JORNAL DE NEGÓCIOS. 5. Europa abre caminho à descida dos juros da dívida nacional. O Conselho Europeu produziu mais resultados do que os analistas

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "JORNAL DE NEGÓCIOS. 5. Europa abre caminho à descida dos juros da dívida nacional. O Conselho Europeu produziu mais resultados do que os analistas"

Transcrição

1 RESUMO DE IMPRENSA Segunda-feira, 14 de Março de 2011 JORNAL DE NEGÓCIOS 1. Nova vaga de cortes. Portugal em risco de crise total. Falta consenso político e social ameaça destruir o apoio que os países do euro deram ao plano de austeridade português. A alternativa ao modelo de intervenção aprovado na sexta é um resgate à grega e irlandesa. (págs. 4 e 5) 2. PSD em contagem decrescente para a demissão de Sócrates. PSD espera que a situação se precipite antes da Cimeira. Assis diz que o PS tem de ponderar seriamente a situação. Mas não confirma demissão. (pág. 5) 3. Portugal aposta em que a ajuda europeia limite juros entre 5% a 6%. Novo modelo de ajuda europeia prevê a possibilidade de o Fundo europeu financiar directamente os Estados para reduzir as taxas de juro no mercado primário. (págs. 6 e 7) 4. Austeridade retira 14 mil milhões até A estratégia orçamental apresentada na sexta-feira aponta para que as medidas de austeridade retirem, nos próximos três anos, cerca de 14 mil milhões de euros à economia portuguesa. Este é o resultado dos menos gastos e mais impostos necessários para reduzir o défice público para os 2% do PIB em Sem surpresa, 2011 será o ano de grande impacto recessivo. ( ) (págs. 6 e 7) 5. Europa abre caminho à descida dos juros da dívida nacional. O Conselho Europeu produziu mais resultados do que os analistas 1

2 previam, com destaque para o compromisso assumido por Bruxelas de utilizar os fundos de emergência para adquirir dívida dos países do euro. Esse factor, aliado ao aplauso das autoridades às novas medidas de redução do défice de Portugal, abre caminho a uma descida dos juros da dívida. ( ) (pág. 7) 6. Galp atesta bombas em resposta à paralisação dos camionistas. Camionistas iniciam hoje paralisação por tempo indeterminado. Governo diz que é impossível, do ponto de vista legal, reduzir o preço do gasóleo. (págs. 8 e 9) 7. Sector público. Subida do preço dos combustíveis põe em risco metas de cortes. Ministério das Finanças diz que os planos não estão a ser revistos, apesar do aumento do preço do petróleo, que pesa na factura das sociedades controladas pelo Estado. (págs. 12 e 13) 8. Energia. Licenciamento das renováveis em Portugal leva nota negativa. Relatório europeu dá a Portugal apreciação positiva em apenas um de cinco critérios de análise. (págs. 14 e 15) 9. Governo quer electricidade verde com preços de mercado. Mais austeridade. A actualização do Programa de Estabilidade e Crescimento (PEC), que o Ministério das Finanças apresentou sextafeira, trouxe uma promessa: a da introdução de alterações à legislação para incentivar os produtores de energia renovável a vender energia no mercado. O Governo quer, assim, que a electricidade verde deixe de ter uma tarifa fixa de venda à rede, para ser transaccionada no mercado grossista ibérico em condições semelhantes às das fontes eléctricas. ( ) (págs. 14 e 15) 10. Rocha ornamental. China absorve calcário luso e impulsiona preço oito vezes. Vendas para a China deverão este ano aumentar 50%, guindando este mercado à liderança das exportações. (págs. 18 e 19) 2

3 11. Tecnologias. Portugal está entre os 50 países mais atractivos para o outsourcing. País garantiu manutenção ranking do Global Services Location Index da AT Kearnay, mas ocupa o último lugar. (pág. 20) 12. Petróleo cai, mas preço da gasolina pode subir. Barril de Brent registou a primeira queda semana em dois meses. A queda do petróleo mão impediu a subida dos seus derivados. A valorização foi, no entanto, menos acentuada do que em semanas anteriores. (pág. 21) 13. Regulação. BCE vai fiscalizar desalavancagem da banca portuguesa. Core tier one do sector financeiro vai ter de ficar acima de 8%. Bancos não informados das novas exigências mas afirmam estar tranquilos. (págs. 22 e 23) 14. Líderes europeus prosseguem negociações sobre crise da dívida. A época de resultados anuais em Lisboa fica praticamente concluída esta semana, com Sonae, Mota-Engil e Brisa a prestarem contas. (suplemento Investidor Privado pág. XIV) 15. Governo insiste nos tectos às despesas de saúde para 1,5 milhões de contribuintes. Sócrates volta a propor limites à dedução de despesas de saúde e educação para todos os contribuintes, medida recusada por Passos Coelho no ano passado. (pág. 32) 16. Pensões médias pagam mais IRS e mínimas ficam congeladas. IRS pode subir até mais 540 euros para os reformados. Mais austeridade. Penalização abrange quem ganhar menos de euros brutos/ mês. Mas a factura maior é para pensões abaixo de euros. (págs. 34 e 35) 17. Governo quer reduzir direitos durante e depois do despedimento. Pacote apresentado A margem da concertação social pode dificultar 3

4 consensos na obtenção do acordo tripartido que o Governo quer fechar em breve. Hoje arrancam as reuniões bilaterais. ( ) Patrões endurecem posições. A apresentação das medidas pelo ministro das Finanças, na mesma altura em que Helena André discutia outras questões com os parceiros sociais, vem dificultar o acordo tripartido que o Governo quer começar a negociar nas reuniões bilaterais de hoje, disseram ao Negócios os representantes da Indústria (CIP) e do Comércio (CCP), depois da UGT ter dado um sinal idêntico. Houve uma quebra de confiança, resume António Saraiva. ( ) (págs. 36 e 37) 18. Patrões tentam hoje reduzir encargos com o novo fundo. O nono mecanismo de financiamento dos empregadores deverá assegurar metade das novas indemnizações, uma percentagem que a CIP considera exagerada. Até porque pode atirar a contribuição das empresas para 0,8% do salário. ( ) (pág. 37) 19. Sócrates reduz a pó dois PEC e anuncia mais 4,5 do PIB em austeridade. Governo já em Julho previa actuais objectivos orçamentais. Impacto somado de PEC 2, PEC 3 e PEC 4 era suficiente para garantir excedente orçamental em (págs. 38 e 39) 20. Exportações e investimento atiram PIB para o vermelho. Antecipação de consumo devido a subida do IVA evitou quebra em torno dos 0,8%. Investimento está ao nível de (pág. 39) DIÁRIO ECONÓMICO 21. Governo quer aumentar imposto automóvel. Secretário de Estado dos Assuntos Fiscais diz ao Económico que é preciso travar a importação de automóveis e racionalizar taxas de IVA. Mais de 30% das pensões do Estado sofrem cortes em Partidos de direita querem acelerar crise política recusando PEC. Entrevista a Eduardo Catroga, ex-ministro das Finanças. O Governo escolheu não 4

5 negociar nada. Entrevista a Vitalino Canas, dirigente socialista. Sem credibilização do PEC, Governo tem de pensar questão de permanência. Juros da dívida portuguesa passam barreira dos 8%. União Europeia cria uma nova linha de salvação para Portugal. (págs. 1 e 4 a 15) 22. Informação do Económico a partir de hoje no seu ipad. (pág. 1) 23. Preços da água com diferença de mais de 370 euros no País. Entrevista a Jaime Baptista, presidente da ERSAR. Regulador dá pareceres sobre tarifas a cobrar a partir de (págs. 16 e 17) 24. Empresas temem bloqueio de estradas. Paralisação de camionistas começou à meia-noite. GNR vai vigiar mas empresas receiam que transportadores bloqueiem as estradas. (págs. 1 e 18) 25. Inflação. Preços em Portugal subiram 3,5% em Fevereiro. (pág. 18) 26. Comércio. Exportações aumentaram 19% mas défice da balança comercial agrava-se. (pág. 18) 27. Mil entidades públicas entregam planos de anticorrupção. CPC vai recomendar ao Governo medidas de combate à corrupção no fisco e por titulares de cargos públicos. Entrevista a José Tavares, secretário-geral do Conselho de Prevenção da Corrupção. Conselho emitirá em breve recomendações. (págs. 20 e 21) 28. Terramoto abala estabilidade orçamental do Japão. As despesas adicionais vão dificultar de modo significativo os esforços do governo de Tóquio para reduzir o maior endividamento público do mundo. (págs. 24 e 25) 29. Bruxelas abre novo processo contra Portugal por golden share na EDP. (págs. 30) 5

