Núcleo de Pesquisas em Qualidade de Vida FCECA 79. Renda e Trabalho

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Núcleo de Pesquisas em Qualidade de Vida FCECA 79. Renda e Trabalho"

Transcrição

1 Núcleo de Pesquisas em Qualidade de Vida FCECA 79 Renda e Trabalho A dimensão Renda e Trabalho aparece naturalmente como um importante indicador de qualidade de vida. Não há como discutir o assunto dentro de São Paulo, uma metrópole moderna, problemática e desigual, sem observar algo fácil de ser visto, mas extremamente importante: vivemos em uma cidade onde o consumo, a partir da renda, normalmente oriunda do trabalho, é o mote e marca de status. Naturalmente, portanto, dispor de poder aquisitivo é a maneira mais direta de se atingir um desejável padrão de vida e conseguir reconhecimento social. Logo, falar em renda e trabalho em São Paulo é falar do próprio motor da cidade. Mas como observá-los enquanto pistas que informem a qualidade de vida no município? Quais podem ser as variáveis selecionadas para isso? Como analisálas? Para isso é preciso identificar o objetivo da pesquisa: a intenção foi identificar a fragilidade dos indivíduos em relação às possibilidades de alcançar níveis de renda mais elevados e, também, descobrir se essa renda obtida tem alguma estabilidade, isto é, pode ser considerada segura. Assim, por meio da seleção de variáveis relevantes, foi possível mostrar uma São Paulo sem o véu dos arranhacéus e carros, mais clara, mais nítida e, por isso mesmo, mais desigual e complexa. Por tudo isso, partindo de uma metodologia bem elaborada e da disponibilidade de dados, o Índice de Renda-Trabalho (IR) aparece como interessante indicador da qualidade de vida nos domicílios, agrupando diversos indicadores da dimensão renda-trabalho. Este, junto com os demais índices que compõe IEQV, permite uma maior aproximação da vida das pessoas como ela acontece de fato. Mas para chegar a isso, antes é preciso explicar a construção do IR. 2. Metodologia Como já foi explicado antes, o IEQV é composto por dimensões, isto é, grandes temas considerados fundamentais para a avaliação da qualidade de vida, como, por exemplo, a infra-estrutura. Cada uma dessas dimensões, por refletirem

2 Núcleo de Pesquisas em Qualidade de Vida FCECA 80 um conjunto de questões específicas, como a existência de esgoto no domicílio é também a combinação de outros elementos: as variáveis. São elas que tentam captar, por meio dos dados estatísticos disponíveis e perguntas precisas, a realidade da melhor maneira possível. Com as dimensões bem definidas através das variáveis selecionadas, o próximo passo é transformar, através da fórmula abaixo, cada uma das variáveis em indicadores cuja ordem de grandeza seja comparável. Novamente: valor _ observado valor _ mínimo Indicador= x100 valor _ máximo valor _ mínimo Eq Com isso, a maior ou menor importância de cada variável (transformada em indicador 1 ) na avaliação das dimensões dependeu apenas do seu efeito sobre a qualidade de vida das pessoas, evitando distorções devido aos seus valores absolutos. Assim, com esses índices calculados, torna-se possível avaliar a condição média enfrentada por cada um dos domicílios de cada uma das subprefeituras da cidade em todas as dimensões discutidas. Para a construção do IR, partiu-se da importância da Dimensão Renda- Trabalho para a avaliação da qualidade de vida dos paulistanos e enumerou-se o conjunto de variáveis relevantes para captá-la. Assim, a partir dos dados do Censo 2000 do IBGE, foram levantadas as informações disponíveis para os milhões de domicílios paulistanos em cada uma das subprefeituras da cidade. No caso específico da dimensão Renda-Trabalho, a preocupação recaiu naturalmente sobre o nível mediano de renda dos domicílios, os problemas de ausência de rendimento, o desemprego, a formalidade das ocupações e a desigualdade de renda dentro da região estudada. Analisa-se cada uma delas. 1 A fórmula utilizada permite que toda e qualquer variável em tela ganhe um indicador que oscile sempre entre zero e 100 de amplitude. No caso desse estudo, optou-se por considerar melhores os valores mais próximos de cem.

3 Núcleo de Pesquisas em Qualidade de Vida FCECA Nível mediano de renda Para alcançar uma medida que reflita medianamente o poder aquisitivo dos domicílios das diferentes subprefeituras de São Paulo, uma das mais importantes variáveis é o nível mediano de renda. Com ele as amostras são divididas exatamente ao meio e a medida resultante reflete essa divisão 2. No caso específico deste estudo, como definiu-se como unidade de análise o domicílio e o dado disponível no Censo 2000 referia-se à renda mediana do chefe de domicílio, optouse por utilizar exatamente essa informação. Assim, os dados coletados permitiram construir a tabela 2.6. Observe como a diferença entre os bairros mais carentes, quase todos situados na Zona Leste da cidade, e os mais ricos, principalmente os três de maior renda, Santo Amaro, Vila Mariana e Pinheiros, cresce muito rapidamente. Tabela 2.6 Renda mediana do chefe de domicílio e seu indicador por subprefeitura Subprefeitura Renda mediana (em R$) Indicador (quanto > melhor) Aricanduva 764,006 13,14 Butantã 1219,800 30,02 Campo Limpo 564,663 5,76 Casa Verde/Cachoeirinha 650,635 8,94 Cidade Ademar 500,000 3,37 Cidade Tiradentes 500,000 3,37 Ermelino Matarazzo 574,296 6,12 Freguesia/Brasilândia 589,641 6,68 Guaianases 430,957 0,81 Ipiranga 818,088 15,14 Itaim Paulista 462,369 1,97 Itaquera 566,475 5,83 Jabaquara 800,000 14,47 Lapa 1733,587 49,04 M'Boi Mirim 475,202 2,45 Moóca 1094,578 25,38 Parelheiros 409,114 0,00 Penha 683,201 10,15 Perus 500,000 3,37 Pinheiros 3109, ,00 Pirituba 629,413 8,16 Santana/Tucuruvi 1188,449 28,86 Continua 2 O descarte da média deveu-se a sua falta de sensibilidade à concentração de renda. Isto é, dada a desigualdade típica de toda cidade brasileira, a renda média sofre, devido aos rendimentos mais elevados, uma elevação que não reflete o ponto médio entre os que ganham mais e os que ganham menos. Um problema contornado pela mediana devido a sua própria definição.

4 Núcleo de Pesquisas em Qualidade de Vida FCECA 82 Tabela 2.6 Renda mediana do chefe de domicílio e seu indicador por subprefeitura - continuação Santo Amaro 1877,024 54,35 São Mateus 528,670 4,43 São Miguel 452,340 1,60 Sé 1464,507 39,08 Socorro 548,402 5,16 Tremembé/Jaçanã 600,000 7,07 Vila Maria/Vila Guilherme 638,011 8,48 Vila Mariana 2679,798 84,08 Vila Prudente/Sapopemba 607,783 7,36 Fonte: IBGE. Censo Elaboração própria Número de chefes de domicílios sem rendimento sobre o total Outra variável também considerada vital por seu impacto na renda e na própria estrutura familiar é o número de chefes de domicílio sem rendimento sobre o total de domicílios de cada uma das subprefeituras. Aqui, a idéia de vulnerabilidade torna-se explícita na gravidade da ausência de rendimento daquele que deve comandar, de uma maneira ou de outra, a vida familiar. A tabela 2.7 apresenta os dados e o indicador construído. Observe novamente que as subprefeituras mais conhecidas por seus problemas sociais são exatamente aquelas que concentram maior número de chefes de família sem rendimento. Ao contrário, como era de se esperar, das mais ricas. Tabela 2.7 Chefes de domicílio sem rendimento sobre total e seu indicador por subprefeitura Subprefeitura Chefes sem rendimento sobre Indicador (quanto > melhor) total Aricanduva 0,069 85,80 Butantã 0,094 72,44 Campo Limpo 0,139 47,84 Casa Verde/Cachoeirinha 0,103 67,44 Cidade Ademar 0,158 37,54 Cidade Tiradentes 0,156 38,71 Ermelino Matarazzo 0,063 89,07 Freguesia/Brasilândia 0,129 53,37 Guaianases 0,156 38,92 Ipiranga 0,088 75,48 Itaim Paulista 0,154 39,77 Itaquera 0,122 57,33 Jabaquara 0,092 73,72 Continua

