LAR, ESCOLA E PÁTRIA : OS PROFESSORES COMO POLÍTICOS E INTELECTUAIS EM VITÓRIA DA CONQUISTA-BA NO PRIMEIRO PERÍODO DA ERA VARGAS ( )

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "LAR, ESCOLA E PÁTRIA : OS PROFESSORES COMO POLÍTICOS E INTELECTUAIS EM VITÓRIA DA CONQUISTA-BA NO PRIMEIRO PERÍODO DA ERA VARGAS (1930-1945)"

Transcrição

1 LAR, ESCOLA E PÁTRIA : OS PROFESSORES COMO POLÍTICOS E INTELECTUAIS EM VITÓRIA DA CONQUISTA-BA NO PRIMEIRO PERÍODO DA ERA VARGAS ( ) Daniela Moura Rocha de Souza 1 Lívia Diana Rocha Magalhães 2 Ana Palmira Bittencourt Santos Casimiro 3 RESUMO: Após a realização do trabalho de catalogação e levantamento de fontes documentais de assuntos referentes à educação local, nos Livros de Registros, Atas e Jornais, localizados em arquivos públicos e particulares, no período que comporta os anos de 1930 a 1945, estamos a verificar como a educação em Vitória da Conquista se encontrava no período que abrangia a Era Vargas, dando ênfase ao movimento político entre décadas, buscando os principais sujeitos da educação que nortearam esse período. Estamos a verificar, igualmente, as próprias condições materiais no qual a mesma se encontrava, para a contribuição do resgate da memória coletiva e história local da educação neste município. Palavras Chaves: História da Educação, Era Vargas, Fontes Documentais. Crianças! Aprendendo no lar e nas escolas, o culto da pátria, trareis para a vida prática todas as probabilidades de êxito (Cartilha A Juventude no Estado Novo. In: MOLINA, 1997:105) [...] o país viveu horas de indescritível entusiasmo ao receber a nova alviçadeira. Somos Livres! É livre o Brasil acabou-se o reinado torpe da mentira eleitoral, das oligarquias nefastas do despotismo, do desrespeito à soberania popular, do mandonismo, do aproveitamento das nulidades bajuladoras e subservientes. Viva o povo, soberano e forte! Salve Terra livre! E das terras ricas dos pampas, onde o minuano passa como o verbo da liberdade, das terras áridas do nordeste, onde o sol arde como um canto de guerra, no Brasil inteiro, houve o delírio das multidões cantando hinos de vibrante entusiasmo aos realizadores do grande feito [...] (O COMBATE, 24/10/1931) 4 Durante a República Velha, os quadros que organizavam o Brasil e perpassavam sua administração estatal era composto por uma elite agrária, que convergia todos os objetivos do Estado para o setor agrário, constituindo-se em um entrave para a economia industrial brasileira que despontava. Destarte, a renovação geracional das elites, formada pelos novos segmentos 1 Mestranda em Memória: Linguagem e Sociedade, pela UESB. Bolsista da Fapesb, 2 Docente da UESB/DFCH, coordenadora do Museu Pedagógico/UESB e orientadora. 3 Docente da UESB/DFCH, Coordenadora do grupo Fundamentos da Educação/Museu Pedagógico/UESB e coorientadora. 4 Jornal O Combate de 24/10/1931 Ano III, nº 12. Matéria: 24 de Outubro, comemorando o primeiro aniversário da Revolução de 30. Diretor e Redator: Laudionor A. Brasil.

2 emergentes não se deu de forma imediata, mas foram objetivadas por alguns indicadores: O gradual alijamento dos líderes oligárquicos da Velha República, de mentalidade extremamente conservadora, sendo que a nova oligarquia, conforme salienta Camargo (1983), alastrou como um tumor no tecido velho clientelista. A mudança se deu, também, pela incorporação da juventude tenentista, nos quadros políticos, introduzindo uma mentalidade mais liberal, de cunho reformista, para os setores emergentes da economia brasileira. No bojo dos acontecimentos que antecederam a Revolução de 30, ainda de acordo com Camargo (1983), alianças processadas para tomar o poder da mão dos paulistas foram imprescindíveis no contexto da revolução (gaúchos, mineiros e nordestinos) tal qual Epitácio Pessoa, Lindolfo Collor, Flores da Cunha e outras figuras proeminentes do cenário político brasileiro da época, as quais apoiaram a candidatura de Getúlio Vargas, que, por meio das armas assumiu o poder a partir de 30. Nos momentos que antecederam o golpe do Estado Novo em 1937 (auge da política varguista), o Brasil, segundo Molina (1997), tinha setores disputando o poder, destacando-se entre eles: Integralistas (representados por Plínio Salgado), Comunistas (representados por setores de origem operária ou de figuras como Prestes) e Oligarquia Paulista (que fazia oposição a Vargas e almejavam lançar candidatura própria nas eleições de 38). Vargas articulou um plano para se perpetuar no poder, utilizando-se em primeiro instante, da ideologia fascista. Com a criação do Departamento de Imprensa e Propaganda - DIP que impunha uma rígida censura, proibindo a circulação de qualquer notícia contrária aos interesses do governo, estabelecendo por meio de decreto quais assuntos poderiam ser vinculados pela imprensa, Vargas foi mitificado como o pai dos pobres trabalhadores, herói e mantedor da ordem nacional. No que se refere à educação, Carvalho (1997) aponta como principal instância de articulação e propaganda o chamado movimento de renovação educacional, que se desenvolveu nas décadas de 20 e 30 no Brasil. Segundo a autora, em 1924, desiludidos com a República, professores, advogados, médicos e engenheiros, fundaram a Associação Brasileira de Educação - ABE, na Escola Politécnica do Rio de Janeiro, convencidos de que era na educação que residia à solução dos problemas do país. Citando Lourenço Filho e Jorge Nagle, Carvalho (1997) apresenta como o entusiasmo pela educação produziu, neste período, o discurso cívico das elites idealistas devotadas às causas nacionais e do povo dedicado à produção de riquezas, abrindo o país aos caminhos do progresso, discurso este difundido pela ABE. Este discurso, em meados da década de 30, foi utilizado e desenvolvido por Getúlio Vargas, sobretudo no período correspondente à instauração do Estado Novo, em Lar,

3 Escola e Pátria foram os lemas de Vargas, bastante explorados e difundidos por sua equipe de propaganda, Molina (1997) cita a literatura ufanista e as cartilhas infantis como os instrumentos mais destacados para a perpetuação deste lema. Crianças! Aprendendo no lar e nas escolas, o culto da pátria, trareis para a vida prática todas as probabilidades de êxito (In: MOLINA, 1997: 105). Este é um trecho que o autor retirou da Cartilha A Juventude no Estado Novo que trazia a imagem de Vargas sorridente, segurando o queixo de uma menina saudável, também sorrindo, com gravata escolar e segurando a bandeira nacional. Portanto, a educação infantil já era vista como espaço estratégico de controle social, com o discurso nacional moralista através de livros escolares. O professor era obrigado a estimular seus alunos a terem emoções cívicas para fins heróicos. A autora traz outro trecho da mesma cartilha, para mostrar o poder de manipulação da propaganda: Concito-vos, a utilizá-la [escola] no puro e exemplar sentido do apostolado cívico, infundindo o amor a terra, o respeito às tradições e a crença inabalável nos grandes destinos do Brasil (In: MOLINA, 1997: 106). Este trecho é aliado, de acordo o autor, à figura de uma professora elegante e discreta apontando o mapa do Brasil para um aluno, que trazia o livro abraçado ao peito, com outras crianças consultando livros e olhando a professora com admiração, veiculando a imagem da disciplina, ordem e respeito. Segundo o NPSE (1997) em 1986, doutorandos em Filosofia e História da Educação organizaram um grupo de estudos e pesquisa vinculado à Faculdade de Educação da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), o HISTEDBR (História, Sociedade e Educação no Brasil) tendo como projeto levantar e catalogar fontes primárias e secundárias da educação brasileira em nível nacional, tendo vários GTs, ou seja, grupos de trabalhos estaduais que integram a rede HISTEDBR, em Vitória da Conquista representado pelo Museu Pedagógico/UESB. O Museu Pedagógico da UESB, implantado de fato em 1999, tendo como Coordenadora Geral a Profª. Drª Lívia Diana Rocha Magalhães, apresenta como Projeto Diretor: A Educação e a Cultura no Sudoeste Baiano As Leis, os Sujeitos, os Espaços, suas Representações e seus Materiais, discutindo a investigação da educação e cultura regional à luz das várias ciências (MAGALHÃES e CASIMIRO, 2005), além de tudo implantou um Centro de Documentação que no momento já conta com um acervo cedido pela DIREC-20, com documentação de escolas extintas (pastas de alunos, atas, cadernetas escolares, uma biblioteca e futuramente outras fontes agregarão o Centro) que já possibilitam ao pesquisador, importantes dados a serem coletados e analisados para referidas pesquisas. Dessa instituição que agrega vários grupos de pesquisa das

