Prp. Palmilhas para Reprogramação Postural. Pés. A Base da Boa Postura. João Elias Saad

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Prp. Palmilhas para Reprogramação Postural. Pés. A Base da Boa Postura. João Elias Saad"

Transcrição

1 Prp. Palmilhas para Reprogramação Postural Pés A Base da Boa Postura João Elias Saad A influência dos pés na estruturação da postura corporal e utilização da palmilha proprioceptiva na prevenção e reprogramação fisica.

2 Postura Corporal Global A correta postura corporal deve ser iniciada na infância e praticada durante toda a vida, a fim de se evitar problemas sérios de saúde. A má postura, durante a realização das atividades diárias como trabalho, lazer, esportes e mesmo quando repousamos, prejudica o alinhamento e equilíbrio do sistema osteomuscular. A dismetria dos membros inferiores, defeitos biomecânicos dos pés, traumatismo, sedentarismo, atitude mental e hábitos errados, Indumentária inadequada, ganho de peso corporal, levantar e carregar pesos e falta de condicionamento físico e a má postura pode desencadear doenças nos membros inferiores, superiores e na coluna. A má postura é uma das causas para a ocorrência da escoliose, lordose, cifose e da hérnia de disco (doenças estruturais da coluna vertebral que afetam a medula espinhal, prejudicando as funções musculoesqueléticas, viscerais do abdômen e estrural do tórax); alguns problemas na bacia, nas articulações dos joelhos, tornozelos e dos pés também podem estar relacionados com a postura errada. A Reeducação Postural Global (RPG) e demais tratamentos fisioterapêutico, a educação física, um bom condicionamento físico, uso de palmilhas posturais e calçados adequados, cuidado com as técnicas corretas durante a realização de esforços ou de levantamento de pesos, utilização de moveis e utensílios apropriados são opções certas para corrigir e prevenir contra os problemas provenientes da postura corporal. O ser humano é o único mamífero que possui postura vertical permanente e com marcha bípede. Quando a criança deixa de engatinhar, fica em pé e anda, o corpo ainda está na fase de formação e desenvolvimento; apesar disso, os músculos e ossos dos membros inferiores e das porções inferiores do tronco têm que sustentar o peso corporal, podendo dar início aos desvios e problemas posturais. A ciência mostra que, apesar da evolução, nosso corpo ainda não chegou à perfeição biomecânica e que mais de oitenta por cento da população mundial padece com defeitos osteomuscular. Para ficarmos em pé e conseguirmos andar, utilizamos dois pólos sensoriais situados nas extremidades do corpo: A cefálica (sistema vestibular, visual e oclusal) e os receptores sensoriais podais que em conjunto com o sistema nervoso central constituem o sistema de análise do movimento. Este trabalho evidencia a importância dos pés para a Postura fisica e apresenta a palmilha proprioceptiva para prevenção e correção postural Global. 2

3 Os Pés e a Postura Corporal Correta Através das informações recebidas dos mecanorreceptores sensoriais da planta do pé, juntamente com as informações do sistema vestibular, visual e oclusal, é que o sistema de analise do movimento, localizado no sistema nervoso central, coordena e regula a postura dinâmica e estática do corpo ereto. A função biomecânica dá aos pés a capacidade de agir como um adaptador, absorvedor de choque e de ser um conversor de torque durante o ciclo da marcha (sustentação, amortecimento e impulsão). O equilíbrio do corpo humano e a simetria musculoesquelética, quando ereto, dependem inicialmente das informações sensoriais podais. O pé humano é composto por 26 ossos unidos por 107 ligamentos formando 33 articulações que promovem curvaturas (abóbodas) na base plantar e proporcionam movimentos que são executados pelos músculos extrínsecos, intrínsecos, adutores e abdutores. Para ter postura e dinâmica perfeita (postura neutra ou normal), o pé depende do bom desempenho e tônus dos ligamos e músculos de que é formado e que matem a curvatura plantar (longitudinal e transversal) resistente e apta a exercer as varias atividades exigidas. Tendo postura correta, o pé executa as funções biomecânicas e sensoriais, promovendo a perfeita simetria do sistema osteomuscular, distribuindo corretamente o peso corporal e fixando o ponto gravitacional no ápice da curvatura plantar. Andar descalço, falta de exercícios específicos, sedentarismo, utilização de calçados inadequados, ganho de peso corporal, memória de dores e traumas dolorosos provocam disfunções e desequilíbrios tônicos fazendo com que mais de oitenta por cento da população mundial tenha postura defeituosa dos pés. A postura valga pronada (eversão) ocorre quando a borda medial do pé inclina-se em direção ao piso; esta postura leva ao desnivelamento osteomuscular devido à instabilidade das curvaturas plantares e consequentemente ocasiona o deslocamento do ponto gravitacional e a incorreta distribuição do peso do corpo sobre a planta dos pés; pode provocar dores, desgastes e traumas nos pés, joelhos, quadril, coluna vertebral e membros superiores. A postura vara supinada (inversão), ocorre quando a borda medial do pé inclina-se em direção ao piso sustentando todo peso corporal; apesar de em geral não apresentar desnivelamento pélvico, contribui perigosamente para que a onda de choque, provocada pela falta de amortecimento da pisada, seja transmitida do pé à cabeça, provocando desgastes, traumas e dores, incluindo a encefálica. 3

4 Podoposturologia Desde o final do século XVII têm-se registros cientificos sobre o equilibrio postural do corpo humano. Na metade do seculo XX, associa-se à postura corporal as modificações proprioceptivas e a possibilidade de tratamentos de varias patologias através de estimulaçoes posturais ao nivel dos orgãos sensoriais. Na decada de 80 o neurologista frances René Jacques Bourdiol publicou o conceito terapêutico onde as bases da correção postural passariam a ser neurológicas e não mais somente mecânicas. Comprovou a eficácia deste método reduzindo uma deformidade da coluna vertebral através da estimulação sensorial, na região plantar,colocando um simples elemento, em relevo, na palmilha. A partir dos conhecimentos da neurofisiologia surgiu a podoposturologia para atuar na prevenção e tratar transtornos do equilíbrio e postura corporal através da estimulação dos receptores podais. Receptores sensoriais podais, sistema vestibular visual e oclusal em conjunto com o sistema nervoso central, constituem o sistema de análise do movimento que é o responsável pelo equilíbrio e pela capacidade do corpo humano exercer movimentos na posição ereta. Os pés com pisada neutra ou normal promovem a perfeita postura corporal estática ou dinâmica; estão aptos a promoverem a reprogramação postural sempre que necessário. Mecanoreceptores plantares mandam informações ao sistema nervoso central que em resposta administra o tônus do grupo muscular responsável pelo equilíbrio e movimento, permitindo a adaptação do apoio dos pés nas diversas condições físicas do piso e os movimentos necessários para o amortecimento e impulsão. Menos de vinte por cento da população mundial são favorecidos com este tipo de pisada. A ausência das curvaturas plantar e o desequilíbrio do tônus muscular inibem e distorcem as informações sensoriais podais promovendo defeitos posturais que causam dores, deformações, traumas, assimetrias e deficiências nos membros inferiores (principalmente nos pés), quadril, coluna vertebral, membros superiores e cabeça. Em 1984, foi criado a Associação Francesa de Posturologia Em 2000, foi criado a Associação de Posturologia Internacional. 4

