BIOLOGIA FRENTE 3 CADERNO TETRA 4

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "BIOLOGIA FRENTE 3 CADERNO TETRA 4"

Transcrição

1 BIOLOGIA FRENTE 3 CADERNO TETRA 4 1

2 Caro(a) professor(a), O Manual do Professor constitui uma importante ferramenta para o uso dos cadernos de sala da Coleção Pré-vestibular do Sistema de Ensino Poliedro (SEP) pelo corpo docente de nossas Unidades Parceiras. O objetivo é fomentar o conhecimento dos recursos contidos nas coleções para maximizar a utilização dos materiais didáticos e possibilitar maiores resultados pedagógicos. Neste Manual, descrevemos a estrutura e as seções contidas nos cadernos, fornecendo observações que podem ajudá-lo(a) em sua dinâmica de ensino. Apresentamos também as resoluções dos exercícios que serão trabalhados como norteadoras à prática do professor e possíveis exercícios opcionais como oportunidade de aprofundamento e completude do tempo despendido para as aulas. Os cadernos possibilitam uma prática efetiva do aprendizado em sala de aula e, quando utilizados em consonância com a fundamentação teórica contida nos livros de teoria, oferecem ao aluno um aprendizado ainda mais amplo e completo. Estimulamos o uso dos temas das aberturas dos capítulos e dos textos da seção Texto complementar como pontos de partida para discussões em sala e como fontes de conhecimento e curiosidades acerca dos assuntos da teoria. Indicamos também o acesso aos diversos recursos que o Portal do Sistema Poliedro (< oferece ao docente, como a análise de vestibulares, aulas-dica, características e estrutura da coleção, matrizes de aula sugeridas e utilizadas nas Unidades Sede, os Planejamentos dos cadernos de sala para as diferentes turmas, as resoluções das questões presentes nos livros, videoaulas dos autores e também vídeos sobre as disciplinas da coleção. Além desses recursos, oferecemos materiais que complementam o caderno e ampliam a formação dos alunos do PV, tais como: Minuto de Leitura; Leia Agora; Balcão de Redação; e Banco de Questões. Destacamos a importância da visualização dos relatórios e devolutivas dos simulados contidos no EDROS como insumos para análise docente e da coordenação, visando potencializar as aulas e os resultados acadêmicos. Todas as iniciativas do SEP em oferecer recursos, ferramentas e materiais voltados à formação do aluno, garantindo um rigor acadêmico almejado pelas escolas parceiras, buscam apoiar o docente; mas, vale ressaltar, o professor se mantém como principal protagonista da prática pedagógica, tendo total autonomia na utilização dos recursos oferecidos. Esperamos que explore cada uma das ferramentas disponibilizadas e que conte com o SEP para quaisquer esclarecimentos. Sistema de Ensino Poliedro 2

3 Sumário Manual do Professor Estrutura geral dos cadernos... 4 Aulas... 5 Exercícios de Sala... 6 Guia de estudo... 7 Orientações específicas... 7 Orientações: Aulas 49 a Resoluções Orientações: Aulas 53 a Resoluções Orientações: Aulas 57 e Resoluções Orientações: Aulas 59 e Resoluções

4 ESTRUTURA GERAL DOS CADERNOS Os cadernos de sala, usados em conjunto com os livros de teoria, sintetizam e facilitam a compreensão dos assuntos estudados. Todas as aulas apresentam os principais tópicos de cada tema abordado e oferecem exercícios que permitem enriquecer a discussão em sala de aula e contribuir com a fixação do aprendizado. Assim como nos livros, as disciplinas nos cadernos são divididas em frentes, que devem ser trabalhadas paralelamente. Essa divisão não só facilita a organização dos estudos como permite uma visão ainda mais sistêmica dos tópicos abordados em cada disciplina. A organização das atividades foi elaborada para aumentar a eficiência do trabalho em sala: > 2013 > PRÉ-VESTIBULAR > CADERNOS > TETRA > TETRA 4 [2013] / LARGURA: 205 / ALTURA: 275 / ESPIRAL / PAGINAS: 400 / ANTONIO / (16:10) O estudo de Biologia é dividido em três frentes apresentadas em sequência. No caderno Tetra 4, as páginas de 391 a 416 contêm as aulas referentes à Frente 3 dessa disciplina. O sumário, ferramenta que deve ser divulgada pelos professores, conta com um controle no qual o aluno pode organizar sua rotina de aulas e estudos, tendo uma visualização rápida de seu avanço pelos tópicos estudados. 1 2 BIOLOGIA 3 Prof.: Aula Estudo Aulas 49 e Aulas 51 e Aulas 53 e Aulas 55 e Aulas 57 e Aulas 59 e Prof.: Aula Estudo Aulas 49 e Aulas 51 e Aulas 53 e Aulas 55 e Aulas 57 a Prof.: Aula Estudo Aulas 49 a Aulas 53 a Aulas 57 e Aulas 59 e Número das aulas. 2 Frente da disciplina. 3 Controle de aulas dadas e tópicos estudados em casa.

5 AULAS Respeitando o Planejamento para o Professor disponibilizado na Área Exclusiva, todas as aulas apresentam um resumo esquemático do tópico trabalhado no livro, sintetizando os principais conhecimentos estudados. 1 BIOLOGIA 3 Aulas 49 a 52 Sistema endócrino 2 Hormônios e glândulas endócrinas Hormônios Substâncias produzidas em glândula endócrina, transportadas pelo sangue e que atuam em pequenas quantidades sobre o órgão-alvo. Podem ser de origem peptídica, lipídica e de aminoácidos. Célula endócrina Hormônio 392 BIOLOGIA Corrente sanguínea Célula-alvo A coordenação hormonal envolve a participação do sangue, que transporta os hormônios gerados em glândulas endócrinas até as células-alvo sobre as quais atuam. Glândulas endócrinas Pituitária (hipófise) Controla outras glândulas Tireoide Regula a taxa do metabolismo Paratireoides Aumentam os níveis de cálcio no sangue Adrenais Respondem aos níveis de açúcar e de sal Pâncreas Controla os níveis de açúcar no sangue Ovários Regulam o ciclo menstrual, o desenvolvimento dos seios e a ovulação Testículos Responsáveis pelas características sexuais masculinas secundárias e pela produção de espermatozoides As funções gerais das principais glândulas endócrinas. Controle do nível hormonal O excesso de um hormônio: inibe sua produção: feedback negativo. estimula sua produção: feedback positivo. Hipófise (glândula pituitária) Dividida em: adeno-hipófise (hipófise anterior). neuro-hipófise (hipófise posterior). Ligada ao hipotálamo, que secreta: hormônios acumulados na neuro-hipófise. substâncias que controlam a atividade da adeno-hipófise na produção de hormônios. Glândula Neuro-hipófise Adeno-hipófise Hormônio ADH (vasopressina): hormônio antidiurético Ocitocina Prolactina: hormônio lactogênico GH (somatotrofina): hormônio de crescimento Trofinas Gonadotrofinas: LH (hormônio luteinizante) e FSH (hormônio foliculestimulante) TSH (tireotrofina): hormônio estimulante da tireoide ACTH: hormônio adrenocorticotrófico Ação Reabsorção de água nos néfrons. Aumento: ocasiona urina concentrada. Redução: ocasiona urina abundante e diluída. Produção inibida por água e álcool. Distúrbio: Falta: ocasiona grande perda urinária (diabetes insípido). Expulsão do leite. Contração do útero. Apresenta feedback positivo. Produção de leite. Aumento das mamas. Elongação dos ossos. Divisão celular. Síntese de proteínas. Distúrbios: Na criança: Falta: ocasiona nanismo (anão). Excesso: ocasiona gigantismo. No adulto: Excesso: ocasiona acromegalia (crescimento de extremidades, como queixo, dedos). Estimulam testículos e ovários. Estimula a tireoide. Estimula o córtex das suprarrenais. Ação dos hormônios produzidos pela neuro-hipófise e pela adeno-hipófise. 3 1 Disciplina, frente e número das aulas. 2 Título das aulas. 3 Resumo do assunto estudado por meio de tópicos, diagramas e ilustrações. 5

6 EXERCÍCIOS DE SALA Em cada aula há a proposta de questões, muitas delas retiradas de importantes exames vestibulares de todo o Brasil, a serem feitas com o professor, com toda a classe e/ou individualmente pelos alunos. Nesse momento, aspectos relevantes da aula são retomados, dando oportunidade ao professor e aos alunos de discutirem possíveis dificuldades. Todos os exercícios têm sua resolução apresentada neste Manual. Aulas 49 a 52 Glucagon: Produzido pelas células alfa do órgão. Converte glicogênio em glicose, que é enviada ao sangue para suprir necessidade energética. Somatostatina: Inibe a secreção de insulina e de glucagon. Após refeição (hiperglicemia) Tempo depois (hipoglicemia) Glicose Sangue Insulina Glucagon Células hepáticas Glicogênio Controle de glicemia por hormônios pancreáticos: a hiperglicemia estimula o pâncreas a liberar insulina. A hipoglicemia estimula-o a liberar glucagon. Distúrbio Falta de insulina ocasiona: Diabetes mellitus. Glicosúria (excesso de glicose na urina). Presença de corpos cetônicos no organismo (resultantes da degradação de gorduras). Outras glândulas Glândula Hormônios Ação Paratireoides Adrenais (suprarrenais) Córtex Paratormônio (PTH) Glicorticoides: Cortisolz Cortisona Mineralocorticoides: Aldosterona Hormônios androgênicos Aumenta a concentração de cálcio no sangue. Absorção a partir do intestino e dos ossos. Conversão de proteínas em carboidratos (cortisol). Ação anti-inflamatória (cortisona). Aumenta a reabsorção de sódio nos néfrons. Eleva pressão arterial. Características sexuais secundárias masculinas. Medula Adrenalina e noradrenalina Taquicardia. Elevação da glicemia. Ação dos hormônios liberados por algumas glândulas endócrinas. 1 Exercícios de Sala 2 1 Unimep 2013 Glândula que exerce extrema importância no controle de funções endócrinas, controlando direta ou indiretamente outras glândulas através de seus hormônios de ação trófica. A afirmação acima refere-se à glândula: (a) tireoide. (b) paratireoide. (c) suprarrenal. (d) hipófise. (e) pâncreas. 2 Mackenzie 2010 O aumento da perda de água por transpiração tem como principal consequência: (a) o aumento da produção de ADH, visando diminuir a produção de urina. (b) o aumento da produção de células sanguíneas, visando provocar aumento de pressão arterial. (c) a diminuição da frequência respiratória, visando diminuir a perda de água na respiração. (d) o aumento da reabsorção de água pelo intestino. (e) a diminuição da velocidade dos movimentos peristálticos. 394 BIOLOGIA 6 1 Além das questões do livro, uma seção de exercícios, específicos sobre o assunto das aulas, é apresentada. 2 Questões possibilitam a fixação dos conteúdos estudados e oferecem preparação adicional aos alunos.

