Newsletter Informação Semanal a

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Newsletter Informação Semanal 30-11 a 06-12-2015"

Transcrição

1 EUR / Kg Peso Carcaça CONJUNTURA SEMANAL Newsletter Informação Semanal a As Newsletter do SIMA podem também ser consultadas no facebook em: Na semana em análise as cotações médias nacionais dos novilhos e novilhas de meses, de raça Turina e cruzado de Charolês, mantiveram-se estáveis em relação à semana anterior. No Entre Douro e Minho a oferta e a procura de bovinos foram médias e equilibradas. Mantêm-se as trocas com o mercado externo, nomeadamente com Espanha, registando-se principalmente a entrada de carne a preços inferiores e a saída de vacas. Estabilidade de cotações nas duas áreas de mercado, Entre Douro e Minho e Ribadouro. Na Beira Litoral a oferta de bovinos foi fraca e a procura muito fraca, tendo o consumo baixado um pouco nas últimas semanas. Apesar da oferta ser reduzida, é suficiente para satisfazer as necessidades do mercado; este é em parte abastecido por carne oriunda do mercado externo, principalmente de Espanha, cujo preço é inferior ao nacional. Estabilidade generalizada de cotações. No Ribatejo e Oeste, na área de mercado do Ribatejo, a oferta de bovinos foi média e a procura foi fraca, tendo a primeira aumentado em relação à semana anterior. Após a descida dos novilhos/as de meses cruzado de Charolês registada a passada semana, a tónica foi de completa estabilidade. No Alentejo a oferta e a procura de bovinos foram médias em todas as áreas de mercado, Évora, Beja, Alentejo Litoral, Alentejo Norte, Elvas e Estremoz. No que se refere às cotações, registou-se um decréscimo dos vitelos de 6-8 meses cruzado de Charolês (-10 cêntimos / Kg) e das vacas de refugo cruzado de Charolês (-30 cêntimos / Kg) em Évora. A tendência da Bolsa do Bovino foi de subida de cotações (+3 cêntimos) em todas as categorias, exceto nas vacas. COTAÇÕES MÉDIAS NACIONAIS - SEMANAIS PRODUTO MÉDIA DA SEMANA EUR / Kg P.Carcaça Semana Anterior VARIAÇÃO PERCENTUAL Semana Homóloga do ano anterior Semana Homóloga do Novilho meses cruz.charolês 3,70 0,0-4,1-2,6 Novilho meses Turina 3,26 0,0-6,3-2,7 Novilha meses cruz.charolês 3,62 0,0-5,5-2,2 Novilha meses Turina 3,30 0,0-5,2 0,3 4,25 NOVILHO de meses CRUZADO DE CHAROLÊS 1

2 EUR / Kg Peso Carcaça EUR / Kg Peso Carcaça EUR / Kg Peso Carcaça NOVILHO de meses DE RAÇA TURINA 2,75 2,50 4,25 NOVILHA de meses CRUZADO DE CHAROLÊS NOVILHA de meses DE RAÇA TURINA 2,75 2,50 COTAÇÕES MÉDIAS NACIONAIS - MENSAIS Produto (EUR / Kg P.Carcaça) outubro Variação Percentual Novilho meses cruz.charolês 3,74-0,2-3,5-1,7 Novilho meses Turina 3,26 0,3-6,3-2,3 Novilha meses cruz.charolês 3,67-0,2-5,1-1,1 Novilha meses Turina 3,30 0,3-5,2 0,7 2

3 EUR/100 Kg p. carcaça Coordenação Central Divisão de Estudos e Gestão de Informação Gabinete de Planeamento e Políticas R. Padre António Vieira, 1, 3º LISBOA Tel: Coordenação Central Divisão de Estudos e Gestão de Informação Gabinete de Planeamento e Políticas R. Padre António Vieira, 1, 3º LISBOA Tel: Fax: Fax: EURO / 100 Kg Peso Carcaça PAÍSES SEMANA DE SEMANA DE 23/11 a 29/11/ 16/11 a 22/11/ Bélgica 300,08 300,18 0,0 Bulgária República Checa 326,78 326,34 0,1 Dinamarca 384,16 384,28 0,0 Alemanha 392,71 396,13-0,9 Estónia 311,31 312,55-0,4 Irlanda * 377,86 378,87-0,3 Grécia 433,11 427,30 1,4 Espanha 363,64 364,50-0,2 França ,0 Croácia 344,77 340,17 1,4 Itália 365,42 378,89-3,6 Chipre Letónia 230,12 219,01 5,1 Lituânia 284,10 270,02 5,2 Luxemburgo 347,51 342,80 1,4 Hungria Malta 311,97 326,83-4,5 Países Baixos 320,99 308,85 3,9 Áustria 400,03 399,28 0,2 Polónia 319,12 321,25-0,7 Portugal 354,40 357,50-0,9 Roménia 249,72 261,48-4,5 Eslovénia 344,01 340,28 1,1 Eslováquia 338,25 337,87 0,1 Finlândia 375,67 374,25 0,4 Suécia 477,19 440,50 8,3 Reino Unido * 492, ,2 U.E. 380,59 380,47 0,0 A. VITELOS MACHOS de 8 DIAS a 4 SEMANAS A.1. VITELOS MACHOS DE RECRIA TIPO LEITEIRO A.2. VITELOS MACHOS DE RECRIA PARA CARNE EUR / Cabeça EUR / Cabeça PAÍSES SEMANA DE SEMANA DE PAÍSES SEMANA DE SEMANA DE 23/11 a 29/11/ 16/11 a 22/11/ 23/11 a 29/11/ 16/11 a 22/11/ Bélgica 43,58 45,25-3,7 Bélgica 358,61 360,83-0,6 Dinamarca 107,23 107,23 0,0 Dinamarca Alemanha 76,81 75,93 1,2 Alemanha 169,60 164,30 3,2 Irlanda 145,44 138,12 5,3 Irlanda 310,84 303,09 2,6 Espanha 77,50 75,00 3,3 Espanha 252,50 251,25 0,5 França 4 4 0,0 França 171,00 175,00-2,3 Itália 113,70 114,90-1,0 Itália 217,49 220,28-1,3 Países Baixos 68,00 68,00 0,0 Países Baixos 152,00 152,00 0,0 Áustria 78,10 94,96-17,8 Áustria 281,87 264,52 6,6 Polónia 127,89 128,81-0,7 Polónia 178,43 188,29-5,2 Portugal 71,05 71,85-1,1 Roménia 305,93 305,93 0,0 Reino Unido 69,69 75,90-8,2 Reino Unido 328,31 341,03-3,7 U.E. 82,82 83,44-0,7 U.E. 219,40 220,94-0,7 B.1. VITELOS JOVENS PARA CARNE (machos e fêmeas de 6-12 meses) EUR / Kg Peso Vivo B.2. NOVILHOS PARA CARNE (12-24 meses) Bélgica 3,49 0,3 EUR / Kg Peso Vivo Alemanha 1,72 1,72 0,0 Bélgica 3,38 3,44-1,7 Irlanda 2,30 2,32-0,9 Alemanha Espanha 2,27 2,26 0,4 Irlanda 1,98 1,98 0,0 França 2,54 2,55-0,4 Espanha Itália 2,91 2,91 0,0 França 2,24 2,26-0,9 Áustria 2,18 2,20-0,9 Itália 2,61 2,61 0,0 Polónia 2,38 2,35 1,4 Áustria 2,17 1,73 25,4 Suécia 2,56 2,53 0,9 Suécia 2,24 2,16 4,0 Reino Unido 2,60 2,59 0,2 Reino Unido 2,68 2,58 3,7 U.E. 2,38 2,38 0,0 U.E. 2,39 2,35 1,8 B.2. NOVILHAS PARA CARNE (12-24 meses) EUR / Kg Peso Vivo Bélgica 2,25 2,25 0,0 Irlanda 2,02 2,04-1,0 França 2,23 2,26-1,3 Itália 2,77 2,77 0,0 Áustria 1,80 1,70 5,9 Suécia 2,40 2,09 14,7 Reino Unido 2,63 2,61 0,7 U.E. 2,35 2,34 0,2 PREÇOS MÉDIOS DE MERCADO NA U.E. I - NOVILHO R3 (BOI R3 na Irlanda e R.Unido) - Reg. (CE) 1249/2008 II. OUTROS BOVINOS (Reg. de execução (UE) 807/2013) B. BOVINOS PARA CARNE C. VITELOS ABATIDOS COM IDADE INFERIOR A 8 MESES EUR / 100 Kg Peso Carcaça Bélgica 598,55 595,80 0,5 Alemanha 482,00 479,00 0,6 França 609,00 608,00 0,2 Itália 477,00 478,00-0,2 Países Baixos 473,95 473,95 0,0 U.E. 531,76 531,10 0,1 Fonte: Comissão Europeia 400,00 390,00 380,00 370,00 360,00 350,00 340,00 330,00 Preços de Mercado do Novilho R3 na UE Espanha Portugal UE Espanha Portugal UE 3

