COMUNICA<;AO COORDENADA

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "COMUNICA<;AO COORDENADA"

Transcrição

1 COMUNICA<;AO COORDENADA Rosangela FRANCISCHINI (Doutoranda - Linglifstica - IEUUNICAMP) ABSTRACT: This paper has as its theoretical background certain considerations of Bakhtin (1992). The study well analyze a commercial advertisement for Bubbaloo chewing gum. The figurative language and linguistic resources make explicit the "target" audience and make transparent the image which the author has of that audience: persons who consider competition and success to be bases values. Thus, the reaction-response expected is the consumption of chewing gum as a object which leads to the realization of those values. KEY WORDS: inter-discourse - discourse formation - commercial advertisements Este trabalho teve por objeto de analise uma propaganda do chicle de bolas Bubbaloo (sem trad~iio, de acordo com 0 dicionano Michaelis) veiculada em cartazes, com as seguintes caracterfsticas: urn retangulo de 34cm de largura X 59cm de altura; na parte superior, ocupando aproximadamente 1/3 desse retilngulo, M 3 criancas - urn rapaz e duas meninas - com idade aparente de 8 anos, sendo que a crianca posicionada ao meio esta com uma bola de chicletes na boca. Abaixo, em fundo amarelo, M 0 seguinte texto, em cor preta: "REVOLTA As AULAS", ocupando, igualmente, 1/3 do cartaz. Abaixo desse texto e em letras men ores segue 0 texto: "JA QUE NAo TEM JEITO, VOLTE COM A BOLA TODA. VOLTE As AULAS COM BUBBALOO". Abaixo e posicionado de forma centralizada esta escrito Bubbaloo, ern rosa, com sombreado preto. Essa propaganda passou a ser veiculada atraves de cartazes, em estabelecirnentos comerciais (padarias, lanchonetes, superrnercados, etc...) no final do mes de julho/95. Este perfodo caracteriza, no sistema educacional brasileiro, 0 final das ferias escolares que acontecem entre os dois semestres de um mesmo ano letivo. Trata-se de urn cartaz de aproxirnadamente 34cm de largura X 59 de altura. A referida publicidade explicit a, no nfvel lingtifstico, a questao acima citada - 0 termino das ferias escolares - e, no nivel figurativo - a fotografia - a quem ela se dirige:

2 as crian~as, especificamente aquelas pertencentes a uma camada da popula~ilo que tern acesso a escola. Mais ainda: a sintonia perfeita observavel entre texto e desenho. em que este e aquele silo marc ados socialrnente, deixa transparecer a percep~ao e irnagern que 0 autor da propaganda tern de seu publico destinatario. Este aspecto sera retornado posteriormente. quando da anaiise especifica dos enunciados. REVOLTA As AULAS REVOLT A - REVOLTA Dois rnodos de interpreta~ao nos sao colocados diante da expressao destaque da propaganda. 0 primeiro refere-se a leitura do item lexical revolta tendo por significado repulsa e averslio. Assim, a ideia de que aulas e algo que causa repulsa e aversao esta, portanto, marcada explicitamente atraves desse item lexical. Resta-nos, portanto, indagar porque as aulas podem nao ser agradaveis aos alunos e precisar as multiplas formas que estes manifestam seu desagrado. No que diz respeito ao primeiro aspecto. observa-se que a propaganda 0 ignora. 0 mesmo nao ocorre com a questao das forrnas de manifesta~ao da revolta. Nessa propaganda, as crian~as as explicitam de varias maneiras: 1.) vestindo-se de forma bastante diferenciada, diriamos, ate, contraria as expectativas estabelecidas socialmente - crian~as vao para a escola uniformizadas; 2.) comportando-se de forma rebelde - mascando chicletes - (a propaganda propoe essa atitude), conduta essa que confronta-se com uma norma socialmente estabelecida. E certo, porem, que outras crian~as revoltam-se e express am sua insatisf~ao de formas diferenciadas daquela proposta pelo autor da propaganda. Os altos fndices de evasao e de repetencia presentes em qualquer estatistica que procure tra~ar urn perfil do aproveitamento dos alunos das escolas da rede publica de ensino atestam essa afirma~ao. A segunda leitura possivel do lexico revolta e a que nos remete a volta de novo, permitida porque, ap6s 0 mes de julho, M um 2 'retorno as aulas, sendo, 0 1 ', no inicio do ano letivo, ap6s as ferias de [mal de ano. Consideramos essa leitura menos importante que a 1", porem nao menos necessaria. Se assim 0 fosse, estariamos desconsiderando palavra revolta, 0 poder do jogo com as Palavras e, nesse caso, com a ambigiiidade da tlio caro a linguagem da propaganda. JA QUE NAO TEM JEITO, VOLTE COM A BOLA TODA. VOLTE As AULAS COM BUBBALOO. JA QUE NAO TEM JEITO '" Aqui, a condi~ao explicitada por Bakhtin de que "todo enunciado C..) responde de uma forma ou de outra, a enunciados do outro anteriores." (Bakhtin, 1992:319) e possivel ser observada atraves das marcas lingiiisticas explfcitas e do que nos e permitido pressupor a partir delas. o efeito de sentido produzido pelo enunciado como urn todo, com enfase no emprego da conjun~ao ja que e de que M uma condi~ao definitiva, em que nao M alternativas: as crian~as tern Que voltar as aulas ap6s 0 periodo estabelecido como

3 ferias. B-nos possivel, no entanto, pressupor a existencia de outras situacoes cujas vozes contrapoem-se a essa, ou seja, ha situacoes diferenciadas em que outros jeitos alternativos se colocam. Nesses casos, a escolha lexical, com certeza, teria que ser igualmente diferenciada. Em sintese, dizer que em uma determinada situacao "nao tern jeito", pressupoe a existencia de situacoes em que essa condicao nao e verificada. Dois aspectos, parece-nos, merecem atencao: 1.) 0 que deterrnina a obrigatoriedade da educacao formal, e, 2.) a alterniincia periodo de aulas - perfodo de fecias escolares, definida como 0 e em nossa sociedade. No que se refere ao primeiro aspecto, a Constituiciio Brasileira atribui ao Estado 0 ~ de oferecer educacao ba.~icapublica e gratuita a todos. A famnia impoe-se 0 dever de encarninhar as criancas a escola. Ocorre, porem, que 0 dever de alguem (no caso, 0 do Estado) pressupoe 0 direito de urn outro, que, na propaganda em anatise, se traduz no direito de todos a escolarizacao formal. Em que formacao ideologica surge, no entanto, essa necessidade que se imp6s ao Estado de propiciar 0 acesso a educacao, indiscrirninadamente? Segundo Cunha (1985) "houve urn momento hist6rico em que princfpios como igualdade de direitos e de oportunidades, destruiciio de privilegios hereditarios, respeito as capacidades e iniciativas individuais e educacao universal para todos constitutram-se nas diretrizes fundamentais de uma doutrina: 0 liberalismo." (p. 27). B no interior dessa doutrina que, no Brasil, a educaciio passou a ser atribufdo 0 papel de ser instrumento propiciador de igualdade entre os homens. A ordem econ6mica capitalista que (re) produz asdesigualdades sociais e a qual 0 proprio sistema educacional esta vinculado, nao e posta em questao; a burguesia nao interessa faze-lo. Em relacao ao 2 0 aspecto apontado anteriormente observamos, apenas, que e a propria instituicao escolar que, por determinacao dos orgiios competentes a que ela esta diretamente vinculada, estabelece 0 calendario escolar tal como ele se nos apresenta.... VOLTE COM A BOLA TODA Essa expressao e comumente empregada, na giria, para referir-se a situacoes em que 0 sujeito (pessoa(s), equipe(de esportes, poi ex.), partidos polfticos, OIganizacoes, etc...) encontram-se em algurna situaciio privilegiada. Besse 0 efeito de sentido produzido pela expressao em anatise, quando considerada tiio-somente como continuidade do enunciado que imediatamente a antecede. Ocorre, no entanto, que 0 enunciado subsequente VOLTE As AULAS COM BUBBALOO redefine esse efeito de sentido. A partir dele, 0 grupo nominal a bola passa a fazer referencia a bola feita com 0 chiclete Bubbaloo. Ha, ainda, uma terceira possibilidade que, de alguma forma, condensa as duas leituras propostas anteriormente, qual seja, quem faz bolas com Bubbaloo esta com a bola toda.