7 GUIA DE ESTUDO Ao final de cada aula, o caderno de sala oferece um guia que orienta o aluno para os estudos que serão realizados em casa. A seção Guia de estudo direciona a leitura, no livro de teoria, dos assuntos que foram tratados em aula. Além disso, indica exercícios pertinentes a serem resolvidos, visando consolidar o conhecimento adquirido em sala. Considerando que o tempo de estudo em casa deve ser cumprido de forma satisfatória para o aluno, esse Guia de estudos é pensado com bastante cuidado. Ao indicar o número de exercícios a serem feitos, consideram-se o tempo destinado à leitura da teoria e também o tempo que será despendido para a resolução das questões. Assim, o resultado é a satisfação do aluno, que consegue cumprir suas metas diárias de estudo em um tempo possível. 1 3 GUIA DE ESTUDO Biologia / Livro 4 / Frente 3 / Capítulo 18 I. Leia as páginas de 189 a 195. II. Faça os exercícios 3, de 6 a 13, 15 e de 19 a 23 da seção Revisando. III. Faça os exercícios propostos 1, 2, 5, 7 e Indicação de disciplina, livro, frente e capítulo correspondentes à aula. 2 Localização das páginas do livro com a teoria estudada. 3 Seleção de exercícios. ORIENTAÇÕES ESPECÍFICAS Embora seja uma área do conhecimento considerada nova, apenas a nomenclatura Biologia é recente. O estudo dos seres vivos é muito antigo e tomou forma ao longo do tempo. Desde os naturalistas e xamãs até as grandes farmacêuticas atuais, o estudo de plantas medicinais, por exemplo, encanta menos pelas respostas que ele traz e mais pelas novas perguntas que ele nos permite fazer. Durante sua evolução, a Biologia deixou de ser uma ciência simplesmente classificatória para se transformar em uma ciência capaz de questionar seus critérios de classificação, revê-los e alterá-los quando necessário, dando ênfase nos diversos aspectos da vida. A principal dificuldade em se trabalhar com Biologia é a amplitude do seu campo de atuação, que é tão diverso quanto os seres vivos que ela estuda. O material do Sistema de Ensino Poliedro pretende mostrar essa diversidade, explorando as relações entre as diferentes áreas da Biologia e suas relações com outras disciplinas, não só com a Química e a Física nas chamadas ciências da natureza, mas também com a História, a Geografia, a Matemática, com todo o conhecimento humano, e como essa ciência se desenvolve com essas relações. Enfim, tratá- -la como uma ciência capaz de levar a novas perguntas e novas respostas, e não como uma disciplina estática. O estudo da Biologia no Sistema de Ensino Poliedro é dividido em três frentes, de forma que facilite a compreensão dos tópicos abordados e ajude o aluno a perceber a relação entre conceitos que parecem distantes. O material tem os temas atuais mais discutidos em provas e exames (questões ambientais, biotecnologia etc.) e também a parte clássica da biologia, como as leis de Mendel e as ideias de Darwin. A Frente 1 aborda principalmente citologia e genética; a Frente 2 aborda evolução, ecologia e organismos vegetais; e a Frente 3 traz zoologia e fisiologia; todos os temas são estruturados de forma que uma frente dê suporte à outra, com os tópicos se relacionando de maneira harmoniosa. O material é completo e atualizado, trazendo abordagens recentes e uma rica seleção de questões de diferentes vestibulares, permitindo ao aluno ter uma formação consistente. 7

8 BIOLOGIA 3 Aulas 49 a 52 Sistema endócrino Hormônios e glândulas endócrinas Hormônios Substâncias produzidas em glândula endócrina, transportadas pelo sangue e que atuam em pequenas quantidades sobre o órgão-alvo. Podem ser de origem peptídica, lipídica e de aminoácidos. Célula endócrina Hormônio Corrente sanguínea Célula-alvo A coordenação hormonal envolve a participação do sangue, que transporta os hormônios gerados em glândulas endócrinas até as células-alvo sobre as quais atuam. Glândulas endócrinas Pituitária (hipófise) Controla outras glândulas Tireoide Regula a taxa do metabolismo Paratireoides Aumentam os níveis de cálcio no sangue Adrenais Respondem aos níveis de açúcar e de sal Pâncreas Controla os níveis de açúcar no sangue Ovários Regulam o ciclo menstrual, o desenvolvimento dos seios e a ovulação Testículos Responsáveis pelas características sexuais masculinas secundárias e pela produção de espermatozoides As funções gerais das principais glândulas endócrinas. Controle do nível hormonal O excesso de um hormônio: inibe sua produção: feedback negativo. estimula sua produção: feedback positivo. Hipófise (glândula pituitária) Dividida em: adeno-hipófise (hipófise anterior). neuro-hipófise (hipófise posterior). Ligada ao hipotálamo, que secreta: hormônios acumulados na neuro-hipófise. substâncias que controlam a atividade da adeno-hipófise na produção de hormônios. Glândula Neuro-hipófise Adeno-hipófise Hormônio ADH (vasopressina): hormônio antidiurético Ocitocina Prolactina: hormônio lactogênico GH (somatotrofina): hormônio de crescimento Trofinas Gonadotrofinas: LH (hormônio luteinizante) e FSH (hormônio foliculestimulante) TSH (tireotrofina): hormônio estimulante da tireoide ACTH: hormônio adrenocorticotrófico Ação Reabsorção de água nos néfrons. Aumento: ocasiona urina concentrada. Redução: ocasiona urina abundante e diluída. Produção inibida por água e álcool. Distúrbio: Falta: ocasiona grande perda urinária (diabetes insípido). Expulsão do leite. Contração do útero. Apresenta feedback positivo. Produção de leite. Aumento das mamas. Elongação dos ossos. Divisão celular. Síntese de proteínas. Distúrbios: Na criança: Falta: ocasiona nanismo (anão). Excesso: ocasiona gigantismo. No adulto: Excesso: ocasiona acromegalia (crescimento de extremidades, como queixo, dedos). Estimulam testículos e ovários. Estimula a tireoide. Estimula o córtex das suprarrenais. Ação dos hormônios produzidos pela neuro-hipófise e pela adeno-hipófise. 392 BIOLOGIA 8 Orientações Tratar de hormônios e glândulas endócrinas. Falar do controle do nível hormonal e de algumas glândulas endócrinas (hipófise, tireoide, pâncreas, paratireoide e adrenais), seus hormônios e distúrbios.

9 Aulas 49 a 52 Hipotálamo Neurossecreção Glândula mamária (expulsão do leite) Adeno-hipófise (anterior) Hormônios liberados Ocitocina Neuro-hipófise (posterior) Antidiurético Contrações do útero Néfron Somatotrófico Gonadotrófico Tireotrófico Adrenocorticotrófico Prolactina Aldosterona Osso Gônadas Tireoide Suprarrenal Glândula mamária (produção de leite) Os hormônios hipofisários exercem controle da atividade de diversas estruturas do organismo. Tireoide Hormônios A tireoide é responsável pela produção dos hormônios: Calcitonina: diminui a concentração de cálcio no sangue, transferindo-o para os ossos (efeito contrário ao do paratormônio). T3 (tri-iodotironina) e T4 (tetraiodotironina, ou tiroxina): contêm iodo na composição. estimulam o metabolismo (respiração celular e síntese proteica). T4 Hipotálamo + TSH Tireoide + T4 + Metabolismo Controle de produção de hormônios tireoidianos: o hipotálamo é o responsável por estimular a hipófise a produzir TSH, que estimula (+) a tireoide a produzir T4. Este hormônio é estimulante (+) do metabolismo celular, mas concentrações elevadas de T4 inibem ( ) o hipotálamo a desencadear a liberação de TSH. Distúrbios Hipertireoidismo: Representa aumento da atividade da tireoide que ocasiona: elevação de metabolismo, taquicardia, aumento de pressão arterial, diminuição de peso, nervosismo, exoftalmia (aumento do volume do globo ocular). Bócio: é o aumento de volume da tiroide. Bócio endêmico: é causado pela falta de iodo na dieta. Hipotireoidismo: Diminuição da atividade da tireoide. Redução de metabolismo, indolência, aumento de peso. Em crianças pode produzir nanismo e cretinismo. Pâncreas Hormônios A produção de hormônios no pâncreas ocorre nas ilhotas pancreáticas (ou ilhotas de Langerhans). São eles: Insulina: Produzido pelas células beta do órgão. Facilita a entrada da glicose do sangue nas células. Atua na conversão de glicose em glicogênio no fígado. TETRA IV BIOLOGIA 393 9

10 Aulas 49 a 52 Glucagon: Produzido pelas células alfa do órgão. Converte glicogênio em glicose, que é enviada ao sangue para suprir necessidade energética. Somatostatina: Inibe a secreção de insulina e de glucagon. Após refeição (hiperglicemia) Tempo depois (hipoglicemia) Glicose Sangue Insulina Glucagon Células hepáticas Glicogênio Controle de glicemia por hormônios pancreáticos: a hiperglicemia estimula o pâncreas a liberar insulina. A hipoglicemia estimula-o a liberar glucagon. Distúrbio Falta de insulina ocasiona: Diabetes mellitus. Glicosúria (excesso de glicose na urina). Presença de corpos cetônicos no organismo (resultantes da degradação de gorduras). Outras glândulas Glândula Hormônios Ação Paratireoides Adrenais (suprarrenais) Córtex Paratormônio (PTH) Glicorticoides: Cortisolz Cortisona Mineralocorticoides: Aldosterona Hormônios androgênicos Aumenta a concentração de cálcio no sangue. Absorção a partir do intestino e dos ossos. Conversão de proteínas em carboidratos (cortisol). Ação anti-inflamatória (cortisona). Aumenta a reabsorção de sódio nos néfrons. Eleva pressão arterial. Características sexuais secundárias masculinas. Medula Adrenalina e noradrenalina Taquicardia. Elevação da glicemia. Ação dos hormônios liberados por algumas glândulas endócrinas. Exercícios de Sala 1 Unimep 2013 Glândula que exerce extrema importância no controle de funções endócrinas, controlando direta ou indiretamente outras glândulas através de seus hormônios de ação trófica. A afirmação acima refere-se à glândula: (a) tireoide. (b) paratireoide. (c) suprarrenal. (d) hipófise. (e) pâncreas. 2 Mackenzie 2010 O aumento da perda de água por transpiração tem como principal consequência: (a) o aumento da produção de ADH, visando diminuir a produção de urina. (b) o aumento da produção de células sanguíneas, visando provocar aumento de pressão arterial. (c) a diminuição da frequência respiratória, visando diminuir a perda de água na respiração. (d) o aumento da reabsorção de água pelo intestino. (e) a diminuição da velocidade dos movimentos peristálticos. 394 BIOLOGIA 10

11 Aulas 49 a 52 3 UEMG 2011 Leia o texto a seguir: HORMÔNIO DO CRESCIMENTO O que é? É um hormônio existente em todas as pessoas normais, que é produzido pela glândula hipófise, situada na base do crânio. A sua estrutura de aminoácidos é conhecida há mais de 40 anos e há mais de 10 anos foi sintetizado através de técnicas transgênicas, estando disponível para uso em diversas situações. Qual a sua função no organismo? É importante para o crescimento desde os primeiros anos de vida até o fechamento das cartilagens de crescimento dos ossos (epífises), o que ocorre no final da puberdade, em geral, entre os 15 e os 20 anos de idade. Possui também importantes funções no metabolismo, principalmente: aumento da síntese de proteínas (principalmente nos ossos e músculos); diminui a deposição de gorduras em algumas regiões do organismo, como o abdômen e o tronco; aumento das necessidades de insulina pelo organismo; retenção de sódio e eletrólitos; aumento da absorção intestinal e eliminação renal de cálcio. Disponível em: < Acesso em 12 set As informações fornecidas no texto acima e outros conhecimentos que você possui sobre o assunto permitem concluir corretamente que o hormônio do crescimento: (a) tem efeito proteinolítico. (b) tem ação hipoglicemiante. (c) estimula o metabolismo anabólico. (d) reduz a pressão sanguínea. 4 Vunesp/FMJ 2013 Triiodotironina (T3) e tiroxina (T4) são dois hormônios fundamentais para a sintonia do funcionamento do organismo humano. Enquanto o excesso desses hormônios provoca aumento dos batimentos cardíacos e perda de peso, na falta deles, o indivíduo pode apresentar pele seca, cansaço excessivo e o bócio. Assinale a alternativa que indica corretamente o local de produção desses hormônios e sua função. (a) Glândulas suprarrenais reabsorção de água pelos rins e pelo sangue. (b) Hipotálamo determinação das características sexuais secundárias. (c) Glândula tireoide controle da velocidade do metabolismo. (d) Hipófise estímulo ao crescimento. (e) Glândulas paratireoides absorção de cálcio no intestino. 5 Mackenzie 2012 A respeito dos hormônios sintetizados na tireoide, considere I, II, III e IV abaixo. I. São produzidos a partir de um aminoácido. II. Têm como função acelerar o metabolismo basal. III. Apresentam iodo na sua molécula. IV. Sua produção é controlada por nervos cranianos. Assinale: (a) se todas as afirmativas forem corretas. (b) se somente as afirmativas II e III forem corretas. (c) se somente as afirmativas I e IV forem corretas. (d) se somente as afirmativas II, III e IV forem corretas. (e) se somente as afirmativas I, II e III forem corretas. 6 FGV 2010 João e seu amigo Carlos tomaram, cada um deles, dois copos de caldo de cana, ou garapa. Passados trinta minutos, pode-se detectar um aumento considerável na concentração sanguínea de glicose em ambos, mas a glicemia dos dois voltou ao normal algumas horas depois. Após 3 dias, os amigos tomaram, cada um, dois copos de leite, sem adição de açúcar. Trinta minutos depois, notou-se uma elevação na glicemia de João em relação à de Carlos. Carlos, contudo, seis horas após ter bebido o leite, apresentou excesso de gases, dores abdominais e fezes diarreicas. Sobre esses amigos, podemos dizer que: (a) Carlos e João são deficientes na produção de insulina e Carlos também é deficiente na produção de lactase. (b) Carlos e João são deficientes na produção de lactase e João também é deficiente na produção de insulina. (c) João é deficiente na produção de insulina, mas Carlos não o é. (d) Carlos é deficiente na produção de lactase e João é deficiente na produção de insulina. (e) Carlos é deficiente na produção de lactase, mas João não o é. TETRA IV BIOLOGIA

