A PRODUÇÃO DO ESPAÇO URBANO NO BAIRRO DA MARAMBAIA, BELÉM-PA: UM ESTUDO DE CASO

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "A PRODUÇÃO DO ESPAÇO URBANO NO BAIRRO DA MARAMBAIA, BELÉM-PA: UM ESTUDO DE CASO"

Transcrição

1 A PRODUÇÃO DO ESPAÇO URBANO NO BAIRRO DA MARAMBAIA, BELÉM-PA: UM ESTUDO DE CASO Evandro Neves Universidade do Estado do Pará Filipe Dias Evandro Neves Universidade do Estado do Pará INTRODUÇÃO O espaço urbano se torna importante como objeto de análise por toda a sua dinâmica de circulação de capital, mercadoria e pessoas, de transformações socioespaciais criadas por seus próprios formadores e por interesses destes com o espaço. Sendo assim, consideramos o espaço urbano como a materialização da dinâmica do interesse capitalista que se intensifica e se renova com as novas necessidades que surgem para sua reprodução e através da paisagem, nota-se a idealização dos interesses ali impostos pelos agentes modeladores do espaço urbano. Como toda expansão do capital não se constitui de forma homogênea, a produção espacial, por conseguinte, apresentará contrastes que causam impactos no âmbito socioespacial materializados na desigualdade gerada na formação do urbano pelos agentes modeladores na organização e (re) produção do espaço, no qual os principais no bairro da Marambaia são agentes imobiliários e o Estado, logo não são os únicos. Os agentes modeladores são responsáveis pela reorganização socioespacial, pela incorporação de novas áreas ao espaço urbano através, sobretudo, da especulação fundiária, assim como também são responsáveis pela realocação de conteúdos sociais que não fazem parte do seu objetivo na construção da cidade para a acumulação de capital, conteúdos esses que são caracterizados por uma população de baixa renda,

2 sendo assim camadas sociais que não participaram diretamente do processo. (C0RRÊA, XXXX). Dessa forma, a proposta/objetivo do trabalho é compreender a formação urbana do bairro da Marambaia pelos agentes acima citados como um processo que está dando continuidade na acumulação de capital, que consequentemente tende, cada vez mais, a caracterizar o bairro como fragmentado e desigual. Assim, as características fundiárias e sociais do bairro é produto da atuação do capital, sobretudo imobiliário, na formação espacial do bairro. O bairro fica localizado no centro da cidade de Belém, logo se percebe a sua importância para a valorização da terra, por um posicionamento geográfico privilegiado, que interliga facilmente os moradores ao centro da cidade através, sobretudo, da Avenida Augusto Montenegro, que serve como via de escoamento tanto para entrar quanto para sair do centro e/ou seu entorno. O bairro da Marambaia faz parte do distrito administrativo do entroncamento (DAENT) em conjunto com os bairros das Águas Lindas, Aurá, Castanheira, Curió- Utinga, Guanabara, Mangueirão, Souza, Val-de-Cans e Universitário. Assim, O DAENT compreende uma população com total de (cento e vinte cinco mil e quatrocentas) pessoas, sendo (sessenta e seis mil e setecentas e oito) pessoas no bairro da Marambaia, segundo o anuário estatístico do município de Belém de 2012.

3

4 A metodologia para a pesquisa se deu em trabalhos de campo e análises de referenciais teóricos que pesquisam a formação das cidades, do espaço urbano, como CARLOS (2007), CORRÊA (1995), SOUZA (2008), LEFEBVRE (1974). Os resultados obtidos mostram que a produção do espaço na Marambaia se dá de forma heterogênea através da intensificação das atividades do capital na formação do bairro através do Estado e dos agentes imobiliários, que encontram no bairro uma frente de expansão para dar continuidade na atividade imobiliária que é facilitada pela posição geográfica central do bairro, e consequentemente (auto) segregam cada vez mais o bairro e consequentemente redefinem o perfil social do bairro. 2. A CONSOLIDAÇÃO DO CAPITAL E A (RE) PRODUÇÃO DO ESPAÇO O espaço se circunscreve em duas dimensões: a primeira refere-se a sua localização, ou seja, a um determinado ponto no mapa e a segunda condiz a seu conteúdo este resulta das relações sociais presentes no espaço, CARLOS (2007). Os conteúdos presentes neste espaço apresentam-se de forma diversificada, com interesses diferentes, logo a constituição do espaço será heterogênea. O conteúdo presente no bairro da Marambaia é o da consolidação do capital, o bairro apresenta a entrada do capital, através de investimentos no setor imobiliário que são cada vez mais crescentes por seus agentes modeladores. Uma característica comum de espaços consolidados pelo capital no bairro é a presença do processo de verticalização, materializado na construção de condomínios e prédios. A verticalização inicia-se de forma lenta e compreende o anseio de uma classe média, logo se entende que o bairro tem características físicas e sociais diferenciadas. Na figura abaixo, demonstra-se o espaço em sua dialética, ou seja, a compleição de uma forma do capital evidenciada pelos surgimentos de prédios com todo aparato para a qualidade de vida, e ao mesmo tempo a presença de espaços com poucas condições de infraestruturas. Assim o bairro da Marambaia corrobora as contradições propiciadas pelo sistema capitalista.

5 Atuação dos agentes imobiliários no bairro da Marambaia. Fonte: Trabalho de campo, Percebe-se que o bairro passa por uma redefinição fundiária caracterizada pela produção dos agentes produtores do espaço que se idealiza na paisagem e que (re) modela as características sociais preexistentes através da (auto) segregação que intensifica a desigualdade socioespacial. Essa (re) produção do espaço no bairro então está aos poucos se exibindo por meio dos condomínios fechados e conjuntos habitacionais planejados e simultaneamente com as atividades do circuito superior compreendido como o subsistema do sistema econômico urbano que possuem estruturas modernas tecnológicas, burocráticas e mais articuladas para melhor circulação de mercadorias e à efetuação dos serviços de modo mais eficaz para atender a demanda do capital (SANTOS,1979). É possível entender que a (re) produção do espaço leva às novas formas espaciais que consequentemente trazem ou reformulam relações socioculturais, pois se considerarmos que a produção do espaço se estabelece não apenas de mudanças da produção e das forças produtivas em que estão no espaço, mas também dos modos em que a realidade do espaço se apresenta (LEFEBVRE, 1974). Sobre esta concepção de produção do espaço Lefebvre (1974) comenta en Hegel y en Marx, se vê que El concepto se desdobla: de un lado está La producción de productos: las cosas los bienes, las mercancias, y Del otro lado La producción delas obras: lãs ideas, lós conocimientos, lãs ideologías e incluso las instituiciones o las obras de arte.

6 Supermercados, lojas, escolas particulares, e outros serviços acompanham as necessidades da classe média habitante dos condomínios residenciais ou os quais habitarão os prováveis condomínios futuros de tal modo que redefine as dinâmicas do espaço do bairro, dando novos significados. Isso corresponde ao processo de inserção e consolidação do capital imobiliário que precisa ser essencialmente compreendido como um processo que se desenvolve de forma desigual no o espaço, pois as manifestações são resultados do interesse de um grupo, no caso do bairro de uma parte dos agentes modeladores, Estado e os agentes imobiliários. Compreende-se que o avanço do capital imobiliário leva a um progressivo aumento do bem-estar no bairro usufruído pela classe média através das moradias, aqui no caso entendido pela verticalização e conjuntos habitacionais ordenados, mas que se distribuem de forma geograficamente desigual (SANTOS, 1988). Em decorrência disso surgem os contrastes materializados nas formas de habitações e no conteúdo social. Entende-se que as formas de habitações escolhidas pela classe média é resultado da produção desigual do espaço que como consequência intensifica a violência que se manifesta no bairro e a partir disso se cria o discurso de moradia com segurança por parte da classe média. Em entrevista com um dos moradores de um conjunto habitacional no bairro isso fica evidente: A violência tá crescendo no bairro né? Com isso a gente tenta buscar melhor segurança pra nossa família. Aí fora aí a gente fica sabendo assim ne, pelos outros, que as casas foram arrombadas, invadidas por usuário de drogas pra eles roubarem móveis, televisores e tudo que der pra eles conseguirem dinheiro pra manter o seu vício né? Então se a gente pode se proteger disso a gente faz né? (Trabalho de campo, 2013). 3. A (AUTO) SEGREGAÇÃO DA CLASSE MÉDIA Considerando-se o conceito de auto-segregação a partir do que alguns renomados estudiosos da questão urbana como Marcelo Lopes de Souza aborda o assunto, percebe-se que há nessas auto-segregações uma fuga do lugar comum, aqueles locais que todos compartilham e convivem. Nessa perspectiva, se tratando do Bairro da

