Mercado Mundial de Carne Ovina e Caprina

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Mercado Mundial de Carne Ovina e Caprina"

Transcrição

1 Mercado Mundial de Carne Ovina e Caprina Brasília, julho de 2007 Matheus A. Zanella 1 Superintendência Técnica da CNA Este artigo apresenta um panorama dos principais indicadores do mercado mundial de carne ovina e caprina. São explorados os dados FAO sobre produção, comércio, preços e consumo, bem como os dados dos principais produtores e exportadores mundiais. Destaca-se que a produção de carne de ovinos e caprinos vem crescendo lentamente, porém a taxas constantes. Quase todo o comércio internacional é dominado pela carne ovina, sendo que apenas a Oceania tem nas exportações como principal destino da produção de ovinos. Os preços internacionais da carne de ovinos se encontram em patamares elevados e devem-se manter em valores semelhantes para os próximos anos. O consumo vem caindo nos países desenvolvidos e aumentando significativamente em alguns países em desenvolvimento. Produção A produção mundial de carne ovina e caprina contabilizou, em 2006, cerca de 13 milhões de toneladas, sendo 8,4 milhões de carne de ovinos e 4,6 milhões de carne de caprinos. Para comparação, a produção mundial de carne bovina é quase 5 vezes maior, contabilizando cerca de 60 milhões de toneladas no mesmo ano. A taxa de crescimento da produção mundial de carne ovina e caprina apresentou média anual de aproximadamente 2,5% nos últimos 10 anos. A produção de carne caprina cresceu a uma taxa maior, 4,1% ao ano, enquanto a carne ovina cresceu apenas 1,7% ao ano. Estimativas da Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO) apontam que a produção de carne ovina e caprina atingirá 13,8 milhões de toneladas em 2007, 3% a mais que em Projeções da FAO 2 indicam que o crescimento da produção mundial de carne ovina e caprina crescerá em um ritmo mais lento, de cerca de 1,9% anuais, até o final da década corrente. Milhões de toneladas 14,0 12,0 10,0 8,0 6,0 4,0 2,0 0,0 Produção Mundial de Carne Ovina e Caprina 3,1 7,0 3,3 3,5 3,6 3,7 3,8 4,0 4,2 4,4 7,2 7,3 7,4 7,6 7,6 7,7 7,8 8,0 8, Ovina Caprina É esperado que a maioria desse aumento se concentre na Ásia, em particular China, Índia, Irã e Paquistão, que contabilizam cerca de 60% da produção mundial. A produção das principais regiões 4,6 4,6 8,4 1 Assessor Técnico da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA). 2 FAO (2003) Medium-term prospects for agricultural Commodities PROJECTIONS TO THE YEAR Disponível em

2 exportadora da Oceania está em alta devido a abates induzidos pela seca que atingem principalmente regiões da Austrália. Na Argentina e Uruguai, a produção também está crescente, refletindo programas governamentais direcionados à revitalização do setor, o qual esteve sob pressão nos anos 1990 devido a baixos preços da lã no mercado mundial 3. O maior produtor mundial de carne de ovinos é a China, com cerca de 2,4 milhões de toneladas em 2006, ou 29,1% da produção mundial. Em seguida vem a Austrália, com produção de aproximadamente 625 mil toneladas em 2006, 7,5% da produção mundial. Nova Zelândia se encontra em terceiro lugar, com 500 mil toneladas e 6,0% da produção mundial. Logo após vem o Irã, com 389 mil toneladas e 4,7% da produção mundial, seguido pelo Reino Unido, com 331 mil toneladas e 4% da produção mundial. Outros países de importante produção são Turquia, Índia, Espanha e Síria. A China também é o maior produtor mundial de carne de caprinos, com cerca de 1,9 milhões de toneladas em 2006, equivalente a 41,7% da produção mundial. Índia vem em segundo lugar, com uma produção de 475 mil toneladas, 10,3% da produção mundial. Paquistão produziu 392 mil toneladas em 2006, ou 8,5% da produção mundial. Logo após Sudão, com 186 mil toneladas e 4,0% da produção mundial, seguido por Nigéria, com 147 mil toneladas, ou 3,2% da produção mundial. Outros países de produção significativa são Bangladesh, Irã, Indonésia e Mali. Principais países produtores de carne de ovinos (2006) Produção Part. (ton) (%) China ,1 Austrália ,5 Nova Zelândia ,0 Irã ,7 Reino Unido ,0 Turquia ,3 Índia ,9 Espanha ,7 Síria ,4 Outros ,6 Principais países produtores de carne de caprinos (2006) Produção Part. (ton) (%) China ,7 Índia ,3 Paquistão ,5 Sudão ,0 Nigéria ,2 Bangladesh ,0 Irã ,3 Indonésia ,2 Mali ,0 Outros ,0 Comércio Mundial O comércio mundial de carne de ovinos e caprinos tem pequena participação sobre a produção mundial, indicando que grande parte do rebanho ainda é destinada ao consumo interno de cada país. Pouco mais de 1 milhão de toneladas de carne ovina e caprina foram comercializadas internacionalmente em 2005, cerca de 7,8% da produção mundial, sendo que, desse montante, 96% se referem ao comércio de carne ovina, Milhares de toneladas Exportações Mundiais de Carne Ovina e Caprina , ,9 17,1 16,9 31,1 24,2 27,1 38,6 23,4 30,9 35, ,3 830,3 831,4 832,0861,4 900,2 948, ,8 853,9 863,5 907, Carne Ovina Carne Caprina 3 FAO (2007). Food Outlook. No. 1 June Disponível em Fonte: FAOStat

3 enquanto apenas 4% responde pela carne caprina. A soma em dólares das exportações de carne ovina e caprina somaram, em 2005, US$ 4,1 bilhões, também com participação quase majoritária da carne ovina, cerca de 97% das exportações totais. O comércio mundial de carne ovina e caprina apresentou uma taxa média anual de aproximadamente 2,1% de 1995 a O comércio de carne ovina cresceu 1,9% ao ano, enquanto o comércio de carne caprina cresceu a uma taxa bem maior, de 13,5% ao ano; no entanto este impacto no fluxo total é bem menor, haja vista o volume muito maior de comercialização da carne ovina. Para 2007, projetam-se exportações de carne ovina praticamente inalterados em relação ao ano anterior. A redução no suprimento de ovinos está atingindo um dos maiores exportadores mundiais, a Austrália, que deve ter suas exportações reduzidas em quase 9%. Esta contração deve ser compensada pelo aumento de quase 13% das exportações da Nova Zelândia. Para o final da década, projeções da FAO 4 indicam que o crescimento das exportações mundiais de carne ovina e caprina crescerão em um ritmo um pouco mais lento que o apresentado nos últimos anos, cerca de 1,5% anuais, Os aumentos serão maiores em regiões em desenvolvimento, como o norte da África, Leste Asiático e América do Sul Por outro lado, dois anos sucessivos de forte crescimento das exportações da Oceania, a qual abastece cerca de 80% dos carregamentos mundiais, vêm refletindo em uma baixa nos indicadores de preços desde Espera-se que esses menores preços estimulem importações em muitos dos principais mercados, incluindo Canadá, China, Japão, México e Estados Unidos. Enquanto isso, uma recuperação mais lenta do rebanho e menor nível de abastecimento na União Européia, o maior mercado importador, indica que deverá ocorrer uma recuperação das importações nesse bloco. Por fim, abastecimentos adicionais estão sendo realizados por exportadores não tradicionais, como Argentina e Uruguai 5. Dentre os maiores exportadores de carne ovina, em primeiro lugar se encontra a Nova Zelândia, com US$ 1,67 bilhões, ou 361,8 mil toneladas exportadas em 2005, o equivalente a 42,3% das exportações mundiais 6. Logo após vem a Austrália, com US$ 924 mil, ou 293 mil toneladas, correspondendo a 23,4% das exportações mundiais. O Reino Unido exportou US$ 392 mil, ou 86 mil toneladas de carne ovina em 2005, representando uma participação de 9,9% no total mundial. Irlanda exportou US$ 236 mil, ou 6,0% do mundial, seguida pela Bélgica, com US$ 188 mil, ou 4,7% das exportações mundiais. Principais países exportadores de carne de ovinos (2005) Nova Zelândia ,3 Austrália ,4 Reino Unido ,9 Irlanda ,0 Bélgica ,7 Espanha ,9 es Baixos ,5 China ,2 França ,2 Outros ,9 Alguns países dedicam parte maior de sua produção para mercados externos, como é o caso da Nova Zelândia, que exporta cerca de 72% de sua produção, da Austrália, que exporta 47% e da Irlanda, que exporta 76% de sua produção. Já outros países têm sua produção praticamente voltada apenas ao consumo doméstico, caso esse da China, que exporta apenas 1,1% de sua produção, da Espanha, que exporta cerca de 7,5% e da Índia, que exporta menos de 3% de sua produção. A França é o maior importador de carne ovina, com US$ 663 mil em 2005, correspondente a 135 mil toneladas e 16,9% das importações mundiais. Em seguida está o Reino Unido, com US$ 527 mil, ou 109 mil toneladas, equivalente a 13,4% das importações mundiais. Em terceiro, os Estados Unidos com US$ 462 mil em importações em 2005, ou 74 mil toneladas, 11,8% 4 FAO (2003). Op cit. 5 FAO (2007). Op cit. 6 Percentuais de exportação e importação em valor.