6 30. Petrolíferas vão ser convidadas a pesquisar gás de xisto em Portugal. (pág. 32) 31. Comércio. Empresas de comércio perderam 40 mil trabalhadores no ano passado. Em comunicado, a CCP afirmou que, considerando que estes dados coincidem com o período em que se assistiu à liberalização das aberturas de estabelecimentos comerciais, pode concluir-se que a expansão e a concentração da distribuição teve um impacto claramente negativo sobre o nível de emprego no sector. (pág. 33) 32. Sonangol atinge 14,59% do BCP. (pág. 39) 33. Conheça todas as novas medidas do plano de austeridade. Cortes nas pensões atingem 180 mil pessoas. Nova proposta de subida do IVA nos alimentos. Despedimentos mais baratos também para os contratos já existentes. Governo anuncia nova subida do IRS com mais limites às deduções fiscais. Carga fiscal sobe nas empresas. Governo admite recessão e reforça austeridade. (suplemento D.E.) 34. Despedimentos mais baratos também para contratos actuais. Desde o princípio defendemos a aplicação a todos os contratos. Para ter efeitos na reestruturação das empresas, teria que ter aspectos retroactivos, afirmou ao DE, o presidente da CCP. Ainda do lado do patronato, a CIP, era uma das entidades que, apesar de concordar com o alargamento das regras aos trabalhadores actuais, também salientava que isso seria mudar as regras a meio do jogo. O anúncio de novas medidas de austeridade surpreendeu os parceiros sociais, que falavam de pressões externas. (suplemento D.E., pág. 8) 35. Colaboração IMF Informação de Mercados Financeiros. Mervyn King mantém taxa de juro nos 0,5% apesar da subida da inflação. (suplemento Mercados, pág. 8) 6

7 36. Península Ibérica de novo no centro do furacão. Portugal e Espanha voltam de novo a testar o mercado de dívida com três leilões na quarta e na quinta-feira. Será mais um teste de fogo para a Ibéria. (suplemento Mercados, pág. 18) PÚBLICO 37. Plano de ajuda europeia está quase pronto, mas crise política ameaça comprometê-lo. CDS-PP avançará com resolução na AR para se votar PEC IV caso o Governo se recuse a fazê-lo. (págs. 1, 4 e 5) 38. Japão em estado de alerta com risco de explosão nuclear descontrolada. Japão vive a pior crise desde a II Guerra Mundial, diz o primeiro-ministro. Número de mortos poderá ultrapassar os 20 mil. (págs. 1, 2 e 3) 39. Hungria. Nova Constituição começa a ser discutida hoje. Budapeste torna inconstitucional dívida pública superior a 50 por cento do PIB. (pág. 13) 40. Insolvências. Número de empresas em dificuldades disparou 7,8% em Gestores de falências perdem primeira batalha legal contra as Finanças. (pág. 14) JORNAL DE NOTÍCIAS 41. Governo admite extinguir mil freguesias. Mapa autárquico em debate pode ditar redução de alguns municípios e relocalização de outros. (págs. 1, 2 e 3) 7

8 42. Tragédia no país do sol nascente. Sem rasto de 20 mil habitantes de duas cidades. Alarme de quatro centrais do Japão. (págs. 4 e 5) 43. Gerações têm novos protestos e movimento cívico na calha. Fórum no Facebook segue-se à manif com outras agendadas e debate de organização e ideias. Membros dizem que criar novo partido seria uma traição. (pág. 7) 44. CDS-PP quer forçar votação do novo PEC. Paulo Portas acusa Sócrates de omitir informação ao Parlamento. JSD pede demissão do Governo. (pág. 8) 45. Um minuto para subir 261 metros. Edifício mais alto da Europa foi inaugurado em Istambul. Apartamentos tê preços milionários. (pág. 17) 46. Paralisação de camiões colhe apoio da ANTRAM. Ministro da Economia fala em decisão precipitada e teme efeitos na economia. (pág. 33) DIÁRIO DE NOTÍCIAS 47. O Estado da Assembleia da República. Orçamento a baixar com gastos sempre a subir. Contradição. Despesas da Assembleia da República com funcionários e subvenções dos grupos parlamentares tiveram crescimento galopante nos últimos anos. No caso dos gastos com o pessoal, a factura aumentou 2,2 milhões de euros de 2010 para (págs. 2 a 13) 48. Dívidas com medicamentos. Crise. Doentes podem para saldar dívida dos remédios, quando recebem a reforma ou o ordenado ou deixam de levar medicamentos para casa. Farmacêuticos dizem que pedidos para vender fiado têm disparado. (págs. 14 e 15) 8

9 49. Geração à rasca cria fórum de discussão de ideias e organiza-se. Day after. Depois do protesto nas ruas surge agora uma nova iniciativa. O Fórum Gerações vai querer debater ideias e políticas. (págs. 18 e 19) 50. Portas obriga PSD a clarificar voto no PEC e Assis admite crise política. Estabilidade. Governo parece ter ficado isolado nas medidas de austeridade, sendo agora contestado em uníssono por toda a oposição. (págs. 20 e 21) 51. Ex-scut. Tensão entre Governo da Galiza e Portugal. Executivo galego escreve a Paulo Campos. O Governo Regional da Galiza escreveu este mês ao secretário de Estado das Obras Públicas, Paulo Campos, queixando-se de prejuízos por três das quatro medidas apresentadas pelo Governo português para facilitar o acesso dos condutores espanhóis às antigas auto-estradas Scut continuarem por cumprir, o que provocou um problema de mobilidade evidente entre aquela região e o Norte de Portugal. ( ) (pág. 22) 52. Banca. Big brother dos bancos vai estar pronto em Maio. Instituições financeiras vão ter de reportar ao Banco de Portugal todas as contas abertas e por quem. Autoridades judiciais vão ter acesso à megabase de dados. (DN bolsa pág. 37) 53. Inquérito. Poucos empresários contratam. Trabalho. A motivação dos trabalhadores é o factor quer os empresários portugueses mais valorizam, segundo um estudo da Hay. (DN bolsa pág. 38) CORREIO DA MANHÃ 54. Pesados ameaçam parar o País. Greve dos camionistas trava reabastecimento. (págs. 1 e 24) 9

10 55. Risco nuclear aumenta no Japão. Catástrofe nas centrais deixa o Mundo a tremer. Portuguesa entre os desaparecidos. (págs. 1, 26 e 27) 56. Transportes. Greves em serviços e sem alternativos. Metropolitano de Lisboa vai parar amanhã de manhã. Circulação normalizada a partir das 11h00, diz empresa. Metro dá início a nova vaga de paralisações. (pág. 25) 57. Brasília. Guido Mantega, das Finanças, poderá ser o primeiro a cair. Dilma furiosa com ministro de Lula. (pág. 30) i 58. Mil milhões. Governo quer pôr reformados a pagar um quarto do PEC em PS responsabiliza PSD pela instabilidade política. Parlamento tem que discutir as medidas, diz o CDS. As medidas apresentadas sexta-feira significam que só em 2012 o Estado vai poupar 435 por cada um dos 2,3 milhões de reformados. Para já, só o PS aceita aprovar o PEC IV. (págs. 1 e 22 a 27) 59. Fundo Europeu. Portugal pagaria juros iguais aos que o Governo já prevê no Orçamento do Estado. A Europa aprovou uma descida de 4,2% dos juros que a Grécia paga pelo seu pacote de resgate. Portugal pagaria ainda menos. (pág. 8) 60. Face Oculta. Juiz decide hoje quem vai a tribunal. (pág. 18) 61. Finanças pessoais. Dia Mundial do Consumidor. Cliente insatisfeito tem sempre razão. Faz amanhã 49 anos que o então presidente John Kennedy falou pela primeira vez em direitos do consumidor. (págs. 28 e 29) 62. Brasil. Epidemia de dengue no estado de Ceará. (pág. 40) 10

