PROSPECTO SIMPLIFICADO Actualizado a 31 de Janeiro de 2005

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "PROSPECTO SIMPLIFICADO Actualizado a 31 de Janeiro de 2005"

Transcrição

1 PROSPECTO SIMPLIFICADO Actualizado a 31 de Janeiro de 2005 Fundo de Investimento Mobiliário RAIZ POUPANÇA ACÇÕES Tipo de Fundo: Fundo de Poupança em Acções Início de Actividade: 21 de Novembro de 1995 Entidade Gestora: Crédito Agrícola Gest - Sociedade Gestora de Fundos de Investimento Mobiliário, S.A Av. da República,23 Lisboa. Banco Depositário: CAIXA CENTRAL - Caixa Central de Crédito Agrícola Mútuo, CRL Entidades Colocadoras: CAIXA CENTRAL - Caixa Central de Crédito Agrícola Mútuo, CRL e CAIXAS DE CRÉDITO AGRÍCOLA MÚTUO, descriminadas no final deste prospecto, actuando por conta e sob as instruções da CAIXA CENTRAL 1. Política de Investimento As aplicações do Fundo podem ser constituídas por acções e títulos de participação cotados em bolsa de valores nacional, os quais devem representar pelo menos dois terços do valor global líquido do fundo. O fundo pode ainda investir em unidades de participação de fundos de investimento mobiliário cujo património seja constituído por um mínimo de 50% de acções cotadas em bolsa de valores nacional. O conjunto das aplicações anteriormente referidas devem corresponder, no mínimo, a 75% do património líquido do fundo. 2. Perfil do Investidor Particulares interessados em beneficiar dos incentivos fiscais ao investimento de médio e longo prazo numa carteira de acções nacionais. Os investidores deverão ter um perfil de risco compatível com o investimento de longo prazo em acções e um horizonte de investimento de pelo menos 6 anos. 3. Risco Associado ao Investimento O valor do fundo é afectado pela flutuação do preço das acções. Não se efectuará com caracter permanente a cobertura deste risco, mas poder-se-á recorrer à utilização de instrumentos financeiros derivados com o objectivo de o cobrir parcialmente, assegurando no entanto uma exposição mínima ao mercado accionista de 50%. Com o intuito de regular o nível de exposição ou de obter uma exposição adicional, o fundo poderá recorrer a instrumentos financeiros derivados de modo a que daí não possa resultar uma exposição adicional aos activos subjacentes superior a 10% do valor líquido do fundo. O fundo apenas investe no mercado nacional, pelo que está isento de risco cambial. 4. Rendibilidade e Risco Históricos 16,6 9 15,6 9 14,6 9 13,6 9 12,6 9 11,6 9 10,6 9 9,69 8,69 7,69 6,69 5,69 Evolução do Valor da U.P. Rendibilidade Histórica 75% 55% 35% 25,51% 18,61% 15% 2,42% -5% -25% -13,57% -15,67% Advertência : O risco varia entre 0% e um valor ilimitado.quanto maior o risco maiores serão as oscilações no valor da unidade de participação. As rendibilidades e risco históricos não constituem garantia de rendibilidades e risco futuros Ano Rentabilidade Risco ,42% 18,50% ,57% 15,55% ,67% 13,00% ,51% 8,91% ,61% 7,96% Av. da República, Lisboa Tel.: Fax.: /13

2 Prospecto Simplificado 5. Comissões de Gestão, do Depositário e Taxa de Supervisão Pelo exercício da sua actividade, a sociedade gestora receberá do Fundo uma comissão de gestão de 1 por cento ao ano, calculada diariamente sobre o valor do património do Fundo e cobrada mensalmente. Para remunerar os seus serviços, o depositário receberá do Fundo uma comissão de 0,2 por cento ao ano, calculada diariamente sobre o valor do património do Fundo e cobrada mensalmente. O Fundo suporta uma taxa de supervisão de 0,0133 por mil ao ano, calculada sobre o seu valor global líquido no último dia útil de cada mês, cobrada mensalmente pela Comissão do Mercado de Valores Mobiliários. 6. Comissões de Subscrição, de Resgate e de Transferência 6.1. Comissão de Subscrição Sobre o valor de cada entrega será cobrada uma comissão de subscrição de 1,25%, correspondendo o valor de subscrição ao valor líquido desta comissão. Exemplo: Entrega: Euros Comissão de Subscrição: 31,63 Euros Valor da Subscrição: 2.498,37 Euros 6.2. Comissão de Resgate Sobre os resgates solicitados nos termos do número 9 não será cobrada qualquer comissão de resgate. Sempre que participante solicite o levantamento antecipado do plano, em condições diferentes das estabelecidas no número 9, ser-lhe-á cobrada uma comissão de resgate de 3% sobre o valor do reembolso. Exemplo: Valor das U.P.'s Resgatadas : Euros Comissão de Resgate: 150 Euros Valor líquido do Resgate: Euros Sempre que o participante solicite a transmissão do valor capitalizado para outra entidade gestora será cobrada uma comissão de resgate de 3% sobre aquele valor. Exemplo: Valor das U.P.'s transferidas : Euros Comissão de Transferência: 150 Euros Valor líquido a Transferir: Euros 7. Comercialização O Fundo é comercializado em todos os balcões da CAIXA CENTRAL e das Caixas de Crédito Agrícola Mútuo. 8. Condições de Subscrição A data de abertura de cada Plano de Poupança em Acções (PPA) é a data da primeira entrega efectuada. Os PPA apenas podem ser subscritos por pessoas singulares com observância das seguintes regras: a) Existindo agregado familiar para efeitos de IRS, os PPA apenas podem ser subscritos pelas pessoas a quem incumbe a respectiva direcção; b) Cada pessoa singular apenas pode subscrever um PPA. c) Cada plano não pode ter mais do que um subscritor. Em caso de incumprimento das regras acima enunciadas consideram-se encerrados todos os planos subscritos, aplicando-se o disposto no nº 7 do artigo 24º do Estatuto dos Benefícios Fiscais e as penalidades a que houver lugar nos termos do Regime Geral das Infracções Tributárias. O subscritor poderá proceder a entregas livres ou estabelecer planos de subscrição mensal, a acordar com a entidade vendedora: Os valores mínimos de cada uma das entregas são os seguintes: Entregas livres Euros; Planos mensais de subscrição: 100 Euros por mês. O valor da unidade de participação utilizado nas operações de subscrição é o valor calculado na data do pedido, que portanto se realizará a preço desconhecido, sendo divulgado no dia útil subsequente. O valor das subscrições é contabilizado pelo Fundo no dia útil seguinte ao do pedido, data em que as unidades de participação são efectivamente emitidas. 9. Condições de Resgate O reembolso do valor capitalizado é efectuado no vencimento do plano ou por morte do subscritor. O reembolso do valor capitalizado do plano pode ainda ocorrer, a pedido do subscritor, em qualquer data do período de prorrogação. O reembolso ou levantamento antecipado do plano determinam o seu encerramento. 2

