A New Payment System s Facility to Improve Brazil-Argentina Trade. Leonardo Borba Neira- BCB Luis Alberto D Orio - BCRA

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "A New Payment System s Facility to Improve Brazil-Argentina Trade. Leonardo Borba Neira- BCB Luis Alberto D Orio - BCRA"

Transcrição

1 . A New Payment System s Facility to Improve Brazil-Argentina Trade Leonardo Borba Neira- BCB Luis Alberto D Orio - BCRA Annual Payments Week, Costa do Sauipe 1

2 Agenda 1. Internacionalização da Economia Brasileira 2. Comércio Brasil-Argentina 3. Mudanças normativas 4. Características do sistema atual de pagamentos e o projeto SML Sistema de Pagamentos em Moedas Locais 2

3 1. Internacionalização da Economia Brasileira 3

4 Globalização e mudanças A economia brasileira tem passado por importantes mudanças estruturais: A redução das barreiras comerciais e a esta- bilidade macroeconômica contribuiram para aumentar o comércio internacional e o grau de abertura econômica. O cenário externo e o fortalecimento da economia brasileira estimularam o crescimento do investimento brasileiro no exterior e do investimento estrangeiro direto no país. 4

5 Crescimento do comércio exterior brasileiro Índice de crescimento da exportação e importação Índice de crescimento da exportação por fator agregado = = Exportação Total Importação Total Jan-Mar/ Básicos Semimanufaturados Manufaturados Jan-Mar/07 5

6 2. Comércio Brasil-Argentina 6

7 Saldo Comercial e Corrente de Comércio Saldo Comercial Corrente de Comércio Mercosul Argentina Mercosul Argentina US$ Bilhões US$ Bilhões * * -3 * 2007: Valores até junho 7

8 Participação na Corrente de Comércio 80% Participação na Corrente de Comércio Brasil - Mercosul 100% Demais países do Mercosul 60% 40% Argentina 20% 0%

9 Composição do fluxo financeiro Brasil - Argentina Fonte: BACEN, SECEX 9

10 3. Mudanças normativas 10

11 Capitais internacionais e mercado de câmbio em retrospectiva Crises internacionais Interrupção dos fluxos de divisas Crise do balanço de pagamentos Simplificação regras/procedimentos cambiais Fim do monópolio de câmbio Capitais: Registro Declaratório Eletrônico (RDE) Rígido controle cambial (monópolio de câmbio, limites, proibições e autorização prévia) Regime de livre flutuação de taxas de câmbio (Jan/1999) e Metas de inflação (Jul/1999) 11

12 Capitais internacionais e mercado de câmbio no presente Nova filosofia cambial Unificação dos mercados e flexibilização dos prazos de ingresso de moeda estrangeira decorrente de exportação Fim das autorizações prévias do BCB Lei Fim da cobertura cambial Simplificação dos procedimentos para operações comerciais Todas operações permitidas, desde que atendam aos princípios: Legalidade Responsabilidade Fundamentação econômica Respaldo documental Resolução CMN 3412 Liberdade para pessoas físicas e jurídicas realizarem aplicações no exterior no mercado de capitais e derivativos 12

13 Conjuntura atual Cobertura cambial de exportação não tem mais a importância que teve no passado; de fato, do ponto de vista cambial não é mais necessária. Modificações na regulação dos capitais i e do câmbio e em seus procedimentos operacionais: Simplificação e desburocratização Redução de custos de transação Meta a ser alcançada: eliminação de todos os entraves do mercado de câmbio, reduzindo possíveis interferências na formação da taxa de câmbio. 13

14 4. As características do sistema atual de pagamentos e o projeto SML 14

15 Características do sistema atual de pagamentos Não há instrumentos financeiros de baixo custo disponíveis para transações em Peso/Real A quase totalidade das operações é feita em dólar Os custos de transação e as dificuldades de comercializar em moedas locais dificultam e desencorajam o acesso de pequenas e médias empresas 15

16 Panorama atual Argentina Exportador Produto Brasil Importador Mercado de Câmbio Dólares Banco Comercial Argentino Dólares Banco Comercial Brasileiro Dólares Mercado de Câmbio 16

17 Panorama atual Argentina Exportador Produto Brasil Importador Mercado de Câmbio Dólares Banco Comercial Argentino Dólares Banco Comercial Brasileiro Dólares Mercado de Câmbio Argentina Importador Produto Brasil Exportador 17

18 Panorama atual Argentina Exportador Produto Brasil Importador Mercado de Câmbio Dólares Banco Comercial Argentino Dólares Banco Comercial Brasileiro Dólares Mercado de Câmbio Sistema de Pagamentos em dólares Argentina Importador Produto Brasil Exportador 18

19 Panorama atual Argentina Exportador Produto Brasil Importador Mercado de Câmbio Dólares Banco Comercial Argentino Dólares Banco Comercial Brasileiro Dólares Mercado de Câmbio Sistema de Pagamentos em Dólares Sistema de Pagamentos Argentina Produto Brasil em Moeda Importador Exportador Local 19

20 O arcabouço para desenvolvimento do SML Consolidação do processo de igualdade d de tratamento t t entre moeda estrangeira e moeda nacional exportações em reais ordens de pagamento em reais SML 20

21 Objetivos do SML Possibilitar o comércio exterior nas moedas locais Aprofundar o mercado Real/Peso Reduzir os custos das transações Aumentar o nível de acesso dos pequenos e médios agentes Desenvolver um "projeto piloto" para os demais países do Mercosul 21

22 Macro objetivos do SML Desenvolver um mecanismo eficiente de pagamentos internacionais em moedas locais, dado que o mercado Real/Peso ainda é incipiente, pouco dinâmico e ilíquido, apesar da relevância do comércio internacional entre Brasil e Argentina Tornar possível a utilização das moedas locais para o comércio internacional bilateral, eliminando a dependência em relação a uma terceira moeda Avançar no processo de integração regional, diminuindo i i d os obstáculos aos fluxos comerciais i entre os países, e familiarizando os agentes com as moedas locais 22

23 Premissas Participação voluntária Não se aplicam regras de câmbio (não há contrato de câmbio) Não há mudanças quanto à documentação de comércio exterior (exceção: RE em ) Não é um mecanismo de cobertura de riscos Não há financiamento i às instituições i financeiras, i aos participantes ou aos bancos centrais. É apenas um sistema de compensação e transferência de valores 23

24 O SML Sistema de pagamentos transfronteiriço integrado aos sistemas de pagamentos locais (SPB e MEP) Recursos pagos pelo importador serão creditados diretamente em conta do exportador, em suas respectivas moedas 24

25 Intercambio Comercial Argentina y Brasil están incrementando el Intercambio Comercial de Bienes y Servicios en general En el caso de la Argentina, el comercio global creció 56% entre 2000 y 2006 (tasa promedio anual de crecimiento 7,7%) Su comercio con el MERCOSUR creció 45% entre los años comparados (tasa promedio anual de crecimiento 6,4%) En este contexto, el flujo comercial entre Argentina y Brasil sigue siendo relevante para los dos países y para el MERCOSUR El intercambio bilateral creció 49% en el lapso (tasa promedio anual de crecimiento 6,8%) Para la Argentina, ese intercambio representó el 24% del comercio mundial y el 87% del comercio con el MERCOSUR 25

