A REGIÃO COSTA OESTE DO PARANÁ E OS CENSOS DEMOGRÁFICOS: EVOLUÇÃO E DINÂMICA DEMOGRÁFICA (1991, 2000 e 2010)

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "A REGIÃO COSTA OESTE DO PARANÁ E OS CENSOS DEMOGRÁFICOS: EVOLUÇÃO E DINÂMICA DEMOGRÁFICA (1991, 2000 e 2010)"

Transcrição

1 A REGIÃO COSTA OESTE DO PARANÁ E OS CENSOS DEMOGRÁFICOS: EVOLUÇÃO E DINÂMICA DEMOGRÁFICA (1991, 2000 e 2010) Adriana Eliane Casagrande 1 Edson Belo Clemente de Souza 2 Eixo temático: POLITICAS DE ESTADO NA FRONTEIRA RESUMO: A região Costa Oeste do Paraná, por situar-se na faixa de fronteira, apresenta particularidades, marcada por relações complexas, além de possuir grande importância no plano das relações internacionais. Com base nessas questões, esta pesquisa se pautará na investigação dos fluxos e da dinâmica populacional estabelecidos na região, a partir da análise e interpretação dos censos demográficos realizados nos anos de 1991, 2000 e A partir da análise dos censos demográficos, torna-se possível elucidar os movimentos populacionais estabelecidos na região, assim como conhecer informações pertinentes aos seus habitantes (densidade demográfica, taxa de natalidade e mortalidade, IDH, população por sexo, faixa etária...). Os dados obtidos pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), são importantes para se compreender o movimento da população, histórico e geograficamente. Com a obtenção destes dados realiza-se o planejamento urbano, levando em consideração as demandas da população, de modo que se ofereçam bens, serviços e empregos à comunidade, tanto no município como na escala regional. Também serão considerados neste estudo quais os programas promovidos pelo Estado com vistas ao planejamento urbano, regional e ao atendimento das necessidades da população da região. PALAVRAS-CHAVE: Censo Demográfico; Dinâmica Populacional; Políticas Públicas. 1 INTRODUÇÃO O presente resumo expandido é um desdobramento do Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) do Curso de Geografia da Unioeste/Campus de Mal. Cândido Rondon que tem por objetivo analisar a dinâmica populacional na região Costa Oeste do Paraná, a partir dos censos demográficos de 1991, 2000 e Foram escolhidos estes censos para nosso estudo, 1 UNIOESTE 2 UNIOESTE

2 pois a partir da década de 1990 que se iniciam os processos de desmembramento territorial, configurando a atual região Costa Oeste paranaense. A partir da analise destes dados, torna-se possível elucidar os movimentos populacionais estabelecidos nessa região, sejam eles movimentos do campo para cidade ou até mesmo movimentos de migração, assim como serão analisados outras informações pertinentes aos habitantes desta região (densidade demográfica, taxa de natalidade e mortalidade, IDH, população por sexo, faixa etária...). Com os dados do IBGE pretende-se compreender o movimento da população, histórico e geograficamente, e sua relação com o território e a região. Lindeiros ao Lago de Itaipu, esses quinze municípios localizam-se nas proximidades de um grande empreendimento, a Usina Hidrelétrica de Itaipu, que foi responsável por novas configurações socioespaciais, modificando a paisagem e as relações econômicas estabelecidas na região. Entre as significativas mudanças que passou esta região, pode-se citar o seu arranjo espacial, onde surgiram novos limites de extensões territoriais nos municípios atingidos pelo lago, além do processo de desmembramento territorial no qual se formaram novos municípios, configurando a atual região Costa Oeste do Paraná, formada pelos seguintes municípios: Diamante D Oeste, Entre Rios do Oeste, Foz do Iguaçu, Guaíra, Itaipulândia Marechal Cândido Rondon, Mercedes, Medianeira, Missal, Pato Bragado, Santa Helena, Santa Terezinha de Itaipu, São Miguel do Iguaçu, São José das Palmeiras e Terra Roxa. Através da comparação dos censos demográficos realizados pelo IBGE nos anos de 1991, 2000, e 2010, procurar-se-á interpretar os movimentos populacionais na região Costa Oeste do Paraná, explanando os municípios em que houve a oscilação da população e encontrar as razões para essa dinâmica, seja por fatores devidos à taxa de migração, à oferta de emprego, a taxa de natalidade, entre outros indicadores sociodemográficos. Os dados obtidos através dos censos demográficos são muito importantes, pois através destes é que se pode realizar o planejamento urbano nos municípios, para que se ofereçam bens, serviços e empregos à sua população de acordo com as reais necessidades de cada município. Metodologicamente a pesquisa está se pautando em levantamento de dados fornecidos principalmente por órgãos como o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e o Instituto Paranaense de Desenvolvimento Econômico e Social (Ipardes) sobre os censos demográficos realizados nos anos de 1991, 2000 e Do mesmo modo, para que haja uma compreensão epistemológica acerca do tema desenvolvido, será realizado um levantamento bibliográfico de autores que contribuem para a pesquisa, especialmente aqueles teóricos da Geografia Urbana e do Planejamento Regional.

3 Também será objeto de investigação a influência dos números dos censos para o repasse de verbas aos municípios. Para tanto, serão estudados os recursos recebidos pelos municípios através do Fundo de Participação dos Municípios (FPM), assim como a compensação dos royalties, pagos pela Hidrelétrica de Itaipu. Também será discutida a aplicação destes recursos, além das políticas e programas desenvolvidos na região. 2 A CONTEXTUALIZAÇÃO DO IBGE PARA A INFORMAÇÃO GEOGRÁFICA E A REGIÃO COSTA OESTE DO PARANÁ. A demografia é uma ciência que procura estudar a dinâmica populacional humana. Seu objeto de estudo engloba dimensões estatísticas, a estrutura e distribuição da população. Estas características mudam devido a fatores não estáticos, como a natalidade, mortalidade, migrações e envelhecimento. Quando se pretende realizar uma pesquisa sobre a população, realizam-se os censos demográficos. Os resultados dos censos são utilizados para realizar a análise da tendência anual de crescimento da população entre um censo e outro, e também para analisar os fatores que compõem esta dinâmica demográfica, tais como natalidade, mortalidade e migração. Através dos censos demográficos realiza-se o acompanhamento da evolução do território, na busca do planejamento para se garantir um desenvolvimento sustentável. Segundo o IBGE (2010, p.02): O conhecimento da distribuição da população no território, identificando as áreas de ocupação, seu adensamento ou baixa densidade demográfica, permite conhecer, em especial para o detalhamento urbano e rural, a relação com o ambiente e planejar adequadamente o uso sustentável dos recursos. O censo demográfico classifica a estrutura da população de acordo com a sua estrutura por sexo e idade, o que permite o levantamento de informações como os padrões de fecundidade e de mortalidade, migração (interna e externa), e coligir as transformações demográficas em curso, sua evolução e os impactos futuros sobre a população e sua composição. Este tipo de informação torna-se a base para a realização de políticas públicas voltadas à área da saúde, educação e previdência da população em geral, além da assistência a grupos específicos como mulheres, crianças, adolescentes e idosos (IBGE, 2010). A contagem populacional também é importante, pois o número de habitantes exerce influência no repasse de verbas, como o Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços

4 (ICMS), e o Fundo de Participação dos Municípios (FPM). Através do estudo dos indicadores sociodemográficos torna-se possível a elaboração e realização do planejamento urbano, tanto em âmbito municipal como regional. 3 A REGIÃO COSTA OESTE DO PARANÁ E O ÊXODO RURAL A região Costa Oeste passa a se constituir fisicamente através da formação do Lago de Itaipu, em 1982, após a construção da Usina Hidrelétrica de Itaipu, resultado de um acordo binacional entre Brasil e Paraguai que represou o Rio Paraná, na fronteira entre os dois países. A construção da Hidrelétrica proporcionou um movimento migratório, onde muitas pessoas que viviam no campo perderam suas terras em virtude do alagamento e vieram para as cidades em sua grande maioria. A região Costa Oeste do Paraná, que está inserida na Mesorregião Oeste do Paraná, fundada no sentido de promover o desenvolvimento econômico através de um programa de regionalização turística chamado Projeto Costa Oeste, que foi implantado em 1997 pelo governo do Estado do Paraná. A institucionalidade dessa região se legitima por meio do Conselho dos Municípios Lindeiros ao Lago de Itaipu (SOUZA, 2008, p.127). Historicamente, houve dois grandes momentos que influenciaram o êxodo rural na região Costa Oeste paranaense: A construção da Hidrelétrica de Itaipu e o processo de modernização agrícola, a partir da década de sessenta. Nos últimos três censos demográficos, percebe-se que este processo ainda está em curso, a população continua deixando as áreas rurais e migrando para as cidades da região. No tabela 1 a seguir é possível perceber que entre os censos realizados no anos de 1991, 2000 e 2010, a população do campo vem diminuindo enquanto a população urbana aumenta significativamente: TABELA 1. População Urbana e Rural na Região Costa Oeste do Paraná Censo Demográfico População Urbana População Rural % 52% % 35% % 30% FONTE: Ipardes.

