CENTRO UNIVERSITÁRIO DE JOÃO PESSOA UNIPÊ PRÓ REITORIA DE ENSINO DE GRADUAÇÃO COORDENAÇÃO DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO RAQUEL MAENY AZEVEDO DE OLIVEIRA

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "CENTRO UNIVERSITÁRIO DE JOÃO PESSOA UNIPÊ PRÓ REITORIA DE ENSINO DE GRADUAÇÃO COORDENAÇÃO DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO RAQUEL MAENY AZEVEDO DE OLIVEIRA"

Transcrição

1 1 CENTRO UNIVERSITÁRIO DE JOÃO PESSOA UNIPÊ PRÓ REITORIA DE ENSINO DE GRADUAÇÃO COORDENAÇÃO DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO RAQUEL MAENY AZEVEDO DE OLIVEIRA A PERCEPÇÃO DOS SEGUIDORES DA RELIGIAO CATÓLICA SOBRE AS ESTRATÉGIAS DE MARKETING ADOTADAS PELA IGREJA CATÓLICA APOSTÓLICA ROMANA NA CIDADE DE JOÃO PESSOA - PB João Pessoa 2008

2 2 RAQUEL MAENY AZEVEDO DE OLIVEIRA A PERCEPÇÃO DOS SEGUIDORES DA RELIGIAO CATÓLICA SOBRE AS ESTRATÉGIAS DE MARKETING ADOTADAS PELA IGREJA CATÓLICA APOSTÓLICA ROMANA NA CIDADE DE JOÃO PESSOA - PB Monografia apresentada ao Centro Universitário de João Pessoa UNIPÊ, como requisito para obtenção do título de Bacharel em Administração. Orientador: Prof: Cristine Helena Limeira Pimentel. João Pessoa 2008

3 3 O48a Oliveira, Raquel Maeny Azevedo de. A percepção dos seguidores da religião católica sobre as estratégias de marketing adotadas pela igreja católica apostólica romana na cidade de João Pessoa-PB-- João Pessoa, Monografia (Curso De Administração de Empresas) Centro Universitário de João Pessoa - UNIPÊ 1. Marketing. 2. Igreja. 3.Católica. 4. Religião. 5. Estratégias. I. Título. CDU 658.8

4 4 RAQUEL MAENY AZEVEDO DE OLIVEIRA A PERCEPÇÃO DOS SEGUIDORES DA RELIGIAO CATÓLICA SOBRE AS ESTRATÉGIAS DE MARKETING ADOTADAS PELA IGREJA CATÓLICA APOSTÓLICA ROMANA NA CIDADE DE JOÃO PESSOA - PB Monografia apresentada ao Centro Universitário de João Pessoa UNIPÊ, com requisito parcial para a obtenção do título de Bacharel em administração. Aprovada em.../.../de... BANCA EXAMINADORA Prof: Ms.Cristine Helena Limeira Pimentel Orientadora UNIPÊ Prof: Ms. Márcio Reinaldo de Lucena Ferreira Examinador - UNIPÊ Prof (a): Ms. Cristiana Cartaxo de Mello Lula Examinadora - UNIPÊ

5 5 Aos meus pais pelo carinho, apoio e confiança irrestrita na minha trajetória, propiciando as condições necessárias para a realização deste trabalho. Á Deus que me transmitiu luz, fé e paciência e, acima de tudo sabedoria para concretizar esse sonho. Aos meus entes queridos, que sempre me passaram perseverança. Á minha bisavó querida Maria Francisca de Azevedo (in memorian), que sempre me passou verdade e, que tudo se pode conseguir basta acreditar sempre.

6 6 AGRADECIMENTOS Aos meus pais, pelo apoio, a confiança para com a minha capacidade de realização, pelo investimento em meu desenvolvimento intelectual e, acima de tudo, pelo o amor que sempre tiveram por mim. Á Deus por me tornar o que eu sou hoje. Aos meus amigos, pelas reflexões criticas e sugestões sempre bem recebidas. Ao meu irmão, pelas vezes que me ajudou com a melhoria dos meus trabalhos. Á minha orientadora, pelo estímulo e competente orientação durante a pesquisa. Aos professores, pelo apoio no convívio estimulante durante o curso. Aos meus avós, por sempre me passarem o valor da integridade e do respeito e, de que a família é o que temos de mais importante. Á minha tia Rossana, por me mostrar que não importa os obstáculos, basta crer nas recompensas. Á Kleber Inácio por me mostrar que tudo pode ser lindo e perfeito e, por ter me ensinando um novo sentido para amar. As minhas amigas de sala Sabryna, Nadja, Nathálya, Marília, Cristiane e Marcela Stropp, pelo companheirismo e cumplicidade no cotidiano e nos deslanchar do curso. Um agradecimento em especial para as minhas amigas Sabryna e Nadja por tudo o que fizeram por mim. Aos meus outros entes, que sempre acreditaram em mim. Á Maria Francisca de Azevedo, pela mulher, mãe, avó, amiga que sempre foi. Por me ensinar a ter fé e ser uma pessoa integra. Onde a senhora mãe estiver obrigada pelas palavras bonitas, pelos versos antigos, pelas histórias de luta e, principalmente, pelos belos laços que davas em meus vestidos quando eu era criança, foi daí que me ensinastes que se queremos nos destacar em algo, temos que fazer bem feito.

7 7 A liberdade de procurar e dizer a verdade é um elemento essencial da comunicação humana, não só com relação aos fatos e à informação, mas também e especialmente sobre a natureza e destino da pessoa humana, com respeito à sociedade e o bem comum, com respeito à nossa relação com Deus. (Papa João Paulo II)

8 8 OLIVEIRA, Raquel Maeny Azevedo de. A PERCEPÇÃO DOS SEGUIDORES DA RELIGIÃO CATÓLICA SOBRE AS ESTRATÉGIAS DE MARKETING ADOTADAS PELA IGREJA CATÓLICA APOSTÓLICA ROMANA NA CIDADE DE JOÃO PESSOA - PB Monografia (Graduação em Administração de Empresas) Centro Universitário de João Pessoa UNIPÊ. RESUMO O Marketing vem se expandindo e atingindo outras áreas que pareciam não se adequarem a esse meio. A Religião vem mostrando cada vez mais a necessidade de técnicas do Marketing para se adaptar ao mercado competitivo em que se vive, mas mantendo sempre a ética e a moral dentro das suas instituições religiosas. O Marketing é uma área da Administração que se expandiu durante toda a história da humanidade, chegando com força total às instituições religiosas, ocorrendo o mesmo dentro da Igreja Católica, usando técnicas que são favoráveis no crescimento e no desenvolvimento organizacional e através deles se pode manter a fidelização dos clientes - fiéis. Apesar de toda a relutância de uma religião ainda muito tradicionalista, essa instituição milenar está se adaptando ao nosso mercado para não ser ultrapassada e assim esquecida. Assim nessa pesquisa foi realizado um estudo para identificar as mudanças dentro da igreja em questão. O objetivo principal é o de analisar o marketing aplicado dentro da igreja católica apostólica romana. Esse estudo identificará em as religiões existentes na cidade de João Pessoa e quantificando os fiéis. Demonstrando as estratégias utilizadas pela igreja e verificando a percepção dos fiéis quando a essas estratégias. Palavra chave: Marketing. Igreja. Católica. Religião. Estratégias.

9 9 OLIVEIRA, Raquel Maeny Azevedo de. THE PERCEPTION OF FOLLOWER OF THE CATHOLIC RELIOGION ON THE MARKETING STRATEGIES ADOPTED BY THE ROMAN CATHOLIC CHURCH IN THE CITY OF JOÃO PESSOA-PB Monograph (Graduation in Business administration) Centro Universitário de João Pessoa UNIPÊ. ABSTRACT The marketing has been expanding and reaching other areas that seemed not suitable for this means. The religion is increasingly showing the need for the marketing techniques to adapt to the competitive market in which they live, but always maintaining the ethics and morals within their religious institutions. Marketing is one area of government that has expanded throughout the history of humanity, arriving with full force to religious institutions, the same occurring within the Catholic Church, using techniques that are favorable for growth and organizational development and through them can remain the loyalty of customers believers. And with all the reluctance of religion still very traditionalist, this ancient institution is adapting to our market not to be overcome and forgotten. Where this survey was conducted a study to identify the changes within the church in question. The main objective is to analyze the marketing application within the apostolic Catholic Church Roman. This study will identify the religions of city of Joao Pessoa and the quantification of the faithful. Displaying the strategies used by the church and checking the perception of the faithful on these strategies. Key words: marketing. Church. Catholic. Religion. Strategies.

