Aliança para um Futuro Livre de Cárie Prevenir AGORA para um Futuro Livre de Cárie Um Recurso de Saúde Oral

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Aliança para um Futuro Livre de Cárie Prevenir AGORA para um Futuro Livre de Cárie Um Recurso de Saúde Oral"

Transcrição

1 Verniz fluoretado Resumo completo Descrição: O verniz fluoretado é um fluoreto tópico concentrado, contendo 5% de fluoreto de sódio (NaF) em uma base sintética ou de resina.[1] O bifluoreto difere significantemente na concentração de fluoreto em 6%. [2] Dependendo do fabricante, as preparações de verniz variam. Foi introduzido pela primeira vez em 1964 na Europa (Duraphat) e foi utilizado amplamente na Europa desde então[3, 4]. Em 1994, o U.S. Food and Drug Administration (FDA) aprovou o uso como forrador de cavidades e para o tratamento de dentes hipersensíveis. No entanto, o verniz fluoretado não é oficialmente aprovado nos EUA para uso como agente preventivo de cárie. [4] Portanto, o verniz é utilizado para a prevenção de cárie entre crianças e adultos como uso não indicado na bula nos EUA.[5] O verniz, quando aplicado sobre os dentes, fornece uma dose altamente concentrada de fluoreto e mantém um contato prolongado com o esmalte para inibir a cárie. O verniz fluoretado deve ser aplicado por um profissional e tem sido utilizado por mais de 30 anos desde sua introdução na década de Duas concentrações estão disponíveis nos produtos norte-americanos que contêm fluoreto de sódio (NaF), com 5% do peso em uma concentração de fluoreto (Fl) de ppm, incluindo Colgate Oral Pharmaceuticals; Pharmascience, Inc.; e CavityShield, Omni Oral Pharmaceuticals. Um produto contendo difluorosilano em uma concentração de FI inferior de ppm (0,1 %) está disponível: Fluor Ivoclar-Vivadent. Produtos de verniz que estão disponíveis incluem o Nupro (Dentsply), ClearShield (Zenith Dental), Bifluoreto (Voco, Alemanha) e Vella (Preventech). O Duraphat e Fluor Protector também estão disponíveis em todo o mundo. Uso e aplicação: Revisões sistêmicas fornecem evidência de um efeito de prevenção à cárie na dentição permanente jovem quando aplicado, pelo menos, duas vezes ao ano. De fato, 2 a 4 aplicações por ano são consideradas o modo mais eficaz em relação ao custo. [3-6] O verniz fluoretado é aplicado diretamente nas superfícies dos dentes e permanece aí por várias horas. A secagem completa das superfícies dentárias não é necessária, por que o verniz fluoretado entra em contato com a umidade intra-oral. A aplicação prévia de profilaxia profissional de verniz dos Aliança para um Futuro Livre de Cárie PÁG. 1/8

2 dentes não é necessária; basta escovar os dentes. Entre as crianças, uma pequena quantidade de aplicação é necessária, o que não é nada mais que uma pequena gota para cada arcada. O verniz deve ser aplicado em uma camada fina (0,3 a 0,5 ml) nos dentes utilizando um aplicador descartável. Uma vez que o verniz é aplicado, a contaminação com saliva não é um problema, porque o verniz se adequa rapidamente. Uma aplicação leva cerca de um minuto na no paciente criança comum e pode aumentar para até 4 minutos caso as duas arcadas dentárias sejam tratadas. Os pacientes (e os pais) são instruídos a manter uma dieta leve (não abrasiva) pelo restante do dia e a não escovar os dentes nem utilizar fio dental até a manhã seguinte. Sob essas condições, o verniz permanece nos dentes por algumas horas, especialmente nas fóssulas e fissuras, nas áreas interproximais e cervicais, onde sua necessidade é maior. Os pais devem ser avisados de que o revestimento de verniz evitará que a aparência dos dentes seja brilhante, conforme constatado normalmente após uma profilaxia e tratamento de fluoreto convencional. Eficiência e eficácia: Diversos ensaios clínicos foram conduzidos sobre o verniz fluoretado, e todos foram em crianças. Em uma Revisão do Banco de Dados do Cochrane[7] sobre a eficácia do verniz fluoretado, ensaios randomizados comparando o verniz com o tratamento placebo foram revisados. 9 estudos foram incluídos na análise de dados com uma amostra de crianças. Os autores relataram que o verniz fluoretado apresenta efeitos substanciais de inibição à cárie (as frações de prevenção reunidas representaram 46% para CPO-D e 33% para ceo). Isso ocorreu com base, em grande parte, em ensaios que compararam os grupos de controle de placebo com os de verniz. Os autores também relataram que havia pouca ou nenhuma informação sobre os efeitos adversos do verniz fluoretado. A eficácia do verniz fluoretado na prevenção de Cárie Infantil Precoce (ECC) foi avaliada em um ensaio clínico controlado, randomizado, de 2 anos. [4] Este estudo incluiu 376 crianças sem cárie de famílias chinesas e hispânicas de baixa renda localizadas na região de São Francisco. Os autores descobriram que a incidência de cárie era mais baixa para "orientações + verniz fluoretado aplicado uma vez por ano" (OU = 2,20, 95% CI 1,19 a 4,08) e duas vezes por ano (OU = 3,77, 95% CI 1,88 7,58) em contraste com apenas orientações. Em uma revisão sistemática para a Conferência de Consenso do NIH, sete estudos de verniz fluoretado foram comparados[8]. A análise demonstrou uma eficácia mista nos dentes decíduos. No entanto, parte dos estudos que foram incluídos não era ensaios clínicos randomizados. Em uma revisão sistemática de ensaios clínicos sobre o tratamento de verniz fluoretado para o controle da cárie, 302 testes entre 1966 e 2003 foram incluídos[9], e destes, 24 eram ensaios controlados randomizados. Os ensaios que atenderam Aliança para um Futuro Livre de Cárie PÁG. 2/8

3 aos critérios de inclusão foram revisados, e o principal resultado foi a fração preventiva expressa como porcentagem. Os resultados demonstraram uma evidência para o efeito de prevenção à cárie do verniz fluoretado para dentes permanentes em crianças. A fração preventiva média foi de 30% (0 a 69%) quando comparada com os controles não tratados. Houve evidência não conclusiva para dentes decíduos e adultos. Em uma revisão de sete estudos sobre a eficácia do verniz nos dentes decíduos, a fração preventiva variou de 5% a 44%.[7] Dos sete estudos revisados neste estudo, somente 2 eram ensaios randomizados. Poulsen et al. [10] conduziu uma revisão sistemática avaliando os dados disponíveis para a eficácia do verniz fluoretado entre 2000 e Seis testes foram incluídos na revisão, com uma fração preventiva variando entre 34% e 57%. Além disso, uma revisão das revisões confirmou que uma eficácia clara e similar dos cremes dentais fluoretados, antissépticos bucais, géis e vernizes para a prevenção das cáries e demonstra que, aproximadamente, uma redução adicional de 10% na cárie pode ser esperada quando outro fluoreto tópico é combinado com o creme dental fluoretado. [11, 12] Em uma grande revisão sistemática dos métodos de diagnóstico e de manejo de cárie, 39 estudos diagnósticos e 27 estudos de manejo foram incluídos. [13] Nesta revisão, a forte evidência para a eficácia do verniz fluoretado para prevenção de cárie dentária em indivíduos de alto risco foi satisfatória, e a evidência para outros métodos foi incompleta. Enquanto a maioria dos estudos foi em favor do verniz fluoretado, nem todos demonstraram a eficácia nos ensaios de saúde pública,[14] visto que há um risco potencial de viés de publicação. Em geral, a fração preventiva da cárie para o verniz fluoretado varia de 20 a 50%. No entanto, o efeito do tratamento pode ser superestimado devido à falta relativa de publicações controladas por placebo. Pesquisas de laboratório extensivas e ensaios clínicos conduzidos na Europa relataram que os vernizes de fluoreto são tão eficazes quanto outros agentes de prevenção às cárie. [15] Os vernizes fluoretados são amplamente utilizados nos programas europeus de prevenção à cárie. Segurança: Estudos avaliando a segurança e toxicidade do verniz fluoretado foram realizados com base na quantidade ingerida por crianças de diferentes idades. [2] A ingestão ocorre após várias horas e dias depois da aplicação do verniz. O pico de concentração plasmática é mais baixo para o verniz em comparação com o gel e antisséptico bucal. Em média, a quantidade de verniz aplicada para tratar uma criança é de 0,5 ml, o que proporciona 3 a 11 mg de íon fluoreto. Na Aliança para um Futuro Livre de Cárie PÁG. 3/8