4 Ciências Humanas e Exatas, integramos dois grupos Fundamentos da Educação coordenado pela Profª. Drª. Ana Palmira Bittencourt Santos Casimiro e Reformas Educacionais, Trajetórias Geracionais coordenado pela Profª. Drª. Lívia Diana Rocha Magalhães, ambos contemplando o objeto de análise desse projeto. No que diz respeito à cidade de Vitória da Conquista, esta vivia subjugada ao mandonismo local, uma vez que, a liberdade política de participação e decisão nos órgãos consultivos e deliberativos da administração local (IVO, 2004: 73) desde a Imperial Vila da Vitória, foi obra de uma minoria que historicamente controlou as instituições políticas e sociais, saída do tronco do português João Gonçalves da Costa (o fundador do Arraial da Vitória em 1780 atual Vitória da Conquista) 5 e representada na Câmara, Polícia, Justiça, Intendência, etc. Desse modo, o município, então, como microesfera da administração político-administrativa, reproduziu, em suas estâncias públicas e no imaginário da sociedade local, o universo político vivenciado pelos dirigentes da política nacional (IVO, 2004: 75). E a plasticidade dessa política coronelista permitiu que a mesma sobrevivesse mesmo após a Revolução de 30. Um exemplo notável disso se deu nos meios de articulação e manipulação do poder representado nesse caso pela Imprensa. Oliveira (2005) apresenta que o nascimento do jornalismo em Conquista (1910/1920) foi marcado por tragédias e controle dos coronéis, que não toleravam críticas e denúncias contra suas pessoas e seus atos. A imprensa temia contrariá-los, pois, quem se atrevesse era punido com morte, expulsão, agressões físicas e fechamento da imprensa. A partir do banimento do Coronelismo por Vargas: [...] a oligarquia passada é substituída por outra dentro da evolução da sociedade, mas atos de arbitrariedades contra jornalistas continuaram, mudando apenas seus métodos. Coronéis e Imprensa eram os dois, maiores poderes nas comunidades do interior daquela época, só que os primeiros tinham a força da punição com as próprias mãos (OLIVEIRA, 2005: 65). A partir dos resultados obtidos com a coleta nas fontes (em Atas, Livros de Registros e Jornais), constatamos os seguintes resultados que, por hora, já ajudam a identificar os principais sujeitos proeminentes da educação local, bem como a relação dos mesmos com a estrutura maior do Estado Nacional, no jogo dialético das partes com o todo. Segundo Nunes (s/d), Vargas nomeou o interventor federal da Bahia, Juraci Montenegro Magalhães, que substituiu o general Raymundo Reis Barbosa, (o qual governou 5 Vide: TANAJURA, Mozart. História de Conquista: Crônica de uma cidade. Vitória da Conquista: PMVC (ed comemorativa). Brasil Artes Gráficas LTDA, 1992 & VIANA, Aníbal Lopes. Revista histórica de Vitória da Conquista. Vitória da Conquista. Ed. do autor. Brasil Artes Gráficas LTDA. Vol. I (1985) e Vol. II (s/d).

5 provisoriamente, de 15 de julho a 19 de setembro de 1931, incumbido de manter a ordem pública). Juracy interviu de 19 de setembro de 1931 a 10 de novembro de 1937, conseguindo a unanimidade de todas as correntes políticas se unirem contra ele. Em 1935, promulgou uma Nova Constituição do estado da Bahia que reafirmava a autonomia dos municípios, alterando o decreto de nº /30 que determinava aos interventores federais nomear os prefeitos municipais. Renunciou o mandato na instauração do Estado Novo, por incompatibilidade de idéias. Segundo informações da autora, foram três os interventores no período do Estado Novo: Antônio Fernandes Dantas (de 11/11/1937 até 23/03/1938), Landulpho Alves de Almeida (de 28/03/1938 até 24/11/1942) e Renato Onofre Pinto Aleixo (24/11/1942 até 28/10/1945). QUADRO POLÍTICO, SOCIAL E INTELECTUAL DA CIDADE DE VITÓRIA DA CONQUISTA ENTRE 1930 A Na Vitória da Conquista dos anos 30, alguns fatos relevantes se destacam, dentre os quais a nomeação do prefeito Arlindo Mendes Rodrigues de 1933 a maio de 1936, nomeado pelo Interventor Juracy Magalhães. Além disso, de acordo com os jornais, livros de atas e registros alguns fatos e sujeitos foram destacados ao longo das décadas de 30 a 40, em 1934 houve a abertura de colégios estaduais; ensino noturno com quase cem alunos matriculados; e alguns sujeitos igualmente destacados dentre como: Profa. Daria Amandino Ribeiro, Prof. Euclides Dantas, Clóvis Lima (Diretores do Educandário Sertanejo), profa Juvenília Rosa e Raymundo Bizarria. Em 1935 o destaque foi para professores homenageados; a cruzada contra o analfabetismo; criação de escolas; dados estatísticos de alunos nas escolas; a escola nova como pedagogia revolucionária e marcadora do progresso. Teve também a semana da educação que discutia a mesma tendo como oradores ilustres professores e importantes figuras políticas e intelectuais da cidade; resultado de exames finais expostos no jornal. E sujeitos que se destacaram como: Profa. Maria Leal, Domingos Correia (fazendeiro), Prof. Mário Padre, Dr. 6 Esses resultados são frutos da coleta de dados realizada no Arquivo Público Municipal de Vitória da Conquista e em um Arquivo particular. Nos livros de Registros e Atas (as únicas fontes encontradas do período contemplado no Arquivo Público) encontramos os nomes de professores e educadores ligados à política municipal e à imprensa e por ventura, são os mesmos nomes que apareciam em destaque nos jornais locais. As fontes são escassas, se encontram em regular estado de conservação e existem grandes lapsos de anos. No caso dos jornais, por exemplo, existem alguns poucos exemplares de cada ano, às vezes um só mês de determinado ano. As atas da Câmara de vereadores da década de 40 desapareceram do Arquivo, dentre outros documentos. Enfim, a insuficiência de fontes escritas faz com que outras fontes como a oralidade, iconografias, histórias contada por memorialistas, viajantes e cronistas sejam imprescindíveis para a tentativa de localizar pelo menos alguns desses sujeitos da nossa história local.

6 Sebastião Ramos (promotor público da Comarca e delegado escolar), Prof. João Norberto, Profa. Maria Viana, Profa. Alice Murta, Profa. Tereza Silveira Magalhães e Profa. Celina Assis foi o ano em que o Cel Florentino Mendes de Andrade foi indicado prefeito e governou até o golpe de 1937, ocorreu também, a Inauguração do Prédio Escolar Barão de Macaúbas; discurso contra o analfabetismo e o comunismo; debate a respeito da implantação da educação sexual; defesa ao integralismo; pobres na escola (integralista); reivindicação de salário de professores leigos; criação de escolas integralistas; aprovação do ensino religioso católico pelo legislativo e a polêmica envolvendo essa questão; notas e homenagens a professores. Destacaram-se o Dr. Manoel Novaes (deputado federal), Dr. Crescêncio Antunes Silveira (representante da Câmara Municipal), Dr. José de Albuquerque (médico), Prof. Euclides Dantas, Profas. Thereza Magalhães e Áurea Rosa (diretoras do Educandário Sertanejo), Costa Rego, Camilo Lima (redator de O Combate), Prof. Mário Padre, Prof. Geraldo Baltazar de Silveira (inspetor regional do ensino), Anísio Melhor (Diretor do Ginásio Clemente Caldas, pedagogo e poeta), Antônio Porto, Prof. José de Sá Nunes (Prof. catedrático), Dr Jorge Watt (promotor público), Luiz Gonzaga Bastos (Diretor do jornal A Luta), Cel Florentino Mendes, Clóvis Lima (redator de O Combate), Profa. Maria Anita Santos, Raimundo Brito (Deputado Estadual), Profa. Alice Veloso, Prof. Francisco Fagundes Lima (Diretor do Colégio Conquistense), João Norberto, Aloísio Lacerda (Diretor de escola), Profa. Elze Profeta; Profa. Maria Leal; Deputados que criticaram o ensino religioso católico no legislativo: Liomar Baleeiro, Nestor Duarte, Oscar Noblat, Cordeiro de Miranda, Raimundo Brito, Ivaro Sanches, Alfredo Amorim, D Maria Luiza (estava presente na Assembléia Legislativa e deu sua opinião), defenderam o ensino os Deputados: Crescêncio Silveira, Mário Peixoto, M. Caetano Passos, Antônio Balbino, Pinto Dantas Júnior e Crescêncio Lacerda. Os jornais posicionam-se a favor do Integralismo e do ensino católico, contra o analfabetismo e comunismo e também discute a educação sexual. Com o golpe do Estado Novo em 1937 o Cel Florentino Mendes de Andrade foi substituído por Joaquim Fróes de Caíres Castro, chefe do integralismo local, nomeado pelo general Antônio Fernandes Dantas e governou até Em 1937 ocorreram em destaque: notícias de abertura de escolas; questionamento sobre as péssimas condições das escolas sertanejas; perspectiva de se fundar o Ginásio de Conquista; a discussão sobre o ensino profissional; professores homenageados; e defesa a educação integralista; tendo como destaque os seguintes nomes: Prof. Mário Padre, Prof. Euclides Dantas, Prof. Edgar Moura, Prof. Francisco Fagundes Lima, Profa. Maria Leal de Menezes, Prof. Rostil Matos, Armando Sales (Deputado), Dr. Virgílio Rodrigues de Melo (Delegado Escolar), Profa. Julieta Campos de Sá,

