UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA CENTRO DE CIÊNCIAS TECNOLÓGICAS DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO E SISTEMAS EVERTON SHIGUEAKI TANIZAWA

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA CENTRO DE CIÊNCIAS TECNOLÓGICAS DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO E SISTEMAS EVERTON SHIGUEAKI TANIZAWA"

Transcrição

1 UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA CENTRO DE CIÊNCIAS TECNOLÓGICAS DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO E SISTEMAS EVERTON SHIGUEAKI TANIZAWA AVALIAÇÃO DO ATENDIMENTO AO CLIENTE EM EMPRESAS DO SUL DO BRASIL JOINVILLE SC BRASIL 2012

2 UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA CENTRO DE CIÊNCIAS TECNOLÓGICAS DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO E SISTEMAS EVERTON SHIGUEAKI TANIZAWA AVALIAÇÃO DO ATENDIMENTO AO CLIENTE EM EMPRESAS DO SUL DO BRASIL Trabalho de Graduação apresentado à Universidade do Estado de Santa Catarina, como requisito parcial para obtenção do título de Engenheiro de Produção e Sistemas. Orientador: Prof. Valdésio Benevenutti, MSc. JOINVILLE SC BRASIL 2012

3 EVERTON SHIGUEAKI TANIZAWA AVALIAÇÃO DO ATENDIMENTO AO CLIENTE EM EMPRESAS DO SUL DO BRASIL Trabalho de Graduação aprovado como requisito parcial para a obtenção do título de Engenheiro do curso de Engenharia de Produção e Sistemas da Universidade do Estado de Santa Catarina. Banca Examinadora: Orientador: Prof. Valdésio Benevenutti, MSc. Membro: Prof. Evandro Bittencourt, Dr. Membro: Prof. Lírio Nesi Filho, Dr. Joinville, 6 de novembro de 2012.

4 AGRADECIMENTOS Agradeço primeiramente a Deus por ter me dado saúde, proteção e força para enfrentar todas as barreiras enfrentadas até o presente momento. Aos meus pais e irmãos por terem acreditado em mim, incentivando, motivando e ajudando nos momento em que tive necessidade. Aos colegas e amigos adquiridos durante toda a jornada acadêmica. E principalmente ao professor Valdésio por ter me ajudado na escolha do tema e orientado para a realização deste trabalho. Muito obrigado!

5 EVERTON SHIGUEAKI TANIZAWA AVALIAÇÃO DO ATENDIMENTO AO CLIENTE EM EMPRESAS DO SUL DO BRASIL RESUMO Atualmente o mercado é bastante concorrido e as empresas encontraram no atendimento ao cliente um diferencial competitivo. Um ponto fundamental para o sucesso de qualquer negócio é manter um bom relacionamento com os clientes, para isso vários meios de comunicações são disponibilizados e utilizados pelas empresas. O objetivo principal desta pesquisa é avaliar o atendimento ao cliente em algumas empresas do Sul do Brasil retiradas do ranking do especial GRANDES & LÍDERES/500 Maiores do Sul, elaborado pela Revista Amanhã, medindo a eficiência do serviço por meio do acompanhamento do tempo de resposta. A seleção das empresas a serem pesquisadas foi trabalhada sob amostragem por conveniência sendo selecionadas alguns dos ramos de atividades listados no ranking. Nesta pesquisa foi dado ênfase ao meio de comunicação por mensagens eletrônicas ( ), foram elaboradas perguntas abertas, individuais, hipotéticas, simples, que teoricamente poderia ser respondido facilmente pelos atendentes sobre determinados produtos ou serviços das empresas. As perguntas foram enviadas por ou formulário eletrônico constantes nos sítios das empresas. Foram validadas 112 empresas para o envio das perguntas, que demonstraram possuírem uma boa estrutura para atendimento ao cliente, mas que de forma geral apresentaram uma certa deficiência no atendimento por e- mail apresentando um resultado não muito satisfatório em relação ao percentual de respostas obtidas. Dentre as empresas que responderam, estas se apresentaram eficientes devido a agilidade no tempo de resposta apresentado, de modo geral a resolutividade das respostas foram satisfatórias devido as peculiaridades que cada pergunta apresentava. PALAVRAS-CHAVE: Atendimento ao cliente, Empresas, Sul do Brasil.

6 LISTA DE ILUSTRAÇÕES Figura 1 - Meios para prestação de serviços de atendimento Tabela 1 - Meios de comunicação disponíveis aos clientes nos sítios das empresas Tabela 2 - Validação das empresas selecionadas para serem emitidas as perguntas Tabela 3 - Resultados da emissão das perguntas Tabela 4 - Resultados da emissão das perguntas por setor Tabela 5 - Meio utilizado para o envio das perguntas Tabela 6 - Recebimento de resposta automática Tabela 7 - Meio utilizado para recebimento das respostas Tabela 8 - Tempo de resposta Tabela 9 - Classificação das respostas obtidas quanto a resolutividade das perguntas Tabela 10 - Número de pesquisas de avaliação do atendimento emitidas pelas empresas. 35

7 LISTA DE ABREVIATURAS DPDC FAX IBRC IPEN PwC SAC SEBRAE SEMAE VPG WAP Departamento de Defesa e Proteção aos Direitos do Consumidor Facsimile Instituto Brasileiro de Reclamações com o Cliente Instituto de Pesquisas Energéticas e Nucleares PrincewaterhouseCoopers Serviço de Atendimento ao Consumidor Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas Serviço Municipal de Água e Esgoto Valor Ponderado de Grandeza Wirelles Aplication Protocol

8 SUMÁRIO 1 INTRODUÇÃO FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA SERVIÇOS DE ATENDIMENTO AO CLIENTE COMUNICAÇÕES COM OS CLIENTES ATENDIMENTO POR VIA FALE CONOSCO ELABORAÇÃO DE RESPOSTAS Base Para Uma Boa Resposta Para o Consumidor Critérios de Redação Tratamento e formatação DICAS DE ATENDIMENTO PARA PADRÃO DE EXCELÊNCIA Prazo de resposta Qualificação das respostas Respostas automáticas e respostas padronizadas Direcionamento a serviços disponíveis no site Medições e avaliações PROCEDIMENTOS METODOLÓGICOS MÉTODO DE PESQUISA COLETA E PROCEDIMENTOS PARA ANÁLISE DOS DADOS APRESENTAÇÃO E ANÁLISE DOS RESULTADOS ANÁLISE QUANTITATIVA DOS DADOS ANÁLISE QUALITATIVA DAS RESPOSTAS CONSIDERAÇÕES FINAIS REFERÊNCIAS... 46

9 1 INTRODUÇÃO Até a década de 80 do século passado, a maior preocupação das empresas era com a quantidade produzida e não com a qualidade final dos produtos comercializados. Os consumidores não tinham muitas opções de escolha, devido à pouquíssima concorrência existente na época e adquiriam produtos de baixa qualidade até mesmo por questões de necessidade (MARTINS, 2007). Nas últimas duas décadas com o processo de globalização e os avanços tecnológicos, surgiram novas empresas lançando novos produtos com maior rapidez, novos mercados foram abertos, aumentando a concorrência. Isso proporcionou ao consumidor uma maior opção de escolha passando não só a buscar preços melhores, mas também qualidade e outras características mais interessantes para atender suas necessidades e desejos (MARTINS, 2007). Mudanças na relação empresa e consumidor começaram a serem realizadas, praticamente obrigando as empresas a instalarem serviços de atendimento ao consumidor com a criação dos órgãos de defesa do consumidor e a promulgação do Código de Defesa do Consumidor em 1990, sob a Lei nº 8078, conjunto de normas que estabelece os direitos do consumidor e os deveres dos fornecedores de produtos e serviços no país (BRASIL, 1990). De acordo com informações do Departamento de Defesa e Proteção aos Direitos do Consumidor (DPDC) do Ministério da Justiça, nenhuma lei obriga legalmente as empresas a criarem e manterem um serviço de atendimento ao cliente, sendo tal procedimento facultativo, num mercado cada vez mais exigente, este se apresenta como um diferencial competitivo (SANTANA, 2009). Vários canais de comunicação podem ser utilizados para o atendimento ao cliente, ao manter permanentemente aberto os canais de comunicações, a empresa demonstra claramente sua intenção de aprimorar cada vez mais seus serviços, contribuindo para o processo de fidelização do cliente. (SEBRAE, 2005, p. 2). Os canais de comunicação devem merecer uma gestão de qualidade baseada na facilidade de contato e agilidade de resposta, com os resultados/respostas gerados é possível fortalecer o relacionamento com o consumidor e sinalizar os pontos de aprimoramentos mais urgentes no processo (SEBRAE, 2005). Nesse estudo foi dado enfâse ao meio de comunicação por mensagens eletrônicas ( ) onde foram enviadas perguntas as empresas preenchendo somente os campos obrigatórios do formulário eletrônico presente no sítio das mesmas.

