Organização Sete de Setembro de Cultura e Ensino Faculdade Sete de Setembro FASETE Curso de Bacharelado em Administração

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Organização Sete de Setembro de Cultura e Ensino Faculdade Sete de Setembro FASETE Curso de Bacharelado em Administração"

Transcrição

1 Organização Sete de Setembro de Cultura e Ensino Faculdade Sete de Setembro FASETE Curso de Bacharelado em Administração FERNANDO GALVÃO BRITO A COLABORAÇÃO DO MARKETING PARA O DESENVOLVIMENTO DO TURISMO: Uma análise na cidade de Piranhas-AL. Paulo Afonso-BA Maio/2013

2 FERNANDO GALVÃO BRITO A COLABORAÇÃO DO MARKETING PARA O DESENVOLVIMENTO DO TURISMO: Uma análise na cidade de Piranhas-AL. Monografia apresentada ao Curso de Bacharelado em Administração da Faculdade Sete de Setembro FASETE, como requisito para obtenção do grau de Bacharel em Administração. Orientador: Prof. MSc Jacques Fernandes Santos. Paulo Afonso - BA Maio/2013

3 Dedico este trabalho a Deus que a todo o momento sinto que está do meu lado, derramando a sua benção e mim o Senhor, sem ti o Pai, eu não chegaria a nada. A minha mãe que através de muito amor, serenidade, competência, me faz ser uma pessoa muito feliz. Você mãe, é o motivo de eu alcançar todas minhas conquistas.

4 AGRADECIMENTOS Primeiramente, queria agradecer a Deus, senhor todo poderoso, por trazer á minha vida momentos únicos de felicidades, por me dá uma família maravilhosa, amigos, namorada, obrigado por tudo Senhor, por estar presente nos momentos mais difíceis da minha vida, e em todas as minhas conquistas também. Sem a tua benção Senhor, eu não chegaria a nada. Agradeço também a minha mãe Iara Campos Galvão, por ser um exemplo de mulher e profissional como dificilmente existe nos dias de hoje, por alem de ser guerreira e trabalhadora me criou e ensinou da melhor maneira possível, não existe mulher igual a você mãe. Eu te amo! A meu irmão Fabio Galvão Brito, por acreditar em mim, saber do meu potencial, uma pessoa super inteligente que admiro demais. A Vanessa Sandes, minha namorada, amiga, companheira, por todo dia acreditar em mim, e dizer que tenho capacidade para fazer tudo que quiser, em todos os momentos procura sempre está ao meu lado, obrigado por tudo amor. Aos meus colegas de classe, em especial José Leonardo, Francine, Anilton, Jessica, Hislene. Obrigado pelas palavras que me motivavam cada vez mais a continuar meu trabalho. A Francine como sempre, um exemplo de sabedoria na sala, mostrando a todos que quando nos dedicamos não há limites para se chegar à perfeição. Gostaria de agradecer meu professor, orientador Jacques Fernandes Santos, pela paciência, pelo incentivo neste momento de construção da monografia, pela grande sabedoria que me proporcionou, por ser um ótimo professor, profissional, cuja inteligência para mim não tem limites. Você é um espelho para todo e qualquer profissional, Jacques, muito obrigado por compartilhar isso comigo. A todos meus professores, em especial, Poliana Pionório, Cynthia Mattosinho, Leobson Teles, Renivaldo Ferraz, Salomão Vergne, pela serenidade de cada um

5 com seu trabalho; pela motivação que me proporcionaram no decorrer do curso, por serem excelentes professores e pessoas, por todos os ensinamentos que vou levar pelo resto da vida, pelas críticas, se cheguei aqui é porque cada um de vocês teve um papel muito importante em minha caminhada acadêmica.

6 Que nunca me falte a fé, pois eu não seria nada se não acreditasse que existe um Deus que se importa comigo. Jerry Wanderson Os covardes nunca começam, os fracos nunca terminam, mas os vencedores... esses jamais desistem. Jerry Wanderson Quem acredita, sempre alcança. Renato Russo

7 RESUMO Com o passar dos anos, o turismo veio ganhando maior atenção no mercado, visto pelas cidades não só como um entretenimento, mas também como fonte de captação de recursos e desenvolvimento local. Este trabalho tem como objetivo analisar as ações de marketing desenvolvidas na promoção das atividades turísticas no município de Piranhas-AL. Para que esse estudo fosse concluído, foram utilizadas pesquisas bibliográfica, descritiva e exploratória, sendo feitas com abordagens qualitativas no estudo de campo, contando com a aplicação de questionário com perguntas abertas em entrevista com o Secretario de Turismo da gestão 2009 a As informações foram coletadas e analisadas através do método de análise textual. No contexto desse trabalho, foi possível mostrar a colaboração de algumas ferramentas de marketing para o crescimento turístico da cidade. Por fim, procurou-se mostrar como as ações de marketing influenciaram na atração de novos clientes, dessa forma, aumentando a economia da cidade através do turismo e propondo novas estratégias para incrementar a atividade turística em Piranhas. Palavras chaves: Turismo. Marketing. Marketing Turístico.

8 ABSTRACT Over the years, tourism came gaining more attention in the market, since the cities not only as entertainment but also as a source of funding and local development. This paper aims to analyze the marketing actions undertaken in the promotion of tourist activities in the municipality of Piranhas-AL. For this study was completed, we used bibliographic research, descriptive and exploratory, qualitative approaches being made to the field study, with the application of a questionnaire with open questions in an interview with the Secretary of Tourism Management from 2009 to Data were collected and analyzed by the method of textual analysis. In the context of this work, it was possible to show the collaboration of some marketing tools for tourism growth of the city. Finally, we tried to show how marketing actions influence in attracting new customers, thus increasing the city's economy through tourism and proposing new strategies to increase tourist activity in Piranhas. Keywords: Tourism. Marketing. Tourism Marketing.

9 LISTA DE FIGURAS Figura 1 Cânion do Rio São Francisco Figura 2 Petrolina e Juazeiro Figura 3 Praia de Maceió - AL Figura 4 Cena da Novela Cordel Encantado Figura 5 Cena da Novela Cordel Encantado Figura 6 Piranhas - AL Figura 7 Museu do Sertão de Piranhas - AL Figura 8 Trem Maria Fumaça em Piranhas - AL Figura 9 Cidade de Penedo - AL Figura 10 Nova Orla de Piranhas - AL Figura 11 Bares e Restaurantes da Orla de Piranhas - AL Figura 12 Centro Comercial do Bairro Xingó em Piranhas-AL Figura 13 Praça do Centro Comercial Figura 14 Pousada D Lia Figura 15 Hotel Pedra do Sino Figura 16 Restaurante Caboclo D Água Figura 17 Restaurante Karrancas

10 LISTA DE ABREVIATURAS E SIGLAS ABAV Associação Brasileira de Agências de Viagens ABRATURR Associação Brasileira de Turismo Rural CHESF Companhia Hidroelétrica do São Francisco EMBRATUR - Empresa Brasileira de Turismo IBAM - Instituto Brasileiro de Administração Municipal IBRAF Instituto Brasileiro de Frutas IBOPE Instituto de Opinião Pública e Estatística IPEA Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada IPHAN Instituto do Patrimônio Histórico Nacional MTUR Ministério do Turismo OMT Organização Mundial do Turismo PAPL Programa de Arranjo Produtivos Locais PIB Produto Interno Bruto PRODETUR - Programa de Desenvolvimento do Turismo

11 SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO Considerações Iniciais Problema de Pesquisa Justificativa Objetivos Objetivo Geral Objetivo Específico REFERENCIAL TEÓRICO Turismo Demanda turística Mercado Turístico Marketing O papel do Marketing para o desenvolvimento e alavancagem do Turismo Gestão da Ferramenta Turística O Trade Turístico Investimentos em ações de Marketing Turístico no Vale do São Francisco Gestão de Marketing Turístico em cidades de Alagoas O desenvolvimento Turístico da cidade de Piranhas-AL Marketing Governamental METODOLOGIA... Erro! Indicador não definido. 3.1 Conceito Delineamento de Pesquisa e abordagens utilizadas Universo e Amostra Instrumento de Coleta de Dados Tratamento e análise dos dados PESQUISA E ANÁLISE DOS RESULTADOS... 51

12 4.1 Entrevista Análise Geral das respostas apreendidas e comparativos Breve comparativo com outras cidades do entorno: Resultados gerais alcançados CONSIDERAÇÕES FINAIS Sugestões REFERÊNCIA BIBLIOGRÁFICA APÊNDICE ANEXOS... 76

13 CAPÍTULO I INTRODUÇÃO

14 Introdução 13 INTRODUÇÃO 1.1 Considerações Iniciais A evolução dos mercados empresariais tem permitido o avanço de novas vertentes econômicas que geram alternativas de renda segura e viável para uma nova classe emergente no Brasil, a chamada nova classe C. Dentro desta evolução, o turismo tem sido o segmento econômico que mais chama a atenção de governos e empreendedores pela sua ampla e excelente atuação em todo o mundo, trazendo grande aporte de capital e o desenvolvimento de economias criativas. O turismo tem despontado como uma das maiores ferramentas de desenvolvimento social dos últimos 30 anos, consolidando-se como uma valorosa fonte de recursos para as cidades, e revertendo o quadro de estagnação econômica, em que antes não se observava maiores capacidades de produção industrial ou comercial. Chamado de a indústria sem chaminé, só no Brasil, segundo o IPEA Instituto de Pesquisas Econômicas Aplicadas da Universidade de São Paulo, o turismo correspondeu a mais de 50% da geração de renda bruta média, de 126 dos 456 municípios entre 30 mil e 70 mil habitantes. (OMT, 2003). Para Mota (2001), a partir da visualização do turismo como algo forte, viável e de grande efeito para as economias locais, o campo desta atividade tem amadurecido ao longo dos últimos 30 anos, e cada vez mais se utiliza de ferramentas já tradicionais do mercado para ampliar seu profissionalismo e capacidade de atração. Uma das ferramentas primordiais neste processo, então, é o Marketing. Os municípios, através dos seus gestores, entendem o papel que o Marketing Turístico tem para otimizar as ações e visibilidade de seus municípios. Através das ações de Marketing, as cidades buscam criar diferenciais e valores, muitos deles pautados na economia criativa para estabelecer entre o destino e seus visitantes uma relação de consumo pautada no prazer, bem estar e realização de momentos únicos e marcantes. O foco destas ações visa, em termos comerciais, aumentar o índice de visitação, gerar maior retorno financeiro e estabilidade para a localidade. (MELGAR, 2001).