7 Marambaia, é notório que o crescimento das fragmentações espaciais é também resultado justamente dessa fuga de locais comuns. Isso se deve ao fato de que o bairro da Marambaia, heterogêneo, no âmbito social e econômico, é (re) formado por agentes que buscas realizar seus interesses na reprodução do capital. Feitas algumas observações no trabalho de campo é possível notar que os espaços onde a infraestrutura urbana é menor, assim como onde a concentração de capital se dá de maneira diferente das demais localidades, são onde ocorre o maior índice de violência, onde, por coincidência, os pobres moram. É importante relembrar que a intensificação da violência é produto da formação desigual do espaço que é fragmentado ainda mais com a diferença de detenção de capital e consequentemente de serviços de infraestrutura. A questão da auto-segregação talvez seja respondida pelo fato da violência, consequência das desigualdades, estar crescendo e isso ocasiona a necessidade de se buscar lugares seguros por parte daqueles que têm poder aquisitivo considerável. A auto-segregação da classe média no bairro se dá de maneira diversificada, não sendo apenas através de condomínios fechados embora os condomínios sejam a principal característica dessa população que se separa dos locais comuns para ter um padrão de vida mais seguro, mas também através da verticalização. Se entende aqui que a segregação é resultado das ações do agentes modeladores do espaço da Marambaia que através de suas relações desenvolvem a diferença de moradia e acabam valorizando algumas áreas no bairro e criando condições para melhores infraestruturas neles, por outro lado, onde a fronteira do capital imobiliário não explora o lugar, se percebe a permanência do modo de vida da população pobre que não é beneficiada da formação do espaço e são afastados de melhores condições de infraestrura. A violência é mais abundante nas periferias do bairro, logo ela se concentra nessas localidades com mais frequência pelo fato de nesse local residirem populações com menos condições de infraestrutura, com baixo nível de vida e onde o direito por

8 moradia melhor não é realizado. Analisando-se então a fragmentação do espaço entre duas populações que são totalmente diferentes econômico e socialmente, uma composta pela classe média que cada vez mais se afasta das periferias e outra pela classe que continua na mesma, que é segregada pelas políticas de formação do espaço pelos agentes imobiliários e Estado, a violência também se distribui também de forma heterogênea. 4. AS DICOTOMIAS SOCIOESPACIAIS Como a distribuição econômica e os índices sociais são diferenciados, a segurança também se distribui de maneira diferenciada no bairro, onde há um planejamento de segurança que é organizado pela Polícia Militar, que embora devesse se difundir de maneira igualitária para atender a necessidade de segurança dos habitantes garantindo-lhes assim o seu direito à segurança, distribui-se de forma heterogênea, fazendo-se mais presente e com mais eficiência nos arredores onde a classe com maior poder aquisitivo, ou seja, próximo aos prédios e conjuntos habitacionais e áreas com melhor planejamento de infraestrutura com o objetivo de atender a população que não se sente segura, mas que podem pagar por morarem num lugar mais seguro.

9 Figura 02 Fonte: Trabalho de campo, Na figura anterior se percebe a presença de um PM BOX em uma localidade do bairro em que a criminalidade se faz pouco presente por aí residir a classe média, onde há um planejamento para a segurança pública. Por outro lado, nos espaços esquecidos, onde as questões socioeconômicas são inferiores, as políticas públicas, a segurança, por exemplo, dão-se de forma ineficiente não atendendo os verdadeiros anseios da população. Assim, entende-se que o planejamento de formação do espaço pelo capital não atende de maneira eficiente as necessidade da população com menor poder aquisitivo e favorece a classe média.

10 Fonte: Trabalho de campo, Na figura acima é evidente que a consolidação do capital se distribui desigualmente no bairro, por conseguinte são nesses espaços que fica evidente que a produção do urbano se dá de forma diferenciada e de acordo com os interesses dos seus formadores. RESULTADOS Portanto, os resultados de campo, que ainda se processam no entendimento dos autores do trabalho que cada vez mais compreendem as redefinições que o bairro sofre perante a atividade do capital imobiliário, são importantes para a compreensão da realidade em que as cidades brasileiras hoje se encontram, onde são sinônimos de concentração de infraestruturas, informações, tecnologias e tantos outros, mas também são heterogêneas pela (re) modelagem do espaço pelos agentes transformadores do espaço que consequentemente intensificam a violência e a desigualdade. Então foi evidente nesta pesquisa que o capital imobiliário encontra no bairro da Marambaia uma nova estratégia para sua reprodução que atende a classe média e gera consequências que fortificam a desigualdade e a violência. Pela localização estratégica do bairro, um posicionamento geográfico central na cidade, o capital imobiliário encontra no bairro uma nova frente de expansão. Então a pesquisa considera que o bairro da Marambaia funciona hoje como fronteira do capital imobiliário.

11 REFERÊNCIAS BIBLIOGRAFICAS, O consumo do Espaço. In: CARLOS, Ana Fani Alessandri; (org.) Novos Caminhos da Geografia. São Paulo: Contexto, P CORRÊA, Roberto Lobato. O espaço urbano. 3 Ed. São Paulo: Editora Ática, IBGE, Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Dados estatísticos da população, extensão territorial e coordenada do município de Belém Abstraído do Site: <http://www.ibge.gov.br/cidadesat/topwindow.htm?1>. Acessado em 12/06/2013. LEFEBVRE, Henrí. La produción del espacio. Artículo publicado en: Papers: revista de sociologia, Año: 1974 Nº 3, p SOUZA, Marcelo Lopes de. Fobópole: o medo generalizado e a militarização da questão urbana. Rio de Janeiro, Bertrand Brasil, SANTOS. Milton. Economia espacial: críticas e alternativas. 6. ed. reimp. São Paulo: Editora de Universidade de São Paulo, SANTOS. Milton. Metamorfoses do espaço habitado: Fundamentos Teóricos e Metodológicos da Geografia / Milton Santos em colaboração com Denise Elias. 6. ed. reimp. São Paulo: Editora de Universidade de São Paulo, 2012.

Danilo Munhoz Alves Corrêa Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro - PUC-Rio danilomunhoz@globo.com. 1 - Introdução

Danilo Munhoz Alves Corrêa Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro - PUC-Rio danilomunhoz@globo.com. 1 - Introdução Sistema Modal de Transportes no Município do Rio de Janeiro: a modernização dos eixos de circulação na cidade carioca para a Copa do Mundo de Futebol em 2014 e as Olimpíadas em 2016. 1 - Introdução Danilo

Leia mais

AS TRANSFORMAÇÕES SOCIOESPACIAIS NA REGIÃO DO BARREIRO: A METROPOLIZAÇÃO NA PERIFERIA DE BELO HORIZONTE.

AS TRANSFORMAÇÕES SOCIOESPACIAIS NA REGIÃO DO BARREIRO: A METROPOLIZAÇÃO NA PERIFERIA DE BELO HORIZONTE. AS TRANSFORMAÇÕES SOCIOESPACIAIS NA REGIÃO DO BARREIRO: A METROPOLIZAÇÃO NA PERIFERIA DE BELO HORIZONTE. Saulo de Paula Pinto e Souza Evânio dos Santos Branquinho 1068 saulodepaula@gmail.com Geografia

Leia mais

PRODUÇÃO DO ESPAÇO E A VERTICALIZAÇÃO EM PONTA NEGRA, NATAL-RN

PRODUÇÃO DO ESPAÇO E A VERTICALIZAÇÃO EM PONTA NEGRA, NATAL-RN Mariana de Vasconcelos Pinheiro¹ Márcio Moraes Valença (Orientador da Pesquisa)² ¹UFRN - marianavasconcelos@globo.com ²UFRN marciovalenca@ufrnet.br PRODUÇÃO DO ESPAÇO E A VERTICALIZAÇÃO EM PONTA NEGRA,

Leia mais

As políticas habitacionais sociais como fomentadoras dos problemas urbanos. O caso do Conjunto Habitacional Ana Paula Eleotério em Sorocaba-SP.

