Edital de Projetos para o Programa ASA Kommunal 2016

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Edital de Projetos para o Programa ASA Kommunal 2016"

Transcrição

1 Edital de Projetos para o Programa ASA Kommunal 2016 Conheça os objetivos do Programa ASA Kommunal Em cooperação com o Centro de Serviços para os Municípios em Um Só Mundo (SKEW), o Programa ASA lançou, em 2013, o ASA Kommunal, um programa de cooperação entre municípios ("kommunal", em português, significa "municipal"). O novo programa explora as sinergias existentes entre o Programa ASA, de aprendizagem e qualificação na área da política de desenvolvimento, e o SKEW, centro de competência na área da cooperação municipal para o desenvolvimento: o programa é um instrumento de apoio - temático e de recursos humanos - ao trabalho de parceria, proporciona a reflexão das atividades de cooperação para o desenvolvimento à luz dos discursos atuais e vem ampliando o leque de aprendizagem e atividades dos participantes do programa por meio de projetos e oportunidades de engajamento no contexto da cooperação municipal para o desenvolvimento. Por meio de sua participação do ASA Kommunal, os municípios podem aprofundar as relações com seus parceiros, contam com apoio para projetos de formação e projetos no âmbito das cooperação para o desenvolvimento, iniciam um processo de aprendizagem e reflexão, juntamente com os participantes, recebem novas ideias e impulsos temáticos, e conquistam multiplicadores jovens que assumem um compromisso municipal. Nos projetos do Programa ASA Kommunal, que têm duração de três ou seis meses, os participantes têm a oportunidade de aprofundar o conhecimento e a compreensão das interdependências globais e dos principais assuntos da cooperação municipal para o desenvolvimento, além de adquirir capacidades transformadoras no contexto internacional. Ao mesmo tempo, os municípios parceiros, no âmbito de um projeto concreto, contam com apoio por meio de uma contribuição qualificada para os objetivos da sua parceria. Após sua volta do exterior, os participantes, na Alemanha, dão seguimento ao compromisso com o desenvolvimento global sustentável e realizam uma atividade de Aprendizagem Global no município alemão, cujo intuito consiste na sensibilização sobre questões globais. Nota: Os projetos realizados no âmbito do Programa ASA Kommunal não proveem recursos financeiros ou materiais à organização parceira. Eles apenas subsidiam os custos de estadia dos participantes. Ao mesmo tempo, os participantes não devem ser vistos como especialistas de cooperação para o desenvolvimento. Conheça os programas que integram o ASA Kommunal Em janeiro de 2012, o Programa ASA foi integrado na organização ENGAGEMENT GLOBAL da qual também faz parte o SKEW. O ASA é um programa de aprendizagem e qualificação na área da política de desenvolvimento. Seu objetivo consiste em capacitar jovens talentos dispostos a assumir um compromisso com o desenvolvimento global sustentável. No programa, eles se tornam multiplicadores e aprendem a lidar com questões de dimensão global. O Ciclo de Aprendizagem ASA é a atividade central do programa: a cada ano, aprox. 260 bolsistas frequentam cursos de qualificação intercalados com um período prático no exterior. O Programa ASA promove a aprendizagem conjunta, o pensamento global e a responsabilidade social e pretende contribuir, tanto no Norte, como no Sul, para a sensibilização sobre assuntos globais e questões inerentes à política de desenvolvimento. Para informações adicionais, que estão disponíveis em alemão, francês, inglês e espanhol, consulte o site / O SKEW é o centro de competência na Alemanha para as políticas municipais em prol do desenvolvimento. O SKEW dá enfoque aos temas decisivos para o futuro das parcerias municipais, como: migração e desenvolvimento na esfera local, comércio justo e regimes justos de compras governamentais. Por meio de medidas de qualificação, articulação, 1

2 informação e consultoria, o SKEW apoia atores municipais nas suas atividades de cooperação para o desenvolvimento e dá um fomento objetivo às relações internacionais dos municípios por meio de recursos financeiros e humanos. O ASA Kommunal é um dos novos instrumentos destinados a apoiar as parcerias com recursos humanos e aportes temáticos. Para informações adicionais sobre o SKEW, disponíveis em vários idiomas, entre os quais o português, consulte o site www. service-eine-welt.de. Como funciona o Programa ASA Kommunal? O Programa ASA Kommunal oferece apoio a dois tipos de projetos: ASA Kommunal Básico: No ASA Kommunal Básico, dois participantes da Alemanha trabalham durante três meses no município parceiro na África, Ásia, América Latina ou no Sudeste europeu. Os participantes frequentam cursos de preparação e avaliação do Programa ASA nos quais, ao longo de vários dias, estudam as relações globais e a metodologia de formação na área da política de desenvolvimento. Além disto, participam de um encontro de rede do Programa ASA Kommunal. Por ocasião de estágio de alguns dias, realizado antes de sua viagem ao município parceiro, eles se familiarizam com os processos de trabalho do município alemão. Após sua volta, eles executam uma atividade de Aprendizagem Global no município alemão. ASA Kommunal SulNorte: A variante ASA Kommunal SulNorte é uma extensão do Programa ASA Kommunal Básico. Dois participantes da Alemanha (participantes do Norte) e outros dois dos município parceiro (participantes do Sul) atuam em equipe: após um período conjunto de três meses na Alemanha, cooperam ao longo de outros três no município parceiro. O objetivo consiste em proporcionar o intercâmbio entre parceiros, nos dois sentidos, e em promover um diálogo SulNorte em pé de igualdade para debater soluções e demandas de desenvolvimento que existem tanto no Norte como no Sul. Juntamente com os participantes do Norte, os participantes do Sul participam dos cursos do Programa Asa nos meses de abril e junho. Além disto, participam do encontro de rede no início de maio. Os cursos apoiam as equipes SulNorte no seu processo de aprendizagem conjunta. Após sua volta, os participantes da Alemanha realizam uma atividade de Aprendizagem Global no município alemão. Para a etapa realizada na Alemanha, as entidades na Alemanha, que são responsáveis pela organização e execução do projeto nos municípios, assumem as seguintes despesas: as despesas causadas pela estadia dos participantes do Sul na Alemanha, suas despesas de viagem e demais custos do projeto são assumidos pelo Programa ASA e pela organização parceira na Alemanha, sendo que os municípios envolvidos devem arcar com pelo menos 25 por cento dos custos. 2

3 Perguntas mais frequentes 1. Saiba quem propõe e quem executa os projetos do Programa ASA Kommunal Propostas podem ser submetidas por municípios do Norte e do Sul que mantêm uma relação de parceria. As medidas do Programa ASA Kommunal são implantadas no contexto de um projeto conjunto, executado pelos dois municípios no âmbito de sua parceria. Ambos os municípios devem apropriar-se do projeto. Para a etapa prática, esta é uma chave do sucesso. Os projetos podem ser implantados pela própria administração municipal ou delegadas a ONGs, entidades ou organizações locais. Em todos os casos, o monitoramento e recebimento dos resultados do projeto são prerrogativa do município que submeteu a proposta. 2. Saiba que países podem propor projetos no âmbito do Programa ASA Kommunal A princípio, é possível propor projetos ASA Kommunal para todos os países que figuram da lista CAD da OCDE: e_2014_2016.pdf, com as seguintes exceções: o Ministério de Relações Exteriores da Alemanha publica uma lista de alertas a viajantes. Para evitar que os participantes jovens fiquem expostos a riscos, países que figuram nesta lista não podem realizar projetos no âmbito do Programa ASA. Para consultar a lista atualizada dos países em questão, cf. o site do Ministério de Relações Exteriores da Alemanha. Em certos casos, o alerta diz respeito a determinadas regiões de um país. Além disto, o Programa ASA observa as restrições de segurança aplicáveis aos destacamentos do programa de estagiários weltwärts. Assim sendo, infelizmente não aceitamos propostas provenientes de países ou regiões avaliados como impróprios para destacamentos no âmbito do programa weltwärts. Para consultar a relação atualizada destes países, consulte 3. Conheça os temas dos projetos no âmbito da política de desenvolvimento Como enfoques temáticos, podem ser escolhidos todas as tarefas municipais relacionadas com os serviços públicos básicos e a boa governança local. Além disto, estamos abertos a avaliar enfoques inovadores, nomeadamente aqueles conjugados com o "comércio justo", "migração e desenvolvimento" e a implantação da Agenda Pós-2015 na esfera local. Nas propostas submetidas ao ASA Kommunal SulNorte, concernentes às etapas práticas do projeto na Alemanha (abril a junho de 2016) e no município parceiro (três meses, entre o início de julho e dezembro de 2016), é preciso definir um enfoque temático que possua relevância para ambos os municípios. 4. Saiba quais são as tarefas que os participantes do Programa ASA Kommunal podem exercer nos projetos Os participantes do Programa ASA estão motivados e capazes de apoiar um projeto durante três meses e de exercer tarefas qualificadas: podem ser incumbidos de projetos de pesquisa ou análises; do desenvolvimento, planejamento e organização de medidas; do apoio a projetos em andamento; etc. Não obstante, convém ter em mente que os participantes se encontram em uma fase de aprendizagem, que ainda não são especialistas e que não possuem experiência internacional de longa data. Além disto, eles vão precisar de tempo para conhecer as estruturas e o modo de trabalho da parceria entre as cidades. Vão confrontar-se, ainda, com as expectativas mais diversas. 3

