1992: Aquisição pela Ligna 1997: Expansão Uberaba 1998: Aquisição de floresta ha

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "1992: Aquisição pela Ligna 1997: Expansão Uberaba 1998: Aquisição de floresta 51.000ha"

Transcrição

1 !"!"#$ # 1

2 % &'() 1970: Início das atividades em Taquari (RS) 1975: Início das atividades em Uberaba (MG) 1992: Aquisição pela Ligna 1997: Expansão Uberaba 1998: Aquisição de floresta ha 2004: Expansão Uberaba 2007: IPO Novo Mercado 2008: Nova planta de MDF Uberaba Aquisição de 8671 ha de em SP Anos 50 Anos 60 Anos 70 Anos 80 Anos : Nasce a Duratex, já como empresa de capital aberto. 1954: - Início da fabricação de chapas 1961: Duplicação da capacidade de produção de chapas de fibra 1972: Incorporação da Deca. 1981: Aquisição da Louçasul, em São Leopoldo (RS) 1984: Aquisição da unidade de Itapetininga (SP) 1988: Aquisição da unidades em Agudos (SP) 1995: Aquisição da empresa Argentina Piazza Hermanos, que passou a ser denominada De ca Piazza. 1997: primeira Fábrica de MDF (Medium Density Fiberboard) no Brasil, em Agudos (SP). 2001: Projeto Genoma do eucalipto 2002: Nova fábrica de MDF/HDF/SDF (Botucatu) 2005: Nível 1 do Índice de Governança Corporativa da Bovespa 2008: Aquisições Ideal Standard em Jundiaí (SP) e Queimados (RJ) e Cerâmica Monte Carlo em (PE) Associação com a Satipel: Criação da maior empresa de painéis do Hemisfério Sul. Novo Mercado Assinatura da proposta Vinculativa para aquisição Elizabeth Inicio das operações da planta de resina Inicio do programa do Invetimento. DECA ( metais & louças) Acquisition of Aquisição Elizabeth Elizabeth FATO RELEVANTE 2 novas plantas MDF 1,2 M m³ capacidade R$ 1,2 bi Bonificação 20% STOCK DIVIDEND em ações 20% 2

3 ( ( ' * + -!6# 7#8$ 9:59$; # ##<# #!= $# 4#,0-.,.- # >!6##= 0D/1?..?8;!" 12,2-3 55>0,?- $# *#,- 5 ".,/-,- *#4 2E0E9 #F#!"- $A #!6= DD1D11 =1- >C# #!"=2, 1 3

4 ' G( G( +H*I9% # J/,#>C6 $ %,/#>C"% &'$ %#( ) &$ *"!+ %,&,%% K * ' ' 5 &,%% -. %,#>C" 1 E L1D- # $.$ $ &/0! $ J,#>C" 95+H +M 8-; &# 1,# 2 $% J?,2 #>C6, J,DD 9#(,,&#34 %. 4 %" &,% # 5 67% 8 6$-,% 9"(!5:'4 4

5 ; 1&4 %, % "55<,&4 % & )#76 $4 % $,%$ $ &$=.>$ =? %%,&%$, 1 6$-7, 4 %, $ $% -.2. & $ & 4 %, & % 4 % 6,6,&4 % & 4 %, 4 % 6,6 A & $ &? >4 %, 5

6 ; C;A ''N MDF +26,4% , CAGR:16,0 % T10 1T11 MDP CAGR:6,5 % ,7% T10 1T11. $$ 'B 6

7 ; C;A O #9 7

8 D1? E ' G( 5 *'' Receita Líquida (R$ milhões) & Margem Bruta (%) EBITDA recorrente (R$ milhões) & Margem (%) Antes ajustes IFRS 40,0% 40,4% 32,1% 31,8% 34,0% 37,9% 39,0% 32,4% 34,2% F("+ F(<+ F<(5+ 5(5+ 5(+ 28,7% "(+ F"(+ F(+ F(5+ F"(+ 659,9!! 606,6 712,3 703,3 719,6 189,5 194,7 226,2 239,4 233,0 1T11 1T10 2T10 3T10 4T10 1T11 1T10 2T10 3T10** 4T10** Após ajustes IFRS 37,1% 38,7% 39,7% 39,7% 33,7% FF(+ F(+ F(+ F<(+ F<(+ 712,3 703,3 719,6 659,9 606,6 "(+ 31,0% F(5+ 30,6% F5(:+ 32,1% F"(+ 30,4% F5(+ 27,7% 182,5 188,2 218,0 225,8 218,6 1T11 1T10 2T10 3T10 4T10 1T11 1T10 2T10 3T10** 4T10** - (. / $%&'+#2!" #$%&'()*+,,$%&'()#*+,,, + 8

9 Antes ajustes IFRS D1? E ' G( 5 *'' Lucro Líquido recorrente (R$ milhões) PL (R$ milhões) & ROE recorrente (%) " 77,9 80,7 111,8 114,4 107,3 (+ F(+ 18,5% (!+ 18,3% (F+ :(:+ 16,6% 11,7% 13,7% 2.692, , , , ,5 1T11 1T10 2T10 3T10* 4T10* 1T11 1T10 2T10 3T10 4T10 76,9 68,6 102,7 148,5 119,6 Após ajustes IFRS (+ (:+ "(:+ (+ (5+ 12,6% 17,7% 14,0% 8,8% #! 8,6% 3.520, , , , ,5 1T11 1T10 2T10 3T10* 4T10* 1T11 1T10 2T10 3T10 4T10 (34 %&'()#+5* #$ %&'()#+266,$ 9

10 D1? E < ' *OG( ' ' K' ' K H $%&'(()*+, Mercado Interno 95,7% -+./0 + Componentes 1% Chapa de Fibra 8% MDF/HDF/SDF/ Piso Laminado 32% R$659,9M Mercado Externo 4,3%, Louças Sanitárias 18% Metais Sanitários 20% MDP 21% Indústria Moveleira 55% Construtoras 23% Atacadista 7% Outros 10% Construção Civil 11% Revenda 68% Outros 2% Revenda 24% 10

11 D C1? 1 'K ''''( 'K H 1-2$34256 P $( %( -#(.2#.# %%,> >( %$ *(+,6 &(. $2( 6%G,/ " 555,#$. $7898:$;8 11

12 D1? E ' G( 'K H' -+./0 -<=>? ( 7;4$8+-<=>? ( 44,4% 47,9% 43,9% 35,4% 40,9% 42,3% 32,1% 32,4% 5(<+ (+ "(F+ (<+ F(<+ 30,6% F5(:+ F"(+ F"(+ F!(+ "(+ 28,1% 246,2 241,6 230,7 245,6 193,6 75,3 62,2 78,2 81,6 68,9 1T11 1T10 2T10 3T10 4T10 1T11 1T10 2T10 3T10 4T10* 43,5% 47,3% 40,3% 41,9% 41,7% 5(F+ F(!+ (<+ (F+ (+ "<(+ F5(:+ 30,6% "<(:+ 29,6% FF(5+ 33,0% "!(+ 29,4% 25,8% 246,2 241,6 230,7 245,6 193,6 # 72,3 59,3 71,6 76,3 63,3 1T11 1T10 2T10 3T10 4T10,$!" %&'()#7 $ T11 1T10 2T10 3T10 4T10* 12