5 Núcleo de Pesquisas em Qualidade de Vida FCECA 83 Tabela 2.7 Chefes de domicílio sem rendimento sobre total e seu indicador por subprefeitura - Continuação Lapa 0,049 97,20 M'Boi Mirim 0,170 31,07 Mooca 0,057 92,79 Parelheiros 0,227 0,00 Penha 0,086 77,08 Perus 0,136 49,61 Pinheiros 0, ,00 Pirituba 0,101 68,82 Santana/Tucuruvi 0,056 92,91 Santo Amaro 0,063 89,20 São Mateus 0,136 49,64 São Miguel 0,096 71,51 Sé 0,059 91,26 Socorro 0,161 36,12 Tremembé/Jaçanã 0,092 73,54 Vila Maria/Vila Guilherme 0,086 77,00 Vila Mariana 0,046 98,48 Vila Prudente/Sapopemba 0,106 65,89 Fonte: IBGE. Censo Elaboração própria Número de chefes de domicílios desocupados sobre o total Se renda e trabalho têm relação com a qualidade de vida e o emprego é a forma de inserção social por excelência em uma sociedade de troca onde os meios de produção estão concentrados, analisar a questão do emprego e da ocupação passa a ser fundamental. Os dados acima refletem essa preocupação, principalmente se a questão chega ao triste quadro da desocupação que, em metrópoles como São Paulo, atingiu números nunca vistos durante os anos 1990 e que ainda não recuaram para patamares semelhantes aos da já difícil década de 80. Para o estudo em tela, os dados disponibilizados pelo censo referem-se aos chefes de domicílio e sua situação de desocupação. A análise dos números, no entanto, é menos desalentadora. A tabela 2.8 apresenta os dados e o indicador construído. Observe que embora se mantenham algumas das piores posições junto às sub-prefeituras consideradas mais carentes, há maior dispersão e os bairros mais ricos já não empunham sempre os melhores indicadores. Todavia, essa maior dispersão não

6 Núcleo de Pesquisas em Qualidade de Vida FCECA 84 significa sozinha uma menor disparidade na qualidade de vida na periferia e centro expandido. Quando associado aos dados anteriores, mesmo desocupados, pode intuir-se que os chefes de família dos bairros mais ricos possuem mais segurança ou formas alternativas de rendimento que lhes permitem um gasto não observável na periferia da cidade. Tabela 2.8 Chefes de domicílio desocupados sobre total e seu indicador por subprefeitura Subprefeitura Chefes desocupados Indicador sobre total (quanto > melhor) Aricanduva 0, ,00 Butantã 0,283 98,90 Campo Limpo 0,326 45,39 Casa Verde/Cachoeirinha 0,325 47,03 Cidade Ademar 0,290 90,19 Cidade Tiradentes 0,321 51,97 Ermelino Matarazzo 0,330 40,54 Freguesia/Brasilândia 0,322 50,18 Guaianases 0,328 42,60 Ipiranga 0,334 35,97 Itaim Paulista 0,328 43,06 Itaquera 0,307 69,37 Jabaquara 0,337 31,73 Lapa 0,301 76,57 M'Boi Mirim 0,360 4,00 Moóca 0,328 43,61 Parelheiros 0,363 0,00 Penha 0,290 90,17 Perus 0,321 51,29 Pinheiros 0,327 44,46 Pirituba 0,345 22,90 Santana/Tucuruvi 0,301 76,05 Santo Amaro 0,323 49,41 São Mateus 0,322 50,52 São Miguel 0,315 58,88 Sé 0,355 10,06 Socorro 0,324 47,87 Tremembé/Jaçanã 0,328 43,23 Vila Maria/Vila Guilherme 0,353 12,32 Vila Mariana 0,311 64,20 Vila Prudente/Sapopemba 0,357 7,54 Fonte: IBGE. Censo Elaboração própria Número de chefes de domicílios ocupados formalmente sobre a PIA Porém, mesmo dentro da designação ocupação, há diferenças marcantes entre as pessoas que trabalham sob regime de carteira assinada e aqueles que buscam seu sustento na informalidade. Os primeiros, além de desfrutarem de

7 Núcleo de Pesquisas em Qualidade de Vida FCECA 85 alguma proteção social em caso de eventualidade, ainda possuem direitos que limitam o grau de exploração sobre a mão-de-obra. Os demais estão fora das regras legais de funcionamento do mercado de trabalho capitalista. Nesse sentido, além de possuir ocupação ser fundamental para redução da vulnerabilidade social, possuir uma carteira assinada dá ao trabalhador um grau de segurança dificilmente ao alcance dos demais. Para captar esse problema, a variável escolhida foi a proporção de chefes de domicílio ocupados formalmente sobre a população em idade ativa (PIA) das subprefeituras. Aqui, as precariedades da ocupação e das relações de trabalho ficam evidentes. Contudo, cabe perguntar: quem são os ocupados formalmente? São todos os trabalhadores com carteira assinada, funcionários públicos civis e militares e os empregadores. Ficam de fora, portanto, os trabalhadores por conta própria devido: 1. à precariedade da proteção legal disponível a esses trabalhadores. São, em geral, funcionários do comércio, camelôs, seguranças, prestadores de serviços pessoais etc. A maioria, como se pode ver, ligados aos serviços de baixa qualificação e rendimento; 2. profissionais liberais que, embora seja uma categoria menos frágil e histórica, cresceu muito nos últimos anos em São Paulo devido ao aumento do desemprego. Seu grau de vulnerabilidade e insegurança em relação a renda e trabalho não são captáveis por meio dos dados atualmente disponibilizados pelo IBGE. A tabela 4 apresenta os dados e o indicador construído. Observe que a dispersão de dados também é recorrente aqui. E o problema da disparidade permanece, afinal, se esses dados forem associados àqueles de rendimento mediano, não é descabido supor que a ocupação dos moradores da periferia da cidade é provavelmente de baixo rendimento e qualificação, redundando em chefes de família ocupados até formalmente, mas sem rendimentos elevados.

8 Núcleo de Pesquisas em Qualidade de Vida FCECA 86 Tabela 2.9 Chefes de domicílio ocupados formalmente sobre total e seu indicador por subprefeitura Subprefeitura Chefes ocupados Indicador formalmente (quanto > melhor) Aricanduva 0,277 84,77 Butantã 0,276 83,48 Campo Limpo 0,247 47,00 Casa Verde/Cachoeirinha 0,257 58,67 Cidade Ademar 0,236 32,65 Cidade Tiradentes 0,241 38,45 Ermelino Matarazzo 0,250 50,44 Freguesia/Brasilândia 0,218 9,69 Guaianases 0,272 77,49 Ipiranga 0,217 8,26 Itaim Paulista 0,245 43,95 Itaquera 0,274 80,53 Jabaquara 0,232 27,70 Lapa 0,272 78,17 M'Boi Mirim 0,236 32,08 Moóca 0,210 0,00 Parelheiros 0,235 31,90 Penha 0,261 64,58 Perus 0,263 66,71 Pinheiros 0,263 66,34 Pirituba 0,234 30,69 Santana/Tucuruvi 0,266 70,54 Santo Amaro 0,231 26,46 São Mateus 0,219 11,03 São Miguel 0, ,00 Sé 0,222 14,76 Socorro 0,251 51,17 Tremembé/Jaçanã 0,263 66,90 Vila Maria/Vila Guilherme 0,249 49,59 Vila Mariana 0,261 63,97 Vila Prudente/Sapopemba 0,248 48,01 Fonte: IBGE. Censo Elaboração própria Índice de Gini A desigualdade, fonte de tantas discussões e por todos apontada como um grande problema social, também foi visitada nesta dimensão. Para tanto, calculou-se o Índice de Gini, tradicional medidor de desigualdade dentro de um grupo social escolhido. Todavia, esta variável não foi utilizada como indicador na construção do Índice de Renda (IR), pois seu uso terminava por distorcer o conjunto das informações disponíveis. Na verdade, constatou-se que subprefeituras marcadamente carentes possuíam bons (baixos) Índices de Gini, indicando pouca desigualdade interna. Ou seja, a

9 Núcleo de Pesquisas em Qualidade de Vida FCECA 87 região era igual na pobreza. Tal conclusão, longe de indicar um ganho na qualidade de vida da região, representava mais um problema, posto que apontava para áreas da cidade sem força econômica própria e, desse modo ainda mais dependentes das ações e políticas públicas. Deste modo, mesmo importante, o Índice de Gini foi descartado para compor o IR, nesse primeiro momento, e uma pesquisa detalhada de indicadores de desigualdade de renda está sendo encaminhada no âmbito do NPQV para que se possa incluir esse importante indicador na próxima versão do IEQV, tornando-o mais próximo do apontado pela teoria que o suporta.a tabela 2.10 apresenta os dados e o indicador construído. Tabela 2.10 Índice de Gini e seu indicador por subprefeitura Subprefeitura Índice de Gini Indicador (quanto < melhor) Aricanduva 0,517 10,97 Butantã 0,523 7,73 Campo Limpo 0,485 27,87 Casa Verde/Cachoeirinha 0,492 24,02 Cidade Ademar 0,470 35,82 Cidade Tiradentes 0, ,00 Ermelino Matarazzo 0,453 44,75 Freguesia/Brasilândia 0,449 47,11 Guaianases 0,391 77,60 Ipiranga 0,507 16,26 Itaim Paulista 0,410 67,94 Itaquera 0,424 60,08 Jabaquara 0,538 0,00 Lapa 0,491 24,68 M'Boi Mirim 0,410 67,62 Moóca 0,509 14,99 Parelheiros 0,416 64,51 Penha 0,464 39,08 Perus 0,377 85,02 Pinheiros 0,439 52,52 Pirituba 0,469 36,46 Santana/Tucuruvi 0,496 22,04 Santo Amaro 0,503 18,58 São Mateus 0,395 75,66 São Miguel 0,433 55,43 Sé 0,487 26,63 Socorro 0,417 64,27 Tremembé/Jaçanã 0,505 17,34 Vila Maria/Vila Guilherme 0,478 31,82 Vila Mariana 0,440 51,64 Vila Prudente/Sapopemba 0,446 48,52 Fonte: IBGE. Censo Elaboração própria.