4 Quando da escolha do tema do projeto e das tarefas, convém atentar, ainda, para as especificidades do seu município: para encontrar candidatos adequados no seu município, poderia pensar-se, por exemplo, nos estabelecimentos de ensino locais. Os participantes do Programa Básico realizam seus projetos em duplas. No Programa ASA Kommunal SulNorte, os participantes dos municípios da Alemanha e do Sul Global cooperam, nas duas etapas do projeto, em equipes formadas por quatro pessoas. As tarefas a realizar no âmbito do Programa ASA Kommunal SulNorte devem proporcionar uma cooperação em equipe e uma aprendizagem mútua, evitando, com isto, a transferência unilateral de experiências, do Norte ao Sul. Uma relação direta, entre os temas das duas etapas, no Sul e no Norte, é oportuna. Quando da definição das tarefas para a etapa na Alemanha, convém ter em mente que os participantes do do Programa ASA Kommunal SulNorte normalmente não dominam a língua alemã. Nos programas ASA Kommunal Básico e ASA Kommunal SulNorte, os participantes devem contar com pessoas responsáveis (mentores) que se incumbem do acompanhamento técnico e organizacional (preparação temática e logística, pedido de visto, alojamento, introdução à realidade local, etc.). 5. Conheça os propósitos da atividade de Aprendizagem Global O Programa ASA Kommunal é um programa de aprendizagem e qualificação para formar multiplicadores que assumem seu compromisso com um mundo justo e sustentável. Na acepção do Programa ASA, os participantes, em qualquer momento, são multiplicadores: quando entram em contato com as pessoas mais diversas, no seu cotidiano, e trocam ideias - nem sempre de forma consciente - sobre assuntos de envergadura global, novas perspectivas, seus valores, suas ideias e convicções. A atividade de Aprendizagem Global tem função complementar: por meio desta atividade, os participantes atuam como multiplicadores, partilhando e socializando as experiências adquiridas no estágio e nos cursos do Programa Asa: Os propósitos principais dos dois cursos iniciais do programa ASA e da etapa prática são a aprendizagem e a reflexão do processo de aprendizagem. A atividade de Aprendizagem Global cria a oportunidade de ir além, de aplicar as novas perspectivas e as questões dos quais os participantes se ocuparam no âmbito do Programa ASA. Por meio da atividade de aprendizagem global, os participantes assumem o papel de multiplicadores, trabalham, aprofundam e divulgam a outras pessoas um tema que lhes é muito caro. O Programa ASA Kommunal faz questão de que a atividade de Aprendizagem Global seja desenvolvida juntamente, pelos participantes e pelo município, e que o município alemão apoie os participantes quando da realização in loco. A forma e o contexto da atividade ficam a critério dos participantes (teatro de rua no calçadão para divulgar o comércio justo, atos públicos sobre parcerias entre cidades / parcerias para o clima, jornadas de projetos em escolas, palestras, exposições, etc.). Após sua estadia no projeto, os participantes (e todas as demais pessoas interessadas da rede ASA) podem frequentar a cursos de qualificação o Programa ASA que são preparados para seu compromisso futuro com a cooperação municipal para o desenvolvimento. 4

5 6. Saiba quem são os participantes do Programa ASA que vêm da Alemanha Processo de recrutamento, seleção e preparação O grupo-alvo do Programa ASA são jovens na faixa etária de 21 a 30 anos, residentes e domiciliados na Alemanha, que estejam frequentando um curso de ensino superior ou tenham completado um curso profissionalizante. O Programa ASA recruta candidatos das mais diversas profissões e cursos superiores que estão motivados a assumir um compromisso com seu município. Preferência será dada a munícipes do município proponente ou a pessoas que possuem um nexo forte com este. Nem sempre é possível identificar candidatos que tenham um nexo regional. Os participantes que não possuam este nexo, devem ter conhecimento suficiente dos processos de trabalho do município alemão. Este conhecimento pode ser adquirido por meio estágios no município. Os municípios têm o direito de propor candidatos. Se o nexo com o município ou a região constituir uma condição sine qua non, pediríamos que indicassem este fato no formulário de proposta de projetos É bom ter em mente que a própria escolha do tema e das tarefas do projeto incentiva uns e exclui outros candidatos. Para recrutar candidatos apropriados para seu projeto, contamos com seu apoio, já que conhecem infinitamente melhor as condições locais (estabelecimentos de ensino superior, centros de formação, redes de cooperação para o desenvolvimento, etc.). Todos os candidatos do Programa ASA Kommunal passam pelo processo de recrutamento e triagem do Programa ASA. A seleção segundo os critérios ASA é realizada juntamente pelo ASA, SKEW e seu município. Para conhecer os critérios de participação do programa, acesse Critérios de seleção são a aptidão social e técnica (qualificação técnico-profissional e domínio de idiomas relevantes) e, além disto, a motivação de agir, no futuro, como multiplicador na área da formação e política de desenvolvimento, bem como um interesse manifesto pelos objetivos do programa. Por mais que seja um ponto positivo, que conta em favor dos candidatos, o nexo local não é uma condição sine qua non (a não ser que o município o exija). Antes de sua viagem ao país anfitrião, os participantes frequentam cursos de preparação: desenvolvem expectativas realistas quanto à sua atuação no projeto, conhecem as metodologias e adquirem as competências necessárias para sua estadia e sua futura atuação como multiplicadores. 7. Saiba como o Programa ASA Kommunal SulNorte recruta, seleciona e prepara os participantes do município parceiro do Sul Global (participantes do Sul) Os participantes do Sul são recrutados e selecionados pelo município parceiro; a seleção é ratificada pelo ASA, pelo SKEW e pelo município alemão. A exemplo dos participantes do Norte, deve tratar-se de estudantes do ensino superior ou profissionais jovens que vivam no município parceiro, na faixa etária de 21 a 35 anos. Os participantes do município parceiro são selecionados conforme sua aptidão social e técnica (habilidades técnico-profissionais, domínio de idiomas e motivação de adquirir conhecimentos básicos da língua alemã). Além disto, são consideradas sua motivação de participar do Programa ASA, a disponibilidade em termos de tempo e sua disposição de participar das duas etapas do projeto, na Alemanha e no país de origem. Cabe aos participantes do Sul solicitar um visto de 90 dias com a devida antecedência (não é possível permanecer por mais de 90 dias na Alemanha). Juntamente com os participantes do Norte, os participantes do Sul frequentam os cursos de treinamento do ASA, nos meses de abril e junho, destinados a acompanhar a aprendizagem conjunta e fomentar o trabalho em equipe. 5

6 8. Qual é o apoio financeiro dado aos participantes do Programa ASA? Saiba quais são os custos adicionais para os promotores e executores dos projetos e para os participantes do Programa ASA Para os três meses no exterior, os participantes da Alemanha recebem um subsídio único de, em média, 2.100,00 euros destinado a cobrir parte de suas despesas de viagem e estadia. Além disto, o Programa ASA providencia seguro-saúde, seguro de acidentes pessoais e responsabilidade civil. Tendo em vista que esta bolsa cobre apenas uma parte das despesas de viagem e estadia, as demais despesas devem ser assumidas pelos próprios participantes. Para os três meses na Alemanha, os participantes do Programa ASA Kommunal SulNorte que vivem na Alemanha recebem além disto um subsídio de 579 euros por mês. Para os participantes do Programa SulNorte que vêm do município parceiro, o município alemão (ou a entidade envolvida na execução do projeto) recebe um subsídio único de 2.400,00 euros por participante do Sul (três cotas mensais de 800 euros). Este subsídio mensal que deve ser pago diretamente aos participantes do Sul é composto de: 229,00 euros para alimentação, 221,00 euros para acomodação e mesada de 350,00 euros. Ou seja, este subsidio cobre apenas uma parte do total das despesas geradas pelos participantes do Sul durante a etapa do projeto na Alemanha. Os municípios envolvidos no projeto arcam com todas as demais despesas, como passagem aérea, visto, e outros custos causados pelo o projeto (aluguel de salas, material, relações públicas, cursos de idiomas, etc.), em porcentagem igual ou superior a 25 por cento do custo total da estadia dos participantes do Sul na Alemanha. Ademais, o Programa ASA providencia seguro-saúde, seguro de acidentes pessoais e responsabilidade civil para os participantes do Sul. O Programa ASA arca, ainda, com as despesas de viagem dos participantes do Sul para participar dos cursos ASA, nos meses de abril, maio (encontro de rede) e junho de 2016 de acordo com as normas de reembolso de despesas de viagem do Programa ASA (passagem de trem, tarifa "Bahncard"). Para informações adicionais, consulte as instruções de financiamento de projetos ASA Kommunal SulNorte, no fim deste documento. A execução do projeto em si não deve causar despesas adicionais aos participantes do Programa Básico e do Programa SulNorte. Em função disto, os municípios ou entidades envolvidas na execução do projeto devem arcar com eventuais despesas causadas pelo projeto como despesas de material e viagem caso os participantes precisem realizar viagens nacionais. 6

7 Como propor um projeto? O Programa ASA Kommunal pode dar uma contribuição importante para a cooperação com seu parceiro municipal? Neste caso, basta preencher o formulário de proposta de projeto (ver anexo) juntamente com seu município parceiro e submeter a proposta até o dia 10 de julho de 2015 às responsáveis do Programa ASA e do SKEW (ver embaixo). Estamos à sua disposição para apoiar a elaboração de sua proposta de projeto. Após a submissão de sua proposta, enviamos nossos comentários. O prazo de alteração da proposta termina em 15 de setembro de Estamos à disposição para apoiar a redação final. A proposta definitiva instruída com o Termo de Cooperação assinado pelos representantes legais dos municípios parceiros ou seus substitutos, deve ser submetida ao Programa ASA até o dia 15 de setembro de Em outubro, o Programa ASA e o SKEW vão selecionar os projetos vencedores. Para conhecer os pormenores dos Programas ASA Kommunal Básico e SulNorte, cf. o cronograma anexo. Em caso de sugestões ou dúvidas, estamos à sua disposição. SKEW: Anne Klanke, fone: , Programa ASA: Cornelia Hufeisen, fone: , Por favor, envie a proposta para: 7

