Índice. Comunicação e Sensibilização. Filipa Moita. Green Festival. 22 Setembro Centro Congressos do Estoril

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Índice. Comunicação e Sensibilização. Filipa Moita. Green Festival. 22 Setembro 2009. Centro Congressos do Estoril"

Transcrição

1 Comunicação e Sensibilização Filipa Moita 22 Setembro 2009 Centro Congressos do Estoril Índice 1. Quem somos Europa Enquadramento Legal Categorias Operacionais de REEE Missão 2. Comunicação e Sensibilização Importância Premissas Target Mensagem Estratégia A Equipa dos REEE Meios Tópicos Agradecimentos 2 1

2 QUEM SOMOS? A ERP Portugal: Europa ERP Portugal R Associação Gestora de Resíduos de Equipamentos Eléctricos e Electrónicos (REEE) 700 mil ton de REEE Sócios fundadores Electrolux Hewlett Packard Procter & Gamble Sony Quota de mercado de 30% 11 PAÍSES NA EUROPA 4 2

3 A ERP Portugal: Enquadramento Legal DECRETO LEI 230/2004 Directivas Europeias 2002/95/CE, 2002/96/CE e 2002/108/CE REEE Definições 005 dos conceitos: REEE reciclagem matérias-primas centro de recepção troca do velho pelo novo Responsabilidades dos intervenientes: Produtor Distribuidor Utilizador 5 A ERP Portugal: Categorias Operacionais Grandes Electrodomésticos Máquinas de lavar Forno/fogão Micro-ondas Ventoinha Tv e Monitores 005 Arrefecimento Frigorífico Arca Congelador Ar-condicionado Plasma LCD Lâmpadas Fluorescente Economizadora Alta descarga Outros Pequenos domésticos Impressora Computador Calculadora Relógio 6 3

4 A ERP Portugal: Missão Implementar um sistema alternativo de gestão de REEE Beneficiar os nossos utentes e empresas Estabelecer a concorrência entre sistemas de gestão de REEE 005 Sensibilizar os intervenientes e os cidadãos para os principais aspectos a considerar na gestão e tratamento de REEE Incutir valores construtivos que se traduzam em boas práticas ambientais 7 COMUNICAÇÃO e SENSIBILIZAÇÃO 4

5 Importância Balanço toneladas REEE COMUNICAÇÃO E SENSIBILIZAÇÃO COMPORTAMENTO CORRECTO ENTREGA DOS REEE 9 Premissas OBJECTIVOS Informar Sensibilizar/alertar Alterar/motivar comportamentos 005 EIXO MENSAGEM Porquê reciclar os REEE Formas correctas de encaminhamento EFEITOS COMUNICAÇÃO Atitude face aos REEE Alteração comportamentos 10 5

6 Target INFORMAÇÃO + FIDELIZAÇÃO UTENTES 5% SENSIBILIZAÇÃO ESCOLAS 50% POPULAÇÃO GERAL 100% RETALHISTAS 45% FORMAÇÃO/EDUCAÇÃO + DEPOSITRÃO 11 Mensagem 12 6

7 Estratégia A Equipa dos REEE INSTITUCIONAL O SEU GESTO NO PRESENTE FAZ A DIFERENÇA NO FUTURO. CRIANÇAS TRANSMISSORES DE MENSAGEM (CANAL) INFLUENCIADORES DE COMPORTAMENTOS FUTUROS ADULTOS 13 Estratégia A Equipa dos REEE RECICLA O TEU VELHO AMIGO ELÉCTRICO E ELECTRÓNICO! fase final do fluxo imperativo familiar e conhecido pela maioria das pessoas enquadrado/associado ao tema Ambiente, indo ao encontro do comportamento já enraizado noutras fileiras de resíduos, como o papel, vidro e plástico sentimento de posse que conduz ao de responsabilidade próximo e directo (2º pessoa singular) linguagem utilizada pelas faixas etárias envolvidas corresponde a resíduos de equipamentos eléctricos e electrónicos simplifica e desmistifica a palavra resíduos mais transversal gera relação emocional com o alvo 14 7

8 Estratégia A Equipa dos REEE Banda Desenhada Kit Planeta Fluxo 15 Meios COMUNICAÇÃO BTL (below the line) ACÇÕES/CAMPANHAS NO TERRENO COMUNICAÇÃO ATL (above the line) ANÚNCIOS 005 ESCOLAS CENTROS CIÊNCIA VIVA CÂMARAS MUNICIPAIS FEIRAS/EVENTOS PRAIAS TV IMPRENSA RÁDIO NATAL COMUNICAÇÃO ONLINE 16 8

9 ESCOLAS e CENTROS CIÊNCIA VIVA 17 ESCOLAS 18 9

10 ESCOLAS 19 ESCOLAS 20 10

11 RECOLHAS 21 RECOLHAS 22 11

12 RECOLHAS 23 FEIRAS/EVENTOS 24 12

13 FEIRAS/EVENTOS 25 FEIRAS/EVENTOS 26 13

14 PRAIAS_ PRAIAS_

15 NATAL 28 NATAL 29 15

16 GERAÇÃO DEPOSITRÃO 30 GERAÇÃO DEPOSITRÃO Junta-te à Equipa dos REEE e participa na reciclagem dos velhos amigos eléctricos e electrónicos! 31 16

17 Agradecimentos

Welcome. Bienvenue. Willkommen. Witamy. Bem-Vindo. Benvenuto. Velkommen. Bienvenidos. Tervetuloa

Welcome. Bienvenue. Willkommen. Witamy. Bem-Vindo. Benvenuto. Velkommen. Bienvenidos. Tervetuloa Welcome Willkommen Bienvenue Bem-Vindo Witamy Velkommen Bienvenidos Benvenuto Tervetuloa A E R P Plataforma Pan-Europeia de Gestão de Resíduos Ordem dos Engenheiros Lisboa 2ª Jornada de Reciclagem e Valorização

Leia mais

Índice. Campanha Praias 2010 Alentejo Algarve E R P P o r t u g a l. 1. A ERP Portugal. 2. Depositrão. 3. Campanha Praias_2010

Índice. Campanha Praias 2010 Alentejo Algarve E R P P o r t u g a l. 1. A ERP Portugal. 2. Depositrão. 3. Campanha Praias_2010 Campanha Praias 2010 Alentejo Algarve E R P P o r t u g a l Índice 1. A ERP Portugal 2. Depositrão 3. 4. Resumo Campanha Praias_2009 5. Agradecimentos 2 1 A ERP Portugal ERP PORTUGAL Associação Gestora