4 do total mundial. Bélgica e Alemanha seguem após, com US$ 307 mil e US$ 293 mil, respectivamente. Principais países importadores de carne de ovinos (2005) França ,9 Reino Unido ,4 Estados Unidos ,8 Bélgica ,8 Alemanha ,5 Arábia Saudita ,1 Japão ,0 Itália ,9 China ,5 Outros ,1 Em alguns países as importações participam de maneira significativa no consumo de carne ovina. Dentre esses se encontram o Japão, na qual praticamente todo o consumo é suprimido pelas importações, bem como a Malásia, nas quais as importações representam 97,6% do consumo aparente, além de França e Estados Unidos, nas quais as importações correspondem a 59,5% e 51,3% do consumo aparente de carne de ovinos. Por outro lado, outros países têm seus mercados praticamente suprimidos apenas pela produção doméstica, que é o caso da Índia, na qual as importações são insignificantes, bem como da China, nas quais as importações correspondem a apenas 2,7% do consumo aparente. Também é o caso da Espanha, onde as importações não chegam a 6,0% do consumo. Com relação às exportações de carne caprina, em primeiro lugar se encontra a Austrália, com US$ 56,7 mil, ou 20,2 mil toneladas exportadas em 2005, o equivalente a 46,1% das exportações mundiais. Logo após se encontra a França, com US$ 25,1 mil, ou 2,7 mil toneladas, correspondendo a 20,4% das exportações mundiais. O Paquistão exportou US$ 10,6 mil, ou 8,6% no total mundial. China exportou US$ 8,5 mil, seguida pela Arábia Saudita, com US$ 4,6 mil. Os Estados Unidos é o maior importador de carne caprina, com US$ 33,6 mil em 2005, correspondente a 9,6 mil toneladas e 25,6% das importações mundiais. A China é o segundo maior importador, com US$ 21,7 mil, ou 9,5 mil toneladas, equivalente a 16,5% das importações mundiais. Taiwan importou US$ 16,2 mil, equivalente a 12,3% do total mundial, enquanto Itália e França importaram, em 2005, US$ 12,9 mil e US$ 5,7 mil, respectivamente. Principais países exportadores de carne de caprinos (2005) Austrália ,1 França ,4 Paquistão ,6 China ,9 Arábia Saudita ,7 Nova Zelândia ,2 Outros ,0 Principais países importadores de carne de caprinos (2005) Estados Unidos ,6 China ,5 Taiwan ,3 Itália ,8 França ,4 Arábia Saudita ,3 Outros ,1

5 Preços Os preços internacionais de carne ovina se encontram em níveis acima da média da década passada. No período de 1997 a 2000, os preços sofreram uma queda acentuada causada por instabilidades mundiais no mercado de carnes em geral. A partir de 2001, foi observada uma forte recuperação dos preços, que atingiu recordes históricos em meados de Desde aquela data, os preços vêm apresentando leves reduções, refletindo ajustes na oferta, mas ainda se mantém em níveis elevados. Instabilidades no custo de produção, em virtude das altas das commodities agrícolas, indicam que o preço deve-se se manter em patamares similares pelos próximos anos. US$/ton Indicador de Preço Internacional de Carne Ovina Fonte: FAO. Preço Mensal Média anos 90 e 2000 Existem também grandes diferenças entre os preços exportados de carne ovina e caprina de cada país. Uma das explicações é o destino de cortes e produtos de maior valor agregado a determinadas nações desenvolvidas. Além desse fator, influi também no preço exportado as diferenças dos níveis de vida, refletido nos padrões de consumo. Por exemplo, a Suíça pagou aproximadamente US$ 13,5 mil por tonelada de carne ovina importada em 2005, duas vezes mais que os Estados Unidos, e cerca de cinco vezes mais que a Arábia Saudita. Por sua vez, a Bélgica exportou carne ovina a um preço médio de US$ 7,3 mil em 2005, mais de duas vezes o valor alcançado pela Austrália. O mesmo efeito é sentido nos preços de carne caprina. A Itália importou carne de caprinos a cerca de US$ 8,8 mil em 2005, enquanto Estados Unidos importou a um preço quase três vezes menor. Por outro lado, a França exportou carne de caprinos a cerca de US$ 9,4 mil em 2005, enquanto a Austrália não chegou a atingir US$ 3 mil em suas exportações. Consumo O consumo mundial de carne ovina e caprina é relativamente mais baixo que o consumo das outras carnes tradicionais, bovina, suína e de aves. Consome-se cerca de 2,1 kg/habitante/ano, ou 5% do total de carnes, enquanto o consumo de carne bovina é cinco vezes maior, e o de carne suína quase oito vezes maior. O destaque é o mercado africano, onde a carne ovina e caprina responde por cerca de 20% do consumo total de carnes. 7 FAO/World Bank International commodity prices. Ovine Meat (New Zealand, lamb, frozen whole carcasses, wholesale prices, Smithfield London).

