MANUAL DAS ÁREAS COMUNS REVISÃO - R00

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "MANUAL DAS ÁREAS COMUNS REVISÃO - R00"

Transcrição

1 MANUAL DAS ÁREAS COMUNS REVISÃO - R00

2 ÍNDICE I INTRODUÇÃO I.I Termo de Vistoria das Áreas Comuns I.II Manual das Áreas Comuns I.III Programa de Manutenção Preventiva I.IV Solicitação de Assistência Técnica I.V Definições I.VI Responsabilidades Relacionadas a Manutenção da Edificação I.VII Responsáveis Técnicos II TERMO DE GARANTIA E AQUISIÇÃO II.I Disposições Gerais II.II Perda de Garantia III DOCUMENTOS DO CONDOMÍNIO IV USO E MANUTENÇÃO DO IMÓVEL V PROGRAMA DE MANUTENÇÃO PREVENTIVA V.I Planejamento de Manutenção Preventiva V.II Registro da Realização da Manutenção V.III Verificação da Realização da Manutenção VI OPERAÇÃO DO CONDOMÍNIO VI.I Pedido de ligações VI.II Modificações e Reformas VI.III Recomendações para Situações de Emergência VII ESPECIFICAÇÕES E FORNECEDORES VIII DOCUMENTOS ENTREGUES EM ANEXO

3 I - INTRODUÇÃO Prezado Cliente, Este Manual das Áreas Comuns foi elaborado com a finalidade de transmitir as informações referentes às áreas comuns, estabelecendo as condições de garantia, e orientar, de forma genérica, sobre o uso, a conservação e a manutenção preventiva. Este instrumento também visa auxiliar o Síndico/Conselho na elaboração do Programa de Manutenção Preventiva. I.I Termo de Vistoria das Áreas Comuns Quando concluída a obra, será efetuada a vistoria da área comum com o Síndico e/ou seu representante, utilizando-se o Termo de Vistoria das Áreas Comuns, verificando se as especificações constantes no Memorial Descritivo foram atendidas, e se há vícios aparentes de construção. Esta vistoria também é considerada como a Inspeção Inicial do empreendimento, sendo necessária a observância das garantias com validade no ato da entrega conforme descritas neste manual. Caso se verifiquem vícios durante a vistoria, as áreas comuns do empreendimento serão recebidas com as devidas ressalvas descritas no termo de vistoria. A Comissão de Obras em conjunto com a Construtora e/ou Incorporadora, fará nova vistoria, imediatamente após a conclusão dos reparos. As áreas privativas serão entregues somente após o recebimento definitivo das áreas comuns, mesmo que sejam apontadas ressalvas em relatório assinado pelo Síndico (a) e integrantes da comissão de Recebimento. I.II Manual das Áreas Comuns Será entregue ao Síndico o Manual das Áreas Comuns, contendo a indicação dos principais fornecedores, com desenhos orientativos e/ou relação de projetos e relação de documentos. Seu objetivo é especificar a correta utilização e a manutenção das áreas comuns de acordo com os sistemas construtivos e materiais empregados, evitar danos decorrentes do mau uso, esclarecer quanto aos riscos de perda da garantia pela falta de conservação e manutenção preventiva adequadas, bem como orientar a elaboração do Programa de Manutenção Preventiva do empreendimento. 3

4 I.IIl Programa de Manutenção Preventiva Um imóvel é planejado e construído para atender seus usuários por muitos anos. Isto exige que se tenha em conta a manutenção do imóvel e de seus vários componentes, já que estes, conforme sua natureza possui características diferenciadas e requerem diferentes tipos, prazos e formas de manutenção. Essa manutenção, no entanto, não deve ser realizada de modo improvisado e casual. Ela deve ser entendida como um serviço técnico e feita por empresas especializadas e por profissionais treinados adequadamente. Para a que a manutenção preventiva obtenha os resultados esperados de conservação, e até o de criar condições para o prolongamento da vida útil do imóvel, é necessário, após o recebimento do imóvel, a implantação de um Programa de Manutenção Preventiva no qual as atividades e recursos são planejados e executados de acordo com as especificidades de cada empreendimento. Os critérios para elaboração do Programa de Manutenção Preventiva devem ser baseados na norma NBR 5674 /2012- Manutenção de Edificações e nas informações contidas nos Manuais do Proprietário e nos Manuais das Áreas Comuns. Constitui condição da garantia do imóvel a correta manutenção preventiva da unidade e das áreas comuns do Condomínio. Nos termos da NBR 5674, da Associação Brasileira de Normas Técnicas, dos Manuais do Proprietário e dos Manuais das Áreas Comuns, o proprietário é responsável pela manutenção preventiva de sua unidade e corresponsável pela realização e custeio da manutenção preventiva das áreas comuns. Após a entrega, a empresa construtora e/ou incorporadora poderá efetuar vistorias nas unidades autônomas selecionadas ecionadas por amostragem, e nas áreas comuns, a fim de verificar a efetiva realização dessas manutenções e o uso correto do imóvel, bem como avaliar os sistemas quanto ao desempenho dos materiais e funcionamento, de acordo com o estabelecido nos Manuais do Proprietário e Manuais das Áreas Comuns. Em consequência, o proprietário e o condomínio obrigam-se a permitir o acesso do profissional em suas dependências e nas áreas comuns, para proceder à Vistoria Técnica, sob pena de perda de garantia. I.IV Solicitação de Assistência Técnica A Construtora e/ou Incorporadora obriga-se a prestar, dentro dos prazos de garantia estabelecidos, o serviço de assistência técnica, reparando, sem ônus, os defeitos verificados, na forma prevista no Manual das Áreas Comuns. 4

5 Para ter direito à assistência técnica, a unidade solicitante deverá estar adimplente com suas obrigações, perante a Construtora e/ou Incorporadora. Caberá ao Síndico ou seu representante solicitar formalmente a visita de um representante da Construtora tora e/ou Incorporadora, sempre que os defeitos se enquadrarem entre aqueles integrantes da garantia. Constatando-se, se, na visita de avaliação dos serviços solicitados, que esses serviços não estão enquadrados nas condições da garantia, será cobrada uma taxa de visita e não caberá à Construtora e/ou Incorporadora a execução dos serviços. As solicitações poderão ser feitas através dos contatos: Fone: (61) I.V Definições Com a finalidade de facilitar o entendimento deste Manual, esclarecemos o significado das nomenclaturas utilizadas: Prazo de Garantia - Período em que o construtor e/ou incorporador responde pela adequação do produto ao seu desempenho, dentro do uso que normalmente dele se espera e em relação a vícios que tenham sido constatados neste intervalo de tempo. Observação: como mencionado no item 1.1, os prazos constantes dos Manuais do Proprietário e dos Manuais das Áreas Comuns correspondem a prazos totais de garantia Vida Útil - Período de tempo que decorre desde a data do término da construção até a data em que se verifica uma situação de depreciação e decadência de suas características funcionais, de segurança, de higiene ou de conforto, tornando economicamente inviáveis os encargos de manutenção Vícios Aparentes - São aqueles de fácil constatação, detectados quando da vistoria ia para recebimento do imóvel Vícios Ocultos - São aqueles não detectáveis no momento da entrega do imóvel, e que podem surgir durante a sua utilização regular. 5

6 1.5.5 Solidez da Construção, Segurança e Utilização de Materiais e Solo - São itens relacionados à solidez da edificação e que possam comprometer a sua segurança, nele incluídos peças e componentes da estrutura do edifício, tais como lajes, pilares, vigas, estruturas de fundação, contenções e arrimos Auto de Conclusão (Carta de Habite-se) - Documento público expedido pela autoridade onde se localiza a construção, confirmando a conclusão da obra nas condições do projeto aprovado Manutenção - Conjunto de atividades a serem realizadas para conservar ou recuperar a capacidade funcional da edificação e de suas partes constituintes para atender às necessidades e à segurança de seus usuários de acordo com os padrões aceitáveis de uso, de modo a preservar sua utilidade e funcionalidade. A manutenção deve ser feita tanto nas unidades autônomas quanto nas áreas comuns Manutenção Preventiva - Nos termos da NBR 5674 compreendem a Manutenção Rotineira que é caracterizada pela realização de serviços constantes que possam ser executados pela equipe de Manutenção Local e a Manutenção Planejada cuja realização é organizada antecipadamente, tendo por referência solicitações dos usuários, estimativas de durabilidade esperada dos componentes das edificações em uso ou relatórios de vistorias técnicas (inspeções) periódicas sobre o estado da edificação Manutenção Não Planejada - Nos termos da NBR 5674, caracteriza-se pelos serviços não previstos na manutenção preventiva, incluindo a manutenção de emergência, caracterizada por serviços que exigem intervenção imediata para permitir a continuidade do uso das edificações e evitar graves riscos ou prejuízos pessoais e patrimoniais aos seus usuários ou proprietários Equipe de Manutenção Local - É constituída pelo pessoal permanente disponível no empreendimento, usualmente supervisionada por um zelador/gerente predial. Esta equipe deve ser adequadamente treinada para a execução da manutenção rotineira Código do Consumidor - É a lei 8078/90, que institui o Código de Proteção e Defesa do Consumidor, melhor definindo os direitos e obrigações de consumidores e fornecedores, como empresas construtoras e/ou incorporadoras Código Civil Brasileiro - É a lei 10406/10 de janeiro 2002, que regulamenta a legislação aplicável às relações civis em geral, dispondo, entre outros assuntos, sobre o Condomínio em edificações. Nele são estabelecidas as diretrizes para elaboração da Convenção de Condomínio e ali estão também contemplados os aspectos de responsabilidades, uso e administração das edificações ABNT NBR É a Norma Brasileira número 5674 da Associação Brasileira de Normas Técnicas, que regulamenta, define e obriga a manutenção de edificações. 6

7 Lei 4591 de 16 de dezembro de É a lei que dispõe sobre as incorporações imobiliárias e, naquilo que não regrado pelo Código Civil, sobre o Condomínio em edificações. I.VI Responsabilidades Relacionadas a Manutenção da Edificação A Convenção de Condomínio e Regimento Interno, elaborado de acordo com as diretrizes da Lei e do Código Civil Brasileiro, estipulam as responsabilidades, direitos e deveres dos proprietários, usuários, síndico, assembléia e conselho consultivo. Lembramos da importância dos envolvidos em praticar os atos que lhe atribuírem a lei do condomínio, a convenção e o regimento interno. Relacionamos abaixo algumas responsabilidades referentes à manutenção das edificações, diretamente relacionadas à NBR Incorporadora e/ou Construtora Fornecer os documentos relacionados no item III deste manual; Entregar os Manuais do Proprietário e Manuais das Áreas Comuns, contendo as informações específicas do edifício; Realizar os serviços de assistência técnica dentro do prazo e condições de garantia; Prestar esclarecimentos técnicos sobre materiais e métodos construtivos utilizados e equipamentos instalados e entregues ao edifício Síndico Elaborar, implantar e acompanhar o Programa de Manutenção Preventiva; Supervisionar as atividades de manutenção, conservação e limpeza das áreas comuns e equipamentos coletivos do condomínio; Administrar os recursos para a realização da manutenção; Aprovar os recursos para a realização da Manutenção; Manter o Arquivo do Síndico sempre completo e em condições de consulta, assim como repassá-lo ao seu sucessor; Registrar as manutenções realizadas; Coletar e arquivar os documentos relacionados às atividades des de manutenção (notas fiscais, contratos, certificados, etc.); Contratar e treinar funcionários para a execução das manutenções; Contratar empresas especializadas para realizar as manutenções; Fazer cumprir as normas de Segurança do Trabalho. 7

8 1.6.3 Conselho Consultivo/Fiscal Acompanhar a realização do Programa de Manutenção Preventiva; Aprovar os recursos para a realização da manutenção Proprietário/Usuário Realizar a manutenção em seu imóvel observando o estabelecido no Manual do Proprietário; Fazer cumprir e prover os recursos para o Programa de Manutenção Preventiva das Áreas Comuns Administradoras Assumir as responsabilidades do Síndico conforme condições de contrato entre o Condomínio e a Administradora; Dar suporte técnico para a elaboração e implantação do Programa de Manutenção Preventiva Zelador / Gerente Predial Fazer cumprir os regulamentos do edifício e as determinações do Síndico e da Administradora; Monitorar os serviços executados pela equipe de manutenção e pelas empresas terceirizadas; Registrar as manutenções realizadas; Comunicar imediatamente ao Síndico ou Administradora qualquer defeito ou problema nas bombas, elevadores, encanamentos, instalações elétricas, enfim, todo e qualquer detalhe funcional do edifício, anomalia nas estruturas, vazamentos e danos à impermeabilização; Auxiliar o Síndico ou Administradora para coletar e arquivar os documentos relacionados às atividades de manutenção (notas fiscais, contratos, certificados, etc.); Fazer cumprir as normas de segurança do trabalho Equipe de Manutenção Local Executar os serviços de manutenção de acordo com o Programa de Manutenção Preventiva; Cumprir as normas de segurança do trabalho Empresa Especializada Realizar os serviços de acordo com as normas técnicas, projetos e orientações do Manual do Proprietário e do Manual das Áreas Comuns; 8

9 Fornecer documentos que comprovem a realização dos serviços de manutenção, tais como contratos, notas fiscais, garantias, certificados, etc. Utilizar materiais e produtos de primeira qualidade na execução dos serviços, mantendo as condições originais; Utilizar peças originais na manutenção dos equipamentos. I.VII Responsáveis Técnicos Segue abaixo os responsáveis técnicos pela obra do Joy Residence, de acordo com as anotações de responsabilidade técnica registrada no CREA-DF: Execução de Edifício Residencial - Comercial Cássio Aurélio Branco Gonçalves - CREA 326/D-DF Sandro Fernando Teixeira Lima - CREA 5682/D-DF Projeto de Arquitetura Merval Rebelo Filho - CREA 51846/D-MG Projeto de Instalações Elétricas, Telefônicas, Detecção, Alarme e SPDA Projeto de Instalações de Água, Esgoto, Incêndio de Hidrantes e Extintores, Rotas de Fuga e Sinalização Projeto Estrutura Concreto Armado Projeto de Fundações a partir das Informações contidas no Projeto de Locação e Cargas na Fundação e Laudo de Sondagem Geotécnicas de autoria da Embre Engenharia; Perfuração de Fundações em Estacas Escavadas e Tubulões Projeto Pressurização de Escada e Projeto de Exaustão N. Taffner Projetos de Instalações LTDA Silvia Yokoyama - CREA 6647-D/DF N. Taffner Projetos de Instalações LTDA Francisco Mitsuo Yamaguti - CREA 4815-D/DF ADC Projetos Construçõese Consultorias LTDA Alexandre Domingues Campos - CREA 3580-D/DF Foco Engenharia e Consultoria LTDA Luís Ernesto Canellas - CREA 8951-D Air System Engenharia LTDA EPP Ricardo Santos D. Gibrail - CREA D/RJ Projeto GLP Rogério Gobato - CREA 7435-D/GO Laudo Central, Instalação e Execução da Central de Gás Instalação de Antena Coletiva, Circuito Fechado de TV, Rede Telefônica Externa, Interfone, Medição Eletrônica e Laudo de Aterramento HDF Engenharia e Comércio LTDA Hugo Diniz Faria - CREA D/MG Metropoles Engenharia e Telecomunicações José Inácio Rodrigues Furtado - CREA 6009-D/GO 9

10 Instalação Elevador Execução das Instalações de Hidrantes, Sprinklers, Extintores e Sistema de Proteção e Combate a Incêndio, Elevadores e Ar Condicionado Execução dos Quadros Elétricos, Iluminação de Emergência, Sistema de Alarme, Detecção de Incêndio e SPDA Elevadores OTIS LTDA Ricardo M. Branquinho - CREA D/RJ Tomaz de Aquino S. Tronconi - CREA 6009-D/GO Robson Bragança Cintra CREA D 10

11 II TERMO DE GARANTIA E AQUISIÇÃO Os prazos de garantia de material e serviço dos sistemas estão relacionados a seguir, com validade a partir da data do Habite-se do Imóvel. PRAZOS DE GARANTIA EQUIPAMENTOS INDUSTRIALIZADOS PRAZOS SISTEMA NO ATO DA ENTREGA ESPECIFICADO PELO FABRICANTE (*) 6 MESES 1 ANO 2 ANOS 3 ANOS 5 ANOS Aquecedor Individual Desempenho do equipamento Problemas com a instalação Geradores de Água Quente Desempenho do equipamento Problemas com a instalação Banheira de Hidromassagem / SPA Casco, motobomba e acabamento dos dispositivos. Problemas com a instalação Instalações de interfone Desempenho do equipamento Problemas com a instalação Ar condicionado individual ou central Desempenho do equipamento Problemas na infraestrutura e tubulação, exceto equipamentos e dispositivos. 11

12 Exaustão Mecânica Desempenho do equipamento Problemas com a instalação Antena Coletiva Desempenho do equipamento Problemas com a instalação Circuito Fechado de TV Desempenho do equipamento Problemas com a instalação Elevadores Desempenho do equipamento Problemas com a instalação Moto Bomba/ Filtro (recirculadores de água) Desempenho do equipamento Problemas com a instalação Automação de portões Desempenho do equipamento Problemas com a instalação Sistemas de proteção contra descargas atmosféricas Desempenho dos equipamentos Problemas com a instalação Sistema de combate à incêndio Desempenho do equipamento Problemas com a instalação Porta Corta Fogo Regulagem de dobradiças e maçanetas Desempenho de dobradiças e molas Problemas com a integridade do material (Portas e batentes) Pressurização das Escadas Desempenho do equipamento Problemas com a instalação Grupo Gerador Desempenho do equipamento 12

13 Sauna Seca e Úmida Desempenho do equipamento Problemas com a instalação Sistemas de Automação Instalações Elétricas Tomadas, Interruptores, Disjuntores SISTEMA Dados - Informática Voz - Telefonia Vídeo - Televisão Material Serviços NO ATO DA ENTREGA Espelhos danificados ou mal colocados ESPECIFICADO PELO FABRICANTE (*) Desempenho do equipamento Desempenho do equipamento Desempenho do equipamento Desempenho do material e isolamento térmico PRAZOS DE GARANTIA PRAZOS 6 MESES 1 ANO 2 ANOS 3 ANOS 5 ANOS Problemas com a infra-estrutura, prumadas, cabos e fios Problemas com a infra-estrutura, prumadas, cabos e fios Problemas com a infra-estrutura, prumadas, cabos e fios Problemas com a instalação 13

14 Instalações Elétricas - Fios, Cabos e Tubulação Material Serviço Desempenho do material e isolamento térmico Problemas com a instalação Instalações Hidráulicas - Colunas de Água Fria, Colunas de Água Quente e Tubos de queda de esgoto Material Serviço Desempenho do material Danos causados devido a movimentação ou acomodação da estrutura Instalações Hidráulicas - Coletores Material Serviço Desempenho do material Problemas com a instalação Instalações Hidráulicas - Ramais Material Serviço Desempenho do material Problemas com as instalações embutidas e vedação Instalações hidráulicas - Louças/ Caixa Material Quebrados, trincados, riscados, Desempenho do material 14

15 de descarga/ Bancadas manchadas ou entupidos Serviço Problemas com a instalação Instalações hidráulicas - Metais sanitários/ Sifões/ Flexíveis/ Válvulas/ Ralos Material Serviço Quebrados, trincados, riscados, manchadas ou entupidos Desempenho do material Problemas com a vedação Instalações de Gás Material Serviço Desempenho do material Problemas nas vedações das junções Impermeabilização Sistema de impermeabilização Esquadrias de madeira Esquadrias de ferro Lascadas, trincadas, riscadas ou manchadas Amassadas, riscadas Empenamento ou descolamento Má fixação, oxidação ou mau 15

16 ou manchadas desempenho do material Borrachas, escovas, articulações, fechos e roldanas Problemas com a instalação/ desempenho do material Esquadrias de alumínio Perfis de alumínio, fixadores e revestimentos em painel de alumínio Amassados, riscadas ou manchadas Problemas com a integridade do material Partes móveis (recolhedores de palhetas, motores e conjuntos elétricos de acionamento) Problemas de vedação e funcionamento SISTEMA Paredes e Tetos Internos NO ATO DA ENTREGA PRAZOS DE GARANTIA REVESTIMENTOS DE PAREDE, PISO E TETO ESPECIFICADO PELO FABRICANTE (*) PRAZOS 6 MESES 1 ANO 2 ANOS 3 ANOS 5 ANOS Fissuras perceptíveis a 16

17 uma distância superior a 1 metro Paredes externas/ fachada Infiltração decorrente do mau desempenho do revestimento externo da fachada (ex: Fissuras que possam vir a gerar infiltração) Argamassa/ gesso liso/ componentes de Gesso acratonado (Dry-Wall) Má aderência do revestimento e dos componentes do sistema Azulejo/ Cerâmica/ Pastilha Quebrados, trincados, riscados, manchados, ou com tonalidade diferente Falhas no caimento ou nivelamento inadequado nos pisos Soltos, gretados ou desgaste excessivo que não por mau uso Pedras naturais (mármore, granito e outros) Quebrados, trincados, riscados ou falhas no polimento (quando especificado) Falhas no caimento ou nivelamento inadequado nos pisos Soltas ou desgaste excessivo que não por mau uso 17

18 Rejuntamento Falhas ou manchas Falhas na aderência Pisos de Madeira Tacos e Assoalhos Lascados, trincados, riscados, manchados ou mal fixados Empenamento, trincas na madeira e destacamento Pisos de Madeira - DECK Lascados, trincados, riscados, manchados ou mal fixados Empenamento, trincas na madeira e destacamento Piso Cimentado, Piso Acabado em Concreto, Contrapiso Superfícies Irregulares Falhas no caimento ou nivelamento inadequado Destacamento Revestimentos Especiais (fórmica, pisos elevados,materiais compostos de alumínio) Quebrados, trincados, riscados, manchados ou com tonalidade diferente. Má aderência ou desgaste excessivo, sem ser por mau uso Forros Gesso Madeira Quebrados, trincados ou manchados Lascados ou mal fixados Fissuras por acomodação dos elementos estruturais e de vedação Empenamento, trincas na madeira e destacamento; 18

19 Pintura / verniz (interna/ externa) Vidros Sujeira ou mau acabamento Quebrados, trincados ou riscados Empolamento, descascamento, esfarelamento, alteração de cor ou deterioração de acabamento Má fixação Quadras Poliesportivas SISTEMA Pintura do Piso e Concreto Polido NO ATO DA ENTREGA Sujeira e mau acabamento ESPECIFICADO PELO FABRICANTE (*) Pisos em grama Vegetação Alambrados, equipamentos e Luminárias Desempenho do Equipamento Jardins Vegetação Playground Desempenho dos Equipamentos PRAZOS DE GARANTIA PRAZOS 6 MESES 1 ANO 2 ANOS 3 ANOS 5 ANOS Empolamento, descascamento esfarelamento, alteração de cor ou deterioração do acabamento Problemas com a instalação Problemas com a instalação. 19

20 Piscina Revestimento quebrado, trincados, riscados, rasgados, manchados ou com tonalidade diferente. Desempenho dos equipamentos Revestimentos soltos, gretados ou desgaste excessivo que não por mau uso. SISTEMA Solidez/ Segurança da Edificação NO ATO DA ENTREGA ESPECIFICADO PELO FABRICANTE (*) PRAZOS DE GARANTIA REVESTIMENTOS DE PAREDE, PISO E TETO PRAZOS 6 MESES 1 ANO 2 ANOS 3 ANOS 5 ANOS Problemas em peças estruturais (lajes, vigas, pilares, estruturas de fundação, contenções e arrimos) e em vedações (paredes de alvenaria, Dry- Wall e painéis pré-moldados) que possam comprometer a solidez e segurança da edificação (*) Prazo especificado pelo Fabricante - Entende-se por desempenho de equipamentos e materiais sua capacidade em atender os requisitos especificados em projetos, sendo o prazo de garantia o constante dos contratos ou manuais específicos de cada material ou equipamento entregues, ou 6 meses (o que for maior). NOTA 1: Esta tabela consta os principais itens das unidades autônomas e das áreas comuns, variando com a característica individual de cada empreendimento, com base no seu Memorial Descritivo. NOTA 2: No caso de cessão ou transferência da unidade, os prazos de garantia aqui estipulados permanecerão válidos. 20

21 II.I Disposições Gerais 1. A Construtora e/ou Incorporadora obriga-se a fornecer, a todos os adquirentes das unidades autônomas, o Manual do Proprietário, e, ao síndico, o Manual das Áreas Comuns. 2. A Construtora e/ou Incorporadora se obriga a prestar, dentro dos prazos de garantia, o serviço de Assistência Técnica, reparando, sem ônus, os vícios ocultos dos serviços, conforme constante no Termo de Garantia. 3. A Construtora e/ou Incorporadora obriga-se a prestar o Serviço de Atendimento ao Cliente, para orientações e esclarecimentos de dúvidas referentes à manutenção preventiva e à garantia. 4. Materiais industrializados que apresentam diferenças de tonalidade não poderão ser recusados, desde que oriundos do mesmo fabricante ou fornecedor, sendo do mesmo modelo e da mesma qualidade. 5. Idem para tintas e revestimentos sujeitos a ação do tempo, afetando sua coloração, tais como: pinturas, rejuntes, mastiques, etc. 6. O proprietário obriga-se a efetuar a manutenção preventiva do imóvel, conforme as orientações constantes neste Termo, bem como o no Manual do Proprietário, sob pena de perda de garantia. 7. O proprietário é responsável pela manutenção preventiva de sua unidade, e é co-responsável pela Manutenção Preventiva do conjunto da edificação, conforme estabelecido nas Normas Técnicas Brasileiras, iras, no Manual do Proprietário e no Manual das Áreas Comuns, obrigando-se a permitir o acesso do profissional destacado pela Construtora e/ou Incorporadora, para proceder às vistorias técnicas necessárias, sob pena de perda de garantia. 8. O síndico é resp onsável pela elaboração e execução do Programa de Manutenção Preventiva de acordo com a NBR 5674/ Manutenção da Edificação. 9. No caso de revenda, o proprietário obriga-se a transmitir, ao novo condômino, as orientações sobre o adequado uso, manutenção e garantia do seu imóvel, entregando os documentos e manuais correspondentes. 10. No caso de alteração do Síndico, ou responsável pelo gerenciamento do edifício, este se obriga a transmitir, ao seu substituto, as orientações sobre o 21

22 adequado uso, manutenção e garantia das áreas comuns, entregando os documentos e manuais correspondentes. 11. A liberação dos locais e áreas a serem reparadas é de responsabilidade e ônus dos ocupantes, não cabendo ônus à Construtora e/ou Incorporadora quanto a montagens e desmontagens, mudanças e/ou deslocamentos, hospedagens ou depósito. 12. A Construtora e/ou Incorporadora é responsável pela execução de serviços e/ou substituição de peças de acordo com as especificações originais do prédio. 13. Havendo alteração ou particularização de peças de acabamentos, ainda que executadas pela Construtora e/ou Incorporadora, a pedido do adquirente, será deste último a responsabilidade de providenciar peças e/ou materiais substitutos necessários. 14. Não sendo possível a reposição, deverá o adquirente arcar com o ônus dos custos que excederem o serviço de reparo. 15. Recomenda-se que o adquirente guarde as notas fiscais dos materiais que comprar para aplicação na obra. O adquirente deve solicitar ao vendedor que descreva na nota fiscal as características do material necessário para uma possível compra complementar. 16. Constatando-se, se, na visita de avaliação dos serviços solicitados, que esses serviços não estão enquadrados nas condições da garantia, será cobrada uma taxa de visita e não caberá à Construtora e/ou incorporadora a execução dos serviços. II.II Perda de Garantia 1. Se durante o prazo de vigência da garantia não for observado o que dispõe o presente Termo, o Manual do Proprietário, o Manual das Áreas Comuns e a NBR Manutenção da Edificação, no que diz respeito à manutenção preventiva correta, para imóveis habitados ou não; 2. Se, nos termos do artigo 393 do Código Civil, ocorrer qualquer caso fortuito, ou de força maior, que impossibilite a manutenção da garantia concedida; 3. Se for executada reforma ou descaracterizações dos sistemas na unidade autônoma, unidades vizinhas (com repercussão na unidade em pauta) ou nas áreas comuns, com fornecimento de materiais e serviços pelos próprios usuários; 22

23 4. Se houver danos por mau uso, ou não respeitando os limites admissíveis de sobrecarga nas instalações e estruturas; 5. Se os ocupantes não permitirem o acesso do profissional destacado pela Construtora e/ou Incorporadora, nas dependências de sua unidade e nas áreas comuns, para proceder à vistoria técnica ou serviços de assistência técnica; 6. Se forem identificadas irregularidades na vistoria técnica e as devidas providências sugeridas não forem tomadas por parte do proprietário ou do condomínio; 7. Se não for elaborado e executado o Programa de Manutenção Preventiva de acordo com a NBR Manutenção da Edificação; Obs.: Demais fatores que possam acarretar a perda de garantia estão descritos nas orientações de uso e manutenção do imóvel para os sistemas específicos. III DOCUMENTOS DO CONDOMÍNIO 1. O Síndico é responsável pelo arquivo dos documentos, garantindo a sua entrega a quem o substituir, mediante protocolo discriminando item a item; 2. O Síndico é responsável pela guarda dos documentos legal e fiscal, durante dez anos, e dos documentos referentes á pessoal por período de 30 anos; 3. Os documentos devem ser guardados de forma a evitar extravios, danos e deterioração; 4. Os documentos podem ser entregues e/ou manuseados em meio físico ou eletrônico; 5. Os documentos entreguem pela Construtora e/ou Incorporadora poderão ser originais, em cópias simples ou autenticadas conforme documento específico; Os documentos do condomínio serão entregues ao Síndico no momento da entrega deste Manual. As providências para a renovação dos documentos são de responsabilidade do síndico e/ou Administradora. 23

24 IV USO E MANUTENÇÃO DO IMÓVEL Para que você possa utilizar o seu imóvel de forma correta, estendendo ao máximo a sua vida útil, descreveremos de forma genérica os principais sistemas que compõem, contendo as informações e orientações. Sempre que o fabricante e/ou executante recomendar diferentemente do aqui exposto, prevalecem as recomendações deles. GERADORES DE ÁGUA QUENTE Descrição do sistema Fornecedores Prazo de garantia Equipamento destinado a prover com água quente toda a rede hidráulica projetada para este fim. Normalmente instalado no pavimento térreo ou subsolo, utiliza como combustível gás (GLP ou natural), óleo ou eletricidade. A água quente gerada neste equipamento fica acumulada em reservatório isotérmico, sendo elevada aos andares normalmente por intermédio de bombas ou gravidade, quando houver condições. Os dados serão fornecidos no Manual das Áreas Comuns parte II, quando da entrega do empreendimento. Desempenho dos Equipamentos - Especificado pelo Fabricante. Problemas com a instalação 1 ano. Não obstruir a entrada do ambiente destinado à instalação do equipamento; Observar se todas as aberturas destinadas à ventilação do ambiente se mantêm desimpedidas; Cuidados de Uso Não permitir estocagem de qualquer tipo de materiais dentro do ambiente que deverá ser exclusivo para os equipamentos; Não operar o equipamento com os registros de água fechados; Ao perceber vazamento de gás no ambiente, acionar o registro de corte de gás do equipamento e informar à empresa de manutenção. 24

25 Caso os queimadores apaguem por si só, verificar se há corrente de ar intensa no ambiente; Não lavar o equipamento externamente com água ou com qualquer outro produto, sob pena de provocar danos nos seus instrumentos; Não obstruir as saídas das chaminés; Verificar diariamente as condições das instalações, para detectar a existência de vazamento de água ou gás. Drenar o depósito de água quente a cada 6 (seis) meses ou, quando necessário, dependendo das condições do ambiente ou água utilizada; Limpar os filtros de água bimestralmente; Manutenção Preventiva Lavar internamente os depósitos de água quente a cada ano(empresa especializada); Limpar e regular sistemas de queimadores a cada 2 (dois) meses (por empresa especializada); Limpeza das chaminés a cada ano (por empresa especializada); Verificação completa do sistema a cada ano. Caso sofram modificações em seu sistema original; Perda de Garantia Caso não sejam contratados profissionais / empresas especializados para execução dos serviços de manutenção e não sejam emitidos certificados; Utilização de água considerada não potável ou que contenha impurezas e sustâncias estranhas, que ocasionem o mau funcionamento do equipamento; Se não forem tomados os cuidados de uso ou não for feita a manutenção preventiva necessária. 25

26 BANHEIRA DE HIDROMASSAGEM / SPA Descrição do sistema Equipamento apropriado para banho de imersão, dotado de um sistema motobomba (e aquecedor), que succiona (aquece) e pressuriza a água da banheira, devolvendo-a em forma de jato submerso para o seu interior. Componentes do Sistema Casco, motobomba, aquecedor, tubulação, enfiação, transformador ou sistema de acionamento pneumático. Fornecedores Os dados serão fornecidos no Manual das Áreas Comuns parte II, quando da entrega do empreendimento. Casco - Especificado pelo Fabricante; Prazo de garantia Motobomba - Especificado pelo Fabricante; Acabamento dos dispositivos - Especificado pelo Fabricante Problemas com a instalação - 1 ano. Não acione a bomba e o aquecedor antes que o nível da água fique acima dos dispositivos de hidromassagem. Se a bomba e o aquecedor funcionarem sem água, PODERÃO SOFRER DANOS IRREPARÁVEIS E CAUSAR INCÊNDIO; Banhos prolongados, com temperatura acima dos 40 C, não são recomendados; Não obstruir a ventilação do motor; Não obstruir as saídas dos jatos de água; Cuidados de Uso Não obstruir as entradas de ar; Recomenda-se às pessoas com cabelos longos não aproximá-los dos dispositivos de sucção, para evitar que sejam sugados, causando acidentes; Usar detergente neutro para limpar a superfície da banheira; Nunca usar palha de aço, esponja abrasiva, pós ou produtos de limpeza abrasivos, ácidos ou cáusticos; Não permitir que crianças utilizem a banheira/spa desacompanhadas ou sem a supervisão permanente de um adulto; 26

27 Não utilizar a banheira/spa sem a grade do dispositivo de sucção; Manutenção Preventiva No caso de necessidade de reparos da superfície, consultar empresa especializada. Recomenda-se uma limpeza na tubulação a cada 3 ou 4 meses, para remover resíduos do banho acumulados no sistema. Para isso, deve-se encher a banheira/spa com água quente, com menos de 60 C, colocar 2 colheres de sopa de detergente comum e deixar a bomba funcionar por 5 a 10minutos, drenar toda a água da banheira e depois encher novamente com água fria e fazê-la funcionar por mais 5 a 10 minutos e então drenar toda a água da banheira/spa; Recomenda-se ligar o motor no mínimo uma vez por mês; Refazer o rejuntamentos das bordas com silicone específico ou mastique a cada 1 (um) ano. Perda de Garantia Se por pane do sistema eletroeletrônico, motores e enfiação,causados por sobrecarga de tensão ou queda de raio; Se não forem tomados os cuidados de uso ou não forem feitas as manutenções preventivas necessárias. Descrição do sistema CIRCUITO FECHADO DE TELEVISÃO - CFTV É um componente do sistema de segurança, sendo um sistema de vigilância com monitoramento permanente onde é possível acompanhar o que ocorre em diversos locais como piscinas, quadras, estacionamentos, portarias e lojas. Permite visualizar a movimentação de pessoas por corredores, elevadores, reconhecimento e registro visual de todos os visitantes, profissionais em serviço, etc. Câmeras de Vídeo - onde são geradas as imagens; Componentes do Sistema Fonte - para alimentação das câmeras; Cabos - para transmissão das imagens; Seqüencial ou Multiplexador - onde são selecionadas as câmaras que serão monitoradas; 27

28 Monitor de TV - para recepção da imagem; Time Lapse - equipamento para gravação das imagens. Fornecedores Prazo de garantia Cuidados de Uso Os dados serão fornecidos no Manual das Áreas Comuns parte II, quando da entrega do empreendimento. Desempenho do equipamento - Especificado pelo Fabricante. Problemas com a instalação - 6 meses Não utilizar vários equipamentos em um mesmo circuito (benjamins, etc); Quando ocorrer um corte de energia, desligar imediatamente todos os equipamentos, religando-os após a volta e normalização de energia. Este cuidado não é necessário quando houver o uso de No-Break ou Gerador; Evitar sujeira sobre o equipamento, superaquecimento, umidade, queda e manuseio incorreto; Seguir as recomendações do fabricante. Manutenção Preventiva Recomendamos a contratação de empresa especializada para realizar a manutenção preventiva e corretiva, devendo ser feita a cada 6 (seis) meses uma vistoria no sistema instalado. Em caso de acidentes, uso inapropriado ou abusivo dos equipamentos e reparos efetuados por pessoas ou empresas não especializadas; Alterações no sistema e equipamentos instalados; Perda de Garantia Em caso do não atendimento às especificações do manual do fabricante dos equipamentos; Se for evidenciada sobrecarga nos circuitos devido à ligação de vários equipamentos no mesmo circuito; Sistema danificado em conseqüência de descargas atmosféricas; Se não forem tomados os cuidados de uso ou não for feita a manutenção preventiva necessária. 28

