BENEFÍCIOS DO ALEITAMENTO MATERNO EXLUSIVO ATÉ O SEXTO MÊS DE VIDA, E AS PRINCIPAIS CAUSAS DO DESMAME PRECOCE

Save this PDF as:

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "BENEFÍCIOS DO ALEITAMENTO MATERNO EXLUSIVO ATÉ O SEXTO MÊS DE VIDA, E AS PRINCIPAIS CAUSAS DO DESMAME PRECOCE"

Transcrição

1 BENEFÍCIOS DO ALEITAMENTO MATERNO EXLUSIVO ATÉ O SEXTO MÊS DE VIDA, E AS PRINCIPAIS CAUSAS DO DESMAME PRECOCE MARIN, T; MORAES, A.C.S. Resumo:O aleitamento materno consiste na prática alimentar ideal para os lactentes nos primeiros meses de vida, uma vez que suas vantagens são constatadas tanto do ponto de vista biológico quanto psicossocial. As vantagens do leite maternosão indiscutíveis para o lactente nos seis primeiros seis meses de vida, pois possui todos os nutrientes necessários para o bebê. Contudo, observa-se que essa prática está sendo substituído, o que põe em risco o desenvolvimento e a saúde da criança, já que o desmame precoce é o principal responsável pela desnutrição e mortalidade infantil no primeiro ano de vida. Observando a dificuldade que a amamentação vem defrontando, a pesquisa se desenvolveu com o objetivo de realizar uma revisão literária sobre a importância do aleitamento materno exclusivo até o sexto mês de vida, e as principais causas do desmame precoce. Almeja-se que a prática do desmame precoce seja superada pela conscientização e incentivo à amamentação, que traz tantos benefícios para o lactente. precoce. Palavras chaves: aleitamento materno, nutrição do lactente e desmame Abstract: Breastfeeding is the optimal feeding practices for infants in the first months of life, since its benefits are established both from the standpoint of biological and psychosocial. The advantages of breastfeeding are indisputable for infants during the first six months of life, because it has all the necessary nutrients for the baby. However, it is observed that this practice is being replaced, which endangers the health and development of children, as early weaning is primarily responsible for malnutrition and infant mortality in the first year of life. Noting the difficulty that breastfeeding is facing, the research was developed with the objective of carrying out a literature review on the importance of exclusive breastfeeding up to six months of life, and the main

2 causes of early weaning. One hopes that the practice of early weaning is overcome by awareness and encouragebreastfeeding, which brings so many benefits to the infant. Keywords: breastfeeding, earlyweaning. Introdução: A amamentação é um dos fatores mais eficientes para nutrir e contribuir para a saúde da criança é uma das principais ações benéficas que a mãe propicia ao seu filho, pois o leite materno é indiscutivelmente o alimento que reúne as características nutricionais ideais, com balanceamento adequado de nutrientes, além de desenvolver inúmeras vantagens imunológicas e psicológicas é o alimento natural e completo que o recém-nascido precisa. É um processo que envolve interação profunda entre mãe e filho, importante para a criança, para a mãe, para a família e para sociedade em geral.a OMS, o UNICEF (Fundo das Nações Unidas para Infância) e o Ministério da Saúde enfatizam a importância da promoção do aleitamento materno como fator redutor da morbimortalidade infantil. Estima-se que mais de um milhão de crianças poderiam deixar de morrer no mundo a cada ano, se o aleitamento materno fosse plenamente utilizado de maneira exclusiva até os 6 meses e complementado até o segundo ano de vida. O aleitamento materno só é considerado exclusivo, quando a criança estiver recebendo apenas o leite proveniente de sua mãe ou de bancos de leite humano, e nenhum outro líquido ou sólido com exceção de vitaminas, minerais e medicamentos. Contudo desmame precoceé considerado como um dos grandes problemas de saúde pública é crescente o número de mães que optam por outros tipos de alimento e deixam de amamentar. Referencial Teórico e Metodológico:Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS) amamentar exclusivamente tornou-se uma recomendação baseada em revisãoextensa da literatura. O aleitamento materno constitui o modo mais adequado de fornecer alimento para o crescimento e o desenvolvimento saudáveis de lactentes, com influência também na saúde biológica e emocional do binômio mãe-filho.o leite materno é considerado um dos pilaresfundamentais para a promoção e proteção da saúdedas crianças em

3 todo o mundo. A superioridade doleite humano como fonte de alimento, de proteção contra doenças e de afeto fazem com que especialistas domundo inteiro recomendem a amamentação exclusiva.a Organização Mundial de Saúde (OMS) e o Fundo das Nações Unidas para ainfância (UNICEF) centram esforços para a instituição de uma política pública de incentivo à amamentação desde a década de 80. Em 1991, foi lançada a Iniciativa Hospital Amigo da Criança (IHAC), a qual propõe modificações nasrotinas das maternidades para atender o sucesso do aleitamento materno. A decisão da mulher em amamentar esta interligada ásua história de vida e ao significado que atribui a este ato. Dessa forma, essa opção pessoal pode ser influenciada pelo aspecto emocional, social, cultural e econômico desse sujeito. A decisão de amamentar é uma questão de assumir riscos ou garantir benefícios para o binômio mãe-filho e é determinada pelas interações que ocorrem durante esta experiência vivida pela mulher.o ato deamamentar é muito mais do que apenas nutrir a criança, são inúmeras as vantagens, principalmente para a saúde da criança, diminui a incidência de infecções respiratórias, diarréia, infecção do trato urinário, morte súbita, diabetes, linfomas, leucemia, excesso, de peso, hipercolesterolemia, asma, doenças alérgicas, entre outras.o reconhecimento de que o leite humano não é apenas uma fonte de nutrientes e sim um valioso alimento funcional é cada vez maior, tendo em vista as evidências crescentes dos efeitos fisiológicos benéficos e das repercussões positivas no estado nutricional e saúde no curto e longo prazo.apesar de todas as vantagens já ditas do leite materno, a família ainda pode contar com o fator econômico que o leite materno pode trazer quando comparados a outros tipos de leites artificiais, este sempre pronto para o consumo, não tem custo algum. Apesar do incentivo da prática da amamentação, estudos realizados demonstram um padrão insatisfatóriode aleitamento materno,mesmo com a recomendação da OMS, as taxas de aleitamento materno ainda são baixas no Brasil, a prevalência do desmame precoce tem apresentado um nível elevado ao longo das últimas décadas do século XXI, tornando-se um grande problema de saúde pública em todo o mundo. É crescente o número de mães que optam por outros tipos de alimento e deixam de amamentar, sãoinúmeros os fatores que estão envolvidos na interrupção precoce da amamentação, entre eles falta de conhecimento das mães sobre o aleitamento materno, o meio em que vivem