4 Ainda em relacao ao enunciado "volte com a bola toda", e necessario acrescentar as observacoes anteriores que ele reflete uma formacao ideol6gica bastante presente em nossa sociedade: e precise estar sempre em vantagem em relacao aos pares. Nessa perspectiva, 0 efeito de sentido seria: ja que seus pares e voce tern que voltar as aulas, diferencie-se deles, volte em posicao de destaque, volte fazendo bolas com Bubbaloo. Nesse aspecto e que retomamos a questlio colocada no inicio desse trabalho, qual seja, a de que 0 autor da propaganda tem, de seu publico destinatario, uma percepcao e imagem peculiares. Segundo Bakhtin, "0 enunciado, desde 0 inicio, elabora-se em funcao da eventual reacao-resposta (do destinatiirio), a qual e 0 objetivo precise de sua elaboracao." (Bakhtin, 1992: 320). No caso da propaganda em analise, a percepcao que o autor tern de seu publico e a de pessoas que, dada uma formacao ideol6gica especifica, colocam a competicao e a necessidade de ser 0 melbor como valores a serem cultivados. Sendo assim, a reacao-resposta diante dela e exatamente 0 consumo (ele pr6prio tamoom pertencente a formacao ideol6gica da sociedade capitalista) de seu objeto - 0 chiclete Bubbaloo, como objeto que propicia 0 alcance daqueles valores. Os apontamentos anteriores permitem-nos observar que essa propaganda aponta para varios aspectos que. caracteristicamente, encontram-se presentes em textos cujo objetivo Ultimo e vender urn produto (em sentido bastante amplo), persuadindo, assim, o destinatario de que esse produto e algo necessario para ele. qualquer que seja a razao dessa necessidade, uma vez que ha varia\;oes determinadas pelas caracterlsticas do produto. A escolba. por parte do locutor, dos fatores lingilisticos e figurativos que a compoem possibilitaram-nos identificar seu publico destinatario, a imagem que dele tem 0 locutor e a resposta que esse locutor espera do destinatario., As forma\;oes discursivas que tornam daros esses aspectos refletem uma formacao ideol6gica que perpassa as sociedades cuja ordem economica e capitalista: 0 consumo e a competicao como seus ingredientes e a necessidade de estar en! destaque ~omo valor a ser preservado para que 0 produto final esteja de acordo com 0 estabelecido por aquela ordem, qual seja, a sua manutencao. RESUMO: Este trabalho tem por referencial teorico bdsico as considera~{jes apontadas por Bakhtin(l992). Trata-se da analise de uma propaganda do chiclete~, Bubbaloo. Os recursos lingii(sticos e figurativos explicitam 0 publico alvo e deixam transparecer a imagem que seu autor tem desse publico: pessoas que colocam a competi~iio e a necessidade de estar em vantagem como valores bdsicos. Assim, a rea~iio-resposta esperada e 0 consumo do chicletes, como objeto que propicia 0 alcance daqueles valores. PALA VRAS-CHA VE: interdiscurso - forma\;ao discursiva - propaganda.

5 BARROS, Diana Luz Pessoa de e FIORIN, Jose Luiz (orgs.) (1994) - DiDlogismo. Polifcmia InlertextualidDde. Sio Paulo, EDUSP CUNHA, Luiz Antonio. (1985) - EduCaf'20 e Desenvolvimenlo Social no Brasil. Rio de Janeiro, Francisco Alves, 8a. Ed. GADET, Fran~oise e HAl{, Tony. (1993) -Por uma Analise Automdlica da UNICAMP, 2a. Ed. cwdiscurso. Campinu-SP, Editora MAlNGUENEAU, Dominique (1989) -Novas Tendlncias em Analise cw Discurso. Campinu: Editora da UNICAMPlPontcs.

(Re)formulação e diferença: um processo parafrástico discursivo

(Re)formulação e diferença: um processo parafrástico discursivo (Re)formulação e diferença: um processo parafrástico discursivo Greciely Cristina da Costa * Resumo: A noção de paráfrase é abordada sob distintas perspectivas lingüísticas. Neste trabalho aponto três

Leia mais

QUEM LÊ ALFA É O CARA: AS RELAÇÕES ARGUMENTATIVAS ESTABELECIDAS ENTRE ENUNCIADOR E ENUNCIATÁRIO

QUEM LÊ ALFA É O CARA: AS RELAÇÕES ARGUMENTATIVAS ESTABELECIDAS ENTRE ENUNCIADOR E ENUNCIATÁRIO QUEM LÊ ALFA É O CARA: AS RELAÇÕES ARGUMENTATIVAS ESTABELECIDAS ENTRE ENUNCIADOR E ENUNCIATÁRIO Ana Karla Pereira de MIRANDA Universidade Federal do Mato Grosso do Sul PPGMEL ak_miranda@hotmail.com Resumo:

Leia mais

CINCO OBSERVAÇÕES SOBRE UMA RESENHA

CINCO OBSERVAÇÕES SOBRE UMA RESENHA CRÔNICAS E CONTROVÉRSIAS Neste número, a seção Crônicas e Controvérsias apresenta dois textos: o primeiro, de Sírio Possenti, acerca da resenha do livro de Alice Krieg- -Planque A noção de fórmula em análise

Leia mais

EDUCAÇÃO FÍSICA NA ESCOLA

EDUCAÇÃO FÍSICA NA ESCOLA EDUCAÇÃO FÍSICA NA ESCOLA Q U E S T Õ E S E R E F L E X Õ E S Suraya Cristina Dar ido Mestrado em Educação Física, na Escola de Educação Física da Universidade de São Paulo, SP, 1987 1991 Doutorado em

Leia mais

Maria Regina ECKERT (mestrado - IEUUNICAMP)

Maria Regina ECKERT (mestrado - IEUUNICAMP) Maria Regina ECKERT (mestrado - IEUUNICAMP) ABSTRACT: The purpose of this paper is to present the analysis of a propaganda published after the judgement of the ex-president Femando Collar de Mello, occu"ed

Leia mais

Trabalho submetido ao XVIII Prêmio Expocom 2011, na Categoria Cartaz Avulso, modalidade cartaz avulso.

