Qualidade de Software

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Qualidade de Software"

Transcrição

1 Programa de Qualidade Qualidade de Software Prof. Gerson Prando Mai/06 A Qualidade, como Programa de Gestão, teve seu início no Japão do pós-guerra, nascido da necessidade de reconstrução do país. Deming, estatístico americano, levou a filosofia do programa a indústria japonesa em 1950 e em 5 anos, o Japão já exportava seus produtos para o mundo. 1 2 Qualidade Definição de Software Você sabe o que é qualidade? Existem diversas definições. Algumas pessoas que tentaram uma definição simples chegaram a frases como: Qualidade é estar em conformidade com os requisitos dos clientes Qualidade é antecipar e satisfazer os desejos dos clientes Qualidade é escrever tudo o que se deve fazer e fazer tudo o que foi escrito 3 Os sistemas de SOFTWARE sob um ponto de vista do cliente e do usuário, viabilizam rotinas de trabalho que não seriam realizáveis de outro modo, como o tratamento integrado de dados possibilitando o aumento de competitividade em todos os setores empresariais. 4 Objetivos de um Software Alta qualidade de software é: O objetivo principal de um software é possibilitar o controle efetivo de um processo, com economicidade de serviço, confiabilidade e usabilidade, conforme as necessidades dos usuários e/ou dos processos a serem controlados. Defeito zero Grande número de funções Codificação elegante Possuir alto desempenho Ter baixo custo Desenvolvimento rápido Facilidade para o usuário 5 6 1

2 Fatores de qualidade de software Qualidade em Software Correção Confiabilidade Eficiência Integridade Usabilidade Mantenabilidade Flexibilidade Testabilidade Portabilidade Reusabilidade Interoperabilidade Intra-operabilidade 7 De uma forma genérica podemos dizer que um software de boa qualidade produz resultados úteis e confiáveis na oportunidade certa; é ameno ao uso; é mensurável e auditável; é corrigível, modificável, e evolutível; opera em máquinas e ambientes reais; foi desenvolvido de forma econômica e no prazo estipulado; e opera com economia de recursos. 8 Propriedades da Qualidade em Software Padrão de Funcionalidade Padrão de Funcionalidade Padrão de Projeto Padrão de Desenvolvimento Padrão de Representação Para podermos aceitar a solução de algum problema, precisamos verificar a especificação e requisitos do problema, as funções tornadas disponíveis, a organização dos dados, controles, interfaces (eventos, estímulos, respostas) e o feedback do sistema para o universo e vice-versa, sem se preocupar com a forma de sua mecanização Padrão de Projeto Para podermos aceitar a solução mecanizada de um problema, precisamos analisar a arquitetura da solução do que é mecanizado, a alocação de recursos computacionais aos componentes dos sistema, interfaces externas e interfaces entre os componentes do sistema, a capacidade de evolução, assim como a justificativa para a solução através da avaliação de custos (de desenvolvimento e de uso) e dos benefícios (o que a solução resolve e o que ela não resolve). 11 Padrão de Desenvolvimento Esta propriedade da qualidade, envolve todo o processo de desenvolvimento, devendo-se analisar quais os produtos intermediários a serem gerados, quais as tarefas que geram estes produtos (em que tarefas se decompõe), qual a seqüenciação destas tarefas, porque realizar a tarefa, pré-condições e pós-condições (resultados das tarefas) e qual a natureza que devem ser alocados a tarefa. 12 2

3 Padrão de Representação Garantia de qualidade num software Este padrão pode ser implementado através de critérios de controle de qualidade (controle de versões, gerência de configuração, walkthroughs e testes sistemáticos) de como apresentar os resultados e as linguagens de representação a serem utilizadas. 13 A garantia de qualidade melhora o produto da programação, sendo de se esperar portanto que a produtividade diminua os custos, refletindo finalmente na base financeira. A qualidade de um sistema já deve estar embutida, não podendo ser acrescentada posteriormente. 14 Funções da qualidade de software Ações de um Controle de qualidade Desenvolvimento de padrões Certificado das necessidades Revisão dos documentos de fases Inspeção de código Mensuração do software Planejamento de testes Planejamento de auditoria Análise e coleção de dados Prevenção de defeitos Ação corretiva Gerenciamento de configurações 15 Certificação (argumentação formal) Inspeção (exame sistemático) Testes (experimentação) Verificação (avaliação do resultado quanto a qualidade interna (acabamento, normas e padrões)) Validação (avaliação do resultado quanto a interfaces e às necessidades e expectativas do usuário) 16 Controle de qualidade num software Qualidade de software É função do controle de qualidade efetuar as medidas e avaliações, indicando ao final a aceitação ou rejeição do produto que está sendo controlado. O C.Q. opera do detalhe para o geral, primeiro são obtidas as métricas e depois, através das funções de normalização, são quantificados os diversos fatores. 17 Produtos de software são complexos, até mais que o hardware onde executam Software não têm produção em série. Seu custo está no projeto e desenvolvimento Software não se desgasta e nem de modifica com o uso Software é invisível. Sua representação em grafos e diagramas não é precisa. A Engenharia de Software ainda não está madura, é uma tecnologia em evolução Não há um acordo entre os profissionais da área sobre o que é Qualidade de Software 18 3

4 Elementos indesejáveis Falhas e Defeitos Agressores Involuntários (elementos que inconscientemente danificam e/ou fazem uso indevido do sistema por não ter recebido o treinamento necessário para operar o sistema) Sistemas com Falhas (o próprio sistema pode possuir falhas capazes de danificar o seu contexto operacional) Agressores Voluntários (elementos que conscientemente danificam e/ou fazem uso indevido do sistema procurando deliberadamente negligenciar as regras de bom uso do sistema, objetivando fraudar e sabotar os processos). Falha é o afastamento dos resultados externos da operação do programa dos requisitos. Defeito é uma imperfeição dentro do programa que quando executada sob condições particulares, causa uma falha Detecção de erros Problemas comuns de processos Falhas de algum tipo de execução de código de máquina, tais como testes de software em máquina, beta testes e utilização operacional pelos clientes. Há também casos que não requer execução do código em máquina. Esses mecanismos incluem acidentes (tais como encontrar por acaso um erro enquanto se observa o código), diversas revisões técnicas; e ferramentas que processam o código, projetos e requisitos como documentos passíveis de análise, sugerindo falhas sem a execução em máquina do próprio código. 21 Prefiro deixar como está e atender ao prazo. Nós podemos corrigir o problema depois. A agenda é primordial. Minhas promoções e aumentos são baseados unicamente em encontros agendados. The botton line is schedule. My promotions and raises are based on meeting schedule first and foremost. 22 Sintomas causadores da falha no processo Intensificação dos softwares Perda do foco no objetivo (compromisso) Entrega fora do prazo Problemas de última hora Alteração de custos durante o processo Falta de visibilidade durante o processo Surpresas constantes Problemas na qualidade Retrabalho As funções não acontecem corretamente Pedidos adicionais pós entrega Insatisfação Frustração Quem é o responsável? O software está ganhando cada vez mais terreno em produtos e serviços. Tradicionalmente, disciplinas de sistemas e software não estão bem integradas. A importância do software em sistemas tem crescido drasticamente

