência que tinham as rádios da época e principalmente sem que o inimigo tomasse conhecimento destas informações. Para a maior segurança destes dados, em 1973 foi desenvolvida uma metodologia

12 12 utilizada até hoje nas máquinas da rede, o chamado TCP/IP - Transmission Control Protocol/Internet Protocol. (PATRICIA PECK PINEIRO, 2011, p. 56, grifo do autor.) Mas somente em 1980 é que a internet começou a tomar a sua forma, com computadores que eram potentes para época, localizados em lugares estratégicos, como em grandes universidades e centros de pesquisas avançadas. Tinha como finalidade única a troca de mensagens de cunho científico, hoje, evoluidamente chamados de fóruns ou salas de bate-papo. Já em 1989, a internet começou a trabalhar com lincks e a WWW world wide web, abrindo a possibilidade aos usuários, além da troca de mensagens, utilizar a troca de arquivos via rede interligada. A partir disso, então, intensificou-se a evolução, ficando a internet aberta para empresas e usuários domésticos, com uma grande expansão de computadores pelo mundo, criando entre si um verdadeiro mundo virtual. (PINHEIRO, 2011, p. 59, grifo do autor.) Com a evolução da internet cada vez mais fica-se dependente da tecnologia de informação. Com o seu avanço, a sociedade busca gradativamente a comodidade, que vai desde as simples compras através da internet de dentro de seus próprios lares até grandes investimentos empresariais via rede mundial. Assim, a sociedade está totalmente atrelada à informação rápida e ágil que a rede mundial proporciona o que, no âmbito empresarial, gera menos perdas e, consequentemente, mais rentabilidade de seus produtos, uma vez que não há mais a necessidade de os empresários viajarem até suas filiais para o acompanhamento de sua produção, e no pessoal, esta informação pode servir de elo entre o não ter e o poder ter. Como muito bem coloca Ana Maria D Ávila Lopes (2011, p. 2) em seu artigo publicado na internet: Autores há que comparem a Internet com o invento da imprensa no s. XV quando a informação começou a ser livremente divulgada. As consequências produzidas na sociedade foram visivelmente enormes. A respeito da invenção da Internet, é ainda difícil definir sua total repercussão, levando em consideração que quando foi criada, na época da

13 13 ARPANET, eram apenas quatro os computadores conectados, sendo que hoje o número de computadores ligados não para de crescer de forma vertiginosa. A transformação da sociedade digital traz mudanças comportamentais, que necessita de acompanhamento jurídico específico e capacitado, pois o direito deve acompanhar a evolução da sociedade, e como as elaborações das leis não conseguem dar conta da evolução tecnológica, surge o direito digital com o intuito de readequar normas já existentes à realidade social. Pinheiro, (2011, p. 71, grifo do autor) define direito digital como: Direito digital consiste na evolução do próprio Direito, abrangendo todos os princípios fundamentais e institutos que estão vigentes até hoje, assim como introduzindo novos institutos e elementos para o pensamento jurídico, em todas as suas áreas (Direito civil, Direito Autoral, Direito Comercial, Direito Constitucional, Direito Econômico, Direito Financeiro, Direito Tributário, Direito Penal, Direito internacional etc.). No ordenamento jurídico vigente não existe um direito específico para os litígios gerados nas relações virtuais, mas nem por isso estas relações ficam sem amparo legal, se acostadas no direito civil, direito penal, direito do consumidor e outros, para fazer valer o direito do usuário lesado. Um exemplo clássico que pode ser citado é a violação de intimidade. Não há na legislação vigente regulamentação própria para os casos que envolvem o direito digital, mas busca-se amparo legal no art. art. 5º, inciso X, da Constituição Federal. (VADE MECUM, 2011, p. 07): Que são invioláveis a intimidade, a vida privada, a hora, e a imagem da pessoa, assegurando o direito de indenização pelo dano material ou moral decorrente de sua violação. Na mesma velocidade em que os direitos podem ser violados, a sociedade precisa adaptar-se e entender que há uma nova era no cotidiano, uma vez que a informação postada na rede por um usuário em fração de segundos já poderá ser acessada e visualizada mundialmente.

14 14 As empresas utilizam a internet como veículo de publicidade de baixo custo, pois obtêm respostas surpreendentes pela rapidez em que a informação é acessada e aceita pela sociedade, gerando, com isso, maior rentabilidade. Antes estas informações eram prestadas por meio de jornais, revistas e televisão, hoje lê-se estes jornais e estas revistas instantaneamente, após a sua edição, nos web sites das empresas prestadoras destes serviços. (PINHEIRO, 2011, p. 72, grifo do autor.). Hoje o direito digital acompanha o ordenamento jurídico existente, fazendo uma abordagem mais ampla sobre o direito e a evolução do direito na era digital. O direito digital compreende a internet, que é um ótimo meio de comunicação e relação, tanto empresarial como pessoal, mas também pode servir de mecanismo para ferir os princípios da moralidade e da ética, uma vez que sua propagação é instantânea e os eventuais danos gerados são por diversas vezes irreparável. (PINHEIRO, 2011, p. 76) Embora não haja, em nosso ordenamento jurídico legislações específicas sobre o direito de internet, o que está surgindo é uma particularidade introduzida nas legislações brasileiras, chamada direito digital, mais uma ramificação do direito, a qual mesmo sem legislação própria definida surge com a particularidade de devesa das relações oriundas do mundo virtual. O fato do direito digital não conter legislação própria não significa que o cidadão está imune frente a qualquer atitude ilegal postada no ambiente virtual, pois há no ordenamento jurídico nacional princípios legais aptos para responsabilizar estes ilícitos, como a Lei 9.610/98 defendendo os direitos autorais, a Lei 9.279/96, lei de propriedade industrial, e a Lei 8.078/90, lei de defesa do consumidor, sem deixar de mencionar também, os Códigos Penal e Civil, dentre outros. 1.2 A sociedade digital A sociedade transformou-se de tal forma que acabou por criar uma aldeia global, na qual todos têm acesso simultâneo a um conteúdo, fazendo crescer cada vez mais as redes sociais. (PINHEIRO, 2011, p. 63)

15 15 Para Jorge Werthein, (2000 p. 71. grifo do autor) esta sociedade se beneficia casa vez mais com o avanço tecnológico. Como é o caso das sociedades empresariais em que os executivos podem ter maior controle das empresas através da rede mundial, através dos softwares de comunicação interna, que resultam em agilidade em relação ao produto e um maior controle empresarial, com consequente maior rentabilidade, que é o objetivo de todas as empresas. Geração internet, este é o termo utilizado para as empresas que querem se desenvolver e abranger o mercado de consumidores ligados à internet. Geração que está mais preparada para lidar com assuntos em constante transformação, como a tecnologia, com novas visões e novos mecanismos de trabalho. Para Don Tapscott, (2010, p. 19) a nova geração - geração internet - é especial e instintiva, porque consegue ao mesmo tempo se integrar com várias mídias, sendo um exemplo clássico disto o celular. A geração internet utiliza os celulares de maneira muito diferente, porque atender ligações e verificar s é algo ultrapassado. A geração internet utiliza o celular para constantes trocas de mensagens, navegar na internet, tirar fotos, fazer vídeos, tudo isto praticamente ao mesmo tempo e ainda, responder as redes sociais e ativar os programas de mensagens instantâneas como o Skype ou o MSN. Esta geração possui uma afinidade natural com a tecnologia. Quando o passo natural posterior de uma aquisição de um novo aparelho eletrônico seria a leitura do manual de instruções, para geração internet o passo seguinte é simplesmente utilizá-lo. Ela consegue perfeitamente lidar com uma quantidade grande de informações, garantindo o equilíbrio entre o mundo digital e o mundo físico. Como funcionários ou gestores, esta geração aborda o trabalho de forma colaborativa demonstrando que a hierarquia rígida não é a maneira mais correta para a exploração do mercado, obrigando as empresas a repensar o desenvolvimento empresarial. Já como consumidores, querem inovação fazendo com que cada vez mais os fabricantes e as grandes marcas inovem em seus produtos. (TAPSCOTT, 2010, p. 21).

