ANÁLISE DE POSTURA E CARGA ATRAVÉS DOS MÉTODOS OWAS E NIOSH EM UMA FÁBRICA DE SORVETES NO SUL DO BRASIL

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ANÁLISE DE POSTURA E CARGA ATRAVÉS DOS MÉTODOS OWAS E NIOSH EM UMA FÁBRICA DE SORVETES NO SUL DO BRASIL"

Transcrição

1 ANÁLISE DE POSTURA E CARGA ATRAVÉS DOS MÉTODOS OWAS E NIOSH EM UMA FÁBRICA DE SORVETES NO SUL DO BRASIL Mary Helen Ribeiro dos Santos (UTFPR ) Guatacara dos Santos Junior (UTFPR ) Andre Luiz Soares (UTFPR ) Antonio Augusto de Paula Xavier (UTFPR ) Bruno Samways dos Santos (UTFPR ) A Ergonomia busca em sua essência melhorar as condições da realização das atividades humanas, tanto em relação aos seus instrumentos quanto aos ambientes em que essas atividades são realizadas, buscando sempre adaptar o trabalho ao homem. AA qualidade de vida da saúde do trabalhador em uma organização moderna depende do seu desempenho na área de ergonomia. Uma forma de avaliação deste desempenho pode se dar através do uso de instrumentos de avaliação de riscos ergonômicos. Assim, este estudo tem por objetivo analisar os postos de trabalho de uma linha de produção de sorvetes localizada na cidade Ponta Grossa, PR, com o intuito de avaliar as posturas adotadas pelos funcionários no exercício de seu trabalho, bem como analisar o levantamento de cargas. Para atingir este objetivo, foram empregadas metodologias de análise ergonômica, sendo o método OWAS para análise de postura e o método NIOSH para análise de carga. Os resultados obtidos demonstraram que há poucas preocupações quanto à postura, porém os postos 1 e 3 devem receber atenção durante a próxima análise ergonômica para que a situação atual possa ser melhorada. Porém em relação à carga, foram encontradas cargas de peso acima do limite recomendado nos postos 2 e 7, sendo que o posto 7 é o caso crítico na fábrica, pois o operador está levantando uma carga aproximadamente 3 vezes maior que o recomendado. Palavras-chaves: Ergonomia, carga, postura

2 1. Introdução A qualidade de vida da saúde do trabalhador em uma organização moderna depende do seu desempenho na área de ergonomia. Uma forma de avaliação deste desempenho pode se dar através do uso de instrumentos de avaliação de riscos ergonômicos. O nome Ergonomia tem origem grega, onde ergon significa trabalho, e nomos significa regras. Existem várias definições para Ergonomia, que acabam por significar praticamente a mesma coisa. Segundo a IEA apud Dul e Weerdmeester (2004), tem-se que: Ergonomia é uma disciplina científica que estuda as interações dos homens com outros elementos do sistema, fazendo aplicações da teoria, princípios e métodos de projeto, com o objetivo de melhorar o bem-estar humano e o desempenho global do sistema. Porém uma das definições mais claras e sucintas é a de Iida (2005), que diz que Ergonomia é a adaptação do trabalho ao homem. A Ergonomia busca em sua essência melhorar as condições da realização das atividades humanas, tanto em relação aos seus instrumentos quanto aos ambientes em que essas atividades são realizadas, buscando sempre adaptar o trabalho ao homem. Segundo Iida (2005), a análise ergonômica dos postos de trabalho é parte do estudo das interações entre homem, máquina e ambiente, abrangendo, dessa forma a análise da tarefa, da postura e dos movimentos do trabalhador e das suas exigências físicas e cognitivas. Nesse contexto, a postura é um fator vital na saúde e bem-estar do trabalhador e de relevante preocupação nas organizações, pois pode causar diminuição de produtividade, dores, problemas de coluna e absenteísmo. De acordo com Rio e Pires (2001), a otimização do trabalho é um fator fundamental para o sucesso de pessoas e organizações, num mundo de alta competição, em que saúde e excelência de desempenho são aspectos fundamentais. Assim, este estudo tem por objetivo analisar os postos de trabalho de uma linha de produção de sorvetes localizada na cidade Ponta Grossa, PR, com o intuito de avaliar as posturas adotadas pelos funcionários no exercício de seu trabalho, bem como analisar o levantamento de cargas. Para atingir este objetivo, foram empregadas metodologias de análise ergonômica, sendo o método OWAS para análise de postura e o método NIOSH para análise de carga. 2

3 2. Ergonomia A ergonomia é um campo do conhecimento, cujo objetivo é analisar o trabalho, de forma a poder contribuir com a concepção e/ou transformação das situações e dos sistemas de trabalho. A análise do trabalho real permite à ergonomia determinar as informações que um operador dispõe para realizar seu trabalho, definindo as características essenciais de uma nova situação de trabalho: os dispositivos técnicos, os meios de trabalho, o ambiente e a organização de trabalho, além das competências e das representações dos operadores (MATOS e PROENÇA, 2003; SOUSA e PROENÇA, 2004; BRASIL, 2013). Iida (2005) define ergonomia como sendo a adaptação do trabalho ao homem. Em princípio, a ergonomia volta-se para aspectos que se enquadram em uma perspectiva baseada na fisiologia e na psicologia cognitiva. As questões tratadas têm como ponto de partida aquilo que pode ser explicado por estudos que privilegiam aspectos antropométricos, biomecânicos, consumo de energia, órgãos sensoriais, neurofisiologia, entre outros. Mais recentemente, com o desenvolvimento de conhecimentos provenientes da psicologia cognitiva, assim como a sua aplicação nos mais variados projetos, o campo da ergonomia tem-se transformado significativamente. Na tentativa de buscar uma síntese entre os diversos aspectos humanos com relação ao trabalhar, a ergonomia tem estudado o ser humano em situação de trabalho, utilizando metodologias e teorias voltadas para a compreensão da ação, do fazer (SZELWAR et al., 2004). As características de um ambiente de trabalho refletem, de maneira expressiva, as qualidades do trabalhador (ALVAREZ, 1996). Um local de trabalho deve ser sadio e agradável, que proporcione o máximo de proteção, sendo o resultado de fatores materiais ou subjetivos, e deve prevenir acidentes, doenças ocupacionais, além de proporcionar melhor relacionamento entre a empresa e o empregado (FIEDLER, VENTUROLI e MINETTI, 2006). Entre os fatores relacionados à ambiência do trabalho, destacam-se a temperatura, a umidade, a ventilação, a iluminação, a cor, a sonorização (ruídos), a postura e o movimento (SILVA, 1995). 3. Biomecânica Ocupacional 3

4 A biomecânica ocupacional é uma parte da biomecânica geral, que se ocupa dos movimentos corporais e forças relacionados ao trabalho. Assim, preocupa-se com as interações físicas do trabalhador, com o seu posto de trabalho, máquinas, ferramentas e materiais, visando reduzir os riscos de distúrbios músculo-esqueléticos. Analisa basicamente a questão das posturas corporais no trabalho, a aplicação de forças, bem como as suas consequências (IIDA, 2005) Postura Postura é o estudo do posicionamento relativo de partes do corpo, como cabeça, tronco e membros, no espaço (IIDA, 2005). A postura frequentemente é determinada pela tarefa e pelo posto de trabalho, seja sentado ou em pé, e quando inadequada e prolongada produz tensões mecânicas nos músculos, ligamentos e articulações que resultam em dores no pescoço, costas, ombros e punhos (DUL; WEERDMEESTER, 2004). Cada componente do posto de trabalho deve ter sua própria adequação ergonômica, onde deve adaptar-se às características anatômicas e fisiológicas dos seres humanos, principalmente no que se refere aos sistemas musculoesquelético e óptico (RIO E PIRES, 2001). Porém, nenhuma postura é neutra, e nenhuma má postura é adotada por alguém livremente, mas é resultado de um conjunto de fatores, como: características da tarefa, condições de trabalho, formas fisiológicas e biomecânicas de manutenção do equilíbrio ou as características do meio de trabalho. O quadro 1 apresenta a localização das dores no corpo, provocadas por posturas inadequadas. Quadro 1 Localização das dores no corpo, provocadas por posturas inadequadas Postura inadequada Em pé Sentado sem encosto Assento muito alto Assento muito baixo Braços esticados Pegas inadequadas em ferramentas Punhos em posição não neutras Rotação do corpo Risco de dores Pés e pernas (varizes) Músculos extensores do dorso Parte inferior das pernas, joelhos e pés Dorso e pescoço Ombros e braços Antebraço Punhos Coluna vertebral 4

