Palavras chaves: Core; Treinamento Funcional; Musculação; Homens.

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Palavras chaves: Core; Treinamento Funcional; Musculação; Homens."

Transcrição

1 1 Estudo comparativo do nível de força isométrica e estabilidade da musculatura do core entre indivíduos praticantes de treinamento funcional e de musculação. Resumo: O presente estudo teve como objetivo verificar e comparar o nível de força isométrica e estabilidade da musculatura do core entre indivíduos praticantes de treinamento funcional e de musculação em academia (n=22). Foi utilizado o protocolo do teste de força e estabilidade dos músculos do core de Mackenzie (2005). Dos resultados do teste de Mackenzie (2005) verificou que no grupo 1 (praticantes de musculação) 9% completaram o teste até o último estágio, diferente do grupo 2 (praticantes de treinamento funcional), onde 45,5% completaram o último estágio. É evidenciado que o fortalecimento da musculatura do core têm grande importância funcional para atividades do diaa-dia, manutenção de boa postura corporal e qualidade de vida. Os resultados afirmam que a amostra de indivíduos praticante de treinamento funcional obteve média de força do core superior ao outro grupo. Palavras chaves: Core; Treinamento Funcional; Musculação; Homens. INTRODUÇÃO A atividade física deve ser entendida como um comportamento multifacetado ou multidimensional, onde devem ser incluídas variáveis como: duração, freqüência, intensidade e tipo; podendo também ser incluída variáveis como as circunstâncias e os propósitos da atividade física (LOPES & MAIA, 2003). Movimento de expansão e contração pode ser observado em todo o universo físico. Na forma anatômica, por exemplo, as células se expandem e se contraem, assim como o coração, os intestinos e os pulmões. E assim acontece com todo o corpo humano. (BRITO, 1996) O termo exercício funcional é tão vago como o termo viver bem. Para determinar qual exercício é funcional, necessita saber se o resultado do exercício pode ser comparado ao objetivo. (CHECK, 2003) Para Check (2003) isolar musculaturas em maquinas específicas é funcional para um fisiculturista. Mas mesma tática é inadequada para melhora das habilidades dos movimentos diários das pessoas ou do desempenho de atletas. Sendo que a integração de movimentos é funcional para atletas, mas não para fisiculturistas. A potência de um atleta, por exemplo, ou sua capacidade de transformar rapidamente energias bioquímicas, é muito maior que de um sedentário. Isso acontece devido seu treinamento, sua vontade; treinamento é trabalho, é esforço. As mesmas energias que um atleta transforma, todas as pessoas as possuem e as transformam. (BRITO, 1996). A capacidade de controle e consciência corporal depende do esforço da pessoa, em se motivar e executar atividades físicas regularmente; capacitando-se então, para o conhecimento dos movimentos que seu corpo é capaz e benefícios inúmeros que conseqüentemente acontecem. De acordo com Boyle (2004), o treinamento funcional tem como objetivos, a melhora do desempenho atlético, das atividades laborais e das

2 2 atividades diárias do indivíduo. Além de contribuir na prevenção e tratamento de lesões, e reduzir o déficit entre a força absoluta e a funcional. De acordo com Bliss & Teeple (2005), anatomicamente, o core é a musculatura em volta da região lombo-pélvica, incluindo os abdominais, os paraespinhais, os glúteos, musculatura inferior do assoalho pélvico, os abdutores e rotadores laterais do quadril e diafragma. Toda essa musculatura ação direta ou indiretamente acessório extensivo da fáscia toraco-lombar e coluna espinhal, que conecta membros superiores e inferiores. Musculatura do core pode ser isolada com a contração semelhante a uma trituração na qual ativa o reto abdominal e oblíquos. Essa musculatura atua como sinergista para a estabilização da região lombo pélvica. Segundo Kinzey & Armstrong (1998), estabilidade é um conceito direto; contudo, reforço do core, fusão muscular, estabilização lombo-pélvica e estabilização dinâmica são conceitos similares. Todos esses conceitos são incorporados a definição de estabilidade da musculatura do core. E força do core refere-se à força e resistência dessa musculatura. Relacionando com características da atividade física, o treinamento funcional apresenta movimentos multiarticulares, multiplanares e de recrutamento dos mecanismos de propriocepção (estabilizadores e neutralizadores), que têm objetivo de facilitar os movimentos do dia-a-dia. Este estudo tem o propósito de verificar e comparar o nível de força isométrica e estabilidade da musculatura do core entre indivíduos praticantes de treinamento funcional e de musculação em academia. Material e Métodos Pesquisa teve a amostra formada por 11 praticantes de treinamento funcional do centro de treinamento Consciência Corporal localizado no Lago Sul, e 11 praticantes de musculação da academia Água Vida, localizada no Guará II, Distrito Federal. A participação foi dada por voluntariado, de homens saudáveis sem nenhuma patologia que poderia influenciar no estudo e não faziam uso de qualquer tipo de esteróides anabolizantes. Faixa etária de idade entre 16 a 37 anos, praticantes das respectivas modalidades de atividade física com período contínuo maior que dois meses. Os indivíduos fizeram o teste de força e estabilidade dos músculos do core de Mackenzie (2005). Que consiste em verificar a força e estabilidade de ombros, quadril, abdominal, musculatura lombar e musculatura do core. Onde voluntários assumem posição inicial de apoio nos cotovelos sobre os ombros, os antebraços apoiados no chão, e apoio nas pontas dos pés. Balança de plataforma da marca Camry com precisão de carga de 100g foi utilizada para a obtenção de dados relativos ao peso corporal, fita métrica junto à parede para obtenção de dados da altura corporal, e cronometro utilizado para cronometrar cada estágio do teste. Teste leva o máximo de tempo de três minutos, sendo que o individuo mantém a posição inicial por 1 minuto, a partir disso, retira do solo um dos braços e o mantém levantado por quinze segundos, nos próximos quinze segundos volta o braço à posição inicial e será levantado o outro pelo mesmo tempo. Retornando o braço à posição inicial e por quinze segundos matem um

3 3 dos pés levantado, logo depois o outro nos próximos quinze segundos. Com dois minutos de teste um pé e um braço do lado oposto são levantados por mais quinze segundos, e depois os outros dois membros. Nos últimos trinta segundos do teste é finalizado após retorno à posição inicial até completar os três minutos de teste. Os estágios são baseados na manutenção do alinhamento postural e o não desequilíbrio apoiando-se no solo (anexo 2). Desvio leve do alinhamento quando se é levantado um dos membros do corpo é aceito. Teste é parado quando os membros, tronco ou outras partes do corpo saem deliberadamente do alinhamento inicial ou desistência do indivíduo testado. Pontuação do indivíduo foi marcada referente ao estágio anteriormente completado. De 13 a 15 segundos em cada estágio é somada uma pontuação, com mais de 16 segundos ou entrando em outro estágio é somada mais outra pontuação de acordo com a tabela escalonar (anexo 1). A pontuação máxima do teste equivale a 28 pontos no total. Resultados A amostra foi distribuída em dois grupos, o grupo 1 (G1) formado por praticantes de Musculação e o grupo 2 (G2) formado por praticantes de Treinamento Funcional. Não há diferenças significativas relacionadas à idade, altura e o peso corporal dos dois grupos. No entanto; foi utilizado o Teste T de Student não pareado, relacionado ao valor do teste de força e estabilidade dos músculos do core de Mackenzie (2005), e existiu diferença estatística significativa (p<0,05). Tabela 1. Caracterização da amostra - médias e desvios-padrão de idade, altura, peso corporal e pontuação do core test do grupo 1 (musculação) e do grupo 2 (treinamento funcional). Variável Grupo 1 Grupo 2 (n = 11) (n = 11) X S X S Idade (anos) 24,3 6,1 26,2 5 Altura (metros) 1,73 0,04 1,74 0,06 Peso ( kilogramas) 73,3 7,6 76,4 5,5 Pontuação Core Test 15,4* 7,2 22,1* 5,9 * - Diferença estatística significativa (p<0,05) Praticantes de treinamento funcional obtiveram pontuação média mais próxima ao da pontuação máxima (Tabela 1), comparado aos praticantes de musculação que obtiveram valor médio no teste de 15,4 pontos.

