TÍTULO SEGREGAÇÃO DE RESÍDUO COMUM RECICLÁVEL GERÊNCIA DE ENGENHARIA GESTÃO AMBIENTAL GESTÃO DE RESÍDUOS

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "TÍTULO SEGREGAÇÃO DE RESÍDUO COMUM RECICLÁVEL GERÊNCIA DE ENGENHARIA GESTÃO AMBIENTAL GESTÃO DE RESÍDUOS"

Transcrição

1 POP 2 TÍTULO SEGREGAÇÃO DE RESÍDUO COMUM RECICLÁVEL CÓDIGO: DATA ELABORAÇÃO: 01/02/2015 DATA PRÓXIMA REVISÃO: 01/02/2016 DATA ÚLTIMA REVISÃO: 18/04/2014 GERÊNCIA DE ENGENHARIA GESTÃO AMBIENTAL GESTÃO DE RESÍDUOS RESPONSÁVEL: GERADOR CONCEITO: Segregação: consiste na separação dos resíduos por classe conforme ABNT NRB , identificados momento e local de sua geração, conforme NBR 11174/89 (resíduos classe II) e NBR 12135/87 (resíduos Classe I) de acordo com as suas características físicas, químicas, biológicas, o seu estado físico e os riscos envolvidos. A segregação dos resíduos tem como finalidade evitar a mistura daqueles incompatíveis, visando garantir a possibilidade de reutilização, reciclagem e a segurança do manuseio. A mistura de resíduos incompatíveis pode causar: geração de calor, fogo ou explosão, geração de fumos tóxicos, geração de gases inflamáveis, solubilização de substâncias tóxicas, dentre outros. Resíduos comuns recicláveis: pertencem ao grupo D, quando for passível de processo de reutilização, recuperação ou reciclagem. Grupo D: Resíduos que não apresentam risco biológico, químico ou radiológico à saúde ou ao meio ambiente, podendo ser equiparados aos resíduos domiciliares. PERIODICIDADE: TODA A VEZ QUE HOUVER GERAÇÃO DE RESÍDUO LOCAL: NA GERAÇÃO DO RESÍDUO REGISTRO DA TAREFA: NÃO HÁ REGISTRO DE TAREFA CONDIÇÕES NECESSÁRIAS: Recipiente de material lavável, resistente a punctura, ruptura e vazamento, com tampa provida de sistema de abertura sem contato manual, com cantos arredondados e ser resistente ao tombamento, revestida internamente com sacos de lixo verde, 8 micras, Classe I, conforme ABNT 9191, de Acordo com RDC 306- ANVISA. Etiquetar com identificador do setor gerador.

2 MÉTODOS: Separar os resíduos do grupo D recicláveis conforme CONAMA RDC 358/2004 e listagem do Resíduos de Serviços de Saúde no momento e local de geração. TÉCNICA: Descartar somente os resíduos não-recicláveis no recipiente adequado. Após 2/3 do preenchimento da sua capacidade total, o saco é fechado com dois nós, retirado do setor e substituído por novo saco. DESCRIÇÃO DAS ATIVIDADES: Separar no momento da geração os resíduos e acondicionar no recipiente revestido de saco verde conforme preconização e destinação para reciclagem pelo Instituto Vó França ONG de destinação de recicláveis. LISTA DE RESÍDUOS DOS SERVIÇOS DE SAÚDE DO GRUPO HOSPITALAR CONCEIÇÃO: RECICLÁVEIS Especificação Saco / Risco Segregação Almotolia vazia de álcool gel individual e almotolia velha Almotolia vazia usada Bolsa de CAPD infusora vazia Bolsa de Soro vazia sem sangue e Tratamento / Destino Final Bombona de ácido peracético sem resíduo Especial Brinquedo quebrado Bureta vazia sem sangue e s Cabos e fios elétricos Cadeado quebrado Caixa de leite ou suco Caixa de papelão Não tem Campo e cobertura de SMS/TNT sem ou biológica Canetas (esferográfica, hidrográfica e de retroprojetos) Canudinho de plástico Capa de agulha

3 Capa de chuva (EPI) sem tecido Capacete (EPI) CD e DVD (destruir a informação contida) Chave inútil Clip plástico ou de metal Copo de Becker sem resíduo de quimioterapia Copo descartável plástico vazio (retirar as sobres antes de efetuar o descarte) Crachá quebrado Embalagem de alimentação pronta de isopor/plástico/alumíni o sem sobras de alimento Embalagem de alimento de vidro / plástico / papelão / alumínio / longa-vida Embalagem de medicamento secundária Embalagem de papel da pasta de dente Embalagens de cera Embalagens de produtos de limpeza comuns (exceto embalagens de formicidas, raticidas e análogos, que inseremse em risco químico) Embalagens secundárias de seringas, gazes, medicamentos e outros materiais médicos Embalagens secundárias de soro Equipo bureta sem sangue e Equipo de nutrição enteral vazio Equipo sem ponteira, sangue e Escova de dentes Escovas e pentes de cabelo Extensor / perfusor sem sangue e sem

4 Extensor de ar comprimido O 2 Ferramenta inservível Filme radiológico / hemodinâmica Fita de vídeo e fita cassete (destruir a informação) Frasco ampola plástico vazio Frasco de dieta de solução parenteral vazio Frasco de medicação aerosol alumínio vazio sem resíduo químico Frasco de medicação vazio sem resíduo químico * Frasco de nutrição enteral vazio Frasco de soro vazio Frasco spray vazio (aromatizante de ambiente, etc) sem Garrafa de vidro inteiras Garrafa térmica Garrafas de vidro / garrafão sem / biológica Garrafas plástica sem / biológica Grampeador de papel Grampo de cabelo Guarda-chuva / Guarda-sol Guia telefônico Ímã Instrumental cirúrgico isento de risco químico/biológico Isopor EPS Isqueiro vazio sem combustível Jornal e revista Lacre de soro Lacre do carro de parada Não tem / reciclável Não tem / reciclável Caixa de papelão identificada Caixa de papelão identificada Lacre do frasco-ampola Lâmina de retroprojetor Lata de azeite vazia

5 Lata de cola sem resíduo Lata de refrigerante Latas sem resíduos químicos / biológicos Louça de vidro Não tem / reciclável Caixa de papelão identificada Manguito de esfigmomanômetro Manta de esterilização (TNT) limpa Máscara de nebulizador quebrada descontaminada Medi Cool (embalagem para manter resfriamento vazia e sem contaminação biológica / química) Mouse quebrado Óculos sem contaminação biológica/química Papel Papel alumínio Papel do invólucro de materiais do CME verde / Reciclável Papel ofício folha reciclada Papelão Pastas Peça de máquina ou equipamento quebrada Não tem Recipiente específico Pente Perfurador de papel Plástico Potes vazios de gel para ecografia Pranchetas e pastas quebradas Prato descartável Prendedores de cabelo ( plástico ou metal) Régua plástica / metal Rodo de alumínio Recipiente específico Rolo de fita adesiva vazio

6 Roupas nãocontaminadas e utilizáveis Não tem reutilização / reaproveitamento Doação / Sacolas e sacos de plástico ou papel Sapatos e chinelos utilizáveis reutilização / reaproveitamento Doação / Seringa de dilução sem contaminação químico ou biológica Talher de metal ou descartável (não de área de isolamento) Talheres plásticos (não de área de isolamento) Tampa de agulha Tampa de alumínio Tampa de caneta TCM (Triglicerídeos de Cadeia Média) frasco Tesoura