5 Palmilha Postural Proprioceptiva Sendo a pisada neutra a base da boa postura corporal e sabendo que a maioria da população mundial tem pisada defeituosa e consequentemente suscetível a todos os problemas decorrentes, a utilização da palmilha postural proprioceptiva deve ser considerada Indispensável e indicada para prevenção e reprogramação postural. A palmilha postural proprioceptiva tem como objetivo a correção postural dos pés, reprogramando as pisadas defeituosas para pisadas neutras (normais), atuando na reabilitação do tônus muscular das articulações. Atua através de elementos (em relevo) que são colocados, em pontos estratégicos, para estimular os mecanorreceptores sensoriais a transmitirem informações ao sistema nervoso central, que atuará na reabilitação do tônus muscular dos pés, membros inferiores e coluna. A palmilha, após a correção postural, passa a ser preventiva, ou seja, sempre que haja um desequilíbrio do tônus das articulações, imediatamente os elementos posturais atuam nos receptores sensoriais estimulando a reabilitação muscular para que o pé retorne à postura neutra. Também são utilizados elementos com funções mecânicas que condicionam anatomicamente os pés, na posição desejável, acelerando o processo de reprogramação postural. É fundamental diferenciar a ação da palmilha proprioceptiva da palmilha com ação meramente mecânica que é apenas um apoio (preenchimento) anatômico calçando o arco plantar; desta forma, o pé passa a ter somente a função de sustentação e é impedindo de agir no amortecimento e na impulsão das pisadas; a mobilidade muscular é perdida e o músculo não utilizado perde o tônus e se atrofia. Após análise dos pés e dos membros inferiores, na posição estática e durante a dinâmica da marcha, é feito a moldagem anatômica e elaborado o projeto que determinará a planta individual de cada palmilha. A palmilha é manufaturada em couro, material sintético antialérgico e cortiça; é rígida do calcâneo à cabeça dos metartasos onde permite mobilidade. Alem do elemento sensorial e atendendo prescrição, pode conter arco lateral e medial reforçado, cunhas supinadoras ou pronadoras, contraforte, encaixe para o calcanhar, barra retrocapital e compensador para dismetria. É fina, leve e não deforma. Sua utilização é bem aceita por ser anatomicamente personalizada, por conter elementos corretivos que permitem a mobilidade e o conforto dos pés e por ser adaptável aos sapatos e tênis normais. Indicações uso preventivo: A Palmilha Postural é indicada preventivamente, pois a incidência dos problemas posturais dos pés ocorre em mais de 80% da população e se iniciam na infância. Indicação uso corretivo: Reprogramação Postural, esporão do calcâneo, fascite plantar, dismetria, pé plano (chato), cavo-supinado (supino), valgo (prono), entorses, estiramentos e rompimentos dos ligamentos e tendões, tendinite, bursite, dores na planta do pé, joanetes (Hallux-valgus), metatarsalgia e dores nas pernas, joelho, quadril e nas regiões lombares, torácicas e cervicais oriundas de defeitos posturais dos pés. Proprioceptiva: qualquer informação postural, posicional, encaminhada ao sistema nervoso central pelos receptores encontrados em músculos, tendões, ligamentos, articulações ou pele Receptores sensoriais podais, sistema vestibular visual e oclusal em conjunto com o sistema nervoso central, constituem o sistema de análise do movimento. Mecanorreceptores: receptor sensorial que responde a pressão ou estímulo mecânico. Tônus: é o estado de tensão elástica (contração ligeira) que apresenta o músculo em repouso, e que lhe permite iniciar a contração imediatamente. 5

6 Variações Posturais dos pés Características Consequências 6

7 POSTURA NEUTRA OU NORMAL A posição Neutra é a boa postura dos pés; ocorre em menos de 20% da população mundial. Caracteriza-se pela pisada normal (neutra), apoiando perfeitamente o pé perpendicular ao piso (pé neutro); existência de perfeitos arcos plantar, longitudinal e transversal, livres e tônicos durante o ciclo da marcha ou na postura ereta. Postura perfeita não só para os pés como para todo o conjunto osteomuscular do corpo humano. As ilustrações mostram o alinhamento corporal. Os alinhamentos verticais e os horizontais proporcionam a correta postura do esqueleto axial (caixa craniana, coluna vertebral e caixa torácica) e do esqueleto apendicular (cintura escapular, formada pelas escápulas e clavículas; cintura pélvica, formada pelos ossos ilíacos (da bacia) e o esqueleto dos membros (superiores ou anteriores e inferiores ou posteriores). A - Vista do pé calçado posicionado corretamente ao solo, pisada sem inclinação; B - O osso calcâneo, astrágalo, tíbia e peróneo perfeitamente posicionados no eixo vertical centralizando a carga de forma otimizada; C - Existência de arco plantar, longitudinal e transversal, formado pelo primeiro, segundo e terceiro metatarsos, cuneiformes, escafóide, astrágalo e calcâneo; D - Apoio plantar formado pelos quarto e quinto metartasos, cubóide e calcâneo. Centro gravitacional posicionado no centro do arco plantar transversal e longitudinal; O desempenho tônico do conjunto de ossos, músculos, tendões e ligamentos do pé e da perna proporciona a perfeita sustentação, o amortecimento e a impulsão; E - Peso corretamente distribuído pelos três pontos da base plantar (calcâneo e cabeças do primeiro e do quinto metatarsos) e centro gravitacional posicionado no ápice do arco longitudinal e transversal permitindo o amortecimento, impulsão e estabilidade correta da sustentação do corpo na postura ereta F - Pés e pernas alinhados. Joelhos projetados corretamente para frente. 7

8 POSTURA PRONA Dos 80% da população que pisa errado a maioria apresenta a postura Prona dos pés. Caracteriza-se pela pisada para dentro (eversão), apoiando os pés mais internamente (valgos); ausência ou perda dos arcos plantar, transversal e longitudinal durante o ciclo da marcha ou no momento que se tem o apoio do peso corporal sobre o pé. A maioria dos pronadores apresenta joelho valgo (curvo para dentro) popularmente chamado joelho em X; as pernas são assimétricas (distantes na altura dos tornozelos e próximas na altura dos joelhos. Os desalinhamentos verticais e os horizontais causam a incorreta postura do esqueleto axial (caixa craniana, coluna vertebral e caixa torácica) e do esqueleto apendicular (cintura escapular, formada pelas escápulas e clavículas; cintura pélvica, formada pelos ossos ilíacos (da bacia) e o esqueleto dos membros (superiores ou anteriores e inferiores ou posteriores). Este defeito na postura dos pés, além de forçar os membros inferiores, pode levar a dor e a problemas no sistema osteomuscular em uma ou mais parte do corpo. A - Vista dos pés calçados com nítida pisada para dentro em relação ao solo. Apresenta eversão; B - Pés desalinhados (inclinados) deslocando a linha do centro gravitacional para o lado medial dos pés sobrecarregando os ossos calcâneos, astrágalos, tíbias e peróneos; C - Ausência de arco plantar (longitudinal e transversal) e deslocamento da carga para o lado medial do osso calcâneo; D - Sobrecarga nas falanges, nos metatarsos e nos cuneiformes do primeiro, segundo e terceiro dedo; no escafóide, no astrágalo e na tíbia; E - Deslocamento do centro gravitacional pela área medial dos pés, podendo migrar do calcâneo à cabeça do primeiro metatarso; F - Pernas assimétricas, pés e joelhos valgos (joelho em X), e joelhos convergentes. OBS. Fascite plantar, esporão, metatarsalgia, hálux valgo (joanete), problemas nos joelhos, artrose, hérnia de disco, lordose, cifose e escoliose são lesões que podem estar relacionadas à postura pronada dos pés. 8

9 POSTURA SUPINA Postura menos ocorrente que a Prona. Caracteriza-se pela pisada para fora (inversão) apoiando somente na área externa dos pés; existência de arco plantar (abóboda) elevado, incluindo o da área externa do pé (pé varo); a maioria dos supinadores apresenta joelho varo, isto é, curvo para fora; as pernas são desalinhadas, distanciadas na altura dos joelhos e próximas na altura dos tornozelos; pode ocorrer supinaçäo em pernas e joelhos simétricos. Raramente se observa os desalinhamentos verticais e os horizontais do esqueleto axial, apendicular e dos membros superiores. Este defeito na postura dos pés pode levar a dor (incluindo cefaléias) e a sérias lesões por todo corpo. Os pés perdem a capacidade de amortecimento e de impulsão durante o ciclo da marcha, apesar de serem cavos, concentrando toda sustentação do peso e o impacto da pisada somente na área lateral (lado externo), transmitindo vibração por todo sistema osteomuscular. A - Vista do pé calçado com pisada para fora (varo) em relação ao solo. Apresenta inversão; B - Pés desalinhados (varo) deslocando a linha do centro gravitacional para fora sobrecarregando os ossos calcâneos, astrágalos, tíbias e peróneos; C - Presença de arco plantar acentuado (transversal e longitudinal inclusive o externo); deslocamento da carga para o lado externo dos pés; D - Sobrecarga nas falanges e nos metatarsos do quinto e quarto dedo, no cubóide, no astrágalo e na tíbia; E - Deslocamento do centro gravitacional pela área externa dos pés, podendo migrar do calcâneo à cabeça do quinto metatarso; F - Pernas assimétricas, pés e joelhos varos, joelhos divergentes. Pode ocorrer supinação dos pés em pernas e joelhos neutros. OBS. Dores, metatarsalgia, problemas nos joelhos, artrose, lordose,cifose, escoliose, hérnia de disco, lombalgias e cefaléias são doenças e lesões que podem estar relacionadas à postura supinada dos pés. 9