4 4 A distribuição dos valores freqüências (Figura 1) mostrou a diferença percentual relativa a cada estágio completo alcançado pelos indivíduos. Foi evidenciado que a maioria dos indivíduos do grupo 2 conseguiram chegar ao último estágio do teste, equivalente ao valor máximo de 28 pontos no total. Ao contrário do grupo 1, que sua maioria chegou apenas ao estágio intermediário de número 6 com 36% do seu total de indivíduos. Figura1. Distribuição de valores freqüências de praticantes de musculação (Grupo 1) e praticantes de Treinamento Funcional (Grupo 2) de acordo com estágio completo alcançado no teste. Discussão Em um estudo de investigação Borghuis et. al.(2008) diz que atividades proprioceptivas e desafiadoras durante as atividades do treino, por exemplo, fazendo uso de superfícies instáveis, leva a uma crescente ação sobre os músculos do tronco, melhorando a estabilidade e o equilíbrio do core. Resultando um melhor desenvolvimento do controle e da coordenação neuromuscular. Corroborando como estudo de Borghuis et. al.(2008) o presente estudo demonstra maior força e controle dos músculos do core em praticantes de treinamento funcional, onde utilizam normalmente em diversos exercícios bases de instabilidades unidas à execução de movimentos. De acordo com Akuthota & Nadler (2004), fortalecimento do core tornou-se uma tendência importante na reabilitação. Sendo na sua essência, uma descrição do controle muscular em torno da coluna lombar necessário para manter a estabilidade funcional. O fortalecimento dessa musculatura promove um regime preventivo, como forma de reabilitação ou melhora de rendimento físico. Sendo o treinamento do core uma boa medida preventiva de acordo com o estudo de Akuthota & Nadler (2004). Seria então mais indicado o treinamento funcional a musculação para pessoas que têm como objetivo a

5 5 melhora de resultados em relação a desempenho atlético ou à prevenção, não incluindo o desempenho de atletas de fisiculturismo. Bliss & Teepler (2005) em seu estudo de revisão mostraram que os exercícios de fortalecimento e estabilidade do core são essenciais componentes no programa de treinamento para atletas de todos os níveis. Os músculos do core agem como uma ponte entre os membros superiores e inferiores. A força feita pelos membros é transferida para o core, que pode ser chamado de núcleo de força. Afirmando então que um programa de treinamento deve começar com exercícios que isolam os músculos específicos do core, e deve evoluir para incluir movimentos complexos e incorporar outros princípios do treinamento. Relacionando com a pontuação média alcançada pelos grupos testados (tabela 1), mostra que praticantes de treinamento funcional têm consideravelmente mais força isométrica e estabilidade do core que praticantes de musculação. Para atletas amadores ou profissionais, o treinamento que utiliza de princípios de fortalecimento, equilíbrio corporal e treinamento do core apresenta mais vantagens motoras específicas do desporto que apenas treino de musculação. Conclusão Os resultados encontrados neste estudo mostraram que os grupos comparados apresentaram diferenças significativas em relação à força isométrica e estabilidade da musculatura do core. Conclui-se que o treinamento funcional utiliza e exercita mais a musculatura do core do que a musculação. Conseqüentemente a amostra de indivíduos praticante de treinamento funcional obteve média de força superior ao outro grupo. É evidenciado que o fortalecimento da musculatura do core, que ocorre em grande parte dos exercícios físicos de treinamento funcional, têm grande importância funcional para atividades do dia-a-dia, manutenção de boa postura corporal e qualidade de vida, além da possibilidade de exercícios específicos no treinamento de praticantes de esportes.

6 6 ANEXO 1. TABELA ESCALONAR DO TESTE DE FORÇA E ESTABILIDADE DOS MÚSCULOS DO CORE DE MACKENZIE (2005). Tempo Comentários s seg. Pontos seg. Pontos min. Manter 60 segundos 1 1 1:15 Retira braço direito do solo (manter por :30 Retira braço esquerdo do solo (manter por :45 Retira perna direita do solo (manter por min. Retira perna esquerda do solo (manter por :15 Retira braço esquerdo e perna direita do solo (manter por :30 Retira braço direito e perna esquerda do solo (manter por 15 segundos) min. Retorna a posição inicial e mantém por 30 segundos. ANEXO 2. REPRESENTAÇÃO DOS ESTÁGIOS DO TESTE DE FORÇA E ESTABILIDADE DOS MÚSCULOS DO CORE DE MACKENZIE (2005).

7 7 Referência Bibliográfica AKUTHOTA, V.; NADLER, S.F. Core Strengthening. Archives of Physical Medicine and Rehabilitation, BLISS, L. S.; TEEPLE, P. Core stability: The Centerpiece of Any Training Program. Currents Sports Medicine Reports, BORGHUIS, J.; HOF, A.L.; LEMMINK, K. A. M. P. The Importance of Sensory-Motor Control in Providing Core Stability: Implications for Measurement and Training. Sports Medicine, BOYLE, M. Funcional training for sports. Human Kinetics, BRITO, C. L. C. Consciência Corporal. Sprint Editora Rio de Janeiro, 1996 CHECK, P. Funcional Exercise from the Inside Out. ECA Convention, New York, 2003 KINZEY, S.J.; ARMSTRONG, C.W. The reliability of the star-excursion test in assessing dynamic balance. Journal of Othopaedic & Sports Physical Therapy, LOPES, V. P.; MAIA, J. A. E. Atividade Física nas Crianças e Jovens. Revista Brasileira de Cineantropometria & Desempenho Humano, MACKENZIE B. 101 Performance Evaluation Tests. Electric Word plc, 2005

Implementação do treinamento funcional nas diferentes modalidades. André Cunha

Implementação do treinamento funcional nas diferentes modalidades. André Cunha Implementação do treinamento funcional nas diferentes modalidades André Cunha DNA de alta Performance Por que você faz o que você faz? O que você espera entregar com o seu trabalho? Defina-se como profissional

Leia mais

O QUE É TREINAMENTO FUNCIONAL? Por Artur Monteiro e Thiago Carneiro

O QUE É TREINAMENTO FUNCIONAL? Por Artur Monteiro e Thiago Carneiro O QUE É TREINAMENTO FUNCIONAL? Por Artur Monteiro e Thiago Carneiro O corpo humano é projetado para funcionar como uma unidade, com os músculos sendo ativados em seqüências especifica para produzir um

Leia mais

FUTURO DO GOLFE = NÃO SE BASEIA SOMENTE NA CÓPIA DO SWING PERFEITO - MECÂNICA APROPRIADA - EFICIÊNCIA DE MOVIMENTO

FUTURO DO GOLFE = NÃO SE BASEIA SOMENTE NA CÓPIA DO SWING PERFEITO - MECÂNICA APROPRIADA - EFICIÊNCIA DE MOVIMENTO FUTURO DO GOLFE = NÃO SE BASEIA SOMENTE NA CÓPIA DO SWING PERFEITO - MECÂNICA APROPRIADA - EFICIÊNCIA DE MOVIMENTO CARACTERÍSTICAS INDIVIDUAIS - Flexibilidade - Estabilidade - Equilíbrio - Propiocepção

Leia mais

Por que devemos avaliar a força muscular?