12 Aulas 49 a 52 7 Enem 2012 DAVIS, J. Garfield está de dieta. Porto Alegre: L&PM, A condição física apresentada pelo personagem da tirinha é um fator de risco que pode desencadear doenças como: (a) anemia. (b) beribéri. (c) diabetes. (d) escorbuto. (e) fenilcetonúria. 8 Uece 2011 A glândula que estimula a liberação do cálcio dos ossos, por meio do hormônio que produz, é o(a): (a) pâncreas. (b) paratireoide. (c) hipófise. (d) suprarrenal. 9 Uece 2013 Considere os seguintes hormônios: 1. Glucagon 2. Adrenalina 3. Somatotrofina 4. Noradrenalina 5. Insulina As glândulas responsáveis pela secreção desses hormônios são respectivamente: (a) pâncreas, suprarrenais, hipófise, pâncreas, suprarrenais. (b) suprarrenais, pâncreas, hipófise, suprarrenais, pâncreas. (c) pâncreas, hipófise, suprarrenais, suprarrenais, pâncreas. (d) pâncreas, suprarrenais, hipófise, suprarrenais, pâncreas. 10 Mackenzie 2011 O quadro a seguir apresenta algumas doenças provocadas por alterações hormonais. Diabetes melito Glândula afetada Hormônio Alteração na secreção Pâncreas A B Gigantismo C D Aumento Bócio E F Diminuição Os espaços, A, B, C, D, E e F serão preenchidos correta e respectivamente por: (a) glucagon, diminuição, hipófise, GH, paratireoide e calcitonina. (b) T4, aumento, hipotálamo, FSH, medula da suprarrenal e ocitocina. (c) insulina, diminuição, hipófise, GH, tireoide e tiroxina. (d) glicocorticoide, aumento, paratireoide, adrenalina, tireoide e LH. (e) insulina, diminuição, hipotálamo, ADH, tireoide e ACTH. 11 Uepa 2012 (Adapt.) Ele surge do nada. Tem os músculos enrijecidos e uma arma na mão. Está tão assustado quanto você, mas a voz sai forte: É um assalto!. Diante dessa situação de perigo ou assim considerada pelo organismo, a medula é estimulada pelo sistema nervoso simpático e libera substâncias que aumentam a capacidade do organismo de enfrentar a situação de alarme. Linhares; Gewandsznajder. Biologia. v. único (Adapt.). Sobre a situação descrita, analise o quadro abaixo e assinale a alternativa correta. I II III IV V VI Substâncias Glucagon Adrenalina Adrenalina Glucagon Adrenalina Acetilcolina Ação Aumenta a disponibilidade de glicose lançando-a no sangue. Aumento dos movimentos respiratórios e dos batimentos cardíacos. Contração dos vasos periféricos ocasionando a palidez da pele. Reduz a quantidade de glicose no sangue. Aumento da taxa metabólica e a diminuição das atividades digestivas. Diminuição da disponibilidade de oxigênio e dilatação da pupila. As corretas são: (a) I, II, III e V. (b) I, III, IV e V. (c) II, IV, V e VI. (d) III, IV, V e VI. (e) I, II, III, IV e VI. GUIA DE ESTUDO Biologia / Livro 4 / Frente 3 / Capítulo 17 I. Leia as páginas de 171 a 175. II. Faça os exercícios 3, 4, 7, 9, 10, 13, 14 e 17 da seção Revisando. III. Faça os exercícios propostos 5, 6, 8, 9, 11 e de 13 a BIOLOGIA 12

13 Resoluções Exercícios de Sala 1 Alternativa: D. A hipófise participa do controle da atividade de outras glândulas endócrinas, como ovários, testículos, tireoide e córtex da suprarrenal. 2 Alternativa: A. O hormônio que contribui para o controle do volume urinário é o ADH; o volume de urina está relacionado com a manutenção da quantidade adequada de água no sangue e no fluido intersticial. Assim, quando o indivíduo perde muita água na transpiração, passa a eliminar urina mais concentrada; isso ocorre com a atuação do ADH. 3 Alternativa: C. (a) Incorreta. O hormônio de crescimento promove aumento na síntese de proteínas; isso não significa efeito proteinolítico (hidrólise de proteínas). (b) Incorreta. O hormônio de crescimento aumenta a necessidade de insulina no organismo, mas não é ele que é responsável pela hipoglicemia no sangue, resultante do aumento de insulina. (c) Correta. O efeito anabólico corresponde à formação de moléculas maiores a partir de menores, como na síntese de proteínas necessária durante o crescimento do indivíduo. (d) Incorreta. O hormônio de crescimento promove retenção de sódio, e isso eleva a pressão sanguínea. 4 Alternativa: C. Os hormônios T3 e T4 são produzidos na tireoide e elevam a atividade metabólica. 5 Alternativa: E. Os hormônios tireoidianos T3 e T4 são derivados do aminoácido tirosina, elevam a atividade metabólica e contêm iodo. A IV está incorreta, pois a produção dos hormônios tireoidianos é controlada pela hipófise. 6 Alternativa: E. Os dois indivíduos metabolizam normalmente o açúcar que ingerem (contido no caldo de cana), isso significa que têm produção normal de insulina. João digere o açúcar presente no leite (lactose), e isso provoca elevação de glicemia. Carlos não digere lactose, pois tem produção deficiente de lactase; isso produz distúrbios intestinais e uma glicemia menor que a de João. 7 Alternativa: C. A diabetes pode ser desencadeada por um quadro de obesidade, que compromete o metabolismo do pâncreas. Esse órgão é responsável pela produção de insulina, hormônio que participa da regulação do nível de glicose no sangue. O diabético tem deficiência na produção de insulina. 8 Alternativa: B. As paratireoides produzem o paratormônio, que promove aumento da concentração sanguínea de cálcio, retirado dos ossos. 9 Alternativa: D. Os hormônios e as glândulas que os produzem são: Glucagon: pâncreas. Adrenalina: medula das suprarrenais. Somatotrofina: adeno-hipófise. Noradrenalina: medula das suprarrenais. Insulina: pâncreas. 10 Alternativa: C. Diabetes mellitus é determinada pela diminuição na secreção de insulina pelo pâncreas. Gigantismo é decorrente da produção excessiva do hormônio somatotrófico (GH) pela hipófise. O bócio endêmico está relacionado com a redução da produção de tiroxina pela tireoide. 11 Alternativa: A. Na situação descrita, o glucagon desencadeia a degradação de glicogênio no fígado, e a glicose resultante é lançada na circulação. A ação da adrenalina contribui para a adaptação do organismo à situação descrita, promovendo aumento dos movimentos respiratórios, taquicardia, constrição de vasos periféricos, elevação de taxa metabólica e diminuição de peristaltismo. 13

14 14

15 BIOLOGIA Aulas Sistema reprodutor Sistema reprodutor masculino Produz gametas e hormônios. Inocula gametas no sistema reprodutor feminino. Aspectos anatômicos e funções das estruturas O sistema reprodutor masculino possui: dois testículos protegidos por bolsa escrotal: produzem espermatozoides e hormônios. dois epidídimos: ligados aos testículos; neles, os espermatozoides completam seu desenvolvimento e são armazenados. dois canais deferentes: conduzem espermatozoides até a uretra. um pênis: órgão copulador. glândulas associadas: vesículas seminais, próstata e glândula bulbouretral (produz líquido lubrificante). 53 a 56 A estrutura do pênis e dos testículos O pênis apresenta: glande: extremidade recoberta pelo prepúcio. interior com corpo esponjoso (ao redor da uretra) e dois corpos cavernosos. ereção determinada por aporte de sangue no corpo esponjoso e nos corpos cavernosos. Artéria e nervos dorsais Veias dorsais Envoltório fibroso Pele ATENÇÃO! Corpo esponjoso Sêmen = espermatozoides + secreções nutritivas e de proteção (das vesículas seminais e da próstata) 3 Uretra Corpos cavernosos Corte transversal do pênis: no interior do pênis passa a uretra, envolvida pelo corpo esponjoso. Também há dois corpos cavernosos, artérias e veias. Ureter Ureter Vesícula seminal Bexiga Canal deferente Próstata Glândula bulbouretral Reto Uretra Epidídimo Pênis Ânus Testículo Bolsa escrotal O sistema reprodutor masculino tem íntima relação anatômica com o sistema urinário, compartilhando a uretra como canal de saída do sêmen e da urina. T E TR A IV BIOLOGIA 397 Orientações Caracterizar e explicar os sistemas reprodutores masculino e feminino e diferenciá-los. Tratar dos métodos contraceptivos explicando cada um deles. 15

16 Aulas 53 a 56 Os testículos contêm: túbulos seminíferos: produzem espermatozoides. células intersticiais (células de Leydig): produzem testosterona (hormônio). Epidídimo Canal deferente Célula de Sertoli Espermatogônias Espermatozoides Espermatídios Rede testicular Epidídimo Túbulo seminífero Bolsa escrotal Testículo Células intersticiais (células de Leydig) Espermatócitos I e II Membrana basal Estrutura do testículo: os túbulos seminíferos possuem células sustentaculares (de Sertoli) que nutrem e servem de apoio às células envolvidas na espermatogênese. O sistema reprodutor masculino e os hormônios A hipófise anterior secreta hormônios que atuam sobre os testículos: FSH: estimula a espermatogênese. LH: estimula as células intersticiais a produzirem testosterona. A testosterona determina as características sexuais secundárias masculinas. Sistema reprodutor feminino Produz gametas e hormônios. Recebe gametas masculinos. Abriga o embrião. Aspectos anatômicos e funções das estruturas O sistema reprodutor feminino possui: dois ovários: produzem ovócitos II e hormônios. duas tubas uterinas: canais que ligam os ovários ao útero. um útero: abriga o embrião e tem endométrio (revestimento interno) e miométrio (musculatura lisa). uma vagina: canal que recebe o pênis durante o coito; em seu fundo, encontra-se o colo do útero. Na porção externa da vagina, há a abertura da uretra, o clitóris, os pequenos lábios e os grandes lábios. Ureter Bexiga Reto Uretra Ânus Tuba uterina Ovário Útero Colo do útero Vagina Clitóris Pequenos e grandes lábios A disposição dos componentes do sistema reprodutor feminino. 398 BIOLOGIA 16

