Desafios na avaliação da eficiência energética em edificações

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Desafios na avaliação da eficiência energética em edificações"

Transcrição

1 Minas e Energia Ministério de Minas e Energia Desafios na avaliação da eficiência energética em edificações Encontro de Lideranças 2011 Sistema CONFEA/CREA s Departamento de Desenvolvimento Energético Secretaria de Planejamento e Desenvolvimento Energético BSB, 22 de fevereiro de 2011 Paulo Augusto Leonelli Presidente do CGIEE Coordenador do GT-Edificações

2 Matriz Energética Nacional 2 Gás Natural 8,8 Carvão 4,8 Não Renovável Derivados do Petróleo 37,9 Biomassa Tradicional 10,1 Produtos da Cana 18,0 Urânio 1,4 Fonte: Resenha Energética Nacional 2010 (MME) Hidro 15,2 Outras Renováveis 3,8 Renovável

3 Minas e Energia Ministério de Minas e Energia Projeções de Consumo de Eletricidade Nossa meta: Reduzir ~10% a demanda em TWh Consumo (TWh) 2009 Sistema 431,2 Autoprodução 35,0 Total 466,2 Consumo (TWh) 2019 Sistema 710,3 Autoprodução 79,2 Total 789,5 Consumo (TWh TWh) 2030 Sistema 928,0 Autoprodução 116,3 Total 1044,3 Eficiência Energética Potencial de Mercado: 7 ~10%

4 Plano Nacional de Eficiência Energética - PNEf Minas e Energia Ministério de Minas e Energia Desafio com metas ambiciosas Visão de longo prazo Objetivo Geral Discriminar os projetos e ações que permitirão a inserção da eficiência energética no planejamento energético, de forma explícita e sustentável Premissas e Diretrizes Básicas Projeção do Potencial de Conservação de EE 15 Macro Linhas de Ações propostas Integração com o PNE 2030 e PDE 2019 Aproximadamente 100 colaboradores Atualmente em processo análise da C.Pública

5 Minas e Energia Ministério de Minas e Energia Políticas Públicas e Programas de Eficiência Energética PBE Lançado em 1984 Aplicado a fabricantes e fornecedores PROCEL Lançado em 1985 CONPET Lançado em 1991 PEE da ANEEL Lançado em 2000 Aplicado às distribuidoras de energia Lei (Lei da Eficiência Energética) Lançada em 2001

6 Lei de Eficiência Energética Lei nº10.295, de 17 de outubro de 2001 Dispõe sobre a Política Nacional de Conservação e Uso Racional de Energia Visa desenvolver a eficiência energética no país Decreto nº 4.059, de 19 de dezembro de 2001 Regulamenta a Lei n o (Lei da Eficiência Energética) Institui o Comitê Gestor de Indicadores e Níveis de Eficiência Energética CGIEE Os níveis mínimos de eficiência energética, deverão ser estabelecidos segundo regulamentação específica O MME deverá constituir um Grupo Técnico que adote procedimentos para avaliação da eficiência energética das edificações e que crie indicadores técnicos referenciais do consumo de energia destas edificações

7 Minas e Energia Ministério de Minas e Energia Articulação entre PBE, Selos e a Lei de Eficiência Energética Programa Brasileiro de Etiquetagem PBE Selo de Eficiência Energética Lei de Eficiência Energética n o (17/10/2001) Índices Mínimos de Eficiência Energética ou máximos de consumo específico

8 O Setor de Edificações no Brasil

9 Etiquetagem de Edifícios A etiqueta poderá ser outorgada para: Novas Edificações Edificações Existentes PRÉ-REQUISITOS PARA ETIQUETAGEM: área construída mínima de 500m2 ou atendida por tensão igual ou superior a 2,3 kv

10 Etiquetagem de Edifícios A ENCE pode ser parcial ou geral: Etiquetas parciais: Envoltória Envoltória + Sistema de Iluminação Envoltória + Sistema de Condicionamento de ar Etiqueta geral: Edifício completo (envoltória + iluminação + cond. ar + bonificação)

11 Etiquetagem de Edifícios Duas etapas do processo de implementação da etiqueta: 1ª etapa - Avaliação de projeto etiquetagem: é emitida uma etiqueta atestando o nível de eficiência do projeto 2ª etapa - Avaliação do edifício Inspeção: após os sistemas instalados, com o alvará de conclusão, é realizada pelo organismo de inspeção acreditado, para outorga de uma etiqueta que ficará exposta no edifício

12 Etiquetagem de Edificações Situação Atual e Perspectivas 18 edifícios comerciais etiquetados 4 casas + 5 edifícios residenciais (Lançamento da ENCE-R em 28/11/2010) Uso da etiquetagem para melhores condições de financiamento: ProCopa Turismo do BNDES Hotel Eficiência Energética Protocolo com CAIXA Estudos de formas de beneficiar o financiamento de empreendimentos etiquetados Instrução Normativa IN 01/2010 Compras Públicas Sustentáveis (MP) Poder Público dando o exemplo: Etiquetagem do MME Projeto Eficiência e Sustentabilidade na Esplanada dos Ministérios - MPOG Projeto BRA/09/G31 MMA/PNUD (Contratos de Desempenho)

13 2011:Ano da Capacitação Cursos Eletrobras- 11 cursos:rtq e RAC Público-alvo: inspetores Cursos promovidos por parceiros Ciclo de palestras: 30 h (projetistas e construtores) Etiquetagem: 32 h ( consultores) Recomendações Projetuais: 8 h ( projetistas) Sistema CONFEA/CREA s:?