10 Núcleo de Pesquisas em Qualidade de Vida FCECA A dimensão Renda-trabalho: Índice de Renda (IR) De posse dos indicadores discutidos acima, o próximo passo foi construir o IR. O índice é uma ponderação dos quatro indicadores e busca absorver suas qualidades na captação da realidade dos domicílios paulistanos. Para isso, os pesos dos indicadores que compõe o IR foram extraídos por análise fatorial, em que cada indicador foi analisado e vinculado a um peso, de acordo com sua variabilidade e a oscilação do resultado. Os valores estão apresentados abaixo: Tabela 2.11 Dimensão renda-trabalho: variáveis, indicadores e pesos no IR Variável Indicador Peso Renda mediana do chefe de domicílio R1 - Indicador de Renda 0,26436 Proporção de chefes de família sem rendimento R2 - Indicador de Ausência de Renda 0,29144 Proporção de chefes de família ocupados formalmente R3 - Indicador de Ocupação Formal 0,20585 Proporção de chefes de família desocupados R4 - Indicador de Desocupação 0,23835 Fonte: Elaboração própria. Assim, o IR é apresentado na tabela 2.12: Tabela 2.12 Dimensão Renda Trabalho: índice de Renda (IR) Subprefeitura I R Aricanduva 69,766 Butantã 69,803 Campo Limpo 35,961 Casa Verde/Cachoeirinha 45,307 Cidade Ademar 40,050 Cidade Tiradentes 32,473 Ermelino Matarazzo 47,622 Freguesia/Brasilândia 31,276 Guaianases 37,660 Ipiranga 36,275 Itaim Paulista 31,421 Itaquera 51,363 Jabaquara 38,576 Lapa 75,632 M'Boi Mirim 17,260 Moóca 44,148 Parelheiros 6,567 Penha 59,935 Continua

11 Núcleo de Pesquisas em Qualidade de Vida FCECA 89 Tabela 2.12 Dimensão Renda Trabalho: índice de Renda (IR) Continuação Perus 41,308 Pinheiros 79,834 Pirituba 33,990 Santana/Tucuruvi 67,355 Santo Amaro 57,591 São Mateus 29,951 São Miguel 55,882 Sé 42,364 Socorro 33,834 Tremembé/Jaçanã 47,376 Vila Maria/Vila Guilherme 37,824 Vila Mariana 79,398 Vila Prudente/Sapopemba 32,827 Fonte: Elaboração própria. Todos esses dados remetem a uma São Paulo não muito diferente da intuição da maioria de seus moradores, mas que agora aparece em cores vivas e nem sempre alegres. Os resultados do IR, embora em parte esperados, são preocupantes. E o motivo é simples: mais uma vez a periferia da cidade de São Paulo apresenta os piores resultados. Na dimensão Renda-Trabalho, verifica-se que quanto maior o afastamento do chamado Centro-Expandido piores são os índices. É como uma montanha: no centro está a região mais elevada (de melhor qualidade de renda e trabalho) e, conforme se desce a encosta, os índices vão se deteriorando até a base, onde estão as sub-prefeituras limítrofes do município. Esse movimento fica claro na figura Parelheiros M'Boi Mirim São Mateus Freguesia/Brasilândia Itaim Paulista Cidade Tiradentes Vila Prudente/Sapopemba Socorro Pirituba Campo Limpo Ipiranga Guaianases Vila Maria/Vila Guilherme Jabaquara Cidade Ademar Perus Sé Moóca Casa Verde/Cachoeirinha Tremembé/Jaçanã Ermelino Matarazzo Itaquera São Miguel Santo Amaro Penha Santana/Tucuruvi Aricanduva Butantã Lapa Vila Mariana Pinheiros Figura 2.18 Resultado do IR em ordem crescente, por subprefeitura.

12 Núcleo de Pesquisas em Qualidade de Vida FCECA 90 Todavia, longe de serem desalentadores, esses dados apenas reforçam os já diversos clamores por uma ação planejada e eficaz sobre uma metrópole como São Paulo. Seu crescimento desordenado e aleatório ao longo de sua história ganhou, nas últimas décadas de baixo crescimento, um sério agravante: a perda de poder econômico com o fechamento de plantas industriais. Foi exatamente essa indústria, outrora pujante, que garantiu, mesmo que indiretamente, esperança de melhores condições de vida para a maioria da população no passado. Hoje, com a grande cidade transformando-se em centro de serviços de alta tecnologia, a massa popular de baixa qualificação não encontra ocupação ou mesmo tem desenhado a sua frente um horizonte menos sofrido 3. Este trabalho agora exposto, desde os seus índices, como o IR, até o IEQV, de forma científica e robusta, pode constituir-se, então, numa ferramenta importante para o poder público local. Pois, só conhecendo bem a cidade é possível uma ação bem planejada e eficaz. Aqui, neste estudo, os resultados permitem a escolha de regiões prioritárias para a ação e mais: o IEQV, decomposto em seus índices e estes em indicadores, identificam quais regiões da cidade são mais vulneráveis, quais são suas maiores carências (dimensões) e dentro delas quais são seus problemas concretos mais graves (indicadores). 3 A realização, nos anos posteriores ao Censo 2000, de esforços pela Prefeitura de São Paulo para reduzir o desemprego e melhorar a renda nas regiões mais pobres da cidade carece ainda de melhor análise.

Revisão Participativa dos Instrumentos de Planejamento e Gestão Urbana do Município de São Paulo

Revisão Participativa dos Instrumentos de Planejamento e Gestão Urbana do Município de São Paulo Revisão Participativa dos Instrumentos de Planejamento e Gestão Urbana do Município de São Paulo Secretaria Municipal de Desenvolvimento Urbano - SMDU Departamento de Urbanismo - DEURB Departamento de

Leia mais

A Incidência de Homicídios entre a População Jovem Negra no Brasil. 02 de Dezembro de 2015

A Incidência de Homicídios entre a População Jovem Negra no Brasil. 02 de Dezembro de 2015 A Incidência de Homicídios entre a População Jovem Negra no Brasil 02 de Dezembro de 2015 Adolescentes são assassinados na Baixada Fluminense Rio de Janeiro Diário da Manhã 02/10/2015 Estudo mostra que

Leia mais

SÃO PAULO SOB O OLHAR DAS CONSULTORAS NATURA

SÃO PAULO SOB O OLHAR DAS CONSULTORAS NATURA SÃO PAULO SOB O OLHAR DAS CONSULTORAS NATURA Metodologia e Amostra Pesquisa junto às consultoras Natura da cidade de São Paulo. Metodologia quantitativa, questionário auto-preenchido COLETA DOS DADOS Setembro

Leia mais

MOVIMENTO NOSSA SÃO PAULO GRUPO DE TRABALHO DE ORÇAMENTO DA PREFEITURA DA CIDADE DE SÃO PAULO

MOVIMENTO NOSSA SÃO PAULO GRUPO DE TRABALHO DE ORÇAMENTO DA PREFEITURA DA CIDADE DE SÃO PAULO MOVIMENTO NOSSA SÃO PAULO GRUPO DE TRABALHO DE ORÇAMENTO PROPOSTA DE ORÇAMENTO PARA O ANO 2009 DA PREFEITURA DA CIDADE DE SÃO PAULO Novembro de 2008 RECEITAS Composição da Arrecadação Orçamento 2009 Receita

Leia mais

Uso de Serviços Públicos de Saúde

Uso de Serviços Públicos de Saúde Uso de Serviços Públicos de Saúde Metodologia Pesquisa quantitativa, com aplicação de questionário estruturado através de entrevistas pessoais. OBJETIVO GERAL Levantar junto à população da área em estudo

