MANUAL PARA APRESENTAÇÃO DE FOLHETOS DE EXTENSÃO

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "MANUAL PARA APRESENTAÇÃO DE FOLHETOS DE EXTENSÃO"

Transcrição

1 MANUAL PARA APRESENTAÇÃO DE FOLHETOS DE EXTENSÃO

2 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA DE MINAS GERAIS CAMPUS BAMBUÍ MANUAL PARA APRESENTAÇÃO DE FOLHETOS DE EXTENSÃO Organizado por: Diretoria de Pesquisa, Pós Graduação e Extensão Setor de Biblioteca Bambuí MG 2012

3 Caio Mário Bueno Silva Reitor do IFMG Lucas Carlúcio Magalhães Pró-Reitor de Extensão Flávio Vasconcelos Godinho Diretor Geral do IFMG Campus Bambuí Adriano Geraldo Diretor de Pesquisa, Pós-Graduação e Extensão Jeferson Éder Ferreira de Oliveira Coordenador de Atividades de Extensão I59m Instituto Federal de Educação Profissional e Tecnológica de Minas Gerais Campus Bambuí. Manual para apresentação de folhetos de extensão / Instituto Federal de Educação Profissional e Tecnológica de Minas Gerais Campus Bambuí; organizado por Diretoria de Pesquisa, Pós - Graduação e Extensão, Setor de Biblioteca f. : il. 1. Normalização - documentos. 2. Folheto. I. Diretoria de Pesquisa, Pós Graduação e Extensão. II. Setor de Biblioteca. III. Título. CDD

4 LISTA DE QUADROS QUADRO 1 Elementos que constituem a parte interna do folheto QUADRO 2 Numeração das seções... 20

5 LISTA DE FIGURAS FIGURA 1 Capa Folheto... 9 FIGURA 2 Lombada FIGURA 3 Estrutura do Folheto FIGURA 4 Folha de Rosto FIGURA 5 Dedicatória FIGURA 6 Agradecimento FIGURA 7 Epígrafe FIGURA 8 Listas FIGURA 9 Sumário FIGURA 10 Glossário FIGURA 11 Apêndice FIGURA 12 Anexo FIGURA 13 Colofão... 23

6 LISTA DE SIGLAS DPPGE - Diretoria de Pesquisa, Pós Graduação e Extensão ABNT - Associação Brasileira de Normas Técnicas COORDEX Coordenadoria de Extensão

7 SUMÁRIO 1 INTRODUÇÃO ORIENTAÇÕES PARA APRESENTAÇÃO DE FOLHETOS Estrutura do Folheto Parte externa Parte interna Elementos Pré-Textuais Elementos Textuais Elementos Pós-Textuais Normas específicas para a padronização da formatação dos folhetos REFERÊNCIAS... 25

8 7 1 INTRODUÇÃO Com a finalidade de facilitar a elaboração de folhetos de extensão e fixar princípios gerais para estabelecer a uniformidade na normalização de trabalhos de Extensão no campus Bambuí, a Diretoria de Pesquisa, Pós Graduação e Extensão (DPPGE) juntamente com o Setor de Biblioteca elaborou o presente manual de normalização, procurando oferecer as informações básicas necessárias à normalização deste tipo de trabalho. Este manual se baseou nas normas brasileiras sobre documentação da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT). Em determinados casos, a ABNT apresenta em suas normas algumas regras que são opcionais ou permite ao próprio autor defini-las. Sendo assim, sugerimos a utilização de alguns critérios que consideramos facilitar a compreensão dos acadêmicos e demais leitores. É válido ressaltar que as edições das normas indicadas são as que estavam em vigor na data da presente publicação. Como toda norma está sujeita a revisões, aconselha-se àqueles que realizam acordos baseados nesta publicação consultar à ABNT. O manual está estruturado tópicos chaves, onde contém os elementos pré-textuais; os textuais, peça chave, devendo expressar o conhecimento do assunto escolhido; os pós-textuais e; elementos de apoio ao texto. Todos os tópicos trazem exemplos que poderão ser tomados de modelo para a confecção e montagem dos folhetos de extensão.

9 8 2 ORIENTAÇÕES PARA APRESENTAÇÃO DE FOLHETOS A linguagem utilizada no "Folheto de Extensão" deve ser mais simples, com termos acessíveis aos usuários desse tipo de publicação. Deve apresentar a importância da ocupação/atividade, da tarefa ou da operação, favorecendo a compreensão do tema e indicando o padrão de desempenho desejável, abordando: O que é?, Para que?, Com que?, Por que?, Quando? e Onde? O autor deverá enviar o folheto para a Coordenadoria de Extensão (COORDEX) e, após receber o material, a COORDEX do campus Bambuí notificará o autor do recebimento do original e, posteriormente, o informará sobre sua publicação. Os folhetos que não estiverem dentro das normas serão devolvidos ao autor para correções. 2.1 Estrutura do Folheto De acordo com a NBR 6029 Informação e documentação Livros e folhetos apresentação (2006), folheto é uma publicação que contém no mínimo cinco e no máximo 49 páginas, dessa forma, decidiu-se que os folhetos de extensão terão trinta e cinco páginas. O folheto é constituído por duas partes: parte externa e parte interna Parte externa A parte externa do folheto é composta por: a) capa (obrigatório): constitui a parte externa do trabalho onde são impressas informações indispensáveis à sua identificação. Serve para proteger e dar melhor apresentação ao trabalho. Decidiu-se que nas publicações do setor de extensão a capa deverá conter os seguintes dados: nome da instituição;

10 9 setor responsável pelo folheto; título e subtítulo (se houver) do trabalho, por extenso. O título deve identificar o conteúdo do trabalho com clareza e precisão; nome do autor; nome da editora e/ou logomarca(caso tenha editora); local (cidade); ano de entrega/publicação. INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE MINAS GERAIS CAMPUS BAMBUÍ COORDENADORIA DE ATIVIDADES DE EXTENSÃO Efeito do Pó de Chifre de Cabra sobre o Problema de Pernas em Frangos de Corte Beltrano Alves da Silva FIGURA 1 Capa Fontes: Os organizadores Bambuí-MG 2012 b) lombada: caso o folheto comporte é obrigatória. Conforme a NBR Informação e Documentação Lombada (2004, p. 1) lombada é a parte da capa que reúne as margens internas ou dobras das folhas, sejam elas costuradas, grampeadas, coladas ou mantidas juntas de outra maneira; também chamada de dorso.

11 10 FIGURA 2 Lombada Fonte: Os organizadores Parte interna A parte interna é constituída pelos elementos pré-textuais, textuais e pós-textuais (QUADRO 1). ELEMENTOS PRÉ-TEXTUAIS - Folha de rosto (obrigatório) - Dedicatória (opcional) - Agradecimento (opcional) - Epígrafe (opcional) - Lista de ilustrações (opcional) - Lista de tabelas (opcional) - Lista de abreviaturas e siglas (opcional) - Lista de símbolos (opcional) - Sumário (obrigatório) ELEMENTOS TEXTUAIS - Texto (introdução / desenvolvimento / conclusão) - Elementos de apoio e localização ELEMENTOS PÓS-TEXTUAIS - Referências (obrigatório) - Glossário (opcional) - Apêndice (opcional) - Anexo (opcional) - Colofão (obrigatório) QUADRO 1 Elementos que constituem a parte interna do folheto Fonte: Organizadores

12 11 Colofão (obrigatório) 15 Anexos (opcional) 14 Apêndices (opcional) 13 Glossário (opcional) 12 Referências (obrigatório) 11 Contadas e numeradas (a partir da 2ª página após o sumário) Conclusão (obrigatório) 10 Desenvolvimento (obrigatório) 9 Introdução (obrigatório) Sumário (obrigatório) Listas (opcional) Epígrafe (opcional) Contadas mas não numeradas Agradecimento (opcional) Dedicatória (opcional) Verso da Folha de Rosto (obrigatório) Anverso da Folha de Rosto (obrigatório) Capa Elementos Pré-Textuais Elementos Textuais Elementos Pós-Textuais FIGURA 3 Estrutura do Folheto Fonte: Os organizadores Elementos Pré-Textuais Os elementos pré-textuais antecedem o texto e contém informações que ajudam na sua identificação e utilização. Estes elementos são: a) folha de rosto: contém os elementos que são essenciais para a identificação do trabalho. O anverso deve conter os seguintes elementos:

13 12 autor: nome do(s) autor(es) individual ou entidade, do editor, compilador, coordenador, organizador, ilustrador, prefaciador, tradutor, etc. Pode ainda incluir o título e qualificação dos autores, após seu nome, para indicar a autoridade no assunto; título e subtítulo (se houver): devem ser diferenciados tipograficamente; local: localizado na parte inferior da folha de rosto; editora: é apresentado após o local (caso tenha editora); ano de publicação: vem após a editora, em algarismos arábicos. No verso da folha de rosto, deve conter: direito autoral: localizado na parte superior da folha, é constituído pelo ano que se formalizou o direito autoral, antecedido do símbolo de copirraite e do possuidor dos direitos. Ex.: 2012 Instituto Federal Minas Gerais Campus Bambuí; direito de reprodução: informações sobre autorização de reprodução do conteúdo da publicação. Ex.: Qualquer parte desta obra pode ser reproduzida, desde que citada a fonte; demais suportes disponíveis: se houver outros suportes disponíveis como por exemplo CD / DVD. Ex. Disponível também em DVD; dados internacionais de catalogação (ficha catalográfica): deve ser elaborada por um profissional bibliotecário de acordo com o Código de Catalogação Anglo- Americano; créditos: são os elementos que compõem os créditos da obra, são dispostos a critério da editora. Podem ser: nome(s), endereço(s), créditos técnicos e/ou institucionais, revisões, entre outros.

