Reuso da Água. Porque reutilizar água no mundo? Reuso

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Reuso da Água. Porque reutilizar água no mundo? Reuso"

Transcrição

1 Definições Reuso da Água FABIANO GENEROSO Biólogo Especialista em Técnicas Avançadas em Análises Clínicas - USP Especialista em Parasitologia Médica - USP Especialista em Controles Ambientais - SENAI Consultor Ambiental - ALFA Equipamentos Ambientais Reuso? Água Líquido composto de hidrogênio e oxigênio, sem cor, cheiro ou sabor, transparente em seu estado de pureza; quimicamente, é formado de dois átomos de hidrogênio e um de oxigênio; Água Todas as reações químicas do nosso organismo ocorrem em meio aquoso Fundamental para o metabolismo e saúde humana Fonte de sais minerais essenciais e excretora de substâncias tóxicas Porque reutilizar água no mundo? 97,5% da água do mundo > mares e oceanos Dos 2,5% restantes ¾ >icebergues e glaciares ¼ desta água > consumo humano desde que tenha escapado às diversas fontes poluidoras 1

2 Porque reutilizar água no Brasil? 12% da água doce disponível do mundo está aqui! Região Norte Rio Amazonas > maior bacia fluvial do mundo Aqüífero Guarani O Aqüífero Guarani é o maior manancial de água doce subterrânea transfronteiriço do mundo Porém A maior parte desta água encontrase afastada dos grandes centros urbanos A maior parte das águas próximas às grandes metrópoles está indisponível ao consumo humano Prioridades Segundo a lei de 8 de janeiro de 1997 DA POLÍTICA NACIONAL DE RECURSOS HÍDRICOS a prioridade dos recursos hídricos em situação de escassez é para consumo humano e dessedentação de animais, Cabe ao consumidor não residencial procurar sua auto-suficiência através da redução do consumo, da captação e principalmente do reuso 2

3 Tratamento de água para reuso Descarte do lodo Coagulação Floculação Decantação Filtração Cloração O material sólido separado do sistema é descartado em leitos de secagem até serem destinados corretamente. Reuso de esgoto Desarenação Remoção de sólidos grosseiros Aeróbio Anaeróbio Filtração Cloração Remoção de DBO Classe 1 Lavagem de carros e outros usos que requerem contato direto do usuário com a água, compossível aspiração de aerossóis pelo operador Turbidez < 5 NTU Coliformes fecais < 200 NMP/100ml Sólidos dissolvidos < 200 ppm ph > 6 e < 8 Cloro residual > 0,5 e < 1,5 ppm 3

4 Classe 2 Lavagens de pisos, calçadas e irrigação dos jardins, manutenção de lagos e canais para fins paisagísticos: Turbidez < 5 NTU Coliformes fecais < 500 NMP/ 500ml Cloro residual > 0,5 ppm Classe 3 Reuso na descarga dos vasos sanitários: Turbidez < 10 NTU Coliformes fecais < 500 NMP/100ml Obs: Água de enxague das máquinas de lavar roupas satisfazem este padrão Classe 4 Reuso nos pomares, cereais, forragens,pastagens para gado e outros cultivos através de escoamento superficial ou por sestema de irrigação pontual: Coliformes fecais < 5000 NMP/100ml Oxigênio dissolvido > 2,0 ppm Obs: A aplicação deve ser interrompida pelo menos 10 dias antes da colheita. ABNT NBR 13969:1997 Todo o sistema de reservação e de distribuição deve ser claramente identificado, através de placas de advertência nos locais estratégicos e nas torneiras, além do emprego de cores nas tubulações e nos tanques de reservação distintas das de água potável. 4

5 Água de reuso Aplicações Ao final do tratamento a água está apta a ser reutilizada para os diversos fins industriais Irrigação: paisagística, campos para cultivo Usos industriais: refrigeração, alimentação de caldeiras, água de processamento. Água de reuso Aplicações Usos urbanos não-potáveis: irrigação paisagística, combate ao fogo, descarga de vasos sanitários, sistemas de ar condicionado, lavagem de veículos, lavagem de ruas e pontos de ônibus, etc. Usos diversos: aqüicultura, construções, controle de poeira, dessedentação de animais Água de reúso Obrigado Economia/ investimento Até 90% O retorno do investimento pode se dar em até 4 meses Economia dos mananciais 5

reuso e utilização de água de chuva

reuso e utilização de água de chuva Definições Legislação sobre reuso e utilização de água de chuva FABIANO GENEROSO Biólogo Especialista em Técnicas Avançadas em Análises Clínicas - USP Especialista em Parasitologia Médica - USP Especialista

Leia mais

POLÍTICAS PÚBLICAS PARA REÚSO: LEGISLAÇÕES DA AUSTRÁLIA, DO BRASIL, DE ISRAEL E DO MÉXICO

POLÍTICAS PÚBLICAS PARA REÚSO: LEGISLAÇÕES DA AUSTRÁLIA, DO BRASIL, DE ISRAEL E DO MÉXICO POLÍTICAS PÚBLICAS PARA REÚSO: LEGISLAÇÕES DA AUSTRÁLIA, DO BRASIL, DE ISRAEL E DO MÉXICO Tamires Raquel Gonçalves Silva (1); Antônio Olívio Silveira Britto (1); Juliana de Oliveira Lemos (2); Marjory

Leia mais

Proposta de Água de Reúso ETE Insular

Proposta de Água de Reúso ETE Insular Proposta de Água de Reúso ETE Insular Setor Operacional de Esgoto SEOPE / AFLS Gerência de Políticas Operacionais GPO Gerência de Meio Ambiente - GMA Setor de Qualidade de Água e Esgoto /Gerência Operacional

Leia mais

Qualidade da água pluvial aproveitada em instalações residenciais no meio urbano: Santana de Parnaíba SP

Qualidade da água pluvial aproveitada em instalações residenciais no meio urbano: Santana de Parnaíba SP CAPTAÇÃO E MANEJO DE ÁGUA DE CHUVA PARA SUSTENTABILIDADE DE ÁREAS RURAIS E URBANAS TECNOLOGIAS E CONSTRUÇÃO DA CIDADANIA TERESINA, PI, DE 11 A 14 DE JULHO DE 2005 Qualidade da água pluvial aproveitada

Leia mais

% % % & )**+,-,*. &/$0.1*/0*2

% % % & )**+,-,*. &/$0.1*/0*2 !"#$ % % % & '( )**+,-,*. &/$0.1*/0*2 #' ## 0,3% ÁGUA DA SUPERFÍCIE 97% ÁGUA SALGADA (Mares e Oceanos) 3% ÁGUA DOCE 2,7% ÁGUA CONGELADA ## 3 10% 5% 85% AGRICULTURA INDÚSTRIA DOMICILIOS CLASSIFICAÇÃO DOS

Leia mais

RELATÓRIO ANUAL DE QUALIDADE DAS ÁGUAS DE ABASTECIMENTO - 2009

RELATÓRIO ANUAL DE QUALIDADE DAS ÁGUAS DE ABASTECIMENTO - 2009 RELATÓRIO ANUAL DE QUALIDADE DAS ÁGUAS DE ABASTECIMENTO - 2009 INTRODUÇÃO O objetivo deste relatório é apresentar os resultados, relativos ao ano de 2009, de qualidade das águas de abastecimento de Jurerê

Leia mais

Tecnologia em Água de Reuso e potencial de aplicação em processos industriais.