Trabalho submetido ao XVIII Prêmio Expocom 2011, na Categoria Cartaz Avulso, modalidade cartaz avulso. RESUMO Email Marketing: Pós-Graduação em Arquitetura Contemporânea 1 Silvia Fernanda Santos de SENA 2 Thiago Jerohan Albuquerque da Cruz 3 Fernando Israel FONTANELLA 4 Universidade Católica de Pernambuco,

Leia mais

O GÊNERO MASCULINO NA PUBLICIDADE DE COSMÉTICOS E VESTUÁRIO

O GÊNERO MASCULINO NA PUBLICIDADE DE COSMÉTICOS E VESTUÁRIO O GÊNERO MASCULINO NA PUBLICIDADE DE COSMÉTICOS E VESTUÁRIO Janaína Fernandes Possati Faculdade de Letras Centro de Linguagem e Comunicação janainapossati@bol.com.br Resumo: Objetivamos analisar, sob o

Leia mais

2. Provas presenciais avaliação presencial das duas disciplinas cursadas, visando testar os conhecimentos obtidos nas atividades on-line;

2. Provas presenciais avaliação presencial das duas disciplinas cursadas, visando testar os conhecimentos obtidos nas atividades on-line; Encontro Presencial Introdução ao Marketing e Marketing de Serviços Caro aluno, Conheça as três atividades distintas que ocorrerão durante o Encontro Presencial... 1. Revisão estudo, orientado pelo Professor-Tutor,

Leia mais

O SUJEITO-PROFESSOR E SUA INSCRIÇÃO APARENTE NO DISCURSO EDUCACIONAL VIGENTE Luzia Alves 1

O SUJEITO-PROFESSOR E SUA INSCRIÇÃO APARENTE NO DISCURSO EDUCACIONAL VIGENTE Luzia Alves 1 410 O SUJEITO-PROFESSOR E SUA INSCRIÇÃO APARENTE NO DISCURSO EDUCACIONAL VIGENTE Luzia Alves 1 RESUMO. O presente estudo se propõe a analisar num artigo, publicado em uma revista de grande circulação no

Leia mais

Análise e Desenvolvimento de Sistemas ADS Programação Orientada a Obejeto POO 3º Semestre AULA 03 - INTRODUÇÃO À PROGRAMAÇÃO ORIENTADA A OBJETO (POO)

Análise e Desenvolvimento de Sistemas ADS Programação Orientada a Obejeto POO 3º Semestre AULA 03 - INTRODUÇÃO À PROGRAMAÇÃO ORIENTADA A OBJETO (POO) Análise e Desenvolvimento de Sistemas ADS Programação Orientada a Obejeto POO 3º Semestre AULA 03 - INTRODUÇÃO À PROGRAMAÇÃO ORIENTADA A OBJETO (POO) Parte: 1 Prof. Cristóvão Cunha Objetivos de aprendizagem

Leia mais

Brincando com o Lápis

Brincando com o Lápis Brincando com o Lápis 1. Objetivo Geral o Trabalhar com as habilidades ligadas à coordenação viso motora fina através de materiais que possibilitem acréscimo de vocabulário e desenvolvimento de linguagem

Leia mais

ABCEducatio entrevista Sílvio Bock

ABCEducatio entrevista Sílvio Bock ABCEducatio entrevista Sílvio Bock Escolher uma profissão é fazer um projeto de futuro A entrada do segundo semestre sempre é marcada por uma grande preocupação para todos os alunos que estão terminando

Leia mais

COMO FORMATAR MONOGRAFIA E TCC

COMO FORMATAR MONOGRAFIA E TCC TEXTO COMPLEMENTAR AULA 2 (15/08/2011) CURSO: Serviço Social DISCIPLINA: ORIENTAÇÕES DE TCC II - 8º Período - Turma 2008 PROFESSORA: Eva Ferreira de Carvalho Caro acadêmico, na Aula 2, você estudará Áreas

Leia mais

Diretrizes para Apresentação de Dissertações. Programa de Pós-Graduação em Enfermagem Mestrado Acadêmico

Diretrizes para Apresentação de Dissertações. Programa de Pós-Graduação em Enfermagem Mestrado Acadêmico 1 Diretrizes para Apresentação de Dissertações Programa de Pós-Graduação em Enfermagem Mestrado Acadêmico Faculdade de Medicina de São José do Rio Preto - FAMERP 2 2014 Diretor Adjunto de Pós-Graduação

Leia mais

ANA MARIA DE CAMARGO (PUC/SP)

ANA MARIA DE CAMARGO (PUC/SP) ANA MARIA DE CAMARGO (PUC/SP) CHAPARRO ABSTRACT: This paper examines some textual organization aspects from the publicist's opinions. It aims at the confront between the public's and the publicist's opinion

Leia mais

SEQUÊNCIA DIDÁTICA PODCAST ÁREA MATEMÁTICA ALFA Título do Perímetro e área em situações reais

SEQUÊNCIA DIDÁTICA PODCAST ÁREA MATEMÁTICA ALFA Título do Perímetro e área em situações reais SEQUÊNCIA DIDÁTICA PODCAST ÁREA MATEMÁTICA ALFA Título do Perímetro e área em situações reais Podcast Área Matemática Segmento Ensino Fundamental Programa de Alfabetização de Jovens e Adultos Duração 6min32seg

Leia mais

PROJETO PIBID JOGO DO LUDO. Palavras chave: Jogo do Ludo. Educação Infantil. Matemática na Educação Infantil.

PROJETO PIBID JOGO DO LUDO. Palavras chave: Jogo do Ludo. Educação Infantil. Matemática na Educação Infantil. PROJETO PIBID JOGO DO LUDO Ana Paula do Valle 1 Kamylla Canalli 2 Lucilene Paixão 3 Neila Tonin Agranionih 4 Resumo: Este artigo tem como objetivo apresentar o desenvolvimento da sequência didática Jogo

Leia mais

PROCESSAMENTO SINrATICO E SEMANnCO: UMA TENrATWA PARA SfNrESE

PROCESSAMENTO SINrATICO E SEMANnCO: UMA TENrATWA PARA SfNrESE CO~CA~AOCOORDENADA PROCESSAMENTO SINrATICO E SEMANnCO: UMA TENrATWA PARA SfNrESE DAFALA Edson Campos MAlA (UNICAMP) ABSTRACT: This paper aims at investigating certain syntactic restrictions such as pronominal

Leia mais

ESTATÍSTICA E PROBABILIDADE A PARTIR DO JOGO TRAVESSIA DO RIO. Palavras-chave: resolução de problemas; jogo; problematizações.

ESTATÍSTICA E PROBABILIDADE A PARTIR DO JOGO TRAVESSIA DO RIO. Palavras-chave: resolução de problemas; jogo; problematizações. ESTATÍSTICA E PROBABILIDADE A PARTIR DO JOGO TRAVESSIA DO RIO Cidinéia da Costa Luvison SME Bragança Paulista/SP; SEE - Morungaba/SP E-mail: cidineiadacosta.luvison@gmail.com Cleane Aparecida dos Santos

Leia mais

O USO DA LINGUAGEM DO DESENHO NO CONTEXTO DOS MEIOS DIGITAIS UMA EXPERIÊNCIA DE ENSINO

O USO DA LINGUAGEM DO DESENHO NO CONTEXTO DOS MEIOS DIGITAIS UMA EXPERIÊNCIA DE ENSINO O USO DA LINGUAGEM DO DESENHO NO CONTEXTO DOS MEIOS DIGITAIS UMA EXPERIÊNCIA DE ENSINO Marly de Menezes Gonçalves, Doutoranda em Arquitetura pela FAU/USP FASM - Faculdade Santa Marcelina professora do

Leia mais

Espírito Mackenzista. Daniel FERRO. Ciro Soares de FARIA. Paula Renata Camargo de JESUS José Mauricio SILVA