3 Prospecto Simplificado O valor da unidade de participação utilizado nas operações de resgate é o valor calculado na data do pedido, que portanto se realizará a preço desconhecido, sendo divulgado no dia útil subsequente. O prazo máximo para a liquidação dos resgates através de crédito em conta é de 5 dias úteis após o respectivo pedido. Os pedidos de resgate devem ser dirigidos às entidades comercializadoras. 10. Transferência de Entidade Gestora O valor capitalizado do PPA. pode ser transferido para outra entidade gestora a pedido expresso do participante. A disponibilidade para aceitar transferências de planos constituídos junto de outras entidades gestoras será manifestada imediatamente contra recepção de proposta escrita do subscritor, sendo-lhe simultaneamente transmitida uma proposta acompanhada das condições do contrato a celebrar. Quando o participante solicitar por escrito a transferência do PPA. para outra entidade gestora será informado do valor capitalizado do plano, do valor da transferência e da data desta no prazo máximo de cinco dias úteis após a recepção do pedido de transferência. A transferência efectuar-se-à até ao 5º dia útil após a recepção do pedido de transferência. A data de vencimento do plano transferido corresponde à do plano inicial. 11. Política de Rendimentos O Fundo funciona em regime de capitalização, pelo que os proveitos líquidos das aplicações do Fundo serão reinvestidos no mesmo, encontrando-se, a cada momento, reflectidos no valor das unidades de participação. 12. Consulta de Outra Documentação do Fundo O prospecto simplificado contém apenas informações essenciais sobre o fundo em causa e a sua consulta não exclui a necessidade de análise de informação mais detalhada que poderá ser obtida, através do prospecto completo, dos relatórios e contas anuais e semestrais e da carteira do fundo. O prospecto completo e os relatórios e contas anuais e semestrais encontram-se disponíveis na sede da sociedade gestora, em todos os balcões das entidades colocadoras e dos seus agentes e serão enviados aos participantes que o solicitem, sem quaisquer encargos. A composição da carteira do Fundo é publicada mensalmente no Boletim de Cotações da Euronext Lisbon, ou noutro que o venha a substituir. 13. Regime Fiscal do Fundo O Fundo encontra-se isento de IRC. 14. Regime Fiscal dos Participantes Nos termos das regras previstas no nº 3 do Artº 5º do Código do IRS, a diferença, quando positiva, entre o valor devido aquando do encerramento dos PPA e as importâncias entregues pelo subscritor está sujeita a IRS de acordo com as regras aplicáveis aos rendimentos da categoria E deste imposto, à taxa liberatória de 20%, por retenção na fonte, no momento do pagamento do reembolso, excepto quando as importâncias pagas na primeira metade da vigência do plano representar pelo menos 35% da totalidade daquelas. Neste caso serão excluídos da tributação um quinto do rendimento, se o reembolso ocorrer após cinco anos e antes de oito anos de vigência do PPA, ou três quintos do rendimento, se o reembolso ocorrer após oito anos de vigência do plano. Ainda no caso em que as importâncias pagas na primeira metade da vigência do plano representem pelo menos 35% da totalidade das entregas, a tributação calculada no momento do resgate terá em consideração a data em que foram realizadas as entregas ou contratados os planos de subscrição periódica, por forma a que no resgate das unidades de participação subscritas até 1 de Janeiro de 2001, ou daquelas que resultem de planos periódicos de subscrição iniciados antes daquela data, sejam excluídos da tributação dois quintos do rendimento, se o reembolso ocorrer após cinco anos e antes de oito anos de vigência do PPA, ou quatro quintos do rendimento, se o reembolso ocorrer após oito anos de vigência do plano. Relativamente ao valor aplicado em PPA no ano fiscal de 2004, só é dedutível à colecta nos termos definidos para o exercício fiscal de 2004 desde que não haja lugar a reembolso no prazo minímo de seis meses a contar da data dessas entregas. O levantamento antecipado do valor capitalizado do Plano de Poupança em Acções ou o incumprimento das condições estabelecidas para a sua subscrição para os valores entregues até 31 de Dezembro de 2004 continuam a estar sujeitos ao acréscimo majorado de 10% das importâncias que tenham sido deduzidas à colecta do IRS e ao rendimento obtido decorrente do seu encerramento, consoante os casos. 3

4 Atendimento do Investidor Prospecto Simplificado Os investidores poderão esclarecer quaisquer dúvidas e obter informações adicionais junto da sociedade gestora: CRÉDITO AGRÍCOLA GEST- Sociedade Gestora de Fundos de Investimento Mobiliário, S.A. Avenida da República, LISBOA Telefone: (21) Fax: (21)

5 Agentes da Caixa Central Prospecto Simplificado As Caixas de Crédito Agrícola Mútuo, abaixo descriminadas, actuam na comercialização do Fundo por conta e sob orientação da CAIXA CENTRAL, enquanto seus Agentes: C.C.A.M. de ABRUNHEIRA C.C.A.M. de AÇORES C.C.A.M. de AGUEDA C.C.A.M. de ALBERGARIA E SEVER C.C.A.M. de ALBUFEIRA C.C.A.M. de ALCACER DO SAL C.C.A.M. de ALCANHÕES C.C.A.M. de ALCOBAÇA C.C.A.M. de ALENQUER C.C.A.M. de ALGARVE C.C.A.M. de ALJEZUR C.C.A.M. de ALJUSTREL E ALMODÔVAR C.C.A.M. de ALTE C.C.A.M. de ALTER DO CHÃO C.C.A.M. de ALTO CORGO E TÂMEGA C.C.A.M. do ALTO DOURO C.C.A.M. do ALTO GUADIANA C.C.A.M. do ALTO MINHO C.C.A.M. de AMARES C.C.A.M. de ANADIA C.C.A.M. da ÁREA METROPOLITANA. DO PORTO C.C.A.M. de ARMAMAR E MOIMENTA DA BEIRA C.C.A.M. de AROUCA C.C.A.M. de ARRUDA DOS VINHOS C.C.A.M. de AVEIRO E ILHAVO C.C.A.M. de AVIS C.C.A.M. de AZAMBUJA C.C.A.M. de BARCELOS C.C.A.M. da BATALHA C.C.A.M. da BEIRA CENTRO C.C.A.M. de BEJA E MÉRTOLA C.C.A.M. de BENAVENTE C.C.A.M. de BORBA C.C.A.M. de CABECEIRAS DE BASTO C.C.A.M. de CADAVAL C.C.A.M. de CALDAS DA RAINHA, ÓBIDOS E PENICHE C.C.A.M. de CAMPO MAIOR C.C.A.M. de CANTANHEDE C.C.A.M. de CARTAXO C.C.A.M. de CASTELO BRANCO C.C.A.M. de CASTRO D'AIRE C.C.A.M. de CELORICO DA BEIRA C.C.A.M. de COIMBRA C.C.A.M. de CONCELHO DA FEIRA C.C.A.M. de CONCELHO DA MEALHADA C.C.A.M. de CORUCHE C.C.A.M. de ELVAS C.C.A.M. de ENTRE TEJO E SADO C.C.A.M. de ESTARREJA C.C.A.M. de ESTREMOZ C.C.A.M. de EVORA C.C.A.M. de FAFE C.C.A.M. de FAVAIOS C.C.A.M. de FELGUEIRAS C.C.A.M. de FERREIRA DO ALENTEJO C.C.A.M. de FIGUEIRA DA FOZ C.C.A.M. de FIGUEIRÓ DOS VINHOS C.C.A.M. de FORNOS DE ALGODRES C.C.A.M. de GUADIANA INTERIOR C.C.A.M. de GUARDA C.C.A.M. de GUIMARÃES C.C.A.M. de IDANHA-A-NOVA E PENAMACOR C.C.A.M. de LAFÕES C.C.A.M. de LAGOA C.C.A.M. de LAMEGO C.C.A.M. de LOURES C.C.A.M. de LOURINHÃ C.C.A.M. de MAFRA C.C.A.M. do MINHO C.C.A.M. de MIRA C.C.A.M. de MONTEMOR-O-NOVO C.C.A.M. de MORA C.C.A.M. de MURTOSA C.C.A.M. de NELAS E CARREGAL DO SAL C.C.A.M. do NORTE ALENTEJANO C.C.A.M. de OLIVEIRA DE AZEMÉIS C.C.A.M. de OLIVEIRA DO BAIRRO C.C.A.M. de OLIVEIRA DO HOSPITAL C.C.A.M. de PAREDES C.C.A.M. de PERNES C.C.A.M. de POMBAL C.C.A.M. de PONTE DE SOR C.C.A.M. de PORTO DE MÓS C.C.A.M. de POVOA VARZIM, VILA CONDE E ESPOSENDE C.C.A.M. da REGIÃO DE BRAGANÇA C.C.A.M. da REGIÃO DO FUNDÃO E SABUGAL C.C.A.M. do RIBATEJO CENTRO C.C.A.M. do RIBATEJO NORTE C.C.A.M. de RIBATEJO SUL C.C.A.M. de S. BARTOLOMEU DE MESSINES E S. MARCOS DA SERRA C.C.A.M. de S. JOÃO DA PESQUEIRA C.C.A.M. de S. PEDRO DO SUL C.C.A.M. de S. TEOTÓNIO C.C.A.M. de SALVATERRA DE MAGOS C.C.A.M. de SANTIAGO DO CACÉM C.C.A.M. de SANTO TIRSO C.C.A.M. de SATÃO E VILA NOVA DE PAIVA C.C.A.M. de SEIA C.C.A.M. de SERRAS DE ANSIÃO C.C.A.M. de SILVES C.C.A.M. de SINTRA E LITORAL C.C.A.M. de SOBRAL DE MONTE AGRAÇO C.C.A.M. do SOTAVENTO ALGARVIO C.C.A.M. de SOUSEL C.C.A.M. de TAROUCA C.C.A.M. de TERRA QUENTE C.C.A.M. de TERRAS DE MIRANDA DO DOURO C.C.A.M. de TERRAS DO SOUSA BASTO E TÂMEGA C.C.A.M. de TORRES VEDRAS C.C.A.M. de TRAMAGAL C.C.A.M. de VAGOS C.C.A.M. de VALE DE CAMBRA C.C.A.M. de VALE DO DÃO C.C.A.M. de VALE DO DOURO C.C.A.M. de VALE SOUSA E BAIXO TAMEGA C.C.A.M. de VALE DO TÁVORA C.C.A.M. de VILA FRANCA DE XIRA C.C.A.M. de VILA NOVA DE ANÇOS C.C.A.M. de VILA NOVA DE FAMALICÃO C.C.A.M. de VILA NOVA DE TAZÉM C.C.A.M. de VILA VERDE E TERRAS DO BOURO C.C.A.M. de VILA VIÇOSA C.C.A.M. de VISEU-TONDELA C.C.A.M. de ZONA DO PINHAL 5

