Estudo de Viabilidade

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Estudo de Viabilidade"

Transcrição

1 Estudo de Viabilidade WorkerTraining Especificação de Requisitos e Validação de Sistemas Professora: Carla Silva Cynthia Raphaella, Húgaro Bernardino, Jéssica Barbalho e Wellton Thiago Recife, 20/01/2013 Centro de Informática - Universidade Federal de Pernambuco 1

2 Sumário Motivação 3 Introdução 4 Apresentação das alternativas 5 Estudo da viabilidade operacional 6 Estudo da viabilidade técnica 7 Estudo da viabilidade de cronograma 8 Estudo da viabilidade economica 9 Análise final das alternativas 10 Recomendações e considerações finais 11 Apêndice A - Sobre a MobiClub 12 Apêndice B - Contatos e coleta de informações 13 Apêndice C - Deficiências 14 Apêndice D - Detalhamento do estudo de viabilidade operacional 15 Apêndice D - Detalhamento do estudo de viabilidade economica 18 2

3 1 Motivação Hoje as empresas estão se modernizando e algumas vezes criando novos tipos de serviços especializados. Por isso, elas estão mais exigentes com a qualificação de seus funcionários e de terceiros, que utilizam seus serviços e ferramentas para desenvolver algum tipo de atividade. Porém, estes dificilmente conseguem se manter atualizados e necessitam de uma reciclagem ou treinamento para poder utilizar os serviços com o melhor aproveitamento possível. Por isso, estamos propondo o WorkerTraining, que tem como objetivo reduzir essa diferença entre o que as empresas esperam de seus funcionários e de terceiros, e o que esses podem responder aos anseios da empresa. O WorkerTraining tem como objetivo treinar essas pessoas através de aulas e exibir um feedback informando o nível de capacidade destes para realização da atividade na qual o curso foi focado. 3

4 2 Introdução O projeto está sendo baseado no problema encontrado na empresa MobiClub, empresa criada no CIn-UFPE (mais detalhes no apêndice A), porém o estudo realizado sobre a MobiClub pode ser expandido para outras empresas. O Apêndice B descreve um pouco de como conseguimos coletar informações sobre o processo de treinamento dos funcionários dos estabelecimentos que é realizada pela Mobiclub e no Apêndice C, descrevemos alguns dos problemas que foram identificados no processo de treinamento. O processo de treinamento é algo crucial para o funcionamento saudável de muitas empresas. Após algumas entrevistas foi possível identificar que um dos principais problemas apresentados pelo atual sistema de treinamento é que funcionários ou terceiros diretamente ligados a atividade, não se sentem confortáveis com a utilização do sistema se ele não estiver entendendo por completo o funcionamento do mesmo, acabando assim, evitando utilizar o sistema. O atual processo de treinamento utilizado pela MobiClub, onde uma equipe vai até o estabelecimento efetuar o treinamento é falha, já que não é possivel treinar os funcionáros no seu local de trabalho, pois estes possuem horários diferentes e tem grande rotatividade. Um sistema onde é possível prover um treinamento coletivo para os funcionários seria de extrema utilidade, pois facilitaria o processo, reduzindo o custo com mão de obra que algumas empresas possuem para manter seus funcionários atualizados. 4

5 3 Apresentação das alternativas Alternativa 1 A primeira alternativa consiste em um treinamento presencial com um instrutor qualificado, em um espaço reservado para treinamentos. O mesmo será responsável por disponibilizar um material escrito para os alunos com todas as instruções para o uso do sistema. Durante o treinamento será mostrado na prática o uso do sistema e também haverá espaço para resolução de dúvidas. O instrutor também realizará um teste presencial e avaliará a absorção do conteúdo pelos alunos. Alternativa 2 Na segunda alternativa, existiria um site web onde ficariam disponíveis para os alunos apostilas e vídeo-aulas que explicariam o funcionamento do sistema. O aluno leria o material e poderia enviar suas dúvidas para o site, onde instrutores capacitados ficariam disponíveis para responder essas dúvidas.durante o treinamento, alguns testes seriam liberados no site, com um prazo para serem respondidos. O aluno responderia o teste, e enviaria as suas respostas, que seriam corrigidas pelo instrutor, que responderia ao aluno com a sua nota e um feedback. Alternativa 3 Como terceira alternativa a sala de aula será levada para o ambiente virtual onde seriam ministradas aulas em tempo real, para isso será necessário a presença de um instrutor e dos seus respectivos alunos na hora marcada da aula. Aos instrutores caberiam as atividades de ministrar as aulas e sanar as duvidas dos alunos, disponibilizar o conteúdo de suas aulas para posteriores consultas offline, executar atividades que podem ser obrigatórias, e podem ter um prazo para serem finalizadas, e no final do curso dar feedback para cada aluno inscrito. Os alunos teriam como atividades comparecer a sala virtual para assistir as aulas ministradas, retirar suas dúvidas sobre o conteúdo e responder a testes/exercícios sugeridos pelo instrutor. A empresa solicitante terá acesso a informações sobre o desenvolvimento e resultados dos alunos inscritos no curso online. 5

6 4 Estudo da viabilidade operacional Apresentamos nesta seção a análise comparativa da viabilidade operacional entre as três alternativas. Este estudo foi feito baseado na estrutura do PIECES analisando também o usuário final e gerência em relação à solução. O estudo detalhado desta solução encontra-se no Apêndice D, recomendamos a sua leitura onde fazemos uma análise detalhada de cada alternativa em todos os tópicos. Alternativa 1 A viabilidade desta alternativa se concentrará no instrutor, sobrecarregando o processo também pelo fato de que as informações transitarão de uma parte a outra manualmente, sendo necessário mais tempo para geração de relatório e também tempo gasto de locomoção pelo instrutor. A alternativa funciona visto que o instrutor será um funcionário da empresa, os usuários finais terão que usar de tempo útil de trabalho para realizar o treinamento, porém terão um acompanhamento presencial e qualificado pelo tempo que for necessário. Alternativa 2 Em comparação a primeira alternativa, a segunda é mais forte no quesito eficiência, já que o sistema vai ser mais prático para o aluno e para o instrutor, que não vão precisar se deslocar em um determinado horário para realizar o treinamento. Mas esse novo modelo, afeta no item usuário final, pois ele vai perder um acompanhamento mais próximo do seu instrutor. Alternativa 3 Tendo em vista que esta alternativa possibilita uma interação maior entre o aluno e o instrutor, ela sai ganhando e tem como seu diferencial o usuário final, que possui uma aprendizagem melhor assistida, diferente da alternativa anterior. Os relatórios enviados para empresa também tornam o processo mais claro para a gerência, que irá acompanhar melhor o resultado dos treinamentos. Conclusão Alternativa 1 Alternativa 2 Alternativa 3 Peso Performance ** ** *** 1 Informação ** *** *** 1 Economia *** *** *** 2 Controle *** ** *** 1 Eficiência ** *** ** 2 Serviços * *** *** 1 Usuário Final *** ** *** 2 Gerência ** *** *** 1 * fraco ** razoável *** bom Concluímos que a terceira alternativa tem melhor viabilidade operacional, seguida da segunda e da primeira. 6

7 5 Estudo da viabilidade técnica Estudo visa avaliar as alternativas verificando se os recursos técnicos e as tecnologias propostas estão disponíveis. Alternativa 1 A qualificação do instrutor é garantida pela empresa, o mesmo precisa entregar os relatórios nos prazos definidos e saber organizar a agenda dos treinamentos, também não deve se sobrecarregar e o treinamento dado deve ser eficiente e bem acompanhado para que não haja um reforço de treinamento, tudo isto depende da qualificação do instrutor. A solução é viável tecnicamente. Alternativa 2 O site seria desenvolvido usando a plataforma.net e com uma base de dados em MySQL. Para isso seriam necessárias ferramentas como o Visual Studio, MySQL Workbrench e o sistema operacional Windows. Como a plataforma é amplamente difundida no meio do desenvolvimento web, existe uma grande demanda de desenvolvedores experientes, o que facilita o desenvolvimento, manutenção e expansão do sistema, tornando essa alternativa muito viável. Alternativa 3 Para esta abordagem será necessário um servidor de armazenamento web para que todos os dados e arquivos estejam disponíveis remotamente. Para desenvolvimento do sistema web, serão utilizadas linguagens de programação web, como ASP,.NET, PHP e etc, que já são conhecidas e utilizadas amplamente no mercado e na empresa, mostrando assim sua viabilidade. A implantação da transmissão da webconferência poderá se utilizar de bibliotecas e plug-ins voltados para seu desenvolvimento. 7

8 6 Estudo da viabilidade de cronograma Análise do tempo de implantação de cada solução. Alternativa 1 A alternativa é altamente viável, pois não necessita de criação de software por parte da empresa, apenas a contratação de um instrutor e o seu treinamento, conhecimento do serviço oferecido pela empresa e capacitação para desenvolver habilidades de oratória e ensino. Depois de capacitado o instrutor deve montar o material para o treinamento e montar a estrutura do mesmo, bem como as atividades práticas. Esse processo seria concluído em um mês e meio. Alternativa 2 Nessa solução, seriam necessários dois meses para o planejamento do novo modelo dos treinamentos, já que em vez de presencial, tudo vai ser feito à distância. Durante esse período, vai ser definida a nova forma de realização dos treinamentos e será feito o planejamento do sistema, para que a transição para esta forma de ensino à distância não seja difícil nem para os alunos, nem para os instrutores. Para a fase de desenvolvimento, testes e implantação, foram estipulados mais dois meses, já que não se tem a pretensão de um sistema muito grande, mas sim objetivo. E por último, um mês para o treinamento dos instrutores e criação do material de estudo que será usado pelos alunos no site. No fim, totalizando cinco meses para a implantação desta alternativa. Alternativa 3 O cronograma para esta solução ficará em aproximadamente 2 meses. Esse tempo se destina para o desenvolvimento do website e serviço de webconferência. O tempo de treinamento de instrutores e empresas para o uso do sistema é desprezível, sendo feito em um dia, já que o sistema será desenvolvido visando a usabilidade e navegação intuitiva. 8

