RELATÓRIO VISTORIA N.º 001/2011

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "RELATÓRIO VISTORIA N.º 001/2011"

Transcrição

1 RELATÓRIO DE VISTORIA N.º 001/2011 CAIXA ECONÔMICA FEDERAL AGÊNCIA BOCA DO RIO Salvador, 14 de dezembro de

2 RELATÓRIO DE VISTORIA 1 SOLICITANTE: Ministério Público Federal Procuradoria Regional dos Direitos do Cidadão - através do ofício n.º 1524/2011- NTC-PR/BA-DN referente ao Termo de Ajustamento de Conduta firmado com a FEBRABAN. 2 INTERESSADO: Dr. Domênico D Andrea Neto Procurador da República. 3 OBJETIVO: Realizar vistoria técnica na Agência da Caixa Econômica Federal CEF, situada na Avenida Otávio Mangabeira, n.º 6000, Shopping Aeroclube Plaza Show, Boca do Rio Salvador/BA, visando verificar as condições de acessibilidade à diversidade das pessoas nas instalações físicas do Banco, incluindo seu entorno imediato, especificamente as pessoas com deficiência ou com mobilidade reduzida, aos idosos, obesos, deficientes visuais e auditivos. Esta ação visa o atendimento ao Termo de Ajustamento de Conduta TAC celebrado entre o MPF e a FEBRABAN para a garantia da acessibilidade, conforme exigências da legislação vigente Leis /2000 e /2000, do Decreto Federal n.º 5.296/04 e da NBR 9050 e , da Associação Brasileira de Normas Técnicas. 4 RELATO: Às 14h30min, do dia 14 de dezembro de 2011, compareceram ao local os técnicos do CREA-BA e do Ministério Público Federal (MPF) a fim de vistoriar as dependências da Agência Boca do Rio da Caixa Econômica Federal, atendendo à solicitação do Ministério Público Federal. 5 VISTORIA: A agência foi inspecionada nos ambientes destinados ao público, situado no pavimento térreo. O pavimento superior era destinado aos funcionários, portanto não foi vistoriado. O Gerente Sr. Evaristo informou que naquela unidade não existiam funcionários com deficiência. Trata-se de agência situada nas dependências de um shopping Center, voltada para seu exterior, fotos nº 01 e 02. Ressalte-se que no momento da vistoria, o shopping se encontrava com áreas desativadas, denotando se encontrar, parcialmente, em reforma. A vistoria foi realizada da seguinte forma: 1. Áreas Internas à Edificação: ambientes internos da agência (autoatendimento, espera, caixas e área empresarial (atendimento à pessoa física e jurídica) e gerência. 2. Entorno Imediato e Área Externa: a partir do estacionamento do shopping e do ponto de ônibus localizado na Avenida Otávio Mangabeira até o acesso à agência, fotos nº 04 e 05. 2

3 6 INCONFORMIDADES OBSERVADAS: 6.1. Do Entorno e Área Externa A vistoria constatou que o acesso da agência situa-se frontal a um grande estacionamento do shopping, por onde se atravessa até alcançar a calçada da Avenida onde se localiza o ponto de ônibus, não existindo rampa para vencer o grande desnível, mas sim uma escada. Passeio em cimentado liso em frente à agência, grelha de drenagem em concreto e blokret necessitando de manutenção, fotos nº 03 e 04; Ausência de piso tátil nas áreas externas, conforme foto nº 01; Ausência de rampa próxima ao acesso da agência, conforme foto nº 01; A rampa existente situa-se distante do acesso à agência e não possui sinalização vertical ou horizontal, conforme fotos nº 06 e 07; Presença de tampa de concessionária próxima do acesso da agência, apesar de nivelada, pode causar acidentes, conforme fotos nº 08 e 09; Vagas demarcadas para deficientes com distância incompatível, além de trecho do passeio interditado, conforme fotos nº 07 e 10; 6.2. Sala de auto-atendimento Piso em cerâmica bege com detalhes em marrom, possuindo piso tátil emborrachado na cor azul. O Gerente nos informou que a agência se encontra em fase de reforma, devendo o lay out atual sofrer alteração. Tapete na porta principal inadequado, foto n.º 12; Piso tátil apresentando placas descoladas, locais com ausência de placas e instalado de forma incompatível com os caixas eletrônicos existentes, além de direcionado para vidro fixo no acesso interno da agência, conforme foto nº 11; Não há sinalização de caixa preferencial, conforme foto nº 14; Ausência de sinalização em Braille para as pessoas com deficiência visual, Dos Sanitários A agência não dispõe de sanitários internos. O Gerente informou que os usuários utilizam os sanitários do shopping Center Sala de Espera Piso tátil instalado de forma incompatível com a disposição do mobiliário, induzindo o deficiente visual a situações de risco, conforme foto nº 16; Ausência de espaço para cadeirante, conforme foto nº 17; O Atendimento expresso não permite o acesso para cadeirante, tampouco possui piso tátil, conforme foto nº 18 e 19; 6.3. Dos Caixas Entrada do espaço para os caixas com 60 cm de largura, impossibilitando o acesso de cadeirantes, conforme foto nº 22; Espaço interno da área dos Caixas não permite a manobra de usuários de cadeiras de rodas, conforme foto nº 21; Ausência de piso tátil no ambiente onde se situam os caixas, foto nº 21; 3

4 Desnível vertical de 14 cm no último Caixa de n.º 23, conforme foto nº 20; Apresentava atendimento preferencial no Caixa 20, porém o acesso não permitia a passagem da cadeira de rodas, conforme foto nº 23. A espera dessa área possui assentos preferenciais, porém não dispõe de espaça para cadeirante Atendimento Empresarial e Gerência Interligada à área de espera através de pequena rampa, com declividade adequada, porém largura de 1,10m, (inferior a 1,20m), conforme foto nº 24; Espaço de circulação reduzido, dificultando o acesso ao Gerente Geral, conforme foto nº 25; Ausência de piso tátil, conforme foto nº 25; Não há indicação de sinalização para atendimento preferencial. Ausência de sinalização de alerta em volta dos móveis e equipamentos existentes, conforme foto nº 25; 6.5. Ausência do cumprimento à lei /00 Não foi verificado o atendimento prioritário nas áreas de Gerência para as pessoas com deficiência e mobilidade reduzida, obesos e idosos, onde sejam consideradas as especificidades de cada deficiência, o saber lidar com este público, deste modo, oferecerá um tratamento de qualidade e respeito para todos os usuários deste serviço. 7 CONSIDERAÇÕES GERAIS A Acessibilidade, definida pela Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) como: Possibilidade e condição de alcance para utilização, com segurança e autonomia, de edificações, espaço, mobiliário e equipamento urbanos (NBR 9050, 1994, p. 2), é de grande importância para a população em geral, em especial, os idosos, obesos, pessoas com deficiência ou mobilidade reduzida, em vista de sua nova participação atuante na sociedade. Portanto, a acessibilidade deve ser considerada já no momento da concepção do projeto a ser implantado, respeitando e cumprindo as determinações das leis e normas e assim, podendo desenvolver e resolver todas as interfaces dos espaços de convívio com os usuários, respeitando as diferenças dos usuários evitando-se a construção de edificações e equipamentos urbanos que se tornem barreiras arquitetônicas impedindo o acesso da diversidade das pesoas. Um ambiente com acessibilidade atende, diferentemente, uma variedade de necessidades dos usuários, tornando possível uma maior autonomia e independência. Entendendo autonomia como a capacidade do indivíduo de desfrutar dos espaços e elementos espontaneamente, segundo sua vontade, e independência como a capacidade de usufruir os ambientes, sem precisar de ajuda. Para alcançar essa acessibilidade, devem ser considerados alguns elementos importantes, como a provisão de alternativas para uso pleno do ambiente construído, a adequação e adaptabilidade da estrutura, das instalações e dos maciços e o estímulo à percepção intuitiva das funções ambientais. (GUIMARÃES, 1999). 4