10 10 SUMÁRIO 1 INTRODUÇÃO 2 EVOLUÇÃO DA IGREJA CATÓLICA APOSTÓLICA ROMANA 2.1 Jesus Cristo: vida e conceitos Os seus percussores: Simão Pedro e Paulo de Tarso 2.2 Uma breve história geral da igreja católica apostólica romana Uma breve história da igreja católica apostólica romana no Brasil 2.3 Sua evolução em aspectos mundiais e no Brasil 2.4 Renovação carismática católica 3 MARKETING RELIGIOSO 3.1 Marketing geral Os compostos e instrumentos do marketing Marketing social e sem fins lucrativos 3.2 Marketing religioso Marketing na fé e na adoração O evangelho comum com o marketing 4 AS ESTRATÉGIAS DE MARKETING DA IGREJA CATÓLICA APOSTÓLICA ROMANA 4.1 Salvação: o produto da fé 4.2 Ibmc 4.3 Kater filho 4.4 O fenômeno do marketing católico: padre Marcelo Rossi 5 PROCEDIMENTOS METODOLÓGICOS 5.1 Caracterização da pesquisa 5.2 Problematização 5.3 Objetivos Objetivo geral Objetivos específicos 5.4 Instrumentos de coleta de dados 5.5 Procedimentos de coleta de dados 5.6 Organização e análise de dados

11 11 6 ANALISANDO O MARKETING APLICADO NA IGREJA CATÓLICA APOSTÓLICA ROMANA 6.1 Quantificações dos fiéis questionados 6.2 O marketing e os fiéis da igreja católica apostólica romana 7 CONSIDERAÇÕES FINAIS REFERÊNCIAS APÊNDICE A Questionário

12 12 1 INTRODUÇÃO O marketing consegue ser um campo desafiador e inovador, fazendo parte assim, do nosso cotidiano há muito tempo. Além do que, o marketing é uma das maiores ferramentas para a construção de relacionamentos, permitindo entender o comportamento das pessoas. Por intermédio das estratégias de marketing conseguiu-se a proeza de se expandir além das atividades empresariais, passando a ser aplicado a tudo que se relaciona ao social. A religião pode adotar essas técnicas, já que se adéqua perfeitamente ao social. E a Igreja Católica se encontra cada vez mais envolvida nesse ramo. O estudo revela que a adoção do marketing dentro da mesma está conseguindo construir novos entendimentos e relacionamentos para a consolidação de fiéis, permitindo entender as mudanças dentro do ambiente interno e externo. O motivo para a realização deste trabalho monográfico foi o de realizar uma pesquisa que identifica que até mesmo a religião mais antiga da história da humanidade, está adotando uma nova ordem para se relacionar com os fiéis, utilizando-se técnicas de marketing. Esses meios começaram a serem adotados pelo fato da Igreja Católica perceber que está perdendo gradativamente fiéis para outras religiões. O marketing aplicado de forma correta pode de certa forma, manter os fiéis existentes e conquistar novos. O objetivo principal deste trabalho é o de analisar o marketing dentro da Igreja Católica, tendo como foco principal a cidade de João Pessoa- PB verificaram-se as religiões existentes nesse espaço e, quantificaram-se os fiéis das mesmas. Além de estudar as estratégias de marketing utilizadas pela Igreja Católica e a percepção dos fiéis católicos para com esses métodos. A metodologia se definiu pelo estudo bibliográfico minucioso, a aplicação de um questionário e análise exploratória da questão discutida descritos em capítulos próprios. O trabalho mostra a evolução da Igreja Católica Apostólica Romana e como ela veio aceitando as mudanças com o decorrer dos séculos com ênfase ao marketing, que muitas das vezes é considerado como um estudo comercial também pode ser adotado dentro da religião. A finalidade desse trabalho é mostrar que o marketing pode sim favorecer a expansão de uma igreja tão tradicional e milenar, como é a Igreja Católica. Este trabalho está distribuído em seis partes, incluindo a introdução. A segunda parte refere-se a evolução da Igreja Católica Apostólica Romana, identificando os seus criadores e percussores, sua história de forma geral e no Brasil e o movimento Carismático Católico. A

13 13 terceira parte explica os conceitos de marketing e, como ela se adapta perfeitamente nas religiões. A quarta parte é onde estão localizado os procedimentos metodológicos como, os métodos que foram utilizados para a realização da pesquisa. A quinta parte encontra-se a análise de dados, parte fundamental da pesquisa, pois, é nele que se demonstra o resultado final, se analisando de forma clara e direta as respostas dos entrevistados. E por fim as considerações finais, que explica os resultados de uma forma detalhada e, de como essa pesquisa pode esclarecer e ajudar o marketing dentro da Igreja Católica.

14 14 2 A EVOLUÇÃO DA IGREJA CATÓLICA APÓSTOLICA ROMANA A Igreja Católica vem evoluindo e se modificando com o passar de sua história de mais de dois mil anos. E no decorrer desse capítulo isso será mostrado de forma minuciosa e direita, demonstrando que mesmo em uma instituição milenar uma estrutura pode ser modificada e adapta ao momento em que se vive JESUS CRISTO: VIDA E CONCEITOS Judeu nascido em Belém da Judéia. Nascendo em família humilde, recebendo instruções em uma escola da Sinagoga, o que era comum aos meninos Judeus. Jesus foi perseguido desde o seu nascimento, por ser anunciado como filho de Deus. E aos seus trinta anos, passou a conviver com pessoas humildes. Falava de maneira simples, sem nenhuma autoridade, mostrando sempre a preocupação para com o próximo, pregava sempre o perdão. Jesus então escolheu os seus doze discípulos, para que pudesse transmitir a Boa Nova, e para que o seu poder curasse as pessoas. Os discípulos eram: Simão Pedro (o príncipe dos apóstolos), André (o primeiro pescador de homens), João (o apóstolo bem amado), Tiago Maior (irmão de João), Felipe (o místico), Bartolomeu (o viajante), Tomé (o ascético), Mateus ( publicano), Tiago Maior, Judas Tadeu (o primo de Jesus), Simão (o cananeu) e Judas Iscariotes (o traidor). Outro apostolo famoso foi Paulo de Tarso, apóstolo dos gentios, não foi testemunha ocular de Jesus Cristo, mas convertido através das visões do Jesus ressuscitado, tornou-se um dos mais ardentes apóstolos do Cristianismo. Poucos dias antes da festa de Páscoa, Jesus disse aos seus doze discípulos: Vamos subir a Jerusalém. Ali vão me entregar nas mãos dos sumos sacerdotes e dos doutores da lei. Vão me condenar à morte e me entregarão aos romanos. Eles caçoarão de mim, cuspirão em mim, me baterão com chicote e me matarão. Mas, depois de três dias, eu ressuscitarei (Mc 10, 32 34). Foi sua popularidade que começou a perturbar as autoridades que temiam que ele fosse realmente o Messias. No monte das Oliveiras, foi entregue por Judas Iscariotes um dos discípulos com um beijo na face. Jesus foi julgado pelo próprio povo que ele tanto defendia. Jesus carregou a sua cruz até fora da cidade, ali o pregaram na cruz, já com a coroa de espinhos sobre a cabeça. Foi crucificado, sob ordem do governador Pônicio Pliatos. Jesus foi sepultado e ressuscitou ao terceiro dia como dizia em suas próprias palavras.

15 15 Passaram-se quarenta dias depois da páscoa. Durante esses dias, o Senhor teve encontros com os seus discípulos. Disse-lhes: Fiquem em Jerusalém e esperem pelo o ajudante que o pai lhes vai enviar. Serão minhas testemunhas aqui em Jerusalém e em outros países, até os últimos lugares da terra (Jesus Cristo). Depois de falar todas essas coisas para os seus discípulos, Jesus foi elevado aos céus. Mesmo com sua passagem rápida pela Terra, Jesus, o fundador de certa forma da empresa Cristã, utilizou muito bem as ferramentas de comunicação disponíveis na época, como já foi analisado por Kater Filho (1994), o consultor utilizado pelas instituições católicas. Jesus falava às multidões, subia as montanhas e usava a sua voz para passar os seus ensinamentos, onde um grande número de pessoas o ouvia. E também sabia muito bem escolher o local em que praticaria os milagres. Se for analisado de uma forma visionária do Marketing, Jesus fazia suas curas estrategicamente em cidades onde havia um grande fluxo de viajantes. As pessoas que iam até as cidades para trocar produtos ou participar de festas voltavam para suas regiões levavam a noticia de que a boa nova estava acontecendo. Sabia despertar os seus colaboradores e discípulos o ardor da misericórdia, ou como diria os homens do Marketing dos dias atuais, Jesus sabia motivar os seus seguidores para que fossem por todo o mundo e pregassem o evangelho em novas culturas. De forma simples, introduziu o conceito de Marketing boca a boca, presente nas diversas religiões até os dias de hoje. Por esse conceito tão antigo, o boca a boca, ainda atrai muitos clientes fieis. E com a força com que os comunicadores divulgavam e ainda divulgam o produto, faz com que todos atuem e, tomem atitudes que vão a encontro às necessidades do povo em geral. Para muitos Jesus foi o maior marketeiro da história. E não existe na façanha da humanidade, um homem tão preocupado com as necessidades das pessoas. Ele pregava o produto da salvação e o expandiu pelo mercado. Ele tocava diretamente nos receios das pessoas, e essa sim era a sua maior estratégia de Marketing. Jesus Cristo conseguiu modificar as crenças do mundo sendo firme em sua missão, e sendo um líder convicto em seus propósitos. O seu foco sempre era o perdão, onde os erros devem ser encarados como um aprendizado. Ele usou a interatividade para poder conseguir fixar as verdades, tendo o poder de transformar os ouvintes em agentes. Jesus não desprezava as coisas pequenas. Tanto que quando ele decidiu mudar o mundo, escolheu doze homens para trabalhar ao seu lado, e não centenas como muitos lideres.

16 16 Jesus não seguia as massas, ele os liderava. Ele não contava os acontecimentos, ele fazia acontecer. Era ávido para recrutar pessoas que ele considerasse capaz de substituí-lo. Jesus não escondia o seu poder, ele seguia ensinando. E por isso, esse seria o motivo de sua exatidão e segurança. As pessoas se aproximavam de Jesus por que ele não as via pela raça, situação social, ou pelo seu sexo. Ele as olhava com amor, e pelas suas reais necessidades. Jesus reconhecia as fraquezas das pessoas, e lhes fazia o possível para transmitir a segurança. Ele fazia com que as pessoas se comprometessem, Jesus esperava o melhor das pessoas. Jesus foi de certa forma um fenômeno cultural, que causou agitação espiritual e política em toda parte que esteve. Ele mudava a vida das pessoas toda vez que abria a boca Os seus Percussores: Simão Pedro e Paulo de Tarso Pedro tem uma importância central na teologia católica romana. É considerado o príncipe dos apóstolos e o fundador, junto com São Paulo, da igreja de Roma (a Santa Sé), sendo-lhe reconhecido ainda o titulo do primeiro Papa (um tanto de forma retardatária, posto que tal designação só começasse a ser usada cerca de dois séculos mais tarde, Pedro foi o primeiro Bispo de Roma). Essa circunstância é invocada pela Igreja Católica para que o Papa detenha uma posição de supremacia sobre toda a Igreja. Antes de se tornar um dos doze discípulos de Cristo, Simão Pedro era um pescador. Segundo o relato do evangelho de São Lucas (5:1-11), Pedro teria conhecido Jesus quando este lhe pediu que utilizasse uma das suas barcas, de forma a poder pregar a uma multidão de gente que o queria ouvir. Pedro, que estava a lavar redes com São Tiago e João, seus sócios, concedeu-lhe o lugar na barca que foi afastada um pouco da margem. No final da pregação, Jesus disse a Simão Pedro que fosse pescar de novo com as redes em águas mais profundas. Pedro diz-lhe que tentará em vão pescar durante toda a noite e nada conseguira, mas, em atenção ao seu pedido fez o ordenado. O resultado foi uma pescaria de tal monta que as redes iam rebentando, sendo necessária a ajuda da barca dos seus dois sócios, que também quase afundava puxando o montante de peixes. Numa atitude humildade e espanto Pedro prosta-se perante Jesus e diz para que se afaste dele, já que é um pecador. Jesus encoraja-o, então a segui-lo, dizendo que o tornará um pescador de homens.