17 Aulas 53 a 56 Ciclo menstrual Dura aproximadamente 28 dias. Início: descamação de parte do endométrio (fluxo menstrual). Ovulação: por volta do 14º dia, com a liberação de um ovócito II. Menstruação: ocorre se não houver fecundação. 1 (menstruação) Período fértil 14 dia (ovulação) Cerca de 4 dias antes e 4 dias depois compreende o período fértil. Dia de maior fertilidade. 28 (menstruação) Os principais eventos do ciclo menstrual e a faixa de maior probabilidade de fecundação. Após a menstruação, o endométrio é reconstituído e fica mais espesso, permitindo abrigar o embrião, caso ocorra fecundação. A estrutura dos ovários e a ovulação Nas proximidades da superfície de cada ovário, há ovócitos I (em prófase I). Em cada ciclo menstrual, um ovócito I prossegue seu desenvolvimento em ovócito II. O ovócito é envolto por células foliculares (não reprodutivas), constituindo o folículo ovariano (folículo de De Graaf). Na ovulação, ocorre ruptura do folículo e a liberação do ovócito para a tuba uterina. As células foliculares convertem-se no corpo-lúteo (corpo-amarelo). Sem a ocorrência de fecundação, o corpo-lúteo é convertido em corpo albicans. O sistema reprodutor feminino e os hormônios A hipófise produz hormônios (FSH e LH) que atuam no ovário, estimulando-o. FSH: hormônio foliculestimulante. LH: hormônio luteinizante. O ovário produz hormônios (estrógeno e progesterona) que atuam no endométrio e na hipófise. Estrógeno, ou estradiol: Produzido no folículo ovariano e no corpo-lúteo. Determina características sexuais secundárias femininas. Estimula a ocorrência de mitoses de células do endométrio (ação proliferativa). A produção de estrógeno é estimulada pelo FSH e pelo LH. A súbita elevação da concentração de LH determina a ovulação. Progesterona: Produzida no corpo-lúteo. Determina características sexuais secundárias femininas. Fundamental na manutenção da gravidez. Estimula o desenvolvimento de glândulas do endométrio (ação secretora). A produção de progesterona é estimulada pelo LH. Feedback negativo: Altas concentrações de estrógeno e de progesterona inibem a produção de FSH e LH pela hipófise. A redução na concentração de FSH e de LH determina a diminuição de estrógeno e progesterona, e isso provoca a menstruação. Ovócito I Folículo de De Graaf Células foliculares Corpo-lúteo Desenvolvimento dos folículos Expulsão do ovócito II Corpo albicans Estágios da ovulação: principais modificações do ovócito e de células que o envolvem ao longo do ciclo menstrual. TETRA IV BIOLOGIA

18 7 Aulas 53 a 56 4 Estradiol 2 3 FSH Hipotálamo LH 1 LH 6 GnRH Adeno-hipófise Progesterona 5 Útero Blastocisto Ovário Nidação Endométrio Ovócito Fecundação Folículo Amadurecimento Estimula Inibe Corpo-lúteo Saco vitelínico Âmnio Alantoide Cório Feto Cordão umbilical Placenta Menstruação Menstruação Ciclo uterino Dias Hormônios hipofisários Hormônios ovarianos Hormônio luteinizante (LH) Hormônio foliculestimulante (FSH) Estradiol Progesterona Eventos do ciclo menstrual relacionados aos hormônios hipofisários e ovarianos. Gravidez e parto Fecundação: ocorre na tuba uterina. Nidação: instalação do embrião (fase de blástula) no endométrio. Blástula, ou blastocisto, apresenta trofoblasto (externo) e embrioblasto (interno). Trofoblasto: gera o cório. Embrioblasto, ou massa celular interna, gera os folhetos embrionários. A manutenção da gravidez depende da produção de progesterona. Até o 3º mês: Placenta produz o hormônio gonadotrofina coriônica (HCG) hormônio detectado em testes de gravidez, que estimula o corpo-lúteo a produzir progesterona. Do 3º ao 9º mês: A placenta produz progesterona. Fecundação e gestação: após a fecundação, ocorre a nidação e, então, o desenvolvimento do embrião prossegue. Métodos contraceptivos Contracepção é o conceito utilizado quando pessoas com vida sexual ativa usam algum método para evitar a gravidez. Seguem alguns métodos e suas principais ações. Métodos comportamentais: aqueles que envolvem o comportamento do casal. Dentre eles: Abstinência sexual: não realização do ato sexual. Tabelinha: programação da realização do ato sexual em períodos mais distantes do período fértil. Coito interrompido: retirada do pênis da vagina no momento da ejaculação Infertilidade Método contraceptivo comportamental: a tabelinha Fertilidade Infertilidade menstrual BIOLOGIA 18

19 Aulas 53 a 56 Métodos de barreira: impedem o contato do espermatozoide com o óvulo por meio utilização de um impedimento físico. Dentre eles estão: Preservativo masculino (camisa de vênus ou camisinha): feito de látex, envolve o pênis para que o sêmen fique retido no preservativo, visando a não eliminação na vagina. Previne também contra DST. Camisinha feminina: bolsa de plástico fino com dois anéis; deve ser introduzida na vagina, funcionando da mesma forma que a camisinha masculina. Diafragma: artefato de látex, colocado no fundo da vagina antes de cada relação sexual e atuando como uma barreira à passagem de espermatozoides em direção ao útero; pode ser associado ao uso de creme espermicida. CERIDWEN/WIKIMEDIA COMMONS BÉA/WIKIMEDIA COMMONS Métodos contraceptivos de barreira: camisinha feminina, camisinha masculina e diafragma. Dispositivo intrauterino (DIU): instalado no útero por um médico, impede a nidação do embrião. Alguns DIUs são associados a hormônios, atuando também de forma a impedir a ovulação e a reduzir os efeitos colaterais do dispositivo, como o aumento no fluxo menstrual. AXEFAN2/WIKIPEDIA MATTHEW BOWDEN/STOCK.SXCHNG ERIK ARAUJO/STOCK.XCHNG Métodos hormonais: aqueles nos quais há a utilização de hormônios para que não ocorra a liberação de óvulos, a fecundação ou a nidação. Não previnem contra as DST. Alguns deles são: Pílula anticoncepcional: é um medicamento que contém estrógeno e progesterona, os quais inibem a hipófise de produzir o FSH, resultando na não ocorrência de ovulação. Pílula do dia seguinte: método usado quando há relação sexual sem prevenção contraceptiva ou quando há falha da prevenção utilizada. Dificulta a ocorrência de gravidez, impedindo a nidação. Não tem efeito caso o embrião já esteja implantado no útero. Métodos contraceptivos hormonais: pílula e injeção anticoncepcionais e a pílula do dia seguinte. Métodos cirúrgicos: aqueles nos quais há intervenção cirúrgica para que não ocorra a liberação de óvulos e espermatozoides. Não previnem contra as DST. Reversão exige cirurgia e pode ser impossível de ser feita. Alguns deles são: Laqueadura tubária: é a remoção ou amarração cirúrgica de um segmento de cada tuba uterina. Vasectomia: é a remoção ou amarração cirúrgica de um segmento de cada canal deferente. ANKA GRZYWACZ/WIKIMEDIA COMMONS CERIDWEN/WIKIMEDIA COMMONS Método contraceptivo DIU (dispositivo intrauterino). Métodos contraceptivos cirúrgicos: laqueadura tubária e vasectomia. TETRA IV BIOLOGIA

20 Aulas 53 a 56 Exercícios de Sala 1 Uepa 2013 A utilização de substâncias que promovem a ereção peniana é um fato corriqueiro no nosso cotidiano, sendo amplamente citado nas mídias, inclusive em programas de humor. As restrições e contraindicações destes medicamentos são informadas pelos médicos durante a consulta e na prescrição de tais substâncias. O objetivo da medicação é alcançado quando a estrutura anatômica responsável pela ereção está funcionando adequadamente. A estrutura anatômica referida no texto é a(o): (a) uretra. (b) próstata. (c) epidídimo. (d) vesícula seminal. (e) corpo cavernoso. 2 Cesgranrio/FMP 2012 Segundo o Comitê Olímpico Internacional (COI), doping é definido como o uso de qualquer substância endógena ou exógena, em quantidades ou vias anormais, com a intenção de aumentar o desempenho do atleta em uma competição. O termo anabolizante significa substância que faz anabolismo, isto é, crescimento. A testosterona e a insulina são anabolizantes naturais. Descreva, resumidamente, (três linhas, no máximo) a importância dessas substâncias e onde são produzidas no organismo humano. 3 Uepa 2012 (Adapt.) Leia o texto a seguir: O Brasil é uma nação que não enfrenta problemas com superpopulação, por isso neste país não existe um programa oficial de controle da natalidade. Dessa forma, a reprodução humana ocorre de forma livre, natural, algumas vezes irresponsável e inconsequente, causando inúmeros problemas, principalmente, para famílias menos privilegiadas financeiramente. Sônia Lopes. Bio. v. único, (Adapt.). Quanto às palavras em destaque no texto, analise as afirmativas abaixo e identifique as verdadeiras (V) e as falsas (F). T Próstata, vesículas seminais e bexiga são glândulas acessórias do sistema reprodutor masculino. T Os testículos produzem os espermatozoides e o hormônio masculino testosterona. T Os ovários produzem os ovócitos e os hormônios femininos estrógeno e progesterona. T O útero é o órgão feminino onde ocorre o desenvolvimento embrionário e fetal. T A ereção peniana é causada pelo aumento do volume sanguíneo no corpo esponjoso. A sequência correta é: (a) V, F, V, F, V. (b) F, V, V, V, F. (c) F, V, V, F, V. (d) V, F, F, V, F. (e) F, V, F, V, F. 4 UFV 2011 A figura abaixo correlaciona as mudanças do folículo ovariano (I, II e III) com as da mucosa uterina (IV e V). I II III IV Fase proliferativa ou folicular V Gravidez 402 BIOLOGIA 20

21 Aulas 53 a 56 Assinale a alternativa que contém a associação incorreta. (a) II - corpo-amarelo ou cicatriz do folículo rompido, que produz o hormônio luteinizante. (b) I - ovulação ou ruptura do folículo, resultando na liberação do ovócito secundário na tuba uterina. (c) IV - eliminação do endométrio ou menstruação, devido à degeneração dos vasos sanguíneos. (d) V - fase progestacional ou secretora, mantida pela progesterona produzida pelo corpo-lúteo. 5 Unicamp 2012 (Adapt.) A maior parte dos copinhos de café, copos de água e mamadeiras é feita de policarbonato com bisfenol A, substância que é liberada quando algum líquido quente é colocado nesses recipientes. O bisfenol A é um composto químico cuja estrutura molecular é muito semelhante à do hormônio estrógeno. A ingestão do bisfenol A pode resultar em alterações do ciclo menstrual e também causar alterações no amadurecimento sexual principalmente em adolescentes do sexo feminino. Considerando a semelhança do bisfenol A com o estrógeno e a sua presença em adolescentes, explique como o bisfenol A poderia influenciar no amadurecimento sexual desses adolescentes e no espessamento do endométrio no início do ciclo menstrual. 6 UEA 2011 Observe o esquema. Ovário Hipófise Evolução do folículo Endométrio Fase folicular III I II IV Ovulação Fase lútea < (Adapt.). Sobre o ciclo menstrual mostrado no esquema, afirmou-se, corretamente, que o hormônio: (a) I corresponde ao luteinizante, que estimula diretamente o desenvolvimento do endométrio durante a fase folicular. (b) II corresponde ao foliculestimulante, que promove o desenvolvimento do folículo ovariano na fase folicular. (c) III corresponde à progesterona, que estimula por feedback positivo a secreção do hormônio luteinizante na fase folicular. (d) IV corresponde ao estrógeno, que é responsável pela degeneração do endométrio, conforme aumenta sua concentração na fase folicular. (e) IV corresponde à progesterona armazenada no interior do corpo-lúteo e liberada na circulação, promovendo o rompimento do folículo durante a fase lútea. TETRA IV BIOLOGIA