5 8 CONCLUSÃO Após análises das evidências observadas in loco, conclui-se que a agência da Caixa Econômica Federal, situada na Avenida Otávio Mangabeira, n.º 6000, Shopping Aeroclube Plaza Show, Boca do Rio Salvador/BA apresenta problemas de acessibilidade que impedem a utilização adequada dos espaços, com autonomia, segurança e conforto, pois não são acessíveis. Torna-se necessária a elaboração de um projeto de acessibilidade que contemple intervenções no lay out do pavimento destinado ao público e na área externa (entorno imediato), prevendo acessos próximos à entrada da agência, pois soluções isoladas e parciais não resolverão o problema em caráter definitivo e a diversidade dos usuários não serão plenamente atendidos em seu direito básico e constitucional de ir e vir. O Projeto de Acessibilidade deverá contemplar o correto fluxo de pessoas (incluindo pistas táteis), adequações dos ambientes, comunicação visual, seus usos etc., mediante o planejamento completo de reforma e adaptação para o local, com a participação de profissionais, devidamente habilitados Arquitetos e Engenheiros, possibilitando o acesso de forma autônoma e segura a todas as pessoas que venham a utilizar ou trabalhar na agência. O projeto e sua execução deverão ser registrados sob a forma de Anotação de Responsabilidade Técnica ART. 9 ANEXOS Anexos ao presente seguem as Plantas de Localização e Situação da Agência e o Quadro Fotográfico contendo 25 (vinte e cinco) fotos, que ilustram e registram a situação observada durante a vistoria. Nada mais digno de registro, concluem os signatários, que datam e assinam. Salvador (BA), 14 de dezembro de Arqtº e Engº Giesi Nascimento dos Santos Filho CREA-BA Engª Civil Maria da Conceição Azevedo Analista Técnica CREA-BA Eng.º Mec. Wilson Quaresma Jucá Coordenador de Fiscalização CREA-BA Diógenes Augusto das Neves Júnior Fiscal CREA-BA Eng. Civil Flávia Mascarenhas Mattos - MPF 5

6 ANEXO I Plantas de Localização e Situação 6

7 Planta de Localização Planta de Situação 7

8 ANEXO II Quadro Fotográfico 8

9 FOTO 01- Fachada principal do estabelecimento vistoriado. FOTO 02 Detalhe do acesso do estabelecimento vistoriado. 9

10 FOTO 03- Passeio em blokret, em frente à agência, grelha de drenagem em concreto e necessitando de manutenção. FOTO 04 - Passeio em cimentado liso e obstáculos móveis em frente à agência. 10

11 FOTO 05- Entorno Imediato à agência: a partir do estacionamento do shopping. FOTO 06 Rampa existente entre o estacionamento e a galeria. 11

12 FOTO 07 Rampa existente entre o estacionamento e a galeria. FOTO 08 - Presença de tampa de concessionária próxima do acesso da agência, apesar de nivelada, pode causar acidentes. 12

13 FOTO 09- Presença de tampa de concessionária próxima do acesso da agência, apesar de nivelada, pode causar acidentes. 13

14 FOTO 10- Vagas demarcadas para deficientes com distância incompatível ao estabelecimento vistoriado. FOTO 11 - Tapete na porta principal inadequado, além de piso tátil apresentando placas descoladas. 14

15 FOTO 12 Detalhe do tapete na porta principal, podendo causar acidentes. FOTO 13 Detalhe da placa do piso tátil descolada. 15

16 FOTO 14 - Ausência de sinalização de caixa preferencial. FOTO 15- Ausência de sinalização em Braille, para as pessoas com deficiência visual. 16

17 FOTO 16- Piso tátil instalado de forma incompatível com a disposição do mobiliário. FOTO 17 - Ausência de espaço para cadeirante, indicação de mobiliário preferencial. 17

18 FOTO 18 - Ausência de espaço para cadeirante. FOTO 19 Não possui piso tátil. 18

19 FOTO 20 - Desnível vertical de 14 cm entre o piso do atendimento. 19

20 FOTO 21- Desnível vertical de 14 cm entre o piso do atendimento, ausência de espaço para manobra da cadeira de rodas. FOTO 22- Entrada do espaço para os caixas com 60 cm de largura, impossibilitando o acesso para cadeirantes. 20

21 FOTO 23 - Caixa 20 apresentava atendimento preferencial porém o acesso não permitia a passagem de cadeira de rodas. FOTO 24- Rampa interligada à área de espera com declividade adequada, porém largura de 1,10m (inferior a 1,20m). 21

22 FOTO 25 Atendimento Empresarial com espaço de circulação reduzido. 22

Laudo de Acessibilidade

Laudo de Acessibilidade Laudo de Acessibilidade Vistoriado por Arq. Eduardo Ronchetti de Castro CREA 5061914195/D Considerações legais elaboradas por Dr. Luis Carlos Cocola Kassab - OAB/SP 197.829 Rua Marechal Deodoro, 1226 Sala

Leia mais

Ambientes acessíveis

Ambientes acessíveis Fotos: Sônia Belizário Ambientes acessíveis É FUNDAMENTAL A ATENÇÃO AO DESENHO E A CONCEPÇÃO DOS PROJETOS, PRINCIPALMENTE NOS ESPAÇOS PÚBLICOS,PARA ATENDER ÀS NECESSIDADES E LIMITAÇÕES DO MAIOR NÚMERO

Leia mais

NORMA BRASILEIRA. Accessibility in highway transportation

NORMA BRASILEIRA. Accessibility in highway transportation NORMA BRASILEIRA ABNT NBR 15320 Primeira edição 30.12.2005 Válida a partir de 30.01.2006 Acessibilidade à pessoa com deficiência no transporte rodoviário Accessibility in highway transportation Palavras-chave:

Leia mais

Projeto de Lei n.º 1.291/2009 pág. 1 PROJETO DE LEI Nº 1.291/2009 SÚMULA: ESTABELECE NORMAS E CRITÉRIOS DE ADEQUAÇÃO PARA ACESSIBILIDADE ÀS PESSOAS

Projeto de Lei n.º 1.291/2009 pág. 1 PROJETO DE LEI Nº 1.291/2009 SÚMULA: ESTABELECE NORMAS E CRITÉRIOS DE ADEQUAÇÃO PARA ACESSIBILIDADE ÀS PESSOAS Projeto de Lei n.º 1.291/2009 pág. 1 PROJETO DE LEI Nº 1.291/2009 SÚMULA: ESTABELECE NORMAS E CRITÉRIOS DE ADEQUAÇÃO PARA ACESSIBILIDADE ÀS PESSOAS PORTADORAS DE DEFICIÊNCIA OU MOBILIDADE REDUZIDA NOS

Leia mais

MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL PROCURADORIA DA REPÚBLICA NO ESTADO DE SÃO PAULO TERMO DE AJUSTAMENTO DE CONDUTA Nº 08/2010

MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL PROCURADORIA DA REPÚBLICA NO ESTADO DE SÃO PAULO TERMO DE AJUSTAMENTO DE CONDUTA Nº 08/2010 TERMO DE AJUSTAMENTO DE CONDUTA Nº 08/2010 Pelo presente instrumento, com fundamento no artigo 5º, 6º, da Lei nº 7.347/85, de 24 de julho de 1985, de um lado, o MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL, pela Procuradora

Leia mais

Normas e Leis para Ocupação de Auditórios e Locais de Reunião. LEI Nº 11.228, DE 25 DE JUNHO DE 1992 (São Paulo/SP)

Normas e Leis para Ocupação de Auditórios e Locais de Reunião. LEI Nº 11.228, DE 25 DE JUNHO DE 1992 (São Paulo/SP) CÓDIGO: DC 1.3/14 REVISÃO: 01 PÁGINA: 1 de 9 Normas e Leis para Ocupação de Auditórios e Locais de Reunião LEI Nº 11.228, DE 25 DE JUNHO DE 1992 (São Paulo/SP) (LUIZA ERUNDINA DE SOUZA, Prefeita do Município

Leia mais

Acessibilidade: VOCÊ ESTÁ SENSÍVEL A ESSE TEMA? POR MARA GABRILLI

Acessibilidade: VOCÊ ESTÁ SENSÍVEL A ESSE TEMA? POR MARA GABRILLI Acessibilidade: VOCÊ ESTÁ SENSÍVEL A ESSE TEMA? POR MARA GABRILLI Quem é MARA GABRILLI... reabilitação, estudo, trabalho, inclusão... Quando eu ajudo a melhorar a vida de alguém, a minha vida melhora junto.