Por que devemos avaliar a força muscular? Prof. Me. Alexandre Correia Rocha www.professoralexandrerocha.com.br alexandre.personal@hotmail.com Docência Docência Personal Trainer Por que devemos avaliar a força muscular? Desequilíbrio Muscular;

Leia mais

TREINAMENTO FUNCIONAL PARA A NATAÇÃO *

TREINAMENTO FUNCIONAL PARA A NATAÇÃO * TREINAMENTO FUNCIONAL PARA A NATAÇÃO * Heahter Sumulong. Você está procurando alcançar uma margem competitiva sobre seus oponentes? O desenvolvimento de uma musculatura central forte junto com um treinamento

Leia mais

CURSO DE FORMAÇÃO ISO-STRETCHING

CURSO DE FORMAÇÃO ISO-STRETCHING CURSO DE FORMAÇÃO ISO-STRETCHING O Curso de Formação em Iso Stretching é ministrado pelo fundador da técnica, o osteopata e fisioterapeuta francês Bernard Redondo. O método Iso Stretching foi desenvolvido

Leia mais

PILATES E BIOMECÂNICA. Thaís Lima

PILATES E BIOMECÂNICA. Thaís Lima PILATES E BIOMECÂNICA Thaís Lima RÍTMO LOMBOPÉLVICO Estabilidade lombopélvica pode ser definida como a habilidade de atingir e manter o alinhamento ótimo dos segmentos da coluna (lombar e torácica), da

Leia mais

Treinamento Funcional 17/08/2015. Treinamento Funcional Definição

Treinamento Funcional 17/08/2015. Treinamento Funcional Definição Treinamento Funcional Será que você fez a escolha certa? Prof. Cauê La Scala Teixeira Treinamento Funcional Definição Treinamento: Ato de treinar; conjunto de exercícios praticados por um atleta como preparo

Leia mais

Por que devemos avaliar a força muscular?

Por que devemos avaliar a força muscular? Prof. Me. Alexandre Correia Rocha www.professoralexandrerocha.com.br alexandre.personal@hotmail.com Docência Docência Personal Trainer Por que devemos avaliar a força muscular? Desequilíbrio Muscular;

Leia mais

Pilates e Treinamento Funcional

Pilates e Treinamento Funcional Pilates e Treinamento Funcional Quem gosta de atividade física com certeza já ouviu falar sobre duas modalidades que estão "em alta" recentemente: o PILATES e o TREINAMENTO FUNCIONAL. Como escolher a melhor

Leia mais

Exercícios além da academia

Exercícios além da academia Exercícios além da academia Pilates É uma modalidade de atividade física realizada em aparelhos, bolas e no solo, que proporciona fortalecimento muscular, aumento da flexibilidade e correção da postura.

Leia mais

Atualmente muito se tem ouvido falar e os estudos científicos. comprovam que a prática física diária é considerada um dos fatores

Atualmente muito se tem ouvido falar e os estudos científicos. comprovam que a prática física diária é considerada um dos fatores Atualmente muito se tem ouvido falar e os estudos científicos comprovam que a prática física diária é considerada um dos fatores que contribui efetivamente para uma melhor qualidade de vida do indivíduo.

Leia mais

DE VOLTA ÀS AULAS... CUIDADOS COM A POSTURA E O PESO DA MOCHILA!

DE VOLTA ÀS AULAS... CUIDADOS COM A POSTURA E O PESO DA MOCHILA! DE VOLTA ÀS AULAS... CUIDADOS COM A POSTURA E O PESO DA MOCHILA! SUA MOCHILA NÃO PODE PESAR MAIS QUE 10% DO SEU PESO CORPORAL. A influência de carregar a mochila com o material escolar nas costas, associado

Leia mais

Alterações da Estrutura Corporal

Alterações da Estrutura Corporal Alterações da Estrutura Corporal Exercícios e Postura milenadutra@bol.com.br Os Exercícios Realmente Mudam a Postura? Vício postural pode ser corrigido voluntariamente com reeducação psicomotora Desvio

Leia mais

Treinamento funcional

Treinamento funcional Treinamento funcional Treinamento Funcional O segredo está no equilíbrio. O treinamento funcional trabalha grande parte dos músculos do corpo num único exercício, queima muitas calorias e desenvolve a

Leia mais

O treino invisível para aumento do rendimento desportivo

O treino invisível para aumento do rendimento desportivo O treino invisível para aumento do rendimento desportivo Carlos Sales, Fisioterapeuta Federação Portuguesa de Ciclismo Luís Pinho, Fisioterapeuta Federação Portuguesa de Ciclismo Ricardo Vidal, Fisioterapeuta

Leia mais

Foram estabelecidos critérios de inclusão, exclusão e eliminação. Critérios de inclusão: todos os dançarinos com síndrome da dor femoropatelar.

Foram estabelecidos critérios de inclusão, exclusão e eliminação. Critérios de inclusão: todos os dançarinos com síndrome da dor femoropatelar. Figura 11a - Posição inicial: 1ª posição paralela. Figura 11b - demi-plié: 1ª posição paralela. Figura 12a - Posição inicial: 2ª posição paralela. Figura 12b- Demi-plié: 2ª posição paralela. 35 Figura

Leia mais

Fonte: http://revistacontrarelogio.com.br/pdfs/tudoemcima_194.pdf

Fonte: http://revistacontrarelogio.com.br/pdfs/tudoemcima_194.pdf Fonte: http://revistacontrarelogio.com.br/pdfs/tudoemcima_194.pdf ELÁSTICO OU BORRACHA Sugestão: 1 kit com 3 elásticos ou borrachas (com tensões diferentes: intensidade fraca, média e forte) Preço: de

Leia mais

ABRCOLUNA Associação Brasileira de Reabilitação de Coluna

ABRCOLUNA Associação Brasileira de Reabilitação de Coluna ABRCOLUNA Associação Brasileira de Reabilitação de Coluna Guia de Exercícios preventivos para a Coluna Vertebral Dr. Coluna 01 Helder Montenegro Fisioterapeuta Guia de Exercícios Dr Coluna 2012.indd 1

Leia mais

Musculação, treinamento funcional, crossfit e pilates: como escolher o seu exercício ideal?

Musculação, treinamento funcional, crossfit e pilates: como escolher o seu exercício ideal? Polícia Militar do Estado de Goiás CPMG Nader Alves dos Santos Ano Letivo - 2015 4º BIMESTRE Colégio da Polícia Militar de Goiás -NAS Aluno (a): Nº Faça o que se pede. MODALIDADES EM ALTA CONTEÚDO SIMULADO

Leia mais

3/26/2009 EX E E X R E C R ÍCI C OS S E E PO P ST S U T RA R OS EX ER EX CÍ C CI C OS REAL EA MEN M T EN E MO M DIFI F CAM A M A A PO P STUR U A?