13 2 0 % 6 % D1? E ' G( 'K H' + ; C 2+ &'4 7D&>& +20,4% Metais Sanitários 94% mil peças/ano Louças Sanitárias 80% mil peças/ano 1T11 1T10 2T10 3T10 4T10 13

14 D C1? 1 'K ''''( DIVISÃO 1-2$3 4256?DC'EDC'1DC/.( %&=( & >$( & #$% 6$)%( %$ &#,?D#3% 6,$ $ -6,4 % /. E D CB/.( >. 6#> $%#( %$?1 1 A? D DHCA : 555 #$. "18$-E757.;9F85$71-2$

15 D1? E ' G( 'K H ' -+./0G-<=>? ( 7;4$8-<=>? (7% F5("+ F(+ 34,8% 37,3% F(F+ 36,2% F:("+ 38,5% F(!+ 30,2% +0,2% 413,7 413,0 470,7 472,6 474,1 "(:+ F"(+ F(+ FF(+ F(:+ 32,1% 31,4% 27,6% 33,4% 34,6% -13,8% 114,2 132,5 148,0 157,8 164,0 1T11 1T10 2T10 3T10 4T10 1T11 1T10 2T10 3T10** 4T10** 34,2% 37,0% 36,1% 38,7% "<(<+ F("+ F(5+ F:(+ F(+ 29,9% +0,2% 413,7 413,0 470,7 472,6 474,1 ":(:+ F("+ F(+ F(:+ F"(+ 26,6% 31,2% 31,1% 31,6% 32,7% -14,5% 110,2 128,9 146,4 149,6 155,2 1T11 1T10 2T10 3T10 4T10 1T11 1T10 2T10 3T10** 4T10** (. :34; 0- ;3 -+!" # $%&'()*+,,$%&'()#+, + 15

16 4 0% 3 7 % 1 0% D1? E ' G( 'K H ' + $ /,C 2 + &'4 7D&> Chapa de Fibra * 90% MDP* 63% 519,3 562,6 590,3 590,1 569,2 MDF * 60% 9< ; 1T11 1T10 2T10 3T10 4T10 ''( *8QR; * 5K? DC 55!F5? D <55 :"5 I& % C6 "5 <! > D 16

17 ; J? '' S '' S Taxa Comparativa de Desemprego (%) Desempenho do PIB em 2010 (%) Rússia China Japão 4,0 4,2 4,9 China India 8,6% 10,3% Brasil 6,5 Brasil 7,5% Alemanha Chile Argentina Zona do Euro Estados Unidos India Portugal Grécia 6,7 7,1 7,5 10,1 10,3 10,7 10,9 12,4 MÉDIA MUNDIAL Japão Rússia Alemanha EUA Uniâo Européia Portugal 5,0% 3,9% 3,8% 3,6% 2,9% 1,7% 1,4% Espanha 20,6-0,1% Espanha Fonte: IBGE p/ Brasil (março/2011) Bloomberg p/ demais países (2010) -4,5% Grécia Fonte: IBGE Taxa de desemprego no Brasil (%) Massa Salarial (R$ milhões) Salário mínimo (em R$) 8,6 8,4 7,4 6,8 6,8 5,3 6,1 6,4 6, CAGR: + 5,27% CAGR: + 10,46% dez /05 dez/06 dez/07 dez/08 dez/09 dez/10 jan/11 fev/11 mar/11 Fonte: IBGE UDM Fonte: IBGE Fonte: BACEN 17

18 ; J? '' S Disponibilidade de Crédito no Mercado Relação Crédito Total x PIB (Brasil) Governo, Indústria, Habitação, Rural, Comércio, Pessoas Físicas (R$ bi) 936, , , , , , ,5 28,1% 30,8% 33,4% 40,8% 45,0% 46,6% 46,2% 46,4% 46,4% dez 07 dez 08 dez 09 dez/10 jan/11 fev/11 mar/ jan/11 fev/11 mar/11 Fonte: BACEN 13,25 11,25 Taxa de Juros (% aa) 13,75 10,75 11,25 11,75 8,75 12,00 111,6 Índice de Confiança do Consumidor (Brasil) 116,5 115,7 121,8 120,1 120,8 121,7 118,7 125,4 122,5 122,6 121,6 120, jan/11 mar/11 abr/11 mar/10 abr/10 mai/10 jun/10 jul/10 ago/10 set/10 out/10 nov/10 dez/10 jan/11 fev/11 mar/11 Fonte: FGV 18

19 ; J? '' S )+ 51D5 ) /+ 79,2% 71,4% 79,4% 68,7% 66,2% 61,1% 52,0% 56,5% 57,7% 49,1% 51,0% 49,0% 545,0 510,0 465,0 415,0 380,0 350,0 300,0 260,0 265,2 267,1 240,0 239,5 214,6 228,2 200,0 180,0 151,0 158,7 164,8 172,2 183,4 182,1 119,5 128, mar/11 Salário Minimo (R$) Cesta Básica em SP (R$) % C$ B D 1 19

20 Medidas de Incentivo à Construção Governo Federal ; C;A '' S Aumento do limite de financiamento, através do FGTS, de R$350 mil para R$500 mil Desoneração tributária para materiais de construção (redução do IPI) prorrogada até dezembro/2011 Aumento dos prazos de financiamento Realização da Copa do Mundo (2014) e Jogos Olímpicos (2016) Média Mensal de Unidades Financiadas (FGTS+SPBE) em unidades CAGR: 16,0% ,3% Média Mensal de Financiamentos (FGTS+SBPE) em R$ milhões CAGR: 45,0% ,3%

21 ; C;A '' S Crescimento da construção civil- Receita Líquida de Construtoras em R$ milhões L,1- +45,2% CAGR :+25,14% CAGR: + 66,13% P 2012P Lançamentos de Construtoras - VGV próprio (R$ milhões) ,04% ,1% a 2010: soma das DFs das respectivas empresas P 2012 P Seleção de construtoras: BRMalls, Brookfield, CCDI, Cyrela, Gafisa, MRV, PDG, Rossi e Tecnisa *2011 e 2012 Previsão do Banco Fator 21

22 K 'K H ' +, HI EFETIVA NOMINAL ;,-<=>, 8- Florestal 83 Planta São Paulo Planta Local a ser definido Planta 2 A definir 635 J,# Planta 1 São Paulo C-8 8$7$ % () =7(<' ; (

23 $# J0#>C6 A 1$2 * &'$ )4 #36I(B C.' * &'$. -$ 6 % 1$ >$I( 6' * < &'$.4 0&$4 $%% % M % (N "5"? *"(? &'$ "5'"5" $ 63% % -$4? 2)$ % $> $ % -O K ' K H' D1L D Metais Sanitários Jundiaí - SP Metais Sanitários Jundiaí - SP Louças Sanitárias- PE 23

24 K 817J-<=> 891 -<# % 222,1 #3% $ E # ## $# 9 #I $,#4 $*# C ' 5 D ' 0 A##!" 0/ "A# 1 5># 4 1 /./ 24

25 1H H C *K< R$ mar/11 dez/10 Var. % mar/10 Var. % Endividamento Curto Prazo ,0% ,3% Endividamento Longo Prazo ,5% ,0% Endividamento Total ,5% ,0% Endividameto Líquido ,7% ,4% Patrimonio Líquido ,0% ,8% Dívida Líquida/ EBITDA * 1,40 1,15 21,7% 1,71-18,1% Dívida Líquida/ PL 33,5% 28,3% 18,4% 31,4% 6,9% ROE 8,8% 14,0% -37,1% 8,6% 2,3% *EBITDA dos últimos 12 meses 7, 1.681,8 &-<=> ( 8K &' &-<=> Dív. CP 513,7 501,7 501,7 600,1 Dív. LP 1.168, , ,1 332,6 189,2 214,3 345,6 Dív. Total Caixa Dív. Líquida e após 25

