Catálogo de Programas 2013 CREFITO-3

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Catálogo de Programas 2013 CREFITO-3"

Transcrição

1 CREFITO-3 Direção - Dr. Reginaldo Antolin Bonatti Planejamento e Assuntos Estratégicos - Felipe de Oliveira Simoyama - Dr. Mario Cesar Guimarães Battisti São Paulo, 12 de dezembro de 2012 CREFITO-3 Rua Cincinato Braga, São Paulo - SP T F

2 CREFITO-3 Índice Apresentação ) Macro-objetivos ) Desafios ) Programas ) Projetos e Atividades ) Programas Finalísticos... 5 Atendimento Eficiente... 5 Fiscalização Eficiente... 6 Inversões Financeiras... 7 Universidade Corporativa Externa... 8 Comunicação Social de Utilidade Pública... 9 Renúncia Fiscal Grupos de Excelência Programa de Relacionamento Acadêmico Arrecadação Eficiente Eventos Ampliação dos Serviços Online ) Programas de Apoio Administrativo...16 Modernização da Infraestrutura Universidade Corporativa Interna Plano de Cargos e Salários (PCS) Renovação do Parque Tecnológico Desempenho Eficiente da Gestão Gestão e Segurança do Patrimônio Ambiente de Relacionamento Interna Corporis Governança Corporativa Planejamento e Assuntos Estratégicos 2

3 Apresentação O catálogo de programas é o instrumento de planejamento que estabelece as diretrizes, os objetivos e as metas da Gestão do CREFITO-3 para as despesas de capital e outras delas decorrentes. As despesas de custeio, ou seja, aquelas destinadas à manutenção dos serviços já criados anteriormente, não estão incluídas neste catálogo. 1 Macro-objetivos Os macro-objetivos são as diretrizes que norteiam a elaboração do conteúdo programático. Eles são considerados as prioridades da gestão, e, por isso, os recursos devem ser direcionados para programas que estejam ligados a um macro-objetivo. Para o ano de, os macro-objetivos são: I. Aumentar a eficiência da fiscalização Desafios associados:. Implementar centro de inteligência na fiscalização. Promover a fiscalização preventiva. Ampliar o efetivo de agentes fiscais II. III. Estimular a exação no exercício da profissão Desafios associados:. Promover assistência especializada aos profissionais. Promover assistência aos usuários dos serviços. Estimular a cultura das profissões Aperfeiçoar a gestão do CREFITO-3 Desafios associados:. Estipular metas e indicadores de gestão. Capacitar os funcionários. Otimizar os procedimentos 2 Desafios A partir dos macro-objetivos, a gestão desenha os principais desafios encontrados para atingi-los. Cada macro-objetivo pode ter diversos desafios a serem enfrentados pela gestão.

4 3 Programas Os programas de gestão são os instrumentos aprovados pelo Plenário do CREFITO-3 que especificam como serão utilizados os recursos (despesas) para atender os desafios traçados anteriormente. São instrumentos de planejamento que mostram claramente como a gestão utilizará seus recursos para atender as expectativas da comunidade. Os programas podem ser: (a) Finalísticos São todos aqueles que resultam na entrega de um produto ou serviço à comunidade. (b) Apoio Administrativo São programas que dão o suporte necessário para a execução dos serviços do CREFITO-3. 4 Projetos e Atividades Os projetos são esforços temporários e planejados que criam resultados específicos. Os resultados precisam estar vinculados a um programa e, consequentemente, a um desafio de gestão. Cada projeto contém uma série de ações planejadas que, em conjunto, resultam num produto ou serviço. Planejamento e Assuntos Estratégicos 4

5 5 Programas Finalísticos Atendimento Eficiente Secretaria Geral Atendimento e Registro Telefonemas perdidos, Demora no atendimento, Profissionais irritados. Aumentar a eficiência do atendimento ao público. Jurisdicionados Obrigação da Autarquia de prover um bom atendimento aos profissionais de sua jurisdição Aperfeiçoar a Gestão do CREFITO-3 Finalístico 1) Número de atendimentos 2) Tempo médio de resposta 3) Número de reclamações na Ouvidoria 1) Pronto Atendimento; 2) Revisão de Procedimentos; 3) Atendimento agendado; 4) Atendimento por vídeo Planejamento e Assuntos Estratégicos 5

6 Fiscalização Eficiente Secretaria Assuntos Estratégicos Fiscalização Escassez de agentes fiscais, procedimentos ineficazes Ampliar a ação fiscalizatória no âmbito da jurisdição População usuária dos serviços Baixo número do efetivo fiscal, procedimentos atuais não são eficazes. Aumentar a eficiência da fiscalização Finalístico 1) Número de autos fiscalizatórios; 2) Quantidade de autos por agente fiscal; 3) Relação de autos fiscalizatórios por processos éticos 1) Fiscalização Preventiva; 2) Inteligência fiscalizatória; 3) Parcerias com outros órgãos; 4) Modernização de equipamentos de fiscalização; 5) Aquisição da frota; 6) Sistema de Geoprocessamento para fiscalização Planejamento e Assuntos Estratégicos 6

7 Inversões Financeiras Secretaria de Assuntos Estratégicos Departamento Jurídico Excesso de profissionais atendidos pela Sede (São Paulo) Garantir atendimento digno aos profissionais da região metropolitana de São Paulo e fiscalização mais eficiente Jurisdicionados Desafogar o setor de atendimento da Sede, reduzir o tempo de deslocamento de profissionais para o devido atendimento, criar novos postos de fiscalização Aumentar a eficiência da fiscalização Finalístico Jan a Mar/13 1) Redução no número de atendimentos na sede; 2) Redução no tempo de deslocamento dos profissionais 1) Aquisição das subsedes; 2) Preparação da infraestrutura para atendimento Planejamento e Assuntos Estratégicos 7

8 Universidade Corporativa Externa Secretaria de Planejamento Projetos Falta de orientações aos profissionais quanto às melhores práticas das profissões. Prover os jurisdicionados de informações suficientes para a exação no exercício das profissões Jurisdicionados Garantir maior presença do Conselho no dia a dia dos profissionais para que eles cumpram os dispositivos legais referentes às profissões e desenvolvam suas atividades de forma sustentável Estimular a exação no exercício das profissões Finalístico 1) Número de cursos oferecidos 2) Índice de satisfação com os cursos 1) Programa de Capacitação; 2) Escola Virtual; 3) Vídeo-conferência; 4) Streaming; 5) Consultorias Gratuita Planejamento e Assuntos Estratégicos 8

9 Comunicação Social de Utilidade Pública Secretaria Assuntos Estratégicos Comunicação Falta de conhecimento da população sobre seus direitos e sobre os benefícios dos tratamentos de fisioterapia e terapia ocupacional Conscientizar a população sobre a importância das profissões de fisioterapeuta e terapeuta ocupacional População em geral A população não tem conhecimento suficiente dos benefícios dos tratamentos, aumentando os problemas da saúde pública e desestimulando a geração de emprego nas áreas de fisioterapia e terapia ocupacional Estimular a exação no exercício das profissões Finalístico 1) Maior participação dos circunscricionados através de denúncias 2) Número de acessos aos vídeos institucionais (streaming) 1) Novo site do CREFITO-3; 2) Revistas do CREFITO-3; 3) Utilização de mídias de grande alcance no estado de São Paulo; 4) Vídeos institucionais Planejamento e Assuntos Estratégicos 9

10 Renúncia Fiscal Secretaria Geral Financeiro Dificuldades financeiras por parte dos estudantes, idosos e aposentados Isentar ou reduzir as obrigações pecuniárias dos mais carentes Jurisdicionados O impacto da renúncia fiscal é pequeno e será compensado com aumento na eficiência da arrecadação, através de programa próprio Estimular a exação no exercício das profissões Finalístico 1) Quantidade de idosos e aposentados em atividade; 1) Estudos de impacto financeiro; 2) Apreciação do COFFITO; 3) Aplicação das isenções/reduções; 4) Publicidade (*) Observação: Para realização do projeto há necessidade de prévia autorização do COFFITO. Planejamento e Assuntos Estratégicos 10