Leia mais

Índice de Aferição de Acessibilidade Física Edificação (Interior)

Índice de Aferição de Acessibilidade Física Edificação (Interior) Interfere na faixa livre mínima? (faixa livre mín=0,90m) Há interferência das portas na faixa livre apenas nas áreas privativas da edificação Área de Aproximação à porta Há área de manobra para cadeira

Leia mais

ANÁLISE INDIVIDUAL DE PRODUTOS Relatório de Acessibilidade

ANÁLISE INDIVIDUAL DE PRODUTOS Relatório de Acessibilidade ANÁLISE INDIVIDUAL DE PRODUTOS Relatório de Acessibilidade 1. Conceito/objetivo do produto: O relatório destina-se a informar e orientar as condições de acesso e utilização de equipamentos e instalações

Leia mais

ACESSIBILIDADE EM ARENAS MULTIUSO

ACESSIBILIDADE EM ARENAS MULTIUSO ACESSIBILIDADE EM ARENAS MULTIUSO Um Check-list! Uma arena multiuso, na maioria das vezes utilizada para jogos de futebol (daí sua importância capital na sociedade brasileira), deve partir de premissa

Leia mais

ANEXO 5. Elementos do Projeto Básico Área Complementar

ANEXO 5. Elementos do Projeto Básico Área Complementar ANEXO 5 Elementos do Projeto Básico Área Complementar 1 Nome da Intervenção: Demolição das instalações situadas na área militar Código: ACE 01 Localização Objetivo(s): Disponibilizar área pública do exército

Leia mais

Deus. Dr. Milton Bigucci. SECOVI e ACIGABC. Sr. João Alberto. Família. Noiva. Amigos. Equipe do escritório. A todos aqui presentes.

Deus. Dr. Milton Bigucci. SECOVI e ACIGABC. Sr. João Alberto. Família. Noiva. Amigos. Equipe do escritório. A todos aqui presentes. CONVITE APRESENTAÇÃO. Eduardo Ronchetti de Castro AGRADECIMENTOS. Agradecimentos especiais: Deus. Dr. Milton Bigucci. SECOVI e ACIGABC. Sr. João Alberto. Família. Noiva. Amigos. Equipe do escritório. A

Leia mais

L A B O R A T Ó R I O A D A P T S E Escola de Arquitetura da UFMG. ROTEIRO DE INSPEÇÃO DA ACESSIBILIDADE Guia Acessível BH / RIZOMA CONSULTING14

L A B O R A T Ó R I O A D A P T S E Escola de Arquitetura da UFMG. ROTEIRO DE INSPEÇÃO DA ACESSIBILIDADE Guia Acessível BH / RIZOMA CONSULTING14 INTRODUÇÃO Este material tem o objetivo de avaliar a acessibilidade mínima de estabelecimentos comerciais e de serviço ao público. Ele avalia basicamente a acessibilidade física do local e as condições

Leia mais

NOTA TÉCNICA 25/2015 REQUISITOS LEGAIS UNIDADE 1. Roberta Muriel

NOTA TÉCNICA 25/2015 REQUISITOS LEGAIS UNIDADE 1. Roberta Muriel NOTA TÉCNICA 25/2015 REQUISITOS UNIDADE 1 Roberta Muriel Objetivo: Orientar sobre como cada requisito deve ser tratado pela IES e pelos avaliadores. A IES deve: Manifestar-se e apresentar informações sobre

Leia mais

CARTILHA DE BOLSO ACESSIBILIDADE: PROJETANDO E CONSTRUINDO CIDADANIA. Apoio:

CARTILHA DE BOLSO ACESSIBILIDADE: PROJETANDO E CONSTRUINDO CIDADANIA. Apoio: MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE CENTRO DE APOIO OPERACIONAL ÀS PROMOTORIAS DE DEFESA DAS PESSOAS COM DEFICIÊNCIA, DO IDOSO, DAS COMUNIDADES INDÍGENAS E DAS MINORIAS ÉTNICAS ACESSIBILIDADE:

Leia mais

3. Alguns itens imprescindíveis na elaboração do projeto:

3. Alguns itens imprescindíveis na elaboração do projeto: 1. Introdução A acessibilidade é um direito de todos. Promover espaços, onde todas as pessoas possam usufruir com igualdade, liberdade e autonomia, é um compromisso de cada cidadão. Esta cartilha tem o

Leia mais

Índice de Aferição de Acessibilidade Física

Índice de Aferição de Acessibilidade Física Área de Aproximação à porta Interfere na faixa livre mínima? (faixa livre mín=0,90m) Há área de manobra para cadeira de rodas? (raio mínimo=de 1,20m a 1,50m) Dimensões da área frontal à porta Dimensões

Leia mais

Título do trabalho: Acessibilidade do espaço físico da Biblioteca Dante Moreira Leite

Título do trabalho: Acessibilidade do espaço físico da Biblioteca Dante Moreira Leite Temática(s): Acessibilidade do espaço físico Tipo de Trabalho: Relato de Experiência Título do trabalho: Acessibilidade do espaço físico da Biblioteca Dante Moreira Leite Autora e Filiação: Sampaio, M.

Leia mais

GRUPO 6 - TRANSPORTE e MORADIA

GRUPO 6 - TRANSPORTE e MORADIA GRUPO 6 - TRANSPORTE e MORADIA Nº PROPOSTA 01 02 Inclusão do segmento dos surdos na isenção dos impostos, assim como as demais pessoas com deficiência, quando da aquisição de veículo de transporte de passeio;

Leia mais

Todos Juntos por um Brasil maisacessível

Todos Juntos por um Brasil maisacessível Todos Juntos por um Brasil maisacessível Aspectos Técnicos Edificações Públicas Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP) Núcleo de Atuação Especial em Acessibilidade 1 Uma rampa? Um banheiro com

Leia mais

Resolução nº 30/CONSUP/IFRO, de 03 de outubro de 2011.

Resolução nº 30/CONSUP/IFRO, de 03 de outubro de 2011. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE RONDÔNIA CONSELHO SUPERIOR Resolução nº 30/CONSUP/IFRO, de 03 de outubro

Leia mais

NÚCLEO DE ORIENTAÇÃO PARA A SUSTENTABILIDADE:

NÚCLEO DE ORIENTAÇÃO PARA A SUSTENTABILIDADE: NÚCLEO DE ORIENTAÇÃO PARA A SUSTENTABILIDADE: o direito à moradia acessível Ana Cecília Estevão Felipe Sérgio Bastos Jorge Matheus Henrique Araújo Silva CEFET-MG Campus Curvelo Eixo Temático: Desenho universal

Leia mais

GUIA PARA UMA CALÇADA LEGAL E ACESSÍVEL

GUIA PARA UMA CALÇADA LEGAL E ACESSÍVEL GUIA PARA UMA CALÇADA LEGAL E ACESSÍVEL O QUE É A AÇÃO MINHA CALÇADA? É mais uma das ações da Prefeitura, dentro do movimento Porto Alegre: Eu Curto, Eu Cuido, que tem como principal objetivo conscientizar

Leia mais

ACESSIBILIDADE PÚBLICA. Uma estratégia para Transporte Público

ACESSIBILIDADE PÚBLICA. Uma estratégia para Transporte Público ACESSIBILIDADE PÚBLICA Uma estratégia para Transporte Público Pedro Bisch Neto Diretor Superintendente Vinicio Salvagni Diretor de Trasnporte Metropolitano DEFINIÇÃO AFINAL, O QUE É MOBILIDADE URBANA E

Leia mais

Lei 11.666, de 9 de dezembro de 1994

Lei 11.666, de 9 de dezembro de 1994 Lei 11.666, de 9 de dezembro de 1994 Estabelece normas para facilitar o acesso dos portadores de deficiência física aos edifícios de uso público, de acordo com o estabelecido no art. 227 da Constituição

Leia mais

Viva Acessibilidade!