26 Intercambio Comercial Global de Argentina Período Exportaciones (fob) BALANZA COMERCIAL TOTAL Importaciones (cif) SALDO Exportaciones más Importaciones , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , (*) 15, , , ,569.6 (*) Acumulado enero - abril de

27 Intercambio Comercial Argentina - MERCOSUR Período Exportaciones (fob) BALANZA COMERCIAL ARGENTINA-MERCOSUR Importaciones (cif) SALDO Exportaciones más Importaciones , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , (*) 3, , ,108.5 (*) Acumulado enero - abril de

28 Intercambio Comercial Argentina - Brasil Período Exportaciones (fob) BALANZA COMERCIAL ARGENTINA - BRASIL Importaciones (cif) SALDO Exportaciones más Importaciones , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , (*) 2, , , ,059.1 (*) Acumulado enero - abril de

29 Intercambio Comercial con Brasil Principales Rubros Principales rubros Exportaciones a Brasil Jun-06 Jun-07 1º sem º sem 2007 Material de transporte terrestre ,141 Cereales Carburantes Productos químicos y conexos Materias plásticas y sus manufacturas Re sto ,270 1,510 Exportaciones totales ,566 4,598 millones de dólares 29

30 Aspectos adicionales de Intercambio Comercial Argentina Brasil. Del intercambio de bienes y servicios registrado en 2006 entre Argentina y Brasil, fue posible determinar que: empresas brasileñas importaron productos empresas brasileñas exportaron productos a Argentina Además, existen en Brasil alrededor de 150 empresas argentinas, dedicadas en su gran mayoría a la importación y/o la distribución de productos Los bienes importados por Brasil se agrupan en alrededor de líneas arancelarias (en 400 de ellas la participación argentina como proveedor es superior al 40%) Los bienes brasileros exportados a la Argentina se agrupan en alrededor de líneas arancelarias 30

31 Modelo Desenvolvido BCB/BCRA Argentina Exportador Produto Brasil Importador Banco Comercial Argentino BCRA BCB Banco Comercial Brasileiro 31

32 Modelo Desenvolvido BCB/BCRA Argentina Exportador Produto Brasil Importador Banco Comercial Argentino BCRA BCB Banco Comercial Brasileiro Argentina Importador Produto Brasil Exportador 32

33 Modelo Desenvolvido BCB/BCRA Argentina Exportador Produto Taxa de Câmbio SML (Real/Peso) Brasil Importador Banco Comercial Argentino BCRA BCB Banco Comercial Brasileiro Argentina Importador Produto Brasil Exportador 33

34 Modelo Desenvolvido BCB/BCRA Argentina Exportador Produto Taxa de Câmbio SML (Real/Peso) Brasil Importador Banco Comercial Argentino COMPENSAÇÃO US$ BCRA BCB Banco Comercial Brasileiro Argentina Importador Produto Brasil Exportador 34

35 Flujo Simplificado Importador brasileño Banco SML Banco Exportador argentino R$ R$ P$ P$ Importador argentino Banco SML Banco Exportador brasileño P$ P$ R$ R$ 35

36 Ciclo Operativo Simplificado D1 D2 D3 Apertura Cierre Registro de las Operaciones por las EFs Tasa SML Lquidación Financiera en el BCRA STR pagos a los bancos de los exportadores brasileños MEP pagos a los bancos de los exportadores Flujo Horario del SML 6h30 br/8:0 0 arg 15h00 19h00 8h00 12h00 6h30 8h00 36

37 Sistema de pagos em monedas locales Línea del Tiempo D1 15:00 18:30 19:00 D2 09:00 12:00 17:00 Registro Cobro a Importadores Divulgación tasas de Referencia (REF Y PTAX) Divulgación Tasa SML Compensación USD Previa de las operaciones Pago a Exportadores 37

38 Esquema de Funcionamiento Pago de Operaciones de Importación Entidad BCRA BC B Envio de O.P. Informe a BCB Aceptacion / Rechazo Tipo Cambio Cruzado Rechazos / OP a pagar 38

39 Esquema de Funcionamiento Pago de Operaciones de Importación (cont.) Entidad BCRA BC B Pago de O.P. Via MEP Informe de pagos 39

40 Esquema de Funcionamiento Cobro de operaciones de Exportación Entidad BCRA BC B O.P a pagar Aceptacion / Rechazo Acreditacion en Cta Cte Informe OP acreditadas Informe pagos 40

41 Principales Características BCRA Basado en la actual plataforma de comunicaciones entre el BCRA y las Entidades Financieras (Nuevo Staf) utilizado para el sistema MEP Intercambio de mensajes con formato XML Aplicaciones cliente residentes en servidor web local de cada Entidad, provistas por el BCRA e integradas a los módulos de Administración de Enlace y de Seguridad actuales 41

42 Beneficios Esperados La posibilidad de exportar e importar en moneda local innovación en los dos países Un sistema de compensación de pagos más eficiente que ayude a reducir los movimientos o necesidades de divisas Mayor acceso de los pequeños y medianos empresarios a transacciones en sus propias monedas El sistema a ser desarrollado servirá como proyecto piloto para una eventual implementación con los demás países del Mercosur 42

43 FIM -FIN -THE END 43

Sistema de Pagamentos em Moedas Locais Sistema de Pagos en Monedas Locales S M L

Sistema de Pagamentos em Moedas Locais Sistema de Pagos en Monedas Locales S M L BANCO CENTRAL DE LA REPUBLICA ARGENTINA BANCO CENTRAL DO BRASIL Sistema de Pagamentos em Moedas Locais Sistema de Pagos en Monedas Locales S M L 1 Panorama Atual Panorama Actual Não há instrumentos financeiros

Leia mais

Conjuntura Econômica do Chile

Conjuntura Econômica do Chile OBSERVATÓRIO DA AMÉRICA LATINA Conjuntura Econômica do Chile Carolina Martins Ferro Fabio Teixeira Rocha Gabriela Cavichioli Rodrigues Trabalho Elaborado na Disciplina Economia Financeira e Latina do Curso

Leia mais

Controle começou em 1933

Controle começou em 1933 Medidas de Simplificação na Área de Câmbio Medidas de Simplificação na Área de Câmbio A Medida Provisória 315 foi um importante passo para a atualização e adequação das regras de câmbio. A medida busca

Leia mais

Indicadores Macroeconómicos del Mercosur. Diciembre 2010 Boletín Nº 4

Indicadores Macroeconómicos del Mercosur. Diciembre 2010 Boletín Nº 4 Indicadores Macroeconómicos del Mercosur Diciembre Boletín Nº 4 Indicadores Macroeconómicos del Mercosur Indicadores Macroeconômicos do Mercosul Grupo de Monitoreo Macroeconómico del Mercosur GMM Grupo