11 OJE 63. Petróleo. Voltam a subir esta semana. (pág. 1) 64. PEC IV. Medida dividem economistas. (págs. 1 e 8) 65. Preços. Inflação em Fevereiro cai ligeiramente. (pág. 1) 66. INE. PIB contrai 0,3% no quarto trimestre (pág. 3) 67. Banca. Futuro das instituições financeiras passa pela concentração, diz BBVA. (pág. 6) 68. FEEF. Zona Euro aumenta fundo de resgate (pág. 9) 69. Conjuntura. Défice da balança comercial agrava em 74,7 milhões de euros. (pág. 9) 11

Resumo de Imprensa. Quarta-feira, 26 de Novembro de 2008

Resumo de Imprensa. Quarta-feira, 26 de Novembro de 2008 Resumo de Imprensa Quarta-feira, 26 de Novembro de 2008 DIÁRIO ECONÓMICO 1. Constâncio tem saída para salvar BPP (págs. 1, 6 a 11) Banco de Portugal indica administradores para o banco de João Rendeiro

Leia mais

Resumo de Imprensa. Sábado e domingo, 18 e 19 de Outubro de 2008

Resumo de Imprensa. Sábado e domingo, 18 e 19 de Outubro de 2008 Resumo de Imprensa Sábado e domingo, 18 e 19 de Outubro de 2008 PÚBLICO (domingo, 19) 1. Bastaram 20 minutos de chuva intensa para criar o caos em Lisboa (pág. 1 e 25) 2. Contestação ao Governo. Manifestação

Leia mais

Resumo de Imprensa. Terça-feira, 1 de Abril de 2008

Resumo de Imprensa. Terça-feira, 1 de Abril de 2008 DIÁRIO ECONÓMICO Resumo de Imprensa Terça-feira, 1 de Abril de 2008 1. Prestação da casa atinge máximos (págs. 1, 24 e 25) A prestação mensal do crédito à habitação voltou a subir: Em Março, a Euribor

Leia mais

1. Fisco cobra mais IMI do que devia a senhorios. IMI depende da subida das rendas (manchete, págs. 28 e 29)

1. Fisco cobra mais IMI do que devia a senhorios. IMI depende da subida das rendas (manchete, págs. 28 e 29) RESUMO DE IMPRENSA Segunda-feira, 14 de Junho de 2010 JORNAL DE NEGÓCIOS 1. Fisco cobra mais IMI do que devia a senhorios. IMI depende da subida das rendas (manchete, págs. 28 e 29) 2. Certificados do

Leia mais

Resumo de Imprensa. Dos dias, 5 e 6 de Abril de 2008

Resumo de Imprensa. Dos dias, 5 e 6 de Abril de 2008 Resumo de Imprensa Dos dias, 5 e 6 de Abril de 2008 JORNAL DE NOTÍCIAS (dia, 6) 1. Teixeira dos Santos não partilha pessimismo sobre crise económica (pág. 25) Ministro das Finanças acompanha a crise internacional

Leia mais

RESUMO DE IMPRENSA. Sexta-feira, 21 de Agosto de 2009

RESUMO DE IMPRENSA. Sexta-feira, 21 de Agosto de 2009 RESUMO DE IMPRENSA Sexta-feira, 21 de Agosto de 2009 JORNAL DE NEGÓCIOS 1. Escolher os melhores depósitos vai ser mais fácil (págs. 1, 20 e 21). Saiba o que muda com as novas regras do Banco de Portugal.

Leia mais

NOVIDADES LEGISLATIVAS E REGULAMENTARES MAIS SIGNIFICATIVAS

NOVIDADES LEGISLATIVAS E REGULAMENTARES MAIS SIGNIFICATIVAS DESTAQUES DE 27 A 31 DE MAIO NOVIDADES LEGISLATIVAS E REGULAMENTARES MAIS SIGNIFICATIVAS ACTIVIDADE PARLAMENTAR E PROCESSO LEGISLATIVO ÚLTIMAS INICIATIVAS Proposta de Lei 151/XII Procede à primeira alteração

Leia mais

3. Energia. Concursos para mini-hídricas já foram lançados e somam 128 MW. Empresas têm até 25 de Novembro para apresentar projectos. (pág.

3. Energia. Concursos para mini-hídricas já foram lançados e somam 128 MW. Empresas têm até 25 de Novembro para apresentar projectos. (pág. RESUMO DE IMPRENSA Segunda-feira, 25 de Outubro de 2010 JORNAL DE NEGÓCIOS 1. Salário de trabalhadores das empresas do Estado com cortes acima de 20%. Rendimentos menores são os mais afectados. Saiba tudo

Leia mais

ACTUALIZAÇÃO ANUAL DO PROGRAMA DE ESTABILIDADE E CRESCIMENTO: PRINCIPAIS LINHAS DE ORIENTAÇÃO. 11 de Março de 2011

ACTUALIZAÇÃO ANUAL DO PROGRAMA DE ESTABILIDADE E CRESCIMENTO: PRINCIPAIS LINHAS DE ORIENTAÇÃO. 11 de Março de 2011 Ministério das Finanças e da Administração Pública ACTUALIZAÇÃO ANUAL DO PROGRAMA DE ESTABILIDADE E CRESCIMENTO: PRINCIPAIS LINHAS DE ORIENTAÇÃO 11 de Março de 2011 Enquadramento No actual quadro de incerteza

Leia mais

RESUMO DE IMPRENSA. Quarta-feira, 9 de Setembro de 2009

RESUMO DE IMPRENSA. Quarta-feira, 9 de Setembro de 2009 RESUMO DE IMPRENSA Quarta-feira, 9 de Setembro de 2009 JORNAL DE NEGÓCIOS 1. Bancos voltam a dar mais crédito às empresas (manchete, pág. 17). Malparado em alta nos empréstimos a famílias e sociedades.

Leia mais

RESUMO DE IMPRENSA. Sexta-feira, dia 9 de Maio de 2008

RESUMO DE IMPRENSA. Sexta-feira, dia 9 de Maio de 2008 DIÁRIO ECONÓMICO RESUMO DE IMPRENSA Sexta-feira, dia 9 de Maio de 2008 1. Sonangol avalia entrada na Portucel (pág. 1, 14 e 15) O braço financeiro de Luanda quer ajuda da papeleira de Queiroz Pereira para

Leia mais

RESUMO IMPRENSA. Quinta-feira, 3 de Setembro de 2009

RESUMO IMPRENSA. Quinta-feira, 3 de Setembro de 2009 RESUMO IMPRENSA Quinta-feira, 3 de Setembro de 2009 JORNAL DE NEGÓCIOS 1. Gabinete de Sócrates acusado de ameaçar gestor do PSD. Houve abordagens do gabinete de Sócrates para que Alexandre Relvas medisse

Leia mais

Aumento do Custo de Vida Degradação das condições económicas e sociais para a generalidade dos portugueses

Aumento do Custo de Vida Degradação das condições económicas e sociais para a generalidade dos portugueses Aumento do Custo de Vida Degradação das condições económicas e sociais para a generalidade dos portugueses O ano de 2011 é marcado por um acentuado aumento do custo de vida, concretizado pela subida da

Leia mais

RESUMO DE IMPRENSA. Terça-feira, 1 de Julho de 2008

RESUMO DE IMPRENSA. Terça-feira, 1 de Julho de 2008 RESUMO DE IMPRENSA Terça-feira, 1 de Julho de 2008 JORNAL DE NEGÓCIOS 1. Milionários investem em depósitos a prazo e obrigações. Semestre negro nas acções e bom nas matérias-primas cria receio de crash

Leia mais

Resumo de Imprensa. Quinta-feira, 19 de Junho de 2008

Resumo de Imprensa. Quinta-feira, 19 de Junho de 2008 Resumo de Imprensa Quinta-feira, 19 de Junho de 2008 DIÁRIO ECONÓMICO 1. Setenta respostas sobre as mudanças na função pública. Últimas medidas arrancam em Janeiro (págs. 1, 14 a 21) Aumentos, reformas,