Leia mais

01 ERP - GERAÇÃO DEPOSITRÃO

01 ERP - GERAÇÃO DEPOSITRÃO 01 Entidade Promotora: Parceiro: Apoios: ÍNDICE A ERP PORTUGAL Página 03 OS RESÍDUOS DE EQUIPAMENTOS ELÉCTRICOS E ELECTRÓNICOS (REEE) Página 04 OS RESÍDUOS DE PILHAS E ACUMULADORES (RP&A) Página 08 COMUNICAÇÃO

Leia mais

PORTUGAL 2009. Sumário Legislação Associação e Intervenientes Mercado EEE 2009 Recolha de REEE

PORTUGAL 2009. Sumário Legislação Associação e Intervenientes Mercado EEE 2009 Recolha de REEE PORTUGAL 2009 DADOS DE MERCADO DE EQUIPAMENTOS ELÉCTRICOS E ELECTRÓNICOS Sumário Legislação Associação e Intervenientes Mercado EEE 2009 Recolha de REEE Pg. 1 Sumário Uma política adequada de gestão de

Leia mais

Manual de Implementação do EMAS no Sector da Hotelaria

Manual de Implementação do EMAS no Sector da Hotelaria Manual de Implementação do EMAS no Sector da Hotelaria o o - - - - - Vamos todos Colaborar!! Um dos Objectivos Ambientais e

Leia mais

São mais de 80 os serviços que garantem o correcto acondicionamento e encaminhamento do papel/cartão para os respectivos pontos de recolha.

São mais de 80 os serviços que garantem o correcto acondicionamento e encaminhamento do papel/cartão para os respectivos pontos de recolha. A Câmara Municipal procura ser um exemplo de bom desempenho ambiental. A gestão ambiental da autarquia promove, através de um conjunto de projectos, a reciclagem junto dos munícipes e dos seus trabalhadores.

Leia mais

Adesão ao Sistema Integrado de Gestão de Resíduos Eléctricos e Electrónicos e Pilhas e Acumuladores da ERP Portugal

Adesão ao Sistema Integrado de Gestão de Resíduos Eléctricos e Electrónicos e Pilhas e Acumuladores da ERP Portugal Adesão ao Sistema Integrado de Gestão de Resíduos Eléctricos e Electrónicos e Pilhas e Acumuladores da ERP Portugal Elaborado por Rosa Peres Aprovado por Ricardo Neto Data 7 de novembro de 2013 1 Índice

Leia mais

13-09-2010 MATERIAIS RECICLÁVEIS, PROCESSO DE RECICLAGEM

13-09-2010 MATERIAIS RECICLÁVEIS, PROCESSO DE RECICLAGEM MATERIAIS RECICLÁVEIS, PROCESSO DE RECICLAGEM 1 2 Introdução História da limpeza; Educação Ambiental; Campanhas de Sensibilização, Publicidade; Reciclagem antigamente; Materiais reutilizáveis; Processos

Leia mais

PROCESSO DE GEMINAÇÃO

PROCESSO DE GEMINAÇÃO PROCESSO DE GEMINAÇÃO 2 PROCESSO DE GEMINAÇÃO A nova edição da campanha Geração Depositrão apresenta uma componente social ainda mais forte, na medida em que, para além dos prémios finais oferecidos pelo

Leia mais

GERAÇÃO DEPOSITRÃO 6 ERP PORTUGAL. Filipa Moita 25 janeiro 2014 Centro de Exposições BRAGA

GERAÇÃO DEPOSITRÃO 6 ERP PORTUGAL. Filipa Moita 25 janeiro 2014 Centro de Exposições BRAGA GERAÇÃO DEPOSITRÃO 6 ERP PORTUGAL Filipa Moita 25 janeiro 2014 Centro de Exposições BRAGA 1 GERAÇÃO DEPOSITRÃO Recolha de equipamentos e pilhas em fim de vida 603 Eco-Escolas nacionais Escolas = pontos

Leia mais

Castelo de Vide 16.02.2009. Mais eco. Mais futuro.

Castelo de Vide 16.02.2009. Mais eco. Mais futuro. Castelo de Vide 16.02.2009 Mais eco. Mais futuro. O mundo está nas nossas mãos... 1 O consumo energético mundial tem registado forte crescimento nos últimos anos, agravando o volume de emissões de CO 2

Leia mais

Eficiência na Gestão de Resíduos. I joana.andre@lipor.pt I www.lipor.pt I. Multimaterial

Eficiência na Gestão de Resíduos. I joana.andre@lipor.pt I www.lipor.pt I. Multimaterial REEE joana.andre@lipor.pt www.lipor.pt População 969.036 habitantes (Census 2001) 10,3% da população de Portugal Produção anual de RSU (ano 2004) : 488.128 toneladas Capitação 1,38 kg/(hab/dia) Área: 648

Leia mais

Desenvolvimento de estudos referentes ao processo de reciclagem de flat panels

Desenvolvimento de estudos referentes ao processo de reciclagem de flat panels Universidade do Minho Escola de Engenharia Gestão Estratégica e Organizacional Desenvolvimento de estudos referentes ao processo de reciclagem de flat panels Realizado por: David Silva; Pedro Magalhães;

Leia mais

1 - Publituris.pt, 30-09-2010, Publituris: ExpoQuintas em processo de certificação para "Green Event"

1 - Publituris.pt, 30-09-2010, Publituris: ExpoQuintas em processo de certificação para Green Event Revista de Imprensa 01-10-2010 Cascais Energia 1 - Publituris.pt, 30-09-2010, Publituris: ExpoQuintas em processo de certificação para "Green Event" 2 - Planeta Azul.pt, 27-09-2010, Caça Watts e Eco-famílias

Leia mais

1 - Câmaras Verdes.pt, 27-01-2010, CASCALENSES REGISTAM COMPORTAMENTOS ECOLÓGICOS ONLINE. 2 - Time Out Lisboa, 27-01-2010, Agenda de Feiras

1 - Câmaras Verdes.pt, 27-01-2010, CASCALENSES REGISTAM COMPORTAMENTOS ECOLÓGICOS ONLINE. 2 - Time Out Lisboa, 27-01-2010, Agenda de Feiras Revista de Imprensa Agenda 21 1 - Câmaras Verdes.pt, 27-01-2010, CASCALENSES REGISTAM COMPORTAMENTOS ECOLÓGICOS ONLINE 2 - Time Out Lisboa, 27-01-2010, Agenda de Feiras 3 - Time Out Lisboa, 20-01-2010,

Leia mais

Juntos pela excelência ambiental

Juntos pela excelência ambiental Juntos pela excelência ambiental 1 Pontos em Agenda 1 3 Ponto Verde Serviços Enquadramento Quem somos A nossa missão As nossas marcas Ponto Verde Serviços Os nossos serviços Certificação 3R 6 Certificação

