Legislação do SUS Professor: Marcondes Mendes

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Legislação do SUS Professor: Marcondes Mendes"

Transcrição

1 SUS EM EXERCICIOS PARA A SECRETARIA DE SAÚDE DO DF. LEI 8.080/90 - Dispõe sobre as condições para a promoção, proteção e recuperação da saúde, a organização e o funcionamento dos serviços correspondentes e dá outras providências. FUNIVERSA / Técnico em Radiologia / SES-DF 01. De Acordo com a Lei n.º 8.080/90, assinale a alternativa correta. (A) As instituições públicas, estaduais e municipais de produção de insumos, medicamentos e de equipamentos para a saúde não fazem parte do SUS. (B) A saúde tem com fatores determinantes e condicionantes, entre outros, a alimentação, a moradia, a renda, a educação, o transporte, o lazer e o acesso a bens e serviços essenciais; os níveis de saúde da população expressam a organização social e econômica do país. (C) O dever do Estado de garantir a saúde exclui o das pessoas, da família, das empresas e da sociedade. (D) O conjunto de ações e serviços de saúde, prestados por órgãos e instituições públicas federais, estaduais e municipais, exclusivamente da administração direta, constitui o SUS. (E) A iniciativa privada poderá participar do SUS, tanto em caráter integral com em caráter suplementar. 02.FUNIVERSA 2011/Assistente Social/SES-DF Em relação às competências previstas na Lei 8.080/1990 assinale a alternativa correta: (A) Compete a direção municipal do SUS formular, avaliar e apoiar políticas de alimentação e nutrição. (B) Compete à direção nacional do SUS coordenar a rede estadual de laboratórios de saúde pública e hemocentros e gerir as unidades que permaneçam em sua organização administrativa. (C) Compete à direção estadual do SUS gerir laboratórios públicos de saúde e hemocentros. (D) Ao distrito federal compete, somente, exercer as atribuições reservadas aos estados. (E) Constitui competência comum da união, dos estados, do distrito federal e dos municípios a administração dos recursos orçamentários e financeiros destinados, em cada ano, à saúde. 03. FUNIVERSA / Enfermeiro / SES-DF. Assinale a alternativa correta com relação aos conteúdos que estão dispostos na Lei n.º 8.080/1990 e na Lei n.º 8.142/1990, respectivamente. (A) Indica as instâncias colegiadas de participação popular; indica o funcionamento dos serviços privados de assistência à saúde. (B) Determina a periodicidade das conferências de saúde; estabelece a organização do subsistema de atenção à saúde indígena. (C) Descreve a composição do Conselho de Saúde; descreve a organização do subsistema de atenção e internação domiciliar. (D) Indica os princípios do Sistema Único de Saúde (SUS); indica a participação da comunidade na gestão do SUS. (E) Regulamenta as transferências intergovernamentais de recursos financeiros; regulamenta o subsistema de acompanhamento durante o trabalho de parto, parto e pós-parto imediato. 04. FUNIVERSA / SAÚDE/SES De acordo com a lei n 8.080/1990, à direção estadual do sistema único de saúde (SUS) compete: a) O financiamento pleno dos recursos para o setor de saúde local. b) A vigilância sanitária de portos e aeroportos. c) A coordenação da rede de laboratórios de saúde pública e hemocentros. d) A formação de consórcios administrativos intermunicipais. e) A formulação de políticas de alimentação e nutrição. CESPE-2008 Enfermeiro / Ministério da Saúde A respeito do sistema de saúde no Brasil, julgue os itens a seguir. 05. ( ) A forma como o atual sistema de saúde está configurado foi resultado de um processo de mudanças e transformações ocorridas desde o século passado, tornando possível dividir a saúde pública brasileira em grandes períodos, com significados econômicos e políticos diferentes. 06. ( ) A Lei n.º 8.080/1990 enfatiza a descentralização político-administrativa mediante a municipalização de serviços e ações de saúde. 1

2 07. ( ) Por não poder participar do Sistema Único de Saúde (SUS), o setor privado não necessita obedecer às diretrizes desse sistema, devendo funcionar de maneira independente no que se refere à organização e aos serviços, garantindo a disponibilidade destes para uma população que possa pagar por eles. 08. ( ) A orientação familiar, a participação na área de saneamento, o controle e a fiscalização de alimentos, água e bebidas para o consumo humano são exemplos de áreas de atuação do SUS definidas na Lei n.º 8.080/ ( ) As leis orgânicas da saúde editadas na década passada reforçam a necessidade de redistribuição de poder, competências e recursos em direção aos estados e à União. 10. ( ) São diretrizes do SUS a eqüidade, a integralidade e a descentralização. 11. FUNCAB 2012 / Técnico em Enfermagem / Pref. Várzea Grande/MT Em relação aos objetivos e atribuições do Sistema Único de Saúde previstos na Lei Federal n 8.080/90, marque a opção correta. A) A saúde do trabalhador e a assistência farmacêutica são ações que estão incluídas no campo de atuação do SUS. B) A participação na execução de ações de saneamento básico não faz parte das atribuições do SUS. C) A saúde suplementar é uma área prioritária no campo de atuação do Sistema Único de Saúde. D) A vigilância ambiental, embora não esteja diretamente ligada ao SUS, atua em parceria com este, em busca de objetivos comuns. E) Não se incluem no campo de atuação do SUS a fiscalização e a inspeção de alimentos, água e bebidas para consumo humano. 12. MOVENS / Técnico em Enfermagem / HRSM/DF Com relação aos objetivos do SUS, estabelecidos na Lei n.º 8.080/1990, julgue os itens abaixo como Verdadeiros (V) ou Falsos (F) e, em seguida, assinale a opção correta. I Identificar e divulgar os fatores determinantes da saúde. II Formular a política de saúde destinada a promover, nos campos econômico e social, a redução de riscos de doenças e de outros agravos e estabelecer as condições que assegurem acesso universal e igualitário às ações e aos serviços para a sua promoção, proteção e recuperação. III- Assistência às pessoas por intermédio de ações de tratamento de doenças, vacinação e consultas sem a preocupação com as atividades preventivas. A seqüência correta é: (A) V, V, F. (B) F, V, F. (C) V, F, V. (D) F, V, V. 13. FUNIVERSA / Médico 40h / Pref. Palmas/TO Cabe ao SUS (Sistema Único de Saúde) a promoção, proteção e recuperação da saúde dos indivíduos e das coletividades de forma eqüitativa, considerando a saúde como direito de todos e dever do Estado, através dos seguintes princípios e diretrizes. I - Regionalização e hierarquização dos serviços públicos de saúde. II - Universalidade do atendimento. III - Eqüidade dos Serviços. IV - Integralidade da Assistência. V - Controle Social = Participação da População. (A) Apenas I e II não compõem esses princípios e diretrizes. (B) Apenas III não compõe esses princípios e diretrizes. (C) Apenas IV não compõe os princípios e diretrizes do SUS. (D) Apenas V não compõe esses princípios e diretrizes. (E) Todos compõem os princípios e diretrizes do SUS. Nas grandes batalhas da vida, o primeiro passo para a vitória é o desejo de vencer. Mahatma Gandhi 2

3 SUS EM EXERCICIOS PARA A SECRETARIA DE SAÚDE DO DF. LEI 8.142/90 - Dispõe sobre a participação da comunidade na gestão do Sistema Único de Saúde (SUS} e sobre as transferências intergovernamentais de recursos financeiros na área da saúde e dá outras providências. 01. FUNIVERSA / Técnico em Radiologia / SES-DF Em relação as instância colegiadas citadas na lei 8.142/1990, assinale a alternativa correta. (A) A Conferência de Saúde reunir-se-á a cada quatro anos com a representação dos vários segmentos sociais. (B) O Conselho de Saúde, em caráter temporário e deliberativo, é um órgão colegiado composto por representantes do governo e profissionais de saúde, somente. (C) O Conselho Nacional de Secretários de Saúde (CONASS) e o Conselho Nacional de Secretários Municipais de Saúde (CONASEMS) terão representação nos conselhos estaduais de saúde. (D) A representação dos usuários estaduais de saúde e em conferências será em maior número em relação Ao conjunto dos demais segmentos. (E) As Conferencias de Saúde e os conselhos de saúde terão suas organização e normas de funcionamento definidas pelo Ministério da Saúde. 02. FUNIVERSA 2011 / Assistente Social / SES-DF Em relação aos conselhos de saúde, segundo diretrizes da Resolução n. 333/2003 do conselho Nacional de Saúde (CNS), assinale a alternativa correta. (A) O conselho de saúde consubstancia a participação da sociedade organizada na administração da saúde, como subsistema da seguridade social, porém não consubstancia seu controle social. (B) A representação de órgãos ou entidades terá como critério a sua condição econômica e a complementaridade do conjunto de forças sociais, no âmbito de atuação do conselho de saúde. (C) O conselho de saúde atua na formação e na proposição de estratégias e, também, no controle da execução das políticas de saúde, especialmente em seus aspectos econômicos e financeiros. (D) Na criação e na reformulação dos conselhos de saúde, o Poder Executivo, respeitando os princípios da democracia, deverá acolher as suas próprias demandas, consubstanciadas na Lei Orgânica da Saúde. (E) O número de conselheiros será indicado pelas secretarias de saúde, devendo ser definido em lei 03. FUNIVERSA / Médico / SES-DF. De acordo com a Lei n.º 8.142/1990, para receberem os recursos alocados como cobertura das ações e dos serviços de saúde a serem implementados pelos municípios, estados e Distrito Federal, eles deverão contar com (A) Investimentos previstos no plano quinquenal do Ministério da Saúde. (B) Perfil demográfico. (C) Despesas de custeio e de capital. (D) Avaliação de risco. (E) Contrapartida de recursos para a saúde no respectivo orçamento. 04. FUNIVERSA / Enfermeiro / SES-DF. Assinale a alternativa correta com relação aos conteúdos que estão dispostos na Lei n.º 8.080/1990 e na Lei n.º 8.142/1990, respectivamente. (A) Indica as instâncias colegiadas de participação popular; indica o funcionamento dos serviços privados de assistência à saúde. (B) Determina a periodicidade das conferências de saúde; estabelece a organização do subsistema de atenção à saúde indígena. (C) Descreve a composição do Conselho de Saúde; descreve a organização do subsistema de atenção e internação domiciliar. (D) Indica os princípios do Sistema Único de Saúde (SUS); indica a participação da comunidade na gestão do SUS. (E) Regulamenta as transferências intergovernamentais de recursos financeiros; regulamenta o subsistema de acompanhamento durante o trabalho de parto, parto e pós-parto imediato. 3