5 Uma questão que contribuiu para este aumento da população urbana e que ainda tem repercussão é a modernização das técnicas utilizadas no campo, onde pequenos agricultores, que não tem condições de se adequar a essas novas tecnologias, acabam arrendando ou vendendo as suas propriedades para proprietários maiores. Com isso, sem trabalho no campo, estas famílias migram para as cidades, em busca de emprego e de melhores condições de vida. Para isso é necessário que a cidade esteja preparada para receber esses contingentes populacionais, ofertando-lhes emprego e serviços necessários. Quando as cidades não estão preparadas para receber estes trabalhadores, muitas vezes estes acabam sendo marginalizados, submetidos a empregos informais e muitas vezes precários. 4 INDICADORES SOCIOECONÔMICOS DA REGIÃO COSTA OESTE DO PARANÁ As alterações no perfil da população de um país, estado ou município, vai depender de inúmeros indicadores sociais (natalidade, mortalidade, IDH, faixa etária, etc.), que interferem diretamente na taxa de crescimento da população e na sua qualidade de vida. Analisando a população total da região Costa Oeste paranaense através dos censos realizados em 1991, 2000 e 2010, pode-se perceber que a população da região vem aumentando nestas últimas duas décadas, conforme tabela 2. É importante ressaltar que este crescimento populacional não ocorreu de forma homogênea em todos os municípios da região. Como pode ser observado abaixo, entre o ano de 1991 e 2000, houve municípios que perderam população, como Diamante D Oeste, Guaíra, Marechal Cândido Rondon, Medianeira, São José das Palmeiras, São Miguel do Iguaçu e Terra Roxa. TABELA 2. POPULAÇÃO DA REGIÃO COSTA OESTE NOS ANOS DE 1991, 2000 E Localidade Diamante D'Oeste Entre Rios do Oeste 2.920* Foz do Iguaçu Guaíra Itaipulândia 4.199* Marechal Cândido Rondon Medianeira

6 Mercedes 4.198* Missal Pato Bragado 3.530* Santa Helena Santa Terezinha de Itaipu São José das Palmeiras São Miguel do Iguaçu Terra Roxa TOTAL FONTE: Ipardes. Dados Reconstituídos pelo Ipardes. Já no último censo realizado, percebe-se que somente dois municípios perderam população, sendo eles Foz do Iguaçu e São José das Palmeiras. Tanto essa dinâmica, quanto a perda e o ganho da população por município estão relacionados principalmente à oferta de emprego e de serviços, a partir das quais as pessoas migram para lugares diferentes em busca de melhores condições de vida. Municípios de porte pequeno, como no caso de São José das Palmeiras, oferecem poucos serviços e os índices de emprego são menores. Já no caso de Foz do Iguaçu, o processo migratório é uma das possíveis causas da diminuição da população. Segundo o IBGE, um dos motivos dessa migração é o rigor dos órgãos de fiscalização na fronteira a partir de 2003 contra o contrabando e descaminho, favorecendo deste modo a migração de pessoas que trabalhavam na informalidade, para outras cidades, visando a busca de seus sustentos (FRONTEIRA ZERO, 2010). Assim, constata-se que a população migra em busca de emprego, de maior acesso à saúde, educação, habitação, enfim, melhores condições de vida. 5 CONSIDERAÇÕES FINAIS Através deste trabalho destacou-se a importância dos censos demográficos, pois através destes torna-se possível obter um panorama geral da população, avaliando as suas potencialidades e suas demandas em escala regional e local. Com esses dados, é possível avaliar os municípios e em quais deles houve a oscilação da população, e quais os motivos para esta dinâmica; êxodo rural, migração, oferta de emprego, etc. Os dados demográficos obtidos com os censos são utilizados como instrumentos para a realização do planejamento urbano e regional. Esses dados tornam-se a base para a realização das políticas públicas que são destinadas a setores como saúde, educação, saneamento básico,

7 habitação, transportes, indústrias, turismo, etc. A quantificação da população torna-se também um parâmetro para a distribuição de verbas federais aos fundos estaduais e municipais. Nesse sentido, foi realizada uma análise parcial dos dados da região Costa Oeste do Paraná, no sentido de observar quais as mudanças ocorridas na região entre os períodos dos censos demográficos realizados em 1991, 2000 e No que tange à população da região, quase todos os municípios apresentaram um aumento de sua população, com exceção de São José das Palmeiras e Foz do Iguaçu. Também foi possível perceber que houve uma diminuição da população rural. Estes e outros dados que ainda serão analisados são de grande importância para que haja uma caracterização da região Costa Oeste do Paraná, o que permite também avaliar de que forma que são implantados políticas e projetos voltados a atender as necessidades desta população, assim como de que maneira é realizado o repasse de verbas e qual a sua destinação para os diversos setores, responsáveis pela qualidade de vida da população. REFERÊNCIAS CARLOS, Ana Fani. A questão da Cidade e do Campo: teorias e políticas. Revista de Geografia da UFC, ano 03, n.05, FRONTEIRA ZERO. Número apresentado pelo Censo 2010 derruba Foz para 7 posição. Disponível em: fronteirazero.org/portal/modules/smartsection/item.77. Acesso em: 30/05/2011. IBGE. Por que fazer o Censo de 2010?. Diretorias de Pesquisas, Disponível em: JANUZZI, P. M. Indicadores Sociais e as Políticas Públicas no Brasil. Disponível em: Acesso em: 29/12/2010. JORNAL LIVRE. O que é Demografia? Disponível em: Acesso em: 04/05/11. MORAIS, I. R. D. Dinâmica Demográfica e Desenvolvimento no Brasil Disponível em: SILVA, J.B. da. Planejamento Urbano e Crise das Cidades. Presidente prudente, v.1, n.30, p , Jan/Jun/2008 Revista Terra Livre, SOUZA, Edson B. C. de. Políticas Territoriais de Desenvolvimento Regional: o planejamento em foco nas margens do Lago de Itaipu Costa Oeste do Paraná. In: Revista Paranaense de Desenvolvimento, n.115, p , jul/dez

8 SOUZA, Edson B. C. de. Dinâmica Socioespacial da Região Oeste do Paraná: Um estudo preliminar dos reflexos na fronteira com o Paraguai e Argentina. Disponível em: egal2009.easyplanners.info/.../1038_edson_belo_edson_belo_clemente_de_souza.doc. Acesso em: 25/01/2011.

SIS-FRONTEIRAS: O ACESSO À SAÚDE PARA ESTRANGEIROS NOS MUNICÍPIOS PARANAENSES MARGEADOS PELO LAGO DE ITAIPU

SIS-FRONTEIRAS: O ACESSO À SAÚDE PARA ESTRANGEIROS NOS MUNICÍPIOS PARANAENSES MARGEADOS PELO LAGO DE ITAIPU SIS-FRONTEIRAS: O ACESSO À SAÚDE PARA ESTRANGEIROS NOS MUNICÍPIOS PARANAENSES MARGEADOS PELO LAGO DE ITAIPU Suelen Terre de Azevedo 1 Edson Belo Clemente de Souza 2 Introdução O presente trabalho tem por

Leia mais

A MUDANÇA NA ESTRUTURA ETÁRIA DA POPULAÇÃO BRASILEIRA: O CASO DA REGIÃO COSTA OESTE DO PARANÁ

A MUDANÇA NA ESTRUTURA ETÁRIA DA POPULAÇÃO BRASILEIRA: O CASO DA REGIÃO COSTA OESTE DO PARANÁ A MUDANÇA NA ESTRUTURA ETÁRIA DA POPULAÇÃO BRASILEIRA: O CASO DA REGIÃO COSTA OESTE DO PARANÁ Adriana Eliane Casagrande Edson Belo Clemente de Souza RESUMO O presente trabalho tem por objetivo analisar

Leia mais

REGIÃO COSTA OESTE DO PARANÁ E OS INDICADORES SOCIODEMOGRÁFICOS: EVOLUÇÃO POPULACIONAL ENTRE OS CENSOS DE 1991, 2000 E 2010