15 Introdução 14 O marketing associado a localidades e regiões tem se tornado uma atividade central na gestão regional, pois consegue gerar vantagens competitivas, e segundo Cooper (2001), essas vantagens passam por uma diferenciação do destino, valorizando o intangível e tornando único o que dele procede. Este conceito define bem o que é considerado como principal argumento atrativo do Marketing aplicado ao turismo, que é gerar as ações imediatas e plenas através das experiências que ficam no inconsciente do visitante, tornando aquele instante em momentos eternos, e viabilizando a continuidade da venda deste conceito para outras pessoas do seu círculo de influência. De acordo com o que foi apresentado acima, o trabalho traz um pouco sobre importância do Marketing Turístico, transformando este num meio de gestão, ensinando o processo de gestão do turismo em cada cidade, de maneira que estas criem seu diferencial, seu valor intangível. Através dos serviços e da forma como as ações de visibilidade são expostas, as pessoas aprendem a criar valores locais, atrelando um valor cultural aos visitantes. (COOPER, 2001) Assim, o Marketing se consolida na atualidade como precioso aliado do turismo no processo de gestão, atração e fidelização de clientes, que ao efetuar inúmeros estudos de mercado, congrega as exigências dos turistas; gera ações de melhorias; vende seus destinos; fortalece seus pontos fortes e procura presenteá-los com atendimento diferenciado, inovador e em constante aperfeiçoamento. Neste cenário, o pesquisador motivado por suas raízes familiares e culturais, e devido seu amplo envolvimento com o desenvolvimento local, ambienta a pesquisa na cidade de Piranhas, localizada no sertão alagoano, a 320 Km da capital Maceió, no nordeste brasileiro, e que tem apostado no turismo nos últimos 8 anos, como a principal ferramenta de crescimento econômico, o que a colocou como objeto de estudo de vários autores do tema, principalmente após ter sido reconhecida, em 2009, pelo IPHAN Instituto do Patrimônio Histórico e Arquitetônico Nacional, como um Patrimônio Histórico Nacional da região Nordeste.

16 Introdução 15 Em uma perspectiva de desenvolvimento, a cidade de Piranhas passou a apostar no turismo como ferramenta viável e de grande sustentabilidade. Com o avanço destas ações, no modelo de políticas públicas, percebeu-se que o Marketing se fez e faz presente em vários aspectos da condicionante de promoção do município. A exemplo de muitas outras cidades, Piranhas parece ter entrado definitivamente na era de uso das ferramentas de Marketing. No entanto, de acordo com o SEBRAE, vários municípios ainda estão em fase de amadurecimento dos seus projetos de turismo, enquanto forte ferramenta negocial. Sendo o SEBRAE uma referência nacional na viabilização e implantação de projetos inovadores, este abraçou o turismo e seu segmento de economia criativa, que vincula-se fortemente com a criação de novos atrativos turísticos. Saber aproveitar toda a potencialidade do turismo em seu aspecto de empreendimento é um dos maiores desafios encontrados pela aplicação da ferramenta de Marketing, que, sendo bem aplicada, gera resultados positivos e lucrativos á curto e médio prazo, ou se mal implantadas, pode apenas significar gastos de grandes quantias em dinheiro, com ações que não efetivam a marca do município no seu campo promocional. Para tanto, faz-se imprescindível estudar modelos e ações de boas práticas do Marketing ligado ao campo do turismo, para que se possa disseminar uma nova cultura de empreendimentos de sucesso nesta seara. O estudo na aplicação do marketing no turismo é essencial para o desenvolvimento de um município, visto que propicia a compreensão desta ferramenta voltada ao setor turístico e identifica como as ações de marketing auxiliam uma Administração Pública, tornando um investimento no potencial turístico de cidade. Unindo a teoria à prática, a pesquisa procura mostrar a importância do marketing turístico, com o intuito de atingir bons resultados no desenvolvimento do município, analisando o turismo da cidade de Piranhas-AL.

17 Introdução Problema de Pesquisa Em diversas cidades brasileiras, existe um valor cultural atrelado, que pode permitir a viabilização de projetos ligados ao turismo, sendo importante levar em consideração seus valores e características que vão gerar um valor competitivo no mercado, uma vez que o setor turístico vem tendo maior atenção em relação aos aspectos econômicos por estar movimentando grandes volumes de dinheiro. Com o avanço de fatores como melhoria da qualidade de vida; aumento da expectativa de vida; aumento de salários e novos padrões de consumo da nova classe C, as pessoas estão criando uma necessidade de conhecer novos lugares, como um meio de lazer e cultura. Nesta busca por atrativos, o segmento turístico passa a entender a importância de focar atenção no marketing voltado ao turismo. Apoiando este argumento, Dias (2003, p. 152) afirma que O turismo é uma opção de desenvolvimento de localidades, nações e regiões, que já provou sua potencialidade, e a necessidade de cuidados especiais, no campo negocial, para que efetivamente sejam produzidos resultados. Esse produzir resultados significa a execução plena da ferramenta de gestão atrelada ao processo do turismo: planejar, executar, coordenar e avaliar. As principais cidades do Brasil que investem no turismo têm conseguido gerar bons resultados com os recursos aplicados nessa área, um exemplo marcante disto é a localidade de Fernando de Noronha, onde através de diversos trabalhos bem sucedidos no direcionamento do argumento de Marketing atrelado a uma série de projetos federais e estaduais ligados ao turismo, conseguiu se destacar entre outras localidades, com características naturais parecidas (a exemplo do Parque de Abrolhos, na Bahia), pois passou a ser vista como reserva de ampla exclusividade em barreiras e corais, isso devido a uma boa aplicação da promoção em torno deste conceito. A partir deste exemplo, revelam-se vários outros municípios que passam a acreditar no Marketing, e em toda magia do P de promoção, com divulgação televisiva, pacotes turísticos, parcerias, realização de eventos, promoção em feiras, etc.

18 Introdução 17 Porém, quando aplicada de forma equivocada, sem estar pautada em um planejamento que contempla potencialidades, fraquezas, forças e ameaças (SWOT), os investimentos de marketing podem ser fatídicos, a exemplo do ocorrido nos anos de 2004 a 2006 na cidade de Senhor do Bonfim, na Bahia, onde se investiu maciçamente através do Governo do Estado na promoção de uma imagem que atrelasse Bonfim ao Turismo de Aventura. Porém, esta cidade possui sua tradição de imagem ligada à promoção turística como terra do São João. Assim, sem uma estruturação coordenada, que previsse a aplicação de medidas e estruturas que promovessem a visão de turismo de aventura, fizeram com que todo o investimento da ferramenta de Marketing fosse em vão, fazendo com que a partir do ano de 2007 as ações voltassem a ser direcionadas para a tradição junina da região. (PIRES, 2011) Assim, percebe-se que analisar os fatores que levam cidades a obterem êxito, ou não, com suas ações coordenadas de Marketing, neste tocante, precisa ser alvo de estudos para que novas proposições sejam geradas, soluções alcançadas e idéias coletadas, uma vez que a gestão do processo turístico passa a ser uma nova prioridade em diversos municípios. Como fazer um bom processo de gestão para o turismo? Como utilizar corretamente a ferramenta de Marketing? Que exemplos podem ser adaptados para cidades com economias e características parecidas? São apenas algumas das perguntas que vários gestores permeiam em estudar para obter melhor aproveitamento. A partir deste exemplo, vários autores retratam outras situações em vários locais do Brasil que desenham o mesmo cenário. O momento é oportuno para o debate, uma vez que o país tem recebido grande destaque para o turismo, a partir da vasta gama de oportunidades geradas pela Copa das Confederações 2013, Copa do Mundo 2014 e as Olimpíadas de Deve-se aproveitar o ensejo de várias ações articuladas em série, para amadurecer no país, a gestão do segmento turístico. (PIRES, 2011) Tomando por base esta vertente, Piranhas, cidade situada a 86km de Paulo Afonso- BA, tem demonstrado altos investimentos no setor turístico nesses últimos anos,