4 PREÇOS MÉDIOS DE BOVINOS segundo a Grelha Comunitária de Classificação de Carcaças (de acordo com o Reg (CE) nº 1249/2008 e Reg de execução (UE) nº 148/) Semana de 16/11 a 22/11/ R E G I Õ E S PREÇO MÉDIO NACIONAL Norte Centro L.Vale Tejo Alentejo Açores Vitelão U2 3,80 3,69 3,69 3,72 Vitelão U3 3,66 3,73 Vitelão R2 3,71 3,65 3,65 3,04 3,55 Vitelão R3 3,69 3,63 3,64 3,64 Vitelão O2 3,63 3,61 3,61 2,89 3,36 Vitelão O3 3,60 3,60 3,60 2,85 3,57 Novilho U2 3,74 3,65 3,72 3,87 3,22 3,71 Novilho U3 3,72 3,65 3,71 3,77 3,70 Novilho R2 3,68 3,62 3,68 3,03 3,58 Novilho R3 3,67 3,61 3,66 3,60 2,86 3,57 Novilho O2 3,56 3,57 3,65 3,54 2,75 3,26 Novilho O3 3,54 3,62 3,45 2,65 Macho n.castr.>2anos - R3 3,20 3,56 2,00 3,09 Boi U2 Boi U3 Boi U4 Boi R3 3,18 3,18 Boi R4 Boi O3 Boi O4 Vaca R3 2,57 2,14 2,13 1,94 2,42 Vaca R4 2,42 2,09 2,37 Vaca O2 2,34 2,25 2,05 1,95 1,88 2,13 Vaca O3 2,30 1,95 1,82 1,85 2,12 Vaca O4 2,26 1,94 2,24 Vaca P2 2,04 1,71 1,69 1,75 1,90 Vaca P3 1,95 1,70 1,70 1,90 Novilha U2 3,66 3,71 3,88 3,71 Novilha U3 3,65 3,68 3,20 3,70 Novilha R2 3,72 3,63 3,62 3,70 3,07 3,63 Novilha R3 3,66 3,60 3,60 2,92 3,55 Novilha R4 3,60 3,60 Novilha O2 3,64 3,58 3,52 3,57 2,78 3,42 Novilha O3 3,54 3,46 2,64 3,35 Novilha O4 3,43 3,43 FONTE: GPP / SIMA ÍNDICE DE PREÇOS DE PRODUTOS AGRÍCOLAS NO PRODUTOR (Base 2005) (Continente) outubro setembro outubro Var. % Var. % Mês ant. Mês ano ant. 148,30 148,40 151,80-0,1-2,3 FONTE: INE ABATES APROVADOS PARA CONSUMO - janeiro a setembro (Portugal) C a b e ç a s t o n e l a d a Var.Cabeças (%) Var.toneladas (%) Acum.ano ant. Acum.ano ant. Vitela - V ,6-8,4 Vitelão - Z ,4 12,2 Novilhos ,3 13,9 Bois ,6-2,4 Vacas ,8 16,5 Novilhas ,2 5,5 TOTAL ,7 11,1 FONTE: INE (dados provisórios) 4

5 COMÉRCIO INTERNACIONAL - janeiro a setembro tonelada E N T R A D A S S A Í D A S Var. % Var. % Entradas / Saídas / Carne Congelada 9 012, ,9 917,7 664,3 0,1 38,1 Carne Fresca/Refrig , , , ,5-2,0 61,9 Bov. Rep. Raça Pura 1 277, , , ,4 17,2 29,2 Outros Vivos 193,9 184,1 1,1 31,2 5,3-96,6 Miudezas 1 393, ,5 101,8 218,8-4,4-53,5 TOTAL , , , ,1-1,5 36, EUR Carne Congelada , , , ,9 5,7 49,4 Carne Fresca/Refrig , , , ,2-1,6 63,3 Bov. Rep. Raça Pura 2 656, , , ,0-9,7 27,4 Outros Vivos 844,8 746,0 1,4 90,9 13,2-98,5 Miudezas 3 397, ,4 193,1 391,6 0,1-50,7 TOTAL , , , ,6-0,7 39,0 FONTE: INE ( - dados provisórios; - dados preliminares) Para consulta de preços de produtos agrícolas consultar o site O SIMA no Facebook - O conhecimento do mercado é a chave do sucesso! O disponibiliza informação essencial para os empresários agrícolas e outros agentes tomarem as melhores decisões

Newsletter Informação Semanal 08-02 a 14-02-2016

Newsletter Informação Semanal 08-02 a 14-02-2016 EUR / Kg Peso Carcaça CONJUNTURA SEMANAL Newsletter Informação Semanal 08-02 a 14-02- As Newsletter do SIMA podem também ser consultadas no facebook em: https://www.facebook.com/sima.portugal Na semana

Leia mais

Newsletter Informação Semanal a

Newsletter Informação Semanal a EUR / Kg Peso Carcaça CONJUNTURA SEMANAL Newsletter Informação Semanal 15-02 a 21-02- As Newsletter do SIMA podem também ser consultadas no facebook em: https://www.facebook.com/sima.portugal Na semana

Leia mais

Newsletter Informação Semanal a

Newsletter Informação Semanal a EUR / Kg Peso Carcaça CONJUNTURA SEMANAL Newsletter Informação Semanal 19-10 a 25-10- COTAÇÕES MÉDIAS NACIONAIS - SEMANAIS As Newsletter do SIMA podem também ser consultadas no facebook em: https://www.facebook.com/sima.portugal

Leia mais

Newsletter Informação Semanal 21-09 a 27-09-2015

Newsletter Informação Semanal 21-09 a 27-09-2015 EUR / Kg Peso Carcaça CONJUNTURA SEMANAL Newsletter Informação Semanal 21-09 a 27-09- As Newsletter do SIMA podem também ser consultadas no facebook em: https://www.facebook.com/sima.portugal Na semana