16 16 Na educação. O modelo pedagógico tradicional é questionado e necessita de remodelação. O quadro negro aposentado é substituído por mídias que agucem ainda mais seus interesses. No âmbito familiar, a internet e suas relações devem estar em pauta, pois é algo realmente importante nos dias atuais, porque é uma geração que deve ser entendida, pois entendendo a geração internet entender-se-á melhor o futuro. (TAPSCOTT, 2010, p. 21). Comparando esta geração com a geração dos pais, o tempo gasto na internet não é tempo que poderia ter sido gasto na companhia de amigos ou jogando bola ou até mesmo aprendendo a tocar algum instrumento musical. Provavelmente o tempo gasto hoje na internet, na idade deles, era gasto em frente à televisão, se tornando espectadores, aceitando tudo aquilo que lhes era transmitido, ou seja, sentavam e assistiam à televisão. A geração internet assiste menos televisão do que seus pais, e quando assistem, provavelmente é de uma maneira diferente, ligam o computador, interagem simultaneamente com diversas janelas diferentes, falam ao telefone, enviam mensagens, ouvem música e assistem à televisão. Ou seja, este meio de comunicação se tornou como uma música de fundo para esta geração. (TAPSCOTT, 2010, p. 32). Para Tapscott, (2010, p. 33), diferentemente da geração dos pais, os jovens da geração internet não aceitam tudo aquilo que lhes é oferecido, seja pela televisão, celular, internet ou qualquer outro meio eletrônico, porque se tornaram indicadores, organizadores, leitores, escritores, até mesmo estrategistas. Quando o jovem liga um videogame, por exemplo, ele é obrigado a participar, observar, perguntar, criticar, investigar. Até mesmo na internet as crianças não se contentam em apenas observar aquilo que lhes é mostrado, a tendência é que elas procurem aquilo que é mais atraente, fazendo com que se desenvolva cada vez mais o raciocínio e a habilidade investigativa, claro que sempre com orientação, discernindo quais sites são bons ou impróprios para elas, sabendo a diferença do que é real para o virtual.

17 17 Tapscott elenca algumas diferenças entre a geração internet e a geração dos pais, tais como: Nós chamamos essas características diferenciadoras de Normas da Geração Internet. Cada norma é essencial para entendermos como essa geração está transformando o trabalho, o mercado o aprendizado, a família a sociedade. (TAPSCOTT, 2010, p. 48). A liberdade, necessária a todos, mas não como na geração internet, liberdade para esta geração é tudo, é como oxigênio. Enquanto as gerações mais velhas se sentem desconfiadas com aquisições pela internet, por exemplo, para a geração internet isso é normal. Ela busca na internet a melhor publicidade, o melhor produto, a melhor oferta de trabalho, o melhor caminho para se expressar. Quanto a customização, pode-se customizar o mundo das mídias a sua volta, a área de trabalho do computador, o toque do telefone celular, as fontes de notícias e entretenimento. Hoje não se acessa simplesmente a internet, pessoas criam produtos e produzem conteúdos on-line. Nos tempos dos pais não se podia customizar a turma da Mônica, por exemplo, hoje a geração internet pode customizar praticamente tudo ao seu redor desde que seja uma mídia digital. São investigadores. No tempo dos pais, um produto era apenas um produto, era aquilo e ponto final. Para a geração internet a informação do produto, a qualidade, a procedência, tanto do produto quanto da fabricante é algo natural, é algo que a empresa deve oferecer, simplesmente espera que lhes seja apresentado minuciosamente o produto de marketing. As empresas devem fazer estas especificações para que o jovem adquira o produto. A geração internet quer entretenimento e diversão no trabalho, na educação e na vida social. Acaba por levar, uma mentalidade divertida e diferenciada ao trabalho, a partir da convivência com o videogame, o jovem sabe que há várias fases a serem ultrapassadas para alcançar o objetivo final, para isso usará toda a esperteza e raciocínio lógico que possui.

18 18 Com relação a inovação, o jovem de hoje não quer apenas o celular da mais nova geração, ou o palmtop ou o tablete mais moderno simplesmente porque é moda, mas porque estas novas tecnologias colocam a sua disposição muito mais ferramentas que podem facilitar seu trabalho e até mesmo o convívio social. Os jovens buscam novas formas de colaborar, aprender e trabalhar. O intuito desta geração é estar ligado a tudo e a todos ao mesmo tempo, para isso utiliza a tecnologia que pode estar na palma da mão. Atualmente, através do telefone celular o jovem tem acesso fácil e rápido a tudo o que pretender, portanto, pode até estar na frente de uma televisão ligada, assim como faziam seus pais, mas ao mesmo tempo ele vai estar conectado a amigos ou parentes através do celular e a televisão servindo como uma música de fundo. (TAPSCOTT, 2010, p. 53). Mark Zuckerberg, em janeiro de 2004, criou o que é hoje um dos sites de relacionamentos mais acessados do mundo, o Facebook. Este site é apenas um exemplo dos vários que fazem crescer esta teia de redes sociais. Através das redes sociais que as pessoas trocam informações, se relacionam, compartilham arquivos e lugares e até mesmo criam novas maneiras para resolver alguns problemas urgentes. (TAPSCOTT, 2010, p. 54). Frente a pesquisa realizada por Tapscott, alerta quanto as novas teias de relacionamentos em que absolutamente tudo é compartilhado pelos usuários, desde simples trocas de mensagens até o compartilhamento de fotos ou detalhes mais íntimos de suas vidas, isso pode vir a se tornar uma problemática no futuro, uma vez que se está na internet, se torna público, podendo ser decisivo, por exemplo, em uma vaga de emprego. Cada vez mais as pessoas fornecem detalhes de suas vidas, como consumidores, agora com o mundo digital, acaba se tornando cada vez mais frequente, claro que isso não vem de hoje, pois quando faz-se um contrato de adesão de algum produto, também fornecem-se todos os tipos de dados, tanto pessoais como profissionais, mas quando estas informações são passadas para o mundo virtual, os dados não estão tão seguros quanto se parece.

19 19 Segundo Tapscott, (2010, p. 88.) privado significa segredo, ou algo que não deve ser compartilhado com outras pessoas, este significado de privacidade passa da geração internet e abrange a todos que utilizam uma rede de internet, pois cada vez mais as gerações mais velhas utilizam este meio. Atualmente a internet se torna base para o comércio, o trabalho, o entretenimento, o aprendizado, e outros, com isso a vida se torna cada vez menos privada, sendo que quando adquire-se um produto na internet, introduzem-se várias informações pessoais para que a aquisição se concretize. Para localizar pessoas, com o avanço da tecnologia, hoje os celulares possuem localização via satélite podendo ser localizada a qualquer momento em qualquer lugar. Portanto, podemos perder nossa a privacidade a qualquer momento. Saindo da área pessoal e passando para o campo social, o avanço da tecnologia traz grande preocupação nesta área, tanto em países desenvolvidos quanto em países em desenvolvimento, pois a qualificação para a era digital ou como os doutrinadores chamam, o analfabetismo digital, torna-se um problema na sociedade mundial, consistindo em uma má qualificação da mão de obra em relação a conteúdos avançados tecnologicamente. A sociedade possui na atualidade indivíduos que não dominam e nem mesmo conhecem, por exemplo, o mecanismo de comunicação virtual, o . Este mecanismo se mostra indispensável em qualquer atividade tanto social como empresarial. A era digital se encarrega em excluir este colaborador das vagas de emprego, fazendo com que cresça a dificuldade de sobrevivência deste mesmo indivíduo na vida social. (PINHEIRO, 2011, p. 66) Segundo Werthein (2000, p. 73) com este avanço social, sai-se da era pósindustrial e passa-se a integrar a sociedade da informação, que tem como finalidade transmitir o novo conteúdo de acordo com o rápido avanço tecnológico. Para a sociedade pós-industrial a busca pelo conhecimento estava atrelada aos insumos baratos de energia, já a sociedade da informação passou a buscar novos caminhos, transformações técnicas, administrativas e organizacionais nos