Espírito Mackenzista. Daniel FERRO. Ciro Soares de FARIA. Paula Renata Camargo de JESUS José Mauricio SILVA Espírito Mackenzista 1 Daniel FERRO 2 Ciro Soares de FARIA 3 Paula Renata Camargo de JESUS José Mauricio SILVA 5 Universidade Presbiteriana Mackenzie, São Paulo, SP 4 RESUMO O presente texto tem como proposta

Leia mais

ORIENTAÇÕES PARA PRODUÇÃO DE TEXTOS DO JORNAL REPORTAGEM RESENHA CRÍTICA TEXTO DE OPINIÃO CARTA DE LEITOR EDITORIAL

ORIENTAÇÕES PARA PRODUÇÃO DE TEXTOS DO JORNAL REPORTAGEM RESENHA CRÍTICA TEXTO DE OPINIÃO CARTA DE LEITOR EDITORIAL ORIENTAÇÕES PARA PRODUÇÃO DE TEXTOS DO JORNAL REPORTAGEM RESENHA CRÍTICA TEXTO DE OPINIÃO CARTA DE LEITOR EDITORIAL ORIENTAÇÕES PARA OS GRUPOS QUE ESTÃO PRODUZINDO UMA: REPORTAGEM Tipos de Textos Características

Leia mais

OLHAR GLOBAL. Inspirado no mito da Fênix, Olivier Valsecchi cria imagens com cinzas. A poeira do. renascimento. Fotografe Melhor n o 207

OLHAR GLOBAL. Inspirado no mito da Fênix, Olivier Valsecchi cria imagens com cinzas. A poeira do. renascimento. Fotografe Melhor n o 207 OLHAR GLOBAL Inspirado no mito da Fênix, Olivier Valsecchi cria imagens com cinzas A poeira do renascimento 36 Fotografe Melhor n o 207 Olivier convida pessoas que encontra na rua ou na internet para posarem

Leia mais

O ENSINO DE LÍNGUA PORTUGUESA E OS GÊNEROS TEXTUAIS

O ENSINO DE LÍNGUA PORTUGUESA E OS GÊNEROS TEXTUAIS CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM LÍNGUA PORTUGUESA COM ÊNFASE EM MULTILETRAMENTOS O ENSINO DE LÍNGUA PORTUGUESA E OS GÊNEROS TEXTUAIS Monissa Mattos - 2 Ten CMPA LETRAMENTO letrar é mais do que alfabetizar,

Leia mais

1.0. Transitividade e intransitividade na gramatica tradicional e na gramatica gerativa

1.0. Transitividade e intransitividade na gramatica tradicional e na gramatica gerativa ABSTRACT: This paper presents a study of arbitrary null objects in Brazilian Portuguese. The main focus of this research is to discuss the relations of verbal transitivity and intransitivity in the subcategorization

Leia mais

QUESTIONANDO VERDADES E SENTIDOS Luciana Pereira Rezende

QUESTIONANDO VERDADES E SENTIDOS Luciana Pereira Rezende QUESTIONANDO VERDADES E SENTIDOS Luciana Pereira Rezende Nosso trabalho fala da argumentação e como utilizamos recursos argumentativos dentro da linguagem, e esta argumentação traz tanto efeitos positivos

Leia mais

Formação Profissional em Psicologia Social: Um estudo sobre os interesses dos estudantes pela área.

Formação Profissional em Psicologia Social: Um estudo sobre os interesses dos estudantes pela área. Formação Profissional em Psicologia Social: Um estudo sobre os interesses dos estudantes pela área. Autores: Ligia Claudia Gomes de Souza Universidade Salgado de Oliveira Faculdades Integradas Maria Thereza.

Leia mais

PROJETO ESCOLA PARA PAIS

PROJETO ESCOLA PARA PAIS PROJETO ESCOLA PARA PAIS Escola Estadual Professor Bento da Silva Cesar São Carlos São Paulo Telma Pileggi Vinha Maria Suzana De Stefano Menin coordenadora da pesquisa Relator da escola: Elizabeth Silva

Leia mais

OS SISTEMAS TEMPORAlS EM "MOMENTO NUM CAFE", DE MANUEL BANDEIRA

OS SISTEMAS TEMPORAlS EM MOMENTO NUM CAFE, DE MANUEL BANDEIRA OS SISTEMAS TEMPORAlS EM "MOMENTO NUM CAFE", DE MANUEL BANDEIRA Vera Lucia Massoni XAVIER DA SILVA (Universidade Rio Preto) Estadual PaulistalSao Jose do ABSTRACT: In this paper we examine the temporal

Leia mais

ESTRANGEIRISMOS NA SALA DE AULA: PROPOSTA DE TRABALHO A PARTIR DE TEXTOS PUBLICITÁRIOS Fabiana Kelly de Souza (UFMG) fabksouza@gmail.

ESTRANGEIRISMOS NA SALA DE AULA: PROPOSTA DE TRABALHO A PARTIR DE TEXTOS PUBLICITÁRIOS Fabiana Kelly de Souza (UFMG) fabksouza@gmail. ESTRANGEIRISMOS NA SALA DE AULA: PROPOSTA DE TRABALHO A PARTIR DE TEXTOS PUBLICITÁRIOS Fabiana Kelly de Souza (UFMG) fabksouza@gmail.com 1. Introdução As línguas se modificam de acordo com as necessidades

Leia mais

SUPERANDO DIFICULDADES LINGUfSTICO-PEDAG6GICAS NA ELABORAC;AO DE MATERIAL DIDATICO

SUPERANDO DIFICULDADES LINGUfSTICO-PEDAG6GICAS NA ELABORAC;AO DE MATERIAL DIDATICO SUPERANDO DIFICULDADES LINGUfSTICO-PEDAG6GICAS NA ELABORAC;AO DE MATERIAL DIDATICO Denise Martins de ABREU-E-LIMA (Universidade Federal de Silo Carlos) Dirce Charara MONTEIRO(Universidade Estadual Paulista)

Leia mais

o meu trabalho e resultante das reflexoes que

o meu trabalho e resultante das reflexoes que A APRENDIZAGEM DE LfNGUA PORTUGUESA NA 5~ S~- RIE DO ENSINO DE PRIMEIRO GRAU: UMA EXPERIBNCIA E PRIN- CfPIOS PARA UMA PROPOSTA DE ENSINO. Esta comunicacao pretende expor as linhas gerais de minha dissertacao

Leia mais

Um forte elemento utilizado para evitar as tendências desagregadoras das sociedades modernas é:

Um forte elemento utilizado para evitar as tendências desagregadoras das sociedades modernas é: Atividade extra Fascículo 3 Sociologia Unidade 5 Questão 1 Um forte elemento utilizado para evitar as tendências desagregadoras das sociedades modernas é: a. Isolamento virtual b. Isolamento físico c.

Leia mais

OS DESDOBRAMENTOS DE SENTIDOS PARA O IDOSO INSTITUCIONALIZADOS

OS DESDOBRAMENTOS DE SENTIDOS PARA O IDOSO INSTITUCIONALIZADOS OS DESDOBRAMENTOS DE SENTIDOS PARA O IDOSO INSTITUCIONALIZADOS Geralda Maria de Carvalho Zaidan Universidade Estadual de Campinas-UNICAMP Introdução Este trabalho pretende constituir-se numa síntese da

Leia mais

Texto base para discussão na Jornada Pedagógica julho/2009 O PLANO DE ENSINO: PONTE ENTRE O IDEAL E O REAL 1

Texto base para discussão na Jornada Pedagógica julho/2009 O PLANO DE ENSINO: PONTE ENTRE O IDEAL E O REAL 1 Texto base para discussão na Jornada Pedagógica julho/2009 O PLANO DE ENSINO: PONTE ENTRE O IDEAL E O REAL 1 É comum hoje entre os educadores o desejo de, através da ação docente, contribuir para a construção

Leia mais

Ora, é hoje do conhecimento geral, que há cada vez mais mulheres licenciadas, com mestrado, doutoramentos, pós-docs e MBA s.