As políticas habitacionais sociais como fomentadoras dos problemas urbanos. O caso do Conjunto Habitacional Ana Paula Eleotério em Sorocaba-SP. Felipe Comitre Silvia Aparecida Guarniéri Ortigoza Universidade Estadual Paulista UNESP Rio Claro fcomitre@rc.unesp.br As políticas habitacionais sociais como fomentadoras dos problemas urbanos. O caso

Leia mais

O PROCESSO DE URBANIZAÇÃO E A MOBILIDADE DO CAMPO PARA A CIDADE EM BELO CAMPO/BA

O PROCESSO DE URBANIZAÇÃO E A MOBILIDADE DO CAMPO PARA A CIDADE EM BELO CAMPO/BA O PROCESSO DE URBANIZAÇÃO E A MOBILIDADE DO CAMPO PARA A CIDADE EM BELO CAMPO/BA Silmara Oliveira Moreira 1 Graduanda em Geografia/UESB, Bolsista da UESB E-mail: silmara.geo@gmail.com Resumo: O objetivo

Leia mais

Metodologia. Resultados

Metodologia. Resultados ENCONTRO INTERNACIONAL PARTICIPAÇÃO, DEMOCRACIA E POLÍTICAS PÚBLICAS: APROXIMANDO AGENDAS E AGENTES UNESP SP 23 a 25 de abril de 2013, UNESP, Araraquara (SP) AGENTES SOCIAIS E A PRODUÇÃO DO ESPAÇO URBANO

Leia mais

O ESPAÇO URBANO DE VILA VELHA-ES E A SEGREGAÇÃO SÓCIO ESPACIL ENTRE 1970 E 2010

O ESPAÇO URBANO DE VILA VELHA-ES E A SEGREGAÇÃO SÓCIO ESPACIL ENTRE 1970 E 2010 O ESPAÇO URBANO DE VILA VELHA-ES E A SEGREGAÇÃO SÓCIO ESPACIL ENTRE 1970 E 2010 Eder Lira Universidade federal do Espírito Santo-UFES. Brasil ederlira@hotmail.com INTRODUÇÃO O projeto lança uma proposta

Leia mais

ESPACIAL DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO - RJ Gisele dos Santos de Miranda Clarisse da Cunha Müller PUC Rio gigisa@gmail.com

ESPACIAL DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO - RJ Gisele dos Santos de Miranda Clarisse da Cunha Müller PUC Rio gigisa@gmail.com AS TRANSFORMAÇÕES LOCAIS NO BAIRRO RIO DA PRATA, EM CAMPO GRANDE, A PARTIR DA EXPANSÃO DE CONDOMÍNIOS FECHADOS: UMA PERSPECTIVA MULTIESCALAR DA DINÂMICA INTRODUÇÃO ESPACIAL DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO

Leia mais

Objetivos. Metodologia.

Objetivos. Metodologia. APROPRIAÇÃO DO ESPAÇO PÚBLICO PELA INICIATIVA PRIVADA: UM ESTUDO DE CASO EM FERRAZ DE VASCONCELOS. Aline Silva Barros Universidade de São Paulo, FFLCH, Departamento de Geografia. Projeto de Trabalho de

Leia mais

CENTRALIDADE POLINUCLEADA: UMA ANÁLISE DOS SUBCENTROS POPULARES DE GOIÂNIA O CASO DO SETOR CAMPINAS

CENTRALIDADE POLINUCLEADA: UMA ANÁLISE DOS SUBCENTROS POPULARES DE GOIÂNIA O CASO DO SETOR CAMPINAS CENTRALIDADE POLINUCLEADA: UMA ANÁLISE DOS SUBCENTROS POPULARES DE GOIÂNIA O CASO DO SETOR CAMPINAS Flavia Maria de Assis Paula 1,3 Elaine Alves Lobo Correa 2,3 José Vandério Cirqueira Pinto 2,3 RESUMO

Leia mais

PADRÃO DE RESPOSTA. Pesquisador em Informações Geográficas e Estatísticas A I PROVA 5 - GEOGRAFIA AGRÁRIA

PADRÃO DE RESPOSTA. Pesquisador em Informações Geográficas e Estatísticas A I PROVA 5 - GEOGRAFIA AGRÁRIA Questão n o 1 Conhecimentos Específicos O candidato deverá contemplar em seu texto os seguintes aspectos: Na perspectiva da Geografia Tradicional, até os anos 60 do século XX, período em que se enfatizavam

Leia mais

A produção e a apropriação da habitação em São Paulo diante dos novos negócios imobiliário-financeiros

A produção e a apropriação da habitação em São Paulo diante dos novos negócios imobiliário-financeiros A produção e a apropriação da habitação em São Paulo diante dos novos negócios imobiliário-financeiros Danilo Volochko Programa de Pós-Graduação em Geografia Humana (Doutorado) Universidade de São Paulo

Leia mais

Mas com tantas contradições, desigualdades e injustiças, será que houve realmente uma evolução do tecido urbano?

Mas com tantas contradições, desigualdades e injustiças, será que houve realmente uma evolução do tecido urbano? 112 Mas com tantas contradições, desigualdades e injustiças, será que houve realmente uma evolução do tecido urbano? Ao levantar este questionamento é pertinente esclarecer qual deve ser a real evolução.

Leia mais

MUDANÇAS E PERMANÊNCIAS NO BAIRRO JÓQUEI CLUBE: DA DESATIVAÇÃO DO JÓQUEI CLUBE CEARENSE A GENTRIFICAÇÃO DO BAIRRO

MUDANÇAS E PERMANÊNCIAS NO BAIRRO JÓQUEI CLUBE: DA DESATIVAÇÃO DO JÓQUEI CLUBE CEARENSE A GENTRIFICAÇÃO DO BAIRRO Helania Martins de Souza Universidade Federal do Ceará helania.martins@yahoo.com.br Pesquisa em conclusão MUDANÇAS E PERMANÊNCIAS NO BAIRRO JÓQUEI CLUBE: DA DESATIVAÇÃO DO JÓQUEI CLUBE CEARENSE A GENTRIFICAÇÃO

Leia mais

A CONSOLIDAÇÃO DO PROCESSO DE SEGREGAÇÃO SOCIOESPACIAL E A PERIFERIZAÇÃO DA MORADIA DAS CAMADAS POPULARES, NA ÁREA CONURBADA DE FLORIANÓPOLIS.

A CONSOLIDAÇÃO DO PROCESSO DE SEGREGAÇÃO SOCIOESPACIAL E A PERIFERIZAÇÃO DA MORADIA DAS CAMADAS POPULARES, NA ÁREA CONURBADA DE FLORIANÓPOLIS. A CONSOLIDAÇÃO DO PROCESSO DE SEGREGAÇÃO SOCIOESPACIAL E A PERIFERIZAÇÃO DA MORADIA DAS CAMADAS POPULARES, NA ÁREA CONURBADA DE FLORIANÓPOLIS. Eixo Temático: Políticas públicas, demandas sociais e a questão

Leia mais

Qualidade ambiental urbana X Qualidade de vida urbana

Qualidade ambiental urbana X Qualidade de vida urbana Qualidade ambiental urbana X Qualidade de vida urbana Msc. Marilia Araujo Roggero & Dr. Ailton Luchiari marília.roggero@usp.br & aluchiar@usp.br O presente artigo é parte do projeto de Doutorado de Msc.

Leia mais

Segregação Socio-espacial no Bairro Vila de Fátima- Serrinha - BA

Segregação Socio-espacial no Bairro Vila de Fátima- Serrinha - BA Segregação Socio-espacial no Bairro Vila de Fátima- Serrinha - BA Cristiane da Silva Machado¹ crys.machado@hotmail.com Nilmar dos Santos Silva¹ Saulo da Silva Oliveira¹ RESUMO: O presente artigo faz uma

Leia mais

Produção do Espaço Urbano Condomínios horizontais e loteamentos fechados em Cuiabá-MT

Produção do Espaço Urbano Condomínios horizontais e loteamentos fechados em Cuiabá-MT Produção do Espaço Urbano Condomínios horizontais e loteamentos fechados em Cuiabá-MT Conselho Editorial Profa. Dra. Andrea Domingues Prof. Dr. Antônio Carlos Giuliani Prof. Dr. Antonio Cesar Galhardi

Leia mais

A REDE URBANA NO VALE DO PARAÍBA: ESTAGNAÇÃO ECONÔMICA DO MUNÍCIPIO DE REDENÇÃO DA SERRA

A REDE URBANA NO VALE DO PARAÍBA: ESTAGNAÇÃO ECONÔMICA DO MUNÍCIPIO DE REDENÇÃO DA SERRA A REDE URBANA NO VALE DO PARAÍBA: ESTAGNAÇÃO ECONÔMICA DO MUNÍCIPIO DE REDENÇÃO DA SERRA RODRIGO ALEXANDRE PEREIRA CALDERARO 1 e EVÂNIO DOS SANTOS BRANQUINHO 2 calderaro.ro@gmail.com; evanio.branquinho@unifal-mg.edu.br

Leia mais

A CHEIA DO RIO NEGRO EM MANAUS E SEUS IMPACTOS NO CENTRO E NA PONTA NEGRA EM 2009

A CHEIA DO RIO NEGRO EM MANAUS E SEUS IMPACTOS NO CENTRO E NA PONTA NEGRA EM 2009 A CHEIA DO RIO NEGRO EM MANAUS E SEUS IMPACTOS NO CENTRO E NA PONTA NEGRA EM 2009 1. INTRODUÇÃO Diego Lopes Morais 1 1 Graduando em Geografia / Universidade do Estado do Amazonas - UEA Instituto Nacional