Leia mais

Resumo de Imprensa. Sábado e domingo, 12 e 13 de Julho de 2008

Resumo de Imprensa. Sábado e domingo, 12 e 13 de Julho de 2008 Resumo de Imprensa Sábado e domingo, 12 e 13 de Julho de 2008 DIÁRIO DE NOTÍCIAS (domingo, 13) 1. Código do Trabalho. Empresas vão poder impor período de férias a trabalhadores (pág. 1 e 40) Patrões livres

Leia mais

Resumo de Imprensa. Quinta-feira, 16 de Julho de 2009

Resumo de Imprensa. Quinta-feira, 16 de Julho de 2009 Resumo de Imprensa Quinta-feira, 16 de Julho de 2009 DIÁRIO ECONÓMICO 1. Portugal vai ter em 2010 mais um ano de recessão (pág. 4) No próximo ano, a contracção será menor, mas a economia está longe de

Leia mais

Resumo de Imprensa. Quarta-feira, 3 de Dezembro de 2008

Resumo de Imprensa. Quarta-feira, 3 de Dezembro de 2008 Resumo de Imprensa Quarta-feira, 3 de Dezembro de 2008 DIÁRIO ECONÓMICO 1. Indústria automóvel ganha novos apoios financeiros (págs. 1, 4 a 7) José Sócrates e Manuel Pinho avançam hoje com um plano para

Leia mais

Resumo de Imprensa. Quarta-feira, dia 30 de Janeiro de 2008

Resumo de Imprensa. Quarta-feira, dia 30 de Janeiro de 2008 Resumo de Imprensa Quarta-feira, dia 30 de Janeiro de 2008 DIÁRIO ECONÓMICO 1. Exportações para Angola atingem valores recorde (págs.1, 12 e 13) As empresas portuguesas já vendem quase tanto para aquele

Leia mais

RESUMO DE IMPRENSA. Terça-feira, 25 de Agosto de 2009

RESUMO DE IMPRENSA. Terça-feira, 25 de Agosto de 2009 RESUMO DE IMPRENSA Terça-feira, 25 de Agosto de 2009 JORNAL DE NEGÓCIOS 1. Fusões disparam entre fundos de investimento (págs. 1, 18 e 19). BBVA e BES são os bancos que mais fundos juntaram. 2. Eleições

Leia mais

Resumo de Imprensa. Sexta-feira, 17 de Outubro de 2008. 1. 148 mil reformados da função pública vão ter um aumento adicional (pág.

Resumo de Imprensa. Sexta-feira, 17 de Outubro de 2008. 1. 148 mil reformados da função pública vão ter um aumento adicional (pág. JORNAL DE NEGÓCIOS Resumo de Imprensa Sexta-feira, 17 de Outubro de 2008 1. 148 mil reformados da função pública vão ter um aumento adicional (pág. 1, 22 e 23) 2. BCE rompe fronteiras do euro e concede

Leia mais

1 A INEFICIENCIA ENERGÉTICA EM PORTUGAL AGRAVA A CRISE ECONÓMICA E SOCIAL

1 A INEFICIENCIA ENERGÉTICA EM PORTUGAL AGRAVA A CRISE ECONÓMICA E SOCIAL Ineficiência energética agrava a crise económica e social em Portugal Pág. 1 A INEFICIENCIA ENERGÉTICA EM PORTUGAL AGRAVA A CRISE ECONÓMICA E SOCIAL RESUMO DESTE ESTUDO A baixa eficiência como é utilizada

Leia mais

RESUMO DE IMPRENSA. Segunda-feira, 22

RESUMO DE IMPRENSA. Segunda-feira, 22 RESUMO DE IMPRENSA Segunda-feira, 22 JORNAL DE NEGÓCIOS 1. Novos reformados do Estado recebem em média 1.428 euros por mês. Este ano já se reformaram 16.200 funcionários públicos. As pensões médias estão

Leia mais

Red Econolatin www.econolatin.com Expertos Económicos de Universidades Latinoamericanas

Red Econolatin www.econolatin.com Expertos Económicos de Universidades Latinoamericanas Red Econolatin www.econolatin.com Expertos Económicos de Universidades Latinoamericanas BRASIL Setembro 2011 Profa. Anita Kon PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SÃO PAULO PROGRAMA DE ESTUDOS PÓS GRADUADOS

Leia mais

1. Marcelo Rebelo de Sousa vai ser um bom Presidente da República?, RTP 1 - Prós e Contras, 25-01-2016 1

1. Marcelo Rebelo de Sousa vai ser um bom Presidente da República?, RTP 1 - Prós e Contras, 25-01-2016 1 Tv's_25_Janeiro_2016 Revista de Imprensa 1. Marcelo Rebelo de Sousa vai ser um bom Presidente da República?, RTP 1 - Prós e Contras, 25-01-2016 1 2. Conversa com Marisa Matias, RTP 2 - Página 2, 25-01-2016

Leia mais

RESUMO DE IMPRENSA. Sábado e domingo, dias 18 e 19 de Abril de 2009

RESUMO DE IMPRENSA. Sábado e domingo, dias 18 e 19 de Abril de 2009 RESUMO DE IMPRENSA Sábado e domingo, dias 18 e 19 de Abril de 2009 PÚBLICO (SÁBADO, 18) 1. Crise. Cavaco alerta Governo para perigos da ocultação da realidade. Cavaco duro como nunca para Governo e empresários.

Leia mais

Resumo de Imprensa. Sábado e domingo, 10 e 11 de Janeiro de 2009

Resumo de Imprensa. Sábado e domingo, 10 e 11 de Janeiro de 2009 Resumo de Imprensa Sábado e domingo, 10 e 11 de Janeiro de 2009 PÚBLICO (Sábado, 10) 1. Mobilidade. Obra no Pomarão evita deslocações de centenas de quilómetros. Ponte vai ligar Alentejo à Andaluzia e

Leia mais

1. 14,8 2009 18,7 2010 26,6 2011. E,

1. 14,8 2009 18,7 2010 26,6 2011. E, RESUMO DE IMPRENSA Sexta-feira, 06 de Abril de 2012 PÚBLICO 1. Reformas antecipadas suspensas enquanto durar a ajuda da troika. Os pensionistas voluntários passaram de 14,8 mil em 2009 para 18,7 mil em

Leia mais

RESUMO DE IMPRENSA. Quarta-feira, dia 29 de Abril de 2009

RESUMO DE IMPRENSA. Quarta-feira, dia 29 de Abril de 2009 RESUMO DE IMPRENSA Quarta-feira, dia 29 de Abril de 2009 DIÁRIO ECONÓMICO 1. Moody s em Lisboa para avaliar o risco da economia portuguesa. Fernando Ulrich diz que Portugal tem argumentos para evitar uma

Leia mais

Resumo de Imprensa. Segunda-feira, 2 de Novembro de 2009

Resumo de Imprensa. Segunda-feira, 2 de Novembro de 2009 1 Resumo de Imprensa Segunda-feira, 2 de Novembro de 2009 DIÁRIO ECONÓMICO 1. Privatização do BPN estará pronta até final de 2010. Francisco Bandeira, presidente do banco, disse ao Diário Económico esperar

Leia mais

MERCADO DE MEIOS ELETRÔNICOS DE PAGAMENTO POPULAÇÃO E COMÉRCIO - ANO V. Indicador de atividade da micro e pequena indústria de São Paulo.