Leia mais

Newsletter Informação Semanal 31-08 a 06-09-2015

Newsletter Informação Semanal 31-08 a 06-09-2015 EUR / Kg Peso Vivo CONJUNTURA SEMANAL - AVES Newsletter Informação Semanal 31-08 a 06-09- As Newsletter do SIMA podem também ser consultadas no facebook em: https://www.facebook.com/sima.portugal Na semana

Leia mais

Newsletter Informação Semanal a

Newsletter Informação Semanal a CONJUNTURA SEMANAL - OVINOS Newsletter Informação Semanal 25-01 a 31-01- As Newsletter do SIMA podem também ser consultadas no facebook em: https://www.facebook.com/sima.portugal Na semana em análise registou-se

Leia mais

Newsletter Informação Semanal a

Newsletter Informação Semanal a CONJUNTURA SEMANAL - OVINOS Newsletter Informação Semanal 22-05 a 28-05- As Newsletter do SIMA podem também ser consultadas no facebook em: https://www.facebook.com/sima.portugal Na semana em análise as

Leia mais

Newsletter Informação Semanal a

Newsletter Informação Semanal a CONJUNTURA SEMANAL - OVINOS Newsletter Informação Semanal 12-12 a 18-12- As Newsletter do SIMA podem também ser consultadas no facebook em: https://www.facebook.com/sima.portugal Na semana em análise verificou-se

Leia mais

Newsletter Informação Semanal a

Newsletter Informação Semanal a EUR / Kg Peso Carcaça CONJUNTURA SEMANAL Newsletter Informação Semanal 04-01 a 10-01- As Newsletter do SIMA podem também ser consultadas no facebook em: https://www.facebook.com/sima.portugal Na semana

Leia mais

Newsletter Informação Semanal a

Newsletter Informação Semanal a EUR / Kg Peso Vivo CONJUNTURA SEMANAL - AVES Newsletter Informação Semanal 10-04 a 16-04- As Newsletter do SIMA podem também ser consultadas no facebook em: https://www.facebook.com/sima.portugal Na semana

Leia mais

Sistema de Informação de Mercados Agrícolas

Sistema de Informação de Mercados Agrícolas Sistema de Informação de Mercados Agrícolas Sistema de Normalização Contabilística Sistema de Normalização Contabilística Normativo Específico para Agricultura Activo Biológico Justo Valor Nas Normas contabilisticas

Leia mais

Quadro 1 Número de empresas de seguros a operar em Portugal. 2010 Vida Não Vida Mistas Total. Empresas de seguros de direito português 15 24 7 46

Quadro 1 Número de empresas de seguros a operar em Portugal. 2010 Vida Não Vida Mistas Total. Empresas de seguros de direito português 15 24 7 46 Quadro 1 Número de empresas de seguros a operar em Portugal 21 Vida Não Vida Mistas Total Em regime de estabelecimento 21 5 12 83 Empresas de seguros de direito português 15 24 7 46 Empresas de seguros

Leia mais

Quadro 1 Número de empresas de seguros a operar em Portugal. 2009 Vida Não Vida Mistas Total. Empresas de seguros de direito português 16 25 6 47

Quadro 1 Número de empresas de seguros a operar em Portugal. 2009 Vida Não Vida Mistas Total. Empresas de seguros de direito português 16 25 6 47 Quadro Número de empresas de seguros a operar em Portugal 29 Vida Não Vida Mistas Total Em regime de estabelecimento 22 52 3 87 Empresas de seguros de direito português 6 25 6 47 Empresas de seguros 6

Leia mais

Associação Nacional das Empresas do Comércio e da Reparação Automóvel ANÁLISE SINTÉTICA DA SITUAÇÃO DO SETOR AUTOMÓVEL EM PORTUGAL 2012-2013

Associação Nacional das Empresas do Comércio e da Reparação Automóvel ANÁLISE SINTÉTICA DA SITUAÇÃO DO SETOR AUTOMÓVEL EM PORTUGAL 2012-2013 Associação Nacional das Empresas do Comércio e da Reparação Automóvel ANÁLISE SINTÉTICA DA SITUAÇÃO DO SETOR AUTOMÓVEL EM PORTUGAL 2012-2013 Abril 2013 1 MERCADO AUTOMÓVEL EM PORTUGAL EM 2012 De acordo

Leia mais

PERFIL DO ALUNO 2008/2009

PERFIL DO ALUNO 2008/2009 PERFIL DO ALUNO 2008/2009 FICHA TÉCNICA Título Perfil do Aluno 2008/2009 Autoria Gabinete de Estatística e Planeamento da Educação (GEPE) Direcção de Serviços de Estatística Edição Gabinete de Estatística

Leia mais

O regresso desigual da Europa ao crescimento do emprego

O regresso desigual da Europa ao crescimento do emprego NOTA INFORMATIVA O regresso desigual da Europa ao crescimento do emprego Previsões até 2025 apontam para diferenças significativas na oferta e procura de competências nos Estados-Membros Boas notícias.

Leia mais

HOTELARIA 2008. AEP / Gabinete de Estudos

HOTELARIA 2008. AEP / Gabinete de Estudos HOTELARIA 2008 AEP / Gabinete de Estudos Junho de 2008 1 1. INFORMAÇÃO SOBRE AS EMPRESAS Segundo os dados das Empresas em Portugal 2005, do INE, em 2005 o sector do Alojamento e Restauração compreendia

Leia mais

O ESPAÇO DE SCHENGEN. Trabalho feito por João Dias nº 8 do 2ºJ

O ESPAÇO DE SCHENGEN. Trabalho feito por João Dias nº 8 do 2ºJ O ESPAÇO DE SCHENGEN Trabalho feito por João Dias nº 8 do 2ºJ O QUE É O ESPAÇO DE SCHENGEN? O espaço e a cooperação Schengen assentam no Acordo Schengen de 1985. O espaço Schengen representa um território

Leia mais

Newsletter Informação Mensal - MAIO 2017

Newsletter Informação Mensal - MAIO 2017 PREÇOS DO LEITE À PRODUÇÃO - Preços Médios Mensais (Leite de vaca cru com teores reais de matérias gordas e proteínas) Newsletter Informação Mensal - MAIO As Newsletter do SIMA podem também ser consultadas

Leia mais

Newsletter Informação Mensal - JUNHO 2017

Newsletter Informação Mensal - JUNHO 2017 PREÇOS DO LEITE À PRODUÇÃO - Preços Médios Mensais (Leite de vaca cru com teores reais de matérias gordas e proteínas) Newsletter Informação Mensal - JUNHO As Newsletter do SIMA podem também ser consultadas

Leia mais

Informação diagnóstico

Informação diagnóstico Informação diagnóstico O declínio demográfico da cidade de Lisboa e a periferização da área metropolitana Evolução Comparada das Populações de Portugal, da Área Metropolitana de Lisboa e do Concelho de

Leia mais

O DOMÍNIO DOS TRANSPORTES RODOVIÁRIOS DE MERCADORIAS PELOS PRIVADOS, O LOCK-OUT DOS PATRÕES, O PREÇO DO GASÓLEO E A MANIPULAÇÃO DA OPINIÃO PÚBLICA