4 revisão da Cochrane de Marinho et al.,os autores relataram que esta dose está muito abaixo da dose tóxica provável (PTD) de 5 mg/kg do peso corporal. [12] Em estudos de verniz fluoretado conduzidos até o momento, nenhum efeito colateral negativo foi relatado. [16] Na Europa, o Duraphat tem sido o verniz fluoretado mais comumente utilizado entre as crianças ao longo de duas décadas, e não demonstrou nenhum efeito adverso. [3] Atualmente, os vernizes fluoretados são utilizados amplamente na Europa e Canadá. O verniz fluoretado está cada vez mais sendo utilizado nos EUA e mais ensaios clínicos estão sendo conduzidos para avaliar o verniz fluoretado para uso entre crianças e adultos. Custo: Bawden (1998) relatou que as aplicações de verniz fluoretado custam cerca de 65 centavos de dólar, incluindo o custo do aplicador. [2] O custo das moldeiras foi eliminado. Ao todo, o custo total de uma aplicação de verniz pode ser um pouco mais alto do que uma aplicação de gel, mas as vantagens são consideráveis. Em um estudo de Vaikuntam et al, os autores relataram que o custo estimado para o verniz era US$1 a US$4 por aplicação, dependendo da marca. O maior gasto é o pessoal necessário para aplicar o verniz. [17] Além disso, o verniz fluoretado consome menos tempo, cria menos desconforto ao paciente e atinge uma aceitabilidade maior do paciente, especialmente em crianças em fase pré-escolar, em comparação com o gel fluoretado. [18] Em uma análise de custo dos programas de verniz fluoretado e de lavagem com fluoreto escolares relatados na Suécia, o resultado e os custos do tratamento com verniz fluoretado (FVT) e programas de lavagem com antisséptico bucal fluoretado (FMR) foram modelados. [9] O programa FVT apresentou um resultado melhor na redução das cáries do que o FMR, e os custos foram mais baixos. Esperou-se que o FVT resultasse na contenção de custos em comparação com os controles, 3 anos após o fim do programa preventivo FVT. As relações de benefícios em relação aos custos foram de 1,8:1 para o FVT e 0,9:1 para o FMR. Portanto, a prevenção pelo FVT pode resultar na contenção de custos e uma relação de custo benefício de 1,8:1, dado que o programa para as crianças pode ser administrado na escola Aliança para um Futuro Livre de Cárie PÁG. 4/8

5 Recomendações para o protocolo comunitário: 1. A evidência científica para o uso comunitário do verniz fluoretado baseia-se nos estudos conduzidos em crianças. [2] Há uma falta de evidências documentando sua eficácia para adultos de alto risco. As recomendações atuais sugerem que 5% do verniz NaF devem ser utilizados a cada seis meses ou 2 a 4 vezes por ano. Se apenas 1 agente fluoretado tópico estiver sendo utilizado (além do dentifrício fluoretado), e os profissionais estiverem disponíveis, o verniz deve ser utilizado em preferência ao gel de fluoreto de sódio acidulado e pode ser preferível para 0,2% dos antissépticos bucais NaF. [19] O verniz fluoretado é ainda mais eficaz se a água da comunidade for idealmente fluoretada. 2. Os Centros de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) relataram que, com base nas evidências dos estudos, o verniz fluoretado é eficaz com aplicações semestrais, ou seja, 2 aplicações, com diferença de 6 meses, por ano. [4] O CDC recomenda que a população-alvo para esta recomendação seja aquela em alto risco. Isso ocorre com base nas evidências de ensaios clínicos randomizados. Alguns estudos sugerem 4 aplicações por ano. Se isso melhora os benefícios quando comparado com 2 aplicações, ainda não é evidente. A força da recomendação pelo CDC para o verniz fluoretado foi classificada como A, o que quer dizer boas evidências. 3..O Consenso (2001) do National Institutes of Health (NIH) com relação ao verniz fluoretado relatou que as evidências de benefícios da aplicação de verniz fluoretado nos dentes permanentes é positiva. [20] Contudo, a evidência para os dentes decíduos é incompleta. 4. A Organização Mundial da Saúde (OMS) forneceu recomendações separadas para comunidades com altos índices de cárie e baixos índices de cárie. [21] Para comunidades com altos índices de cárie, a OMS recomenda a aplicação de verniz para todas as crianças, de 2-4 vezes por ano. [22] Isso reduzirá a cárie Aliança para um Futuro Livre de Cárie PÁG. 5/8

6 em 30-40%. Para comunidades com baixos índices de cárie, o verniz pode ser utilizado para crianças com base em seu histórico da doença. 5. Em uma revisão sistêmica de Azarpazhooh and Main (2008), os autores resumiram as recomendações para uso de verniz fluoretado para a prevenção de cárie entre crianças e adolescentes com alto risco. [23] Essas recomendações foram com base nos 105 estudos científicos e revisões. As recomendações são: a. O verniz fluoretado deve ser aplicado duas vezes por ano, a menos que não haja risco de cárie com base no histórico de cárie passado e atual. b. Pacotes de dose única de verniz devem se utilizados para as crianças, e esses pacotes devem ser agitados vigorosamente a fim de garantir que qualquer fluoreto precipitado seja dissolvido. c. Há boas evidências de que o verniz complementa outras estratégias preventivas, como selantes, escovação dos dentes e orientações Aliança para um Futuro Livre de Cárie PÁG. 6/8

7 Referências: 1. ASTDD. Fluoride Varnish: an Evidence-Based Approach. Association of State and Territorial Dental Directors (ASTDD), Research Brief, Fluorides Committee Petersson LG, Twetman S, Dahlgren H, et al. Professional fluoride varnish treatment for caries control: a systematic review of clinical trials. Acta Odontol Scand. Jun 2004;62(3): Seppa L. Fluoride Varnishes in Caries Prevention. Medical Principles and Practice. 2004;13: Weintraub JH, L. Fluoride varnish for caries prevention: comparisons with other preventive agents and recommendations for a community-based protocol. Special Care Dentistry. 2003;23(5): Weintraub J, Ramos-Gomez F, Jue B, et al. Fluoride Varnish Efficacy in Preventing Early Childhood Caries. Journal of Dental Research. 2006;85(2): Recommendations for using fluoride to prevent and control dental caries in the United States. Centers for Disease Control and Prevention. MMWR Recomm Rep. Aug ;50(RR-14): Marinho VC, Higgins JP, Logan S, Sheiham A. Fluoride varnishes for preventing dental caries in children and adolescents. Cochrane Database Syst Rev. 2002(3):CD Rozier R. Effectiveness of methods used by dental professionals for the primary prevention of dental caries. Journal of Dental Education. 2001;65: Sköld U, Petersson L, Birkhed D, Norlund A. Cost-analysis of school-based fluoride varnish and fluoride rinsing programs. Acta Odontologica Scandinavica. 2009;66(5): Poulsen S. Fluoride-containing gels, mouth rinses and varnishes: an update of evidence of efficacy. Eur Arch Paediatr Dent. Sep 2009;10(3): Marinho VC. Cochrane reviews of randomized trials of fluoride therapies for preventing dental caries. Eur Arch Paediatr Dent. Sep 2009;10(3): Marinho VC. Evidence-based effectiveness of topical fluorides. Adv Dent Res. 2008;20(1): Bader J, Shugars D, Bonito A. Systematic Reviews of Selected Dental Caries Diagnostic and Management Methods. Journal of Dental Education. 2001;65(10): Hardman MC, Davies GM, Duxbury JT, Davies RM. A cluster randomised controlled trial to evaluate the effectiveness of fluoride varnish as a public health measure to reduce caries in children. Caries Res. 2007;41(5): Beltran-Aguilar E, Goldstein J, Lockwood S. Fluoride Varnishes: A Review of Their Clinical Use, Cariostatic Mechanism, Efficacy and Safety Journal of the American Dental Association. 2000;131(5): Seppa L. Efficacy and safety of fluoride varnishes. Compend Contin Educ Dent. 1999;20(1 Suppl):18-26; quiz Vaikuntam J. Fluoride varnishes: should we be using them? Pediatric Dentistry. 2000;22: Aliança para um Futuro Livre de Cárie PÁG. 7/8