MERCADO DE MEIOS ELETRÔNICOS DE PAGAMENTO POPULAÇÃO E COMÉRCIO - ANO V. Indicador de atividade da micro e pequena indústria de São Paulo. 1 MERCADO DE MEIOS ELETRÔNICOS DE PAGAMENTO POPULAÇÃO E COMÉRCIO - ANO V Indicador de atividade da micro e pequena indústria de São Paulo Abril / 2014 Metodologia 2 Metodologia 3 Técnica Pesquisa quantitativa,

Leia mais

Resumo de Imprensa. Dos dias, 10 e 11 de Outubro de 2009

Resumo de Imprensa. Dos dias, 10 e 11 de Outubro de 2009 Resumo de Imprensa Dos dias, 10 e 11 de Outubro de 2009 JORNAL DE NOTÍCIAS (dia 10) 1. Norte gastará 330 milhões a pagar gestores de Lisboa (pág. 8) Alteração a fundos comunitários destinados a recuperar

Leia mais

2 1,2 1,3 2,5 2 3,2 3 0,5-4,2 1,8 1,3% 1,9 0,9 0,8 2,2 1,7 3,1 2,9 0,4-4,1 1,8 1,16%

2 1,2 1,3 2,5 2 3,2 3 0,5-4,2 1,8 1,3% 1,9 0,9 0,8 2,2 1,7 3,1 2,9 0,4-4,1 1,8 1,16% A SITUAÇÃO ACTUAL É MAIS GRAVE DO QUE EM 1977/78 E EM 1983/84 POR PORTUGAL PERTENCER À ZONA EURO E NESTA DOMINAR UMA POLITICA NEOLIBERAL DE SUBMISSÃO AOS MERCADOS. Um erro grave é confundir a situação

Leia mais

REGRAS DE FACTURAÇÃO DE ENERGIA REACTIVA. APIGCEE Associação Portuguesa dos Industriais Grandes Consumidores de Energia Eléctrica

REGRAS DE FACTURAÇÃO DE ENERGIA REACTIVA. APIGCEE Associação Portuguesa dos Industriais Grandes Consumidores de Energia Eléctrica SEMINÁRIO ERSE, 5 de Fevereiro de 2009 REGRAS DE FACTURAÇÃO DE ENERGIA REACTIVA APIGCEE Associação Portuguesa dos Industriais Grandes Baptista Pereira 1 A APIGCEE, abrange sectores-chave da indústria portuguesa

Leia mais

Projecto de Resolução n.º 427 /X-4ª. Cria um Plano de Emergência para o Distrito de Évora

Projecto de Resolução n.º 427 /X-4ª. Cria um Plano de Emergência para o Distrito de Évora PARTIDO COMUNISTA PORTUGUÊS Grupo Parlamentar Projecto de Resolução n.º 427 /X-4ª Cria um Plano de Emergência para o Distrito de Évora Preâmbulo O distrito de Évora vive hoje uma situação preocupante do

Leia mais

POR QUE INVESTIR EM LISBOA? ESPECIALISTA IMOBILÁRIO EUROPEU

POR QUE INVESTIR EM LISBOA? ESPECIALISTA IMOBILÁRIO EUROPEU POR QUE INVESTIR EM LISBOA? ESPECIALISTA IMOBILÁRIO EUROPEU Introdução Portugal está começando a emergir da crise financeira. Nos últimos anos, o governo reestabeleceu suas estruturas organizacionais e,

Leia mais

Portugal com Futuro: Finanças Públicas Sustentáveis. Maria Luís Albuquerque

Portugal com Futuro: Finanças Públicas Sustentáveis. Maria Luís Albuquerque Portugal com Futuro: Finanças Públicas Sustentáveis Maria Luís Albuquerque 25 de agosto de 2015 Universidade de Verão do PSD Castelo de Vide 25 de agosto de 2015 Tema: Portugal com Futuro: Finanças Públicas

Leia mais

Direita admite mudanças na lei para criminalizar a má gestão. Direita admite mudanças na lei para criminalizar a má gestão

Direita admite mudanças na lei para criminalizar a má gestão. Direita admite mudanças na lei para criminalizar a má gestão Direita admite mudanças na lei para criminalizar a má gestão Diário de noticias, por Hugo Filipe Coelho 17-10-11 Direita admite mudanças na lei para criminalizar a má gestão Dinheiro público. PSD e CDS

Leia mais

A verdadeira bolha não é a China, mas sim o ocidente.

A verdadeira bolha não é a China, mas sim o ocidente. SUMÁRIO EXECUTIVO. Bolha chinesa ainda pode cair mais 10%; Uma guerra monetária; FED não irá subir os juros; BCB terá que subir ainda a SELIC. A verdadeira bolha não é a China, mas sim o ocidente. O mundo

Leia mais

para produzir resultados dento dos prazos previstos. Não serão só 30 dias loucos, mas 365 dias, por ano. (págs. 8 e 9)

para produzir resultados dento dos prazos previstos. Não serão só 30 dias loucos, mas 365 dias, por ano. (págs. 8 e 9) RESUMO DE IMPRENSA Segunda-feira, 06 de Junho de 2011 JORNAL DE NEGÓCIOS 1. Eleições Legislativas 2011. Passos Coelho terá menos de um mês para preparar inspecção da troika. Cavaco Silva promete transição

Leia mais

Resumo de Imprensa. Quarta-feira, 20 de Fevereiro de 2008

Resumo de Imprensa. Quarta-feira, 20 de Fevereiro de 2008 Resumo de Imprensa Quarta-feira, 20 de Fevereiro de 2008 DIÁRIO ECONÓMICO 1. Não espero mais surpresas no BCP (págs. 1, 4 a 9) A nova administração pede 1,3 mil milhões de euros aos accionistas e cancela

Leia mais

EFEITO IVA A 23% NO MERCADO DE FITNESS

EFEITO IVA A 23% NO MERCADO DE FITNESS EFEITO IVA A 23% NO MERCADO DE FITNESS ESTUDO AGAP AGAP AGAP Associação de Ginásios de Portugal 1 APRESENTAÇÃO AGAP AGAP é a única associação portuguesa que representa ginásios e health clubes Tem 750

Leia mais

BARÓMETRO 2005-2015. Evolução da gestão de frotas nos últimos 10 anos

BARÓMETRO 2005-2015. Evolução da gestão de frotas nos últimos 10 anos BARÓMETRO 2005-2015. Evolução da gestão de frotas nos últimos 10 anos O Corporate Vehicle Observatory (CVO) tem por missão a produção e divulgação de informação relevante e neutra sobre as tendências da

Leia mais

Boletim digital do FMI: Quais são os objectivos principais do pacote de políticas acordado com Portugal?

Boletim digital do FMI: Quais são os objectivos principais do pacote de políticas acordado com Portugal? Boletim do FMI ENTREVISTA SOBRE PORTUGAL FMI delineia plano conjunto de apoio com UE para Portugal Boletim digital do FMI 6 de Maio de 2011 Café no Bairro Alto, em Lisboa. A criação de novos empregos,

Leia mais

Lições para o crescimento econômico adotadas em outros países

Lições para o crescimento econômico adotadas em outros países Para o Boletim Econômico Edição nº 45 outubro de 2014 Organização: Maurício José Nunes Oliveira Assessor econômico Lições para o crescimento econômico adotadas em outros países 1 Ainda que não haja receita

Leia mais

Red Econolatin www.econolatin.com Expertos Económicos de Universidades Latinoamericanas

Red Econolatin www.econolatin.com Expertos Económicos de Universidades Latinoamericanas Red Econolatin www.econolatin.com Expertos Económicos de Universidades Latinoamericanas BRASIL Novembro 2012 Profa. Anita Kon PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SÃO PAULO - PROGRAMA DE ESTUDOS PÓS- GRADUADOS

Leia mais

Flash fiscal Memorando de Entendimento Principais medidas fiscais 13 Maio de 2011

Flash fiscal Memorando de Entendimento Principais medidas fiscais 13 Maio de 2011 www.pwc.com/ptpt Flash fiscal Memorando de Entendimento Principais medidas fiscais 13 Maio de 2011 Foi divulgado o Memorando de Entendimento entre o Português, a Comissão Europeia, o Banco Central Europeu

Leia mais

Resumo de Notícias. Sindicato dos Trabalhadores em Empresas de Telecomunicações e Operadoras de Mesas Telefônicas no Estado do Espírito Santo

Resumo de Notícias. Sindicato dos Trabalhadores em Empresas de Telecomunicações e Operadoras de Mesas Telefônicas no Estado do Espírito Santo 27/11/2014 - Teletime Rezende alerta que se escolherem ir à Justiça, teles saem perdendo O presidente da Anatel, conselheiro João Rezende, afirmou nesta quinta, 27, que a agência não concorda com a tese

Leia mais

Glossário da crise financeira

Glossário da crise financeira Glossário da crise financeira Focus A crise financeira que teve início em 2008 com a falência do banco de investimento norte-americano Lehman Brothers alastrou-se a todo o mundo e transformou-se na pior

Leia mais

Ocrédito à habitação barato,

Ocrédito à habitação barato, risco de explosão Ocrédito à habitação barato, com spreads (margem financeira do banco) abaixo de 1% e financiamentos de 100% ou mais, ainda é uma recordação recente. Durante muito tempo, os bancos de

Leia mais

UNIDADE 4 A CRISE DO GUERRA MUNDIAL. CAPITALISMO E A SEGUNDA. Uma manhã de destruição e morte.