6 No período de 2000 a 2005, o consumo per capita cresceu a uma taxa média anual de 1,8%, levemente acima das taxas de 1,3% em 2006 e a projeção de 1,7% para Este aumento está praticamente concentrado nos países em desenvolvidos, enquanto o consumo per capita nos países desenvolvidos vem diminuindo a taxas próximas a 0,5% ao ano nos últimos 7 anos. Análises da FAO indicam que o consumo mundial de carne de ovinos e caprinos deve-se manter crescente, em taxas similares às observadas nos últimos anos. As mudanças nos hábitos alimentares da população mundial, sobretudo dos países em desenvolvimento, tende a se refletir em um maior consumo de carnes, mas esse crescimento deverá se concentrar nas carnes de menor preço, principalmente frango. Dessa forma, a forte participação da carne ovina e caprina no total de carnes consumidas na África tende a cair, balanceada, por sua vez, por um crescimento relativo do consumo na Ásia. Dentre os países que se destacam por um alto consumo per capita de carne de ovinos e caprinos, se encontram grandes produtores e exportadores, como a Nova Zelândia, com 39,7 kg/habitante/ano e Austrália, com 19,1 kg/habitante/ano. Outros importantes produtores, como a China, com 3,5 Consumo de carne de ovinos e caprinos por região (2007*) Região Consumo Consumo Var. per capita (kg/hab/ano) (mil ton eq. carc.) (%) Oceania 17, ,0 Europa 2, ,3 África 2, ,1 CEI12 2, ,3 Ásia (excl. CEI) 2, ,4 Am. Central 1, ,2 Am. do Sul 0, ,5 Am. do Norte 0, ,4 Desenvolvidos 2, ,5 Em desenvol. 2, ,6 * Previsão. Fonte: FAO. kg/habitante/ano e Irã, com 7,6 kg/habitante/ano, também se encontram nessa situação. Com relação aos países em que o consumo vem crescendo nos últimos anos, se encontram a China, com crescimento médio de 7% de 2000 a 2007, o México, com 2,4% no mesmo período e o Irã, com 2,1%. Já na União Européia o consumo vem caindo consideravelmente, a cerca de 4,2% ao ano, nos últimos 7 anos. Consumo de carne de ovinos e caprinos - países selecionados (2007*) Consumo (kg/hab/ano) Consumo (mil ton eq. carc.) Var. per capita (%) Nova Zelândia 39, ,6 Austrália 19, ,7 Sudão 7, ,8 Irã 7, ,1 Turquia 4, ,6 África do Sul 4, ,0 China 3, ,0 Paquistão 3, ,4 UE25 2, ,2 Nigéria 1, ,7 Argentina 1,5 59-1,0 México 1, ,4 Rússia 1, ,9 Brasil 0, ,1 Índia 0, ,8 Estados Unidos 0, ,6 * Previsão. Fonte: FAO. 8 FAO (2007b). Ovine meat main indicators

Panorama Geral da Ovinocultura no Mundo e no Brasil

Panorama Geral da Ovinocultura no Mundo e no Brasil Revista Ovinos, Ano 4, N 12, Porto Alegre, Março de 2008. Panorama Geral da Ovinocultura no Mundo e no Brasil João Garibaldi Almeida Viana 1 Os ovinos foram uma das primeiras espécies de animais domesticadas

Leia mais

Panorama Atual e Plano de Desenvolvimento para a Caprinovinocultura

Panorama Atual e Plano de Desenvolvimento para a Caprinovinocultura Panorama Atual e Plano de Desenvolvimento para a Caprinovinocultura Francisco Edilson Maia Presidente da Comissão Nacional de Caprinos e Ovinos CNA Presidente da Câmara Setorial e Temática de Ovinos e

Leia mais

MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO Secretaria de Relações Internacionais do Agronegócio. Balança Comercial do Agronegócio Março/2015

MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO Secretaria de Relações Internacionais do Agronegócio. Balança Comercial do Agronegócio Março/2015 MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO Secretaria de Relações Internacionais do Agronegócio Balança Comercial do Agronegócio Março/2015 I Resultados do mês (comparativo Mar/2015 Mar/2014)

Leia mais

MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO Secretaria de Relações Internacionais do Agronegócio. Balança Comercial do Agronegócio Agosto/2015

MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO Secretaria de Relações Internacionais do Agronegócio. Balança Comercial do Agronegócio Agosto/2015 MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO Secretaria de Relações Internacionais do Agronegócio Balança Comercial do Agronegócio Agosto/2015 I Resultados do mês (comparativo Agosto/2015 Agosto/2014)

Leia mais

JURANDI MACHADO - DIRETOR. Cenário Carnes 2014/2015

JURANDI MACHADO - DIRETOR. Cenário Carnes 2014/2015 JURANDI MACHADO - DIRETOR Cenário Carnes 2014/2015 Oferta e Demanda de Carne Suína CARNE SUÍNA 2014 (a)* no Mundo (Mil toneladas) 2015 (b)* Var % (b/a) PRODUÇÃO 110.606 111.845 1,12 CONSUMO 109.882 111.174

Leia mais

EXPORTAÇÕES E IMPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE ALGODÃO RELATÓRIO ABRIL 2015

EXPORTAÇÕES E IMPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE ALGODÃO RELATÓRIO ABRIL 2015 EXPORTAÇÕES E IMPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE ALGODÃO RELATÓRIO ABRIL 2015 BALANÇA COMERCIAL BRASILEIRA DO ALGODÃO Abril/15 Abril/14 VARIAÇÃO RELATIVA ALGODÃO VALOR QUANT. VALOR QUANT. US$ Mil t US$ Mil t VALOR

Leia mais

Suinocultura - Análise da Conjuntura Agropecuária

Suinocultura - Análise da Conjuntura Agropecuária Suinocultura - Análise da Conjuntura Agropecuária fevereiro de 2013. 1 - Considerações Iniciais A Suinocultura é uma das atividades da agropecuária mais difundida e produzida no mundo. O porco, espécie

Leia mais

MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO Secretaria de Relações Internacionais do Agronegócio. Balança Comercial do Agronegócio Junho/2012

MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO Secretaria de Relações Internacionais do Agronegócio. Balança Comercial do Agronegócio Junho/2012 MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO Secretaria de Relações Internacionais do Agronegócio Balança Comercial do Agronegócio Junho/2012 I - Resultados do mês Em junho de 2012 as exportações

Leia mais

ANÁLISE DAS EXPORTAÇÕES MATO-GROSSENSES Janeiro a Dezembro / 2007

ANÁLISE DAS EXPORTAÇÕES MATO-GROSSENSES Janeiro a Dezembro / 2007 ANÁLISE DAS EXPORTAÇÕES MATO-GROSSENSES / 2007 1- Balança Comercial Mato Grosso continua tendo superávit na Balança Comercial registrando em 2007 um expressivo saldo de US$ 4,38 bilhões valor que representa

Leia mais

Estratégia Empresarial com foco nos Agronegócios e Alimentos. Luiz G Murat Jr.

Estratégia Empresarial com foco nos Agronegócios e Alimentos. Luiz G Murat Jr. Estratégia Empresarial com foco nos Agronegócios e Alimentos Luiz G Murat Jr. Estratégia Empresarial com foco nos Agronegócios e Alimentos Amazônia legal 350 Milhões ha 41% Área útil 350 Milhões hectares

Leia mais

O MERCADO DE SOJA 1. INTRODUÇÃO

O MERCADO DE SOJA 1. INTRODUÇÃO O MERCADO DE SOJA 1. INTRODUÇÃO A soja é a commodity mais importante do Brasil, pelo valor da produção obtida de grão, óleo e farelo, significativa parcela na receita cambial, área plantada, consumo de

Leia mais

MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO

MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO Secretaria de Relações Internacionais do Agronegócio Balança Comercial do Agronegócio Outubro/2015 I Resultados do mês (comparativo Outubro/2015 Outubro/2014)

Leia mais

Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Assessoria de Gestão estratégica Brasília, novembro de 2007

Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Assessoria de Gestão estratégica Brasília, novembro de 2007 PROJEÇÕES DO AGRONEGÓCIO MUNDO E BRASIL 26/7 a 217/18 Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Assessoria de Gestão estratégica Brasília, novembro de 27 1 SISTEMA AGROINDUSTRIAL AMBIENTE INSTITUCIONAL

Leia mais

O Desempenho do Mercado Internacional de Rochas Ornamentais em 2012: Principais Produtores, Exportadores e Importadores 1

O Desempenho do Mercado Internacional de Rochas Ornamentais em 2012: Principais Produtores, Exportadores e Importadores 1 Informe 18/2013 O Desempenho do Mercado Internacional de Rochas Ornamentais em 2012: Principais Produtores, Exportadores e Importadores Associação Brasileira da Indústria de Rochas Ornamentais ABIROCHAS