10 9 O objetivo principal desta pesquisa é avaliar o atendimento ao cliente em algumas empresas do Sul do Brasil retiradas do ranking do especial GRANDES & LÍDERES/ 500 Maiores do Sul, elaborado pela Revista Amanhã, medindo a eficiência do serviço por meio do acompanhamento do tempo de resposta. Os objetivos específicos são: a) Apresentar os tipos de serviços de atendimento e quais meios estão disponíveis nos sítios das empresas selecionadas; b) Avaliar o grau de resolutividade das respostas, através de bases e critérios existentes para elaboração de respostas, buscando manter um padrão de excelência no atendimento. Esta pesquisa justifica-se ao fato de cada vez mais pessoas estarem tendo acesso a Internet, o consumidor tem no atendimento on-line uma opção gratuita aos serviços prestados pelas empresas, mas exige agilidade nas respostas e excelência no atendimento, porém não existe uma legislação específica indicando o prazo para envio de respostas referentes a atendimento on-line. Através da pesquisa podemos verificar quais formas de atendimento às empresas disponibilizam em seus sítios para os consumidores entrarem em contato, obtendo um panorama da eficiência do serviço, verificando se as respostas obtidas atendem as expectativas esperadas. A principal limitação da pesquisa está relacionada com a devolução das respostas por parte da empresa. O estudo também limita-se somente a alguns setores de atividades apresentados no ranking da Revista Amanhã, sendo necessário elaborar perguntas específicas para cada setor escolhido, afim de se ter maior compreensão das perguntas. O trabalho apresenta-se estruturado em cinco capítulos. No primeiro, a introdução, que apresenta o tema, a definição do problema, o objetivo geral e objetivos específicos, a justificativa e a delimitação do estudo. Na fundamentação teórica, apresentada no segundo capítulo, são expostos os assuntos que servirão de base a pesquisa. No terceiro capítulo são descritos os procedimentos metodológicos adotados no presente trabalho. No quarto capítulo é feita a apresentação e análise dos dados obtidos com a pesquisa. No quinto capítulo apresentam-se as considerações finais, mostrando o alcance dos objetivos propostos. Por fim, destacam-se as referências utilizadas.

11 2 FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA Neste capítulo serão apresentados tópicos relativos à importância do atendimento ao cliente nas empresas, bem como os canais de comunicações existentes entre ambas as partes. Com o intuito de analisar posteriormente as respostas obtidas serão expostas algumas bases e critérios existentes para elaboração de respostas e dicas de atendimento para padrão de excelência no atendimento. 2.1 SERVIÇOS DE ATENDIMENTO AO CLIENTE Serviços aos clientes são aqueles prestados em apoio ao grupo de produtos principais da empresa. Estão profundamente ligados a responder indagações, lidar com reclamações e agendar manutenções e consertos (ZEITHAML; BITNER, 2003). O Serviço de Atendimento ao Cliente (SAC) tem por objetivo abrir um canal de comunicação direto entre a empresa e os seus clientes, possibilitando que ele emita opiniões ou faça sugestões sobre os produtos ou serviços colocados à sua disposição. É o órgão responsável para ouvir os anseios dos clientes, permitindo assim maior transparência nos assuntos comerciais. Proporciona ainda um acesso fácil ao diálogo com profissionais que irão orientá-lo ou encaminhá-lo aos especialistas, buscando a melhor solução aos problemas apresentados (IPEN, 2012). Zülzke (1991) aponta as vantagens para a empresa e para o cliente no estabelecimento de um Serviço de Atendimento ao Cliente: Vantagens para o cliente: Acesso direto à empresa, sem o desgaste de peregrinar por inúmeros ramais; Diálogo com profissionais que, além de conhecerem tecnicamente os produtos, têm empatia com os consumidores e não são avaliados pelos resultados das vendas; Possibilidade de obter informações antes da compra; Facilidade de obter orientação pós compra; Segurança na opção da compra, pois sabem que necessitando, um setor especializado estará disponível para ajudá-los; Oportunidade de influenciar no processo industrial ao expressar suas dúvidas, necessidades, sugestões e insatisfações, contribuindo assim para o aperfeiçoamento do mercado;

12 11 Possibilidade de desenvolver sua assertividade e habilidade de negociação. Vantagens para a Empresa: Estabelecimento de lealdade à marca, pelos aspectos de segurança transmitidos ao consumidor e pelos efeitos do marketing de serviços; Instituição de um sistema de pesquisa diário; Estabelecimento de uma comunicação personalizada; Possibilidade de diferenciar a empresa frente ao concorrente pela facilidade de acesso; Possibilidade de complementar o controle de qualidade com as percepções do usuário; Recebimento de informações capazes de subsidiar as áreas de marketing; Atualização sobre as tendências do mercado; Funcionamento como válvula de escape de tensão, o que evita longos e desgastantes processos judiciais; Possibilidade de estruturação de um banco de dados. Um SAC com bom desempenho indica a manutenção pela empresa de uma política de comunicação eficaz tanto com seu público externo (clientes) quanto com interno (colaboradores), estabelecendo, quando necessário, a correção de rumo com o objetivo de garantir a satisfação do cliente. Preferencialmente esse serviço deve ser disponibilizado de forma gratuita (SANTANA, 2009). Spiller (2007), comenta sobre a importância da forma de se prestar o serviço, não se deve oferecer um serviço de certa maneira simplesmente por imitação da concorrência ou porque a empresa vem fazendo assim há muito tempo. É preciso verificar se o serviço é prestado como querem os clientes fazendo com que as necessidades e desejos dos clientes sejam o foco do projeto e da oferta dos serviços. Para satisfazer tais desejos, nem sempre expressos, é preciso conhecer muito bem as crenças e valores dos clientes, suas preferências, rejeições e indiferenças. A satisfação do consumidor passa a ser elemento fundamental da noção de serviço ao cliente, tanto na pré-venda quanto no pós-venda. Através de dados informais Martins (2007, p. 47), afirma que 70% dos clientes deixam de comprar em determinada empresa por terem sido mal atendidos, com falta de atenção e/ou despreocupação com sua opinião e satisfação. Sheth et al. (2001), apresenta atividades que podem e devem ser bem desempenhadas pelos Serviços de Atendimento ao Cliente das empresas para manter os cliente, demonstrando cuidado e preocupação com eles após a compra: Envidar esforços para a manutenção do cliente, mesmo após a compra;

13 12 Procurar garantir a recompra; Medir constantemente a satisfação do cliente; Informar aos clientes sua importância para a empresa. Gianesi e Côrrea (2009, p. 73), apontam que pesquisas mostram que, em média, um consumidor insatisfeito depõe contra o serviço ou contra seu fornecedor a 10 outras pessoas, enquanto um consumidor satisfeito recomenda o serviço ou seu fornecedor a apenas 5 potenciais consumidores. Para Martins (2007, p. 27), as decisões de compra dos clientes se baseiam [...] em diversos aspectos, mas que sempre resultam na escolha por aquele que apresenta e lhe proporciona um maior valor final. A empresa conseguindo expandir os benefícios dos produtos e aliando nessa ideia a redução de custos para o cliente, estará produzindo dessa forma o conceito de valor percebido pelo cliente (MARTINS, 2007). Segundo Kotler e Armstrong (2003, p. 475), custa cinco vezes mais atrair um novo cliente do que manter satisfeito um cliente existente. A elaboração de estratégias para atrair novos clientes e criar transações com eles é de suma importância, empresas procuram reter os clientes existentes e construir com eles relacionamentos lucrativos e duradouros. A melhor opção para a criação desses relacionamentos é a criação de valor e satisfação superiores para o cliente, clientes satisfeitos tem a maior probabilidade de se tornar fiéis e clientes fiéis tem a maior probabilidade de dar à empresa uma participação maior em sua preferência (KOTLER; ARMSTRONG, 2003). O ambiente organizacional exige uma administração mais criativa e eficiente, que seja capaz de antecipar às necessidades dos consumidores, em vez de simplesmente reagir a elas. É importante identificar como o cliente percebe o serviço prestado e a partir daí estabelecer a fidelidade e o relacionamento com o cliente, sendo assim é necessário gerenciar a percepção do cliente de modo a transmitir a imagem pretendida pela empresa (SPILLER, 2007). 2.2 COMUNICAÇÕES COM OS CLIENTES Atualmente o mercado é bastante competitivo e as organizações precisam ser muito criativas para ter a preferência dos clientes. Um dos aspectos mais importantes é a questão de atendimento aos clientes, relacionar-se bem com os clientes é um ponto fundamental para o sucesso de qualquer negócio, para que isso ocorra às empresas devem possuir canais de

14 13 comunicação com seus clientes a fim de manter contato, cordialidade e principalmente atender as necessidades e os desejos dos clientes (SEBRAE, 2006). Cada um desses canais de comunicação deve merecer uma gestão de qualidade baseada em facilidade de contato e agilidade de resposta. Não pode existir pior descaso para com o cliente do que uma resposta não dada ou comunicada com excessiva demora. (SEBRAE, 2005). Kotler e Armstrong (2003), aborda que a tendência de hoje é ver as comunicações como o gerenciamento do relacionamento com o cliente ao longo do tempo durante os estágios de pré-venda, venda, consumo e pós-consumo. O desenvolvimento de programas de comunicações precisão ser desenvolvidos para segmentos, nichos e até indivíduos específicos. Muitas vezes a empresa investe no produto, numa forte campanha de divulgação, desenvolve uma estratégia inovadora, mas esquecem ou não dão a devida importância para a estrutura de atendimento, que, neste caso, passa a ser o elo mais fraco do processo. (BORGES, 2006). O atendimento ao cliente pode ser realizado de diversas formas, utilizando diversos meios de comunicação, como pode ser visto na Figura 1: Figura 1 Meios para prestação de serviços de atendimento Fonte: SEBRAE, 2005.