11 Grupos de Excelência Secretaria de Planejamento Projetos Falta de incentivo à produção científica voltada às profissões Estimular a produção científica através de grupos de excelência em diversas áreas relacionadas às profissões com colaborações voluntárias Jurisdicionados Realização de estudos avançados em diversas áreas da fisioterapia e da terapia ocupacional Estimular a exação no exercício das profissões Finalístico Abr a Dez/13 1) Quantidade de projetos aprovados; 2) Quantidade de interessados nos grupos; 3) Número de downloads de materiais no site 1) Estudo prévio para criação de até 5 Grupos em ; 2) Regimento dos grupos; 3) Publicação de materiais Planejamento e Assuntos Estratégicos 11

12 Programa de Relacionamento Acadêmico Secretaria Geral Atendimento e Registro Falta de aproximação entre o Conselho e as Instituições de Ensino Superior Fortalecer a presença do Conselho nas IES Jurisdicionados Apresentar o Conselho aos estudantes; prover palestras sobre fiscalização e registro; Pré-cadastro Aumentar a eficiência da fiscalização Finalístico 1) Relação estudantes x inscrições; 2) Número de pré-cadastros; 3) Número de IES atendidas 1) Entrega de cartilha aos estudantes; 2) Conselho nas IES; 3) Visita de estudantes ao Conselho; 4) Premiar os melhores alunos das turmas Planejamento e Assuntos Estratégicos 12

13 Arrecadação Eficiente Secretaria Geral Financeiro Dificuldades para recuperar o crédito Aumentar a eficiência da recuperação de crédito e implementar melhorias no sistema Financeiro Jurisdicionados Obrigatoriedade de cobrança das contribuições e respectiva execução fiscal Estimular a exação no exercício das profissões Finalístico Jan a Abr/13 1) Percentual de inadimplentes; 2) Tempo médio de atraso de pagamento para execução fiscal; 3) Comparativos de arrecadação anuais 1) Financeiro 2.0; 2) Sistema de controle de execução e dívida ativa Planejamento e Assuntos Estratégicos 13

14 Eventos Secretaria Geral Administrativo Falta de planejamento dos eventos institucionais Planejar e definir um cronograma dos eventos de interesse do CREFITO- 3 Jurisdicionados Planejar fóruns, congressos, audiências etc de forma antecipada, visando realizar as compras necessárias conforme exite a lei Estimular a exação no exercício das profissões Finalístico 1) Número de eventos realizados, 2) Feedback do público presente no evento 1) Consulta aos jurisdicionados; 2) Discutir sugestões de eventos; 3) Definir os eventos do ano; 4) Programar as aquisições Planejamento e Assuntos Estratégicos 14

15 Ampliação dos Serviços Online Secretaria Assuntos Estratégicos Tecnologia da Informação Muitos atendimentos são realizados presencialmente por falta de disponibilidade no site Ampliar o leque de serviços que possam ser realizados na web Jurisdicionados Evitar deslocamento do profissional ao Conselho desnecessariamente; Aumentar a eficiência administrativa Aperfeiçoar a Gestão do CREFITO-3 Finalístico 1) Diminuição dos atendimentos presenciais; 2) Quantidade de page views 1) Realizar estudo dos serviços; 2) Implantação Planejamento e Assuntos Estratégicos 15

16 6 Programas de Apoio Administrativo Modernização da Infraestrutura Secretaria Geral Administrativo Graves problemas de infraestrutura na sede e algumas subsedes Modernizar a infraestrutura, trazendo maior segurança ao público e adequar o layout mobiliário Funcionários do CREFITO-3 Tornar o ambiente de trabalho mais agradável. Aperfeiçoar a Gestão do CREFITO-3 Apoio administrativo 1) Avaliação técnica antes x depois; 2) Verificação do valor do imóvel antes x depois 1) Projetar as melhorias necessárias em cada local Planejamento e Assuntos Estratégicos 16

17 Universidade Corporativa Interna Secretaria Geral Recursos Humanos Funcionários sem treinamento, redução da produtividade por funcionário, erros internos, procedimentos ineficientes e ineficazes Capacitar os funcionários da autarquia para atender os princípios constitucionais, reduzindo despesas com folha de pagamento e a necessidade de contratações Funcionários do CREFITO-3 Ausência de programa de capacitação dos funcionários, causando desatualização das normas, ferramentas tecnológicas e técnicas administrativas Aperfeiçoar a Gestão do CREFITO-3 Apoio administrativo 1) Redução de erros internos (PADs); 2) Redução de chamados no suporte (T.I); 3) Quantidade de sugestões de melhoria interna 4) Melhoria produtividade 1) Programa de Capacitação; 2) Escola Virtual; 3) Vídeo-conferência; 4) Streaming Planejamento e Assuntos Estratégicos 17

18 Plano de Cargos e Salários (PCS) Secretaria Geral Recursos Humanos Ausência de Plano de Cargos e Salários no Conselho Valorizar o desempenho e a capacitação dos funcionários Funcionários do CREFITO-3 Necessidade de atender os princípios constitucionais, em especial o da eficiência Aperfeiçoar a Gestão do CREFITO-3 Apoio administrativo 1) Avaliação de desempenho; 2) Resultado dos programas de capacitação; 3) Turnover 1) Definir progressões por desempenho; 2) Definir progressões por capacitação; 3) Definir implantação do triênio Planejamento e Assuntos Estratégicos 18

19 Renovação do parque tecnológico Secretaria Assuntos Estratégicos Tecnologia da Informação Equipamentos de T.I. Defasados Adequar os equipamentos do CREFITO-3 às tecnologias atuais, aumentar a eficiência na execução das rotinas administrativas, aumentar a eficiência da fiscalização com o uso de tecnologia Funcionários do CREFITO-3 Maior parte dos equipamentos de informática não foi renovada desde 2007 Aumentar a eficiência da fiscalização Apoio administrativo Jan a Abr/13 1) Redução do número de chamados (hardware); 2) Diminuição do tempo de resposta de atendimentos; 3) Aumento produtividade 1) Tecnologia Ideal; 2) Wi-fi total; 3) Alienação/Doação de equipamentos Planejamento e Assuntos Estratégicos 19

20 Desempenho Eficiente da Gestão Secretaria de Planejamento Inteligência Necessidade de revisar os procedimentos internos que geram erros e perdas Aumentar a eficiência da máquina como um todo Funcionários do CREFITO-3 Diminuir as necessidades de contratações; Atender os princípios constitucionais Aperfeiçoar a Gestão do CREFITO-3 Apoio administrativo 1) Procedimentos revisados; 2) Compras de papel e toners; 3) Arrecadação por número de funcionário 1) Revisão de procedimentos; 2) Redução do papel; 3) Otimização de compras e contratos; 4) Portal de fornecedores; 5) Sistema ERP; 6) 5S; 7) Controladoria dos programas 8) Redução caixinhas 9) Catálogo de documentos expedidos Planejamento e Assuntos Estratégicos 20

21 Gestão e Segurança do Patrimônio Secretaria Geral Administrativo Ausência de controle do patrimônio Realizar o inventário e controlar o patrimônio conforme tecnologias mais atuais Funcionários do CREFITO-3 Aumentar a eficiência da gestão e preservar o patrimônio do Conselho Aperfeiçoar a Gestão do CREFITO-3 Apoio administrativo Jan a Abr/13 1) Reavaliação do imobiliário; 2) Número de materiais inservíveis; 3) Número de materiais ociosos e realocados 1) Levantamento do patrimônio; 2) Adequações de Layout; 3) Reestruturação Planejamento e Assuntos Estratégicos 21