Ora, é hoje do conhecimento geral, que há cada vez mais mulheres licenciadas, com mestrado, doutoramentos, pós-docs e MBA s. Bom dia a todos e a todas, Não é difícil apontar vantagens económicas às medidas de gestão empresarial centradas na igualdade de género. Em primeiro lugar, porque permitem atrair e reter os melhores talentos;

Leia mais

Desenvolvimento de jogo digital para ensino de português e matemática para crianças do ensino básico. 1. Introdução

Desenvolvimento de jogo digital para ensino de português e matemática para crianças do ensino básico. 1. Introdução Desenvolvimento de jogo digital para ensino de português e matemática para crianças do ensino básico Danilo Raniery Alves Coutinho (Bolsista) José Raul Brito Andrade (Voluntário) Ana Liz Souto Oliveira

Leia mais

Guia do Professor / Vozes da Cidade / Conhecendo.../ Eduardo Guimarães. Conhecendo a Cidade

Guia do Professor / Vozes da Cidade / Conhecendo.../ Eduardo Guimarães. Conhecendo a Cidade Guia do Professor / Vozes da Cidade / Conhecendo.../ Eduardo Guimarães 1 Guia do Professor Episódio Conhecendo a Cidade Programa Vozes da Cidade Apresentação Como já vimos nos trabalhos desenvolvidos para

Leia mais

CENTRO DE MEMÓRIA DO ESPORTE ESCOLA DE EDUCAÇÃO FÍSICA UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL PROJETO GARIMPANDO MEMÓRIAS.

CENTRO DE MEMÓRIA DO ESPORTE ESCOLA DE EDUCAÇÃO FÍSICA UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL PROJETO GARIMPANDO MEMÓRIAS. CENTRO DE MEMÓRIA DO ESPORTE ESCOLA DE EDUCAÇÃO FÍSICA UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL PROJETO GARIMPANDO MEMÓRIAS DAURIMAR PINHEIRO LEÃO (depoimento) 2014 CEME-ESEF-UFRGS FICHA TÉCNICA Projeto:

Leia mais

A evolução do conceito de liderança:

A evolução do conceito de liderança: A evolução do conceito de liderança: um bolo feito de camadas Departamento de Economia, Sociologia e Gestão Licenciatura em Gestão, 3º Ano, 2º semestre, 2011-2012 Liderança e Gestão de Equipas Docentes:

Leia mais

Oficina de Educomunicação: Construção de um Fotodocumentário Histórico da Escola Augusto Ruschi

Oficina de Educomunicação: Construção de um Fotodocumentário Histórico da Escola Augusto Ruschi Oficina de Educomunicação: Construção de um Fotodocumentário Histórico da Escola Augusto Ruschi EJE: Comunicacion y Extensión AUTORES: Garcia, Gabriela Viero 1 Tumelero, Samira Valduga 2 Rosa, Rosane 3

Leia mais

FENÔMENOS GRAMATICIAS RELEVANTES PARA O ENSINO DE LÍNGUA PORTUGUESA NO ENSINO MÉDIO PREPARATÓRIO PARA O VESTIBULAR

FENÔMENOS GRAMATICIAS RELEVANTES PARA O ENSINO DE LÍNGUA PORTUGUESA NO ENSINO MÉDIO PREPARATÓRIO PARA O VESTIBULAR FENÔMENOS GRAMATICIAS RELEVANTES PARA O ENSINO DE LÍNGUA PORTUGUESA NO ENSINO MÉDIO PREPARATÓRIO PARA O VESTIBULAR Silvone Fernandes Melchior SILVA (PG-UFG) Silvia.melchior@hotmail.com Vânia Cristina Casseb

Leia mais

RESUMO. Acadêmicos do curso de Licenciatura em História da ULBRA/Guaíba, membros do NEPI.

RESUMO. Acadêmicos do curso de Licenciatura em História da ULBRA/Guaíba, membros do NEPI. PESQUISA E EXTENSÃO: AS ATIVIDADES DO NEPI EM 2009/01 Marcio Rosa da Cunha Letícia Viegas Vargas Mara Rosangela Dias dos Santos José Jaime Barbo Machado Jéberson de Abreu Rodrigues Rodolfo da Silva Machado

Leia mais

O QUE OS ALUNOS DIZEM SOBRE O ENSINO DE LÍNGUA PORTUGUESA: VOZES E VISÕES

O QUE OS ALUNOS DIZEM SOBRE O ENSINO DE LÍNGUA PORTUGUESA: VOZES E VISÕES O QUE OS ALUNOS DIZEM SOBRE O ENSINO DE LÍNGUA PORTUGUESA: VOZES E VISÕES Aline Patrícia da Silva (Departamento de Letras - UFRN) Camila Maria Gomes (Departamento de Letras - UFRN) Orientadora: Profª Dra.

Leia mais

PARECER DOS RECURSOS

PARECER DOS RECURSOS Associação Catarinense das Fundações Educacionais ACAFE Concurso Público de Ingresso no Magistério Público Estadual EDITAL Nº 21/2012/SED PARECER DOS RECURSOS CARGO: Conhecimentos Gerais 01) A Política

Leia mais

Guia do Professor / Vozes da Cidade / Conhecendo.../ Eduardo Guimarães. Conhecendo a Cidade

Guia do Professor / Vozes da Cidade / Conhecendo.../ Eduardo Guimarães. Conhecendo a Cidade 1 Guia do Professor Episódio Conhecendo a Cidade Programa Vozes da Cidade Apresentação Como já vimos nos trabalhos desenvolvidos para o episódio 1, os trabalhos para o episódio 2 também trazem várias questões

Leia mais

A fotografia como testemunho material das reflexões de alunos do ensino médio na aula de arte.

A fotografia como testemunho material das reflexões de alunos do ensino médio na aula de arte. A fotografia como testemunho material das reflexões de alunos do ensino médio na aula de arte. Doutorando: Laudo Rodrigues Sobrinho Universidade Metodista de Piracicaba-UNIMEP e-mail: laudinho@bol.com.br

Leia mais

A ARTE DE BRINCAR NA ESCOLA

A ARTE DE BRINCAR NA ESCOLA A ARTE DE BRINCAR NA ESCOLA Tatiana de Lourdes Venceslau (UFF) tativenceslau@hotmail.com Vanessa de Mello Coutinho 1 (UFF) nessapeduff@yahoo.com.br Nosso trabalho está integrado ao projeto de ensina, pesquisa

Leia mais

FILOSOFIA E MATEMÁTICA EM PLATÃO, UMA PROPOSTA CURRICULAR PARA O ENSINO MÉDIO

FILOSOFIA E MATEMÁTICA EM PLATÃO, UMA PROPOSTA CURRICULAR PARA O ENSINO MÉDIO FILOSOFIA E MATEMÁTICA EM PLATÃO, UMA PROPOSTA CURRICULAR PARA O ENSINO MÉDIO Odair da silva Guimarães Graduando em Licenciatura em Filosofia Universidade Federal do Recôncavo da Bahia RESUMO: A discussão

Leia mais

Modalidade Fotografia Publicitária - Nativa Spa 1

Modalidade Fotografia Publicitária - Nativa Spa 1 Modalidade Fotografia Publicitária - Nativa Spa 1 Andressa Cristina Souza Silva 2 Douglas de Oliveira Silveira 3 Gabriella Ornella de Sá Leal 4 Ingrid Silva Albino 5 Larissa Amorim Silva 6 Nathalia Silva

Leia mais

CONSELHO DE CLASSE DICIONÁRIO

CONSELHO DE CLASSE DICIONÁRIO CONSELHO DE CLASSE O Conselho de Classe é um órgão colegiado, de cunho decisório, presente no interior da organização escolar, responsável pelo processo de avaliação do desempenho pedagógico do aluno.

