O UNIVERSO DOS CAPITÃES DA AREIA

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "O UNIVERSO DOS CAPITÃES DA AREIA"

Transcrição

1 O UNIVERSO DOS CAPITÃES DA AREIA Aline Graça Pinto Orientadora: Profª. Drª. Maria Luiza Guarnieri Atik - RESUMO O artigo visa a analisar os elementos narrativos do romance Capitães da Areia, de Jorge Amado, lançado no Brasil em 1937 e que apresenta ao leitor um grupo de meninos que vive nas ruas de Salvador. Para a análise desse romance serão consideradas as construções das personagens mais relevantes dentro da trama; as especificidades na organização do enredo e sua relação com a trajetória do grupo; os espaços onde se passam as ações e sua contribuição para a constituição do grupo. Palavras-chave: Capitães da Areia; enredo, personagens; enredo; espaço. Introdução Escrito por Jorge Amado durante uma viagem entre a América Latina e Estados Unidos na década de 30, Capitães da Areia teve sua primeira publicação no Brasil em 1937, sendo o 6º livro em um total de 37 publicado pelo autor. O gênero textual predominante nessa obra é o romance, uma vez que as características da composição quanto às personagens e à estrutura da trama revelam a feição desse gênero em prosa. Segundo Massaud Moisés, o romance tem como eixo principal a representação da realidade através de uma percepção única a do escritor: Sua faculdade essencial consiste em recriar a realidade: não a fotografa, recompõe-na; não demonstra ou reduplica, reconstrói o fluxo da existência com meios próprios, de acordo com uma concepção peculiar, única, original (1994, p. 165). Em Capitães, a realidade recriada é a de um grupo de meninos que faz das ruas de Salvador sua moradia. Para sobreviver, eles praticam malandragens e ladroagens com a esperteza e agilidade de quem já é um homem feito. As personagens Segundo Massaud Moisés, as personagens de romances são pessoas que vivem dramas e situações, à imagem e semelhança do ser humano (1994, p. 226). Em Capitães da

2 Areia, cada membro do grupo carrega sua individualidade e seus dramas pessoais, e ao formarem o bando, ele também se torna parte integrante do romance. O bando pode ser considerado um personagem porque, além de ser a recriação de um drama da realidade a dos moradores de rua, revelando a pobreza e ineficiência de sistemas governamentais, se não da própria economia Capitalista é através dele que as peripécias são possíveis. Desde os roubos até mesmo a invencibilidade perante o grupo rival ou a impossibilidade de serem mantidos no reformatório ou orfanato. Todas as ações são arquitetadas em grupo, o qual possui regras próprias que devem ser respeitados por todos os integrantes. Quanto aos integrantes, diz-se que eram bem uns cem (AMADO, 2008, p. 27), mas a trama se desenvolve ao redor da vida de apenas nove crianças, cujos nomes se dão apenas a partir de características físicas ou psicológicas que possuem (GEBARA; NOGUEIRA, 2008) e são eles: Pedro Bala, o ágil chefe do bando. É filho de um estivador morto por fazer parte das greves no cais. É conhecido também pelo cabelo loiro e pela cicatriz no rosto, herança de uma briga. Sem-Pernas, tendo recebido o apelido por ser coxo, faz das piadas e zombaria com os demais meninos o canal para fugir dos seus próprios tormentos. Pirulito é alto e magro e destoa do grupo por ser o único a ter fé e sentir o chamado de Deus para a vocação sacerdotal, segundo o padre José Pedro. Professor, o único que havia freqüentado a escola e sabia ler. Era especialista em roubo de livros. No seu canto dentro do trapiche, a pilha de livros e a luz da vela eram elementos constantes. João Grande, órfão, é o mais forte de todos os meninos e também o protetor dos pequenos e novatos no grupo. Volta-Seca, retirante oriundo da caatinga, se diz afilhado de Lampião e sonha um dia fazer parte do bando de seu padrinho. Boa-Vida é o verdadeiro apaixonado e despreocupado pela vida. Não gosta de trabalhar e só o faz quando é necessário contribuir para o grupo. Gato é o mais vaidoso do grupo, tendo uma vida amorosa intensa. É considerado o mestre das malandragens.

3 Dora é a única capitã da areia, sendo aceita pelo grupo após certa resistência. É vista pelos meninos, ora na figura feminina de mãe, de irmã, ora na de amante. Há a presença de outros integrantes do grupo, mas apenas esses possuem papel relevante dentro da trama. Existem, ainda, personagens que são considerados amigos do grupo, como o padre José Pedro, a mãe-de-santo Don Aninha e o capoeirista Querido-de- Deus. Naturalmente, há também os inimigos do grupo, tais como a polícia em geral, os funcionários do reformatório e o grupo rival chefiado por Ezequiel. A trama De acordo com Cândida Vilares Gancho, em sua obra Como analisar narrativas, o conjunto de fatos de uma história é conhecido por [...] trama (2000, p. 9). Em Capitães da Areia, o livro é dividido em 4 partes: Cartas à redação, Sob a lua num velho trapiche abandonado, Noite da grande paz, da grande paz dos teus olhos e Canção da Bahia, canção da liberdade, cada uma com seus respectivos capítulos. Na parte inicial da trama, tem-se a transcrição de uma reportagem publicada no fictício Jornal da Tarde, em que é feita a apresentação do grupo como um bando que vive da rapina. [...] São chamados Capitães da Areia porque o cais é seu quartel-general. O que se faz necessário é uma urgente providência da Polícia e do Juizado de Menores no sentido da extinção desse bando e para que recolham esses precoces criminosos, que já não deixam a cidade dormir em paz o seu sono tão merecido, aos institutos de reforma de crianças ou às prisões. (AMADO, 2010, p.9). Além disso, é noticiada também a última façanha do grupo: um roubo à residência do Comendador. Como consequência, é enviada à redação do jornal uma série de denúncias a respeito das abstenções de responsabilidade das autoridades quanto aos meninos de rua. Na segunda parte, Sob a lua num velho trapiche abandonado, são relatadas algumas histórias quase independentes dos principais Capitães. Os integrantes do grupo são caracterizados por meio de uma pequena biografia, que enfoca as qualidades necessárias para a adesão de um novo menino no grupo. É também narrado o dia a dia dos jovens capitães, e desse modo, o leitor se torna ciente de como são arquitetados e executados os planos de roubo e furto que o grupo efetua para adquirir elementos básicos para a sua subsistência, como comida e roupas. Apesar de serem crianças, eles se satisfazem com bebidas, cigarros e sexo, salvo o Professor, que é adepto à leitura, e Pirulito, que muito religioso, se abstém desses entretenimentos.

