Oferta Pública de Ações. Março 2009

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Oferta Pública de Ações. Março 2009"

Transcrição

1 Oferta Pública de Ações Março 2009

2 Aviso Importante Este material foi preparado pela Redecard S.A. ("Redecard" ou "Companhia") exclusivamente para as apresentações relacionadas à Oferta Pública Secundária de Ações Ordinárias da Companhia no Brasil com esforços de venda no exterior de acordo com a Regra 144-A e o Regulamento S ("Oferta"), de acordo com o disposto no artigo 50, parágrafo 5º da Instrução CVM 400/03. Esta apresentação pode incluir declarações que podem representar expectativas sobre eventos ou resultados futuros de acordo com a regulamentação de valores mobiliários do Brasil. Estas declarações estão baseadas em certas suposições e análises feitas pela Companhia. Entretanto, os resultados reais da Companhia e de suas controladas podem diferir significantemente daqueles indicados ou implícitos nestas declarações de expectativas sobre eventos ou resultados futuros. As informações contidas nesta apresentação não foram independentemente verificadas. Nenhuma decisão de investimento deve se basear na validade, precisão, ou totalidade das informações ou opiniões contidas nesta apresentação. Nenhum dos assessores da Companhia ou suas respectivas afiliadas ou representantes terão qualquer responsabilidade por quaisquer perdas que possam surgir como resultado da utilização do conteúdo desta apresentação. As informações e dados estatísticos relativos ao mercado de atuação da Companhia foram obtidos nos relatórios de consultorias independentes, órgãos governamentais e publicações em geral. A Companhia e o Coordenador Líder acreditam na credibilidade de tais fontes de informação. Este documento não constitui uma oferta ou convite à aquisição de ações e nenhuma seção deste documento deve ser considerada como decisiva para se firmar qualquer contrato ou compromisso. Qualquer decisão de compra de ações desta Oferta deverá se basear exclusivamente em informações contidas no Prospecto Definitivo da Oferta, que conterá informações detalhadas da Companhia, de suas controladas e de seus respectivos negócios, assim como as demonstrações financeiras da Companhia. A presente Oferta está sob análise da Comissão de Valores Mobiliários. Portanto, informações referentes à Oferta assim como quaisquer informações constantes do Prospecto Preliminar estão sujeitas a complementação, correção e emenda. 1

3 Apresentadores Roberto Medeiros Juntou-se à Redecard em fevereiro de 2008 Foi Presidente da Telefonica Empresas, Presidente da Companhia Riograndense de Telecomunicações, Diretor de Operações da Telecom Italia Brasil e Diretor da Motorola do Brasil Graduação em Engenharia Elétrica Presidente Edson Luiz dos Santos Trabalha na Redecard há 8 anos Foi Diretor Financeiro da Durametalic, SEA Containers e DHL, além de Vice Presidente e Diretor Financeiro da Crown Cork Graduação em Administração de Empresas Cursou o Programa de Desenvolvimento de Executivos na Universidade de Michigan (EUA) e o Programa de Gestão Avançada da Fundação Dom Cabral / INSEAD Diretor Financeiro Viviane Behar de Castro Diretora de Relações com Investidores Juntou-se à Redecard em agosto de 2008 Foi RI da Biocapital S.A, trabalhou como assessora financeira em reestruturação de dívida na Light S.A. e possui 15 anos de experiência em bancos, tendo trabalhado no Bank of America e Citibank em corporate, project finance e investment banking Graduação em Adminsitração de Empresas 2

4 Sumário da Oferta Emissor Estrutura da Oferta Ações Ofertadas Ticker / Listagem Acionista Vendedor Redecard S.A. Oferta de Ações com esforço internacional de vendas sob a Regra 144A / Reg-S [xx] ações ordinárias 100% secundária GDS razão 2:1 RDCD3 (Bovespa / Novo Mercado) Banco Citibank S.A. Tamanho da Oferta R$ [xx] milhões (1) Lote de Ações Suplementares Precificação Período de Lock-up Até [xx%] da oferta base (100% secundário) [xx] 90 dias para a Companhia, Acionista Vendedor, Itaú e Unibanco Joint Bookrunners Nota: (1) Baseado no preço da ação de R$[xx], em [xx]. Não considera lote de ações suplementares 3

5 Estrutura Acionária e Governança Corporativa Estrutura Acionária Atual Citibank 17,0% Float 36,6% (2) Itaú 23,2% Unibanco 23,2% (1) Grupo Controlador 51% de participação conjunta: 17% Citi 17% Itaú 17% Unibanco Membros do Conselho de Administração Anastácio Ramos Joaquim Francisco de Castro Neto Leonel Dias de Andrade Neto Hugo Antunes Anversa Márcio de Andrade Schettini José Francisco Canepa Silvio Aparecido de Carvalho Horácio Lafer Piva (Membro Independente) Luiz Fernando Furlan (Membro Independente) Estrutura Acionária Pós-Oferta Citibank 3,6% (2) Itaú 23,2% Unibanco 23,2% Float 50,0% Notas: (1) Unibanco inclui Dibens Leasing, Unibanco Participações e Unibanco (2) Através do Banestado (1) Grupo Controlador: Itaú Unibanco Governança Corporativa Negociada no Novo Mercado - Classe única de ações (um voto por ação) - 2 membros independentes no Conselho de Administração - 100% tag along Integrante do IBOVESPA, representando atualmente 0,917% do índice Incluída no IGC Índice de Governança Corporativa Incluída no ITAG Índice de Tag Along 4

6 Prometido e Cumprido Prometido Cumprido AUMENTAR VOLUME DE VENDAS Volume de Vendas (R$ bilhões) % % 125 APRIMORAR EFICIÊNCIA OPERACIONAL Custo por Transação (R$) (1) -20% -10% R$ 0,47 R$ 0,38 R$ 0, EBITDA Ajustado (R$ milhões) (2) Margem 61,1% 61,3% 73,9% +19% +47% RESULTADOS FINANCEIROS SÓLIDOS Lucro Líquido (R$ milhões) (2) 602 Margem 33,8% % ,1% 46,4% +48% Nota: Lucro líquido para 2006 e 2007 é pro forma para excluir os efeitos do Consórcio Redecard Nota: (1) Considera custo de serviços prestados por transação de cartão de crédito e débito (2) Margens são calculadas sobre Receita Total Líquida: receita líquida de processamento de transações, aluguel de equipamentos, outras receitas operacionais e receita financeira líquida 5