17 17 Segundo relatos bíblicos, Simão Pedro foi o primeiro discípulo a professar a fé de que Jesus era o filho de Deus. É foi esse acontecimento que levou Jesus a chamá-lo de Pedro, que significa a pedra basilar da nova crença. Encontramos no relato do vento no Evangelho de São Mateus (16:13 23), onde Jesus teria perguntado aos seus discípulos (depois de ser informado que sobre ele corria entre o povo), E vós, quem pensais que eu sou?, ao que Pedro respondeu: És o Cristo, Filho de Deus vivo. Jesus ter- lhe dito então: Simão filho de Jonas, és um homem abençoado! Por isso, não te foi revelado nenhum homem, mas pelo meu Pai, que está no céu, por isso te digo, tu és Pedro, e sobre está pedra edificarei a minha igreja, e o poder da morte não poderá mais vencê-la. Dar-te-ei as chaves do Reino do Céu, e o que ligares na terra será ligado no céu. É por esta razão que São Pedro é geralmente representado com chaves na mão e a tradição apresenta-o como porteiro do Paraíso. Os Evangelhos referem-no muitas vezes (mais que a qualquer outro dos discípulos). No capitulo 21 do Evangelho de São João, é relatado que Cristo, ressuscitado, depois de perguntar repetidas vezes a Pedro se este a ama, lhe diz: Cuida das minhas ovelhas. Em verdade te digo: quando eras mais novo, cingias o cinto e ias para onde querias. Quando fores mais velho, estenderás as mãos e será outro a cingir-te o cinto, levando-te para onde não queres. O que indica que terá sido martirizado pela crucificação. Clemente de Roma, cerca de 95 d. C, alude ao martírio de Pedro, que sofreu inúmeras tribulações e que, como Paulo, teria dado o testemunho. Uma tradição um tanto quanto insegura, porém pitoresca, conta que sendo o primeiro Bispo de Roma, Pedro foi exortado pela comunidade romana a fugir da cidade onde os cristãos eram perseguidos e executados no Ciro Nero. Mas, no caminho se arrepende após uma visão que teve de Cristo, e voltou para ser martirizado com as suas ovelhas que foram abandonadas. Arrependido, volta para Roma e entrega-se às autoridades que o crucificam. Diz à tradição que exigiu que fosse crucificado de pernas para o ar, já que não se considerava digno de morrer da mesma forma que Cristo. Além de várias comprovações históricas, a Igreja Católica têm como prova bíblica desta sua estadia em Roma a primeira carta do próprio Pedro, em que diz: A igreja que está em Babilônia vos saúda, assim como meu filho (ajudante) Marcos, (capitulo 5, verso 13). Na opinião de muitos estudiosos, a Babilônia, assim como outro livro Bíblico, o Apocalipse de João, Apocalipse 17 e 18 também o faz, seria a própria Roma. Paulo considerado por muitos católicos, como o outro alicerce da igreja, nasceu em Tarso, que atualmente faz parte da Turquia, em uma família Judaica. Nasceu em uma data desconhecida, mas sem duvida antes do ano dez da nossa era. Seu pai, em circunstâncias que

18 18 se desconhece, adquiriu a cidadania romana mantendo a fé judaica, e educou-se na tradição judaica. Como era tradicional nas famílias judaicas, a criança recebeu dois nomes: um bíblico (Saulo) e o outro romano (Paulo). Paulo era um judeu piedoso. No inicio ele tinha eterna convicção de que Jesus não podia ser o Salvador, mas, sim um sedutor do povo. Por isso, Paulo ia de cidade em cidade, afastar a fé dos que acreditavam em Jesus. Quando em uma das viagens, teve uma experiência que iria mudar a sua vida. Um encontro místico com Jesus Cristo, que o questionava de porque ele o perseguia, e que o mandou procurar os seguidores dele. Paulo seguiu o dito, e lá encontrou um seguidor de Jesus, que não quis acreditar que Paulo tivesse virado um dos discípulos. Mas, depois viu que Cristo o tinha escolhido, e o recebeu na comunidade Cristã. Desde então, Paulo não era mais seu perseguidor, e sim começava a pregar o seu nome e os seus ensinamentos. Fundando comunidades Cristãs. Paulo como tantos outros peregrinos dos ensinamentos de Cristo, foi perseguido e teve que fugir de uma cidade para outra. Paulo de Tarso tinha um grande poder de persuasão, conseguia convencer e pregar justamente o que Jesus havia deixado. Mesmo quando era proibido de pregar os ensinamentos, ele ia há outras regiões evangelizar. Analisando-se por uma visão atual, Paulo era o promotor do produto da Salvação, que pode ser identificado nos dias de hoje, como um ato de venda pessoal em Marketing, o maior divulgador de todos os tempos do cristianismo. Paulo de Tarso, depois de Jesus, juntamente com Pedro são as figuras mais importantes do desenvolvimento do cristianismo. O que pode ser propriamente dito, os criadores da igreja católica. Após muitos anos de atividade missionária, com três grandes viagens apostólicas descritas na Bíblia. Foi preso em Jerusalém, sob a acusação de estar infiltrando gentios (os seus seguidores) no Templo de Jerusalém e, tendo apelado ao Imperador Romano, foi enviado a Roma, onde teria sido julgado e, após cerca de dois anos encarcerado, foi libertado. Reiniciou sua atividade missionária, sendo que, muito provavelmente visitou a Espanha e retornou a Ásia Menor, onde repentinamente preso e, mais uma vez, enviado a Roma. E lá, ficou preso no segundo subsolo do cárcere marmetino. Foi julgado e condenado à morte e, em face de ser cidadão romano, em vez de ser crucificado, teria sido decapitado. Seu tumulo encontra-se na Basílica de São Paulo, na via Ostiense, lugar tradicionalmente aceito como sendo de seu martírio.

19 19 Muitos acham que Paulo é a maior autoridade, até mesmo maior do que Pedro. Algo a nosso ver, não muito verdadeiro. Pois, os evangelhos mostram claramente a importância de Pedro como chefe do Colégio Apostólico e intermediário de Jesus Cristo. Tu és Kefa e sobre está Kefa edificarei a minha igreja. Essas palavras são mais do que suficientes para estabelecer a importância e a autoridade superior de Pedro. Juntando isso a testemunha dos Atos dos Apóstolos e o próprio testemunho de Paulo, que fez questão de se encontrar com Pedro para ter confirmação de sua missão. Segundo a tradição, Pedro e Paulo foram as colunas da Igreja de Roma. O alicerce do cristianismo. 2.2 UMA BREVE HISTÓRIA DA IGREJA CATÓLICA APOSTÓLICA ROMANA Essa história cobre aproximadamente mais de dois mil anos, e é uma das mais antigas instituições religiosas em atividade, influindo no mundo em aspectos espirituais religiosos, morais, políticos e sócio cultural. Acredita-se que a igreja católica foi fundada por Jesus Cristo e os católicos crêem que a igreja está alicerçada sobre o apóstolo Pedro, a quem Cristo prometeu o primado: sobre esta pedra edificarei a minha igreja e Dar te ei as chaves do Reino dos Céus (9 cf. Mt 16, 17 20) e depois de sua ressurreição o confirmou: apascenta os meus cordeiros (cf. Jo. 21, 15 17), e que teria apontado Pedro, depois Bispo de Roma, e os seus sucessores como fundamento e cabeça visível de toda igreja. O Cristianismo nasceu e desenvolveu-se dentro do quadro político cultural do Império Romano. Durante três séculos o império pagão perseguiu os cristãos, porque a sua religião representava outro universalismo e proibia os fiéis de prestarem culto religioso ao soberano. No século IV, o Cristianismo começou a ser tolerado pelo império, para depois alcançar estatuto de liberdade, se tornando religião oficial do Estado. Desde daí começaram a surgir fatos históricos que marcam até hoje os fundamentos do Cristianismo. A igreja católica teve um papel fundamental na formação e da consolidação do Feudalismo. No Século IX, não existia na Europa Ocidental quem não acreditasse em Deus. A igreja controlava a fé, os costumes, a cultura, o comportamento, e acima de tudo a ordem social. E aqueles que empunham a isso, eram rigorosamente punidos. Nesse período a igreja se transformou na maior proprietária de terras da Europa Ocidental, onde nessa época, a terra era principal fonte de poder e riqueza.