Leia mais

Global Development Finance: uma perspectiva mais positiva para os países em desenvolvimento

Global Development Finance: uma perspectiva mais positiva para os países em desenvolvimento Global Development Finance: uma perspectiva mais positiva para os países em desenvolvimento Os países em desenvolvimento estão se recuperando da crise recente mais rapidamente do que se esperava, mas o

Leia mais

ANGUS: Fábio Schuler Medeiros. Médico Veterinário, D. Sc Gerente Nacional do Programa Carne Angus Certificada Associação Brasileira de Angus

ANGUS: Fábio Schuler Medeiros. Médico Veterinário, D. Sc Gerente Nacional do Programa Carne Angus Certificada Associação Brasileira de Angus ANGUS: Rentabilidade e mercado Fábio Schuler Medeiros Médico Veterinário, D. Sc Gerente Nacional do Programa Carne Angus Certificada Associação Brasileira de Angus Nossos Questionamentos... Como está a

Leia mais

A SUSTENTABILIDADE ECONÔMICA E SOCIAL DA PRODUÇÃO DE FRANGOS E SUÍNOS EM SANTA CATARINA E NO BRASIL

A SUSTENTABILIDADE ECONÔMICA E SOCIAL DA PRODUÇÃO DE FRANGOS E SUÍNOS EM SANTA CATARINA E NO BRASIL A SUSTENTABILIDADE ECONÔMICA E SOCIAL DA PRODUÇÃO DE FRANGOS E SUÍNOS EM SANTA CATARINA E NO BRASIL Jonas Irineu dos Santos Filho Pesquisador da Embrapa Suínos e Aves O consumo de proteína animal no mundo

Leia mais

Aumento do consumo mundial de alimentos é destaque nas Nações Unidas

Aumento do consumo mundial de alimentos é destaque nas Nações Unidas Edição 04 - Outubro de 2014 Aumento do consumo mundial de alimentos é destaque nas Nações Unidas Mais de 100 milhões de pessoas deixaram de passar fome na última década. É o que revela o relatório O estado

Leia mais

Brasil como maior exportador mundial de carne bovina: conquistas e desafios

Brasil como maior exportador mundial de carne bovina: conquistas e desafios Brasil como maior exportador mundial de carne bovina: conquistas e desafios João Ricardo Albanez Superintendente de Política e Economia Agrícola, Secretaria de Agricultura, Pecuária e Abastecimento de

Leia mais

Mercado internacional da carne bovina: a visão da indústria

Mercado internacional da carne bovina: a visão da indústria VII Seminário ABMR&A da Cadeia Produtiva de Carne Bovina Feicorte 2007 Mercado internacional da carne bovina: a visão da indústria Médica Veterinária Andréa Veríssimo M. Appl. Sc. Farm Management Lincoln

Leia mais

O Agronegócio Mundial e Brasileiro

O Agronegócio Mundial e Brasileiro O Agronegócio Mundial e Brasileiro Eugênio Stefanelo Segundo Porter, você é competitivo quando tem um desempenho em longo prazo acima da média dos concorrentes. O agronegócio, que engloba as operações

Leia mais

LEITE E DERIVADOS AGOSTO / 2014 /2014/2009

LEITE E DERIVADOS AGOSTO / 2014 /2014/2009 LEITE E DERIVADOS AGOSTO / 2014 /2014/2009 1. Mercado nacional 1.1 Preços pagos ao produtor Os preços nominais médios brutos 1 pagos ao produtor em agosto, ponderados pela produção, dos sete estados pesquisados

Leia mais

Panorama do setor de frango de corte no Brasil e a participação da indústria avícola paranaense.

Panorama do setor de frango de corte no Brasil e a participação da indústria avícola paranaense. Panorama do setor de frango de corte no Brasil e a participação da indústria avícola paranaense. Luciano de Souza Costa (UNIOESTE) lucianosouzacosta@hotmaisl.com Luis Alberto Ferreira Garcia (UNIOESTE)

Leia mais

A balança comercial do agronegócio brasileiro

A balança comercial do agronegócio brasileiro A balança comercial do agronegócio brasileiro Antonio Carlos Lima Nogueira 1 Qual é a contribuição atual dos produtos do agronegócio para o comércio exterior, tendo em vista o processo atual de deterioração

Leia mais

MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO

MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO Secretaria de Relações Internacionais do Agronegócio Balança Comercial do Agronegócio Janeiro/2016 I Resultados do mês (comparativo jan/2016 jan/2015)

Leia mais

PANORAMA MUNDIAL DO SETOR DE ROCHAS ORNAMENTAIS E DE REVESTIMENTO EM 2013 1

PANORAMA MUNDIAL DO SETOR DE ROCHAS ORNAMENTAIS E DE REVESTIMENTO EM 2013 1 Informe 13/2014 Panorama Mundial do Setor de Rochas Ornamentais e de Revestimento em 2013 Associação Brasileira da Indústria de Rochas Ornamentais ABIROCHAS Avenida Paulista, 1313 8º andar sala 805 Bela

Leia mais

Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos

Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos Maio de 2015 Benefício do câmbio mais depreciado sobre as exportações de carnes será limitado pela queda da demanda de mercados relevantes Regina Helena Couto Silva Departamento de Pesquisas e Estudos

Leia mais

Perspectivas para as Carnes Bovina, de Frango e Suína 2013-2014

Perspectivas para as Carnes Bovina, de Frango e Suína 2013-2014 Perspectivas para as Carnes Bovina, de Frango e Suína 2013-2014 Brasil PARTICIPAÇÃO NO SUPRIMENTO MUNDIAL DE CARNES 2013 Bovino Frango Suíno Produção 2º 3º 4º Consumo 2º 3º 5º Exportação 2º 1º 4º Fonte:

Leia mais

- Corr. de comércio: US$ 38,9 bi, 2º maior valor para meses de abril, (1º abr-13: US$ 42,3 bi);

- Corr. de comércio: US$ 38,9 bi, 2º maior valor para meses de abril, (1º abr-13: US$ 42,3 bi); Abril / 2014 Resultados de Abril de 2014 - Exportação: US$ 19,7 bi em valor e média de US$ 986,2 milhões, 5,2% acima da média de abr-13 (US$ 937,8 milhões); 2ª maior média de exportação para abril (1º

Leia mais

Maçã: Balanço mundial (em mil toneladas métricas)

Maçã: Balanço mundial (em mil toneladas métricas) Informativo da Política Agrícola Secretaria de Política Agrícola Secretaria de Política Agrícola Informativo N o 54 Maçã Ano 6 Vol. 54, março de 213 Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento

Leia mais

BOLETIM CUSTOS E PREÇOS Abril de 2014

BOLETIM CUSTOS E PREÇOS Abril de 2014 BOLETIM CUSTOS E PREÇOS Abril de 2014 Milho: Os preços no mercado brasileiro ficaram estáveis e até mesmo um pouco mais baixos em algumas praças. A incerteza dos produtores quanto à produtividade do milho

Leia mais

110,0 105,0 100,0 95,0 90,0 85,0 80,0

110,0 105,0 100,0 95,0 90,0 85,0 80,0 BOI GORDO O ano de 2013 registrou preços elevados para a arroba do boi gordo, em todas as praças pecuárias acompanhadas pelo Sistema FAEB/SENAR. No acumulado do ano, foram verificadas as seguintes valorizações:

Leia mais

Conjuntura Macroeconômica e Setorial

Conjuntura Macroeconômica e Setorial Conjuntura Macroeconômica e Setorial O ano de 2012 foi um ano desafiador para a indústria mundial de carnes. Apesar de uma crescente demanda por alimentos impulsionada pela contínua expansão da renda em

Leia mais

PERFIL DO AGRONEGÓCIO MUNDIAL SUBSECRETARIA DO AGRONEGÓCIO

PERFIL DO AGRONEGÓCIO MUNDIAL SUBSECRETARIA DO AGRONEGÓCIO PERFIL DO AGRONEGÓCIO MUNDIAL SUBSECRETARIA DO AGRONEGÓCIO Março/2013 2 ÍNDICE 03. Apresentação 04. População Mundial 05. População ocupada 06. PIB Mundial 07. PIB per capita Mundial 08. Exportação Mundial

Leia mais

Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro Programa de Pós-graduação de Ciências Sociais em Desenvolvimento, Agricultura e Sociedade (CPDA)

Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro Programa de Pós-graduação de Ciências Sociais em Desenvolvimento, Agricultura e Sociedade (CPDA) Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro Programa de Pós-graduação de Ciências Sociais em Desenvolvimento, Agricultura e Sociedade (CPDA) Relatório com as principais notícias divulgadas pela mídia

Leia mais

AGRÍCOLA NO BRASIL. Prefácio. resultados do biotecnologia: Benefícios econômicos da. Considerações finais... 7 L: 1996/97 2011/12 2021/22...