4 Em Noite da grande paz, da grande paz dos teus olhos, todos os capítulos são dedicados à chegada de dois novos membros: a menina Dora e seu irmão Zé Fuinha, que tiveram a mãe morta pela bixiga (varíola). A princípio, a chegada dessa menina ao grupo gera grandes conflitos, uma vez que os garotos têm seu desejo sexual avivados pela sua presença. No entanto, após ser aceita e integrada no grupo trocando seu vestido por calças e participando nos roubos os meninos veem em Dora a imagem feminina que mais lhes faz falta: a de mãe, a de irmã ou a de amante. Na parte final do livro, Canção da Bahia, canção da liberdade, é narrado a que destino cada um dos capitães foi levado, após as perambulações nas ruas de Salvador. Pedro Bala se torna grevista; Sem-Pernas se suicida para não ser capturado pela polícia; Pirulito vai para o seminário; Volta-Seca se integra ao bando de Lampião; Dora morre; Professor se torna pintor; Gato se torna vigarista e Boa-Vida continua sendo um malandro festeiro procurado pela polícia. O espaço No tocante ao espaço, Vilares Gancho afirma que é por definição, o lugar onde se passa a ação numa narrativa (2000, p.23). Massaud afirma ainda que o deslocamento físico implica novas aventuras (1994, p. 177) dentro do enredo, sendo essa a dinâmica corrente em Capitães da Areia. Nessa obra de Jorge Amado, a trama é repleta de ações e acontecimentos e, consequentemente, há um grande número de espaços, cuja predominância é o espaço urbano: a cidade de Salvador. As crianças do grupo se movem pelas ruas da cidade com maestria, e devido suas peripécias, muitos lugares acabam sendo incorporados à trama: as casas em que os roubos são feitos; o reformatório; o trapiche; as docas; a igreja; a praia; o botequim; a delegacia, entre outros. Esses deslocamentos colaboram para a dinâmica do romance, uma vez que, a cada página, as personagens se movem para espaços diferentes e, assim como na vida, eles estão sujeitos a novas interações e intervenções pelo meio. Como afirma Massaud Moisés: a história, nesse caso, ganha em vivacidade e dinamismo (1994, p. 177). E a seguir acrescenta: quando o cenário avulta de importância pode às vezes, assumir papel decisivo na configuração da personagem (1994, p. 179). Dentro do romance, o espaço é também elemento caracterizador das personagens e sua condição social: o único referencial de lar dos meninos é o trapiche quase destelhado, onde

5 vivem e se escondem das autoridades. Um espaço miserável e totalmente diferente dos lares da burguesia que eles invadem e comentem seus furtos. Por outro lado, a liberdade que desfrutam pelas ruas da cidade é colocada em xeque quando há a ameaça de serem mandados para o Reformatório de Menores. O espaço se define não só como plano de fundo para que as ações das personagens aconteçam, mas ele age também como um componente do romance que colabora para a composição das personagens. Em Capitães da Areia, o trapiche abandonado e os espaços externos, como as ruas e a praia, fortalecem a noção de liberdade que os meninos carregam. Conclusão Nesse romance de Jorge Amado é narrada a trajetória do bando de meninos de rua conhecido como capitães da areia. Os integrantes desse grupo cometem furtos e outras malandragens para sobreviverem e utilizam como abrigo um velho armazém abandonado à beira mar. Os espaços nessa obra, assim com a praia e as ruas, são elementos que colaboram para a composição das personagens, visto que o velho trapiche é o referencial de casa que os meninos têm, e isso reforça a condição marginal do grupo. Como bem assinala Luiz Gustavo Rossi, as crianças abandonadas de Capitães da Areia encontravam na aventura da liberdade nas ruas e na união do grupo meios de restituir os bens e os afetos que a orfandade lhes negara. Uma orfandade não apenas familiar, mas de todo o aparato políticoinstitucional que os tratavam como os delinquentes que infestam nossa urbe (2009, p. 27). O romance retoma, ainda, algumas qualidades que Jorge Amado atribui aos filhos de nosso país. Qualidades que existem naturalmente em nós, tais como a coragem, a determinação e, sobretudo, a capacidade de extrair força da adversidade para continuar sobrevivendo. Qualidades que trazemos desde o berço, como a cicatriz que Pedro Bala traz na face. Referências bibliográficas AMADO, Jorge. Capitães da areia. São Paulo: Companhia das Letras, GANCHO, Cândida V. Como analisar narrativas. São Paulo: Ática, GEBARA, Ana E. L.; NOGUEIRA, Silvia H. A prosa de Jorge Amado: expressão de linguagem e de costumes. In: GOLDSTEIN, Norma. SCHWARCZ, Lilia Moritz (orgs.). O

6 universo de Jorge Amado: orientações para o trabalho em sala de aula. São Paulo: Companhia das Letras, (Caderno de Leituras). ROSSI, Luiz Gustavo Freitas. A militância política na obra de Jorge Amado. In: GOLDSTEIN, Norma. SCHWARCZ, Lilia Moritz (orgs.). O universo de Jorge Amado: orientações para o trabalho em sala de aula. São Paulo: Companhia das Letras, (Caderno de Leituras). MOISÉS, Massaud. A criação literária: prosa: formas em prosa, o conto, a novela, o romance, o ensaio, a crônica, o teatro, outras expressões híbridas, acrítica literária. São Paulo: Cultrix, 1990.

Relatório de rpg. RPG capitães de areia 15/05/2008. Maria Tereza P. Bethlem

Relatório de rpg. RPG capitães de areia 15/05/2008. Maria Tereza P. Bethlem Relatório de rpg RPG capitães de areia 15/05/2008 Maria Tereza P. Bethlem Relatório. Personagem: Fátima RPG: capitães de areia. Questões: CONCEITO : 1. O que é a minha personagem? Malandra de rua e pratica

Leia mais

Capitães da Areia retrata a infância difícil dos meninos de rua

Capitães da Areia retrata a infância difícil dos meninos de rua Nome: Nº: Turma: Português 3º ano Capitães da Areia Wilton Out/09 Capitães da Areia retrata a infância difícil dos meninos de rua O romance, que retrata o cotidiano de um grupo de meninos de rua, procura

Leia mais

A DESIGUALDADE SOCIAL À LUZ DOS ESPAÇOS EM CAPITÃES DA AREIA

A DESIGUALDADE SOCIAL À LUZ DOS ESPAÇOS EM CAPITÃES DA AREIA A DESIGUALDADE SOCIAL À LUZ DOS ESPAÇOS EM CAPITÃES DA AREIA Tatiana Celestino de Morais (UFS) Isabela Marília Santana (UFS) O presente trabalho propõe analisar a desigualdade social à luz dos espaços

Leia mais

Sequência de atividades: Capitães da areia, 1 de Jorge Amado, e filme homônimo, de Cecília Amado

Sequência de atividades: Capitães da areia, 1 de Jorge Amado, e filme homônimo, de Cecília Amado Sequência de atividades: Capitães da areia, 1 de Jorge Amado, e filme homônimo, de Cecília Amado Norma S. Goldstein 2 A primeira meta é que os alunos leiam, analisem e interpretem o livro todo. O ideal

Leia mais

INDIVIDUAIS... Romances

INDIVIDUAIS... Romances AUTOR DADOS BIOGRÁFICOS BIBLIOGRAFIA Jorge Amado Nome completo: Jorge Amado de Faria Nascimento: 10 de agosto de 1912, Itabuna, BA Morte: 06 de agosto de 2001, Salvador, BA INDIVIDUAIS... Romances - O

