SISTEMA ESPECIALISTA DE VISÃO COMPUTACIONAL PARA DIAGNÓSTICO DE FRATURAS CRANIANAS EM IMAGENS DE TOMOGRAFIA COMPUTADORIZADA.

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "SISTEMA ESPECIALISTA DE VISÃO COMPUTACIONAL PARA DIAGNÓSTICO DE FRATURAS CRANIANAS EM IMAGENS DE TOMOGRAFIA COMPUTADORIZADA."

Transcrição

1 SISTEMA ESPECIALISTA DE VISÃO COMPUTACIONAL PARA DIAGNÓSTICO DE FRATURAS CRANIANAS EM IMAGENS DE TOMOGRAFIA COMPUTADORIZADA. Eric da Silva 1,Saulo Araujo de Carvalho 2,Wagner dos Santos C. de Jesus 3, Alderico Rodrigues de Paula Junior 4. Universidade do Vale do Paraíba/Instituto de Pesquisas e Desenvolvimento IP&D, Av. Shishima Hifumi, 2911 Urbanova São José dos Campos SP CEP: , Resumo: A proposta do presente estudo é o desenvolvimento de um protótipo de Sistema Especialista usando técnicas de Processamento de Imagens Digitais para Diagnosticar possíveis fraturas Cranianas em imagens de tomografia. Esse sistema tem por objetivo auxiliar o médico neurologista e o fisioterapeuta no processo de tomada de decisão durante o atendimento de pacientes em UTI, portando lesões cranianas, propondo fornecer um diagnóstico mais preciso em relação a análise quantitativa das imagens. De acordo com os sintomas apresentados, o profissional poderá obter do software um rápido diagnóstico possibilitando um tratamento adequado para cada caso. Palavras-chave: Diagnóstico Imagens, ATC e Analise de Imagens. Área do Conhecimento: Ciências Exatas e da Terra Introdução O principio da formação das imagens de TC (Tomografia Computadorizada). A Tomografia Computadorizada é baseada nos mesmos princípios básicos que regem a Radiografia Convencional, ou seja, os tecidos que possuem composição diferente absorvem de forma diferenciada a radiação X (Raios-X). Ao serem atravessados por raios X, tecidos mais densos (como o fígado), ou que possuem elementos mais pesados (como os ossos que possuem cálcio) absorvem mais radiação que tecidos com densidade menor (como por exemplo o pulmão, que está cheio de ar). Desta forma, uma Tomografia Computadorizada na verdade indica a quantidade de radiação X absorvida por cada parte do corpo (radiodensidade), traduzindo tais variações numa escala de cinza, produzindo uma imagem. Cada pixel da imagem corresponde à média de absorção dos tecidos nesta zona, expresso em unidades de Hounsenfield, em homenagem ao cientista criador da primeira máquina de tomografia computadorizada. Nas imagens atuais podemos observar uma tomografia de uma cabeça humana. É interessante ressaltar que como o cerebelo, os seios etmóides e o globos oculares ficam perfeitamente visíveis. [5] Essa técnica é usada e consagrada para geração das imagens diagnosticáveis usada em leitura visual dos profissionais da área médica ou fisioterapeutica. Apresentase como estudo do referente trabalho para validação das técnicas computacionais de Inteligência Artificial e Processamento de Imagens para determinação de diagnostico de Imagens TC. 1

2 Figura 1 A análise das imagens usando técnicas de limiarização Thresholding essa metodologia é usada nos casos particulares de detecção de regiões em imagens, classificação binária com critério global baseado em histograma. [7] Somente o tratamento da imagem não se faz suficiente para determinação do diagnostico sendo viável a implementação de algoritmos que auxiliem no reconhecimento e análise das características das imagens. Nesta técnica analítica é necessário o uso de reconhecimento de padrões para qualificar o processo usando modelagem Dinâmica de Memória de Casos. [2] Foi confeccionado um banco de dados para registro dos dados de TC colocando referencias das imagens classificadas em Normais e lesionadas com as possíveis variações de lesões nos mais diversos casos. Os resultados obtidos por intermédio das analises feitas pelos algoritmos neste estudo permitirão verificar que com as analises das imagens pode-se obter maior variação das informações e realimentação do próprio banco de conhecimento para realização de diagnósticos futuros. Materiais e Métodos da área de fisioterapia. O primeiro procedimento é separar as imagens por pacientes em seguida transportar as imagens para o software de tratamento onde serão analisadas. Esse procedimento substituirá os métodos convencionais usados atualmente pelos profissionais da área da saúde não tendo mais que ficar analisando visualmente cada imagem para detectar um diagnóstico isso será substituído por um programa de computador que irá auxiliá-lo na realização dessas tarefas. Esse processo é denominado de visão computacional e trabalha com técnicas de processamento de imagens na qual o presente estudo utiliza a técnica computacional denominada limiarização Thresholding que consiste em separar as regiões de uma imagem quando esta apresenta duas classes (o fundo e o objeto). A limiarização é baseada na utilização de um histograma que representa os níveis de cinza bem repartidos da imagem, dado que o histograma apresenta distintamente as duas classes da imagem ou seja o que deverá ficar (branco ou preto) o processo binário o qual divide a imagem em duas cores ou qualquer outro tipo de convenção desejada de combinação de duas cores. [6] (a) (b) Figura 2: (a) apresentada uma imagem de tomografia original face de corte da planta de um crânio, (b) face da mesma planta craniana após o software ter realizado o processo de Limiarização. A análise deverá ser realizada mediante a técnica usada acima onde a detecção de uma suposta fratura deverá ser diagnosticada pela imagem representada na figura (b). [8] A seleção das imagens para realização deste trabalho foi cedida, por profissionais 2

3 Onde: Figura 3 Conforme a demonstração da figura 3: (I) é a imagem e I v subconjunto da imagem h v cardinalidade de I v. Após a montagem do histograma é possível determinar o limiar de onde as intensidades devem ser consideradas para a classificação da imagem, para realização desta tarefa foi construído um algoritmo computacional para realizar esse procedimento que deve armazenar as informações em um banco de dados para realização do diagnostico proposto. Com base no armazenamento das intensidades e coordenadas da imagem ficam armazenadas em um banco de dados relacional no formato (db) Borland Paradox que recebe compra as novas imagens a serem diagnosticadas com dados de imagens antigas, fazendo com que haja mudanças periódicas no banco de dados melhorando a qualidade e confiabilidade do diagnóstico. A classificação das imagens é realizada por um método de Inteligência Artificial (IA) denominado como vizinho mais próximo ou (Nearest Beighbour). Esse método consiste em calcular a similaridade pela média das distâncias entre o caso em questão e os casos previamente armazenados na base de dados. Primeiramente, devem-se identificar os atributos essenciais para a resolução do problema. Estes são representados em sistema de coordenadas, para que se possa medir a distância entre um novo problema e os já existentes na base de casos [2]. Será classificado como caso mais similar ao novo aquele que obtiver a menor distância entre todos, e, no caso da distância ser igual a zero, o caso novo é igual a algum já armazenado. A similaridade é, então expressa pela fórmula: Similaridade (N,F) = a n i 1 + f (N i, F i ) + W i N = Novo caso. F = Casos existentes na base de casos. n = Número de atributos. i = É um atributo individual. f = É a função de similaridade para o atributo i nos casos N e F. W = Peso do atributo i(que, pode ter seu valor fixado). Sendo f a função responsável pelo calculo da distância, de modo a expressar o grau de similaridade entre o caso atual com os armazenamentos na base de conhecimento [9]. Escolheu-se para realizar o armazenamento das imagens e a realização da representação dos casos a estrutura de frames para modelar o conhecimento extraído do especialista nas áreas de Fisioterapia, Radiologia e Neurologia. Isso porque essa estrutura caracteriza de forma eficiente casos anteriormente vividos [2]. A pesquisa foi realizada confeccionando os algoritmos em linguagem de programação Borland C++ Builder, que é um ambiente visual de desenvolvimento de aplicações orientado a objeto que permite desenvolver, de forma rápida e eficaz, aplicações para sistemas operacionais Microsoft Windows e Linux. Disponibiliza um ambiente de ferramentas RAD (Desenvolvimento Rápido de Aplicações) e um extenso suporte à programação orientada a objeto formado por duas bibliotecas de componentes reutilizáveis: VCL Visual Components Library ( Biblioteca de componentes visuais). CLX Components Library for Cross-Plataform (Biblioteca de Componentes para Plataformas X) ou seja componentes que podem ser usados em outras plataformas [1]. Resultados Na realização efetiva do diagnóstico é importante que consultada a base de conhecimento projetada pelos especialistas da área da saúde seja fixada os vários tamanhos de crânios encontrados por pacientes dentro de um intervalo de 3