4 as mulheres, a situação econômica em que vivem as famílias, o acesso das mesmas à educação e à inserção ao mercado de trabalho, às propagandas de fórmulas infantis entre outros. Pesquisas demonstram que prevalência do aleitamento materno esta longe do cumprimento da recomendação da OMS de amamentação exclusivaaté o sexto mês de vida e a continuidade do aleitamento materno até o segundo ano de vida ou mais. O desmame precoce traz sérios problemas de saúde, tanto para o bebê quanto para a mãe.a legislação de proteção ao aleitamento materno no Brasil é uma das mais avançadas do mundo. É de suma importância que os profissionais de saúde conheçam as leis de proteção do aleitamento materno para que possam informar às mulheres e suas famílias os seus direitos, evitando assim possíveis casos do desmame precoce. Conclusão:O presente trabalho permite concluir que o leite materno é o melhor e o mais eficaz alimento para o lactente, é ideal para o desenvolvimento saudável e adequado nos primeiros seis meses de vida. E apesar dos inúmeros benefícios do leite materno o desmame precoce ainda é prevalente. Referências: BARROS, K.M. Desmame precoce: motivos, conseqüências e intervenções de enfermagem. Congresso Brasileiro de Enfermagem, dezembro de MINISTÉRIO DA SAÚDE. Saúde da criança: Nutrição Infantil. Aleitamento materno e Alimentação Complementar. Brasília DF: Editora MS, OMS, Organização Mundial de Saúde. Evidencias cientificas dos dez passos para o sucesso do aleitamento materno. Brasília: Organização Pan- Americana da Saúde, 2001 SANTOS, P.R.M., NEVES, R.C.F. Causas mais comum do desmame precoce: revisão integrativa da literatura. Revista Eletrônica de Educação e Ciência(REEC) ISSN Volume 02 Número

5 SCHWARTZ Renataet al. Associação entre aleitamento materno e estado nutricional atual de crianças e adolescentes atendidos em um hospital do Sul do Brasil.Revista HCPA. 2012;32(2):

Novas curvas de avaliação de crescimento infantil adotadas pelo MS

Novas curvas de avaliação de crescimento infantil adotadas pelo MS Texto de apoio ao curso de Especialização Atividade física adaptada e saúde Prof. Dr. Luzimar Teixeira Novas curvas de avaliação de crescimento infantil adotadas pelo MS Em 2006 foi lançada pela Organização

Leia mais

PALAVRAS-CHAVE Amamentação. Educação em Saúde. Enfermagem. Traumas Mamários

PALAVRAS-CHAVE Amamentação. Educação em Saúde. Enfermagem. Traumas Mamários 1 ISSN 2238-9113 ÁREA TEMÁTICA: ( ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( X ) SAÚDE ( ) TRABALHO ( ) TECNOLOGIA INFLUÊNCIA DA ESCOLARIDADE NOS TRAUMAS

Leia mais

TÍTULO: AUTORAS INSTITUIÇÃO: E-mail ÁREA TEMÁTICA:

TÍTULO: AUTORAS INSTITUIÇÃO: E-mail ÁREA TEMÁTICA: TÍTULO: AÇÕES EDUCATIVAS EM ALEITAMENTO MATERNO E ALIMENTAÇÃO COMPLEMENTAR NO PRIMEIRO ANO DE VIDA EM UMA COMUNIDADE DA CIDADE DO RECIFE. AUTORAS: Osório, M.M.; Javorski,M.; Santana, S.C.S.; Leal, L.P.;

Leia mais

Projeto da IBFAN Brasil para Fomento das atividades da. Semana Mundial de Aleitamento Materno no Brasil

Projeto da IBFAN Brasil para Fomento das atividades da. Semana Mundial de Aleitamento Materno no Brasil Projeto da IBFAN Brasil para Fomento das atividades da Semana Mundial de Aleitamento Materno no Brasil a ser realizado com apoio do Senac São Paulo e Santander Universidades Maio 2008 2 Nome da organização:

Leia mais

CONSULTA DE ENFERMAGEM: O ALEITAMENTO MATERNO NO PERÍODO PUERPERAL

CONSULTA DE ENFERMAGEM: O ALEITAMENTO MATERNO NO PERÍODO PUERPERAL 110. ÁREA TEMÁTICA: ( ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( X) SAÚDE ( ) TRABALHO ( ) TECNOLOGIA CONSULTA DE ENFERMAGEM: O ALEITAMENTO MATERNO NO PERÍODO

Leia mais

Licenciatura de Análises Clínicas e Saúde Pública. Universidade Atlântica. 4.º Ano. - Investigação Aplicada

Licenciatura de Análises Clínicas e Saúde Pública. Universidade Atlântica. 4.º Ano. - Investigação Aplicada Licenciatura de Análises Clínicas e Saúde Pública Universidade Atlântica 4.º Ano - Investigação Aplicada AVALIAÇÃO DO GRAU DE SENSIBILIZAÇÃO PARA A AMAMENTAÇÃO Projecto de Investigação Docente: Ana Cláudia

Leia mais

BERNARDI JR, LOUZADA ML, RAUBER F, GAMA CM, VITOLO MR. 11 de Junho de 2010.

BERNARDI JR, LOUZADA ML, RAUBER F, GAMA CM, VITOLO MR. 11 de Junho de 2010. Implementação dos Dez Passos da Alimentação Saudável para Crianças Brasileiras Menores de Dois Anos em Unidades de Saúde: ensaio de campo randomizado por conglomerados BERNARDI JR, LOUZADA ML, RAUBER F,

Leia mais

PROMOÇÃO COMERCIAL DE ALIMENTOS INFANTIS

PROMOÇÃO COMERCIAL DE ALIMENTOS INFANTIS PROMOÇÃO COMERCIAL DE ALIMENTOS INFANTIS Regulamento Técnico para Promoção Comercial dos Alimentos para Lactentes e Crianças da Primeira Infância (Consulta Pública) Objetivo Regulamentar a promoção comercial

Leia mais

CONSULTA PUERPERAL DE ENFERMAGEM: IMPORTÂNCIA DA ORIENTAÇÃO PARA O ALEITAMENTO MATERNO

CONSULTA PUERPERAL DE ENFERMAGEM: IMPORTÂNCIA DA ORIENTAÇÃO PARA O ALEITAMENTO MATERNO 12. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido 1 ÁREA TEMÁTICA: (marque uma das opções) ( ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( X) SAÚDE ( ) TRABALHO (

Leia mais

População total = 417 983 Censo 2000

População total = 417 983 Censo 2000 AS AÇÕES BEM SUCEDIDAS EM ALEITAMENTO MATERNO E ALIMENTAÇÃO COMPLEMENTAR NUTR. JULIANA C. F. DE OLIVEIRA CHEFE DA SEÇÃO DE AÇÕES PREVENTIVAS COORDENADORIA DE SAÚDE DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE SECRETARIA

Leia mais

ALIMENTAÇÃO/APETITE como lidar com a situação!

ALIMENTAÇÃO/APETITE como lidar com a situação! ALIMENTAÇÃO/APETITE como lidar com a situação! ISABEL DINIS Fases da Infância e as Problemáticas Infantis. Oliveira do Hospital, 2009 Importância da alimentação saudável Estado de saúde adequado Óptimo

Leia mais

PARECER Nº, DE 2012. RELATOR: Senador ARMANDO MONTEIRO

PARECER Nº, DE 2012. RELATOR: Senador ARMANDO MONTEIRO PARECER Nº, DE 2012 Da COMISSÃO DE EDUCAÇÃO, CULTURA E ESPORTE, em decisão terminativa, sobre o Projeto de Lei do Senado nº 151, de 2010, da Senadora Marisa Serrano, que institui a Semana Nacional da Doação

Leia mais

Amamentação: sobrevivência infantil e. qualidade de. vida. 2 Nutricionista Materno Infantil Rejane Radunz

Amamentação: sobrevivência infantil e. qualidade de. vida. 2 Nutricionista Materno Infantil Rejane Radunz Amamentação: sobrevivência infantil e qualidade de vida 1 2 Nutricionista Materno Infantil Rejane Radunz PROMOVENDO O ALEITAMENTO MATERNO POR QUE A AMAMENTAÇÃO É IMPORTANTE? A Organização Mundial da Saúde

Leia mais

Aleitamento Materno Por que estimular?