7 Desempenho da Ação e Liquidez Desempenho do Preço da Ação vs. IBOVESPA Preço no IPO: R$27,00 (US$14,29) Valor de Mercado: R$18,2 bi (US$9,6 bi) R$ 40 Preço no Follow-on: R$26,00 (US$15,48) Valor de Mercado: R$17,5 bi (US$10,4 bi) Volume Médio Diário de Negociação (R$ milhões) Desde o IPO (1) $55,0 6 Meses 40,2 3 Meses 33,7 1 Mês 32,8 $89 R$ 35 $70 $68 R$ 30 $58 $55 $53 $53 $63 $60 $57 $58 R$ 25 R$26.30 $42 $43 $40 $46 $38 R$ 20 $33 $34 $32 R$ 15 Variação Últimos 12 Meses (%) RDCD3 8.0% IBOV (36.3%) R$ 10 Jul-07 Out-07 Dez-07 Mar-08 Jun-08 Ago-08 Nov-08 Fev-09 Redecard Ibovespa Nota: (1) Ibovespa indexado ao preço ajustado de $25,78 da Redecard no IPO (12 de julho de 2007) Fonte: Bloomberg, em 18 de fevereiro de 2009 Ago/07 Set/07 Out/07 Nov/07 Dez/07 Jan/08 Fev/08 Mar/08 Abr/08 Mai/08 Nota: (1) Exclui volume negociado no dia do IPO Fonte: Bloomberg, em 18 de fevereiro de 2009 Jun/08 Jul/08 Ago/08 Set/08 Out/08 Nov/08 Dez/08 Jan/09 Fev/09 6

8 Redecard Overview Redecard e a Indústria de Cartões de Pagamento 8

9 O Papel da Redecard no Mercado de Pagamentos no Brasil A Redecard é a principal credenciadora da MasterCard e Diners Club no Brasil, sendo também responsável pela captura, transmissão, processamento e liquidação financeira das transações Bandeiras Base de Cartões Outras Aceitação Bancos Emissores Credenciadores $ Valor da Transação (-) Taxa de Intercâmbio Fatura $ Valor da Transação Portadores de Cartão $ Valor da Transação (-) Taxa de Desconto Estabelecimentos Dados da Transação Bens / Serviços Cartões de Crédito e Débito 7

10 Mercado Brasileiro de Cartões de Pagamento A dinâmica do setor e o ambiente único de mercado resultam em diferenças significativas em relação ao mercado internacional de cartões de pagamento Mercado Brasileiro de Cartões de Pagamento Negócio do Credenciador Operações Verticalizadas Há Sempre Carência de Juros até o Vencimento da Fatura Cartão de Crédito Parcelado sem Juros Pré-pagamento de Recebíveis Rede Aluguel de POS 8

11 Como Olhar para a Redecard? A Redecard está posicionada entre os setores de tecnologia, financeiro e consumo. Porém, a Companhia não tem exposição direta aos riscos que afetam esses setores. Setor de Tecnologia O principal serviço da Redecard é a logísitca de bytes. Receita recorrente não depende da contínua inovação tecnológica $ Setor Financeiro As perspectivas da Companhia estão relacionadas a emissão de cartões pelos bancos mas não há exposição direta ao risco de crédito Mercado Consumidor Crescimento do consumo das famílias tem suportado o aumento de transações com cartões, enquanto o acesso a crédito e cartões estimula o consumo. O volume de transações é influenciado mais pela migração para meios de pagamentos eletrônicos do que por tendências de consumo 9

12 Redecard Sólido Histórico de Crescimento A Redecard apresentou crescimento consistente mesmo em períodos de crises internacionais e nacionais VOLUME DE TRANSAÇÕES E CRESCIMENTO DA RECEITA BRUTA (R$ milhões) Crise do Subprime CAGR Forte Restrição de Liquidez (Primeira Eleição de Lula) R$ % Apagão Elétrico 11 de Setembro Guerra do Iraque R$ R$ Crise da Ásia Crise da Rússia Depreciação da Moeda Brasileira % 15% Transações de Cartão de Débito (milhões) Transações de Cartão de Crédito (milhões) Receita Bruta (R$ milhões) Nota: Receita Bruta inclui receita de processamento de transações, aluguel de equipamentos, outras receitas operacionais e receita financeira líquida 10

13 Geração de Receita e Base de Clientes Diversificada COMPOSIÇÃO DA RECEITA BRUTA EM 2008 DIVERSIFICAÇÃO DOS ESTABELECIMENTOS (1) Captura, Processamento e Liquidação de Transações de Cartões de Crédito Liquidação Antecipada de Transações com Cartões de Crédito Captura e Transmissão de: - Transações Private Label - Transações de Cartões de Benefícios - Consulta de Cheques Cartão de Crédito 44% Pré- Pagamento 17% Outros 4% Aluguel de Equipamentos 23% Cartão de Débito 12% Captura, Processamento e Liquidação de Transações de Cartões de Débito Aluguel de Equipamentos de Captura Outros 10% Saúde 6% Alimentação T&E 12% 25% Veículos 12% Vestuário 18% Moradia 17% Nota: (1) Com base no volume financeiro das transações de Cartões de Crédito e Débito em 2008 Presente em todos os estados e em 100% das cidades com energia elétrica e telecomunicação. Nota: Receita bruta inclui receita de processamento de transações, aluguel de equipamentos, outras receitas operacionais e receita financeira líquida (R$2,8 bi). 11

14 Mercado Brasileiro de Cartões de Pagamento: Aumento da Penetração no Consumo das Famílias A penetração de cartões de pagamento no consumo das famílias tem apresentado crescimento consistente no Brasil nos últimos 6 anos e deve continuar crescendo nos próximos anos PAGAMENTOS COM CARTÃO COMO % DO CONSUMO DAS FAMÍLIAS EVOLUÇÃO NO MERCADO BRASILEIRO OUTROS PAÍSES EM ,6% 2x 43,4% 44,1% 44,5% 12,1% 13,7% 15,4% 17,1% 19,1% 21,2% E (1) Fonte: Banco Central do Brasil, relatórios da Nilson, ABECS, IBGE, BIS e Redecard Nota: (1) Dado de

15 Brasil (e Redecard) em um Estágio Anterior ao Mercado Americano: uma Comparação Justa? Brasil proporciona significativo potencial de crescimento dado que sua indústria de cartões ainda está em um estágio anterior quando comparado aos EUA CRESCIMENTO DO VALOR DE TRANSAÇÃO DIVIDIDO PELO CRESCIMENTO DO CONSUMO DAS FAMÍLIAS (1) Brasil Estados Unidos Média 2,5x 2,9 2,5 2,2 2,2 2,0 Média 2,8x 3,0 2,7 2,8 2,7 Média 2,4x 2,2 2,3 2,6 2,3 Média 2,1x 2,0 2,1 2,0 2,1 14% 15% 17% 19% 21% 21% 23% 25% 28% 30% 32% 33% 35% 38% 40% 43% 45% Penetração como % do Consumo das Famílias (2) E Notas: (1) Crescimento do valor de pagamentos com cartões apenas para as bandeiras MasterCard e Visa (2) Total da penetração do mercado de cartões de pagamento como percentual do consumo das famílias Fonte: Relatórios de pesquisa, relatórios da Nilson, ABECS, IBGE e Redecard 13

16 Mercado Brasileiro de Cartões de Pagamento: Baixo uso de cartões no Brasil quando comparado a países desenvolvidos NÚMERO DE TRANSAÇÕES POR CARTÃO/ANO CARTÕES DE DÉBITO: SAQUES DE DINHEIRO vs. COMPRAS Em ,3 Brasil 61,8 53,5 43,5 Cartão de Crédito 33,6 8,5 Cartão de Débito 6,1 Private Label Saques de Dinheiro 46% 55% 56% 58% 64% França Canadá Reino Unido Fontes: Bancos Centrais, ABECS, BIS Nota: (1) Holanda; (2) Dado de 2006 EUA 9,7 Brasil Compras 12% 15% 14% Itália HOL BRASIL 2007 BRASIL (2007): - Compras: R$ 83 bilhões - Saques de Dinheiro: R$ 498 bilhões (1) Reino Unido Canadá EUA (2) 14