26 '5 K 26

27 DC 1? G( *' ' ' Metais Sanitários Jundiaí - SP 1 K Louças Sanitárias Jundiaí - SP Exploração Florestal 27

28 D C1? 1 <% ' * 2,/#>C6&'$ % >!D # " 1( 1( B N.#>C6&'$ % # #7# # 1 1,2#>C6R #D> =F 1( 1? K*( +H' ' ' * ??D D / / / CAGR:13,30 % +35,8% CAGR:10,44 % /? / MDP MDF Chapa de Fibrra Metais Louças Sanitárias 28 28

29 D C1? 1 'K 5+H +H<< P5 " # 5* '5 ' % ' 59 *(+ LOUÇAS METAIS 29

30 D C1? 1 K*I+H 8REC ; :5!5 5 F5 "5 5 5 A $>!"#$#$5>># U ">U "5 $ :5 F5 $ 5 5! "555 "55! "55: "55 "55 "55< "55!!" "=+ +L=+ * L=>), D?7$> # 5>#F#85 0;?. 9##T # F>F7# #$# A)%+ - ; ( &'6M *+N+ 5'1 L" LG A!G - 3 A 30

31 D C1? 1 'K ''''( 31

32 D C1? 1 5 * %' D 1EP? 32

33 +H' K* DURATEX e IBOVESPA base 100 ( ) # =% %2 $>,% ' J., 1, VALOR DE MERCADO: R$ 7,9 Bi D,, D, L2,?- L11,D-, D, Evolução Comparativa 19/06/ /03/2011 Var % Duratex 7,51 17,25 129,6% Ibovespa ,5%, B U2 B>U2 U2 U2 VU2 B U U U #U B>U 4U U $U VU F$U U 33

34 1R K< K N< 5# #A#># 5$7$> *#! #< #> ##$ *>#V!"> > K#>#V!" #!"K> # E " < C W C #># #!"$># 7$>Q 34

35 ' * As informações aqui contidas foram preparadas pela Duratex S.A. e não constitui material de oferta para a subscrição ou compra de valores mobiliários da Companhia. Este material contém informações gerais sobre a empresa e mercados em que se encontra inserida. Nenhuma representação ou garantia, de forma expressa ou inclusa, é feita acerca, e nenhuma confiança deve ser depositada, na exatidão, justificação ou totalidade das informações apresentadas. A Duratex não pode dar qualquer certeza quanto a realização das expectativas apresentadas. Maio de

36 36

1 AÚSA 2009 APIMEC IT

1 AÚSA 2009 APIMEC IT APIMEC ITAÚSA 2009 1 APIMEC ITAÚSA 2009 2 05 APIMEC ITAÚSA 2009 3 APIMEC ITAÚSA 2009 4 07 08 APIMEC ITAÚSA 2009 5 09 10 APIMEC ITAÚSA 2009 6 11 12 APIMEC ITAÚSA 2009 7 13 14 APIMEC ITAÚSA 2009 8 16 APIMEC

Leia mais

Apresentação Corporativa

Apresentação Corporativa Apresentação Corporativa 2º trimestre de 2014 Destaques do período Desempenho no período prejudicado pela conjuntura desfavorável: Ambiente de baixa expansão da atividade econômica Inflação medida pelo

Leia mais

Madeira Chapa de Fibra;

Madeira Chapa de Fibra; 1 Índice >> Áreas de Atuação >> Localização Geográfica >> Plano de Aplicação de Recursos (PAR) >> Cenário >> Destaques Financeiros >> Mercado de Capitais >> Disclaimer 2 Áreas de Atuação Divisão Deca Metais

Leia mais

Plínio do Amaral Pinheiro Diretor de Relações com Investidores

Plínio do Amaral Pinheiro Diretor de Relações com Investidores Plínio do Amaral Pinheiro Diretor de Relações com Investidores Áreas de Atuação DIVISÃO DECA Metais Sanitários Louças Sanitárias Acessórios DIVISÃO MADEIRA Chapa de Fibra MDP MDF/HDF/SDF Piso Laminado

Leia mais

Apresentação Corporativa

Apresentação Corporativa Apresentação Corporativa Retrospectiva Duratex 1970: Início das atividades em Taquari (RS) 1975: Início das atividades em Uberaba (MG) 1992: Aquisição pela Ligna 1997: Expansão Uberaba 1998: Aquisição

Leia mais

Aquisição de 8.671 hectares de terras com florestas plantadas. Conselho de Administração aprova investimento adicional de

Aquisição de 8.671 hectares de terras com florestas plantadas. Conselho de Administração aprova investimento adicional de APRESENTAÇÃO CORPORATIVA Agosto de 2010 11 Destaques Aquisição de 8.671 hectares de terras com florestas plantadas Xno Estado de São Paulo Conselho de Administração aprova investimento adicional de XR$

Leia mais

APIMEC 2012. APIMEC 2012 Flávio Donatelli Diretor de Relações com Investidores

APIMEC 2012. APIMEC 2012 Flávio Donatelli Diretor de Relações com Investidores APIMEC 2012 Flávio Donatelli Diretor de Relações com Investidores DURATEX S.A. Principais Acionistas em 31.Ago.2012 Governança Corporativa 0,2% 100% de ações ordinárias. 1 ação, 1 voto 12,1% Itaúsa e Famílias

Leia mais

www.duratex.com.br 19.Fev.2008

www.duratex.com.br 19.Fev.2008 www.duratex.com.br 19.Fev.2008 1 > ÁREAS DE ATUAÇÃO DIVISÃO DECA Metais Sanitários Louças Sanitárias Acessórios Liderança no segmento de Metais e posição destacada no segmento de louças. Possui a mais

Leia mais

Setor de Incorporadoras no Brasil. Junho, 2012

Setor de Incorporadoras no Brasil. Junho, 2012 Setor de Incorporadoras no Brasil Junho, 2012 Agenda Mercado Imobiliário Brasileiro - 2011 Desempenho das Incorporadoras Listadas Fundamentos do Setor 2 Mercado Imobiliário Brasileiro - 2011 VGV Lançado

Leia mais

Painéis de Madeira Situação Atual e Perspectivas

Painéis de Madeira Situação Atual e Perspectivas Painéis de Madeira Situação Atual e Perspectivas Vaider Dal Forno Foletto Gerente Florestal Unidade RS 14 de Maio de 2015 GOVERNANÇA Empresa privada e de capital aberto, a Duratex é controlada pelos conglomerados

Leia mais

Helbor Empreendimentos

Helbor Empreendimentos Helbor Empreendimentos Aviso Legal Esta apresentação pode conter certas afirmações que expressam expectativas, crenças e previsões da administração da Helbor sobre eventos ou resultados futuros. Tais afirmações

Leia mais

Apimec 2015 Apresentação Corporativa

Apimec 2015 Apresentação Corporativa Apimec 2015 Apresentação Corporativa Resultado 3o Trimestre 2015 A Duratex em resumo Quem somos - Maior empresa produtora de painéis de madeira industrializada, louças e metais sanitários do Hemisfério