29 ELEVADORES Descrição do sistema Componentes do Sistema Fornecedores Prazo de garantia O Elevador é um conjunto de equipamentos com acionamento eletromecânico ou hidráulico, destinado a realizar transporte vertical de passageiros ou cargas entre os pavimentos de uma edificação. Cabine, guias, cabos de aço, contra-peso, motores, polias de tração, dispositivos eletromecânicos e eletrônicos, portas, batentes, soleiras, sinalizadores e botoeiras dos andares, molas, o poço e a casa de máquinas. Os dados serão fornecidos no Manual das Áreas Comuns parte II, quando da entrega do empreendimento. Desempenho do equipamento - Especificado pelo Fabricante. Problemas com a instalação - 1 ano Efetuar limpeza dos painéis sem utilizar materiais abrasivos como palha de aço, sapólio etc; Não utilizar água para a limpeza das portas e cabines. Deverá ser utilizada flanela macia ou estopa, umedecida com produto não abrasivo, adequado para o tipo de acabamento da cabine; Evitar álcool sobre partes plásticas para não causar descoloração; Apertar o botão apenas uma vez; Cuidados de Uso Observar o degrau formado entre o piso do pavimento e o piso do elevador; Não ultrapassar o número máximo de passageiros permitidos e/ou a carga máxima permitida, que estão indicados em uma placa no interior da cabine; Não permitir que crianças brinquem ou trafeguem sozinhas nos elevadores; Jamais utilizar os elevadores em caso de incêndio; Em caso de falta de energia ou parada repentina do elevador, solicitar auxílio externo através do interfone ou alarme, sem tentar sair sozinho do elevador; Jamais tentar retirar passageiros da cabine quando o elevador parar entre pavimentos, pois há grandes riscos de 29

30 ocorrerem sérios acidentes, chamar sempre a empresa de Manutenção ou o Corpo de Bombeiros; Nunca entrar no elevador com a luz apagada; Não retirar a comunicação visual de segurança fixada nos batentes dos elevadores; Não pular ou fazer movimentos bruscos dentro da cabine; Colocar acolchoado de proteção na cabine para o transporte de cargas volumosas, especialmente durante mudanças; Não chamar dois ou mais elevadores ao mesmo tempo, evitando o consumo desnecessário de energia; Em casos de existência de ruídos e vibrações anormais, comunicar o zelador/gerente predial ou responsável; Não utilizar indevidamente o alarme e o interfone, pois são equipamentos de segurança; Não deixar escorrer água para dentro da caixa de corrida / poço do elevador; Não obstruir a ventilação da casa de máquinas, nem utilizá-la como depósito; Manutenção Preventiva Não deixar acumular água ou óleo no poço do elevador. Fazer contrato de manutenção com empresa especializada (obrigatório); recomenda-se que este seja feito com o fabricante. Seguir os termos das leis municipais pertinentes. Somente utilizar peças originais. Pane no sistema eletro-eletrônico, motores e fiação, causados por sobrecarga de tensão ou queda de raios; Falta de manutenção com empresa especializada; Perda de Garantia Uso de peças não originais; Utilização em desacordo com a capacidade e objetivo do equipamento; Se não forem tomados os cuidados de uso ou não forem feitas as manutenções preventivas necessárias. 30

31 AUTOMATIZAÇÃO DE PORTÕES Descrição do sistema Componentes do Sistema Fornecedores Prazo de garantia Compreende o conjunto das folhas dos portões, colunas, ferragens, e suportes, adequadamente desenvolvidos para receberem as automatizações, motores elétricos, fechaduras elétricas, sensores e controles, relacionados com a operação dos portões. Portões de ferro/alumínio, motor com sistema pivotante ou com sistema basculante ou com sistema de correr (cremalheira), contra-peso (no caso do sistema basculante), chaves de fim-de-curso, fechadura elétrica, conjunto porteiro eletrônico, botoeiras, fonte de alimentação. Os dados serão fornecidos no Manual das Áreas Comuns parte II, quando da entrega do empreendimento. Equipamentos industrializados de automação de portões: Mau desempenho do equipamento - Especificado pelo Fornecedor. Problemas com a instalação - 6 meses Todas as partes móveis, tais como roldanas, cabos de aço, correntes, dobradiças etc, devem ser mantidas limpas, isentas de ferrugem, lubrificadas ou engraxadas; Manter as chaves de fim de curso bem reguladas evitando batidas no fechamento; Cuidados de Uso Os comandos de operação deverão ser executados evitando a inversão instantânea no sentido de operação do portão, principalmente nos pivotantes; Não inverter as fases que alimentam o equipamento, o que provoca o não funcionamento do sistema de fim de curso, causando sérios danos ao equipamento; Manutenção Preventiva Perda de Garantia Contratar empresa especializada para promover as regulagens e lubrificações. Contratar empresa especializada para executar mensalmente a manutenção do sistema. Danos causados por colisões. Se não forem tomados os cuidados de uso ou não forem feitas as manutenções preventivas necessárias. 31

32 SISTEMA DE PROTEÇÃO CONTRA DESCARGAS ATMOSFÉRICAS - SPDA (Pára-raios) Descrição do sistema Sistema completo destinado a proteger a estrutura do edifício contra efeitos das descargas atmosféricas. O SPDA é formado por: Sistema externo: Composto por subsistema de captor, subsistema de descida, subsistema de aterramento. O captor normalmente fixado na parte mais alta da edificação pode ser constituído de hastes, cabos, condutores em malhas e elementos naturais. Componentes do Sistema O subsistemas de descida e de aterramento podem ser externos ou embutidos na estrutura. Estes elementos irão conduzir e dispersar a corrente de descarga atmosférica na terra. Sistema interno: É obtido através da equalização potencial e constitui a medida mais eficaz para reduzir os riscos de incêndio, explosão e choques elétricos dentro do volume à proteger. Mais objetivamente interliga-se o SPDA à armadura metálica da estrutura,às instalações metálicas, às massas e condutores de sistemas elétricos e de sinal dentro do volume à proteger. Fornecedores Prazo de garantia Cuidados de Uso Deve ser lembrado que o pára-raio não impede a ocorrência das descargas atmosféricas. O sistema instalado conforme norma não pode assegurar a proteção absoluta de uma estrutura, de pessoas e bens, entretanto reduz significativamente os riscos de danos devidos às descargas atmosféricas. Os dados serão fornecidos no Manual das Áreas Comuns parte II, quando da entrega do empreendimento. Desempenho do equipamento - Especificado pelo Fabricante. Problemas com a instalação - 1 ano. Todas as construções acrescentadas à estrutura posteriormente à instalação original, tais como antenas e coberturas, deverão ser conectadas ao sistema ou o mesmo deverá ser ampliado (mediante consulta a profissional habilitado). 32

33 Jamais se aproximar dos elementos que compõe o sistema e das áreas onde estão instalados em momentos que antecedam chuvas ou mesmo durante as mesmas. O sistema SPDA não tema a finalidade de proteger aparelhos elétricos e eletrônicos, recomenda-se o uso de dispositivos DPS (Dispositivos de Proteção contra Surtos) dimensionados para cada equipamento. Devem ser feitas inspeções no sistema da seguinte forma: A) Inspeção visual do sistema deve ser efetuada anualmente, (registrando-se esta inspeção) B) Inspeções completas, conforme norma, devem ser efetuadas periodicamente, em intervalos de: 5 anos para estruturas residenciais, comerciais, administrativas, agrícolas, industriais exetuando-se áreas classificadas com risco de incêndio e explosão. Manutenção Preventiva 3 anos para estruturas destinadas a grandes concentrações públicas (hospitais, escolas, teatros, cinemas, estádios de esporte, pavilhões, centros comerciais, depósitos de produtos inflamáveis e industrias com áreas sob risco de explosão). C) Quando for constatado que o SPDA foi atingido por uma descarga atmosférica. As inspeções devem ser feitas por profissional habilitado que deve: Verificar todos os componentes se estão em bom estado, conexões e fixações deverão estar firmes e livres de corrosão. Verificar se o valor da resistência de aterramento continua compatível com as condições do sub sistema de aterramento e com a resistividade do solo. Observação: Documentação Técnica Deve ser mantida no local ou em poder dos responsáveis pela manutenção do SPDA atestado de medição com o registro de valores medidos de resistência de aterramento a ser utilizado nas inspeções, qualquer modificação ou reparos no SPDA e novos projetos se houver. Perda de Garantia Caso sejam realizadas mudanças em suas características originais; 33

34 Caso não sejam feitas as inspeções; Se não forem tomados os cuidados de uso ou não forem feitas as manutenções preventivas necessárias. PORTAS CORTA-FOGO Descrição do sistema Fornecedores Prazo de garantia São elementos normalmente utilizados p/ fechamento de aberturas em paredes corta fogo as quais isolam a escada de emergência, ante-câmaras, saídas de emergência, casa de máquinas, etc. São utilizadas para proteger as rotas de fuga em caso de emergência de incêndio. São dotadas de ferragens especiais (dobradiças em aço, maçanetas de alavanca ou barras anti-pânico).as portas são dotadas de fechamento automático dispositivo incorporado a dobradiça. Os dados serão fornecidos no Manual das Áreas Comuns parte II, quando da entrega do empreendimento. Regulagem de dobradiças e maçanetas - No ato da entrega Desempenho de dobradiças e molas - Especificado pelo Fabricante Problemas de integridade do material (portas e batentes) - 5 anos As portas corta fogo devem permanecer sempre fechadas, com auxílio do dispositivo de fechamento automático; Uma vez aberta a porta, para fechá-la basta soltar a mesma, não sendo recomendado empurrá-la para seu fechamento; Cuidados de Uso É terminantemente proibido a utilização de calços ou outros obstáculos que impeçam o livre fechamento da porta, podendo danificar a mesma; É vedada a utilização de pregos, parafusos e aberturas de orifícios na folha da porta, o que pode alterar suas características gerais, comprometendo seu desempenho ao fogo; Quando for efetuada a repintura das portas, deve-se tomar o cuidado de não pintar a placa de identificação do fabricante e do selo da ABNT. 34

35 O conjunto porta corta fogo e o piso ao redor não devem ser lavados com água ou qualquer produto químico. A limpeza das superfícies pintadas deve ser feita com pano umedecido em água e em seguida utilizado um pano seco para a remoção, de forma que a superfície fique seca e a poeira removida; Manutenção Preventiva No piso ao redor da porta não devem ser utilizados produtos químicos, como água sanitária, removedores e produtos ácidos, pois os mesmos são agressivos á pintura e consequentemente ao aço que compõe o conjunto porta corta fogo; Aplicar óleo lubrificante nas dobradiças e maçanetas a cada 3 meses para garantir o seu perfeito funcionamento; Anualmente fazer a regulagem das portas com empresa especializada; Realizar mensalmente inspeções visual do fechamento das portas. Caso sejam realizadas mudanças em suas características originais. Perda de Garantia Deformações oriundas de golpes que venham a danificar trincos, folhas de portas e batentes, ocasionando o não fechamento como previsto. Se não forem tomados os cuidados de uso ou não for feita a manutenção preventiva necessária. Descrição do Sistema Componentes do Sistema Fornecedores SISTEMA DE PRESSURIZAÇÃO DE ESCADA Trata-se de um sistema de ventilação mecânica para pressurização da caixa de escada do edifício, com o objetivo de evitar a infiltração de fumaça, na eventualidade de incêndio. O ar é insuflado na caixa de escada através de grelhas distribuídas nos pavimentos superiores. Os ventiladores serão alimentados por fonte de suprimento de energia normal e alternativas separadas quando especificado em projeto. Ventiladores centrífugos, dutos de ar, bocas de ar, dampers, grelhas, quadro elétrico e painel de comando. Os dados serão fornecidos no Manual das Áreas Comuns parte II, quando da entrega do empreendimento. 35

36 Prazos de Garantia Desempenho do equipamento - Especificado pelo Fabricante. Problemas com a instalação - 1 ano. Seguir as instruções do fabricante do equipamento; Não obstruir as entradas e saídas de ventilação e dutos de ar; Manter a área de acesso à porta da sala de pressurização devidamente trancada e não armazenar em seu interior objetos estranhos ao sistema, visando o cuidado dos equipamentos e risco de acidentes; Cuidados de Uso Todas as portas corta-fogo deverão estar reguladas; Manter o local isolado para garantir o acesso exclusivo de pessoas tecnicamente habilitadas a operar ou proceder a manutenção dos equipamentos; Opcionalmente, poderá ser acionado um dos ventiladores na rotação mais baixa, sem que haja emergência de incêndio, para se ter renovação forçada de ar na caixa de escada. Nesse caso, o acionamento será manual no painel. A operação será automática, por meio de temporizador (opcional). A cada mês, com uso de chave comutadora, deverão ser alternados os ventiladores, para que não haja desgaste; Manutenção Preventiva Deverá ser feita a manutenção mensal preventiva dos ventiladores e do gerador (quando houver) que compõem os sis temas de pressurização da escada e da iluminação de emergência, a fim de garantir o seu perfeito funcionamento. A manutenção deverá ser feita por profissionais ou empresas especializadas; Esta manutenção deverá ser relatada em livro específico, a fim de ser apresentada quando forem feitas as renovações periódicas do auto de vistoria do Corpo de Bombeiros. Perda de Garantia Se não forem tomados os cuidados de uso ou não forem feitas as manutenções preventivas necessárias. GRUPO GERADOR Descrição do Sistema Sistema destinado a gerar energia elétrica para alimentar os equipamentos para os quais foi dimensionado, no 36

37 caso da falta da energia elétrica da concessionária. Componentes do Sistema Motor a explosão, reservatório de combustível, gerador, quadro de comando e quadro de transferência. Fornecedores Os dados serão fornecidos no Manual das Áreas Comuns parte II, quando da entrega do empreendimento. Prazos de Garantia Desempenho do equipamento - Especificado pelo Fabricante. Problemas com a instalação - 1 ano. Manter contrato de manutenção com a empresa especializada; Seguiras instruções do fornecedor do equipamento; Não obstruir as entradas e saídas de ventilação e tubulações; Cuidados de Uso Manter o local isolado e garantir o acesso exclusivo de pessoas tecnicamente habilitadas a operar ou a proceder a manutenção dos equipamentos; Não utilizar o local como depósito, principalmente não armazenar produtos combustíveis que poderão gerar risco de incêndio; Não permitir que o equipamento fique sem combustível durante a operação. Manutenção Preventiva Perda de Garantia Realizar manutenção por empresa especializada, seguindo a tabela de manutenção sugerida pelo fabricante. Fazer teste de funcionamento do sistema, no mínimo a cada 15 dias, durante 15 minutos. Se não forem tomados os cuidados de uso ou não for feita a manutenção preventiva necessária. Descrição do Sistema SAUNA ÚMIDA Ambiente tecnicamente preparado para atingir e manter temperaturas maiores que a temperatura ambiente, graças ao insuflamento de vapor de água de forma controlada, para proporcionar benefícios terapêuticos a seus usuários. 37

38 Componentes do Sistema Fornecedores Prazos de Garantia Ambiente revestido nas paredes, piso e teto com material cerâmico, gerador de vapor, porta com visor (aço inoxidável, alumínio, vidro temperado) luminária à prova de vapor, termômetro e painel de controle. Os dados serão fornecidos no Manual das Áreas Comuns parte II, quando da entrega do empreendimento. Desempenho do equipamento - Especificado pelo Fabricante. Problemas com a instalação - 1 ano. Nunca abandonar a sauna sem desligar completamente o quadro de comando; Verificar o desligamento completo da sauna após sua utilização, para evitar riscos de incêndio; Verificar regularmente o correto funcionamento do termostato, pois, quando mal regulado, ocasiona o funcionamento contínuo da sauna, podendo até gerar incêndio; Cuidados de Uso Pessoas de idade, com problemas circulatórios, hipertensos, hipotensos e crianças com menos de 8 anos de idade não devem tomar sauna sem aprovação médica. Não faça sauna como estômago cheio; Não fixar objetos nas paredes, teto ou no piso; Limpar as paredes, teto e piso com água e detergente neutro; somente realizar a limpeza com o gerador de vapor desligado; Seguir as instruções de uso do fabricante. Manutenção Preventiva Perda de Garantia Fazer a drenagem de água no equipamento 1 (uma) vez por semana (escoar a água,abrindo a torneira ou o tampão); Seguir as instruções de manutenção do fabricante. Uso incompatível; Se não forem tomados os cuidados de uso ou não for feita a manutenção preventiva necessária. 38

39 Descrição do Sistema Componentes do Sistema Fornecedores Prazos de Garantia AUTOMAÇÃO PREDIAL Destina-se incorporar uma ou mais funções de monitoramento e de automação nas instalações do edifício,e que, com a utilização do terminal de controle, permite ao operador acessar a rede, programar funções e obter informações dos sistemas controlados. Os sistemas de automação mais utilizados são: monitoramento de energia e da geração de emergência, monitoramento e automação do sistema de ar condicionado, da iluminação das áreas comuns, do sistema de detecção de alarme do incêndio, dos reservatórios de água, da casa de bombas, dos elevadores, dos sistemas dedicados à segurança patrimonial como controle de acesso,circuito fechado de TV e alarme perimetral, sistema de dados, informática, voz, telefonia, vídeo e TV; Devido ao rápido avanço tecnológico nesta área e ao surgimento de equipamentos mais modernos, recomendase acompanhar essas inovações para que possam ser incorporadas aos sistemas instalados. É formado por terminal de controle e rede de controladores distribuídos pelo edifício, junto aos equipamentos que serão monitorados. Os dados serão fornecidos no Manual das Áreas Comuns parte II, quando da entrega do empreendimento. Desempenho do equipamento - Especificado pelo Fabricante. Problemas com a infraestrutura, prumadas, cabos e fios 6 meses. Seguir as orientações do manual do fabricante; Cuidados de Uso Manutenção Preventiva Perda de Garantia Recomendamos que seja ministrado um curso de treinamento, pela empresa fornecedora do sistema de automação, para formar pessoas capacitadas a operar o sistema, conhecer todos os recursos de configuração, programação de funções,operações de monitoramento, obtenção do histórico de eventos e alarmes, etc. Dada a complexidade tecnológica dos sistemas de automação predial, é indispensável a contratação tanto dos serviços de manutenção (anual) como os de operação assistida mínimo de 4 (quatro) meses -,ambos junto à empresa fornecedora do sistema de automação ou empresa credenciada por esta. Se for evidenciada sobrecarga nos circuitos, devido à ligação de vários equipamentos no mesmo circuito; Se for executada reforma ou descaracterização dos sistemas, por empresas não credenciadas junto ao 39

40 fabricante dos equipamentos ou empresa fornecedora do sistema de automação; Caso não sejam atendidas as orientações do manual do fabricante; Se não forem tomados os cuidados de uso ou não forem feitas as manutenções preventivas necessárias. Descrição do Sistema ILUMINAÇÃO DE EMERGÊNCIA É o sistema destinado a alimentar a iluminação da edificação específica prevista no projeto (halls, escadarias, subsolos e outros) no caso de interrupção do fornecimento de energia elétrica da concessionária. Vários sistemas podem ser identificados para realizar este tipo de iluminação, entre eles: Unidades Centrais: São unidades que permitem, através de fiação, alimentar projetores e luminárias, com aplicação em condomínios, supermercados, galpões industriais, lojas, etc, distribuindo assim a iluminação de emergência em maior número de pontos, com relação a instalações com equipamentos individuais. Estes sistemas são compostos por central de emergência acoplada em baterias automotivas preferencialmente seladas e luminárias com lâmpadas; Grupo Gerador: Componentes do Sistema É o sistema que alimenta pontos de iluminação de emergência, composto de motor, gerador e luminárias com lâmpadas; Blocos Autônomos: Unidades que trabalham separadamente, sendo necessárias apenas tomadas comuns para a instalação. Apresentam-se como unidades com lâmpadas fluorescentes compactas ou tubulares, podendo nesse caso ter função somente de emergência ou normal-e-emergência - ou unidades com projetores. Módulos: Dispositivos que transformam luminárias comuns em sistemas de iluminação normal e de emergência. 40

41 Fornecedores Prazos de Garantia Os dados serão fornecidos no Manual das Áreas Comuns parte II, quando da entrega do empreendimento. Desempenho do equipamento - Especificado pelo Fabricante. Problemas com a instalação - 1 ano. Manter o equipamento permanentemente ligado para que o sistema de iluminação de emergência seja acionado no caso de interrupção da energia elétrica; Cuidados de Uso Trocar as lâmpadas das luminárias com a mesma potência e tensão (voltagem) quando necessário. Não utilizar o local onde estão instalados os equipamentos como depósito, principalmente não armazenar produtos combustíveis que poderão gerar risco de incêndio; Unidades Centrais: Verificar se os fusíveis estão bem fixados ou queimados a cada 2 (dois) meses; Para mexer nas baterias use luvas de borracha, óculos de proteção e chave de fenda isolada; Baterias Seladas: Verificar o LED de carga de baterias a cada 2 (dois) meses; Manutenção Preventiva Baterias Comuns: Verificar o nível da água destilada dos eletrólitos das baterias a cada 2 (dois) meses, se necessário, complete até 1,5 (um e meio) centímetro acima das placas; Para evitar choque elétrico desligar disjuntor interno, desligar o interruptor e retirar o fusível antes da verificação dos níveis das tampas e limpeza dos bornes e terminais; Após o 3º ano de instalação testar o sistema a cada 6 (seis) meses, desligando o disjuntor e deixando ocorrer o corte por mínimo de tensão para verificar se o tempo de autonomia é satisfatório; Fazer teste de funcionamento dos sistemas no mínimo a cada 15 (quinze) dias por quinze minutos; Recomendamos a contratação de empresa especializada para realizar a manutenção preventiva. 41

42 Grupo Gerador: Efetuar as manutenções previstas no Sistema de Grupo Gerador; Fazer teste de funcionamento dos sistemas no mínimo a cada quinze dias por quinze minutos. Blocos Autônomos e Módulos: Fazer teste de funcionamento dos sistemas no mínimo a cada trinta dias por mais de uma hora. Perda de Garantia Verificar semanalmente o led de funcionamento e carga. Se for feita qualquer mudança no sistema de instalação que altere suas características originais; Se não forem tomados os cuidados de uso ou não forem feitas as manutenções preventivas necessárias. Descrição do sistema Componentes do Sistema Fornecedores Prazo de garantia Cuidados de Uso INSTALAÇÕES ELÉTRICAS É o sistema destinado a distribuir a energia elétrica de forma segura e controlada em uma edificação conforme o projeto específico e elaborado dentro das normas técnicas brasileiras (ABNT) e aprovado pela concessionária local. Conjuntos de tubulações (eletrodutos) e suas conexões, cabos e fios, quadros, caixas de passagem, chaves, disjuntores, transformadores, barramentos, isoladores, aterramentos, postes, acabamentos com acessórios (tomadas, interruptores, etc.). Os dados serão fornecidos no Manual das Áreas Comuns parte II, quando da entrega do empreendimento. Desempenho dos materiais e isolamento térmico - Especificado pelo Fabricante. Problemas com a instalação - 1 ano. O edifício possui vários quadros de distribuição de circuitos (Quadro de Força e/ou Luz), situados no térreo, subsolos, casa de máquinas, barrilete, halls dos andares, etc., onde estão colocados: um disjuntor geral diferencial e vários disjuntores secundários que protegem os diversos circuitos de sobrecarga elétrica. Este quadro é rigorosamente projetado e executado dentro das normas de segurança, não podendo ter suas chaves/disjuntores alterados por outros de diferente das especificações. No quadro de distribuição existe um esquema identificando todos os circuitos e suas respectivas amperagens. Para evitar acidentes, não é recomendável abrir furos perto do quadro de distribuição; 42

43 Também no quadro de distribuição está instalado o interruptor DR (Diferencial Residual). O DR funciona como um sensor que mede as correntes que entram e saem no circuito elétrico. Com uma eventual fuga de corrente, como no caso de choque elétrico, o DR automaticamente se desliga. Sua função principal é proteger as pessoas que utilizam a energia elétrica. Para sua segurança, e para que não ocorram desligamentos não desejados do DR, utilizar somente equipamentos que possuem resistência blindada; Deve-se tomar cuidado especial ao se lidar com circuitos de iluminação pois, normalmente os mesmos não são protegidos pelo disjuntor diferencial - DR. Em caso de sobrecarga momentânea, o disjuntor do circuito atingido se desligará automaticamente. Neste caso bastará religá-lo e tudo voltará ao normal. Caso ele volte a desligar, é sinal de que há sobrecarga contínua ou que está ocorrendo um curto em algum aparelho ou no próprio circuito. Neste caso, é preciso solicitar os serviços de um profissional habilitado, não se devendo aceitar conselhos de leigos ou curiosos. Sempre que for fazer manutenção, limpeza, reaperto nas instalações elétricas ou mesmo uma simples troca de lâmpadas, desligue o disjuntor correspondente ao circuito; Ao adquirir aparelhos elétricos, verifique se o local escolhido para a sua colocação é provido de instalação elétrica adequada para o seu funcionamento nas condições especificadas pelos fabricantes; Utilizar proteção individual (ex: estabilizadores, filtros de linha e etc.) para equipamentos mais sensíveis (como computadores, home-theater, central de telefone, etc.); As instalações de equipamentos, lustres ou similares deverão ser executadas por técnico habilitado, observandose em especial o aterramento, tensão (voltagem), bitola e qualidade dos fios, isolamentos, tomadas e plugs a serem empregados; É sempre importante verificar se a carga do aparelho a ser instalado não sobrecarregará a capacidade de carga elétrica da tomada e a instalação. Nunca utilize benjamins (dispositivos com que se ligam vários aparelhos a uma só tomada) ou extensões com várias tomadas, pois elas provocam sobrecargas; Encontram-se instalados nas escadarias, minuterias, interruptores ou sensores de presença que servem para manter acesas as lâmpadas por um tempo pré-determinado e que permite sensível economia de energia ao condomínio. No caso de minuterias nunca se deve permitir que os interruptores sejam travados após o seu 43

44 acionamento, estes dispositivos, podem se queimar quando mantidos acesos por muito tempo; Só instalar lâmpadas compatíveis com a tensão do projeto; Evitar contato dos componentes dos sistemas com água; Evitar sobrecarregar os circuitos elétricos para além das cargas previstas no projeto; Não ligar aparelhos de voltagem diferente das tomadas; Nunca ligar aparelhos diretamente nos quadros de luz; Os cabos alimentadores (cabos que saem dos painéis de medição e vão até os diversos quadros elétricos) não poderão ser sangrados para derivação de suprimento de energia; Em caso de pane ou qualquer ocorrência na subestação, deverá ser contatada imediatamente a concessionária; Só permitir o acesso às dependências do centro de medição de energia a profissionais habilitados ou agentes credenciados da companhia concessionária de energia elétrica; Permitir somente que profissionais habilitados tenham acesso às instalações e equipamentos. Isso evitará curtocircuito, choque, etc.; Não utilizar o local do centro de medição como depósito, principalmente não armazenar produtos combustíveis que poderão gerar risco de incêndio; Não pendurar objetos nas instalações (tubulações) aparentes; Efetuar limpeza nas partes externas das instalações elétricas (espelho, tampas de quadros, etc.) somente com pano; INFORMAÇÕES ADICIONAIS 44

45 A iluminação indireta feita com lâmpadas fluorescentes tende a manchar a superfície (forro de gesso) da qual estiver muito próxima, portanto são necessárias limpezas ou pinturas constantes neste local; Luminárias utilizadas em áreas descobertas ou externas onde existe umidade excessiva podem ter seu tempo de vida diminuído, necessitando de manutenções freqüentes também com troca de lâmpadas; Em áreas comuns, onde as lâmpadas ficam permanentemente acesas é necessário observar a vida útil que é dada pelo fabricante, pois pode ser necessária uma troca muito freqüente devido ao uso constante que consome rapidamente sua durabilidade; A manutenção preventiva das instalações elétricas deve ser executada com os circuitos desenergizados (disjuntores desligados); Sempre que for executada manutenção nas instalações, como troca de lâmpadas, limpeza e re-apertos dos componentes, desligar os disjuntores correspondentes; Rever estado de isolamento das emendas de fios; Manutenção Preventiva Reapertar a cada ano todas as conexões do Quadro de Distribuição; Testar a cada 6 (seis) meses o disjuntor tipo DR apertando o botão localizado no próprio disjuntor. Ao apertar o botão, a energia será cortada, caso isso não ocorra, trocar o DR; Reapertar a cada 2 anos todas as conexões (tomadas, interruptores e ponto de luz); Sugestões de Manutenção Verificar o estado dos contatos elétricos substituindo peças que apresentam desgaste, quando necessário (tomadas, interruptores e ponto de luz); Apresentamos a seguir os principais problemas que podem ocorrer eventualmente, nas instalações elétricas do imóvel e suas respectivas ações corretivas: Parte da instalação não funciona: Verificar o quadro de distribuição se a chave daquele circuito não está desligada. Em caso afirmativo religá-la, e se esta voltar a desarmar solicitar a assistência do técnico habilitado, pois duas possibilidades ocorrem: 45

46 A chave está com defeito e é necessária a sua substituição por uma nova; Existe algum curto-circuito na instalação e é necessário reparo deste circuito; Eventualmente pode ocorrer a "falta de uma fase" no fornecimento de energia, o que faz com que determinada parte da instalação não funcione. Nestes casos, somente a concessionária terá condições de resolver o problema, após solicitação do consumidor. Superaquecimento no quadro de força e/ou luz: Verificar se existem conexões frouxas e reapertá-las, e se existe alguma chave com aquecimento acima do normal, que pode ser provocado por mau contato interno à chave ou sobrecarga devendo a mesma ser substituída por profissional habilitado; As chaves do Quadro de Luz estão desarmando com freqüência: Podem existir maus contatos elétricos (conexões frouxas) que são sempre fonte de calor, o que afeta a capacidade das chaves. Neste caso, um simples re-aperto nas conexões resolverá o problema; Outra possibilidade é de que o circuito esteja sobrecarregado com instalação de novas cargas, cujas características de potência são superiores às previstas no projeto. Tal fato deve ser rigorosamente evitado. A chave geral do quadro está desarmando: Pode existir falta de isolação da enfiação, provocando aparecimento de corrente para a terra. Neste caso deve ser identificado qual o circuito com falha, procedendo ao desligamento de todos os disjuntores até que se descubra o circuito com problema, procedendo então ao reparo da isolação com falha. Pode existir defeito de isolação de algum equipamento ou chuveiro; para descobrir qual o está com defeito, proceda da maneira descrita anteriormente e repare a isolação do equipamento. Choques elétricos: 46

47 Ao perceber qualquer sensação de choque elétrico, proceder da seguinte forma: Desligar a chave de proteção deste circuito; Verificar se o isolamento dos fios de alimentação não foi danificado e estão fazendo contato superficial com alguma parte metálica; Caso isso não tenha ocorrido, o problema possivelmente está no isolamento interno do próprio equipamento. Neste caso, repará-lo ou substituí-lo por outro de mesmas características elétricas. Se for feita qualquer mudança no sistema de instalação que altere suas características originais; Se for evidenciada a substituição de disjuntores por outros de capacidade diferente, especialmente de maior amperagem; Perda de Garantia Se for evidenciado o uso de eletrodomésticos velhos, chuveiros ou aquecedores elétricos sem blindagem, desarmando os disjuntores; Se for evidenciada sobrecarga nos circuitos devido a ligação de vários equipamentos no mesmo circuito; Se for verificada a não utilização de proteção individual para equipamentos sensíveis; Se não forem tomados os cuidados de uso ou não forem feitas as manutenções preventivas necessárias. Descrição do sistema INSTALAÇÕES HIDRÁULICAS É o conjunto de tubulações e equipamentos, aparentes ou embutidos nas paredes, destinados ao transporte, disposição e/ou controle de fluxo de fluidos (fluidos com sólidos em suspensão, líquidos, vapores ou gases) em uma edificação, conforme projeto específico elaborado de acordo com as normas técnicas brasileiras da ABNT. Água fria 47

48 Origem: o sistema de instalações de água fria se origina no ponto de abastecimento da empresa concessionária dos serviços públicos de fornecimento de água potável; Medição de consumo: passando pelo hidrômetro ou cavalete, onde é medido o consumo total; Reservatório inferior: do hidrômetro ou cavalete segue para um reservatório inferior (no caso de edificações com muitos pavimentos onde pressão disponível no ponto de fornecimento da concessionária não é suficiente) e/ou diretamente para algum ponto de abastecimento como torneiras de lavagem; Bombas de recalque: do reservatório inferior a água é recalcada para o reservatório superior, caso exista, ou pressurizada diretamente e abastecer os pontos de água. O bombeamento é controlado por um sistema eletromecânico; Distribuição: do reservatório superior as tubulações seguem para o barrilete. Após o barrilete as tubulações alimentam os andares inferiores, quando se denominam "prumadas de água fria". Nos andares, as prumadas sofrem derivações dotadas de registros de manobra, após os quais, em algumas instalações, é possível efetuarse a medição de consumo individual de uma determinada unidade. Passamos então a ter os ramais de distribuição de água, que alimentam os diversos pontos, tais como: vasos sanitários, chuveiros, pias, etc; Sistema de redução de pressão: são instalados sistemas de redutores de pressão quando a pressão de entrada ou da coluna de água seja super a 40 metros de coluna d'água (m.c.a.); Subsistemas de apoio: Sistema de ladrão, que no caso de falha do sistema de controle do nível máximo dos reservatórios, conduz o fluxo de transbordo para o sistema de águas pluviais; Sistema de aviso, que conduz uma parte do fluxo de transbordo para um local onde esse fluxo possa ser visível e, Sistema de limpeza das caixas, que é utilizado para o esvaziamento das caixas para limpeza ou manutenção; Identificação: estas tubulações poderão ser identificadas com a cor verde. Sistema de combate a incêndio 48

49 Origem do volume de reservatório: usualmente fica na caixa d'água superior que é garantido pela distância entre o fundo da caixa d'água e as tomadas das demais prumadas, que ficam mais acima, garantindo assim que o sistema de incêndio nunca fique sem água; Distribuição: através das tubulações das prumadas de incêndio, são alimentados os sistemas de hidrantes e/ou de sprinkler, onde podem existir conjuntos moto-bomba. Estes equipamentos são acionados automaticamente ou manualmente através de botoeiras. O sistema termina em um registro, que fica dentro de uma caixa embutida no passeio público; Identificação: quando aparentes, essas tubulações poderão ser pintadas na cor vermelha. Água quente Origem: os sistemas de instalações de água quente se originam em algum equipamento de aquecimento da água, como geradoras de água quente, aquecedores de passagem ou de acumulação, que são abastecidos pelo sistema de água fria; Distribuição: sua distribuição é feita da mesma forma que a da água fria. Essas tubulações (embutidas ou não) recebem uma proteção térmica para minimizar a perda de calor; Identificação: quando aparentes poderão ser identificadas pela cor branca. Esgoto Origem: as instalações de esgoto se originam nos pontos que recebem os dejetos dos lavatórios, vasos sanitários, ralos secos e sifonados, etc. e seguem para os ramais de coleta; Coleta: dos ramais de coleta, seguem para as "prumadas coletoras principais de esgoto" através dos andares até os coletores, que as levarão até a rede pública de esgotos. No caso dos pavimentos que estão abaixo do nível da rede pública de esgoto, os coletores desaguarão em um poço, de onde um sistema eletro-mecânico de conjuntos moto-bomba fará o bombeamento das águas servidas; Identificação: quando aparentes poderão ser identificadas pela cor preta ou marrom. 49

50 Águas pluviais Origem: as instalações de águas pluviais se originam nos ramais de tubulação destinados a coletar as águas de chuva, tais como ralos de floreiras, canaletas, calhas, etc. e seguem para os ramais de coleta; Coleta : os ramais conduzem a água da chuva até as tubulações das prumadas de águas pluviais, que a conduz através dos andares, chegando até as tubulações dos coletores, que conduzirão as águas da chuva até a sarjeta da via pública. No caso dos pavimentos que estão abaixo do nível da sarjeta, os coletores desaguarão em um poço, de onde um sistema eletro-mecânico de conjuntos moto-bomba fará o bombeamento das águas de chuva até os coletores que têm acesso à sarjeta. Podem ainda fazer parte deste sistema as instalações de drenagem, que se destinam a conduzir as águas do lençol freático que estiverem atingindo a edificação de um determinado pavimento para baixo; Identificação: quando aparentes poderão ser identificadas pela cor marrom. Ralos Todos os ralos possuem grelhas de proteção para evitar que detritos maiores caiam em seu interior ocasionando entupimento; Ralos sifonados e sifões têm "fecho hidráulico", que consiste numa pequena cortina de água, que evita o retorno do mau cheiro. Registros Registros de pressão (água fria e quente): válvulas de pequeno porte, instaladas em sub-ramais ou em pontos de utilização destinados à regulagem da vazão de água, ou fechamento. Componentes do Sistema Registros de gaveta (água fria e quente): válvulas de fecho para a instalação hidráulica pré-dial, destinadas a interrupção eventual de passagem de água para reparos na rede ou ramal. 1. Sistema de água fria Tubulações, registros e válvulas Hidrômetro ou cavalete 50