Leia mais

OS TECNOSISTEMAS - O CASO DA ILHA DO PICO Perspectivas de desenvolvimento

OS TECNOSISTEMAS - O CASO DA ILHA DO PICO Perspectivas de desenvolvimento A GESTÃO DE RESÍDUOS EM ZONAS INSULARES: UM DESAFIO PARA OS AÇORES OS TECNOSISTEMAS - O CASO DA ILHA DO PICO Perspectivas de desenvolvimento Paulo Santos Monteiro (Prof. Auxiliar da FEUP) 1.700 km 270

Leia mais

Valores do mercado Português de EEE em 2008

Valores do mercado Português de EEE em 2008 2008 2007 Categorias de Produtos Unidades Pesos (ton) Unidades Pesos (ton) 1. Grandes electrodomésticos 3.089.503 90.026,84 3.460.515 100.692,68 2. Pequenos electrodomésticos 7.329.676 12.815,78 7.313.755

Leia mais

Valores do mercado Português de EEE em 2007

Valores do mercado Português de EEE em 2007 2007 2006 Categorias de Produtos Unidades Pesos (ton) Unidades Pesos (ton) 1. Grandes electrodomésticos 3.460.515 100.692,68 3.400.249 66.306,08 2. Pequenos electrodomésticos 7.313.755 11.748,19 5.030.036

Leia mais

Relatório de Actividades

Relatório de Actividades AGUARDA VALIDAÇÃO DA APA Sistema Integrado de Gestão de Resíduos de Equipamentos Eléctricos e Electrónicos Relatório de Actividades 2006 Índice 1. Introdução... 3 2.Estrutura Associativa da ERP Portugal...

Leia mais

Mod 10-381 rev 0. Manual de Boas Práticas Ambientais. Prestadores de Serviços de Manutenção de Ar Condicionado

Mod 10-381 rev 0. Manual de Boas Práticas Ambientais. Prestadores de Serviços de Manutenção de Ar Condicionado Mod 10-381 rev 0 Manual de Boas Práticas Ambientais Prestadores de Serviços de Manutenção de Ar Condicionado Mensagem do Conselho de Administração Mensagem do Conselho de Administração A implementação

Leia mais

A Reciclagem Inteligente

A Reciclagem Inteligente A ReciSmart A ReciSmart é uma empresa certificada na Reciclagem de Equipamentos Informáticos e que através de uma reciclagem sustentável e inteligente contribui para a preservação do meio ambiente. Integrados

Leia mais

Mod 10-381 rev 0. Manual de Boas Práticas Ambientais. Prestadores de Serviços de Manutenção de Elevadores e Escadas Rolantes

Mod 10-381 rev 0. Manual de Boas Práticas Ambientais. Prestadores de Serviços de Manutenção de Elevadores e Escadas Rolantes Mod 10-381 rev 0 Manual de Boas Práticas Ambientais Prestadores de Serviços de Manutenção de Elevadores e Escadas Rolantes Mensagem do Conselho de Administração Mensagem do Conselho de Administração A

Leia mais

O novo regime jurídico da gestão de resíduos de equipamentos elétricos e eletrónicos (REEE) 13.º Encontro de Verificadores Ambientais EMAS

O novo regime jurídico da gestão de resíduos de equipamentos elétricos e eletrónicos (REEE) 13.º Encontro de Verificadores Ambientais EMAS O novo regime jurídico da gestão de resíduos de equipamentos elétricos e eletrónicos (REEE) 13.º Encontro de Verificadores Ambientais EMAS Marta Carvalho 3 dezembro 2014 Diretiva 2002/95/CE (RoHS) Diretiva

Leia mais

TOUCH LCD WALL CONTROLLER for Online Controller

TOUCH LCD WALL CONTROLLER for Online Controller TOUCH LCD WALL CONTROLLER for Online Controller KBRC01A INSTRUCCIONES DE USO 1. Descrição da tela de toque (Touch LCD Wall Controller) Tela de toque LCD de parede controlador é um acessório do adaptador

Leia mais

Enquadramento Campanhas de Comunicação Resíduos Urbanos

Enquadramento Campanhas de Comunicação Resíduos Urbanos Enquadramento Campanhas de Comunicação Resíduos Urbanos Entre as 10 maiores empresas que comunicam habitualmente nesta área são 5 as que se salientam pelo maior esforço de comunicação: Ponto Verde, ValorSul,

Leia mais

GUIA PARA O PREENCHIMENTO DOS FORMULÁRIOS ENTIDADE GESTORA ERP PORTUGAL

GUIA PARA O PREENCHIMENTO DOS FORMULÁRIOS ENTIDADE GESTORA ERP PORTUGAL GUIA PARA O PREENCHIMENTO DOS FORMULÁRIOS ENTIDADE GESTORA ERP PORTUGAL Versão: 1.0 Data: 05-06-2009 Índice Acesso e estados dos Formulários... 3 Escolha do Formulário e submissão... 4 Bases para a navegação

Leia mais

10 Anos Valorpneu Impacto nos Operadores de Ponto de Recolha e Transporte. Elsa Pereira Nascimento

10 Anos Valorpneu Impacto nos Operadores de Ponto de Recolha e Transporte. Elsa Pereira Nascimento 10 Anos Valorpneu Impacto nos Operadores de Ponto de Recolha e Transporte Elsa Pereira Nascimento O IMPACTO DA VALORPNEU: Pontos Recolha da Rede Valorpneu Transportadores na Rede Valorpneu O IMPACTO DA

Leia mais

Tudo o que a população pode fazer diariamente para poupar energia quer no trabalho ou em casa. Se todos colaborarmos um pouco, a natureza agradece e

Tudo o que a população pode fazer diariamente para poupar energia quer no trabalho ou em casa. Se todos colaborarmos um pouco, a natureza agradece e 1 Tudo o que a população pode fazer diariamente para poupar energia quer no trabalho ou em casa. Se todos colaborarmos um pouco, a natureza agradece e o seu bolso também. Poupar energia significa diminuir

Leia mais

Brochura Institucional

Brochura Institucional Brochura Institucional INTERFILEIRAS A INTERFILEIRAS representa as organizações - Fileiras de material - criadas ao abrigo de legislação específica com a missão de assegurar a retoma e reciclagem de resíduos

Leia mais

Caracterização da Situação dos Fluxos Específicos de Resíduos em 2009 APA 06 08 2010

Caracterização da Situação dos Fluxos Específicos de Resíduos em 2009 APA 06 08 2010 Caracterização da Situação dos Fluxos Específicos de Resíduos em 2009 APA 06 08 2010 FLUXOS ESPECÍFICOS DE RESÍDUOS Um dos objectivos da política ambiental integrada é a atribuição da responsabilidade,