Leia mais

OS DOZE TRABALHOS DE HÉRCULES

OS DOZE TRABALHOS DE HÉRCULES OS DOZE TRABALHOS DE HÉRCULES Introdução ao tema A importância da mitologia grega para a civilização ocidental é tão grande que, mesmo depois de séculos, ela continua presente no nosso imaginário. Muitas

Leia mais

Livros Obrigatórios FUVEST/UNICAMP 2015 Capitães da Areia Jorge Amado

Livros Obrigatórios FUVEST/UNICAMP 2015 Capitães da Areia Jorge Amado Livros Obrigatórios FUVEST/UNICAMP 2015 Capitães da Areia Jorge Amado AUTOR Jorge Leal Amado de Faria (Itabuna, 10 de agosto de 1912 Salvador, 6 de agosto de 2001) foi um dos mais famosos e traduzidos

Leia mais

Aluno(a): Nº. Disciplina: Português Data da prova: 03/10/2014. P1-4 BIMESTRE. Análise de textos poéticos. Texto 1. Um homem também chora

Aluno(a): Nº. Disciplina: Português Data da prova: 03/10/2014. P1-4 BIMESTRE. Análise de textos poéticos. Texto 1. Um homem também chora Lista de Exercícios Aluno(a): Nº. Professor: Daniel Série: 9 ano Disciplina: Português Data da prova: 03/10/2014. P1-4 BIMESTRE Análise de textos poéticos Texto 1 Um homem também chora Um homem também

Leia mais

JONAS RIBEIRO. ilustrações de Suppa

JONAS RIBEIRO. ilustrações de Suppa JONAS RIBEIRO ilustrações de Suppa Suplemento do professor Elaborado por Camila Tardelli da Silva Deu a louca no guarda-roupa Supl_prof_ Deu a louca no guarda roupa.indd 1 02/12/2015 12:19 Deu a louca

Leia mais

MALANDROS. Escrito por Administrator Qui, 27 de Janeiro de 2011 08:19 -

MALANDROS. Escrito por Administrator Qui, 27 de Janeiro de 2011 08:19 - Os malandros têm como principal característica de identificação, a malandragem, o amor pela noite, pela música, pelo jogo, pela boemia e uma atração pelas mulheres(principalmente pelas prostitutas, mulheres

Leia mais

Finalmente, chegamos ao último Roteiro de Estudos do Segundo ano! Você já sabe como proceder! Organize seu material, revise o conteúdo e mãos à obra!

Finalmente, chegamos ao último Roteiro de Estudos do Segundo ano! Você já sabe como proceder! Organize seu material, revise o conteúdo e mãos à obra! ROTEIRO DE ESTUDOS DE LITERATURA PARA A 3ª ETAPA 2ª SÉRIE Finalmente, chegamos ao último Roteiro de Estudos do Segundo ano! Você já sabe como proceder! Organize seu material, revise o conteúdo e mãos à

Leia mais

1. Frei Luís de Sousa Almeida Garrett

1. Frei Luís de Sousa Almeida Garrett 1. Frei Luís de Sousa Almeida Garrett De entre as alternativas a seguir apresentadas, escolhe a que te parecer mais correcta, assinalando com um círculo. 1.1. O autor da obra Frei Luís de Sousa é A. Camões.

Leia mais

Unidade II Cultura: a pluralidade na expressão humana Aula 13.1 Conteúdo: Outras formas de narrar: o conto

Unidade II Cultura: a pluralidade na expressão humana Aula 13.1 Conteúdo: Outras formas de narrar: o conto 2 CONTEÚDO E HABILIDADES FORTALECENDO SABERES DESAFIO DO DIA Unidade II Cultura: a pluralidade na expressão humana Aula 13.1 Conteúdo: Outras formas de narrar: o conto 3 CONTEÚDO E HABILIDADES FORTALECENDO

Leia mais

Colégio Policial Militar Feliciano Nunes Pires

Colégio Policial Militar Feliciano Nunes Pires Colégio Policial Militar Feliciano Nunes Pires Professor: Claudia S. N. Vieira Disciplina: LPO Série: 1ª Tema da aula: O Trovadorismo Objetivo da aula: Trabalhar as principais características do estilo

Leia mais

ROMANTISMO EM PORTUGAL E NO BRASIL

ROMANTISMO EM PORTUGAL E NO BRASIL AULA 10 LITERATURA PROFª Edna Prado ROMANTISMO EM PORTUGAL E NO BRASIL I - CONTEXTO HISTÓRICO Na aula passada nós estudamos as principais características do Romantismo e vimos que a liberdade era a mola

Leia mais

Artigo: Um olhar feminino na Internet

Artigo: Um olhar feminino na Internet Artigo: Um olhar feminino na Internet Por Tatiane Pocai Dellapiazza - aluna do primeiro ano do Curso de Comunicação Social - Centro UNISAL - Americana. Introdução: O Brasil chega perto de comemorar seu

Leia mais

Cartilha de Prevenção Orientações para o combate à Violência Sexual contra Crianças e Adolescentes

Cartilha de Prevenção Orientações para o combate à Violência Sexual contra Crianças e Adolescentes Art. 5º Nenhuma criança ou adolescente será objeto de qualquer forma de negligência, discriminação, exploração, violência, crueldade e opressão, punido na forma da lei qualquer atentado, por ação ou omissão,

Leia mais

UNIVERSIDADE SAGRADO CORAÇÃO USC

UNIVERSIDADE SAGRADO CORAÇÃO USC UNIVERSIDADE SAGRADO CORAÇÃO USC KARINA VIEIRA SOUZA ALVES SANT ANA REPORTAGEM: A VIDA NAS RUAS DE BOTUCATU BAURU 2012 A vida nas ruas de Botucatu A Praça da Igreja Sagrado Coração de Jesus, na Rua Major

Leia mais

Nomes: Marcelo Lauer, Mariana Matté, Matheus Fernandes, Raissa Reis e Nadine Siqueira

Nomes: Marcelo Lauer, Mariana Matté, Matheus Fernandes, Raissa Reis e Nadine Siqueira Escritor brasileiro Dados de Identificação: Nomes: Marcelo Lauer, Mariana Matté, Matheus Fernandes, Raissa Reis e Nadine Siqueira Turma: 201 Professora: Ivânia Lamb Romancista brasileiro nascido em São

Leia mais

Autor (a): Januária Alves

Autor (a): Januária Alves Nome do livro: Crescer não é perigoso Editora: Gaivota Autor (a): Januária Alves Ilustrações: Nireuda Maria Joana COMEÇO DO LIVRO Sempre no fim da tarde ela ouvia no volume máximo uma musica, pois queria

Leia mais

Leitura e Literatura

Leitura e Literatura MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO BÁSICAB Diretoria de Políticas de Formação, Materiais Didáticos e de Tecnologias para Educação BásicaB Leitura e Literatura Dia e Semana Nacional da Leitura