20 20 Desde o final da antiguidade, a hierarquia do clero era constituída pelo Papa e pelos Bispos e Padres. Eles formavam o clero secular, expressão que designava os sacerdotes que desenvolviam atividades voltadas para o público em geral. De uma forma mais paralela, foi desenvolvido o clero regular, formado por religiosos que vivam em mosteiros com regime de reclusão ou de semi reclusão. Os mosteiros ou monastérios desempenharam um importante papel cristianizando e mantendo escolas e bibliotecas. Durante a Alta Idade Média, as pessoas que sabiam ler e escrever em geral pertenciam ao clero. E por esse motivo, nesse momento da história, eles eram os únicos a possuir o domínio para o ensino formal. Ou seja, todo o ensino estava sob o controle da igreja e era voltado para o ingresso da vida religiosa. A língua para transmitir os ensinamentos era o latim, falado pelos integrantes do clero e pelas pessoas cultas. Os primeiros estudos eram feitos em escolas que funcionavam em conventos e igrejas das vilas, onde se aprendia a ler e escrever, noção de cálculo e canto religioso. O curso superior era sempre orientado por padres ou monges em escolas mantidas nas catedrais onde eram divididos em dois ciclos: o trivium (gramática, retórica e lógica) e o quadrivium (música, geometria e astronomia), e as universidades se restringiam a isso. E só no Século XIV que as entidades de ensino superior conseguiram sua autonomia. Devido à forte presença da igreja, os doutores (pensadores) da igreja, erma voltados para questões relativas aos dogmas e aos parceiros da fé, em uma tentativa de se formar uma religião organizada. Entre os principais religiosos que ajudaram a transformar religião de Cristo em uma doutrina formal está Santo Agostinho, que associava o Cristianismo aos textos do filósofo grego Platão e de seus seguidores. Santo Agostinho conseguiu construir argumentações que foram capazes de sustentar e explicar as verdades religiosas. Aqueles que questionavam as práticas instituídas pelos dogmas da Igreja eram considerados seus adversários. Em outras palavras, os que interpretavam os ensinamentos cristãos de maneira diferente daquela que a igreja pregava passavam a ser chamavam de hereges. E para manter a sua soberania, a igreja desencadeou uma guerra sem tréguas contra os hereges. A forma de reprimi-los, a igreja criou a excomunhão e o tribunal do Santo Oficio, mais conhecido como inquisição. O primeiro ato foi o de impedir que o cristão recebesse os benefícios da Salvação, concedidos por seu intermédio. Ficando oficial pelo Papa em A inquisição julgava os hereges e dissidentes, e os puniam de maneira implacável, condenandoas à morte na fogueira. O poder da igreja católica sobre as pessoas sempre focou o poder absoluto. Os hereges eram perseguidos pelas autoridades do clero, pela nobreza e pelos reis.

21 21 Esse é um ponto da história da igreja católica que não pode se orgulhar, não tendo nada de honroso e, sim ter uma vergonha absoluta Uma Breve História da Igreja Católica Apostólica Romana no Brasil O Cristianismo chegou ao Brasil já no seu descobrimento e, conseguiu lançar profundas raízes na sociedade. Durante os séculos XVI e XVII, o governo central de Portugal tentava um equilíbrio com a igreja católica, como intuito de diminuir os conflitos existentes entre os missionários, os colonos e os índios. Assim, o governo controlava as atividades da igreja na colônia, com isso, arcava com o sustento da instituição religiosa e, ganhava a obediência e o reconhecimento da igreja. Além disso, o governo era que nomeava os bispos e padres e, concedia as licenças para construção de igrejas, ajudando de forma financeira todo esse processo. A separação do estado e a igreja foi decretada logo após a proclamação da república. Garantindo assim, a liberdade religiosa. O governo de Getúlio Vargas foi marcado pela aprovação da constituição de 1934, onde é previsto uma colaboração entre a igreja e o estado, neste momento foram atendidas várias reivindicações católicas, tais como: aulas religiosas facultativas nas escolas públicas e a presença do nome de Deus na constituição. 2.3 SUA EVOLUÇÃO EM ASPECTOS MUNDIAIS E NO BRASIL Segundo a própria igreja católica a sua constituição consumou-se no dia de Pentecostes. Desde o começo o Cristianismo foi Universal. A igreja católica apostólica romana é a maior em proporções territoriais, ou seja, conta com o maior número de igrejas espalhadas por todo o mundo. Possui uma doutrina baseada na fé e na salvação eterna, na sua integridade a totalidade é liderada pelo Papa. Em particular, pode ser chamada também de igreja universal, pois, o nome católico significa universal. E sua sede fica em Roma, Itália, precisamente no Vaticano, também chamada de Santa Sé. Hoje a igreja católica é constituída por três vertentes: o clero tradicionalista, a renovação carismática e a teologia da libertação. Os Papas foram os grandes contribuintes para o desenvolvimento da igreja. O Papa Ângelo Giuseppe Roncalli, foi um deles. Mais conhecido pelo nome de João XXIII, foi o

4ª. Apostila de Filosofia História da Filosofia: Filosofia Grega: Período Helenístico Filosofia Medieval. Introdução

4ª. Apostila de Filosofia História da Filosofia: Filosofia Grega: Período Helenístico Filosofia Medieval. Introdução 1 4ª. Apostila de Filosofia História da Filosofia: Filosofia Grega: Período Helenístico Filosofia Medieval Introdução O último período da Filosofia Grega é o Helenístico (Sec. III a.c.-vi d.c.). É um período

Leia mais

Nasce uma nova Igreja

Nasce uma nova Igreja Nasce uma nova Igreja O Livro dos Atos dos Apóstolos é a segunda parte do Evangelho de São Lucas. No Evangelho, Lucas apresenta a vida e a atividade terrena de Jesus como a grande viagem que vai da Galiléia

Leia mais

Sumário. Motivo 1 A fé sem obras é morta - 9. Motivo 2 A Igreja é lugar de amor e serviço - 15. Motivo 3 O mundo tem fome de santidade - 33

Sumário. Motivo 1 A fé sem obras é morta - 9. Motivo 2 A Igreja é lugar de amor e serviço - 15. Motivo 3 O mundo tem fome de santidade - 33 1 a Edição Editora Sumário Motivo 1 A fé sem obras é morta - 9 Motivo 2 A Igreja é lugar de amor e serviço - 15 Motivo 3 O mundo tem fome de santidade - 33 Santos, Hugo Moreira, 1976-7 Motivos para fazer

Leia mais

Curso de Discipulado

Curso de Discipulado cidadevoadora.com INTRODUÇÃO 2 Este curso é formado por duas partes sendo as quatro primeiras baseadas no evangelho de João e as quatro últimas em toda a bíblia, com assuntos específicos e muito relevantes

Leia mais

Considerações sobre o Evangelho de João

Considerações sobre o Evangelho de João 1 Considerações sobre o Evangelho de João. O Evangelho de João nasceu do anúncio vivo, da memória de homens e mulheres que guardavam e transmitiam os ensinamentos transmitidos por Jesus.. O chão = vida

Leia mais

#61. 10.14 O batismo do Espírito Santo

#61. 10.14 O batismo do Espírito Santo 10.14 O batismo do Espírito Santo #61 Estudamos o novo nascimento e vimos como o Espírito Santo realiza essa obra juntamente com a Palavra de Deus. Tínhamos que entender o novo nascimento e como alguém

Leia mais

Igreja Batista Renovada de Boituva www.igrejabatista.boituvasp.com.br

Igreja Batista Renovada de Boituva www.igrejabatista.boituvasp.com.br 34 Lição 5 A Quem deve ser batizado? Antes de subir ao céu, o Senhor Jesus Cristo ordenou aos seus discípulos: E disse-lhes: Ide por todo o mundo, pregai o Evangelho a toda a criatura. Quem crê e for batizado

Leia mais

Obs.: José recebeu em sonho a visita de um anjo que lhe disse que seu filho deveria se chamar Jesus.

Obs.: José recebeu em sonho a visita de um anjo que lhe disse que seu filho deveria se chamar Jesus. Anexo 2 Primeiro momento: contar a vida de Jesus até os 12 anos de idade. Utilizamos os tópicos abaixo. As palavras em negrito, perguntamos se eles sabiam o que significava. Tópicos: 1 - Maria e José moravam

Leia mais

Capitulo 3 ESPIRITUALIDADE DA RENOVAÇÃO CARISMÁTICA CATÓLICA

Capitulo 3 ESPIRITUALIDADE DA RENOVAÇÃO CARISMÁTICA CATÓLICA Capitulo 3 ESPIRITUALIDADE DA RENOVAÇÃO CARISMÁTICA CATÓLICA Deus nos alerta pela profecia de Oséias de que o Povo dele se perde por falta de conhecimento. Cf. Os 4,6 1ª Tm 4,14 Porque meu povo se perde

Leia mais

A Apostolicidade da Fé

A Apostolicidade da Fé EMBARGO ATÉ ÀS 18H30M DO DIA 10 DE MARÇO DE 2013 A Apostolicidade da Fé Catequese do 4º Domingo da Quaresma Sé Patriarcal, 10 de Março de 2013 1. A fé da Igreja recebemo-la dos Apóstolos de Jesus. A eles

Leia mais

DIA DE ORAÇÃO PELA JMJ RIO2013

DIA DE ORAÇÃO PELA JMJ RIO2013 ROTEIRO PARA O DIA DE ORAÇÃO PELA JORNADA MUNDIAL DA JUVENTUDE RIO2013 Comissão Episcopal Pastoral para a Juventude - CNBB CANTO DE ENTRADA (Canto a escolha) (Este momento de oração pode ser associado

Leia mais

A Identidade da Igreja do Senhor Jesus

A Identidade da Igreja do Senhor Jesus A Identidade da Igreja do Senhor Jesus Atos 20:19-27 (Ap. Paulo) Fiz o meu trabalho como Servo do Senhor, com toda a humildade e com lágrimas. E isso apesar dos tempos difíceis que tive, por causa dos

Leia mais

Personal Commitment Guide. Guia de Compromisso Pessoal

Personal Commitment Guide. Guia de Compromisso Pessoal Personal Commitment Guide Guia de Compromisso Pessoal Nome da Igreja ou Evento Nome do Conselheiro Telefone 1. Salvação >Você já atingiu um estágio na vida em que você tem a certeza da vida eterna e que

Leia mais

A BELA HISTORIA DE JESUS DE NAZARÉ

A BELA HISTORIA DE JESUS DE NAZARÉ A BELA HISTORIA DE JESUS DE NAZARÉ O BATISMO DO SENHOR JESUS CRISTO E O COMEÇO DE SEU MINIST ÉRIO Volume 03 Escola: Nome : Professor (a): Data : / / 5) VAMOS BRINCAR DE FORCA? Marque com um x na letra

Leia mais

O CÂNON Sagrado compreende 46 Livros no ANTIGO TESTAMENTO e 27 Livros no NOVO TESTAMENTO.