7 Asdrúbal (Tenente), Reginaldo Pitanga e Antônio Marinho, Profa. Maria Anita Santos, Ivo Freire de Aguiar, Cel Júlio Lacerda e Luiz Gonzaga Bastos (advogado) A partir de 1938 até 1945 o Dr. Régis Pacheco, foi prefeito, nomeado pelo interventor Landulfo Alves de Almeida, com a retirada de Vargas na presidência, em 1945, foi substituído pelo juiz de Direito da Comarca Dr. Eduardo Martins Daltro de Castro nomeado pelo interventor Dr. Dulcão Viana, que só ficou um mês. Durante este período os registros destacam fatos importantes a partir de 1943, com a crítica destrutiva aos integralistas, resultados de exames de algumas escolas e propaganda de escolas, bem como a notoriedade de alguns sujeitos como: Herbert Parentes Fontes Fortes (integralista afastado pelo ministro Gustavo Capanema), Prof. Arnaldo Aguiar, Prof. Everardo de Castro, Prof. Valdomiro Oliveira, Prof. José Dermival Oliveira, Padre Luiz Palmeira (Diretor do Ginásio de Conquista, Redator de O Combate, A Conquista), Profa. Maria de Carvalho Lima (Diretora da Escola de Corte), Erathóstenes Menezes, Profa. Alberica Orrico, Profa. Rosália Ramos, Dr. Adriano Bernardes Batista (Delegado Escolar), Dr. Régis Pacheco, Dr. Orlando Spínola, Alziro Prates (Redator de O Jornal, Dr. Aloísio Barreto Menezes, Antônio Pedreira e Dr. Delvadísio Barreto. Em 1944 se destaca a propaganda de algumas escolas bem como resultado de exames e a discussão da criação de cooperativas escolares. Sujeitos identificados: Maria Anita Santos Melo, Dr. Adriano Bernardes, Prof. Everardo de Castro (diretor de escola), Profa. Arlinda Sampaio Gonçalves, Dr. Ubaldino Gusmão Figueira (autoridade médica da Comaca), Anísio Moreira, Prof. Padre Palmeira, Prof. João Norberto e Dr. Anfrísio Áureo de Souza (Inspetor Escolar). A criação do ensino noturno para ambos os sexos pela ação feminina católica visando acabar com o analfabetismo; propaganda de escolas e a discussão a cerca da criação de cooperativas escolares, foram alguns destaques de 1945, seus sujeitos: Profa. Floripes Alves Benjamim (Diretora da Escola de Corte), Prof. Valdomiro Oliveira (Diretor da indústria de lacticínios), Profa. Helena Ferreira, Profa. Jesuína Torres, Prof. Padre Palmeira, Prof. Everardo Castro e Dr. Orlando Spínola. Esse projeto visa localizar, mapear e buscar nas Fontes Documentais, os sujeitos que historicamente contribuíram para a História da Educação Local, com toda a sua representatividade político-social, na cidade e região. Enfatizando como o jogo de poder, gerado pelo movimento político entre décadas, de uma estrutura coronelista, até a Ditadura de Vargas, com facções partidárias delineando toda essa estrutura, dos Conservadores aos Liberais, dos

8 Anarco-Sindicalistas, Comunistas aos Integralistas, contribuíram para a elaboração de um código educacional que embora adotando especificidades em cada região, ou localidade, obedeciam há uma política maior centralizada na figura do representante do Estado Nacional, o Presidente, sobretudo, a partir da Era Vargas. REFERÊNCIAS CAMARGO, Aspásia. A Revolução das Elites: Conflitos Regionais e Centralização Política. In: Revolução de 30. Seminário Internacional. Brasília: Editora da UNB, CARVALHO, Marta Maria C. de. Educação e Política nos anos 20: a desilusão com a República e o entusiasmo pela educação. In: A década de 20 e as origens do Brasil Moderno. São Paulo: Editora UNESP, IVO, Isnara Pereira. O Anjo da Morte contra o Santo Lenho: Poder, vingança e cotidiano no sertão da Bahia. Vitória da Conquista-Ba: Edições Uesb, MAGALHÃES, Lívia. D. R.; CASIMIRO, Ana Palmira. B. S.. Educação no Sudoeste da Bahia: seus sujeitos, seus espaços; seus materiais. In: V Colóquio do Museu Pedagógico, 2005, Vitória da Conquista, MOLINA, Ana Heloísa. Fenômeno Getúlio Vargas: Estado Discursos e Propagandas. In: Boletim Informativo do Laboratório de Ensino de História. Londrina: vol 3, p.87 a 94, abril, NPSE (Núcleo de Pesquisa Sociedade e Educação) UFS (Universidade Federal de Sergipe). Educação em Sergipe: Memória e Documentação. In: Guia de Fontes para o Estudo de História da Educação do Estado de Sergipe. Recife: Gráfica e Editora Liceu, NUNES, Antonietta, d Aguiar. Notas sobre a história administrativa baiana. s/l, s/d. Texto Mimeografado. (pags 1-34) OLIVEIRA, Jeremias Macário de. A Imprensa e os Coronéis do Sertão. In: A Imprensa e o Coronelismo no Sertão do Sudoeste. Vitória da Conquista: Edições Uesb, p TANAJURA, Mozart. História de Conquista: Crônica de uma cidade. Vitória da Conquista: PMVC (ed comemorativa). Brasil Artes Gráficas LTDA, VIANA, Aníbal Lopes. Revista histórica de Vitória da Conquista. Vitória da Conquista. Ed. do autor. Brasil Artes Gráficas LTDA. Vol. I (1985) e Vol. II (s/d). Fontes contidas no Arquivo Público Municipal de Vitória da Conquista: Jornal O Combate: ( ) e ( ) Livro de Atas da Câmara de Vereadores ( )

9 Livro de Atas do Conselho Municipal ( ) Livro de Ata da Instalação do Diretório Municipal de Geografia da Cidade de Conquista ( ) Livro de Atas para Tomada de Contas por Gestão Anual do Prefeito ( ) Jornais de um acervo particular: Jornal A Conquista (1944) e ( ) Jornal A Luta ( , dentro da mesma encadernação de A Conquista de 1944) Jornal A Notícia ( , , 1930) Jornal Avante ( ) Jornal O Combate ( ), ( , 1958) e ( ) Jornal O Estado Novo ( ) Jornal Estudantil do Colégio Marcelino Mendes Alvorada (1932) Jornal Estudantil do Ginásio de Conquista O Rui (1941) Jornal Estudantil do Grupo Escolar Barão de Macaúbas O Boré (1941) Jornal O Labor ( )

Revolução de 1930. Fatores: Crise de 1929. Movimento Tenentista. Resultado das eleições.

Revolução de 1930. Fatores: Crise de 1929. Movimento Tenentista. Resultado das eleições. Revolução de 1930 Revolução de 1930 Fatores: Crise de 1929. Movimento Tenentista. Resultado das eleições. Revolução de 1930 Responsável pelo fim da chamada Política café com leite Política café com leite

Leia mais

COMBATENDO EFFICAZMENTE A PRAGA DO ANALPHABETISMO : A CRIAÇÃO E INSTALAÇÃO DO GRUPO ESCOLAR DE SÃO MATHEUS-JUIZ DE FORA (1915-1927)

COMBATENDO EFFICAZMENTE A PRAGA DO ANALPHABETISMO : A CRIAÇÃO E INSTALAÇÃO DO GRUPO ESCOLAR DE SÃO MATHEUS-JUIZ DE FORA (1915-1927) COMBATENDO EFFICAZMENTE A PRAGA DO ANALPHABETISMO : A CRIAÇÃO E INSTALAÇÃO DO GRUPO ESCOLAR DE SÃO MATHEUS-JUIZ DE FORA (1915-1927) Pereira, Tatiana Aparecida Universidade Federal de Juiz de Fora tatianapereira_2009@yahoo.com.br

Leia mais

GD5 História da matemática e Cultura. Palavras-chave: Ensino de Matemática. Escola Normal. Cultura Escolar.

GD5 História da matemática e Cultura. Palavras-chave: Ensino de Matemática. Escola Normal. Cultura Escolar. Curso de Formação de Professores Primários da Escola Normal de Caetité Ba no Período de 1925 a 1940: Análise das Transformações Curriculares do Ensino de Matemática. Márcio Oliveira D Esquivel 1 GD5 História

Leia mais

CRISE E RUPTURA NA REPÚBLICA VELHA. Os últimos anos da República Velha

CRISE E RUPTURA NA REPÚBLICA VELHA. Os últimos anos da República Velha CRISE E RUPTURA NA REPÚBLICA VELHA Os últimos anos da República Velha Década de 1920 Brasil - as cidades cresciam e desenvolviam * Nos grandes centros urbanos, as ruas eram bem movimentadas, as pessoas

Leia mais

Relatório de Locais de Votação por Localidade/Seção Eleitoral. ÁGUA BRANCA - 39ª ZE Seção: Local de Votação: Endereço:

Relatório de Locais de Votação por Localidade/Seção Eleitoral. ÁGUA BRANCA - 39ª ZE Seção: Local de Votação: Endereço: ÁGUA BRANCA - 39ª ZE 0001 COLEGIO CENECISTA BARAO DE AGUA BRANCA RUA BARAO DE AGUA BRANCA S/N CENTRO ÁGUA BRANCA 0002 COLEGIO CENECISTA BARAO DE AGUA BRANCA RUA BARAO DE AGUA BRANCA S/N CENTRO ÁGUA BRANCA

Leia mais

GERENCIAMENTO ELETRÔNICO DE DOCUMENTOS DO GEPHE - GRUPO DE ESTUDOS E PESQUISAS EM HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO EM CAMPINA GRANDE PARAIBA

GERENCIAMENTO ELETRÔNICO DE DOCUMENTOS DO GEPHE - GRUPO DE ESTUDOS E PESQUISAS EM HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO EM CAMPINA GRANDE PARAIBA GERENCIAMENTO ELETRÔNICO DE DOCUMENTOS DO GEPHE - GRUPO DE ESTUDOS E PESQUISAS EM HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO EM CAMPINA GRANDE PARAIBA Autora: Regina Coelli Gomes Nascimento - Professora do curso de História