8 ASA Kommunal Cronograma Período Programa Básico Componentes adicionais do Programa SulNorte 10 de julho de 2015 Prazo para submissão das propostas iniciais terça-feira, 15 de setembro de Prazo para submissão das propostas finais e do Termo de Cooperação 2015 Final de outubro Seleção dos projetos pelo Programa de 2015 Novembro de 2015 Novembro de 2015 ASA e pelo SKEW Os municípios parceiros são informados dos projetos aprovados e recebem informações sobre as próximas etapas. Os municípios alemães participam de um encontro de lançamento, organizado pelo ASA/SKEW. Até o início de janeiro, o município parceiro no Sul Global identifica e seleciona candidatos adequados no próprio município (participantes do Sul). 20 de novembro de 2015 até 10 de janeiro de 2016 Final de janeiro/início de fevereiro de 2016 Fevereiro de 2016 Fevereiro/março de 2016 Divulgação dos projetos do Programa ASA Kommunal selecionados no site do Programa ASA e início das candidaturas online. O Programa ASA e o município parceiro na Alemanha apoiam a divulgação dos projetos nos municípios alemães para encontrar candidatos adequados. Prazo de submissão das candidaturas de participantes da Alemanha Encontro de um dia dos responsáveis pelos projetos com os quadros do ASA/SKEW, seguido da reunião de seleção (provavelmente dois dias) na sede do ASA com participação de responsáveis municipais Seleção dos participantes do Programa ASA Kommunal na Alemanha pelo Programa ASA e pelo SKEW de acordo com processo de seleção do Programa ASA Antes da decisão final, os parceiros da Alemanha têm a oportunidade de esclarecer dúvidas e perguntas com os candidatos pré-selecionados por telefone. Os participantes da Alemanha recebem a confirmação e as informações necessárias. O Programa ASA comunica O município parceiro do Sul Global seleciona os participantes do Sul em consenso com o Programa ASA. O Programa ASA envia a confirmação e as informações necessárias aos participantes do Sul e informa as embaixadas competentes. Assinatura do Acordo de Financiamento com o Programa ASA relativo à etapa do projeto na Alemanha. 8

9 Abril a junho de 2016 Entre julho e dezembro de 2016 Entre outubro de 2016 e junho de 2017 Janeiro a março de 2016 aos municípios envolvidos os nomes dos participantes selecionados. Antes da estadia no Sul Global, os participantes do Programa ASA Kommunal frequentam os cursos obrigatórios do Programa ASA (junto com outros integrantes do Programa ASA), entram em contato com seus interlocutores nos municípios e, eventualmente, realizam um estágio de curta duração no município alemão. Os participantes do Programa ASA Kommunal e os responsáveis pelo projeto no município alemão participam do encontro de rede do ASA (num fim de semana). Início da etapa trimestral no município parceiro. Os participantes da Alemanha realizam suas atividades de Aprendizagem Global nos municípios alemães. Para preparar suas atividades, eles têm a oportunidade de frequentar cursos de qualificação no segundo semestre de Seminário ASA para os participantes do Programa ASA Kommunal da Alemanha: avaliação da estadia no pais anfitrião, preparação e troca de experiências e ideias com vistas à atuação futura. Realização da etapa trimestral do projeto na Alemanha (etapa Norte): os participantes do Sul trabalham no município alemão juntamente com os participantes da Alemanha (participantes do Norte) e frequentam com eles os cursos do Programa ASA que oferecem acompanhamento pedagógico ao processo de aprendizagem dos participantes durante a etapa no Norte. Os participantes do Sul e do Norte trabalham juntamente no município parceiro (etapa no Sul). Julho/agosto: comprovação do uso correto do subsídio que o Programa ASA concedeu aos participantes do Sul. 9

10 Instruções importantes relativos ao financiamento de projetos ASA Kommunal SulNorte no âmbito do ASA Kommunal As despesas causadas pela estadia dos participantes do Sul na Alemanha, suas despesas de viagem e demais custos do projeto são assumidos pelo Programa ASA e pelo município alemão, sendo que o município deve arcar com pelo menos 25 por cento dos custos. Desta forma, os participantes do Sul encontram condições adequadas de acomodação, mesada, seguros, alimentação, curso de idiomas, transporte, visto, etc. A mesada deve proporcionar a participação na vida social da Alemanha. 2. No âmbito do Programa ASA Kommunal, o município alemão (ou a entidade envolvida na execução do projeto) recebe um subsídio único no montante de 2.400,00 euros por participante do Sul (valor total para o período de três meses). Ademais, o Programa ASA providencia segurosaúde, seguro de acidentes pessoais e responsabilidade civil para os participantes do Sul. O Programa ASA arca, ainda, com as despesas de viagem dos participantes do Sul para participar dos cursos ASA, nos meses de abril, maio (encontro de rede) e junho de 2016 de acordo com as normas de reembolso de despesas de viagem do ASA (passagem de trem, tarifa "Bahncard"). Os 2.400,00 euros por participante do Sul são compostos de 229,00 euros para alimentação, 221,00 euros para acomodação e mesada de 350,00 euros. Este subsídio deve ser pago diretamente aos participantes do Sul em três pagamentos mensais de 800,00 euros. Este subsídio cobre apenas uma parte do total das despesas. 3. Todas as demais despesas causadas pela estadia dos participantes do Sul na Alemanha são pagas pelo município promotor do projeto ou pela entidade envolvida na execução do projeto. Elas incluem, sempre, as despesas de viagem entre o país de origem e a Alemanha. Além disto, o projeto pode acarretar custos adicionais como despesas de viagem na Alemanha, serviços de interpretação, despesas com material, relações públicas. Os municípios que promovem o projeto (ou as organizações envolvidas na execução do projeto) assumem 25 por cento ou mais dos custos causados pela estadia do participantes do Sul na Alemanha. Estas verbas devem ser aportadas pelos municípios, com fundos próprios, ou por meio de doações. 4. Em fevereiro de 2016, o Programa ASA vai assinar um Acordo de Financiamento com o município alemão (ou a organização envolvida na execução do projeto). Após a conclusão da etapa na Alemanha, o município prova, por meio da apresentação de recibos, que pagou a mesada de 800,00 euros aos participantes do Sul. Modificações do Acordo de Financiamento carecem da forma escrita. 5. Os participantes do Sul devem receber, no mínimo, 800,00 euros por mês como subsídio de alimentação, acomodação e mesada. Além disto, é necessário arcar com as despesas de transporte dos participantes do Sul (como passe mensal para o sistema de transporte público e despesas de viagem realizadas no âmbito do projeto; eventualmente "Bahncard" para viagens de trem). O participante do Sul recebe estas verbas uma vez por mês, num determinado dia do mês, em dinheiro ou por transferência à sua conta bancária. Dependendo da data de entrada no país, os pagamentos devem ser efetuados no primeiro ou no décimo quinto dia do mês. 6. É necessário comprovar o pagamento das verbas aos participantes do Sul. 7. Durante os três meses da etapa no Sul, realizados em seu próprio país, os participantes do Sul recebem um subsídio de, em média, 150 euros/mês (13 por cento do valor das bolsas que o DAAD - Serviço Alemão de Intercâmbio Acadêmico concede a doutorandos). Trata-se uma mesada destinada a cobrir custos adicionais que são causados aos participantes do Sul em função da participação da etapa no Sul (despesas de viagem no âmbito do projeto, etc.). A mesada apenas é paga aos participantes do Sul que, durante a etapa no Sul, não tenham emprego fixo. 10

Convocatória para Apresentação de Propostas de Projeto para o Programa ASA Kommunal 2015

Convocatória para Apresentação de Propostas de Projeto para o Programa ASA Kommunal 2015 Convocatória para Apresentação de Propostas de Projeto para o Programa ASA Kommunal 2015 Prezadas Senhoras, prezados Senhores, Por meio desta lançamos o convite de submeter sua proposta de projeto para

Leia mais

Programa de Apoio a Projetos de Cooperação Internacional da UFMG Propostas de Consolidação e de Contrapartida Fundo para Internacionalização da UFMG

Programa de Apoio a Projetos de Cooperação Internacional da UFMG Propostas de Consolidação e de Contrapartida Fundo para Internacionalização da UFMG Programa de Apoio a Projetos de Cooperação Internacional da UFMG Propostas de Consolidação e de Contrapartida Fundo para Internacionalização da UFMG Edital de Seleção 006-2013 O Diretor de Relações Internacionais

Leia mais

Programa Conjunto de Bolsas de Doutorado na República Federal da Alemanha 2010/2011 DAAD - CAPES CNPq

Programa Conjunto de Bolsas de Doutorado na República Federal da Alemanha 2010/2011 DAAD - CAPES CNPq Programa Conjunto de Bolsas de Doutorado na República Federal da Alemanha 2010/2011 DAAD - CAPES CNPq I. DEFINIÇÃO E OBJETIVO As bolsas do Programa conjunto de doutorado na Alemanha são concedidas em cooperação

Leia mais

Guia para a elaboração dos relatórios sobre o projeto (Relatório descritivo e Relatório financeiro)

Guia para a elaboração dos relatórios sobre o projeto (Relatório descritivo e Relatório financeiro) Guia para a elaboração dos relatórios sobre o projeto (Relatório descritivo e Relatório financeiro) A elaboração de relatórios deve servir, em primeiro lugar, ao próprio projeto: como retrospecção das

Leia mais

1. O Fórum Educação e Sociedade : O Fórum Educação e Sociedade é organizado por entidades brasileiras e francesas e tem por objetivo:

1. O Fórum Educação e Sociedade : O Fórum Educação e Sociedade é organizado por entidades brasileiras e francesas e tem por objetivo: Chamada para Seleção das Candidaturas de Alunos para participar do Forum Educação e Sociedade desenvolvido em parceria pela Rede Brasil (França), Fiocruz e Rede Federal de Educação Tecnológica a ser realizado

Leia mais

Projeto IPPDH Cooperação Humanitária Internacional

Projeto IPPDH Cooperação Humanitária Internacional TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONSULTORIA COORDENADOR/A DE CAPACITAÇÃO 1. Antecedentes Projeto IPPDH Cooperação Humanitária Internacional O Projeto Cooperação Humanitária Internacional tem por objetivo o desenvolvimento

Leia mais

AIESEC em Ribeirão Preto. Proposta de Parceria

AIESEC em Ribeirão Preto. Proposta de Parceria AIESEC em Ribeirão Preto Proposta de Parceria Apresentação Presente em mais de 110 países, a AIESEC é a plataforma internacional para jovens desenvolverem e explorarem seus potenciais de liderança. Parceira

Leia mais

EDITAL DO PROCESSO SELETIVO. Programa de Bolsas Fórmula Santander 2015

EDITAL DO PROCESSO SELETIVO. Programa de Bolsas Fórmula Santander 2015 EDITAL DO PROCESSO SELETIVO Programa de Bolsas Fórmula Santander 2015 Dispõe sobre o programa de Mobilidade Internacional de alunos de graduação da Universidade Potiguar UnP, especificamente a concessão

Leia mais

CRIAR UM EMPREGO CRIA MUITO MAIS DO QUE UM EMPREGO.

CRIAR UM EMPREGO CRIA MUITO MAIS DO QUE UM EMPREGO. CRIAR UM EMPREGO CRIA MUITO MAIS DO QUE UM EMPREGO O emprego tem uma enorme importância tanto para os indivíduos como para a sociedade Para além de ser uma fonte de rendimento, uma forma de ocupação e

Leia mais

Programa de Assistente de Ensino de Língua Alemã para Projetos Institucionais - GTA

Programa de Assistente de Ensino de Língua Alemã para Projetos Institucionais - GTA Programa de Assistente de Ensino de Língua Alemã para Projetos Institucionais - GTA Edital nº. 040/2013 A Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior CAPES, instituída como fundação pública

Leia mais

DIRETRIZES PARA O PROGRAMA DE INCENTIVO A TALENTOS DA KONRAD-ADENAUER-STIFTUNG

DIRETRIZES PARA O PROGRAMA DE INCENTIVO A TALENTOS DA KONRAD-ADENAUER-STIFTUNG DIRETRIZES PARA O PROGRAMA DE INCENTIVO A TALENTOS DA KONRAD-ADENAUER-STIFTUNG e. V. - INCENTIVO A ESTRANGEIROS - SELEÇÃO NO EXTERIOR Janeiro de 2011 OBJETIVOS A Konrad-Adenauer-Stiftung (KAS) incentiva

Leia mais

REGULAMENTO DO PASSAPORTE PARA O EMPREENDEDORISMO

REGULAMENTO DO PASSAPORTE PARA O EMPREENDEDORISMO REGULAMENTO DO PASSAPORTE PARA O EMPREENDEDORISMO Artigo 1º Âmbito Ao abrigo do n.º 1 do artigo 8.º da Portaria n.º 370-A/2012, de 15 de novembro de 2012, o presente regulamento estabelece os procedimentos

Leia mais

Programa Conjunto de Bolsas de Doutorado na República Federal da Alemanha 2011/2012 DAAD/ CAPES/CNPq

Programa Conjunto de Bolsas de Doutorado na República Federal da Alemanha 2011/2012 DAAD/ CAPES/CNPq Programa Conjunto de Bolsas de Doutorado na República Federal da Alemanha 2011/2012 DAAD/ CAPES/CNPq I. DEFINIÇÃO E OBJETIVO As bolsas do Programa conjunto de doutorado na Alemanha são concedidas em cooperação

Leia mais

Norma para pagamento de diária a serviço e solicitação de passagem aérea

Norma para pagamento de diária a serviço e solicitação de passagem aérea Norma para pagamento de diária a serviço e solicitação de passagem aérea Objetivo: A presente norma tem por objetivo formalizar e agilizar os pedidos de diária e passagem a serviço da entidade bem como

Leia mais

C A P E S. 1. Apresentação. 2. Objetivo do programa. 3. Quem pode se candidatar

C A P E S. 1. Apresentação. 2. Objetivo do programa. 3. Quem pode se candidatar C A P E S Instruções para Candidatos a Bolsa de Doutorado Sanduíche Vinculados a Projetos Conjuntos da Coordenação-Geral de Cooperação Internacional da CAPES/CGCI. 1. Apresentação Este documento busca

Leia mais

Passaporte para o Empreendedorismo

Passaporte para o Empreendedorismo Passaporte para o Empreendedorismo Enquadramento O Passaporte para o Empreendedorismo, em consonância com o «Impulso Jovem», visa através de um conjunto de medidas específicas articuladas entre si, apoiar

Leia mais

EDITAL 1/2015 DE SELEÇÃO DE CANDIDATOS AO PROGRAMA BOLSAS IBERO-AMERICANAS PARA ESTUDANTES DE GRADUAÇÃO - SANTANDER UNIVERSIDADES

EDITAL 1/2015 DE SELEÇÃO DE CANDIDATOS AO PROGRAMA BOLSAS IBERO-AMERICANAS PARA ESTUDANTES DE GRADUAÇÃO - SANTANDER UNIVERSIDADES EDITAL 1/2015 DE SELEÇÃO DE CANDIDATOS AO PROGRAMA BOLSAS IBERO-AMERICANAS PARA ESTUDANTES DE GRADUAÇÃO - SANTANDER UNIVERSIDADES Considerando a meta de aumentar o número de estudantes em mobilidade internacional

Leia mais

Programa Ciência sem Fronteiras

Programa Ciência sem Fronteiras Programa Ciência sem Fronteiras Apresentação Este GUIA foi elaborado pela Diretoria de Relações Internacionais (DRI), Pró-Reitoria de Graduação (PRG) e Pró- Reitoria de Pesquisa (PRP) da UFLA para orientar

Leia mais

Novas Formas de Aprender e Empreender

Novas Formas de Aprender e Empreender Novas Formas de Aprender e Empreender DÚVIDAS FREQUENTES 1. Sobre o Prêmio Instituto Claro, Novas Formas de Aprender e Empreender 1.1. O que é o Prêmio? O Prêmio Instituto Claro Novas Formas de Aprender

Leia mais

EDITAL 05/2015 PROPESP/FADESP PROGRAMA DE APOIO À COOPERAÇÃO INTERINSTITUCIONAL PACI SUBPROGRAMA COOPERAÇÃO INTERNACIONAL

EDITAL 05/2015 PROPESP/FADESP PROGRAMA DE APOIO À COOPERAÇÃO INTERINSTITUCIONAL PACI SUBPROGRAMA COOPERAÇÃO INTERNACIONAL EDITAL 05/2015 PROPESP/FADESP PROGRAMA DE APOIO À COOPERAÇÃO INTERINSTITUCIONAL PACI SUBPROGRAMA COOPERAÇÃO INTERNACIONAL A Pró- Reitoria de Pesquisa e Pós- Graduação (PROPESP) e a Fundação de Amparo e

Leia mais

TERMOS DE REFERÊNCIA PARA A CONTRATAÇÃO DE UM CONSULTOR PARA PRESTAR APOIO ÀS ACTIVIDADES ELEITORAIS EM MOÇAMBIQUE

TERMOS DE REFERÊNCIA PARA A CONTRATAÇÃO DE UM CONSULTOR PARA PRESTAR APOIO ÀS ACTIVIDADES ELEITORAIS EM MOÇAMBIQUE TERMOS DE REFERÊNCIA PARA A CONTRATAÇÃO DE UM CONSULTOR PARA PRESTAR APOIO ÀS ACTIVIDADES ELEITORAIS EM MOÇAMBIQUE Local de trabalho: Maputo, Moçambique Duração do contrato: Três (3) meses: Novembro 2011

Leia mais

Bolsas Templeton para Professores Visitantes

Bolsas Templeton para Professores Visitantes Bolsas Templeton para Professores Visitantes Ciência, Filosofia e Teologia na América Latina Ian Ramsey Centre (IRC) for Science and Religion University of Oxford Chamada Objetivo e Resumo As Bolsas Oxford

Leia mais

Guia de Fellowship Português

Guia de Fellowship Português Guia de Fellowship Português 1 DESCRIÇÃO DO PROGRAMA Página 3 2 CARACTERÍSTICAS DO PROGRAMA Página 4 3 CONDIÇÕES Página 7 4 PROCESSO DE INSCRIÇÃO, SELEÇÃO E CERTIFICAÇÃO Página 8 5 APOIO FINANCEIRO Página

Leia mais

3. ORGANIZAÇÕES ELEGÍVEIS

3. ORGANIZAÇÕES ELEGÍVEIS EDITAL FLD 04/2011 SELEÇÃO DE PROJETOS DE FORTALECIMENTO DE REDES SOCIAIS QUE ATUAM NA PROMOÇÃO DO DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL COM JUSTIÇA SOCIAL, AMBIENTAL E ECONÔMICA 1. OBJETIVO Selecionar projetos

Leia mais

Projeto IPPDH Cooperação Humanitária Internacional

Projeto IPPDH Cooperação Humanitária Internacional TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONSULTORIA PESQUISADOR/A ESPECIALISTA REFÚGIO 1. Antecedentes Projeto IPPDH Cooperação Humanitária Internacional O Projeto Cooperação Humanitária Internacional tem por objetivo