6

7 Av. da República, Lisboa Tel.: Fax.: /13

COMPOSIÇÃO DO GRUPO CRÉDITO AGRÍCOLA

COMPOSIÇÃO DO GRUPO CRÉDITO AGRÍCOLA COMPOSIÇÃO DO GRUPO CRÉDITO AGRÍCOLA 133 1. Caixa Central e Empresas do Grupo CAIXA CENTRAL DE CRÉDITO AGRÍCOLA MÚTUO, C.R.L. Tel.: 213 809 900 Fax: 213 8 861 CRÉDITO AGRÍCOLA INFORMÁTICA - SISTEMAS DE

Leia mais

Listagem de delegações da IGAC por ordem alfabética

Listagem de delegações da IGAC por ordem alfabética ÁGUEDA AGUIAR DA BEIRA ALBERGARIA-A-VELHA ALBUFEIRA ALCÁCER DO SAL ALCANENA ALCOBAÇA ALCOCHETE ALCOUTIM ALENQUER ALFÂNDEGA DA FÉ ALJEZUR ALJUSTREL ALMADA ALMEIDA ALMEIRIM ALMODÔVAR ALTER DO CHÃO AMADORA

Leia mais

DESAGREGAÇÃO DE ASSOCIADOS 1 ASSOCIADOS POR ESPECIALIDADE E CONSELHO REGIONAL

DESAGREGAÇÃO DE ASSOCIADOS 1 ASSOCIADOS POR ESPECIALIDADE E CONSELHO REGIONAL DESAGREGAÇÃO DE ASSOCIADOS Notas: 1 O conselho geral deliberou, em reunião de 15 de outubro, nos termos do n.º 2 do artigo 11.º do EOSAE, agregar as delegações distritais de Beja, Évora e Portalegre numa

Leia mais

ANEXO II. Página 1 ORDEM TIPO DE C. CLASSE CONCELHO TEM SISTEMA?

ANEXO II. Página 1 ORDEM TIPO DE C. CLASSE CONCELHO TEM SISTEMA? ORDEM TIPO DE C. CLASSE CONCELHO TEM SISTEMA? 2 C. Predial 1 VISEU NÃO 0 C. Predial/Comercial 1 BRAGANÇA NÃO 0 C. Civil/Predial/Comercial 2 VILA NOVA DE CERVEIRA NÃO 0 C. Predial/Comercial 1 VIANA DO CASTELO

Leia mais

DISTRITO CONCELHO DIA HORA Localidade LOCAL Morada VIANA DO CASTELO BRAGA PORTO VILA REAL BRAGANÇA

DISTRITO CONCELHO DIA HORA Localidade LOCAL Morada VIANA DO CASTELO BRAGA PORTO VILA REAL BRAGANÇA DISTRITO CONCELHO DIA HORA Localidade LOCAL Morada BRAGANÇA VILA REAL PORTO BRAGA VIANA DO CASTELO ARCOS DE VALDEVEZ 10 de Maio de 2003 14h e 30m Braga Casa dos Crivos Orfeão de Braga CAMINHA 10 de Maio

Leia mais

05 Composition of the Group

05 Composition of the Group Composition of the Group 294 1. CAIXA CENTRAL AND GROUP COMPANIES CAIXA CENTRAL DE CRÉDITO AGRÍCOLA MÚTUO, C.R.L. Rua Castilho, 233-233 A 1099-004 LISBOA Tel.: 213 809 900 Fax: 213 855 861 CRÉDITO AGRÍCOLA

Leia mais

Global Map of Irrigation Areas PORTUGAL

Global Map of Irrigation Areas PORTUGAL NUTS3-region NUTS2-region irrigation Area actually (ha) irrigated (ha) Alentejo Central Alentejo 42 675 22 287 Alentejo Litoral Alentejo 40 289 14 427 Alto Alentejo Alentejo 39 974 20 993 Baixo Alentejo

Leia mais

COMPOSIÇÃO 06 DO GRUPO

COMPOSIÇÃO 06 DO GRUPO 06 COMPOSIÇÃO 06 COMPOSIÇÃO 1. Caixa Central e Empresas do Grupo CAIXA CENTRAL DE CRÉDITO AGRÍCOLA MÚTUO, C.R.L. Rua Castilho, 233-233 A 1099-004 LISBOA Tel.: 213 809 900 Fax: 213 855 861 CRÉDITO AGRÍCOLA

Leia mais

Decreto-Lei n.º 78/84, de 8 de Março Estabelece a Classificação dos Municípios do Continente e das Regiões Autónomas

Decreto-Lei n.º 78/84, de 8 de Março Estabelece a Classificação dos Municípios do Continente e das Regiões Autónomas Decreto-Lei n.º 78/84, de 8 de Março Estabelece a Classificação dos Municípios do Continente e das Regiões Autónomas Por expressa determinação do Código Administrativo, no seu artigo 6.º, a classificação

Leia mais

ADESÃO PLENA AO CNIACC

ADESÃO PLENA AO CNIACC ADESÃO PLENA AO 1. Banco CTT, S.A. 2. Banco BNP Paribas Personal Finance, S.A. 3. Banco Mais, S.A. 4. Banco Popular Portugal, S.A. 5. Popular Franchising, S.A. 6. Pharmacontinente Saúde e Higiene, S.A.

Leia mais

PRESIDÊNCIA DO CONSELHO DE MINISTROS

PRESIDÊNCIA DO CONSELHO DE MINISTROS Diário da República, 1.ª série N.º 73 14 de Abril de 2008 2193 PRESIDÊNCIA DO CONSELHO DE MINISTROS Decreto-Lei n.º 68/2008 de 14 de Abril Nos termos do Programa do XVII Governo Constitucional considera

Leia mais

Information on the videoconferencing equipment in the courts of Portugal

Information on the videoconferencing equipment in the courts of Portugal Information on the videoconferencing equipment in the courts Portugal No Court name & city Equipment type and make 1 Abrantes Tribunal Judicial 3 2 Abrantes Tribunal do Trabalho 1 3 Águeda Juízo de Instrução

Leia mais

Lei n.º 144/2015, de 8 de setembro

Lei n.º 144/2015, de 8 de setembro Lei n.º 144/2015, de 8 de setembro Artigo 18.º - Obrigações dos operadores económicos - Informação aos consumidores sobre as entidades de Resolução Alternativa de Litígios de Consumo SOU UMA EMPRESA OU

Leia mais

Portugal Mapas e Números

Portugal Mapas e Números Plano Anual de Atividades 2011-12 Portugal Mapas e Números Código da atividade ogf3 Destinatários Toda a comunidade educativa da ESSM Intervenientes Responsáveis Prof. Augusto Cebola e Prof. Jorge Damásio

