11/18/2011. ILIB irradiação do laser no sangue.

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "11/18/2011. ILIB irradiação do laser no sangue."

Transcrição

1 Analisando o significado da terminologia LASER LASER (Light Amplification by Stimulated Emission of Radiation) ILIB irradiação do laser no sangue. BASES FÍSICAS DA RADIAÇÃO LASER Princípios Elementares 1) Espectro Eletromagnético - é o conjunto de ondas eletromagnéticas, proveniente da variação 2) Monocromaticidade - A luz produzida por um laser tem uma só cor. 3) Colimação - Os raios de luz ou fótons são paralelos entre si. de seus comprimentos de onda 4) Coerência [12 12, 49] - Coerência temporal: as depressões e picos LASER das ondas de luz emitida encaixam-se perfeitamente no tempo - Coerência espacial: As ondas viajam na mesma direção 1

2 EFEITOS DA RADIAÇÃO LASER DE BAIXA POTÊNCIA Efeitos Primários ou Diretos a) Efeito bioquímico: 1) Liberação de substâncias pré-formadas Histamina, βendorfina, e prolactina. serotonina, acetilcolina, 2) Modificação normais: das reações enzimáticas Tanto no sentido de excitação quanto no sentido de inibição. 3) Estímulo na produção de ATP : No interior das células, provoca a aceleração da mitose b) Efeito bioelétrico: A a ação do laser é dupla: - de modo direto atua estabilizando o potencial de membrana em repouso; - de modo indireto aumenta a quantidade de ATP produzido pela célula. c) Efeito Bioenergético Efeitos Secundários e Indiretos a) Estímulo à microcirculação Arteríola Capilares b) Estímulo ao Trofismo Celular Entre destacar: os tecidos estimulados, - Estimulação da reparação do tecido ósseo; - Aumento do trofismo na pele; podemos Efeitos Terapêuticos Antiinflamatório: 1) Interferindo na síntese de prostaglandinas - Sua inibição determina uma sensível redução nas alterações proporcionadas pela inflamação. - Neoformação de vasos a partir dos já existentes 2

3 2) Estimulando a microcirculação - Aumenta o aporte de elementos nutricionais e defensivos para a região lesada, favorecendo a sua resolução. Analgésico: a) A nível local, reduzindo a inflamação b) Mantendo o potencial de membrana c) Liberação de ACTH (corticoide natural do corpo) d) Estimulando a liberação de β-endorfinas, direta ou indiretamente. e) Provocando a normalização e o equilíbrio da energia no local da lesão f) Estimula a liberação de serotonina Antiedematoso: A ação antiedematosa do laser pode ser justificada a partir dos seguintes fatos: - Estímulo à microcirculação - Diminuição da prostaglandina/histamina Cicatrizante Tal poder terapêutico se explica por: - Estímulo à microcirculação, que aumenta o aporte de elementos nutricionais - Incremento à produção de ATP, que - Formação de novos vasos a partir dos já proporciona um aumento da velocidade existentes mitótica das células. - Aumento da síntese de colágeno. [49 49] 3

4 Classificação do tipo de laser segundo substância ativa geradora da radiação: 1) gasoso Neste grupo deve-se estabelecer a uma diferenciação entre os gases neutros, como o laser de HeNe; os gases ionizados, como o laser de Argônio; e os gases moleculares, como o laser de CO 2. a) Hélio-Neônio (HeNe) Possui um 632,8 nm, apresenta comprimento de na faixa efeitos bioestimulantes e tróficos do onda de vermelho, e fundamentalmente tróficos (Soriano et al., 2000) HeNe em Fisioterapia Dermato- Funcional HeNe 2) diodo ou semicondutor a) Arsenieto de gálio (AsGa) Emite radiação infravermelha com comprimento de onda de 904 nm, em forma pulsada de maneira que cada pulso alcança potências de grande densidade energética (W), porém como potência média se obtém um laser de baixa potência potência (Soriano et al, 2000). b) Arsenieto de gálio-alumínio (AsGaAl) Emite radiação infravermelha com comprimento de onda de 830 nm, de forma contínua (Soriano et al, 2000). Em membrana). Em contato direto com a 4

5 c) Índio-Gálio-Alumínio-Fósforo (InGaAlP) Emite radiação com comprimento de onda de 670 nm, na faixa do vermelho. Possui barras de múltiplos diodos, que dão um aspecto "divergente" à radiação emitida, permitem tratar superfícies de maior dimensão Entra em contato direto com a mitocondria. Soriano et al, 2000). em Fisioterapia Dermato- Funcional em Fisioterapia Dermato-Funcional Os equipamentos mais utilizados na prática fisloterapêutica até o momento são os de Hélio-Neônio (HeNe) e Arsenieto de Gálio (AsGa) (Guirro (Guirro & Guirro, 2002). Recentemente foram lançados no mercado nacional os de Alumínio-Gálio Gálio- Indio-Fósforo Gálio-Alumínio (AlCaInP) e Arsenieto- (AsGaAl), os possuem características específicas. quais Uma das vantagens dos equipamentos de AlGaInP e os de AsGaAl está fundamentada na potência média emitida (30 mw), a qual é muito superior ao do HeNe (2mW) ou mesmo do AsGa (Guirro & Guirro, 2002). 5

6 TIPOS DE LASER COMPRIMENTO DE ONDA FORMA DE ONDA FEIXE POTÊNCIA DE PICO HeNe 632,8 nm Contínua Visível (vermelho) 2 a 10 mw AsGa 904,0 nm Pulsada Invisível 15 a 30 W AlGaInP 670,0 nm Contínua Visível (vermelho) 15 a 30 mw AsGaAl 830,0 nm Contínua Invisível 30 mw Fonte: Guirro & Guirro (2002) Técnica de aplicação do Hélio-Neônio (He-Ne) Formas de aplicação [50 50] 1) Aplicação por pontos: Com o laser HeNe realizam aplicações puntuais sobre a estrutura a tratar (Soriano et al, 2000). Deve-se tocar a caneta na pele do paciente. A distância ideal de um ponto a outro é de 1 cm e não deve passar de 5 cm (Soriano et al, 2000). Aplicação por varredura: Consiste na aplicação onde se movimenta, à maneira de um pincel, a caneta aplicadora, fazendo com que o ponto iluminado varra toda uma região. Técnica de aplicação do de Arsenieto de Gálio (As-Ga) É aconselhável que, com este tipo de laser, se utilize apenas a aplicação por pontos encostando a caneta aplicadora na pele do paciente Dosimetria dos s de Baixa Potência Atualmente, a dose mais habitualmente empregada se situa entre 10 e 20 J/cm 2 Quando se busca um efeito trófico se empregam doses altas, e o efeito antiinflamatório se obtém com dose mais baixas (Soriano et al, 2000). 6

