Publicado pelo RONDONIAGORA em 06 de maio de 2.010

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Publicado pelo RONDONIAGORA em 06 de maio de 2.010"

Transcrição

1 TRIBUNAL DE JUSTIÇA DE RONDÔNIA COMARCA DE PORTO VELHO 2ª VARA DO TRIBUNAL DO JÚRI S E N T E N Ç A Autos nº Réus: Michel Alves das Chagas e Anselmo Garcia de Almeida Vistos e etc. Michel Alves das Chagas, vulgo Chimalé, e Anselmo Garcia de Almeida, vulgo Fininho ou Jornal, já qualificados nos autos, foram pronunciados como incursos nas sanções do art. 121, 2º, inc. III (cruel), c/c art. 29, ambos do Código Penal, por 27 vezes, sob a acusação de terem, em companhia de terceiras pessoas, mediante golpes de chuchos, causado as mortes das vítimas Joarez Dias da Silva, José Francisco Ferreira Brito, Antônio Carlos Pereira Freitas, Izaque da Silva Pires, Ivan de Jesus Pereira, Irismar Frazão Silva, Gilberto da Cruz Pereira, Adilson Pereira da Silva, Acilon dos Santos Carvalho, Gilson de Souza Coreas, Antônio Carlos Andrade de Souza, Francisco Araújo Xavier, Anderson Ibiapino de Lima, Edsandro Macedo da Conceição, Arcilei Rodrigues da Silva,

2 2 Rodomilson Nunes Lindoso, Márcio José Cardoso, Simão João Reski Neto, João Ferreira da Rocha, Wilson Ferreira Feitoza, Maico Rocha dos Santos, Elissandro Brito da Silva, Jean Cruz Nogueira ou Júnior Nogueira da Cruz, Antônio Elineudo de Lima Nascimento, Elizeu Pereira da Silva, Raimundo Nonato Gomes Costa e Rodolfo Tavares Cunha, fatos ocorridos entre o 1º e o 2º dia do mês de janeiro de 2002, no Presídio Urso Branco, nesta Capital e Comarca. Na data de hoje, os acusados foram submetidos a julgamento pelo Tribunal do Júri e os senhores Jurados, respondendo aos questionários apresentados, decidiram da seguinte forma: 1 Michel Alves das Chagas A existência dos fatos e o nexo de causalidade foram reconhecidos nas 27 séries de votação (1º e 2º quesitos). No 3º quesito das 27 séries de votação, o Conselho de Sentença reconheceu a autoria por parte do acusado Michel Alves das Chagas. Houve, assim, o afastamento da tese principal apresentada pela defesa, qual seja: a negativa de autoria. A tese alternativa da defesa causa de exclusão de culpabilidade, consistente da inexigibilidade de conduta diversa - foi afastada no 4º quesito, também nas 27 séries de votação.

3 3 A qualificadora descrita na decisão de pronúncia e sustentada em plenário pelo Ministério Público emprego de meio cruel - foi acatada no 5º quesito, nas 27 séries de votação. 2 Anselmo Garcia de Almeida A existência dos fatos e o nexo de causalidade foram reconhecidos nas 27 séries de votação (1º e 2º quesitos). No 3º quesito das 27 séries de votação, o Conselho de Sentença reconheceu a autoria por parte do acusado Anselmo Garcia de Almeida. Houve, assim, o afastamento da tese principal apresentada pela defesa, qual seja: a negativa de autoria. A tese alternativa da defesa causa da exclusão de culpabilidade, consistente da inexigibilidade de conduta diversa - foi afastada no 4º quesito das 27 séries de votação. A qualificadora descrita na decisão de pronúncia e sustentada em plenário pelo Ministério Público emprego de meio cruel - foi acatada no 5º quesito das 27 séries de votação. 3 - Resumo Em resumo, pelas votações acima, os acusados devem ser condenados pela prática de crime de homicídio qualificado por emprego de meio cruel, por 27 vezes.

4 4 4 Concurso de crimes Os crimes resultaram de ações e desígnios autônomos, de modo que as penas devem ser aplicadas cumulativamente, nos termos do art. 69 do Código Penal. 5 - Dispositivo Em face do exposto, fiel à soberania do Tribunal do Júri Popular, julgo procedente a pretensão punitiva estatal descrita na denúncia e, em conseqüência, condeno os acusados Michel Alves das Chagas, vulgo Chimalé, e Anselmo Garcia de Almeida, vulgo Fininho ou Jornal, já qualificados nos autos, como incursos nas sanções do art. 121, 2º, inc. III (cruel), c/c art. 29, caput, e art. 69, caput, todos do Código Penal. 6 - Dosimetria das penas Passo a dosar-lhes as penas. 6.1 Michel Alves das Chagas Com relação à vítima Joarez Dias da Silva Pena-base Trata-se do acusado imputável, que agiu com consciência da ilicitude de seu ato, sendo que dele era exigível conduta diversa. A censurabilidade pelo

5 5 ato praticado ultrapassa a previsão do tipo penal em estudo, pois o acusado foi um dos agentes que comandou as ações dos demais presos envolvidos no fato. O acusado, além de reincidente, registra antecedentes criminais, conforme pode ser inferido da certidão circunstanciada (fls. 205/217 Vol. II Anexo 03); para este fim será considerada a ação penal nº (2ª Vara do Tribunal do Júri). A conduta social e a personalidade mostram-se fora dos padrões aceitos pela sociedade em geral. Vive da prática de crimes contra o patrimônio e demonstra propensão à resolução de seus problemas mediante o uso de violência. Essas conclusões decorrem das ações desenvolvidas e das demais provas produzidas, principalmente a certidão circunstanciada supramencionada. Os motivos determinantes do crime desentendimentos entre apenados de facções diversas e represálias às ações desenvolvidas pelos administradores do presídio, em especial a retirada dos líderes dos presos dos pavilhões são reprováveis, mas comuns aos delitos dessa natureza, de modo que não podem ser considerados para a exasperação da pena-base. As circunstâncias do crime devem ser consideradas para agravar essa pena, a despeito de a crueldade já estar ínsita no tipo penal qualificado. Houve o concurso de pessoas e os agentes atacaram a vítima quando ela já se encontrava contida por terceiros, o que possibilitou a certeza do resultado e impediu eventual ato defensivo. As conseqüências já estão insertas na previsão do tipo penal em questão. Por fim, não existe prova que a vítima, com o seu comportamento, tenha contribuído para a eclosão do delito. Por essas razões, na concorrência das

6 6 circunstâncias descritas acima e atento às disposições art. 59 do Código Penal, fixo a pena-base em 16 (dezesseis) anos e 06 (seis) de reclusão. Agravantes e atenuantes Reconheço a existência da agravante genérica da reincidência (art. 61, I, CP), utilizando para esse fim a ação penal nº (3ª Vara Criminal). Fixo-a em 01 (um) ano e 06 (seis) meses. Causas de aumento ou diminuição diminuição. Não existem causas de aumento ou Pena definitiva Dessa forma, na ausência de qualquer outra causa modificadora, pelo homicídio praticado contra Joarez Dias da Silva, fica o acusado Michel Alves das Chagas condenado definitivamente à pena de 18 (DEZOITO) ANOS DE RECLUSÃO Com relação às vítimas José Francisco Ferreira Brito, Antônio Carlos Pereira Freitas, Izaque da Silva Pires, Ivan de Jesus Pereira, Irismar Frazão Silva, Gilberto da Cruz Pereira, Adilson Pereira da Silva, Acilon dos Santos Carvalho, Gilson de Souza Coreas, Antônio Carlos Andrade de Souza, Francisco Araújo Xavier,

7 7 Anderson Ibiapino de Lima, Edsandro Macedo da Conceição, Arcilei Rodrigues da Silva, Rodomilson Nunes Lindoso, Márcio José Cardoso, Simão João Reski Neto, João Ferreira da Rocha, Wilson Ferreira Feitoza, Maico Rocha dos Santos, Elissandro Brito da Silva, Jean Cruz Nogueira ou Júnior Nogueira da Cruz, Antônio Elineudo de Lima Nascimento, Elizeu Pereira da Silva, Raimundo Nonato Gomes Costa e Rodolfo Tavares Cunha As circunstâncias judiciais e legais e as causas de aumento ou diminuição, com relação a estas vítimas, são iguais àquelas referentes à vítima Joarez Dias da Silva, de modo que para cada uma delas a pena definitiva para o acusado também deve ser igual, ou seja: 18 (DEZOITO) ANOS DE RECLUSÃO Concurso de crimes Reconhecido o concurso material, as penas impostas ao acusado devem ser somadas, na forma do art. 69 do Código Penal. Assim, pelas mortes das 27 vítimas supracitadas, fica o acusado Michel Alves das Chagas, vulgo Chimalé, condenado definitivamente à pena de 486 (QUATROCENTOS E OITENTA E SEIS) ANOS DE RECLUSÃO. 6.2 Anselmo Garcia de Almeida Com relação à vítima Joarez Dias da Silva Pena-base