10 POSTURA NEUTRA E PRONA É a postura Neutra em um dos pés e Valga Pronada (eversão) no outro, no exemplo: neutra no pé direito e pronada no pé esquerdo. Caracteriza-se pela pisada normal (neutra) em um dos pés e pisada para dentro (valgo) no outro; existência de arco plantar, longitudinal e transversal, no pé neutro e perda dos arcos no outro; perna e joelho normal (neutro) em um dos membros e valgo, isto é, curvo para dentro, no outro. Postura mais danosa que a pronada nos dois pés. Um dos membros permanece neutro enquanto o outro fica prono (valgo) causando diferença de altura entre eles. Leva ao desnivelamento pélvico e à incorreta postura do esqueleto axial (caixa craniana, coluna vertebral e caixa torácica), do esqueleto apendicular (cintura escapular, formada pelas escápulas e clavículas; cintura pélvica, formada pelos ossos ilíacos da bacia) e do esqueleto dos membros (superiores ou anteriores e inferiores ou posteriores). A - Vista dos pés calçados com pisada pronada (pé esq.) e neutra (pé dir.) em relação ao solo; B - Pé mal posicionado deslocando a linha do centro gravitacional para dentro sobrecarregando os ossos calcâneos, astrágalos, tíbias e peróneos (pé esq.) ; neutro (pé dir.); C - Ausência de arco plantar (longitudinal e transversal) e deslocamento da carga para o lado medial (interno) do osso calcâneo (pé esq.); perfeita existência das abóbodas longitudinal e transversal formadas pelos primeiro, segundo e terceiro metatarsos, cuneiformes, escafóide, astrágalo e calcâneo (pé dir.); D - Sobrecarga nas falanges, nos metatarsos e nos cuneiformes do primeiro, segundo e terceiro dedo, no escafóide, no astrágalo e na tíbia (pé esq.); Apoio plantar formado pelos quarto e quinto metartasos, cubóide e calcâneo (pé dir.); E - Deslocamento do centro gravitacional pela área interna do pé, podendo migrar do calcâneo à cabeça do primeiro metatarso (pé esq.); centro gravitacional posicionado no ápice dos arcos (pé dir.); F - Perna, pé e joelho valgos, joelho convergente (pé esq.); pés, perna e joelho neutros (pé dir.) OBS. Facites plantares, esporão, metatarsalgia, hálux valgo (joanete), problemas nos joelhos, artrose, hérnia de disco, lordose,cifose e escoliose são lesões que podem estar relacionadas à postura pronada dos pés. 10

11 POSTURA NEUTRA E SUPINA É a postura Neutra em um dos pés e Vara Supinada (inversão) no outro. Caracteriza-se pela pisada normal, apoiando perfeitamente o pé perpendicular ao piso (pé neutro) com presença dos arcos longitudinal e transversal em um dos pés e, pela pisada para fora, apoiando somente na área externa dos pés, existência de arco plantar elevado, incluindo o da área externa (pé Varo); apresenta joelho neutro em um dos membros e divergente em outro (curvo para fora). Este defeito de postura pode levar a dor (incluindo cefaléias) e a sérias lesões por todo corpo, pois perde a capacidade de amortecimento, em um dos pés apesar de ser cavo, concentrando a sustentação e o impacto da pisada somente na parte lateral (externa) transmitindo vibração por todo sistema osteomuscular. A - Vista do pé calçado com pisada Neutra (pé esq.) e Varo (pé dir.); Apresenta inversão em um só pé; B - Pé Neutro (pé esq.); pé Varo deslocando a linha do centro gravitacional para fora sobrecarregando os ossos calcâneos, astrágalos, tíbias e peróneos (pé dir.); C - Existência dos arcos longitudinal e transversal normal (pé esq.); curvatura acentuada dos arcos (inclusive o externo) e deslocamento da carga para área lateral do pé (pé dir.); D - Apoio plantar formado pelos quarto e quinto metartasos, cubóide e calcâneo.centro gravitacional posicionado no centro dos arcos transversal e longitudinal (pé esq.); sobrecarga nas falanges e nos metatarsos do quinto e quarto dedo, no cubóide, no astrágalo e na tíbia (pé dir.) E - Peso corretamente distribuído pelos três pontos da base plantar e centro gravitacional posicionado no ápice dos arcos (pé esq.); deslocamento do centro gravitacional pela área lateral do pé, podendo migrar do calcâneo à cabeça do quinto metatarso (pé dir.); F - Pé, perna e joelho neutros, joelho projetado corretamente para frente (pé esq.); perna e joelho varos, joelho projetado para fora (pé dir.). Pode ocorrer supinação dos pés em perna e joelho neutro. OBS. Dores, metatarsalgia, problemas nos joelhos, artrose, lordose, escoliose, cifose, hérnia de disco, lombalgias, cefaléias são doenças e lesões que podem estar relacionadas à postura supinada dos pés. 11

12 POSTURA PRONA E SUPINA Postura Prona (eversão) em um dos pés e supinada (inversão) no outro. Caracteriza-se pela pisada para dentro, apoiando o pé mais internamente (pé valgo) com ausência ou perda do arco plantar em um pé, no outro, pisada para fora (pé varo) apoiando somente na área externa, existência de arco plantar elevado, incluindo o arco da área externa; apresenta joelhos valgo, isto é, curvo para dentro em um dos membros e joelho varo, curvo para fora, no outro. Os desalinhamentos verticais e os horizontais causam a incorreta postura do esqueleto axial (caixa craniana, coluna vertebral e caixa torácica) e do esqueleto apendicular (cintura escapular, formada pelas escápulas e clavículas; cintura pélvica, formada pelos ossos ilíacos (da bacia) e o esqueleto dos membros (superiores ou anteriores e inferiores ou posteriores). Este defeito na postura dos pés pode levar a dor (incluindo cefaléias) e a sérias lesões por todo corpo, pois perde a capacidade de amortecimento, em um dos pés,apesar de ser cavo, concentrando o apoio do impacto na parte lateral (externa), transmitindo a vibração por todo sistema osteomuscular. A - Pé esquerdo calçado com pisada para dentro (eversão) e pé direito para fora (inversão). B - Pé esquerdo Valgo, deslocando a linha do centro gravitacional para dentro sobrecarregando os ossos calcâneos, astrágalos, tíbias e peróneos; e pé direito Varo, deslocando a linha do centro gravitacional para fora sobrecarregando os ossos calcâneos, astrágalos, tíbias e peróneos; C - Ausência de arco plantar (longitudinal e transversal) e deslocamento da carga para o lado interno do osso calcâneo (pé esq.); presença de curvatura acentuada no arco plantar (transversal e longitudinal inclusive o externo) e deslocamento da carga para o lado externo (pé dir.); D - Sobrecarga nas falanges, nos metatarsos e nos cuneiformes do primeiro, segundo e terceiro dedo, no escafóide, no astrágalo e na tíbia (pé esq.); sobrecarga nas falanges e nos metatarsos do quinto e quarto dedo, no cubóide, no astrágalo e na tíbia (pé dir.); E - Deslocamento do centro gravitacional pela área medial do pé, podendo migrar do calcâneo à cabeça do primeiro metatarso (pé esq.); deslocamento do centro gravitacional área externa dos pés, podendo migrar do calcâneo à cabeça do quinto metatarso (pé dir.); F - Perna, joelho (convergente) e pé valgos (pé esq.); varos (divergente) no membro direito. Pode ocorrer supinação do pé em perna e joelho neutros. OBS. Dores, metatarsalgia, problemas nos joelhos, artrose, lordose, escoliose, cifose, hérnia de disco, lombalgias, cefaléias são doenças e lesões que podem estar relacionadas à postura supinada dos pés. 12

13 Referências The influence of proprioceptive insoles on the sagittal curvature and inclination of the trunk. Réné, Jaques Bourdiol. Bases biomecânicas do movimento humano. Hamill, Joseph. Podo-réflexo-cinésiologie. Réné, Jaques Bourdiol. Sensibilité Plantaire Et Équilibre Enjalbert, M. Contato Palmilhas para Reprogramação Postural João Elias Saad São Paulo, Brasil Reprogramação Postural através de palmilhas. Przysiezny, Wilson Luiz. 13

14 Significado das Palavras Biomecânica: é a base da função músculo-esquelético. Os músculos produzem forças que agem através do sistema de alavancas ósseas. Dismetria: diferenças entre o tamanho das pernas Dinâmica: a dinâmica é um ramo da mecânica que estuda o movimento de um corpo e as causas desse movimento. Ereto: que se ergue em linha reta, em pé, na posição vertical. Mecanorreceptores: receptor sensorial que responde a pressão ou outro estímulo mecânico. Musculoesquelético: Conjunto de ossos, músculos e articulações. Neurofisiologia: ramo da fisiologia que tem como objeto de estudo o funcionamento do sistema nervoso. Osteomuscular: relativo aos ossos e músculos. Plantar: estrutura de sustentação da sola dos pés. Podais: relativo aos pés. Podoposturologia: reprogramação postural através de palmilha Proprioceptiva: é definida como sendo qualquer informação postural, posicional, encaminhada ao sistema nervoso central pelos receptores encontrados em músculos, tendões, ligamentos, articulações ou pele. Receptores: designa as proteínas que permitem a interação de determinadas sustâncias com os mecanismos do metabolismo celular. Os receptores são proteínas ou glicoproteínas presentes na membrana plasmática, na membrana das organelas ou no citosol celular, que unem especificamente outras sustâncias químicas chamadas moléculas sinalizadoras, como os hormônios e os neurotransmissores. Simetria: correspondência de posição, de forma, de medida em relação a um eixo entre os elementos de um conjunto ou entre dois ou mais conjuntos. Sistema oclusal: relativo à superfície mastigatória dos dentes molares e bicúspides. Sistema vestibular: relativo ao vestíbulo do ouvido onde fica o centro do equilíbrio. Tônus: é o estado de tensão elástica (contração ligeira) que apresenta o músculo em repouso, e que lhe permite iniciar a contração imediatamente. 14

VOCÊ CONHECE SUA PISADA?