7 Quando se tratam processos agudos pode- se chegar a realizar tratamentos diários (cicatrização de uma ferida, por exemplo) (Soriano et al, 2000). Em processos crônicos se espaçam as aplicações e se utilizam doses mais altas (Soriano et al, 2000). Guirro & Guirro (2002) mencionaram que alguns autores preconizam que a densidade de energia a ser depositada deve situar-sese entre 1 a 6 J/cm 2. Sugerem a seguinte tabela: - Ação antinflamatória...1 a 3 J/cm 2 - Ação circulatória... 1 a 3 J/cm 2 - Ação antálgica... 2 a 4 J/cm 2 - Ação regenerativa...3 a 6 J/ cm 2 Existe atualmente, uma linha de conduta no tocante a parâmetros dosimétricos que giram em torno de um dose, que refere-se a 3 a 4 J/cm 2. E para que o profissional possa utilizar a dose ideal no paciente, seguindo a dose, este peculiaridades: deve observar algumas a) Parâmetro relacionado à evolução da enfermidade - Casos agudos - doses menores que a dose - Casos crônicos - doses maiores que a dose b) Parâmetro relacionado à idade - Idosos - doses menores que a dose - Jovens/crianças a partir de 12 anos - doses maiores que a dose c) Parâmetro relacionado à nutrição e hidratação - Desidratados e desnutridos - doses menores que a dose - Hidratados e nutridos - doses maiores que a dose d) Parâmetro relacionado ao condicionamento físico - Sedentários - doses menores que a dose - Atletas - doses maiores que a dose e) Parâmetro relacionado à gordura - Maior espessura - doses maiores que a dose - Menor espessura - doses menores que a dose f) Parâmetro relacionado à melanina - Indivíduo claro - doses menores que a dose - Indivíduo escuro - doses maiores que a dose 7

8 Se aplicarmos sobre a pele pomadas, líquidos ou simplesmente não eliminarmos sua própria secreção sebácea, todos estes elementos formarão uma barreira que irá incrementar a reflexão de qualquer feixe luminoso acima de seu nível normal (Guirro & Guirro, 2002). TERAPÊUTICA Fórmula para Cálculo de Tempo de Aplicação [50 O fisioterapeuta deverá: 1- Saber qual dose (J/cm 2 ) deseja aplicar 2- Conhecer a potência de emissão utilizada 3- Conhecer o tamanho da área a ser irradiada. 50] Calculando o Tempo de Aplicação T (s) = Dose desejada (J/ cm 2 ) x Área (cm 2 ) Potência (w) REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS 1. GUIRRO, E. C. O. & GUIRRO, R. R. J. - Fisioterapia Dermato - Funcional Fundamentos, Recursos e Patologias Ed Manole - 3ª Ed. Revisada e ampliada. pp SORIANO, M. C. D., PÉREZ, S. C., BAQUÉS, M. I. C. - Electroestética Professional Aplicada - Teoria y Práctica para la Utilización de Corrientes en Estética - Sorisa - Espanha pp TOREZAN, L. A. R. & OSÓRIO, N. em Dermatologia: princípios físicos, tipos e indicações. Anais Bras. de Dermatologia (1); , jun/fev. 4. TRELLES, M. A. - para la salud y la estetica. Biblioteca nueva Estetica. Barcelona. 2ª ed Apud. GUIRRO, E. C. O. & GUIRRO, R. R. J. - Fisioterapia Dermato - Funcional Fundamentos, Recursos e Patologias Ed Manole - 3ª Ed. Revisada e ampliada. pp VELLA, J. L. C. La terapia laser em medicina estetica. Jornadas latino-americanas en Medicina, publicado pelo C.D., Colômbia. Apud. GUIRRO, E. C. O. & GUIRRO, R. R. J. - Fisioterapia Dermato - Funcional Fundamentos, Recursos e Patologias Ed Manole - 3ª Ed. Revisada e ampliada. pp McDANIEL, D.H; ASH, K.; ZUKOWOSKI, M. Treatment of stretch marks with the 585 nm flashlamp pumped pulsed dye laser Dermatol. Surg. 22: Apud. GUIRRO, E. C. O. & GUIRRO, R. R. J. - Fisioterapia Dermato - Funcional Patologias Ed Manole - 3ª Ed. Revisada e ampliada. pp. 460 Fundamentos, Recursos e 7. MANSKE, P.R. & LESKER, B. S. Histologic evidence of intrinsic flexor tendon repair in various experimental animals: na in vitro study Clin. Orthop. Rel. Res. 182: Apud. GUIRRO, E. C. O. & GUIRRO, R. R. J. - Fisioterapia Dermato - Funcional Fundamentos, Recursos e Patologias Ed Manole - 3ª Ed. Revisada e ampliada. pp GOLDMAN, L. Biomedical aspectos of the ; New York. Springer Verlag. 1967; ANDERSON, R.R. & PARRISH, J.A. Selective phototermolysis: precise microsurgery by selective absortion of pulsed radiation. Science. 1983; 220: SPICER, M.S. & GOLDBERG, D.L. s in Dermatology. JAAD. 1996;34 34: APFELBERG, D.B.;.; MASER, M.R.;.; LASH, H. Argon treatment of cutaneous vascular abnormalities: progress report. Am Plast Surg. 1978;1: GOLDMAN, M.P & FITZPARTRICK, R.E. Cutaneous laser surgery, 1ª ed. St. Lowis- Missouri: Mosby

Analisando o significado da terminologia. LASER (Light Amplification by Stimulated

Analisando o significado da terminologia. LASER (Light Amplification by Stimulated LASER Analisando o significado da terminologia LASER (Light Amplification by Stimulated Emission of Radiation) ILIB irradiação do laser no sangue. BASES FÍSICAS DA RADIAÇÃO LASER Princípios Elementares

Leia mais

Introdução. Light Amplification by Stimulated Emission of Radition. Amplificação da Luz por Emissão Estimulada de Radiação.

Introdução. Light Amplification by Stimulated Emission of Radition. Amplificação da Luz por Emissão Estimulada de Radiação. L.A.S.E.R. Introdução Light Amplification by Stimulated Emission of Radition. Amplificação da Luz por Emissão Estimulada de Radiação. Introdução Em 1900 o físico alemão Max Planck apresentou uma explanação

Leia mais

LASER. Prof. Gabriel Villas-Boas

LASER. Prof. Gabriel Villas-Boas LASER Prof. Gabriel Villas-Boas INTRODUÇÃO O termo Laser constitui-se numa sigla que significa: Amplificação da Luz por Emissão Estimulada da Radiação. Esta radiação é constituída por ondas eletromagnéticas,

Leia mais

2. Fundamentos Físicos: Laser e Luz Intensa Pulsada

2. Fundamentos Físicos: Laser e Luz Intensa Pulsada 2. Fundamentos Físicos: Laser e Luz Intensa Pulsada A luz está presente em praticamente todos os momentos de nossas vidas e tem fundamental importância para a sobrevivência da vida no planeta. Atualmente,

Leia mais

TERAPIA FOTODINÂMICA

TERAPIA FOTODINÂMICA TERAPIA FOTODINÂMICA Terapia Fotodinâmica Estudo e desenvolvimento de novas tecnologias. Seu uso por podólogos brasileiros é anterior a 1995. Usado por podólogos em outros países, desde a década de 80.