4 tempo de utilização do software não devendo ser desprezado de forma alguma esses dados, caso contrário isso ira comprometes sensivelmente a efetivação do diagnóstico. [2] As imagens serão comparadas com outras imagens verificando se existe alguma semelhança óssea e de tamanho que caracterize normalidade ou anormalidade podendo realizar uma verificação em uma lista de índices criados estatisticamente para validar como normalidade ou não normalidade craniana [2]. Conforme a Figura 4 demonstrada é realizada uma varredura efetuando o confrontamento da nova imagem com as imagens já existentes no banco de dados possibilitando a localização do tamanho do crânio na base de conhecimento. Caso ele encontre alguma semelhança de tamanho é feita a analise, caso não encontre ele irá armazenar as informações do novo tamanho de crânio especificado. 1- Hidrocefalia obstrutiva do hematoma no aqueduto. 2- Hidrocefalia de comunicação da falha de absorção. 3 Vaso espasmo na primeira semana produzindo infarto cerebral no território associado. [5] O software tem como objetivo apresentar o resultado exemplificado no exemplo da figura 5. Figura 6: Verificação de padrões de medidas cranianas. Figura 4: Ilustra a procura de tamanho de crânios equivalentes. Encontrado o tamanho procurado o programa de computador irá identificar as imagens saudáveis com a nova imagem na tentativa de encontrar algum tipo de fratura. A figura 6 ilustra a classificação dos padrões das imagens cranianas de acordo com a proposta da pesquisa. A tabela 1 demonstra como foi usada analise dos tamanhos para identificação de resultados [4]. Imagem Diâmetro Comp. Classe 1 X0 cm Y0 cm A 2 X1 cm Y1 cm B 3 X2 cm Y2 cm B 4 X3 cm Y3 cm A 5 X4 cm Y4 cm A 6 X5 cm Y5 cm B Tabela 1 Figura 5: Imagens apresentando hematoma craniano. A imagem representada na figura 5 ilustra uma TC que retrata as seguintes complicações traumáticas. Podemos interpretar, então, as linhas como sendo divisões no gráfico, a partir das quais classificamos os padrões de entrada. Quando os valores dos padrões caírem a direita serão classificados como de classe A se caírem a esquerda serão classificados como de classe B. Então podemos 4

5 verificar que os crânios 2,3 e 6 pertencem a classe de tamanho B. enquanto que os da 1,4 e 5 pertencem a classe A. Neste caso pode-se analisar qual será o visinho mais próximo da situação desejada [4]. O resultado do presente trabalho teve como objetivos a implementação de um programa de computador que realiza o diagnóstico de imagens criadas em uma tomografia. Discussão Segundo Kubiça Stefano (2000) a limiarização é um processo trivial mais porem eficaz na separação de regiões em imagens quando apresentam duas classes o fundo e o objeto [7]. Mesmo esse método sendo eficaz pode se encontrar uma pequena faixa de ruídos que pode ser ignorado por serem de origem extremamente pequena. Caso de persistência dos mesmos pode-se usar operadores de morfologia matemática com as operações de Minkowski que poderam limpar as imagens que não estiverem contendo as informações corretas, isso sugere-se em ultima instância porque acarretaria em maior complexidade do algoritmo de analise das imagens [7]. A especificação do banco de dados pode ser trocada futuramente por um SGBD (Gerenciado de bando de dados), mas para os estudos realizados o Paradox atende as necessidades de um projeto inicial. Por não existir limitação de registros e ser um sistema baseado em arquivos [1]. Onde os dados contêm registros que possuem uma ordem fixa. Em outras palavras, o registro de número 106 será sempre o mesmo registro, até que seja movido fisicamente dentro do arquivo, através de uma operação de ordenação, por exemplo. O que é mais importante, ele será sempre o sucessor do registro 105 e o antecessor do 107, até que esta ordem seja explicitamente alterada. Isto permite uma fácil navegação entre os registros, através do cursor, já que é possível localizar um registro em uma tabela através da sua posição, sem necessidade de referenciar seu conteúdo. Isso fica extremamente fácil para realizar a procura para classificar e expedir um diagnóstico usando os recursos de gerenciamento de banco de dados relacional. [1] O método de busca pelo vizinho mais próximo (Nearest Beighbour) [2] foi adotado por não precisar de muitos cálculos para realização da convergência em sua aplicação, portanto os estudos deverão continuar para realização e avaliação de técnicas mais eficientes de busca em mecanismos de SGBD. [6]. Conclusão Com base na presente pesquisa pode-se afirmar que as técnicas de limiarização apresentam recursos que auxiliam na captura de informações relevantes nas imagens, podendo facilitar o reconhecimento de padrões para classificação e determinação das informações contidas nas imagens. Para uma adaptação satisfatória do processamento e classificação das imagens serão necessárias novas implementações de tecnologias em banco de dados relacionais para melhoria da eficiência e tempo de processamento possibilitando um rápido diagnóstico durante a execução do programa. No entanto o software atualmente desenvolvido possibilita de forma satisfatória a separação das informações que devem ser encontradas para um relevante diagnóstico das imagens tomográficas. 5

6 Referencias 1. ALMEIDA WALDIR MARTINS, CONHECENDO O C++ BUILDER 6, Visual Books, 323p FERNANDES ANITA MARIA DA ROCHA, INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL APLICADA À SAÚDE Visual Books 196p IMAGENS, Departamento de Sistemas Eletrônicos Escola Politécnica da USP WATSON, I. Applyng Case-Based Reasoning: TECHNIQUES FOR ENTERPRISE SYSTEMS. Morgans Kaufmann Pub. Inc., San Francisco, CA, LEE, R. W. PESQUISA JURISPRUDENTE INTELIGENTE. Florianópolis, Tese (Doutorado em Engenharia) Programa de Pós Graduação em Engenharia de Produção PPGEP/UFSC, Universidade Federal de Santa Catarina. 4. MEDEIROS LUCIANO FRONTINO, REDES NEURAIS EM DELPHI, Visual Books 210p. 2 ed RICHARD HOPKINS, CAROL PEDEN E SANJAY GANDHI. RADIOLOGY FOR ANAESTHESIA E INTENSIVE CARE, San Francisco CA 353p, SCHANK, R.; OSGOOD, R. A CONTENT THEORY OF MEMORY INDEXING. Technical Report, 2, Institute for the Learning Sciences, Northwestern University, KUBIÇA, Stefano. GERENCIAMENTO ELETRÔNICO DE DOCUMENTOS. BATE BYTE, Curitiba, n. 90, p. 29, set KOGLER JOÃO INTRODUÇÃO A VISÃO COMPUTACIONAL E AO PROCESSAMENTO DE 6