AGRÍCOLA NO BRASIL. Prefácio. resultados do biotecnologia: Benefícios econômicos da. Considerações finais... 7 L: 1996/97 2011/12 2021/22... O OS BENEFÍCIOS ECONÔMICOS DA BIOTECNOLOGIA AGRÍCOLA NO BRASIL L: 1996/97 2011/12 O caso do algodão geneticamente modificado O caso do milho geneticamente modificado O caso da soja tolerante a herbicida

Leia mais

LEITE E DERIVADOS JULHO / 2013 /2009

LEITE E DERIVADOS JULHO / 2013 /2009 LEITE E DERIVADOS JULHO / 2013 /2009 1. Mercado nacional: preços pagos ao produtor e produção histórica e estimada no Mercosul Os preços nominais médios brutos 1 pagos ao produtor em julho, ponderados

Leia mais

Produtividade e Crescimento Algumas Comparações José Garcia Gasques; Eliana T. Bastos; Constanza Valdes; Mirian Bacchi

Produtividade e Crescimento Algumas Comparações José Garcia Gasques; Eliana T. Bastos; Constanza Valdes; Mirian Bacchi Produtividade e Crescimento Algumas Comparações José Garcia Gasques; Eliana T. Bastos; Constanza Valdes; Mirian Bacchi I Introdução Um estudo organizado por técnicos do Departamento de Agricultura dos

Leia mais

Intercâmbio Intercâmbio Comercial do Comercial Agronegócio

Intercâmbio Intercâmbio Comercial do Comercial Agronegócio Intercâmbio Intercâmbio Comercial do Comercial Agronegócio do Agronegócio Edição 2010 África do Sul Angola Arábia Saudita Argélia Argentina Bangladesh Canadá China Cingapura Colômbia Coréia do Sul Egito

Leia mais

Paraná Cooperativo EDIÇÃO ESPECIAL EXPORTAÇÕES Informe Diário nº 2.092 Sexta-feira, 08 de maio de 2009 Assessoria de Imprensa da Ocepar/Sescoop-PR

Paraná Cooperativo EDIÇÃO ESPECIAL EXPORTAÇÕES Informe Diário nº 2.092 Sexta-feira, 08 de maio de 2009 Assessoria de Imprensa da Ocepar/Sescoop-PR Paraná Cooperativo EDIÇÃO ESPECIAL EXPORTAÇÕES Informe Diário nº 2.092 Sexta-feira, 08 de maio de 2009 Assessoria de Imprensa da Ocepar/Sescoop-PR EXPORTAÇÕES DAS COOPERATIVAS NO AGRONEGÓCIO EM 1. RESULTADO

Leia mais

Sétimo Estudo Global Anual de Pirataria de Software da BSA

Sétimo Estudo Global Anual de Pirataria de Software da BSA Sétimo Estudo Global Anual de Pirataria de Software da BSA June 2002 Sétimo Estudo Global Anual de Pirataria de Software da BSA No início de 2002, a International Planning and Research Corporation (IPR)

Leia mais

AGRONEGÓCIO BRASILEIRO ALAVANCA DO MERCADO INTERNO OPORTUNIDADES E DESAFIOS VALOR

AGRONEGÓCIO BRASILEIRO ALAVANCA DO MERCADO INTERNO OPORTUNIDADES E DESAFIOS VALOR AGRONEGÓCIO BRASILEIRO ALAVANCA DO MERCADO INTERNO OPORTUNIDADES E DESAFIOS VALOR AVALIAÇÕES TÉCNICAS JUNHO 2013 EVOLUÇÃO DO BRASIL HÁ 50 ANOS = IMPORTADOR HÁ 20 ANOS = VENDEDOR HOJE = FORNECEDOR DISPUTADO

Leia mais

$*5,&8/785$ A CULTURA DO MAMÃO: DESEMPENHO NO PERÍODO 1961-2002* Tagore Villarim de Siqueira**

$*5,&8/785$ A CULTURA DO MAMÃO: DESEMPENHO NO PERÍODO 1961-2002* Tagore Villarim de Siqueira** A CULTURA DO MAMÃO: DESEMPENHO NO PERÍODO 1961-2002* Tagore Villarim de Siqueira** * As principais fontes dos dados utilizados neste trabalho foram FAO, para produção mundial e comércio exterior de mamão

Leia mais

O Relacionamento Comercial Brasil-China, Hoje e Amanhã

O Relacionamento Comercial Brasil-China, Hoje e Amanhã São Paulo Rio de Janeiro Brasília Curitiba Porto Alegre Recife Londres Lisboa Shanghai Miami Buenos Aires O Relacionamento Comercial Brasil-China, Hoje e Amanhã Durval de Noronha Goyos Jr. São Paulo, 12

Leia mais

CENÁRIO GLOBAL DE CARNES (FRANGO E SUÍNO) E MILHO

CENÁRIO GLOBAL DE CARNES (FRANGO E SUÍNO) E MILHO CENÁRIO GLOBAL DE CARNES (FRANGO E SUÍNO) E MILHO Leonardo Sologuren Céleres Junho de 2008 Cresce o consumo de proteína animal no BRIC BRASIL RÚSSIA 108 4,000 60 3.000 kg/habitante/ano 90 72 54 36 18 3,800

Leia mais

Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil

Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil AGRONEGÓCIO BRASILEIRO ALAVANCA DO MERCADO INTERNO OPORTUNIDADES E DESAFIOS CORREDORES DO ARCO NORTE AVALIAÇÕES TÉCNICAS MAIO DE 2014 AGRONEGÓCIO BRASILEIRO

Leia mais

ICC 109 8. 14 setembro 2012 Original: inglês. Conselho Internacional do Café 109 a sessão 24 28 setembro 2012 Londres, Reino Unido

ICC 109 8. 14 setembro 2012 Original: inglês. Conselho Internacional do Café 109 a sessão 24 28 setembro 2012 Londres, Reino Unido ICC 109 8 14 setembro 2012 Original: inglês P Conselho Internacional do Café 109 a sessão 24 28 setembro 2012 Londres, Reino Unido Tendências do consumo de café em países importadores selecionados Antecedentes

Leia mais

América Latina como Novo Pólo de Produção de Leite

América Latina como Novo Pólo de Produção de Leite Workshop Regional sobre Cooperativismo Lácteo América Latina como Novo Pólo de Produção de Leite Vicente Nogueira Netto Fepale OCB/CBCL Cotrial Curitiba, 08 de julho de 2008 Agenda Mudanças recentes no