14 Minas e Energia Ministério de Minas e Energia Eficiência Energética em Edificações Mais Informações : Procel Edifica: (21)

Solange Nogueira Gerente da Divisão de Eficiência Energética em Edificações ELETROBRÁS / PROCEL

Solange Nogueira Gerente da Divisão de Eficiência Energética em Edificações ELETROBRÁS / PROCEL Solange Nogueira Gerente da Divisão de Eficiência Energética em Edificações ELETROBRÁS / PROCEL O PROCEL EDIFICA e a Etiquetagem de Eficiência Energética de Edificações Projeções de Consumo de Eletricidade

Leia mais

Introdução ao Programa Brasileiro de Etiquetagem de Edificações

Introdução ao Programa Brasileiro de Etiquetagem de Edificações Introdução ao Programa Brasileiro de Etiquetagem de Edificações Documento elaborado pela Eletrobras/ Procel Edifica, Inmetro e CB3E/UFSC Rio de Janeiro, setembro de 2013. 1 O Programa Brasileiro de Etiquetagem

Leia mais

ESPLANADA SUSTENTÁVEL 1ªoficina

ESPLANADA SUSTENTÁVEL 1ªoficina ESPLANADA SUSTENTÁVEL 1ªoficina Mobilização / Sensibilização Módulo Eficiência Energética Fevereiro 2012 Fonte: Plano Nacional de Energia 2030 MME, colaboração Empresa de Pesquisa Energética EPE, 2007

Leia mais

Estratégias Políticas para Eficiência Energética em Edificações no Brasil

Estratégias Políticas para Eficiência Energética em Edificações no Brasil Estratégias Políticas para Eficiência Energética em Edificações no Brasil George Alves Soares Assistente da Diretoria de Tecnologia Abril / 2010 Programa do Governo Federal vinculado ao Ministério das

Leia mais

As perspectivas de políticas públicas para gestão da energia e eficiência energética no Brasil

As perspectivas de políticas públicas para gestão da energia e eficiência energética no Brasil As perspectivas de políticas públicas para gestão da energia e eficiência energética no Brasil São Paulo, 5 de dezembro de 2013 EFICIÊNCIA ENERGÉTICA NO BRASIL Principais Programas e Resultados Lei de

Leia mais

Projetos e Políticas Públicas de Eficiência Energética no Brasil O PROCEL. Fernando Pinto Dias Perrone

Projetos e Políticas Públicas de Eficiência Energética no Brasil O PROCEL. Fernando Pinto Dias Perrone Projetos e Políticas Públicas de Eficiência Energética no Brasil O PROCEL Fernando Pinto Dias Perrone Chefe do Departamento de Projetos de Eficiência Energética Rio de Janeiro, 19/4/2013. Principais Políticas

Leia mais

16 Eficiência Energética

16 Eficiência Energética 16 Eficiência 412 EFICIÊNCIA ENERGÉTICA Contextualização A eficiência energética pode ser definida como o desempenho de conversão de um sistema energético. Em outras palavras, representa o quanto de energia

Leia mais

MARCO AURÉLIO R. G. MOREIRA GERENTE DA DIVISÃO DE EFICIÊNCIA ENERGÉTICA NO SETOR PRIVADO SUPERINTENDÊNCIA DE EFICIÊNCIA ENERGÉTICA ELETROBRAS

MARCO AURÉLIO R. G. MOREIRA GERENTE DA DIVISÃO DE EFICIÊNCIA ENERGÉTICA NO SETOR PRIVADO SUPERINTENDÊNCIA DE EFICIÊNCIA ENERGÉTICA ELETROBRAS MARCO AURÉLIO R. G. MOREIRA GERENTE DA DIVISÃO DE EFICIÊNCIA ENERGÉTICA NO SETOR PRIVADO SUPERINTENDÊNCIA DE EFICIÊNCIA ENERGÉTICA ELETROBRAS Programa do Governo Federal vinculado ao Ministério das Minas

Leia mais

Programa Brasileiro de Etiquetagem de Edificações: PBE-Edifica

Programa Brasileiro de Etiquetagem de Edificações: PBE-Edifica Programa Brasileiro de Etiquetagem de : PBE-Edifica Jefferson Alberto Prestes Analista Executivo de Metrologia e Qualidade Inmetro Cerca de 192.000 produtos ostentam o Selo de Identificação da Conformidade

Leia mais

Solange Nogueira Gerente da Divisão de Eficiência Energética em Edificações

Solange Nogueira Gerente da Divisão de Eficiência Energética em Edificações Eficiência Energética em Prédios Públicos Federais PROGRAMA NACIONAL DE CONSERVAÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA Solange Nogueira Gerente da Divisão de Eficiência Energética em Edificações Conceito de prédio público

Leia mais

ETIQUETAGEM DE EFICIÊNCIA ENERGÉTICA

ETIQUETAGEM DE EFICIÊNCIA ENERGÉTICA ETIQUETAGEM DE EFICIÊNCIA ENERGÉTICA EM EDIFÍCIOS COMERCIAIS E RESIDENCIAIS Martin Ordenes Mizgier, Dr. Eng. martin@arq.ufsc.br Universidade Federal de Santa Catarina Centro Tecnológico / Dep. Arquitetura

Leia mais

Instrução Normativa de Eficiência Energética IN SLTI-MP Nº 02-2014

Instrução Normativa de Eficiência Energética IN SLTI-MP Nº 02-2014 Instrução Normativa de Eficiência Energética IN SLTI-MP Nº 02-2014 Eng. Anderson F. Gomes Brasília-DF, 05 de fevereiro de 2015 Apresentação SLTI/MP Lei nº 10.295, de Eficiência Energética MINISTÉRIO DO

Leia mais

Eficiência energética

Eficiência energética Eficiência energética A realização de pesquisas para otimizar a utilização da energia elétrica faz parte da postura sustentável adotada pelas empresas Eletrobras. Conheça nas próximas páginas as principais

Leia mais

O Programa de Eficiência Energética Regulado pela ANEEL e a Geração Distribuída

O Programa de Eficiência Energética Regulado pela ANEEL e a Geração Distribuída O Programa de Eficiência Energética Regulado pela ANEEL e a Geração Distribuída Sheyla Maria das Neves Damasceno Coordenadora do Programa de Eficiência Energia Superintendência de Pesquisa e Desenvolvimento

Leia mais

Metas Centrais do Projeto

Metas Centrais do Projeto Metas Centrais do Projeto Aumento no investimento de EE em edificações públicas e privadas de US$ 93 milhões Pelo menos 10 Instituições Financeiras incluindo instituições locais (e quantia de pelo menos

Leia mais

Programa do Governo Federal vinculado ao Ministério das Minas e Energia, criado em 1985 e executado pela Eletrobras

Programa do Governo Federal vinculado ao Ministério das Minas e Energia, criado em 1985 e executado pela Eletrobras The National Electrical Energy Conservation Program Programa do Governo Federal vinculado ao Ministério das Minas e Energia, criado em 1985 e executado pela Eletrobras Missão: Articular o Setor Elétrico

Leia mais

Programa Brasileiro de Etiquetagem da Eficiência Energética de Edificações - Operacionalização dos Serviços

Programa Brasileiro de Etiquetagem da Eficiência Energética de Edificações - Operacionalização dos Serviços Programa Brasileiro de Etiquetagem da Eficiência Energética de Edificações - Operacionalização dos Serviços Prof. Dr. Eng. Gustavo Daniel Donatelli 27/06/2012 Sumário Programa Brasileiro de Etiquetagem