Leia mais

a concorrência entre Entidades Gestoras assegurará custos mais baixos e maior qualidade

a concorrência entre Entidades Gestoras assegurará custos mais baixos e maior qualidade a concorrência entre Entidades Gestoras assegurará custos mais baixos e maior qualidade Ricardo Neto 28 de Setembro de 2006 1 ERP 2 Missão ERP 3 Objectivos ERP 4 Obstáculos à Concorrência 5 ERP Portugal

Leia mais

Sustentabilidade na Cadeia de Valor dos Equipamentos Eléctricos e Electrónicos na Worten

Sustentabilidade na Cadeia de Valor dos Equipamentos Eléctricos e Electrónicos na Worten Sustentabilidade na Cadeia de Valor dos Equipamentos Eléctricos e Electrónicos na Worten Vitor Martins José Vieira de Almeida 30 de Set de 2011 Índice ENQUADRAMENTO WORTEN Quem somos Missão, Valores e

Leia mais

ERP Portugal. Fevereiro 2013

ERP Portugal. Fevereiro 2013 ERP Portugal Fevereiro 2013 1 1 Objetivos Reconhecer e premiar um projeto académico, que se destaque no âmbito da Inovação no Sector da Gestão de Resíduos de Equipamentos Elétricos e Eletrónicos (REEE)

Leia mais

Sociedade Ponto Verde

Sociedade Ponto Verde III Congresso Internacional de Casos Docentes em Marketing Público e Não Lucrativo 1 Sociedade Ponto Verde Joana Ferreira Margarida Dias Marta Santos Sara Fazendeiro Tutor: Arminda do Paço Universidade

Leia mais

Case study 100R RECICLAGEM 100% GARANTIDA EMPRESA ENVOLVIMENTO

Case study 100R RECICLAGEM 100% GARANTIDA EMPRESA ENVOLVIMENTO Case study 2010 100R RECICLAGEM 100% GARANTIDA EMPRESA A Sociedade Ponto Verde é uma entidade privada sem fins lucrativos que tem por missão organizar e gerir a retoma e valorização de resíduos de embalagens

Leia mais

Relatório Anual da Reciclagem

Relatório Anual da Reciclagem Relatório Anual da Reciclagem 2011 Relatório Anual da Reciclagem Ambisousa Empresa Intermunicipal de Tratamento e Gestão de Resíduos Sólidos, EIM Av. Sá e Melo, n.º 30, Cristelos 4620-151, Lousada www.ambisousa.pt

Leia mais

ASSOCIAÇÃO DE MUNICÍPIOS DA ILHA DE S.MIGUEL AMIGOS DO AMBIENTE

ASSOCIAÇÃO DE MUNICÍPIOS DA ILHA DE S.MIGUEL AMIGOS DO AMBIENTE ASSOCIAÇÃO DE MUNICÍPIOS DA ILHA DE S.MIGUEL AMIGOS DO AMBIENTE PELO QUE S. MIGUEL TEM DE MELHOR. Na altura em que se completam dez anos sobre o início da actividade da AMISM, é oportuno fazer um balanço

Leia mais

Missão Reciclar. Num projeto piloto, realizado no Porto em junho de 2013, dos 4.300 lares visitados, 890 eram não

Missão Reciclar. Num projeto piloto, realizado no Porto em junho de 2013, dos 4.300 lares visitados, 890 eram não Missão Reciclar 1 Missão Reciclar Apesar de a reciclagem estar na ordem do dia, cerca de 30% da população portuguesa ainda não separa as embalagens usadas. A Sociedade Ponto Verde, responsável pela gestão

Leia mais

Plano de Acção 2010-11. Escola Básica 2.3 Professor Noronha Feio Queijas, Oeiras. Página 1 de 7

Plano de Acção 2010-11. Escola Básica 2.3 Professor Noronha Feio Queijas, Oeiras. Página 1 de 7 Página 1 de 7 Diagnóstico Objectivos Diagnóstico Acções Recursos Intervenientes Calendarização Água Resíduos Energia Transportes Biodiversidade Mar Plano de Acção Elementos do Plano de Acção Temas em que

Leia mais

Segurança, Meio Ambiente e Saúde QHSE

Segurança, Meio Ambiente e Saúde QHSE Segurança, Meio Ambiente e Saúde QHSE Preservação e Conservação A preservação é o esforço para proteger um ecossistema e evitar que ele seja modificado. Depende também da presença e ação do homem sobre

Leia mais

É o termo geralmente utilizado para designar o reaproveitamento de materiais beneficiados como matéria-prima para um novo produto.

É o termo geralmente utilizado para designar o reaproveitamento de materiais beneficiados como matéria-prima para um novo produto. É o termo geralmente utilizado para designar o reaproveitamento de materiais beneficiados como matéria-prima para um novo produto. REDUZIR REUTILIZAR RECUPERAR RECICLAR A redução deve ser adaptada por

Leia mais

Normas de funcionamento do ECOCENTRO Municipal de S. João da Madeira. Preâmbulo

Normas de funcionamento do ECOCENTRO Municipal de S. João da Madeira. Preâmbulo Normas de funcionamento do ECOCENTRO Municipal de S. João da Madeira Preâmbulo O presente documento define as normas e regras a que ficam sujeitos os utilizadores que pretendam proceder à deposição de

Leia mais

Aspectos a Abordar. Como Comunicar na Área dos Resíduos Paula Mendes (LIPOR) paula.mendes@lipor.pt. Porquê Comunicar? Estratégia de Comunicação

Aspectos a Abordar. Como Comunicar na Área dos Resíduos Paula Mendes (LIPOR) paula.mendes@lipor.pt. Porquê Comunicar? Estratégia de Comunicação Como Comunicar na Área dos Resíduos Paula Mendes (LIPOR) paula.mendes@lipor.pt Conferência Gestão e Comunicação na Área dos Resíduos Estoril, 22 de Setembro de 2009 1 Aspectos a Abordar Porquê Comunicar?

Leia mais

Sensibilização para o Sector Doméstico. A DECO na Educação para o Consumo Sustentável

Sensibilização para o Sector Doméstico. A DECO na Educação para o Consumo Sustentável Sensibilização para o Sector Doméstico A DECO na Educação para o Consumo Sustentável 1 Quem somos A DECO Associação Portuguesa para a Defesa do Consumidor é uma associação privada, sem fins lucrativos

Leia mais

Informação sobre a Recuperação e Reciclagem de Papel e Cartão em Portugal 2011

Informação sobre a Recuperação e Reciclagem de Papel e Cartão em Portugal 2011 Informação sobre a Recuperação e Reciclagem de Papel e Cartão em Portugal 2011 Índice A RECUPERAÇÃO EM PORTUGAL DE PAPEL E CARTÃO PARA RECICLAR... 3 DADOS GLOBAIS 2011... 4 PAPEL E CARTÃO PARA RECICLAR...