20 20 insumos baratos de informação, que são propiciados pelo rápido avanço tecnológico e da telecomunicação, portanto a sociedade da informação é vista como a sociedade em desenvolvimento. (WERTHEIN, 2000, p. 73) Ainda para Werthein, (2000, p. 71) este novo paradigma de sociedade da informação é diferenciado diante da desigualdade de renda e do desenvolvimento industrial dos países. O Estado teve grande participação para o desenvolvimento tecnológico e a reestruturação da tecnologia, no entanto, nos países em desenvolvimento, vários setores da sociedade como o setor rural, pequenos comerciantes, pessoas com baixa renda, desempregados, entre outros, compõem uma faixa na sociedade que ainda não faz parte deste novo paradigma, que não está integrada na sociedade da informação. Enquanto que nos países desenvolvidos a faixa que ainda não ingressou nesta sociedade é mínima, faltando apenas alguns segmentos da sociedade, e certamente nem o avanço tecnológico nem a evolução natural mudará a sociedade, apenas a ação social consciente fará este papel. Nas palavras de Werthein (2000, p. 74, grifo do autor) a sociedade tomará novos rumos de acordo com o andar e a possibilidade de acesso à tecnologia. As características do novo paradigma justificam, para alguns analistas, a crença de que a sociedade da informação será completamente diferente da sociedade industrial e que podemos aguardar para breve a computopia, bastando que compreendamos e direcionemos as forças sociais subjacentes. Na década de 70 estudos realizados no Japão comprovaram que o avanço tecnológico seria inevitável e benéfico para a sociedade, auxiliando e aperfeiçoando cada vez mais os trabalhos mentais realizados pelo homem, onde os grandes centros de produção de bens dariam espaço para o banco de dados, as grandes lideranças econômicas seriam as empresas especializadas em informação e o usuário teria grande espaço na indústria, economia e cultura, com informações postas da rede que facilmente seria acessada por outros usuários. (WERTHEIN, 2000, p. 74)

21 21 A sociedade será uma sociedade ambiciosa por conhecimento e por mudanças sociais, tendo como princípios a globalização e a contribuição social. Ainda, no raciocínio de Werthein (2000, p. 74), nesta mesma época se questionava o avanço tecnológico em relação à educação, os questionamentos principais eram: será que haveria algum sistema capaz de substituir a sala de aula e o quadro-negro com a mesma eficiência? Onde seriam buscados textos que elucidassem o assunto discutido? E a resposta para ambos os questionamentos era que sim, pois em vários pontos de diferentes países já se utilizava a teleconferência e videoconferência, tornando possível ao aluno ingressar em um sistema de sala de aula virtual. Hoje é definido como EaD, ou ensino a distância. Na década de 90 o avanço tecnológico possibilitou a abertura de discussões sobre a RV (Realidade Virtual). Este novo avanço tecnológico, na esfera educacional, permite ao aluno se deslocar em uma fração de segundos entre o Alasca e o deserto do Atacama, podendo visualizar o sistema lunar como se estivesse na palma de suas mãos, ou ainda, estar de forma física no Brasil e presenciar de forma virtual um procedimento cirúrgico que está sendo realizado no mesmo momento nos Estado Unidos. (WERTHEIN, 2000, p. 75) Mas como nem tudo são flores, este novo paradigma traz e trará desafios para a sociedade, pois como o acesso à informação na era digital não é a mesma para todos, cria-se um aprofundamento da desigualdade social. Werthein (2000, p. 75) em sua reflexão menciona que um dos principais motivos para a busca deste novo paradigma é a redução dos valores dos computadores, no entanto este custo mesmo sendo acessível não permite que toda a população tenha acesso a um computador. O baixo custo do equipamento auxiliou na difusão da tecnologia para os lares, mas ainda não estreitou os caminhos entre o baixo nível de renda e as novas tecnologias. 1.3 Elementos e características do direito digital Quando se fala em resolução de conflitos, não só para o direito digital, mas para a sociedade em geral, a celeridade processual é um anseio. Pinheiro (2011, p. 73) cita como exemplo de celeridade processual a arbitragem utilizada nos Estados

22 22 Unidos há mais de 80 anos, que é praticada principalmente em questões internacionais e comerciais. A territorialidade como elemento do direito digital se torna uma problemática diante da sociedade globalizada, ficando, por diversas vezes, complicado delimitar o território no qual acontece a relação jurídica e a aplicação da norma concreta tradicional. Nas questões tradicionais a demarcação do território em que aconteceu a relação jurídica se dá pelos recursos físicos e a cultura de determinado local, já no ambiente virtual não se consegue precisar ao certo quanto ao território da relação jurídica. (PINHEIRO, 2011, p. 79). sua obra: Pinheiro, (2011, p. 82), faz o seguinte comentário sobre a territorialidade em Nas questões da territorialidade, hoje se aplicam diversos princípios para determinar qual a lei aplicável ao caso. Há o principio do endereço eletrônico, o do local em que a conduta se realizou ou exerceu seus efeitos, o do domicílio do consumidor, o da localidade do réu, o da eficácia na execução judicial. O direito costumeiro ampara o direito digital. Pode-se citar como uma primeira característica introduzida pelo direito costumeiro, a generalidade, que determina que seu comportamento seja repetido em um número razoável de vezes para que vire uma regra. Assim, serve de embasamento para a jurisprudência. Para Pinheiro (2011, p. 74), a generalidade pode ser muito bem aplicada nas relações digitais, pois em diversos casos não há tempo hábil para a criação de jurisprudência pelos Tribunais, nas vias tradicionais frente a assuntos ligados a aspectos tecnológicos, pois, nesses casos, cinco anos significam grandes mudanças para a sociedade. A norma deve ser genérica, aplicada no caso concreto pelo uso da analogia. A uniformidade, outra característica introduzida pelo direito costumeiro. Ela ocorre quando, por exemplo, um consumidor tem uma decisão favorável contra um site que lhe vendeu um produto, porém não colocou à disposição de seu cliente um

Dr. Guilherme Augusto Gonçalves Machado advogado mestrando em Direito Empresarial pela Faculdade de Direito Milton Campos

Dr. Guilherme Augusto Gonçalves Machado advogado mestrando em Direito Empresarial pela Faculdade de Direito Milton Campos $ 5(63216$%,/,'$'( &,9,/ '2 3529('25 '( $&(662,17(51(7 Dr. Guilherme Augusto Gonçalves Machado advogado mestrando em Direito Empresarial pela Faculdade de Direito Milton Campos A Internet se caracteriza

Leia mais

Responsabilidade Civil nas Atividades Empresariais. Profª. MSc. Maria Bernadete Miranda

Responsabilidade Civil nas Atividades Empresariais. Profª. MSc. Maria Bernadete Miranda Responsabilidade Civil nas Atividades Empresariais Para Reflexão Ao indivíduo é dado agir, em sentido amplo, da forma como melhor lhe indicar o próprio discernimento, em juízo de vontade que extrapola

Leia mais

7. Tópicos Especiais em Responsabilidade Civil. Tópicos Especiais em Direito Civil

7. Tópicos Especiais em Responsabilidade Civil. Tópicos Especiais em Direito Civil 7. Tópicos Especiais em Responsabilidade Civil Tópicos Especiais em Direito Civil Introdução A Responsabilidade Civil surge em face de um descumprimento obrigacional pela desobediência de uma regra estabelecida

Leia mais

DIREITO ADMINISTRATIVO

DIREITO ADMINISTRATIVO DIREITO ADMINISTRATIVO RESPONSABILIDADE CIVIL DO ESTADO Atualizado até 13/10/2015 RESPONSABILIDADE CIVIL DO ESTADO NOÇÕES INTRODUTÓRIAS Quando se fala em responsabilidade, quer-se dizer que alguém deverá

Leia mais

O Dano Moral no Direito do Trabalho

O Dano Moral no Direito do Trabalho 1 O Dano Moral no Direito do Trabalho 1 - O Dano moral no Direito do Trabalho 1.1 Introdução 1.2 Objetivo 1.3 - O Dano moral nas relações de trabalho 1.4 - A competência para julgamento 1.5 - Fundamentação

Leia mais

DA RELAÇÃO SEGURO/ROUBO DE CARGA NO TRANSPORTE RODOVIÁRIO

DA RELAÇÃO SEGURO/ROUBO DE CARGA NO TRANSPORTE RODOVIÁRIO DA RELAÇÃO SEGURO/ROUBO DE CARGA NO TRANSPORTE RODOVIÁRIO 1. Até a década de 70 não eram reconhecidos os crimes contra o patrimônio como risco a ser efetivamente protegido no transporte rodoviário de cargas,

Leia mais

RESPONSABILIDADE CIVIL DOS OPERADORES DE NEGÓCIOS IMOBILIÁRIOS

RESPONSABILIDADE CIVIL DOS OPERADORES DE NEGÓCIOS IMOBILIÁRIOS RESPONSABILIDADE CIVIL DOS OPERADORES DE NEGÓCIOS IMOBILIÁRIOS Atividade de intermediação de negócios imobiliários relativos à compra e venda e locação Moira de Toledo Alkessuani Mercado Imobiliário Importância

Leia mais

Aula 5 Pressupostos da responsabilidade civil (Culpa).