51 Reservatórios Bombas de recalque Sistema redutor de pressão 2. Sistema de combate a incêndio Tubulações, registros e válvulas Bombas de pressurização Hidrantes Sprinklers 3. Instalações de Água Quente Tubulações, registros e válvulas Geradoras de água quente 4. Instalações de Esgoto Ralos Tubulações, registros e válvulas Caixas de passagem e inspeção Poços Bombas de recalque Fornecedores Prazo de garantia 5. Instalações de água pluviais e drenagem Ralos e canaletas Tubulações, registros e válvulas Caixas de passagem e inspeção Poços Bombas de recalque Os dados serão fornecidos no Manual das Áreas Comuns, quando da entrega do empreendimento. Materiais: Tubos / Conexões Louças / Caixa de Descarga Torneiras / Registro / Sifões / Flexíveis / Válvulas 51

52 Definido segundo os padrões estabelecidos pelos fabricantes. Serviços: Colunas de Água Quente e Água Fria Tubos de Queda de Esgoto Danos causados devido à movimentação ou acomodação da estrutura - 5 anos. Coletores Problemas com a instalação - 1 ano. Ramais Problemas com as instalações embutidas e vedação - 1 ano. Louças / Caixa de Descarga Instalação e funcionamento - 1 ano Torneiras/ Registro / Sifões/ Flexíveis/ Válvulas Funcionamento e vedação - 1 ano Equipamentos: Bombas Desempenho do equipamento - Especificado pelo Fabricante. Problemas com a instalação - 1 ano. Situações não cobertas pela garantia Peças que apresentem desgaste natural, pelo uso regular, tais como vedantes, gaxetas, anéis de vedação, guarnições, cunhas, mecanismos de vedação. Não lançar elementos nas bacias sanitárias e ralos que possam entupi-los; Cuidados de Uso Nunca jogue gordura ou resíduo sólido nos ralos das pias e dos lavatórios, jogue-os diretamente no lixo; Não deixe de usar a grelha de proteção que acompanha a cuba das pias de cozinha; 52

53 Nunca suba ou se apóie nas louças e bancadas, pois podem se soltar ou quebrar causando ferimentos graves. Cuidados especiais com crianças; Nas máquinas de lavar e tanque deve-se dar preferência ao uso de sabão biodegradável, para evitar retorno de espuma; Não utilize para eventual desobstrução do esgoto hastes, ácidos,, água muito quente ( + de 60 º ) ou similares; Banheiros, cozinhas e áreas e serviço sem utilização por longos períodos, podem ocasionar mau cheiro, em função da ausência de água nos ralos e sifões. Para eliminar este problema, basta adicionar uma pequena quantidade de óleo de cozinha para a formação de uma película, evitando-se assim a evaporação; Não apertar em demasia os registros, torneiras, misturadores; Ao instalar filtros, torneiras, etc, NÃO atarraxe-os com excesso de força, pois pode danificar a saída da tubulação provocando vazamentos; NÃO permitir sobrecarga de louças sobre a bancada; NÃO devem ser retirados elementos de apoio (mão francesa, coluna do tanque, etc), podendo sua falta ocasionar quebra ou queda da peça ou bancada; A falta de uso prolongado dos mecanismos de descarga pode acarretar danos como ressecamento de alguns componentes e acúmulo de sujeira, causando vazamentos ou mau funcionamento. Caso esses problemas sejam detectados NÃO mexer nas peças e acionar a assistência técnica do fabricante; Limpe os metais sanitários, ralos das pias e lavatórios, louças e cubas de aço inox em pias, com água e sabão neutro e pano macio, NUNCA com esponja ou palha de aço e produtos abrasivos; O sistema de aviso e ou ladrão não devem ter as suas tubulações obstruídas; Não efetuar alterações na regulagem das válvulas redutoras de pressão; 53

54 O sistema de combate a incêndio, não pode ser modificado e o volume de reservação não pode ser alterado; Não utilize a mangueira do hidrante para qualquer finalidade que não seja a de combate a incêndio; No manuseio de bombas submersas, não puxar pelo cabo de força para não desconectá-lo do motor. O cabo deve estar solto em relação à corda de sustentação. Por longos períodos de ausência na utilização das áreas molhadas, deve-se sempre manter os registros fechados. As bombas (tanto de água limpa, quanto de águas servidas) devem funcionar em rodízio, ou seja, alternar cada 15 dias a chave no painel elétrico fazendo com que haja alternância no funcionamento das bombas (quando o quadro elétrico não realizar a reversão automática); A bomba de incêndio, pelo menos a cada 60 dias deve ser ligada (para tanto, pode-se acionar o dreno da tubulação). Devem ser observadas as orientações da Companhia de Seguros do edifício ou do projeto de instalações específico; Os registros dos subsolos e cobertura (barrilete), deve-se a cada 6 (seis) meses serem completamente abertos e fechados p/ evitar eventuais surpresas em caso de necessidade; Manutenção Preventiva Deverá ser efetuada limpeza dos reservatórios por empresa especializada, no mínimo, a cada 6 (seis) meses, ou quando ocorrerem indícios de contaminação ou problemas no fornecimento de água potável da rede pública, exigindo-se o atestado de portabilidade; Na ocasião da limpeza dos reservatórios superiores, isolar as tubulações da válvula redutora; As tubulações que não são constantemente usadas (ladrão), devem ser acionadas a cada 6 (seis) meses, de forma a evitar entupimentos, devido às incrustrações, sujeiras, etc; As caixas de esgoto e águas pluviais devem ser limpas a cada 90 (noventa) dias, (ou quando for detectada alguma obstrução) e também feita a eventual manutenção do revestimento impermeável das mesmas; Limpar os filtros e efetuar revisão nas válvulas redutoras de pressão conforme orientações do fabricante; Efetuar manutenção preventiva nas bombas de recalque (de água potável, incêndio, esgoto, ou de águas 54

55 pluviais) a cada 6 (seis) meses; Verificar se as bombas submersas (esgoto e águas pluviais) não estão dentro do barro a cada 6 (seis) meses nas épocas de estiagem e semanalmente nas épocas de chuvas intensas, para evitar inundações ou contaminações. Em caso afirmativo, contratar empresa especializada para limpar o poço e regular a altura de funcionamento da bomba através da corda de sustentação; Verificar a cada 6 meses os ralos e sifões das louças, tanques, lavatórios e pias; Verificar a cada mês ou semanalmente em épocas de chuvas intensas os ralos e grelhas das águas pluviais e as calhas; Verificar anualmente as tubulações de captação de água do jardim para detectar a presença de raízes que possam destruir ou entupir as tubulações; Limpar a cada 6 meses os aeradores (bicos removíveis) das torneiras; Substitua anualmente os vedantes (courinhos) das torneiras, misturadores e registros de pressão para garantir a vedação e evitar vazamentos; Limpar e verificar a regulagem dos mecanismos de descarga periodicamente; Verificar o diafragma da torre de entrada e a comporta do mecanismo da caixa acoplada a cada 3 anos. Verifique a cada 3 anos as gaxetas, anéis o'ring e a estanqueidade dos registros de gaveta, evitando vazamentos. Sugestões de Manutenção Verificar a estanqueidade da válvula de descarga, torneira automática e torneira eletrônica a cada 5 anos. Em caso de necessidade, troque os acabamentos dos registros pelo mesmo modelo ou por outro do mesmo fabricante, evitando assim a troca da base; Caso os tubos flexíveis (rabichos), que conectam as instalações hidráulicas às louças forem danificados causando vazamentos, substitua-os tomando o cuidado de fechar o registro geral de água antes da troca. 55

56 A seguir, procedimentos a serem adotados para corrigir alguns problemas: Como desentupir a pia: Com o auxílio de luvas de borracha, um desentupidor e uma chave inglesa, siga os seguintes passos: Encha a pia de água; Coloque o desentupidor a vácuo sobre o ralo, pressionando-o para baixo e para cima. Observe se ele está totalmente submerso; Quando a água começar a descer, continue a movimentar o desentupidor, deixando a torneira aberta; Se a água não descer, tente com a mão ou com auxílio de uma chave inglesa, desatarraxar o copo do sifão. Neste copo ficam depositados os resíduos, geralmente responsáveis pelo entupimento. Mas não se esqueça de colocar um balde em baixo do sifão, pois a água pode cair no chão; Com um arame, tente desobstruir o ralo da pia, de baixo para cima algumas vezes, os resíduos se localizam neste trecho do encanamento, daí a necessidade de usar o arame; Coloque o copo que você retirou do sifão não convém colocar produtos a base de soda cáustica dentro da tubulação de esgoto; Depois do serviço pronto, abra a torneira e deixe correr água em abundância, para limpar bem. Como consertar a torneira que está vazando: Feche o registro geral do cômodo; Retire a tampa/ botão (quando houver) da cruzeta com a mão; Utilizando uma chave de fenda, desrosqueie o parafuso que prende a cruzeta; Com o auxílio de um alicate de bico, desrosqueie a porca que prende a canopla para poder ter acesso ao mecanismo de vedação; Com o auxílio de um alicate de bico, desrosqueie o mecanismo de vedação do corpo e o substitua por um 56

57 novo. Como desentupir o chuveiro: Desrosqueie a capa protetora do crivo; Retire a proteção metálica (quando houver); Retire o plástico ou borracha preta; Com o auxílio de uma escova de dente, limpe o crivo desobstruindo os orifícios que podem ter acumulado detritos. Como regular a caixa de descarga acoplada da bacia sanitária: 1. Regulagem: Com cuidado, abra e retire a tampa da caixa acoplada; Com ajuda de um alicate, rosqueie a bóia, deixando-a mais firme para que, quando a caixa estiver cheia, não permita que a água transborde pelo ladrão. 2. Substituição: Com cuidado, abra e retire a tampa da caixa acoplada; Desrosqueie a bóia; Leve-a a um depósito de materiais de construção para que sirva de modelo para a compra de uma nova; Perda de Garantia Com a nova bóia em mãos, encaixe-a e rosqueie-a exatamente no local de onde a antiga foi retirada. Danos sofridos pelas partes integrantes das instalações em conseqüência de quedas acidentais, maus tratos, manuseio inadequados, instalação incorreta e erros de especificação; Danos causados por impacto ou perfurações em tubulações (aparentes, embutidas ou requadradas); Danos causados aos acabamentos por limpeza inadequada (produtos químicos, solventes, abrasivos do tipo 57

58 saponáceo, palha de aço, esponja dupla face); Manobras indevidas, com relação a registros, válvulas e bombas; Se for constatado entupimento por quaisquer objetos jogados nos vasos sanitários e ralos, tais como: absorventes higiênicos, folhas de papel, cotonetes, cabelos, etc; Se for constatada a falta de troca dos vedantes (courinhos) das torneiras; Se for constatada a falta de limpeza nos aeradores, provocando assim acúmulo de resíduos nos mesmos; Se for constatada a retirada dos elementos de apoio (mão francesa, coluna do tanque, etc) provocando a queda ou quebra de peça ou bancada; Se for constatado o uso de produtos abrasivos e/ou limpeza inadequada dos metais sanitários; Se for constatado nos sistemas hidráulicos, pressões (desregulagem da válvula redutora de pressão) e temperatura (geradores de calor, aquecedores, etc) discordantes das estabelecidas no projeto; Equipamentos que foram reparados por pessoas não autorizadas pelo serviço de assistência técnica; Aplicações de peças não originais ou inadequadas, ou ainda adaptações de peças adicionais sem autorização prévia do fabricante; Equipamentos instalados em locais onde a água é considerada não potável ou contenha impurezas e substâncias estranhas à mesma que ocasione o mau funcionamento do produto; Objetos estranhos no interior do equipamento ou nas tubulações que prejudiquem ou impossibilite o seu funcionamento; Se não forem tomados os cuidados de uso ou não forem feitas as manutenções preventivas necessárias. 58

59 INSTALAÇÃO DE GÁS Descrição do sistema É o conjunto de tubulações e equipamentos, aparentes ou embutidos, destinados ao transporte, disposição e/ou controle de fluxo de gases em uma edificação. Origem: sistema de instalações de gás origina-se junto a um reservatório de GLP (gás liquefeito de petróleo); Identificação: quando aparentes, as tubulações deverão ser identificadas pela cor amarela. Instalação de gás natural ou GLP; Componentes do Sistema Prazo de garantia Tubulações, registros e válvulas; Medidores de vazão. Material - Especificado pelo Fabricante. Vedação das juntas - 1 ano. Sempre que não houver utilização constante, ou em caso de ausência prolongada no imóvel, mantenha os registros e as torneiras fechados; Nunca teste ou procure vazamentos num equipamento, tubulação ou medidor de gás utilizando fósforo ou qualquer outro material inflamável. É recomendado o uso de espuma de sabão ou sabonete; Cuidados de Uso Os ambientes onde se situam os aparelhos a gás devem permanecer ventilados para evitar o acúmulo de gás, que pode provocar uma explosão. Portanto nunca bloqueie a ventilação desses ambientes; Não utilizar o local como depósito, principalmente não armazenar produtos combustíveis que poderão gerar risco de incêndio; Não pendurar objetos nas instalações (tubulações) aparentes. Em caso de vazamentos de gás que não possam ser eliminados com o fechamento de um registro ou torneira chame a companhia concessionária.; 59

60 Leia com atenção os manuais que acompanham os equipamentos a gás; Verificar o prazo de validade da mangueira de ligação da tubulação ao eletrodoméstico, e trocar quando necessário; Para execução de qualquer serviço de manutenção ou instalação de equipamentos a gás, sirva-se de empresas especializadas ou profissionais habilitados pela concessionária e utilize materiais (flexíveis, conexões, etc) adequados. Manutenção Preventiva Perda de Garantia Para os equipamentos, de acordo com as recomendações dos fabricantes Se for verificada a instalação inadequada de equipamentos (equipamentos diferentes dos especificados em projeto) por exemplo, instalar o sistema de acumulação no lugar do sistema de passagem e vice versa); Se for verificado que a pressão utilizada está fora da especificada em projeto; Se não forem tomados os cuidados de uso ou não forem feitas as manutenções preventivas necessárias. IMPERMEABILIZAÇÃO Descrição do sistema É o tratamento dado em partes e/ou componentes da construção para garantir a estanqueidade da mesma impedindo a infiltração de água. Componentes do Sistema Fornecedores Prazo de garantia Cuidados de Uso Existem vários tipos de materiais empregados nas impermeabilizações, tais como asfálticos, argamassas poliméricas, resinas acrílicas termoplásticas,membranas acrílicas, etc. Os dados serão fornecidos no Manual das Áreas Comuns parte II, quando da entrega do empreendimento. Sistema de impermeabilização - 5 anos. Utilizar "lavagem a seco" para o piso dos subsolos. As lavagens com mangueira devem ser evitadas. Caso seja utilizada, sempre puxar a água para o ralo; Evitar plantas com raízes agressivas que possam danificar a impermeabilização ou obstruir os drenos de 60

61 escoamentos; Manter o nível de terra no mínimo a 10 cm abaixo da borda para evitar infiltrações indesejáveis; Não permitir a fixação de antenas, postes de iluminação ou outros equipamentos sobre lajes impermeabilizadas através da utilização de buchas, parafusos ou chumbadores. Sugerimos a utilização de base de concreto sobre a camada de proteção da impermeabilização sem removê-la ou danificá-la. Não fixar pregos ou parafusos e buchas, nem chumbadores nos revestimentos das platibandas, rufos, muros e paredes impermeabilizadas; Para qualquer tipo de instalação de equipamento sobre superfície impermeabilizada, deve-se solicitar a presença de uma empresa especializada em impermeabilização; Manter os ralos sempre limpos nas áreas descobertas; Lavar os reservatórios com produtos de limpeza e materiais adequados, mantendo a caixa vazia somente o tempo necessário para limpeza. Não utilizar máquinas de alta pressão, produtos que contenham ácidos nem ferramentas como espátula, escova de aço ou qualquer tipo de material pontiagudo. É recomendável que esta lavagem seja feita por empresa especializada; Em caso de danos a qualquer elemento do sistema de impermeabilização, proceder à imediata recuperação sob o risco de aumento gradual da área afetada e corrosão na armadura de aço da estrutura de concreto armado. Tomar os devidos cuidados com o uso de ferramentas tais como picaretas, enxadões, etc nos serviços de plantio e manutenção dos jardins, de modo a evitar danos à camada de proteção mecânica existente; Não permitir que se introduzam objetos de qualquer espécie nas juntas de dilatação. Inspecionar anualmente os rejuntamentos e vedações de mastique dos pisos, paredes, soleiras, ralos e peças sanitárias, pois, através das falhas nos mesmos, poderá ocorrer infiltração de água; Manutenção Preventiva Caso haja danos à impermeabilização, não executar os reparos com os materiais e sistemas diferentes do aplicado originalmente, pois a incompatibilidade pode comprometer o bom desempenho do sistema; No caso de defeitos de impermeabilização e de infiltração de água, não tente você mesmo resolver o problema; Inspecionar anualmente a camada drenante do jardim, verificando se não há obstrução na tubulação e entupimento dos ralos. 61

62 Reparo e/ou manutenção executados por empresas não especializadas; Perda de Garantia Danificação da manta devido à instalação de equipamento ou reformas em geral; Produtos e equipamentos inadequados para limpeza dos reservatórios; Se não forem tomados os cuidados de uso ou não forem feitas as manutenções preventivas necessárias. ESQUADRIA DE MADEIRA Compreendem o conjunto de portas de madeira com a seguinte finalidade: Permitir a iluminação do ambiente pelo melhor aproveitamento da luz natural; Possibilitar o contato visual com o exterior; Acessar áreas externas ou internas; Possibilitar a troca de ar e a ventilação natural; Proteger o interior da residência e seus ocupantes das intempéries exteriores. Descrição do sistema As esquadrias também abrangem: corrimãos, guarda-corpo, batentes e outros elementos arquitetônicos. Características de algumas das esquadrias: Janelas e Portas de Correr Não interferem nas áreas externas ou internas, permitindo, no caso de janelas, o uso de grades ou telas (desde que padronizadas em assembléia específica), persianas ou cortinas; Oferecem a possibilidade de regulagem da abertura das folhas propiciando maior conforto na aeração do ambiente; No caso de portas ou janelas com veneziana aerada, facilita ao usuário dosar a ventilação ou claridade ao seu 62

63 gosto, mantendo tal posição inalterada sob ação dos ventos. Portas internas e externas Propiciam uma privacidade e conforto acústico quando mantidas fechadas; Decorativas podendo ser pintadas, envernizadas ou enceradas. Janelas Maxim-air A folha desta janela abre deslizando sua parte inferior para fora, ao mesmo tempo em que sua parte superior desliza para baixo. Janelas e Portas-balcões Oferecem o aproveitamento total do vão, proporcionando maior área de ventilação e insolação; Fornecedores Prazo de garantia Cuidados de Uso No caso de esquadrias de madeira envernizadas ou enceradas, por serem um produto natural estão sujeitas apresentarem diferenças de tonalidades em suas peças. Os dados serão fornecidos no Manual das Áreas Comuns parte II, quando da entrega do empreendimento. Lascadas, trincadas, riscadas ou manchadas - no ato da entrega Empenamento, descolamento, trincas na madeira - 1ano As janelas Maxim-air podem ser mantidas abertas, com pequena angulação, em caso de chuvas moderadas. Entretanto, em caso de rajadas de vento, os caixilhos podem ser danificados, portanto, fique atento para travar as janelas nessas situações; As janelas devem correr suavemente, não devendo ser forçadas; Os trincos ou cremonas não devem ser forçados. Se necessário, aplicar suave pressão ao manuseá-lo; Não arrastar objetos através dos vãos de janelas e portas maiores que o previsto podendo danificar seriamente as esquadrias; 63

64 Providenciar batedores de porta afim de não prejudicar as paredes e maçanetas; Manter as portas permanentemente fechadas, evitando assim o seu empenamento ou danos devidos às rajadas de vento; A limpeza das esquadrias como um todo, deve ser feita com um pano umedecido e logo após um pano seco. Tomando o cuidado de retirar o excesso de pó antes com um espanador ou escova; As janelas e portas de correr exigem que seus trilhos inferiores sejam freqüentemente limpos, evitando-se o acúmulo de poeira, que com o passar do tempo vão se compactando pela ação de abrir e fechar, se transformando em crostas de difícil remoção, comprometendo o desempenho das roldanas e exigindo a sua troca precoce; NÃO usar em hipótese alguma, detergentes contendo saponáceos, esponjas de aço de qualquer espécie, ou qualquer outro material abrasivo. Nos casos de esquadrias pintadas, proceder uma repintura a cada três anos. É importante o uso correto da tinta especificada no manual. Manutenção Preventiva No caso de esquadrias envernizadas, recomenda-se um tratamento anual com verniz e, a cada três anos, a raspagem total e reaplicação do verniz. Nos casos das esquadrias enceradas é aconselhável o tratamento de dois em dois anos. Se forem instalados cortinas ou quaisquer aparelhos, tais como: persianas, ar condicionado, etc, diretamente na estrutura das esquadrias, ou que nelas possam interferir; Perda de Garantia Se for feita qualquer mudança na esquadria, na sua forma de instalação, na modificação de seu acabamento (especialmente pintura), que altere suas características originais; Se for feito corte do encabeçamento (reforço da folha) da porta; Se não forem tomados os cuidados de uso ou não for feita a manutenção preventiva necessária. 64

65 ESQUADRIAS DE FERRO Compreendem o conjunto de portas, batentes e janelas com a seguinte finalidade: Permitir a iluminação do ambiente pelo melhor aproveitamento da luz natural; Possibilitar o contato visual com o exterior; Descrição do Sistema Acessar áreas externas ou internas; Possibilitar a troca de ar e a ventilação natural; Proteger o interior da residência e seus ocupantes das intempéries exteriores. Fornecedores Prazos de Garantia As esquadrias também abrangem: corrimão, guarda-corpo de terraços, portões, gradis, alçapões, painéis de fachada e outros elementos arquitetônicos. Os dados serão fornecidos no Manual das Áreas Comuns parte II, quando da entrega do empreendimento. Amassadas, riscadas ou manchadas - No ato da entrega. Má fixação, oxidação ou mau desempenho do material - 1 ano. As janelas Maxim-air podem ser mantidas abertas, com pequena angulação, em caso de chuvas moderadas, entretanto, em caso de rajadas de vento, os caixilhos podem ser danificados, portanto fique atento para travar as janelas nessas situações; As janelas e portas de correr devem correr suavemente não devendo ser forçadas; Cuidados de Uso Os trincos não devem ser forçados; A limpeza das esquadrias como um todo, de verá ser feita com solução de água e detergente neutro, com auxílio de esponja macia; As janelas e portas de correr exigem que seus trilhos inferiores sejam freqüentemente limpos, evitando-se o acúmulo de poeira, que com o passar do tempo vão se compactando pela ação de abrir e fechar, se transformando em crostas de difícil remoção, comprometendo seu desempenho; 65

66 Deve-se manter os drenos (orifícios) dos trilhos inferiores sempre bem limpos e desobstruídos, principalmente na época de chuvas mais intensas, pois esta é a causa principal do vazamento de água para o interior do ambiente; Não usar em hipótese alguma, fórmulas de detergentes com saponáceos, esponjas de aço de qualquer espécie, ou qualquer outro material abrasivo; Não usar produtos ácidos ou alcalinos, sua aplicação poderá causar manchas na pintura; Não utilize objetos cortantes ou perfurantes para auxiliar na limpeza dos "cantinhos" de difícil acesso. Essa operação poderá ser feita com o auxílio de pincel; Não utilize vaselina, removedor, thinner ou qualquer outro produto derivado do petróleo, pois além de ressecar plásticos ou borrachas, fazendo com que percam sua função de vedação, possuem componentes que vão atrair partículas de poeira que agirão como abrasivo, reduzindo em muito a vida do acabamento superficial; Não remover as massas de vedação; Reapertar delicadamente com chave de fenda todos os parafusos dos fechos, fechaduras, puxadores, fixadores e roldanas, sempre que necessário; Manutenção Preventiva Perda de Garantia Verificar nas janelas maxim-air a necessidade de regulagem, de maneira que ela aberta ofereça certa resistência a qualquer movimento espontâneo, evitando assim risco a segurança do usuário e de terceiros. Repintar as áreas e elementos, após o tratamento devido dos pontos de oxidação, com as mesmas especificações da pintura original a cada ano; Verificar a vedação e fixação dos vidros a cada ano. Se forem instalados, apoiados ou fixados quaisquer objetos, diretamente na estrutura das esquadrias ou que nelas possam interferir; Se for feita qualquer mudança na esquadria, na sua forma de instalação, na modificação de seu acabamento, que altere suas características originais; Se houver danos por colisões; Se não forem tomados os cuidados de uso ou não for feita a manutenção preventiva necessária. 66

67 ESQUADRIAS DE ALUMÍNIO Compreendem o conjunto de portas e janelas de alumínio com a seguinte finalidade: Permitir a iluminação do ambiente pelo melhor aproveitamento da luz natural; Possibilitar o contato visual com o exterior; Acessar áreas externas e ou internas; Possibilitar a troca de ar e a ventilação natural; Proteger o interior da residência e seus ocupantes das intempéries exteriores. As esquadrias também abrangem: corrimão, guarda-corpo de terraços, painéis de fachada e outros elementos arquitetônicos. Descrição do Sistema Características de algumas das esquadrias: Janelas e Portas de Correr: Não interferem nas áreas externas ou internas, permitindo, no caso de janelas, o uso de grades ou telas, persianas ou cortinas; Oferecem a possibilidade de regulagem da abertura das folhas propiciando maior conforto na aeração do ambiente; No caso de portas ou janelas com veneziana aerada, facilita ao usuário dosar a ventilação ou claridade ao seu gosto, mantendo tal posição inalterada sob ação dos ventos. Janelas Maxim-air: A folha desta janela abre deslizando sua parte inferior para fora, ao mesmo tempo em que sua parte superior desliza para baixo. Fornecedores Os dados serão fornecidos no Manual das Áreas Comuns parte II, quando da entrega do empreendimento. 67

68 Borrachas, escovas, articulações, fechos e roldanas - 2 anos. Prazos de Garantia Acabamento dos perfis de alumínio, fixadores e revestimentos em painel de alumínio - 5 anos. Vedação e funcionamento das partes móveis (inclusive recolhedores de palhetas, motores e conjuntos elétricos de acionamento - 1 ano. As janelas Maxim-air podem ser mantidas abertas, com pequena angulação, em caso de chuvas moderadas. Entretanto, em caso de rajadas de vento, os caixilhos podem ser danificados, portanto fique atento para travar as janelas nessas situações; As janelas devem correr suavemente não devendo ser forçadas; Os trincos não devem ser forçados. Se necessário, aplicar suave pressão ao manuseá-los. Cuidados na pintura de paredes e limpeza das fachadas Cuidados de Uso Antes de executar qualquer tipo de pintura, seja tinta à óleo, látex ou cal, proteger as esquadrias com fitas adesivas de PVC, sejam elas pintadas ou anodizadas. Não utilize fitas tipo "crepe", pois elas costumam manchar a esquadria quando em contato prolongado; Remover a fita adesiva imediatamente após o uso, uma vez que sua cola contém ácidos ou produtos agressivos, que em contato prolongado com as esquadrias poderão danificá-las; Caso haja contato da tinta com as esquadrias, limpar imediatamente com pano seco e em seguida, com pano umedecido em solução de água e detergente neutro; Na limpeza das fachadas com revestimentos cerâmicos ou de granito, em que se utilizem soluções que contenham produtos agressivos de quaisquer tipos, proteger as esquadrias com fita de PVC, aplicando-a cuidadosamente, sem que fique nenhuma área desprotegida ou com mau contato. Caso isso não seja possível, recomenda-se que a limpeza da fachada seja feita com o uso de água com detergente neutro a 5%. Manutenção Preventiva Limpeza das esquadrias A limpeza das esquadrias como um todo, inclusive guarnições de borrachas e escovas, deverá ser feita com 68

69 solução de água e detergente neutro a 5%, com auxílio de esponja macia, nos períodos abaixo indicados: - No mínimo, a cada 12 (doze) meses em zona urbana ou rural; - No mínimo, a cada 3 (três) meses em zona marítima ou industrial. As janelas e portas de correr exigem que seus trilhos inferiores sejam freqüentemente limpos, evitando-se o acúmulo de poeira, que com o passar do tempo vão se compactando pela ação de abrir e fechar, se transformando em crostas de difícil remoção, comprometendo o desempenho das roldanas e exigindo a sua troca precoce; Deve-se manter os drenos (orifícios) dos trilhos inferiores sempre bem limpos e desobstruídos, principalmente na época de chuvas mais intensas, pois esta é a causa principal do "borbulhamento" e vazamento de água para o interior do ambiente; NÃO usar em hipótese alguma, detergentes contendo saponáceos, esponjas de aço de qualquer espécie, ou qualquer outro material abrasivo; NÃO usar produtos ácidos ou alcalinos, sua aplicação poderá causar manchas na anodização ou pintura, tornando o acabamento opaco; NÃO utilize objetos cortantes ou perfurantes para auxiliar na limpeza dos "cantinhos" de difícil acesso. Essa operação poderá ser feita com o uso de pincel de cerdas macias embebido na solução de água e detergente neutro a 5%; NÃO utilize vaselina, removedor, thinner ou qualquer outro produto derivado do petróleo, pois além de ressecar plásticos ou borrachas, fazendo com que percam sua função de vedação, possuem componentes que vão atrair partículas de poeira que agirão como abrasivo, reduzindo em muito a vida do acabamento superficial do alumínio. NÃO utilizar jato de água de alta pressão para lavagem das fachadas. A força do jato pode arrancar as partes calafetadas com silicone ou qualquer outro material protetor contra infiltração; NÃO remover as borrachas ou massas de vedação; Caso ocorram respingos de cimento, gesso, ácido ou tinta, remova-os imediatamente com um pano umedecido 69

70 na mesma solução de água e detergente neutro a 5% e, logo após, passe uma flanela seca; Todas as articulações e roldanas trabalham sobre a camada de nylon auto-lubrificante, razão pela qual dispensam quaisquer tipos de graxa ou óleo lubrificante. Estes produtos não devem ser aplicados às esquadrias, pois em sua composição poderá haver ácidos ou componentes não compatíveis com os materiais usados na fabricação das esquadrias; Quando a janela possuir persiana de enrolar, a limpeza externa da mesma deve ser feita removendo-se a tampa da caixa do rolo, que fica na parte superior da janela, pelo lado interno. Em seguida proceder a limpeza com um pano macio (ou esponja), umedecido em uma solução de água e detergente neutro (a 5%), executando-se a limpeza em duas ou três palhetas de cada vez, a medida em que é movida a persiana. Manutenção das esquadrias As esquadrias modernas são fabricadas com utilização de acessórios articuláveis (braços, fechos e dobradiças) e deslizantes (roldanas e rolamentos) de nylon, que não exigem qualquer tipo de lubrificação, uma vez que suas partes móveis, eixos e pinos são envolvidos por uma camada deste material especial, auto-lubrificante, de grande resistência ao atrito e às intempéries; Reapertar delicadamente com chave de fenda todos os parafusos aparentes dos fechos, fechaduras ou puxadores e roldanas responsáveis pela folga do caixilho de correr junto ao trilho, sempre que necessário; Verificar nas janelas Maxim-air a necessidade de regular o freio. Para isso, abrir a janela até um ponto intermediário ( ± 30 ), no qual ela deve permanecer parada e oferecer certa resistência a qualquer movimento espontâneo. Se necessária, a regulagem deverá ser feita somente por pessoa especializada, para não colocar em risco a segurança do usuário e de terceiros; Verificar a vedação e fixação dos vidros a cada ano. Perda de Garantia Se forem instaladas cortinas ou quaisquer aparelhos, tais como: persianas, ar condicionado, etc, diretamente na estrutura das esquadrias, ou que nelas possam interferir; Se for feita qualquer mudança na esquadria, na sua forma de instalação, na modificação de seu acabamento 70

71 (especialmente pintura), que altere suas características originais; Se houver dano por pane no sistema eletro-eletrônico, motores e fiação da esquadria, causados por sobrecarga de tensão; Se não forem tomados os cuidados de uso ou não for feita a manutenção preventiva necessária. Estrutura: ESTRUTURAS E PAREDES A estrutura do edifício é constituída por elementos que visam garantir a estabilidade e segurança da construção e pode ser de concreto armado convencional ou outros sistemas construtivos. É projetada e executada dentro das Normas Brasileiras, e durante sua execução tem seus materiais componentes submetidos a controle tecnológico, garantindo assim a conformidade com o projeto. Paredes: Descrição do sistema As paredes têm como finalidade a vedação da edificação. Em seus elementos de vedação, podem estar embutidas as tubulações hidráulicas, elétricas e de gás. As paredes podem ser feitas de alvenaria, gesso acartonado (dry-wall) ou outro sistema construtivo. Obs.: Os materiais utilizados na estrutura, alvenaria e revestimento das paredes são de naturezas diversas, possuindo diferentes coeficientes de elasticidade, de resistência e dilatação térmica. Assim sendo, diante de variações bruscas da temperatura ambiente, da acomodação natural da estrutura causada pela ocupação gradativa do edifício, bem como, quando submetidos a cargas específicas, podem se comportar de forma diferente, o que poderá eventualmente acarretar o aparecimento de fissuras (pequenas rupturas) localizadas no revestimento das paredes, fato este que NÃO compromete de forma alguma a segurança da edificação. No caso de paredes internas, são consideradas aceitáveis e normais, as fissuras não perceptíveis a distância de pelo menos 1 metro. Com relação às paredes externas, as eventuais fissuras que surgirem e não provoquem infiltração para o interior da edificação, serão consideradas aceitáveis e normais. 71

72 Fornecedores Prazo de garantia Os dados serão fornecidos no Manual das Áreas Comuns parte II, quando da entrega do empreendimento. Estrutura: Defeitos que comprometem a solidez ou segurança da edificação - 5 anos. Paredes internas Fissuras perceptíveis a uma distância superior a 1 metro - 1 ano. Paredes externas / Fachada Fissuras que possam vir a gerar infiltração - 3 anos. Nota: As fissuras que não geram infiltração são consideradas normais, aceitáveis e deverão ser tratadas pelo condomínio quando do processo de manutenção preventiva da edificação. NÃO retirar total ou parcialmente quaisquer elementos estruturais, pois pode abalar a solidez e segurança da edificação; Cuidados de Uso NÃO sobrecarregar as estruturas e paredes além dos limites normais de utilização previstos no projeto, pois esta sobrecarga pode gerar fissuras ou até comprometer os elementos estruturais e de vedação; Antes de perfurar as paredes, consulte os projetos e detalhamentos contidos Manual do Proprietário e / ou Manual das Áreas Comuns, evitando deste modo a perfuração de tubulações de água, energia elétrica ou gás, nelas embutidas; Para melhor fixação de peças ou acessórios, use apenas parafusos com buchas apropriadas. Manutenção Preventiva Procure manter os ambientes bem ventilados.nos períodos de inverno ou de chuva, pode ocorrer o surgimento de mofo nas paredes decorrente de condensação de água por deficiente ventilação, principalmente em ambientes fechados (armários, atrás de cortinas e forros de banheiro); Combata o mofo com o uso de detergente, formol ou água sanitária dissolvidos em água; Tanto as áreas internas (unidades privativas e áreas comuns) como a fachada da edificação, devem ser pintadas a cada 3 (três) anos, evitando assim o envelhecimento, a perda de brilho, o descascamento, e que eventuais 72

73 fissuras possam causar infiltrações. A renovação da pintura é de grande importância pois diminui os poros nas superfícies pintadas reduzindo os efeitos dos gases presentes no ambiente sobre as armaduras, retardando e diminuído a corrosão das armaduras prolongando a vida útil da edificação. Especial cuidado deve se tomar nas áreas de garagem devido a presença de gás carbônico. Nota: Toda vez que for realizada uma repintura após a entrega da edificação, deverá ser feito um tratamento das fissuras evitando assim infiltrações futuras de água. Se forem retirados quaisquer elementos estruturais (exemplo: pilares, vigas, painéis, lajes, alvenarias estruturais, etc, conforme Memorial Descritivo de cada empreendimento); Se forem alterados quaisquer elementos de vedação com relação ao projeto original; Perda de Garantia Se forem identificadas sobrecarregas nas estruturas e paredes além dos limites normais de utilização previstos; No caso de NÃO ser realizada a re-pintura da fachada e garagem a cada 3 (três) anos, conforme previsto na Manutenção Preventiva; Se não forem tomados os cuidados de uso ou não for feita a manutenção preventiva necessária. ATENÇÃO No caso de fachadas com outros tipos de revestimento, atentar para os itens de Manutenção Preventiva e Cuidados de Uso, conforme Manuais do Proprietário e Manuais das Áreas Comuns. REVESTIMENTO DE PAREDES E TETOS EM ARGAMASSA OU GESSO E FORRO DE GESSO Descrição do sistema Revestimento em Argamassa / Gesso São revestimentos utilizados para regularizar a superfície dos elementos de vedação / estruturais servindo de base para receber outros acabamentos ou pintura. Auxiliam na proteção dos elementos de vedação e estruturais 73

