Dezembro/2014 Belo Horizonte - MG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Dezembro/2014 Belo Horizonte - MG"

Transcrição

1 SECRETARIA DE ESTADO DE AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO DE MINAS GERAIS SUBSECRETARIA DO AGRONEGÓCIO Dezembro/2014 Belo Horizonte - MG

2 2 ÍNDICE 03. Apresentação 04. Dados Gerais do PIB do Agronegócio Brasileiro e Mineiro 09. Composição do PIB da Agricultura 14. Composição do PIB da Pecuária 19. PIB das Cadeias Produtivas Agricultura 20. Café 22. Complexo Sucroalcooleiro 25. Complexo Soja 27. Produtos Florestais 29. Produtos Têxteis 31. PIB das Cadeias Produtivas Pecuária 32. Lácteos 37. Animais vivos 39. Carnes

3 3 APRESENTAÇÃO O presente trabalho faz uma consolidação dos dados divulgados no Relatório do PIBAgro Minas Gerais, que é uma publicação resultante da parceria entre o Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (CEPEA), da Esalq/USP, com o apoio financeiro da Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de Minas Gerais (Faemg) e da Secretaria da Agricultura, Pecuária e Abastecimento de Minas Gerais (Seapa). Os dados permitem ao usuário fazer uma avaliação do desempenho econômico das diferentes atividades do agronegócio mineiro.

4 DADOS GERAIS DO PIB DO AGRONEGÓCIO BRASILEIRO E MINEIRO 4

5 BRASIL 28,8% 28,3% 25,8% PRODUTO INTERNO BRUTO - PIB ( AGRONEGÓCIO (PARTICIPAÇÃO RELATIVA DO 23,9% 24,1% 25,5% 22,9% 22,3% 23,2% 22,6% 22,7% PIB TOTAL (R$ bilhões)* 3.227, , , , , , , , , , ,4 MINAS GERAIS** 29,7% 29,9% 27,7% 29,2% 28,8% 30,3% 29,4% 29,4% 32,2% 31,9% PIB TOTAL (R$ bilhões)* 282,54 307,72 315,48 345,73 369,67 389,13 388,42 450,34 456,04 449,70 ND*** ** Para Minas Gerais, os dados são disponíveis pela Fundação João Pinheiro (FJP), com atualização para Os dados para a base brasileira têm como fonte o Sistema de Contas Nacionais trimestrais do IBGE. *** Dados não disponíveis. Fonte: CEPEA/USP / IBGE - Elaboração: Seapa 5

6 Fonte: CEPEA/USP / IBGE - Elaboração: Seapa 6 PIB DO AGRONEGÓCIO ( BRASIL (PARTICIPAÇÃO RELATIVA DE MINAS GERAIS NO R$ bilhões* 929,5 952,9 908,8 912,8 984, , , , , , , ,5 84,0 92,1 87,5 101,0 106,4 118,0 114,0 132,3 147,1 143,3 149,9 159, * PIB Agro MG PIB Agro BR Participação (%) Minas Gerais/Brasil 9,0% 9,7% 9,6% 11,1% 10,8% 11,1% 11,4% 12,3% 13,0% 13,0% 13,0% 13,6% *

7 PIB AGRONEGÓCIO (R$ bilhões)* PIB DO AGRONEGÓCIO MINEIRO PARTICIPAÇÃO DA AGRICULTURA E PECUÁRIA 92,1 87,5 101,0 106,4 118,0 114,0 132,3 147,1 143,3 149,9 159,3 67,6 59,2 64,3 71,4 81,5 45,6 47,1 53,1 58,8 54,6 40,3 46,5 47,2 53,9 53,3 59,1 59,4 73,1 79,5 79,1 78,5 77,7 PIB Agricultura (R$ bilhões) PIB Pecuária (R$ bilhões) PARTICIPAÇÃO SETORIAL (%) ** 49,5% 50,5% Agricultura (%) Pecuária (%) Agricultura (%) Pecuária (%) 51,2% 48,8% *Valores a preços de ** Valores publicados em Dezembro de 2014, referentes a Setembro de Fonte: CEPEA/USP / IBGE - Elaboração: Seapa 7

8 PIB DO AGRONEGÓCIO MINEIRO - TOTAL PARTICIPAÇÃO DOS DIFERENTES SEGMENTOS PIB AGRONEGÓCIO (R$ bilhões)* 92,1 87,5 101,0 106,4 118,0 114,0 132,3 147,1 143,3 149,9 159,3 27,5 30,9 32,5 26,5 19,5 20,6 25,0 25,6 35,3 34,6 26,5 28,0 38,9 34,0 39,0 41,2 46,8 42,8 48,2 57,0 54,9 56,6 61,7 6,3 6,4 6,2 7,1 9,4 8,5 7,9 9,5 9,6 9,0 9,2 41,0 35,2 44,6 43,5 46,3 49,3 36,0 35,4 38,1 39,1 Insumo (R$ bilhões) Básico (R$ bilhões) Indústria (R$ bilhões) Distribuição (R$ bilhões) PARTICIPAÇÃO SETORIAL (%) ** 42,2% 21,1% 29,8% 6,8% Insumos Básico Indústria Distribuição 38,7% 24,6% 30,9% 5,8% Insumos Básico Indústria Distribuição ** Valores publicados em Dezembro de 2014, referentes a Setembro de Fonte: CEPEA/USP / IBGE - Elaboração: Seapa 8

9 COMPOSIÇÃO DO PIB DA AGRICULTURA 9

10 PIB DO AGRONEGÓCIO MINEIRO - AGRICULTURA PARTICIPAÇÃO DOS DIFERENTES SEGMENTOS PIB AGRONEGÓCIO (R$ bilhões)* 46,5 47,2 53,9 53,3 59,1 59,4 73,1 79,5 79,1 78,5 77,7 14,1 14,5 17,1 16,8 15,7 16,6 21,1 20,8 18,0 18,6 21,3 23,2 13,6 13,1 12,9 12,4 15,1 13,7 16,1 19,2 19,6 17,6 16,7 3,1 3,0 2,8 3,4 4,7 3,9 3,5 4,1 4,3 3,9 4,1 23,6 30,0 25,2 24,9 25,2 25,0 30,9 30,2 31,8 31,9 Insumo (R$ bilhões) Básico (R$ bilhões) Indústria (R$ bilhões) Distribuição (R$ bilhões) PARTICIPAÇÃO SETORIAL (%) ** 29,3% 33,7% 30,4% 6,6% Insumos Básico Indústria Distribuição 41,1% 21,5% 32,1% 5,3% Insumos Básico Indústria Distribuição ** Valores publicados em Dezembro de 2014, referentes a Setembro de Fonte: CEPEA/USP / IBGE - Elaboração: Seapa 10

11 PIB AGRICULTURA (INSUMOS) R$ bilhões* 3,1 3,0 2,8 3,4 4,7 3,9 3,5 4,1 4,3 3,9 4,1 PARTICIPAÇÃO SETORIAL (%) ** 15,4% 14,7% Adubos, fertilizantes e corretivos do solo Adubos, fertilizantes e corretivos do solo 84,6% Combustíveis e lubrificantes 85,3% Combustíveis e lubrificantes ** Valores publicados em Dezembro de 2014, referentes a Setembro de Fonte: CEPEA/USP / IBGE - Elaboração: Seapa 11

12 PIB AGRICULTURA (BÁSICO) R$ bilhões* 13,6 13,1 12,9 12,4 15,1 13,7 16,1 19,2 19,6 17,6 16,7 PARTICIPAÇÃO SETORIAL (%) ** 6,2% 22,5% 18,4% 16,0% 29,8% 7,1% Café Cana-de-açúcar Soja Milho Batata inglesa Outros*** 18,4% 7,0% 12,1% 13,5% 33,3% 15,8% Café Cana-de-açúcar Soja Milho Batata inglesa Outros*** ** Valores publicados em Dezembro de 2014, referentes a Setembro de *** Incorpora feijão, tomate, banana, algodão, mandioca, laranja, arroz, e carvão vegetal. Fonte: CEPEA/USP / IBGE - Elaboração: Seapa 12

13 PIB AGRICULTURA (INDÚSTRIA) R$ bilhões* 30,0 30,9 30,2 31,8 31,9 15,7 16,6 21,1 20,8 21,3 23,2 PARTICIPAÇÃO SETORIAL (%) ** Álcool (hidratado e anidro) 10,4% Álcool (hidratado e anidro) 27,4% 20,5% 11,0% 27,4% 13,7% Açúcar Café Celulose, papel e produtos de papel Outros*** 11,2% 13,0% 20,8% 44,6% Açúcar Café Celulose, papel e produtos de papel Outros*** ** Valores publicados em Dezembro de 2014, referentes a Setembro de *** Incorpora óleo de soja, têxtil, bebidas, e fumo. Fonte: CEPEA/USP / IBGE - Elaboração: Seapa 13