Viva Acessibilidade! MARKETING/MP-GO MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE GOIÁS Procuradoria-Geral de Justiça do Estado de Goiás Centro de Apoio Operacional dos Direitos Humanos e do Cidadão Viva Acessibilidade! Goiânia 2013 MINISTÉRIO

Leia mais

MANUAL DE ACESSIBILIDADE

MANUAL DE ACESSIBILIDADE MANUAL DE ACESSIBILIDADE INSTITUTO DE PLANEJAMENTO URBANO DE FLORIANÓPOLIS Equipe Técnica: Engenheira Luiza Regina dos Santos Medeiros Engenheiro Keedson Sousa dos Santos Técnico Baiard Tadeu Frediani

Leia mais

GE.01/202.75/00889/01 GERAL GERAL ARQUITETURA / URBANISMO INFRAERO GE.01/202.75/00889/01 1 / 6 REVISÃO GERAL 07.07.05 ARQ. CLAUDIA

GE.01/202.75/00889/01 GERAL GERAL ARQUITETURA / URBANISMO INFRAERO GE.01/202.75/00889/01 1 / 6 REVISÃO GERAL 07.07.05 ARQ. CLAUDIA INFRAERO GE.01/202.75/00889/01 1 / 6 01 REVISÃO GERAL 07.07.05 ARQ. CLAUDIA REV. M O D I F I C A Ç Ã O DATA PROJETISTA DESENHISTA APROVO Empresa Brasileira de Infra-Estrutura Aeroportuária ESCALA DATA

Leia mais

ROTEIRO BÁSICO PARA AVALIAÇÃO DA ACESSIBILIDADE NAS EDIFICAÇÕES DO MINISTÉRIO PÚBLICO

ROTEIRO BÁSICO PARA AVALIAÇÃO DA ACESSIBILIDADE NAS EDIFICAÇÕES DO MINISTÉRIO PÚBLICO ROTEIRO BÁSICO PARA AVALIAÇÃO DA ACESSIBILIDADE NAS EDIFICAÇÕES DO MINISTÉRIO PÚBLICO DADOS DA EDIFICAÇÃO Órgão: Endereço: Bairro: Município: Data: Uso do imóvel: Institucional: Comercial: Residencial:

Leia mais

RELATÓRIO. Comissão Permanente Intersetorial de Atenção à Saúde da Pessoa com Deficiência. Avaliação de mobilidade e Acessibilidade Unidades de Saúde

RELATÓRIO. Comissão Permanente Intersetorial de Atenção à Saúde da Pessoa com Deficiência. Avaliação de mobilidade e Acessibilidade Unidades de Saúde RELATÓRIO Comissão Permanente Intersetorial de Atenção à Saúde da Pessoa com Deficiência Avaliação de mobilidade e Acessibilidade Unidades de Saúde Local: ARE Ambulatório Regional de Especialidades Data:

Leia mais

CADERNO DE ESPECIFICAÇÕES

CADERNO DE ESPECIFICAÇÕES CADERNO DE ESPECIFICAÇÕES 1. GENERALIDADES Este documento tem por objetivo fornecer aos interessados no Chamamento Público as especificações básicas que deverão ser seguidas para o atendimento deste objeto.

Leia mais

Conselho Regional de Engenharia e Agronomia da Bahia, Crea-BA RELATÓRIO VISTORIA Nº. 007/2012

Conselho Regional de Engenharia e Agronomia da Bahia, Crea-BA RELATÓRIO VISTORIA Nº. 007/2012 , Crea-BA RELATÓRIO DE VISTORIA Nº. 007/2012 Salvador, 03 de abril de 2012. , Crea-BA RELATÓRIO DE VISTORIA 1 - SOLICITANTE: Vereadora Aladilce Souza Membro da Frente Parlamentar Mista em defesa de Itapuã,

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO DE ACESSIBILIDADE PARA PESSOAS COM DEFICIÊNCIA E MOBILIDADE REDUZIDA NO ITABORAÍ PLAZA SHOPPING

MEMORIAL DESCRITIVO DE ACESSIBILIDADE PARA PESSOAS COM DEFICIÊNCIA E MOBILIDADE REDUZIDA NO ITABORAÍ PLAZA SHOPPING MEMORIAL DESCRITIVO DE ACESSIBILIDADE PARA PESSOAS COM DEFICIÊNCIA E MOBILIDADE REDUZIDA NO ITABORAÍ PLAZA SHOPPING MEMORIAL DESCRITIVO O Shopping Itaboraí, localizado na Rodovia BR-101, Km 295,5 Rio Aldeia

Leia mais

ACESSIBILIDADES. boas práticas Boas práticas para auxiliar pessoas com necessidades especiais. 1. Deficiência visual

ACESSIBILIDADES. boas práticas Boas práticas para auxiliar pessoas com necessidades especiais. 1. Deficiência visual Boas práticas para auxiliar pessoas com necessidades especiais 1. Deficiência visual A deficiência visual é a perda ou redução da capacidade visual, com caráter definitivo. As limitações do campo visual

Leia mais

LAUDO DE PREVENÇÃO E COMBATE A INCÊNDIO E PÂNICO

LAUDO DE PREVENÇÃO E COMBATE A INCÊNDIO E PÂNICO LAUDO DE PREVENÇÃO E COMBATE A INCÊNDIO E PÂNICO IDENTIFICAÇÃO DO ESTÁDIO Nome do estádio: Apelido do estádio: Endereço completo do estádio: Cidade: Estado: Site: Proprietário: E-mail: Gestor do estádio:

Leia mais

DIREITOS DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA

DIREITOS DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA DIREITOS DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA Maria Izabel do Amaral Sampaio Castro 8.ª Promotora de Justiça de São Caetano do Sul miasc@mp.sp.gov.br (11) 4238-8757 1 TERMINOLOGIA 1) Pessoa PORTADORA de Deficiência:

Leia mais

PROJETO DE EMENDA À CONSTITUIÇÃO FEDERAL N.º, DE 2011 (Da Sra. Rosinha da Adefal)

PROJETO DE EMENDA À CONSTITUIÇÃO FEDERAL N.º, DE 2011 (Da Sra. Rosinha da Adefal) PROJETO DE EMENDA À CONSTITUIÇÃO FEDERAL N.º, DE 2011 (Da Sra. Rosinha da Adefal) Altera o art. 6º da Constituição Federal para incluir o direito à Acessibilidade entre os direitos e garantias fundamentais

Leia mais

MANUAL DE ACESSIBILIDADE

MANUAL DE ACESSIBILIDADE - LIC 71.3.8 - Índice 1. Elementos de Arquitetura 1.1 Passeio 1.2 Vagas de estacionamento - demarcação 1.3 Vagas de estacionamento - sinalização 1.4 Rampas 1.5 Escadas e seus componentes 1.6 Aproximação

Leia mais

Engenheiro Giovany Luz

Engenheiro Giovany Luz Engenheiro Giovany Luz APRESENTAÇÃO Considerando que, de acordo com os dados do IBGE - Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, aproximadamente 25 milhões de pessoas no Brasil apresentam algum

Leia mais

Lei n 1.687/91 De 27 de março de 1991

Lei n 1.687/91 De 27 de março de 1991 Lei n 1.687/91 De 27 de março de 1991 Regulamenta o Art. 16 da Lei Orgânica, que diz respeito à garantia de acesso adequado aos portadores de deficiência física ou mental aos bens e serviços coletivos,

Leia mais

Panorama da Norma NBR 9050 Sistemas de Calçadas

Panorama da Norma NBR 9050 Sistemas de Calçadas Panorama da Norma NBR 9050 Sistemas de Calçadas Cenário 20% das ruas não possui pavimentação 46% das casas no país não têm calçadas no entorno e, quando têm, falta acessibilidade 4,7% apresenta rampas

Leia mais

Da Eliminação de Barreiras Arquitetônicas para Pessoas Portadoras de Deficiências Físicas, Sensoriais ou Mentais.