74 contra a ação direta de agentes agressivos. Forros de Gesso Acabamento utilizado como elemento decorativo ou servindo para ocultar tubulações, peças estruturais, etc. Fornecedores Paredes e Tetos Internos Os dados serão fornecidos no Manual das Áreas Comuns parte II, quando da entrega do empreendimento. Fissuras perceptíveis a uma distância superior a 1 metro - 1 ano Prazo de garantia Paredes Externas Forros Infiltração decorrente do mau desempenho do revestimento externo da fachada. (Ex: Fissuras que possam vir a gerar infiltração) - 3 anos Quebrados, trincados ou manchados - No ato da entrega Fissuras por acomodação dos elementos estruturais e de vedação - 1 ano Para melhor fixação de objetos nas paredes e tetos, utilizar parafusos com buchas apropriadas ao revestimento. Evitar o uso de pregos para não danificar o acabamento; No caso de Forros de Gesso, não fixar suportes para pendurar vasos ou qualquer outro objeto, pois os forros não estão dimensionados para suportar peso; Evitar o choque causado por batida de portas; Cuidados de Uso Não lavar as paredes e tetos com água e produtos abrasivos; Nunca molhar o forro de gesso, pois o contato com a água faz com que o gesso se decomponha; Evitar impacto no forro de gesso que possam danificá-lo; Manter os ambientes bem ventilados, evitando o aparecimento de bolor nos tetos de banheiros e cozinhas. Poderá ocorrer o surgimento de mofo nas paredes, principalmente em ambientes fechados (armários, atrás de cortinas, etc), combata o mofo com o uso de detergente, formol ou água sanitária dissolvida em água (utilizar esponja ou pano levemente umedecidos). 74

75 Manutenção Preventiva Perda de Garantia Repintar os forros dos banheiros anualmente; Repintar paredes e tetos das áreas secas a cada 3 anos. Quebras ou trincas por impacto; Contato contínuo das paredes e tetos com água ou vapor; Se não forem tomados os cuidados de uso ou não for feita a manutenção preventiva necessária. Azulejo / Cerâmica / Porcelanato REVESTIMENTO CERÂMICO INTERNO Descrição do sistema Fornecedores Prazo de garantia Cuidados de Uso Utilizado em revestimento de paredes e pisos, visa dar acabamento em áreas úmidas como cozinhas, banheiros, lavabos e áreas de serviço, protegendo estes ambientes aumentando o desempenho contra umidade e infiltração de água. Facilitam também a limpeza e tornam o ambiente mais higiênico, além de possuírem uma função decorativa. Podem ser classificados por vários critérios, entre eles o desgaste da superfície esmaltada (PEI), dureza e outros. Os dados serão fornecidos no Manual das Áreas Comuns parte II, quando da entrega do empreendimento. Peças quebradas, trincadas, riscadas, manchadas ou com tonalidades diferentes - No ato da entrega Peças soltas, gretadas ou desgaste excessivo que não por mau uso - 2 anos Antes de perfurar qualquer peça deve-se consultar o Manual do Proprietário/ Manual das Áreas Comuns (croqui de localização) e os projetos de instalações para evitar perfurações em tubulações e camadas impermeabilizadas; Para fixação de móveis ou acessórios, utilizar somente parafusos com buchas apropriadas, evitando impacto nos revestimentos que possam causar fissuras; Utilizar sabão neutro para lavagem. Não utilizar produtos químicos corrosivos tais como: cloro líquido, soda cáustica ou ácido muriático. O uso de produtos ácidos e alcalinos podem causar problemas de ataque químico nas 75

76 placas cerâmicas; Na limpeza, tomar cuidado com encontro de paredes e tetos em gesso; Não utilizar bomba de pressurização de água na lavagem, bem como vassouras de piaçava ou escovas com cerdas duras, pois podem danificar o rejuntamento; Evitar bater com peças pontiagudas que podem causar lascamento nas placas cerâmicas; Cuidado no transporte de eletrodomésticos, móveis e materiais pesados, não arrastá-los sobre o piso a fim de evitar riscos, desgastes e/ou lascamentos; Não utilize objetos cortantes ou perfurantes para auxiliar na limpeza dos cantos de difícil acesso, devendo ser utilizada escova apropriada. Não raspar com espátulas metálicas, utilizar, quando necessário, espátula de PVC; Não utilizar palhas ou esponjas de aço na limpeza de cerâmicas; Manutenção Preventiva Perda de Garantia Na área da cozinha limpar com produto desengordurante regularmente, mas não utilize removedores do tipo "limpa forno". Em áreas muito úmidas como banheiros, deixar sempre o ambiente ventilado para evitar fungo ou bolor nos rejuntes; Verificar e completar o rejuntamento a cada ano, ou quando aparecer alguma falha; Verificar se existem peças soltas ou trincadas e reassentá-las imediatamente com argamassa colante. Manchas por utilização de produtos ácidos e/ou alcalinos; Quebra ou lascamento por impacto ou pela não observância dos cuidados durante o uso; Riscos causados por transporte de materiais ou objetos pontiagudos; Se não forem tomados os cuidados de uso ou não for feita a manutenção preventiva necessária. 76

77 Descrição do sistema Fornecedores Prazo de garantia REVESTIMENTO CERÂMICO EXTERNO Utilizado em fachadas, muros, jardineiras e pisos, o revestimento cerâmico visa dar acabamento e possui função decorativa; Sua fixação é feita com uso de argamassa colante específica para as áreas externas; O revestimento poderá ser com peças cerâmicas ou com pastilhas. Os dados serão fornecidos no Manual das Áreas Comuns parte II, quando da entrega do empreendimento. Peças quebradas, trincadas, riscadas, manchadas ou com tonalidades diferentes - No ato da entrega Peças soltas, gretadas ou desgaste excessivo que não por mau uso - 2 anos Antes de perfurar qualquer peça deve-se consultar o Manual do Proprietário/ Manual das Áreas Comuns (croqui de localização) e os projetos de instalações para evitar perfurações em tubulações e camadas impermeabilizadas; Para fixação de móveis ou acessórios, utilizar somente parafusos com buchas apropriadas, evitando impacto nos revestimentos que possam causar fissuras; Cuidados de Uso Recomendamos a lavagem anual das paredes externas para retirar o acúmulo de sujeira, fuligem, fungos e sua proliferação. Utilizar sabão neutro para lavagem. Não utilizar produtos químicos corrosivos, tais como: cloro líquido, soda cáustica ou ácido muriático. Não utilizar bomba de pressurização de água na lavagem, bem como vassouras de piaçava ou escovas com cerdas duras, pois podem danificar o rejuntamento; Evitar bater com peças pontiagudas; Em caso de danos a qualquer elemento do revestimento cerâmico externo proceder à imediata recuperação sob o risco de aumento gradual da área afetada e corrosão na armadura de aço da estrutura de concreto armado. 77

78 Cuidado no transporte de eletrodomésticos, móveis e materiais pesados, não arrastar sobre o piso; Não utilize objetos cortantes ou perfurantes para auxiliar na limpeza dos cantos de difícil acesso, devendo ser utilizada escova apropriada; Não raspar com espátulas metálicas, utilizar, quando necessário, espátula de PVC; Na instalação de telas de proteção, grades ou equipamentos, não danificar o revestimento e tratar os furos com silicone ou mastique para evitar a infiltração de água. Manutenção Preventiva Verificar e completar o rejuntamento quando aparecer alguma falha; No caso de fachadas e pisos, verificar anualmente as juntas de dilatação, estas devem ser preenchidas com mastique e nunca com argamassa para rejuntamento; Verificar anualmente se existem peças soltas ou trincadas e reassentá-las imediatamente com argamassa colante; Verificar anualmente a calafetação de rufos, fixação de pára raios, antenas, elementos decorativos, etc; Perda de Garantia Efetuar lavagem da fachada e muros a cada 3 anos com empresa especializada; Manchas por utilização de produtos químicos; Quebra ou lascamento por impacto ou pela não observância dos cuidados durante o uso; Riscos causados por transporte de materiais ou objetos; Se não forem tomados os cuidados de uso ou não for feita a manutenção preventiva necessária. 78

79 REVESTIMENTO DE PEDRAS NATURAIS (Mármore, Granito, Pedra Mineira, Mosaico e outros) Utilizadas em revestimento de pisos e paredes, interna e externamente, além de serem um elemento decorativo podem evitar a passagem de água, presença de umidade e diminuir a propagação do som. São utilizadas também em tampos de pia e balcões; Descrição do sistema Fornecedores Prazo de garantia As pedras são extraídas de jazidas naturais e podem ou não receber um acabamento. Características como a dureza, dependerão do tipo de cada pedra. As diferenças de tonalidade e desenho também são características destes tipos de revestimento; As peças poderão ser assentadas sobre argamassa, com aplicação de cimento colante ou utilização de peças metálicas, estas mais usuais em fachadas. Os dados serão fornecidos no Manual das Áreas Comuns parte II, quando da entrega do empreendimento. Peças quebradas, trincadas, riscadas ou falhas no polimento (quando especificado) - No ato da entrega. Peças soltas ou desgaste excessivo que não por mau uso - 2 anos. Antes de perfurar qualquer peça deve-se consultar o Manual do Proprietário/ Manual das Áreas Comuns (croqui de localização) e os projetos de instalações para evitar perfurações em tubulações e camadas impermebizadas; Não usar máquina de alta pressão para a limpeza na edificação. Utilizar enceradeira industrial com escova apropriada para a superfície a ser limpa; Cuidados de Uso Utilizar sabão neutro próprio para lavagem de pedras. Não utilizar produtos corrosivos que contenham em sua composição produtos químicos tais como cloro líquido, soda cáustica ou ácido muriático. Para retirada de manchas deverá ser contratada empresa especializada em revestimento / limpeza de pedras; Nos procedimentos de limpeza diário de materiais polidos, sempre procurar remover primeiro o pó ou partículas sólidas com um pano macio ou escova de pelo nos tampos de pias e balcões. Nos pisos e escadarias, remover com vassoura de pêlo ou mop pó, sempre sem aplicar pressão excessiva para evitar riscos e desgastes precoces devido ao atrito e em seguida aplicar um pano ou mop água umedecidos (sempre bem torcidos, sem excesso de água) com água ou solução diluída de detergente neutro para pedras seguida de aplicação de um 79

80 pano macio de algodão ou "raion" para secar a superfície. Evitar a lavagem de pedras para que não surjam manchas e eflorescências e quando necessário, utilizar detergente específico; Nunca tentar remover manchas com produtos genéricos de limpeza ou com soluções caseiras. Sempre que houver algum problema procurar consultar empresas especializadas, pois muitas vezes a aplicação de produtos inadequados em manchas podem, além de danificar a pedra, tornar as manchas permanentes; No caso de pedras naturais utilizadas em ambientes externos, em dias de chuva, poderá ocorrer uma acúmulo localizado de água, em função das características das pedras utilizadas, se necessário, remover a água com auxílio de rodo; Sempre que possível utilizar capachos ou tapetes nas entradas para evitar o volume de partículas sólidas sobre o piso; Utilizar protetores de feltros e / ou mantas de borrachas nos pés dos móveis; Evitar bater com peças pontiagudas; Cuidado no transporte de eletrodomésticos, móveis e materiais pesados, não arrastá-los sobre o piso; Não deixe cair sobre a superfície graxas, óleo, massa de vidro e tinta; Não colocar vasos de planta diretamente sobre o revestimento pois podem causar manchas; Para a recolocação de peças, atentar para o uso correto do cimento colante para cada tipo de pedra (ex.: para mármores e granitos claros - cimento cola branco, para ardósias - cimento cola específico, etc); Em casos de reformas, cuidado para não danificar a camada impermeabilizante, quando houver; A calafetação em volta das peças de metal e louças (ex.: válvula de lavatório) deve ser feita com mastique ou massa de calafetação, não utilizar massa de vidro para evitar manchas; No caso de fixação das pedras com elementos metálicos, não remover nenhum suporte e no caso de substituição contatar uma empresa especializada. 80

81 Inspecionar e completar o rejuntamento a cada ano, ou quando aparecer alguma falha. Em áreas muito úmidas como banheiros, deixar sempre o ambiente ventilado para evitar aparecimento de fungos ou bolor e sempre utilizar produtos de limpeza específicos para pedras que evitam a proliferação deste agentes; Manutenção Preventiva Sempre que agentes causadores de manchas (café, refrigerantes, alimentos, etc) caírem sobre a superfície, procurar limpá-los com um pano absorvente ou papel toalha; No caso de peças polidas (ex.: pisos, bancadas de granito,etc), é recomendável um enceramento mensal com cera específica para proteger a pedra de agentes agressivos. Nas áreas de circulação intensa o enceramento deve acontecer semanalmente ou até diariamente. Manchas e perda do polimento por utilização inadequada de produtos químicos; Quebra por impacto; Perda de Garantia Riscos causados por transporte de materiais ou objetos; Utilização de máquinas de alta pressão; Se não forem tomados os cuidados de uso ou não for feita a manutenção preventiva necessária. TACOS E ASSOALHOS Revestimentos de madeira utilizados para acabamento em pisos, proporcionando conforto e beleza; Descrição do sistema Fornecedores Por se tratar de um material não inerte, a madeira pode trabalhar em função da variação de umidade do ambiente, o que pode ocasionar fissuras nas juntas de calafetação entre as peças; A madeira, por ser um produto natural, pode apresentar diferenças de tonalidades em suas peças. Os dados serão fornecidos no Manual das Áreas Comuns, quando da entrega do empreendimento. 81

82 Prazo de garantia Lascados, trincados, riscados,manchados ou mal fixados - No ato da entrega Empenamento, trincas na madeira e destacamento - 1 anos Não deixar a luz do sol bater diretamente, pois pode criar rachaduras, trincas ou causar outros prejuízos. Às vezes, irreparáveis; Nas áreas do piso onde a luminosidade não incide, como aquelas que ficam sob os tapetes, a madeira pode ficar coloração diferente; deixar que a área fique exposta à luz durante algumas semanas, até que o piso retome a tonalidade original; Nunca molhar o piso de madeira com águas corrente ou pano encharcado; Ao derrubar algum tipo de líquido no piso, limpar imediatamente com um pano seco, para evitar manchas; Cuidados de Uso Não arrastar móveis ou objetos sobre a superfície; Utilizar protetores de feltro e/ou mantas de borrachas nos pés dos móveis; Evitar a queda de objetos pontiagudos, alguns tipos de saltos de sapatos também podem danificar o piso; Utilizar tapete ou capacho nas portas de entrada, para evitar que os sapatos tragam grãos de poeira que possam vir a riscar o piso; Antes da aplicação do acabamento final,não deixar cair graxa ou óleo sobre a superfície; Manutenção Preventiva Perda de Garantia Aplicar o acabamento final tipo cera, verniz ou resina de poliuretano, utilizando os serviços de empresa especializadas. Recomenda-se raspar, calafetar e aplicar acabamento no terceiro ano de uso e, posteriormente, de acordo com a necessidade. Se o piso for exposto à luz do sol, ação da água,graxas ou óleos; Se não for aplicado o acabamento de forma adequada; 82

83 Se for utilizado, no acabamento, produto para clareamento; Senão forem tomados os cuidados de uso ou não for feita a manutenção preventiva necessária. DECK DE MADEIRA Revestimento de madeira, utilizado nas áreas próximas às piscinas, SPA s, jardins, etc.; Descrição do sistema Componentes do Sistema Fornecedores Prazo de garantia Cuidados de Uso Manutenção Preventiva A madeira, por ser um produto orgânico, apresenta variações de tonalidades e, por ser higroscópico (troca água com o meio ambiente), sofre variações em suas dimensões em função da temperatura e umidade relativa do meio ambiente. Estrutura de suporte em madeira ou alvenaria; Assoalho em madeira; Elementos de fixação (pregos, parafusos, etc.) Os dados serão fornecidos no Manual das Áreas Comuns, quando da entrega do empreendimento. Lascados ou mal fixados - No ato da entrega Empenamento, trincas na madeira e destacamento - 1 anos Não arrastar objetos ou móveis sobre a superfície, o que pode vir a danificar a madeira; Evitar a colocação de vasos de plantas diretamente sobre o piso, devido à umidade que possa vir a manchálo; Evitar a queda de objetos pontiagudos; Limpar o piso com pano úmido. Para deck com acabamento em verniz, após 1ano, recomenda-se remover o verniz existente com o uso de removedor, lixar e envernizar novamente. Recomenda-se raspar e aplicar o acabamento no terceiro ano de uso 83

84 e, posteriormente, de acordo com a necessidade. Perda de Garantia Verificar os elementos de fixação,a cada seis meses,e substituir as peças danificadas. Se não for aplicado o acabamento de forma adequada; Se não forem tomados os cuidados de uso ou não forem feitas as manutenções preventivas necessárias. Descrição do sistema PISO CIMENTADO / PISO ACABADO EM CONCRETO / CONTRAPISO São argamassas ou concreto, especificamente preparados, destinados a regularizar e dar acabamento final a pisos e lajes ou servir de base para assentamento de revestimentos tais como: cerâmicas, pedras, carpete, pisos laminados e outros. Componentes do Sistema Concreto, areia, cimento e aditivos químicos. Fornecedores Os dados serão fornecidos no Manual das Áreas Comuns, quando da entrega do empreendimento. Superfícies irregulares - No ato da entrega Prazo de garantia Falhas no caimento e nivelamento - 6 meses Destacamentos - 2 anos Não utilizar máquina de alta pressão para a limpeza na edificação. Utilizar enceradeira industrial com escova apropriada à superfície a ser limpa; Não deixar cair óleos, graxas, solventes e produtos químicos (ácidos, etc); Cuidados de Uso Em caso de danos, principalmente em garagens ou áreas externas, proceder a imediata recuperação do piso cimentado sob risco de aumento gradual da área danificada; No caso de demolição parcial do piso, atentar para não provocar deformações, destacamentos, depressões, saliências, fissuras ou outras imperfeições, tanto no piso remanescente como no trecho novo.; Quando especificado para receber um determinado tipo de revestimento, este deve ser colocado o mais 84

85 rápido possível para evitar danos; Evitar bater com peças pontiagudas; Cuidado no transporte de eletrodomésticos, móveis e materiais pesados: não arrastá-los sobre o piso; Não utilizar objetos cortantes ou perfurantes para auxiliar na limpeza dos cantos de difícil acesso; Na limpeza, não raspar com espátulas metálicas, utilizar quando necessário, espátula de PVC; Manutenção Preventiva Perda de Garantia Promover o uso adequado e evitar sobrecargas conforme definido nos projetos/ memorial. Verificar a integridade física do piso cimentado, quando utilizado em garagens ou áreas externas, recompondo-o quando necessário; Verificar anualmente as juntas de dilatação, quando necessário reaplicar mastiques ou substituir a junta elestromérica, nunca com argamassa ou silicone; Se não forem utilizados para a finalidade estipulada; Se forem realizadas mudanças que alterem suas características originais; Se não forem tomados os cuidados de uso ou não for feita a manutenção preventiva necessária. REJUNTES Tratamento dado às juntas de assentamento dos materiais cerâmicos e pedras naturais para garantir a estanqueidade e o acabamento final dos revestimentos de pisos e paredes e dificultar a penetração de água; Descrição do sistema Os rejuntes também têm a função de absorver pequenas deformações, por isso, existe um tipo específico de rejuntamento para cada local e tipo de revestimento; São utilizados no preenchimento das juntas de revestimentos cerâmicos em pisos e paredes, tanto interna quanto externamente. Também são utilizados em pedras naturais, pastilhas de porcelana e pastilhas de vidro. 85

86 Fornecedores Prazo de garantia Cuidados de Uso Manutenção Preventiva Perda de Garantia Os dados serão fornecidos no Manual das Áreas Comuns, quando da entrega do empreendimento. Falhas ou manchas - No ato da entrega Falhas na aderência - 1 ano Evitar o uso de detergentes agressivos, ácidos ou soda cáustica, bem como escovas e produtos concentrados de amoníaco que atacam não só o rejunte como também o esmalte das peças cerâmicas; Não utilizar máquina de alta pressão para limpeza da edificação; A limpeza e lavagem dos revestimentos poderão ser feitas com sabão em pó neutro, utilizando pano úmido ou esponjas com cerdas macias. Inspecionar e completar o rejuntamento convencional (em azulejos, cerâmicas, pedras) a cada ano. No caso de rejuntamento com mastique, a cada 2 anos. Isto é importante para evitar o surgimento de manchas de carbonatação (surgimento de manchas esbranquiçadas nas juntas); Anualmente deve ser feita a revisão do rejuntamento, principalmente na área do box do chuveiro; Para refazer o rejuntamento, utilizar materiais apropriados e mão de obra especializada. Se forem utilizados ácidos ou outros produtos agressivos, ou ainda se for realizada lavagem do revestimento com água em alta pressão; Se não forem tomados os cuidados de uso ou não for feita a manutenção preventiva necessária PINTURAS, VERNIZES (Interna e Externa) Tem por finalidade o acabamento final do produto proporcionando: Descrição do sistema Uniformidade da superfície; Proteção de elementos estruturais, reboco, gesso, madeira, etc; 86

87 Fornecedores Prazo de garantia Conforto e beleza pela utilização de cores. Os dados serão fornecidos no Manual das Áreas Comuns parte II, quando da entrega do empreendimento. Sujeira ou mau acabamento - No ato da entrega Empolamento, descascamento, esfarelamento, alteração de cor ou deterioração de acabamento - 1 ano Evitar atrito nas superfícies pintadas pois a abrasão pode remover a tinta deixando manchas; Evitar pancadas que marquem ou trinquem a superfície; Evitar contato de produtos químicos de limpeza, principalmente produtos ácidos; Em caso de necessidade de limpeza, jamais utilizar esponjas ásperas, buchas, palha de aço, lixas e máquinas com jato de pressão; Evitar o contato com pontas de lápis ou canetas; Não utilizar álcool para limpeza de áreas pintadas; Cuidados de Uso Nas áreas internas com pintura, evitar a exposição prolongada ao sol utilizando cortinas nas janelas; Limpeza em paredes e tetos: para remoção de poeira, manchas ou sujeiras, utilizar-se de espanadores, flanelas secas ou levemente umedecidas com água e sabão neutro. Deve-se tomar o cuidado de não exercer pressão demais na superfície; A renovação da pintura é de grande importância pois diminui os poros nas superfícies pintadas reduzindo os efeitos dos gases presentes no ambiente sobre as armaduras, retardando e diminuído a corrosão das armaduras prolongando a vida útil da edificação. Especial cuidado deve se tomar nas áreas de garagem devido a presença de gás carbônico. Manutenção Preventiva Em caso de manchas de gordura limpar com água e sabão neutro imediatamente. Em caso de necessidade de retoque, deve-se repintar todo o pano da parede (de quina a quina), para evitar 87

88 diferenças de tonalidade entre a tinta velha e a nova numa mesma parede. Repintar as áreas e elementos com as mesmas especificações da pintura original. Perda de Garantia Tanto as áreas internas (unidades privativas e áreas comuns) como as áreas externas (fachada, muros, etc), devem ser pintadas a cada 3 anos, evitando assim o envelhecimento, a perda de brilho, o descascamento e que eventuais fissuras possam causar infiltrações. Se não forem tomados os cuidados de uso ou não for feita a manutenção preventiva necessária. Descrição do sistema Componentes do Sistema Fornecedores Prazo de garantia Cuidados de Uso VIDROS São utilizados basicamente em vãos de esquadrias, painéis internos e externos, forros e coberturas (para iluminação zenital), em parapeitos, divisórias, etc. Tem como finalidade a proteção dos ambientes das intempéries, permitindo a passagem de luz Os vidros para edificações podem ser: Vidro plano comum, temperado, aramado, laminado, vidro liso e outros. Vidro; massa plástica ou selante; massa elástica ou baguetes. Os dados serão fornecidos no Manual das Áreas Comuns parte II, quando da entrega do empreendimento. Quebrados, trincados ou riscados - No ato da entrega Má fixação - 1 ano Os vidros possuem espessura compatível com a resistência necessária para o seu uso normal, por essa razão, evitar qualquer tipo de batida ou pancada na sua superfície ou nos caixilhos; Não abrir janelas ou portas empurrando a parte de vidro, utilizar os puxadores e fechos; Para sua limpeza, usar apenas água e sabão, álcool ou produtos especiais para esta finalidade. Não utilizar 88

89 materiais abrasivos, como palha de aço ou escovas de cerdas duras; No caso de trocas, trocar por vidro de mesma característica (cor, espessura, tamanho, etc); Não deixar infiltrar água na caixa de molas das portas de vidro temperado e no caso de limpeza dos pisos, proteger as caixas para que não haja infiltrações. Promover o uso adequado e evitar esforços desnecessários; Em casos de quebra ou trinca, trocar imediatamente a peça para evitar acidentes; Manutenção Preventiva Perda de Garantia Solicitar a cada ano, à empresa especializada em vidros temperados, a inspeção do funcionamento do sistema de molas e dobradiças e verificar a necessidade de lubrificação. Verificar o desempenho das vedações e fixações dos vidros nos caixilhos a cada ano. Vidros temperados podem quebrar espontaneamente. Em ocorrendo os estilhaços deverão ser guardados para constatação de falha na têmpera produto e reposição dentro de garantia. Se não forem utilizados para a finalidade estipulada; Se forem realizadas mudanças que alterem suas características originais. Se não forem tomados os cuidados de uso ou não for feita a manutenção preventiva necessária. Descrição do sistema Componentes do Sistema QUADRA POLIESPORTIVA Área da edificação destinada à prática de jogos esportivos. As quadras podem ser de diversos tipos, com relação ao acabamento do piso: - Concreto polido e pintado; - De base asfáltica monolítica; - Flutuante de madeira; - Flutuante de madeira sobre lençol de compensado; 89

90 Fornecedores - Flutuante, flexível e autodrenante; - Grama; - Equipamentos tais como:traves, tabelas, aros, postes, catracas,cabos de aço e redes; - Alambrado,rede de cobertura e iluminação. Os dados serão fornecidos quando da entrega do empreendimento. Pisos flutuantes de base asfáltica: - Sujeira e mau acabamento No ato da entrega. - Mau desempenho do sistema Fabricante. Quadras em grama 6 meses Prazo de garantia Pintura do piso de concreto polido: - Sujeira e mau acabamento No ato da entrega - Empolamento, descascamento, esfarelamento, alteração de cor ou deteriorização de acabamento 1 ano - Fissuras e trincas 1 ano Alambrados, equipamentos e luminárias: - Desempenho do equipamento Especificado pelo fabricante. - Problemas com a instalação 1 ano. Não utilizar a quadra para outros fins, como pista de skate, patins, bicicleta, etc; Não utilizar calçados com solado de borracha preta, chuteiras ou qualquer tipo de calçado que possa deixar marcas no piso. Recomenda-se o uso de tênis com solado de látex; Cuidados de Uso Não submeter o piso a cargas puntiformes, tais como mesas, cadeiras, escadas, etc; Ao montar e desmontar os equipamentos esportivos, como, por exemplo, os postes de voleibol, deve-se tomar cuidado para não arrastá-los, danificando o acabamento do piso; Manter as canaletas e ralos sempre limpos e desobstruídos, evitando-se água represada na quadra; Limpeza do piso: - Para os flutuantes e de base asfáltica, seguir as recomendações do fabricante; 90

91 - No caso de concreto polido e pintado, quando necessário, lavar a superfície com água e sabão neutro, não deixando o sabão secar sobre a superfície. Nas quadras em grama, seguir as orientações da empresa de paisagismo; Não apoiar objetos ou pessoas no alambrado; As boladas causam inevitavelmente deformações na tela; recomenda-se que, a cada dois anos, ou em função do uso, faça-se manutenção do alambrado, reesticando a tela onde necessário e repintado a tubulação; Trocar lâmpadas quando necessário, tomando-se o cuidado com a vedação das luminárias; Manutenção Preventiva Recomenda-se guardar as redes em depósitos e instalá-las somente quando necessário. Para pisos flutuantes e de base asfáltica, seguir as recomendações do fabricante; Em pisos de concreto polido pintado, repintar a superfície a cada três anos ou quando for necessário, em função do uso da quadra; Executar a manutenção do jardim próximo a quadra a cada 2 meses, para evitar problemas de drenagem, e não permitir que as raízes das plantas infiltrem sob o piso da quadra; Perda de Garantia Pintar os equipamentos esportivos anualmente ou quando a camada de tinta for danificada, pois poderão apresentar oxidações. Uso inadequado da quadra; Se não forem tomados os cuidados de uso ou não forem feitas as manutenções preventivas necessárias. JARDINS Descrição do sistema Áreas destinadas ao cultivo de plantas ornamentais. Componentes do Sistema Drenagem, terra, espécies vegetais e elementos de decoração (vasos e pedras decorativas). Fornecedores Os dados serão fornecidos no Manual das Áreas Comuns parte II, quando da entrega do empreendimento. 91

92 Prazo de garantia Vegetação - 6 (seis) meses O paisagismo é estudado quanto ao porte, volume, textura e cores de cada espécie vegetal a ser usada. Aconselha-se que troca de vegetação seja feita mediante consulta ao projetista; Não se troca o solo de um jardim, seja ele sobre laje ou não, e sim incorpora-se matéria orgânica no mínimo duas vezes ao ano e aduba-se regularmente sendo que para cada tipo de vegetação há uma época e um tipo de adubo apropriado; Cuidados de Uso Não plantar espécies vegetais cujas raízes possam danificar a camada drenante, a impermeabilização e infiltrar nas tubulações; Evite o trânsito sobre os jardins; Ao regar, não usar jato forte de água diretamente nas plantas, utilizar bico aspersor; Tomar os devidos cuidados com o uso de ferramentas, tais como picaretas, enxadões, etc, nos serviços de plantio e manutenção, de modo a evitar danos à impermeabilização existente. Contratar empresa especializada ou jardineiro qualificado para proceder a manutenção mensal; Regar diariamente na estação seca, e quando necessário na estação chuvosa(preferencialmente no início da manhã ou no final da tarde), molhando inclusive as folhas; Manutenção Preventiva Para jardineiras de apartamentos, a manutenção adequada é de uma vez por mês. Nas jardineiras da cobertura e nos jardins do térreo de 2 a 3 dias consecutivos por mês; Eliminar ervas daninhas e pragas e substituir espécies mortas ou doentes a cada 2 (dois) meses; Cortar a grama aproximadamente 8 (oito) vezes ao ano, ou sempre que a altura atingir 5 cm ; Executar a manutenção do paisagismo próximo à quadra a cada 2 meses, para evitar problemas de drenagem e não permitir que as raízes das plantas se infiltrem sob o piso da quadra; Verificar anualmente as tubulações de captação de água do jardim para detectar a presença de raízes que 92

93 Perda de Garantia possam destruir ou entupir as tubulações. Se não forem tomados os cuidados de uso ou não forem feitas as manutenções preventivas necessárias. Descrição do sistema PLAYGROUND Área da edificação destinada ao lazer de crianças, dotada de equipamentos recreativos para este fim. Componentes do Sistema Brinquedos (escorregador, gira-gira, balanço, gangorra, etc) Fornecedores Prazo de garantia Cuidados de Uso Os dados serão quando da entrega do empreendimento. Desempenho dos equipamentos - Especificado pelo Fabricante. Não utilizar os equipamentos fora das especificações do fabricante; Não utilizar brinquedos de PVC quando estes apresentarem fissuras; Os brinquedos devem ser cuidados para que as partes metálicas não oxidem, devem ser lixados e pintados com zarcão e tinta à base de esmalte, anualmente, ou quando a camada de tinta for danificada. Manutenção Preventiva Perda de Garantia No caso das partes em madeira,devem ser lixadas e pintadas anualmente com tinta a óleo, esmalte ou verniz. Verificar periodicamente a integridade dos brinquedos e se as peças de encaixe e/ou parafusadas, correntes e dispositivos de fixação estão em bom estado, com os parafusos de fixação bem apertados e em funcionamento. Se não forem tomados os cuidados de uso ou não for feita a manutenção preventiva necessária. Descrição do sistema Componentes do Sistema Fornecedores PISCINA Reservatório de água, dotado de sistemas de tratamento, destinado ao banho e ao lazer. Piscina (em concreto revestido, fibra de vidro, vinil, etc), equipamentos (filtro,bomba), e equipamentos de limpeza. Os dados serão fornecidos no Manual das Áreas Comuns parte II, quando da entrega do empreendimento. 93

94 Desempenho dos equipamentos - Especificado pelo Fabricante. Revestimentos: Prazo de garantia - Quebrados, trincados, riscados, rasgados, manchados ou com tonalidade diferente - No ato da entrega; - Soltos, gretados ou desgaste excessivo que não por mau uso - 2 anos. Problemas com a instalação - 1 ano. Manter a piscina sempre cheia de água, mantendo o nível d'água no mínimo a 10cm abaixo da borda da piscina Não utilizar a piscina com óleos no corpo (bronzeadores), pois podem ficar impregnados nas paredes e bordas; Ligar o filtro todos os dias, variando em função do uso e relação (filtro/volume d'água da piscina); Cuidados de Uso Lavar o filtro pelo menos uma vez a cada 07 dias; Verificar o pré-filtro sempre que se realizar a retrolavagem; Verificar o PH da água, mantendo o PH ideal entre (7,2 e 7,6) e o nível de cloro em (1,0 PPM), para evitar fungos e bactérias. O uso inadequado de produtos químicos pode causar manchas no revestimento, no rejuntamento e danificar tubulações e equipamentos. Passa a peneira e aspirar o fundo da piscina de acordo com a conveniência; Manutenção Preventiva Limpar a cada 10 dias as bordas da piscina com produtos específicos (limpa bordas), removendo vestígios oleosos; Controlar o PH da água uma vez por semana; Adicione uma vez por semana algicida, conforme a recomendação do fabricante, para evitar a formação de 94

95 algas; Perda de Garantia Verifique anualmente o estado do rejuntamento e se há azulejos soltos ou trincados e proceder a manutenção. Uso inadequado de produtos químicos Se não forem tomados os cuidados de uso ou não for feita a manutenção preventiva necessária. 1 PISCINA PROBLEMAS E SOLUÇÕES A tabela abaixo tem a finalidade de servir de guia para detectar possíveis causas de problemas apresentados na água e o método necessário para suas correções. PROBLEMAS SUA DESCRIÇÃO CAUSA PROVÁVEL SOLUÇÃO PREVENÇÃO Algas ou água verde e turva 2 Cheiro forte 3 4 Irritação dos olhos e da pele Água colorida e transparente Cor verde ou marrom espalhando-se pelas paredes, às vezes turvando ou esverdeando a água Irritação dos olhos e cheiro irritante Os olhos ficam vermelhos e a pele coça Amarela ou marrom; preta; verde; azulada (quando tratada com cloro) Desenvolvimento de algas, devido à ausência ou ineficiência de cloro Cloro insuficiente para oxidar contaminações; formações de cloro combinado (cloraminas) pela reação do cloro, urina, suor, etc. Cloraminas (veja acima: cheiro forte de cloro) ou PH inadequado Presença de ferro, manganês ou cobre Cloração de choque com cloro granulado e escovação das paredes para a ação do cloro Supercloração com cloro granulado Analise o PH e corrija-o com PH+ ou PH- Supercloração com cloro granulado Mantenha o residual de cloro sempre de 1 ppm Mantenha o residual de cloro sempre de 1 ppm Mantenha o PH sempre entre 7,4 e 7,6 5 Água turva Água esverdeada; não se Filtração insuficiente; Retrolave o filtro e aplique Nunca utilize sulfato de 95