Leia mais

NATAL: Transformações na Ordem Urbana

NATAL: Transformações na Ordem Urbana NATAL: Transformações na Ordem Urbana Observatório das Metrópoles Núcleo RMNatal Editores : Maria do Livramento M. Clementino Observatório das Metrópoles Núcleo Natal Universidade Federal do Rio Grande

Leia mais

A REVITALIZAÇÃO DO CAIS MAUÁ E A PRIVATIZAÇÃO DO ESPAÇO PÚBLICO EM PORTO ALEGRE

A REVITALIZAÇÃO DO CAIS MAUÁ E A PRIVATIZAÇÃO DO ESPAÇO PÚBLICO EM PORTO ALEGRE A REVITALIZAÇÃO DO CAIS MAUÁ E A PRIVATIZAÇÃO DO ESPAÇO PÚBLICO EM PORTO ALEGRE Meriene Santos de Moraes merienemoraes@yahoo.com.br Mestranda em Geografia, bolsista PET SESu/MEC, UFRGS Pedro Toscan Contassot

Leia mais

Mudanças Socioespaciais em um Mundo Globalizado

Mudanças Socioespaciais em um Mundo Globalizado Mudanças Socioespaciais em um Mundo Globalizado Colégio Salesiano São José 8º ano Geografia Professor: Juliano Mudanças no Espaço Geográfico Como ocorrem essas mudanças: Formas; Funções; Fluxos; Modos

Leia mais

O USO DO TERRITÓRIO PELOS SERVIÇOS PRIVADOS DE SAÚDE EM NATAL/RN E A FORMAÇÃO DE UM CORREDOR SANITÁRIO EM PETRÓPOLIS E TIROL

O USO DO TERRITÓRIO PELOS SERVIÇOS PRIVADOS DE SAÚDE EM NATAL/RN E A FORMAÇÃO DE UM CORREDOR SANITÁRIO EM PETRÓPOLIS E TIROL Edseisy Silva Barbalho Tavares Mestre em Geografia pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN); Graduanda em Geografia Bacharelado pela UFRN e professora da rede municipal de ensino de Parnamirim/RN

Leia mais

COMUNIDADE NOVA ESPERANÇA - JORGE TEIXEIRA MANAUS/AM: A PRODUÇÃO E A REDE DE COMERCIALIZAÇÃO DE HORTALIÇAS

COMUNIDADE NOVA ESPERANÇA - JORGE TEIXEIRA MANAUS/AM: A PRODUÇÃO E A REDE DE COMERCIALIZAÇÃO DE HORTALIÇAS COMUNIDADE NOVA ESPERANÇA - JORGE TEIXEIRA MANAUS/AM: A PRODUÇÃO E A REDE DE COMERCIALIZAÇÃO DE HORTALIÇAS Martha Benfica do Nascimento 1 martha_benfica@hotmail.com Licenciatura Plena em Geografia Universidade

Leia mais

Urbanização Brasileira

Urbanização Brasileira Urbanização Brasileira O Brasil é um país com mais de 190 milhões de habitantes. A cada 100 pessoas que vivem no Brasil, 84 moram nas cidades e 16 no campo. A população urbana brasileira teve seu maior

Leia mais

CONFLITOS NO SUBCENTRO DA PERIFERIA: UM ESTUDO DA AVENIDA FREI BENJAMIM VITÓRIADA CONQUISTA / BA

CONFLITOS NO SUBCENTRO DA PERIFERIA: UM ESTUDO DA AVENIDA FREI BENJAMIM VITÓRIADA CONQUISTA / BA CONFLITOS NO SUBCENTRO DA PERIFERIA: UM ESTUDO DA AVENIDA FREI BENJAMIM VITÓRIADA CONQUISTA / BA Bruno Pereira Marques Graduando, em Geografia/UESB e Bolsistado PIBID/CAPES. E-mail: brunop_marques@hotmail.com

Leia mais

I STRUME TOS DIGITAIS COMO SUPORTE DE A ÁLISE DO ESPAÇO URBA O. J. De ardin, R. A. Ribeiro e J. Francisco

I STRUME TOS DIGITAIS COMO SUPORTE DE A ÁLISE DO ESPAÇO URBA O. J. De ardin, R. A. Ribeiro e J. Francisco I STRUME TOS DIGITAIS COMO SUPORTE DE A ÁLISE DO ESPAÇO URBA O J. De ardin, R. A. Ribeiro e J. Francisco RESUMO O presente artigo trata de parte de metodologia adotada para o desenvolvimento da dissertação

Leia mais

2 Histórico da Telefonia Móvel no Brasil

2 Histórico da Telefonia Móvel no Brasil LÓGICAS TERRITORIAIS DAS REDES DE TELEFONIA MÓVEL NO BRASIL Felipe Serra da Silva Prof. Rubens de Toledo Junior 1 Introdução Pretendemos aqui estudar as lógicas territoriais das redes de telefonia móvel

Leia mais

Habitação Social e Cidadania: a experiência do programa Morar Feliz em Campos/RJ

Habitação Social e Cidadania: a experiência do programa Morar Feliz em Campos/RJ Cidadania na Sociedade do Conhecimento Habitação Social e Cidadania: a experiência do programa Morar Feliz em Campos/RJ Ana Paula Serpa Nogueira de Arruda Bolsista da CAPES Processo 10394125, Brasil. Doutoramento

Leia mais

Análise da expansão urbana de Feira de Santana através de condomínios fechados

Análise da expansão urbana de Feira de Santana através de condomínios fechados Análise da expansão urbana de Feira de Santana através de condomínios fechados Bethsaide Souza Santos bethsaide@gmail.com Rosangela Leal Santos Resumo Feira de Santana é uma cidade importante no Estado

Leia mais

19 METROPOLIZAÇÃO, POBREZA, QUALIDADE DE VIDA E SUSTENTABILIDADE

19 METROPOLIZAÇÃO, POBREZA, QUALIDADE DE VIDA E SUSTENTABILIDADE 19 METROPOLIZAÇÃO, POBREZA, QUALIDADE DE VIDA E SUSTENTABILIDADE Luis de La Mora A mesa está composta por pesquisadores franceses e brasileiros, de vários estados do Nordeste do Brasil, que vem trabalhando

Leia mais

ENCONTRO REGIONAL DE PROCURADORAS E PROCURADORES DOS DIREITOS DO CIDADÃO 2015 HABITAÇÃO DE INTERESSE SOCIAL PROGRAMA MINHA CASA MINHA VIDA

ENCONTRO REGIONAL DE PROCURADORAS E PROCURADORES DOS DIREITOS DO CIDADÃO 2015 HABITAÇÃO DE INTERESSE SOCIAL PROGRAMA MINHA CASA MINHA VIDA ENCONTRO REGIONAL DE PROCURADORAS E PROCURADORES DOS DIREITOS DO CIDADÃO 2015 HABITAÇÃO DE INTERESSE SOCIAL PROGRAMA MINHA CASA MINHA VIDA CONTEXTO O déficit habitacional no Brasil, em 2008, segundo a

Leia mais

O papel do estado no urbano

O papel do estado no urbano O papel do estado no urbano O papel do estado na afirmação da segregação Fabiana Rezende Poliana Alessandra Lorena Yoshiko A segregação no espaço urbano pode ser encontrada em várias esferas, iremos analisar

Leia mais

A DIVERSIDADE DA GEOGRAFIA BRASILEIRA: ESCALAS E DIMENSÕES DA ANÁLISE E DA AÇÃO DE 9 A 12 DE OUTUBRO

A DIVERSIDADE DA GEOGRAFIA BRASILEIRA: ESCALAS E DIMENSÕES DA ANÁLISE E DA AÇÃO DE 9 A 12 DE OUTUBRO PLANEJAMENTO TERRITORIAL E TURISMO: UM ESTUDO DAS ESTÂNCIAS TURÍSTICAS DO ESTADO DE SÃO PAULO RIBEIRO, RENATA MARIA 1 MARGARETE ARAUJO TELES 2 Resumo: Esse estudo defende a pertinência em aliar o planejamento

Leia mais

Audiência Pública Inaugural 28 de março, 2014 IPPUC

Audiência Pública Inaugural 28 de março, 2014 IPPUC Audiência Pública Inaugural 28 de março, 2014 Revisão do Plano Diretor O Plano Diretor de 1966 Lei municipal 2828/66 A concepção do plano, diferente do modelo tradicional de crescimento radiocêntrico,

Leia mais

METAMORFOSES NA PAISAGEM PELA TURISTIFICAÇÃO DO RURAL EM UBERLÂNDIA - MG

METAMORFOSES NA PAISAGEM PELA TURISTIFICAÇÃO DO RURAL EM UBERLÂNDIA - MG METAMORFOSES NA PAISAGEM PELA TURISTIFICAÇÃO DO RURAL EM UBERLÂNDIA - MG Raphaella Karla Portes Beserra raphaella_udi@hotmail.com Geografia - Universidade Federal de Uberlândia 375 Resumo Jéssica Soares

Leia mais

Loteamentos residenciais, mobilidade urbana e segregação socioespacial: o caso de Itabira.

