LINHAS DE CRÉDITO AO INVESTIMENTO NO TURISMO

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "LINHAS DE CRÉDITO AO INVESTIMENTO NO TURISMO"

Transcrição

1 LINHAS DE CRÉDITO AO INVESTIMENTO NO TURISMO LINHAS DE CRÉDITO PME INVESTE PROTOCOLO BANCÁRIO TP NATUREZA Conjuntural Estrutural OBJECTIVO Facilitar o acesso das empresas do sector ao crédito Promover projectos de investimento estruturados de acordo com o PENT FINALIDADE Financiar investimento, serviço da dívida e fundo de maneio Financiar projectos de investimento: empreendimentos turísticos, restaurantes e actividades de animação declarados de interesse para o turismo, desde que contribuam para o desenvolvimento de Pólos e Produtos Turísticos Estratégicos ou requalifiquem um dos destinos consolidados

2 LINHAS DE CRÉDITO AO INVESTIMENTO NO TURISMO CASOS PRÁTICOS DE ENQUADRAMENTO Operação 1 Novos Estabelecimentos Hoteleiros (criação/construção) Linha Sector Turismo PME Investe III Montante: até 5 milhões (6 milhões PME Líder) Prazo: até 7 anos Carência de capital e capitalização de juros: até 24 meses Taxa de juro: 2,14% Protocolos Bancários TP Produtos Turísticos inseridos em Pólos de Desenvolvimento Turístico; Recuperação/adaptação de património; Criação de hotéis inovadores: Montante: 75% financiamento até 8 milhões (Produtos/Pólos) (PME: 60% TP + 40% Banco / Não PME: inverso) Taxa de juro máxima: PME = 1,15% Não PME = 1,73% Prazo: até 15 anos Carência de capital: até 4 anos Possibilidade de financiamento para: Fundo de maneio associado ao investimento em capital fixo; Reestruturação de empréstimos contraídos destinados à criação dos estabelecimentos hoteleiros, desde que tenham iniciado a exploração entre e Restantes casos: Montante: 75% financiamento até 6 milhões (PME: 60% TP + 40% Banco / Não PME: inverso) Taxa de juro máxima: PME = 1,25% Não PME = 1,79% Prazo: até 15 anos Carência de capital: até 4 anos Requisitos obrigatórios: demonstração do mérito do projecto; satisfação de carências de mercado na região Notas: (1) - Taxas de juro calculadas com base na Euribor a 3 meses, à data de (2) - As taxas de juro do Protocolo Bancário TP foram calculadas com base no spread máximo do Banco (2,25%), não tendo em conta comissões de garantia e outros encargos existentes.

3 1 Novos Estabelecimentos Hoteleiros (criação/construção) PME Investe II Montante: até 750 mil (1 milhão PME Líder) Prazo: até 4 anos (até 5 anos PME Líder) Carência de capital: até 18 meses Possibilidade de financiamento para Fundo de Maneio associado ao aumento da actividade ou alteração estrutural do modelo de gestão, até 30% do valor da operação (não aplicável a empresas sedeadas em Lisboa e Algarve). Montante: até 1 milhão (1,5 milhões PME Líder) Carência de capital: até 12 meses Taxa de juro: 2,38% (65% no caso de empresas que não tenham beneficiado de anteriores Linhas PME Investe) Possibilidade de financiamento para Fundo de Maneio Nota: As empresas terão que apresentar 1 exercício completo de contas aprovadas e EBITDA positivo (não aplicável a PME Líder). Nota: As empresas terão que apresentar 1 exercício completo de contas aprovadas. Notas: (1) - Taxas de juro calculadas com base na Euribor a 3 meses, à data de (2) - As taxas de juro do Protocolo Bancário TP foram calculadas com base no spread máximo do Banco (2,25%), não tendo em conta comissões de garantia e outros encargos existentes.

4 2 Estabelecimentos Hoteleiros Existentes (modernização/ redimensionamento) Linha Sector Turismo PME Investe III Montante: até 5 milhões (6 milhões PME Líder) Prazo: até 7 anos Carência de capital e capitalização de juros: até 24 meses Taxa de juro: 2,14% Possibilidade de financiamento para: Fundo de maneio associado ao investimento em capital fixo; Reestruturação de empréstimos contraídos destinados à modernização dos estabelecimentos hoteleiros, desde que tenham iniciado a exploração pósinvestimento entre e Protocolos Bancários TP Produtos Turísticos inseridos em Pólos de Desenvolvimento Turístico: Montante: 75% financiamento até 8 milhões (PME: 60% TP + 40% Banco / Não PME: inverso) Taxa de juro máxima: PME = 1,15% Não PME = 1,73% Prazo: até 10 anos Carência de capital: até 3 anos Restantes casos: Montante: 75% financiamento até 6 milhões (PME: 60% TP + 40% Banco / Não PME: inverso) Taxa de juro máxima: PME = 1,25% Não PME = 1,79% Prazo: até 10 anos Carência de capital: até 3 anos Obrigatório: demonstração de que visam uma qualificação dos estabelecimentos existentes, não se tratando de investimentos de mera substituição Nova Linha de crédito em condições! preferenciais para reconversão de unidades de alojamento existentes, promovidas por PME (*) (*) Investimentos de reconversão de alojamento turístico existente (conforme Decreto-Lei 228/2009, de 14 de Setembro): Montante do Financiamento: 75% até 8 milhões (Produtos/Pólos) ou até 6 milhões (restantes casos) na proporção de 25% Banco + 75% TP; Prazo máximo: até 10 anos; Carência: até 3 anos; Taxa de juro: 0,72%; Prémio de desempenho: conversão de 25% do total do financiamento em incentivo não reembolsável a ser assumido pelo Turismo de Portugal.

5 PME Investe II Linha MPE 2 Estabelecimentos Hoteleiros Existentes (modernização/ redimensionamento) Montante: até 750 mil (1 milhão PME Líder) Prazo: até 4 anos (até 5 anos PME Líder) Carência de capital: até 18 meses Possibilidade de financiamento para Fundo de Maneio associado ao aumento da actividade ou alteração estrutural do modelo de gestão, até 30% do valor da operação (não aplicável a empresas sedeadas em Lisboa e Algarve). Montante: até 1 milhão (1,5 milhões PME Líder) Carência de capital: até 12 meses Taxa de juro: 2,38% (65% no caso de empresas que não tenham beneficiado de anteriores Linhas PME Investe) Montante: até 25 mil microempresas; até 50 mil pequenas empresas Prazo: até 4 anos Carência de capital: até 6 meses Garantia Mútua: até 75% Possibilidade de financiamento para Fundo de Maneio

6 3 Novos Empreendimentos de TH e TER (criação/construção) Linha Sector Turismo PME Investe III Montante: até 5 milhões (6 milhões PME Líder) Prazo: até 7 anos Carência de capital e capitalização juros: até 24 meses Taxa de juro: 2,14% Possibilidade de financiamento para: Fundo de maneio associado ao investimento em capital fixo; Reestruturação de empréstimos contraídos destinados à criação dos empreendimentos, desde que tenham iniciado a exploração entre e Protocolos Bancários TP Produtos Turísticos inseridos em Pólos de Desenvolvimento Turístico; Recuperação/adaptação de património: Montante: 75% financiamento até 8 milhões (Produtos/Pólos) (PME: 60% TP + 40% Banco / Não PME: inverso) Taxa de juro máxima: PME = 1,15% Não PME = 1,73% Prazo: até 10 anos Carência de capital: até 3 anos Restantes casos: Montante: 75% financiamento até 6 milhões (PME: 60% TP + 40% Banco / Não PME: inverso) Taxa de juro máxima: PME = 1,25% Não PME = 1,79% Prazo: até 10 anos Carência de capital: até 3 anos Nota: No caso dos Hotéis Rurais, o prazo máximo de reembolso é de 15 anos, com carência de capital de 4 anos. Requisitos obrigatórios: demonstração do mérito do projecto; satisfação de carências de mercado na região

7 3 Novos Empreendimentos de TH e TER (criação/construção) PME Investe II Montante: até 750 mil (1 milhão PME Líder) Prazo: até 4 anos (até 5 anos PME Líder) Carência de capital: até 18 meses Possibilidade de financiamento para Fundo de Maneio associado ao aumento da actividade ou alteração estrutural do modelo de gestão, até 30% do valor da operação (não aplicável a empresas sedeadas em Lisboa e Algarve). Montante: até 1 milhão (1,5 milhões PME Líder) Carência de capital: até 12 meses Taxa de juro: 2,38% (65% no caso de empresas que não tenham beneficiado de anteriores Linhas PME Investe) Possibilidade de financiamento para Fundo de Maneio. Nota: As empresas terão que apresentar 1 exercício completo de contas aprovadas e EBITDA positivo (não aplicável a PME Líder). Nota: As empresas terão que apresentar 1 exercício completo de contas aprovadas.

