Adendo F LIVROS DO OFÍCIO CRIMINAL ADENDO 1-F REGISTRO DE PROCESSOS CRIMINAIS

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Adendo F LIVROS DO OFÍCIO CRIMINAL ADENDO 1-F REGISTRO DE PROCESSOS CRIMINAIS"

Transcrição

1 CÓDIGO DE NORMAS 1 Adendo F LIVROS DO OFÍCIO CRIMINAL ADENDO 1-F REGISTRO DE PROCESSOS CRIMINAIS N.º de ordem N.º distribuição Data Nome Filiação Artigo Apreensão Fiança recebimento da denúncia suspensão transação Sentença Rol dos culpados Arquivo Observação Finalidade: Este livro é destinado ao registro de todos os processos criminais da vara ou escrivania. a confecção do livro com (100) cem folhas. Nome: nome do réu. N.º da Distribuição: deve consignar o número da distribuição. Data: data do registro. Artigo: artigo imputado ao acusado. Apreensão: deve anotado o n.º do livro e fls. onde foi registrada a apreensão. Fiança: deve anotado o n.º do livro e fls. onde foi registrada a fiança. suspensão: deve ser anotada a data em que concedida a suspensão do processo. transação: deve ser anotada a data da transação. Rol dos Culpados: deve ser anotada a data do trânsito em julgado da sentença. Este livro substitui o livro de Rol dos Culpados. Arquivo: deve ser anotada a data e caixa onde estão arquivados os autos. ADENDO 2-F REGISTRO DE CARTAS PRECATÓRIAS, ROGATÓRIAS E DE ORDEM N.º de Ordem N.º distribuição Data Recebimento Data Devolução Juízo deprecante Processo originário Ato deprecado Requerente Requerido Observações Finalidade: este livro é destinado ao registro de todas as cartas precatórias, rogatórias e de ordem recebidas no juízo. Características: não pode ser adotado o sistema de folhas soltas. Juízo deprecante: deve ser preenchido com o nome da comarca de origem. Processo originário: n.º dos autos e a natureza do processo. ADENDO 3-F PROTOCOLO GERAL Nº autos N distribuição Data Nome Filiação Natureza Vítima Decisão Observações

2 CÓDIGO DE NORMAS 2 Finalidade: este livro é destinado ao registro de Inquéritos Policiais, Pedidos de Habeas Corpus, Liberdade Provisória e Execução da Pena de Multa, dentre outras. Características: é expressamente vedada a utilização do sistema de folhas soltas. Autoriza-se a confecção do livro com (100) cem folhas. Natureza: natureza do pedido. Nome: nome do paciente, réu ou interessado. ADENDO 4-F REGISTRO DE APREENSÕES N.º de Ordem N.º inq. Policial N.º proc. Crime Nome Descrição entrada remessa Encaminhamento ao exército Registro de incineração Assinatura do levantante Observação Finalidade: este livro é destinado ao registro de armas, objetos e valores apreendidos. É proibida a retirada se armas e objetos apreendidos, mesmo a título de depósito, salvo por autorização escrita do Juiz responsável pelo processo, mediante o necessário termo de depositário, com o compromisso inerente ao encargo. a confecção do livro com cinqüenta (50) ou cem (100) folhas. Nome: nome do réu. Descrição: descrição das características da arma, objeto ou valor. Entrada: data da entrada em Cartório. Remessa: data da remessa ao Banco ou Seção de Depósito, especificando o destino. Encaminhamento ao Exército: data do encaminhamento ao Exército, somente após o determinado o arquivamento. A escrivania deve consultar o juiz de direito sobre o destino das armas, caso não tenha sido declarado na sentença. Registro de Incineração: deve ser anotada a data de incineração ou número do respetivo auto de incineração. Observação: anotar neste campo, dentre outras anotações, os casos de arquivos provisórios das armas, como por exemplo, armas que são arquivadas junto às instituições bancárias. ADENDO 5-F REGISTRO DE DEPÓSITO DE FIANÇA N.º inq. Policial N.º proc. Crime Nome Valor registro recolhimento levantamento Banco N.º da Conta Observação Finalidade: este livro é destinado ao registro de depósito de fiança, devendo a escrivania manter rigoroso controle, especialmente no que diz respeito ao levantamento. a confecção do livro com (100) cem folhas. NOME: nome do réu ou indiciado.

3 CÓDIGO DE NORMAS 3 ADENDO 6-F REGISTRO DE SENTENÇAS Revogado pelo Provimento nº 216, de 21/09/2011 ADENDO 7-F CARGA DE AUTOS - JUIZ N.º dos Autos Natureza Nome Prazo Finalidade Data N.º folhas Destinatário Recibo Devolução Rubrica Observações Finalidade: este livro é destinado ao registro de carga de todos os autos conclusos ao Juiz. É autorizada a confecção deste livro com 100 folhas. Características: é permitida a confecção deste livro pelo sistema de folhas soltas, que neste caso deverão ser encadernadas ao completar duzentas (200) folhas, que serão numeradas e rubricadas a medida que forem feitas. ADENDO 8-F CARGA DE AUTOS - PROMOTOR DE JUSTIÇA N.º dos autos Natureza Nome Prazo Finalidade Data N.º folhas Destinatário Recibo Devolução Rubrica Observações Finalidade: este livro é destinado ao registro de carga de todos os autos com vista ao Promotor de Justiça, devendo ser aberto somente um livro em cada escrivania com esta finalidade. Somente será autorizada a abertura de mais um livro nas escrivanias que acumulem outra serventia. No entanto, mesmo havendo várias escrivanias anexas, poderá ser utilizado somente um livro. É vedada a abertura de um livro para cada Promotor de Justiça, no caso de haver mais de um na comarca, pois tal fato gera insegurança na escrituração. Características: é permitida a confecção deste livro pelo sistema de folhas soltas, devendo obedecer as colunas do adendo. ADENDO 9-F CARGA DE AUTOS - ADVOGADO N.º autos Nome das partes Carga N.º folhas Advogado Assinatura Descarga Recibo Finalidade: este livro é destinado ao registro de carga de autos aos advogados. Características: é expressamente vedada a utilização deste livro no sistema de folhas soltas. É autorizada a confecção do livro com cem (100) folhas. Carga: data da carga (dia/mês/ano). Descarga: data da devolução dos autos (dia/mês/ano).