7 RESULTADO ESPERADO: UTILIZAÇÃO DOS EPIS CORRETAMENTE. SEGREGAÇÃO DE RESÍDUOS COMUNS RECICLÁVEIS ADEQUADAMENTE. SEGURANÇA E BEM ESTAR AOS CLIENTES INTERNOS E EXTERNOS E COMUNIDADE. EM SITUAÇÃO DE NÃO CONFORMIDADE: COMUNICAR COORDENAÇÃO DA HIGIENIZAÇÃO DE SEU HOSPITAL E O SETOR DE GESTÃO DE RESÍDUOS ( RAMAL 2017 OU ) Referência Bibliográfica: RESOLUÇÃO RDC ANVISA Nº 306/204: Regulamento Técnico para o Gerenciamento de Resíduos de Serviços de Saúde. RESOLUÇÂO RDC CONAMA Nº 358/2005: Tratamento e a Disposição Final dos Resíduos dos Serviços de Saúde. NR 32/2005: Segurança e saúde no Trabalho em Serviços de Saúde. GESTÃO AMBIENTAL GESTÃO DOS RESÍDUOS DOS SERVIÇOS DE SAÚDE ELABORAÇÃO: ENFª MICHELE METZ E ENGENHEIRO J VOLNEI L LOPES REVISADO POR:

Reciclar é pedir desculpas à natureza, enquanto reduzir é não ofender em 1º lugar.

Reciclar é pedir desculpas à natureza, enquanto reduzir é não ofender em 1º lugar. POP: L 50 Página 1 de 9 1. Objetivos: Estabelecer as diretrizes para o correto manejo dos resíduos gerados nas atividades do LAC, de modo a preservar a saúde do trabalhador e da comunidade, preservar o

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 03/2015

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 03/2015 INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 03/2015 Descarte de resíduos infectantes e perfurocortantes. 1. Objetivo e aplicação Conforme as resoluções vigentes, os estabelecimentos de serviços de saúde são responsáveis pelo

Leia mais

Orientações para elaboração de Planos de Gerenciamento de Resíduos de Serviços de Saúde - PGRSS

Orientações para elaboração de Planos de Gerenciamento de Resíduos de Serviços de Saúde - PGRSS Orientações para elaboração de Planos de Gerenciamento de Resíduos de Serviços de Saúde - PGRSS Luís Eduardo Magalhães-BA Março/2015 Werther Brandão Secretário Municipal de Saúde Luziene de Souza Silva

Leia mais

Diretoria Geral de Odontologia Centro de Estudos e Pesquisas Odontológicas

Diretoria Geral de Odontologia Centro de Estudos e Pesquisas Odontológicas Diretoria Geral de Odontologia Centro de Estudos e Pesquisas Odontológicas No Brasil, há alguns anos atrás, os resíduos dos serviços de saúde (RSS) eram manejados da mesma forma que os resíduos domiciliares

Leia mais

GERENCIAMENTO DOS RESÍDUOS NOS CONSULTÓRIOS ODONTOLÓGICOS. Prof. João Paulo Batista Lollobrigida de Souza - DDS., Msc., Phdn.

GERENCIAMENTO DOS RESÍDUOS NOS CONSULTÓRIOS ODONTOLÓGICOS. Prof. João Paulo Batista Lollobrigida de Souza - DDS., Msc., Phdn. GERENCIAMENTO DOS RESÍDUOS NOS CONSULTÓRIOS ODONTOLÓGICOS Prof. João Paulo Batista Lollobrigida de Souza - DDS., Msc., Phdn. Verificar legislação e seguir orientação da Vigilância Sanitária Selecionar

Leia mais

RC 02/2005 (SEMA/SESA) ANEXO I

RC 02/2005 (SEMA/SESA) ANEXO I RC 02/2005 (SEMA/SESA) ANEXO I PGRSS Objetivo: redução, reaproveitamento e destinação final ambientalmente correta dos resíduos. Contempla os aspectos referentes à geração, segregação, acondicionamento,

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 001/2015

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 001/2015 INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 001/2015 Regulamentação do descarte de resíduos comuns, recicláveis, pilhas e baterias e lâmpadas no Centro de Ciências da Saúde da UFRJ - CCS-UFRJ. 1 Objetivo e aplicação Com o

Leia mais

ESTADO DO RIO DE JANEIRO PREFEITURA MUNICIPAL DE MACAÉ RJ AGÊNCIA MUNICIPAL DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA DIRETORIA DE RESÍDUOS

ESTADO DO RIO DE JANEIRO PREFEITURA MUNICIPAL DE MACAÉ RJ AGÊNCIA MUNICIPAL DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA DIRETORIA DE RESÍDUOS ESTADO DO RIO DE JANEIRO PREFEITURA MUNICIPAL DE MACAÉ RJ AGÊNCIA MUNICIPAL DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA DIRETORIA DE RESÍDUOS MODELO BÁSICO PARA ELABORAÇÃO DO PLANO DE GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS DE SERVIÇOS

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº- 5, DE 28 DE JUNHO DE 2012

RESOLUÇÃO Nº- 5, DE 28 DE JUNHO DE 2012 Ministério da Justiça CONSELHO NACIONAL DE POLÍTICA CRIMINAL E PENITENCIÁRIA - CNPCP RESOLUÇÃO Nº- 5, DE 28 DE JUNHO DE 2012 CONSIDERANDO a ausência de preocupação com o tratamento dado aos resíduos gerados

Leia mais

Resíduos Sólidos Acondicionamento. Gersina N. da R. Carmo Junior

Resíduos Sólidos Acondicionamento. Gersina N. da R. Carmo Junior Resíduos Sólidos Acondicionamento Gersina N. da R. Carmo Junior Onde começam os problemas para o serviço de limpeza urbana de sua cidade? Em nossas próprias residências. Conceituação Acondicionar os resíduos

Leia mais

Manejo dos Resíduos de Serviços de Saúde

Manejo dos Resíduos de Serviços de Saúde GERENCIAMENTO DE RISCO AMBIENTAL Manejo dos Resíduos de Serviços de Saúde Nos Estabelecimentos Assistenciais de Saúde Dados da Pesquisa Nacional de Saneamento Básico apontam que somente 63% dos municípios

Leia mais

1 - Abastecimento de água 1. O estabelecimento utiliza água da rede pública?

1 - Abastecimento de água 1. O estabelecimento utiliza água da rede pública? QUESTIONÁRIO PARA DIAGNÓSTICO DE ASPECTOS AMBIENTAIS E MANEJO DE RESÍDUO DAS UNIDADE DE SAÚDE. A) Aspectos Ambientais Avaliação da estrutura Responda os itens abaixo com a seguinte legenda: Sim = S Não

Leia mais

Prática Pedagógica: Coleta de Lixo nas Escolas

Prática Pedagógica: Coleta de Lixo nas Escolas Prática Pedagógica: Coleta de Lixo nas Escolas Introdução O objetivo desse trabalho é ajudar as Escolas e demais instituições na implantação do programa da coleta seletiva do lixo e do lixo eletrônico.