Aleitamento Materno Por que estimular? Aleitamento Materno Por que estimular? Francine Canovas Dias Nutricionista Especializanda Disciplina de Gastroenetrologia Pediátrica Escola Paulista de Medicina/UNIFESP Recomendações 1980-1 s estudos sobre

Leia mais

NUTRIÇÃO. TipoTrabalho TRABALHO LinhaPesquisa LOCAL DATA HORARIO SALAS 6,7 OU 8 SE FOR INTERDISCIPLINAR SALA 72 SE FOR CONGRESSO

NUTRIÇÃO. TipoTrabalho TRABALHO LinhaPesquisa LOCAL DATA HORARIO SALAS 6,7 OU 8 SE FOR INTERDISCIPLINAR SALA 72 SE FOR CONGRESSO TipoTrabalho TRABALHO LinhaPesquisa LOCAL DATA HORARIO COMUNICAÇÃO ORAL FATORES QUE INFLUENCIAM NA DESNUTRIÇÃO DO IDOSO SALA 72 SE COMUNICAÇÃO ORAL ALIMENTAÇÃO EQUILIBRADA APLICADA Á ATIVIDADE FISICA PARA

Leia mais

A importância da primeira infância

A importância da primeira infância A importância da primeira infância Cesar Victora Professor Emérito da Universidade Federal de Pelotas Presidente da Associação Epidemiológica Internacional Perito em Nutrição Infantil da Organização Mundial

Leia mais

ESTADO DE GOIÁS PREFEITURA MUNICIPAL DE CAVALCANTE SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE PROJETO ALEITAMENTO MATERNO

ESTADO DE GOIÁS PREFEITURA MUNICIPAL DE CAVALCANTE SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE PROJETO ALEITAMENTO MATERNO ESTADO DE GOIÁS PREFEITURA MUNICIPAL DE CAVALCANTE SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE PROJETO ALEITAMENTO MATERNO APRESENTAÇÃO O aleitamento materno exclusivo (AME) é sinônimo de sobrevivência para o recém-nascido,

Leia mais

IMPORTÂNCIA DA EDUCAÇÃO NUTRICIONAL NA INFÂNCIA

IMPORTÂNCIA DA EDUCAÇÃO NUTRICIONAL NA INFÂNCIA IMPORTÂNCIA DA EDUCAÇÃO NUTRICIONAL NA INFÂNCIA INTRODUÇÃO Taciane Ávila Lazari Flavia Germinari Rodrigues Santos Solange da Silva Iurak Oliveira Laudicéia Soares Urbano A formação dos hábitos alimentares

Leia mais

considerando a necessidade de diminuir o risco de infecção hospitalar, evitar as complicações maternas e do recém-nascido;

considerando a necessidade de diminuir o risco de infecção hospitalar, evitar as complicações maternas e do recém-nascido; PORTARIA Nº 1.016, DE 26 DE AGOSTO DE 1993 O Ministério de Estado da Saúde, Interino no uso das atribuições legais, e. considerando a necessidade de incentivar a lactação e o aleitamento materno, favorecendo

Leia mais

Elevada auto-estima materna no pós-parto: um fator de proteção ao aleitamento exclusivo?

Elevada auto-estima materna no pós-parto: um fator de proteção ao aleitamento exclusivo? Universidade do Estado do Rio de Janeiro Instituto de Medicina Social Departamento de Epidemiologia Elevada auto-estima materna no pós-parto: um fator de proteção ao aleitamento exclusivo? Oliveira ASD;

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DA ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL NO PERÍODO DO CLIMATÉRIO 1

A IMPORTÂNCIA DA ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL NO PERÍODO DO CLIMATÉRIO 1 A IMPORTÂNCIA DA ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL NO PERÍODO DO CLIMATÉRIO 1 Angélica Aparecida De Almeida 2, Ligia Beatriz Bento Franz 3, Mabili Tresel Freitas 4, Vanessa Huber Idalêncio 5. 1 Pesquisa Institucional

Leia mais

PROJETO DE LEI N.º 4.316, DE 2012 (Do Sr. Eros Biondini)

PROJETO DE LEI N.º 4.316, DE 2012 (Do Sr. Eros Biondini) CÂMARA DOS DEPUTADOS PROJETO DE LEI N.º 4.316, DE 2012 (Do Sr. Eros Biondini) Altera a redação do 1º do art. 13 da Lei nº 11.265, de 3 de janeiro de 2006, que regulamenta a comercialização de alimentos

Leia mais

O PRÉ-ESCOLAR DE DOIS A CINCO ANOS DE IDADE: COMO ANDA SUA ALIMENTAÇÃO?

O PRÉ-ESCOLAR DE DOIS A CINCO ANOS DE IDADE: COMO ANDA SUA ALIMENTAÇÃO? ISBN 97-5-191-5-7 Encontro Internacional de Produção Científica Cesumar 7 a 3 de outubro de 9 O PRÉ-ESCOLAR DE DOIS A CINCO ANOS DE IDADE: COMO ANDA SUA ALIMENTAÇÃO? Pâmela Carla de Andrade¹, Fabíola Roberta

Leia mais

Instrumentos de proteção legal da amamentação no Brasil

Instrumentos de proteção legal da amamentação no Brasil Instrumentos de proteção legal da amamentação no Brasil O Brasil está entre os seis primeiros países a incorporar o Código em sua legislação Norma Brasileira de Comercialização de Alimentos para Lactentes

Leia mais

O USO DO COPO NA ALIMENTAÇÃO DE LACTENTES: EXISTE UM MODELO IDEAL?

O USO DO COPO NA ALIMENTAÇÃO DE LACTENTES: EXISTE UM MODELO IDEAL? 25 a 28 de Outubro de 2011 ISBN 978-85-8084-055-1 O USO DO COPO NA ALIMENTAÇÃO DE LACTENTES: EXISTE UM MODELO IDEAL? Priscila Amanda Ramos Galego 1 ; Cristiane Faccio Gomes 2 RESUMO: Este estudo teve como

Leia mais

TRANSMISSÃO VERTICAL DO HIV E SÍFILIS: ESTRATÉGIAS PARA REDUÇÃO E ELIMINAÇÃO

TRANSMISSÃO VERTICAL DO HIV E SÍFILIS: ESTRATÉGIAS PARA REDUÇÃO E ELIMINAÇÃO Ministério da Saúde TRANSMISSÃO VERTICAL DO HIV E SÍFILIS: ESTRATÉGIAS PARA REDUÇÃO E ELIMINAÇÃO Brasília - DF 2014 Ministério da Saúde TRANSMISSÃO VERTICAL DO HIV E SÍFILIS: ESTRATÉGIAS PARA REDUÇÃO

Leia mais

PARECER COREN-SP 021/2013 CT. PRCI n 100.555. Ticket nº 249.826

PARECER COREN-SP 021/2013 CT. PRCI n 100.555. Ticket nº 249.826 PARECER COREN-SP 021/2013 CT PRCI n 100.555 Ticket nº 249.826 Ementa: Indicação e prescrição pelo Enfermeiro de leite artificial e outras fórmulas. 1. Do fato Enfermeira informa que colabora na formulação

Leia mais

ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL NA INFÂNCIA

ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL NA INFÂNCIA ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL NA INFÂNCIA Andréa Ott 1, Arléia Maria Gassen 1, Catiana de Moura Morcelli 1, Elisângela Maria Politowski 1, Débora Krolikowski 2 Palavras-chave: nutrição humana, criança, saúde. INTRODUÇÃO