9 7 Estudo da viabilidade econômica As soluções não visam retorno financeiro, ou seja, lucro por parte da empresa, mas encontrar uma solução que tenha um custo satisfatório para a empresa e que seja de alta qualidade para o usuário final. Aqui serão apresentadas breves resumos da análise para cada alternativa, um detalhamento deste estudo encontra-se no Apêndice E. Alternativa 1 Custos: Salário do instrutor Capacitação Transporte Material impresso Benefícios: Sala de aula sem custo Maior acompanhamento do instrutor junto ao aluno Mais comodidade para os funcionários da empresa solicitante Alternativa 2 Custos: Salário dos desenvolvedores Aluguel do servidor web e o de banco de dados Compra de licenças Gastos com equipamentos para o desenvolvimento do sistema Manutenção do software Salário do instrutor Benefícios: Aumento no número de alunos Expansão do treinamento para outras regiões Alternativa 3 Custos Remuneração dos desenvolvedores envolvidos (Página Web, serviço de Webconferência e gerenciamento interno) Aquisição de equipamentos para desenvolvimento do sistema Aquisição de softwares necessários Pagamento do instrutor responsável pelos treinamentos Pagamento do servidor web Manutenção do sistema Materiais de auxílio para o instrutor (pendrive, material de escritório, etc) Benefícios Flexibilidade no local onde os treinamentos serão feitos/assistidos Maior interação entre os alunos em treinamento e o instrutor Acompanhamento mais aprofundado do desempenho dos funcionários em treinamento por parte da empresa Conteúdo digitalizado gera economia de material para produção de apostilas e contribui com o meio ambiente. 9

10 8 Análise final das alternativas A tabela abaixo faz o comparativo entre as três alternativas: Viabilidade Peso Alternativa 1 Alternativa 2 Alternativa 3 Operacional 50% 8 7,5 10 Técnica 10% Cronograma 10% Economica 30% 8 7,5 7,0 Final 100% A análise de viabilidade operacional foi considerada a mais importante e recebeu peso de 50% por ser o estudo que avalia o impacto da solução a curto e longo prazo e principalmente seu impacto para a empresa e para o usuário final. A alternativa 3 recebeu nota 10 por trazer a melhor solução tanto para o usuário final quanto para a empresa que implantará o sistema, as outras alternativas receberam notas proporcionais. A viabilidade técnica recebeu peso de 10%, as alternativas 2 e 3 receberam nota 10 por proporem sistemas de desenvolvimento amplamente difundidos e de alta qualidade. A viabilidade de cronograma também recebeu peso de 10%, a alternativa com maior nota foi a que se propôs a implementar a solução em menos tempo, neste caso, a alternativa 1, seguida da 3 e 2. A viabilidade economica representa 30% pelo fato do projeto não retornar lucros tangíveis à empresa. A alternativa 1 se revelou mais economica que as demais e por isso recebeu nota mais alta. 10

11 9 Recomendações e considerações finais Através dos estudos de viabilidade expostos neste documento e com resumo da matriz de análise de viabilidade, chegamos a conclusão que a terceira alternativa é mais recomendada. A diferença entre as alternativas foi pequena e todas elas são soluções viáveis. A terceira alternativa em comparação a primeira, traz uma maior praticidade e comodidade para os alunos e instrutores, que não precisam se deslocar até um local definido para a realização de um treinamento, além de proporcionar um maior número de alunos simultaneamente. Já em comparação com a segunda alternativa, a terceira proporciona uma maior interação entre alunos e instrutores, diminuindo assim a falta de um acompanhamento pessoal. Por fim, a solução garante conforto ao usuário e ao instrutor, é viável em tempo hábil e aumentará a eficiência dos treinamentos utilizando softwares como meio de ensino à distância assim como geração automática de relatórios para acompanhamento da gerência e das empresas solicitantes do serviço. 11

12 Apêndice A - Sobre a MobiClub A MobiClub é uma empresa que surgiu no Cin-UFPE na cadeira "projetão" que tinha como foco na época a eliminação de filas. Após dois anos com dificuldades de entrar no mercado, identificaram que a fidelização de usuários era um problema interessante e pouco explorado pelas empresas. Decidiram mudar de foco e desde 2011 começaram a migrar as atividades da empresa para esse novo foco. Hoje a MobiClub esta em 13 restaurantes da cidade do Recife e com a previsão de terminar o ano com 100 estabelecimentos no Brasil. O atual serviço da MobiClub consiste em substituir o clássico cartão de fidelidade por um aplicativo para Smartphone, onde o usuário utiliza lê um QrCode especifico no estabelecimento e o ponto, chamado de mobi pela empresa, fica armazenado em cartão virtual. Quando esse cartão ficar completo o usuário recebe um cupom digital no seu Smartphone que será resgatado lendo outro QrCode, chamado de QrCode de resgate. 12

13 Apêndice B - Contatos e Coleta de Informações Após o problema a ser tratado (treinamento de funcionários e terceiros para utilização do sistema) ter sido identificado começamos a levantar informações sobre o problema. Para podermos ter uma base sólida de informações. Para coletar informações escolhemos a empresa MobiClub, que por ser uma empresa nascida no CIn-UFPE seria mais "aberta" a uma equipe externa coletar informações. Para nos relatar o problema marcamos uma reunião com o donos da empresa Tiago Canto (responsável pelo desenvolvimento tecnológico) e Danilo Torres (Responsável comercial) onde conseguimos identificar alguns pontos importantes e cruciais assim como os problemas que dificultam o desenvolvimento da empresa. As principais perguntas apresentadas foram: Como eles realizam o treinamento dos funcionários para a utilização do sistema? Quais os principais problemas encontrados nesse treinamento? Se esse método de treinamento é escalavel? Os funcionários demonstram alguma resistência em utilizar o software? Os funcionários dos estabelecimentos demonstram alguma resistência ao treinamento? Com que frequência o treinamento necessita ser realizado em um estabelecimento? 13

14 Apêndice C - Deficiências Com o estudo realizado conseguimos identificar alguns problemas chaves com relação as técnicas de treinamento. Primeiramente identificamos que um dos principais problemas é a alta rotatividade de funcionários nos estabelecimentos tornando difícil o treinamento no local de trabalho, pois existe um rodizio constante de funcionários, é complicado conseguir um momento para treinar todos os funcionários de uma vez, normalmente tenho que ir umas três vezes para conseguir cobrir a maioria dos funcionários, mas depois de poucos meses os novos funcionários necessitam ser treinados novamente, disse Danilo Torres. Identificamos também a falta de iniciativa dos funcionários, eles não tem curiosidade de olhar o funcionamento, perguntar a outros funcionários treinados como aquilo funciona. Chegando ao ponto de quando não possui alguém treinado eles preferem dizer que não tem o sistema com medo de executar de forma errada. A forma atual de treinamento, visitando os estabelecimentos e ensinando funcionário por funcionários é falho, visto que não consegue abranger todos os funcionários além de ser limitado do ponto de vista geográfico além de ser inviável esse tipo de treinamento quando o numero de estabelecimentos for relativamente alto. 14

15 Apêndice D - Detalhamento do estudo de viabilidade operacional Alternativa 1 Performance A performance é boa, visto que o instrutor realizará um treinamento intensivo e presencial. Os alunos serão avaliados no mesmo período do treinamento e não posteriormente, diminuindo o tempo de resposta dos alunos aos treinamento. Se o feedback dos alunos for negativo, será necessário estender o tempo de treinamento o que acarretaria uma piora na performance. Informação Como esta alternativa não se utiliza de processamento automático em nenhuma das suas fases a informação fica prejudicada, pois tudo dependerá do instrutor disponibilizar as informações para a empresa solicitante manualmente ou oralmente, o que pode gerar inconsistência. O tempo de retorno das informações também é prejudicado, pois depende do tempo que o instrutor levará para gerar os relatórios. Ecônomia Os custos são pequenos, só haverá custo de atualização de material que acontece esporadicamente. Os custos com o espaço de treinamento serão cobertos pela empresa solicitante, ou será utilizado o espaço da própria empresa. Controle O controle será feito manualmente e os relatórios enviados à empresa solicitante com o resultado do treinamento. Todo o processo será documentado e terá pouco risco de fraude, pois somente o instrutor terá acesso aos dados. Eficiência A eficiência fica prejudicada visto que os treinamentos têm horários restritos para acontecerem, pois leva em consideração o horário de funcionamento da empresa solicitante, o instrutor pode ficar sobrecarregado se houverem muitos treinamentos, e consequentemente muitos relatórios para serem entregues, tendo que dispor de mais tempo para entregar os resultados. Serviços O instrutor terá horários flexíveis para realizar os treinamentos, as datas são previamente marcadas. O serviço só pode ser extensível se o número de instrutores aumentar elevando a eficiência do processo, porém aumenta também os custos. Usuário O usuário terá a comodidade de participar do treinamento de forma presencial, com o instrutor à disposição para quaisquer eventuais dúvidas, também será beneficiado com o material impresso que poderá levar para onde quiser, além de ter um feedback pessoal do seu desempenho. Gerência A gerência terá controle total dos treinamentos que estão sendo realizados pelo instrutor assim como pode analisar os documentos e relatórios gerados. A gerência porém também dependerá do instrutor para obter essas informações. Alternativa 2 15