Leia mais

IDENTIFICAÇÃO DOS 774 POSTOS DE TRABALHO POR ARS/ ACES/ CONCELHO,

IDENTIFICAÇÃO DOS 774 POSTOS DE TRABALHO POR ARS/ ACES/ CONCELHO, IDENTIFICAÇÃO DOS 774 POSTOS DE TRABALHO POR ARS/ / CONCELHO, para efeitos de ordenação, por ordem, decrescente das preferências dos candidatos abrangidos pelo Decreto-Lei n.º 29/2001, ou seja, com incapacidade

Leia mais

Serviços disponibilizados pelas autarquias através do Balcão do Empreendedor Informação atualizada no dia 18 de junho 2012 Grupo Entidade Formalidade

Serviços disponibilizados pelas autarquias através do Balcão do Empreendedor Informação atualizada no dia 18 de junho 2012 Grupo Entidade Formalidade Serviços disponibilizados pelas autarquias através do Balcão do Empreendedor Informação atualizada no dia 18 de junho 2012 Grupo Entidade Formalidade Acampamento ocasional Câmara Municipal de Braga Acampamento

Leia mais

Lei n.º 144/2015, de 8 de setembro

Lei n.º 144/2015, de 8 de setembro Lei n.º 144/2015, de 8 de setembro Documento explicativo sobre o artigo 18.º que estabelece as obrigações dos operadores económicos - Informação aos consumidores sobre as entidades de Resolução Alternativa

Leia mais

Informações Fundamentais ao Investidor PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO

Informações Fundamentais ao Investidor PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO BiG Alocação Fundo Autónomo: BiG Alocação Dinâmica Todos os Investimentos têm risco Entidade gestora: Real Vida Seguros, S.A. Avenida de França, 316 2º, Edifício Capitólio 4050-276 Porto Portugal Advertências

Leia mais

INSTRUÇÕES PARA O PREENCHIMENTO DO

INSTRUÇÕES PARA O PREENCHIMENTO DO INSTRUÇÕES PARA O PREENCHIMENTO DO FORMULÁRIO PEDIDO DE HABITAÇÃO O presente documento pretende apoiá-lo/a no preenchimento do formulário Pedido de Habitação, informando que os campos identificados com

Leia mais

Regime dos Planos de Poupança em Acções

Regime dos Planos de Poupança em Acções Decreto-Lei n.º 204/95 de 5 de Agosto * A constituição de planos individuais de poupança em acções, além de procurar estimular a canalização dos recursos das famílias para a poupança de longo prazo, visa

Leia mais

PPR EMPRESAS Informações Pré-Contratuais

PPR EMPRESAS Informações Pré-Contratuais TIPO DE CLIENTE Empresas SEGMENTO-ALVO Este produto destina-se a empresas que pretendam oferecer aos seus colaboradores uma remuneração anual extra, com vantagens fiscais, reflectido num complemento de

Leia mais

Memorando apresentado pelo ME sobre "recrutamento e colocação de professores"

Memorando apresentado pelo ME sobre recrutamento e colocação de professores Federação Nacional dos Professores www.fenprof.pt Memorando apresentado pelo ME sobre "recrutamento e colocação de professores" 0. QUESTÃO PRÉVIA SOBRE A NEGOCIAÇÃO Em primeiro lugar, a FENPROF pretende

Leia mais

OBRIGAÇÕES DE CAIXA FNB Remuneração Garantida 2006 Instrumento de Captação de Aforro Estruturado Prospecto Informativo da Emissão

OBRIGAÇÕES DE CAIXA FNB Remuneração Garantida 2006 Instrumento de Captação de Aforro Estruturado Prospecto Informativo da Emissão 1 / 5 OBRIGAÇÕES DE CAIXA FNB Remuneração Garantida 2006 Instrumento de Captação de Aforro Estruturado Prospecto Informativo da Emissão As obrigações de caixa FNB Remuneração Garantida 2006 são um Instrumento

Leia mais

Entidades Intermunicipais. Entidade Intermunicipal Designação Munícipios População. Comunidade Intermunicipal do Alto Minho

Entidades Intermunicipais. Entidade Intermunicipal Designação Munícipios População. Comunidade Intermunicipal do Alto Minho Intermunicipal Intermunicipal Intermunicipal Área Metropolitana Intermunicipal Intermunicipal do Alto Minho Intermunicipal do Cávado Área Metropolitana do Porto Intermunicipal do Ave Intermunicipal do

Leia mais

QZP-10 Z1 BRAGA (03) VIANA DO CASTELO (16) PORTO (13) TÂMEGA (22) Z2 DOURO SUL (20) VILA REAL (17) BRAGANÇA (04)

QZP-10 Z1 BRAGA (03) VIANA DO CASTELO (16) PORTO (13) TÂMEGA (22) Z2 DOURO SUL (20) VILA REAL (17) BRAGANÇA (04) QZP-10 Z1 BRAGA (03) VIANA DO CASTELO (16) PORTO (13) TÂMEGA (22) Z2 DOURO SUL (20) VILA REAL (17) BRAGANÇA (04) Z3 ENTRE DOURO E VOUGA (21) AVEIRO (01) VISEU (18) Z4 COIMBRA (06) LEIRIA (10) Z5 CASTELO

Leia mais

Protocolos firmados no âmbito das Autarquias: Igualdade de Oportunidades entre Mulheres e Homens

Protocolos firmados no âmbito das Autarquias: Igualdade de Oportunidades entre Mulheres e Homens 1 Abrantes Santarém 2 Águeda Aveiro 3 Albufeira Faro 4 Alcanena Santarém 5 Alcobaça Leiria 6 Alcoutim Faro 7 Alenquer Lisboa 8 Alfândega da Fé Bragança 9 Aljustrel Beja 10 Almada Setúbal 11 Almodôvar Beja

Leia mais

Prospecto Informativo. CapitAll Allianz Top 20. (Não Normalizado) www.allianz.pt

Prospecto Informativo. CapitAll Allianz Top 20. (Não Normalizado) www.allianz.pt Prospecto Informativo CapitAll Allianz Top 20 (Não Normalizado) www.allianz.pt Companhia de Seguros Allianz Portugal, S.A. R. Andrade Corvo, 32 1069-014 Lisboa Telefone +351 213 165 300 Telefax +351 213

Leia mais

PROSPECTO SIMPLIFICADO (actualizado a 31 de Dezembro de 2008) Designação: Liberty PPR Data início de comercialização: 19 de Abril de 2004

PROSPECTO SIMPLIFICADO (actualizado a 31 de Dezembro de 2008) Designação: Liberty PPR Data início de comercialização: 19 de Abril de 2004 PROSPECTO SIMPLIFICADO (actualizado a 31 de Dezembro de 2008) Designação: Liberty PPR Data início de comercialização: 19 de Abril de 2004 Empresa de Seguros Entidades comercializadoras Autoridades de Supervisão

Leia mais

BANIF - BANCO DE INVESTIMENTO, S.A. VALORES MOBILIÁRIOS. Entrada em vigor: 29-Jul-2011. Clientes Particulares e Empresas

BANIF - BANCO DE INVESTIMENTO, S.A. VALORES MOBILIÁRIOS. Entrada em vigor: 29-Jul-2011. Clientes Particulares e Empresas BANIF BANCO DE INVESTIMENTO, S.A. Entrada em vigor: 29Jul2011 VALORES MOBILIÁRIOS Clientes Particulares e Empresas 21 FUNDOS DE INVESTIMENTO 21.1. Fundos Banif 21.2. Fundos de Terceiros Internacionais

Leia mais

Itinerários Complementares

Itinerários Complementares Itinerários Complementares Viana do Castelo IC28 Bragança IC14 Braga Trofa Vila do Conde Santo Tirso Paços de Ferreira IC25 Matosinhos IC1 IC23 IC2 Espinho Paredes Valongo Porto IC24 Gondomar IC29 Porto

Leia mais

REFORMA ATIVA PPR ESTRATÉGIA TESOURARIA

REFORMA ATIVA PPR ESTRATÉGIA TESOURARIA Informações Fundamentais ao Investidor PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO Um investimento responsável exige que conheça as suas implicações e que esteja disposto a aceitá-las. REFORMA ATIVA PPR ESTRATÉGIA TESOURARIA

Leia mais

Informações Fundamentais ao Investidor PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO

Informações Fundamentais ao Investidor PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO Informações Fundamentais ao Investidor PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO Um investimento responsável exige que conheça as suas implicações e que esteja disposto a aceitá-las. TODOS OS INVESTIMENTOS TÊM RISCO

Leia mais

Consulta de Vagas disponíveis para o concurso IM 2009 - A Formação Específica. ANATOMIA PATOLÓGICA Hospitais Universidade de Coimbra - E.P.E.