VOCÊ CONHECE SUA PISADA? ANO 2 www.instituodetratamentodador.com.br VOCÊ CONHECE SUA PISADA? Direção: Dr José Goés Instituto da Dor Criação e Diagramação: Rubenio Lima 85 8540.9836 Impressão: NewGraf Tiragem: 40.000 ANO 2 Edição

Leia mais

INVOLUÇÃO X CONCLUSÃO

INVOLUÇÃO X CONCLUSÃO POSTURA INVOLUÇÃO X CONCLUSÃO *Antigamente : quadrúpede. *Atualmente: bípede *Principal marco da evolução das posturas em 350.000 anos. *Vantagens: cobrir grandes distâncias com o olhar, alargando seu

Leia mais

EXERCÍCIOS SISTEMA ESQUELÉTICO

EXERCÍCIOS SISTEMA ESQUELÉTICO EXERCÍCIOS SISTEMA ESQUELÉTICO 1. Quais as funções do esqueleto? 2. Explique que tipo de tecido forma os ossos e como eles são ao mesmo tempo rígidos e flexíveis. 3. Quais são as células ósseas e como

Leia mais

Avaliação Postural e Flexibilidade. Priscila Zanon Candido

Avaliação Postural e Flexibilidade. Priscila Zanon Candido Avaliação Postural e Flexibilidade Priscila Zanon Candido POSTURA A posição otimizada, mantida com característica automática e espontânea, de um organismo em perfeita harmonia com a força gravitacional

Leia mais

Controle Postural. Orientação Postural: Relação adequada entre os segmentos do corpo e do corpo com o ambiente. manter CDM nos limites da BDA

Controle Postural. Orientação Postural: Relação adequada entre os segmentos do corpo e do corpo com o ambiente. manter CDM nos limites da BDA CONTROLE POSTURAL Controle Postural Orientação Postural: Relação adequada entre os segmentos do corpo e do corpo com o ambiente Estabilidade postural ou equilíbrio: capacidade de manter CDM nos limites

Leia mais

3.2 A coluna vertebral

3.2 A coluna vertebral 73 3.2 A coluna vertebral De acordo com COUTO (1995), o corpo é dividido em cabeça, tronco e membros; unindo porção superior e a porção inferior do corpo temos o tronco, e no tronco, a única estrutura

Leia mais

Biomecânica Avançada. Os 6 Tipos de Pés Mais Comuns. Paulo Silva MSSF

Biomecânica Avançada. Os 6 Tipos de Pés Mais Comuns. Paulo Silva MSSF Biomecânica Avançada Os 6 Tipos de Pés Mais Comuns Paulo Silva MSSF O que vamos falar? Terminologia (introdução) Os Tipos de Pés (Funcional) Os Problemas As Soluções: Ortóteses/Palmilhas e Calçado As Formulas

Leia mais

Dr. Josemir Dutra Junior Fisioterapeuta Acupunturista Acupunturista Osteopata Especialista em Anatomia e Morfologia. Joelho

Dr. Josemir Dutra Junior Fisioterapeuta Acupunturista Acupunturista Osteopata Especialista em Anatomia e Morfologia. Joelho Dr. Josemir Dutra Junior Fisioterapeuta Acupunturista Acupunturista Osteopata Especialista em Anatomia e Morfologia Joelho O joelho é a articulação intermédia do membro inferior, é formado por três ossos:

Leia mais

DE VOLTA ÀS AULAS... CUIDADOS COM A POSTURA E O PESO DA MOCHILA!

DE VOLTA ÀS AULAS... CUIDADOS COM A POSTURA E O PESO DA MOCHILA! DE VOLTA ÀS AULAS... CUIDADOS COM A POSTURA E O PESO DA MOCHILA! SUA MOCHILA NÃO PODE PESAR MAIS QUE 10% DO SEU PESO CORPORAL. A influência de carregar a mochila com o material escolar nas costas, associado

Leia mais

Postura corporal hábitos causas e consequências

Postura corporal hábitos causas e consequências Postura corporal hábitos causas e consequências AFINAL O QUE É POSTURA? Postura Definir Postura ideal é praticamente impossível. Porém, para Momesso (1997) postura, é a atitude que o corpo adota, mediante

Leia mais

Uma Definição: "Estudo entre o homem e o seu trabalho, equipamentos e meio ambiente".

Uma Definição: Estudo entre o homem e o seu trabalho, equipamentos e meio ambiente. ERGONOMIA: palavra de origem grega. ERGO = que significa trabalho NOMOS = que significa regras Uma Definição: "Estudo entre o homem e o seu trabalho, equipamentos e meio ambiente". Tríade básica da Ergonomia:

Leia mais

AVALIAÇÃO POSTURAL. Figura 1 - Alterações Posturais com a idade. 1. Desenvolvimento Postural

AVALIAÇÃO POSTURAL. Figura 1 - Alterações Posturais com a idade. 1. Desenvolvimento Postural AVALIAÇÃO POSTURAL 1. Desenvolvimento Postural Vantagens e desvantagens da postura ereta; Curvas primárias da coluna vertebral; Curvas Secundárias da coluna vertebral; Alterações posturais com a idade.

Leia mais

A palavra postura tem dois grandes significados físico e figurativo (FERREI-

A palavra postura tem dois grandes significados físico e figurativo (FERREI- 11 2 BIOMECÂNICA DA POSTURA 1 2.1 Conceituação de postura A palavra postura tem dois grandes significados físico e figurativo (FERREI- RA, 1986, p. 1373): no sentido físico, corporal, significa "o modo

Leia mais

Constituição do Esqueleto

Constituição do Esqueleto O ESQUELETO HUMANO Funções do Esqueleto O esqueleto humano constitui a estrutura que dá apoio ao corpo, protege os órgãos internos e assegura a realização dos movimentos, juntamente com o sistema muscular.

Leia mais

Podologia - calcanheiras. Podologia - calcanheiras Ref. TL-616

Podologia - calcanheiras. Podologia - calcanheiras Ref. TL-616 Podologia Podologia Podologia - calcanheiras Podologia - calcanheiras Ref. TL-616 CALCANHEIRA DE SILICONE TRANSPARENTE - FINA JOELHEIRA EM NEOPRENO RÓTULA ABERTA E BARRAS FLÉXIVEIS LATERAIS E BANDAS DE

Leia mais

Desvios da Coluna Vertebral e Algumas Alterações. Ósseas

Desvios da Coluna Vertebral e Algumas Alterações. Ósseas Desvios da Coluna Vertebral e Algumas Alterações Ósseas DESVIOS POSTURAIS 1. LORDOSE CERVICAL = Acentuação da concavidade da coluna cervical. CAUSA: - Hipertrofia da musculatura posterior do pescoço CORREÇÃO:

Leia mais

E S T U D O D O M O V I M E N T O - V

E S T U D O D O M O V I M E N T O - V 1 Pronação A pronação corresponde ao movimento que coloca a face palmar da mão virada para trás, colocando o 1º dedo (polegar) da mão mais próximo do plano sagital. Supinação A supinação corresponde ao

Leia mais

ESCOLIOSE Lombar: Sintomas e dores nas costas

ESCOLIOSE Lombar: Sintomas e dores nas costas ESCOLIOSE Lombar: Sintomas e dores nas costas O que é escoliose? É um desvio látero-lateral que acomete acoluna vertebral. Esta, quando olhada de frente, possui aparência reta em pessoas saudáveis. Ao

Leia mais

Dor nas costas é natural ou descuido?