Leia mais

Mudança de Comportamento no âmbito da Eficiência Energética. Estudo de mercado Mudança de Comportamento no âmbito da Eficiência Energética

Mudança de Comportamento no âmbito da Eficiência Energética. Estudo de mercado Mudança de Comportamento no âmbito da Eficiência Energética Mudança de Comportamento no âmbito da Eficiência Energética Estudo de mercado Mudança de Comportamento no âmbito da Eficiência Energética 28 setembro 2011 Agenda Objectivo Metodologia Áreas temáticas Distribuição

Leia mais

III Conferência Internacional sobre Resíduos Urbanos. Sociedade Ponto Verde Reutilização e Reciclagem. Objectivos 2020

III Conferência Internacional sobre Resíduos Urbanos. Sociedade Ponto Verde Reutilização e Reciclagem. Objectivos 2020 III Conferência Internacional sobre Resíduos Urbanos Porto, 23 e 24 de Outubro de 2008 Sociedade Ponto Verde Reutilização e Reciclagem. Objectivos 2020 Luís Veiga Martins REUTILIZAÇÃO OU RECICLAGEM COEXISTÊNCIA

Leia mais

2011/2012. CÂMARA MUNICIPAL ALENQUER-Divisão de Ambiente

2011/2012. CÂMARA MUNICIPAL ALENQUER-Divisão de Ambiente PLANO DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL 2011/2012 CÂMARA MUNICIPAL ALENQUER-Divisão de Ambiente 2011/2012 Índice: Introdução Ações de Sensibilização: Ateliers: Datas Comemorativas: Visitas de Estudo: Concursos: Projetos:

Leia mais

Joana Rodrigues. Valor Ambiente Gestão e Administração de Resíduos da Madeira, S.A.

Joana Rodrigues. Valor Ambiente Gestão e Administração de Resíduos da Madeira, S.A. SISTEMA DE GESTÃO DE RESÍDUOS DA REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA O presente projecto, co-financiado pelo Fundo de Coesão da União Europeia, contribui para a redução das disparidades sociais e económicas entre

Leia mais

E ergia i e Al A terações C imá tic i as Sónia Ribeiro

E ergia i e Al A terações C imá tic i as Sónia Ribeiro Energia e Alterações Climáticas Sónia Ribeiro Projecto Poupar Energia Eléctrica Abril a Novembro de 2008 Medida financiada no âmbito do Plano de Promoção de Eficiência no Consumo de energia eléctrica,

Leia mais

ANREEE. Dados de Mercado EEE em Portugal. Lisboa, 5 Maio 2011

ANREEE. Dados de Mercado EEE em Portugal. Lisboa, 5 Maio 2011 ANREEE Dados de Mercado EEE em Portugal 2010 Lisboa, 5 Maio 2011 1 Introdução Uma política adequada de gestão de resíduos deve ter como objectivo principal a prevenção da sua produção. Não sendo possível

Leia mais

O Sistema da Reciclagem em Portugal:

O Sistema da Reciclagem em Portugal: O Sistema da Reciclagem em Portugal: Comparação com outros Estados-Membros Nuno Ferreira da Cruz, Pedro Simões, Sandra Ferreira, Marta Cabral e Rui Cunha Marques CEG-IST Centro de Estudo de Gestão do IST

Leia mais

Marketing Ambiental. Abril, 2011

Marketing Ambiental. Abril, 2011 Baseado em: Marketing Ambiental, de Joaquim Caetano, Marta Soares, Rosa Dias, Rui Joaquim e Tiago Robalo Gouveia, Plátano Editores, 2008 Abril, 2011 O ambiente de hoje Ao longo das últimas décadas têm

Leia mais

13 - Blog Correio de Cascais.com, 18-12-2008, Natal ecológico no Green Festival

13 - Blog Correio de Cascais.com, 18-12-2008, Natal ecológico no Green Festival Revista de Imprensa 14-01-2009 Cascais Atlântico 1 - Blog Correio de Cascais.com, 18-12-2008, Natal ecológico no Green Festival 2 - Jornal da Costa do Sol, 18-12-2008, Cascais aposta na intervenção social

Leia mais

Avô: Sabes João, mas há muitos, muitos anos, no nosso planeta no nosso planeta azul... aterrou uma astronave Uns homenzinhos (um bocadinho ridículos,

Avô: Sabes João, mas há muitos, muitos anos, no nosso planeta no nosso planeta azul... aterrou uma astronave Uns homenzinhos (um bocadinho ridículos, ATO I Antenas: A história que vamos apresentar foi criada no âmbito do projeto Eco Escolas e desenvolve-se em torno das personagens que constituem a Equipa dos Resíduos e Equipamentos Elétricos e Eletrónicos

Leia mais

FORMAÇÃO PARA ACESSO À ACTIVIDADE. MERCADORIAS - gerentes

FORMAÇÃO PARA ACESSO À ACTIVIDADE. MERCADORIAS - gerentes PL ANUAL DE FORMAÇÃO FORMAÇÃO PARA ACESSO À ACTIVIDADE MERCADORIAS - gerentes CAPACIDADE PROFISSIONAL CPNI C/ PC PORTÁTIL Abordar de uma forma genérica os principais aspectos subjacentes à gestão diária

Leia mais

Estudo de Fiabilidade de Leitura em Loja EFICIÊNCIA DOS NÍVEIS SERVIÇO E QUALIDADE DOS DADOS DE PRODUTO

Estudo de Fiabilidade de Leitura em Loja EFICIÊNCIA DOS NÍVEIS SERVIÇO E QUALIDADE DOS DADOS DE PRODUTO Estudo de Fiabilidade de Leitura em Loja EFICIÊNCIA DOS NÍVEIS SERVIÇO E QUALIDADE DOS DADOS DE PRODUTO Agenda 1. Enquadramento a) Circunstâncias que justificam o projecto b) Objectivos gerais c) Vectores

Leia mais

\ BOAS PRÁTICAS NA ENERGIA A Gestão de Energia como Ferramenta de Gestão Empresarial

\ BOAS PRÁTICAS NA ENERGIA A Gestão de Energia como Ferramenta de Gestão Empresarial \ BOAS PRÁTICAS NA ENERGIA A Gestão de Energia como Ferramenta de Gestão Empresarial Workshop Eficiência Energética e Sustentabilidade Ambiental nas empresas CTCV 25 de Fevereiro de 2014 \ BOAS PRÁTICAS