16 Performance A vazão é alta, vários alunos podem acessar o site ao mesmo tempo e estudar o material do curso. O tempo de resposta é razoável, pois um aluno pode ter uma dúvida, postar no site, mas precisa esperar que um dos instrutores respondam. Informação As informações podem ser acessadas em qualquer local, já que fica na web. O material disponibilizado teria que ser atualizado constantemente para se manter de acordo com o estado do sistema, deve se ter o cuidado com informações desatualizadas, pois estes materiais é o principal meio de aprendizado dos alunos. Economia Os custos são a criação e manutenção do site, de um servidor web e um servidor de banco de dados. Mas em compensação, o número de alunos pode crescer muito, já que não vai existir a limitação de salas e horários disponíveis. Controle Quanto à segurança, esse é um ponto que deve se ter mais cuidado, pois informações referentes a um sistema (que pode ser confidencial) estariam disponíveis na internet. O site poderia ser invadido e informações roubadas. Deve se considerar também que o aluno acessaria essa informação de casa, podendo então repassa-la para outras pessoas, que não necessariamente estão envolvidas no treinamento. Eficiência O sistema é eficiente, pois o usuário pode acessar o material de casa, e não precisa se deslocar a um determinado local para participar de um treinamento pessoalmente. Serviços A adição de material novo ao site é feito de forma simples, através de uploads de arquivos que são de responsabilidade do instrutor, tornando assim o material confiável. A extensibilidade do sistema é possível, criando novos módulos ao site com outras formas para o aprendizado do aluno. Usuário O uso do site é mais prático para o usuário, pois ele não precisa sair de casa para assistir uma aula, em um horário definido. O lado negativo, é que ele precisa aprender sozinho, apenas lendo o material, sem um acompanhamento mais próximo de alguém experiente com o sistema. Caso ele tenha dúvidas, tem a possibilidade de enviar para o site, mas também tem que esperar um tempo para a sua dúvida ser respondida por um dos instrutores. Gerência O site vai proporcionar uma maior facilidade para a realização de um treinamento. Não será mais necessária a preocupação com salas, computadores e definição de horários. Vários alunos também podem realizar o treinamento simultaneamente. Porém, vai existir um custo inicial, para a criação do site. E um novo custo, com a manutenção e atualização do material. Alternativa 3 Performance Em relação à vazão (throughput), essa solução é bastante eficiente pois vários alunos em treinamento serão atendidos ao mesmo tempo. Dúvidas e questionamentos levantados serão observados por todos, assim como observações importantes por parte do instrutor, fazendo que todos recebam a orientação da mesma forma. Por sem em tempo real, o tempo de resposta é imediato. 16

17 Informação Todas as informações e materiais de consulta serão fornecidos pelo instrutor, seja durante a aula ou no material disponível off-line, garantindo assim a qualidade do que é fornecido. Os materiais serão atualizados periodicamente para garantir sua qualidade e corretude. Economia Os gastos para esta solução envolvem a contratação de um professor para ministrar as aulas on-line, desenvolvimento de website com webconferência, aquisição de licença de softwares de desenvolvimento e material de apoio para o instrutor. Não serão necessários gastos com local onde o instrutor estará durante a aula. Será necessária a aquisição de máquinas para o desenvolvimento do sistema e uso pelo instrutor para ministrar as aulas quando ele precisar. Despesas com material impresso serão evitadas, já que todo o conteúdo é digital. Uma análise mais detalhada pode ser visto no Estudo de Viabilidade Econômica. Controle As informações dos alunos estariam disponíveis no sistema apenas para o instrutor e para a empresa relacionada ao aluno, garantindo assim maior segurança para os dados. Relatórios de desempenho seriam enviados para a empresa e o aluno. O material das aulas estará disponível apenas para os alunos que estiverem recebendo um determinado treinamento, não sendo possível acessar material de outros treinamentos que o mesmo não faça parte. Eficiência Todos os recursos serão desenvolvidos para serem aproveitados ao máximo., principalmente em relação a qualidade de transmissão das vídeo aulas. O único ponto negativo em relação ao seu desempenho é que o funcionamento da webconferência depende totalmente de conexão com a internet. Mas como existem materiais de apoio, o aluno que perder a aula por problemas de conexão, pode verificar o conteúdo da aula que perdeu. Em relação ao professor, será garantido que o mesmo sempre terá os recursos necessários para a aula, incluindo conexão com a internet, exceto em casos de indisponibilidade local/regional da rede. Serviços Como se trata de um sistema web, qualquer alteração ou extensão no mesmo será repassada aos usuários de modo transparente, já que a visualização é feita pelo navegador e um website dispensa atualização ou download de novas versões. Assim, é uma solução bastante extensível e flexível. Usuário Para o usuário final, o sistema seria bastante cômodo, pois as aulas poderiam ser assistidas de qualquer local com acesso a internet e o material estará sempre disponível digitalizado para consulta. Gerência Para a gerência será muito mais prático analisar o desempenho dos seus funcionários por meio dos relatórios recebidos, assim como para os instrutores que irão atender os alunos todos de uma vez sem precisar se deslocar para um local específico. 17

18 Apêndice E - Detalhamento do estudo de viabilidade econômica Alternativa 1 Para esta alternativa nenhum material de software será utilizado, apenas material impresso e um instrutor para realizar os treinamentos. Haverá um custo inicial para capacitação e desenvolvimento do material, e um custo contínuo de atualização do material de acordo com as modificações dos serviços prestados pela empresa. Investimento Item Valor Total (R$) Capacitação 218,00 Confecção de Apostila 20,00 TOTAL 238,00 Custo após período de desenvolvimento Cada custo aqui é mensal, apenas a atualização da apostila acontecerá anualmente. Item Valor Total (R$) Atualização de Apostila (1 vez no ano) 20,00 Salário instrutor 2.000,00 Transporte 70,00 Impressão de material 100,00 Custo Total Período Valor (R$) 1º Ano ,00 2º Ano ,00 3º Ano ,00 4º Ano ,00 5º Ano ,00 TOTAL ,00 18

19 Benefícios A alternativa sugere pouca manutenção e pouco uso de sistema de terceiros, assim como nenhuma desatualização de softwares, visto que nenhum é usado nesta solução. Os benefícios são intangíveis por parte da empresa solicitante que recebe atenção prioritária e comodidade. Alternativa 2 Investimento Para essa alternativa, durante o período de desenvolvimento vai ser necessária uma equipe composta por um analista de sistemas, dois desenvolvedores back-end web, um desenvolvedor front-end e um designer, e custos para desenvolvimento do sistema. Depois da fase de desenvolvimento, vai ter o custo de manutenção do site, do aluguel dos servidores e o salário do instrutor. Período de desenvolvimento O custo com o salário dos desenvolvedores, do designer e do analista, é mensal. Considerando que o período de desenvolvimento é de dois meses. Item Valor Total (R$) Salário de Analista de sistemas 2.500,00 Salário de desenvolvedor back-end 1.800,00 Salário de desenvolvedor back-end 1.800,00 Salário de desenvolvedor front-end 1.500,00 Salário de designer 1.500,00 Total mensal 9.100,00 TOTAL (dois meses de desenvolvimento) ,00 Durante o período de desenvolvimento, vão ser necessários os seguintes materiais: Item Quantidade Valor unitário (R$) Valor Total (R$) Computadores , ,00 Sistema Operacional 5 200, ,00 Licença do Visual Studio 2012 Ultimate 2 50,00 100,00 Adobe Premiere CS6 1 40,00 40,00 Total ,00 Custo anual (20%) ,00 Custo mensal ,00 TOTAL (dois meses de desenvolvimento) ,00 19

20 Total (2 meses): Item Valor Total (R$) Custo dos funcionários ,00 Custo da taxa de depreciação dos equipamentos 266,00 TOTAL (dois meses de desenvolvimento) ,00 Custo após período de desenvolvimento Item Valor Total (R$) Salário do instrutor 2.000,00 Manutenção do sistema 200,00 Aluguel dos servidores 50,00 TOTAL (mensal) 2.250,00 Custo total Período Valor (R$) 1º Ano ,00 2º Ano ,00 3º Ano ,00 4º Ano ,00 5º Ano ,00 TOTAL ,00 Benefícios Apesar de um custo alto no período de desenvolvimento, de acordo com a análise do custo total depois de 5 anos, a segunda alternativa comparada com a primeira alternativa (que não possui o uso de nenhum sistema) tem uma diferença de custos de R$ ,00. Mas com a segunda alternativa, vai ser possível um aumento no número de alunos, que cobriria essa diferença de custos. Alternativa 3 Investimento Assim como a solução anterior, será necessário montar uma equipe com um analista de sistemas, 3 desenvolvedores back-end web, um desenvolvedor front-end e um designer. O desenvolvedor 20

21 a mais na equipe em relação a alternativa 2 se dá pelo fato do sistema ser mais elaborado por conta da webconferência e produção de relatórios. Também será fornecido memórias portáteis de armazenamento para que o material de apoio para as aulas esteja com o instrutor, independente de onde ele estiver. Período de desenvolvimento O custo com o salário dos desenvolvedores, do designer e do analista, é mensal. Considerando que o período de desenvolvimento é de dois meses. Item Valor Total (R$) Salário de Analista de sistemas 2.500,00 Salário de desenvolvedor back-end 1.800,00 Salário de desenvolvedor back-end 1.800,00 Salário de desenvolvedor back-end 1.800,00 Salário de desenvolvedor front-end 1.500,00 Salário de designer 1.500,00 Total mensal ,00 TOTAL (dois meses de desenvolvimento) ,00 Durante o período de desenvolvimento, vão ser necessários os seguintes materiais (o pendrive será adquirido uma única vez): Item Quantidade Valor unitário (R$) Valor Total (R$) Computadores , ,00 Sistema Operacional 5 200, ,00 Licença do Visual Studio 2012 Ultimate 2 50,00 100,00 Pendrive 1 20,00 20,00 Total ,00 Custo anual (20%) ,00 Custo mensal ,00 TOTAL (dois meses de desenvolvimento) ,00 Total (2 meses): Item Valor Total (R$) Custo dos funcionários ,00 Custo da taxa de depreciação dos equipamentos 264,00 TOTAL (dois meses de desenvolvimento) ,00 21

22 Custo após período de desenvolvimento Item Valor Total (R$) Salário do instrutor 2.000,00 Manutenção do sistema 200,00 Aluguel dos servidores 50,00 TOTAL (mensal) 2.250,00 Custo total Período Valor (R$) 1º Ano ,00 2º Ano ,00 3º Ano ,00 4º Ano ,00 5º Ano ,00 TOTAL ,00 Benefícios Apesar de ser a alternativa de valor total mais alta das três, é possível justificar com a maior qualidade do serviço que será oferecido e complexidade do sistema que será desenvolvido, que é mais complexo do que o da alternativa 2. Isso irá proporcionar a todos os interessados um retorno bastante proveitoso e uma uma ótima experiência para o usuário. 22

Estudo de Viabilidade. GMon Sistema de Gerenciamento de Monitores. Curso: Ciências da Computação Professora: Carla Silva

Estudo de Viabilidade. GMon Sistema de Gerenciamento de Monitores. Curso: Ciências da Computação Professora: Carla Silva Estudo de Viabilidade GMon Sistema de Gerenciamento de Monitores Curso: Ciências da Computação Professora: Carla Silva Recife, 20 de Janeiro de 2012 1 Sumário 1. Motivação... 3 2. Problema identificado...