8 4 Empreendimentos de TH e TER Existentes (modernização/ redimensionamento) Linha Sector Turismo PME Investe III Montante: até 5 milhões (6 milhões PME Líder) Prazo: até 7 anos Carência de capital e capitalização de juros: até 24 meses Taxa de juro: 2,14% Possibilidade de financiamento para: Fundo de Maneio associado ao investimento em capital fixo; Reestruturação de empréstimos contraídos destinados à modernização dos empreendimentos, desde que tenham iniciado a exploração pósinvestimento entre e Linha TH e TER PME Investe III Montante: até 200 mil p/ empreendimento Prazo: até 7 anos Carência de capital: até 24 meses Taxa de juro: 0,65%; taxa 0% no caso de património classificado Garantia Mútua: até 75% Possibilidade de financiamento para Fundo de Maneio associado ao investimento em capital fixo. Protocolos Bancários TP Produtos Turísticos inseridos em Pólos de Desenvolvimento Turístico: Montante: 75% financiamento até 8 milhões (Produtos/Pólos) (PME: 60% TP + 40% Banco / Não PME: inverso) Taxa de juro máxima: PME = 1,15% Não PME = 1,73% Prazo: até 10 anos Carência de capital: até 3 anos Restantes casos: Montante: 75% financiamento até 6 milhões (PME: 60% TP + 40% Banco / Não PME: inverso) Taxa de juro máxima: PME = 1,25% Não PME = 1,79% Prazo: até 10 anos Carência de capital: até 3 anos Nova Linha de crédito em condições preferenciais para reconversão de unidades de alojamento existentes, promovidas por PME (*) (*)Investimentos de reconversão de alojamento turístico existente (conforme Decreto-Lei 228/2009, de 14 de Setembro): Montante do Financiamento: 75% até 8 milhões (produtos/pólos) ou até 6 milhões (restantes casos) na proporção de 25% Banco + 75% TP; Prazo máximo: até 10 anos; Carência: até 3 anos; Taxa de juro: 0,72%; Prémio de desempenho: conversão de 25% do total do financiamento em incentivo não reembolsável a ser assumido pelo Turismo de Portugal.!

9 PME Investe II Linha MPE 4 Empreendimentos de TH e TER Existentes (modernização/ redimensionamento) Montante: 750 mil (1 milhão PME Líder) Prazo: até 4 anos (até 5 anos PME Líder) Carência capital: até 18 meses Possibilidade de financiamento para Fundo de Maneio associado ao aumento da actividade ou alteração estrutural do modelo de gestão, até 30% do valor da operação (não aplicável a empresas sedeadas em Lisboa e Algarve). Montante: até 1 milhão (1,5 milhões PME Líder) Carência de capital: até 12 meses Taxa de juro: 2,38% (65% no caso de empresas que não tenham beneficiado de anteriores Linhas PME Investe) Montante: até 25 mil microempresas; até 50 mil pequenas empresas Prazo: até 4 anos Carência de capital: até 6 meses Garantia Mútua: até 75%. Possibilidade de financiamento para Fundo de Maneio

10 5 Actividades de Animação Turística declaradas de interesse para o turismo (Novas e Existentes) Linha Sector Turismo PME Investe III Montante: até 5 milhões (6 milhões PME Líder) Prazo: até 7 anos Carência de capital e capitalização de juros: até 24 meses Taxa de juro: 2,14% Possibilidade de financiamento para: Fundo de Maneio desde que associado ao investimento em capital fixo; Reestruturação de empréstimos contraídos destinados à criação/modernização das actividades de animação, desde que tenham iniciado a exploração pós-investimento entre e Protocolos Bancários TP Actividades de Animação; Animação integrada em Produtos Turísticos localizados em Pólos Turísticos; Adaptação de Património Cultural: Montante: 75% financiamento até 8 milhões (Produtos/Pólos) ou até 6 milhões (restantes casos) (PME: 60% TP + 40% Banco / Não PME: inverso) Taxa de juro máxima: PME = 1,15% Não PME = 1,73% Prazo: até 10 anos Carência de capital: até 3 anos

11 PME Investe II Linha MPE 5 Actividades de Animação Turística declaradas de interesse para o turismo (Novas e Existentes) Montante: 750 mil (1 milhão PME Líder) Prazo: até 4 anos (até 5 anos PME Líder) Carência capital: até 18 meses Possibilidade de financiamento para Fundo de Maneio associado ao aumento da actividade ou alteração estrutural do modelo de gestão, até 30% do valor da operação (não aplicável a empresas sedeadas em Lisboa e Algarve). Montante: até 1 milhão (1,5 milhões PME Líder) Carência capital: até 12 meses Taxa de juro: 2,38% (65% no caso de empresas que não tenham beneficiado de anteriores Linhas PME Investe) Montante: até 25 mil microempresas; até 50 mil pequenas empresas Prazo: até 4 anos Carência capital: até 6 meses Garantia Mútua: até 75% Não é obrigatória a Declaração de Interesse para o Turismo fundo de m Nota: As empresas terão que apresentar 1 exercício completo de contas aprovadas e EBITDA positivo (não aplicável a PME Líder). Nota: As empresas terão que apresentar 1 exercício completo de contas aprovadas. Nota: As empresas terão que apresentar 2 exercícios de resultados líquidos positivos.

12 6 Estabelecimentos de Restauração e Bebidas (Novos e Existentes) Linha + Restauração PME Investe II Montante: até Prazo: até 4 anos Carência de capital: até 18 meses Possibilidade de financiamento para Fundo de Maneio associado ao incremento da actividade ou alteração estrutural do modelo de gestão, limitado a 30% do valor da operação. Nota: As empresas terão que apresentar 1 exercício completo de contas aprovadas e EBITDA positivo (não aplicável a PME Líder). Protocolos Bancários TP Restaurantes integrados em Produtos Turísticos inseridos em Pólos de Desenvolvimento Turístico; Recuperação/adaptação de património; Criação de restaurantes inovadores; Criação/requalificação de esplanadas; Apoios de praia: Montante: 75% financiamento até 8 milhões (Produtos/Pólos) ou até 6 milhões (restantes casos) (PME: 60% TP + 40% Banco / Não PME: inverso) Taxa de juro máxima: PME = 1,15% Não PME = 1,73% Carência de capital: até 2 anos Restantes casos: Montante: 75% financiamento até 6 milhões (PME: 60% TP + 40% Banco / Não PME: inverso) Taxa de juro máxima: PME = 1,25% Não PME = 1,79% Carência de capital: até 2 anos Requisito obrigatório: Declaração de Interesse para o Turismo, com excepção das esplanadas e apoios de praia

13 6 Estabelecimentos de Restauração e Bebidas (Novos e Existentes) Montante: até 1 milhão p/ operação (1,5 milhões p/ PME Líder) Carência de capital: até 12 meses Taxa de juro: 2,38% (65% no caso de empresas que não tenham beneficiado de anteriores Linhas PME Investe) Linha MPE Montante: até 25 mil microempresas; até 50 mil pequenas empresas Prazo: até 4 anos Carência de capital: até 6 meses Garantia Mútua: até 75% Possibilidade de financiamento para Fundo de Maneio Nota: As empresas terão que apresentar 1 exercício completo de contas aprovadas. Nota: As empresas terão que apresentar 2 exercícios de resultados líquidos positivos.

14 7 Agências de Viagem e Operadores Turísticos e Aluguer de Veículos Automóveis PME Investe II Montante: até 750 mil (1 milhão PME Líder) Prazo: até 4 anos (até 5 anos PME Líder) Carência de capital: até 18 meses Possibilidade de financiamento para Fundo de Maneio associado ao aumento da actividade ou alteração estrutural do modelo de gestão, até 30% do valor da operação (não aplicável a empresas sedeadas em Lisboa e Algarve). Nota: As empresas terão que apresentar 1 exercício completo de contas aprovadas e EBITDA positivo (não aplicável a PME Líder). Protocolos Bancários TP Investimentos a realizar por Agências de Viagem, conquanto que contribuam para uma adequada estruturação de um Produto ou Pólo Turístico Projectos que visem a instalação em viaturas de rent-a-car de equipamento susceptível de proporcionar um melhor conhecimento da região e dos recursos turísticos: Montante: 75% até 6 milhões (PME: 60% TP + 40% Banco / Não PME: inverso) Taxa de juro: PME = 1,25% Não PME = 1,79% Carência de capital: até 2 anos

15 7 Agências de Viagem e Operadores Turísticos e Aluguer de Veículos Automóveis Montante: até 1 milhão (1,5 milhões PME Líder) Carência de capital: até 12 meses Taxa de juro: 2,38% (65% no caso de empresas que não tenham beneficiado de anteriores Linhas PME Investe) Linha MPE Montante: até 25 mil microempresas; até 50 mil pequenas empresas Prazo: até 4 anos Carência de capital: até 6 meses Garantia Mútua: até 75% Possibilidade de financiamento para fundo de maneio Nota: As empresas terão que apresentar 1 exercício completo de contas aprovadas. Nota: As empresas terão que apresentar 2 exercícios de resultados líquidos positivos.