Leia mais

MANUAL DO EQUIPAMENTO LASER HTM COMPACT

MANUAL DO EQUIPAMENTO LASER HTM COMPACT MANUAL DO EQUIPAMENTO LASER HTM COMPACT REGISTRO ANVISA nº: 80212480005 HTM Indústria de Equipamentos Eletro-Eletrônicos Ltda. Av. Carlos A. do A. Sobrinho, 186 CEP:13901-160 Amparo SP Brasil Tel/Fax (19)

Leia mais

MANUAL DO EQUIPAMENTO LASER HTM

MANUAL DO EQUIPAMENTO LASER HTM MANUAL DO EQUIPAMENTO LASER HTM REGISTRO ANVISA nº: 80212480003 HTM Indústria de Equipamentos Eletro-Eletrônicos Ltda. Av. Carlos A. do A. Sobrinho, 186 CEP:13901-160 Amparo SP Brasil Tel/Fax (19) 3807-7741

Leia mais

CONHECIMENTOS, PRÁTICAS E PERCEPÇÃO DO USO DO LASER NA FISIOTERAPIA

CONHECIMENTOS, PRÁTICAS E PERCEPÇÃO DO USO DO LASER NA FISIOTERAPIA CONHECIMENTOS, PRÁTICAS E PERCEPÇÃO DO USO DO LASER NA FISIOTERAPIA Janaína de Moraes Silva 1, Ana Paula de Sousa Pereira 2, Ana Carolina Lacerda Borges 3, Denise da Costa Nunes Montoni 3, Renata Amadei

Leia mais

LASER histórico e aplicações

LASER histórico e aplicações LASER histórico e aplicações Marina Scheid Matheus Hennemann Biofísica III Prof. Edulfo Diaz Histórico 1905 Albert Einstein, com auxílio de Max Planck Luz: pacotes discretos e bem determinados Fótons Histórico

Leia mais

Laserterapia na cicatrização de úlcera de pressão: Relato de caso Laser therapy on the healing of pressure ulcers: Case Report

Laserterapia na cicatrização de úlcera de pressão: Relato de caso Laser therapy on the healing of pressure ulcers: Case Report Laserterapia na cicatrização de úlcera de pressão: Relato de caso Laser therapy on the healing of pressure ulcers: Case Report João Batista Jacinto 1, Angélica de Fátima Gomes Mota 1, Júlia Braga de Freitas

Leia mais

C O F F I T O CONSELHO FEDERAL DE FISIOTERAPIA E TERAPIA OCUPACIONAL

C O F F I T O CONSELHO FEDERAL DE FISIOTERAPIA E TERAPIA OCUPACIONAL PARECER DO GRUPO DE TRABALHO FISIOTERAPIA DERMATOFUNCIONAL LUZ INTENSA PULSADA (IPL ou LIP) Utilizando o princípio da fototermólise seletiva, ganharam popularidade aparelhos de emissão de luz intensa pulsada

Leia mais

AFERIÇÃO DOS EQUIPAMENTOS DE LASER DE BAIXA POTÊNCIA E CARACTERIZAÇÃO DOS PROCEDIMENTOS EMPREGADOS NA SUA UTILIZAÇÃO CLÍNICA

AFERIÇÃO DOS EQUIPAMENTOS DE LASER DE BAIXA POTÊNCIA E CARACTERIZAÇÃO DOS PROCEDIMENTOS EMPREGADOS NA SUA UTILIZAÇÃO CLÍNICA UNIVERSIDADE METODISTA DE PIRACICABA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM FISIOTERAPIA ÁREA DE CONCENTRAÇÃO: INTERVENÇÃO FISIOTERAPÊUTICA LINHA DE PESQUISA: DOSIMETRIA E CONVALIDAÇÃO DE RECURSOS FISIOTERAPÊUTICOS

Leia mais

Light Amplification by Stimulated Emission of Radiation

Light Amplification by Stimulated Emission of Radiation Light Amplification by Stimulated Emission of Radiation Amplificação da Luz por Emissão Estimulada da Radiação Características da luz laser Monocromática Colimada Coerente EXEMPLOS: Características específicas

Leia mais

PARECER CRM/MS N 06/2011 PROCESSO CONSULTA CRM-MS 01/2011 CÂMARA TÉCNICA DE DERMATOLOGIA. Interessado: Dr. M.A.L

PARECER CRM/MS N 06/2011 PROCESSO CONSULTA CRM-MS 01/2011 CÂMARA TÉCNICA DE DERMATOLOGIA. Interessado: Dr. M.A.L PARECER CRM/MS N 06/2011 PROCESSO CONSULTA CRM-MS 01/2011 CÂMARA TÉCNICA DE DERMATOLOGIA Interessado: Dr. M.A.L Parecerista: Câmara Técnica de Dermatologia EMENTA: Uso de sistema a LASER para epilação

Leia mais

Um encontro com o futuro

Um encontro com o futuro Um encontro com o futuro Catálogo de Produtos - ESTÉTICA Elite O Elite é a solução mais completa de fototerapia mundial com excelente performance no tratamento de acne, manchas na pele, olheiras, marcas

Leia mais

O curso de Pós-graduação em Engenharia Biomédica e Engenharia Clínica tem 368 horas de atividades presenciais, organizadas em quatro módulos.

O curso de Pós-graduação em Engenharia Biomédica e Engenharia Clínica tem 368 horas de atividades presenciais, organizadas em quatro módulos. PÓS-GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA BIOMÉDICA E ENGENHARIA CLÍNICA 1. ORGANIZAÇÃO E MÓDULOS O curso de Pós-graduação em Engenharia Biomédica e Engenharia Clínica tem 368 horas de atividades presenciais, organizadas

Leia mais

Como funciona o laser por Matthew Weschler - traduzido por HowStuffWorks Brasil

Como funciona o laser por Matthew Weschler - traduzido por HowStuffWorks Brasil Como funciona o laser por Matthew Weschler - traduzido por HowStuffWorks Brasil Introdução Os lasers estão em toda parte, numa grande variedade de produtos e tecnologias. Aparelhos de CD, brocas de dentista,

Leia mais

4 APLICAÇÃO DE LASERS NA MEDICINA

4 APLICAÇÃO DE LASERS NA MEDICINA 4 APLICAÇÃO DE LASERS NA MEDICINA 4.1. PRINCÍPIOS FÍSICOS DO FUNCIONAMENTO DOS LASERS Como se sabe, a sigla LASER é composta das iniciais de Light Amplification by Stimulated Emission of Radiation e que

Leia mais

Embora a etiologia das estrias não tenha sido elucidada por completo, podemos citar 4 fatores determinantes para seu aparecimento:

Embora a etiologia das estrias não tenha sido elucidada por completo, podemos citar 4 fatores determinantes para seu aparecimento: REGESTRIL (Butylene Glycol Water Cetyl Hydroxyethylcellulose Rutin Palmitoyl Tripetide-1* Palmitoyl- Tetrapeptide-7 Phaseolus Lunatus (Green Bean) Seed Extract) REDUZ ATÉ 72% DA PROFUNDIDADE E ESTIRAMENTO

Leia mais

exceto para hipertensão. As pacientes responderam a dois questionários depois de terminado o tratamento. O questionário um perguntava qual q

exceto para hipertensão. As pacientes responderam a dois questionários depois de terminado o tratamento. O questionário um perguntava qual q AVALIAÇÃO DO TRATAMENTO PARA REJUVENESCIMENTO COM O LED (LIGHT EMMITING DIODES) Bhertha M. Tamura (Assistente da Universidade de Santo Amaro, Colaboradora da Dermatologia do Hospital das Clínicas da Faculdade

Leia mais

A eficácia da aplicação do laser de baixa potência no tratamento da artrite reumatóide

A eficácia da aplicação do laser de baixa potência no tratamento da artrite reumatóide 1 A eficácia da aplicação do laser de baixa potência no tratamento da artrite reumatóide Linda Telma Duarte Araújo 1 Lindatelma_@hotmail.com Dayana Priscila Maia Mejia 2 Pós-graduação em ortopedia e traumatologia

Leia mais

Acórdão nº. 293 de 16 de junho de 2012.