5 Ângulo inadequado assento/encosto Superfícies de trabalho muito baixas ou altas Músculos dorsais Coluna vertebral, cintura escapular Fonte: IIDA (2005) Problemas posturais A má postura pode acarretar vários problemas de saúde. Muitos desses problemas acabam ocorrendo na coluna vertebral, e são mais difundidos do que outros. A seguir temos algumas patologias decorrentes da postura incorreta. a) Lordose É um aumento da concavidade posterior da curvatura na região cervical ou lombar, acompanhado por uma inclinação dos quadris para frente (IIDA, 2005). A lordose passa a ser considerada uma deformação quando atinge um ângulo superior a 60 na coluna cervical ou está entre 40 e 60 na coluna lombar, passando a chamar-se hiperlordose. Na figura 2 é possível observar na imagem 1 a coluna normal e na figura 2 a coluna com lordose. Figura 1 Coluna normal e coluna com lordose Fonte: Info escola b) Cifose Caracteriza-se por um aumento da convexidade, acentuando-se a curva para frente na região torácica, correspondendo ao corcunda. Tal condição acentua-se em idosos (IIDA, 2005). Figura 2 Coluna com lordose 5

6 Fonte: Info escola c) Escoliose É caracterizado por um desvio lateral da coluna. Vista de frente ou de costas, a pessoa aparenta estar pendendo para um lado (IIDA, 2005). Figura 3 Coluna com escoliose Fonte: Info Escola d) Hérnia de disco Entre as vértebras cervicais, torácicas e lombares, estão os discos intervertebrais, estruturas em forma de anel, constituídas por tecido cartilaginoso e elástico cuja função é evitar o atrito entre uma vértebra e outra e amortecer o impacto. A Hérnia de Disco ocorre quando acontece o deslocamento do disco intervertebral para fora de seu compartimento natural, protegido por ligamentos (RIO; PIRES, 2001). Figura 4 Imagem do disco invertebral normal e rompido 6

7 Fonte: Na Lei, 2009 De acordo com Rio e Pires (2001), a hérnia de disco nem sempre é um evento agudo, mas evolui ao longo dos anos e pode, eventualmente, ser precipitada para fora de seu compartimento natural por esforços relativamente pequenos. e) Tendinite É uma condição atribuída à lesão no tendão e sua inserção no osso. Freqüentemente a tendinite está relacionada a uma ocupação ou exercício físico. No ombro temos a tendinite bicipital e do supraespinhoso que levam a dor e impotência funcional. A tendinite também pode afetar os tendões bíceps e do tríceps, embora essas lesões sejam bem menos comuns (CERVI et al, 2009), e também pode ocorrer no punhos e mãos Sitema de avaliação: OWAS Um sistema prático de registro, chamado OWAS (Ovako Working Posture Analysing System) foi desenvolvido por três pesquisadores finlandeses. Eles começaram com análises fotográficas das principais posturas encontradas tipicamente na indústria pesada e encontraram posturas típicas (IIDA, 2005), as quais são apresentadas na figura 5. Figura 5 Sistema OWAS para registro de postura 7

8 Fonte: IIDA (2005) O quadro 2 apresenta a classificação das posturas pela combinação da variável (dorso, braços, pernas e carga). Quadro 2 Classificação das posturas Fonte: IIDA (2005) Com base nas avaliações, as posturas foram classificadas nas seguintes categorias (IIDA, 2005): 8

9 Classe 1: postura normal, que dispensa cuidados, a não ser em casos excepcionais; Classe 2: postura que deve ser verificada durante a próxima revisão rotineira dos métodos de trabalho; Classe 3: postura que deve merecer atenção a curto prazo; Classe 4: postura que deve merecer atenção imediata. Essas classes dependem do tempo de duração das posturas, em percentagens da jornada de trabalho ou da combinação das quatro variáveis (dorso, braços, pernas e carga) Levantamento de cargas O manuseio de cargas é responsável por grande parte dos traumas musculares entre os trabalhadores. Aproximadamente 60% dos problemas musculares são causados por levantamento de cargas e 20%, puxando ou empurrando-as. Isso tem ocorrido principalmente devido á grande variação das capacidades físicas, treinamentos insuficientes e frequentes substituições de trabalhadores homens por mulheres. Torna-se, então, necessário conhecer a capacidade humana máxima para levantar e transportar cargas, para que as tarefas e as máquinas sejam corretamente dimensionadas dentro desses limites (IIDA, 2005). A Norma Regulamentadora NR17 (BRASIL, 1990) define que Transporte manual de cargas designa todo transporte no qual o peso da carga é suportado inteiramente por um só trabalhador, compreendendo o levantamento e a deposição da carga e tem o objetivo de adaptar os postos de trabalho às características psicofisiológicas dos seres humanos. Figura 6 Levantamento de carga 9

10 Fonte: IIDA (2005) A capacidade de carga máxima varia bastante de uma pessoa pra outra. Varia também conforme se usem as musculaturas das pernas, braços ou dorso. As mulheres possuem aproximadamente a metade da força dos homens para o levantamento de pesos (IIDA, 2005). A capacidade de carga é influenciada pela sua localização em relação ao corpo e outras características como formas, dimensões e facilidade de manuseio. No caso de tarefas repetitivas, deve-se determinar, primeiro, a capacidade de carga isométrica das costas, que é a carga máxima que uma pessoa consegue levantar, flexionando as pernas e mantendo o dorso reto, na vertical. A carga recomendada para movimentos repetitivos será, então, 50% dessa carga isométrica máxima (IIDA, 2005) Sistema de avaliação: NIOSHI A equação de NIOSHI (National Institute for Occupational Safety and Health EUA) foi desenvolvida para calcular o peso limite recomendável em tarefas repetitivas de levantamento de cargas. Essa equação foi desenvolvida inicialmente em 1981 e revisada em 1991, tendo o objetivo de prevenir ou reduzir a ocorrência de dores causadas pelo levantamento de cargas. Ela refere-se apenas à tarefa de apanhar uma carga e deslocá-la para depositá-la em outro nível, usando as duas mãos (IIDA, 2005). A equação estabelece um valor de referência de 23kg que corresponde à capacidade de levantamento no plano sagital, de uma altura de 75cm do solo, para um deslocamento vertical de 25cm, segurando-se a carga a 25cm do corpo. Essa seria a carga aceitável para 99% dos 10

11 homens e 75% das mulheres sem provocar nenhum dano físico, em trabalhos repetitivos. Esse valor de referência é multiplicado por 6 fatores de redução, que dependem das condições de trabalho. São definidas as seguintes variáveis (IIDA, 2005): LPR: limite de peso recomendável; H: distância horizontal entre o indivíduo e a carga (posição das mãos) em cm; V: distância vertical na origem da carga (posição das mãos) em cm; D: deslocamento vertical, entre a origem e o destino, em cm; A: ângulo de assimetria, medido a partir do plano sagital, em graus; F: frequência média de levantamento em levantamentos/min; C: qualidade da pega LPR= 23 x (25/H) x (1-0,003/[v-75]) x (0,82+4,5/D) x (1-0,0032 x A) x F x C O resultado da equação de NIOSH é o LPR: limite de peso recomendável. Assim, o peso real carregado pelo trabalhador não deve ultrapassar o LPR, realizando-se assim a análise de levantamento de carga. 6. Metodologia A pesquisa é de caráter descritivo exploratório, de natureza quantitativa e qualitativa, em relação aos dados obtidos. Para a coleta de dados foram realizadas pesquisas referentes às metodologias de análise ergonômica, focando no método OWAS de análise postural, e no método NIOSH para análise do levantamento de carga, assim como da literatura especializada (LAKATOS e MARCONI, 2001). A coleta de dados foi realizada através da observação de postura dos trabalhadores ao executarem suas tarefas, e também foram coletadas fotografias para análise detalhada da postura dos mesmos, através da aplicação da metodologia OWAS de análise postural. Já para a análise do levantamento de carga foi aplicado o método NIOSH, e foram realizadas 11

12 medições das variáveis necessárias, de acordo com a tópico 3.2.1, apresentado anteriormente. As cargas foram medidas na própria fábrica, através de uma balança sem tara, para considerar o peso total levantado pelos trabalhadores. O diagnóstico de postura é fornecido através das classes exibidas em 3.1.1, de acordo com o sistema OWAS. Já o diagnóstico de carga é dado pelo LPR (limite de peso recomendado), de modo que se o peso real for maiorl que o LPR, o posto deve receber atenção para a realização de mudanças. 7. Resultados A seguir estão os resultados obtidos para a análise de postura e carga realizada em uma fábrica de sorvetes no interior do Paraná. Foram identificados 7 postos de trabalho, conforme a seguir: pasteurização, saborização, envase, embalagem, palitos picolé, saborização picolé e carregamento para entrega. Os diagnósticos serão apresentados em tabelas para facilitar a compreensão, conforme a seguir: Figura 7 Posto 1 - Pasteurização Fonte: Autores (2013) O Posto 1 foi analisado em 3 situações distintas, pois conforme pode ser observado na imagem acima, as caixas de leite são removidas conforme esvaziam, aumentando a distância D, de modo que NIOSH foi aplicado 3 vezes. Porém, em todas as situações a carga esteve adequada, pois o peso levantado é de 3 Kg, e o menor LPR é 3,032 Kg. Porém em relação à 12