Consulta de Vagas disponíveis para o concurso IM 2009 - A Formação Específica. ANATOMIA PATOLÓGICA Hospitais Universidade de Coimbra - E.P.E. Hospitais Universidade de Coimbra - E.P.E. Hospital Central de Faro - E.P.E. Instituto Português Oncologia de Lisboa Hospital Central do Funchal Hospital Central do Funchal Preferencial Hospital Curry

Leia mais

Os riscos do DUETO, produto financeiro complexo, dependem dos riscos individuais associados a cada um dos produtos que o compõem.

Os riscos do DUETO, produto financeiro complexo, dependem dos riscos individuais associados a cada um dos produtos que o compõem. Advertências ao Investidor Os riscos do, produto financeiro complexo, dependem dos riscos individuais associados a cada um dos produtos que o compõem. Risco de perda total ou parcial do capital investido

Leia mais

Âmbito de Aplicação... 3 Promotores... 3 Enquadramento Territorial... 3

Âmbito de Aplicação... 3 Promotores... 3 Enquadramento Territorial... 3 Linha de Apoio I Território, Destinos e Produtos Ficha Informativa - Junho 2007 Índice Âmbito de Aplicação... 3 Promotores... 3 Enquadramento Territorial... 3 Desenvolvimento de Pólos Turísticos... 3 Desenvolvimento

Leia mais

Centros de Recursos. Profissional de Vila Real TORRE DE MONCORVO. Centro de Emprego de Barcelos BARCELOS APACI

Centros de Recursos. Profissional de Vila Real TORRE DE MONCORVO. Centro de Emprego de Barcelos BARCELOS APACI DELEGAÇÃO REGIONAL DO NORTE Profissional de Vila Real VILA REAL TORRE DE MONCORVO A2000 ARDAD Centro de Emprego do Baixo Ave VILA NOVA DE FAMALICÃO ACIP SANTO TIRSO Centro de Emprego de Barcelos BARCELOS

Leia mais

https://www.portaldasfinancas.gov.pt/pt/main.jsp

https://www.portaldasfinancas.gov.pt/pt/main.jsp DISTRITO ANGRA DO HEROISMO 1901 ANGRA DO HEROISMO 0,500 % 0,300 % 0,80 % 1902 CALHETA (AÇORES) 0,800 % 0,500 % 0,80 % 1903 SANTA CRUZ DA GRACIOSA 0,500 % 0,300 % 0,80 % 1904 VELAS 0,500 % 0,300 % 0,80

Leia mais

Itinerários Principais

Itinerários Principais Itinerários Principais Bragança Viana do Castelo Braga IP9 Vila Real IP4 Porto Aveiro IP3 Viseu IP5 Guarda Coimbra Leiria Castelo Branco IP6 Santarém IP2 Portalegre IP1 Lisboa Setúbal IP7 Évora IP8 Beja

Leia mais

Informações Fundamentais ao Investidor PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO

Informações Fundamentais ao Investidor PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO Informações Fundamentais ao Investidor PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO Um investimento responsável exige que conheça as suas implicações e que esteja disposto a aceitá-las PFC Valorização PSI 20 Entidade Emitente:

Leia mais

Composição do Grupo Crédito Agrícola

Composição do Grupo Crédito Agrícola Composição do Grupo Crédito Agrícola 329 1. Caixa Central e Empresas do Grupo CAIXA CENTRAL DE CRÉDITO AGRÍCOLA MÚTUO, C.R.L. Rua Castilho, 233-233 A 1099-004 LISBOA Tel.: 213 809 900 Fax: 213 855 861

Leia mais

COMPOSIÇÃO DO GRUPO CRÉDITO AGRÍCOLA

COMPOSIÇÃO DO GRUPO CRÉDITO AGRÍCOLA 06 COMPOSIÇÃO DO GRUPO CRÉDITO AGRÍCOLA 1. CAIXA CENTRAL E EMPRESAS DO GRUPO CAIXA CENTRAL DE CRÉDITO AGRÍCOLA MÚTUO, C.R.L. Rua Castilho, 233-233 A 1099-004 LISBOA Tel.: 213 809 900 Fax: 213 855 861 CRÉDITO

Leia mais

Barreiro 0,00% Fafe 0,25% Meda 0,25% Penalva do Castelo 0,25% São Vicente 0,00% Vila Nova de Foz Côa 0,00% Batalha 0,25% Faro 0,25% Melgaço 0,00%

Barreiro 0,00% Fafe 0,25% Meda 0,25% Penalva do Castelo 0,25% São Vicente 0,00% Vila Nova de Foz Côa 0,00% Batalha 0,25% Faro 0,25% Melgaço 0,00% Município Taxa Município Taxa Município Taxa Município Taxa Município Taxa Município Taxa Município Taxa Abrantes 0,25% Boticas 0,25% Figueiró dos Vinhos 0,00% Mirandela 0,25% Pombal 0,25% Sertã 0,25%

Leia mais

Documento Informativo. Obrigações db Double Chance Europe. - Obrigações relativas ao Índice DJ Euro Stoxx 50 - Produto Financeiro Complexo

Documento Informativo. Obrigações db Double Chance Europe. - Obrigações relativas ao Índice DJ Euro Stoxx 50 - Produto Financeiro Complexo Documento Informativo Obrigações db Double Chance Europe - Obrigações relativas ao Índice DJ Euro Stoxx 50 - ISIN: XS0464427177 Produto Financeiro Complexo 1. Produto As Obrigações relativas ao Índice

Leia mais

Os riscos do INVESTIMENTO ACTIVO MAIS, produto financeiro complexo, dependem dos riscos individuais associados a cada um dos produtos que o compõem.

Os riscos do INVESTIMENTO ACTIVO MAIS, produto financeiro complexo, dependem dos riscos individuais associados a cada um dos produtos que o compõem. Breve Descrição do produto O é um produto financeiro complexo composto por 50% do investimento num Depósito a Prazo a 180 dias, não renovável, com uma taxa de juro de 4% (TANB Taxa Anual Nominal Bruta),

Leia mais

Obrigações de Caixa Euro Dólar Premium Instrumento de Captação de Aforro Estruturado

Obrigações de Caixa Euro Dólar Premium Instrumento de Captação de Aforro Estruturado Obrigações de Caixa Euro Dólar Premium Instrumento de Captação de Aforro Estruturado - Prospecto Informativo - I INFORMAÇÃO DE SÍNTESE INSTRUMENTO As Obrigações de Caixa Euro Dólar Premium constituem um

Leia mais

Fundo de Investimento Imobiliário Aberto. ES LOGISTICA (CMVM nº 1024)

Fundo de Investimento Imobiliário Aberto. ES LOGISTICA (CMVM nº 1024) Relatório de Gestão ES LOGISTICA Fundo de Investimento Imobiliário Aberto Fundo de Investimento Imobiliário Aberto ES LOGISTICA (CMVM nº 1024) Relatório de Gestão Dezembro de 2008 ESAF Fundos de Investimento

Leia mais

REAL PPR Condições Gerais

REAL PPR Condições Gerais Entre a, adiante designada por Segurador, e o Tomador do Seguro identificado nas Condições Particulares, estabelece-se o presente contrato de seguro que se regula pelas Condições Particulares e desta apólice,

Leia mais

CAIXAGEST SUPER PREMIUM

CAIXAGEST SUPER PREMIUM PROSPETO SIMPLIFICADO CAIXAGEST SUPER PREMIUM Fundo Especial de Investimento Aberto Referência: PTYMEKLE009_2020508 Última atualização: 8 de maio de 202 Constituído em Portugal em 4 de Agosto de 2008 TIPO