3/26/2009 EX E E X R E C R ÍCI C OS S E E PO P ST S U T RA R OS EX ER EX CÍ C CI C OS REAL EA MEN M T EN E MO M DIFI F CAM A M A A PO P STUR U A? EXERCÍCIOS E POSTURA OS EXERCÍCIOS REALMENTE MODIFICAM A POSTURA? 1 Um vício postural pode ser corrigido voluntariamente com reeducação psicomotora, um desvio postural pode ser corrigido com exercícios

Leia mais

HISTÓRICO MÉTODO THERASUIT HISTÓRICO O MÉTODO THERASUIT PRINCIPAIS OBJETIVOS. Profa. Ms. Daniela Vincci Lopes Ruzzon

HISTÓRICO MÉTODO THERASUIT HISTÓRICO O MÉTODO THERASUIT PRINCIPAIS OBJETIVOS. Profa. Ms. Daniela Vincci Lopes Ruzzon HISTÓRICO MÉTODO THERASUIT Profa. Ms. Daniela Vincci Lopes Ruzzon Veste criada em Michigan/USA, por pesquisadores russos. Função: contrapor os efeitos negativos vividos pelos astronautas (atrofia muscular,

Leia mais

MODIFICAÇÕES NA FLEXIBILIDADE E NA FORÇA MUSCULAR EM PACIENTES COM DOR LOMBAR TRATADOS COM ISOSTRETCHING E RPG

MODIFICAÇÕES NA FLEXIBILIDADE E NA FORÇA MUSCULAR EM PACIENTES COM DOR LOMBAR TRATADOS COM ISOSTRETCHING E RPG 25 a 28 de Outubro de 2011 ISBN 978-85-8084-055-1 MODIFICAÇÕES NA FLEXIBILIDADE E NA FORÇA MUSCULAR EM PACIENTES COM DOR LOMBAR TRATADOS COM ISOSTRETCHING E RPG Fábio Alexandre Moreschi Guastala 1, Mayara

Leia mais

C. Guia de Treino ------------------------------------------------

C. Guia de Treino ------------------------------------------------ C. Guia de Treino ------------------------------------------------ A FORÇA / RESISTÊNCIA ( FUNÇÃO MOVIMENTO OSCILAÇÃO ) A01 Joelhos inclinados Com os pés afastados na plataforma, segure a barra de apoio

Leia mais

UNIVERSIDADE DO VALE DO PARAÍBA FACULDADE DE EDUCAÇÃO FÍSICA E ARTES CURSO DE EDUCAÇÃO FÍSICA

UNIVERSIDADE DO VALE DO PARAÍBA FACULDADE DE EDUCAÇÃO FÍSICA E ARTES CURSO DE EDUCAÇÃO FÍSICA UNIVERSIDADE DO VALE DO PARAÍBA FACULDADE DE EDUCAÇÃO FÍSICA E ARTES CURSO DE EDUCAÇÃO FÍSICA A importância do core training para praticantes de ciclismo indoor Bruno Henrique Oliveira Cíntia Helena Borges

Leia mais

A influência da prática da capoeira na postura dos capoeiristas: aspectos biomecânicos e fisiológicos.

A influência da prática da capoeira na postura dos capoeiristas: aspectos biomecânicos e fisiológicos. A influência da prática da capoeira na postura dos capoeiristas: aspectos biomecânicos e fisiológicos. Autores: Ft Mariana Machado Signoreti Profa. Msc. Evelyn Cristina Parolina A capoeira é uma manifestação

Leia mais

Mais saúde, menos stress

Mais saúde, menos stress iate especial Mais saúde, menos stress conheça Os BenefÍcIOs DA prática esportiva e AprOveIte para escolher A MODALIDADe IDeAL por JOãO rodrigues Um dos maiores diferenciais da Academia do Iate Clube de

Leia mais

Biomecânica. A alavanca inter-resistente ou de 2º grau adequada para a realização de esforço físico, praticamente não existe no corpo humano.

Biomecânica. A alavanca inter-resistente ou de 2º grau adequada para a realização de esforço físico, praticamente não existe no corpo humano. Biomecânica Parte do conhecimento da Ergonomia aplicada ao trabalho origina-se no estudo da máquina humana. Os ossos, os músculos, ligamentos e tendões são os elementos dessa máquina que possibilitam realizar

Leia mais

Pare de maltratar seus joelhos. Fundamentais para qualquer atividade física, eles precisam estar fortes e saudáveis para agüentar você todos os dias

Pare de maltratar seus joelhos. Fundamentais para qualquer atividade física, eles precisam estar fortes e saudáveis para agüentar você todos os dias Pare de maltratar seus joelhos. Fundamentais para qualquer atividade física, eles precisam estar fortes e saudáveis para agüentar você todos os dias Rodrigo Gerhardt Desde que você resolveu deixar de engatinhar

Leia mais

ABDOMINAIS: UMA ABORDAGEM PRÁTICA DO EXERCÍCIO RESISTIDO

ABDOMINAIS: UMA ABORDAGEM PRÁTICA DO EXERCÍCIO RESISTIDO ABDOMINAIS: UMA ABORDAGEM PRÁTICA DO EXERCÍCIO RESISTIDO Éder Cristiano Cambraia 1 Eduardo de Oliveira Melo 2 1 Aluno do Curso de Pós Graduação em Fisiologia do Exercício. edercambraiac@hotmail.com 2 Professor

Leia mais

PISCINAS MUNICIPAIS QUINTA DAS DROGAS (4 A 15 DE JULHO) ATIVIDADE 2ª e 6ª 3ª e 5ª 4ª e 6ª

PISCINAS MUNICIPAIS QUINTA DAS DROGAS (4 A 15 DE JULHO) ATIVIDADE 2ª e 6ª 3ª e 5ª 4ª e 6ª PISCINAS MUNICIPAIS QUINTA DAS DROGAS (4 A 15 DE JULHO) ATIVIDADE 2ª e 6ª 3ª e 5ª 4ª e 6ª AMA 1 7-14 AMA 2 7-14 HIDRO 12h45 CORAÇÃO SAUDÁVEL 12h00 16h30 HIDRO SÉNIOR 11h15 16h30 CORREÇÃO POSTURAL NATAÇÃO

Leia mais

As Atividades físicas suas definições e benefícios.

As Atividades físicas suas definições e benefícios. As Atividades físicas suas definições e benefícios. MUSCULAÇÃO A musculação, também conhecida como Treinamento com Pesos, ou Treinamento com Carga, tornou-se uma das formas mais conhecidas de exercício,

Leia mais

EFEITOS DO TREINAMENTO FUNCIONAL NA MELHORA DAS ATIVIDADES DA VIDA DÍARIA DE IDOSOS. Renan Motta Cruz, Ms. Henrique Touguinha

EFEITOS DO TREINAMENTO FUNCIONAL NA MELHORA DAS ATIVIDADES DA VIDA DÍARIA DE IDOSOS. Renan Motta Cruz, Ms. Henrique Touguinha EFEITOS DO TREINAMENTO FUNCIONAL NA MELHORA DAS ATIVIDADES DA VIDA DÍARIA DE IDOSOS Renan Motta Cruz, Ms. Henrique Touguinha Resumo- O processo de envelhecimento humano causa modificações morfológicas

Leia mais

Os norte-americanos distinguem sit-ups e crunches (ver as figuras abaixo). Nós vamos chamar-lhe apenas abdominais tradicionais.

Os norte-americanos distinguem sit-ups e crunches (ver as figuras abaixo). Nós vamos chamar-lhe apenas abdominais tradicionais. Sit-Up e Crunch (ABDOMINAIS TRADICIONAIS) nunca mais. Por: António Guerra Em grande parte, este artigo apoia-se num artigo de Anthony Renna, que tem um ginásio em Nova Iorque Five Iron Fitness e é um preparador

Leia mais

Global Training. The finest automotive learning

Global Training. The finest automotive learning Global Training. The finest automotive learning Cuidar da saúde com PREFÁCIO O Manual de Ergonomia para o Motorista que você tem em agora em mãos, é parte de um programa da Mercedes-Benz do Brasil para

Leia mais

KINETIC CONTROL: OTIMIZANDO A SAÚDE DO MOVIMENTO

KINETIC CONTROL: OTIMIZANDO A SAÚDE DO MOVIMENTO KC seguindo adiante KINETIC CONTROL: OTIMIZANDO A SAÚDE DO MOVIMENTO Otimizar a saúde do está no coração da Fisioterapia e da Terapia do Movimento. As pesquisas de neurociência nos tem proporcionado um