96 6 Corrosão de metais 7 Gordura na superfície da água 8 Espuma na água 9 Infecções diversas Presença de insetos mortos na piscina Ausência freqüente de residual de cloro enxerga o fundo, mesmo após cloração de choque, ou supercloração, ou com residual adequado de cloro Metais submersos mostram sinais de corrosão e causam manchas nas paredes ou dão cor à água Gordura se espalha pela superfície da água e pelas paredes acima da superfície Superfícies apresentam bolhas Ocorrência de micoses na pele, conjuntivites, otites, pé-de-atleta, etc. Insetos são encontrados mortos na água da piscina Análise revela sempre residual baixo ou inexistente partículas em suspensão PH baixo Bronzeadores e/ou fuligem Acúmulo de material orgânico devido à falta de cloro; Excesso de algicidas à base de quaternário de amônio Presença de microorganismo na água devido a ausência de cloro Piscina não estabilizada exposta ao solo perde seu residual de cloro rapidamente pela ação da luz UV floculante clarificante e auxiliar de filtração, seguindo as instruções da embalagem. Filtre por 24 horas e retrolave o filtro. Repita, se necessário alumínio Ajuste e mantenha o PH na faixa de 7,4 a 7,6 e alcalinidade na faixa de 80 a 100 ppm Supercloração com cloro granulado Supercloração com cloro granulado. Observe espaço de pelo menos 12 horas entre a aplicação de cloro granulado e algicida Supercloração com cloro granulado Cloração de choque imediata (20 ppm) com cloro granulado Estabilização com stabilclor estabilizante de cloro Nota: quando a piscina é bem tratada, não se precisa trocar a água, basta fazer a reposição. Mantenha o residual de cloro sempre de 1 ppm Mantenha o residual de cloro sempre de 1 ppm Cobrir a piscina Cobrir a piscina, manter pastilha de cloro em elemento flutuante 96

97 V PROGRAMA DE MANUTENÇÃO PREVENTIVA O programa consiste na determinação das atividades essenciais de manutenção, sua periodicidade, os responsáveis pela execução e os recursos necessários. A responsabilidade pela elaboração deste programa é do síndico que poderá eventualmente contratar uma empresa ou profissional especializado para auxiliá-lo na elaboração e gerenciamento do mesmo. O Programa de Manutenção Preventiva vem atender também ao artigo 1348 inciso V do Novo Código Civil que define a competência do síndico em diligenciar a conservação e a guarda das partes comuns e zelar pela prestação dos serviços que interessem aos condôminos. nos. Lembramos da importância da contratação de empresas especializadas e profissionais qualificados, e do treinamento adequado da equipe de manutenção para a execução dos serviços. Recomendamos também a utilização de materiais de boa qualidade, preferencialmente seguindo as especificações dos materiais utilizados na construção. No caso de peças de reposição de equipamentos, utilizar peças originais. V.I Planejamento de Manutenção Preventiva Todos os serviços de manutenção devem ser definidos em períodos de curto, médio e longo prazo, atendendo aos prazos do Programa de Manutenção Preventiva e de maneira a: Coordenar os serviços de manutenção para reduzir a necessidade de sucessivas intervenções; Minimizar a interferência dos serviços de manutenção no uso da edificação e a interferência dos usuários sobre a execução dos serviços de manutenção; Otimizar o aproveitamento de recursos humanos, financeiros e equipamentos. O Planejamento da Manutenção deve abranger também uma previsão orçamentária para a realização dos serviços do programa e também deve incluir a reserva de recursos destinada à realização de serviços de manutenção não planejada e reposição de equipamentos ou sistemas após o término de sua vida útil. Deve-se lembrar que para alguns serviços específicos, por exemplo, limpeza de fachada o consumo de água e energia é maior, e, portanto, as contas poderão sofrer acréscimo neste período. 97

98 V.II Registro da Realização da Manutenção São considerados registros as notas fiscais, contratos, laudos, certificados, termos de garantia e demais comprovantes da realização dos serviços ou da capacidade das empresas ou profissionais para execução dos mesmos. Os registros dos serviços de manutenção realizados devem ser organizados de forma a comprovar a realização das manutenções, auxiliar no controle dos prazos e condições de garantias, formalizar e regularizar os documentos obrigatórios (tais como renovação de licenças, etc.) Para facilitar a organização e a coleta dos dados, sugerimos a utilização do "Livro de Registro de Manutenção", onde estarão indicados os serviços de manutenção preventiva, corretiva, alterações e reformas realizadas no condomínio. LIVRO DE REGISTRO DE MANUTENÇÃO Sistema Atividade Data da Realização Responsável Custos Observação V.III Verificação da Realização da Manutenção Verificações do programa de Manutenção ou Inspeções são avaliações periódicas do estado de uma edificação e suas partes constituintes e são realizadas para orientar as atividades de manutenção. São fundamentais para a Gestão de um Programa de Manutenção Preventiva e obrigatórias, conforme preconiza a NBR A definição da periodicidade das verificações e sua forma de execução fazem parte da elaboração do Programa de Manutenção Preventiva de uma edificação que deve ser feito logo após o auto de conclusão da obra. As informações contidas no Manual do Proprietário e no Manual das Áreas Comuns fornecido pela Construtora e/ou Incorporadora e o Programa de Manutenção Preventiva elaborado auxiliam no processo de elaboração das listas de conferência padronizadas adas (check-lists) a serem utilizadas, considerando: 98

99 um roteiro lógico de inspeção das edificações; os componentes e equipamentos mais importantes da edificação; as formas de manifestação esperadas do desgaste natural da edificação; as solicitações e reclamações dos usuários. Os relatórios das verificações avaliam eventuais perdas de desempenho e classificam os serviços de manutenção conforme o grau de urgência nas seguintes categorias: serviços de urgência para imediata atenção; serviços a serem incluídos em um programa de manutenção. A elaboração de planilhas (Check-List) de verificações deve seguir modelo feito especialmente para cada edificação, com suas características e grau de complexidade, sugerimos a seguir um modelo para facilitar o Síndico a realizar periodicamente as vistorias/inspeções. As verificações periódicas permitem que os responsáveis pela Administração da edificação percebam rapidamente pequenas alterações de desempenho de materiais e equipamentos, viabilizando seu reparo com maior rapidez e menor custo, sem contar a melhoria na qualidade de vida e segurança dos moradores e na valorização do empreendimento. Os prazos e métodos sugeridos em seguida poderão variar segundo as recomendações dos fabricantes, executores, fornecedores e/ou mantenedores prevalecendo suas orientações sobre o presente manual. CONSTA NA PASTA TÉCNICA UM CHECK-LIST MODELO REFERENTE À MANUTENÇÃO PREVENTIVA. VI OPERAÇÃO DO CONDOMÍNIO Elaboramos algumas sugestões com a finalidade de orientar o Síndico na implantação e operação do condomínio. 99

100 O CONDOMÍNIO E O MEIO AMBIENTE É importante que o condomínio esteja atento para os aspectos ambientais e promova a conscientização dos moradores e funcionários para que colaborem em ações que tragam benefícios, tais como: 1. Uso Racional da Água - Verifique mensalmente as contas para analisar o consumo de água e checar o funcionamento dos medidores ou existência de vazamentos. Em caso de oscilações, chamar a concessionária para inspeção (esta prática também pode ser adotada para o uso de gás); - Oriente os moradores e a equipe de manutenção local a verificar mensalmente a existência de perdas de água (torneiras "pingando", bacias "escorrendo", etc.); - Oriente os moradores e a equipe de manutenção local no uso adequado da água, evitando o desperdício, como por exemplo, ao limpar as calçadas não utilizar a água para "varrer". 2. Uso Racional da Energia - Procure estabelecer o uso adequado de energia, desligando quando possível pontos de iluminação e equipamentos, apenas lembre-se de não atingir os equipamentos que permitem o funcionamento do edifício (ex.: bombas, alarmes, etc.); - Para evitar fuga de corrente elétrica, realize as manutenções sugeridas, tais como: rever estado de isolamento das emendas de fios, reapertar as conexões do Quadro de Distribuição e as conexões de tomadas, interruptores e ponto de luz, verificar o estado dos contatos elétricos substituindo peças que apresentam desgaste; - Instale equipamentos e eletrodomésticos que possuam selo de "conservação de energia", pois estes consomem menos energia. 3. Coleta Seletiva - Procure implantar um programa de coleta seletiva no edifício e destine os materiais coletados a instituições que possam reciclá-los ou reutilizá-los. SEGURANÇA PATRIMONIAL - Estabeleça critérios de acesso para visitantes, fornecedores, representantes de órgãos oficiais e das concessionárias; - Contrate seguro contra incêndio e outros sinistros (obrigatório), abrangendo todas as unidades, partes e objetos comuns; 100

101 - Garanta a utilização adequada dos ambientes para os fins a que foram destinados, evitando utilizá-los los para o armazenamento de materiais inflamáveis e outros não autorizados; - Garanta a utilização adequada dos equipamentos para os fins a que foram projetados. SEGURANÇA DO TRABALHO - A Norma Regulamentadora nº 18 (NR 18), referente às Condições e Meio Ambiente do Trabalho na Indústria da Construção, também deve ser considerada pelo condomínio com relação aos riscos a que os funcionários próprios e de empresas especializadas estão expostos ao exercer suas atividades. No caso de acidentes de trabalho, o Síndico é responsabilizado, portanto é de extrema importância os cuidados com a segurança do trabalho. - O Manual Prático de Segurança do Trabalho em Construção e Condomínio elaborado pelo SECOVI SP orienta como tratar da segurança em condomínios. - É obrigatória em todo condomínio a realização do PPRA (Programa de Prevenção de Riscos Ambientais), conforme determina a NR-9, Norma Regulamentadora do Ministério do Trabalho. Tal norma visa minimizar os eventuais riscos nos locais de trabalho e também o Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional - PCMSO previsto na NR-7. VI.I PEDIDO DE LIGAÇÕES - O edifício já é entregue com as ligações definitivas de água, luz e força, gás e telefone. - Providencie nas concessionárias os pedidos de ligações locais individuais de telefone, luz e água ( quando houver ligação individual da Concessionária ), pois elas demandam um certo tempo para ser executadas. - Verifique se a sua cidade possui programas específicos que permitem ao condomínio solicitar taxas reduzidas de consumo e faça a inscrição do condomínio nos mesmos. Logo após o recebimento das chaves, a primeira providência a ser tomada pelo proprietário é o pedido de ligações de serviços públicos nas empresas concessionárias responsáveis. 101

102 RELAÇÃO DE TELEFONES DAS CONCESSIONÁRIAS Água O edifício possui instalações com previsão para a individualização dos hidrômetros. Porém, para rateio do consumo por unidade, é necessário que o condomínio dê entrada ao processo de individualização junto à Caesb. Contatos: (61) Luz e Força O Síndico deverá providenciar a transferência dos dados da conta para o CNPJ do condomínio. No caso dos apartamentos, o proprietário deverá solicitar a ligação do medidor individual do imóvel junto à CEB ou Postos de Atendimento Na Hora 116 Gás O edifício possui instalações de gás com previsão para a individualização dos apartamentos. Porém, para rateio do consumo por unidade, é necessário que cada morador instale um medidor. O síndico deverá entrar em contato com empresa especializada para contratação dos serviços Telefone Caso o proprietário possua linha telefônica, deve solicitar a transferência para o novo endereço ligando para a operadora de sua preferência. Brasil Telecom GVT

103 VI.II Modificações e Reformas ATENÇÃO! REFORMAS Caso sejam executadas reformas nas áreas comuns, é importante que se tomem os seguintes cuidados: O edifício foi construído a partir de projetos elaborados por empresas especializadas, obedecendo à Legislação Brasileira de Normas Técnicas. A Construtora e/ou Incorporadora não assume responsabilidade sobre mudanças (reformas), e esses procedimentos acarretam perda da garantia; Alterações das características originais podem afetar o seu desempenho estrutural, térmico, acústico desempenho dos sistemas do edifício, etc. e, portanto, devem ser feitas sob orientação de profissionais/empresas especializados para tal fim. As alterações nas áreas comuns, incluindo a alteração de elementos na fachada, só podem ser feitas após aprovação em Assembléia de Condomínio, conforme especificado na Convenção de Condomínio; Observar sempre o quorum legal antes de efetuar mudanças em partes comuns do edifício. Consulte sempre pessoal técnico para avaliar as implicações nas condições de estabilidade, segurança, salubridade e conforto, decorrentes de modificações efetuadas. É obrigatório a atualização do conteúdo do manual quando houver modificações ou reformas em relação ao originalmente construído e documento nesta entrega. DECORAÇÃO No momento da decoração, verifique as dimensões dos ambientes e espaços no Projeto de Arquitetura, para que transtornos sejam evitados no que diz respeito à aquisição de mobília e/ou equipamentos com dimensões inadequadas. Atente também para a disposição das janelas, dos pontos de luz, das tomadas e interruptores; A colocação de telas e grades em janelas ou envidraçamento da varanda deverá respeitar o estabelecido na Convenção do Condomínio e no Regimento Interno do Condomínio; Não encoste o fundo dos armários nas paredes para evitar a umidade proveniente da condensação; sendo aconselhável a colocação de um isolante como, por exemplo, chapa de isopor, entre o fundo do armário e a parede; 103

104 Nos armários, nos locais sujeitos a umidade (sob as pias) utilize sempre revestimento impermeável (tipo fórmica); Para fixação de acessórios (quadros, armários, cortinas, saboneteiras, papeleiras, suportes) que necessitem de furação nas paredes, é importante tomar os seguintes cuidados: - Observe se o local escolhido não é passagem de tubulações hidráulicas, conforme detalhado nos Projetos de Instalações Hidráulicas. - Evite perfuração na parede próxima ao quadro de distribuição e nos alinhamentos verticais de interruptores e tomadas, para evitar acidentes com os fios elétricos; - Evite furar nos alinhamento vertical e horizontal de torneiras, registros, pontos de esgoto, luz, telefone, antenas e quadros em geral. Obedeça a um afastamento mínimo de 15 cm para cada direção dos alinhamentos destes pontos, - Para furação em geral utilize, de preferência, furadeira e parafusos com bucha. Atente para o tipo de revestimento, bem como sua espessura, tanto para parede quanto para teto e piso. - Na instalação de armários sob as bancadas de lavatórios e cozinha, deve-se tomar muito cuidado para que os sifões e ligações flexíveis não sofram impactos, pois as junções podem ser danificadas, provocando vazamentos. SERVIÇO DE MUDANÇA E TRANSPORTE Por ocasião da mudança das unidades autônomas, é aconselhável que se faça um planejamento, respeitando-se o Regulamento Interno do Condomínio e prevendo a forma de transporte dos móveis e outros objetos, levando-se em consideração as dimensões e a capacidade dos elevadores, escadarias, rampas e os vãos livres das portas. AQUISIÇÃO E INSTALAÇÃO DE EQUIPAMENTOS Os quadros de luz das dependências das áreas comuns estão sendo entregues com o diagrama dos disjuntores; Ao adquirir qualquer equipamento, verifique primeiramente a compatibilidade da sua tensão (voltagem) e potência, que deverá ser no máximo igual, à tensão (voltagem) e potência dimensionada em projeto para cada circuito; Na instalação de luminárias, solicite ao profissional habilitado que esteja atento ao total isolamento dos fios; Para sua orientação, o consumo de energia de seus equipamentos é calculado da seguinte forma: Potência x quantidade de horas por mês = Consumo KWh por mês 104

105 VI.III Recomendações para Situações de Emergência São recomendações básicas para situações que requerem providências rápidas e imediatas, visando a segurança pessoal e patrimonial dos condôminos e usuários. Incêndio Princípio de incêndio 1) No caso de princípio de incêndio ligar para o Corpo de Bombeiros, acionar o alarme de incêndio, automaticamente os membros da brigada de incêndio devem entrar em ação, dirigir-se as rotas de fuga; 2) Desligar o gás; 3) Desligar as chaves ou disjuntores gerais de energia. Em situações extremas 1) Em locais onde haja fumaça, manter-se junto ao chão para respirar melhor. Usar, se possível, um pano molhado junto nariz; 2) Sempre que passar por uma porta, fechá-la sem trancar; 3) Sempre descer, nunca subir; 4) Se não for possível sair, esperar por socorro, mantendo os olhos fechados e ficando no chão; 5) Uma vez que tenha conseguido escapar, não retorne; 6) Antes de abrir qualquer porta, toque-a com as costas da mão. Se estiver quente não abra; 7) Em ambientes esfumaçados, fique junto ao piso, onde o ar é sempre melhor; 8) Mantenha-se vestido, molhe suas vestes; 9) Não tente salvar objeto, primeiro tente salvar-se; 10) Ajude e acalme as pessoas em pânico; 11) Fogo nas roupas: não corra, se possível envolva-se num tapete, coberta ou tecido qualquer e role no chão. NÃO PROCURE COMBATER O INCÊNDIO, A MENOS QUE VOCÊ SAIBA MANUSEAR O EQUIPAMENTO DE COMBATE. 105

106 TIPO DE INCÊNDIO MANGUEIRA DE ÁGUA ÁGUA PRESSURIZADA EXTINTORES GÁS CARBÔNICO PÓ QUÍMICO SECO Em madeira, papel, pano, borracha Ótimo Ótimo Pouco eficiente Sem Eficiência Gasolina, óleo, tintas, graxa, gases, etc. Contra indicado: Espalha o fogo Contra indicado: Espalha o fogo Bom Ótimo Em equipamentos elétricos Contra indicado: conduz eletricidade Contra indicado: Conduz eletricidade Ótimo Bom: pode causar danos em equipamentos delicados Em metais e produtos químicos Contra indicado: Não apaga e aumenta o fogo Bom Vazamentos em Tubulações de Gás Caso se verifique vazamento de gás de algum aparelho, como fogão ou aquecedor, feche imediatamente os respectivos registros. Mantenha os ambientes ventilados, abrindo as janelas e as portas. Não utilizar nenhum equipamento elétrico ou acionar qualquer interruptor. Caso perdure o vazamento, solicitar ao zelador/gerente predial o fechamento da rede de abastecimento. Acionar imediatamente a concessionária competente, o fornecedor dos equipamentos ou o Corpo de Bombeiros. Vazamento em Tubulações Hidráulicas No caso de algum vazamento em tubulação de água quente ou água fria, a primeira providência a ser tomada é o fechamento dos registros correspondentes. Caso perdure o vazamento, fechar o ramal abastecedor da sua unidade. Quando necessário, avisar a equipe de manutenção local e acionar imediatamente uma empresa especializada. 106

107 Entupimento em Tubulações de Esgoto e Águas Pluviais No caso de entupimento na rede de coleta de esgoto e águas pluviais, avisar a equipe de manutenção local e acionar imediatamente, caso necessário, uma empresa especializada em desentupimento. Curto-Circuito em Instalações Elétricas No caso de algum curto circuito, os disjuntores (do quadro de comando) desligam- se automaticamente, desligando também as partes afetadas pela anormalidade. Para corrigir, é só voltar o disjuntor correspondente à sua posição original, tendo antes procurado verificar a causa do desligamento do disjuntor, chamando imediatamente a firma responsável pela manutenção das instalações do condomínio, através do zelador/gerente predial e/ou administradora. No caso de curto-circuito em equipamentos ou aparelhos, procurar desarmar manualmente o disjuntor correspondente ou a chave geral. Parada Súbita de Elevadores Se eventualmente alguém ficar preso no elevador, acionar o botão de alarme ou interfone. O funcionário do condomínio lhe prestará socorro e chamará a empresa responsável pela conservação do elevador (OTIS Elevadores - Fone: ) ou Corpo de Bombeiros. Aguarde a abertura das portas e saia observando se há degrau entre a cabine e o pavimento. Não permita que nenhum funcionário do edifício abra a porta do elevador em caso de pane. Aguarde a manutenção chegar. Este procedimento evita acidentes graves. Não atire lixo no poço do elevador. Esse lixo prejudica as peças que estão na caixa do elevador, causando danos e mau funcionamento do sistema. Sistema de Segurança No caso de intrusão ou tentativa de roubo ou assalto seguir as recomendações da empresa de segurança especializada, quando houver, ou acionar a polícia. 107

108 VII ESPECIFICAÇÕES E FORNECEDORES FACHADAS PINTURA IBRATIN PERMALIT TEXTURA EXTERNA SO354B 898AOR 50% + CLARO PINTURA EMPRESA: IBRATIN INDÚSTRIA E COMERCIO LTDA. CNPJ: / ENDEREÇO: AVENIDA SINATO 105 GLEBA 32 - FRANCO DA ROCHA/SP TEL: (11) CERÂMICA PORTOBELLO BRICK CLASSIC 5X15 CM ASSIM TELTONALIDADE PEI 3 PAREDE REVESTIMENTO EMPRESA: PORTOBELLO CNPJ: / ENDEREÇO: RODOVIA BR 101 KM 163 CENTRO TIJUCAS - SC TEL:(48) PASTILHA PORTOBELLO COLORS GLAM SAFIRA 5X5 CM EMPRESA: PORTOBELLO CNPJ: / ENDEREÇO: RODOVIA BR 101 KM 163 CENTRO TIJUCAS - SC TEL:(48) GRANITO BRANCO DALLAS EMPRESA: CLARAMAR MARMORE E GRANITOS LTDA CNPJ: / ENDEREÇO: SIA TRECHO 02 LOTE 1050/60 - BRASILIA DF TEL: (61) REJUNTE REJUNTE PORTOKOLL L-FLEX COR CHAMPAGNE EMPRESA: AC COELHO MATERIAIS PARA CONSTRUÇÃO CNPJ: / ENDEREÇO: SIA TRECHO 03 LOTE 1010, 1060, 1070 TEL: (61) REJUNTE PORTOKOLL P-FLEX COR VERDE OLIVA EMPRESA: AC COELHO MATERIAIS PARA CONSTRUÇÃO CNPJ: / ENDEREÇO: SIA TRECHO 03 LOTE 1010, 1060, 1070 TEL: (61) ESQUADRIAS PORTAS E JANELAS ESQUADRIA DE ALIMINIO LINHA SUPREMA COM VIDRO REFLEXIVO VERDE EMPRESA: METALURGICA MEES LTDA CNPJ: / ENDEREÇO: QI 05 LOTES 1340/60 S. INDUSTRIAL - GAMA TEL: (61) EMPRESA: VITRAL VIDROS PLANOS LTDA CNPJ: / ENDEREÇO: STRC TRECHO 02 CONJUNTO D LOTE 11 GALPÃO TEL: (61)

109 PORTÃO BASCULANTE EM ALUMÍNIO EMPRESA: ARTS AGUIA CNPJ: / ENDEREÇO: Q 11 LT 16 LOJA 01 GAMA TEL: PAREDE CORRIMÃOS E GUARDA-CORPO PINTURA ESTRUTURA DE ALUMINIO ANODIZADO FOSCO 4,75M2 DE INSTALAÇÃO DE GUARDA-CORPO COM VIDRO REFLEXIVO VERDE EMPRESA: METALURGICA MEES LTDA CNPJ: / ENDEREÇO: QI 05 LOTES 1340/60 S. INDUSTRIAL - GAMA TEL: (61) EMPRESA: VITRAL VIDROS PLANOS LTDA CNPJ: / ENDEREÇO: STRC TRECHO 02 CONJUNTO D LOTE 11 GALPÃO TEL: (61) CORRIMÃO EM ALUMÍNIO ANODIZADO FOSCO EMPRESA: METALURGICA MEES LTDA CNPJ: / ENDEREÇO: QI 05 LOTES 1340/60 S. INDUSTRIAL - GAMA TEL: (61) ESTACIONAMENTO PINTURA ACRILICA SUVINIL PREMIUM FOSCO BRANCO, AZUL E AMARELO EMPRESA: BASF TINTAS CNPJ: / ENDEREÇO: AV. ANGELO DEMARCHI SÃO BERNARDO DO CAMPO/SP TEL: (11) TETO PISO EQUIPAMENTOS PINTURA PINTURA LUMINÁRIAS PINTURA ACRILICA SUVINIL PREMIUM FOSCO BRANCO EMPRESA: BASF TINTAS CNPJ: / ENDEREÇO: AV. ANGELO DEMARCHI SÃO BERNARDO DO CAMPO/SP TEL: (11) CONCRETO POLIDO COM PINTURA DAS FAIXAS DE DEMARCAÇÃO DAS VAGAS - COR AMARELA - SUVINIL EMPRESA: BASF TINTAS CNPJ: / ENDEREÇO: AV. ANGELO DEMARCHI SÃO BERNARDO DO CAMPO/SP TEL: (11) CALHA DE SOBREPOR COM LÂMPADAS FLUORESCENTE 32W EMPRESA: ILUMATEL ILUMINAÇÃO E MATERIAL ELETRONICO LTDA CNPJ: / ENDEREÇO: QNE 07 LT 06LOJA 01 - TAGUATINGA TEL: (61) LUMINÁRIA TARTARUGA EMPRESA: XOULUX INDUSTRIA E COMERCIO LTDA CNPJ: / ENDEREÇO: RUA CHARLES DARWIN 55 VILA SANTA CATARINA/SP TEL: (11)

110 PISO PAREDE LUMINÁRIAS DE EMERGÊNCIA MATERIAL PINTURA CALHA DE SOBREPOR COM LÂMPADAS FLUORESCENTE 32W E INVERSOR DE EMERGÊNCIA EMPRESA: ILUMATEL ILUMINAÇÃO E MATERIAL ELETRONICO LTDA CNPJ: / ENDEREÇO: QNE 07 LT 06LOJA 01 - TAGUATINGA TEL: (61) CONCRETO RAMPA EMPRESA: CONCRECON CNPJ: / ENDEREÇO: SIA TRECHO 2 CONJ 2 LOTE 06 TEL: ESCADA DE INCÊNDIO PINTURA PVA BRANCA SOBRE MASSA PVA - SUVINIL EMPRESA: BASF TINTAS CNPJ: / ENDEREÇO: AV. ANGELO DEMARCHI SÃO BERNARDO DO CAMPO/SP TEL: (11) EQUIPAMENTOS ESQUADRIA PISO TETO PINTURA PINTURA PORTA CORRIMÃO LUMINÁRIAS PINTURA PVA BRANCO SOBRE MASSA PVA - SUVINIL EMPRESA: BASF TINTAS CNPJ: / ENDEREÇO: AV. ANGELO DEMARCHI SÃO BERNARDO DO CAMPO/SP TEL: (11) PINTURA ACRILICA SUVINIL PREMIUM FOSCO CINZA EMPRESA: BASF TINTAS CNPJ: / ENDEREÇO: AV. ANGELO DEMARCHI SÃO BERNARDO DO CAMPO/SP TEL: (11) PORTA CORTA-FOGO P120 COMPLETA EMPRESA: BRASPORTAS IND COM DE PORTAS E ISOLANTES LTDA CNPJ: / ENDEREÇO: RUA 20, 50 JD ST ANTONIO - GOIANIA/GO TEL: (62) TUBO INDUSTRIAL PINTADO COR GRAFITE ACETINADO EMPRESA: BASF TINTAS CNPJ: / ENDEREÇO: AV. ANGELO DEMARCHI SÃO BERNARDO DO CAMPO/SP TEL: (11) LUMINÁRIA TARTARUGA EMPRESA: XOULUX INDUSTRIA E COMERCIO LTDA CNPJ: / ENDEREÇO: RUA CHARLES DARWIN 55 VILA SANTA CATARINA/SP TEL: (11)

111 PAREDE PINTURA REVESTIMENTO POÇOS DE ELEVADOR PINTURA PVA BRANCO SUVINIL EMPRESA: BASF TINTAS CNPJ: / ENDEREÇO: AV. ANGELO DEMARCHI SÃO BERNARDO DO CAMPO/SP TEL: (11) ELEVADOR GRANITO PRETO SÃO GABRIEL EMPRESA: CLARAMAR MARMORE E GRANITOS LTDA CNPJ: / ENDEREÇO: SIA TRECHO 02 LOTE 1050/60 - BRASILIA DF TEL: (61) PISO REJUNTE REJUNTE PORTOKOLL L-FLEX COR PALHA EMPRESA: AC COELHO MATERIAIS PARA CONSTRUÇÃO CNPJ: / ENDEREÇO: SIA TRECHO 03 LOTE 1010, 1060, 1070 TEL: (61) PAREDE, TETO E PISO SOLEIRA ESPECIFICAÇÕES PLANTAS MATERIAL GRANITO BRANCO DALLAS EMPRESA: CLARAMAR MARMORE E GRANITOS LTDA CNPJ: / ENDEREÇO: SIA TRECHO 02 LOTE 1050/60 - BRASILIA DF TEL: (61) ELEVADORES - 12 PASSAGEIROS OU 900 KG E EQUIPAMENTOS: EMPRESA: ELEVADORES OTIS LTDA CNPJ: / ENDEREÇO: EST PARTICULAR SADAE TAKAGI 1500 COOPERATIVA SÃO BERNARDO DO CAMPO/SP TEL: (11) PAISAGISMO PAISAGISMO EMPRESA: HONOPLANTAS PAISAGISMO LTDA ME CNPJ: / ENDEREÇO: ROD DF 075 KM 09 GRANJA RIACHO FUNDO/DF TEL: (61) RESERVATÓRIO INFERIOR CAIXA D ÁGUA CONCRETO IMPERMEABILIZADO EMPRESA: IMPERMASSA COM. E SERV. DE ARGAMASSA LTDA CNPJ: / ENDEREÇO: R. SÃO CRISTÓVÃO JD. TARUMA POP SHOPPING LJ 42/BA TEL: (71)

112 PAREDE PINTURA SUBSOLO CASA DE BOMBAS PINTURA ACRILICA SUVINIL PREMIUM FOSCO BRANCO EMPRESA: BASF TINTAS CNPJ: / ENDEREÇO: AV. ANGELO DEMARCHI SÃO BERNARDO DO CAMPO/SP TEL: (11) TETO ESQUADRIA PINTURA PORTA PINTURA ACRILICA SUVINIL PREMIUM FOSCO BRANCO EMPRESA: BASF TINTAS CNPJ: / ENDEREÇO: AV. ANGELO DEMARCHI SÃO BERNARDO DO CAMPO/SP TEL: (11) PORTA CORTA-FOGO P120 COMPLETA EMPRESA: BRASPORTAS IND COM DE PORTAS E ISOLANTES LTDA CNPJ: / ENDEREÇO: RUA 20, 50 JD ST ANTONIO - GOIANIA/GO TEL: (62) EQUIPAMENTOS INTERRUPTORES E TOMADAS LUMINÁRIAS INTERRUPTORES E TOMADAS SCHNEIDER ELECTRIC EMPRESA: CONDOR ATACADISTA LTDA CNPJ: / ENDEREÇO: SIA TRECHO 02 LOTE 1220/1280 TEL: (61) LUMINARIAS EMERGENCIA, DE EMBUTIR E DE SOBREPOR EMPRESA: ILUMATEL ILUMINAÇÃO E MATERIAL ELETRONICO LTDA CNPJ: / ENDEREÇO: QNE 07 LT 06LOJA 01 - TAGUATINGA TEL: (61) REVESTIMENTO VESTIÁRIO CERÂMICA RV BRANCO BRILHANTE X35 INCEFRA EMPRESA: INDUSTRIA CERAMICA FRAGNANI LTDA - INCEFRA CNPJ: / ENDEREÇO: CPO DO BARRO PRETO SN CORDEIRÓPOLIS-SP TEL: (14) PAREDE REJUNTE REJUNTE PORTOKOLL L-FLEX COR BRANCO NEVE EMPRESA: AC COELHO MATERIAIS PARA CONSTRUÇÃO CNPJ: / ENDEREÇO: SIA TRECHO 03 LOTE 1010, 1060, 1070 TEL: (61) DIVISÓRIAS GRANITO BRANCO DALLAS EMPRESA: CLARAMAR MARMORE E GRANITOS LTDA CNPJ: / ENDEREÇO: SIA TRECHO 02 LOTE 1050/60 - BRASILIA DF TEL: (61)

113 PINTURA ACRILICA SUVINIL PREMIUM FOSCO BRANCO TETO PINTURA EMPRESA: BASF TINTAS CNPJ: / ENDEREÇO: AV. ANGELO DEMARCHI SÃO BERNARDO DO CAMPO/SP TEL: (11) REVESTIMENTO CERÂMICA OS ,5X41,5 CM INCEFRA EMPRESA: INDUSTRIA CERAMICA FRAGNANI LTDA - INCEFRA CNPJ: / ENDEREÇO: CPO DO BARRO PRETO SN CORDEIRÓPOLIS-SP TEL: (14) REJUNTE PORTOKOLL L-FLEX COR PALHA PISO REJUNTE EMPRESA: AC COELHO MATERIAIS PARA CONSTRUÇÃO CNPJ: / ENDEREÇO: SIA TRECHO 03 LOTE 1010, 1060, 1070 TEL: (61) ESQUADRIAS FILETE PORTA JANELA GRANITO BRANCO DALLAS EMPRESA: CLARAMAR MARMORE E GRANITOS LTDA CNPJ: / ENDEREÇO: SIA TRECHO 02 LOTE 1050/60 - BRASILIA DF TEL: (61) PORTA DE MADEIRA CURUPIXÁ EMPRESA: PORMADE PORTAS DE MADEIRA CNPJ: / ENDEREÇO: RUA PRUDENTE DEMORAIS CENTRO PARANÁ TEL: (42) JANELA DE ALUMÍNIO 1,70 X 0,50 CM EMPRESA: METALURGICA MEES LTDA CNPJ: / ENDEREÇO: QI 05 LOTES 1340/60 S. INDUSTRIAL - GAMA TEL: (61) INTERRUPTORES E TOMADAS SCHNEIDER ELECTRIC EQUIPAMENTOS INTERRUPTORES E TOMADAS LUMINÁRIAS EMPRESA: CONDOR ATACADISTA LTDA CNPJ: / ENDEREÇO: SIA TRECHO 02 LOTE 1220/1280 TEL: (61) LUMINARIAS EMERGENCIA, DE EMBUTIR E DE SOBREPOR EMPRESA: ILUMATEL ILUMINAÇÃO E MATERIAL ELETRONICO LTDA CNPJ: / ENDEREÇO: QNE 07 LT 06LOJA 01 - TAGUATINGA TEL: (61) LAVATÓRIO DECA L915 RAVENA / IZY GE17 46X36 LOUÇAS LAVATÓRIO EMPRESA: MINHA TERRA COMERCIAL LTDA CNPJ: / ENDEREÇO: SHCN CL QUADRA 409 BLOCO B LOJAS 17 E 27 BRASÍLIA TEL: (61)

114 PAREDE BACIA PINTURA BACIA P CX DECA P111 IZY GE17 CAIXA ACOP UNIV DECA CD00 GE17 EMPRESA: OBJETIVA ATACADISTA DA CONSTRUÇÃO LTDA CNPJ: / ENDEREÇO: ST SAI TRECHO 06 LTS 205, 210, 215, 220, 225, 230 E 235 TEL: (61) BARRAMENTO CEB PINTURA ACRILICA SUVINIL PREMIUM FOSCO BRANCO EMPRESA: BASF TINTAS CNPJ: / ENDEREÇO: AV. ANGELO DEMARCHI SÃO BERNARDO DO CAMPO/SP TEL: (11) EQUIPAMENTOS ESQUADRIA PISO TETO MATERIAL MATERIAL PORTA INTERRUPTORES E TOMADAS LUMINÁRIAS PINTURA ACRILICA SUVINIL PREMIUM FOSCO BRANCO EMPRESA: BASF TINTAS CNPJ: / ENDEREÇO: AV. ANGELO DEMARCHI SÃO BERNARDO DO CAMPO/SP TEL: (11) PINTURA ACRILICA SUVINIL PREMIUM FOSCO CINZA EMPRESA: BASF TINTAS CNPJ: / ENDEREÇO: AV. ANGELO DEMARCHI SÃO BERNARDO DO CAMPO/SP TEL: (11) PORTA VENEZIANA ALUMÍNIO ANODIZADO NATURAL - 0,70 X 2,10 M EMPRESA: METALURGICA MEES LTDA CNPJ: / ENDEREÇO: QI 05 LOTES 1340/60 S. INDUSTRIAL - GAMA TEL: (61) INTERRUPTORES E TOMADAS SCHNEIDER ELECTRIC EMPRESA: CONDOR ATACADISTA LTDA CNPJ: / ENDEREÇO: SIA TRECHO 02 LOTE 1220/1280 TEL: (61) LUMINARIA CILÍNDRICA DE SOBREPOR COM CORPO METÁLICO, PINTURA BRANCA METALIZADA 02 LÂMPADAS 20W EMPRESA: ILUMATEL ILUMINAÇÃO E MATERIAL ELETRONICO LTDA CNPJ: / ENDEREÇO: QNE 07 LT 06LOJA 01 - TAGUATINGA TEL: (61) PAREDE REVESTIMENTO COPA CERÂMICA RV BRANCO BRILHANTE X30 INCEFRA EMPRESA: INDUSTRIA CERAMICA FRAGNANI LTDA - INCEFRA CNPJ: / ENDEREÇO: CPO DO BARRO PRETO SN CORDEIRÓPOLIS-SP TEL: (14)