Tecnologia em Água de Reuso e potencial de aplicação em processos industriais. Tecnologia em Água de Reuso e potencial de aplicação em processos industriais. ESTAÇÃO DE TRATAMENTO DE ESGOTOS ETE JESUS NETTO ETE JESUS NETTO BACIA DE ESGOTAMENTO HISTÓRICO Estação Experimental de Tratamento

Leia mais

Tratamento de Água Meio Ambiente

Tratamento de Água Meio Ambiente Tratamento de Água Meio Ambiente Puc Campinas Engenharia de Computação César Kallas RA: 02099224 Introdução Conhecida como solvente universal, a água sempre retém algum resíduo dos materiais com os quais

Leia mais

11 2781-9270, 2781-2854 ou 2359-8015 vendas@novaeraambiental.com.br. www.novaeraambiental.com.br +55 11 2781-9270

11 2781-9270, 2781-2854 ou 2359-8015 vendas@novaeraambiental.com.br. www.novaeraambiental.com.br +55 11 2781-9270 11 2781-9270, 2781-2854 ou 2359-8015 vendas@novaeraambiental.com.br Empresa Fundada em 1993 pelo engenheiro químico Dr. Elso Vitoratto, a Nova Era Ambiental - Equipamentos e Serviços Ltda, presta serviços

Leia mais

UNIVERSIDADE SÃO FRANCISCO USF CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLÓGICAS ENGENHARIA CIVIL

UNIVERSIDADE SÃO FRANCISCO USF CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLÓGICAS ENGENHARIA CIVIL UNIVERSIDADE SÃO FRANCISCO USF CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLÓGICAS ENGENHARIA CIVIL EDUARDO CARDOSO DE CASTRO REUSO DAS ÁGUAS Dezembro de 2006 EDUARDO CARDOSO DE CASTRO REUSO DAS ÁGUAS Monografia

Leia mais

ANÁLISE DO POTENCIAL DE REÚSO DE EFLUENTES DE ESTAÇÕES DE TRATAMENTO DE ESGOTO NO ENFRENTAMENTO DA SECA NO INTERIOR DO CEARÁ

ANÁLISE DO POTENCIAL DE REÚSO DE EFLUENTES DE ESTAÇÕES DE TRATAMENTO DE ESGOTO NO ENFRENTAMENTO DA SECA NO INTERIOR DO CEARÁ ANÁLISE DO POTENCIAL DE REÚSO DE EFLUENTES DE ESTAÇÕES DE TRATAMENTO DE ESGOTO NO ENFRENTAMENTO DA SECA NO INTERIOR DO CEARÁ Marjory Barbosa Leite Tavares (1); Alana Karen Damasceno Queroga (2); Caroliny

Leia mais

V-023 - AVALIAÇÃO DA QUALIDADE DA ÁGUA A MONTANTE E A JUSANTE DE RESERVATÓRIOS LOCALIZADOS NA BACIA DO RIO SANTA MARIA DA VITÓRIA

V-023 - AVALIAÇÃO DA QUALIDADE DA ÁGUA A MONTANTE E A JUSANTE DE RESERVATÓRIOS LOCALIZADOS NA BACIA DO RIO SANTA MARIA DA VITÓRIA V023 AVALIAÇÃO DA QUALIDADE DA ÁGUA A MONTANTE E A JUSANTE DE RESERVATÓRIOS LOCALIZADOS NA BACIA DO RIO SANTA MARIA DA VITÓRIA Ivo Luís Ferreira Macina (1) Engenheiro Civil pela Universidade Federal do

Leia mais

X Encontro de Extensão

X Encontro de Extensão 5CTDECPEX02 APROVEITAMENTO DE ÁGUA DE CHUVA PARA FINS NÃO POTÁVEIS Celso Augusto Guimarães Santos (3); Klissia Magno (2); Mellyne Palmeira (1); Renan Dantas (1); Isabelle Yruska de Lucena Gomes Braga (2)

Leia mais

MANUAL DE CONSERVAÇÃO E REÚSO DA ÁGUA NA INDÚSTRIA

MANUAL DE CONSERVAÇÃO E REÚSO DA ÁGUA NA INDÚSTRIA MANUAL DE CONSERVAÇÃO E REÚSO DA ÁGUA NA INDÚSTRIA Manual de Conservação e Reúso de Água na Indústria FEDERAÇÃO DAS INDÚSTRIAS DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO - FIRJAN Eduardo Eugenio Gouvêa Vieira Presidente

Leia mais

Gestão de resíduos urbanos. João Paulo Nardin Tavares

Gestão de resíduos urbanos. João Paulo Nardin Tavares Gestão de resíduos urbanos João Paulo Nardin Tavares POLUIÇÃO DO SOLO O Solo É a formação natural na porção superficial da crosta terrestre. Permite o desenvolvimento vegetal na superfície terrestre Compreende

Leia mais

Tecitec implanta Estação de Tratamento Biológico

Tecitec implanta Estação de Tratamento Biológico Matéria de Capa Tecitec implanta Estação de Tratamento Biológico Este sistema de tratamento de efluentes desenvolvido pela empresa constitui um passo importante rumo ao reuso não-potável de água, com baixos

Leia mais

A água nossa de cada dia

A água nossa de cada dia A água nossa de cada dia Marco Antonio Ferreira Gomes* Foto: Eliana Lima Considerações gerais A água é o constituinte mais característico e peculiar do Planeta Terra. Ingrediente essencial à vida, a água

Leia mais

SCHUMANN. São Gonçalo, novembro de 2007 1/4

SCHUMANN. São Gonçalo, novembro de 2007 1/4 Laudo sobre os resultados analíticos da água da Fonte da Gameleira, situada no Centro de São Gonçalo dos Campos, Bahia. A coleta e o laudo foram elaborados por profissionais da empresa Schumann Consultoria

Leia mais

ESTUDO SOBRE VIABILIDADE TÉCNICA PARA REÚSO DE EFLUENTE NO SISTEMA DE JARDINAGEM EM UMA INDÚSTRIA DE FABRICAÇÃO DE EMBALAGENS DE PAPELÃO ONDULADO

ESTUDO SOBRE VIABILIDADE TÉCNICA PARA REÚSO DE EFLUENTE NO SISTEMA DE JARDINAGEM EM UMA INDÚSTRIA DE FABRICAÇÃO DE EMBALAGENS DE PAPELÃO ONDULADO ESTUDO SOBRE VIABILIDADE TÉCNICA PARA REÚSO DE EFLUENTE NO SISTEMA DE JARDINAGEM EM UMA INDÚSTRIA DE FABRICAÇÃO DE EMBALAGENS DE PAPELÃO ONDULADO Daiane Roberta Lopes dos Santos*, Edna dos Santos Almeida.