16 Linha Tesouraria PME Investe III Linha MPE 8 Reforço do Fundo de Maneio/Tesouraria e dos Capitais Permanentes Aplicável a: Empreendimentos turísticos (alojamento turístico) Actividades de animação turística declaradas de interesse para o turismo Estabelecimentos de restauração e de bebidas Agências de viagens e operadores turísticos Aluguer de veículos automóveis Montante: até 1 milhão (até 6 milhões p/ grupo empresarial) Prazo: até 3,5 anos Carência de capital: até 12 meses Garantia Mútua: até 75% Montante: até 1 milhão (1,5 milhões PME Líder) Carência de capital: até 12 meses Taxa de juro: 2,38% (65% no caso de empresas que não tenham beneficiado de anteriores Linhas PME Investe) Montante: até 25 mil microempresas; até 50 mil pequenas empresas Prazo: até 4 anos Carência de capital: até 6 meses Garantia Mútua: até 75% As actividades de animação não carecem da Declaração de Interesse para o Turismo

17 9 Serviço da Dívida Linha Sector Turismo PME Investe III Montante: até 5 milhões (6 milhões PME Líder) Prazo: até 7 anos Carência de capital e capitalização de juros: até 24 meses Taxa de juro: 2,14%. Linha Tesouraria PME Investe III Montante: até 1 milhão (até 6 milhões p/ grupo empresarial) Prazo: até 42 meses Carência de capital: até 12 meses Garantia Mútua: até 75% Reestruturação de empréstimos de médio e longo prazo destinados a investimentos em: Empreendimentos turísticos (alojamento turístico); Actividades de animação turística declaradas de interesse para o turismo com início de exploração entre e Amortização de contas correntes caucionadas e/ou liquidação de financiamentos de curto prazo, de empresas promotoras de: Empreendimentos turísticos (alojamento turístico) Actividades de animação turística declaradas de interesse para o turismo Estabelecimentos de restauração e de bebidas Agências de viagens e operadores turísticos Aluguer de veículos automóveis

18 9 Serviço da Dívida Montante: até 1 milhão (1,5 milhões PME Líder) Carência de capital: até 12 meses Taxa de juro: 2,38% (de 65% no caso de empresas que não tenham beneficiado de anteriores Linhas PME Investe) Linha MPE Montante: até 25 mil microempresas; até 50 mil pequenas empresas Prazo: até 4 anos Carência de capital: até 6 meses Garantia Mútua: até 75% Utilização até 30% do empréstimo aprovado para liquidar dívidas contraídas junto do sistema financeiro nos 3 meses anteriores à contratação da operação e destinadas, exclusivamente, à regularização de dívidas à Administração Fiscal e Segurança Social, por empresas promotoras de: Empreendimentos turísticos (alojamento turístico) Actividades de animação turística Estabelecimentos de restauração e de bebidas Agências de viagens e operadores turísticos Aluguer de veículos automóveis Aluguer de veículos automóveis

19 LINHAS DE CRÉDITO - TURISMO FAQ S 1 - As Estalagens, Pensões ou Motéis existentes têm enquadramento na Linha Sector do Turismo (PME Investe III) desde que o investimento a realizar objecto da operação de crédito vise a reclassificação do empreendimento para estabelecimento hoteleiro, conforme o disposto no Decreto-Lei 228/2009, de 14 de Setembro. O que significa esta situação? As classificações de Estalagem, Pensão ou Motel (previstas no anterior Regime dos Empreendimentos Turísticos) são actualmente inexistentes porquanto, de acordo com o actual regime jurídico dos empreendimentos turísticos, os estabelecimentos hoteleiros classificam-se num dos seguintes grupos (nas categorias de 1 a 5 estrelas): Hotéis Hotéis-apartamentos Pousadas (quando exploradas directamente pela ENATUR ou por terceiros mediante contrato de franquia e instaladas em património classificado ou em edifícios de valor arquitectónico e histórico) A Linha Sector do Turismo (PME Investe III) prevê o financiamento de investimentos de criação ou de modernização de empreendimentos turísticos. Caso se trate de um estabelecimento hoteleiro existente (i.e. um investimento de modernização/redimensionamento), classificado ao abrigo do anterior Regime dos Empreendimentos Turísticos e não enquadrável nas actuais classificações (como é o caso das Estalagens, Pensões, Motéis), o mesmo poderá candidatar-se à Linha referida desde que o investimento a realizar vise a reconversão dessa unidade de alojamento para uma das figuras jurídicas vigentes. Independentemente da aplicação das Linhas PME Investe, todos empreendimentos turísticos devem reconverter-se nas tipologias e categorias estabelecidas no Decreto-Lei 228/2009, de 14 de Setembro, até 31 de Dezembro de Empreendimentos Turísticos - Estabelecimentos Hoteleiros - Parques de Campismo e de Caravanismo - Aldeamentos Turísticos - Empreendimentos de Turismo no Espaço Rural - Apartamentos Turísticos - Empreendimentos de Turismo de Habitação - Conjuntos Turísticos ( Resorts ) - Empreendimentos de Turismo de Natureza

20 2 - A criação/abertura de um novo Restaurante, promovido por uma empresa recentemente criada para esse fim e sem actividade é enquadrável em alguma Linha PME Investe aplicável ao sector do Turismo? Não. Em todas as Linhas PME Investe em vigor, e aplicáveis ao sector do turismo, verificam-se os seguintes pressupostos que impedem o enquadramento da situação exposta: Linha + Restauração (PME Investe II): destinada a investimentos de criação ou de requalificação de estabelecimentos de restauração e de bebidas desde que, entre outras condições de acesso, as respectivas empresas apresentem 1 ano completo de contas aprovadas e apresentem EBITDA positivo Linha Sector do Turismo (PME Investe III): não aplicável a estabelecimentos de restauração e de bebidas Linha Turismo de Habitação e TER (PME Investe III): específica para este segmento de alojamento turístico Linha de Apoio à Tesouraria das Empresas do Turismo (PME Investe III): destinada unicamente a financiar fundo de maneio, bem como amortização de contas correntes caucionadas e/ou liquidação de financiamentos de curto prazo Linha Específica Micro e Pequenas Empresas (): inclui investimentos em estabelecimentos de restauração e de bebidas, desde que as respectivas empresas promotoras apresentem situação líquida positiva no último exercício e resultados líquidos positivos em 2 dos últimos 4 exercícios, ou 2 anos de resultados líquidos positivos se apenas tiverem menos de 4 exercícios aprovados Linha Específica Geral (): inclui investimentos em estabelecimentos de restauração e de bebidas, desde que as respectivas empresas promotoras apresentem um exercício completo de contas aprovado

21 3 - A criação/abertura de um novo empreendimento de Turismo de Habitação ou de Turismo em Espaço Rural é enquadrável na Linha TH e TER (PME Investe III)? Não. A Linha Turismo de Habitação e TER (PME Investe III) destina-se, exclusivamente, a financiar projectos de remodelação ou de redimensionamento (até 20% da capacidade de alojamento instalada) de empreendimentos de Turismo de Habitação e de Turismo em Espaço Rural existentes. No âmbito das Linhas de Crédito PME Investe em vigor aplicáveis ao sector do turismo, poderá a criação de um novo empreendimento desta natureza enquadrar-se nas seguintes Linhas: Linha Sector do Turismo (PME Investe III): Montante máximo de financiamento: 5 milhões (6 milhões p/ PME Líder) Prazo máximo de amortização: 7 anos Período de carência de capital e juros: até 24 meses Taxa de juro: Euribor/3 m. + 1,5% do financiamento aprovado Linha Específica Geral (): Montante máximo de financiamento: 1 milhão (1,5 milhões p/ PME Líder) Prazo máximo de amortização: 6 anos Período de carência de capital: até 12 meses Taxa de juro: Euribor/3 m. + 1,75% do financiamento aprovado (65% no caso de empresas que não tenham beneficiado de anteriores Linhas PME Investe) As empresas têm de apresentar 1 exercício completo de contas aprovadas O TTuurri iissmoo eem EEssppaaççoo RRuurraal ll ccoompprreeeennddee aass sseegguui iinn tteess tti ii ppool ll ooggi iiaass ddee eempprreeeennddi iimeenn ttooss:: AAggrr oo-- ttuu rri iissmoo,, CCaassaass ddee CCaamppoo ee Hoottééi iiss RRuurraai iiss

22 4 - A criação/construção de um novo estabelecimento hoteleiro é elegível na Linha Sector do Turismo (PME Investe III). Caso o montante global do investimento ultrapasse o montante máximo de financiamento previsto na Linha é possível o enquadramento da operação? Caso o investimento a realizar seja superior ao montante máximo de financiamento definido na Linha Sector do Turismo, pode o mesmo ser cumulável com os sistemas de incentivos do QREN, bem como com a Linha de Crédito ao Investimento no Turismo Protocolos Bancários, desde que o investimento tenha simultaneamente enquadramento nas tipologias de projectos elegíveis previstos nesses apoios. Comparação entre as 3 tipologias de apoios para a criação de um novo estabelecimento hoteleiro, com ou sem cumulação entre si: Criação de Novo Estab. Hoteleiro Linha Sector do Turismo (PME Inv. III) SI Inovação - QREN Protocolos Bancários Características do Estabelecimento Todos os estabelecimentos hoteleiros Estabelecimentos hoteleiros que visem elevados perfis diferenciadores: inovação de produto (mercados) ou inovação de processo (empresa) 1. Hotéis Inovadores; Hotéis inseridos em Produtos Turísticos localizados em Pólos de Desenvolvimento Turístico; Hotéis a instalar em património classificado; 2. Outros que contribuam para uma adequada estruturação de um Produto ou Pólo Turístico Montante Máximo de Financiamento 5 milhões (6 milhões p/ PME Líder) 80% de incentivo reembolsável sem juros (45% taxa base + majorações acumuladas) Nota: em regra, a categoria mínima é de 3 * 75% até 8 milhões (Produtos/Pólos) 75% até 6 milhões (outros casos) Montante mínimo de Investimento Inexistente Em regra mínimo de 150 mil Mínimo de 150 mil Capitais Próprios Inexistente Mínimo de 20% Mínimo de 25% Prazos de Candidatura Em contínuo durante a vigência da Linha Fases de candidatura Em contínuo durante a vigência da Linha