4 CESPE - Técnico de Enfermagem / Pref. São Luís/MA / 2008 Com relação à Lei n.º 8.142/1990, que dispõe acerca da participação da comunidade na gestão do SUS e das transferências intergovernamentais de recursos financeiros na área da saúde, julgue os próximos itens. 05. ( ) O SUS conta, em cada esfera de governo, com as seguintes instâncias colegiadas de participação da sociedade: comissão intergestora bipartite, consórcio intermunicipal de saúde e conferência de saúde. 06. ( ) A conferência nacional de saúde, realizada a cada quatro anos com representação de vários segmentos sociais, avalia e altera, se necessário, em caráter permanente e deliberativo, a legislação da saúde no Brasil. 07. ( ) Para o recebimento de recursos financeiros do Fundo Nacional de Saúde, os municípios, os estados e o DF deverão definir nos seus respectivos orçamentos suas contrapartidas de recursos financeiros para a saúde. 08. ( ) A lei em questão definiu que todos os municípios implantassem, no prazo previsto de dois anos, o plano de carreira, cargos e salários para os trabalhadores do SUS, condicionando a essa exigência o repasse de recursos financeiros da União. 09. ( ) Segundo a lei em apreço, a representação dos prestadores de serviços nas conferências de saúde deve ser paritária em relação ao conjunto dos demais segmentos. 10. FUNIVERSA / SAÚDE / SES-DF De acordo com a Lei federal n 8.142/1990, a representação dos usuários nos conselhos de saúde e conferências de saúde será: a) Paritária em relação ao segmento dos gestores. b) Proporcional à metade do conjunto dos demais segmentos. c) Paritária em relação ao segmento dos trabalhadores. d) Paritária em relação ao conjunto dos demais segmentos. e) Proporcional ao segmento dos gestores. 11. FUNIVERSA / SAÚDE / SES-DF De acordo com a lei federal n 8.142/1990, para receberem os recursos financeiros destinados à cobertura: a) Orçamento que contemple tais receitas. b) Fundo de saúde constituído. c) Agenda de saúde pactuada d) Secretaria de saúde legalmente instituída. e) Pacto de saúde aprovado. 12. FUNIVERSA / SAÚDE / SES-DF As conferências de saúde instituídas pela Lei n 8.142/1990 possibilitaram a participação da comunidade na condução do SUS, valorizando os direitos do cidadão. Sobre as conferências de saúde, é correto afirmar que: a) São convocados a cada 2 anos pelos conselhos de saúde. b) Controlam a execução da política de saúde. c) São responsáveis pela fiscalização dos gastos no SUS. d) Propõem as diretrizes para a formulação da política de saúde. "O sucesso é a soma de pequenos esforços - repetidos dia sim, e no outro dia também." Robert Collier 4

5 SUS EM EXERCICIOS PARA A SECRETARIA DE SAÚDE DO DF/2012 CF Título VIII / Capítulo II / Seção II / Da Saúde / Art A saúde é direito de todos e dever do Estado / Art São de relevância pública as ações e serviços de saúde / Art As ações e serviços públicos de saúde integram uma rede regionalizada e hierarquizada e constituem um sistema único, / Art A assistência à saúde é livre à iniciativa privada / Art Ao sistema único de saúde compete. 01. FUNIVERSA / Médico / SES-DF. De acordo com o art. 199 da Constituição Federal, (A) A assistência à saúde é livre à iniciativa privada, e a participação das instituições privadas será de forma complementar. (B) É permitida a participação indireta de empresas ou capitais estrangeiros na assistência à saúde, em qualquer caso. (C) Na participação de instituições privadas no SUS, terão preferência somente as entidades filantrópicas, sendo irrelevante a caracterização destas quanto à aferição de lucro. (D) As instituições privadas, ao participarem do SUS, deverão fazê-lo mediante assinatura de termo de adesão. (E) Poderão ser destinados recursos públicos para auxílios ou subvenções às instituições privadas com fins lucrativos, em caso de necessidade. 02. FUNIVERSA 2011 / Assistente Social / SES-DF De acordo com a constituição federal compete ao sistema único de saúde (SUS), alem de outras atribuições: (A) Executar as ações de vigilância sanitária e epidemiológica, exceto as de saúde do trabalhador. (B) Incrementar, em sua área de atuação, o desenvolvimento científico e tecnológico. (C) Participar da comercialização e da fiscalização de produção, transporte, guarda e utilização de substâncias e produtos psicoativos, tóxicos e radioativos. (D) Abster-se sempre que possível, de participar da formulação da política e da execução de saneamento básico. (E) Fiscalizar e inspecionar alimentos, compreendido o controle de seu teor nutricional, executando-se bebidas e águas para consumo humano. 03. FUNIVERSA / Técnico em Radiologia / SES-DF Segundo a Constituição Federal, as ações e os serviços públicos de saúde integram uma rede regionalizada e hierarquizada e constituem um sistema único, organizado de acordo com algumas diretrizes, que incluem. (A) Participação da comunidade; atendimento integral, com prioridade para as atividades preventivas, sem prejuízo dos serviços assistenciais; centralização. (A) Participação da comunidade; atendimento integral, com prioridade para as atividades assistenciais; centralização. (C) Participação da comunidade; atendimento integral, com prioridade para as atividades preventivas, sem prejuízo dos serviços assistenciais; descentralização. (E) Participação da comunidade; atendimento integral, com prioridade para as atividades preventivas, excluindo-se os serviços assistenciais; descentralização. 04. FUNIVERSA / Técnico em Radiologia / SES-DF O Sistema Único de Saúde (SUS) foi criado em 1988, sob o principio básico de que a saúde é um direito do cidadão e um dever do estado. O SUS tem o objetivo de prover atenção ampla e de caráter universal, preventiva e curativa, por meio da descentralização da gestão e da prestação dos serviços de saúde, promovendo a participação da comunidade em todos os níveis de governo. A respeito do SUS, assinale a alternativa incorreta. (A) Fazem parte do SUS às instituições públicas federais de controle de qualidade, pesquisa e produção de insumos, medicamentos, incluindo de sangue e hemoderivados. (B) Quando da promulgação do SUS, as ações de vigilância sanitária não foram previstas. Somente após a criação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA), é que essas ações foram inseridas nas atribuições do SUS. (C) São princípios do SUS a integralidade, a equidade e a universalidade. (D) A participação da comunidade dá-se principalmente por meio dos conselhos de saúde. (E) A direção do SUS é única em cada esfera de governo. 5

6 05. FUNIVERSA / Enfermeiro / SES-DF. Entre os princípios e as diretrizes do SUS, estão a (A) Centralização e a universalidade. (B) Participação da comunidade e a autonomia. (C) Universalidade e a integralidade. (D) Complexidade e a igualdade. (E) Integralidade e a centralização. CESPE Técnico de Enfermagem / Pref. São Luís/MA No Brasil, as ações e serviços públicos de saúde e os serviços privados (conveniados e contratados) que integram o SUS obedecem a princípios organizativos e doutrinários. Acerca desses princípios, julgue os itens a seguir. 06. ( ) A legislação do SUS determina a universalidade de acesso aos serviços de saúde em todos os níveis de assistência e em todo o território nacional. 07. ( ) O princípio do acesso universal às ações e aos serviços de saúde no Brasil se traduz na Constituição Federal, quando o texto desta afirma que a saúde é direito de todos e dever do Estado. 08. ( ) A diretriz da descentralização político-administrativa do SUS contribuiu para o atual grau de municipalização, regionalização e hierarquização da rede de serviços de saúde no Brasil. 09. ( ) O SUS tem direção única em cada esfera de governo, pressupondo a conjugação dos recursos financeiros, tecnológicos, materiais e humanos da União, dos estados, do DF e dos municípios na prestação dos serviços de saúde à população. 10. ( ) De acordo com a Constituição Federal, a saúde deve ser garantida mediante políticas econômicas e sociais que visem à redução do risco de adoecer e morrer da população. Por isso, os recursos financeiros específicos do SUS podem, na esfera municipal, ser aplicados em ações de saneamento básico, incluindo a coleta pública regular do lixo urbano. CESPE-2007 / Técnico de Enfermagem / Pref. Vitória/ES. Com relação aos princípios, diretrizes e regulamentos que regem o Sistema Único de Saúde (SUS), julgue os itens a seguir. 11. ( ) Segundo a Constituição de 1988, que forneceu as bases legais para a inclusão dos cidadãos brasileiros no sistema público de saúde, apenas a saúde dos pobres é um dever do Estado. 12. ( ) Um dos princípios do SUS é a participação da comunidade. Entretanto, não há mecanismos formais para o controle social que assegure, de fato, essa participação. 13. ( ) Entre os princípios do SUS, incluem-se a universalidade, a integralidade e a descentralização. 14. ( ) A direção do SUS é exercida pelo Ministério da Saúde e pelas secretarias de saúde dos estados, do Distrito Federal e dos municípios. CESPE / Enfermeiro / Ministério da Saúde Na Constituição Federal de 1988 (CF), há vários artigos que versam diretamente sobre o direito dos cidadãos à saúde e sobre as responsabilidades do poder público quanto a ações e serviços de saúde. Acerca desse tema, julgue os itens a seguir. 15. ( ) A CF dispõe que a saúde é direito de todos e dever do Estado, o qual, por meio de políticas sociais e econômicas, deve assegurar tal direito. 16. ( ) Na CF, as ações e os serviços de saúde são considerados como de relevância pública, devendo ser executados diretamente e exclusivamente pelo poder público. 17. ( ) De acordo com a CF, cabe ao poder público dispor, nos termos da lei, sobre a regulamentação, a fiscalização e o controle das ações e serviços de saúde. 18. ( ) O acesso universal e igualitário às ações e aos serviços de promoção, proteção e recuperação da saúde deve ser alvo de políticas do Estado, segundo a CF. 19. ( ) O SUS deve ser financiado, nos termos da CF, com recursos do orçamento dos estados, do Distrito Federal e dos municípios, cabendo à União a complementação de recursos exclusivamente em caráter eventual, a exemplo das situações de calamidade pública. 6