Leia mais

REUSO DE ÁGUA: possibilidades de redução do desperdício nas atividades domésticas

REUSO DE ÁGUA: possibilidades de redução do desperdício nas atividades domésticas REVISTA DO CEDS Periódico do Centro de Estudos em Desenvolvimento Sustentável da UNDB N. 1 agosto/dezembro 2014 Semestral Disponível em: http://www.undb.edu.br/ceds/revistadoceds REUSO DE ÁGUA: possibilidades

Leia mais

No nosso planeta podemos encontrar dois tipos de água: a doce e a salgada.

No nosso planeta podemos encontrar dois tipos de água: a doce e a salgada. Água Água é vida A água é para o Homem, para os animais e para as plantas um elemento de primeira necessidade, É essencial à vida! É indispensável ao Homem, como bebida, como alimento, para sua higiene

Leia mais

O SOLO E A ÁGUA NOS AMBIENTES RURAIS E URBANOS. Profa. Nerilde Favaretto UFPR-DSEA nfavaretto@ufpr.br

O SOLO E A ÁGUA NOS AMBIENTES RURAIS E URBANOS. Profa. Nerilde Favaretto UFPR-DSEA nfavaretto@ufpr.br O SOLO E A ÁGUA NOS AMBIENTES RURAIS E URBANOS Profa. Nerilde Favaretto UFPR-DSEA nfavaretto@ufpr.br O SOLO É ESSENCIAL PARA A VIDA NA TERRA serve de fundação a todos os ecossistemas SERVE DE FUNDAMENTAL

Leia mais

Apresentação ECTEL S T A R T

Apresentação ECTEL S T A R T Apresentação ECTEL START Quem Somos A Luftech atua no mercado desde 1992 desenvolvendo soluções para problemas ambientais causados por Resíduos Perigosos. Trabalhamos visando racionalidade econômica, segurança

Leia mais

I-024 APROVEITAMENTO DE ÁGUA DE CHUVA: AVALIAÇÃO DO SEU TRATAMENTO PARA FINS POTÁVEIS

I-024 APROVEITAMENTO DE ÁGUA DE CHUVA: AVALIAÇÃO DO SEU TRATAMENTO PARA FINS POTÁVEIS I-024 APROVEITAMENTO DE ÁGUA DE CHUVA: AVALIAÇÃO DO SEU TRATAMENTO PARA FINS POTÁVEIS José Alexandre Borges Valle (1) Engenheiro Químico pela Universidade Regional de Blumenau; Mestre em Engenharia Química

Leia mais

NORMA TÉCNICA COLIFORMES FECAIS PADRÃO DE LANÇAMENTO PARA EFLUENTES DOMÉSTICOS E/OU INDUSTRIAIS

NORMA TÉCNICA COLIFORMES FECAIS PADRÃO DE LANÇAMENTO PARA EFLUENTES DOMÉSTICOS E/OU INDUSTRIAIS NORMA TÉCNICA COLIFORMES FECAIS PADRÃO DE LANÇAMENTO PARA EFLUENTES DOMÉSTICOS E/OU INDUSTRIAIS CPRH Nº 2007 SUMÁRIO 1. OBJETIVO 2. DOCUMENTOS DE REFERÊNCIA 3. DEFINIÇÃO 4. CONDIÇÕES GERAIS 5. PADRÃO DE

Leia mais

Desafios e perspectivas do reuso de esgotos sanitários em áreas urbanas: O projeto da ETE Penha - CEDAE. Edição 26/03/08

Desafios e perspectivas do reuso de esgotos sanitários em áreas urbanas: O projeto da ETE Penha - CEDAE. Edição 26/03/08 Desafios e perspectivas do reuso de esgotos sanitários em áreas urbanas: O projeto da ETE Penha - CEDAE Edição 26/03/08 1 Desafios e perspectivas do reuso de esgotos sanitários em áreas urbanas: O projeto

Leia mais

Aproveitamento da água da chuva para fins não potáveis em áreas industriais

Aproveitamento da água da chuva para fins não potáveis em áreas industriais Ciência et Praxis v. 7, n. 14, (2014) 39 Aproveitamento da água da chuva para fins não potáveis em áreas industriais Rainwater utilization for non-potable purposes in industrial areas Tatiane Jacobassi

Leia mais

Captação e aproveitamento da água de chuva no setor urbano: realidade e perspectivas

Captação e aproveitamento da água de chuva no setor urbano: realidade e perspectivas 8o Simpósio Brasileiro de Captação e Manejo de Água de Chuva - Campina Grande (PB) 1 Captação e aproveitamento da água de chuva no setor urbano: realidade e perspectivas Ricardo Franci Gonçalves Prof.

Leia mais

FISPQ. Ficha de Informações de Segurança de Produto Químico AQUATACK RB-900 AQUATACK RB-900. Não disponível. Basile Química Ind. e Com. Ltda.

FISPQ. Ficha de Informações de Segurança de Produto Químico AQUATACK RB-900 AQUATACK RB-900. Não disponível. Basile Química Ind. e Com. Ltda. Folha: 1 / 5 1. IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA Nome do Produto: Código Interno: Principais usos recomendados: Cas number: Empresa: Endereço: Utilizado principalmente como agente de pegajosidade.

Leia mais

Tipos de Reuso. . Reuso Industrial

Tipos de Reuso. . Reuso Industrial Cerca de 71% da superfície do planeta Terra é coberta por água. Cerca de 97,5% dessa água é salgada e está nos oceanos, 2,5% é doce sendo que deles, 2% estão nas geleiras, e apenas 0,5% estão disponíveis

Leia mais

Simone Cristina de Oliveira Núcleo Gestor de Araraquara DAAE CESCAR Coletivo Educador de São Carlos, Araraquara, Jaboticabal e Região HISTÓRICO

Simone Cristina de Oliveira Núcleo Gestor de Araraquara DAAE CESCAR Coletivo Educador de São Carlos, Araraquara, Jaboticabal e Região HISTÓRICO Caracterização Histórica e Operacional da Estação de Tratamento de Esgotos Manoel Ferreira Leão Neto do Departamento Autônomo de Águas e Esgotos (DAAE) Araraquara-SP HISTÓRICO Simone Cristina de Oliveira

Leia mais

DIAGNÓSTICO AMBIENTAL DA BACIA HIDROGRÁFICA DO RIO ITAMAMBUCA (UBATUBA-SP): UMA ABORDAGEM VOLTADA AO SANEAMENTO AMBIENTAL

DIAGNÓSTICO AMBIENTAL DA BACIA HIDROGRÁFICA DO RIO ITAMAMBUCA (UBATUBA-SP): UMA ABORDAGEM VOLTADA AO SANEAMENTO AMBIENTAL DIAGNÓSTICO AMBIENTAL DA BACIA HIDROGRÁFICA DO RIO ITAMAMBUCA (UBATUBA-SP): UMA ABORDAGEM VOLTADA AO SANEAMENTO AMBIENTAL Graduando: André Muller Marinho Orientador: Marcos Eduardo Cordeiro Bernardes UNIVERSIDADE