23 5 - O que se entende por financiamento do serviço da dívida (Linha Sector do Turismo PME Investe III)? O financiamento do serviço da dívida engloba a totalidade ou parte do capital em dívida não vencido e/ou encargos financeiros não vencidos, à data da apresentação da operação junto da Instituição de Crédito, relativos a empréstimos bancários de médio e longo prazo ou contratos de locação financeira celebrados para o financiamento da construção ou remodelação de empreendimentos turísticos e actividades de animação de interesse para o turismo enquadrados na lista de CAE s elegíveis nesta Linha de Crédito, e desde que o início da sua exploração tenha ocorrido ou ocorra entre e Considerando que na Linha Sector do Turismo (PME Investe III) se pretende financiar hotéis abertos/remodelados entre e , mantém-se nesta Linha a exigência da empresa ter EBITDA positivo? (em empresas em fase de investimento de remodelações profundas, que implicam a suspensão da actividade, é frequente encontrar situações de EBITDA negativo e resultados líquidos negativos) As empresas cujo início de exploração tenha ocorrido antes de , e desde que a mesma seja interrompida em resultado da realização de significativos investimentos de remodelação, podem apresentar EBITDA negativo no último exercício aprovado, sendo enquadradas e analisadas no escalão de risco C. As empresas que não estejam ainda em exploração (sem volume de negócios) ou cujo início de exploração ocorra entre e estão, igualmente, dispensadas de apresentar EBITDA positivo, sendo neste caso enquadradas e analisadas no escalão de risco C.

LINHAS DE CRÉDITO PME INVESTE TURISMO. Maria José Catarino. Loulé,, 5 Fevereiro de 2009

LINHAS DE CRÉDITO PME INVESTE TURISMO. Maria José Catarino. Loulé,, 5 Fevereiro de 2009 LINHAS DE CRÉDITO PME INVESTE TURISMO Maria José Catarino Loulé,, 5 Fevereiro de 2009 LINHAS DE CRÉDITO PME INVESTE ÍNDICE 1 OBJECTO 2 PME INVESTE II - Protocolo celebrado a 14 Outubro 2008 LINHA +RESTAURAÇÃO

Leia mais

PME Investe III. Linha Específica para o Sector do Turismo

PME Investe III. Linha Específica para o Sector do Turismo PME Investe III Linha Específica para o Sector do Turismo Objectivos Esta Linha de Crédito, criada no âmbito da Linha PME Investe III, visa facilitar o acesso ao crédito por parte das empresas do sector

Leia mais

PME Investe III. Linha Específica para o Sector do Turismo

PME Investe III. Linha Específica para o Sector do Turismo PME Investe III Linha Específica para o Sector do Turismo Empreendimentos Turísticos e Actividades de Animação de Interesse para o Turismo Beneficiários Poderão beneficiar desta linha as empresas que:

Leia mais

REGIME DE PROTOCOLOS BANCÁRIOS

REGIME DE PROTOCOLOS BANCÁRIOS REGIME DE PROTOCOLOS BANCÁRIOS OBJECTO Constitui objecto da presente linha de crédito apoiar financeiramente projectos turísticos económica e financeiramente viáveis que contribuam inequivocamente para

Leia mais

T RI R SMO Crédit i o t a o a Inve v sti t m ento t no Tu T ris i mo Proto t co c lo l Ba B n a cá c r á io 2 7 d e e Se S t e em

T RI R SMO Crédit i o t a o a Inve v sti t m ento t no Tu T ris i mo Proto t co c lo l Ba B n a cá c r á io 2 7 d e e Se S t e em TURISMO Crédito ao Investimento no Turismo Protocolo Bancário Luís Coito 27 de Setembro de 2010 TURISMO INCENTIVOS FINANCEIROS AO SECTOR Intensidade de Auxílio Abrangência Empresarial Crédito ao Investimento

Leia mais

PME INVESTE V - 750 milhões de euros - ENCERRADA. PME IINVESTE II / QREN - 1.010 milhões de euros ABERTA

PME INVESTE V - 750 milhões de euros - ENCERRADA. PME IINVESTE II / QREN - 1.010 milhões de euros ABERTA PME INVESTE As Linhas de Crédito PME INVESTE têm como objectivo facilitar o acesso das PME ao crédito bancário, nomeadamente através da bonificação de taxas de juro e da redução do risco das operações

Leia mais

SISTEMA DE INCENTIVOS À INOVAÇÃO AVISO DE CANDIDATURA FEVEREIRO 2012

SISTEMA DE INCENTIVOS À INOVAÇÃO AVISO DE CANDIDATURA FEVEREIRO 2012 SISTEMA DE INCENTIVOS À INOVAÇÃO AVISO DE CANDIDATURA FEVEREIRO 2012 INOVAÇÃO PRODUTIVA SECTOR TURISMO QREN QUADRO DE REFERÊNCIA ESTRATÉGICO NACIONAL 2007-2013 INFORMAÇÃO SINTETIZADA 1 ÍNDICE PÁGINA OBJECTO

Leia mais

Regime Protocolos Bancários para o Turismo (PME)

Regime Protocolos Bancários para o Turismo (PME) para o Turismo (PME) ADRAL 8 de Junho 2005 Objectivos: Apoiar financeiramente projectos turísticos económica e financeiramente viáveis, que contribuam para o aumento da qualidade, diversificação e competitividade

Leia mais

reconversão de empreendimentos turísticos

reconversão de empreendimentos turísticos reconversão de empreendimentos turísticos 01. Reconversão de Empreendimentos Turísticos Com o objectivo de requalificar a oferta turística nacional, foi aprovado um novo regime jurídico dos empreendimentos

Leia mais

PME Investe VI. Linha de Crédito Micro e Pequenas Empresas

PME Investe VI. Linha de Crédito Micro e Pequenas Empresas PME Investe VI Linha de Crédito Micro e Pequenas Empresas Objectivos Esta Linha de Crédito visa facilitar o acesso ao crédito por parte das micro e pequenas empresas de todos os sectores de actividade,

Leia mais

crédito ao investimento no turismo

crédito ao investimento no turismo Turismo de Portugal, I.P. Rua Ivone Silva, lote 6 1050-124 Lisboa Tel 211 140 200 Fax 211 140 830 apoioaoempresario@turismodeportugal.pt www.turismodeportugal.pt crédito ao investimento no turismo p r

Leia mais

PME Investe III Sector do Turismo

PME Investe III Sector do Turismo PME Investe III Sector do Turismo Linha de Apoio à Tesouraria Beneficiários Poderão beneficiar desta linha as empresas que: Tenham um volume de facturação anual inferior a 150 milhões de euros Desenvolvam

Leia mais

Empreendimentos Turísticos Como Instalar ou Reconverter Novo Regime Jurídico

Empreendimentos Turísticos Como Instalar ou Reconverter Novo Regime Jurídico Empreendimentos Turísticos Como Instalar ou Reconverter Novo Regime Jurídico, Turismo de Portugal, I.P. Rua Ivone Silva, Lote 6, 1050-124 Lisboa Tel. 211 140 200 Fax. 211 140 830 apoioaoempresario@turismodeportugal.pt

Leia mais

Turismo. Linha de Apoio à Qualificação da Oferta

Turismo. Linha de Apoio à Qualificação da Oferta Turismo Linha de Apoio à Qualificação da Oferta PSZ CONSULTING Agosto 2015 1 Linha de Apoio à Qualificação da Oferta 1.1 Enquadramento O presente apoio resulta de uma parceria do turismo de Portugal com

Leia mais

Linha Específica para o Sector do Turismo

Linha Específica para o Sector do Turismo Linha de Crédito PME Investe III Linha Específica para o Sector do Turismo Objectivos Esta Linha de Crédito, criada no âmbito da Linha PME Investe III, visa facilitar o acesso ao crédito por parte das

Leia mais

PME Investe III LINHAS DE CRÉDITO ÀS EMPRESAS

PME Investe III LINHAS DE CRÉDITO ÀS EMPRESAS PME Investe III LINHAS DE CRÉDITO ÀS EMPRESAS Reforço dos Capitais Permanentes Nuno Gonçalves nuno.goncalves@iapmei.pt Linhas de Crédito Linhas LINHAS DE FINANCIAMENTO VALOR Operações Entradas Operações

Leia mais

PME Investe III - Sector do Turismo. Linha de Apoio às Empresas da Região OESTE

PME Investe III - Sector do Turismo. Linha de Apoio às Empresas da Região OESTE PME Investe III - Sector do Turismo Linha de Apoio às Empresas da Região OESTE Objectivos Esta Linha de Crédito, sem juros e com garantias a custo reduzido, visa apoiar as empresas do sector do turismo,

Leia mais

PME Investe III. Linha Específica para o Sector do Turismo

PME Investe III. Linha Específica para o Sector do Turismo PME Investe III Linha Específica para o Sector do Turismo Estabelecimentos de Restauração e Bebidas Beneficiários Poderão beneficiar desta linha as empresas que: Não tenham um volume de facturação anual