Leia mais

MATERIAL CANDIDATOS. Textos y Fichas

MATERIAL CANDIDATOS. Textos y Fichas MATERIAL CANDIDATOS Textos y Fichas Comercio Chile - China De acuerdo a un informe de Aduanas, China se consolidó como el principal destino de las exportaciones chilenas con embarques por US$ 8.257 millones

Leia mais

BOLETIM DE CONJUNTURA INDUSTRIAL

BOLETIM DE CONJUNTURA INDUSTRIAL GOVERNO DO ESTADO DO CEARÁ SECRETARIA DO PLANEJAMENTO E GESTÃO (SEPLAG) Instituto de Pesquisa e Estratégia Econômica do Ceará (IPECE) BOLETIM DE CONJUNTURA INDUSTRIAL 3º TRIMESTRE DE 2011 Fortaleza-CE

Leia mais

Legislação e regulamentação cambial (principais alterações)

Legislação e regulamentação cambial (principais alterações) Legislação e regulamentação cambial (principais alterações) 1 Medidas cambiais adotadas nos últimos anos Representam importante passo no sentido de atualizar e adequar as regras de câmbio, em continuidade

Leia mais

QUADRO COMPARATIVO 1 UNIFICAÇÃO DOS MERCADOS DE CÂMBIO

QUADRO COMPARATIVO 1 UNIFICAÇÃO DOS MERCADOS DE CÂMBIO 1 QUADRO COMPARATIVO 1 UNIFICAÇÃO DOS MERCADOS DE CÂMBIO Resolução 3.265, de 4 de março de 2005. (reunião do Mercado de Câmbio de Taxas Livres e do Mercado de Câmbio de Taxas Flutuantes e instituição de

Leia mais

PAGAMENTOS INTERNACIONAIS E TAXA DE CÂMBIO

PAGAMENTOS INTERNACIONAIS E TAXA DE CÂMBIO Pagamentos internacionais Como são feitos? Quais moedas são aceitas como meio de pagamento e em que proporção são trocadas umas pelas outras? Alterações da taxa de câmbio: afetam os preços relativos dos

Leia mais

Situação da economia e perspectivas. Gerência-Executiva de Política Econômica (PEC)

Situação da economia e perspectivas. Gerência-Executiva de Política Econômica (PEC) Situação da economia e perspectivas Gerência-Executiva de Política Econômica (PEC) Recessão se aprofunda e situação fiscal é cada vez mais grave Quadro geral PIB brasileiro deve cair 2,9% em 2015 e aumentam

Leia mais

Política de comércio exterior brasileira. Welber Barral

Política de comércio exterior brasileira. Welber Barral Política de comércio exterior brasileira. Welber Barral Agosto de 2013 Efeitos da taxa de câmbio: Trilema: inflação, taxa de juros, taxa de câmbio Redução do superávit comercial e déficit estrutural em

Leia mais

CONVÊNIO DO SISTEMA DE PAGAMENTOS EM MOEDA LOCAL ENTRE A REPÚBLICA ARGENTINA E A REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL

CONVÊNIO DO SISTEMA DE PAGAMENTOS EM MOEDA LOCAL ENTRE A REPÚBLICA ARGENTINA E A REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL CONVÊNIO DO SISTEMA DE PAGAMENTOS EM MOEDA LOCAL ENTRE A REPÚBLICA ARGENTINA E A REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL O Banco Central de la República Argentina e O Banco Central do Brasil, Tendo em vista a Decisão

Leia mais

Ficha sistematización experiencias en Educación Teológica Virtual Facultad EST, Brasil

Ficha sistematización experiencias en Educación Teológica Virtual Facultad EST, Brasil Ficha sistematización experiencias en Educación Teológica Virtual Facultad EST, Brasil 1.1.Nombre, país, sitio web 1.DATOS INSTITUCIONALES Faculdades EST, Brasil, http://www.est.edu.br 1.2.Relaciones con

Leia mais

Setor externo estatísticas do comércio exterior

Setor externo estatísticas do comércio exterior Setor externo estatísticas do comércio exterior O comércio é mutuamente benéfico. Duas pessoas não trocam bens e serviços a não ser que ambas esperem obter um benefício. No nosso dia a dia dependemos de

Leia mais

Setor Externo: Triste Ajuste

Setor Externo: Triste Ajuste 8 análise de conjuntura Setor Externo: Triste Ajuste Vera Martins da Silva (*) A recessão da economia brasileira se manifesta de forma contundente nos resultados de suas relações com o resto do mundo.

Leia mais

Balanço de Pagamentos

Balanço de Pagamentos Balanço de Pagamentos Agosto/2015 22 de setembro de 2015 Resumo dos Resultados Em agosto de 2015, o déficit em Transações Correntes foi de US$ 2,5 bilhões, resultado superior ao observado em agosto de

Leia mais

Sistema de Gestão Integrado. La herramienta presenta una tendencia más fuerte hacia:

Sistema de Gestão Integrado. La herramienta presenta una tendencia más fuerte hacia: Descripción de herramientas 15 SGI Sistema de Gestão Integrado I Breve descripción 1. Nombre de la herramienta Sistema de Gestão Integrado- Integração das normas ISO-9001,9002,14001 e OHSAS 18001. 2. Objetivo

Leia mais

PERFIL DE MERCADO AGUA MINERAL 1) POSICION ARANCELARIA Y DESCRIPCION DEL PRODUCTO:

PERFIL DE MERCADO AGUA MINERAL 1) POSICION ARANCELARIA Y DESCRIPCION DEL PRODUCTO: PERFIL DE MERCADO AGUA MINERAL 1) POSICION ARANCELARIA Y DESCRIPCION DEL PRODUCTO: NCM 2201.10.00 - : ÁGUA, INCLUIDAS EL AGUA MINERAL Y LA GASEADA, CON ADICIÓN DE AZÚCAR U OTRO EDULCORANTE O AROMATIZADA.

Leia mais

MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR DESEMPENHO DO COMÉRCIO EXTERIOR BRASILEIRO NO PRIMEIRO QUADRIMESTRE DE 2004

MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR DESEMPENHO DO COMÉRCIO EXTERIOR BRASILEIRO NO PRIMEIRO QUADRIMESTRE DE 2004 MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR DESEMPENHO DO COMÉRCIO EXTERIOR BRASILEIRO NO PRIMEIRO QUADRIMESTRE DE 2004 03 DE MAIO DE 2004 BALANÇA COMERCIAL BRASILEIRA JANEIRO/ABRIL -

Leia mais

A COMPETITIVIDADE DA INDÚSTRIA DE TRANSFORMAÇÃO E DE BENS DE CAPITAL

A COMPETITIVIDADE DA INDÚSTRIA DE TRANSFORMAÇÃO E DE BENS DE CAPITAL A COMPETITIVIDADE DA INDÚSTRIA DE TRANSFORMAÇÃO E DE BENS DE CAPITAL Uma análise do período 2000 2011 Abril de 2012 A competitividade da ind. de transformação e de BK A evolução do período 2000 2011, do:

Leia mais

A NOVA REGULAMENTAÇÃO DAS EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS

A NOVA REGULAMENTAÇÃO DAS EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS REVISTA JURÍDICA CONSULEX ONLINE Conjuntura Walter Douglas Stuber WALTER DOUGLAS STUBER é sócio do escritório Stuber Advogados Associados, especializado em Direito Bancário, Mercado de Capitais e Negociações

Leia mais

Boletim Económico Angola

Boletim Económico Angola Boletim Económico Angola 1. Conjuntura: estabilidade macro económica reforçada 3º Trimestre de 2013 A informação disponível para caracterizar o desempenho da economia de Angola no 3º trimestre de 2013

Leia mais

CASO 7 A evolução do balanço de pagamentos brasileiro no período do Real

CASO 7 A evolução do balanço de pagamentos brasileiro no período do Real CASO 7 A evolução do balanço de pagamentos brasileiro no período do Real Capítulo utilizado: cap. 13 Conceitos abordados Comércio internacional, balanço de pagamentos, taxa de câmbio nominal e real, efeitos

Leia mais

APRESENTAÇÃO NO INSTITUTO DO VAREJO

APRESENTAÇÃO NO INSTITUTO DO VAREJO APRESENTAÇÃO NO INSTITUTO DO VAREJO 18 de Agosto de 2006 Demian Fiocca Presidente do BNDES www.bndes.gov.br 1 BRASIL: NOVO CICLO DE DESENVOLVIMENTO Um novo ciclo de desenvolvimento teve início em 2004.

Leia mais

Política Cambial. Política Cambial e. Balanço de Pagamentos 26/03/2013. Mecanismos de intervenção na Economia. O que é Balanço de Pagamentos?

Política Cambial. Política Cambial e. Balanço de Pagamentos 26/03/2013. Mecanismos de intervenção na Economia. O que é Balanço de Pagamentos? Universidade Estadual Paulista Faculdade de Ciências Agronômicas Depto. de Economia, Sociologia e Tecnologia e Balança de Pagamentos Economia e Administração 3 º sem./medicina Veterinária Núria R. G. Quintana

Leia mais

Internacionalização da Economia Brasileira

Internacionalização da Economia Brasileira ASPECTOS TÉCNICOS DO ACORDO BRASIL ARGENTINA DE PAGAMENTOS EM MOEDA LOCAL Internacionalização da Economia Brasileira Paulo Vieira da Cunha São Paulo, Agosto/2007 1 Agenda 1. Internacionalização da Economia

Leia mais

Discurso do Diretor Aldo Luiz Mendes no Seminário sobre Modernização do Sistema Câmbio

Discurso do Diretor Aldo Luiz Mendes no Seminário sobre Modernização do Sistema Câmbio São Paulo, 28 de outubro de 2011 Discurso do Diretor Aldo Luiz Mendes no Seminário sobre Modernização do Sistema Câmbio Bom dia a todos. É com grande prazer que, pela segunda vez, participo de evento para

Leia mais

31º ENCONTRO NACIONAL DE COMÉRCIO EXTERIOR - ENAEX EXPORTAÇÃO DE SERVIÇOS DE ENGENHARIA: MITOS E VERDADES

31º ENCONTRO NACIONAL DE COMÉRCIO EXTERIOR - ENAEX EXPORTAÇÃO DE SERVIÇOS DE ENGENHARIA: MITOS E VERDADES 31º ENCONTRO NACIONAL DE COMÉRCIO EXTERIOR - ENAEX PALESTRA EXPORTAÇÃO DE SERVIÇOS DE ENGENHARIA: MITOS E VERDADES JOSÉ AUGUSTO DE CASTRO Rio de Janeiro, 27 de Setembro de 2012 2 DEFINIÇÃO DE SERVIÇOS

Leia mais

FUNDAMENTOS DE TEORIA E POLÍTICA MACROECONÔMICA

FUNDAMENTOS DE TEORIA E POLÍTICA MACROECONÔMICA FUNDAMENTOS DE TEORIA E POLÍTICA MACROECONÔMICA O que a macroeconomia analisa? Analisa a determinação e o comportamento dos grandes agregados como: renda, produto nacional, nível geral de preços, nível

Leia mais

INTERCÂMBIO COMERCIAL BRASILEIRO NO MERCOSUL 1994 A 2003

INTERCÂMBIO COMERCIAL BRASILEIRO NO MERCOSUL 1994 A 2003 INTERCÂMBIO COMERCIAL BRASILEIRO NO A Marco Antônio Martins da Costa Melucci Friedhlde Maria Kutner Manolescu -Faculdade de Ciências Sociais Aplicadas FCSA Universidade do Vale do Paraíba. Av. Shishima

Leia mais

- Corr. de comércio: US$ 38,9 bi, 2º maior valor para meses de abril, (1º abr-13: US$ 42,3 bi);

- Corr. de comércio: US$ 38,9 bi, 2º maior valor para meses de abril, (1º abr-13: US$ 42,3 bi); Abril / 2014 Resultados de Abril de 2014 - Exportação: US$ 19,7 bi em valor e média de US$ 986,2 milhões, 5,2% acima da média de abr-13 (US$ 937,8 milhões); 2ª maior média de exportação para abril (1º

Leia mais

Monitoreo Continuo Auditoria Contínua y a Distancia

Monitoreo Continuo Auditoria Contínua y a Distancia Monitoreo Continuo Auditoria Contínua y a Distancia Luis Pires Gerente de Auditoria e Compliance Camargo Correa Luis Pires Minibiografía Con más de 25 años de experiencia en Auditoria Interna y Externa,

Leia mais

Regulatory Practice News

Regulatory Practice News kpmg SETOR DE APOIO REGULAMENTAR (SAR) Regulatory Practice News Outubro 2005 FINANCIAL SERVICES BACEN Custódia Resolução 3322, de 27.10.05 Custódia de numerário Faculta a custódia de numerário do Bacen

Leia mais

Resultados do Censo do Setor de TI 2013. 11 de junho de 2014 Vitória (ES)

Resultados do Censo do Setor de TI 2013. 11 de junho de 2014 Vitória (ES) Resultados do Censo do Setor de TI 2013 11 de junho de 2014 Vitória (ES) Agenda Pra quê esse Censo? Participação 2013 Resultados sobre Principais Temas Conclusões Para quê esse Censo? Histórico do Censo

Leia mais

Economia. Comércio Internacional Taxa de Câmbio, Mercado de Divisas e Balança de Pagamentos,

Economia. Comércio Internacional Taxa de Câmbio, Mercado de Divisas e Balança de Pagamentos, Economia Comércio Internacional Taxa de Câmbio, Mercado de Divisas e Balança de Pagamentos, Comércio Internacional Objetivos Apresentar o papel da taxa de câmbio na alteração da economia. Iniciar nas noções

Leia mais

Turbulência Internacional e Impacto para as Exportações do Brasil

Turbulência Internacional e Impacto para as Exportações do Brasil Brasil África do Sul Chile México Coréia do Sul Rússia Austrália Índia Suíça Turquia Malásia Europa China Argentina São Paulo, 26 de setembro de 2011. Turbulência Internacional e Impacto para as Exportações

Leia mais

PERFIL DE MERCADO: 2 DESCRIPCION DEL PRODUCTO: TRITURADORA / DESTRUCTORA PARA DOCUMENTOS.