13 postura, a mesma foi identificada como Classe 2, ou seja, a postura deve ser verificada durante a próxima revisão rotineira dos métodos de trabalho. Figura 8 Posto 2 - Saborização Fonte: Autores (2013) O Posto 2 foi analisado em 2 situações distintas, pois conforme pode ser observado na imagem acima, pois a calda do sorvete primeiro precisa passar por um liquidificador e em seguida ir para a saborização. Em relação à postura, amnbos os postos estão adequados, porém em relação à carga foi encontrado um LPR de 9,867 Kg no liquidificador e 9,133 Kg na saborização, sendo que a carga real é de 13,8 Kg. Portanto, ambos os postos carecem de medidas para corrigir a carga levantada. Sugeriu-se reduzir o volume do balde utilizado, para adequar-se à equação de NIOSH. Figura 9 Postos 3 e 4 Envase e Embalagem Fonte: Autores (2013) 13

14 Nos postos 3 e 4 não há levantamento de carga, por isso aplicou-se apenas o método OWAS para análise da postura. No posto de Envase é necessário verificá-lo na próxima revisão, e no posto 4 não há necessidade de mudanças no momento. Sugere-se para o posto 3 a elevação da bancada, para evitar que o trabalhador precise inclinar sua coluna vertebral e assim corrigir sua postura. Figura 10 Postos 5 e 6 Palitos e Saborização de Picolé Fonte: Autores (2013) Nos postos 5 e 6 a postura encontra-se adequada. Quanto à carga, na situação real o peso levantado é de 7 Kg, portanto o posto está adequado, já que o peso encontra-se abaixo no limite de peso recomendado, que é de 10,995 Kg. Figura 11 Posto 7 Carregamento para entrega Fonte: Autores (2013) O posto 7 é considerado adequado de acordo com a metodologia OWAS, porém é um caso grave em relação à carga. O limite de peso recomendado é de 9,716 Kg, porém a carga real é 14

15 de 28 Kg, ou seja, quase 3 vezes mais do que o recomendado. Medidas devem ser implementadas imediatamente para reduzir os riscos no trabalho. Foi sugerida a utilização de paleteira ou de carro de transporte. 8. Considerações Finais A Ergonomia busca em essência adaptar o trabalho ao homem, porém para atingir este objetivo é necessário conhecer detalhadamente o ambiente de trabalho, as ferramentas disponíveis e como o trabalhador se relaciona com o seu posto de trabalho. Para facilitar a obtenção de dados e interpretação dos mesmos, existem diversas ferramentas de análise, sendo que neste trabalho foram aplicadas duas: método OWAS de análise postural e método NIOSH para análise do levantamento de carga. Os resultados obtidos demonstraram que há poucas preocupações quanto à postura, porém os postos 1 e 3 devem receber atenção durante a próxima análise ergonômica para que a situação atual possa ser melhorada. Porém em relação à carga, foram encontradas cargas de peso acima do limite recomendado nos postos 2 e 7, sendo que o posto 7 é o caso crítico na fábrica, pois o operador está levantando uma carga aproximadamente 3 vezes maior que o recomendado. Após o diagnóstico dos postos de trabalho foram realizadas sugestões à empresa para que os postos sejam adequados aos trabalhadores, e posteriormente será executada nova análise nos postos com problemas para verificar a eficácia das ações propostas pelos pesquisadores. REFERÊNCIAS ALVAREZ, B.R. Qualidade de vida relacionada à saúde de trabalhadores. Dissertação. Florianópolis: Universidade Federal de Santa Catarina; BRASIL. Ministério do Trabalho. Normas Regulamentadoras de segurança e saúde no trabalho. NR 17 - Ergonomia. Disponível em: acesso em FIEDLER, N.C.; VENTUROLI, F.; MINETTI, L.J. Análise de fatores ambientais em marcenarias no Distrito Federal. Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental, v. 10, p ,

16 IIDA, I. Ergonomia: projeto e produção. 2º ed. São Paulo Blucher, LAKATOS, E. M.; MARCONI, M. A. Fundamentos de Metodologia Científica. 6ºed., São Paulo: Atlas, 2006 MATOS, C.H.; PROENÇA, R.P.C. Condições de trabalho e estado nutricional de operadores do setor de alimentação coletiva: um estudo de caso. Revista Nutrição, v. 16, p , SILVA, M.C. Meio ambiente como fator limitante no desempenho do trabalho e segurança do trabalhador. R. Cad Inf Prev Acid, 183, p , SOUSA, A.A., PROENÇA, R.P.C. Tecnologias de gestão dos cuidados nutricionais: recomendações para qualificação do atendimento nas unidades de alimentação e nutrição hospitalares. Revista Nutrição, v. 17, p , SZELWAR, L.I.; LANCMAN, S.; JOHLBEN, W.M.; ALVARINHO, E.; SANTOS, M. Análise do trabalho e serviço de limpeza hospitalar: contribuições da ergonomia e da psicodinâmica do trabalho. R. Prod.; 14:45-57,

Uma análise ergonômica de levantamento de cargas utilizando o método NIOSH

Uma análise ergonômica de levantamento de cargas utilizando o método NIOSH Uma análise ergonômica de levantamento de cargas utilizando o método NIOSH João Antônio de Castro FERNANDES¹; Wemerton Luís EVANGELISTA² ¹ Aluno do curso de Engenharia de Produção do IFMG campus Bambuí

Leia mais

AVALIAÇÃO ERGONÔMICA: APLICAÇÃO DO MÉTODO OWAS EM UMA LOJA DE CALÇADOS

AVALIAÇÃO ERGONÔMICA: APLICAÇÃO DO MÉTODO OWAS EM UMA LOJA DE CALÇADOS AVALIAÇÃO ERGONÔMICA: APLICAÇÃO DO MÉTODO OWAS EM UMA LOJA DE CALÇADOS Mariana de Barros Cruz Pereira Mota (UCAM) marianamota01@hotmail.com Mayara Ribeiro Castilho (UCAM) mayararc2005@hotmail.com Leandro

Leia mais

Análise ergonômica com a aplicação do método OWAS: Estudo de caso em uma indústria moveleira do centro-oeste do Paraná

Análise ergonômica com a aplicação do método OWAS: Estudo de caso em uma indústria moveleira do centro-oeste do Paraná Análise ergonômica com a aplicação do método OWAS: Estudo de caso em uma indústria moveleira do centro-oeste do Paraná Diego Aparecido da Silva 1 (UEM) diego.apo.silva@gmail.com Laurindo Otávio Gonçalves

Leia mais

Análise das queixas dolorosas para adaptação do método de avaliação ergonômica

Análise das queixas dolorosas para adaptação do método de avaliação ergonômica Análise das queixas dolorosas para adaptação do método de avaliação ergonômica Fabiano Takeda 1 (UTFPR) takeda.f@bol.com.br Claudilaine Caldas de Oliveira 2 (UTFPR) clau_epa@yahoo.com.br Antonio Augusto

Leia mais

ANÁLISE ERGONÔMICA POSTURAL DO POSTO DE TRABALHO DE SERVENTE EM OBRAS DE SORRISO - MT

ANÁLISE ERGONÔMICA POSTURAL DO POSTO DE TRABALHO DE SERVENTE EM OBRAS DE SORRISO - MT ANÁLISE ERGONÔMICA POSTURAL DO POSTO DE TRABALHO DE SERVENTE EM OBRAS DE SORRISO - MT ALMEIDA, Renan Souza de Almeida Engenheiro Civil Universidade do Estado de Mato Grosso (UNEMAT) Aluno de pós graduação

Leia mais

EQUAÇÃO DO NIOSH PARA LEVANTAMENTO MANUAL DE CARGAS

EQUAÇÃO DO NIOSH PARA LEVANTAMENTO MANUAL DE CARGAS EQUAÇÃO DO NIOSH PARA LEVANTAMENTO MANUAL DE CARGAS Introdução Desenvolvida em 1981 pelo National Institute for Occupational Safety and Health NIOSH; Objetivo: Criar uma ferramenta para poder identificar

Leia mais

Biomecânica como ferramenta ergonômica para análise do trabalho florestal

Biomecânica como ferramenta ergonômica para análise do trabalho florestal Biomecânica como ferramenta ergonômica para análise do trabalho florestal Autores Angelo Casali de Moraes - Eng. Florestal - UFV (angelo.moraes@ufv.br) Luciano José Minette - Eng. Florestal UFV (minette@ufv.br)

Leia mais

Por esse motivo é tão comum problemas na coluna na sua grande maioria posturais.