Acórdão nº. 293 de 16 de junho de 2012. Imprimir Acórdão nº. 293 de 16 de junho de 2012. D.O.U nº 120, Seção I, em 03/07/2012, páginas 127 e 128. O PLENÁRIO DO CONSELHO FEDERAL DE FISIOTERAPIA E TERAPIA OCUPACIONAL, no uso de suas atribuições

Leia mais

TRABALHANDO COM AVATAR II e III ULTRA-SOM

TRABALHANDO COM AVATAR II e III ULTRA-SOM TRABALHANDO COM AVATAR II e III ULTRA-SOM Rev. 00 Elaborado por: Bianca Pínola Longo baseado em literatura. PARTE I Introdução O ultra-som consiste em vibrações mecânicas de alta freqüência. São ondas

Leia mais

Lista de Exercícios de Física II Refração Prof: Tadeu Turma: 2 Ano do Ensino Médio Data: 03/08/2009

Lista de Exercícios de Física II Refração Prof: Tadeu Turma: 2 Ano do Ensino Médio Data: 03/08/2009 Lista de Exercícios de Física II Refração Prof: Tadeu Turma: 2 Ano do Ensino Médio Data: 03/08/2009 1. Na figura a seguir, está esquematizado um aparato experimental que é utilizado para estudar o aumento

Leia mais

Elight + IPL 01. Fotodepilação Fotorejuvenescimento Tratamento de lesões vasculares Tratamento do acne e pigmentação

Elight + IPL 01. Fotodepilação Fotorejuvenescimento Tratamento de lesões vasculares Tratamento do acne e pigmentação Elight + IPL 01 Fotodepilação Fotorejuvenescimento Tratamento de lesões vasculares Tratamento do acne e pigmentação 1. ELIGHT VS IPL O IPL (Luz Pulsada Intensa) é a última tecnologia desenvolvida após

Leia mais

Curso Técnico Segurança do Trabalho. Módulo 5 - Radiações Não-Ionizantes

Curso Técnico Segurança do Trabalho. Módulo 5 - Radiações Não-Ionizantes Curso Técnico Segurança do Trabalho Identificação e Análise de Riscos Identificação e Análise de Riscos Módulo 5 - Radiações Não-Ionizantes Segundo a NR15 Anexo 7: Radiações não-ionizantes são as microondas,

Leia mais

A CONTRIBUIÇÃO DA LASERTERAPIA DE BAIXA POTÊNCIA (LBP) NO TRATAMENTO DE ÚLCERAS DE PRESSÃO UMA REVISÃO LITERÁRIA.

A CONTRIBUIÇÃO DA LASERTERAPIA DE BAIXA POTÊNCIA (LBP) NO TRATAMENTO DE ÚLCERAS DE PRESSÃO UMA REVISÃO LITERÁRIA. 1 A CONTRIBUIÇÃO DA LASERTERAPIA DE BAIXA POTÊNCIA (LBP) NO TRATAMENTO DE ÚLCERAS DE PRESSÃO UMA REVISÃO LITERÁRIA. THE CONTRIBUTION OF LOW HARNESS LASERTHERAPY (LLH) FOR TREATING PRESSURE ULCERS: LITERARY

Leia mais

UNIVERSIDADE DA AMAZÔNIA CENTRO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E DA SAÚDE CURSO DE FISIOTERAPIA. Ernanda da Conceição Dias. Rodrigo Freire Borges

UNIVERSIDADE DA AMAZÔNIA CENTRO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E DA SAÚDE CURSO DE FISIOTERAPIA. Ernanda da Conceição Dias. Rodrigo Freire Borges UNIVERSIDADE DA AMAZÔNIA CENTRO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E DA SAÚDE CURSO DE FISIOTERAPIA Ernanda da Conceição Dias Rodrigo Freire Borges O EFEITO DA RADIAÇÃO LASER DE 904nm NO TRATAMENTO DE ENXAQUECA, NOS

Leia mais

ENDERMOTERAPIA INSTITUTO LONG TAO

ENDERMOTERAPIA INSTITUTO LONG TAO ENDERMOTERAPIA INSTITUTO LONG TAO Melissa Betel Tathiana Bombonatti A endermoterapia foi criada na França em 1970 por Louis Paul Guitay. Ele sofreu um grave acidente de carro que causou queimaduras de

Leia mais

Introdução a eletroestética

Introdução a eletroestética Agentes físicos: Introdução a eletroestética -Corrente elétrica, ondas eletromagnéticas, ondas ultrasônicas -Calor -Luz -Água -Movimento Interação dos agentes físicos (aparelhos) x tecido biológico (pele/corpo

Leia mais

3ª Série de Problemas Mecânica e Ondas MEBM, MEFT, LMAC, LEGM

3ª Série de Problemas Mecânica e Ondas MEBM, MEFT, LMAC, LEGM 3ª Série de Problemas Mecânica e Ondas MEBM, MEFT, LMAC, LEGM 1. Um cientista está no seu moinho, no topo de uma falésia junto à costa marítima, apontando o seu pequeno radiotelescópio para uma estrela

Leia mais

FÍSICA CADERNO DE QUESTÕES

FÍSICA CADERNO DE QUESTÕES CONCURSO DE ADMISSÃO AO CURSO DE FORMAÇÃO E GRADUAÇÃO FÍSICA CADERNO DE QUESTÕES 2015 1 a QUESTÃO Valor: 1,00 Uma mola comprimida por uma deformação x está em contato com um corpo de massa m, que se encontra

Leia mais

TREINAMENTO TÉCNICO BIOTHERMIC

TREINAMENTO TÉCNICO BIOTHERMIC TREINAMENTO TÉCNICO BIOTHERMIC BIOSET Indústria de Tecnologia Eletrônica Ltda. EPP Av. 55, 1212 -Jardim Kennedy - Rio Claro SP - CEP 13501-540 SAC: (19) 3534-3693 www.bioset.com.br CNPJ: 68.099.431/0001-90

Leia mais

GABRIELLA LOJA ANELLO EFEITOS DA LASERTERAPIA SOBRE A NOCICEPÇÃO E HIPERNOCICEPÇÃO EM RATOS

GABRIELLA LOJA ANELLO EFEITOS DA LASERTERAPIA SOBRE A NOCICEPÇÃO E HIPERNOCICEPÇÃO EM RATOS GABRIELLA LOJA ANELLO EFEITOS DA LASERTERAPIA SOBRE A NOCICEPÇÃO E HIPERNOCICEPÇÃO EM RATOS Monografia apresentada à Universidade Paulista de Medicina Escola Paulista de Medicina para a obtenção do título

Leia mais

PARECER COREN-SP 012 /2014 CT PRCI n 100.480/2012 Ticket n : 292.305, 295.096,

PARECER COREN-SP 012 /2014 CT PRCI n 100.480/2012 Ticket n : 292.305, 295.096, PARECER COREN-SP 012 /2014 CT PRCI n 100.480/2012 Ticket n : 292.305, 295.096, Ementa: Realização de Drenagem linfática por Enfermeiro. 1. Do fato linfática. Enfermeiros solicitam parecer sobre respaldo

Leia mais

DISCIPLINA EFEITOS BIOLÓGICOS DA RADIAÇÕES NÃO IONIZANTES 1º. QUADRIMESTRE DE 2012

DISCIPLINA EFEITOS BIOLÓGICOS DA RADIAÇÕES NÃO IONIZANTES 1º. QUADRIMESTRE DE 2012 INTERAÇÃO LASER-TECIDO DISCIPLINA EFEITOS BIOLÓGICOS DA RADIAÇÕES NÃO IONIZANTES 1º. QUADRIMESTRE DE 2012 1 INTERAÇÃO LUZ-TECIDOS Reflexão Espalhamento Transmissão Refração Absorção Ar Tecido Absorção