Leia mais

Principais Responsabilidades:

Principais Responsabilidades: DESENHO DE CARGO E TAREFAS DO DESENVOLVEDOR WEB Conhecimento dos sistemas gerenciadores de banco (MySQL), modelagem de dados, inglês técnico. Conhecimento em plataformas e metodologias de desenvolvimento

Leia mais

ANEXO I - TERMO DE REFERÊNCIA NÚCLEO DE EMPREENDIMENTOS EM CIÊNCIA, TECNOLOGIA E ARTES NECTAR.

ANEXO I - TERMO DE REFERÊNCIA NÚCLEO DE EMPREENDIMENTOS EM CIÊNCIA, TECNOLOGIA E ARTES NECTAR. ANEXO I - TERMO DE REFERÊNCIA NÚCLEO DE EMPREENDIMENTOS EM CIÊNCIA, TECNOLOGIA E ARTES NECTAR. OBJETO: CONTRATAÇÃO DE EMPRESA ESPECIALIZADA PARA CONSTRUÇÃO DO PORTAL E AQUISIÇÃO DE SOFTWARE DE GESTÃO DE

Leia mais

ESTUDO DE VIABILIDADE. Santander, Victor - Unioeste Aula de Luiz Eduardo Guarino de Vasconcelos

ESTUDO DE VIABILIDADE. Santander, Victor - Unioeste Aula de Luiz Eduardo Guarino de Vasconcelos ESTUDO DE VIABILIDADE Santander, Victor - Unioeste Aula de Luiz Eduardo Guarino de Vasconcelos Objetivos O que é um estudo de viabilidade? O que estudar e concluir? Benefícios e custos Análise de Custo/Benefício

Leia mais

Estudo de Viabilidade Projeto de promoções dirigidas em shoppings

Estudo de Viabilidade Projeto de promoções dirigidas em shoppings UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO CENTRO DE INFORMÁTICA GRADUAÇÃO EM CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO Estudo de Viabilidade Projeto de promoções dirigidas em shoppings Professora: Carla Taciana (ctlls@cin.ufpe.br)

Leia mais

Estudo de Viabilidade

Estudo de Viabilidade Estudo de Viabilidade Disciplina: Especificação de Requisitos e Validação de Sistemas Professora: Carla Silva Equipe (Ciência da Computação): Airton Sobral (asds) Alan Gomes (aga) Glauco Roberto (grps)

Leia mais

Índice. Introdução 2. Quais funcionalidades uma boa plataforma de EAD deve ter? 4. Quais são as vantagens de ter uma plataforma EAD?

Índice. Introdução 2. Quais funcionalidades uma boa plataforma de EAD deve ter? 4. Quais são as vantagens de ter uma plataforma EAD? Índice SUA EMPRESA DE TREINAMENTOS ESTÁ PARADA NO TEMPO? Introdução 2 Quais funcionalidades uma boa plataforma de EAD deve ter? 4 Quais são as vantagens de ter uma plataforma EAD? 6 A gestão de cursos

Leia mais

Estudo de Viabilidade

Estudo de Viabilidade Estudo de Viabilidade PGE: Plastic Gestor Empresarial Especificação de Requisitos e Validação de Sistemas Recife, janeiro de 2013 Sumário 1. Motivação... 1 2. Introdução: O Problema Indentificado... 2

Leia mais

Em FORMATO E-LEARNING PQ 11.04.A Página 1 de 6

Em FORMATO E-LEARNING PQ 11.04.A Página 1 de 6 Página 1 de 6 1. FUNCIONAMENTO Os cursos na modalidade de e-learning do são frequentados totalmente online, à exceção do Curso de Trabalhador Designado para a Segurança e Saúde no Trabalho em que a 1ª

Leia mais

OS NOVOS PARADIGMAS DA FORMAÇÃO CONTINUADA: DA EDUCAÇÃO BÁSICA À PÓSGRADUAÇÃO

OS NOVOS PARADIGMAS DA FORMAÇÃO CONTINUADA: DA EDUCAÇÃO BÁSICA À PÓSGRADUAÇÃO OS NOVOS PARADIGMAS DA FORMAÇÃO CONTINUADA: DA EDUCAÇÃO BÁSICA À PÓSGRADUAÇÃO Profa. Drª. Ana Maria Maranhão 1 Resumo: A tecnologia da Informação e de modo específico o computador, oferece as diferentes

Leia mais

QUER TER SUCESSO NOS NEGÓCIOS? CONFIRA NOSSAS DICAS!

QUER TER SUCESSO NOS NEGÓCIOS? CONFIRA NOSSAS DICAS! QUER TER SUCESSO NOS NEGÓCIOS? CONFIRA NOSSAS DICAS! 4 Introdução 5 Conheça seu público 5 Crie uma identidade para sua empresa 6 Construa um site responsivo 6 Seja direto, mas personalize o máximo possível

Leia mais

Autores/Grupo: TULIO, LUIS, FRANCISCO e JULIANO. Curso: Gestão da Tecnologia da Informação. Professor: ITAIR PEREIRA DA SILVA GESTÃO DE PESSOAS

Autores/Grupo: TULIO, LUIS, FRANCISCO e JULIANO. Curso: Gestão da Tecnologia da Informação. Professor: ITAIR PEREIRA DA SILVA GESTÃO DE PESSOAS Autores/Grupo: TULIO, LUIS, FRANCISCO e JULIANO Curso: Gestão da Tecnologia da Informação Professor: ITAIR PEREIRA DA SILVA GESTÃO DE PESSOAS ORGANOGRAMA FUNCIANOGRAMA DESENHO DE CARGO E TAREFAS DO DESENVOLVEDOR

Leia mais

Desenvolvendo um Ambiente de Aprendizagem a Distância Utilizando Software Livre

Desenvolvendo um Ambiente de Aprendizagem a Distância Utilizando Software Livre Desenvolvendo um Ambiente de Aprendizagem a Distância Utilizando Software Livre Fabrício Viero de Araújo, Gilse A. Morgental Falkembach Programa de Pós-graduação em Engenharia de Produção - PPGEP Universidade

Leia mais

Cursos livres EAD GUIA BÁSICO PARA USO CORPORATIVO. www.webaula.com.br

Cursos livres EAD GUIA BÁSICO PARA USO CORPORATIVO. www.webaula.com.br Cursos livres EAD GUIA BÁSICO PARA USO CORPORATIVO www.webaula.com.br Índice 3 introdução 3 introdução 3 O que são cursos livres, afinal? 4 Características dos cursos livres 5 Vantagens dos cursos livres

Leia mais

SISTEMA DE GESTÃO DE MANUTENÇÃO APLICADO NO IFRN CAMPUS MOSSORÓ

SISTEMA DE GESTÃO DE MANUTENÇÃO APLICADO NO IFRN CAMPUS MOSSORÓ SISTEMA DE GESTÃO DE MANUTENÇÃO APLICADO NO IFRN CAMPUS MOSSORÓ Dayse Duarte Tenorio Diretoria Acadêmica de Eletrotécnica IFRN Campus Mossoró E-mail: dayse_tenoro_d@hotmail.com Lucas Duarte Almeida Departamento

Leia mais

Pregão Eletrônico 51/12 1. SOFTWARE ONE: Questionamento 1 - Duvida: RESPOSTA Questionamento 2 - Duvida: RESPOSTA Questionamento 3 - Duvida: RESPOSTA

Pregão Eletrônico 51/12 1. SOFTWARE ONE: Questionamento 1 - Duvida: RESPOSTA Questionamento 2 - Duvida: RESPOSTA Questionamento 3 - Duvida: RESPOSTA Disponibilizamos, para o conhecimento das interessadas, a resposta da área técnica deste TRT, acerca dos questionamentos aos termos do Edital do Pregão Eletrônico 51/12, formulados pelas seguintes empresas:

Leia mais

PROFISSIONAIS DA ÁREA DE INFORMÁTICA. Profa. Reane Franco Goulart

PROFISSIONAIS DA ÁREA DE INFORMÁTICA. Profa. Reane Franco Goulart PROFISSIONAIS DA ÁREA DE INFORMÁTICA Profa. Reane Franco Goulart Administrador de banco de dados O Administrador de banco de dados (DBA - DataBase Administrator) é responsável por manter e gerenciar bancos

Leia mais

SOLICITAÇÃO PARA APRESENTAÇÃO DE MANIFESTAÇÕES DE INTERESSE Nº 020/2015 PROGRAMA IPEA PESQUISA SELEÇÃO DE CONSULTOR INDIVIDUAL