Por esse motivo é tão comum problemas na coluna na sua grande maioria posturais. R.P.G. E A MECÂNICA DA NOSSA COLUNA VERTEBRAL * Dr. Gilberto Agostinho A coluna vertebral, do ponto de vista mecânico é um verdadeiro milagre. São 33 vértebras (7 cervicais + 12 torácicas + 5 lombares

Leia mais

Avaliação ergonômica dos postos de trabalho dos funcionários de uma lavanderia industrial área industrial

Avaliação ergonômica dos postos de trabalho dos funcionários de uma lavanderia industrial área industrial Avaliação ergonômica dos postos de trabalho dos funcionários de uma lavanderia industrial área industrial Paolo Cinque Pequini (Faculdade Área 1) ppeqhini@cpunet.com.br Carlos Brasileiro (Faculdade Área

Leia mais

Dor nas costas é natural ou descuido?

Dor nas costas é natural ou descuido? 1 FOLHAS Escola: E. E. Prof. Léo Kohler Ensino Fundamental NRE: Cianorte Nome do professor: Reginaldo Dimas R. Longo e-mail: reginaldodimas@seed.pr.gov.br Nome do professor orientador: Prof. Dr. Pedro

Leia mais

3.2 A coluna vertebral

3.2 A coluna vertebral 73 3.2 A coluna vertebral De acordo com COUTO (1995), o corpo é dividido em cabeça, tronco e membros; unindo porção superior e a porção inferior do corpo temos o tronco, e no tronco, a única estrutura

Leia mais

Uma Definição: "Estudo entre o homem e o seu trabalho, equipamentos e meio ambiente".

Uma Definição: Estudo entre o homem e o seu trabalho, equipamentos e meio ambiente. ERGONOMIA: palavra de origem grega. ERGO = que significa trabalho NOMOS = que significa regras Uma Definição: "Estudo entre o homem e o seu trabalho, equipamentos e meio ambiente". Tríade básica da Ergonomia:

Leia mais

FERRAMENTAS DE AVALIAÇÃO ERGONÔMICA EM ATIVIDADES AGRÍCOLAS: CONTRIBUIÇÃO NA QUALIDADE DE VIDA NO TRABALHO

FERRAMENTAS DE AVALIAÇÃO ERGONÔMICA EM ATIVIDADES AGRÍCOLAS: CONTRIBUIÇÃO NA QUALIDADE DE VIDA NO TRABALHO FERRAMENTAS DE AVALIAÇÃO ERGONÔMICA EM ATIVIDADES AGRÍCOLAS: CONTRIBUIÇÃO NA QUALIDADE DE VIDA NO TRABALHO Maria de Lourdes Santiago Luz Universidade Estadual de Maringá mlsluz@uem.br Syntia Lemos Cotrim

Leia mais

Condições de Trabalho

Condições de Trabalho NR-17 Ergonomia OBJETIVO Visa a estabelecer parâmetros que permitam a adaptação das condições de trabalho às características psicofisiológicas dos trabalhadores, de modo a proporcionar um máximo de conforto,

Leia mais

ANÁLISE ERGONOMICA DE UM POSTO DE TRABALHO

ANÁLISE ERGONOMICA DE UM POSTO DE TRABALHO 0 UNIVERSIDADE DO EXTREMO SUL CATARINENSE - UNESC PÓS - ENGENHARIA E SEGURANÇA DO TRABALHO ANGELA WATERKEMPER VIEIRA ANÁLISE ERGONOMICA DE UM POSTO DE TRABALHO CRICIÚMA, FEVEREIRO DE 2012. 1 ANGELA WATERKEMPER

Leia mais

3.4 Deformações da coluna vertebral

3.4 Deformações da coluna vertebral 87 3.4 Deformações da coluna vertebral A coluna é um dos pontos mais fracos do organismo. Sendo uma peça muito delicada, está sujeita a diversas deformações. Estas podem ser congênitas (desde o nascimento

Leia mais

APLICAÇÃO DO MÉTODO RULA NA INVESTIGAÇÃO DA POSTURA ADOTADA POR OPERADOR DE BALANCEADORA DE PNEUS EM UM CENTRO AUTOMOTIVO

APLICAÇÃO DO MÉTODO RULA NA INVESTIGAÇÃO DA POSTURA ADOTADA POR OPERADOR DE BALANCEADORA DE PNEUS EM UM CENTRO AUTOMOTIVO APLICAÇÃO DO MÉTODO RULA NA INVESTIGAÇÃO DA POSTURA ADOTADA POR OPERADOR DE BALANCEADORA DE PNEUS EM UM CENTRO AUTOMOTIVO Ben Hur Giovani M Capeletti (UTFPR) bgmcapelettiz29@gmail.com ALINE SIAS FRANCHINI

Leia mais

O que é ERGONOMIA? TERMOS GREGOS: ERGO = TRABALHO NOMIA (NOMOS)= REGRAS, LEIS NATURAIS

O que é ERGONOMIA? TERMOS GREGOS: ERGO = TRABALHO NOMIA (NOMOS)= REGRAS, LEIS NATURAIS O que é ERGONOMIA? TERMOS GREGOS: ERGO = TRABALHO NOMIA (NOMOS)= REGRAS, LEIS NATURAIS...é um conjunto de conhecimentos relativos ao homem e necessários à concepção de instrumentos, máquinas e dispositivos

Leia mais

Aplicação das ferramentas da Ergonomia no setor de atendimento de uma agência bancária

Aplicação das ferramentas da Ergonomia no setor de atendimento de uma agência bancária Aplicação das ferramentas da Ergonomia no setor de atendimento de uma agência bancária Fádua Maria do Amaral SAMPAIO 1 ; Fernando Salomé JORGE 1 ; Wemerton Luís EVANGELISTA 2 1 Estudante de Engenharia

Leia mais

EXERCÍCIOS SISTEMA ESQUELÉTICO

EXERCÍCIOS SISTEMA ESQUELÉTICO EXERCÍCIOS SISTEMA ESQUELÉTICO 1. Quais as funções do esqueleto? 2. Explique que tipo de tecido forma os ossos e como eles são ao mesmo tempo rígidos e flexíveis. 3. Quais são as células ósseas e como

Leia mais

A importância da Ergonomia Voltada aos servidores Públicos

A importância da Ergonomia Voltada aos servidores Públicos A importância da Ergonomia Voltada aos servidores Públicos Fisioterapeuta: Adriana Lopes de Oliveira CREFITO 3281-LTT-F GO Ergonomia ERGONOMIA - palavra de origem grega, onde: ERGO = trabalho e NOMOS

Leia mais

ESCOLIOSE Lombar: Sintomas e dores nas costas

ESCOLIOSE Lombar: Sintomas e dores nas costas ESCOLIOSE Lombar: Sintomas e dores nas costas O que é escoliose? É um desvio látero-lateral que acomete acoluna vertebral. Esta, quando olhada de frente, possui aparência reta em pessoas saudáveis. Ao

Leia mais

Prof. Gustavo Suriani de Campos Meireles, M.Sc.