Leia mais

Resultados do 4T13. 20 de Fevereiro de 2014

Resultados do 4T13. 20 de Fevereiro de 2014 Resultados do 4T13 20 de Fevereiro de 2014 Grupo Eucatex 2 Destaques Gerais do 4T13 Receita Líquida R$ 293,1 milhões, crescimento de 10,7% EBITDA Recorrente R$ 56,7 milhões, aumento de 10,7% Margem EBITDA

Leia mais

Encontro de Bancos Centrais de países de língua portuguesa

Encontro de Bancos Centrais de países de língua portuguesa Encontro de Bancos Centrais de países de língua portuguesa Antônio Gustavo Matos do Vale Diretor de Liquidações e Desestatização 4 de outubro de 2010 1 Evolução recente da economia brasileira O momento

Leia mais

duratex. fact sheet 3t08. 1

duratex. fact sheet 3t08. 1 GOVERNANÇA CORPORATIVA» Endereço eletrônico para encaminhamento de assuntos referentes a governança corporativa para a alta direção: governanca.corporativa@duratex.com.br» Nível I de Governança Corporativa

Leia mais

Seminário Setorial de Construção Civil APIMEC SUL. Outubro de 2010

Seminário Setorial de Construção Civil APIMEC SUL. Outubro de 2010 Seminário Setorial de Construção Civil APIMEC SUL Outubro de 2010 Aviso Esta apresentação contém declarações prospectivas. Tais informações não são apenas fatos históricos, mas refletem as metas e as expectativas

Leia mais

Mercado de Painéis de Madeira Reconstituída. Graça B. Gnoatto 31/10/2014

Mercado de Painéis de Madeira Reconstituída. Graça B. Gnoatto 31/10/2014 Mercado de Painéis de Madeira Reconstituída Graça B. Gnoatto 31/10/2014 Ibá Inédita união de quatro associações de empresas de produtos de base florestal plantada, com valores intrínsecos de desenvolvimento

Leia mais

As diretrizes de consumo no Brasil

As diretrizes de consumo no Brasil As diretrizes de consumo no Brasil A visão do consumidor Luiz Goes A GS&MD Gouvêa de Souza Consultoria Empresarial Canais de distribuição / Centrais e redes de negócios/ Controladoria e finanças / Crédito

Leia mais

O Brasil e a Crise Internacional

O Brasil e a Crise Internacional O Brasil e a Crise Internacional Sen. Aloizio Mercadante PT/SP RESUMO 1 Março de 2009 Cenário Internacional 2 Evoluçã ção o da Crise - Em sete dos últimos 20 anos a taxa de crescimento do PIB foi inferior

Leia mais

Índice. RS no Brasil Nossa Empresa Governança Corporativa Nossos Números Análise Comparativa Sustentabilidade Projeções e Estimativas

Índice. RS no Brasil Nossa Empresa Governança Corporativa Nossos Números Análise Comparativa Sustentabilidade Projeções e Estimativas CICLO APIMEC 2010 Índice RS no Brasil Nossa Empresa Governança Corporativa Nossos Números Análise Comparativa Sustentabilidade Projeções e Estimativas 3 RS no Brasil DADOS DEMOGRÁFICOS RS BRASIL População

Leia mais

A construção civil no cenário nacional

A construção civil no cenário nacional A construção civil no cenário nacional Índice 1- Potencial do Setor da Construção Civil População Demanda Financiamento e taxa de juros Crescimento econômico 2- Setor de Construção Civil na bolsa de valores

Leia mais

Conference Call. Maio 2008

Conference Call. Maio 2008 Conference Call Maio 2008 Cenário macro O Brasil é Investment Grade: E agora? Taxa de câmbio/ taxa de juros Atração de capital de longo prazo Potencial impacto positivo no PIB Disponibilidade de crédito:

Leia mais

Release de Resultados do 1T14

Release de Resultados do 1T14 São Paulo, 07 de maio de 2014 A Eucatex (BM&FBovespa: EUCA3 e EUCA4), uma das maiores produtoras de painéis de madeira do Brasil, que atua também nos segmentos de tintas e vernizes, pisos laminados, divisórias

Leia mais

Portal de Informações FEBRABAN. Módulo I Crédito

Portal de Informações FEBRABAN. Módulo I Crédito Portal de Informações FEBRABAN Módulo I Crédito Módulo de dados I: Crédito Sumário Este módulo de dados abrange as operações de crédito com recursos livres e direcionados (taxas de juros administradas)

Leia mais

Perspectivas para o Setor da Construção Civil em 2015. Celso Petrucci Economista-chefe do Secovi-SP

Perspectivas para o Setor da Construção Civil em 2015. Celso Petrucci Economista-chefe do Secovi-SP Perspectivas para o Setor da Construção Civil em 2015 Celso Petrucci Economista-chefe do Secovi-SP Mercado Imobiliário Brasileiro - VGL 2011-7% 2012 13% 2013 R$ 85,6 bilhões R$ 79,7 bilhões R$ 90,4 bilhões

Leia mais

relatório da administração e demonstrações contábeis

relatório da administração e demonstrações contábeis relatório da administração e demonstrações contábeis CENÁRIO E MERCADO A expectativa de crescimento econômico significativo para 2010 vai sendo confirmada. O relatório Focus de 31.12.2010, elaborado pelo

Leia mais

Classificação da Informação: Uso Irrestrito

Classificação da Informação: Uso Irrestrito Cenário Econômico Qual caminho escolheremos? Cenário Econômico 2015 Estamos no caminho correto? Estamos no caminho correto? Qual é nossa visão sobre a economia? Estrutura da economia sinaliza baixa capacidade

Leia mais

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2014 - DURATEX S.A. Versão : 1. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2014 - DURATEX S.A. Versão : 1. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 2 Balanço Patrimonial Passivo 4 Demonstração do Resultado 6 Demonstração do Resultado Abrangente 7 Demonstração

Leia mais

Apresentação Corporativa

Apresentação Corporativa Apresentação Corporativa Villa Flora - Sumaré São Paulo Investor Relations Aviso Importante O material que se segue é uma apresentação de informações gerais da Rossi Residencial S.A. ( Rossi" ou "Companhia")

Leia mais

SPREAD BANCÁRIO NO BRASIL

SPREAD BANCÁRIO NO BRASIL SPREAD BANCÁRIO NO BRASIL Comissão de Acompanhamento da Crise Financeira e da Empregabilidade 26 DE MARÇO DE 2009 Fábio Colletti Barbosa Presidente ÍNDICE 1. A Crise Financeira Mundial 2. O Brasil, a Crise

Leia mais

Apresentação da Companhia. Setembro de 2010

Apresentação da Companhia. Setembro de 2010 Apresentação da Companhia Setembro de 2010 Comprovada capacidade de execução Visão geral da Inpar Empreendimentos por segmento (1) Modelo de negócios integrado (incorporação, construção e venda) Comercial

Leia mais

As mudanças estruturais da economia brasileira. Henrique de Campos Meirelles

As mudanças estruturais da economia brasileira. Henrique de Campos Meirelles As mudanças estruturais da economia brasileira Henrique de Campos Meirelles Julho de 20 Inflação 18 16 14 12 8 6 4 2 IPCA (acumulado em doze meses) projeção de mercado 0 03 06 11 Fontes: IBGE e Banco Central