8 8 Trata-se do acusado imputável, que agiu com consciência da ilicitude de seu ato, sendo que dele era exigível conduta diversa. A censurabilidade pelo ato praticado ultrapassa a previsão do tipo penal em estudo, pois o acusado foi um dos agentes que comandaram as ações dos demais presos envolvidos no fato. O acusado, além de reincidente, registra antecedentes criminais, conforme pode ser inferido da certidão circunstanciada (fls. 65/100 Vol. I Anexo 03); para este fim será considerada a ação penal nº (2ª Vara Criminal). A conduta social e a personalidade mostram-se fora dos padrões aceitos pela sociedade em geral; vive da prática de crimes contra o patrimônio e demonstra propensão à resolução de seus problemas mediante o uso de violência; essas conclusões decorrem das próprias ações desenvolvidas e das demais provas produzidas, principalmente a certidão circunstanciada supramencionada. Os motivos determinantes do crime desentendimentos entre apenados de facções diversas e represálias às ações desenvolvidas pelos administradores do presídio, em especial a retirada dos líderes dos presos dos pavilhões são reprováveis, mas comuns aos delitos dessa natureza, de maneira que não podem ser considerados para a exasperação da pena-base. As circunstâncias do crime são desfavoráveis ao acusado, a despeito de a crueldade já estar ínsita no tipo penal qualificado. Houve o concurso de pessoas e os agentes agiram quando a vítima já se encontrava contida, possibilitando a certeza do resultado e impedindo eventual ato defensivo. As conseqüências já estão insertas na previsão do tipo

9 9 penal em questão. Por fim, não existe prova que a vítima, com o seu comportamento, tenha contribuído para a eclosão do delito. Por essas razões, na concorrência das circunstâncias descritas acima e atento às disposições art. 59 do Código Penal, fixo a pena-base em 16 (dezesseis) anos e 06 (seis) de reclusão. Agravantes e atenuantes Reconheço a existência da agravante genérica da reincidência (art. 61, I, CP), utilizando para esse fim a ação penal nº (1ª Vara Criminal). Reconheço, também, a existência da atenuante genérica da menoridade relativa (art. 65, I, CP). Não vejo preponderância entre elas, fixando, cada uma delas, em 01 (um) ano e 06 (seis) meses. Não houve, por conseguinte, modificação da pena-base. Causas de aumento ou diminuição diminuição. Não existem causas de aumento ou Pena definitiva Dessa forma, na ausência de qualquer outra causa modificadora, pelo homicídio praticado contra Joarez Dias da Silva, fica o acusado Anselmo Garcia de Almeida condenado definitivamente à pena de 16 (DEZESSEIS) ANOS E 06 (SEIS) MESES DE RECLUSÃO.

10 Com relação às vítimas José Francisco Ferreira Brito, Antônio Carlos Pereira Freitas, Izaque da Silva Pires, Ivan de Jesus Pereira, Irismar Frazão Silva, Gilberto da Cruz Pereira, Adilson Pereira da Silva, Acilon dos Santos Carvalho, Gilson de Souza Coreas, Antônio Carlos Andrade de Souza, Francisco Araújo Xavier, Anderson Ibiapino de Lima, Edsandro Macedo da Conceição, Arcilei Rodrigues da Silva, Rodomilson Nunes Lindoso, Márcio José Cardoso, Simão João Reski Neto, João Ferreira da Rocha, Wilson Ferreira Feitoza, Maico Rocha dos Santos, Elissandro Brito da Silva, Jean Cruz Nogueira ou Júnior Nogueira da Cruz, Antônio Elineudo de Lima Nascimento, Elizeu Pereira da Silva, Raimundo Nonato Gomes Costa e Rodolfo Tavares Cunha. As circunstâncias judiciais e legais e as causas de aumento ou diminuição, com relação a estas vítimas, são iguais àquelas referentes à vítima Joarez Dias da Silva, de modo que para cada uma delas a pena definitiva para o acusado também é igual, ou seja: 16 (DEZESSEIS) ANOS E 06 (SEIS) MESES DE RECLUSÃO Concurso de crimes Reconhecido o concurso material, as penas impostas ao acusado devem ser somadas na forma do art. 69 do Código Penal. Dessa forma, pelas mortes das 27 vítimas supracitadas, fica o acusado Anselmo

11 11 Garcia de Almeida, vulgo Fininho e Jornal, condenado definitivamente à pena de 445 (QUATROCENTOS E QUARENTA E CINCO) ANOS 06 (SEIS) MESES DE RECLUSÃO Regime das penas e outras determinações A pena privativa de liberdade aplicada aos acusados será cumprida, inicialmente, em regime fechado, nos termos do art. 2º, 1º da Lei dos Crimes Hediondos. Os crimes imputados aos acusados são gravíssimos e as circunstâncias em que foram praticados exteriorizam a periculosidade dos agentes. Ademais, os acusados são envolvidos em inúmeros delitos, após os fatos, inclusive, conforme pode ser inferido das certidões circunstanciadas referidas. Tratase de elemento objetivo a demonstrar que em liberdade poderão prosseguir na empreitada criminosa, o que, aliás, já ocorreu, pois o acusado ANSELMO ao empreender fuga do presídio no ano de 2005 envolveu-se em outros crimes. Não bastasse isso, a manutenção dos acusados soltos neste processo, mesmo após decisão soberana do Júri Popular que reconheceu a responsabilidade penal em crimes de tamanha gravidade, exteriorizaria ao cidadão comum a falsa idéia de impunidade e, via de consequência, serviria de incentivo para práticas semelhantes. Assim, como forma de garantir a ordem pública, decreto a prisão cautelar dos acusados, determinando a incontinenti expedição de mandado de prisão.

12 12 Isento os acusados do pagamento das custas processuais, pois são pobres, conforme demonstram as provas produzidas, destacando que até antes do julgamento ambos eram assistidos pela Defensoria Pública. Sobre a condenação e a decretação da prisão cautelar, comunique-se, de imediato, ao Juízo da Vara de Execuções Penais desta Capital e às demais Varas Criminais em que os acusados respondam a ação penal. Em caso de apelação, expeçam-se as guias de recolhimentos provisórios. Após o trânsito em julgado, proceda-se às seguintes providências: a) anotações nos livros; b) alimentação do SAP; c) comunicações necessárias, ao TRE/RO, inclusive, para suspensão dos direitos políticos; d) lançamento do nome dos acusados no Livro do Rol dos Culpados; e e) expedição de guias de recolhimentos definitivos. Dou a sentença por publicada em plenário e as partes por intimadas. Registre-se. Sala Secreta do Segundo Tribunal do Júri, em Porto Velho, Capital do Estado de Rondônia, aos seis dias mês de maio de dois mil e dez, às 23h.

13 13 ALDEMIR DE OLIVEIRA Juiz Presidente

Tribunal de Justiça do Distrito Federal

Tribunal de Justiça do Distrito Federal Tribunal de Justiça do Distrito Federal Circunscrição :4 - GAMA Processo :2011.04.1.003085-4 Vara : 11 - TRIBUNAL DO JÚRI E VARA DOS DELITOS DE TRÂNSITO DO GAMA Autos nº: 2011.04.1.003085-4 AUTORA: JUSTIÇA

Leia mais

ESTADO DE MATO GROSSO PODER JUDICIÁRIO COMARCA DE BARRA DO GARÇAS GABINETE DA SEGUNDA VARA CRIMINAL S E N T E N Ç A

ESTADO DE MATO GROSSO PODER JUDICIÁRIO COMARCA DE BARRA DO GARÇAS GABINETE DA SEGUNDA VARA CRIMINAL S E N T E N Ç A Código: 170741 Autor: Ministério Público Estadual Réu: Eldo Barbosa S E N T E N Ç A 1. Relatório O Ministério Público estadual ofereceu denúncia, fls. 05/08, contra Eldo Barbosa, por supostamente ter infringido

Leia mais

Vistos. É o relatório. Decido.