Leia mais

Água e Qualidade de Vida Profª Lígia Cristina Palácio

Água e Qualidade de Vida Profª Lígia Cristina Palácio Água e Qualidade de Vida Profª Lígia Cristina Palácio http://video.globo.com/videos/player/entretenimento/0,,gim713411-7822-wanessa+camargo+canta+planeta+agua,00.html Objetivos: Reconhecer o valor da água

Leia mais

Uma visão sistêmica para conservação de água no ambiente construído

Uma visão sistêmica para conservação de água no ambiente construído Uma visão sistêmica para conservação de água no ambiente construído Profa. Dra. Marina S. de Oliveira Ilha FEC/UNICAMP Marina Ilha SBCS08 1 Distribuição da água doce superficial MUNDO CONT. AMERICANO Nordeste

Leia mais

Subprojeto- Ciências Biológicas

Subprojeto- Ciências Biológicas Subprojeto- Ciências Biológicas PIBID - 22/09/2014 1-O que é esgoto? (A) Água da chuva. (B) Água proveniente das resistências, comércio, indústria, etc. (C) Lixo. 2- Quais são os resíduos mais lançados

Leia mais

ANÁLISE DA VIABILIDADE TÉCNICA DE REUTILIZAÇÃO DO EFLUENTE DE UMA LAVANDERIA INDUSTRIAL

ANÁLISE DA VIABILIDADE TÉCNICA DE REUTILIZAÇÃO DO EFLUENTE DE UMA LAVANDERIA INDUSTRIAL ANÁLISE DA VIABILIDADE TÉCNICA DE REUTILIZAÇÃO DO EFLUENTE DE UMA LAVANDERIA INDUSTRIAL Frank Pavan de Souza Mestre em Engenharia Ambiental / IFF / RJ frankpavan@gmail.com Samyla Mota Ribeiro Areas Graduada

Leia mais

Nome do Autor: Endereço para correspondência:

Nome do Autor: Endereço para correspondência: TÍTULO: AVALIAÇÃO DA QUALIDADE DA ÁGUA E SUA RELAÇÃO COM O USO DO SOLO EM DOIS MANANCIAIS DE ABASTECIMENTO DO MUNICÍPIO DE GUARULHOS SP: RESERVATÓRIO DO TANQUE GRANDE E DO CABUÇU Nome do Autor: José Carlos

Leia mais

VIABILIDADE DE IMPLANTAÇÃO DE CISTERNAS PARA CAPTAÇÃO DE Á- GUA DE CHUVA - CASO JOINVILLE

VIABILIDADE DE IMPLANTAÇÃO DE CISTERNAS PARA CAPTAÇÃO DE Á- GUA DE CHUVA - CASO JOINVILLE VIABILIDADE DE IMPLANTAÇÃO DE CISTERNAS PARA CAPTAÇÃO DE Á- GUA DE CHUVA - CASO JOINVILLE carlos alberto klimeck gouvea (sociesc) gouvea@sociesc.org.br Ana Carolina Melo Alves Radavelli (sociesc) aninhama@msn.com

Leia mais

CAPTAÇÃO E UTILIZAÇÃO DA ÁGUA DA CHUVA

CAPTAÇÃO E UTILIZAÇÃO DA ÁGUA DA CHUVA CAPTAÇÃO E UTILIZAÇÃO DA ÁGUA DA CHUVA Débora Thomé Miranda Universidade Tecnológica Federal do Paraná - campus Toledo debora_thomeh@hotmail.com Carla Saliby Universidade Tecnológica Federal do Paraná

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO DE FORMIGA UNIFOR-MG CURSO ENGENHARIA CIVIL CÁSSIO REIS DA SILVA

CENTRO UNIVERSITÁRIO DE FORMIGA UNIFOR-MG CURSO ENGENHARIA CIVIL CÁSSIO REIS DA SILVA CENTRO UNIVERSITÁRIO DE FORMIGA UNIFOR-MG CURSO ENGENHARIA CIVIL CÁSSIO REIS DA SILVA ANÁLISE TÉCNICA E ECONÔMICA DA CAPTAÇÃO E REUSO DE ÁGUAS PLUVIAIS EM RESIDÊNCIAS DE FORMIGA - MG FORMIGA MG 2015 CÁSSIO

Leia mais

Monografia "ESTUDO DE PROPOSTAS PARA O USO RACIONAL E EFICIENTE DA ÁGUA"

Monografia ESTUDO DE PROPOSTAS PARA O USO RACIONAL E EFICIENTE DA ÁGUA UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS Escola de Engenharia Departamento de Engenharia de Materiais e Construção Curso de Especialização em Construção Civil Monografia "ESTUDO DE PROPOSTAS PARA O USO RACIONAL

Leia mais

PRESERVAÇÃO E MONITORAMENTO DE ÁGUA SUBTERRÂNEA PARA ABASTECIMENTO DE ÁGUA

PRESERVAÇÃO E MONITORAMENTO DE ÁGUA SUBTERRÂNEA PARA ABASTECIMENTO DE ÁGUA PRESERVAÇÃO E MONITORAMENTO DE ÁGUA SUBTERRÂNEA PARA ABASTECIMENTO DE ÁGUA Alexandre Matthiensen Embrapa Suínos e Aves alexandre.matthiensen@embrapa.br Perspectiva...» Aumento da população» Aumento na

Leia mais

ANÁLISE FÍSICO-QUÍMICA DA ÁGUA DE CHUVA NA CIDADE DE JOÃO PESSOA PARA USO NÃO POTÁVEL

ANÁLISE FÍSICO-QUÍMICA DA ÁGUA DE CHUVA NA CIDADE DE JOÃO PESSOA PARA USO NÃO POTÁVEL ANÁLISE FÍSICO-QUÍMICA DA ÁGUA DE CHUVA NA CIDADE DE JOÃO PESSOA PARA USO NÃO POTÁVEL Isabelle Yruska de Lucena Gomes da Costa 1 ; Celso Augusto Guimarães Santos 2 ; Rodolfo Luiz Bezerra Nóbrega 3 1 Aluna

Leia mais

Localização Estoques Hídricos

Localização Estoques Hídricos ÁGUA USO RACIONAL FUNDAÇÃO RELICTOS Ciclo da Água Estado Físico da Água. Localização Estoques Hídricos Água no Mundo Água no Nosso Corpo 74% do nosso corpo também é constituído de água. Assim como a água

Leia mais

REUSO DE ÁGUA A PARTIR DE EFLUENTE TRATADO TÉCNICAS E INOVAÇÕES

REUSO DE ÁGUA A PARTIR DE EFLUENTE TRATADO TÉCNICAS E INOVAÇÕES REUSO DE ÁGUA A PARTIR DE EFLUENTE TRATADO TÉCNICAS E INOVAÇÕES OBTER ÁGUA DE REUSO DE BOA QUALIDADE COMEÇA POR UM SISTEMA TRATAMENTO DE ESGOTOS DE ALTA PERFORMANCE TRATAMENTO PRIMÁRIO: CONSISTE NA SEPARAÇÃO