Leia mais

Anúncio sobre o uso consciente do elevador 1

Anúncio sobre o uso consciente do elevador 1 Anúncio sobre o uso consciente do elevador 1 Ana Clara TELMO 2 Carolina FORLÉO 3 Raíza JASPER 4 Fábio HANSEN 5 Escola Superior de Propaganda e Marketing, Porto Alegre, RS RESUMO Hoje, fala-se da importância

Leia mais

Painel 2 O BUSINESS JORNAL E O POSICIONAMENTO MULTIPLATAFORMA

Painel 2 O BUSINESS JORNAL E O POSICIONAMENTO MULTIPLATAFORMA 29. 09. 2014 Geral Nome da pesquisa Painel 2 O BUSINESS JORNAL E O POSICIONAMENTO Autor 2 Apêndice: Pesquisa Painel 2 O BUSINESS JORNAL E O POSICIONAMENTO A reunião na agência foi muito positiva. Márcio

Leia mais

Pesquisa revela panorama do aprendizado do idioma inglês no Brasil em 2014

Pesquisa revela panorama do aprendizado do idioma inglês no Brasil em 2014 10ª PESQUISA DE PRODUTIVIDADE APRENDIZADO DE IDIOMAS 2014 Pesquisa revela panorama do aprendizado do idioma inglês no Brasil em 2014 2 por Paulo P. Sanchez* A BIRD GEI Gestão Estratégica de Idiomas está

Leia mais

ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS

ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS CURSO TECNOLOGIA EM GESTÃO COMERCIAL Série do Curso: 4ª SÉRIE Nome da Disciplina: PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO A atividade prática supervisionada (ATPS) é um método de ensinoaprendizagem

Leia mais

O Ensino de Matemática na Educação Infantil

O Ensino de Matemática na Educação Infantil Débora de Oliveira O Ensino de Matemática na Educação Infantil No Brasil, desde 1996, a Educação Infantil é considerada a primeira etapa da educação básica e tem como guia de reflexão de cunho educacional

Leia mais

A mobilização de conhecimentos matemáticos no ensino de Física

A mobilização de conhecimentos matemáticos no ensino de Física Cintia Ap. Bento dos Santos Universidade Cruzeiro do Sul Brasil cintiabento@ig.com.br Edda Curi Universidade Cruzeiro do Sul Brasil edda.curi@cruzeirodosul.edu.br Resumo Este artigo apresenta um recorte

Leia mais

MANUAL DO ALUNO EM DISCIPLINAS NA MODALIDADE A DISTÂNCIA

MANUAL DO ALUNO EM DISCIPLINAS NA MODALIDADE A DISTÂNCIA MANUAL DO ALUNO EM DISCIPLINAS NA MODALIDADE A DISTÂNCIA ORIENTAÇÕES PARA OS ESTUDOS EM EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA Caro (a) Acadêmico (a), Seja bem-vindo (a) às disciplinas ofertadas na modalidade a distância.

Leia mais

8. O OBJETO DE ESTUDO DA DIDÁTICA: O PROCESSO ENSINO APRENDIZAGEM

8. O OBJETO DE ESTUDO DA DIDÁTICA: O PROCESSO ENSINO APRENDIZAGEM CORRENTES DO PENSAMENTO DIDÁTICO 8. O OBJETO DE ESTUDO DA DIDÁTICA: O PROCESSO ENSINO APRENDIZAGEM Se você procurar no dicionário Aurélio, didática, encontrará o termo como feminino substantivado de didático.

Leia mais

25/07 ESBOÇO DE ANÁLISE DE UM TEXTO MIDIÁTICO IMAGÉTICO SOB OS PRESSUPOSTOS DA ANÁLISE DO DISCURSO. Maricília Lopes da Silva (PG-UNIFRAN)

25/07 ESBOÇO DE ANÁLISE DE UM TEXTO MIDIÁTICO IMAGÉTICO SOB OS PRESSUPOSTOS DA ANÁLISE DO DISCURSO. Maricília Lopes da Silva (PG-UNIFRAN) 25/07 ESBOÇO DE ANÁLISE DE UM TEXTO MIDIÁTICO IMAGÉTICO SOB OS PRESSUPOSTOS DA ANÁLISE DO DISCURSO. Maricília Lopes da Silva (PG-UNIFRAN) Introdução Nesta pesquisa, desenvolve-se um trabalho pautado nos

Leia mais

SLOGAN E INTERAÇÃO DE TEMPO, SUJEITO E ESPAÇO: UM ESTUDO DE CASO DO GUARANÁ ANTÁRTICA

SLOGAN E INTERAÇÃO DE TEMPO, SUJEITO E ESPAÇO: UM ESTUDO DE CASO DO GUARANÁ ANTÁRTICA 1 SLOGAN E INTERAÇÃO DE TEMPO, SUJEITO E ESPAÇO: UM ESTUDO DE CASO DO GUARANÁ ANTÁRTICA Bruna Carreira Barcaroli Jéssica Gonçalves Evangelista¹ Orientadora: Profª. Drª. Sheila F. P. de Oliveira Resumo:

Leia mais

Orientações para Preenchimento do Plano de Ensino

Orientações para Preenchimento do Plano de Ensino Orientações para Preenchimento do Plano de Ensino Este documento tem como objetivo orientar os docentes da UFCSPA na elaboração do Plano de Ensino de disciplinas no formato adequado ao Sistema de Registro

Leia mais

TEORIA E PRÁTICA: AÇÕES DO PIBID/INGLÊS NA ESCOLA PÚBLICA. Palavras-chave: Ensino; Recomendações; Língua Estrangeira.

TEORIA E PRÁTICA: AÇÕES DO PIBID/INGLÊS NA ESCOLA PÚBLICA. Palavras-chave: Ensino; Recomendações; Língua Estrangeira. TEORIA E PRÁTICA: AÇÕES DO PIBID/INGLÊS NA ESCOLA PÚBLICA Bolsista Marilize Pires (PIBID/CNPq-UNICENTRO) Ruth Mara Buffa (PIBID/CNPq-UNICENTRO) 1 Resumo: O presente trabalho tem como objetivo apresentar

Leia mais

Disciplina: Didática do Ensino Superior Docentes: Silvana Ferreira e Rina

Disciplina: Didática do Ensino Superior Docentes: Silvana Ferreira e Rina PÓS Disciplina: Didática do Ensino Superior Docentes: Silvana Ferreira e Rina Discentes: Bruno Lima, Daniela Bulcão, Erick Farias, Isabela Araújo, Rosieane Mércia e Válber Teixeira Salvador, 04 de julho

Leia mais

Entrevista da Professora Rosa Trombetta à rádio Jovem Pan.