Vistos. É o relatório. Decido. Vistos O membro do Ministério Público Estadual apresentou exordial acusatória em face de WANDERSON BRITO PINTO, devidamente qualificado nos autos epigrafados, em razão dos fatos descritos na peça inicial,

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 5ª REGIÃO GABINETE DO DESEMBARGADOR FEDERAL PAULO MACHADO CORDEIRO

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 5ª REGIÃO GABINETE DO DESEMBARGADOR FEDERAL PAULO MACHADO CORDEIRO ACR 12760 AL (0007902-40.2007.4.05.8000) APTE : JOSEVAL REIS LIMA REPTE : DEFENSORIA PÚBLICA DA UNIÃO APDO : MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL ORIGEM : JUÍZO FEDERAL DA 4ª VARA AL (SENTENCIANTE: DR. SÉRGIO DE

Leia mais

APELAÇÃO CRIMINAL Nº 599295-2 DO FORO CENTRAL DA COMARCA DA REGIÃO METROPOLITANA DE CURITIBA 11ª VARA CRIMINAL APELANTE 1: APELANTE

APELAÇÃO CRIMINAL Nº 599295-2 DO FORO CENTRAL DA COMARCA DA REGIÃO METROPOLITANA DE CURITIBA 11ª VARA CRIMINAL APELANTE 1: APELANTE APELAÇÃO CRIMINAL Nº 599295-2 DO FORO CENTRAL DA COMARCA DA REGIÃO METROPOLITANA DE CURITIBA 11ª VARA CRIMINAL APELANTE 1: CLEBER ALVES APELANTE 2: MARCELO FABRÍCIO PRESTES AMÉRICO APELADO: MINISTÉRIO

Leia mais

Critérios para correção: o conteúdo e a qualidade da sentença:

Critérios para correção: o conteúdo e a qualidade da sentença: Critérios para correção: o conteúdo e a qualidade da sentença: 1. Qualidade da redação: 1.1. Com observância, inclusive, de ortografia e gramática além de completo domínio do vernáculo. 1.2. Valor: 2,0

Leia mais

^ g -, ,fitt.à r '4 4.44. kre44, ej_,.. 4 ' t+1$ 3 '., e. (4' jr~..pax ESTADO DA PARAÍBA PODER JUDICIÁRIO GABINETE DO DES. NILO LUIS RAMALHO VIEIRA

^ g -, ,fitt.à r '4 4.44. kre44, ej_,.. 4 ' t+1$ 3 '., e. (4' jr~..pax ESTADO DA PARAÍBA PODER JUDICIÁRIO GABINETE DO DES. NILO LUIS RAMALHO VIEIRA ^ g -,,fitt.à r '4 4.44 kre44, ej_,.. 4 ' t+1$ 3 '., e In. Wh& i* 1 "#. (4' jr~..pax ESTADO DA PARAÍBA PODER JUDICIÁRIO GABINETE DO DES. NILO LUIS RAMALHO VIEIRA ACÓRDÃO APELAÇÃO CRIMINAL: 016.2000.000691-2/001

Leia mais

ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL XVIII EXAME DE ORDEM UNIFICADO

ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL XVIII EXAME DE ORDEM UNIFICADO PADRÃO DE RESPOSTA - PEÇA PROFISSIONAL Durante o carnaval do ano de 2015, no mês de fevereiro, a família de Joana resolveu viajar para comemorar o feriado, enquanto Joana, de 19 anos, decidiu ficar em

Leia mais

NEILA SILVANA JUNQUEIRA ABEL

NEILA SILVANA JUNQUEIRA ABEL COMARCA DE CAMAQUÃ VARA CRIMINAL Av. Antonio Duro, 260 Processo nº: 007/2.08.0000879-0 (CNJ:.0008792-82.2008.8.21.0007) Natureza: Crimes contra a Propriedade Imaterial - DL 7903/45 - Lei 7646/87 Autor:

Leia mais

2. afastar as imputações constantes dos fatos 1, 10, 11, 12, 15 e 16, por bis in idem;

2. afastar as imputações constantes dos fatos 1, 10, 11, 12, 15 e 16, por bis in idem; A Associação Brasileira de Enfermagem (ABEn) divulga aos associados, parceiros e colaboradores, a GRANDE CONQUISTA na luta contra a impunidade e a moralidade do Sistema COFEN/CORENs. O ex-presidente do

Leia mais

Autos código nº 338241 Réu: Carlos Henrique Costa de Carvalho. Vistos etc.

Autos código nº 338241 Réu: Carlos Henrique Costa de Carvalho. Vistos etc. Autos código nº 338241 Réu: Carlos Henrique Costa de Carvalho ESTADO DE MATO GROSSO PODER JUDICIÁRIO COMARCA DE CUIABÁ JUÍZO DA PRIMEIRA VARA CRIMINAL TRIBUNAL DO JÚRI SENTENÇA Vistos etc. O MINISTÉRIO

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 5.ª REGIÃO Gabinete da Desembargadora Federal Margarida Cantarelli

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 5.ª REGIÃO Gabinete da Desembargadora Federal Margarida Cantarelli APELAÇÃO CRIMINAL Nº 7155-CE (2009.81.00.007031-1) APTE : ANA BELEN ANTERO GARCIA REPTE : DEFENSORIA PÚBLICA DA UNIÃO APDO : MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL ORIGEM : 12ª VARA FEDERAL (COMPETENTE P/ EXEC. PENAIS)

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 5.ª REGIãO Gabinete do Desembargador Federal Marcelo Navarro

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 5.ª REGIãO Gabinete do Desembargador Federal Marcelo Navarro RELATÓRIO O Senhor DESEMBARGADOR FEDERAL MARCELO NAVARRO: Cuida-se de apelação criminal interposta pelo Ministério Público Federal contra sentença proferida pelo MM. Juízo da 37ª Vara de Pernambuco, na

Leia mais

PADRÃO DE RESPOSTA PEÇA PROFISSIONAL

PADRÃO DE RESPOSTA PEÇA PROFISSIONAL PEÇA PROFISSIONAL Petição inicial: Queixa-crime. Endereçamento: Vara Criminal da Comarca de São Paulo SP. Vara criminal comum, visto que as penas máximas abstratas, somadas, ultrapassam dois anos. Como

Leia mais

15/05/2013 MODELO DE RELAXAMENTO DA PRISÃO EM FLAGRANTE

15/05/2013 MODELO DE RELAXAMENTO DA PRISÃO EM FLAGRANTE Direito Processual Penal 2ª Fase OAB/FGV Professora Beatriz Abraão MODELO DE RELAXAMENTO DA PRISÃO EM FLAGRANTE Excelentíssimo Senhor Doutor Juiz de Direito da... Vara Criminal da Comarca... (especificar

Leia mais

ROGÉRIO ALAN ROCHA RIOS e WILLIAM GOMES DE. MIRANDA, qualificados nos autos, foram pronunciados, em 10.12.2004,

ROGÉRIO ALAN ROCHA RIOS e WILLIAM GOMES DE. MIRANDA, qualificados nos autos, foram pronunciados, em 10.12.2004, Fone: (31) 3501-1336- Fone/fax: (31) 3501-1335 - e-mail: 09vara(a mg.trfl.ius.br AÇÃO PENAL - CLASSE 13.101 AUTOR: MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL AUTOS N. 36888-63.2011.4.01.3800 e 26932-52.2013.4.01.3800

Leia mais

VI Exame OAB 2ª FASE Padrão de correção Direito Penal

VI Exame OAB 2ª FASE Padrão de correção Direito Penal VI Exame OAB 2ª FASE Padrão de correção Direito Penal Peça O examinando deverá redigir uma petição de relaxamento de prisão, fundamentado no art. 5º, LXV, da CRFB/88, ou art. 310, I, do CPP (embora os

Leia mais

DIREITO PROCESSUAL PENAL PROVA ESCRITA CADERNO 1

DIREITO PROCESSUAL PENAL PROVA ESCRITA CADERNO 1 JUIZ DE DIREITO SUBSTITUTO DO ESTADO DE MINAS GERAIS Edital n. 01/2009 DIREITO PROCESSUAL PENAL PROVA ESCRITA CADERNO 1 ATENÇÃO Leia as instruções deste Caderno. Elas fazem parte da sua prova 1. Este caderno