REGIÃO COSTA OESTE DO PARANÁ E OS INDICADORES SOCIODEMOGRÁFICOS: EVOLUÇÃO POPULACIONAL ENTRE OS CENSOS DE 1991, 2000 E 2010 REGIÃO COSTA OESTE DO PARANÁ E OS INDICADORES SOCIODEMOGRÁFICOS: EVOLUÇÃO POPULACIONAL ENTRE OS CENSOS DE 1991, 2000 E 2010 WEST COAST REGION OF PARANÁ AND SOCIO-DEMOGRAPHIC INDICATORS: POPULATION EVOLUTION

Leia mais

Aula5 POPULAÇÃO E DEMOGRAFIA NO BRASIL. Debora Barbosa da Silva

Aula5 POPULAÇÃO E DEMOGRAFIA NO BRASIL. Debora Barbosa da Silva Aula5 POPULAÇÃO E DEMOGRAFIA NO BRASIL META Refletir sobre as características da população brasileira como fundamento para a compreensão da organização do território e das políticas de planejamento e desenvolvimento

Leia mais

I PRÊMIO PTI DE EMPREENDEDORISMO INOVADOR PROCESSO Nº 0017/2011 EDITAL Nº 002/2011 MODALIDADE: CONCURSO

I PRÊMIO PTI DE EMPREENDEDORISMO INOVADOR PROCESSO Nº 0017/2011 EDITAL Nº 002/2011 MODALIDADE: CONCURSO I PRÊMIO PTI DE EMPREENDEDORISMO INOVADOR Edital n 002/2011 28 de fevereiro de 2011 PROCESSO Nº 0017/2011 EDITAL Nº 002/2011 MODALIDADE: CONCURSO A Fundação Parque Tecnológico Itaipu Brasil (FPTI-BR),

Leia mais

Material de apoio para o exame final

Material de apoio para o exame final Professor Rui Piassini Geografia 1º EM Material de apoio para o exame final Questão 01) Em toda a história da humanidade os agrupamentos humanos ou os indivíduos, isoladamente, se movimentam pelo espaço,

Leia mais

O PROCESSO DE URBANIZAÇÃO E A MOBILIDADE DO CAMPO PARA A CIDADE EM BELO CAMPO/BA

O PROCESSO DE URBANIZAÇÃO E A MOBILIDADE DO CAMPO PARA A CIDADE EM BELO CAMPO/BA O PROCESSO DE URBANIZAÇÃO E A MOBILIDADE DO CAMPO PARA A CIDADE EM BELO CAMPO/BA Silmara Oliveira Moreira 1 Graduanda em Geografia/UESB, Bolsista da UESB E-mail: silmara.geo@gmail.com Resumo: O objetivo

Leia mais

ELEITORES E ZONAS ELEITORAIS FONTE DATA REGIÃO

ELEITORES E ZONAS ELEITORAIS FONTE DATA REGIÃO TERRITÓRIO E GOVERNADOR Desmembrado de Estado de São Paulo Data de Instalação 19/12/1853 Data de Comemoração (Aniversário) 19 de Dezembro Governador(a) (TRE-PR) Carlos Alberto Richa ELEITORES E ZONAS ELEITORAIS

Leia mais

Palavras-chave: Cana-de-açúcar; Bem-estar; Goiatuba; Expansão agrícola.

Palavras-chave: Cana-de-açúcar; Bem-estar; Goiatuba; Expansão agrícola. Implicações da Expansão do cultivo da cana-deaçúcar sobre o município de Goiatuba Washington Pereira Campos8 Márcio Caliari9 Marina Aparecida da Silveira10 Resumo: A partir de 2004, ocorreu um aumento

Leia mais

IV SIMPGEO - Simpósio Paranaense de Pós-Graduação em Geografia Entre o pensar e o fazer em Geografia

IV SIMPGEO - Simpósio Paranaense de Pós-Graduação em Geografia Entre o pensar e o fazer em Geografia ISSN 2175-232X IV SIMPGEO - Simpósio Paranaense de Pós-Graduação em Geografia Entre o pensar e o fazer em Geografia Unioeste-Campus de Marechal Cândido Rondon 18 a 20 de junho de 2009 OS DESAFIOS REGIONAIS

Leia mais

Projeto Horta Comunitária: promovendo saúde e bem estar social

Projeto Horta Comunitária: promovendo saúde e bem estar social Projeto Horta Comunitária: promovendo saúde e bem estar social Mostra Local de: Arapongas Categoria do projeto: I Projetos em Andamento (projetos em execução atualmente) Nome da Instituição/Empresa: Centro

Leia mais

MUNICÍPIOS LINDEIROSAO LAGO DE ITAIPU NA MICRORREGIÃO DE TOLEDO E A APLICAÇÃO DE ROYALTIES

MUNICÍPIOS LINDEIROSAO LAGO DE ITAIPU NA MICRORREGIÃO DE TOLEDO E A APLICAÇÃO DE ROYALTIES MUNICÍPIOS LINDEIROSAO LAGO DE ITAIPU NA MICRORREGIÃO DE TOLEDO E A APLICAÇÃO DE ROYALTIES RESUMO Damião Xavier 1 Este estudo teve como objetivo analisar a microrregião de Toledo, Estado do Paraná, no

Leia mais

PERFIL DOS PARTICIPANTES DO PROGRAMA DE CAPACITAÇÃO BOM NEGÓCIO PARANÁ NA REGIÃO SUDOESTE DO PARANÁ

PERFIL DOS PARTICIPANTES DO PROGRAMA DE CAPACITAÇÃO BOM NEGÓCIO PARANÁ NA REGIÃO SUDOESTE DO PARANÁ 1 PERFIL DOS PARTICIPANTES DO PROGRAMA DE CAPACITAÇÃO BOM NEGÓCIO PARANÁ NA REGIÃO SUDOESTE DO PARANÁ Marta Paiz 1 Márcia Bonifácio Stooc 2 Adriana Picagevicz Mellk 3 Jaime Antonio Stoffel 4 Nelson Alpini

Leia mais

2. CONCEITO DE MIGRAÇÃO

2. CONCEITO DE MIGRAÇÃO ANÁLISE DO CRESCIMENTO/DECRÉSCIMO POPULACIONAL DOS MUNICÍPIOS DA MESORREGIÃO CENTRO OCIDENTAL PARANAENSE E SEUS IMPACTOS SOBRE O DESENVOLVIMENTO REGIONAL. Yume Aparecida Pereira Paiva, (IC), UNESPAR/FECILCAM,

Leia mais

Evolução da população do Rio Grande do Sul. Maria de Lourdes Teixeira Jardim Fundação de Economia e Estatística. 1 - Introdução

Evolução da população do Rio Grande do Sul. Maria de Lourdes Teixeira Jardim Fundação de Economia e Estatística. 1 - Introdução Evolução da população do Rio Grande do Sul. Maria de Lourdes Teixeira Jardim Fundação de Economia e Estatística Área Temática: Emprego e Mercado de Trabalho, Demografia Econômica. 1 - Introdução Este texto

Leia mais

PADRÃO DE RESPOSTA. Pesquisador em Informações Geográficas e Estatísticas A I PROVA 5 - GEOGRAFIA AGRÁRIA

PADRÃO DE RESPOSTA. Pesquisador em Informações Geográficas e Estatísticas A I PROVA 5 - GEOGRAFIA AGRÁRIA Questão n o 1 Conhecimentos Específicos O candidato deverá contemplar em seu texto os seguintes aspectos: Na perspectiva da Geografia Tradicional, até os anos 60 do século XX, período em que se enfatizavam

Leia mais

Mudanças demográficas e saúde no Brasil Dados disponíveis em 2008

Mudanças demográficas e saúde no Brasil Dados disponíveis em 2008 Mudanças demográficas e saúde no Brasil Dados disponíveis em 2008 José Cechin Superintendente Executivo Carina Martins Francine Leite Nos últimos meses, vários relatórios publicados por diferentes instituições

Leia mais

Mostra de Projetos 2011. Grupo Horizonte: amigo do meio ambiente. Autor(es): Maria Helena Von Borstel, Marlise Sulzbach Ricardi e Lúcia Henz

Mostra de Projetos 2011. Grupo Horizonte: amigo do meio ambiente. Autor(es): Maria Helena Von Borstel, Marlise Sulzbach Ricardi e Lúcia Henz Mostra de Projetos 2011 Grupo Horizonte: amigo do meio ambiente Mostra Local de: Marechal Cândido Rondon Categoria do projeto: II - Projetos finalizados Nome da Instituição/Empresa: Agrícola Horizonte