Leia mais

CENÁRIOS 2013: PERSPECTIVAS E O SETOR DE BKs 19/03/2013

CENÁRIOS 2013: PERSPECTIVAS E O SETOR DE BKs 19/03/2013 CENÁRIOS 2013: PERSPECTIVAS E O SETOR DE BKs 19/03/2013 CENÁRIO GLOBAL Crescimento global de 3,4 % em 2013 O mundo retoma a média histórica de crescimento (3,4% a.a) Zona do Euro sai da recessão Os EEUU

Leia mais

Palestra: Macroeconomia e Cenários. Prof. Antônio Lanzana 2012

Palestra: Macroeconomia e Cenários. Prof. Antônio Lanzana 2012 Palestra: Macroeconomia e Cenários Prof. Antônio Lanzana 2012 ECONOMIA MUNDIAL E BRASILEIRA SITUAÇÃO ATUAL E CENÁRIOS SUMÁRIO I. Cenário Econômico Mundial II. Cenário Econômico Brasileiro III. Potencial

Leia mais

BRASIL: SUPERANDO A CRISE

BRASIL: SUPERANDO A CRISE BRASIL: SUPERANDO A CRISE Min. GUIDO MANTEGA Setembro de 2009 1 DEIXANDO A CRISE PARA TRÁS A quebra do Lehman Brothers explicitava a maior crise dos últimos 80 anos Um ano depois o Brasil é um dos primeiros

Leia mais

Atravessando a Turbulência

Atravessando a Turbulência 1 Atravessando a Turbulência Guido Mantega Novembro de 20 1 2 Crise financeira sai da fase aguda A Tempestade financeira amainou. Há luz no fim do túnel. Crise não acabou, mas entra em nova fase. As ações

Leia mais

Apresentação 4T11 & 2011. Abril, 2012

Apresentação 4T11 & 2011. Abril, 2012 Apresentação Resultados 4T11 & 2011 Abril, 2012 Destaques & Eventos Recentes Balanço do ano de 2011 Processo de integração da Agre: SAP; Revisão orçamentária; Processo contábil de combinação de negócios

Leia mais

Receita Operacional Líquida (ROL) no 1T09 atingiu R$ 118,7 milhões, praticamente repetindo a cifra apresentada em igual período de 2008

Receita Operacional Líquida (ROL) no 1T09 atingiu R$ 118,7 milhões, praticamente repetindo a cifra apresentada em igual período de 2008 RESULTADOS 1T09 Destaques Destaques Receita Operacional Líquida (ROL) no 1T09 atingiu R$ 118,7 milhões, praticamente repetindo a cifra apresentada em igual período de 2008 Lucro Bruto de R$ 38,1 milhões

Leia mais

RESULTADOS 2T15 Teleconferência 10 de agosto de 2015

RESULTADOS 2T15 Teleconferência 10 de agosto de 2015 RESULTADOS 2T15 Teleconferência 10 de agosto de 2015 AVISO Nesta apresentação nós fazemos declarações prospectivas que estão sujeitas a riscos e incertezas. Tais declarações têm como base crenças e suposições

Leia mais

Perspectivas para a Inflação

Perspectivas para a Inflação Perspectivas para a Inflação Carlos Hamilton Araújo Setembro de 213 Índice I. Introdução II. Ambiente Internacional III. Condições Financeiras IV. Atividade V. Evolução da Inflação 2 I. Introdução 3 Missão

Leia mais

Políticas Públicas. Lélio de Lima Prado

Políticas Públicas. Lélio de Lima Prado Políticas Públicas Lélio de Lima Prado Política Cambial dez/03 abr/04 ago/04 dez/04 abr/05 ago/05 Evolução das Reservas internacionais (Em US$ bilhões) dez/05 abr/06 ago/06 dez/06 abr/07 ago/07 dez/07

Leia mais

Resultados 3T11. Teleconferência de Resultados 18 de Novembro de 2011

Resultados 3T11. Teleconferência de Resultados 18 de Novembro de 2011 Resultados 3T11 Teleconferência de Resultados 18 de Novembro de 2011 Agenda Perfil Coelce e Conquistas 1 Mercado de Energia 2 Resultados Operacionais 3 Resultados Econômico-Financeiros 4 Perguntas e Respostas

Leia mais

Release de Resultados do 2T13

Release de Resultados do 2T13 São Paulo, 07 de agosto de 2013 A Eucatex (BM&FBovespa: EUCA3 e EUCA4), uma das maiores produtoras de painéis de madeira do Brasil, que atua também nos segmentos de tintas e vernizes, pisos laminados,

Leia mais

www.estacioparticipacoes.com/ri Global Services Conference Phoenix-AZ, 27 de fevereiro de 2008

www.estacioparticipacoes.com/ri Global Services Conference Phoenix-AZ, 27 de fevereiro de 2008 www.estacioparticipacoes.com/ri Global Services Conference Phoenix-AZ, 27 de fevereiro de 2008 0 1. Visão Geral Setor de Ensino Superior no Brasil Visão Geral Estratégia Empresarial Destaques Financeiros

Leia mais

Teleconferência de Resultados 4T13 e 2013

Teleconferência de Resultados 4T13 e 2013 Teleconferência de Resultados 4T13 e 2013 14 de fevereiro de 2014 13h00 (Brasília) / 10h00 (US EST) Português: +55 (11) 2188-0155 Inglês: +1 (646) 843-6054 Código de Acesso: Marisa Nota de Ressalva E s

Leia mais

Cenário Econômico para 2014

Cenário Econômico para 2014 Cenário Econômico para 2014 Silvia Matos 18 de Novembro de 2013 Novembro de 2013 Cenário Externo As incertezas com relação ao cenário externo em 2014 são muito elevadas Do ponto de vista de crescimento,

Leia mais

MB ASSOCIADOS CENÁRIO MACROECONÔMICO BRASILEIRO. Sergio Vale Economista-chefe

MB ASSOCIADOS CENÁRIO MACROECONÔMICO BRASILEIRO. Sergio Vale Economista-chefe MB ASSOCIADOS CENÁRIO MACROECONÔMICO BRASILEIRO Sergio Vale Economista-chefe I. Economia Internacional II. Economia Brasileira Comparação entre a Grande Depressão de 30 e a Grande Recessão de 08/09 Produção

Leia mais

APIMEC. 23 de outubro de 2008

APIMEC. 23 de outubro de 2008 APIMEC 23 de outubro de 2008 1 Importante As informações e declarações sobre eventos futuros estão sujeitas a riscos e incertezas, as quais têm como base estimativas e suposições da Administração e informações

Leia mais

ABDIB Associação Brasileira da Infra-estrutura e Indústrias de base

ABDIB Associação Brasileira da Infra-estrutura e Indústrias de base ABDIB Associação Brasileira da Infra-estrutura e Indústrias de base Cenário Econômico Internacional & Brasil Prof. Dr. Antonio Corrêa de Lacerda antonio.lacerda@siemens.com São Paulo, 14 de março de 2007

Leia mais

Visão Geral do Potencial do Mercado Florestal para a Região do MATOPIBA Tocantins Florestal Nov/2013

Visão Geral do Potencial do Mercado Florestal para a Região do MATOPIBA Tocantins Florestal Nov/2013 Visão Geral do Potencial do Mercado Florestal para a Região do MATOPIBA Tocantins Florestal Nov/2013 www.consufor.com A EMPRESA A Consufor é uma empresa de consultoria em NEGÓCIOS e ESTRATÉGIAS, especializada