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 5.ª REGIãO Gabinete do Desembargador Federal Marcelo Navarro

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 5.ª REGIãO Gabinete do Desembargador Federal Marcelo Navarro MANDADO DE SEGURANÇA (TURMA) (MSTR) Nº 103144/SE (0000385-44.2015.4.05.0000) IMPTTE : FERNANDO LIMA COSTA ADV/PROC : PAULO ROBERTO NERY NASCIMENTO E OUTROS IMPTDO : JUÍZO DA 6ª VARA FEDERAL DE SERGIPE

Leia mais

DIREITO PENAL. Exame de Ordem 2009.2 Prova Prático-Profissional 1 PEÇA PROFISSIONAL

DIREITO PENAL. Exame de Ordem 2009.2 Prova Prático-Profissional 1 PEÇA PROFISSIONAL DIREITO PENAL PEÇA PROFISSIONAL José de Tal, brasileiro, divorciado, primário e portador de bons antecedentes, ajudante de pedreiro, nascido em Juazeiro BA, em 7/9/1938, residente e domiciliado em Planaltina

Leia mais

A PRISÃO PREVENTIVA E AS SUAS HIPÓTESES PREVISTAS NO ART. 313 DO CPP, CONFORME A LEI Nº 12.403, DE 2011.

A PRISÃO PREVENTIVA E AS SUAS HIPÓTESES PREVISTAS NO ART. 313 DO CPP, CONFORME A LEI Nº 12.403, DE 2011. A PRISÃO PREVENTIVA E AS SUAS HIPÓTESES PREVISTAS NO ART. 313 DO CPP, CONFORME A LEI Nº 12.403, DE 2011. Jorge Assaf Maluly Procurador de Justiça Pedro Henrique Demercian Procurador de Justiça em São Paulo.

Leia mais

RELATÓRIO DA CORREIÇÃO EXTRORDINÁRIA PARCIAL REALIZADA NA SEGUNDA AUDITORIA DA JUSTIÇA MILITAR ESTADUAL

RELATÓRIO DA CORREIÇÃO EXTRORDINÁRIA PARCIAL REALIZADA NA SEGUNDA AUDITORIA DA JUSTIÇA MILITAR ESTADUAL RELATÓRIO DA CORREIÇÃO EXTRORDINÁRIA PARCIAL REALIZADA NA SEGUNDA AUDITORIA DA JUSTIÇA MILITAR ESTADUAL Período da realização da correição: de 23 de maio a 13 de junho de 2014. Juiz de Direito Titular:

Leia mais

Supremo Tribunal Federal

Supremo Tribunal Federal MEDIDA CAUTELAR NO HABEAS CORPUS 126.965 SÃO PAULO RELATOR PACTE.(S) IMPTE.(S) PROC.(A/S)(ES) COATOR(A/S)(ES) : MIN. LUIZ FUX :A P :DEFENSORIA PÚBLICA DA UNIÃO :DEFENSOR PÚBLICO-GERAL FEDERAL :SUPERIOR

Leia mais

OAB 2ª FASE PENAL PROF. SIDNEY FILHO

OAB 2ª FASE PENAL PROF. SIDNEY FILHO OAB 2ª FASE PENAL PROF. SIDNEY FILHO MEMORIAIS (OAB/SP 133 - ADAPTADO) Pedro foi acusado de roubo qualificado por denúncia do Promotor de Justiça da comarca, o dia 1 de julho de 2006. Dela constou que

Leia mais

140 TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO 1ª CÂMARA CRIMINAL HABEAS CORPUS Nº. 0063587-40.2013.8.19

140 TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO 1ª CÂMARA CRIMINAL HABEAS CORPUS Nº. 0063587-40.2013.8.19 1 TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO 1ª CÂMARA CRIMINAL HABEAS CORPUS Nº. 0063587-40.2013.8.19.0000 PACIENTE: FABIO FERREIRA CHAVES DA SILVA AUTORIDADE COATORA: JUÍZO DE DIREITO DA 1ª VARA

Leia mais

MODELO QUEIXA-CRIME. (especificar a Vara de acordo com o problema)

MODELO QUEIXA-CRIME. (especificar a Vara de acordo com o problema) Disciplina Processo Penal Aula 10 Professora Beatriz Abraão MODELO DE PETIÇÃO DE INTERPOSIÇÃO E RAZÕES DE APELAÇÃO EM CASO DE CONDENAÇÃO POR CRIME COMUM Excelentíssimo Senhor Doutor Juiz de Direito da...

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 5.ª REGIãO Gabinete do Desembargador Federal Marcelo Navarro

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 5.ª REGIãO Gabinete do Desembargador Federal Marcelo Navarro RELATÓRIO O Senhor DESEMBARGADOR FEDERAL MARCELO NAVARRO: Cuida-se de apelação criminal interposta por Alfredo de Oliveira Santos contra sentença (fls. 455/471) da lavra do MM. Juízo da 13ª Vara Federal

Leia mais

TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 5ª REGIÃO

TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 5ª REGIÃO RELATÓRIO O DESEMBARGADOR FEDERAL CID MARCONI: Embargos de Declaração desafiados por Ana Paula Dias Gomes Barbosa e Roberto Abraham Abrahamian Asfora em face do Acórdão de fls. 642/657, cuja ementa tem

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO DO ESTADO DO TOCANTINS TRIBUNAL DE JUSTIÇA Juiz Convocado HELVÉCIO DE BRITO MAIA NETO

PODER JUDICIÁRIO DO ESTADO DO TOCANTINS TRIBUNAL DE JUSTIÇA Juiz Convocado HELVÉCIO DE BRITO MAIA NETO HABEAS CORPUS Nº 0002031-78.2014.827.0000 ORIGEM: COMARCA DE PARAÍSO DO TOCANTINS 1ª VARA CRIMINAL PACIENTE: RAPHAEL BRANDÃO PIRES IMPETRANTE: ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL SECCIONAL DO TOCANTINS IMPETRADO:

Leia mais

O acórdão em análise é oriundo do Superior Tribunal de Justiça, no julgamento de um agravo regimental em Recurso Especial e assim dispõe:

O acórdão em análise é oriundo do Superior Tribunal de Justiça, no julgamento de um agravo regimental em Recurso Especial e assim dispõe: 3. COMENTÁRIOS À JURISPRUDÊNCIA 3.1 QUESTÕES PONTUAIS SOBRE EXECUÇÃO PENAL ÉRIKA DE LAET GOULART MATOSINHO Oficial do Ministério Público do Estado de Minas Gerais Bacharel em Direito 1. Escolha do acórdão

Leia mais

CASO URSO BRANCO II (massacre de 2004)

CASO URSO BRANCO II (massacre de 2004) Guia de Cobertura para Jornalistas Relembrando o caso CASO URSO BRANCO II (massacre de 2004) O julgamento é por conta do assassinato de 12 presos da Casa de Detenção José Mário Alves, em abril de 2004,

Leia mais

Supremo Tribunal Federal

Supremo Tribunal Federal Ementa e Acórdão DJe 23/05/2012 Inteiro Teor do Acórdão - Página 1 de 6 24/04/2012 SEGUNDA TURMA HABEAS CORPUS 106.942 GOIÁS RELATOR PACTE.(S) IMPTE.(S) COATOR(A/S)(ES) : MIN. JOAQUIM BARBOSA :SUPERIOR

Leia mais

Das Questões Preliminares

Das Questões Preliminares Direito Penal 2ª Fase OAB/FGV Aula 06- Prescrição Penal Professor Sandro Caldeira Das Questões Preliminares Das Causas de Extinção da Punibilidade Art. 107 do CP Prescrição penal Da Prescrição Penal Conceito:

Leia mais

PONTO 1: Teoria da Tipicidade PONTO 2: Espécies de Tipo PONTO 3: Elementos do Tipo PONTO 4: Dolo PONTO 5: Culpa 1. TEORIA DA TIPICIDADE

PONTO 1: Teoria da Tipicidade PONTO 2: Espécies de Tipo PONTO 3: Elementos do Tipo PONTO 4: Dolo PONTO 5: Culpa 1. TEORIA DA TIPICIDADE 1 DIREITO PENAL PONTO 1: Teoria da Tipicidade PONTO 2: Espécies de Tipo PONTO 3: Elementos do Tipo PONTO 4: Dolo PONTO 5: Culpa 1.1 FUNÇÕES DO TIPO: a) Função garantidora : 1. TEORIA DA TIPICIDADE b) Função

Leia mais

Súmulas em matéria penal e processual penal.