14 COMPOSIÇÃO DO PIB DA PECUÁRIA 14

15 PIB DO AGRONEGÓCIO MINEIRO - PECUÁRIA PARTICIPAÇÃO DOS DIFERENTES SEGMENTOS PIB AGRONEGÓCIO (R$ bilhões)* 45,6 40,3 47,1 53,1 58,8 54,6 59,2 67,6 64,3 71,4 81,5 17,2 15,8 16,0 17,4 13,4 13,8 3,8 3,9 4,8 5,2 4,9 5,2 12,0 4,0 25,2 20,9 26,0 28,9 31,8 29,2 32,1 19,4 18,5 5,1 5,2 37,8 35,3 39,0 44,9 3,2 3,4 3,4 3,7 4,7 4,6 4,5 5,3 5,4 5,1 5,1 Insumo (R$ bilhões) Básico (R$ bilhões) Indústria (R$ bilhões) Distribuição (R$ bilhões) 21,1 PARTICIPAÇÃO SETORIAL (%) ** 6,3 24,3 7,2 55,3% 29,3% 7,1% 8,3% Insumos Básico Indústria Distribuição 55,1% 29,8% 6,3% 8,8% Insumos Básico Indústria Distribuição ** Valores publicados em Dezembro de 2014, referentes a Setembro de Fonte: CEPEA/USP / IBGE - Elaboração: Seapa 15

16 PIB PECUÁRIA (INSUMOS) R$ bilhões* 4,7 4,6 4,5 5,3 5,4 5,1 5,1 3,2 3,4 3,4 3,7 PARTICIPAÇÃO SETORIAL (%) ** 14,7% Alimentos para animais 11,7% Alimentos para animais 22,8% 62,5% Adubos, fertilizantes e corretivos do solo 19,2% 69,1% Adubos, fertilizantes e corretivos do solo Combustíveis e Lubrificantes Combustíveis e Lubrificantes ** Valores publicados em Dezembro de 2014, referentes a Setembro de Fonte: CEPEA/USP / IBGE - Elaboração: Seapa 16

17 PIB PECUÁRIA (BÁSICO) R$ bilhões* 25,2 20,9 26,0 28,9 31,8 29,2 32,1 37,8 35,3 39,0 44,9 PARTICIPAÇÃO SETORIAL (%) ** 6,4% 4,5% Bovinos vivos*** 10,1% Leite natural 9,4% 2,8% 6,2% Bovinos vivos*** Leite natural 26,8% 52,3% Frango vivo Suíno vivo 30,6% 51,0% Frango vivo Suíno vivo Ovos Ovos ** Valores publicados em Dezembro de 2014, referentes a Setembro de *** Incorpora bois e vacas. Fonte: CEPEA/USP / IBGE - Elaboração: Seapa 17

18 PIB PECUÁRIA (INDÚSTRIA) R$ bilhões* 3,8 4,0 3,9 4,8 5,2 4,9 5,2 5,1 5,2 6,3 7,2 PARTICIPAÇÃO SETORIAL (%) ** 7,9% Indústria de lácteos*** 10,4% Indústria de lácteos*** 13,9% Carne bovina**** 16,9% Carne bovina**** 15,0% 63,2% Carne de aves 22,6% 50,1% Carne de aves Carne suína Carne suína ** Valores publicados em Dezembro de 2014, referentes a Setembro de *** Incorpora leite em pó, leite UHT, leite pasteurizado e queijo. **** Incorpora carne de boi e de vaca. Fonte: CEPEA/USP / IBGE - Elaboração: Seapa 18

19 PIB DAS CADEIAS PRODUTIVAS - AGRICULTURA 19

20 CAFÉ 20

21 PIB AGRONEGÓCIO - Café (R$ bilhões)* CAFÉ 5,8 7,7 8,1 8,2 8,1 8,1 8,9 11,7 13,0 11,8 9,7 Participação % (PIB Agronegócio Café/PIB Agronegócio Minas Gerais) 6,3% 8,8% 8,0% 7,7% 6,9% 7,1% 6,7% 8,0% 9,0% 7,9% 6,1% Segmentos do PIB do Agronegócio Café (R$ bilhões) 2,3 2,6 2,1 2,5 2,6 3,1 1,7 4,1 5,4 5,5 6,1 5,6 5,5 5,8 3,4 8,3 3,5 9,5 4,3 7,5 4,2 5,6 Café em grão Indústria do café PARTICIPAÇÃO SETORIAL (%) ** 29,7% Café em grão 70,3% Indústria de café 42,8% 57,2% Café em grão Indústria de café ** Valores publicados em Dezembro de 2014, referentes a Setembro de Fonte: CEPEA/USP / IBGE - Elaboração: Seapa 21

22 COMPLEXO SUCROALCOOLEIRO 22

23 COMPLEXO SUCROALCOOLEIRO PIB AGRONEGÓCIO Complexo sucroalcooleiro (R$ bilhões)* 7,4 6,9 10,5 13,3 12,5 13,7 20,9 23,1 22,3 22,1 23,5 Participação % (PIB Agronegócio Complexo sucroalcooleiro/pib Agronegócio Minas Gerais) 8,0% 7,9% 10,4% 12,5% 10,6% 12,0% 15,8% 15,7% 15,6% 14,7% 14,8% Segmentos do PIB do Agronegócio Complexo Sucroalcooleiro (R$ bilhões) 18,7 20,2 19,6 19,7 20,9 6,4 6,1 9,7 11,9 10,6 12,4 1,0 0,8 0,9 1,4 1,9 1,3 2,2 2,9 2,8 2,4 2,6 Cana-de-açúcar Indústria sucroalcooleira PARTICIPAÇÃO SETORIAL (%) ** 13,0% 11,2% Cana-de-açúcar Cana-de-açúcar Indústria sucroalcooleira Indústria sucroalcooleira 87,0% 88,8% ** Valores publicados em Dezembro de 2014, referentes a Setembro de Fonte: CEPEA/USP / IBGE - Elaboração: Seapa 23

24 COMPLEXO SUCROALCOOLEIRO - AÇÚCAR PIB AGRONEGÓCIO AÇÚCAR (R$ bilhões)* 6,5 7,6 7,2 8,6 6,6 2,1 2,3 3,3 4,0 2,6 2,7 Participação % (PIB AÇÚCAR/PIB Agronegócio Minas Gerais) 2,3% 2,6% 3,2% 3,7% 2,2% 2,4% 5,0% 5,1% 5,0% 5,7% 4,2% COMPLEXO SUCROALCOOLEIRO - ÁLCOOL PIB AGRONEGÓCIO ÁLCOOL (R$ bilhões)* 12,2 12,6 12,4 11,0 9,7 7,9 8,0 6,4 4,3 3,8 14,2 Participação % (PIB ÁLCOOL/PIB Agronegócio Minas Gerais) 4,7% 4,3% 6,3% 7,4% 6,8% 8,5% 9,2% 8,6% 8,7% 7,4% 8,9% ** Valores publicados em Dezembro de 2014, referentes a Setembro de Fonte: CEPEA/USP / IBGE - Elaboração: Seapa 24

25 COMPLEXO SOJA 25

26 2,2 2,0 1,5 1,1 1,1 COMPLEXO SOJA* PIB AGRONEGÓCIO Complexo soja (R$ bilhões)* 4,1 4,0 2,9 2,1 3,2 3,4 3,7 3,2 3,7 4,4 3,6 Participação % (PIB Agronegócio Complexo soja/pib Agronegócio Minas Gerais) 4,5% 4,5% 2,9% 2,0% 2,7% 3,0% 2,8% 2,2% 2,6% 2,9% 2,3% Segmentos do PIB do Agronegócio Complexo Soja (R$ bilhões) 1,9 2,0 1,4 1,5 1,8 1,7 1,6 1,5 1,3 1,9 2,2 1,3 2,2 1,9 1,8 2,1 2,3 Soja em grão Óleo de soja PARTICIPAÇÃO SETORIAL (%) ** Soja em grão Soja em grão 47,1% 52,9% Óleo de soja 37,1% 62,9% Óleo de soja * Refere-se a soja em grão em óleo de soja. Valores a preços de ** Valores publicados em Dezembro de 2014, referentes a Setembro de Fonte: CEPEA/USP / IBGE - Elaboração: Seapa 26

27 PRODUTOS FLORESTAIS 27

28 PRODUTOS FLORESTAIS PIB AGRONEGÓCIO Produtos Florestais (R$ bilhões)* 3,2 3,6 4,4 3,4 4,2 4,1 4,0 3,7 3,3 3,5 3,6 Participação % (PIB Agronegócio produtos Florestais/PIB Agronegócio Minas Gerais) 3,5% 4,1% 4,3% 3,2% 3,5% 3,6% 3,0% 2,5% 2,3% 2,3% 2,2% Segmentos do PIB do Agronegócio Produtos Florestais (R$ bilhões) 3,22 3,57 4,38 3,35 4,16 4,09 3,97 3,75 3,25 3,49 3,58 0,001 0,003 0,003 0,002 0,003 0,003 0,002 0,002 0,002 0,002 0,002 Carvão vegetal Celulose, papel e produtos de papel PARTICIPAÇÃO SETORIAL (%) ** 0,04% 0,05% Carvão vegetal Carvão vegetal 99,96% Celulose, papel e produtos de papel 99,95% Celulose, papel e produtos de papel ** Valores publicados em Dezembro de 2014, referentes a Setembro de Fonte: CEPEA/USP / IBGE - Elaboração: Seapa 28