Loteamentos residenciais, mobilidade urbana e segregação socioespacial: o caso de Itabira. Loteamentos residenciais, mobilidade urbana e segregação socioespacial: o caso de Itabira. Ana Paula de Oliveira Freitas 1 ; Helena d'agosto Miguel Fonseca 2 ¹ CEFET-MG Departamento de Engenharia de Transportes;

Leia mais

NOVAS DINÂMICAS SOCIOESPACIAIS NA CIDADE ALTA DE JUIZ DE FORA - MG

NOVAS DINÂMICAS SOCIOESPACIAIS NA CIDADE ALTA DE JUIZ DE FORA - MG UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA INSTITUTO DE CIÊNCIAS HUMANAS CURSO DE GEOGRAFIA NOVAS DINÂMICAS SOCIOESPACIAIS NA CIDADE ALTA DE JUIZ DE FORA - MG WATUSE MIRIAN DE JESUS GERALDO JUIZ DE FORA MG 2011

Leia mais

A Reorganização do Espaço Urbano Carioca - Em Destaque o Eixo Madureira- Campinho e seus Movimentos Sociais.

A Reorganização do Espaço Urbano Carioca - Em Destaque o Eixo Madureira- Campinho e seus Movimentos Sociais. A Reorganização do Espaço Urbano Carioca - Em Destaque o Eixo Madureira- Campinho e seus Movimentos Sociais. Caio Calixto Teixeira Pereira Graduando em Geografia da Universidade do Estado do Rio de Janeiro

Leia mais

LÓGICA TERRITORIAL NA ORGANIZAÇÃO SÓCIO-ESPACIAL DA CIDADE DE SALVADOR: APLICANDO AS GEOTECNOLOGIAS

LÓGICA TERRITORIAL NA ORGANIZAÇÃO SÓCIO-ESPACIAL DA CIDADE DE SALVADOR: APLICANDO AS GEOTECNOLOGIAS LÓGICA TERRITORIAL NA ORGANIZAÇÃO SÓCIO-ESPACIAL DA CIDADE DE SALVADOR: APLICANDO AS GEOTECNOLOGIAS RIOS, R.B. 1 RESUMO: Nos dias atuais o ordenamento territorial, torna-se de suma importância frente aos

Leia mais

Palavras chave: movimento pendular, região metropolitana de Belo Horizonte

Palavras chave: movimento pendular, região metropolitana de Belo Horizonte Quem entra e quem sai de Belo Horizonte Uma análise das características dos trabalhadores que realizam o movimento pendular na Região Metropolitana de Belo Horizonte Elisângela Oliveira Camargos 1 Cláudia

Leia mais

1 a QUESTÃO: (2,0 pontos) Avaliador Revisor

1 a QUESTÃO: (2,0 pontos) Avaliador Revisor 1 a QUESTÃO: (2,0 pontos) Avaliador Revisor O gráfico abaixo apresenta dados obtidos em uma pesquisa realizada entre 1993 e 1997, quando foram registrados os números médios mensais de mortes (maiores de

Leia mais

SISTEMATIZAÇÃO DA ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM AO IDOSO NA ESTRATÉGIA DE SAÚDE DA FAMÍLIA SOB A OTICA DO PROFISSIONAL

SISTEMATIZAÇÃO DA ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM AO IDOSO NA ESTRATÉGIA DE SAÚDE DA FAMÍLIA SOB A OTICA DO PROFISSIONAL 25 a 28 de Outubro de 2011 ISBN 978-85-8084-055-1 SISTEMATIZAÇÃO DA ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM AO IDOSO NA ESTRATÉGIA DE SAÚDE DA FAMÍLIA SOB A OTICA DO PROFISSIONAL Ruanna Gonçalves Holanda 1, Hellen Pollyanna

Leia mais

DISPARIDADES ENTRE A ZONA SUL E A ZONA NORTE DE SÃO JOSÉ DO RIO PRETO/SP

DISPARIDADES ENTRE A ZONA SUL E A ZONA NORTE DE SÃO JOSÉ DO RIO PRETO/SP DISPARIDADES ENTRE A ZONA SUL E A ZONA NORTE DE SÃO JOSÉ DO RIO PRETO/SP Luiz Henrique Mateus Lima lugano_lima@yahoo.com.br Mestrado em Geografia FCT UNESP Campus de Presidente Prudente 1088 Resumo As

Leia mais

USO DA INTERNET E PARTICIPAÇÃO CIDADÃ NA GESTÃO LOCAL: ORÇAMENTO PARTICIPATIVO INTERATIVO DE IPATINGA

USO DA INTERNET E PARTICIPAÇÃO CIDADÃ NA GESTÃO LOCAL: ORÇAMENTO PARTICIPATIVO INTERATIVO DE IPATINGA USO DA INTERNET E PARTICIPAÇÃO CIDADÃ NA GESTÃO LOCAL: ORÇAMENTO PARTICIPATIVO INTERATIVO DE IPATINGA An Innovations in Technology and Governance Case Study Desde o final dos anos 1980, diversos governos

Leia mais

OS DILEMAS DA DICOTOMIA RURAL-URBANO: ALGUMAS REFLEXÕES.

OS DILEMAS DA DICOTOMIA RURAL-URBANO: ALGUMAS REFLEXÕES. OS DILEMAS DA DICOTOMIA RURAL-URBANO: ALGUMAS REFLEXÕES. Fausto Brito Marcy R. Martins Soares Ana Paula G.de Freitas Um dos temas mais discutidos nas Ciências Sociais no Brasil é o verdadeiro significado,

Leia mais

INSTITUTO DE ARQUITETOS DO BRASIL

INSTITUTO DE ARQUITETOS DO BRASIL A FUNÇÃO SOCIAL DA CIDADE E O PAPEL SOCIAL DA PROPRIEDADE Autor(es): Pascoal Mário Costa Guglielmi e Pedro Ribeiro Guglielmi Condicionada pela sua complexa topografia, a ocupação inicial do Rio de Janeiro

Leia mais

Viver, trabalhar e relaxar sem sair de casa

Viver, trabalhar e relaxar sem sair de casa 21:16 Page 8 Viver, trabalhar e relaxar sem sair de casa Construtoras investem em condomínios mistos, que facilitam vida de moradores e aliviam o trânsito N Bruno Martins as principais cidades do País,

Leia mais

PRODUÇÃO DO ESPAÇO URBANO: A APROPRIAÇÃO DA PLANICIE DE INUNDAÇÃO DO RIO MARANGUAPINHO EM FORTALEZA-CEARÁ.

PRODUÇÃO DO ESPAÇO URBANO: A APROPRIAÇÃO DA PLANICIE DE INUNDAÇÃO DO RIO MARANGUAPINHO EM FORTALEZA-CEARÁ. PRODUÇÃO DO ESPAÇO URBANO: A APROPRIAÇÃO DA PLANICIE DE INUNDAÇÃO DO RIO MARANGUAPINHO EM FORTALEZA-CEARÁ. Denis Melo da Silva Universidade Estadual do Ceará UECE. Bolsista do Programa de Educação Tutorial

Leia mais

Entrevista com Edgard Porto (Transcrição) (Tempo Total 26:33)

Entrevista com Edgard Porto (Transcrição) (Tempo Total 26:33) Entrevista com Edgard Porto (Transcrição) (Tempo Total 26:33) Edgard: A idéia [desta entrevista] é a gente comentar dez características da globalização e seus reflexos em Salvador. Meu nome é Edgard Porto,

Leia mais

SVAMPA, Maristella. Los que ganaron: la vida en los countries y barrios privados. 2ª ed. Buenos Aires: Biblos, 2008, 301 p.

SVAMPA, Maristella. Los que ganaron: la vida en los countries y barrios privados. 2ª ed. Buenos Aires: Biblos, 2008, 301 p. SVAMPA, Maristella. Los que ganaron: la vida en los countries y barrios privados. 2ª ed. Buenos Aires: Biblos, 2008, 301 p. Regina Horta Duarte Professora Associada do Departamento de História UFMG. Doutora

Leia mais

REDES GEOGRÁFICAS E REDES SOCIAIS: ALINHAMENTOS ENTRE SEUS ESTUDOS

REDES GEOGRÁFICAS E REDES SOCIAIS: ALINHAMENTOS ENTRE SEUS ESTUDOS REDES SOCIAIS: UMA BUSCA PELA TEMÁTICA NA ÁREA DA GEOGRAFIA. ALVES, Larissa de Mattos. TIDE, Turismo e Meio Ambiente, Fecilcam. larissamattosalves@hotmail.com INTRODUÇÃO O presente artigo, que nasce como

Leia mais

PROPOSTA DE GOVERNO. *Programas de prevenção contra o consumo de bebidas alcoólicas, drogas e cigarros.