Súmulas em matéria penal e processual penal. Vinculantes (penal e processual penal): Súmula Vinculante 5 A falta de defesa técnica por advogado no processo administrativo disciplinar não ofende a Constituição. Súmula Vinculante 9 O disposto no artigo

Leia mais

9ª Vara Criminal Protocolo nº: 362588-24.2011.809.0174 (201103625882) Réu: JOSÉ CARLOS RECKERT S E N T E N Ç A

9ª Vara Criminal Protocolo nº: 362588-24.2011.809.0174 (201103625882) Réu: JOSÉ CARLOS RECKERT S E N T E N Ç A 9ª Vara Criminal Protocolo nº: 362588-24.2011.809.0174 (201103625882) Réu: JOSÉ CARLOS RECKERT S E N T E N Ç A O Ministério Público, via de sua representante legal, denunciou JOSÉ CARLOS RECKERT, brasileiro,

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça CONFLITO DE COMPETÊNCIA Nº 101.274 - PR (2008/0261931-6) RELATOR : MINISTRO NAPOLEÃO NUNES MAIA FILHO AUTOR : JUSTIÇA PÚBLICA RÉU : EM APURAÇÃO SUSCITANTE : JUÍZO DE DIREITO DO JUIZADO ESPECIAL CRIMINAL

Leia mais

O MENSALÃO E A PERDA DE MANDATO ELETIVO

O MENSALÃO E A PERDA DE MANDATO ELETIVO O MENSALÃO E A PERDA DE MANDATO ELETIVO José Afonso da Silva 1. A controvérsia 1. A condenação, pelo Supremo Tribunal Federal, na Ação Penal 470, de alguns deputados federais tem suscitado dúvidas relativamente

Leia mais

Tribunal de Justiça do Estado de Goiás

Tribunal de Justiça do Estado de Goiás 1 APELAÇÃO CRIMINAL Nº 512212-28.2009.8.09.0107(200995122121) COMARCA DE MORRINHOS APELANTE : VIBRAIR MACHADO DE MORAES APELADO : MINISTÉRIO PÚBLICO RELATOR : Des. LUIZ CLÁUDIO VEIGA BRAGA RELATÓRIO O

Leia mais

O Novo Regime das Medidas Cautelares no Processo Penal

O Novo Regime das Medidas Cautelares no Processo Penal 202 O Novo Regime das Medidas Cautelares no Processo Penal Juliana Andrade Barichello 1 O objetivo deste trabalho é discorrer sobre os principais pontos das palestras, enfatizando a importância das alterações

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO DO ESTADO DE RONDÔNIA Porto Velho - Fórum Cível Av Lauro Sodré, 1728, São João Bosco, 76.803-686 e-mail:

PODER JUDICIÁRIO DO ESTADO DE RONDÔNIA Porto Velho - Fórum Cível Av Lauro Sodré, 1728, São João Bosco, 76.803-686 e-mail: Vara: 1ª Vara Cível Processo: 0023257-48.2012.8.22.0001 Classe: Procedimento Ordinário (Cível) Requerente: Renata Terezinha Souza de Moraes Paschoal Rodrigues Requerido: Banco Bradescard S.A; Makro Atacadista

Leia mais

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO fls. 1 SENTENÇA Processo nº: Classe - Assunto Réu: Procedimento Especial da Lei Antitóxicos - Tráfico de Drogas e Condutas Afins Juiz(a) de Direito: Dr(a). Heitor Donizete de Oliveira Vistos. XX, qualificado

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 5.ª REGIãO Gabinete do Desembargador Federal Marcelo Navarro

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 5.ª REGIãO Gabinete do Desembargador Federal Marcelo Navarro APELAÇÃO CRIMINAL (ACR) Nº 11490/CE (0002186-09.2010.4.05.8103) APTE : MANOEL CAMELO FILHO ADV/PROC : JOSE NILSON FARIAS SOUSA JUNIOR E OUTROS APDO : MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL ORIGEM : 18ª VARA FEDERAL

Leia mais

CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DO AMAPÁ

CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DO AMAPÁ AULA IX DIREITO PENAL II TEMA: MEDIDA DE SEGURANÇA E REABILITAÇÃO PROFª: PAOLA JULIEN O. SANTOS MEDIDA DE SEGURANÇA 1. Conceito: sanção penal imposta pelo Estado, na execução de uma sentença, cuja finalidade

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 5.ª REGIãO Gabinete do Desembargador Federal Marcelo Navarro

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 5.ª REGIãO Gabinete do Desembargador Federal Marcelo Navarro APELAÇÃO CRIMINAL (ACR) Nº 12020/ (2007.84.00.002040-8) RELATÓRIO O Senhor DESEMBARGADOR FEDERAL MARCELO NAVARRO: Cuida-se de apelação criminal interposta pelo Ministério Público Federal contra sentença

Leia mais

APELANTE FÁBIO CÂNDIDO DA SILVA. APELADO MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DO PARANÁ. RELATOR DES. JOÃO DOMINGOS KÜSTER PUPPI.

APELANTE FÁBIO CÂNDIDO DA SILVA. APELADO MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DO PARANÁ. RELATOR DES. JOÃO DOMINGOS KÜSTER PUPPI. 1 AUTOS DE APELAÇÃO CRIMINAL DE N.º 1231245-7, DE FOZ DO IGUAÇU 1ª VARA CRIMINAL. APELANTE FÁBIO CÂNDIDO DA SILVA. APELADO MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DO PARANÁ. RELATOR DES. JOÃO DOMINGOS KÜSTER PUPPI.

Leia mais

PONTO 1: Concurso de Crimes PONTO 2: Concurso Material PONTO 3: Concurso Formal ou Ideal PONTO 4: Crime Continuado PONTO 5: PONTO 6: PONTO 7:

PONTO 1: Concurso de Crimes PONTO 2: Concurso Material PONTO 3: Concurso Formal ou Ideal PONTO 4: Crime Continuado PONTO 5: PONTO 6: PONTO 7: 1 PROCESSO PENAL PONTO 1: Concurso de Crimes PONTO 2: Concurso Material PONTO 3: Concurso Formal ou Ideal PONTO 4: Crime Continuado PONTO 5: PONTO 6: PONTO 7: 1. CONCURSO DE CRIMES 1.1 DISTINÇÃO: * CONCURSO

Leia mais

Egrégio Tribunal, Colenda Câmara,

Egrégio Tribunal, Colenda Câmara, RAZÕES DE APELAÇÃO Vara do Júri do Foro de Osasco Proc. nº 00XXXXX-76.2000.8.26.0405 Apelante: O.C.B. Apelado: MINISTÉRIO PÚBLICO Egrégio Tribunal, Colenda Câmara, 1. Breve síntese dos autos O.C.B. foi

Leia mais

Origem : 01920050029000 Machadinho do Oeste/RO (1ª Vara Criminal)

Origem : 01920050029000 Machadinho do Oeste/RO (1ª Vara Criminal) TRIBUNAL DE JUSTIÇA DE RONDÔNIA Câmara Criminal Data de distribuição :31/07/2007 Data de julgamento :25/09/2008 100.019.2005.002900-0 Apelação Criminal Origem : 01920050029000 Machadinho do Oeste/RO (1ª

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DA PARAÍBA GABINETE DO DESEMBARGADOR LUIZ SILVIO RAMALHO JÚNIOR

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DA PARAÍBA GABINETE DO DESEMBARGADOR LUIZ SILVIO RAMALHO JÚNIOR PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DA PARAÍBA GABINETE DO DESEMBARGADOR LUIZ SILVIO RAMALHO JÚNIOR ACÓRDÃO APELAÇÃO CRIMINAL (Processo n 001.2008.024234-8/001) RELATOR: Desembargador Luiz Silvio

Leia mais

ESTADO DA PARAÍBA PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA

ESTADO DA PARAÍBA PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA - L,, n ESTADO DA PARAÍBA TRIBUNAL DE JUSTIÇA Apelação Criminal n 200.2007.001711-2/001 8 a Vara Criminal de João Pessoa Relator : O Excelentíssimo Desembargador José Maninho Lisboa Apelante : Darcilene

Leia mais

DIRETORIA JUDICIÁRIA SECRETARIA DA 1ª CÂMARA CRIMINAL PAUTA DE JULGAMENTO Nº 23

DIRETORIA JUDICIÁRIA SECRETARIA DA 1ª CÂMARA CRIMINAL PAUTA DE JULGAMENTO Nº 23 DIRETORIA JUDICIÁRIA SECRETARIA DA 1ª CÂMARA CRIMINAL PAUTA DE JULGAMENTO Nº 23 De ordem do Excelentíssimo Senhor Desembargador LUIZ GADOTTI, Presidente da 1ª Câmara Criminal, faço público a todos os interessados

Leia mais

APELAÇÃO CRIMINAL Nº 0025401-51.2009.8.19.0205

APELAÇÃO CRIMINAL Nº 0025401-51.2009.8.19.0205 APELAÇÃO CRIMINAL Nº 0025401-51.2009.8.19.0205 Apelante : Ministério Público Apelado : FABIO DE SOUZA MESQUITA Relatora : Desembargadora Maria Angélica G. Guerra Guedes APELAÇÃO CRIMINAL. FURTO TENTADO.