Leia mais

Linha de Crédito PME INVESTE V

Linha de Crédito PME INVESTE V Linha de Crédito PME INVESTE V MICRO E PEQUENAS EMPRESAS OUTRAS EMPRESAS Linhas de Crédito Bonificado com Garantia MútuaM Enquadramento No quadro dos apoios que têm vindo a ser concedidos às PME s portuguesas

Leia mais

GAI GABINETE APOIO AO INVESTIDOR PME INVESTE VI LINHA ESPECÍFICA MICROS E PEQUENAS EMPRESAS INFORMAÇÃO SINTETIZADA 1

GAI GABINETE APOIO AO INVESTIDOR PME INVESTE VI LINHA ESPECÍFICA MICROS E PEQUENAS EMPRESAS INFORMAÇÃO SINTETIZADA 1 PME INVESTE VI LINHA ESPECÍFICA MICROS E PEQUENAS EMPRESAS INFORMAÇÃO SINTETIZADA 1 OBJECTO Facilitar o acesso ao crédito por parte das PME, nomeadamente através da bonificação de taxas de juro e da minimização

Leia mais

Linha Específica. Dotação Específica do Têxtil, Vestuário e Calçado CAE das divisões 13, 14 e 15

Linha Específica. Dotação Específica do Têxtil, Vestuário e Calçado CAE das divisões 13, 14 e 15 IAPMEI/DGAE (www.iapmei.pt / www.dgae.pt) PME Invest (Linha de Crédito com juro bonificado) Linha de Crédito PME Investe III Condições e processo de candidatura A Condições 1. Condições a observar pelas

Leia mais

LINHAS PME INVESTE SECTOR DO TURISMO

LINHAS PME INVESTE SECTOR DO TURISMO LINHAS PME INVESTE SECTOR DO TURISMO 30 de dezembro de 2011 Linhas PME Investe Sector do Turismo Características Gerais e Condições de Financiamento - Linhas Específicas do Sector do Turismo - PME INVESTE

Leia mais

Linha Específica para o Sector do Turismo

Linha Específica para o Sector do Turismo Linha de Crédito PME Investe III Linha Específica para o Sector do Turismo Objectivos Esta Linha de Crédito, criada no âmbito da Linha PME Investe III, visa facilitar o acesso ao crédito por parte das

Leia mais

Linha Específica para as Micro e Pequenas Empresas

Linha Específica para as Micro e Pequenas Empresas Linha de Crédito PME Investe III Linha Específica para as Micro e Pequenas Empresas Objectivos Esta Linha de Crédito, criada no âmbito da Linha PME Investe III, visa facilitar o acesso ao crédito por parte

Leia mais

Apoios Financeiros ao Investimento no Turismo. Anadia, 25 de Fevereiro de 2008 Miguel Mendes

Apoios Financeiros ao Investimento no Turismo. Anadia, 25 de Fevereiro de 2008 Miguel Mendes Apoios Financeiros ao Investimento no Turismo Anadia, 25 de Fevereiro de 2008 Miguel Mendes 2 Apoios Financeiros ao Investimento no Turismo Índice 1 Plano Estratégico Nacional do Turismo (PENT) 2 Crédito

Leia mais

Encontro Nacional do Turismo no Espaço o Rural

Encontro Nacional do Turismo no Espaço o Rural Encontro Nacional do Turismo no Espaço o Rural Convento de Refoios Ponte de Lima 21 de Junho de 2003 Distribuição Espacial do TER (SIR) Unid: Euros Distritos Nº Projectos Investimento Total Incentivo Aveiro

Leia mais

LINHAS DE CRÉDITO EMPRESAS

LINHAS DE CRÉDITO EMPRESAS LINHAS DE CRÉDITO EMPRESAS Reforço dos Capitais Permanentes Novembro de 2008 Síntese - Condições gerais Breve resumo das condições Linha Linha Linha Micro e Exportadoras Turismo Pequenas Empresas Montante

Leia mais

Novas linhas de intervenção do sistema de garantia mútua desenvolvidas desde o segundo semestre de 2008

Novas linhas de intervenção do sistema de garantia mútua desenvolvidas desde o segundo semestre de 2008 1/1 Novas linhas de intervenção do sistema de garantia mútua desenvolvidas desde o segundo semestre de 2008 No cenário da actual conjuntura económica o sistema de garantia mútua é visto quer pelos parceiros

Leia mais

PME Investe III Sector do Turismo

PME Investe III Sector do Turismo PME Investe III Sector do Turismo Linha Turismo de Habitação e Turismo em Espaço Rural Beneficiários Poderão beneficiar desta linha as empresas que: Comprovem ser Micro e Pequenas Empresas através da certificação

Leia mais

PME Investe III Sector do Turismo

PME Investe III Sector do Turismo PME Investe III Sector do Turismo Linha Turismo de Habitação e Turismo em Espaço Rural Objectivos Esta Linha de Crédito, criada no âmbito da Linha Específica PME Investe III do Sector do Turismo, visa

Leia mais

Promoção da Propriedade Industrial

Promoção da Propriedade Industrial 1 Sistema de Incentivos à Qualificação e Internacionalização de PME (SI Qualificação de PME) Projectos Individuais Dezembro de 2011 2 1- Enquadramento 2- Âmbito Sectorial Enquadramento Aviso n.º 14/SI/2011

Leia mais

Linha de Crédito PME CRESCIMENTO - Documento de divulgação -

Linha de Crédito PME CRESCIMENTO - Documento de divulgação - Anexo III Termos e condições da Linha de Crédito PME CRESCIMENTO I - CONDIÇÕES GERAIS DA LINHA DE CRÉDITO 1. Beneficiários: Preferencialmente Pequenas e Médias Empresas (PME), tal como definido na Recomendação

Leia mais

Apoios às s Empresas do Sector do Turismo. Portugal

Apoios às s Empresas do Sector do Turismo. Portugal Apoios às s Empresas do Sector do Turismo ÍNDICE 2 Linha de apoio à qualificação da oferta Linha de apoio à tesouraria Carência de capital Linhas PME CRESCIMENTO 2013 MECANISMOS DE APOIO AO SECTOR DO TURISMO

Leia mais

PME Investe VI Aditamento

PME Investe VI Aditamento PME Investe VI Aditamento O apoio do FINOVA às empresas Fundo gerido pela PME Investimentos No seguimento do quadro de apoios concedidos às empresas portuguesas no âmbito das linhas de apoio PME Investe,

Leia mais

FINANCIAMENTO QUAIS OS APOIO ÀS PMEs?

FINANCIAMENTO QUAIS OS APOIO ÀS PMEs? FINANCIAMENTO QUAIS OS APOIO ÀS PMEs? A Criação de Uma Empresa Passos Preliminares Torres Vedras, 25 de Março de 2014 Francisco Pegado francisco.pegado@iapmei.pt Notas Prévias A Abordagem geral do Tema

Leia mais

Linha PME Investe V. Millennium bcp. Maio 2010

Linha PME Investe V. Millennium bcp. Maio 2010 Linha PME Investe V Millennium bcp Maio 2010 Protocolo celebrado entre o Millennium bcp, a PME Investimentos, o IAPMEI, as Sociedades de Garantia Mútua (Norgarante, Garval, Lisgarante e Agrogarante). Disponibiliza

Leia mais

Linha de Crédito PME Crescimento 2014

Linha de Crédito PME Crescimento 2014 Linha de Crédito PME Crescimento 2014 As empresas têm à sua disposição, desde o passado dia 3 de março, uma nova linha de crédito para apoiar o financiamento da sua atividade. Trata-se da linha PME Crescimento

Leia mais

Projectos de I&DT Empresas Individuais

Projectos de I&DT Empresas Individuais 1 Projectos de I&DT Empresas Individuais Sistema de Incentivos à Investigação e Desenvolvimento Tecnológico (SI I&DT) Projectos de I&DT Empresas Dezembro de 2011 2 s Enquadramento Aviso n.º 17/SI/2011

Leia mais

Sistema de Incentivos à Inovação Empresarial da Região Autónoma da Madeira - Inovar 2020.- Portaria n.º 86/2016 de 2 de Março de 2016

Sistema de Incentivos à Inovação Empresarial da Região Autónoma da Madeira - Inovar 2020.- Portaria n.º 86/2016 de 2 de Março de 2016 FICHA TÉCNICA INOVAR 2020 Sistema de Incentivos à Inovação Empresarial da Região Autónoma da Madeira - Inovar 2020.- Portaria n.º 86/2016 de 2 de Março de 2016 Introdução O INOVAR 2020, Sistema de Incentivos

Leia mais

Sessão de Esclarecimento Balanço das Medidas Anti-Cíclicas

Sessão de Esclarecimento Balanço das Medidas Anti-Cíclicas Sessão de Esclarecimento Balanço das Medidas Anti-Cíclicas Açores Investe Linha de apoio à reestruturação de dívida bancária das empresas dos Açores Proposta de decreto legislativo regional que altera

Leia mais

BANCO SANTANDER TOTTA, SA 20. OPERAÇÕES DE CRÉDITO (OUTROS CLIENTES)

BANCO SANTANDER TOTTA, SA 20. OPERAÇÕES DE CRÉDITO (OUTROS CLIENTES) 20.1. Linhas de crédito e contas correntes [Empréstimos a taxa variável] Linha PME Crescimento 2015 Euribor a 6 meses + Spread 2,700% a 4,300% Entre 2,611% e 4,254% Prazo Máximo: 4 anos (inclui possibilidade