Leia mais

* CRITÉRIOS PARA A CONCESSÃO DO SELO PROCEL DE ECONOMIA DE ENERGIA A VENTILADORES DE TETO DE ECONOMIA DE ENERGIA A VENTILADORES DE MESA

* CRITÉRIOS PARA A CONCESSÃO DO SELO PROCEL DE ECONOMIA DE ENERGIA A VENTILADORES DE TETO DE ECONOMIA DE ENERGIA A VENTILADORES DE MESA Ventiladores de Teto e Mesa * CRITÉRIOS PARA A CONCESSÃO DO SELO PROCEL DE ECONOMIA DE ENERGIA A VENTILADORES DE TETO * CRITÉRIOS PARA A CONCESSÃO DO SELO PROCEL DE ECONOMIA DE ENERGIA A VENTILADORES DE

Leia mais

CRITÉRIOS PARA A CONCESSÃO DO SELO PROCEL DE ECONOMIA DE ENERGIA A MÁQUINAS DE LAVAR ROUPA

CRITÉRIOS PARA A CONCESSÃO DO SELO PROCEL DE ECONOMIA DE ENERGIA A MÁQUINAS DE LAVAR ROUPA CRITÉRIOS PARA A CONCESSÃO DO SELO PROCEL DE ECONOMIA DE ENERGIA A MÁQUINAS DE LAVAR ROUPA (DOCUMENTO COMPLEMENTAR AO REGULAMENTO PARA CONCESSÃO DO SELO PROCEL DE ECONOMIA DE ENERGIA) (Revisão I) 25/08/2010

Leia mais

PROGRAMA BRASILEIRO DE ETIQUETAGEM PBE

PROGRAMA BRASILEIRO DE ETIQUETAGEM PBE PROGRAMA BRASILEIRO DE ETIQUETAGEM PBE Leonardo Rocha Diretoria da Qualidade Inmetro INMETRO 35 Anos (fundado em dez/73) Lei 9933 (regulamenta os serviços) Autarquia do Governo Federal Contrato de Gestão

Leia mais

Matriz elétrica brasileira Eólica

Matriz elétrica brasileira Eólica 1 Matriz elétrica brasileira Eólica UEE VOLTA DO RIO Lívio Teixeira de Andrade Filho Coordenação-Geral de Fontes Alternativas Departamento de Desenvolvimento Energético 2 PRINCÍPIOS E OBJETIVOS DA POLÍTICA

Leia mais

Política de Eficiência Energética das empresas Eletrobras

Política de Eficiência Energética das empresas Eletrobras Política de Eficiência Energética das empresas Eletrobras dezembro 2012 Política de Eficiência Energética das empresas Eletrobras Política de Eficiência Energética das empresas Eletrobras 5 I. O público-alvo

Leia mais

Soluções em energia. EFICIÊNCIA ENERGÉTICA: Iluminação LED

Soluções em energia. EFICIÊNCIA ENERGÉTICA: Iluminação LED Soluções em energia EFICIÊNCIA ENERGÉTICA: Iluminação LED ENERGIA Insumo fundamental para garantir o desenvolvimento econômico e social do país ENERGIA ÓLEO COMBUSTÍVEL GÁS NATURAL GLP BIOMASSA ELÉTRICA

Leia mais

1. EFICIÊNCIA ENERGÉTICA EM PRÉDIOS PÚBLICOS 1.1. OBJETIVO 1.2. CONTEXTUALIZAÇÃO

1. EFICIÊNCIA ENERGÉTICA EM PRÉDIOS PÚBLICOS 1.1. OBJETIVO 1.2. CONTEXTUALIZAÇÃO 1. EFICIÊNCIA ENERGÉTICA EM PRÉDIOS PÚBLICOS 1.1. OBJETIVO A presentar uma visão sobre a necessidade de aplicação de conceitos de eficiência energética nos prédios públicos brasileiros bem como apresentar

Leia mais

PRÉDIOS PÚBLICOS. Implantação de Projetos de Eficiência Energética: Legislação e Incentivos

PRÉDIOS PÚBLICOS. Implantação de Projetos de Eficiência Energética: Legislação e Incentivos PRÉDIOS PÚBLICOS Implantação de Projetos de Eficiência Energética: Legislação e Incentivos OUTR OS INDÚS TR IA PODE R PÚB LIC O ÁGUA, E S GOTO E S ANE AME NTO ILUMINAÇ ÃO PÚB LIC A C OME R C IAL R E S

Leia mais

Workshop: Certificação Compulsória INMETRO Equipamentos de Aquecimento Solar de Água. Past President do DASOL / ABRAVA

Workshop: Certificação Compulsória INMETRO Equipamentos de Aquecimento Solar de Água. Past President do DASOL / ABRAVA Workshop: Certificação Compulsória INMETRO Equipamentos de Aquecimento Solar de Água Amaurício Gomes Lúcio Past President do DASOL / ABRAVA Uma história de pioneirismo e de compromisso com o desenvolvimento

Leia mais

"Políticas para la diversificación de la matriz energéticainiciativas

Políticas para la diversificación de la matriz energéticainiciativas "Políticas para la diversificación de la matriz energéticainiciativas no Brasil " Evento regional ONU de alto nivel sobre "Crisis Energética y Crisis Alimentaria: desafíos y oportunidades Santiago, Chile,

Leia mais

Motivação para Eficiência Energética

Motivação para Eficiência Energética Eficiência Energética em Edifícios O potencial de redução de consumo de energia em edifícios antigos e as perspectivas dos novos projetos Palestrante: Engº Profº Luiz Amilton Pepplow UTFPR-CT Motivação

Leia mais

Estudos para Reorganização do Setor Elétrico

Estudos para Reorganização do Setor Elétrico Programa 0276 Gestão da Política de Energia Objetivo Apoiar o planejamento, avaliação e controle dos programas na área de energia. Público Alvo Governo Ações Orçamentárias Indicador(es) Órgão(s) 32 - Ministério

Leia mais

Ministério de Minas e Energia Consultoria Jurídica

Ministério de Minas e Energia Consultoria Jurídica Ministério de Minas e Energia Consultoria Jurídica PORTARIA INTERMINISTERIAL N o 104, DE 22 DE MARÇO DE 2013. OS MINISTROS DE ESTADO DE MINAS E ENERGIA, DA CIÊNCIA, TECNOLOGIA E INOVAÇÃO, E DO DESENVOLVIMENTO,

Leia mais

FAQ CHAMADA PÚBLICA R.: Entendimento correto.