O CÂNON Sagrado compreende 46 Livros no ANTIGO TESTAMENTO e 27 Livros no NOVO TESTAMENTO. Ao contrário do que parece à primeira vista, a Bíblia não é um livro único e independente, mas uma coleção de 73 livros, uma mini biblioteca que destaca o a aliança e plano de salvação de Deus para com

Leia mais

CRIANÇAS AJUDAM E EVANGELIZAM CRIANÇAS

CRIANÇAS AJUDAM E EVANGELIZAM CRIANÇAS CRIANÇAS AJUDAM E EVANGELIZAM CRIANÇAS Infância/Adolescencia MISSÃO MISSÃO. Palavra muito usada entre nós É encargo, incumbência Missão é todo apostolado da Igreja. Tudo o que a Igreja faz e qualquer campo.

Leia mais

O texto nomeia os 11, mais algumas mulheres, das quais só menciona Maria, com os irmãos de Jesus. Aqui aparece um fato curioso e edificante.

O texto nomeia os 11, mais algumas mulheres, das quais só menciona Maria, com os irmãos de Jesus. Aqui aparece um fato curioso e edificante. Aula 25 Creio na Igreja Católica.1 Frei Hipólito Martendal, OFM. 1. Leitura de At 2, 1-15. Ler e explicar... Dia de Pentecostes (=Quinquagésima) é o 50º dia depois da Páscoa. Os judeus celebravam a Aliança

Leia mais

No princípio era aquele que é a Palavra... João 1.1 UMA IGREJA COM PROPÓSITOS. Pr. Cristiano Nickel Junior

No princípio era aquele que é a Palavra... João 1.1 UMA IGREJA COM PROPÓSITOS. Pr. Cristiano Nickel Junior No princípio era aquele que é a Palavra... João 1.1 UMA IGREJA COM PROPÓSITOS Pr. Cristiano Nickel Junior O propósito é que a Igreja seja um exército com bandeiras Martyn Lloyd-Jones No princípio era aquele

Leia mais

Aspetos inclusivos e exclusivos na fé nova-apostólica

Aspetos inclusivos e exclusivos na fé nova-apostólica Igreja Nova Apostólica Internacional Aspetos inclusivos e exclusivos na fé nova-apostólica Depois de, na última edição, termos abordado os aspetos inclusivos e exclusivos no Antigo e no Novo Testamento,

Leia mais

Roteiro 5 Os apóstolos de Jesus. A missão dos doze apóstolos.

Roteiro 5 Os apóstolos de Jesus. A missão dos doze apóstolos. FEDERAÇÃO ESPÍRITA BRASILEIRA Estudo Aprofundado da Doutrina Espírita Livro 1 Cristianismo e Espiritismo Módulo II O Cristianismo Roteiro 5 Os apóstolos de Jesus. A missão dos doze apóstolos. 1 2 3 4 5

Leia mais

A Palavra de Deus. - É na Palavra de Deus que o homem encontra o conhecimento a respeito da Vida, de onde viemos e onde vamos viver a eternidade.

A Palavra de Deus. - É na Palavra de Deus que o homem encontra o conhecimento a respeito da Vida, de onde viemos e onde vamos viver a eternidade. A Palavra de Deus 2 Timóteo 3:16-17 Pois toda a Escritura Sagrada é inspirada por Deus e é útil para ensinar a verdade, condenar o erro, corrigir as faltas e ensinar a maneira certa de viver. 17 E isso

Leia mais

O seu conceito das religiões é como o seguinte quadro?

O seu conceito das religiões é como o seguinte quadro? ...as religiões? Sim, eu creio que sim, pois não importa a qual religião pertença. O importante é apoiar a que tem e saber levá-la. Todas conduzem a Deus. Eu tenho minha religião e você tem a sua, e assim

Leia mais

2.3. A MISSÃO NOS SINÓTICOS

2.3. A MISSÃO NOS SINÓTICOS 2.3. A MISSÃO NOS SINÓTICOS Sergio Bensur 1. RESUMO E OBJETIVO Resumo Os Evangelhos Sinóticos não apresentam uma visão unitária da missão. Embora tendo um pano de fundo comum cada um deles tem seu próprio

Leia mais

Vivendo a Liturgia Ano A

Vivendo a Liturgia Ano A Vivendo a Liturgia Junho/2011 Vivendo a Liturgia Ano A SOLENIDADE DA ASCENSÃO DO SENHOR (05/06/11) A cor litúrgica continua sendo a branca. Pode-se preparar um mural com uma das frases: Ide a anunciai

Leia mais

CARTA DE PRINCÍPIOS, CRENÇAS E VALORES 1 ALIANÇA CRISTÃ EVANGÉLICA BRASILEIRA Aliança Evangélica. A unidade na fé a caminho da missão

CARTA DE PRINCÍPIOS, CRENÇAS E VALORES 1 ALIANÇA CRISTÃ EVANGÉLICA BRASILEIRA Aliança Evangélica. A unidade na fé a caminho da missão CARTA DE PRINCÍPIOS, CRENÇAS E VALORES 1 ALIANÇA CRISTÃ EVANGÉLICA BRASILEIRA Aliança Evangélica A unidade na fé a caminho da missão Nossa Visão Manifestar a unidade da igreja por meio do testemunho visível

Leia mais

O Movimento de Jesus

O Movimento de Jesus O Movimento de Jesus Tudo começou na Galiléia Quando Jesus começou a percorrer a Palestina, indo das aldeias às cidades, anunciando a Boa Nova do Evangelho, o povo trabalhador ia atrás dele. A fama de

Leia mais

Poderá interromper e dialogar com o grupo; montar perguntas durante a exibição; montar grupos de reflexão após a exibição, e assim por diante.

Poderá interromper e dialogar com o grupo; montar perguntas durante a exibição; montar grupos de reflexão após a exibição, e assim por diante. O Catequista, coordenador, responsável pela reunião ou encontro, quando usar esse material, tem toda liberdade de organizar sua exposição e uso do mesmo. Poderá interromper e dialogar com o grupo; montar

Leia mais

LIÇÃO 2 Jesus, o Messias Prometido

LIÇÃO 2 Jesus, o Messias Prometido Nesta Lição Estudará... A Natureza da Profecia Bíblica A Importância das Profecias O Desenvolvimento da Profecia Messiânica O Ritual Profético As Profecias Sobre o Messias Humano e Divino Sacrifício e

Leia mais

SUGESTÃO PARA A REALIZAÇÃO DA ASSEMBLEIA PAROQUIAL ORAÇÃO INICIAL

SUGESTÃO PARA A REALIZAÇÃO DA ASSEMBLEIA PAROQUIAL ORAÇÃO INICIAL SUGESTÃO PARA A REALIZAÇÃO DA ASSEMBLEIA PAROQUIAL ORAÇÃO INICIAL 1 Ivocação ao Espirito Santo (oração ou canto) 2- Súplica inicial. (Em 2 coros: H- homens; M- mulheres) H - Procuramos para a Igreja/ cristãos

Leia mais

BASES DA CONVERSÃO CRISTÃ E DO DISCIPULADO

BASES DA CONVERSÃO CRISTÃ E DO DISCIPULADO BASES DA CONVERSÃO CRISTÃ E DO DISCIPULADO O que é uma pessoa cristã? É a pessoa que acredita que o Deus vivo é revelado em e por meio de Jesus Cristo, que aceita Jesus Cristo como Senhor e Salvador, que

Leia mais

Escola da Bíblia Rua Rio Azul, 200, Boa Viagem CEP: 51.030-050 Recife PE

Escola da Bíblia Rua Rio Azul, 200, Boa Viagem CEP: 51.030-050 Recife PE AS GRANDES DOUTRINAS DA BÍBLIA LIÇÃO 07 O QUE A BÍBLIA DIZ A RESPEITO DA SALVAÇÃO INTRODUÇÃO Chegamos ao que pode ser o tópico mais importante desta série: a salvação. Uma pessoa pode estar equivocada

Leia mais

10.7 Pedro e a pedra; início das profecias sobre a Igreja

10.7 Pedro e a pedra; início das profecias sobre a Igreja 10.7 Pedro e a pedra; início das profecias sobre a Igreja Aula 53 A primeira vez que a Igreja é profetizada diretamente, está em Mateus: Mateus 16:13~18;... edificarei a minha igreja. V.18; no original

Leia mais

IGREJA DE CRISTO INTERNACIONAL DE BRASÍLIA ESCOLA BÍBLICA

IGREJA DE CRISTO INTERNACIONAL DE BRASÍLIA ESCOLA BÍBLICA IGREJA DE CRISTO INTERNACIONAL DE BRASÍLIA ESCOLA BÍBLICA MÓDULO I - O NOVO TESTAMENTO Aula XXII A PRIMEIRA CARTA DE PEDRO E REFLEXÕES SOBRE O SOFRIMENTO Até aqui o Novo Testamento tem dito pouco sobre

Leia mais

O Calendário Judaico. Cronologia. Cronologia HARMONIZAÇÃO CRONOLÓGICA O ANO DO NASCIMENTO DE JESUS. Mt 2:1-23 Época do Nascimento:

O Calendário Judaico. Cronologia. Cronologia HARMONIZAÇÃO CRONOLÓGICA O ANO DO NASCIMENTO DE JESUS. Mt 2:1-23 Época do Nascimento: Há Harmonia Entre os Evangelhos? Mar/Abr/2015 Vlademir Hernandes AULA 3 15/3/2015 Recapitulação A importância dos Evangelhos Por que 4 evangelhos Bibliografia A necessidade de harmonização Exercícios sobre

Leia mais

18 Estudos Bíblicos para Evangelismo e Discipulado

18 Estudos Bíblicos para Evangelismo e Discipulado LIÇÃO 1 - EXISTE UM SÓ DEUS 18 Estudos Bíblicos para Evangelismo e Discipulado A Bíblia diz que existe um único Deus. Tiago 2:19, Ef. 4 1- O Deus que Criou Todas as coisas, e que conduz a sua criação e