17 Principais Fatores de Crescimento para o Mercado Brasileiro de Cartões de Pagamento Penetração Bancária Penetração de Crédito para Famílias de Baixa Renda Redução da Economia Informal Cultura de Uso do Cartão: Migração de Papel para Plástico Taxa de Juros de Cartões de Crédito em Queda 15

18 Redecard Overview Destaques Financeiros

19 Volume Financeiro e Base de Equipamentos POS Volume Financeiro (R$ bi) Base de Equipamentos POS (milhares) CAGR CAGR +23% R$ % R$125 23% +14% 888 R$83 R$ 69 R$ 83 20% % 782 R$ 57 17% R$ 26 R$ 34 R$ 42 28% Crédito Débito 1 16

20 Receita Crescimento consistente do volume financeiro processado em transações de crédito e débito favorecendo o crescimento da receita bruta. Receita Bruta (R$ milhões) +20% % CAGR ,2% Cartão de Crédito 28,1% Cartão de Débito 23,5% Aluguel de Equipamentos 17,1% 21,4% Receita Financeira Líquida (Pré-Pagamento) Outros Nota: Receita Bruta inclui receita de processamento de transações, aluguel de equipamentos, outras receitas operacionais e receita financeira líquida 2 17

21 Redução de Custos e Controle de Despesas Melhorias operacionais e ganhos de escala resultam em redução relevante de custos Custo Total de Serviços Prestados Por Despesas Operacionais Transação (Crédito e Débito) (excluindo Marketing) (R$) (R$ milhões) 12,0% 11,9% R$ 0,47 CAGR -15% R$ 251 8,1% R$ 0,38 R$ 0,34 R$ 214 R$ Entre 2006 e 2008, o Custo Total de Serviços Prestados Por Transação (Crédito e Débito) diminuiu em média 15% a.a. Entre 2006 e 2008, Despesas Operacionais (excluindo Marketing) diminuíram de 12,0% para 8,1% da receita Notas: (1) Principalmente Despesas Administrativas e de Pessoal, excluindo Despesas de Marketing (2) Receita Líquida Total inclui receita líquida de processamento de transações, aluguel de equipamentos, outras receitas operacionais e receita financeira líquida Despesas Operacionais (1) 2008 % Receita Líquida Total (2)

22 EBITDA Ajustado e Lucro Líquido Melhoria contínua da eficiência operacional resultando em um crescimento sustentável do EBITDA Ajustado e de Lucro Líquido EBITDA Ajustado (2) (R$ milhões) Lucro Líquido (R$ milhões) (1) (2) +19% R$ % R$ R$ 602 R$ % +48% R$ R$ Margem 61,1% 61,3% 73,9% Margem 33,8% 38,1% 46,4% Payout de Dividendos Notas: 99,5% 95,0% 83,0% (1) Lucro líquido para 2006 e 2007 é pro forma para excluir os efeitos do Consórcio Redecard (2) Margens são calculadas sobre Receita Total Líquida: receita líquida do processamento de transações, aluguel de equipamentos, outras receitas operacionais e receita financeira líquida 4 19

23

CSU CARDSYSTEM SA. investidorescsu@csu.com.br

CSU CARDSYSTEM SA. investidorescsu@csu.com.br CSU CARDSYSTEM SA investidorescsu@csu.com.br 2 Considerações Iniciais Esta apresentação pode incluir declarações que representem expectativas sobre eventos ou resultados futuros de acordo com a regulamentação

Leia mais

Apresentação de Resultados 3T07

Apresentação de Resultados 3T07 Apresentação de Resultados 3T07 Dezembro de 2007 2 Disclaimer Esse material foi preparado pela Tegma Gestão Logística S.A. ( Tegma" ou "Companhia") exclusivamente para as apresentações relacionadas à Oferta

Leia mais

APRESENTAÇÃO APIMEC. Março de 2015. Copyright Cielo Todos os direitos reservados

APRESENTAÇÃO APIMEC. Março de 2015. Copyright Cielo Todos os direitos reservados APRESENTAÇÃO APIMEC Março de 2015 Copyright Cielo Todos os direitos reservados A COMPANHIA FAZ DECLARAÇÕES SOBRE EVENTOS FUTUROS QUE ESTÃO SUJEITAS A RISCOS E INCERTEZAS Tais declarações têm como base

Leia mais

Mercado Segurador e Drivers de Crescimento

Mercado Segurador e Drivers de Crescimento APIMEC BH 2014 Mercado Segurador e Drivers de Crescimento BRASIL: PRINCIPAIS INDICADORES Crescimento da renda real, inflação sob controle e mobilidade social PIB PER CAPITA & DESEMPREGO (US$ milhares/ano)

Leia mais

APIMEC 1T10. 27 de maio 2010

APIMEC 1T10. 27 de maio 2010 APIMEC 1T10 27 de maio 2010 Aviso Importante O material que segue é uma apresentação de informações gerais de Multiplus S.A. ( Multiplus" ou "Companhia") na data desta apresentação. Este material foi preparado

Leia mais

Índice. RS no Brasil Nossa Empresa Governança Corporativa Nossos Números Análise Comparativa Sustentabilidade Projeções e Estimativas

Índice. RS no Brasil Nossa Empresa Governança Corporativa Nossos Números Análise Comparativa Sustentabilidade Projeções e Estimativas CICLO APIMEC 2010 Índice RS no Brasil Nossa Empresa Governança Corporativa Nossos Números Análise Comparativa Sustentabilidade Projeções e Estimativas 3 RS no Brasil DADOS DEMOGRÁFICOS RS BRASIL População

Leia mais

Spinelli Análise VisaNet

Spinelli Análise VisaNet Spinelli Análise VisaNet 02 de outubro de 2009 Destaques: VNET3 Preço alvo: R$ 20,62 Cotação: R$ 17,00 Upside: 21,3% Empresa: A VisaNet é a empresa líder da indústria de cartões de pagamento no mercado

Leia mais

Apresentação Investidores

Apresentação Investidores Apresentação Investidores Setembro de 2010 Aviso Importante Esse material pode conter previsões de eventos futuros.tais previsões refletem apenas expectativas dos administradores da Companhia, e envolve

Leia mais

Unopar. Dezembro 2011 KROT11

Unopar. Dezembro 2011 KROT11 Unopar Dezembro 2011 KROT11 Notas Importantes As afirmações contidas neste documento relacionadas a perspectivas sobre os negócios, projeções sobre resultados operacionais e financeiros e aquelas relacionadas

Leia mais

Apresentação Investidores

Apresentação Investidores Apresentação Investidores Abril de 2011 Aviso Importante Esse material pode conter previsões de eventos futuros.tais previsões refletem apenas expectativas dos administradores da Companhia, e envolve riscos

Leia mais

APRESENTAÇÃO CORPORATIVA

APRESENTAÇÃO CORPORATIVA APRESENTAÇÃO CORPORATIVA Junho de 2015 Copyright Cielo Todos os direitos reservados A COMPANHIA FAZ DECLARAÇÕES SOBRE EVENTOS FUTUROS QUE ESTÃO SUJEITAS A RISCOS E INCERTEZAS Tais declarações têm como