29/08/2011. Radiologia Digital. Princípios Físicos da Imagem Digital 1. Mapeamento não-linear. Unidade de Aprendizagem Radiológica

29/08/2011. Radiologia Digital. Princípios Físicos da Imagem Digital 1. Mapeamento não-linear. Unidade de Aprendizagem Radiológica Mapeamento não-linear Radiologia Digital Unidade de Aprendizagem Radiológica Princípios Físicos da Imagem Digital 1 Professor Paulo Christakis 1 2 Sistema CAD Diagnóstico auxiliado por computador ( computer-aided

Leia mais

SEGMENTAÇÃO DE IMAGENS EM PLACAS AUTOMOTIVAS

SEGMENTAÇÃO DE IMAGENS EM PLACAS AUTOMOTIVAS SEGMENTAÇÃO DE IMAGENS EM PLACAS AUTOMOTIVAS André Zuconelli 1 ; Manassés Ribeiro 2 1. Aluno do Curso Técnico em Informática, turma 2010, Instituto Federal Catarinense, Câmpus Videira, andre_zuconelli@hotmail.com

Leia mais

SOFTWARE PARA IDENTIFICAÇÃO E CLASSIFICAÇÃO DE CÉLULAS DO ENDOTÉLIO CORNEANO DESENVOLVIDO PARA DISPOSITIVOS MÓVEIS

SOFTWARE PARA IDENTIFICAÇÃO E CLASSIFICAÇÃO DE CÉLULAS DO ENDOTÉLIO CORNEANO DESENVOLVIDO PARA DISPOSITIVOS MÓVEIS 221 SOFTWARE PARA IDENTIFICAÇÃO E CLASSIFICAÇÃO DE CÉLULAS DO ENDOTÉLIO CORNEANO DESENVOLVIDO PARA DISPOSITIVOS MÓVEIS Jean-Jacques S. De Groote - Prof. Dr. do Centro Universitário Uniseb de Ribeirão Preto.

Leia mais

2 Imagens Médicas e Anatomia do Fígado

2 Imagens Médicas e Anatomia do Fígado 2 Imagens Médicas e Anatomia do Fígado Neste capítulo são apresentados os tipos de dados utilizados neste trabalho e a anatomia do fígado, de onde foram retiradas todas as heurísticas adotadas para segmentação

Leia mais

CALIBRAÇÃO DE APARELHOS DE RAIO X EM IMAGENS DE TOMOGRAFIA DE CRÂNIO E TÓRAX

CALIBRAÇÃO DE APARELHOS DE RAIO X EM IMAGENS DE TOMOGRAFIA DE CRÂNIO E TÓRAX CMNE/CILAMCE 2007 Porto, 13 a 15 de Junho, 2007 APMTAC, Portugal 2007 CALIBRAÇÃO DE APARELHOS DE RAIO X EM IMAGENS DE TOMOGRAFIA DE CRÂNIO E TÓRAX Dário A.B. Oliveira 1 *, Marcelo P. Albuquerque 1, M.M.G

Leia mais

3 Metodologia de Previsão de Padrões de Falha

3 Metodologia de Previsão de Padrões de Falha 3 Metodologia de Previsão de Padrões de Falha Antes da ocorrência de uma falha em um equipamento, ele entra em um regime de operação diferente do regime nominal, como descrito em [8-11]. Para detectar

Leia mais

DESENVOLVENDO APLICAÇÕES WEB UTILIZANDO A FERRAMENTA WEBSCHARTS

DESENVOLVENDO APLICAÇÕES WEB UTILIZANDO A FERRAMENTA WEBSCHARTS UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO DO SUL DEPARTAMENTO DE COMPUTAÇÃO E ESTATÍSTICA DESENVOLVENDO APLICAÇÕES WEB UTILIZANDO A FERRAMENTA WEBSCHARTS LÍCIO SÉRGIO FERRAZ DE BRITO MARCELO AUGUSTO SANTOS TURINE

Leia mais

Cálculo de volume de objetos utilizando câmeras RGB-D

Cálculo de volume de objetos utilizando câmeras RGB-D Cálculo de volume de objetos utilizando câmeras RGB-D Servílio Souza de ASSIS 1,3,4 ; Izadora Aparecida RAMOS 1,3,4 ; Bruno Alberto Soares OLIVEIRA 1,3 ; Marlon MARCON 2,3 1 Estudante de Engenharia de

Leia mais

BIOSYS: sistema de captura e armazenamento de imagens para exames oftalmológicos em biomicroscópios - Fase 1 1

BIOSYS: sistema de captura e armazenamento de imagens para exames oftalmológicos em biomicroscópios - Fase 1 1 BIOSYS: sistema de captura e armazenamento de imagens para exames oftalmológicos em biomicroscópios - Fase 1 1 Hélton José Oliveira Fernandes 2 ; Paulo Cesar Rodacki Gomes 3 INTRODUÇÃO O presente descreve

Leia mais

Processamento de Imagem. Prof. MSc. André Yoshimi Kusumoto andrekusumoto.unip@gmail.com

Processamento de Imagem. Prof. MSc. André Yoshimi Kusumoto andrekusumoto.unip@gmail.com Processamento de Imagem Prof. MSc. André Yoshimi Kusumoto andrekusumoto.unip@gmail.com Visão Computacional Não existe um consenso entre os autores sobre o correto escopo do processamento de imagens, a

Leia mais

CBPF Centro Brasileiro de Pesquisas Físicas. Nota Técnica

CBPF Centro Brasileiro de Pesquisas Físicas. Nota Técnica CBPF Centro Brasileiro de Pesquisas Físicas Nota Técnica Aplicação de Física Médica em imagens de Tomografia de Crânio e Tórax Autores: Dário Oliveira - dario@cbpf.br Marcelo Albuquerque - marcelo@cbpf.br

Leia mais

As fases na resolução de um problema real podem, de modo geral, ser colocadas na seguinte ordem:

As fases na resolução de um problema real podem, de modo geral, ser colocadas na seguinte ordem: 1 As notas de aula que se seguem são uma compilação dos textos relacionados na bibliografia e não têm a intenção de substituir o livro-texto, nem qualquer outra bibliografia. Introdução O Cálculo Numérico

Leia mais

2 Trabalhos Relacionados

2 Trabalhos Relacionados 2 Trabalhos Relacionados O desenvolvimento de técnicas de aquisição de imagens médicas, em particular a tomografia computadorizada (TC), que fornecem informações mais detalhadas do corpo humano, tem aumentado

Leia mais

computador-cálculo numérico perfeita. As fases na resolução de um problema real podem, de modo geral, ser colocadas na seguinte ordem:

computador-cálculo numérico perfeita. As fases na resolução de um problema real podem, de modo geral, ser colocadas na seguinte ordem: 1 UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA Departamento de Matemática - CCE Cálculo Numérico - MAT 271 Prof.: Valéria Mattos da Rosa As notas de aula que se seguem são uma compilação dos textos relacionados na bibliografia

Leia mais

ANÁLISE E IMPLEMENTAÇÃO DE ALGORITMOS DE COMPRESSÃO DE DADOS. Maria Carolina de Souza Santos 1 Orientador: Prof.º Ms.

ANÁLISE E IMPLEMENTAÇÃO DE ALGORITMOS DE COMPRESSÃO DE DADOS. Maria Carolina de Souza Santos 1 Orientador: Prof.º Ms. ANÁLISE E IMPLEMENTAÇÃO DE ALGORITMOS DE COMPRESSÃO DE DADOS Maria Carolina de Souza Santos 1 Orientador: Prof.º Ms. Mauricio Duarte 2 Centro Universitário Euripides de Marilia UNIVEM FATEC Faculdade de

Leia mais

Figura 01: Aplicações do Filtro Espacial Passa-Baixa.