Leia mais

MINAS GERAIS. Projeto Situação dos Estados Fundação Perseu Abramo 2014

MINAS GERAIS. Projeto Situação dos Estados Fundação Perseu Abramo 2014 MINAS GERAIS Projeto Situação dos Estados Fundação Perseu Abramo 2014 O TERRITÓRIO A fisionomia territorial de Minas Gerais é elemento decisivo para se compreender seus traços atuais que resultam de sua

Leia mais

Caracterização do território

Caracterização do território Perfil do Município de Santos, SP 30/07/2013 - Pág 1 de 14 Caracterização do território Área 281,35 km² IDHM 2010 0,840 Faixa do IDHM Muito Alto (IDHM entre 0,8 e 1) (Censo 2010) 419400 hab. Densidade

Leia mais

A RELAÇÃO ENTRE A ORGANIZAÇÃO ESPACIAL DE ALFENAS- MG E A ASSISTÊNCIA ESTUDANTIL PRESTADA AOS ALUNOS DA CIDADE

A RELAÇÃO ENTRE A ORGANIZAÇÃO ESPACIAL DE ALFENAS- MG E A ASSISTÊNCIA ESTUDANTIL PRESTADA AOS ALUNOS DA CIDADE A RELAÇÃO ENTRE A ORGANIZAÇÃO ESPACIAL DE ALFENAS- MG E A ASSISTÊNCIA ESTUDANTIL PRESTADA AOS ALUNOS DA CIDADE Larissa da Silva Barbosa lariibarbosa@ig.com.br Geografia Bacharelado - UNIFAL-MG Ana Rute

Leia mais

INDICADORES DE SUSTENTABILIDADE PARA O ENFRENTAMENTO DAS MUDANÇAS CLIMÁTICAS EM ÁREAS URBANAS: UM ESTUDO DE CASO NO MUNICÍPIO DE BELÉM, PARÁ, BRASIL

INDICADORES DE SUSTENTABILIDADE PARA O ENFRENTAMENTO DAS MUDANÇAS CLIMÁTICAS EM ÁREAS URBANAS: UM ESTUDO DE CASO NO MUNICÍPIO DE BELÉM, PARÁ, BRASIL INDICADORES DE SUSTENTABILIDADE PARA O ENFRENTAMENTO DAS MUDANÇAS CLIMÁTICAS EM ÁREAS URBANAS: UM ESTUDO DE CASO NO MUNICÍPIO DE BELÉM, PARÁ, BRASIL Priscila da Silva Batista Instituto Tecnológico, Universidade

Leia mais

Capítulo 3. Fichas de Qualificação de Indicadores

Capítulo 3. Fichas de Qualificação de Indicadores Capítulo 3 Fichas de Qualificação de Indicadores A Demográficos População total A.1................................... 58 Razão de sexos A.2................................... 60 Taxa de crescimento da

Leia mais

Situação Geográfica e Demográfica

Situação Geográfica e Demográfica Guarulhos História A memória é a base para a construção da identidade, da consciência do indivíduo e dos grupos sociais de um determinado local. A maioria das fontes de memória de Guarulhos traz que sua

Leia mais

BLOCO DE ATIVIDADES / EXERCÍCIOS PROPOSTOS

BLOCO DE ATIVIDADES / EXERCÍCIOS PROPOSTOS Rede de Educação Missionárias Servas do Espírito Santo Colégio Nossa Senhora da Piedade Av. Amaro Cavalcanti, 2591 Encantado Rio de Janeiro / RJ CEP: 20735042 Tel: 2594-5043 Fax: 2269-3409 E-mail: cnsp@terra.com.br

Leia mais

Caracterização do território

Caracterização do território Perfil do Município de Areado, MG 29/07/2013 - Pág 1 de 14 Caracterização do território Área 282,6 km² IDHM 2010 0,727 Faixa do IDHM Alto (IDHM entre 0,700 e 0,799) (Censo 2010) 13731 hab. Densidade demográfica

Leia mais

SAÚDE PÚBLICA NA REGIÃO NORTE: DISCREPÂNCIAS, DISPARIDADES E ASSIMETRIAS DA SAÚDE COMO DIREITO SOCIAL

SAÚDE PÚBLICA NA REGIÃO NORTE: DISCREPÂNCIAS, DISPARIDADES E ASSIMETRIAS DA SAÚDE COMO DIREITO SOCIAL SAÚDE PÚBLICA NA REGIÃO NORTE: DISCREPÂNCIAS, DISPARIDADES E ASSIMETRIAS DA SAÚDE COMO DIREITO SOCIAL Prof. Dr. David Lopes Neto - UFAM Prof a Dr a Eliana Ofélia Llapa-Rodriguez - UFS Prof. Dr. António

Leia mais

Caracterização do território

Caracterização do território Perfil do Município de Botelhos, MG 29/07/2013 - Pág 1 de 14 Caracterização do território Área 335,24 km² IDHM 2010 0,702 Faixa do IDHM Alto (IDHM entre 0,700 e 0,799) (Censo 2010) 14920 hab. Densidade

Leia mais

Docente: Willen Ferreira Lobato willenlobato@yahoo.com.br

Docente: Willen Ferreira Lobato willenlobato@yahoo.com.br Docente: Willen Ferreira Lobato willenlobato@yahoo.com.br Natal 29/02/2012 1 Considerações Gerais; Principais conceitos demográficos; Gráficos de indicadores sociais; Estrutura das populações mundiais:

Leia mais

Portaria nº 1.555, de 30 de julho de 2013 Perguntas e respostas mais frequentes

Portaria nº 1.555, de 30 de julho de 2013 Perguntas e respostas mais frequentes MINISTÉRIO DA SAÚDE SECRETARIA DE CIÊNCIA, TECNOLOGIA E INSUMOS ESTRATÉGICOS DEPARTAMENTO DE ASSISTÊNCIA FARMACÊUTICA E INSUMOS ESTRATÉGICOS Esplanada dos Ministérios. Bloco G, Ed. Sede, 8º Andar CEP:

Leia mais

Caracterização do território

Caracterização do território Perfil do Município de Alto Boa Vista, MT 01/08/2013 - Pág 1 de 14 Caracterização do território Área 2248,35 km² IDHM 2010 0,651 Faixa do IDHM Médio (IDHM entre 0,6 e 0,699) (Censo 2010) 5247 hab. Densidade

Leia mais

MIGRANTES EM UBERLÂNDIA/MG NO PERÍODO RECENTE

MIGRANTES EM UBERLÂNDIA/MG NO PERÍODO RECENTE 1 MIGRANTES EM UBERLÂNDIA/MG NO PERÍODO RECENTE Adir A. Juliano 1 e Beatriz Ribeiro Soares 2 Universidade Federal de Uberlândia 1 adir@ufu.br 2 brsoares@ufu.br INTRODUÇÃO Nas últimas décadas, o processo

Leia mais

Caracterização do território

Caracterização do território Perfil do Município de Sorriso, MT 02/08/2013 - Pág 1 de 14 Caracterização do território Área 9382,37 km² IDHM 2010 0,744 Faixa do IDHM Alto (IDHM entre 0,700 e 0,799) (Censo 2010) 66521 hab. Densidade

Leia mais

LEVANTAMENTO DEMOGRÁFICO E ESTUDO DA QUALIDADE DE VIDA COMO SUBSIDIO A GESTÃO TERRITORIAL EM FRANCISCO BELTRÃO ESTADO DO PARANÁ BRASIL

LEVANTAMENTO DEMOGRÁFICO E ESTUDO DA QUALIDADE DE VIDA COMO SUBSIDIO A GESTÃO TERRITORIAL EM FRANCISCO BELTRÃO ESTADO DO PARANÁ BRASIL LEVANTAMENTO DEMOGRÁFICO E ESTUDO DA QUALIDADE DE VIDA COMO SUBSIDIO A GESTÃO TERRITORIAL EM FRANCISCO BELTRÃO ESTADO DO PARANÁ BRASIL José Francisco de Gois 1 Vera Lúcia dos Santos 2 A presente pesquisa

Leia mais

Núcleo Regional de Toledo

Núcleo Regional de Toledo Núcleo Regional de Toledo Municípios participantes Anahy Assis Chateaubriand Boa Vista da Apar. Braganey Cafelândia Campo Bonito Cap. Leônidas Marques Cascavel Catanduvas Céu Azul Corbélia Diamante do