19 Introdução 18 com grandes evoluções, socialmente perceptíveis, nos quesitos promoção e atratividade. Entender os caminhos percorridos por Piranhas e estudar as ações realizadas, diante da visão de Marketing, podem ajudar o município a galgar novos projetos, bem como se consolidar em material de expertise (referência e qualidade) para outras cidades. Diante dos fatos expostos, apresentam-se as seguintes indagações: Como foram desenvolvidas as ações de Marketing para promoção do turismo na cidade de Piranhas entre os anos de 2009 e 2012? Que resultados puderam ser alcançados a partir da aplicação desta ferramenta? 1.3 Justificativa Considerando que o Brasil é um país rico em belezas naturais, e com grande potencial para o aproveitamento do turismo, existe sempre uma grande expectativa para o desenvolvimento de projetos neste. Com essa expectativa, o mercado se torna acirrado, em que todos querem se beneficiar de alguma parcela da atividade, e por isso, existe nos últimos cinco anos, segundo o Ministério do Turismo de Alagoas - MTUR, um grande esforço por parte de todos os municípios em propor e promover sustentabilidade destes projetos. Uma das finalidades da exploração turística é contribuir de maneira significativa para o incremento da economia, sendo fonte viável de recursos. Quando se fala em recursos, analisamos suas duas vertentes, as internas e externas. O turismo interno valoriza a circulação de capital dentro da cidade, estado ou país, fazendo com que as pessoas daquela localidade ou nação gastem seus recursos em diversos lugares, permitindo que a economia gire, promovendo redistribuição de renda. Quando o turismo ultrapassa a barreira do país, temos a captação de recursos externos, o que é extremamente interessante para o Brasil. Todas as vezes que um turista estrangeiro vem ao país, precisa trocar seu dinheiro por moeda local, geralmente, cotado pelo câmbio de turismo, que é em geral bem mais alto que o câmbio comercial, deixando um maior número de divisas no país, a um preço bem

20 Introdução 19 mais baixo, ou seja, acumulamos divisas a um custo bem mais compensador. (LEMOS, 2001). Porém, para o sucesso de ambos, é preciso haver um forte argumento que traga incentivo e motivação ao processo turístico, o que chamamos de fontes indutoras do turismo. Estes argumentos são tidos como as predisposições naturais de cada área para o desenvolvimento de uma atividade, por exemplo, realizar turismo religioso na cidade de Aparecida, em São Paulo. (MORENO, 2009). Como em toda atividade comercial, o turismo necessita ser gerenciado, dentro de um plano de ação, ferramentas e metas. Neste processo de gerenciamento, uma vez identificadas as predisposições indutoras de turismo, a aplicação das ferramentas de promoção e gestão de marketing, podem produzir efeitos extremamente benéficos à promoção dos municípios, tal qual são benéficos a diversos outros produtos existentes no mercado. (FERNANDES E COELHO, 2002). Entretanto, é necessário entender que a aplicação da ferramenta de marketing turístico deve obedecer a algumas individualidades, uma vez que o chamado produto em questão é muito maior que algum item tangível, que possa ser colocado em uma prateleira de supermercado. É um conjunto de ações que somente operando juntas permitem um bom resultado para a ação final do processo de marketing. (DIAS E CASSAR, 2005). O turismo interno tem como característica básica, a produção e circulação do capital no país. Se incentivado, o turismo pode gerar permanentemente um ambiente de desenvolvimento econômico e financeiro. Nesta perspectiva, os municípios têm trabalhado de forma ordenada a gestão das ferramentas de marketing, para que estas sejam efetivamente produtivas, refletindo-se no melhor aproveitamento das atividades do trade. (DIAS E CASSAR, 2005). Dentro deste tocante, a cidade de Piranhas se destacou nos anos de 2009 a 2012 dentro do cenário turístico em Alagoas, tornando-se o terceiro maior destino turístico do estado, e com o maior investimento financeiro para o segmento. Atrelado a isso, a cidade desenvolveu uma série de ações dentro de um programa de comunicação e gestão do marketing turístico, que foi referência para a Secretaria Estadual de

21 Introdução 20 Turismo, implantar outros modelos em Alagoas, gerando a premiação do então Secretário de Turismo. (De acordo com uma matéria no site 1 em 09/08/2011). Deste modo, esta série de ações chamou a atenção do pesquisador no sentido de entender onde, como e quando estas ações foram implantadas e seus efeitos gerais. Estudando o caso de Piranhas, pode-se obter uma série de informações e experiências que colaborem com a disseminação de boas práticas de gestão do marketing turístico em outros municípios, sendo fator substancial para a economia de recursos nestes. Também, como resultado ampliado, espera-se que possam ser detectadas ações de continuidade deste processo de gestão em Piranhas, que possam ser sugeridas para a atual administração, uma vez que ocorreu mudança de governo em Objetivos Objetivo Geral Analisar as ações de marketing desenvolvidas em torno da promoção da atividade turística no município de Piranhas nos anos de 2011 e Objetivo Específico Verificar cada ação desenvolvida, seu ponto negativo, positivo e resultados alcançados; Comparar as atividades desenvolvidas em Piranhas com ações desenvolvidas nas cidades próximas; Propor novas estratégias para incrementar a atividade turística em Piranhas. 1 Matéria extraída do site em 09/08/2011

22 CAPÍTULO II REFERENCIAL TEÓRICO

23 Referencial Teórico REFERENCIAL TEÓRICO 2.1 Turismo O conceito de turismo visto uma prática social, cultural e econômica se estabelece no momento em que o turismo é responsável pela construção de relações entre turistas e residentes. Visto não apenas como um fenômeno econômico, mas também como um fenômeno social, ele tem sido responsável por mudanças sociais e culturais nos destinos. Turistas e moradores das regiões receptoras influenciam e são influenciadas. No começo do século XVII, vem a surgir o entendimento de turismo como uma ciência econômica, que começa a ser estudada sobre o aspecto de empregar recursos escassos e satisfazer as necessidades dos indivíduos. Existem dois principais agentes econômicos que participam deste processo de gerar renda e emprego a população, são eles, os consumidores e as empresas que objetivam maximizar seu lucro através do turismo. (FERNANDES E COELHO, 2002). Estes elementos interagem no mercado de inúmeros bens e serviços, entre os quais se destacam os produtos turísticos, que estão ligados diretamente a atender as necessidades das atividades de viagem dos visitantes, independente das motivações; inclui o transporte, a hospedagem, o agenciamento entre outras manifestações de produção, que atendem os consumidores reais a este produto, chamado turista. (DIAS, 2003). Desse ponto de vista, o mercado turístico pode ser assumido como um mercado de economia em um país, região ou município. O funcionamento dessa área incorpora os agentes econômicos, turistas ou consumidores de bens, empresas produtoras e prestadoras destes serviços. Sobre o olhar econômico, destaca-se que o turismo conforme BARRETO (1995) compreende todo o processo especialmente econômico, que manifesta a partir da chegada, permanência e saída de um individuo em um determinado município, estado ou país. Visto que ao hospedar em uma localidade, o turista envolve todo aspecto econômico da cidade, aquele necessita um local de estadia, alimentação, entretenimento, conhecimento, cultura entre outras despesas locais.

24 Referencial Teórico 22 Como o turismo é uma atividade socioeconômica, que gera a produção de bens e serviços para o homem, ele afeta diretamente a fonte de renda de uma cidade e consequentemente seus moradores. As indústrias turísticas necessitam de investimentos em infraestrutura, pois o mercado está em constante evolução, e proporciona emprego a grande número de trabalhadores. Sendo assim um importante meio eficiente de gerar emprego. (LAGE E MILONE, 2001) Demanda turística A procura turística é expressa de diversas formas, por exemplo, pelo numero de turistas que visitam determinada região; pelo numero de bens e serviços que determinados locais são consumidos durante o ano; pelo numero de pernoites em hotéis e pousadas; pelo numero de passageiros nas empresas de transportes rodoviários ou aéreos que se deslocam para determinado local entre outras manifestações. (DIAS E CASSAR, 2005). Entre alguns fatores que influenciam o aumento da demanda destaca-se o preço dos produtos turísticos, pois pelo ponto de vista da economia, quanto menor os preços em determinado local, a demanda tende a aumentar, e assim o oposto. Se a demanda aumenta, os atrativos que a localidade tem a oferecer também devem aumentar, sejam eles culturais, de lazer ou outros motivos, ou seja, o local deve oferecer uma estrutura, alimentação, segurança para buscar atender de melhor maneira possível o seu cliente. O setor turístico é responsável por grande parte dos deslocamentos de pessoas no mundo e com o passar dos anos, vem se tornando algo essencial para as pessoas. O turismo mundial ultrapassou as expectativas no ano de 2007 e o número de desembarques passou de 800 milhões para 900 milhões em dois anos. Isto significa um crescimento de mais de 6%, ou um total de 48 milhões de desembarques internacionais a mais do que em (PIRES, 2011). Com o decorrer dos anos, vem-se observando um papel de maior relevância no desenvolvimento turístico à medida que os governos passaram a reconhecer não apenas, como um setor que gera um largo espectro de impactos, mas também que

25 Referencial Teórico 23 pode ter um importante papel no crescimento e revitalização social e cultural. (OMT, 2003) Mercado Turístico Os negócios da área do turismo têm a capacidade de propiciar crescimento econômico e estrutural ao local, uma vez que aumenta a distribuição de empregos, geram novas oportunidades de negócios e ativam diversos setores produtivos, um exemplo disto é que se aumenta a demanda de visitas em uma localidade, ao mesmo tempo o comércio necessita produzir mais para atender ao público desejado, ou seja, os donos de hotéis e pousadas têm que expandir seu negócio, com isso necessita contratar empresas de construção e pedreiros, comprar mais alimentos para os hóspedes, fazendo com que tenha uma rotatividade do capital inserido na cidade. O turismo é uma atividade econômica representada pelo conjunto de transações (compra e venda de produtos e serviços turísticos), efetuadas entre os agentes econômicos do turismo. É gerado pelo deslocamento voluntário e temporário de pessoas para fora dos limites da área ou região em que têm residência fixa, por qualquer motivo, excetuando-se de exercer alguma atividade remunerada no local de visita. (OMT, 2001) Segundo os dados da OMT (2003), o turismo vem crescendo no decorrer dos anos, por isso as empresas ou cidades que querem ganhar espaço no mercado, fez com que torne importante a utilização das ferramentas de marketing para promover uma maior visibilidade e atração de clientes para o município. A utilização dos 4Ps, (Produto, Preço, Praça e Promoção), é essencial, pois cria um diferencial competitivo e potencializa o crescimento no mercado turístico. O turismo a cada ano vem sendo uma grande ferramenta de recursos para toda e qualquer empresa ou local que deseje promover no mercado, e o marketing é a ferramenta que relaciona os meios para conseguir atrair e reter os clientes. Turismo se constitui no movimento temporário para destino fora das residências locais de trabalho normais às atividades efetuadas durante esta permanência, por isto devem ser criar facilidades para atender as necessidades do turista. (COOPER, 2001)