SOLICITAÇÃO PARA APRESENTAÇÃO DE MANIFESTAÇÕES DE INTERESSE Nº 020/2015 PROGRAMA IPEA PESQUISA SELEÇÃO DE CONSULTOR INDIVIDUAL SOLICITAÇÃO PARA APRESENTAÇÃO DE MANIFESTAÇÕES DE INTERESSE Nº 020/2015 PROGRAMA IPEA PESQUISA SELEÇÃO DE CONSULTOR INDIVIDUAL Contrato de Empréstimo de Cooperação Técnica nº 1841/OC-BR Projeto: Migração

Leia mais

PROGRAMA DE EDUCAÇÃO CORPORATIVA - PEC CATHO PORTAL CMC

PROGRAMA DE EDUCAÇÃO CORPORATIVA - PEC CATHO PORTAL CMC PROGRAMA DE EDUCAÇÃO CORPORATIVA - PEC CATHO PORTAL CMC 1. CONTEXTO A Catho Educação Executiva é focada no desenvolvimento de talentos, na melhora do desempenho das organizações e na criação de processos

Leia mais

MANUAL DO ALUNO GRADUAÇÃO MODALIDADE SEMIPRESENCIAL

MANUAL DO ALUNO GRADUAÇÃO MODALIDADE SEMIPRESENCIAL MANUAL DO ALUNO GRADUAÇÃO MODALIDADE SEMIPRESENCIAL Prezado(a) aluno(a); Este material que você está começando a ler trata-se do manual do aluno, referente às disciplinas que serão ministradas através

Leia mais

Medindo a Produtividade do Desenvolvimento de Aplicativos

Medindo a Produtividade do Desenvolvimento de Aplicativos Medindo a Produtividade do Desenvolvimento de Aplicativos Por Allan J. Albrecht Proc. Joint SHARE/GUIDE/IBM Application Development Symposium (October, 1979), 83-92 IBM Corporation, White Plains, New York

Leia mais

MANUAL DA SECRETARIA

MANUAL DA SECRETARIA MANUAL DA SECRETARIA Conteúdo Tela de acesso... 2 Liberação de acesso ao sistema... 3 Funcionários... 3 Secretaria... 5 Tutores... 7 Autores... 8 Configuração dos cursos da Instituição de Ensino... 9 Novo

Leia mais

Estudo de Viabilidade

Estudo de Viabilidade Estudo de Viabilidade Desenvolvimento de Sistema Web de Auxílio a Treinos Físicos (Personal Trainer Virtual) Curso de Ciência da Computação Centro de Informática - UFPE 23/10/2012 Prof. Carla Silva Sumário

Leia mais

Estudo de Viabilidade

Estudo de Viabilidade Universidade Federal de Pernambuco Centro de Informática Estudo de Viabilidade SorveTech (Sistema de Gerenciamento) Professora: Carla Silva Disciplina: Especificação de Requisitos e Validação de Sistemas

Leia mais

Unioeste - Universidade Estadual do Oeste do Paraná Curso de Bacharelado em Informática Estudo de Requisitos CASCAVEL 2009

Unioeste - Universidade Estadual do Oeste do Paraná Curso de Bacharelado em Informática Estudo de Requisitos CASCAVEL 2009 Unioeste - Universidade Estadual do Oeste do Paraná CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLÓGICAS Colegiado de Informática Curso de Bacharelado em Informática Estudo de Requisitos Alunos: Professor: Disciplina:

Leia mais

Vantagens do upgrade do software TecAt Plus 6 desde a versão TecAt Plus 5

Vantagens do upgrade do software TecAt Plus 6 desde a versão TecAt Plus 5 Mogi das Cruzes, 01 de Fevereiro de 2015 Vantagens do upgrade do software TecAt Plus 6 desde a versão TecAt Plus 5 Prezado usuário do TecAt Plus 5: Caso não tenha visitado nosso site ultimamente, estamos

Leia mais

PERGUNTAS E RESPOSTAS SOBRE O FUNCIONAMENTO DO EAD I-UMA SOBRE O EAD

PERGUNTAS E RESPOSTAS SOBRE O FUNCIONAMENTO DO EAD I-UMA SOBRE O EAD PERGUNTAS E RESPOSTAS SOBRE O FUNCIONAMENTO DO EAD I-UMA SOBRE O EAD 1. O que é EAD? EAD é a sigla para Ensino a Distância, ou Educação a Distância, uma modalidade de ensino que acontece a partir da união

Leia mais

Procedimentos de Gestão da Qualidade. NOME FUNÇÃO ASSINATURA DATA ELABORADO POR Dr. Ivo Fernandes Gerente da Qualidade 13/10/2009

Procedimentos de Gestão da Qualidade. NOME FUNÇÃO ASSINATURA DATA ELABORADO POR Dr. Ivo Fernandes Gerente da Qualidade 13/10/2009 Versão: 2 Pág: 1/5 NOME FUNÇÃO ASSINATURA DATA ELABORADO POR Dr. Ivo Fernandes Gerente da Qualidade 13/10/2009 DE ACORDO Dr. Renato de Lacerda Diretor Técnico 13/10/2009 APROVADO POR Dr. Jose Carlos dos

Leia mais

II Curso de Extensão a Distância: Explorando a Base de Dados da Saúde BVS UFCSPA NEAD CEDUMED UAN Manual do Aluno

II Curso de Extensão a Distância: Explorando a Base de Dados da Saúde BVS UFCSPA NEAD CEDUMED UAN Manual do Aluno Neste guia você encontrará as seguintes orientações: Conteúdo Definição de Educação a Distância... 2 Perfil do Aluno... 2 Os 6 Mandamentos do Aluno Virtual... 4 Objetivos do Curso... 6 Funcionamento do

Leia mais

Promovendo a Inclusão Digital Por Meio do Projeto Multiplicadores

Promovendo a Inclusão Digital Por Meio do Projeto Multiplicadores PROGRAMA INSTITUCIONAL DE ACÕES AFIRMATIVAS RELATÓRIO FINAL DE ATIVIDADES (AGOSTO/2009 A AGOSTO/2010) Promovendo a Inclusão Digital Por Meio do Projeto Multiplicadores Paulo Eduardo Boeira Capeller Dr(ª).

Leia mais

Estudo de Viabilidade

Estudo de Viabilidade Universidade Federal de Pernambuco Ciência da Computação Especificação de Requisitos e Validação de Sistemas Professora: Carla Taciana Lima Lourenço Silva Schuenemann Estudo de Viabilidade Clínica médica

Leia mais

1. LICENCIAMENTO 2. SUPORTE TÉCNICO

1. LICENCIAMENTO 2. SUPORTE TÉCNICO 1. LICENCIAMENTO 1.1. Todos os componentes da solução devem estar licenciados em nome da CONTRATANTE pelo período de 36 (trinta e seis) meses; 1.2. A solução deve prover suporte técnico 8 (oito) horas

Leia mais

REGULAMENTO PARA PARTICIPAÇÃO NO CURSO DE INGLÊS 2016.1 DO PORTO DIGITAL

REGULAMENTO PARA PARTICIPAÇÃO NO CURSO DE INGLÊS 2016.1 DO PORTO DIGITAL REGULAMENTO PARA PARTICIPAÇÃO NO CURSO DE INGLÊS 2016.1 DO PORTO DIGITAL Parque Tecnológico 1. APRESENTAÇÃO Este regulamento apresenta as regras e os critérios estabelecidos pelo Núcleo de Gestão do Porto

Leia mais

Porque não Seguir o Fluxo da Sociedade Hebert Schiavelli Página 1

Porque não Seguir o Fluxo da Sociedade Hebert Schiavelli Página 1 Porque não Seguir o Fluxo da Sociedade Hebert Schiavelli Página 1 A maior Ambição do Homem é querer Colher aquilo que Não Semeou. Hebert Schiavelli (Empreendedor) Porque não Seguir o Fluxo da Sociedade

Leia mais

NOTA FISCAL CONSUMIDOR ELETRÔNICA. A NFC-e substitui a Nota Fiscal de Venda a Consumidor, modelo 2, e o Cupom Fiscal emitido por ECF.

NOTA FISCAL CONSUMIDOR ELETRÔNICA. A NFC-e substitui a Nota Fiscal de Venda a Consumidor, modelo 2, e o Cupom Fiscal emitido por ECF. INTRODUÇÃO Temos 3 (três) grandes argumentos para serem usados na abordagem dos lojistas: Nota Fiscal Consumidor Eletrônica (NFC-e); Conciliação de Cartões (Crédito, Débito e Alimentação) Sistema de Gerencial.