29 PRODUTOS TÊXTEIS 29

30 PRODUTOS TÊXTEIS PIB AGRONEGÓCIO Produtos Têxteis (R$ bilhões)* 1,5 1,8 2,1 1,6 1,6 1,4 1,6 1,5 1,6 1,3 1,3 Participação % (PIB Agronegócio Produtos Têxteis/PIB Agronegócio Minas Gerais) 1,7% 2,1% 2,1% 1,5% 1,4% 1,3% 1,2% 1,0% 1,1% 0,9% 0,8% Segmentos do PIB do Agronegócio Produtos Têxteis (R$ bilhões) 1,4 1,6 2,0 1,5 1,5 1,4 1,4 1,1 1,2 1,1 1,1 0,1 0,2 0,2 0,1 0,1 0,1 0,2 0,3 0,5 0,3 0,2 Algodão Indústria Têxtil PARTICIPAÇÃO SETORIAL (%) ** 9,3% 16,8% Algodão Algodão Indústria Têxtil Indústria Têxtil 90,7% 83,2% ** Valores publicados em Dezembro de 2014, referentes a Setembro de Fonte: CEPEA/USP / IBGE - Elaboração: Seapa 30

31 PIB DAS CADEIAS PRODUTIVAS- PECUÁRIA 31

32 LÁCTEOS 32

33 PIB AGRONEGÓCIO LÁCTEOS (R$ bilhões)* LÁCTEOS 9,2 7,4 10,6 9,5 12,3 10,6 12,0 13,3 11,2 13,2 17,4 Participação % (PIB Agronegócio Lácteos/PIB Agronegócio Minas Gerais) 9,9% 8,5% 10,5% 9,0% 10,5% 9,3% 9,1% 9,0% 7,8% 8,8% 10,9% Segmentos do PIB do Agronegócio Lácteos(R$ bilhões) 2,4 2,5 3,4 3,0 2,8 3,1 2,7 3,1 2,7 2,5 6,8 8,2 4,9 6,5 9,0 7,8 8,9 10,6 8,6 10,1 Básico (Leite in natura) Indústria láctea (Leites e queijos) 3,6 13,8 PARTICIPAÇÃO SETORIAL (%) ** 26,2% Básico (Leite in natura) 20,8% Básico (Leite in natura) 73,8% Indústria láctea (Leites e queijos) 79,2% Indústria láctea (Leites e queijos) ** Valores publicados em Dezembro de 2014, referentes a Setembro de Fonte: CEPEA/USP / IBGE - Elaboração: Seapa 33

34 LÁCTEOS BÁSICO LÁCTEOS - LEITE IN NATURA PIB AGRONEGÓCIO LEITE IN NATURA (R$ bilhões)* 13,8 6,8 4,9 8,2 6,5 9,0 7,8 8,9 10,6 8,6 10,1 Participação % (PIB LEITE IN NATURA/PIB Agronegócio Minas Gerais) 7,3% 5,6% 8,1% 6,1% 7,6% 6,8% 6,8% 7,2% 6,0% 6,7% 8,6% ** Valores publicados em Dezembro de 2014, referentes a Setembro de Fonte: CEPEA/USP / IBGE - Elaboração: Seapa 34

35 LÁCTEOS INDÚSTRIA LÁCTEA LÁCTEOS LEITE INDUSTRIALIZADO (Pó, UHT, Pasteurizado) PIB AGRONEGÓCIO LEITE INDUSTRIALIZADO (R$ bilhões)* 3,0 2,7 2,4 2,2 2,4 2,5 2,5 1,9 2,0 2,0 3,5 Participação % (PIB LEITE INDUSTRIALIZADO/PIB Agronegócio Minas Gerais) 2,0% 2,3% 1,9% 2,2% 2,3% 1,9% 1,8% 1,7% 1,8% 2,0% 2,2% PIB AGRONEGÓCIO QUEIJO (R$ bilhões)* LÁCTEOS - QUEIJO 0,7 0,6 0,7 0,6 0,5 0,5 0,5 0,1 0,1 0,1 0,1 Participação % (PIB QUEIJO/PIB Agronegócio Minas Gerais) 0,58% 0,62% 0,51% 0,58% 0,60% 0,53% 0,50% 0,10% 0,09% 0,05% 0,04% ** Valores publicados em Novembro de 2014, referentes a Agosto de Fonte: CEPEA/USP / IBGE - Elaboração: Seapa 35

36 LEITE IN NATURA E INDUSTRIALIZADO PIB AGRONEGÓCIO LEITE (R$ bilhões)* LEITE 8,6 6,9 10,1 8,9 11,6 10,0 11,3 13,1 11,1 13,1 17,3 Participação % (PIB Agronegócio Leite/PIB Agronegócio Minas Gerais) 9,4% 7,8% 10,0% 8,4% 9,9% 8,7% 8,6% 8,9% 7,7% 8,8% 10,9% Segmentos do PIB do Agronegócio Leite(R$ bilhões) 2,5 3,0 2,0 2,7 1,9 2,4 2,2 2,4 2,5 2,0 6,8 8,2 4,9 6,5 9,0 7,8 8,9 10,6 8,6 10,1 3,5 13,8 Leite (In natura) Leite (Industrializado) PARTICIPAÇÃO SETORIAL (%) ** 21,6% Leite (In natura) 20,4% Leite (In natura) Leite (Industrializado) Leite (Industrializado) 78,4% 79,6% ** Valores publicados em Dezembro de 2014, referentes a Setembro de Fonte: CEPEA/USP / IBGE - Elaboração: Seapa 36

37 ANIMAIS VIVOS 37

38 ANIMAIS VIVOS PIB AGRONEGÓCIO ANIMAIS VIVOS (R$ bilhões)* 17,3 15,4 16,9 21,5 21,6 20,4 22,1 26,1 25,8 27,7 29,9 Participação % (PIB Agronegócio Animais vivos/pib Agronegócio Minas Gerais) 18,8% 17,6% 16,8% 20,2% 18,3% 17,9% 16,7% 17,7% 18,0% 18,5% 18,8% Especificação do PIB do Agronegócio Animais vivos(r$ bilhões) 2,3 1,9 2,3 2,8 1,3 1,4 3,1 2,7 3,4 4,2 1,6 1,1 1,8 1,7 1,7 2,1 2,6 6,2 2,4 2,8 5,9 4,6 4,5 3,4 5,4 5,6 6,3 7,6 5,4 7,0 2,5 1,9 2,6 8,6 7,9 9,2 11,9 11,7 10,8 11,9 14,3 13,6 16,7 15,9 Bois Vacas Frango Suínos PARTICIPAÇÃO SETORIAL (%) ** 14,6% 26,6% 9,3% 49,5% Bois Vacas Frangos Suínos 14,1% 23,5% 9,3% 53,0% Bois Vacas Frangos Suínos ** Valores publicados em Dezembro de 2014, referentes a Setembro de Fonte: CEPEA/USP / IBGE - Elaboração: Seapa 38

39 CARNES 39

40 PIB AGRONEGÓCIO CARNES (R$ bilhões)* CARNES 1,4 1,4 1,4 1,8 1,8 2,1 2,1 2,4 2,5 3,2 3,6 Participação % (PIB Agronegócio Carnes/PIB Agronegócio Minas Gerais) 1,5% 1,6% 1,4% 1,7% 1,5% 1,8% 1,6% 1,7% 1,7% 2,1% 2,3% Especificação do PIB do Agronegócio Carnes(R$ bilhões) 0,7 0,7 0,5 0,6 1,2 0,4 0,4 1,1 0,3 0,3 0,6 0,6 0,6 0,7 0,8 0,9 0,3 0,3 0,3 0,5 0,5 0,5 0,6 0,6 0,6 0,8 0,9 1,0 1,0 1,1 1,1 1,4 1,6 Carne Bovina** Carne de Aves Carne Suína PARTICIPAÇÃO SETORIAL (%) *** 21,5% Carne Bovina 40,7% Carne de Aves 20,8% Carne Bovina 45,3% Carne de Aves 37,8% Carne Suína 33,8% Carne Suína *Valores a preços de ** Incorpora carne de boi e de vaca. *** Valores publicados em Dezembro de 2014, referentes a Setembro de Fonte: CEPEA/USP / IBGE - Elaboração: Seapa 40

41 41 SECRETARIA DE ESTADO DE AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO SUBSECRETARIA DO AGRONEGÓCIO Rodovia Prefeito Américo Gianetti, s/nº. Bairro Serra Verde Belo Horizonte - MG Fone: (31)

SECRETARIA DE ESTADO DE AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO SEAPA SUBSECRETARIA DO AGRONEGÓCIO

SECRETARIA DE ESTADO DE AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO SEAPA SUBSECRETARIA DO AGRONEGÓCIO SECRETARIA DE ESTADO DE AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO SEAPA SUBSECRETARIA DO AGRONEGÓCIO VALOR BRUTO DA PRODUÇÃO (VBP) AGROPECUÁRIO Julho/2015 R$ milhões VBP PRINCIPAIS PRODUTOS AGRÍCOLAS LAVOURAS

Leia mais

PIB do Agronegócio CEPEA-USP/CNA Janeiro a abril de 2008 NÚMEROS BONS E ESTÁVEIS PARA O AGRONEGÓCIO EM ABRIL

PIB do Agronegócio CEPEA-USP/CNA Janeiro a abril de 2008 NÚMEROS BONS E ESTÁVEIS PARA O AGRONEGÓCIO EM ABRIL NÚMEROS BONS E ESTÁVEIS PARA O AGRONEGÓCIO EM ABRIL O Produto Interno Bruto (PIB) do agronegócio brasileiro estimado pelo Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada da Universidade de São Paulo (Cepea),

Leia mais

SECRETARIA DE ESTADO DE AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO SUBSECRETARIA DO AGRONEGÓCIO. PERFIL DO AGRONEGÓCIO BRASILEIRO Janeiro/2015