Marketing, Gestão Pública e Educação Ambiental para o desenvolvimento do Turismo: um caso em Piranhas-AL. 1

Marketing, Gestão Pública e Educação Ambiental para o desenvolvimento do Turismo: um caso em Piranhas-AL. 1 Marketing, Gestão Pública e Educação Ambiental para o desenvolvimento do Turismo: um caso em Piranhas-AL. 1 Resumo Fernando Galvão Brito 2 Jacques Fernandes Santos 3 Vinícius Silva Santos 4 A Gestão do

Leia mais

A decolagem do turismo

A decolagem do turismo A decolagem do turismo OBrasil sempre foi considerado detentor de um enorme potencial turístico. Em 1994, no entanto, o país recebeu menos de 2 milhões de turistas internacionais, um contingente que, na

Leia mais

METODOLOGIA SEBRAE BAHIA PARA PÓLOS DE EMPREENDEDORISMO CULTURAL

METODOLOGIA SEBRAE BAHIA PARA PÓLOS DE EMPREENDEDORISMO CULTURAL Trabalho apresentado no III ENECULT Encontro de Estudos Multidisciplinares em Cultura, realizado entre os dias 23 a 25 de maio de 2007, na Faculdade de Comunicação/UFBa, Salvador-Bahia-Brasil. METODOLOGIA

Leia mais

TURISMO. o futuro, uma viagem...

TURISMO. o futuro, uma viagem... TURISMO o futuro, uma viagem... PLANO NACIONAL DO TURISMO 2007-2010 OBJETIVOS Desenvolver o produto turístico brasileiro com qualidade, contemplando nossas diversidades regionais, culturais e naturais.

Leia mais

GERAÇÃO DE EMPREGO E RENDA NA ECONOMIA NACIONAL. Mapa de oportunidades para Agências de Viagens

GERAÇÃO DE EMPREGO E RENDA NA ECONOMIA NACIONAL. Mapa de oportunidades para Agências de Viagens GERAÇÃO DE EMPREGO E RENDA NA ECONOMIA NACIONAL Mapa de oportunidades para Agências de Viagens O que é ABAV? Entidade empresarial, sem fins lucrativos, que representa as Agências de Viagens espalhadas

Leia mais

ANEXO XXII POLÍTICA MUNICIPAL DE TURISMO DE FOZ DO IGUAÇU LEI Nº 4.291, DE 31 DE OUTUBRO DE 2014.

ANEXO XXII POLÍTICA MUNICIPAL DE TURISMO DE FOZ DO IGUAÇU LEI Nº 4.291, DE 31 DE OUTUBRO DE 2014. ANEXO XXII POLÍTICA MUNICIPAL DE TURISMO DE FOZ DO IGUAÇU LEI Nº 4.291, DE 31 DE OUTUBRO DE 2014. DISPÕE SOBRE A POLÍTICA MUNICIPAL DE TURISMO, PREVISTA NO CAPÍTULO X, DO TÍTULO V, DA LEI ORGÂNICA DO MUNICÍPIO,

Leia mais

MARKETING TURÍSTICO: UM ESTUDO SOBRE AS ESTRATÉGIAS DE MARKETING UTILIZADAS NO MUNICÍPIO DA BAIA DA TRAIÇÃO-PB

MARKETING TURÍSTICO: UM ESTUDO SOBRE AS ESTRATÉGIAS DE MARKETING UTILIZADAS NO MUNICÍPIO DA BAIA DA TRAIÇÃO-PB MARKETING TURÍSTICO: UM ESTUDO SOBRE AS ESTRATÉGIAS DE MARKETING UTILIZADAS NO MUNICÍPIO DA BAIA DA TRAIÇÃO-PB Aline Dayanne Diniz Figueiredo Ana Paula Santana Pontes Ingrid Almeida da Silva Jammilly Fagundes

Leia mais

Habilitação Profissional do Tecnólogo em Gestão do Turismo

Habilitação Profissional do Tecnólogo em Gestão do Turismo PERFIL PROFISSIONAL Habilitação Profissional do Tecnólogo em Gestão do Turismo É o profissional que atua em agências de viagens, em meios de hospedagem, em empresas de transportes e de eventos; promove

Leia mais

TÉCNICO EM HOSPEDAGEM

TÉCNICO EM HOSPEDAGEM Imagens para explicar que às vezes o turista quer um lugar simples, no meio da natureza para descansar, basta estar limpo, asseado e arejado, nem todos querem luxo, existe vários perfis de clientes.(grifo

Leia mais

3.14 Demanda atual e potencial

3.14 Demanda atual e potencial 3.14 Demanda atual e potencial O Estado do Ceará vem adquirindo, no cenário nacional, uma importância turística crescente. Em 1998, por exemplo, ocupou o terceiro lugar dentre os destinos mais visitados

Leia mais

COPA DO MUNDO FIFA 2014 BRASIL. Oportunidades e Desafios

COPA DO MUNDO FIFA 2014 BRASIL. Oportunidades e Desafios COPA DO MUNDO FIFA 2014 BRASIL Oportunidades e Desafios COPA DO MUNDO - OPORTUNIDADES Um evento esportivo do porte de uma Copa do Mundo é como uma grande vitrine do país no exterior e corresponde a um

Leia mais

ENCONTRO NACIONAL DE CAMPISMO

ENCONTRO NACIONAL DE CAMPISMO ENCONTRO NACIONAL DE CAMPISMO MTUR/DEAOT/CGQT Campinas, 20 de março de 2010 ENCONTRO NACIONAL DE CAMPISMO POLÍTICAS DE INCENTIVO AO TURISMO NORMATIZAÇÃO DE CAMPINGS COPA DO MUNDO E OLIMPÍADAS REGISTRO

Leia mais

Autores: ANNARA MARIANE PERBOIRE DA SILVA, MARIA HELENA CAVALCANTI DA SILVA

Autores: ANNARA MARIANE PERBOIRE DA SILVA, MARIA HELENA CAVALCANTI DA SILVA RELAÇÕES ENTRE A EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA E O SETOR DE HOSPITALIDADE: um estudo de caso aplicável ao curso Técnico de Hospedagem Secretaria de Ciência, Tecnologia e Meio Ambiente de Pernambuco Autores: ANNARA

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO UNA MBA EM GESTÃO ESTRATÉGICA DE PROJETOS

CENTRO UNIVERSITÁRIO UNA MBA EM GESTÃO ESTRATÉGICA DE PROJETOS 1 CENTRO UNIVERSITÁRIO UNA MBA EM GESTÃO ESTRATÉGICA DE PROJETOS OS BENEFÍCIOS DA APLICAÇÃO DAS DIRETRIZES DA GESTÃO DE PROJETOS REUNIDAS NO PMBOK NO PLANEJAMENTO TURÍSTICO DE DESTINOS ALUNA: HELENA PERES

Leia mais

Estudos e projetos para o Oceanário de Salvador. Categoria Valorização e gestão de atrativos turísticos e criação de novos produtos

Estudos e projetos para o Oceanário de Salvador. Categoria Valorização e gestão de atrativos turísticos e criação de novos produtos Componente 1 Título da Ação Estratégia de Produto Turístico Item 1.4 Objetivos Estudos e projetos para o Oceanário de Salvador Categoria Valorização e gestão de atrativos turísticos e criação de novos

Leia mais

www.idestur.org.br - info@idestur.org.br

www.idestur.org.br - info@idestur.org.br ROTEIROS PAULISTAS DE TURISMO EQUESTRE O Turismo Eqüestre que tem nos eqüídeos o principal atrativo ou, pelo menos, uma das principais motivações, já é reconhecido em diferentes países como um importante

Leia mais

FERRAMENTAS UTILIZADAS PELO SEBRAE / MT

FERRAMENTAS UTILIZADAS PELO SEBRAE / MT MISSÃO SEBRAE Missão: Ser uma organização de desenvolvimento, ética e séria, gerando alternativas de soluções para nossos clientes tornarem-se competitivos alinhados à sustentabilidade da vida. ÁREA DE

Leia mais

DO SENADOR BENEDITO DE LIRA (PP AL)

DO SENADOR BENEDITO DE LIRA (PP AL) DO SENADOR BENEDITO DE LIRA (PP AL) Senhor Presidente, Senhoras Senadoras e Senhores Senadores, O turismo é uma das atividades mais prósperas da economia alagoana. Todos os indicadores divulgados pela

Leia mais

A INFLUÊNCIA DA INTERNET PARA O CONSUMIDOR DO SETOR DE TURISMO

A INFLUÊNCIA DA INTERNET PARA O CONSUMIDOR DO SETOR DE TURISMO A INFLUÊNCIA DA INTERNET PARA O CONSUMIDOR DO SETOR DE TURISMO Bruna Giovana de Sá Luiz Fernando de Souza Matheus Bernardi dos Santos RESUMO: O presente trabalho traz um estudo da relação entre a internet

Leia mais

ARRANJO PRODUTIVO LOCAL DE TURISMO NA SERRA DA IBIAPABA 1

ARRANJO PRODUTIVO LOCAL DE TURISMO NA SERRA DA IBIAPABA 1 ARRANJO PRODUTIVO LOCAL DE TURISMO NA SERRA DA IBIAPABA 1 1. Localização (discriminação): Municípios de Viçosa do Ceará, Ipú, Tianguá, Ubajara, São Benedito, Carnaubal e Guaraciaba do Norte. (Total de

Leia mais

MARKETING NAATIVIDADE TURÍSTICA

MARKETING NAATIVIDADE TURÍSTICA MARKETING NAATIVIDADE TURÍSTICA Mestre em turismo e hotelaria-univali Professora do curso de turismo da Universidade de Uberaba-MG Trata-se nesse artigo da teoria e da prática do marketing no turismo.