UNIDADE 4 A CRISE DO GUERRA MUNDIAL. CAPITALISMO E A SEGUNDA. Uma manhã de destruição e morte. UNIDADE 4 A CRISE DO CAPITALISMO E A SEGUNDA GUERRA MUNDIAL. Uma manhã de destruição e morte. No início de agosto de 1945, os Estados Unidos tentavam, sem resultado, conseguir a rendição japonesa. A solução

Leia mais

Vantagens e Cuidados na utilização do Valor Econômico Agregado - EVA

Vantagens e Cuidados na utilização do Valor Econômico Agregado - EVA Vantagens e Cuidados na utilização do Valor Econômico Agregado - EVA REVISANDO O CÁLCULO DO EVA QUAIS AS VANTAGENS DA UTILIZAÇÃO DA MÉTRICA EVA? COMO FAZER OS AJUSTES NA AVALIAÇÃO DOS S / INVESTIMENTOS?

Leia mais

Quinta-feira, 07 de Janeiro de 2016. DESTAQUES

Quinta-feira, 07 de Janeiro de 2016. DESTAQUES DESTAQUES Bovespa cai ao menor nível desde março de 2009 "Pedaladas" podem virar crédito IPCA subiu 10,78% em 2015 ADRs da Gerdau fecham cotados a US$ 1 Queda pode levar Petrobras a rever preço da gasolina

Leia mais

RESUMO DE IMPRENSA. Quinta-feira, 16 de Abril de 2009

RESUMO DE IMPRENSA. Quinta-feira, 16 de Abril de 2009 RESUMO DE IMPRENSA Quinta-feira, 16 de Abril de 2009 JORNAL DE NEGÓCIOS 1. Grande entrevista. Ricardo Salgado. Banqueiros são criticados pelos políticos porque isso rende votos. Ricardo Salgado pele amnistia

Leia mais

Projeções para a economia portuguesa: 2015-2017

Projeções para a economia portuguesa: 2015-2017 Projeções para a economia portuguesa: 2015-2017 As projeções para a economia portuguesa em 2015-2017 apontam para uma recuperação gradual da atividade ao longo do horizonte de projeção. Após um crescimento

Leia mais

RESOLUÇÃO N.º /2011. Cumprir ou justificar no universo das empresas públicas não financeiras

RESOLUÇÃO N.º /2011. Cumprir ou justificar no universo das empresas públicas não financeiras RESOLUÇÃO N.º /2011 Cumprir ou justificar no universo das empresas públicas não financeiras A Assembleia da República resolve, nos termos do n.º 5 do artigo 166.º da Constituição, recomendar ao Governo

Leia mais

PROJETO DE LEI N.º 90/XIII/1.ª

PROJETO DE LEI N.º 90/XIII/1.ª Grupo Parlamentar PROJETO DE LEI N.º 90/XIII/1.ª INSTITUI A OBRIGATORIEDADE DAS INSTITUIÇÕES BANCÁRIAS REFLETIREM TOTALMENTE A DESCIDA DA EURIBOR NOS CONTRATOS DE CRÉDITO À HABITAÇÃO E AO CONSUMO Exposição

Leia mais

www.economiaemercado.sapo.ao Agosto 2015

www.economiaemercado.sapo.ao Agosto 2015 54 CAPA www.economiaemercado.sapo.ao Agosto 2015 CAPA 55 ENTREVISTA COM PAULO VARELA, PRESDIDENTE DA CÂMARA DE COMÉRCIO E INDÚSTRIA PORTUGAL ANGOLA O ANGOLA DEVE APOSTAR NO CAPITAL HUMANO PARA DIVERSIFICAR

Leia mais

Resumo de Imprensa. Terça-feira, 28 de Outubro de 2008

Resumo de Imprensa. Terça-feira, 28 de Outubro de 2008 Resumo de Imprensa Terça-feira, 28 de Outubro de 2008 DIÁRIO ECONÓMICO 1. Euribor deve cair para 3,5% em Janeiro (págs. 1, 4 a 10) Mercados apostam que a taxa de referência dos empréstimos da casa vai

Leia mais

Red Econolatin www.econolatin.com Expertos Económicos de Universidades Latinoamericanas

Red Econolatin www.econolatin.com Expertos Económicos de Universidades Latinoamericanas Red Econolatin www.econolatin.com Expertos Económicos de Universidades Latinoamericanas BRASIL Junho 2013 Profa. Anita Kon PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SÃO PAULO - PROGRAMA DE ESTUDOS PÓS- GRADUADOS

Leia mais

Red Econolatin www.econolatin.com Expertos Económicos de Universidades Latinoamericanas

Red Econolatin www.econolatin.com Expertos Económicos de Universidades Latinoamericanas Red Econolatin www.econolatin.com Expertos Económicos de Universidades Latinoamericanas BRASIL Junio 2011 Profa. Anita Kon PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SÃO PAULO - PROGRAMA DE ESTUDOS PÓS- GRADUADOS

Leia mais

4. Luta pela Vivo. Telefónica afasta Governo português das negociações. César Alierta reitera que só manterá oferta até 16 de Julho. (pág.

4. Luta pela Vivo. Telefónica afasta Governo português das negociações. César Alierta reitera que só manterá oferta até 16 de Julho. (pág. RESUMO DE IMPRENSA Quarta-feira, 14 de Julho de 2010 JORNAL DE NEGÓCIOS 1. Governo está a viabilizar rescisões amigáveis. Desde 2007 foram aprovados pedidos que envolvem mil trabalhadores. Sete de treze

Leia mais

Projeções para a economia portuguesa: 2014-2016

Projeções para a economia portuguesa: 2014-2016 Projeções para a Economia Portuguesa: 2014-2016 1 Projeções para a economia portuguesa: 2014-2016 As projeções para a economia portuguesa apontam para uma recuperação gradual da atividade ao longo do horizonte.

Leia mais

SEJA RESPONSÁVEL EVITE ATRASOS E MULTAS FACILITE A SUA VIDA! 1ª Fase - 1 a 31 de Março de 2014, para rendimentos das categorias A e H;

SEJA RESPONSÁVEL EVITE ATRASOS E MULTAS FACILITE A SUA VIDA! 1ª Fase - 1 a 31 de Março de 2014, para rendimentos das categorias A e H; IRS 2014 e 2015: Prazos e Despesas Dedutíveis Com o início de um novo ano aparecem as obrigações fiscais anuais que todos os contribuintes têm de cumprir. Está na hora de começar já a organizar as suas

Leia mais

Crescimento da dívida desde o fim dos anos 90

Crescimento da dívida desde o fim dos anos 90 Justiça na economia Crescimento da dívida desde o fim dos anos 90 Em % do PIB 140% 120% 100% 80% 60% 40% 20% 0% 1998 1999 2000 2001 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 2012 2013 2014 Crescimento

Leia mais

3. Eleições. Transposição de resultados das legislativas para as regionais. Se as Legislativas fossem regionais o PSD dominava os Açores. (pág.