22 Ambiente e Relacionamento Interna Corporis Secretaria Geral Recursos Humanos Falta de comunicação e interação entre os funcionários Reduzir a distância entre funcionários da sede e das subsedes, através de uma nova política de gestão de pessoas Funcionários do CREFITO-3 A aproximação dos funcionários facilita o intercâmbio de informações e cria um ambiente de trabalho mais saudável Aperfeiçoar a Gestão do CREFITO-3 Apoio administrativo 1) Enquetes com funcionários; 2) Análises de observação direta (chefias); 3) Avaliação de Desempenho semestral 1) Novas ferramentas de comunicação interna; 2) Semana de interatividade; 3) Integração na sede do Conselho; 4) Prevenção de riscos laborais Planejamento e Assuntos Estratégicos 22

23 Governança Corporativa Secretaria de Assuntos Estratégicos ATN Falta de política de governança corporativa no Conselho Aumentar a transparência e o controle dos atos administrativos Jurisdicionados Necessidade de atender os princípios constitucionais da administração pública Aperfeiçoar a Gestão do CREFITO-3 Apoio administrativo 1) Número de acessos ao portal de governança; 2) Número de processos analisados pela CTC 1) Criar o projeto de Governança; 2) Criar o portal de Governança * * * Planejamento e Assuntos Estratégicos 23

Conselho Regional de Fisioterapia e Terapia Ocupacional da 3ª Região. Relatório de gestão do exercício 2013

Conselho Regional de Fisioterapia e Terapia Ocupacional da 3ª Região. Relatório de gestão do exercício 2013 Conselho Regional de Fisioterapia e Terapia Ocupacional da 3ª Região Relatório de gestão do exercício 2013 São Paulo-SP, 2014 Relatório de gestão do exercício 2013 Conselho Regional de Fisioterapia e Terapia

Leia mais

Ações Institucionais. Ações Efetivadas:

Ações Institucionais. Ações Efetivadas: Transparência 2 - Planejamentos e Resultados Crefito-2-2013 (Extraído do Relatório de Gestão, cuja íntegra encontra-se disponível na seção Demonstrações Contábeis e Prestação de Contas). 2.1 Plano estratégico

Leia mais

Conselho Regional de Fisioterapia e Terapia Ocupacional da 3ª Região. Órgão Vinculador: Conselho Federal de Fisioterapia e Terapia Ocupacional:

Conselho Regional de Fisioterapia e Terapia Ocupacional da 3ª Região. Órgão Vinculador: Conselho Federal de Fisioterapia e Terapia Ocupacional: Conselho Regional de Fisioterapia e Terapia Ocupacional da 3ª Região Órgão Vinculador: Conselho Federal de Fisioterapia e Terapia Ocupacional: Relatório de Gestão do Exercício de 2014 São Paulo 2015 Conselho

Leia mais

Tecnologia da Informação CAASP. DIS Departamento de Informática e Sistemas. Relatório Anuário 2008 Att. Gerência Geral e Diretoria CAASP

Tecnologia da Informação CAASP. DIS Departamento de Informática e Sistemas. Relatório Anuário 2008 Att. Gerência Geral e Diretoria CAASP Tecnologia da Informação CAASP DIS Relatório Anuário 2008 Att. Gerência Geral e Diretoria CAASP Introdução...03 Projetos e Fatos Relevantes 2008...03 Raio X de Investimentos e Custos...10 Considerações

Leia mais

ANEXO I PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO 2014-2020

ANEXO I PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO 2014-2020 ANEXO I PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO 2014-2020 1 Missão 2 Exercer o controle externo da administração pública municipal, contribuindo para o seu aperfeiçoamento, em benefício da sociedade. Visão Ser reconhecida

Leia mais

12.1 AÇÕES E INDICAÇÕES DE PROJETOS

12.1 AÇÕES E INDICAÇÕES DE PROJETOS 43 Considerando os Objetivos Estratégicos, Indicadores e Metas, foram elaboradas para cada Objetivo, as Ações e indicados Projetos com uma concepção corporativa. O Plano Operacional possui um caráter sistêmico,

Leia mais

Regimento da Superintendência de Tecnologia da Informação

Regimento da Superintendência de Tecnologia da Informação SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA Regimento da Superintendência de Tecnologia da Informação DOS OBJETIVOS E ORGANIZAÇÃO DA SUPERINTENDÊNCIA Capítulo I - DA

Leia mais

FACULDADE CAPIXABA DA SERRA RELATÓRIO DE ACOMPANHAMENTO DO PLANO DE AÇÃO 2015 RELATÓRIO DE ACOMPANHAMENTO DO PLANO DE AÇÃO

FACULDADE CAPIXABA DA SERRA RELATÓRIO DE ACOMPANHAMENTO DO PLANO DE AÇÃO 2015 RELATÓRIO DE ACOMPANHAMENTO DO PLANO DE AÇÃO FACULDADE CAPIXABA DA SERRA Situação Real/Reclamações Professores O índice de insatisfação vem diminuindo em relação ao apresentado desde 2011. - Permanece sendo realizado o processo de seleção: edital;

Leia mais

PRS - Programa de Responsabilidade Social do Crea-RS

PRS - Programa de Responsabilidade Social do Crea-RS PRS - Programa de Responsabilidade Social do Crea-RS Gestão de Administração e Finanças Gerência de Desenvolvimento Humano e Responsabilidade Social Junho/2014 Desenvolvimento Sustentável Social Econômico

Leia mais

PORTARIA N o 547, DE 15 DE DEZEMBRO DE 2014.

PORTARIA N o 547, DE 15 DE DEZEMBRO DE 2014. PORTARIA N o 547, DE 15 DE DEZEMBRO DE 2014. Aprova o Plano de Ação Integrado do Ministério da Previdência Social, para o exercício 2015. O MINISTRO DE ESTADO DA PREVIDÊNCIA SOCIAL, no uso das atribuições

Leia mais

ESF Estratégia de Saúde da Família GESTÃO DE PESSOAS. 40 Relatório de Gestão 2014. Copyright. Proibida cópia ou reprodução sem autorização do IABAS.

ESF Estratégia de Saúde da Família GESTÃO DE PESSOAS. 40 Relatório de Gestão 2014. Copyright. Proibida cópia ou reprodução sem autorização do IABAS. ESF Estratégia de Saúde da Família GESTÃO DE PESSOAS 40 Relatório de Gestão 2014 B lanço Soci l ESF Estratégia de Saúde da Família Relatório de Gestão 2014 41 GESTÃO DE PESSOAS Gestão de Pessoas Com o

Leia mais

Projeto Amplitude. Plano de Ação 2015. Conteúdo

Projeto Amplitude. Plano de Ação 2015. Conteúdo Projeto Amplitude Plano de Ação 2015 P r o j e t o A m p l i t u d e R u a C a p i t ã o C a v a l c a n t i, 1 4 7 V i l a M a r i a n a S ã o P a u l o 11 4304-9906 w w w. p r o j e t o a m p l i t u

Leia mais

PRS - Programa de Responsabilidade Social do Crea-RS. Gestão de Administração e Finanças Gerência de Gestão de Pessoas

PRS - Programa de Responsabilidade Social do Crea-RS. Gestão de Administração e Finanças Gerência de Gestão de Pessoas PRS - Programa de Responsabilidade Social do Crea-RS Gestão de Administração e Finanças Gerência de Gestão de Pessoas Desenvolvimento Sustentável Social Econômico Ambiental Lucro Financeiro Resultado Social

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DO CEARÁ CONTROLADORIA E OUVIDORIA GERAL DO ESTADO - CGE

GOVERNO DO ESTADO DO CEARÁ CONTROLADORIA E OUVIDORIA GERAL DO ESTADO - CGE GOVERNO DO ESTADO DO CEARÁ CONTROLADORIA E OUVIDORIA GERAL DO ESTADO - CGE Termo de Referência para Contratação de Serviço de Consultoria (Pessoa Jurídica) para Reestruturação do Portal da Transparência

Leia mais

Nome do questionário (ID): Levantamento de Governança de TI 2014 (566727)