4 CÓDIGO DE NORMAS 4 Recibo: Assinatura de quem recebeu os autos. ADENDO 10-F CARGA DE AUTOS - CONTADOR Finalidade: este livro é destinado ao registro de carga de autos ao contador. É autorizada a confecção deste livro com cem (100) folhas. Características: as colunas e escrituração devem obedecer as orientações expostas no adendo 12-F. ADENDO 11-F CARGA DE INQUÉRITOS E PROCEDIMENTOS INVESTIGATÓRIOS N.º dos autos Espécie Nome Prazo Destinatário Entrega Nº de folhas Recibo devolução Rubrica Observações Finalidade: este livro é destinado ao registro de carga de autos de Inquérito Policial e outros procedimentos investigatórios. Características: é expressamente vedada a utilização deste livro no sistema de folhas soltas. É autorizada a confecção do livro com cem (100) folhas. ADENDO 12-F CARGA DE MANDADOS - OFICIAIS DE JUSTIÇA N.º de ordem N.º dos Autos Natureza Designação audiência 7 Destinatário Data entrega Prazo Rubrica Data Devolução Escrivão Finalidade: este livro é destinado ao registro de carga de mandados aos oficiais de justiça. Características: pode ser utilizado sistema de folhas soltas, obedecidas as determinações expressas neste CN. Autoriza-se a confecção do livro com (100) cem folhas. Natureza: natureza do processo. Designação: designação do ato determinado no mandado. Rubrica: rubrica do oficial de justiça que receber o mandado. Escrivão: rubrica do escrivão. Deve ser dada somente por ocasião do recebimento do mandado devidamente cumprido. ADENDO 13-F ALISTAMENTO DE JURADOS Finalidade: este livro é destinado ao alistamento de jurados. Características: pode ser utilizado o sistema de folhas soltas, adotando-se o modelo com (200) folhas. Autoriza-se a confecção do livro com (50) cinqüenta folhas, conforme o movimento forense da escrivania. ADENDO 14-F

5 CÓDIGO DE NORMAS 5 REGISTRO DE ATAS DE SESSÕES DO JÚRI Finalidade: este livro é destinado ao registro das atas das sessões do júri, que deverão ser numeradas em seqüência renovável anualmente. Características: igual ao adendo 13-F.

Seção 2 A Escrituração e Utilização dos Livros

Seção 2 A Escrituração e Utilização dos Livros Seção 2 A Escrituração e Utilização dos Livros 2.2.1 - Quando da lavratura dos atos das serventias, serão utilizados papéis com fundo inteiramente branco, salvo disposição expressa em contrário. A escrituração

Leia mais

CONSELHO NACIONAL DO MINISTÉRIO PÚBLICO. RESOLUÇÃO Nº 36, DE 6 DE ABRIL DE 2009 (Alterada pela Resolução nº 51, de 09 de março de 2010)

CONSELHO NACIONAL DO MINISTÉRIO PÚBLICO. RESOLUÇÃO Nº 36, DE 6 DE ABRIL DE 2009 (Alterada pela Resolução nº 51, de 09 de março de 2010) RESOLUÇÃO Nº 36, DE 6 DE ABRIL DE 2009 (Alterada pela Resolução nº 51, de 09 de março de 2010) Dispõe sobre o pedido e a utilização das interceptações telefônicas, no âmbito do Ministério Público, nos

Leia mais

RELATÓRIO DA CORREIÇÃO EXTRORDINÁRIA PARCIAL REALIZADA NA SEGUNDA AUDITORIA DA JUSTIÇA MILITAR ESTADUAL

RELATÓRIO DA CORREIÇÃO EXTRORDINÁRIA PARCIAL REALIZADA NA SEGUNDA AUDITORIA DA JUSTIÇA MILITAR ESTADUAL RELATÓRIO DA CORREIÇÃO EXTRORDINÁRIA PARCIAL REALIZADA NA SEGUNDA AUDITORIA DA JUSTIÇA MILITAR ESTADUAL Período da realização da correição: de 23 de maio a 13 de junho de 2014. Juiz de Direito Titular:

Leia mais

CAPÍTULO XVIII 1 DO REGISTRO CIVIL DAS PESSOAS JURÍDICAS

CAPÍTULO XVIII 1 DO REGISTRO CIVIL DAS PESSOAS JURÍDICAS CAPÍTULO XVIII 1 DO REGISTRO CIVIL DAS PESSOAS JURÍDICAS SEÇÃO I 2 DA ESCRITURAÇÃO 1. É atribuição dos Oficiais do Registro Civil das Pessoas Jurídicas: a) registrar os atos constitutivos, contratos sociais

Leia mais

O PROCURADOR-GERAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE, no uso de suas atribuições legais,

O PROCURADOR-GERAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE, no uso de suas atribuições legais, RESOLUÇÃO N.º102 /97 - P.G.J. Estabelece normas para o exercício do controle externo da atividade de Polícia Judiciária pelo Ministério Público, previsto no artigo 129, inciso VII, da Constituição Federal

Leia mais

2. RECURSO EM SENTIDO ESTRITO

2. RECURSO EM SENTIDO ESTRITO 2. RECURSO EM SENTIDO ESTRITO 2. 1 HIPÓTESES DE CABIMENTO - Decisão que rejeitar a denúncia ou queixa - Decisão que concluir pela incompetência do juízo - Decisão que julga procedente alguma das exceções,

Leia mais

JUSTIÇA FEDERAL/TRF 3ª REGIÃO

JUSTIÇA FEDERAL/TRF 3ª REGIÃO JUSTIÇA FEDERAL/TRF 3ª REGIÃO Lei nº 9.289/1996 - Art. 14 e Resolução nº 278/2007, alterada pela Resolução nº 411/2010 DO RECOLHIMENTO DAS CUSTAS Custas, despesas processuais e preparo para recursos que

Leia mais

egrégio Conselho da Magistratura a aplicação da pena, nos termos da Lei Estadual 4.930/85. 3.3.8.2 - A aplicação das penalidades de advertência e

egrégio Conselho da Magistratura a aplicação da pena, nos termos da Lei Estadual 4.930/85. 3.3.8.2 - A aplicação das penalidades de advertência e egrégio Conselho da Magistratura a aplicação da pena, nos termos da Lei Estadual 4.930/85. 3.3.8.2 - A aplicação das penalidades de advertência e censura independe de sindicância ou processo, podendo ser

Leia mais

CAPÍTULO I - FUNÇÃO E CARREIRA DO ADVOGADO...

CAPÍTULO I - FUNÇÃO E CARREIRA DO ADVOGADO... APRESENTAÇÃO DA COLEÇÃO...19 DEDICATÓRIA...21 CAPÍTULO I - FUNÇÃO E CARREIRA DO ADVOGADO... 23 1. Antecedentes históricos da função de advogado...23 2. O advogado na Constituição Federal...24 3. Lei de

Leia mais

PROVIMENTO Nº 29/2005

PROVIMENTO Nº 29/2005 PROVIMENTO Nº 29/2005 Atualiza a disciplina da Seção IV, do Capítulo IX, do Tomo I, das Normas de Serviço da Corregedoria: subdividindo-a em Subseção I (itens 29 a 45-A) e Subseção II (itens 45-B a 45-O);

Leia mais

I - nos crimes punidos com reclusão em que a pena mínima cominada for superior a 2 (dois) anos; (Redação dada pela Lei nº 6.416, de 24.5.