Leia mais

ANÁLISE CONJUNTURAL DO COMÉRCIO EXTERIOR DA FLORICULTURA BRASILEIRA BALANÇO 2009 E PERSPECTIVAS 2010

ANÁLISE CONJUNTURAL DO COMÉRCIO EXTERIOR DA FLORICULTURA BRASILEIRA BALANÇO 2009 E PERSPECTIVAS 2010 ANÁLISE CONJUNTURAL DO COMÉRCIO EXTERIOR DA FLORICULTURA BRASILEIRA BALANÇO 2009 E PERSPECTIVAS 2010 Antonio Hélio Junqueira 1 Marcia da Silva Peetz 2 As exportações brasileiras de flores e plantas ornamentais

Leia mais

ROTAS INTERNAS DE PRODUTOS DE EXPORTAÇÃO: O CASO DA SOJA

ROTAS INTERNAS DE PRODUTOS DE EXPORTAÇÃO: O CASO DA SOJA 1 Outubro 2009 ROTAS INTERNAS DE PRODUTOS DE EXPORTAÇÃO: O CASO DA SOJA Fernando Raphael Ferro de Lima * INTRODUÇÃO Este trabalho busca compreender como se modificaram, no período recente, os fluxos internos

Leia mais

CONHECENDO O CHILE ATRAVÉS DE SEU SETOR AGRO E ALIMENTOS. www.prochile.gob.cl

CONHECENDO O CHILE ATRAVÉS DE SEU SETOR AGRO E ALIMENTOS. www.prochile.gob.cl CONHECENDO O CHILE ATRAVÉS DE SEU SETOR AGRO E ALIMENTOS www.prochile.gob.cl O Chile surpreende pela sua variada geografia. Suas montanhas, vales, desertos, florestas e milhares de quilômetros de costa,

Leia mais

Milho Perspectivas do mercado 2011/12

Milho Perspectivas do mercado 2011/12 MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO SECRETARIA DE POLÍTICA AGRÍCOLA Milho Perspectivas do mercado 2011/12 março de 2012 Milho - Oferta e Demanda - Mundo milhões de t. Safras 2008/09 2009/10

Leia mais

OCEAN2012. Dia da Dependência de Pescado - Portugal

OCEAN2012. Dia da Dependência de Pescado - Portugal OCEAN2012 Dia da Dependência de Pescado - Portugal A Europa está tão dependente de produtos da pesca capturados fora das suas águas que, neste momento, cerca de metade do pescado que consomem é proveniente

Leia mais

Conjuntura Anual do Sorgo em 2008 e um possível cenário para 2009.

Conjuntura Anual do Sorgo em 2008 e um possível cenário para 2009. Conjuntura Anual do Sorgo em 2008 e um possível cenário para 2009. Para os produtores de sorgo o ano de 2008 pode ser considerado como bom. As condições climatológicas foram favoráveis durante todo o ciclo

Leia mais

Os Benefícios Econômicos da Biotecnologia Agrícola no Brasil: 1996/97 a 2010/11

Os Benefícios Econômicos da Biotecnologia Agrícola no Brasil: 1996/97 a 2010/11 Céleres Os Benefícios Econômicos da Biotecnologia Agrícola no Brasil: 199/97 a 2010/11 O CASO DO ALGODÃO GENETICAMENTE MODIFICADO O CASO DO MILHO GENETICAMENTE MODIFICADO O CASO DA SOJA TOLERANTE A HERBICIDA

Leia mais

Panorama Mundial (2013)

Panorama Mundial (2013) Panorama Mundial (2013) Produção mundial alcançou US$ 444 bilhões em 2013; Mesmo com os efeitos da crise internacional, registra 85% de crescimento desde 2004, a uma taxa média de 7% ao ano; 54% da produção

Leia mais

Exportações no período acumulado de janeiro até março de 2015. Total das exportações do Rio Grande do Sul.

Exportações no período acumulado de janeiro até março de 2015. Total das exportações do Rio Grande do Sul. Este relatório tem por objetivo apresentar os principais números referentes ao comércio internacional do agronegócio do Rio Grande do Sul no mês de março de 2015. Total das exportações do Rio Grande do

Leia mais

O Brasil e o Rebalanceamento

O Brasil e o Rebalanceamento n o 103 23.07.14 Visão do desenvolvimento O Brasil e o Rebalanceamento do Comércio Mundial A principal forma de explicar o desempenho comercial de um país é aquela que interpreta os comportamentos das

Leia mais

FACT-SHEET. Cana-de-Açúcar, Milho e Soja. Programa Agricultura e Meio Ambiente. WWF - Brasil

FACT-SHEET. Cana-de-Açúcar, Milho e Soja. Programa Agricultura e Meio Ambiente. WWF - Brasil FACT-SHEET Cana-de-Açúcar, Milho e Soja Programa Agricultura e Meio Ambiente WWF - Brasília Março 28 WWF- Secretaria Geral Denise Hamú Superintendência de Conservação de Programas Temáticos Carlos Alberto

Leia mais

Logística do Agronegócio: Entraves e Potencialidades para o setor. Andréa Leda Ramos de Oliveira Pesquisadora Científica andrealeda@gmail.

Logística do Agronegócio: Entraves e Potencialidades para o setor. Andréa Leda Ramos de Oliveira Pesquisadora Científica andrealeda@gmail. Logística do Agronegócio: Entraves e Potencialidades para o setor Andréa Leda Ramos de Oliveira Pesquisadora Científica andrealeda@gmail.com Algumas Questões Estamos no caminho correto do desenvolvimento

Leia mais

ESTATÍSTICAS DE COMÉRCIO EXTERIOR, 2005 EMPRESAS DO ESPÍRITO SANTO

ESTATÍSTICAS DE COMÉRCIO EXTERIOR, 2005 EMPRESAS DO ESPÍRITO SANTO GOVERNO DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO SECRETARIA DE ESTADO DE ECONOMIA E PLANEJAMENTO - SEP INSTITUTO JONES DOS SANTOS NEVES - IJSN ESTATÍSTICAS DE COMÉRCIO EXTERIOR, 2005 EMPRESAS DO ESPÍRITO SANTO Vitória,

Leia mais

INDÚSTRIA DE ALIMENTAÇÃO ANIMAL

INDÚSTRIA DE ALIMENTAÇÃO ANIMAL INDÚSTRIA DE ALIMENTAÇÃO ANIMAL Em 2011: Registrou incremento de 5,2% Em 2011, o setor cresceu 5,2%, movimentou R$ 40 bilhões em insumos e produziu 64,5 milhões de toneladas de ração e 2,35milhões de suplementos

Leia mais

MICRO E PEQUENAS INDÚSTRIAS DE HIGIENE PESSOAL, PERFUMARIA E COSMÉTICOS: estudo sobre as dificuldades de obter financiamentos no Brasil

MICRO E PEQUENAS INDÚSTRIAS DE HIGIENE PESSOAL, PERFUMARIA E COSMÉTICOS: estudo sobre as dificuldades de obter financiamentos no Brasil MICRO E PEQUENAS INDÚSTRIAS DE HIGIENE PESSOAL, PERFUMARIA E COSMÉTICOS: estudo sobre as dificuldades de obter financiamentos no Brasil Sheila Pereira da Silva, Paulo César Ribeiro Quintairos, Edson Aparecida

Leia mais

Foco nas Oportunidades do Comércio na América Latina. Fred Giles Diretor, Escritório de Comércio Agricultural USDA / SP

Foco nas Oportunidades do Comércio na América Latina. Fred Giles Diretor, Escritório de Comércio Agricultural USDA / SP Foco nas Oportunidades do Comércio na América Latina Fred Giles Diretor, Escritório de Comércio Agricultural USDA / SP Escritórios da USDA no Brasil Brasília FAS Escritório de Assuntos Agriculturais Ag.