Figura 01: Aplicações do Filtro Espacial Passa-Baixa. 791 IMPLEMENTAÇÃO DE TÉCNICAS DE PRÉ-PROCESSAMENTO E PROCESSAMENTO DE IMAGENS PARA RADIOGRAFIAS CARPAIS Rafael Lima Alves 1 ; Michele Fúlvia Angelo 2 Bolsista PROBIC, Graduando em Engenharia de Computação,

Leia mais

Sistema de Controle de Acesso Baseado no Reconhecimento de Faces

Sistema de Controle de Acesso Baseado no Reconhecimento de Faces Sistema de Controle de Acesso Baseado no Reconhecimento de Faces Access Control System Based on Face Recognition Tiago A. Neves, Welton S. De Oliveira e Jean-Jacques De Groote Faculdades COC de Ribeirão

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO - PRÓ-REITORIA PARA ASSUNTOS ACADÊMICOS CURRÍCULO DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA DA COMPUTAÇÃO PERFIL

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO - PRÓ-REITORIA PARA ASSUNTOS ACADÊMICOS CURRÍCULO DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA DA COMPUTAÇÃO PERFIL PERFIL 3001 - Válido para os alunos ingressos a partir de 2002.1 Disciplinas Obrigatórias Ciclo Geral Prát IF668 Introdução à Computação 1 2 2 45 MA530 Cálculo para Computação 5 0 5 75 MA531 Álgebra Vetorial

Leia mais

PALAVRAS-CHAVE: Massas Nodulares, Classificação de Padrões, Redes Multi- Layer Perceptron.

PALAVRAS-CHAVE: Massas Nodulares, Classificação de Padrões, Redes Multi- Layer Perceptron. 1024 UMA ABORDAGEM BASEADA EM REDES PERCEPTRON MULTICAMADAS PARA A CLASSIFICAÇÃO DE MASSAS NODULARES EM IMAGENS MAMOGRÁFICAS Luan de Oliveira Moreira¹; Matheus Giovanni Pires² 1. Bolsista PROBIC, Graduando

Leia mais

SISTEMA COMPUTACIONAL PARA ANÁLISES DE DADOS EM AGRICULTURA DE PRECISÃO

SISTEMA COMPUTACIONAL PARA ANÁLISES DE DADOS EM AGRICULTURA DE PRECISÃO UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO RIO DE JANEIRO INSTITUTO DE TECNOLOGIA DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA PROJETO SISTEMA COMPUTACIONAL PARA ANÁLISES DE DADOS EM AGRICULTURA DE PRECISÃO ALUNO RICARDO CARDOSO TERZELLA

Leia mais

Curso: Bacharelado em Informática. Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação

Curso: Bacharelado em Informática. Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação Curso: Bacharelado em Informática Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação Informações Básicas do Currículo Duração Ideal 8 semestres Mínima 6 semestres Máxima 14 semestres Carga Horária Aula

Leia mais

Segmentação de Imagens de Placas Automotivas

Segmentação de Imagens de Placas Automotivas Segmentação de Imagens de Placas Automotivas André Zuconelli, Manassés Ribeiro Instituto Federal Catarinense - Campus Videira. Técnico em Informática, turma 2010 Rodovia SC, Km 5 Bairro Campo Experimental

Leia mais

Grade Curricular - Engenharia de Computação

Grade Curricular - Engenharia de Computação Grade Curricular - Engenharia de Computação SEMESTRE 1 - Obrigatórias FCM0101 Física I 6 0 6 FFI0180 Laboratório de Física Geral I 2 0 2 SAP0678 Desenho 2 0 2 SAP0679 Humanidades e Ciências Sociais 2 0

Leia mais

AULA 2. Aspectos Técnicos. Luciano Roberto Rocha. www.lrocha.com. MBA em Marketing Digital SOCIAL GAMES

AULA 2. Aspectos Técnicos. Luciano Roberto Rocha. www.lrocha.com. MBA em Marketing Digital SOCIAL GAMES MBA em Marketing Digital SOCIAL GAMES AULA 2 Luciano Roberto Rocha Aspectos Técnicos Ponta Grossa, 31 de agosto de 2013 ROTEIRO Papéis Processos Plataformas Ferramentas 2 PAPÉIS O desenvolvimento de um

Leia mais

Detecção e Rastreamento de Objetos coloridos em vídeo utilizando o OpenCV

Detecção e Rastreamento de Objetos coloridos em vídeo utilizando o OpenCV Detecção e Rastreamento de Objetos coloridos em vídeo utilizando o OpenCV Bruno Alberto Soares OLIVEIRA 1,3 ; Servílio Souza de ASSIS 1,3,4 ; Izadora Aparecida RAMOS 1,3,4 ; Marlon MARCON 2,3 1 Estudante

Leia mais

Introdução à Computação

Introdução à Computação Aspectos Importantes - Desenvolvimento de Software Motivação A economia de todos países dependem do uso de software. Cada vez mais, o controle dos processos tem sido feito por software. Atualmente, os

Leia mais

Protótipo de um Sistema Móvel para a Extração de. Características em Fragmentos de Imagem de Tecido. Cólico

Protótipo de um Sistema Móvel para a Extração de. Características em Fragmentos de Imagem de Tecido. Cólico Protótipo de um Sistema Móvel para a Extração de Características em Fragmentos de Imagem de Tecido Cólico Application Prototype for Mobile Devices to Features Extraction in Image Fragments Colic Tissue

Leia mais

EMENTAS DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS

EMENTAS DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS EMENTAS DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS INTRODUÇÃO À COMPUTAÇÃO 60 h 1º Evolução histórica dos computadores. Aspectos de hardware: conceitos básicos de CPU, memórias,

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO CENTRO DE INFORMÁTICA DEPARTAMENTO DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO CENTRO DE INFORMÁTICA DEPARTAMENTO DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO CENTRO DE INFORMÁTICA DEPARTAMENTO DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO CONCURSO PÚBLICO PARA DOCENTES DO MAGISTÉRIO SUPERIOR Edital nº 1, de 1 de março de

Leia mais

Aplicação Prática de Lua para Web

Aplicação Prática de Lua para Web Aplicação Prática de Lua para Web Aluno: Diego Malone Orientador: Sérgio Lifschitz Introdução A linguagem Lua vem sendo desenvolvida desde 1993 por pesquisadores do Departamento de Informática da PUC-Rio

Leia mais

SEMANA NACIONAL DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA 2014 FORMULÁRIO PARA SUBMISSÃO DE PROJETOS

SEMANA NACIONAL DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA 2014 FORMULÁRIO PARA SUBMISSÃO DE PROJETOS SEMANA NACIONAL DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA 2014 FORMULÁRIO PARA SUBMISSÃO DE PROJETOS Formulário para submissão de projeto Dados do Projeto e do (a) Orientador (a) do Projeto Título do Projeto: Um aplicativo

Leia mais

Banco de Dados Orientado a Objetos

Banco de Dados Orientado a Objetos Banco de Dados Orientado a Objetos MODELAGEM, ANÁLISE, PROJETO e CLASSIFICAÇÃO Interação combinando lógica, através de objetos que contém os dados. Estes divididos conforme seus tipos e métodos (classe),

Leia mais

5 Mecanismo de seleção de componentes

5 Mecanismo de seleção de componentes Mecanismo de seleção de componentes 50 5 Mecanismo de seleção de componentes O Kaluana Original, apresentado em detalhes no capítulo 3 deste trabalho, é um middleware que facilita a construção de aplicações