Leia mais

Mortes violentas na cidade de São Paulo em 2011: panorama das causas e perfil das vítimas

Mortes violentas na cidade de São Paulo em 2011: panorama das causas e perfil das vítimas Mortes violentas na cidade de São Paulo em 2011: panorama das causas e perfil das vítimas Mortes violentas na cidade de São Paulo em 2011 Fabiana Bento e Ligia Rechenberg Organização: Instituto Sou da

Leia mais

Impactos dos ruídos urbanos no cotidiano dos cidadãos paulistanos. Lucila Lacreta Arquiteta Urbanista 27 de abril de 2015

Impactos dos ruídos urbanos no cotidiano dos cidadãos paulistanos. Lucila Lacreta Arquiteta Urbanista 27 de abril de 2015 Impactos dos ruídos urbanos no cotidiano dos cidadãos paulistanos Lucila Lacreta Arquiteta Urbanista 27 de abril de 2015 PSIU no combate à poluição sonora O Programa de Silêncio Urbano (PSIU) da Prefeitura

Leia mais

08/05 DRE Pirituba Subprefeitura Lapa Local Emei Santos Dumont - Rua Diana, 250 - Pompéia Telefone: 3873-6281/ 3864-0999 Horário - 9h às 13h

08/05 DRE Pirituba Subprefeitura Lapa Local Emei Santos Dumont - Rua Diana, 250 - Pompéia Telefone: 3873-6281/ 3864-0999 Horário - 9h às 13h Relação de locais para as plenárias públicas 04/05 DRE - São Mateus Subprefeitura - São Mateus Local - CEU São Mateus - Rua Curumatim, 221 - Parque Boa Esperança Telefone: 11 2732-8117 05/05 DRE - Ipiranga

Leia mais

Igualdade Racial em São Paulo: Avanços e Desafios

Igualdade Racial em São Paulo: Avanços e Desafios Igualdade Racial em São Paulo: Avanços e Desafios PREFEITURA MUNICIPAL DE SÃO PAULO Fernando Haddad Prefeito Antonio da Silva Pinto Secretário da Secretaria Municipal de Promoção da Igualdade Racial Maurício

Leia mais

O ÍNDICE ECONÔMICO DE QUALIDADE DE VIDA - IEQV RESUMO

O ÍNDICE ECONÔMICO DE QUALIDADE DE VIDA - IEQV RESUMO Núcleo de Pesquisas de Qualidade de Vida O ÍNDICE ECONÔMICO DE QUALIDADE DE VIDA - IEQV RESUMO O Índice Econômico de Qualidade de Vida de São Paulo é uma iniciativa do Núcleo de Pesquisas em Qualidade

Leia mais

Indicadores técnicos e de percepção

Indicadores técnicos e de percepção Indicadores técnicos e de percepção Observatório Cidadão Nossa São Paulo Banco virtual que disponibiliza um conjunto de indicadores sociais, ambientais, econômicos, políticos e culturais sobre a cidade

Leia mais

Atendimento Vivo ATA RP 04/SEMPLA/COBES

Atendimento Vivo ATA RP 04/SEMPLA/COBES Atendimento Vivo ATA RP 04/SEMPLA/COBES Contato de Vendas e Pós-Vendas Telefônica Vivo Business Solutions Plano de Comunicação Vivo x Prefeitura SP 29.01.2015 ESTRUTURA 1- GERENTE DE NEGÓCIOS 2- CONSULTORIA

Leia mais

Estoque de Outorga Onerosa não Residencial

Estoque de Outorga Onerosa não Residencial Estoque de Outorga Onerosa não Residencial Outubro 2013 O relatório sobre o Estoque de Outorga Onerosa é realizado com o objetivo de analisar as informações sobre o estoque de potencial construtivo na

Leia mais

Quadro da desigualdade em São Paulo

Quadro da desigualdade em São Paulo Quadro da desigualdade em São Paulo CULTURA Acervo de livros infanto-juvenis das bibliotecas municipais per capita Número de livros infanto-juvenis disponíveis em acervos de bibliotecas e pontos de leitura

Leia mais

Resultados Econométricos

Resultados Econométricos Núcleo de Pesquisas em Qualidade de Vida FCECA 94 Resultados Econométricos Os resultados empíricos foram obtidos pela aplicação da técnica de Análise Fatorial à cada dimensão da qualidade de vida dos cidadãos,

Leia mais

Projeto de Informatização. Como implantar um Sistema de Informação para a Saúde Pública em SP?

Projeto de Informatização. Como implantar um Sistema de Informação para a Saúde Pública em SP? Projeto de Informatização Como implantar um Sistema de Informação para a Saúde Pública em SP? Contato Cláudio Giulliano Alves da Costa, MD, MSc. Secretaria Municipal de Saúde de São Paulo Assessoria Técnica

Leia mais

Uma dose de BOM SENSO em tudo o que a gente faz. Alinhamento Comitê 5S maio/07

Uma dose de BOM SENSO em tudo o que a gente faz. Alinhamento Comitê 5S maio/07 Uma dose de BOM SENSO em tudo o que a gente faz. Alinhamento Comitê 5S maio/07 REGRAS DE TRÂNSITO Para maior êxito e qualidade no resultado dos nossos trabalhos, precisamos colaborar no sentido de: Sermos

Leia mais

PESQUISA MENSAL DE VALORES DE LOCAÇÃO RESIDENCIAL CIDADE DE SÃO PAULO AGOSTO DE 2013

PESQUISA MENSAL DE VALORES DE LOCAÇÃO RESIDENCIAL CIDADE DE SÃO PAULO AGOSTO DE 2013 PESQUISA MENSAL DE VALORES DE LOCAÇÃO RESIDENCIAL CIDADE DE SÃO PAULO AGOSTO DE 2013 As pessoas que procuraram moradias para alugar em agosto de 2013 encontraram locações com valores mais altos em relação

Leia mais

EMPREGO DOMÉSTICO NA REGIÃO METROPOLITANA DE SÃO PAULO 2013

EMPREGO DOMÉSTICO NA REGIÃO METROPOLITANA DE SÃO PAULO 2013 Abril DE 2014 EMPREGO DOMÉSTICO NA REGIÃO METROPOLITANA DE SÃO PAULO 2013 Em 2013, cresceu o número de diaristas e diminuiu o de mensalistas com e sem carteira de trabalho. Elevou-se o rendimento médio

Leia mais

Abordagens para Drenagem Urbana no Município de São Paulo: Ações de curto e longo prazos

Abordagens para Drenagem Urbana no Município de São Paulo: Ações de curto e longo prazos Abordagens para Drenagem Urbana no Município de São Paulo: Ações de curto e longo prazos Miguel Luiz Bucalem Secretário Municipal de Desenvolvimento Urbano Organização Agosto / 2010 São Paulo e a Bacia

Leia mais

CRAS - Centro de Referência de Assistência Social

CRAS - Centro de Referência de Assistência Social CRAS - Centro de Referência de Assistência Social O Centro de Referência de Assistência Social CRAS é uma unidade pública estatal de base territorial, localizada em áreas de vulnerabilidade social. Executa

Leia mais

Qualidade de Vida e desigualdade no Município de São Paulo: propondo critérios para nortear a condução de políticas públicas

Qualidade de Vida e desigualdade no Município de São Paulo: propondo critérios para nortear a condução de políticas públicas Qualidade de Vida e desigualdade no Município de São Paulo: propondo critérios para nortear a condução de políticas públicas Autoria: Monica Yukie Kuwahara, Caio Cícero de Toledo Piza Resumo Este artigo

Leia mais

LEI Nº 16.099, DE 30 DE DEZEMBRO DE 2014

LEI Nº 16.099, DE 30 DE DEZEMBRO DE 2014 Secretaria Geral Parlamentar Secretaria de Documentação Equipe de Documentação do Legislativo LEI Nº 16.099, DE 30 DE DEZEMBRO DE 2014 (Projeto de Lei nº 467/14, do Executivo, aprovado na forma de Substitutivo

Leia mais

PROPOSTA ORÇAMENTÁRIA 2015 PREFEITURA DE SÃO PAULO

PROPOSTA ORÇAMENTÁRIA 2015 PREFEITURA DE SÃO PAULO PROPOSTA ORÇAMENTÁRIA 2015 PREFEITURA DE SÃO PAULO Projeto de Lei 467/2014 SUMÁRIO I. Resumo das Receitas e Despesas por Categoria Econômica... 3 II. III. IV. Investimentos em Obras e Instalações (Administração

Leia mais

Venda de imóveis usados cai 46,15% e locação encolhe 36,25% em dezembro em São Paulo