Leia mais

6.00.00.00-7 CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS TURISMO 6.13.00.00-4

6.00.00.00-7 CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS TURISMO 6.13.00.00-4 6.00.00.00-7 CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS TURISMO 6.13.00.00-4 QUALIDADE E EXCELÊNCIA DISNEY, UM EXEMPLO PARA HOTÉIS DE TODO O MUNDO Fábio Ricardo Barros da Silva Acadêmico do Curso de Turismo e Hotelaria

Leia mais

ASSOCIAÇÃO CULTURAL E EDUCACIONAL DE GARÇA FACULDADE DE CIÊNCIAS HUMANAS CURSO DE BACHARELADO EM TURISMO RA: 31.951

ASSOCIAÇÃO CULTURAL E EDUCACIONAL DE GARÇA FACULDADE DE CIÊNCIAS HUMANAS CURSO DE BACHARELADO EM TURISMO RA: 31.951 ASSOCIAÇÃO CULTURAL E EDUCACIONAL DE GARÇA FACULDADE DE CIÊNCIAS HUMANAS CURSO DE BACHARELADO EM TURISMO RA: 31.951 A ATIVIDADE TURÍSTICA E O SEGMENTO DE EVENTOS. PERSPECTIVAS DE CRESCIMENTO GRAÇAS À COPA

Leia mais

ROSEMARY OLIVEIRA DE LIMA

ROSEMARY OLIVEIRA DE LIMA UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CEARÁ UECE CENTRO DE CIÊNCIAS E TECNOLOGIA - CCT CENTRO DE ESTUDOS SOCIAIS APLICADOS - CESA MESTRADO PROFISSIONAL EM GESTÃO DE NEGÓCIOS TURÍSTICOS MPGNT ROSEMARY OLIVEIRA DE LIMA

Leia mais

A força do turismo ECONOMIA. por Ana Lygia Monteferrario Leite Pezco Pesquisa & Consultoria e Frederico Araujo Turolla FGV-EESP e ESPM

A força do turismo ECONOMIA. por Ana Lygia Monteferrario Leite Pezco Pesquisa & Consultoria e Frederico Araujo Turolla FGV-EESP e ESPM ECONOMIA A força do turismo O Brasil é descrito como país privilegiado pela existência de exuberantes recursos naturais, pelo clima agradável e pela cultura receptiva. Por si só, essas características

Leia mais

Cruzeiros Fluviais pelo Rio São Francisco

Cruzeiros Fluviais pelo Rio São Francisco Cruzeiros Fluviais pelo Rio São Francisco Descrição Operacionalizar a exploração comercial da navegação turística ao longo dos 250 km do Baixo São Francisco, envolvendo 13 municípios alagoanos e promovendo

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DOS EVENTOS PARA AS CIDADES INTERIORANAS: ESTUDO DE CASO EM LAGOA SALGADA / RN

A IMPORTÂNCIA DOS EVENTOS PARA AS CIDADES INTERIORANAS: ESTUDO DE CASO EM LAGOA SALGADA / RN GESTÃO DO TURISMO A IMPORTÂNCIA DOS EVENTOS PARA AS CIDADES INTERIORANAS: ESTUDO DE CASO EM LAGOA SALGADA / RN Elizane do Nascimento Bacharel em Turismo pela UFRN, Natal-RN. e-mail: elizane.donascimento@yahoo.com

Leia mais

EMBRATUR. Percepção dos estrangeiros sobre o Brasil durante a Copa das Confederações 2013

EMBRATUR. Percepção dos estrangeiros sobre o Brasil durante a Copa das Confederações 2013 EMBRATUR Percepção dos estrangeiros sobre o Brasil durante a Copa das Confederações 2013 Com 20 anos de experiência em Estudos de Mercado, o Instituto Methodus garante aos seus clientes relatórios que

Leia mais

APRESENTAÇÃO... 2 1. ESTUDO DE COMPETITIVIDADE... 4 2. RESULTADOS... 6. 2.1 Total geral... 6. 2.2 Infraestrutura geral... 7. 2.3 Acesso...

APRESENTAÇÃO... 2 1. ESTUDO DE COMPETITIVIDADE... 4 2. RESULTADOS... 6. 2.1 Total geral... 6. 2.2 Infraestrutura geral... 7. 2.3 Acesso... PORTO SEGURO APRESENTAÇÃO Qualquer forma de desenvolvimento econômico requer um trabalho de planejamento consistente para atingir o objetivo proposto. O turismo é apresentado hoje como um setor capaz de

Leia mais

XIII Encontro de Iniciação Científica IX Mostra de Pós-graduação 06 a 11 de outubro de 2008 BIODIVERSIDADE TECNOLOGIA DESENVOLVIMENTO

XIII Encontro de Iniciação Científica IX Mostra de Pós-graduação 06 a 11 de outubro de 2008 BIODIVERSIDADE TECNOLOGIA DESENVOLVIMENTO XIII Encontro de Iniciação Científica IX Mostra de Pós-graduação 06 a 11 de outubro de 2008 BIODIVERSIDADE TECNOLOGIA DESENVOLVIMENTO MPH0813 PLANO NACIONAL DE TURISMO: UM CAMINHO PARA A BUSCA DO DESENVOLVIMENTO

Leia mais

EMPREENDEDORISMO. Outubro de 2014

EMPREENDEDORISMO. Outubro de 2014 #5 EMPREENDEDORISMO Outubro de 2014 ÍNDICE 1. Apresentação 2. Definição 3. Empreendedorismo: necessidade ou oportunidade? 4. Características do comportamento empreendedor 5. Cenário brasileiro para o empreendedorismo

Leia mais

RESENHAS. Marketing Turístico e de Hospitalidade: Fonte de Empregabilidade e Desenvolvimento para o Brasil

RESENHAS. Marketing Turístico e de Hospitalidade: Fonte de Empregabilidade e Desenvolvimento para o Brasil RESENHAS Marketing Turístico e de Hospitalidade: Fonte de Empregabilidade e Desenvolvimento para o Brasil Erika Helena Bautto Completa, abrangente e extremamente didática, Marketing Turístico e de Hospitalidade:

Leia mais

A POLÍTICA DE TURISMO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO DIANTE DOS MEGAEVENTOS

A POLÍTICA DE TURISMO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO DIANTE DOS MEGAEVENTOS A POLÍTICA DE TURISMO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO DIANTE DOS MEGAEVENTOS A IMPORTÂNCIA DO SETOR: TURISMO E SUSTENTABILIDADE O Turismo é o maior setor econômico no que se refere ao faturamento e número

Leia mais

{ 2 } Parque Tecnológico Capital Digital

{ 2 } Parque Tecnológico Capital Digital { 2 } Parque Tecnológico Capital Digital { 3 } 1. INTRODUÇÃO: PARQUE TECNOLÓGICO CAPITAL DIGITAL - PTCD Principal polo de desenvolvimento Científico, Tecnológico e de Inovação do Distrito Federal, o PTCD

Leia mais

Secretaria de Turismo da Bahia

Secretaria de Turismo da Bahia Secretaria de Turismo da Bahia Secretaria de Turismo do Estado da Bahia SETUR Sustentabilidade do Turismo na Zona Costeira UPB - 24 de março de 2009 Sustentabilidade do Turismo na Zona Costeira Para compreender

Leia mais

A Evolução da Mídia Exterior. Dados Demográficos TUBARÃO

A Evolução da Mídia Exterior. Dados Demográficos TUBARÃO A Evolução da Mídia Exterior Dados Demográficos TUBARÃO TUBARÃO Tubarão tem como atividades econômicas o comércio, a agricultura e a pecuária, com destaque também para empresas do setor de cerâmica. O

Leia mais

Universidade. Estácio de Sá. Turismo, Hotelaria e Gastronomia

Universidade. Estácio de Sá. Turismo, Hotelaria e Gastronomia Universidade Estácio de Sá Turismo, Hotelaria e Gastronomia A Estácio Hoje reconhecida como a maior instituição particular de ensino superior do país, a Universidade Estácio de Sá iniciou suas atividades

Leia mais

Portal de Turismo Divulgando seu empreendimento

Portal de Turismo Divulgando seu empreendimento www.visitesaopedrodaaldeia.com.br Portal de Turismo Divulgando seu empreendimento Tel/ax: (21) 2522-2421 ideias@ideias.org.br Quem Somos O Instituto IDEIAS é uma associação civil, sem fins lucrativos,

Leia mais

Consultando o Dicionário da Língua Portuguesa de Aurélio Buarque de Holanda Ferreira, encontra-se a seguinte definição para turismo:

Consultando o Dicionário da Língua Portuguesa de Aurélio Buarque de Holanda Ferreira, encontra-se a seguinte definição para turismo: 4 Turismo O objetivo deste capítulo é apresentar definições de turismo, a relação entre turismo e fontes de emprego, a importância do domínio da língua inglesa para o mercado e o perfil do profissional

Leia mais

Centro Cultural e de Exposições de Maceió

Centro Cultural e de Exposições de Maceió Centro Cultural e de Exposições de Maceió Descrição Administrar, explorar comercialmente e desenvolver eventos culturais, de lazer e de negócios no Centro Cultural e de Exposições de Maceió, localizado

Leia mais

FECOMÉRCIO FALTOU NO CLIPPING VEÍCULO: GAZETA DO OESTE DATA: 08.02.15 EDITORIA: CIDADES

FECOMÉRCIO FALTOU NO CLIPPING VEÍCULO: GAZETA DO OESTE DATA: 08.02.15 EDITORIA: CIDADES FECOMÉRCIO FALTOU NO CLIPPING VEÍCULO: GAZETA DO OESTE DATA: 08.02.15 EDITORIA: CIDADES VEÍCULO: GAZETA DO OESTE DATA: 08.02.15 EDITORIA: LISTZ MADRUGA VEÍCULO: GAZETA DO OESTE DATA: 08.02.15 EDITORIA:

Leia mais

SEGMENTAÇÃO DO PUBLICO PARA UMA ECOPOUSADA EM IBIRAMA SC

SEGMENTAÇÃO DO PUBLICO PARA UMA ECOPOUSADA EM IBIRAMA SC SEGMENTAÇÃO DO PUBLICO PARA UMA ECOPOUSADA EM IBIRAMA SC 1 INTRODUÇÃO Alice Mecabô 1 ; Bruna Medeiro 2 ; Marco Aurelio Dias 3 O turismo é uma atividade que hoje é considerada um dos meios econômicos que

Leia mais

INOVAÇÃO E COMPETITIVIDADE DE DESTINOS TURÍSTICOS. Novembro de 2014

INOVAÇÃO E COMPETITIVIDADE DE DESTINOS TURÍSTICOS. Novembro de 2014 INOVAÇÃO E COMPETITIVIDADE DE DESTINOS TURÍSTICOS Novembro de 2014 1 Competitividade de Destinos Emergência nos estudos sobre estratégia empresarial Indústria, empresas, países, organizações Diferentes

Leia mais

Introdução. Núcleo de Pesquisas

Introdução. Núcleo de Pesquisas Introdução O verão é um período onde Santa Catarina demonstra todo a sua vocação para a atividade turística. Endereço de belas praias, o estado se consolidou como um dos principais destinos de turistas,

Leia mais

IMPACTO DOS MEGA EVENTOS NA INDuSTrIA hoteleira brasileira JUNHO 2013

IMPACTO DOS MEGA EVENTOS NA INDuSTrIA hoteleira brasileira JUNHO 2013 IMPACTO DOS MEGA EVENTOS NA Industria hoteleira brasileira JUNHO 2013 ENTIDADE ABIH NACIONAL Fundada em 09/11/1936 3.500 associados 35 escritórios 26 capitais + DF 08 regionais ENTIDADE 25.500 meios de

Leia mais

Empreendimentos no Litoral Norte Costa dos Corais

Empreendimentos no Litoral Norte Costa dos Corais Empreendimentos no Litoral Norte Costa dos Corais Descrição Empreender projetos de investimento voltados ao turismo (resorts, marinas), lazer (aquários, passeios) e serviços, que sejam ambientalmente compatíveis

Leia mais

SERVIÇO BRASILEIRO DE APOIO ÀS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS

SERVIÇO BRASILEIRO DE APOIO ÀS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS SERVIÇO BRASILEIRO DE APOIO ÀS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS PEQUENOS negócios no BRASIL 99% 70% 40% 25% 1% do total de empresas brasileiras da criação de empregos formais da massa salarial do PIB das exportações

Leia mais

Pontal da Barra - Centro de Lazer e Negócios

Pontal da Barra - Centro de Lazer e Negócios Pontal da Barra - Centro de Lazer e Negócios Descrição Revitalizar, reurbanizar e ocupar, por meio de um projeto arquitetônico harmonioso e de completa infra-estrutura para o turismo, lazer, comércio e

Leia mais

Apresentação de projetos na Bahiatursa

Apresentação de projetos na Bahiatursa Apresentação de projetos na Bahiatursa - Orientações - janeiro/2012 Apresentação A Bahiatursa, empresa oficial de turismo do Estado da Bahia, é vinculada à Secretaria de Turismo do Estado e tem como finalidade

Leia mais

ATUALIZAÇÃO DO PLANO DIRETOR DE TURISMO - PDTur. Prefeitura Municipal de Mairiporã

ATUALIZAÇÃO DO PLANO DIRETOR DE TURISMO - PDTur. Prefeitura Municipal de Mairiporã ATUALIZAÇÃO DO PLANO DIRETOR DE TURISMO - PDTur Prefeitura Municipal de Mairiporã Secretaria de Meio Ambiente e Turismo Departamento de Turismo - DeTur Apresentação Um Plano Diretor de Turismo é uma ferramenta

Leia mais

MARKETING PARA TURISMO RODOVIÁRIO. Rosana Bignami Outubro_2015

MARKETING PARA TURISMO RODOVIÁRIO. Rosana Bignami Outubro_2015 MARKETING PARA TURISMO RODOVIÁRIO Rosana Bignami Outubro_2015 ATRATIVOS CIDADES PESSOAS TRANSPORTES SISTEMA DE TRANSPORTE VEÍCULO ATENDE LOCAIS E ATENDE A MINHA EMPRESA ESTÁ PRONTA PARA O MARKETING? OUÇA

Leia mais

PUBVET, Publicações em Medicina Veterinária e Zootecnia. Turismo rural e estratégias de marketing: uma análise de sites de empresas do segmento

PUBVET, Publicações em Medicina Veterinária e Zootecnia. Turismo rural e estratégias de marketing: uma análise de sites de empresas do segmento PUBVET, Publicações em Medicina Veterinária e Zootecnia. Turismo rural e estratégias de marketing: uma análise de sites de empresas do segmento Felipe Pereira Fontes 1, Max Leandro de Araújo Brito 2, Jeanne

Leia mais

Participação da União em Projetos de Infra-estrutura Turística no Âmbito do PRODETUR SUL

Participação da União em Projetos de Infra-estrutura Turística no Âmbito do PRODETUR SUL Programa 0410 Turismo: a Indústria do Novo Milênio Objetivo Aumentar o fluxo, a taxa de permanência e o gasto de turistas no País. Público Alvo Turistas brasileiros e estrangeiros Ações Orçamentárias Indicador(es)

Leia mais

Ministério do Turismo. Brasil: Destino Turístico Internacional Gestão da Política de Turismo Turismo no Brasil: Uma Viagem para Todos

Ministério do Turismo. Brasil: Destino Turístico Internacional Gestão da Política de Turismo Turismo no Brasil: Uma Viagem para Todos Ministério do Turismo Brasil: Destino Turístico Internacional Gestão da Política de Turismo Turismo no Brasil: Uma Viagem para Todos Sumário Executivo Em 2005, do total previsto para o Ministério do Turismo,

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DO RCVB (RECIFE CONVENTION &VISITORS BUREAU) PARA A CONSOLIDAÇÃO DO TURISMO DE EVENTOS EM RECIFE.

A IMPORTÂNCIA DO RCVB (RECIFE CONVENTION &VISITORS BUREAU) PARA A CONSOLIDAÇÃO DO TURISMO DE EVENTOS EM RECIFE. A IMPORTÂNCIA DO RCVB (RECIFE CONVENTION &VISITORS BUREAU) PARA A CONSOLIDAÇÃO DO TURISMO DE EVENTOS EM RECIFE. Autor: ANTÔNIO CARLOS DE SOUZA E SÁ FILHO Introdução O Turismo de Eventos está em plena ascensão

Leia mais

HOTÉIS ECONÔMICOS NO BRASIL - 2008

HOTÉIS ECONÔMICOS NO BRASIL - 2008 HOTÉIS ECONÔMICOS NO BRASIL - 2008 FICHA TÉCNICA: Consultor Coordenador José Ernesto Marino Neto Este relatório foi realizado pela BSH Travel Research, divisão estatística da BSH International e apresenta

Leia mais

INDUTOR TURÍSTICO: O CASO DE PONTA GROSSA, PARANÁ

INDUTOR TURÍSTICO: O CASO DE PONTA GROSSA, PARANÁ INDUTOR TURÍSTICO: O CASO DE PONTA GROSSA, PARANÁ Agata Marcomini Caires Valéria Albach RESUMO: Ponta Grossa é uma cidade que contém diversos atrativos turísticos, entre eles é possível citar atrativos

Leia mais

25 (BID) / 01 (contrapartida Estadual)

25 (BID) / 01 (contrapartida Estadual) PRODETUR NACIONAL / Bahia Unidade Coordenadora de Projetos UCP/Bahia Banco Interamericano de Desenvolvimento TERMOS DE REFERÊNCIA Nº 002/2011 SETUR / BAHIA Categoria de Investimento: Consultoria 1. Do

Leia mais

APL DE TURISMO NO LITORAL DO PIAUÍ

APL DE TURISMO NO LITORAL DO PIAUÍ APL DE TURISMO NO LITORAL DO PIAUÍ (A) Teresina; (B) Cajueiro da Praia; (C) Luis Correia; (D) Parnaíba; (E) Ilha Grande Rota das Emoções: Jericoacoara (CE) - Delta (PI) - Lençóis Maranhenses (MA) Figura