115 REJUNTE BANCADA E RODABANCA REJUNTE PORTOKOLL L-FLEX COR BRANCO NEVE EMPRESA: AC COELHO MATERIAIS PARA CONSTRUÇÃO CNPJ: / ENDEREÇO: SIA TRECHO 03 LOTE 1010, 1060, 1070 TEL: (61) GRANITO BRANCO DALLAS EMPRESA: CLARAMAR MARMORE E GRANITOS LTDA CNPJ: / ENDEREÇO: SIA TRECHO 02 LOTE 1050/60 - BRASILIA DF TEL: (61) TETO PINTURA PINTURA ACRILICA SUVINIL PREMIUM FOSCO BRANCO EMPRESA: BASF TINTAS CNPJ: / ENDEREÇO: AV. ANGELO DEMARCHI SÃO BERNARDO DO CAMPO/SP TEL: (11) REVESTIMENTO CERÂMICA OS ,5X41,5 CM INCEFRA EMPRESA: INDUSTRIA CERAMICA FRAGNANI LTDA - INCEFRA CNPJ: / ENDEREÇO: CPO DO BARRO PRETO SN CORDEIRÓPOLIS-SP TEL: (14) PISO REJUNTE REJUNTE PORTOKOLL L-FLEX COR PALHA EMPRESA: AC COELHO MATERIAIS PARA CONSTRUÇÃO CNPJ: / ENDEREÇO: SIA TRECHO 03 LOTE 1010, 1060, 1070 TEL: (61) ESQUADRIAS SOLEIRA PORTA JANELA GRANITO BRANCO DALLAS EMPRESA: CLARAMAR MARMORE E GRANITOS LTDA CNPJ: / ENDEREÇO: SIA TRECHO 02 LOTE 1050/60 - BRASILIA DF TEL: (61) PORTA DE MADEIRA CURUPIXÁ EMPRESA: PORMADE PORTAS DE MADEIRA CNPJ: / ENDEREÇO: RUA PRUDENTE DEMORAIS CENTRO PARANÁ TEL: (42) JANELA DE ALUMÍNIO 1,70 X 0,50 CM EMPRESA: METALURGICA MEES LTDA CNPJ: / ENDEREÇO: QI 05 LOTES 1340/60 S. INDUSTRIAL - GAMA TEL: (61) EQUIPAMENTOS INTERRUPTORES E TOMADAS INTERRUPTORES E TOMADAS SCHNEIDER ELECTRIC EMPRESA: CONDOR ATACADISTA LTDA CNPJ: / ENDEREÇO: SIA TRECHO 02 LOTE 1220/1280 TEL: (61)

116 LAVATÓRIO DECA L915 RAVENA / IZY GE17 46X36 LOUÇAS LAVATÓRIO EMPRESA: MINHA TERRA COMERCIAL LTDA CNPJ: / ENDEREÇO: SHCN CL QUADRA 409 BLOCO B LOJAS 17 E 27 BRASÍLIA TEL: (61) HALL DE ELEVADORES TINTA ACRILICA SUVINIL TOQUE DE SEDA COR BRANCO NEVE PAREDE TETO PISO PINTURA PINTURA MATERIAL EMPRESA: BASF TINTAS CNPJ: / ENDEREÇO: AV. ANGELO DEMARCHI SÃO BERNARDO DO CAMPO/SP TEL: (11) TINTA ACRILICA SUVINIL TOQUE DE SEDA COR BRANCO NEVE EMPRESA: BASF TINTAS CNPJ: / ENDEREÇO: AV. ANGELO DEMARCHI SÃO BERNARDO DO CAMPO/SP TEL: (11) CONCRETO POLIDO EMPRESA: CONCRECON CNPJ: / ENDEREÇO: SIA TRECHO 2 CONJ 2 LOTE 06 TEL: (61) TINTA ESMALTADA SUVINIL COR GELO ELEVADOR EQUIPAMENTOS PINTURA EXTERNA LUMINÁRIAS EMPRESA: BASF TINTAS CNPJ: / ENDEREÇO: AV. ANGELO DEMARCHI SÃO BERNARDO DO CAMPO/SP TEL: (11) LUMINARIA DE EMBUTIR EMPRESA: ILUMATEL ILUMINAÇÃO E MATERIAL ELETRONICO LTDA CNPJ: / ENDEREÇO: QNE 07 LT 06LOJA 01 - TAGUATINGA TEL: (61) PORTAL DOS ELEVADORES GRANITO BRANCO DALLAS EMPRESA: CLARAMAR MARMORE E GRANITOS LTDA CNPJ: / ENDEREÇO: SIA TRECHO 02 LOTE 1050/60 - BRASILIA DF TEL: (61) TÉRREO ÁREA EXTERNA CALÇADA PEDRA PORTUGUESA NAS CORES BRANCA E PRETA. PISO MATERIAL EMPRESA: REZENDE E FLEURY LTDA CNPJ: / ENDEREÇO: JARDIM AMÉRICA AV T63 Nº 2309 QD 363 LOTE 01 TELEFONE: (62)

117 PISO PAREDE MATERIAL PINTURA PASSEIO CERÂMICA PORFIDO BEIGE CLASSE AD: 3 44 X 44 EMPRESA: BIANCOGRES CERAMICAS S.A. CNPJ: / ENDEREÇO: AV TALMA RODRIGUES RIBEIRAL 1145 TEL: (27) SUBESTAÇÃO DE ENERGIA PINTURA ACRILICA SUVINIL PREMIUM FOSCO BRANCO EMPRESA: BASF TINTAS CNPJ: / ENDEREÇO: AV. ANGELO DEMARCHI SÃO BERNARDO DO CAMPO/SP TEL: (11) PINTURA ACRILICA SUVINIL PREMIUM FOSCO BRANCO TETO ESQUADRIA PINTURA PORTA EMPRESA: BASF TINTAS CNPJ: / ENDEREÇO: AV. ANGELO DEMARCHI SÃO BERNARDO DO CAMPO/SP TEL: (11) PORTA CORTA-FOGO P120 COMPLETA EMPRESA: BRASPORTAS IND COM DE PORTAS E ISOLANTES LTDA CNPJ: / ENDEREÇO: RUA 20, 50 JD ST ANTONIO - GOIANIA/GO TEL: (62) TÉRREO ÁREA INTERNA HALL SOCIAL / PORTARIA PAREDE TETO PINTURA REVESTIMENTO PINTURA TINTA SUVINIL TOQUE DE SEDA ACRÍLICO PREMIUM ACETINADO BRANCO NEVE EMPRESA: BASF TINTAS CNPJ: / ENDEREÇO: AV. ANGELO DEMARCHI SÃO BERNARDO DO CAMPO/SP TEL: (11) LAMBRI COMPOMADE FORROMADE PADRÃO JACARANDA PAULISTA EMPRESA: FOGO ARTE CNPJ: / ENDEREÇO: QS 09 RUA 123 LOTE 20 PISTÃO SUL TEL: (61) TINTA SUVINIL TOQUE DE SEDA ACRÍLICO PREMIUM ACETINADO BRANCO NEVE EMPRESA: BASF TINTAS CNPJ: / ENDEREÇO: AV. ANGELO DEMARCHI SÃO BERNARDO DO CAMPO/SP TEL: (11)

118 REVESTIMENTO PORCELANATO GALILEU CREMA 60 X60 CM PORTOBELLO EMPRESA: PORTOBELLO CNPJ: / ENDEREÇO: RODOVIA BR 101 KM 163 CENTRO TIJUCAS - SC TEL: (48) PISO REJUNTE SOLEIRA REJUNTE PORTOKOLL L-FLEX COR PALHA EMPRESA: AC COELHO MATERIAIS PARA CONSTRUÇÃO CNPJ: / ENDEREÇO: SIA TRECHO 03 LOTE 1010, 1060, 1070 TEL: (61) GRANITO BRANCO DALLAS EMPRESA: CLARAMAR MARMORE E GRANITOS LTDA CNPJ: / ENDEREÇO: SIA TRECHO 02 LOTE 1050/60 - BRASILIA DF TEL: (61) RODAPÉ PINTURA PORCELANATO GALILEU CREMA 60 X60 CM PORTOBELLO EMPRESA: PORTOBELLO CNPJ: / ENDEREÇO: RODOVIA BR 101 KM 163 CENTRO TIJUCAS - SC TEL: (48) TINTA SUVINIL TOQUE DE SEDA ACRÍLICO PREMIUM ACETINADO BRANCO NEVE EMPRESA: BASF TINTAS CNPJ: / ENDEREÇO: AV. ANGELO DEMARCHI SÃO BERNARDO DO CAMPO/SP TEL: (11) JARDINEIRA REVESTIMENTO GRANITO BRANCO DALLAS EMPRESA: CLARAMAR MARMORE E GRANITOS LTDA CNPJ: / ENDEREÇO: SIA TRECHO 02 LOTE 1050/60 - BRASILIA DF TEL: (61) REJUNTE REJUNTE PORTOKOLL L-FLEX COR PALHA EMPRESA: AC COELHO MATERIAIS PARA CONSTRUÇÃO CNPJ: / ENDEREÇO: SIA TRECHO 03 LOTE 1010, 1060, 1070 TEL: (61) ESQUADRIAS PORTAS JANELA ESQUADRIAS DE ALUMÍNIO ANODIZADO NATURAL COM VIDRO LAMINADO DE 08 MM EMPRESA: VITRAL VIDROS PLANOS LTDA CNPJ: / ENDEREÇO: STRC TRECHO 02 CONJUNTO D LOTE 11 GALPÃO TEL: (61) ESQUADRIAS DE ALUMÍNIO COM VIDRO DUPLO FIXA EMPRESA: METALURGICA MEES LTDA CNPJ: / ENDEREÇO: QI 05 LOTES 1340/60 S. INDUSTRIAL - GAMA TEL: (61) EMPRESA: VITRAL VIDROS PLANOS LTDA CNPJ: / ENDEREÇO: STRC TRECHO 02 CONJUNTO D LOTE 11 GALPÃO

119 TEL: (61) INTERRUPTORES, PULSADOR E TOMADAS SCHNEIDER ELECTRIC EQUIPAMENTOS INTERRUPTORES E TOMADAS LUMINÁRIAS EMPRESA: ILUMATEL ILUMINAÇÃO E MATERIAL ELETRONICO LTDA CNPJ: / ENDEREÇO: QNE 07 LT 06LOJA 01 - TAGUATINGA TEL: (61) LUMINARIA CILINDRICA DE EMBUTIR COM CORPO METÁLICO, PINTURA BRANCA, CENTRAL, SOQUETE E27 E 01 LÂMPADA DE 60W. EMPRESA: ILUMATEL ILUMINAÇÃO E MATERIAL ELETRONICO LTDA CNPJ: / ENDEREÇO: QNE 07 LT 06LOJA 01 - TAGUATINGA TEL: (61) BALCÃO MÁRMORE BEGE BAHIA EMPRESA: CLARAMAR MARMORE E GRANITOS LTDA CNPJ: / ENDEREÇO: SIA TRECHO 02 LOTE 1050/60 - BRASILIA DF TEL: (61) HALL DE ELEVADORES PAREDE TETO REVESTIMENTO PINTURA LAMBRI COMPOMADE FORROMADE PADRÃO JACARANDA PAULISTA EMPRESA: FOGO ARTE CNPJ: / ENDEREÇO: QS 09 RUA 123 LOTE 20 PISTÃO SUL TEL: TINTA SUVINIL TOQUE DE SEDA ACRÍLICO PREMIUM ACETINADO BRANCO NEVE EMPRESA: BASF TINTAS CNPJ: / ENDEREÇO: AV. ANGELO DEMARCHI SÃO BERNARDO DO CAMPO/SP TEL: (11) PORCELANATO GALILEU CREMA 60 X60 CM PORTOBELLO REVESTIMENTO EMPRESA: PORTOBELLO CNPJ: / ENDEREÇO: RODOVIA BR 101 KM 163 CENTRO TIJUCAS - SC TEL: (48) REJUNTE PORTOKOLL L-FLEX COR PALHA PISO REJUNTE EMPRESA: AC COELHO MATERIAIS PARA CONSTRUÇÃO CNPJ: / ENDEREÇO: SIA TRECHO 03 LOTE 1010, 1060, 1070 TEL: (61) GRANITO BRANCO DALLAS SOLEIRA RODAPÉ EMPRESA: CLARAMAR MARMORE E GRANITOS LTDA CNPJ: / ENDEREÇO: SIA TRECHO 02 LOTE 1050/60 - BRASILIA DF TEL: (61) PORCELANATO GALILEU CREMA 60 X60 CM PORTOBELLO EMPRESA: PORTOBELLO CNPJ: / ENDEREÇO: RODOVIA BR 101 KM 163 CENTRO TIJUCAS - SC 119

120 TEL: (48) EQUIPAMENTOS INTERRUPTORES E TOMADAS LUMINÁRIAS INTERRUPTORES, PULSADOR E TOMADAS SCHNEIDER ELECTRIC EMPRESA: ILUMATEL ILUMINAÇÃO E MATERIAL ELETRONICO LTDA CNPJ: / ENDEREÇO: QNE 07 LT 06LOJA 01 - TAGUATINGA TEL: (61) LUMINARIA CILINDRICA DE EMBUTIR COM CORPO METÁLICO, PINTURA BRANCA, CENTRAL, SOQUETE E27 E 01 LÂMPADA DE 60W. EMPRESA: ILUMATEL ILUMINAÇÃO E MATERIAL ELETRONICO LTDA CNPJ: / ENDEREÇO: QNE 07 LT 06LOJA 01 - TAGUATINGA TEL: (61) PAREDE PINTURA REVESTIMENTO (PILARES) PILOTIS ÁREA DE LAZER CHURRASQUEIRA TINTA SUVINIL TOQUE DE SEDA ACRÍLICO PREMIUM ACETINADO BRANCO NEVE EMPRESA: BASF TINTAS CNPJ: / ENDEREÇO: AV. ANGELO DEMARCHI SÃO BERNARDO DO CAMPO/SP TEL: (11) CERÂMICA PORTOBELLO BRICK CLASSIC 5X15 CM ASSIM TEL EMPRESA: PORTOBELLO CNPJ: / ENDEREÇO: RODOVIA BR 101 KM 163 CENTRO TIJUCAS - SC TEL: (48) TETO PERGOLADO PERGOLADO EM PERFIL METÁLICO 10X40CM / 25X8 CM COMPINTURA ESMALTE ACETINADO COR BRANCO EMPRESA: GESSOARTE CNPJ: / ENDEREÇO: Q ADE QUADRA 01 CONJUNTO A LOTE 19 TEL: (61) PISO CERÂMICA PORFIDO BEIGE CLASSE AD: 3 44 X 44 EMPRESA: BIANCOGRES CERAMICAS S.A. CNPJ: / ENDEREÇO: AV TALMA RODRIGUES RIBEIRAL 1145 TEL: (27) PISO REJUNTE REJUNTE PORTOKOLL L-FLEX COR PALHA EMPRESA: AC COELHO MATERIAIS PARA CONSTRUÇÃO CNPJ: / ENDEREÇO: SIA TRECHO 03 LOTE 1010, 1060, 1070 TEL: (61) RODAPÉ CERÂMICA PORFIDO BEIGE CLASSE AD: 3 44 X 44 EMPRESA: BIANCOGRES CERAMICAS S.A. CNPJ: / ENDEREÇO: AV TALMA RODRIGUES RIBEIRAL 1145 TEL: (27)

121 MURETA PINTURA TINTA SUVINIL TOQUE DE SEDA ACRÍLICO PREMIUM ACETINADO BRANCO NEVE EMPRESA: BASF TINTAS CNPJ: / ENDEREÇO: AV. ANGELO DEMARCHI SÃO BERNARDO DO CAMPO/SP TEL: (11) GRANITO BRANCO DALLAS REVESTIMENTO (FASE SUPERIOR) EMPRESA: CLARAMAR MARMORE E GRANITOS LTDA CNPJ: / ENDEREÇO: SIA TRECHO 02 LOTE 1050/60 - BRASILIA DF TEL: (61) EQUIPAMENTOS INTERRUPTORES E TOMADAS LUMINÁRIAS INTERRUPTORES, PULSADOR E TOMADAS SCHNEIDER ELECTRIC EMPRESA: ILUMATEL ILUMINAÇÃO E MATERIAL ELETRONICO LTDA CNPJ: / ENDEREÇO: QNE 07 LT 06LOJA 01 - TAGUATINGA TEL: (61) LUMINÁRIA TARTARUGA EMPRESA: XOULUX INDUSTRIA E COMERCIO LTDA CNPJ: / ENDEREÇO: RUA CHARLES DARWIN 55 VILA SANTA CATARINA/SP TEL: (11) PAREDE BANCADA CUBA PINTURA REVESTIMENTO GRANITO BRANCO DALLAS EMPRESA: CLARAMAR MARMORE E GRANITOS LTDA CNPJ: / ENDEREÇO: SIA TRECHO 02 LOTE 1050/60 - BRASILIA DF TEL: (61) CUBA DE INOX ETERNOX E40 EMPRESA: OBJETIVA ATACADISTA DA CONSTRUÇÃO LTDA CNPJ: / ENDEREÇO: ST SIA TRECHO 06 LTS 205, 210, 215, 220, 225, 230 E 235 TEL: (61) ESPAÇO GOURMET TINTA SUVINIL TOQUE DE SEDA ACRÍLICO PREMIUM ACETINADO BRANCO NEVE EMPRESA: BASF TINTAS CNPJ: / ENDEREÇO: AV. ANGELO DEMARCHI SÃO BERNARDO DO CAMPO/SP TEL: (11) PASTILHA ESMALTADA PORCELANA ATLAS RUBI 5X5 CM SG 8409 EMPRESA: SÃO GERALDO MATERIAL DE CONSTRUÇÃO LTDA CNPJ: / ENDEREÇO: SAI TRECHO 03 LOTE 790 TEL: (61)

122 REJUNTE REJUNTE PORTOKOLL L-FLEX COR BRANCO NEVE EMPRESA: AC COELHO MATERIAIS PARA CONSTRUÇÃO CNPJ: / ENDEREÇO: SIA TRECHO 03 LOTE 1010, 1060, 1070 TEL: (61) TINTA SUVINIL TOQUE DE SEDA ACRÍLICO PREMIUM ACETINADO BRANCO NEVE TETO PINTURA EMPRESA: BASF TINTAS CNPJ: / ENDEREÇO: AV. ANGELO DEMARCHI SÃO BERNARDO DO CAMPO/SP TEL: (11) REVESTIMENTO PORCELANATO ADIGE CHIARA 62X62 RETIFICADO EMPRESA: BIANCOGRES CERAMICAS S.A. CNPJ: / ENDEREÇO: AV TALMA RODRIGUES RIBEIRAL 1145 TEL: (27) PISO REJUNTE SOLEIRA REJUNTE PORTOKOLL L-FLEX COR PALHA EMPRESA: AC COELHO MATERIAIS PARA CONSTRUÇÃO CNPJ: / ENDEREÇO: SIA TRECHO 03 LOTE 1010, 1060, 1070 TEL: (61) GRANITO BRANCO DALLAS EMPRESA: CLARAMAR MARMORE E GRANITOS LTDA CNPJ: / ENDEREÇO: SIA TRECHO 02 LOTE 1050/60 - BRASILIA DF TEL: (61) RODAPÉ PORCELANATO ADIGE CHIARA 62X62 RETIFICADO EMPRESA: BIANCOGRES CERAMICAS S.A. CNPJ: / ENDEREÇO: AV TALMA RODRIGUES RIBEIRAL 1145 TEL: (27) ESQUADRIAS EQUIPAMENTOS PORTAS E JANELAS INTERRUPTORES E TOMADAS LUMINÁRIAS ESQUADRIA DE ALIMINIO LINHA SUPREMA EMPRESA: GYN GLASS VIDROS E ESQUADRIAS LTDA CNPJ: / ENDEREÇO: RUA 07 Nº 60 QD. 38 LT 04 JARDIM SANTO ANTÔNIO/GO TEL: (62) VIDRO TEMPERADO DE 08MM EMPRESA: VITRAL VIDROS PLANOS LTDA CNPJ: / ENDEREÇO: STRC TRECHO 02 CONJUNTO D LOTE 11 GALPÃO TEL: (61) INTERRUPTORES, PULSADOR E TOMADAS SCHNEIDER ELECTRIC EMPRESA: ILUMATEL ILUMINAÇÃO E MATERIAL ELETRONICO LTDA CNPJ: / ENDEREÇO: QNE 07 LT 06LOJA 01 - TAGUATINGA TEL: (61) LUMINARIA CILINDRICA DE EMBUTIR 122

123 EMPRESA: XOULUX INDUSTRIA E COMERCIO LTDA CNPJ: / ENDEREÇO: RUA CHARLES DARWIN 55 VILA SANTA CATARINA/SP TEL: (11) PAREDE BANCADA CUBA E COIFA PINTURA REVESTIMENTO MÁRMORE BEGE BAHIA EMPRESA: CLARAMAR MARMORE E GRANITOS LTDA CNPJ: / ENDEREÇO: SIA TRECHO 02 LOTE 1050/60 - BRASILIA DF TEL: (61) CUBA DE INOX E40 ETERNOX EMPRESA: OBJETIVA ATACADISTA DA CONSTRUÇÃO LTDA CNPJ: / ENDEREÇO: ST SIA TRECHO 06 LTS 205, 210, 215, 220, 225, 230 E 235 TEL: (61) COIFA EM AÇO INOX FISCHER EMPRESA: OBJETIVA CNPJ: / ENDEREÇO: SIA TRECHO 06 CARGA ESPECIAL TEL: SALÃO DE FESTAS TINTA SUVINIL TOQUE DE SEDA ACRÍLICO PREMIUM ACETINADO BRANCO NEVE EMPRESA: BASF TINTAS CNPJ: / ENDEREÇO: AV. ANGELO DEMARCHI SÃO BERNARDO DO CAMPO/SP TEL: (11) LAMBRI COMPOMADE FORROMADE PADRÃO JACARANDA PAULISTA EMPRESA: FOGO ARTE CNPJ: / ENDEREÇO: QS 09 RUA 123 LOTE 20 PISTÃO SUL TEL: (61) TETO PISO PINTURA REVESTIMENTO TINTA SUVINIL TOQUE DE SEDA ACRÍLICO PREMIUM ACETINADO BRANCO NEVE EMPRESA: BASF TINTAS CNPJ: / ENDEREÇO: AV. ANGELO DEMARCHI SÃO BERNARDO DO CAMPO/SP TEL: (11) PORCELANATO ADIGE CHIARA 62X62 RETIFICADO EMPRESA: BIANCOGRES CERAMICAS S.A. CNPJ: / ENDEREÇO: AV TALMA RODRIGUES RIBEIRAL 1145 TEL: (27) REJUNTE REJUNTE PORTOKOLL L-FLEX COR PALHA EMPRESA: AC COELHO MATERIAIS PARA CONSTRUÇÃO CNPJ: / ENDEREÇO: SIA TRECHO 03 LOTE 1010, 1060, 1070 TEL: (61)

124 SOLEIRA RODAPÉ GRANITO BRANCO DALLAS EMPRESA: CLARAMAR MARMORE E GRANITOS LTDA CNPJ: / ENDEREÇO: SIA TRECHO 02 LOTE 1050/60 - BRASILIA DF TEL: (61) PORCELANATO ADIGE CHIARA 62X62 RETIFICADO EMPRESA: BIANCOGRES CERAMICAS S.A. CNPJ: / ENDEREÇO: AV TALMA RODRIGUES RIBEIRAL 1145 TEL: (27) ESQUADRIAS EQUIPAMENTOS PORTAS E JANELAS INTERRUPTORES E TOMADAS LUMINÁRIAS ESQUADRIA DE ALIMINIO LINHA SUPREMA EMPRESA: GYN GLASS VIDROS E ESQUADRIAS LTDA CNPJ: / ENDEREÇO: RUA 07 Nº 60 QD. 38 LT 04 JARDIM SANTO ANTÔNIO/GO TEL: (62) VIDRO TEMPERADO DE 08MM EMPRESA: VITRAL VIDROS PLANOS LTDA CNPJ: / ENDEREÇO: STRC TRECHO 02 CONJUNTO D LOTE 11 GALPÃO TEL: (61) INTERRUPTORES, PULSADOR E TOMADAS SCHNEIDER ELECTRIC EMPRESA: ILUMATEL ILUMINAÇÃO E MATERIAL ELETRONICO LTDA CNPJ: / ENDEREÇO: QNE 07 LT 06LOJA 01 - TAGUATINGA TEL: (61) LUMINARIA CILINDRICA DE EMBUTIR EMPRESA: XOULUX INDUSTRIA E COMERCIO LTDA CNPJ: / ENDEREÇO: RUA CHARLES DARWIN 55 VILA SANTA CATARINA/SP TEL: (11) PAREDE BANCADA CUBA PINTURA MÁRMORE BEGE BAHIA EMPRESA: CLARAMAR MARMORE E GRANITOS LTDA CNPJ: / ENDEREÇO: SIA TRECHO 02 LOTE 1050/60 - BRASILIA DF TEL: (61) CUBA DE INOX E40 ETERNOX EMPRESA: OBJETIVA ATACADISTA DA CONSTRUÇÃO LTDA CNPJ: / ENDEREÇO: ST SIA TRECHO 06 LTS 205, 210, 215, 220, 225, 230 E 235 TEL: (61) BRINQUEDOTECA TINTA SUVINIL TOQUE DE SEDA ACRÍLICO PREMIUM ACETINADO BRANCO NEVE EMPRESA: BASF TINTAS CNPJ: / ENDEREÇO: AV. ANGELO DEMARCHI SÃO BERNARDO DO CAMPO/SP TEL: (11)

125 TETO PINTURA TINTA SUVINIL TOQUE DE SEDA ACRÍLICO PREMIUM ACETINADO BRANCO NEVE EMPRESA: BASF TINTAS CNPJ: / ENDEREÇO: AV. ANGELO DEMARCHI SÃO BERNARDO DO CAMPO/SP TEL: (11) REVESTIMENTO PORCELANATO ADIGE CHIARA 62X62 RETIFICADO EMPRESA: BIANCOGRES CERAMICAS S.A. CNPJ: / ENDEREÇO: AV TALMA RODRIGUES RIBEIRAL 1145 TEL: (27) PISO REJUNTE REJUNTE PORTOKOLL L-FLEX COR PALHA EMPRESA: AC COELHO MATERIAIS PARA CONSTRUÇÃO CNPJ: / ENDEREÇO: SIA TRECHO 03 LOTE 1010, 1060, 1070 TEL: (61) SOLEIRA GRANITO BRANCO DALLAS EMPRESA: CLARAMAR MARMORE E GRANITOS LTDA CNPJ: / ENDEREÇO: SIA TRECHO 02 LOTE 1050/60 - BRASILIA DF TEL: (61) ESQUADRIAS EQUIPAMENTOS PORTAS E JANELAS INTERRUPTORES E TOMADAS LUMINÁRIAS ESQUADRIA DE ALIMINIO LINHA SUPREMA EMPRESA: GYN GLASS VIDROS E ESQUADRIAS LTDA CNPJ: / ENDEREÇO: RUA 07 Nº 60 QD. 38 LT 04 JARDIM SANTO ANTÔNIO/GO TEL: (62) VIDRO TEMPERADO DE 08MM EMPRESA: VITRAL VIDROS PLANOS LTDA CNPJ: / ENDEREÇO: STRC TRECHO 02 CONJUNTO D LOTE 11 GALPÃO TEL: (61) INTERRUPTORES, PULSADOR E TOMADAS SCHNEIDER ELECTRIC EMPRESA: ILUMATEL ILUMINAÇÃO E MATERIAL ELETRONICO LTDA CNPJ: / ENDEREÇO: QNE 07 LT 06LOJA 01 - TAGUATINGA TEL: (61) LUMINARIA CILINDRICA DE EMBUTIR EMPRESA: XOULUX INDUSTRIA E COMERCIO LTDA CNPJ: / ENDEREÇO: RUA CHARLES DARWIN 55 VILA SANTA CATARINA/SP TEL: (11) PAREDE PINTURA PLAYGROUND TINTA SUVINIL TOQUE DE SEDA ACRÍLICO PREMIUM ACETINADO BRANCO NEVE EMPRESA: BASF TINTAS CNPJ: / ENDEREÇO: AV. ANGELO DEMARCHI SÃO BERNARDO DO CAMPO/SP TEL: (11)

126 TETO PINTURA TINTA SUVINIL TOQUE DE SEDA ACRÍLICO PREMIUM ACETINADO BRANCO NEVE EMPRESA: BASF TINTAS CNPJ: / ENDEREÇO: AV. ANGELO DEMARCHI SÃO BERNARDO DO CAMPO/SP TEL: (11) REVESTIMENTO PORCELANATO ADIGE CHIARA 62X62 RETIFICADO EMPRESA: BIANCOGRES CERAMICAS S.A. CNPJ: / ENDEREÇO: AV TALMA RODRIGUES RIBEIRAL 1145 TEL: (27) PISO REJUNTE REJUNTE PORTOKOLL L-FLEX COR PALHA EMPRESA: AC COELHO MATERIAIS PARA CONSTRUÇÃO CNPJ: / ENDEREÇO: SIA TRECHO 03 LOTE 1010, 1060, 1070 TEL: (61) SOLEIRA GRANITO BRANCO DALLAS EMPRESA: CLARAMAR MARMORE E GRANITOS LTDA CNPJ: / ENDEREÇO: SIA TRECHO 02 LOTE 1050/60 - BRASILIA DF TEL: (61) ESQUADRIAS EQUIPAMENTOS PORTAS E JANELAS INTERRUPTORES E TOMADAS LUMINÁRIAS ESQUADRIA DE ALIMINIO LINHA SUPREMA EMPRESA: GYN GLASS VIDROS E ESQUADRIAS LTDA CNPJ: / ENDEREÇO: RUA 07 Nº 60 QD. 38 LT 04 JARDIM SANTO ANTÔNIO/GO TEL: (62) VIDRO TEMPERADO DE 08MM EMPRESA: VITRAL VIDROS PLANOS LTDA CNPJ: / ENDEREÇO: STRC TRECHO 02 CONJUNTO D LOTE 11 GALPÃO TEL: (61) INTERRUPTORES, PULSADOR E TOMADAS SCHNEIDER ELECTRIC EMPRESA: ILUMATEL ILUMINAÇÃO E MATERIAL ELETRONICO LTDA CNPJ: / ENDEREÇO: QNE 07 LT 06LOJA 01 - TAGUATINGA TEL: (61) LUMINARIA CILINDRICA DE EMBUTIR EMPRESA: XOULUX INDUSTRIA E COMERCIO LTDA CNPJ: / ENDEREÇO: RUA CHARLES DARWIN 55 VILA SANTA CATARINA/SP TEL: (11) PAREDE PINTURA JOGOS TINTA SUVINIL TOQUE DE SEDA ACRÍLICO PREMIUM ACETINADO BRANCO NEVE EMPRESA: BASF TINTAS CNPJ: / ENDEREÇO: AV. ANGELO DEMARCHI SÃO BERNARDO DO CAMPO/SP TEL: (11)

127 TETO PINTURA TINTA SUVINIL TOQUE DE SEDA ACRÍLICO PREMIUM ACETINADO BRANCO NEVE EMPRESA: BASF TINTAS CNPJ: / ENDEREÇO: AV. ANGELO DEMARCHI SÃO BERNARDO DO CAMPO/SP TEL: (11) REVESTIMENTO PORCELANATO ADIGE CHIARA 62X62 RETIFICADO EMPRESA: BIANCOGRES CERAMICAS S.A. CNPJ: / ENDEREÇO: AV TALMA RODRIGUES RIBEIRAL 1145 TEL: (27) PISO REJUNTE REJUNTE PORTOKOLL L-FLEX COR PALHA EMPRESA: AC COELHO MATERIAIS PARA CONSTRUÇÃO CNPJ: / ENDEREÇO: SIA TRECHO 03 LOTE 1010, 1060, 1070 TEL: (61) SOLEIRA GRANITO BRANCO DALLAS EMPRESA: CLARAMAR MARMORE E GRANITOS LTDA CNPJ: / ENDEREÇO: SIA TRECHO 02 LOTE 1050/60 - BRASILIA DF TEL: (61) ESQUADRIAS EQUIPAMENTOS PORTAS E JANELAS INTERRUPTORES E TOMADAS LUMINÁRIAS ESQUADRIA DE ALIMINIO LINHA SUPREMA EMPRESA: GYN GLASS VIDROS E ESQUADRIAS LTDA CNPJ: / ENDEREÇO: RUA 07 Nº 60 QD. 38 LT 04 JARDIM SANTO ANTÔNIO/GO TEL: (62) VIDRO TEMPERADO DE 08MM EMPRESA: VITRAL VIDROS PLANOS LTDA CNPJ: / ENDEREÇO: STRC TRECHO 02 CONJUNTO D LOTE 11 GALPÃO TEL: (61) INTERRUPTORES, PULSADOR E TOMADAS SCHNEIDER ELECTRIC EMPRESA: ILUMATEL ILUMINAÇÃO E MATERIAL ELETRONICO LTDA CNPJ: / ENDEREÇO: QNE 07 LT 06LOJA 01 - TAGUATINGA TEL: (61) LUMINARIA CILINDRICA DE EMBUTIR EMPRESA: XOULUX INDUSTRIA E COMERCIO LTDA CNPJ: / ENDEREÇO: RUA CHARLES DARWIN 55 VILA SANTA CATARINA/SP TEL: (11) PAREDE PINTURA ESPAÇO WEB TINTA SUVINIL TOQUE DE SEDA ACRÍLICO PREMIUM ACETINADO BRANCO NEVE EMPRESA: BASF TINTAS CNPJ: / ENDEREÇO: AV. ANGELO DEMARCHI SÃO BERNARDO DO CAMPO/SP TEL: (11)

128 REVESTIMENTO LAMBRI COMPOMADE FORROMADE PADRÃO JACARANDA PAULISTA EMPRESA: FOGO ARTE CNPJ: / ENDEREÇO: QS 09 RUA 123 LOTE 20 PISTÃO SUL TEL: (61) TETO PINTURA TINTA SUVINIL TOQUE DE SEDA ACRÍLICO PREMIUM ACETINADO BRANCO NEVE EMPRESA: BASF TINTAS CNPJ: / ENDEREÇO: AV. ANGELO DEMARCHI SÃO BERNARDO DO CAMPO/SP TEL: (11) REVESTIMENTO PORCELANATO ADIGE CHIARA 62X62 RETIFICADO EMPRESA: BIANCOGRES CERAMICAS S.A. CNPJ: / ENDEREÇO: AV TALMA RODRIGUES RIBEIRAL 1145 TEL: (27) PISO REJUNTE REJUNTE PORTOKOLL L-FLEX COR PALHA EMPRESA: AC COELHO MATERIAIS PARA CONSTRUÇÃO CNPJ: / ENDEREÇO: SIA TRECHO 03 LOTE 1010, 1060, 1070 TEL: (61) SOLEIRA GRANITO BRANCO DALLAS EMPRESA: CLARAMAR MARMORE E GRANITOS LTDA CNPJ: / ENDEREÇO: SIA TRECHO 02 LOTE 1050/60 - BRASILIA DF TEL: (61) ESQUADRIAS EQUIPAMENTOS PORTAS E JANELAS INTERRUPTORES E TOMADAS LUMINÁRIAS ESQUADRIA DE ALIMINIO LINHA SUPREMA EMPRESA: GYN GLASS VIDROS E ESQUADRIAS LTDA CNPJ: / ENDEREÇO: RUA 07 Nº 60 QD. 38 LT 04 JARDIM SANTO ANTÔNIO/GO TEL: (62) VIDRO TEMPERADO DE 08MM EMPRESA: VITRAL VIDROS PLANOS LTDA CNPJ: / ENDEREÇO: STRC TRECHO 02 CONJUNTO D LOTE 11 GALPÃO TEL: (61) INTERRUPTORES, PULSADOR E TOMADAS SCHNEIDER ELECTRIC EMPRESA: ILUMATEL ILUMINAÇÃO E MATERIAL ELETRONICO LTDA CNPJ: / ENDEREÇO: QNE 07 LT 06LOJA 01 - TAGUATINGA TEL: (61) LUMINARIA CILINDRICA DE EMBUTIR EMPRESA: XOULUX INDUSTRIA E COMERCIO LTDA CNPJ: / ENDEREÇO: RUA CHARLES DARWIN 55 VILA SANTA CATARINA/SP TEL: (11)