22 Aulas 53 a 56 7 Vunesp/UFTM-CEFORES 2012 Um casal decidiu gerar um filho submetendo-se à fertilização in vitro. A mulher, após tratamento hormonal, conseguiu engravidar e teve uma criança saudável. Após o parto, ela desejou montar um álbum com todas as fases de vida de seu filho e quis iniciá-lo com algumas fases embrionárias pelas quais ele teria passado. Como não tinha essas imagens, reuniu algumas que fazem parte do desenvolvimento embrionário de um animal, que é considerado evolutivamente próximo dos seres humanos, e formou uma sequência, porém incorreta. I II III IV < Sabendo que a estrutura I representa um maciço celular e a estrutura IV possui uma cavidade interna, indique, baseando-se nos quatro desenhos, a sequência correta do desenvolvimento embrionário. Em qual órgão da mulher um embrião normalmente deve se implantar? Explique o que se entende por fertilização in vitro. Que hormônio essa mulher teve que receber para estimular a liberação do gameta para que a fertilização fosse bem-sucedida? 8 USFC 2013 (Adapt.) A Europa vai decidir como controlar mais uma fonte de poluição: a urina das mulheres que tomam pílulas anticoncepcionais. Um dos componentes mais usados na composição de pílulas anticoncepcionais é o etinil-estradiol (EE2), uma molécula semelhante ao estrógeno. Ao contrário do estrogênio produzido pelo corpo, o EE2 não é rapidamente degradado pelo fígado e, portanto, pode ser administrado em doses extremamente baixas. Mas este fato tem uma consequência importante: ele é retirado intacto do sangue pelos rins e excretado na urina de todas as mulheres que tomam anticoncepcionais. A urina acaba no sistema de esgoto das cidades, que, depois de tratado, é despejado nos rios. Diversos experimentos demonstram os efeitos nocivos do EE2 sobre a reprodução de peixes. Em algumas espécies de peixes, as doses de EE2 despejadas nos rios provocam alterações nos testículos e impedem sua reprodução; em outras, provocam o aparecimento de indivíduos transexuais. Disponível em: < impresso,o-impacto-do-filho-evitado-,889291,0.htm>. Acesso em: 20 ago (Adapt.). Considerando o acima exposto, assinale a(s) proposição(ões) correta(s). 01 As pílulas anticoncepcionais contêm hormônios que mimetizam a ação dos estrógenos e da progesterona, bloqueando a produção de óvulos pelos ovários. 02 Além dos hormônios encontrados nas pílulas anticoncepcionais, outras substâncias lançadas no ambiente podem interferir no desenvolvimento do sistema reprodutor dos animais. 04 O estrógeno é naturalmente produzido no ovário humano e é responsável por provocar a proliferação das células do endométrio. 08 A menstruação é resultado da queda nas taxas de estrógenos e progesterona, o que, em mulheres que utilizam pílula anticoncepcional, é mimetizado pela interrupção da ingestão do anticoncepcional por alguns dias. 16 A urina produzida pelo sistema excretor contém apenas substâncias tóxicas ao organismo, como representado pelo EE BIOLOGIA 22

23 Aulas 53 a 56 9 Unesp 2013 Método de contracepção definitiva começa a se popularizar no país Consagrado nos Estados Unidos há quase uma década, o Essure é um procedimento feito em ambulatório, que dispensa cortes. O Essure consiste de dois dispositivos metálicos com 4 centímetros, instalados no início das tubas uterinas por meio de um equipamento bem fino, que é introduzido no canal vaginal. Em algumas semanas, as paredes das tubas recobrem os microimplantes, obstruindo as tubas e fazendo do Essure um método contraceptivo permanente. Diogo Sponchiato. Revista Saúde, maio (Adapt.). Considerando o modo pelo qual o dispositivo mencionado no texto leva à contracepção, é correto afirmar que ele impede: (a) a locomoção do espermatozoide da vagina para o útero, e deste para as tubas uterinas, com resultado análogo ao provocado pelos cremes espermicidas. (b) que o embrião seja conduzido da tuba uterina até o útero, com resultado análogo ao provocado pela camisinha feminina, o Femidom. (c) a implantação do embrião no endométrio, caso o óvulo tenha sido fecundado, com resultado análogo ao provocado pelo dispositivo intrauterino, o DIU. (d) que ocorra a ovulação, com resultado análogo ao provocado pela pílula anticoncepcional hormonal. (e) que o espermatozoide chegue ao ovócito, com resultado análogo ao provocado pela laqueadura. 10 UFPB 2011 A precocidade da atividade sexual é mundialmente reconhecida como uma das causas do aumento na ocorrência de casos de gravidez não planejada. Entre os métodos de prevenção, os contraceptivos orais são considerados bastante eficazes. Em geral, esses contraceptivos consistem de uma mistura de derivados sintéticos dos hormônios progesterona e estrógeno. Com base na literatura sobre reprodução humana e ação hormonal, é correto afirmar que contraceptivos orais são eficientes por: (a) impedirem a implantação do óvulo no útero. (b) impedirem a entrada do espermatozoide no óvulo. (c) inibirem a secreção do hormônio testosterona, responsável pela lactação. (d) inibirem a secreção dos hormônios FSH e LH, responsáveis pela ovulação. (e) impedirem o crescimento da mucosa uterina, necessário à fixação do embrião. GUIA DE ESTUDO Biologia / Livro 4 / Frente 3 / Capítulo 18 I. Leia as páginas de 189 a 195. II. Faça os exercícios 3, de 6 a 13, 15 e de 19 a 23 da seção Revisando. III. Faça os exercícios propostos 1, 2, 5, 7 e 8. TETRA IV BIOLOGIA

Fisiologia humana 0 (parte IV) Hormônios e reprodução. Natália A. Paludetto nataliaapaludetto@gmail.com http://proenem.sites.ufms.

Fisiologia humana 0 (parte IV) Hormônios e reprodução. Natália A. Paludetto nataliaapaludetto@gmail.com http://proenem.sites.ufms. Fisiologia humana 0 (parte IV) Hormônios e reprodução Natália A. Paludetto nataliaapaludetto@gmail.com http://proenem.sites.ufms.br/ Sistema Endócrino Composto pelas glândulas endócrinas integra e regula

Leia mais

Biologia. Aulas 33, 34 e 35 Setor B. Prof. Rafa

Biologia. Aulas 33, 34 e 35 Setor B. Prof. Rafa Biologia Aulas 33, 34 e 35 Setor B Prof. Rafa Tipos de glândulas: Exócrinas: com ducto de saída lacrimais, mamárias, salivares, sebáceas e sudoríparas Endócrinas: sem ducto de saída, secreções (hormônios)

Leia mais

Anatomia e Fisiologia Humana

Anatomia e Fisiologia Humana Introdução Boa parte do funcionamento do corpo humano depende da comunicação entre as células por meio de mensageiros químicos que viajam pelos sangue. Conjunto de células produtoras de hormônios. Hormônios

Leia mais

Aula 23 Sistema endócrino

Aula 23 Sistema endócrino Aula 23 Sistema endócrino O sistema endócrino é formado por órgãos e tecidos que secretam hormônios. Os hormônios são lançados na corrente sangüínea e influenciam a atividade de células, órgãos ou sistemas.

Leia mais

Existem três tipos de glândulas: endócrinas (tireóide, suprarrenal), exócrinas (lacrimais, mamárias) e anfícrinas ou mistas (pâncreas)

Existem três tipos de glândulas: endócrinas (tireóide, suprarrenal), exócrinas (lacrimais, mamárias) e anfícrinas ou mistas (pâncreas) Existem três tipos de glândulas: endócrinas (tireóide, suprarrenal), exócrinas (lacrimais, mamárias) e anfícrinas ou mistas (pâncreas) É formado pelas glândulas endócrinas Essas tem origem no tecido epitelial

Leia mais

29/03/2012. Biologia. Principais glândulas endócrinas humanas

29/03/2012. Biologia. Principais glândulas endócrinas humanas Biologia Tema: Módulo 01: Anatomia e fisiologia Marcos Vinícius Introdução É um sistema que juntamente com o sistema nervoso atua no controle das funções gerais do nosso organismo. É representado pelos

Leia mais

Sistema Endócrino. Introdução. Glândulas e suas secreções. 1. Hipotálamo: 2. Hipófise anterior (adeno-hipófise):

Sistema Endócrino. Introdução. Glândulas e suas secreções. 1. Hipotálamo: 2. Hipófise anterior (adeno-hipófise): Introdução Sistema Endócrino O sistema endócrino é composto por um grupo de tecidos especializados (glândulas) cuja função é produzir e liberar na corrente sanguínea substâncias chamadas Hormônios. Os

Leia mais

SISTEMA ENDÓCRINO SISTEMA HORMONAL

SISTEMA ENDÓCRINO SISTEMA HORMONAL SISTEMA ENDÓCRINO SISTEMA HORMONAL HORMÔNIOS 1. MENSAGEIROS QUÍMICOS PRODUZIDOS PELAS GLÂNDULAS ENDÓCRINAS. 2. REGULADORES: - (ESTIMULANTES OU INIBIDORES) - (CRESCIMENTO, METABOLISMO, REPRODUÇÃO, ETC.)

Leia mais

HORMÔNIOS SEXUAIS SISTEMA ENDÓCRINO FISIOLOGIA HUMANA

HORMÔNIOS SEXUAIS SISTEMA ENDÓCRINO FISIOLOGIA HUMANA HORMÔNIOS SEXUAIS SISTEMA ENDÓCRINO FISIOLOGIA HUMANA GLÂNDULAS SEXUAIS GÔNADAS MASCULINAS = TESTÍCULOS GÔNADAS FEMININAS = OVÁRIOS PRODUZEM GAMETAS E HORMÔNIOS SEXUAIS CONTROLE HORMONAL DO SISTEMA TESTÍCULOS

Leia mais

3) (UFABC/2009) Leia a tirinha:

3) (UFABC/2009) Leia a tirinha: Lista de Exercícios Pré Universitário Uni-Anhanguera Aluno(a): Nº. Professor: Mário Neto Série: 2 Ano Disciplina: Biologia 11) (Fuvest-1998) Uma jovem que sempre foi saudável chegou a um hospital em estado

Leia mais

SISTEMA ENDÓCRINO. Ornólia Paracampos

SISTEMA ENDÓCRINO. Ornólia Paracampos SISTEMA ENDÓCRINO Ornólia Paracampos CARACTERÍSTICAS Sistema de regulação e integração de funções O mediador químico é um hormônio Alcança o alvo via sangue Aã Ação mais lenta e mais duradoura d São glândulas

Leia mais

Profª Leticia Pedroso

Profª Leticia Pedroso Profª Leticia Pedroso Sistema Endócrino O homem apresenta em seu organismo várias glândulas endócrinas (glândulas que secretam hormônios para dentro do sangue). Hormônios são mensageiros químicos responsáveis

Leia mais

Fisiologia do Sistema Endócrino-I

Fisiologia do Sistema Endócrino-I Curso Preparatório para Residência em Enfermagem-2012 Fisiologia do Sistema Endócrino-I Prof. Fernando Ramos Gonçalves -Msc Glândulas endócrinas: Funções: Secreções de substâncias (hormônios) que atuam

Leia mais

3º ano-lista de exercícios-reprodução humana

3º ano-lista de exercícios-reprodução humana 1. (Udesc) Observe o gráfico a seguir em que estão representadas as curvas de crescimento (médias) de diferentes partes do corpo. (HARRISON, G. A. et al., apud SANTOS, M. A. dos. BIOLOGIA EDUCACIONAL.