FAQ CHAMADA PÚBLICA R.: Entendimento correto. FAQ CHAMADA PÚBLICA 1. Conforme o item 8.1.6 do edital da Chamada Pública REE 002/2015 para as propostas de projetos que contemplarem a inclusão de geração de energia elétrica a partir de Fonte Incentivada

Leia mais

Eficiência Energética em Edificações

Eficiência Energética em Edificações Eficiência Energética em Edificações CONTEÚDO ABORDADO ORGANOGRAMA CONSUMO DE ENERGIA ELÉTRICA Consumo Faturado de Energia Elétrica 2011 430 TWh (Fonte: EPE Janeiro 2012) PROCEL EDIFICA O PROGRAMA O Programa

Leia mais

Eng. José Starosta. Aspectos Normativos e Legais da Eficiência Energética I

Eng. José Starosta. Aspectos Normativos e Legais da Eficiência Energética I Eng. José Starosta Aspectos Normativos e Legais da Eficiência Energética I MOTIVAÇÕES PARA EE: Consumo energia elétrica nacional e o PIB Quando inverteremos? Uso de térmicas faz governo bancar mais R$

Leia mais

POWER FUTURE PROINFA: POLÍTICA PÚBLICA DE ENERGIA RENOVÁVEL LAURA PORTO

POWER FUTURE PROINFA: POLÍTICA PÚBLICA DE ENERGIA RENOVÁVEL LAURA PORTO POWER FUTURE PROINFA: POLÍTICA PÚBLICA DE ENERGIA RENOVÁVEL LAURA PORTO Diretora do Departamento de Desenvolvimento Energético Secretaria de Planejamento e Desenvolvimento Energético Fortaleza, 18 de setembro

Leia mais

REFLEXÕES SOBRE OS PRINCIPAIS PROGRAMAS EM EFICIÊNCIA ENERGÉTICA EXISTENTES NO BRASIL

REFLEXÕES SOBRE OS PRINCIPAIS PROGRAMAS EM EFICIÊNCIA ENERGÉTICA EXISTENTES NO BRASIL Revista Brasileira de Energia, Vol. 15, N o. 1, 1 o Sem. 2009, pp. 7-26 7 REFLEXÕES SOBRE OS PRINCIPAIS PROGRAMAS EM EFICIÊNCIA ENERGÉTICA EXISTENTES NO BRASIL Hamilton Moss de Souza 1 Paulo Augusto Leonelli

Leia mais

O Panorama Energético sob o Olhar da Concessionária Fontes Renováveis, Tecnologias & Mercado. Junho de 2015

O Panorama Energético sob o Olhar da Concessionária Fontes Renováveis, Tecnologias & Mercado. Junho de 2015 O Panorama Energético sob o Olhar da Concessionária Fontes Renováveis, Tecnologias & Mercado Junho de 2015 1 2 1. CELESC - Mercado 2. Ciclos e Modicidade Tarifária 3. Qualidade do Fornecimento de Energia

Leia mais

Aspectos Jurídicos 1

Aspectos Jurídicos 1 Aspectos Jurídicos 1 Planejamento do conteúdo: 1. Direito de energia no Brasil Estrutura e funcionamento do Estado brasileiro Marcos regulatórios (CR, as Políticas, as Leis, as Agências) 2. A contratação

Leia mais

Painel 2 Certificação ambiental de edificações: lições aprendidas e visão de futuro experiências brasileiras

Painel 2 Certificação ambiental de edificações: lições aprendidas e visão de futuro experiências brasileiras Painel 2 Certificação ambiental de edificações: lições aprendidas e visão de futuro experiências brasileiras Etiquetagem Eficiência Energética de Edificações Procel Edifica Tecnisa Construtora e Incorporadora

Leia mais

As oportunidades de eficiência no aquecimento de água residencial

As oportunidades de eficiência no aquecimento de água residencial As oportunidades de eficiência no aquecimento de água residencial 04 de Novembro de 2015 FIESP-SP Sindicato Nacional das Empresas Distribuidoras de Gás Liquefeito de Petróleo Agenda A Matriz Energética

Leia mais

Eficiência. energética. em edificações. Contribuição do Gás LP

Eficiência. energética. em edificações. Contribuição do Gás LP B D E Eficiência energética em edificações ontribuição do Gás LP O que é Programa de valiação da onformidade para Eficiência Energética de Edificações do Inmetro? O Programa de valiação da onformidade

Leia mais

Programa Brasileiro de Etiquetagem de Edificações: PBE-Edifica

Programa Brasileiro de Etiquetagem de Edificações: PBE-Edifica Programa Brasileiro de Etiquetagem de Edificações: PBE-Edifica Jefferson Alberto Prestes Analista Executivo de Metrologia e Qualidade Inmetro Inmetro Base de dados: 64,9% das pessoas que já ouviram falar

Leia mais

Painel 2 Certificação ambiental de edificações: lições aprendidas e visão de futuro experiências brasileiras. Palestrante Fernando Perrone

Painel 2 Certificação ambiental de edificações: lições aprendidas e visão de futuro experiências brasileiras. Palestrante Fernando Perrone Painel 2 Certificação ambiental de edificações: lições aprendidas e visão de futuro experiências brasileiras Etiquetagem Eficiência Energética de Edificações Procel Edifica Palestrante Fernando Perrone

Leia mais

Política de Eficiência Energética

Política de Eficiência Energética Política de Eficiência Energética março 2010 Política de Eficiência Energética Política de Eficiência Energética 5 I. O público-alvo O Público-alvo ao qual se destina esta Política de Eficiência Energética

Leia mais

IV BTG Pactual Utilities Day Teresa Vernaglia VP de Negócios de Distribuição 15 de Setembro de 2015

IV BTG Pactual Utilities Day Teresa Vernaglia VP de Negócios de Distribuição 15 de Setembro de 2015 IV BTG Pactual Utilities Day Teresa Vernaglia VP de Negócios de Distribuição 15 de Setembro de 2015 0 Eventos recentes e em curso no setor de energia GSF Rebaixamento da energia assegurada Bandeiras Tarifárias

Leia mais

CGIEE Comitê Gestor de Indicadores e Níveis de Eficiência Energética Paulo Augusto Leonelli

CGIEE Comitê Gestor de Indicadores e Níveis de Eficiência Energética Paulo Augusto Leonelli MME Ministério de Minas e Energia Edison Lobão Ministro de Minas e Energia CGIEE Comitê Gestor de Indicadores e Níveis de Eficiência Energética Paulo Augusto Leonelli Presidente Ministério das Minas e