5 Melhorias básicas de processos A regra do processo A premissa do gerenciamento de processos: A qualidade de um sistema é fortemente influenciada pela qualidade do processo usado para produzi-lo, adquiri-lo e mantê-lo. Esta premissa defende que o foco no processo é tão importante quanto o foco no produto. Essa premissa já existia na manufatura This is a long-established premisse in manufaturing (and is based on TQM principles as taught by Shewhart, Juran, Deming and Humphrey) Acredita-se que essa premissa é mundialmente conhecida em movimentos de qualidade na manufatura e serviços industriais. Belief in this premisse is visible worldwide in quality movements in manufacturing and service industries (e.g. ISO standarts) Todos reconhecem a importância do trabalho com qualidade, motivação e tecnologia de ponta, mas mesmo as melhores pessoas não são capazes de fazer o melhor quando o processo não é entendido ou executado da melhor forma. Everyone realizes the importance of having a motived, quality work force and the latest technology, but even the finest people can t perform at their best when the process is not understood or operating at its best Conceitos distorcidos Conceitos de Maturidade Visão Geral Eu não preciso de processos, eu tenho Profissionais capacitados;... Tecnologia de ponta;... Uma administração experiente atrapalha a criatividade;... É o mesmo que burocracia + regras;... Não é preciso quando se constrói protótipo;... Só é necessário em projetos longos;... Impede a agilidade e a velocidade das negociações;... É muito caro. Modelo de maturidade é a coleção estruturada de elementos que descrevem características de um processo efetivo. Um modelo de maturidade oferece Um ponto do partida Benefício à comunidade priorizando a experiência Uma linguagem comum e compartilhada a todos Um framework priorizando ações Um caminho para definir o que as melhorias significam para a sua organização Um modelo de maturidade pode ser usado como um banchmark, comparando diversas organizações IPE Qualidade de software GESTÃO MELHORIA CONTÍNUA SISTEMAS DA QUALIDADE E DE GESTÃO AMBIENTAL ISO-9000 ISO OS NÍVEIS DE MATURIDADE 29 O que é o CMM? Uma estrutura que descreve os elementos chaves de um processo de software eficaz. Um caminho de melhoramento evolucionário (5 níveis de maturidade) para organizações de software mudarem de um processo de software imaturo, ad hoc, para um processo maduro, disciplinado. 30 5

6 Capability Maturity Model for Software Modelo de Maturidade de Capacitação para Software Framework que descreve os principais elementos de um processo de software efetivo (praticado, documentado, medido e passível de melhoria). Fornece diretrizes para adoção de estratégias de melhoria evolutiva de processos e da qualidade de software Não é um método, mas um modelo que precisa ser estuda do, compreendido e adaptado a cada organização 31 Histórico do CMM Governo americano (DoD) solicita ao SEI Software Engineering Institute - um método para avaliar a capacitação de seus fornecedores de software Estrutura de Maturidade de e questionário de maturidade (Watts Humphey) TR-24 - Capability Maturity Model for Software (V. 1.0) e TR-25 - Key Practices of the CMM CMM for Software (V. 1.1) Carnegie Mellon University 32 Definições básicas Estrutura do Modelo de Software: conjunto de atividades, métodos, práticas e transformações utilizadas para desenvolver, manter e evoluir software e artefatos associados Capacitação do : habilidade inerente ao processo de software de produzir resultados planejados. Desempenho de : resultado das medições de consumo de recursos e da qualidade de resultados decorrentes da realização de determinado processo de software. Maturidade do : extensão para a qual um processo é explicitamente definido, praticado, gerenciado, medido e controlado 33 Capacitação do Metas Implementação Institucionalização Atividades ou Infra-estrutura Indicam Alcançam Abordam Descrevem Níveis de Maturidade Contém Áreas-chave de Características Comuns Práticaschave Organizadas pelas Contém São Compromisso Habilitação Atividade Medição e Análise Verificação 34 Organização Imatura Organização Madura

7 Os níveis de maturidade Os 5 níveis de Maturidade 1-Inicial 2-Repetitivo caótico Ad-hoc 3-Definido Melhoria contínua 4-Gerenciado disciplinado Gerência de Projeto 5-Otimizado previsível Controle quantitativo padronizado e consistente Integrado de Engenharia Inicial - O processo de software é caracterizado como ad hoc e ocasionalmente pode ser caótico. Poucos processos estão definidos e o sucesso depende de esforços individuais. 2. Repetível Os processos básicos de gerenciamento estão estabelecidos para controlar custo, cronograma e funcionalidade. A disciplina necessária dos processos permite repetir o sucesso em outros projetos com aplicações similares. 3. Definido O processo de software para as atividades de gerenciamento e de engenharia é documentado, padronizado e integrado em um processo padrão de software para a organização. 4. Gerenciado Medições detalhadas do processo de software e da qualidade do produto são coletadas. Tanto o processo de software quanto o produto de software são quantitativamente entendidos e controlados. 5. Otimizado A melhoria continua do processo é feita através do feedback quantitativo dos processos e das aplicações de novas idéias e tecnologias Inicial ou caótico 1 Inicial ou caótico O processo de software não está documentado e usualmente sequer existe. Poucos processos estáveis existem ou são usados e o sucesso depende de esforços individuais. Caracterização programadores consideram-se artistas; padrões não existem, ou tendem a ser ignorados; ferramentas são usadas ao acaso, por iniciativa pessoal; metodologias são praticadas informalmente; resultados não são previsíveis; a organização não provê um ambiente estável para o desenvolvimento e manutenção de software; cronogramas e orçamentos são freqüentemente abandonados por não serem baseados em estimativas realísticas; numa crise para cumprir cronograma, etapas planejadas do ciclo de vida não são realizadas prejudicando a qualidade do software; coleta e análise de dados é ad-hoc. 39 Embora a empresa possa ter procedimentos formalizados, orçamentos e planejamentos, este não são seguidos de maneira uniforme em toda empresa. Até que o processo esteja sob controle estatístico, não é possível progredir ordenadamente na melhoria do processo. Desempenho basicamente em função da competência e heroísmo das pessoas que fazem o trabalho. O processo de software é imprevisível, vel, já que é constantemente alterado no decorrer do projeto Os maiores problemas com os quais se defrontam as organizações de software são gerenciais e não técnicos. 40 Os níveis de maturidade 2 Repetitivo Estão estabelecidos processos básicos de gerência de projeto para planejar e acompanhar custos, prazos e funcionalidades. Compromissos são firmados e gerenciados e sucessos podem ser repetidos. disciplinado 1-Inicial 2-Repetitivo 41 Caracterização Caracterizado pela existência de um processo efetivo de planejamento e gerenciamento do projeto de software onde os controles sobre os procedimentos, compromissos e atividades são bem fundamentados; os processos de planejamento e gerenciamento do projeto de software devem ser praticados na organização, documentados, treinados e controlados; neste nível ainda não há preocupação com o processo de engenharia de software; gerência de projetos estabelecida; processo organizado; alguns procedimentos técnicos escritos; acompanhamento de qualidade; gerência de configuração inicial; sucesso depende do gerente do projeto. 42 7

8 2 Repetitivo Nível 2 Áreas-chave de processo A organização desenvolveu um processo estável com um nível repetitivo de controle estatístico, iniciando um rigoroso gerenciamento de custos, cronogramas e mudanças do projeto. O planejamento e gerenciamento de novos projetos são baseados na experiência obtida com projetos similares, que tenham obtido sucesso no passado Um fator relevante para a organização nesse nível é a dependência das experiências anteriores. O desenvolvimento de novos tipos de produtos pode causar um desequilíbrio no projeto, nas estimativas de custos e nos cronogramas Os projetos de software podem ser expedidos repetitivamente com pontualidade e qualidade razoável. 43 Gerenciamento de requisitos Planejamento de projeto de software Acompanhamento e supervisão de projeto de software Gerenciamento de subcontrato de software Garantia da Qualidade de Software (SQA- Software Quality Assurance) Gerenciamento da configuração de software (SCM- Software Configuration Management) 44 Nível 3 Definido Nível 3 Definido Atividades de gerência básica e as de engenharia de software são documentadas, padronizadas e integradas num processo único, chamado de Software Padrão da Organização. Todos os projetos usam uma versão deste processo, adaptada às características específicas do projeto. Caracterização caracterizado principalmente pela existência de um processo de engenharia de software bem definido, documentado e padrão para a empresa; as saídas de uma atividade fluem naturalmente para as entradas da próxima atividade; cada projeto de software utiliza o processo padrão da organização como base para implementar seu próprio processo; processos gerenciais e técnicos bem definidos; possibilidade de avaliação do processo; ferramentas e metodologias padronizadas; medições iniciais de desempenho; inspeções e auditorias rotineiras; testes padronizados; gerência de configuração; evolução controlada dos processos técnicos e gerenciais. 45 A organização definiu o processo como uma base para implementação consistente e melhor entendimento. O processo de software é definido, treinado e seguido pelos engenheiros de software. Existe um grupo para processos de software (SEPG) responsável por facilitar atividades de definição e melhoria de processos. Existe um programa de treinamento que assegura que todos tenham o conhecimento e a capacidade requerida para desenvolver suas tarefas, utilizando as ferramentas e os métodos disponíveis s que dêem poderes as pessoas para realizarem o trabalho Tecnologia avançada pode ser introduzida de forma útil. 46 Os níveis de maturidade Nível 3 Áreas-chave de processo consistente, padrão disciplinado 2-Repetitivo 3-Definido Foco no processo da organização Definição do processo da organização Programa de treinamento Gerenciamento integrado de software Engenharia de produto de software Coordenação intergrupal Revisões 1-Inicial