Leia mais

INFLUENCIA DA FLEXIBILIDADE NO SALTO VERTICAL EM ATLETAS DE VOLEIBOL MASCULINO

INFLUENCIA DA FLEXIBILIDADE NO SALTO VERTICAL EM ATLETAS DE VOLEIBOL MASCULINO ROGER MARCHESE INFLUENCIA DA FLEXIBILIDADE NO SALTO VERTICAL EM ATLETAS DE VOLEIBOL MASCULINO Artigo apresentado como Trabalho de Conclusão de Curso em Especialização em Ciência do Treinamento Desportivo

Leia mais

Protocolo dos Testes de Aptidão Física Funcional da Bateria de Testes de Rikli & Jones (1999)

Protocolo dos Testes de Aptidão Física Funcional da Bateria de Testes de Rikli & Jones (1999) Protocolo dos Testes de Aptidão Física Funcional da Bateria de Testes de Rikli & Jones (1999) 1. Levantar e Sentar na Cadeira Avaliar a força e resistência dos membros inferiores (número de execuções em

Leia mais

PELA SAÚDE DOS VOSSOS OMBROS

PELA SAÚDE DOS VOSSOS OMBROS PELA SAÚDE DOS VOSSOS OMBROS por Hoje em dia as circunstâncias da vida quotidiana forçam-nos a passar muito tempo sentados em posturas que não são as mais adequadas. Neste preciso momento enquanto estão

Leia mais

A UNIDADE INTERNA (INNER UNIT OR INNER CORE) PAUL CHECK

A UNIDADE INTERNA (INNER UNIT OR INNER CORE) PAUL CHECK A UNIDADE INTERNA (INNER UNIT OR INNER CORE) PAUL CHECK Este é o primeiro de dois artigos sobre as unidades que constituem o núcleo central, e versa sobre a Unidade Interna (Inner unit or inner CORE).

Leia mais

Avaliação Integrada. Profº Silvio Pecoraro. Specialist Cooper Fitness Center Dallas Texas/USA Cref. 033196 G/SP

Avaliação Integrada. Profº Silvio Pecoraro. Specialist Cooper Fitness Center Dallas Texas/USA Cref. 033196 G/SP Avaliação Integrada Profº Silvio Pecoraro Specialist Cooper Fitness Center Dallas Texas/USA Cref. 033196 G/SP Definições Chaves Corrente cinética: sistema muscular + sistema articular + sistema neural.

Leia mais

EXERCÍCIOS RESISTIDOS. Parte III

EXERCÍCIOS RESISTIDOS. Parte III EXERCÍCIOS RESISTIDOS Parte III PREPARO E APLICAÇÃO DE EXERCÍCIOS RESISTIDOS Aquecimento com movimentos leves, repetitivos e alongamentos. Aplicar a resistência de forma distal, na região onde o músculo

Leia mais

Plano de Exercícios Para Segunda-Feira

Plano de Exercícios Para Segunda-Feira Plano de Exercícios Para Segunda-Feira ALONGAMENTO DA MUSCULATURA LATERAL DO PESCOÇO - Inclinar a cabeça ao máximo para a esquerda, alongando a mão direita para o solo - Alongar 20 segundos, em seguida

Leia mais

PLIOMETRÍA PRINCÍPIO DE EXECUÇÃO DO TRABALHO EXCÊNTRICO- CONCÊNTRICO

PLIOMETRÍA PRINCÍPIO DE EXECUÇÃO DO TRABALHO EXCÊNTRICO- CONCÊNTRICO PLIOMETRÍA O termo pliometría se utiliza para descrever o método de treinamento que busca reforçar a reação explosiva do indivíduo como resultado de aplicar o que os fisiologistas denominam "ciclo estiramento-encurtamento".

Leia mais

CINCO PRINCÍPIOS BÁSICOS STOTT PILATES

CINCO PRINCÍPIOS BÁSICOS STOTT PILATES CINCO PRINCÍPIOS BÁSICOS STOTT PILATES Utilizando os Princípios do Pilates Contemporâneo para atingir um nível ótimo de condição física. Por Moira Merrithew, STOTT PILATES Executive Director, Education

Leia mais

Força e Resistência Muscular

Força e Resistência Muscular Força e Resistência Muscular Prof. Sergio Gregorio da Silva, PhD Objetivos do Treinamento com Pesos Aumento da massa muscular Força Potência Velocidade Resistência Muscular Localizada Equilibro Coordenação

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO FÍSICA PROJETO PAFE JOGO FORÇA E SAÚDE

UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO FÍSICA PROJETO PAFE JOGO FORÇA E SAÚDE UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO FÍSICA PROJETO PAFE JOGO FORÇA E SAÚDE O Jogo Força e Saúde é um jogo de tabuleiro - educativo - que tem como objetivo ensinar e/ou reforçar o tema

Leia mais

Exercícios específicos para a barriga que enrijecem os músculos da região e ajudam na manutenção de uma boa postura.

Exercícios específicos para a barriga que enrijecem os músculos da região e ajudam na manutenção de uma boa postura. 13/05/2004-05h31 Atividades físicas trazem riscos ocultos para o corpo KATIA DEUTNER Free-lance para a Folha de S.Paulo Você sabe: eles fazem bem ao coração, aos ossos, ao colesterol, à pressão, às articulações,

Leia mais

Confederação Brasileira de Voleibol PREPARAÇÃO FÍSICA Prof. Rommel Milagres SAQUAREMA Dezembro 2013

Confederação Brasileira de Voleibol PREPARAÇÃO FÍSICA Prof. Rommel Milagres SAQUAREMA Dezembro 2013 Confederação Brasileira de Voleibol PREPARAÇÃO FÍSICA Prof. Rommel Milagres SAQUAREMA Dezembro 2013 CURRICULUM VITAE Chefe do Departamento e Preparação Física do Minas Tênis Clube desde 1978 Preparador

Leia mais

Métodos da Taxa de Produção de Força ou Máximos Métodos da Hipertrofia Muscular ou Sub-máximos Métodos Mistos. Métodos Reactivos

Métodos da Taxa de Produção de Força ou Máximos Métodos da Hipertrofia Muscular ou Sub-máximos Métodos Mistos. Métodos Reactivos Classificação dos s de treino da Força Classificação dos s de Treino da Força Diversidade Terminológica Classificações com base na carga, modalidade desportiva, etc. T. Força = hipertrofia muscular Classificação

Leia mais

Eletroestimulação. ELETROESTIMULAÇÃO (Histórico) O que é??? FISIOLOGIA DA CONTRAÇÃO MUSCULAR E CONDUÇÃO NERVOSA

Eletroestimulação. ELETROESTIMULAÇÃO (Histórico) O que é??? FISIOLOGIA DA CONTRAÇÃO MUSCULAR E CONDUÇÃO NERVOSA Eletroestimulação Profa. Andreza Caramori de Moraes Profa. Narion Coelho Prof. Paulo Angelo Martins O que é??? A eletroestimulação é um mecanismo que simula a passagem do impulso nervoso, levando o músculo

Leia mais

FORTALECENDO SABERES EDUCAÇÃO FÍSICA DINÂMICA LOCAL INTERATIVA CONTEÚDO E HABILIDADES DESAFIO DO DIA. Aula 3.1 Conteúdo: Atividade física preventiva.