Leia mais

RELATÓRIO PARCIAL DOS PROGRAMAS DE ETIQUETAGEM DE EDIFICAÇÕES

RELATÓRIO PARCIAL DOS PROGRAMAS DE ETIQUETAGEM DE EDIFICAÇÕES RELATÓRIO PARCIAL DOS PROGRAMAS DE ETIQUETAGEM DE EDIFICAÇÕES PROGRAMA DE EDIFICAÇÕES 1-Objetivos do Programa Combater o desperdício de energia elétrica Estimular o uso eficiente e racional de energia

Leia mais

POLÍTICA DE EFICIÊNCIA ENERGÉTICA NO BRASIL

POLÍTICA DE EFICIÊNCIA ENERGÉTICA NO BRASIL ESTUDO POLÍTICA DE EFICIÊNCIA ENERGÉTICA NO BRASIL Rodrigo Limp Nascimento Consultor Legislativo da Área XII Recursos Minerais, Hídricos e Energéticos ESTUDO OUTUBRO/2015 Câmara dos Deputados Praça dos

Leia mais

CONSUMO EFICIENTE DE. energia elétrica: uma agenda para o Brasil

CONSUMO EFICIENTE DE. energia elétrica: uma agenda para o Brasil CONSUMO EFICIENTE DE energia elétrica: uma agenda para o Brasil 2/14 Créditos Copyright Conselho Empresarial Brasileiro para o Desenvolvimento Sustentável (CEBDS) 2016 Conteúdo PSR Soluções e Consultoria

Leia mais

Eficiência energética nas políticas nacionais das maiores economias mundiais

Eficiência energética nas políticas nacionais das maiores economias mundiais Agenda 1 2 3 4 5 Panorama sobre eficiência energética Eficiência energética nas políticas nacionais das maiores economias mundiais Políticas brasileiras de eficiência energética Eficiência energética na

Leia mais

Geração Distribuída no Brasil: Oportunidades e Desafios. Prof. Edmar de Almeida GEE-IE-UFRJ

Geração Distribuída no Brasil: Oportunidades e Desafios. Prof. Edmar de Almeida GEE-IE-UFRJ Geração Distribuída no Brasil: Oportunidades e Desafios Prof. Edmar de Almeida GEE-IE-UFRJ Plano da Apresentação Contexto Internacional da Geração Distribuída Oportunidades para Geração distribuída no

Leia mais

Fórum de Eficiência Energética em Edificações 12º CONGRESSO BRASILEIRO DE EFICIÊNCIA ENERGÉTICA - COBEE

Fórum de Eficiência Energética em Edificações 12º CONGRESSO BRASILEIRO DE EFICIÊNCIA ENERGÉTICA - COBEE Fórum de Eficiência Energética em Edificações 12º CONGRESSO BRASILEIRO DE EFICIÊNCIA ENERGÉTICA - COBEE Orientações para a implementação de EE em edifícios públicos Paula Baratella, arq. MSc. Analista

Leia mais

A Eficiência Energética para o setor público. Seminário FIESP de Cidades Sustentáveis

A Eficiência Energética para o setor público. Seminário FIESP de Cidades Sustentáveis A Eficiência Energética para o setor público Seminário FIESP de Cidades Sustentáveis AES no Mundo Atuação do Grupo AES no Mundo Presente em 29 países 11 milhões de clientes com atendimento a 100 milhões

Leia mais

Plano Nacional de Resíduos Sólidos Resíduos Sólidos

Plano Nacional de Resíduos Sólidos Resíduos Sólidos Plano Nacional de Resíduos Sólidos Departamento t de Desenvolvimento Sustentável tá na Mineração Ministério das Minas e Energia LEI Nº 12.305/2010 Art. 1 o Esta Lei institui a Política Nacional de Resíduos

Leia mais

EVENTO DE DIVULGAÇÃO DO PLS-UFG 2014-2015 Goiânia, 10 de março de 2014. Jhéssica Ribeiro Cardoso

EVENTO DE DIVULGAÇÃO DO PLS-UFG 2014-2015 Goiânia, 10 de março de 2014. Jhéssica Ribeiro Cardoso EVENTO DE DIVULGAÇÃO DO PLS-UFG 2014-2015 Goiânia, 10 de março de 2014 Jhéssica Ribeiro Cardoso Agenda: MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO Contratações Públicas Sustentáveis Instrução Normativa nº 1/2010; Instrução

Leia mais

1 Introdução aos procedimentos do Programa de Eficiência Energética da ANEEL - ProPEE Apresentação dos princípios norteadores às propostas de

1 Introdução aos procedimentos do Programa de Eficiência Energética da ANEEL - ProPEE Apresentação dos princípios norteadores às propostas de 1 Introdução aos procedimentos do Programa de Eficiência Energética da ANEEL - ProPEE Apresentação dos princípios norteadores às propostas de projetos de eficiência energética 2 Motivações Os contratos

Leia mais

Incubadora de Empresas de Base Tecnológica de Itajubá - INCIT PLANO ANUAL DE TREINAMENTO

Incubadora de Empresas de Base Tecnológica de Itajubá - INCIT PLANO ANUAL DE TREINAMENTO Incubadora de Empresas de Base Tecnológica de Itajubá - INCIT PLANO ANUAL DE TREINAMENTO Itajubá/MG Fevereiro de 2012 Plano Anual de 2 de 11 Revisão 01 SUMÁRIO APRESENTAÇÃO... 3 1 OBJETIVO GERAL... 4 2

Leia mais

Edital de Concorrência Pública Nacional (SQC) nº 40.10756/2006

Edital de Concorrência Pública Nacional (SQC) nº 40.10756/2006 Edital de Concorrência Pública Nacional (SQC) nº 40.10756/2006 Serviços de Consultoria Pessoa Jurídica para a elaboração de metodologia que permita mensurar, verificar e avaliar os resultados decorrentes

Leia mais

Agenda Ambiental na Administração Pública

Agenda Ambiental na Administração Pública Agenda Ambiental na Administração Pública Brasília/DF agosto/2014 Agenda Ambiental Administração Pública Agenda para promoção da Responsabilidade Socioambiental - RSA; Ferramenta de gestão institucional

Leia mais

Programa Minas PCH Viabilizando Investimentos em PCH no Estado de Minas Gerais

Programa Minas PCH Viabilizando Investimentos em PCH no Estado de Minas Gerais Viabilizando Investimentos em PCH no Estado de Minas Gerais Criação Instituído através do Decreto Estadual Nº 43.914 e lançado pela Cemig através de Chamada Pública. Objeto da Chamada: Convocação de Empresas