I - nos crimes punidos com reclusão em que a pena mínima cominada for superior a 2 (dois) anos; (Redação dada pela Lei nº 6.416, de 24.5. Art. 323. Não será concedida fiança: I nos crimes punidos com pena de reclusão, salvo ao réu maior de setenta anos ou menor de vinte e um, no caso de não ser superior a dois anos o máximo da pena cominada;

Leia mais

CAPÍTULO I DA FUNÇÃO CORRECIONAL

CAPÍTULO I DA FUNÇÃO CORRECIONAL CAP. I - 1 CAPÍTULO I DA FUNÇÃO CORRECIONAL 1. A função correcional consiste na fiscalização das serventias judiciais e extrajudiciais e seus serviços auxiliares, da polícia judiciária e dos presídios,

Leia mais

e 63 do ProvimentoGeral Consolidadoda JustiçaFederalN

e 63 do ProvimentoGeral Consolidadoda JustiçaFederalN 48 Vara Federal - 198 Subseção Judiciária - Guarulhos/SP PORTARIA n 004/2006 o Dr. ALESSANDRO DIAFERIA, MM. Juiz Federal da 48 Vara de Guarulhos - 198 Subseção Judiciária do Estado de São Paulo, no uso

Leia mais

2. TABELAS PROCESSUAIS UNIFICADAS DO PODER JUDICIÁRIO

2. TABELAS PROCESSUAIS UNIFICADAS DO PODER JUDICIÁRIO 1. APRESENTAÇÃO O Conselho Nacional de Justiça CNJ, a fim de melhorar os serviços prestados pela Justiça aos cidadãos, visando aprimorar a coleta de informações estatísticas essenciais ao planejamento

Leia mais

PERÍCIA AMBIENTAL CONCEITOS

PERÍCIA AMBIENTAL CONCEITOS PERÍCIA AMBIENTAL CONCEITOS PERÍCIA Exame realizado por técnico, ou pessoa de comprovada aptidão e idoneidade profissional, para verificar e esclarecer um fato, ou estado ou a estimação da coisa que é

Leia mais

O Excelentíssimo Senhor Desembargador BERNARDINO LUZ, Corregedor-Geral da Justiça, no uso de suas atribuições legais e regimentais,

O Excelentíssimo Senhor Desembargador BERNARDINO LUZ, Corregedor-Geral da Justiça, no uso de suas atribuições legais e regimentais, PROVIMENTO nº 002/2011/CGJUS/TO Institui a Consolidação das Normas Gerais da Corregedoria-Geral da Justiça. O Excelentíssimo Senhor Desembargador BERNARDINO LUZ, Corregedor-Geral da Justiça, no uso de

Leia mais

O COLÉGIO DE PROCURADORES DE JUSTIÇA, no uso de suas atribuições legais; e

O COLÉGIO DE PROCURADORES DE JUSTIÇA, no uso de suas atribuições legais; e RESOLUÇÃO Nº 20/2004 - CPJ Cria a CENTRAL DE ACOMPANHAMENTO DE INQUÉRITOS POLICIAIS E CONTROLE EXTERNO DA ATIVIDADE POLICIAL, no âmbito do Ministério Público do Estado de Mato Grosso e dá outras providências.

Leia mais

INDÍCE SISTEMÁTICO. (Ctrl + clique com o botão esquerdo do mouse para ir até a seção desejada)

INDÍCE SISTEMÁTICO. (Ctrl + clique com o botão esquerdo do mouse para ir até a seção desejada) INDÍCE SISTEMÁTICO (Ctrl + clique com o botão esquerdo do mouse para ir até a seção desejada) CAPÍTULO 1 -DISPOSIÇÕES GERAIS SEÇÃO 1 - AS NORMAS E SUA UTILIZAÇÃO SEÇÃO 2 - FUNÇÃO CORREICIONAL SEÇÃO 3 -

Leia mais

PROVIMENTO N. 1, DE 27 DE JANEIRO DE 2003. Dispõe sobre a atualização do Código de Normas da Corregedoria-Geral de Justiça e dá outras providências.

PROVIMENTO N. 1, DE 27 DE JANEIRO DE 2003. Dispõe sobre a atualização do Código de Normas da Corregedoria-Geral de Justiça e dá outras providências. PROVIMENTO N. 1, DE 27 DE JANEIRO DE 2003 Dispõe sobre a atualização do Código de Normas da Corregedoria-Geral de Justiça e dá outras providências. O DESEMBARGADOR JOSUÉ DE OLIVEIRA, CORREGEDOR-GERAL DE

Leia mais

LEGISLAÇÃO PROVIMENTO

LEGISLAÇÃO PROVIMENTO PROVIMENTO 05/2005 dispõe sobre a uniformização dos procedimentos relativos à inscrição, habilitação, cadastramento e atualização de dados dos pretendentes à adoção residentes no Estado de São Paulo O

Leia mais

PROCESSO PENAL COMNENTÁRIOS RECURSOS PREZADOS, SEGUEM OS COMENTÁRIOS E RAZÕES PARA RECURSOS DAS QUESTÕES DE PROCESSO PENAL.

PROCESSO PENAL COMNENTÁRIOS RECURSOS PREZADOS, SEGUEM OS COMENTÁRIOS E RAZÕES PARA RECURSOS DAS QUESTÕES DE PROCESSO PENAL. PROCESSO PENAL COMNENTÁRIOS RECURSOS PREZADOS, SEGUEM OS COMENTÁRIOS E RAZÕES PARA RECURSOS DAS QUESTÕES DE PROCESSO PENAL. A PROVA FOI MUITO BEM ELABORADA EXIGINDO DO CANDIDATO UM CONHECIMENTO APURADO

Leia mais

CAPÍTULO I DO SISTEMA NACIONAL DE ARMAS

CAPÍTULO I DO SISTEMA NACIONAL DE ARMAS Dispõe sobre registro, posse e comercialização de armas de fogo e munição, sobre o Sistema Nacional de Armas Sinarm, define crimes e dá outras providências. O Congresso Nacional decreta: CAPÍTULO I DO

Leia mais

Anexo Tabela única de classes da 2ª Região

Anexo Tabela única de classes da 2ª Região CLASSE 01000 AÇÕES ORDINÁRIAS Anexo Tabela única de classes da 2ª Região CORRESPONDÊNCIA NA TABELA ÚNICA DE CLASSES DO DA 01001 ORDINÁRIA / TRIBUTÁRIA 29 AÇÃO ORDINÁRIA (PROCEDIMENTO COMUM 07 ORDINÁRIO)

Leia mais

PETICIONAMENTO ELETRÔNICO TJ/RJ RESPONSABILIDADE USUÁRIO. Confeccionar arquivos conforme requisitos. Acompanhar divulgação indisponibilidade

PETICIONAMENTO ELETRÔNICO TJ/RJ RESPONSABILIDADE USUÁRIO. Confeccionar arquivos conforme requisitos. Acompanhar divulgação indisponibilidade PETICIONAMENTO ELETRÔNICO TJ/RJ RESPONSABILIDADE USUÁRIO Confeccionar arquivos conforme requisitos Formato + Tamanho Acompanhar divulgação indisponibilidade Manutenção do sistema Acompanhamento regular

Leia mais

TÍTULO VII DA PROVA CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS

TÍTULO VII DA PROVA CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS TÍTULO VII DA PROVA CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES GERAIS Art. 155. No juízo penal, somente quanto ao estado das pessoas, serão observadas as restrições à prova estabelecidas na lei civil. Art. 156. A prova da

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE PERNAMBUCO Conselho da Magistratura PROVIMENTO N 01/2007 (DOE 18/05/07)

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE PERNAMBUCO Conselho da Magistratura PROVIMENTO N 01/2007 (DOE 18/05/07) PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE PERNAMBUCO Conselho da Magistratura PROVIMENTO N 01/2007 (DOE 18/05/07) EMENTA: Orienta os juízes sobre a competência do Juizado de Violência Doméstica

Leia mais

Autores: Bruno Shimizu, Patrick Lemos Cacicedo, Verônica dos Santos Sionti e Bruno Girade Parise

Autores: Bruno Shimizu, Patrick Lemos Cacicedo, Verônica dos Santos Sionti e Bruno Girade Parise TESE: 01/13 (ÁREA CRIMINAL) Autores: Bruno Shimizu, Patrick Lemos Cacicedo, Verônica dos Santos Sionti e Bruno Girade Parise Súmula: A fixação de fiança pelo juízo ou a manutenção da fiança arbitrada pela