Prof. Gustavo Suriani de Campos Meireles, M.Sc. Pontifícia Universidade Católica de Goiás Departamento de Engenharia Curso de Graduação em Engenharia de Produção ENG 1090 Introdução à Engenharia de Produção Prof. Gustavo Suriani de Campos Meireles,

Leia mais

INVOLUÇÃO X CONCLUSÃO

INVOLUÇÃO X CONCLUSÃO POSTURA INVOLUÇÃO X CONCLUSÃO *Antigamente : quadrúpede. *Atualmente: bípede *Principal marco da evolução das posturas em 350.000 anos. *Vantagens: cobrir grandes distâncias com o olhar, alargando seu

Leia mais

É responsável pelo movimento do corpo

É responsável pelo movimento do corpo É responsável pelo movimento do corpo O sistema locomotor é formado pelos ossos, músculos e articulações. O sistema esquelético sustenta, protege os órgãos internos, armazena minerais e íons e produz células

Leia mais

DISTÚRBIOS OSTEOMUSCULARES RELACIONADOS AO TRABALHO EM PROFISSIONAIS DA LIMPEZA

DISTÚRBIOS OSTEOMUSCULARES RELACIONADOS AO TRABALHO EM PROFISSIONAIS DA LIMPEZA DISTÚRBIOS OSTEOMUSCULARES RELACIONADOS AO TRABALHO EM PROFISSIONAIS DA LIMPEZA ROSEMARA SANTOS DENIZ AMARILLA (1), BRUNO BORSATTO (2), RODRIGO EDUARDO CATAI (3) (1) Mestrado em Engenharia Civil / UTFPR

Leia mais

TRABALHADOR NA ORDENHA MANUAL

TRABALHADOR NA ORDENHA MANUAL TRABALHADOR NA ORDENHA MANUAL CONSELHO DELIBERATIVO DO SENAR Presidente do Conselho Deliberativo João Martins da Silva Júnior Secretário Executivo Daniel Klüppel Carrara Chefe do Departamento de Educação

Leia mais

Health Safety Saúde Segurança Meio-Ambiente Instrução T&D EHS OI - 04. Transporte Manual MODIFICAÇÃO

Health Safety Saúde Segurança Meio-Ambiente Instrução T&D EHS OI - 04. Transporte Manual MODIFICAÇÃO Health Safety Saúde Segurança Meio-Ambiente Instrução T&D EHS OI - 04 Transporte Manual T&D Autorizado por: Ahmed BENNOUR VP Performance & Optimisation Aprovado por: Bertrand NEGRELLO VP HSE T&D Preparado

Leia mais

CARTILHA DE ERGONOMIA NA CONSTRUÇÃO CIVIL NR-17

CARTILHA DE ERGONOMIA NA CONSTRUÇÃO CIVIL NR-17 CARTILHA DE ERGONOMIA NA CONSTRUÇÃO CIVIL NR-17 Comissão: Alynne Obermüller Carolina Amaral Gabriela Silva Mariana Ribeiro Colaboração: Teresa Mate Ergonomia na prática: CARPINTEIRO 4 SUMÁRIO Apresentação...

Leia mais

Palavras Chave: Fisioterapia preventiva do trabalho; LER/DORT; acidente de trabalho, turnover.

Palavras Chave: Fisioterapia preventiva do trabalho; LER/DORT; acidente de trabalho, turnover. A eficácia da fisioterapia preventiva do trabalho na redução do número de colaboradores em acompanhamento no ambulatório de fisioterapia de uma indústria de fios têxteis Rodrigo Mendes Wiczick (UTFPR)rodrigo_2006@pg.cefetpr.br

Leia mais

Ergonomia Corpo com Saúde e Harmonia

Ergonomia Corpo com Saúde e Harmonia Ergonomia Corpo com Saúde e Harmonia Dr. Leandro Gomes Pistori Fisioterapeuta CREFITO-3 / 47741-F Fone: (16) 3371-4121 Dr. Paulo Fernando C. Rossi Fisioterapeuta CREFITO-3 / 65294 F Fone: (16) 3307-6555

Leia mais

Semiologia Ortopédica Pericial

Semiologia Ortopédica Pericial Semiologia Ortopédica Pericial Prof. Dr. José Heitor Machado Fernandes 2ª V E R S Ã O DO H I P E R T E X T O Para acessar os módulos do hipertexto Para acessar cada módulo do hipertexto clique no link

Leia mais

Cuidados Posturais. Prof Paulo Fernando Mesquita Junior

Cuidados Posturais. Prof Paulo Fernando Mesquita Junior Cuidados Posturais Prof Paulo Fernando Mesquita Junior Vídeo: Cuidados_posturais_Dr.MiguelMastropaulo A postura correta Considera-se uma boa postura aquela condição em que o alinhamento corporal proporciona

Leia mais

Vantagens e limitações de duas ferramentas de análise e registro postural quanto à identificação de riscos ergonômicos

Vantagens e limitações de duas ferramentas de análise e registro postural quanto à identificação de riscos ergonômicos Vantagens e limitações de duas ferramentas de análise e registro postural quanto à identificação de riscos ergonômicos João Paulo Campos de Souza (PPGEP UFPB) souza.jp@gmail.com Prof. Dr. Celso Luiz Pereira

Leia mais

Análise ergonômica da atividade de aplicação do gesso no ambiente

Análise ergonômica da atividade de aplicação do gesso no ambiente Análise ergonômica da atividade de aplicação do gesso no ambiente laboral da construção civil Resumo Anna Sofia Pereira annasofiapereira@yahoo.combr Master em Arquitetura - IPOG O trabalho em questão faz

Leia mais

Biomecânica. A alavanca inter-resistente ou de 2º grau adequada para a realização de esforço físico, praticamente não existe no corpo humano.

Biomecânica. A alavanca inter-resistente ou de 2º grau adequada para a realização de esforço físico, praticamente não existe no corpo humano. Biomecânica Parte do conhecimento da Ergonomia aplicada ao trabalho origina-se no estudo da máquina humana. Os ossos, os músculos, ligamentos e tendões são os elementos dessa máquina que possibilitam realizar

Leia mais

ERGONOMIA. Anatomia e Fisiologia - Limitações do Organismo Humano

ERGONOMIA. Anatomia e Fisiologia - Limitações do Organismo Humano Verificamos um exemplo, da operária, de como é importante para o profissional de Segurança e Higiene do Trabalho conhecer as limitações do corpo humano e como este pode se sobrecarregar, com o intuito

Leia mais

Dicas para manter a postura e não prejudicar a coluna no dia a dia

Dicas para manter a postura e não prejudicar a coluna no dia a dia Dicas para manter a postura e não prejudicar a coluna no dia a dia No decorrer do dia, desempenhamos várias funções, desde agachar para pegar uma caneta do chão, a limpeza de sua casa e no trabalho. As

Leia mais

DE VOLTA ÀS AULAS... CUIDADOS COM A POSTURA E O PESO DA MOCHILA!

DE VOLTA ÀS AULAS... CUIDADOS COM A POSTURA E O PESO DA MOCHILA! DE VOLTA ÀS AULAS... CUIDADOS COM A POSTURA E O PESO DA MOCHILA! SUA MOCHILA NÃO PODE PESAR MAIS QUE 10% DO SEU PESO CORPORAL. A influência de carregar a mochila com o material escolar nas costas, associado

Leia mais

Quesitos da função prática. Antropometria

Quesitos da função prática. Antropometria Quesitos da função prática Antropometria breve histórico Filósofos, teóricos, artistas e arquitetos estudaram, ao longo da história, as proporções do corpo humano; antropometria física: viagens de Marco

Leia mais

Desvios da Coluna Vertebral e Algumas Alterações. Ósseas

Desvios da Coluna Vertebral e Algumas Alterações. Ósseas Desvios da Coluna Vertebral e Algumas Alterações Ósseas DESVIOS POSTURAIS 1. LORDOSE CERVICAL = Acentuação da concavidade da coluna cervical. CAUSA: - Hipertrofia da musculatura posterior do pescoço CORREÇÃO:

Leia mais

MESTRE MARCENEIRO. Saúde e segurança do marceneiro

MESTRE MARCENEIRO. Saúde e segurança do marceneiro Saúde e segurança marceneiro. A preocupação com o bem-estar, a saúde e a segurança do marceneiro no trabalho, vem crescendo no decorrer dos últimos anos, pois, quando o trabalho representa apenas uma obrigação

Leia mais

Fisioterapia Personalizada a Domicilio

Fisioterapia Personalizada a Domicilio Fisioterapia Personalizada a Domicilio O atendimento a domicilio da Fisio e Saúde Sul, privilegia o conforto e a saúde de seus pacientes, realizando atendimento que proporciona SAÚDE, BEM-ESTAR e MELHORA

Leia mais

Prof. Paulo C. Barauce Bento. Ergonomia. UFPR 2007 ETAPAS. Prof. Paulo C. Barauce Bento. Ergonomia. UFPR 2007. Prof. Paulo C.

Prof. Paulo C. Barauce Bento. Ergonomia. UFPR 2007 ETAPAS. Prof. Paulo C. Barauce Bento. Ergonomia. UFPR 2007. Prof. Paulo C. Ergonomia Posto de trabalho Menor unidade produtiva Aplicação da antropometria no design do local de trabalho Homem e seu local de trabalho Fábrica / escritório > conjunto de postos Análise do posto Enfoque

Leia mais

ANÁLISE ERGONÔMICA DA ATIVIDADE DE TRITURAR BLOCOS DE CARNE EM UMA EMPRESA DE ALIMENTOS EMBUTIDOS

ANÁLISE ERGONÔMICA DA ATIVIDADE DE TRITURAR BLOCOS DE CARNE EM UMA EMPRESA DE ALIMENTOS EMBUTIDOS RESUMO ANÁLISE ERGONÔMICA DA ATIVIDADE DE TRITURAR BLOCOS DE CARNE EM UMA EMPRESA DE ALIMENTOS EMBUTIDOS Raphael da Silva Nascimento Estudante do curso de Engenharia de Produção da UFV nascimento_raphael@yahoo.com.br

Leia mais

COLUNA LOMBAR TODOS OS PERIÓDICOS ESTÃO NO ACERVO DA BIBLIOTECA DA FACULDADE.