PERFIL DE MERCADO: 2 DESCRIPCION DEL PRODUCTO: TRITURADORA / DESTRUCTORA PARA DOCUMENTOS. PERFIL DE MERCADO: 1 POSICION ARANCELARIA: NCM 8472.90.90 2 DESCRIPCION DEL PRODUCTO: TRITURADORA / DESTRUCTORA PARA DOCUMENTOS. 4 - COSTO DE NACIONALIZACION: PARTE ARANCELARIA: IMPUESTOS QUE PAGAN LOS

Leia mais

Desempenho do Comércio Exterior Paranaense Setembro 2015

Desempenho do Comércio Exterior Paranaense Setembro 2015 Desempenho do Comércio Exterior Paranaense Setembro 2015 As exportações paranaenses, em setembro, apresentaram queda de -8,61% em relação a agosto. O valor exportado atingiu a US$ 1,293 bilhão, ficando,

Leia mais

CIRCULAR Nº 3.308. Art. 2º Divulgar as folhas necessárias à atualização do RMCCI. Art. 3º Esta Circular entra em vigor na data de sua publicação.

CIRCULAR Nº 3.308. Art. 2º Divulgar as folhas necessárias à atualização do RMCCI. Art. 3º Esta Circular entra em vigor na data de sua publicação. CIRCULAR Nº 3.308 Altera a seção 13 do capítulo 12 do título 1 do Regulamento do Mercado de Câmbio e Capitais Internacionais (RMCCI), que trata sobre multa em operações de importação, tendo em vista a

Leia mais

MERCADO DE CÂMBIO BRASILEIRO Definições, Funcionamento e Evolução Recente. Brasília, 28/10/2015. Alvir Hoffmann Vice-Presidente

MERCADO DE CÂMBIO BRASILEIRO Definições, Funcionamento e Evolução Recente. Brasília, 28/10/2015. Alvir Hoffmann Vice-Presidente MERCADO DE CÂMBIO BRASILEIRO Definições, Funcionamento e Evolução Recente Brasília, 28/10/2015 Alvir Hoffmann Vice-Presidente Índice Mercado de Cambio Definições e funcionamento Mercado de Câmbio - Evolução

Leia mais

Pontes ao Sul: Argentina Brasil Laços com o Rio Grande do Sul. Consulado Geral da República Argentina em Porto Alegre Novembro 2015

Pontes ao Sul: Argentina Brasil Laços com o Rio Grande do Sul. Consulado Geral da República Argentina em Porto Alegre Novembro 2015 Pontes ao Sul: Argentina Brasil Laços com o Rio Grande do Sul Consulado Geral da República Argentina em Porto Alegre Novembro 2015 Vantagens e oportunidades da Argentina Alguns dados estruturais Com mais

Leia mais

A Política de Comércio Exterior Brasileira

A Política de Comércio Exterior Brasileira A Política de Comércio Exterior Brasileira Tatiana Lacerda Prazeres Secretária de Comércio Exterior Porto Velho, Setembro de 2011. Roteiro da Apresentação 1 Comércio Exterior Brasileiro 2 Panorama do Comércio

Leia mais

BRASIL Julio Setiembre 2015

BRASIL Julio Setiembre 2015 Red Econolatin www.econolatin.com Expertos Económicos de Universidades Latinoamericanas BRASIL Julio Setiembre 2015 Prof. Dr. Rubens Sawaya Assistente: Eline Emanoeli PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE

Leia mais

Aula 7 Inflação. Prof. Vladimir Maciel

Aula 7 Inflação. Prof. Vladimir Maciel Aula 7 Inflação Prof. Vladimir Maciel Estrutura Ferramenta de análise: OA e DA. Inflação Conceitos básicos. Causas. Trade-off com desemprego. Fator sancionador: expansão de moeda. Instrumentos de Política

Leia mais

Prefeitura Municipal de Castro

Prefeitura Municipal de Castro ANEXO DE METAS FISCAIS LEI DE DIRETRIZES ORÇAMENTÁRIAS - 2015 (Art. 4º, 1º, inciso II do 2º da Lei Complementar nº 101, de 4 de maio de 2000) DEMONSTRATIVO I ANEXO DE METAS ANUAIS Em cumprimento ao disposto

Leia mais

Desempenho do Comércio Exterior Paranaense Junho 2010

Desempenho do Comércio Exterior Paranaense Junho 2010 Depenho do Comércio Exterior Paranaense Junho 2010 As exportações em junho apresentaram redução de 8,57% sobre maio após expansão por quatro meses consecutivos. Desta forma, supera a marca de US$ 1 bilhão

Leia mais

Comunicado Conjunto. Reunião dos Presidentes Luiz Inácio Lula da Silva e José Alberto Mujica Cordano

Comunicado Conjunto. Reunião dos Presidentes Luiz Inácio Lula da Silva e José Alberto Mujica Cordano Comunicado Conjunto Reunião dos Presidentes Luiz Inácio Lula da Silva e José Alberto Mujica Cordano (Santana do Livramento/Rivera, 30 de julho de 2010) Os Presidentes da República Federativa do Brasil,

Leia mais

Prof. Dr. Emilio Merino

Prof. Dr. Emilio Merino Prof. Dr. Emilio Merino INDICE 1. Objetivo MOVIMAN-POA 2. Aspectos Institucionales 3. Aspectos Funcionales 4. Proceso de la elección de la área de estudio 5. Proceso de difusión y formación de parcerias

Leia mais

Mercado de Renda Fixa: Regras de Negócios, Liquidez e Transparência

Mercado de Renda Fixa: Regras de Negócios, Liquidez e Transparência Mercado de Renda Fixa: Regras de Negócios, Liquidez e Transparência 1º Seminário Internacional sobre Renda Fixa em Mercado de Balcão 29/9/2006 Agenda Cenário Macroeconômico Transparência e Liquidez Principais

Leia mais

Setor Externo: O Que as Contas Externas Contam Sobre a Atual Crise Econômica

Setor Externo: O Que as Contas Externas Contam Sobre a Atual Crise Econômica 7 Setor Externo: O Que as Contas Externas Contam Sobre a Atual Crise Econômica V M S (*) As dimensões da atual crise econômica são evidentemente grandes. No entanto, como em todos os demais aspectos da

Leia mais

Escola Secundária de Paços de Ferreira. Curso Profissional Técnicas de Secretariado. Ano Lectivo: 2009/10. Disciplina: Técnicas de Secretariado

Escola Secundária de Paços de Ferreira. Curso Profissional Técnicas de Secretariado. Ano Lectivo: 2009/10. Disciplina: Técnicas de Secretariado Ano Lectivo: 2009/10 Disciplina: Técnicas de Secretariado Professora: Adelina Silva Novembro de 2009 Trabalho realizado por: Sara Gonçalves n.º16 12ºS Financiamento á Exportação O produto baseia-se na

Leia mais

OPINIÃO Política Monetária, Arbitragem de Juro e Câmbio

OPINIÃO Política Monetária, Arbitragem de Juro e Câmbio OPINIÃO Política Monetária, Arbitragem de Juro e Câmbio João Basilio Pereima Neto A combinação de política monetária com elevada taxa de juros em nível e política cambial está conduzindo o país à uma deterioração