O DOMÍNIO DOS TRANSPORTES RODOVIÁRIOS DE MERCADORIAS PELOS PRIVADOS, O LOCK-OUT DOS PATRÕES, O PREÇO DO GASÓLEO E A MANIPULAÇÃO DA OPINIÃO PÚBLICA O DOMÍNIO DOS TRANSPORTES RODOVIÁRIOS DE MERCADORIAS PELOS PRIVADOS, O LOCK-OUT DOS PATRÕES, O PREÇO DO GASÓLEO E A MANIPULAÇÃO DA OPINIÃO PÚBLICA Eugénio Rosa Como consequência de uma política de transportes

Leia mais

Índice. Índice Sistemático 7 TRATADO DA UNIÃO EUROPEIA 15 TRATADO SOBRE O FUNCIONAMENTO DA UNIÃO EUROPEIA 43 TRATADO DE LISBOA 159

Índice. Índice Sistemático 7 TRATADO DA UNIÃO EUROPEIA 15 TRATADO SOBRE O FUNCIONAMENTO DA UNIÃO EUROPEIA 43 TRATADO DE LISBOA 159 5 Índice Índice Sistemático 7 TRATADO DA UNIÃO EUROPEIA 15 TRATADO SOBRE O FUNCIONAMENTO DA UNIÃO EUROPEIA 43 TRATADO DE LISBOA 159 S 163 ANEXO QUADROS DE CORRESPONDÊNCIA A QUE SE REFERE O ARTIGO 5.º DO

Leia mais

Newsletter Informação Mensal - MARÇO 2016

Newsletter Informação Mensal - MARÇO 2016 PREÇOS DO LEITE À PRODUÇÃO - Preços Médios Mensais PRODUTO (Leite de vaca cru com teores reais de matérias gordas e proteínas) Newsletter Informação Mensal - MARÇO dezembro As Newsletter do SIMA podem

Leia mais

A liberalização do sector energético na perspetiva dos consumidores

A liberalização do sector energético na perspetiva dos consumidores A liberalização do sector energético na perspetiva dos consumidores Conferência do Diário Económico Vitor Santos Presidente da ERSE Hotel Sheraton, Lisboa 4 de Julho de 2012 Agenda 1. Liberalização efetiva

Leia mais

boletim trimestral - n.º 1 - junho 2013 algarve conjuntura turística

boletim trimestral - n.º 1 - junho 2013 algarve conjuntura turística boletim trimestral - n.º 1 - junho 2013 algarve conjuntura turística indicadores 1. Movimento de passageiros no aeroporto de Faro 1.1. Movimento total de passageiros 1.2. Passageiros desembarcados por

Leia mais

Em Portugal o Produto Interno Bruto per capita expresso em Paridades de Poder de Compra situou-se em 76,0 % da média da União Europeia em 2012

Em Portugal o Produto Interno Bruto per capita expresso em Paridades de Poder de Compra situou-se em 76,0 % da média da União Europeia em 2012 Paridades de Poder de Compra 2012 12 de dezembro de 2013 Em Portugal o Produto Interno Bruto per capita expresso em Paridades de Poder de Compra situou-se em 76,0 % da média da União Europeia em 2012 Em

Leia mais

ENERGIA em Portugal. maio de 2015

ENERGIA em Portugal. maio de 2015 213 ENERGIA em Portugal maio de 215 [página em branco] Índice 1. Sumário Executivo 1 2. Principais Indicadores Energéticos 2 2.1 Dependência Energética 2 2.2 Intensidade Energética 3 2.3 Indicadores per

Leia mais

A Bandeira da Europa simboliza a União Europeia e também representa a unidade e a identidade da Europa. O circulo de estrelas douradas representa a

A Bandeira da Europa simboliza a União Europeia e também representa a unidade e a identidade da Europa. O circulo de estrelas douradas representa a Após a II Guerra Mundial alguns países europeus tiveram a ideia de se unirem para melhor resolver os seus problemas. Era necessário garantir a paz, reconstruir cidades e reorganizar o comércio. Só com

Leia mais

A QUALIDADE E A CERTIFICAÇÃO

A QUALIDADE E A CERTIFICAÇÃO A QUALIDADE E A CERTIFICAÇÃO Em 1977 foi criada no Ministério da Indústria e Energia, a Direcção Geral da Qualidade, actualmente denominada por IPQ, cujo objectivo era o desenvolvimento e divulgação dos

Leia mais

Evolução da Agricultura Portuguesa no Período 1989/2010. Análise de Indicadores Relevantes.

Evolução da Agricultura Portuguesa no Período 1989/2010. Análise de Indicadores Relevantes. Evolução da Agricultura Portuguesa no Período 1989/2010. Análise de Indicadores Relevantes. Deolinda Alberto 1, José Pedro Fragoso Almeida 2 1 Professor Adjunto, Escola Superior Agrária de Castelo Branco,

Leia mais

HOTELARIA RELATÓRIO DE CONJUNTURA

HOTELARIA RELATÓRIO DE CONJUNTURA HOTELARIA RELATÓRIO DE CONJUNTURA AEP / GABINETE DE ESTUDOS Julho de 2006 A actividade da hotelaria insere-se na CAE 55 Alojamento e Restauração, que, por sua vez, integra o sector do turismo, um dos sectores

Leia mais

Avaliação das ajudas directas ao sector da produção de bovinos

Avaliação das ajudas directas ao sector da produção de bovinos 1 10 Boulevard de Bonne Nouvelle - 75010 Paris Avaliação das ajudas directas ao sector da produção de bovinos Convite à apresentação de propostas n.º AGRI 2009 EVAL 04 Para a DG AGRI Comissão Europeia

Leia mais

G PE AR I Gabinete de Planeamento, Estratégia, Avaliação e Relações Internacionais. Boletim Mensal de Economia Portuguesa. N.

G PE AR I Gabinete de Planeamento, Estratégia, Avaliação e Relações Internacionais. Boletim Mensal de Economia Portuguesa. N. Boletim Mensal de Economia Portuguesa N.º 05 Maio 2015 Gabinete de Estratégia e Estudos Ministério da Economia G PE AR I Gabinete de Planeamento, Estratégia, Avaliação e Relações Internacionais Ministério

Leia mais

Análise Regional dezembro 2015

Análise Regional dezembro 2015 Portugal Em, o Algarve voltou a liderar o País com 16,6 milhões de dormidas (34% de quota no País) e cresceu 2,7% face a 2014. Lisboa posicionou-se no 2.º lugar com 12,3 milhões de dormidas e assinalou,

Leia mais

Seminário. 12 novembro 2013. Iniciativa conjunta INE LNEC

Seminário. 12 novembro 2013. Iniciativa conjunta INE LNEC Seminário 12 novembro 2013 Iniciativa conjunta INE LNEC Casa própria ou arrendamento perfil da ocupação residencial emportugal Bárbara Veloso INE 12 novembro 2013 Iniciativa conjunta INE LNEC Sumário Aumentaram

Leia mais

EFICIÊNCIA ENERGÉTICA. ADENE Agência para a Energia Maio de 2010

EFICIÊNCIA ENERGÉTICA. ADENE Agência para a Energia Maio de 2010 EFICIÊNCIA ENERGÉTICA ADENE Agência para a Energia Maio de 2010 0 PLANO NACIONAL DE ACÇÃO PARA EFICIÊNCIA ENERGÉTICA RESULTADOS 1 Programas do Portugal Eficiência 2015 Transportes Residencial e Serviços