15 14 Call Center: Central na qual operadores de telemarketing prestam serviços de atendimento ao cliente da empresa. (SEBRAE, 2005). Martins (2007, p. 66) define Call Center como [...] uma Central Telefônica em que as ligações são processadas ou recebidas, em grande quantidade, com objetivos relacionados às funções de: marketing, serviços ao consumidor, vendas, telemarketing, suporte técnico e qualquer outra atividade administrativa necessária. Mensagens eletrônicas: Mensagens enviadas através da Internet que proporcionam uma rápida interação entre empresa e clientes. Exemplo: , link do tipo Fale Conosco através do qual o cliente envia uma mensagem à empresa preenchendo um formulário eletrônico no site. (SEBRAE, 2005); Fax e carta: Canais mais simples e atualmente menos utilizados devido à praticidade proporcionada pela Internet. (SEBRAE, 2005), comunicação escrita; Caixa de sugestões: Trata-se de uma urna de recebimento de formulários com registros de sugestões, dúvidas, reclamações ou elogios do cliente sobre determinado assunto relacionado aos bens e/ou serviços oferecido pela empresa. (SEBRAE, 2005); Interação direta: Atendimento ao cliente através de guichês e postos localizados no próprio ponto de venda ou locais de grande circulação de pessoas. (SEBRAE, 2005). Em algumas empresas o atendimento se restringe ao balcão de entrada, onde um funcionário qualificado está apto a fornecer toda e qualquer informação que o cliente venha a precisar (MARTINS, 2007). Martins (2007), comenta que atualmente outros canais de comunicação entre empresa e cliente estão presentes na Internet, além do correio eletrônico ( ), podendo ser utilizados mensagens instantâneas, bate-papo (chat), mídias sociais (redes sociais, blogs, microblogs) ou qualquer outra tecnologia. A Internet é um canal interativo entre seus usuários. Com a inclusão digital as empresas passaram a enfatizar a troca permanente de informações com seus clientes, e não apenas a transmissão unilateral de informações para eles (LIMEIRA, 2009). Um exemplo de difusão de informações multilaterais potencializada na Internet são os sítios que visam criar espaço de discussão aberta e de divulgação de reclamações e problemas que os consumidores possam ter em relação às empresas, como o sítio brasileiro Reclameaqui (www.reclameaqui.net) (LIMEIRA, 2009).

16 15 Em muitas empresas todas essas formas de comunicação se encontram centralizadas em um único departamento, que precisa estar interligado a todos os demais afim de manterem atualizados e prontos para informar e resolver qualquer problema do cliente (MARTINS, 2007). Conforme Martins (2007, p. 45), ao se comunicar com a empresa independente do meio utilizado, todo cliente deseja obter das pessoas que o atendem: Boa educação e cortesia; Disposição em ouvir; Que o atendimento não seja frio; Agilidade no atendimento; Informações corretas e exatas; Que não se faça falsas promessas; Solução do seu problema. Martins (2007, p.46) cita que de acordo com o Instituto Brasileiro de Reclamações com o Cliente (IBRC) existem sete pecados capitais no relacionamento com o cliente : Relacionamento inconsistente com o cliente; Não cumprir o que prometeu; Tratar o cliente com desdém; Robotização do atendimento; Não ter a humildade de enxergar os erros; Demonstrar falta de conhecimento do cliente; Não respeitar a privacidade do cliente. Para Martins (2007), existem empresas que criam o setor chamado Atendimento adquirindo equipamentos e contratando atendentes e acreditam assim possuírem uma Central de Atendimento ao Cliente, esquecendo o principal, que é a informação. Todas as pessoas, envolvidas ou não com o atendimento direto ao cliente, devem conhecer exatamente o que a empresa faz e os detalhes a respeito dos produtos e serviços que a empresa oferece. Se todas as empresas adotassem a política de compartilhamento de informações, provavelmente 80% dos problemas de mau atendimento ao cliente seriam resolvidos. (MARTINS, 2007, p. 23).

17 ATENDIMENTO POR VIA FALE CONOSCO Hoje em dia, além de as conexões com os clientes serem mais amplas, muitas empresas estão conquistando vantagem com novas tecnologias que lhes permitem se conectar mais diretamente com seus clientes. (KOTLER; ARMSTRONG, 2003, p. 19). Uma empresa pode incentivar clientes em potenciais e existentes a lhe enviar perguntas, sugestões e reclamações via e instituir um serviço de atendimento ao cliente para responder rapidamente a essas mensagens. (KOTLER; ARMSTRONG, 2003, p. 459). O Fale Conosco é uma ferramenta criada para estabelecer um canal ágil e direto de comunicação entre o consumidor e a empresa, servindo para o consumidor solicitar informações, apresentar reclamações, denúncias, elogios e/ou sugestões referentes aos produtos ou serviços prestados (SEMAE, 2011). Os principais benefícios da ferramenta de acordo com o SEMAE (2011) são: Aproximação com o consumidor, criando o estabelecimento de um canal de comunicação acessível e direto; Identificação das áreas que estejam merecendo maior atenção dos dirigentes, definindo-se eixos prioritários de ação; Feedback sobre a atuação da empresa, permitindo a correção de disfunções e redirecionamento das ações desenvolvidas; Identificação de necessidades dos consumidores; Relacionamento democrático com o consumidor; Maior credibilidade e fortalecimento da imagem da empresa junto ao consumidor. É uma ferramenta até bem pouco tempo colocada em segundo plano, mas que se encontra em expansão pela facilidade de uso e simplificação das relações entre empresas e clientes em um momento em que o tempo é um valor precioso para ambos os lados (BRASIL, 2011). O Fale Conosco é um tipo de atendimento prestado, por meio eletrônico, a partir de consultas realizadas por correio eletrônico ( ) ou formulário disponível no sítio das empresas na Internet (BRASIL, 2011), geralmente também chamado de contato, SAC, ouvidoria. Ribeiro (2001, apud LEMOS; WAISBERG, p. 383) considera o como um dos mais poderosos meios de comunicação porque possibilita o diálogo virtual rápido e barato, a um número ilimitado de pessoas, independentemente de prévio aviso e do lugar em que se

18 17 esteja e definem como uma carta virtual digitada no computador e enviada por um programa específico, razão pela qual é denominado correio eletrônico ( ). Vale ressaltar que tal comunicação era restrita ao uso em computadores, tendo sido ampliada com o sistema WAP (Wireless Application Protocol), tecnologia que permite o recebimento e envio de mensagens através do sistema de telefonia móvel, aumentando ainda mais o poder de comunicação deste instrumento. A comunicação por correio eletrônico se encaixa nos modelos de descrição dos processos de comunicação que envolve oito componentes: fonte, mensagem, codificador, canal, decodificador, receptor, feedback e ruído. No contexto do correio eletrônico, a fonte é o remetente que envia a mensagem e a codifica por meio de programas de comunicação em um computador pessoal. O canal é a linha telefônica ou rede de computadores. O receptor pode decodificar a mensagem com seu próprio computador pessoal ou receberá a mensagem depois que um computador central, de acordo com algum conjunto de regras, a entregue ao seu destinatário. O receptor não necessita estar conectado no instante da chegada da mensagem; esta ficará armazenada numa caixa postal eletrônica até que a conexão seja estabelecida. As mensagens decodificadas poderão receber respostas (feedback). Nascimento e Trompieri Filho (2002), abordam os custos e benefícios do correio eletrônico, destacando: Comunicação assíncrona: As conversas não precisam ocorrer em tempo real, como ao telefone. O receptor decide o momento em que irá ler e responder. Dessa forma, o usuário evita que seu cronograma seja desviado, usando assim mais tempo para elaborar bem as respostas. Velocidade: Ao contrário dos correios convencionais, o tempo de espera entre envio e chegada do é quase inexistente. Custo: Um tem um custo inferior ao que é cobrado por uma ligação telefônica. Além disso, o usuário pode transmitir uma quantidade imensa de informação em um só segundo, algo que é impossível em se tratando de uma ligação telefônica pela própria característica da comunicação verbal. Flexibilidade: Por meio de um , além da mensagem escrita, é possível anexar qualquer tipo de arquivo, como gráficos, documentos formatados, áudio e vídeo.