7 20. FCC 2012 / Enfermeiro / TRT 6ª Os princípios referentes aos aspectos éticos-doutrinários e organizativos do SUS estão descritos em: Éticos-doutrinários / Organizativos. (A) integralidade, descentralização e universalidade / regionalização, equidade e participação social. (B) descentralização, participação social e universalidade / integralidade, equidade, regionalização e hierarquia. (C) regionalização, descentralização e participação social / universalidade, equidade e integralidade. (D) equidade, universalidade e descentralização /regionalização, participação social e hierarquia. (E) universalidade, equidade e integralidade / descentralização, regionalização, hierarquia e participação social. 21. MOVENS / Técnico em Enfermagem / HRSM/DF Colegas de trabalho de um hospital regional do Distrito Federal estão em uma discussão envolvendo uma Paciente. O profissional responsável pela confecção das fichas de atendimento do pronto socorro afirma que não pode registrar a paciente em questão, pois ela reside em um município do estado de Goiás, situado próximo ao hospital. Um outro colega entende que ele deve registrar, e o médico deve decidir o que fazer. Já a paciente insiste que tem o direito de ser atendida onde quiser, pois paga seus impostos. Um técnico, lembrando-se dos princípios do Sistema Único de Saúde (SUS), resolve pôr fim à discussão, e explica a seus colegas que a paciente deve ser registrada e atendida. Com base em quais princípios do SUS o técnico fundamentou sua resposta à situação apresentada? (A) Universalidade e Participação Social (B) Integralidade e Descentralização (C) Equanimidade e Controle Social (D) Universalidade e Eqüidade. 22. FGV 2010 / Enfermagem / FIOCRUZ Segundo o artigo 196 da Constituição Federal: A saúde é direito de todos e dever do Estado, garantida mediante políticas sociais e econômicas que visem à redução do risco de doenças e de outros agravos e ao acesso universal e igualitário às ações e serviços para sua promoção, proteção e recuperação. Quanto ao direito à saúde e à sua garantia, analise as afirmativas a seguir. I. A execução de ações de vigilância sanitária, a vigilância nutricional e a orientação alimentar, a colaboração na proteção ao meio ambiente e a participação no controle e na fiscalização da produção, transporte, guarda e utilização de substâncias e produtos psicoativos, tóxicos e radioativos são ações incluídas no campo de atuação do SUS. II. O SUS é constituído tanto pelas ações e serviços de saúde prestados por órgãos e instituições públicas federais, estaduais e municipais quanto pela administração direta e indireta. III. O estado tem o dever de garantir a execução de políticas econômicas e sociais que visem à redução de risco de doenças e outros agravos e de estabelecer as condições que assegurem o acesso universal e igualitário às ações e aos serviços para a sua promoção, proteção e recuperação. Assinale: (A) se somente a afirmativas II estiver correta. (B) se somente a afirmativa III estiver correta. (C) se somente as afirmativas I e II estiverem corretas. (D) se somente as afirmativas I e III estiverem corretas. (E) se todas as afirmativas estiverem corretas. 23. FGV 2010 / Enfermagem / FIOCRUZ Segundo o art. 200 da Constituição Federal/88, é atribuição do SUS, na sua competência nacional: (A) a descentralização para os municípios dos serviços e das ações de saúde. (B) a coordenação da rede estadual de laboratórios de saúde pública e hemocentros. (C) a vigilância sanitária de portos, aeroportos e fronteiras. (D) a execução dos serviços de vigilância epidemiológica e de saúde do trabalhador. (E) a formação de consórcios administrativos intermunicipais. 7

8 24. FGV 2010 / Enfermagem / FIOCRUZ Em relação às ações e serviços de saúde que integram o SUS, analise as afirmativas a seguir. I. São desenvolvidas de acordo com as diretrizes previstas no artigo 198 da Constituição Federal. II. Devem obedecer aos princípios da preservação da autonomia das pessoas na defesa de sua integridade física e mental. III. É facultativa para os serviços privados contratados ou conveniados que integram o SUS, a obediência ao princípio da universalidade de acesso aos serviços de saúde em todos os níveis de assistência. Assinale: (A) se somente a afirmativa I estiver correta. (B) se somente a afirmativa III estiver correta. (C) se somente as afirmativas I e II estiverem corretas. (D) se somente as afirmativas II e III estiverem corretas. (E) se todas as afirmativas estiverem corretas. 25. VUNESP 2012 / Técnico em Enfermagem / Pref. Sorocaba/SP Cabe ao Sistema Único de Saúde (SUS) assegurar a todo cidadão acesso aos serviços públicos de saúde, assim como àqueles contratados pelo poder público. Nesse caso, o princípio norteador do SUS é a: (A) autonomia. (B) universalidade. (C) equidade. (D) participação social. (E) integralidade. 26. FUNIVERSA / SAÚDE / SES-DF A garantia de que todos os cidadãos devam ter acesso aos serviços públicos e privados conveniados, em todos os níveis do sistema de saúde, assegurado por uma rede de serviços com tecnologia apropriada, é o princípio do SUS conhecido como: a) Controle social. b) Hierarquização. c) Equidade. d) Integralidade. e) Universalidade. CESPE 2008 / Enfermeiro / FPH/SE Em relação ao financiamento de ações e serviços do Sistema Único de Saúde (SUS), julgue os itens que se seguem. 27. ( ) O texto constitucional definiu diretrizes para o estabelecimento dos recursos mínimos a serem aplicados pela União, pelos estados, pelo Distrito Federal (DF) e pelos municípios em ações e serviços públicos de saúde, comprometendo efetivamente as três esferas do governo com o financiamento do setor saúde. 28. ( ) A não-observância da aplicação do mínimo exigido da receita resultante de impostos estaduais nas ações e serviços públicos de saúde autoriza a União a intervir nos estados e no DF. 29. ( ) O texto constitucional regulamentou os valores percentuais que devem ser usados para o cálculo dos recursos mínimos a serem aplicados pela União, pelos estados e pelos municípios em ações e serviços públicos de saúde, assim como as normas de cálculo do montante a ser aplicado pela União, dispensando a formulação de lei complementar para esse fim. 30. ( ) A legislação permite, de maneira ampla, que a assistência à saúde seja livre à iniciativa privada, porém estabelece que a contratação de serviços privados de saúde pelo SUS, em caráter complementar, deverá considerar de forma preferencial as entidades filantrópicas e as sem fins lucrativos. 31. ( ) Compete ao Ministério da Educação ordenar a formação dos recursos humanos de todas as áreas, incluindo a área da saúde, podendo, no entanto, sempre que necessário, convocar o SUS para participar e emitir parecer a respeito de cada processo. 32. ( ) Pessoas que sejam proprietárias, administradores ou dirigentes de entidades ou serviços contratados pelo SUS estão impedidas de exercerem cargos de chefia no âmbito do próprio SUS. Os grandes feitos são conseguidos não pela força, mas pela perseverança. Samuel Johnson 8 Bom estudo Marcondes Mendes.

Sistema Único de Saúde (SUS)

Sistema Único de Saúde (SUS) LEIS ORGÂNICAS DA SAÚDE Lei nº 8.080 de 19 de setembro de 1990 Lei nº 8.142 de 28 de dezembro de 1990 Criadas para dar cumprimento ao mandamento constitucional Sistema Único de Saúde (SUS) 1 Lei n o 8.080

Leia mais

Lei 8080/90 Lei nº 8.080, de 19 de setembro de 1990 Compartilhe

Lei 8080/90 Lei nº 8.080, de 19 de setembro de 1990 Compartilhe Lei 8080/90 Lei nº 8.080, de 19 de setembro de 1990 Compartilhe Dispõe sobre as condições para a promoção, proteção e recuperação da saúde, a organização e o funcionamento dos serviços correspondentes

Leia mais

SUMÁRIO DOCUMENTÁRIO "POLÍTICAS DE SAÚDE NO BRASIL...3 SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE SUS...3 PRINCÍPIOS DO SUS...4 DIRETRIZES DO SUS...4 LEI 8.080/90...