Leia mais

A EVOLUÇÃO DO SETOR TERCIÁRIO EM FOZ DO IGUAÇU PR: APONTAMENTOS SOBRE O PAPEL DA USINA HIDRELÉTRICA DE ITAIPU NESTE PROCESSO

A EVOLUÇÃO DO SETOR TERCIÁRIO EM FOZ DO IGUAÇU PR: APONTAMENTOS SOBRE O PAPEL DA USINA HIDRELÉTRICA DE ITAIPU NESTE PROCESSO Revista OKARA: Geografia em debate, v.8, n.1, p. 21-32, 2014. ISSN: 1982-3878 João Pessoa, PB, DGEOC/CCEN/UFPB http://www.okara.ufpb.br A EVOLUÇÃO DO SETOR TERCIÁRIO EM FOZ DO IGUAÇU PR: APONTAMENTOS SOBRE

Leia mais

NATAL: Transformações na Ordem Urbana

NATAL: Transformações na Ordem Urbana NATAL: Transformações na Ordem Urbana Observatório das Metrópoles Núcleo RMNatal Editores : Maria do Livramento M. Clementino Observatório das Metrópoles Núcleo Natal Universidade Federal do Rio Grande

Leia mais

GEOGRAFIA. População Brasileira

GEOGRAFIA. População Brasileira População Brasileira No Brasil a concentração populacional tem sua maior ocorrência em áreas litorâneas ou próximas ao litoral. Temos como fatores contribuintes as faixas de planície, clima tropical, sem

Leia mais

7ºano 2º período vespertino 25 de abril de 2014

7ºano 2º período vespertino 25 de abril de 2014 GEOGRAFIA QUESTÃO 1 A Demografia é a ciência que estuda as características das populações humanas e exprime-se geralmente através de valores estatísticos. As características da população estudadas pela

Leia mais

.Plano Curricular de Geografia- 3º Ciclo -8ºAno 2014/2015

.Plano Curricular de Geografia- 3º Ciclo -8ºAno 2014/2015 População e Povoamento.Plano Curricular de Geografia- 3º Ciclo -8ºAno 2014/2015 Domínio Subdomínios /Objetivos Gerais Descritores Nº de Aulas Previstas 1-Evolução da População Mundial 1.1- Conhecer e compreender

Leia mais

NECESSIDADES HABITACIONAIS EM SÃO LOURENÇO DO OESTE: PMHIS COMO INSTRUMENTO DE TRANSFORMAÇÃO

NECESSIDADES HABITACIONAIS EM SÃO LOURENÇO DO OESTE: PMHIS COMO INSTRUMENTO DE TRANSFORMAÇÃO NECESSIDADES HABITACIONAIS EM SÃO LOURENÇO DO OESTE: PMHIS COMO INSTRUMENTO DE TRANSFORMAÇÃO Giane Roberta Jansen Paula Batistello Docente, Mestre em Engenharia Ambiental, Curso de Arquitetura e Urbanismo

Leia mais

ESVAZIAMENTO DE POPULAÇÃO JOVEM NO MUNICÍPIO DE CORUMBATAÍ DO SUL PR

ESVAZIAMENTO DE POPULAÇÃO JOVEM NO MUNICÍPIO DE CORUMBATAÍ DO SUL PR ESVAZIAMENTO DE POPULAÇÃO JOVEM NO MUNICÍPIO DE CORUMBATAÍ DO SUL PR Jaqueline T. Gouveia, (IC),UNESPAR/FECILCAM, gouveia.jaqueline@hotmail.com Fábio Rodrigues da Costa, (OR), UNESPAR/FECILCAM, fabiorcmestrado@bol.com.br

Leia mais

PERFIL DAS PESSOAS E FAMÍLIAS NO CADASTRO ÚNICO EM CAMPINAS

PERFIL DAS PESSOAS E FAMÍLIAS NO CADASTRO ÚNICO EM CAMPINAS PERFIL DAS PESSOAS E FAMÍLIAS NO CADASTRO ÚNICO EM CAMPINAS VIGILÂNCIA SOCIOASSISTENCIAL Secretaria Municipal de Cidadania, Assistência e Inclusão Social Julho de 2015 Introdução O presente estudo visa

Leia mais

AS TRANSFORMAÇÕES SOCIOESPACIAIS NA REGIÃO DO BARREIRO: A METROPOLIZAÇÃO NA PERIFERIA DE BELO HORIZONTE.

AS TRANSFORMAÇÕES SOCIOESPACIAIS NA REGIÃO DO BARREIRO: A METROPOLIZAÇÃO NA PERIFERIA DE BELO HORIZONTE. AS TRANSFORMAÇÕES SOCIOESPACIAIS NA REGIÃO DO BARREIRO: A METROPOLIZAÇÃO NA PERIFERIA DE BELO HORIZONTE. Saulo de Paula Pinto e Souza Evânio dos Santos Branquinho 1068 saulodepaula@gmail.com Geografia

Leia mais

A CONTRIBUIÇÃO DO USO DO SENSORIAMENTO REMOTO COMO FERREMENTA NA GESTÃO HÍDRICA E AMBIENTAL: O CASO DO IGARAPÉ ÁGUA AZUL

A CONTRIBUIÇÃO DO USO DO SENSORIAMENTO REMOTO COMO FERREMENTA NA GESTÃO HÍDRICA E AMBIENTAL: O CASO DO IGARAPÉ ÁGUA AZUL A CONTRIBUIÇÃO DO USO DO SENSORIAMENTO REMOTO COMO FERREMENTA NA GESTÃO HÍDRICA E AMBIENTAL: O CASO DO IGARAPÉ ÁGUA AZUL rocha. e.b Geógrafo - Mestrando em Gestão de Recursos Naturais e Desenvolvimento

Leia mais

Programa Ambiental: 1º Ciclo de Palestras Uso sustentável dos recursos naturais

Programa Ambiental: 1º Ciclo de Palestras Uso sustentável dos recursos naturais EXTENSO 2013 Eje 4: Ambiente, Educación Ambiental y Desarrollo Programa Ambiental: 1º Ciclo de Palestras Uso sustentável dos recursos naturais Letícia Fernanda Assis¹; Márcio Viera²; Juliana Ferrari³;

Leia mais

Quase 10% dos brasileiros têm mais de 70 anos. Segundo o IBGE, em 40 anos o número de idosos deverá superar o de jovens

Quase 10% dos brasileiros têm mais de 70 anos. Segundo o IBGE, em 40 anos o número de idosos deverá superar o de jovens Um país de idosos Quase 10% dos brasileiros têm mais de 70 anos. Segundo o IBGE, em 40 anos o número de idosos deverá superar o de jovens A expectativa de vida do brasileiro aumentou mais de 20 anos em

Leia mais

A INSERÇÃO ECÔNOMICA DOS AGRICULTORES FAMILIARES INSERIDOS NO ASSENTAMENTO ERNESTO CHE GUEVARA

A INSERÇÃO ECÔNOMICA DOS AGRICULTORES FAMILIARES INSERIDOS NO ASSENTAMENTO ERNESTO CHE GUEVARA A INSERÇÃO ECÔNOMICA DOS AGRICULTORES FAMILIARES INSERIDOS NO ASSENTAMENTO ERNESTO CHE GUEVARA Mercedes Ferreira 1 - mercedita4@hotmail.com Maria Inês Vidal 2 Orientador: Luiz Alexandre Gonçalves Cunha

Leia mais

PALAVRAS-CHAVE - economia solidária. extensão universitária. educação popular.