Leia mais

A AÇÃO EDUCATIVA NA ÓTICA DAS SETE LEIS DO APRENDIZADO RESUMO

A AÇÃO EDUCATIVA NA ÓTICA DAS SETE LEIS DO APRENDIZADO RESUMO 1 A AÇÃO EDUCATIVA NA ÓTICA DAS SETE LEIS DO APRENDIZADO Julimar Fernandes da Silva 1. RESUMO A Educação nos dias atuais é um desafio constante, tanto para a sociedade como para Igreja cristã. Nesse sentido,

Leia mais

Teologia Bíblica de Missões SEFO 2013

Teologia Bíblica de Missões SEFO 2013 Teologia Bíblica de Missões SEFO 2013 1 ª Aula Fabio Codo Fábio Codo - http://teologiaaservicoevangelho.wordpress.com Igreja Evangélica Assembleia de Deus Ministério Madureira Campo de Mogi das Cruzes

Leia mais

A história da Igreja e sua problemática A história da Igreja na Idade Antiga

A história da Igreja e sua problemática A história da Igreja na Idade Antiga SUMÁRIO Introdução... 11 A história da Igreja e sua problemática... 17 A. Alguns pressupostos e indicações básicos antes de começar o caminho... 17 Trata-se de um ramo da ciência histórica ou da ciência

Leia mais

Aula 5.1 Conteúdo: As grandes Religiões de matriz ocidental Judaísmo Cristianismo Islamismo ENSINO RELIGIOSO CONTEÚDO E HABILIDADES

Aula 5.1 Conteúdo: As grandes Religiões de matriz ocidental Judaísmo Cristianismo Islamismo ENSINO RELIGIOSO CONTEÚDO E HABILIDADES CONTEÚDO E HABILIDADES FORTALECENDO SABERES DESAFIO DO DIA Aula 5.1 Conteúdo: As grandes Religiões de matriz ocidental Judaísmo Cristianismo Islamismo 2 CONTEÚDO E HABILIDADES FORTALECENDO SABERES DESAFIO

Leia mais

O chamado de Jesus ao discipulado

O chamado de Jesus ao discipulado Lição 3 12 a 19 de janeiro O chamado de Jesus ao discipulado Sábado à tarde Ano Bíblico: Gn 37 39 VERSO PARA MEMORIZAR: "Ora, a fé é a certeza de coisas que se esperam, a convicção de fatos que se não

Leia mais

Ev. Jacson Austragésilo 10/05/2015

Ev. Jacson Austragésilo 10/05/2015 1 2 3 4 OBJETIVO GERAL Mostrar a importância das mulheres no ministério do Senhor Jesus Cristo e na expansão do Reino de Deus. 5 OBJETIVOS ESPECÍFICOS Analisar a participação das mulheres no judaísmo e

Leia mais

Uma leitura apressada dos Atos dos Apóstolos poderia nos dar a impressão de que todos os seguidores de Jesus o acompanharam da Galileia a Jerusalém,

Uma leitura apressada dos Atos dos Apóstolos poderia nos dar a impressão de que todos os seguidores de Jesus o acompanharam da Galileia a Jerusalém, Uma leitura apressada dos Atos dos Apóstolos poderia nos dar a impressão de que todos os seguidores de Jesus o acompanharam da Galileia a Jerusalém, lá permanecendo até, pelo menos, pouco depois de Pentecostes.

Leia mais

MANUAL. Esperança. Casa de I G R E J A. Esperança I G R E J A. Esperança. Uma benção pra você! Uma benção pra você!

MANUAL. Esperança. Casa de I G R E J A. Esperança I G R E J A. Esperança. Uma benção pra você! Uma benção pra você! MANUAL Esperança Casa de I G R E J A Esperança Uma benção pra você! I G R E J A Esperança Uma benção pra você! 1O que é pecado Sem entender o que é pecado, será impossível compreender a salvação através

Leia mais

TOMADA DE POSSE DO NOVO PÁROCO - CELEBRAÇÃO (cf. Cerimonial dos Bispos, nn. 1185-1198) DIOCESE DE CRUZEIRO DO SUL AC/AM

TOMADA DE POSSE DO NOVO PÁROCO - CELEBRAÇÃO (cf. Cerimonial dos Bispos, nn. 1185-1198) DIOCESE DE CRUZEIRO DO SUL AC/AM Página 1 TOMADA DE POSSE DO NOVO PÁROCO - CELEBRAÇÃO (cf. Cerimonial dos Bispos, nn. 1185-1198) DIOCESE DE CRUZEIRO DO SUL AC/AM 01. Canto de Entrada 02. Saudação inicial do celebrante presidente 03. Leitura

Leia mais

8º Capítulo. Petros Os Dons Pilares 1ª Parte

8º Capítulo. Petros Os Dons Pilares 1ª Parte 8º Capítulo Petros Os Dons Pilares 1ª Parte O texto de I Co 12:7-11 fala sobre os dons espirituais, aqui chamados de carismáticos; O texto de Ef 4:11 fala sobre os dons ministeriais, aqui chamados de dons

Leia mais

Marista e Vaticano II: Eles não têm mais vinho? Márcio L. de Oliveira

Marista e Vaticano II: Eles não têm mais vinho? Márcio L. de Oliveira Marista e Vaticano II: Eles não têm mais vinho? Márcio L. de Oliveira 1. Celebrar e (Re) Pensar Ensina-nos a contar os nossos dias, para que venhamos a ter um coração sábio (Sl 90,12). As palavras do salmista

Leia mais

Jovens Líderes. Resumindo: O líder íntegro tem uma vida Reta diante de Deus e das pessoas.

Jovens Líderes. Resumindo: O líder íntegro tem uma vida Reta diante de Deus e das pessoas. Jovens Líderes Estudo preparado para a UniJovem dia 27/11/2010 Por Paulo Berberth Hoje teremos a eleição para a diretoria da UniJovem 2011 2012. Então achei importante destacar algumas Qualidades Imprescindíveis

Leia mais

SEMANA DE FORMAÇÃO TEOLÓGICA PARÓQUIA SANTO ANTONIO Itapira SP

SEMANA DE FORMAÇÃO TEOLÓGICA PARÓQUIA SANTO ANTONIO Itapira SP SEMANA DE FORMAÇÃO TEOLÓGICA PARÓQUIA SANTO ANTONIO Itapira SP CREIO (N)A SANTA IGREJA CATÓLICA I CRER DE MODO ECLESIAL NO CONTEÚDO DA FÉ CRISTÃ. A PROFISSÃO DE FÉ DA IGREJA A FÉ BATISMAL A PROFISSÃO DE

Leia mais

Perfil da Igreja que possui maturidade

Perfil da Igreja que possui maturidade Perfil da Igreja que possui maturidade TEXTO BÍBLICO BÁSICO Atos 2.7-45 7 - E, ouvindo eles isto, compungiram-se em seu coração, e perguntaram a Pedro e aos demais apóstolos: Que faremos, homens irmãos?

Leia mais

#98r. 11.10 As duas testemunhas pregam na terra e vão para o céu ( Apocalipse 11:1~14)

#98r. 11.10 As duas testemunhas pregam na terra e vão para o céu ( Apocalipse 11:1~14) 11.10 As duas testemunhas pregam na terra e vão para o céu ( Apocalipse 11:1~14) O cap.11 é considerado um capítulo de difícil entendimento, principalmente para identificar-se o período, dentro da Tribulação,

Leia mais

MISSÃO E CRESCIMENTO DA IGREJA IGREJA: CORPO VIVO DE CRISTO. Estudo Bíblico

MISSÃO E CRESCIMENTO DA IGREJA IGREJA: CORPO VIVO DE CRISTO. Estudo Bíblico MISSÃO E CRESCIMENTO DA IGREJA IGREJA: CORPO VIVO DE CRISTO Estudo Bíblico Bispo Luiz Vergílio / Caxias do Sul/RS Abril de 2009 Ministerial de Pastores e Pastoras 1 MISSÃO DA IGREJA E CRESCIMENTO I. IGREJA

Leia mais

Estudo de I Coríntios Introdução + 1ª lição 1 I CORÍNTIOS INTRODUÇÃO PONTOS SOBRESSALIENTES DE CADA CAPÍTULO

Estudo de I Coríntios Introdução + 1ª lição 1 I CORÍNTIOS INTRODUÇÃO PONTOS SOBRESSALIENTES DE CADA CAPÍTULO Estudo de I Coríntios Introdução + 1ª lição 1 I CORÍNTIOS INTRODUÇÃO PONTOS SOBRESSALIENTES DE CADA CAPÍTULO CAPÍTULO 1 1. A graça de Deus dada aos coríntios. 2. A confirmação. 3. O espírito sectário.

Leia mais

A Unidade de Deus. Jesus Cristo é o Único Deus. Pai Filho Espírito Santo. Quem é Jesus? Como os Apóstolos creram e ensinaram? O que a Bíblia diz?