Leia mais

Getúlio Vargas e a Era Vargas

Getúlio Vargas e a Era Vargas Getúlio Vargas e a Era Vargas http://www.suapesquisa.com/vargas/ AGOSTO RUBEM FONSECA Getúlio Vargas e a Era Vargas: ASPECTOS A RESSALTAR Vida de Getúlio Vargas; Revolução

Leia mais

FONTES PRIMÁRIAS SOBRE A HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO NO BRASIL: BOLETINS E CIRCULARES DO APOSTOLADO POSITIVISTA (1881-1927) APRESENTAÇÃO

FONTES PRIMÁRIAS SOBRE A HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO NO BRASIL: BOLETINS E CIRCULARES DO APOSTOLADO POSITIVISTA (1881-1927) APRESENTAÇÃO FONTES PRIMÁRIAS SOBRE A HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO NO BRASIL: BOLETINS E CIRCULARES DO APOSTOLADO POSITIVISTA (1881-1927) APRESENTAÇÃO João Carlos da Silva 1 A produção da IPB reúne uma farta publicação de

Leia mais

RESULTADOS. Nome Global ( /100) PT1840719 ADÃO AZEVEDO MALHEIRO MATOS BARBOSA 94 B1 PT1840720 ADRIANA MORAIS SOUSA 52 A1

RESULTADOS. Nome Global ( /100) PT1840719 ADÃO AZEVEDO MALHEIRO MATOS BARBOSA 94 B1 PT1840720 ADRIANA MORAIS SOUSA 52 A1 PT1840719 ADÃO AZEVEDO MALHEIRO MATOS BARBOSA 94 B1 PT1840720 ADRIANA MORAIS SOUSA 52 A1 PT1840721 ADRIANA XAVIER DA SILVA FERNANDES 38 Pré-A1 PT1840722 ALEXANDRA FILIPA AZEVEDO SANTOS 52 A1 PT1840723

Leia mais

HISTÓRIA DO LEGISLATIVO

HISTÓRIA DO LEGISLATIVO HISTÓRIA DO LEGISLATIVO Maurício Barbosa Paranaguá Seção de Projetos Especiais Goiânia - 2015 Origem do Poder Legislativo Assinatura da Magna Carta inglesa em 1215 Considerada a primeira Constituição dos

Leia mais

TURMA 10 H. CURSO PROFISSIONAL DE: Técnico de Multimédia RELAÇÃO DE ALUNOS

TURMA 10 H. CURSO PROFISSIONAL DE: Técnico de Multimédia RELAÇÃO DE ALUNOS Técnico de Multimédia 10 H 7536 Alberto Filipe Cardoso Pinto 7566 Ana Isabel Lomar Antunes 7567 Andreia Carine Ferreira Quintela 7537 Bruno Manuel Martins Castro 7538 Bruno Miguel Ferreira Bogas 5859 Bruno

Leia mais

FENEIS FEDERAÇÃO NACIONAL DE EDUCAÇÃO E INTEGRAÇÃO DOS SURDOS

FENEIS FEDERAÇÃO NACIONAL DE EDUCAÇÃO E INTEGRAÇÃO DOS SURDOS FENEIS FEDERAÇÃO NACIONAL DE EDUCAÇÃO E INTEGRAÇÃO DOS SURDOS Dia dos Surdos 2009 Apresentação No dia 26 de setembro, a Comunidade Surda Brasileira comemora o Dia Nacional do Surdo, data em que são relembradas

Leia mais

ENTUSIASMO PELA EDUCAÇÃO E O OTIMISMO PEDAGÓGICO. pesquisadores da educação, como também é considerado ponto de virada de

ENTUSIASMO PELA EDUCAÇÃO E O OTIMISMO PEDAGÓGICO. pesquisadores da educação, como também é considerado ponto de virada de ENTUSIASMO PELA EDUCAÇÃO E O OTIMISMO PEDAGÓGICO Irene Domenes Zapparoli - UEL/ PUC/SP/ehps zapparoli@onda.com.br INTRODUÇÃO Jorge Nagle com o livro Educação e Sociedade na Primeira República consagrou-se

Leia mais

IGUALDADE DE GÊNERO: UM BREVE HISTÓRICO DA LUTA PELO VOTO FEMININO NO BRASIL

IGUALDADE DE GÊNERO: UM BREVE HISTÓRICO DA LUTA PELO VOTO FEMININO NO BRASIL IGUALDADE DE GÊNERO: UM BREVE HISTÓRICO DA LUTA PELO VOTO FEMININO NO BRASIL Camila Assis Lemes (bolsista PIBIC/Fundação Araucária), Isabela Candeloro Campoi (Orientadora), Universidade Estadual do Paraná-

Leia mais

As práticas do historiador: experiências do Laboratório de Documentação do Curso de História da Universidade Cruzeiro do Sul UNICSUL

As práticas do historiador: experiências do Laboratório de Documentação do Curso de História da Universidade Cruzeiro do Sul UNICSUL As práticas do historiador: experiências do Laboratório de Documentação do Curso de História da Universidade Cruzeiro do Sul UNICSUL Profa. Dra. Ana Barbara A. Pederiva Professora da Universidade Cruzeiro

Leia mais

CONSELHO MUNICIPAL DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE NITERÓI (COMCITEC)

CONSELHO MUNICIPAL DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE NITERÓI (COMCITEC) CONSELHO MUNICIPAL DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE NITERÓI (COMCITEC) COMCITEC Gestão Plenárias Conferência Eventos Legislação QUEM SOMOS? O COMCITEC é um órgão autônomo que atua em estreita articulação com

Leia mais

VITÓRIA DA CONQUISTA ENQUANTO CENTRO OPOSICIONISTA: REVISÕES E NOVAS LEITURAS

VITÓRIA DA CONQUISTA ENQUANTO CENTRO OPOSICIONISTA: REVISÕES E NOVAS LEITURAS VITÓRIA DA CONQUISTA ENQUANTO CENTRO OPOSICIONISTA: REVISÕES E NOVAS LEITURAS Belarmino de Jesus SOUZA* bjsouza@terra.com.br Departamento de História / UESB A presente comunicação é o resultado inicial

Leia mais

Histórico das constituições: direito de sufrágio

Histórico das constituições: direito de sufrágio 89 Histórico das constituições: direito de sufrágio André de Oliveira da Cruz Waldemar de Moura Bueno Neto José Carlos Galvão Goulart de Oliveira Graduandos pela Faculdade de Educação, Administração e

Leia mais

MFIG - TRABALHO Codigo Nome turma Nota Trabalho 110402106 Adriana Castro Valente 2 15,0 110402107 Alex da Silva Carvalho 3 14,9 70402122 Alexandre

MFIG - TRABALHO Codigo Nome turma Nota Trabalho 110402106 Adriana Castro Valente 2 15,0 110402107 Alex da Silva Carvalho 3 14,9 70402122 Alexandre MFIG - TRABALHO Codigo Nome turma Nota Trabalho 110402106 Adriana Castro Valente 2 15,0 110402107 Alex da Silva Carvalho 3 14,9 70402122 Alexandre Jorge Costelha Seabra 2 18,2 110402182 Ana Catarina Linhares

Leia mais

MINISTÉRIO DOS NEGÓCIOS ESTRANGEIROS. Gabinete do Secretário de Estado das Comunidades Portuguesas

MINISTÉRIO DOS NEGÓCIOS ESTRANGEIROS. Gabinete do Secretário de Estado das Comunidades Portuguesas MINISTÉRIO DOS NEGÓCIOS ESTRANGEIROS Gabinete do Secretário de Estado das Comunidades Portuguesas Aviso n.º 6326/2003 (2.ª série). O Secretário de Estado das Comunidades Portuguesas faz publicar por círculos

Leia mais

RELATÓRIO FINAL DO PROJETO DE EXTENSÃO GRUPO DE ESTUDOS DE GEOGRAFIA HISTÓRICA

RELATÓRIO FINAL DO PROJETO DE EXTENSÃO GRUPO DE ESTUDOS DE GEOGRAFIA HISTÓRICA 1 UFF Universidade Federal Fluminense Pólo de Campos dos Goytacazes ESR Instituto de Ciências da Sociedade e Desenvolvimento Regional SFC - Departamento de Fundamentos de Ciências da Sociedade RELATÓRIO

Leia mais

Departamento Nome Abreviado Função

Departamento Nome Abreviado Função Departamento Nome Abreviado Função Administração António Lamas Madalena Castro Dalila Rodrigues Ricardo Cerqueira Miguel Coelho Luísa Inês Fernandes Paula Martins Presidente CA Vogal CA Assistente Vogal

Leia mais

LISTA DE GRADUAÇÃO DOS CANDIDATOS GRUPO DE RECRUTAMENTO 600. Horário 28

LISTA DE GRADUAÇÃO DOS CANDIDATOS GRUPO DE RECRUTAMENTO 600. Horário 28 LISTA DE GRADUAÇÃO DOS CANDIDATOS GRUPO DE RECRUTAMENTO 600 Horário 28 Graduação Profissional Nº Candidato Nome 24,508 4716699811 Vanda Isabel do Vale Silva Almeida 24,203 8219102942 Cristina Maria da

Leia mais

A Contribuição Sírio-Libanesa para o Desenvolvimento de Anápolis 1907 a 1949.