8 18. Professionally applied topical fluoride: evidence-based clinical recommendations. J Am Dent Assoc. Aug 2006;137(8): Miller EK, Vann WF, Jr. The use of fluoride varnish in children: a critical review with treatment recommendations. J Clin Pediatr Dent. Summer 2008;32(4): NIH. Diagnosis and Management of Dental Caries Throughout Life National Institutes of Health: Consensus Development Conference Statement. 2001;March Petersson L, Twetman S, Pakhomov G. Fluoride varnish for community-based caries prevention in children. World Health Organization (WHO). 1997;Geneva. 22. Weinstein P, Spiekerman C, Milgrom P. Randomized equivalence trial of intensive and semiannual applications of fluoride varnish in the primary dentition. Caries Res. 2009;43(6): Azarpazhooh A, Main P. Fluoride varnish in the prevention of dental caries in children and adolescents: a systemic review. Journal of Canadian Dental Association. 2008;74(1): Aliança para um Futuro Livre de Cárie PÁG. 8/8

Aliança para um Futuro Livre de Cárie Prevenir AGORA para um Futuro Livre de Cárie Um Recurso de Saúde Oral

Aliança para um Futuro Livre de Cárie Prevenir AGORA para um Futuro Livre de Cárie Um Recurso de Saúde Oral Creme dental fluoretado Resumo Completo Descrição: Os cremes dentais, também chamadas dentifrícios, são pastas, géis ou na forma de pó que ajudam a remover a placa e fortalecem o esmalte dentário e a dentina.

Leia mais

Aliança para um Futuro Livre de Cárie

Aliança para um Futuro Livre de Cárie Creme dental com alto teor de fluoreto Resumo completo Descrição: Os dentifrícios fluoretados foram introduzidos pela primeira vez na década de 1950. [1] O primeiro dentifrício fluoretado continha fluoreto

Leia mais

RESIDÊNCIA PEDIÁTRICA

RESIDÊNCIA PEDIÁTRICA Residência Pediátrica 2012;2(2):12-9. RESIDÊNCIA PEDIÁTRICA Use of fluoride toothpaste by preschoolers: what pediatricians should know? ; Ana Paula Pires dos Santos pré-escolar. Resumo Resultados e conclusões:

Leia mais

9. UTILIZAÇÃO DO FLUORETO

9. UTILIZAÇÃO DO FLUORETO 9. UTILIZAÇÃO DO FLUORETO Elaborado por: Júlio Carlos Noronha (coordenador) Sílvio Issao Myaki Saul Martins de Paiva Objetivo A Associação Brasileira de Odontopediatria (), ao afirmar que o fluoreto é

Leia mais

25. PERIODICIDADE DAS CONSULTAS DE MANUTENÇÃO PREVENTIVA

25. PERIODICIDADE DAS CONSULTAS DE MANUTENÇÃO PREVENTIVA 25. PERIODICIDADE DAS CONSULTAS DE MANUTENÇÃO PREVENTIVA Elaborado por: Júlio Carlos Noronha (coordenador) Paulo César Barbosa Rédua Maria de Lourdes de Andrade Massara Objetivo A Associação Brasileira

Leia mais

O uso de vernizes fluoretados e a redução da incidência de cárie dentária em pré-escolares: uma revisão sistemática

O uso de vernizes fluoretados e a redução da incidência de cárie dentária em pré-escolares: uma revisão sistemática O uso de vernizes fluoretados e a redução da incidência de cárie dentária em pré-escolares: uma revisão sistemática Fluoride varnishes and decrease in caries incidence in preschool children: a systematic

Leia mais

ODONTOLOGIA BASEADA EM EVIDÊNCIAS: FLÚOR.

ODONTOLOGIA BASEADA EM EVIDÊNCIAS: FLÚOR. Grupo PET/Odontologia UFJF. Tutora: Prof.ª. Dr.ª Rosângela Almeida Ribeiro ODONTOLOGIA BASEADA EM EVIDÊNCIAS: FLÚOR. Aline Barcellos Ana Carla Campos Marcela Nascimento Rachel Itaborahy Introdução Brasil:

Leia mais

AV. TAMBORIS ESQUINA COM RUA DAS PEROBAS, S/Nº - SETOR SÃO LOURENÇO CEP 76530-000 MUNDO NOVO GOIÁS FONES:

AV. TAMBORIS ESQUINA COM RUA DAS PEROBAS, S/Nº - SETOR SÃO LOURENÇO CEP 76530-000 MUNDO NOVO GOIÁS FONES: SAÚDE BUCAL INTRODUÇÃO A evolução da Odontologia enquanto ciência da saúde é uma realidade incontestável. Dentro deste contexto de mudanças de paradigma, no qual a Promoção de Saúde toma o lugar da prática

Leia mais

Os efeitos do controle farmacológico no comportamento futuro de pacientes menores de três anos no consultório odontológico

Os efeitos do controle farmacológico no comportamento futuro de pacientes menores de três anos no consultório odontológico Os efeitos do controle farmacológico no comportamento futuro de pacientes menores de três anos no consultório odontológico Denise Espíndola ANTUNES; Luciane Ribeiro de Rezende Sucasas da COSTA; Cristiana

Leia mais

Cuidados profissionais para a higiene bucal HIGIENE BUCAL

Cuidados profissionais para a higiene bucal HIGIENE BUCAL HIGIENE BUCAL A Higiene bucal é considerada a melhor forma de prevenção de cáries, gengivite, periodontite e outros problemas na boca, além de ajudar a prevenir o mau-hálito (halitose). Higiene bucal é

Leia mais

PROGRAMA SAÚDE NA ESCOLA. Orientações Gerais sobre as ações de Saúde Bucal no Programa Saúde na Escola

PROGRAMA SAÚDE NA ESCOLA. Orientações Gerais sobre as ações de Saúde Bucal no Programa Saúde na Escola PROGRAMA SAÚDE NA ESCOLA Orientações Gerais sobre as ações de Saúde Bucal no Programa Saúde na Escola A avaliação e promoção de saúde bucal é ação essencial que integra o Componente I do Programa Saúde

Leia mais

Gabrielle Jacintho Fogaça Almeida 1 Renato Yamamoto 1 Rafael Corleto 1 Cristina Berger Fadel 2 Márcia Helena Baldani 3

Gabrielle Jacintho Fogaça Almeida 1 Renato Yamamoto 1 Rafael Corleto 1 Cristina Berger Fadel 2 Márcia Helena Baldani 3 INDICAÇÕES DE ODONTOPEDIATRAS QUANTO AO USO DE FLÚOR TÓPICO POR CRIANÇAS ENTRE ZERO E SEIS ANOS DE IDADE: DADOS PARA A ELABORAÇÃO DE UM PROTOCOLO DE AÇÕES Jacintho Fogaça Almeida 1 Renato Yamamoto 1 Rafael

Leia mais

ANAIS DA 11ª JORNADA ACADÊMICA DE ODONTOLOGIA UFPI ISSN 2318-616X

ANAIS DA 11ª JORNADA ACADÊMICA DE ODONTOLOGIA UFPI ISSN 2318-616X FÓRUM CIENTÍFICO ODONTOPEDIATRIA Acadêmico Projeto de Pesquisa 18 HÁBITOS DE HIGIENE BUCAL EM CRIANÇAS RELACIONADO AO NÍVEL SOCIOECONÔMICO Josué Junior Araujo Pierote*; Helleny Alves de Santana Neta; Pablo

Leia mais

EVIDÊNCIAS PARA O USO DE FLUORETOS EM ODONTOLOGIA

EVIDÊNCIAS PARA O USO DE FLUORETOS EM ODONTOLOGIA UMA PUBLICAÇÃO DA COLGATE-PALMOLIVE PARA PROMOVER A EDUCAÇÃO CONTINUADA AOS PROFISSIONAIS DE ODONTOLOGIA ANO 2 NÚMERO 4 - JANEIRO 2010 EVIDÊNCIAS PARA O USO DE FLUORETOS EM ODONTOLOGIA JAIME APARECIDO

Leia mais

MARINHA DO BRASIL DIRETORIA DE SAÚDE DA MARINHA CENTRO MÉDICO ASSISTENCIAL DA MARINHA ODONTOCLÍNICA CENTRAL DA MARINHA

MARINHA DO BRASIL DIRETORIA DE SAÚDE DA MARINHA CENTRO MÉDICO ASSISTENCIAL DA MARINHA ODONTOCLÍNICA CENTRAL DA MARINHA MARINHA DO BRASIL DIRETORIA DE SAÚDE DA MARINHA CENTRO MÉDICO ASSISTENCIAL DA MARINHA ODONTOCLÍNICA CENTRAL DA MARINHA PROGRAMA PARA A PREVENÇÃO DA CÁRIE DENTÁRIA E DA DOENÇA PERIODONTAL Serviço de Odontologia