Dor nas costas é natural ou descuido? 1 FOLHAS Escola: E. E. Prof. Léo Kohler Ensino Fundamental NRE: Cianorte Nome do professor: Reginaldo Dimas R. Longo e-mail: reginaldodimas@seed.pr.gov.br Nome do professor orientador: Prof. Dr. Pedro

Leia mais

Incidência de Disfunção Sacroilíaca

Incidência de Disfunção Sacroilíaca Incidência de Disfunção Sacroilíaca ::: Fonte Do Saber - Mania de Conhecimento ::: adsense1 Introdução A pelve e em especial as articulações sacroilíacas sempre foram consideradas como tendo valor clínico

Leia mais

INTRODUÇÃO A ar.culação do tornozelo

INTRODUÇÃO A ar.culação do tornozelo INTRODUÇÃO A ar.culação do tornozelo Articulação sinovial do tipo gínglimo As extremidades inferiores da Tíbia e Fíbula formam um entalhe onde se ajusta a tróclea do Tálus, que tem forma de roldana. Tálus

Leia mais

TIPOS DE PALMILHAS ORTOPÉDICAS SOB MEDIDA ORTOPEDIA PIERQUIM * QUALIDADE CONFORTO SEGURAÇA* ORTOPEDIA PIERQUIM

TIPOS DE PALMILHAS ORTOPÉDICAS SOB MEDIDA ORTOPEDIA PIERQUIM * QUALIDADE CONFORTO SEGURAÇA* ORTOPEDIA PIERQUIM TIPOS DE PALMILHAS ORTOPÉDICAS SOB MEDIDA PALMILHAS DE SILICONE Palmilha para Metatarsalgia Indicações: Diminui a inflamação da fasoeíte, aliviando a dor. Auxilia na queda dos metatarsos reduzindo o impacto

Leia mais

CIÊNCIAS E PROGRAMA DE SAÚDE

CIÊNCIAS E PROGRAMA DE SAÚDE GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO CIÊNCIAS E PROGRAMA DE SAÚDE 14 CEEJA MAX DADÁ GALLIZZI PRAIA GRANDE - SP ACREDITE EM VOCÊ Profª Elaine Terroso Esse material foi elaborado

Leia mais

ERGONOMIA. Anatomia e Fisiologia - Limitações do Organismo Humano

ERGONOMIA. Anatomia e Fisiologia - Limitações do Organismo Humano Verificamos um exemplo, da operária, de como é importante para o profissional de Segurança e Higiene do Trabalho conhecer as limitações do corpo humano e como este pode se sobrecarregar, com o intuito

Leia mais

TÍTULO: A IMPORTÂNCIA DO USO DO CALÇADO IDEAL E A ANÁLISE DOS HÁBITOS DE UNIVERSITÁRIOS DE UMA FACULDADE EM SANTOS

TÍTULO: A IMPORTÂNCIA DO USO DO CALÇADO IDEAL E A ANÁLISE DOS HÁBITOS DE UNIVERSITÁRIOS DE UMA FACULDADE EM SANTOS TÍTULO: A IMPORTÂNCIA DO USO DO CALÇADO IDEAL E A ANÁLISE DOS HÁBITOS DE UNIVERSITÁRIOS DE UMA FACULDADE EM SANTOS CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E SAÚDE SUBÁREA: BIOMEDICINA INSTITUIÇÃO:

Leia mais

3.4 Deformações da coluna vertebral

3.4 Deformações da coluna vertebral 87 3.4 Deformações da coluna vertebral A coluna é um dos pontos mais fracos do organismo. Sendo uma peça muito delicada, está sujeita a diversas deformações. Estas podem ser congênitas (desde o nascimento

Leia mais

É responsável pelo movimento do corpo

É responsável pelo movimento do corpo É responsável pelo movimento do corpo O sistema locomotor é formado pelos ossos, músculos e articulações. O sistema esquelético sustenta, protege os órgãos internos, armazena minerais e íons e produz células

Leia mais

Uso de salto alto pode encurtar músculos e tendões e até provocar varizes!!!

Uso de salto alto pode encurtar músculos e tendões e até provocar varizes!!! Uso de salto alto pode encurtar músculos e tendões e até provocar varizes!!! Dores frequentes nos pés, calosidades e vermelhidão são os primeiros sinais de abuso do salto alto e bico fino. Bonitos, elegantes

Leia mais

Por esse motivo é tão comum problemas na coluna na sua grande maioria posturais.

Por esse motivo é tão comum problemas na coluna na sua grande maioria posturais. R.P.G. E A MECÂNICA DA NOSSA COLUNA VERTEBRAL * Dr. Gilberto Agostinho A coluna vertebral, do ponto de vista mecânico é um verdadeiro milagre. São 33 vértebras (7 cervicais + 12 torácicas + 5 lombares

Leia mais

Testes para o Joelho

Testes para o Joelho Testes para o Joelho Teste de compressão de Apley Pcte em dec. ventral, fletir a perna a 90º. Segurar o tornozelo, aplicar pressão para baixo e girar a perna lateral//e emedial//e. Teste de compressão

Leia mais

Proteger a medula espinal e os nervos espinais. Fornece um eixo parcialmente rígido e flexível para o corpo e um pivô para a cabeça

Proteger a medula espinal e os nervos espinais. Fornece um eixo parcialmente rígido e flexível para o corpo e um pivô para a cabeça Cinthya Natel Baer Cristiane Schwarz Gelain Isabella Mauad Patruni Laila Djensa S. Santos Laiza Tabisz Mariana Escani Guerra Paula Moreira Yegros Veronica Dalmas Padilha Ana Paula Trotta Aline Sudoski

Leia mais

AVALIAÇÃO DO OMBRO ANATOMIA DO OMBRO ANATOMIA DO OMBRO ANATOMIA DO OMBRO ANATOMIA DO OMBRO ANATOMIA DO OMBRO Articulação Sinovial Forma de sela Três graus de liberdade Posição de Repouso Posição de aproximação

Leia mais

Cuidados Posturais. Prof Paulo Fernando Mesquita Junior

Cuidados Posturais. Prof Paulo Fernando Mesquita Junior Cuidados Posturais Prof Paulo Fernando Mesquita Junior Vídeo: Cuidados_posturais_Dr.MiguelMastropaulo A postura correta Considera-se uma boa postura aquela condição em que o alinhamento corporal proporciona

Leia mais

Fisioterapia nas Ataxias. Manual para Pacientes

Fisioterapia nas Ataxias. Manual para Pacientes Fisioterapia nas Ataxias Manual para Pacientes 2012 Elaborado por: Fisioterapia: Dra. Marise Bueno Zonta Rauce M. da Silva Neurologia: Dr. Hélio A. G. Teive Ilustração: Designer: Roseli Cardoso da Silva

Leia mais

O que é ERGONOMIA? TERMOS GREGOS: ERGO = TRABALHO NOMIA (NOMOS)= REGRAS, LEIS NATURAIS

O que é ERGONOMIA? TERMOS GREGOS: ERGO = TRABALHO NOMIA (NOMOS)= REGRAS, LEIS NATURAIS O que é ERGONOMIA? TERMOS GREGOS: ERGO = TRABALHO NOMIA (NOMOS)= REGRAS, LEIS NATURAIS...é um conjunto de conhecimentos relativos ao homem e necessários à concepção de instrumentos, máquinas e dispositivos

Leia mais

ESTUDO RADIOLÓGICO DA COLUNA LOMBAR

ESTUDO RADIOLÓGICO DA COLUNA LOMBAR ESTUDO RADIOLÓGICO DA COLUNA LOMBAR VERTEBRAS LOMBARES 5 9 3 10 1 6 4 8 2 1- processo espinhoso 2- processo transverso 3- corpo 4- processo articular inferior 5- processo articular superior 6- incisura

Leia mais

PREVENÇÃO E TRATAMENTO DE HÉRNIA DE DISCO SEM CIRURGIA

PREVENÇÃO E TRATAMENTO DE HÉRNIA DE DISCO SEM CIRURGIA PREVENÇÃO E TRATAMENTO DE HÉRNIA DE DISCO SEM CIRURGIA Dicas para uma vida sem dores na coluna A Hérnia de Disco A nossa coluna é composta de aproximadamente 32 vértebras, que são os ossos que formam

Leia mais

CLASSES DE MOVIMENTOS

CLASSES DE MOVIMENTOS CLASSES DE MOVIMENTOS ATOS REFLEXOS - considerados involuntários, simples (poucos músculos), estereotipados, em geral ocorrem automaticamente em resposta a um estímulo sensorial. Ex. resposta ao toque

Leia mais

Crescimento guiado para correção de joelhos unidos e pernas arqueadas em crianças

Crescimento guiado para correção de joelhos unidos e pernas arqueadas em crianças INFORMAÇÃO AO PACIENTE Crescimento guiado para correção de joelhos unidos e pernas arqueadas em crianças O sistema de crescimento guiado eight-plate quad-plate INTRODUÇÃO As crianças necessitam de orientação

Leia mais

PORQUÊ EU TENHO DORES NAS COSTAS?