Leia mais

PROMOVENDO A REEDUCAÇÃO ALIMENTAR EM ESCOLAS NOS MUNICÍPIOS DE UBÁ E TOCANTINS-MG RESUMO

PROMOVENDO A REEDUCAÇÃO ALIMENTAR EM ESCOLAS NOS MUNICÍPIOS DE UBÁ E TOCANTINS-MG RESUMO 1 PROMOVENDO A REEDUCAÇÃO ALIMENTAR EM ESCOLAS NOS MUNICÍPIOS DE UBÁ E TOCANTINS-MG RESUMO Iara de Souza Assunção 1 Josiane Kênia de Freitas 2 Viviane Modesto Arruda 3 Silvana Rodrigues Pires Moreira 4

Leia mais

EDUCAÇÃO NUTRICIONAL PARA PRÉ-ESCOLARES DO CENTRO DE EDUCAÇÃO INFANTIL EM VIÇOSA-MG

EDUCAÇÃO NUTRICIONAL PARA PRÉ-ESCOLARES DO CENTRO DE EDUCAÇÃO INFANTIL EM VIÇOSA-MG 369 EDUCAÇÃO NUTRICIONAL PARA PRÉ-ESCOLARES DO CENTRO DE EDUCAÇÃO INFANTIL EM VIÇOSA-MG Jacira Francisca Matias 2 Jaqueline Miranda Lopes 2, Eliene da Silva Martins Viana 3 Resumo: A formação dos hábitos

Leia mais

AMAMENTAR protege dos maus-tratos da mãe à criança?

AMAMENTAR protege dos maus-tratos da mãe à criança? AMAMENTAR protege dos maus-tratos da mãe à criança? Cláudia Martins Cabido 1, Graça Rodrigues 2, Cristina Leite Pincho 3 1 Médica Interna de Formação Específica em Pedopsiquiatria, Área de Pedopsiquiatria

Leia mais

ALOJAMENTO CONJUNTO M.Sc. Prof.ª

ALOJAMENTO CONJUNTO M.Sc. Prof.ª ALOJAMENTO CONJUNTO M.Sc. Prof.ª Viviane Marques Fonoaudióloga, Neurofisiologista e Mestre em Fonoaudiologia Coordenadora da Pós-graduação em Fonoaudiologia Hospitalar da UVA Chefe da Equipe de Fonoaudiologia

Leia mais

Pesquisa revela que um em cada 11 adultos no mundo tem diabetes

Pesquisa revela que um em cada 11 adultos no mundo tem diabetes Pesquisa revela que um em cada 11 adultos no mundo tem diabetes O Dia Mundial da Saúde é celebrado todo 7 de abril, e neste ano, o tema escolhido pela Organização Mundial da Saúde (OMS) para conscientização

Leia mais

DESMAME PRECOCE: CAUSAS E CONSEQUÊNCIAS EARLY WEANING: CAUSES AND CONSEQUENCES. Anaine Maria da SILVA ¹

DESMAME PRECOCE: CAUSAS E CONSEQUÊNCIAS EARLY WEANING: CAUSES AND CONSEQUENCES. Anaine Maria da SILVA ¹ DESMAME PRECOCE: CAUSAS E CONSEQUÊNCIAS EARLY WEANING: CAUSES AND CONSEQUENCES Anaine Maria da SILVA ¹ 1 Graduada em Nutrição, Faculdade ASCES- Associação Caruaruense de Ensino Superior, Caruaru- PE E-mail:

Leia mais

AIDPI PARA O ENSINO MÉDICO

AIDPI PARA O ENSINO MÉDICO Atenção Integrada às Doencas Prevalentes na Infância - AIDPI AIDPI PARA O ENSINO MÉDICO Colaboradores: Antonio José Ledo Alves da Cunha Eduardo Jorge da Fonseca Lima Maria Anice S. Fontenele e Silva Maria

Leia mais

422 Rev Saúde Pública 2004;38(3):422-8 www.fsp.usp.br/rsp

422 Rev Saúde Pública 2004;38(3):422-8 www.fsp.usp.br/rsp 422 Rev Saúde Pública 2004;38(3):422-8 Iniciativa Hospital Amigo da Criança e aleitamento materno em unidade de neonatologia The Baby-Friendly Hospital Initiative and breastfeeding in a neonatal unit Marli

Leia mais

Programas de Promoção do Desenvolvimento na Primeira Infancia e seus Indicadores

Programas de Promoção do Desenvolvimento na Primeira Infancia e seus Indicadores Programas de Promoção do Desenvolvimento na Primeira Infancia e seus Indicadores Simpósio: O PAPEL DA ESTRATÉGIA SAÚDE DA FAMÍLIA NO ESTÍMULO AO DESENVOLVIMENTO DA PRIMEIRA INFÂNCIA-DPI BRASILIA 22 e 23/03/2016

Leia mais

ISSN 2238-9113 ÁREA TEMÁTICA:

ISSN 2238-9113 ÁREA TEMÁTICA: 13. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido 1 ISSN 2238-9113 ÁREA TEMÁTICA: ( ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( X) SAÚDE ( ) TRABALHO ( ) TECNOLOGIA

Leia mais

Palavras Chave: importância da amamentação, conhecimento materno.

Palavras Chave: importância da amamentação, conhecimento materno. 1 AMAMENTAÇÃO: O CONHECIMENTO MATERNO SOBRE A SUA IMPORTÂNCIA. GISELE DE AZEVEDO RIBEIRO MOÇO* CARMEN CÉLIA DE OLIVEIRA AZEVEDO MORETTO** RESUMO Trata-se de uma pesquisa descritiva com o objetivo de avaliar

Leia mais

AVALIAÇÃO NUTRICIONAL DE MENINOS DA CIDADE DE AMPARO - SÃO PAULO

AVALIAÇÃO NUTRICIONAL DE MENINOS DA CIDADE DE AMPARO - SÃO PAULO AVALIAÇÃO NUTRICIONAL DE MENINOS DA CIDADE DE AMPARO - SÃO PAULO Mari Uyeda* Pedro Henrique Martins de Lima** RESUMO: As mudanças nas práticas alimentares e no padrão de atividades físicas culminaram em

Leia mais

Projeto Ação Social. Relatório equipe de Nutrição Responsável pelos resultados: Vanessa de Almeida Pereira, Graduanda em Nutrição.