9 Nível 4 Gerenciado Nível 4 Gerenciado São coletadas medições detalhadas do processo de software e da qualidade dos produtos. Relatórios estatísticos são gerados. O processo e os artefatos de software são avaliados quantitativamente e são controlados. Caracterização caracterizado pela existência de processos de software passíveis de medida. a produtividade e a qualidade são medidas em todas as etapas do processo de software e para todos os projetos da organização. o controle sobre produtos e processos de todos os projetos são adquiridos através da diminuição da variação do seu desempenho para dentro de limites quantitativos aceitáveis. estabelecido e em uso rotineiro um programa de medições; estabelecido um grupo de garantia da qualidade; a qualidade é planejada; a qualidade é rotineiramente avaliada e aprimorada. 49 A organização iniciou um processo consistente de medidas e análises. A organização começa a aplicar métricas m de controle de qualidade para aumentar a qualidade e a produtividade do software entregue aos clientes. À medida que a organização adquire mais conhecimento sobre o produto, tem a oportunidade de remover várias fontes de comprometimento da qualidade final Isto proporciona a oportunidade de colocar o produto sob um controle estatístico stico de qualidade. Iniciam-se as mais significativas melhorias em qualidade. 50 Os níveis de maturidade Nível 5 Otimizado disciplinado 1-Inicial consistente, padrão 2-Repetitivo previsível 3-Definido 4-Gerenciado 51 É realizada rotineiramente a melhoria do processo como um todo. São realizados projetos piloto para a absorção e internalização de novas tecnologias. Caracterização caracterizado pela existência de processos de software com contínua nua melhoria; os processos de software são avaliados para prevenir tipos de defeitos conhecidos devido à recorrência, e as lições aprendidas são disseminadas para outros projetos; tecnologias que proporcionem mais retorno para processos específicos, utilizados pela organização, são selecionadas para serem introduzidas, de maneira gerenciável na organização; alto nível de qualidade é alcançado rotineiramente; melhoria contínua; alto nível de satisfação dos clientes. 52 Nível 5 Otimizado Os níveis de maturidade A organização tem uma base para melhoria continua e otimização do processo. Apesar de o processo ser maduro, ele é alvo de contínuas nuas melhorias. Os grupos de projetistas analisam o rendimento do projeto para determinar as causas dos defeitos. Nesse nível foi atingido um ambiente de excelência em engenharia de software Todos os engenheiros de software aplicam ferramentas e princípios do Gerenciamento as da Qualidade Total para aprimorar continuamente o processo e, conseqüentemente, os produtos de software. 53 disciplinado 1-Inicial consistente, padrão 2-Repetitivo previsível 3-Definido Melhoria continua do processo 4-Gerenciado 5-Otimizado 54 9

10 Os níveis de maturidade não podem ser omitidos Os níveis de maturidade não podem ser omitidos s dos níveis mais altos de maturidade podem ser realizados até mesmo por organizações do nível 1 (embora talvez ineficazmente). Competência em processos é construída em estágios gios, uma vez que alguns processos não são eficazes quando outros não estão estáveis. Cada nível oferece um fundamento necessário para melhorias a serem implementadas no nível seguinte. Sem a disciplina de gerenciamento o processo de engenharia é sacrificado. Medidas detalhadas são inconsistentes sem um processo definido. O efeito de inovação de processo não é claro em um processo cheio de ruído Capacidade x Desempenho CMM: Gerenciado (4) medido e controlado Definido (3) é caracterizado e claramente bem entendido Repetível (2) Pode repetir tarefas executadas com sucesso Inicial (1) Pobremente controlado e imprevisível Otimizado (5) Foco na melhoria contínua do processo Capacidade x Desempenho Capacidade de processo - o espectro de resultados esperados que podem ser alcançados seguindo-se um processo, inicialmente estabelecido a nível organizacional. Um instrumento para previsão de resultados de projetos futuros. Desempenho de processo - uma medida de resultados reais alcançados ao se seguir um processo. Está relacionado com um projeto em particular na organização Nível 5 4 Otimização Gerenciado 3 Definido 2 Repetível 1 Inicial Evolução do processo Características do processo Melhoria do processo é institucionalizada. Produto e processo são controlados quantitativamente. Engenharia de software e gerenciamento de processos definidos e integrados. Sistema de gerenciamento de projetos em vigor; desempenho é repetido. é informal e imprevisível. Diferença a entre Capacidade e Desempenho 59 Capacidade x Pessoas, tecnologia e medidas CMM: Inicial (1) Pobremente controlado e imprevisível Gerenciado (4) medido e controlado Definido (3) é caracterizado e claramente bem entendido Repetível (2) Pode repetir tarefas executadas com sucesso Otimizado (5) Foco na melhoria contínua do processo 60 10

11 CMM: Capacidade x Pessoas Nível 1 Nível 2 Nível 3 Nível 4 Nível 5 sucesso depende de heróis individuais apagando incêndio é o modo de viver sucesso depende de indivíduos, apoio administrativo comprometi mentos são compreendidos e administrados grupos de projeto trabalham juntos treinamento é planejado e de acordo com os papéis forte senso de trabalho em equipe dentro de cada projeto forte senso de trabalho em equipe na organização todos estão envolvidos na melhoria do processo CMM: Capacidade x Tecnologia Nível 1 Nível 2 Nível 3 Nível 4 Nível 5 introdução de nova tecnologia é um risco tecnologia apóia atividades estáveis e estabelecidas novas tecnologias são avaliadas em bases qualitativas novas tecnologias são avaliadas em bases quantitaivas novas tecnologias são procuradas e desenvolvidas relacão entre disciplinas são descordenadas e até adversas as pessoas são treinadas CMM: Capacidade x Medidas As Inspirações do CMM Nível 1 Nível 2 Nível 3 Nível 4 Nível 5 coleta de dados e análise são feitas ad hoc dados de administração e planejamento usados em projetos individuais dados são coletados e usados em todo processo definido dados são compartilhados ao longo do projeto definição e coleta de dados padronizados na organização dados são usados para compreender o processo quantitativamente e estabilizá-lo dados são usados para avaliar e selecionar melhorias de processo 63 A estrutura do modelo de maturidade de processo de software está baseada nos princípios pios de qualidade de produto que existem há 60 anos Shewart (AT&T) promulgou os princípios de controle estatístico stico de qualidade. Os princípios de Shewart foram posteriormente desenvolvidos e demonstrados com sucesso no trabalho de Deming e Juran. O trabalho desses pioneiros princípios do TQM (Total Quality Management) 64 A reação em cadeia de Deming A qualidade do produto melhora O custo diminui devido a menos re-trabalho, menos problemas, menos demora, melhores projetos uso eficiente de recursos e materiais. A capacidade melhora. O mercado é conquistado devido a melhores produtos e preços menores Lucro e mais serviço é conseguido Permanência no negócio 65 Adaptação da reação em cadeia de Deming ao Projeto de Software A organização amadurece O processo de software torna-se melhor definido e mais consistemente implementado através da organização. Software com maior qualidade, aumento de produtividade, menos retrabalho, melhores planos e melhor administração de projeto de software 66 11