PORQUÊ EU TENHO DORES NAS COSTAS? Dores nas Costas PORQUÊ EU TENHO DORES NAS COSTAS? O QUE CAUSA DORS NAS COSTAS? Várias podem ser as causas de suas dores nas costas: - Posturas inadequadas - Esforço exagerado - Permanecer por muito tempo

Leia mais

Dicas para o ensino e prática de atividades motoras e mecanismos de informações para pessoas com deficiência visual

Dicas para o ensino e prática de atividades motoras e mecanismos de informações para pessoas com deficiência visual Texto de apoio ao curso de Especialização Atividade Física Adaptada e Saúde Prof. Dr. Luzimar Teixeira Dicas para o ensino e prática de atividades motoras e mecanismos de informações para pessoas com deficiência

Leia mais

Confederação Brasileira de Tiro Esportivo Originária da Confederação do Tiro Brasileiro decreto 1503 de 5 de setembro de 1906

Confederação Brasileira de Tiro Esportivo Originária da Confederação do Tiro Brasileiro decreto 1503 de 5 de setembro de 1906 Exercícios com Elástico Os Exercícios com elástico irão trabalhar Resistência Muscular Localizada (RML). Em cada exercício, procure fazer a execução de maneira lenta e com a postura correta. Evitar o SOLAVANCO

Leia mais

Osteologia. Estudo da estrutura dos ossos oste = osso; logia = estudo de

Osteologia. Estudo da estrutura dos ossos oste = osso; logia = estudo de Osteologia Estudo da estrutura dos ossos oste = osso; logia = estudo de Ossos Ossos são orgãos esbranquiçados, muito duros, que unindo-se aos outros por meio de junturas ou articulações, constituem o esqueleto.

Leia mais

Cuidando da Coluna e da Postura. Texto elaborado por Luciene Maria Bueno. Coluna e Postura

Cuidando da Coluna e da Postura. Texto elaborado por Luciene Maria Bueno. Coluna e Postura Cuidando da Coluna e da Postura Texto elaborado por Luciene Maria Bueno Coluna e Postura A coluna vertebral possui algumas curvaturas que são normais, o aumento, acentuação ou diminuição destas curvaturas

Leia mais

Alterações. Músculo- esqueléticas

Alterações. Músculo- esqueléticas Alterações Músculo- esqueléticas Sistema Neurológico Alteração no tempo de reação e equilíbrio. A instabilidade articular. Alteração da visão Sensibilidade da córnea. c Aumento ou diminuição dos sentidos

Leia mais

ANATOMIA. Osso. VISTA LATERAL DO SACRO (Braço maior e menor e fixações musculares)

ANATOMIA. Osso. VISTA LATERAL DO SACRO (Braço maior e menor e fixações musculares) SACRO CBES ANATOMIA Osso O sacro é formado por 5 vértebras fundidas. Os forâmens de conjugação se transformam em forâmens sacrais anteriores e posteriores. Sua face anterior é côncava e lisa Sua face posterior

Leia mais

Manual de cuidados pré e pós-operatórios

Manual de cuidados pré e pós-operatórios 1. Anatomia O quadril é uma articulação semelhante a uma bola no pegador de sorvete, onde a cabeça femoral (esférica) é o sorvete e o acetábulo (em forma de taça) é o pegador. Esse tipo de configuração

Leia mais

Sistema Esquelético Humano. Sistema Esquelético Humano. Sistema Esquelético Humano. Esqueleto axial. Sistema Esquelético Humano.

Sistema Esquelético Humano. Sistema Esquelético Humano. Sistema Esquelético Humano. Esqueleto axial. Sistema Esquelético Humano. Anatomia Humana Sistema Esquelético Ed. Física Prof. Cláudio Costa Osteologia: É o estudo dos ossos. Composição do Sistema Ósseo: 206 peças duras, resistentes e flexíveis chamadas ossos, pelas cartilagens

Leia mais

www.josegoe s.com.br Prof. Ms. José Góes Página 1

www.josegoe s.com.br Prof. Ms. José Góes Página 1 Página 1 01. Ossos da coluna vertebral A coluna vertebral é formada por um número de 33 ossos chamados vértebras. Estas se diferenciam pela sua forma e função. Vértebras semelhantes se agrupam em regiões

Leia mais

Fisioterapia Personalizada a Domicilio

Fisioterapia Personalizada a Domicilio Fisioterapia Personalizada a Domicilio O atendimento a domicilio da Fisio e Saúde Sul, privilegia o conforto e a saúde de seus pacientes, realizando atendimento que proporciona SAÚDE, BEM-ESTAR e MELHORA

Leia mais

Centro de Reeducação Respiratória e Postural S/C Ltda Josleide Baldim Hlatchuk Fisioterapeuta CREFITTO 12.408F

Centro de Reeducação Respiratória e Postural S/C Ltda Josleide Baldim Hlatchuk Fisioterapeuta CREFITTO 12.408F RPG 1. DEFINIÇÃO A Reeducação Postural Global é um método fisioterápico de correção e tratamento da dor, que trabalha sobre as cadeias de tensão muscular utilizando posturas de alongamento excêntrico ativo

Leia mais

Semiologia Ortopédica Pericial

Semiologia Ortopédica Pericial Semiologia Ortopédica Pericial Prof. Dr. José Heitor Machado Fernandes 2ª V E R S Ã O DO H I P E R T E X T O Para acessar os módulos do hipertexto Para acessar cada módulo do hipertexto clique no link

Leia mais

ESTUDO RADIOLÓGICO DA PELVE

ESTUDO RADIOLÓGICO DA PELVE ESTUDO RADIOLÓGICO DA PELVE Sínfise púbica Classificação: sínfise Movimentos permitidos: mobilidade bidimensional e rotação de uns poucos milímetros em conjunto com a deformação da pelve quando na sustentação

Leia mais

ESTUDO DO MOVIMENTO OSTEOLOGIA COLUNA VERTEBRAL E TÓRAX 1 TERMOS DIRECCIONAIS ORIENTAÇÃO DO TIPOS DE OSSOS MOVIMENTOS ARTICULARES

ESTUDO DO MOVIMENTO OSTEOLOGIA COLUNA VERTEBRAL E TÓRAX 1 TERMOS DIRECCIONAIS ORIENTAÇÃO DO TIPOS DE OSSOS MOVIMENTOS ARTICULARES TERMOS DIRECCIONAIS EB 23S DE CAMINHA CURSO PROFISSIONAL TÉCNICO GESTÃO DESPORTIVA ESTUDO DO MOVIMENTO TÓRAX POSIÇÃO DESCRITIVA ANATÓMICA PLANOS DESCRITIVOS PLANO SAGITAL PLANO HORIZONTAL INFERIOR ANTERIOR

Leia mais

Lesões Meniscais. O que é um menisco e qual a sua função.

Lesões Meniscais. O que é um menisco e qual a sua função. Lesões Meniscais Introdução O menisco é uma das estruturas mais lesionadas no joelho. A lesão pode ocorrer em qualquer faixa etária. Em pessoas mais jovens, o menisco é bastante resistente e elástico,

Leia mais

CINESIOLOGIA DA COLUNA VERTEBRAL. Prof. Dr. Guanis de Barros Vilela Junior

CINESIOLOGIA DA COLUNA VERTEBRAL. Prof. Dr. Guanis de Barros Vilela Junior CINESIOLOGIA DA COLUNA VERTEBRAL Prof. Dr. Guanis de Barros Vilela Junior COLUNA VERTEBRAL 7 vértebras cervicais 12 vértebras torácicas 5 vértebras lombares 5 vértebras sacrais 4 vértebras coccígeas anterior

Leia mais

11 EXERCÍCIOS PARA PREVENIR LESÕES

11 EXERCÍCIOS PARA PREVENIR LESÕES 11 EXERCÍCIOS PARA PREVENIR LESÕES O futsal, como outras modalidades, está associado a certos riscos de lesões por parte dos jogadores. No entanto, estudos científicos comprovaram que a incidência de lesões

Leia mais

SISTEMA MÚSCULO ESQUELÉTICO. Enf. Thais Domingues

SISTEMA MÚSCULO ESQUELÉTICO. Enf. Thais Domingues SISTEMA MÚSCULO ESQUELÉTICO Enf. Thais Domingues SISTEMA MÚSCULO ESQUELÉTICO Composto de ossos, músculos, cartilagem, ligamentos e fáscia, proporcionando ao corpo, com sua armação estrutural uma caixa

Leia mais

04/11/2012. rígida: usar durante a noite (para dormir) e no início da marcha digitígrada, para manter a ADM do tornozelo.