19 18 Outro aspecto interessante é que as mensagens utilizadas nas comunicações por correio eletrônico podem ser armazenadas, recuperadas e retransmitidas o que torna a disseminação da informação mais dinâmica. De acordo com as diversas pesquisas, por mais que novas tecnologias sejam implantadas pelas empresas, os clientes ainda têm preferência pelo atendimento pessoal, aquele realizado frente a frente entre atendente e cliente. [...] O número de pessoas que preferem o atendimento telefônico e aquele realizado pela Internet vem aumentando a cada dia mais. Dois fatores são os principais motivadores dessa mudança: necessidade de agilidade no atendimento e mudança do perfil humano, onde a geração Internet está cada dia mais próxima das empresas (MARTINS, 2007, p. 46). Com o aumento do número de usuários com acesso a Internet a tendência é a substituição gradativa, por parte das empresas, das atuais formas de atendimento pelos meios digitais. 2.4 ELABORAÇÃO DE RESPOSTAS Alguns critérios de redação para a prestação de um serviço com padrão de excelência e bases para aprimoramento e inovações que tornam o atendimento por Fale Conosco ainda melhor são descritas por Brasil (2011) Base Para Uma Boa Resposta Para o Consumidor A resposta a uma consulta por meio do Fale Conosco é uma comunicação formal e pessoal, o formato da resposta deve se aproximar da utilizada em cartas comerciais. O texto deve se dirigir diretamente ao destinatário, usando um tratamento pessoal nas respostas, citando o nome do demandante, garantindo o caráter pessoal da resposta, mas escrito de maneira formal, polida, clara e direta. Também é necessário que o remetente se identifique ao final. Todo contato feito por meio do Fale Conosco deve ser respondido, sem exceções, mesmo aqueles que fogem ao escopo do serviço ou encaminhados ao departamento errado. Um serviço de Fale Conosco deve acolher e buscar respostas para a pergunta do consumidor. Para tanto, pode ser necessário um esforço para entender a questão, deve-se ajudar o consumidor a encontrar a resposta, mesmo que a pergunta não seja clara e bem redigida.

20 19 A redação das respostas deve levar em consideração a diversidade de públicos que um serviço de Fale Conosco atinge, exigindo clareza e simplicidade para que a mensagem possa ser compreendida por qualquer um, independente de sua formação ou de seus conhecimentos. É possível responder bem as perguntas dos consumidores conhecendo o assunto, é fundamental procurar se inteirar dos processos, programas e sistemas de atendimento da instituição, bem como se informar sobre os departamentos, serviços e produtos que empresa tem a disposição Critérios de Redação Algumas características desejáveis para os textos de resposta dos serviços de Fale Conosco dadas pelos atendentes são as seguintes (BRASIL, 2011): Identifique: É preciso ler com atenção a demanda do consumidor e identificar quais são as informações desejadas. Clareza: Escrever de forma simples e direta, evitando o uso de frases rebuscadas, terminologia técnica e jargões. O uso de siglas de órgãos e departamentos podem ser incompreensíveis para o consumidor, devem ser citadas apenas se acompanhadas de seu significado. Concisão: Respeitar o tempo do consumidor e escrever o mínimo necessário, a medida do texto é a medida da informação que deve ser fornecida. Precisão: A informação prestada ao consumidor deve estar absolutamente correta em todos os aspectos, de maneira que não haja dúvidas e nem o risco de recomendar procedimentos incorretos. Ordenação: Responder as perguntas na ordem em que foram apresentadas pelo consumidor. Se estiver descrevendo um serviço, os procedimentos devem ser apresentados na ordem em que devem ser realizados. Concatenação: Escrever as informações numa sequencia lógica. Idas e vindas no texto confundem o leitor e prejudicam a compreensão da informação. Consistência: As respostas devem ser consistentes, ou seja, devem estar de acordo com o que é divulgado ao consumidor pelos diversos meios de comunicação utilizados pela empresa.

Atendimento pós-venda: gestão estratégica da ex...

Atendimento pós-venda: gestão estratégica da ex... Atendimento pós-venda: gestão estratégica da ex... (/artigos /carreira/comopermanecercalmosob-pressao /89522/) Carreira Como permanecer calmo sob pressão (/artigos/carreira/como-permanecer-calmosob-pressao/89522/)

Leia mais

INSTITUTO DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA

INSTITUTO DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA INSTITUTO DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA Autor: Jeferson Correia dos Santos ARTIGO TÉCNICO INOVAÇÃO NA GESTÃO DE PÓS-VENDAS: SETOR AUTOMOTIVO RESUMO A palavra inovação tem sido atualmente umas das mais mencionadas

Leia mais

TÍTULO: O CRM NA FIDELIZAÇÃO DE CLIENTES EM UMA EMPRESA DE MATERIAL PARA CONSTRUÇÃO

TÍTULO: O CRM NA FIDELIZAÇÃO DE CLIENTES EM UMA EMPRESA DE MATERIAL PARA CONSTRUÇÃO TÍTULO: O CRM NA FIDELIZAÇÃO DE CLIENTES EM UMA EMPRESA DE MATERIAL PARA CONSTRUÇÃO CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS SUBÁREA: ADMINISTRAÇÃO INSTITUIÇÃO: FACULDADE DE AURIFLAMA AUTOR(ES):

Leia mais

Redes Sociais Em Apoio À Tomada De Decisão

Redes Sociais Em Apoio À Tomada De Decisão Redes Sociais Em Apoio À Tomada De Decisão Este assunto normalmente é tratado quando se aborda a coleta de dados no ciclo de Inteligência. No entanto, o fenômeno das redes sociais, atualmente, cresceu

Leia mais

OUVIDORIA VIVA RIO MANUAL DE PROCEDIMENTOS

OUVIDORIA VIVA RIO MANUAL DE PROCEDIMENTOS OUVIDORIA VIVA RIO MANUAL DE PROCEDIMENTOS CONTEÚDO 1. OUVIDORIA INTERNA... 4 2. OUVIDORIA EXTERNA... 6 3. PESQUISA DE SATISFAÇÃO DO USUÁRIO... 7 4. CALL CENTER ATIVO DA SAÚDE... 12 5. OUVIDORIA UNIDADES

Leia mais

Apps de Produtividade

Apps de Produtividade Apps de Produtividade Os App s de Produtividade oferecem controle, organização e recursos para profissionalização das áreas internas e externas da empresa, proporcionando: Produtividade Controle Integração

Leia mais

CONHECENDO O AMBIENTE VIRTUAL DE APRENDIZAGEM Moodle - Learning Management System Versão 1.3

CONHECENDO O AMBIENTE VIRTUAL DE APRENDIZAGEM Moodle - Learning Management System Versão 1.3 CONHECENDO O AMBIENTE VIRTUAL DE APRENDIZAGEM Moodle - Learning Management System Versão 1.3 Este tutorial não tem como finalidade esgotar todas as funcionalidades do Ambiente, ele aborda de forma prática

Leia mais

Padrão ABIA para o. Atendimento ao. Consumidor pelas. Indústrias de Alimentos

Padrão ABIA para o. Atendimento ao. Consumidor pelas. Indústrias de Alimentos Padrão ABIA para o Atendimento ao Consumidor pelas Indústrias de Alimentos Recomendação da Comissão de Atendimento ao Consumidor ABIA (versão revisada em agosto de 2014) 1 1 SUMÁRIO Introdução 03 Definições

Leia mais

Manual do Sistema de Demandas da FUNDEPAG

Manual do Sistema de Demandas da FUNDEPAG 2015 Manual do Sistema de Demandas da FUNDEPAG Manual do Sistema de Demandas da FUNDEPAG Cliente Institucional e Atualizado em: 11 de setembro de 2015 Sumário 1. Conceito do software... 1 2. Abertura de

Leia mais

INTRODUÇÃO AO AMBIENTE MOODLE DA UFPA. Guia rápido

INTRODUÇÃO AO AMBIENTE MOODLE DA UFPA. Guia rápido INTRODUÇÃO AO AMBIENTE MOODLE DA UFPA Guia rápido A PLATAFORMA MOODLE Moodle (Modular Object Oriented Distance LEarning) é um Sistema para Gerenciamento de Cursos (SGC). Trata-se de um programa para computador

Leia mais

CRM estratégico criamos uma série de 05 artigos 100

CRM estratégico criamos uma série de 05 artigos 100 Sabemos que muitas empresas enfrentam sérios problemas na administração de suas carteiras e no relacionamento com seus clientes e que apesar de conhecerem os problemas e até saberem que uma iniciativa

Leia mais

Manual e Normas Sistema Disciplina Online

Manual e Normas Sistema Disciplina Online Manual e Normas Sistema Disciplina Online 2011-2 1 SUMÁRIO Pág. 1. Sistema Disciplina Online - Aluno (UNIP). 05 1.1. Acesso ao sistema Disciplina Online - Aluno (UNIP). 05 1.2. Observações. 05 2. Sistema

Leia mais

O acesso a informações públicas será assegurado mediante:

O acesso a informações públicas será assegurado mediante: SIMRECI Sistema de Relacionamento com o Cidadão O SIMRECI é um programa de computador que oferece ferramentas para a gestão do relacionamento com o cidadão e, especialmente garante ao poder público atender

Leia mais

SAM GERENCIAMENTO DE ATIVOS DE SOFTWARE

SAM GERENCIAMENTO DE ATIVOS DE SOFTWARE SAM GERENCIAMENTO DE ATIVOS DE SOFTWARE Modelo de Otimização de SAM Controle, otimize, cresça Em um mercado internacional em constante mudança, as empresas buscam oportunidades de ganhar vantagem competitiva

Leia mais

Gerenciamento de Ciclo de Vida do Cliente. Uma experiência mais sincronizada, automatizada e rentável em cada fase da jornada do cliente.