Leia mais

2 - FORO JUDICIAL - OUTROS DOCUMENTOS

2 - FORO JUDICIAL - OUTROS DOCUMENTOS 2 - FORO JUDICIAL - OUTROS DOCUMENTOS 2-1 - Acórdãos 2-1 - Acórdãos 5 anos* 5 anos X - *Cópias de acórdãos -1-1 - -1-2 - -1-3 - 2-1-1 - Acórdãos - conclusões 2-1-2 - Acórdãos - publicados 2-1-3 - Acórdãos

Leia mais

Processo Eletrônico. Produto das revoluções tecnológicas; Consequência direta da EC 45/04; Princípios norteadores:

Processo Eletrônico. Produto das revoluções tecnológicas; Consequência direta da EC 45/04; Princípios norteadores: Processo Eletrônico Produto das revoluções tecnológicas; Consequência direta da EC 45/04; Princípios norteadores: Princípio da Universalidade; Princípio da Uniquidade; Princípio da Publicidade; Princípio

Leia mais

JUSTIÇA MILITAR. ORGANIZAÇÃO E COMPETÊNCIA

JUSTIÇA MILITAR. ORGANIZAÇÃO E COMPETÊNCIA JUSTIÇA MILITAR. ORGANIZAÇÃO E COMPETÊNCIA CONFORMAÇÃO CONSTITUCIONAL Constituição Federal (OBS: o Decreto 4.346/02 exige o cumprimento do contraditório na apuração das infrações disciplinares) Art. 92.

Leia mais

JUSTIÇA FEDERAL 1ª Vara Federal de Guarulhos 19ª Subseção Judiciária de São Paulo

JUSTIÇA FEDERAL 1ª Vara Federal de Guarulhos 19ª Subseção Judiciária de São Paulo 1 PORTARIA Nº 26/2006 A DOUTORA CLAUDIA MANTOVANI ARRUGA, JUÍZA FEDERAL DA PRIMEIRA VARA FEDERAL DE GUARULHOS - 19ª SUBSEÇÃO JUDICIÁRIA DE SÃO PAULO, no uso de suas atribuições legais e regulamentares,

Leia mais

PARTE 1. Resolução 551/2011

PARTE 1. Resolução 551/2011 PARTE 1 Resolução 551/2011 TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO RESOLUÇÃO Nº 551/2011 Regulamenta o processo eletrônico no âmbito do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo e dá outras providências.

Leia mais

PROCEDIMENTO DA DILIGÊNCIAS INVESTIGATÓRIAS ART. 6º E 7º

PROCEDIMENTO DA DILIGÊNCIAS INVESTIGATÓRIAS ART. 6º E 7º PROCEDIMENTO DA AUTORIDADE POLICIAL DILIGÊNCIAS INVESTIGATÓRIAS ART. 6º E 7º DILIGÊNCIAS INVESTIGATÓRIAS CONHECIMENTO DA NOTITIA CRIMINIS delegado deve agir de acordo comoart.6º e 7º do CPP, (não exaustivo

Leia mais

MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE GOIÁS

MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE GOIÁS Excelentíssimo(a) Sr(a) Dr(a) Juiz(a) de Direito da 7ª Vara Criminal Da Comarca De Goiânia Go. Autos n.º 7ª Vara Criminal. Ação Penal Acusados:,, Protocolo PGJ n.º - Distribuição por dependência: PENAL.

Leia mais

Direito Processual Penal - Inquérito Policial

Direito Processual Penal - Inquérito Policial Direito Processual Penal - Inquérito Policial O inquérito policial é um procedimento administrativo préprocessual, de caráter facultativo, destinado a apurar infrações penais e sua respectiva autoria.

Leia mais

FACULDADE ZUMBI DOS PALMARES CURSO DE DIREITO PRÁTICA JURÍDICA

FACULDADE ZUMBI DOS PALMARES CURSO DE DIREITO PRÁTICA JURÍDICA FACULDADE ZUMBI DOS PALMARES CURSO DE DIREITO PRÁTICA JURÍDICA Regras Básicas para as Atividades de Prática Jurídica a partir do ano letivo de 2010 Visitas Orientadas 72 Horas 36 horas para atividades

Leia mais

Ato nº 99/GP/TRT 19ª, de 16 de junho de 2015.

Ato nº 99/GP/TRT 19ª, de 16 de junho de 2015. PODER JUDICIÁRIO JUSTIÇA DO TRABALHO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 19ª REGIÃO Ato nº 99/GP/TRT 19ª, de 16 de junho de 2015. Institui o porte de arma de fogo para uso dos Agentes de Segurança Judiciária

Leia mais

Recuperação Extrajudicial, Judicial e Falência. Profª. MSc. Maria Bernadete Miranda

Recuperação Extrajudicial, Judicial e Falência. Profª. MSc. Maria Bernadete Miranda Recuperação Extrajudicial, Judicial e Falência Recuperação Extrajudicial, Judicial e Falência Decreto-lei nº 7.661, de 21 de junho de 1945 Lei de Falências revogado. Lei nº 11.101, de 09 de fevereiro de

Leia mais

15/05/2013 MODELO DE RELAXAMENTO DA PRISÃO EM FLAGRANTE

15/05/2013 MODELO DE RELAXAMENTO DA PRISÃO EM FLAGRANTE Direito Processual Penal 2ª Fase OAB/FGV Professora Beatriz Abraão MODELO DE RELAXAMENTO DA PRISÃO EM FLAGRANTE Excelentíssimo Senhor Doutor Juiz de Direito da... Vara Criminal da Comarca... (especificar

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 07 DE 30/05/2014 (DJE 04/06/2014)

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 07 DE 30/05/2014 (DJE 04/06/2014) INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 07 DE 30/05/2014 (DJE 04/06/2014) EMENTA: Implanta o Sistema Processo Judicial Eletrônico-PJe nas Varas Cíveis da Capital e dá outras providências. O Presidente do Tribunal de Justiça

Leia mais

.Tribunal de Justiça do Estado de Roraima.Corregedoria-Geral de Justiça Amazônia: Patrimônio dos Brasileiros

.Tribunal de Justiça do Estado de Roraima.Corregedoria-Geral de Justiça Amazônia: Patrimônio dos Brasileiros PROVIMENTO CGJ Nº. 002/2014.Tribunal de Justiça do Estado de Roraima Institui o Código de Normas da Corregedoria-Geral de Justiça e dá outras providências O Desembargador Ricardo Oliveira, Corregedor-Geral

Leia mais

SIGLAS E ABREVIATURAS

SIGLAS E ABREVIATURAS SIGLAS E ABREVIATURAS ABREVIATURA AFIZON AR BU CAE CE CF CGE CO CP CPC CPP CRE ELO FAE FASE GRU IP IPAJ JE LC MP OAB PETE RAE RELDIA Res. RRI SPCE TCO TE TRE TSE VC ZE NOMENCLATURA Relatório de Títulos

Leia mais

XIV - CORREICAO ORDINÁRIA 2014.02.01.001273-0

XIV - CORREICAO ORDINÁRIA 2014.02.01.001273-0 Nº CNJ : 0001273-31.2014.4.02.0000 RELATORA : DESEMBARGADORA FEDERAL CORREGEDORA DRA. SALETE MARIA POLITA MACCÁLOZ REQUERENTE : CORREGEDOR(A)-REGIONAL DA JUSTICA FEDERAL DA 2A REGIAO REQUERIDO : JUIZO