Leia mais

e Indicadores Brasileiros Nº 2/2 Maio de 2012

e Indicadores Brasileiros Nº 2/2 Maio de 2012 Notícias do Comércio Internacional e Indicadores Brasileiros Nº 2/2 Maio de 2012 Sindmóveis - Projeto Orchestra Brasil www.sindmoveis.com.br www.orchestrabrasil.com.br Realização: inteligenciacomercial@sindmoveis.com.br

Leia mais

Desempenho do Comércio Exterior Paranaense Março 2009

Desempenho do Comércio Exterior Paranaense Março 2009 Desempenho do Comércio Exterior Paranaense Março 2009 A crise financeira internacional continua afetando negativamente o comércio exterior paranaense: apesar das exportações terem aumentado 43,44% em março,

Leia mais

Avaliação do Instrumento de Apoio a Políticas Económicas (PSI) 2010-2012

Avaliação do Instrumento de Apoio a Políticas Económicas (PSI) 2010-2012 REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE Avaliação do Instrumento de Apoio a Políticas Económicas (PSI) 2010-2012 Elaborado Por: Ministério das Finanças Ministério da Planificação e Desenvolvimento Banco de Moçambique

Leia mais

Introdução. Capitais Internacionais

Introdução. Capitais Internacionais Capitais Internacionais e Mercado de Câmbio no Brasil Atualizado em fevereiro de 2009 1 Introdução O tratamento aplicável aos fluxos de capitais e às operações de câmbio acompanhou as conjunturas econômicas

Leia mais

A Economia Brasileira e o Governo Dilma: Desafios e Oportunidades. Britcham São Paulo. Rubens Sardenberg Economista-chefe. 25 de fevereiro de 2011

A Economia Brasileira e o Governo Dilma: Desafios e Oportunidades. Britcham São Paulo. Rubens Sardenberg Economista-chefe. 25 de fevereiro de 2011 A Economia Brasileira e o Governo Dilma: Desafios e Oportunidades Britcham São Paulo 25 de fevereiro de 2011 Rubens Sardenberg Economista-chefe Onde estamos? Indicadores de Conjuntura Inflação em alta

Leia mais

Boletim de Comércio Exterior da Bahia Março 2015

Boletim de Comércio Exterior da Bahia Março 2015 ISSN 2179-8745 Boletim de Comércio Exterior da Bahia Março 2015 Sumário SUMÁRIO Governo do Estado da Bahia Rui Costa Secretaria do Planejamento João Leão Superintendência de Estudos Econômicos e Sociais

Leia mais

Aprendendo a Exportar Seguro de Crédito à Exportação e Regimes Aduaneiros Logex

Aprendendo a Exportar Seguro de Crédito à Exportação e Regimes Aduaneiros Logex Aprendendo a Exportar Seguro de Crédito à Exportação e Regimes Aduaneiros Logex Grupo Danilo Correia, Caê Matta, Ágata Takara, Augusto Rinaldi, Felipe Marinoni, Isabella Lucas, Heitor Guimarães, Rafael

Leia mais

AUSTRÁLIA Comércio Exterior

AUSTRÁLIA Comércio Exterior Ministério das Relações Exteriores - MRE Departamento de Promoção Comercial e Investimentos - DPR Divisão de Inteligência Comercial - DIC AUSTRÁLIA Comércio Exterior Junho de 2015 Principais Indicadores

Leia mais

Introdução. Capitais Internacionais

Introdução. Capitais Internacionais Capitais Internacionais e Mercado de Câmbio no Brasil Atualizado em novembro de 2010 1 Introdução O tratamento aplicável aos fluxos de capitais e às operações de câmbio acompanhou as conjunturas econômicas

Leia mais

EIXO 2 ECONOMIA E DESENVOLVIMENTO

EIXO 2 ECONOMIA E DESENVOLVIMENTO EIXO 2 ECONOMIA E DESENVOLVIMENTO Disciplina: D2.1 Economia Brasileira (24h) (Aula 1 Fase desenvolvimentista 1930/80 e os planos de estabilização nos anos 1980 a 1990) Professora: Maria Abadia Alves 23

Leia mais

Política monetária e senhoriagem: depósitos compulsórios na economia brasileira recente

Política monetária e senhoriagem: depósitos compulsórios na economia brasileira recente Política monetária e senhoriagem: depósitos compulsórios na economia brasileira recente Roberto Meurer * RESUMO - Neste artigo se analisa a utilização dos depósitos compulsórios sobre depósitos à vista

Leia mais

X Reunião do GT-Câmbio Brasília, 4 de novembro de 2011

X Reunião do GT-Câmbio Brasília, 4 de novembro de 2011 Diretoria de Regulação do Sistema Financeiro Gerência-Executiva de Normatização de Câmbio e Capitais Estrangeiros X Reunião do GT-Câmbio Brasília, 4 de novembro de 2011 Pauta Demandas encaminhadas pelas

Leia mais

E FINANCEIRA: NOVA OBRIGAÇÃO ACESSÓRIA PARA CONTROLE DAS OPERAÇÕES FINANCEIRAS

E FINANCEIRA: NOVA OBRIGAÇÃO ACESSÓRIA PARA CONTROLE DAS OPERAÇÕES FINANCEIRAS E FINANCEIRA: NOVA OBRIGAÇÃO ACESSÓRIA PARA CONTROLE DAS OPERAÇÕES FINANCEIRAS No último dia 3, a Receita Federal do Brasil ("RFB") expediu a Instrução Normativa ("IN/RFB") nº 1.571/2015, instituindo a

Leia mais

2. Este capítulo contém as disposições complementares referentes às transferências financeiras relacionadas ou não a operações comerciais.

2. Este capítulo contém as disposições complementares referentes às transferências financeiras relacionadas ou não a operações comerciais. SEÇÃO : 1 - Disposições Gerais 1. (Revogado) Circular nº 3.390/2008. 2. Este capítulo contém as disposições complementares referentes às transferências financeiras relacionadas ou não a operações comerciais.

Leia mais

Exportação de Serviços de Engenharia 29/05/2014

Exportação de Serviços de Engenharia 29/05/2014 Exportação de Serviços de Engenharia 29/05/2014 Exportação de serviços de engenharia Benefícios para o Brasil Mercado Internacional Mecanismos de Apoio Oficial Propostas Índice O QUE SÃO OS SERVIÇOS DE

Leia mais

O MERCADO CAMBIAL BRASILEIRO Prof. Francisco José Rodrigues (FVS)

O MERCADO CAMBIAL BRASILEIRO Prof. Francisco José Rodrigues (FVS) O MERCADO CAMBIAL BRASILEIRO Prof. Francisco José Rodrigues (FVS) 1) INTRODUÇÃO 2) EVOLUÇÃO HISTÓRICA 3) POLÍTICA CAMBIAL VIGENTE 4) ESTRUTURA DO MERCADO 5) CONTROLES DO MERCADO CAMBIAL 6) CONCLUSÕES 7)

Leia mais

Junho 2013 Panorama Econômico da Argentina: [pág. 02-03] Panorama do Comércio Bilateral: [pág. 03-04] Restrições Comerciais: [pág.