Leia mais

AGRAVO DE INSTRUMENTO Nº 0055626-48.2013.8.19.0000 AGRAVANTE: JAQUELINE MACIEL LOURENÇO DA SILVA

AGRAVO DE INSTRUMENTO Nº 0055626-48.2013.8.19.0000 AGRAVANTE: JAQUELINE MACIEL LOURENÇO DA SILVA AGRAVO DE INSTRUMENTO Nº 0055626-48.2013.8.19.0000 AGRAVANTE: JAQUELINE MACIEL LOURENÇO DA SILVA AGRAVADO: INSTITUTO ANALICE LTDA RELATOR: DES. AUGUSTO ALVES MOREIRA JUNIOR AGRAVO DE INSTRUMENTO. DIREITO

Leia mais

PLANTÃO JUDICIAL. HABEAS CORPUS N.º 4000932-10.2015.8.04.0000 - Plantão Judicial Portaria n.º 357/2015

PLANTÃO JUDICIAL. HABEAS CORPUS N.º 4000932-10.2015.8.04.0000 - Plantão Judicial Portaria n.º 357/2015 fls. 678 PLANTÃO JUDICIAL HABEAS CORPUS N.º 4000932-10.2015.8.04.0000 - Plantão Judicial Portaria n.º 357/2015 IMPETRANTE PACIENTE IMPETRADO PLANTONISTA : Aldemir da Rocha Silva Junior : Gregorio Graça

Leia mais

APELAÇÃO CRIMINAL. CRIMES PREVISTOS EM LEGISLAÇÃO EXTRAVAGANTE. ESTATUTO

APELAÇÃO CRIMINAL. CRIMES PREVISTOS EM LEGISLAÇÃO EXTRAVAGANTE. ESTATUTO APELAÇÃO CRIMINAL. CRIMES PREVISTOS EM LEGISLAÇÃO EXTRAVAGANTE. ESTATUTO DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE. LEI DAS CONTRAVENÇÕES PENAIS. DESCLASSIFICAÇÃO. CONDUTA ATÍPICA. SENTENÇA DESCLASSIFICATÓRIA DESCONSTITUÍDA.

Leia mais

Teresina, 08 de junho de 2015.

Teresina, 08 de junho de 2015. Faculdade Estácio CEUT Coordenação do Curso de Bacharelado em Direito Disciplina: História do Direito Professor: Eduardo Albuquerque Rodrigues Diniz Turma: 1 B Alunas: Alice Brito, Larissa Nunes, Maria

Leia mais

PENAS ALTERNATIVAS E O DIREITO PENAL MILITAR

PENAS ALTERNATIVAS E O DIREITO PENAL MILITAR PENAS ALTERNATIVAS E O DIREITO PENAL MILITAR MARIA FERNANDA DE LIMA ESTEVES [1] Desde o início da história, a humanidade depara-se com o cometimento das mais diversas infrações, e, ao lado delas, surge

Leia mais

Autor: SINDICATO DOS TRABALHADORES EM HOTÉIS, APART HOTÉIS, MOTÉIS, FLATS, RESTAURANTES, BARES, LANCHONETES E SIMILARES DE SÃO PAULO E REGIÃO,

Autor: SINDICATO DOS TRABALHADORES EM HOTÉIS, APART HOTÉIS, MOTÉIS, FLATS, RESTAURANTES, BARES, LANCHONETES E SIMILARES DE SÃO PAULO E REGIÃO, ATENÇÃO - Texto meramente informativo, sem caráter intimatório, citatório ou notificatório para fins legais. PODER JUDICIÁRIO FEDERAL Justiça do Trabalho - 2ª Região Número Único: 01497003320065020075

Leia mais

TRIBUNAL DE JUSTIÇA PODER JUDICIÁRIO São Paulo

TRIBUNAL DE JUSTIÇA PODER JUDICIÁRIO São Paulo TRIBUNAL DE JUSTIÇA PODER JUDICIÁRIO São Paulo fls. 1 Registro: 2014.0000012698 ACÓRDÃO Vistos, relatados e discutidos estes autos do Apelação nº 0000652-58.2010.8.26.0360, da Comarca de Mococa, em que

Leia mais

<CABBCBBCCADACABACBBCAADDADAABCABBCCAA DDADAAAD> A C Ó R D Ã O

<CABBCBBCCADACABACBBCAADDADAABCABBCCAA DDADAAAD> A C Ó R D Ã O EMENTA: AGRAVO EM EXECUÇÃO PENAL REMIÇÃO DE PENA PELO ESTUDO ART. 126 DA LEI DE EXECUÇÕES PENAIS APROVEITAMENTO DO CURSO DESNECESSIDADE SIMPLES FREQUENCIA

Leia mais

TRIBUNAL DE JUSTIÇA PODER JUDICIÁRIO São Paulo

TRIBUNAL DE JUSTIÇA PODER JUDICIÁRIO São Paulo Registro: 2015.0000927737 ACÓRDÃO Vistos, relatados e discutidos estes autos do Apelação nº 0009206-77.2014.8.26.0477, da Comarca de Praia Grande, em que é apelante MARCEL BARBOSA LOPES, é apelado MINISTÉRIO

Leia mais

ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL OAB EXAME DE ORDEM

ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL OAB EXAME DE ORDEM DISCIPLINA: DIREITO PENAL CÓDIGO: C005 QUESTÃO PRÁTICO-PROFISSIONAL QUESTÃO C005043 CONTEÚDO PROGRAMÁTICO Alegações Finais DIFICULDADE ENUNCIADO Felipe, com 18 anos de idade, em um bar com outros amigos,

Leia mais

DIREITO PENAL E DIREITO PROCESSUAL PENAL

DIREITO PENAL E DIREITO PROCESSUAL PENAL DIREITO PENAL E DIREITO PROCESSUAL PENAL PEÇA PROFISSIONAL Lúcio, policial federal acusado de extorquir, no exercício de suas funções, determinada quantia em dinheiro de servidor público federal, encontra-se

Leia mais

A C Ó R D Ã O COMARCA DE LAJEADO Nº 70062707260 (N CNJ: 0463289-41.2014.8.21.7000)

A C Ó R D Ã O COMARCA DE LAJEADO Nº 70062707260 (N CNJ: 0463289-41.2014.8.21.7000) AGRAVO EM EXECUÇÃO PENAL. TRABALHO EXTERNO EXERCIDO JUNTO À PROPRIEDADE DO PAI DO APENADO. VÍNCULO PARENTAL QUE PREJUDICA A ISENTA FISCALIZAÇÃO DO TRABALHO EXTERNO PELO EMPREGADOR. DECISÃO REVOGADA. O

Leia mais

MANUAL DE PRÁTICA PENAL

MANUAL DE PRÁTICA PENAL 2010 MANUAL DE PRÁTICA PENAL Estudo dedicado ao Exame de Ordem 2010.1. Carlos Rafael Ferreira Liberdade Provisória SEM Fiança Previsão legal: art. 5º, LXVI, CF. Probabilidade: média. Fase: pré processual.

Leia mais

FATO TÍPICO CONDUTA. A conduta é o primeiro elemento integrante do fato típico.