Leia mais

Daniel Zanela. Redecard

Daniel Zanela. Redecard Daniel Zanela Redecard Evolução: Faturamento e Volume de Cartões Quantidade de Cartões em Milhões 700 600 500 400 300 200 100 Faturamento em Bilhões R$ 600,00 R$ 500,00 R$ 400,00 R$ 300,00 R$ 200,00 R$

Leia mais

APIMEC 3T10 Novembro de 2010

APIMEC 3T10 Novembro de 2010 APIMEC Novembro de 2010 Aviso Importante Esse material pode conter previsões de eventos futuros.tais previsões refletem apenas expectativas dos administradores da Companhia, e envolve riscos ou incertezas

Leia mais

I. AMBIENTE DE MERCADO II. RESULTADOS III. NOVOS PROJETOS UTVM IV. NOVOS PROJETOS UF

I. AMBIENTE DE MERCADO II. RESULTADOS III. NOVOS PROJETOS UTVM IV. NOVOS PROJETOS UF 1 I. AMBIENTE DE MERCADO II. RESULTADOS III. NOVOS PROJETOS UTVM IV. NOVOS PROJETOS UF 2 Crédito ainda em Expansão, mas Desacelerando 30,7% Crescimento do Crédito 15,1% 20,6% 18,8% 16,4% 14,7% 11,7% 2008

Leia mais

Divulgação de Resultados do 2T10. 4 de agosto de 2010

Divulgação de Resultados do 2T10. 4 de agosto de 2010 Divulgação de Resultados do 4 de agosto de 2010 Aviso Importante Esse material pode conter previsões de eventos futuros.tais previsões refletem apenas expectativas dos administradores da Companhia, e envolve

Leia mais

Audiência Pública sobre Cartões de Pagamento. Câmara dos Deputados 08 de outubro de 2009

Audiência Pública sobre Cartões de Pagamento. Câmara dos Deputados 08 de outubro de 2009 Audiência Pública sobre Cartões de Pagamento Câmara dos Deputados 08 de outubro de 2009 Agenda Estrutura do Mercado de Cartões Principais Números da Indústria de Cartões no Brasil Situação Atual da Indústria

Leia mais

CSU CardSystem - 2010

CSU CardSystem - 2010 CSU CardSystem - 2010 Considerações Iniciais Esta apresentação pode incluir declarações que representem expectativas sobre eventos ou resultados futuros de acordo com a regulamentação de valores mobiliários

Leia mais

APIMEC CIELO 2013. 11 de Julho de 2013

APIMEC CIELO 2013. 11 de Julho de 2013 APIMEC CIELO 2013 11 de Julho de 2013 AVISO LEGAL A Companhia faz declarações sobre eventos futuros que estão sujeitas a riscos e incertezas. Tais declarações têm como base crenças e suposições de nossa

Leia mais

Reunião Pública Anual. 19 de dezembro de 2013

Reunião Pública Anual. 19 de dezembro de 2013 Reunião Pública Anual 19 de dezembro de 2013 2 Aviso importante Esse material pode conter previsões de eventos futuros. Tais previsões refletem apenas expectativas dos administradores da Companhia, e envolve

Leia mais

Apresentação de Resultados

Apresentação de Resultados Apresentação 3T08 Apresentação de Resultados José Carlos Aguilera (Diretor Presidente e de RI) Eduardo de Come (Diretor Financeiro) Marcos Leite (Gerente de RI) Destaques do Período Contexto de crise no

Leia mais

Relatório sobre a Indústria de Cartões de Pagamento

Relatório sobre a Indústria de Cartões de Pagamento Relatório sobre a Indústria de Cartões de Pagamento Audiência Pública CAE junho de 2009 Agenda 2 Introdução Relatório Metodologia e Fonte de Dados Aspectos Abordados Introdução 3 Projeto de Modernização

Leia mais

AUMENTO DE 17,6% NO VOLUME FINANCEIRO, LUCRO LÍQUIDO DE R$689 MILHÕES E MARGEM EBITDA DE 53,5% NO 3T13

AUMENTO DE 17,6% NO VOLUME FINANCEIRO, LUCRO LÍQUIDO DE R$689 MILHÕES E MARGEM EBITDA DE 53,5% NO 3T13 AUMENTO DE 17,6% NO VOLUME FINANCEIRO, LUCRO LÍQUIDO DE R$689 MILHÕES E MARGEM EBITDA DE 53,5% NO 3T13 Barueri, 04 de Novembro de 2013 A Cielo S.A. (BM&FBOVESPA: CIEL3 / OTC: CIOXY) anuncia hoje seus resultados

Leia mais

3T13 Divulgação de Resultados 8 de novembro de 2013

3T13 Divulgação de Resultados 8 de novembro de 2013 3T13 Divulgação de Resultados 8 de novembro de 2013 2 Aviso importante Esse material pode conter previsões de eventos futuros. Tais previsões refletem apenas expectativas dos administradores da Companhia,

Leia mais

Resultados 1T15. 08 de maio de 2015

Resultados 1T15. 08 de maio de 2015 Resultados 1T15 08 de maio de 2015 2 Principais destaques do 1T15 Crescimento da receita líquida de 23%, sendo de 2 dígitos em todas unidades de negócio no comparativo ano vs. ano, favorecidas por 83%

Leia mais

Luiz Fernando Rolla. Diretor de Finanças, Relações com Investidores e Controle de Participações

Luiz Fernando Rolla. Diretor de Finanças, Relações com Investidores e Controle de Participações Luiz Fernando Rolla Diretor de Finanças, Relações com Investidores e Controle de Participações Nossa base de acionistas assegura liquidez América do Norte Canadá Estados Unidos México Europa Luxemburgo

Leia mais

Mercado de Cartões de Crédito: Análise PLS 213/2007 e PLS 677/2007

Mercado de Cartões de Crédito: Análise PLS 213/2007 e PLS 677/2007 1 Mercado de Cartões de Crédito: Análise PLS 213/2007 e PLS 677/2007 Secretaria de Acompanhamento Econômico 1 Brasília 27 de maio de 2008 2 ESTRUTURA A Secretaria de Acompanhamento Econômico/MF Panorama

Leia mais

Divulgação de Resultados 2014

Divulgação de Resultados 2014 São Paulo - SP, 10 de Fevereiro de 2015. A Tarpon Investimentos S.A. ( Tarpon ou Companhia ), por meio de suas subsidiárias, realiza a gestão de fundos e carteiras de investimentos em bolsa e private-equity

Leia mais

Banco Santander (Brasil) S.A.