SUMÁRIO DOCUMENTÁRIO POLÍTICAS DE SAÚDE NO BRASIL...3 SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE SUS...3 PRINCÍPIOS DO SUS...4 DIRETRIZES DO SUS...4 LEI 8.080/90... 2 SUMÁRIO DOCUMENTÁRIO "POLÍTICAS DE SAÚDE NO BRASIL...3 SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE SUS...3 PRINCÍPIOS DO SUS...4 DIRETRIZES DO SUS...4 LEI 8.080/90...5 OBJETIVO DO SUS...5 ÁREAS DE ATUAÇÃO DO SUS...5 CRITÉRIOS

Leia mais

CONCEITO DE SAÚDE OMS

CONCEITO DE SAÚDE OMS CONCEITO DE SAÚDE OMS A saúde é um estado de completo bem-estar físico, mental e social, e não consiste apenas na ausência de doença ou de enfermidade. Gozar do melhor estado de saúde que é possível atingir

Leia mais

ADENDO HFA ASSISTENTE ADMINISTRATIVO LEGISLAÇÃO BÁSICA. Professor: Will Félix

ADENDO HFA ASSISTENTE ADMINISTRATIVO LEGISLAÇÃO BÁSICA. Professor: Will Félix ADENDO HFA ASSISTENTE ADMINISTRATIVO LEGISLAÇÃO BÁSICA Professor: Will Félix LEGISLAÇÃO DA SAÚDE * A saúde é um direito público subjetivo, de responsabilidade do Estado, mas que pode também ser prestado

Leia mais

CONSTITUIÇÃO FEDERAL CONSTITUIÇÃO FEDERAL

CONSTITUIÇÃO FEDERAL CONSTITUIÇÃO FEDERAL 1 Art. 196: A saúde é direito de todos e dever do Estado, garantido mediante políticas sociais e econômicas que visem à redução do risco de doença e de outros agravos e ao acesso universal e igualitário

Leia mais

AGENDA PROPOSITIVA DO CONSELHO NACIONAL DE SAÚDE

AGENDA PROPOSITIVA DO CONSELHO NACIONAL DE SAÚDE AGENDA PROPOSITIVA DO CONSELHO NACIONAL DE SAÚDE Com o objetivo de estimular o debate democrático, o Conselho Nacional de Saúde (CNS) apresenta à sociedade brasileira sua Agenda Propositiva para a Saúde

Leia mais

Fundação Saúde Concurso Público CEPERJ 2011 Prova de Nível Superior

Fundação Saúde Concurso Público CEPERJ 2011 Prova de Nível Superior Caros Leitores e Concurseiros, Analisaremos as questões do Sistema Único de Saúde SUS - cobradas pela organizadora CEPERJ no concurso da Fundação Saúde (Estado do Rio de Janeiro) para os cargos de nível

Leia mais

Gestão Municipal de Saúde. Leis, normas e portarias atuais

Gestão Municipal de Saúde. Leis, normas e portarias atuais Gestão Municipal de Saúde Leis, normas e portarias atuais MINISTÉRIO DA SAÚDE Ministro José Serra Secretaria de Políticas de Saúde Secretário Cláudio Duarte da Fonseca Coordenação Geral da Política de

Leia mais

Oficina Nacional Planejamento no Âmbito do SUS. Planejamento Regional Integrado

Oficina Nacional Planejamento no Âmbito do SUS. Planejamento Regional Integrado Oficina Nacional Planejamento no Âmbito do SUS Planejamento Regional Integrado Brasília DF, novembro de 2014 LEGISLAÇÃO ANTERIOR AO DECRETO - VIGENTE Lei 8142/90-1º. art. 1 A Conferência de Saúde reunir-se-á

Leia mais

CONSTRUÇÃO DO SUS Movimento da Reforma Sanitária

CONSTRUÇÃO DO SUS Movimento da Reforma Sanitária SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE CAPACITAÇÃO PARA APOIOS DO CONTROLE SOCIAL Mariângela de Assis Gomes Fortes CONSTRUÇÃO DO SUS Movimento da Reforma Sanitária Surgimento No Final dos anos de 1970 e início dos anos

Leia mais

SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE - SUS

SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE - SUS SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE - SUS QUESTÃO 1 Assinale a opção que contém os instrumentos de planejamento da Regionalização, defendido no pacto pela saúde 2006: a. O PDR (Plano Diretor de Regionalização), o Plano

Leia mais

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA SECRETARIA DE DIREITOS HUMANOS RESOLUÇÃO N 137, DE 21 DE JANEIRO DE 2010.

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA SECRETARIA DE DIREITOS HUMANOS RESOLUÇÃO N 137, DE 21 DE JANEIRO DE 2010. PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA SECRETARIA DE DIREITOS HUMANOS RESOLUÇÃO N 137, DE 21 DE JANEIRO DE 2010. Dispõe sobre os parâmetros para a criação e o funcionamento dos Fundos Nacional, Estaduais e Municipais

Leia mais

NOTA CONASEMS Regras para utilização dos recursos transferidos fundo a fundo

NOTA CONASEMS Regras para utilização dos recursos transferidos fundo a fundo NOTA CONASEMS Regras para utilização dos recursos transferidos fundo a fundo O Financiamento da Saúde, de acordo com a Constituição Federal de 1988, é responsabilidade das três esferas de Governo, com

Leia mais

Gestão da saúde indígena O Modelo Brasileiro de Atenção à Saúde Indígena

Gestão da saúde indígena O Modelo Brasileiro de Atenção à Saúde Indígena Primer Foro Nacional de Salud de los Pueblos Indígenas San José Costa Rica 26, 27 y 28 de octubre de 2005 Gestão da saúde indígena O Modelo Brasileiro de Atenção à Saúde Indígena Edgard Dias Magalhaes

Leia mais

18/05/2015 PACTO PELA SAÚDE

18/05/2015 PACTO PELA SAÚDE PACTO PELA SAÚDE O Pacto firmado entre os três gestores do SUS a partir de uma unidade de princípios: respeita as diferenças regionais, agrega os pactos anteriormente existentes, reforça a organização

Leia mais

O PRESIDENTE DA REPÚBLICA Faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono a seguinte Lei: CAPÍTULO I DAS DEFINIÇÕES

O PRESIDENTE DA REPÚBLICA Faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono a seguinte Lei: CAPÍTULO I DAS DEFINIÇÕES PROJETO DE LEI N o, DE DE DE 2010 Dispõe sobre a Política Nacional de Economia Solidária, cria o Sistema Nacional de Economia Solidária e o Fundo Nacional de Economia Solidária, e dá outras providências.

Leia mais

Rosália Bardaro Núcleo de Assuntos Jurídicos Secretaria de Estado da Saúde

Rosália Bardaro Núcleo de Assuntos Jurídicos Secretaria de Estado da Saúde Rosália Bardaro Núcleo de Assuntos Jurídicos Secretaria de Estado da Saúde A Regulamentação 9 anos de tramitação no Congresso Nacional A Lei foi editada com a seguinte estrutura: - Disposições preliminares;

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DO SALVADOR SECRETARIA MUNICIPAL DE PLANEJAMENTO, TECNOLOGIA E GESTÃO - SEPLAG EDITAL DE CONCURSO PÚBLICO N.

PREFEITURA MUNICIPAL DO SALVADOR SECRETARIA MUNICIPAL DE PLANEJAMENTO, TECNOLOGIA E GESTÃO - SEPLAG EDITAL DE CONCURSO PÚBLICO N. PREFEITURA MUNICIPAL DO SALVADOR SECRETARIA MUNICIPAL DE PLANEJAMENTO, TECNOLOGIA E GESTÃO - SEPLAG EDITAL DE CONCURSO PÚBLICO N.º 01/2011 O SECRETÁRIO DE PLANEJAMENTO, TECNOLOGIA E GESTÃO DO MUNICÍPIO

Leia mais

Lei 141/2012 - Comentários

Lei 141/2012 - Comentários Lei 141/2012 - Comentários Áquilas Mendes Prof. Dr. Livre-Docente de Economia da Saúde da FSP/USP e do Departamento de Economia da PUC-SP agosto/2012 BREVE CONTEXTO DA LEI 141/2012 CONSIDERAÇÕES GERAIS

Leia mais

Avanços e desafios do Contrato Organizativo da Ação Pública de Saúde- COAP na Região de Baturité - Ce

Avanços e desafios do Contrato Organizativo da Ação Pública de Saúde- COAP na Região de Baturité - Ce Avanços e desafios do Contrato Organizativo da Ação Pública de Saúde- COAP na Região de Baturité - Ce Leo Felyppe Ferreira Sappi 1, Simary Barreira Cunha Ribeiro 2, Maria do Socorro Lopes Dantas 3 e Maria

Leia mais

unidades, serviços e ações que interagem para um objetivo comum: a promoção, proteção e recuperação da Saúde.

unidades, serviços e ações que interagem para um objetivo comum: a promoção, proteção e recuperação da Saúde. O SISTEMA DE SAÚDE PÚBLICA EM SANTA CATARINA Fevereiro/2013 SUS S O SUS é um SISTEMA, um conjunto de unidades, serviços e ações que interagem para um objetivo comum: a promoção, proteção e recuperação

Leia mais

Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) Prof Leandra Silva

Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) Prof Leandra Silva Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) Prof Leandra Silva Antecedentes Históricos Relatos milenares. Desde a antiguidade há um cuidado com preparo, emprego, conservação de produtos ou medicamentos;