Leia mais

Tabela 01 Mundo Soja Área, produção e produtividade Safra 2009/10 a 2013/14

Tabela 01 Mundo Soja Área, produção e produtividade Safra 2009/10 a 2013/14 Soja Análise da Conjuntura Agropecuária Novembro de 2013 MUNDO A economia mundial cada vez mais globalizada tem sido o principal propulsor responsável pelo aumento da produção de soja. Com o aumento do

Leia mais

Revisão Mensal de Commodities

Revisão Mensal de Commodities Revisão Mensal de Commodities segunda-feira, 3 de dezembro de 2012 Oferta maior e desempenho misto A estabilização do crescimento na China e riscos geopolíticos também afetaram os preços das commodities.

Leia mais

ÍNDICE DE RISCO DE 2008 PORTUGAL

ÍNDICE DE RISCO DE 2008 PORTUGAL ÍNDICE DE RISCO DE 2008 PORTUGAL Índice de Pagamentos 2004 191 2005 184 2006 183 2007 182 2008 183 Desenvolvimento Económico (%) UE 27 - Média PIB per capita US 21.800 (2007) Crescimento do PIB 1,9 2,9

Leia mais

Milho: preços elevados mesmo com super-safra norte-americana

Milho: preços elevados mesmo com super-safra norte-americana Milho: preços elevados mesmo com super-safra norte-americana Super-safra norte-americana Em seu boletim de oferta e demanda mundial de setembro o Usda reestimou para cima suas projeções para a safra 2007/08.

Leia mais

Leite de Cabra Departamento de Ciências Econômicas UFSJ. Orientador.: Prof. Ívis Bento de Lima

Leite de Cabra Departamento de Ciências Econômicas UFSJ. Orientador.: Prof. Ívis Bento de Lima Leite de Cabra Departamento de Ciências Econômicas UFSJ Orientador.: Prof. Ívis Bento de Lima Leite de Cabra Uma função social no Município de Coronel Xavier Chaves Aluno: Alexandre Rodrigues Loures A

Leia mais

Caracterização do Mercado Internacional de Carne de Frango Brasil X Estados Unidos

Caracterização do Mercado Internacional de Carne de Frango Brasil X Estados Unidos Caracterização do Mercado Internacional de Carne de Frango Brasil X Estados Unidos Danusa de Paula Sousa Estudante de Graduação Esalq/USP CPF: 936 619 161-49 R. Barão de Piracicamirim, 512. B. Vila Independência

Leia mais

Impactos do atual modelo de desenvolvimento econômico sobre as empresas

Impactos do atual modelo de desenvolvimento econômico sobre as empresas Impactos do atual modelo de desenvolvimento econômico sobre as empresas Ilan Goldfajn Economista-chefe e Sócio Itaú Unibanco Dezembro, 2015 1 Roteiro sofre de diversos desequilíbrios e problemas de competitividade.

Leia mais

GLOBALIZAÇÃO E POLÍTICA INTERNACIONAL. Professora Luísa Pieniz

GLOBALIZAÇÃO E POLÍTICA INTERNACIONAL. Professora Luísa Pieniz GLOBALIZAÇÃO E POLÍTICA INTERNACIONAL Professora Luísa Pieniz Leornardo Boff Globalização: processo mundial de homogeneização do modo de produção capitalista, de globalização dos mercados e das transações

Leia mais

Associação Latino-Americana de Integração Comércio Exterior

Associação Latino-Americana de Integração Comércio Exterior Ministério das Relações Exteriores - MRE Departamento de Promoção Comercial e Investimentos - DPR Divisão de Inteligência Comercial - DIC Associação Latino-Americana de Integração Comércio Exterior Outubro

Leia mais

CARNE BOVINA DESEMPENHO DE 2008 E PERSPECTIVAS PARA 2009 17/07/2009

CARNE BOVINA DESEMPENHO DE 2008 E PERSPECTIVAS PARA 2009 17/07/2009 CARNE BOVINA DESEMPENHO DE 2008 E PERSPECTIVAS PARA 2009 17/07/2009 MERCADO INTERNACIONAL O Brasil teve uma performance impressionante na produção de carnes nos últimos anos: tornou-se o maior exportador

Leia mais

AGRONEGÓCIO BRASILEIRO ALAVANCA DO MERCADO INTERNO DESAFIOS LOGÍSTICOS FLORIANÓPOLIS AGOSTO 2013

AGRONEGÓCIO BRASILEIRO ALAVANCA DO MERCADO INTERNO DESAFIOS LOGÍSTICOS FLORIANÓPOLIS AGOSTO 2013 AGRONEGÓCIO BRASILEIRO ALAVANCA DO MERCADO INTERNO DESAFIOS LOGÍSTICOS ENESUL -2013 FLORIANÓPOLIS AGOSTO 2013 Metodologia de Trabalho Identificação de Mercados Aptidão e Competitividade da Produção Competitividade

Leia mais

2015 Global Feed Survey

2015 Global Feed Survey 2015 Global Feed Survey 2015 RESULTADOS DA PESQUISA RESUMO EXECUTIVO 2015 é o quarto ano consecutivo que a Alltech realiza a pesquisa global sobre rações. Este empreendimento exige uma quantidade significativa

Leia mais

27/09/2011. Integração Econômica da América do Sul: Perspectiva Empresarial

27/09/2011. Integração Econômica da América do Sul: Perspectiva Empresarial 27/09/2011 Integração Econômica da América do Sul: Perspectiva Empresarial Estrutura da apresentação Perspectiva empresarial Doing Business 2011 Investimentos Estrangeiros e Comércio Exterior Complementaridade

Leia mais

Agropecuária Brasileira: Oportunidades e Desafios

Agropecuária Brasileira: Oportunidades e Desafios Agropecuária Brasileira: Oportunidades e Desafios José Ricardo Severo Superintendência Técnica CNA Março 2010 1 Objetivos: 1. Importância do Agronegócio; 2. Alavanca exportadora como fator de crescimento;

Leia mais

PETRÓLEO E GÁS NATURAL

PETRÓLEO E GÁS NATURAL PANORAMA DOS MERCADOS DE PETRÓLEO E GÁS NATURAL NO BRASIL E NO MUNDO* Ivan Magalhães Júnior** * Novembro de 2004. ** Engenheiro da Área de Planejamento do BNDES. PETRÓLEO E GÁS NATURAL Resumo O objetivo

Leia mais

Disponível: http://www.agricultura.gov.br/

Disponível: http://www.agricultura.gov.br/ Nº 4 - agosto 211 IInttrodução O Brasil vem firmando sua posição entre os maiores produtores e exportadores das principais commodities agrícolas. Face à crescente importância que esses produtos vêm assumindo

Leia mais

Participação da agropecuária nas exportações totais (IPEA)

Participação da agropecuária nas exportações totais (IPEA) Alicia Ruiz Olalde Participação da agropecuária nas exportações totais (IPEA) Exportações Agronegócio (CEPEA) Em 2012, a receita das exportações do agronegócio brasileiro alcançou US$ 97 bilhões. Em 2014,

Leia mais

A COMPETITIVIDADE E A ORIENTAÇÃO REGIONAL DA CARNE BOVINA BRASILEIRA (1992-2002)

A COMPETITIVIDADE E A ORIENTAÇÃO REGIONAL DA CARNE BOVINA BRASILEIRA (1992-2002) Revista Economia e Desenvolvimento, n 14, 2002. A COMPETITIVIDADE E A ORIENTAÇÃO REGIONAL DA CARNE BOVINA BRASILEIRA (1992-2002) Maurício Jorge Pinto de Souza 1 Roberta Dalla Porta Gründling 2 Pascoal

Leia mais

A produção mundial e nacional de leite - a raça girolando - sua formação e melhoramento