Leia mais

A Atividade das Empresas Agrícolas em Portugal 2004-2010

A Atividade das Empresas Agrícolas em Portugal 2004-2010 26 de setembro de 2012 A Atividade das Empresas Agrícolas em Portugal 2004-2010 Empresas agrícolas: o futuro da agricultura portuguesa? As 43 972 empresas da atividade agrícola (divisão 01 da CAE Rev.3)

Leia mais

INFORMAÇÕES DOS ESTADOS-MEMBROS

INFORMAÇÕES DOS ESTADOS-MEMBROS C 390/10 PT Jornal Oficial da União Europeia 24.11.2015 INFORMAÇÕES DOS ESTADOS-MEMBROS Primeira atualização das informações referidas no artigo 76. o do Regulamento (UE) n. o 1215/2012 do Parlamento Europeu

Leia mais

Comércio Internacional Português

Comércio Internacional Português Comércio Internacional Português Exportações Portuguesas de Bens Janeiro a agosto de 2013 Direção de Informação, outubro de 2013 CIP bens 2013 (janeiro a agosto) - principais resultados Em 2013 (janeiro

Leia mais

Trabalhar no feminino

Trabalhar no feminino 07 de Março de 2013 8 de Março: Dia Internacional da Mulher Trabalhar no feminino Numa sociedade que aposta na igualdade entre homens e mulheres, incentiva a participação feminina na vida ativa e promove

Leia mais

Ocupação em Empreendimentos Turísticos. Taxa de ocupação-quarto 2012

Ocupação em Empreendimentos Turísticos. Taxa de ocupação-quarto 2012 Ocupação em Empreendimentos Turísticos Taxa de ocupação-quarto 2012 Ocupação em Empreendimentos Turísticos Síntese A taxa de ocupação-quarto registada no país, em 2012, foi de 51,5%, com os residentes

Leia mais

Grupo Parlamentar. Projeto de Resolução n.º 336/XIII/1.ª

Grupo Parlamentar. Projeto de Resolução n.º 336/XIII/1.ª Grupo Parlamentar Projeto de Resolução n.º 336/XIII/1.ª Recomenda ao Governo que reveja a legislação de modo a defender os idosos de penalizações e exclusões abusivas que são alvo em função da idade Exposição

Leia mais

ÍNDICE DE RISCO DE 2008 PORTUGAL

ÍNDICE DE RISCO DE 2008 PORTUGAL ÍNDICE DE RISCO DE 2008 PORTUGAL Índice de Pagamentos 2004 191 2005 184 2006 183 2007 182 2008 183 Desenvolvimento Económico (%) UE 27 - Média PIB per capita US 21.800 (2007) Crescimento do PIB 1,9 2,9

Leia mais

'DWD 7HPD $FRQWHFLPHQWR

'DWD 7HPD $FRQWHFLPHQWR 'DWD 7HPD $FRQWHFLPHQWR 22/01 Economia 25/01 Comércio Internacional 26/01 Taxas de Juro 29/01 Economia 31/01 Desemprego 31/01 Investimento Banco de Portugal divulgou Boletim Estatístico Janeiro 2007 http://epp.eurostat.ec.europa.eu/pls/portal/docs/page/pgp_prd_cat_prerel/pge_cat_prerel_year_2007/pge_

Leia mais

Continua a valer a pena investir em Olival em Portugal?

Continua a valer a pena investir em Olival em Portugal? Continua a valer a pena investir em Olival em Portugal? 10 Outubro 2012 Manuela Nina Jorge Índice 02 1. Enquadramento do sector do azeite e evolução mundial 2. Evolução do sector em Portugal nos últimos

Leia mais

Evolução dos clientes de acesso móvel à Internet activos no período de reporte

Evolução dos clientes de acesso móvel à Internet activos no período de reporte 10 S E R V I Ç O T E L E F Ó N I C O M Ó V E L Tráfego de roaming in 2008 Var. Trimestral Var. Homóloga 2º Trim. (+/-) % (+/-) % Chamadas em roaming in 32 617 8 525 35,4% 1 646 5,3% Nº de minutos em roaming

Leia mais

DOSSIER FESTA DO VINHO E PRODUTOS REGIONAIS 2006-2011

DOSSIER FESTA DO VINHO E PRODUTOS REGIONAIS 2006-2011 FESTA DO VINHO PRODUTOS REGIONAIS & TURISMO DOSSIER FESTA DO VINHO E PRODUTOS REGIONAIS 2006-2011 Índice Parcerias 3 Breve Caracterização 4 Edição 2011 5 Edição 2010 7 Edição 2009 9 Edição 2008 10 Edição

Leia mais

Questões relativas à UE

Questões relativas à UE » Questões relativas à UE » Quantos países constituem hoje a União Europeia? (%) correta 53,6 incorreta/ não sabe 46,4 12 países 15 países 25 países 28 países 31 países Outras respostas 5,1 5,1 18,4 7,9

Leia mais

Inquérito ao Potencial Científico e Tecnológico Nacional. Estatísticas de Investigação e Desenvolvimento (I&D)

Inquérito ao Potencial Científico e Tecnológico Nacional. Estatísticas de Investigação e Desenvolvimento (I&D) Inquérito ao Potencial Científico e Tecnológico Nacional Estatísticas de Investigação e Desenvolvimento (I&D) ÍNDICE Enquadramento P Estrutura População-alvo Fases da inquirição Resultados ENQUADRAMENTO

Leia mais

Prefixos dos destinos internacionais incluídos nos pacotes MEO

Prefixos dos destinos internacionais incluídos nos pacotes MEO País Tipo Destino ALASCA e Móvel ALEMANHA ANDORRA AUSTRÁLIA ÁUSTRIA BÉLGICA CANADA e Móvel CHILE CHINA e Móvel COREIA DO SUL CROÁCIA DINAMARCA ESLOVÉNIA ESPANHA EUA e Móvel FEDERAÇÃO RUSSA FINLÂNDIA FRANÇA

Leia mais

ESTATÍSTICAS DA IMIGRAÇÃO 2009

ESTATÍSTICAS DA IMIGRAÇÃO 2009 ESTATÍSTICAS DA IMIGRAÇÃO 2009 Entrada e Permanência I. FONTES OFICIAIS NACIONAIS... 3 Vistos de Estada Temporária (VET) e de Residência (VR), emitidos em 2009, por Tipo de Visto... 4 Vistos de Estada

Leia mais

Disciplina: Geografia 9º ano Turma: Professora: Renata Sampaio Ficha: 02 Bimestre: 3º

Disciplina: Geografia 9º ano Turma: Professora: Renata Sampaio Ficha: 02 Bimestre: 3º Disciplina: Geografia 9º ano Turma: Professora: Renata Sampaio Ficha: 02 Bimestre: 3º Apresentação: Esta ficha atende a dois objetivos principais: 1. Oferecer os conteúdos básicos a respeito dos objetivos

Leia mais

Programa de Estágios Internacionais da IAESTE

Programa de Estágios Internacionais da IAESTE IAESTE International Association for the Exchange of Students for Technical Experience Associação Internacional para a Permuta de Estudantes do Ensino Superior para Experiência Prática A IAESTE é uma organização

Leia mais

Inovação. Chave de Competitividade. ES Research - Research Sectorial

Inovação. Chave de Competitividade. ES Research - Research Sectorial Inovação Chave de Competitividade Luís Ribeiro Rosa ES Research - Research Sectorial 22 de Novembro de 2009 Inovação - Uma chave de um novo contexto Especificidades da economia portuguesa Inovação - A

Leia mais

Espanha continuou a ser o país com maior peso nas transações comerciais de bens com o exterior (23,5% nas exportações e de 32,5% nas importações).