14 13 Anverso Verso Efeito do Pó de Chifre de Cabra sobre o Problema de Pernas em Frangos de Corte Beltrano Alves da Silva Doutor em Engenharia Agrícola 2012 Instituto Federal Minas Gerais Campus Bambuí Qualquer parte deste folheto pode ser reproduzido, desde que citada a fonte Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Minas Gerais Campus Bambuí Caio Mário Bueno Silva Reitor do IFMG Lucas Carlúcio Magalhães Pró-Reitor de Extensão Flávio Vasconcelos Godinho Diretor Geral do IFMG Campus Bambuí Adriano Geraldo Diretor de Pesquisa, Pós-Graduação e Extensão Jeferson Éder Ferreira de Oliveira Coordenador de Atividades de Extensão Bambuí-MG 2012 FIGURA 4 Folha de Rosto Fonte: Os organizadores Ficha Catalográfica b) dedicatória: texto feito pelo autor em que o mesmo presta homenagem ou dedica seu trabalho. Dedico este trabalho a meus filhos e minha esposa, pelo incentivo e apoio incondicional. FIGURA 5 Dedicatória Fonte: Os organizadores

15 14 c) agradecimento: dirigido a pessoas ou instituições que contribuíram de forma relevante para a elaboração da publicação. Deve ser sóbrio e claro, com as razões pelas quais se fazem os agradecimentos. AGRADECIMENTOS À Deus, pela presença constante em minha vida. À empresa GS, pelo fornecimento das informações necessárias para o bom êxito dos experimentos. FIGURA 6 Agradecimento Fonte: Os organizadores d) epígrafe: citação apresentada, seguida de identificação de autoria que possui relação com o tema do trabalho. "Não desista enquanto você ainda for capaz de fazer um esforço a mais. É nesse algo a mais que está a sua vitória. Roberto Shinyashiki FIGURA 7 Epígrafe Fonte: Os organizadores

16 15 e) listas: as listas constituem um rol de elementos ilustrativos ou explicativos. Elas podem ser: lista de ilustrações: ilustrações são as imagens que ilustram ou elucidam um texto. Com exceção de tabelas, quadros e gráficos, as ilustrações são mencionadas no texto como figuras, usa-se a forma abreviada (FIG.) integrada à frase em que aparece ou no final da frase, neste caso entre parênteses. Sua identificação vem na parte inferior da ilustração, precedida da palavra designativa, em maiúscula, seguida por seu número de ocorrência no texto, em algarismos arábicos, separada por hífen de seu título ou legenda explicativa (deve ser breve e clara) e da fonte. Todas as ilustrações devem ser inseridas o mais próximo possível do trecho a que se refere, de acordo com o projeto gráfico. A lista de ilustrações é feita de acordo com a ordem em que são apresentadas no trabalho, com cada item indicado por seu nome específico, acompanhado do respectivo número de página. Se necessário, indica-se elaborar uma lista própria para cada tipo de ilustração (desenhos, esquemas, gráficos, mapas, fotografias, quadros, figuras, etc.). Decidiu-se adotar os seguintes critérios para alguns tipos de ilustração: fotografias: deverão ser apresentadas em preto e branco, nítidas e com contraste, escaneadas, inseridas no texto o mais próximo possível da citação das mesmas e também em um arquivo à parte, salvas em extensão tiff com resolução de 300 dpi; gráficos: deverão ser feitos de preferência no próprio editor gráfico do Word. Caso seja utilizado outro editor (inclusive os da Microsoft), esses deverão vir em um arquivo à parte, devendo ser inseridos o mais próximo possível da citação dos mesmos no próprio texto, salvos em extensão tiff com resolução de 300 dpi; figuras: caso não tenha condições de serem feitas no computador, as figuras deverão ser desenhadas nitidamente em papel vegetal, para que possam ser reproduzidas com perfeição, devendo ser inseridas o mais próximo possível da citação das mesmas no texto;

17 16 símbolos e/ou fórmulas químicas: deverão ser feitas em processador que possibilite a formatação para o programa Page Maker, sem perda de suas formas originais. Lista de tabelas/quadros/gráficos: relação numérica das tabelas ou quadros ou gráficos na mesma ordem em que aparecem no texto, indicando a página correspondente. Pode-se fazer uma lista para cada tipo de ilustração. Lista de abreviaturas e siglas: consiste na relação em ordem alfabética de todas as abreviaturas e siglas utilizadas na publicação seguidas das palavras ou expressões a que correspondem, escritas por extenso. Pode-se elaborar uma lista própria para as abreviaturas e outra para as siglas. No texto, ao mencionar pela primeira vez, deve-se redigir o nome completo sucedido da abreviatura ou sigla, que é colocada entre parênteses. Ex.: Instituto Federal Minas Gerais (IFMG). Lista de notações ou símbolos: inseridos de acordo com a ordem que aparecem no texto, com os devidos significados. LISTA DE FIGURAS FIGURA 1 A Organização do Conhecimento...46 FIGURA 2 Modelo do Processo de Decisão do Uso da Informação...52 LISTA DE SIGLAS ABNT Associação Brasileira de Normas Técnicas IFMG Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Minas Gerais MEC Ministério da Educação FIGURA 8 Listas Fonte: Os organizadores

18 17 f) sumário: de acordo com a NBR Informação e documentação - Sumário - Apresentação (2003) sumário é a enumeração das divisões, seções e outras partes de uma publicação, na mesma ordem e grafia em que a matéria nele se sucede. No folheto, a palavra sumário deverá vir centralizada, com a mesma tipologia da fonte das seções primárias. A identificação da subordinação dos itens do sumário vem destacada pela representação tipográfica (itálico/negrito/caixa alta, etc.). Os indicativos das seções devem ser alinhados à esquerda. Após os números indicativos das seções, se utiliza apenas um espaço. Os elementos pré-textuais (folha de rosto, dedicatória, listas, etc.) não são inseridos no sumário. SUMÁRIO 1 INTRODUÇÃO EDUCAÇÃO INCLUSIVA Metodologia de Ensino e Construção de Material Pedagógico Trabalhando as Relações Interpessoais Conhecendo os Distúrbios de Aprendizagem Reflexões sobre a Educação Inclusiva Tecnologia Assistida a favor da Inclusão CONSIDERAÇÕES FINAIS...34 REFERÊNCIAS...35 ANEXOS...37 FIGURA 9 Sumário Fonte: Os organizadores

19 Elementos Textuais Elementos textuais é a parte do trabalho em que é desenvolvido o conteúdo, opcionalmente, pode ser antecedido por prefácio e/ou apresentação. Constituído pela introdução, desenvolvimento e conclusão, também podem ser inseridos elementos de apoio e localização. a) introdução: deve conter de forma precisa e geral, o assunto a ser abordado; os objetivos, métodos e outros elementos necessários para situar o leitor sobre o tema. Caso tenha revisão de literatura, esta deverá ser apresentada, de preferência, em ordem cronológica, de acordo com a evolução do assunto; b) desenvolvimento: constitui a parte principal e mais extensa do folheto, contém a ideia principal, de forma ordenada e pormenorizada do assunto, a qual possibilita ao leitor uma completa percepção do conteúdo. Pode ser dividido em capítulos, partes, seções e/ou subseções que variam em função da complexidade do tema abordado; c) conclusão: parte final do texto, na qual contém a decorrência lógica e natural de tudo o que a precede. Há alguns elementos que servem para dar suporte ao texto, seja como apoio ou indicador da localização. São eles: Nota de rodapé: são indicações, observações ou aditamento ao texto feito pelo autor, pode vir dentro da margem esquerda ou direita da mancha gráfica. São separadas do texto por um espaço simples entre as linhas e por um filete de 5 cm, a partir da margem esquerda. A numeração deve ser feita em algarismos arábicos, com numeração única e consecutiva para cada capítulo ou parte. São alinhadas a partir da segunda linha da mesma nota, abaixo da primeira letra da primeira palavra, de forma a destacar o expoente (número), sem espaço entre elas e com a fonte menor. As notas de rodapé são de ocorrência eventual e podem ser:

20 19 notas de referência: indicam as fontes bibliográficas para comprovação das informações do leitor, indicam a relação do trabalho com outros textos ou com outras partes do mesmo trabalho; notas explicativas: são explicações, comentários que não podem ser incluídos no texto. Devem ser breves e relativas ao assunto abordado. Paginação: as páginas são numeradas com algarismo arábico em ordem crescente (1,2,3,4...). A localização dos números fica a critério do projeto gráfico da editora, desde que fora da mancha, para a padronização deste tipo de publicação, decidiu-se que ficará localizado ao lado direito da extremidade inferior da folha. O início da contagem será a partir da folha de rosto, mas a numeração deve aparecer a partir da segunda página após o sumário. Se o folheto tiver apêndice ou anexo, a numeração das páginas destes é sequencial à do texto principal. Citação: se houver citações, devem-se seguir as normas da ABNT NBR Informação e documentação Citações em documentos Apresentação de ago./2002. Numeração das seções: é necessário utilizar a numeração progressiva para capítulos ou seções do texto, a fim de demonstrar a sequência do trabalho e as subordinações a que um título está relacionado a outro. Conforme a NBR 6024 Informação e documentação Numeração progressiva das seções de um documento escrito Apresentação (2003), na numeração se utiliza algarismos arábicos. O indicativo de seção (número) deve ser alinhado na margem esquerda, precedendo o título, separado dele por um espaço. É importante salientar que não se utiliza ponto, hífen, travessão ou qualquer sinal após o indicativo de seção ou título. A numeração das seções deve ser limitada até a seção quinária, sendo que o indicativo das seções primárias deve ser escrito em números inteiros a partir de 1. Já o indicativo de uma seção secundária é composto pelo indicativo da seção primária a