Junho 2013 Panorama Econômico da Argentina: [pág. 02-03] Panorama do Comércio Bilateral: [pág. 03-04] Restrições Comerciais: [pág. Junho 2013 Panorama Econômico da Argentina: o saldo comercial argentino de maio apresentou queda de 2,8% em relação ao mesmo mês de 2012. Ademais, observa-se uma redução das reservas internacionais argentinas,

Leia mais

Diretoria de Assuntos Internacionais Gerência-Executiva de Normatização de Câmbio e Capitais Estrangeiros

Diretoria de Assuntos Internacionais Gerência-Executiva de Normatização de Câmbio e Capitais Estrangeiros Diretoria de Assuntos Internacionais Gerência-Executiva de Normatização de Câmbio e Capitais Estrangeiros Geraldo Magela Siqueira Rio de Janeiro 16 / 17 de março de 2010 Contextualização As novas condições

Leia mais

Conjuntura do Comércio Exterior - Crise Mundial

Conjuntura do Comércio Exterior - Crise Mundial BANCO DO BRASIL S/A Gerência Regional de Apoio ao Comércio Exterior Belo Horizonte MG Conjuntura do Comércio Exterior - Crise Mundial América do Norte Miami Nova Iorque Chicago Los Angeles Washington México

Leia mais

A Crise Internacional e os Desafios para o Brasil

A Crise Internacional e os Desafios para o Brasil 1 A Crise Internacional e os Desafios para o Brasil Guido Mantega Outubro de 2008 1 2 Gravidade da Crise Crise mais forte desde 1929 Crise mais grave do que as ocorridas nos anos 1990 (crise de US$ bilhões

Leia mais

Capítulo 10: GREMAUD, TONETO JR. E VASCONCELLOS (2002) Setor Externo

Capítulo 10: GREMAUD, TONETO JR. E VASCONCELLOS (2002) Setor Externo Capítulo 10: GREMAUD, TONETO JR. E VASCONCELLOS (2002) Setor Externo BALANÇO DE PAGAMENTOS: É o registro sistemático das transações entre residentes e não-residentes de um país durante determinado período

Leia mais

ÍNDICE. NOTAS EXPLICATIVAS Metodológica e Fontes Estatísticas.. 3 Conceitos...3 Sinais Convencionais... 6 Siglas e Abreviaturas...

ÍNDICE. NOTAS EXPLICATIVAS Metodológica e Fontes Estatísticas.. 3 Conceitos...3 Sinais Convencionais... 6 Siglas e Abreviaturas... ÍNDICE PREFÁCIO... 2 NOTAS EXPLICATIVAS Metodológica e Fontes Estatísticas.. 3 Conceitos...3 Sinais Convencionais... 6 Siglas e Abreviaturas... 6 ANÁLISE DE RESULTADOS Situação Global... 7 Conta Corrente...

Leia mais

Teleconferência de Resultados 3T15. 29 de outubro de 2015

Teleconferência de Resultados 3T15. 29 de outubro de 2015 Teleconferência de Resultados 3T15 Exoneração de Responsabilidade As eventuais declarações que possam ser feitas durante essa teleconferência relativas à perspectiva dos negócios, às projeções e metas

Leia mais

Projeto: Boletim de Conjuntura Industrial, Acompanhamento Setorial, Panorama da Indústria e Análise da Política Industrial

Projeto: Boletim de Conjuntura Industrial, Acompanhamento Setorial, Panorama da Indústria e Análise da Política Industrial Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial Universidade Estadual de Campinas Instituto de Economia Núcleo de Economia Industrial e da Tecnologia Projeto: Boletim de Conjuntura Industrial, Acompanhamento

Leia mais

Instituto Fernand Braudel de Economia Mundial

Instituto Fernand Braudel de Economia Mundial Instituto Fernand Braudel de Economia Mundial Associado à Fundação Armando Alvares Penteado Rua Ceará 2 São Paulo, Brasil 01243-010 Fones 3824-9633/826-0103/214-4454 Fax 825-2637/ngall@uol.com.br O Acordo

Leia mais

Parceria Asociación. Escola Empresa Escuela Enpresa

Parceria Asociación. Escola Empresa Escuela Enpresa Parceria Asociación Escola Empresa Escuela Enpresa FIEC - Empresas A FIEC em parceria com empresas da cidade e região que participam da atualização do conteúdo programático, capacitação do corpo docente

Leia mais

Seminário Internacional de Integração Energética Brasil-Colômbia

Seminário Internacional de Integração Energética Brasil-Colômbia Seminário Internacional de Integração Energética Brasil-Colômbia Visão Geral da Integração Regional GESEL, FIESP, 15 de outubro 2010 Eng. Fernando Rojas A experiência demonstra que a integração não é um

Leia mais

Nota de Crédito PJ. Janeiro 2015. Fonte: BACEN Base: Novembro de 2014

Nota de Crédito PJ. Janeiro 2015. Fonte: BACEN Base: Novembro de 2014 Nota de Crédito PJ Janeiro 2015 Fonte: BACEN Base: Novembro de 2014 mai/11 mai/11 Carteira de Crédito PJ não sustenta recuperação Após a aceleração verificada em outubro, a carteira de crédito pessoa jurídica

Leia mais

Figura 38 - Resultado global do Balanço de Pagamentos (US$ bilhões acum. Em 12 meses) Dez/95-Mar/07

Figura 38 - Resultado global do Balanço de Pagamentos (US$ bilhões acum. Em 12 meses) Dez/95-Mar/07 113 6. SETOR EXTERNO Fernando Ribeiro de Leite Neto 6.1 Balanço de Pagamentos 6.1.1 Resultado Global do Balanço de Pagamentos Ao longo de 2006, o setor externo da economia brasileira logrou registrar o

Leia mais

Administração Financeira: princípios, fundamentos e práticas brasileiras

Administração Financeira: princípios, fundamentos e práticas brasileiras Administração Financeira: princípios, fundamentos e práticas brasileiras Prof. Onivaldo Izidoro Pereira Finanças Corporativas Ambiente Econômico Em suas atividades uma empresa relacionase com: Clientes

Leia mais

Brasil: Planos de estímulo à infraestrutura e às exportações

Brasil: Planos de estímulo à infraestrutura e às exportações Brasil: Planos de estímulo à infraestrutura e às exportações Depois de permanecer estancada durante 2014, a economia brasileira se contraiu durante o primeiro semestre de 2015 e se espera que termine o

Leia mais

Indicadores de Risco Macroeconômico no Brasil

Indicadores de Risco Macroeconômico no Brasil Indicadores de Risco Macroeconômico no Brasil Julho de 2005 Risco Macroeconômico 2 Introdução: Risco Financeiro e Macroeconômico Um dos conceitos fundamentais na área financeira é o de risco, que normalmente