Leia mais

CONTRATURNO ENSINO FUNDAMENTAL B e C (crianças que completam 7,8,9 e 10 anos de idade durante o ano letivo)

CONTRATURNO ENSINO FUNDAMENTAL B e C (crianças que completam 7,8,9 e 10 anos de idade durante o ano letivo) CONTRATURNO ENSINO FUNDAMENTAL B e C (crianças que completam 7,8,9 e 0 anos de idade durante o ano letivo) Material pessoal que é necessário IDENTIFICAR COM O NOME DA CRIANÇA, em especial UNIFORMES. A

Leia mais

FONTES GERADORAS EM UNIDADE HOSPITALAR

FONTES GERADORAS EM UNIDADE HOSPITALAR FONTES GERADORAS EM UNIDADE HOSPITALAR NATAL/RN OUT/2013 Centro Cirúrgico Bolsas contendo sangue ou hemocomponentes Luvas, esparadrapo, algodão, gases, compressas, ataduras, equipos de soro, kits de linhas

Leia mais

ATA DE REGISTRO DE PREÇOS

ATA DE REGISTRO DE PREÇOS Processo: 23083.007972/2015-42 Pregão: 25/2015 - IRP - UASG 153115 Vigência: 22/10/2015-21/10/2016 ATA DE REGISTRO DE PREÇOS Objeto: Material de expediente Nº Item Breve Descrição Valor Status 2 álcool

Leia mais

OFICINA DE IDENTIFICAÇÃO DE PLÁSTICOS. Grupo Pauling Escola José Gomes Filho

OFICINA DE IDENTIFICAÇÃO DE PLÁSTICOS. Grupo Pauling Escola José Gomes Filho OFICINA DE IDENTIFICAÇÃO DE PLÁSTICOS Grupo Pauling Escola José Gomes Filho O QUE SÃO PLÁSTICOS? São polímeros (grandes moléculas) sintéticos, fabricados para suprir nossas necessidades com custo mais

Leia mais

1. Introdução 2. 2. As funções da embalagem 2. 3. Classificação das embalagens 5. 4. Principais características dos materiais de embalagem 6

1. Introdução 2. 2. As funções da embalagem 2. 3. Classificação das embalagens 5. 4. Principais características dos materiais de embalagem 6 Capítulo I CONCEITOS GERAIS SOBRE EMBALAGEM 1. Introdução 2 2. As funções da embalagem 2 3. Classificação das embalagens 5 4. Principais características dos materiais de embalagem 6 5. O ambiente e a embalagem

Leia mais

CONDUTAS EM CASOS SUPEITOS DE SÍNDROME RESPIRATÓRIA AGUDA GRAVE SRAG Espécimes clínicos procedentes de casos suspeitos

CONDUTAS EM CASOS SUPEITOS DE SÍNDROME RESPIRATÓRIA AGUDA GRAVE SRAG Espécimes clínicos procedentes de casos suspeitos Centro Nacional de Epidemiologia Elenice Deffune www.hemocentro.fmb.unesp.br CONDUTAS EM CASOS SUPEITOS DE SÍNDROME RESPIRATÓRIA AGUDA GRAVE SRAG Espécimes clínicos procedentes de casos suspeitos O agente

Leia mais

Reciclar, são ações que. Reduzir É o inicio da conservação do meio. Reutilizar Significa reutilizar um produto de

Reciclar, são ações que. Reduzir É o inicio da conservação do meio. Reutilizar Significa reutilizar um produto de Especialistas em meio ambiente alertam para a necessidade da utilização racional dos recursos naturais. Reduzir, Reutilizar e Reciclar, são ações que contribuem para o consumo responsável reduzindo o impacto

Leia mais

ROTEIRO PARA SALÕES DE BELEZAS, INSTITUTO DE BELEZA, ESTETICA, BARBEARIAS E SIMILARES.

ROTEIRO PARA SALÕES DE BELEZAS, INSTITUTO DE BELEZA, ESTETICA, BARBEARIAS E SIMILARES. SUPERINTEDÊNCIA DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE GERENCIA DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE AMBIENTAL E SAÚDE DO TRABALHADOR COORDERNAÇÃO DE FISCALIZAÇÃO DE AMBIENTES E SAÚDE DO TRABALHADOR Av. Anhanguera, nº 5.195 Setor Coimbra

Leia mais

Aspectos Legais 10/8/2012

Aspectos Legais 10/8/2012 Aspectos Legais Docente: Prof. Ednaldo Anthony Jesus e Silva CRF-1845 MT No Brasil, a Legislação de Biossegurança(lei nº 11.105, de 24 de março e 2005): Regulamenta os incisos II, IV e V do 1 o do art.

Leia mais

Reciclagem de Materiais COLETA SELETIVA

Reciclagem de Materiais COLETA SELETIVA Reciclagem de Materiais COLETA SELETIVA COLETA SELETIVA Conheça algumas medidas importantes para não poluir o meio ambiente na hora de jogar fora o seu lixo Já é inquestionável hoje a importância da reciclagem

Leia mais

Uso racional de Água, Papel e Copo na Administração Pública

Uso racional de Água, Papel e Copo na Administração Pública Uso racional de Água, Papel e Copo na Administração Pública Ministério do Meio Ambiente Secretaria de Articulação Institucional e Cidadania Ambiental SAIC Departamento de Cidadania e Responsabilidade Ambiental

Leia mais

Nome do Produto: Inseticida Granulado LANDREX PLUS FISPQ N-: 17 Página 1/5 Data da última revisão: 24.05.2015

Nome do Produto: Inseticida Granulado LANDREX PLUS FISPQ N-: 17 Página 1/5 Data da última revisão: 24.05.2015 Página 1/5 1. IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA Empresa fabricante: Landrin Indústria e Comércio de Inseticidas Ltda. Tel.: XX54-3330-9600 Informação em caso de emergência Tel.: 0800 707 0550 Tel.:

Leia mais

CHECK LIST MICROPROCESSO ESTERILIZAÇÃO DAS UNIDADES DA APS SEMSA/MANAUS

CHECK LIST MICROPROCESSO ESTERILIZAÇÃO DAS UNIDADES DA APS SEMSA/MANAUS CHECK LIST MICROPROCESSO ESTERILIZAÇÃO DAS UNIDADES DA APS SEMSA/MANAUS DISA: DATA: UNIDADE: RECURSOS HUMANOS ÍTEM AVALIAÇÃO FORMA DE VERIFICAÇÃO EM CONFORMI DADE NÃO CONFORMI DADE OBSERVAÇÃO 1) A unidade

Leia mais

Aspectos de Arquitetura em Projetos de Estabelecimentos Assistenciais de Saúde

Aspectos de Arquitetura em Projetos de Estabelecimentos Assistenciais de Saúde NR 15 NR 24 NR 26 NR 07 PCMSO CENEN PPR NR 09 PPRA ANVISA SERVIÇOS DE SAÚDE NR 32 2 Local de Trabalho para aplicação da NR 32: SERVIÇOS DE SAÚDE Definição: Qualquer edificação destinada à prestação de

Leia mais

RESPEITO E CONSCIÊNCIA AMBIENTAL

RESPEITO E CONSCIÊNCIA AMBIENTAL RESPEITO E CONSCIÊNCIA AMBIENTAL A Comissão Ministerial de Gestão Ambiental foi criada através da Portaria POR-PGJ n 204/08, com o fim de estudar, sugerir e acompanhar a implementação de medidas administrativas