Entrevista da Professora Rosa Trombetta à rádio Jovem Pan. Entrevista da Professora Rosa Trombetta à rádio Jovem Pan. A Professora Rosa Trombetta, Coordenadora de Cursos da FIPECAFI aborda o assunto elearning para os ouvintes da Jovem Pan Online. Você sabe o que

Leia mais

POLÍTICAS PÚBLICAS PARA A EDUCAÇÃO SUPERIOR A DISTÂNCIA NO BRASIL

POLÍTICAS PÚBLICAS PARA A EDUCAÇÃO SUPERIOR A DISTÂNCIA NO BRASIL POLÍTICAS PÚBLICAS PARA A EDUCAÇÃO SUPERIOR A DISTÂNCIA NO BRASIL Ana Paula Domingos Baladeli 1 Introdução As transformações científicas e tecnológicas vivenciadas atualmente impulsionam cada vez mais

Leia mais

O SITE DA MINHA EMPRESA por Ivan F. Cesar

O SITE DA MINHA EMPRESA por Ivan F. Cesar O SITE DA MINHA EMPRESA por Ivan F. Cesar Muitos empresários e profissionais liberais gostariam de estar na Internet, mas, na maioria dos casos, não sabem muito bem por que e nem mesmo sabem a diferença

Leia mais

Palavras-chave: Memória, Patrimônio, Discurso. INTRODUÇÃO

Palavras-chave: Memória, Patrimônio, Discurso. INTRODUÇÃO AQUI TEM HISTÓRIA : LUGARES DE MEMÓRIA Adriely M. de Oliveira (C. Sociais UEL/ Bolsista IC/Fundação Araucária). Orientadora: Ana Cleide Chiarotti Cesário. Palavras-chave: Memória, Patrimônio, Discurso.

Leia mais

AULA 2 15/02/11 O PROJETO DE PESQUISA

AULA 2 15/02/11 O PROJETO DE PESQUISA AULA 2 15/02/11 O PROJETO DE PESQUISA 1 O PROJETO Algumas escolas exigem que os alunos elaborem o chamado projeto de pesquisa ou projeto de monografia ao iniciarem o período final do curso, o que, na maior

Leia mais

REGIANE PEREA CARVALHO A LITERATURA INFANTIL E A MATEMÁTICA: UM ESTUDO COM ALUNOS DE 5 E 6 ANOS DE IDADE DA EDUCAÇÃO INFANTIL

REGIANE PEREA CARVALHO A LITERATURA INFANTIL E A MATEMÁTICA: UM ESTUDO COM ALUNOS DE 5 E 6 ANOS DE IDADE DA EDUCAÇÃO INFANTIL PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SÃO PAULO PUC/SP REGIANE PEREA CARVALHO A LITERATURA INFANTIL E A MATEMÁTICA: UM ESTUDO COM ALUNOS DE 5 E 6 ANOS DE IDADE DA EDUCAÇÃO INFANTIL MESTRADO PROFISSIONAL

Leia mais

ProgramaTchê Programação OO com PHP

ProgramaTchê Programação OO com PHP Roteiro 1 Objetivos: * Apresentar conceitos de orientação a objetos; * Representar classes e objetos usando UML; Este roteiro tem como objetivo abordar os conceitos básicos de orientação a objetos. 1 Introdução

Leia mais

A INFLUÊNCIA DO SALÁRIO NA ESCOLHA DA PROFISSÃO Professor Romulo Bolivar. www.proenem.com.br

A INFLUÊNCIA DO SALÁRIO NA ESCOLHA DA PROFISSÃO Professor Romulo Bolivar. www.proenem.com.br A INFLUÊNCIA DO SALÁRIO NA ESCOLHA DA PROFISSÃO Professor Romulo Bolivar www.proenem.com.br INSTRUÇÃO A partir da leitura dos textos motivadores seguintes e com base nos conhecimentos construídos ao longo

Leia mais

MANUAL DE NORMAS logótipo TORRES VEDRAS. AGENDA 21

MANUAL DE NORMAS logótipo TORRES VEDRAS. AGENDA 21 MANUAL DE NORMAS logótipo TORRES VEDRAS. AGENDA 21 MANUAL DE NORMAS logótipo TORRES VEDRAS. AGENDA 21 03. Valores da marca 04. Grelha de Construção do Logótipo e Margens de segurança 05. Escalas e Dimensões

Leia mais

CST em Gestão Financeira 2ª Série Estatística Aplicada

CST em Gestão Financeira 2ª Série Estatística Aplicada CST em Gestão Financeira 2ª Série Estatística Aplicada A Atividade Prática Supervisionada (ATPS) é um procedimento metodológico de ensinoaprendizagem desenvolvido por meio de etapas, acompanhadas pelo

Leia mais

Arquitetura e Urbanismo

Arquitetura e Urbanismo 1. Introdução Mais uma vez, a prova de aptidão em Arquitetura e Urbanismo teve como principal objetivo escolher os candidatos mais habilitados à carreira profissional do arquiteto. 2. Programa A prova

Leia mais

ADILSON adair CITELLI (USP)

ADILSON adair CITELLI (USP) ADILSON adair CITELLI (USP) ABSTRACT: This text intends to show that the public opinion formation is related, directly, to the language movements and also to the message broadcasting proceeds. KEY WORDS:

Leia mais

Pesquisa com Professores de Escolas e com Alunos da Graduação em Matemática

Pesquisa com Professores de Escolas e com Alunos da Graduação em Matemática Pesquisa com Professores de Escolas e com Alunos da Graduação em Matemática Rene Baltazar Introdução Serão abordados, neste trabalho, significados e características de Professor Pesquisador e as conseqüências,

Leia mais

Trabalhando Matemática: percepções contemporâneas

Trabalhando Matemática: percepções contemporâneas DOMÍNIO E IMAGEM DE UMA FUNÇÃO: UMA ABORDAGEM POR MEIO DO JOGO BINGO DAS FUNÇÕES Educação Matemática nos Anos Finais do Ensino Fundamental e Ensino Médio (EMAIEFEM) GT 10 ADELSON CARLOS MADRUGA Universidade

Leia mais

1 Briefing de Criação

1 Briefing de Criação 1 Briefing de Criação Antecedentes do processo de criação Para se criar uma campanha ou mesmo uma única peça é imprescindível que antes seja feito um briefing para orientar o trabalho do planejamento,

Leia mais

PROJETO A HORA DO CONTO: ALFABETIZANDO COM OS GÊNEROS LITERÁRIOS. Palavras Chaves: Alfabetização, Letramento e Gêneros Literários.

PROJETO A HORA DO CONTO: ALFABETIZANDO COM OS GÊNEROS LITERÁRIOS. Palavras Chaves: Alfabetização, Letramento e Gêneros Literários. PROJETO A HORA DO CONTO: ALFABETIZANDO COM OS GÊNEROS LITERÁRIOS Zeni Aguiar do Nascimento Alves i Zênio Hélio Alves ii O SESC LER Zona Norte de Natal desenvolve atividades que evidenciam a questão da

Leia mais

Universidade Federal do Rio Grande do Sul INF01047 - Fundamentos de Computação Gráfica. Sim City Car 3D

Universidade Federal do Rio Grande do Sul INF01047 - Fundamentos de Computação Gráfica. Sim City Car 3D Universidade Federal do Rio Grande do Sul INF01047 - Fundamentos de Computação Gráfica Sim City Car 3D Professor: Marcelo Walter Jorge Wichrowski Krieger de Mello 143283 jwkmhdr@hotmail.com 55 51 99598796

Leia mais

Construção de Marcas - Caso It's¹ Bruna MELO² Marília DIÓGENES³ Ms. Maria Iglê de MEDEIROS 4 Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, RN