04/11/2012. rígida: usar durante a noite (para dormir) e no início da marcha digitígrada, para manter a ADM do tornozelo. 04/11/2012 Prolongar o tempo de deambulação independente. Manter a postura correta. Garantir o bom funcionamento das funções cardiorrespiratória e digestiva. Manter a amplitude do movimento. Garantir o

Leia mais

Exames Radiográficos de Coluna: Abordagem, Incidências e Posicionamentos do Usuário

Exames Radiográficos de Coluna: Abordagem, Incidências e Posicionamentos do Usuário Exames Radiográficos de Coluna: Abordagem, Incidências e Posicionamentos do Usuário Marinei do Rocio Pacheco dos Santos 1 1 Considerações Iniciais As radiografias da coluna são realizadas para diagnosticar

Leia mais

Avaliação Fisioterapêutica da Coluna Lombar

Avaliação Fisioterapêutica da Coluna Lombar Avaliação Fisioterapêutica da Coluna Lombar Profa. Dra. Sílvia Maria Amado João Disciplina: MFT-0377 Métodos de Avaliação Clínica e Funcional Departamento de Fisioterapia, Fonoaudiologia e Terapia Ocupacional

Leia mais

MARCIA JASCOV MASCARENHAS MACHADO

MARCIA JASCOV MASCARENHAS MACHADO MARCIA JASCOV MASCARENHAS MACHADO POSTURA CORPORAL Produção Didática apresentada para o 2º Período do Programa de Desenvolvimento Educacional - 2008 da Secretaria de Estado da Educação do Paraná. Orientador

Leia mais

Escola de Massagem Estética e Terapêutica. Espondiolaterapia : Programa: Programa Curso Profissionalizante 2011 vr.2

Escola de Massagem Estética e Terapêutica. Espondiolaterapia : Programa: Programa Curso Profissionalizante 2011 vr.2 Escola de Massagem Estética e Terapêutica Programa Curso Profissionalizante 2011 vr.2 Espondiolaterapia : Trata-se de um protocolo para avaliação, interpretação e orientação aplicado à coluna vertebral

Leia mais

CARTILHA DE AUTOCUIDADO DE COLUNA

CARTILHA DE AUTOCUIDADO DE COLUNA CARTILHA DE AUTOCUIDADO DE COLUNA APRENDA A CUIDAR DA SUA COLUNA Elaboração: Júlia Catarina Sebba Rios Pesquisa: Efeitos de um programa educacional de autocuidado de coluna em idosos ati vos e sedentários

Leia mais

Dicas para manter a postura e não prejudicar a coluna no dia a dia

Dicas para manter a postura e não prejudicar a coluna no dia a dia Dicas para manter a postura e não prejudicar a coluna no dia a dia No decorrer do dia, desempenhamos várias funções, desde agachar para pegar uma caneta do chão, a limpeza de sua casa e no trabalho. As

Leia mais

Ergonomia Corpo com Saúde e Harmonia

Ergonomia Corpo com Saúde e Harmonia Ergonomia Corpo com Saúde e Harmonia Dr. Leandro Gomes Pistori Fisioterapeuta CREFITO-3 / 47741-F Fone: (16) 3371-4121 Dr. Paulo Fernando C. Rossi Fisioterapeuta CREFITO-3 / 65294 F Fone: (16) 3307-6555

Leia mais

Global Training. The finest automotive learning

Global Training. The finest automotive learning Global Training. The finest automotive learning Cuidar da saúde com PREFÁCIO O Manual de Ergonomia para o Motorista que você tem em agora em mãos, é parte de um programa da Mercedes-Benz do Brasil para

Leia mais

Academia Seja dentro ou fora da Academia, nosso Clube oferece espaços para manter a saúde em dia e o corpo em forma

Academia Seja dentro ou fora da Academia, nosso Clube oferece espaços para manter a saúde em dia e o corpo em forma Projeto Verão O Iate é sua Academia Seja dentro ou fora da Academia, nosso Clube oferece espaços para manter a saúde em dia e o corpo em forma por rachel rosa fotos: felipe barreira Com a chegada do final

Leia mais

www.josegoe s.com.br Prof. Ms. José Góes Página 1

www.josegoe s.com.br Prof. Ms. José Góes Página 1 Página 1 A coluna vertebral, assim como qualquer articulação, apresenta movimentos que possuem tanto grande como pequena amplitude articular. Estes recebem o nome de Macromovimentos e Micromovimentos,

Leia mais

Osteoporose. Trabalho realizado por: Laís Bittencourt de Moraes*

Osteoporose. Trabalho realizado por: Laís Bittencourt de Moraes* Trabalho realizado por: Laís Bittencourt de Moraes* * Fisioterapeuta. Pós-graduanda em Fisioterapia Ortopédica, Traumatológica e Reumatológica. CREFITO 9/802 LTT-F E-mail: laisbmoraes@terra.com.br Osteoporose

Leia mais

Atualmente = o objetivo é conseguir, durante a sessão e fora dela, a funcionalidade do paciente (o tônus se adequa como consequência).

Atualmente = o objetivo é conseguir, durante a sessão e fora dela, a funcionalidade do paciente (o tônus se adequa como consequência). CONCEITO BOBATH PARA ADULTOS Profª Ms. Daniela Vincci Lopes Ruzzon INTRODUÇÃO 1943 pintor com hemiplegia grave à direita. Tratamento da espasticidade: Iniciou com vibração no deltóide = sem resultados.

Leia mais

CUIDADOS COM A COLUNA

CUIDADOS COM A COLUNA SENADO FEDERAL CUIDADOS COM A COLUNA SENADOR CLÉSIO ANDRADE 2 Cuidados com a coluna 3 apresentação As dores na coluna vertebral são um grande transtorno na vida de muita gente, prejudicando os movimentos

Leia mais

SISTEMA LOCOMOTOR OSSOS E MÚSCULOS. Profa. Cristiane Rangel Ciências 8º ano

SISTEMA LOCOMOTOR OSSOS E MÚSCULOS. Profa. Cristiane Rangel Ciências 8º ano SISTEMA LOCOMOTOR OSSOS E MÚSCULOS Profa. Cristiane Rangel Ciências 8º ano O esqueleto FOTOS: ROGER HARRIS / SCIENCE PHOTO LIBRARY / LATINSTOCK Como saber se um esqueleto é de homem ou de mulher? Que funções

Leia mais

Considerada como elemento essencial para a funcionalidade

Considerada como elemento essencial para a funcionalidade 13 Epidemiologia e Flexibilidade: Aptidão Física Relacionada à Promoção da Saúde Gláucia Regina Falsarella Graduada em Educação Física na Unicamp Considerada como elemento essencial para a funcionalidade

Leia mais

CURSO DE FORMAÇÃO ISO-STRETCHING

CURSO DE FORMAÇÃO ISO-STRETCHING CURSO DE FORMAÇÃO ISO-STRETCHING O Curso de Formação em Iso Stretching é ministrado pelo fundador da técnica, o osteopata e fisioterapeuta francês Bernard Redondo. O método Iso Stretching foi desenvolvido

Leia mais

ESCOLIOSE. Prof. Ms. Marcelo Lima

ESCOLIOSE. Prof. Ms. Marcelo Lima ESCOLIOSE Prof. Ms. Marcelo Lima DEFINIÇÃO A escoliose é um desvio da coluna vertebral para a esquerda ou direita, resultando em um formato de "S" ou "C". É um desvio da coluna no plano frontal acompanhado

Leia mais

COLUNA LOMBAR TODOS OS PERIÓDICOS ESTÃO NO ACERVO DA BIBLIOTECA DA FACULDADE.

COLUNA LOMBAR TODOS OS PERIÓDICOS ESTÃO NO ACERVO DA BIBLIOTECA DA FACULDADE. OBJETIVOS: O aluno deverá ser capaz de identificar as principais doenças da coluna lombar assim como avaliação e prescrição de conduta fisioterápica pertinente. LER: O que é Hérnia de disco? A coluna vertebral

Leia mais

ANÁLISE DE POSTURA E CARGA ATRAVÉS DOS MÉTODOS OWAS E NIOSH EM UMA FÁBRICA DE SORVETES NO SUL DO BRASIL

ANÁLISE DE POSTURA E CARGA ATRAVÉS DOS MÉTODOS OWAS E NIOSH EM UMA FÁBRICA DE SORVETES NO SUL DO BRASIL ANÁLISE DE POSTURA E CARGA ATRAVÉS DOS MÉTODOS OWAS E NIOSH EM UMA FÁBRICA DE SORVETES NO SUL DO BRASIL Mary Helen Ribeiro dos Santos (UTFPR ) mary_hrs@hotmail.com Guatacara dos Santos Junior (UTFPR )

Leia mais

Sistema de Gestão de Segurança e Saúde Ocupacional. Procedimento de Transporte de Material

Sistema de Gestão de Segurança e Saúde Ocupacional. Procedimento de Transporte de Material Revisão: 00 Folha: 1 de 6 1) OBJETIVO Este procedimento estabelece parâmetros que permitam a adaptação das condições de trabalho às características psicofisiológicas dos trabalhadores, de modo a proporcionar

Leia mais

MMII: Perna Tornozelo e Pé

MMII: Perna Tornozelo e Pé MMII: Perna Tornozelo e Pé Perna:Estruturas anatômicas Articulações visualizadas Incidências 1- AP Indicação Patologias envolvendo fraturas, corpos estranhos ou lesões ósseas. Perfil Indicação - Localização

Leia mais

SISTEMA VESTIBULAR E MANUTENÇÃO DO EQUILÍBRIO

SISTEMA VESTIBULAR E MANUTENÇÃO DO EQUILÍBRIO SISTEMA VESTIBULAR E MANUTENÇÃO DO EQUILÍBRIO Prof. Hélder Mauad APARELHO VESTIBULAR Órgão sensorial que detecta as sensações de equilíbrio. Constituído por labirinto ósseo e por dentro dele há o labirinto

Leia mais

Avaliação Fisioterapêutica do Tornozelo e Pé Departamento de Fisioterapia, Fonoaudiologia e Terapia Ocupacional

Avaliação Fisioterapêutica do Tornozelo e Pé Departamento de Fisioterapia, Fonoaudiologia e Terapia Ocupacional Avaliação Fisioterapêutica do Tornozelo e Pé Departamento de Fisioterapia, Fonoaudiologia e Terapia Ocupacional Profa. Dra. Sílvia Maria Amado João 1. Anatomia Aplicada Retropé: Articulação Tibiofibular

Leia mais

Dist. da linha saída à 1ª barreira

Dist. da linha saída à 1ª barreira TÉCNICA DAS CORRIDAS COM BARREIRAS Antes de mais nada podemos dizer que as corridas com barreiras são provas de velocidade rasa porque, muito embora o barreiristas se depare com uma série de barreiras

Leia mais

A influência da prática da capoeira na postura dos capoeiristas: aspectos biomecânicos e fisiológicos.