PROPOSTA DE GOVERNO. *Programas de prevenção contra o consumo de bebidas alcoólicas, drogas e cigarros. Em relação a saúde: PROPOSTA DE GOVERNO *A política de saúde objetiva garante a toda população plenas condições de saúde e para tal investiremos em programas de ações preventivas. *Ampliar e melhorar o

Leia mais

A MORFOLOGIA URBANA DE UMA CIDADE MÉDIA: considerações sobre Montes Claros

A MORFOLOGIA URBANA DE UMA CIDADE MÉDIA: considerações sobre Montes Claros A MORFOLOGIA URBANA DE UMA CIDADE MÉDIA: considerações sobre Montes Claros Bruno Rodrigues Freitas Aluno do curso de Pós-Graduação em Meio Ambiente e Desenvolvimento Regional Universidade Estadual de Montes

Leia mais

Projeto Cidade da Copa : influência na mobilidade da Zona da Mata Norte do Estado de Pernambuco

Projeto Cidade da Copa : influência na mobilidade da Zona da Mata Norte do Estado de Pernambuco Danilo Corsino de Queiróz Albuquerque¹ Ana Regina Marinho Dantas Barboza da Rocha Serafim² ¹Graduando do 5º Período no Curso de Licenciatura em Geografia pela Universidade de Pernambuco (UPE), E-mail:

Leia mais

LÓGICAS ESPACIAIS DAS EMPRESAS FRANQUEADAS DO RAMO COMERCIAL DE CONFECÇÕES E CALÇADOS: CIDADES MÉDIAS E CONSUMO

LÓGICAS ESPACIAIS DAS EMPRESAS FRANQUEADAS DO RAMO COMERCIAL DE CONFECÇÕES E CALÇADOS: CIDADES MÉDIAS E CONSUMO LÓGICAS ESPACIAIS DAS EMPRESAS FRANQUEADAS DO RAMO COMERCIAL DE CONFECÇÕES E CALÇADOS: CIDADES MÉDIAS E CONSUMO Ariane Barilli de Mattos Graduação em Geografia Faculdade de Ciências e Tecnologia ane_cbj@hotmail.com

Leia mais

Figura 5 - Mapa no papel vegetal pronto Autor: PEREIRA, T. mar/2006.

Figura 5 - Mapa no papel vegetal pronto Autor: PEREIRA, T. mar/2006. 55 Figura 5 - Mapa no papel vegetal pronto Autor: PEREIRA, T. mar/2006. Depois desta etapa no módulo seguinte realizou-se um trabalho de campo na área localizada anteriormente, registraram-se as coordenadas

Leia mais

Mesa 1 O TRABALHO SOCIAL NA POLÍTICA DE HABITAÇÃO

Mesa 1 O TRABALHO SOCIAL NA POLÍTICA DE HABITAÇÃO TRABALHO SOCIAL EM HABITAÇÃO DE INTERESSE SOCIAL: PERSPECTIVAS POLÍTICAS Mesa 1 O TRABALHO SOCIAL NA POLÍTICA DE HABITAÇÃO Tássia Regino tassia.regino@saobernardo.sp.gov.br São Paulo, Novembro de 2015

Leia mais

GLOBALIZAÇÃO E O CIRCUITO INFERIOR DA ECONOMIA URBANA: UMA ANÁLISE SOBRE O PEQUENO COMÉRCIO DE RUA LAPENSE

GLOBALIZAÇÃO E O CIRCUITO INFERIOR DA ECONOMIA URBANA: UMA ANÁLISE SOBRE O PEQUENO COMÉRCIO DE RUA LAPENSE GLOBALIZAÇÃO E O CIRCUITO INFERIOR DA ECONOMIA URBANA: UMA ANÁLISE SOBRE O PEQUENO COMÉRCIO DE RUA LAPENSE SUELI ALMEIDA DOS SANTOS 1 Resumo: este texto pretende contribuir para o entendimento da manifestação

Leia mais

O USO DA PRODUÇÃO CARTOGRÁFICA NA ANÁLISE DO TERRITÓRIO E DA VIOLÊNCIA NO BAIRRO DO GUAMÁ, BELÉM- PA.

O USO DA PRODUÇÃO CARTOGRÁFICA NA ANÁLISE DO TERRITÓRIO E DA VIOLÊNCIA NO BAIRRO DO GUAMÁ, BELÉM- PA. O USO DA PRODUÇÃO CARTOGRÁFICA NA ANÁLISE DO TERRITÓRIO E DA VIOLÊNCIA NO BAIRRO DO GUAMÁ, BELÉM- PA. Lorena de Lima Sanches Santana - UEPA 1 lorena-sanches@hotmail.com Marcelle Peres da Silva - UEPA 2

Leia mais

MIGRAÇÃO E RELAÇÃO CAMPO-CIDADE 1

MIGRAÇÃO E RELAÇÃO CAMPO-CIDADE 1 MIGRAÇÃO E RELAÇÃO CAMPO-CIDADE 1 Débora Aparecida Tombini* Marcos Aurélio Saquet** INTRODUÇÃO Desde o surgimento da vida humana na Terra até o início do século XIX, a população cresceu em ritmo lento

Leia mais

O papel do estado na formação espacial urbana da conurbação Aparecida- Guaratinguetá: breve estudo do passado socioeconômico.

O papel do estado na formação espacial urbana da conurbação Aparecida- Guaratinguetá: breve estudo do passado socioeconômico. Ivo Francisco Barbosa¹ Universidade Federal Fluminense ivo_francisco@hotmail.com O papel do estado na formação espacial urbana da conurbação Aparecida- Guaratinguetá: breve estudo do passado socioeconômico.

Leia mais

UMA ALTERNATIVA NA PRÁTICA DOCENTE: ENSINANDO A URBANIZAÇÃO COM O JOGO SIMCITY 3000. Palavras-chave: Simcity3000. Urbanização. Ensino-aprendizagem.

UMA ALTERNATIVA NA PRÁTICA DOCENTE: ENSINANDO A URBANIZAÇÃO COM O JOGO SIMCITY 3000. Palavras-chave: Simcity3000. Urbanização. Ensino-aprendizagem. UMA ALTERNATIVA NA PRÁTICA DOCENTE: ENSINANDO A URBANIZAÇÃO COM O JOGO SIMCITY 3000 Thiago Kiyoschi Igarashi Kikuchi 1 A falta de interesse e o descomprometimento discente, entre outros problemas, levam

Leia mais

O papel do Estado, do Capital, e da Sociedade Civil na produção do espaço urbano

O papel do Estado, do Capital, e da Sociedade Civil na produção do espaço urbano O papel do Estado, do Capital, e da Sociedade Civil na produção do espaço urbano Deizelane Soares Feitosa deisse_@hotmail.com Jalila Chaves Bispo jalisevach@hotmail.com João Carlos Rodrigues Chagas joãocarlos.roc@hotmail.com

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA Pró-Reitoria de Graduação Diretoria de Processos Seletivos 2ª ETAPA

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA Pró-Reitoria de Graduação Diretoria de Processos Seletivos 2ª ETAPA SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA Pró-Reitoria de Graduação Diretoria de Processos Seletivos PAAES - Programa de Ação Afirmativa de Ingresso no Ensino Superior

Leia mais

CURSO: ARQUITETURA E URBANISMO COMPONENTE CURRICULAR: SEMINÁRIO DE CULTURA CONTEMPORÂNEA II ANTROPOLOGIA. Professora: Me. Camila Sissa Antunes

CURSO: ARQUITETURA E URBANISMO COMPONENTE CURRICULAR: SEMINÁRIO DE CULTURA CONTEMPORÂNEA II ANTROPOLOGIA. Professora: Me. Camila Sissa Antunes CURSO: ARQUITETURA E URBANISMO COMPONENTE CURRICULAR: SEMINÁRIO DE CULTURA CONTEMPORÂNEA II ANTROPOLOGIA Professora: Me. Camila Sissa Antunes ANTROPOLOGIA URBANA Etnografias do espaço público RUA como

Leia mais

OS CIRCUITOS DA ECONOMIA URBANA NA ZONA NORTE DE NATAL

OS CIRCUITOS DA ECONOMIA URBANA NA ZONA NORTE DE NATAL OS CIRCUITOS DA ECONOMIA URBANA NA ZONA NORTE DE NATAL Autor: Thiago Belo de Medeiros Graduando em Geografia/UFRN/FAEX thiagobelo_ufrn@hotmail.com Co-Autor: Diego Tenório da Paz Graduando em Geografia/UFRN/FAEX

Leia mais

OBSERVATORIUM: Revista Eletrônica de Geografia, v.3, n.9, p. 147-151, abr. 2012.