Aula 5 Pressupostos da responsabilidade civil (Culpa). Aula 5 Pressupostos da responsabilidade civil (Culpa). Pressupostos da responsabilidade civil subjetiva: 1) Ato ilícito; 2) Culpa; 3) Nexo causal; 4) Dano. Como já analisado, ato ilícito é a conduta voluntária

Leia mais

29 a 30 de maio de 2008 RESPONSABILIDADE CIVIL E RELAÇÕES TRABALHISTAS. Fraiburgo Santa Catarina

29 a 30 de maio de 2008 RESPONSABILIDADE CIVIL E RELAÇÕES TRABALHISTAS. Fraiburgo Santa Catarina 29 a 30 de maio de 2008 RESPONSABILIDADE CIVIL E RELAÇÕES TRABALHISTAS Fraiburgo Santa Catarina A responsabilidade civil é a aplicação de medidas que obriguem uma pessoa a reparar o dano moral ou patrimonial

Leia mais

RESPONSABILIDADE CIVIL DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA

RESPONSABILIDADE CIVIL DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA RESPONSABILIDADE CIVIL DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA 1 Suponha se que Maria estivesse conduzindo o seu veículo quando sofreu um acidente de trânsito causado por um ônibus da concessionária do serviço público

Leia mais

Sumário. Apresentação...7

Sumário. Apresentação...7 Sumário Apresentação................................7 1. CONCEITOS BÁSICOS.........................11 Delimitação de funções..................... 12 2. ORIGENS E DESENVOLVIMENTO...................21 3.

Leia mais

O PAPEL DO TUTOR A DISTÂNCIA NO ENSINO DE INFORMÁTICA: A EXPERIÊNCIA DO CURSO DE TECNOLOGIA EM SISTEMAS PARA INTERNET UAB/IFSUL

O PAPEL DO TUTOR A DISTÂNCIA NO ENSINO DE INFORMÁTICA: A EXPERIÊNCIA DO CURSO DE TECNOLOGIA EM SISTEMAS PARA INTERNET UAB/IFSUL O PAPEL DO TUTOR A DISTÂNCIA NO ENSINO DE INFORMÁTICA: A EXPERIÊNCIA DO CURSO DE TECNOLOGIA EM SISTEMAS PARA INTERNET UAB/IFSUL Pelotas RS Maio 2010 Letícia Marques Vargas IFSul le.mvargas@gmail.com Gabriela

Leia mais

BuscaLegis.ccj.ufsc.br

BuscaLegis.ccj.ufsc.br BuscaLegis.ccj.ufsc.br Breves comentários aos contratos eletrônicos Alessandro Fonseca* Conceito e Contratação nos dias atuais Conceito de contrato eletrônico Antes de abordar o conceito de contrato eletrônico,

Leia mais

Responsabilidade Civil de Provedores

Responsabilidade Civil de Provedores Responsabilidade Civil de Provedores Impactos do Marco Civil da Internet (Lei Nº 12.965, de 23 abril de 2014) Fabio Ferreira Kujawski Modalidades de Provedores Provedores de backbone Entidades que transportam

Leia mais

Apresentação da FAMA

Apresentação da FAMA Pós-Graduação Lato Sensu CURSO DE ESPECIIALIIZAÇÃO 444 horras/aulla 1 Apresentação da FAMA A FAMA nasceu como conseqüência do espírito inovador e criador que há mais de 5 anos aflorou numa família de empreendedores

Leia mais

MARCO CIVIL DA INTERNET LEI Nº 12.965, DE 23/04/2014

MARCO CIVIL DA INTERNET LEI Nº 12.965, DE 23/04/2014 MARCO CIVIL DA INTERNET LEI Nº 12.965, DE 23/04/2014 1. EMENTA A Lei nº 12.965, de 23 de abril de 2014, estabeleceu princípios, garantias, direitos e deveres para o uso da Internet no Brasil, conhecido

Leia mais

A inserção injusta causa às pessoas / consumidores danos de ordem moral e em algumas vezes patrimonial, que, reconhecida gera o direito à reparação.

A inserção injusta causa às pessoas / consumidores danos de ordem moral e em algumas vezes patrimonial, que, reconhecida gera o direito à reparação. 1.1 - Introdução Infelizmente o ajuizamento de ações de indenização por danos materiais e principalmente morais em face de empresas por inclusão indevida do nome de seus clientes em órgãos de proteção

Leia mais

Fit+ Termo e Condições de Uso v.1. Publicação dia 16 de Setembro de 2015.

Fit+ Termo e Condições de Uso v.1. Publicação dia 16 de Setembro de 2015. Fit+ Termo e Condições de Uso v.1 Publicação dia 16 de Setembro de 2015. Qualquer pessoa que se utilize dos serviços denominados Fit+ (registrada sob CNPJ 23.128.926/0001-62 e localizada à Rua Cassilândia,387,

Leia mais

1 Introdução. 1.1 A Nova Era Digital

1 Introdução. 1.1 A Nova Era Digital 11 1 Introdução Com o advento da nova era da internet, conhecida com web 2.0, e o avanço das tecnologias digitais, o consumidor passa a ter maior acesso à informação bem como à facilidade de expressar

Leia mais

O PODER E O RISCO DAS REDES SOCIAIS. Advª. Cláudia Bressler e Prof. Ms. Carolina Müller

O PODER E O RISCO DAS REDES SOCIAIS. Advª. Cláudia Bressler e Prof. Ms. Carolina Müller O PODER E O RISCO DAS REDES SOCIAIS Advª. Cláudia Bressler e Prof. Ms. Carolina Müller Rede Social é um grupo de pessoas/empresas conectadas através da internet e de interesses em comum. Esse grupo forma

Leia mais

DA RESPONSABILIDADE CIVIL DO MÉDICO por Jackson Domenico e Ana Ribeiro - RESPONSABILIDADE CIVIL OBJETIVA E SUBJETIVA

DA RESPONSABILIDADE CIVIL DO MÉDICO por Jackson Domenico e Ana Ribeiro - RESPONSABILIDADE CIVIL OBJETIVA E SUBJETIVA DA RESPONSABILIDADE CIVIL DO MÉDICO por Jackson Domenico e Ana Ribeiro - RESPONSABILIDADE CIVIL OBJETIVA E SUBJETIVA A responsabilidade civil tem como objetivo a reparação do dano causado ao paciente que

Leia mais

ENSINO DE MATEMÁTICA PONTO BLOG

ENSINO DE MATEMÁTICA PONTO BLOG ENSINO DE MATEMÁTICA PONTO BLOG Moema Gomes Moraes 1 RESUMO: Este trabalho faz uma reflexão sobre os aspectos relacionados ao uso de Blogs no ensino de Matemática. Para isto, ele inicia fazendo uma reflexão

Leia mais

Tecnologia da Informação. Prof Odilon Zappe Jr

Tecnologia da Informação. Prof Odilon Zappe Jr Tecnologia da Informação Prof Odilon Zappe Jr Internet Internet Internet é o conglomerado de redes, em escala mundial de milhões de computadores interligados, que permite o acesso a informações e todo

Leia mais

TRIBUNAL DE CONTAS DO DISTRITO FEDERAL

TRIBUNAL DE CONTAS DO DISTRITO FEDERAL TRIBUNAL DE CONTAS DO DISTRITO FEDERAL TÉCNICO EM ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA E ANALISTA (EXCETO PARA O CARGO 4 e 8) GABARITO 1. (CESPE/2013/MPU/Conhecimentos Básicos para os cargos 34 e 35) Com a cloud computing,

Leia mais

POLÍTICA DE PRIVACIDADE AMBIENTAL MERCANTIL

POLÍTICA DE PRIVACIDADE AMBIENTAL MERCANTIL POLÍTICA DE PRIVACIDADE AMBIENTAL MERCANTIL Leia com atenção a nossa Política de Privacidade. Esta Política de Privacidade aplica-se à todos os usuários cadastrados no site, e integram os Termos e Condições

Leia mais

SOCIEDADE VIRTUAL: UMA NOVA REALIDADE PARA A RESPONSABILIDADE CIVIL

SOCIEDADE VIRTUAL: UMA NOVA REALIDADE PARA A RESPONSABILIDADE CIVIL SOCIEDADE VIRTUAL: UMA NOVA REALIDADE PARA A RESPONSABILIDADE CIVIL FABRICIO DOS SANTOS RESUMO A sociedade virtual, com suas relações próprias vem se tornando uma nova realidade para a responsabilidade

Leia mais

Plano de Ação para Mídias Sociais: ebook para agências de turismo. Copyright 2015. Agente no Turismo Strategia Consultoria Turística Ltda.