Venda de imóveis usados cai 46,15% e locação encolhe 36,25% em dezembro em São Paulo Pesquisa CRECI Aluguel-Venda residencial/imóveis usados Cidade de São Paulo Dezembro de 2008 Venda de imóveis usados cai 46,15% e locação encolhe 36,25% em dezembro em São Paulo Nem o 13 o salário salvou

Leia mais

INDICADORES POR DISTRITO

INDICADORES POR DISTRITO INDICADORES POR DISTRITO Assistência social População em situação de rua - acolhidos* Porcentagem da população em situação de rua em cada distrito sobre o total da cidade. (*acolhidos - pessoas que, também

Leia mais

QUALIDADE DE VIDA NO MUNICÍPIO DE SÃO PAULO 1 RESUMO

QUALIDADE DE VIDA NO MUNICÍPIO DE SÃO PAULO 1 RESUMO QUALIDADE DE VIDA NO MUNICÍPIO DE SÃO PAULO 1 RESUMO Álvaro A. Moura Júnior Kleber Oliveira Mônica Yukie Kuwahara Roseli da Silva Não há como dissociar o estudo da economia do estudo da ética e da filosofia

Leia mais

Pesquisa de Legislação Municipal. N o 52933

Pesquisa de Legislação Municipal. N o 52933 Serviços A Cidade Compras Notícias Governo Busca no portal Pesquisa de Legislação Municipal N o 52933 Voltar Imprimir DECRETO Nº 52.933, DE 19 DE JANEIRO DE 2012 Regulamenta a Lei nº 15.465, de 18 de outubro

Leia mais

DECRETO Nº 52.933, DE 19 DE JANEIRO DE

DECRETO Nº 52.933, DE 19 DE JANEIRO DE PUBLICADO DOC 20/01/2012, p. 1 c. todas DECRETO Nº 52.933, DE 19 DE JANEIRO DE 2012 Regulamenta a Lei nº 15.465, de 18 de outubro de 2011, no que se refere às normas técnicas de instalação dos relógios

Leia mais

Perfil das pessoas mortas na cidade de São Paulo em circunstâncias violentas (2011)

Perfil das pessoas mortas na cidade de São Paulo em circunstâncias violentas (2011) Perfil das pessoas mortas na cidade de São Paulo em circunstâncias violentas (0) Sobre o estudo Objetivo: sistematizar conhecimento sobre vitimização por causas violentas na cidade de São Paulo identificando

Leia mais

Configuração e tipologias

Configuração e tipologias OsE s p a ç o sp ú b l i c o ses u ai n f l u ê n c i an ame l h o r i ad aq u a l i d a d ed ev i d a O que são Espaços Públicos? P O espaço público é considerado como aquele que, dentro do território

Leia mais

DECRETO Nº 56.142, DE 29 DE MAIO DE 2015

DECRETO Nº 56.142, DE 29 DE MAIO DE 2015 Secretaria Geral Parlamentar Secretaria de Documentação Equipe de Documentação do Legislativo DECRETO Nº 56.142, DE 29 DE MAIO DE 2015 Cria os Conselhos Tutelares de Capão Redondo, Cidade Líder, Jaraguá,

Leia mais

Discurso do Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, na cerimônia de inauguração do Centro de Especialidades Odontológicas de Campo Limpo

Discurso do Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, na cerimônia de inauguração do Centro de Especialidades Odontológicas de Campo Limpo , Luiz Inácio Lula da Silva, na cerimônia de inauguração do Centro de Especialidades Odontológicas de Campo Limpo São Paulo-SP, 20 de outubro de 2004 Meus queridos companheiros e minhas queridas companheiras

Leia mais

Resultados da Plataforma dos Centros Urbanos São Paulo 1ª. Edição

Resultados da Plataforma dos Centros Urbanos São Paulo 1ª. Edição Resultados da Plataforma dos Centros Urbanos São Paulo 1ª. Edição Análise das metas municipais 1. Reduzir a mortalidade neonatal precoce 2. Ampliar a cobertura dos programas de atendimento à saúde da família

Leia mais

PESQUISA MENSAL DE VALORES DE LOCAÇÃO RESIDENCIAL CIDADE DE SÃO PAULO JANEIRO DE 2015 5,3 3,8 3,5

PESQUISA MENSAL DE VALORES DE LOCAÇÃO RESIDENCIAL CIDADE DE SÃO PAULO JANEIRO DE 2015 5,3 3,8 3,5 PESQUISA MENSAL DE VALORES DE LOCAÇÃO RESIDENCIAL CIDADE DE SÃO PAULO JANEIRO DE 2015 No primeiro mês de 2015, os aluguéis registraram alta de 0,4%, comparado com o mês anterior. Considerando o comportamento

Leia mais

SUMÁRIO DE DADOS DO MUNICÍPIO DE SÃO PAULO - 2004. Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) Urbano. Ricardo Trovão e Ronaldo Frederico

SUMÁRIO DE DADOS DO MUNICÍPIO DE SÃO PAULO - 2004. Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) Urbano. Ricardo Trovão e Ronaldo Frederico SUMÁRIO DE DADOS DO MUNICÍPIO DE SÃO PAULO - 2004 Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) Urbano Ricardo Trovão e Ronaldo Frederico PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SÃO PAULO FEA - Faculdade de Economia

Leia mais

PESQUISA MENSAL DE VALORES DE LOCAÇÃO RESIDENCIAL CIDADE DE SÃO PAULO NOVEMBRO DE 2015

PESQUISA MENSAL DE VALORES DE LOCAÇÃO RESIDENCIAL CIDADE DE SÃO PAULO NOVEMBRO DE 2015 PESQUISA MENSAL DE VALORES DE LOCAÇÃO RESIDENCIAL CIDADE DE SÃO PAULO NOVEMBRO DE 2015 No mês de novembro, os valores médios observados caíram 0,1%, em relação ao mês anterior. No acumulado de 12 meses,

Leia mais

Perspectivas demográficas dos distritos do Município de São Paulo: o rápido e diferenciado processo de envelhecimento

Perspectivas demográficas dos distritos do Município de São Paulo: o rápido e diferenciado processo de envelhecimento Perspectivas demográficas dos distritos do Município de São Paulo: o rápido e diferenciado processo de envelhecimento As projeções populacionais até 2030 para os distritos da capital, realizadas pela Fundação

Leia mais

Regional Norte Dados Gerais. Aproximadamente 29% Regional Norte vive em assentamentos precários. 7 Subprefeituras. Área Assentamentos Norte*

Regional Norte Dados Gerais. Aproximadamente 29% Regional Norte vive em assentamentos precários. 7 Subprefeituras. Área Assentamentos Norte* Regional Norte Dados Gerais 7 Subprefeituras Área de São Paulo CASA VERDE/CACHOEIRINHA CASA CASAVERDE/CACHOEIRINHA VERDE/CACHOEIRINHA VERDE/CACHOEIRINHA CASA CASA VERDE/CACHOEIRINHA CASA VERDE/CACHOEIRINHA

Leia mais

Venda de imóveis usados cresce 140,29% em Fevereiro e mercado retorna a nível pré-crise

Venda de imóveis usados cresce 140,29% em Fevereiro e mercado retorna a nível pré-crise Pesquisa CRECI Imóveis usados/aluguel-venda residencial Cidade de São Paulo Fevereiro de 2009 Pesquisa apurou crescimento de 31,23% na locação Venda de imóveis usados cresce 140,29% em Fevereiro e mercado

Leia mais

Anexo 3. Mapas por subprefeitura

Anexo 3. Mapas por subprefeitura 8:47 PM Page 52 Anexo 3 Mapas por subprefeitura 52 8:47 PM Page 53 Subprefeitura 21 Penha, Zona Leste. de São Paulo Subprefeitura 21 Penha, Zona Leste. de São Paulo, 2000. privação e idosos (Grupo 3) de

Leia mais

Cidade de Direitos. 1 1 novo hospital. 2 1 novo hospital. 3 1 novo hospital. 4 10 novas unidades AMA-Especialidades

Cidade de Direitos. 1 1 novo hospital. 2 1 novo hospital. 3 1 novo hospital. 4 10 novas unidades AMA-Especialidades Cidade de Direitos 1 1 novo hospital 2 1 novo hospital 3 1 novo hospital 4 10 novas unidades AMA-Especialidades 5 50 unidades de atendimento odontológico AMA-Sorriso 6 Garantir 7 ou mais consultas para

Leia mais

CARACTERIZAÇÃO GRAVIMÉTRICA E FÍSICO QUÍMICA DOS RESÍDUOS SÓLIDOS DOMICILIARES DO MUNICÍPIO DE SÃO PAULO

CARACTERIZAÇÃO GRAVIMÉTRICA E FÍSICO QUÍMICA DOS RESÍDUOS SÓLIDOS DOMICILIARES DO MUNICÍPIO DE SÃO PAULO CARACTERIZAÇÃO GRAVIMÉTRICA E FÍSICO QUÍMICA DOS RESÍDUOS SÓLIDOS DOMICILIARES DO MUNICÍPIO DE SÃO PAULO 1 ÍNDICE I. INTRODUÇÃO GERAL...5 1 APRESENTAÇÃO...6 2 INTRODUÇÃO GERAL DO RELATÓRIO...9 II. ESTUDO

Leia mais

Organização do Espaço na Cidade de São Paulo

Organização do Espaço na Cidade de São Paulo Organização do Espaço na Cidade de São Paulo A Copa do Mundo e o Desenvolvimento da Zona Leste Arq. Alberto Fasanaro Lauletta Setembro / 2011 Histórico da Expansão Urbana Até 1929 LEGENDA São Paulo Região

Leia mais

QUALIDADE DE VIDA E DESIGUALDADE NO MUNICÍPIO DE SÃO PAULO i : propondo critérios para nortear a condução de políticas sociais ii.