12 Para se pensar, antes de se deitar! Deve ser observado que o SOFTWARE não é o fim em si mesmo, e sim o meio para alcançar determinados fins. 67 Metodologias e s ISO/IEC Framework para Avaliação de s de Software para: melhoria contínua determinação da capacitação CMMI - Capability Maturity Model Integration Software Engineering Institute - Carnegie Mellon University PSP - Personal Software Process TSP - Team Software Process 68 CMMI CMM, TSP e PSP SW-CMM - Capability Maturity Model for Software P-CMM - People CMM SA-CMM - Software Acquisition CMM SE-CMM - Systems Engineering CMM IPD-CMM - Integrated Product Development CMM Equipes Eficientes - TSP e PSP Qualidade do Software Normas do conjunto ISO/IEC 9126; ISO/IEC Características da Qualidade de Software ISO/IEC Guias de Avaliação de Produto de Software ISO/IEC Requisitos de Qualidade e Testes de Pacotes de Software

CMM - Capability Maturity Model

CMM - Capability Maturity Model Tema da Aula Normas e Padrões de Qualidade em II CMM Prof. Cristiano R R Portella portella@widesoft.com.br CMM - Capability Maturity Model Desenvolvido pelo SEI (Instituto de Engenharia de ) Carnegie Mellon

Leia mais

F U N D A Ç Ã O E D U C A C I O N A L S Ã O J O S É. MODELOS DE MATURIDADE CMMI Capability Maturity Model Integration (CMMI)

F U N D A Ç Ã O E D U C A C I O N A L S Ã O J O S É. MODELOS DE MATURIDADE CMMI Capability Maturity Model Integration (CMMI) 1 MODELOS DE MATURIDADE CMMI Capability Maturity Model Integration (CMMI) Teresinha Moreira de Magalhães 1 Lúcia Helena de Magalhães 2 Fernando Machado da Rocha 3 Resumo Este trabalho visa apresentar uma

Leia mais

GESTÃO DA QUALIDADE DE SOFTWARE

GESTÃO DA QUALIDADE DE SOFTWARE GESTÃO DA QUALIDADE DE SOFTWARE Fernando L. F. Almeida falmeida@ispgaya.pt Principais Modelos Capability Maturity Model Integration (CMMI) Team Software Process and Personal Software Process (TSP/PSP)

Leia mais

QUALIDADE DE SOFTWARE AULA N.7

QUALIDADE DE SOFTWARE AULA N.7 QUALIDADE DE SOFTWARE AULA N.7 Curso: SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Disciplina: Qualidade de Software Profa. : Kátia Lopes Silva 1 CMM: DEFINIÇÃO Capability Maturity Model Um modelo que descreve como as práticas

Leia mais

MODELO CMM MATURIDADE DE SOFTWARE

MODELO CMM MATURIDADE DE SOFTWARE MODELO CMM MATURIDADE DE SOFTWARE O modelo CMM Capability Maturity Model foi produzido pelo SEI (Software Engineering Institute) da Universidade Carnegie Mellon (CMU), em Pittsburgh, EUA, por um grupo

Leia mais

AS CARACTERÍSTICAS DO CMM E O DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE COM QUALIDADE

AS CARACTERÍSTICAS DO CMM E O DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE COM QUALIDADE REVISTA ELETRÔNICA DE ADMINISTRAÇÃO ISSN 1676-6822 PERIODICIDADE SEMESTRAL EDIÇÃO NÚMERO 8 JUNHO DE 2005 AS CARACTERÍSTICAS DO CMM E O DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE COM QUALIDADE Kleber ALMEIDA Docente da

Leia mais

Capítulo 5: CMM, o Capability Maturity Model

Capítulo 5: CMM, o Capability Maturity Model Capítulo 5: CMM, o Capability Maturity Model Capítulo 1: Introdução Capítulo 2: Conceitos Básicos Capítulo 3: Qualidade de Produto (ISO9126) Capítulo 4: ISO9001 e ISO9000-3 Capítulo 5: CMM Capítulo 6:

Leia mais

Gerência de Projetos de Software CMM & PMBOK

Gerência de Projetos de Software CMM & PMBOK Gerência de Projetos de Software CMM & PMBOK http://www.sei.cmu.edu/ Prefácio do CMM Após várias décadas de promessas não cumpridas sobre ganhos de produtividade e qualidade na aplicação de novas metodologias

Leia mais

Processo de Desenvolvimento de Software

Processo de Desenvolvimento de Software Unidade IV Introdução aos Padrões de PDS Luiz Leão luizleao@gmail.com http://www.luizleao.com Conteúdo da Unidade 1. CMM / CMMI 2. SPICE 3. ISO 12207 4. MPS/BR CMM - Capability Maturity Model CMM Capability

Leia mais

O que é CMMI? Base do CMMI. Melhorando o processo é possível melhorar-mos o software. Gerais. Processo. Produto

O que é CMMI? Base do CMMI. Melhorando o processo é possível melhorar-mos o software. Gerais. Processo. Produto Gerais Processo Produto Propostas NBR ISO 9000:2005 define principios e vocabulário NBR ISO 9001:2000 define exigências para sistema de gerência de qualidade NBR ISO 9004:2000 apresenta linha diretivas

Leia mais

PEDRO HENRIQUE DE OLIVEIRA E SILVA MESTRE EM MODELAGEM MATEMÁTICA E COMPUTACIONAL E-MAIL: PEDROHOLI@GMAIL.COM CMM E CMMI

PEDRO HENRIQUE DE OLIVEIRA E SILVA MESTRE EM MODELAGEM MATEMÁTICA E COMPUTACIONAL E-MAIL: PEDROHOLI@GMAIL.COM CMM E CMMI PEDRO HENRIQUE DE OLIVEIRA E SILVA MESTRE EM MODELAGEM MATEMÁTICA E COMPUTACIONAL E-MAIL: PEDROHOLI@GMAIL.COM CMM E CMMI INTRODUÇÃO Aumento da Importância do Software Software está em tudo: Elemento crítico

Leia mais

MBA em Gestão de Empreendimentos Turísticos

MBA em Gestão de Empreendimentos Turísticos Prof. Martius V. Rodriguez y Rodriguez, DSc martius@kmpress.com.br MBA em Gestão de Empreendimentos Turísticos Gestão do Conhecimento e Tecnologia da Informação Gestão do Conhecimento evolução conceitual.

Leia mais

MODELO SPICE Software Improvement and Capacibilty Determination Avalia o software com foco na melhoria de seus processos (identifica pontos fracos e

MODELO SPICE Software Improvement and Capacibilty Determination Avalia o software com foco na melhoria de seus processos (identifica pontos fracos e MODELO SPICE Software Improvement and Capacibilty Determination Avalia o software com foco na melhoria de seus processos (identifica pontos fracos e fortes, que serão utilizados para a criação de um plano

Leia mais

SEQUÊNCIA: TIPOS DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO. PROF. MARTIUS V R Y RODRIGUEZ, DSc TECNOLOGIA DE INFORMAÇÃO

SEQUÊNCIA: TIPOS DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO. PROF. MARTIUS V R Y RODRIGUEZ, DSc TECNOLOGIA DE INFORMAÇÃO TIPOS DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO 1 Prof. Martius Vicente Rodriguez y Rodriguez, DSc - 1 TECNOLOGIA DE INFORMAÇÃO 1. TIPOS DE 2. ARQUITETURAS DE SISTEMAS - CRM 3. KNOWLEDGE DISCOVERY IN DATABASE 4. SISTEMAS

Leia mais

Delfraro Rodrigues Douglas M Gandini José Luiz CMM. Capability Maturity Model

Delfraro Rodrigues Douglas M Gandini José Luiz CMM. Capability Maturity Model Delfraro Rodrigues Douglas M Gandini José Luiz CMM Capability Maturity Model O que é o CMM? Modelo para avaliação da maturidade dos processos de software de uma organização Identificação das práticas chave

Leia mais

CMM. Model: : Um Modelo para Melhoria do Processo (de Produção) de Software. Capability. Maturity. Odisnei Galarraga odisnei@atlas.unisinos.