21 20 que pertence, seguido do número que lhe for atribuído na sequência do assunto e separado por ponto. Em relação às outras seções, repete-se o mesmo processo (QUADRO 2). Utilizam-se os recursos de negrito, itálico ou grifo, caixa alta ou versal e outros para destacar os títulos das seções. As seções devem possuir um texto relacionado com elas, o qual inicia-se em outra linha. Os títulos das seções primárias devem começar em página ímpar (anverso), na parte superior da página e ser separados do texto que os sucede por um espaço entre as linhas de 1,5, o mesmo deve ser seguido para os títulos das subseções, onde deve conter o espaço de 1,5 antes e depois do título. Caso os títulos ocupem mais de uma linha, a partir da segunda linha, devem ser alinhados abaixo da primeira letra da primeira palavra do título. Os títulos que não possuírem indicativo numérico (agradecimentos, resumos, sumário, referências, apêndice, listas de figuras, de siglas, etc.), devem ser centralizados. Se for necessário enumerar os diferentes assuntos de uma seção que não contenha título, esta deve ser subdivida em alíneas, as quais são ordenadas alfabeticamente. O texto das alíneas começa por letra minúscula e termina em ponto-evírgula, com exceção da última, que termina em ponto; o trecho final do texto correspondente, anterior às alíneas, termina em dois pontos; as letras indicativas das alíneas são reentradas em relação à margem esquerda; a segunda e seguintes linhas do texto da alínea começam sob a primeira letra da própria alínea. SEÇÃO Primária Secundária Terciária Quaternária Quinária Alíneas INDICATIVO NUMÉRICO / TÍTULO 1 FUNDAMENTOS DA MICROBIOLOGIA 1.1 O MUNDO MICROBIANO E VOCÊ Os micróbios em nossas vidas Nomenclatura Tipos de microrganismos a) bactérias b) fungos QUADRO 2 Numeração das seções Fonte: Os organizadores

22 Elementos Pós-Textuais Elementos pós-textuais são aqueles que sucedem o texto e complementam o trabalho. São eles: a) referências: é a indicação de todas as obras consultadas durante a elaboração da publicação, segundo a NBR 6023 Informação e documentação Referências Elaboração (2002) é o conjunto padronizado de elementos descritivos, retirados de um documento, que permite a sua identificação individual. As referências são alinhadas à esquerda e digitadas em espaço simples. Para separar as referências utilizam-se dois espaços simples. Devem ser elaboradas de acordo com a ABNT NBR b) glossário: lista das palavras ou expressões técnicas de uso restrito ou sentido obscuro que aparecem no texto. É apresentada em ordem alfabética, com as respectivas definições. GLOSSÁRIO Análise de Sistemas: Análise metódica dos passos a executar para a solução de problemas em áreas técnico-científicas. Biometria: Ciência que estuda e desenvolve equipamentos que envolvem a mensuração dos seres vivos. Cabeamento: É o conjunto de fios que ligam as máquinas em uma rede e por onde trafegam os dados. Chat: Bate-papo online, utilizando canais de IRC ou programas da web. Telemática: fusão dos elementos de telecomunicações com a informática. Web: Serviço WWW da internet. FIGURA 10 Glossário Fonte: Os organizadores

23 22 c) apêndices: são documentos elaborados pelo autor do trabalho, com intuito de complementar sua argumentação, sem prejudicar o tema central do trabalho. São identificados com letras maiúsculas consecutivas, travessão e título. APÊNDICE A - Questionário Sócio-Demográfico 1) Sexo: Masculino Feminino 2) Idade (anos): mais de 54 3) Estado civil: Solteiro(a) Casado(a) Separado(a) Viúvo(a) 4) Escolaridade Ensino Fundamental Ensino Médio Ensino Superior Outros 5) Renda Familiar: Entre 3 e 5 Até 3 salários salários Mais de 5 salários FIGURA 11 Apêndice Fonte: Os organizadores d) anexos: são textos ou documentos utilizados como fundamentação, comprovação e ilustração não elaborados pelo autor. São identificados com letras maiúsculas consecutivas, travessão e título.

24 23 ANEXO A NBR Fonte: Associação Brasileira de Normas Técnicas, FIGURA 12 Anexo Fonte: Os organizadores e) colofão: indicação do nome do impressor, local e data da impressão, localizado de preferência, na última folha da publicação. Podem ser acrescentadas outras características tipográficas da obra. Caso a composição e impressão forem feitas em mais de um estabelecimento, deve-se indicar os dados de todos eles. Edição feita pela Editora Asas, impressa pela Gráfica Dois Irmãos em julho de FIGURA 13 Colofão Fonte: Os organizadores

25 Normas específicas para a padronização da formatação dos folhetos Especificamente para alguns itens, decidiu-se adotar as seguintes normas quanto à formatação dos folhetos: a) cor: para todo o texto e ilustrações deve-se utilizar a cor preta; b) formato do papel: conforme normas da ABNT, o formato é em papel A4. No entanto, decidiu-se que para as publicações do campus, utilizará o formato A5 (14,8 cm x 21 cm); c) margens: no anverso do folheto: esquerda e superior de 3 cm, direita e inferior de 2 cm; no verso: direita e superior de 3 cm, esquerda e inferior de 2 cm; d) fonte: recomenda-se utilizar a fonte Times New Roman ou Arial, na presente publicação, optou-se pela fonte ARIAL; e) tamanho da fonte: 12 para todo o trabalho, inclusive capa, EXCETO citações com mais de três linhas, notas de rodapé, paginação, dados internacionais de catalogação na publicação, legendas e fontes das ilustrações e tabelas, que devem ser em tamanho 10; os títulos terão tamanho 14, em CAIXA ALTA e Negrito; f) espaçamento e alinhamento: o texto deve ser justificado e ter o espaçamento de 1,5 entre as linhas, EXCETO, citações com mais de três linhas, notas de rodapé, resumo, títulos com mais de uma linha, legendas das ilustrações e das tabelas, que devem ser digitados em espaço simples; g) parágrafo: os parágrafos devem iniciar com tabulação equivalente a 1,2 cm.

26 25 REFERÊNCIAS ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 6023 : informação e documentação : referências : elaboração. Rio de Janeiro, NBR 6024 : informação e documentação : numeração progressiva das seções de um documento escrito : apresentação. Rio de Janeiro, NBR 6027 : informação e documentação : sumário : apresentação. Rio de Janeiro, NBR 6029 : informação e documentação : livros e folhetos : apresentação. Rio de Janeiro, NBR : informação e documentação : citações em documentos : apresentação. Rio de Janeiro, NBR : informação e documentação : lombada : apresentação. Rio de Janeiro, NBR : informação e documentação : trabalhos acadêmicos : apresentação. Rio de Janeiro, FRANÇA, Júnia Lessa; VASCONCELLOS, Ana Cristina de. Manual para normalização de publicações técnico-científicas. 8. ed. rev. e ampl. Belo Horizonte : Ed. UFMG, MIRANDA, José Luis Carneiro de; GUSMÃO, Heloisa Rios. Apresentação e elaboração de projetos e monografias. Niterói: EDUFF, OLIVEIRA, Luis Cláudio Vieira; CORRÊA, Osvaldo Manoel. Normas para redação de trabalhos acadêmicos, dissertações e teses. 2. ed. rev. Belo Horizonte : Universidade FUMEC, SEVERINO, Antonio Joaquim. Metodologia do trabalho científico. São Paulo: Cortez, 1996.

Guia para apresentação do trabalho acadêmico:

Guia para apresentação do trabalho acadêmico: BIBLIOTECA COMUNITÁRIA Guia para apresentação do trabalho acadêmico: de acordo com NBR 14724/2011 São Carlos 2011 Guia para apresentação do trabalho acadêmico As orientações abaixo são de acordo com NBR

Leia mais

Guia para apresentação do trabalho acadêmico:

Guia para apresentação do trabalho acadêmico: BIBLIOTECA COMUNITÁRIA Guia para apresentação do trabalho acadêmico: de acordo com NBR 14724/2005 São Carlos 2010 Guia para apresentação do trabalho acadêmico As orientações abaixo são de acordo com a

Leia mais

ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas)

ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas) ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas) Um resumo das normas Este resumo é indicado, principalmente, para quem for escrever um trabalho científico. Como a própria ABNT diz, ao introduzir o texto

Leia mais

NORMAS PARA ELABORAÇÃO DE RELATÓRIOS DE ESTÁGIO

NORMAS PARA ELABORAÇÃO DE RELATÓRIOS DE ESTÁGIO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO TRIÂNGULO MINEIRO CAMPUS UBERABA - MG NORMAS PARA ELABORAÇÃO DE RELATÓRIOS DE ESTÁGIO UBERABA-MG 2010 SUMÁRIO

Leia mais

MARIA BERNADETE MIRANDA

MARIA BERNADETE MIRANDA MARIA BERNADETE MIRANDA Trabalhos Acadêmicos segundo a ABNT-NBR 14724:2002 NORMALIZAÇÃO DOCUMENTÁRIA! Referências! Citações em documentos! Trabalhos Acadêmicos ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS!