A Contribuição Sírio-Libanesa para o Desenvolvimento de Anápolis 1907 a 1949. A Contribuição Sírio-Libanesa para o Desenvolvimento de Anápolis 1907 a 1949. Palavras-chave: Anápolis, árabe, desenvolvimento, comércio. LUPPI, Sheila Cristina Alves de Lima 1 POLONIAL, Juscelino Martins

Leia mais

"Aqui Também é Portugal"

Aqui Também é Portugal A 337669 "Aqui Também é Portugal" A Colónia Portuguesa do Brasil e o Salazarismo Heloísa Paulo Quarteto 2000 índice Prefácio 13 Introdução 17 Parte I A visão da emigração e do emigrante no ideário salazarista

Leia mais

XI Torneio Inter Escolas de Pista Coberta. Escola Mestre Domingos Saraiva (Lisboa) Centro de Formação EB 2;3 S. Bartolomeu dos Mártires (Viana)

XI Torneio Inter Escolas de Pista Coberta. Escola Mestre Domingos Saraiva (Lisboa) Centro de Formação EB 2;3 S. Bartolomeu dos Mártires (Viana) XI Torneio Inter Escolas de Pista Coberta Escolas Inscritas EB 2;3 de EB 2;3 Sec. Sá de Miranda Colégio Teresiano EB 2;3 Prof. G. Sampaio EB 2;3 de Externato Delfim Ferreira Escola Mestre Domingos Saraiva

Leia mais

CUIDAR, EDUCAR E BRINCAR: REFLETINDO SOBRE A ORGANIZAÇÃO DO TRABALHO PEDAGÓGICO NA EDUCAÇÃO INFANTIL

CUIDAR, EDUCAR E BRINCAR: REFLETINDO SOBRE A ORGANIZAÇÃO DO TRABALHO PEDAGÓGICO NA EDUCAÇÃO INFANTIL CUIDAR, EDUCAR E BRINCAR: REFLETINDO SOBRE A ORGANIZAÇÃO DO TRABALHO PEDAGÓGICO NA EDUCAÇÃO INFANTIL Gislaine Franco de Moura (UEL) gislaine.franco.moura@gmail.com Gilmara Lupion Moreno (UEL) gilmaralupion@uel.br

Leia mais

Resultados da Candidatura a Alojamento

Resultados da Candidatura a Alojamento Resultados da Candidatura a Alojamento Unidade Orgânica: Serviços de Acção Social RESIDÊNCIA: 02 - ESE ANO LECTIVO: 2015/2016 2ª Fase - Resultados Definitivos >>> EDUCAÇÃO BÁSICA 14711 Ana Catarina Mendes

Leia mais

Contando histórias, construindo o passado: memórias da Escola Politécnica da. Este trabalho é um dos resultados do projeto de pesquisa Organização e

Contando histórias, construindo o passado: memórias da Escola Politécnica da. Este trabalho é um dos resultados do projeto de pesquisa Organização e Contando histórias, construindo o passado: memórias da Escola Politécnica da Paraíba. Rosilene Dias Montenegro * - UFCG Este trabalho é um dos resultados do projeto de pesquisa Organização e Preservação

Leia mais

1. Aplicação do Método de Hondt para apuramento dos mandatos (15) a atribuir ao corpo de Professores e Investigadores

1. Aplicação do Método de Hondt para apuramento dos mandatos (15) a atribuir ao corpo de Professores e Investigadores 1. Aplicação do Método de Hondt para apuramento dos mandatos (15) a atribuir ao corpo de Professores e Investigadores Divisor Lista A Lista B Lista C 1 96 99 113 2 48,00 49,50 56,50 3 32,00 33,00 37,67

Leia mais

FAGUNDES, Almeida * dep. fed. RJ 1915-1917.

FAGUNDES, Almeida * dep. fed. RJ 1915-1917. FAGUNDES, Almeida * dep. fed. RJ 1915-1917. João Frederico de Almeida Fagundes nasceu em Maricá, na antiga província do Rio de Janeiro, em 24 de maio de 1856, filho de José Manuel Nunes Fagundes e de Maria

Leia mais

Workshop O Poder dos Pequenos e Médios Estados na Grande Guerra: Comparação Portugal-Brasil 8 de Abril de 2015. Instituto da Defesa Nacional.

Workshop O Poder dos Pequenos e Médios Estados na Grande Guerra: Comparação Portugal-Brasil 8 de Abril de 2015. Instituto da Defesa Nacional. Workshop O Poder dos Pequenos e Médios Estados na Grande Guerra: Comparação Portugal-Brasil 8 de Abril de 2015 Instituto da Defesa Nacional Programa Auditório 2 10h00-10h45 Abertura do Workshop Vítor Viana

Leia mais

EDUCAÇÃO E CIDADANIA: OFICINAS DE DIREITOS HUMANOS COM CRIANÇAS E ADOLESCENTES NA ESCOLA

EDUCAÇÃO E CIDADANIA: OFICINAS DE DIREITOS HUMANOS COM CRIANÇAS E ADOLESCENTES NA ESCOLA EDUCAÇÃO E CIDADANIA: OFICINAS DE DIREITOS HUMANOS COM CRIANÇAS E ADOLESCENTES NA ESCOLA Autores: FIGUEIREDO 1, Maria do Amparo Caetano de LIMA 2, Luana Rodrigues de LIMA 3, Thalita Silva Centro de Educação/

Leia mais

REVOLTAS DURANTE A REPÚBLICA VELHA

REVOLTAS DURANTE A REPÚBLICA VELHA REVOLTAS DURANTE A REPÚBLICA VELHA Unidade 2, Tema 2 e 3. Págs. 50 53 Personagem. Pág. 55 e 64 Ampliando Conhecimentos. Págs. 60-61 Conceitos Históricos. Pág. 65 Em foco. Págs. 66-71 GUERRA DE CANUDOS

Leia mais

CONQUISTAS IMPORTANTES DAS MULHERES NO BRASIL AO LONGO DA HISTÓRIA

CONQUISTAS IMPORTANTES DAS MULHERES NO BRASIL AO LONGO DA HISTÓRIA CONQUISTAS IMPORTANTES DAS MULHERES NO BRASIL AO LONGO DA HISTÓRIA No mês em que se comemora o Dia Internacional da Mulher, uma seleção com importantes conquistas das Mulheres no Brasil 1822: Maria Leopoldina

Leia mais

I Seminário Nacional de Controle Social A sociedade no acompanhamento da gestão pública Brasília, 25, 26 e 27 de Set/2009

I Seminário Nacional de Controle Social A sociedade no acompanhamento da gestão pública Brasília, 25, 26 e 27 de Set/2009 I Seminário Nacional de Controle Social A sociedade no acompanhamento da gestão pública Brasília, 25, 26 e 27 de Set/2009 Observatório da Educação participação e controle da sociedade civil nas políticas

Leia mais

A INSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA

A INSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA A INSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA A PROCLAMAÇÃO Proclamada em 15 de novembro de 1889, a República nascia no Brasil como resultado de um movimento de cúpula, como uma espécie de revolução pelo alto controlada

Leia mais

ALCATEIA ACAGRUP 2014 - SIERRA NORTE - MADRID - ESPANHA PARTICIPANTES: 26 60% INCIDÊNCIA NO GRUPO 20%

ALCATEIA ACAGRUP 2014 - SIERRA NORTE - MADRID - ESPANHA PARTICIPANTES: 26 60% INCIDÊNCIA NO GRUPO 20% ALCATEIA Sec NIN NOME NIN NOME Lob 1215050143005 Alice Neto Santos Nascimento 1215050143015 Afonso da Fonseca Machado Lob 1215050143010 Amélia Maria Mesquita Aleixo Alves 1115050143010 Afonso Jesus Dias

Leia mais

Centro Universitário Metodista Izabela Hendrix Condições de Oferta dos Cursos

Centro Universitário Metodista Izabela Hendrix Condições de Oferta dos Cursos Alice Viana Centro Universitário Metodista Izabela Hendrix Condições de Oferta dos Cursos Reitor: Prof. Davi Ferreira Barros Pró-Reitor Acadêmico: Prof. Marcelo Reis Maia Curso de Arquitetura e Urbanismo

Leia mais

O RESGATE DO PENSAMENTO DE ALBERTO TORRES PARA A COMPREENSÃO HISTORIOGRÁFICA DA POLÍTICA NACIONAL DO PÓS- REVOLUÇÃO DE

O RESGATE DO PENSAMENTO DE ALBERTO TORRES PARA A COMPREENSÃO HISTORIOGRÁFICA DA POLÍTICA NACIONAL DO PÓS- REVOLUÇÃO DE O RESGATE DO PENSAMENTO DE ALBERTO TORRES PARA A COMPREENSÃO HISTORIOGRÁFICA DA POLÍTICA NACIONAL DO PÓS- REVOLUÇÃO DE 1930 Jorge Eschriqui Vieira PINTO Alberto Torres foi um intelectual vanguardista entre

Leia mais

A ADMINISTRAÇÃO ESCOLAR DURANTE A DITADURA MILITAR NO BRASIL (1964-1984)

A ADMINISTRAÇÃO ESCOLAR DURANTE A DITADURA MILITAR NO BRASIL (1964-1984) A ADMINISTRAÇÃO ESCOLAR DURANTE A DITADURA MILITAR NO BRASIL (1964-1984) Renata Leite Moura renata.leite@aluno.uece.br Maria Rafaela de Oliveira rafaoliveira800@gmail.com Roberta Rocha Olímpio betynha_ro@hotmail.com

Leia mais

Mas, um golpe de Estado militar instaurou a forma republicana presidencialista, em 15 de novembro de 1889.