Leia mais

Alargamento de Prazo das Linhas de Crédito PME Investe - Documento de divulgação - V.2

Alargamento de Prazo das Linhas de Crédito PME Investe - Documento de divulgação - V.2 1. Beneficiários: As empresas que tenham operações enquadradas ou já contratadas ao abrigo das Linhas de Crédito PME Investe e que à data de contratação do alargamento do prazo não tenham incidentes não

Leia mais

QREN. 2007-2013 Agenda de Competitividade

QREN. 2007-2013 Agenda de Competitividade 1 QREN. 2007-2013 Conhecimento e inovação Produção transaccionável QREN 2007-2013 Competitividade Financiamento Empresarial Eficiência da Administração Pública Convergência com a UE Perfil de especialização

Leia mais

LINHA DE APOIO À TESOURARIA DAS EMPRESAS DO SECTOR DO TURISMO [Fonte: Turismo de Portugal, I.P., set 2014]

LINHA DE APOIO À TESOURARIA DAS EMPRESAS DO SECTOR DO TURISMO [Fonte: Turismo de Portugal, I.P., set 2014] LINHA DE APOIO À TESOURARIA DAS EMPRESAS DO SECTOR DO TURISMO [Fonte: Turismo de Portugal, I.P., set 2014] INFORMAÇÃO SINTETIZADA 1 OBJETO Apoiar, exclusivamente, a tesouraria das empresas turísticas,

Leia mais

Prazos para a Apresentação de Candidaturas Entre o dia 23 de Dezembro de 2011 e o dia 11 de Abril de 2012 (24 horas).

Prazos para a Apresentação de Candidaturas Entre o dia 23 de Dezembro de 2011 e o dia 11 de Abril de 2012 (24 horas). SI INOVAÇÃO [Projectos PROVERE] Aviso para Apresentação de Candidaturas n.º 15/SI/2011 Aberto concurso para a implementação dos PROVERE Programas de Valorização Económica de Recursos Endógenos que pretendem

Leia mais

MAIS E MELHOR CRÉDITO PARA AS MICROEMPRESAS E PME EM MOÇAMBIQUE

MAIS E MELHOR CRÉDITO PARA AS MICROEMPRESAS E PME EM MOÇAMBIQUE MAIS E MELHOR CRÉDITO PARA AS MICROEMPRESAS E PME EM MOÇAMBIQUE Junho de 2015 FECOP Breve Historial Surge em 2009, da vontade os Governos Português e Moçambicano fortalecerem os laços de cooperação entre

Leia mais

Linhas de Crédito PME INVESTE IV

Linhas de Crédito PME INVESTE IV Linhas de Crédito PME INVESTE IV SECTORES EXPORTADORES MICRO E PEQUENAS EMPRESAS Linhas de Crédito Bonificado com Garantia Mútua UNIÃO EUROPEIA Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional Gestão Marketing

Leia mais

Fiapal Informa. Candidaturas QREN

Fiapal Informa. Candidaturas QREN Foram publicados no passado mês de Dezembro 5 Avisos para Apresentação de Candidaturas ao QREN. Destes, três integram a região de Lisboa. Fiapal Informa Aviso de Abertura de Concurso - AAC 17/SI/2011 Sistema

Leia mais

Linha de Crédito Comércio Investe - Documento de Divulgação - V.1

Linha de Crédito Comércio Investe - Documento de Divulgação - V.1 A presente linha de crédito surge como uma resposta às dificuldades das empresas no acesso ao financiamento, permitindo desta forma melhorar o suporte financeiro dos projetos aprovados no âmbito da Medida

Leia mais

Abertas candidaturas à Linha de Crédito PME Investe VI

Abertas candidaturas à Linha de Crédito PME Investe VI Abertas candidaturas à Linha de Crédito PME Investe VI No seguimento do quadro de apoios concedidos às empresas portuguesas no âmbito das linhas de apoio PME Investe, estão abertas a partir de 18 de Junho

Leia mais

ALTERAÇÃO AO SISTEMA DE CLASSIFICAÇÃO DE EMPREENDIMENTOS TURÍSTICOS

ALTERAÇÃO AO SISTEMA DE CLASSIFICAÇÃO DE EMPREENDIMENTOS TURÍSTICOS NEWSLETTER 4 Setembro de 2015 ALTERAÇÃO AO SISTEMA DE CLASSIFICAÇÃO DE Foi publicada em Diário da República a Portaria n.º 309/2015, de 25 de Setembro, que vem alterar o sistema de classificação de empreendimentos

Leia mais

PRESIDÊNCIA DO CONSELHO DE MINISTROS. QREN: uma oportunidade para a Igualdade entre homens e mulheres

PRESIDÊNCIA DO CONSELHO DE MINISTROS. QREN: uma oportunidade para a Igualdade entre homens e mulheres PRESIDÊNCIA DO CONSELHO DE MINISTROS QREN: uma oportunidade para a Igualdade entre homens e mulheres PRESIDÊNCIA DO CONSELHO DE MINISTROS QREN: uma oportunidade para a Igualdade entre homens e mulheres

Leia mais

Portugal. Campanha em vigor até 30 Junho 2015

Portugal. Campanha em vigor até 30 Junho 2015 CAMPANHA CAMPANHA Ao domiciliar as ajudas ao rendimento em conta BST, por um valor estimado mínimo de 10.000, durante um período mínimo de 2 anos, recebe um destes equipamentos TV LED ou Mini Ipad. Para

Leia mais

Alargamento de Prazo das Linhas de Crédito PME Investe - Documento de divulgação - V.3

Alargamento de Prazo das Linhas de Crédito PME Investe - Documento de divulgação - V.3 1. Beneficiários: As empresas que tenham operações contratadas ao abrigo das de Crédito PME Investe e que à data de contratação do alargamento do prazo não tenham incumprimentos não regularizados junto

Leia mais

Câmara do Comércio de Angra do Heroísmo Associação Empresarial das ilhas Terceira, Graciosa e São Jorge

Câmara do Comércio de Angra do Heroísmo Associação Empresarial das ilhas Terceira, Graciosa e São Jorge Terceira alteração ao Decreto Regulamentar Regional n.º 21/2007/A, de 24 de outubro, alterado pelos Decretos Regulamentares Regionais 11/2009/A, de 13 de agosto, e 9/2010/A, de 14 de junho. Promotores

Leia mais

Linha de Crédito Açores Investe II (Prorrogação do Prazo)

Linha de Crédito Açores Investe II (Prorrogação do Prazo) Linha de Crédito Açores Investe II (Prorrogação do Prazo) Objetivo - Financiar o reforço do fundo de maneio ou dos capitais permanentes e investimento novo em ativos fixos corpóreos ou incorpóreos; - Até

Leia mais

Linha Específica Sectores Exportadores. Linha Micro e Pequenas Empresas

Linha Específica Sectores Exportadores. Linha Micro e Pequenas Empresas Junho 2009 2 PME Investe IV Condições Específicas Breve Resumo das Condições CARACTERIZAÇÃO GERAL Linha Específica Sectores Exportadores Linha Micro e Pequenas Empresas Montante Global Até 400 milhões

Leia mais

Linha de Crédito PME Investe II

Linha de Crédito PME Investe II Linha de Crédito PME Investe II Condições e procedimentos I - CONDIÇÕES GERAIS DA LINHA DE CRÉDITO 1. Beneficiários: PME, tal como definido na Recomendação 2003/361CE da Comissão Europeia, certificadas

Leia mais

INOVAÇÃO e I&DT Lisboa

INOVAÇÃO e I&DT Lisboa INOVAÇÃO e I&DT Lisboa Prioridades, Impactos, Próximo Quadro MIGUEL CRUZ Aumentar a capacidade competitiva no mercado internacional Reforçar as competências estratégicas Apoiar as PME no reforço das suas

Leia mais

Cremos ser de extrema importância a vossa presença e participação.

Cremos ser de extrema importância a vossa presença e participação. Exmos. Associados e parceiros, Chamamos a vossa atenção para o convite abaixo. Cremos ser de extrema importância a vossa presença e participação. Inscrevam-se! Convite No seguimento dos contactos mantidos

Leia mais

Soluções de Financiamento FINICIA

Soluções de Financiamento FINICIA Projetos, Financiamento e Empreendedorismo Soluções de Financiamento FINICIA Cascais, 28 de Outubro de 2011 andre.marco@iapmei.pt Direcção de Participadas e Instrumentos Financeiros no IAPMEI. Soluções

Leia mais

Vale Projecto - Simplificado

Vale Projecto - Simplificado IDIT Instituto de Desenvolvimento e Inovação Tecnológica Vale Projecto - Simplificado VALES Empreendedorismo e Inovação Associados Parceiros / Protocolos IDIT Enquadramento Vale Projecto - Simplificado

Leia mais

NORMAS DE ADMISSÃO DE SÓCIOS À AGENCIA REGIONAL DE PROMOÇÃO TURÍSTICA DO ALENTEJO TURISMO DO ALENTEJO

NORMAS DE ADMISSÃO DE SÓCIOS À AGENCIA REGIONAL DE PROMOÇÃO TURÍSTICA DO ALENTEJO TURISMO DO ALENTEJO NORMAS DE ADMISSÃO DE SÓCIOS À AGENCIA REGIONAL DE PROMOÇÃO TURÍSTICA DO ALENTEJO TURISMO DO ALENTEJO CAPITULO I Disposições Gerais 1. Âmbito As presentes normas têm como finalidade estabelecer as regras