129 PAREDE PINTURA ACADEMIA TINTA SUVINIL TOQUE DE SEDA ACRÍLICO PREMIUM ACETINADO BRANCO NEVE EMPRESA: BASF TINTAS CNPJ: / ENDEREÇO: AV. ANGELO DEMARCHI SÃO BERNARDO DO CAMPO/SP TEL: (11) TETO PISO PINTURA REVESTIMENTO TINTA SUVINIL TOQUE DE SEDA ACRÍLICO PREMIUM ACETINADO BRANCO NEVE EMPRESA: BASF TINTAS CNPJ: / ENDEREÇO: AV. ANGELO DEMARCHI SÃO BERNARDO DO CAMPO/SP TEL: (11) PORCELANATO ADIGE CHIARA 62X62 RETIFICADO EMPRESA: BIANCOGRES CERAMICAS S.A. CNPJ: / ENDEREÇO: AV TALMA RODRIGUES RIBEIRAL 1145 TEL: (27) REJUNTE SOLEIRA REJUNTE PORTOKOLL L-FLEX COR PALHA EMPRESA: AC COELHO MATERIAIS PARA CONSTRUÇÃO CNPJ: / ENDEREÇO: SIA TRECHO 03 LOTE 1010, 1060, 1070 TEL: (61) GRANITO BRANCO DALLAS EMPRESA: CLARAMAR MARMORE E GRANITOS LTDA CNPJ: / ENDEREÇO: SIA TRECHO 02 LOTE 1050/60 - BRASILIA DF TEL: (61) ESQUADRIAS EQUIPAMENTO PORTAS E JANELAS INTERRUPTORES E TOMADAS LUMINÁRIAS ESQUADRIA DE ALIMINIO LINHA SUPREMA EMPRESA: GYN GLASS VIDROS E ESQUADRIAS LTDA CNPJ: / ENDEREÇO: RUA 07 Nº 60 QD. 38 LT 04 JARDIM SANTO ANTÔNIO/GO TEL: (62) VIDRO TEMPERADO DE 08MM EMPRESA: VITRAL VIDROS PLANOS LTDA CNPJ: / ENDEREÇO: STRC TRECHO 02 CONJUNTO D LOTE 11 GALPÃO TEL: (61) INTERRUPTORES, PULSADOR E TOMADAS SCHNEIDER ELECTRIC EMPRESA: ILUMATEL ILUMINAÇÃO E MATERIAL ELETRONICO LTDA CNPJ: / ENDEREÇO: QNE 07 LT 06LOJA 01 - TAGUATINGA TEL: (61) LUMINARIA CILINDRICA DE EMBUTIR EMPRESA: XOULUX INDUSTRIA E COMERCIO LTDA CNPJ: / ENDEREÇO: RUA CHARLES DARWIN 55 VILA SANTA CATARINA/SP TEL: (11)

130 PINTURA SANITÁRIO TINTA SUVINIL TOQUE DE SEDA ACRÍLICO PREMIUM ACETINADO BRANCO NEVE EMPRESA: BASF TINTAS CNPJ: / ENDEREÇO: AV. ANGELO DEMARCHI SÃO BERNARDO DO CAMPO/SP TEL: (11) PAREDE REVESTIMENTO REJUNTE CERÂMICA 25 X 35 CM BRANCO BRILHANTE PEI 4 REF INCEFRA EMPRESA: INDUSTRIA CERAMICA FRAGNANI LTDA - INCEFRA CNPJ: / ENDEREÇO: CPO DO BARRO PRETO SN CORDEIRÓPOLIS-SP TEL: (14) REJUNTE PORTOKOLL L-FLEX COR BRANCO NEVE EMPRESA: AC COELHO MATERIAIS PARA CONSTRUÇÃO CNPJ: / ENDEREÇO: SIA TRECHO 03 LOTE 1010, 1060, 1070 TEL: (61) BANCADA E BORDA DO ESPELHO GRANITO BRANCO DALLAS EMPRESA: CLARAMAR MARMORE E GRANITOS LTDA CNPJ: / ENDEREÇO: SIA TRECHO 02 LOTE 1050/60 - BRASILIA DF TEL: (61) TETO PINTURA TINTA SUVINIL TOQUE DE SEDA ACRÍLICO PREMIUM ACETINADO BRANCO NEVE EMPRESA: BASF TINTAS CNPJ: / ENDEREÇO: AV. ANGELO DEMARCHI SÃO BERNARDO DO CAMPO/SP TEL: (11) REVESTIMENTO CERÂMICA 25 X 35 CM BRANCO BRILHANTE PEI 4 REF INCEFRA EMPRESA: INDUSTRIA CERAMICA FRAGNANI LTDA - INCEFRA CNPJ: / ENDEREÇO: CPO DO BARRO PRETO SN CORDEIRÓPOLIS-SP TEL: (14) PISO REJUNTE SOLEIRA RODAPÉ REJUNTE PORTOKOLL L-FLEX COR PALHA EMPRESA: AC COELHO MATERIAIS PARA CONSTRUÇÃO CNPJ: / ENDEREÇO: SIA TRECHO 03 LOTE 1010, 1060, 1070 TEL: (61) MÁRMORE BEGE BAHIA EMPRESA: CLARAMAR MARMORE E GRANITOS LTDA CNPJ: / ENDEREÇO: SIA TRECHO 02 LOTE 1050/60 - BRASILIA DF TEL: (61) CERÂMICA 25 X 35 CM BRANCO BRILHANTE PEI 4 REF INCEFRA EMPRESA: INDUSTRIA CERAMICA FRAGNANI LTDA - INCEFRA CNPJ: / ENDEREÇO: CPO DO BARRO PRETO SN CORDEIRÓPOLIS-SP TEL: (14)

131 PORTA EM MADEIRA CURUPIXÁ PORMADE ESQUADRIA PORTA JANELA EMPRESA: GYN GLASS VIDROS E ESQUADRIAS LTDA CNPJ: / ENDEREÇO: RUA 07 Nº 60 QD. 38 LT 04 JARDIM SANTO ANTÔNIO/GO TEL: (62) JANELA DE ALUMÍNIO 129,8 X 188 CM EMPRESA: GYN GLASS VIDROS E ESQUADRIAS LTDA CNPJ: / ENDEREÇO: RUA 07 Nº 60 QD. 38 LT 04 JARDIM SANTO ANTÔNIO/GO TEL: (62) CUBA CUBA EMBUTIDA OVAL DECA L37 GE17 49X36 EMPRESA: OBJETIVA ATACADISTA DA CONSTRUÇÃO LTDA CNPJ: / ENDEREÇO: ST SAI TRECHO 06 LTS 205, 210, 215, 220, 225, 230 E 235 TEL: (61) TORNEIRA LAVATÓRIO C40 BICA MÓVEL MADRI IMPERIAL LOUÇAS TORNEIRA EMPRESA: MINHA TERRA COMERCIAL LTDA CNPJ: / ENDEREÇO: SHCN CL QUADRA 409 BLOCO B LOJAS 17 E 27 BRASÍLIA TEL: (61) BACIA BACIA P CX DECA P111 IZY GE17 CAIXA ACOP UNIV DECA CD00 GE17 EMPRESA: OBJETIVA ATACADISTA DA CONSTRUÇÃO LTDA CNPJ: / ENDEREÇO: ST SAI TRECHO 06 LTS 205, 210, 215, 220, 225, 230 E 235 TEL: (61) SAUNA / DUCHA PAREDE TETO REVESTIMENTO REJUNTE PINTURA PASTILHA ATLAS 7,5 X 7,5CM ONIX COR PICOR OM 5030 EMPRESA: CERÂMICA BUSCHINELLE LTDA CNPJ: / ENDEREÇO: RUA 01 SN CHACARA / SP TEL: (19) REJUNTE PORTOKOLL L-FLEX COR PALHA EMPRESA: AC COELHO MATERIAIS PARA CONSTRUÇÃO CNPJ: / ENDEREÇO: SIA TRECHO 03 LOTE 1010, 1060, 1070 TEL: (61) PASTILHA ATLAS 7,5 X 7,5CM ONIX COR PICOR OM 5030 EMPRESA: CERÂMICA BUSCHINELLE LTDA CNPJ: / ENDEREÇO: RUA 01 SN CHACARA / SP TEL: (19) PISO REVESTIMENTO PASTILHA ATLAS 7,5 X 7,5CM ONIX COR PICOR OM 5030 EMPRESA: CERÂMICA BUSCHINELLE LTDA CNPJ: / ENDEREÇO: RUA 01 SN CHACARA / SP TEL: (19) REJUNTE REJUNTE PORTOKOLL L-FLEX COR PALHA EMPRESA: AC COELHO MATERIAIS PARA CONSTRUÇÃO 131

132 CNPJ: / ENDEREÇO: SIA TRECHO 03 LOTE 1010, 1060, 1070 TEL: (61) PORTA SAUNA VAPOR 0,57 X 1,90 M ESQUADRIA PORTA EMPRESA: CENTRAL FILTROS E PISCINAS CNPJ: / ENDEREÇO: SHIS QI 23, BL A LOJA 9 LAGO SUL/ DF TEL: (61) BANCO PASTILHA ATLAS 7,5 X 7,5CM ONIX COR PICOR OM 5030 EMPRESA: CERÂMICA BUSCHINELLE LTDA CNPJ: / ENDEREÇO: RUA 01 SN CHACARA / SP TEL: (19) EQUIPAMENTOS LUMINÁRIAS LUMINÁRIA EXT PROVA VAPOR PARA SAUNA EMPRESA: CERÂMICA BUSCHINELLE LTDA CNPJ: / ENDEREÇO: RUA 01 SN CHACARA / SP TEL: (19) DECK DA PISCINA PORCELLANATO IMAGGIO HD RAVENNA NOCE 18X 106 CM PISO REVESTIMENTO EMPRESA: BIANCOGRES CERAMICAS S.A. CNPJ: / ENDEREÇO: AV TALMA RODRIGUES RIBEIRAL 1145 TEL: (27) GRANITO BRANCO DALLAS ESQUADRIA TABEIRA GUARDA-CORPO EMPRESA: CLARAMAR MARMORE E GRANITOS LTDA CNPJ: / ENDEREÇO: SIA TRECHO 02 LOTE 1050/60 - BRASILIA DF TEL: (61) ALUMINIO ANODIZADO, NATURAL FOSCO, PADRÃO ALCOA EMPRESA: METALURGICA MEES LTDA CNPJ: / ENDEREÇO: QI 05 LOTES 1340/60 S. INDUSTRIAL - GAMA TEL: (61) ÁREA DE DESCANSO CERÂMICA PORFIDO BEIGE CLASSE AD: 3 44 X 44 PISO PISO EMPRESA: BIANCOGRES CERAMICAS S.A. CNPJ: / ENDEREÇO: AV TALMA RODRIGUES RIBEIRAL 1145 TEL: (27) GRANITO BRANCO DALLAS ESQUADRIA TABEIRA GUARDA-CORPO EMPRESA: CLARAMAR MARMORE E GRANITOS LTDA CNPJ: / ENDEREÇO: SIA TRECHO 02 LOTE 1050/60 - BRASILIA DF TEL: (61) ALUMINIO ANODIZADO, NATURAL FOSCO, PADRÃO ALCOA EMPRESA: METALURGICA MEES LTDA CNPJ: / ENDEREÇO: QI 05 LOTES 1340/60 S. INDUSTRIAL - GAMA TEL: (61)

133 PAREDE PINTURA CIRCULAÇÃO TINTA SUVINIL TOQUE DE SEDA ACRÍLICO PREMIUM ACETINADO BRANCO NEVE EMPRESA: BASF TINTAS CNPJ: / ENDEREÇO: AV. ANGELO DEMARCHI SÃO BERNARDO DO CAMPO/SP TEL: (11) TETO PINTURA TINTA SUVINIL TOQUE DE SEDA ACRÍLICO PREMIUM ACETINADO BRANCO NEVE EMPRESA: BASF TINTAS CNPJ: / ENDEREÇO: AV. ANGELO DEMARCHI SÃO BERNARDO DO CAMPO/SP TEL: (11) REVESTIMENTO PORCELANATO ADIGE CHIARA 62X62 RETIFICADO EMPRESA: BIANCOGRES CERAMICAS S.A. CNPJ: / ENDEREÇO: AV TALMA RODRIGUES RIBEIRAL 1145 TEL: (27) PISO REJUNTE REJUNTE PORTOKOLL L-FLEX COR PALHA EMPRESA: AC COELHO MATERIAIS PARA CONSTRUÇÃO CNPJ: / ENDEREÇO: SIA TRECHO 03 LOTE 1010, 1060, 1070 TEL: (61) SOLEIRA GRANITO BRANCO DALLAS EMPRESA: CLARAMAR MARMORE E GRANITOS LTDA CNPJ: / ENDEREÇO: SIA TRECHO 02 LOTE 1050/60 - BRASILIA DF TEL: (61) ESQUADRIAS EQUIPAMENTO PORTAS E JANELAS INTERRUPTORES E TOMADAS LUMINÁRIAS ESQUADRIA DE ALIMINIO LINHA SUPREMA EMPRESA: GYN GLASS VIDROS E ESQUADRIAS LTDA CNPJ: / ENDEREÇO: RUA 07 Nº 60 QD. 38 LT 04 JARDIM SANTO ANTÔNIO/GO TEL: (62) VIDRO TEMPERADO DE 08MM EMPRESA: VITRAL VIDROS PLANOS LTDA CNPJ: / ENDEREÇO: STRC TRECHO 02 CONJUNTO D LOTE 11 GALPÃO TEL: (61) INTERRUPTORES, PULSADOR E TOMADAS SCHNEIDER ELECTRIC EMPRESA: ILUMATEL ILUMINAÇÃO E MATERIAL ELETRONICO LTDA CNPJ: / ENDEREÇO: QNE 07 LT 06LOJA 01 - TAGUATINGA TEL: (61) LUMINARIA CILINDRICA DE EMBUTIR EMPRESA: XOULUX INDUSTRIA E COMERCIO LTDA CNPJ: / ENDEREÇO: RUA CHARLES DARWIN 55 VILA SANTA CATARINA/SP TEL: (11)

134 HALL DE ELEVADORES PAREDE PINTURA TINTA SUVINIL TOQUE DE SEDA ACRÍLICO PREMIUM ACETINADO BRANCO NEVE EMPRESA: BASF TINTAS CNPJ: / ENDEREÇO: AV. ANGELO DEMARCHI SÃO BERNARDO DO CAMPO/SP TEL: (11) GRANITO BRANCO DALLAS TETO PORTAL ELEVADOR PINTURA REVESTIMENTO EMPRESA: CLARAMAR MARMORE E GRANITOS LTDA CNPJ: / ENDEREÇO: SIA TRECHO 02 LOTE 1050/60 - BRASILIA DF TEL: (61) TINTA SUVINIL TOQUE DE SEDA ACRÍLICO PREMIUM ACETINADO BRANCO NEVE EMPRESA: BASF TINTAS CNPJ: / ENDEREÇO: AV. ANGELO DEMARCHI SÃO BERNARDO DO CAMPO/SP TEL: (11) PORCELANATO ADIGE CHIARA 62X62 RETIFICADO EMPRESA: BIANCOGRES CERAMICAS S.A. CNPJ: / ENDEREÇO: AV TALMA RODRIGUES RIBEIRAL 1145 TEL: (27) REJUNTE PORTOKOLL L-FLEX COR PALHA PISO REJUNTE EMPRESA: AC COELHO MATERIAIS PARA CONSTRUÇÃO CNPJ: / ENDEREÇO: SIA TRECHO 03 LOTE 1010, 1060, 1070 TEL: (61) SOLEIRA GRANITO BRANCO DALLAS EMPRESA: CLARAMAR MARMORE E GRANITOS LTDA CNPJ: / ENDEREÇO: SIA TRECHO 02 LOTE 1050/60 - BRASILIA DF TEL: (61) INTERRUPTORES, PULSADOR E TOMADAS SCHNEIDER ELECTRIC EQUIPAMENTOS INTERRUPTORES E TOMADAS LUMINÁRIAS EMPRESA: ILUMATEL ILUMINAÇÃO E MATERIAL ELETRONICO LTDA CNPJ: / ENDEREÇO: QNE 07 LT 06LOJA 01 - TAGUATINGA TEL: (61) LUMINARIA CILINDRICA DE EMBUTIR EMPRESA: XOULUX INDUSTRIA E COMERCIO LTDA CNPJ: / ENDEREÇO: RUA CHARLES DARWIN 55 VILA SANTA CATARINA/SP TEL: (11) CASA DE MÁQUINAS - PISCINA PINTURA PVA BRANCA SOBRE MASSA PVA - SUVINIL PAREDE PINTURA EMPRESA: BASF TINTAS CNPJ: / ENDEREÇO: AV. ANGELO DEMARCHI SÃO BERNARDO DO CAMPO/SP TEL: (11)

135 ESQUADRIA DE ALIMINIO LINHA SUPREMA ESQUADRIA PORTA EMPRESA: METALURGICA MEES LTDA CNPJ: / ENDEREÇO: QI 05 LOTES 1340/60 S. INDUSTRIAL - GAMA TEL: (61) PAVIMENTOS RESIDENCIAIS 1º AO 21º CÔMODO TÉCNICO ESQUADRIA PISO TETO PAREDE PINTURA PINTURA SOLEIRA PORTA TINTA SUVINIL TOQUE DE SEDA ACRÍLICO PREMIUM ACETINADO PALHA EMPRESA: BASF TINTAS CNPJ: / ENDEREÇO: AV. ANGELO DEMARCHI SÃO BERNARDO DO CAMPO/SP TEL: (11) TINTA SUVINIL TOQUE DE SEDA ACRÍLICO PREMIUM ACETINADO PALHA EMPRESA: BASF TINTAS CNPJ: / ENDEREÇO: AV. ANGELO DEMARCHI SÃO BERNARDO DO CAMPO/SP TEL: (11) GRANITO BRANCO DALLAS EMPRESA: CLARAMAR MARMORE E GRANITOS LTDA CNPJ: / ENDEREÇO: SIA TRECHO 02 LOTE 1050/60 - BRASILIA DF TEL: (61) PORTA DE MADEIRA CURUPIXÁ EMPRESA: PORMADE PORTAS DE MADEIRA CNPJ: / ENDEREÇO: RUA PRUDENTE DEMORAIS CENTRO PARANÁ TEL: (42) INTERRUPTORES, PULSADOR E TOMADAS SCHNEIDER ELECTRIC EQUIPAMENTOS INTERRUPTORES E TOMADAS LUMINÁRIAS EMPRESA: ILUMATEL ILUMINAÇÃO E MATERIAL ELETRONICO LTDA CNPJ: / ENDEREÇO: QNE 07 LT 06LOJA 01 - TAGUATINGA TEL: (61) LUMINARIA CILINDRICA DE EMBUTIR EMPRESA: XOULUX INDUSTRIA E COMERCIO LTDA CNPJ: / ENDEREÇO: RUA CHARLES DARWIN 55 VILA SANTA CATARINA/SP TEL: (11) LIXO PAREDE TETO PINTURA PINTURA TINTA SUVINIL TOQUE DE SEDA ACRÍLICO PREMIUM ACETINADO PALHA EMPRESA: BASF TINTAS CNPJ: / ENDEREÇO: AV. ANGELO DEMARCHI SÃO BERNARDO DO CAMPO/SP TEL: (11) TINTA SUVINIL TOQUE DE SEDA ACRÍLICO PREMIUM ACETINADO PALHA EMPRESA: BASF TINTAS CNPJ: / ENDEREÇO: AV. ANGELO DEMARCHI SÃO BERNARDO DO CAMPO/SP TEL: (11)

136 CERÂMICA RV BRANCO BRILHANTE X35 INCEFRA REVESTIMENTO EMPRESA: INDUSTRIA CERAMICA FRAGNANI LTDA - INCEFRA CNPJ: / ENDEREÇO: CPO DO BARRO PRETO SN CORDEIRÓPOLIS-SP TEL: (14) REJUNTE PORTOKOLL L-FLEX COR PALHA PISO REJUNTE EMPRESA: AC COELHO MATERIAIS PARA CONSTRUÇÃO CNPJ: / ENDEREÇO: SIA TRECHO 03 LOTE 1010, 1060, 1070 TEL: (61) GRANITO BRANCO DALLAS SOLEIRA EMPRESA: CLARAMAR MARMORE E GRANITOS LTDA CNPJ: / ENDEREÇO: SIA TRECHO 02 LOTE 1050/60 - BRASILIA DF TEL: (61) ESQUADRIA PORTA PORTA DE MADEIRA CURUPIXÁ EMPRESA: PORMADE PORTAS DE MADEIRA CNPJ: / ENDEREÇO: RUA PRUDENTE DEMORAIS CENTRO PARANÁ TEL: (42) INTERRUPTORES, PULSADOR E TOMADAS SCHNEIDER ELECTRIC EQUIPAMENTOS INTERRUPTORES E TOMADAS LUMINÁRIAS EMPRESA: ILUMATEL ILUMINAÇÃO E MATERIAL ELETRONICO LTDA CNPJ: / ENDEREÇO: QNE 07 LT 06LOJA 01 - TAGUATINGA TEL: (61) LUMINARIA CILINDRICA DE EMBUTIR EMPRESA: XOULUX INDUSTRIA E COMERCIO LTDA CNPJ: / ENDEREÇO: RUA CHARLES DARWIN 55 VILA SANTA CATARINA/SP TEL: (11) CIRCULAÇÃO E HALL DOS ELEVADORES PAREDE TETO PISO PINTURA PINTURA REVESTIMENTO TINTA SUVINIL TOQUE DE SEDA ACRÍLICO PREMIUM ACETINADO PALHA EMPRESA: BASF TINTAS CNPJ: / ENDEREÇO: AV. ANGELO DEMARCHI SÃO BERNARDO DO CAMPO/SP TEL: (11) TINTA SUVINIL TOQUE DE SEDA ACRÍLICO PREMIUM ACETINADO PALHA EMPRESA: BASF TINTAS CNPJ: / ENDEREÇO: AV. ANGELO DEMARCHI SÃO BERNARDO DO CAMPO/SP TEL: (11) CERÂMICA RP ,5X41,5CM INCEFRA EMPRESA: INDUSTRIA CERAMICA FRAGNANI LTDA - INCEFRA CNPJ: / ENDEREÇO: CPO DO BARRO PRETO SN CORDEIRÓPOLIS-SP TEL: (14) REJUNTE PORTOKOLL L-FLEX COR PALHA REJUNTE EMPRESA: AC COELHO MATERIAIS PARA CONSTRUÇÃO CNPJ: / ENDEREÇO: SIA TRECHO 03 LOTE 1010, 1060, 1070 TEL: (61)

137 GRANITO BRANCO DALLAS ESQUADRIA SOLEIRA RODAPÉ PORTA EMPRESA: CLARAMAR MARMORE E GRANITOS LTDA CNPJ: / ENDEREÇO: SIA TRECHO 02 LOTE 1050/60 - BRASILIA DF TEL: (61) CERÂMICA RP ,5X41,5CM INCEFRA EMPRESA: INDUSTRIA CERAMICA FRAGNANI LTDA - INCEFRA CNPJ: / ENDEREÇO: CPO DO BARRO PRETO SN CORDEIRÓPOLIS-SP TEL: (14) PORTA PORMADE LINHA FRIZZATTA FRI 003 EMPRESA: PORMADE PORTAS DE MADEIRA CNPJ: / ENDEREÇO: RUA PRUDENTE DEMORAIS CENTRO PARANÁ TEL: (42) INTERRUPTORES, PULSADOR E TOMADAS SCHNEIDER ELECTRIC EQUIPAMENTOS INTERRUPTORES E TOMADAS LUMINÁRIAS EMPRESA: ILUMATEL ILUMINAÇÃO E MATERIAL ELETRONICO LTDA CNPJ: / ENDEREÇO: QNE 07 LT 06LOJA 01 - TAGUATINGA TEL: (61) LUMINARIA CILINDRICA DE EMBUTIR EMPRESA: XOULUX INDUSTRIA E COMERCIO LTDA CNPJ: / ENDEREÇO: RUA CHARLES DARWIN 55 VILA SANTA CATARINA/SP TEL: (11) COBERTURA/ BARRILETE/CASA DE MÁQUINA/RESERVATÓRIO SUPERIOR BARRILETE E CASA DE MÁQUINA PINTURA PVA BRANCA SOBRE MASSA PVA - SUVINIL PAREDE TETO PISO PINTURA PINTURA MATERIAL EMPRESA: BASF TINTAS CNPJ: / ENDEREÇO: AV. ANGELO DEMARCHI SÃO BERNARDO DO CAMPO/SP TEL: (11) PINTURA PVA BRANCA SOBRE MASSA PVA - SUVINIL EMPRESA: BASF TINTAS CNPJ: / ENDEREÇO: AV. ANGELO DEMARCHI SÃO BERNARDO DO CAMPO/SP TEL: (11) PINTURA PVA BRANCA SOBRE MASSA PVA - SUVINIL EMPRESA: BASF TINTAS CNPJ: / ENDEREÇO: AV. ANGELO DEMARCHI SÃO BERNARDO DO CAMPO/SP TEL: (11) CAIXA D ÁGUA RESERVATÓRIO SUPERIOR PINTURA IBRATIN PERMALIT TEXTURA EXTERNA SO354B 898AOR 50% + CLARO PAREDE PINTURA EMPRESA: IBRATIN INDÚSTRIA E COMERCIO LTDA. CNPJ: / ENDEREÇO: AVENIDA SINATO 105 GLEBA 32 - FRANCO DA ROCHA/SP TEL: (11)

138 VIII DOCUMENTOS ENTREGUES EM ANEXO Junto ao Manual de Áreas Comuns serão entregues os seguintes anexos: 1. Pasta 01 - Documentos do Condomínio; 2. Pasta 02 - Manuais dos Equipamentos; 3. Pastas de 03 à 8 - Projetos. 138

139 INCORPORAÇÃO: CONSTRUÇÃO: 139

Quadra 5 Piscina x x x Ver tabela 6 Solidez/ Segurança x Ver tabela da Edificação 3

Quadra 5 Piscina x x x Ver tabela 6 Solidez/ Segurança x Ver tabela da Edificação 3 Sistema 6 meses 1 ano 2 anos 3 anos 5 anos Observações Esquadrias de x x x Ver tabela Alumínio 3 Esquadrias de x Ver tabela Madeira 3 Esquadrias de x Ver tabela Ferro 3 Revestimentos x x x Ver tabela de

Leia mais

RESPONSABILIDADE DA CONSTRUTORA E GARANTIA

RESPONSABILIDADE DA CONSTRUTORA E GARANTIA RESPONSABILIDADE DA CONSTRUTORA E GARANTIA A San Juan Empreendimentos Imobiliários Ltda responderá pelo prazo de 05 (cinco) anos a contar término da obra, pela solidez e segurança da edificação. Portanto,

Leia mais

GARANTIA. Introdução. Prezado Cliente,

GARANTIA. Introdução. Prezado Cliente, GARANTIA Introdução Prezado Cliente, Este Termo tem como objetivo lhe orientar sobre os prazos de garantia dos componentes e s de seu imóvel, e como solicitar a Assistência Técnica Venax Construtora. Os

Leia mais

Verificar a estanqueidade da válvula de descarga, torneira automática e torneira A cada 5 anos. Limpar o crivo do chuveiro

Verificar a estanqueidade da válvula de descarga, torneira automática e torneira A cada 5 anos. Limpar o crivo do chuveiro TABELA DE MANUTENÇÃO PREVENTIVA ITEM DESCRIÇÃO PERIODICIDADE Esquadrias de Alumínio Limpeza geral esquadria (zona urbana ou rural) 1 vez ao ano. Limpeza geral esquadria (zona marítima ou industrial) 1

Leia mais

CONDOMÍNIO MAR MEDITERRÂNEO MANUAL DAS ÁREAS COMUNS. Prezado Síndico,

CONDOMÍNIO MAR MEDITERRÂNEO MANUAL DAS ÁREAS COMUNS. Prezado Síndico, Prezado Síndico, A CGS ENGENHARIA E CONSTRUÇÕES com o intuito de auxiliar os moradores do condomínio na manutenção e utilização dos apartamentos, elaborou e distribuiu a todos o Manual do Proprietário.

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO PAX-PERDIZES

MEMORIAL DESCRITIVO PAX-PERDIZES MEMORIAL DESCRITIVO PAX-PERDIZES PAX_PERDIZES é composto por 1 torre residencial com 8 pavimentos com 4 unidades cada. As vagas de estacionamento estão distribuídas em 2 subsolos. O acesso ao Empreendimento

Leia mais

TERMO DE ATENDIMENTO SAC MONDIALLE

TERMO DE ATENDIMENTO SAC MONDIALLE TERMO DE ATENDIMENTO SAC MONDIALLE PARTES: De um lado a MONDIALLE e de outro, neste ato nomeado como SOLICITANTE o consumidor autor da solicitação de assistência técnica. 1 - OBJETO DA SOLICITAÇÃO 1.1

Leia mais

SERVIÇO DE TERCEIROS OBRIGATÓRIOS M S A AT M S A AT

SERVIÇO DE TERCEIROS OBRIGATÓRIOS M S A AT M S A AT LEGENDA: INSPEÇÃO ZELADOR SERVIÇO DE TERCEIROS OBRIGATÓRIOS SERVIÇO DE TERCEIROS OPCIONAIS M ( MENSAL ) S ( SEMESTRAL) LEGENDA: TOPO DO EDIFÍCIO ANDARES PAVIMENTOS INFERIORES A ( ANUAL ) S ( APÓS TEMPORAL)

Leia mais

ANEXO I AO EDITAL DE PREGÃO AMPLO Nº 3/2009-ER01AF/ER01 TERMO DE REFERÊNCIA ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS

ANEXO I AO EDITAL DE PREGÃO AMPLO Nº 3/2009-ER01AF/ER01 TERMO DE REFERÊNCIA ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS ANEXO I AO EDITAL DE PREGÃO AMPLO Nº 3/2009-ER01AF/ER01 TERMO DE REFERÊNCIA ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS MANUTENÇÃO PREVENTIVA E CORRETIVA NAS INSTALAÇÕES ELÉTRICAS, HIDRÁULICAS, SANITÁRIA, COMBATE A INCÊNDIO

Leia mais

ABNT NBR 15575 Edifícios habitacionais de até 5 (cinco) pavimentos Norma de Desempenho. Perícias judiciais

ABNT NBR 15575 Edifícios habitacionais de até 5 (cinco) pavimentos Norma de Desempenho. Perícias judiciais ABNT NBR 15575 Edifícios habitacionais de até 5 (cinco) pavimentos Norma de Desempenho Perícias judiciais IBAPE SP - AGOSTO 2011 1 NORMAS TÉCNICAS Zona de fronteira Direito Engenharia 2 Norma de Desempenho

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO versão 04

MEMORIAL DESCRITIVO versão 04 MEMORIAL DESCRITIVO versão 04 Arquitetônico Hidrossanitário EMPREENDIMENTO: Edifício Residencial ÁREA CONSTRUIDA: 2.323,60 m² ÁREA DO TERRENO: 1.474,00 m² LOCALIZAÇÃO: Rua Ianne Thorstemberg, n 344 Bairro

Leia mais

Rev. 01 MANUAL TÉCNICO. Kit Porta Pronto

Rev. 01 MANUAL TÉCNICO. Kit Porta Pronto MANUAL TÉCNICO Kit Porta Pronto Carga e Descarga Os produtos são carregados na empresa e preparados de modo a assegurar sua proteção. Durante o transporte até o cliente é imprescindível que sejam mantidas

Leia mais

Guia de Instruções para a Manutenção Predial

Guia de Instruções para a Manutenção Predial Neon -Empresa Patrocinadora Núcleo SBCampo AGENDA PREENCHA O NOME E O TELEFONE DO SEU PRESTADOR DE SERVIÇO. SERVIÇO EMPRESA FONE ÁGUA E ESGOTO ELEVADORES PORTÕES BOMBAS JARDIM EQUI.SEGURANÇA CAIXA DÁGUA

Leia mais

Residencial Geraldo Pacheco

Residencial Geraldo Pacheco Residencial Geraldo Pacheco 1/6 Memorial Descritivo Rua Rio Branco, esquina com Rua Marajó, Parque das Castanheiras, Vila Velha - ES Projeto arquitetônico - Sandro Pretti Planejado de acordo com normas

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO PRÉDIO DE APARTAMENTOS. Local: Rua General Auto, N 101 e 111 Centro Porto Alegre

MEMORIAL DESCRITIVO PRÉDIO DE APARTAMENTOS. Local: Rua General Auto, N 101 e 111 Centro Porto Alegre MEMORIAL DESCRITIVO PRÉDIO DE APARTAMENTOS Local: Rua General Auto, N 101 e 111 Centro Porto Alegre INDICE 1. GENERALIDADES 1.1. OBJETOS E DADOS 1.2. NORMAS 1.3. PLANTAS 2. INTERPRETAÇÃO 3. PRÉDIO 3.1.

Leia mais

Manual de Instalação e Operações

Manual de Instalação e Operações Manual de Instalação e Operações Acionador On/Off Bivolt Sistema de Aquecimento para banheira de hidromassagem PARA SUA SEGURANÇA: Antes de Instalar este produto, leia atentamente este manual de instruções.

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO. Obra: Reforma da Câmara Municipal de Conchas 2ª Fase

MEMORIAL DESCRITIVO. Obra: Reforma da Câmara Municipal de Conchas 2ª Fase MEMORIAL DESCRITIVO Obra: Reforma da Câmara Municipal de Conchas 2ª Fase Este Memorial Descritivo tem por finalidade especificar os materiais e serviços a serem executados na REFORMA DA CÂMARA MUNICIPAL

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO. MARCO ZERO MIX - WORK Avenida Kennedy, 1230- São Bernardo do Campo - SP

MEMORIAL DESCRITIVO. MARCO ZERO MIX - WORK Avenida Kennedy, 1230- São Bernardo do Campo - SP MEMORIAL DESCRITIVO Revisão: 00 MARCO ZERO MIX - WORK Avenida Kennedy, 1230- São Bernardo do Campo - SP 1. PROJETOS Serão executados de acordo com as normas vigentes. 2. FUNDAÇÕES E CONTENÇÕES Serão executados

Leia mais

Capítulo VI. Lista de verificação para prontuário, projetos e ensaios elétricos Por Marcus Possi* Inspeção de instalações elétricas

Capítulo VI. Lista de verificação para prontuário, projetos e ensaios elétricos Por Marcus Possi* Inspeção de instalações elétricas 44 Capítulo VI Lista de verificação para prontuário, projetos e ensaios elétricos Por Marcus Possi* Da mesma forma que se deve fazer com os elementos que formam uma instalação elétrica no seu sentido físico,

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO DE CONSTRUÇÃO

MEMORIAL DESCRITIVO DE CONSTRUÇÃO CHL Desenvolvimento Imobiliário S/A Premier Offices MEMORIAL DESCRITIVO DE CONSTRUÇÃO 1- ACABAMENTO DAS UNIDADES AUTÔNOMAS (23/09/09) 1.1 SALAS Piso: Laje em osso (concreto aparente) sobre dry-wall Teto:

Leia mais

Memorial Descritivo ESPECIFICAÇÕES GERAIS

Memorial Descritivo ESPECIFICAÇÕES GERAIS Memorial Descritivo ESPECIFICAÇÕES GERAIS ENTRADA E JARDINS: Os acessos ao empreendimento foram estudados em conjunto pelos projetos arquitetônico e paisagístico, ressaltando a beleza de um jardim planejado,

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO DE ACABAMENTOS

MEMORIAL DESCRITIVO DE ACABAMENTOS Condomínio La Galerie Vila Madalena Rua Ourânia, 100 MEMORIAL DESCRITIVO DE ACABAMENTOS 06/12/04 R06 1 CONDOMÍNIO La Galerie Vila Madalena Rua Ourânia, 100 MEMORIAL DESCRITIVO A. EQUIPAMENTOS E SERVIÇOS

Leia mais

ASSISTÊNCIA ALIANÇA DO BRASIL. Manual do Segurado. Processo SUSEP nº 10.005446/99-61 CNPJ: 28.196.889/0001-43

ASSISTÊNCIA ALIANÇA DO BRASIL. Manual do Segurado. Processo SUSEP nº 10.005446/99-61 CNPJ: 28.196.889/0001-43 ASSISTÊNCIA ALIANÇA DO BRASIL Manual do Segurado Processo SUSEP nº 10.005446/99-61 CNPJ: 28.196.889/0001-43 ÍNDICE 1. DEFINIÇÕES GERAIS 2. ASSISTÊNCIA ALIANÇA DO BRASIL 2.1. ENVIO DE CHAVEIRO POR ROUBO

Leia mais

ESTADO DE MATO GROSSO DO SUL SECRETARIA DE ESTADO DE JUSTIÇA E SEGURANÇA PÚBLICA CORPO DE BOMBEIROS MILITAR NORMA TÉCNICA N 15

ESTADO DE MATO GROSSO DO SUL SECRETARIA DE ESTADO DE JUSTIÇA E SEGURANÇA PÚBLICA CORPO DE BOMBEIROS MILITAR NORMA TÉCNICA N 15 ESTADO DE MATO GROSSO DO SUL SECRETARIA DE ESTADO DE JUSTIÇA E SEGURANÇA PÚBLICA CORPO DE BOMBEIROS MILITAR NORMA TÉCNICA N 15 CONTROLE DE FUMAÇA PARTE 2 CONCEITOS, DEFINIÇÕES E COMPONENTES DO SISTEMA

Leia mais

ANEXO I EDITAL CONVITE nº 007/2005-ANATEL-ER01 PROCESSO nº 53504.018.436/2005 PROJETO BÁSICO

ANEXO I EDITAL CONVITE nº 007/2005-ANATEL-ER01 PROCESSO nº 53504.018.436/2005 PROJETO BÁSICO ANEXO I EDITAL CONVITE nº 007/2005-ANATEL-ER01 PROCESSO nº 53504.018.436/2005 PROJETO BÁSICO CONDIÇÕES DE CONTRATAÇÃO DOS SERVIÇOS MANUTENÇÃO PREVENTIVA E CORRETIVA DOS ELEVADORES ESCRITÓRIO REGIONAL DA

Leia mais

Placa de obra: Haverá a colocação em local visível de placa de obra, metálica, fixada em estrutura de madeira, conforme padrão fornecido SOP.