SECRETARIA DE ESTADO DE AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO SUBSECRETARIA DO AGRONEGÓCIO. PERFIL DO AGRONEGÓCIO BRASILEIRO Janeiro/2015 SECRETARIA DE ESTADO DE AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO SUBSECRETARIA DO AGRONEGÓCIO PERFIL DO AGRONEGÓCIO BRASILEIRO Janeiro/2015 2 ÍNDICE 03. Apresentação 04. População Rural 05. Habitantes no

Leia mais

Agosto/2015 Belo Horizonte - MG

Agosto/2015 Belo Horizonte - MG SECRETARIA DE ESTADO DE AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO DE MINAS GERAIS SUBSECRETARIA DO AGRONEGÓCIO Agosto/2015 Belo Horizonte - MG ÍNDICE 03. Apresentação 04. Dados de Minas Gerais 05. Área, Produção

Leia mais

SECRETARIA DE ESTADO DE AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO SUBSECRETARIA DO AGRONEGÓCIO SOJA. Setembro 2014 Belo Horizonte MG

SECRETARIA DE ESTADO DE AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO SUBSECRETARIA DO AGRONEGÓCIO SOJA. Setembro 2014 Belo Horizonte MG SECRETARIA DE ESTADO DE AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO SUBSECRETARIA DO AGRONEGÓCIO SOJA Setembro 2014 Belo Horizonte MG ÍNDICE 03. Apresentação 04. Dados de Minas Gerais 05. Área, Produção e Produtividade

Leia mais

Impacto do IMF e do sistema atual sobre os preços

Impacto do IMF e do sistema atual sobre os preços Arroz em casca 15,72 30,25 Milho em grão 15,21 32,16 Trigo em grão e outros cereais 15,70 32,66 Cana-de-açúcar 15,47 32,68 Soja em grão 15,83 33,01 Outros produtos e serviços da lavoura 14,10 31,31 Mandioca

Leia mais

RELATÓRIO PIBAGRO - MINAS GERAIS

RELATÓRIO PIBAGRO - MINAS GERAIS RELATÓRIO PIBAGRO - MINAS GERAIS Março de 2014* GDP Agribusiness Outlook *TEXTO ENTREGUE EM MARÇO/2014 COM BASE EM INFORMAÇÕES DISPONÍVEIS ATÉ DEZEMBRO/2013 RELATÓRIO PIBAGRO - MINAS GERAISRelatório PIBAgro

Leia mais

O Agronegócio Mundial e Brasileiro

O Agronegócio Mundial e Brasileiro O Agronegócio Mundial e Brasileiro Eugênio Stefanelo Segundo Porter, você é competitivo quando tem um desempenho em longo prazo acima da média dos concorrentes. O agronegócio, que engloba as operações

Leia mais

RELATÓRIO PIBAGRO- BRASIL

RELATÓRIO PIBAGRO- BRASIL RELATÓRIO PIBAGRO- BRASIL Dezembro de 2014 GDP Agribusiness Brazil Outlook Page 1 Relatório PIBAgro-Brasil GDP A G R I B U S I N E S B R A Z I L O U T L O O K O Relatório PIB Agro Brasil é uma publicação

Leia mais

Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Assessoria de Gestão estratégica Brasília, novembro de 2007

Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Assessoria de Gestão estratégica Brasília, novembro de 2007 PROJEÇÕES DO AGRONEGÓCIO MUNDO E BRASIL 26/7 a 217/18 Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Assessoria de Gestão estratégica Brasília, novembro de 27 1 SISTEMA AGROINDUSTRIAL AMBIENTE INSTITUCIONAL

Leia mais

Desenvolvimento Agrário PIB DAS CADEIAS PRODUTIVAS DA AGRICULTURA FAMILIAR. dezembro 2004

Desenvolvimento Agrário PIB DAS CADEIAS PRODUTIVAS DA AGRICULTURA FAMILIAR. dezembro 2004 Ministério do Desenvolvimento Agrário PIB DAS CADEIAS PRODUTIVAS DA AGRICULTURA FAMILIAR dezembro 2004 REALIZAÇÃO Instituição executora: FIPE/USP Fundação Instituto de Pesquisas Econômica Equipe técnica:

Leia mais

Novembro/2015 Belo Horizonte - MG

Novembro/2015 Belo Horizonte - MG SECRETARIA DE ESTADO DE AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO DE MINAS GERAIS SUBSECRETARIA DO AGRONEGÓCIO Novembro/2015 Belo Horizonte - MG ÍNDICE 03. Apresentação 04. Dados da Produção de Pesca e Aquacultura

Leia mais

Julho/2015 Belo Horizonte - MG

Julho/2015 Belo Horizonte - MG SECRETARIA DE ESTADO DE AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO DE MINAS GERAIS SUBSECRETARIA DO AGRONEGÓCIO Julho/2015 Belo Horizonte - MG 03. Apresentação ÍNDICE 04. Dados de Minas Gerais 05. Área, Produção

Leia mais

Atlas Digital de MINAS GERAIS 1 de 18

Atlas Digital de MINAS GERAIS 1 de 18 Atlas Digital de MINAS GERAIS 1 de 18 Características Agropecuárias A sociedade brasileira viveu no século XX uma transformação socioeconômica e cultural passando de uma sociedade agrária para uma sociedade

Leia mais

RELATÓRIO PIBAGRO- BRASIL

RELATÓRIO PIBAGRO- BRASIL RELATÓRIO PIBAGRO- BRASIL Dezembro de 2013 GDP Agribusiness Brazil Outlook Relatório PIBAgro-Brasil GDP A G R I B U S I N E S B R A Z I L O U T L O O K O Relatório PIB Agro Brasil é uma publicação mensal

Leia mais

PIB DO ESTADO DE RONDÔNIA 2007

PIB DO ESTADO DE RONDÔNIA 2007 PIB DO ESTADO DE RONDÔNIA 2007 Para o ano de 2007, o Produto Interno Bruto PIB do Estado de Rondônia apresentou um crescimento de 5,2% em relação ao ano anterior, ficando assim com 16ª a colocação no ranking

Leia mais

Balança Comercial dos Agronegócios Paulista e Brasileiro no Ano de 2013

Balança Comercial dos Agronegócios Paulista e Brasileiro no Ano de 2013 Balança Comercial dos Agronegócios Paulista e Brasileiro no Ano de 2013 No ano de 2013, as exportações 1 do Estado de São Paulo somaram US$ 56,32 bilhões (23,3% do total nacional), e as importações 2,

Leia mais

QUADRO DO SETOR ALIMENTAR EM SANTA CATARINA 1. PANORAMA DO SETOR DE ALIMENTOS EM SANTA CATARINA

QUADRO DO SETOR ALIMENTAR EM SANTA CATARINA 1. PANORAMA DO SETOR DE ALIMENTOS EM SANTA CATARINA Câmara Italiana de Comércio e Indústria de Santa Catarina (Órgão reconhecido pelo Governo Italiano Decreto Mise29/7/2009) Tel.: +55 48 3027 2710 / Fax: +55 48 3222 2898 www.brasileitalia.com.br info@brasileitalia.com.br

Leia mais

CRESCIMENTO DO AGRONEGÓCIO SEGUE FIRME NO ANO

CRESCIMENTO DO AGRONEGÓCIO SEGUE FIRME NO ANO CRESCIMENTO DO AGRONEGÓCIO SEGUE FIRME NO ANO O Produto Interno Bruto (PIB) do agronegócio brasileiro estimado pela Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) e pelo Centro de Estudos Avançados

Leia mais

O que é uma empresa rural?

O que é uma empresa rural? Contabilidade Rural Prof. João Marcelo O que é uma empresa rural? É aquela que explora a capacidade produtiva do solo por meio do cultivo da terra, da criação de animais e da transformação de determinados

Leia mais

MAIO 2015. IPC de Salvador apresenta alta de 0,64%

MAIO 2015. IPC de Salvador apresenta alta de 0,64% MAIO 2015 IPC de Salvador apresenta alta de 0,64% O Índice de Preços ao Consumidor (IPC) de Salvador apresentou, em maio, incremento de 0,64%, variação inferior à apurada no mês anterior (0,79%). Em maio

Leia mais

Produto Interno Bruto (PIB) do Estado de Rondônia - 2002-2012

Produto Interno Bruto (PIB) do Estado de Rondônia - 2002-2012 GOVERNO DO ESTADO DE RONDÔNIA Secretaria de Estado do Planejamento, Orçamento e Gestão- SEPOG Gerência do Observatório e Desenvolvimento Regional - GODR Produto Interno Bruto (PIB) do Estado de Rondônia

Leia mais

Saneamento Básico na Área Rural. Fontes dispersas com ênfase nos resíduos orgânicos

Saneamento Básico na Área Rural. Fontes dispersas com ênfase nos resíduos orgânicos Saneamento Básico na Área Rural Fontes dispersas com ênfase nos resíduos orgânicos MSc. Lilian F. de Almeida Martelli São Carlos, 30 de Outubro de 2013 BRASIL: o Celeiro do mundo Destaque na produção agrícola

Leia mais

Julho/2015 Belo Horizonte - MG

Julho/2015 Belo Horizonte - MG SECRETARIA DE ESTADO DE AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO DE MINAS GERAIS SUBSECRETARIA DO AGRONEGÓCIO Julho/2015 Belo Horizonte - MG 2 03. Apresentação ÍNDICE 04. Dados de Minas Gerais 05. Área, Produção