Leia mais

Segmentação de imagens tridimensionais utilizando o sensor Microsoft Kinect

Segmentação de imagens tridimensionais utilizando o sensor Microsoft Kinect Segmentação de imagens tridimensionais utilizando o sensor Microsoft Kinect Lucas Viana Barbosa 1 ; Wanderson Rigo 2 ; Manassés Ribeiro 3 INTRODUÇÃO Os sistemas de visão artificial vêm auxiliando o ser

Leia mais

Visão computacional no reconhecimento de formas e objetos

Visão computacional no reconhecimento de formas e objetos Visão computacional no reconhecimento de formas e objetos Paula Rayane Mota Costa Pereira*, Josemar Rodrigues de Souza**, Resumo * Bolsista de Iniciação Científica da Faculdade de Tecnologia SENAI CIMATEC,

Leia mais

Ferramenta para detecção de fadiga em motoristas baseada no monitoramento dos olhos

Ferramenta para detecção de fadiga em motoristas baseada no monitoramento dos olhos Ferramenta para detecção de fadiga em motoristas baseada no monitoramento dos olhos Rafael Dattinger Acadêmico Dalton Solano dos Reis - Orientador Roteiro Introdução/Objetivos Fundamentação teórica Desenvolvimento

Leia mais

Aula 6 - Segmentação de Imagens Parte 2. Prof. Adilson Gonzaga

Aula 6 - Segmentação de Imagens Parte 2. Prof. Adilson Gonzaga Aula 6 - Segmentação de Imagens Parte 2 Prof. Adilson Gonzaga 1 Motivação Extração do Objeto Dificuldades Super segmentação over-segmentation 1) Segmentação por Limiarização (Thresholding Global): Efeitos

Leia mais

Programação I. Departamento de Engenharia Rural Centro de Ciências Agrárias

Programação I. Departamento de Engenharia Rural Centro de Ciências Agrárias Departamento de Engenharia Rural Centro de Ciências Agrárias Programação I Prof. Bruno Vilela Oliveira bruno@cca.ufes.br http://www.brunovilela.webnode.com.br Programas e Linguagens Para executar uma tarefa

Leia mais

CURSO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO

CURSO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO 1 CURSO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS 2011.1 BRUSQUE (SC) 2015 2 SUMÁRIO 1ª FASE... 4 01 ARQUITETURA DE COMPUTADORES... 4 02 FILOSOFIA... 4 03 FUNDAMENTOS MATEMÁTICOS PARA COMPUTAÇÃO...

Leia mais

Uma comparação de algoritmos e estruturas de dados para armazenamento de dados em sistemas operacionais Palm OS *

Uma comparação de algoritmos e estruturas de dados para armazenamento de dados em sistemas operacionais Palm OS * Uma comparação de algoritmos e estruturas de dados para armazenamento de dados em sistemas operacionais Palm OS * Rogério Celestino dos Santos 1, Rodrigo Otavio Rodrigues Antunes 1* ¹Instituto de Informática

Leia mais

AMBIENTE PARA AUXILIAR O DESENVOLVIMENTO DE PROGRAMAS MONOLÍTICOS

AMBIENTE PARA AUXILIAR O DESENVOLVIMENTO DE PROGRAMAS MONOLÍTICOS UNIVERSIDADE REGIONAL DE BLUMENAU CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E NATURAIS CURSO DE CIÊNCIAS DA COMPUTAÇÃO BACHARELADO AMBIENTE PARA AUXILIAR O DESENVOLVIMENTO DE PROGRAMAS MONOLÍTICOS Orientando: Oliver Mário

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA Faculdade de Computação Curso de Introdução à Informática Prof: Anilton Joaquim da Silva / Ezequiel Roberto Zorzal

UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA Faculdade de Computação Curso de Introdução à Informática Prof: Anilton Joaquim da Silva / Ezequiel Roberto Zorzal UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA Faculdade de Computação Curso de Introdução à Informática Prof: Anilton Joaquim da Silva / Ezequiel Roberto Zorzal AULA Informática: Aplicações e Benefícios Advocacia

Leia mais

CASE Orientada a Objetos com Múltiplas Visões e Implementação Automática de Sistemas - MVCASE

CASE Orientada a Objetos com Múltiplas Visões e Implementação Automática de Sistemas - MVCASE CASE Orientada a Objetos com Múltiplas Visões e Implementação Automática de Sistemas - MVCASE Tathiana da Silva Barrére Antonio Francisco do Prado Vitor César Bonafe E-mail: (tathiana,prado,bonafe)@dc.ufscar.br

Leia mais

Programação de Computadores

Programação de Computadores Aula 01 Introdução Departamento de Computação Universidade Federal de Ouro Preto 2011.1 1 Processamento de dados 2 Organização de Computadores 3 Sistemas de Numeração Processamento de dados Processamento

Leia mais

Profº. Emerson Siraqui

Profº. Emerson Siraqui RADIOLOGIA DIGITAL Profº. Emerson Siraqui Nome: Emerson Siraqui Formação Acadêmica: Graduação: Tecnólogo em Radiologia Médica-FASM Especialização: APRESENTAÇÃO Operacionalidade e Capacitação em aparelhos

Leia mais

2.1.2 Definição Matemática de Imagem

2.1.2 Definição Matemática de Imagem Capítulo 2 Fundamentação Teórica Este capítulo descreve os fundamentos e as etapas do processamento digital de imagens. 2.1 Fundamentos para Processamento Digital de Imagens Esta seção apresenta as propriedades

Leia mais

PRONATEC FUNDAMENTOS DE HARDWARE. Prof. Kilmer Pereira kilmer_pereira@yahoo.com.br

PRONATEC FUNDAMENTOS DE HARDWARE. Prof. Kilmer Pereira kilmer_pereira@yahoo.com.br PRONATEC FUNDAMENTOS DE HARDWARE Prof. Kilmer Pereira kilmer_pereira@yahoo.com.br Processamento de Dados Etapas do Processamento de Dados Dado: inserido no computador Processamento: organização, transformação

Leia mais

Informática Aplicada a Radiologia

Informática Aplicada a Radiologia Informática Aplicada a Radiologia Apostila: Imagem Digital parte I Prof. Rubens Freire Rosa Imagem na forma digital A representação de Imagens na forma digital nos permite capturar, armazenar e processar

Leia mais

SISTEMA DE GERENCIAMENTO DA DOSIMETRIA PESSOAL BASEDO NA ISO 9001:2008 PARA RADIODIAGNÓSTICO MÉDICO

SISTEMA DE GERENCIAMENTO DA DOSIMETRIA PESSOAL BASEDO NA ISO 9001:2008 PARA RADIODIAGNÓSTICO MÉDICO SISTEMA DE GERENCIAMENTO DA DOSIMETRIA PESSOAL BASEDO NA ISO 9001:2008 PARA RADIODIAGNÓSTICO MÉDICO Carlos E.B.Queiroz, Walmoli G.Júnior, Tiago R.Jahn,Tiago T.Hahn,Thiago S.Fontana and Vagner Bolzan. Brasilrad

Leia mais

RECONHECIMENTO DE PLACAS DE AUTOMÓVEIS ATRAVÉS DE CÂMERAS IP

RECONHECIMENTO DE PLACAS DE AUTOMÓVEIS ATRAVÉS DE CÂMERAS IP RECONHECIMENTO DE PLACAS DE AUTOMÓVEIS ATRAVÉS DE CÂMERAS IP Caio Augusto de Queiroz Souza caioaugusto@msn.com Éric Fleming Bonilha eric@digifort.com.br Gilson Torres Dias gilson@maempec.com.br Luciano

Leia mais

Transformada de Hough. Cleber Pivetta Gustavo Mantovani Felipe Zottis

Transformada de Hough. Cleber Pivetta Gustavo Mantovani Felipe Zottis Transformada de Hough Cleber Pivetta Gustavo Mantovani Felipe Zottis A Transformada de Hough foi desenvolvida por Paul Hough em 1962 e patenteada pela IBM. Originalmente, foi elaborada para detectar características

Leia mais

Costa, B.L. 1 ; Faria, R.A.M²; Marins, L.S.³. ²Universidade do Estado do Rio de Janeiro / Faculdade de Formação de Professores - rfariageo@hotmail.