Leia mais

RELAÇÃO DE ITENS - PREGÃO ELETRÔNICO Nº 00016/2013-000 SRP

RELAÇÃO DE ITENS - PREGÃO ELETRÔNICO Nº 00016/2013-000 SRP 52121 - COMANDO DO EXERCITO 160223 - HOSPITAL GERAL DE CURITIBA RELAÇÃO DE ITENS - PREGÃO ELETRÔNICO Nº 00016/2013-000 SRP 1 - Itens da Licitação 1 - AGULHA ACUPUNTURA AGULHA ACUPUNTURA, MATERIAL AÇO INOXIDÁVEL,

Leia mais

abertas para assegurar completa irrigação dos olhos, poucos segundos após a exposição é essencial para atingir máxima eficiência.

abertas para assegurar completa irrigação dos olhos, poucos segundos após a exposição é essencial para atingir máxima eficiência. FISPQ- AMACIANTE MAIS Autorização ANVISA 3.03.374-7 1- IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA Nome do produto: Amaciante Mais Tradicional Marca: Mais Código Interno do Produto: 06.01 Técnico Químico Responsável:

Leia mais

MATO GROSSO PREFEITURA MUNICIPAL DE LUCAS DO RIO VERDE CONTROLE INTERNO ASSUNTO: RESÍDUOS SÓLIDOS DOS SERVIÇOS DE SAÚDE -LIXO HOSPITALAR

MATO GROSSO PREFEITURA MUNICIPAL DE LUCAS DO RIO VERDE CONTROLE INTERNO ASSUNTO: RESÍDUOS SÓLIDOS DOS SERVIÇOS DE SAÚDE -LIXO HOSPITALAR 1/6 1) DOS OBJETIVOS: 1.1)Normatizar a classificação, segregação, acondicionamento, coleta, armazenamento interno, transporte interno, armazenamento externo e disposição final dos resíduos; 1.2) Elevar

Leia mais

Resíduos Químicos. Manejo de. Comissão de Gerenciamento de Resíduos Faculdade de Farmácia. Elaboração:

Resíduos Químicos. Manejo de. Comissão de Gerenciamento de Resíduos Faculdade de Farmácia. Elaboração: + Re d Comissão de Gerenciamento de Resíduos Faculdade de Farmácia Elaboração: Elviscley de Oliveira Silva Email: elviscley@hotmail.com Mariângela Fontes Santiago Email: mariangelafs@gmail.com Bruna Carneiro

Leia mais

Resíduos Químicos Recuperação, Reutilização e Tratamentos.

Resíduos Químicos Recuperação, Reutilização e Tratamentos. Resíduos Químicos Recuperação, Reutilização e Tratamentos. Dra. Patricia Busko Di Vitta, Setor Técnico de Tratamento de Resíduos Químicos e Solventes STRES-IQUSP Bloco 0 Ramal 3081 pabusko@iq.usp.br patricia.vitta@usp.br

Leia mais

Apostila Eletrônica Curso PGRSS - Plano de Gerenciamento de Resíduos de Serviços de Saúde

Apostila Eletrônica Curso PGRSS - Plano de Gerenciamento de Resíduos de Serviços de Saúde Introdução O Centro Mineiro de Referência em Resíduos CMRR é um programa, pioneiro no Brasil, do Governo de Minas Gerais, por meio da Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável

Leia mais

FISPQ (Ficha de Informações de Segurança de Produtos Químicos)

FISPQ (Ficha de Informações de Segurança de Produtos Químicos) Página 1 de 6 1. IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA Nome do Produto: Código interno: 7500 (12 X 500 ml) Empresa: BOMBRIL S/A TELEFONE DE EMERGÊNCIA: 0800 014 8110 Aplicação: detergente para pré-lavagens.

Leia mais

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL MUNICÍPIO DE CANOAS

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL MUNICÍPIO DE CANOAS TERMO DE REFERÊNCIA PLANO DE GERENCIAMENTO INTEGRADO DE RESÍDUOS SÓLIDOS - PGIRS 1 JUSTIFICATIVA O presente Termo de Referência tem por fim orientar a elaboração do PGIRS. 2 OBJETIVO O objetivo do PGIRS

Leia mais

PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE CONTAGEM SECRETARIA MUNICIPAL DE ADMINISTRAÇÃO ANEXO 09 DIRETRIZES AMBIENTAIS MÍNIMAS

PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE CONTAGEM SECRETARIA MUNICIPAL DE ADMINISTRAÇÃO ANEXO 09 DIRETRIZES AMBIENTAIS MÍNIMAS ANEXO 09 DIRETRIZES AMBIENTAIS MÍNIMAS 1 Sumário 1. INTRODUÇÃO... 3 2. Adequação às Normas e Legislações Vigentes... 3 3. Definições de Obrigações e Responsabilidades... 3 4. Diretrizes Mínimas Exigidas...

Leia mais

LEGISLAÇÃO BRASILEIRA SOBRE REUTILIZAÇÃO DE PRODUTOS DE USO ÚNICO

LEGISLAÇÃO BRASILEIRA SOBRE REUTILIZAÇÃO DE PRODUTOS DE USO ÚNICO LEGISLAÇÃO BRASILEIRA SOBRE REUTILIZAÇÃO DE PRODUTOS DE USO ÚNICO Adélia Aparecida Marçal dos Santos Gerência de Investigação e Prevenção das Infecções e dos Eventos Adversos GIPEA/GGTES/ANVISA AGÊNCIA

Leia mais

E.E.I.F. PROFª. ADRIANA SODRÉ. Material Escolar - 2016 Berçário I, Berçário II e Mini Maternal

E.E.I.F. PROFª. ADRIANA SODRÉ. Material Escolar - 2016 Berçário I, Berçário II e Mini Maternal Berçário I, Berçário II e Mini Maternal 01 malinha com aproximadamente 4 trocas (incluindo 2 babadores) 01 sabonete 01 saboneteira 01 shampoo 01 condicionador 01 pomada contra assaduras 01 pote de lenços

Leia mais

Guia prático para o descarte de resíduos

Guia prático para o descarte de resíduos Guia prático para o descarte de resíduos 1 2 Apresentação Eleições - vocês já pensaram em quantos resíduos se produz a mais? São tantos manuais e experimentos de toda a natureza que acabamos por não perceber

Leia mais

ORIENTAÇÕES GERAIS. Aplique revestimento liso e impermeável em piso, paredes e teto;

ORIENTAÇÕES GERAIS. Aplique revestimento liso e impermeável em piso, paredes e teto; PREFEITURA MUNICIPAL DE MACEIÓ SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE DE MACEIÓ DIRETORIA DE VIGILÂNCIA À SAÚDE COORDENAÇÃO GERAL DE VIGILÄNCIA SANITÁRIA INSPETORIA DO EXERCÍCIO PROFISSIONAL ORIENTAÇÕES GERAIS

Leia mais

BR 448 RODOVIA DO PARQUE GESTÃO E SUPERVISÃO AMBIENTAL MÓDULO II EDUCADORES

BR 448 RODOVIA DO PARQUE GESTÃO E SUPERVISÃO AMBIENTAL MÓDULO II EDUCADORES BR 448 RODOVIA DO PARQUE GESTÃO E SUPERVISÃO AMBIENTAL MÓDULO II EDUCADORES 3 Definições de lixo: No dicionário: sujeira, imundice, coisa(s) inúteis, velhas, sem valor. Na linguagem técnica: sinônimo