Leia mais

VEJA COMO A CÁRIE É FORMADA

VEJA COMO A CÁRIE É FORMADA VEJA COMO A CÁRIE É FORMADA E AJUDE A PREVENÍ-LA Sua dieta e seus hábitos de saúde bucal podem fazer uma grande diferença A RELAÇÃO ENTRE OS DENTES, BACTÉRIAS E OS ÁCIDOS DO AÇÚCAR Esses fatores desencadeiam

Leia mais

Partes: CÉLIO FERREIRA DA CUNHA MUNICÍPIO DE COROMANDEL-MG

Partes: CÉLIO FERREIRA DA CUNHA MUNICÍPIO DE COROMANDEL-MG RESPOSTA RÁPIDA 208/2014 Assunto: Azacitidina para tratamento de mielodisplasia SOLICITANTE Juiz de Direito da comarca de Coromandeu NÚMERO DO PROCESSO 0193.14.001135-7 DATA 16/04/2014 Coromandel, 14/04/2014

Leia mais

Como obter resultados com a otimização dos consultórios com os TSB e ASB

Como obter resultados com a otimização dos consultórios com os TSB e ASB Como obter resultados com a otimização dos consultórios com os TSB e ASB 6º SINPLO Simpósio Internacional de Planos Odontológicos Fabiana Car Pernomiam 2011 Ergonomia racionalizar o trabalho, possibilitar

Leia mais

exemplo dessas alterações epidemiológicas podemos citar os dados recentemente atualizados do Estado de São Paulo:

exemplo dessas alterações epidemiológicas podemos citar os dados recentemente atualizados do Estado de São Paulo: Recentemente foi licenciada no Brasil a vacina conjugada contra os meningococos dos sorogrupos A, C, Y, W135, produzida pelo Laboratório Novartis e conhecida internacionalmente como Menveo. A vacina é

Leia mais

Saúde Bucal Coletiva. 1/9/2008 16:10 Prof. Samuel Jorge Moysés, Ph.D. 1

Saúde Bucal Coletiva. 1/9/2008 16:10 Prof. Samuel Jorge Moysés, Ph.D. 1 Promoção e Prevenção em Saúde Bucal Coletiva 1/9/2008 16:10 Prof. Samuel Jorge Moysés, Ph.D. 1 S 2 1 Programa Promoção de saúde bucal baseada em evidências científicas Estratégias comuns de prevenção de

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE BOM DESPACHO-MG PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO - EDITAL 001/2009 CARGO: ODONTÓLOGO CADERNO DE PROVAS

PREFEITURA MUNICIPAL DE BOM DESPACHO-MG PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO - EDITAL 001/2009 CARGO: ODONTÓLOGO CADERNO DE PROVAS CADERNO DE PROVAS 1 A prova terá a duração de duas horas, incluindo o tempo necessário para o preenchimento do gabarito. 2 Marque as respostas no caderno de provas, deixe para preencher o gabarito depois

Leia mais

Filiada a e. Jenny Abanto, Paula Celiberti, Mariana Minatel Braga, Marcelo Bönecker Universidade de São Paulo

Filiada a e. Jenny Abanto, Paula Celiberti, Mariana Minatel Braga, Marcelo Bönecker Universidade de São Paulo Filiada a e Programa de prevenção de cárie na FO-USP é classificado em 2º lugar no prêmio Bright Smiles, Bright Futures no congresso da IAPD realizado junho em Seul Coréia. Este premio é o mais disputado

Leia mais

Cranberry. Tratamento e prevenção infecção urinária

Cranberry. Tratamento e prevenção infecção urinária Cranberry Tratamento e prevenção infecção urinária Nome científico: Vaccinium macrocarpon Família: Ericaceae Parte utilizada: fruto Ativos: antocianidinas, flavonóides, proantocianidinas, taninos condensados

Leia mais

Estudo da prevalência de cárie dentária na dentição permanente em crianças de 6 a 12 anos da rede pública de ensino no município de Joinville (SC)

Estudo da prevalência de cárie dentária na dentição permanente em crianças de 6 a 12 anos da rede pública de ensino no município de Joinville (SC) ISSN 1806-7727 Estudo da prevalência de cárie dentária na dentição permanente em crianças de 6 a 12 anos da rede pública de ensino no município de Joinville (SC) Evaluated the prevalence of dental caries

Leia mais

Título: PROMOÇÃO DE SAÚDE BUCAL NA EMEB JOÃO MARIA GONZAGA DE LACERDA

Título: PROMOÇÃO DE SAÚDE BUCAL NA EMEB JOÃO MARIA GONZAGA DE LACERDA Título: PROMOÇÃO DE SAÚDE BUCAL NA EMEB JOÃO MARIA GONZAGA DE LACERDA Autores: Ana Cláudia Morandini Sanchez, CD Serviço de saúde: Unidade de Saúde da Família VILA ANA Palavras-chaves: cárie dentária,

Leia mais

MANUAL INSTRUTIVO DOS CÓDIGOS ODONTOLÓGICOS DO SIA/SUS - TSB E ASB -

MANUAL INSTRUTIVO DOS CÓDIGOS ODONTOLÓGICOS DO SIA/SUS - TSB E ASB - 1 MANUAL INSTRUTIVO DOS CÓDIGOS ODONTOLÓGICOS DO SIA/SUS - TSB E ASB - Porto Alegre, 2014. 1 2 S ODONTOLÓGICOS PARA AUXILIARES E TÉCNICOS EM SAÚDE BUCAL Tabela 1: Tipos de Procedimentos Odontológicos para

Leia mais

BERNARDI JR, LOUZADA ML, RAUBER F, GAMA CM, VITOLO MR. 11 de Junho de 2010.

BERNARDI JR, LOUZADA ML, RAUBER F, GAMA CM, VITOLO MR. 11 de Junho de 2010. Implementação dos Dez Passos da Alimentação Saudável para Crianças Brasileiras Menores de Dois Anos em Unidades de Saúde: ensaio de campo randomizado por conglomerados BERNARDI JR, LOUZADA ML, RAUBER F,

Leia mais

Aliança para um Futuro Livre de Cárie Prevenir AGORA para um Futuro Livre de Cárie Um Recurso de Saúde Oral

Aliança para um Futuro Livre de Cárie Prevenir AGORA para um Futuro Livre de Cárie Um Recurso de Saúde Oral Promoção da saúde Projeto integral Descrição e uso: A promoção da saúde é o processo de envolver ativamente os indivíduos e profissionais, garantindo aceso às informações e ferramentas de saúde necessárias

Leia mais

MODELO PROJETO: PRÊMIO POR INOVAÇÃO E QUALIDADE

MODELO PROJETO: PRÊMIO POR INOVAÇÃO E QUALIDADE MODELO PROJETO: PRÊMIO POR INOVAÇÃO E QUALIDADE 1 Identificação Título Feira da Mata sorrindo para o futuro Área temática Estudos Epidemiológicos / Comunicação, Promoção e Educação em Saúde Lotação Feira

Leia mais

Grupo Hospitalar Conceição - GHC Hospital Nossa Senhora da Conceição Procedimento Operacional Padrão POP Enfermagem

Grupo Hospitalar Conceição - GHC Hospital Nossa Senhora da Conceição Procedimento Operacional Padrão POP Enfermagem Unidade: Unidade Assistencial Grupo Hospitalar Conceição - GHC Hospital Nossa Senhora da Conceição Procedimento Operacional Padrão POP Enfermagem Tarefa: Higienização de mãos Número: 79 Data: 03/2015 Responsável:

Leia mais

Andreia Morales Cascaes Programa de Pós-Graduação em Epidemiologia, Universidade Federal de Pelotas, Pelotas-RS, Brasil

Andreia Morales Cascaes Programa de Pós-Graduação em Epidemiologia, Universidade Federal de Pelotas, Pelotas-RS, Brasil Artigo original Conhecimento sobre uso de fluoretos em saúde bucal coletiva entre coordenadores municipais de saúde bucal do Estado de Santa Catarina, Brasil doi: 10.5123/S1679-49742012000100009 Knowledge