OBSERVATORIUM: Revista Eletrônica de Geografia, v.3, n.9, p. 147-151, abr. 2012. DIAS, P. S. Território e informação: o circuito da produção publicitária na cidade de São Paulo. 101 f. Dissertação (Mestrado em Geografia)-Instituto de Geociências, Universidade Estadual de Campinas,

Leia mais

Gangues, Criminalidade Violenta e Contexto Urbano: Um Estudo de Caso

Gangues, Criminalidade Violenta e Contexto Urbano: Um Estudo de Caso Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) Centro de Estudos de Criminalidade e Segurança Pública (CRISP) Conferencia Internacional Violencia en Barrios en America Latina Sus Determinantes y Politicas

Leia mais

II Jornadas Internacionales Sociedades Contemporáneas, Subjetividad y Educación. 9, 10 y 11 de abril de 2014 ISBN 978-987-3617-11-9

II Jornadas Internacionales Sociedades Contemporáneas, Subjetividad y Educación. 9, 10 y 11 de abril de 2014 ISBN 978-987-3617-11-9 A PERCEPÇÃO DO GESTOR SOBRE OS PROFISSIONAIS DAS SALAS DE RECURSOS MULTIFUNCIONAIS DOURADOS/MS. PERCEPCIÓN DEL GESTOR DE LOS PROFESIONALES DE LAS CLASES RECURSOS MULTIFUNCIONALES EN DOURADOS/MS. Autores:

Leia mais

APÊNDICE C: Pré-análise das representações dos Grupos focais por tema e Grupo trabalhado

APÊNDICE C: Pré-análise das representações dos Grupos focais por tema e Grupo trabalhado APÊNDICE C: Pré-análise das representações dos Grupos focais por tema e Grupo trabalhado Tema: A cidade de Goiânia e o goianiense Questões abordadas: Falem o que é Goiânia para vocês. Como vocês veem a

Leia mais

Desigualdades socioespaciais no RN: velhas causas, novas formas

Desigualdades socioespaciais no RN: velhas causas, novas formas Desigualdades socioespaciais no RN: velhas causas, novas formas Rita de Cássia da Conceição Gomes Natal, 11/09/2011 As Desigualdades socioespacias em nossa agenda de pesquisa: Dialética apresentada Pesquisa

Leia mais

Dinamização imobiliária no entorno da unidade de conservação Mata de Santa Genebra, Campinas (SP)

Dinamização imobiliária no entorno da unidade de conservação Mata de Santa Genebra, Campinas (SP) Dinamização imobiliária no entorno da unidade de conservação Mata de Santa Genebra, Campinas (SP) Mariana Ferreira Cisotto maricisotto@yahoo.com.br IG/UNICAMP Antonio Carlos Vitte IG/UNICAMP Palavras-chave:

Leia mais

Situação Geográfica e Demográfica

Situação Geográfica e Demográfica Guarulhos História A memória é a base para a construção da identidade, da consciência do indivíduo e dos grupos sociais de um determinado local. A maioria das fontes de memória de Guarulhos traz que sua

Leia mais

Planejamento Urbano Governança Fundiária

Planejamento Urbano Governança Fundiária Planejamento Urbano Governança Fundiária Instrumentos de Gestão, Conflitos Possibilidades de Inclusão Socioespacial Alexandre Pedrozo agosto. 2014 mobiliza Curitiba...... de antes de ontem...... de ontem......

Leia mais

III SIMPÓSIO NACIONAL DE GEOGRAFIA POLÍTICA

III SIMPÓSIO NACIONAL DE GEOGRAFIA POLÍTICA PRODUÇÃO DO ESPAÇO URBANO, POLÍTICAS TERRITORIAIS E A COMPARAÇÃO ENTRE AS CRIMINALIDADES EM BRASÍLIA, CEILÂNDIA E TAGUATINGA: UMA QUESTÃO DE POLÍCIA, DE SEGREGAÇÃO SÓCIO- ESPACIAL OU DE FALTA DA PRESENÇA

Leia mais

19 22 de Outubro de 2014, MINASCENTRO, Belo Horizonte MG

19 22 de Outubro de 2014, MINASCENTRO, Belo Horizonte MG 2º Simpósio Brasileiro de Saúde e Ambiente 19 22 de Outubro de 2014, MINASCENTRO, Belo Horizonte MG Eixo 1. Desenvolvimento socioeconômico e conflitos territoriais DESENVOLVIMENTO CAPITALISTA E SEUS IMPACTOS

Leia mais

A USINA HIDRELÉTRICA DO ESTREITO-MA: ANÁLISE DE SEUS ESPAÇOS DE INFLUÊNCIA SOB A CONTRIBUIÇÃO DO TRABALHO DE MILTON SANTOS

A USINA HIDRELÉTRICA DO ESTREITO-MA: ANÁLISE DE SEUS ESPAÇOS DE INFLUÊNCIA SOB A CONTRIBUIÇÃO DO TRABALHO DE MILTON SANTOS Thaís Samara de Castro Bezerra José Carlos Bezerra Universidade Estadual da Paraíba UEPB thaissamara@hotmail.com karligor@hotmail.com A USINA HIDRELÉTRICA DO ESTREITO-MA: ANÁLISE DE SEUS ESPAÇOS DE INFLUÊNCIA

Leia mais

Processo nº 28609/2012. ML-46/2012 Encaminha Projeto de Lei.

Processo nº 28609/2012. ML-46/2012 Encaminha Projeto de Lei. ML-46/2012 Encaminha Projeto de Lei. Senhor Presidente: São Bernardo do Campo, 11 de dezembro de 2012. PROJETO DE LEI N.º 85/12 PROTOCOLO GERAL N.º 8.147/12 Encaminhamos a Vossa Excelência, para apreciação

Leia mais

Analise este mapa topográfico, em que está representada uma paisagem serrana de Minas Gerais:

Analise este mapa topográfico, em que está representada uma paisagem serrana de Minas Gerais: QUESTÃO 01 2 Analise este mapa topográfico, em que está representada uma paisagem serrana de Minas Gerais: Um grupo de turistas, hospedado na pousada localizada nesse mapa, realizou uma caminhada ecológica

Leia mais

A (RE) PRODUÇÃO DO ESPAÇO URBANO E BOOM IMOBILIÁRIO NA CIDADE DE UBERABA/MG (BRASIL)

A (RE) PRODUÇÃO DO ESPAÇO URBANO E BOOM IMOBILIÁRIO NA CIDADE DE UBERABA/MG (BRASIL) 1 A (RE) PRODUÇÃO DO ESPAÇO URBANO E BOOM IMOBILIÁRIO NA CIDADE DE UBERABA/MG (BRASIL) William de Oliveira Abrão Auno do Curso de Geografia, Universidade Federal do Triângulo Mineiro (UFTM), Uberaba-MG.

Leia mais

A SOCIABILIDADE INTRAMUROS DE FAMÍLIAS RESIDENTES EM CONDOMÍNIOS FECHADOS: O CASO DO CONDOMÍNIO RECANTO DA SERRA EM VIÇOSA-MG. 1

A SOCIABILIDADE INTRAMUROS DE FAMÍLIAS RESIDENTES EM CONDOMÍNIOS FECHADOS: O CASO DO CONDOMÍNIO RECANTO DA SERRA EM VIÇOSA-MG. 1 A SOCIABILIDADE INTRAMUROS DE FAMÍLIAS RESIDENTES EM CONDOMÍNIOS FECHADOS: O CASO DO CONDOMÍNIO RECANTO DA SERRA EM VIÇOSA-MG. 1 Josélia Godoy Portugal 2 Neide Maria de Almeida Pinto 3 Ana Louise de Carvalho

Leia mais

Transformações Urbanas na Área Metropolitana de Brasília: Mudanças e Permanências

Transformações Urbanas na Área Metropolitana de Brasília: Mudanças e Permanências Transformações Urbanas na Área Metropolitana de Brasília: Rômulo Ribeiro PPG-FAU/UnB Frederico de Holanda PPG-FAU/UnB Gabriela Tenorio FAU/UnB A Formação Justificativas i) uma tentativa de apagar todos

Leia mais

A PRODUÇÃO SOCIOESPACIAL DO BAIRRO PINHEIRINHO EM SÃO JOSÉ DOS CAMPOS-SP: A BUSCA PELA CIDADANIA

A PRODUÇÃO SOCIOESPACIAL DO BAIRRO PINHEIRINHO EM SÃO JOSÉ DOS CAMPOS-SP: A BUSCA PELA CIDADANIA A PRODUÇÃO SOCIOESPACIAL DO BAIRRO PINHEIRINHO EM SÃO JOSÉ DOS CAMPOS-SP: A BUSCA PELA CIDADANIA Ana Lia Ferreira Mendes de Carvalho liafmc@yahoo.com.br Geografia Bacharelado - UNIFAL-MG INTRODUÇÃO O presente

Leia mais

A TRANSFORMAÇÃO E OS PROBLEMAS CAUSADOS PELO LOTEAMENTO HAMILTON CAVALCANTE NA PAISAGEM DA CIDADE DE BELÉM-PB.