Banco Santander (Brasil) S.A. Banco Santander (Brasil) S.A. Resultados em BR GAAP 4T14 3 de Fevereiro de 2015 INFORMAÇÃO 2 Esta apresentação pode conter certas declarações prospectivas e informações relativas ao Banco Santander (Brasil)

Leia mais

PROSPECTO DEFINITIVO DE DISTRIBUIÇÃO PÚBLICA PRIMÁRIA E SECUNDÁRIA DE AÇÕES ORDINÁRIAS DE EMISSÃO DA

PROSPECTO DEFINITIVO DE DISTRIBUIÇÃO PÚBLICA PRIMÁRIA E SECUNDÁRIA DE AÇÕES ORDINÁRIAS DE EMISSÃO DA PROSPECTO DEFINITIVO DE DISTRIBUIÇÃO PÚBLICA PRIMÁRIA E SECUNDÁRIA DE AÇÕES ORDINÁRIAS DE EMISSÃO DA Redecard S.A. Companhia de Capital Autorizado CNPJ/MF nº 01.425.787/0001-04 Avenida Presidente Juscelino

Leia mais

Relatório sobre a Indústria de Cartões de Pagamento. CARDS 28 de abril de 2009

Relatório sobre a Indústria de Cartões de Pagamento. CARDS 28 de abril de 2009 Relatório sobre a Indústria de Cartões de Pagamento CARDS 28 de abril de 2009 Agenda 2 Introdução Relatório Metodologia e Fonte de Dados Aspectos Abordados Introdução 3 Projeto de Modernização dos Instrumentos

Leia mais

Estudo sobre a Indústria de Cartões 1/7/2010 1

Estudo sobre a Indústria de Cartões 1/7/2010 1 Estudo sobre a Indústria de Cartões 1/7/2010 1 Glossário de Termos Técnicos Bases operacionais de cartões são as alternativas de captura de dados que os estabelecimentos podem utilizar para efetivar as

Leia mais

Reunião Pública Apimec - BH 2015

Reunião Pública Apimec - BH 2015 Reunião Pública Apimec - BH 2015 SulAmérica e a Indústria SULAMÉRICA - MODELO DE NEGÓCIOS Maior seguradora independente do Brasil Modelo multilinha One-stop shop e forte cross selling de produtos Subscrição

Leia mais

Expomoney São Paulo. Setembro de 2012

Expomoney São Paulo. Setembro de 2012 Expomoney São Paulo Setembro de 2012 Contax Visão Geral Contact Center Brasil Resultados Financeiros Contax Visão Geral GRUPO CONTAX Principais serviços: Atendimento, Cobrança, Televendas, Retenção, Trade

Leia mais

Agenda. Visão Geral de 2008. Resultados Financeiros e Operacionais

Agenda. Visão Geral de 2008. Resultados Financeiros e Operacionais Disclaimer Com objetivo de haver comparabilidade na análise de resultados, os comentários de desempenho apresentados não contemplam as modificações contábeis introduzidas pela lei n.º 11.638/07, analisando,

Leia mais

www.panamericano.com.br

www.panamericano.com.br www.panamericano.com.br Agenda Principais dados do Banco Histórico Divulgação das Demonstrações Financeiras Resultado e Balanço Providências e Perspectivas 2 Agenda Principais dados do Banco 3 Composição

Leia mais

Novo Mercado de Acesso no Brasil: Bovespa Mais e Bovespa Mais Nível 2

Novo Mercado de Acesso no Brasil: Bovespa Mais e Bovespa Mais Nível 2 Novo Mercado de Acesso no Brasil: Bovespa Mais e Bovespa Mais Nível 2 MERCADO jun/15 E O AMBIENTE PARA IPOS NO BRASIL Confidencial Restrita Confidencial Uso Interno X Público 1 HISTÓRICO DO MERCADO DE

Leia mais

Mercado Segurador e Drivers de Crescimento

Mercado Segurador e Drivers de Crescimento Apimec Porto Alegre 2014 Mercado Segurador e Drivers de Crescimento BRASIL: PRINCIPAIS INDICADORES Crescimento da renda real, inflação sob controle e mobilidade social PIB PER CAPITA & DESEMPREGO (US$

Leia mais

Resultado da Oferta Pública Voluntária de Permuta. Novembro de 2014

Resultado da Oferta Pública Voluntária de Permuta. Novembro de 2014 Resultado da Oferta Pública Voluntária de Permuta Novembro de 2014 OFERTA VOLUNTÁRIA DE PERMUTA DE AÇÕES No dia 30 de outubro realizamos o leilão da oferta voluntária. A adesão dos minoritários do Santander

Leia mais

APIMEC. 23 de outubro de 2008

APIMEC. 23 de outubro de 2008 APIMEC 23 de outubro de 2008 1 Importante As informações e declarações sobre eventos futuros estão sujeitas a riscos e incertezas, as quais têm como base estimativas e suposições da Administração e informações

Leia mais

Earnings Release. Relação com Investidores. Destaques do 2T11. Brasil Insurance Anuncia Resultados do 2T11

Earnings Release. Relação com Investidores. Destaques do 2T11. Brasil Insurance Anuncia Resultados do 2T11 Relação com Investidores Luis Eduardo Fischman Diretor de Relações com Investidores (55 21) 3433-5060 ri@brinsurance.com.br Teleconferência de Resultados 2T11 Terça-Feira, 16 de agosto de 2011 Português

Leia mais

Divulgação de Resultados 1T15

Divulgação de Resultados 1T15 São Paulo - SP, 06 de Maio de 2015. A Tarpon Investimentos S.A. ( Tarpon ou Companhia ), por meio de suas subsidiárias, realiza a gestão de fundos e carteiras de investimentos em bolsa e private equity

Leia mais

Apresentação dos Resultados 1T06. 12 de Maio de 2006

Apresentação dos Resultados 1T06. 12 de Maio de 2006 Apresentação dos Resultados T06 2 de Maio de 2006 Destaques Receita líquida no T06 foi 2,6% superior ao T05 Desempenho Financeiro Receita líquida de R$62,4 milhões Receita bruta de R$69,9 milhões EBITDA

Leia mais

Estudo: Crédito e Taxas de Juros no Cartão de Crédito

Estudo: Crédito e Taxas de Juros no Cartão de Crédito Estudo: Crédito e Taxas de Juros no Cartão de Crédito 25 de junho de 2010 Sobre este estudo Este estudo foi desenvolvido no início de 2009 e atualizado parcialmente em junho de 2010 2 A operação do cartão

Leia mais

A INDÚSTRIA DE CARTÕES NO BRASIL

A INDÚSTRIA DE CARTÕES NO BRASIL A INDÚSTRIA DE CARTÕES NO BRASIL Ivo Vieitas ABECS 1 Agenda Mercado de Cartões no Brasil 1. Uma Indústria Forte 2. Uma indústria Complexa 3. Nova Realidade 2 Agenda 1. Mercado de Cartões no Brasil 1. Uma

Leia mais

Cartões de Crédito A Visão do Comércio Varejista. Fecomercio

Cartões de Crédito A Visão do Comércio Varejista. Fecomercio Cartões de Crédito A Visão do Comércio Varejista Fecomercio SOBRE A FECOMERCIO Principal entidade sindical paulista dos setores de comércio e serviços Congrega 152 sindicatos patronais, que abrangem mais

Leia mais

CARTÃO DE CRÉDITO CARTÃO DE DÉBITO

CARTÃO DE CRÉDITO CARTÃO DE DÉBITO TIPOS DE CARTÃO CARTÃO DE CRÉDITO Instrumento de pagamento que possibilita ao portador adquirir bens e serviços nos estabelecimentos credenciados mediante um determinado limite de crédito. O cliente poderá