FATO TÍPICO CONDUTA. A conduta é o primeiro elemento integrante do fato típico. TEORIA GERAL DO CRIME FATO TÍPICO CONDUTA A conduta é o primeiro elemento integrante do fato típico. Na Teoria Causal Clássica conduta é o movimento humano voluntário produtor de uma modificação no mundo

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 5.ª REGIãO Gabinete do Desembargador Federal Marcelo Navarro

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 5.ª REGIãO Gabinete do Desembargador Federal Marcelo Navarro APELAÇÃO CRIMINAL (ACR) Nº 11023/RN (0004472-39.2010.4.05.8400) APTE : MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL APDO : JARBAS CAVALCANTI DE OLIVEIRA ADV/PROC : JOSE ALEXANDRE SOBRINHO E OUTRO ORIGEM : 2ª VARA FEDERAL

Leia mais

Tribunal de Justiça do Piauí TJ/PI Área Judiciária Carreira de Escrivão Judicial

Tribunal de Justiça do Piauí TJ/PI Área Judiciária Carreira de Escrivão Judicial Tribunal de Justiça do Piauí TJ/PI Área Judiciária Carreira de Escrivão Judicial ÍNDICE VOLUME 1 CONHECIMENTOS BÁSICOS LÍNGUA PORTUGUESA Elementos de construção do texto e seu sentido: gênero do texto

Leia mais

A PENA DE MORTE EM TEMPO DE GUERRA

A PENA DE MORTE EM TEMPO DE GUERRA UNIVERSIDADE CRUZEIRO DO SUL PÓS-GRADUAÇÃO EM DIREITO MILITAR DIREITO PENAL MILITAR PARTE GERAL MARCELO VITUZZO PERCIANI A PENA DE MORTE EM TEMPO DE GUERRA Marcelo Vituzzo Perciani 1º Tenente da Polícia

Leia mais

BuscaLegis.ccj.ufsc.br

BuscaLegis.ccj.ufsc.br BuscaLegis.ccj.ufsc.br (Artigos) considerações sobre a responsabilidade "penal" da pessoa jurídica Dóris Rachel da Silva Julião * Introdução É induvidoso que em se tratando da criminalidade econômica e

Leia mais

Tendo em vista o artigo da Promotora de Justiça no Estado do Paraná, Dra. Suzane Maria Carvalho do Prado, disponibilizado por esse CAO-Crim, e as decisões proferidas pela Turma Recursal (Acórdão 71001890557)

Leia mais

Autor: Ministério Público do Estado de Mato Grosso. Réu: Evanderly de Oliveira Lima. Vistos.

Autor: Ministério Público do Estado de Mato Grosso. Réu: Evanderly de Oliveira Lima. Vistos. Fl..---- --- ESTADO DE MATO GROSSO PODER JUDICIÁRIO COMARCA DE ALTO ARAGUAIA Tribunal do Júri Vistos. O Ministério Público estadual ofereceu denúncia contra o réu Evanderly de Oliveira Lima, por ter infringido

Leia mais

ENUNCIADOS ELABORADOS PELA ASSESSORIA DE RECURSOS CONSTITUCIONAIS

ENUNCIADOS ELABORADOS PELA ASSESSORIA DE RECURSOS CONSTITUCIONAIS ENUNCIADOS ELABORADOS PELA ASSESSORIA DE RECURSOS CONSTITUCIONAIS ÁREA CRIMINAL CRIMES CONTRA OS COSTUMES 1. CRIMES CONTRA OS COSTUMES. ESTUPRO E ATENTADO VIOLENTO AO PUDOR. TODAS AS FORMAS. CRIMES HEDIONDOS.

Leia mais

PRESCRIÇÃO PENAL: ESPÉCIES DE PRESCRIÇÃO

PRESCRIÇÃO PENAL: ESPÉCIES DE PRESCRIÇÃO PRESCRIÇÃO PENAL: ESPÉCIES DE PRESCRIÇÃO Celso Duarte de MEDEIROS Júnior 1 Claudete Martins dos SANTOS 2 João Aparecido de FREITA 3 PRESCRIÇÃO PENAL: ESPÉCIES DE PRESCRIÇÃO Este trabalho mostrará as tratativas

Leia mais

V - APELACAO CRIMINAL 2000.50.01.003187-6

V - APELACAO CRIMINAL 2000.50.01.003187-6 RELATOR APELANTE ADVOGADO APELADO ORIGEM : DESEMBARGADOR FEDERAL ANDRÉ FONTES : GUTMAN UCHOA DE MENDONCA : JOSE WILLIAM DE FREITAS COUTINHO : MINISTERIO PUBLICO FEDERAL : 1ª VARA FEDERAL CRIMINAL DE VITÓRIA/ES

Leia mais

R E L A T Ó R I O. A inicial acusatória entendeu que a conduta do réu se adequaria ao tipo definido no artigo 312 do Código Penal.

R E L A T Ó R I O. A inicial acusatória entendeu que a conduta do réu se adequaria ao tipo definido no artigo 312 do Código Penal. AÇÃO PENAL PÚBLICA (PROCEDIMENTO CRIMINAL COMUM) 250 - CE (2002.05.99.001144-5) AUTOR : JUSTIÇA PÚBLICA INDIC : CARLOMANO GOMES MARQUES ADV/PROC : FRANCISCO MONTEIRO DA SILVA VIANA E OUTRO PROC. ORIGINÁRIO

Leia mais

Nº 70043654797 COMARCA DE PALMEIRA DAS MISSÕES MAUBER MARCELO DOS SANTOS A C Ó R D Ã O

Nº 70043654797 COMARCA DE PALMEIRA DAS MISSÕES MAUBER MARCELO DOS SANTOS A C Ó R D Ã O EXECUÇÃO. NOVA CONDENAÇÃO. SOMA DAS PENAS. REGRESSÃO E ALTERAÇÃO DA DATA-BASE. POSSIBILIDADE. A regressão de regime, aqui para o fechado, se deve ao previsto no artigo 111 da Lei de Execução Penal. O expediente

Leia mais

ESTADO DO TOCANTINS PODER JUDICIÁRIO COMARCA DE PALMAS 3ª VARA CRIMINAL SENTENÇA I - RELATÓRIO

ESTADO DO TOCANTINS PODER JUDICIÁRIO COMARCA DE PALMAS 3ª VARA CRIMINAL SENTENÇA I - RELATÓRIO ESTADO DO TOCANTINS PODER JUDICIÁRIO COMARCA DE PALMAS 3ª VARA CRIMINAL PROCESSO Nº 5029091-33.2013.827.2729 SENTENÇA I - RELATÓRIO O Ministério Público denunciou João Batista Marques, brasileiro, casado,

Leia mais

001/1.10.0176835-4 (CNJ:.1768351-56.2010.8.21.0001)

001/1.10.0176835-4 (CNJ:.1768351-56.2010.8.21.0001) COMARCA DE PORTO ALEGRE 7ª VARA CÍVEL DO FORO CENTRAL Rua Márcio Veras Vidor (antiga Rua Celeste Gobato), 10 Processo nº: Natureza: Autor: Réu: Juiz Prolator: Ordinária - Outros Adriana Belardinelli Ramalho

Leia mais

COMISSÃO DE RELAÇÕES EXTERIORES E DE DEFESA NACIONAL. MENSAGEM N o 479, DE 2008

COMISSÃO DE RELAÇÕES EXTERIORES E DE DEFESA NACIONAL. MENSAGEM N o 479, DE 2008 COMISSÃO DE RELAÇÕES EXTERIORES E DE DEFESA NACIONAL MENSAGEM N o 479, DE 2008 Submete à consideração do Congresso Nacional o texto do Tratado de Extradição entre a República Federativa do Brasil e o Governo

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RECURSO ESPECIAL Nº 1.391.004 - GO (2013/0219024-8) RELATOR RECORRENTE RECORRIDO ADVOGADO : MINISTRO MARCO AURÉLIO BELLIZZE : MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE GOIÁS : ADEMIR NOLASCO GUIMARÃES : ACHILES

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE MARIANA DIRETORIA DE PROTEÇÃO E DEFESA DO CONSUMIDOR DECISÃO RELATÓRIO

PREFEITURA MUNICIPAL DE MARIANA DIRETORIA DE PROTEÇÃO E DEFESA DO CONSUMIDOR DECISÃO RELATÓRIO DECISÃO FA nº 0114.001.019-4 Reclamante: Maristela Dalva Tete Reclamado: AKATUS MEIOS DE PAGAMENTO S.A RELATÓRIO Tratam os autos de Procedimento Administrativo, instaurado pela Gerência do Procon Municipal

Leia mais

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DE ALAGOAS. Apelação Cível n.º 2006.001411-7. Origem Maceió/ 7ª Vara Cível. Apelante Delphos Serviços Técnicos S.A.