Leia mais

ACONDICIONAMENTO, COLETA E DESTINAÇÃO FINAL DE RESÍDUOS DE SERVIÇOS DE SAÚDE

ACONDICIONAMENTO, COLETA E DESTINAÇÃO FINAL DE RESÍDUOS DE SERVIÇOS DE SAÚDE ACONDICIONAMENTO, COLETA E DESTINAÇÃO FINAL DE RESÍDUOS DE SERVIÇOS DE SAÚDE SUMÁRIO 1 GENERALIDADES 2 REFERÊNCIAS CRUZADAS 3 CAMPO DE APLICAÇÃO 4 DEFINIÇÕES 5 RESPONSABILIDADES 6 PROCEDIMENTOS 7 FREQÜÊNCIA

Leia mais

LISTA MATERIAL 2016 - BERÇÁRIO

LISTA MATERIAL 2016 - BERÇÁRIO LISTA MATERIAL 2016 - BERÇÁRIO MATERIAL INDIVIDUAL: 01 caixa de cotonetes 01 caixa de lenço de papel 01 condicionador 01 pacote de fralda descartável (somente para alunos de TEMPO INTEGRAL) 01 pente e/ou

Leia mais

Gerenciamento de Resíduos

Gerenciamento de Resíduos Gerenciamento de Resíduos ANVISA RDC 306/04 - REGULAMENTO TÉCNICO PARA GERENCIAMENTO DOS RESÍDUOS DE SAÚDE veronica.schmidt@ufrgs.br O perigo do lixo hospitalar. Resíduos biológicos - culturas de microrganismos

Leia mais

Mensagem do Ministério Público do Estado de Goiás

Mensagem do Ministério Público do Estado de Goiás PRATIQUE COLETA SELETIVA Mensagem do Ministério Público do Estado de Goiás O Ministério Público do Estado de Goiás (MP-GO) tem a missão de defender a ordem jurídica, o regime democrático e os interesses

Leia mais

Divisão de Enfermagem CME Página 1 de 10 Título do Procedimento: Preparo de Material Data de Emissão: 11 / 2004

Divisão de Enfermagem CME Página 1 de 10 Título do Procedimento: Preparo de Material Data de Emissão: 11 / 2004 Divisão de Enfermagem CME Página 1 de 10 Freqüência em que é realizado: Nos horários de recebimento dos materiais sujos no expurgo, após serem lavados e enxaguados, os materiais serão encaminhados para

Leia mais

Ficha de Informações de Segurança de Produto Químico

Ficha de Informações de Segurança de Produto Químico Ficha de Informações de Segurança de Produto Químico Nome do produto: CORANTE CARAMELO CER Página: (1 of 8) ATENçÃO: Leia atentamente esta Ficha de Informações de Segurança de Produto Químico (FISPQ) antes

Leia mais

ORIENTAÇÕES PARA ELABORAÇÃO DE PEDIDOS DE COMPRA E LICITAÇÃO

ORIENTAÇÕES PARA ELABORAÇÃO DE PEDIDOS DE COMPRA E LICITAÇÃO ORIENTAÇÕES PARA ELABORAÇÃO DE PEDIDOS DE COMPRA E LICITAÇÃO Este roteiro objetiva descrever os procedimentos que devem ser adotados pelos Setores, Coordenações e Departamentos requisitantes na formulação

Leia mais

CUIDADOS NO PREPARO DE INJETÁVEIS

CUIDADOS NO PREPARO DE INJETÁVEIS Márcia Gisele Santos da Costa Chefe do Serv. Farm. Inst. Nac. Cardiologia Laranjeiras Especialista em Farmácia Hospitalar pela SBRAFH Mestranda em Ciências Cardiovasculares CUIDADOS NO PREPARO DE INJETÁVEIS

Leia mais

BIOSSEGURANÇA E NORMAS DE CONDUTA EM LABORATÓRIO

BIOSSEGURANÇA E NORMAS DE CONDUTA EM LABORATÓRIO BIOSSEGURANÇA E NORMAS DE CONDUTA EM LABORATÓRIO BIOSSEGURANÇA LABORATORIAL Atitude Bom Senso Comportamento Conhecimento 1 Cuidados necessários recomendados aos membros do setor e estudantes Conhecer a

Leia mais

PALESTRA: CIDADANIA E CONSCIÊNCIA AMBIENTAL. Palestrante: Gisela Verri de Santana E-mail: givsantana@gmail.com.br

PALESTRA: CIDADANIA E CONSCIÊNCIA AMBIENTAL. Palestrante: Gisela Verri de Santana E-mail: givsantana@gmail.com.br PALESTRA: CIDADANIA E CONSCIÊNCIA AMBIENTAL Palestrante: Gisela Verri de Santana E-mail: givsantana@gmail.com.br Rio de Janeiro, 14 de agosto de 2007 ROTEIRO DA PALESTRA Apresentação pessoal Visualização

Leia mais

FICHA DE INFORMAÇÃO E SEGURANÇA DE PRODUTOS QUÍMICOS MATERIAL SAFETY DATA SHEET (MSDS) LAT 54

FICHA DE INFORMAÇÃO E SEGURANÇA DE PRODUTOS QUÍMICOS MATERIAL SAFETY DATA SHEET (MSDS) LAT 54 LAT 54 1. IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA Nome Comercial do Produto: LAT 54 - DETERGENTE SEMIPASTOSO ESPUMANTE Identificação da Empresa: Química Foz do Iguaçu Ind. e Com. de Prod. Químicos Ltda.

Leia mais

Papel Reciclado Artesanal Branco com Sisal

Papel Reciclado Artesanal Branco com Sisal Papel Reciclado Artesanal Branco com Sisal 1 Técnica utilizada: reciclagem de papel Materiais 2 Papel para reciclar (sulfite, formulário contínuo ou outros papéis que não contenham vernizes, plásticos

Leia mais

SUMÁRIO. Daniel Bortolin02/02/2015 ÍNDICE: ÁREA. Número 80 Título. Aprovação comunicada para Cintia Kikuchi/BRA/VERITAS; Fernando Cianci/BRA/VERITAS

SUMÁRIO. Daniel Bortolin02/02/2015 ÍNDICE: ÁREA. Número 80 Título. Aprovação comunicada para Cintia Kikuchi/BRA/VERITAS; Fernando Cianci/BRA/VERITAS Aprovado ' Elaborado por Daniel Bortolin/BRA/VERITAS em 02/02/2015 Verificado por Cintia Kikuchi em 02/02/2015 Aprovado por Americo Venturini/BRA/VERITAS em 02/02/2015 ÁREA QHSE Tipo Procedimento Regional

Leia mais

UASG. folhas. 300 un 200 un 500 un 2.000 un 300 un 150 un 150 un 200 un

UASG. folhas. 300 un 200 un 500 un 2.000 un 300 un 150 un 150 un 200 un UASG UASG UASG 440001 UASG UASG UASG 130126 UASG Participante 170116 170386 183038 Participante 254420 443020 Ministério Participante Participante Participante Lavoura Participante itens material reciclado