CMM. Model: : Um Modelo para Melhoria do Processo (de Produção) de Software. Capability. Maturity. Odisnei Galarraga odisnei@atlas.unisinos. CMM Capability Maturity Model: : Um Modelo para Melhoria do Processo (de Produção) de Software Odisnei Galarraga odisnei@atlas.unisinos.br 8/3/2002 Pró-Reitoria de Administração - Diretoria de Serviços

Leia mais

Qualidade de Software. Prof. Natália Oliveira M.Sc queiroz.nati@gmail.com

Qualidade de Software. Prof. Natália Oliveira M.Sc queiroz.nati@gmail.com Qualidade de Software Prof. Natália Oliveira M.Sc queiroz.nati@gmail.com Ementa Conceitos sobre Qualidade Qualidade do Produto Qualidade do Processo Garantida da Qualidade X Controle da Qualidade Conceitos

Leia mais

Qualidade de. Software. Definições. Qualidade do Produto ISO 9126. Processo de. Software. Modelo de Processo de. Software CMM SPICE ISO 12207

Qualidade de. Software. Definições. Qualidade do Produto ISO 9126. Processo de. Software. Modelo de Processo de. Software CMM SPICE ISO 12207 Qualidade de : Visão Geral ISO 12207: Estrutura s Fundamentais Aquisição Fornecimento s de Apoio Documentação Garantia de Qualidade Operação Desenvolvimento Manutenção Verificação Validação Revisão Conjunta

Leia mais

CMM Capability Maturity Model. Silvia Regina Vergilio

CMM Capability Maturity Model. Silvia Regina Vergilio CMM Capability Maturity Model Silvia Regina Vergilio Histórico O DoD patrocinou a fundação do SEI (Software Engineering Institute) na Universidade de Carnegie Mellon (Pittsburg) com o objetivo de propor

Leia mais

Qualidade na gestão de projeto de desenvolvimento de software

Qualidade na gestão de projeto de desenvolvimento de software Qualidade na gestão de projeto de desenvolvimento de software [...] O que é a Qualidade? A qualidade é uma característica intrínseca e multifacetada de um produto (BASILI, et al, 1991; TAUSWORTHE, 1995).

Leia mais

Professor: Disciplina:

Professor: Disciplina: Professor: Curso: Disciplina: Marcos Morais de Sousa marcosmoraisdesousa@gmail.com marcosmoraisdesousa.blogspot.com Sistemas de informação Engenharia de Software II Gerenciamento de Qualidade CMMI e MPS.BR

Leia mais

Gerência de Projetos de Software Modelos de gerência. CMM: Capability Maturity Model ITIL: Information Technology Infrastructure Library MPS BR

Gerência de Projetos de Software Modelos de gerência. CMM: Capability Maturity Model ITIL: Information Technology Infrastructure Library MPS BR Modelos de gerência CMM: Capability Maturity Model ITIL: Information Technology Infrastructure Library MPS BR Modelo de maturidade: CMM CMM (Capability Maturity Model) é um modelo subdividido em 5 estágios

Leia mais

Padrões de Qualidade de Software

Padrões de Qualidade de Software Universidade Federal do Vale do São Francisco Padrões de Qualidade de Software Engenharia de Software I Aula 4 Ricardo Argenton Ramos Agenda da Aula Introdução (Qualidade de Software) Padrões de Qualidade

Leia mais

Qualidade de Software. Anderson Belgamo

Qualidade de Software. Anderson Belgamo Qualidade de Software Anderson Belgamo Qualidade de Software Software Processo Produto Processo de Software Pessoas com habilidades, treinamento e motivação Processo de Desenvolvimento Ferramentas e Equipamentos

Leia mais

Qualidade de Software

Qualidade de Software Início Qualidade de Software Álvaro Rocha amrocha@ufp.pt http://www.ufp.pt/~amrocha Início>Tópicos Tópicos 1. Fundamentos 2. Qualidade e Maturidade do Processo de SW ISO 9000, ISO 12207, SW-CMM, TRILLIUM;

Leia mais

Fatores humanos de qualidade CMM E CMMI

Fatores humanos de qualidade CMM E CMMI Fatores humanos de qualidade CMM E CMMI Eneida Rios¹ ¹http://www.ifbaiano.edu.br eneidarios@eafcatu.gov.br Campus Catu 1 Curso de Análise e Desenvolvimento de Sistemas Conteúdos Fatores humanos de qualidade

Leia mais

Qualidade de Software: Visão Geral

Qualidade de Software: Visão Geral Qualidade de Software: Visão Geral Engenharia de Software 1 Aula 05 Qualidade de Software Existem muitas definições de qualidade de software propostas na literatura, sob diferentes pontos de vista Qualidade

Leia mais

CMMI: Capability Maturity Model Integration

CMMI: Capability Maturity Model Integration CMMI: Capability Maturity Model Integration Adriano J. Holanda http://holanda.xyz 21/10/2015 Adriano J. Holandahttp://holanda.xyz CMMI: Capability Maturity Model Integration CMMI: Capability Maturity Model

Leia mais

Políticas de Qualidade em TI

Políticas de Qualidade em TI Políticas de Qualidade em TI Prof. www.edilms.eti.br edilms@yahoo.com Aula 03 CMMI Capability Maturity Model Integration Parte I Agenda Processos CMMI Definição Histórico Objetivos Características Representações

Leia mais

Qualidade de Software Aula 6 / 2010. luis@garcia.pro.br www.garcia.pro.br

Qualidade de Software Aula 6 / 2010. luis@garcia.pro.br www.garcia.pro.br Qualidade de Software Aula 6 / 2010 Prof. Dr. Luís Fernando Garcia luis@garcia.pro.br www.garcia.pro.br Introdução As três dimensões críticas Introdução Começando MAL CMMI Impeditivos CMMI Desculpas CMMI

Leia mais

Introdução à Qualidade de Software

Introdução à Qualidade de Software FACULDADE DOS GUARARAPES Introdução à Qualidade de Software www.romulocesar.com.br Prof. Rômulo César (romulodandrade@gmail.com) 1/41 Objetivo do Curso Apresentar os conceitos básicos sobre Qualidade de

Leia mais

Unidade VI GOVERNANÇA DE TI. Profa. Gislaine Stachissini

Unidade VI GOVERNANÇA DE TI. Profa. Gislaine Stachissini Unidade VI GOVERNANÇA DE TI Profa. Gislaine Stachissini Capability Maturity Model Integration CMMI SW-CMM (Software Capability Maturity Model): prove informações para o aprimoramento de processos de desenvolvimento

Leia mais

Introdução a CMMI. Paulo Ricardo Motta Gomes Renato Miceli Costa Ribeiro

Introdução a CMMI. Paulo Ricardo Motta Gomes Renato Miceli Costa Ribeiro Introdução a CMMI Paulo Ricardo Motta Gomes Renato Miceli Costa Ribeiro Campina Grande, 29 de setembro de 2008 Agenda Processos Motivação Sintomas de falha de processo Aprimoramento de Processos O Framework

Leia mais

Padrões de Qualidade de Software e Métricas de Software

Padrões de Qualidade de Software e Métricas de Software Universidade Federal do Vale do São Francisco Padrões de Qualidade de Software e Métricas de Software Engenharia de Software I Aula 3 e 4 Ricardo Argenton Ramos Agenda da Aula Introdução (Qualidade de

Leia mais

Gerenciamento de Qualidade

Gerenciamento de Qualidade UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA INSTITUTO DE BIOCIÊNCIAS, LETRAS E CIÊNCIAS EXATAS DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS DE COMPUTAÇÃO E ESTATÍSTICA Gerenciamento de Qualidade Engenharia de Software 2o. Semestre de

Leia mais

CAPABILITY MATURITY MODEL INTEGRATION. Prof. Késsia R. C. Marchi

CAPABILITY MATURITY MODEL INTEGRATION. Prof. Késsia R. C. Marchi CAPABILITY MATURITY MODEL INTEGRATION Prof. Késsia R. C. Marchi Modelos de maturidade Um modelo de maturidade é um conjunto estruturado de elementos que descrevem características de processos efetivos.