Leia mais

Turismo de Negócios, Congressos e Eventos. 1º. Encontro de Secretários de Turismo da Rede Mercocidades. Mercodestinos Capitais Gauchas Rotas Tchê

Turismo de Negócios, Congressos e Eventos. 1º. Encontro de Secretários de Turismo da Rede Mercocidades. Mercodestinos Capitais Gauchas Rotas Tchê Turismo de Negócios, Congressos e Eventos 1º. Encontro de Secretários de Turismo da Rede Mercocidades Mercodestinos Capitais Gauchas Rotas Tchê Visão, Acordos, Compromissos, Estratégias e Ações Porto Alegre,

Leia mais

Oportunidades de Negócios com a Copa do Mundo 2014. Salvador 04/11/10

Oportunidades de Negócios com a Copa do Mundo 2014. Salvador 04/11/10 Oportunidades de Negócios com a Copa do Mundo 2014 Salvador 04/11/10 É a vez do Brasil! Linha do Tempo Eventos Esportivos Copa das Confederações 2013 Copa do Mundo FIFA 2014 Olimpíadas e Paraolimpíadas

Leia mais

turístico: a oferta e a demanda turísticas

turístico: a oferta e a demanda turísticas 2 Mercado turístico: a oferta e a demanda turísticas Meta da aula Apresentar os conceitos e o funcionamento do mercado turístico, especialmente a oferta e a demanda turística. Objetivos Esperamos que,

Leia mais

Meto t d o o d l o og o i g a II. Segm g e m nt n a t ção o do d o me m rcado III. C racte t rização o do d s o ent n r t evi v sta t do d s

Meto t d o o d l o og o i g a II. Segm g e m nt n a t ção o do d o me m rcado III. C racte t rização o do d s o ent n r t evi v sta t do d s Roteiro I. Metodologia II. III. IV. Segmentação do mercado Caracterização dos entrevistados Percepções sobre o turismo no Brasil V. Hábitos e comportamentos sobre turismo VI. VII. VIII. Prioridade de investimento

Leia mais

O turismo e os recursos humanos

O turismo e os recursos humanos Introdução O turismo e os recursos humanos Belíssimas praias, dunas, cachoeiras, cavernas, montanhas, florestas, falésias, rios, lagos, manguezais etc.: sem dúvida, o principal destaque do Brasil no setor

Leia mais

ESTRATÉGIA ECONÔMICA LEAPFROG DO SÉCULO XXI: O RIO GRANDE DO SUL TORNA-SE O LUGAR MAIS SUSTENTÁVEL E INOVADOR DA AMÉRICA LATINA ATÉ 2030

ESTRATÉGIA ECONÔMICA LEAPFROG DO SÉCULO XXI: O RIO GRANDE DO SUL TORNA-SE O LUGAR MAIS SUSTENTÁVEL E INOVADOR DA AMÉRICA LATINA ATÉ 2030 ESTRATÉGIA ECONÔMICA LEAPFROG DO SÉCULO XXI: O RIO GRANDE DO SUL TORNA-SE O LUGAR MAIS SUSTENTÁVEL E INOVADOR DA AMÉRICA LATINA ATÉ 2030 Um relatório para o Governo do Estado do Rio Grande Sul (AGDI) e

Leia mais

Turismo de (bons) negócios. 26 KPMG Business Magazine

Turismo de (bons) negócios. 26 KPMG Business Magazine Turismo de (bons) negócios 26 KPMG Business Magazine Segmento ganha impulso com eventos internacionais e aumento da demanda interna Eventos mobilizaram mais de R$ 20,6 bilhões em 2011 A contagem regressiva

Leia mais

Legado turístico pós-copa: as potencialidades de BH. Roberto Luciano Fagundes Presidente do BHC&VB

Legado turístico pós-copa: as potencialidades de BH. Roberto Luciano Fagundes Presidente do BHC&VB Legado turístico pós-copa: as potencialidades de BH Roberto Luciano Fagundes Presidente do BHC&VB Legado turístico pós-copa: as potencialidades de BH O que é Belo Horizonte Convention & Vistors Bureau

Leia mais

3.8 Atrações e Produtos Turísticos

3.8 Atrações e Produtos Turísticos 3.8 Atrações e Produtos Turísticos Conforme se observa na relação de produtos primários e complementares, a Costa dos Coqueirais se caracteriza como uma área interligada. Pelo exposto, observa-se que os

Leia mais

ARRANJO PRODUTIVO LOCAL E DESENVOLVIMENTO ENDÓGENO: UMA APRESENTAÇÃO DO APL DE TURISMO NO LITORAL NORTE DO ESTADO DE ALAGOAS

ARRANJO PRODUTIVO LOCAL E DESENVOLVIMENTO ENDÓGENO: UMA APRESENTAÇÃO DO APL DE TURISMO NO LITORAL NORTE DO ESTADO DE ALAGOAS ! "#$ " %'&)(*&)+,.- /10.2*&4365879&4/1:.+58;.2*=?5.@A2*3B;.- C)D 5.,.5FE)5.G.+ &4- (IHJ&?,.+ /?=)5.KA:.+5MLN&OHJ5F&4E)2*EOHJ&)(IHJ/)G.- D - ;./);.& ARRANJO PRODUTIVO LOCAL E DESENVOLVIMENTO ENDÓGENO:

Leia mais

Portal de Turismo Divulgando seu empreendimento

Portal de Turismo Divulgando seu empreendimento www.turisangra.com.br Portal de Turismo Divulgando seu empreendimento Tel/ax: (21) 2522-2421 ideias@ideias.org.br Quem Somos O Instituto IDEIAS é uma associação civil, sem fins lucrativos, criada em 8

Leia mais

ASSOCIAÇÃO CULTURAL E EDUCACIONAL DE GARÇA FACULDADE DE CIÊNCIAS HUMANAS CURSO DE BACHARELADO EM TURISMO RA: 31.902

ASSOCIAÇÃO CULTURAL E EDUCACIONAL DE GARÇA FACULDADE DE CIÊNCIAS HUMANAS CURSO DE BACHARELADO EM TURISMO RA: 31.902 ASSOCIAÇÃO CULTURAL E EDUCACIONAL DE GARÇA FACULDADE DE CIÊNCIAS HUMANAS CURSO DE BACHARELADO EM TURISMO RA: 31.902 O TURISMO DE EVENTOS ENQUANTO MECANISMO DE PRESERVAÇÃO E PROPAGAÇÃO DE IDENTIDADES CULTURAIS

Leia mais

Aula 03 Gestão de Marketing

Aula 03 Gestão de Marketing Aula 03 Gestão de Marketing Análise SWOT, Segmentação de Mercado e Mix de Marketing Prof. Marcopolo Marinho Prof. Esp. Marcopolo Marinho Segmentação é a identificação sistemática de conjuntos e subconjuntos

Leia mais

DESENVOLVIMENTO REGIONAL ATRAVÉS DO TURISMO: GERAÇÃO DE EMPREGO E RENDA

DESENVOLVIMENTO REGIONAL ATRAVÉS DO TURISMO: GERAÇÃO DE EMPREGO E RENDA DESENVOLVIMENTO REGIONAL ATRAVÉS DO TURISMO: GERAÇÃO DE EMPREGO E RENDA Camila Fagundes 1 Mary Sandra Guerra Ashton 2 Universidade Feevale Resumo: O presente estudo é parte da pesquisa em andamento intitulada:

Leia mais

O SETOR PÚBLICO E AS AÇÕES DE ORGANIZAÇÃO DO TURISMO NO MUNICÍPIO DA ILHA DE ITAMARACÁ-PE

O SETOR PÚBLICO E AS AÇÕES DE ORGANIZAÇÃO DO TURISMO NO MUNICÍPIO DA ILHA DE ITAMARACÁ-PE 1 O SETOR PÚBLICO E AS AÇÕES DE ORGANIZAÇÃO DO TURISMO NO MUNICÍPIO DA ILHA DE ITAMARACÁ-PE GUILHERME ALVES DE SANTANA, MICHELLY ELAINE DE OLIVEIRA CONCEIÇÃO & EVERTON MEDEIROS BEZERRA Introdução Devido

Leia mais

SUPERE A CRISE E FORTALEÇA SEU NEGÓCIO.

SUPERE A CRISE E FORTALEÇA SEU NEGÓCIO. Workshop para empreendedores e empresários do Paranoá DF. SUPERE A CRISE E FORTALEÇA SEU NEGÓCIO. Dias 06 e 13 de Dezembro Hotel Bela Vista Paranoá Das 08:00 às 18:00 horas Finanças: Aprenda a controlar

Leia mais

Ministério do Esporte e Turismo EMBRATUR Instituto Brasileiro de Turismo. Deliberação Normativa nº 419, de 15 de março de 2001

Ministério do Esporte e Turismo EMBRATUR Instituto Brasileiro de Turismo. Deliberação Normativa nº 419, de 15 de março de 2001 Ministério do Esporte e Turismo EMBRATUR Instituto Brasileiro de Turismo Deliberação Normativa nº 419, de 15 de março de 2001 A Diretoria da EMBRATUR Instituto Brasileiro de Turismo, no uso de suas atribuições

Leia mais

A Evolução da Mídia Exterior. Dados Demográfi cos GAROPABA

A Evolução da Mídia Exterior. Dados Demográfi cos GAROPABA A Evolução da Mídia Exterior Dados Demográfi cos GAROPABA GAROPABA Considerada um paraíso à beira-mar, Garopaba possui praias de mar manso e também outras reconhecidas internacionalmente pela prática do

Leia mais

COMO A GIR NA CRI $E 1

COMO A GIR NA CRI $E 1 1 COMO AGIR NA CRI$E COMO AGIR NA CRISE A turbulência econômica mundial provocada pela crise bancária nos Estados Unidos e Europa atingirá todos os países do mundo, com diferentes níveis de intensidade.