FORTALECENDO SABERES EDUCAÇÃO FÍSICA DINÂMICA LOCAL INTERATIVA CONTEÚDO E HABILIDADES DESAFIO DO DIA. Aula 3.1 Conteúdo: Atividade física preventiva. CONTEÚDO E HABILIDADES FORTALECENDO SABERES DESAFIO DO DIA Aula 3.1 Conteúdo: Atividade física preventiva. 2 CONTEÚDO E HABILIDADES FORTALECENDO SABERES DESAFIO DO DIA Habilidades: Entender os benefícios

Leia mais

REPETIÇÃO MÁXIMA E PRESCRIÇÃO NA MUSCULAÇÃO

REPETIÇÃO MÁXIMA E PRESCRIÇÃO NA MUSCULAÇÃO Universidade Gama Filho REPETIÇÃO MÁXIMA E PRESCRIÇÃO NA MUSCULAÇÃO Ricardo Franklin de Freitas Mussi Marcos Aurélio Ferreira Dias Salvador Ba 2005 Ricardo Franklin de Freitas Mussi Marcos Aurélio Ferreira

Leia mais

Treinamento de Força

Treinamento de Força Treinamento de Força Sandro de Souza Referencial teórico: FLECK, S.J; KRAEMER, W.J. Fundamentos do Treinamento de Força Muscular, ArtMed, 3 Ed., 2007. As 5 leis básicas do Treinamento de Força Lei nº1

Leia mais

O Dimensionamento do Centro de Produção

O Dimensionamento do Centro de Produção O Dimensionamento do Centro de Produção (posto de trabalho) ANTROPOMETRIA estudo e sistematização das medidas físicas do corpo humano. ANTROPOMETRIA ESTÁTICA - refere-se a medidas gerais de segmentos corporais,

Leia mais

PLANO DE TRABALHO PILATES

PLANO DE TRABALHO PILATES PLANO DE TRABALHO PILATES Telefone: (44) 3220-5750 E-mail: centrosesportivos@maringa.pr.gov.br EQUIPE ORGANIZADORA SECRETARIO MUNICIPAL DE ESPORTES E LAZER Francisco Favoto DIRETOR DE ESPORTES E LAZER

Leia mais

ARTIGO ORIGINAL LOMBALGIA: A RELAÇÃO COM A FLEXIBILIDADE DA REGIÃO POSTERIOR DA COXA E DO GLÚTEO E A FORÇA ABDOMINAL E LOMBAR

ARTIGO ORIGINAL LOMBALGIA: A RELAÇÃO COM A FLEXIBILIDADE DA REGIÃO POSTERIOR DA COXA E DO GLÚTEO E A FORÇA ABDOMINAL E LOMBAR LOMBALGIA: A RELAÇÃO COM A FLEXIBILIDADE DA REGIÃO POSTERIOR DA COXA E DO GLÚTEO E A FORÇA ABDOMINAL E LOMBAR Mariana Cristina de Jesus 1, José Francisco Daniel 2 RESUMO A lombalgia se caracteriza pela

Leia mais

Academia Seja dentro ou fora da Academia, nosso Clube oferece espaços para manter a saúde em dia e o corpo em forma

Academia Seja dentro ou fora da Academia, nosso Clube oferece espaços para manter a saúde em dia e o corpo em forma Projeto Verão O Iate é sua Academia Seja dentro ou fora da Academia, nosso Clube oferece espaços para manter a saúde em dia e o corpo em forma por rachel rosa fotos: felipe barreira Com a chegada do final

Leia mais

Movimentos. Agachar, levantar, empurrar, puxar, girar... iate

Movimentos. Agachar, levantar, empurrar, puxar, girar... iate iate SAÚDE Movimentos em ação Antenada com as tendências, a Academia do Iate traz aos alunos novo conceito de ginástica, o Treinamento Funcional por rachel rosa Agachar, levantar, empurrar, puxar, girar...

Leia mais

Os Benefícios do Taekwon-do na Infância e na Adolescência

Os Benefícios do Taekwon-do na Infância e na Adolescência Liga Desportiva de Taekwon-do do Estado de Minas Gerais - LDTEMG Mestre Ronaldo Avelino Xavier Os Benefícios do Taekwon-do na Infância e na Adolescência Belo Horizonte, 06 de Fevereiro de 2013. Mestre

Leia mais

TÍTULO: AVALIAÇÃO DA CAPACIDADE FUNCIONAL DE PACIENTES PÓS AVE SUBMETIDOS A UM PROTOCOLO DE PILATES SOLO/BOLA

TÍTULO: AVALIAÇÃO DA CAPACIDADE FUNCIONAL DE PACIENTES PÓS AVE SUBMETIDOS A UM PROTOCOLO DE PILATES SOLO/BOLA TÍTULO: AVALIAÇÃO DA CAPACIDADE FUNCIONAL DE PACIENTES PÓS AVE SUBMETIDOS A UM PROTOCOLO DE PILATES SOLO/BOLA CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E SAÚDE SUBÁREA: FISIOTERAPIA INSTITUIÇÃO: CENTRO

Leia mais

CERTIFICAÇÃO EM TREINAMENTO FUNCIONAL (CORE) Educador Silvio Pecoraro

CERTIFICAÇÃO EM TREINAMENTO FUNCIONAL (CORE) Educador Silvio Pecoraro CERTIFICAÇÃO EM TREINAMENTO FUNCIONAL (CORE) Educador Silvio Pecoraro Quais as características do Treinamento Funcional? Desenvolver e melhorar as capacidades físicas através de estímulos que proporcionam

Leia mais

DESCUBRA UM GUIA PARA CONSTRUIR UMA BASE FORTE POR JOHN SMITH

DESCUBRA UM GUIA PARA CONSTRUIR UMA BASE FORTE POR JOHN SMITH DESCUBRA A S U A P A S S A D A UM GUIA PARA CONSTRUIR UMA BASE FORTE POR JOHN SMITH COMO USAR ESTE GUIA ESTE GUIA ENSINARÁ TÉCNICAS PARA VOCÊ APERFEIÇOAR A FORMA COMO VOCÊ CORRE AUMENTANDO EQUILÍBRIO,

Leia mais

MASSA CORPORAL E EQUILÍBRIO CORPORAL DE IDOSOS

MASSA CORPORAL E EQUILÍBRIO CORPORAL DE IDOSOS UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA CENTRO DE EDUCAÇÃO FÍSICA F E DESPORTOS LABORATÓRIO RIO DE BIOMECÂNICA RELAÇÃO ENTRE ÍNDICE DE MASSA CORPORAL E EQUILÍBRIO CORPORAL DE IDOSOS Revista Brasileira de Cineantropometria

Leia mais

Lucimere Bohn lucimerebohn@gmail.com Área de Formação: 813 Desporto. Curso: Musculação e Cardiofitness. Módulo: Bases Morfofisiológicas

Lucimere Bohn lucimerebohn@gmail.com Área de Formação: 813 Desporto. Curso: Musculação e Cardiofitness. Módulo: Bases Morfofisiológicas Musculação: Definições Básicas Lucimere Bohn lucimerebohn@gmail.com Área de Formação: 813 Desporto. Curso: Musculação e Cardiofitness. Módulo: Bases Morfofisiológicas Termos frequentes na descrição de

Leia mais

TESTES FÍSICOS E MOTORES DAS VARIÁVEIS NEUROMUSCULARES

TESTES FÍSICOS E MOTORES DAS VARIÁVEIS NEUROMUSCULARES TESTES FÍSICOS E MOTORES DAS VARIÁVEIS NEUROMUSCULARES As variáveis neuromusculares são aquelas em que a performance física depende dos componentes neurais e musculares. Dessa forma, os resultados expressarão

Leia mais

ANATOMIA HUMANA. Faculdade Anísio Teixeira Prof. João Ronaldo Tavares de Vasconcellos Neto

ANATOMIA HUMANA. Faculdade Anísio Teixeira Prof. João Ronaldo Tavares de Vasconcellos Neto ANATOMIA HUMANA Faculdade Anísio Teixeira Prof. João Ronaldo Tavares de Vasconcellos Neto Os seres mais basais possuem capacidade de reação a estímulos ambientais; Células procariontes, metazoários contraem