Leia mais

MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO Secretaria de Relações Internacionais do Agronegócio. Balança Comercial do Agronegócio Junho/2012

MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO Secretaria de Relações Internacionais do Agronegócio. Balança Comercial do Agronegócio Junho/2012 MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO Secretaria de Relações Internacionais do Agronegócio Balança Comercial do Agronegócio Junho/2012 I - Resultados do mês Em junho de 2012 as exportações

Leia mais

Agropecuária Brasileira: Oportunidades e Desafios

Agropecuária Brasileira: Oportunidades e Desafios Agropecuária Brasileira: Oportunidades e Desafios José Ricardo Severo Superintendência Técnica CNA Março 2010 1 Objetivos: 1. Importância do Agronegócio; 2. Alavanca exportadora como fator de crescimento;

Leia mais

Oportunidades para o Fortalecimento da Indústria Brasileira de Fertilizantes

Oportunidades para o Fortalecimento da Indústria Brasileira de Fertilizantes Oportunidades para o Fortalecimento da Indústria Brasileira de Fertilizantes Marcelo Alves Pereira, Bunge Fertilizantes Novembro - 2009 Estimativas da ONU indicam que a população mundial em 2050 será de

Leia mais

Mitigação e Adaptação da Agricultura às Mudanças Climáticas

Mitigação e Adaptação da Agricultura às Mudanças Climáticas Seminário de Avaliação de Impacto sobre as Adaptações da Agricultura Dakar, 26 a 29 de abril de 2011 Mitigação e Adaptação da Agricultura às Mudanças Climáticas KLEBER SANTOS Brasília, 27 de abril de 2011

Leia mais

Publicação mensal do Instituto de Pesquisas Econômicas e Sociais

Publicação mensal do Instituto de Pesquisas Econômicas e Sociais IPES Cesta Básica de Caxias do Sul Publicação mensal do Instituto de Pesquisas Econômicas e Sociais CESTA BÁSICA DE CAXIAS DO SUL Dezembro - 2013 Dezembro de 2013 UNIVERSIDADE DE CAXIAS DO SUL REITOR Prof.

Leia mais

http://www.iobonlineregulatorio.com.br/print/module/print.html?source=printlink

http://www.iobonlineregulatorio.com.br/print/module/print.html?source=printlink Page 1 of 21 Agenda de Obrigações Estadual - Minas Gerais - Agosto/2011 28 de de 2011 Agosto D S T Q Q S S 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 31 Hoje Obrigações

Leia mais

Agronegócio Sul-mato-grossense

Agronegócio Sul-mato-grossense Agronegócio Sul-mato-grossense (cenário atual, perspectivas e desafios) Eduardo Riedel Presidente do Sistema Famasul Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de Mato Grosso do Sul Sistema Sindical

Leia mais

Equipe de Geografia GEOGRAFIA

Equipe de Geografia GEOGRAFIA Aluno (a): Série: 3ª Turma: TUTORIAL 7B Ensino Médio Equipe de Geografia Data: GEOGRAFIA 1. Agricultura no Brasil: Breve histórico - Brasil Colônia: monocultura da cana se destacava como produto principal,

Leia mais

Cesta básica de Porto Alegre registra queda de 4% em junho de 2014

Cesta básica de Porto Alegre registra queda de 4% em junho de 2014 1 Cesta básica de Porto Alegre registra queda de 4% em junho de 2014 Porto Alegre, 07 de julho de 2014. NOTA À IMPRENSA Em junho de 2014, a Cesta Básica de Porto Alegre registrou queda de 4,00%, passando

Leia mais

redução dos preços internacionais de algumas commodities agrícolas; aumento dos custos de

redução dos preços internacionais de algumas commodities agrícolas; aumento dos custos de Desempenho da Agroindústria No fechamento do primeiro semestre de 2005, a agroindústria registrou crescimento de 0,3%, taxa bastante inferior à assinalada pela média da indústria brasileira (5,0%) no mesmo

Leia mais

A Metrologia na Gestão da Segurança a dos Alimentos e os Impactos sobre as Exportações. Visão do Campo

A Metrologia na Gestão da Segurança a dos Alimentos e os Impactos sobre as Exportações. Visão do Campo A Metrologia na Gestão da Segurança a dos Alimentos e os Impactos sobre as Exportações Visão do Campo METROALIMENTOS 2008 24/09/2008 José Luiz Viana de Carvalho OBJETIVOS Barreiras não-tarifárias Boas

Leia mais

CARACTERIZAÇÃO E DIMENSIONAMENTO DO AGRONEGÓCIO BRASILEIRO

CARACTERIZAÇÃO E DIMENSIONAMENTO DO AGRONEGÓCIO BRASILEIRO CARACTERIZAÇÃO E DIMENSIONAMENTO DO AGRONEGÓCIO BRASILEIRO Eduardo Pereira Nunes Elisio Contini Apresentação à Diretoria da ABAG 13 de setembro de 2000 - São Paulo O PROBLEMA Controvérsias sobre contribuição

Leia mais

Manoela Oliveira E-mail: manoela.teixeira@agricultura.mg.gov.br Tel: (31) 3915-8603 - Belo Horizonte/MG. Balança Comercial

Manoela Oliveira E-mail: manoela.teixeira@agricultura.mg.gov.br Tel: (31) 3915-8603 - Belo Horizonte/MG. Balança Comercial Edição 08 Agosto 1 2 3 Balança Comercial Manoela Oliveira E-mail: manoela.teixeira@agricultura.mg.gov.br Tel: (31) 3915-8603 - Belo Horizonte/MG 4 Comportamento Acumulado de janeiro a julho 2015 As exportações

Leia mais

ÍNDICES NACIONAIS DE PREÇOS AO CONSUMIDOR IPCA e INPC abril 2013

ÍNDICES NACIONAIS DE PREÇOS AO CONSUMIDOR IPCA e INPC abril 2013 ÍNDICES NACIONAIS DE PREÇOS AO CONSUMIDOR IPCA e INPC abril 2013 Rio de Janeiro, 08 de maio de 2013 SISTEMA NACIONAL DE ÍNDICES DE PREÇOS AO CONSUMIDOR abril de 2013 ÍNDICE NACIONAL DE PREÇOS AO CONSUMIDOR

Leia mais

REFLEXOS DO CENÁRIO ECONÔMICO MUNDIAL SOBRE O AGRONEGÓCIO BRASILEIRO

REFLEXOS DO CENÁRIO ECONÔMICO MUNDIAL SOBRE O AGRONEGÓCIO BRASILEIRO REFLEXOS DO CENÁRIO ECONÔMICO MUNDIAL SOBRE O AGRONEGÓCIO BRASILEIRO JOÃO CRUZ REIS FILHO SECRETÁRIO DE ESTADO DE AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO Brasília/DF JULHO DE 2015 22 CENÁRIO POPULACIONAL

Leia mais

Valor da cesta básica diminui em 15 cidades

Valor da cesta básica diminui em 15 cidades 1 São Paulo, 04 de setembro de 2015. NOTA à IMPRENSA Valor da cesta básica diminui em 15 cidades Das 18 cidades em que o DIEESE - Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos - realiza

Leia mais

SECRETARIA DE ESTADO DE AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO SEAPA SUBSECRETARIA DO AGRONEGÓCIO CRÉDITO RURAL EM MINAS GERAIS

SECRETARIA DE ESTADO DE AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO SEAPA SUBSECRETARIA DO AGRONEGÓCIO CRÉDITO RURAL EM MINAS GERAIS SECRETARIA DE ESTADO DE AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO SEAPA SUBSECRETARIA DO AGRONEGÓCIO CRÉDITO RURAL EM DEZEMBRO/2013 EVOLUÇÃO DO CRÉDITO RURAL DISPONIBILIZADO - BRASIL (R$ BILHÕES) 157* 32,6

Leia mais

Estrutura da Apresentação. 1. Conceitos. 2. Características da Amazônia Legal. 4. Considerações Finais

Estrutura da Apresentação. 1. Conceitos. 2. Características da Amazônia Legal. 4. Considerações Finais PROPOSTA DE PESQUISA AGROPECUÁRIA PARA A AMAZONIA Elisio Contini, Geraldo Martha Jr. e Marcos Pena I Congresso de Engenheiros Agrônomos da Amazônia Belém, 22 a 25 de Novembro de 2010 Estrutura da Apresentação

Leia mais

Prefeitura do Município de Londrina Secretaria Municipal de Educação

Prefeitura do Município de Londrina Secretaria Municipal de Educação 30/05 Leite com Pão de forma com Mamão e banana com farinha láctea 31/05 Leite com café Pão de leite com 01/06 Omelete Batatas ao molho Salada de cenoura e beterraba cozidas Caqui Filé de frango grelhado

Leia mais

ANO XXVI - 2015 1ª SEMANA DE JANEIRO DE 2015 BOLETIM INFORMARE Nº 01/2015

ANO XXVI - 2015 1ª SEMANA DE JANEIRO DE 2015 BOLETIM INFORMARE Nº 01/2015 ANO XXVI - 2015 1ª SEMANA DE JANEIRO DE 2015 BOLETIM INFORMARE Nº 01/2015 ASSUNTOS DIVERSOS DAS COMPLEMENTAR - GENERALIDADES SOBRE A EMISSÃO... Pág. 02 ICMS PR ALÍQUOTAS DO ICMS - REGIÃO NORTE - ATUALIZAÇÃO