Mas, um golpe de Estado militar instaurou a forma republicana presidencialista, em 15 de novembro de 1889. Brasil no período de transição: Império para República. Éramos governados por um dos ramos da Casa de Bragança, conhecido como família imperial brasileira que constituía o 11º maior império da história

Leia mais

ESCOLA E.B. 2,3 DE LAMAÇÃES 2013-2014

ESCOLA E.B. 2,3 DE LAMAÇÃES 2013-2014 5º1 1 ANA CATARINA R FREITAS SIM 2 BEATRIZ SOARES RIBEIRO SIM 3 DIOGO ANTÓNIO A PEREIRA SIM 4 MÁRCIO RAFAEL R SANTOS SIM 5 MARCO ANTÓNIO B OLIVEIRA SIM 6 NÁDIA ARAÚJO GONÇALVES SIM 7 SUNNY KATHARINA G

Leia mais

SERVIDORES DO CCA. Alberto Luis da Silva Pinto Cargo: Assistente em Administração e-mail: alspinto@ufpi.edu.br Setor: Secretaria Administrativa

SERVIDORES DO CCA. Alberto Luis da Silva Pinto Cargo: Assistente em Administração e-mail: alspinto@ufpi.edu.br Setor: Secretaria Administrativa SERVIDORES DO CCA Alberto Luis da Silva Pinto e-mail: alspinto@ufpi.edu.br Setor: Secretaria Administrativa Amilton Gonçalves da Silva Cargo: Auxiliar Operacional Aminthas Floriano Filho Cargo: Técnico

Leia mais

Senhor Ministro da Defesa Nacional, Professor Azeredo Lopes, Senhora Vice-Presidente da Assembleia da República, Dra.

Senhor Ministro da Defesa Nacional, Professor Azeredo Lopes, Senhora Vice-Presidente da Assembleia da República, Dra. Senhor Representante de Sua Excelência o Presidente da República, General Rocha Viera, Senhor Ministro da Defesa Nacional, Professor Azeredo Lopes, Senhora Vice-Presidente da Assembleia da República, Dra.

Leia mais

LISTA DOS TRABALHOS APROVADOS COMUNICAÇÃO ORAL Nº AUTOR(ES) TÍTULO DO TRABALHO GRUPO PET/INSTITUIÇÃO

LISTA DOS TRABALHOS APROVADOS COMUNICAÇÃO ORAL Nº AUTOR(ES) TÍTULO DO TRABALHO GRUPO PET/INSTITUIÇÃO [Digite texto] LISTA DOS TRABALHOS APROVADOS COMUNICAÇÃO ORAL Nº AUTOR(ES) TÍTULO DO TRABALHO GRUPO PET/INSTITUIÇÃO 1. Herica Monicely dos Santos Souza Maria Helena de Araújo Santos Robson Gomes da Silva

Leia mais

1. EMERGÊNCIA DE ALGUMAS ESCOLAS CONFESSIONAIS NA PARAÍBA DO NORTE DOS SECULOS XIX e XX.

1. EMERGÊNCIA DE ALGUMAS ESCOLAS CONFESSIONAIS NA PARAÍBA DO NORTE DOS SECULOS XIX e XX. ENTRE PRÁTICAS E REPRESENTAÇÕES: O DIOCESANO PIO X E A EMERGÊNCIA DE ESCOLAS CONFESSIONAIS ENTRE OS SECULOS XIX E XX. Orientador¹ JOSÉ EUDES FERREIRA DA SILVA, UEPB, eudes.story@hotmail.com² ANA PAULA

Leia mais

Listagem de contactos e ramos/áreas de especialidade dos Professores Doutorados na Escola de Direito da Universidade do Minho

Listagem de contactos e ramos/áreas de especialidade dos Professores Doutorados na Escola de Direito da Universidade do Minho Departamento de Ciências Jurídicas Gerais Profª. Doutora Maria Clara da Cunha Calheiros de Carvalho Profª. Associada, Com Agregação Email: claracc@direito.uminho.pt Profª. Doutora Patrícia Penélope Mendes

Leia mais

João Goulart organizou a reforma agrária, direito ao voto, intervenção estatal e economia de regulamentação de remessas de lucro ao exterior.

João Goulart organizou a reforma agrária, direito ao voto, intervenção estatal e economia de regulamentação de remessas de lucro ao exterior. Resenha Crítica CARA MILINE Soares é arquiteta e doutora em Design pela Faculdade de Arquitetura e Urbanismo na Universidade de São Paulo (FAU-USP). É autora do ensaio já publicado: Móveis Brasileiros

Leia mais

GRITO PELA EDUCAÇÃO PÚBLICA NO ESTADO DE SÃO PAULO

GRITO PELA EDUCAÇÃO PÚBLICA NO ESTADO DE SÃO PAULO Apresentação Esta cartilha representa um grito dos educadores, dos estudantes, dos pais, dos trabalhadores e da sociedade civil organizada em defesa da educação pública de qualidade, direito de todos e

Leia mais

LISTA ORDENADA POR GRADUAÇÃO PROFISSIONAL - DGAE

LISTA ORDENADA POR GRADUAÇÃO PROFISSIONAL - DGAE Nome da Escola : Agrupamento de Escolas de Almancil, Loulé Horário n.º: 27-18 horas 2013-10-09 Grupo de Recrutamento: 420 - Geografia LISTA ORDENADA POR GRADUAÇÃO PROFISSIONAL - DGAE Ordenação Graduação

Leia mais

A REVISTA OESTE NA CONSOLIDAÇÃO DO CENÁRIO POLÍTICO GOIANO

A REVISTA OESTE NA CONSOLIDAÇÃO DO CENÁRIO POLÍTICO GOIANO A REVISTA OESTE NA CONSOLIDAÇÃO DO CENÁRIO POLÍTICO GOIANO Pedro Henrique Rosa Graduando do curso de História da UEG-Anápolis Heavy_metal11@hotmail.com Vanessa Claudio Fernandes Graduanda do curso de História

Leia mais

CHAPA 1: VANGUARDA SINDICAL NORTE MINEIRA

CHAPA 1: VANGUARDA SINDICAL NORTE MINEIRA CHAPA 1: VANGUARDA SINDICAL NORTE MINEIRA 09ª SEÇÃO REGIONAL SINDICAL DE MONTES CLAROS ENMERSON MOTA ROCHA Investigador Nível II - 20 anos de Polícia Sociólogo, Pós-graduado em Educação, Pós-graduado em

Leia mais

PROJETO ODM NORDESTE

PROJETO ODM NORDESTE 1 PROJETO ODM NORDESTE Equipe do Nordeste: Prof. Raul da Mota Silveira Neto PIMES/UFPE; Prof. Márcio Veras CAEN/UFC Prof. José Raimundo Carvalho CAEN/UFC COORDENADOR DO PROJETO; Prof. Ricardo Brito Soares

Leia mais

A Associação dos Professores do Rio Grande do Norte/APRN (1920-1983)

A Associação dos Professores do Rio Grande do Norte/APRN (1920-1983) 1 A Associação dos Professores do Rio Grande do Norte/APRN (1920-1983) Palavras Iniciais Amanda Vitória Barbosa Alves amandinha17_vi_@hotmail.com Orientadora: Maria Arisnete Câmara de Morais arisnete@terra.com.br

Leia mais

RESULTADO EDITAL 05/2010 - PROGRAMA DE BOLSAS DE APOIO TÉCNICO

RESULTADO EDITAL 05/2010 - PROGRAMA DE BOLSAS DE APOIO TÉCNICO RESULTADO EDITAL 05/2010 - PROGRAMA DE S DE APOIO TÉCNICO O lançamento do Edital 05/2010 teve por objetivo prover pessoal técnico especializado para o desempenho de tarefas de apoio à pesquisa, atendendo

Leia mais

O Sindicato de trabalhadores rurais de Ubatã e sua contribuição para a defesa dos interesses da classe trabalhadora rural

O Sindicato de trabalhadores rurais de Ubatã e sua contribuição para a defesa dos interesses da classe trabalhadora rural O Sindicato de trabalhadores rurais de Ubatã e sua contribuição para a defesa dos interesses da classe trabalhadora rural Marcos Santos Figueiredo* Introdução A presença dos sindicatos de trabalhadores

Leia mais

Posses. 16/03 Desembargadora Isabel Dias Almeida. 18/05 Desembargador Altair de Lemos Junior

Posses. 16/03 Desembargadora Isabel Dias Almeida. 18/05 Desembargador Altair de Lemos Junior Memória 1 Posses 16/03 Desembargadora Isabel Dias Almeida 18/05 Desembargador Altair de Lemos Junior 10/08 Desembargadores Leonel Pires Ohlweiler e Eduardo Uhlein Memória 2 Eventos 18/03 Evento Poder Judiciário

Leia mais

Educação e inclusão digital

Educação e inclusão digital Educação e inclusão digital Na Escola Municipal da Palmeia, em Muzambinho (MG), educação e inclusão caminham juntos. Para ajudar na alfabetização das crianças e ao mesmo tempo estimular e melhorar a leitura,

Leia mais

Arquivo Público do Estado de São Paulo

Arquivo Público do Estado de São Paulo Arquivo Público do Estado de São Paulo Oficina: O(s) Uso(s) de documentos de arquivo na sala de aula Ditadura Militar e Anistia (1964 a 1985). Anos de Chumbo no Brasil. Ieda Maria Galvão dos Santos 2º

Leia mais

Formação docente e movimentos sociais: diálogos e tensões cotidianas

Formação docente e movimentos sociais: diálogos e tensões cotidianas A PRÁTICA PEDAGÓGICA E MOVIMENTOS SOCIAIS: DIÁLOGOS FORMATIVOS PARA O TRABALHO DOCENTE NA PEDAGOGIA DA ALTERNÂNCIA Eliziane Santana dos Santos 1 Ludmila Oliveira Holanda Cavalcante 2 ¹ Bolsista FAPESB,

Leia mais

Belo Horizonte, 28 de setembro 2015.