Leia mais

Processos especiais de usinagem Eletroerosão

Processos especiais de usinagem Eletroerosão Processos especiais de usinagem Eletroerosão Definição: Eletroerosão é um processo de fabricação baseado em princípios de remoção por efeitos térmicos, que acontece em decorrência de carregamento elétrico

Leia mais

Daniel Mendes Pinto Angiologia e Cirurgia Vascular. Reunião clínica Hospital Mater Dei - junho-2013

Daniel Mendes Pinto Angiologia e Cirurgia Vascular. Reunião clínica Hospital Mater Dei - junho-2013 Tratamento de varizes com Laser endovenoso Daniel Mendes Pinto Angiologia e Cirurgia Vascular Reunião clínica Hospital Mater Dei - junho-2013 Veias varicosas Prevalência de 20% em homens e até 35% em mulheres

Leia mais

EFEITOS BIOESTIMULADORES DO LASER DE BAIXA INTENSIDADE E LED TERAPIA NA SAÚDE: UMA AÇÃO INTERDISCIPLINAR E SOCIAL

EFEITOS BIOESTIMULADORES DO LASER DE BAIXA INTENSIDADE E LED TERAPIA NA SAÚDE: UMA AÇÃO INTERDISCIPLINAR E SOCIAL EFEITOS BIOESTIMULADORES DO LASER DE BAIXA INTENSIDADE E LED TERAPIA NA SAÚDE: UMA AÇÃO INTERDISCIPLINAR E SOCIAL 1. UFPB- Professora Orientadora 2. COI-PR Extensionista Externo- Consultor 3. Discente

Leia mais

FÍSICA-2011. Questão 01. Questão 02

FÍSICA-2011. Questão 01. Questão 02 Questão 01-2011 UFBA -- 2ª 2ª FASE 2011 A maioria dos morcegos possui ecolocalização um sistema de orientação e localização que os humanos não possuem. Para detectar a presença de presas ou de obstáculos,

Leia mais

APLICAÇÃO DE LASERS NA MEDICINA

APLICAÇÃO DE LASERS NA MEDICINA APLICAÇÃO DE LASERS NA MEDICINA Questões associadas à aplicação dos lasers na Medicina Princípios Físicos e aspectos técnicos do equipamento Interacção da luz laser com os tecidos: fotocoagulação, fotovaporização,

Leia mais

Laser de baixa potência, um forte aliado ao tratamento cicatricial da úlcera de pressão em pacientes hospitalizados

Laser de baixa potência, um forte aliado ao tratamento cicatricial da úlcera de pressão em pacientes hospitalizados Revista Mineira de Ciências da Saúde. Patos de Minas: UNIPAM, (3):35 42, 2011 ISSN 2176 2244 Laser de baixa potência, um forte aliado ao tratamento cicatricial da úlcera de pressão em pacientes hospitalizados

Leia mais

Análise do Tratamento Epilatório Utilizando Laser de Diodo de 800 nm no Período de 2006-2011 na Cidade de Quedas do Iguaçu, PR

Análise do Tratamento Epilatório Utilizando Laser de Diodo de 800 nm no Período de 2006-2011 na Cidade de Quedas do Iguaçu, PR OmniPax Editora Rev Bras Terap e Saúde, 5(1):1-8, 2014 Análise do Tratamento Epilatório Utilizando Laser de Diodo de 800 nm no Período de 2006-2011 na Cidade de Quedas do Iguaçu, PR Analysis of Hair Removal

Leia mais

Espectrofotometria Pro r fe f ssor H elber Barc r ellos

Espectrofotometria Pro r fe f ssor H elber Barc r ellos Espectrofotometria Professor Helber Barcellos Espectrofotometria A Espectrofotometria é um processo de medida que emprega as propriedades dos átomos e moléculas de absorver e/ou emitir energia eletromagnética

Leia mais

Veterinária. Photon Vet. Manual do Usuário

Veterinária. Photon Vet. Manual do Usuário Veterinária Photon Vet Manual do Usuário Parabéns, você acaba de adquirir o mais moderno sistema optoeletrônico desenvolvido para bioestimulação na área de Veterinária. PRECAUÇÕES E ADVERTÊNCIAS A utilização

Leia mais

QUI346 ESPECTROFOTOMETRIA

QUI346 ESPECTROFOTOMETRIA QUI346 ESPECTROFOTOMETRIA ABSORÇÃO FOTOQUÍMICA 3ª Parte A INSTRUMENTAÇÃO 07/10/2013 Mauricio X. Coutrim ESPECTRO DE ABSORÇÃO A energia absorvida por um fóton é igual à diferença entre as energias do estado

Leia mais

Aula4 MICROSCOPIA ELETRÔNICA. Fabiana Silva Vieira. META Explicar as técnicas de microscopia eletrônica de transmissão e de varredura.

Aula4 MICROSCOPIA ELETRÔNICA. Fabiana Silva Vieira. META Explicar as técnicas de microscopia eletrônica de transmissão e de varredura. Aula4 MICROSCOPIA ELETRÔNICA META Explicar as técnicas de microscopia eletrônica de transmissão e de varredura. OBJETIVOS Ao fi nal desta aula, o aluno deverá: entender o funcionamento do microscópio eletrônico.

Leia mais

ULTRA-SOM THIAGO YUKIO FUKUDA

ULTRA-SOM THIAGO YUKIO FUKUDA ULTRA-SOM THIAGO YUKIO FUKUDA Freqüência > 20kHz Depende de um meio para se propagar O que acontece quando a onda atinge um novo material? Refração: mudança na direção da onda sonora. Reflexão: A onda

Leia mais

n 1 L 1 n 2 L 2 Supondo que as ondas emergentes podem interferir, é correto afirmar que

n 1 L 1 n 2 L 2 Supondo que as ondas emergentes podem interferir, é correto afirmar que QUESTÃO 29 QUESTÃO 27 Uma escada de massa m está em equilíbrio, encostada em uma parede vertical, como mostra a figura abaixo. Considere nulo o atrito entre a parede e a escada. Sejam µ e o coeficiente

Leia mais

Um ciclista desce uma rua inclinada, com forte vento contrário ao seu movimento, com velocidade constante. Pode-se afirmar que: PROVA DE BIOLOGIA I

Um ciclista desce uma rua inclinada, com forte vento contrário ao seu movimento, com velocidade constante. Pode-se afirmar que: PROVA DE BIOLOGIA I 10 QUESTÃO 30 Um ciclista desce uma rua inclinada, com forte vento contrário ao seu movimento, com velocidade constante. Pode-se afirmar que: a) sua energia cinética está aumentando. b) sua energia potencial

Leia mais

Curso de Capacitação Básica em Ultrassonografia haroldomillet.com

Curso de Capacitação Básica em Ultrassonografia haroldomillet.com Curso de Capacitação Básica em Ultrassonografia haroldomillet.com PRINCÍPIOS FÍSICOS DO ULTRASSOM O ultrassom é uma onda mecânica, longitudinal produzida pelo movimento oscilatório das partículas de um

Leia mais

FIBROSE: Formação da Fibrose Cicatricial no Pós Operatório e Seus Possíveis Tratamentos.