Leia mais

ALESSANDRO PEREIRA DOS REIS PAULO CESAR CASTRO DE ALMEIDA ENGENHARIA DE SOFTWARE - CAPABILITY MATURITY MODEL INTEGRATION (CMMI)

ALESSANDRO PEREIRA DOS REIS PAULO CESAR CASTRO DE ALMEIDA ENGENHARIA DE SOFTWARE - CAPABILITY MATURITY MODEL INTEGRATION (CMMI) ALESSANDRO PEREIRA DOS REIS PAULO CESAR CASTRO DE ALMEIDA ENGENHARIA DE SOFTWARE - CAPABILITY MATURITY MODEL INTEGRATION (CMMI) APARECIDA DE GOIÂNIA 2014 LISTA DE TABELAS Tabela 1 Áreas de processo por

Leia mais

GARANTIA DA QUALIDADE DE SOFTWARE

GARANTIA DA QUALIDADE DE SOFTWARE GARANTIA DA QUALIDADE DE SOFTWARE Fonte: http://www.testexpert.com.br/?q=node/669 1 GARANTIA DA QUALIDADE DE SOFTWARE Segundo a NBR ISO 9000:2005, qualidade é o grau no qual um conjunto de características

Leia mais

PMBok & CMM + CMMi Resumo

PMBok & CMM + CMMi Resumo PMBok & CMM + CMMi PMBok & CMM + CMMi Resumo Mauro Sotille, PMP mauro.sotille@pmtech.com.br www.pmtech.com.br Fontes SEI/Carnegie Mellon University Apresentação: Gerência de Projetos de Software, José

Leia mais

Qualidade de Software

Qualidade de Software Qualidade de Software Introdução Qualidade é um dos principais objetivos da Engenharia de Software. Muitos métodos, técnicas e ferramentas são desenvolvidas para apoiar a produção com qualidade. Tem-se

Leia mais

RESUMO. Assunto - CAPACITAÇÃO EM PROCESSOS DE SOFTWARE MODELOS DE CAPACITAÇÃO

RESUMO. Assunto - CAPACITAÇÃO EM PROCESSOS DE SOFTWARE MODELOS DE CAPACITAÇÃO RESUMO Assunto - CAPACITAÇÃO EM PROCESSOS DE SOFTWARE MODELOS DE CAPACITAÇÃO Consiste em um programa de melhoria de processos nas empresas que deve refletir o acervo de experiência dos profissionais e

Leia mais

CMMI Conceitos básicos. CMMI Representações contínua e por estágios. Professor Gledson Pompeu (gledson.pompeu@gmail.com)

CMMI Conceitos básicos. CMMI Representações contínua e por estágios. Professor Gledson Pompeu (gledson.pompeu@gmail.com) CMMI Conceitos básicos 113 CMMI integra as disciplinas de engenharia de sistemas e de engenharia de software em um único framework de melhoria de processos. 114 No tocante às disciplinas de engenharia

Leia mais

Introdução CMMI. Qualidade e Teste de Software CMMI 1

Introdução CMMI. Qualidade e Teste de Software CMMI 1 Introdução CMMI O propósito da qualidade é estabelecer um diferencial competitivo, através de contribuições como redução de defeitos, redução de custos, redução de retrabalho e aumento da produtividade,

Leia mais

CMMI. B) descrições das atividades consideradas importantes para o atendimento de suas respectivas metas específicas. Governo do ES (CESPE 2009)

CMMI. B) descrições das atividades consideradas importantes para o atendimento de suas respectivas metas específicas. Governo do ES (CESPE 2009) CMMI Governo do ES (CESPE 2009) Na versão 1.2 do CMMI, 111 os níveis de capacidade são definidos na abordagem de estágios. 112 os níveis de maturidade são definidos na abordagem contínua. 113 existem seis

Leia mais

CMMI (Capability Maturity Model Integration) Thiago Gimenez Cantos. Bacharel em Sistemas de Informação

CMMI (Capability Maturity Model Integration) Thiago Gimenez Cantos. Bacharel em Sistemas de Informação CMMI (Capability Maturity Model Integration) Thiago Gimenez Cantos Bacharel em Sistemas de Informação Faculdade de Informática de Presidente Prudente Universidade do Oeste Paulista (UNOESTE) thiago@visioncom.com.br;

Leia mais

21. Qualidade de Produto ou Qualidade de Processo de Software?

21. Qualidade de Produto ou Qualidade de Processo de Software? 21. Qualidade de Produto ou Qualidade de Processo de Software? Qualidade de software é uma preocupação real e esforços têm sido realizados na busca pela qualidade dos processos envolvidos em seu desenvolvimento

Leia mais

Objetivos. Histórico. Out/11 2. Out/11 3

Objetivos. Histórico. Out/11 2. Out/11 3 Objetivos Histórico Evolução da Qualidade Princípios de Deming CMMI Conceitos Vantagens Representações Detalhamento Gerenciamento Comparação Out/11 2 Histórico SW-CMM (Software Capability Maturity Model):

Leia mais

Visão Geral da Qualidade de Software

Visão Geral da Qualidade de Software Visão Geral da Qualidade de Software Glauber da Rocha Balthazar Faculdade Metodista Granbery (FMG) Bacharel em Sistemas de Informação Rua Batista de Oliveira, 1145-36010-532 - Juiz de Fora - MG glauber_rochab@yahoo.com.br

Leia mais

Qualidade do Processo de Software

Qualidade do Processo de Software CBCC Bacharelado em Ciência da Computação CBSI Bacharelado em Sistemas de Informação Qualidade do Processo de Software Prof. Dr. Sandro Ronaldo Bezerra Oliveira srbo@ufpa.br www.ufpa.br/srbo Tópicos Especiais

Leia mais

Especialização em Gestão Estratégica de Tecnologia da Informação. Visão Geral Qualidade de Software

Especialização em Gestão Estratégica de Tecnologia da Informação. Visão Geral Qualidade de Software Especialização em Gestão Estratégica de Tecnologia da Informação Visão Geral Qualidade de Software Evolução do Conceito de Qualidade W.A.Shewart desenvolveu o sistema de Controlo Estatístico do Processo

Leia mais

Introdução ao MPS.BR Guia Geral. Prof. Elias Batista Ferreira

Introdução ao MPS.BR Guia Geral. Prof. Elias Batista Ferreira Introdução ao MPS.BR Guia Geral Prof. Elias Batista Ferreira IMPORTANTE Este NÃO é um curso oficial do MPS.BR. Este curso NÃO é apoiado pela Softex. Objetivo deste Curso Descrever os processos e resultados

Leia mais

C.M.M. Capability Maturity Model Modelo de Maturidade da Capacidade

C.M.M. Capability Maturity Model Modelo de Maturidade da Capacidade UNISUL Universidade do Sul de Santa Catarina. Campus da Grande Florianópolis Pedra Branca. CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO ENGENHARIA DE SOFTWARE ALUNO: Volnei A. Caetano Palhoça 02 de Junho de 2000 C.M.M. Capability

Leia mais

Capítulo 6: PSP. Capítulo 6: PSP Personal Software Process

Capítulo 6: PSP. Capítulo 6: PSP Personal Software Process Capítulo 6: PSP Personal Software Process Capítulo 1: Introdução Capítulo 2: Conceitos Básicos Capítulo 3: Qualidade de Produto (ISO9126) Capítulo 4: ISO9001 e ISO9000-3 Capítulo 5: CMM Capítulo 6: PSP

Leia mais

Processo de Software

Processo de Software Processo de Software Uma importante contribuição da área de pesquisa de processo de software tem sido a conscientização de que o desenvolvimento de software é um processo complexo. Pesquisadores e profissionais

Leia mais

Qualidade de Software

Qualidade de Software Unidade I Conceito de Qualidade Luiz Leão luizleao@gmail.com http://www.luizleao.com UNIDADE I : Conceito de Qualidade 1.1 Qualidade de processo de software 1.2 Qualidade de produto de software UNIDADE

Leia mais

Fundamentos de Teste de Software

Fundamentos de Teste de Software Núcleo de Excelência em Testes de Sistemas Fundamentos de Teste de Software Módulo 2- Teste Estático e Teste Dinâmico Aula 3 Teste Estático SUMÁRIO INTRODUÇÃO... 3 1. Definição... 3 2. Custo Versus Benefício...