Leia mais

FACULDADE DE MEDICINA DO ABC MANTIDA PELA FUNDAÇÃO DO ABC EXAMES REALIZADOS NOS ÁRBITROS DA DO ABC FMABC

FACULDADE DE MEDICINA DO ABC MANTIDA PELA FUNDAÇÃO DO ABC EXAMES REALIZADOS NOS ÁRBITROS DA DO ABC FMABC RELATÓRIO DOS EXAMES REALIZADOS NOS ÁRBITROS DA FEDERAÇÃO PAULISTA DE FUTEBOL PELA FACULDADE DE MEDICINA DO ABC FMABC O Núcleo de Saúde no Esporte da Faculdade de Medicina do ABC FMABC, utilizando as suas

Leia mais

Grau de hipertrofia muscular em resposta a três métodos de treinamento de força muscular

Grau de hipertrofia muscular em resposta a três métodos de treinamento de força muscular Object 1 Grau de hipertrofia muscular em resposta a três métodos de treinamento de força muscular Curso de Educação Física. Centro Universitário Toledo de Araçatuba - UNITOLEDO. (Brasil) Prof. Mário Henrique

Leia mais

PADRONIZAÇÃO DE EXERCÍCIOS

PADRONIZAÇÃO DE EXERCÍCIOS LOMBAR EXTENSÃO DE TRONCO- Em decúbito ventral apoiado no banco romano ou no solo, pernas estendidas, mãos atrás da cabeça ou com os braços entrelaçados na frente do peito. Realizar uma flexão de tronco

Leia mais

Principais funções dos músculos: Tipos de tecido muscular:

Principais funções dos músculos: Tipos de tecido muscular: Corpo Humano Tipos de Tecidos Tipos de tecido muscular: Esquelético Liso Cardíaco Principais funções dos músculos: 1.Movimento corporal 2.Manutenção da postura 3.Respiração 4.Produção de calor corporal

Leia mais

Senior Fitness Test SFT

Senior Fitness Test SFT 1. Levantar e sentar na caira Senior Fitness Test SFT Objetivo: avaliar a força e resistência dos membros inferiores. Instrumentos: cronômetro, caira com encosto e sem braços, com altura assento aproximadamente

Leia mais

INTRODUÇÃO. Bem-vindo ao programa Base Atlética!

INTRODUÇÃO. Bem-vindo ao programa Base Atlética! INTRODUÇÃO Bem-vindo ao programa Base Atlética! Nossa missão é promover o bem-estar, através de atividade física que gere saúde e te proporcione curtir os bons momentos da vida na sua integridade. Afinal,

Leia mais

Abdução do quadril Posição inicial Ação Extensão do quadril em rotação neutra Posição inicial Ação

Abdução do quadril Posição inicial Ação Extensão do quadril em rotação neutra Posição inicial Ação 12) Abdução do quadril - músculos comprometidos da articulação do quadril: glúteo médio, glúteo mínimo, tensor da fascia lata e os seis rotadores externos; da articulação do joelho: quadríceps (contração

Leia mais

ANÁLISE FUNCIONAL DA MUSCULATURA HUMANA (Tronco) Aula 9 CINESIOLOGIA. Raul Oliveira 2º ano 2007-2008. músculos monoarticulares

ANÁLISE FUNCIONAL DA MUSCULATURA HUMANA (Tronco) Aula 9 CINESIOLOGIA. Raul Oliveira 2º ano 2007-2008. músculos monoarticulares ANÁLISE FUNCIONAL DA MUSCULATURA HUMANA (Tronco) Aula 9 CINESIOLOGIA Raul Oliveira 2º ano 2007-2008 músculos monoarticulares músculos multiarticulares Músculos bi-articulares 1 LINHA DE TRACÇÃO DO MÚSCULO

Leia mais

Variáveis Manipuláveis do Treino de Força

Variáveis Manipuláveis do Treino de Força Variáveis Manipuláveis do Treino de Força Lucimere Bohn lucimerebohn@gmail.com Área de Formação: 813 Desporto. Curso: Musculação e Cardiofitness. Módulo: Bases Morfofisiológicas VARIÁVEIS MANIPULÁVEIS

Leia mais

Saúde: Possivelmente, se perguntarmos a todos os nossos amigos e familiares quais são seus desejos para uma vida satisfatória...

Saúde: Possivelmente, se perguntarmos a todos os nossos amigos e familiares quais são seus desejos para uma vida satisfatória... Atualmente, verificamos em programas de TV, nas revistas e jornais e em sites diversos na internet, uma grande quantidade de informações para que as pessoas cuidem da sua saúde. Uma das recomendações mais

Leia mais

Palavras-chave: potência muscular, Judô, teste de Sterkowicz.

Palavras-chave: potência muscular, Judô, teste de Sterkowicz. ARTIGO ORIGINAL MENSURAÇÃO DA POTÊNCIA MUSCULAR EM JUDOCAS JUVENIS ATRAVÉS DO TESTE DE STERKOWICZ André Maia dos Santos André Ricardo N. Nascimento Carolina Groszewicz Brito Kelly Cristina Serafim Pós

Leia mais

Plano de Exercícios Clinic ABL Antes e Depois do Treino com Bola

Plano de Exercícios Clinic ABL Antes e Depois do Treino com Bola Plano de Exercícios Clinic ABL Antes e Depois do Treino com Bola Introdução São vários os estudos de investigação que atualmente avaliam as necessidades dos atletas e os diferentes pontos de vista a respeito

Leia mais

INFLUÊNCIA DA PULSEIRA POWER BALANCE NO EQUILÍBRIO ESTÁTICO E DINÂMICO DE INDIVÍDUOS SADIOS.

INFLUÊNCIA DA PULSEIRA POWER BALANCE NO EQUILÍBRIO ESTÁTICO E DINÂMICO DE INDIVÍDUOS SADIOS. INFLUÊNCIA DA PULSEIRA POWER BALANCE NO EQUILÍBRIO ESTÁTICO E DINÂMICO DE INDIVÍDUOS SADIOS. ELISANGELA M ISENSEE, VANESSA ANTHEWITZ, ANDRIZE R COSTA, RAFAEL KREMER Faculdade Metropolitana de Blumenau

Leia mais

BENEFÍCIOS DO MÉTODO PILATES NA REABILITAÇÃO

BENEFÍCIOS DO MÉTODO PILATES NA REABILITAÇÃO BENEFÍCIOS DO MÉTODO PILATES NA REABILITAÇÃO O método pilates é um trabalho que se baseia em exercícios de força e mobilidade utilizando para tal técnicas e exercícios específicos. Este método permite

Leia mais

O que é Redcord? EXERCÍCIOS DE MELHORIA DA FORÇA FUNCIONAL

O que é Redcord? EXERCÍCIOS DE MELHORIA DA FORÇA FUNCIONAL Redcord Active Intro e Avançado I Programa Educacional Aveiro, 5 e 6 de Setembro de 2015 O que é Redcord? De origem norueguesa, Redcord chega a Portugal para oferecer soluções de equipamento e formação

Leia mais

Seqüência completa de automassagem

Seqüência completa de automassagem Seqüência completa de automassagem Os exercícios descritos a seguir foram inspirados no livro Curso de Massagem Oriental, de Armando S. B. Austregésilo e podem ser feitos em casa, de manhã ou à tardinha.

Leia mais

F.A.Q. www.physiopilates.com

F.A.Q. www.physiopilates.com F.A.Q www.physiopilates.com F.A.Q www.physiopilates.com Tudo o que se faz na Flymoon pode ser feito na meia lua? Não. A diferença básica está na forma de uso: a meia lua foi feita para o uso na posição

Leia mais

04/11/2012. rígida: usar durante a noite (para dormir) e no início da marcha digitígrada, para manter a ADM do tornozelo.