Projeto Ação Social. Relatório equipe de Nutrição Responsável pelos resultados: Vanessa de Almeida Pereira, Graduanda em Nutrição. Projeto Ação Social Relatório equipe de Nutrição Responsável pelos resultados: Vanessa de Almeida Pereira, Graduanda em Nutrição. Objetivo Geral: A equipe de Nutrição teve por objetivo atender aos pacientes

Leia mais

JORNALZINHO DA SAÚDE

JORNALZINHO DA SAÚDE JORNALZINHO DA SAÚDE POBREZA, FOME E DESNUTRIÇÃO Professor Chenso Pobreza: pobreza corresponde à condição de não satisfação de necessidades humanas elementares como comida, abrigo, vestuário, educação,

Leia mais

Abrah Associação Brasileira de Reciclagem e Assistência em Homeopatia

Abrah Associação Brasileira de Reciclagem e Assistência em Homeopatia ROSÁRIA MARIA GIANNELLA ESTANISLAU Abrah Associação Brasileira de Reciclagem e Assistência em Homeopatia Orientador Drª Maria Aparecida de Melo DESMAME PRECOCE x TUBERCULINISMO Introdução Até que ponto

Leia mais

ALEITAMENTO MATERNO um factor promotor de saúde

ALEITAMENTO MATERNO um factor promotor de saúde ALEITAMENTO MATERNO um factor promotor de saúde Direcção-Geral da Saúde Ministério da Saúde 12 Outubro 2007 Objectivo da sessão Abordar/relembrar os principais benefícios do aleitamento materno Lactente

Leia mais

SAÚDE DA MULHER, MORTALIDADE MATERNA E REDUÇÃO DE DANOS. Novembro de 2008

SAÚDE DA MULHER, MORTALIDADE MATERNA E REDUÇÃO DE DANOS. Novembro de 2008 PARAÍBA NEGO SAÚDE DA MULHER, MORTALIDADE MATERNA E REDUÇÃO DE DANOS Novembro de 2008 Atenção Básica Conjunto de ações de saúde, no âmbito individual e coletivo, que abrangem a promoção e a proteção da

Leia mais

Alimentação no primeiro ano de vida. Verônica Santos de Oliveira

Alimentação no primeiro ano de vida. Verônica Santos de Oliveira Alimentação no primeiro ano de vida Verônica Santos de Oliveira Nutrição nos Primeiros Anos de Vida Deixe que a alimentação seja o seu remédio e o remédio a sua alimentação ( Hipócrates ) Nutrição nos

Leia mais

AMAMENTAÇÃO EXCLUSIVA: FONTE IDEAL PARA O CRESCIMENTO E DESENVOLVIMENTO SAUDÁVEL DA CRIANÇA.

AMAMENTAÇÃO EXCLUSIVA: FONTE IDEAL PARA O CRESCIMENTO E DESENVOLVIMENTO SAUDÁVEL DA CRIANÇA. AMAMENTAÇÃO EXCLUSIVA: FONTE IDEAL PARA O CRESCIMENTO E DESENVOLVIMENTO SAUDÁVEL DA CRIANÇA. Artigo apresentado a Atualiza Cursos, como requisito parcial para obtenção do título de especialista em Enfermagem

Leia mais

EDUCAÇÃO NUTRICIONAL NA INFÂNCIA: INTRODUÇÃO DOS VEGETAIS NA REFEIÇÃO DAS CRIANÇAS

EDUCAÇÃO NUTRICIONAL NA INFÂNCIA: INTRODUÇÃO DOS VEGETAIS NA REFEIÇÃO DAS CRIANÇAS EDUCAÇÃO NUTRICIONAL NA INFÂNCIA: INTRODUÇÃO DOS VEGETAIS NA REFEIÇÃO DAS CRIANÇAS Vanessa dos Santos Ortega Jéssica de Paula Francisco Laudicéia Soares Urbano INTRODUÇÃO As crianças estão entre as populações

Leia mais

Rua Antônia Lara de Resende, 325 Centro CEP: 36.350-000 Fone: (0xx32) 3376.1438/ 2151 Fax: (0xx32) 3376.1503 pmstsaude@portalvertentes.com.

Rua Antônia Lara de Resende, 325 Centro CEP: 36.350-000 Fone: (0xx32) 3376.1438/ 2151 Fax: (0xx32) 3376.1503 pmstsaude@portalvertentes.com. - SECRETARIA DE SAÚDE - SÃO TIAGO MINAS GERAIS PROGRAMA DE EDUCAÇÃO ALIMENTAR E INCENTIVO À ATIVIDADE FÍSICA EM CRIANÇAS E ADOLESCENTES DE 04 A 19 ANOS 1 PROGRAMA DE EDUCAÇÃO ALIMENTAR E INCENTIVO À ATIVIDADE

Leia mais

ANÁLISE DA PRIMEIRA CONSULTA DE PUERICULTURA EM UNIDADE SAÚDE DA FAMÍLIA DO MUNICÍPIO DE PONTA GROSSA

ANÁLISE DA PRIMEIRA CONSULTA DE PUERICULTURA EM UNIDADE SAÚDE DA FAMÍLIA DO MUNICÍPIO DE PONTA GROSSA 13. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido 1 ISSN 2238-9113 ÁREA TEMÁTICA: ( ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( X ) SAÚDE ( ) TRABALHO ( ) TECNOLOGIA

Leia mais

DIFICULDADES VIVIDAS NO PROCESSO DO ALEITAMENTO MATERNO 1

DIFICULDADES VIVIDAS NO PROCESSO DO ALEITAMENTO MATERNO 1 DIFICULDADES VIVIDAS NO PROCESSO DO ALEITAMENTO MATERNO 1 CREMONESE, Luiza 2 ; WILHELM, Laís Antunes 2 ; SANTOS, Carolina Carbonell dos 2 ; ALVES, Camila Neumaier 2 ; MARTELLO, Naiashy Vanuzzi 2 ; SILVA,

Leia mais

PREVALÊNCIA DE ALEITAMENTO MATERNO EXCLUSIVO NO BRASIL

PREVALÊNCIA DE ALEITAMENTO MATERNO EXCLUSIVO NO BRASIL PREVALÊNCIA DE ALEITAMENTO MATERNO EXCLUSIVO NO BRASIL POZZEBON, Nathália Mezadri; FREIRE, Ariane Bôlla; REAL, Amanda Albiero; BRAZ, Melissa Medeiros; PIVETTA, Hedioneia Maria Foletto; PRESTES, Maria Lúcia.

Leia mais

PERFIL DA AMAMENTAÇÃO NO PRIMEIRO ANO DE VIDA NO MUNICÍPIO DE MIRANDA MS, 2012.

PERFIL DA AMAMENTAÇÃO NO PRIMEIRO ANO DE VIDA NO MUNICÍPIO DE MIRANDA MS, 2012. PERFIL DA AMAMENTAÇÃO NO PRIMEIRO ANO DE VIDA NO MUNICÍPIO DE MIRANDA MS, 2012. Dayane Marcela Carvalho da Silveira (Apresentadora) 1, Adriana Zilly (Colaboradora) 2, Marieta Fernandes (Orientadora) 3.

Leia mais

INTRODUÇÃO EVOLUÇÃO HISTÓRICA PORQUÊ AMAMENTAR?

INTRODUÇÃO EVOLUÇÃO HISTÓRICA PORQUÊ AMAMENTAR? 1 2 INTRODUÇÃO Amamentar é uma arte. Arte de amar, de alimentar psicológica e fisicamente, e como arte, sugere o belo, o bonito, o agradável, o prazeroso. Porém a atitude da mulher perante a amamentação

Leia mais

ALEITAMENTO MATERNO VERSUS ALEITAMENTO ARTIFICIAL*

ALEITAMENTO MATERNO VERSUS ALEITAMENTO ARTIFICIAL* ALEITAMENTO MATERNO VERSUS ALEITAMENTO ARTIFICIAL* CAMILA DOS SANTOS MELO, RENATA MOREIRA GONÇALVES Resumo: o objetivo foi verificar as características, benefícios e impossibilidade do aleitamento materno

Leia mais

Antes da hora. Cesarianas desnecessárias contribuem para o nascimento de bebês imaturos

Antes da hora. Cesarianas desnecessárias contribuem para o nascimento de bebês imaturos 18 fevereiro DE 2015 capa Antes da hora Cesarianas desnecessárias contribuem para o nascimento de bebês imaturos Alice Giraldi e Ricardo Zorzetto ilustração mariana zanetti No início de janeiro o Ministério