Leia mais

Teleconferência em Português com Tradução Simultânea 12 de agosto de 2015 11h30 (Brasília) / 10h30 (US ET)

Teleconferência em Português com Tradução Simultânea 12 de agosto de 2015 11h30 (Brasília) / 10h30 (US ET) Release de Resultados do 2T15 São Paulo, 11 de agosto de 2015 A Eucatex (BM&FBovespa: EUCA3 e EUCA4), uma das maiores produtoras de painéis de madeira do Brasil, que atua também nos segmentos de tintas

Leia mais

Apresent n a t çã ç o o d a M ul u t l i t p i la l n Março 2009

Apresent n a t çã ç o o d a M ul u t l i t p i la l n Março 2009 Apresentação da Multiplan Março 2009 Quem Somos Shopping Centers de Qualidade Aluguel Mesmas Lojas 3T08 (R$/m² ) Liderança no Setor (R$ milhões) 3T08 +48% 244 +5% 232 111 BRMalls Multiplan Iguatemi 89

Leia mais

Atravessando a Crise Mundial

Atravessando a Crise Mundial 1 Atravessando a Crise Mundial LIDE Ministro Guido Mantega Fevereiro de 2009 1 2 Agravamento da Crise Mundial Crise Financeira externa não foi suficientemente equacionada Recessão global vai tomando corpo

Leia mais

Balanço de Pagamentos

Balanço de Pagamentos Balanço de Pagamentos Agosto/2015 22 de setembro de 2015 Resumo dos Resultados Em agosto de 2015, o déficit em Transações Correntes foi de US$ 2,5 bilhões, resultado superior ao observado em agosto de

Leia mais

Teleconferência em Português com Tradução Simultânea 07 de maio de 2015 11h30 (Brasília) / 10h30 (US ET)

Teleconferência em Português com Tradução Simultânea 07 de maio de 2015 11h30 (Brasília) / 10h30 (US ET) Release de Resultados do 1T15 São Paulo, 06 de maio de 2015 A Eucatex (BM&FBovespa: EUCA3 e EUCA4), uma das maiores produtoras de painéis de madeira do Brasil, que atua também nos segmentos de tintas e

Leia mais

Mercado Segurador e Drivers de Crescimento

Mercado Segurador e Drivers de Crescimento APIMEC BH 2014 Mercado Segurador e Drivers de Crescimento BRASIL: PRINCIPAIS INDICADORES Crescimento da renda real, inflação sob controle e mobilidade social PIB PER CAPITA & DESEMPREGO (US$ milhares/ano)

Leia mais

A taxa de câmbio na economia brasileira está fora de equilíbrio? 31/05/2007

A taxa de câmbio na economia brasileira está fora de equilíbrio? 31/05/2007 A taxa de câmbio na economia brasileira está fora de equilíbrio? 31/05/2007 Preliminares Paridade do Poder de Compra (PPC) Equilíbrio de longo prazo Bens comercializáveis (PPC) e não-comercializáveis Câmbio

Leia mais

Apresentação Institucional. Junho 2011

Apresentação Institucional. Junho 2011 1 Apresentação Institucional Junho 2011 Disclaimer As declarações contidas nesta apresentação relativas às perspectivas de negócio, projeções operacionais e financeiras e perspectivas de crescimento da

Leia mais

Apresentação de Resultados do 3º trimestre de 2011. Novembro, 2011

Apresentação de Resultados do 3º trimestre de 2011. Novembro, 2011 Apresentação de Resultados do 3º trimestre de 2011 Novembro, 2011 2 Destaques & Eventos Recentes PDG é eleita melhor empresa da América Latina no Institutional Investor Awards 2011; Extensão do contrato

Leia mais

CEO Conference Março 2009

CEO Conference Março 2009 CEO Conference Março 2009 Informações e Projeções Algumas das afirmações aqui contidas se baseiam nas hipóteses e perspectivas atuais da administração da Companhia que poderiam ocasionar variações materiais

Leia mais

MERCADO DE CAPITAIS CENTRO DE ESTUDOS DE CEMEC

MERCADO DE CAPITAIS CENTRO DE ESTUDOS DE CEMEC 10º. SEMINÁRIO CEMEC DE MERCADO DE CAPITAIS CENTRO DE ESTUDOS DE MERCADO DE CAPITAIS CEMEC Financiamento de Investimentos no Brasil e nas Empresas São Paulo 29/Novembro/2011 10º. SEMINÁRIO CEMEC DE MERCADO

Leia mais

Resultados 1T15. 05 de Maio de 2015 11h00 (Brasília) / 10h00 (US EST) Português: +55 (11) 2188-0155 Inglês: +1 (646) 843-6054 Código de Acesso: Marisa

Resultados 1T15. 05 de Maio de 2015 11h00 (Brasília) / 10h00 (US EST) Português: +55 (11) 2188-0155 Inglês: +1 (646) 843-6054 Código de Acesso: Marisa Resultados 05 de Maio de 2015 11h00 (Brasília) / 10h00 (US EST) Português: +55 (11) 2188-0155 Inglês: +1 (646) 843-6054 Código de Acesso: Marisa Nota de Ressalva E s t a a p r e s e n t a ç ã o pode i

Leia mais

Indústria Automobilística: O Desafio da Competitividade Internacional

Indústria Automobilística: O Desafio da Competitividade Internacional Encontro Econômico Brasil-Alemanha Indústria Automobilística: O Desafio da Competitividade Internacional Jackson Schneider Presidente Anfavea Blumenau, 19 de novembro de 2007 1 Conteúdo 2 1. Representatividade

Leia mais

RELATÓRIO DE GESTÃO- DEZEMBRO -2011

RELATÓRIO DE GESTÃO- DEZEMBRO -2011 O ano de 11 terminou sem grandes surpresas. Na tentativa de manter aquecido o mercado consumidor brasileiro, a taxa básica de juros, que chegou a 1,5% ao longo do ano, encerrou o período em 11%. O crescimento

Leia mais

I. AMBIENTE DE MERCADO II. RESULTADOS III. NOVOS PROJETOS UTVM IV. NOVOS PROJETOS UF

I. AMBIENTE DE MERCADO II. RESULTADOS III. NOVOS PROJETOS UTVM IV. NOVOS PROJETOS UF 1 I. AMBIENTE DE MERCADO II. RESULTADOS III. NOVOS PROJETOS UTVM IV. NOVOS PROJETOS UF 2 Crédito ainda em Expansão, mas Desacelerando 30,7% Crescimento do Crédito 15,1% 20,6% 18,8% 16,4% 14,7% 11,7% 2008

Leia mais

Boletim Diário MERCADOS. Índices, Câmbio e Commodities. Bolsa. Câmbio. Altas e Baixas do Ibovespa. Juros. Ibovespa x Dow Jones (em dólar)

Boletim Diário MERCADOS. Índices, Câmbio e Commodities. Bolsa. Câmbio. Altas e Baixas do Ibovespa. Juros. Ibovespa x Dow Jones (em dólar) MERCADOS Bolsa A Bovespa registrou mais um dia de recuperação, mesmo com as bolsas internacionais do lado negativo. O Ibovespa terminou a sessão em alta de 0,65%, aos 56.034 pontos. O giro financeiro totalizou