Leia mais

PROSPECTO DEFINITIVO DE DISTRIBUIÇÃO PÚBLICA SECUNDÁRIA DE AÇÕES ORDINÁRIAS DE EMISSÃO DA. Preço por Ação: R$24,50

PROSPECTO DEFINITIVO DE DISTRIBUIÇÃO PÚBLICA SECUNDÁRIA DE AÇÕES ORDINÁRIAS DE EMISSÃO DA. Preço por Ação: R$24,50 PROSPECTO DEFINITIVO DE DISTRIBUIÇÃO PÚBLICA SECUNDÁRIA DE AÇÕES ORDINÁRIAS DE EMISSÃO DA Redecard S.A. Companhia Aberta de Capital Autorizado CNPJ n.º 01.425.787/0001-04 Avenida Andrômeda, 2.000, Bloco

Leia mais

BANCO DO BRASIL 1º Trimestre 2012

BANCO DO BRASIL 1º Trimestre 2012 BANCO DO BRASIL 1º Trimestre 2012 Aviso Importante Esta apresentação faz referências e declarações sobre expectativas, sinergias planejadas, estimativas de crescimento, projeções de resultados e estratégias

Leia mais

Apresentação Institucional

Apresentação Institucional Apresentação Institucional SulAmérica e a Indústria SULAMÉRICA - MODELO DE NEGÓCIOS Maior seguradora independente do Brasil Modelo multilinha One-stop shop e forte cross selling de produtos Subscrição

Leia mais

Resultados 4T12. Fevereiro, 2013

Resultados 4T12. Fevereiro, 2013 Resultados 4T12 Fevereiro, 2013 Principais destaques de 2012 Operacional Geração de energia 27% superior à garantia física e 3% acima da registrada em 2011 - Exposição ao mercado spot de 4,4% de setembro

Leia mais

Apresentação dos Resultados do 1T07

Apresentação dos Resultados do 1T07 Apresentação dos Resultados do 1T07 As afirmações contidas neste documento relacionadas a perspectivas sobre os negócios, projeções sobre resultados operacionais e financeiros e aquelas relacionadas a

Leia mais

Apresentação dos Resultados do 2T13

Apresentação dos Resultados do 2T13 Apresentação dos Resultados do 2T13 09 de agosto de 2013 Considerações Iniciais Esta apresentação pode conter certas declarações que expressam expectativas, crenças e previsões da administração sobre eventos

Leia mais

Apresentação Investidores

Apresentação Investidores Apresentação Investidores Novembro 2011 Aviso Importante Esse material pode conter previsões de eventos futuros. Tais previsões refletem apenas expectativas dos administradores da Companhia, e envolve

Leia mais

Mercado Segurador e Drivers de Crescimento

Mercado Segurador e Drivers de Crescimento Apimec Fortaleza 2014 Mercado Segurador e Drivers de Crescimento BRASIL: PRINCIPAIS INDICADORES Crescimento da renda real, inflação sob controle e mobilidade social PIB PER CAPITA & DESEMPREGO INFLAÇÃO

Leia mais

Teleconferência de Resultados 3T08 18 de Novembro de 2008

Teleconferência de Resultados 3T08 18 de Novembro de 2008 Teleconferência de Resultados 18 de Novembro de 2008 Palestrantes Abel Rochinha Presidente da Coelce Luiz Carlos Bettencourt Diretor Financeiro e de RI da Endesa Brasil 1 1 Destaques 2 Mercado AGENDA s

Leia mais

Crédito ao Consumo. Principais Produtos CORRENTISTAS NÃO CORRENTISTAS CRÉDITO PESSOAL CHEQUE ESPECIAL CRÉDITO IMOBILIÁRIO FINANCIAMENTOS DE VEÍCULOS

Crédito ao Consumo. Principais Produtos CORRENTISTAS NÃO CORRENTISTAS CRÉDITO PESSOAL CHEQUE ESPECIAL CRÉDITO IMOBILIÁRIO FINANCIAMENTOS DE VEÍCULOS 1 Crédito ao Consumo Principais Produtos CRÉDITO PESSOAL CHEQUE ESPECIAL CRÉDITO IMOBILIÁRIO CORRENTISTAS NÃO CORRENTISTAS FINANCIAMENTOS DE VEÍCULOS CARTÕES DE CRÉDITO CRÉDITO CONSIGNADO 2 2 Crédito ao

Leia mais

Teleconferência de resultados

Teleconferência de resultados Teleconferência de resultados 2 Aviso importante Este material foi preparado pela Linx S.A. ( Linx ou Companhia ) e pode incluir declarações que representem expectativas sobre eventos ou resultados futuros.

Leia mais

AVISO LEGAL. A VALID isenta-se expressamente do dever de atualizar qualquer uma das declarações e informações prospectivas.

AVISO LEGAL. A VALID isenta-se expressamente do dever de atualizar qualquer uma das declarações e informações prospectivas. APIMEC VALID 2013 AVISO LEGAL Esta apresentação pode conter declarações e informações que constituem previsões para o futuro. Tais declarações e informações prospectivas são unicamente previsões e não

Leia mais

Teleconferência Resultados 3T10

Teleconferência Resultados 3T10 Teleconferência Resultados 3T10 Sexta-feira, 5 de Novembro de 2010 Horário: 14:00 (horário de Brasília) 12:00 (horário US EDT) Tel: + 55 (11) 4688-6361 Código: LASA Replay: + 55 (11) 4688-6312 Código:

Leia mais

Produtos e Serviços Financeiros no Varejo

Produtos e Serviços Financeiros no Varejo Seminário GVcev Produtos e Serviços Financeiros no Varejo Produto Private Label fortalecendo a parceria entre varejo e instituições financeiras Marcelo Noronha Agenda Parceria Produto Private Label Bradesco

Leia mais

Indicadores do Mercado de Meios Eletrônicos de Pagamento

Indicadores do Mercado de Meios Eletrônicos de Pagamento Indicadores do Mercado de Meios Eletrônicos de Pagamento Agosto de 2008 Apresentado por Fernando Chacon Diretor de Marketing do Banco Itaú Indicadores de Mercado 2 Mercado de Cartões 2008 Indicadores de

Leia mais

PROSPECTO DEFINITIVO DE DISTRIBUIÇÃO PÚBLICA SECUNDÁRIA DE AÇÕES ORDINÁRIAS DE EMISSÃO DA

PROSPECTO DEFINITIVO DE DISTRIBUIÇÃO PÚBLICA SECUNDÁRIA DE AÇÕES ORDINÁRIAS DE EMISSÃO DA PROSPECTO DEFINITIVO DE DISTRIBUIÇÃO PÚBLICA SECUNDÁRIA DE AÇÕES ORDINÁRIAS DE EMISSÃO DA Redecard S.A. Companhia de Capital Autorizado CNPJ nº 01.425.787/0001-04 Avenida Presidente Juscelino Kubitschek,

Leia mais

Ciclo Apimec 2014. Itaú Unibanco Holding S.A. Fernando Foz de Macedo Relações com Investidores PF Vitória 25 de setembro de 2014

Ciclo Apimec 2014. Itaú Unibanco Holding S.A. Fernando Foz de Macedo Relações com Investidores PF Vitória 25 de setembro de 2014 1 Ciclo Apimec 2014 Itaú Unibanco Holding S.A. Fernando Foz de Macedo Relações com Investidores PF Vitória 25 de setembro de 2014 Ciclo Ciclo Apimec 2014 2014 Itaú Itaú Unibanco Unibanco Holding Holding