Leia mais

4. Análise de Mercado

4. Análise de Mercado 4. Análise de Mercado Ações de Maturação e Aceleração 01.04.2014 Carla Machado Análise de Mercado Índice 1. Evolução Previsional do Setor Enquadre o negócio no setor de atividade, referindo oportunidades

Leia mais

Luis Natal Marques, Gebalis EEM

Luis Natal Marques, Gebalis EEM Luis Natal Marques, Gebalis EEM TÓPICOS I. Porquê Responsabilidade Social (RS)? II. As Empresas de Serviços de Interesse Geral (SIGs) III. Mais valias da Responsabilidade Social nas Empresas de Serviço

Leia mais

CONSTRUÇÃO SUSTENTÁVEL

CONSTRUÇÃO SUSTENTÁVEL CONSTRUÇÃO SUSTENTÁVEL SOLUÇÕES EFICIENTES HOJE, A NOSSA RIQUEZA DE AMANHÃ www.construcaosustentavel.pt ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE CONSERVAÇÃO DA NATUREZA Apoio: AS CIDADES SÃO O NOSSO DESAFIO 50% da população

Leia mais

População 1 milhão habitantes (aproximadamente) (Census 2001) Produção anual de RSU cerca de 480.000 ton/ano capitação 1,3 kg/(hab/dia)

População 1 milhão habitantes (aproximadamente) (Census 2001) Produção anual de RSU cerca de 480.000 ton/ano capitação 1,3 kg/(hab/dia) Constituída por oito Municípios pertencentes à Área Metropolitana do Porto Área: 0.7% 648 km 2 População: 10.3% da população de Portugal População 1 milhão habitantes (aproximadamente) (Census 2001) Produção

Leia mais

ESPAÇO SOLIDÁRIO. Normas de Funcionamento. Preâmbulo. A Câmara Municipal de Sesimbra, enquanto agente promotor de políticas de

ESPAÇO SOLIDÁRIO. Normas de Funcionamento. Preâmbulo. A Câmara Municipal de Sesimbra, enquanto agente promotor de políticas de ESPAÇO SOLIDÁRIO Normas de Funcionamento Preâmbulo A Câmara Municipal de Sesimbra, enquanto agente promotor de políticas de protecção social, tem vindo a implementar um conjunto de medidas de apoio às

Leia mais

Referencial de Competências-Chave. Nível Secundário

Referencial de Competências-Chave. Nível Secundário Referencial de Competências-Chave Nível Secundário ÁREAS DE COMPETÊNCIA-CHAVE CHAVE Sociedade, Tecnologia e Ciência Núcleos Geradores Núcleos Geradores A cada Núcleo Gerador corresponde uma Unidade de

Leia mais

RESÍDUOS DE EQUIPAMENTO ELÉCTRICO E ELECTRÓNICO - REEE

RESÍDUOS DE EQUIPAMENTO ELÉCTRICO E ELECTRÓNICO - REEE RESÍDUOS DE EQUIPAMENTO ELÉCTRICO E ELECTRÓNICO - REEE Centro de Recepção de REEE do Concelho da Figueira da Foz: Ecocentro do Aterro Sanitário da Figueira da Foz (EN109) Horário: De 2ª feira a 6ª feira

Leia mais

Plano de ação para o tema: Resíduos

Plano de ação para o tema: Resíduos Plano de ação para o tema: Resíduos Diagnóstico (situações a melhorar) Objetivo(s) Meta(s) Ações e Atividades Previstas Concretização Avaliação- instrumentos e Indicadores (de monitorização e avaliação

Leia mais

O exemplo da Recolha Selectiva Porta a Porta junto de sectores específicos (restauração, comércio, serviços)

O exemplo da Recolha Selectiva Porta a Porta junto de sectores específicos (restauração, comércio, serviços) Pontos a abordar: Caracterização geral do sistema Lipor Enquadramento (PERSU II) Actuais projectos de Recolha Selectiva Porta a Porta na área da Lipor e análise da sua evolução Comparação da Recolha Selectiva

Leia mais

832 DIÁRIO DA REPÚBLICA I SÉRIE-A N. o 25 30 de Janeiro de 2002 MINISTÉRIO DO AMBIENTE E DO ORDENAMENTO DO TERRITÓRIO

832 DIÁRIO DA REPÚBLICA I SÉRIE-A N. o 25 30 de Janeiro de 2002 MINISTÉRIO DO AMBIENTE E DO ORDENAMENTO DO TERRITÓRIO 832 DIÁRIO DA REPÚBLICA I SÉRIE-A N. o 25 30 de Janeiro de 2002 MINISTÉRIO DO AMBIENTE E DO ORDENAMENTO DO TERRITÓRIO Decreto-Lei n. o 20/2002 de 30 de Janeiro Os objectivos fundamentais de uma política

Leia mais

LEI Nº 1.709 DE 08 DE MAIO DE 2013

LEI Nº 1.709 DE 08 DE MAIO DE 2013 LEI Nº 1.709 DE 08 DE MAIO DE 2013 INSTITUI O PROJETO "DESTINO CERTO AO LIXO ELETRÔNICO DE FAGUNDES VARELA". JEAN FERNANDO SOTTILI, Prefeito Municipal de Fagundes Varela, no uso das atribuições que me

Leia mais

Balanço das Medidas do Domínio do Atendimento da Segurança Social e Satisfação ao Cidadão

Balanço das Medidas do Domínio do Atendimento da Segurança Social e Satisfação ao Cidadão Balanço das Medidas do Domínio do Atendimento da Segurança Social e Satisfação ao Cidadão Dr. Pedro Filipe ENAD. 31 de Agosto de 2015 AGENDA Contextualização Plano de Trabalho PSGSS Status Gestão Integrada

Leia mais

Curso Marketing Político Digital Por Leandro Rehem Módulo III MULTICANAL. O que é Marketing Multicanal?