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DE ALAGOAS. Apelação Cível n.º 2006.001411-7. Origem Maceió/ 7ª Vara Cível. Apelante Delphos Serviços Técnicos S.A. TRIBUNAL DE JUSTIÇA DE ALAGOAS Apelação Cível n.º 2006.001411-7 Origem Maceió/ 7ª Vara Cível Apelante Delphos Serviços Técnicos S.A. Advogados Linaldo Freitas de Lima e outros Apelados Gilsineide Maria

Leia mais

JURISPRUDÊNCIA FAVORÁVEL:

JURISPRUDÊNCIA FAVORÁVEL: TRF 2 COMPETÊNCIA PENAL - PROCESSO PENAL - DECISÃO QUE REJEITA EXCEÇÃO DE INCOMPETÊNCIA - INEXISTÊNCIA DE RECURSO - APELAÇÃO CRIMINAL NÃO CONHECIDA - PEDIDO RECEBIDO COMO HABEAS CORPUS - REDUÇÃO À CONDIÇÃO

Leia mais

CONTINUAÇÃO - RECURSOS NO PROCESSO PENAL, Recurso no Sentido Estrito

CONTINUAÇÃO - RECURSOS NO PROCESSO PENAL, Recurso no Sentido Estrito CONTINUAÇÃO - RECURSOS NO PROCESSO PENAL, Recurso no Sentido Estrito Efeito suspensivo O RESE, como regra, não tem efeito suspensivo. Terá, apenas, quando a lei prever. O art. 584 do CPP 1 prevê 05 hipóteses

Leia mais

L G E ISL S A L ÇÃO O ES E P S EC E IAL 2ª ª-

L G E ISL S A L ÇÃO O ES E P S EC E IAL 2ª ª- DIREITO PENAL III LEGISLAÇÃO ESPECIAL 2ª - Parte Professor: Rubens Correia Junior 1 DIREITO PENAL TEORIA DO CRIME 2 Teoria do crime INFRAÇÃO PENAL; Critério bipartido; Art. 1 da LICP Crime é infração penal

Leia mais

Questões de Processo Penal

Questões de Processo Penal Questões de Processo Penal 1º) As Contravenções Penais (previstas na LCP) são punidas com: a) ( ) Prisão Simples; b) ( ) Reclusão; c) ( ) Detenção; d) ( ) Não existe punição para essa espécie de infração

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO DO ESTADO DA BAHIA COMARCA DE AMÉLIA RODRIGUES/BA CARTÓRIO DOS FEITOS CRIMINAIS, DE INFÂNCIA E DE JUVENTUDE E DA FAZENDA PÚBLICA

PODER JUDICIÁRIO DO ESTADO DA BAHIA COMARCA DE AMÉLIA RODRIGUES/BA CARTÓRIO DOS FEITOS CRIMINAIS, DE INFÂNCIA E DE JUVENTUDE E DA FAZENDA PÚBLICA PODER JUDICIÁRIO DO ESTADO DA BAHIA COMARCA DE AMÉLIA RODRIGUES/BA CARTÓRIO DOS FEITOS CRIMINAIS, DE INFÂNCIA E DE JUVENTUDE E DA FAZENDA PÚBLICA Processo nº Natureza do feito: AÇÃO PENAL PÚBLICA S E N

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça CONFLITO DE COMPETÊNCIA Nº 129.804 - PB (2013/0300560-9) RELATOR SUSCITANTE SUSCITADO : MINISTRO REYNALDO SOARES DA FONSECA : JUÍZO FEDERAL DA 8A VARA DA SEÇÃO JUDICIÁRIA DO ESTADO DA PARAÍBA : JUÍZO DE

Leia mais

Tribunal de Justiça de Minas Gerais

Tribunal de Justiça de Minas Gerais Número do 1.0040.12.000450-8/001 Númeração 0111148- Relator: Relator do Acordão: Data do Julgamento: Data da Publicação: Des.(a) Adilson Lamounier Des.(a) Adilson Lamounier 07/07/2015 13/07/2015 EMENTA:

Leia mais

Release do Processo n.º 2007.61.11.002996-0 OPERAÇÃO OESTE CASO 3 X 1

Release do Processo n.º 2007.61.11.002996-0 OPERAÇÃO OESTE CASO 3 X 1 Release do Processo n.º 2007.61.11.002996-0 OPERAÇÃO OESTE CASO 3 X 1 Trata-se de ação penal que o Ministério Público Federal move em face de EMERSON LUIS LOPES e HENRIQUE PINHEIRO NOGUEIRA, dados como

Leia mais

Tribunal de Justiça de Minas Gerais

Tribunal de Justiça de Minas Gerais Número do 1.0024.10.148765-0/001 Númeração 1487650- Relator: Relator do Acordão: Data do Julgamento: Data da Publicação: Des.(a) Raimundo Messias Júnior Des.(a) Raimundo Messias Júnior 05/08/2014 19/08/2014

Leia mais

EXCELENTÍSSIMO SENHOR DESEMBARGADOR PRESIDENTE DO EGRÉGIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE RONDÔNIA.

EXCELENTÍSSIMO SENHOR DESEMBARGADOR PRESIDENTE DO EGRÉGIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE RONDÔNIA. EXCELENTÍSSIMO SENHOR DESEMBARGADOR PRESIDENTE DO EGRÉGIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE RONDÔNIA. LEONARDO P. DE CASTRO, advogado inscrito na OAB sob o nº 4.329, com escritório nesta Comarca, na Avenida

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº 4.208, DE 2001

PROJETO DE LEI Nº 4.208, DE 2001 PROJETO DE LEI Nº 4.208, DE 2001 Altera dispositivos do Decreto-Lei nº 3.689, de 3 de outubro de 1941 - Código de Processo Penal - relativos à prisão, medidas cautelares e liberdade, e dá outras providências.

Leia mais

ACÓRDÃO Vistos, relatados e discutidos estes autos do Apelação nº XXXXX, da Comarca de Guarulhos, em que são apelantes A.S.M

ACÓRDÃO Vistos, relatados e discutidos estes autos do Apelação nº XXXXX, da Comarca de Guarulhos, em que são apelantes A.S.M CASOS REAIS ACÓRDÃO Vistos, relatados e discutidos estes autos do Apelação nº XXXXX, da Comarca de Guarulhos, em que são apelantes A.S.M e H.M. sendo apelado MINISTERIO PUBLICO. ACORDAM, em 4ª Câmara de

Leia mais

CULPABILIDADE RESUMO

CULPABILIDADE RESUMO CULPABILIDADE Maira Jacqueline de Souza 1 RESUMO Para uma melhor compreensão de sanção penal é necessário a análise levando em consideração o modo sócio-econômico e a forma de Estado em que se presencie

Leia mais

APLICAÇÃO DA LEI PROCESSUAL PENAL. APLICAÇÃO DA LEI PROCESSUAL PENAL NO ESPAÇO Dispositivo Legal... 35 Princípio da territorialidade...

APLICAÇÃO DA LEI PROCESSUAL PENAL. APLICAÇÃO DA LEI PROCESSUAL PENAL NO ESPAÇO Dispositivo Legal... 35 Princípio da territorialidade... Sumário Título I APLICAÇÃO DA LEI PROCESSUAL PENAL Capítulo I APLICAÇÃO DA LEI PROCESSUAL PENAL NO ESPAÇO Dispositivo Legal... 35 Princípio da territorialidade... 35 Capítulo II APLICAÇÃO DA LEI PROCESSUAL

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO DO ESTADO DE RONDÔNIA Porto Velho - Fórum Cível Av Lauro Sodré, 1728, São João Bosco, 76.803-686 e-mail:

PODER JUDICIÁRIO DO ESTADO DE RONDÔNIA Porto Velho - Fórum Cível Av Lauro Sodré, 1728, São João Bosco, 76.803-686 e-mail: Vara: 1ª Vara Cível Processo: 0002465-39.2013.8.22.0001 Classe: Procedimento Ordinário (Cível) Requerente: Shirlane Guillen dos Santos Requerido: Banco Bradesco S/A SENTENÇA Vistos, etc... RELATÓRIO. SHIRLANE

Leia mais