Espanha continuou a ser o país com maior peso nas transações comerciais de bens com o exterior (23,5% nas exportações e de 32,5% nas importações). Estatísticas do Comércio Internacional 214 7 de julho de 215 Resultados preliminares do Comércio Internacional em 214: em termos nominais, as exportações aumentaram 1,8% e as importações aumentaram 3,2%

Leia mais

Barómetro das Crises

Barómetro das Crises Barómetro das Crises 27-01-2015 Nº 12 O salário mínimo: a decência não é um custo A tendência dos últimos anos é de diminuição do peso dos ordenados e salários no Produto Interno Bruto (PIB). Por isso,

Leia mais

México HORÁRIO DE ATENDIMENTO AO PÚBLICO

México HORÁRIO DE ATENDIMENTO AO PÚBLICO México ATENÇÃO VERIFIQUE ATENTAMENTE AS INFORMAÇÕES CONTIDAS NESTA PÁGINA PARA FACILITAR SEU ATENDIMENTO. SEM A APRESENTAÇÃO DOS REQUISITOS OBRIGATÓRIOS, O ATENDIMENTO NÃO SERÁ REALIZADO. O Consulado Geral

Leia mais

Saúde: pronto para férias? viaje sempre com o seu Cartão Europeu de Seguro de Doença (CESD)

Saúde: pronto para férias? viaje sempre com o seu Cartão Europeu de Seguro de Doença (CESD) MEMO/11/406 Bruxelas, 16 de Junho de 2011 Saúde: pronto para férias? viaje sempre com o seu Cartão Europeu de Seguro de Doença (CESD) Em férias nunca se sabe! Está a pensar viajar na UE ou na Islândia,

Leia mais

COMISSÃO DAS COMUNIDADES EUROPEIAS COMUNICAÇÃO DA COMISSÃO PROGRESSOS NA REALIZAÇÃO DOS OBJECTIVOS DE QUIOTO

COMISSÃO DAS COMUNIDADES EUROPEIAS COMUNICAÇÃO DA COMISSÃO PROGRESSOS NA REALIZAÇÃO DOS OBJECTIVOS DE QUIOTO COMISSÃO DAS COMUNIDADES EUROPEIAS Bruxelas, 27.11.2007 COM(2007) 757 final COMUNICAÇÃO DA COMISSÃO PROGRESSOS NA REALIZAÇÃO DOS OBJECTIVOS DE QUIOTO (nos termos da Decisão n.º 280/2004/CE do Parlamento

Leia mais

indicadores 1. Hóspedes 1.1. Número total de hóspedes 1.2. Hóspedes por tipologia de alojamento 1.3. Hóspedes por país de origem

indicadores 1. Hóspedes 1.1. Número total de hóspedes 1.2. Hóspedes por tipologia de alojamento 1.3. Hóspedes por país de origem boletim trimestral - n.º 2 - setembro 2013 algarve conjuntura turística indicadores 1. Hóspedes 1.1. Número total de hóspedes 1.2. Hóspedes por tipologia de alojamento 1.3. Hóspedes por país de origem

Leia mais

Consulta pública sobre a futura utilização da banda de radiodifusão televisiva UHF: Relatório Lamy

Consulta pública sobre a futura utilização da banda de radiodifusão televisiva UHF: Relatório Lamy Consulta pública sobre a futura utilização da banda de radiodifusão televisiva UHF: Relatório Lamy Fields marked with are mandatory. Os campos assinalados com um asterisco () são de preenchimento obrigatório.

Leia mais

Trabalho realizado por: Hélio nº 10 Jorge nº 13 Pedro F nº21 Ricardo P nº24 Miguel F nº27

Trabalho realizado por: Hélio nº 10 Jorge nº 13 Pedro F nº21 Ricardo P nº24 Miguel F nº27 Trabalho realizado por: Hélio nº 10 Jorge nº 13 Pedro F nº21 Ricardo P nº24 Miguel F nº27 Disciplina de: Área de Projecto Nome do Professor: Hélder Baião 1 Este trabalho foi proposto pelo professor de

Leia mais

11. CARTÕES DE CRÉDITO E DE DÉBITO (OUTROS CLIENTES)

11. CARTÕES DE CRÉDITO E DE DÉBITO (OUTROS CLIENTES) 11.1. Cartões de crédito Comissões (Euros) Designação do Redes onde o é aceite NB Business Silver NB Business Gold NB Corporate Gold NB Corporate Gold Negócios 1. Anuidades 1.º Titular Outros titulares

Leia mais

Anexo 1. Solicitação de autorização para investigação

Anexo 1. Solicitação de autorização para investigação ANEXOS Anexo 1. Solicitação de autorização para investigação Anexo 2. Proposta de investigação apresentada à autarquia Anexo 3. Questionário em inglês Anexo 4. Questionário em português Anexo 5.

Leia mais

11. CARTÕES DE CRÉDITO E DE DÉBITO (OUTROS CLIENTES) ( ÍNDICE)

11. CARTÕES DE CRÉDITO E DE DÉBITO (OUTROS CLIENTES) ( ÍNDICE) 11.1. Cartões de crédito Designação do Redes onde o é aceite 3. Substituição de 4. Inibição do 5. Comissão pela recuperação de valores em dívida 6. Não pagamento até à data limite Cartão Business 43,27

Leia mais

A unificação monetária européia

A unificação monetária européia A unificação monetária européia Especial Panorama Celeste Cristina Machado Badaró 06 de julho de 2007 A unificação monetária européia Especial Panorama Celeste Cristina Machado Badaró 06 de julho de 2007

Leia mais

O SECTOR ELÉCTRICO EM PORTUGAL CONTINENTAL

O SECTOR ELÉCTRICO EM PORTUGAL CONTINENTAL O SECTOR ELÉCTRICO EM PORTUGAL CONTINENTAL CONTRIBUTO PARA DISCUSSÃO 31 de Março de 2011 O presente documento resume as principais conclusões do Estudo O Sector Eléctrico em Portugal Continental elaborado

Leia mais

LONDRES VOLTA A SER A LOCALIZAÇÃO DE ESCRITÓRIOS MAIS CARA DO MUNDO Londres ultrapassa Hong Kong e reposiciona-se na primeira posição do ranking

LONDRES VOLTA A SER A LOCALIZAÇÃO DE ESCRITÓRIOS MAIS CARA DO MUNDO Londres ultrapassa Hong Kong e reposiciona-se na primeira posição do ranking PRESS RELEASE Press Office Filipa Mota Carmo Telefone Direto: +351 213 219 548 Email: filipa.carmo@eur.cushwake.com Lisboa, 19 de Fevereiro 2013 LONDRES VOLTA A SER A LOCALIZAÇÃO DE ESCRITÓRIOS MAIS CARA

Leia mais

A Europa em poucas palavras

A Europa em poucas palavras A Europa em poucas palavras O que é a União Europeia? É europeia = está situada na Europa. É uma união = une países e pessoas. Examinemos mais atentamente: O que têm os europeus em comum? De que forma