QUALIDADE DE VIDA E DESIGUALDADE NO MUNICÍPIO DE SÃO PAULO i : propondo critérios para nortear a condução de políticas sociais ii. QUALIDADE DE VIDA E DESIGUALDADE NO MUNICÍPIO DE SÃO PAULO i : propondo critérios para nortear a condução de políticas sociais ii. 1 Mônica Yukie Kuwahara 1 Caio Cícero de Toledo Piza 2 RESUMO Este artigo

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº 504/2011, dos Vereadores Claudio Prado (PDT) e José Police Neto (PSD)

PROJETO DE LEI Nº 504/2011, dos Vereadores Claudio Prado (PDT) e José Police Neto (PSD) PROJETO DE LEI Nº 504/2011, dos Vereadores Claudio Prado (PDT) e José Police Neto (PSD) Institui-se o Programa de Desenvolvimento Local Câmara de Animação Econômica, no âmbito da Secretaria Municipal de

Leia mais

Sistemas de Informação em Saúde. Informatização da Atenção Básica Secretaria Municipal de Saúde de São Paulo (SMS-SP)

Sistemas de Informação em Saúde. Informatização da Atenção Básica Secretaria Municipal de Saúde de São Paulo (SMS-SP) Sistemas de Informação em Saúde Informatização da Atenção Básica Secretaria Municipal de Saúde de São Paulo (SMS-SP) Contato Cláudio Giulliano Alves da Costa, MD, MSc. Secretaria Municipal de Saúde de

Leia mais

Caracterização do território

Caracterização do território Perfil do Município de Sorriso, MT 02/08/2013 - Pág 1 de 14 Caracterização do território Área 9382,37 km² IDHM 2010 0,744 Faixa do IDHM Alto (IDHM entre 0,700 e 0,799) (Censo 2010) 66521 hab. Densidade

Leia mais

Caracterização do território

Caracterização do território Perfil do Município de Santos, SP 30/07/2013 - Pág 1 de 14 Caracterização do território Área 281,35 km² IDHM 2010 0,840 Faixa do IDHM Muito Alto (IDHM entre 0,8 e 1) (Censo 2010) 419400 hab. Densidade

Leia mais

DEFESA CIVIL PAULISTANA: ANÁLISE DOS BANCOS

DEFESA CIVIL PAULISTANA: ANÁLISE DOS BANCOS Centro de Convenções Ulysses Guimarães Brasília/DF 25, 26 e 27 de março de 2014 DEFESA CIVIL PAULISTANA: ANÁLISE DOS BANCOS DE DADOS DE ATENDIMENTO E POSSÍVEIS USOS PARA A PREVENÇÃO DE OCORRÊNCIAS SIMONE

Leia mais

AV. PAULISTA, 688 SÃO PAULO / SP CEP: 01310-909 TEL. (11) 3549-5500

AV. PAULISTA, 688 SÃO PAULO / SP CEP: 01310-909 TEL. (11) 3549-5500 ZONA SECCIONAL FISCAL Nº DISTRITO DISTRITOS Oeste Oeste Seccional Lapa Rua: Pio XI, 999 Alto da Lapa CEP: 05060-000 Tel.(11) 3834-0530 lapa@crosp.org.br Seccional Lapa Rua: Pio XI, 999 Alto da Lapa CEP:

Leia mais

PESQUISA MENSAL DE VALORES DE LOCAÇÃO RESIDENCIAL CIDADE DE SÃO PAULO MAIO DE 2015

PESQUISA MENSAL DE VALORES DE LOCAÇÃO RESIDENCIAL CIDADE DE SÃO PAULO MAIO DE 2015 PESQUISA MENSAL DE VALORES DE LOCAÇÃO RESIDENCIAL CIDADE DE SÃO PAULO MAIO DE 2015 Os aluguéis das casas e apartamentos no mês de maio permaneceram estáveis em relação aos valores de abril. Em relação

Leia mais

Realização: Movimento Nossa São Paulo. Levantamento dos indicadores: Grupos de Trabalho e Secretaria-executiva do Movimento Nossa São Paulo

Realização: Movimento Nossa São Paulo. Levantamento dos indicadores: Grupos de Trabalho e Secretaria-executiva do Movimento Nossa São Paulo Realização: Movimento Nossa São Paulo Levantamento dos indicadores: Grupos de Trabalho e Secretaria-executiva do Movimento Nossa São Paulo Coordenação e edição de textos: Secretaria-executiva do Movimento

Leia mais

Venda de imóveis usados e locação têm queda em São Paulo em junho

Venda de imóveis usados e locação têm queda em São Paulo em junho Pesquisa CRECISP Imóveis usados/venda-aluguel residencial Cidade de São Paulo Junho de 2010 Venda de imóveis usados e locação têm queda em São Paulo em junho As vendas de imóveis usados caíram 15,53% e

Leia mais

I Fórum Municipal sobre Autismo Acessibilidade e Mobilidade Territorial

I Fórum Municipal sobre Autismo Acessibilidade e Mobilidade Territorial I Fórum Municipal sobre Autismo Acessibilidade e Mobilidade Territorial SECRETARIA MUNICIPAL DE ASSISTÊNCIA E DESENVOLVIMENTO SOCIAL Coordenadoria de Proteção Social Especial Março/2014 CONSTITUIÇÃO FEDERAL

Leia mais

Caracterização do território

Caracterização do território Perfil do Município de Areado, MG 29/07/2013 - Pág 1 de 14 Caracterização do território Área 282,6 km² IDHM 2010 0,727 Faixa do IDHM Alto (IDHM entre 0,700 e 0,799) (Censo 2010) 13731 hab. Densidade demográfica

Leia mais

Caracterização do território

Caracterização do território Perfil do Município de Botelhos, MG 29/07/2013 - Pág 1 de 14 Caracterização do território Área 335,24 km² IDHM 2010 0,702 Faixa do IDHM Alto (IDHM entre 0,700 e 0,799) (Censo 2010) 14920 hab. Densidade

Leia mais

A cidade vai parar na (i)mobilidade urbana?

A cidade vai parar na (i)mobilidade urbana? A cidade vai parar na (i)mobilidade urbana? IDELT Dr. Joaquim Lopes da Silva Junior Maio/2012 prioridade para o transporte coletivo Corredores de ônibus metropolitanos REGIÃO METROPOLITANA DE SÃO PAULO

Leia mais

Caracterização do território

Caracterização do território Perfil do Município de Alto Boa Vista, MT 01/08/2013 - Pág 1 de 14 Caracterização do território Área 2248,35 km² IDHM 2010 0,651 Faixa do IDHM Médio (IDHM entre 0,6 e 0,699) (Censo 2010) 5247 hab. Densidade

Leia mais

Curso de Economia da Universidade Presbiteriana Mackenzie e Pesquisador do NPQV.

Curso de Economia da Universidade Presbiteriana Mackenzie e Pesquisador do NPQV. A incorporação da desigualdade em indicadores de bem-estar: análise da qualidade de vida nas subprefeituras do município de São Paulo 1 Mônica Yukie Kuwahara 2 Caio Cícero de Toledo Piza 3 Resumo Este

Leia mais

Uma abordagem econômica para a qualidade de vida em São Paulo

Uma abordagem econômica para a qualidade de vida em São Paulo Núcleo de Pesquisas em Qualidade de Vida Economia - CCSA Mackenzie Apoio: Mackpesquisa Uma abordagem econômica para a qualidade de vida em São Paulo http://www4.mackenzie.br/npqv.html Objetivos do curso

Leia mais

PESQUISA MENSAL DE VALORES DE LOCAÇÃO RESIDENCIAL CIDADE DE SÃO PAULO JUNHO DE 2014.