A Unidade de Deus. Jesus Cristo é o Único Deus. Pai Filho Espírito Santo. Quem é Jesus? Como os Apóstolos creram e ensinaram? O que a Bíblia diz? A Unidade de Deus Quem é Jesus? Como os Apóstolos creram e ensinaram? O que a Bíblia diz? Vejamos a seguir alguns tópicos: Jesus Cristo é o Único Deus Pai Filho Espírito Santo ILUSTRAÇÃO Pai, Filho e Espírito

Leia mais

BIÊNIO 2012-2013. Tema Geral da Igreja Metodista "IGREJA: COMUNIDADE MISSIONÁRIA A SERVIÇO DO POVO ESPALHANDO A SANTIDADE BÍBLICA. Tema para o Biênio

BIÊNIO 2012-2013. Tema Geral da Igreja Metodista IGREJA: COMUNIDADE MISSIONÁRIA A SERVIÇO DO POVO ESPALHANDO A SANTIDADE BÍBLICA. Tema para o Biênio 1 IGREJA METODISTA PASTORAL IMED PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO E PLANO DE AÇÃO BIÊNIO 2012-2013 Tema Geral da Igreja Metodista "IGREJA: COMUNIDADE MISSIONÁRIA A SERVIÇO DO POVO ESPALHANDO A SANTIDADE BÍBLICA

Leia mais

QUEM É JESUS. Paschoal Piragine Jr 1 31/08/2015

QUEM É JESUS. Paschoal Piragine Jr 1 31/08/2015 1 QUEM É JESUS Jo 1 26 Respondeu João: Eu batizo com água, mas entre vocês está alguém que vocês não conhecem. 27 Ele é aquele que vem depois de mim, e não sou digno de desamarrar as correias de suas sandálias

Leia mais

Sumário. Prefácio...3. 1. As evidências da ressurreição de Cristo...5. 2. Se Jesus está vivo, onde posso encontrá-lo?...15

Sumário. Prefácio...3. 1. As evidências da ressurreição de Cristo...5. 2. Se Jesus está vivo, onde posso encontrá-lo?...15 1 Sumário Prefácio...3 1. As evidências da ressurreição de Cristo...5 2. Se Jesus está vivo, onde posso encontrá-lo?...15 Comunidade Presbiteriana Chácara Primavera Ministério de Grupos Pequenos Março

Leia mais

Dia 23 de Janeiro - Domingo

Dia 23 de Janeiro - Domingo Comunidade de Católicos Brasileiros Diocese de Arlington, Virginia EUA Leituras da missa para o domingo dia 23 de janeiro de 2011 III DOMINGO DO TEMPO COMUM Dia 23 de Janeiro - Domingo Antífona da entrada:

Leia mais

EVANGELHOS DE MATEUS E MARCOS

EVANGELHOS DE MATEUS E MARCOS Lição 3 EVANGELHOS DE MATEUS E MARCOS 1. Mateus O Evangelho de Mateus recebe o nome do seu autor, que significa presente do Senhor. Mateus foi um judeu, coletor de impostos para o governo romano, ou seja,

Leia mais

ESTUDOS PARA AS CÉLULAS AS SETE VERDADES ESSÊNCIAIS DO EVANGELHO

ESTUDOS PARA AS CÉLULAS AS SETE VERDADES ESSÊNCIAIS DO EVANGELHO 1 ESTUDOS PARA AS CÉLULAS AS SETE VERDADES ESSÊNCIAIS DO EVANGELHO LIÇÃO Nº 01 DIA 16/06/2014 INTRODUÇÃO: Vamos começar uma nova série de estudos em nossas células. Esta será uma série muito interessante

Leia mais

Gr.Bíblico. Evangelho de. Nossa Senhora Conceição. São Mateus Ano litúrgico A

Gr.Bíblico. Evangelho de. Nossa Senhora Conceição. São Mateus Ano litúrgico A Evangelho de São Mateus Ano litúrgico A O Segundo Envangelho O TEMPO DE JESUS E O TEMPO DA IGREJA Este Evangelho, transmitido em grego pela Igreja, deve ter sido escrito originariamente em aramaico, a

Leia mais

STOTT, John R. W. Batismo e plenitude do Espírito Santo. São Paulo: Vida Nova, 1966.

STOTT, John R. W. Batismo e plenitude do Espírito Santo. São Paulo: Vida Nova, 1966. Azusa Revista de Estudos Pentecostais 1 STOTT, John R. W. Batismo e plenitude do Espírito Santo. São Paulo: Vida Nova, 1966. Josias Novak 1 1 A promessa do Espírito Em sua exposição Stott afirma que a

Leia mais

REFORMA E CONTRARREFORMA. Professor Sebastião Abiceu 7º ano Colégio Marista de Montes Claros

REFORMA E CONTRARREFORMA. Professor Sebastião Abiceu 7º ano Colégio Marista de Montes Claros REFORMA E CONTRARREFORMA Professor Sebastião Abiceu 7º ano Colégio Marista de Montes Claros INTRODUÇÃO A Reforma Religiosa e o Renascimento ocorreram na mesma época e expressam a grande renovação de ideias

Leia mais

O PAI É MAIOR DO QUE O FILHO

O PAI É MAIOR DO QUE O FILHO O PAI É MAIOR DO QUE O FILHO O PAI É MAIOR DO QUE O FILHO Vós ouviste o que vos disse: Vou e retorno a vós. Se me amásseis, ficaríeis alegres por eu ir para o Pai, porque o Pai é maior do que eu. João

Leia mais

Poderá interromper e dialogar com o grupo; montar perguntas durante a exibição; montar grupos de reflexão após a exibição, e assim por diante.

Poderá interromper e dialogar com o grupo; montar perguntas durante a exibição; montar grupos de reflexão após a exibição, e assim por diante. O Catequista, coordenador, responsável pela reunião ou encontro, quando usar esse material, tem toda liberdade de organizar sua exposição e uso do mesmo. Poderá interromper e dialogar com o grupo; montar

Leia mais

O QUE É O PROJETO NATAL MISSIONÁRIO?

O QUE É O PROJETO NATAL MISSIONÁRIO? INTRODUÇÃO Como continuidade ao Projeto das Semanas Missionárias, Deus suscitou este novo projeto que envolverá não apenas ao movimento da Renovação Carismática Católica, mas a toda a Igreja Católica Apostólica

Leia mais

Consolidação para o Discipulado - 1

Consolidação para o Discipulado - 1 Consolidação para o Discipulado - 1 Fortalecendo o novo convertido na Palavra de Deus Rev. Edson Cortasio Sardinha Consolidador/a: Vida consolidada: 1ª Lição: O Amor de Deus O amor de Deus está presente

Leia mais

#62. O batismo do Espírito Santo (continuação)

#62. O batismo do Espírito Santo (continuação) O batismo do Espírito Santo (continuação) #62 Estamos falando sobre alguns dons do Espírito Santo; falamos de suas obras, dos seus atributos, como opera o novo nascimento e, por último, estamos falando

Leia mais

Celebrar e viver o Concílio Vaticano II

Celebrar e viver o Concílio Vaticano II Celebrar e viver o Concílio Vaticano II Nota Pastoral da Conferência Episcopal Portuguesa Celebrar os 50 anos da abertura do Concílio no Ano da Fé 1. Na Carta apostólica A Porta da Fé, assim se exprime

Leia mais

LECTIO DIVINA JESUS CHAMA SEUS DISCI PULOS

LECTIO DIVINA JESUS CHAMA SEUS DISCI PULOS LECTIO DIVINA JESUS CHAMA SEUS DISCI PULOS 1 TEXTO BÍBLICO - Lucas 6,12-19 (Fazer uma Oração ao Espírito Santo, ler o texto bíblico, fazer um momento de meditação, refletindo sobre os três verbos do texto

Leia mais

Papa Bento XVI visita o Brasil

Papa Bento XVI visita o Brasil Papa Bento XVI visita o Brasil Análise Segurança Fernando Maia 23 de maio de 2007 Papa Bento XVI visita o Brasil Análise Segurança Fernando Maia 23 de maio de 2007 No período de 09 a 13 de maio, o Papa

Leia mais

BÍBLIA E HERMENÊUTICAS JUVENIS EVANGELHO DE MARCOS - SAÚDE E VIOLÊNCIA. O que procuramos? Quem procura acha. Nem sempre achamos o que procuramos...!

BÍBLIA E HERMENÊUTICAS JUVENIS EVANGELHO DE MARCOS - SAÚDE E VIOLÊNCIA. O que procuramos? Quem procura acha. Nem sempre achamos o que procuramos...! BÍBLIA E HERMENÊUTICAS JUVENIS EVANGELHO DE MARCOS - SAÚDE E VIOLÊNCIA O que procuramos? Quem procura acha. Nem sempre achamos o que procuramos...! Quem procura acha. Módulo 2 Etapa 3 Nem sempre acha o

Leia mais

O Movimento dos Focolares A ESPIRITUALIDADE DA UNIDADE

O Movimento dos Focolares A ESPIRITUALIDADE DA UNIDADE O Movimento dos Focolares A ESPIRITUALIDADE DA UNIDADE O Movimento dos Focolares Movimento Internacional: Está presente em 182 países. Sede Central: Rocca di Papa (Roma), Itália No mundo: Membros: 120

Leia mais

O JULGAMENTO DE CRISTO

O JULGAMENTO DE CRISTO Por Constantino Ferreira O JULGAMENTO DE CRISTO O julgamento de Cristo teve dois aspectos processados em seis partes, três religiosas e três civis, entre a uma e as sete horas. 1. Jesus foi interrogado

Leia mais

Repasse da 76a. Assembléia da CNBB Sul I Aparecida de 10 a 12/06/2013

Repasse da 76a. Assembléia da CNBB Sul I Aparecida de 10 a 12/06/2013 Repasse da 76a. Assembléia da CNBB Sul I Aparecida de 10 a 12/06/2013 1. Finalidade do Ano da Fé; 2. O que é a Fé; 3. A transmissão da Fé enquanto professada, celebrada, vivida e rezada; 4. O conteúdo

Leia mais

#101r. (Continuação) Apocalipse 13:1~10; a besta que subiu do mar.

#101r. (Continuação) Apocalipse 13:1~10; a besta que subiu do mar. (Continuação) Apocalipse 13:1~10; a besta que subiu do mar. #101r Na aula passada, iniciamos o estudo do cap13 de Apocalipse, onde, como falamos de certa forma descreve o personagem mais importante da

Leia mais

Lucas 9.51-50. Aproximando-se o tempo em que seria elevado aos céus, Jesus partiu resolutamente em direção a Jerusalém.