Leia mais

EVOLUÇÃO DA BALANÇA COMERCIAL DO SECTOR DA CARNE DE BOVINO

EVOLUÇÃO DA BALANÇA COMERCIAL DO SECTOR DA CARNE DE BOVINO EVOLUÇÃO DA BALANÇA COMERCIAL DO SECTOR DA CARNE DE BOVINO Observatório dos Mercados Agrícolas e das Importações Agro-Alimentares EVOLUÇÃO DA BALANÇA COMERCIAL DO SECTOR DA CARNE DE BOVINO O sector da

Leia mais

3. CARTÕES DE CRÉDITO E DE DÉBITO (PARTICULARES)

3. CARTÕES DE CRÉDITO E DE DÉBITO (PARTICULARES) 3.1. Cartões de crédito Designação do Redes onde o é aceite 1. Anuidades 1.º Titular Outros titulares Comissões (Euros) 2. Emissão de 3. Substituição de 4. Inibição do 5. Pagamento devolvido NB Verde --

Leia mais

O QUE É O SERVIÇO SOLVIT O SOLVIT PODE INTERVIR

O QUE É O SERVIÇO SOLVIT O SOLVIT PODE INTERVIR O QUE É O SERVIÇO SOLVIT Viver, trabalhar ou estudar em qualquer país da UE é um direito básico dos cidadãos europeus. Também as empresas têm o direito de se estabelecer, prestar serviços e fazer negócios

Leia mais

RELATÓRIO DA COMISSÃO AO PARLAMENTO EUROPEU E AO CONSELHO

RELATÓRIO DA COMISSÃO AO PARLAMENTO EUROPEU E AO CONSELHO COMISSÃO EUROPEIA Bruxelas, 13.6.2014 COM(2014) 354 final RELATÓRIO DA COMISSÃO AO PARLAMENTO EUROPEU E AO CONSELHO Evolução da situação do mercado do leite e dos produtos lácteos e da aplicação das disposições

Leia mais

3. CARTÕES DE CRÉDITO E DE DÉBITO (PARTICULARES) (ÍNDICE)

3. CARTÕES DE CRÉDITO E DE DÉBITO (PARTICULARES) (ÍNDICE) 3.1. Cartões de crédito Redes onde o é Cartão BPI Prémio Cartão BPI e Multibanco Cartão BPI Gold e Multibanco Cartão BPI Campeões Cartão Visa FCP Cartão BPI Zoom Cartão ACPMaster Cartão BPI Premier 1.º

Leia mais

G PE AR I Gabinete de Planeamento, Estratégia, Avaliação_ e Relações Internacionais. Boletim Mensal de Economia Portuguesa. N.

G PE AR I Gabinete de Planeamento, Estratégia, Avaliação_ e Relações Internacionais. Boletim Mensal de Economia Portuguesa. N. Boletim Mensal de Economia Portuguesa N.º 01 janeiro 2011 Gabinete de Estratégia e Estudos Ministério da Economia, da Inovação e do Desenvolvimento G PE AR I Gabinete de Planeamento, Estratégia, Avaliação_

Leia mais

Breve guia do euro. Assuntos Económicos e Financeiros

Breve guia do euro. Assuntos Económicos e Financeiros Breve guia do euro Assuntos Económicos e Financeiros Sobre o euro O euro nasceu em 1999: surgiu inicialmente em extratos de pagamento, contas e faturas. Em 1 de janeiro de 2002, as notas e moedas em euros

Leia mais

Comissão Consultiva Setorial LEITE. GPP, 5 de junho 2015

Comissão Consultiva Setorial LEITE. GPP, 5 de junho 2015 Comissão Consultiva Setorial LEITE GPP, 5 de junho 2015 AGENDA I - Situação de mercado II Medidas PAC/Setor do Leite (pagamentos diretos, contratos, comunicação de entregas) III- Relatório da Comissão

Leia mais

Anuário das Estatísticas do Turismo 2012

Anuário das Estatísticas do Turismo 2012 Anuário das Estatísticas do Turismo 2012 1 Índice CAPÍTULO I Séries Internacionais e Nacionais 2003 a 2012 6 Fluxos Turísticos Internacionais 7 O Turismo na Economia Nacional 16 O Alojamento Turístico

Leia mais

A RENTABILIDADE FUTURA DO OLIVAL DE REGADIO UMA OPORTUNIDADE PARA PORTUGAL. Manuela Nina Jorge Prof. Francisco Avillez

A RENTABILIDADE FUTURA DO OLIVAL DE REGADIO UMA OPORTUNIDADE PARA PORTUGAL. Manuela Nina Jorge Prof. Francisco Avillez A RENTABILIDADE FUTURA DO OLIVAL DE REGADIO UMA OPORTUNIDADE PARA PORTUGAL Manuela Nina Jorge Prof. Francisco Avillez SUMÁRIO Uma oportunidade Definição das tecnologias Conceitos Análise da Rentabilidade

Leia mais

Literacia Estatística ao serviço da Cidadania. Portal do INE e Projeto ALEA Uma primeira abordagem

Literacia Estatística ao serviço da Cidadania. Portal do INE e Projeto ALEA Uma primeira abordagem Serviço de Difusão Literacia Estatística ao serviço da Cidadania Portal do INE e Projeto ALEA Uma primeira abordagem Rede de Bibliotecas Escolares Formação para Professores fevereiro - maio.2012 Itinerário

Leia mais

SÍNTESE DE CONJUNTURA

SÍNTESE DE CONJUNTURA SÍNTESE DE CONJUNTURA Mensal novembro 2015 - Newsletter ÍNDICE EVOLUÇÃO DA ATIVIDADE ECONÓMICA... 2 Atividade global... 2 Atividade setorial... 3 - Produção... 3 - Volume de negócios... 5 Comércio internacional...

Leia mais

Portugal Alimentação Saudável em números 2013

Portugal Alimentação Saudável em números 2013 ISSN: 2183-0738 Portugal Alimentação Saudável em números 2013 Programa Nacional para a Promoção da Alimentação Saudável www.dgs.pt Portugal. Direcção-Geral da Saúde. Direção de Serviços de Informação e

Leia mais

AVISO PARA APRESENTAÇÃO DE CANDIDATURAS A INICIATIVAS DE COOPERAÇÃO BILATERAL NO ÂMBITO DO PROGRAMA CIDADANIA ATIVA

AVISO PARA APRESENTAÇÃO DE CANDIDATURAS A INICIATIVAS DE COOPERAÇÃO BILATERAL NO ÂMBITO DO PROGRAMA CIDADANIA ATIVA AVISO PARA APRESENTAÇÃO DE CANDIDATURAS A INICIATIVAS DE COOPERAÇÃO BILATERAL NO ÂMBITO DO PROGRAMA CIDADANIA ATIVA Nos termos do Regulamento Geral do Programa Cidadania Ativa (doravante o Regulamento

Leia mais

Portugal Alimentação Saudável em números 2013

Portugal Alimentação Saudável em números 2013 ISSN: 2183-0738 Portugal Alimentação Saudável em números 2013 Programa Nacional para a Promoção da Alimentação Saudável www.dgs.pt Portugal. Direcção-Geral da Saúde. Direção de Serviços de Informação e

Leia mais

3. CARTÕES DE CRÉDITO E DE DÉBITO (PARTICULARES)

3. CARTÕES DE CRÉDITO E DE DÉBITO (PARTICULARES) 3.1. Cartões de crédito Comissões (Euros) Designação do Redes onde o é aceite 1. Anuidades 1.º Titular Outros titulares 2. Emissão de 3. Substituição de 4. Inibição do 5. Pagamento devolvido 6. Comissão