A produção mundial e nacional de leite - a raça girolando - sua formação e melhoramento A produção mundial e nacional de leite - a raça girolando - sua formação e melhoramento Duarte Vilela chgeral@cnpgl.embrapa.br Audiência Pública - 18/05/2010 Comissão de Agricultura, Pecuária, Abastecimento

Leia mais

Soja - Análise da Conjuntura Agropecuária. Novembro 2015 PARANÁ

Soja - Análise da Conjuntura Agropecuária. Novembro 2015 PARANÁ Soja - Análise da Conjuntura Agropecuária Novembro 2015 PARANÁ A estimativa de área para a safra 2015/16 de soja é recorde no Paraná. Segundo os técnicos de campo serão semeados 5,24 milhões de hectares,

Leia mais

Agosto/2015 Belo Horizonte - MG

Agosto/2015 Belo Horizonte - MG SECRETARIA DE ESTADO DE AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO DE MINAS GERAIS SUBSECRETARIA DO AGRONEGÓCIO Agosto/2015 Belo Horizonte - MG ÍNDICE 03. Apresentação 04. Dados de Minas Gerais 05. Área, Produção

Leia mais

Anexo IV Metas Fiscais IV.1 Anexo de Metas Fiscais Anuais (Art. 4 o, 2 o, inciso I, da Lei Complementar n o 101, de 4 de maio de 2000)

Anexo IV Metas Fiscais IV.1 Anexo de Metas Fiscais Anuais (Art. 4 o, 2 o, inciso I, da Lei Complementar n o 101, de 4 de maio de 2000) Anexo IV Metas Fiscais IV.1 Anexo de Metas Fiscais Anuais (Art. 4 o, 2 o, inciso I, da Lei Complementar n o 101, de 4 de maio de 2000) Em cumprimento ao disposto na Lei Complementar n o. 101, de 4 de maio

Leia mais

Mercado Halal para Carne de Frango

Mercado Halal para Carne de Frango RICARDO SANTIN Vice Presidente Mercado Halal para Carne de Frango Principais Produtores Mundiais de Carne de Frango (milhões de ton) Brasil continua como terceiro maior produtor mundial de carne de frango.

Leia mais

SECRETARIA DE ESTADO DE AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO SUBSECRETARIA DO AGRONEGÓCIO SOJA. Setembro 2014 Belo Horizonte MG

SECRETARIA DE ESTADO DE AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO SUBSECRETARIA DO AGRONEGÓCIO SOJA. Setembro 2014 Belo Horizonte MG SECRETARIA DE ESTADO DE AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO SUBSECRETARIA DO AGRONEGÓCIO SOJA Setembro 2014 Belo Horizonte MG ÍNDICE 03. Apresentação 04. Dados de Minas Gerais 05. Área, Produção e Produtividade

Leia mais

Questão 25. Questão 27. Questão 26. alternativa B. alternativa C

Questão 25. Questão 27. Questão 26. alternativa B. alternativa C Questão 25 No Brasil, no período 1990-91 a 2003-04, a produção de grãos apresentou crescimento de 125%, enquanto a área plantada aumentou apenas 24%, conforme mostra o gráfico. BRASIL _ ÁREA PLANTADA E

Leia mais

A ECONOMIA MUNDIAL. Produção

A ECONOMIA MUNDIAL. Produção V A economia mundial / 135 V A ECONOMIA MUNDIAL Produção A crise econômica e financeira que teve início na Tailândia em meados de 1997 espalhou-se por outros países do Sudeste Asiático, incluindo Japão

Leia mais

O melhoramento animal e a qualidade do leite no Brasil

O melhoramento animal e a qualidade do leite no Brasil O melhoramento animal e a qualidade do leite no Brasil Rodrigo Sant Anna Alvim 1 e Marcelo Costa Martins 2 1 Engenheiro Agrônomo, Presidente da Comissão Nacional de Pecuária da CNA 2 Engenheiro Agrônomo,

Leia mais

USDA REAFIRMA DÉFICIT INTERNACIONAL EM 2015/16 - MERCADO REAGE TIMIDAMENTE

USDA REAFIRMA DÉFICIT INTERNACIONAL EM 2015/16 - MERCADO REAGE TIMIDAMENTE Boletim Semanal sobre Tendências de Mercados Ano XVII 30/novembro/2015 n. 603 USDA REAFIRMA DÉFICIT INTERNACIONAL EM 2015/16 - MERCADO REAGE TIMIDAMENTE Com o título já enfático sobre o futuro dos preços

Leia mais

BOLETIM ANUAL DO MERCADO DE GRÃOS: MILHO SAFRA 2008 / 2009 Maio de 2008

BOLETIM ANUAL DO MERCADO DE GRÃOS: MILHO SAFRA 2008 / 2009 Maio de 2008 BOLETIM ANUAL DO MERCADO DE GRÃOS: MILHO SAFRA 2008 / 2009 Maio de 2008 Mercado Internacional Em 2007, a produção anual de milho atingiu quase 720 milhões de tonelada (Tabela 1), quando os Estados Unidos,

Leia mais

GRÉCIA Comércio Exterior

GRÉCIA Comércio Exterior Ministério das Relações Exteriores - MRE Departamento de Promoção Comercial e Investimentos - DPR Divisão de Inteligência Comercial - DIC GRÉCIA Comércio Exterior Abril de 2015 Principais Indicadores Econômicos

Leia mais

em números Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento

em números Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento agronegócio brasileiro em números Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento 2010 ranking Ranking Brasileiro da Produção e Exportação Fonte: USDA e Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento

Leia mais

O AGRONEGÓCIO BRASILEIRO E O SETOR DE MÁQUINAS AGRÍCOLAS TENDÊNCIAS DOS MERCADOS PARA 2012/2013 E OS CENÁRIOS DE LONGO PRAZO Carlos Cogo Agosto/2012 LA NIÑA PROVOCA FORTES QUEBRAS EM SAFRAS DE GRÃOS O

Leia mais

Boas Praticas Agropecuárias: Buscando a Sustentabilidade na Produção Pecuária

Boas Praticas Agropecuárias: Buscando a Sustentabilidade na Produção Pecuária Boas Praticas Agropecuárias: Buscando a Sustentabilidade na Produção Pecuária Dr. Guilherme Cunha Malafaia Embrapa Gado de Corte Estruturação do Debate A Cadeia Produtiva da Pecuária de Corte e seus Agentes;

Leia mais

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos FEIJÃO OUTUBRO DE 2015

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos FEIJÃO OUTUBRO DE 2015 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos FEIJÃO OUTUBRO DE 2015 CALENDÁRIO AGRÍCOLA - FEIJÃO Safra 1ª - Safra das Águas 2ª - Safra da Seca 3ª - Safra de Inverno Principais Regiões Sul, Sudeste,

Leia mais

Para obter mais informações, entre em contato com: Colleen Parr, pelo telefone (214) 665-1334, ou pelo e-mail colleen.parr@fleishman.

Para obter mais informações, entre em contato com: Colleen Parr, pelo telefone (214) 665-1334, ou pelo e-mail colleen.parr@fleishman. Para obter mais informações, entre em contato com: Colleen Parr, pelo telefone (214) 665-1334, ou pelo e-mail colleen.parr@fleishman.com Começa a segunda onda prevista de crescimento e desenvolvimento

Leia mais

VERSÃO PRELIMINAR. Notas sobre Redes de Proteção Social e Desigualdade

VERSÃO PRELIMINAR. Notas sobre Redes de Proteção Social e Desigualdade Notas sobre Redes de Proteção Social e Desigualdade 1) Nos últimos dez anos a renda media dos brasileiros que caiu a taxa de 0.6% ao ano, enquanto o dos pobres cresceu 0.7%, já descontados o crescimento

Leia mais