Leia mais

REQUISITOS PARA SOLICITAR OUTORGA OU RENOVAÇÃO DE OUTORGA DO DIREITO DE USO DOS RECURSOS HÍDRICOS

REQUISITOS PARA SOLICITAR OUTORGA OU RENOVAÇÃO DE OUTORGA DO DIREITO DE USO DOS RECURSOS HÍDRICOS REQUISITOS PARA SOLICITAR OUTORGA OU RENOVAÇÃO DE OUTORGA DO DIREITO DE USO DOS RECURSOS HÍDRICOS A) - QUANDO O CORPO HÍDRICO FOR UM AQUÍFERO (ÁGUA SUBTERRÂNEA/POÇO) 01 - Para todos os usos apresentar:

Leia mais

Ficha de Informação de Segurança de Produtos Químicos - FISPQ ADESIVO PISOFIX - OBRAFIX

Ficha de Informação de Segurança de Produtos Químicos - FISPQ ADESIVO PISOFIX - OBRAFIX Ficha de Informação de Segurança de Produtos Químicos - FISPQ ADESIVO PISOFIX - OBRAFIX 1. IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA Nome do produto: Pisofix ou Obrafix Nome da empresa: Indústria e Comércio

Leia mais

Seu comportamento faz a diferença! Dia Mundial da Água 22 de março

Seu comportamento faz a diferença! Dia Mundial da Água 22 de março Seu comportamento faz a diferença! Dia Mundial da Água 22 de março Como economizar água? 1. Fique somente o tempo necessário no banho. Enquanto usa shampoo no cabelo, desligue o chuveiro. Além da água,

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº, DE 2014

PROJETO DE LEI Nº, DE 2014 PROJETO DE LEI Nº, DE 2014 (Do Sr. Geraldo Resende) Estabelece a Política Nacional de Captação, Armazenamento e Aproveitamento de Águas Pluviais e define normas gerais para sua promoção. O Congresso Nacional

Leia mais

Nome do Produto: Inseticida Granulado LANDREX PLUS FISPQ N-: 17 Página 1/5 Data da última revisão: 24.05.2015

Nome do Produto: Inseticida Granulado LANDREX PLUS FISPQ N-: 17 Página 1/5 Data da última revisão: 24.05.2015 Página 1/5 1. IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA Empresa fabricante: Landrin Indústria e Comércio de Inseticidas Ltda. Tel.: XX54-3330-9600 Informação em caso de emergência Tel.: 0800 707 0550 Tel.:

Leia mais

P.42 Programa de Educação Ambiental - PEA. Cisterna Junho/2013

P.42 Programa de Educação Ambiental - PEA. Cisterna Junho/2013 P.42 Programa de Educação Ambiental - PEA Cisterna Junho/2013 Sendo a água doce um recurso natural escasso, as diversas questões a ela relacionadas são hoje motivo de preocupação em todo o mundo. Dentre

Leia mais

22º Congresso Brasileiro de Engenharia Sanitária e Ambiental

22º Congresso Brasileiro de Engenharia Sanitária e Ambiental 22º Congresso Brasileiro de Engenharia Sanitária e Ambiental 14 a 19 de Setembro 2003 - Joinville - Santa Catarina IV-028 - AVALIAÇÃO PRELIMINAR DA QUALIDADE DAS ÁGUAS DO RIACHO DE ÁGUA VERMELHA, MUNICÍPIO

Leia mais

QUALIDADE DAS ÁGUAS DOS POÇOS TUBULARES PROFUNDOS DO MUNICÍPIO DE PORTO ALEGRE ANALISADA EM RELAÇÃO À POTABILIDADE

QUALIDADE DAS ÁGUAS DOS POÇOS TUBULARES PROFUNDOS DO MUNICÍPIO DE PORTO ALEGRE ANALISADA EM RELAÇÃO À POTABILIDADE QUALIDADE DAS ÁGUAS DOS POÇOS TUBULARES PROFUNDOS DO MUNICÍPIO DE PORTO ALEGRE ANALISADA EM RELAÇÃO À POTABILIDADE Miriam Suzana Rodrigues Schwarzbach 1 Resumo - Em 1997, o Departamento Municipal de Água

Leia mais

PAC 05. Água de Abastecimento

PAC 05. Água de Abastecimento PAC 05 Página 1 de 9 PAC 05 Água de Abastecimento PAC 05 Página 2 de 9 1. Objetivo----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------03

Leia mais

ANÁLISE MICROBIOLOGICA FISICO-QUIMICA E IMPORTANCIA DA CONSERVAÇÃO DA ÁGUA EM ESCOLAS PÚBICAS DE NÍVEL FUNDAMENTAL E MÉDIO

ANÁLISE MICROBIOLOGICA FISICO-QUIMICA E IMPORTANCIA DA CONSERVAÇÃO DA ÁGUA EM ESCOLAS PÚBICAS DE NÍVEL FUNDAMENTAL E MÉDIO Belo Horizonte/MG 24 a 27/11/2014 ANÁLISE MICROBIOLOGICA FISICO-QUIMICA E IMPORTANCIA DA CONSERVAÇÃO DA ÁGUA EM ESCOLAS PÚBICAS DE NÍVEL FUNDAMENTAL E MÉDIO Lucas Blanger Bagnara*, Renata Baldessarini,

Leia mais

Serão distribuídos: Para os professores: Cinco módulos temáticos e um caderno de atividades. Para os alunos: um caderno de atividades.

Serão distribuídos: Para os professores: Cinco módulos temáticos e um caderno de atividades. Para os alunos: um caderno de atividades. professor Serão distribuídos: Para os professores: Cinco módulos temáticos e um caderno de atividades. Para os alunos: um caderno de atividades. Também serão produzidos, dentro de sala de aula, cartazes

Leia mais

Titulo: Educação para consumo da água

Titulo: Educação para consumo da água Titulo: Educação para consumo da água Patricia Lima Nogueira Marcelo Cruz Martins Giacchetti 1. Introdução A água encontra-se disponível de várias formas e é uma das substâncias mais comuns existentes

Leia mais

Lagoa aerada superficialmente: uma solução de baixo custo para o aumento de eficiência

Lagoa aerada superficialmente: uma solução de baixo custo para o aumento de eficiência 28 Hydro Agosto 29 Equipamentos Lagoa aerada superficialmente: uma solução de baixo custo para o aumento de eficiência Marcelo Pohlmann, da Brasworld Consultoria Ambiental, Josué Tadeu Leite França, Carlos

Leia mais

IV-027 - ASPECTOS HIDROLÓGICOS E QUALIDADE DA ÁGUA DO RIO CUBATÃO NORTE SANTA CATARINA

IV-027 - ASPECTOS HIDROLÓGICOS E QUALIDADE DA ÁGUA DO RIO CUBATÃO NORTE SANTA CATARINA 22º Congresso Brasileiro de Engenharia Sanitária e Ambiental 14 a 19 de Setembro 2003 - Joinville - Santa Catarina IV-027 - ASPECTOS HIDROLÓGICOS E QUALIDADE DA ÁGUA DO RIO CUBATÃO NORTE SANTA CATARINA