Lucas 9.51-50. Aproximando-se o tempo em que seria elevado aos céus, Jesus partiu resolutamente em direção a Jerusalém. Lucas 9.51-50 51 Aproximando-se o tempo em que seria elevado aos céus, Jesus partiu resolutamente em direção a Jerusalém. 52 E enviou mensageiros à sua frente. Indo estes, entraram num povoado samaritano

Leia mais

8 Por que Jesus Veio à Terra?

8 Por que Jesus Veio à Terra? POR QUE JESUS VEIO À TERRA? 79 8 Por que Jesus Veio à Terra? O que você diria se um repórter de jornal viesse até você, enquanto você caminhava na calçada de uma rua em sua cidade, e perguntasse: Qual

Leia mais

I DOMINGO DA QUARESMA

I DOMINGO DA QUARESMA I DOMINGO DA QUARESMA LITURGIA DA PALAVRA / I Gen 2, 7-9; 3, 1-7 Leitura do Livro do Génesis O Senhor Deus formou o homem do pó da terra, insuflou em suas narinas um sopro de vida, e o homem tornou-se

Leia mais

No Dia do Juízo, quando o Filho do Homem, na Sua glória, vier nos julgar, escreve o evangelista Mateus, Ele nos questionará sobre

No Dia do Juízo, quando o Filho do Homem, na Sua glória, vier nos julgar, escreve o evangelista Mateus, Ele nos questionará sobre Caridade e partilha Vivemos em nossa arquidiocese o Ano da Caridade. Neste tempo, dentro daquilo que programou o Plano de Pastoral, somos chamados a nos organizar melhor em nossos trabalhos de caridade

Leia mais

Sola Scriptura Somos diferentes?

Sola Scriptura Somos diferentes? Sola Scriptura Somos diferentes? Introdução: 3 pilares da Reforma Protestante: sola Scriptura, sola fide, sola gratia Mesmo em forma de afirmação, cada pilar também é negação. Por exemplo, a expressão,

Leia mais

BATISMO HISTÓRIA E SIGNIFICADO

BATISMO HISTÓRIA E SIGNIFICADO BATISMO HISTÓRIA E SIGNIFICADO 1 INTRODUÇÃO Jesus mandou seus discípulos: Portanto ide, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo; ensinando-os a

Leia mais

Acampamentos Católicos

Acampamentos Católicos Acampamentos Católicos O Acampamento Católico é uma nova forma de evangelizar. Utiliza uma metodologia de evangelização nascida na EVANGELIZAÇÃO 2000 (movimento católico da década de 80), como parte de

Leia mais

A mudança na lei de Deus

A mudança na lei de Deus A mudança na lei de Deus Toda profecia que vem da parte de Deus deve ser cumprida, como está escrito em Deuteronômio 18: Quando o profeta falar em nome do Senhor, e essa palavra não se cumprir, nem suceder

Leia mais

ANO B. DOMINGO II DA PÁSCOA ou da Divina Misericórdia. (Outras intenções: adultos e crianças baptizados nesta Páscoa...).

ANO B. DOMINGO II DA PÁSCOA ou da Divina Misericórdia. (Outras intenções: adultos e crianças baptizados nesta Páscoa...). 122 ANO B DOMINGO II DA PÁSCOA ou da Divina Misericórdia (Se estiverem presentes adultos que tenham sido baptizados na última Páscoa, as intenções da oração dos fiéis poderão hoje ser propostas por eles).

Leia mais

Após as festas do Natal, em que celebramos o mistério da infância de Jesus, a liturgia nos introduz no mistério da sua vida pública.

Após as festas do Natal, em que celebramos o mistério da infância de Jesus, a liturgia nos introduz no mistério da sua vida pública. Após as festas do Natal, em que celebramos o mistério da infância de Jesus, a liturgia nos introduz no mistério da sua vida pública. No BATISMO DE JESUS, no Rio Jordão, revela-se o Filho amado de Deus,

Leia mais

Plano de salvação e História de salvação

Plano de salvação e História de salvação Igreja Nova Apostólica Internacional Plano de salvação e História de salvação O artigo que se segue aborda a questão de como a salvação de Deus se evidencia na realidade histórica. A origem do pensamento

Leia mais

RENOVAÇÃO CARISMÁTICA CATÓLICA DO BRASIL MINISTÉRIO JOVEM NÚCLEO PREGADORES COMO PREGAR PARA JOVENS

RENOVAÇÃO CARISMÁTICA CATÓLICA DO BRASIL MINISTÉRIO JOVEM NÚCLEO PREGADORES COMO PREGAR PARA JOVENS RENOVAÇÃO CARISMÁTICA CATÓLICA DO BRASIL MINISTÉRIO JOVEM NÚCLEO PREGADORES COMO PREGAR PARA JOVENS - Esta formação não substitui em hipótese nenhuma a formação de pregadores do ministério de pregação,

Leia mais

PAGINA 1 BÍBLIA PASSO A PASSO NOVO TESTAMENTO

PAGINA 1 BÍBLIA PASSO A PASSO NOVO TESTAMENTO PAGINA 1 BÍBLIA PASSO A PASSO NOVO TESTAMENTO 11. PERÍODOS DA VIDA DE JESUS 28 E a fama de Jesus se espalhou depressa por toda a região da Galiléia. Jesus cura a sogra de Pedro: 29 Logo depois, Jesus,

Leia mais

EVANGELHO DE JOÃO, Cap. 3. Evangelho de João Cap. 3. 1 Havia, entre os fariseus, um homem chamado Nicodemos, um dos principais dos judeus.

EVANGELHO DE JOÃO, Cap. 3. Evangelho de João Cap. 3. 1 Havia, entre os fariseus, um homem chamado Nicodemos, um dos principais dos judeus. EVANGELHO DE JOÃO, Cap. 3 LEMBRETE IMPORTANTE: As palavras da bíblia, são somente as frases em preto Alguns comentários explicativos são colocados entre os versículos, em vermelho. Mas é apenas com o intuito

Leia mais

VIA HUMANITATIS O CAMINHO VOCACIONAL DA HUMANIDADE

VIA HUMANITATIS O CAMINHO VOCACIONAL DA HUMANIDADE ITINERÁRIO DE ORAÇÃO VOCACIONAL agosto 2013 novembro de 2014 VIA HUMANITATIS O CAMINHO VOCACIONAL DA HUMANIDADE DÉCIMO PRIMEIRO ESQUEMA junho de 2014 CHAMADOS À UNIDADE Guia: Uma das caraterísticas evidentes

Leia mais

Vendo Jesus as multidões, subiu ao monte e, como se assentasse, aproximaram-se os seus discípulos; e Ele passou a ensiná-los dizendo... Mateus 5.

Vendo Jesus as multidões, subiu ao monte e, como se assentasse, aproximaram-se os seus discípulos; e Ele passou a ensiná-los dizendo... Mateus 5. Vendo Jesus as multidões, subiu ao monte e, como se assentasse, aproximaram-se os seus discípulos; e Ele passou a ensiná-los dizendo... Mateus 5.1-2 E na minha nação excedia em judaísmo a muitos da minha

Leia mais

A CRUCIFICAÇÃO DE JESUS Lição 46

A CRUCIFICAÇÃO DE JESUS Lição 46 A CRUCIFICAÇÃO DE JESUS Lição 46 1 1. Objetivos: Mostrar que o Senhor Jesus morreu na cruz e foi sepultado. Ensinar que o Senhor Jesus era perfeito; não havia nada que o condenasse. Ensinar que depois

Leia mais

Diocese de Amparo - SP

Diocese de Amparo - SP Formação sobre o documento da V Conferência do Episcopado da América Latina e do Caribe Diocese de Amparo - SP INTRODUÇÃO De 13 a 31 de maio de 2007, celebrou-se em Aparecida, Brasil, a V Conferência Geral

Leia mais

Síntese. Coragem, filha! A tua fé te salvou. (Mt 9, 22).

Síntese. Coragem, filha! A tua fé te salvou. (Mt 9, 22). Síntese Coragem, filha! A tua fé te salvou (Mt 9, 22). Novembro de 2013 2 Editorial Caros Polens, Entramos no penúltimo mês do ano. Nossos novos irmãos se encontram cada vez mais perto de nós em suas e

Leia mais

Caminho, verdade e vida: Definições de Jesus; Marcas em seus discípulos (Jo.14:1-11)

Caminho, verdade e vida: Definições de Jesus; Marcas em seus discípulos (Jo.14:1-11) Caminho, verdade e vida: Definições de Jesus; Marcas em seus discípulos (Jo.14:1-11) Mensagem 1 A metáfora do Caminho Introdução: A impressão que tenho é que Jesus escreveu isto para os nossos dias. Embora

Leia mais

IV FÓRMULAS DE BÊNÇÃO PARA LAUDES E VÉSPERAS

IV FÓRMULAS DE BÊNÇÃO PARA LAUDES E VÉSPERAS IV FÓRMULAS DE BÊNÇÃO PARA LAUDES E VÉSPERAS I. Nas celebrações do Tempo Advento Deus omnipotente e misericordioso, que vos dá a graça de comemorar na fé a primeira vinda do seu Filho Unigénito e de esperar

Leia mais

Igreja "em saída" missionária

Igreja em saída missionária Mês das Missões O mês de outubro é, para a Igreja, o período no qual são intensificadas as iniciativas de animação e cooperação em prol das Missões em todo o mundo. O objetivo é sensibilizar, despertar

Leia mais

Livre arbítrio, eleição, predestinação: dá para conciliar?

Livre arbítrio, eleição, predestinação: dá para conciliar? Livre arbítrio, eleição, predestinação: dá para conciliar? O livre arbítrio tem sido definido como a capacidade que o homem tem de escolher entre o bem e o mal, entre o certo e o errado, e é óbvio, a de

Leia mais

O cristianismo que vivemos

O cristianismo que vivemos O cristianismo que vivemos TEXTO BÍBLICO BÁSICO Lucas 12.16-21,0-2 16 - E propôs-lhe uma parábola, dizendo: A herdade de um homem rico tinha produzido com abundância; 17 - E arrazoava ele entre si, dizendo:

Leia mais

LC 19_1-10 OS ENCONTROS DE JESUS ZAQUEU O HOMEM QUE QUERIA VER JESUS

LC 19_1-10 OS ENCONTROS DE JESUS ZAQUEU O HOMEM QUE QUERIA VER JESUS 1 LC 19_1-10 OS ENCONTROS DE JESUS ZAQUEU O HOMEM QUE QUERIA VER JESUS Lc 19 1 Jesus entrou em Jericó e estava atravessando a cidade. 2 Morava ali um homem rico, chamado Zaqueu, que era chefe dos cobradores

Leia mais