Leia mais

Projeto IPPDH Cooperação Humanitária Internacional

Projeto IPPDH Cooperação Humanitária Internacional TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONSULTORIA PESQUISADOR/A ESPECIALISTA 1. Antecedentes Projeto IPPDH Cooperação Humanitária Internacional O Projeto Cooperação Humanitária Internacional tem por objetivo o desenvolvimento

Leia mais

1. DA APRESENTAÇÃO 2. OS OBJETIVOS

1. DA APRESENTAÇÃO 2. OS OBJETIVOS 1. DA APRESENTAÇÃO A Fundação Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), por meio de sua Diretoria de Formação de Professores da Educação Básica (DEB) no uso de suas atribuições,

Leia mais

IAESTE Para você que está antenado com o que o. jovem profissional. Paula Semer Prado Gerente Executiva

IAESTE Para você que está antenado com o que o. jovem profissional. Paula Semer Prado Gerente Executiva IAESTE Para você que está antenado com o que o mercado espera de um jovem profissional Paula Semer Prado Gerente Executiva Sobre a ABIPE Associação Brasileira de Intercâmbio Profissional e Estudantil:

Leia mais

CHAMADA nº 03/2013 CNPq-TWAS 2013

CHAMADA nº 03/2013 CNPq-TWAS 2013 CHAMADA nº 03/2013 CNPq-TWAS 2013 Acordo entre o CNPq e a Academia de Ciências para os Países em Desenvolvimento (TWAS) O Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq-MCTI) e a Academia

Leia mais

Estratégia Nacional de Educação para o Desenvolvimento. (2010-2015) ENED Plano de Acção

Estratégia Nacional de Educação para o Desenvolvimento. (2010-2015) ENED Plano de Acção Estratégia Nacional de Educação para o Desenvolvimento (2010-2015) ENED Plano de Acção Estratégia Nacional de Educação para o Desenvolvimento (2010-2015) ENED Plano de Acção 02 Estratégia Nacional de

Leia mais

da Universidade Católica Portuguesa PROGRAMA ERASMUS ESTÁGIO REGULAMENTO

da Universidade Católica Portuguesa PROGRAMA ERASMUS ESTÁGIO REGULAMENTO Escola do Porto da Faculdade de Direito da Universidade Católica Portuguesa PROGRAMA ERASMUS ESTÁGIO REGULAMENTO CAPÍTULO I Disposições Gerais Artigo 1º (Objeto) O presente regulamento rege a mobilidade

Leia mais

PROGRAMA DE BOLSAS DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DA UEMA PIBIC-CNPq/UEMA/FAPEMA EDITAL UEMA/PPG Nº 03/2015

PROGRAMA DE BOLSAS DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DA UEMA PIBIC-CNPq/UEMA/FAPEMA EDITAL UEMA/PPG Nº 03/2015 PROGRAMA DE BOLSAS DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DA UEMA PIBIC-CNPq/UEMA/FAPEMA EDITAL UEMA/PPG Nº 03/2015 A Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação da Universidade Estadual do Maranhão - PPG UEMA em conjunto

Leia mais

REGULAMENTO. Artigo 1º. Objeto e âmbito

REGULAMENTO. Artigo 1º. Objeto e âmbito REGULAMENTO O presente regulamento estabelece os procedimentos associados à medida «Passaporte para o Empreendedorismo», regulamentada pela Portaria n.º 370-A/2012, de 15 de novembro de 2012, estabelecida

Leia mais

O apoio da CAPES obedece ao interstício entre estágios dessa natureza, que varia com a duração da estada no exterior, conforme tabela abaixo:

O apoio da CAPES obedece ao interstício entre estágios dessa natureza, que varia com a duração da estada no exterior, conforme tabela abaixo: C A P E S Instruções para Candidatos a Estágio Pós-Doutoral no Exterior Vinculados a Projetos Conjuntos da Coordenação-Geral de Cooperação Internacional da CAPES - CGCI. 1. Apresentação Este documento

Leia mais

Programa STIC AmSud/CAPES

Programa STIC AmSud/CAPES Programa STIC AmSud/CAPES PROGRAMA DE COOPERAÇÃO EM CIÊNCIA E TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E DA COMUNICAÇÃO FRANÇA - AMÉRICA DO SUL Edital CGCI n. 002/2008 1. Do programa 1.1 O Programa é uma iniciativa da

Leia mais

FACULDADE DE MEDICINA DE MARÍLIA - FAMEMA FÓRMULA SANTANDER 2014 2015 PROGRAMA DE BOLSAS DE MOBILIDADE INTERNACIONAL

FACULDADE DE MEDICINA DE MARÍLIA - FAMEMA FÓRMULA SANTANDER 2014 2015 PROGRAMA DE BOLSAS DE MOBILIDADE INTERNACIONAL FÓRMULA SANTANDER 2014 2015 O Diretor Geral da Faculdade de Medicina de Marília (Famema), Professor Doutor Paulo Roberto Michelone, no uso de suas atribuições, torna público este Edital de seleção de estudantes

Leia mais

Regulamento. Foremor

Regulamento. Foremor Regulamento Foremor Preâmbulo O presente projeto decorre de uma candidatura realizada pela MARCA ADL ao programa ERASMUS+, no âmbito da KA1 Learning Mobility for Individuals e está integrada numa iniciativa

Leia mais

CONVITE À APRESENTAÇÃO DE PROPOSTAS INOVAÇÃO EM FINANCIAMENTO

CONVITE À APRESENTAÇÃO DE PROPOSTAS INOVAÇÃO EM FINANCIAMENTO CONVITE À APRESENTAÇÃO DE PROPOSTAS INOVAÇÃO EM FINANCIAMENTO FUNDO COMUM PARA OS PRODUTOS BÁSICOS (FCPB) BUSCA CANDIDATURAS A APOIO PARA ATIVIDADES DE DESENVOLVIMENTO DOS PRODUTOS BÁSICOS Processo de

Leia mais

Regulamento PAPSummer 2015

Regulamento PAPSummer 2015 Regulamento PAPSummer 2015 Artigo 1º Objectivos do programa, montante e designação das bolsas 1. O programa PAPSummer pretende dar a oportunidade a estudantes portugueses (Estudante) de desenvolver um

Leia mais

Programa de Iniciação Científica da Faculdade de Tecnologia de São Vicente (PIC-FATEF)

Programa de Iniciação Científica da Faculdade de Tecnologia de São Vicente (PIC-FATEF) FACULDADE DE TECNOLOGIA DE SÃO VICENTE Programa de Iniciação Científica da Faculdade de Tecnologia de São Vicente (PIC-FATEF) Introdução O Programa de Iniciação Científica da Faculdade de Tecnologia de

Leia mais

Programa Estágio de Curta Duração. CAPES/Fundação Carolina

Programa Estágio de Curta Duração. CAPES/Fundação Carolina Programa Estágio de Curta Duração CAPES/Fundação Carolina Edital DRI/CAPES nº. 007/2010 A Fundação Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES), por meio de sua Diretoria de Relações

Leia mais

Programa Centros Associados para o Fortalecimento da Pós-Graduação Brasil/Argentina - (CAFP/BA) Edital CGCI n. 028 /2007

Programa Centros Associados para o Fortalecimento da Pós-Graduação Brasil/Argentina - (CAFP/BA) Edital CGCI n. 028 /2007 Programa Centros Associados para o Fortalecimento da Pós-Graduação Brasil/Argentina - (CAFP/BA) Edital CGCI n. 028 /2007 1 Do programa e objetivo 1.1 O Programa CAFP/BA (Centros Associados para o Fortalecimento

Leia mais

UCLEO DE ATIVIDADES, ESTUDOS E PESQUISA SOBRE EDUCAÇÃO, AMBIE TE E DIVERSIDADE CAPÍTULO I. DA NATUREZA E FINALIDADE(Vínculo)

UCLEO DE ATIVIDADES, ESTUDOS E PESQUISA SOBRE EDUCAÇÃO, AMBIE TE E DIVERSIDADE CAPÍTULO I. DA NATUREZA E FINALIDADE(Vínculo) Regimento Interno UCLEO DE ATIVIDADES, ESTUDOS E PESQUISA SOBRE EDUCAÇÃO, AMBIE TE E DIVERSIDADE CAPÍTULO I DA NATUREZA E FINALIDADE(Vínculo) Artigo 1º - O NEED, Núcleo de atividades, estudos e pesquisa

Leia mais

A Embaixada e os Consulados Gerais da República Federal da Alemanha no Brasil informam: Visto para Intercâmbio Escolar

A Embaixada e os Consulados Gerais da República Federal da Alemanha no Brasil informam: Visto para Intercâmbio Escolar A Embaixada e os Consulados Gerais da República Federal da Alemanha no Brasil informam: Visto para Intercâmbio Escolar I. Informações Gerais Viajando diretamente para a Alemanha, cidadãos brasileiros não

Leia mais

AÇÃO 2 COOPERAÇÃO PARA A INOVAÇÃO E O INTERCÂMBIO DE BOAS PRÁTICAS

AÇÃO 2 COOPERAÇÃO PARA A INOVAÇÃO E O INTERCÂMBIO DE BOAS PRÁTICAS AÇÃO 2 COOPERAÇÃO PARA A INOVAÇÃO E O INTERCÂMBIO DE BOAS PRÁTICAS Acção 1 1 AÇÃO 2 COOPERAÇÃO PARA A INOVAÇÃO E O INTERCÂMBIO DE BOAS PRÁTICAS A B Parcerias Estratégicas na área da Educação, Formação