Leia mais

PROJETO DE PESQUISA EMPRESA JÚNIOR FABAVI VITÓRIA DIRETORIA DE PROJETOS SOCIAIS. Projeto: CESTA BÁSICA DA CLASSE MÉDIA CAPIXABA

PROJETO DE PESQUISA EMPRESA JÚNIOR FABAVI VITÓRIA DIRETORIA DE PROJETOS SOCIAIS. Projeto: CESTA BÁSICA DA CLASSE MÉDIA CAPIXABA EMPRESA JÚNIOR FABAVI VITÓRIA DIRETORIA DE PROJETOS SOCIAIS PROJETO DE PESQUISA Projeto: CESTA BÁSICA DA CLASSE MÉDIA CAPIXABA Período: Janeiro a Dezembro de 2015 Vitória, dezembro de 2015 Cesta Básica

Leia mais

FUNDAÇÃO PROCON-SP CONSTATA VARIAÇÃO DA CESTA BÁSICA DE 3,10% EM ABRIL/2010

FUNDAÇÃO PROCON-SP CONSTATA VARIAÇÃO DA CESTA BÁSICA DE 3,10% EM ABRIL/2010 FUNDAÇÃO PROCON-SP CONSTATA VARIAÇÃO DA CESTA BÁSICA DE 3,10% EM ABRIL/2010 No mês de abril de 2010, o valor da cesta básica do paulistano teve alta de 3,10%, revela pesquisa diária da Fundação Procon-SP,

Leia mais

Uma ação que integra Sesc, empresas doadoras, entidades filantrópicas e voluntários, com o intuito de reduzir carências alimentares e o desperdício.

Uma ação que integra Sesc, empresas doadoras, entidades filantrópicas e voluntários, com o intuito de reduzir carências alimentares e o desperdício. 2 O Mesa Brasil Sesc é um programa de segurança alimentar e nutricional sustentável, que redistribui alimentos excedentes próprios para o consumo. O programa é uma ponte que busca de onde sobra e entrega

Leia mais

Panorama do Comércio Exterior de Minas Gerais 2015

Panorama do Comércio Exterior de Minas Gerais 2015 Panorama do Comércio Exterior de Minas Gerais 2015 APRESENTAÇÃO Minas Gerais se consolida como um dos mais importantes estados exportadores do Brasil, pela grande produção de commodities e pelos esforços

Leia mais

Intercâmbio Intercâmbio Comercial do Comercial Agronegócio

Intercâmbio Intercâmbio Comercial do Comercial Agronegócio Intercâmbio Intercâmbio Comercial do Comercial Agronegócio do Agronegócio Edição 2010 África do Sul Angola Arábia Saudita Argélia Argentina Bangladesh Canadá China Cingapura Colômbia Coréia do Sul Egito

Leia mais

Estratégias da Agência de Desenvolvimento Sustentável para Produção Orgânica do Extrativismo no Amazonas. Outubro/2011. Fernando Guimarães

Estratégias da Agência de Desenvolvimento Sustentável para Produção Orgânica do Extrativismo no Amazonas. Outubro/2011. Fernando Guimarães Estratégias da Agência de Desenvolvimento Sustentável para Produção Orgânica do Extrativismo no Amazonas Outubro/2011 Fernando Guimarães ZONA FRANCA VERDE Política estadual de interiorização do desenvolvimento,

Leia mais

Arroz e Feijão Maravilha

Arroz e Feijão Maravilha Arroz e Feijão Maravilha 40 g de abóbora picada 40 g de arroz 40 g de carne bovina picadinha 30 g de cenoura picada 40 g de chuchu picado 40 g de couve picada 30 g de feijão 30 g de repolho 10 g de cebola

Leia mais

Projeto CNA/SENAR/IBRE-FGV 1

Projeto CNA/SENAR/IBRE-FGV 1 Projeto CNA/SENAR/IBRE-FGV 1 Apresentação do trabalho Fluxograma do Estudo Relatório do Estudo Base de Microdados do Censo Agropecuár io 2006 Enquadráveis nas normas do Pronaf (Bacen) Não Enquadráveis

Leia mais

Levanta informações sobre a linha de. produção de todas as empresas com 30 ou. mais pessoas ocupadas. Cerca de 36,5 mil

Levanta informações sobre a linha de. produção de todas as empresas com 30 ou. mais pessoas ocupadas. Cerca de 36,5 mil PIA - Produto Levanta informações sobre a linha de produção de todas as empresas com 30 ou mais pessoas ocupadas. Cerca de 36,5 mil empresas informam a quantidade produzida, a quantidade vendida e o valor

Leia mais

Serviço de Inspeção de Produtos de Origem Vegetal SIPOV. Helena Pan Rugeri Engª Agrº Fiscal Federal Agropecuário

Serviço de Inspeção de Produtos de Origem Vegetal SIPOV. Helena Pan Rugeri Engª Agrº Fiscal Federal Agropecuário Serviço de Inspeção de Produtos de Origem Vegetal SIPOV Helena Pan Rugeri Engª Agrº Fiscal Federal Agropecuário DEFESA AGROPECUÁRIA Áreas de atuação: 1 - INSUMOS: sementes, fertilizantes, agrotóxicos,

Leia mais

DIMENSIONAMENTO DO PIB DO AGRONEGÓCIO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO. Valores de 2008

DIMENSIONAMENTO DO PIB DO AGRONEGÓCIO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO. Valores de 2008 CENTRO DE ESTUDOS AVANÇADOS EM ECONOMIA APLICADA UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO ESCOLA SUPERIOR DE AGRICULTURA "LUIZ DE QUEIROZ" FUNDAÇÃO DE ESTUDOS AGRÁRIOS LUIZ DE QUEIROZ Piracicaba, 25 de outubro de 2012

Leia mais

Desempenho da Agroindústria em 2004. histórica iniciada em 1992. Como tem sido freqüente nos últimos anos (exceto em 2003), os

Desempenho da Agroindústria em 2004. histórica iniciada em 1992. Como tem sido freqüente nos últimos anos (exceto em 2003), os Desempenho da Agroindústria em 2004 Em 2004, a agroindústria obteve crescimento de 5,3%, marca mais elevada da série histórica iniciada em 1992. Como tem sido freqüente nos últimos anos (exceto em 2003),

Leia mais

CRECHE CRIANÇA FELIZ SETEMBRO - 2013. Quarta-feira 04/09. Leite c/ achocolatado, Cuca simples. Vitamina de Fruta (banana) Com aveia

CRECHE CRIANÇA FELIZ SETEMBRO - 2013. Quarta-feira 04/09. Leite c/ achocolatado, Cuca simples. Vitamina de Fruta (banana) Com aveia 1ªSemana 02/09 03/09 04/09 05/09 06/09,. Bolo de milho Pão integral com ado de cana Vitamina de (banana) Com aveia Salada de (Banana, Maçã, Mamão e Laranja) Biscoito Doce Polenta com molho de frango (desfiado),

Leia mais

COMO TER UMA ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL?

COMO TER UMA ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL? COMO TER UMA ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL? O Ministério da Saúde está lançando a versão de bolso do Guia Alimentar para a População Brasileira, em formato de Dez Passos para uma Alimentação Saudável, com o objetivo

Leia mais

PERCENTUAL PERCENTUAL

PERCENTUAL PERCENTUAL PESQUISA: COLETA DE PREÇOS O Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano de Volta Redonda - IPPU-VR - realiza semanalmente a pesquisa intitulada Coleta de Preços, com o objetivo de veicular através dos

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE DOURADOS SECRETARIA MUNICIPAL DE PLANEJAMENTO E MEIO AMBIENTE

PREFEITURA MUNICIPAL DE DOURADOS SECRETARIA MUNICIPAL DE PLANEJAMENTO E MEIO AMBIENTE Tab 220 - Censo Agropecuário 2006 - Resultados Preliminares Descrição Valor Unidade Número de estabelecimentos agropecuários 2052 Estabelecimentos Área dos estabelecimentos agropecuários Número de estabelecimentos

Leia mais

ÍNDICES NACIONAIS DE PREÇOS AO CONSUMIDOR IPCA e INPC fevereiro 2014

ÍNDICES NACIONAIS DE PREÇOS AO CONSUMIDOR IPCA e INPC fevereiro 2014 ÍNDICES NACIONAIS DE PREÇOS AO CONSUMIDOR IPCA e INPC fevereiro 2014 Rio de Janeiro, 12 de março de 2014 SISTEMA NACIONAL DE ÍNDICES DE PREÇOS AO CONSUMIDOR COMENTÁRIOS Fevereiro 2014 ÍNDICE NACIONAL DE

Leia mais

Prefeitura do Município de Londrina Secretaria Municipal de Educação

Prefeitura do Município de Londrina Secretaria Municipal de Educação 30/05 Leite com Pão de leite com Chá quente com laranja Bolacha rosquinha Salsicha com milho Abobrinha refogada Salada de beterraba Bolo de Leite com café Quibe assado com tomate Suco de laranja 31/05

Leia mais

Desempenho do Comércio Exterior Paranaense Setembro 2015

Desempenho do Comércio Exterior Paranaense Setembro 2015 Desempenho do Comércio Exterior Paranaense Setembro 2015 As exportações paranaenses, em setembro, apresentaram queda de -8,61% em relação a agosto. O valor exportado atingiu a US$ 1,293 bilhão, ficando,