Plano de Ação para Mídias Sociais: ebook para agências de turismo. Copyright 2015. Agente no Turismo Strategia Consultoria Turística Ltda. Plano de Ação para Mídias Sociais: ebook para agências de turismo Copyright 2015 Agente no Turismo Strategia Consultoria Turística Ltda. Todos os direitos reservados. Pode ser compartilhado com conteúdo,

Leia mais

RESPONSABILIDADE CIVIL DO SÍTIO NO COMÉRCIO ELETRÔNICO NACIONAL

RESPONSABILIDADE CIVIL DO SÍTIO NO COMÉRCIO ELETRÔNICO NACIONAL 1 RESPONSABILIDADE CIVIL DO SÍTIO NO COMÉRCIO ELETRÔNICO NACIONAL FABRICIO, M. A. F. Resumo: O presente trabalho tem por finalidade um estudo sobre a responsabilidade civil do sítio no comércio eletrônico,

Leia mais

Utilização das redes sociais e suas repercussões

Utilização das redes sociais e suas repercussões Utilização das redes sociais e suas repercussões O papel da escola : @ Orientação aos professores, alunos e pais @ Acompanhamento de situações que repercutem na escola @ Atendimento e orientação a pais

Leia mais

Código de Conduta Ética

Código de Conduta Ética Código de Conduta Ética MENSAGEM DA DIRETORIA A todos os dirigentes e empregados A Companhia de Seguros Aliança do Brasil acredita no Respeito aos princípios éticos e à transparência de conduta com as

Leia mais

PROJETO DE LEI CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES

PROJETO DE LEI CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES PROJETO DE LEI Estabelece princípios, garantias, direitos e deveres para o uso da Internet no Brasil. O CONGRESSO NACIONAL decreta: CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1 o Esta Lei estabelece princípios,

Leia mais

Responsabilidade Civil dos Administradores das Sociedades. Profª. MSc. Maria Bernadete Miranda

Responsabilidade Civil dos Administradores das Sociedades. Profª. MSc. Maria Bernadete Miranda Responsabilidade Civil dos Administradores das Sociedades Administrador Administrador é a pessoa a quem se comete a direção ou gerência de qualquer negócio ou serviço, seja de caráter público ou privado,

Leia mais

Administração de Pessoas por COMPETÊNCIAS

Administração de Pessoas por COMPETÊNCIAS Administração de Pessoas por COMPETÊNCIAS Adm.Walter Lerner 1.Gestão,Competência e Liderança 1.1.Competências de Gestão Competências Humanas e Empresariais são Essenciais Todas as pessoas estão, indistintamente,

Leia mais

Campanha Nacional de Escolas da Comunidade CNEC

Campanha Nacional de Escolas da Comunidade CNEC Campanha Nacional de Escolas da Comunidade CNEC Regulamento de Projeto Integrador dos Cursos Superiores de Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas, Segurança da Informação e Sistemas para Internet

Leia mais

A RESPONSABILIDADE OBJETIVA NO NOVO CÓDIGO CIVIL

A RESPONSABILIDADE OBJETIVA NO NOVO CÓDIGO CIVIL A RESPONSABILIDADE OBJETIVA NO NOVO CÓDIGO CIVIL SÍLVIO DE SALVO VENOSA 1 Para a caracterização do dever de indenizar devem estar presentes os requisitos clássicos: ação ou omissão voluntária, relação

Leia mais

Aliança do Brasil. É assim que a gente faz. Código de Conduta Ética

Aliança do Brasil. É assim que a gente faz. Código de Conduta Ética Aliança do Brasil. É assim que a gente faz. Código de Conduta Ética SUMÁRIO CONCEITO OBJETIVO ABRANGÊNCIA PRINCÍPIOS DE RELACIONAMENTOS CONFLITOS DE INTERESSE CONFIDENCIALIDADE DAS INFORMAÇÕES PRESERVAÇÃO

Leia mais

RONY VAINZOF rony@opiceblum.com.br

RONY VAINZOF rony@opiceblum.com.br RONY VAINZOF rony@opiceblum.com.br 1 A INTERNET NÃO É UM MUNDO SEM LEIS!!! 11/7/2014 2 INVASÃO FÍSICA OU ELETRÔNICA? X X 11/7/2014 3 Lei 12.737/12 CRIME DE INVASÃO Violação de domicílio Pena - detenção,

Leia mais

DA EDUCAÇÃO TRADICIONAL ÀS NOVAS TECNOLOGIAS APLICADAS À EDUCAÇÃO

DA EDUCAÇÃO TRADICIONAL ÀS NOVAS TECNOLOGIAS APLICADAS À EDUCAÇÃO 25 a 28 de Outubro de 2011 ISBN 978-85-8084-055-1 DA EDUCAÇÃO TRADICIONAL ÀS NOVAS TECNOLOGIAS APLICADAS À EDUCAÇÃO Natália Aguiar de Menezes 1 RESUMO: Observa-se que com o passar dos anos o ensino superior

Leia mais

COIFFEUR BRASIL. Termo e Condições de Uso v.1. Publicação dia 03 de Junho de 2015.

COIFFEUR BRASIL. Termo e Condições de Uso v.1. Publicação dia 03 de Junho de 2015. COIFFEUR BRASIL Termo e Condições de Uso v.1 Publicação dia 03 de Junho de 2015. Qualquer pessoa que se utilize dos serviços denominados Coiffeur Brasil (registrada sob CNPJ 20.402.266/0001 78 e localizada

Leia mais

Introdução. Disciplina: Suporte Remoto Prof. Etelvira Leite

Introdução. Disciplina: Suporte Remoto Prof. Etelvira Leite Introdução Disciplina: Suporte Remoto Prof. Etelvira Leite Os Benefícios do Trabalho Remoto O mundo assiste hoje à integração e à implementação de novos meios que permitem uma maior rapidez e eficácia

Leia mais

2 SIGNIFICADO DA ADMINISTRAÇÃO

2 SIGNIFICADO DA ADMINISTRAÇÃO 2 SIGNIFICADO DA ADMINISTRAÇÃO 2.1 IMPORTÂNCIA DA ADMINISTRAÇÃO Um ponto muito importante na administração é a sua fina relação com objetivos, decisões e recursos, como é ilustrado na Figura 2.1. Conforme

Leia mais

milenaresende@fimes.edu.br

milenaresende@fimes.edu.br Fundação Integrada Municipal de Ensino Superior Sistemas de Informação A Internet, Intranets e Extranets milenaresende@fimes.edu.br Uso e funcionamento da Internet Os dados da pesquisa de TIC reforçam

Leia mais

remuneração para ADVOGADOS advocobrasil Uma forma mais simples e estruturada na hora de remunerar Advogados porque a mudança é essencial

remuneração para ADVOGADOS advocobrasil Uma forma mais simples e estruturada na hora de remunerar Advogados porque a mudança é essencial remuneração para ADVOGADOS Uma forma mais simples e estruturada na hora de remunerar Advogados advocobrasil Não ter uma política de remuneração é péssimo, ter uma "mais ou menos" é pior ainda. Uma das

Leia mais

Aviso legal sobre o site

Aviso legal sobre o site AVISO LEGAL E INFORMAÇÕES SOBRE AS CONDIÇÕES DE USO DE WWW.FORMULASANTANDER.COM Dados de identificação do titular do site Em cumprimento ao dever de informação estipulado no artigo 10 da Lei 34/2002 de

Leia mais

Responsabilidade Civil Engenheiros e Arquitetos E&O e D&O

Responsabilidade Civil Engenheiros e Arquitetos E&O e D&O Responsabilidade Civil Engenheiros e Arquitetos E&O e D&O AsBEA Associação Brasileira dos Escritórios de Arquitetura Encontro Regional AsBEA 2010 Nada a perder, algo a ganhar... Algo a ganhar, pouco a

Leia mais

POLÍTICA DE PRIVACIDADE

POLÍTICA DE PRIVACIDADE POLÍTICA DE PRIVACIDADE Caro Assinante, O presente escrito estabelece e explica a Política de Privacidade da SOCIAL COMICS ENTRETENIMENTO LTDA, adiante também mencionada por SOCIAL COMICS e/ou PLATAFORMA.