Leia mais

Suplementação de Micronutrientes: Vitamina A Ferro. Paula Regina Lemos de Almeida Campos Nutrição e Saúde Publica

Suplementação de Micronutrientes: Vitamina A Ferro. Paula Regina Lemos de Almeida Campos Nutrição e Saúde Publica Suplementação de Micronutrientes: Vitamina A Ferro Paula Regina Lemos de Almeida Campos Nutrição e Saúde Publica A anemia ferropriva representa, provavelmente, o problema nutricional mais importante da

Leia mais

Campanhas de Incentivo à Amamentação: a imposição do modelo ideal de maternidade Introdução

Campanhas de Incentivo à Amamentação: a imposição do modelo ideal de maternidade Introdução Campanhas de Incentivo à Amamentação: a imposição do modelo ideal de maternidade Suyane Oliveira Tavares; Cristina Saling Kruel; Catheline Rubim Brandolt; Danielle da Costa Souto & Elaine Ramos Bitelbron

Leia mais

CONTEÚDOS TEÓRICO-PRÁTICOS UTILIZADOS POR ENFERMEIROS DE UNIDADES BÁSICA DE SAÚDE NO ESTÍMULO AO ALEITAMENTO MATERNO. Resumo

CONTEÚDOS TEÓRICO-PRÁTICOS UTILIZADOS POR ENFERMEIROS DE UNIDADES BÁSICA DE SAÚDE NO ESTÍMULO AO ALEITAMENTO MATERNO. Resumo DOI: http://dx.doi.org/10.14295/idonline.v7i19.224 Interface Saúde CONTEÚDOS TEÓRICO-PRÁTICOS UTILIZADOS POR ENFERMEIROS DE UNIDADES BÁSICA DE SAÚDE NO ESTÍMULO AO ALEITAMENTO MATERNO Ana Paula Agostinho

Leia mais

Portaria GM n. 1130 que institui a Política Nacional de Atenção Integral à Saúde da Criança (PNAISC) no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS)

Portaria GM n. 1130 que institui a Política Nacional de Atenção Integral à Saúde da Criança (PNAISC) no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS) Portaria GM n. 1130 que institui a Política Nacional de Atenção Integral à Saúde da Criança (PNAISC) no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS) PORTARIA Nº 1.130, DE 5 DE AGOSTO DE 2015 O MINISTRO DE ESTADO

Leia mais

IMPLICAÇÕES DA FORMAÇÃO CONTINUADA DOCENTE PARA A INCLUSÃO DIGITAL NA ESCOLA PÚBLICA

IMPLICAÇÕES DA FORMAÇÃO CONTINUADA DOCENTE PARA A INCLUSÃO DIGITAL NA ESCOLA PÚBLICA IMPLICAÇÕES DA FORMAÇÃO CONTINUADA DOCENTE PARA A INCLUSÃO DIGITAL NA ESCOLA PÚBLICA Adriana Richit, Bárbara Pasa, Valéria Lessa, Mauri Luís Tomkelski, André Schaeffer, Andriceli Richit, Angélica Rossi

Leia mais

MINISTÉRIO DA SAÚDE GABINETE DO MINISTRO PORTARIA MS/GM Nº 1.130, DE 5 DE AGOSTO DE 2015

MINISTÉRIO DA SAÚDE GABINETE DO MINISTRO PORTARIA MS/GM Nº 1.130, DE 5 DE AGOSTO DE 2015 MINISTÉRIO DA SAÚDE GABINETE DO MINISTRO PORTARIA MS/GM Nº 1.130, DE 5 DE AGOSTO DE 2015 Institui a Política Nacional de Atenção Integral à Saúde da Criança (PNAISC) no âmbito do Sistema Único de Saúde

Leia mais

Comissão Nacional de Incorporação de Tecnologias no SUS (CONITEC) - Relatório n 115. Recomendação Final

Comissão Nacional de Incorporação de Tecnologias no SUS (CONITEC) - Relatório n 115. Recomendação Final TESTE DO CORAÇÃOZINHO (OXIMETRIA DE PULSO) NA TRIAGEM NEONATAL Demandante: Secretaria de Atenção à Saúde do Ministério da Saúde SAS/MS Contexto A Política de Atenção Integral à Saúde da Criança prevê entre

Leia mais

INFLUÊNCIA DOS ASPECTOS SOCIOECONÔMICOS NO RESULTADO DA TRIAGEM AUDITIVA NEONATAL

INFLUÊNCIA DOS ASPECTOS SOCIOECONÔMICOS NO RESULTADO DA TRIAGEM AUDITIVA NEONATAL INFLUÊNCIA DOS ASPECTOS SOCIOECONÔMICOS NO RESULTADO DA TRIAGEM AUDITIVA NEONATAL CARNEIRO 1 Cláudia; CAVALVANTI 2 Hannalice; NETA 3 Ivanilde; SOUZA 4 Dayse Centro de Ciências da Saúde /Departamento de

Leia mais

A Organização da Atenção Nutricional: enfrentando a obesidade

A Organização da Atenção Nutricional: enfrentando a obesidade A Organização da Atenção Nutricional: enfrentando a obesidade Introdução Há cerca de 20 anos, a Secretaria de Saúde de um grande município começou a desenvolver e implantar iniciativas relacionadas à Alimentação

Leia mais

PROC. Nº 0838/06 PLL Nº 029/06 EXPOSIÇÃO DE MOTIVOS

PROC. Nº 0838/06 PLL Nº 029/06 EXPOSIÇÃO DE MOTIVOS EXPOSIÇÃO DE MOTIVOS A obesidade é uma das patologias nutricionais que mais tem apresentado aumento em seus números, não apenas nos países ricos, mas também nos países industrializados. Nos últimos anos,

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS CURSO DE ESPECIALIZAÇAO EM ATENÇÃO BÁSICA EM SAÚDE DA FAMÍLIA

UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS CURSO DE ESPECIALIZAÇAO EM ATENÇÃO BÁSICA EM SAÚDE DA FAMÍLIA UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS CURSO DE ESPECIALIZAÇAO EM ATENÇÃO BÁSICA EM SAÚDE DA FAMÍLIA Desmame precoce: impasses e soluções em uma unidade básica de atenção à saúde de Conselheiro Lafaiete

Leia mais

ALIMENTAÇÃO PARA CRIANÇAS NÃO AMAMENTADAS

ALIMENTAÇÃO PARA CRIANÇAS NÃO AMAMENTADAS ALIMENTAÇÃO PARA CRIANÇAS NÃO AMAMENTADAS ALIMENTAÇÃO PARA CRIANÇAS NÃO AMAMENTADAS Quando o desmame não pôde ser revertido após orientações e acompanhamento dos profissionais ou em situações em que a

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DA ESCOLA NA FORMAÇÃO DOS HÁBITOS ALIMENTARES

A IMPORTÂNCIA DA ESCOLA NA FORMAÇÃO DOS HÁBITOS ALIMENTARES A IMPORTÂNCIA DA ESCOLA NA FORMAÇÃO DOS HÁBITOS ALIMENTARES INTRODUÇÃO Bruna Barreto da Costa Cristina Faria de Souza Moreira Rafael Lima da Cruz Laudicéia Soares Urbano Embora a existência de creches

Leia mais

EFEITO DO ACONSELHAMENTO NUTRICIONAL DA ESTRATÉGIA AIDPI SOBRE PRÁTICAS ALIMENTARES, ESTADO DE NUTRIÇÃO E DESENVOLVIMENTO INFANTIL