Nome do questionário (ID): Levantamento de Governança de TI 2014 (566727) Nome do questionário (ID): Levantamento de Governança de TI 2014 (566727) Pergunta: Sua resposta Data de envio: 08/08/2014 19:53:40 Endereço IP: 150.164.72.183 1. Liderança da alta administração 1.1. Com

Leia mais

SR-3/PRODEC PROGRAMA DE ESTUDOS E DESENVOLVIMENTO DO CONSUMIDOR

SR-3/PRODEC PROGRAMA DE ESTUDOS E DESENVOLVIMENTO DO CONSUMIDOR SR-3/PRODEC PROGRAMA DE ESTUDOS E DESENVOLVIMENTO DO CONSUMIDOR MISSÃO DA UNIDADE: O PRODEC tem como objetivo promover o equilíbrio nas relações de consumo entre fornecedor e consumidor, baseado nos princípios

Leia mais

POLÍTICA DE GOVERNANÇA COOPERATIVA

POLÍTICA DE GOVERNANÇA COOPERATIVA POLÍTICA DE GOVERNANÇA COOPERATIVA 1 1. APRESENTAÇÃO Esta política estabelece os princípios e práticas de Governança Cooperativa adotadas pelas cooperativas do Sistema Cecred, abordando os aspectos de

Leia mais

SEÇÃO JUDICIÁRIA DO PARANÁ

SEÇÃO JUDICIÁRIA DO PARANÁ SEÇÃO JUDICIÁRIA DO PARANÁ MISSÃO: Garantir prestação jurisdicional rápida, acessível e efetiva no âmbito da sua competência. DESCRIÇÃO DA MISSÃO: A Justiça Federal no Paraná existe para garantir direitos

Leia mais

Boletim Gestão & Governança

Boletim Gestão & Governança Boletim Gestão & Governança Edição 18 Ano III Junho 2015 SAVE THE DATE Primeiro encontro de controles internos na cidade do Rio de Janeiro 24 de Setembro 2015 Aguardem a agenda do evento! Vejam nesta edição:

Leia mais

, Prefeito Municipal de. FAÇO saber a todos os habitantes deste Município que a Câmara Municipal aprovou e eu sanciono a seguinte Lei:

, Prefeito Municipal de. FAÇO saber a todos os habitantes deste Município que a Câmara Municipal aprovou e eu sanciono a seguinte Lei: PROJETO DE LEI COMPLEMENTAR Nº Dispõe sobre o Sistema de Controle Interno, cria a Controladoria Municipal e dá outras providências., Prefeito Municipal de FAÇO saber a todos os habitantes deste Município

Leia mais

SOLUÇÕES IDEAIS PARA A GESTÃO PÚBLICA

SOLUÇÕES IDEAIS PARA A GESTÃO PÚBLICA SOLUÇÕES IDEAIS PARA A GESTÃO PÚBLICA A EMPRESA A Lexsom é uma empresa especializada em soluções de informática com atuação no mercado nacional desde 1989, tem como principal foco o desenvolvimento integrado

Leia mais

Mediadora: Marta Pião Florianópolis, SC junho 2015

Mediadora: Marta Pião Florianópolis, SC junho 2015 Mediadora: Marta Pião Florianópolis, SC junho 2015 ORGANOGRAMA DA EDUCAÇÃO PROCESSOS NA EDUCAÇÃO SUPERIOR PARA QUE AS INSTITUIÇÕES DE ENSINO TENHAM SEUS CURSOS APROVADOS E REGULAMENTADOS, É NECESSÁRIO

Leia mais

PDTI - Definição. Instrumento de diagnóstico, planejamento e

PDTI - Definição. Instrumento de diagnóstico, planejamento e PDTI - Definição Instrumento de diagnóstico, planejamento e gestão dos recursos e processos de Tecnologia da Informação que visa atender às necessidades tecnológicas e de informação de um órgão ou entidade

Leia mais

Tribunal de Contas da União. Controle Externo

Tribunal de Contas da União. Controle Externo Tribunal de Contas da União Controle Externo 1224 Controle Externo Objetivo Assegurar a efetiva e regular gestão dos recursos públicos federais em benefício da sociedade e auxiliar o Congresso Nacional

Leia mais

XII Congresso Catarinense de Municípios

XII Congresso Catarinense de Municípios XII Congresso Catarinense de Municípios Linha de Financiamento para Modernização da Administração Tributária e da Gestão dos Setores Sociais Básicos - BNDES PMAT e BNDES PMAT Automático O que é o PMAT?

Leia mais

Transparência SECRETARIA GERAL (SEGER)

Transparência SECRETARIA GERAL (SEGER) Transparência Indicadores utilizados pela entidade para monitorar e avaliar a gestão, acompanhar o alcance das metas, identificar os avanços prestados e as melhorias na quantidade dos serviços prestados,

Leia mais

www.avantassessoria.com.br

www.avantassessoria.com.br www.avantassessoria.com.br Nossa Empresa A AVANT Assessoria Contábil e Tributária é uma empresa de contabilidade especializada em consultoria e assessoria de empresas e profissionais liberais, oferecendo

Leia mais

Política de Responsabilidade Socioambiental

Política de Responsabilidade Socioambiental Política de Responsabilidade Socioambiental SUMÁRIO 1 INTRODUÇÃO... 3 2 OBJETIVO... 3 3 DETALHAMENTO... 3 3.1 Definições... 3 3.2 Envolvimento de partes interessadas... 4 3.3 Conformidade com a Legislação

Leia mais

Pode Judiciário Justiça do Trabalho Tribunal Regional do Trabalho da 11ª Região ATRIBUIÇÕES DOS CARGOS DE DIREÇÃO E CHEFIAS DA SETIC

Pode Judiciário Justiça do Trabalho Tribunal Regional do Trabalho da 11ª Região ATRIBUIÇÕES DOS CARGOS DE DIREÇÃO E CHEFIAS DA SETIC Pode Judiciário Justiça do Trabalho Tribunal Regional do Trabalho da 11ª Região ATRIBUIÇÕES DOS CARGOS DE DIREÇÃO E CHEFIAS DA SETIC 1. Diretor da Secretaria de Tecnologia da Informação e Comunicação Coordenar

Leia mais

Departamento de Tecnologia da Informação

Departamento de Tecnologia da Informação Departamento de Tecnologia da Informação Objetivos O DTI é o departamento responsável por toda a arquitetura tecnológica do CRF- SP, ou seja, compreende todo o conjunto de hardware/software necessário

Leia mais

Nome do questionário (ID): Levantamento de Governança de TI 2014 (566727)

Nome do questionário (ID): Levantamento de Governança de TI 2014 (566727) Nome do questionário (ID): Levantamento de Governança de TI 2014 (566727) Pergunta: Sua resposta Data de envio: 13/06/2014 14:08:02 Endereço IP: 177.1.81.29 1. Liderança da alta administração 1.1. Com

Leia mais

APRESENTAÇÃO INSTITUCIONAL

APRESENTAÇÃO INSTITUCIONAL APRESENTAÇÃO INSTITUCIONAL Somos um escritório jurídico que reúne especialistas nos mais diversos ramos do direito empresarial. Priorizamos a ética nas relações com os clientes e nos dedicamos muito ao

Leia mais

Capacitação em Elaboração e Análise dos Demonstrativos Fiscais no Setor Público. de Contabilidade

Capacitação em Elaboração e Análise dos Demonstrativos Fiscais no Setor Público. de Contabilidade Capacitação em Elaboração e Análise dos Demonstrativos Fiscais no Setor Público Secretaria do Tesouro Nacional Conselho Federal de Contabilidade Abril 2011 Atendimento ao Disposto Legal LRF Art. 64 1º

Leia mais

Linha de Financiamento para a Modernização da Gestão Tributária e dos Setores Sociais Básicos

Linha de Financiamento para a Modernização da Gestão Tributária e dos Setores Sociais Básicos BNDES PMAT Linha de Financiamento para a Modernização da Gestão Tributária e dos Setores Sociais Básicos Encontro Nacional de Tecnologia da Informação para os Municípios e do Software Público Brasileiro