Leia mais

Faculdade de Tecnologia de Barueri Padre Danilo José de Oliveira Ohl. Portaria nº 05/2014

Faculdade de Tecnologia de Barueri Padre Danilo José de Oliveira Ohl. Portaria nº 05/2014 Página 1 de 9 Portaria nº 05/2014 Estabelece e Regulamenta a Política de Uso dos Computadores, Laboratórios de Informática e Equipamentos Eletrônicos da Faculdade de Tecnologia de Barueri. O Diretor da

Leia mais

Backsite Serviços On-line

Backsite Serviços On-line Apresentação Quem Somos O Backsite Com mais de 15 anos de mercado, o Backsite Serviços On-line vem desenvolvendo soluções inteligentes que acompanham o avanço das tecnologias e do mundo. Com o passar do

Leia mais

Eleve a experiência do consumidor: como criar uma situação de win-win entre a TI e seus usuários

Eleve a experiência do consumidor: como criar uma situação de win-win entre a TI e seus usuários Eleve a experiência : como criar uma situação de win-win entre a TI e seus usuários Introdução Soluções da CA Por que é necessário melhorar a experiência dos usuários com os serviços de TI? A consumerização

Leia mais

UMA INTRODUÇÃO SIGNIFICATIVA SOBRE COMPUTAÇÃO NAS NUVENS (CLOUD COMPUTING)

UMA INTRODUÇÃO SIGNIFICATIVA SOBRE COMPUTAÇÃO NAS NUVENS (CLOUD COMPUTING) UMA INTRODUÇÃO SIGNIFICATIVA SOBRE COMPUTAÇÃO NAS NUVENS (CLOUD COMPUTING) Thiago Batista de Oliveira¹, Júlio César Pereira¹ ¹Universidade Paranaense (Unipar) Paranavaí PR Brasil thiagoolyveira@gmail.com,juliocesarp@unipar.br

Leia mais

PROGRAMA DE CERTIFICAÇÃO DE FORMADORES

PROGRAMA DE CERTIFICAÇÃO DE FORMADORES O Programa de Certificação de Formadores busca capacitar profissionais da área da educação como formadores de professores e gestores educacionais. Com esta certificação, os formadores poderão ministrar

Leia mais

REGULAMENTO PARA PARTICIPAÇÃO NO CURSO DE FORMAÇÃO E CERTIFICAÇÃO TÉCNICA EM LINGUAGENS DE PROGRAMAÇÃO VOLTADAS PARA WEB

REGULAMENTO PARA PARTICIPAÇÃO NO CURSO DE FORMAÇÃO E CERTIFICAÇÃO TÉCNICA EM LINGUAGENS DE PROGRAMAÇÃO VOLTADAS PARA WEB REGULAMENTO PARA PARTICIPAÇÃO NO CURSO DE FORMAÇÃO E CERTIFICAÇÃO TÉCNICA EM LINGUAGENS DE PROGRAMAÇÃO VOLTADAS PARA WEB 1. APRESENTAÇÃO Este regulamento apresenta as regras e os critérios estabelecidos

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE PONTA GROSSA Pró-reitoria de Planejamento PROPLAN Comissão Própria de Avaliação CPA

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE PONTA GROSSA Pró-reitoria de Planejamento PROPLAN Comissão Própria de Avaliação CPA UNIVERSIDADE ESTADUAL DE PONTA GROSSA Pró-reitoria de Planejamento PROPLAN Comissão Própria de Avaliação CPA 1ª Avaliação do Curso de Especialização em Projetos e Obras Públicas de Edificações do Programa

Leia mais

VIDEOAULAS: UMA FORMA DE CONTEXTUALIZAR A TEORIA NA PRÁTICA

VIDEOAULAS: UMA FORMA DE CONTEXTUALIZAR A TEORIA NA PRÁTICA 1 VIDEOAULAS: UMA FORMA DE CONTEXTUALIZAR A TEORIA NA PRÁTICA Curitiba PR Maio 2014 Alexandre Oliveira Universidade Positivo Online alexandre@alexandreoliveira.com Pâmella de Carvalho Stadler Universidade

Leia mais

SOCIEDADE DE EDUCAÇÃO E CULTURA DE GOIANIA LTDA FACULDADE PADRÃO SUMÁRIO CAPÍTULO I 4 DA ORGANIZAÇÃO 4 CAPÍTULO II 5 DOS FUNCIONÁRIOS 5

SOCIEDADE DE EDUCAÇÃO E CULTURA DE GOIANIA LTDA FACULDADE PADRÃO SUMÁRIO CAPÍTULO I 4 DA ORGANIZAÇÃO 4 CAPÍTULO II 5 DOS FUNCIONÁRIOS 5 SUMÁRIO CAPÍTULO I 4 DA ORGANIZAÇÃO 4 CAPÍTULO II 5 DOS FUNCIONÁRIOS 5 CAPÍTULO III 5 DA INFRAESTRUTURA 5 Seção I 6 Das Dependências 6 Seção II 6 Do Hardware e Software 6 Seção III 7 Das Manutenções 7

Leia mais

Estudo x trabalho: aprenda a vencer a rotina de atividades rumo ao sucesso

Estudo x trabalho: aprenda a vencer a rotina de atividades rumo ao sucesso Estudo x trabalho: aprenda a vencer a rotina de atividades rumo ao sucesso Sumário introdução 03 Capítulo 5 16 Capítulo 1 Pense no futuro! 04 Aproveite os fins de semana Capítulo 6 18 Capítulo 2 07 É preciso

Leia mais

O DESENVOLVIMENTO DE UM SOFTWARE PARA GESTÃO DE PROJETOS

O DESENVOLVIMENTO DE UM SOFTWARE PARA GESTÃO DE PROJETOS Hélio Pereira da Rosa Neto Universidade Anhanguera-Uniderp Fernando Conter Universidade Anhanguera-Uniderp O DESENVOLVIMENTO DE UM SOFTWARE PARA GESTÃO DE PROJETOS RESUMO Este artigo científico tem como

Leia mais

NORMA TÉCNICA PARA IMPLANTAÇÃO DE NOVOS SISTEMAS OU APLICAÇÕES NO BANCO DE DADOS CORPORATIVO

NORMA TÉCNICA PARA IMPLANTAÇÃO DE NOVOS SISTEMAS OU APLICAÇÕES NO BANCO DE DADOS CORPORATIVO NORMA TÉCNICA PARA IMPLANTAÇÃO DE NOVOS SISTEMAS OU APLICAÇÕES NO BANCO DE DADOS CORPORATIVO Referência: NT-AI.04.02.01 http://www.unesp.br/ai/pdf/nt-ai.04.02.01.pdf Data: 27/07/2000 STATUS: EM VIGOR A

Leia mais

Gerenciamento de Requisitos Gerenciamento de Requisitos

Gerenciamento de Requisitos Gerenciamento de Requisitos Gerenciamento de Requisitos Objetivos da disciplina Descrever o processo de Gerenciamento e Engenharia de Requisitos para projetos Treinar alunos no Gerenciamento de Requisitos Apresentar estudos de caso

Leia mais

PROCEDIMENTO DE AVALIAÇÃO DE PERFIL E TREINAMENTO VAPT VUPT

PROCEDIMENTO DE AVALIAÇÃO DE PERFIL E TREINAMENTO VAPT VUPT Sistema de Gestão do Programa Vapt Vupt SUPERINTENDÊNCIA DA ESCOLA DE GOVERNO HENRIQUE SANTILLO PROCEDIMENTO DE AVALIAÇÃO DE PERFIL E TREINAMENTO VAPT VUPT Responsáveis: Ludmilla Sequeira Barbosa e Rosana

Leia mais

FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC GESTÃO DA TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO GESTÃO DE PESSOAS

FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC GESTÃO DA TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO GESTÃO DE PESSOAS FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC GESTÃO DA TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO GESTÃO DE PESSOAS PROFESSOR: Itair Pereira da Silva DISCENTES: Maria das Graças João Vieira Rafael Vitor ORGANOGRAMA PRESIDENTE GERENTE

Leia mais

CONTRATO DE LICENÇA DE USO DE SOFTWARE PARA CENTRAL DE RASTREAMENTO

CONTRATO DE LICENÇA DE USO DE SOFTWARE PARA CENTRAL DE RASTREAMENTO CONTRATO DE LICENÇA DE USO DE SOFTWARE PARA CENTRAL DE RASTREAMENTO Por este instrumento particular e melhor forma de direito, de um lado, Mundo 7 Soluções em Informática Ltda ME, estabelecida em AV ADALBERTO

Leia mais

Í N D I C E A N A L Í T I C O

Í N D I C E A N A L Í T I C O DIRF CARTÃO 2013 V4..03 DE 07//02//2013 PROGRAMA PARA IMPORTAÇÃO DE DADOS DE CARTÕES DE CRÉDITO NA DIRF 2013 VERSÃO COM VISANET E REDECARD IMPORTAÇÃO E EXPORTAÇÃO EM LOTE CAPTURA DADOS CADASTRAIS DE EMPRESAS

Leia mais

Portfólio de Serviços Dominit 2016

Portfólio de Serviços Dominit 2016 Portfólio de Serviços Dominit 2016 A Dominit é uma empresa nacional que atua como integradora de soluções de tecnologia da informação. Temos como diferencial a proposta de parceria para nossos clientes

Leia mais

1. Descrição dos Serviços de Implantação da SOLUÇÃO

1. Descrição dos Serviços de Implantação da SOLUÇÃO Este documento descreve os serviços que devem ser realizados para a Implantação da Solução de CRM (Customer Relationship Management), doravante chamada SOLUÇÃO, nos ambientes computacionais de testes,

Leia mais

Edital SENAI SESI de Inovação 2012 PERGUNTAS FREQUENTES

Edital SENAI SESI de Inovação 2012 PERGUNTAS FREQUENTES Edital SENAI SESI de Inovação 2012 PERGUNTAS FREQUENTES Brasília 2012 Edital SENAI SESI de Inovação 2012 PERGUNTAS FREQUENTES Brasília 2012 Edital SENai SESi de inovação 2012 PERGUNTAS FREQUENTES 3 1)

Leia mais

CERTIFICAÇÃO ISO PARA EMPRESÁRIOS. Um guia fácil para preparar e certificar sua empresa. Ricardo Pereira

CERTIFICAÇÃO ISO PARA EMPRESÁRIOS. Um guia fácil para preparar e certificar sua empresa. Ricardo Pereira CERTIFICAÇÃO ISO PARA EMPRESÁRIOS Um guia fácil para preparar e certificar sua empresa Ricardo Pereira Antes de começar por Ricardo Pereira Trabalhando na Templum Consultoria eu tive a rara oportunidade

Leia mais

Descomplicando Tecnologia

Descomplicando Tecnologia Descomplicando Tecnologia PROPÓSITO DESTE EBOOK Notamos que muitas pessoas tem sofrido com situações de fácil solução, envolvendo a lentidão e segurança de seus computadores e smartphones, a idéia deste