Leia mais

RELATÓRIO DE RELAÇÕES COM INVESTIDORES RESULTADOS 1T10 156.512.000,00

RELATÓRIO DE RELAÇÕES COM INVESTIDORES RESULTADOS 1T10 156.512.000,00 RELATÓRIO DE RELAÇÕES COM INVESTIDORES RESULTADOS 156.512.000,00 Resultados do RESULTADOS São Paulo, 14 de maio de 2010 A BRADESPAR [BM&FBOVESPA: BRAP3 (ON), BRAP4 (PN); LATIBEX: XBRPO (ON), XBRPP (PN)]

Leia mais

DINHEIRO DE PLÁSTICO- CARTÕES DE DÉBITO E CRÉDITO

DINHEIRO DE PLÁSTICO- CARTÕES DE DÉBITO E CRÉDITO DINHEIRO DE PLÁSTICO- CARTÕES DE DÉBITO E CRÉDITO Os cartões de débito e crédito facilitam o dia a dia e proporcionam maior segurança tanto para o cliente pessoa física quanto para as empresas que se utilizam

Leia mais

Teleconferência sobre a Oferta Pública de Ações da Redecard

Teleconferência sobre a Oferta Pública de Ações da Redecard Teleconferência sobre a Oferta Pública de Ações da Redecard Roberto Egydio Setubal Presidente & CEO 16 Abril 2012 Fato Relevante de 12 de Abril de 2012 Preço: R$ 35,00 dentro da faixa de preço justo (entre

Leia mais

Reunião APIMEC 2013. São Paulo, 19 de dezembro de 2013

Reunião APIMEC 2013. São Paulo, 19 de dezembro de 2013 Reunião São Paulo, 19 de dezembro de Importante O presente material tem caráter somente informacional. Não constitui uma oferta ou solicitação de investimento em qualquer fundo aqui mencionado ou quaisquer

Leia mais

Portal de Informações FEBRABAN. Módulo I Crédito

Portal de Informações FEBRABAN. Módulo I Crédito Portal de Informações FEBRABAN Módulo I Crédito Módulo de dados I: Crédito Sumário Este módulo de dados abrange as operações de crédito com recursos livres e direcionados (taxas de juros administradas)

Leia mais

Reunião Pública Apresentação de Resultados 1º Semestre 2011

Reunião Pública Apresentação de Resultados 1º Semestre 2011 Reunião Pública Apresentação de Resultados 1º Semestre 2011 Rio de Janeiro, 09 de Agosto 2011 1 Informação importante Esta apresentação foi preparada pelo Banco Santander (Brasil) S.A., eventuais declarações

Leia mais

QUALIDADE DOS ATIVOS 97,4% das operações de crédito cobertas por garantias Créditos de D a H : 1,9% da carteira Provisões totais: 1,8% da carteira

QUALIDADE DOS ATIVOS 97,4% das operações de crédito cobertas por garantias Créditos de D a H : 1,9% da carteira Provisões totais: 1,8% da carteira São Paulo, 30 de Outubro de 2008 O Banco Sofisa S.A. (Bovespa: SFSA4) anuncia hoje seu resultado do terceiro trimestre de 2008. Todas as informações operacionais e financeiras a seguir, exceto quando indicado

Leia mais

Divulgação de Resultados do 4T10

Divulgação de Resultados do 4T10 Divulgação de Resultados do 4T10 23 de fevereiro de 2011 Aviso Importante Esse material pode conter previsões de eventos futuros.tais previsões refletem apenas expectativas dos administradores da Companhia,

Leia mais

Anúncio de Reestruturação Financeira

Anúncio de Reestruturação Financeira Anúncio de Reestruturação Financeira 1 Considerações Futuras Algumas informações sobre o Plano de Reestruturação Financeira da Companhia apresentam nossas expectativas sobre o resultado que poderemos obter

Leia mais

Visão Geral da Companhia

Visão Geral da Companhia Visão Geral da Companhia Sobre a CSU UMA HISTÓRIA DE SUCESSO 1992: Fundação da CSU. Atualmente, empresa líder no mercado brasileiro de prestação de serviços de alta tecnologia voltados ao consumo, relacionamento

Leia mais

Reunião APIMEC-SP. Apresentação dos Resultados de 2006. Élio A. Martins. Presidente e DRI

Reunião APIMEC-SP. Apresentação dos Resultados de 2006. Élio A. Martins. Presidente e DRI Reunião APIMEC-SP Apresentação dos Resultados de 2006 Élio A. Martins Presidente e DRI 07 de março de 2007 Aviso Importante Declarações contidas nesta apresentação relativas às perspectivas dos negócios

Leia mais

Reunião Pública dos Analistas 4T11

Reunião Pública dos Analistas 4T11 Grjrr Reunião Pública dos Analistas 4T11 Porto Seguro Agenda Visão da Indústria de Seguros Cenário Atual Perspectivas Visão Geral da Porto Seguro Estrutura Linhas de Negócio Estratégia e Cultura Resultados

Leia mais

Panorama do Mercado de Crédito

Panorama do Mercado de Crédito Panorama do Mercado de Crédito FEBRABAN Dezembro de 2011 Rubens Sardenberg Economista-chefe ÍNDICE I. Evolução do Crédito II. Pessoa Física III. Pessoa Jurídica IV. Inadimplência V. Spread VI. Projeções

Leia mais

A BOVESPA E O MERCADO DE AÇÕES

A BOVESPA E O MERCADO DE AÇÕES A BOVESPA E O MERCADO DE AÇÕES 1 Mercado Financeiro 2 Sistema Financeiro Conjunto de instituições dedicadas a manter um fluxo de recursos dos poupadores para o investimento das empresas e gastos das famílias

Leia mais

EBITDA cresce 10,8% no 3T15 e Margem EBITDA atinge 57,9%

EBITDA cresce 10,8% no 3T15 e Margem EBITDA atinge 57,9% Resultados 3T15 EBITDA cresce 10,8% no 3T15 e Margem EBITDA atinge 57,9% Belo Horizonte, 10 de novembro de 2015 - A Companhia de Locação das Américas (Locamerica) (BM&FBOVESPA: LCAM3) divulga seus resultados

Leia mais

Resultado 1T12. Resultados 2T12 / 1S12

Resultado 1T12. Resultados 2T12 / 1S12 Resultado 1T12 Resultados / 1S12 15 de agosto de 2012 Eventos Extraordinários Correção da Baixa de Inventário de Anos Anteriores (R$ 20,3 milhões) Destruição de Obsoletos (R$ 34,4 milhões) (+) (-) (-)

Leia mais

Destaques do Período. Resultados Financeiros

Destaques do Período. Resultados Financeiros Resultados 2T09 14 de Agosto de 2009 1 Agenda Foto: Unidade de Paulínia -SP Destaques do Período 2T09 1S09 Mercado Brasileiro de Fertilizantes Vendas e Distribuição por Cultura da Heringer LUCRO LÍQUIDO