Leia mais

PROCESSO SELETIVO 2012 GERAÇÃO DE RENDA (NEGÓCIOS INCLUSIVOS) REGULAMENTO

PROCESSO SELETIVO 2012 GERAÇÃO DE RENDA (NEGÓCIOS INCLUSIVOS) REGULAMENTO PROCESSO SELETIVO 2012 GERAÇÃO DE RENDA (NEGÓCIOS INCLUSIVOS) REGULAMENTO Criado em 2006, o é responsável por gerenciar o investimento social do Grupo HSBC Brasil e tem como missão contribuir para o desenvolvimento

Leia mais

3. DOS OBJETIVOS DO PROGRAMA:

3. DOS OBJETIVOS DO PROGRAMA: MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Edital No. 016/2012 - PROGRAD/PIBID/CAPES Seleção de Estudantes para Bolsas de Iniciação à Docência Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência - PIBID/CAPES A Pró-Reitoria

Leia mais

INSTITUTO DE PESQUISA ECONÔMICA APLICADA PORTARIA Nº 339, DE 12 DE AGOSTO DE 2010

INSTITUTO DE PESQUISA ECONÔMICA APLICADA PORTARIA Nº 339, DE 12 DE AGOSTO DE 2010 INSTITUTO DE PESQUISA ECONÔMICA APLICADA PORTARIA Nº 339, DE 12 DE AGOSTO DE 2010 Dispõe sobre a implantação e o funcionamento do Programa de Cooperação Internacional - PROCIN do Instituto de Pesquisa

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA DIRETORIA DE RELAÇÕES INTERNACIONAIS (UFJF Internacional)

UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA DIRETORIA DE RELAÇÕES INTERNACIONAIS (UFJF Internacional) UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA DIRETORIA DE RELAÇÕES INTERNACIONAIS (UFJF Internacional) Edital de Seleção do Programa de Intercâmbio Internacional de Graduação 2016 A Diretoria de Relações Internacionais

Leia mais

2.1 O PROME Internacional é destinado a estudantes de graduação da UDESC que preencham aos seguintes requisitos:

2.1 O PROME Internacional é destinado a estudantes de graduação da UDESC que preencham aos seguintes requisitos: EDITAL PROME INTERNACIONAL Nº 02/2014 O Reitor da Universidade do Estado de Santa Catarina UDESC, com base na Resolução nº 52/2014 - CONSUNI e objetivando a CHAMADA 02/2014 do Programa de Mobilidade Estudantil

Leia mais

PROGRAMA CIÊNCIA SEM FRONTEIRAS CHAMADA DE SELEÇÃO INTERNA, PARA ALUNOS DA UEA, PARA GRADUAÇÃO SANDUÍCHE NA FRANÇA

PROGRAMA CIÊNCIA SEM FRONTEIRAS CHAMADA DE SELEÇÃO INTERNA, PARA ALUNOS DA UEA, PARA GRADUAÇÃO SANDUÍCHE NA FRANÇA PROGRAMA CIÊNCIA SEM FRONTEIRAS CHAMADA DE SELEÇÃO INTERNA, PARA ALUNOS DA UEA, PARA GRADUAÇÃO SANDUÍCHE NA FRANÇA Tendo em vista a oportunidade propiciada pelo Programa Ciência sem Fronteiras, a Assessoria

Leia mais

CHAMADA DE SELEÇÃO INTERNA PARA ALUNOS DA UEA REFERENTE A GRADUAÇÃO SANDUICHE NA ALEMANHA. Chamada pública Programa Ciência sem Fronteiras n.

CHAMADA DE SELEÇÃO INTERNA PARA ALUNOS DA UEA REFERENTE A GRADUAÇÃO SANDUICHE NA ALEMANHA. Chamada pública Programa Ciência sem Fronteiras n. CHAMADA DE SELEÇÃO INTERNA PARA ALUNOS DA UEA REFERENTE A GRADUAÇÃO SANDUICHE NA ALEMANHA Chamada pública Programa Ciência sem Fronteiras n. 118/2012 O QUE É GESTOR Processo de seleção de candidatos de

Leia mais

PROGRAMA DE BOLSAS LUSO-BRASILEIRAS PARA ESTUDANTES DE GRADUAÇÃO. Apresentação

PROGRAMA DE BOLSAS LUSO-BRASILEIRAS PARA ESTUDANTES DE GRADUAÇÃO. Apresentação PROGRAMA DE BOLSAS LUSO-BRASILEIRAS PARA ESTUDANTES DE GRADUAÇÃO Apresentação A Universidade Federal do Rio Grande do Sul e o Santander Universidades oferecem aos alunos de graduação da UFRGS a possibilidade

Leia mais

Programa CAPES-PVE CAPES. Processo Seletivo 2010 Edital nº 049/2010/CAPES/DRI

Programa CAPES-PVE CAPES. Processo Seletivo 2010 Edital nº 049/2010/CAPES/DRI Programa CAPES- Processo Seletivo 2010 Edital nº 049/2010/CAPES/DRI A Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior-CAPES, Fundação Pública, criada pela Lei nº. 8.405, de 09 de janeiro de

Leia mais

Ministério da Justiça SECRETARIA DE ASSUNTOS LEGISLATIVOS SAL. Casa Civil SUBCHEFIA PARA ASSUNTOS JURÍDICOS SAJ PROGRAMA DE INTERCÂMBIO 7ª EDIÇÃO

Ministério da Justiça SECRETARIA DE ASSUNTOS LEGISLATIVOS SAL. Casa Civil SUBCHEFIA PARA ASSUNTOS JURÍDICOS SAJ PROGRAMA DE INTERCÂMBIO 7ª EDIÇÃO PROGRAMA DE INTERCÂMBIO 7ª EDIÇÃO EDITAL 02/2011 1. OBJETIVOS A Secretaria de Assuntos Legislativos - SAL, órgão do Ministério da Justiça que tem como objetivo institucional a preservação da ordem jurídica,

Leia mais

ESCOLA DAS ARTES PROGRAMA ERASMUS ESTÁGIO REGULAMENTO

ESCOLA DAS ARTES PROGRAMA ERASMUS ESTÁGIO REGULAMENTO ESCOLA DAS ARTES PROGRAMA ERASMUS ESTÁGIO REGULAMENTO CAPÍTULO I Disposições Gerais Artigo 1º (Objeto) O presente regulamento rege a mobilidade internacional para estágio dos estudantes de Licenciatura

Leia mais

LÍDERES DA CPLP ENCONTRO DE JOVENS. Este desafio é nosso! Iº ENCONTRO DE JOVENS LÍDERES COMUNIDADE DE PAÍSES DA CPLP NA DIÁSPORA PORTUGUESA

LÍDERES DA CPLP ENCONTRO DE JOVENS. Este desafio é nosso! Iº ENCONTRO DE JOVENS LÍDERES COMUNIDADE DE PAÍSES DA CPLP NA DIÁSPORA PORTUGUESA ENCONTRO DE JOVENS Iº ENCONTRO DE JOVENS LÍDERES COMUNIDADE DE PAÍSES DA CPLP NA DIÁSPORA PORTUGUESA Aveiro, 22 a 24 de Junho de UNIVERSIDADE DE AVEIRO Entidades Promotoras Parceiros Apoios O que é o Festival

Leia mais

Nota Orientadora Pronatec-Tec e Idiomas/RS nº 01/2014

Nota Orientadora Pronatec-Tec e Idiomas/RS nº 01/2014 Nota Orientadora Pronatec-Tec e Idiomas/RS nº 01/2014 Assunto: - Apresentação do Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego PRONATEC - Coordenação / Gestão / Execução - Processo de Ingresso

Leia mais

Resumo de Editais Abertos Capes

Resumo de Editais Abertos Capes Resumo de Editais Abertos Capes www.capes.gov.br/editais/abertos Programa Capes/MINCyT O objetivo do Programa Capes/MINCyT é estimular, por meio de projetos conjuntos de pesquisa, o intercâmbio de docentes

Leia mais

Edital Proppex n 19_2015 Pré-Seleção de Acadêmicos Intercâmbio de Estudos em Portugal

Edital Proppex n 19_2015 Pré-Seleção de Acadêmicos Intercâmbio de Estudos em Portugal Edital Proppex n 19_2015 Pré-Seleção de Acadêmicos Intercâmbio de Estudos em Portugal A Pró-Reitora de Pós-Graduação, Pesquisa e Extensão - Proppex, no uso de suas atribuições legais e de conformidade

Leia mais

INCUBADORA DE EMPRESAS I-DEIA EDITAL 01/2011 PROCEDIMENTOS PARA O PROCESSO SELETIVO

INCUBADORA DE EMPRESAS I-DEIA EDITAL 01/2011 PROCEDIMENTOS PARA O PROCESSO SELETIVO INCUBADORA DE EMPRESAS I-DEIA EDITAL 01/2011 PROCEDIMENTOS PARA O PROCESSO SELETIVO FEVEREIRO DE 2011 Telefones: (66) 3422 2461 / 6710 1 1. Apresentação da Incubadora de Empresas I-deia A Incubadora I-deia

Leia mais

CHAMADA PÚBLICA PARA CREDENCIAMENTO NO SISTEMA EMBRAPII

CHAMADA PÚBLICA PARA CREDENCIAMENTO NO SISTEMA EMBRAPII CHAMADA PÚBLICA PARA CREDENCIAMENTO NO SISTEMA EMBRAPII A Associação Brasileira de Pesquisa e Inovação Industrial EMBRAPII torna público o processo de seleção para habilitar Polos EMBRAPII IF (PEIF). Os

Leia mais

iup25k Concurso de Ideias de Negócio da Universidade do Porto

iup25k Concurso de Ideias de Negócio da Universidade do Porto iup25k Concurso de Ideias de Negócio da Universidade do Porto REGULAMENTO Preâmbulo A Universidade do Porto tem vindo a desenvolver esforços para fomentar o empreendedorismo, criando para tal estruturas