Belo Horizonte, 28 de setembro 2015. Certifico que, Ademir dos Santos Ferreira, participou da palestra Logística Urbana, ministrada pelo Certifico que, Almir Junio Gomes Mendonça, participou da palestra Logística Urbana, ministrada pelo Engenheiro

Leia mais

ARQUIVO HISTÓRICO VIRTUAL DO LEGISLATIVO

ARQUIVO HISTÓRICO VIRTUAL DO LEGISLATIVO ARQUIVO HISTÓRICO VIRTUAL DO LEGISLATIVO HISTÓRIA DO LEGISLATIVO (BRASIL) A história das Câmaras municipais no Brasil começou em 1532, quando São Vicente, hoje atual Estado de São Paulo foi elevada à categoria

Leia mais

O DIREITO CONSTITUCIONAL NO BRASIL E NA CHINA: ANÁLISE COMPARATIVA

O DIREITO CONSTITUCIONAL NO BRASIL E NA CHINA: ANÁLISE COMPARATIVA SÃO PAULO RIO DE JANEIRO BRASÍLIA CURITIBA PORTO ALEGRE RECIFE BELO HORIZONTE LONDRES LISBOA XANGAI BEIJING MIAMI BUENOS AIRES O DIREITO CONSTITUCIONAL NO BRASIL E NA CHINA: ANÁLISE COMPARATIVA DURVAL

Leia mais

BEHAVIORISMO NO PARANÁ EM TEMPOS DE DITADURA MILITAR: O CASO DA UEL

BEHAVIORISMO NO PARANÁ EM TEMPOS DE DITADURA MILITAR: O CASO DA UEL BEHAVIORISMO NO PARANÁ EM TEMPOS DE DITADURA MILITAR: O CASO DA UEL Marcelo Mazzotti Bono Belascusa (PIBIC/CNPq/FA/UEM), Carlos Lopes Eduardo (Orientador), e-mail: caedlopes@gmail.com, Carolina Laurenti

Leia mais

Promotoria de Justiça da Infância e Juventude de Amélia Rodrigues Promotora de Justiça: Roberta Rezende Barbosa Data de assunção: 12/02/03

Promotoria de Justiça da Infância e Juventude de Amélia Rodrigues Promotora de Justiça: Roberta Rezende Barbosa Data de assunção: 12/02/03 "O ESTATUTO DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE JUNTO À COMUNIDADE" Promotoria de Justiça da Infância e Juventude de Amélia Rodrigues Promotora de Justiça: Roberta Rezende Barbosa Data de assunção: 12/02/03 A)

Leia mais

COMÉRCIO INTERNACIONAL CURSO DE ECONOMIA

COMÉRCIO INTERNACIONAL CURSO DE ECONOMIA COMÉRCIO INTERNACIONAL CURSO DE ECONOMIA CLASSIFICAÇÕES DO SEGUNDO TESTE E DA AVALIAÇÃO CONTINUA Classificações Classificação Final Alex Santos Teixeira 13 13 Alexandre Prata da Cruz 10 11 Aleydita Barreto

Leia mais

Corrida da Saúde. Infantis A - Feminino

Corrida da Saúde. Infantis A - Feminino Corrida da Saúde Classificação geral do corta-mato, realizado no dia 23 de Dezembro de 2007, na Escola E.B. 2,3 de Valbom. Contou com a participação dos alunos do 4º ano e do 2º e 3º ciclos do Agrupamento

Leia mais

PROJETO DE LEI DO SENADO Nº, DE 2010

PROJETO DE LEI DO SENADO Nº, DE 2010 PROJETO DE LEI DO SENADO Nº, DE 2010 Institui diretrizes para a promoção da alimentação saudável nas escolas de educação infantil, fundamental e de nível médio das redes pública e privada, em âmbito nacional.

Leia mais

CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA CELSO SUCKOW DA FONSECA

CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA CELSO SUCKOW DA FONSECA CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA CELSO SUCKOW DA FONSECA ENSINO MÉDIO ÁREA CURRICULAR: CIÊNCIAS HUMANAS E SUAS TECNOLOGIAS DISCIPLINA: HISTÓRIA SÉRIE 1.ª CH 68 ANO 2012 COMPETÊNCIAS:. Compreender

Leia mais

Um breve passeio sobre a história socioeconômica do Sertão da Ressaca

Um breve passeio sobre a história socioeconômica do Sertão da Ressaca FONTES PARA A HISTÓRIA SOCIAL DO TRABALHO: Vitória da Conquista e região A economia regional nas fontes da Justiça do Trabalho (1963-1965) SILVA, Danilo Pinto da 1 Email: danilohist@gmail.com Orientadora:

Leia mais

INFORMAÇÃO DA ATIVIDADE DA JUNTA DE FREGUESIA

INFORMAÇÃO DA ATIVIDADE DA JUNTA DE FREGUESIA INFORMAÇÃO DA ATIVIDADE DA JUNTA DE FREGUESIA Período de 05-04-2014 a 17-06-2014 Reuniões de trabalho com o Sr. Presidente, Sr. Vice-Presidente e Vereadores da Câmara Municipal, no âmbito do planeamento

Leia mais

I ATOS E PORTARIAS DA DIREÇÃO DO FORO 1. Portarias

I ATOS E PORTARIAS DA DIREÇÃO DO FORO 1. Portarias PODER JUDICIÁRIO JUSTIÇA FEDERAL DE 1º GRAU SEÇÃO JUDICIÁRIA DA BAHIA Boletim Interno Informativo Nº 186/2005 Salvador, 20 de outubro de 2005 (Quinta-feira). TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 1ª REGIÃO Presidente:

Leia mais

MESTRADO EM CIÊNCIAS DA EDUCAÇÃO - Especialização em Administração e Organização Escolar

MESTRADO EM CIÊNCIAS DA EDUCAÇÃO - Especialização em Administração e Organização Escolar 2014 MESTRADO EM CIÊNCIAS DA EDUCAÇÃO - Especialização em Administração e Organização Escolar Título do relatório: Os Exames Nacionais do Ensino Secundário como Modelo de Avaliação Externa Autor: Maria

Leia mais

O DIREITO ÀS MEMÓRIAS NEGRAS E A OUTRAS HISTÓRIAS : AS COLEÇÕES DO JORNAL O EXEMPLO. Maria Angélica Zubaran

O DIREITO ÀS MEMÓRIAS NEGRAS E A OUTRAS HISTÓRIAS : AS COLEÇÕES DO JORNAL O EXEMPLO. Maria Angélica Zubaran O DIREITO ÀS MEMÓRIAS NEGRAS E A OUTRAS HISTÓRIAS : AS COLEÇÕES DO JORNAL O EXEMPLO Maria Angélica Zubaran Sabemos que, no âmbito das ciências humanas, a memória está relacionada aos processos da lembrança

Leia mais

MOVIMENTOS SEPARATISTAS E A FORMAÇÃO DO ESTADOS BRASILEIROS.

MOVIMENTOS SEPARATISTAS E A FORMAÇÃO DO ESTADOS BRASILEIROS. MOVIMENTOS SEPARATISTAS E A FORMAÇÃO DO ESTADOS BRASILEIROS. Maricélia Cardoso Matos Neves mari.neves@uol.com.br Universidade Federal da Bahia A simples observação do mapa do Brasil mostra a existência

Leia mais

REDE DE ATENDIMENTO DE CORONEL FABRICIANO

REDE DE ATENDIMENTO DE CORONEL FABRICIANO REDE DE ATENDIMENTO DE CORONEL FABRICIANO POSTO AUTORIZAÇÃO / ATENDIMENTO Rua Zacarias Roque, 45 Centro Cel Fabriciano 31 3841-5029 ALERGOLOGIA CLIMED CLINICA MÉDICA RUA ARGEMIRO JOSÉ RIBEIRO, 12-6º ANDAR

Leia mais

INDICAÇÃO N O, DE 2011 (Da Comissão de Educação e Cultura)

INDICAÇÃO N O, DE 2011 (Da Comissão de Educação e Cultura) COMISSÃO DE EDUCAÇÃO E CULTURA INDICAÇÃO N O, DE 2011 (Da Comissão de Educação e Cultura) Sugere ao Ministério da Educação a criação da Universidade Federal do Litoral Paulista, com sede na cidade de Santos,

Leia mais

O PLANEJAMENTO ECONÔMICO E A ARTICULAÇÃO REGIONAL *

O PLANEJAMENTO ECONÔMICO E A ARTICULAÇÃO REGIONAL * O PLANEJAMENTO ECONÔMICO E A ARTICULAÇÃO REGIONAL * Lúcio Alcântara ** Durante o dia de hoje estaremos dando continuidade aos debates que vêm sendo realizados desde o início do governo Lula sobre a reestruturação

Leia mais

MOÇÃO DE PESAR. Pesar pelo falecimento de ANTONIO CABEÇA FILHO

MOÇÃO DE PESAR. Pesar pelo falecimento de ANTONIO CABEÇA FILHO Sr. Presidente: Sra. Vereadora: Srs. Vereadores: MOÇÃO DE PESAR Pesar pelo falecimento de ANTONIO CABEÇA FILHO Considerando que faleceu nesta quinta-feira, 26, o fundador do Sindicato dos Metalúrgicos

Leia mais

COMISSÃO PORTUGUESA DE HISTÓRIA MILITAR PROGRAMA XXII COLÓQUIO DE HISTÓRIA MILITAR

COMISSÃO PORTUGUESA DE HISTÓRIA MILITAR PROGRAMA XXII COLÓQUIO DE HISTÓRIA MILITAR COMISSÃO PORTUGUESA DE HISTÓRIA MILITAR PORTUGAL NA GUERRA PENINSULAR (1812 1815) DO CERCO DE CIUDAD RODRIGO AO CONGRESSO DE VIENA O CAMINHO PARA A DERROCADA DO IMPÉRIO NAPOLEÓNICO PROGRAMA XXII Comissão