PESQUISA MENSAL DE VALORES DE LOCAÇÃO RESIDENCIAL CIDADE DE SÃO PAULO JUNHO DE 2014. PESQUISA MENSAL DE VALORES DE LOCAÇÃO RESIDENCIAL CIDADE DE SÃO PAULO JUNHO DE 2014. O mercado de contratos novos de locação residencial realizados em junho na cidade de São Paulo registrou variação de

Leia mais

Coordenação de Políticas para Migrantes QUALIFICAÇÃO DA ATENÇÃO À POPULAÇÃO MIGRANTE POR AGENTES PÚBLICOS ÁREA DE REFERÊNCIA: SAÚDE / ANO: 2014

Coordenação de Políticas para Migrantes QUALIFICAÇÃO DA ATENÇÃO À POPULAÇÃO MIGRANTE POR AGENTES PÚBLICOS ÁREA DE REFERÊNCIA: SAÚDE / ANO: 2014 QUALIFICAÇÃO DA ATENÇÃO À POPULAÇÃO MIGRANTE POR AGENTES PÚBLICOS ÁREA DE REFERÊNCIA: SAÚDE / ANO: 2014 RELATÓRIO FINAL Coordenação de Políticas para Migrantes Secretaria Municipal de Direitos Humanos

Leia mais

Venda de imóveis usados e locação residencial começam ano em baixa

Venda de imóveis usados e locação residencial começam ano em baixa Pesquisa CRECISP Imóveis Usados-Venda/Aluguel residencial Cidade de São Paulo Janeiro de 2011 Venda de imóveis usados e locação residencial começam ano em baixa A venda de imóveis usados residenciais e

Leia mais

Gerência de Vigilância de Produtos e Serviços de Interesse à Saúde COVISA

Gerência de Vigilância de Produtos e Serviços de Interesse à Saúde COVISA Gerência de Vigilância de Produtos e Serviços de Interesse à Saúde COVISA Coordenação de Vigilância em Saúde COVISA Núcleo técnico de Informação Núcleo Técnico de Comunicação Assessorias Acompanhamento

Leia mais

O PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO REGIONAL COMO INSTRUMENTO PARA ALCANÇAR A META DE COBERTURA VACINAL

O PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO REGIONAL COMO INSTRUMENTO PARA ALCANÇAR A META DE COBERTURA VACINAL O PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO REGIONAL COMO INSTRUMENTO PARA ALCANÇAR A META DE COBERTURA VACINAL NA CAMPANHA DE VACINAÇÃO CONTRA A POLIOMIELITE NA SUPERVISÃO TÉCNICA DE SAÚDE DE M BOI MIRIM Primeira etapa

Leia mais

VERSÃO PRELIMINAR. Notas sobre Redes de Proteção Social e Desigualdade

VERSÃO PRELIMINAR. Notas sobre Redes de Proteção Social e Desigualdade Notas sobre Redes de Proteção Social e Desigualdade 1) Nos últimos dez anos a renda media dos brasileiros que caiu a taxa de 0.6% ao ano, enquanto o dos pobres cresceu 0.7%, já descontados o crescimento

Leia mais

Comparando instituições participativas no Brasil

Comparando instituições participativas no Brasil Comparando instituições participativas no Brasil Prof. Dr. Leonardo Avritzer Universidade Federal de Minas Gerais Instituições Participativas Orçamentos Participativos 170 experiências. Conselhos de saúde

Leia mais

PLANO MUNICIPAL DA HABITAÇÃO LESTE

PLANO MUNICIPAL DA HABITAÇÃO LESTE PLANO MUNICIPAL DA HABITAÇÃO PLANO DE AÇÃO REGIONAL LESTE Legenda: Subprefeitura Vias Principais de acesso Linha de Metrô / CPTM Região Leste 08 Subprefeituras: Penha, Ermelino Matarazzo, São Miguel Paulista,

Leia mais

PESQUISA MENSAL DE VALORES DE LOCAÇÃO RESIDENCIAL CIDADE DE SÃO PAULO NOVEMBRO DE 2014

PESQUISA MENSAL DE VALORES DE LOCAÇÃO RESIDENCIAL CIDADE DE SÃO PAULO NOVEMBRO DE 2014 PESQUISA MENSAL DE VALORES DE LOCAÇÃO RESIDENCIAL CIDADE DE SÃO PAULO NOVEMBRO DE 2014 Os contratos novos de aluguéis de casas e de apartamentos na capital paulista subiram em média 0,6% em novembro relativamente

Leia mais

ANEXO 1. Casas de Cultura na cidade de São Paulo

ANEXO 1. Casas de Cultura na cidade de São Paulo ANEXO 1 Casas de Cultura na cidade de São Paulo ZONA SUL Casa de Cultura do M'Boi Mirim Casa Popular de Cultura da Região de M'Boi Mirim & Guarapiranga Av. Inácio Dias da Silva, s/nº - M'Boi Mirim http://cpcmboi.blogspot.com

Leia mais

LEI Nº 13.399, DE 1º DE AGOSTO DE 2002 (Projeto de Lei nº 546/01, do Executivo)

LEI Nº 13.399, DE 1º DE AGOSTO DE 2002 (Projeto de Lei nº 546/01, do Executivo) LEI Nº 13.399, DE 1º DE AGOSTO DE 2002 (Projeto de Lei nº 546/01, do Executivo) Dispõe sobre a criação de Subprefeituras no Município de São Paulo, e dá outras providências. MARTA SUPLICY, Prefeita do

Leia mais

Informes Urbanos. Persiste a alta desigualdade de renda no Município de São Paulo

Informes Urbanos. Persiste a alta desigualdade de renda no Município de São Paulo Informes Urbanos Nº 19 - Junho 2014 Persiste a alta desigualdade de renda no Município de São Paulo Muito se tem noticiado sobre a mudança positiva no quadro de distribuição de renda no País ocorrida na

Leia mais

Secretaria Municipal de Assistência Social EDITAL DE CHAMAMENTO PARA A CELEBRAÇÃO DE CONVÊNIOS

Secretaria Municipal de Assistência Social EDITAL DE CHAMAMENTO PARA A CELEBRAÇÃO DE CONVÊNIOS Diário Oficial do Município de São Paulo PREFEITA MARTA SUPLICY Palácio das Indústrias Parque D. Pedro II - CEP 03003-000 - Pabx:225-9077 Ano 49 - Número 7 - São Paulo, terça-feira, 13 de janeiro de 2004

Leia mais

Tribunal Regional Eleitoral de São Paulo

Tribunal Regional Eleitoral de São Paulo PREGÃO FEDERAL n.º 23/2009 APÊNDICE B Etapas de execução dos serviços Serviços que deverão ser executados na 1ª etapa. Comercial com 15 pavimentos: 1º ao 11º, 13º e 14º andares sim não sim 4.641 Sede I

Leia mais

Fotos: SPTURIS/Caio Silveira e Jefferson Pancieri. Relatório Mensal Março

Fotos: SPTURIS/Caio Silveira e Jefferson Pancieri. Relatório Mensal Março Fotos: SPTURIS/Caio Silveira e Jefferson Pancieri 2012 Relatório Mensal Março OUVIDORIA GERAL Prefeitura da Cidade de São Paulo A Ouvidoria Geral da Cidade de São Paulo registrou 5.290 atendimentos gerais,

Leia mais

vereador José Police Neto

vereador José Police Neto vereador José Police Neto O que é o Conselho Participativo Municipal? O Conselho Participativo Municipal tem caráter eminentemente público e é um organismo autônomo da sociedade civil, reconhecido pelo

Leia mais

Indicador de qualidade do mercado de trabalho da Região Metropolitana de Salvador

Indicador de qualidade do mercado de trabalho da Região Metropolitana de Salvador ÍNDICE DE qualidade DO MERCADO DE TRABALHO Nov. 2011-fev. 2012 Indicador de qualidade do mercado de trabalho da Região Metropolitana de Salvador O Índice de Qualidade do Mercado de Trabalho da Região Metropolitana

Leia mais

Relação dos Cartórios Eleitorais de São Paulo

Relação dos Cartórios Eleitorais de São Paulo Relação dos Cartórios Eleitorais de São Paulo 1ª ZONA ELEITORAL - EITORAL ATENDIDOSASTA Endereço Avenida Brigadeiro Luís Antônio, 453 BELA VISTA Telefone (0xx11) 3101 9031/3101 8683/3106 9167 Fax 3101

Leia mais

Sou da Paz comenta dados da Secretaria da Segurança Pública sobre o 4º trimestre de 2013