Leia mais

www.pwc.com/br II Simpósio Internacional PwC Inovação em Gestão Pública Abril 2011

www.pwc.com/br II Simpósio Internacional PwC Inovação em Gestão Pública Abril 2011 www.pwc.com/br II Simpósio Internacional PwC Inovação em Gestão Pública Abril 2011 Agenda Projeto Gestão Estratégica de Suprimentos no Governo de MG 1. Introdução 2. Diagnóstico 3. Desenvolvimento/implantação

Leia mais

Telecom Social. Responsabilidade Social Corporativa: Inclusão Social pela Inclusão Digital

Telecom Social. Responsabilidade Social Corporativa: Inclusão Social pela Inclusão Digital Responsabilidade Social Corporativa: Inclusão Social pela Inclusão Digital Sérgio E. Mindlin Diretor Presidente Brasília 04/05/2005 Telecom Social Responsabilidade Social Empresarial (RSE) Partes interessadas

Leia mais

2º RELATÓRIO PARCIAL DE AUTOAVALIAÇÃO INSTITUCIONAL

2º RELATÓRIO PARCIAL DE AUTOAVALIAÇÃO INSTITUCIONAL 2º RELATÓRIO PARCIAL DE AUTOAVALIAÇÃO INSTITUCIONAL COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL - CPA Mantenedora: Fundação Presidente Antônio Carlos Mantida: Faculdade Presidente Antônio Carlos de Araguari

Leia mais

PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO INSTITUCIONAL 2014-2018

PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO INSTITUCIONAL 2014-2018 PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO INSTITUCIONAL 2014-2018 (Síntese da Matriz estratégica) Texto aprovado na 19ª Reunião Extraordinária do CONSUNI, em 04 de novembro de 2013. MISSÃO Ser uma Universidade que valoriza

Leia mais

N REQUISITOS OBSERVAÇÕES

N REQUISITOS OBSERVAÇÕES N REQUISITOS OBSERVAÇÕES 01 02 03 04 05 06 07 A - MANUTENÇÃO E SUPORTE A empresa fornece produto de software com Verificar se a empresa fornece manual do produto (instalação), documentação de suporte ao

Leia mais

O CONTROLE INTERNO COMO INSTRUMENTO DE GESTÃO PARA OS MUNICÍPIOS

O CONTROLE INTERNO COMO INSTRUMENTO DE GESTÃO PARA OS MUNICÍPIOS O CONTROLE INTERNO COMO INSTRUMENTO DE GESTÃO PARA OS MUNICÍPIOS Luís Filipe Vellozo de Sá e Eduardo Rios Auditores de Controle Externo TCEES Vitória, 21 de fevereiro de 2013 1 Planejamento Estratégico

Leia mais

Objetivos do Compromisso Bahia

Objetivos do Compromisso Bahia Objetivos do Compromisso Bahia Geral Conferir qualidade ao gasto público estadual Específicos Desenvolver uma cultura de responsabilização dos servidores em relação à gestão pública Dotar o governo de

Leia mais

AVALIAÇÃO DO SISTEMA DE GESTÃO DO FORNECEDOR

AVALIAÇÃO DO SISTEMA DE GESTÃO DO FORNECEDOR Prezado Fornecedor, A Innova S/A, empresa certificada nas normas ISO 9001:2000, ISO 14001:1996, OHSAS 18001, avalia seus fornecedores no atendimento de requisitos relativos a Qualidade, Meio Ambiente,

Leia mais

6.2.2 RISCO SOCIOAMBIENTAL NA CONCESSÃO DE CRÉDITO 6.3 RELACIONAMENTO COM FUNCIONÁRIOS E COLABORADORES

6.2.2 RISCO SOCIOAMBIENTAL NA CONCESSÃO DE CRÉDITO 6.3 RELACIONAMENTO COM FUNCIONÁRIOS E COLABORADORES Índice 1. INTRODUÇÃO 2. PARTES INTERESSADAS. NORMATIVOS. ESTRUTURA DE GOVERNANÇA. PRINCÍPIOS 6. DIRETRIZES 6.1 NORMATIZAÇÃO 6.2 GERENCIAMENTO DO RISCO SOCIOAMBIENTAL 6.2.1 RISCO SOCIOAMBIENTAL DA INSTITUIÇÃO

Leia mais

GESTÃO CORPORATIVA - DGE

GESTÃO CORPORATIVA - DGE GESTÃO CORPORATIVA Heleni de Mello Fonseca Diretoria de Gestão Empresarial - DGE Apresentador: Lauro Sérgio Vasconcelos David Belo Horizonte, 29 de maio de 2006 1 AGENDA Direcionamento Estratégico Iniciativas

Leia mais

MINISTÉRIO DA SAÚDE GRUPO HOSPITALAR CONCEIÇÃO

MINISTÉRIO DA SAÚDE GRUPO HOSPITALAR CONCEIÇÃO MINISTÉRIO DA SAÚDE GRUPO HOSPITALAR CONCEIÇÃO AGENDA ESTRATÉGICA DA GESTÃO (2012-2015) AGENDA ESTRATÉGICA DA GESTÃO (2012-2015) Este documento tem o propósito de promover o alinhamento da atual gestão

Leia mais

Gestão e melhoria de processos no Governo de Minas Gerais: trajetória e resultados alcançados. Palestrante: Vanice Cardoso Ferreira

Gestão e melhoria de processos no Governo de Minas Gerais: trajetória e resultados alcançados. Palestrante: Vanice Cardoso Ferreira Gestão e melhoria de processos no Governo de Minas Gerais: trajetória e resultados alcançados Palestrante: Vanice Cardoso Ferreira Agenda A trajetória da Gestão de Processos no Governo de Minas A trajetória

Leia mais

Nº OE Objetivos Estratégicos (OE) que se relacionam ao plano de capacitação 3

Nº OE Objetivos Estratégicos (OE) que se relacionam ao plano de capacitação 3 Nº OE Objetivos Estratégicos (OE) que se relacionam ao plano de capacitação 3 3 Investir no recrutamento, capacitação e desenvolvimento de seus profissionais. 7 7 Implementar ações de modernização administrativa

Leia mais

POLÍTICA DE SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE - SMS. Versão Data Histórico Aprovação 00 20/10/09 Emissão de documento Aldo Guedes

POLÍTICA DE SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE - SMS. Versão Data Histórico Aprovação 00 20/10/09 Emissão de documento Aldo Guedes POLÍTICA DE SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE - SMS. Elaboração Luiz Guilherme D CQSMS 10 00 Versão Data Histórico Aprovação 00 20/10/09 Emissão de documento Aldo Guedes Avaliação da Necessidade de Treinamento

Leia mais

PROCURADORIA-GERAL DE JUSTIÇA. ANEXO ÚNICO DO ATO PGJ n 056/2010

PROCURADORIA-GERAL DE JUSTIÇA. ANEXO ÚNICO DO ATO PGJ n 056/2010 PROCURADORIA-GERAL DE JUSTIÇA ANEXO ÚNICO DO ATO PGJ n 056/2010 SUPERINTENDÊNCIA DE ADMINISTRAÇÃO: Indicador: Percentual de órgãos com estrutura de equipamentos adequada. Meta: 79, 24% Melhorar a estrutura

Leia mais

PLANO DE COMUNICAÇÃO DA ESTRATÉGIA DA JME/RS

PLANO DE COMUNICAÇÃO DA ESTRATÉGIA DA JME/RS PLANO DE COMUNICAÇÃO DA ESTRATÉGIA DA JME/RS PLANEJAMENTO DE COMUNICAÇÃO DA ESTRATÉGIA DA JME APRESENTAÇÃO Este projeto trata do Planejamento de Comunicação da Estratégia da Justiça Militar do Estado do

Leia mais

4. MODERNIZAÇÃO E RELACIONAMENTO INSTITUCIONAL

4. MODERNIZAÇÃO E RELACIONAMENTO INSTITUCIONAL Relatório de Atividades - 1 trimestre de 4.1. Planejamento Estratégico 4. MODERNIZAÇÃO E RELACIONAMENTO INSTITUCIONAL A principal atividade relacionada ao Planejamento Estratégico -2016 do TCE/SC no primeiro

Leia mais

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO DIRETORIA DE SISTEMAS E INFORMAÇÃO

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO DIRETORIA DE SISTEMAS E INFORMAÇÃO PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO DIRETORIA DE SISTEMAS E INFORMAÇÃO PLANO ESTRATÉGICO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO TRIÊNIO /2015 DSI/CGU-PR Publicação - Internet 1 Sumário 1. RESULTADOS

Leia mais

CREFITO/RS. Comparativo da Despesa Paga. Conselho Regional de Fisioterapia e Terapia Ocupacional 5ª Região CNPJ: 90.601.147/0001-20.