Leia mais

Morro da Favella. Fatos e lendas da primeira favela do Brasil

Morro da Favella. Fatos e lendas da primeira favela do Brasil Fatos e lendas da primeira favela do Brasil Fatos e lendas da primeira favela do Brasil FORMATO: Documentário: 1X 52 HD FULL 16:9 GENERO: Documentário em técnica mista: SINOPSE: Morro da Favella é um documentário

Leia mais

CMDCA PROJETOS COOPERAÇÃO CAPELINHA/MG

CMDCA PROJETOS COOPERAÇÃO CAPELINHA/MG PROJETOS COOPERAÇÃO A trajetória da infância e adolescência em Capelinha, ao longo dos anos, teve inúmeras variações, reflexos das diferentes óticas, desde uma perspectiva correcional e repressiva, visando

Leia mais

A Bandeira Brasileira e Augusto Comte

A Bandeira Brasileira e Augusto Comte A Bandeira Brasileira e Augusto Comte Resumo Este documentário tem como ponto de partida um problema curioso: por que a frase Ordem e Progresso, de autoria de um filósofo francês, foi escolhida para constar

Leia mais

Arcoverde: Páginas que Ninguém Leu 1. Aline de Souza Silva SIQUEIRA 2 Adriana Xavier Dória MATOS 3 Universidade Católica de Pernambuco, Recife, PE

Arcoverde: Páginas que Ninguém Leu 1. Aline de Souza Silva SIQUEIRA 2 Adriana Xavier Dória MATOS 3 Universidade Católica de Pernambuco, Recife, PE Arcoverde: Páginas que Ninguém Leu 1 Aline de Souza Silva SIQUEIRA 2 Adriana avier Dória MATOS 3 Universidade Católica de Pernambuco, Recife, PE RESUMO Este trabalho se propõe uma jornada Arcoverde adentro

Leia mais

O Local e o Global em Luanda Beira Bahia 1

O Local e o Global em Luanda Beira Bahia 1 Glauce Souza Santos 2 O Local e o Global em Luanda Beira Bahia 1 Resumo Esta resenha objetiva analisar a relação local/global e a construção da identidade nacional na obra Luanda Beira Bahia do escritor

Leia mais

Daniel Chaves Santos Matrícula: 072.997.003. Rio de Janeiro, 28 de maio de 2008.

Daniel Chaves Santos Matrícula: 072.997.003. Rio de Janeiro, 28 de maio de 2008. Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro Departamento de Artes & Design Curso de especialização O Lugar do Design na Leitura Disciplina: Estratégia RPG Daniel Chaves Santos Matrícula: 072.997.003

Leia mais

1948 É forçado a novo exílio, desta vez em Paris. 1949 É expulso da França e passa a morar na Checoeslováquia. 1951 Recebe em Moscovo o Prémio

1948 É forçado a novo exílio, desta vez em Paris. 1949 É expulso da França e passa a morar na Checoeslováquia. 1951 Recebe em Moscovo o Prémio B I B L I O T E C A Vida e Obra 1902 João Amado de Faria instala-se em Ilhéus, na zona do cacau, e casa, anos mais tarde, com a baiana Eulália Leal. 1912 Em 10 de Agosto nasce Jorge Amado. 1913 O «coronel»

Leia mais

De volta para casa. Game Design Document. Versão: 2.0. Alessandra RA 1385789. Aline RA 1382286. Allan RA 1385006. Fabio RA 1385806.

De volta para casa. Game Design Document. Versão: 2.0. Alessandra RA 1385789. Aline RA 1382286. Allan RA 1385006. Fabio RA 1385806. De volta para casa Game Design Document Versão: 2.0 Professor Orientador: Esp. Marcelo Henrique dos Santos Autores: Alessandra RA 1385789 Aline RA 1382286 Allan RA 1385006 Fabio RA 1385806 Iris RA 1383599

Leia mais

DICA PEDAGÓGICA EDUCAÇÃO INFANTIL

DICA PEDAGÓGICA EDUCAÇÃO INFANTIL DICA PEDAGÓGICA EDUCAÇÃO INFANTIL 1. TÍTULO DO PROGRAMA As Histórias do Senhor Urso 2. EPISÓDIO(S) TRABALHADO(S): O piado da coruja 3. SINOPSE DO(S) EPISÓDIO(S) ESPECÍFICO(S) O episódio O piado da Coruja

Leia mais

JORNADA MUNDIAL DA JUVENTUDE

JORNADA MUNDIAL DA JUVENTUDE A Novena de Natal deste ano está unida à Campanha da Fraternidade de 2013. O tema Fraternidade e Juventude e o lema Eis-me aqui, envia-me, nos leva para o caminho da JORNADA MUNDIAL DA JUVENTUDE Faça a

Leia mais

Unidade II FUNDAMENTOS HISTÓRICOS, TEÓRICOS E METODOLÓGICOS DO SERVIÇO SOCIAL. Prof. José Junior

Unidade II FUNDAMENTOS HISTÓRICOS, TEÓRICOS E METODOLÓGICOS DO SERVIÇO SOCIAL. Prof. José Junior Unidade II FUNDAMENTOS HISTÓRICOS, TEÓRICOS E METODOLÓGICOS DO SERVIÇO SOCIAL Prof. José Junior O surgimento do Serviço Social O serviço social surgiu da divisão social e técnica do trabalho, afirmando-se

Leia mais

Aula nº: Data: / / Lei de Igualdade

Aula nº: Data: / / Lei de Igualdade Aula nº: Data: / / Tema: Lei de Igualdade Atividade de Integração Em círculo será passado de mão em mão entre os jovens, uma pedra de gelo, uma vela acesa, um perfume, uma agulha. Compartilhar: O que isso

Leia mais

7º Prêmio VIVALEITURA Edição Lúcia Jurema

7º Prêmio VIVALEITURA Edição Lúcia Jurema 7º Prêmio VIVALEITURA Edição Lúcia Jurema TÍTULO JUSTIFICATIVA Pontes da Leitura por Ravel Andrade de Sousa As atividades descritas neste projeto foram por mim realizadas na Sala de Leitura, a partir do

Leia mais

ORIENTAÇÕES PARA PRODUÇÃO DE TEXTOS DO JORNAL REPORTAGEM RESENHA CRÍTICA TEXTO DE OPINIÃO CARTA DE LEITOR EDITORIAL

ORIENTAÇÕES PARA PRODUÇÃO DE TEXTOS DO JORNAL REPORTAGEM RESENHA CRÍTICA TEXTO DE OPINIÃO CARTA DE LEITOR EDITORIAL ORIENTAÇÕES PARA PRODUÇÃO DE TEXTOS DO JORNAL REPORTAGEM RESENHA CRÍTICA TEXTO DE OPINIÃO CARTA DE LEITOR EDITORIAL ORIENTAÇÕES PARA OS GRUPOS QUE ESTÃO PRODUZINDO UMA: REPORTAGEM Tipos de Textos Características

Leia mais

LEITURA ORIENTADA NA SALA DE AULA

LEITURA ORIENTADA NA SALA DE AULA LEITURA ORIENTADA NA SALA DE AULA UMA AVENTURA NO BOSQUE COLEÇÃO UMA AVENTURA ATIVIDADES PROPOSTAS Leitura na aula em voz alta feita pela professora ou pelos alunos que já lêem sem dificuldade. O ritmo