Leia mais

Programas de Apoio ao Investimento em Portugal - Síntese Zeta Advisors

Programas de Apoio ao Investimento em Portugal - Síntese Zeta Advisors Programas de Apoio ao Investimento em Portugal - Síntese Zeta Advisors 1 The way to get started is to quit talking and begin doing. Walt Disney Company ÍNDICE 1. Programa de Apoio ao Empreendedorismo e

Leia mais

Fundo de Apoio às Micro e Pequenas Empresas no Concelho de Valença

Fundo de Apoio às Micro e Pequenas Empresas no Concelho de Valença VALENÇAFINICIA Fundo de Apoio às Micro e Pequenas Empresas no Concelho de Valença Anexo I ao protocolo financeiro e de cooperação Normas e Condições de Acesso Artigo 1º. (Objectivo) Pretende-se colocar

Leia mais

CRÉDITO AO INVESTIMENTO NO TURISMO

CRÉDITO AO INVESTIMENTO NO TURISMO GAI GABINETE APOIO AO INVESTIDOR CRÉDITO AO INVESTIMENTO NO TURISMO PROTOCOLOS BANCÁRIOS INFORMAÇÃO SINTETIZADA CRÉDITO AO INVESTIMENTO NO TURISMO PROTOCOLOS BANCÁRIOS ÍNDICE NOVAS LINHAS DE APOIO FINANCEIRO

Leia mais

Fundo de Apoio às Micro e Pequenas Empresas no Concelho de Caminha

Fundo de Apoio às Micro e Pequenas Empresas no Concelho de Caminha Programa FINICIA Fundo de Apoio às Micro e Pequenas Empresas no Concelho de Caminha Anexo I ao protocolo financeiro e de cooperação Normas e Condições de Acesso Artigo 1º. (Objectivo) Pretende-se colocar

Leia mais

Garantia Mútua UMA NOVA ALTERNATIVA NO ACESSO AO FINANCIAMENTO PARA AS PME FCGM. Fundo de Contragarantia Mútuo

Garantia Mútua UMA NOVA ALTERNATIVA NO ACESSO AO FINANCIAMENTO PARA AS PME FCGM. Fundo de Contragarantia Mútuo Garantia Mútua UMA NOVA ALTERNATIVA NO ACESSO AO FINANCIAMENTO PARA AS PME FCGM Fundo de Contragarantia Mútuo Sessões Turismo de Portugal, Abril 2010 Apresentação Segmentos de Actuação Linhas de Oferta

Leia mais

Ministério d. da Presidência do Conselho, em 2 de Dezembro de 2007. Registado com o n.º 699/2007 no livro de registo de diplomas

Ministério d. da Presidência do Conselho, em 2 de Dezembro de 2007. Registado com o n.º 699/2007 no livro de registo de diplomas Registado com o 699/2007 no livro de registo de diplomas da Presidência do Conselho, em 2 de Dezembro de 2007 O presente decreto-lei consagra o novo regime jurídico da instalação, exploração e funcionamento

Leia mais

Soluções CA para a Agricultura, Agro-Indústria Floresta e Mar

Soluções CA para a Agricultura, Agro-Indústria Floresta e Mar Soluções CA para a Agricultura, Agro-Indústria Floresta e Mar Quem somos O Grupo Crédito Agrícola é um Grupo Financeiro de âmbito nacional, integrado por um vasto número de bancos locais Caixas Agrícolas

Leia mais

INCENTIVOS ÀS EMPRESAS DE ANIMAÇÃO TURÍSTICA

INCENTIVOS ÀS EMPRESAS DE ANIMAÇÃO TURÍSTICA INCENTIVOS ÀS EMPRESAS DE ANIMAÇÃO TURÍSTICA 1. QREN Quadro de Referência Estratégico Nacional: SI Inovação SI Qualificação e Internacionalização das PME 2. Regime Protocolos Bancários 3. Linha de Crédito

Leia mais

O FINANCIAMENTO DA ATIVIDADE TURÍSTICA

O FINANCIAMENTO DA ATIVIDADE TURÍSTICA O FINANCIAMENTO DA ATIVIDADE TURÍSTICA FIGUEIRA DA FOZ, 9 DE JULHO DE 2014 LUÍS COITO LINHAS DE APOIO FINANCEIRO Longo Prazo Curto / Médio Prazo Curto Prazo LINHA DE APOIO À QUALIFICAÇÃO DA OFERTA LINHA

Leia mais

WORKSHOP COMO FINANCIAR O MEU NEGÓCIO?

WORKSHOP COMO FINANCIAR O MEU NEGÓCIO? WORKSHOP COMO FINANCIAR O MEU NEGÓCIO? FINANCIAMENTOS DISPONÍVEIS para PME s Mecanismos de Financiamento 1. Sistemas de Incentivos do QREN 2. Linhas PME Investe 3. Microcrédito 4. Valtejo FINICIA 5. PAECPE

Leia mais

PROJECTO DE LEI N.º 267XI/1.ª LINHA DE CRÉDITO BONIFICADO DE APOIO À ACTIVIDADE AGRÍCOLA

PROJECTO DE LEI N.º 267XI/1.ª LINHA DE CRÉDITO BONIFICADO DE APOIO À ACTIVIDADE AGRÍCOLA Grupo Parlamentar PROJECTO DE LEI N.º 267XI/1.ª LINHA DE CRÉDITO BONIFICADO DE APOIO À ACTIVIDADE AGRÍCOLA Exposição de motivos São conhecidas as dificuldades económicas que parte das empresas agrícolas

Leia mais

SISTEMA DE INCENTIVOS À

SISTEMA DE INCENTIVOS À SISTEMA DE INCENTIVOS À INOVAÇÃO AVISOS PARA APRESENTAÇÃO DE CANDIDATURAS INOVAÇÃO PRODUTIVA EMPREENDEDORISMO QUALIFICADO Elisabete Félix Turismo de Portugal, I.P. - Direcção de Investimento PRIORIDADE

Leia mais

FINANCIAMENTO DA ATIVIDADE TURÍSTICA. Oliveira do Hospital, 25 > Março > 2014 Miguel Mendes

FINANCIAMENTO DA ATIVIDADE TURÍSTICA. Oliveira do Hospital, 25 > Março > 2014 Miguel Mendes FINANCIAMENTO DA ATIVIDADE TURÍSTICA Oliveira do Hospital, 25 > Março > 2014 Miguel Mendes LINHA DE APOIO à QUALIFICAÇÃO DA OFERTA e ao EMPREENDEDORISMO NO TURISMO VALORIZAR E DIVERSIFICAR O PRODUTO TURÍSTICO

Leia mais

QREN 2007-2013 Agenda Factores de Competitividade Sistemas de Incentivos Workshop Medidas de Apoio às Empresas Marinha Grande.

QREN 2007-2013 Agenda Factores de Competitividade Sistemas de Incentivos Workshop Medidas de Apoio às Empresas Marinha Grande. QREN 2007-2013 Agenda Factores de Competitividade Sistemas de Incentivos Workshop Medidas de Apoio às Empresas Marinha Grande Carlos Castro 1 SI I&DT Sistema de Incentivos à Investigação e Desenvolvimento

Leia mais

Aviso para Apresentação de Candidaturas n.º 13/SI/2012 Inovação - Empreendedorismo Qualificado

Aviso para Apresentação de Candidaturas n.º 13/SI/2012 Inovação - Empreendedorismo Qualificado Aviso para Apresentação de Candidaturas n.º 13/SI/2012 Inovação - Empreendedorismo Qualificado Prazos De 24.10.2012 a 05.09.2013 Área Tipo de Projecto Incentivos às Empresas Inovação - Empreendedorismo

Leia mais

2ª Conferência. Internet, Negócio e Redes Sociais Financiar, Inovar e Empreender. 21 de novembro de 2013 Auditório do ISEGI

2ª Conferência. Internet, Negócio e Redes Sociais Financiar, Inovar e Empreender. 21 de novembro de 2013 Auditório do ISEGI 2ª Conferência Internet, Negócio e Redes Sociais Financiar, Inovar e Empreender 21 de novembro de 2013 Auditório do ISEGI Patrocinador Principal Patrocinadores Globais APDSI PME Apoios ao crescimento APDSI

Leia mais

Atividade Turística com resultados positivos em 2014

Atividade Turística com resultados positivos em 2014 Estatísticas do Turismo 2014 28 de julho de 2015 Atividade Turística com resultados positivos em 2014 Segundo os dados provisórios da Organização Mundial de Turismo, as chegadas de turistas internacionais,

Leia mais

CANDIDATURAS ABERTAS:

CANDIDATURAS ABERTAS: Resumo das candidaturas aos Sistemas de Incentivos QREN CANDIDATURAS ABERTAS: Sistema de Incentivos à Investigação e Desenvolvimento Tecnológico Tipologia de Projectos Abertura Encerramento Individuais

Leia mais

SISTEMA DE APOIO AO FINANCIAMENTO E PARTILHA DE RISCO DA INOVAÇÃO (SAFPRI)

SISTEMA DE APOIO AO FINANCIAMENTO E PARTILHA DE RISCO DA INOVAÇÃO (SAFPRI) AVISO DE ABERTURA DE CONCURSO Nº 03 / SAFPRI / 2009 SISTEMA DE APOIO AO FINANCIAMENTO E PARTILHA DE RISCO DA INOVAÇÃO (SAFPRI) CONSTITUIÇÃO OU REFORÇO DE FUNDOS DE CAPITAL DE RISCO (FCR) PROJECTOS FASE

Leia mais

Fundo de Apoio às Microempresas no Concelho Montemor-o-Novo NORMAS E CONDIÇÕES DE ACESSO. Capítulo I. Disposições Gerais. Artigo 1º.