Gerenciamento de Ciclo de Vida do Cliente. Uma experiência mais sincronizada, automatizada e rentável em cada fase da jornada do cliente. Gerenciamento de Ciclo de Vida do Cliente Uma experiência mais sincronizada, automatizada e rentável em cada fase da jornada do cliente. As interações com os clientes vão além de vários produtos, tecnologias

Leia mais

OUVIDORIA GERAL RELATÓRIO ANUAL DE ATIVIDADES 2006

OUVIDORIA GERAL RELATÓRIO ANUAL DE ATIVIDADES 2006 OUVIDORIA GERAL RELATÓRIO ANUAL DE ATIVIDADES 2006 Apresentação Nossa história Objetivos, Atribuições e Compromisso Nosso Método de Trabalho Manifestações dos Usuários 1. Quantidade 2. Tipos 3. Percentual

Leia mais

MANUAL DE PROCEDIMENTOS DO FORNECEDOR PARA PARTICIPAÇÃO EM

MANUAL DE PROCEDIMENTOS DO FORNECEDOR PARA PARTICIPAÇÃO EM MANUAL DE PROCEDIMENTOS DO FORNECEDOR PARA PARTICIPAÇÃO EM COTAÇÕES E PREGÕES ELETRÔNICOS Sumário 1. Introdução... 2 2. Procedimento para cadastro... 2 3. Conhecendo o Sistema de Compras Eletrônicas da

Leia mais

XIV SEMINÁRIO NACIONAL DE DISTRIBUIÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA INFORMATIZAÇÃO DAS NORMAS E PROCEDIMENTOS DE MEDIÇÃO VIA INTRANET E INTERNET

XIV SEMINÁRIO NACIONAL DE DISTRIBUIÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA INFORMATIZAÇÃO DAS NORMAS E PROCEDIMENTOS DE MEDIÇÃO VIA INTRANET E INTERNET XIV SEMINÁRIO NACIONAL DE DISTRIBUIÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA INFORMATIZAÇÃO DAS NORMAS E PROCEDIMENTOS DE MEDIÇÃO VIA INTRANET E INTERNET Autores: OROMAR CÓRDOVA GILBERTO ALVES LOBATO COPEL Companhia Paranaense

Leia mais

Software. Bem vindo ao mundo do GED e Tecnologias Digitais. Gerenciamento Eletrônico de Documentos, Softwares, e muito mais...

Software. Bem vindo ao mundo do GED e Tecnologias Digitais. Gerenciamento Eletrônico de Documentos, Softwares, e muito mais... Software www.imagecomnet.com.br Bem vindo ao mundo do GED e Tecnologias Digitais Gerenciamento Eletrônico de Documentos, Softwares, e muito mais... A Empresa A Imagecom, uma empresa conceituada no ramo

Leia mais

Para manter o sucesso de um negócio, a empresa precisa compreender e manter uma relação positiva com seus clientes.

Para manter o sucesso de um negócio, a empresa precisa compreender e manter uma relação positiva com seus clientes. Profª Carla Mota UCB 2010 Unid 2 aula 2 CRM Para manter o sucesso de um negócio, a empresa precisa compreender e manter uma relação positiva com seus clientes. O seu objetivo principal é auxiliar as empresas

Leia mais

Sumário. Apresentação O que é o Centro de Gerenciamento de Serviços (CGS) NTI? Terminologia Status do seu chamado Utilização do Portal Web

Sumário. Apresentação O que é o Centro de Gerenciamento de Serviços (CGS) NTI? Terminologia Status do seu chamado Utilização do Portal Web Sumário Apresentação O que é o Centro de Gerenciamento de Serviços (CGS) NTI? Terminologia Status do seu chamado Utilização do Portal Web Fazendo Login no Sistema Tela inicial do Portal WEB Criando um

Leia mais

Uma nova perspectiva sobre a experiência digital do cliente

Uma nova perspectiva sobre a experiência digital do cliente Uma nova perspectiva sobre a experiência digital do cliente Redesenhando a forma como empresas operam e envolvem seus clientes e colaboradores no mundo digital. Comece > Você pode construir de fato uma

Leia mais

GUIA DE ELABORAÇÃO DE PLANO DE NEGÓCIOS

GUIA DE ELABORAÇÃO DE PLANO DE NEGÓCIOS GUIA DE ELABORAÇÃO DE PLANO DE NEGÓCIOS Sumário 1. APRESENTAÇÃO... 2 2. PLANO DE NEGÓCIOS:... 2 2.1 RESUMO EXECUTIVO... 3 2.2 O PRODUTO/SERVIÇO... 3 2.3 O MERCADO... 3 2.4 CAPACIDADE EMPRESARIAL... 4 2.5

Leia mais

Portal Contador Parceiro

Portal Contador Parceiro Portal Contador Parceiro Manual do Usuário Produzido por: Informática Educativa 1. Portal Contador Parceiro... 03 2. Acesso ao Portal... 04 3. Profissionais...11 4. Restrito...16 4.1 Perfil... 18 4.2 Artigos...

Leia mais

Unidade IV MERCADOLOGIA. Profº. Roberto Almeida

Unidade IV MERCADOLOGIA. Profº. Roberto Almeida Unidade IV MERCADOLOGIA Profº. Roberto Almeida Conteúdo Aula 4: Marketing de Relacionamento A Evolução do Marketing E-marketing A Internet como ferramenta As novas regras de Mercado A Nova Era da Economia

Leia mais

MANUAL PORTAL ACADÊMICO

MANUAL PORTAL ACADÊMICO MANUAL PORTAL ACADÊMICO Sumário Sumário... 2 1. Apresentação... 3 2. Navegação no site da Escola do Legislativo... 4 3. Ministrante... 6 3.1.Cadastro de ministrante... 6 3.2. Preencher os campos... 7 3.3

Leia mais

práticas recomendadas Cinco maneiras de manter os recrutadores à frente da curva social

práticas recomendadas Cinco maneiras de manter os recrutadores à frente da curva social práticas recomendadas Cinco maneiras de manter os recrutadores à frente da curva social Não há dúvidas de que as tecnologias sociais têm um impacto substancial no modo como as empresas funcionam atualmente.

Leia mais

e- SIC Manual do Cidadão

e- SIC Manual do Cidadão e- SIC Manual do Cidadão Sumário Introdução 3 O e-sic 4 Primeiro acesso 5 Cadastrando-se no e-sic 6 Acessando o e-sic 7 Funções do e-sic 8 Envio de avisos por e-mail pelo e-sic 9 Como fazer um pedido de

Leia mais

e- SIC Manual do SIC

e- SIC Manual do SIC e- SIC Manual do SIC Sumário Introdução.. 3 O e-sic.. 4 Primeiro acesso.. 5 Perfis de usuário.. 6 Cadastro de usuário no e-sic.. 7 Alteração de dados de usuários.. 9 Atualização de dados do SIC.. 11 Registro

Leia mais

O caminho para o sucesso. Promovendo o desenvolvimento para além da universidade

O caminho para o sucesso. Promovendo o desenvolvimento para além da universidade O caminho para o sucesso Promovendo o desenvolvimento para além da universidade Visão geral Há mais de 40 anos, a Unigranrio investe em ensino diferenciado no Brasil para cumprir com seu principal objetivo

Leia mais

MANUAL DO ALUNO. Ambiente Virtual TelEduc FACULDADE INTEGRADA DA GRANDE FORTALEZA. http://www.fgf.edu.br

MANUAL DO ALUNO. Ambiente Virtual TelEduc FACULDADE INTEGRADA DA GRANDE FORTALEZA. http://www.fgf.edu.br MANUAL DO ALUNO Ambiente Virtual TelEduc FACULDADE INTEGRADA DA GRANDE FORTALEZA http://www.fgf.edu.br Sala Virtual TelEduc O TelEduc é um ambiente virtual desenvolvido Unicamp para apoiar professores

Leia mais

1.INDÍCE... ERROR! BOOKMARK NOT DEFINED. 3.CONSULTA CIRCULARES... 6 5.PROMOÇÕES E EVENTOS... 8. Consultando Promoções e Eventos 8.

1.INDÍCE... ERROR! BOOKMARK NOT DEFINED. 3.CONSULTA CIRCULARES... 6 5.PROMOÇÕES E EVENTOS... 8. Consultando Promoções e Eventos 8. Indíce 1.INDÍCE... ERROR! BOOKMARK NOT DEFINED. 2.QUADRO DE AVISOS... 4 3.CONSULTA CIRCULARES... 6 4.CONSULTA NOTÍCIAS... 7 5.PROMOÇÕES E EVENTOS... 8 Consultando Promoções e Eventos 8 6.CONSULTAS GERAIS...