Leia mais

NORMAS DE SEGURANÇA EM LABORATÓRIO

NORMAS DE SEGURANÇA EM LABORATÓRIO NORMAS DE SEGURANÇA EM LABORATÓRIO 1. INTRODUÇÃO Toda e qualquer atividade prática a ser desenvolvida dentro de um laboratório apresentam riscos e estão propensas a acidentes. Devemos então utilizar normas

Leia mais

Amanda Aroucha de Carvalho. Reduzindo o seu resíduo

Amanda Aroucha de Carvalho. Reduzindo o seu resíduo Amanda Aroucha de Carvalho Reduzindo o seu resíduo 1 Índice 1. Apresentação 2. Você sabe o que é Educação Ambiental? 3. Problemas Ambientais 4. Para onde vai o seu resíduo? 5. Soluções para diminuir a

Leia mais

Programação para Internet 2

Programação para Internet 2 Programação para Internet 2 Exercícios Unidade 01 - HTML Professor: Edwar Saliba Júnior Para resolver os exercícios a seguir, utilize apenas HTML. 1) Utilizando HTML e sua imaginação, crie um site bem

Leia mais

FISPQ (Ficha de Informações de Segurança de Produtos Químicos) ECOBRIL LIMPA CARPETES E TAPETES

FISPQ (Ficha de Informações de Segurança de Produtos Químicos) ECOBRIL LIMPA CARPETES E TAPETES Página 1 de 6 1. IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA Nome do Produto: Códigos internos: 13018 (Frasco) / 13019 Refil - (12/500 ml) Aplicação: Limpa Carpetes e Tapetes. Empresa: BOMBRIL S/A TELEFONE DE

Leia mais

Ficha de Informação de Segurança de Produto Químico FISPQ PRODUTO: FLASH CLEAN POP REVISÃO Nº: 002 05/2013

Ficha de Informação de Segurança de Produto Químico FISPQ PRODUTO: FLASH CLEAN POP REVISÃO Nº: 002 05/2013 1 INDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA Nome do produto: Desinfetante para uso geral. Nome comercial: Flash Clean Pop. Empresa: Quimifel Indústria e Comércio de Produtos de Limpeza Ltda. Autorização de

Leia mais

1 IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA 2 COMPOSIÇÃO E INFORMAÇÕES SOBRE OS INGREDIENTES 3 IDENTIFICAÇÃO DE PERIGOS

1 IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA 2 COMPOSIÇÃO E INFORMAÇÕES SOBRE OS INGREDIENTES 3 IDENTIFICAÇÃO DE PERIGOS NOME DO PRODUTO: Metassilicato de Sódio FÓRMULA: Na2O SiO2. 5H2O 1 IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA Nome da Empresa: Petra Química Matriz: Estrada do Barreiro, 136 Gleba Nova Ukrânia - CEP: 86.800-970

Leia mais

É o termo geralmente utilizado para designar o reaproveitamento de materiais beneficiados como matéria-prima para um novo produto.

É o termo geralmente utilizado para designar o reaproveitamento de materiais beneficiados como matéria-prima para um novo produto. É o termo geralmente utilizado para designar o reaproveitamento de materiais beneficiados como matéria-prima para um novo produto. REDUZIR REUTILIZAR RECUPERAR RECICLAR A redução deve ser adaptada por

Leia mais

Ficha de Informação de Segurança de Produto Químico. Raticida Nitrosin

Ficha de Informação de Segurança de Produto Químico. Raticida Nitrosin 1. Identificação do Produto e da Empresa Nome do Produto Raticida Nitrosin Fabricante/Registrante De Sangosse Agroquímica Ltda Endereço Rua Raymundo Ramos Ferreira nº 136 CIC Curitiba/PR CEP: 81.530-040

Leia mais

PROGRAMA DE COLETA SELETIVA

PROGRAMA DE COLETA SELETIVA PROGRAMA DE COLETA SELETIVA PROGRAMA DE COLETA SELETIVA Usando Bem Ninguém Fica Sem. PROGRAMA DE COLETA SELETIVA 1. O QUE É COLETA SELETIVA 2. DESTINO FINAL DO LIXO DE SÃO PAULO 3. COMPOSIÇÃO DO LIXO SELETIVO

Leia mais

Título do documento Revisão Página. A p o io a La b o ra tó rio s. Edina Regina da Silva Orelli 10/10/2010

Título do documento Revisão Página. A p o io a La b o ra tó rio s. Edina Regina da Silva Orelli 10/10/2010 Título do documento Revisão Página [ IT. 106] - Manual de Transporte Apoio 2 1 a 16 A p o io a La b o ra tó rio s ÍNDICE Elaborado Aprovação Edina Regina da Silva Orelli Cristiano Fernandes 10/10/2010

Leia mais

Mercado da reciclagem: a qualidade dos materiais

Mercado da reciclagem: a qualidade dos materiais Mercado da reciclagem: a qualidade dos materiais Cinthia Versiani Scott Varella Ms. Engenheira de Produção Pesquisadora do Núcleo Alternativas de Produção Consultora INSEA Objetivo Qualidade da matéria

Leia mais

Áreas semicríticas: Áreas não críticas: Áreas críticas: CENTRAL DE MATERIAL LIMPEZA, DESINFECÇÃO e ESTERILIZAÇÃO

Áreas semicríticas: Áreas não críticas: Áreas críticas: CENTRAL DE MATERIAL LIMPEZA, DESINFECÇÃO e ESTERILIZAÇÃO CENTRAL DE MATERIAL LIMPEZA, DESINFECÇÃO e ESTERILIZAÇÃO COORDENAÇÃO DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE - COVISA GERÊNCIA DO CENTRO DE CONTROLE E PREVENÇÃO DE DOENÇAS - CCD NÚCLEO MUNICIPAL DE CONTROLE DE INFECÇÃO

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE PORTO ALEGRE (PMPA) SECRETARIA MUNICIPAL DO MEIO AMBIENTE (SMAM) TERMO DE REFERÊNCIA

PREFEITURA MUNICIPAL DE PORTO ALEGRE (PMPA) SECRETARIA MUNICIPAL DO MEIO AMBIENTE (SMAM) TERMO DE REFERÊNCIA TERMO DE REFERÊNCIA PLANO DE GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS SÓLIDOS (PGIRS) 1. DADOS GERAIS 1.1. Identificação do Empreendedor - Identificação - Endereço Completo 1.2. Profissional de Contato - Identificação

Leia mais

Relatório de Licitação Normal

Relatório de Licitação Normal FORNECEDOR STATUS UNIDADE UN. QTDE. PE-Pregão Eletrônico PE 105/16 5173 - CRACHÁ, Material: PVC flexível, Aplicação: identificação individual, Cor: em policromia de até 16 milhões de cores, Tipo Impressão:

Leia mais

Regras e as instruções de separação dos lixos e calendário. para coleta de lixo

Regras e as instruções de separação dos lixos e calendário. para coleta de lixo ポルトガル 語 ( 草 津 市 のごみ 出 しルールとごみカレンダーの 見 方 の 説 明 ) Regras e as instruções de separação dos lixos e calendário para coleta de lixo Esta guia explica como jogar o lixo na cidade de Kusatsu. Veja o calendário

Leia mais

Hospital Universitário da USP. 6º Simpósio Internacional de Esterilização e Controle de Infecção Hospitalar