Construção de Marcas - Caso It's¹ Bruna MELO² Marília DIÓGENES³ Ms. Maria Iglê de MEDEIROS 4 Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, RN Construção de Marcas - Caso It's¹ Bruna MELO² Marília DIÓGENES³ Ms. Maria Iglê de MEDEIROS 4 Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, RN RESUMO Este estudo mostra o desenvolvimento da criação

Leia mais

O MATERIAL DIDÁTICO PEÇAS RETANGULARES

O MATERIAL DIDÁTICO PEÇAS RETANGULARES O MATERIAL DIDÁTICO PEÇAS RETANGULARES Maríthiça Flaviana Florentino da Silva/UFCG marithica@hotmail.com RESUMO O material didático peças retangulares - PR foi criado pelo professor Pedro Ribeiro Barbosa

Leia mais

Projeção ortográfica de modelos com elementos paralelos e oblíquos

Projeção ortográfica de modelos com elementos paralelos e oblíquos A U L A Projeção ortográfica de modelos com elementos paralelos e oblíquos Introdução Você já sabe que peças da área da Mecânica têm formas e elementos variados. Algumas apresentam rebaixos, outras rasgos,

Leia mais

UNIVERSIDADE PAULISTA CURSO DE LETRAS DIEGO LOPES MACEDO ELIANA ANTUNES DOS SANTOS GILMARA PEREIRA DE ALMEIDA RIBEIRO

UNIVERSIDADE PAULISTA CURSO DE LETRAS DIEGO LOPES MACEDO ELIANA ANTUNES DOS SANTOS GILMARA PEREIRA DE ALMEIDA RIBEIRO UNIVERSIDADE PAULISTA CURSO DE LETRAS DIEGO LOPES MACEDO ELIANA ANTUNES DOS SANTOS GILMARA PEREIRA DE ALMEIDA RIBEIRO ANÁLISE DO DISCURSO DA PROPAGANDA MARLBORO SOROCABA 2014 1 Introdução O presente trabalho

Leia mais

1. Capacitação Docente em Informática na Educação

1. Capacitação Docente em Informática na Educação DO EDITOR DE TEXTOS A PLATAFORMA MOODLE: UM PROJETO PILOTO INOVADOR DE CAPACITAÇÃO DOCENTE CONSTRUCIONISTA EM UMA ESCOLA DA REDE MUNICIPAL DE PORTO ALEGRE Maira Teresinha Lopes Penteado 1 Maria Beatriz

Leia mais

Cursos Profissionais. Prova de Aptidão Profissional

Cursos Profissionais. Prova de Aptidão Profissional Escola Secundária de S. João do Estoril Cursos Profissionais Normas para a apresentação do relatório Professora Orientadora: Apresentação As normas que se apresentam têm por objectivo uniformizar a apresentação

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA FARROUPILHA PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA FARROUPILHA PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA FARROUPILHA PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO ANEXO I. PROJETO DE LONGA DURAÇÃO 1. IDENTIFICAÇÃO 1.1 Título do

Leia mais

O REAL DO DISCURSO NA REPRESENTAÇÃO DA SOCIEDADE BRASILEIRA NA ESCRITA DA CIÊNCIA DAS CIÊNCIAS SOCIAIS.

O REAL DO DISCURSO NA REPRESENTAÇÃO DA SOCIEDADE BRASILEIRA NA ESCRITA DA CIÊNCIA DAS CIÊNCIAS SOCIAIS. O REAL DO DISCURSO NA REPRESENTAÇÃO DA SOCIEDADE BRASILEIRA NA ESCRITA DA CIÊNCIA DAS CIÊNCIAS SOCIAIS. Carolina de Paula Machado 1 A análise semântica de uma palavra, que não se paute por uma visão formal,

Leia mais

As contribuições de conceitos desenvolvidos pelo Círculo de Bakhtin para a descrição e análise de enunciados de sujeitos com afasias

As contribuições de conceitos desenvolvidos pelo Círculo de Bakhtin para a descrição e análise de enunciados de sujeitos com afasias As contribuições de conceitos desenvolvidos pelo Círculo de Bakhtin para a descrição e análise de enunciados de sujeitos com afasias Rosana do Carmo Novaes Pinto 1 Desde 1999, venho defendendo a relevância

Leia mais

Introdução. La historia no es un frígido museo; es la trampa secreta de la que estamos hechos, el tiempo. En el hoyestán los ayeres

Introdução. La historia no es un frígido museo; es la trampa secreta de la que estamos hechos, el tiempo. En el hoyestán los ayeres Introdução La historia no es un frígido museo; es la trampa secreta de la que estamos hechos, el tiempo. En el hoyestán los ayeres (Jorge Luis Borges) O objeto de estudo desta pesquisa consiste na história

Leia mais

UVV POST Nº69 06-12/10 de 2014 UVV POST. Publicação semanal interna Universidade Vila Velha - ES Produto da Comunicação Institucional

UVV POST Nº69 06-12/10 de 2014 UVV POST. Publicação semanal interna Universidade Vila Velha - ES Produto da Comunicação Institucional UVV POST Publicação semanal interna Universidade Vila Velha - ES Produto da Comunicação Institucional JOGO DE CENA NO MUNDO COORPORATIVO Parceria entre Administração e Artes Cênicas propõe curso que simula

Leia mais

Objetivo: Apresentar as orientações, detalhando os

Objetivo: Apresentar as orientações, detalhando os MBA Logística FAC 1 Orientações Detalhadas para o TCC Assunto: Orientações Detalhadas para o TCC, do Professor Orientador Objetivo: Apresentar as orientações, detalhando os aspectos necessários na confecção

Leia mais

Instrumento para revisão do Projeto Político Pedagógico

Instrumento para revisão do Projeto Político Pedagógico SECRETARIA DE ESTADO DE EDUCAÇÃO DE MINAS GERAIS SUBSECRETARIA DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO BÁSICA SUPERINTENDÊNCIA DE DESENVOLVIMENTO DO ENSINO MÉDIO SUPERINTENDÊNCIA DE EDUCAÇÃO INFANTIL E FUNDAMENTAL

Leia mais

MÍDIA KIT 2015 COMPLETO

MÍDIA KIT 2015 COMPLETO MÍDIA KIT 2015 COMPLETO SURGE UMA NOVA UNIDOOR Com mais de 30 anos de atuação e experiência em mídia exterior, a Unidoor Out of Home entende que mudar é preciso, e por isso está indo além, propondo uma

Leia mais

O Marketing e suas áreas...

O Marketing e suas áreas... O Marketing e suas áreas... Business-To-Business (B2B) refere-se a mkt de produtos e serviços p/ organização, De Consumo produtos e serviços p/ uso pessoal ou doméstico, De Relacionamento conceito recente

Leia mais

GRÁFICOS Exemplos de jogos 2D (com simulação do 3D)

GRÁFICOS Exemplos de jogos 2D (com simulação do 3D) Femur Online GRÁFICOS Exemplos de jogos 2D (com simulação do 3D) Como resultado de buscas na internet, tendo como base os jogos 2D mais famosos do mundo, obtive como resultado três tipos diferentes de

Leia mais

INSTRUÇÕES PARA ELABORAÇÃO DE PROJETO:

INSTRUÇÕES PARA ELABORAÇÃO DE PROJETO: INSTRUÇÕES PARA ELABORAÇÃO DE PROJETO: 1) TITULO 2) JUSTIFICATIVA 3) OBJETIVO GERAL 4) OBJETIVO ESPECÍFICOS 5) METODOLOGIA 6) CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS 7) PERÍODO DE EXECUÇÃO 7.1 Início 7.2 Término 7.3 Área

Leia mais