Leia mais

ÍSTICAS ESTAT NATALIDADE, MORTALIDADE INFANTIL, FETAL E PERINATAL 2007/2011 D I R E E Ç Ã Ç Ã O - G E R G E R A L D A S A Ú D E L I S B O A

ÍSTICAS ESTAT NATALIDADE, MORTALIDADE INFANTIL, FETAL E PERINATAL 2007/2011 D I R E E Ç Ã Ç Ã O - G E R G E R A L D A S A Ú D E L I S B O A ESTATÍ ÍSTICAS NATALIDADE, MORTALIDADE INFANTIL, FETAL E PERINATAL 2007/2011 D I R E Ç Ã O - G E R A L D A S A Ú D E L I S B O A ESTATÍSTICAS NATALIDADE, MORTALIDADE INFANTIL, FETAL E PERINATAL 2007/2011

Leia mais

Serviço Móvel de Voz

Serviço Móvel de Voz Serviço Móvel de Voz Minuto 1. Origem Rede Móvel - Terminação Rede Móvel Intra-conta 0,00000 2. Origem Rede Móvel - Terminação PPCA Intra-conta 0,02000 3. Origem Rede Móvel - Terminação Rede Móvel On-et

Leia mais

Boletim meteorológico para a agricultura

Boletim meteorológico para a agricultura CONTEÚDOS Boletim meteorológico para a agricultura Nº 49, janeiro 2015 IPMA,I.P. 01 Resumo 02 Situação Sinóptica 03 Descrição Meteorológica 05 Informação Agrometeorológica 12 Previsão 12 Situação agrícola

Leia mais

COMISSÃO DAS COMUNIDADES EUROPEIAS RELATÓRIO DA COMISSÃO AO CONSELHO, AO PARLAMENTO EUROPEU, AO COMITÉ ECONÓMICO E SOCIAL E AO COMITÉ DAS REGIÕES

COMISSÃO DAS COMUNIDADES EUROPEIAS RELATÓRIO DA COMISSÃO AO CONSELHO, AO PARLAMENTO EUROPEU, AO COMITÉ ECONÓMICO E SOCIAL E AO COMITÉ DAS REGIÕES COMISSÃO DAS COMUNIDADES EUROPEIAS Bruxelas, 22.12.2008 COM(2008) 882 final RELATÓRIO DA COMISSÃO AO CONSELHO, AO PARLAMENTO EUROPEU, AO COMITÉ ECONÓMICO E SOCIAL E AO COMITÉ DAS REGIÕES Implementação

Leia mais

Debates sobre a Estratégia de Lisboa

Debates sobre a Estratégia de Lisboa Debates sobre a Estratégia de Lisboa Crescimento e Emprego Juntos a trabalhar pela Europa do futuro 2006-2008 Data de actualização: 19 de Dezembro de 2007 Em parceria: Alto Patrocínio: Debates sobre a

Leia mais

G PE AR I Gabinete de Planeamento, Estratégia, Avaliação_ e Relações Internacionais. Boletim Mensal de Economia Portuguesa. N.

G PE AR I Gabinete de Planeamento, Estratégia, Avaliação_ e Relações Internacionais. Boletim Mensal de Economia Portuguesa. N. Boletim Mensal de Economia Portuguesa N.º 9 setembro 211 Gabinete de Estratégia e Estudos Ministério da Economia e do Emprego G PE AR I Gabinete de Planeamento, Estratégia, Avaliação_ e Relações Internacionais

Leia mais

ANÁLISE ESTATÍSTICA j a n e i r o m a i o 2011 1

ANÁLISE ESTATÍSTICA j a n e i r o m a i o 2011 1 ANÁLISE ESTATÍSTICA j a n e i r o m a i o 2011 1 ANÁLISE DE DORMIDAS NACIONAIS E ESTRANGEIRAS Estabelecimentos Hoteleiros, Aldeamentos e Apartamentos Turísticos Acumulado Janeiro Maio 2010/2011 A Turismo

Leia mais

Conferência. Reforma da Fiscalidade Automóvel. Lisboa, 6 de Junho de 2007

Conferência. Reforma da Fiscalidade Automóvel. Lisboa, 6 de Junho de 2007 Conferência Reforma da Fiscalidade Automóvel 1 Lisboa, 6 de Junho de 2007 2 Proposta de Directiva da União Europeia Aponta para a transferência global da carga fiscal, nos automóveis, do momento da compra

Leia mais

Internacionalização da Economia Portuguesa e a Transformação da Indústria Portuguesa. Coimbra, 19 de Novembro de 2010

Internacionalização da Economia Portuguesa e a Transformação da Indústria Portuguesa. Coimbra, 19 de Novembro de 2010 Internacionalização da Economia Portuguesa e a Transformação da Indústria Portuguesa Coimbra, 19 de Novembro de 2010 Enquadramento Enquadramento A importância da Internacionalização na vertente das exportações

Leia mais

Atividade dos Transportes 1º Trimestre de 2015

Atividade dos Transportes 1º Trimestre de 2015 Atividade dos Transportes 1º Trimestre de 215 14 de julho de 215 Transporte de mercadorias mantém crescimento por via marítima e aérea. Continua a diminuir no modo rodoviário Transporte de passageiros

Leia mais

BPstat mobile inovação na difusão das estatísticas do Banco de Portugal

BPstat mobile inovação na difusão das estatísticas do Banco de Portugal inovação na difusão das estatísticas do Banco de Portugal João Cadete de Matos Diretor do Departamento de Estatística 23 fevereiro 2016 Coimbra Conferências da Central de Balanços (2010 2016) Porto Lisboa

Leia mais

Em Portugal o Produto Interno Bruto percapita expresso em Paridades de Poder de Compra situou-se em 80 % da média da União Europeia em 2010.

Em Portugal o Produto Interno Bruto percapita expresso em Paridades de Poder de Compra situou-se em 80 % da média da União Europeia em 2010. Paridades de Poder de Compra 2010 13 de dezembro de 2011 Em Portugal o Produto Interno Bruto percapita expresso em Paridades de Poder de Compra situou-se em 80 % da média da União Europeia em 2010. O INE

Leia mais

Duração da Prova: 120 minutos. Tolerância: 30 minutos. Utilize apenas caneta ou esferográfica de tinta indelével, azul ou preta.

Duração da Prova: 120 minutos. Tolerância: 30 minutos. Utilize apenas caneta ou esferográfica de tinta indelével, azul ou preta. EXAME NACIONAL DO ENSINO SECUNDÁRIO Decreto-Lei n.º 74/2004, de 26 de março Prova Escrita de Economia A 10.º e 11.º Anos de Escolaridade Prova 712/2.ª Fase 15 Páginas Duração da Prova: 120 minutos. Tolerância:

Leia mais

Aluno nº: Ano: Turma: Data: 28 de maio de 2012

Aluno nº: Ano: Turma: Data: 28 de maio de 2012 E S C O L A S E C U N D Á R I A D. J O Ã O I I - S E T Ú B A L TESTE DE GEOGRAFIA A (2º ANO) Nº6/VERSÃO 02 Nome: Aluno nº: Ano: Turma: Data: 28 de maio de 2012 É obrigatório indicar a versão do teste na

Leia mais