3. Eleições. Transposição de resultados das legislativas para as regionais. Se as Legislativas fossem regionais o PSD dominava os Açores. (pág. RESUMO DE IMPRENSA Segunda e Domingo, 13 e 12 Junho de 2011 PÚBLICO (SEGUNDA, 13) 1. Escolas arriscam transformar-se em centros de treino de testes. Provas intermédias invadiram este ano lectivo: foram

Leia mais

Projeto de Resolução n.º 782/XII/2.ª. Medidas urgentes para o sector automóvel

Projeto de Resolução n.º 782/XII/2.ª. Medidas urgentes para o sector automóvel PARTIDO COMUNISTA PORTUGUÊS Grupo Parlamentar Projeto de Resolução n.º 782/XII/2.ª Medidas urgentes para o sector automóvel 1.O sector automóvel está mergulhado numa profunda crise. É uma crise dentro

Leia mais

Reestruturar o Sector Empresarial do Estado

Reestruturar o Sector Empresarial do Estado PROJECTO DE RESOLUÇÃO N.º 458/XI/2.ª Reestruturar o Sector Empresarial do Estado A descrição de carácter económico-financeiro apresentada na próxima secção não deixa dúvidas sobre a absoluta necessidade

Leia mais

GOVERNO. Orçamento Cidadão 2015

GOVERNO. Orçamento Cidadão 2015 REPÚBLICA DEMOCRÁTICA DE SÃO TOMÉ E PRÍNCIPE GOVERNO Orçamento Cidadão 2015 Os recursos públicos do Estado são recursos públicos do povo e para o povo, condição que dá ao cidadão o direito de saber como

Leia mais

Sobre o Jogo da Economia Brasileira

Sobre o Jogo da Economia Brasileira Sobre o Jogo da Economia Brasileira O Jogo da Economia Brasileira - pretende exercitar conceitos e mecanismos básicos que facilitem o entendimento do que vem acontecendo com a economia brasileira, a partir

Leia mais

PROGRAMA DE ESTABILIDADE E CRESCIMENTO

PROGRAMA DE ESTABILIDADE E CRESCIMENTO PORTUGAL PROGRAMA DE ESTABILIDADE E CRESCIMENTO Actualização para o período 2005-2007 Dezembro 2004 Programa de Estabilidade e Crescimento 2005-2007 ÍNDICE I. INTRODUÇÃO...1 II. ENQUADRAMENTO MACROECONÓMICO...2

Leia mais

Comissão apresenta estratégia europeia para a energia

Comissão apresenta estratégia europeia para a energia Comissão apresenta estratégia europeia para a energia Numa época em que se assiste a importantes reestruturações empresariais no sector energético a nível europeu, a Comissão Europeia estabeleceu as bases

Leia mais

COMISSÃO DAS COMUNIDADES EUROPEIAS

COMISSÃO DAS COMUNIDADES EUROPEIAS COMISSÃO DAS COMUNIDADES EUROPEIAS Bruxelas, 09.03.2001 COM(2001) 128 final 2001/0067 (ACC) VOLUME IV Proposta de DECISÃO DO CONSELHO Relativa à posição da Comunidade no Conselho de Associação sobre a

Leia mais

2009 BIAC Business Roundtable. Responding to the global economic crisis OECD s role in promoting open markets and job creation. 21 de Maio de 2009

2009 BIAC Business Roundtable. Responding to the global economic crisis OECD s role in promoting open markets and job creation. 21 de Maio de 2009 2009 BIAC Business Roundtable Responding to the global economic crisis OECD s role in promoting open markets and job creation 21 de Maio de 2009 Intervenção do Ministro de Estado e das Finanças Fernando

Leia mais

ESPIRAL RECESSIVA NO SETOR DA CONSTRUÇÃO

ESPIRAL RECESSIVA NO SETOR DA CONSTRUÇÃO ESPIRAL RECESSIVA NO SETOR DA CONSTRUÇÃO O setor da Construção vive num contexto de espiral recessiva, com uma queda prolongada da produção nos últimos 10 anos, que abrange o conjunto dos segmentos de

Leia mais

Sessão de Abertura Muito Bom dia, Senhores Secretários de Estado Senhor Presidente da FCT Senhoras e Senhores 1 - INTRODUÇÃO

Sessão de Abertura Muito Bom dia, Senhores Secretários de Estado Senhor Presidente da FCT Senhoras e Senhores 1 - INTRODUÇÃO Sessão de Abertura Muito Bom dia, Senhores Secretários de Estado Senhor Presidente da FCT Senhoras e Senhores 1 - INTRODUÇÃO Gostaria de começar por agradecer o amável convite que a FCT me dirigiu para

Leia mais

PROJETO DE LEI N.º./XII/4.ª GARANTE AOS MUTUÁRIOS DE CRÉDITO BENEFICIAREM DAS TAXAS DE JURO NEGATIVAS

PROJETO DE LEI N.º./XII/4.ª GARANTE AOS MUTUÁRIOS DE CRÉDITO BENEFICIAREM DAS TAXAS DE JURO NEGATIVAS Grupo Parlamentar PROJETO DE LEI N.º./XII/4.ª GARANTE AOS MUTUÁRIOS DE CRÉDITO BENEFICIAREM DAS TAXAS DE JURO NEGATIVAS Exposição de motivos Nas últimas semanas temos assistido a um recuo significativo

Leia mais

Financiamento, Investimento e Competitividade

Financiamento, Investimento e Competitividade Financiamento, Investimento e Competitividade João Leão Departamento de Economia ISCTE- Instituto Universitário de Lisboa Conferência Fundação Gulbenkian "Afirmar o Futuro Políticas Públicas para Portugal

Leia mais

9200/16 fmm/hrl/ml 1 DG B 3A - DG G 1A

9200/16 fmm/hrl/ml 1 DG B 3A - DG G 1A Conselho da União Europeia Bruxelas, 13 de junho de 2016 (OR. en) 9200/16 ECOFIN 452 UEM 199 SOC 316 EMPL 212 COMPET 286 ENV 331 EDUC 186 RECH 178 ENER 194 JAI 440 NOTA de: para: n. doc. Com.: Assunto:

Leia mais

e Indicadores Brasileiros Nº 2/2 Maio de 2012

e Indicadores Brasileiros Nº 2/2 Maio de 2012 Notícias do Comércio Internacional e Indicadores Brasileiros Nº 2/2 Maio de 2012 Sindmóveis - Projeto Orchestra Brasil www.sindmoveis.com.br www.orchestrabrasil.com.br Realização: inteligenciacomercial@sindmoveis.com.br

Leia mais

Os riscos do INVESTIMENTO ACTIVO MAIS, produto financeiro complexo, dependem dos riscos individuais associados a cada um dos produtos que o compõem.

Os riscos do INVESTIMENTO ACTIVO MAIS, produto financeiro complexo, dependem dos riscos individuais associados a cada um dos produtos que o compõem. Breve Descrição do produto O é um produto financeiro complexo composto por 50% do investimento num Depósito a Prazo a 180 dias, não renovável, com uma taxa de juro de 4% (TANB Taxa Anual Nominal Bruta),

Leia mais

Quadro 1 Dimensão do controlo da EDP e da GALP por capital estrangeiro

Quadro 1 Dimensão do controlo da EDP e da GALP por capital estrangeiro RESUMO DESTE ESTUDO O sector da energia é estratégico em qualquer país, em termos de desenvolvimento e de independência nacional. Os governos, desde que tenham um mínimo de dignidade nacional e se preocupem

Leia mais

O DOMÍNIO DOS TRANSPORTES RODOVIÁRIOS DE MERCADORIAS PELOS PRIVADOS, O LOCK-OUT DOS PATRÕES, O PREÇO DO GASÓLEO E A MANIPULAÇÃO DA OPINIÃO PÚBLICA

O DOMÍNIO DOS TRANSPORTES RODOVIÁRIOS DE MERCADORIAS PELOS PRIVADOS, O LOCK-OUT DOS PATRÕES, O PREÇO DO GASÓLEO E A MANIPULAÇÃO DA OPINIÃO PÚBLICA O DOMÍNIO DOS TRANSPORTES RODOVIÁRIOS DE MERCADORIAS PELOS PRIVADOS, O LOCK-OUT DOS PATRÕES, O PREÇO DO GASÓLEO E A MANIPULAÇÃO DA OPINIÃO PÚBLICA Eugénio Rosa Como consequência de uma política de transportes

Leia mais

RESUMO DE IMPRENSA. Segunda-feira, 26 de Janeiro de 2009

RESUMO DE IMPRENSA. Segunda-feira, 26 de Janeiro de 2009 RESUMO DE IMPRENSA Segunda-feira, 26 de Janeiro de 2009 JORNAL DE NEGÓCIOS 1. Empresas vão entregar a maior parte dos lucros de 2008 aos accionistas. Conheça as acções que vão dar o dividendo mais rentável.