PALAVRAS-CHAVE - economia solidária. extensão universitária. educação popular. 13. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido 1 ISSN 2238-9113 ÁREA TEMÁTICA: (marque uma das opções) ( ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( ) SAÚDE

Leia mais

Municipais. Tribunal de Contas do Estado da Paraíba

Municipais. Tribunal de Contas do Estado da Paraíba Encontro de Gestores Públicos Municipais Tribunal de Contas do Estado da Paraíba Desafios para a nova gestão Receitas Municipais Despesas Municipais FPM IPTU ISS ITBI Taxas Repasses Estaduais Repasses

Leia mais

COLÉGIO VICENTINO IMACULADO CORAÇÃO DE MARIA Educação Infantil, Ensino Fundamental e Médio Rua Rui Barbosa, 1324, Toledo PR Fone: 3277-8150

COLÉGIO VICENTINO IMACULADO CORAÇÃO DE MARIA Educação Infantil, Ensino Fundamental e Médio Rua Rui Barbosa, 1324, Toledo PR Fone: 3277-8150 COLÉGIO VICENTINO IMACULADO CORAÇÃO DE MARIA Educação Infantil, Ensino Fundamental e Médio Rua Rui Barbosa, 1324, Toledo PR Fone: 3277-8150 PLANEJAMENTO DE GEOGRAFIA SÉRIE: 7º ANO PROFESSOR: MAGDA e ROSI

Leia mais

Centro Educacional Juscelino Kubitschek

Centro Educacional Juscelino Kubitschek Centro Educacional Juscelino Kubitschek ALUNO: N.º: DATA: / /2011 ENSINO FUNDAMENTAL SÉRIE: 6ª série/7 ano TURMA: TURNO: DISCIPLINA: GEOGRAFIA PROFESSOR: Equipe de Geografia Roteiro e lista de Recuperação

Leia mais

Perfil Municipal - Natal (RN)

Perfil Municipal - Natal (RN) Caracterização do Território Área: 169,9 km² Densidade Demográfica: 4.175,5 hab/km² Altitude da Sede: 30 m Ano de Instalação: 1.599 Distância à Capital: 0,0 km Microrregião: Natal Mesorregião: Leste Potiguar

Leia mais

ARTIGOS COMPLETOS (Resumo)... 752 RESUMOS SIMPLES... 754 RESUMOS DE PROJETOS... 758

ARTIGOS COMPLETOS (Resumo)... 752 RESUMOS SIMPLES... 754 RESUMOS DE PROJETOS... 758 Encontro de Ensino, Pesquisa e Extensão, Presidente Prudente, 18 a 22 de outubro, 2010 751 ARTIGOS COMPLETOS (Resumo)... 752 RESUMOS SIMPLES... 754 RESUMOS DE PROJETOS... 758 Encontro de Ensino, Pesquisa

Leia mais

A agenda demográfica e de políticas públicas do Estado de São Paulo

A agenda demográfica e de políticas públicas do Estado de São Paulo A agenda demográfica e de políticas públicas do Estado de São Paulo Projeções da Fundação Seade para a trajetória até 2050 indicam que o grupo populacional com mais de 60 anos será triplicado e o com mais

Leia mais

Áreas do Conhecimento - Ciências Sociais Aplicadas

Áreas do Conhecimento - Ciências Sociais Aplicadas Áreas do Conhecimento - Ciências Sociais Aplicadas Ciências Sociais Aplicadas Direito Teoria do Direito Teoria Geral do Direito Teoria Geral do Processo Teoria do Estado História do Direito Filosofia do

Leia mais

Conselho Municipal de Educação - CME Teotônio Vilela - AL. Página 1

Conselho Municipal de Educação - CME Teotônio Vilela - AL. Página 1 CALENDÁRIO DO CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO 2011 JANEIRO FEVEREIRO MARÇO D S T Q Q S S D S T Q Q S S D S T Q Q S S 1 1 2 3 4 5 1 2 3 4 5 2 3 4 5 6 7 8 6 7 8 9 10 11 12 6 7 8 9 10 11 12 9 10 11 12 13 14

Leia mais

Panorama Municipal. Município: Barreiros / PE. Aspectos sociodemográficos. Demografia

Panorama Municipal. Município: Barreiros / PE. Aspectos sociodemográficos. Demografia Município: Barreiros / PE Aspectos sociodemográficos Demografia A população do município ampliou, entre os Censos Demográficos de 2000 e 2010, à taxa de 0,40% ao ano, passando de 39.151 para 40.732 habitantes.

Leia mais

ICMS ECOLÓGICO: UM ESTÍMULO PARA A IMPLANTAÇÃO DE SISTEMAS DE SANEAMENTO AMBIENTAL EM MINAS GERAIS

ICMS ECOLÓGICO: UM ESTÍMULO PARA A IMPLANTAÇÃO DE SISTEMAS DE SANEAMENTO AMBIENTAL EM MINAS GERAIS Belo Horizonte/MG 24 a 27/11/2014 ICMS ECOLÓGICO: UM ESTÍMULO PARA A IMPLANTAÇÃO DE SISTEMAS DE SANEAMENTO AMBIENTAL EM MINAS GERAIS Rafael Geraldo Àvila Freitas (*), Juliana Oliveira de Miranda Pacheco,

Leia mais

OS DESAFIOS LEGAIS NAS SOCIEDADES COOPERATIVAS DA AGRICULTURA FAMILIAR E ECONOMIA SOLIDARIA 1

OS DESAFIOS LEGAIS NAS SOCIEDADES COOPERATIVAS DA AGRICULTURA FAMILIAR E ECONOMIA SOLIDARIA 1 1 OS DESAFIOS LEGAIS NAS SOCIEDADES COOPERATIVAS DA AGRICULTURA FAMILIAR E ECONOMIA SOLIDARIA 1 Adilson Francelino Alves 2 ; Luiz Cláudio Borille 3 ; Ivone Belon Lucas 2 Área: Direito Cooperativo Resumo:

Leia mais

Brasil: O consumo de carnes passado a limpo! Contagem da população brasileira pelo IBGE em 2007

Brasil: O consumo de carnes passado a limpo! Contagem da população brasileira pelo IBGE em 2007 Brasil: O consumo de carnes passado a limpo! Contagem da população brasileira pelo IBGE em 2007 revela um número menor de habitantes do que se esperava e mostra um maior consumo per capita de carnes. Luciano

Leia mais

Goiás e seu reflexo na sociedade

Goiás e seu reflexo na sociedade Os dados do Censo Escolar da Educação Básica de 2013, divulgado recentemente, apontaram a diminuição do número de matrículas em Goiás tendo como referência o ano de 2010. Notadamente, os decréscimos ocorreram

Leia mais

ASSISTÊNCIA SOCIAL: UM RECORTE HORIZONTAL NO ATENDIMENTO DAS POLÍTICAS SOCIAIS

ASSISTÊNCIA SOCIAL: UM RECORTE HORIZONTAL NO ATENDIMENTO DAS POLÍTICAS SOCIAIS ASSISTÊNCIA SOCIAL: UM RECORTE HORIZONTAL NO ATENDIMENTO DAS POLÍTICAS SOCIAIS Mônica Abranches 1 No Brasil, no final da década de 70, a reflexão e o debate sobre a Assistência Social reaparecem e surge

Leia mais

ACESSO EDUCAÇÃO PRÉ-VESTIBULAR AULA 01 DEMOGRAFIA BRASILEIRA

ACESSO EDUCAÇÃO PRÉ-VESTIBULAR AULA 01 DEMOGRAFIA BRASILEIRA ACESSO EDUCAÇÃO PRÉ-VESTIBULAR AULA 01 DEMOGRAFIA BRASILEIRA ACESSO EDUCAÇÃO PRÉ-VESTIBULAR AULA 02 DEMOGRAFIA MUNDIAL (MACK) O Brasil em 2020 Será, é claro, um Brasil

Leia mais

GEOGRAFIA. INSTRUÇÃO: Responder à questão 18 com base nas afirmações referentes à água potável no mundo.

GEOGRAFIA. INSTRUÇÃO: Responder à questão 18 com base nas afirmações referentes à água potável no mundo. GEOGRAFIA 16) Qual é a hora solar de uma cidade localizada 25º Oeste, sabendo-se que, no centro do fuso na qual está situada, a hora solar corresponde a 18 horas? A) 18 horas. B) 17 horas e 40 minutos.

Leia mais

sociais (7,6%a.a.); já os segmentos que empregaram maiores contingentes foram o comércio de mercadorias, prestação de serviços e serviços sociais.

sociais (7,6%a.a.); já os segmentos que empregaram maiores contingentes foram o comércio de mercadorias, prestação de serviços e serviços sociais. CONCLUSÃO O Amapá tem uma das menores densidades populacionais, de cerca de 2,6 habitantes por km 2. Em 1996, apenas três de seus 15 municípios possuíam população superior a 20 mil habitantes e totalizavam

Leia mais

Curso de Formação de Conselheiros em Direitos Humanos Abril Julho/2006

Curso de Formação de Conselheiros em Direitos Humanos Abril Julho/2006 Curso de Formação de Conselheiros em Direitos Humanos Abril Julho/2006 Realização: Ágere Cooperação em Advocacy Apoio: Secretaria Especial dos Direitos Humanos/PR Módulo III: Conselhos dos Direitos no

Leia mais

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DO RIO DE JANEIRO CENTRO DE CIÊNCIAS SOCIAIS DEPARTAMENTO DE GEOGRAFIA