Leia mais

As palavras grafadas neste instrumento com letras maiúsculas terão o significado que a elas é atribuído de acordo com o estabelecido abaixo:

As palavras grafadas neste instrumento com letras maiúsculas terão o significado que a elas é atribuído de acordo com o estabelecido abaixo: Termo e Condições de Uso Câmara Brasileira de Comércio Eletrônico, entidade associativa sem fins lucrativos, CNPJ 04.481.317/0001-48, situada à Rua Bela Cintra, 756, 9 andar, conjunto 91, CEP 041415-000,

Leia mais

Monitoramento de e-mail corporativo

Monitoramento de e-mail corporativo Monitoramento de e-mail corporativo Mario Luiz Bernardinelli 1 (mariolb@gmail.com) 12 de Junho de 2009 Resumo A evolução tecnológica tem afetado as relações pessoais desde o advento da Internet. Existem

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO - 2014

REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO - 2014 1 FACULDADE DE ESTUDOS SOCIAIS DO ESPÍRITO SANTO PIO XII CURSO DE ADMINISTRAÇÃO DE EMPRESAS CURSO DE ADMINISTRAÇÃO EM COMÉRCIO EXTERIOR I INTRODUÇÃO REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO - 2014 O currículo

Leia mais

Manual Ambiente Virtual de Aprendizagem Moodle-ESPMG 2.0

Manual Ambiente Virtual de Aprendizagem Moodle-ESPMG 2.0 Manual Ambiente Virtual de Aprendizagem Moodle-ESPMG 2.0 Adriano Lima Belo Horizonte 2011 SUMÁRIO Apresentação... 3 Acesso ao Ambiente Virtual de Aprendizagem AVA ESP-MG... 3 Programação do curso no AVA-ESPMG

Leia mais

Noções de Direito e Legislação da Informática FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC GOIÁS GESTÃO EM TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO

Noções de Direito e Legislação da Informática FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC GOIÁS GESTÃO EM TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC GOIÁS GESTÃO EM TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO LUIZ GUILHERME JULIANO PIROZZELLI TULIO TSURUDA WISLIY LOPES Noções de Direito e Legislação da Informática GOIÂNIA JUNHO DE 2014 RELACIONAR

Leia mais

Redes sociais no Terceiro Setor

Redes sociais no Terceiro Setor Redes sociais no Terceiro Setor Prof. Reginaldo Braga Lucas 2º semestre de 2010 Constituição de redes organizacionais Transformações organizacionais Desenvolvimento das organizações articuladas em redes

Leia mais

Conceito. Responsabilidade Civil do Estado. Teorias. Risco Integral. Risco Integral. Responsabilidade Objetiva do Estado

Conceito. Responsabilidade Civil do Estado. Teorias. Risco Integral. Risco Integral. Responsabilidade Objetiva do Estado Conceito Responsabilidade Civil do Estado é a obrigação que ele tem de reparar os danos causados a terceiros em face de comportamento imputável aos seus agentes. chama-se também de responsabilidade extracontratual

Leia mais

Redes Sociais Em Apoio À Tomada De Decisão

Redes Sociais Em Apoio À Tomada De Decisão Redes Sociais Em Apoio À Tomada De Decisão Este assunto normalmente é tratado quando se aborda a coleta de dados no ciclo de Inteligência. No entanto, o fenômeno das redes sociais, atualmente, cresceu

Leia mais

Módulo 1. Introdução. 1.1 O que é EAD?

Módulo 1. Introdução. 1.1 O que é EAD? Módulo 1. Introdução Cada vez mais o mundo social e do trabalho necessitam de sujeitos capazes de fazer a diferença através de suas ações e atitudes. A utilização do ambiente virtual, como meio de interação

Leia mais

GUIA DO ALUNO EAD EAD DO GUIA ALUNO

GUIA DO ALUNO EAD EAD DO GUIA ALUNO GUIA DO ALUNO EAD GUIA DO ALUNO EAD Guia do Aluno Seja bem-vindo(a) às disciplinas EAD! Agora que você já está matriculado na disciplina online, chegou o momento de ficar por dentro de informações muito

Leia mais

4. O QUANDO QUISER não possui qualquer responsabilidade pelo CONTEÚDO existente no SITE do ANUNCIANTE;

4. O QUANDO QUISER não possui qualquer responsabilidade pelo CONTEÚDO existente no SITE do ANUNCIANTE; TERMO DE USO DO QUANDO QUISER O presente TERMO DE USO regula as condições gerais de uso dos serviços oferecidos pelo QUANDO QUISER (www.quandoquiser.com.br), da empresa N. O. S. SERVIÇOS DE INFORMAÇÃO

Leia mais

Aspectos Jurídicos no Uso de Dispositivos Pessoais no Ambiente Corporativo. Dra. CRISTINA SLEIMAN. Dra. Cristina Sleiman Diretora Executiva

Aspectos Jurídicos no Uso de Dispositivos Pessoais no Ambiente Corporativo. Dra. CRISTINA SLEIMAN. Dra. Cristina Sleiman Diretora Executiva Comissão de Direito eletrônico E Crimes de Alta Tecnologia Aspectos Jurídicos no Uso de Dispositivos Pessoais no Ambiente Corporativo Dra. CRISTINA SLEIMAN Dra. Cristina Sleiman Diretora Executiva SP,

Leia mais

Segurança Cibernética X Segurança Legal. Adriana de Moraes Cansian Advogada OAB/SP 332.517 adriana@cansian.com

Segurança Cibernética X Segurança Legal. Adriana de Moraes Cansian Advogada OAB/SP 332.517 adriana@cansian.com Segurança Cibernética X Segurança Legal Adriana de Moraes Cansian Advogada OAB/SP 332.517 adriana@cansian.com Agenda Introdução: por que devemos nos preocupar? Questões Cíveis. QuestõesTrabalhistas. O

Leia mais

Desenvolvimento de Novos Produtos e Serviços para a Área Social

Desenvolvimento de Novos Produtos e Serviços para a Área Social Programa 0465 SOCIEDADE DA INFORMAÇÃO - INTERNET II Objetivo Incrementar o grau de inserção do País na sociedade de informação e conhecimento globalizados. Público Alvo Empresas, usuários e comunidade

Leia mais

COMUNICAÇÃO SOCIAL PARA GRUPOS ESCOTEIROS

COMUNICAÇÃO SOCIAL PARA GRUPOS ESCOTEIROS PROJETO INSÍGNIA DA MADEIRA COMUNICAÇÃO SOCIAL PARA GRUPOS ESCOTEIROS COMO ORGANIZAR SEU GRUPO ESCOTEIRO PARA UMA MELHOR COMUNICAÇÃO COM A COMUNIDADE, MEMBROS JUVENIS E ADULTOS UTILIZANDO A INTERNET. LUÍS

Leia mais

Neutralidade de rede Consulta Pública à sociedade sobre a regulamentação prevista no Marco Civil da Internet Consulta Pública nº 8/2015

Neutralidade de rede Consulta Pública à sociedade sobre a regulamentação prevista no Marco Civil da Internet Consulta Pública nº 8/2015 Neutralidade de rede Consulta Pública à sociedade sobre a regulamentação prevista no Marco Civil da Internet Consulta Pública nº 8/2015 Anatel Junho de 2015 Neutralidade de rede Consulta Pública Anatel

Leia mais

SAM GERENCIAMENTO DE ATIVOS DE SOFTWARE

SAM GERENCIAMENTO DE ATIVOS DE SOFTWARE SAM GERENCIAMENTO DE ATIVOS DE SOFTWARE Modelo de Otimização de SAM Controle, otimize, cresça Em um mercado internacional em constante mudança, as empresas buscam oportunidades de ganhar vantagem competitiva

Leia mais

C.P.F. DOS ENVOLVIDOS: 105111179-06 085997089-29 093745209-23 KRIO. A integração entre a tecnologia e a comunicação para Jovens Aprendizes

C.P.F. DOS ENVOLVIDOS: 105111179-06 085997089-29 093745209-23 KRIO. A integração entre a tecnologia e a comunicação para Jovens Aprendizes C.P.F. DOS ENVOLVIDOS: 105111179-06 085997089-29 093745209-23 KRIO A integração entre a tecnologia e a comunicação para Jovens Aprendizes FLORIANÓPOLIS 2014 2 RESUMO: O projeto apresentado é resultado