Leia mais

MEDIDAS DE ADEQUAÇÃO DO MEIO BUCAL PARA CONTROLE DA CÁRIE DENTÁRIA EM ESCOLARES DO CASTELO BRANCO

MEDIDAS DE ADEQUAÇÃO DO MEIO BUCAL PARA CONTROLE DA CÁRIE DENTÁRIA EM ESCOLARES DO CASTELO BRANCO MEDIDAS DE ADEQUAÇÃO DO MEIO BUCAL PARA CONTROLE DA CÁRIE DENTÁRIA EM ESCOLARES DO CASTELO BRANCO BARROS, Ítala Santina Bulhões 1 LIMA, Maria Germana Galvão Correia 2 SILVA, Ariadne Estffany Máximo da

Leia mais

FLUOROSE DENTÁRIA POR INGESTÃO DE DENTIFRÍCIO: RELATO DE CASO CLÍNICO

FLUOROSE DENTÁRIA POR INGESTÃO DE DENTIFRÍCIO: RELATO DE CASO CLÍNICO Revista de Odontologia da Universidade Cidade de São Paulo 2007 maio-ago; 19(2):229-33 FLUOROSE DENTÁRIA POR INGESTÃO DE DENTIFRÍCIO: RELATO DE CASO CLÍNICO DENTAL FLUOROSIS ASSOCIATED WITH INGESTION DENTIFRICE:

Leia mais

MEDIDAS DE PROMOÇÃO E PREVENÇÃO DE CÁRIE EM ESCOLARES ADOLESCENTES DO CASTELO BRANCO

MEDIDAS DE PROMOÇÃO E PREVENÇÃO DE CÁRIE EM ESCOLARES ADOLESCENTES DO CASTELO BRANCO MEDIDAS DE PROMOÇÃO E PREVENÇÃO DE CÁRIE EM ESCOLARES ADOLESCENTES DO CASTELO BRANCO DIAS, Larissa Nadine Silva 1 FARIAS, Luciana Lombardi Pedrosa de 2 LIMA, Maria Germana Galvão Correia 3 RESUMO A adolescência

Leia mais

Vitamina D: é preciso dosar e repor no pré-natal? Angélica Amorim Amato 2013

Vitamina D: é preciso dosar e repor no pré-natal? Angélica Amorim Amato 2013 Vitamina D: é preciso dosar e repor no pré-natal? Angélica Amorim Amato 2013 É preciso dosar e repor vitamina D no pré-natal? A dosagem de vitamina D pelos métodos mais amplamente disponíveis é confiável?

Leia mais

PROGRAMA DE DISCIPLINA

PROGRAMA DE DISCIPLINA UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ CENTRO DE CIÊNCIAS DA SAÚDE DEPARTAMENTO DE ODONTOLOGIA PROGRAMA DE DISCIPLINA Disciplina: Cariologia I Código: 3428 Carga Horária: 68 horas Ano Letivo: 2007 Curso: Odontologia

Leia mais

RESIDÊNCIA PEDIÁTRICA

RESIDÊNCIA PEDIÁTRICA Residência Pediátrica 2012;2(2):12-9. RESIDÊNCIA PEDIÁTRICA ARTIGO ORIGINAL Uso de dentifrícios fluoretados por pré-escolares: o que os pediatras precisam saber? Use of fluoride toothpaste by preschoolers:

Leia mais

factos e mitos ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA DAS BEBIDAS REFRESCANTES NÃO ALCOÓLICAS

factos e mitos ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA DAS BEBIDAS REFRESCANTES NÃO ALCOÓLICAS factos e mitos ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA DAS BEBIDAS REFRESCANTES NÃO ALCOÓLICAS FACTO: Os estudos disponíveis não permitem concluir que o consumo de bebidas refrescantes não alcoólicas (independentemente

Leia mais

Nível de conhecimento dos alunos do curso de Odontologia da Univali sobre o uso profilático e terapêutico do flúor

Nível de conhecimento dos alunos do curso de Odontologia da Univali sobre o uso profilático e terapêutico do flúor ISSN: Versão impressa: 1806-7727 Versão eletrônica: 1984-5685 Artigo Original de Pesquisa Original Research Article Nível de conhecimento dos alunos do curso de Odontologia da Univali sobre o uso profilático

Leia mais

Efeito da associação da aplicação de fluoreto profissional e uso de dentifrício no esmalte dental

Efeito da associação da aplicação de fluoreto profissional e uso de dentifrício no esmalte dental ORIGINAL ORIGINAL Efeito da associação da aplicação de fluoreto profissional e uso de dentifrício no esmalte dental Effect of professional fluoride application and fluoride dentifrice use on dental enamel

Leia mais

Profilaxia. Verniz de flúor transparente com fluoreto de cálcio e de sódio. Bifluorid 12 em embalagens Single Dose. Indicações: Indicações:

Profilaxia. Verniz de flúor transparente com fluoreto de cálcio e de sódio. Bifluorid 12 em embalagens Single Dose. Indicações: Indicações: Bifluorid 12 Bifluorid 12 Single Dose Verniz de flúor transparente com fluoreto de cálcio e de sódio Bifluorid 12 em embalagens Single Dose Reparação de cerâmica directa Tratamento de hipersensibilidade

Leia mais

Naproxeno. Identificação. Denominação botânica: Não aplicável. Aplicações

Naproxeno. Identificação. Denominação botânica: Não aplicável. Aplicações Material Técnico Naproxeno Identificação Fórmula Molecular: C 14 H 14 O 3 Peso molecular: 230,3 DCB / DCI: 06233 -Naproxeno CAS: 22204-53-1 INCI: Não aplicável. Denominação botânica: Não aplicável. Sinonímia:

Leia mais

Indicador 24. Cobertura de primeira consulta odontológica programática

Indicador 24. Cobertura de primeira consulta odontológica programática Indicador 24 Cobertura de primeira consulta odontológica programática É o percentual de pessoas que receberam uma primeira consulta odontológica programática no Sistema Único de Saúde (SUS), A primeira

Leia mais

Medindo a Qualidade de Vida em Estudos Clínicos de FC: Outra Peça do Quebra-Cabeça

Medindo a Qualidade de Vida em Estudos Clínicos de FC: Outra Peça do Quebra-Cabeça Ensaios Clínicos Medindo a Qualidade de Vida em Estudos Clínicos de FC: Outra Peça do Quebra-Cabeça Janice Abbott, PhD Professora de Psicologia da Saúde Faculdade de Saúde Universidade de Central Lancashire

Leia mais

Dicas rápidas para visitas a crianças de 8 a 9 anos

Dicas rápidas para visitas a crianças de 8 a 9 anos Sorriso Saudável, Futuro Brilhante Dicas rápidas para visitas a crianças de 8 a 9 anos Para essa visita básica à sala de aula ou instituição, você fará sua apresentação, falará sobre a importância de bons

Leia mais

4. PROGRAMAS DE ATENÇÃO ODONTOLÓGICA PARA BEBÊS, CRIANÇAS E ADOLESCENTES

4. PROGRAMAS DE ATENÇÃO ODONTOLÓGICA PARA BEBÊS, CRIANÇAS E ADOLESCENTES 4. PROGRAMAS DE ATENÇÃO ODONTOLÓGICA PARA BEBÊS, CRIANÇAS E ADOLESCENTES Elaborado por: Marcelo S. Bönecker (Coordenador) Adriana Modesto Luiz Reynaldo de Figueiredo Walter Objetivo A Associação Brasileira

Leia mais

TEMA: Uso de Insulina Humalog ou Novorapid (aspart) ou Apidra (glulisina) no tratamento do diabetes mellitus

TEMA: Uso de Insulina Humalog ou Novorapid (aspart) ou Apidra (glulisina) no tratamento do diabetes mellitus NT 140/2014 Solicitante: Dr. Rodrigo Braga Ramos Juiz de Direito de Itamarandiba NUMERAÇÃO: 0325.14.000677-7 Data: 17/07/2014 Medicamento X Material Procedimento Cobertura TEMA: Uso de Insulina Humalog

Leia mais

BOLETIM ELETRÔNICO DO GRUPO TÉCNICO DE AVALIAÇÃO E INFORMAÇÕES DE SAÚDE

BOLETIM ELETRÔNICO DO GRUPO TÉCNICO DE AVALIAÇÃO E INFORMAÇÕES DE SAÚDE GAI informa junho/2009 ano 1 nº2 BOLETIM ELETRÔNICO DO GRUPO TÉCNICO DE AVALIAÇÃO E INFORMAÇÕES DE SAÚDE Editorial Neste segundo número do Boletim Gais Informa apresenta-se um resumo das principais discussões

Leia mais

HIGIENE PESSOAL: A IMPORTÂNCIA DE ESTUDAR O CORPO HUMANO

HIGIENE PESSOAL: A IMPORTÂNCIA DE ESTUDAR O CORPO HUMANO HIGIENE PESSOAL: A IMPORTÂNCIA DE ESTUDAR O CORPO HUMANO Ludmylla Fernanda de Siqueira Silva 1 Náthalie da Cunha Alves 1 RESUMO - Higiene pessoal são medidas tomadas para a preservação da saúde e prevenção

Leia mais

Sorriso de criança... Questão de educação!