04/11/2012. rígida: usar durante a noite (para dormir) e no início da marcha digitígrada, para manter a ADM do tornozelo. 04/11/2012 Prolongar o tempo de deambulação independente. Manter a postura correta. Garantir o bom funcionamento das funções cardiorrespiratória e digestiva. Manter a amplitude do movimento. Garantir o

Leia mais

EXERCÍCIOS RESISTIDOS. Parte I

EXERCÍCIOS RESISTIDOS. Parte I EXERCÍCIOS RESISTIDOS Parte I DESEMPENHO MUSCULAR Capacidade do músculo realizar trabalho. Elementos fundamentais: Força Potência muscular Resistência à fadiga FATORES QUE AFETAM O DESEMPENHO MUSCULAR

Leia mais

Confederação Brasileira de Tiro Esportivo Originária da Confederação do Tiro Brasileiro decreto 1503 de 5 de setembro de 1906

Confederação Brasileira de Tiro Esportivo Originária da Confederação do Tiro Brasileiro decreto 1503 de 5 de setembro de 1906 Exercícios com Elástico Os Exercícios com elástico irão trabalhar Resistência Muscular Localizada (RML). Em cada exercício, procure fazer a execução de maneira lenta e com a postura correta. Evitar o SOLAVANCO

Leia mais

O IMPACTO DO PROGRAMA DE GINÁSTICA LABORAL NO AUMENTO DA FLEXIBILIDADE

O IMPACTO DO PROGRAMA DE GINÁSTICA LABORAL NO AUMENTO DA FLEXIBILIDADE O IMPACTO DO PROGRAMA DE GINÁSTICA LABORAL NO AUMENTO DA FLEXIBILIDADE UM ESTUDO QUANTO À APLICABILLIDADE DO PROGRAMA PARA COLETORES DE LIXO DO MUNICÍPIO DE NITERÓI ALESSANDRA ABREU LOUBACK, RAFAEL GRIFFO

Leia mais

DOR NAS COSTAS EXERCÍCIOS ESPECIALIZADOS PARA O TRATAMENTO DA DOR NAS COSTAS. www.doresnascostas.com.br. Página 1 / 10

DOR NAS COSTAS EXERCÍCIOS ESPECIALIZADOS PARA O TRATAMENTO DA DOR NAS COSTAS. www.doresnascostas.com.br. Página 1 / 10 DOR NAS COSTAS EXERCÍCIOS ESPECIALIZADOS PARA O TRATAMENTO DA DOR NAS COSTAS www.doresnascostas.com.br Página 1 / 10 CONHEÇA OS PRINCÍPIOS DO COLETE MUSCULAR ABDOMINAL Nos últimos anos os especialistas

Leia mais

MUSCULAÇÃO PRINCÍPIOS BÁSICOS

MUSCULAÇÃO PRINCÍPIOS BÁSICOS 1 MUSCULAÇÃO PRINCÍPIOS BÁSICOS Prof. Dr. Valdir J. Barbanti Escola de Educação Física e Esporte de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo A musculação refere-se à forma de exercícios que envolvem

Leia mais

EFEITOS DE DIFERENTES INTERVALOS RECUPERATIVOS NO NÚMERO DE REPETIÇÕES NO EXERCICIO SUPINO RETO LIVRE Marcelo dos Santos Bitencourt

EFEITOS DE DIFERENTES INTERVALOS RECUPERATIVOS NO NÚMERO DE REPETIÇÕES NO EXERCICIO SUPINO RETO LIVRE Marcelo dos Santos Bitencourt EFEITOS DE DIFERENTES INTERVALOS RECUPERATIVOS NO NÚMERO DE REPETIÇÕES NO EXERCICIO SUPINO RETO LIVRE Marcelo dos Santos Bitencourt Resumo O objetivo deste estudo foi analisar a realização de dois treinamentos

Leia mais

Clínica Deckers. Fisioterapia Exercícios Terapêuticos para a Coluna Lombar O QUE É

Clínica Deckers. Fisioterapia Exercícios Terapêuticos para a Coluna Lombar O QUE É Fisioterapia Exercícios Terapêuticos para a Coluna Lombar O QUE É Estes são alguns dos exercícios recomendados com maior freqüência para a terapia da coluna lombar, Eles foram compilados para dar a você,

Leia mais

Centro de Fitness. Conforme EN1176 e EN957

Centro de Fitness. Conforme EN1176 e EN957 Centro de Fitness Conforme EN1176 e EN957 2 Centro de Fitness Indice MATERIAIS E TECNOLOGIA Pág. 3 MODELOS STANDARD Modelo Twister - 01 Pág. 4 Modelo Bicicleta - 02 Pág. 5 Modelo Stepper - 03 Pág. 6 Modelo

Leia mais

Cuidados Posturais. Prof Paulo Fernando Mesquita Junior

Cuidados Posturais. Prof Paulo Fernando Mesquita Junior Cuidados Posturais Prof Paulo Fernando Mesquita Junior Vídeo: Cuidados_posturais_Dr.MiguelMastropaulo A postura correta Considera-se uma boa postura aquela condição em que o alinhamento corporal proporciona

Leia mais

PORQUÊ EU TENHO DORES NAS COSTAS?

PORQUÊ EU TENHO DORES NAS COSTAS? Dores nas Costas PORQUÊ EU TENHO DORES NAS COSTAS? O QUE CAUSA DORS NAS COSTAS? Várias podem ser as causas de suas dores nas costas: - Posturas inadequadas - Esforço exagerado - Permanecer por muito tempo

Leia mais

Cultura Física Autor: Ricardo Wesley Alberca Custódio 1 1

Cultura Física Autor: Ricardo Wesley Alberca Custódio 1 1 1 Atividades Recreativas Cultura Física Autor: Ricardo Wesley Alberca Custódio 1 1 Educador Físico, Pós graduação: Fisiologia do exercício(unifesp) MBA em Gestão e Estratégia Empresarial, Membro de 2 grupos

Leia mais

1) PANTURRILHAS. b) Músculos envolvidos Gastrocnêmios medial e lateral, sóleo, tibial posterior, fibular longo e curto, plantar (débil),

1) PANTURRILHAS. b) Músculos envolvidos Gastrocnêmios medial e lateral, sóleo, tibial posterior, fibular longo e curto, plantar (débil), 1 1) PANTURRILHAS 1.1 GERAL De pé, tronco ereto, abdômen contraído, de frente para o espaldar, a uma distância de um passo. Pés na largura dos quadris, levar uma das pernas à frente inclinando o tronco

Leia mais

ABORDAGEM DAS DISFUNÇÕES POSTURAIS. André Barezani Fisioterapeuta esportivo/ Ortopédico e Acupunturista Belo Horizonte 15 julho 2012

ABORDAGEM DAS DISFUNÇÕES POSTURAIS. André Barezani Fisioterapeuta esportivo/ Ortopédico e Acupunturista Belo Horizonte 15 julho 2012 AVALIAÇÃO POSTURAL ABORDAGEM DAS DISFUNÇÕES POSTURAIS André Barezani Fisioterapeuta esportivo/ Ortopédico e Acupunturista Belo Horizonte 15 julho 2012 POSTURA CONCEITOS: Postura é uma composição de todas

Leia mais

1. CONSIDERAÇÕES SOBRE A MARCHA EM CASOS DE FRATURAS DO MEMBRO INFERIOR.

1. CONSIDERAÇÕES SOBRE A MARCHA EM CASOS DE FRATURAS DO MEMBRO INFERIOR. 1. CONSIDERAÇÕES SOBRE A MARCHA EM CASOS DE FRATURAS DO MEMBRO INFERIOR. Quando ocorre uma fratura envolvendo o membro inferior, a reeducação do padrão de marcha normal até o nível da função anterior à

Leia mais