Leia mais

Lúmini Art Centro de Pesquisa, Cultura e Ação Social. O Projeto Social Luminando

Lúmini Art Centro de Pesquisa, Cultura e Ação Social. O Projeto Social Luminando Lúmini Art Centro de Pesquisa, Cultura e Ação Social O Projeto Social Luminando O LUMINANDO O Luminando surgiu como uma ferramenta de combate à exclusão social de crianças e adolescentes de comunidades

Leia mais

UMA RELEITURA SOBRE A IMPORTÂNCIA DA BIBLIOTECA NO CONTEXTO ESCOLAR MARIA MAZARELO RODRIGUES DE LIMA

UMA RELEITURA SOBRE A IMPORTÂNCIA DA BIBLIOTECA NO CONTEXTO ESCOLAR MARIA MAZARELO RODRIGUES DE LIMA 1 UMA RELEITURA SOBRE A IMPORTÂNCIA DA BIBLIOTECA NO CONTEXTO ESCOLAR MARIA MAZARELO RODRIGUES DE LIMA INTRODUÇÃO Compreende-se que na promoção de ações de estímulo à leitura, a escola tem como instrumento

Leia mais

Associação Lar do Neném

Associação Lar do Neném Criança Esperança 80 Associação Lar do Neném Recife-PE Marília Lordsleem de Mendonça Abraço solidário Todas as crianças são de todos : esse é o lema do Lar do Neném, uma instituição criada há 26 anos em

Leia mais

Módulo Estratégia RPG: Trabalho Final

Módulo Estratégia RPG: Trabalho Final Pontifícia Universidade Católica Departamento de Artes & Design Curso de Especialização O Lugar do Design na Leitura Nome: Giselle Rodrigues Leal Matrícula: 072.997.007 Data: 19/05/08 Módulo Estratégia

Leia mais

CAMINHOS. Caminhos (Prov. 14:12) Paulo Cezar e Jayro T. Gonçalves

CAMINHOS. Caminhos (Prov. 14:12) Paulo Cezar e Jayro T. Gonçalves CAMINHOS Caminhos (Prov. 14:12) Paulo Cezar e Jayro T. Gonçalves Posso pensar nos meus planos Pros dias e anos que, enfim, Tenho que, neste mundo, Minha vida envolver Mas plenas paz não posso alcançar.

Leia mais

A D R I A N A S A N T O S COMUNICAÇÃO

A D R I A N A S A N T O S COMUNICAÇÃO ADRIANA S A N T O S COMUNICAÇÃO Currículo ADRIANA SANTOS adrianasantos.jornalista@gmail.com @adrianaosantos https://www.facebook.com/adriana.santos.aguia http://br.linkedin.com/in/adrianasantos (31) 3621

Leia mais

02ª Área Integrada de Segurança Pública - AISP

02ª Área Integrada de Segurança Pública - AISP 02ª Área Integrada de Segurança Pública - AISP Unidade Territorial E Botafogo,, Laranjeiras, Urca e Glória (Clique no bairro para visualizar o relatório) a. Mídias em Geral ANÁLISE DE BOTAFOGO Ø Fonte:

Leia mais

Sistema de Ensino CNEC. 1 o ano Ensino Fundamental Data: / / Nome:

Sistema de Ensino CNEC. 1 o ano Ensino Fundamental Data: / / Nome: 1 o ano Ensino Fundamental Data: / / Nome: -06a-34s-at-04 Língua Portuguesa Produção e Interpretação Leia um trecho do livro Uma professora muito maluquinha, de Ziraldo. Era uma vez uma professora maluquinha.

Leia mais

ENTREVISTA. COM o Dr. Rildo Cosson. POR Begma Tavares Barbosa* begma@acessa.com

ENTREVISTA. COM o Dr. Rildo Cosson. POR Begma Tavares Barbosa* begma@acessa.com Entrevista ENTREVISTA 146 COM o Dr. Rildo Cosson. POR Begma Tavares Barbosa* begma@acessa.com * Dra. em Letras pela PUC/RJ e professora do Colégio de Aplicação João XXIII/UFJF. Rildo Cosson Mestre em Teoria

Leia mais

Cara Professora, Caro Professor,

Cara Professora, Caro Professor, A olhinhos menina de rasgados Cara Professora, Caro Professor, Estamos oferecendo a você e a seus alunos um belo livro de narrativa A menina de olhinhos rasgados, do premiado autor mineiro Vanderlei Timóteo.

Leia mais

Nº34B 28º Domingo do Tempo Comum-11.10.2015 Partilhar o que temos

Nº34B 28º Domingo do Tempo Comum-11.10.2015 Partilhar o que temos Nº34B 28º Domingo do Tempo Comum-11.10.2015 Partilhar o que temos Ouvimos hoje, no Evangelho, Jesus dizer É mais fácil passar um camelo por um buraco de uma agulha, que um rico entrar no Reino dos Céus.

Leia mais

O Almoço 1. Taísa SZABATURA 2 Laura SELIGMAN 3 Universidade do Vale do Itajaí, Itajaí, SC

O Almoço 1. Taísa SZABATURA 2 Laura SELIGMAN 3 Universidade do Vale do Itajaí, Itajaí, SC O Almoço 1 Taísa SZABATURA 2 Laura SELIGMAN 3 Universidade do Vale do Itajaí, Itajaí, SC RESUMO "O Almoço" é crônica que aborda a realidade de um aposentado em uma cidade litorânea. Insipirada na música

Leia mais

Daniel fazia parte de uma grupo seleto de homens de Deus. Ele é citado pelo profeta Ezequiel e por Jesus.

Daniel fazia parte de uma grupo seleto de homens de Deus. Ele é citado pelo profeta Ezequiel e por Jesus. Profeta Daniel Daniel fazia parte de uma grupo seleto de homens de Deus. Ele é citado pelo profeta Ezequiel e por Jesus. O livro de Daniel liga-se ao livro do Apocalipse do Novo Testamento, ambos contêm

Leia mais

Edison Mendes. A realidade de uma vida

Edison Mendes. A realidade de uma vida Edison Mendes A realidade de uma vida Rio de Janeiro Barra Livros 2014 Copyright 2014 by Edison Mendes Todos os direitos reservados à Barra Livros Proibida a reprodução desta obra, total ou parcialmente,

Leia mais

RELATÓRIO DE INTERCÂMBIO CRInt ECA. Dados do Intercâmbio

RELATÓRIO DE INTERCÂMBIO CRInt ECA. Dados do Intercâmbio RELATÓRIO DE INTERCÂMBIO CRInt ECA Nome: Juliana Malacarne de Pinho No. USP 7166759 Curso ECA: Jornalismo Dados do Intercâmbio Universidade: Universidade NOVA de Lisboa Curso: Comunicação Social Período:

Leia mais

ROMANTISMO NO BRASIL - PROSA

ROMANTISMO NO BRASIL - PROSA AULA 12 LITERATURA PROFª Edna Prado ROMANTISMO NO BRASIL - PROSA Na aula passada nós estudamos as principais características da poesia romântica no Brasil.Vimos o fenômeno das três gerações românticas:

Leia mais

Como utilizar este caderno

Como utilizar este caderno INTRODUÇÃO O objetivo deste livreto é de ajudar os grupos da Pastoral de Jovens do Meio Popular da cidade e do campo a definir a sua identidade. A consciência de classe, ou seja, a consciência de "quem

Leia mais

Literatura e Redação conexões possíveis

Literatura e Redação conexões possíveis Literatura e Redação conexões possíveis Desde 2005, a UFSC vem explorando os temas extraídos das obras literárias, de leitura obrigatória, para elaboração das propostas de Redação. O gêneros textuais cobrados

Leia mais

Catequese sobre José O pai adoptivo de Jesus

Catequese sobre José O pai adoptivo de Jesus Catequese sobre José O pai adoptivo de Jesus S. José modelo e protector de todos os pais materialdecatequese.webnode.pt 1 A terra de José (Mapa) O seu país era a Palestina e a aldeia onde morava chamava-se

Leia mais

Prof.: Michele Nasu Tomiyama Bucci ELABORAÇÃO DE TEXTOS II

Prof.: Michele Nasu Tomiyama Bucci ELABORAÇÃO DE TEXTOS II Prof.: Michele Nasu Tomiyama Bucci ELABORAÇÃO DE TEXTOS II RESUMO, RESENHA, SINOPSE E SÍNTESE Uma dúvida muito frequente que incomoda principalmente os alunos, em qualquer estágio de aprendizagem é a diferença

Leia mais

Nome: Diurno Curso: Matrícula: Período: Prova Amarela Sala:

Nome: Diurno Curso: Matrícula: Período: Prova Amarela Sala: Nome: Diurno Curso: Matrícula: Período: Prova Amarela Sala: Livro: O marido Perfeito Mora ao Lado 1-Raquel conhecia Marcos desde a infância porque: a) Raquel e Marcos eram primos de primeiro grau. b) a

Leia mais

Direitos reservados Domingos Sávio Rodrigues Alves Uso gratuito, permitido sob a licença Creative Commons 1

Direitos reservados Domingos Sávio Rodrigues Alves Uso gratuito, permitido sob a licença Creative Commons 1 1 O caminho da harmonia. Colossenses 3 e 4 Col 3:1-3 Introdução: Portanto, já que vocês ressuscitaram com Cristo, procurem as coisas que são do alto, onde Cristo está assentado à direita de Deus. Mantenham

Leia mais

IV EDIPE Encontro Estadual de Didática e Prática de Ensino 2011 A IMPORTÂNCIA DAS ARTES NA FORMAÇÃO DAS CRIANÇAS DA EDUCAÇÃO INFANTIL

IV EDIPE Encontro Estadual de Didática e Prática de Ensino 2011 A IMPORTÂNCIA DAS ARTES NA FORMAÇÃO DAS CRIANÇAS DA EDUCAÇÃO INFANTIL A IMPORTÂNCIA DAS ARTES NA FORMAÇÃO DAS CRIANÇAS DA EDUCAÇÃO INFANTIL Marília Darc Cardoso Cabral e Silva 1 Tatiane Pereira da Silva 2 RESUMO Sendo a arte uma forma do ser humano expressar seus sentimentos,

Leia mais

Curso de Capacitação em Bullying

Curso de Capacitação em Bullying Curso de Capacitação em Bullying Segundo pesquisa do Instituto Cidadania e da Fundação Perseu Abramo, a violência é o tema que mais preocupa os brasileiros entre 15 e 24 anos (55% do total), à frente de

Leia mais

ENTRE FERAS CAPÍTULO 16 NOVELA DE: RÔMULO GUILHERME ESCRITA POR: RÔMULO GUILHERME

ENTRE FERAS CAPÍTULO 16 NOVELA DE: RÔMULO GUILHERME ESCRITA POR: RÔMULO GUILHERME ENTRE FERAS CAPÍTULO 16 NOVELA DE: RÔMULO GUILHERME ESCRITA POR: RÔMULO GUILHERME CENA 1. HOSPITAL. QUARTO DE. INTERIOR. NOITE Fernanda está dormindo. Seus pulsos estão enfaixados. Uma enfermeira entra,

Leia mais

3º Ano. O amor é paciente. I Coríntios 13:4. Roteiro Semanal de Atividades de Casa (15 a 19 de abril de 2013)

3º Ano. O amor é paciente. I Coríntios 13:4. Roteiro Semanal de Atividades de Casa (15 a 19 de abril de 2013) 3º Ano O amor é paciente. I Coríntios 13:4 Roteiro Semanal de Atividades de Casa (15 a 19 de abril de 2013) 18 de Abril - Dia Nacional do Livro Infantil conhecimento. Nos livros aprendemos sobre nós mesmos

Leia mais

HISTÓRIAS EM QUADRINHOS. 01- Quem são os personagens que dialogam na história? R.:

HISTÓRIAS EM QUADRINHOS. 01- Quem são os personagens que dialogam na história? R.: PROFESSOR: EQUIPE DE PORTUGUÊS BANCO DE QUESTÕES - PRODUÇÃO TEXTUAL - 6º ANO - ENSINO FUNDAMENTAL ============================================================================================= Querido(a)

Leia mais

1. No último ano, alguém fez uso da força para te tirar algo (roubar) que tu transportavas ou vestias?

1. No último ano, alguém fez uso da força para te tirar algo (roubar) que tu transportavas ou vestias? Questionário de Vitimação Juvenil Versão curta, Formato retrospectivo para Jovens (Magalhães, 2008; Adaptado de Hamby, Finkelhor, Ormrod & Turner, 2004) De seguida serão apresentadas algumas questões acerca

Leia mais

Solidariedade - É uma empatia fundamental com as causas das famílias mais excluídas, que nos move a # querer estar e trabalhar junto com elas.

Solidariedade - É uma empatia fundamental com as causas das famílias mais excluídas, que nos move a # querer estar e trabalhar junto com elas. BRIEF INSTITUCIONAL 2015 QUEM SOMOS TETO é uma organização presente na América Latina e no Caribe, que busca superar a situação de pobreza em que vivem milhões de pessoas nos assentamentos precários, através

Leia mais

Aula 13.2 Conteúdo: O Quinhentismo: os jesuítas e o trabalho missionário INTERATIVIDADE FINAL LÍNGUA PORTUGUESA DINÂMICA LOCAL INTERATIVA

Aula 13.2 Conteúdo: O Quinhentismo: os jesuítas e o trabalho missionário INTERATIVIDADE FINAL LÍNGUA PORTUGUESA DINÂMICA LOCAL INTERATIVA Aula 13.2 Conteúdo: O Quinhentismo: os jesuítas e o trabalho missionário Habilidades: Conhecer o trabalho missionário jesuítico na figura de seu principal mentor: Padre José de Anchieta Revisão 1º Período

Leia mais

O livro que falava com o vento e outros contos

O livro que falava com o vento e outros contos LER a partir dos 10 anos GUIA DE LEITURA MARIAALZIRACABRAL O livro que falava com o vento e outros contos JOSÉ JORGE LETRIA Ilustrações de Alain Corbel Apresentação da obra O Livro Que Falava com o Vento

Leia mais

SUPLEMENTO DE ATIVIDADES

SUPLEMENTO DE ATIVIDADES SUPLEMENTO DE ATIVIDADES NOME: N O : ESCOLA: SÉRIE: 1 Considerado um dos mais importantes escritores de todos os tempos, Edgar Allan Poe se inscreveu na história da literatura mundial com seu estilo inconfundível.