Leia mais

PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO

PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO EMPRESA DE SEGUROS Santander Totta Seguros, Companhia de Seguros de Vida S.A., com Sede na Rua da Mesquita, nº 6 - Torre A - 2º - 1070 238 Lisboa, Portugal (pertence ao Grupo Santander). A Santander Totta

Leia mais

RENDA MÁXIMA ADMITIDA PARA O ANO DE 2015 DE ACORDO COM A PORTARIA N.º 1190/2010, DE 18 DE NOVEMBRO (ORDENADA POR MUNICÍPIO)

RENDA MÁXIMA ADMITIDA PARA O ANO DE 2015 DE ACORDO COM A PORTARIA N.º 1190/2010, DE 18 DE NOVEMBRO (ORDENADA POR MUNICÍPIO) ABRANTES MÉDIO TEJO 334,00 468,00 589,00 AGUEDA BAIXO VOUGA 368,00 501,00 645,00 AGUIAR DA BEIRA DÃO LAFÕES 334,00 468,00 589,00 ALANDROAL ALENTEJO CENTRAL 368,00 501,00 645,00 ALBERGARIA-A-VELHA BAIXO

Leia mais

Emergência de instrumentos e mecanismos de liderança a e participação em territórios rios de baixa densidade

Emergência de instrumentos e mecanismos de liderança a e participação em territórios rios de baixa densidade Emergência de instrumentos e mecanismos de liderança a e participação em territórios rios de baixa densidade O caso dos PROVERE Joaquim Felício CCDRC/MAIS CENTRO Coimbra, 24 novembro 2014 1 política pública

Leia mais

Prospecto Informativo Invest Índices Mundiais (Ser. 11/1)

Prospecto Informativo Invest Índices Mundiais (Ser. 11/1) Prospecto Informativo Invest Índices Mundiais (Ser. 11/1) Abril de 2011 Designação: Invest Índices Mundiais (Ser. 11/1). Classificação: Caracterização do Produto: Garantia de Capital: Garantia de Remuneração:

Leia mais

Fidelity Poupança FUNDO AUTÓNOMO FIDELITY POUPANÇA AÇÕES TARGET 2045

Fidelity Poupança FUNDO AUTÓNOMO FIDELITY POUPANÇA AÇÕES TARGET 2045 Um investimento responsável exige que conheça as suas implicações e que esteja disposto a aceitá-las FUNDO AUTÓNOMO FIDELITY POUPANÇA AÇÕES TARGET 2045 ALERTA GRÁFICO Entidade Gestora: T-Vida, Companhia

Leia mais

< 5 4,28 5,57 5,86 6,41 20,48 5 a 10 4,65 6,05 6,14 6,98 28,79

< 5 4,28 5,57 5,86 6,41 20,48 5 a 10 4,65 6,05 6,14 6,98 28,79 Serviço Standard Serviço Especial Peso (Kg) 1 2 3 4 5 Entrega até às 18:00H GRUPOL10H GRUPOL13H GRUPOLSAB GRUPOLMA Entrega até às 10:00H do dia seguinte Entrega até às 13:00H do dia seguinte Entrega ao

Leia mais

BPI MONETÁRIO CURTO PRAZO FUNDO ESPECIAL DE INVESTIMENTO ABERTO

BPI MONETÁRIO CURTO PRAZO FUNDO ESPECIAL DE INVESTIMENTO ABERTO BPI MONETÁRIO CURTO PRAZO FUNDO ESPECIAL DE INVESTIMENTO ABERTO Demonstrações Financeiras em 31 de Dezembro de 2010 acompanhadas do Relatório de Auditoria BALANÇO EM 31 DE DEZEMBRO DE 2010 Activo Mais-

Leia mais

QUADRO I. LISTA DO PRAZO MÉDIO DE PAGAMENTO REGISTADO POR MUNICÍPIO EM DEZEMBRO DE 2013

QUADRO I. LISTA DO PRAZO MÉDIO DE PAGAMENTO REGISTADO POR MUNICÍPIO EM DEZEMBRO DE 2013 VILA REAL DE SANTO ANTÓNIO 317 303 716 996 1.601 RIBEIRA BRAVA 127 127 125 123 1.558 PORTIMÃO 1.088 1.140 797 780 1.057 SANTA CRUZ 518 515 566 595 1.049 ALIJÓ 202 208 206 203 827 ÉVORA 541 623 867 843

Leia mais

TAXA GARANTIDA 3ª SÉRIE

TAXA GARANTIDA 3ª SÉRIE TAXA GARANTIDA 3ª SÉRIE PROSPECTO SIMPLIFICADO ICAE INSTRUMENTO DE CAPTAÇÃO DE AFORRO ESTRUTURADO (NÃO NORMALIZADO) Os elementos constantes deste Prospecto Simplificado reportam-se a 30 de Abril de 2009

Leia mais

Legislação MINISTÉRIO DAS FINANÇAS

Legislação MINISTÉRIO DAS FINANÇAS Diploma Decreto-Lei n.º 62/2005 11/03 Estado: Vigente Legislação Resumo: Transpõe para a ordem jurídica interna a Directiva n.º 2003/48/CE, do Conselho, de 3 de Junho, relativa à tributação dos rendimentos

Leia mais

PARTE C PRESIDÊNCIA DO CONSELHO DE MINISTROS. 26092-(2) Diário da República, 2.ª série N.º 175 8 de setembro de 2015

PARTE C PRESIDÊNCIA DO CONSELHO DE MINISTROS. 26092-(2) Diário da República, 2.ª série N.º 175 8 de setembro de 2015 26092-(2) Diário da República, 2.ª série N.º 175 8 de setembro de 2015 PARTE C PRESIDÊNCIA DO CONSELHO DE MINISTROS Gabinete do Secretário de Estado da Administração Local Despacho n.º 10123-A/2015 Considerando

Leia mais

Resultado do Processo de candidatura a apoio financeiro 2015/2016 a conceder no âmbito do Contrato de Patrocínio Lista Provisória Área da Música

Resultado do Processo de candidatura a apoio financeiro 2015/2016 a conceder no âmbito do Contrato de Patrocínio Lista Provisória Área da Música com AMVP - Academia de Música de Vilar do Paraíso 89,5 44 86 0 287 1 8 0 14 1.857.320,00 b) Cávado Escola de Música de Esposende Academia de Música de Espinho Conservatório Regional de Gaia Conservatório

Leia mais

Ou seja, na data de maturidade, o valor garantido por unidade de participação será aquele que resulta da aplicação da seguinte fórmula:

Ou seja, na data de maturidade, o valor garantido por unidade de participação será aquele que resulta da aplicação da seguinte fórmula: 1.Tipo e Duração 2.Entidade Gestora 3.Consultores de Fundo de Capital Garantido Aberto, constituído em Portugal. A sua constituição foi autorizada pela Comissão do Mercado de Valores Mobiliários, em 12/

Leia mais

DOCUMENTO INFORMATIVO (RECTIFICAÇÃO) BES CRESCIMENTO OUTUBRO 2009 PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO

DOCUMENTO INFORMATIVO (RECTIFICAÇÃO) BES CRESCIMENTO OUTUBRO 2009 PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO DOCUMENTO INFORMATIVO (RECTIFICAÇÃO) BES CRESCIMENTO OUTUBRO 2009 PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO Advertências ao investidor: 100% do capital investido garantido na maturidade Remuneração não garantida Possibilidade

Leia mais

Informações Fundamentais ao Investidor PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO

Informações Fundamentais ao Investidor PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO Informações Fundamentais ao Investidor PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO Um investimento responsável exige que conheça as suas implicações e que esteja disposto a aceitá-las. Designação: VICTORIA PPR Acções

Leia mais

Fidelity Poupança FUNDO AUTÓNOMO FIDELITY POUPANÇA TARGET 2040

Fidelity Poupança FUNDO AUTÓNOMO FIDELITY POUPANÇA TARGET 2040 Um investimento responsável exige que conheça as suas implicações e que esteja disposto a aceitá-las FUNDO AUTÓNOMO FIDELITY POUPANÇA TARGET 2040 ALERTA GRÁFICO Entidade Gestora: T-Vida, Companhia de Seguros,

Leia mais

Organismos. de Investimento Colectivo (OIC) O novo regime dos Organismos

Organismos. de Investimento Colectivo (OIC) O novo regime dos Organismos Organismos de Investimento Colectivo (OIC) O novo regime dos Organismos de Investimento Colectivo (OIC) representa uma oportunidade para planear novos investimentos e reaquacionar as actuais estruturas.