Curso Marketing Político Digital Por Leandro Rehem Módulo III MULTICANAL. O que é Marketing Multicanal? Curso Marketing Político Digital Por Leandro Rehem Módulo III MULTICANAL O que é Marketing Multicanal? Uma campanha MultiCanal integra email, SMS, torpedo de voz, sms, fax, chat online, formulários, por

Leia mais

1 Newsletter da Entidade Gestora. Ano 7. Trimestral. nº 26 Outubro*12

1 Newsletter da Entidade Gestora. Ano 7. Trimestral. nº 26 Outubro*12 GESTÃO E PROCESSAMENTO DE GESTÃO E PROCESSAMENTO DE 2 1 Newsletter da Entidade Gestora. Ano 7. Trimestral. nº 26 Outubro*12 CONTEÚDOS PAG 2: SOGILUB PAG 4: Gestão de Óleos Usados em outros países PAG 6:

Leia mais

Certificação e Monitorização de Edifícios Públicos Municipais em Cascais

Certificação e Monitorização de Edifícios Públicos Municipais em Cascais Certificação e Monitorização de Edifícios Públicos Municipais em Cascais TECNOFIL Workshop Municípios e Certificação Energética de Edifícios Lisboa, 18 Junho 2009 Objectivos A Agência Cascais Energia é

Leia mais

PRINCIPAL REGULAMENTAÇÃO EXISTENTE E SUA IMPLEMENTAÇÃO A NÍVEL EUROPEU CAPÍTULO 3

PRINCIPAL REGULAMENTAÇÃO EXISTENTE E SUA IMPLEMENTAÇÃO A NÍVEL EUROPEU CAPÍTULO 3 PRINCIPAL REGULAMENTAÇÃO EXISTENTE E SUA IMPLEMENTAÇÃO A NÍVEL EUROPEU CAPÍTULO 3 PRINCIPAL REGULAMENTAÇÃO EXISTENTE E SUA IMPLEMENTAÇÃO A NÍVEL EUROPEU 19 CAPÍTULO 3 ÍNDICE 3. PRINCIPAL REGULAMENTAÇÃO

Leia mais

Amb3e: Parceiro de Excelência para a Gestão de REEE de Lâmpadas em Fim de Vida Soluções para Distribuidores, Retalhistas e Instaladores

Amb3e: Parceiro de Excelência para a Gestão de REEE de Lâmpadas em Fim de Vida Soluções para Distribuidores, Retalhistas e Instaladores Amb3e: Parceiro de Excelência para a Gestão de REEE de Lâmpadas em Fim de Vida Soluções para Distribuidores, Retalhistas e Instaladores António Afonso de Abreu Ferreira 24 de Agosto de 2008 0 Porque é

Leia mais

Secretaria Municipal de meio Ambiente

Secretaria Municipal de meio Ambiente PROGRAMA DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL PROGRAMA DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL O presente Programa é um instrumento que visa à minimização de resíduos sólidos, tendo como escopo para tanto a educação ambiental voltada

Leia mais

PROJETO AMIGOS DO PLANETA. Autor. Rose Mariah de Souza Ferreira. Gestora Ambiental

PROJETO AMIGOS DO PLANETA. Autor. Rose Mariah de Souza Ferreira. Gestora Ambiental PROJETO AMIGOS DO PLANETA Autor Rose Mariah de Souza Ferreira Gestora Ambiental Gravataí, março de 2011. Introdução Pensar em tornar o ambiente em que se vive sustentável, é direcionar ações capazes de

Leia mais

Relatório Anual de Actividade REEE

Relatório Anual de Actividade REEE 00 01 Índice Introdução... 4 A ERP - EUROPEAN RECYCLING PLATFORM... 6 Actividade da ERP Portugal... 8 Órgãos Sociais da ERP Portugal... 9 A ERP Portugal em Números... 11 Utentes do SIG da ERP Portugal...

Leia mais

Transposição para o Direito Nacional das Directivas REEE e Restrição do Uso de Determinadas Substâncias Perigosas em EEE

Transposição para o Direito Nacional das Directivas REEE e Restrição do Uso de Determinadas Substâncias Perigosas em EEE Transposição para o Direito Nacional das Directivas REEE e Restrição do Uso de Determinadas Substâncias Perigosas em EEE QUEM É A ANIMEE Uma Associação, de âmbito nacional, cujo objectivo principal é o

Leia mais

Ciclo da Inovação. Maria José Sousa

Ciclo da Inovação. Maria José Sousa Ciclo da Inovação Maria José Sousa Ciclo da Inovação Geração de Ideias Técnicas de criatividade Estratégia competitiva Políticas de comercialização e distribuição Estratégia de Marketing Estratégia Competitiva

Leia mais

Happy Home Wallet. Um guia que o ajuda a poupar recursos

Happy Home Wallet. Um guia que o ajuda a poupar recursos Um guia que o ajuda a poupar recursos 1 Introdução... 3 Como mudar os seus padrões de consumo?... 4 Como poupar os seus recursos diários: Água... 6 Como poupar os seus recursos diários: Energia... 8 Como

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA 1. TÍTULO DO PROJETO

TERMO DE REFERÊNCIA 1. TÍTULO DO PROJETO 1. TÍTULO DO PROJETO TERMO DE REFERÊNCIA Elaboração de estudo de viabilidade técnica e econômica da implantação da logística reversa para resíduos de equipamentos eletroeletrônicos (REEE) 2. JUSTIFICATIVA

Leia mais

Campanha de Limpeza e Conservação do Ambiente da Nossa Terra. A Câmara Municipal das Lajes do Pico convida todos os munícipes a aderir à

Campanha de Limpeza e Conservação do Ambiente da Nossa Terra. A Câmara Municipal das Lajes do Pico convida todos os munícipes a aderir à Campanha de Limpeza e Conservação do Ambiente da Nossa Terra A Câmara Municipal das Lajes do Pico convida todos os munícipes a aderir à Campanha de Limpeza e Conservação do Ambiente da Nossa Terra, e a

Leia mais

Valor Ambiente Gestão e Administração de Resíduos da Madeira S.A. A Gestão dos Resíduos na Região Autónoma da Madeira

Valor Ambiente Gestão e Administração de Resíduos da Madeira S.A. A Gestão dos Resíduos na Região Autónoma da Madeira Valor Ambiente Gestão e Administração de Resíduos da Madeira S.A. A Gestão dos Resíduos na Região Autónoma da Madeira Valor Ambiente 2008 1 A Região Autónoma da Madeira Área 42,5 km 2 População residente

Leia mais

Programa ABRELPE de Logística Reversa de Resíduos de Equipamentos EletroEletrônicos REEE

Programa ABRELPE de Logística Reversa de Resíduos de Equipamentos EletroEletrônicos REEE Programa ABRELPE de Logística Reversa de Resíduos de Equipamentos EletroEletrônicos REEE 1 A ABRELPE Associação nacional, sem fins lucrativos, que congrega e representa as empresas prestadoras de serviços

Leia mais

Mod 10-381 rev 0. Manual de Boas Práticas Ambientais. Prestadores de Serviços de Manutenção de Material Circulante

Mod 10-381 rev 0. Manual de Boas Práticas Ambientais. Prestadores de Serviços de Manutenção de Material Circulante Mod 10-381 rev 0 Manual de Boas Práticas Ambientais Prestadores de Serviços de Manutenção de Material Circulante Mensagem do Conselho de Administração Mensagem do Conselho de Administração A implementação

Leia mais

PAY-AS-YOU-THROW. Um longo caminho para percorrer. - Caso de Óbidos - Filipa Silva Santos

PAY-AS-YOU-THROW. Um longo caminho para percorrer. - Caso de Óbidos - Filipa Silva Santos PAY-AS-YOU-THROW Um longo caminho para percorrer - Caso de Óbidos - Estrutura 1 Introdução 1.1 Relevância do Tema 1.2 Objectivos 1.3 Constrangimentos 2 O que é o PAYT? 3 Tarifários Variáveis 3.1 Alternativas

Leia mais

SITUAÇÃO DE APRENDIZAGEM: O QUE FAZER COM TANTO LIXO?