FIBROSE: Formação da Fibrose Cicatricial no Pós Operatório e Seus Possíveis Tratamentos. CENTRO UNIVERSITÁRIO DAS FACULDADES METROPOLITANAS UNIDAS FMU CURSO DE ESTÉTICA E COSMÉTICA Gresemar Aparecida Silva Vedat Sevilla RA 5250988 Natalia Matos da Silva RA: 6837127 Coordenadora: Prof. Natalie

Leia mais

Avaliação em Fisioterapia Dermatofuncional

Avaliação em Fisioterapia Dermatofuncional Avaliação em Fisioterapia Dermatofuncional Ms. Giovana B. Milani Mestre em Ciências pela FMUSP Pós- Graduada em Fisioterapia Dermato-Funcional Pós- Graduada em Aparelho locomotor no esporte Pré e Pós Cirurgia

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DA PARAÍBA CENTRO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E DA SAÚDE DEPARTAMENTO DE ODONTOLOGIA JOSÉ NILTON BARBOSA JUNIOR

UNIVERSIDADE ESTADUAL DA PARAÍBA CENTRO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E DA SAÚDE DEPARTAMENTO DE ODONTOLOGIA JOSÉ NILTON BARBOSA JUNIOR UNIVERSIDADE ESTADUAL DA PARAÍBA CENTRO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E DA SAÚDE DEPARTAMENTO DE ODONTOLOGIA JOSÉ NILTON BARBOSA JUNIOR LASERS DE BAIXA POTÊNCIA NA ORTODONTIA CAMPINA GRANDE PB 2014 JOSÉ NILTON

Leia mais

f = Polícia Federal - Papiloscopista Física Prof. Rodrigo Luis Rocha ONDULATÓRIA duas cristas consecutivas, ou dois pontos equivalentes.

f = Polícia Federal - Papiloscopista Física Prof. Rodrigo Luis Rocha ONDULATÓRIA duas cristas consecutivas, ou dois pontos equivalentes. ONDULATÓRIA O conceito de onda na diz que onda é uma propagação de energia sem transporte de matéria. As ondas podem ser classificadas quanto à natureza e quanto ao tipo de propagação. Classificação em

Leia mais

Procedimentos Estéticos

Procedimentos Estéticos Abaixo estão relacionados os procedimentos realizados pelo profissional biomédico habilitado em biomedicina estética de acordo com as resoluções e normativas vigentes do Conselho Federal de Biomedicina

Leia mais

Desde 1984 Certificação CE Pioneiro em laser de baixa intensidade Inovador e patenteado Vendas mundiais Mais de 30 países Mais de 40.

Desde 1984 Certificação CE Pioneiro em laser de baixa intensidade Inovador e patenteado Vendas mundiais Mais de 30 países Mais de 40. Desde 1984 Certificação CE Pioneiro em laser de baixa intensidade Inovador e patenteado Vendas mundiais Mais de 30 países Mais de 40.000 unidades vendidas Documentação completa Mais de 4 000 estudos de

Leia mais

Ondas Sonoras. Velocidade do som

Ondas Sonoras. Velocidade do som Ondas Sonoras Velocidade do som Ondas sonoras são o exemplo mais comum de ondas longitudinais. Tais ondas se propagam em qualquer meio material e sua velocidade depende das características do meio. Se

Leia mais

3. FORMAÇÃO DA IMAGEM

3. FORMAÇÃO DA IMAGEM 3. FORMAÇÃO DA IMAGEM 3.1 INTRODUÇÃO O sistema de geração da imagem de RM emprega muitos fatores técnicos que devem ser considerados, compreendidos e algumas vezes modificados no painel de controle durante

Leia mais

Feridas e Curativos. Maior órgão do corpo humano.

Feridas e Curativos. Maior órgão do corpo humano. Feridas e Curativos Enfermeira: Milena Delfino Cabral Freitas Pele Maior órgão do corpo humano. Funções: proteção contra infecções, lesões ou traumas, raios solares e possui importante função no controle

Leia mais

O que é LUZ? SENAI - Laranjeiras. Espectro Eletromagnético. Fontes de luz 14/01/2013. Luminotécnica 40h

O que é LUZ? SENAI - Laranjeiras. Espectro Eletromagnético. Fontes de luz 14/01/2013. Luminotécnica 40h SENAI - Laranjeiras Luminotécnica 40h O que é LUZ? A luz, como conhecemos, faz parte de um comprimento de onda sensível ao olho humano, de uma radiação eletromagnética pulsante ou num sentido mais geral,

Leia mais

Professora Florence. Resposta:

Professora Florence. Resposta: 1. (G1 - ifsp 2012) Ondas eletromagnéticas só podem ser percebidas pelos nossos olhos quando dentro de determinada faixa de frequência. Fora dela não podem ser vistas, apesar de ainda poderem ser detectadas

Leia mais

Luz e Visão. Capítulo 8 8º ano - CSA

Luz e Visão. Capítulo 8 8º ano - CSA Luz e Visão Capítulo 8 8º ano - CSA 2014 Afinal, o que é luz? Luz é uma forma de transmissão de energia pelo espaço. Como a luz se propaga? Propagação da luz Corpos luminosos: emitem a própria luz. São

Leia mais

)tvlfd,, 0,(QJ4XtPLFD. ²ž6HPHVWUH ÐSWLFD

)tvlfd,, 0,(QJ4XtPLFD. ²ž6HPHVWUH ÐSWLFD )tvlfd,, 0,(QJ4XtPLFD Óptica Geométrica ²ž6HPHVWUH ÐSWLFD Exercício 1: Um feixe de luz cujo comprimento de onda é 650 nm propaga-se no vazio. a) Qual é a velocidade da luz desse feixe ao propagar-se num

Leia mais

SOLUÇÕES ESSENCIAIS PARA FISIOTERAPIA

SOLUÇÕES ESSENCIAIS PARA FISIOTERAPIA SOLUÇÕES ESSENCIAIS PARA FISIOTERAPIA geral@btlportugal.pt www.btlportugal.pt Todos os direitos reservados. Apesar de todos os cuidados terem sido providenciados para um correto fornecimento de todas as

Leia mais

EFEITO BIOMODULADOR DO LASER DE BAIXA POTÊNCIA EM MAMILOS DE PACIENTES PUÉRPERAS

EFEITO BIOMODULADOR DO LASER DE BAIXA POTÊNCIA EM MAMILOS DE PACIENTES PUÉRPERAS EFEITO BIOMODULADOR DO LASER DE BAIXA POTÊNCIA EM MAMILOS DE PACIENTES PUÉRPERAS Taciana Lidinéia Alflen, UNIVAP* Gêrda Coêlho e Silva NOVAFAPI, UNIVAP** Renato Amaro Zângaro, UNIVAP*** Renata Amadei Nicolau,

Leia mais

16/08/2009. Modo A Amplitude. Modo A Amplitude. Modo B - Brilho. Formação de imagens por Varredura. Mais antigo (1930);

16/08/2009. Modo A Amplitude. Modo A Amplitude. Modo B - Brilho. Formação de imagens por Varredura. Mais antigo (1930); Formação de imagens por Varredura Modo A Amplitude Existem vários métodos para se extrair uma imagem a partir dos ecos: A-MODE (amplitude mode); B-MODE (brightness mode); M-MODE (motion mode). Informações

Leia mais

Freqüência dos sons audíveis: entre 20Hz (infra-sônica) e 20.000Hz (ultra-sônica, audíveis para muitos animais).