Leia mais

REGRAS BÁSICAS PARA APRESENTAÇÃO FORMAL DE TRABALHOS

REGRAS BÁSICAS PARA APRESENTAÇÃO FORMAL DE TRABALHOS REGRAS BÁSICAS PARA APRESENTAÇÃO FORMAL DE TRABALHOS Estas regras são aplicadas a todos os Trabalhos acadêmicos ou similares (trabalho de conclusão de curso (TCC), trabalho de graduação interdisciplinar,

Leia mais

AÇÕES PARA ORGANIZAÇÃO DE ARTIGO TEXTO RETIRADO E ADAPTADO DO MANUAL PARA APRESENTAÇÃO DE ARTIGOS CIENTÍFICOS DO CENTRO UNIVERSITÁRIO LA SALLE.

AÇÕES PARA ORGANIZAÇÃO DE ARTIGO TEXTO RETIRADO E ADAPTADO DO MANUAL PARA APRESENTAÇÃO DE ARTIGOS CIENTÍFICOS DO CENTRO UNIVERSITÁRIO LA SALLE. AÇÕES PARA ORGANIZAÇÃO DE ARTIGO TEXTO RETIRADO E ADAPTADO DO MANUAL PARA APRESENTAÇÃO DE ARTIGOS CIENTÍFICOS DO CENTRO UNIVERSITÁRIO LA SALLE. CANOAS/2014 A estrutura deste manual foi elaborada com base

Leia mais

Roteiro de Normas Técnicas para apresentação de trabalhos acadêmicos, dissertações, teses e monografias Rede Gonzaga de Ensino Superior

Roteiro de Normas Técnicas para apresentação de trabalhos acadêmicos, dissertações, teses e monografias Rede Gonzaga de Ensino Superior Objetivo: As normas da ABNT tem o objetivo de facilitar e determinar um padrão nos trabalhos, facilitando assim a avaliação das escolas e universidades, dentro de um mesmo parâmetro de apresentação. Elas

Leia mais

A estrutura de um trabalho, de acordo com a ABNT/NBR-14724, compreende três elementos: Pré textuais, Textuais Pós textuais.

A estrutura de um trabalho, de acordo com a ABNT/NBR-14724, compreende três elementos: Pré textuais, Textuais Pós textuais. APRESENTAÇÃO Para ficar claro, é necessário fazer distinções entre padrões e normas, já que normas da ABNT são constituídas de regras a serem seguidas, objetivando a qualidade em produções científicas,

Leia mais

ASPECTOS NORMATIVOS E TIPOGRÁFICOS DO ARTIGO CIENTÍFICO baseados na NBR 6022, 2003

ASPECTOS NORMATIVOS E TIPOGRÁFICOS DO ARTIGO CIENTÍFICO baseados na NBR 6022, 2003 FACULDADE DE ENSINO SUPERIOR DOM BOSCO CORNÉLIO PROCÓPIO - PR ASPECTOS NORMATIVOS E TIPOGRÁFICOS DO ARTIGO CIENTÍFICO baseados na NBR 6022, 2003 1 INTRODUÇÃO As orientações aqui apresentadas são baseadas

Leia mais

NBR 6024:1989 - Numeração progressiva das seções de um documento - Procedimento

NBR 6024:1989 - Numeração progressiva das seções de um documento - Procedimento SET 2002 NBR 6029 ABNT - Associação Brasileira de Normas Técnicas Informação e documentação - Livros e folhetos - Apresentação Sede: Rio de Janeiro Av. Treze de Maio, 13-28º andar CEP 20003-900 - Caixa

Leia mais

ABNT NBR 14724 NORMA BRASILEIRA. Informação e documentação Trabalhos acadêmicos Apresentação

ABNT NBR 14724 NORMA BRASILEIRA. Informação e documentação Trabalhos acadêmicos Apresentação NORMA BRASILEIRA ABNT NBR 14724 Segunda edição 30.12.2005 Válida a partir de 30.01.2006 Informação e documentação Trabalhos acadêmicos Apresentação Information and documentation Presentation of academic

Leia mais

NORMAS DE APRESENTAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS 2013 DISSERTAÇÃO E TESE

NORMAS DE APRESENTAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS 2013 DISSERTAÇÃO E TESE UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA ESCOLA DE ENFERMAGEM PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENFERMAGEM NORMAS DE APRESENTAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS 2013 DISSERTAÇÃO E TESE Este documento refere-se às Normas de Apresentação

Leia mais

NORMAS ABNT- UFF - março de 2015 TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO

NORMAS ABNT- UFF - março de 2015 TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO CURSO DE TURISMO 1 NORMAS ABNT- UFF - março de 2015 TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO Conforme estabelecido pela ABNT - NBR 14724:2011 Informação e documentação Trabalhos acadêmicos Apresentação As informações

Leia mais

MANUAL DE ELABORAÇÃO PARA APRESENTAÇÃO DO PROJETO DE QUALIFICAÇÃO E TESE

MANUAL DE ELABORAÇÃO PARA APRESENTAÇÃO DO PROJETO DE QUALIFICAÇÃO E TESE UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE PRÓ-REITORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM DESENVOLVIMENTO E MEIO AMBIENTE MANUAL DE ELABORAÇÃO PARA APRESENTAÇÃO DO PROJETO DE QUALIFICAÇÃO E

Leia mais

MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE PROJETO DE PESQUISA

MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE PROJETO DE PESQUISA MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE PROJETO DE PESQUISA Considera-se projeto de pesquisa um plano ou uma orientação metódica acerca dos passos que devem ser executados na pesquisa de forma concreta, atendendo a

Leia mais

Disciplina: Seminários. Curso: Administração

Disciplina: Seminários. Curso: Administração Disciplina: Seminários Curso: Administração Texto 5: NORMAS PARA FORMATAÇÃO DO TRABALHO CIENTÍFICO / ACADÊMICO NBR 14724/2005 A normalização de documentos técnico-científicos tem como finalidade tornar

Leia mais

MANUAL DE TRABALHOS ACADÊMICOS

MANUAL DE TRABALHOS ACADÊMICOS MANUAL DE TRABALHOS ACADÊMICOS Apresentação gráfica Segundo normas estabelecidas pela Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) e atualizado com as alterações da NBR 14724/11 Trabalhos Acadêmicos.

Leia mais

NORMAS PARA A APRESENTAÇÃO DA VERSÃO DEFINITIVA DA DISSERTAÇÃO NO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ZOOTECNIA

NORMAS PARA A APRESENTAÇÃO DA VERSÃO DEFINITIVA DA DISSERTAÇÃO NO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ZOOTECNIA NORMAS PARA A APRESENTAÇÃO DA VERSÃO DEFINITIVA DA DISSERTAÇÃO NO 1. VERSÃO FINAL O original da versão final da Dissertação deverá ser entregue pelo aluno a Coordenação do Programa de Pós-Graduação em

Leia mais

Escola SENAI Jose Polizotto. Biblioteca - Escola SENAI Jose Polizotto. Manual para elaboração de trabalhos. acadêmicos

Escola SENAI Jose Polizotto. Biblioteca - Escola SENAI Jose Polizotto. Manual para elaboração de trabalhos. acadêmicos Escola SENAI Jose Polizotto Biblioteca - Escola SENAI Jose Polizotto Manual para elaboração de trabalhos acadêmicos Marília 2008 Biblioteca - Escola SENAI José Polizotto Manual para elaboração de trabalhos

Leia mais

RECOMENDAÇÕES PARA ELABORAÇÃO

RECOMENDAÇÕES PARA ELABORAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS FARMACÊUTICAS RECOMENDAÇÕES PARA ELABORAÇÃO DE TESES E DISSERTAÇÕES REVISADO EM SETEMBRO DE 2011 DE ACORDO COM RESOLUÇÃO

Leia mais

Faculdade de Alta Floresta (FAF) Programa de Iniciação Científica MANUAL DE NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE ARTIGOS CIENTÍFICOS

Faculdade de Alta Floresta (FAF) Programa de Iniciação Científica MANUAL DE NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE ARTIGOS CIENTÍFICOS Faculdade de Alta Floresta (FAF) Programa de Iniciação Científica MANUAL DE NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE ARTIGOS CIENTÍFICOS Alta Floresta-MT 2015 Programa de Iniciação Científica MANUAL DE NORMAS PARA

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO DE UNIÃO DA VITÓRIA - UNIUV CURSO DE ADMINISTRAÇÃO MARIO DE SOUZA APRESENTAÇÃO DE TRABALHOS CIENTÍFICOS: MODELO TRABALHO COMPLETO

CENTRO UNIVERSITÁRIO DE UNIÃO DA VITÓRIA - UNIUV CURSO DE ADMINISTRAÇÃO MARIO DE SOUZA APRESENTAÇÃO DE TRABALHOS CIENTÍFICOS: MODELO TRABALHO COMPLETO - capa A capa é a proteção externa do trabalho, padronizada. CENTRO UNIVERSITÁRIO DE UNIÃO DA VITÓRIA - UNIUV Nome do curso TODO O TRABALHO: Os textos devem ser apresentados em papel branco (sem marca