Da Eliminação de Barreiras Arquitetônicas para Pessoas Portadoras de Deficiências Físicas, Sensoriais ou Mentais. Autoria: Poder Legislativo LEI N 1203//2005 DATA: 08 de setembro de 2005 SÚMULA: Dispõe sobre as considerações e os direitos das pessoas portadoras de deficiências físicas, sensoriais ou mentais. MARINO

Leia mais

CURSO: ARQUITETURA. 3. De acordo com o trecho da música Quase sem querer, do grupo Legião Urbana, marque a alternativa correta: Quase sem querer

CURSO: ARQUITETURA. 3. De acordo com o trecho da música Quase sem querer, do grupo Legião Urbana, marque a alternativa correta: Quase sem querer CURSO: ARQUITETURA CONHECIMENTOS BÁSICOS: LINGUA PORTUGUESA 1. De acordo com a gramática da Língua Portuguesa, a Concordância é o processo sintático em que certas palavras se combinam. Tal combinação formal

Leia mais

RESOLUÇÃO CPA/SMPED 019/2014 PASSEIO PÚBLICO A Comissão Permanente de Acessibilidade CPA, em sua Reunião Ordinária, realizada em 28 de agosto de 2014.

RESOLUÇÃO CPA/SMPED 019/2014 PASSEIO PÚBLICO A Comissão Permanente de Acessibilidade CPA, em sua Reunião Ordinária, realizada em 28 de agosto de 2014. RESOLUÇÃO CPA/SMPED 019/2014 PASSEIO PÚBLICO A Comissão Permanente de Acessibilidade CPA, em sua Reunião Ordinária, realizada em 28 de agosto de 2014. Considerando o previsto na Constituição da República

Leia mais

ABNT NBR 14021 NORMA BRASILEIRA. Transporte Acessibilidade no sistema de trem urbano ou metropolitano

ABNT NBR 14021 NORMA BRASILEIRA. Transporte Acessibilidade no sistema de trem urbano ou metropolitano NORMA BRASILEIRA ABNT NBR 14021 Segunda edição 30.06.2005 Válida a partir de 31.07.2005 Versão corrigida 31.08.2005 Transporte Acessibilidade no sistema de trem urbano ou metropolitano Transport Accessibility

Leia mais

RELATÓRIO VISTORIA ESTAÇÃO DA LAPA. Salvador, 18 de dezembro de 2006.

RELATÓRIO VISTORIA ESTAÇÃO DA LAPA. Salvador, 18 de dezembro de 2006. RELATÓRIO DE VISTORIA ESTAÇÃO DA LAPA Nº. 007/2006 Salvador, 18 de dezembro de 2006. ÍNDICE ANALÍTICO 1. Objetivo...4 2. Histórico...4 3. Dados do Empreendimento...5 4. Inspeção do Imóvel...6 5. Problemas

Leia mais

MANUAL DE ORIENTAÇÃO PARA SOLICITAÇÃO DE SERVIÇOS E RECURSOS DE ACESSIBILIDADE POR CANDIDATOS COM DEFICIÊNCIA E OUTRAS CONDIÇÕES ESPECIAIS COMPERVE

MANUAL DE ORIENTAÇÃO PARA SOLICITAÇÃO DE SERVIÇOS E RECURSOS DE ACESSIBILIDADE POR CANDIDATOS COM DEFICIÊNCIA E OUTRAS CONDIÇÕES ESPECIAIS COMPERVE UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE UFRN NÚCLEO PERMANENTE DE CONCURSOS COMPERVE COMISSÃO PERMANENTE DE APOIO A ESTUDANTES COM NECESSIDADES EDUCACIONAIS ESPECIAIS CAENE MANUAL DE ORIENTAÇÃO PARA

Leia mais

Fonte: Universidade Federal do Paraná. Sistema de Bibliotecas. Biblioteca Central. Departamento de Bibliotecas e Documentação

Fonte: Universidade Federal do Paraná. Sistema de Bibliotecas. Biblioteca Central. Departamento de Bibliotecas e Documentação Sigla Código Nome da Biblioteca Banheiros adaptados Bebedouros e lavabos adaptados Entrada/Saída com dimensionamento Banheiros com leiautes adaptados (lavatórios, espelhos, barras de apoio, vasos, papeleiras,

Leia mais

Lei Municipal N.º 1414

Lei Municipal N.º 1414 Subseção II Dos Estacionamentos e Guarda de Veículos Art. 41 - Os locais para estacionamento ou guarda de veículos podem ser cobertos ou descobertos, podendo se destinar em ambos os casos à utilização

Leia mais

AVALIAÇÃO DAS CONDIÇÕES DE ACESSIBILIDADE DA AVENIDA SENADOR ATTÍLIO FONTANA, EM CHAPECÓ-SC. 1

AVALIAÇÃO DAS CONDIÇÕES DE ACESSIBILIDADE DA AVENIDA SENADOR ATTÍLIO FONTANA, EM CHAPECÓ-SC. 1 Felipe S. Machado Júnior 5. AVALIAÇÃO DAS CONDIÇÕES DE ACESSIBILIDADE DA AVENIDA SENADOR ATTÍLIO FONTANA, EM CHAPECÓ-SC. 1 Matheus José Rigon, 2 Josiane Caprini, 3 Leandra Zambenedetti, 4 Resumo: As precárias

Leia mais

ROTEIRO PARA OBTENÇÃO DE IMAGENS RELATIVAS À VERIFICAÇÃO DE ACESSIBILIDADE

ROTEIRO PARA OBTENÇÃO DE IMAGENS RELATIVAS À VERIFICAÇÃO DE ACESSIBILIDADE ROTEIRO PARA OBTENÇÃO DE IMAGENS RELATIVAS À VERIFICAÇÃO DE ACESSIBILIDADE Este roteiro tem por objetivo apresentar ao responsável pela vistoria remota os detalhes e ângulos básicos a serem obtidos por

Leia mais

COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO E JUSTIÇA E DE CIDADANIA

COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO E JUSTIÇA E DE CIDADANIA COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO E JUSTIÇA E DE CIDADANIA PROJETO DE LEI N o 640, DE 2003 Altera a Lei nº 10.098, de 19 de dezembro de 2000, para acrescentar normas de acessibilidade das pessoas portadoras de

Leia mais

Seminário de Tecnologia da Construção & Arquitetura

Seminário de Tecnologia da Construção & Arquitetura CONCURSO PÚBLICO DE ESTUDANTES BAHIA: PROJETO DE EDIFICAÇÃO PARA O PMCMV - SELO CASA AZUL TECNOLOGIAS DA CONSTRUÇÃO E ARQUITETURA TERMO DE REFERÊNCIA Agosto 2014 SUMÁRIO 1. APRESENTAÇÃO 2. OBJETO 2.1 Terreno

Leia mais

I Fórum Nacional sobre Travessia Acessível

I Fórum Nacional sobre Travessia Acessível I Fórum Nacional sobre Travessia Acessível dias 5, 6 e 7 de novembro de 2007 Centro Cultural Banco do Brasil Rua da Quitanda,18-3 o andar São Paulo - SP DEFINIÇÃO Lombofaixas: É uma lombada mais larga

Leia mais

PUC- RIO CENTRO UNIVERSITÁRIO CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO ARQ 1028 DESENHO DE ARQUITETURA I

PUC- RIO CENTRO UNIVERSITÁRIO CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO ARQ 1028 DESENHO DE ARQUITETURA I PUC- RIO CENTRO UNIVERSITÁRIO CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO ARQ 1028 DESENHO DE ARQUITETURA I Circulações Verticais São meios não mecânicos e mecânicos que permitem a ligação entre planos de níveis