Leia mais

Agenda Estratégica para o SUS e a Reforma Sanitária Brasileira: Objetivos e Metas para a Política de Saúde no Período 2011-2014

Agenda Estratégica para o SUS e a Reforma Sanitária Brasileira: Objetivos e Metas para a Política de Saúde no Período 2011-2014 Agenda Estratégica para o SUS e a Reforma Sanitária Brasileira: Objetivos e Metas para a Política de Saúde no Período 2011-2014 Diretrizes para articular saúde e desenvolvimento social Para contribuir

Leia mais

Saúde pública de qualidade para cuidar bem das pessoas: direito do povo brasileiro

Saúde pública de qualidade para cuidar bem das pessoas: direito do povo brasileiro Saúde pública de qualidade para cuidar bem das pessoas: direito do povo brasileiro Objetivos da 15ª. Reafirmar, impulsionar e efetivar os princípios e diretrizes do SUS- saúde como DH Mobilizar e estabelecer

Leia mais

GRATUITO CURSO COMPLETO DO SUS 17 AULAS 500 QUESTÕES COMENTADAS. Professor Rômulo Passos Aula 09

GRATUITO CURSO COMPLETO DO SUS 17 AULAS 500 QUESTÕES COMENTADAS. Professor Rômulo Passos Aula 09 1 www.romulopassos.com.br / www.questoesnasaude.com.br GRATUITO CURSO COMPLETO DO SUS 17 AULAS 500 QUESTÕES COMENTADAS Professor Rômulo Passos Aula 09 Legislação do SUS Completo e Gratuito Página 1 2 www.romulopassos.com.br

Leia mais

Ministério da Saúde Secretaria de Vigilância em Saúde Departamento de Vigilância em Saúde Ambiental e Saúde do Trabalhador. Sub-E I X O 4-4ª C N S T

Ministério da Saúde Secretaria de Vigilância em Saúde Departamento de Vigilância em Saúde Ambiental e Saúde do Trabalhador. Sub-E I X O 4-4ª C N S T Ministério da Saúde Secretaria de Vigilância em Saúde Departamento de Vigilância em Saúde Ambiental e Saúde do Trabalhador PLANEJAMENTO DO SUS Coordenação Geral de Saúde do Trabalhador FINANCIAMENTO DA

Leia mais

O DEVER DO ESTADO BRASILEIRO PARA A EFETIVAÇÃO DO DIREITO À SAÚDE E AO SANEAMENTO BÁSICO FERNANDO AITH

O DEVER DO ESTADO BRASILEIRO PARA A EFETIVAÇÃO DO DIREITO À SAÚDE E AO SANEAMENTO BÁSICO FERNANDO AITH O DEVER DO ESTADO BRASILEIRO PARA A EFETIVAÇÃO DO DIREITO À SAÚDE E AO SANEAMENTO BÁSICO FERNANDO AITH Departamento de Medicina Preventiva Faculdade de Medicina da USP - FMUSP Núcleo de Pesquisa em Direito

Leia mais

Portaria GM/MS n.º 263, de 5 de fevereiro de 2002.

Portaria GM/MS n.º 263, de 5 de fevereiro de 2002. Portaria GM/MS n.º 263, de 5 de fevereiro de 2002. O Ministro de Estado da Saúde, no uso de suas atribuições, considerando: a magnitude e a transcendência das hepatites virais, as quais configuram um grave

Leia mais

AUTONOMIA GERENCIAL PARA UNIDADES PÚBLICAS PRESTADORAS DE SERVIÇOS DO SUS: OPORTUNIDADE E NECESSIDADE DE REGULAMENTAÇÃO

AUTONOMIA GERENCIAL PARA UNIDADES PÚBLICAS PRESTADORAS DE SERVIÇOS DO SUS: OPORTUNIDADE E NECESSIDADE DE REGULAMENTAÇÃO AUTONOMIA GERENCIAL PARA UNIDADES PÚBLICAS PRESTADORAS DE SERVIÇOS DO SUS: OPORTUNIDADE E NECESSIDADE DE REGULAMENTAÇÃO Subsidio à Reunião de Planejamento do CEBES de 26 e27/fev/2010 Elaborado com base

Leia mais

CONSELHO MUNICIPAL DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE DE ANÁPOLIS-CMDCA

CONSELHO MUNICIPAL DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE DE ANÁPOLIS-CMDCA CONSELHO MUNICIPAL DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE DE ANÁPOLIS-CMDCA RESOLUÇÃO Nº. 007/11, de 29 DE NOVEMBRO DE 2011. Dispõe sobre a Captação de Recursos através do Fundo da Infância e Adolescência

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA Nº 78/2012. Acordo de Empréstimo LN 7513 BR COMPONENTE SAÚDE CONSULTORIA PESSOA FÍSICA

TERMO DE REFERÊNCIA Nº 78/2012. Acordo de Empréstimo LN 7513 BR COMPONENTE SAÚDE CONSULTORIA PESSOA FÍSICA TERMO DE REFERÊNCIA Nº 78/0 Acordo de Empréstimo LN 753 BR COMPONENTE SAÚDE CONSULTORIA PESSOA FÍSICA OBJETIVO: Prestação de Serviços Técnicos especializados de Consultoria para Assessoria Jurídica de

Leia mais

10/04/2015. Lei Orgânica da Saúde Lei nº 8.080/1990

10/04/2015. Lei Orgânica da Saúde Lei nº 8.080/1990 Lei Orgânica da Saúde Lei nº 8.080/1990 1 Próximas aulas YOUTUBE www.romulopassos.com.br contato@romulopassos.com.br WhatsApp (074) 9926-6830 2 3 Já baixou o slide em PDF? Disposições Gerais do SUS Art.

Leia mais

JUDICIALIZAÇÃO DA SAÚDE NO BRASIL

JUDICIALIZAÇÃO DA SAÚDE NO BRASIL JUDICIALIZAÇÃO DA SAÚDE NO BRASIL Uma reflexão para a desjudicialização ou como lidar com essa questão no SUS Rio de Janeiro 30 de julho de 2012 6ª Seminário Internacional de Atenção Básica LENIR SANTOS

Leia mais

O Congresso Nacional decreta:

O Congresso Nacional decreta: Dispõe sobre os valores mínimos a serem aplicados anualmente por Estados, Distrito Federal, Municípios e União em ações e serviços públicos de saúde, os critérios de rateio dos recursos de transferências

Leia mais

A contribuição do Controle Social para Promoção do Uso Racional de Medicamentos

A contribuição do Controle Social para Promoção do Uso Racional de Medicamentos A contribuição do Controle Social para Promoção do Uso Racional de Medicamentos II Seminário Multiprofissional sobre o Uso Racional de Medicamentos Maceió - 2014 Medicamentos e Uso Racional 1975 28ª Assembleia

Leia mais

Fórum Região Sudeste Belo Horizonte 21 a 23 de julho de 2015. Sanitária. Gisélia S. Souza FFAR/ISC/UFBA

Fórum Região Sudeste Belo Horizonte 21 a 23 de julho de 2015. Sanitária. Gisélia S. Souza FFAR/ISC/UFBA Fórum Região Sudeste Belo Horizonte 21 a 23 de julho de 2015 EIXO TEMÁTICO 4 -O trabalho e o trabalhador da Vigilância Sanitária Gisélia S. Souza FFAR/ISC/UFBA EIXO 4 Questões norteadoras sobre o trabalhador

Leia mais

Constituição Federal - CF - 1988 Título VIII Da Ordem Social Capítulo III Da Educação, da Cultura e do Desporto Seção I Da Educação

Constituição Federal - CF - 1988 Título VIII Da Ordem Social Capítulo III Da Educação, da Cultura e do Desporto Seção I Da Educação Constituição Federal - CF - 1988 Título VIII Da Ordem Social Capítulo III Da Educação, da Cultura e do Desporto Seção I Da Educação Art. 205 - A educação, direito de todos e dever do Estado e da família,

Leia mais

O SUS COMO UM NOVO PACTO SOCIAL

O SUS COMO UM NOVO PACTO SOCIAL O SUS COMO UM NOVO PACTO SOCIAL Profª Carla Pintas O novo pacto social envolve o duplo sentido de que a saúde passa a ser definida como um direito de todos, integrante da condição de cidadania social,

Leia mais

CHECKLIST CONVÊNIOS E CONTRATOS DE REPASSE RECURSOS FEDERAIS

CHECKLIST CONVÊNIOS E CONTRATOS DE REPASSE RECURSOS FEDERAIS CHECKLIST CONVÊNIOS E CONTRATOS DE REPASSE RECURSOS FEDERAIS VERIFICAÇÕES PRELIMINARES Art. 3, caput e 1 ; 1. O objeto do convênio ou contrato de repasse guarda relação com a atividade do convenente? 2.