Leia mais

SISTEMA ENDÓCRINO PROFESSOR CLERSON

SISTEMA ENDÓCRINO PROFESSOR CLERSON SISTEMA ENDÓCRINO PROFESSOR CLERSON CARACTERÍSTICAS FUNCIONAMENTO DO CORPO COMUNICAÇÃO COM CÉLULAS: AÇÃO HORMONAL LIBERAÇÃO POR DETERMINADAS CÉLULAS GLÂNDULAS ENDÓCRINAS: CÉLULAS PRODUTORAS DE HORMÔNIOS

Leia mais

ZOOLOGIA E HISTOLOGIA ANIMAL

ZOOLOGIA E HISTOLOGIA ANIMAL ZOOLOGIA E HISTOLOGIA ANIMAL Sistema Endócrino Prof. Fernando Stuchi Introdução Os mensageiros químicos do corpo (hormônios) são produzidos pelas glândulas endócrinas ou glândulas de secreção interna,

Leia mais

Sistema Endócrino. Introdução

Sistema Endócrino. Introdução Introdução A coordenação das funções do organismo é feita pelos sistemas nervoso e endócrino. Este é formado pelo conjunto das glândulas, que produzem os hormônios, substâncias lançadas no sangue que influenciam

Leia mais

SISTEMA ENDÓCRINO. Prof. TIAGO

SISTEMA ENDÓCRINO. Prof. TIAGO SISTEMA ENDÓCRINO Prof. TIAGO CARACTERÍSTICAS GERAIS INTEGRAÇÃO DOS SISTEMAS. CONTROLEDEATIVIDADES FISIOLOGICAS. SEMELHANTE AO SISTEMA NERVOSO. EFETUADO POR HORMÔNIOS TRANSPORTADO PELA CORRENTE SANGUINEA

Leia mais

BIOLOGIA - 1 o ANO MÓDULO 43 MÉTODOS CONTRACEPTIVOS

BIOLOGIA - 1 o ANO MÓDULO 43 MÉTODOS CONTRACEPTIVOS BIOLOGIA - 1 o ANO MÓDULO 43 MÉTODOS CONTRACEPTIVOS Como pode cair no enem? (UFC) A pílula do dia seguinte é composta de hormônios, os mesmos da pílula anticoncepcional comum, só que em doses mais elevadas.

Leia mais

Sistema endócrino + Sistema nervoso. integração e controle das funções do organismo

Sistema endócrino + Sistema nervoso. integração e controle das funções do organismo Sistema endócrino Sistema endócrino + Sistema nervoso integração e controle das funções do organismo Sistema endócrino Conjunto de glândulas endócrinas que secretam hormônio Relembrando Glândulas que liberam

Leia mais

BIOLOGIA - 3 o ANO MÓDULO 18 SISTEMA ENDÓCRINO PARTE 1

BIOLOGIA - 3 o ANO MÓDULO 18 SISTEMA ENDÓCRINO PARTE 1 BIOLOGIA - 3 o ANO MÓDULO 18 SISTEMA ENDÓCRINO PARTE 1 Paratireoides Tireoide Hipófise Timo Pâncreas Cápsulas suprarrenais ilhotas pancreáticas Testículos (no homem) Ovários (na mulher) glândula tireoide

Leia mais

FISIOLOGIA HUMANA III

FISIOLOGIA HUMANA III FISIOLOGIA HUMANA III UNIVERSIDADE VEIGA DE ALMEIDA PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU EM FISIOLOGIA DO EXERCÍCIO Profª Drª Silvia Aparecida Pieta Interação dos sistemas nervoso e endócrino Os sistemas nervoso e

Leia mais

TD DE CIÊNCIAS 8ª. série PROFa. Marjory Tôrres. INTRODUÇÃO À GENÉTICA Os princípios básicos da Hereditariedade

TD DE CIÊNCIAS 8ª. série PROFa. Marjory Tôrres. INTRODUÇÃO À GENÉTICA Os princípios básicos da Hereditariedade TD DE CIÊNCIAS 8ª. série PROFa. Marjory Tôrres INTRODUÇÃO À GENÉTICA Os princípios básicos da Hereditariedade Todas as pessoas são diferentes, cada um é único, apresentam características que são próprias

Leia mais

Sistema endócrino. Apostila 3 Página 22

Sistema endócrino. Apostila 3 Página 22 Sistema endócrino Apostila 3 Página 22 Sistema mensageiro Hormônios: informacionais, produzidas pelas glândulas endócrinas e distribuídas pelo sangue. Órgão-alvo: reage ao estímulo do hormônio. Sistema

Leia mais

Unidade II Vida e ambiente Aula 7.1 Conteúdo: Métodos Contraceptivos.

Unidade II Vida e ambiente Aula 7.1 Conteúdo: Métodos Contraceptivos. Unidade II Vida e ambiente Aula 7.1 Conteúdo: Métodos Contraceptivos. 2 Habilidade: Compreender o funcionamento dos principais métodos contraceptivos (comportamentais, químicos, de barreira e definitivos).

Leia mais

Sistema Endócrino: controle hormonal

Sistema Endócrino: controle hormonal Sistema Endócrino: controle hormonal Todos os processos fisiológicos estudados até agora, como digestão, respiração, circulação e excreção, estão na dependência do sistema que fabrica os hormônios. O sistema

Leia mais

22.05. O tipo básico de tecido epitelial é o de revestimento sendo os demais tecidos epiteliais (glandular e neuroepitélio) derivados desse.

22.05. O tipo básico de tecido epitelial é o de revestimento sendo os demais tecidos epiteliais (glandular e neuroepitélio) derivados desse. BIO 8E aula 22 22.01. O tecido epitelial de revestimento é pobre em substância intercelular e avascular. Existe também o tecido epitelial glandular que é derivado do tecido epitelial de revestimento. O

Leia mais

Hipófise (ou glândula Pituitária)

Hipófise (ou glândula Pituitária) Sistema Hormonal Sistema Hormonal O sistema endócrino é formado pelo conjunto de glândulas endócrinas, as quais são responsáveis pela secreção de substância denominadas hormonas. As glândulas endócrinas

Leia mais

Sistema Endócrino É UM SISTEMA SOFISTICADO E SENSÍVEL FORMADO POR VÁRIOS ÓRGÃOS OU

Sistema Endócrino É UM SISTEMA SOFISTICADO E SENSÍVEL FORMADO POR VÁRIOS ÓRGÃOS OU SISTEMA ENDRÓCRINO Sistema Endócrino É UM SISTEMA SOFISTICADO E SENSÍVEL FORMADO POR VÁRIOS ÓRGÃOS OU GLÂNDULAS DIFERENTES QUE SECRETAM HORMÔNIOS. OS HORMÔNIOS SÃO MENSAGEIROS QUÍMICOS,GERALMENTE TRANSPORTADOS

Leia mais

SISTEMA ENDÓCRINO. Prof. Diego Ceolin

SISTEMA ENDÓCRINO. Prof. Diego Ceolin SISTEMA ENDÓCRINO Prof. Diego Ceolin INTRODUÇÃO Função: Atua juntamente com o sistema nervoso para o equilíbrio corporal ( Homeostase ) HOMEOSTASE Tendência permanente do organismo manter a constância

Leia mais

SISTEMA REPRODUTOR. Prof. André Maia

SISTEMA REPRODUTOR. Prof. André Maia SISTEMA REPRODUTOR Denomina-se reprodução a capacidade que os seres vivos possuem de produzir descendentes. Ocorre a reprodução sexuada no homem, ou seja, para que esta reprodução aconteça é necessário

Leia mais

SISTEMA REPRODUTOR. Sistema reprodutor feminino

SISTEMA REPRODUTOR. Sistema reprodutor feminino SISTEMA REPRODUTOR A reprodução é de importância tremenda para os seres vivos, pois é por meio dela que os organismos transmitem suas características hereditariamente e garantem a sobrevivência de suas

Leia mais

Aluno (a): Turma: Data: / / Lista de exercícios de Ciências 8º ano

Aluno (a): Turma: Data: / / Lista de exercícios de Ciências 8º ano Aluno (a): Turma: Data: / / Lista de exercícios de Ciências 8º ano 1. Na pirâmide alimentar, que alimentos precisam ser consumidos em maior quantidade? a) Carboidratos complexos, como alimentos integrais

Leia mais

SISTEMA ENDÓCRINO. Prof. André Maia

SISTEMA ENDÓCRINO. Prof. André Maia SISTEMA ENDÓCRINO O sistema endócrino e formado pelo conjunto de glândulas endócrinas, as quais são responsáveis pela secreção de substancias denominadas hormônios. As glândulas endócrinas (do grego endos,

Leia mais

SISTEMA ENDÓCRINO. Prof. Me. Leandro Parussolo

SISTEMA ENDÓCRINO. Prof. Me. Leandro Parussolo SISTEMA ENDÓCRINO Prof. Me. Leandro Parussolo Sistema Endócrino Função de garantir o fluxo de informações entre diferentes cells, permitindo a integração funcional de todo o organismo; Garantir a reprodução;

Leia mais

Excreção. Manutenção do equilíbrio de sal, água e remoção de excretas nitrogenadas.

Excreção. Manutenção do equilíbrio de sal, água e remoção de excretas nitrogenadas. Fisiologia Animal Excreção Manutenção do equilíbrio de sal, água e remoção de excretas nitrogenadas. Sistema urinario Reabsorção de açucar, Glicose, sais, água. Regula volume sangue ADH: produzido pela

Leia mais

MÉTODOS CONTRACEPTIVOS. Professora Daiana Escola La Salle Águas Claras 8º ano

MÉTODOS CONTRACEPTIVOS. Professora Daiana Escola La Salle Águas Claras 8º ano MÉTODOS CONTRACEPTIVOS Professora Daiana Escola La Salle Águas Claras 8º ano METODOS DE BARREIRA Imobilizam os espermatozoides, impedindo-os de entrar em contato com o óvulo e ocorrer a fecundação. Espermicidas

Leia mais

Exercícios de Coordenação Endócrina

Exercícios de Coordenação Endócrina Exercícios de Coordenação Endócrina 1. (UFABC) Leia a tirinha: Material de apoio do Extensivo Enquanto o futuro não chega, diabéticos controlam a glicemia através de injeções diárias de insulina ou mesmo

Leia mais

Sistema neuro-hormonal

Sistema neuro-hormonal Sistema neuro-hormonal O que é o sistema neuro-hormonal? Qualquer alteração no exterior ou no interior do corpo corresponde a um Estímulo que provoca uma resposta do sistema neurohormonal. Como funciona

Leia mais

7ª série / 8º ano U. E. 11

7ª série / 8º ano U. E. 11 7ª série / 8º ano U. E. 11 Os sistemas genitais masculino e feminino A espécie humana se reproduz sexuadamente. As células reprodutivas femininas os óvulos são produzidas nos ovários da mulher, e as células

Leia mais

d) uma célula é alvo apenas para um dado hormônio e) uma determinada função pode ser controlada por vários hormônios

d) uma célula é alvo apenas para um dado hormônio e) uma determinada função pode ser controlada por vários hormônios Fisiologia Endócrina - Bloco 1 de exercícios 1. O mecanismo de feedback ou retroação é o principal meio regulador da secreção das glândulas endócrinas. Um exemplo de feedback negativo é: a) aumento da

