MOTOR IMPORT IMPORT MOTOR. CENTRO DE TREINAMENTO DE SERVIÇOS Moto Honda da Amazônia Ltda.

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "MOTOR IMPORT IMPORT MOTOR. CENTRO DE TREINAMENTO DE SERVIÇOS Moto Honda da Amazônia Ltda."

Transcrição

1 MOTOR IMPORT MOTOR IMPORT CENTRO DE TREINAMENTO DE SERVIÇOS Moto Honda da Amazônia Ltda.

2

3 Todas as informações e especificações desta apostila são as mais recentes disponíveis na ocasião de sua impressão. A Moto Honda da Amazônia Ltda se reserva o direito de efetuar alterações nesta apostila a qualquer momento e sem prévio aviso, não incorrendo por isso em obrigações de qualquer espécie. Nenhuma parte desta publicação pode ser reproduzida sem autorização por escrito. Índice Geral CB CBR 600 RR XL 1000 (VARADERO) VTX 1800 C 4 De forma alguma esta apostila substitui o Manual de Serviços da motocicleta.

4

5 CB Sumário Motor CB Desmontagem... 7 Folha de Trabalho Embreagem Folha de Trabalho Remoção do Rotor Remoção do Cárter e Separação das Carcaças Folha de Trabalho Sistema de Transmissão Folha de Trabalho Árvore de Manivelas Tipo Unitário Bronzinas Folha de Trabalho Folha de Trabalho Sistema de Balanceiro Pré Regulagem do Sistema de Balanceiro Montagem do Motor Ajuste do Balanceiro Ordem de Ignição Verificação da Folga das Válvulas Sistema de Lubrificação Folha de Trabalho Sistema de Arrefecimento Sistema de Controle de Emissões de Gases (Válvula PAIR)

6

7 CB 1300 Motor CB 1300 O motor da CB 1300, possui a configuração DOHC (duplo comando no cabeçote), com 1284 cm 3 de volume, quatro cilindros em linha com inclinação de 13º para a vertical. O motor possui 4 válvulas por cilindro, sendo 2 de admissão e 2 de escape. Desmontagem Remova a tampa do cabeçote e as janelas de visualização da tampa lateral esquerda do motor. Gire a árvore de manivelas no sentido anti-horário e coloque o motor no ponto. (PMS final de fase de compressão no primeiro cilindro do lado esquerdo). A marca T na janela de visualização deve alinhar com a marca da tampa lateral e as engrenagens devem estar com as marcas IN e EX faceadas com o cabeçote. NOTA Repare que os ressaltos do comando do primeiro cilindro estão voltados para fora, indicando assim que nenhuma válvula deste cilindro está aberta. Remova o parafuso do tensor e com a ferramenta especial gire-o no sentido horário de modo a aliviar a pressão na corrente de comando e trave-a nesta posição. 7

8 CB 1300 Para remover os parafusos da engrenagem de comando, gire o motor de forma a sair do ponto e retire inicialmente os parafusos inferiores da engrenagem. Remover Retorne o motor no ponto e remova os demais parafusos da engrenagem. Remova o guia da corrente e as engrenagens de comando. Remova os suportes da engrenagem de comando, em sequência cruzada. Remova os eixos de comando com as engrenagens e o gerador de pulsos da árvore de comando (CMP), fixado na engrenagem do comando de admissão. Na remoção do cabeçote inicie sempre o procedimento pelos parafusos menores localizados na parte central do cabeçote. Depois remova as porcas de fixação de fora para dentro e em sequência cruzada, para evitar danos ao cabeçote e aos parafusos. 8

9 Após a remoção do cabeçote, solte o parafuso 6 mm do cilindro e remova o cilindro. CB 1300 NOTAS 9

10 CB 1300 NOTAS 10

11 Exercícios Folha de Trabalho Preparando-se Manual de Serviços e Conjunto de Ferramentas Comuns e Especiais. 9.14) Empenamento da árvore de comando: Padrão: Encontrado: 9.15) Altura do ressalto do comando de válvulas: Admissão Escape Valor Encontrado Padrão Cilindro 1 Cilindro 2 Cilindro 3 Cillindro ) Comprimento livre da mola de válvula: Padrão: Encontrado: 9.15) Diâmetro externo da haste de válvula: Padrão: Encontrado: 11

12 Exercícios 9.15) Diâmetro externo do acionador de válvula: Padrão: Encontrado: 9.32) Meça o diâmetro interno dos cilindros e verifique a conicidade e ovalização: Padrão: Encontrado: TOPO CENTRO BASE CONICIDADE CILINDRO 1 X Y OVALIZAÇÃO TOPO CENTRO BASE CONICIDADE CILINDRO 2 X Y OVALIZAÇÃO TOPO CENTRO BASE CONICIDADE CILINDRO 3 X Y OVALIZAÇÃO TOPO CENTRO BASE CONICIDADE CILINDRO 4 X Y OVALIZAÇÃO 9.33) Meça a folga entre o anel e a canaleta: Padrão (1º anel): Encontrado: Padrão (2º anel): Encontrado: Padrão (3º anel): Encontrado: 12

13 Exercícios 9.33) Folga entre pontas dos anéis: Padrão (1º anel): Encontrado: Padrão (2º anel): Encontrado: Padrão (3º anel): Encontrado: 9.33) Diâmetro externo da saia do pistão: Padrão (1º pistão): Encontrado: Padrão (2º pistão): Encontrado: Padrão (3º pistão): Encontrado: Padrão (4º pistão): Encontrado: 9.15) Diâmetro externo do pino do pistão: Padrão (1º pistão): Encontrado: Padrão (2º pistão): Encontrado: Padrão (3º pistão): Encontrado: Padrão (4º pistão): Encontrado: 13