Fundo de Apoio às Microempresas no Concelho Montemor-o-Novo NORMAS E CONDIÇÕES DE ACESSO. Capítulo I. Disposições Gerais. Artigo 1º. Fundo de Apoio às Microempresas no Concelho Montemor-o-Novo NORMAS E CONDIÇÕES DE ACESSO Capítulo I Disposições Gerais Artigo 1º. (Objectivo) Pretende-se pôr à disposição das microempresas do Concelho

Leia mais

MEDIDAS DE INOVAÇÃO FINANCEIRA AO TURISMO. PROGRAMA FINCRESCE PME Líder

MEDIDAS DE INOVAÇÃO FINANCEIRA AO TURISMO. PROGRAMA FINCRESCE PME Líder O Turismo de Portugal, através de um Memorando de Entendimento celebrado entre o IAPMEI e as 5 principais Instituições de Crédito aderiu, em Julho de 2007, ao Programa FINCRESCE de modo a que Estatuto

Leia mais

SI INOVAÇÃO INOVAÇÃO PRODUTIVA E EMPREENDEDORISMO QUALIFICADO

SI INOVAÇÃO INOVAÇÃO PRODUTIVA E EMPREENDEDORISMO QUALIFICADO SI INOVAÇÃO INOVAÇÃO PRODUTIVA E EMPREENDEDORISMO QUALIFICADO CRITÉRIOS DE INSERÇÃO DE PROJECTOS NO PÓLO DE COMPETITIVIDADE E TECNOLOGIA TURISMO 2015 TIPOLOGIAS DE INVESTIMENTO ELEGÍVEIS 1. No âmbito dos

Leia mais

Linha de Crédito PME Crescimento 2015 - Respostas a questões das Instituições de Crédito - Versão v.1

Linha de Crédito PME Crescimento 2015 - Respostas a questões das Instituições de Crédito - Versão v.1 1. Condições a Observar pelas Empresas Beneficiárias Condições genéricas: 1.1. Localização (sede social) em território nacional; inclui Regiões Autónomas da Madeira e Açores, bem como Portugal Continental.

Leia mais

Inovação e Sustentabilidade no Turismo

Inovação e Sustentabilidade no Turismo Inovação e Sustentabilidade no Turismo Coimbra 05.Abril.2013 Miguel Mendes Turismo de Portugal, I.P. TURISMO DE PORTUGAL AUTORIDADE TURÍSTICA NACIONAL RESPONSÁVEL PELA PROMOÇÃO VALORIZAÇÃO SUSTENTABILIDADE...

Leia mais

Linha de Crédito PME Crescimento 2015 - Respostas a questões das Instituições de Crédito - Versão v.1

Linha de Crédito PME Crescimento 2015 - Respostas a questões das Instituições de Crédito - Versão v.1 1. Condições a Observar pelas Empresas Beneficiárias Condições genéricas: 1.1. Localização (sede social) em território nacional; inclui Regiões Autónomas da Madeira e Açores, bem como Portugal Continental.

Leia mais

Condições de participação Speciality & Fine Food Fair Reino Unido 07 a 09 de Setembro (Valor estimado para a participação de 9 empresas)

Condições de participação Speciality & Fine Food Fair Reino Unido 07 a 09 de Setembro (Valor estimado para a participação de 9 empresas) 1 Condições de participação Speciality & Fine Food Fair Reino Unido 07 a 09 de Setembro (Valor estimado para a participação de 9 empresas) Esta proposta de participação é válida para um elemento por empresa,

Leia mais

LINHA DE CRÉDITO INVESTE QREN. Condições Gerais da Linha - Documento de Divulgação -

LINHA DE CRÉDITO INVESTE QREN. Condições Gerais da Linha - Documento de Divulgação - LINHA DE CRÉDITO INVESTE QREN Condições Gerais da Linha - Documento de Divulgação - A - Condições Gerais 1. Montante Global e Linhas Específicas: (Milhões de Euros) Montante Global da Linha 1.000 Linhas

Leia mais

PROGRAMAS OPERACIONAIS REGIONAIS DO CONTINENTE. Deliberações CMC POR: 18/06/2010, 25/11/2010, 4/04/2011, 30/01/2012, 20/03/2012 e 8/08/2012

PROGRAMAS OPERACIONAIS REGIONAIS DO CONTINENTE. Deliberações CMC POR: 18/06/2010, 25/11/2010, 4/04/2011, 30/01/2012, 20/03/2012 e 8/08/2012 PROGRAMAS OPERACIONAIS REGIONAIS DO CONTINENTE Deliberações CMC POR: 18/06/2010, 25/11/2010, 4/04/2011, 30/01/2012, 20/03/2012 e 8/08/2012 ECONOMIA DIGITAL E SOCIEDADE DO CONHECIMENTO - ENTRADA EM VIGOR

Leia mais

INFORMAÇÃO PARA ACESSO À LINHA DE CRÉDITO INVESTE QREN

INFORMAÇÃO PARA ACESSO À LINHA DE CRÉDITO INVESTE QREN INFORMAÇÃO PARA ACESSO À LINHA DE CRÉDITO INVESTE QREN A. BENEFICIÁRIOS Entidades beneficiárias dos Sistemas de Incentivos do QREN (SI QREN), que: 1. Tenham projetos aprovados e não estejam concluídos

Leia mais

Portaria n.º 1160/2000 de 7 de Dezembro

Portaria n.º 1160/2000 de 7 de Dezembro Portaria n.º 1160/2000 de 7 de Dezembro O PRODESCOOP - Programa de Desenvolvimento Cooperativo, criado pela Portaria n.º 52-A/99, de 22 de Janeiro, partindo do reconhecimento da especificidade do sector

Leia mais

Contribuir para o desenvolvimento da região em que se inserem;

Contribuir para o desenvolvimento da região em que se inserem; SIPIE SISTEMA DE INCENTIVOS A PEQUENAS INICIATIVAS EMPRESARIAIS FICHA DE MEDIDA Apoia projectos com investimento mínimo elegível de 15.000 e a um máximo elegível de 150.000, que visem a criação ou desenvolvimento

Leia mais

Ministérios das Finanças e da Economia. Portaria n.º 37/2002 de 10 de Janeiro

Ministérios das Finanças e da Economia. Portaria n.º 37/2002 de 10 de Janeiro Ministérios das Finanças e da Economia Portaria n.º 37/2002 de 10 de Janeiro O Decreto-Lei n.º 70-B/2000, de 5 de Maio, aprovou o enquadramento das medidas de política económica para o desenvolvimento

Leia mais

Entidades intervenientes As candidaturas podem ser apresentadas em qualquer das entidades abaixo indicadas

Entidades intervenientes As candidaturas podem ser apresentadas em qualquer das entidades abaixo indicadas Entidades intervenientes As candidaturas podem ser apresentadas em qualquer das entidades abaixo indicadas Município de Serpa Praça da República 7830-389 Serpa Telefone: 284 540 100 Fax: 284 540 109 Endereço

Leia mais

Captação de Grandes Congressos Internacionais. Regulamento

Captação de Grandes Congressos Internacionais. Regulamento Captação de Grandes Congressos Internacionais Regulamento Artigo 1º Objecto 1. O presente regulamento tem por objecto a definição dos termos de concessão de apoio a projectos de captação de grandes Congressos

Leia mais

PO Algarve 21. Sistema de Incentivos ao investimento no setor TURISMO. PO Algarve 21

PO Algarve 21. Sistema de Incentivos ao investimento no setor TURISMO. PO Algarve 21 PO Algarve 21 Sistema de Incentivos ao investimento no setor TURISMO Lagos 10/04/2013 PO Algarve 21 Apoios às empresas Sistemas de Incentivos QREN Linha de crédito Investe QREN Fundo Capital de Risco Revitalizar

Leia mais

Programa de Apoio ao Empreendedorismo e à Criação do Próprio Emprego (PAECPE) Viana do Alentejo, 27 de Janeiro de 2012

Programa de Apoio ao Empreendedorismo e à Criação do Próprio Emprego (PAECPE) Viana do Alentejo, 27 de Janeiro de 2012 Programa de Apoio ao Empreendedorismo e à Criação do Próprio Emprego (PAECPE) Viana do Alentejo, 27 de Janeiro de 2012 PROGRAMA DE APOIO AO EMPREENDEDORISMO E À CRIAÇÃO DO PRÓPRIO EMPREGO Destinatários

Leia mais

Câmara do Comércio de Angra do Heroísmo Associação Empresarial das ilhas Terceira, Graciosa e São Jorge

Câmara do Comércio de Angra do Heroísmo Associação Empresarial das ilhas Terceira, Graciosa e São Jorge Objetivos Contribuir para o incremento de uma nova cultura empresarial, baseada no conhecimento e na inovação, introduzindo uma cultura de risco e vontade empreendedora, através do estímulo ao aparecimento

Leia mais