Leia mais

SEGURO MILLENNIUM TRIMESTRAL 2013 8 ANOS 2ª SÉRIE (NÃO NORMALIZADO)

SEGURO MILLENNIUM TRIMESTRAL 2013 8 ANOS 2ª SÉRIE (NÃO NORMALIZADO) Informações Fundamentais ao Investidor PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO Um investimento responsável exige que conheça as suas implicações e que esteja disposto a aceitá-las. SEGURO MILLENNIUM TRIMESTRAL 2013

Leia mais

ARTIGO 1.º DEFINIÇÕES ARTIGO 2.º OBJECTO DO CONTRATO ARTIGO 3.º INÍCIO E DURAÇÃO DO CONTRATO. SEGURO REAL VIDA Condições Gerais

ARTIGO 1.º DEFINIÇÕES ARTIGO 2.º OBJECTO DO CONTRATO ARTIGO 3.º INÍCIO E DURAÇÃO DO CONTRATO. SEGURO REAL VIDA Condições Gerais ARTIGO 1.º DEFINIÇÕES 1. Para efeitos do presente contrato entende-se por: Seguradora: a Real Vida Seguros, S.A., que subscreve com o Tomador de Seguro o presente contrato; Tomador de Seguro: A entidade

Leia mais

Apresentação dos Fundos Revitalizar Sessão de apresentação - NERSANT. Março, 2014

Apresentação dos Fundos Revitalizar Sessão de apresentação - NERSANT. Março, 2014 Apresentação dos Fundos Revitalizar Sessão de apresentação - NERSANT Março, 2014 A OxyCapital gere dois fundos (FRE e FRC) e está a lançar um fundo Mezzanine para oportunidades híbridas de dívida/capital

Leia mais

Ofício-Circulado 20007, de 19/03/1999 - Direcção de Serviços do IRC

Ofício-Circulado 20007, de 19/03/1999 - Direcção de Serviços do IRC Ofício-Circulado 0, de //99 - Direcção de Serviços do IRC Taxas de Derrama lançada para cobrança em 99 (Exercício de 98) Ofício-Circulado 0, de //99 - Direcção de Serviços do IRC Taxas de Derrama lançada

Leia mais

M N F G e s t ã o d e A c t i v o s - S G F I M, S A

M N F G e s t ã o d e A c t i v o s - S G F I M, S A Prospecto Simplificado (Actualizado a 8 de Fevereiro de 2012) Fundo Especial de Aberto Strategic Diversified USD Fundo Especial de Aberto (Fundo autorizado pela CMVM em 8 de Fevereiro de 2011, sob o número

Leia mais

Parceria 5àsec - La Redoute 1 de Janeiro a 28 de Fevereiro 2015

Parceria 5àsec - La Redoute 1 de Janeiro a 28 de Fevereiro 2015 Parceria 5àsec - La Redoute 1 de Janeiro a 28 de Fevereiro 2015 Nome Loja Cidade Distrito ÁGUEDA PINGO DOCE ÁGUEDA Distrito Aveiro ALBERGARIA-A-VELHA RUA ALBERGARIA A VELHA Distrito Aveiro AVEIRO GLICÍNIAS

Leia mais

Portugueses com mais de 65 anos Breve caracterização estatística

Portugueses com mais de 65 anos Breve caracterização estatística E S T U D O S Cada etapa da vida tem as suas próprias especificidades mas tem, também, os seus próprios desafios e as suas próprias capacidades, para a construção de uma sociedade para todas as idades.

Leia mais

Crédito Habitação BPI - Ficha de Informação Geral

Crédito Habitação BPI - Ficha de Informação Geral Crédito Habitação BPI - Ficha de Informação Geral Mutuante Banco BPI, S.A. Sede: Rua Tenente Valadim, 284 4100-476 PORTO Sociedade Aberta, Capital Social 1.293.063.324,98, matriculada na CRCP sob o número

Leia mais

Código - Designação Serviço Finanças

Código - Designação Serviço Finanças 01-AVEIRO 19-AGUEDA 4 01-AVEIRO 27-ALBERGARIA-A-VELHA 2 01-AVEIRO 35-ANADIA 3 01-AVEIRO 43-AROUCA 3 01-AVEIRO 51-AVEIRO-1. 1 01-AVEIRO 60-CASTELO DE PAIVA 1 01-AVEIRO 78-ESPINHO 1 01-AVEIRO 86-ESTARREJA

Leia mais

Instituto de Seguros de Portugal e Comissão do Mercado de Valores Mobiliários.

Instituto de Seguros de Portugal e Comissão do Mercado de Valores Mobiliários. Mod. Versão 65.01 Informação actualizada a: 04/04/2011 Designação Comercial: Fidelity Poupança Data de início de Comercialização: 01/02/2007 Empresa de Seguros Entidade Comercializadora Autoridades de

Leia mais

3.º SUPLEMENTO II SÉRIE ÍNDICE. Ministério das Finanças. Ministério da Educação e Ciência PARTE C. Quinta-feira, 10 de abril de 2014 Número 71

3.º SUPLEMENTO II SÉRIE ÍNDICE. Ministério das Finanças. Ministério da Educação e Ciência PARTE C. Quinta-feira, 10 de abril de 2014 Número 71 II SÉRIE Quinta-feira, 10 de abril de 2014 Número 71 ÍNDICE 3.º SUPLEMENTO PARTE C Ministério das Finanças Gabinete do Secretário de Estado das Finanças: Declaração de retificação n.º 404-A/2014: Retifica

Leia mais

Pagamento do prémio: O prémio é único, sendo devido antecipadamente pelo tomador do seguro.

Pagamento do prémio: O prémio é único, sendo devido antecipadamente pelo tomador do seguro. INFORMAÇÃO PRÉ-CONTRATUAL SEGURO DE VIDA - PPR POSTAL PPR PLUS (nos termos do Dec.-Lei n.º 72/2008 de 16 de Abril) SEGURADOR MAPFRE SEGUROS DE VIDA S.A. Sede Social: Rua Castilho, 52, 1250-071 Lisboa N.I.P.C.

Leia mais

Postos de Atendimento ao Cidadão (PAC)

Postos de Atendimento ao Cidadão (PAC) Postos de Atendimento ao Cidadão (PAC) Serviços Prestados : Alteração de Elementos da Carta de Condução Revalidação da Carta de Condução Posto de Atendimento ao Cidadão - PAC Abrantes Praça Raimundo Soares,

Leia mais

SEGURO UNIT LINKED CA INVESTIMENTO -1ª SÉRIE (Não Normalizado)

SEGURO UNIT LINKED CA INVESTIMENTO -1ª SÉRIE (Não Normalizado) CONDIÇÕES GERAIS SOLUÇÕES CAPITALIZAÇÃO SEGURO UNIT LINKED CA INVESTIMENTO -1ª SÉRIE (Não Normalizado) 1 CONDIÇÕES GERAIS DA APÓLICE CA Investimento 1ª Série (Não Normalizado) SEGURO INDIVIDUAL Cláusula

Leia mais

1712 Diário da República, 1.ª série N.º 54 18 de Março de 2009

1712 Diário da República, 1.ª série N.º 54 18 de Março de 2009 1712 Diário da República, 1.ª série N.º 54 18 de Março de 2009 Portaria n.º 273/2009 de 18 de Março O Programa do XVII Governo Constitucional define que «o sistema [de saúde] deve ser reorganizado a todos

Leia mais

prospecto simplificado skandia perfil

prospecto simplificado skandia perfil INVESTIMENTOS Skandia Link S.A. - Sucursal em Portugal da sociedade Skandia Link, Sociedade Anónima de Seguros Y Reaseguros, com o capital social de EUR 41.42.2,90 NIPC 90 234 43 CRC Lisboa n.º 11 30 Sede

Leia mais

PMP (n.º dias) a 31-12-2007

PMP (n.º dias) a 31-12-2007 (N.º 20 - Resolução de Conselho de Ministros n.º 34/, publicada no DR n.º 38, 1.ª série, de 22 de Fevereiro) Ordenado por ordem decrescente do PMP em 31-12- a 30-09- a 31-12- VILA FRANCA DO CAMPO 158 182