Leia mais

APÓS A INSTALAÇÃO, MÃOS À OBRA. E AO TECLADO. MANUAL DE INSTALAÇÃO

APÓS A INSTALAÇÃO, MÃOS À OBRA. E AO TECLADO. MANUAL DE INSTALAÇÃO APÓS A INSTALAÇÃO, MÃOS À OBRA. E AO TECLADO. MANUAL DE INSTALAÇÃO 1 SEJA BEM-VINDO AO SIENGE. PARABÉNS! A partir de agora a sua empresa irá contar com os benefícios do Sienge. Conte conosco para ajudá-lo

Leia mais

Regulamento da 1ª Edição do StartupGov: o Desafio do Serviço Público

Regulamento da 1ª Edição do StartupGov: o Desafio do Serviço Público Regulamento da 1ª Edição do StartupGov: o Desafio do Serviço Público 1. SOBRE O STARTUPGOV: O StartupGov: O Desafio do Serviço Público é um espaço para debate com o objetivo de aproximar o governo de especialistas

Leia mais

EDITAL DA CHAMADA HACKATONA Let's GO 2015

EDITAL DA CHAMADA HACKATONA Let's GO 2015 EDITAL DA CHAMADA HACKATONA Let's GO 2015 O SECRETÁRIO DE ESTADO DE GESTÃO E PLANEJAMENTO DO ESTADO DE GOIÁS, no uso de suas atribuições que lhe confere a Lei Estadual n. 17.257, de 25 de janeiro de 2011,

Leia mais

PLANEJAMENTO FINANCEIRO PESSOAL O GUIA PARA COMEÇAR A TER SUCESSO NAS FINANÇAS

PLANEJAMENTO FINANCEIRO PESSOAL O GUIA PARA COMEÇAR A TER SUCESSO NAS FINANÇAS PLANEJAMENTO FINANCEIRO PESSOAL O GUIA PARA COMEÇAR A TER SUCESSO NAS FINANÇAS SUMÁRIO INTRODUÇÃO 03 CONTROLE DE CONTAS 04 ENTENDER E CONTROLAR AS DESPESAS FIXAS E VARIÁVEIS 05 DEFINIR PRIORIDADES 07 IDENTIFICAR

Leia mais

A técnica a serviço da aproximação com os doadores: Marketing de relacionamento nos Doutores da Alegria

A técnica a serviço da aproximação com os doadores: Marketing de relacionamento nos Doutores da Alegria Agentes Financiadores Notícias e atualidades sobre Agentes Financiadores nacionais e internacionais página inicial A técnica a serviço da aproximação com os doadores: Marketing de relacionamento nos Doutores

Leia mais

MANUAL DE USO NA INTERNET PESSOA FÍSICA

MANUAL DE USO NA INTERNET PESSOA FÍSICA MANUAL DE USO NA INTERNET PESSOA FÍSICA APRESENTAÇÃO 1.Bem-vindo ao SICREDI Total Internet! Agora você encontra o SICREDI em casa, no trabalho ou onde você estiver. É o SICREDI Total Internet, cooperando

Leia mais

Introdução Ciclo de vida tradicional de desenvolvimento Prototipagem Pacotes de software Desenvolvimento de 4ª geração Terceirização

Introdução Ciclo de vida tradicional de desenvolvimento Prototipagem Pacotes de software Desenvolvimento de 4ª geração Terceirização Prof. Ricardo José Pfitscher Material elaborado com base em: José Luiz Mendes Gerson Volney Lagemann Introdução Ciclo de vida tradicional de desenvolvimento Prototipagem Pacotes de software Desenvolvimento

Leia mais

Sistema Datachk. Plano de Projeto. Versão <1.0> Z u s a m m e n a r b e i t I d e i a s C o l a b o r a t i v a s

Sistema Datachk. Plano de Projeto. Versão <1.0> Z u s a m m e n a r b e i t I d e i a s C o l a b o r a t i v a s Plano de Projeto Versão Z u s a m m e n a r b e i t I d e i a s C o l a b o r a t i v a s 2010 2 Histórico de Revisões Data Versão Descrição Autores 07/04/2010 1.0 Criação da primeira versão do Plano

Leia mais

20. Minha senha não funciona! Não consigo acessar meu Painel de Negócios e nem comprar em meu Espaço!...12 21. Se consultores e CNOs tiverem dúvida,

20. Minha senha não funciona! Não consigo acessar meu Painel de Negócios e nem comprar em meu Espaço!...12 21. Se consultores e CNOs tiverem dúvida, ÍNDICE 1. O que é a Rede Natura?...04 2. É preciso ser Consultor Presencial para tornar-se um Franqueado Digital?...04 3. Por que a Natura criou a Rede Natura?...04 4. A Rede Natura nasceu incluindo os

Leia mais

ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS

ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS ATIVIDADES PRÁTICAS SUPERVISIONADAS CST em Recursos Humanos 2ª Série Processos Gerenciais A atividade prática supervisionada (ATPS) é um procedimento metodológico de ensino-aprendizagem desenvolvido por

Leia mais

PlusPixel Marketing Digital SOMOS MAIS SOCIAIS DO QUE NUNCA

PlusPixel Marketing Digital SOMOS MAIS SOCIAIS DO QUE NUNCA PlusPixel Marketing Digital SOMOS MAIS SOCIAIS DO QUE NUNCA Proposta de Marketing Digital Design inox Marketing de Resultados A PlusPixel vem oferecendo seus serviços desde o início da internet, isso nos

Leia mais

Substituia comunicações caras e ineficientes por métodos de entrega alternativos

Substituia comunicações caras e ineficientes por métodos de entrega alternativos Engajamento com o Cliente Interação com o cliente e envio de comunicações Gerenciamento de Comunicações com os Clientes Soluções para possibilitar relacionamentos duradouros com clientes Substituia comunicações

Leia mais

COMO COMEÇAR 2016 se organizando?

COMO COMEÇAR 2016 se organizando? COMO COMEÇAR 2016 se organizando? Como começar 2016 se organizando? Conheça estratégias simples para iniciar o novo ano com o pé direito Você sabia que, de acordo com o Sebrae, os principais motivos que

Leia mais

TERMO DE ABERTURA DO PROJETO TAP. Identificação do Projeto

TERMO DE ABERTURA DO PROJETO TAP. Identificação do Projeto TERMO DE ABERTURA DO PROJETO TAP Identificação do Projeto Projeto Gerenciamento e Controle da Cozinha dos Bolsistas Unidade demandante Lara Popov Zambiasi Bazzi Oberderfer Gestor do projeto Beatriz Carla

Leia mais

ABRIL/2004 UMA FERRAMENTA PARA AUXILIAR O PROFESSOR NO ENSINO À DISTÂNCIA

ABRIL/2004 UMA FERRAMENTA PARA AUXILIAR O PROFESSOR NO ENSINO À DISTÂNCIA 1 ABRIL/2004 UMA FERRAMENTA PARA AUXILIAR O PROFESSOR NO ENSINO À DISTÂNCIA Andréa Pereira de Castro Universidade de Cruz Alta UNICRUZ, Cruz Alta andreap@unicruz.edu.br Adriana Pereira Cocco Universidade

Leia mais

TENHA A SUA AGÊNCIA NO MERCADO DE APLICATIVOS MÓVEIS

TENHA A SUA AGÊNCIA NO MERCADO DE APLICATIVOS MÓVEIS TENHA A SUA AGÊNCIA NO MERCADO DE APLICATIVOS MÓVEIS MERCADO DE APLICATIVOS MÓVEIS POLITICA COMERCIAL E VENDAS FÁBRICA DE APLICATIVOS ÍNDICE EXPLORANDO RECURSOS COMPORTAMENTO DO USUÁRIO COMO MANTER SUA

Leia mais

Sobre o Instituto Desenvolve T.I

Sobre o Instituto Desenvolve T.I Sobre o Instituto Desenvolve T.I A empresa Desenvolve T.I foi fundada em 2008, em Maringá, inicialmente focando a sua atuação em prestação de serviços relacionados à Tecnologia da Informação e atendendo

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DO TREINAMENTO. Quem nunca ouviu aquela velha frase O maior capital de nossa empresa é o capital

A IMPORTÂNCIA DO TREINAMENTO. Quem nunca ouviu aquela velha frase O maior capital de nossa empresa é o capital A IMPORTÂNCIA DO TREINAMENTO humano. Quem nunca ouviu aquela velha frase O maior capital de nossa empresa é o capital Uma pesquisa realizada em 1997 nos Estados Unidos comprovou estatisticamente que essa

Leia mais

certisign.com.br Apresentação de Serviço Certificação Digital para Escritórios Contábeis

certisign.com.br Apresentação de Serviço Certificação Digital para Escritórios Contábeis Apresentação de Serviço Certificação Digital para Escritórios Contábeis certisign.com.br Apresentação A Certificação Digital é apoiada pelos principais órgãos, entidades reguladoras e organizações de classe

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DE UMA APLICAÇÃO WEB PARA AQUISIÇÃO DE DADOS E GERAÇÃO DE ÍNDICES AMBIENTAIS. Rafael Ferreira de Paula Paiva.

DESENVOLVIMENTO DE UMA APLICAÇÃO WEB PARA AQUISIÇÃO DE DADOS E GERAÇÃO DE ÍNDICES AMBIENTAIS. Rafael Ferreira de Paula Paiva. DESENVOLVIMENTO DE UMA APLICAÇÃO WEB PARA AQUISIÇÃO DE DADOS E GERAÇÃO DE ÍNDICES AMBIENTAIS Rafael Ferreira de Paula Paiva Felipe Cavalaro Universidade São Francisco rafaelferreirad@hotmail.com Resumo:

Leia mais

1-O que é EaD? 2-O significa a sigla AVA?