Hospital Universitário da USP. 6º Simpósio Internacional de Esterilização e Controle de Infecção Hospitalar 5º Congresso Pan-Americano de Esterilização e 6º Simpósio Internacional de Esterilização e Controle de Infecção Hospitalar GESTÃO DE RESÍDUOS HOSPITALARES NA CME Dulce Regina Batista Carmo she@hu.usp.br

Leia mais

RELATÓRIO DE MATERIAIS/SERVIÇOS

RELATÓRIO DE MATERIAIS/SERVIÇOS UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO SEMI ÁRIDO SISTEMA INTEGRADO DE PATRIMÔNIO, ADMINISTRAÇÃO E CONTRATOS EMITIDO EM 04/03/2015 10:04 RELATÓRIO DE MATERIAIS/SERVIÇOS Grupo de Material: 3022 Somente Materiais

Leia mais

RESÍDUOS DOS SERVIÇOS DE. Hélida Rosa Silva Enfª Resp. Técnica GRSS CTAALS

RESÍDUOS DOS SERVIÇOS DE. Hélida Rosa Silva Enfª Resp. Técnica GRSS CTAALS RESÍDUOS DOS SERVIÇOS DE SAÚDE Hélida Rosa Silva Enfª Resp. Técnica GRSS CTAALS 1- SUMÁRIO - O que é o plano de gerenciamento (PGRSS) e gerenciamento de resíduos (GRSS)? - Objetivo do PGRSS - Leis que

Leia mais

Grasiela Warmeling 1 Acadêmica do Curso de Cosmetologia e Estética da Universidade do Vale de Itajaí UNIVALI, Balneário Camboriú, Santa Catarina.

Grasiela Warmeling 1 Acadêmica do Curso de Cosmetologia e Estética da Universidade do Vale de Itajaí UNIVALI, Balneário Camboriú, Santa Catarina. ARTIGO CIENTÍFICO Implementação de um plano de gerenciamento de resíduos em um centro de beleza em Jonville SC Grasiela Warmeling 1 Acadêmica do Curso de Cosmetologia e Estética da Universidade do Vale

Leia mais

O lixo é tudo aquilo que reputamos como desnecessário e descartamos em algum lugar. Há lixos de todos os tipos e sendo produzidos e descartados de

O lixo é tudo aquilo que reputamos como desnecessário e descartamos em algum lugar. Há lixos de todos os tipos e sendo produzidos e descartados de LIXO O lixo é tudo aquilo que reputamos como desnecessário e descartamos em algum lugar. Há lixos de todos os tipos e sendo produzidos e descartados de várias maneiras. Uma das formas mais comuns de classificar

Leia mais

RELAÇÃO DE ITENS - PREGÃO ELETRÔNICO Nº 00044/2013-000 SRP

RELAÇÃO DE ITENS - PREGÃO ELETRÔNICO Nº 00044/2013-000 SRP 26232 - UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA 150247 - COMPLEXO HOSPITALAR E DE SAUDE DA UFBA RELAÇÃO DE ITENS - PREGÃO ELETRÔNICO Nº 00044/2013-000 SRP 1 - Itens da Licitação 1 - EXTENSOR EQUIPO SORO EXTENSOR

Leia mais

MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL PROCURADORIA DA REPÚBLICA NO RIO GRANDE DO SUL CPL - PR/RS Pregão 06/2008

MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL PROCURADORIA DA REPÚBLICA NO RIO GRANDE DO SUL CPL - PR/RS Pregão 06/2008 MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL PROCURADORIA DA REPÚBLICA NO RIO GRANDE DO SUL CPL - PR/RS Pregão 06/2008 Pregão 06/2008 Preços Registrados após homologação do resultado Lote 01 Empresa vencedora: DRP Distribuidora

Leia mais

RELATÓRIO DE INSPEÇÃO

RELATÓRIO DE INSPEÇÃO RELATÓRIO DE INSPEÇÃO AMBULÂNCIA 1. Identificação do Estabelecimento Razão Social: Nome Fantasia: CNPJ: Endereço: Bairro: Município: CEP: Fone: Fax: E-mail: Diretor Administrativo: CPF: Responsável Técnico:

Leia mais

APRESENTAÇÃO. Departamento / Laboratório

APRESENTAÇÃO. Departamento / Laboratório UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL FACULDADE DE AGRONOMIA Núcleo de Gestão Ambiental - NGA PLANOS DE GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS BIOLÓGICOS DOS LABORATÓRIOS DA FACULDADE DE AGRONOMIA Porto Alegre,

Leia mais

Diagnóstico da Geração de Resíduos Sólidos de Serviço de Saúde para Hospital de Pequeno Porte da Região Noroeste do Rio Grande do Sul

Diagnóstico da Geração de Resíduos Sólidos de Serviço de Saúde para Hospital de Pequeno Porte da Região Noroeste do Rio Grande do Sul Diagnóstico da Geração de Resíduos Sólidos de Serviço de Saúde para Hospital de Pequeno Porte da Região Noroeste do Rio Grande do Sul Tainara Casa Nova Silva tainaracasanova@gmail.com Universidade Federal

Leia mais

Logistica e Distribuição. Definição de embalagem. Mas quais são as atividades da Logística? Ballou, 1993. Outras funções da embalagem são:

Logistica e Distribuição. Definição de embalagem. Mas quais são as atividades da Logística? Ballou, 1993. Outras funções da embalagem são: Mas quais são as atividades da Logística? Ballou, 1993 Logística e Distribuição Embalagem Primárias Apoio 1 2 Definição de embalagem A embalagem é um recipiente ou envoltura que armazena produtos temporariamente

Leia mais

ECOCENTRO DA VARZIELA RESIDUOS ADMISSÍVEIS E NÃO ADMISSÍVEIS RESÍDUOS DE EQUIPAMENTOS PLÁSTICO ELÉTRICOS E ELETRÓNICOS

ECOCENTRO DA VARZIELA RESIDUOS ADMISSÍVEIS E NÃO ADMISSÍVEIS RESÍDUOS DE EQUIPAMENTOS PLÁSTICO ELÉTRICOS E ELETRÓNICOS RESÍDUOS DE EQUIPAMENTOS ELÉTRICOS E ELETRÓNICOS Equipamentos de frio (frigoríficos, combinados, arcas congeladoras, aparelhos de ar condicionado o transporte dos equipamentos deve ser feito por forma

Leia mais

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS 01. São atitudes corretas de atendimento ao público, EXCETO: A) Ser cortês. B) Tratar bem o cliente. C) Favorecer um ambiente agradável. D) Não dar a mínima importância ao problema

Leia mais

Baby. Lista de material de uso individual ano letivo 2016

Baby. Lista de material de uso individual ano letivo 2016 Baby 01 bolsinha contendo: 01 colônia infantil. 01 agasalho 04 conjuntos de peça de roupa; 03 mamadeiras; 02 babadores; 01 escova de cabelo; 01 fralda de pano. 01 copo com tampa para água (para crianças

Leia mais

Berçário I EI MATERIAL DE USO PEDAGÓGICO. 01 tubo pequeno de cola colorida 01 lixa de fogão nº 100

Berçário I EI MATERIAL DE USO PEDAGÓGICO. 01 tubo pequeno de cola colorida 01 lixa de fogão nº 100 Berçário I EI 01 caneta de retroprojetor 01 lixa de fogão nº 100 01 rolo pequeno para pintura 01 pacote de prendedores de roupa de madeira 01 pacote de palitos de picolé 01 copo com canudo ou mamadeira