Leia mais

Esplanada Sustentável

Esplanada Sustentável Esplanada Sustentável Mobilização / Sensibilização Módulo Eficiência Energética Fevereiro 2012 HISTÓRICO DO PROCEL EPP ECF 1867 Sede CHESF ECF 2052 CEB nas escolas ECF 2052 CEB Palácio Buriti 1998 Após

Leia mais

CHAMADA N O 014/2012 PROJETO ESTRATÉGICO: ARRANJOS TÉCNICOS E COMERCIAIS PARA INSERÇÃO

CHAMADA N O 014/2012 PROJETO ESTRATÉGICO: ARRANJOS TÉCNICOS E COMERCIAIS PARA INSERÇÃO Agência Nacional de Energia Elétrica ANEEL Superintendência de Pesquisa e Desenvolvimento e Eficiência Energética SPE CHAMADA N O 014/2012 PROJETO ESTRATÉGICO: ARRANJOS TÉCNICOS E COMERCIAIS PARA INSERÇÃO

Leia mais

ProGD. Ações de estímulo à geração distribuída, com base em fontes renováveis. Programa de Desenvolvimento da Geração Distribuída de Energia Elétrica

ProGD. Ações de estímulo à geração distribuída, com base em fontes renováveis. Programa de Desenvolvimento da Geração Distribuída de Energia Elétrica ProGD Programa de Desenvolvimento da Geração Distribuída de Energia Elétrica Ações de estímulo à geração distribuída, com base em fontes renováveis Brasília, 15 de dezembro de 2015 Metas renováveis Brasil/ONU

Leia mais

Programa de Eficiência Energética das Empresas de Distribuição de Energia Elétrica PEE

Programa de Eficiência Energética das Empresas de Distribuição de Energia Elétrica PEE Programa de Eficiência Energética das Empresas de Distribuição de Energia Elétrica PEE Agência Nacional de Energia Elétrica ANEEL Superintendência de Pesquisa e Desenvolvimento e Eficiência Energética

Leia mais

PRÊMIO GLP DE INOVAÇÃO E TECNOLOGIA *EDIÇÃO 2015*

PRÊMIO GLP DE INOVAÇÃO E TECNOLOGIA *EDIÇÃO 2015* PRÊMIO GLP DE INOVAÇÃO E TECNOLOGIA *EDIÇÃO 2015* 1 SINOPSE. Um dos maiores desafios atuais para as empresas é ter um sistema de gestão documental de fácil entendimento entre todos profissionais da organização.

Leia mais

RELATÓRIO SIMPLIFICADO PROGRAMA DE CONSTRUÇÃO SUSTENTÁVEL CBIC REUNIÃO DO CONSELHO ESTRATÉGICO 23 DE NOVEMBRO DE 2009

RELATÓRIO SIMPLIFICADO PROGRAMA DE CONSTRUÇÃO SUSTENTÁVEL CBIC REUNIÃO DO CONSELHO ESTRATÉGICO 23 DE NOVEMBRO DE 2009 1 RELATÓRIO SIMPLIFICADO PROGRAMA DE CONSTRUÇÃO SUSTENTÁVEL CBIC REUNIÃO DO CONSELHO ESTRATÉGICO 23 DE NOVEMBRO DE 2009 Participantes: Antônio Othon Rolim (Sinaenco); Augusto Jucá (CNI); Carlos Alberto

Leia mais

PLANO NACIONAL SOBRE MUDANÇA DO CLIMA PNMC

PLANO NACIONAL SOBRE MUDANÇA DO CLIMA PNMC PLANO NACIONAL SOBRE MUDANÇA DO CLIMA PNMC 14 de Maio de 2009 Politica Nacional sobre Mudança do Clima Plano Nacional Mudança do Clima Fundo de Mudança Climática (funded by a share of oil royalties)? Fundo

Leia mais

pdc_me_05_versao2 Página 1 de 21 Versão: 2 Início de Vigência: 23.02.2010 Instrumento de Aprovação: Despacho ANEEL nº 391, de 22 de fevereiro de 2010

pdc_me_05_versao2 Página 1 de 21 Versão: 2 Início de Vigência: 23.02.2010 Instrumento de Aprovação: Despacho ANEEL nº 391, de 22 de fevereiro de 2010 pdc_me_05_versao2 Página 1 de 21 Procedimento de Comercialização Versão: 2 Início de Vigência: Instrumento de Aprovação: Despacho ANEEL nº 391, de 22 de fevereiro de 2010 CÓDIGO ÍNDICE 1. APROVAÇÃO...

Leia mais

Programa de Eficiência Energética regulado pela ANEEL e Regras Para Apresentação de Projetos

Programa de Eficiência Energética regulado pela ANEEL e Regras Para Apresentação de Projetos Programa de Eficiência Energética regulado pela ANEEL e Regras Para Apresentação de Projetos Carlos Eduardo Firmeza Especialista em Regulação Encontro Nacional dos Conselhos de Consumidores de Energia

Leia mais

Ações da CAIXA em Eficiência Energética. Seminário de Eficiência Energética Desafios na busca da Sustentabilidade NOV / 2012

Ações da CAIXA em Eficiência Energética. Seminário de Eficiência Energética Desafios na busca da Sustentabilidade NOV / 2012 Ações da CAIXA em Eficiência Energética Seminário de Eficiência Energética Desafios na busca da Sustentabilidade NOV / 2012 Atuar na promoção da cidadania e do desenvolvimento sustentável do País, como

Leia mais

Eficiência Energética em Edificações

Eficiência Energética em Edificações 1 Eficiência Energética em Edificações SUSTENTABILIDADE: NOVOS DESAFIOS E OPORTUNIDADES Maio, 2015 Paula Baratella, arq. MSc. Arquiteta e Urbanista e Mestre em Eng. Civil- UNICAMP Analista de Infraestrutura

Leia mais

Compras Públicas Sustentáveis

Compras Públicas Sustentáveis 1º Diálogo Finanças e Meio Ambiente: Seminário Internacional Gastos Sustentáveis e Eficiência Energética Compras Públicas Sustentáveis Jhéssica Ribeiro Cardoso Brasília, Outubro/2013 Conteúdo Programático