Leia mais

ZONCACAU: COMO SUGESTÃO PARA A CAMARA SETORIAL DO CACAU. Alfredo Homma - Embrapa Amazônia Oriental. Brasília, 12 novembro de 2013

ZONCACAU: COMO SUGESTÃO PARA A CAMARA SETORIAL DO CACAU. Alfredo Homma - Embrapa Amazônia Oriental. Brasília, 12 novembro de 2013 ZONCACAU: COMO SUGESTÃO PARA A CAMARA SETORIAL DO CACAU Alfredo Homma - Embrapa Amazônia Oriental. Brasília, 12 novembro de 2013 Disciplinar a expansão da produção de cacau no Brasil e ofertar instrumentos

Leia mais

TECNOLOGIA E PRODUTIVIDADE. Eng. Agr. Irineo da Costa Codrigues Diretor Presidente Cooperativa LAR / COODETEC / COTRIGUAÇU

TECNOLOGIA E PRODUTIVIDADE. Eng. Agr. Irineo da Costa Codrigues Diretor Presidente Cooperativa LAR / COODETEC / COTRIGUAÇU TECNOLOGIA E PRODUTIVIDADE Eng. Agr. Irineo da Costa Codrigues Diretor Presidente Cooperativa LAR / COODETEC / COTRIGUAÇU Área dos principais produtos agrícolas no Mundo (Mi ha) 2010 Cevada 55.1 6% Algodão

Leia mais

Balança Comercial do Rio Grande do Sul Janeiro 2014. Unidade de Estudos Econômicos UNIDADE DE ESTUDOS ECONÔMICOS

Balança Comercial do Rio Grande do Sul Janeiro 2014. Unidade de Estudos Econômicos UNIDADE DE ESTUDOS ECONÔMICOS Balança Comercial do Rio Grande do Sul Janeiro 2014 Unidade de Estudos Econômicos O COMÉRCIO EXTERIOR DO RS EM JANEIRO Exportações Apesar do bom crescimento de Produtos Alimentícios e Máquinas e Equipamentos,

Leia mais

Soluções estratégicas em economia

Soluções estratégicas em economia Soluções estratégicas em economia Cenário macroeconômico e perspectivas para 2014/2018 maio de 2014 Perspectivas para a economia mundial Perspectivas para a economia brasileira Perspectivas para os Pequenos

Leia mais

Termo de Referência. 25 de abril a 24 de junho de 2012. Nos restaurantes, bares e hotéis do Rio de Janeiro.

Termo de Referência. 25 de abril a 24 de junho de 2012. Nos restaurantes, bares e hotéis do Rio de Janeiro. Termo de Referência 25 de abril a 24 de junho de 2012. Nos restaurantes, bares e hotéis do Rio de Janeiro. TERMO DE REFERÊNCIA 1. INTRODUÇÃO Pela segunda vez, a cidade do Rio de Janeiro será palco do festival

Leia mais

Educação Integral OUTUBRO 2011

Educação Integral OUTUBRO 2011 03/10 Leite com doce de leite amanteigada Filé de frango com batatas Cenoura com vagem na manteiga Arroz doce Polenta ao molho Tiras refogada 04/10 Leite batido com gelatina Pão de forma integral com 05/10

Leia mais

A CEASA NO CONTEXTO DA SEGURANÇA ALIMENTAR NO ESTADO DO PARÁ

A CEASA NO CONTEXTO DA SEGURANÇA ALIMENTAR NO ESTADO DO PARÁ A CEASA NO CONTEXTO DA SEGURANÇA ALIMENTAR NO ESTADO DO PARÁ Belém, outubro/2014 Facilitador ROSIVALDO BATISTA Especialista em Abastecimento Alimentar da América Latina, Economista, Professor de Economia

Leia mais

SECRETARIA DE ESTADO DE AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO SEAPA SUBSECRETARIA DO AGRONEGÓCIO CRÉDITO RURAL EM MINAS GERAIS

SECRETARIA DE ESTADO DE AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO SEAPA SUBSECRETARIA DO AGRONEGÓCIO CRÉDITO RURAL EM MINAS GERAIS SECRETARIA DE ESTADO DE AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO SEAPA SUBSECRETARIA DO AGRONEGÓCIO CRÉDITO RURAL EM MINAS GERAIS Maio/2014 EVOLUÇÃO DO CRÉDITO RURAL DISPONIBILIZADO - BRASIL (R$ BILHÕES)

Leia mais

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO DEPARTAMENTO DE ECONOMIA, ADMINISTRAÇÃO E SOCIOLOGIA ESCOLA SUPERIOR DE AGRICULTURA "LUIZ DE QUEIROZ"

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO DEPARTAMENTO DE ECONOMIA, ADMINISTRAÇÃO E SOCIOLOGIA ESCOLA SUPERIOR DE AGRICULTURA LUIZ DE QUEIROZ Nota: A reprodução do artigo abaixo ou de trechos do mesmo é autorizada, sendo obrigatória a citação do nome dos autores. O texto abaixo está publicado em: www.cepea.esalq.usp.br/macro/ 1. Introdução EXPORTAÇÕES

Leia mais

SECRETARIA DE ESTADO DE AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO SEAPA SUBSECRETARIA DO AGRONEGÓCIO CRÉDITO RURAL EM MINAS GERAIS

SECRETARIA DE ESTADO DE AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO SEAPA SUBSECRETARIA DO AGRONEGÓCIO CRÉDITO RURAL EM MINAS GERAIS SECRETARIA DE ESTADO DE AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO SEAPA SUBSECRETARIA DO AGRONEGÓCIO CRÉDITO RURAL EM MINAS GERAIS JANEIRO/2014 EVOLUÇÃO DO CRÉDITO RURAL DISPONIBILIZADO - BRASIL (R$ BILHÕES)

Leia mais

MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO Secretaria de Relações Internacionais do Agronegócio. Balança Comercial do Agronegócio Março/2015

MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO Secretaria de Relações Internacionais do Agronegócio. Balança Comercial do Agronegócio Março/2015 MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO Secretaria de Relações Internacionais do Agronegócio Balança Comercial do Agronegócio Março/2015 I Resultados do mês (comparativo Mar/2015 Mar/2014)

Leia mais

ITALAC UNID 3,49 SERTANEJO UNID 1,89 ASSUGRIN UNID 2,79 DURYEA UNID 4,99 FALMOLI KG CAÇAROLA UNID 2,59 SERIDÓ UNID 2,49 CAICÓ UNID 4,49

ITALAC UNID 3,49 SERTANEJO UNID 1,89 ASSUGRIN UNID 2,79 DURYEA UNID 4,99 FALMOLI KG CAÇAROLA UNID 2,59 SERIDÓ UNID 2,49 CAICÓ UNID 4,49 Item Especificação Marca Unid Preço Unit Registrado 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 ACHOCOLATADO PO, 400G AÇUCAR CRISTAL, PACOTE 1 ADOÇANTE ARTIFICIAL LIQUIDO 200ML AMIDO MILHO 500G APRESUNTADO

Leia mais

Lípidios (g) (g) MODO DE PREPARO. Vitamina C (mg) Açúcar g 7 27,09 6,97 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 R$ 0,01

Lípidios (g) (g) MODO DE PREPARO. Vitamina C (mg) Açúcar g 7 27,09 6,97 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 R$ 0,01 Cardápio nº 2455 - BISCOITO CASEIRO DE NATA E SUCO DE POLPA DE FRUTA os C Ca Mg Fe Zn Custo Açúcar g 8 30,96 7,97 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 R$ 0,01 Açúcar (suco) g 10 38,70 9,96 0,00

Leia mais

Copa do Mundo FIFA Brasil 2014 : Perfil econômico dos Estados-sede

Copa do Mundo FIFA Brasil 2014 : Perfil econômico dos Estados-sede Copa do Mundo FIFA Brasil 2014 : Perfil econômico dos Estados-sede Índice Estado página Amazonas (cidade-sede Manaus)... 3 Bahia (cidade-sede Salvador)... 8 Ceará (cidade-sede Fortaleza)... 13 Distrito

Leia mais

VALOR DA PRODUÇÃO AGROPECUÁRIA DO BRASIL EM 2003, POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO 1

VALOR DA PRODUÇÃO AGROPECUÁRIA DO BRASIL EM 2003, POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO 1 VALOR DA PRODUÇÃO AGROPECUÁRIA DO BRASIL EM 2003, POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO 1 Alfredo Tsunechiro 2 Vagner Azarias Martins 3 1 - INTRODUÇÃO 1 2 3 Qual a verdadeira magnitude do valor da produção agropecuária

Leia mais

F E V E R E I R O / 9 3

F E V E R E I R O / 9 3 G O V E R N A D O R D O E S T A D O - G E R A L D O B U L H Õ E S B A R R O S ESTADO DE ALAGOAS SECRETARIA DE PLANEJAMENTO SEPLAN FUNDAÇÃO INSTITUTO DE PLANEJAMENTO FIPLAN INSTITUTO DE INFORMÁTICA - IFOR

Leia mais

ÍNDICES NACIONAIS DE PREÇOS AO CONSUMIDOR IPCA e INPC dezembro 2009

ÍNDICES NACIONAIS DE PREÇOS AO CONSUMIDOR IPCA e INPC dezembro 2009 ÍNDICES NACIONAIS DE PREÇOS AO CONSUMIDOR IPCA e INPC dezembro 2009 Rio de Janeiro, 13 de janeiro de 2010 SISTEMA NACIONAL DE ÍNDICES DE PREÇOS AO CONSUMIDOR COMENTÁRIOS dezembro 2009 1. No mês 1.1 - ÍNDICE