Leia mais

NORMAS DE CONDUTA. Apresentação

NORMAS DE CONDUTA. Apresentação NORMAS DE CONDUTA Apresentação Adequando-se às melhores práticas de Governança Corporativa, a TITO está definindo e formalizando as suas normas de conduta ( Normas ). Estas estabelecem as relações, comportamentos

Leia mais

Princípios Gerais para a Prevenção dos Riscos Penais Endesa Brasil

Princípios Gerais para a Prevenção dos Riscos Penais Endesa Brasil Princípios Gerais para a Prevenção dos Riscos Penais Endesa Brasil Introdução 5 INTRODUÇÃO A seguir, são descritos os comportamentos e princípios gerais de atuação esperados dos Colaboradores da Endesa

Leia mais

INFLUÊNCIAS E POSSIBILIDADES DO USO DA TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO NA EDUCAÇÃO

INFLUÊNCIAS E POSSIBILIDADES DO USO DA TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO NA EDUCAÇÃO INFLUÊNCIAS E POSSIBILIDADES DO USO DA TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO NA EDUCAÇÃO Gustavo Cançado de Azevedo O autor relaciona educação e tecnologia, tomando como ponto de partida a maneira com que os avanços

Leia mais

AGÊNCIA NACIONAL DE AVIAÇÃO CIVIL INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 40, DE 30 DE ABRIL DE 2010.

AGÊNCIA NACIONAL DE AVIAÇÃO CIVIL INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 40, DE 30 DE ABRIL DE 2010. AGÊNCIA NACIONAL DE AVIAÇÃO CIVIL INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 40, DE 30 DE ABRIL DE 2010. Regulamenta a utilização dos serviços corporativos disponíveis na rede de computadores da ANAC. A DIRETORA-PRESIDENTE

Leia mais

TREINAMENTO ONLINE PARA O SISTEMA DE APOIO À GESTÃO AMBIENTAL RODOVIÁRIA FEDERAL (SAGARF)

TREINAMENTO ONLINE PARA O SISTEMA DE APOIO À GESTÃO AMBIENTAL RODOVIÁRIA FEDERAL (SAGARF) TREINAMENTO ONLINE PARA O SISTEMA DE APOIO À GESTÃO AMBIENTAL RODOVIÁRIA FEDERAL (SAGARF) Maio de 2007 Maria Rachel Barbosa Fundação Trompovsky (Apoio ao NEAD CENTRAN) rachel@centran.eb.br Vanessa Maria

Leia mais

RESPONSABILIDADE CIVIL NO DIREITO AMBIENTAL

RESPONSABILIDADE CIVIL NO DIREITO AMBIENTAL RESPONSABILIDADE CIVIL NO DIREITO AMBIENTAL O ordenamento jurídico pátrio, em matéria ambiental, adota a teoria da responsabilidade civil objetiva, prevista tanto no art. 14, parágrafo 1º da Lei 6.938/81

Leia mais

EDITAL DE SELEÇÃO PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU Modalidade Online

EDITAL DE SELEÇÃO PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU Modalidade Online EDITAL DE SELEÇÃO PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU Modalidade Online MBA EM COMUNICAÇÃO E MARKETING Regulamentação de Pós-Graduação Lato Sensu e Ato de Credenciamento Institucional para Oferta de Curso de Pós-Graduação

Leia mais

2.4 Ao cadastrar-se, a Instituição receberá uma senha de utilização do software.

2.4 Ao cadastrar-se, a Instituição receberá uma senha de utilização do software. CONTRATO DE CESSÃO DE USO DO SOFTWARE JOGO DA ECONOMIA BRASILEIRA ÀS INSTITUIÇÕES DE ENSINO E AFINS, RELACIONADAS A ATIVIDADE ECONÔMICA OU FINANCEIRA, PELO CONSELHO REGIONAL DE ECONOMIA DO PARANÁ Este

Leia mais

SISTEMAS DE INFORMAÇÕES GERENCIAIS

SISTEMAS DE INFORMAÇÕES GERENCIAIS 1 SISTEMAS DE INFORMAÇÕES GERENCIAIS John F. Eichstaedt, Toni Édio Degenhardt Professora: Eliana V. Jaeger RESUMO: Este artigo mostra o que é um SIG (Sistema de Informação gerencial) em uma aplicação prática

Leia mais

Responsabilidade Civil e Criminal em Acidentes de Trabalho. M. J. Sealy

Responsabilidade Civil e Criminal em Acidentes de Trabalho. M. J. Sealy Responsabilidade Civil e Criminal em Acidentes de Trabalho O Conceito de Acidente de Trabalho (de acordo com a Lei 8.213/91 Art. 19) Acidente do trabalho é o que ocorre pelo exercício do trabalho a serviço

Leia mais

Administração de Sistemas de Informação I

Administração de Sistemas de Informação I Administração de Sistemas de Informação I Prof. Farinha Aula 03 Telecomunicações Sistemas de Telecomunicações 1 Sistemas de Telecomunicações Consiste de Hardware e Software transmitindo informação (texto,

Leia mais

1. PRÁTICA EFICAZ DE GESTÃO EDUCACIONAL Gestão do ciclo completo de relacionamento com o aluno SRM da Universidade Feevale

1. PRÁTICA EFICAZ DE GESTÃO EDUCACIONAL Gestão do ciclo completo de relacionamento com o aluno SRM da Universidade Feevale RELATÓRIO DE AVALIAÇÃO 1. PRÁTICA EFICAZ DE GESTÃO EDUCACIONAL Gestão do ciclo completo de relacionamento com o aluno SRM da Universidade Feevale 1.1 Histórico da Prática Eficaz Por meio do Departamento

Leia mais

SINERGIA SISTEMA DE ENSINO LTDA FACULDADE SINERGIA Portaria Recredenciamento MEC nº 1.424 D.O.U, de 10/10/2011.

SINERGIA SISTEMA DE ENSINO LTDA FACULDADE SINERGIA Portaria Recredenciamento MEC nº 1.424 D.O.U, de 10/10/2011. REGULAMENTO DO LABORATÓRIO DE INFORMÁTICA CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES INICIAIS Art. 1º O laboratório de Informática constitui-se em espaço de apoio técnico pedagógico da Faculdade Sinergia. Art. 2º O Laboratório

Leia mais

FACULDADE ANHANGUERA DE INDAIATUBA Rua Claudio Dal Canton, 89 - Cidade Nova II - Indaiatuba -SP - CEP 13334-390 (19) 3885-6700 www.portalpos.com.

FACULDADE ANHANGUERA DE INDAIATUBA Rua Claudio Dal Canton, 89 - Cidade Nova II - Indaiatuba -SP - CEP 13334-390 (19) 3885-6700 www.portalpos.com. A pós-graduação é fundamental para manter-se bem colocado no mercado de trabalho e para aperfeiçoar competências profissionais. Além de enriquecer o currículo, este tipo de especialização ajuda a melhorar

Leia mais

um país digital & continental A realidade do setor nos Estados Brasileiros Como entender e interagir com o novo consumidor na hora da compra

um país digital & continental A realidade do setor nos Estados Brasileiros Como entender e interagir com o novo consumidor na hora da compra REVISTA DIGITALKS. ano 01. número 02 um país digital & continental A realidade do setor nos Estados Brasileiros Como entender e interagir com o novo consumidor na hora da compra #Content marketing 11 passos

Leia mais

TERRAS COELHO ADVOGADOS é uma sociedade de

TERRAS COELHO ADVOGADOS é uma sociedade de TERRAS COELHO ADVOGADOS é uma sociedade de advogados voltada para os mais variados ramos do direito, com atuação preventiva e contenciosa em todo o território nacional. Sociedade nascida da união de profissionais

Leia mais

Da Responsabilidade Civil Objetiva. É a mesma coisa que responsabilidade civil sem culpa. Ela tem como fundamento legal a teoria do risco.