Leia mais

ORIENTAÇÕES BÁSICAS Lei Complementar 06/2013

ORIENTAÇÕES BÁSICAS Lei Complementar 06/2013 ORIENTAÇÕES BÁSICAS Lei Complementar 06/2013 Secretaria Municipal do Planejamento, Meio Ambiente, Ciência e Tecnologia A Prefeitura de Araguaína desenvolveu esta Cartilha para orientar a população sobre

Leia mais

Considerações sobre o projeto de reconstrução da sede da DS Campinas/Jundiaí

Considerações sobre o projeto de reconstrução da sede da DS Campinas/Jundiaí Considerações sobre o projeto de reconstrução da sede da DS Campinas/Jundiaí Nos próximos dias 6 e 7 de março, a DS Campinas/Jundiaí irá apresentar a seus filiados, em Assembleia Local convocada para essa

Leia mais

Módulo 2 - Sistemas básicos de proteção passiva contra incêndio

Módulo 2 - Sistemas básicos de proteção passiva contra incêndio Módulo 2 - Sistemas básicos de proteção passiva contra incêndio Apresentação do módulo Os sistemas de proteção contra incêndio e pânico são classificados em duas categorias distintas: proteção passiva

Leia mais

RELATÓRIO VISTORIA NO ESTÁDIO OCTÁVIO MANGABEIRA

RELATÓRIO VISTORIA NO ESTÁDIO OCTÁVIO MANGABEIRA RELATÓRIO DE VISTORIA NO ESTÁDIO OCTÁVIO MANGABEIRA Nº. 004/2007 1 RELATÓRIO DE VISTORIA Salvador, 27 de novembro de 2007. 1 - SOLICITANTE: Presidência do Conselho Regional de Engenharia, Arquitetura e

Leia mais

Ano. p. 69-80 ACESSIBILIDADE ATUAÇÃO PROFISSIONAL E NBR 9050 P. 1. Patrícia Ceroni SCARABELLI. Instituto de Engenharia Arquitetura e Design INSEAD

Ano. p. 69-80 ACESSIBILIDADE ATUAÇÃO PROFISSIONAL E NBR 9050 P. 1. Patrícia Ceroni SCARABELLI. Instituto de Engenharia Arquitetura e Design INSEAD Ano 01 Patrícia Ceroni SCARABELLI n. 01 ACESSIBILIDADE ATUAÇÃO PROFISSIONAL E NBR 9050 p. 69-80 Instituto de Engenharia Arquitetura e Design INSEAD Centro Universitário Nossa Senhora do Patrocínio CEUNSP

Leia mais

ABNT NBR NORMA BRASILEIRA. Acessibilidade de passageiros no sistema de transporte aquaviário

ABNT NBR NORMA BRASILEIRA. Acessibilidade de passageiros no sistema de transporte aquaviário NORMA BRASILEIRA ABNT NBR Primeira edição O1.I 2.2006 Válida a partir de 02.01.2007 Acessibilidade de passageiros no sistema de transporte aquaviário Accessibility of passengers on maritime and waterway

Leia mais

ANALISE DAS CONDIÇÕES DE ACESSIBILIDADE PARA PESSOA PORTADORA DE DEFICIÊNCIA OU COM MOBILIDADE REDUZIDA EM ESCOLAS DA CIDADE DE RIO CLARO, SP 1 RESUMO

ANALISE DAS CONDIÇÕES DE ACESSIBILIDADE PARA PESSOA PORTADORA DE DEFICIÊNCIA OU COM MOBILIDADE REDUZIDA EM ESCOLAS DA CIDADE DE RIO CLARO, SP 1 RESUMO ANALISE DAS CONDIÇÕES DE ACESSIBILIDADE PARA PESSOA PORTADORA DE DEFICIÊNCIA OU COM MOBILIDADE REDUZIDA EM ESCOLAS DA CIDADE DE RIO CLARO, SP 1 Jonas Leandro BIOTTO 2 Dr. Ivan Carlos ZAMPIN 3 RESUMO Este

Leia mais

Educação Acessível para Todos

Educação Acessível para Todos Educação Acessível para Todos Instituto Paradigma A inclusão das crianças com deficiência nas escolas de Educação Infantil e Ensino Fundamental não constitui um debate diferente da inclusão social de todos

Leia mais

Data: fevereiro/2012 AULA 4 - CÁLCULO DE ESCADAS

Data: fevereiro/2012 AULA 4 - CÁLCULO DE ESCADAS Grupo Universitário - IPEP São Paulo - SP Rua Maria Paula, 35-1º andar Bela Vista Fone: (11) 3293-3558 Rua Pirapitingui, 186-1º andar Liberdade Fone: (11) 3385-7400 Campinas - SP Rua José de Alencar, 470

Leia mais

PORTARIA CVS Nº 02, de 11/01/2010

PORTARIA CVS Nº 02, de 11/01/2010 PORTARIA CVS Nº 02, de 11/01/2010 Dispõe sobre Regulamento Técnico que estabelece requisitos sanitários para estabelecimentos destinados a eventos esportivos. A Diretora Técnica do Centro de Vigilância

Leia mais

LEI MUNICIPAL COMPLEMENTAR Nº 003/2007

LEI MUNICIPAL COMPLEMENTAR Nº 003/2007 LEI MUNICIPAL COMPLEMENTAR Nº 003/2007 DISPÕE SOBRE O PLANO VIÁRIO DO MUNICÍPIO DE GOIOERÊ EM CONFORMIDADE COM A LEI MUNICIPAL COMPLEMENTAR Nº 001/2007 LEI DO PLANO DIRETOR, E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. A

Leia mais

ROTEIRO DE FISCALIZAÇÃO DA ACESSIBILIDADE EM INSTITUIÇÕES DE LONGA PERMANÊNCIA PARA IDOSOS - ILPI s NAS COMARCAS DO ESTADO DE MG

ROTEIRO DE FISCALIZAÇÃO DA ACESSIBILIDADE EM INSTITUIÇÕES DE LONGA PERMANÊNCIA PARA IDOSOS - ILPI s NAS COMARCAS DO ESTADO DE MG ROTEIRO DE FISCALIZAÇÃO DA ACESSIBILIDADE EM INSTITUIÇÕES DE LONGA PERMANÊNCIA PARA IDOSOS - ILPI s NAS COMARCAS DO ESTADO DE MG Este roteiro tem como objetivo nortear as fiscalizações a serem realizadas

Leia mais

DIRETRIZES TÉCNICAS AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO EM EDIFICAÇÕES 05/2015 DT 007/15 DTPC

DIRETRIZES TÉCNICAS AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO EM EDIFICAÇÕES 05/2015 DT 007/15 DTPC DIRETRIZES TÉCNICAS DE AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO EM EDIFICAÇÕES 05/2015 DT 007/15 DTPC 1 DIRETRIZES TÉCNICAS DE AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO EM EDIFICAÇÕES Presidente: Camil Eid. Vice Presidente Técnica: Miriana

Leia mais

Caderno de Diretrizes Técnicas de Acessibilidade Rio 2016. Versão 5. Janeiro 2016 Rio de Janeiro

Caderno de Diretrizes Técnicas de Acessibilidade Rio 2016. Versão 5. Janeiro 2016 Rio de Janeiro Caderno de Diretrizes Técnicas de Acessibilidade Rio 2016 Versão 5 Janeiro 2016 Rio de Janeiro Caderno de Diretrizes Técnicas de Acessibilidade Rio 2016 Versão 5 Janeiro 2016 Rio de Janeiro Esta versão

Leia mais

DESCRIÇÃO TÉCNICA DOS MATERIAIS EMPREGADOS Copa do Mundo da FIFA Brasil 2014

DESCRIÇÃO TÉCNICA DOS MATERIAIS EMPREGADOS Copa do Mundo da FIFA Brasil 2014 DESCRIÇÃO TÉCNICA DOS MATERIAIS EMPREGADOS Copa do Mundo da FIFA Brasil 2014 MATERIAL CÓDIGO CONTAINER MÓDULO ESCRITÓRIO CONT 05 A 08_10_11_14 A 19 e CT 10 CONTAINER MÓDULO ESCRITÓRIO/MÓDULO HABITACIONAL