Freqüência dos sons audíveis: entre 20Hz (infra-sônica) e 20.000Hz (ultra-sônica, audíveis para muitos animais). Ondas Sonoras: - São ondas longitudinais de pressão, que se propagam no ar ou em outros meios. - Têm origem mecânica, pois são produzidas por deformação em um meio elástico. - As ondas sonoras não se propagam

Leia mais

CURSO PROFISSIONAL TÉCNICO DE ANÁLISE LABORATORIAL

CURSO PROFISSIONAL TÉCNICO DE ANÁLISE LABORATORIAL DIREÇÃO GERAL DOS ESTABELECIMENTOS ESCOLARES DIREÇÃO DE SERVIÇOS DA REGIÃO CENTRO ANO LECTIVO 2015 2016 CURSO PROFISSIONAL TÉCNICO DE ANÁLISE LABORATORIAL MÉTODOS OPTICOS ESPECTROFOTOMETRIA MOLECULAR (UV

Leia mais

ANEXO 4 UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO CENTRO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E DA SAÚDE ESCOLA DE MEDICINA E CIRURGIA

ANEXO 4 UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO CENTRO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E DA SAÚDE ESCOLA DE MEDICINA E CIRURGIA PROGRAMA DE DISCIPLINA CURSO: MEDICINA DEPARTAMENTO: DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS FISIOLÓGICAS DISCIPLINA: BIOFÍSICA CARGA HORÁRIA: 120h CRÉDITOS: 06 CÓDIGO: SCF0013 PROFESSORA: MARLY PEREIRA LIMA EMENTA:

Leia mais

Ciências E Programa de Saúde

Ciências E Programa de Saúde Governo do Estado de São Paulo Secretaria de Estado da Educação Ciências E Programa de Saúde 19 CEEJA MAX DADÁ GALLIZZI PRAIA GRANDE SP Comece fazendo o que é necessário, depois o que é possível, e de

Leia mais

Prof. Benito Piropo Da-Rin. Arquitetura, Organização e Hardware de Computadores - Prof. B. Piropo

Prof. Benito Piropo Da-Rin. Arquitetura, Organização e Hardware de Computadores - Prof. B. Piropo Prof. Benito Piropo Da-Rin Discos magnéticos: Flexíveis (em desuso) e Rígidos Discos óticos: CD (Compact Disk): CD ROM; CD -/+ R; CD -/+ RW DVD(Digital Versatile Disk): DVD ROM; DVD -/+ R; DVD -/+ RW Discos

Leia mais

Catálogo de Produtos - Odontologia

Catálogo de Produtos - Odontologia Catálogo de Produtos - Odontologia Amplie as possibilidades do tratamento odontológico aliando a alta tecnologia ao dia a dia do seu consultório. A utilização do Laser é uma das grandes inovações no tratamento

Leia mais

TRATAMENTO COM ELETROLIPOFORESE PARA FIBRO EDEMA GELÓIDE EM REGIÃO GLÚTEA

TRATAMENTO COM ELETROLIPOFORESE PARA FIBRO EDEMA GELÓIDE EM REGIÃO GLÚTEA TRATAMENTO COM ELETROLIPOFORESE PARA FIBRO EDEMA GELÓIDE EM REGIÃO GLÚTEA RINALDI, C. L.W.; SPESSATO, L. C. Resumo: O objetivo do presente estudo foi avaliar o benefício da eletrolipoforese no tratamento

Leia mais

MASSAGEM EM POPULAÇÃO IDOSA PREVENÇÃO E MANUTENÇÃO DO ENVELHECIMENTO CUTÂNEO

MASSAGEM EM POPULAÇÃO IDOSA PREVENÇÃO E MANUTENÇÃO DO ENVELHECIMENTO CUTÂNEO MASSAGEM EM POPULAÇÃO IDOSA PREVENÇÃO E MANUTENÇÃO DO ENVELHECIMENTO CUTÂNEO Prof. Esp.* ANDRÉ LEONARDO DA SILVA NESSI Prof. Ms.**AIDE ANGÉLICA DE OLIVEIRA Prof. Dra.*VILMA NATIVIDADE *Universidade Anhembi

Leia mais

Um encontro com o futuro

Um encontro com o futuro Rua Sebastião de Moraes 831 Jardim Alvorada São Carlos-SP Tel. (16) 107 33 Fax (16) 107 30 0800 94 8660 Um encontro com o futuro Catálogo de Produtos - ODONTOLOGIA ESTÉTICA OROFACIAL Elite Serinject Solução

Leia mais

Seleção de comprimento de onda com espectrômetro de rede

Seleção de comprimento de onda com espectrômetro de rede Seleção de comprimento de onda com espectrômetro de rede Fig. 1: Arranjo do experimento P2510502 O que você vai necessitar: Fotocélula sem caixa 06779.00 1 Rede de difração, 600 linhas/mm 08546.00 1 Filtro

Leia mais

Um encontro com o futuro

Um encontro com o futuro Um encontro com o futuro PROTOCOLOS NA ESTÉTICA - Facial 1 2 3 indicação de cada cliente ou resposta ao tratamento. Papel da Luz no Estímulo ao Colágeno Leds Azuis: A absorção da luz pelas células leva

Leia mais

METABOLISMO ENERGÉTICO RESPIRAÇÃO CELULAR FERMENTAÇÃO FOTOSSÍNTESE QUIMIOSSÍNTESE

METABOLISMO ENERGÉTICO RESPIRAÇÃO CELULAR FERMENTAÇÃO FOTOSSÍNTESE QUIMIOSSÍNTESE METABOLISMO ENERGÉTICO RESPIRAÇÃO CELULAR FERMENTAÇÃO FOTOSSÍNTESE QUIMIOSSÍNTESE RESPIRAÇÃO CELULAR Processo de produção de energia a partir da degradação completa de compostos orgânicos energéticos (ex.:

Leia mais

Laser de baixa intensidade

Laser de baixa intensidade Laser de baixa intensidade E sua aplicação na Periodontia Por Carlos Marcelo da Silva Figueredo, DDS, MDSc, PhD cmfigueredo@hotmail.com LASER LASER: Light Amplification by Stimulation Emission of Radiation

Leia mais

3 Técnicas de conversão de comprimento de onda utilizando amplificador óptico semicondutor

3 Técnicas de conversão de comprimento de onda utilizando amplificador óptico semicondutor 3 Técnicas de conversão de comprimento de onda utilizando amplificador óptico semicondutor Neste capítulo, serão analisados os métodos de conversão de comprimento de onda, e como os sinais originais e

Leia mais

Lista de exercícios 04 Modelos atômicos incluindo Böhr - Revisão

Lista de exercícios 04 Modelos atômicos incluindo Böhr - Revisão Lista de exercícios 04 Modelos atômicos incluindo Böhr - Revisão Observação teórica - Os postulados de Böhr A partir das suas descobertas científicas, Niels Böhr propôs cinco postulados: 1 o.) Um átomo

Leia mais

GNE 109 AGROMETEOROLOGIA Características Espectrais da Radiação Solar

GNE 109 AGROMETEOROLOGIA Características Espectrais da Radiação Solar GNE 109 AGROMETEOROLOGIA Características Espectrais da Radiação Solar Prof. Dr. Luiz Gonsaga de Carvalho Núcleo Agrometeorologia e Climatologia DEG/UFLA Absorção seletiva de radiação Absorção seletiva

Leia mais

Análise de Segmento ST. Comunicação com Central de Monitores e Wifi. Touch Screen

Análise de Segmento ST. Comunicação com Central de Monitores e Wifi. Touch Screen Análise de Segmento ST Comunicação com Central de Monitores e Wifi Touch Screen Cirurgias de pequeno, médio e grande porte, atende hospitais de pequeno, médio e grande porte. Detector de Arritmias Avançadas

Leia mais

TUBINA TORRE DE ENERGIA

TUBINA TORRE DE ENERGIA Sistema Híbrido de Geração de Energia Fotovoltaica e Eólica + Utilização de fontes de energia renováveis; + Ferramenta única de marketing ("Green + Propaganda"); + Produtos inovadores com alta qualidade;