Costa, B.L. 1 ; Faria, R.A.M²; Marins, L.S.³. ²Universidade do Estado do Rio de Janeiro / Faculdade de Formação de Professores - rfariageo@hotmail. GERAÇÃO DE MAPA DE USO E COBERTURA DE SOLO UTILIZANDO IMAGENS DE SATÉLITE LANDSAT 8 PARA O SUPORTE AO PLANEJAMENTO MUNICIPAL DO MUNICÍPIO DE NITERÓI RJ. Costa, B.L. 1 ; Faria, R.A.M²; Marins, L.S.³ 1 Universidade

Leia mais

REVISÃO ENGENHARIA DO SOFTWARE. Isac Aguiar isacaguiar.com.br isacaguiar@gmail.com

REVISÃO ENGENHARIA DO SOFTWARE. Isac Aguiar isacaguiar.com.br isacaguiar@gmail.com REVISÃO ENGENHARIA DO SOFTWARE Isac Aguiar isacaguiar.com.br isacaguiar@gmail.com Software Sequencia de Instruções a serem seguidas ou executadas Dados e rotinas desenvolvidos por computadores Programas

Leia mais

EMENTAS DAS DISCIPLINAS

EMENTAS DAS DISCIPLINAS EMENTAS DAS DISCIPLINAS CURSO EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA (EAD) SISTEMAS PARA INTERNET INTRODUÇÃO À COMPUTAÇÃO 68 A disciplina estuda a área da informática como um todo e os conceitos fundamentais, abrangendo

Leia mais

CONCEITOS E APLICAÇÕES DA COMPUTAÇÃO EM NUVEM

CONCEITOS E APLICAÇÕES DA COMPUTAÇÃO EM NUVEM CONCEITOS E APLICAÇÕES DA COMPUTAÇÃO EM NUVEM Rogério Schueroff Vandresen¹, Willian Barbosa Magalhães¹ ¹Universidade Paranaense(UNIPAR) Paranavaí-PR-Brasil rogeriovandresen@gmail.com, wmagalhaes@unipar.br

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA CIÊNCIAS DA COMPUTAÇÃO MÁQUINAS DE COMITÊ APLICADAS À FILTRAGEM DE SPAM Monografia submetida à UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA para a obtenção do grau de BACHAREL

Leia mais

Gerência de Redes NOC

Gerência de Redes NOC Gerência de Redes NOC Cássio D. B. Pinheiro pinheiro.cassio@ig.com.br cassio.orgfree.com Objetivos Apresentar os conceitos fundamentais, assim como os elementos relacionados a um dos principais componentes

Leia mais

Persistência e Banco de Dados em Jogos Digitais

Persistência e Banco de Dados em Jogos Digitais Persistência e Banco de Dados em Jogos Digitais Prof. Marcos Francisco Pereira da Silva Especialista em Engenharia de Software Jogos Digitais - Computação Gráfica 1 Agenda Vantagens de usar a abordagem

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO DOS RECURSOS DE DADOS

ADMINISTRAÇÃO DOS RECURSOS DE DADOS Capítulo 7 ADMINISTRAÇÃO DOS RECURSOS DE DADOS 7.1 2003 by Prentice Hall OBJETIVOS Por que as empresas sentem dificuldades para descobrir que tipo de informação precisam ter em seus sistemas de informação?

Leia mais

APLICATIVO PARA GERENCIAMENTO DE FORÇA DE TRABALHO EM EMPRESAS DE TELEFONIA MÓVEL

APLICATIVO PARA GERENCIAMENTO DE FORÇA DE TRABALHO EM EMPRESAS DE TELEFONIA MÓVEL APLICATIVO PARA GERENCIAMENTO DE FORÇA DE TRABALHO EM EMPRESAS DE TELEFONIA MÓVEL Tatiana Bogo Fujii Prof. Wilson Pedro Carli Orientador Introdução; Telefonia Celular; Internet; ASP; Inteligência Artificial;

Leia mais

UNOESTE - Universidade do Oeste Paulista F I P P - Faculdade de Informática de Presidente Prudente

UNOESTE - Universidade do Oeste Paulista F I P P - Faculdade de Informática de Presidente Prudente 1º TERMO NOTURNO - 2009 31/03/09 3ª feira 20:50 h A ADMINISTRAÇÃO 01/04/09 4ª feira 19:00 h A1/A2 INTRODUÇÃO A COMPUTAÇÃO 02/04/09 5ª feira 19:00 h A1 LABORATÓRIO DE INFORMÁTICA I 02/04/09 5ª feira 20:50

Leia mais

FÍSICA DAS RADIAÇÕES. Prof. Emerson Siraqui

FÍSICA DAS RADIAÇÕES. Prof. Emerson Siraqui FÍSICA DAS RADIAÇÕES Prof. Emerson Siraqui CONCEITO Método que permite estudar o corpo em cortes ou fatias axiais ou trasversais, sendo a imagem obtida atraves dos Raios-X com o auxílio do computador (recontrução).

Leia mais

PROIMRAD X.01: NOVO CÓDIGO PARA GERENCIAMENTO DE REJEITOS RADIOATIVOS

PROIMRAD X.01: NOVO CÓDIGO PARA GERENCIAMENTO DE REJEITOS RADIOATIVOS PROIMRAD X.01: NOVO CÓDIGO PARA GERENCIAMENTO DE REJEITOS RADIOATIVOS Alexandre França Velo 1*, Joel Mesa Hormaza 1, Gilberto Ribeiro Furlan 2, Walter Siqueira Paes 2 1* Departamento de Física e Biofísica

Leia mais

Análise de Desempenho de um SGBD para Aglomerado de Computadores

Análise de Desempenho de um SGBD para Aglomerado de Computadores Análise de Desempenho de um SGBD para Aglomerado de Computadores Diego Luís Kreutz, Gabriela Jacques da Silva, Hélio Antônio Miranda da Silva, João Carlos Damasceno Lima Curso de Ciência da Computação

Leia mais

Complemento II Noções Introdutória em Redes Neurais

Complemento II Noções Introdutória em Redes Neurais Complemento II Noções Introdutória em Redes Neurais Esse documento é parte integrante do material fornecido pela WEB para a 2ª edição do livro Data Mining: Conceitos, técnicas, algoritmos, orientações

Leia mais

PACS. III Encontro Sul Brasileiro de Engenharia Clínica. Santa Casa de Porto Alegre, RS. 24 de Novembro de 2012

PACS. III Encontro Sul Brasileiro de Engenharia Clínica. Santa Casa de Porto Alegre, RS. 24 de Novembro de 2012 PACS III Encontro Sul Brasileiro de Engenharia Clínica Santa Casa de Porto Alegre, RS 24 de Novembro de 2012 III Encontro Sul Brasileiro de Engenharia Clínica PACS - Agenda Histórico Workflow Modalidades

Leia mais

Curso de Sistemas de Informação 8º período Disciplina: Tópicos Especiais Professor: José Maurício S. Pinheiro V. 2009-1

Curso de Sistemas de Informação 8º período Disciplina: Tópicos Especiais Professor: José Maurício S. Pinheiro V. 2009-1 Curso de Sistemas de Informação 8º período Disciplina: Tópicos Especiais Professor: José Maurício S. Pinheiro V. 2009-1 Aula 4 Introdução aos Sistemas Biométricos 1. Identificação, Autenticação e Controle

Leia mais

DSI é o processo cujo objetivo é introduzir mudanças num sistema de informação, com objetivo de melhorar o seu desempenho.