COLUNA LOMBAR TODOS OS PERIÓDICOS ESTÃO NO ACERVO DA BIBLIOTECA DA FACULDADE. OBJETIVOS: O aluno deverá ser capaz de identificar as principais doenças da coluna lombar assim como avaliação e prescrição de conduta fisioterápica pertinente. LER: O que é Hérnia de disco? A coluna vertebral

Leia mais

PREVENÇÃO E TRATAMENTO DE HÉRNIA DE DISCO SEM CIRURGIA

PREVENÇÃO E TRATAMENTO DE HÉRNIA DE DISCO SEM CIRURGIA PREVENÇÃO E TRATAMENTO DE HÉRNIA DE DISCO SEM CIRURGIA Dicas para uma vida sem dores na coluna A Hérnia de Disco A nossa coluna é composta de aproximadamente 32 vértebras, que são os ossos que formam

Leia mais

POSTURA CORPORAL/DOENÇAS OCUPACIONAIS: UM OLHAR DA ENFERMAGEM SOBRE AS DOENÇAS OSTEOARTICULARES

POSTURA CORPORAL/DOENÇAS OCUPACIONAIS: UM OLHAR DA ENFERMAGEM SOBRE AS DOENÇAS OSTEOARTICULARES Revista Eletrônica Novo Enfoque, ano 2013, v. 17, n. 17, p. 54 60 POSTURA CORPORAL/DOENÇAS OCUPACIONAIS: UM OLHAR DA ENFERMAGEM SOBRE AS DOENÇAS OSTEOARTICULARES BARBOSA, Bruno Ferreira do Serrado 1 SILVA,

Leia mais

Osteoporose. Trabalho realizado por: Laís Bittencourt de Moraes*

Osteoporose. Trabalho realizado por: Laís Bittencourt de Moraes* Trabalho realizado por: Laís Bittencourt de Moraes* * Fisioterapeuta. Pós-graduanda em Fisioterapia Ortopédica, Traumatológica e Reumatológica. CREFITO 9/802 LTT-F E-mail: laisbmoraes@terra.com.br Osteoporose

Leia mais

ACIDENTES DE TRABALHO PREVINA-SE

ACIDENTES DE TRABALHO PREVINA-SE ACIDENTES DE TRABALHO PREVINA-SE NÚMEROS ALARMANTES São 160 milhões de trabalhadores no mundo. Não essa não é uma estatística sobre um mega evento comemorativo ou o número de vagas disponíveis no Mercado

Leia mais

National Institute for Occupational Safety and Health (NIOSH) http://www.niosh. com.my/en/

National Institute for Occupational Safety and Health (NIOSH) http://www.niosh. com.my/en/ National Institute for Occupational Safety and Health (NIOSH) http://www.niosh. com.my/en/ LUCIANO JOSÉ PELOGIA FREZATTI ATIVIDADE FÍSICA O Homem consome energia enquanto parado; Quanto maior o trabalho

Leia mais

Rampa Automatizada. Prêmio GLP - Inovação. Categoria Saúde Ocupacional 11/08/2014. Participantes da Ultragaz. Base Paulínia

Rampa Automatizada. Prêmio GLP - Inovação. Categoria Saúde Ocupacional 11/08/2014. Participantes da Ultragaz. Base Paulínia Rampa Automatizada Prêmio GLP - Inovação Categoria Saúde Ocupacional 11/08/2014 Participantes da Ultragaz Base Paulínia Joleandro Nelson de Sousa Ricardo Junior Oliveira Fabio Oliveira da Silva Samantha

Leia mais

ERGONOMIA. FACCAMP Tecnologia em Segurança no Trabalho Profº Vitorino

ERGONOMIA. FACCAMP Tecnologia em Segurança no Trabalho Profº Vitorino FACCAMP Tecnologia em Segurança no Trabalho Profº Vitorino O que é ergonomia? (e não ergonometria e muito menos ergologia) Adaptação do trabalho ao ser humano: O trabalho tem todo um pano de fundo de sofrimento:

Leia mais

Aula 03 Antropometria Prof. Mario S. Ferreira Junho, 2013

Aula 03 Antropometria Prof. Mario S. Ferreira Junho, 2013 Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul Faculdade de Arquitetura e Urbanismo Curso de Especialização em Arquitetura da Habitação de Interesse Social ERGONOMIA E ACESSIBILIDADE Aplicada à

Leia mais

Sistema de Gestão de Segurança e Saúde Ocupacional. Procedimento de Transporte de Material

Sistema de Gestão de Segurança e Saúde Ocupacional. Procedimento de Transporte de Material Revisão: 00 Folha: 1 de 6 1) OBJETIVO Este procedimento estabelece parâmetros que permitam a adaptação das condições de trabalho às características psicofisiológicas dos trabalhadores, de modo a proporcionar

Leia mais

Cuidando da Coluna e da Postura. Texto elaborado por Luciene Maria Bueno. Coluna e Postura

Cuidando da Coluna e da Postura. Texto elaborado por Luciene Maria Bueno. Coluna e Postura Cuidando da Coluna e da Postura Texto elaborado por Luciene Maria Bueno Coluna e Postura A coluna vertebral possui algumas curvaturas que são normais, o aumento, acentuação ou diminuição destas curvaturas

Leia mais

A palavra postura tem dois grandes significados físico e figurativo (FERREI-

A palavra postura tem dois grandes significados físico e figurativo (FERREI- 11 2 BIOMECÂNICA DA POSTURA 1 2.1 Conceituação de postura A palavra postura tem dois grandes significados físico e figurativo (FERREI- RA, 1986, p. 1373): no sentido físico, corporal, significa "o modo

Leia mais

Proteger a medula espinal e os nervos espinais. Fornece um eixo parcialmente rígido e flexível para o corpo e um pivô para a cabeça

Proteger a medula espinal e os nervos espinais. Fornece um eixo parcialmente rígido e flexível para o corpo e um pivô para a cabeça Cinthya Natel Baer Cristiane Schwarz Gelain Isabella Mauad Patruni Laila Djensa S. Santos Laiza Tabisz Mariana Escani Guerra Paula Moreira Yegros Veronica Dalmas Padilha Ana Paula Trotta Aline Sudoski

Leia mais

Estudo de efeitos e causas do esforço físico em diversas áreas de trabalho enfatizando o campo agrário florestal

Estudo de efeitos e causas do esforço físico em diversas áreas de trabalho enfatizando o campo agrário florestal Estudo de efeitos e causas do esforço físico em diversas áreas de trabalho enfatizando o campo agrário florestal Jadir Vieira da Silva Estudante de Graduação do Curso Superior de Silvicultura IFMG campus

Leia mais

Filmes. Filmes. Gestão de RH. Medicina e segurança no trabalho. Prof. Rafael Marcus Chiuzi

Filmes. Filmes. Gestão de RH. Medicina e segurança no trabalho. Prof. Rafael Marcus Chiuzi Gestão de RH Prof. Rafael Marcus Chiuzi Medicina e segurança no trabalho Filmes Vídeo humorístico sobre segurança no trabalho. Duração: 3 20 Filmes Sequência de vídeos de acidente de trabalho. Duração:

Leia mais

ANÁLISE ERGONÔMICA POSTURAL DO POSTO DE TRABALHO DO SERVENTE NA CONSTRUÇÃO CIVIL

ANÁLISE ERGONÔMICA POSTURAL DO POSTO DE TRABALHO DO SERVENTE NA CONSTRUÇÃO CIVIL ISSN 1984-9354 ANÁLISE ERGONÔMICA POSTURAL DO POSTO DE TRABALHO DO SERVENTE NA CONSTRUÇÃO CIVIL Fernando Onuka (UTFPR) Daniel da Fonseca Arantes (UTFPR) Fernando Cunha De Andrade (UTFPR) Rodrigo Eduardo

Leia mais

Uso do Critério de NIOSH para determinação do Limite de Peso Recomendado em uma empresa de Pré-moldados

Uso do Critério de NIOSH para determinação do Limite de Peso Recomendado em uma empresa de Pré-moldados Uso do Critério de NIOSH para determinação do Limite de Peso Recomendado em uma empresa de Pré-moldados Hector Helmer PINHEIRO 1, Ricardo Resende CABRAL 1, Rafael da Silva SOUSA 1, Douglas Philippe A.