A TRANSFORMAÇÃO E OS PROBLEMAS CAUSADOS PELO LOTEAMENTO HAMILTON CAVALCANTE NA PAISAGEM DA CIDADE DE BELÉM-PB. A TRANSFORMAÇÃO E OS PROBLEMAS CAUSADOS PELO LOTEAMENTO HAMILTON CAVALCANTE NA PAISAGEM DA CIDADE DE BELÉM-PB. Natan Gomes de Oliveira Graduando em Licenciatura plena do curso de Geografia UEPB/Guarabira/PB.

Leia mais

TERAPIA OCUPACIONAL PADRÃO DE RESPOSTA

TERAPIA OCUPACIONAL PADRÃO DE RESPOSTA TERAPIA OCUPACIONAL PADRÃO DE RESPOSTA QUESTÃO 38 Rosa está com 56 anos de idade e vive em um hospital psiquiátrico desde os 28 anos de idade. Em seu prontuário, encontra-se que ela é doente mental desde

Leia mais

UMA ABORDAGEM AMBIENTAL DO SANEAMENTO BÁSICO UTILIZANDO GEOTECNOLOGIAS

UMA ABORDAGEM AMBIENTAL DO SANEAMENTO BÁSICO UTILIZANDO GEOTECNOLOGIAS Letícia Celise Ballejo de Oliveira Roberto Cassol leticelise@yahoo.com.br, rtocassol@gmail.com Universidade Federal de Santa Maria - UFSM UMA ABORDAGEM AMBIENTAL DO SANEAMENTO BÁSICO UTILIZANDO GEOTECNOLOGIAS

Leia mais

Aula 10 MIGRAÇÕES INTERNAS: O CASO DO BRASIL

Aula 10 MIGRAÇÕES INTERNAS: O CASO DO BRASIL MIGRAÇÕES INTERNAS: O CASO DO BRASIL META Explique que as migrações internas ainda são um fenômeno contemporâneo, e mesmo que tenham mudado não apenas em seu direcionamento, fluxo e perfil sócio-econômico,

Leia mais

Conceitos básicos: Cuidar, Inovar e Avançar

Conceitos básicos: Cuidar, Inovar e Avançar PROGRAMA DE GOVERNO PAULO ALEXANDRE BARBOSA Conceitos básicos: Cuidar, Inovar e Avançar O programa de governo do candidato Paulo Alexandre Barbosa está baeado em três palavras-conceito: cuidar, inovar

Leia mais

A LÓGICA DO PLANEJAMENTO URBANO EM UMA CIDADE PEQUENA: REFLEXÕES SOBRE O CASO DE RIO DE CONTAS/BA

A LÓGICA DO PLANEJAMENTO URBANO EM UMA CIDADE PEQUENA: REFLEXÕES SOBRE O CASO DE RIO DE CONTAS/BA A LÓGICA DO PLANEJAMENTO URBANO EM UMA CIDADE PEQUENA: REFLEXÕES SOBRE O CASO DE RIO DE CONTAS/BA Alexandre Custódio de Jesus Dias 1 Graduando em Geografia/UESB e Bolsista Fapesb e-mail: alexandrecjdias@hotmail.com

Leia mais

O MITO DA ESCASSEZ DO SOLO URBANO E A PRODUÇÃO CAPITALISTA DO ESPAÇO

O MITO DA ESCASSEZ DO SOLO URBANO E A PRODUÇÃO CAPITALISTA DO ESPAÇO O MITO DA ESCASSEZ DO SOLO URBANO E A PRODUÇÃO CAPITALISTA DO ESPAÇO ANTONIO ANDRADE MOTA¹ Professor de Geografia da SEC/BA. E-mail: tonimota.geo@hotmail.com WEDMO TEIXEIRA ROSA² Professor do IFPE de Recife/PE.

Leia mais

FÁBRICA DE CALÇADOS E IMPLICAÇÕES SOCIOESPACIAIS NA CIDADE DE SANTO ESTEVÃO - BAHIA

FÁBRICA DE CALÇADOS E IMPLICAÇÕES SOCIOESPACIAIS NA CIDADE DE SANTO ESTEVÃO - BAHIA FÁBRICA DE CALÇADOS E IMPLICAÇÕES SOCIOESPACIAIS NA CIDADE DE SANTO ESTEVÃO - BAHIA 1 Ildo Rodrigues Oliveira Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Bahia. Ildo_rdliveira@hotmail.com 1.

Leia mais

ANEXO I TERMO DE REFERENCIA PROCESSO LICITATÓRIO Nº 006/2011- FAO/GCP/BRA/070/EC

ANEXO I TERMO DE REFERENCIA PROCESSO LICITATÓRIO Nº 006/2011- FAO/GCP/BRA/070/EC FOOD AND AGRICULTURE ORGANIZATION OF THE UNITED NATIONS ORGANISATION DES NATIONS UNIES POUR L ALIMENTATION ET L AGRICULTURE ORGANIZACION DE LAS NACIONES UNIDAS PARA LA AGRICULTURA Y LA ALIMENTACION ORGANIZAÇÃO

Leia mais

Jornada dos Cursos de História, Geografia e Arquitetura: Espaço, História e Globalização

Jornada dos Cursos de História, Geografia e Arquitetura: Espaço, História e Globalização 28 Jornada dos Cursos de História, Geografia e Arquitetura: Espaço, História e Globalização TOPOFILIA E PRESERVAÇÃO TERRITORIAL: IDENTIDADE LOCAL E GLOBALIZAÇÃO Mariana Polidoro da Silva 1 Patrícia Adriana

Leia mais

O Rio de Janeiro, com a extinção da FUNDREM, em 1989, não possui, até hoje, o órgão gestor dos assuntos metropolitanos.

O Rio de Janeiro, com a extinção da FUNDREM, em 1989, não possui, até hoje, o órgão gestor dos assuntos metropolitanos. Atualmente, existem 41 regiões metropolitanas no Brasil, sendo que 21 possuem mais de 1 milhão de habitantes, 19 entre 1 milhão e 5 milhões e 2, com mais de 10 milhões, respectivamente a região de São

Leia mais

A COPA DE 2014: IMPACTOS OU LEGADO PARA AS CIDADES-SEDES DO NORDESTE?.

A COPA DE 2014: IMPACTOS OU LEGADO PARA AS CIDADES-SEDES DO NORDESTE?. A COPA DE 2014: IMPACTOS OU LEGADO PARA AS CIDADES-SEDES DO NORDESTE?. AS CIDADES-SEDES DO NORDESTE. Hipótese: Os processos de reestruturação urbana implementados para as cidades sedes da região Nordeste

Leia mais

A INDÚSTRIA E O ESPAÇO URBANO NA CIDADE DE UBERLÂNDIA NO CONTEXTO DA DESCONCENTRAÇÃO INDUSTRIAL 5 - Dinámica urbana

A INDÚSTRIA E O ESPAÇO URBANO NA CIDADE DE UBERLÂNDIA NO CONTEXTO DA DESCONCENTRAÇÃO INDUSTRIAL 5 - Dinámica urbana A INDÚSTRIA E O ESPAÇO URBANO NA CIDADE DE UBERLÂNDIA NO CONTEXTO DA DESCONCENTRAÇÃO INDUSTRIAL 5 - Dinámica urbana 1. INTRODUÇÃO Mesquita, Fernando 1 ; Andreozzi, Sylvio Luiz 2 1 - Universidade Estadual

Leia mais

ÍNDICE DE BEM-ESTAR URBANO DA REGIÃO METROPOLITANA DE FLORIANÓPOLIS

ÍNDICE DE BEM-ESTAR URBANO DA REGIÃO METROPOLITANA DE FLORIANÓPOLIS ÍNDICE DE BEM-ESTAR URBANO DA REGIÃO METROPOLITANA DE FLORIANÓPOLIS Gustavo Henrique P. Costa INTRODUÇÃO Recentemente o INCT Observatório das Metrópoles divulgou o livro e também e-book intitulado Índice

Leia mais