Leia mais

Apresentação para Investidores. Março, 2009

Apresentação para Investidores. Março, 2009 Apresentação para Investidores Março, 2009 1 Filosofia Gerdau VISÃO Ser uma empresa siderúrgica global, entre as mais rentáveis do setor. MISSÃO O Grupo Gerdau é uma empresa com foco em siderurgia, que

Leia mais

Apresentação da Companhia. Setembro de 2010

Apresentação da Companhia. Setembro de 2010 Apresentação da Companhia Setembro de 2010 Comprovada capacidade de execução Visão geral da Inpar Empreendimentos por segmento (1) Modelo de negócios integrado (incorporação, construção e venda) Comercial

Leia mais

2ª Conferência de Investimentos Alternativos: FIDC, FII E FIP

2ª Conferência de Investimentos Alternativos: FIDC, FII E FIP 2ª Conferência de Investimentos Alternativos: FIDC, FII E FIP São Paulo, 21 de Agosto de 2013 Hotel Caesar Park Patrocínio Os Setores Mais Promissores Para Os Fundos Imobiliários/ Rodrigo Machado Apresentação

Leia mais

Locamerica 20 anos. Você espera o melhor. A gente faz. Dezembro / 2013

Locamerica 20 anos. Você espera o melhor. A gente faz. Dezembro / 2013 Locamerica 20 anos Você espera o melhor. A gente faz. Dezembro / 2013 SEÇÃO 1 Visão Geral da Companhia História de Empreendedorismo e Crescimento Uma história de sucesso, crescimento e rentabilidade 2012

Leia mais

Reunião Pública dos Analistas 1T12

Reunião Pública dos Analistas 1T12 Reunião Pública dos Analistas Agenda Visão da Indústria de Seguros Cenário Atual Perspectivas Visão Geral da Estrutura Linhas de Negócio Estratégia e Cultura Resultados em 2011 Principais Realizações e

Leia mais

Reunião com Analistas e Profissionais de Investimento do Mercado de Capitais LOJAS RENNER S.A.

Reunião com Analistas e Profissionais de Investimento do Mercado de Capitais LOJAS RENNER S.A. Reunião com Analistas e Profissionais de Investimento do Mercado de Capitais LOJAS RENNER S.A. São Paulo, 8 de dezembro de 2005 1 Aviso Legal Eventuais declarações que possam ser feitas durante esta apresentação,

Leia mais

Resultados do 1T14 09 de Maio de 2014

Resultados do 1T14 09 de Maio de 2014 Resultados do T4 09 de Maio de 204 Destaques do T4 x T3 FINANCEIROS Receita Bruta: R$ 287,6 milhões 7,6% Lucro Líquido Ajustado (cash earnings): R$ 33,3 milhões 4,7% Unidade de Títulos e Valores Mobiliários:

Leia mais

Transferência da UHE Estreito para a Tractebel Energia

Transferência da UHE Estreito para a Tractebel Energia Transferência da UHE Estreito para a Tractebel Energia Conference Call 221 de dezembro de 2009 Aviso importante Este material pode incluir declarações que representem expectativas sobre eventos ou resultados

Leia mais

Apresentação dos resultados do 3T09 & 9M09. Novembro/2009

Apresentação dos resultados do 3T09 & 9M09. Novembro/2009 Apresentação dos resultados do & 9M09 Novembro/2009 Destaques & 9M09 DESTAQUES OPERACIONAIS VENDAS CONTRATADAS LÍQUIDAS PRO RATA PDG REALTY DE R$788 MILHÕES, REPRESENTANDO UM CRESCIMENTO DE 76% EM RELAÇÃO

Leia mais

Teleconferência de Resultados 2T15. 31 de julho de 2015. Magazine Luiza

Teleconferência de Resultados 2T15. 31 de julho de 2015. Magazine Luiza Teleconferência de Resultados 2T15 31 de julho de 2015 Magazine Luiza Destaques do 2T15 Vendas E-commerce Ganho consistente de participação de mercado Redução na receita líquida de 10,1% para R$2,1 bilhões

Leia mais

5 ECONOMIA MONETÁRIA E FINANCEIRA

5 ECONOMIA MONETÁRIA E FINANCEIRA 5 ECONOMIA MONETÁRIA E FINANCEIRA Os sinais de redução de riscos inflacionários já haviam sido descritos na última Carta de Conjuntura, o que fez com que o Comitê de Política Monetária (Copom) decidisse

Leia mais

Destaques do Trimestre

Destaques do Trimestre Resultados do 1T12 Disclaimer Esta apresentação pode incluir declarações que representem expectativas sobre eventos ou resultados futuros de acordo com a regulamentação de valores mobiliários brasileira

Leia mais

- Assessoria de Mercado de Capitais e Empresarial Ltda - Consultores Ltda

- Assessoria de Mercado de Capitais e Empresarial Ltda - Consultores Ltda 19/02/2010 CETIP S.A BALCÃO ORGANIZADO DE ATIVOS E DERIVATIVOS A Companhia A CETIP S.A. - Balcão Organizado de Ativos e Derivativos ( Companhia ou CETIP ) opera o maior Mercado Organizado para Ativos de

Leia mais

RESULTADOS 2T15 Teleconferência 10 de agosto de 2015

RESULTADOS 2T15 Teleconferência 10 de agosto de 2015 RESULTADOS 2T15 Teleconferência 10 de agosto de 2015 AVISO Nesta apresentação nós fazemos declarações prospectivas que estão sujeitas a riscos e incertezas. Tais declarações têm como base crenças e suposições

Leia mais

Resultados. 2T14 Junho, 2014

Resultados. 2T14 Junho, 2014 Resultados Junho, 2014 Destaques Operacional & Comercial Rebaixamento da garantia física de 6,2%, em linha com as projeções da Companhia Comercialização de ~100 MWm com prazo e preço médios de 4,5 anos

Leia mais

CEO Conference Março 2009

CEO Conference Março 2009 CEO Conference Março 2009 Informações e Projeções Algumas das afirmações aqui contidas se baseiam nas hipóteses e perspectivas atuais da administração da Companhia que poderiam ocasionar variações materiais

Leia mais

Conference Call. Maio 2008

Conference Call. Maio 2008 Conference Call Maio 2008 Cenário macro O Brasil é Investment Grade: E agora? Taxa de câmbio/ taxa de juros Atração de capital de longo prazo Potencial impacto positivo no PIB Disponibilidade de crédito:

Leia mais

Apresentação Corporativa 2015

Apresentação Corporativa 2015 Apresentação Corporativa 2015 Agenda Visão Geral da Indústria de Seguros Evolução do Mercado Segurador Ambiente Competitivo Fatores Chave de Crescimento e Rentabilidade Quem Somos Nossos Negócios Estratégia

Leia mais

Classificação da Informação: Uso Irrestrito

Classificação da Informação: Uso Irrestrito Cenário Econômico Qual caminho escolheremos? Cenário Econômico 2015 Estamos no caminho correto? Estamos no caminho correto? Qual é nossa visão sobre a economia? Estrutura da economia sinaliza baixa capacidade

Leia mais

RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO 4T14

RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO 4T14 VISÃO GERAL DA COMPANHIA A Iochpe-Maxion é uma companhia global, líder mundial na produção de rodas automotivas, um dos principais produtores de componentes estruturais automotivos nas Américas e também

Leia mais