Leia mais

NORMA DE AUTUAÇÃO E CONTROLE DE PROCESSOS - NOR 206

NORMA DE AUTUAÇÃO E CONTROLE DE PROCESSOS - NOR 206 MANUAL DE ADMINISTRAÇÃO E FINANÇAS COD. 200 ASSUNTO: AUTUAÇÃO, MOVIMENTAÇÃO E CONTROLE DE PROCESSOS APROVAÇÃO: Resolução DIREX nº 109/2013, de 01/07/2013 VIGÊNCIA: 01/07/2013 NORMA DE AUTUAÇÃO E CONTROLE

Leia mais

O PRESIDENTE DO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 2ª REGIÃO, no exercício de suas atribuições, e considerando:

O PRESIDENTE DO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 2ª REGIÃO, no exercício de suas atribuições, e considerando: Resolução 11/2014 O PRESIDENTE DO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 2ª REGIÃO, no exercício de suas atribuições, e considerando: - a autorização dada por meio do art. 18 da Lei nº 11.419, de 19 de dezembro

Leia mais

SINOREG-SP GESTOR DO FUNDO DE CUSTEIO DO REGISTRO CIVIL

SINOREG-SP GESTOR DO FUNDO DE CUSTEIO DO REGISTRO CIVIL SINOREG-SP GESTOR DO FUNDO DE CUSTEIO DO REGISTRO CIVIL MANUAL DE NORMAS E PROCEDIMENTOS PARA COMPENSAÇÃO DOS ATOS GRATUITOS E DA COMPLEMENTAÇÃO DA RECEITA MÍNIMA DOS CARTÓRIOS DE REGISTRO CIVIL DAS PESSOAS

Leia mais

RESOLUÇÃO N.º 148/2015

RESOLUÇÃO N.º 148/2015 RESOLUÇÃO N.º 148/2015 Autoriza o porte de arma de fogo institucional aos servidores da Justiça Militar do Estado. O PRESIDENTE DO, no uso de suas atribuições legais, de acordo com o artigo 241, inciso

Leia mais

TRIBUNAL DE JUSTIÇA PODER JUDICIÁRIO São Paulo

TRIBUNAL DE JUSTIÇA PODER JUDICIÁRIO São Paulo TRIBUNAL DE JUSTIÇA São Paulo fls. 1 Registro: 2013.0000094980 ACÓRDÃO Vistos, relatados e discutidos estes autos de Habeas Corpus nº 0000391-04.2013.8.26.0000, da Comarca de Araraquara, em que é paciente

Leia mais

MANUAL DE INSTRUÇÃO PARA PREENCHIMENTO DE GUIAS DE RECOLHIMENTO (Provimento n.º 33/2008-CGJ)

MANUAL DE INSTRUÇÃO PARA PREENCHIMENTO DE GUIAS DE RECOLHIMENTO (Provimento n.º 33/2008-CGJ) MANUAL DE INSTRUÇÃO PARA PREENCHIMENTO DE GUIAS DE RECOLHIMENTO (Provimento n.º 33/2008-CGJ) Acessar o site do Tribunal de Justiça do Estado de Mato Grosso (www.tjmt.jus.br/servicos/guias) Atos da Primeira

Leia mais

CONTINUAÇÃO - RECURSOS NO PROCESSO PENAL, Recurso no Sentido Estrito

CONTINUAÇÃO - RECURSOS NO PROCESSO PENAL, Recurso no Sentido Estrito CONTINUAÇÃO - RECURSOS NO PROCESSO PENAL, Recurso no Sentido Estrito Efeito suspensivo O RESE, como regra, não tem efeito suspensivo. Terá, apenas, quando a lei prever. O art. 584 do CPP 1 prevê 05 hipóteses

Leia mais

(Alterado pelo Provimento nº 13/2012)

(Alterado pelo Provimento nº 13/2012) (Alterado pelo Provimento nº 13/2012) Provimento nº 36, de 10 de novembro de 2011. Dispõe sobre os bens apreendidos concernentes aos procedimentos criminais, veda o recebimento de armas de fogo, munições,

Leia mais

LEI COMPLEMENTAR N. 13, DE 8 DE DEZEMBRO DE 1987

LEI COMPLEMENTAR N. 13, DE 8 DE DEZEMBRO DE 1987 LEI COMPLEMENTAR N. 13, DE 8 DE DEZEMBRO DE 1987 Dá nova redação aos artigos que menciona, entre outras providências, da Lei Complementar n. 3, de 12 de janeiro de 1981, que dispõe sobre a Organização

Leia mais

DIREITO ADMINISTRATIVO Prof. Danilo Vieira Vilela. Processo Administrativo Processo Administrativo. Lei n 9784/1999. Conceito. Fases.

DIREITO ADMINISTRATIVO Prof. Danilo Vieira Vilela. Processo Administrativo Processo Administrativo. Lei n 9784/1999. Conceito. Fases. Direito Administrativo UNISO 1 DIREITO ADMINISTRATIVO Prof. Danilo Vieira Vilela Processo Administrativo Processo Administrativo. Lei n 9784/1999. Conceito. Fases. Processo - conjunto de atos dirigidos

Leia mais

CONSOLIDAÇÃO DAS NORMAS GERAIS DA CORREGEDORIA GERAL DA JUSTIÇA DO ESTADO DO TOCANTINS

CONSOLIDAÇÃO DAS NORMAS GERAIS DA CORREGEDORIA GERAL DA JUSTIÇA DO ESTADO DO TOCANTINS CONSOLIDAÇÃO DAS NORMAS GERAIS DA CORREGEDORIA GERAL DA JUSTIÇA DO ESTADO DO TOCANTINS DESA. DALVA MAGALHÃES Corregedora Geral da Justiça TJ/TO GESTÃO 2001/2002 COMISSÃO ELABORADORA Chefe de Gabinete Alexandre

Leia mais

PROVIMENTO CONJUNTO N.º 007/2014 CGJ/CCI

PROVIMENTO CONJUNTO N.º 007/2014 CGJ/CCI PROVIMENTO CONJUNTO N.º 007/2014 CGJ/CCI Uniformiza os procedimentos adotados pelas Secretarias e Serviços Judiciários, relativos à entrega de autos a advogados, estagiários e prepostos. O DESEMBARGADOR

Leia mais

BUSCA E APREENSÃO NO DIREITO PROCESSUAL PENAL

BUSCA E APREENSÃO NO DIREITO PROCESSUAL PENAL POLICIA FEDERAL DO BRASIL BUSCA E APREENSÃO NO DIREITO PROCESSUAL PENAL VISÃO GERAL Com o intuito de que não desapareçam am as provas do crime, o que tornaria impossível ou problemático o seu aproveitamento,

Leia mais

O Presidente da 76ª Subseção da Ordem dos Advogados do Brasil de Minas Gerais, no uso de suas atribuições legais, e

O Presidente da 76ª Subseção da Ordem dos Advogados do Brasil de Minas Gerais, no uso de suas atribuições legais, e PROVIMENTO N.º 01/2012 Regulamenta a prestação de serviços de cópia de autos pelos serventuários da 76ª Subseção da Ordem dos Advogados do Brasil de Minas Gerais, na Subseção de Boa Esperança e em Guapé,