Leia mais

LINGUAGEM E ARGUMENTAÇÃO JURÍDICA

LINGUAGEM E ARGUMENTAÇÃO JURÍDICA AULA 11 PG 1 Este material é parte integrante da disciplina Linguagem e Argumentação Jurídica oferecido pela UNINOVE. O acesso às atividades, as leituras interativas, os exercícios, chats, fóruns de discussão

Leia mais

Família. Escola. Trabalho e vida econômica. Vida Comunitária e Religião

Família. Escola. Trabalho e vida econômica. Vida Comunitária e Religião Família Qual era a profissão dos seus pais? Como eles conciliavam trabalho e família? Como era a vida de vocês: muito apertada, mais ou menos, ou viviam com folga? Fale mais sobre isso. Seus pais estudaram

Leia mais

Alcance Social. Kerigma Social. Assistência Social

Alcance Social. Kerigma Social. Assistência Social IBC FBC Kerigma Jr Bazar Atendimento Médico Alcance Social Celebrando a Restauração Assistência Social Kerigma Social Apoio a ações IBC Ecovidas Comunidade Santa Fé MISSÃO IBC Amar a Deus sobre todas as

Leia mais

IGREJA CRISTÃ MARANATA PRESBITÉRIO ESPÍRITO SANTENSE EM EFÉSIOS 2.8 PAULO VINCULA A SALVAÇÃO À FÉ QUE VEM DE DEUS.

IGREJA CRISTÃ MARANATA PRESBITÉRIO ESPÍRITO SANTENSE EM EFÉSIOS 2.8 PAULO VINCULA A SALVAÇÃO À FÉ QUE VEM DE DEUS. ESCOLA BÍBLICA DOMINICAL 21-jun-2015 - TEMA: A FÉ Assunto: INTERFERÊNCIAS NO PROCESSO DA SALVAÇÃO Texto fundamental: JOÃO CAP. 9 EM EFÉSIOS 2.8 PAULO VINCULA A SALVAÇÃO À FÉ QUE VEM DE DEUS. COMENTAR OS

Leia mais

PROJETO DE LEITURA A PEDRA NO SAPATO DO HERÓI ORÍGENES LESSA INTENÇÃO: INSTIGAR A CURIOSIDADE E AMPLIAR O REPERTÓRIO DO ALUNO

PROJETO DE LEITURA A PEDRA NO SAPATO DO HERÓI ORÍGENES LESSA INTENÇÃO: INSTIGAR A CURIOSIDADE E AMPLIAR O REPERTÓRIO DO ALUNO PARTE 1 PROJETO DE LEITURA A PEDRA NO SAPATO DO HERÓI ORÍGENES LESSA PRÉ-LEITURA ATIVIDADES ANTERIORES À LEITURA INTENÇÃO: INSTIGAR A CURIOSIDADE E AMPLIAR O REPERTÓRIO DO ALUNO 1. Conhecendo o autor...

Leia mais

Ser humano, sociedade e cultura

Ser humano, sociedade e cultura Ser humano, sociedade e cultura O ser humano somente vive em sociedade! Isolado nenhuma pessoa é capaz de sobreviver. Somos dependentes uns dos outros,e por isso, o ser humano se organiza em sociedade

Leia mais

Natália. Roteiro e direção de André Pellenz. Autoria de Patricia Lopes. Produção de Lara Marujo Hess.

Natália. Roteiro e direção de André Pellenz. Autoria de Patricia Lopes. Produção de Lara Marujo Hess. Natália A série acompanha a trajetória de Natália, uma garota da periferia do Rio de Janeiro, evangélica, virgem e noiva, que aos 18 anos tem a oportunidade de se tornar modelo. Ela precisa então decidir

Leia mais

Por Daniel Favero (*) - 02 Nov 2011

Por Daniel Favero (*) - 02 Nov 2011 Por Daniel Favero (*) - 02 Nov 2011 Diferentemente do que se imagina, Dilma Rousseff não participou do maior roubo praticado por organizações de esquerda para financiar a luta armada contra a ditadura

Leia mais

PET- ALEGRIA 2010. Palavras-chave: crianças, ação social, diversão, solidariedade.

PET- ALEGRIA 2010. Palavras-chave: crianças, ação social, diversão, solidariedade. 1 PET- ALEGRIA 2010 PROJETO DE EXTENSÃO DESENVOLVIDO PELO GRUPO PET (PROGRAMA DE EDUCAÇÃO TUTORIAL) DE ENGENHARIA DE ALIMENTOS DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS. Aline Cristina Milhomem VAZ 1 ; Patrícia

Leia mais

Sal da TERRA e luz do MUNDO

Sal da TERRA e luz do MUNDO Sal da TERRA e luz do MUNDO Sal da terra e luz do mundo - jovens - 1 Apresentação pessoal e CMV Centro Missionário Providência Canto: vós sois o sal da terra e luz do mundo... MOTIVAÇÃO: Há pouco tempo

Leia mais

CONSTRUÇÃO DO EU LÍRICO E O RETRATO NA POETICA CECÍLIA MEIRELES

CONSTRUÇÃO DO EU LÍRICO E O RETRATO NA POETICA CECÍLIA MEIRELES CONSTRUÇÃO DO EU LÍRICO E O RETRATO NA POETICA CECÍLIA MEIRELES Silvia Eula Muñoz¹ RESUMO Neste artigo pretendo compartilhar os diversos estudos e pesquisas que realizei com orientação do Prof. Me. Erion

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Coordenação de Biblioteca INAUGURAÇÃO DA «CASA DE CULTURA JORGE

Leia mais

LEMA: EU VIM PARA SERVIR (Mc 10,45) TEMA: FRATERNIDADE: IGREJA E SOCIEDADE

LEMA: EU VIM PARA SERVIR (Mc 10,45) TEMA: FRATERNIDADE: IGREJA E SOCIEDADE LEMA: EU VIM PARA SERVIR (Mc 10,45) TEMA: FRATERNIDADE: IGREJA E SOCIEDADE Introdução A CF deste ano convida-nos a nos abrirmos para irmos ao encontro dos outros. A conversão a que somos chamados implica

Leia mais

CINEMA E PÓS-MODERNIDADE

CINEMA E PÓS-MODERNIDADE CINEMA E PÓS-MODERNIDADE Clarissa Souza Palomequé Urbano 2010 www.lusosofia.net Covilhã, 2009 FICHA TÉCNICA Título: Cinema e Pós-modernidade: Brilho eterno de uma mente sem lembranças e os relacionamentos