Leia mais

Panorama do Comércio Exterior de Minas Gerais 2015

Panorama do Comércio Exterior de Minas Gerais 2015 Panorama do Comércio Exterior de Minas Gerais 2015 APRESENTAÇÃO Minas Gerais se consolida como um dos mais importantes estados exportadores do Brasil, pela grande produção de commodities e pelos esforços

Leia mais

INTEGRAÇÃO DO CONE SUL: A INSERÇÃO REGIONAL NA ORDEM GLOBAL 2

INTEGRAÇÃO DO CONE SUL: A INSERÇÃO REGIONAL NA ORDEM GLOBAL 2 INTEGRAÇÃO DO CONE SUL: A INSERÇÃO REGIONAL NA ORDEM GLOBAL 2 INTEGRAÇÃO DO CONE SUL: A INSERÇÃO REGIONAL NA ORDEM GLOBAL HAROLDO LOGUERCIO CARVALHO * A nova ordem internacional que emergiu com o fim da

Leia mais

Taxas de Juros e Câmbio: Efeitos dos juros e do câmbio sobre a indústria. 1. Câmbio atual é inadequado para a estrutura industrial brasileira

Taxas de Juros e Câmbio: Efeitos dos juros e do câmbio sobre a indústria. 1. Câmbio atual é inadequado para a estrutura industrial brasileira Comissão de Finanças e Tributação Seminário: Taxas de Juros e Câmbio: Efeitos dos juros e do câmbio sobre a indústria Armando Monteiro Neto Presidente CNI Maio 2010 1. Câmbio atual é inadequado para a

Leia mais

ANEXO V MERCOSUR/RECYT/COMISIÒN DE APOYO AL DESARROLLO CIENTÍFICO Y TECNOLÓGICO/ACTA Nº 1/03

ANEXO V MERCOSUR/RECYT/COMISIÒN DE APOYO AL DESARROLLO CIENTÍFICO Y TECNOLÓGICO/ACTA Nº 1/03 ANEXO V MERCOSUR/RECYT/COMISIÒN DE APOYO AL DESARROLLO CIENTÍFICO Y TECNOLÓGICO/ACTA Nº 1/03 RECyT Propuesta Argentina Encuentro MERCOSUR de incubadoras de Empresas Objetivo: Identificar mecanismos de

Leia mais

Parte III Política Cambial

Parte III Política Cambial Parte III Política Cambial CAPÍTULO 5. A GESTÃO DO REGIME DE CÂMBIO FLUTUANTE NO BRASIL CAPÍTULO 6. A RELAÇÃO ENTRE A TAXA DE CÂMBIO E O DESENVOLVIMENTO Regimes e Política Cambial Apesar da adoção quase

Leia mais

CIRCULAR Nº 3.525. I - capítulo 8, seção 2, subseção 24. I - capítulo 2, seção 2, subseção 1.

CIRCULAR Nº 3.525. I - capítulo 8, seção 2, subseção 24. I - capítulo 2, seção 2, subseção 1. CIRCULAR Nº 3.525 Altera o Regulamento do Mercado de Câmbio e Capitais Internacionais (RMCCI). A Diretoria Colegiada do Banco Central do Brasil, em sessão realizada em 9 de fevereiro de 2011, com base

Leia mais

ATENÇÃO. O Banco do Brasil apesar de não ser mais uma autoridade, ainda exerce atividades típicas de Banco Central.

ATENÇÃO. O Banco do Brasil apesar de não ser mais uma autoridade, ainda exerce atividades típicas de Banco Central. 1. BREVE HISTÓRICO DO SFN O SFN brasileiro é relativamente novo. Tem pouco mais de 50 anos. Foi criado em 1964. Mas isso não quer dizer que não existiam instituições financeiras anteriormente. Com a vinda

Leia mais

ITR - Informações Trimestrais - 31/03/2013 - MAHLE METAL LEVE S.A. Versão : 1. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2

ITR - Informações Trimestrais - 31/03/2013 - MAHLE METAL LEVE S.A. Versão : 1. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 2 Balanço Patrimonial Passivo 3 Demonstração do Resultado 5 Demonstração do Resultado Abrangente 6 Demonstração

Leia mais

Desempenho do Comércio Exterior Paranaense Maio 2012

Desempenho do Comércio Exterior Paranaense Maio 2012 Desempenho do Comércio Exterior Paranaense Maio 2012 As exportações em maio apresentaram aumento de +39,13% em relação a abril, continuando a superar a marca de US$ 1 bilhão, agora pela décima-sexta vez

Leia mais

Produto Vendas Custo da matéria-prima

Produto Vendas Custo da matéria-prima Conceitos básicos de economia A economia pode ser subdividida em dois grandes segmentos: - Macroeconomia: trata da evolução da economia como um todo, analisando a determinação, comportamento e relações

Leia mais

Desempenho do Comércio Exterior Paranaense Março 2013

Desempenho do Comércio Exterior Paranaense Março 2013 Desempenho do Comércio Exterior Paranaense Março 2013 As exportações em março apresentaram aumento de +27,85% em relação a fevereiro. O valor exportado superou novamente a marca de US$ 1 bilhão, atingindo

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 3265. Documento normativo revogado pela Resolução 3.568, de 29/05/2008, a partir de 01/07/2008.

RESOLUÇÃO Nº 3265. Documento normativo revogado pela Resolução 3.568, de 29/05/2008, a partir de 01/07/2008. RESOLUÇÃO Nº 3265 01/07/2008. Documento normativo revogado pela Resolução 3.568, de 29/05/2008, a partir de Dispõe sobre o Mercado de Câmbio e dá outras providências. O BANCO CENTRAL DO BRASIL, na forma

Leia mais

O sucesso do Plano Real na economia brasileira RESUMO

O sucesso do Plano Real na economia brasileira RESUMO 1 O sucesso do Plano Real na economia brasileira Denis de Paula * RESUMO Esse artigo tem por objetivo evidenciar a busca pelo controle inflacionário no final da década de 1980 e início da década de 1990,

Leia mais

Aula nº 10 - MERCADO DE CÂMBIO

Aula nº 10 - MERCADO DE CÂMBIO POLÍTICA CAMBIAL Chama-se política cambial o conjunto de ações do Governo que influem no comportamento do mercado de câmbio e da taxa de O Banco Central executa a política cambial definida pelo Conselho

Leia mais

CIRCULAR N 3015. Art. 6º Esta Circular entra em vigor na data de sua publicação. Daniel Luiz Gleizer Diretor

CIRCULAR N 3015. Art. 6º Esta Circular entra em vigor na data de sua publicação. Daniel Luiz Gleizer Diretor CIRCULAR N 3015 Altera o Regulamento do Mercado de Câmbio de Taxas Flutuantes para incluir título relativo a Transferências Postais. A Diretoria Colegiada do Banco Central do Brasil, em sessão realizada

Leia mais

Inovação e Comércio Exterior Luiz Fernando Furlan

Inovação e Comércio Exterior Luiz Fernando Furlan Inovação e Comércio Exterior Luiz Fernando Furlan Introdução Esta apresentação tem como objetivo sinalizar a importância de uma efetiva articulação entre a política de comércio exterior e a política tecnológica,

Leia mais