SITUAÇÃO DE APRENDIZAGEM: O QUE FAZER COM TANTO LIXO? SITUAÇÃO DE APRENDIZAGEM: O QUE FAZER COM TANTO LIXO? Eixo Temático -Ser Humano e Saúde. Tema -O que Fazer com Tanto Lixo? Subtema - Qualidade de Vida: A Saúde Individual, Coletiva e Ambiental. Ano/Série

Leia mais

Mod 10-381 rev 0. Manual de Boas Práticas Ambientais. Prestadores de Serviços de Limpeza e/ou Resíduos

Mod 10-381 rev 0. Manual de Boas Práticas Ambientais. Prestadores de Serviços de Limpeza e/ou Resíduos Mod 10-381 rev 0 Manual de Boas Práticas Ambientais Prestadores de Serviços de Limpeza e/ou Resíduos Mensagem do Conselho de Administração Mensagem do Conselho de Administração A implementação de um Sistema

Leia mais

Missão: Melhorar a qualidade de vida dos munícipes e promover a modernização administrativa com vista à aproximação dos serviços aos cidadãos.

Missão: Melhorar a qualidade de vida dos munícipes e promover a modernização administrativa com vista à aproximação dos serviços aos cidadãos. OBJECTIVOS DAS UNIDADES ORGÂNICAS - 2011 MUNICÍPIO DA MARINHA GRANDE UNIDADE ORGÂNICA: Divisão de Cooperação, Comunicação e Modernização Missão: Melhorar a qualidade de vida dos munícipes e promover a

Leia mais

BALANCED SCORECARD NA ABORDAGEM POR PROCESSOS

BALANCED SCORECARD NA ABORDAGEM POR PROCESSOS APLICAÇÃO DA METODOLOGIA BALANCED SCORECARD NA ABORDAGEM POR PROCESSOS -1- AGENDA Quem somos Modelo de Gestão Gestão por Objectivos - BSC Conclusões e Resultados -2- AGENDA Quem somos -3- O QUE FAZEMOS

Leia mais

ESTUDOS DE. Audiências Media Monitoring Mercado ANGOLA

ESTUDOS DE. Audiências Media Monitoring Mercado ANGOLA ESTUDOS DE Audiências Media Monitoring Mercado ANGOLA A EMPRESA O Grupo Marktest tem consolidado ao longo dos últimos 26 anos uma forte posição nas áreas dos Estudos de Mercado, da informação e na área

Leia mais

A EMBALAGEM ALIMENTAR NO CONTEXTO DA POLÍTICA AMBIENTAL. Raquel P. F. Guiné* * Assistente do 1º Triénio - Dep. Agro-Alimentar, ESAV.

A EMBALAGEM ALIMENTAR NO CONTEXTO DA POLÍTICA AMBIENTAL. Raquel P. F. Guiné* * Assistente do 1º Triénio - Dep. Agro-Alimentar, ESAV. A EMBALAGEM ALIMENTAR NO CONTEXTO DA POLÍTICA AMBIENTAL Raquel P. F. Guiné* * Assistente do 1º Triénio - Dep. Agro-Alimentar, ESAV 1 - Introdução A embalagem é hoje em dia uma presença tão constante no

Leia mais

RELATÓRIO RELATIVO À ACTIVIDADE NO ANO 2011

RELATÓRIO RELATIVO À ACTIVIDADE NO ANO 2011 RELATÓRIO RELATIVO À ACTIVIDADE NO ANO 2011 A ENTRAJUDA prosseguiu em 2011 a sua missão estatutária de apoiar as instituições de solidariedade com instrumentos e ferramentas de gestão e organização, para

Leia mais

Jardim Escola Aladdin

Jardim Escola Aladdin Jardim Escola Aladdin Os 4 Rs da Sustentabilidade Rio de janeiro 2016 Objetivo geral Esse projeto tem como objetivo promover o envolvimento dos alunos, professores, pais e comunidade em defesa à sustentabilidade

Leia mais

INSTRUÇÕES PARA A COLETA SELETIVA DO LIXO E DICAS DE CONSUMO CONSCIENTE

INSTRUÇÕES PARA A COLETA SELETIVA DO LIXO E DICAS DE CONSUMO CONSCIENTE 12:43 Page 1 INSTRUÇÕES PARA A COLETA SELETIVA DO LIXO E DICAS DE CONSUMO CONSCIENTE Jardins é Page 2 LIXO UM PROBLEMA DE TODOS Reduzir a quantidade de lixo é um compromisso de todos. Uma pessoa é capaz

Leia mais

Plano de Promoção do Desempenho Ambiental. Gestão Ambiental. Sonorgás Sociedade de Gás do Norte, SA. 13 de Julho de 2010. Eng.

Plano de Promoção do Desempenho Ambiental. Gestão Ambiental. Sonorgás Sociedade de Gás do Norte, SA. 13 de Julho de 2010. Eng. Plano de Promoção do Desempenho Ambiental Gestão Ambiental 13 de Julho de 2010 Eng.º Joaquim Sá Conteúdo Apresentação da Empresa O PPDA da Sonorgás Benefícios Apresentação da Empresa 1994 Constituição

Leia mais

PERSPETIVAS DE FUTURO DO SETOR DOS RESÍDUOS EM PORTUGAL. Lisboa, 29 de abril de 2013 Fernando Leite Administrador-Delegado

PERSPETIVAS DE FUTURO DO SETOR DOS RESÍDUOS EM PORTUGAL. Lisboa, 29 de abril de 2013 Fernando Leite Administrador-Delegado PERSPETIVAS DE FUTURO DO SETOR DOS RESÍDUOS EM PORTUGAL Lisboa, 29 de abril de 2013 Fernando Leite Administrador-Delegado A LIPOR. ASSOCIAÇÃO DE MUNICÍPIOS 2 A LIPOR NO CONTEXTO NACIONAL População 10 %

Leia mais

Redes e Telecomunicações

Redes e Telecomunicações Redes e Telecomunicações Comunicação Processo pelo qual uma informação gerada num ponto (origem) é transferida para outro ponto (destino) Telecomunicações Telecomunicação do grego: tele = distância do

Leia mais