Leia mais

Meio ambiente: a conscientização começa pela educação. Implementação. Coleta Seletiva Solidária

Meio ambiente: a conscientização começa pela educação. Implementação. Coleta Seletiva Solidária Meio ambiente: a conscientização começa pela educação Implementação da Coleta Seletiva Solidária A guardiã da natureza Judith Cortesão "... Quem conhece ama, quem ama protege. Uma das descobertas mais

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE PORTO ALEGRE (PMPA) SECRETARIA MUNICIPAL DO MEIO AMBIENTE (SMAM) TERMO DE REFERÊNCIA

PREFEITURA MUNICIPAL DE PORTO ALEGRE (PMPA) SECRETARIA MUNICIPAL DO MEIO AMBIENTE (SMAM) TERMO DE REFERÊNCIA TERMO DE REFERÊNCIA PLANO DE GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS DE SERVIÇOS DA SAÚDE (P- GRSS) 1. DADOS GERAIS 1.1. Identificação do Empreendedor - Identificação - Endereço Completo - Telefone de Contato - Correio

Leia mais

RESULTADO DO PREGÃO PRESENCIAL Nº 10/2015. Item Descrição Unid. Quant Valor Unit. Valor Total. Vencedor

RESULTADO DO PREGÃO PRESENCIAL Nº 10/2015. Item Descrição Unid. Quant Valor Unit. Valor Total. Vencedor RESULTADO DO PREGÃO PRESENCIAL Nº 10/2015 Objeto: O PRESENTE PREGÃO PRESENCIAL TEM COMO OBJETO A SELEÇÃO DAS MELHORES S PARA A CONTRATAÇÃO DE EMPRESA OBJETIVANDO A COMPRA DOS UTILIZADOS NO CISAMUSEP. Item

Leia mais

O QUE É A RECICLAGEM?

O QUE É A RECICLAGEM? O QUE É A RECICLAGEM? A reciclagem é a transformação dos resíduos de embalagens - depois de separados por famílias de materiais (papel/cartão, vidro e embalagens de plástico ou metal) em novos objectos.

Leia mais

BOAS PRÁTICAS NO PREPARO DE ALIMENTOS

BOAS PRÁTICAS NO PREPARO DE ALIMENTOS BOAS PRÁTICAS NO PREPARO DE ALIMENTOS SÉRIE: SEGURANÇA ALIMENTAR e NUTRICIONAL Autora: Faustina Maria de Oliveira - Economista Doméstica DETEC Revisão: Dóris Florêncio Ferreira Alvarenga Pedagoga Departamento

Leia mais

Ajudas Técnicas/Produtos de Apoio em Reumatologia

Ajudas Técnicas/Produtos de Apoio em Reumatologia Ajudas Técnicas/Produtos de Apoio em Reumatologia AJUDAS TÉCNICAS/PRODUTOS DE APOIO Prevenção de complicações Enfermeira: Andreia Gonçalves Actividades de vida diária Bem estar psicológico Comunidade,

Leia mais

Riscos Ambientais e de Saúde PúblicaP

Riscos Ambientais e de Saúde PúblicaP Resíduos Hospitalares e a sua Perigosidade Segurança a e Higiene na Produção e Tratamento de Resíduos Hospitalares Riscos Ambientais e de Saúde PúblicaP 1. Gestão de Resíduos O Tratamento dos RSH é um

Leia mais

Plano de Gerenciamento dos Resíduos de Serviços de Saúde da Procuradoria Geral da República

Plano de Gerenciamento dos Resíduos de Serviços de Saúde da Procuradoria Geral da República Plano de Gerenciamento dos Resíduos de Serviços de Saúde da Procuradoria Geral da República Ministério Público Federal Procuradoria Geral da República Secretaria Geral Secretaria de Serviços Integrados

Leia mais

ANEXO I - ENCARTE D. 1.4 Os materiais deverão ser entregues no local do evento ou no local indicado pela CONTRATANTE.

ANEXO I - ENCARTE D. 1.4 Os materiais deverão ser entregues no local do evento ou no local indicado pela CONTRATANTE. Encarte D Página 1 ITEM 4 - MATERIAIS ANEXO I - ENCARTE D 1. DO FORNECIMENTO DE MATERIAIS 1.1 O serviço de fornecimento de materiais para a realização de eventos consiste da disponibilização, sem retorno,

Leia mais

Guia de triagem. O que devemos pôr no saco azul? Recolha selectiva de resíduos das embalagens domésticas

Guia de triagem. O que devemos pôr no saco azul? Recolha selectiva de resíduos das embalagens domésticas Recolha selectiva de resíduos das embalagens domésticas O que devemos pôr no saco azul? 08/12 plan K Editor responsável: Ernest Boever - VALORLUX asbl - BP 26 - L-3205 Leudelange - Fone: 37 00 06-20 -

Leia mais

TÍTULO: Plano de Aula RECICLANDO. Anos iniciais. 4º ano. Ciências. Ser Humano e Saúde. 2 aulas (50 minutos cada) Educação Presencial

TÍTULO: Plano de Aula RECICLANDO. Anos iniciais. 4º ano. Ciências. Ser Humano e Saúde. 2 aulas (50 minutos cada) Educação Presencial Org.: Claudio André - 1 TÍTULO: RECICLANDO Nível de Ensino: Ensino Fundamental / Anos iniciais Ano/Semestre de estudo Componente Curricular: Tema: Duração da Aula: Modalidade de Ensino: 4º ano Ciências

Leia mais

ESTADO DO ACRE Secretaria de Estado da Gestão Administrativa Secretaria Adjunta de Compras e Licitações Comissão Permanente de Licitação CPL 03

ESTADO DO ACRE Secretaria de Estado da Gestão Administrativa Secretaria Adjunta de Compras e Licitações Comissão Permanente de Licitação CPL 03 LOTE I 1 Água sanitária, à base de cloro. Composição química: hipoclorito de sódio, hidróxido de sódio, cloreto. Teor cloro ativo variando de 2 a 2,50, cor levemente amareloesverdeada. Aplicação: alvejante

Leia mais

FUNDO MUNICIPAL DE SAÚDE COMISSÃO PERMANENTE DE LICITAÇÃO

FUNDO MUNICIPAL DE SAÚDE COMISSÃO PERMANENTE DE LICITAÇÃO TERMO DE ADJUDICAÇÃO Abertas às propostas, a Pregoeira de acordo com o que determina a Lei nº. 10.520/2002, adjudica o Processo Licitatório tipo PREGÃO PRESENCIAL nº. 006/2013, objetivando: Á contratação,

Leia mais

TG Triturador de Garrafas Pet. José Ricardo Lyra Palmeiro Evandro Luiz dos Santos Lopes. Átila Henrique Ferreira Jones Vasconcelos Freitas da Silva

TG Triturador de Garrafas Pet. José Ricardo Lyra Palmeiro Evandro Luiz dos Santos Lopes. Átila Henrique Ferreira Jones Vasconcelos Freitas da Silva Instituição Escola Técnica Sandra Silva Direção Sandra Silva Título do Trabalho TG Triturador de Garrafas Pet Áreas Meio Ambiente Coordenador Geral Carlos Augusto Gomes Neves Professores Orientadores José

Leia mais