Leia mais

http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/gm/2008/prt1559_01_08_2008.html

http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/gm/2008/prt1559_01_08_2008.html Página 1 de 5 ADVERTÊNCIA Este texto não substitui o publicado no Diário Oficial da União Ministério da Saúde Gabinete do Ministro PORTARIA Nº 1.559, DE 1º DE AGOSTO DE 2008 Institui a Política Nacional

Leia mais

A gestão regionalizada das Redes de Atenção Luís s Carlos Casarin Ministério da Saúde Secretaria de Atenção àsaúde -SAS

A gestão regionalizada das Redes de Atenção Luís s Carlos Casarin Ministério da Saúde Secretaria de Atenção àsaúde -SAS A gestão regionalizada das Redes de Atenção Luís s Carlos Casarin Ministério da Saúde Secretaria de Atenção àsaúde -SAS DESAFIO DESAFIO Extensão: 8.547.403,5 Km² (dimensão continental) População: 190.732.694

Leia mais

TÍTULO/CAPÍTULO DIREITO SANITÁRIO

TÍTULO/CAPÍTULO DIREITO SANITÁRIO TÍTULO/CAPÍTULO DIREITO SANITÁRIO TÍTULO/CAPÍTULO SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE (SUS) E DIREITO SANITÁRIO Lei Orgânica da Saúde (Lei nº 8.080, de 19 de setembro de 1990) Art. 3º A saúde tem como fatores determinantes

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DA BAHIA SECRETARIA DA SAÚDE DO ESTADO DA BAHIA SUPERINTENDÊNCIA DE ATENÇÃO INTEGRAL À SAÚDE DIRETORIA DE ATENÇÃO BÁSICA

GOVERNO DO ESTADO DA BAHIA SECRETARIA DA SAÚDE DO ESTADO DA BAHIA SUPERINTENDÊNCIA DE ATENÇÃO INTEGRAL À SAÚDE DIRETORIA DE ATENÇÃO BÁSICA GOVERNO DO ESTADO DA BAHIA SECRETARIA DA SAÚDE DO ESTADO DA BAHIA SUPERINTENDÊNCIA DE ATENÇÃO INTEGRAL À SAÚDE DIRETORIA DE ATENÇÃO BÁSICA ORIENTAÇÕES BÁSICAS À GESTÃO MUNICIPAL: ORGANIZAÇÃO DA CONFÊRENCIA

Leia mais

Vigilância Sanitária

Vigilância Sanitária Vigilância Sanitária Pauta Breve histórico Missão da VISA Objetivos da VISA Processo de trabalho em VISA Risco e gerenciamento de risco sanitário Gestão:o sistema - politica financiamento RH estrutura

Leia mais

LEI Nº 1047/2012. O Prefeito do Município de Pinhalão, Estado do Paraná. Faço saber que a Câmara Municipal decreta, e eu, sanciono a seguinte Lei:

LEI Nº 1047/2012. O Prefeito do Município de Pinhalão, Estado do Paraná. Faço saber que a Câmara Municipal decreta, e eu, sanciono a seguinte Lei: LEI Nº 1047/2012 O Prefeito do Município de Pinhalão,. SÚMULA: Dispõe sobre as Diretrizes Orçamentárias para o exercício de 2013 e dá outras providências. Faço saber que a Câmara Municipal decreta, e eu,

Leia mais

Realização: CEREMAPS, EESP e Fundação CEFETBAHIA 1

Realização: CEREMAPS, EESP e Fundação CEFETBAHIA 1 CONHECIMENTOS GERAIS SOBRE SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE (QUESTÕES 01 a 30) Questão 01 (Peso 1) A saúde, através do Sistema Único de Saúde, é desenvolvida através de uma política social e econômica que visa,

Leia mais

Entenda o PL 7.168/2014 de A a Z

Entenda o PL 7.168/2014 de A a Z Entenda o PL 7.168/2014 de A a Z O Projeto de Lei 7.168/2014 avança na construção de um novo Marco Regulatório das Organizações da Sociedade Civil. Ele trata das relações entre Estado e OSCs e estabelece

Leia mais

Diretrizes para os Serviços Públicos de Saneamento Básico

Diretrizes para os Serviços Públicos de Saneamento Básico Diretrizes para os Serviços Públicos de Saneamento Básico As competências constitucionais Competência para prestação de serviços públicos locais (CF, art. 30) Compete aos Municípios:... V - organizar e

Leia mais

NOTA TÉCNICA 03 2012 REDE DE CUIDADOS À PESSOA COM DEFICIÊNCIA NO ÂMBITO DO SUS

NOTA TÉCNICA 03 2012 REDE DE CUIDADOS À PESSOA COM DEFICIÊNCIA NO ÂMBITO DO SUS NOTA TÉCNICA 03 2012 REDE DE CUIDADOS À PESSOA COM DEFICIÊNCIA NO ÂMBITO DO SUS Atualização da Minuta de portaria para a Assembleia do CONASS em 21/03/2012 1. Contextualização Pessoas com deficiência são

Leia mais

Gabinete do Conselheiro Antônio Carlos Andrada

Gabinete do Conselheiro Antônio Carlos Andrada PROCESSO: 716941 NATUREZA: CONSULTA CONSULENTE: ÚLTIMO BITENCOURT DE FREITAS PROCEDÊNCIA: PREFEITURA MUNICIPAL DE MONTE ALEGRE DE MINAS ASSUNTO: CONSULTA QUANTO À LEGALIDADE DE REPASSE DE RECURSOS FINANCEIROS,

Leia mais

DELIBERAÇÃO CES Nº 130 /2015 De, 10 de junho de 2015.

DELIBERAÇÃO CES Nº 130 /2015 De, 10 de junho de 2015. Secretaria Estadual De Saúde Conselho Estadual De Saúde - RJ DELIBERAÇÃO CES Nº 130 /2015 De, 10 de junho de 2015. APROVA O REGIMENTO IN- TERNO DA 7ª CONFERÊNCIA ESTADUAL DE SAÚDE DO RIO DE JANEIRO. O

Leia mais

CONSTRUÇÃO DO PROCESSO DE CONFERÊNCIAS DE ASSISTÊNCIA SOCIAL 2015

CONSTRUÇÃO DO PROCESSO DE CONFERÊNCIAS DE ASSISTÊNCIA SOCIAL 2015 CONSTRUÇÃO DO PROCESSO DE CONFERÊNCIAS DE ASSISTÊNCIA SOCIAL 2015 2015 uma década de existência do SUAS Decisão política de priorização, na agenda federal, da atenção às populações mais vulneráveis, do

Leia mais

Tabela das Despesas Contabilizáveis para as Ações e Serviços Públicos de Saúde - ASPS. Assist. Social

Tabela das Despesas Contabilizáveis para as Ações e Serviços Públicos de Saúde - ASPS. Assist. Social Descrição da Despesa ASPS Assist. Social Outros Base Legal Subsídio do Secretário da Saúde, Assistência e Meio Ambiente. X 1 1 Casos em que a Secretaria da Saúde abranja outras áreas de atuação, deverá

Leia mais

DECRETO Nº 38.125 DE 29 DE NOVEMBRO DE 2013. O PREFEITO DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO, no uso de suas atribuições legais e,

DECRETO Nº 38.125 DE 29 DE NOVEMBRO DE 2013. O PREFEITO DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO, no uso de suas atribuições legais e, DECRETO Nº 38.125 DE 29 DE NOVEMBRO DE 2013 Cria a Empresa Pública de Saúde do Rio de Janeiro S/A RIOSAÚDE e aprova seu Estatuto. O PREFEITO DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO, no uso de suas atribuições legais

Leia mais

Resoluções sobre Financiamento das três edições da Conferência Nacional do Esporte

Resoluções sobre Financiamento das três edições da Conferência Nacional do Esporte SEMINÁRIO NACIONAL DO ESPORTE EM CONSTRUÇÃO: SISTEMAS PÚBLICOS NACIONAIS E MODELOS ESPORTIVOS INTERNACIONAIS Resoluções sobre Financiamento das três edições da Conferência Nacional do Esporte Prof. Dr.

Leia mais

Rua Joaquim André, 895 Paulista 3434-0461-3434-7137 Piracicaba SP EDITAL DE CHAMADA PÚBLICA 02/2012

Rua Joaquim André, 895 Paulista 3434-0461-3434-7137 Piracicaba SP EDITAL DE CHAMADA PÚBLICA 02/2012 CONSELHO MUNICIPAL DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE DE PIRACICABA Rua Joaquim André, 895 Paulista 3434-0461-3434-7137 Piracicaba SP EDITAL DE CHAMADA PÚBLICA 02/2012 SELEÇÃO PÚBLICA DE PROJETOS

Leia mais

QUESTOES DE CONCURSO

QUESTOES DE CONCURSO QUESTOES DE CONCURSO 1. Com o envelhecimento populacional, um dos maiores desafios das políticas de saúde é alcançar um equilíbrio entre o apoio ao autocuidado, o apoio informal (familiares e amigos) e

Leia mais

A Organização Federativa e a Política Pública em Educação. Junho de 2013

A Organização Federativa e a Política Pública em Educação. Junho de 2013 A Organização Federativa e a Política Pública em Educação Junho de 2013 O Brasil é uma República Federativa. Os entes federados são autônomos:. A eles cabe exercer as diversas funções de governo, no âmbito

Leia mais

NOTA JURÍDICA CONASEMS n. 014 NÚCLEO DE DIREITO SANITÁRIO

NOTA JURÍDICA CONASEMS n. 014 NÚCLEO DE DIREITO SANITÁRIO ASSUNTO: DEFINIÇÃO DO QUE SEJAM AÇÕES E SERVIÇOS DE SAÚDE. DESNECESSIDADE DE NOVA REGULAMENTAÇÃO. ART. 200 DA CF E ART. 6º DA LEI 8.080/90. Desde o ano 2000, quando foi promulgada a Emenda Constitucional

Leia mais

SEGURIDADE SOCIAL DIREITO PREVIDENCIÁRIO SEGURIDADE SOCIAL SEGURIDADE SOCIAL SEGURIDADE SOCIAL PREVIDÊNCIA SOCIAL. Prof. Eduardo Tanaka CONCEITUAÇÃO