Leia mais

Curso de Acessibilidade

Curso de Acessibilidade O - PROGRAMA E OBJETIVO 1. O QUE É ACESSIBILIDADE Quem são as pessoas com deficiência e as pessoas com mobilidade reduzida. A evolução do homem padrão e a arquitetura inclusiva. Conceito e as práticas

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO Pavimentação Asfáltica

MEMORIAL DESCRITIVO Pavimentação Asfáltica PREFEITURA MUNICIPAL DE GALVÃO ESTADO DE SANTA CATARINA MEMORIAL DESCRITIVO Pavimentação Asfáltica Rua Manoel Lustosa Martins Julho 2015 MEMORIAL DESCRITIVO Obra: Execução de pavimentação asfáltica sobre

Leia mais

5.3.26 IDENTIFICAÇÃO: ESTAÇÃO DE CORREIOS DE SANTARÉM. Designação: Localização: Largo Cândido dos Reis. Empresa que presta serviços de comunicações

5.3.26 IDENTIFICAÇÃO: ESTAÇÃO DE CORREIOS DE SANTARÉM. Designação: Localização: Largo Cândido dos Reis. Empresa que presta serviços de comunicações 5.3.26 IDENTIFICAÇÃO: Designação: Localização: Função: ESTAÇÃO DE CORREIOS DE SANTARÉM Largo Cândido dos Reis Empresa que presta serviços de comunicações Acesso exterior ao edifício Estacionamento Não

Leia mais

RESOLUÇÃO N 495, DE 5 DE JUNHO DE 2014

RESOLUÇÃO N 495, DE 5 DE JUNHO DE 2014 RESOLUÇÃO N 495, DE 5 DE JUNHO DE 2014 Estabelece os padrões e critérios para a instalação de faixa elevada para travessia de pedestres em vias públicas. O CONSELHO NACIONAL DE TRÂNSITO CONTRAN, usando

Leia mais

POLÍTICAS INSTITUCIONAIS DE ACESSIBILIDADE. - Não seja portador de Preconceito -

POLÍTICAS INSTITUCIONAIS DE ACESSIBILIDADE. - Não seja portador de Preconceito - POLÍTICAS INSTITUCIONAIS DE ACESSIBILIDADE - Não seja portador de Preconceito - 2014 1 OBJETO As Políticas Institucionais de Acessibilidade Não seja portador de preconceito tem como objetivo promover ações

Leia mais

PLANO DE ACESSIBILIDADE ARQUITETÔNICA DO INSTITUTO FEDERAL FARROUPILHA

PLANO DE ACESSIBILIDADE ARQUITETÔNICA DO INSTITUTO FEDERAL FARROUPILHA PLANO DE ACESSIBILIDADE ARQUITETÔNICA DO INSTITUTO FEDERAL FARROUPILHA O Plano de Acessibilidade Arquitetônica é parte integrante da Política de Inclusão do Instituto Federal Farroupilha, em consonância

Leia mais

Guia Prático para Construção de Calçadas

Guia Prático para Construção de Calçadas Guia Prático para Construção de Calçadas Secretaria de Planejamento e Desenvolvimento Urbano 19 3851.7021/ 3851.7022 E-mail: : spdu-contato@mogiguacu.sp.gov.br Introdução A acessibilidade é um direito

Leia mais

O VASO SANITÁRIO E AS PESSOAS COM DEFICIÊNCIA.

O VASO SANITÁRIO E AS PESSOAS COM DEFICIÊNCIA. O VASO SANITÁRIO E AS PESSOAS COM DEFICIÊNCIA. Luiz Antonio Miguel Ferreira 1 Juliana Alves Biazoli 2 1. Introdução. A acessibilidade é um tema que vem sendo discutido cada vez mais pela sociedade, em

Leia mais

LAUDO TÉCNICO ESPECÍFICO

LAUDO TÉCNICO ESPECÍFICO LAUDO TÉCNICO ESPECÍFICO Conforme NR-10 ACME S.A Ind. Com. 1 de 9 IDENTIFICAÇÃO DO ESTABELECIMENTO Identificação do Responsável pela Execução do Serviço. Nome: Empresa: Registro: Local de Execução do Serviço.

Leia mais

A EXPERIÊNCIA DE FOZ DO IGUAÇU - PR NA PADRONIZAÇÃO DAS CALÇADAS. Engª Pricila Bevervanço Mantovani

A EXPERIÊNCIA DE FOZ DO IGUAÇU - PR NA PADRONIZAÇÃO DAS CALÇADAS. Engª Pricila Bevervanço Mantovani A EXPERIÊNCIA DE FOZ DO IGUAÇU - PR NA PADRONIZAÇÃO DAS CALÇADAS Engª Pricila Bevervanço Mantovani PROJETO CALÇADAS O PROJETO CALÇADAS do Município de Foz do Iguaçu apresenta um conceito moderno para a

Leia mais

Como garantir uma cidade mais acessível

Como garantir uma cidade mais acessível Como garantir uma cidade mais acessível Arq. Adriana Romeiro de Almeida Prado mestre em gerontologia e especialista em acessibilidade técnica da Coordenadoria de Gestão de Políticas Públicas Cogepp 25

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE PORTO ALEGRE DEPARTAMENTO MUNICIPAL DE ÁGUA E ESGOTOS NS001 CANTEIRO DE OBRAS Revisão: 03 Dez./13 SUMÁRIO

PREFEITURA MUNICIPAL DE PORTO ALEGRE DEPARTAMENTO MUNICIPAL DE ÁGUA E ESGOTOS NS001 CANTEIRO DE OBRAS Revisão: 03 Dez./13 SUMÁRIO PREFEITURA MUNICIPAL DE PORTO ALEGRE DEPARTAMENTO MUNICIPAL DE ÁGUA E ESGOTOS NS001 CANTEIRO DE OBRAS Revisão: 03 Dez./13 SUMÁRIO 1. Objetivo e campo de aplicação...2 2. Referências...2 3. Definições...2

Leia mais

DECRETO Nº 18.313 DE 10 DE JUNHO DE 2013.

DECRETO Nº 18.313 DE 10 DE JUNHO DE 2013. DECRETO Nº 18.313 DE 10 DE JUNHO DE 2013. Regulamenta a Lei nº 10.260, de 28 de setembro de 2007 que rege o estacionamento temporári o de veículos, mediante pagamento, em vias e logradouros públicos de

Leia mais

Relatório de Vistoria Técnica com Cadastramento do Imóvel

Relatório de Vistoria Técnica com Cadastramento do Imóvel Relatório de Vistoria Técnica com Cadastramento do Imóvel REFORMA DA SEDE DA SUBSEÇÃO DA OAB/BA NO MUNICÍPIO DE GUANAMBI/BA Avenida Presidente Castelo Branco, nº 271, Aeroporto Velho Guanambi/BA Foto:

Leia mais

LEI N.º 4.598/15 DE 28 DE JULHO DE 2015

LEI N.º 4.598/15 DE 28 DE JULHO DE 2015 LEI N.º 4.598/15 DE 28 DE JULHO DE 2015 Dispõe sobre condomínios por unidades autônomas e dá outras providências... TEODORA BERTA SOUILLJEE LÜTKEMEYER, PREFEITA DO MUNICÍPIO DE NÃO-ME-TOQUE/RS. FAÇO SABER

Leia mais

PROJETO. Banheiros e Vestiário VISTA SUPERIOR VISTA SUPERIOR VISTA SUPERIOR

PROJETO. Banheiros e Vestiário VISTA SUPERIOR VISTA SUPERIOR VISTA SUPERIOR PROJETO Vaso sanitário e lavatório Medidas das áreas de aproximação Banheiros e Vestiário VISTA SUPERIOR VISTA SUPERIOR VISTA SUPERIOR Área para estacionamento da cadeira, para posteior transferência.