DSI é o processo cujo objetivo é introduzir mudanças num sistema de informação, com objetivo de melhorar o seu desempenho. - DSI DSI é o processo cujo objetivo é introduzir mudanças num sistema de informação, com objetivo de melhorar o seu desempenho. Preocupação: Problema técnicos Mudança na natureza e conteúdo do trabalho

Leia mais

Wilson Moraes Góes. Novatec

Wilson Moraes Góes. Novatec Wilson Moraes Góes Novatec Copyright 2014 Novatec Editora Ltda. Todos os direitos reservados e protegidos pela Lei 9.610 de 19/02/1998. É proibida a reprodução desta obra, mesmo parcial, por qualquer processo,

Leia mais

Tecnologia da Informação Aplicada a Gerenciamento de Acervo Documental Histórico

Tecnologia da Informação Aplicada a Gerenciamento de Acervo Documental Histórico Tecnologia da Informação Aplicada a Gerenciamento de Acervo Documental Histórico Kayo Delgado Medeiros de Almeida¹, Elon Gomes Vieira 2, Carlos Vitor de Alencar Carvalho 3, Magno Fonseca Borges 4, José

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DE UM MODELO COMPUTACIONAL DE EXPOSIÇÃO EXTERNA PARA ESTUDO DA DOSE DE ENTRADA NA PELE PARA RADIOGRAFIAS DE TÓRAX E COLUNA

DESENVOLVIMENTO DE UM MODELO COMPUTACIONAL DE EXPOSIÇÃO EXTERNA PARA ESTUDO DA DOSE DE ENTRADA NA PELE PARA RADIOGRAFIAS DE TÓRAX E COLUNA International Joint Conference RADIO 2014 Gramado, RS, Brazil, Augustl 26-29, 2014 SOCIEDADE BRASILEIRA DE PROTEÇÃO RADIOLÓGICA - SBPR DESENVOLVIMENTO DE UM MODELO COMPUTACIONAL DE EXPOSIÇÃO EXTERNA PARA

Leia mais

Inteligência Artificial

Inteligência Artificial Inteligência Artificial As organizações estão ampliando significativamente suas tentativas para auxiliar a inteligência e a produtividade de seus trabalhadores do conhecimento com ferramentas e técnicas

Leia mais

Introdução. Conceitos Básicos. Conceitos Básicos. Conceitos Básicos

Introdução. Conceitos Básicos. Conceitos Básicos. Conceitos Básicos Conceitos Básicos Introdução Banco de Dados I Prof. Guilherme Tavares de Assis Universidade Federal de Ouro Preto UFOP Instituto de Ciências Exatas e Biológicas ICEB Departamento de Computação DECOM Dados

Leia mais

Reconhecimento de marcas de carros utilizando Inteligência Artificial. André Bonna Claudio Marcelo Basckeira Felipe Villela Lourenço Richard Keller

Reconhecimento de marcas de carros utilizando Inteligência Artificial. André Bonna Claudio Marcelo Basckeira Felipe Villela Lourenço Richard Keller Reconhecimento de marcas de carros utilizando Inteligência Artificial André Bonna Claudio Marcelo Basckeira Felipe Villela Lourenço Richard Keller Motivação Análise estatística das marcas de carros em

Leia mais

UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS

UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS ALEXANDRE PRADO BARBOSA RELATÓRIO DE ESTÁGIO Ponta Grossa 2012 ALEXANDRE PRADO BARBOSA Relatório

Leia mais

Introdução Banco de Dados

Introdução Banco de Dados Introdução Banco de Dados Vitor Valerio de Souza Campos Adaptado de Vania Bogorny Por que estudar BD? Os Bancos de Dados fazem parte do nosso dia-a-dia: operação bancária reserva de hotel matrícula em

Leia mais

Unidade IV ADMINISTRAÇÃO DE BANCO DE DADOS. Software livre se refere à liberdade dos usuários com relação ao software, mais precisamente:

Unidade IV ADMINISTRAÇÃO DE BANCO DE DADOS. Software livre se refere à liberdade dos usuários com relação ao software, mais precisamente: ADMINISTRAÇÃO DE BANCO DE DADOS Unidade IV DEFINIR A MELHOR SOLUÇÃO DE BANCO DE DADOS PARA AS NECESSIDADES DA EMPRESA.1 O uso das tecnologias.1.1 O software livre 1 A tecnologia de banco de dados, assim

Leia mais

Image Enable: conceito

Image Enable: conceito Image Enable Gestão Eletrônica de Documentos - GED Image Enable: conceito Empresas possuem diversos sistemas para controlar suas operações Sistemas integrados de gestão; Sistemas de Recursos humanos, Contabilidade,

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA GRADUAÇÃO EM SISTEMAS DE INFORMAÇÃO DEPARTAMENTO DE INFORMÁTICA E ESTATÍSTICA DATA MINING EM VÍDEOS

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA GRADUAÇÃO EM SISTEMAS DE INFORMAÇÃO DEPARTAMENTO DE INFORMÁTICA E ESTATÍSTICA DATA MINING EM VÍDEOS UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA GRADUAÇÃO EM SISTEMAS DE INFORMAÇÃO DEPARTAMENTO DE INFORMÁTICA E ESTATÍSTICA DATA MINING EM VÍDEOS VINICIUS DA SILVEIRA SEGALIN FLORIANÓPOLIS OUTUBRO/2013 Sumário

Leia mais

Processos (Threads,Virtualização e Migração de Código)

Processos (Threads,Virtualização e Migração de Código) Processos (Threads,Virtualização e Migração de Código) Roteiro Processos Threads Virtualização Migração de Código O que é um processo?! Processos são programas em execução. Processo Processo Processo tem

Leia mais

Prof. Marcelo Machado Cunha www.marcelomachado.com mcelobr@yahoo.com.br

Prof. Marcelo Machado Cunha www.marcelomachado.com mcelobr@yahoo.com.br Prof. Marcelo Machado Cunha www.marcelomachado.com mcelobr@yahoo.com.br Ementa Introdução a Banco de Dados (Conceito, propriedades), Arquivos de dados x Bancos de dados, Profissionais de Banco de dados,

Leia mais

Escola Preparatória de Cadetes do Exército 1978 a 1980. Escola Naval - Bacharel em Ciências Navais com Habilitação em Eletrônica - 1981 a 1985

Escola Preparatória de Cadetes do Exército 1978 a 1980. Escola Naval - Bacharel em Ciências Navais com Habilitação em Eletrônica - 1981 a 1985 I Dados Pessoais Nome: Cesar Bezerra Teixeira Data de Nascimento: 12 de Maio de 1963 Naturalidade: E-mail: Rio de Janeiro c_txr@yahoo.com II Formação Acadêmica Segundo Grau Graduação Pós Graduação Mestrado:

Leia mais

Banco de Dados. Prof. Dr. Rogério Galante Negri

Banco de Dados. Prof. Dr. Rogério Galante Negri Banco de Dados Prof Dr Rogério Galante Negri Tradicionalmente O armazenamento dos dados utilizava arquivos individuais, sem nenhum relacionamento Cada programa utilizava seu próprio sistema de arquivo