Da Responsabilidade Civil Objetiva. É a mesma coisa que responsabilidade civil sem culpa. Ela tem como fundamento legal a teoria do risco. Da Responsabilidade Civil Objetiva É a mesma coisa que responsabilidade civil sem culpa. Ela tem como fundamento legal a teoria do risco. Na doutrina brasileira a matéria vem muito bem elaborada por Caio

Leia mais

Direito Digital Porque Educação Executiva Insper Cursos de Curta e Média Duração Educação Executiva

Direito Digital Porque Educação Executiva Insper Cursos de Curta e Média Duração Educação Executiva 1 Porque Educação Executiva Insper A dinâmica do mundo corporativo exige profissionais multidisciplinares, capazes de interagir e formar conexões com diferentes áreas da empresa e entender e se adaptar

Leia mais

DOS FATOS JURÍDICOS. FATO JURÍDICO = é todo acontecimento da vida relevante para o direito, mesmo que seja fato ilícito.

DOS FATOS JURÍDICOS. FATO JURÍDICO = é todo acontecimento da vida relevante para o direito, mesmo que seja fato ilícito. DOS FATOS JURÍDICOS CICLO VITAL: O direito nasce, desenvolve-se e extingue-se. Essas fases ou os chamados momentos decorrem de fatos, denominados de fatos jurídicos, exatamente por produzirem efeitos jurídicos.

Leia mais

2 - Sabemos que a educação à distância vem ocupando um importante espaço no mundo educacional. Como podemos identificar o Brasil nesse contexto?

2 - Sabemos que a educação à distância vem ocupando um importante espaço no mundo educacional. Como podemos identificar o Brasil nesse contexto? A EDUCAÇÃO À DISTÂNCIA E O FUTURO Arnaldo Niskier 1 - Qual a relação existente entre as transformações do mundo educacional e profissional e a educação à distância? A educação à distância pressupõe uma

Leia mais

O uso de blogs no ensino de Matemática 2

O uso de blogs no ensino de Matemática 2 Claudinei Flavia Batista Santos Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia Brasil bs_flavia@hotmail.com Sirlândia Souza Santana sirlandiasantana@hotmail.com Resumo Este trabalho tem como principal objetivo

Leia mais

Área de Comunicação. Tecnologia em. Produção Multimídia

Área de Comunicação. Tecnologia em. Produção Multimídia Área de Comunicação Produção Multimídia Curta Duração Produção Multimídia Carreira em Produção Multimídia O curso superior de Produção Multimídia da FIAM FAAM forma profissionais preparados para o mercado

Leia mais

XIV SEMINÁRIO NACIONAL DE DISTRIBUIÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA INFORMATIZAÇÃO DAS NORMAS E PROCEDIMENTOS DE MEDIÇÃO VIA INTRANET E INTERNET

XIV SEMINÁRIO NACIONAL DE DISTRIBUIÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA INFORMATIZAÇÃO DAS NORMAS E PROCEDIMENTOS DE MEDIÇÃO VIA INTRANET E INTERNET XIV SEMINÁRIO NACIONAL DE DISTRIBUIÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA INFORMATIZAÇÃO DAS NORMAS E PROCEDIMENTOS DE MEDIÇÃO VIA INTRANET E INTERNET Autores: OROMAR CÓRDOVA GILBERTO ALVES LOBATO COPEL Companhia Paranaense

Leia mais

Jornalismo Interativo

Jornalismo Interativo Jornalismo Interativo Antes da invenção da WWW, a rede era utilizada para divulgação de informações direcionados a públicos muito específicos e funcionavam através da distribuição de e-mails e boletins.

Leia mais

Curso de Especialização em Saúde da Família

Curso de Especialização em Saúde da Família MÓDULO: FAMILIARIZAÇÃO TECNOLÓGICA COM EAD UNIDADE 02 PROCESSO DE INTERAÇÃO EM EAD Prof. Msc Rômulo Martins 2.1 Interação em EAD A partir das novas mídias e tecnologias, tais como a televisão, o telefone

Leia mais

AS NOVAS TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO NUMA SOCIEDADE EM TRANSIÇÃO

AS NOVAS TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO NUMA SOCIEDADE EM TRANSIÇÃO AS NOVAS TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO NUMA SOCIEDADE EM TRANSIÇÃO AS NOVAS TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO NUMA SOCIEDADE EM TRANSIÇÃO MÁRCIA MARIA PALHARES (márcia.palhares@uniube.br) RACHEL INÊS DA SILVA (bcpt2@uniube.br)

Leia mais

Política de uso de dados

Política de uso de dados Política de uso de dados A política de dados ajudará você a entender como funciona as informações completadas na sua área Minhas Festas. I. Informações que recebemos e como são usadas Suas informações

Leia mais

Termos de Uso - Contrato

Termos de Uso - Contrato Termos de Uso - Contrato 1. TERMOS E CONDIÇÕES GERAIS PARA COMPRA DE CURSO ONLINE NO SITE WWW.ALEMÃOONLINE.COM.BR 1.1. A contratada (nome fantasia) FCD., inscrita no CNPJ 22.030.123/00001-08, localizada

Leia mais

Proteger a informação de uma ameaça inclui evitar o seu corrompimento, o seu acesso às pessoas não autorizadas e seu furto ou deleção indevida.

Proteger a informação de uma ameaça inclui evitar o seu corrompimento, o seu acesso às pessoas não autorizadas e seu furto ou deleção indevida. Segurança da Informação é a proteção das informações contra os vários tipos de ameaças as quais estão expostas, para garantir a continuidade do negócio, minimizar o risco ao negócio, maximizar o retorno

Leia mais

VESTIBULAR 2015 INFORMAÇÕES SOBRE OS CURSOS

VESTIBULAR 2015 INFORMAÇÕES SOBRE OS CURSOS VESTIBULAR 2015 SELEÇÃO PARA ENSINO PROFISSIONAL INTEGRADO AO ENSINO MÉDIO, EM REGIME INTEGRAL COM DURAÇÃO DE 3 ANOS, DO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO TOCANTINS 2015 INFORMAÇÕES

Leia mais

Corporativo. Transformar dados em informações claras e objetivas que. Star Soft. www.starsoft.com.br

Corporativo. Transformar dados em informações claras e objetivas que. Star Soft. www.starsoft.com.br Corporativo Transformar dados em informações claras e objetivas que possibilitem às empresas tomarem decisões em direção ao sucesso. Com essa filosofia a Star Soft Indústria de Software e Soluções vem

Leia mais

Aula 7 Aplicações e questões do Comércio Eletrônico.

Aula 7 Aplicações e questões do Comércio Eletrônico. Aula 7 Aplicações e questões do Comércio Eletrônico. TENDÊNCIAS NO COMÉRCIO ELETRÔNICO Atualmente, muitos negócios são realizados de forma eletrônica não sendo necessário sair de casa para fazer compras

Leia mais

REGULAMENTO DO NÚCLEO DE INFORMÁTICA

REGULAMENTO DO NÚCLEO DE INFORMÁTICA REGULAMENTO DO NÚCLEO DE INFORMÁTICA Aprovado pela Resolução CONSUNI nº 31/13, de 21/08/13. CAPÍTULO I DAS CONSIDERAÇÕES PRELIMINARES Art. 1º Este regulamento dispõe especificamente do Núcleo de Informática

Leia mais

ESFERA DA FAMÍLIA INTERNET NA ROTINA FAMILIAR Proteja sua Família dos Perigos da Internet. Marcio e Edione Vieira Curitiba/PR

ESFERA DA FAMÍLIA INTERNET NA ROTINA FAMILIAR Proteja sua Família dos Perigos da Internet. Marcio e Edione Vieira Curitiba/PR ESFERA DA FAMÍLIA INTERNET NA ROTINA FAMILIAR Proteja sua Família dos Perigos da Internet Marcio e Edione Vieira Curitiba/PR Introdução: Engajamento Voluntário: Envolvimento Profissional: OBJETIVOS: Formar

Leia mais

Política de Responsabilidade Socioambiental

Política de Responsabilidade Socioambiental Política de Responsabilidade Socioambiental SUMÁRIO 1 INTRODUÇÃO... 3 2 OBJETIVO... 3 3 DETALHAMENTO... 3 3.1 Definições... 3 3.2 Envolvimento de partes interessadas... 4 3.3 Conformidade com a Legislação

Leia mais

POLÍTICA DE PRIVACIDADE SEGUROS UNIMED

POLÍTICA DE PRIVACIDADE SEGUROS UNIMED POLÍTICA DE PRIVACIDADE SEGUROS UNIMED Este documento, denominado Política de Privacidade, tem por finalidade estabelecer as regras sobre a obtenção, uso e armazenamento dos dados e informações coletados

Leia mais