Leia mais

Projeto para. Pavimentação de Calçamento. de Pedra Irregular. da Rua Cândida Correa Becker. dos Trechos Esquina Modesto Vargas. até Manoel Schumacker

Projeto para. Pavimentação de Calçamento. de Pedra Irregular. da Rua Cândida Correa Becker. dos Trechos Esquina Modesto Vargas. até Manoel Schumacker Projeto para Pavimentação de Calçamento de Pedra Irregular da Rua Cândida Correa Becker dos Trechos Esquina Modesto Vargas até Manoel Schumacker MONTE CARLO SC Janeiro de 2014 Proprietário: PREFEITURA

Leia mais

Alterações na nova NBR 9050, de 11/10/2015 (Material para estudo)

Alterações na nova NBR 9050, de 11/10/2015 (Material para estudo) Alterações na nova NBR 9050, de 11/10/2015 (Material para estudo) Acessibilidade a edificações, mobiliário, espaços e equipamentos urbanos Paulo Cesar dos Santos Figueiredo Engenheiro Civil CREA 354/D

Leia mais

Rev Modificação Data Projetista Desenhista Aprovo. Sítio. Área do sítio

Rev Modificação Data Projetista Desenhista Aprovo. Sítio. Área do sítio OBJETO: CONTRATAÇÃO DE EMPRESA PARA EXECUÇÃO DE SERVIÇOS DE ENGENHARIA PARA RECUPERAÇÃO DE CERCA OPERACIONAL, IMPLANTAÇÃO DA CERCA DE SERVIDÃO, COMPLEMENTAÇÃO DA CERCA PATRIMONIAL E SERVIÇOS COMPLEMENTARES

Leia mais

ACESSIBILIDADE DO PORTADOR DE MOBILIDADE REDUZIDA, USUÁRIO DE CADEIRA DE RODAS, AO TRANSPORTE PÚBLICO DE CURITIBA E REGIÃO METROPOLITANA

ACESSIBILIDADE DO PORTADOR DE MOBILIDADE REDUZIDA, USUÁRIO DE CADEIRA DE RODAS, AO TRANSPORTE PÚBLICO DE CURITIBA E REGIÃO METROPOLITANA ISSN 1984-9354 ACESSIBILIDADE DO PORTADOR DE MOBILIDADE REDUZIDA, USUÁRIO DE CADEIRA DE RODAS, AO TRANSPORTE PÚBLICO DE CURITIBA E REGIÃO METROPOLITANA Área temática: Gestão da Saúde e Segurança Ocupacional

Leia mais

ESTUDO PRELIMINAR DAS CONDIÇÕES DE ACESSIBILIDADE ESPACIAL EM ARAPIRACA, ALAGOAS.

ESTUDO PRELIMINAR DAS CONDIÇÕES DE ACESSIBILIDADE ESPACIAL EM ARAPIRACA, ALAGOAS. ESTUDO PRELIMINAR DAS CONDIÇÕES DE ACESSIBILIDADE ESPACIAL EM ARAPIRACA, ALAGOAS. Thaisa Francis César Sampaio de Oliveira (1); Nataly Cynara Maran (2); Jéssica Pâmela Melo Cavalcante (3) (1) Docente do

Leia mais

FÓRUM TRABALHISTA DE FLORIANÓPOLIS EDIFÍCIO UTRILLO PROJETO DE ACESSIBILIDADE

FÓRUM TRABALHISTA DE FLORIANÓPOLIS EDIFÍCIO UTRILLO PROJETO DE ACESSIBILIDADE FÓRUM TRABALHISTA DE FLORIANÓPOLIS EDIFÍCIO UTRILLO MEMORIAL DESCRITIVO PROJETO DE ACESSIBILIDADE Responsabilidade e Compromisso com o Meio Ambiente MEMORIAL DESCRITIVO PROJETO DE ACESSIBILIDADE OBRA:

Leia mais

O VASO SANITÁRIO E AS PESSOAS COM DEFICIÊNCIA.

O VASO SANITÁRIO E AS PESSOAS COM DEFICIÊNCIA. O VASO SANITÁRIO E AS PESSOAS COM DEFICIÊNCIA. Luiz Antonio Miguel Ferreira 1 Juliana Alves Biazoli 2 1. Introdução. A acessibilidade é um tema que vem sendo discutido cada vez mais pela sociedade, em

Leia mais

Instruções Técnicas para Apresentação de Projetos de Serviços de Lavagem, Lubrificação e Troca de Óleo de Veículos - Licença de Instalação (LI) -

Instruções Técnicas para Apresentação de Projetos de Serviços de Lavagem, Lubrificação e Troca de Óleo de Veículos - Licença de Instalação (LI) - Governo do Estado do Rio Grande do Norte Secretaria de Estado do Meio Ambiente e dos Recursos Hídricos Instruções Técnicas para Apresentação de Projetos de Serviços de Lavagem, Lubrificação e Troca de

Leia mais

PALAVRAS-CHAVE: Faixa de Domínio, linhas físicas de telecomunicações, cabos metálicos e fibras ópticas.

PALAVRAS-CHAVE: Faixa de Domínio, linhas físicas de telecomunicações, cabos metálicos e fibras ópticas. fls. 1/6 ÓRGÃO: MANUAL: DIRETORIA DE ENGENHARIA ADMINISTRAÇÃO DA FAIXA DE DOMÍNIO Autorização para implantação de Linhas Físicas de Telecomunicações, com Cabos Metálicos e com Fibras Ópticas. PALAVRAS-CHAVE:

Leia mais

ACESSIBILIDADE DOS VEÍCULOS DE TRANSPORTE PÚBLICO URBANO POR ÔNIBUS

ACESSIBILIDADE DOS VEÍCULOS DE TRANSPORTE PÚBLICO URBANO POR ÔNIBUS ACESSIBILIDADE DOS VEÍCULOS DE TRANSPORTE PÚBLICO URBANO POR ÔNIBUS 1. Introdução Diante da importância do tema Acessibilidade dos veículos de transporte público urbano por ônibus e da necessidade de reestabelecer

Leia mais

CARTILHA PORTO ALEGRE ACESSÍVEL PARA TODOS. Acessibilidade, responsabilidade de todos. Conquista consciente, com responsabilidade

CARTILHA PORTO ALEGRE ACESSÍVEL PARA TODOS. Acessibilidade, responsabilidade de todos. Conquista consciente, com responsabilidade CARTILHA PORTO ALEGRE ACESSÍVEL PARA TODOS Acessibilidade, responsabilidade de todos Conquista consciente, com responsabilidade O QUE É ACESSIBILIDADE? Acessibilidade, responsabilidade de todos Todos temos

Leia mais

LAUDO. ELY GOMES DOS SANTOS Engenheiro de Operação Eletrotécnica Engenheiro de Segurança do Trabalho Técnico em Mecânica

LAUDO. ELY GOMES DOS SANTOS Engenheiro de Operação Eletrotécnica Engenheiro de Segurança do Trabalho Técnico em Mecânica ILUSTRÍSSIMO SENHOR DIRETOR DO AMERICAN PARK LTDA - ME ELY GOMES DOS SANTOS, Engenheiro de Operação modalidade Eletrotécnica, Engenheiro de Segurança do Trabalho e, infra assinado, Responsável Técnico

Leia mais

BARREIRAS FÍSICAS À ACESSIBILIDADE DE UMA BIBLIOTECA

BARREIRAS FÍSICAS À ACESSIBILIDADE DE UMA BIBLIOTECA BARREIRAS FÍSICAS À ACESSIBILIDADE DE UMA BIBLIOTECA Davi Lucena (1); Marília Cavalcanti (1); Natália Soares (1); Raíra Rolim (1); Flávia Marroquim(2) (1) Alunos de graduação do curso de Arquitetura e

Leia mais

EDITAL DE CHAMAMENTO PÚBLICO N. 02/2015

EDITAL DE CHAMAMENTO PÚBLICO N. 02/2015 TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE SECRETARIA DE ADMINISTRAÇÃO Praça 7 de setembro, s/n, Cidade Alta Natal/RN Fone: (84) 3616.6200 website: www.tjrn.jus.br E-mail: contratos@tjrn.jus.br

Leia mais