SEGURIDADE SOCIAL DIREITO PREVIDENCIÁRIO SEGURIDADE SOCIAL SEGURIDADE SOCIAL SEGURIDADE SOCIAL PREVIDÊNCIA SOCIAL. Prof. Eduardo Tanaka CONCEITUAÇÃO DIREITO PREVIDENCIÁRIO Prof. Eduardo Tanaka CONCEITUAÇÃO 1 2 Conceituação: A seguridade social compreende um conjunto integrado de ações de iniciativa dos Poderes Públicos e da sociedade, destinadas a

Leia mais

DECRETO Nº 7.508, DE 28 DE JUNHO DE 2011

DECRETO Nº 7.508, DE 28 DE JUNHO DE 2011 DECRETO Nº 7.508, DE 28 DE JUNHO DE 2011 Regulamenta a Lei n o 8.080, de 19 de setembro de 1990, para dispor sobre a organização do Sistema Único de Saúde - SUS, o planejamento da saúde, a assistência

Leia mais

Ética Saúde - Acordo Setorial - Importadores, Distribuidores e Fabricantes de Dispositivos Médicos

Ética Saúde - Acordo Setorial - Importadores, Distribuidores e Fabricantes de Dispositivos Médicos Ética Saúde - Acordo Setorial - Importadores, Distribuidores e Fabricantes de Dispositivos Médicos A Associação Brasileira de Importadores e Distribuidores de Implantes (ABRAIDI), o Instituto Ethos e as

Leia mais

PROGRAMA ACADEMIA DA SAÚDE

PROGRAMA ACADEMIA DA SAÚDE NOTA TÉCNICA 16/2011 PROGRAMA ACADEMIA DA SAÚDE Brasília, 23 de maio de 2011. PROGRAMA ACADEMIA DA SAÚDE 1. INTRODUÇÃO: O Programa Academia da Saúde foi instituído no âmbito do Sistema Único de Saúde através

Leia mais

PARTICIPAÇÃO E CONTROLE SOCIAL NO SISTEMA NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO URBANO - SNDU

PARTICIPAÇÃO E CONTROLE SOCIAL NO SISTEMA NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO URBANO - SNDU PARTICIPAÇÃO E CONTROLE SOCIAL NO SISTEMA NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO URBANO - SNDU EIXO 1 PARTE 1 - A PARTICIPAÇÃO E O CONTROLE SOCIAL NO SNDU DEVERÃO SER EXERCIDOS: (i) no âmbito federal, pelo Conselho

Leia mais

PORTARIA Nº 234, DE 07 DE FEVEREIRO DE 1992

PORTARIA Nº 234, DE 07 DE FEVEREIRO DE 1992 PORTARIA Nº 234, DE 07 DE FEVEREIRO DE 1992 O Secretário Nacional de Assistência à Saúde e Presidente do Instituto Nacional de Assistência Médica da Previdência Social-INAMPS (respondendo), no uso das

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE PALMAS GABINETE CIVIL

PREFEITURA MUNICIPAL DE PALMAS GABINETE CIVIL PUBLICADA NO DIÁRIO OFICIAL Nº 1925, DE 23 DE MAIO DE 2005, Págs 54 e 56 LEI Nº 1367, DE 17 DE MAIO DE 2005. Regulamentada pelo Decreto nº 198/06 Cria o Fundo Municipal de Desenvolvimento da Economia Popular

Leia mais

CAPÍTULO I DO APOIO A GESTÃO DO SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE CAPÍTULO II DA CONFERÊNCIA MUNICIPAL DE SAÚDE

CAPÍTULO I DO APOIO A GESTÃO DO SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE CAPÍTULO II DA CONFERÊNCIA MUNICIPAL DE SAÚDE LEI N.º 1.297, DE 06 DE JULHO DE 2010. Dispõe sobre apoio a Gestão do Sistema Único de Saúde, da realização de conferências no âmbito municipal, da reformulação e funcionamento do Conselho Municipal de

Leia mais

PORTARIA No- 2.681, DE 7 DE NOVEMBRO DE 2013

PORTARIA No- 2.681, DE 7 DE NOVEMBRO DE 2013 PORTARIA No- 2.681, DE 7 DE NOVEMBRO DE 2013 Redefine o Programa Academia da Saúde no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS). O MINISTRO DE ESTADO DA SAÚDE, no uso das atribuições que lhe conferem os incisos

Leia mais

Atualizações das Leis Municipais Encontro Estadual dos Gestores e Técnicos da Assistência Social da Bahia

Atualizações das Leis Municipais Encontro Estadual dos Gestores e Técnicos da Assistência Social da Bahia Atualizações das Leis Municipais Encontro Estadual dos Gestores e Técnicos da Assistência Social da Bahia DIREITO Normativas Política Pública # direito LOAS atualizada Elaboração Âncoras Nacional Universalidade

Leia mais

SAÚDE PÚBLICA 4 A DESCENTRALIZAÇÃO DO SISTEMA DE SAÚDE BRASILEIRO

SAÚDE PÚBLICA 4 A DESCENTRALIZAÇÃO DO SISTEMA DE SAÚDE BRASILEIRO SAÚDE PÚBLICA 4 A DESCENTRALIZAÇÃO DO SISTEMA DE SAÚDE BRASILEIRO OBJETIVOS DAS NOBs a)promover integração entre as esferas de governo definindo responsabilidades na consolidação do SUS; b)operacionalizar

Leia mais

Fundo Especiais. Fundos Especiais. Fundos Especiais Lei Federal nº 4.320/64. Fundo Municipal de Educação e FUNDEB

Fundo Especiais. Fundos Especiais. Fundos Especiais Lei Federal nº 4.320/64. Fundo Municipal de Educação e FUNDEB Fundo Especiais Fundo Municipal de Educação e FUNDEB Facilitador : Toribio Nogueira de Carvalho Contador, Pós-Graduado em Contabilidade Pública Fundos Especiais Organização e estrutura de mecanismo financeiro,

Leia mais

GLOSSÁRIO DO PORTAL SAÚDE TRANSPARENTE

GLOSSÁRIO DO PORTAL SAÚDE TRANSPARENTE GLOSSÁRIO DO PORTAL SAÚDE TRANSPARENTE Blocos de financiamento: Com a implementação do Pacto pela Saúde, os recursos federais, destinados ao custeio de ações e serviços da saúde, passaram a ser divididos

Leia mais

O Prefeito do Município de João Pessoa, Estado da Paraíba, faço saber que o Poder Legislativo decreta e eu sanciono a seguinte lei:

O Prefeito do Município de João Pessoa, Estado da Paraíba, faço saber que o Poder Legislativo decreta e eu sanciono a seguinte lei: www.leismunicipais.com.br LEI Nº 12.211, DE 27 DE SETEMBRO DE 2011. DISPÕE SOBRE A CRIAÇÃO DO FUNDO MUNICIPAL DE DESENVOLVIMENTO DA ECONOMIA POPULAR EMPREENDEDORA E SOLIDÁRIA DO MUNICÍPIO DE JOÃO PESSOA

Leia mais

SUPER CURSO DE CONHECIMENTOS BANCÁRIOS E SISTEMA FINANCEIRO NACIONAL SIMULADO 01 - BACEN e CMN Professor: Tiago Zanolla

SUPER CURSO DE CONHECIMENTOS BANCÁRIOS E SISTEMA FINANCEIRO NACIONAL SIMULADO 01 - BACEN e CMN Professor: Tiago Zanolla SIMULADO Conhecimentos Bancários e SFN QUESTÃO 01 (INÉDITA TZ 2013) Considerando o Sistema Financeiro Nacional, assinale a única alternativa que traz a correta correlação de itens: 1. Funding 2. Spread

Leia mais

ERRATA. Na página 11, continuação do Quadro Esquemático das Normas Operacionais do Sus

ERRATA. Na página 11, continuação do Quadro Esquemático das Normas Operacionais do Sus ERRATA Secretaria de Saúde do DF AUXILIAR EM saúde - Patologia Clínica Sistema Único de Sáude - SUS Autora: Dayse Amarílio D. Diniz Na página 11, continuação do Quadro Esquemático das Normas Operacionais

Leia mais

*CD150492355162* COMISSÃO DE SEGURIDADE SOCIAL E FAMÍLIA

*CD150492355162* COMISSÃO DE SEGURIDADE SOCIAL E FAMÍLIA 1 COMISSÃO DE SEGURIDADE SOCIAL E FAMÍLIA PROJETO DE LEI N o 1.836, DE 2007 (Apensos: PL nº 3.054, de 2008; PL nº 960, de 2011; PL nº 3.383, de 2012; PL 4.746, de 2012; PL nº 691, de 2015; PL nº2.578,

Leia mais

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL ASSEMBLEIA LEGISLATIVA Gabinete de Consultoria Legislativa

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL ASSEMBLEIA LEGISLATIVA Gabinete de Consultoria Legislativa ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL ASSEMBLEIA LEGISLATIVA Gabinete de Consultoria Legislativa LEI Nº 14.310, DE 30 DE SETEMBRO DE 2013. (publicada no DOE n.º 189, de 1º de outubro de 2013) Institui o Sistema

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº 14/2016 DISPÕE SOBRE A CRIAÇÃO DO CONSELHO MUNICIPAL DE PARTICIPAÇÃO E DESENVOLVIMENTO DA COMUNIDADE NEGRA CAPÍTULO I

PROJETO DE LEI Nº 14/2016 DISPÕE SOBRE A CRIAÇÃO DO CONSELHO MUNICIPAL DE PARTICIPAÇÃO E DESENVOLVIMENTO DA COMUNIDADE NEGRA CAPÍTULO I PROJETO DE LEI Nº 14/2016 DISPÕE SOBRE A CRIAÇÃO DO CONSELHO MUNICIPAL DE PARTICIPAÇÃO E DESENVOLVIMENTO DA COMUNIDADE NEGRA RUI VALDIR OTTO BRIZOLARA, Prefeito Municipal de Morro Redondo, Estado do Rio

Leia mais

Da gestão, da aplicação, do controle e da fiscalização dos Fundos... 5

Da gestão, da aplicação, do controle e da fiscalização dos Fundos... 5 Secretaria de Estado de Direitos Humanos, Participação Social e Cidadania Sedpac 2015 Apresentação Criado pela Lei nº 21.144, de 14 de janeiro de 2014, o Fundo Estadual dos Direitos do Idoso tem o objetivo

Leia mais

Circular 641/2014 São Paulo, 12 de Dezembro de 2014.