1-O que é EaD? 2-O significa a sigla AVA? 1-O que é EaD? EaD significa Educação a Distância, vejamos alguns conceitos de EaD: "Educação a distância pode ser caracterizada com um ensino no qual o professor e alunos, separados no espaço/ tempo,

Leia mais

ENSINO A DISTÂNCIA NA WEB : UM DESAFIO PARA A EDUCAÇÃO

ENSINO A DISTÂNCIA NA WEB : UM DESAFIO PARA A EDUCAÇÃO 1 ENSINO A DISTÂNCIA NA WEB : UM DESAFIO PARA A EDUCAÇÃO CELINA APARECIDA ALMEIDA PEREIRA ABAR Pontifícia Universidade Católica de São Paulo - Brasil abarcaap@pucsp.br - VIRTUAL EDUCA 2003-1 INTRODUÇÃO

Leia mais

AS CONTRIBUIÇÕES DAS VÍDEO AULAS NA FORMAÇÃO DO EDUCANDO.

AS CONTRIBUIÇÕES DAS VÍDEO AULAS NA FORMAÇÃO DO EDUCANDO. AS CONTRIBUIÇÕES DAS VÍDEO AULAS NA FORMAÇÃO DO EDUCANDO. Autor: José Marcos da Silva Instituição: UFF/CMIDS E-mail: mzosilva@yahoo.com.br RESUMO A presente pesquisa tem como proposta investigar a visão

Leia mais

Plano de Negócios. Bruno Menegola Gustavo Führ Jonas Hartmann Rosália Schneider William Gonçalves

Plano de Negócios. Bruno Menegola Gustavo Führ Jonas Hartmann Rosália Schneider William Gonçalves Plano de Negócios Bruno Menegola Gustavo Führ Jonas Hartmann Rosália Schneider William Gonçalves 1 Instituto de Informática Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) Caixa Postal 15.064 91.501-970

Leia mais

Objetivos. Engenharia de Software. O Estudo de Viabilidade. Fase do Estudo de Viabilidade. Idéias chave. O que Estudar? O que concluir?

Objetivos. Engenharia de Software. O Estudo de Viabilidade. Fase do Estudo de Viabilidade. Idéias chave. O que Estudar? O que concluir? Engenharia de Software O Estudo de Viabilidade Objetivos O que é um estudo de viabilidade? O que estudar e concluir? Benefícios e custos Análise de Custo/Benefício Alternativas de comparação 1 2 Idéias

Leia mais

Atualização, backup e recuperação de software

Atualização, backup e recuperação de software Atualização, backup e recuperação de software Guia do usuário Copyright 2007 Hewlett-Packard Development Company, L.P. Windows é uma marca registrada nos Estados Unidos da Microsoft Corporation. As informações

Leia mais

Curso Superior de Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas

Curso Superior de Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas Curso Superior de Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas Síntese do Projeto Pedagógico do curso Objetivos do curso Objetivo Geral O curso em Análise e Desenvolvimento de Sistemas da ESADE,

Leia mais

DISCIPLINAS ON-LINE GUIA DO ALUNO GRADUAÇÕES

DISCIPLINAS ON-LINE GUIA DO ALUNO GRADUAÇÕES DISCIPLINAS ON-LINE GUIA DO ALUNO GRADUAÇÕES GUIA DO ALUNO Seja bem-vindo(a) às disciplinas on-line dos cursos de gradução das Instituições do Grupo Ser Educacional! Agora que você já está matriculado(a)

Leia mais

Um passo inicial para aplicação do gerenciamento de projetos em pequenas empresas

Um passo inicial para aplicação do gerenciamento de projetos em pequenas empresas Instituto de Educação Tecnológica Pós-graduação Gestão de Projetos Aperfeiçoamento/GPPP1301 T132 09 de outubro de 2013 Um passo inicial para aplicação do gerenciamento de s em pequenas empresas Heinrich

Leia mais

Sumário. Tutorial de acesso ao Veduca 2

Sumário. Tutorial de acesso ao Veduca 2 Sumário Tutorial de acesso ao Veduca 2 Introdução... 3 Sobre o Veduca... 3 Navegação... 5 Página inicial... 5 Primeiro acesso... 6 Como fazer o seu login... 7 Como acessar seu perfil... 7 Recursos da área

Leia mais

1.2.1. Proporcionar ao Corpo Docente a participação de monitores junto ao desenvolvimento de suas disciplinas.

1.2.1. Proporcionar ao Corpo Docente a participação de monitores junto ao desenvolvimento de suas disciplinas. A Coordenação de Pesquisa e Extensão (COPEX) da Faculdade Metropolitana da Grande Recife, em conjunto com a Direção Acadêmica, abre inscrições aos alunos de graduação interessados em participar do Programa

Leia mais

ESCOLA Pe JOÃO UMBERTO SACHET LUCIANA BATISTA DE OLIVEIRA CATARINO

ESCOLA Pe JOÃO UMBERTO SACHET LUCIANA BATISTA DE OLIVEIRA CATARINO ESCOLA Pe JOÃO UMBERTO SACHET LUCIANA BATISTA DE OLIVEIRA CATARINO APLICATIVOS E AMBIENTES DE APRENDIZAGEM COLABORATIVOS COMO FERRAMENTA TECNOLÓGICA PARA FORMAÇÃO DO QUADRO DOCENTE E ADMINISTRATIVO DA

Leia mais

Introdução a Computação

Introdução a Computação Introdução a Computação Aula 03 Profissões de TI Prof. MSc. Edilberto Silva edilms@yahoo.com http:// Papéis... Um papel é uma definição abstrata de um conjunto de atividades executadas e dos respectivos

Leia mais

Mestrado Profissional em Ensino de Biologia em Rede Nacional - PROFBIO PROPOSTA

Mestrado Profissional em Ensino de Biologia em Rede Nacional - PROFBIO PROPOSTA Mestrado Profissional em Ensino de Biologia em Rede Nacional - PROFBIO PROPOSTA Considerando que o Ensino Médio é para a maioria dos cidadãos a última oportunidade de uma educação formal em Biologia, a

Leia mais

meses e de ganhos financeiros muito maiores do que quando se é empregado é um erro comum. Além disso, a idéia de não ter chefe é extremamente

meses e de ganhos financeiros muito maiores do que quando se é empregado é um erro comum. Além disso, a idéia de não ter chefe é extremamente DICAS PARA ABRIR UM ESCRITÓRIO CONTÁBIL Começar um empreendimento requer coragem. Estar preparado para esse momento é fundamental, pois não vale, em hipótese alguma, aplicar o seu dinheiro no desconhecido.

Leia mais

Projeto Inovaeduc Perguntas Frequentes

Projeto Inovaeduc Perguntas Frequentes Projeto Inovaeduc Perguntas Frequentes 1) O que é o projeto Inovaeduc? O projeto Inovaeduc é um projeto pedagógico / educacional que contempla um conjunto de soluções tecnológicas educacionais que objetivam

Leia mais

TERMO E CONDIÇÕES GERAIS DE USO DA PLATAFORMA HELLO FARM

TERMO E CONDIÇÕES GERAIS DE USO DA PLATAFORMA HELLO FARM TERMO E CONDIÇÕES GERAIS DE USO DA PLATAFORMA HELLO FARM J HELLO FARM SERVIÇOS DE TECNOLOGIA LTDA., inscrita no CNPJ/MF sob o nº 23.694.884/0001-27, doravante denominada simplesmente como Hello Farm, adota

Leia mais

MANUAL DO AVA GOVERNO DO ESTADO DO AMAZONAS. Rua Ramos Ferreira, 991 A - Centro Fone: (92) 3878-7479 / 3233-6836 Manaus AM CEP: 69010-120

MANUAL DO AVA GOVERNO DO ESTADO DO AMAZONAS. Rua Ramos Ferreira, 991 A - Centro Fone: (92) 3878-7479 / 3233-6836 Manaus AM CEP: 69010-120 MANUAL DO AVA 1. O QUE É EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA? A Educação a Distância, como dispõe o Decreto nº 5.622, de 19/12/2005, caracterizase como uma modalidade educacional na qual a mediação didático-pedagógica

Leia mais

Belém PA, Maio 2012. Categoria: Pesquisa e Avaliação. Setor Educacional: Educação Universitária. Macro: Sistemas e Instituições de EAD

Belém PA, Maio 2012. Categoria: Pesquisa e Avaliação. Setor Educacional: Educação Universitária. Macro: Sistemas e Instituições de EAD 1 A QUALIDADE DOS CURSOS SUPERIORES A DISTÂNCIA: CURSOS DE LICENCIATURA EM LETRAS E BACHARELADO EM ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA DA UNIVERSIDADE ABERTA DO BRASIL UAB Belém PA, Maio 2012 Categoria: Pesquisa e Avaliação

Leia mais

Investigação sobre o uso do ambiente Moodle pelos professores de uma instituição de ensino superior pública

Investigação sobre o uso do ambiente Moodle pelos professores de uma instituição de ensino superior pública Investigação sobre o uso do ambiente Moodle pelos professores de uma instituição de ensino superior pública Eixo temático 2: Formação de professores e cultura digital 1 Ana Paula Ferreira Sebastião 2 Rosemary

Leia mais

Sobre a MLG Educação pág 04. Metodologia pág 06. Formato e Prazo pág 09. Programa fidelidade pág 11. Player de Video pág 13

Sobre a MLG Educação pág 04. Metodologia pág 06. Formato e Prazo pág 09. Programa fidelidade pág 11. Player de Video pág 13 P á g i n a 1 P á g i n a 2 P á g i n a 3 Indice Sobre a MLG Educação pág 04 Metodologia pág 06 Formato e Prazo pág 09 Programa fidelidade pág 11 Player de Video pág 13 Módulos dos cursos e Forum pág 16

Leia mais

Guia do Usuário ProAnalir 2013. Introdução... 2. Liberação das licenças... 3

Guia do Usuário ProAnalir 2013. Introdução... 2. Liberação das licenças... 3 Área Universidade Prosoft Autor Valquíria Coelho Criação 26/02/2013 Publicação - 28/02/2013 Distribuição Franqueadora, Franquias e Clientes. Guia do Usuário ProAnalir 2013 Conteúdo: Introdução... 2 Liberação

Leia mais