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS - UFMG DIRETORIA DE RELAÇÕES INTERNACIONAIS DRI EDITAL DE SELEÇÃO DRI 2 2011 TOP CHINA SANTANDER UNIVERSIDADES

UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS - UFMG DIRETORIA DE RELAÇÕES INTERNACIONAIS DRI EDITAL DE SELEÇÃO DRI 2 2011 TOP CHINA SANTANDER UNIVERSIDADES UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS - UFMG DIRETORIA DE RELAÇÕES INTERNACIONAIS DRI EDITAL DE SELEÇÃO DRI 2 2011 TOP CHINA SANTANDER UNIVERSIDADES PROGRAMA DE INTERCÂMBIO INTERNACIONAL O Diretor de Relações

Leia mais

PROGRAMA TALENTOS DA EDUCAÇÃO 2015

PROGRAMA TALENTOS DA EDUCAÇÃO 2015 PROGRAMA TALENTOS DA EDUCAÇÃO 2015 O programa Talentos da Educação é uma iniciativa da Fundação Lemann para apoiar pessoas talentosas e comprometidas com a melhoria da educação no Brasil. A proposta é

Leia mais

FORMULÁRIO DAS AÇÕES DE EXTENSÃO

FORMULÁRIO DAS AÇÕES DE EXTENSÃO Pró-Reitoria de Pós-Graduação, Pesquisa e Extensão Proppex Supervisão de Extensão 1. IDENTIFICAÇÃO DA ORIGEM FORMULÁRIO DAS AÇÕES DE EXTENSÃO 1.1. TÍTULO: Viagens de Estudos e Visitas Técnicas Internacionais

Leia mais

TERMO DE REFERENCIA. Programa Pernambuco: Trabalho e Empreendedorismo da Mulher

TERMO DE REFERENCIA. Programa Pernambuco: Trabalho e Empreendedorismo da Mulher TERMO DE REFERENCIA Programa Pernambuco: Trabalho e Empreendedorismo da Mulher Supervisão Geral No âmbito do Programa Pernambuco: Trabalho e Empreendedorismo da Mulher, conveniado com a Secretaria Especial

Leia mais

ACORDO SOBRE O PROJETO FOMENTO DA GESTÃO AMBIENTAL E DE PRODUÇÃO MAIS LIMPA EM PEQUENAS E MEDIAS EMPRESAS

ACORDO SOBRE O PROJETO FOMENTO DA GESTÃO AMBIENTAL E DE PRODUÇÃO MAIS LIMPA EM PEQUENAS E MEDIAS EMPRESAS MERCOSUL/CMC/DEC. Nº 09/04 ACORDO SOBRE O PROJETO FOMENTO DA GESTÃO AMBIENTAL E DE PRODUÇÃO MAIS LIMPA EM PEQUENAS E MEDIAS EMPRESAS TENDO EM VISTA: O Tratado de Assunção, o Protocolo de Ouro Preto, as

Leia mais

Regulamento de Estágio Supervisionado do Curso de Engenharia Elétrica

Regulamento de Estágio Supervisionado do Curso de Engenharia Elétrica Regulamento de Estágio Supervisionado do Curso de Engenharia Elétrica 1. APRESENTAÇÃO O Estágio Curricular Supervisionado Obrigatório no curso de Engenharia Elétrica é uma atividade curricular obrigatória

Leia mais

CANDIDATURA ÀS BOLSAS DE GRADUAÇÃO SANDUICHE NO EXTERIOR CNPQ/ PROGRAMA CIÊNCIA SEM FRONTEIRAS

CANDIDATURA ÀS BOLSAS DE GRADUAÇÃO SANDUICHE NO EXTERIOR CNPQ/ PROGRAMA CIÊNCIA SEM FRONTEIRAS CANDIDATURA ÀS BOLSAS DE GRADUAÇÃO SANDUICHE NO EXTERIOR CNPQ/ PROGRAMA CIÊNCIA SEM FRONTEIRAS CHAMADA INTERNA - N 0 01/2012 REITORIA O IFPR foi selecionado pelo CNPq para participar do programa Ciência

Leia mais

Edital DIRGER Nº 03/2015

Edital DIRGER Nº 03/2015 1 Edital DIRGER Nº 03/2015 Dispõe sobre o Programa de Incentivo à Mobilidade Acadêmica para os acadêmicos dos cursos de graduação da Faculdade La Salle para o primeiro semestre de 2016. O Diretor Geral

Leia mais

PROGRAMA DE AJUDA DIRECTA 2015-2016 Requisitos & Instruções

PROGRAMA DE AJUDA DIRECTA 2015-2016 Requisitos & Instruções PROGRAMA DE AJUDA DIRECTA 2015-2016 Requisitos & Instruções Cabo Verde VI Edição São Tomé e Príncipe IV Edição Guiné-Bissau II Edição O que é o Programa de Ajuda Directa (PAD)? O PAD é gerido pela Embaixada

Leia mais

Página 1 de 19 Data 04/03/2014 Hora 09:11:49 Modelo Cerne 1.1 Sensibilização e Prospecção Envolve a manutenção de um processo sistematizado e contínuo para a sensibilização da comunidade quanto ao empreendedorismo

Leia mais

TERMO DE REFERENCIA Nº 04

TERMO DE REFERENCIA Nº 04 TERMO DE REFERENCIA Nº 04 CONTRATAÇÃO DE CONSULTORIA PARA APOIO NA ELABORAÇÃO DE PRODUTO REFERENTE À AÇÃO 02 DO PROJETO OBSERVATÓRIO LITORAL SUSTENTÁVEL - INSTITUTO PÓLIS EM PARCERIA COM A PETROBRAS. Perfil:

Leia mais

EDITAL 004/2015 COORDENAÇÃO DE APERFEIÇOAMENTO DE PESSOAL DE NÍVEL SUPERIOR - CAPES PROGRAMA INSTITUCIONAL DE DOUTORADO SANDUÍCHE NO EXTERIOR - PDSE

EDITAL 004/2015 COORDENAÇÃO DE APERFEIÇOAMENTO DE PESSOAL DE NÍVEL SUPERIOR - CAPES PROGRAMA INSTITUCIONAL DE DOUTORADO SANDUÍCHE NO EXTERIOR - PDSE EDITAL 004/2015 COORDENAÇÃO DE APERFEIÇOAMENTO DE PESSOAL DE NÍVEL SUPERIOR - CAPES PROGRAMA INSTITUCIONAL DE DOUTORADO SANDUÍCHE NO EXTERIOR - PDSE A Coordenação do Programa de Pós-Graduação em Ciências

Leia mais

COMO SE ASSOCIAR 2014

COMO SE ASSOCIAR 2014 2014 QUEM SOMOS FUNDADO EM 2004, O CONSELHO EMPRESARIAL BRASIL CHINA CEBC É UMA INSTITUIÇÃO BILATERAL SEM FINS LUCRATIVOS FORMADA POR DUAS SEÇÕES INDEPENDENTES, NO BRASIL E NA CHINA, QUE SE DEDICA À PROMOÇÃO

Leia mais

Seleção de estudantes a serem recomendados para Bolsa de Estudos Institutos Confúcio

Seleção de estudantes a serem recomendados para Bolsa de Estudos Institutos Confúcio UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL INSTITUTO CONFÚCIO Direção Av. Bento Gonçalves, 9500 Prédio 43606 CEP: 91540-000 Porto Alegre RS Brasil Porto Alegre, 10 de abril de 2014. Edital 01/2014/IC Seleção

Leia mais

Edital de Seleção de Bolsistas para o Projeto Vale do Jequitinhonha 2012. Edital de 07 outubro de 2011.

Edital de Seleção de Bolsistas para o Projeto Vale do Jequitinhonha 2012. Edital de 07 outubro de 2011. Edital de Seleção de Bolsistas para o Projeto Vale do Jequitinhonha 2012. Edital de 07 outubro de 2011. ADVJ Associação de Desenvolvimento do Vale do Jequitinhonha - abre edital para seleção de bolsistas

Leia mais

EDITAL DE CONVOCAÇÃO PARA PROJETOS FRANCO-BRASILEIROS DE COOPERAÇÃO DESCENTRALIZADA TRILATERAL EM BENEFÍCIO DO HAITI E DO CONTINENTE AFRICANO

EDITAL DE CONVOCAÇÃO PARA PROJETOS FRANCO-BRASILEIROS DE COOPERAÇÃO DESCENTRALIZADA TRILATERAL EM BENEFÍCIO DO HAITI E DO CONTINENTE AFRICANO EDITAL DE CONVOCAÇÃO PARA PROJETOS FRANCO-BRASILEIROS DE COOPERAÇÃO DESCENTRALIZADA TRILATERAL EM BENEFÍCIO DO HAITI E DO CONTINENTE AFRICANO I. CONTEXTO Em junho de 2010, realizou-se, no Palácio do Itamaraty,

Leia mais

PROGRAMA DE INTERCÂMBIO PROFISSIONAL TALENTOS GLOBAIS

PROGRAMA DE INTERCÂMBIO PROFISSIONAL TALENTOS GLOBAIS PROGRAMA DE INTERCÂMBIO PROFISSIONAL TALENTOS GLOBAIS AIESEC em Belo Horizonte Rua dos Goitacazes, 1159 - Sala 2107 Barro Preto - Belo Horizonte - MG Fone: (31) 2512-1019 belohorizonte@aiesec.org.br facebook.com.br/aiesecbh

Leia mais

FACULDADE METODISTA DE BIRIGUI REGIMENTO DO NÚCLEO DE EXTENSÃO EMPRESARIAL (NEXEM)