Leia mais

Lista de Contactos do Departamento de Engenharia Informática

Lista de Contactos do Departamento de Engenharia Informática Lista de Contactos do Departamento de Engenharia Informática Gabinete/Cargo Nome Extensão E-mail Diretor Luiz Felipe Rocha de Faria 1450 lef@isep.ipp.pt Sub-diretor(es) António Constantino Lopes 1462 acm@isep.ipp.pt

Leia mais

FEDERAÇÃO PORTUGUESA DE TIRO COM ARMAS DE CAÇA. FOSSO UNIVERSAL CAMPEONATO REGIONAL NORTE - 2007 2ª. CONTAGEM - 24 e 25 de Março

FEDERAÇÃO PORTUGUESA DE TIRO COM ARMAS DE CAÇA. FOSSO UNIVERSAL CAMPEONATO REGIONAL NORTE - 2007 2ª. CONTAGEM - 24 e 25 de Março GERAL 1 1 129 00817 Herculano Lopes do Nascimento 8 C.C. Matosinhos S 25 24 25 25 1 99 2 113 00540 Rodrigo Dourado Fernandes 10 C.T. S. Pedro de Rates S 25 25 24 25 0 99 3 88 00588 Carlos Augusto Torres

Leia mais

CONSTRUINDO A DEMOCRACIA SOCIAL PARTICIPATIVA

CONSTRUINDO A DEMOCRACIA SOCIAL PARTICIPATIVA CONSTRUINDO A DEMOCRACIA SOCIAL PARTICIPATIVA Clodoaldo Meneguello Cardoso Nesta "I Conferência dos lideres de Grêmio das Escolas Públicas Estaduais da Região Bauru" vamos conversar muito sobre política.

Leia mais

ANÍSIO TEIXEIRA E AS POLÍTICAS DE EDIFICAÇÕES ESCOLARES NO RIO DE JANEIRO (1931-1935) E NA BAHIA (1947-1951)

ANÍSIO TEIXEIRA E AS POLÍTICAS DE EDIFICAÇÕES ESCOLARES NO RIO DE JANEIRO (1931-1935) E NA BAHIA (1947-1951) ANÍSIO TEIXEIRA E AS POLÍTICAS DE EDIFICAÇÕES ESCOLARES NO RIO DE JANEIRO (1931-1935) E NA BAHIA (1947-1951) DÓREA, Célia Rosângela Dantas Universidade do Estado da Bahia UNEB 1. INTRODUÇÃO O presente

Leia mais

RESUMO O HOMEM E O RIO: EDUCAÇÃO AMBIENTAL PARA A SUSTENTABILIDADE DO RIO PARAÍBA DO SUL

RESUMO O HOMEM E O RIO: EDUCAÇÃO AMBIENTAL PARA A SUSTENTABILIDADE DO RIO PARAÍBA DO SUL RESUMO O HOMEM E O RIO: EDUCAÇÃO AMBIENTAL PARA A SUSTENTABILIDADE DO RIO PARAÍBA DO SUL UNITAU - Universidade de Taubaté CBH-PS Comitê de Bacias Hidrográficas do Rio Paraíba do Sul Trabalho realizado

Leia mais

I CORPOS DE BOMBEIROS

I CORPOS DE BOMBEIROS I CORPOS DE BOMBEIROS Artigo 1 PESSOAL A Quadro de Comando 1-Nomeações 2-Exonerações 3-Renomeações 4-Licenças O CORPO DE BOMBEIROS DA MADALENA: Que, no período de 01 a 31de JUL10, esteve em gozo de licença,

Leia mais

COMISSÃO ELEITORAL REDUZIDA. Ata da Quarta Reunião

COMISSÃO ELEITORAL REDUZIDA. Ata da Quarta Reunião ELEIÇÃO PARA OS ÓRGÃOS SOCIAIS DA ASSOCIAÇÃO DE ESTUDANTES DA FACULDADE DE CIÊNCIAS DA UNIVERSIDADE DO PORTO COMISSÃO ELEITORAL REDUZIDA Ata da Quarta Reunião Ao sexto dia do mês de novembro de dois mil

Leia mais

INTERESSADO: Instituto de Educação Profissional SOS Computadores

INTERESSADO: Instituto de Educação Profissional SOS Computadores INTERESSADO: Instituto de Educação Profissional SOS Computadores EMENTA: Credencia o Instituto de Educação Profissional SOS Computadores, nesta Capital, e reconhece o curso de educação profissional técnica

Leia mais

CÂMARA MUNICIPAL DE ARCOS DE VALDEVEZ MINUTA DA ACTA DA REUNIÃO EXTRAORDINÁRIA DE 06 DE JULHO DE 2009

CÂMARA MUNICIPAL DE ARCOS DE VALDEVEZ MINUTA DA ACTA DA REUNIÃO EXTRAORDINÁRIA DE 06 DE JULHO DE 2009 CÂMARA MUNICIPAL DE ARCOS DE VALDEVEZ MINUTA DA ACTA DA REUNIÃO EXTRAORDINÁRIA DE 06 DE JULHO DE 2009 PRESIDÊNCIA: DR. FRANCISCO RODRIGUES DE ARAÚJO VEREADORES PRESENTES: DR. JOÃO MANUEL DO AMARAL ESTEVES

Leia mais

UNIVIERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA

UNIVIERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA UNIVIERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA Reconhecimento do curso de Licenciatura Plena em Pedagogia, com as habilitações em Pre-Escolar e Primeiras Séries do l Grau ministrado pela Faculdade de Educação do Estado

Leia mais

XVIII) e D. Pedro I (século XIX) defenderam posições políticas opostas e foram protagonistas de ações bastante distintas.

XVIII) e D. Pedro I (século XIX) defenderam posições políticas opostas e foram protagonistas de ações bastante distintas. Atividade extra Fascículo 2 História Unidade 4 Questão 1 Na unidade que você estudou, você pôde observar a foto da Praça Tiradentes no Rio de Janeiro, com a estátua de D. Pedro I ao centro. Tiradentes

Leia mais

Disciplina/Bloco Título ISBN Autor(es) Editora Preço Ciências Naturais- Bloco 1 Descobrir a Terra 7 978-989-647-667-0

Disciplina/Bloco Título ISBN Autor(es) Editora Preço Ciências Naturais- Bloco 1 Descobrir a Terra 7 978-989-647-667-0 Ensino Básico Recorrente Mediatizado Disciplina/Bloco Título ISBN Autor(es) Editora Preço Bloco 1 Descobrir a Terra 7 978-989-647-667-0 Cristina Antunes, Manuela Bispo, Paula Guindeira Areal Editores,

Leia mais

ASSOCIAÇÃO DE ATLETISMO DE SÃO MIGUEL

ASSOCIAÇÃO DE ATLETISMO DE SÃO MIGUEL ASSOCIAÇÃO DE ATLETISMO DE SÃO MIGUEL FOLHA DE RESULTADOS CORTA-MATO ESCOLAR 2013 PROVA: Corta-Mato Escolar - Fase de Ilha ORGANIZAÇÃO: S. Desporto de S. Miguel / A. Atletismo de S. Miguel DATA: 16 de

Leia mais

SEQUÊNCIA LISTA NOMINAL DOS CANDIDATOS APROVADOS 1 MAURO ROBERTO P. DUARTE 2 PAULO RENATO PEDRONI DE ALMEIDA 3 ALEX LOPES LYRIO 4 MARCOS ANDRE MURTA

SEQUÊNCIA LISTA NOMINAL DOS CANDIDATOS APROVADOS 1 MAURO ROBERTO P. DUARTE 2 PAULO RENATO PEDRONI DE ALMEIDA 3 ALEX LOPES LYRIO 4 MARCOS ANDRE MURTA LISTA NOMINAL DOS CANDIDATOS APROVADOS 1 MAURO ROBERTO P. DUARTE 2 PAULO RENATO PEDRONI DE ALMEIDA 3 ALEX LOPES LYRIO 4 MARCOS ANDRE MURTA RIBEIRO 5 ALEXANDRE FERREIRA DE MENEZES 6 ADALBERTO GOMES DA SILVA

Leia mais

Técnicos Especializados

Técnicos Especializados Nome da Escola : Data final da candidatura : Disciplina Projeto: Agrupamento de Escolas Alexandre Herculano, Porto Nº Escola : 153000 2015-09-03 Nº Horário : 75 Escola de Referência para a Educação Bilingue

Leia mais

Zeny Duarte Professora e Coordenadora do Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação - Ufba

Zeny Duarte Professora e Coordenadora do Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação - Ufba DA GRADUAÇÃO EM ARQUIVOLOGIA AO MESTRADO E DOUTORADO Zeny Duarte Professora e Coordenadora do Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação - Ufba Refletir sobre a preparação de um profissional arquivista

Leia mais

OS PROJETOS DE REFORMA DA ESCOLA PÚBLICA PROPOSTOS NO BRASIL ENTRE 1870 E 1880.

OS PROJETOS DE REFORMA DA ESCOLA PÚBLICA PROPOSTOS NO BRASIL ENTRE 1870 E 1880. OS PROJETOS DE REFORMA DA ESCOLA PÚBLICA PROPOSTOS NO BRASIL ENTRE 1870 E 1880. Introdução Maria Cristina Gomes Machado i Universidade Estadual de Maringá - UEM Josie Agatha Parrilha Silva ii Centro Universitário

Leia mais