Leia mais

BRASIL PROJEÇÕES DO AGRONEGÓCIO 2011/2012 a 2021/2022

BRASIL PROJEÇÕES DO AGRONEGÓCIO 2011/2012 a 2021/2022 MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO ASSESSORIA DE GESTÃO ESTRATÉGICA BRASIL PROJEÇÕES DO AGRONEGÓCIO 211/212 a 221/222 RESUMO EXECUTIVO* APRESENTAÇÃO Este trabalho é uma atualização e revisão

Leia mais

Simpósio de Mercado de Carbono pós COP 15 e Código Florestal para o

Simpósio de Mercado de Carbono pós COP 15 e Código Florestal para o Simpósio de Mercado de Carbono pós COP 15 e Código Florestal para o Sistema Cooperativista Elvison Nunes Ramos Fiscal Federal Agropecuário/Engenheiro Agrônomo Coordenador de Manejo Sustentável do Sistemas

Leia mais

Universidade Anhanguera - Uniderp Núcleo de Estudos e Pesquisas Econômicas e Sociais - NEPES. Índice de Preços ao Consumidor de Campo Grande

Universidade Anhanguera - Uniderp Núcleo de Estudos e Pesquisas Econômicas e Sociais - NEPES. Índice de Preços ao Consumidor de Campo Grande Universidade Anhanguera - Uniderp Núcleo de Estudos e Pesquisas Econômicas e Sociais - NEPES Índice de Preços ao Consumidor de Campo Grande IPC/CG IPC/CG - Março de 2010 0,43% Campo Grande MS NÚCLEO DE

Leia mais

Antes de completar 57 anos, a Declaração Universal dos Direitos Humanos, estabelecida pela ONU, deixou de ser um documento exclusivo dos Países

Antes de completar 57 anos, a Declaração Universal dos Direitos Humanos, estabelecida pela ONU, deixou de ser um documento exclusivo dos Países Senhor Presidente, Senhoras e Senhores Deputados Federais, Antes de completar 57 anos, a Declaração Universal dos Direitos Humanos, estabelecida pela ONU, deixou de ser um documento exclusivo dos Países

Leia mais

Ceará: Resultados do Produto 9 Interno Bruto (PIB) 2008

Ceará: Resultados do Produto 9 Interno Bruto (PIB) 2008 GOVERNO DO ESTADO DO CEARÁ SECRETARIA DE PLANEJAMENTO E GESTÃO (SEPLAG) INSTITUTO DE PESQUISA E ESTRATÉGIA ECONÔMICA DO CEARÁ (IPECE) Ceará: Resultados do Produto 9 Interno Bruto (PIB) 2008 1. ECONOMIA

Leia mais

GEOGRAFIA. Prof. Daniel San. daniel.san@lasalle.org.br

GEOGRAFIA. Prof. Daniel San. daniel.san@lasalle.org.br GEOGRAFIA Prof. Daniel San daniel.san@lasalle.org.br Porto Alegres GEOGRAFIA AGRÁRIA PÁG. 117 a 129 do livro. 375 a 388 Em 1970, a revolução verde foi um verdadeiro boom na produção de alimentos. Hoje,

Leia mais

Alimentos, combustíveis e mensalidades escolares pressionam o Custo de Vida em São Paulo

Alimentos, combustíveis e mensalidades escolares pressionam o Custo de Vida em São Paulo 1 São Paulo, 12 de fevereiro de 2016. NOTA À IMPRENSA Alimentos, combustíveis e mensalidades escolares pressionam o Custo de Vida em São Paulo No primeiro mês do ano, o Índice do Custo de Vida no município

Leia mais

Cardápio - Berçário 04 a 05 meses - DEZEMBRO / 2011

Cardápio - Berçário 04 a 05 meses - DEZEMBRO / 2011 Cardápio - Berçário 04 a 05 meses - DEZEMBRO / 2011 SERVIÇO MERENDA Segunda Terça Quarta Quinta Sexta 1/dez Mamadeira 2/dez Mamadeira (Fórmula específica para idade) (Fórmula específica para idade) variedades

Leia mais

PERSPECTIVAS PARA A INDÚSTRIA DA ALIMENTAÇÃO NO BRASIL

PERSPECTIVAS PARA A INDÚSTRIA DA ALIMENTAÇÃO NO BRASIL PERSPECTIVAS PARA A INDÚSTRIA DA ALIMENTAÇÃO NO BRASIL A Tecnologia Italiana a favor da Indústria Alimentar Brasileira Apresentação CIBUS Brasil - 21/11/2002 - Presiden/Tecnologia Italiana 1 I - INTRODUÇÃO

Leia mais

Os desafios do agronegócio paulista e brasileiro

Os desafios do agronegócio paulista e brasileiro Os desafios do agronegócio paulista e brasileiro O agronegócio brasileiro Setor estratégico para a economia brasileira, grande motor do seu desempenho Representa 23% do PIB brasileiro Responde por 40%

Leia mais

Exportações no período acumulado de janeiro até abril de 2015. Total das exportações do Rio Grande do Sul. 2015 com abril de 2014.

Exportações no período acumulado de janeiro até abril de 2015. Total das exportações do Rio Grande do Sul. 2015 com abril de 2014. Este relatório tem por objetivo apresentar os principais números referentes ao comércio internacional do agronegócio do Rio Grande do Sul no mês de abril de 2015. Total das exportações do Rio Grande do

Leia mais

Impactos da Adoção da Tecnologia Intacta. Monsanto

Impactos da Adoção da Tecnologia Intacta. Monsanto Impactos da Adoção da Tecnologia Intacta Monsanto 11 de junho de 2013 1 Objetivo do trabalho 2 Objetivo do presente trabalho é demonstrar a importância econômica da utilização da tecnologia no aumento

Leia mais

menu informação nutricional

menu informação nutricional menu informação nutricional caseirinho de músculo 190gr Porção de 190 g ou 1 Pote Valor Energético 210 kcal / 882 Kj (28%VD*), Carboidratos 24g (21%VD*), Proteínas 12g (109%VD*), Gorduras Totais 7.4g (26%VD*),

Leia mais

INDICADORES REGIONAIS DE PREÇOS AO CONSUMIDOR: ÍNDICE DA CESTA BÁSICA MUNICIPAL

INDICADORES REGIONAIS DE PREÇOS AO CONSUMIDOR: ÍNDICE DA CESTA BÁSICA MUNICIPAL 1 INDICADORES REGIONAIS DE PREÇOS AO CONSUMIDOR: ÍNDICE DA CESTA BÁSICA MUNICIPAL Gustavo Henrique Naves Givisiez Universidade Federal Fluminense ghnaves@globo.com Murilo Arruda Sabino de Souza Universidade

Leia mais

VALOR BRUTO DA PRODUÇÃO - junho/2017 CAFÉ TOTAL (valores em Reais*)

VALOR BRUTO DA PRODUÇÃO - junho/2017 CAFÉ TOTAL (valores em Reais*) CAPA - 13/07/2017 VALOR BRUTO DA PRODUÇÃO - junho/2017 CAFÉ TOTAL REGIÃO-UF's / ANO 2008 2009 2010 2011 2012 2013 2014 2015 2016 2017 REGIÃO NORTE 940.028.686 778.153.936 1.235.490.401 550.568.691 569.079.592

Leia mais

Políticas Públicas de Soberania e Segurança Alimentar: aportes a partir da experiência brasileira Mariana Santarelli Instituto Brasileiro de Análises

Políticas Públicas de Soberania e Segurança Alimentar: aportes a partir da experiência brasileira Mariana Santarelli Instituto Brasileiro de Análises Políticas Públicas de Soberania e Segurança Alimentar: aportes a partir da experiência brasileira Mariana Santarelli Instituto Brasileiro de Análises Sociais e Econônicas IBASE BREVE HISTÓRICO DA CONSTRUÇÃO

Leia mais

Custo da Cesta Básica aumenta em todas as cidades

Custo da Cesta Básica aumenta em todas as cidades 1 São Paulo, 16 de fevereiro de 2016 NOTA à IMPRENSA Custo da Cesta Básica aumenta em todas as cidades A partir de janeiro de 2016, o DIEESE (Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos)

Leia mais

II Fórum SNPA Seminário técnico do Projeto de Reformulação das Pesquisas Agropecuárias do IBGE

II Fórum SNPA Seminário técnico do Projeto de Reformulação das Pesquisas Agropecuárias do IBGE II Fórum SNPA Seminário técnico do Projeto de Reformulação das Pesquisas Agropecuárias do IBGE Rio de janeiro, 25 de outubro de 2011 Av. República do Chile, nº500, 2º andar, Centro, Rio de Janeiro. Programa

Leia mais

Incentivos Fiscais. Conselho de Desenvolvimento Econômico do Estado do Tocantins. Secretaria da Indústria e do Comércio

Incentivos Fiscais. Conselho de Desenvolvimento Econômico do Estado do Tocantins. Secretaria da Indústria e do Comércio Incentivos Fiscais Conselho de Desenvolvimento Econômico do Estado do Tocantins Secretaria da Indústria e do Comércio março de 2012 1 Conselho de Desenvolvimento Econômico do Estado do Tocantins Lei nº

Leia mais