Leia mais

DECRETO Nº 12.677, DE 11 DE JULHO DE 2007. Publicado no DOE n 131, de 12/07/2007

DECRETO Nº 12.677, DE 11 DE JULHO DE 2007. Publicado no DOE n 131, de 12/07/2007 REVOGADO PELO DECRETO 13.501, DE 23/12/2008 *Ver Decreto 13.500/2008 DECRETO Nº 12.677, DE 11 DE JULHO DE 2007. Publicado no DOE n 131, de 12/07/2007 Regulamenta o disposto no inciso II, caput, e nos 1º

Leia mais

O PRESIDENTE DA REPÚBLICA Faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono a seguinte Lei:

O PRESIDENTE DA REPÚBLICA Faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono a seguinte Lei: Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos LEI Nº 11.419, DE 19 DE DEZEMBRO DE 2006. Mensagem de veto Dispõe sobre a informatização do processo judicial; altera a Lei no 5.869,

Leia mais

MANUAL PRÁTICO DE ROTINAS DAS VARAS CRIMINAIS PROCESSO DE EXECUÇÃO PENAL

MANUAL PRÁTICO DE ROTINAS DAS VARAS CRIMINAIS PROCESSO DE EXECUÇÃO PENAL MANUAL PRÁTICO DE ROTINAS DAS VARAS CRIMINAIS PROCESSO DE EXECUÇÃO PENAL Autores: Henrique Baltazar Vilar dos Santos Fábio José Guedes de Sousa Sumário: 1. Início do processo:... 2 a. Recebimento de Processo

Leia mais

LEI Nº 10.826, DE 22 DE DEZEMBRO DE 2003. CAPÍTULO I DO SISTEMA NACIONAL DE ARMAS

LEI Nº 10.826, DE 22 DE DEZEMBRO DE 2003. CAPÍTULO I DO SISTEMA NACIONAL DE ARMAS Senado Federal S u b s e c r e t a r i a d e I n f o r m a ç õ e s LEI Nº 10.826, DE 22 DE DEZEMBRO DE 2003. Dispõe sobre registro, posse e comercialização de armas de fogo e munição, sobre o Sistema Nacional

Leia mais

OAB 2ª FASE PENAL PROF. SIDNEY FILHO

OAB 2ª FASE PENAL PROF. SIDNEY FILHO OAB 2ª FASE PENAL PROF. SIDNEY FILHO MEMORIAIS (OAB/SP 133 - ADAPTADO) Pedro foi acusado de roubo qualificado por denúncia do Promotor de Justiça da comarca, o dia 1 de julho de 2006. Dela constou que

Leia mais

RESOLUÇÃO N. 114/2013/TCE-RO

RESOLUÇÃO N. 114/2013/TCE-RO RESOLUÇÃO N. 114/2013/TCE-RO Dá nova redação ao artigo 86 e revoga o 1º do artigo 247 e o inciso XII do artigo 187, todos do Regimento Interno do TCE/RO, relativos à vista, carga e devolução de processos

Leia mais

Superior Tribunal de Justiça

Superior Tribunal de Justiça RECURSO ESPECIAL Nº 1.391.004 - GO (2013/0219024-8) RELATOR RECORRENTE RECORRIDO ADVOGADO : MINISTRO MARCO AURÉLIO BELLIZZE : MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE GOIÁS : ADEMIR NOLASCO GUIMARÃES : ACHILES

Leia mais

LEI Nº 9.504, DE 30 DE SETEMBRO DE 1997.... Da Propaganda Eleitoral no Rádio e na Televisão...

LEI Nº 9.504, DE 30 DE SETEMBRO DE 1997.... Da Propaganda Eleitoral no Rádio e na Televisão... LEI Nº 9.504, DE 30 DE SETEMBRO DE 1997 Estabelece normas para as eleições. Da Propaganda Eleitoral no Rádio e na Televisão Art. 45. A partir de 1º de julho do ano da eleição, é vedado às emissoras de

Leia mais

ARRENDAMENTO DO RESTAURANTE-BAR, NO RAMO DE ESTABELECIMENTO DE RESTAURAÇÃO, SITO NA PISCINA MUNICIPAL, RUA DR. EDMUNDO CURVELO, EM ARRONCHES

ARRENDAMENTO DO RESTAURANTE-BAR, NO RAMO DE ESTABELECIMENTO DE RESTAURAÇÃO, SITO NA PISCINA MUNICIPAL, RUA DR. EDMUNDO CURVELO, EM ARRONCHES 1 ARRENDAMENTO DO RESTAURANTE-BAR, NO RAMO DE ESTABELECIMENTO DE RESTAURAÇÃO, SITO NA PISCINA MUNICIPAL, RUA DR. EDMUNDO CURVELO, EM ARRONCHES CADERNO DE ENCARGOS Artigo 1.º Objeto A Câmara Municipal de

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos DECRETO N o 70.436, DE 18 DE ABRIL DE 1972. Regulamenta a aquisição pelos portugueses, no Brasil, dos direitos e obrigações previstos

Leia mais

4.1 CADASTRAMENTO DE ASSUNTOS PROCESSUAIS NA ÁREA CÍVEL 4.2 CADASTRAMENTO DE ASSUNTOS PROCESSUAIS NA ÁREA CRIMINAL

4.1 CADASTRAMENTO DE ASSUNTOS PROCESSUAIS NA ÁREA CÍVEL 4.2 CADASTRAMENTO DE ASSUNTOS PROCESSUAIS NA ÁREA CRIMINAL 1 SUMÁRIO: 1. APRESENTAÇÃO 2. TABELAS PROCESSUAIS UNIFICADAS DO PODER JUDICIÁRIO 3. TABELA DE CLASSES PROCESSUAIS 4. TABELA DE ASSUNTOS PROCESSUAIS 4.1 CADASTRAMENTO DE ASSUNTOS PROCESSUAIS NA ÁREA CÍVEL

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO DO ESTADO DO TOCANTINS TRIBUNAL DE JUSTIÇA Juiz Convocado HELVÉCIO DE BRITO MAIA NETO

PODER JUDICIÁRIO DO ESTADO DO TOCANTINS TRIBUNAL DE JUSTIÇA Juiz Convocado HELVÉCIO DE BRITO MAIA NETO HABEAS CORPUS Nº 0002031-78.2014.827.0000 ORIGEM: COMARCA DE PARAÍSO DO TOCANTINS 1ª VARA CRIMINAL PACIENTE: RAPHAEL BRANDÃO PIRES IMPETRANTE: ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL SECCIONAL DO TOCANTINS IMPETRADO:

Leia mais

REGULAMENTO DO NÚCLEO DE PRÁTICA JURÍDICA

REGULAMENTO DO NÚCLEO DE PRÁTICA JURÍDICA REGULAMENTO DO NÚCLEO DE PRÁTICA JURÍDICA CAPÍTULO I DISPOSIÇÃO PRELIMINAR Aprovado pela Resolução Consuni nº 28/06 de 12/07/06. Art. 1º O presente regulamento disciplina as atividades do Núcleo de Prática

Leia mais

Estabelecer critérios e procedimentos para atendimento à solicitação de informações formulada por usuários.