Placa de obra: Haverá a colocação em local visível de placa de obra, metálica, fixada em estrutura de madeira, conforme padrão fornecido SOP. MEMORIAL DESCRITIVO RECONSTRUÇÃO DO ALBERGUE JUNTO AO PRESIDIO ESTADUAL DE VACARIA RS. VACARIA RS. GENERALIDADES: Este Memorial Descritivo tem a função de propiciar a perfeita compreensão do projeto e

Leia mais

Memorial Descritivo de Construção

Memorial Descritivo de Construção Incorporação, Construção e Acabamento GAFISA S.A. Memorial Descritivo de Construção EDIFÍCIO MAGNIFIC Av. H (Frente), Rua 71 (Fundos) Goiânia - GO A. UNIDADES AUTÔNOMAS Março, 2008 Versão Final A1.1 Pavimentos

Leia mais

MANUAL DE INSTALAÇÃO E OPERAÇÃO Sistema Conjugado Morganti

MANUAL DE INSTALAÇÃO E OPERAÇÃO Sistema Conjugado Morganti A instalação do equipamento deve obedecer às instruções contidas no manual que acompanha o mesmo, bem como às normas técnicas da ABNT e das empresas fornecedoras de combustíveis. Devido a constantes aperfeiçoamentos

Leia mais

Avenida Generalíssimo Deodoro, nº 367 Umarizal- CEP: 66.055-240 - Belém - PA (91)3221-4100/4102- e-mail: cphgabinete@cph.pa.gov.br

Avenida Generalíssimo Deodoro, nº 367 Umarizal- CEP: 66.055-240 - Belém - PA (91)3221-4100/4102- e-mail: cphgabinete@cph.pa.gov.br ANEXO II PLANO DE MANUTENÇÃO 1- OBJETO 1.1 Contratação de empresa especializada para prestação de serviços contínuos de operação, manutenção preventiva e corretiva, com fornecimento de peças, materiais

Leia mais

ORIENTAÇÕES E RECOMENDAÇÕES AOS SÍNDICOS E ADMINISTRADORES PREDIAIS

ORIENTAÇÕES E RECOMENDAÇÕES AOS SÍNDICOS E ADMINISTRADORES PREDIAIS ORIENTAÇÕES E RECOMENDAÇÕES AOS SÍNDICOS E ADMINISTRADORES PREDIAIS Em virtude do recente acidente ocorrido no centro da cidade do Rio de Janeiro, onde o desabamento de três prédios comerciais levou ao

Leia mais

PENEIRA AUTOLIMPANTE de Escovas Rotativas - PAL

PENEIRA AUTOLIMPANTE de Escovas Rotativas - PAL Indústria e Comércio de Bombas D Água Beto Ltda Manual de Instruções PENEIRA AUTOLIMPANTE de Escovas Rotativas - PAL Parabéns! Nossos produtos são desenvolvidos com a mais alta tecnologia Bombas Beto.

Leia mais

Edifício Varadero Residencial

Edifício Varadero Residencial Edifício Varadero Residencial MEMORIAL DESCRITIVO PADRÃO 1. Infra-Estrutura: 2. Supra-Estrutura: 3. Alvenarias: Movimentação de Terra: Será realizada a limpeza do terreno, removendo todo o obstáculo que

Leia mais

Instalações Prediais (Hidráulico-Sanitárias e Elétricas) e o Projeto Arquitetônico

Instalações Prediais (Hidráulico-Sanitárias e Elétricas) e o Projeto Arquitetônico Instalações Prediais (Hidráulico-Sanitárias e Elétricas) e o Projeto Arquitetônico Introdução As instalações prediais constituem subsistemas que devem ser integrados ao sistema construtivo proposto pela

Leia mais

ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA MEMORIAL DESCRITIVO

ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA MEMORIAL DESCRITIVO ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA MEMORIAL DESCRITIVO Obra: Reforma de Prédio Delegacia CRA Proprietário: Conselho Regional de administração Endereço: Av. Presidente Getulio Vargas, N 2.923 Área: 110,00 m² 1.

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO. As fundações serão em estacas rotativas, com blocos de fundação, executadas por firma especializada.

MEMORIAL DESCRITIVO. As fundações serão em estacas rotativas, com blocos de fundação, executadas por firma especializada. MEMORIAL DESCRITIVO 1. INFORMAÇÕES GERAIS Este PRÉDIO terá uso exclusivo RESIDENCIAL e terá 12 (doze) pavimentos, sendo que o 1º PAV SUB SOLO terá 26 espaços de garagem cobertos; o 2 PAV terá o hall de

Leia mais

RESIDENCIAL RECANTO DOS POETAS MEMORIAL DESCRITIVO DA HABITAÇÃO

RESIDENCIAL RECANTO DOS POETAS MEMORIAL DESCRITIVO DA HABITAÇÃO RESIDENCIAL RECANTO DOS POETAS MEMORIAL DESCRITIVO DA HABITAÇÃO 1. DESCRIÇÃO DO EDIFÍCIO O Recanto dos Poetas será constituído de: 6 (seis) blocos, cada um com 1 (um) pavimento pilotis e 4 (quatro) pavimentos

Leia mais

ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA

ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA OBJETO O objeto desta licitação é a recuperação, requalificação e manutenção da área, hoje degradada, na Avenida Rio de Janeiro, sob o viaduto Elevado de conexão da Via Perimetral

Leia mais

ANEXO II ao Edital de PREGÃO AMPLO Nº 13/2009

ANEXO II ao Edital de PREGÃO AMPLO Nº 13/2009 ANEXO II ao Edital de PREGÃO AMPLO Nº 13/2009 CADERNO DE ENCARGOS MANUTENÇÃO PREVENTIVA E CORRETIVA DO SISTEMA ELÉTRICO, HIDRÁULICO E COMBATE A INCÊNDIO. COMPLEXO SEDE DA ANATEL E UNIDADE DE SOBRADINHO

Leia mais

Patio Heater. Aquecedor de Ambiente Externo. Premium PH-2750

Patio Heater. Aquecedor de Ambiente Externo. Premium PH-2750 Patio Heater Aquecedor de Ambiente Externo Premium PH-2750 Rua João Álvares Soares, 1530 Campo Belo, São Paulo SP, Cep 04609-004, Brasil. Telefax: (011) 5044-1683 Site: www.generalheater.com.br / E-mail:

Leia mais

l. Introdução Programa de Manutenção Preventiva Programa de Manutenção Preventiva Definições Prezado Cliente / Síndico

l. Introdução Programa de Manutenção Preventiva Programa de Manutenção Preventiva Definições Prezado Cliente / Síndico l. Introdução Prezado Cliente / Síndico Este Manual das Áreas Comuns foi elaborado com a finalidade de transmitir as informações referentes às áreas comuns, estabelecendo as condições de garantia, por

Leia mais

Memorial Descritivo. Ilhas do Havaí Home Club Rua Doutor Motta Júnior, 1400 Aristocrata São José dos Pinhais/PR

Memorial Descritivo. Ilhas do Havaí Home Club Rua Doutor Motta Júnior, 1400 Aristocrata São José dos Pinhais/PR INCORPORAÇÃO: SPE SJP INCORPORADORA IMOBILIÁRIA LTDA CONSTRUÇÃO: FORMULA EMPREENDIMENTOS LTDA PROJETO ARQUITETÔNICO: LIGIA ROSALINSKI MORAES PROJETO DE INTERIORES: MARGIT SOARES INTERIORES E ARQUITETURA

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO. 1.4 LIMPEZA PERMANENTE DA OBRA Durante a execução, até a entrega definitiva da obra, a mesma será mantida permanentemente limpa.

MEMORIAL DESCRITIVO. 1.4 LIMPEZA PERMANENTE DA OBRA Durante a execução, até a entrega definitiva da obra, a mesma será mantida permanentemente limpa. Identificação da obra: RESIDENCIAL ANCHIETA GOLD Rua Anchieta nº 5034 Projeto e execução: A3 Arquitetura e Krolow Construção e Comércio. MEMORIAL DESCRITIVO 1. SERVIÇOS PRELIMINARES E GERAIS 1.1 SERVIÇOS

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO PROJETO ARQUITETÔNICO - REFORMA

MEMORIAL DESCRITIVO PROJETO ARQUITETÔNICO - REFORMA MEMORIAL DESCRITIVO PROJETO ARQUITETÔNICO - REFORMA Projeto:... REFORMA POSTO DE SAÚDE Proprietário:... PREFEITURA MUNICIPAL DE IRAÍ Endereço:... RUA TORRES GONÇALVES, N 537 Área a Reformar:... 257,84

Leia mais

SISTEMA DE AQUECIMENTO SOLAR DE PISCINA

SISTEMA DE AQUECIMENTO SOLAR DE PISCINA MANUAL DO USUÁRIO SISTEMA DE AQUECIMENTO SOLAR DE PISCINA INTRODUÇÃO Parabéns por adquirir um Sistema de Aquecimento Solar de Piscina KOMECO, desenvolvido para oferecer maior conforto e bem estar com

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO DE ARQUITETURA REFORMA E AMPLIAÇÃO / OBRA INSTITUCIONAL EM ALVENARIA, FORRO DE GESSO E COBERTURA EM TELHA METÁLICA.

MEMORIAL DESCRITIVO DE ARQUITETURA REFORMA E AMPLIAÇÃO / OBRA INSTITUCIONAL EM ALVENARIA, FORRO DE GESSO E COBERTURA EM TELHA METÁLICA. MEMORIAL DESCRITIVO DE ARQUITETURA REFORMA E AMPLIAÇÃO / OBRA INSTITUCIONAL EM ALVENARIA, FORRO DE GESSO E COBERTURA EM TELHA METÁLICA. Dados da Obra: Endereço da obra: Rua Amazonas, nº512, Centro. Parte

Leia mais

AutoVistoria Segurança em Edificações. Eng. Eletricista e Segurança do Trabalho: Rogerio Maurer Email: rogeriomaurer@gmail.com

AutoVistoria Segurança em Edificações. Eng. Eletricista e Segurança do Trabalho: Rogerio Maurer Email: rogeriomaurer@gmail.com AutoVistoria Segurança em Edificações Eng. Eletricista e Segurança do Trabalho: Rogerio Maurer Email: rogeriomaurer@gmail.com Motivação: Segurança! Lei Estadual nº 6400, de 05 de Março de 2013. Art. 1º

Leia mais

LOCALIZAÇÃO Rua Desembargador Barreto Cardoso, 352, Gruta de Lourdes, Maceió AL.

LOCALIZAÇÃO Rua Desembargador Barreto Cardoso, 352, Gruta de Lourdes, Maceió AL. ED. TACIANA MONTENEGRO LOCALIZAÇÃO Rua Desembargador Barreto Cardoso, 352, Gruta de Lourdes, Maceió AL. EMPREENDIMENTO É composto por 11 (onze) pavimentos, sendo, 01 (um) subsolo, 01 (um) pilotis e 09

Leia mais

Importância e cuidados na reforma e manutenção de edifícios / Norma de Manutenção RSO

Importância e cuidados na reforma e manutenção de edifícios / Norma de Manutenção RSO Importância e cuidados na reforma e manutenção de edifícios / Norma de Manutenção RSO Principais novidades Nos últimos anos, com a introdução dos conceitos de desempenho dos sistemas e sua definição clara

Leia mais

MANUAL DE OPERAÇÃO RAMPA PNEUMÁTICA RP 035 REVISÃO 02.2

MANUAL DE OPERAÇÃO RAMPA PNEUMÁTICA RP 035 REVISÃO 02.2 MANUAL DE OPERAÇÃO RAMPA PNEUMÁTICA RP 035 REVISÃO 02.2 B12-082 SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO... 2 2. INFORMAÇÕES GERAIS... 3 2.1. DIMENSÕES... 3 2.2. DADOS TÉCNICOS... 3 2.3. ACESSÓRIOS... 3 2.4. OPERAÇÃO...

Leia mais

LAUDO TÉCNICO ESPECÍFICO

LAUDO TÉCNICO ESPECÍFICO LAUDO TÉCNICO ESPECÍFICO Conforme NR-10 ACME S.A Ind. Com. 1 de 9 IDENTIFICAÇÃO DO ESTABELECIMENTO Identificação do Responsável pela Execução do Serviço. Nome: Empresa: Registro: Local de Execução do Serviço.

Leia mais

RESIDENCIAL UNIQUE MBIGUCCI

RESIDENCIAL UNIQUE MBIGUCCI MEMORIAL DESCRITIVO RESIDENCIAL UNIQUE MBIGUCCI Rua Ângela Tomé, 185 Rudge Ramos - São Bernardo do Campo - SP Revisão: 00 1. PROJETOS Serão executados de acordo com as normas vigentes. 2. FUNDAÇÕES E CONTENÇÕES

Leia mais

CADERNO DE ESPECIFICAÇÕES

CADERNO DE ESPECIFICAÇÕES CADERNO DE ESPECIFICAÇÕES 1. GENERALIDADES Este documento tem por objetivo fornecer aos interessados no Chamamento em pauta as Especificações Básicas a serem seguidas para o atendimento deste Objeto. Estas

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO Agosto/2007

MEMORIAL DESCRITIVO Agosto/2007 Este memorial tem o objetivo de apresentar a especificação da edificação nas Áreas Privativas e de Uso comum, descrevendo o tipo de estrutura, padrão de acabamento, entre outras características da edificação

Leia mais

OCEANO CONSTRUÇÃO E EMPREENDIMENTOS IMOBILIÁRIOS LTDA

OCEANO CONSTRUÇÃO E EMPREENDIMENTOS IMOBILIÁRIOS LTDA MEMORIAL DESCRITIVO: O Empreendimento seguirá as características constantes do memorial abaixo descrito. 1- Especificação Técnica: 1.1 - Fundações: Serão executadas de acordo com sondagem a ser realizada

Leia mais

ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA

ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA 1. JUSTIFICATIVA: Considerando que os serviços de manutenção predial são imprescindíveis e de natureza contínua. Ademais, existem fatores diversos que influenciam na preservação

Leia mais

Projeto de revisão da NBR 14037 Diretrizes para elaboração de manuais de uso,

Projeto de revisão da NBR 14037 Diretrizes para elaboração de manuais de uso, Projeto de revisão da NBR 14037 Diretrizes para elaboração de manuais de uso, operação e manutenção das edificações- Requisitos para elaboração e apresentação dos conteúdos Texto: 08 04-10 Abril - 2010

Leia mais

MANUAL DO USUÁRIO. DESUMIDIFICADOR Modelo: KDP 250

MANUAL DO USUÁRIO. DESUMIDIFICADOR Modelo: KDP 250 MANUAL DO USUÁRIO DESUMIDIFICADOR Modelo: KDP 250 INTRODUÇÃO Parabéns por adquirir o Desumidificador Air Life KOMECO, desenvolvido para oferecer maior conforto e bem-estar com muito mais economia de energia.

Leia mais

Reformas e manutenção. Engº Marcos Velletri Engº Ricardo Gonçalves. Realização:

Reformas e manutenção. Engº Marcos Velletri Engº Ricardo Gonçalves. Realização: Reformas e manutenção Engº Marcos Velletri Engº Ricardo Gonçalves Atualização da normalização nacional ABNT NBR 15575 DESEMPENHO DE EDIFICAÇÕES Eng. Ricardo S. F. Gonçalves ABNT NBR 15575:2013 NORMA DE

Leia mais

M E M O R I A L D E S C R I T I V O

M E M O R I A L D E S C R I T I V O A. O EMPREENDIMENTO Serão construídas 03 (três) torres de apartamentos de arquitetura contemporânea compostos por 2 (dois) subsolos, térreo e 13 (treze) pavimentos tipo, com amplos espaços de convívio

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO DE ACABAMENTOS

MEMORIAL DESCRITIVO DE ACABAMENTOS FLEX OSASCO II Avenida Transversal Sul, s/nº, Jd. Umuarama Osasco SP MEMORIAL DESCRITIVO DE ACABAMENTOS 08/11/12_R06 1 CONDOMÍNIO FLEX OSASCO II Av. Transversal Sul, s/nº, Jd. Umuarama Osasco SP MEMORIAL

Leia mais

SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE Nome/Nº RE.PRO.023. Memorial Descritivo (7.3.2)

SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE Nome/Nº RE.PRO.023. Memorial Descritivo (7.3.2) 02/07/22 12/12/22 Versão MEMORIAL DESCRITIVO RESIDENCIAL NERIÁ Rua A.J. Renner, 1.390 Estância Velha Canoas / RS Arquivo: P:\SGQ\Registros\ e Desenvolvimento\0-RE.PRO.023 - Memorial Descritivo V.\Residencial

Leia mais

Manual de Instruções Aparelho Abdominal

Manual de Instruções Aparelho Abdominal Manual de Instruções Aparelho Abdominal Parabéns, você acabou de adquirir o Aparelho Abdominal! Um produto ideal para você cuidar da sua saúde e do seu corpo no conforto da sua casa. Temos certeza que

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA A - DIRETRIZES PRELIMINARES

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA A - DIRETRIZES PRELIMINARES ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA OBJETO FORNECIMENTO E INSTALAÇÃO DE CÂMERAS DE SEGURANÇA - CFTV (CIRCUITOS FECHADOS DE TELEVISÃO), CATRACAS ELETRÔNICAS E DETECTORES DE METAIS NAS COMARCAS DE BICAS, CONSELHEIRO LAFAIETE,

Leia mais

CARROCERIAS E ÔNIBUS LTDA

CARROCERIAS E ÔNIBUS LTDA CERTIFICADO E TERMOS DE GARANTIA E MANUTENÇÃO CARROCERIAS RODOVIARIOS, URBANOS, MICROS E MINI MICROS CARROCERIAS E ÔNIBUS LTDA Este certificado foi elaborado para proporcionar as informações necessárias

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO COMERCIAL CHATÊAU DE LA VIE

MEMORIAL DESCRITIVO COMERCIAL CHATÊAU DE LA VIE MEMORIAL DESCRITIVO COMERCIAL CHATÊAU DE LA VIE Rua Clemente Pinto, 146. Pág. 1 / 9 1 GENERALIDADES E DISPOSIÇÕES GERAIS O presente memorial descritivo tem por objetivo especificar o tipo, qualidade e

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO RESIDENCIAL PETRA

MEMORIAL DESCRITIVO RESIDENCIAL PETRA MEMORIAL DESCRITIVO RESIDENCIAL PETRA Este documento de Memorial Descritivo de Especificação do Empreendimento RESIDENCIAL PETRA situado à Rua Limeira nº 566, bairro Piratininga, lotes 12, 13, 14, 15,

Leia mais

Ministério da Fazenda SUPERINTENDÊNCIA DE SEGUROS PRIVADOS

Ministério da Fazenda SUPERINTENDÊNCIA DE SEGUROS PRIVADOS PROJETO BÁSICO GESER Nº 04/07 FISCALIZAÇÃO DA OBRA DE IMPLANTAÇÃO DO SISTEMA DE SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIO E PÂNICO 1. OBJETO Contratação de empresa especializada para prestação de serviços de fiscalização

Leia mais

ORIENTAÇÕES SOBRE VISTORIAS

ORIENTAÇÕES SOBRE VISTORIAS Regulamentação: ORIENTAÇÕES SOBRE VISTORIAS Em Cascavel a vistoria do Corpo de Bombeiros foi regulamentada, pelo convênio entre a Prefeitura Municipal de Cascavel e o Corpo de Bombeiros, através da Lei

Leia mais

ML PROJETO E CONSTRUÇÃO LTDA

ML PROJETO E CONSTRUÇÃO LTDA ML PROJETO E CONSTRUÇÃO LTDA MEMORIAL DESCRITIVO DOS ACABAMENTOS Rua Prof Duplan, 115 / 125 Índice 1. APRESENTAÇÃO 2. PROJETO 3. ACABAMENTOS 4. DEMAIS ELEMENTOS CONSTRUTIVOS 5. OBSERVAÇÕES GERAIS 1. APRESENTAÇÃO

Leia mais

BASE ZW INVESTIMENTOS E PARTICIPAÇÕES LTDA. MEMORIAL DESCRITIVO

BASE ZW INVESTIMENTOS E PARTICIPAÇÕES LTDA. MEMORIAL DESCRITIVO BASE ZW INVESTIMENTOS E PARTICIPAÇÕES LTDA. MEMORIAL DESCRITIVO SALAS COMERCIAIS E ESTACIONAMENTOS 1 ÍNDICE 1. OBJETIVO...03 1.1. O EMPREENDIMENTO...03 1.2. PROJETOS E ÁREAS...03 1.3. - LOCAÇÃO DA OBRA...04

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO E ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS PARA AS OBRAS DE REFORMA DO GINÁSIO POLIESPORTIVO LOIOLA PASSARINHO E CONSTRUÇÃO DO ANEXO.

MEMORIAL DESCRITIVO E ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS PARA AS OBRAS DE REFORMA DO GINÁSIO POLIESPORTIVO LOIOLA PASSARINHO E CONSTRUÇÃO DO ANEXO. SECRETARIA MUNICIPAL DE PLANEJAMENTO CASTANHAL (PA) MEMORIAL DESCRITIVO E ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS PARA AS OBRAS DE REFORMA DO GINÁSIO POLIESPORTIVO LOIOLA PASSARINHO E CONSTRUÇÃO DO ANEXO. ABRIL/2014 REFORMA

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA. 1.2 A proposta deverá ser elaborada, por lote, com base no Anexo I Relação de Ar Condicionado.

TERMO DE REFERÊNCIA. 1.2 A proposta deverá ser elaborada, por lote, com base no Anexo I Relação de Ar Condicionado. ANEXO II TERMO DE REFERÊNCIA 1 DO OBJETO DA LICITAÇÃO 1.1 A presente licitação, na modalidade PREGÃO PRESENCIAL, do tipo MENOR POR LOTE, destina-se a na CONTRATAÇÃO DE EMPRESA ESPECIALIZADA PARA MANUTENÇÃO

Leia mais

Limpeza e Manutenção de Revestimentos Cerâmicos

Limpeza e Manutenção de Revestimentos Cerâmicos Manual Técnico Limpeza e Manutenção de Revestimentos Cerâmicos Manual Técnico Limpeza e Manutenção revisão julho/2015 1 Limpeza e Manutenção de Revestimentos Cerâmicos Revisão: Julho/2015 Este manual tem

Leia mais

STONE MOVER FIVE Manual do Usuário

STONE MOVER FIVE Manual do Usuário STONE MOVER FIVE Manual do Usuário SUMÁRIO Apresentação do produto... Especificações técnicas... 02 Conteúdo Embalagens... 03 Manual de Montagem... 04 Manual de Utilização... 05 Manutenção e Segurança...

Leia mais

Manual de instalação - Instruções Gerais. Para qualquer produto Grandini

Manual de instalação - Instruções Gerais. Para qualquer produto Grandini Manual de instalação - Instruções Gerais Para qualquer produto Grandini Atenção: este manual é genérico serve para qualquer produto que a grandini produz, banhiera, spa ou ofurô, de qualquer medida e modelo,

Leia mais

DESCRIÇÃO PRELIMINAR

DESCRIÇÃO PRELIMINAR ESPECIFICAÇÕES DESCRIÇÃO PRELIMINAR O Residencial Bruno Domingues será composto por 12 pavimentos, sendo 1 subsolo, 1 pilotis, 09 pavimentos tipo e 01 pavimento cobertura. Serão no total 57 apartamentos,

Leia mais

QUI-BIO. Laboratório de Química e Biologia PROGRAMA ENSINO MÉDIO INTEGRAL ENSINO INTEGRAL 2014 MEMORIAL DESCRITIVO DE REFORMA

QUI-BIO. Laboratório de Química e Biologia PROGRAMA ENSINO MÉDIO INTEGRAL ENSINO INTEGRAL 2014 MEMORIAL DESCRITIVO DE REFORMA 1/11 MEMORIAL DESCRITIVO DE REFORMA INTRODUÇÃO A escolha das salas a serem adequadas para o Laboratório de Química e Biologia, para a Sala de Preparo e para o Laboratório de Matemática e Física deverá

Leia mais

Dicas da Eletrobras Procel para economizar energia elétrica em residências e condomínios

Dicas da Eletrobras Procel para economizar energia elétrica em residências e condomínios Dicas da Eletrobras Procel para economizar energia elétrica em residências e condomínios Utilizar a energia elétrica com eficiência significa combater desperdícios, e todos nós devemos participar ativamente

Leia mais

Subsídio ConstruBusiness Grupo de Trabalho sobre Segurança em Edificações

Subsídio ConstruBusiness Grupo de Trabalho sobre Segurança em Edificações Subsídio ConstruBusiness Grupo de Trabalho sobre Segurança em Edificações SEGURANÇA EM EDIFICAÇÕES EXISTENTES (construídas há mais de 10 ou 15 anos) OBJETIVOS 1) Criação de obrigatoriedade de inspeção

Leia mais

ANEXO I Plano de Manutenção Preventiva

ANEXO I Plano de Manutenção Preventiva ANEO I Plano Preventiva 1. Estrutura Sistema Serviço Periodicidade Equipe Responsável 1.1. Fundações 1.2. Pilares 1.3. Vigas Inspeção de possíveis fissuras, trincas, rachaduras, ferragem aparente, desníveis,

Leia mais

PROCEDIMENTOS PARA EXPOSITORES E MONTADORA SERVIÇOS DE INFRA-ESTRUTURA E PROVIDÊNCIAS LEGAIS HOTEL GLÓRIA CAXAMBU

PROCEDIMENTOS PARA EXPOSITORES E MONTADORA SERVIÇOS DE INFRA-ESTRUTURA E PROVIDÊNCIAS LEGAIS HOTEL GLÓRIA CAXAMBU PROCEDIMENTOS PARA EXPOSITORES E MONTADORA SERVIÇOS DE INFRA-ESTRUTURA E PROVIDÊNCIAS LEGAIS HOTEL GLÓRIA CAXAMBU Cabe ao expositor regularizar seu estande perante as repartições federais, estaduais e

Leia mais

Memorial Descritivo ESPECIFICAÇÕES GERAIS

Memorial Descritivo ESPECIFICAÇÕES GERAIS Memorial Descritivo ESPECIFICAÇÕES GERAIS ENTRADA E JARDINS: Os acessos ao empreendimento foram estudados em conjunto pelos projetos arquitetônico e paisagístico, ressaltando a beleza de um jardim planejado,

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO DE CONSTRUÇÃO

MEMORIAL DESCRITIVO DE CONSTRUÇÃO Incorporação, Construção e Acabamento GAFISA S/A EDIFÍCIO HYPE JARDINS Alameda Itu, 957 MEMORIAL DESCRITIVO DE CONSTRUÇÃO A. UNIDADES AUTÔNOMAS: A 1. Pavimento Tipo Agosto, 2002 V.Final 1. Sala Estar /

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO DOS ACABAMENTOS ESPECIFICAÇÕES BÁSICAS. RESIDENCIAL ADONAI Rua Comendador Duval, 343 Jardim floresta Porto Alegre - RS

MEMORIAL DESCRITIVO DOS ACABAMENTOS ESPECIFICAÇÕES BÁSICAS. RESIDENCIAL ADONAI Rua Comendador Duval, 343 Jardim floresta Porto Alegre - RS MEMORIAL DESCRITIVO DOS ACABAMENTOS ESPECIFICAÇÕES BÁSICAS RESIDENCIAL ADONAI Rua Comendador Duval, 343 Jardim floresta Porto Alegre - RS 1 APRESENTAÇÃO O presente documento tem como objetivo, descrever

Leia mais

CONDOMÍNIO LINK RESIDENCIAL MORUMBI MEMORIAL DESCRITIVO I ESPECIFICAÇÕES

CONDOMÍNIO LINK RESIDENCIAL MORUMBI MEMORIAL DESCRITIVO I ESPECIFICAÇÕES CONDOMÍNIO LINK RESIDENCIAL MORUMBI MEMORIAL DESCRITIVO I ESPECIFICAÇÕES 1. SEGURANÇA PATRIMONIAL E EMERGÊNCIA CONTROLE DE ACESSO DE VEÍCULOS E PEDESTRES Portão automatizado de acesso para veículos e pedestres

Leia mais

MEMORIAL BLUE DIAMOND RESIDENCE

MEMORIAL BLUE DIAMOND RESIDENCE MEMORIAL BLUE DIAMOND RESIDENCE Foto ilustrativa. BLUE DIAMOND RESIDENCE 1. INFORMAÇÕES GERAIS 1.1 CONSTRUÇÃO E INCORPORAÇÃO: Ágil Construções e Incorporações Ltda 1.2 DIREÇÃO E ADMINISTRAÇÃO GERAL: Adair

Leia mais

RECEBIMENTO DE OBRA. Eng. Civil Flávia Zoéga Andreatta Pujadas Presidente do IBAPE/SP gestão 2014/2015 archeo@uol.com.br. IBAPE/SP www.ibape-sp.org.

RECEBIMENTO DE OBRA. Eng. Civil Flávia Zoéga Andreatta Pujadas Presidente do IBAPE/SP gestão 2014/2015 archeo@uol.com.br. IBAPE/SP www.ibape-sp.org. RECEBIMENTO DE OBRA Eng. Civil Flávia Zoéga Andreatta Pujadas Presidente do IBAPE/SP gestão 2014/2015 archeo@uol.com.br Inspeção Predial Eng. Civil Flávia Zoéga Andreatta Pujadas Presidente do IBAPE/SP

Leia mais

ESTADO DE GOIÁS SECRETARIA DA SEGURANÇA PÚBLICA CORPO DE BOMBEIROS MILITAR

ESTADO DE GOIÁS SECRETARIA DA SEGURANÇA PÚBLICA CORPO DE BOMBEIROS MILITAR ESTADO DE GOÁS SECRETARA DA SEGURANÇA PÚBLCA CORPO DE BOMBEROS MLTAR DRETORA DE DEFESA CVL Gerência de Segurança Contra ncêndio e Pânico NORMA TÉCNCA n. 40, de 05/03/07 Sistema de Proteção Contra Descargas

Leia mais

MANUAL DE CONDIÇÕES E VANTAGENS PARA INVESTIMENTO E USO DO SISTEMA ELÉTRICO:

MANUAL DE CONDIÇÕES E VANTAGENS PARA INVESTIMENTO E USO DO SISTEMA ELÉTRICO: 1/23 MANUAL DE CONDIÇÕES E VANTAGENS PARA INVESTIMENTO E USO DO SISTEMA ELÉTRICO: FULLTECH TECNOLOGIA E AUTOMAÇÃO Rua:Avelino Manoel Avrela, 1640 Bairro Cruzeiro, Caxias do Sul RS Fone: (54) 3029.0573/8133.5639

Leia mais

CRONOGRAMA FISICO-FINANCEIRO/MEMORIAL DESCRITIVO

CRONOGRAMA FISICO-FINANCEIRO/MEMORIAL DESCRITIVO CRONOGRAMA FISICO-FINANCEIRO/MEMORIAL DESCRITIVO Obra: Construção Institucional Sede Administrativa Proprietário: FENACLUBES Federação Nacional dos Clubes Esportivos Endereço da Obra: Rua Açaí 540 Jardim

Leia mais

- FUNDAÇÃO DE APOIO AO HEMOSC/CEPON

- FUNDAÇÃO DE APOIO AO HEMOSC/CEPON CP 290/2015 TERMO DE REFERÊNCIA 1. DO OBJETO Contratação de empresa especializada para execução, nas unidades HEMOSC Coordenador, CEPON Complexo, FAHECE-Sede, Almoxarifado FAHECE e Hospital de Apoio do

Leia mais

MANUAL DE OPERAÇÃO MÁQUINA DE LAVAR LOUÇA LAVA RÁPIDO

MANUAL DE OPERAÇÃO MÁQUINA DE LAVAR LOUÇA LAVA RÁPIDO MANUAL DE OPERAÇÃO MÁQUINA DE LAVAR LOUÇA LAVA RÁPIDO 1 1. AVISOS Leia este manual cuidadosamente antes de instalar e operar o equipamento. A operação da máquina deve estar de acordo com as instruções

Leia mais

OSCAR NIEMEYER MONUMENTAL (AVENIDA VISCONDE DE RIO BRANCO, 200 - NITERÓI) MEMORIAL DESCRITIVO DE CONSTRUÇÃO

OSCAR NIEMEYER MONUMENTAL (AVENIDA VISCONDE DE RIO BRANCO, 200 - NITERÓI) MEMORIAL DESCRITIVO DE CONSTRUÇÃO CHL Desenvolvimento Imobiliário S/A OSCAR NIEMEYER MONUMENTAL (AVENIDA VISCONDE DE RIO BRANCO, 200 - NITERÓI) MEMORIAL DESCRITIVO DE CONSTRUÇÃO (27/03/2014) 1 ACABAMENTO DAS UNIDADES AUTÔNOMAS 1.1 UNIDADES

Leia mais

ÍNDICE. Esperamos que nosso transportador de carga Tracionário, proporcione agilidade e segurança em seu trabalho.

ÍNDICE. Esperamos que nosso transportador de carga Tracionário, proporcione agilidade e segurança em seu trabalho. Esperamos que nosso transportador de carga Tracionário, proporcione agilidade e segurança em seu trabalho. Para que nosso produto tenha um resultado positivo, é de fundamental importância que o Manual

Leia mais

SMART START (Recirculação).

SMART START (Recirculação). MANUAL RCS-7BR 1/10 EXPERIENCE OUR INNOVATION SMART START (Recirculação). RCS-7BR MANUAL DE INSTRUÇÕES (UTILIZAÇÃO E INSTALAÇÃO) MODELO: RCS-7BR PARABÉNS!!! VOCÊ ACABOU DE ADQUIRIR UM DOS MELHORES APARELHOS

Leia mais

LAUDO TÉCNICO DE INSPEÇÃO PREDIAL ENGENHARIA DIAGNÓSTICA

LAUDO TÉCNICO DE INSPEÇÃO PREDIAL ENGENHARIA DIAGNÓSTICA LAUDO TÉCNICO DE INSPEÇÃO PREDIAL ENGENHARIA DIAGNÓSTICA SUMÁRIO 1. CONSIDERAÇÕES INICIAIS 1.1 Dos dados 1.2 Identificação do imóvel 1.3 Tipologia 2. OBJETIVOS 2.1 Critérios utilizados 2.2 Nível de inspeção

Leia mais

PLANO DE MANUTENÇÃO E CONSERVAÇÃO DE EDIFICAÇÕES DA FACULDADE DE CIÊNCIAS SOCIAIS DE GUARANTÂ DO NORTE

PLANO DE MANUTENÇÃO E CONSERVAÇÃO DE EDIFICAÇÕES DA FACULDADE DE CIÊNCIAS SOCIAIS DE GUARANTÂ DO NORTE PLANO DE MANUTENÇÃO E CONSERVAÇÃO DE EDIFICAÇÕES DA FACULDADE DE CIÊNCIAS SOCIAIS DE GUARANTÂ DO NORTE 2010 PLANO DE MANUTENÇÃO E CONSERVAÇÃO DE EDIFICAÇÕES Apresentação Este plano, preparado pela União

Leia mais

Tel.: 00 55 (11) 9 8799-7736 tim 9 6097-0774 oi www.tudoengenharia.com.br tudoengenharia@gmail.com

Tel.: 00 55 (11) 9 8799-7736 tim 9 6097-0774 oi www.tudoengenharia.com.br tudoengenharia@gmail.com Conheça as soluções TUDO ENGENHARIA para sua Empresa e Particular. Tel.: 00 55 (11) 9 8799-7736 tim 9 6097-0774 oi www.tudoengenharia.com.br tudoengenharia@gmail.com Avenida Luis Carlos Berrini, nº 550

Leia mais

LOCALIZAÇÃO Rua Desembargador Barreto Cardoso, 352, Gruta de Lourdes, Maceió AL.

LOCALIZAÇÃO Rua Desembargador Barreto Cardoso, 352, Gruta de Lourdes, Maceió AL. ED. TACIANA MONTENEGRO LOCALIZAÇÃO Rua Desembargador Barreto Cardoso, 352, Gruta de Lourdes, Maceió AL. EMPREENDIMENTO É composto por 11 (onze) pavimentos, sendo, 01(um) subsolo, 01 (um) pilotis e 09 (nove)

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS DE ACABAMENTOS VIDA VIVA CLUBE IGUATEMI MEM - 02-08

MEMORIAL DESCRITIVO ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS DE ACABAMENTOS VIDA VIVA CLUBE IGUATEMI MEM - 02-08 MEMORIAL DESCRITIVO ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS DE ACABAMENTOS VIDA VIVA CLUBE IGUATEMI MEM - 02-08 PORTO ALEGRE - RS 10/04/2012 ÍNDICE 1 - ACABAMENTOS APARTAMENTOS TIPO 2- ÁREAS CONDOMINIAIS 2.1 - ÁREAS DE

Leia mais