Leia mais

Reúso de Águas Residuais e Água Regenerada

Reúso de Águas Residuais e Água Regenerada Worshop Inovação e Tecnologias Globais em Saneamento. Reúso de Águas Residuais e Água Regenerada 29/07/2014 Eng.º Américo de Oliveira Sampaio Superintendente Pesquisa, Desenvolvimento Tecnológico e Inovação

Leia mais

Eficiência hídrica em espaços municipais

Eficiência hídrica em espaços municipais Uso eficiente de Água no setor doméstico Eficiência hídrica em espaços municipais 1 de outubro de 2014 2. Sumário 1. Enquadramento do plano para o uso eficiente da água 2. Otimização de procedimentos conducentes

Leia mais

SOCIEDADE DE EDUCAÇÃO DO VALE DO IPOJUCA FACULDADE DO VALE DO IPOJUCA - FAVIP COORDENAÇÃO DE ENGENHARIA CIVIL CURSO DE ENGENHARIA CIVIL

SOCIEDADE DE EDUCAÇÃO DO VALE DO IPOJUCA FACULDADE DO VALE DO IPOJUCA - FAVIP COORDENAÇÃO DE ENGENHARIA CIVIL CURSO DE ENGENHARIA CIVIL SOCIEDADE DE EDUCAÇÃO DO VALE DO IPOJUCA FACULDADE DO VALE DO IPOJUCA - FAVIP COORDENAÇÃO DE ENGENHARIA CIVIL CURSO DE ENGENHARIA CIVIL EDNALDO JÚNIOR QUEIROZ DOS SANTOS NOVAS TECNOLOGIAS EMPREGADAS PARA

Leia mais

D O S S I Ê T É C N I C O

D O S S I Ê T É C N I C O D O S S I Ê T É C N I C O Reúso da água em indústrias Lucas Gomes Rocha Fundação Centro Tecnológico de Minas Gerais / CETEC junho 2011 Copyright - Serviço Brasileiro de Respostas Técnicas - http://www.sbrt.ibict.br

Leia mais

ESTUDO SOBRE A APLICABILIDADE E TRATAMENTO DA ÁGUA CINZA NAS EDIFICAÇÕES STUDY ON THE APPLICABILITY AND TREATMENT OF GREY WATER IN BUILDING

ESTUDO SOBRE A APLICABILIDADE E TRATAMENTO DA ÁGUA CINZA NAS EDIFICAÇÕES STUDY ON THE APPLICABILITY AND TREATMENT OF GREY WATER IN BUILDING ESTUDO SOBRE A APLICABILIDADE E TRATAMENTO DA ÁGUA CINZA NAS EDIFICAÇÕES STUDY ON THE APPLICABILITY AND TREATMENT OF GREY WATER IN BUILDING Margolaine Giacchini 1 1 Centro de Ensino Superior dos Campos

Leia mais

Portaria de Potabilidade de Água Evolução e desafios contínuos

Portaria de Potabilidade de Água Evolução e desafios contínuos Portaria de Potabilidade de Água Evolução e desafios contínuos A evolução ao longo de anos das portarias sobre potabilidade de água tem sido um exemplo a ser seguido por outras legislações. A cada revisão

Leia mais

Saneamento no Distrito Federal

Saneamento no Distrito Federal Saneamento no Distrito Federal assunto Eng. Stefan Mühlhofer Mestre em Planejamento e Gestão Ambiental Superintendente de Projetos Distribuição da Água no Planeta 2,10% 97% 0,90% 0,87% 0,03% Água

Leia mais

Vitor Amadeu Souza vitor@cerne-tec.com.br

Vitor Amadeu Souza vitor@cerne-tec.com.br Tema: O Uso consciente da água Vitor Amadeu Souza vitor@cerne-tec.com.br O que é Meio Ambiente? Podemos definir o meio ambiente da seguinte forma: É o conjunto de todos os fatores que afetam diretamente

Leia mais

tecnologia Engenharia Agrícola y

tecnologia Engenharia Agrícola y tecnologia Engenharia Agrícola y Caetano Barreira / olhar imagem 64 z março DE 2015 A contribuição do campo Irrigação com água tratada de esgoto diminui a retirada dos mananciais e economiza fertilizantes

Leia mais

USO DE ÁGUA POTÁVEL PARA LAVAGEM DE CALÇADAS E VEÍCULOS EM VIAS PÚBLICAS

USO DE ÁGUA POTÁVEL PARA LAVAGEM DE CALÇADAS E VEÍCULOS EM VIAS PÚBLICAS USO DE ÁGUA POTÁVEL PARA LAVAGEM DE CALÇADAS E VEÍCULOS EM VIAS PÚBLICAS 1. EMENTA O presente trabalho tem por objetivo consolidar o posicionamento da Entidade acerca da proibição do uso de água potável

Leia mais

Apresentação Comercial Março/2013 TRATAMENTO DE ÁGUA E EFLUENTES

Apresentação Comercial Março/2013 TRATAMENTO DE ÁGUA E EFLUENTES Apresentação Comercial Março/2013 TRATAMENTO DE ÁGUA E EFLUENTES Atualmente, 1/3 da população mundial sofre escassez de água. Em 2050, mais de 2/3 da população mundial sofrerá deste problema! [ ] É consenso

Leia mais

DIMENSIONAMENTO DE ETEs TRATAMENTO POR DISPOSIÇÃO NO SOLO

DIMENSIONAMENTO DE ETEs TRATAMENTO POR DISPOSIÇÃO NO SOLO DIMENSIONAMENTO DE ETEs TRATAMENTO POR DISPOSIÇÃO NO SOLO Aníbal Oliveira Freire / DTDT Sandra Parreiras P. Fonseca / DVSD INTRODUÇÃO ETE-ROÇAS NOVAS/CAETÉ ROÇAS NOVAS : 1500 habitantes Encontro Técnico

Leia mais

REAPROVEITAMENTO DA ÁGUA POTÁVEL: REUSO DE ÁGUA PARA MINIMIZAR O DESPERDICIO EM VASOS SANITÁRIOS

REAPROVEITAMENTO DA ÁGUA POTÁVEL: REUSO DE ÁGUA PARA MINIMIZAR O DESPERDICIO EM VASOS SANITÁRIOS REAPROVEITAMENTO DA ÁGUA POTÁVEL: REUSO DE ÁGUA PARA MINIMIZAR O DESPERDICIO EM VASOS SANITÁRIOS (Fernanda Silva de Souza 1 ; Adriana da Silva Santos 2 ; Francisco Marto de Souza 3 ; Ellen Caroline Santos

Leia mais

IMPACTO DE UM LIXÃO DESATIVADO NA QUALIDADE DAS ÁGUAS SUBTERRÂNEAS LOCAIS

IMPACTO DE UM LIXÃO DESATIVADO NA QUALIDADE DAS ÁGUAS SUBTERRÂNEAS LOCAIS Castellón, 23-24 de julio de 28. IMPACTO DE UM LIXÃO DESATIVADO NA QUALIDADE DAS ÁGUAS SUBTERRÂNEAS LOCAIS Resumo Nóbrega, C.C.; Souza, I.M.F.; Athayde Júnior, G.B.; Gadelha, C.L.M. Departamento de Engenharia