Sorriso de criança... Questão de educação! Cidade Sorridente Sorriso de criança... Questão de educação! Dados oficiais (Mesmo entre os cidadãos com renda mensal acima de 6 SM) O Brasil é campeão mundial de cárie 60% dos dentes cariados estão sem

Leia mais

Dicas rápidas para visitas a crianças de 5 a 7 anos

Dicas rápidas para visitas a crianças de 5 a 7 anos Sorriso Saudável, Futuro Brilhante Dicas rápidas para visitas a crianças de 5 a 7 anos Para essa visita básica à sala de aula ou instituição, apresente-se, fale com as crianças sobre o Dr. Dentuço, e faça

Leia mais

HIPERSENSIBILIDADE. Pasta Dessensibilizante Colgate Sensitive Pró-Alívio TM com tecnologia Pro-Argin TM

HIPERSENSIBILIDADE. Pasta Dessensibilizante Colgate Sensitive Pró-Alívio TM com tecnologia Pro-Argin TM Pasta Dessensibilizante Colgate Sensitive Pró-Alívio TM com tecnologia Pro-Argin TM HIPERSENSIBILIDADE Produto em processo de aprovação junto à ANVISA www.colgateprofissional.com.br Apresentando Pro-Argin

Leia mais

DECLARAÇÃO DE CONSENSO

DECLARAÇÃO DE CONSENSO Consulta Técnica sobre HIV e Alimentação Infantil realizada em nome da IATT Equipe de Trabalho Inter Agencias sobre a Prevenção de infecções pelo HIV em mulheres grávidas, mães e seus bebes Genebra, 25

Leia mais

A Importância do diagnóstico e intervenção precoce no tratamento das maloclusões em odontopediatria

A Importância do diagnóstico e intervenção precoce no tratamento das maloclusões em odontopediatria A Importância do diagnóstico e intervenção precoce no tratamento das maloclusões em odontopediatria The importance of early diagnosis and intervention in the treatment of malocclusion in pediatric dentistry

Leia mais

ERUPÇÃO DE MOLARES DECÍDUOS E PERMANENTES. RELAÇÃO COM A IDADE DE APLICAÇÃO DE SELANTE OCLUSAL

ERUPÇÃO DE MOLARES DECÍDUOS E PERMANENTES. RELAÇÃO COM A IDADE DE APLICAÇÃO DE SELANTE OCLUSAL ERUPÇÃO DE MOLARES DECÍDUOS E PERMANENTES. RELAÇÃO COM A IDADE DE APLICAÇÃO DE SELANTE OCLUSAL Joseleine CARVALHO* Valdemar VERTUAN** RESUMO: Foram examinadas 609 crianças de 3 a 6 anos para se verificarem

Leia mais

GUIA DE SAÚDE BUCAL E TRAUMATISMO DENTAL PARA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS (EJA)

GUIA DE SAÚDE BUCAL E TRAUMATISMO DENTAL PARA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS (EJA) GUIA DE SAÚDE BUCAL E TRAUMATISMO DENTAL PARA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS (EJA) AUTORES Ingryd Coutinho de Oliveira Priscila Cunha Nascimento Discentes da Graduação em Odontologia e Bolsistas de Ensino

Leia mais

Investigação em Anatomia Patológica. Álcool e Jovens em Idade Escolar: Comportamentos e Conhecimentos Associados ao Consumo

Investigação em Anatomia Patológica. Álcool e Jovens em Idade Escolar: Comportamentos e Conhecimentos Associados ao Consumo de Janeiro de 2013 Instituto Politécnico de Lisboa Escola Superior de Tecnologia da Saúde de Lisboa Investigação em Anatomia Patológica Álcool e Jovens em Idade Escolar: Comportamentos e Conhecimentos

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº. 2.263, DE 2011

PROJETO DE LEI Nº. 2.263, DE 2011 COMISSÃO DE SEGURIDADE SOCIAL E FAMÍLIA PROJETO DE LEI Nº. 2.263, DE 2011 (Apenso o Projeto de Lei nº 6.892, de 2013 ) Dispõe sobre o acesso à população de baixa renda a kit contendo escova de dente, creme

Leia mais

Portuguese FAQs PRÓLOGO PROGRAMA CLÍNICO

Portuguese FAQs PRÓLOGO PROGRAMA CLÍNICO Portuguese FAQs PROGRAMA CLÍNICO PRÓLOGO Clementia Pharmaceuticals está iniciando o programa clínico de fase 2 para palovarotene em pacientes com fibrodisplasia ossificante progressiva (FOP). O Estudo

Leia mais

CONSELHO REGIONAL DE ENFERMAGEM DE SÃO PAULO PARECER COREN SP Nº 022/CAT/2010

CONSELHO REGIONAL DE ENFERMAGEM DE SÃO PAULO PARECER COREN SP Nº 022/CAT/2010 PARECER COREN SP Nº 022/CAT/2010 Assunto: Antissepsia da pele antes de vacina por via intramuscular. 1. Do fato Solicitado parecer por graduando de enfermagem sobre a antissepsia da pele antes da administração

Leia mais

Técnicas em Higiene Dental

Técnicas em Higiene Dental Hermann Blumenau - Complexo Educacional Curso Técnico em Saúde Bucal Técnicas em Higiene Dental Professor: Bruno Aleixo Venturi Aulas práticas Lista de materiais Aulas práticas - Lista de materiais Roupa

Leia mais

HIV no período neonatal prevenção e conduta

HIV no período neonatal prevenção e conduta HIV no período neonatal prevenção e conduta O HIV, agente causador da AIDS, ataca as células do sistema imune, especialmente as marcadas com receptor de superfície CD4 resultando na redução do número e

Leia mais

o PROGRAMA DE SAÚDE BUCAL PARA CRIANÇAS PRÉ-ESCOLARES EM ARARAQUARA - SP

o PROGRAMA DE SAÚDE BUCAL PARA CRIANÇAS PRÉ-ESCOLARES EM ARARAQUARA - SP ... _ Rev. Odont. UNESP, São Paulo, 17(112): 191-196,1988. o PROGRAMA DE SAÚDE BUCAL PARA CRIANÇAS PRÉ-ESCOLARES EM ARARAQUARA - SP Maria do Carmo Costa VASCONCELLOS" Cleide BARONETTO"" Edney Pereira LÉO"'"

Leia mais

REGULAMENTO TÉCNICO PARA REGISTRO DE ANTIMICROBIANOS DE USO VETERINÁRIO

REGULAMENTO TÉCNICO PARA REGISTRO DE ANTIMICROBIANOS DE USO VETERINÁRIO MERCOSUL/GMC/RES. Nº 3/97 REGULAMENTO TÉCNICO PARA REGISTRO DE ANTIMICROBIANOS DE USO VETERINÁRIO TENDO EM VISTA: O Tratado de Assunção, o Protocolo de Ouro Preto, as Resoluções Nº 11/93 e 91/93 do Grupo

Leia mais

USO RACIONAL DE ANTIMICROBIANOS NA PRODUÇÃO ANIMAL Renata Magalhães Casadei :

USO RACIONAL DE ANTIMICROBIANOS NA PRODUÇÃO ANIMAL Renata Magalhães Casadei : USO RACIONAL DE ANTIMICROBIANOS NA PRODUÇÃO ANIMAL Renata Magalhães Casadei : Nos últimos anos, a ocorrência de bactérias resistentes aos principais compostos antibióticos tem aumentado, havendo inclusive

Leia mais

Treinamento de Força e Diabetes. Ms. Sandro de Souza

Treinamento de Força e Diabetes. Ms. Sandro de Souza Treinamento de Força e Diabetes Ms. Sandro de Souza Taxa de prevalência de Diabetes Mellitus Período: 2009 Relevância Diagnóstico de DIABETES MELLITUS Diabetes Care. 2007;30:S4 41. Resistência a Insulina

Leia mais

SORRISO BONITO E SAUDÁVEL PARA TODA A VIDA!