Leia mais

Este é o material de apoio oferecido pela Clic Viagem, criado com finalidade de instruir melhor nossos clientes e proporcionar maior segurança,

Este é o material de apoio oferecido pela Clic Viagem, criado com finalidade de instruir melhor nossos clientes e proporcionar maior segurança, Este é o material de apoio oferecido pela Clic Viagem, criado com finalidade de instruir melhor nossos clientes e proporcionar maior segurança, confiança e credibilidade nas negociações. Dicas Essenciais

Leia mais

DESCRITIVO TÉCNICO - VERSÃO DESKTOP

DESCRITIVO TÉCNICO - VERSÃO DESKTOP sistema para gerenciamento de instituições de ensino DESCRITIVO TÉCNICO - VERSÃO DESKTOP Nossa Empresa A Sponte Informática é uma empresa brasileira, localizada em Pato Branco, cidade considerada pólo

Leia mais

CONSULTOR CARLOS MARTINS AÇAO EM MARKETING

CONSULTOR CARLOS MARTINS AÇAO EM MARKETING CONSULTOR CARLOS MARTINS CRIA - AÇAO EM MARKETING SUA EMPRESA Copyright Consultor Carlos Martins - Todos os direitos reservados wwwcarlosmartinscombr - consultor@carlosmartinscombr Como conquistar Clientes

Leia mais

Obtendo resultados reais através do CRM

Obtendo resultados reais através do CRM Porque investir em CRM? Aresposta é simples: Seus clientes consideram o foco da empresa no consumidor como prérequisito, não como diferencial. Eles esperam poder negociar com você quando, onde e como quiserem.

Leia mais

MANUAL CLIENTE SERVIÇO DE GERÊNCIA VOZ

MANUAL CLIENTE SERVIÇO DE GERÊNCIA VOZ MANUAL CLIENTE SERVIÇO DE GERÊNCIA VOZ TODA A Qualidade GVT AOS OLHOS DOS CLIENTES. TODA A QUALIDADE GVT AOS SEUS OLHOS O Serviço de Gerência é uma ferramenta fundamental para garantir o melhor desempenho

Leia mais

Passos básicos para utilização de Nota Fiscal Eletrônica (NF-E)

Passos básicos para utilização de Nota Fiscal Eletrônica (NF-E) Conteúdo Solicitação de Autorização...2 Numeração da NF-E...3 Emissão de NF-E...3 Pesquisa de NF-E emitida...5 Cancelamento de NF-E emitida...5 Carta de Correção...6 Envio de Arquivo de RPS...6 Número

Leia mais

Empreenda! 8ª Edição Dúvidas Frequentes

Empreenda! 8ª Edição Dúvidas Frequentes Empreenda! 8ª Edição Dúvidas Frequentes O que é o Empreenda? É uma competição de empreendedorismo e inovação, que em 2015 chega a sua 8ª edição, voltada para todos os alunos de cursos Técnicos, do Programa

Leia mais

e- SIC Manual do Cidadão

e- SIC Manual do Cidadão e- SIC Manual do Cidadão Sumário Introdução... 3 O e-sic... 4 Primeiro acesso... 5 Cadastrando-se no e-sic... 6 Acessando o e-sic... 7 Funções do e-sic... 8 Envio de avisos por e-mail pelo e-sic... 9 Como

Leia mais

Software. Gerenciamento de Manutenção

Software. Gerenciamento de Manutenção Software Gerenciamento de Manutenção Importância de um Software de Manutenção Atualmente o departamento de manutenção das empresas, como todos outros departamentos, necessita prestar contas de sua atuação

Leia mais

SISTEMAS DE NEGÓCIOS B) INFORMAÇÃO GERENCIAL

SISTEMAS DE NEGÓCIOS B) INFORMAÇÃO GERENCIAL 1 SISTEMAS DE NEGÓCIOS B) INFORMAÇÃO GERENCIAL 1. SISTEMAS DE INFORMAÇÃO GERENCIAL (SIG) Conjunto integrado de pessoas, procedimentos, banco de dados e dispositivos que suprem os gerentes e os tomadores

Leia mais

GUIA DE SOCIAIS EM REDES BOAS PRÁTICAS EM GESTÃO DO ATENDIMENTO E RELACIONAMENTO MELHORES PRÁTICAS. MELHORES RESULTADOS.

GUIA DE SOCIAIS EM REDES BOAS PRÁTICAS EM GESTÃO DO ATENDIMENTO E RELACIONAMENTO MELHORES PRÁTICAS. MELHORES RESULTADOS. GUIA DE BOAS PRÁTICAS EM GESTÃO DO ATENDIMENTO E RELACIONAMENTO EM REDES SOCIAIS MELHORES PRÁTICAS. MELHORES RESULTADOS. APRESENTAÇÃO OBJETIVO A ABA - Associação Brasileira de Anunciantes, por meio de

Leia mais

FACULDADE REDENTOR NUCLEO DE APOIO EMPRESARIAL CURSO DE ADMINISTRAÇÃO

FACULDADE REDENTOR NUCLEO DE APOIO EMPRESARIAL CURSO DE ADMINISTRAÇÃO FACULDADE REDENTOR NUCLEO DE APOIO EMPRESARIAL CURSO DE ADMINISTRAÇÃO Justificativa: As transformações ocorridas nos últimos anos têm obrigado as organizações a se modificarem constantemente e de forma

Leia mais

A compra de TI e as redes sociais

A compra de TI e as redes sociais Solicitada por A compra de TI e as redes sociais Como as redes sociais transformaram o processo de compras B2B e as melhores práticas para adaptar as suas estratégias de marketing à nova realidade BRASIL

Leia mais

Estrutura de Relacionamento:

Estrutura de Relacionamento: 1 Índice Por que ter Guia de Relacionamento e Suporte?... 3 Qual a Estrutura de Relacionamento com o Cliente?... 3 Agente de Atendimento (CAT):... 3 Gerente de Contas (GC):... 3 Gerente de Serviço (GS):...

Leia mais

social media para bares, restaurantes e afins

social media para bares, restaurantes e afins BARTIPS social media para bares, restaurantes e afins O que buscamos? Divulgar seu estabelecimento para milhares de potenciais consumidores. Fazer você ser parte do dia-a-dia de seu cliente Ter suas novidades,

Leia mais

AUDITORIA INTERNA DA ATLAS

AUDITORIA INTERNA DA ATLAS AUDITORIA INTERNA DA ATLAS A auditoria interna serve à administração como meio de identificação de que todos os processos internos e políticas definido pela ATLAS, assim como sistemas contábeis e de controle

Leia mais

1 INTRODUÇÃO. 1.2 Novo modelo operacional do Sistema do Cadastro Único

1 INTRODUÇÃO. 1.2 Novo modelo operacional do Sistema do Cadastro Único Instrução Operacional nº 35 SENARC/MDS Brasília, 15 de abril de 2010. Assunto: Divulga as orientações necessárias para a solicitação de cadastramento de usuários municipais no novo sistema de Cadastro

Leia mais

A Importância do Marketing nos Serviços da. Área de Saúde - Estratégias utilizadas para fidelizar o cliente

A Importância do Marketing nos Serviços da. Área de Saúde - Estratégias utilizadas para fidelizar o cliente A Importância do Marketing nos Serviços da Área de Saúde - Estratégias utilizadas para fidelizar o cliente Hellen Souza¹ Universidade do Vale do Rio dos Sinos UNISINOS RESUMO Este artigo aborda a importância

Leia mais

Como deixar seu negócio on-line. Tendências e a força das mídias sociais no VAREJO!

Como deixar seu negócio on-line. Tendências e a força das mídias sociais no VAREJO! Como deixar seu negócio on-line Tendências e a força das mídias sociais no VAREJO! A palavra de ordem das redes sociais é interação. Comparando a internet com outros meios de comunicação em massa como

Leia mais

Preenchendo a lacuna entre o autoatendimento e o atendimento assistido

Preenchendo a lacuna entre o autoatendimento e o atendimento assistido Folheto do produto Genesys Chat Preenchendo a lacuna entre o autoatendimento e o atendimento assistido Hoje os clientes querem e esperam opções de autoatendimento quando participam de vendas on-line e

Leia mais

VOCÊ SABE O QUE É E-MAIL MARKETING? [[ ][ Aprenda como funciona e quais resultados você pode obter

VOCÊ SABE O QUE É E-MAIL MARKETING? [[ ][ Aprenda como funciona e quais resultados você pode obter VOCÊ SABE O QUE É E-MAIL MARKETING? [[ ][ Aprenda como funciona e quais resultados você pode obter Vivemos a era do conteúdo na Internet. Um e-mail com o conteúdo certo, distribuído às pessoas certas é

Leia mais

MANUAL DE ORIENTAÇÃO

MANUAL DE ORIENTAÇÃO MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO SOCIAL E COMBATE À FOME Secretaria Nacional de Renda de Cidadania QUESTIONÁRIO SOBRE A ATUAÇÃO DAS INSTÂNCIAS DE CONTROLE SOCIAL DO PROGRAMA BOLSA FAMÍLIA - ICS MANUAL DE

Leia mais

Nos últimos anos, o setor de seguros brasileiro vem sofrendo uma. série de transformações. Algumas delas podem ser visualizadas na

Nos últimos anos, o setor de seguros brasileiro vem sofrendo uma. série de transformações. Algumas delas podem ser visualizadas na Visão das Seguradoras: Uma análise da distribuição de seguros no Brasil Francisco Galiza Mestre em Economia (FGV), membro do Conselho Editorial da FUNENSEG, catedrático pela ANSP e sócio da empresa "Rating

Leia mais

PORTAL DE EMPREGOS ANHANGUERA CATHO-ON LINE

PORTAL DE EMPREGOS ANHANGUERA CATHO-ON LINE Principais dúvidas e benefícios Conteúdo O que é?... 3 Quem administra o Portal?... 3 Qual é o produto que estamos oferecendo aos alunos?... 3 O aluno terá que pagar alguma coisa?... 3 Mas o que são os

Leia mais

1 MINUTA DO PLANO DE COMUNICAÇÃO E PARTICIPAÇÃO SOCIAL

1 MINUTA DO PLANO DE COMUNICAÇÃO E PARTICIPAÇÃO SOCIAL 1 MINUTA DO PLANO DE COMUNICAÇÃO E PARTICIPAÇÃO SOCIAL 1.1 APRESENTAÇÃO O Plano de Comunicação e Participação Social subsidiará a elaboração do Plano Diretor de Mobilidade Urbana, criando as bases para

Leia mais

MANUAL DO ALUNO EAD 1

MANUAL DO ALUNO EAD 1 MANUAL DO ALUNO EAD 1 2 1. CADASTRAMENTO NO AMBIENTE VIRTUAL DE APRENDIZAGEM Após navegar até o PORTAL DA SOLDASOFT (www.soldasoft.com.br), vá até o AMBIENTE DE APRENDIZAGEM (www.soldasoft.com.br/cursos).