Leia mais

A Importância do Controle da Qualidade na Melhoria de Processos de Software. Ana Liddy Cenni de Castro Magalhães

A Importância do Controle da Qualidade na Melhoria de Processos de Software. Ana Liddy Cenni de Castro Magalhães A Importância do Controle da Qualidade na Melhoria de Processos de Software Ana Liddy Cenni de Castro Magalhães Agenda Contextualização da Qualidade Dificuldades na construção de software Possíveis soluções

Leia mais

Departamento de Produção POLI

Departamento de Produção POLI Departamento de Produção POLI Marcelo Pessoa Mauro Spinola Sarah Kohan Fevereiro 2004 Multiplicidade de Modelos Por que usar um modelo? Modelos atuam como referência para a obtenção de níveis adequados

Leia mais

GPAD Gestão de Projetos em Ambientes Digitais

GPAD Gestão de Projetos em Ambientes Digitais GPAD Gestão de Projetos em Ambientes Digitais Tecnologia e Mídias Digitais PUC SP Prof. Eduardo Savino Gomes 1 Afinal, o que vem a ser Gestão? 2 Gestão/Gerir/Gerenciar Gerenciar, administrar, coordenar

Leia mais

Normas e Padrões de Qualidade em Software - I

Normas e Padrões de Qualidade em Software - I Tema da Aula Normas e Padrões de Qualidade em - I Prof. Cristiano R R Portella portella@widesoft.com.br Certificação da Qualidade Certificações emitidas por entidades públicas conceituadas: 9 ABIC Selo

Leia mais

Melhorias de Processos de Engenharia de Software

Melhorias de Processos de Engenharia de Software Melhorias de Processos de Engenharia de Software CMMI 1 Profa. Reane Franco Goulart O que é CMMI? O Capability Maturity Model Integration (CMMI) é uma abordagem de melhoria de processos que fornece às

Leia mais

Definição do Framework de Execução de Processos Spider-PE

Definição do Framework de Execução de Processos Spider-PE Definição do Framework de Execução de Processos Spider-PE 1. INTRODUÇÃO 1.1 Finalidade Este documento define um framework de execução de processos de software, denominado Spider-PE (Process Enactment),

Leia mais

Estudo do CMM e do CMMI

Estudo do CMM e do CMMI Estudo do CMM e do CMMI Autores Félix Carvalho Rodrigues fcrodrigues@inf.ufrgs.br Georgina Reategui gg@inf.ufrgs.br Manuela Klanovicz Ferreira mkferreira@inf.ufrgs.br Motivação Grande quantidade de projetos

Leia mais

Engenharia de Software Qualidade de Software

Engenharia de Software Qualidade de Software Engenharia de Software Qualidade de Software O termo qualidade assumiu diferentes significados, em engenharia de software, tem o significado de está em conformidade com os requisitos explícitos e implícitos

Leia mais

Rede Paraense de Pesquisa e Inovação em Tecnologia da Informação e Comunicação. Laboratório de Tecnologia de Software LTS

Rede Paraense de Pesquisa e Inovação em Tecnologia da Informação e Comunicação. Laboratório de Tecnologia de Software LTS Rede Paraense de Pesquisa e Inovação em Tecnologia da Informação e Comunicação Laboratório de Tecnologia de Software LTS Qualidade de Produto Cláudio Martins claudiomartins2000@gmail.com www.ufpa.br/redetic

Leia mais

Qualidade de Processo de Software Normas ISO 12207 e 15504

Qualidade de Processo de Software Normas ISO 12207 e 15504 Especialização em Gerência de Projetos de Software Qualidade de Processo de Software Normas ISO 12207 e 15504 Prof. Dr. Sandro Ronaldo Bezerra Oliveira srbo@ufpa.br Qualidade de Software 2009 Instituto

Leia mais

CAPACIDADE DE AVALIAÇÃO DE UM SOFTWARE UTILIZANDO O MODELO CMM. Capacity evaluation of a Software Using the Model CMM

CAPACIDADE DE AVALIAÇÃO DE UM SOFTWARE UTILIZANDO O MODELO CMM. Capacity evaluation of a Software Using the Model CMM CAPACIDADE DE AVALIAÇÃO DE UM SOFTWARE UTILIZANDO O MODELO CMM Capacity evaluation of a Software Using the Model CMM Walteno Martins Parreira Júnior, Renner Augusto Alves Lima, Roberto Guimarães Dutra

Leia mais

Gerência de Projetos CMMI & PMBOK

Gerência de Projetos CMMI & PMBOK Gerência de Projetos CMMI & PMBOK Uma abordagem voltada para a qualidade de processos e produtos Prof. Paulo Ricardo B. Betencourt pbetencourt@urisan.tche.br Adaptação do Original de: José Ignácio Jaeger

Leia mais

Programa MPS.BR: resultados e perspectivas

Programa MPS.BR: resultados e perspectivas Programa MPS.BR: resultados e perspectivas Ana Regina Rocha Programa de Engenharia de Sistemas e Computação Coordenadora da Equipe Técnica do Modelo MPS Uma Organização com bom desempenho gasta 80% de

Leia mais

Dificuldades no desenvolvimento de software Características do mercado de software A participação de Minas Gerais no cenário nacional

Dificuldades no desenvolvimento de software Características do mercado de software A participação de Minas Gerais no cenário nacional Promovendo a Melhoria de Processos e a Qualidade de Software em Minas Gerais Ana Liddy Cenni de Castro Magalhães, Fernando Silva Parreiras, Frederico Faria Comitê Gestor do SPIN-BH Direitos reservados

Leia mais

Pós Graduação Engenharia de Software

Pós Graduação Engenharia de Software Pós Graduação Engenharia de Software Ana Candida Natali COPPE/UFRJ Programa de Engenharia de Sistemas e Computação FAPEC / FAT Estrutura do Módulo QUALIDADE DE SOFTWARE - PROCESSO Introdução: desenvolvimento

Leia mais

Qualidade, Qualidade de Software e Garantia da Qualidade de Software São as Mesmas Coisas?

Qualidade, Qualidade de Software e Garantia da Qualidade de Software São as Mesmas Coisas? Qualidade, Qualidade de Software e Garantia da Qualidade de Software São as Mesmas Coisas? Fábio Martinho. obtido [on-line] na URL http://www.testexpert.com.br/?q=node/669, em 11/03/2008. Segundo a NBR

Leia mais

14 Os principais documentos de um projeto são: o termo de. 15 Elemento integrante do gerenciamento do escopo do projeto,

14 Os principais documentos de um projeto são: o termo de. 15 Elemento integrante do gerenciamento do escopo do projeto, De acordo com o comando a que cada um dos itens de 1 a 70 se refira, marque, na folha de respostas, para cada item: o campo designado com o código C, caso julgue o item CERTO; ou o campo designado com

Leia mais

No que se refere a conceitos básicos do gerenciamento de projetos, segundo o PMBoK, julgue os itens a seguir.

No que se refere a conceitos básicos do gerenciamento de projetos, segundo o PMBoK, julgue os itens a seguir. De acordo com o comando a que cada um dos itens de 1 a 70 se refira, marque, na folha de respostas, para cada item: o campo designado com o código C, caso julgue o item CERTO; ou o campo designado com

Leia mais

CAPABILITY MATURITY MODEL FOR SOFTWARE. Eduardo Mayer Fagundes e-mail: eduardo@efagundes.com

CAPABILITY MATURITY MODEL FOR SOFTWARE. Eduardo Mayer Fagundes e-mail: eduardo@efagundes.com CAPABILITY MATURITY MODEL FOR SOFTWARE Eduardo Mayer Fagundes e-mail: eduardo@efagundes.com 1. Introdução Após décadas de incontáveis promessas sobre como aumentar à produtividade e qualidade de software,

Leia mais

Capability Maturity Model Integration - CMMI

Capability Maturity Model Integration - CMMI Capability Maturity Model Integration - CMMI Para Desenvolvimento Versão 1.2 M.Sc. Roberto Couto Lima ÍNDICE 1. Definição ------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Leia mais

Qualidade de Software

Qualidade de Software Rafael D. Ribeiro, M.Sc. rafaeldiasribeiro@gmail.com http://www.rafaeldiasribeiro.com.br A expressão ISO 9000 (International Organization for Standardization) designa um grupo de normas técnicas que estabelecem

Leia mais

O Modelo de Maturidade de Processos: como maximizar o retorno dos investimentos em melhoria da qualidade e produtividade.