Leia mais

Lista de verificação para a prevenção de más posturas de trabalho

Lista de verificação para a prevenção de más posturas de trabalho 45 Lista de verificação para a prevenção de más posturas de trabalho Parte A: Introdução Uma boa postura de trabalho é fundamental para prevenir lesões músculo-esqueléticas relacionadas com o trabalho

Leia mais

Prp. Palmilhas para Reprogramação Postural. Pés. A Base da Boa Postura. João Elias Saad

Prp. Palmilhas para Reprogramação Postural. Pés. A Base da Boa Postura. João Elias Saad Prp. Palmilhas para Reprogramação Postural Pés A Base da Boa Postura João Elias Saad A influência dos pés na estruturação da postura corporal e utilização da palmilha proprioceptiva na prevenção e reprogramação

Leia mais

www.josegoe s.com.br Prof. Ms. José Góes Página 1

www.josegoe s.com.br Prof. Ms. José Góes Página 1 Página 1 01. Ossos da coluna vertebral A coluna vertebral é formada por um número de 33 ossos chamados vértebras. Estas se diferenciam pela sua forma e função. Vértebras semelhantes se agrupam em regiões

Leia mais

Postura corporal hábitos causas e consequências

Postura corporal hábitos causas e consequências Postura corporal hábitos causas e consequências AFINAL O QUE É POSTURA? Postura Definir Postura ideal é praticamente impossível. Porém, para Momesso (1997) postura, é a atitude que o corpo adota, mediante

Leia mais

Análise de fatores ergonômicos em um salão de beleza da cidade de Horizontina.

Análise de fatores ergonômicos em um salão de beleza da cidade de Horizontina. Análise de fatores ergonômicos em um salão de beleza da cidade de Horizontina. Diana Michele Pilz (FAHOR) dp000682@fahor.com.br Ricardo Muller (FAHOR) rm000820@fahor.com.br Luciéli Della Flora (FAHOR)

Leia mais

CARTILHA DE AUTOCUIDADO DE COLUNA

CARTILHA DE AUTOCUIDADO DE COLUNA CARTILHA DE AUTOCUIDADO DE COLUNA APRENDA A CUIDAR DA SUA COLUNA Elaboração: Júlia Catarina Sebba Rios Pesquisa: Efeitos de um programa educacional de autocuidado de coluna em idosos ati vos e sedentários

Leia mais

EXMO. Sr. JUIZ DA ª VARA DO TRABALHO DE TRT 13a Região. Ref.: Ação nº (ex.: RT 0025-2007-035-13-00-0)

EXMO. Sr. JUIZ DA ª VARA DO TRABALHO DE TRT 13a Região. Ref.: Ação nº (ex.: RT 0025-2007-035-13-00-0) EXMO. Sr. JUIZ DA ª VARA DO TRABALHO DE TRT 13a Região Ref.: Ação nº (ex.: RT 0025-2007-035-13-00-0), Médico(a) (especialidade, ex: Médico do Trabalho), inscrito(a) no Conselho Regional de Medicina nº

Leia mais

Global Training. The finest automotive learning

Global Training. The finest automotive learning Global Training. The finest automotive learning Cuidar da saúde com PREFÁCIO O Manual de Ergonomia para o Motorista que você tem em agora em mãos, é parte de um programa da Mercedes-Benz do Brasil para

Leia mais

Aplicação da equação do NIOSH para uma análise ergonômica em um mercado hortifruti.

Aplicação da equação do NIOSH para uma análise ergonômica em um mercado hortifruti. Aplicação da equação do NIOSH para uma análise ergonômica em um mercado hortifruti. Luciana MENDONÇA 1 ; Marislaine COSTA 1 ; Poliane LOPES 1 ; Valdevan MORAIS 1 ; Wemerton LUIS 2. 1 Estudante de Engenharia

Leia mais

ERGONOMIA CENTRO DE EDUCAÇÃO MÚLTIPLA PROFESSOR: RODRIGO ARAÚJO 3 MÓDULO NOITE

ERGONOMIA CENTRO DE EDUCAÇÃO MÚLTIPLA PROFESSOR: RODRIGO ARAÚJO 3 MÓDULO NOITE ERGONOMIA CENTRO DE EDUCAÇÃO MÚLTIPLA PROFESSOR: RODRIGO ARAÚJO 3 MÓDULO NOITE A ERGONOMIA ESTUDA A SITUAÇÃO DE TRABALHO: Atividade Ambiente (iluminação, ruído e calor) Posto de trabalho Dimensões, formas

Leia mais

Postura. As posturas prolongadas podem prejudicar os músculos e as articulações.

Postura. As posturas prolongadas podem prejudicar os músculos e as articulações. Postura A postura é, freqüentemente, determinada pela natureza da tarefa ou do posto de trabalho. Um porteiro de hotel tem uma postura estática, enquanto um carteiro passa a maior parte do tempo andando.

Leia mais

PORQUÊ EU TENHO DORES NAS COSTAS?

PORQUÊ EU TENHO DORES NAS COSTAS? Dores nas Costas PORQUÊ EU TENHO DORES NAS COSTAS? O QUE CAUSA DORS NAS COSTAS? Várias podem ser as causas de suas dores nas costas: - Posturas inadequadas - Esforço exagerado - Permanecer por muito tempo

Leia mais

Acessibilidade, responsabilidade de todos

Acessibilidade, responsabilidade de todos Acessibilidade, responsabilidade de todos APRESENTAÇÃO Programa A Receita É Saúde Gerente Responsável Raul Alves Buarque Ação Cadeira Certa Rui Alberto Fank Edição Jornalista Adroaldo Corrêa Texto Técnico

Leia mais

Análise postural dos operadores de uma fábrica de tijolos: aplicação do Método de NIOSH

Análise postural dos operadores de uma fábrica de tijolos: aplicação do Método de NIOSH Análise postural dos operadores de uma fábrica de tijolos: aplicação do Método de NIOSH Caroline PASSOS 1 ; Débora RODRIGUES 2 ; Rafaela LEITE 3 ; Wemerton EVANGELISTA 4. 1 Estudante de Engenharia de Produção.

Leia mais

Infra estrutura precária Máquinas e Equipamentos

Infra estrutura precária Máquinas e Equipamentos Variável: Infra estrutura precária Máquinas e Equipamentos Participantes do Aprofundamento da Variável: Coordenador: Mário Vinícius Bueno Cerâmica Betel - Uruaçu-Go Colaboradores: Juarez Rodrigues dos

Leia mais

A postura saudável para o digitador

A postura saudável para o digitador A postura saudável para o digitador A postura saudável para o digitador 2 Muitas vezes nos perguntamos: Qual é a postura mais adequada para se trabalhar durante horas em frente a um computador? Após anos

Leia mais

Exercícios de força muscular

Exercícios de força muscular Exercícios de força muscular ABDOMINAIS Objectivos: Melhoria funcional e reforço muscular do Core. Posição Inicial - Deite-se em decúbito dorsal (barriga para cima), coloque as pernas flectidas a 45º,

Leia mais

NR7, NR9, NR17 - PROGRAMAS. Adriano Fernandes da Silva Lucas dos Reis Furtado Natália Barrios da Vila

NR7, NR9, NR17 - PROGRAMAS. Adriano Fernandes da Silva Lucas dos Reis Furtado Natália Barrios da Vila NR7, NR9, NR17 - PROGRAMAS Alunos: Adriano Fernandes da Silva Lucas dos Reis Furtado Natália Barrios da Vila NR 7 PCMSO - PROGRAMA DE CONTROLE MÉDICO DE SAÚDE OCUPACIONAL Esta Norma Regulamentadora - NR

Leia mais

AVALIAÇÃO POSTURAL. Figura 1 - Alterações Posturais com a idade. 1. Desenvolvimento Postural

AVALIAÇÃO POSTURAL. Figura 1 - Alterações Posturais com a idade. 1. Desenvolvimento Postural AVALIAÇÃO POSTURAL 1. Desenvolvimento Postural Vantagens e desvantagens da postura ereta; Curvas primárias da coluna vertebral; Curvas Secundárias da coluna vertebral; Alterações posturais com a idade.