Leia mais

Mídia Brasil Online Manual do Usuário

Mídia Brasil Online Manual do Usuário 1) Menu Principal O Menu Principal se estende no topo da tela do MBO, apresentando as seguintes opções: Clicar sobre cada uma dessas opções permite o acesso às diferentes seções do site. 2) Funções do

Leia mais

1998-2009 Domínio Sistemas Ltda. Todos os direitos reservados.

1998-2009 Domínio Sistemas Ltda. Todos os direitos reservados. Saiba que este documento não poderá ser reproduzido, seja por meio eletrônico ou mecânico, sem a permissão expressa por escrito da Domínio Sistemas Ltda. Nesse caso, somente a Domínio Sistemas poderá ter

Leia mais

GANHE DINHEIRO FACIL GASTANDO APENAS ALGUMAS HORAS POR DIA

GANHE DINHEIRO FACIL GASTANDO APENAS ALGUMAS HORAS POR DIA GANHE DINHEIRO FACIL GASTANDO APENAS ALGUMAS HORAS POR DIA Você deve ter em mente que este tutorial não vai te gerar dinheiro apenas por você estar lendo, o que você deve fazer e seguir todos os passos

Leia mais

Apresentação do produto Versão Premium 9.0 (GMPE)

Apresentação do produto Versão Premium 9.0 (GMPE) Apresentação do produto Versão Premium 9.0 (GMPE) Qual a importância que o relacionamento com os clientes tem para a sua empresa? Goldmine CRM é para as empresas que atribuem importância máxima à manutenção

Leia mais

SUPERINTENDÊNCIA DE VAPT VUPT E ATENDIMENTO AO PÚBLICO PROCEDIMENTO DE COMUNICAÇÃO COM O CLIENTE

SUPERINTENDÊNCIA DE VAPT VUPT E ATENDIMENTO AO PÚBLICO PROCEDIMENTO DE COMUNICAÇÃO COM O CLIENTE Sistema de Gestão da Qualidade SUPERINTENDÊNCIA DE VAPT VUPT E ATENDIMENTO AO PÚBLICO PROCEDIMENTO DE COMUNICAÇÃO COM O CLIENTE Responsável: Henrique Hideaki Matsutani Cópia Controlada - Revisão 20 de

Leia mais

Manual do usuário - Service Desk SDM - COPASA. Service Desk

Manual do usuário - Service Desk SDM - COPASA. Service Desk Manual do usuário - Service Desk SDM - COPASA Service Desk Sumário Apresentação O que é o Service Desk? Terminologia Status do seu chamado Utilização do Portal Web Fazendo Login no Sistema Tela inicial

Leia mais

GUIA PRA TICO DO ALUNO

GUIA PRA TICO DO ALUNO GUIA PRA TICO DO ALUNO Sistema de Avaliação, Ambiente Virtual de Aprendizagem AVA e Portal ÚNICO Guia prático e de conhecimento do Sistema de Avaliação, utilização das ferramentas tecnológicas Ambiente

Leia mais

REGULAMENTO PARA PARTICIPAÇÃO NA SEGUNDA FASE DO CURSO DE FORMAÇÃO PARA CERTIFICAÇÃO DE CAPITAL HUMANO EM LÍNGUA INGLESA

REGULAMENTO PARA PARTICIPAÇÃO NA SEGUNDA FASE DO CURSO DE FORMAÇÃO PARA CERTIFICAÇÃO DE CAPITAL HUMANO EM LÍNGUA INGLESA REGULAMENTO PARA PARTICIPAÇÃO NA SEGUNDA FASE DO CURSO DE FORMAÇÃO PARA CERTIFICAÇÃO DE CAPITAL HUMANO EM LÍNGUA INGLESA 1. APRESENTAÇÃO Este regulamento apresenta as regras e os critérios estabelecidos

Leia mais

1 ACESSO AO PORTAL UNIVERSITÁRIO 3 3 PLANO DE ENSINO 6 4 AULAS 7 5 AVALIAÇÃO E EXERCÍCIO 9 6 ENQUETES 12 7 QUADRO DE AVISOS 14

1 ACESSO AO PORTAL UNIVERSITÁRIO 3 3 PLANO DE ENSINO 6 4 AULAS 7 5 AVALIAÇÃO E EXERCÍCIO 9 6 ENQUETES 12 7 QUADRO DE AVISOS 14 portal@up.com.br Apresentação Este manual contém informações básicas, e tem como objetivo mostrar a você, aluno, como utilizar as ferramentas do Portal Universitário e, portanto, não trata de todos os

Leia mais

MAISMKT - Ações em Marketing e uma empresa voltada para avaliação do atendimento, relacionamento com cliente, e marketing promocional.

MAISMKT - Ações em Marketing e uma empresa voltada para avaliação do atendimento, relacionamento com cliente, e marketing promocional. Empresa MAISMKT - Ações em Marketing e uma empresa voltada para avaliação do atendimento, relacionamento com cliente, e marketing promocional. Nossa filosofia e oferecer ferramentas de gestão focadas na

Leia mais

INOVANDO UM PROCESSO DE SERVIÇOS DE TI COM AS BOAS PRÁTICAS DO ITIL E USO DE BPMS

INOVANDO UM PROCESSO DE SERVIÇOS DE TI COM AS BOAS PRÁTICAS DO ITIL E USO DE BPMS INOVANDO UM PROCESSO DE SERVIÇOS DE TI COM AS BOAS PRÁTICAS DO ITIL E USO DE BPMS Cilene Loisa Assmann (UNISC) cilenea@unisc.br Este estudo de caso tem como objetivo trazer a experiência de implantação

Leia mais

Como funciona o site treinamento técnico ON-LINE?

Como funciona o site treinamento técnico ON-LINE? Manual do Usuário INSTRUÇÕES PARA UTILIZAÇÃO DO TREINAMENTO ON LINE A ATIC Tecnologia do Brasil Ltda. com o objetivo de atender aos seus diversos clientes, oferece treinamentos EAD - Educação a Distância

Leia mais

Gerência de Atendimento

Gerência de Atendimento DIRETORIA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO Solicitação e Acompanhamento de Atendimento Gerência de Atendimento João Pessoa - agosto/2011 DIRETORIA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO 1 Sumário Apresentação... 3 1.

Leia mais

Política de privacidade V2

Política de privacidade V2 Política de privacidade V2 Para os fins desta Política de Privacidade, as palavras grifadas em maiúsculo terão os seguintes significados: V2 é uma loja virtual disponibilizada na Internet para comercialização

Leia mais

UNIMEP MBA em Gestão e Negócios

UNIMEP MBA em Gestão e Negócios UNIMEP MBA em Gestão e Negócios Módulo: Sistemas de Informações Gerenciais Aula 4 TI com foco nos Negócios: Áreas envolvidas (Parte II) Flávio I. Callegari www.flaviocallegari.pro.br O perfil do profissional

Leia mais

Manual para uso do HELPDESK

Manual para uso do HELPDESK EXACTUS Suporte e Atendimento - versão 1.0 Página 1 de 14 Manual para uso do HELPDESK Visão Cliente EXACTUS Suporte e Atendimento - versão 1.0 Página 2 de 14 Introdução O serviço possui um pacote com todas

Leia mais

Autoatendimento Digital. Reduz custos e aprimora as relações com o cliente, criando experiências de autoatendimento personalizadas e significativas.