Circular 641/2014 São Paulo, 12 de Dezembro de 2014. Circular 641/2014 São Paulo, 12 de Dezembro de 2014. PROVEDOR(A) ADMINISTRADOR(A) FINANCIAMENTO PARA A AMPLIAÇÃO DO ACESSO AO TRANSPLANTE DE CÉLULAS-TRONCO HEMATOPOÉTICAS (TCTH) ALOGÊNICO NÃO APARENTADO

Leia mais

Institui o Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde (CNES).

Institui o Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde (CNES). MINISTÉRIO DA SAÚDE GABINETE DO MINISTRO DOU de 05/10/2015 (nº 190, Seção 1, pág. 669) Institui o Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde (CNES). O MINISTRO DE ESTADO DA SAÚDE, no uso das atribuições

Leia mais

NOB - SUS 1996. Gestão plena com responsabilidade pela saúde do cidadão

NOB - SUS 1996. Gestão plena com responsabilidade pela saúde do cidadão NOB - SUS 1996 Norma Operacional Básica do Sistema Único de Saúde - SUS (Publicada no D.O.U.de 6/11/1996) Gestão plena com responsabilidade pela saúde do cidadão Brasília Janeiro/1997 @ 1997. Ministério

Leia mais

a. Limpeza b. Descontaminação c. Degermação d. Anti-sepsia e. Desinfecção

a. Limpeza b. Descontaminação c. Degermação d. Anti-sepsia e. Desinfecção 21. Sobre a participação do setor privado no Sistema Único de, SUS, é incorreto afirmar que: a. As entidades filantrópicas e sem fins lucrativos também recebem remuneração do SUS pelos serviços prestados

Leia mais

Financiamento da Saúde

Financiamento da Saúde Financiamento da Saúde Goiânia, 18 de junho de 2015. BASE LEGAL Constituição Federal Lei 8080 / 8142 Lei Complementar n. 141 (Regulamentação EC 29) EC 86 1 Linha do tempo do financiamento do SUS EC Nº

Leia mais

RIO GRANDE DO NORTE DECRETO Nº 22.561, DE 10 DE FEVEREIRO DE 2012.

RIO GRANDE DO NORTE DECRETO Nº 22.561, DE 10 DE FEVEREIRO DE 2012. RIO GRANDE DO NORTE DECRETO Nº 22.561, DE 10 DE FEVEREIRO DE 2012. Fixa normas para a execução orçamentária e financeira do exercício de 2012 e dá outras providências. A GOVERNADORA DO ESTADO RIO GRANDE

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA FINANCIAMENTO DE IMÓVEIS NA PLANTA E/OU EM CONSTRUÇÃO - RECURSOS FGTS PROGRAMA DE SUBSÍDIO À HABITAÇÃO DE INTERESSE SOCIAL - PSH

TERMO DE REFERÊNCIA FINANCIAMENTO DE IMÓVEIS NA PLANTA E/OU EM CONSTRUÇÃO - RECURSOS FGTS PROGRAMA DE SUBSÍDIO À HABITAÇÃO DE INTERESSE SOCIAL - PSH Informações sobre o Programa de Financiamento de Imóveis na Planta e/ou em Construção Recursos FGTS - PSH 1 O Programa O Programa acima foi instituído por intermédio da Medida Provisória 2212 de 30 / 0

Leia mais

DOCUMENTO FINAL 8ª CONFERÊNCIA DE SAÚDE DE TOCANTINS

DOCUMENTO FINAL 8ª CONFERÊNCIA DE SAÚDE DE TOCANTINS DOCUMENTO FINAL 8ª CONFERÊNCIA DE SAÚDE DE TOCANTINS EIXO 1 DIREITO À SAÚDE, GARANTIA DE ACESSO E ATENÇÃO DE QUALIDADE DIRETRIZ: Ampliação da cobertura e qualidade dos serviços de saúde, com o aprimoramento

Leia mais

Exercícios Financiamento da saúde Professora Ana Flávia Alves e-mail: anaflaviaprofessora@yahoo.com

Exercícios Financiamento da saúde Professora Ana Flávia Alves e-mail: anaflaviaprofessora@yahoo.com Exercícios Financiamento da saúde Professora Ana Flávia Alves e-mail: anaflaviaprofessora@yahoo.com 1) (Prefeitura Municipal de Caeté FUMARC/2010) Assinale a alternativa considerada CORRETA: De acordo

Leia mais

Aquisição e Gerenciamento de Medicamentos do Componente Básico da Assistência Farmacêutica

Aquisição e Gerenciamento de Medicamentos do Componente Básico da Assistência Farmacêutica Aquisição e Gerenciamento de Medicamentos do Componente Básico da Assistência Farmacêutica Maceió -Setembro/2013 HISTÓRICO PORTARIA GM/MS nº 3.916/98 POLÍTICA NACIONAL DE MEDICAMENTOS ESTABELECEU DIRETRIZES

Leia mais

PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE PIRACICABA Estado de São Paulo Procuradoria Geral

PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE PIRACICABA Estado de São Paulo Procuradoria Geral PROJETO DE LEI No. 104/08 Dispõe sobre a criação de empregos de Agente Comunitário de Saúde, junto ao Quadro de Pessoal da Prefeitura do Município de Piracicaba, nos termos da Lei Federal nº 11.350/06

Leia mais

PLANEJAMENTO DO SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE. Brasília, outubro de 2011

PLANEJAMENTO DO SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE. Brasília, outubro de 2011 PLANEJAMENTO DO SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE Brasília, outubro de 2011 PLANEJAMENTO DA SAÚDE INTEGRADO: ASPECTOS CONSIDERADOS PRESSUPOSTOS INSTRUMENTOS Plano de Saúde, Programação Anual de saúde e Programação

Leia mais

Tribunal de Contas do Estado do Rio de Janeiro

Tribunal de Contas do Estado do Rio de Janeiro RELAÇÃO DE DOCUMENTOS INTEGRANTES DA PRESTAÇÃO DE CONTAS DE ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA (CONTAS DE GOVERNO) EXERCÍCIO DE 2013 CONFORME OFÍCIO-CIRCULAR Nº 14/2014 PRS/GAP RESPONSABILIZAÇÃO CADASTROS do Prefeito

Leia mais

O papel do controle social nas políticas públicas para idosos no Brasil

O papel do controle social nas políticas públicas para idosos no Brasil 15 O papel do controle social nas políticas públicas para idosos no Brasil Amarilis Maria Muscari Riani Costa Magali das Graças Machado Rafael de Oliveira Tavares Ruth Gelehrter da Costa Lopes Introdução

Leia mais

ANEXO I TERMO DE COMPROMISSO DE GESTÃO MUNICIPAL

ANEXO I TERMO DE COMPROMISSO DE GESTÃO MUNICIPAL ANEXO I TERMO DE COMPROMISSO DE GESTÃO MUNICIPAL Termo de Compromisso de Gestão que firma a Secretaria Municipal de Saúde de XX, representada pelo seu Secretário Municipal de Saúde, com o objetivo de pactuar

Leia mais

Formação dos integrantes do Conselho de Planejamento e Orçamento Participativos (CPOP)

Formação dos integrantes do Conselho de Planejamento e Orçamento Participativos (CPOP) Formação dos integrantes do Conselho de Planejamento e Orçamento Participativos (CPOP) Conceitos gerais de gestão pública: princípios e regras da administração pública, processos de licitação, contratos

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE NOVA OLINDA

PREFEITURA MUNICIPAL DE NOVA OLINDA LEI N 274/2013 Nova Olinda - TO, 23 de outubro de 2013 "Institui e cria o Fundo Municipal do Meio Ambiente - FMMA do Município de Nova Olinda -TO e dá outras providências." O PREFEITO MUNICIPAL DE NOVA

Leia mais

PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE LONDRINA AUTARQUIA MUNICIPAL DE SAÚDE PLANO MUNICIPAL DE SAÚDE DO TRABALHADOR 2005

PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE LONDRINA AUTARQUIA MUNICIPAL DE SAÚDE PLANO MUNICIPAL DE SAÚDE DO TRABALHADOR 2005 PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE LONDRINA AUTARQUIA MUNICIPAL DE SAÚDE PLANO MUNICIPAL DE SAÚDE DO TRABALHADOR 2005 LONDRINA PR 2005 PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE LONDRINA Nedson Luiz Micheleti - Prefeito AUTARQUIA

Leia mais

O Congresso Nacional decreta:

O Congresso Nacional decreta: PROJETO DE LEI Nº, do Sr. Roberto Gouveia Dispõe sobre a garantia dos trabalhadores à prevenção dos riscos decorrentes do trabalho e à promoção, proteção, recuperação e reabilitação da saúde, no âmbito

Leia mais