Leia mais

VII Jornadas Técnicas de Segurança no Trabalho

VII Jornadas Técnicas de Segurança no Trabalho VII Jornadas Técnicas de Segurança no Trabalho MANIPULAÇÃO MANUAL DE CARGAS (MMC) Fatores de Risco e Avaliação Ana Sofia Colim A Problemática da MMC Legislação Decreto-Lei 330/93 Métodos de Avaliação de

Leia mais

UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ DEPARTAMENTO ACADÊMICO DE CONSTRUÇÃO CIVIL ESPECIALIZAÇÃO EM ENGENHARIA DE SEGURANÇA DO TRABALHO

UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ DEPARTAMENTO ACADÊMICO DE CONSTRUÇÃO CIVIL ESPECIALIZAÇÃO EM ENGENHARIA DE SEGURANÇA DO TRABALHO UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ DEPARTAMENTO ACADÊMICO DE CONSTRUÇÃO CIVIL ESPECIALIZAÇÃO EM ENGENHARIA DE SEGURANÇA DO TRABALHO RODRIGO ALEXSSANDRO SAKAI ANÁLISE ERGONÔMICA DE PROFESSORES EM

Leia mais

Confederação Brasileira de Tiro Esportivo Originária da Confederação do Tiro Brasileiro decreto 1503 de 5 de setembro de 1906

Confederação Brasileira de Tiro Esportivo Originária da Confederação do Tiro Brasileiro decreto 1503 de 5 de setembro de 1906 Exercícios com Elástico Os Exercícios com elástico irão trabalhar Resistência Muscular Localizada (RML). Em cada exercício, procure fazer a execução de maneira lenta e com a postura correta. Evitar o SOLAVANCO

Leia mais

Patologias da coluna vertebral

Patologias da coluna vertebral Disciplina de Traumato-Ortopedia e Reumatologia Patologias da coluna vertebral Prof. Marcelo Bragança dos Reis Introdução Escoliose idiopática Dorso curvo Cervicobraquialgia Lombalgia e lombociatalgia

Leia mais

Márcia de Matos, Acadêmica Ana Regina de Aguiar Dutra, Dra. INTRODUÇÃO

Márcia de Matos, Acadêmica Ana Regina de Aguiar Dutra, Dra. INTRODUÇÃO PROJETO DE UMA FERRAMENTA PARA A COLETA E TRANSPORTE DE LIXO A SER UTILIZADA PELOS GARIS NOS MORROS DE FLORIANÓPOLIS, A PARTIR DAS METODOLOGIAS ERGONÔMICAS E DE DESENVOLVIMENTO DE PRODUTO. Márcia de Matos,

Leia mais

Deformidades da Coluna Vertebral

Deformidades da Coluna Vertebral Análise Radiológica Panorâmica das Deformidades da Coluna Vertebral RADIOLOGIA CONVENCIONAL ANALÓGICA abelardoradio@hotmail.com abelardosouzas@bol.com.br Considerações Históricas Desde 3500 a.c, publicações

Leia mais

O uso de práticas ergonômicas e de ginástica laboral nas escolas

O uso de práticas ergonômicas e de ginástica laboral nas escolas O uso de práticas ergonômicas e de ginástica laboral nas escolas Dessyrrê Aparecida Peixoto da Silva¹; Júlio César dos Santos² ¹Estudante de Engenharia de Produção, Bolsista de Extensão Universitária (PIBEX)

Leia mais

O PROJETO. A ESTAÇÃO SAÚDE foi desenvolvida com objetivo de proporcionar aos

O PROJETO. A ESTAÇÃO SAÚDE foi desenvolvida com objetivo de proporcionar aos O PROJETO A ESTAÇÃO SAÚDE foi desenvolvida com objetivo de proporcionar aos usuários diferentes exercícios que possibilitam trabalhar grupos musculares diversos, membros superiores, inferiores, abdominais

Leia mais

5 ADAPTANDO AS BICICLETAS SPEED E MOUNTAIN BIKE À MORFOLOGIA DO CICLISTA

5 ADAPTANDO AS BICICLETAS SPEED E MOUNTAIN BIKE À MORFOLOGIA DO CICLISTA 5 ADAPTANDO AS BICICLETAS SPEED E MOUNTAIN BIKE À MORFOLOGIA DO CICLISTA Os dados aqui apresentados referem-se ao cálculo das dimensões das bicicletas dos tipos Speed e Mountain Bike de acordo com os dados

Leia mais

Foram estabelecidos critérios de inclusão, exclusão e eliminação. Critérios de inclusão: todos os dançarinos com síndrome da dor femoropatelar.

Foram estabelecidos critérios de inclusão, exclusão e eliminação. Critérios de inclusão: todos os dançarinos com síndrome da dor femoropatelar. Figura 11a - Posição inicial: 1ª posição paralela. Figura 11b - demi-plié: 1ª posição paralela. Figura 12a - Posição inicial: 2ª posição paralela. Figura 12b- Demi-plié: 2ª posição paralela. 35 Figura

Leia mais

DESCRIÇÃO DAS ANÁLISES ERGONÔMICAS DOS POSTOS DE TRABALHO ATRAVÉS DAS FERRAMENTAS INTERNACIONAIS

DESCRIÇÃO DAS ANÁLISES ERGONÔMICAS DOS POSTOS DE TRABALHO ATRAVÉS DAS FERRAMENTAS INTERNACIONAIS DESCRIÇÃO DAS ANÁLISES ERGONÔMICAS DOS POSTOS DE TRABALHO ATRAVÉS DAS FERRAMENTAS INTERNACIONAIS A utilização de ferramenta técnica para a análise dos postos de trabalho torna a conclusão fiel à realidade,

Leia mais

AVALIAÇÃO DO OMBRO ANATOMIA DO OMBRO ANATOMIA DO OMBRO ANATOMIA DO OMBRO ANATOMIA DO OMBRO ANATOMIA DO OMBRO Articulação Sinovial Forma de sela Três graus de liberdade Posição de Repouso Posição de aproximação

Leia mais

Incidência de Disfunção Sacroilíaca

Incidência de Disfunção Sacroilíaca Incidência de Disfunção Sacroilíaca ::: Fonte Do Saber - Mania de Conhecimento ::: adsense1 Introdução A pelve e em especial as articulações sacroilíacas sempre foram consideradas como tendo valor clínico

Leia mais

OMO NASCEU A PALAVRA ERGONOMIA?...3

OMO NASCEU A PALAVRA ERGONOMIA?...3 Índice ÍNDICE...2 COMO NASCEU A PALAVRA ERGONOMIA?...3 O QUE É A ERGONOMIA?...3 ERGONOMIA NO TRABALHO....3 POSIÇÕES CORRECTAS A TER NO TRABALHO....4 O EQUIPAMENTO ERGONÓMICO...6 MONITOR...7 TECLADOS E

Leia mais

NORMA REGULAMENTADORA NR 17

NORMA REGULAMENTADORA NR 17 NORMA REGULAMENTADORA NR 17 NORMA REGULAMENTADORA - NR 17 ERGONOMIA 17.1. Esta Norma Regulamentadora visa a estabelecer parâmetros que permitam a adaptação das condições de trabalho às características

Leia mais

GESTÃO ERGONÔMICA POSTURAL DE UM POSTO DE TRABALHO NO SETOR DE CABOS DO ALMOXARIFADO DE MATERIAIS E ACESSÓRIOS

GESTÃO ERGONÔMICA POSTURAL DE UM POSTO DE TRABALHO NO SETOR DE CABOS DO ALMOXARIFADO DE MATERIAIS E ACESSÓRIOS 2, 3 e 4 de Julho de 2009 ISSN 1984-9354 GESTÃO ERGONÔMICA POSTURAL DE UM POSTO DE TRABALHO NO SETOR DE CABOS DO ALMOXARIFADO DE MATERIAIS E ACESSÓRIOS Persio Farah Serednicki UTFPR Rafael Antonio Agnoletto

Leia mais

fitness 94 SPORT LIFE

fitness 94 SPORT LIFE 94 SPORTLIFE o torracalorias O kettlebell, que chegou ao país no ano passado, queima, em 10 minutos, tanto quanto correr na esteira por 45 minutos Texto Lygia Haydée Fotos Bruno Guerreiro Uma bola de ferro

Leia mais

Atletismo O ARREMESSO DO PESO

Atletismo O ARREMESSO DO PESO Atletismo O ARREMESSO DO PESO A maior característica do lançamento do peso, é a de ser reservada para pessoas fortes, em todas as épocas. Tanto isto é verdade, que os povos antigos praticavam o arremesso

Leia mais

BANCO DE DADOS ANTROPOMÉTRICOS DE AERONAUTAS BRASILEIROS DO SEXO MASCULINO

BANCO DE DADOS ANTROPOMÉTRICOS DE AERONAUTAS BRASILEIROS DO SEXO MASCULINO Programa de Pós-graduação em Ciências Aeroespaciais - UNIFA 203 BANCO DE DADOS ANTROPOMÉTRICOS DE AERONAUTAS BRASILEIROS DO SEXO MASCULINO Sérgio Bastos Moreira 1 RESUMO O Brasil carece de informações

Leia mais