Leia mais

1 Apresentação 2 Formatação do texto Papel: Margens: Tipo de Letra: Tamanho da fonte: Espaço entre as linhas:

1 Apresentação 2 Formatação do texto Papel: Margens: Tipo de Letra: Tamanho da fonte: Espaço entre as linhas: 1 2 1 Apresentação Este documento tem por objetivo apresentar orientações para a redação e formatação do Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) na modalidade de Artigo Científico. Para a elaboração do artigo

Leia mais

DIRETRIZES PARA APRESENTAÇÃO DOS TRABALHOS DE CONCLUSÃO DE CURSO DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO (TCC)

DIRETRIZES PARA APRESENTAÇÃO DOS TRABALHOS DE CONCLUSÃO DE CURSO DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO (TCC) DIRETRIZES PARA APRESENTAÇÃO DOS TRABALHOS DE CONCLUSÃO DE CURSO DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO (TCC) RIO DE JANEIRO 2009 2 APRESENTAÇÃO Estas diretrizes têm por objetivo padronizar a apresentação dos Trabalhos

Leia mais

PIM V. Projeto Integrado Multidisciplinar

PIM V. Projeto Integrado Multidisciplinar PIM V Projeto Integrado Multidisciplinar PIM V - PROJETO INTEGRADO MULTIDISCIPLINAR TEMA: Propor a aplicação dos conhecimentos adquiridos nas disciplinas do semestre no funcionamento dos sistemas de Saúde

Leia mais

EDITORA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE

EDITORA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE 1 UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE REITOR Josué Modesto dos Passos Subrinho VICE-REITOR Angelo Roberto Antoniolli EDITORA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE Coordenador do Programa Editorial Péricles

Leia mais

MANUAL PARA ELABORAÇÃO E NORMATIZAÇÃO DE ARTIGOS CIENTÍFICOS

MANUAL PARA ELABORAÇÃO E NORMATIZAÇÃO DE ARTIGOS CIENTÍFICOS ISSN online: 2318-4299 MANUAL PARA ELABORAÇÃO E NORMATIZAÇÃO DE ARTIGOS CIENTÍFICOS 2ª Edição revisada e ampliada www.incentivoaciencia.com.br Brasil 2015 APRESENTAÇÃO A Associação Brasileira de Incentivo

Leia mais

Profª. Drª. Sílvia Maria Agatti Lüdorf

Profª. Drª. Sílvia Maria Agatti Lüdorf UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE ESCOLA DE EDUCAÇÃO FÍSICA E DESPORTOS NORMAS PARA A FORMATAÇÃO DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO (TCC) - MONOGRAFIA E ARTIGO CIENTÍFICO

Leia mais

MANUAL PARA NORMATIZAÇÃO - TCC

MANUAL PARA NORMATIZAÇÃO - TCC Etec de Esportes Curt Walter Otto Baumgart Biblioteca da Etec de Esportes Curt Walter Otto Baumgart MANUAL PARA NORMATIZAÇÃO - TCC São Paulo, 2014 ii FORMATO DO TCC Tamanho do papel: A4 (21 cm 29,7 cm);

Leia mais

NORMAS PARA ELABORAÇÃO DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DO CURSO DE INGRESSO E VITALICIAMENTO DOS NOVOS MEMBROS DO MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DO CEARÁ

NORMAS PARA ELABORAÇÃO DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DO CURSO DE INGRESSO E VITALICIAMENTO DOS NOVOS MEMBROS DO MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DO CEARÁ GESTÃO2010/2012 ESCOLASUPERIORDOMINISTÉRIOPÚBLICO(Art.1ºdaLei11.592/89) Credenciada pelo Parecer 559/2008, de 10/12/08, do CEC (Art. 10, IV da Lei Federal n.º 9.394, de 26/12/1996 - LDB) NORMAS PARA ELABORAÇÃO

Leia mais

Universidade Federal de Juiz de Fora Departamento de Nutrição Curso de Nutrição MANUAL DE RELATÓRIO DE AULAS PRÁTICAS

Universidade Federal de Juiz de Fora Departamento de Nutrição Curso de Nutrição MANUAL DE RELATÓRIO DE AULAS PRÁTICAS Universidade Federal de Juiz de Fora 0 MANUAL DE RELATÓRIO DE AULAS PRÁTICAS Professores: Renato Moreira Nunes Cristiane Gonçalves de Oliveira Fialho Paulo Henrique Fonseca da Silva Renata Maria Souza

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE MINAS GERAIS CAMPUS

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE MINAS GERAIS CAMPUS MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE MINAS GERAIS CAMPUS GOVERNADOR VALADARES COORDENAÇÃO DO ENSINO MÉDIO - CEM

Leia mais

LIBREOFFICE WRITER VERSÃO 08.2012 DE TRABALHOS CIENTÍFICOS UTILIZANDO O

LIBREOFFICE WRITER VERSÃO 08.2012 DE TRABALHOS CIENTÍFICOS UTILIZANDO O UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ PRÓ-REITORIA DE RECURSOS HUMANOS E ASSUNTOS COMUNITÁRIOS - PRH DIRETORIA DE RECURSOS HUMANOS - DRH DIVISÃO DE TREINAMENTO E DESENVOLVIMENTO - TDE FORMATAÇÃO DE TRABALHOS

Leia mais

DIRETRIZES PARA A APRESENTAÇÃO GRÁFICA (NBR 6022, 2003) DE UM ARTIGO CIENTÍFICO

DIRETRIZES PARA A APRESENTAÇÃO GRÁFICA (NBR 6022, 2003) DE UM ARTIGO CIENTÍFICO DIRETRIZES PARA A APRESENTAÇÃO GRÁFICA (NBR 6022, 2003) DE UM ARTIGO CIENTÍFICO Considerando-se que artigos científicos integram o conteúdo de publicações mais amplas (publicações periódicas tais como

Leia mais

Programa de Pós-graduação em Biofotônica Aplicada às Ciências da Saúde Universidade Nove de Julho - UNINOVE

Programa de Pós-graduação em Biofotônica Aplicada às Ciências da Saúde Universidade Nove de Julho - UNINOVE Programa de Pós-graduação em Biofotônica Aplicada às Ciências da Saúde Universidade Nove de Julho - UNINOVE Normas para Redação de Dissertações/Teses 1. Estrutura A estrutura de uma dissertação, tese ou

Leia mais

Procedimentos para apresentação e normalização de trabalhos acadêmicos

Procedimentos para apresentação e normalização de trabalhos acadêmicos Procedimentos para apresentação e normalização de trabalhos acadêmicos Maria Bernardete Martins Alves Marili I. Lopes Procedimentos para apresentação e normalização de trabalhos acadêmicos Módulo 3 Apresentação

Leia mais

- TCC A/B - ORIENTAÇÕES PARA ESTRUTURAÇÃO E FORMATAÇÃO (Versão 1.3 Agosto de 2008)

- TCC A/B - ORIENTAÇÕES PARA ESTRUTURAÇÃO E FORMATAÇÃO (Versão 1.3 Agosto de 2008) Faculdade Dom Bosco de Porto Alegre Curso de Sistemas de Informação Trabalho de Conclusão de Curso Prof. Dr. Luís Fernando Garcia - TCC A/B - ORIENTAÇÕES PARA ESTRUTURAÇÃO E FORMATAÇÃO (Versão 1.3 Agosto

Leia mais

Departamento de Tecnologia da Informação TCC

Departamento de Tecnologia da Informação TCC Departamento de Tecnologia da Informação TCC Roteiro com Orientações para Elaboração e Entrega do Trabalho de Conclusão de Curso de Análise e Desenvolvimento de Sistemas (ADS) da Faculdade de Tecnologia

Leia mais

Regras e Normas Modelo de Resumo e de Banner XIV Semana da Engenharia e XIV SINCAL

Regras e Normas Modelo de Resumo e de Banner XIV Semana da Engenharia e XIV SINCAL Modelo de Resumo Configuração de página: Regras e Normas Modelo de Resumo e de Banner XIV Semana da Engenharia e XIV SINCAL Tamanho: A4 (210x297mm); Margens: 3 cm à esquerda e superior e 2 cm à direita

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO UNIRIO Centro de Ciências Humanas e Sociais CCHS Programa de Pós-Graduação em Educação Mestrado

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO UNIRIO Centro de Ciências Humanas e Sociais CCHS Programa de Pós-Graduação em Educação Mestrado UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO UNIRIO Centro de Ciências Humanas e Sociais CCHS Programa de Pós-Graduação em Educação Mestrado MANUAL DE DEFESA Exame de Qualificação: banca examinadora

Leia mais

Checklist da Estrutura de Monografia, Tese ou Dissertação na MDT UFSM 2010

Checklist da Estrutura de Monografia, Tese ou Dissertação na MDT UFSM 2010 1 Checklist da Estrutura de Monografia, Tese ou Dissertação na MDT UFSM 2010 Pré-textuais Textuais Pós-textuais Estrutura Elemento OK Capa (obrigatório) Anexo A (2.1.1) Lombada (obrigatório) Anexo H Folha