Leia mais

AVALIAÇÃO ECONÔMICA DE ÁGUA DE IRRIGAÇÃO 04/11/2015 XVIII COBREAP

AVALIAÇÃO ECONÔMICA DE ÁGUA DE IRRIGAÇÃO 04/11/2015 XVIII COBREAP XVIII COBREAP Radegaz Nasser Júnior Engenheiro Civil e de Segurança do Trabalho Pós-graduado em Avaliações e Perícias (IBAPE-ES / UNIVILA) Mestre em Avaliações (UPV Universidade Politécnica de Valência

Leia mais

PROJETO O DESAFIO DA AÇÃO INTERSETORIAL PARA A SAÚDE O AMBIENTE E O TRABALHO NO CEARÁ: CONSTRUINDO REDE E TECENDO NÓS. SÉRIE 2:

PROJETO O DESAFIO DA AÇÃO INTERSETORIAL PARA A SAÚDE O AMBIENTE E O TRABALHO NO CEARÁ: CONSTRUINDO REDE E TECENDO NÓS. SÉRIE 2: PROJETO O DESAFIO DA AÇÃO INTERSETORIAL PARA A SAÚDE O AMBIENTE E O TRABALHO NO CEARÁ: CONSTRUINDO REDE E TECENDO NÓS. 2 ORIENTAÇÕES BÁSICAS PARA VIGILÂNCIA DA ÁGUA FORNECIDA POR CARRO-PIPA Escola de Saúde

Leia mais

Ingredientes ativos N CAS Faixa de concentração (%) Glicerina 56-81-5 > 30

Ingredientes ativos N CAS Faixa de concentração (%) Glicerina 56-81-5 > 30 1. IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA Nome do Produto: PNEU PRETINHO Aplicação: Foi desenvolvido para dar mais brilho, proteção, limpeza e conservação, aumentando a vida útil do pneu e evitando o ressecamento.

Leia mais

Tratamento Biológico de Efluentes - TBE

Tratamento Biológico de Efluentes - TBE Tratamento Biológico de Efluentes - TBE A Ecopraias Soluções Sustentáveis atua no desenvolvimento de projetos e na implantação de sistemas de Tratamento Biológico de Efluentes - TBE descentralizados em

Leia mais

SULFATO DE ALUMÍNIO PÓ

SULFATO DE ALUMÍNIO PÓ SULFATO DE ALUMÍNIO PÓ Sinônimos BARRA DE ALÚMEN Aparência SÓLIDO; CINZA - BRANCO; SEM ODOR; AFUNDA E MISTURA LENTAMENTE COM ÁGUA Fórmula molecular Al2(SO4). H2O Família química SAL INORGÂNICO MEDIDAS

Leia mais

21º Congresso Brasileiro de Engenharia Sanitária e Ambiental

21º Congresso Brasileiro de Engenharia Sanitária e Ambiental IV-030 - AVALIAÇÃO DA QUALIDADE DAS ÁGUAS DO RIO BAURU DETERMINAÇÃO DO IQA Carlos Alberto Ferreira Rino (1) Engenheiro Especialista em Gestão Ambiental e em Controle da Poluição Ambiental; Mestre em Engenharia

Leia mais

Projeto Para Conservação e Uso Sustentável Efetivos de Ecossistemas Manguezais no Brasil PROJETO PNUD BRA/07/G32

Projeto Para Conservação e Uso Sustentável Efetivos de Ecossistemas Manguezais no Brasil PROJETO PNUD BRA/07/G32 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE - MMA INSTITUTO CHICO MENDES DE CONSERVAÇÃO DA BIODIVERSIDADE PROJETOS ESPECIAIS-PNUD EQSW 103/104 1º Subsolo, Complexo Administrativo, Setor Sudoeste,

Leia mais

ESTAÇÃO DE PRODUÇÃO DE ÁGUA DE REÚSO EPAR CAPIVARI II SANASA - CAMPINAS 5º ENCONTRO NACIONAL DE ÁGUAS ABIMAQ SÃO PAULO - SP 14 DE AGOSTO DE 2014

ESTAÇÃO DE PRODUÇÃO DE ÁGUA DE REÚSO EPAR CAPIVARI II SANASA - CAMPINAS 5º ENCONTRO NACIONAL DE ÁGUAS ABIMAQ SÃO PAULO - SP 14 DE AGOSTO DE 2014 ESTAÇÃO DE PRODUÇÃO DE ÁGUA DE REÚSO EPAR CAPIVARI II SANASA - CAMPINAS 5º ENCONTRO NACIONAL DE ÁGUAS ABIMAQ SÃO PAULO - SP 14 DE AGOSTO DE 2014 Objetivos principais do tratamento de esgoto Necessidade...A

Leia mais

GESTÃO AMBIENTAL DE SISTEMAS DE TRATAMENTO DE ÁGUA

GESTÃO AMBIENTAL DE SISTEMAS DE TRATAMENTO DE ÁGUA GESTÃO AMBIENTAL DE SISTEMAS DE TRATAMENTO DE ÁGUA Giovana Kátie Wiecheteck* Universidade Estadual de Ponta Grossa, Doutoranda em Hidráulica e Saneamento pela Escola de Engenharia de São Carlos Universidade

Leia mais

CLORETO DE SÓDIO REFINADO

CLORETO DE SÓDIO REFINADO pág.:1/7 1- Identificação do produto e da empresa - Nome do produto: - Código interno de identificação do produto: 00093 - Nome da empresa: Casquimica Produtos Químicos Ltda - Endereço: Rua Castro Alves,

Leia mais

Diante da atual situação de desabastecimento de água na cidade. Orientações à população para uso da Água. prefeitura.sp.gov.

Diante da atual situação de desabastecimento de água na cidade. Orientações à população para uso da Água. prefeitura.sp.gov. Prefeitura do Município de São Paulo Secretaria Municipal da Saúde Coordenação de Vigilância em Saúde - COVISA 08 de abril de 05 Orientações à população para uso da Água Diante da atual situação de desabastecimento

Leia mais

Como poderá ser visto, na prática... o reuso não é tão simples assim!!!