Leia mais

CIÊNCIAS E PROGRAMA DE SAÚDE

CIÊNCIAS E PROGRAMA DE SAÚDE GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO CIÊNCIAS E PROGRAMA DE SAÚDE 15 CEEJA MAX DADÁ GALLIZZI PRAIA GRANDE - SP Só se constrói uma nação com cidadãos. Só se constrói cidadãos

Leia mais

10/06/2013 GLÂNDULAS ENDÓCRINAS GLÂNDULAS ENDÓCRINAS (NAV) Tireóide Paratireóide Hipófise Pineal Adrenal Ilhotas pancreáticas Timo

10/06/2013 GLÂNDULAS ENDÓCRINAS GLÂNDULAS ENDÓCRINAS (NAV) Tireóide Paratireóide Hipófise Pineal Adrenal Ilhotas pancreáticas Timo UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA Campus Curitibanos Medicina Veterinária ANATOMIA II (NAV) Tireóide Paratireóide Pineal Adrenal Ilhotas pancreáticas Timo Profa. Rosane Silva glândulas de secreção

Leia mais

ANATOMIA E FISIOLOGIA DO SISTEMA REPRODUTOR FEMININO. Curso Inicial & Integração Novos Representantes

ANATOMIA E FISIOLOGIA DO SISTEMA REPRODUTOR FEMININO. Curso Inicial & Integração Novos Representantes ANATOMIA E FISIOLOGIA DO SISTEMA REPRODUTOR FEMININO Curso Inicial & Integração Novos Representantes 1 SISTEMA REPRODUTOR FEMININO O conjunto de órgãos do sistema reprodutor feminino tem como função principal

Leia mais

Glândulas endócrinas:

Glândulas endócrinas: SISTEMA ENDOCRINO Glândulas endócrinas: Funções: Secreções de substâncias (hormônios) que atuam sobre célula alvo Regulação do organismo (homeostase) Hormônios: Substâncias químicas que são produzidas

Leia mais

CONTROLE E INTEGRAÇÂO

CONTROLE E INTEGRAÇÂO CONTROLE E INTEGRAÇÂO A homeostase é atingida através de uma série de mecanismos reguladores que envolve todos os órgãos do corpo. Dois sistemas, entretanto, são destinados exclusivamente para a regulação

Leia mais

10/09/2015. Glândula pineal. Hormônio Melatonina : produzido à noite, na ausência de luz. Crescimento; Regulação do sono; CONTROLE HORMONAL

10/09/2015. Glândula pineal. Hormônio Melatonina : produzido à noite, na ausência de luz. Crescimento; Regulação do sono; CONTROLE HORMONAL Glândulas endócrinas e tecidos que secretam hormônios; Coordena funções do organismo CONTROLE HORMONAL S. Nervoso + S. endócrino = Homeostase Mensageiros químicos; Atuam em um tecido ou órgão alvo específico;

Leia mais

BIOLOGIA - 1 o ANO MÓDULO 41 APARELHO REPRODUTOR MASCULINO

BIOLOGIA - 1 o ANO MÓDULO 41 APARELHO REPRODUTOR MASCULINO BIOLOGIA - 1 o ANO MÓDULO 41 APARELHO REPRODUTOR MASCULINO Como pode cair no enem? (PUC) A produção do hormônio luteinizante estimula as células intersticiais ou de Leydig a liberar um hormônio que,

Leia mais

METODOS CONTRACEPTIVOS ENF. MARIANA P. JUSTINO

METODOS CONTRACEPTIVOS ENF. MARIANA P. JUSTINO METODOS CONTRACEPTIVOS ENF. MARIANA P. JUSTINO METODOS DE BARREIRA Imobilizam os espermatozóides, impedindo-os de entrar em contato com o óvulo e de haver fecundação. Espermicidas (sob a forma de óvulos,

Leia mais

ANATOMIA DOS ANIMAIS DOMÉSTICOS Sistema Endócrino

ANATOMIA DOS ANIMAIS DOMÉSTICOS Sistema Endócrino ANATOMIA DOS ANIMAIS DOMÉSTICOS Sistema Endócrino O sistema nervoso e as glândulas endócrinas são os dois principais mecanismos de comunicação e coordenação do corpo humano. Eles regulam quase todos os

Leia mais

Unidade 7. Fecundação. Gestação. Parto

Unidade 7. Fecundação. Gestação. Parto Unidade 7 Fecundação Gestação Parto Reprodução Sexual A fecundação resulta na formação de uma nova célula (célula-ovo ou zigoto), que dará origem a um novo indivíduo. A célula deste novo indivíduo contém

Leia mais

Embriologia e Histologia Animal II

Embriologia e Histologia Animal II Embriologia e Histologia Animal II HISTOFISIOLOGIA DO SISTEMA ENDÓCRINO Daniela dos Santos Brum Glândulas endócrinas Secretam seus produtos (moléculas biologicamente ativas) HORMÔNIOS Corrente sanguínea

Leia mais

SISTEMA GENITAL MASCULINO. Testículos

SISTEMA GENITAL MASCULINO. Testículos SISTEMA GENITAL MASCULINO Testículos - São as gônadas ou glândulas sexuais masculinas. Estes encontram-se alojados numa bolsa de pele, o escroto (saco escrotal); - Na fase embrionária estão dentro da cavidade

Leia mais

Curso: Integração Metabólica

Curso: Integração Metabólica Curso: Integração Metabólica Aula 7: Suprarrenal e tireoide Prof. Carlos Castilho de Barros Algumas pessoas podem apresentar distúrbios que provocam a obesidade. Estórias como Eu como pouco mas continuo

Leia mais

Pontifícia Universidade Católica de Goiás Departamento de Ciências Aeronáuticas. Sistema Endócrino. Prof. Raimundo Júnior M.Sc.

Pontifícia Universidade Católica de Goiás Departamento de Ciências Aeronáuticas. Sistema Endócrino. Prof. Raimundo Júnior M.Sc. Pontifícia Universidade Católica de Goiás Departamento de Ciências Aeronáuticas Sistema Endócrino Prof. Raimundo Júnior M.Sc. Sistema Hormonal atua como um sistema de controle e regulação (assim como o

Leia mais

SISTEMAS GENITAIS HUMANOS

SISTEMAS GENITAIS HUMANOS https://naturalmath.wikispaces.com/birds+and+learning SISTEMAS GENITAIS HUMANOS Maximiliano Mendes 2015 maxaug.blogspot.com Youtube.com/maxaug 1 Somos uma espécie: Dioica: cada organismo possui apenas

Leia mais

(www.gineco.com.br) Com relação às alterações hormonais que ocorrem no ciclo menstrual, é correto afirmar que

(www.gineco.com.br) Com relação às alterações hormonais que ocorrem no ciclo menstrual, é correto afirmar que 01 - (Unicastelo SP) O gráfico representa os níveis de concentração dos diferentes hormônios femininos, no organismo, durante o ciclo menstrual. (www.gineco.com.br) Com relação às alterações hormonais

Leia mais

Aparelho Reprodutor Feminino

Aparelho Reprodutor Feminino Aparelho Reprodutor Feminino Profa Elaine C. S. Ovalle Aparelho Reprodutor Feminino Composto por: - ovários - tubas uterinas - útero - vagina - glândulas mamárias 1 Ovários Funções do Sistema Genital Feminino

Leia mais

ANATOMIA I Profª Ingrid Frederico Barreto ICA 1 ESTUDO DIRIGIDO: OSSOS. Objetivo: Ajudar o estudante a rever os conteúdos de forma aplicada.

ANATOMIA I Profª Ingrid Frederico Barreto ICA 1 ESTUDO DIRIGIDO: OSSOS. Objetivo: Ajudar o estudante a rever os conteúdos de forma aplicada. ANATOMIA I Profª Ingrid Frederico Barreto ICA 1 ESTUDO DIRIGIDO: OSSOS Objetivo: Ajudar o estudante a rever os conteúdos de forma aplicada. 1. Liste todos os ossos do esqueleto axial. 2. Liste todos os

Leia mais

SISTEMA ENDÓCRINO. Jatin Das VISÃO GERAL GLÂNDULAS ENDÓCRINAS

SISTEMA ENDÓCRINO. Jatin Das VISÃO GERAL GLÂNDULAS ENDÓCRINAS SISTEMA ENDÓCRINO Jatin Das VISÃO GERAL GLÂNDULAS ENDÓCRINAS As glândulas endócrinas mais importantes são: 1. hipófise; 2. tireóide; 3. paratireóides; 4. supra-renais; 5. ilhotas de Langerhans do pâncreas;

Leia mais

Sistema Endócrino Sistema Endócrino Sistema Endócrino Sistema Endócrino Sistema Endócrino Sistema Endócrino Mensagem Química: Hormônios Os hormônios são substâncias químicas liberadas na corrente sanguínea

Leia mais

BIOLOGIA - 2 o ANO MÓDULO 13 SUPRARRENAL, PÂNCREAS E GÔNADAS

BIOLOGIA - 2 o ANO MÓDULO 13 SUPRARRENAL, PÂNCREAS E GÔNADAS BIOLOGIA - 2 o ANO MÓDULO 13 SUPRARRENAL, PÂNCREAS E GÔNADAS Fixação 1) (UERJ) O esquema abaixo representa a ação de alguns hormônios a captação ou na liberação de glicose pela célula hepática. Cite:

Leia mais

Sistema Endócrino II - Hormônios

Sistema Endócrino II - Hormônios Ciências Morfofuncionais III Sistema Endócrino II - Hormônios Natureza, química e funções Professores: Felipe, Jean-Pierre e Olivia Endocrinologia Estudo das secreções internas do organismo Hormônios São

Leia mais

COLÉGIO SÃO PAULO Rio de Janeiro, junho/2014.

COLÉGIO SÃO PAULO Rio de Janeiro, junho/2014. COLÉGIO SÃO PAULO Rio de Janeiro, junho/2014. ENSINO MÉDIO RECUPERAÇÃO PARALELA PARCIAL ORIENTAÇÃO DE ESTUDO DISCIPLINA: Biologia (2ª série) PROFESSOR: Priscila Temas/Capítulos - Cap 12 Núcleo, divisões

Leia mais

Processo Seletivo 2012-2 Disciplina: Biologia

Processo Seletivo 2012-2 Disciplina: Biologia 1) Gabarito oficial definitivo sem distribuição dos pontos - Questão 1 Tropismo é o movimento de uma planta em resposta a um estímulo externo. O tropismo positivo ocorre quando a planta se movimenta em

Leia mais

AGRADECIMENTOS ESPECIAIS Ana Maria Piovesan Frade Cyro Antunes Zucarino Denise Pittigliani Lopes Maria de Fátima Alexandre Gomes

AGRADECIMENTOS ESPECIAIS Ana Maria Piovesan Frade Cyro Antunes Zucarino Denise Pittigliani Lopes Maria de Fátima Alexandre Gomes AGRADECIMENTOS ESPECIAIS Ana Maria Piovesan Frade Cyro Antunes Zucarino Denise Pittigliani Lopes Maria de Fátima Alexandre Gomes QUESTÃO 1 O tecido formado por células alongadas, com capacidade de contração

Leia mais

Sistema endócrino I. As células produtoras de hormônios estão geralmente reunidas em órgãos denominados glândulas endócrinas.

Sistema endócrino I. As células produtoras de hormônios estão geralmente reunidas em órgãos denominados glândulas endócrinas. RESUMO DE AULA Sistema endócrino I O funcionamento e equilíbrio fisiológico do corpo humano dependem em parte da comunicação entre as células por meio de mensageiros químicos denominados de hormônios.