Leia mais

Apresentação de Trabalhos Acadêmicos ABNT

Apresentação de Trabalhos Acadêmicos ABNT Apresentação de Trabalhos Acadêmicos ABNT Editoração do Trabalho Acadêmico 1 Formato 1.1. Os trabalhos devem ser digitados em papel A-4 (210 X297 mm) apenas no anverso (frente) da folha. 2 Tipo e tamanho

Leia mais

NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETO DE PESQUISA

NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETO DE PESQUISA NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETO DE PESQUISA (ABNT - NBR 15287- válida a partir de 30.01.2006) 1 COMPONENTES DE UM PROJETO DE PESQUISA (itens em negrito são obrigatórios) ELEMENTOS PRÉ-TEXTUAIS Capa

Leia mais

NORMALIZAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS ABNT TRABALHOS ACADÊMICOS:

NORMALIZAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS ABNT TRABALHOS ACADÊMICOS: MANUAL PARA TCC www.etecmonteaprazivel.com.br Estrada do Bacuri s/n Caixa Postal 145 Monte Aprazível SP CEP 15150-000 Tel.: (17) 3275.1522 Fax: (17) 3275.1841 NORMALIZAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS ABNT

Leia mais

CONSULTIME GESTÃO DE ENSINO ADRIANA SARTÓRIO RICCO. NORMAS PARA ELABORAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS (Monografias e Trabalhos para Disciplinas)

CONSULTIME GESTÃO DE ENSINO ADRIANA SARTÓRIO RICCO. NORMAS PARA ELABORAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS (Monografias e Trabalhos para Disciplinas) CONSULTIME GESTÃO DE ENSINO Faculdade de Ciências e Educação do Espírito Santo UNIVES Faculdade de Educação de Vitória - AUFES Professora Organizadora: ADRIANA SARTÓRIO RICCO NORMAS PARA ELABORAÇÃO DE

Leia mais

MANUAL PARA ELABORAÇÃO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO

MANUAL PARA ELABORAÇÃO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO MANUAL PARA ELABORAÇÃO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO FLORIANO/ 2012 É importante enfatizar que as regras constantes neste manual para a apresentação do projeto de TCC e para a apresentação do próprio

Leia mais

GUIA PARA ELABORAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS (Conforme as Normas Técnicas da ABNT)

GUIA PARA ELABORAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS (Conforme as Normas Técnicas da ABNT) GUIA PARA ELABORAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS (Conforme as Normas Técnicas da ABNT) Maceió 2011 1 TIPOS DE TRABALHOS CIENTÍFICOS Na academia de ensino superior podemos encontrar os seguintes tipos de trabalhos:

Leia mais

Normas ABNT para Trabalhos

Normas ABNT para Trabalhos Normas ABNT para Trabalhos CAPA: Nome da Instituição: fonte tamanho 12 e centralizado. Nome dos autores: fonte tamanho 12, centralizado em ordem alfabética. Título: fonte tamanho 14 em negrito e centralizado.

Leia mais

ABNT NBR 14724 [terceira edição atualizada em 2011]

ABNT NBR 14724 [terceira edição atualizada em 2011] ABNT NBR 14724 [terceira edição atualizada em 2011] Professora Alcione Mazur 25/07/11 Cancela e substitui a edição anterior. ABNT NBR 14724: 2005 Não houve alterações na estrutura do trabalho, mas em uma

Leia mais

DE ARTIGO CIENTÍFICO

DE ARTIGO CIENTÍFICO CURSOS DE COMUNICAÇÃO SOCIAL, TURISMO, DIREITO E PÓS-GRADUAÇÃO Maria Paulina Gomes Maria Paulina Gomes Manual elaborado para orientar os alunos que estão realizando a disciplina Trabalho de Conclusão

Leia mais

PASSO-A-PASSO PARA DESENVOLVER E REDIGIR UM ARTIGO CIENTÍFICO

PASSO-A-PASSO PARA DESENVOLVER E REDIGIR UM ARTIGO CIENTÍFICO CURSO DE PEDAGOGIA EaD PASSO-A-PASSO PARA DESENVOLVER E REDIGIR UM ARTIGO CIENTÍFICO 1. CARACTERÍSTICAS E CONCEITUAÇÃO Este texto trata a respeito das Normas da ABNT com a finalidade de orientar os acadêmicos

Leia mais

Manual de Normas Técnicas do Trabalho Acadêmico Trabalho de Conclusão de Curso (TCC)

Manual de Normas Técnicas do Trabalho Acadêmico Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) Manual de Normas Técnicas do Trabalho Acadêmico Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) Aprovado pelo CONASU em 23/07/2015 Lauro de Freitas 2015 2 SUMÁRIO Apresentação 3 1 ESTRUTURA DE TRABALHOS ACADÊMICOS

Leia mais

Roteiro de normalização para trabalhos escolares Informações básicas

Roteiro de normalização para trabalhos escolares Informações básicas COLÉGIO SANTA MARIA SISTEMA DE BIBLIOTECAS Roteiro de normalização para trabalhos escolares Informações básicas DANIELA LUZIA DA SILVA GOMES SIMONE DE SOUZA SANTOS TATIANA DIAS IGNÁCIO Belo Horizonte 2014

Leia mais

SISTEMA DE BIBLIOTECAS FMU/FIAM-FAAM/FISP NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETOS DE PESQUISA

SISTEMA DE BIBLIOTECAS FMU/FIAM-FAAM/FISP NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETOS DE PESQUISA SISTEMA DE BIBLIOTECAS FMU/FIAM-FAAM/FISP NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETOS DE PESQUISA São Paulo 2014 SUMÁRIO APRESENTAÇÃO 1 ELEMENTOS EXTERNOS 1.1 CAPA 1.2 LOMBADA 2 ELEMENTOS INTERNOS PRÉ-TEXTUAIS

Leia mais

PROGRAMA ASSOCIADO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM EDUCAÇÃO FÍSICA UPE/UFPB

PROGRAMA ASSOCIADO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM EDUCAÇÃO FÍSICA UPE/UFPB PROGRAMA ASSOCIADO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM EDUCAÇÃO FÍSICA UPE/UFPB NORMA PAPGEF UPE/UFPB N 002/2015 DISPÕE SOBRE A NORMATIZAÇÃO PARA ELABORAÇÃO DAS DISSERTAÇÕES E TESES NO PAPGEF UPE/UFPB. Art. 1. Os concluintes

Leia mais

PARA ELABORAÇÃO DE TRABALHO CIENTÍFICO DE CONCLUSÃO DO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM PROCESSO

PARA ELABORAÇÃO DE TRABALHO CIENTÍFICO DE CONCLUSÃO DO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM PROCESSO MANUAL DE NORMAS TÉCNICAS 1 PARA ELABORAÇÃO DE TRABALHO CIENTÍFICO DE CONCLUSÃO DO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM PROCESSO PENAL IBCCRIM-COIMBRA, REALIZADO PELO INSTITUTO BRASILEIRO DE CIÊNCIAS CRIMINAIS (IBCCRIM)

Leia mais

Manual para normalização de trabalhos técnicos científicos

Manual para normalização de trabalhos técnicos científicos Padrão FEAD de normalização Manual para normalização de trabalhos técnicos científicos Objetivo Visando padronizar os trabalhos científicos elaborados por alunos de nossa instituição Elaboramos este manual

Leia mais

NBR 14724/2011 ABNT NBR 14724/2011 NBR 14724/2011 NBR 14724/2011 NBR 14724/2011 NBR 14724/2011 19/10/2011. Objetivo

NBR 14724/2011 ABNT NBR 14724/2011 NBR 14724/2011 NBR 14724/2011 NBR 14724/2011 NBR 14724/2011 19/10/2011. Objetivo Objetivo ABNT Normas para elaboração de trabalhos científicos Esta Norma especifica os princípios gerais para a elaboração de trabalhos acadêmicos, visando sua apresentação à instituição Estrutura Parte

Leia mais

NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE MONOGRAFIA

NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE MONOGRAFIA ANEXO da Norma 004/2008 CCQ Rev 1, 28/09/2009 UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA INSTITUTO DE QUÍMICA CURSO DE GRADUAÇÃO EM QUÍMICA Salvador 2009 2 1 Objetivo Estabelecer parâmetros para a apresentação gráfica

Leia mais

FUNDAÇÃO EDUCACIONAL VALE DO SÃO FRANCISCO ESCOLA SUPERIOR EM MEIO AMBIENTE

FUNDAÇÃO EDUCACIONAL VALE DO SÃO FRANCISCO ESCOLA SUPERIOR EM MEIO AMBIENTE FUNDAÇÃO EDUCACIONAL VALE DO SÃO FRANCISCO ESCOLA SUPERIOR EM MEIO AMBIENTE NORMAS DE APRESENTAÇÃO DE RELATÓRIO DE AULA PRÁTICA (laboratório ou campo) E VISITAS TÉCNICAS. IGUATAMA-MG 2010 2 Atualizada

Leia mais

DESENVOLVIMENTO E ORGANIZA- ÇÃO DO TRABALHO CIENTÍFICO. META Descrever como proceder para melhor elaborar e organizar um trabalho científico.