SORRISO BONITO E SAUDÁVEL PARA TODA A VIDA! SORRISO BONITO E SAUDÁVEL PARA TODA A VIDA! INTRODUÇÃO Um sorriso bonito, saudável e harmônico faz toda a diferença! Na autoestima traz diversos benefícios, pois quem sorri abertamente acredita em si mesmo

Leia mais

Informações sobre a Clínica Odontológica Escolar de Arbon Schulzahnklinik

Informações sobre a Clínica Odontológica Escolar de Arbon Schulzahnklinik Informações sobre a Clínica Odontológica Escolar de Arbon Schulzahnklinik Schulzahnklinik Arbon Telefone: 071 446 65 61 Stacherholzstrasse 32 Fax: 071 446 65 67 9320 Arbon E-Mail: szk.arbon@psgarbon.ch

Leia mais

Vol. 66 nº 1 Jan./Fev./Mar. 2012 ISSN 0004-5276 Série 66 anos

Vol. 66 nº 1 Jan./Fev./Mar. 2012 ISSN 0004-5276 Série 66 anos REVISTA DA ASSOCIAÇÃO PAULISTA DE CIRURGIÕES-DENTISTAS - VOL. 66 - N 0 1 - JAN./FEV./MAR. 2012 Vol. 66 nº 1 Jan./Fev./Mar. 2012 ISSN 0004-5276 Série 66 anos Cariologia Dentifrícios fluoretados: equilíbrio

Leia mais

Benefícios Odontológicos nos Estados Unidos. Fay Donohue

Benefícios Odontológicos nos Estados Unidos. Fay Donohue Benefícios Odontológicos nos Estados Unidos Fay Donohue President & CEO 1 Agenda Mercado dos Seguros Odontológicos Tipos de cobertura Planos - Preços Gerenciamento de custos Estudo de Caso A história da

Leia mais

VII-017 - FLUORETAÇÃO DAS ÁGUAS DE ABASTECIMENTO PÚBLICO NO ÂMBITO DA CORSAN

VII-017 - FLUORETAÇÃO DAS ÁGUAS DE ABASTECIMENTO PÚBLICO NO ÂMBITO DA CORSAN VII-017 - FLUORETAÇÃO DAS ÁGUAS DE ABASTECIMENTO PÚBLICO NO ÂMBITO DA CORSAN Ricardo Noll (1) Engenheiro Químico. Farmacêutico-Bioquímico. Especialista em Saneamento Básico, Chefe do Laboratório Central/CORSAN

Leia mais

RESPOSTA RÁPIDA 396/2013 Naprix, Vastarel, Lasix, Carvedilol, Atorvastatina, Aspirina

RESPOSTA RÁPIDA 396/2013 Naprix, Vastarel, Lasix, Carvedilol, Atorvastatina, Aspirina RESPOSTA RÁPIDA 396/2013 Naprix, Vastarel, Lasix, Carvedilol, Atorvastatina, Aspirina SOLICITANTE Dra. Sabrina da Cunha Peixoto Ladeira. Juiza de Direito NÚMERO DO PROCESSO 13 007501-7 DATA 07/11/2013

Leia mais

Placa bacteriana espessa

Placa bacteriana espessa A IMPORTÂNCIA DA SAÚDE BUCAL A saúde bucal é importante porque a maioria das doenças e a própria saúde começam pela boca. Por exemplo, se você não se alimenta bem, não conseguirá ter uma boa saúde bucal,

Leia mais

Tutora: Tathiane Lenzi Prof. José Carlos P. Imparato

Tutora: Tathiane Lenzi Prof. José Carlos P. Imparato Tutora: Tathiane Lenzi Prof. José Carlos P. Imparato ... vedar... obliterar... isolar do meio externo SELANTE É: Barreira Física Os selantes oclusais são reconhecidos como uma medida efetiva na PREVENÇÃO

Leia mais

Tradução: Regina Figueiredo REDE CE ww.redece.org

Tradução: Regina Figueiredo REDE CE ww.redece.org 24 julh 2014 EMA/440549/2014 Documento Original: http://www.ema.europa.eu/docs/en_gb/document_library/press_release/2014/07/wc50017 0056.pdf Tradução: Regina Figueiredo REDE CE ww.redece.org LEVONORGESTREL

Leia mais

Everton Nunes Sabino da Silva Pôrto Junior www.ufrgs.br/economiadasaude. Abril/2008

Everton Nunes Sabino da Silva Pôrto Junior www.ufrgs.br/economiadasaude. Abril/2008 Introdução à Economia da Saúde Everton Nunes Sabino da Silva Pôrto Junior www.ufrgs.br/economiadasaude Abril/2008 Tópicos Introdução à Economia da Saúde : Definição de Economia da Saúde; Gasto em Saúde;

Leia mais

UnA-SUS UNIFESP Curso de Especialização em Saúde da Família. turma 1. 2010-2011

UnA-SUS UNIFESP Curso de Especialização em Saúde da Família. turma 1. 2010-2011 Dentifrícios fluoretados x fluorose Monike Petrini Vallerini Teraoka UBS Jardim Fanganiello, Município de São Paulo, São Paulo, Brasil Resumo O presente trabalho tem por objetivo identificar qual a relação

Leia mais

12. ASSISTÊNCIA ODONTOLÓGICA AO BEBÊ - ENFOQUE DOENÇA CÁRIE DENTÁRIA

12. ASSISTÊNCIA ODONTOLÓGICA AO BEBÊ - ENFOQUE DOENÇA CÁRIE DENTÁRIA 12. ASSISTÊNCIA ODONTOLÓGICA AO BEBÊ - ENFOQUE DOENÇA CÁRIE DENTÁRIA Elaborado por: Fabian Calixto Fraiz (coordenador) Ana Cristina Barreto Bezerra Luiz Reinaldo de Figueiredo Walter Objetivo A Associação

Leia mais

Revisões Sistemáticas na Biblioteca Virtual em Saúde. Verônica Abdala BIREME/OPAS/OMS abdalave@paho.org

Revisões Sistemáticas na Biblioteca Virtual em Saúde. Verônica Abdala BIREME/OPAS/OMS abdalave@paho.org Revisões Sistemáticas na Biblioteca Virtual em Saúde Verônica Abdala BIREME/OPAS/OMS abdalave@paho.org Que evidência utilizar? Depende do tipo de pergunta (necessidade) que se quer responder e o tempo

Leia mais

PROVA ESPECÍFICA Cargo 23

PROVA ESPECÍFICA Cargo 23 13 PROVA ESPECÍFICA Cargo 23 QUESTÃO 31 Com relação aos tecidos dentários, analise as afirmativas abaixo: 1) O esmalte é um tecido duro, que constitui a maior parte do dente, determinando a forma da coroa.

Leia mais

COMISSÃO DE SEGURIDADE SOCIAL E FAMÍLIA VOTO EM SEPARADO

COMISSÃO DE SEGURIDADE SOCIAL E FAMÍLIA VOTO EM SEPARADO COMISSÃO DE SEGURIDADE SOCIAL E FAMÍLIA VOTO EM SEPARADO PROJETO DE LEI N o 95, DE 2007 Revoga a Lei 6050/74, que dispõe sobre a fluoretação da água em sistemas de abastecimento quando existir estação

Leia mais

TEMA: OXIGENOTERAPIA HIPERBÁRICA (OHB) NO TRATAMENTO DE ÚLCERA CRÔNICA INFECTADA EM PÉ DIABÉTICO

TEMA: OXIGENOTERAPIA HIPERBÁRICA (OHB) NO TRATAMENTO DE ÚLCERA CRÔNICA INFECTADA EM PÉ DIABÉTICO NT 19 /2014 Solicitante: Des. Vanessa Verdolim Hudson Andrade Numeração: 1.0701.13.032021-4/001 Data: 03/02/2014 Medicamento Material Procedimento X Cobertura TEMA: OXIGENOTERAPIA HIPERBÁRICA (OHB) NO

Leia mais

CÁRIE DENTÁRIA: CONSCIENTIZANDO ESCOLARES DE UMA ESCOLA PÚBLICA NO MUNICÍPIO DE CRUZ ALTA- RS

CÁRIE DENTÁRIA: CONSCIENTIZANDO ESCOLARES DE UMA ESCOLA PÚBLICA NO MUNICÍPIO DE CRUZ ALTA- RS CÁRIE DENTÁRIA: CONSCIENTIZANDO ESCOLARES DE UMA ESCOLA PÚBLICA NO MUNICÍPIO DE CRUZ ALTA- RS SANTOS, Aniúsca V¹; MANGGINI, Bruna K¹; MACIESKI, Franciele¹; SOARES, Jéssica Cavalheiro 1 ; TAMANHO, Jiana¹;