Sou da Paz comenta dados da Secretaria da Segurança Pública sobre o 4º trimestre de 2013 Sou da Paz comenta dados da Secretaria da Segurança Pública sobre o 4º trimestre de 2013 Desde o início de 2012 o Instituto Sou da Paz tem se voltado a análise sistemática das estatísticas divulgadas pela

Leia mais

3º ENCONTRO DE GRUPOS REGIONAIS DE ARTICULAÇÃO DE ABRIGOS

3º ENCONTRO DE GRUPOS REGIONAIS DE ARTICULAÇÃO DE ABRIGOS 3º ENCONTRO DE GRUPOS REGIONAIS DE ARTICULAÇÃO DE ABRIGOS 2º SEMESTRE/2009 Organização do Sistema - SUAS A Assistência Social está organizada em Sistema de Proteção Social Básica e Especial: Sistema de

Leia mais

BIODIESEL - MISTURA DE ÓLEO DIESEL (BX) GASOLINA AUTOMOTIVA TIPO C ÓLEO DIESEL B S10 SIGLA ÓRGÃO TOTAL VEICULOS ETANOL

BIODIESEL - MISTURA DE ÓLEO DIESEL (BX) GASOLINA AUTOMOTIVA TIPO C ÓLEO DIESEL B S10 SIGLA ÓRGÃO TOTAL VEICULOS ETANOL SP-AF 001 ARICANDUVA 2 400 400 2 400 400 Marcia Nasser Gioto SP-BT 002 BUTANTÃ 3 360 540 Sueli de Sant"Ana dos Santos SIGLA ÓRGÃO SP-CL 003 CAMPO LIMPO 28 3500 2100 Silvani Ap. dos Santos e João Bosco

Leia mais

Caracterização do território

Caracterização do território Perfil do Município de Peruíbe, SP 30/07/2013 - Pág 1 de 14 Caracterização do território Área 323,17 km² IDHM 2010 0,749 Faixa do IDHM Alto (IDHM entre 0,700 e 0,799) (Censo 2010) 59773 hab. Densidade

Leia mais

Ao longo dos anos 90, ocorreram diversas mudanças no mercado de trabalho

Ao longo dos anos 90, ocorreram diversas mudanças no mercado de trabalho RIO DE JANEIRO: TRABALHO E SOCIEDADE -Ano 1-Nº 1 JOVENS NO MERCADO DE TRABALHO DO RIO DE JANEIRO* 1. Introdução DANIELLE CARUSI MACHADO** Ao longo dos anos 90, ocorreram diversas mudanças no mercado de

Leia mais

REGIÃO METROPOLITANA DE SALVADOR SETEMBRO DE 2008 TAXA DE DESEMPREGO MANTÉM DECLÍNIO NA RMS

REGIÃO METROPOLITANA DE SALVADOR SETEMBRO DE 2008 TAXA DE DESEMPREGO MANTÉM DECLÍNIO NA RMS REGIÃO METROPOLITANA DE SALVADOR SETEMBRO DE 2008 E TAXA DE DESEMPREGO MANTÉM DECLÍNIO NA RMS m setembro, a Pesquisa de Emprego e Desemprego, realizada na Região Metropolitana de Salvador (RMS), apresentou

Leia mais

Cidade de Direitos. 15 Jornada de 7 horas no Ensino. 1 1 novo hospital. 16 9 anos no Ensino Fundamental. 17 120.000 novas famílias no Programa de

Cidade de Direitos. 15 Jornada de 7 horas no Ensino. 1 1 novo hospital. 16 9 anos no Ensino Fundamental. 17 120.000 novas famílias no Programa de Cidade de Direitos 1 1 novo hospital Freguesia do Ó 2 1 novo hospital Parelheiros 3 1 novo hospital Vila Matilde 4 10 novas unidades AMA-Especialidades 5 50 unidades de atendimento odontológico AMA-Sorriso

Leia mais

DISTRIBUIÇÃO DA RENDA NO BRASIL EM 1999 1. Palavras-chaves: desigualdade, pobreza, equações de rendimento, distribuição de renda.

DISTRIBUIÇÃO DA RENDA NO BRASIL EM 1999 1. Palavras-chaves: desigualdade, pobreza, equações de rendimento, distribuição de renda. DISTRIBUIÇÃO DA RENDA NO BRASIL EM 1999 1 Rodolfo Hoffmann 2 RESUMO Este trabalho analisa a distribuição da renda no Brasil e em seis regiões do país, utilizando os dados da PNAD de 1999. É examinada a

Leia mais

Caracterização do território

Caracterização do território Perfil do Município de Cabo Verde, MG 29/07/2013 - Pág 1 de 14 Caracterização do território Área 368,15 km² IDHM 2010 0,674 Faixa do IDHM Médio (IDHM entre 0,6 e 0,699) (Censo 2010) 13823 hab. Densidade

Leia mais

Municípios Grupos rio/ponto de coleta. Grupo Peixes de Aruja - Lago Lago Arujá V. Grupo Rio Vivo, Cidade Viva Córrego Baquirivu Ruim

Municípios Grupos rio/ponto de coleta. Grupo Peixes de Aruja - Lago Lago Arujá V. Grupo Rio Vivo, Cidade Viva Córrego Baquirivu Ruim Municípios Grupos rio/ponto de coleta IQA 2015 Grupo Peixes de - Córrego Baquirivu Baquirivu Grupo Peixes de - Córrego Caputera Péssima Caputera Grupo Peixes de Aruja - Lago Lago V Grupo Rio Vivo, Cidade

Leia mais

uma reportagem do jornal O Estado de S. Paulo afirmava que os 18 000 habitantes de Cidade Líder, um loteamento que surgiu em 1945, não possuíam água

uma reportagem do jornal O Estado de S. Paulo afirmava que os 18 000 habitantes de Cidade Líder, um loteamento que surgiu em 1945, não possuíam água HistAmbZL_1.indd 33 12/12/04 12:39:47 AM uma reportagem do jornal O Estado de S. Paulo afirmava que os 18 000 habitantes de Cidade Líder, um loteamento que surgiu em 1945, não possuíam água encanada, nem

Leia mais

3 O Panorama Social Brasileiro

3 O Panorama Social Brasileiro 3 O Panorama Social Brasileiro 3.1 A Estrutura Social Brasileira O Brasil é um país caracterizado por uma distribuição desigual de renda. Segundo dados da Pesquisa Nacional por Amostragem de Domicílios

Leia mais

Situação Geográfica e Demográfica

Situação Geográfica e Demográfica Guarulhos História A memória é a base para a construção da identidade, da consciência do indivíduo e dos grupos sociais de um determinado local. A maioria das fontes de memória de Guarulhos traz que sua

Leia mais

Londrina, 29 a 31 de outubro de 2007 ISBN 978-85-99643-11-2

Londrina, 29 a 31 de outubro de 2007 ISBN 978-85-99643-11-2 ATENDIMENTO ÀS DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM: UM RELATO DE EXPERIÊNCIA DA PROPOSTA DA REDE PÚBLICA MUNICIPAL DE UBERLÂNDIA. Helena Maria Gomes Maria Isabel de Araújo Maria do Socorro A. da Silva (autora)

Leia mais

PESQUISA CRECI NOVEMBRO/2005

PESQUISA CRECI NOVEMBRO/2005 PESQUISA CRECI NOVEMBRO/2005 Pesquisa CRECI-SP Imóveis usados/aluguel residencial Novembro de 2005 Capital/SP Locação de imóveis aumenta 1,93% e a venda de usados tem alta modesta em SP O número de imóveis

Leia mais

OBSERVATÓRIO DAS METRÓPOLES: Território, Coesão e Governança Democrática

OBSERVATÓRIO DAS METRÓPOLES: Território, Coesão e Governança Democrática UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO INTITUTO DE PESQUISA E PLANEJAMENTO URBANO E REGIONAL OBSERVATÓRIO DAS METRÓPOLES: Território, Coesão e Governança Democrática Relatório de Pesquisa Dimensão socioespacial

Leia mais

Barômetro do Mercado Imobiliário. Valorização dos preços dos imóveis é de 6,8% no 1º trimestre de 2013

Barômetro do Mercado Imobiliário. Valorização dos preços dos imóveis é de 6,8% no 1º trimestre de 2013 Barômetro do Mercado Imobiliário - São Paulo, Março 2013 O Barômetro do Mercado Imobiliário em São Paulo é o mais novo, ágil e confiável indicador do mercado imobiliário que acompanha a evolução dos preços

Leia mais

A+B1 B2+C DE 58 Estações 04 Linhas 900 Carros Linha 1 - Azul 2,200.000 Linha 2 - Verde 1,200.000 Linha 3 - Vermelha 3,000.000 Linha 5 - Lilás 563.000 Estações Fluxo Estações Fluxo Estações Fluxo Estações

Leia mais