DESENVOLVIMENTO E ORGANIZA- ÇÃO DO TRABALHO CIENTÍFICO. META Descrever como proceder para melhor elaborar e organizar um trabalho científico. DESENVOLVIMENTO E ORGANIZA- ÇÃO DO TRABALHO CIENTÍFICO Aula 3 META Descrever como proceder para melhor elaborar e organizar um trabalho científico. OBJETIVOS Ao final desta aula, o aluno(a) deverá: ler

Leia mais

Revista Cultivando o Saber

Revista Cultivando o Saber 1 FACULDADE ASSIS GURGACZ-FAG Cascavel - PR. Revista Cultivando o Saber INSTRUÇÕES PARA SUBMISSÃO DE TRABALHOS NA REVISTA CULTIVANDO O SABER Os trabalhos enviados à Revista Cultivando o Saber devem ser

Leia mais

CENTRO PAULA SOUZA FACULDADE DE TECNOLOGIA DE FRANCA. Dr. THOMAZ NOVELINO DIGITE NOME. TÍTULO (DIGITE: TEXTO FORMATADO) Subtítulo (use se necessário)

CENTRO PAULA SOUZA FACULDADE DE TECNOLOGIA DE FRANCA. Dr. THOMAZ NOVELINO DIGITE NOME. TÍTULO (DIGITE: TEXTO FORMATADO) Subtítulo (use se necessário) CENTRO PAULA SOUZA FACULDADE DE TECNOLOGIA DE FRANCA Dr. THOMAZ NOVELINO FORMATO DA FOLHA A4(21 CM X29,7 CM) ESPAÇAMENTO 1,5 MARGEM: SUPERIOR E ESQUERDA- 3 CM INFERIOR E DIREITA - 2 CM [f1] Comentário:

Leia mais

Guia para Apresentação de Trabalho Acadêmico: de acordo com NBR 14724/2011. São Carlos

Guia para Apresentação de Trabalho Acadêmico: de acordo com NBR 14724/2011. São Carlos Guia para Apresentação de Trabalho Acadêmico: de acordo com NBR 14724/2011 São Carlos Guia para Apresentação de Trabalho Acadêmico As orientações abaixo estão de acordo com NBR 14724/2011 da Associação

Leia mais

MONOGRAFIA ESTRUTURA DE MONOGRAFIAS

MONOGRAFIA ESTRUTURA DE MONOGRAFIAS MONOGRAFIA Trata-se de uma construção intelectual do aluno-autor que revela sua leitura, reflexão e interpretação sobre o tema da realidade. Tem como base a escolha de uma unidade ou elemento social, sob

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DA PARAÍBA PRÓ-REITORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA MESTRADO EM SAÚDE PÚBLICA NORMAS PARA ELABORAÇÃO DA DISSERTAÇÃO

UNIVERSIDADE ESTADUAL DA PARAÍBA PRÓ-REITORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA MESTRADO EM SAÚDE PÚBLICA NORMAS PARA ELABORAÇÃO DA DISSERTAÇÃO UNIVERSIDADE ESTADUAL DA PARAÍBA PRÓ-REITORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA MESTRADO EM SAÚDE PÚBLICA NORMAS PARA ELABORAÇÃO DA DISSERTAÇÃO CAMPINA GRANDE 2015 1 DISSERTAÇÃO A defesa pública da dissertação

Leia mais

NORMAS PARA ELABORAÇÃO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO

NORMAS PARA ELABORAÇÃO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO FUNDAÇÃO JOSÉ AUGUSTO VIEIRA FACULDADE JOSÉ AUGUSTO VIEIRA CURSO DE ADMINISTRAÇÃO ESTÁGIO SUPERVISIONADO NORMAS PARA ELABORAÇÃO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO Lagarto/SE, 2009 1 SUMÁRIO

Leia mais

Fraturas da Arte na Cultura Digital. Modos de perceber, produzir e preservar.

Fraturas da Arte na Cultura Digital. Modos de perceber, produzir e preservar. REVISTA PALÍNDROMO PPGAV/UDESC http://www.revistas.udesc.br/index.php/palindromo CHAMADA 11 / SEMESTRE 01-2014 Linha de pesquisa: Processos Artísticos Contemporâneos Estão convidados a participar pesquisadores

Leia mais

OBRIGATÓRIO= + OPCIONAL= *

OBRIGATÓRIO= + OPCIONAL= * Lombada* UFRGS FACULDADE DE CIÊNCIAS ECONÔMICAS BIBLIOTECA GLÁDIS W. DO AMARAL ORIENTAÇÃO SOBRE A ESTRUTURA DO TRABALHO ACADÊMICO Elementos póstextuais INDICES * PARTE INTERNA ANEXOS * APENDICES * GLOSSARIO

Leia mais

MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE MONOGRAFIAS DO CET/UnB

MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE MONOGRAFIAS DO CET/UnB UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA Centro de Excelência em Turismo MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE MONOGRAFIAS DO CET/UnB Por: Jakeline V. de Pádua APRESENTAÇÃO As páginas que se seguem especificam os princípios gerais

Leia mais

II Fórum de acessibilidade e II Seminário de ações afirmativas, diversidade e inclusão. OS TRABALHOS DEVERÃO SEGUIR A SEGUINTE FORMATAÇÃO:

II Fórum de acessibilidade e II Seminário de ações afirmativas, diversidade e inclusão. OS TRABALHOS DEVERÃO SEGUIR A SEGUINTE FORMATAÇÃO: II Fórum de acessibilidade e II Seminário de ações afirmativas, diversidade e inclusão. OS TRABALHOS DEVERÃO SEGUIR A SEGUINTE FORMATAÇÃO: I - RESUMO EXPANDIDO: Modalidade: Destinada a alunos de graduação,

Leia mais

MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE ARTIGOS DE PÓS-GRADUAÇÃO

MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE ARTIGOS DE PÓS-GRADUAÇÃO MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE ARTIGOS DE PÓS-GRADUAÇÃO Marechal Cândido Rondon PR 2013 SUMÁRIO 1. CARACTERÍSTICAS ESPECÍFICAS DOS ARTIGOS...3 1.1 Formato...3 1.2 Ciclo de vida...3 1.3 Características técnicas

Leia mais

Pós-Graduação em Engenharia de Materiais - POSMAT NORMAS DOS TRABALHOS ESCRITOS

Pós-Graduação em Engenharia de Materiais - POSMAT NORMAS DOS TRABALHOS ESCRITOS CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DE MINAS GERAIS Pós-Graduação em Engenharia de Materiais - POSMAT NORMAS DOS TRABALHOS ESCRITOS FORMATAÇÃO I. Deve-se manter, ao longo de todo o documento, a mesma

Leia mais

NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DOS TEXTOS COMPLETOS Luciane de Paula (Presidente da Comissão Editorial)

NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DOS TEXTOS COMPLETOS Luciane de Paula (Presidente da Comissão Editorial) NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DOS TEXTOS COMPLETOS Luciane de Paula (Presidente da Comissão Editorial) Informações gerais A Revista de Estudos Discursivos, gerada a partir das comunicações apresentadas no interior

Leia mais

As partes que compõem o trabalho acadêmico são:

As partes que compõem o trabalho acadêmico são: APRESENTAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS Picos, 2009 Apresentação O conhecimento científico tem como princípio fundamental a objetividade, tendo como premissa a sua legitimidade junto à comunidade científica.

Leia mais

Diretrizes para Autores

Diretrizes para Autores Diretrizes para Autores Os manuscritos recebidos eletronicamente (em ), que estiverem de acordo com as normas da revista e forem considerados potencialmente publicáveis pela,

Leia mais

ABNT NBR 15287 NORMA BRASILEIRA. Informação e documentação Projeto de pesquisa Apresentação

ABNT NBR 15287 NORMA BRASILEIRA. Informação e documentação Projeto de pesquisa Apresentação NORMA BRASILEIRA ABNT NBR 15287 Primeira edição 30.12.2005 Válida a partir de 30.01.2006 Informação e documentação Projeto de pesquisa Apresentação Information and documentation Research project Presentation

Leia mais

MODELO PARA FORMATAÇÃO DE ARTIGO PARA FACULDADE DE TECNOLOGIA DE LINS PROF. ANTÔNIO SEABRA

MODELO PARA FORMATAÇÃO DE ARTIGO PARA FACULDADE DE TECNOLOGIA DE LINS PROF. ANTÔNIO SEABRA MODELO PARA FORMATAÇÃO DE ARTIGO PARA FACULDADE DE TECNOLOGIA DE LINS PROF. ANTÔNIO SEABRA Primeiro autor 1, Segundo autor 2 Orientador 3 1,2 Acadêmicos do Curso de... da Faculdade de Tecnologia de Lins

Leia mais

de dissertações de mestrado e teses de doutorado, em acordo com as convenções gerais

de dissertações de mestrado e teses de doutorado, em acordo com as convenções gerais Sumário 1 Disposições gerais 2 1.1 Objetivo, natureza, alcance e conteúdo 2 2 Elementos da dissertação e da tese 5 2.1 Elementos pré-textuais 5 2.1.1 Capa 5 2.1.2 Lombada 6 2.1.3 Classificação de acesso

Leia mais

COMO ELABORAR UM ARTIGO CIENTÍFICO

COMO ELABORAR UM ARTIGO CIENTÍFICO 1 Modelo de Artigo de periódico baseado na NBR 6022, 2003. Título do artigo, centralizado. COMO ELABORAR UM ARTIGO CIENTÍFICO Maria Bernardete Martins Alves * Susana Margaret de Arruda ** Nome do (s) autor