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DO RIO DE JANEIRO CENTRO DE CIÊNCIAS SOCIAIS DEPARTAMENTO DE GEOGRAFIA PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DO RIO DE JANEIRO CENTRO DE CIÊNCIAS SOCIAIS DEPARTAMENTO DE GEOGRAFIA O Aterro Sanitário de Nova Iguaçu (RJ): estratégias sustentáveis de gestão pública para os resíduos

Leia mais

Documento Base do Plano Estadual de Educação do Ceará. Eixo Temático Educação Infantil

Documento Base do Plano Estadual de Educação do Ceará. Eixo Temático Educação Infantil Documento Base do Plano Estadual de Educação do Ceará Eixo Temático Educação Infantil Ceará, 2015 1 Socioeconômico Diagnóstico Para compreender a situação da educação no estado do Ceará é necessário também

Leia mais

O envelhecimento populacional brasileiro e a abordagem da mídia em relação a pessoa idosa Moreira, Thais dos Santos*

O envelhecimento populacional brasileiro e a abordagem da mídia em relação a pessoa idosa Moreira, Thais dos Santos* O envelhecimento populacional brasileiro e a abordagem da mídia em relação a pessoa idosa Moreira, Thais dos Santos* Resumo: Este presente artigo tem por finalidade demonstrar de forma sucinta no cenário

Leia mais

A REGIONALIZAÇÃO NA FRONTEIRA BRASIL/PARAGUAI

A REGIONALIZAÇÃO NA FRONTEIRA BRASIL/PARAGUAI A REGIONALIZAÇÃO NA FRONTEIRA BRASIL/PARAGUAI Vanderleia Gemelli 1 Edson Belo Clemente de Souza 2 Eixo temático: POLÍTICAS DO ESTADO NA FRONTEIRA RESUMO: A região de fronteira entre Brasil e Paraguai,

Leia mais

A prática da Educação Patrimonial:

A prática da Educação Patrimonial: A prática da Educação Patrimonial: uma experiência no município de Restinga Sêca / RS HELIANA DE MORAES ALVES E LAURO CÉSAR FIGUEIREDO Introdução O presente trabalho é um breve relato sobre uma prática

Leia mais

Panorama Municipal. Município: Cabo de Santo Agostinho / PE. Aspectos sociodemográficos. Demografia

Panorama Municipal. Município: Cabo de Santo Agostinho / PE. Aspectos sociodemográficos. Demografia Município: Cabo de Santo Agostinho / PE Aspectos sociodemográficos Demografia A população do município ampliou, entre os Censos Demográficos de 2000 e 2010, à taxa de 1,93% ao ano, passando de 152.836

Leia mais

METAMORFOSES NA PAISAGEM PELA TURISTIFICAÇÃO DO RURAL EM UBERLÂNDIA - MG

METAMORFOSES NA PAISAGEM PELA TURISTIFICAÇÃO DO RURAL EM UBERLÂNDIA - MG METAMORFOSES NA PAISAGEM PELA TURISTIFICAÇÃO DO RURAL EM UBERLÂNDIA - MG Raphaella Karla Portes Beserra raphaella_udi@hotmail.com Geografia - Universidade Federal de Uberlândia 375 Resumo Jéssica Soares

Leia mais

O papel do estado na formação espacial urbana da conurbação Aparecida- Guaratinguetá: breve estudo do passado socioeconômico.

O papel do estado na formação espacial urbana da conurbação Aparecida- Guaratinguetá: breve estudo do passado socioeconômico. Ivo Francisco Barbosa¹ Universidade Federal Fluminense ivo_francisco@hotmail.com O papel do estado na formação espacial urbana da conurbação Aparecida- Guaratinguetá: breve estudo do passado socioeconômico.

Leia mais

FINANÇAS PÚBLICAS DO MUNICÍPIO DE CAMPO MOURÃO: ANÁLISE COMPARATIVA DE DOIS DIFERENTES MANDATOS POLÍTICOS. Área: ECONOMIA

FINANÇAS PÚBLICAS DO MUNICÍPIO DE CAMPO MOURÃO: ANÁLISE COMPARATIVA DE DOIS DIFERENTES MANDATOS POLÍTICOS. Área: ECONOMIA FINANÇAS PÚBLICAS DO MUNICÍPIO DE CAMPO MOURÃO: ANÁLISE COMPARATIVA DE DOIS DIFERENTES MANDATOS POLÍTICOS Área: ECONOMIA BUENO, Elizabete Cristina PONTILI,RosangelaMaria Resumo: Desde a década de 1930

Leia mais

Fundação Seade. www.seade.gov.br

Fundação Seade. www.seade.gov.br Maio de N o Diminui a migração no Estado de São Paulo A divulgou mais um número do SP Demográfico, o terceiro de. Dessa vez, são apresentadas estimativas inéditas dos saldos migratórios e das taxas de

Leia mais

PLURIATIVIDADE AGRÍCOLA E AGRICULTURA FAMILIAR I. META Mostrar o processo de inserção da agricultura familiar na economia brasileira.

PLURIATIVIDADE AGRÍCOLA E AGRICULTURA FAMILIAR I. META Mostrar o processo de inserção da agricultura familiar na economia brasileira. Aula PLURIATIVIDADE AGRÍCOLA E AGRICULTURA FAMILIAR I META Mostrar o processo de inserção da agricultura familiar na economia brasileira. OBJETIVOS Ao final desta aula, o aluno deverá: entender o conceito

Leia mais

Fluminense (UFF/RJ). Palavras-Chaves: Graduação, Licenciamento Ambiental, prática crítico-reflexivo, periódicos científicos.

Fluminense (UFF/RJ). Palavras-Chaves: Graduação, Licenciamento Ambiental, prática crítico-reflexivo, periódicos científicos. O ENSINO DA DISCIPLINA DE GRADUAÇÃO ESTUDOS DE IMPACTOS AMBIENTAIS (EIA) NO ÂMBITO DOS AVANÇOS E CONFLITOS DO PROCESSO DE LICENCIAMENTO AMBIENTAL BRASILEIRO. Ludmila Caetano 1*, Célio F. Quintanilha 1,

Leia mais

Perfil Municipal - Florianópolis (SC)

Perfil Municipal - Florianópolis (SC) Caracterização do Território Área: 436,5 km² Densidade Demográfica: 760,1 hab/km² Altitude da Sede: 3 m Ano de Instalação: 1.726 Distância à Capital: 0,0 km Microrregião: Florianópolis Mesorregião: Grande

Leia mais

Pedro João de Albuquerque Araújo Universidade Federal de Pernambuco Laboratório de Pesquisas sobre Espaço, Cultura e Política (LECGEO)

Pedro João de Albuquerque Araújo Universidade Federal de Pernambuco Laboratório de Pesquisas sobre Espaço, Cultura e Política (LECGEO) Vidas exclusivas: Territorialização, transformação dos usos e apropriações da Praia do Paiva-PE Pedro João de Albuquerque Araújo Universidade Federal de Pernambuco Laboratório de Pesquisas sobre Espaço,

Leia mais

INDICE DE DESENVOLVIMENTO HUMANO MUNICIPAL - MESORREGIÃO OESTE PARANAENSE. 1

INDICE DE DESENVOLVIMENTO HUMANO MUNICIPAL - MESORREGIÃO OESTE PARANAENSE. 1 INDICE DE DESENVOLVIMENTO HUMANO MUNICIPAL - MESORREGIÃO OESTE PARANAENSE. 1 Ronaldo Aparecido da Cunha 2 UNIOESTE Universidade Estadual do Oeste do Paraná Campus de Cascavel Trabalho orientado pela professora

Leia mais

Aula 9 PROCESSOS MIGRATÓRIOS

Aula 9 PROCESSOS MIGRATÓRIOS PROCESSOS MIGRATÓRIOS Aula 9 METAS Inserir o aluno em um dos temas centrais da análise da Geografia da População: a questão migratória; analisar as causas, motivações e conseqüências do deslocamento populacional

Leia mais

Sistema de Informação Geográfica para Planejamento de Eletrificação Rural em Grande Escala

Sistema de Informação Geográfica para Planejamento de Eletrificação Rural em Grande Escala 1/6 Título Sistema de Informação Geográfica para Planejamento de Eletrificação Rural em Nº de Registro (Resumen) 8 Empresa o Entidad CEMIG DISTRIBUIÇÃO S/A CEMIG-D Autores del Trabajo Nombre País e-mail

Leia mais

CAPÍTULO 5 A REGIÃO NO CONTEXTO DA ECONOMIA PARANAENSE. Maria da Piedade Araújo

CAPÍTULO 5 A REGIÃO NO CONTEXTO DA ECONOMIA PARANAENSE. Maria da Piedade Araújo CAPÍTULO 5 A REGIÃO NO CONTEXTO DA ECONOMIA PARANAENSE Maria da Piedade Araújo 170 5.1 INTRODUÇÃO Este capítulo tem por objetivo apresentar um comparativo da Mesorregião Oeste do Paraná em relação ao Estado.