Estabelecer critérios e procedimentos para atendimento à solicitação de informações formulada por usuários. Proposto por: Juiz de Direito Analisado por: Integrante da Comissão de Gestão Estratégica (COGES) Aprovado por: Chefe do Poder Judiciário do Estado do Rio de Janeiro (PJERJ) ATENÇÃO: A cópia impressa a

Leia mais

CORREGEDORIA GERAL DA JUSTIÇA PROVIMENTO Nº 13/2009.

CORREGEDORIA GERAL DA JUSTIÇA PROVIMENTO Nº 13/2009. CORREGEDORIA GERAL DA JUSTIÇA PROVIMENTO Nº 13/2009. DISPÕE SOBRE ATOS DO JUIZ E ATOS ORDINATÓRIOS QUE DEVEM SER PRATICADOS PELO ESCRIVÃO, CHEFE DE SECRETARIA OU SERVIDOR DEVIDAMENTE AUTORIZADO, INDEPENDENTE

Leia mais

CAPÍTULO II DOS OFÍCIOS DE JUSTIÇA EM GERAL SEÇÃO I DAS ATRIBUIÇÕES

CAPÍTULO II DOS OFÍCIOS DE JUSTIÇA EM GERAL SEÇÃO I DAS ATRIBUIÇÕES BLOCO DE ATUALIZAÇÃO Nº 3 CAP. II - 1 CAPÍTULO II DOS OFÍCIOS DE JUSTIÇA EM GERAL SEÇÃO I DAS ATRIBUIÇÕES 1. Aos ofícios de justiça serão atribuídos, de acordo com suas respectivas varas, os serviços do

Leia mais

PORTO ALEGRE: Na OAB/Serviços - Rua Vicente de Paula Dutra, 236 (ao lado do FORO CENTRAL), horário contínuo das 08h30min às 18h30min.

PORTO ALEGRE: Na OAB/Serviços - Rua Vicente de Paula Dutra, 236 (ao lado do FORO CENTRAL), horário contínuo das 08h30min às 18h30min. 1. INSTRUÇÕES PARA REQUERIMENTO NO QUADRO DE ADVOGADOS Requerimento preenchido, datado, assinado somente pelo requerente. Não deixar campos em branco. Não rasurar. As importâncias recolhidas à tesouraria

Leia mais

LEI Nº 9.492, DE 10 DE SETEMBRO DE 1997. Congresso Nacional decreta e eu sanciono a seguinte Lei: CAPÍTULO I. Da Competência e das Atribuições

LEI Nº 9.492, DE 10 DE SETEMBRO DE 1997. Congresso Nacional decreta e eu sanciono a seguinte Lei: CAPÍTULO I. Da Competência e das Atribuições O PRESIDENTE DA REPÚBLICA LEI Nº 9.492, DE 10 DE SETEMBRO DE 1997. Define competência, regulamenta os serviços concernentes ao protesto de títulos e outros documentos de dívida e dá outras providências.

Leia mais

PADRÃO DE RESPOSTA PEÇA PROFISSIONAL

PADRÃO DE RESPOSTA PEÇA PROFISSIONAL PEÇA PROFISSIONAL Petição inicial: Queixa-crime. Endereçamento: Vara Criminal da Comarca de São Paulo SP. Vara criminal comum, visto que as penas máximas abstratas, somadas, ultrapassam dois anos. Como

Leia mais

PROVIMENTO Nº 04/2008

PROVIMENTO Nº 04/2008 PROVIMENTO Nº 04/2008 Disciplina os procedimentos relativos aos débitos das Fazendas Públicas Federal, Estadual e Municipal, em virtude de sentença judicial transitada em julgado, sujeitos ao regime de

Leia mais

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO fls. 1 SENTENÇA Processo nº: Classe - Assunto Réu: Procedimento Especial da Lei Antitóxicos - Tráfico de Drogas e Condutas Afins Juiz(a) de Direito: Dr(a). Heitor Donizete de Oliveira Vistos. XX, qualificado

Leia mais

LEI Nº 9.279, DE 14 DE MAIO DE 1996

LEI Nº 9.279, DE 14 DE MAIO DE 1996 LEI Nº 9.279, DE 14 DE MAIO DE 1996 Regula Direitos e Obrigações Relativos à Propriedade Industrial. TÍTULO V DOS CRIMES CONTRA A PROPRIEDADE INDUSTRIAL CAPÍTULO I DOS CRIMES CONTRA AS PATENTES Art. 183.

Leia mais

DESPACHO SEJUR N.º 513/2015

DESPACHO SEJUR N.º 513/2015 DESPACHO SEJUR N.º 513/2015 (Aprovado em Reunião de Diretoria em 14/10/2015) Interessado: Dr. M. F. C. N Expedientes n.º 8771/2015 Assunto: Análise jurídica. Perícia médico-legal em vítimas de violência

Leia mais

SELO FUNARPEN INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 007/2006

SELO FUNARPEN INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 007/2006 SELO FUNARPEN INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 007/2006 Fundo de Apoio ao Registro Civil de Pessoas Naturais O CONSELHO DIRETOR DO FUNARPEN FUNDO DE APOIO AO REGISTRO CIVIL DAS PESSOAS NATURAIS, NO USO DE SUAS ATRIBUIÇÕES

Leia mais

INSTRUÇÕES PARA REALIZAÇÃO DA PROVA

INSTRUÇÕES PARA REALIZAÇÃO DA PROVA INSTRUÇÕES PARA REALIZAÇÃO DA PROVA 1) A prova terá duração máxima de 3 horas. 2) Cada questão possui apenas uma resposta correta e, a marcação de mais de uma assertiva, implicará em sua nulidade. 3) Durante

Leia mais

CAPÍTULO V DOS OFÍCIOS DE JUSTIÇA CRIMINAL, DO JÚRI, DAS EXECUÇÕES CRIMINAIS E DA CORREGEDORIA DOS PRESÍDIOS E DA POLÍCIA JUDICIÁRIA

CAPÍTULO V DOS OFÍCIOS DE JUSTIÇA CRIMINAL, DO JÚRI, DAS EXECUÇÕES CRIMINAIS E DA CORREGEDORIA DOS PRESÍDIOS E DA POLÍCIA JUDICIÁRIA BLOCO DE ATUALIZAÇÃO Nº 21 CAP. V - 1 CAPÍTULO V DOS OFÍCIOS DE JUSTIÇA CRIMINAL, DO JÚRI, DAS EXECUÇÕES CRIMINAIS E DA CORREGEDORIA DOS PRESÍDIOS E DA POLÍCIA JUDICIÁRIA SEÇÃO I DOS LIVROS DO OFÍCIO DE

Leia mais

Livro: Incidentes e Proced. Criminais Diversos. Tipo de Ação: Auto de Prisão em Flagrante >Procedimentos Investigatórios >PROCESSO CRIMINAL

Livro: Incidentes e Proced. Criminais Diversos. Tipo de Ação: Auto de Prisão em Flagrante >Procedimentos Investigatórios >PROCESSO CRIMINAL Gerado em: 22/06/2015 15:11 Código: 233442 Processo Nº: 0 / 2015 Tipo: Crime Lotação: Segunda Vara Criminal Assunto: Livro: Incidentes e Proced. Criminais Diversos Juiz(a) atual:: Débora Roberta Pain Caldas

Leia mais

ATO NORMATIVO Nº 159, DE 09 DE DEZEMBRO DE 2014.