Leia mais

EFICIÊNCIA ENERGÉTICA NA ILUMINAÇÃO PÚBLICA E O PLANO NACIONAL DE EFICIÊNCIA ENERGÉTICA

EFICIÊNCIA ENERGÉTICA NA ILUMINAÇÃO PÚBLICA E O PLANO NACIONAL DE EFICIÊNCIA ENERGÉTICA Texto de Discussão do Setor Elétrico nº. 42 EFICIÊNCIA ENERGÉTICA NA ILUMINAÇÃO PÚBLICA E O PLANO NACIONAL DE EFICIÊNCIA ENERGÉTICA Nivalde J. de Castro Guilherme Dantas Ernesto Martelo Antonella Mazzone

Leia mais

Uma viagem pelas instalações elétricas. Conceitos & aplicações

Uma viagem pelas instalações elétricas. Conceitos & aplicações Uma viagem pelas instalações elétricas. Conceitos & aplicações Eficiência Energética: Visão Celesc Marco Aurélio Gianesini 4 Geração Transmissão 750kV 500kV 230kV Subestação de Transmissão Linha de Distribuição

Leia mais

pdc_me_04_versao2 Página 1 de 19 Versão: 2 Início de Vigência: 23.02.2010 Instrumento de Aprovação: Despacho ANEEL nº 391, de 22 de fevereiro de 2010

pdc_me_04_versao2 Página 1 de 19 Versão: 2 Início de Vigência: 23.02.2010 Instrumento de Aprovação: Despacho ANEEL nº 391, de 22 de fevereiro de 2010 pdc_me_04_versao2 Página 1 de 19. Procedimento de Comercialização Versão: 2 Início de Vigência: Instrumento de Aprovação: Despacho ANEEL nº 391, de 22 de fevereiro de 2010 ÍNDICE 1. APROVAÇÃO... 3 2. HISTÓRICO

Leia mais

Orientações Gerais. Acordo de Cooperação Técnica

Orientações Gerais. Acordo de Cooperação Técnica Orientações Gerais Acordo de Cooperação Técnica Está disponível neste Portal SIASS uma nova minuta que visa orientar os órgãos e os GT's de Implantação das Unidades do SIASS quanto à elaboração do documento

Leia mais

ESTUDO DE IMPACTO AMBIENTAL EIA

ESTUDO DE IMPACTO AMBIENTAL EIA ESTUDO DE IMPACTO AMBIENTAL EIA COMPLEXO ECOTURÍSTICO RESERVA GARAÚ CONDE / PB INTERESSADO: LORD NEGÓCIOS IMOBILIÁRIOS LTDA. ELABORAÇÃO: GEOCONSULT CONSULTORIA, GEOLOGIA & MEIO AMBIENTE LTDA. CNPJ. n.º

Leia mais

4º CONGRESSO SIMEPETRO

4º CONGRESSO SIMEPETRO 4º CONGRESSO SIMEPETRO POLÍTICA NACIONAL DE RESÍDUOS SÓLIDOS E LOGÍSTICA REVERSA Walter Françolin SINDIRREFINO - Agosto 2011 LEI nº 12.305 de 02 de Agosto de 2.010. institui a Política Nacional de Resíduos

Leia mais

Eficiência Energética em Edificações. Roberto Lamberts. Universidade Federal de Santa Catarina Laboratório de Eficiência Energética em Edificações

Eficiência Energética em Edificações. Roberto Lamberts. Universidade Federal de Santa Catarina Laboratório de Eficiência Energética em Edificações Eficiência Energética em Edificações [ ] Roberto Lamberts Universidade Federal de Santa Catarina Laboratório de Eficiência Energética em Edificações www.labeee.ufsc.br Tópicos A indústria da construção

Leia mais

EFICIÊNCIA ENERGÉTICA EM EDIFICAÇÕES

EFICIÊNCIA ENERGÉTICA EM EDIFICAÇÕES VII Rio Energias Renováveis EFICIÊNCIA ENERGÉTICA EM EDIFICAÇÕES CERTIFICAÇÕES E RETORNO FINANCEIRO Antonio Collet - Dezembro 2010 Consumo Final de Energia Consumo de Energia Setores Economicos Canadá

Leia mais

Política Energética Brasileira Panorama da Biomassa

Política Energética Brasileira Panorama da Biomassa Política Energética Brasileira Panorama da Biomassa MME Secretaria de Planejamento Energético Brasília Março de 2010 Roteiro 1. Cenário da Expansão 2. Características 3. Políticas Energéticas 4. Leilões

Leia mais

Projeto Esplanada Sustentável

Projeto Esplanada Sustentável CAPA Projeto Esplanada Sustentável POR QUE BUSCAR QUALIDADE? (1) - A legislaçã ção o nacional regra. Exs: CF 88, art. 37 (Eficiência lato,, um dos princípios) pios) LRF (utilizaçã ção o racional e equilibrada

Leia mais

POLÍTICA NACIONAL DE RESÍDUOS SÓLIDOS

POLÍTICA NACIONAL DE RESÍDUOS SÓLIDOS POLÍTICA NACIONAL DE RESÍDUOS SÓLIDOS DIRETRIZES E PERSPECTIVAS DE INVESTIMENTOS NO MINISTÉRIO DAS CIDADES Secretaria Nacional de Saneamento Ambiental Ministério das Cidades Nov 2012 DIAGNÓSTICO DO DESTINO

Leia mais

Laboratório de Eficiência Energética Universidade Federal de Juiz de Fora

Laboratório de Eficiência Energética Universidade Federal de Juiz de Fora Combate ao Desperdício de Energia Elétrica Laboratório de Eficiência Energética Universidade Federal de Juiz de Fora Combate ao Desperdício de Energia 1) Vertente Humana: Trata da capacitação dos cidadãos

Leia mais

Portaria n.º 563, de 23 de dezembro de 2014.