Leia mais

São Carlos Empreendimentos

São Carlos Empreendimentos São Carlos Empreendimentos SETOR IMOBILIÁRIO - IMÓVEIS COMERCIAIS PARA ALUGUEL Ticker BM&F Bovespa: SCAR3 1 / 28 Visão Geral Uma das principais empresas do Brasil que investem em imóveis comerciais para

Leia mais

Apresentação de Resultados do 2º trimestre de 2011. Agosto, 2011

Apresentação de Resultados do 2º trimestre de 2011. Agosto, 2011 Apresentação de Resultados do 2º trimestre de 2011 Agosto, 2011 2 Destaques Operacionais DESTAQUES OPERACIONAIS DO 2T11 & 1S11 2T11 LANÇAMENTOS PRO RATA PDG ALCANÇARAM R$2,05 BILHÕES NO 2T11, REPRESENTANDO

Leia mais

2ª Conferência de Investimentos Alternativos: FIDC, FII E FIP

2ª Conferência de Investimentos Alternativos: FIDC, FII E FIP 2ª Conferência de Investimentos Alternativos: FIDC, FII E FIP São Paulo, 21 de Agosto de 2013 Hotel Caesar Park Patrocínio SPX Capital Agosto 2013 Perspectivas Macroeconômicas Inflação acumulada em 12

Leia mais

RESULTADOS BRASIL BROKERS. 3º Trimestre 2008

RESULTADOS BRASIL BROKERS. 3º Trimestre 2008 RESULTADOS BRASIL BROKERS 3º Trimestre 2008 2008 Brasil 2008 Brokers Brasil Brokers Todos os Direitos Todos os Reservados Direitos Reservados Esta apresentação não constitui uma oferta, convite ou pedido

Leia mais

PRÓ-TRANSPORTE - MOBILIDADE URBANA - PAC COPA 2014 - CT 318.931-88/10

PRÓ-TRANSPORTE - MOBILIDADE URBANA - PAC COPA 2014 - CT 318.931-88/10 AMPLIAÇÃO DA CENTRAL DE Simpl Acum Simpl Acum jul/10 a jun/11 jul/11 12 13 (%) (%) (%) (%) 1.72.380,00 0,00 0,00 0,00 361.00,00 22,96 22,96 1/11 AMPLIAÇÃO DA CENTRAL DE ago/11 Simpl Acum Simpl Acum Simpl

Leia mais

Fact Sheet 1T14 MARKET CAP (31/03/2014) COTAÇÃO DE FECHAMENTO EM 31/03/2014 QUANTIDADE DE AÇÕES EM MARÇO AÇÕES EM TESOURARIA FREE FLOAT

Fact Sheet 1T14 MARKET CAP (31/03/2014) COTAÇÃO DE FECHAMENTO EM 31/03/2014 QUANTIDADE DE AÇÕES EM MARÇO AÇÕES EM TESOURARIA FREE FLOAT Fact Sheet 1T14 MARKET CAP (31/03/2014) R$ 6.962,4 milhões COTAÇÃO DE FECHAMENTO EM 31/03/2014 R$ 11,55 QUANTIDADE DE AÇÕES EM MARÇO 605.059.489 AÇÕES EM TESOURARIA 2.255.054 FREE FLOAT 40,0% Contato de

Leia mais

A Crise Internacional e os Desafios para o Brasil

A Crise Internacional e os Desafios para o Brasil 1 A Crise Internacional e os Desafios para o Brasil Guido Mantega Outubro de 2008 1 2 Gravidade da Crise Crise mais forte desde 1929 Crise mais grave do que as ocorridas nos anos 1990 (crise de US$ bilhões

Leia mais

Release de Resultados do 4T13

Release de Resultados do 4T13 São Paulo, 19 de fevereiro de 2014 A Eucatex (BM&FBovespa: EUCA3 e EUCA4), uma das maiores produtoras de painéis de madeira do Brasil, que atua também nos segmentos de tintas e vernizes, pisos laminados,

Leia mais

Teleconferência de Resultados 2014 e 4T14. 27 de fevereiro de 2015. Magazine Luiza

Teleconferência de Resultados 2014 e 4T14. 27 de fevereiro de 2015. Magazine Luiza Teleconferência de Resultados 2014 e 4T14 27 de fevereiro de 2015 Magazine Luiza Destaques 2014 Vendas E-commerce Despesas Operacionais EBITDA Ajustado Luizacred Lucro Líquido Ajustado Crescimento da receita

Leia mais

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos INDÚSTRIA DE MÓVEIS OUTUBRO DE 2015

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos INDÚSTRIA DE MÓVEIS OUTUBRO DE 2015 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos INDÚSTRIA DE MÓVEIS OUTUBRO DE 2015 PRODUTOS INDÚSTRIA DE MÓVEIS Importação 3,3% Residenciais 67,7% Mercado interno 96,4% Escritório 16,6% INDÚSTRIA

Leia mais

Econ. Paulo Zoldan SEF/Dior

Econ. Paulo Zoldan SEF/Dior Econ. Paulo Zoldan SEF/Dior Estrutura da Apresentação População - distribuição e estrutura Produção (PIB) distribuição e evolução Agricultura Industria Serviços Emprego - distribuição e evolução Balança

Leia mais

O Mercado de Investimentos Imobiliários e o Cenário Sócio-Econômico Nacional

O Mercado de Investimentos Imobiliários e o Cenário Sócio-Econômico Nacional O Mercado de Investimentos Imobiliários e o Cenário Sócio-Econômico Nacional JOÃO PAULO MATOS Presidente Fiabci Rio, 1º Vice-Presidente da ADEMI e Presidente do Grupo de Trabalho Estatutário da ADEMI Segurança

Leia mais

PRÓ-TRANSPORTE - MOBILIDADE URBANA - PAC COPA 2014 - CT 318.931-88/10

PRÓ-TRANSPORTE - MOBILIDADE URBANA - PAC COPA 2014 - CT 318.931-88/10 AMPLIAÇÃO DA CENTRAL DE Simpl Acum Simpl Acum jul/10 a jun/11 jul/11 12 13 (%) (%) (%) (%) 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 0,00 1/11 AMPLIAÇÃO DA CENTRAL DE ago/11 Simpl Acum Simpl Acum Simpl Acum 14 set/11 15

Leia mais

A gestão integrada da holding promove o investimento em linha com as políticas de desenvolvimento do país

A gestão integrada da holding promove o investimento em linha com as políticas de desenvolvimento do país 5 o conglomerado itaúsa A gestão integrada da holding promove o investimento em linha com as políticas de desenvolvimento do país 1966 História Constituída para centralizar as decisões estratégicas de

Leia mais

Discussão dos Resultados 1T10. 07 de Maio de 2010

Discussão dos Resultados 1T10. 07 de Maio de 2010 Discussão dos Resultados 1T10 07 de Maio de 2010 0 Aviso Esta apresentação poderá conter certas projeções e tendências que não são resultados financeiros realizados, nem informação histórica. Estas projeções

Leia mais

22 de novembro de 2007. Apresentação dos Resultados 4T07

22 de novembro de 2007. Apresentação dos Resultados 4T07 22 de novembro de 2007 Apresentação dos Resultados 4T07 Aviso Importante Declarações contidas nesta apresentação relativas às perspectivas dos negócios da Companhia, projeções de resultados operacionais