EFEITO DO ACONSELHAMENTO NUTRICIONAL DA ESTRATÉGIA AIDPI SOBRE PRÁTICAS ALIMENTARES, ESTADO DE NUTRIÇÃO E DESENVOLVIMENTO INFANTIL I Seminário de Pesquisas sobre Desenvolvimento Infantil Parceria FAPESP e FMCSV EFEITO DO ACONSELHAMENTO NUTRICIONAL DA ESTRATÉGIA AIDPI SOBRE PRÁTICAS ALIMENTARES, ESTADO DE NUTRIÇÃO E DESENVOLVIMENTO

Leia mais

ASPECTOS ASSOCIADOS À AMAMENTAÇÃO E DESMAME EM CRIANÇAS ATENDIDAS NO PROGRAMA BEBÊ-CLÍNICA EM BANDEITANTES-PR

ASPECTOS ASSOCIADOS À AMAMENTAÇÃO E DESMAME EM CRIANÇAS ATENDIDAS NO PROGRAMA BEBÊ-CLÍNICA EM BANDEITANTES-PR 1 Odontóloga Professora Mestre da Faculdade Estácio de Sá - FES/Juiz de Fora MG, profesora de Saúde Coletiva e políticas de Saúde no curso de Odontologia e Fisioterapia; 2 Farmacêutico Bioquímico - Pesquisador

Leia mais

SUPLEMENTAÇÃO DE BEZERROS DE CORTE

SUPLEMENTAÇÃO DE BEZERROS DE CORTE SUPLEMENTAÇÃO DE BEZERROS DE CORTE Nos primeiros meses de vida os bezerros obtêm grande parte dos nutrientes de que precisa do leite materno, que é de fácil digestão para o animal que ainda é jovem. Em

Leia mais

Filosofia de trabalho e missões

Filosofia de trabalho e missões Filosofia de trabalho e missões As atividades de ensino e assistência na UTI Neonatal do Hospital São Paulo, Hospital Universitário da Escola Paulista de Medicina da Universidade Federal de São Paulo (HPS-EPM/Unifesp),

Leia mais

ALIMENTAÇÃO COMPLEMENTAR

ALIMENTAÇÃO COMPLEMENTAR ALIMENTAÇÃO COMPLEMENTAR Secretaria de Saúde do Estado do Tocantins Gerência de Alimentação e Nutrição E-mail: nutricao@saude.to.gov.br (63) 3218 1789 Terezinha Franco Nutricionista ALIMENTAÇÃO COMPLEMENTAR

Leia mais

FALANDO EM AMAMENTAÇÃO : A CONTRIBUIÇÃO DA FONOAUDIOLOGIA EM GRUPOS DE GESTANTES E PUÉRPERAS

FALANDO EM AMAMENTAÇÃO : A CONTRIBUIÇÃO DA FONOAUDIOLOGIA EM GRUPOS DE GESTANTES E PUÉRPERAS FALANDO EM AMAMENTAÇÃO : A CONTRIBUIÇÃO DA FONOAUDIOLOGIA EM GRUPOS DE GESTANTES E PUÉRPERAS Área Temática: Saúde Sheila Tamanini de Almeida 1 (Coordenador da Ação de Extensão ou Ensino) Natasha Corrêa

Leia mais

EDUCAÇÃO NUTRICIONAL PARA CRIANÇAS DE 7 A 10 ANOS DE UM COLÉGIO DE APUCARANA-PR.

EDUCAÇÃO NUTRICIONAL PARA CRIANÇAS DE 7 A 10 ANOS DE UM COLÉGIO DE APUCARANA-PR. EDUCAÇÃO NUTRICIONAL PARA CRIANÇAS DE 7 A 10 ANOS DE UM COLÉGIO DE APUCARANA-PR. NUTRITION EDUCATION FOR CHILDREN 7 TO 10 YEARS OF A COLLEGE-APUCARANA PR. MARIN, T.; MORAES, A.C de Souza; FARIAS, D. A.

Leia mais

A Propaganda de Medicamentos no Brasil

A Propaganda de Medicamentos no Brasil A Propaganda de Medicamentos no Brasil As principais propagandas de medicamentos no Brasil tiveram início ainda na década de 80 do século XIX. Desde então, o que se constatou foi um crescimento contínuo

Leia mais

CONCEPÇÃO DE CUIDADO E EDUCAÇÃO:

CONCEPÇÃO DE CUIDADO E EDUCAÇÃO: 1 CONCEPÇÃO DE CUIDADO E EDUCAÇÃO: Ao longo dos tempos as mudanças nas evoluções educacionais possibilitaram que o educador construísse a sua identidade profissional, disponibilizando situações de aprendizagens

Leia mais

TRAJETÓRIA DAS POLÍTICAS PÚBLICAS DE INCENTIVO AO ALEITAMENTO MATERNO NO BRASIL

TRAJETÓRIA DAS POLÍTICAS PÚBLICAS DE INCENTIVO AO ALEITAMENTO MATERNO NO BRASIL TRAJETÓRIA DAS POLÍTICAS PÚBLICAS DE INCENTIVO AO ALEITAMENTO MATERNO NO BRASIL Palavras-chave: Aleitamento Materno; Políticas Públicas de Saúde, Desmame Precoce Introdução A alimentação infantil deve

Leia mais

MODELAGEM MATEMÁTICA: PRINCIPAIS DIFICULDADES DOS PROFESSORES DO ENSINO MÉDIO 1

MODELAGEM MATEMÁTICA: PRINCIPAIS DIFICULDADES DOS PROFESSORES DO ENSINO MÉDIO 1 MODELAGEM MATEMÁTICA: PRINCIPAIS DIFICULDADES DOS PROFESSORES DO ENSINO MÉDIO 1 Resumo Claudenici Aparecida Medeiros da Silva Universidade Federal do Pará Campus de Marabá Pólo de Canaã dos Carajás nici_medeiros@hotmail.com

Leia mais

A AMAMENTAÇÃO PODE PREVENIR A OBESIDADE INFANTIL?

A AMAMENTAÇÃO PODE PREVENIR A OBESIDADE INFANTIL? ISBN 78-8-6101-0-7 V EPCC Encontro Internacional de Produção Científica Cesumar 7 a 30 de outubro de 00 A AMAMENTAÇÃO PODE PREVENIR A OBESIDADE INFANTIL? Crislayne Teodoro Vasques 1 ; Rita de Cassia Felix

Leia mais

CONHECIMENTOS DE MÃES ACERCA DO ALEITAMENTO MATERNO

CONHECIMENTOS DE MÃES ACERCA DO ALEITAMENTO MATERNO CONHECIMENTOS DE MÃES ACERCA DO ALEITAMENTO MATERNO ROSANA KELLY DA SILVA MEDEIROS DALIANE DEBORAH NEGREIROS DALYANNA MILDRED DE OLIVEIRA VIANA FRANCIS SOLANGE VIEIRA TOURINHO Programa de Pós-Graduação

Leia mais

Recomendada. A coleção apresenta eficiência e adequação. Ciências adequados a cada faixa etária, além de

Recomendada. A coleção apresenta eficiência e adequação. Ciências adequados a cada faixa etária, além de Recomendada Por quê? A coleção apresenta eficiência e adequação metodológica, com os principais temas relacionados a Ciências adequados a cada faixa etária, além de conceitos em geral corretos. Constitui

Leia mais

Resolução DC/ANVISA nº 45, de 19.09.2011 - DOU de 21.09.2011

Resolução DC/ANVISA nº 45, de 19.09.2011 - DOU de 21.09.2011 Resolução DC/ANVISA nº 45, de 19.09.2011 - DOU de 21.09.2011 Dispõe sobre o regulamento técnico para fórmulas infantis para lactentes destinadas a necessidades dietoterápicas específicas e fórmulas infantis

Leia mais

RESOLUÇÃO DA DIRETORIA COLEGIADA RDC Nº 45, DE 19 DE SETEMBRO DE 2011. (Alterada pela Resolução RDC n 48, de 25 de setembro de 2014.