Portaria n.º 563, de 23 de dezembro de 2014. Serviço Público Federal MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, QUALIDADE E TECNOLOGIA-INMETRO Portaria n.º 563, de 23 de dezembro de 2014. O PRESIDENTE

Leia mais

Políticas Governamentais para Biocombustíveis

Políticas Governamentais para Biocombustíveis Ministério de Minas e Energia Secretaria de Petróleo, Gás Natural e Combustíveis Renováveis Departamento de Combustíveis Renováveis Políticas Governamentais para Biocombustíveis Ricardo B. Gomide ricardo.gomide@mme.gov.br

Leia mais

Infraestrutura do Setor Elétrico: O Planejamento da Expansão do Sistema Brasileiro

Infraestrutura do Setor Elétrico: O Planejamento da Expansão do Sistema Brasileiro Infraestrutura do Setor Elétrico: O Planejamento da Expansão do Sistema Brasileiro Amilcar Guerreiro Diretor de Estudos de Energia Elétrica Empresa de Pesquisa Energética - EPE Infraestrutura do Setor

Leia mais

PROGRAMA NACIONAL DE PRODUÇÃO E USO DE BIODIESEL (PNPB)

PROGRAMA NACIONAL DE PRODUÇÃO E USO DE BIODIESEL (PNPB) PROGRAMA NACIONAL DE PRODUÇÃO E USO DE BIODIESEL (PNPB) 1. Biodiesel no Brasil No Brasil, biodiesel é o biocombustível derivado de biomassa renovável para uso em motores a combustão interna com ignição

Leia mais

Iniciativa: RENEX South America Porto Alegre, 29 de Novembro de 2013

Iniciativa: RENEX South America Porto Alegre, 29 de Novembro de 2013 Iniciativa: RENEX South America Porto Alegre, 29 de Novembro de 2013 Missão do Projeto 50 telhados Dar publicidade à REN 482, sobretudo para clientes residenciais e comerciais que ainda desconheçam a tecnologia

Leia mais

Qualidade do Gasto no Setor Público. Perspectiva Operacional. Projeto Esplanada Sustentável

Qualidade do Gasto no Setor Público. Perspectiva Operacional. Projeto Esplanada Sustentável Qualidade do Gasto no Setor Público Perspectiva Operacional. Projeto Esplanada Sustentável Isabella Amaral da Silva POR QUE BUSCAR QUALIDADE? (1) - A legislação nacional regra. Exs: CF 88, art. 37 (Eficiência

Leia mais

CHAMADA PÚBLICA EE 001/2014

CHAMADA PÚBLICA EE 001/2014 A ELEKTRO ELETRICIDADE E SERVIÇOS S.A., pessoa jurídica de direito privado, sociedade por ações, concessionária do serviço público de distribuição de energia elétrica, doravante denominada simplesmente

Leia mais

Ministério de Minas e Energia Consultoria Jurídica

Ministério de Minas e Energia Consultoria Jurídica Ministério de Minas e Energia Consultoria Jurídica PORTARIA N o 563, DE 17 DE OUTUBRO DE 2014. O MINISTRO DE ESTADO DE MINAS E ENERGIA, no uso das atribuições que lhe confere o art. 87, parágrafo único,

Leia mais

COMPANHIA ENERGÉTICA DE MINAS GERAIS CEMIG PROGRAMA LUZ PARA TODOS

COMPANHIA ENERGÉTICA DE MINAS GERAIS CEMIG PROGRAMA LUZ PARA TODOS COMPANHIA ENERGÉTICA DE MINAS GERAIS CEMIG PROGRAMA LUZ PARA TODOS 1 Agenda A Distribuição de energia elétrica na Cemig Universalização Programa Luz Para Todos Descrição Metas Cronograma Orçamento e estrutura

Leia mais

PROCEL Programa Nacional de Conservação de Energia Elétrica

PROCEL Programa Nacional de Conservação de Energia Elétrica PROCEL Programa Nacional de Conservação de Energia Elétrica ILUMEXPO 2015 São Paulo, 1º de junho de 2015 George Alves Soares Sistema Eletrobras Geração e Transmissão Geração Geração Binacional (100,00%)

Leia mais

Etiquetagem de Eficiência Energética em Edificações

Etiquetagem de Eficiência Energética em Edificações Etiquetagem de Eficiência Energética em Edificações Carolina R. Carvalho Marcio J. Sorgato LabEEE Universidade Federal de Santa Catarina estrutura introdução Edificações comerciais, de serviços e públicos

Leia mais

Eficiência Energética. Roberto Lamberts Labeee-UFSC e CBCS

Eficiência Energética. Roberto Lamberts Labeee-UFSC e CBCS Eficiência Energética Roberto Lamberts Labeee-UFSC e CBCS Estrutura Contextualização Desafios Visão de futuro Contextualização A sociedade vem buscando uma melhora constante na qualidade de vida e demanda

Leia mais

CONTEXTUALIZAÇÃO. Demandas Crescentes. Limitação de Recursos

CONTEXTUALIZAÇÃO. Demandas Crescentes. Limitação de Recursos CONTEXTUALIZAÇÃO Demandas Crescentes Limitação de Recursos X CONTEXTUALIZAÇÃO Crescimento das Despesas Administrativas Despesas Administrativas - comparáveis entre os órgãos; Suporte às despesas finalísticas.

Leia mais

POSSÍVEIS AVANÇOS PARA A EFICIÊNCIA ENERGÉTICA NO BRASIL E COMO A REGULAÇÃO PODE CONTRIBUIR PARA SEU APRIMORAMENTO

POSSÍVEIS AVANÇOS PARA A EFICIÊNCIA ENERGÉTICA NO BRASIL E COMO A REGULAÇÃO PODE CONTRIBUIR PARA SEU APRIMORAMENTO POSSÍVEIS AVANÇOS PARA A EFICIÊNCIA ENERGÉTICA NO BRASIL E COMO A REGULAÇÃO PODE CONTRIBUIR PARA SEU APRIMORAMENTO Jamil Haddad Engenheiro Eletricista e Doutor em Planejamento Energético Universidade Federal

Leia mais

ETIQUETAGEM ENERGÉTICA DE JANELAS

ETIQUETAGEM ENERGÉTICA DE JANELAS ETIQUETAGEM ENERGÉTICA DE JANELAS Mais inovação Maior valor-acrescentado para o sector APCMC 27 de Fevereiro 2013 Em parceria com 1 Indústria da caixilharia: um sector em mudança A indústria de caixilharia

Leia mais

PROJETO DE LEI DAS PARCERIAS PÚBLICO-PRIVADAS

PROJETO DE LEI DAS PARCERIAS PÚBLICO-PRIVADAS PROJETO DE LEI DAS PARCERIAS PÚBLICO-PRIVADAS 9 PROJETO DE LEI Institui normas gerais para licitação e contratação de parceria público-privada, no âmbito da administração pública. O CONGRESSO NACIONAL

Leia mais

ANEXO II CRITÉRIO DE AVALIAÇÃO

ANEXO II CRITÉRIO DE AVALIAÇÃO 1. Condições gerais ANEXO II CRITÉRIO DE AVALIAÇÃO A seleção das propostas será realizada por uma Comissão de Avaliação, Julgamento e Classificação, a qual deverá ser composta no mínimo por 03 (três) e

Leia mais