Autoatendimento Digital. Reduz custos e aprimora as relações com o cliente, criando experiências de autoatendimento personalizadas e significativas. Autoatendimento Digital Reduz custos e aprimora as relações com o cliente, criando experiências de autoatendimento personalizadas e significativas. Oferece aos clientes as repostas que buscam, e a você,

Leia mais

Manual Ambiente Virtual de Aprendizagem Moodle-ESPMG 2.0

Manual Ambiente Virtual de Aprendizagem Moodle-ESPMG 2.0 Manual Ambiente Virtual de Aprendizagem Moodle-ESPMG 2.0 Adriano Lima Belo Horizonte 2011 SUMÁRIO Apresentação... 3 Acesso ao Ambiente Virtual de Aprendizagem AVA ESP-MG... 3 Programação do curso no AVA-ESPMG

Leia mais

ERP Enterprise Resourse Planning Sistemas de Gestão Empresarial

ERP Enterprise Resourse Planning Sistemas de Gestão Empresarial ERP Enterprise Resourse Planning Sistemas de Gestão Empresarial Prof. Pedro Luiz de O. Costa Bisneto 14/09/2003 Sumário Introdução... 2 Enterprise Resourse Planning... 2 Business Inteligence... 3 Vantagens

Leia mais

FERRAMENTAS DE COLABORAÇÃO CORPORATIVA

FERRAMENTAS DE COLABORAÇÃO CORPORATIVA FERRAMENTAS DE COLABORAÇÃO CORPORATIVA Manual de Utilização Google Grupos Sumário (Clique sobre a opção desejada para ir direto à página correspondente) Utilização do Google Grupos Introdução... 3 Página

Leia mais

UNIVERSIDADE PAULISTA

UNIVERSIDADE PAULISTA UNIVERSIDADE PAULISTA CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA Projeto Integrado Multidisciplinar III e IV Marketing Manual de orientações - PIM Curso Superior de Tecnologia em Marketing. 1. Introdução Os Projetos

Leia mais

Inteligência em. redes sociais. corporativas. Como usar as redes internas de forma estratégica

Inteligência em. redes sociais. corporativas. Como usar as redes internas de forma estratégica Inteligência em redes sociais corporativas Como usar as redes internas de forma estratégica Índice 1 Introdução 2 Por que uma rede social corporativa é um instrumento estratégico 3 Seis maneiras de usar

Leia mais

http://cartilha.cert.br/

http://cartilha.cert.br/ http://cartilha.cert.br/ Quanto mais informações você disponibiliza na Internet, mais difícil se torna preservar a sua privacidade Nada impede que você abra mão de sua privacidade e, de livre e espontânea

Leia mais

NOTAS DE AULA - TELECOMUNICAÇÕES

NOTAS DE AULA - TELECOMUNICAÇÕES NOTAS DE AULA - TELECOMUNICAÇÕES 1. Conectando a Empresa à Rede As empresas estão se tornando empresas conectadas em redes. A Internet e as redes de tipo Internet dentro da empresa (intranets), entre uma

Leia mais

O Guia do Relacionamento para o corretor moderno

O Guia do Relacionamento para o corretor moderno O Guia do Relacionamento para o corretor moderno Introdução 3 O que é marketing de relacionamento 6 Como montar uma estratégia de relacionamento 9 Crie canais de relacionamento com o cliente 16 A importância

Leia mais

Um dos objetivos deste tema é orientar as ações sistemáticas na busca satisfazer o consumidor estimulando a demanda e viabilizando o lucro.

Um dos objetivos deste tema é orientar as ações sistemáticas na busca satisfazer o consumidor estimulando a demanda e viabilizando o lucro. PLANO DE MARKETING Andréa Monticelli Um dos objetivos deste tema é orientar as ações sistemáticas na busca satisfazer o consumidor estimulando a demanda e viabilizando o lucro. 1. CONCEITO Marketing é

Leia mais

SISTEMAS DE NEGÓCIOS. a) SISTEMAS DE APOIO EMPRESARIAIS

SISTEMAS DE NEGÓCIOS. a) SISTEMAS DE APOIO EMPRESARIAIS 1 SISTEMAS DE NEGÓCIOS a) SISTEMAS DE APOIO EMPRESARIAIS 1. COLABORAÇÃO NAS EMPRESAS Os sistemas colaborativos nas empresas nos oferecem ferramentas para nos ajudar a colaborar, comunicando idéias, compartilhando

Leia mais

INTRODUÇÃO... 3 ACESSO AO SISTEMA BANCA VIRTUAL... 3 BANCA VIRTUAL PARA O AVALIADOR... 6 AVALIAÇÃO DE TRABALHOS...6 CONSIDERAÇÕES FINAIS...

INTRODUÇÃO... 3 ACESSO AO SISTEMA BANCA VIRTUAL... 3 BANCA VIRTUAL PARA O AVALIADOR... 6 AVALIAÇÃO DE TRABALHOS...6 CONSIDERAÇÕES FINAIS... SUMÁRIO INTRODUÇÃO... 3 ACESSO AO SISTEMA BANCA VIRTUAL... 3 BANCA VIRTUAL PARA O AVALIADOR... 6 AVALIAÇÃO DE TRABALHOS...6 CONSIDERAÇÕES FINAIS... 9 2 INTRODUÇÃO O sistema Banca Virtual possibilita que

Leia mais

Transformação do call center. Crie interações com o cliente mais lucrativas e agregue valor adicionando insights e eficiência em todas as chamadas.

Transformação do call center. Crie interações com o cliente mais lucrativas e agregue valor adicionando insights e eficiência em todas as chamadas. Transformação do call center Crie interações com o cliente mais lucrativas e agregue valor adicionando insights e eficiência em todas as chamadas. Lucre com a atenção exclusiva de seus clientes. Agora,

Leia mais

Corporativo. Transformar dados em informações claras e objetivas que. Star Soft. www.starsoft.com.br

Corporativo. Transformar dados em informações claras e objetivas que. Star Soft. www.starsoft.com.br Corporativo Transformar dados em informações claras e objetivas que possibilitem às empresas tomarem decisões em direção ao sucesso. Com essa filosofia a Star Soft Indústria de Software e Soluções vem

Leia mais

LOGÍSTICA Professor: Dr. Edwin B. Mitacc Meza

LOGÍSTICA Professor: Dr. Edwin B. Mitacc Meza LOGÍSTICA Professor: Dr. Edwin B. Mitacc Meza edwin@engenharia-puro.com.br www.engenharia-puro.com.br/edwin Nível de Serviço ... Serviço ao cliente é o resultado de todas as atividades logísticas ou do

Leia mais

Tribunal Regional Federal da 1 a Região

Tribunal Regional Federal da 1 a Região Tribunal Regional Federal da 1 a Região Sistema de Transmissão Eletrônica de Atos Processuais e-proc Manual do Usuário 1 1. Disposições Provisórias O Sistema de Transmissão Eletrônica de Atos Processuais

Leia mais

Apresentação Institucional. Metodologia com alta tecnologia para soluções sob medida

Apresentação Institucional. Metodologia com alta tecnologia para soluções sob medida Apresentação Institucional Metodologia com alta tecnologia para soluções sob medida A empresa que evolui para o seu crescimento A VCN Virtual Communication Network, é uma integradora de Soluções Convergentes

Leia mais

Página 1 de 19 Data 04/03/2014 Hora 09:11:49 Modelo Cerne 1.1 Sensibilização e Prospecção Envolve a manutenção de um processo sistematizado e contínuo para a sensibilização da comunidade quanto ao empreendedorismo

Leia mais

PROGRAMA DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL PDI DE TRANSPARÊNCIA ADMINISTRATIVA MUNICIPAL

PROGRAMA DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL PDI DE TRANSPARÊNCIA ADMINISTRATIVA MUNICIPAL PROGRAMA DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL PDI DE TRANSPARÊNCIA ADMINISTRATIVA MUNICIPAL Façam perguntas por: Telefone: (71) 2105-7900 E-mail: perguntas@tmunicipal.org.br DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL Com

Leia mais

ROTEIRO PARA ELABORAÇÃO DO PLANO DE NEGÓCIOS

ROTEIRO PARA ELABORAÇÃO DO PLANO DE NEGÓCIOS ROTEIRO PARA ELABORAÇÃO DO PLANO DE NEGÓCIOS O plano de negócios deverá conter: 1. Resumo Executivo 2. O Produto/Serviço 3. O Mercado 4. Capacidade Empresarial 5. Estratégia de Negócio 6. Plano de marketing

Leia mais

Fundap. Programa de Estágio. Manual de Utilização do Sistema de Administração de Bolsas de Estágio. Plano de Estágio

Fundap. Programa de Estágio. Manual de Utilização do Sistema de Administração de Bolsas de Estágio. Plano de Estágio Fundap Fundação do Desenvolvimento Administrativo Programa de Estágio Programa de Estágio Manual de Utilização do Sistema de Administração de Bolsas de Estágio Plano de Estágio Julho de 2008 SABE - Sistema

Leia mais

MARKETING DE RELACIONAMENTO

MARKETING DE RELACIONAMENTO MARKETING DE RELACIONAMENTO 1 O SEBRAE E O QUE ELE PODE FAZER PELO SEU NEGÓCIO Competitividade Perenidade Sobrevivência Evolução Orienta na implantação e no desenvolvimento de seu negócio de forma estratégica

Leia mais

MANUAL DO USUÁRIO SORE Sistema Online de Reservas de Equipamento. Toledo PR. Versão 2.0 - Atualização 26/01/2009 Depto de TI - FASUL Página 1

MANUAL DO USUÁRIO SORE Sistema Online de Reservas de Equipamento. Toledo PR. Versão 2.0 - Atualização 26/01/2009 Depto de TI - FASUL Página 1 MANUAL DO USUÁRIO SORE Sistema Online de Reservas de Equipamento Toledo PR Página 1 INDICE 1. O QUE É O SORE...3 2. COMO ACESSAR O SORE... 4 2.1. Obtendo um Usuário e Senha... 4 2.2. Acessando o SORE pelo

Leia mais