Como poderá ser visto, na prática... o reuso não é tão simples assim!!! 1 REUSO de ÁGUA SERVIDA e/ou de ESGOTOS TRATADOS Atualmente, fala-se muito no REUSO DE ÁGUA SERVIDA ou ÁGUA RESULTANTE DO PROCESSO DE TRATAMENTO ESGOTOS, ocorre que para a reutilização dessas águas deve-se

Leia mais

Tecnologia e Inovação em Saneamento Básico

Tecnologia e Inovação em Saneamento Básico Tecnologia e Inovação em Saneamento Básico tecnologias avançadas GE para a abastecimento público e reúso de efluentes em regiões com escassez hídrica Marcus VG Vallero Gerente Comercial O&G e Saneamento

Leia mais

Diagnóstico dos Recursos Hídricos e Organização dos Agentes da Bacia do Rio Tubarão e Complexo Lagunar. Volume 2. Caracterização da Área

Diagnóstico dos Recursos Hídricos e Organização dos Agentes da Bacia do Rio Tubarão e Complexo Lagunar. Volume 2. Caracterização da Área Diagnóstico dos Recursos Hídricos e Organização dos Agentes da Bacia do Rio Tubarão e Complexo Lagunar Volume 2 Caracterização da Área 7.5.6 Metal-mecânica No presente trabalho a indústria metal-mecânica

Leia mais

Ficha de Informações de Segurança de Produto Químico

Ficha de Informações de Segurança de Produto Químico Ficha de Informações de Segurança de Produto Químico Nome do produto: CLORETO DE METILENO Page: (1 de 5) ATENÇÃO: Leia atentamente esta Ficha de Informações de Segurança de Produto Químico (FISPQ) antes

Leia mais

ASPECTOS REGULATÓRIOS PARA REÚSO DE ÁGUA NO BRASIL.

ASPECTOS REGULATÓRIOS PARA REÚSO DE ÁGUA NO BRASIL. Goiânia/GO 19 a 22/11/2012 ASPECTOS REGULATÓRIOS PARA REÚSO DE ÁGUA NO BRASIL. Iara Nunes Cunha UFG, Universidade Federal de Goiás, Bióloga, Especialista em Educação Ambiental e Desenvolvimento Sustentável.

Leia mais

UNIVERSIDADE GAMA FILHO ANANDA HELENA NUNES CUNHA REÚSO DE ÁGUA NO BRASIL

UNIVERSIDADE GAMA FILHO ANANDA HELENA NUNES CUNHA REÚSO DE ÁGUA NO BRASIL UNIVERSIDADE GAMA FILHO ANANDA HELENA NUNES CUNHA REÚSO DE ÁGUA NO BRASIL BRASÍLIA DF 2010 Livros Grátis http://www.livrosgratis.com.br Milhares de livros grátis para download. 1 ANANDA HELENA NUNES CUNHA

Leia mais

III-026 - MINIMIZAÇÃO DE RESÍDUOS EM INDÚSTRIA DE ACABAMENTO DE METAIS (ESTUDO DE CASO)

III-026 - MINIMIZAÇÃO DE RESÍDUOS EM INDÚSTRIA DE ACABAMENTO DE METAIS (ESTUDO DE CASO) III-026 - MINIMIZAÇÃO DE RESÍDUOS EM INDÚSTRIA DE ACABAMENTO DE METAIS (ESTUDO DE CASO) Márcia Capelini (1) Engenheira de Produção Mecânica formada pela Escola de Engenharia de São Carlos, Universidade

Leia mais

FICHA DE INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA DE PRODUTOS QUÍMICOS

FICHA DE INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA DE PRODUTOS QUÍMICOS FISPQ Nº: 059 Data da última revisão: 04/05/2013 Nome do Produto: Betugrout Super 1) IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA Nome do Produto: Betugrout Super Código do Produto:026050100. Nome da Empresa:Betumat

Leia mais

EFICIÊNCIA DE TRATAMENTO DE ÁGUA CINZA PELO BIOÁGUA FAMILIAR 1

EFICIÊNCIA DE TRATAMENTO DE ÁGUA CINZA PELO BIOÁGUA FAMILIAR 1 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 EFICIÊNCIA DE TRATAMENTO DE ÁGUA CINZA PELO BIOÁGUA FAMILIAR 1 Solange Aparecida Goularte Dombroski 2, Fábio dos Santos

Leia mais

FICHA DE INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA DE PRODUTO QUÍMICOS FISPQ 1. IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E EMPRESA 2. COMPOSIÇÃO E INFORMAÇÕES SOBRE OS INGREDIENTES

FICHA DE INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA DE PRODUTO QUÍMICOS FISPQ 1. IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E EMPRESA 2. COMPOSIÇÃO E INFORMAÇÕES SOBRE OS INGREDIENTES Pág. 1/9 FICHA DE INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA DE PRODUTO QUÍMICOS FISPQ 1. IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E EMPRESA Nome do produto: ISOMOLD Cód. Interno de Identificação do Produto: Nome da Empresa: POLIDENTAL

Leia mais

Ficha de Informações de Segurança de Produtos Químicos

Ficha de Informações de Segurança de Produtos Químicos FISPQ nº 006 Revisão: 04 Data: 26/08/2014 Página: 1/5 1. IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA 1.1 Identificação do produto Stanlux Pell 1.2 Principais usos recomendados Masterbatches para plásticos 1.3

Leia mais

MINISTÉRIO DA SAÚDE AGÊNCIA NACIONAL DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA DIRETORIA COLEGIADA RESOLUÇÃO Nº 161, DE 23 DE JUNHO DE 2004

MINISTÉRIO DA SAÚDE AGÊNCIA NACIONAL DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA DIRETORIA COLEGIADA RESOLUÇÃO Nº 161, DE 23 DE JUNHO DE 2004 MINISTÉRIO DA SAÚDE AGÊNCIA NACIONAL DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA DIRETORIA COLEGIADA RESOLUÇÃO Nº 161, DE 23 DE JUNHO DE 2004 DOU de 24/06/2004 (nº 120, Seção 1, pág. 83) Proíbe a instalação de novas máquinas

Leia mais

A QUALIDADE DAS ÁGUAS DE REÚSO

A QUALIDADE DAS ÁGUAS DE REÚSO Seminário Ganhos Econômicos e Ambientais com Reúso de Água A QUALIDADE DAS ÁGUAS DE REÚSO Engº. Regis Nieto Gerente do Setor de Avaliação de Sistemas de Saneamento Reúso da Água e Ações da CETESB Controle

Leia mais

FICHA DE INFORMAÇÃO DE SEGURANÇA DE PRODUTO QUÍMICO

FICHA DE INFORMAÇÃO DE SEGURANÇA DE PRODUTO QUÍMICO Página: 1 de 5 FISPQ Nº: 044 Data da última revisão: 22/10/2010 Nome do Produto: Fixomat AR 1) IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA Nome do Produto: Fixomat AR Código do Produto: 025215001, 025215018.

Leia mais

NEENMAX JARDIM CÓDIGO: 559 PAGINA 1/ 6

NEENMAX JARDIM CÓDIGO: 559 PAGINA 1/ 6 NEENMAX JARDIM CÓDIGO: 559 PAGINA 1/ 6 Emissão: 04/07/2011 Revisão: 08/12/2014 CÓDIGOS: 488, 412, 9256, 551, 420, 413. PAG 1/ 4 01 - IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA Nome do produto...: NEENMAX JARDIM

Leia mais

Química de Águas Naturais. -todas as formas de vida existentes no planeta Terra dependem da água;

Química de Águas Naturais. -todas as formas de vida existentes no planeta Terra dependem da água; Química de Águas Naturais todas as formas de vida existentes no planeta Terra dependem da água; a água cobre 70% da superfície do planeta, apenas uma parte dessa quantidade (~2,8%) é água doce sendo que

Leia mais