CREFITO/RS. Comparativo da Despesa Paga. Conselho Regional de Fisioterapia e Terapia Ocupacional 5ª Região CNPJ: 90.601.147/0001-20. Conselho Regional de Fisioterapia e Terapia Ocupacional 5ª Região CNPJ: 90.601.147/0001-20 Comparativo da Paga CRÉDITO DISPONÍVEL DA DESPESA 6.425.208,00 2.742.999,95 2.742.999,95 3.682.208,05 CRÉDITO

Leia mais

Processo de Desenvolvimento de Software

Processo de Desenvolvimento de Software Coordenadoria de Tecnologia da Informação Documentos Formais Processo de Desenvolvimento de Software Sumário 1 Introdução... 03 2 Políticas do Documento de Processo de Desenvolvimento de Software... 04

Leia mais

INTRODUÇÃO. Apresentação

INTRODUÇÃO. Apresentação ANEXO ÚNICO DA RESOLUÇÃO ATRICON 09/2014 DIRETRIZES DE CONTROLE EXTERNO ATRICON 3207/2014: OS TRIBUNAIS DE CONTAS E O DESENVOLVIMENTO LOCAL: CONTROLE DO TRATAMENTO DIFERENCIADO E FAVORECIDO ÀS MICROEMPRESAS

Leia mais

"Estrutura do Monitoramento e Avaliação no Ministério da Previdência Social"

Estrutura do Monitoramento e Avaliação no Ministério da Previdência Social "Estrutura do Monitoramento e Avaliação no Ministério da Previdência Social" 1 Gestão por processos 2 Previdência Social: em números e histórico Estrutura: Administração Direta, 2 Autarquias e 1 Empresa

Leia mais

PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO DE TIC PETIC 2015-2020

PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO DE TIC PETIC 2015-2020 Tribunal de Justiça do Estado de Roraima Secretaria de Tecnologia da Informação Divisão de Governança e Modernização Seção de Governança de TIC PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO DE TIC PETIC 2015-2020 Abril / 2015

Leia mais

RESULTADO DA PESQUISA DE SATISFAÇÃO COM OS SISTEMAS DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO. Período de realização: 18 de novembro a 10 de dezembro de 2010

RESULTADO DA PESQUISA DE SATISFAÇÃO COM OS SISTEMAS DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO. Período de realização: 18 de novembro a 10 de dezembro de 2010 RESULTADO DA PESQUISA DE SATISFAÇÃO COM OS SISTEMAS DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO Período de realização: 18 de novembro a 10 de dezembro de 2010 RELEMBRANDO O PERFIL DOS RESPONDENTES DISPONIBILIDADE

Leia mais

LEI Nº. 1293/10- DE 05 DE JULHO DE 2010. SEBASTIÃO DE OLIVEIRA BAPTISTA, Prefeito do Município de São Francisco, Estado de São Paulo,

LEI Nº. 1293/10- DE 05 DE JULHO DE 2010. SEBASTIÃO DE OLIVEIRA BAPTISTA, Prefeito do Município de São Francisco, Estado de São Paulo, LEI Nº. 1293/10- DE 05 DE JULHO DE 2010 Dispõe sobre as diretrizes orçamentárias para o exercício financeiro de 2011 e dá outras providências. SEBASTIÃO DE OLIVEIRA BAPTISTA, Prefeito do Município de São

Leia mais

Transição de governo: Desafios Jurídicos e Administrativos e Finanças Públicas

Transição de governo: Desafios Jurídicos e Administrativos e Finanças Públicas Transição de governo: Desafios Jurídicos e Administrativos e Finanças Públicas TEMPO TOTAL : 3 h 180 MIN - Transição: Aspectos Gerais - exposição: 15 min - Desafios Jurídicos e Administrativos: 40 min

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO. Secretaria dos Transportes Metropolitanos ESTRADA DE FERRO CAMPOS DO JORDÃO

GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO. Secretaria dos Transportes Metropolitanos ESTRADA DE FERRO CAMPOS DO JORDÃO AN EXO II I DE SCRI ÇÃO DOS CARGOS 1. DF - DIRETORIA FERROVIÁRIA 1.1 Analista Ferroviário (Expediente / Assistência Jurídica) Atividades de nível superior relacionadas com a preparação de correspondência

Leia mais

O que sua escola precisa, agora bem aqui na sua mão! Responsabilidade em gestão de instituições de ensino

O que sua escola precisa, agora bem aqui na sua mão! Responsabilidade em gestão de instituições de ensino O que sua escola precisa, agora bem aqui na sua mão! Responsabilidade em gestão de instituições de ensino Escolher o Sponte Educacional é escolher inteligente Sistema web para gerenciamento de instituições

Leia mais

EVENTOS. Caravana da Inclusão, Acessibilidade e Cidadania

EVENTOS. Caravana da Inclusão, Acessibilidade e Cidadania A União dos Vereadores do Estado de São Paulo UVESP, desde 1977 (há 38 anos) promove parceria com o Poder Legislativo para torná-lo cada vez mais forte, através de várias ações de capacitação e auxílio

Leia mais

Coordenadoria de Tecnologia da Informação Documentos Formais. Governança Catálogo de Entrega de Valor de TI com AGIL-GPR

Coordenadoria de Tecnologia da Informação Documentos Formais. Governança Catálogo de Entrega de Valor de TI com AGIL-GPR Coordenadoria de Tecnologia da Informação Documentos Formais Governança Catálogo de Entrega de Valor de TI com AGIL-GPR Sumário 1 Introdução... 03 2 Políticas de Governança de Entrega de Valor de TI...

Leia mais

DEMONSTRATIVO FÍSICO FINANCEIRO

DEMONSTRATIVO FÍSICO FINANCEIRO SECRETARIA DO PLANEJAMENTO E COORDEN - SEPLAN DEMONSTRATIVO FÍSICO FINANCEIRO PROGRAMA : 008 - POLÍTICAS DE ADMINISTR E REFORMA DO ESTADO Objetivo : Dinamizar a gestão pública, aprimorando a máquina administrativa,

Leia mais

Interlegis. Legislativo Moderno e Integrado. Jean Rodrigo Ferri Interlegis - DF

Interlegis. Legislativo Moderno e Integrado. Jean Rodrigo Ferri Interlegis - DF Interlegis Legislativo Moderno e Integrado Jean Rodrigo Ferri Interlegis - DF Agenda Interlegis Pilares Sistemas Comunidades Informação Interlegis Origem do Interlegis Projeto iniciado em 1997 no PRODASEN

Leia mais

PESQUISA DE SATISFAÇÃO SOBRE O SERVIÇO DE SUPORTE TÉCNICO DE TI

PESQUISA DE SATISFAÇÃO SOBRE O SERVIÇO DE SUPORTE TÉCNICO DE TI PESQUISA DE SATISFAÇÃO SOBRE O SERVIÇO DE SUPORTE TÉCNICO DE TI APRESENTAÇÃO Este documento fornece um resumo do relatório da pesquisa de satisfação que foi realizada no Tribunal de Justiça de Pernambuco