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Coordenação de Biblioteca 05 DE AGOSTO PALÁCIO DO PLANALTO

Leia mais

Introdução. Introdução

Introdução. Introdução Prof. Dr. ANDERSON SONCINI PELISSARI Introdução O propósito do marketing e satisfazer as necessidades e desejos dos clientes-alvo. Dessa forma, a análise do comportamento do consumidor visa identificar

Leia mais

VIOLÊNCIA, A NOVA ORDEM MUNDIAL? Guila Azevedo

VIOLÊNCIA, A NOVA ORDEM MUNDIAL? Guila Azevedo Nome: N.º: endereço: data: Telefone: E-mail: Colégio PARA QUEM CURSA A 1 ạ SÉRIE DO ENSINO MÉDIO EM 2014 Disciplina: PoRTUGUÊs Prova: desafio nota: VIOLÊNCIA, A NOVA ORDEM MUNDIAL? Guila Azevedo Não me

Leia mais

A aproximação intercultural entre os romances de formação "Doidinho" e "Die Verwirrung des Zöglings Törless.

A aproximação intercultural entre os romances de formação Doidinho e Die Verwirrung des Zöglings Törless. Cristiane Maria Bindewald Universidade Federal do Paraná A aproximação intercultural entre os romances de formação "Doidinho" e "Die Verwirrung des Zöglings Törless. Este trabalho é resultado do nosso

Leia mais

3º Bimestre Pátria amada AULA: 127 Conteúdos:

3º Bimestre Pátria amada AULA: 127 Conteúdos: CONTEÚDO E HABILIDADES FORTALECENDO SABERES DESAFIO DO DIA DINÂMICA LOCAL INTERATIVA I 3º Bimestre Pátria amada AULA: 127 Conteúdos: Elaboração de cenas e improvisação teatral de textos jornalísticos.

Leia mais

Porque Galeano escreve, eu sonho, porque sonho, eu não sou...

Porque Galeano escreve, eu sonho, porque sonho, eu não sou... Léolo, o personagem do belíssimo filme de Jean-Claude Lauzon, cercado pela loucura e pelo horror, repetia: Porque eu sonho, não estou louco, porque eu sonho, eu não sou... Galeano compartilha conosco um

Leia mais

LISTA DE EXERCÍCIOS P1 2º BIMESTRE. São obras que exemplificam o surto do romance a que se refere o crítico:

LISTA DE EXERCÍCIOS P1 2º BIMESTRE. São obras que exemplificam o surto do romance a que se refere o crítico: Lista de Exercícios Pré Universitário Uni-Anhanguera Aluno(a): Nº. Professor: Daniel Série: 3º ano Disciplina: Literatura Data da prova: 16/04/2014. LISTA DE EXERCÍCIOS P1 2º BIMESTRE 01. (PUCCAMP -SP)

Leia mais

A Corte Chegou Cândida Vilares e Vera Vilhena PROJETO DE LEITURA. Ficha Autoras: Romance histórico. As autoras A vivência como professoras

A Corte Chegou Cândida Vilares e Vera Vilhena PROJETO DE LEITURA. Ficha Autoras: Romance histórico. As autoras A vivência como professoras A Corte Chegou Cândida Vilares e Vera Vilhena PROJETO DE LEITURA 1 As autoras A vivência como professoras foi a base de trabalho das autoras. Na sala de aula, puderam conviver com a realidade de leitura

Leia mais

1. A ESTRELA E A LUA

1. A ESTRELA E A LUA 1. A ESTRELA E A LUA A ESTRELA E A LUA ERAM DUAS IRMÃS COSME E DAMIÃO TAMBÉM SÃO DOIS IRMÃOS OXALÁ E OGUM GUIA NOSSOS PASSOS SOMOS FILHOS DE UMBANDA QUE BALANÇA MAIS NÃO C 2. CADE DOUM COSME E DAMIÃO,

Leia mais

Banda de rock Pau com Arame

Banda de rock Pau com Arame Banda de rock Pau com Arame A banda de rock Pau com Arame, de Belo Horizonte, foi formada em 1997 e trouxe para o mundo o rock "elíptico", moderno e original enfocando temas atuais e retratando o cotidiano

Leia mais

CAPITÃES DA AREIA JORGE AMADO

CAPITÃES DA AREIA JORGE AMADO CAPITÃES DA AREIA JORGE AMADO - 1937 O AUTOR: JORGE AMADO Baiano, apaixonado pela Bahia. Formou-se em direito pela UFRJ e foi quando entrou em contato com o comunismo. Foi o escritor brasileiro mais traduzido,

Leia mais

Concurso Público para Admissão ao Bacharelado

Concurso Público para Admissão ao Bacharelado Concurso Público para Admissão ao Bacharelado em Ciências Policiais de Segurança e Ordem Pública da Polícia Militar do Estado de São Paulo Assinatura do Candidato 2. Prova de Escolaridade (Parte II) INSTRUÇÕES

Leia mais

Colégio Visconde de Porto Seguro

Colégio Visconde de Porto Seguro Colégio Visconde de Porto Seguro Unidade I 2011 AULA 1 Ensino Fundamental e Ensino Médio Atividade de Recuperação Contínua Nome do (a) Aluno (a): Atividade de Recuperação Contínua de Ciências Nível I Classe:

Leia mais

Leya Leituras Projeto de Leitura

Leya Leituras Projeto de Leitura Leya Leituras Projeto de Leitura Nome do livro: JAPĨĨ E JAKÃMĨ Uma história de amizade Autor: Yaguarê Yamã Nacionalidade do autor: Brasileira Currículo do autor: Escritor, professor e artista plástico

Leia mais

O PAPEL DOS OS ESPAÇOS PEDAGÓGICOS ESCOLARES NO DESENOLVIMENTO SUSTENTÁVEL DAS PRÁTICAS DE LEITURA

O PAPEL DOS OS ESPAÇOS PEDAGÓGICOS ESCOLARES NO DESENOLVIMENTO SUSTENTÁVEL DAS PRÁTICAS DE LEITURA O PAPEL DOS OS ESPAÇOS PEDAGÓGICOS ESCOLARES NO DESENOLVIMENTO SUSTENTÁVEL DAS PRÁTICAS DE LEITURA Resumo SAMPAIO, Wany Bernardete de Araujo 1 - UNIR Grupo de Trabalho Práticas e Estágios nas Licenciaturas

Leia mais

MEMÓRIAS DE UM SARGENTO DE MILÍCIAS E SUAS ADAPTAÇÕES

MEMÓRIAS DE UM SARGENTO DE MILÍCIAS E SUAS ADAPTAÇÕES MEMÓRIAS DE UM SARGENTO DE MILÍCIAS E SUAS ADAPTAÇÕES Simone de Souza Burguês (PIBIC/CNPq-UEM), Mirian Hisae Yaegashi Zappone (Orientadora), e-mail: mirianzappone@gmail.com Universidade Estadual de Maringá/Departamento

Leia mais