Leia mais

Gestão do conhecimento como ferramenta no desenvolvimento tecnológico farmacêutico

Gestão do conhecimento como ferramenta no desenvolvimento tecnológico farmacêutico IV SIMPÓSIO Sindusfarma - IPS/FIP apoio ANVISA NOVAS FRONTEIRAS FARMACÊUTICAS NAS CIÊNCIAS, TECNOLOGIA, REGULAMENTAÇÃO E SISTEMA DA QUALIDADE Gestão do conhecimento como ferramenta no desenvolvimento tecnológico

Leia mais

TEMA: FINGOLIMODE NA ESCLEROSE MÚLTIPLA

TEMA: FINGOLIMODE NA ESCLEROSE MÚLTIPLA NTRR 253/2013 Solicitante: Alyrio Ramos Desembargador da 8ª Câm. Cível - TJMG Data: 13/12/2013 Medicamento X Material Procedimento Cobertura Número do processo: 1.0702.13.078195-9/001 TEMA: FINGOLIMODE

Leia mais

Composição média por litro: Calorias: 651 kcal Cálcio: 1160 mg Vitamina B1: 1,7 mg Carboidratos: 45 g Proteínas: 31,7 g

Composição média por litro: Calorias: 651 kcal Cálcio: 1160 mg Vitamina B1: 1,7 mg Carboidratos: 45 g Proteínas: 31,7 g MOLARIDADE Para que haja uma aula o professor primeiramente necessita optar pela área que irá trabalhar e em seguida escolher o tema. Até aqui nada de novo. Isto acontece com todos os professores não importando

Leia mais

Envolvimento dos profissionais da saúde no controle do tabagismo

Envolvimento dos profissionais da saúde no controle do tabagismo Envolvimento dos profissionais da saúde no controle do tabagismo Prof. Javaid Khan, FRCP (Edin) Setor Principal de Medicina de Cuidado Pulmonar e Crítico The Aga Khan University, Karachi, Paquistão Envolvimento

Leia mais

SAÚDE ORAL DAS PESSOAS IDOSAS

SAÚDE ORAL DAS PESSOAS IDOSAS SAÚDE ORAL DAS PESSOAS IDOSAS Saúde Oral das Pessoas Idosas A saúde oral é considerada como uma parte integrante da saúde geral. As doenças da boca e dos dentes têm consequências negativas na qualidade

Leia mais

Prolia para osteoporose

Prolia para osteoporose Data: 29/06/2013 Nota Técnica 105/2013 Número do processo: 0110170-82.2013-813.0525 Solicitante: Juiz de Direito Dr. Napoleão da Silva Chaves Réu: Estado de Minas Gerais Medicamento Material Procedimento

Leia mais

PARECER COREN-SP 042/2014 CT PRCI nº 5441/2014 Tickets nºs 374.222, 374.252 e 374.523

PARECER COREN-SP 042/2014 CT PRCI nº 5441/2014 Tickets nºs 374.222, 374.252 e 374.523 PARECER COREN-SP 042/2014 CT PRCI nº 5441/2014 Tickets nºs 374.222, 374.252 e 374.523 Ementa: Utilização de luvas de procedimentos para aplicação de vacina. 1. Do fato Profissionais de Enfermagem solicitam

Leia mais

Aspectos microbiológicos da Cárie Dental

Aspectos microbiológicos da Cárie Dental Curso Técnico em Saúde Bucal Aula disponível: www.portaldoaluno.bdodonto.com.br Aspectos microbiológicos da Cárie Dental Prof: Bruno Aleixo Venturi 1 O que é a doença cárie? 2 CÁRIE DENTAL Do#La&m# Carious

Leia mais

TEMA: Octreotida LAR no tratamento de tumor neuroendócrino

TEMA: Octreotida LAR no tratamento de tumor neuroendócrino NTRR 31/2013 Solicitante: Juiz Juarez Raniero Número do processo:0479.13.003726-6 Reu: Secretaria de Saúde de Passos Data: 25/03/2013 Medicamento x Material Procedimento Cobertura TEMA: Octreotida LAR

Leia mais

RECOMENDAÇÕES SOBRE USO DE PRODUTOS FLUORADOS NO ÂMBITO DO SUS-SP EM FUNÇÃO DO RISCO DE CÁRIE DENTÁRIA

RECOMENDAÇÕES SOBRE USO DE PRODUTOS FLUORADOS NO ÂMBITO DO SUS-SP EM FUNÇÃO DO RISCO DE CÁRIE DENTÁRIA RECOMENDAÇÕES SOBRE USO DE PRODUTOS FLUORADOS NO ÂMBITO DO SUS-SP EM FUNÇÃO DO RISCO DE CÁRIE DENTÁRIA RSS-164, de 21/12/2000/DOE de 27 e 30/12/2000. Grupo de Trabalho: JA Cury, PC Narvai, RA Castellanos,

Leia mais

Dra Adriana de Freitas Torres

Dra Adriana de Freitas Torres Dra Adriana de Freitas Torres 2020 15 milhões de novos casos 12 milhões de mortes 2002 10 milhões de casos novos 6 milhões de mortes Mundo cerca 1 milhão de novos casos de CM Fonte: União Internacional

Leia mais

PLANO DE TRABALHO 2011 PROGRAMA DE ATENÇÃO À SAÚDE BUCAL

PLANO DE TRABALHO 2011 PROGRAMA DE ATENÇÃO À SAÚDE BUCAL PLANO DE TRABALHO 2011 PROGRAMA DE ATENÇÃO À SAÚDE BUCAL COLATINA 2011 ÍNDICE 1) INTRODUÇÃO 2) DESCRIÇÃO DA CLIENTELA 3) OBJETIVOS 4) CARGA HORÁRIA 5) DESCRIÇÃO DAS ATIVIDADES 6) CRONOGRAMA 7) PREVISÃO

Leia mais

CUSTO-EFETIVIDADE DA ESCOVAÇÃO DENTAL SUPERVISIONADA

CUSTO-EFETIVIDADE DA ESCOVAÇÃO DENTAL SUPERVISIONADA ARTIGO ARTICLE 281 Custo-efetividade da escovação dental supervisionada convencional e modificada na prevenção da cárie em molares permanentes de crianças de 5 anos de idade Cost-effectiveness of conventional

Leia mais

Programa Sol Amigo. Diretrizes. Ilustração: Programa Sunwise Environmental Protection Agency - EPA

Programa Sol Amigo. Diretrizes. Ilustração: Programa Sunwise Environmental Protection Agency - EPA Programa Sol Amigo Diretrizes Ilustração: Programa Sunwise Environmental Protection Agency - EPA 2007 CONTEÚDO Coordenador do programa... 3 Introdução... 4 Objetivos... 5 Metodologia... 6 Avaliação do

Leia mais

Prevalência, Conhecimento, Tratamento e Controle da Hipertensão em Adultos dos Estados Unidos, 1999 a 2004.

Prevalência, Conhecimento, Tratamento e Controle da Hipertensão em Adultos dos Estados Unidos, 1999 a 2004. Artigo comentado por: Dr. Carlos Alberto Machado Prevalência, Conhecimento, Tratamento e Controle da Hipertensão em Adultos dos Estados Unidos, 1999 a 2004. Kwok Leung Ong, Bernard M. Y. Cheung, Yu Bun

Leia mais

(http://www.anvisa.gov.br/institucional/faleconosco/faleconosco.asp ).

(http://www.anvisa.gov.br/institucional/faleconosco/faleconosco.asp ). No Brasil as legislações que tratam da proteção e direitos do sujeito de pesquisa são Documento das Américas de Boas Práticas Clínicas, Resolução 196/1996 do Conselho Nacional de Saúde e Resolução RDC

Leia mais

Gerenciamento de Riscos do Projeto Eventos Adversos

Gerenciamento de Riscos do Projeto Eventos Adversos Gerenciamento de Riscos do Projeto Eventos Adversos 11. Gerenciamento de riscos do projeto PMBOK 2000 PMBOK 2004 11.1 Planejamento de gerenciamento de riscos 11.1 Planejamento de gerenciamento de riscos

Leia mais