Leia mais

Apresentação Corporativa 2015

Apresentação Corporativa 2015 Apresentação Corporativa 2015 Agenda Visão Geral da Indústria de Seguros Evolução do Mercado Segurador Ambiente Competitivo Fatores Chave de Crescimento e Rentabilidade Quem Somos Nossos Negócios Estratégia

Leia mais

Teleconferência de Resultados 2T15. 23 de julho de 2015

Teleconferência de Resultados 2T15. 23 de julho de 2015 Teleconferência de Resultados 2T15 23 de julho de 2015 Aviso Legal As informações contidas nesta apresentação poderão incluir afirmações que representem "forward looking statements" nos termos do disposto

Leia mais

PROPOSTA DA ADMINISTRAÇÃO

PROPOSTA DA ADMINISTRAÇÃO PROPOSTA DA ADMINISTRAÇÃO ASSEMBLEIA GERAL ORDINÁRIA E EXTRAORDINÁRIA DE 25 DE ABRIL DE 2012 Identificação: Duratex S.A., sociedade por ações, inscrita no CNPJ/MF sob o nº 97.837.181/0001-47, registrada

Leia mais

Apresentação dos Resultados de 2T07. 15 de agosto de 2007

Apresentação dos Resultados de 2T07. 15 de agosto de 2007 Apresentação dos Resultados de 2T07 15 de agosto de 2007 1 Equipe da Cyrela Brazil Realty Diretor Presidente Elie Horn Diretor Financeiro e de Relações com Investidores Luis Largman Diretor de Controle

Leia mais

200 180 Indice (abr/2004=100) 160 140 120 100 80 dez/97 jun/98 dez/98 jun/99 dez/99 jun/00 dez/00 jun/01 dez/01 jun/02 dez/02 jun/03 dez/03 jun/04 dez/04 jun/05 dez/05 jun/06 dez/06 jun/07 dez/07 Faturamento

Leia mais

FATURAMENTO CONSOLIDADO

FATURAMENTO CONSOLIDADO RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO CENÁRIO E MERCADO A recessão americana e o colapso da economia argentina associados à crise de energia elétrica brasileira, provocaram uma volatilidade muito forte do dólar e

Leia mais

Reunião Pública Apresentação de Resultados 1º Semestre 2011

Reunião Pública Apresentação de Resultados 1º Semestre 2011 Reunião Pública Apresentação de Resultados 1º Semestre 2011 Rio de Janeiro, 09 de Agosto 2011 1 Informação importante Esta apresentação foi preparada pelo Banco Santander (Brasil) S.A., eventuais declarações

Leia mais

JBS DAY Apresentação dos Resultados do 3T13 14 de Novembro de 2013

JBS DAY Apresentação dos Resultados do 3T13 14 de Novembro de 2013 JBS DAY Apresentação dos Resultados do 3T13 14 de Novembro de 2013 Apresentadores Wesley Batista Presidente Global da JBS André Nogueira Presidente da JBS USA Miguel Gularte Presidente da JBS Mercosul

Leia mais

A INDÚSTRIA DE CARTÕES NO BRASIL

A INDÚSTRIA DE CARTÕES NO BRASIL A INDÚSTRIA DE CARTÕES NO BRASIL Ivo Vieitas ABECS 1 Agenda Mercado de Cartões no Brasil 1. Uma Indústria Forte 2. Uma indústria Complexa 3. Nova Realidade 2 Agenda 1. Mercado de Cartões no Brasil 1. Uma

Leia mais

Formulário de Referência - 2011 - DURATEX S.A. Versão : 6. 3.3 - Eventos subsequentes às últimas demonstrações financeiras 1

Formulário de Referência - 2011 - DURATEX S.A. Versão : 6. 3.3 - Eventos subsequentes às últimas demonstrações financeiras 1 Índice 3. Informações financ. selecionadas 3.3 - Eventos subsequentes às últimas demonstrações financeiras 1 18. Valores mobiliários 18.5 - Descrição dos outros valores mobiliários emitidos 2 19. Planos

Leia mais

ITR - Informações Trimestrais - 30/09/2012 - MRV ENGENHARIA E PARTICIPAÇÕES S/A Versão : 1. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2

ITR - Informações Trimestrais - 30/09/2012 - MRV ENGENHARIA E PARTICIPAÇÕES S/A Versão : 1. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 Proventos em Dinheiro 2 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 3 Balanço Patrimonial Passivo 4 Demonstração do Resultado 6 Demonstração do Resultado Abrangente

Leia mais

Cenários da Macroeconomia e o Agronegócio

Cenários da Macroeconomia e o Agronegócio MB ASSOCIADOS Perspectivas para o Agribusiness em 2011 e 2012 Cenários da Macroeconomia e o Agronegócio 26 de Maio de 2011 1 1. Cenário Internacional 2. Cenário Doméstico 3. Impactos no Agronegócio 2 Crescimento

Leia mais

INDICE DE CONFIANÇA DAS MICRO E PEQUENAS. Outubro/2012 (dados até setembro)

INDICE DE CONFIANÇA DAS MICRO E PEQUENAS. Outubro/2012 (dados até setembro) INDICE DE CONFIANÇA DAS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS (ICMPE) NO BRASIL Outubro/2012 (dados até setembro) Características da pesquisa Objetivo: - medir o impacto da conjuntura econômica nas MPE brasileiras

Leia mais

ITR - Informações Trimestrais - 31/03/2015 - DURATEX S.A. Versão : 1. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2. Balanço Patrimonial Ativo 3

ITR - Informações Trimestrais - 31/03/2015 - DURATEX S.A. Versão : 1. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2. Balanço Patrimonial Ativo 3 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 Proventos em Dinheiro 2 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 3 Balanço Patrimonial Passivo 4 Demonstração do Resultado 5 Demonstração do Resultado Abrangente

Leia mais

www.pwc.com.br O setor de incorporação imobiliária e urbanização no Brasil

www.pwc.com.br O setor de incorporação imobiliária e urbanização no Brasil www.pwc.com.br O setor de incorporação imobiliária e urbanização no Brasil Sumário 2 O setor de incorporação imobiliária e urbanização no Brasil 2 O momento de transição do setor de incorporação 4 A expectativa

Leia mais

Workshop - Mercado Imobiliário

Workshop - Mercado Imobiliário Workshop - Mercado Imobiliário Workshop - Mercado Imobiliário Workshop - Mercado Imobiliário 1. O que está acontecendo com o Brasil? 2. Por que o Brasil é a bola da vez? 3. Por que o Mercado imobiliário

Leia mais

Reunião com Analistas e Profissionais de Investimento do Mercado de Capitais LOJAS RENNER S.A.

Reunião com Analistas e Profissionais de Investimento do Mercado de Capitais LOJAS RENNER S.A. Reunião com Analistas e Profissionais de Investimento do Mercado de Capitais LOJAS RENNER S.A. São Paulo, 8 de dezembro de 2005 1 Aviso Legal Eventuais declarações que possam ser feitas durante esta apresentação,

Leia mais

DIVULGAÇÃO DOS RESULTADOS DO 3T14

DIVULGAÇÃO DOS RESULTADOS DO 3T14 Relações com Investidores DIVULGAÇÃO DOS RESULTADOS DO 3T14 Apresentação: José Rubens de la Rosa CEO José Antonio Valiati CFO & Diretor de Relações com Investidores Thiago A. Deiro Gerente Financeiro &

Leia mais