Leia mais

Aplicação FUNCIONALIDADES

Aplicação FUNCIONALIDADES O sistema Advice é uma solução Corpdigital baseada na web que centraliza, de forma totalmente integrada, as atividades de um conselho de fiscalização profissional. A ferramenta apresenta módulos integrados

Leia mais

Prefeitura Municipal de Farias Brito GOVERNO MUNICIPAL CNPJ n 07.595.572/0001-00

Prefeitura Municipal de Farias Brito GOVERNO MUNICIPAL CNPJ n 07.595.572/0001-00 ANEXO I PREGÃO Nº 2012.12.12.1 TERMO DE REFERÊNCIA Com a especificação dos serviços de assessoria, consultoria, execução contábil, justificativas, defesas e recursos de processos administrativos junto

Leia mais

Nome do questionário (ID): Levantamento de Governança de TI 2014 (566727)

Nome do questionário (ID): Levantamento de Governança de TI 2014 (566727) Nome do questionário (ID): Levantamento de Governança de TI 2014 (566727) Pergunta: Sua resposta Data de envio: 12/06/2014 13:58:56 Endereço IP: 200.252.42.196 1. Liderança da alta administração 1.1. Com

Leia mais

RESOLUÇÃO - TCU Nº 247, de 7 de dezembro de 2011

RESOLUÇÃO - TCU Nº 247, de 7 de dezembro de 2011 RESOLUÇÃO - TCU Nº 247, de 7 de dezembro de 2011 Dispõe sobre a Política de Governança de Tecnologia da Informação do Tribunal de Contas da União (PGTI/TCU). O TRIBUNAL DE CONTAS DA UNIÃO, no uso de suas

Leia mais

Conselho Federal de Enfermagem. SEMINÁRIO ADMINISTRATIVO Cofen/Conselhos Regionais -Caucaia- CE/Brasil

Conselho Federal de Enfermagem. SEMINÁRIO ADMINISTRATIVO Cofen/Conselhos Regionais -Caucaia- CE/Brasil Conselho Federal de Enfermagem SEMINÁRIO ADMINISTRATIVO Cofen/Conselhos Regionais -Caucaia- CE/Brasil Dos Novos Tempos Cofen à Força da Mudança: a evolução administrativa do Cofen. Manoel Carlos Neri da

Leia mais

Política de Responsabilidade Socioambiental

Política de Responsabilidade Socioambiental Publicado em: 27/02/2015 Válido até: 26/02/2020 Política de Responsabilidade Socioambiental 1. SUMÁRIO 2 2. OBJETIVO 2 3. ABRANGÊNCIA 2 4. IMPLEMENTAÇÃO 2 5. DETALHAMENTO 2 5.1. Definições 3 5.2. Envolvimento

Leia mais

PROPOSTA DE MELHORIA OBJETIVO ANÁLISE E MELHORIA DO PROCESSO

PROPOSTA DE MELHORIA OBJETIVO ANÁLISE E MELHORIA DO PROCESSO Secretaria de Estado de Gestão e Planejamento / SEGPLAN Secretaria do Meio Ambiente e Recursos Hídricos do Estado de Goiás / SEMARH PROC004 Fiscalização e Cobrança de Autos PROPOSTA DE MELHORIA OBJETIVO

Leia mais

PLANO DE AÇÃO 2014 Curso de Bacharelado em Ciência da Computação MARCOS PAULO A. DE SOUSA. Melhorar infraestrutura OBJETIVO 01:

PLANO DE AÇÃO 2014 Curso de Bacharelado em Ciência da Computação MARCOS PAULO A. DE SOUSA. Melhorar infraestrutura OBJETIVO 01: OBJETIVO 01: Melhorar infraestrutura Sobre os laboratórios e instalações específicas para seu como: ambulatórios, clínicas e núcleo (A qualidade dos equipamentos disponíveis) Sobre a Biblioteca (A disponibilidade

Leia mais

Realizar pesquisas de satisfação da comunidade frente aos serviços prestados e torná-las públicas

Realizar pesquisas de satisfação da comunidade frente aos serviços prestados e torná-las públicas PLANILHA DE OBJETIVOS E AÇÕES VIABILIZADORAS FT DE GESTÃO PÚBLICA - "A SANTA MARIA QUE QUEREMOS" Visão: Que em 2020 Santa Maria seja um município que preste Serviços de Qualidade a seus cidadãos, com base

Leia mais

ESTRATÉGIA E PLANEJAMENTO CORPORATIVO

ESTRATÉGIA E PLANEJAMENTO CORPORATIVO Estratégia e Planejamento Corporativo AULA 4 - BSC Abril 2015 Pauta Planejamento Estratégico; Cadeia de valor; BSC Balanced Scorecard; Mapa Estratégico; Indicadores de desempenho e metas; Plano de ações;

Leia mais

Compliance e a Valorização da Ética. Brasília, outubro de 2014

Compliance e a Valorização da Ética. Brasília, outubro de 2014 Compliance e a Valorização da Ética Brasília, outubro de 2014 Agenda 1 O Sistema de Gestão e Desenvolvimento da Ética Compliance, Sustentabilidade e Governança 2 Corporativa 2 Agenda 1 O Sistema de Gestão

Leia mais

Fundação Habitacional do Exército. José Ricardo GODINHO Rodrigues

Fundação Habitacional do Exército. José Ricardo GODINHO Rodrigues Fundação Habitacional do Exército José Ricardo GODINHO Rodrigues MAPEAMENTO E MELHORIA DE PROCESSOS A 18 de Fundação novembro 1980 POUPEX Habitacional Lei nº. 6.855 Instituição Criada pela pública FHE

Leia mais

www.centralit.com.br emauri@centralit.com.br 1 de 27

www.centralit.com.br emauri@centralit.com.br 1 de 27 Compromisso com a inovação e excelência em resultados. 1 de 27 2 de 27 Como obter resultados na crise? Operação (Rotina) Inovações (que impulsionem os negócios) 3 de 27 Fazendo a diferença Operação (Rotina)

Leia mais

Relatório de Informações Gerenciais Setorial Anual

Relatório de Informações Gerenciais Setorial Anual PODER JUDICIÁRIO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO Relatório de Informações Gerenciais Setorial Anual DIRETORIA-GERAL DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO (DGTEC) ANUAL 2011 Para atualizar o índice do relatório, clique

Leia mais

Coren-MG - Tecnologia da Informação. Sistema Integrado de Gestão Modelos de Soluções

Coren-MG - Tecnologia da Informação. Sistema Integrado de Gestão Modelos de Soluções Coren-MG - Tecnologia da Informação Sistema Integrado de Gestão Modelos de Soluções Infraestrutura Projeto Inicial de Infraestrutura Formação de equipe de TI interna; Estruturação de Datacenter; Redução

Leia mais

ESCOLA DE GOVERNO DE ALAGOAS REGIMENTO INTERNO DA ESCOLA DE GOVERNO DO ESTADO DE ALAGOAS

ESCOLA DE GOVERNO DE ALAGOAS REGIMENTO INTERNO DA ESCOLA DE GOVERNO DO ESTADO DE ALAGOAS ESCOLA DE GOVERNO DE ALAGOAS REGIMENTO INTERNO DA ESCOLA DE GOVERNO DO ESTADO DE ALAGOAS ( Decreto nº 24.202, de 07 de janeiro de 2013 Anexo Único Publicado no Diário Oficial do Estado de 08 de janeiro

Leia mais

Coordenadoria de Tecnologia da Informação. Documentos Formais. Governança de Auditoria Interna de TI com AGIL-GPR

Coordenadoria de Tecnologia da Informação. Documentos Formais. Governança de Auditoria Interna de TI com AGIL-GPR Coordenadoria de Tecnologia da Informação Documentos Formais Governança de Auditoria Interna de TI com AGIL-GPR NOV/2011 1 Sumário 1 Introdução... 03 2 Políticas de Governança de Auditoria Interna de TI...