FACULDADE METODISTA DE BIRIGUI REGIMENTO DO NÚCLEO DE EXTENSÃO EMPRESARIAL (NEXEM) FACULDADE METODISTA DE BIRIGUI REGIMENTO DO NÚCLEO DE EXTENSÃO EMPRESARIAL (NEXEM) A extensão é o processo educativo, cultural e científico que articula, amplia, desenvolve e reforça o ensino e a pesquisa,

Leia mais

UNIVERSIDADE NILTON LINS PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO

UNIVERSIDADE NILTON LINS PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO EDITAL INICIAÇÃO CIENTÍFICA/2015-2016 Programa de Iniciação Científica PROIC/NILTON LINS A Pró-Reitora de Pesquisa e Pós-Graduação da Universidade NILTON LINS, por meio da Coordenação de Iniciação Científica,

Leia mais

Edital de Candidatura

Edital de Candidatura PROCESSO SELETIVO DE EXECUTORES EDITAL N.º 01/2014 Edital de Candidatura Processo Seletivo de Executores - 1º Semestre de 2014 Considerações iniciais A Estat Júnior - Estudos Aplicados à Estatística Consultoria

Leia mais

II. Contexto organizacional. III. Funções / Principais Resultados Esperados TERMO DE REFERÊNCIA

II. Contexto organizacional. III. Funções / Principais Resultados Esperados TERMO DE REFERÊNCIA TERMO DE REFERÊNCIA Assistente de Programa I. Informação sobre o posto LOCAL: Brasília, DF, Brasil Prazo de candidatura: De 20.04 a 10.05.2015 Tipo de contrato: Service Contract -( SB3-3 ) Nível do Posto

Leia mais

PROGRAMA DE INTERCÂMBIO CAPES/FIPSE

PROGRAMA DE INTERCÂMBIO CAPES/FIPSE PROGRAMA DE INTERCÂMBIO CAPES/FIPSE Michigan State University (MSU) University of Georgia (UGA) Universidade Federal de Santa Maria (UFSM) Universidade Federal do Mato Grosso do Sul (UFMS) EDITAL DE SELEÇÃO

Leia mais

Ações de Adaptação de Comunidades e seus Ecossistemas aos Eventos Climáticos

Ações de Adaptação de Comunidades e seus Ecossistemas aos Eventos Climáticos PROCESSO SELETIVO 2011 Ações de Adaptação de Comunidades e seus Ecossistemas aos Eventos Climáticos REGULAMENTO Prezado Gestor, Criado em 2006, o Instituto HSBC Solidariedade é responsável por gerenciar

Leia mais

EDITAL DE APOIO A INICIATIVAS DE JOVENS PELA PROTEÇAO DA INFÂNCIA E ADOLESCÊNCIA DURANTE A COPA DO MUNDO DE 2014

EDITAL DE APOIO A INICIATIVAS DE JOVENS PELA PROTEÇAO DA INFÂNCIA E ADOLESCÊNCIA DURANTE A COPA DO MUNDO DE 2014 EDITAL DE APOIO A INICIATIVAS DE JOVENS PELA PROTEÇAO DA INFÂNCIA E ADOLESCÊNCIA DURANTE A COPA DO MUNDO DE 2014 INTRODUÇÃO Esse edital é fruto de uma parceria entre a Childhood Brasil e a OAK Foundation

Leia mais

BOLSA CAPES EMBAIXADA AMERICANA FULBRIGHT CERTIFICAÇÃO NOS ESTADOS UNIDOS PARA PROFESSORES DE LÍNGUA INGLESA

BOLSA CAPES EMBAIXADA AMERICANA FULBRIGHT CERTIFICAÇÃO NOS ESTADOS UNIDOS PARA PROFESSORES DE LÍNGUA INGLESA BOLSA CAPES EMBAIXADA AMERICANA FULBRIGHT CERTIFICAÇÃO NOS ESTADOS UNIDOS PARA PROFESSORES DE LÍNGUA INGLESA Edital nº. 52/2010/CAPES 1. DA APRESENTAÇÃO A Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível

Leia mais

REGULAMENTO DA REDE DE PERCEÇÃO E GESTÃO DE NEGÓCIOS DO PROGRAMA IMPULSO JOVEM. CAPÍTULO I Âmbito de aplicação

REGULAMENTO DA REDE DE PERCEÇÃO E GESTÃO DE NEGÓCIOS DO PROGRAMA IMPULSO JOVEM. CAPÍTULO I Âmbito de aplicação REGULAMENTO DA REDE DE PERCEÇÃO E GESTÃO DE NEGÓCIOS DO PROGRAMA IMPULSO JOVEM CAPÍTULO I Âmbito de aplicação Artigo 1.º Objeto O presente Regulamento define o regime de acesso aos apoios concedidos pelo

Leia mais

EDITAL Nº 003/2015/PROPE SELEÇÃO DE ORIENTADORES E PROJETOS DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA

EDITAL Nº 003/2015/PROPE SELEÇÃO DE ORIENTADORES E PROJETOS DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA EDITAL Nº 003/2015/PROPE SELEÇÃO DE ORIENTADORES E PROJETOS DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA PRIMEIROS PASSOS NA CIÊNCIA PROGRAMA INTEGRADO DE BOLSAS DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA PARA ENSINO SUPERIOR E ENSINO MÉDIO

Leia mais

O Instituto Semeia, em parceria com a Colorado State University (CSU), tem o prazer de comunicar a abertura de processo seletivo para oferecimento de:

O Instituto Semeia, em parceria com a Colorado State University (CSU), tem o prazer de comunicar a abertura de processo seletivo para oferecimento de: O Instituto Semeia, em parceria com a Colorado State University (CSU), tem o prazer de comunicar a abertura de processo seletivo para oferecimento de: 2 BOLSAS DE ESTUDOS PARA O INTERNATIONAL MOBILE SEMINAR

Leia mais

Edital XVIII CONCURSO DE PROJETOS ELAS Fundo de Investimento Social

Edital XVIII CONCURSO DE PROJETOS ELAS Fundo de Investimento Social Edital XVIII CONCURSO DE PROJETOS ELAS Fundo de Investimento Social O XVIII Concurso do ELAS Fundo de Investimento Social, em parceria com a MAC AIDS Fund, visa fortalecer, por meio de apoio técnico e

Leia mais

2.1 O PROME Internacional é destinado a estudantes de graduação da UDESC que preencham aos seguintes requisitos:

2.1 O PROME Internacional é destinado a estudantes de graduação da UDESC que preencham aos seguintes requisitos: EDITAL PROME INTERNACIONAL Nº 02/2015 O Reitor da Universidade do Estado de Santa Catarina UDESC, com base na Resolução nº 52/2014 - CONSUNI e alterações, e objetivando a CHAMADA 02/2015 do Programa de

Leia mais

Ensino Vocacional, Técnico e Tecnológico no Reino Unido

Ensino Vocacional, Técnico e Tecnológico no Reino Unido Ensino Vocacional, Técnico e Tecnológico no Reino Unido Apoiar a empregabilidade pela melhora da qualidade do ensino profissionalizante UK Skills Seminar Series 2014 15 British Council UK Skills Seminar

Leia mais

PROGRAMA DE EXTENSÃO PROEX

PROGRAMA DE EXTENSÃO PROEX PROGRAMA DE EXTENSÃO PROEX INTRODUÇÃO A extensão universitária é, na realidade, uma forma de interação que deve existir permanentemente entre a universidade e os diversos setores da sociedade. Assim, a

Leia mais

Edital para Contratação de Consultoria Externa para Avaliação Final de Projeto. (Pessoa Física ou Pessoa Jurídica)

Edital para Contratação de Consultoria Externa para Avaliação Final de Projeto. (Pessoa Física ou Pessoa Jurídica) Edital para Contratação de Consultoria Externa para Avaliação Final de Projeto (Pessoa Física ou Pessoa Jurídica) Localização: Em domicílio (com visitas de campo previstas) Prazo para envio de candidatura:

Leia mais

Universidade de Coimbra 1. Universidade de Lisboa 1. Universidade de Aveiro 1. Universidade de Algarve 1. Universidade Técnica de Lisboa 1

Universidade de Coimbra 1. Universidade de Lisboa 1. Universidade de Aveiro 1. Universidade de Algarve 1. Universidade Técnica de Lisboa 1 UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA Assessoria de Assuntos Internacionais Coordenação de Cooperação e Intercâmbio Campus Universitário Darcy Ribeiro Asa Norte Brasília/DF CEP 70910-900 Telefone: (61) 33072654 FAX:

Leia mais

PROGRAMA DE BOLSAS SANTANDER TOP CHINA - 4ª edição. Apresentação

PROGRAMA DE BOLSAS SANTANDER TOP CHINA - 4ª edição. Apresentação PROGRAMA DE BOLSAS SANTANDER TOP CHINA - 4ª edição Apresentação O Programa Top China, está com inscrições abertas para alunos e professores de graduação. A edição 2012 do Programa manterá o tema Urbanismo,

Leia mais

A Assessoria Internacional do IFMA informa aos interessados que estão abertas inscrições para os programas abaixo relacionados:

A Assessoria Internacional do IFMA informa aos interessados que estão abertas inscrições para os programas abaixo relacionados: A Assessoria Internacional do IFMA informa aos interessados que estão abertas inscrições para os programas abaixo relacionados: 1. Programa Balboa oferece bolsas na Espanha Jornalistas têm oportunidade

Leia mais

EDITAL 002/2015 UNICAFES/SENAES-MTE

EDITAL 002/2015 UNICAFES/SENAES-MTE EDITAL 002/2015 UNICAFES/SENAES-MTE A UNIÃO NACIONAL DE COOPERATIVAS DA AGRICULTURA FAMILIAR E ECONOMIA SOLIDÁRIA (Unicafes), inscrita no CNPJ sob o n. 07.738.836/0001-37 torna público a abertura de inscrições

Leia mais