O Modelo de Maturidade de Processos: como maximizar o retorno dos investimentos em melhoria da qualidade e produtividade. O Modelo de Maturidade de Processos: como maximizar o retorno dos investimentos em melhoria da qualidade e produtividade. Jairo Siqueira 1 Resumo Este estudo apresenta um modelo para avaliação do grau

Leia mais

O Modelo Processo de Software Brasileiro MPS-Br

O Modelo Processo de Software Brasileiro MPS-Br O Modelo Processo de Software Brasileiro MPS-Br Prof. Pasteur Ottoni de Miranda Junior Disponível em www.pasteurjr.blogspot.com 1-Estrutura do MPS-Br ( Softex, 2009) O MPS.BR1 é um programa mobilizador,

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DO TESTE DE SOFTWARE PARA A QUALIDADE DO PROJETO

A IMPORTÂNCIA DO TESTE DE SOFTWARE PARA A QUALIDADE DO PROJETO A IMPORTÂNCIA DO TESTE DE SOFTWARE PARA A QUALIDADE DO PROJETO Autora: LUCIANA DE BARROS ARAÚJO 1 Professor Orientador: LUIZ CLAUDIO DE F. PIMENTA 2 RESUMO O mercado atual está cada vez mais exigente com

Leia mais

Qualidade de software

Qualidade de software Faculdade de Ciências Sociais e Aplicadas de Petrolina - FACAPE Curso: Ciência da Computação Disciplina:Projeto de Sistemas Qualidade de software cynaracarvalho@yahoo.com.br Qualidade de software Qualidade

Leia mais

Qualidade de Software

Qualidade de Software Engenharia Nesta seção você encontra artigos voltados para testes, processo, modelos, documentação, entre outros Qualidade de Software Desvendando um requisito essencial no processo de desenvolvimento

Leia mais

Gestão da qualidade do software

Gestão da qualidade do software Gestão da qualidade do software Empenhada em assegurar que o nível de qualidade requerido de um produto de software é atingido Envolve a definição de normas e procedimentos de qualidade apropriados, e

Leia mais

Qualidade de software

Qualidade de software Qualidade de software É cada dia maior o número de empresas que buscam melhorias em seus processos de desenvolvimento de software. Além do aumento da produtividade e da diminuição do retrabalho, elas buscam

Leia mais

Proposta de Implementação de Qualidade de Software na Organização

Proposta de Implementação de Qualidade de Software na Organização Proposta de Implementação de Qualidade de Software na Organização Daniel Gonçalves Jacobsen 1 Faculdade Dom Bosco de Porto Alegre Porto Alegre RS Brasil daniel@flete.com.br Abstract. This article describes

Leia mais

www.asrconsultoria.com.br

www.asrconsultoria.com.br www.asrconsultoria.com.br Garantia da Qualidade de Processo e Produto Direitos de Uso do Material Material desenvolvido pela ASR Consultoria e Assessoria em Qualidade Ltda. É permitido o uso deste material

Leia mais

Engenharia de Software

Engenharia de Software UFES - Universidade Federal do Espírito Santo Engenharia de Software Notas de Aula E-mail: falbo@inf.ufes.br 2005 Capítulo 1 - Introdução UFES - Universidade Federal do Espírito Santo 1 Capítulo 1 Introdução

Leia mais

Introdução Fatores de Qualidade Garantia de Qualidade Rivisões de Software Conclusão. Qualidade. Plácido A. S. Neto 1

Introdução Fatores de Qualidade Garantia de Qualidade Rivisões de Software Conclusão. Qualidade. Plácido A. S. Neto 1 Qualidade Plácido A. S. Neto 1 1 Gerência Educacional de Tecnologia da Informação Centro Federal de Educação Tecnologia do Rio Grande do Norte 2006.1 - Planejamento e Gerência de Projetos Agenda Introdução

Leia mais

Prof. Dr. Ivanir Costa. Unidade IV QUALIDADE DE SOFTWARE

Prof. Dr. Ivanir Costa. Unidade IV QUALIDADE DE SOFTWARE Prof. Dr. Ivanir Costa Unidade IV QUALIDADE DE SOFTWARE introdução As mudanças que estão ocorrendo nos clientes e nos ambientes de negócios altamente competitivos têm motivado as empresas a modificarem

Leia mais

Engenharia de Software - Parte 04

Engenharia de Software - Parte 04 Engenharia de Software - Parte 04 4 - ISO/IEC 9000-3 Há um conjunto de Normas da ISO desenvolvidas especificamente para software. O guia ISO/IEC 9000-3 aplica-se a empresas de software interessadas em

Leia mais

Conceitos de Qualidade em Software

Conceitos de Qualidade em Software Tema da Aula Conceitos de Qualidade em Prof. Cristiano R R Portella portella@widesoft.com.br Qualidade Qualidade é um conceito subjetivo, que varia para cada local, época, tipo de produto e pessoa que

Leia mais

Problemas Produção. Requisitos. Prof. Ana Paula A. de Castro. Prazos e custos

Problemas Produção. Requisitos. Prof. Ana Paula A. de Castro. Prazos e custos PRODUTOS ENGENHARIA DE SOFTWARE - I Prof. Ana Paula A. de Castro anapaula.rna@gmail.com Problemas Produção Ciclos de vida Projetos Requisitos Características Especificação dos requisitos Engenharia dos

Leia mais

Tradução livre do PMBOK 2000, V 1.0, disponibilizada através da Internet pelo PMI MG em abril de 2001

Tradução livre do PMBOK 2000, V 1.0, disponibilizada através da Internet pelo PMI MG em abril de 2001 Capítulo 8 Gerenciamento da Qualidade do Projeto O Gerenciamento da Qualidade do Projeto inclui os processos necessários para garantir que o projeto irá satisfazer as necessidades para as quais ele foi

Leia mais

Década de 80, o Instituto de Engenharia de Software (SEI) foi criado.

Década de 80, o Instituto de Engenharia de Software (SEI) foi criado. Aécio Costa CMM Década de 80, o Instituto de Engenharia de Software (SEI) foi criado. Objetivos Fornecer software de qualidade para o Departamento de Defesa dos EUA Aumentar a capacitação da indústria

Leia mais

Especialização em Gestão Estratégica de Tecnologia da Informação. CMMI Visão Geral

Especialização em Gestão Estratégica de Tecnologia da Informação. CMMI Visão Geral Especialização em Gestão Estratégica de Tecnologia da Informação CMMI Visão Geral Agenda Um histórico dos modelos CMM e CMMI Modelo CMMI Suíte do modelo Representações Níveis de maturidade Áreas de processo

Leia mais

Qualidade de Software. Aécio Costa

Qualidade de Software. Aécio Costa de Software Aécio Costa A Engenharia pode ser vista como uma confluência de práticas artesanais, comerciais e científicas [SHA90]. Software sem qualidade Projetos de software difíceis de planejar e controlar;

Leia mais

Modelo de Qualidade CMMI

Modelo de Qualidade CMMI Modelo de Qualidade CMMI João Machado Tarcísio de Paula UFF - Campus Rio das Ostras Resumo Este trabalho tem como objetivo explicar de forma simples o que é e como funciona o modelo de qualidade CMMI,

Leia mais

Implantação de um Processo de Medições de Software

Implantação de um Processo de Medições de Software Departamento de Informática BFPUG Brazilian Function Point Users Group Implantação de um Processo de Medições de Software Claudia Hazan, MSc., CFPS claudinhah@yahoo.com Agenda Introdução Processo de Medições

Leia mais

CMM Capability Maturity Model

CMM Capability Maturity Model CMM Capability Maturity Model Grupo: Espedito Anderson Américo Jean Pós-graduação Lato Sensu em Software Livre Auditoria e Segurança em Software Livre Laerte Peotta Agenda Introdução CMM CMMI CoBIT Conclusão

Leia mais

Engenharia de Software

Engenharia de Software Engenharia de Software 2.1 Capítulo 2 QUALIDADE DE SOFTWARE 1. INTRODUÇÃO Como foi mencionado no capítulo anterior, o papel da Engenharia de Software é, principalmente, fornecer métodos e ferramentas para

Leia mais