Leia mais

CONDIÇÕES GERAIS LEVE PPR - 2.ª SÉRIE - G763500

CONDIÇÕES GERAIS LEVE PPR - 2.ª SÉRIE - G763500 LEVE PPR - 2.ª SÉRIE - G763500 ARTIGO PRELIMINAR Entre a Fidelidade - Companhia de Seguros, S.A., adiante designada por Segurador, e o Tomador do Seguro identificado nas Condições Particulares, estabelece-se

Leia mais

ALOJAMENTOS OFICIAIS PARA ANIMAIS DE COMPANHIA - CENTROS DE RECOLHA OFICIAIS (CRO) AUTORIZADOS

ALOJAMENTOS OFICIAIS PARA ANIMAIS DE COMPANHIA - CENTROS DE RECOLHA OFICIAIS (CRO) AUTORIZADOS 1 ABRANTES LVT INTERMUNICIPAL S PT 05 002 CGM in situ 2 ÁGUEDA C MUNICIPAL PT 03 004 CGM 3 AGUIAR DA BEIRA C INTERMUNICIPAL PT 03 005 CGM SÁTÃO 4 ALCANENA LVT INTERMUNICIPAL PT 05 005 CGM TORRES NOVAS

Leia mais

Ficha de Informação Normalizada para Depósitos Depósitos à Ordem

Ficha de Informação Normalizada para Depósitos Depósitos à Ordem Designação Condições de Acesso Conta Especial Emigrante Clientes Particulares, com idade superior a 18 anos, que sejam emigrantes portugueses, de acordo com legislação em vigor. A conta só pode ser co-titulada

Leia mais

Fundo de Investimento Imobiliário Fechado

Fundo de Investimento Imobiliário Fechado Relatório de Gestão AS ALTA VISTA - Fundo de Investimento Imobiliário Fechado Fundo de Investimento Imobiliário Fechado ES ALTA VISTA (CMVM nº 912) Relatório de Gestão Dezembro de 2008 ESAF Fundos de Investimento

Leia mais

VALOR GARANTIDO VIVACAPIXXI

VALOR GARANTIDO VIVACAPIXXI VALOR GARANTIDO VIVACAPIXXI CONDIÇÕES GERAIS CAPÍTULO I GENERALIDADES ARTº 1º - DEFINIÇÕES 1. Para os efeitos do presente contrato, considera-se: a) Companhia - a entidade seguradora,, que subscreve com

Leia mais

(a) Data de autorização do Organismo de Investimento Colectivo no Estado-Membro de Origem e data de início da comercialização em Portugal:

(a) Data de autorização do Organismo de Investimento Colectivo no Estado-Membro de Origem e data de início da comercialização em Portugal: CONDIÇÕES PARTICULARES DO DISTRIBUIDOR referente à comercialização em Portugal, pelo Deutsche Bank AG - Sucursal em Portugal de acções da PIONEER FUNDS (a) Data de autorização do Organismo de Investimento

Leia mais

(Primeira Verificação e Verificação Periódica) Distribuição de Instrumentos e Sistemas de Medição por Zonas Geográficas

(Primeira Verificação e Verificação Periódica) Distribuição de Instrumentos e Sistemas de Medição por Zonas Geográficas ORGANISMOS DE VERIFICAÇÃO METROLÓGICA QUALIFICADOS PARA REALIZAÇÃO DE OPERAÇÕES DE CONTROLO METROLÓGICO LEGAL (Primeira Verificação e Verificação Periódica) Distribuição de Instrumentos e Sistemas de Medição

Leia mais

PARTE A: INFORMAÇÕES DE CARÁCTER GERAL

PARTE A: INFORMAÇÕES DE CARÁCTER GERAL Crédit Agricole Funds - EUROSTOCKS O Crédit Agricole Funds é um OICVM umbrella constituído ao abrigo da Parte I da Lei de 20 de Dezembro de 2002, conforme alterada Sede social: 39, Allée Scheffer, L-2520

Leia mais

Informações Fundamentais Destinadas aos Investidores (IFI)

Informações Fundamentais Destinadas aos Investidores (IFI) Informações Fundamentais Destinadas aos Investidores (IFI) O presente documento fornece as informações fundamentais destinadas aos investidores sobre este Fundo. Não é material promocional. Estas informações

Leia mais

Declaração. Fundamento Data Finalidade Município/Freguesia beneficiario

Declaração. Fundamento Data Finalidade Município/Freguesia beneficiario Direcção-Geral do Orçamento Ministério das Finanças e da Administração Pública Declaração Em cumprimento do disposto no número 7 do art.º 8 da lei 2/2007 de 15 de Janeiro que aprova a Lei das Finanças

Leia mais

Depósito Indexado, denominado em Euros, pelo prazo de 6 meses (184 dias), não mobilizável antecipadamente.

Depósito Indexado, denominado em Euros, pelo prazo de 6 meses (184 dias), não mobilizável antecipadamente. Designação Classificação Depósito Indexado EUR/USD No Touch II Produto Financeiro Complexo Depósito Indexado Depósito Indexado, denominado em Euros, pelo prazo de 6 meses (184 dias), não mobilizável antecipadamente.

Leia mais

DRAP Norte - Direção Regional de Agricultura e Pescas do Norte

DRAP Norte - Direção Regional de Agricultura e Pescas do Norte DRAP Norte - Direção Regional de Agricultura e Pescas do Norte DRAP Norte - Direção Regional de Agricultura e Pescas do Norte Produção de Pequenos Frutos na Região Norte Em Portugal, à exceção do morango,

Leia mais

Prospecto Informativo Invest Tecnologia (Ser. 12/1)

Prospecto Informativo Invest Tecnologia (Ser. 12/1) Prospecto Informativo Invest Tecnologia (Ser. 12/1) Fevereiro de 2012 Designação: Invest Tecnologia (Ser. 12/1). Classificação: Caracterização do Depósito: Garantia de Capital: Garantia de Remuneração:

Leia mais

Parque Automóvel Seguro 2000-2001 INSTITUTO DE SEGUROS DE PORTUGAL

Parque Automóvel Seguro 2000-2001 INSTITUTO DE SEGUROS DE PORTUGAL 2000-2001 INSTITUTO DE SEGUROS DE PORTUGAL Autoridade de Supervisão da Actividade Seguradora e de Fundos de Pensões Autorité de Contrôle des Assurances et des Fonds de Pensions du Portugal Portuguese Insurance

Leia mais

ESTATUTO SOCIAL DO CLUBE DE INVESTIMENTO SINERGIA

ESTATUTO SOCIAL DO CLUBE DE INVESTIMENTO SINERGIA ESTATUTO SOCIAL DO CLUBE DE INVESTIMENTO SINERGIA I Denominação e Objetivo Artigo 1º O Clube de Investimento SINERGIA é constituído por número limitado de membros que têm por objetivo a aplicação de recursos

Leia mais

Consulta de Vagas disponíveis para o concurso IM A Formação Específica

Consulta de Vagas disponíveis para o concurso IM A Formação Específica ANATOMIA PATOLÓGICA Centro Hospitalar Coimbra, E.P.E. Normal 1 ANATOMIA PATOLÓGICA Centro Hospitalar do Porto, E.P.E. Normal 1 ANATOMIA PATOLÓGICA Hospitais Universidade de Coimbra - E.P.E. Normal 1 ANATOMIA

Leia mais

Prospecto Informativo Depósito Dual Energia Europa BBVA

Prospecto Informativo Depósito Dual Energia Europa BBVA Prospecto Informativo Designação Classificação Caracterização do Produto Garantia de Capital Garantia de Remuneração Factores de risco Produto financeiro complexo Depósito Dual O é um depósito dual a 3

Leia mais

Prospecto Informativo Invest Petrolíferas Mar-16

Prospecto Informativo Invest Petrolíferas Mar-16 Prospecto Informativo Invest Petrolíferas Mar-16 Março de 2016 Designação: Classificação: Caracterização do Produto: Invest Petrolíferas Mar-16 Produto financeiro complexo Depósito Indexado. O depósito

Leia mais