Leia mais

Propriedades Planetas Sol Mercúrio Vênus Terra. O Sistema Solar. Introdução à Astronomia Fundamental. O Sistema Solar

Propriedades Planetas Sol Mercúrio Vênus Terra. O Sistema Solar. Introdução à Astronomia Fundamental. O Sistema Solar Introdução à Astronomia Fundamental Distribuição de Massa Sol: 99.85% Planetas: 0.135% Cometas: 0.01%? Satélites: 0.00005% Asteroides e Planetas Menores: 0.0000002%? Meteoróides: 0.0000001%? Meio Interplanetário:

Leia mais

76. A resultante das forças que atuam nesse automóvel, enquanto ele se move no trecho plano e reto da estrada, é nula.

76. A resultante das forças que atuam nesse automóvel, enquanto ele se move no trecho plano e reto da estrada, é nula. PROVA DE FÍSICA Um automóvel move-se em uma estrada plana e reta, com velocidade constante. Ele entra em uma curva, também plana, que tem a forma de um arco de um círculo. Nessa curva, o módulo da velocidade

Leia mais

Aula 01. Revisão Final. Julio Cesar

Aula 01. Revisão Final. Julio Cesar Aula 01 Revisão Final Julio Cesar 07. (ENEM/2010) As ondas eletromagnéticas, como a luz visível e as ondas de rádio, viajam em linha reta em um meio homogêneo. Então, as ondas de rádio emitidas na região

Leia mais

Aplicação do laser de baixa potência na cicatrização de feridas The use of low-power laser in the wound healing process

Aplicação do laser de baixa potência na cicatrização de feridas The use of low-power laser in the wound healing process Artigo de Revisão / Review Articie Aplicação do laser de baixa potência na cicatrização de feridas The use of low-power laser in the wound healing process Ruthinéia Diógenes Alves Uchoa Lins 1, Euler Maciel

Leia mais

Patologia Geral. Regeneração e Cicatrização

Patologia Geral. Regeneração e Cicatrização Patologia Geral Regeneração e Cicatrização Carlos Castilho de Barros Augusto Schneider http://wp.ufpel.edu.br/patogeralnutricao/ Reparo de lesões Reparo é o processo de cura de lesões teciduais e pode

Leia mais

METABOLISMO ENERGÉTICO RESPIRAÇÃO CELULAR FERMENTAÇÃO FOTOSSÍNTESE QUIMIOSSÍNTESE

METABOLISMO ENERGÉTICO RESPIRAÇÃO CELULAR FERMENTAÇÃO FOTOSSÍNTESE QUIMIOSSÍNTESE METABOLISMO ENERGÉTICO RESPIRAÇÃO CELULAR FERMENTAÇÃO FOTOSSÍNTESE QUIMIOSSÍNTESE RESPIRAÇÃO CELULAR Processo de produção de energia a partir da degradação completa de compostos orgânicos energéticos (ex.:

Leia mais

SENSIBILIDADE E ESPECIFICIDADE

SENSIBILIDADE E ESPECIFICIDADE G.D.x PRINCÍPIO O princípio da polarimetria a laser permite medir a espessura da camada de fibras nervosas, na região peripapilar, devido às propiedades birrefringentes desta camada. BIRREFRINGÊNCIA (Dupla

Leia mais

PROJETO FISIOTERAPIA DERMATOFUNCIONAL NA SAÚDE DA MULHER NA ASSISTÊNCIA DE MULHERES ACOMETIDAS POR RUGAS

PROJETO FISIOTERAPIA DERMATOFUNCIONAL NA SAÚDE DA MULHER NA ASSISTÊNCIA DE MULHERES ACOMETIDAS POR RUGAS PROJETO FISIOTERAPIA DERMATOFUNCIONAL NA SAÚDE DA MULHER NA ASSISTÊNCIA DE MULHERES ACOMETIDAS POR RUGAS MAIA, Ingrid Vanessa E. 2 RAMALHO, Jéssica Soares 2 FERREIRA, Luana de Lima 2 JUNIOR, Paulo Sergio

Leia mais

4 Normas e limites de exposição a campos eletromagnéticos

4 Normas e limites de exposição a campos eletromagnéticos 49 4 Normas e limites de a campos eletromagnéticos As normas de internacionais são elaboradas para proteger os vários segmentos da população contra todos os danos identificados causados pela energia de

Leia mais

ABSORÇÃO ATÓMICA E FOTOMETRIA DE CHAMA SÃO DOIS MÉTODOS QUANTITATIVOS DE ANÁLISE ELMENTAR, QUE PODEM SER USADOS PARA QUANTIFICAR APROXIMADAMNETE 70 ELEMENTOS. AS APLICAÇÕES SÃO NUMEROSAS, E AS CONCENTRAÇÕES

Leia mais

APLICAÇÃO DO DIODO EMISSOR DE LUZ PARA A PROLIFERAÇÃO DE CÂNDIDAS ALBICANS: ESTUDO IN VITRO

APLICAÇÃO DO DIODO EMISSOR DE LUZ PARA A PROLIFERAÇÃO DE CÂNDIDAS ALBICANS: ESTUDO IN VITRO APLICAÇÃO DO DIODO EMISSOR DE LUZ PARA A PROLIFERAÇÃO DE CÂNDIDAS ALBICANS: ESTUDO IN VITRO FRIES, L. M. V.; TOFFOLI, L.; FARINAZZO, A. F.; CAPEL, L.M. M.; NOWOTNY, J. P. RESUMO: O objetivo foi analisar

Leia mais

(D) A propriedade que permite reconhecer dois sons correspondentes à mesma nota musical, emitidos por fontes sonoras diferentes, é a frequência.

(D) A propriedade que permite reconhecer dois sons correspondentes à mesma nota musical, emitidos por fontes sonoras diferentes, é a frequência. Escola Físico-Química 8. Ano Data Nome N.º Turma Professor Classificação 1. O som é produzido pela vibração de uma fonte sonora. Essa vibração, ao propagar-se num meio material, como, por exemplo, o ar,

Leia mais

ILUMINAÇÃO A LED. c o n h e ç a a U n il e d. já foi o tempo que lâmpada apagada era sinal de economia.

ILUMINAÇÃO A LED. c o n h e ç a a U n il e d. já foi o tempo que lâmpada apagada era sinal de economia. ILUMINAÇÃO A LED c o n h e ç a a U n il e d já foi o tempo que lâmpada apagada era sinal de economia. Quem Somos A 6 anos atuando na importação e distribuição de produtos com tecnologia a LED, trazendo

Leia mais

O olho humano permite, com o ar limpo, perceber uma chama de vela em até 15 km e um objeto linear no mapa com dimensão de 0,2mm.

O olho humano permite, com o ar limpo, perceber uma chama de vela em até 15 km e um objeto linear no mapa com dimensão de 0,2mm. A Visão é o sentido predileto do ser humano. É tão natural que não percebemos a sua complexidade. Os olhos transmitem imagens deformadas e incompletas do mundo exterior que o córtex filtra e o cérebro

Leia mais

RESUMO: Os tecidos moles podem ser lesados e com essa lesão o. Palavras chave: crioterapia, lesões de tecidos moles, fase aguda.

RESUMO: Os tecidos moles podem ser lesados e com essa lesão o. Palavras chave: crioterapia, lesões de tecidos moles, fase aguda. O USO DA CRIOTERAPIA NAS LESÕES AGUDAS DE TECIDO MOLE RESUMO: Os tecidos moles podem ser lesados e com essa lesão o organismo responde através do mecanismo de inflamação e o uso da crioterapia vai amenizar

Leia mais