Leia mais

Aula 2 Aquisição de Imagens

Aula 2 Aquisição de Imagens Processamento Digital de Imagens Aula 2 Aquisição de Imagens Prof. Dr. Marcelo Andrade da Costa Vieira mvieira@sc.usp.br EESC/USP Fundamentos de Imagens Digitais Ocorre a formação de uma imagem quando

Leia mais

linguagem técnica de informática; Perceber os sinais de pontuação e identificar sua função no texto; Ler siglas e identificar seus significados;

linguagem técnica de informática; Perceber os sinais de pontuação e identificar sua função no texto; Ler siglas e identificar seus significados; PLANO DE CURSO Disciplina Competências Habilidades Bases Tecnológicas INGLÊS TÉCNICO Aumentar e consolidar o seu vocabulário ativo e passivo, através da fixação de novas palavras e expressões contidas

Leia mais

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO GERENCIAIS

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO GERENCIAIS SISTEMAS DE INFORMAÇÃO GERENCIAIS Aluno: Luiza Cavalcanti Marques Orientador: Silvio Hamacher Introdução A modelagem e a utilização de bancos de dados em atividades gerenciais têm sofrido um aumento significativo

Leia mais

Cálculo Numérico. ECA / 4 créditos / 60 h Introdução, Erros e Matlab. Ricardo Antonello. www.antonello.com.br

Cálculo Numérico. ECA / 4 créditos / 60 h Introdução, Erros e Matlab. Ricardo Antonello. www.antonello.com.br Cálculo Numérico ECA / 4 créditos / 60 h Introdução, Erros e Matlab Ricardo Antonello www.antonello.com.br Conteúdo Erros na fase de modelagem Erros na fase de resolução Erros de arredondamento Erros de

Leia mais

ORGANIZAÇÃO CURRICULAR

ORGANIZAÇÃO CURRICULAR ORGANIZAÇÃO CURRICULAR O curso Técnico em Informática, em Nível Médio Subseqüente, será organizado de forma semestral, com aulas presenciais, compostos por disciplinas, com conteúdos estabelecidos, tendo

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DA ATIVIDADE DE TESTE NO DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE

A IMPORTÂNCIA DA ATIVIDADE DE TESTE NO DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE A IMPORTÂNCIA DA ATIVIDADE DE TESTE NO DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE Karla Pires de Souza (FPM ) karlapsouza@hotmail.com Angelita Moutin Segoria Gasparotto (FPM ) angelita@usp.br A atividade de teste de

Leia mais

MINING TOUR DATA MINING PARA DECISÕES ESTRATÉGICAS EM INVESTIMENTOS TURÍSTICOS PARA O ESTADO DE SANTA CATARINA

MINING TOUR DATA MINING PARA DECISÕES ESTRATÉGICAS EM INVESTIMENTOS TURÍSTICOS PARA O ESTADO DE SANTA CATARINA MINING TOUR DATA MINING PARA DECISÕES ESTRATÉGICAS EM INVESTIMENTOS TURÍSTICOS PARA O ESTADO DE SANTA CATARINA Suzana Michnoski Tomáz suzana@conjel.com.br Anita Maria da Rocha Fernandes, Dra. anita@eps.ufsc.br

Leia mais

Implementação de uma Ferramenta de Apoio à Criação de Sistemas Especialistas

Implementação de uma Ferramenta de Apoio à Criação de Sistemas Especialistas 1 Implementação de uma Ferramenta de Apoio à Criação de Sistemas Especialistas Fabrício Kelmer Pinto, Elio Lovisi Filho (Orientador) Departamento de Ciência da Computação - Faculdade de Ciência da Computação

Leia mais

Extensão do SGBD PostgreSQL para suportar recuperação de imagens por conteúdo

Extensão do SGBD PostgreSQL para suportar recuperação de imagens por conteúdo Extensão do SGBD PostgreSQL para suportar recuperação de imagens por conteúdo Ernani Viriato de Melo V Jornada Científica 24/10/2006 Tópicos Abordados Motivação Imagens e Características PostgreSQL-IE:

Leia mais

Universidade Federal do Rio de Janeiro - IM/DCC & NCE

Universidade Federal do Rio de Janeiro - IM/DCC & NCE Universidade Federal do Rio de Janeiro - IM/DCC & NCE Processamento de Imagens Tratamento da Imagem - Filtros Antonio G. Thomé thome@nce.ufrj.br Sala AEP/033 Sumário 2 Conceito de de Filtragem Filtros

Leia mais

Chow&Kaneko buscam as modas da imagem para separar os objetos. Admite que os tons na vizinhança de cada moda são do mesmo objeto.

Chow&Kaneko buscam as modas da imagem para separar os objetos. Admite que os tons na vizinhança de cada moda são do mesmo objeto. Respostas Estudo Dirigido do Capítulo 12 Image Segmentation" 1 Com suas palavras explique quais os problemas que podem ocorrer em uma segmentação global baseada em níveis de cinza da imagem. Que técnicas

Leia mais

Notas da Aula 17 - Fundamentos de Sistemas Operacionais

Notas da Aula 17 - Fundamentos de Sistemas Operacionais Notas da Aula 17 - Fundamentos de Sistemas Operacionais 1. Gerenciamento de Memória: Introdução O gerenciamento de memória é provavelmente a tarefa mais complexa de um sistema operacional multiprogramado.

Leia mais

Protótipo tipo de um Ambiente para Processamento de Imagens Raster 2D

Protótipo tipo de um Ambiente para Processamento de Imagens Raster 2D Protótipo tipo de um Ambiente para Processamento de Imagens Raster 2D Adriana Fornazari Prof. Dalton Solano dos Reis Orientador Roteiro Introdução Ambientes de processamento de imagens Arquivos gráficos

Leia mais

Organização e Arquitetura de Computadores I. de Computadores

Organização e Arquitetura de Computadores I. de Computadores Universidade Federal de Campina Grande Unidade Acadêmica de Sistemas e Computação Curso de Bacharelado em Ciência da Computação Organização e Arquitetura de Computadores I Organização Básica B de Computadores

Leia mais

APLICAÇÃO DAS TÉCNICAS DE PROCESSAMENTO DIGITAL DE IMAGENS NA CARACTERIZAÇÃO QUANTITATIVA DE MATERIAIS COMPÓSITOS

APLICAÇÃO DAS TÉCNICAS DE PROCESSAMENTO DIGITAL DE IMAGENS NA CARACTERIZAÇÃO QUANTITATIVA DE MATERIAIS COMPÓSITOS APLICAÇÃO DAS TÉCNICAS DE PROCESSAMENTO DIGITAL DE IMAGENS NA CARACTERIZAÇÃO QUANTITATIVA DE MATERIAIS COMPÓSITOS Fernando de Azevedo Silva Jean-Jacques Ammann Ana Maria Martinez Nazar Universidade Estadual

Leia mais

INFORMÁTICA BÁSICA. Prof. Rafael Zimmermann

INFORMÁTICA BÁSICA. Prof. Rafael Zimmermann INFORMÁTICA BÁSICA Prof. Rafael Zimmermann 1. INFORMÁTICA É a ciência que estuda o processamento de informações. Nasceu da necessidade do homem processar informações cada vez mais complexas e com maior

Leia mais

Processamento e Análise de Imagens (MC940) Análise de Imagens (MO445)

Processamento e Análise de Imagens (MC940) Análise de Imagens (MO445) Processamento e Análise de Imagens (MC940) Análise de Imagens (MO445) Prof. Hélio Pedrini Instituto de Computação UNICAMP 2º Semestre de 2015 Roteiro 1 Morfologia Matemática Fundamentos Matemáticos Operadores

Leia mais