Leia mais

ASSEMBLEIA LEGISLATIVA DA REGIÃO AUTÓNOMA DOS AÇORES COMISSÃO DE POLÍTICA GERAL INTRODUÇÃO

ASSEMBLEIA LEGISLATIVA DA REGIÃO AUTÓNOMA DOS AÇORES COMISSÃO DE POLÍTICA GERAL INTRODUÇÃO INTRODUÇÃO A Comissão de Política Geral reuniu no dia 11 de junho de 2014, na delegação de Ponta Delgada da Assembleia Legislativa da Região Autónoma dos Açores, a fim de apreciar, relatar e dar parecer

Leia mais

Resumo de Imprensa. Segunda-feira, 14 de Abril de 2008

Resumo de Imprensa. Segunda-feira, 14 de Abril de 2008 Resumo de Imprensa Segunda-feira, 14 de Abril de 2008 DIÁRIO ECONÓMICO 1. Crise custa 860 milhões aos bancos portugueses (págs. 1, 4 a 6) Quase mil milhões. É este o custo da crise internacional para os

Leia mais

O PROBLEMA DO ENDIVIDAMENTO DE PORTUGAL PERANTE O EXTERIOR E O AUXÍLIO EXTERNO NECESSÁRIO. J. Silva Lopes

O PROBLEMA DO ENDIVIDAMENTO DE PORTUGAL PERANTE O EXTERIOR E O AUXÍLIO EXTERNO NECESSÁRIO. J. Silva Lopes O PROBLEMA DO ENDIVIDAMENTO DE PORTUGAL PERANTE O EXTERIOR E O AUXÍLIO EXTERNO NECESSÁRIO J. Silva Lopes IDEFF, 31 de Janeiro de 2011 1 O ENDIVIDAMENTO PERANTE O EXTERIOR Posições financeiras perante o

Leia mais

COMUNICAÇÃO DA COMISSÃO. Avaliação das medidas adotadas. pela FRANÇA

COMUNICAÇÃO DA COMISSÃO. Avaliação das medidas adotadas. pela FRANÇA 1. COMISSÃO EUROPEIA Bruxelas, 1.7.2015 COM(2015) 326 final COMUNICAÇÃO DA COMISSÃO Avaliação das medidas adotadas pela FRANÇA em resposta à Recomendação do Conselho de 10 de março de 2015 com vista a

Leia mais

Cenário positivo. Construção e Negócios - São Paulo/SP - REVISTA - 03/05/2012-19:49:37. Texto: Lucas Rizzi

Cenário positivo. Construção e Negócios - São Paulo/SP - REVISTA - 03/05/2012-19:49:37. Texto: Lucas Rizzi Cenário positivo Construção e Negócios - São Paulo/SP - REVISTA - 03/05/2012-19:49:37 Texto: Lucas Rizzi Crescimento econômico, redução da pobreza, renda em expansão e dois grandes eventos esportivos vindo

Leia mais

Brasileiro se endivida, investe menos e finanças se deterioram no semestre

Brasileiro se endivida, investe menos e finanças se deterioram no semestre Veículo: Estadão Data: 09/08/15 Brasileiro se endivida, investe menos e finanças se deterioram no semestre SÃO PAULO - Com contas no vermelho, mais dívidas e menos investimentos, as finanças dos brasileiros

Leia mais

Resumo de Imprensa. Sábado e domingo, 6 e 7 de Dezembro 2008

Resumo de Imprensa. Sábado e domingo, 6 e 7 de Dezembro 2008 Resumo de Imprensa Sábado e domingo, 6 e 7 de Dezembro 2008 JORNAL DE NEGÓCIOS (adenda, quarta, 10) 1. Fórum. PLMJ parceira jurídica da AIP na Missão Exportar 2008 (pág. 41) Espaço para apoio a empresas

Leia mais

ARC Ratings atribui notação a curto prazo de B, com tendência positiva, ao Grupo Visabeira

ARC Ratings atribui notação a curto prazo de B, com tendência positiva, ao Grupo Visabeira ARC Ratings atribui notação a curto prazo de B, com tendência positiva, ao Grupo Visabeira EMITENTE Grupo Visabeira SGPS, S.A. RATING DE EMITENTE Médio e Longo Prazo BB+ (BB+, com tendência estável) B

Leia mais

ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA DE EMPRESAS PETROLÍFERAS

ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA DE EMPRESAS PETROLÍFERAS ASSOCIAÇÃO PORTUGUESA DE EMPRESAS PETROLÍFERAS Informação sobre a evolução do mercado dos produtos petrolíferos no 1º Trimestre de 2014 Introdução Como habitualmente, apresentamos uma análise da evolução

Leia mais

Barómetro das Crises

Barómetro das Crises Barómetro das Crises 27-01-2015 Nº 12 O salário mínimo: a decência não é um custo A tendência dos últimos anos é de diminuição do peso dos ordenados e salários no Produto Interno Bruto (PIB). Por isso,

Leia mais

Trabalho nº1 Análise Económico Financeira. BRISA Auto-Estradas de Portugal, S.A.

Trabalho nº1 Análise Económico Financeira. BRISA Auto-Estradas de Portugal, S.A. Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto Licenciatura em Engenharia Electrotécnica e de Computadores 5º Ano, 1º Semestre Economia e Gestão - 2000/2001 Trabalho nº1 Análise Económico Financeira

Leia mais

O custo financeiro do Estado brasileiro

O custo financeiro do Estado brasileiro Boletim Econômico Edição nº 48 novembro de 2014 Organização: Maurício José Nunes Oliveira Assessor econômico O custo financeiro do Estado brasileiro 1 O comportamento dos juros da dívida pública A gastança

Leia mais

COMPROMISSO TRIPARTIDO PARA O CRESCIMENTO, A COMPETITIVIDADE E O EMPREGO

COMPROMISSO TRIPARTIDO PARA O CRESCIMENTO, A COMPETITIVIDADE E O EMPREGO COMPROMISSO TRIPARTIDO PARA O CRESCIMENTO, A COMPETITIVIDADE E O EMPREGO COMPARAÇÃO COM O COM A O QUE DIZ O COM A DESPEDIMENTOS - Nova forma de despedimento por não serem atingidos objectivos previamente

Leia mais

Comunicado. Tarifas e Preços para a Energia Elétrica em 2014

Comunicado. Tarifas e Preços para a Energia Elétrica em 2014 Comunicado Tarifas e Preços para a Energia Elétrica em 2014 De acordo com os procedimentos estabelecidos no Regulamento Tarifário foi submetida, em outubro, à apreciação do Conselho Tarifário, da Autoridade

Leia mais

4. Factura da luz poderá subir com novo apoio às centrais eléctricas (págs. 1, 10 e 11)

4. Factura da luz poderá subir com novo apoio às centrais eléctricas (págs. 1, 10 e 11) RESUMO DE IMPRENSA Terça-feira, 24 de Agosto de 2010 JORNAL DE NEGÓCIOS 1. Salários sobem o dobro dos espanhóis. Trabalhadores abrangidos ao nível mais alto da década. Os aumentos negociados entre sindicatos

Leia mais

CORREÇÃO GRUPO I As questões que se seguem são de escolha múltipla. Das quatro respostas (A a D), apenas uma está correta. Assinala-a. 1.

CORREÇÃO GRUPO I As questões que se seguem são de escolha múltipla. Das quatro respostas (A a D), apenas uma está correta. Assinala-a. 1. CORREÇÃO GRUPO I As questões que se seguem são de escolha múltipla. Das quatro respostas (A a D), apenas uma está correta. Assinala-a. 1. O fornecimento de bens e serviços não mercantis (não comercializáveis)

Leia mais