RESOLUÇÃO DA DIRETORIA COLEGIADA RDC Nº 45, DE 19 DE SETEMBRO DE 2011. (Alterada pela Resolução RDC n 48, de 25 de setembro de 2014. 1 RESOLUÇÃO DA DIRETORIA COLEGIADA RDC Nº 45, DE 19 DE SETEMBRO DE 2011. (Alterada pela Resolução RDC n 48, de 25 de setembro de 2014.) D.O.U. de 22/09/2011 Dispõe sobre o regulamento técnico para fórmulas

Leia mais

ALEITAMENTO MATERNO EM REDE SOCIAL: CONHECIMENTOS E PRÁTICAS PRÉ E PÓS ATIVIDADE EDUCATIVA

ALEITAMENTO MATERNO EM REDE SOCIAL: CONHECIMENTOS E PRÁTICAS PRÉ E PÓS ATIVIDADE EDUCATIVA 25 a 28 de Outubro de 2011 ISBN 978-85-8084-055-1 ALEITAMENTO MATERNO EM REDE SOCIAL: CONHECIMENTOS E PRÁTICAS PRÉ E PÓS ATIVIDADE EDUCATIVA Ana Maria Bufolo Macedo 1 ; Camilla Ramos Silva 1 ; Cristiane

Leia mais

ANALISAR A QUALIDADE ALIMENTAR DE CRIANÇAS DE 3 A 5 ANOS DE IDADE, NO MEIO FAMILIAR, DE UMA INSTITUIÇÃO PRIVADA E DE UMA PÚBLICA DE APUCARANA-PARANÁ

ANALISAR A QUALIDADE ALIMENTAR DE CRIANÇAS DE 3 A 5 ANOS DE IDADE, NO MEIO FAMILIAR, DE UMA INSTITUIÇÃO PRIVADA E DE UMA PÚBLICA DE APUCARANA-PARANÁ ANALISAR A QUALIDADE ALIMENTAR DE CRIANÇAS DE 3 A 5 ANOS DE IDADE, NO MEIO FAMILIAR, DE UMA INSTITUIÇÃO PRIVADA E DE UMA PÚBLICA DE APUCARANA-PARANÁ ALVES,K.L.; MARIN,T. Resumo: Alimentação saudável é

Leia mais

A situação do câncer no Brasil 1

A situação do câncer no Brasil 1 A situação do câncer no Brasil 1 Fisiopatologia do câncer 23 Introdução O câncer é responsável por cerca de 13% de todas as causas de óbito no mundo: mais de 7 milhões de pessoas morrem anualmente da

Leia mais

DESNUTRIÇÃO: benefícios dos alimentos no tratamento da desnutrição.

DESNUTRIÇÃO: benefícios dos alimentos no tratamento da desnutrição. DESNUTRIÇÃO: benefícios dos alimentos no tratamento da desnutrição. Cleide Ane Lopes dos Santos 1 Aline Aparecida Neiva dos Reis 2 Dulcelene Aparecida de Lucena Freitas 3 RESUMO O presente artigo, focaliza

Leia mais

AVALIAÇÃO DO ALEITAMENTO MATERNO EM CRIANÇAS ATENDIDAS PELA UNIDADE BÁSICA DE SAÚDE SÃO SEBASTIÃO EM JUIZ DE FORA MG.

AVALIAÇÃO DO ALEITAMENTO MATERNO EM CRIANÇAS ATENDIDAS PELA UNIDADE BÁSICA DE SAÚDE SÃO SEBASTIÃO EM JUIZ DE FORA MG. AVALIAÇÃO DO ALEITAMENTO MATERNO EM CRIANÇAS ATENDIDAS PELA UNIDADE BÁSICA DE SAÚDE SÃO SEBASTIÃO EM JUIZ DE FORA MG. Evaluation of Breast-feeding in children attended by the São Sebastião Basic Health

Leia mais

BENEFÍCIOS DA AMAMENTAÇÃO PARA A NUTRIZ E O LACTENTE

BENEFÍCIOS DA AMAMENTAÇÃO PARA A NUTRIZ E O LACTENTE UNIVERSIDADE SÃO FRANCISCO Curso de Enfermagem ADRIANA EIKO MARUKAWA DE OLIVEIRA PATRÍCIA PEREIRA DE LIMA BENEFÍCIOS DA AMAMENTAÇÃO PARA A NUTRIZ E O LACTENTE Bragança Paulista 2015 ADRIANA EIKO MARUKAWA

Leia mais

CARACTERÍSTICAS SÓCIO-EDUCACIONAIS DOS ALUNOS

CARACTERÍSTICAS SÓCIO-EDUCACIONAIS DOS ALUNOS DOS ALUNOS Características Sócio-educacionais dos s São sintomáticos à renda familiar dos alunos os dados relativos à escolaridade dos pais. Pelo que se observa, para o conjunto da UEL, as freqüências

Leia mais

Unidade I. Estrutura e Organização. Infantil. Profa. Ana Lúcia M. Gasbarro

Unidade I. Estrutura e Organização. Infantil. Profa. Ana Lúcia M. Gasbarro Unidade I Estrutura e Organização da Escola de Educação Infantil Profa. Ana Lúcia M. Gasbarro Introdução A disciplina Estrutura e Organização da Escola de Educação Infantil tem o objetivo de provocar reflexões

Leia mais

Quinta-feira, 08.09.11

Quinta-feira, 08.09.11 Quinta-feira, 08.09.11 Veja os destaques de hoje e do feriado: 1. 1º FormaGoiás 2. Programa Bolsa Universitária 3. Artigo: Goiás, de maria-fumaça a trem-bala 4. Valéria Perillo será patronesse do Goiânia

Leia mais

FISIOLOGIA DO EXERCÍCIO PRÁTICAS DE EXERCÍCIOS FÍSICOS NO LAGO JABOTI

FISIOLOGIA DO EXERCÍCIO PRÁTICAS DE EXERCÍCIOS FÍSICOS NO LAGO JABOTI FISIOLOGIA DO EXERCÍCIO PRÁTICAS DE EXERCÍCIOS FÍSICOS NO LAGO JABOTI COELHO, J.C; FONTOURA, R.S; PEREIRA, C.A; DOBICZ, A.F; TORRES, A.A.S. Resumo O presente estudo tende em verificar as principais causas

Leia mais

ELIZABETH YAMASAKI DANIELA LOPES GOMES. Coleção Gibi Saúde v.3

ELIZABETH YAMASAKI DANIELA LOPES GOMES. Coleção Gibi Saúde v.3 ELIZABETH YAMASAKI DANIELA LOPES GOMES Coleção Gibi Saúde v.3 ELIZABETH YAMASAKI & DANIELA LOPES GOMES MAMA ÁFRICA Coleção Gibi Saúde, v.3 REALIZAÇÃO UNAMA Universidade da Amazônia Reitora Ana Célia Bahia

Leia mais