Leia mais

TURISMO NO SUL DE MINAS: UMA ANÁLISE SOBRE O MUNICÍPIO DE FAMA (MG)

TURISMO NO SUL DE MINAS: UMA ANÁLISE SOBRE O MUNICÍPIO DE FAMA (MG) TURISMO NO SUL DE MINAS: UMA ANÁLISE SOBRE O MUNICÍPIO DE FAMA (MG) SÉRGIO HENRIQUE DE CAMPOS ESPORTE 1 e ANA RUTE DO VALE 2 sergio_h13@hotmail.com, ana.vale@unifal-md.edu.br 1 Bolsista de iniciação científica

Leia mais

Observatório do Turismo

Observatório do Turismo USUS 2012 Observatório do Turismo Cidade de São Paulo Brasil Turismo no Mundo 9,0% Representatividade no PIB Mundial em 2011 US$ 6,3 TRILHÕES Movimentação Financeira em 2011 980 MILHÕES Viagens no Mundo,

Leia mais

Palestrante TATIANA FERNANDEZ Consultora de Desenvolvimento de Destinos Turísticos

Palestrante TATIANA FERNANDEZ Consultora de Desenvolvimento de Destinos Turísticos Palestrante TATIANA FERNANDEZ Consultora de Desenvolvimento de Destinos Turísticos OPORTUNIDADES O TURISMO CONSISTE NA EXPLORAÇÃO DAS OPORTUNIDADES NATURAIS DE UM DESTINO (LOCAL, CIDADE, REGIÃO), QUE EXERCE

Leia mais

Plano de Negócio. MATERIAL PARA TREINAMENTO (Dados e informações poderão ser alterados)

Plano de Negócio. MATERIAL PARA TREINAMENTO (Dados e informações poderão ser alterados) Plano de Negócio MATERIAL PARA TREINAMENTO (Dados e informações poderão ser alterados) O Projeto 04 Cenário Econômico A Demanda Concorrência Estratégia Comercial Operação Rentabilidade O Empreendedor 06

Leia mais

4. Tendências em Gestão de Pessoas

4. Tendências em Gestão de Pessoas 4. Tendências em Gestão de Pessoas Em 2012, Gerenciar Talentos continuará sendo uma das prioridades da maioria das empresas. Mudanças nas estratégias, necessidades de novas competências, pressões nos custos

Leia mais

ANÁLISE DO COMPORTAMENTO DO TURISMO EM ALAGOAS, PARA JULHO DE 2015

ANÁLISE DO COMPORTAMENTO DO TURISMO EM ALAGOAS, PARA JULHO DE 2015 ANÁLISE DO COMPORTAMENTO DO TURISMO EM ALAGOAS, PARA JULHO DE 2015 Superintendência de Produção da Informação e do Conhecimento (SINC) Diretoria de Estatística e Indicadores A partir da análise da movimentação

Leia mais

PANORAMA DOS MERCADOS Sul-Americanos

PANORAMA DOS MERCADOS Sul-Americanos Boletim PANORAMA DOS MERCADOS Sul-Americanos Edição nº 1 Julho/2015 Coordenação Geral de Mercados Americanos/Asiático - CGMA Diretoria de Mercados Internacionais - DMINT Apresentação A série Boletim Panorama

Leia mais

Líder em consultoria no agronegócio

Líder em consultoria no agronegócio MPRADO COOPERATIVAS mprado.com.br COOPERATIVAS 15 ANOS 70 Consultores 25 Estados 300 cidade s 500 clientes Líder em consultoria no agronegócio 1. Comercial e Marketing 1.1 Neurovendas Objetivo: Entender

Leia mais

TÍTULO: A IMPORTÂNCIA DO MARKETING DE VENDAS PARA MELHORAR O DESEMPENHO DA EQUIPE DE VENDAS

TÍTULO: A IMPORTÂNCIA DO MARKETING DE VENDAS PARA MELHORAR O DESEMPENHO DA EQUIPE DE VENDAS Anais do Conic-Semesp. Volume 1, 2013 - Faculdade Anhanguera de Campinas - Unidade 3. ISSN 2357-8904 TÍTULO: A IMPORTÂNCIA DO MARKETING DE VENDAS PARA MELHORAR O DESEMPENHO DA EQUIPE DE VENDAS CATEGORIA:

Leia mais

FECOMÉRCIO VEÍCULO: NOVO JORNAL DATA: 06.02.15 EDITORIA: CAPA E CIDADES

FECOMÉRCIO VEÍCULO: NOVO JORNAL DATA: 06.02.15 EDITORIA: CAPA E CIDADES FECOMÉRCIO VEÍCULO: NOVO JORNAL DATA: 06.02.15 EDITORIA: CAPA E CIDADES Classificação: Positiva VEÍCULO: TRIBUNA DO NORTE DATA: 06.02.15 EDITORIA: ECONOMIA Classificação: Positiva VEÍCULO: TRIBUNA DO

Leia mais

Entrevistas pessoais com as 80 maiores empresas de turismo no Brasil;

Entrevistas pessoais com as 80 maiores empresas de turismo no Brasil; 10ª edição / 2014 Apresentação Entrevistas pessoais com as 80 maiores empresas de turismo no Brasil; Série histórica iniciada em 2004 Pesquisa complementar ao BDET (Boletim de Desempenho Econômico do Turismo),

Leia mais

Proporcionar aos idosos, aposentados e pensionistas oportunidade de viajar e de usufruir os benefícios

Proporcionar aos idosos, aposentados e pensionistas oportunidade de viajar e de usufruir os benefícios Objetivos do Projeto Geral Proporcionar aos idosos, aposentados e pensionistas oportunidade de viajar e de usufruir os benefícios da atividade turística, como forma de fortalecimento do setor de turismo

Leia mais

COMO ABRIR UM HOTEL/POUSADA

COMO ABRIR UM HOTEL/POUSADA COMO ABRIR UM HOTEL/POUSADA Viviane Santos Salazar 08 a 11 de outubro de 2014 08 a 11 de outubro de 2014 O mercado Crescimento da demanda por hospedagem Copa do Mundo Olimpíadas Qual a representatividade

Leia mais

Síntese do planejamento e os impactos para o país com a Copa do Mundo 2014

Síntese do planejamento e os impactos para o país com a Copa do Mundo 2014 Code-P0 Síntese do planejamento e os impactos para o país com a Copa do Mundo 2014 Encontro Nacional - Abracen Eventos Esportivos e os Impactos para o país São Paulo, 7 de março de 2012 Code-P1 O Brasil

Leia mais

REDES DE PEQUENAS EMPRESAS

REDES DE PEQUENAS EMPRESAS REDES DE PEQUENAS EMPRESAS As micro, pequenas e médias empresas, em decorrência da globalização e suas imposições,vêm buscando alcançar vantagem competitiva para sua sobrevivência no mercado. CONTEXTO

Leia mais

Empreendimentos Turísticos em Maceió

Empreendimentos Turísticos em Maceió Empreendimentos Turísticos em Maceió Descrição Atração de empreendimentos turísticos para Maceió, sejam eles hoteleiros, de entretenimento, culturais, comerciais ou de serviços, capacitados estruturalmente

Leia mais

Anais do 2º Congresso Brasileiro de Extensão Universitária Belo Horizonte 12 a 15 de setembro de 2004

Anais do 2º Congresso Brasileiro de Extensão Universitária Belo Horizonte 12 a 15 de setembro de 2004 Anais do 2º Congresso Brasileiro de Extensão Universitária Belo Horizonte 12 a 15 de setembro de 2004 Projeto Verde Catas Altas Área Temática de Desenvolvimento Regional Resumo O projeto Verde Catas Altas

Leia mais

Enquadramento Turismo Rural

Enquadramento Turismo Rural Enquadramento Turismo Rural Portugal é um País onde os meios rurais apresentam elevada atratividade quer pelas paisagens agrícolas, quer pela biodiversidade quer pelo património histórico construído o

Leia mais

ESTUDO DE COMPETITIVIDADE NITERÓI

ESTUDO DE COMPETITIVIDADE NITERÓI ESTUDO DE COMPETITIVIDADE NITERÓI APRESENTAÇÃO Com o intuito de auxiliar destinos turísticos a analisar, conjugar e equilibrar os diversos fatores que, para além da atratividade, contribuem para a evolução

Leia mais

Especificações Técnicas

Especificações Técnicas Especificações Técnicas Metodologia Técnicaeformadecoleta: Quantitativa: survey telefônico, com amostra 2.322 entrevistas, realizadas entre os dias 17 de junho e 07 de julho de 2009, pelo Instituto Vox

Leia mais

FRANQUIA MODALIDADE QUIOSQUE

FRANQUIA MODALIDADE QUIOSQUE FRANQUIA MODALIDADE QUIOSQUE SUMÁRIO QUEM SOMOS 02 PREMIAÇÕES 03 ONDE ESTAMOS 04 O MODELO QUIOSQUE 06 NOSSO NEGÓCIO 07 MULTIMARCAS 07 MULTISERVIÇOS 08 PERFIL DO FRANQUEADO 09 VANTAGENS DA FRANQUIA CLUBE

Leia mais