Leia mais

O PROJETO MONITORIA NO PROGRAMA UNATI: TECENDO A INCLUSÃO SOCIAL DO IDOSO

O PROJETO MONITORIA NO PROGRAMA UNATI: TECENDO A INCLUSÃO SOCIAL DO IDOSO O PROJETO MONITORIA NO PROGRAMA UNATI: TECENDO A INCLUSÃO SOCIAL DO IDOSO ROSELI ODORIZZI1 RESUMO: O presente artigo trata das atividades desenvolvidas no projeto monitoria e tem como objetivo ressaltar

Leia mais

Relatório de atividades Arte e cidadania caminhando juntas Pampa Exportações Ltda.

Relatório de atividades Arte e cidadania caminhando juntas Pampa Exportações Ltda. Relatório de atividades Arte e cidadania caminhando juntas Pampa Exportações Ltda. Belém-PA 2013 Trabalho Social: um compromisso de desenvolvimento local Pampa Exportações Ltda. No contexto da certificação

Leia mais

Documento Base do Plano Estadual de Educação do Ceará. Eixo Temático Inclusão, Diversidades e EJA

Documento Base do Plano Estadual de Educação do Ceará. Eixo Temático Inclusão, Diversidades e EJA Documento Base do Plano Estadual de Educação do Ceará Eixo Temático Inclusão, Diversidades e EJA Ceará, 2015 1 Socioeconômico Diagnóstico Para compreender a situação da educação no estado do Ceará é necessário

Leia mais

O ENSINO MÉDIO NAS ESCOLAS RURAIS DE JATAÍ, UMA GESTÃO COMPARTILHADA. Mara Sandra de Almeida 1 Luciene Lima de Assis Pires 2

O ENSINO MÉDIO NAS ESCOLAS RURAIS DE JATAÍ, UMA GESTÃO COMPARTILHADA. Mara Sandra de Almeida 1 Luciene Lima de Assis Pires 2 O ENSINO MÉDIO NAS ESCOLAS RURAIS DE JATAÍ, UMA GESTÃO COMPARTILHADA Mara Sandra de Almeida 1 Luciene Lima de Assis Pires 2 1 Instituto Federal de Ciência e Tecnologia de Goiás Câmpus Jataí / marassandra@gmail.com

Leia mais

POLÍTICAS PÚBLICAS DE ECONOMIA SOLIDÁRIA

POLÍTICAS PÚBLICAS DE ECONOMIA SOLIDÁRIA POLÍTICAS PÚBLICAS DE ECONOMIA SOLIDÁRIA 1. Concepções e diretrizes políticas para áreas; Quando falamos de economia solidária não estamos apenas falando de geração de trabalho e renda através de empreendimentos

Leia mais

FICHA DE INTERESSE NOVAS MISSÕES SOCIAS NA VENEZUELA: EM DIREÇÃO À SUPREMA FELICIDADE SOCIAL. Governo Bolivariano da Venezuela

FICHA DE INTERESSE NOVAS MISSÕES SOCIAS NA VENEZUELA: EM DIREÇÃO À SUPREMA FELICIDADE SOCIAL. Governo Bolivariano da Venezuela FICHA DE INTERESSE Governo Bolivariano da Venezuela Embaixada da República Bolivariana da Venezuela na República Federativa do Brasil NOVAS MISSÕES SOCIAS NA VENEZUELA: EM DIREÇÃO À SUPREMA FELICIDADE

Leia mais

A GESTÃO AMBIENTAL POR BACIA HIDROGRÁFICA: desafio ao Serviço Social

A GESTÃO AMBIENTAL POR BACIA HIDROGRÁFICA: desafio ao Serviço Social 1 A GESTÃO AMBIENTAL POR BACIA HIDROGRÁFICA: desafio ao Serviço Social Eugênia Aparecida Cesconeto 1 RESUMO A água é uma das mercadorias mais preciosas do século XXI e desponta como um dos maiores desafios

Leia mais

O MERCADO DE TRABALHO DO SERVIÇO SOCIAL NO INTERIOR DE ALAGOAS E O PROCESSO DE DESCENTRALIZAÇÃO DAS POLÍTICAS PÚBLICAS

O MERCADO DE TRABALHO DO SERVIÇO SOCIAL NO INTERIOR DE ALAGOAS E O PROCESSO DE DESCENTRALIZAÇÃO DAS POLÍTICAS PÚBLICAS 1 O MERCADO DE TRABALHO DO SERVIÇO SOCIAL NO INTERIOR DE ALAGOAS E O PROCESSO DE DESCENTRALIZAÇÃO DAS POLÍTICAS PÚBLICAS Rosa Prédes * Sarah Bernardo Pereira ** RESUMO O trabalho é parte da pesquisa sobre

Leia mais

CONFERÊNCIA GOVERNANÇA DO SOLO

CONFERÊNCIA GOVERNANÇA DO SOLO CONFERÊNCIA GOVERNANÇA DO SOLO DOCUMENTO DE REFERÊNCIA Período de realização: 25 a 27 de março de 2015 Local: Brasília, DF (Hotel Royal Tulip Brasília Alvorada) Realização: 1. Contexto: Os solos constituem

Leia mais

VIOLÊNCIA CONTRA CRIANÇAS E ADOLESCENTES: ESTUDO EXPLORATÓRIO E REFLEXIVO NO CREAS DO MUNICÍPIO DE PRESIDENTE PRUDENTE SP

VIOLÊNCIA CONTRA CRIANÇAS E ADOLESCENTES: ESTUDO EXPLORATÓRIO E REFLEXIVO NO CREAS DO MUNICÍPIO DE PRESIDENTE PRUDENTE SP Encontro de Ensino, Pesquisa e Extensão, Presidente Prudente, 22 a 25 de outubro, 2012 385 VIOLÊNCIA CONTRA CRIANÇAS E ADOLESCENTES: ESTUDO EXPLORATÓRIO E REFLEXIVO NO CREAS DO MUNICÍPIO DE PRESIDENTE

Leia mais

Geografia. Exercícios de Revisão I

Geografia. Exercícios de Revisão I Nome: n o : E nsino: Médio S érie: T urma: Data: Profa: 1 a Geografia Exercícios de Revisão I 1 Analisando o mapa a seguir, correlacione a incidência de malária e da doença do sono com as condições naturais

Leia mais

CARTA CONVITE 1. OBJETO:

CARTA CONVITE 1. OBJETO: CARTA CONVITE 1. OBJETO: O presente processo tem por objeto a Prestação de Serviços na Área de Projetos Ambientais Revisão de Projetos de Adequação de Propriedades Rurais e Elaboração de Pré-Diagnóstico

Leia mais

CONTRIBUIÇÕES DA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA PARA O ENSINO SUPERIOR EM RONDÔNIA

CONTRIBUIÇÕES DA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA PARA O ENSINO SUPERIOR EM RONDÔNIA CONTRIBUIÇÕES DA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA PARA O ENSINO SUPERIOR EM RONDÔNIA Ivanete Saskoski Caminha, Adriana Leônidas de Oliveira 2 Universidade de Taubaté/Programa de Mestrado em Gestão e Desenvolvimento

Leia mais

A GESTÃO AMBIENTAL POR BACIA HIDROGRÁFICA: desafio ao serviço social

A GESTÃO AMBIENTAL POR BACIA HIDROGRÁFICA: desafio ao serviço social A GESTÃO AMBIENTAL POR BACIA HIDROGRÁFICA: desafio ao serviço social Eugênia Aparecida Cesconeto 1 Resumo: A água é uma das mercadorias mais preciosas do século XXI e desponta como um dos maiores desafios

Leia mais

COORDENAÇÃO DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA LABORATÓRIO DE POLÍTICAS PÚBLICAS MUNICIPAIS. Notas Técnicas. Educação Básica (Creches) em Caruaru

COORDENAÇÃO DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA LABORATÓRIO DE POLÍTICAS PÚBLICAS MUNICIPAIS. Notas Técnicas. Educação Básica (Creches) em Caruaru COORDENAÇÃO DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA LABORATÓRIO DE POLÍTICAS PÚBLICAS MUNICIPAIS Notas Técnicas Educação Básica (Creches) em Caruaru Projeto Georeferenciamento de Dados Convênio ASCES/PMC Diretor

Leia mais