Leia mais

REPRODUÇÃO HUMANA. Profª Fernanda Biazin

REPRODUÇÃO HUMANA. Profª Fernanda Biazin REPRODUÇÃO HUMANA Profª Fernanda Biazin Puberdade: período de transição do desenvolvimento humano, correspondente à passagem da fase da infância para adolescência. Alterações morfológicas e fisiológicas

Leia mais

Tema 07: Glândulas Endócrinas

Tema 07: Glândulas Endócrinas Universidade Federal do Amazonas ICB Dep. Morfologia Disciplina: Tópicos Especiais para Biotecnologia Tema 07: Glândulas Endócrinas Função Produção de hormônios; 1 Constituição Controle da homeostase;

Leia mais

ZOOLOGIA E HISTOLOGIA ANIMAL

ZOOLOGIA E HISTOLOGIA ANIMAL ZOOLOGIA E HISTOLOGIA ANIMAL Sistema Endócrino Prof. Fernando Stuchi Introdução à Endocrinologia As múltiplas atividades das células, tecidos e órgãos do corpo são coordenadas pelo inter-relacionamento

Leia mais

FISIOLOGIA HUMANA SISTEMA ENDÓCRINO

FISIOLOGIA HUMANA SISTEMA ENDÓCRINO FISIOLOGIA HUMANA 1 SISTEMA ENDÓCRINO 2 1 Visão geral Sistema endócrino: Grupo de glândulas responsáveis por regular vários órgãos dentro do corpo; Satisfazer as necessidades de crescimento e reprodução

Leia mais

Biologia 1ª Série Resumo - Reprodução Humana

Biologia 1ª Série Resumo - Reprodução Humana Assim como as casas são feitas de tijolos, todos os organismos são formados por pequenas unidades, chamadas células. Extremamente pequenas, cabem centenas de células num pingo de um i Toda a programação

Leia mais

UNIVERSIDADE DE SANTA CRUZ DO SUL - UNISC DEPARTAMENTO DE FARMÁCIA DISCIPLINA DE FISIOLOGIA GERAL HORMÔNIOS MASCULINOS

UNIVERSIDADE DE SANTA CRUZ DO SUL - UNISC DEPARTAMENTO DE FARMÁCIA DISCIPLINA DE FISIOLOGIA GERAL HORMÔNIOS MASCULINOS UNIVERSIDADE DE SANTA CRUZ DO SUL - UNISC DEPARTAMENTO DE FARMÁCIA DISCIPLINA DE FISIOLOGIA GERAL HORMÔNIOS MASCULINOS Andiara Onizzolo Marques Isadora Schmachtenberg Manoela Zaccani Maristela Ullrich

Leia mais

TESTE DE AVALIAÇÃO ESCRITA º 2 MÓDULO 2. Prova Escrita de Consulta da Disciplina de Saúde Infantil

TESTE DE AVALIAÇÃO ESCRITA º 2 MÓDULO 2. Prova Escrita de Consulta da Disciplina de Saúde Infantil TESTE DE AVALIAÇÃO ESCRITA º 2 MÓDULO 2 Curso Profissional de Técnico de Apoio à Infância/Ensino Secundário Prova Escrita de Consulta da Disciplina de Saúde Infantil Turma [I] do 10º Ano de Escolaridade

Leia mais

DA MULHER Manual prático para viver com saúde os melhores anos da vida

DA MULHER Manual prático para viver com saúde os melhores anos da vida Dr. JOSÉ BENTO Médico ginecologista e obstetra A MELHOR IDADE DA MULHER Manual prático para viver com saúde os melhores anos da vida Sumário Apresentação... 7 Introdução... 11 Capítulo 1 Um corpo de mudanças...

Leia mais

Profa. Dra. Milena Araújo Tonon Corrêa 1

Profa. Dra. Milena Araújo Tonon Corrêa 1 Profa. Dra. Milena Araújo Tonon Corrêa 1 Hormônios 2 HORMÔNIOS DA HIPÓFISE E DO HIPOTÁLAMO Quanto a sua origem os hormônios da hipófise e hipotálamo podem ser classificados em : - Hormônios da hipófise

Leia mais

Fisiologia do Sistema Reprodutor Masculino. Carla Cristina Zeppenfeld Doutoranda Zootecnia

Fisiologia do Sistema Reprodutor Masculino. Carla Cristina Zeppenfeld Doutoranda Zootecnia Fisiologia do Sistema Reprodutor Masculino Carla Cristina Zeppenfeld Doutoranda Zootecnia Introdução Durante a gestação, a diferenciação sexual se dá ou não pela presença do hormônio antimülleriano e da

Leia mais

Projeto-síntese de Ciências 8º ano 3º trimestre

Projeto-síntese de Ciências 8º ano 3º trimestre Ciências/15 8º ano Turma: 3º trimestre Nome: Data: / / 8ºcie303r Caros alunos, Projeto-síntese de Ciências 8º ano 3º trimestre O 3º trimestre de Ciências encerra nossos estudos sobre o corpo humano e trata

Leia mais

FISIOLOGIA ENDÓCRINA

FISIOLOGIA ENDÓCRINA EXERCÍCIOS DE APRENDIZAGEM FISIOLOGIA ENDÓCRINA 01. Os chamados hormônios trópicos da hipófise são aqueles que estimulam: a) o desenvolvimento e a função de outras glândulas b) a produção e a eliminação

Leia mais

Brígida Ferrão. 10 de Outubro de 2014

Brígida Ferrão. 10 de Outubro de 2014 Brígida Ferrão 10 de Outubro de 2014 DEFINIÇÃO Sistema Endócrino conjunto de orgãos e tecidos que produzem hormonas, libertadas na corrente sanguínea e que controlam outros orgãos alvo Envelhecimento tecidos

Leia mais

Exercícios de Reprodução Comparada

Exercícios de Reprodução Comparada Exercícios de Reprodução Comparada Material de apoio do Extensivo 1. (PUC) Os seres vivos podem reproduzir-se sexuada ou assexuadamente. Sobre este assunto, destaque a afirmativa correta: a) A reprodução

Leia mais

e) O indivíduo X é o esporófito proveniente da multiplicação celular mitótica.

e) O indivíduo X é o esporófito proveniente da multiplicação celular mitótica. Aula n ọ 05 01. A meiose é um processo de divisão celular que ocorre na natureza e que visa à produção de esporos ou gametas. Esta divisão celular produz células-filhas com a metade dos cromossomos da

Leia mais

COLÉGIO SHALOM Ensino Fundamental 8 Ano Prof.ª: Nize C.Pavinato - Disciplina: Ciências Aluno(a):

COLÉGIO SHALOM Ensino Fundamental 8 Ano Prof.ª: Nize C.Pavinato - Disciplina: Ciências Aluno(a): COLÉGIO SHALOM Ensino Fundamental 8 Ano Prof.ª: Nize C.Pavinato - Disciplina: Ciências Aluno(a): Trabalho de Recuperação Data: / /15 1. O sistema endócrino é formado por glândulas endócrinas e de secreção

Leia mais

Introdução. Renata Loretti Ribeiro - Enfermeira

Introdução. Renata Loretti Ribeiro - Enfermeira Introdução O sistema urinário é constituído pelos órgãos uropoéticos, isto é, incumbidos de elaborar a urina e armazená- la temporariamente até a oportunidade de ser eliminada para o exterior. Na urina

Leia mais

O aumento das concentrações de prolactina pode ocorrer em várias situações, sejam elas fisiológicas ou patológicas.

O aumento das concentrações de prolactina pode ocorrer em várias situações, sejam elas fisiológicas ou patológicas. Hiperprolactinemia A hiperprolactinemia é alteração endocrinológica mais comum que ocorre no sistema nervoso central, sendo mais comum no sexo feminino. Além disso, é uma causa freqüente de infertilidade.

Leia mais

TD de revisão 8º Ano- 4ª etapa- 2015

TD de revisão 8º Ano- 4ª etapa- 2015 TD de revisão 8º Ano- 4ª etapa- 2015 1. Classifique os métodos anticoncepcionais abaixo, relacionando as colunas: (1) Natural ou comportamental (2) De Barreira (3) Hormonal (4)Cirúrgico ( ) Camisinha (M)

Leia mais

REPRODUÇÃO HUMANA MÉTODOS CONTRACEPTIVOS OU ANTICONCEPCIONAIS. Prof. Me. Cristino Rêgo 8º Ano Ensino Fundamental II

REPRODUÇÃO HUMANA MÉTODOS CONTRACEPTIVOS OU ANTICONCEPCIONAIS. Prof. Me. Cristino Rêgo 8º Ano Ensino Fundamental II REPRODUÇÃO HUMANA MÉTODOS CONTRACEPTIVOS OU ANTICONCEPCIONAIS Prof. Me. Cristino Rêgo 8º Ano Ensino Fundamental II Métodos Contraceptivos ou Anticoncepcionais 1 Coito Interrompido (Onanismo): Consiste

Leia mais

FISIOLOGIA. 7. Sistema Reprodutor Masculino. Anatomia e Fisiologia do Sistema Reprodutor Masculino

FISIOLOGIA. 7. Sistema Reprodutor Masculino. Anatomia e Fisiologia do Sistema Reprodutor Masculino FISIOLOGIA 7. Sistema Reprodutor Masculino Sistema Reprodutor Masculino Anatomia e Fisiologia do Sistema Reprodutor Masculino Espermatogênese e condução do espermatozóide Função da Vesícula Seminal Função

Leia mais

Profa. Juliana Normando Pinheiro UNIC -Universidade de Cuiabá SISTEMA REPRODUTOR FEMININO

Profa. Juliana Normando Pinheiro UNIC -Universidade de Cuiabá SISTEMA REPRODUTOR FEMININO Profa. Juliana Normando Pinheiro UNIC -Universidade de Cuiabá SISTEMA REPRODUTOR FEMININO Funções Produz gametas: óvulos Produz hormônios da reprodução Recebe as células reprodutivas do macho Fornece local

Leia mais

Lembrete: Antes de começar a copiar cada unidade, coloque o cabeçalho da escola e a data! CIÊNCIAS - UNIDADE 4 RESPIRAÇÃO E EXCREÇÃO

Lembrete: Antes de começar a copiar cada unidade, coloque o cabeçalho da escola e a data! CIÊNCIAS - UNIDADE 4 RESPIRAÇÃO E EXCREÇÃO Lembrete: Antes de começar a copiar cada unidade, coloque o cabeçalho da escola e a data! Use canetas coloridas ou escreva palavras destacadas, para facilitar na hora de estudar. E capriche! Não se esqueça

Leia mais

Inseminação Artificial em Tempo Fixo (IATF) Em Bovinos Leiteiros

Inseminação Artificial em Tempo Fixo (IATF) Em Bovinos Leiteiros Gado de Leite 1/35 Inseminação Artificial em Tempo Fixo (IATF) Em Bovinos Leiteiros Erick Fonseca de Castilho Doutor em Reprodução Animal (UFV/MG) efcmv@yahoo.com.br 2/35 Introdução Cronologia dos conceitos

Leia mais

Universidade Castelo Branco Bases Anatomofisiológicas do Corpo Humano I Estudo Morfofuncional do Sistema Endócrino (Glândulas Endócrinas) Unidade IV

Universidade Castelo Branco Bases Anatomofisiológicas do Corpo Humano I Estudo Morfofuncional do Sistema Endócrino (Glândulas Endócrinas) Unidade IV 1 Universidade Castelo Branco Bases Anatomofisiológicas do Corpo Humano I Estudo Morfofuncional do Sistema Endócrino (Glândulas Endócrinas) Unidade IV Visão Geral do Sistema das Glândulas Endócrinas Introdução

Leia mais

ORIENTAÇÃO DE ESTUDOS

ORIENTAÇÃO DE ESTUDOS ORIENTAÇÃO DE ESTUDOS RECUPERAÇÃO SEMESTRAL 3º Ano do Ensino Médio Disciplina: Biologia 1. Para os estudiosos, a manifestação de "... vida..." deve-se a características, tais como: ( ) uma composição química

Leia mais