Leia mais

1. COMPETÊNCIAS DAS DIRETORIAS

1. COMPETÊNCIAS DAS DIRETORIAS 1. COMPETÊNCIAS DAS DIRETORIAS 1.1. Diretoria Executiva (DEX) À Diretora Executiva, além de planejar, organizar, coordenar, dirigir e controlar as atividades da Fundação, bem como cumprir e fazer cumprir

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL CONSELHO REGIONAL DE ENGENHARIA E AGRONOMIA DO PARÁ - CREA-PA

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL CONSELHO REGIONAL DE ENGENHARIA E AGRONOMIA DO PARÁ - CREA-PA AÇÕES PROJETADAS: Objetivo Estratégico: Desenvolver um programa de qualificação e capacitação dos colaboradores Estruturação da GRH adequação do quadro de pessoal na GRH Dotar de estrutura e pessoal adequado

Leia mais

NOTÍCIAS ACONTECE NOS ESCRITÓRIOS SETORIAIS DE GESTÃO ESTRATÉGICA

NOTÍCIAS ACONTECE NOS ESCRITÓRIOS SETORIAIS DE GESTÃO ESTRATÉGICA NOTÍCIAS ACONTECE NOS ESCRITÓRIOS SETORIAIS DE GESTÃO ESTRATÉGICA NOTÍCIAS ACONTECE NOS ESCRITÓRIOS SETORIAIS DE GESTÃO ES- TRATÉGICA Escritório Setorial de Gestão Estratégica da Diretoria Administrativa

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 506, DE 28 DE JUNHO DE 2013

RESOLUÇÃO Nº 506, DE 28 DE JUNHO DE 2013 Publicada no DJE/STF, n. 127, p. 1-3 em 3/7/2013. RESOLUÇÃO Nº 506, DE 28 DE JUNHO DE 2013 Dispõe sobre a Governança Corporativa de Tecnologia da Informação no âmbito do Supremo Tribunal Federal e dá outras

Leia mais

Rua George Smith, 29 Lapa São Paulo SP CEP 05074-010 Telefone/Fax: 55.11.3837-000 www.qualityassociados.com.br

Rua George Smith, 29 Lapa São Paulo SP CEP 05074-010 Telefone/Fax: 55.11.3837-000 www.qualityassociados.com.br Rua George Smith, 29 Lapa São Paulo SP CEP 05074-010 Telefone/Fax: 55.11.3837-000 A empresa Rua George Smith, 29 Lapa São Paulo SP CEP 05074-010 Telefone/Fax: 55.11.3837-000 A Quality Associados foi criada

Leia mais

Universidade do Estado de Minas Gerais Instituto Superior de Ensino e Pesquisa de Ituiutaba Sistemas de Informação Segurança e Auditoria de Sistemas

Universidade do Estado de Minas Gerais Instituto Superior de Ensino e Pesquisa de Ituiutaba Sistemas de Informação Segurança e Auditoria de Sistemas 1. Conceitos e Organização da Auditoria Universidade do Estado de Minas Gerais 1.1 Conceitos Auditoria é uma atividade que engloba o exame de operações, processos, sistemas e responsabilidades gerenciais

Leia mais

Fundação Habitacional do Exército. José Ricardo GODINHO Rodrigues

Fundação Habitacional do Exército. José Ricardo GODINHO Rodrigues Fundação Habitacional do Exército José Ricardo GODINHO Rodrigues MAPEAMENTO E MELHORIA DE PROCESSOS Caso de sucesso na Fundação Habitacional do Exército FHE Desafios e lições aprendidas Resultados gerados

Leia mais

LEI COMPLEMENTAR Nº 141, DE 03 DE SETEMBRO DE 2009.

LEI COMPLEMENTAR Nº 141, DE 03 DE SETEMBRO DE 2009. LEI COMPLEMENTAR Nº 141, DE 03 DE SETEMBRO DE 2009. O GOVERNADOR DO ESTADO DE PERNAMBUCO: Dispõe sobre o Modelo Integrado de Gestão do Poder Executivo do Estado de Pernambuco. Faço saber que a Assembléia

Leia mais

PNAFM PROGRAMA NACIONAL DE APOIO À GESTÃO ADMINISTRATIVA E FISCAL DOS MUNICÍPIOS BRASILEIROS PNAFM

PNAFM PROGRAMA NACIONAL DE APOIO À GESTÃO ADMINISTRATIVA E FISCAL DOS MUNICÍPIOS BRASILEIROS PNAFM Ministério da Fazenda - MF Secretaria Executiva - SE Subsecretaria de Gestão Estratégica SGE Coordenação-Geral de Programas e Projetos de Cooperação COOPE PROGRAMA NACIONAL DE APOIO À GESTÃO ADMINISTRATIVA

Leia mais

Seminário O controle interno governamental no Brasil Velhos Desafios, Novas Perspectivas. 14 a 16 de Maio Iguassu Resort Foz do Iguaçu - Paraná

Seminário O controle interno governamental no Brasil Velhos Desafios, Novas Perspectivas. 14 a 16 de Maio Iguassu Resort Foz do Iguaçu - Paraná Seminário O controle interno governamental no Brasil Velhos Desafios, Novas Perspectivas 14 a 16 de Maio Iguassu Resort Foz do Iguaçu - Paraná Controle Interno na visão dos Auditores Externos Situação

Leia mais

Certificação ISO/IEC 27001. SGSI - Sistema de Gestão de Segurança da Informação. A Experiência da DATAPREV

Certificação ISO/IEC 27001. SGSI - Sistema de Gestão de Segurança da Informação. A Experiência da DATAPREV Certificação ISO/IEC 27001 SGSI - Sistema de Gestão de Segurança da Informação A Experiência da DATAPREV DATAPREV Quem somos? Empresa pública vinculada ao Ministério da Previdência Social, com personalidade

Leia mais

PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO DE TI

PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO DE TI PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO DE TI PETI MPMA 2015 2016 Procuradora Geral de Justiça VERSÃO 1.0 SÃO LUIS MA, 2014 Regina Lúcia de Almeida Rocha Procuradora de Justiça Diretor Geral Luís Gonzaga Martins Coelho

Leia mais

Ministério de Minas e Energia Centrais Elétricas Brasileiras S.A. Eletrobras ANEXO VI DESCRIÇÃO DO PROJETO ENERGIA+

Ministério de Minas e Energia Centrais Elétricas Brasileiras S.A. Eletrobras ANEXO VI DESCRIÇÃO DO PROJETO ENERGIA+ Ministério de Minas e Energia Centrais Elétricas Brasileiras S.A. Eletrobras ANEXO VI DESCRIÇÃO DO PROJETO ENERGIA+ CONTRATAÇÃO DE EMPRESA PARA A PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE ORGANIZAÇÃO DE CONGRESSOS, EXPOSIÇÕES,

Leia mais

PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO DO MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE: Por um MP mais eficiente

PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO DO MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE: Por um MP mais eficiente PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO DO MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE: Por um MP mais eficiente Natal, 2011 1. Quem somos 2. Histórico da Gestão Estratégica 3. Resultados práticos 4. Revisão

Leia mais

ALINHAMENTO DE PROCESSOS COM A ESTRATÉGIA DA ANTT. Nenhum vento sopra a favor de quem não sabe aonde ir. Sêneca

ALINHAMENTO DE PROCESSOS COM A ESTRATÉGIA DA ANTT. Nenhum vento sopra a favor de quem não sabe aonde ir. Sêneca ALINHAMENTO DE PROCESSOS COM A ESTRATÉGIA DA ANTT Nenhum vento sopra a favor de quem não sabe aonde ir. Sêneca novembro 2012 Agenda Apresentação do escopo do projeto Metodologia Gestão de Processos Análise

Leia mais

A Lei de Diretrizes da Política

A Lei de Diretrizes da Política A Lei de Diretrizes da Política Nacional de Mobilidade Urbana Lei nº 12.587, de 3 de janeiro de 2012 Ipea, 06 de janeiro de 2012 Sumário Objetivo: avaliar a nova Lei de Diretrizes da Política de Nacional

Leia mais