ATO NORMATIVO Nº 159, DE 09 DE DEZEMBRO DE 2014. ATO NORMATIVO Nº 159, DE 09 DE DEZEMBRO DE 2014. DISPÕE SOBRE A UNIFORMIZAÇÃO DAS - NORMAS QUE DISCIPLINAM O INGRESSO E TRAMITAÇÃO DOS PROCESSOS DIGITAIS NO ÂMBITO DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE ALAGOAS

Leia mais

Comunicado CG nº 1021/2015

Comunicado CG nº 1021/2015 Disponibilização: quinta-feira, 6 de agosto de 2015 Diário da Justiça Eletrônico - Caderno Administrativo São Paulo, Ano VIII - Edição 1940 16 DICOGE 5.1 Comunicado CG nº 1021/2015 A Corregedoria Geral

Leia mais

REGULAMENTO DO ARQUIVO MUNICIPAL DE GOUVEIA. Capítulo 1. Constituição e Funções do Arquivo Municipal. Artigo 1º. Artigo 2º. Capítulo II Da Recolha

REGULAMENTO DO ARQUIVO MUNICIPAL DE GOUVEIA. Capítulo 1. Constituição e Funções do Arquivo Municipal. Artigo 1º. Artigo 2º. Capítulo II Da Recolha 1 REGULAMENTO DO ARQUIVO MUNICIPAL DE GOUVEIA Capítulo 1 Constituição e Funções do Arquivo Municipal. Artigo 1º O Arquivo Municipal da Câmara Municipal de Gouveia (C.M.G.) compreende o âmbito, funções

Leia mais

ORDEM DE SERVIÇO N.º 01/2009-CEUNI, de 01 de abril de 2009

ORDEM DE SERVIÇO N.º 01/2009-CEUNI, de 01 de abril de 2009 ORDEM DE SERVIÇO N.º 01/2009-CEUNI, de 01 de abril de 2009 (Disponibilizada no Diário Eletrônico da Justiça Federal da 3ª Região em 03/04/2009) Texto atualizado com as Ordens de Serviço nºs 02 e 03 até

Leia mais

Corregedoria Geral da Justiça do Estado do Rio de Janeiro

Corregedoria Geral da Justiça do Estado do Rio de Janeiro Corregedoria Geral da Justiça do Estado do Rio de Janeiro Consolidação Normativa Atualizada em 29/10/2015 ÍNDICE LIVRO I - PARTE GERAL... 5 TÍTULO I - DA CORREGEDORIA GERAL DA JUSTIÇA... 5 CAPÍTULO I -

Leia mais

Portaria. Gabinete da Ministra da Justiça Praça do Comércio, 1149-019 Lisboa, PORTUGAL TEL + 351 21 322 23 00 EMAIL gmj@mj.gov.pt www.portugal.gov.

Portaria. Gabinete da Ministra da Justiça Praça do Comércio, 1149-019 Lisboa, PORTUGAL TEL + 351 21 322 23 00 EMAIL gmj@mj.gov.pt www.portugal.gov. Portaria O Memorando de Entendimento sobre as Condicionalidades de Política Económica, celebrado entre a República Portuguesa e o Banco Central Europeu, a União Europeia e o Fundo Monetário Internacional,

Leia mais

FICHA TÉCNICA DE LEGISLAÇÃO GERAL

FICHA TÉCNICA DE LEGISLAÇÃO GERAL FICHA TÉCNICA DE LEGISLAÇÃO GERAL Guarda Nacional Republicana TÍTULO ARMAS E MUNIÇÕES ASSUNTO FISCALIZAÇÃO DE ARMAS E MUNIÇÕES FICHA N.º 2.1 DATA OUT10 REVISÃO CLASS. SEG. N/CLASS 1. ENQUADRAMENTO JURIDICO/LEGAL

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos

Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos Presidência da República Casa Civil Subchefia para Assuntos Jurídicos LEI Nº 9.613, DE 3 DE MARÇO DE 1998. Dispõe sobre os crimes de "lavagem" ou ocultação de bens, direitos e valores; a prevenção da utilização

Leia mais

CÓDIGO DE CLASSIFICAÇÃO DE DOCUMENTOS DE ARQUIVO SUBCLASSE 080

CÓDIGO DE CLASSIFICAÇÃO DE DOCUMENTOS DE ARQUIVO SUBCLASSE 080 CÓDIGO DE CLASSIFICAÇÃO DE DOCUMENTOS DE ARQUIVO SUBCLASSE 080 RESOLUÇÃO Nº 21, DE 4 DE AGOSTO DE 2004 Diário Oficial da União, Seção 1, de 9 de agosto de 2004 http://www.conarq.arquivonacional.gov.br/cgi/cgilua.exe/sys/start.htm

Leia mais

Poder Judiciário TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 5ª REGIÃO Gabinete do Desembargador Federal Geraldo Apoliano RELATÓRIO

Poder Judiciário TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 5ª REGIÃO Gabinete do Desembargador Federal Geraldo Apoliano RELATÓRIO Poder Judiciário RELATÓRIO O DESEMBARGADOR FEDERAL GERALDO APOLIANO (RELATOR): Trata-se de Petição em Habeas Corpus, impetrado em favor de José Dias Monteiro Neto, pugnando pela suspensão da imposição

Leia mais

ESTADO DO MARANHÃO PODER JUDICIÁRIO

ESTADO DO MARANHÃO PODER JUDICIÁRIO ESTADO DO MARANHÃO PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA ATO DA PRESIDÊNCIA Nº. 1226/2011 O PRESIDENTE DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO MARANHÃO, no uso de suas atribuições legais, tendo em vista o disposto

Leia mais

PLANO DE ENSINO. Ministério da Educação Universidade Federal de Santa Maria Centro de Ciências Sociais e Humanas Departamento de Direito

PLANO DE ENSINO. Ministério da Educação Universidade Federal de Santa Maria Centro de Ciências Sociais e Humanas Departamento de Direito Ministério da Educação Universidade Federal de Santa Maria Centro de Ciências Sociais e Humanas Departamento de Direito 1) IDENTIFICAÇÃO DA DISCIPLINA Disciplina Processo Penal I PLANO DE ENSINO Código

Leia mais

TRIBUNAL DE JUSTIÇA PODER JUDICIÁRIO São Paulo

TRIBUNAL DE JUSTIÇA PODER JUDICIÁRIO São Paulo fls. 5 Registro: 2016.0000053604 ACÓRDÃO Vistos, relatados e discutidos estes autos de Apelação nº 0000973-35.2012.8.26.0292, da Comarca de Jacareí, em que é apelante RUSTON ALIMENTOS LTDA, é apelado JOSAPAR

Leia mais

LIVRO II (FORO JUDICIAL) TÍTULO I - DOS SERVIÇOS JUDICIAIS CAPÍTULO I - DAS ESCRIVANIAS. Seção I - Da Administração Interna

LIVRO II (FORO JUDICIAL) TÍTULO I - DOS SERVIÇOS JUDICIAIS CAPÍTULO I - DAS ESCRIVANIAS. Seção I - Da Administração Interna Subseção I - Do Processamento Integrado e do Titular LIVRO II (FORO JUDICIAL) TÍTULO I - DOS SERVIÇOS JUDICIAIS CAPÍTULO I - DAS ESCRIVANIAS Seção I - Da Administração Interna Art. 182 A administração

Leia mais