A influência da prática da capoeira na postura dos capoeiristas: aspectos biomecânicos e fisiológicos. A influência da prática da capoeira na postura dos capoeiristas: aspectos biomecânicos e fisiológicos. Autores: Ft Mariana Machado Signoreti Profa. Msc. Evelyn Cristina Parolina A capoeira é uma manifestação

Leia mais

DISTÚRBIOS OSTEOMUSCULARES RELACIONADOS AO TRABALHO EM PROFISSIONAIS DA LIMPEZA

DISTÚRBIOS OSTEOMUSCULARES RELACIONADOS AO TRABALHO EM PROFISSIONAIS DA LIMPEZA DISTÚRBIOS OSTEOMUSCULARES RELACIONADOS AO TRABALHO EM PROFISSIONAIS DA LIMPEZA ROSEMARA SANTOS DENIZ AMARILLA (1), BRUNO BORSATTO (2), RODRIGO EDUARDO CATAI (3) (1) Mestrado em Engenharia Civil / UTFPR

Leia mais

Biomecânica. A alavanca inter-resistente ou de 2º grau adequada para a realização de esforço físico, praticamente não existe no corpo humano.

Biomecânica. A alavanca inter-resistente ou de 2º grau adequada para a realização de esforço físico, praticamente não existe no corpo humano. Biomecânica Parte do conhecimento da Ergonomia aplicada ao trabalho origina-se no estudo da máquina humana. Os ossos, os músculos, ligamentos e tendões são os elementos dessa máquina que possibilitam realizar

Leia mais

LESÃO DO LIGAMENTO CRUZADO ANTERIOR

LESÃO DO LIGAMENTO CRUZADO ANTERIOR LESÃO DO LIGAMENTO CRUZADO ANTERIOR Anatomia O ligamento cruzado anterior (LCA) é um dos ligamentos mais importantes para a estabilidade do joelho. Considerado um ligamento intra-articular, sua função

Leia mais

Posturologia e Método Rocabado (ATM)

Posturologia e Método Rocabado (ATM) Posturologia e Método Rocabado (ATM) Josiane de Oliveira Delgado Fisioterapeuta Crefito5/19762F Av. Pres. Franklin Roosevelt, 1461. São Geraldo. POA/RS. Fone: 3222.4005 Artigo: Postura normal e posturas

Leia mais

PREVENÇÃO POSTURAL EM AULAS DE CIENCIAS DE ALUNOS DO ENSINO FUNDAMENTAL

PREVENÇÃO POSTURAL EM AULAS DE CIENCIAS DE ALUNOS DO ENSINO FUNDAMENTAL PREVENÇÃO POSTURAL EM AULAS DE CIENCIAS DE ALUNOS DO ENSINO FUNDAMENTAL David Lam 1 Marcos Koiti Nakanishi 1 Anelize Queiroz Amaral 2 Introdução Uma boa postura é resultado da capacidade que ligamentos

Leia mais

Engenharia Biomédica - UFABC

Engenharia Biomédica - UFABC Engenharia de Reabilitação e Biofeedback Locomoção sobre rodas Professor: Pai Chi Nan 1 Biomecânica do assento Corpo humano não foi projetado para se manter sentado Corpo: estrutura dinâmica em constante

Leia mais

Dor no Ombro. Especialista em Cirurgia do Ombro e Cotovelo. Dr. Marcello Castiglia

Dor no Ombro. Especialista em Cirurgia do Ombro e Cotovelo. Dr. Marcello Castiglia Dor no Ombro Dr. Marcello Castiglia Especialista em Cirurgia do Ombro e Cotovelo O que a maioria das pessoas chama de ombro é na verdade um conjunto de articulações que, combinadas aos tendões e músculos

Leia mais

Equilíbrio é a capacidade de manter o corpo estável em movimento ou em repouso. Quando estamos em pé nosso estrutura é a de um pendulo invertido

Equilíbrio é a capacidade de manter o corpo estável em movimento ou em repouso. Quando estamos em pé nosso estrutura é a de um pendulo invertido Quando estamos em pé nosso estrutura é a de um pendulo invertido Equilíbrio é a capacidade de manter o corpo estável em movimento ou em repouso Equilíbrio Dinâmico Capacidade de manter o corpo em equilíbrio

Leia mais

Av. da Boavista,41- Porto. (Junto ao Hospital Militar/HPP Porto)

Av. da Boavista,41- Porto. (Junto ao Hospital Militar/HPP Porto) Av. da Boavista,41- Porto (Junto ao Hospital Militar/HPP Porto) Oficina Técnica de Fabrico de Próteses Ortopédicas Serviços Técnicos Especializados Técnicos Ortoprotésicos Vantagens Serviços Técnico Especializados

Leia mais

Avaliação Integrada. Profº Silvio Pecoraro. Specialist Cooper Fitness Center Dallas Texas/USA Cref. 033196 G/SP

Avaliação Integrada. Profº Silvio Pecoraro. Specialist Cooper Fitness Center Dallas Texas/USA Cref. 033196 G/SP Avaliação Integrada Profº Silvio Pecoraro Specialist Cooper Fitness Center Dallas Texas/USA Cref. 033196 G/SP Definições Chaves Corrente cinética: sistema muscular + sistema articular + sistema neural.

Leia mais

Dicas para uma boa noite de sono

Dicas para uma boa noite de sono Dicas para uma boa noite de sono Ter uma boa noite de sono é um dos melhores hábitos para melhorar a saúde: fortalece a memória, ajuda a controlar a hipertensão e o diabetes, diminui riscos de doenças

Leia mais

Laboratório de Seating Personalizável

Laboratório de Seating Personalizável Laboratório de Seating Personalizável Tipos de chassis 1.Canguru- fechamento em X 2.Tilt monobloco com tilt multiposicional 3.Ágile Anatômica 4.Barcelona Infantil com ou sem tilt (sem estoque disponível

Leia mais

AVALIAÇÃO ERGONÔMICA: APLICAÇÃO DO MÉTODO OWAS EM UMA LOJA DE CALÇADOS

AVALIAÇÃO ERGONÔMICA: APLICAÇÃO DO MÉTODO OWAS EM UMA LOJA DE CALÇADOS AVALIAÇÃO ERGONÔMICA: APLICAÇÃO DO MÉTODO OWAS EM UMA LOJA DE CALÇADOS Mariana de Barros Cruz Pereira Mota (UCAM) marianamota01@hotmail.com Mayara Ribeiro Castilho (UCAM) mayararc2005@hotmail.com Leandro

Leia mais

Departamento de Fisioterapia, Fonoaudiologia e Terapia Ocupacional. Profa. Dra. Sílvia Maria Amado João

Departamento de Fisioterapia, Fonoaudiologia e Terapia Ocupacional. Profa. Dra. Sílvia Maria Amado João Avaliação Fisioterapêutica do Quadril Departamento de Fisioterapia, Fonoaudiologia e Terapia Ocupacional Profa. Dra. Sílvia Maria Amado João 1. Anatomia Aplicada Articulação do Quadril: É uma articulação

Leia mais

Patologias da coluna vertebral

Patologias da coluna vertebral Disciplina de Traumato-Ortopedia e Reumatologia Patologias da coluna vertebral Prof. Marcelo Bragança dos Reis Introdução Escoliose idiopática Dorso curvo Cervicobraquialgia Lombalgia e lombociatalgia

Leia mais

Cinesioterapia\UNIME Docente:Kalline Camboim

Cinesioterapia\UNIME Docente:Kalline Camboim Cinesioterapia\UNIME Docente:Kalline Camboim Cabeça do fêmur com o acetábulo Articulação sinovial, esferóide e triaxial. Semelhante a articulação do ombro, porém com menor ADM e mais estável. Cápsula articular

Leia mais