Leia mais

ORIENTAÇÕES BÁSICAS NA ELABORAÇÃO DO ARTIGO CIENTÍFICO

ORIENTAÇÕES BÁSICAS NA ELABORAÇÃO DO ARTIGO CIENTÍFICO 1 ORIENTAÇÕES BÁSICAS NA ELABORAÇÃO DO ARTIGO CIENTÍFICO Betylaine Amaral Mesquita 1 Prof. Dr. Damião Carlos Amaral Mesquita 2 RESUMO: Este texto trata a respeito das Normas da ABNT com a finalidade de

Leia mais

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SÃO PAULO PUC-SP. FACULDADE (do aluno) CURSO. TÍTULO DO PROJETO Subtítulo do Projeto AUTOR DO PROJETO

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SÃO PAULO PUC-SP. FACULDADE (do aluno) CURSO. TÍTULO DO PROJETO Subtítulo do Projeto AUTOR DO PROJETO PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SÃO PAULO PUC-SP FACULDADE (do aluno) CURSO TÍTULO DO PROJETO Subtítulo do Projeto AUTOR DO PROJETO TÍTULO DO RELATÓRIO AUTOR(ES) DO RELATÓRIO SÃO PAULO 200_ NOTA PRÉVIA

Leia mais

NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS

NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS APRESENTAÇÃO O trabalho deve ser digitado e impresso em papel formato A4. O texto deve ser digitado, no anverso das folhas, em espaço 1,5, letra do tipo

Leia mais

EDITAL 03/2015 REVISTA PESQUISA & EXTENSÃO FACIT

EDITAL 03/2015 REVISTA PESQUISA & EXTENSÃO FACIT EDITAL 03/2015 REVISTA PESQUISA & EXTENSÃO FACIT A Faculdade de Ciência e Tecnologia de Montes Claros (FACIT), por intermédio da Coordenação de Pesquisa, TORNA PÚBLICO a todos os interessados que está

Leia mais

NORMAS PARA ELABORAÇÃO E SUBMISSÃO DE ARTIGO CIENTÍFICO

NORMAS PARA ELABORAÇÃO E SUBMISSÃO DE ARTIGO CIENTÍFICO VI SENPEX NORMAS PARA ELABORAÇÃO E SUBMISSÃO DE ARTIGO CIENTÍFICO Período de submissão: 10/07/2015 10/09/2015. 1. O VI do UNIBAVE: Ciência e tecnologia para promoção da educação e da vida", a ser realizado

Leia mais

DISCIPLINA: PRÁTICA PROFISSIONAL E ESTÁGIO SUPERVISIONADO I, II E III CIÊNCIAS CONTÁBEIS ACADÊMICOS

DISCIPLINA: PRÁTICA PROFISSIONAL E ESTÁGIO SUPERVISIONADO I, II E III CIÊNCIAS CONTÁBEIS ACADÊMICOS DISCIPLINA: PRÁTICA PROFISSIONAL E ESTÁGIO SUPERVISIONADO I, II E III CIÊNCIAS CONTÁBEIS APRESENTAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS PROF. DR. MARCOS FRANCISCO R. SOUSA PROF. Me. CELSO LUCAS COTRIM APRESENTAÇÃO

Leia mais

Universidade Federal de Viçosa Departamento de Economia Comissão de Monografia NORMAS PARA ESTRUTURAÇÃO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO (TCC)

Universidade Federal de Viçosa Departamento de Economia Comissão de Monografia NORMAS PARA ESTRUTURAÇÃO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO (TCC) Universidade Federal de Viçosa Departamento de Economia Comissão de Monografia NORMAS PARA ESTRUTURAÇÃO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO (TCC) Comissão de Monografia do Curso de Ciências Econômicas 23

Leia mais

MANUAL DE ORIENTAÇÕES GERAIS TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO - TCC

MANUAL DE ORIENTAÇÕES GERAIS TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO - TCC MANUAL DE ORIENTAÇÕES GERAIS TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO - TCC CURSOS: ENGENHARIA DE PRODUÇÃO MECÂNICA - PROFESSORES ORIENTADORES: MSc. Alexandre R. A. Bertoncini MSc. Cristiano Okada Dr. José Arnaldo

Leia mais

ORIENTAÇÕES PARA ELABORAÇÃO DE MONOGRAFIA DE CONCLUSÃO DE ESTÁGIO

ORIENTAÇÕES PARA ELABORAÇÃO DE MONOGRAFIA DE CONCLUSÃO DE ESTÁGIO Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro Secretaria Municipal de Saúde e Defesa Civil Subsecretaria de Gestão Coordenadoria de Gestão de Pessoas Coordenação de Desenvolvimento Pessoal Gerência de Desenvolvimento

Leia mais

REVISTA DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO

REVISTA DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO REVISTA DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO INSTRUÇÕES AOS AUTORES 1 GERAIS: Originais: Os artigos devem ser enviados exclusivamente por meio eletrônico para o endereço: revistainnovare@cescage.edu.br - Revista

Leia mais

NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS

NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM EDUCAÇÃO MATEMÁTICA MESTRADO PROFISSIONAL EM EDUCAÇÃO MATEMÁTICA APRESENTAÇÃO NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS O trabalho deve ser digitado e impresso em papel

Leia mais

Roteiro para autores

Roteiro para autores Roteiro para autores 1. Apresentação A Editora da Universidade do Estado de Minas Gerais, EdUEMG, foi criada para fomentar a produção científica nas áreas mais estratégicas e relevantes para a instituição.

Leia mais

Inst. Superior de Ensino e Pesquisa de Ituiutaba Inst. Superior de Educação de Ituiutaba

Inst. Superior de Ensino e Pesquisa de Ituiutaba Inst. Superior de Educação de Ituiutaba Inst. Superior de Ensino e Pesquisa de Ituiutaba Inst. Superior de Educação de Ituiutaba COORDENAÇÃO DE PÓS-GRADUAÇÃO Especialização - Lato sensu NORMATIZAÇÃO DO TRABALHO DE PÓS-GRADUAÇÃO APRESENTAÇÃO

Leia mais

FADIRE CURSO DE XXXXXXX NOME DO ALUNO. TÍTULO DO ARTIGO: subtítulo (se houver)

FADIRE CURSO DE XXXXXXX NOME DO ALUNO. TÍTULO DO ARTIGO: subtítulo (se houver) FADIRE CURSO DE XXXXXXX NOME DO ALUNO TÍTULO DO ARTIGO: subtítulo (se houver) Santa Cruz 2016 1 NOME DO ALUNO TÍTULO DO ARTIGO: subtítulo (se houver) Artigo apresentado como requisito parcial para obtenção

Leia mais

Regulamento Específico para os Estágios Supervisionados do Curso de Licenciatura em Geografia a Distância

Regulamento Específico para os Estágios Supervisionados do Curso de Licenciatura em Geografia a Distância Regulamento Específico para os Estágios Supervisionados do Curso de Licenciatura em Geografia a Distância As disciplinas Estágio Supervisionado I e II, devendo perfazer o total de 200 (duzentas) horas

Leia mais

IV ENCONTRO DE ENGENHARIA NO ENTRETENIMENTO 3E/UNIRIO 15 e 16 /03/2016

IV ENCONTRO DE ENGENHARIA NO ENTRETENIMENTO 3E/UNIRIO 15 e 16 /03/2016 IV ENCONTRO DE ENGENHARIA NO ENTRETENIMENTO 3E/UNIRIO 15 e 16 /03/2016 1ª CIRCULAR FORMATAÇÃO DE TRABALHOS FICHA DE CADASTRAMENTO DE SUBMISSÃO DE ARTIGO 1ª CIRCULAR Apresentação Temos o prazer de convidá-lo

Leia mais

CHAMADA PARA A SUBMISSÃO DE TRABALHOS NO 3º CONGRESSO INTERNACIONAL DO LIVRO, DA LEITURA E DA LITERATURA NO SERTÃO

CHAMADA PARA A SUBMISSÃO DE TRABALHOS NO 3º CONGRESSO INTERNACIONAL DO LIVRO, DA LEITURA E DA LITERATURA NO SERTÃO CHAMADA PARA A SUBMISSÃO DE TRABALHOS NO 3º CONGRESSO INTERNACIONAL DO LIVRO, DA LEITURA E DA LITERATURA NO SERTÃO A Secretaria de Cultura do Estado de Pernambuco/Fundarpe e a Universidade de Pernambuco/Campus

Leia mais

RECURSOS HUMANOS PIM III. Projeto Integrado Multidisciplinar

RECURSOS HUMANOS PIM III. Projeto Integrado Multidisciplinar RECURSOS HUMANOS PIM III Projeto Integrado Multidisciplinar 1 PIM PROJETO INTEGRADO MULTIDISCIPLINAR TEMA: Descrever o papel da área de Recursos Humanos em termos de seu significado e importância no alcance

Leia mais

COMPLEMENTAÇÃO ÀS NORMAS TÉCNICAS PARA A DISSERTAÇÃO

COMPLEMENTAÇÃO ÀS NORMAS TÉCNICAS PARA A DISSERTAÇÃO COMPLEMENTAÇÃO ÀS NORMAS TÉCNICAS PARA A DISSERTAÇÃO RESUMOS Os resumos em língua portuguesa e em língua estrangeira devem conter no mínimo 200 e no máximo 500 palavras. PALAVRAS-CHAVE Devem ser usadas

Leia mais