14 Exercícios NOTAS 14

15 CB 1300 Embreagem A embreagem tem a função de conectar e desconectar o motor (árvore de manivelas) do câmbio. A maioria dos conjuntos são instalados no eixo primário de transmissão, mas alguns modelos podem ter a embreagem instalada diretamente na árvore de manivelas, como as motocicletas com transmissão CVT (Spacy). A embreagem pode ser dividida em dois tipos: acionamento manual, feita atráves de alavanca pelo motociclista ou através de acionamento centrífugo, onde a rotação do motor realiza o acoplamento e desacoplamento da potência. No caso do acionamento manual, podemos dividir em dois sistemas: acionamento mecânico ou acionamento hidráulico. A embreagem controla a força de potência através da fricção entre seus discos e separadores. Quando esta desacoplada, a potência não é transmitida a roda traseira. Quando o veículo é posto em movimento, a embreagem faz aumentar gradualmente a força de fricção e transmite suavemente potência a roda traseira. O sistema utilizado na CB 1300 é do tipo hidráulico, com isso o acionamento é feito através de uma haste localizada dentro do eixo primário da transmissão que é movimentada através de um êmboloe um pistão com pressão de óleo (DOT4). O pino localizado no centro do platô movimenta-o para fora de forma a aliviar a pressão entre os discos e separadores. Desta forma o sistema está desacoplado. Quando a alvanca é solta, a pressão do óleo diminui, de modo que as molas da embreagem realizem novamente o acoplamento entre discos e separadores. Desmontagem Remova a tampa lateral direita do motor e solte os parafusos de fixação da embreagem em sequência cruzada e em etapas. Remova o pino de acionamento da embreagem hidráulica e todos os discos e separadores (8 discos e 7 separadores). 15

16 CB 1300 Para remoção da porca de fixação do cubo, é necessária a utilização de ferramenta especial, fixada na parte externa do cubo da embreagem. Após a remoção do cudo da embreagem, remova a bucha localizada no centro da carcaça externa e remova a carcaça. Na parte inferior do cubo da embreagem existe um conjunto de borrachas que tem a função de aliviar os impactos cusados pelo motor no conjunto de embreagem, de modo a não interferir no funcionamento da mesma. 16

17 Exercícios Folha de Trabalho Preparando-se Manual de Serviços e Conjunto de Ferramentas Comuns e Especiais ) Comprimento livre da mola da embreagem: Padrão: Encontrado: 10.19) Empenamento dos separadores: Padrão: Encontrado: 10.19) Desgaste dos discos de embreagem: Padrão: Encontrado: 17

18 Exercícios 10.20) Diâmetro externo da bucha da embreagem: Padrão: Encontrado: 10.20) Diâmetro externo do eixo primário: Padrão: Encontrado: NOTAS 18

19 CB 1300 Remoção do Rotor Remova a tampa lateral esquerda, fixe o volante do motor com a cinta e remova o parafuso de fixação. Utilizando o estrator remova o volante do motor. NOTA: Nunca bata no volante do rotor com um martelo. Remoção do Cárter e Separação das Carcaças Remova o cárter, válvula de alívio, pescador e todos os dutos de passsagem do sistema de lubrificação. Remova a bomba de óleo e sua engrenagem de acionamento do rotor. Remova todos os parafusos de fixação da carcaça superior e inferior. Remova o câmbio, as capas das bielas, árvore de manivelas e pistões. NOTA: Cuidado para não inverter o posicionamento das capas das bielas, pois a espessura das bronzinas pode ser diferente. 19

20 Exercícios Folha de Trabalho Preparando-se Manual de Serviços e Conjunto de Ferramentas Comuns e Especiais. 12.5) Inspeção da folga axial da biela e árcore de manivelas: Padrão: Encontrado: 12.8) Inspeção do empenamento da árvore de manivelas: Padrão: Encontrado: NOTAS 20

21 CB 1300 Sistema de Transmissão O sistema de transmissão é do tipo constantemente engrenados com 5 marchas, 3 garfos seletores e a seguinte configuração: Eixo Primário: Eixo Secundário: 21

22 CB 1300 Na desmontagem dos eixos primários e secundários, o mais importante é manter a organização das peças e para isso podemos utilizar uma chave longa ou até mesmo um pedaço de arame para posicionarmos as engrenagens, anéis elásticos, etc. Para montarmos devemos ter atenção com posicionamento de anéis elásicos que devem ser colocado com o lado chanfrado, ou a face mais arredondada voltado para a peça que está limitando. Eixo Primário: Eixo Secundário: 22

23 Exercícios Folha de Trabalho Preparando-se Manual de Serviços e Conjunto de Ferramentas Comuns e Especiais ) Faça as inpeções relacionadas abaixo: Diâmetro Interno das engrenagens: Engrenagem Limite de Uso Valor Encontrado M4, M5 C1 C2, C3 Diâmetro Externo das buchas: Buchas (D.E.) Limite de Uso Valor Encontrado M4, M5 C2 C3 Diâmetro Interno das buchas: Buchas (D.I.) Limite de Uso Valor Encontrado M4 C2 Folga entre engrenagem e bucha: Eng. x Bucha Limite de Uso Valor Encontrado M4, M5 C2 C ) Meça o diâmetro interno dos eixos primário e secundário: Meça o diâmetro externo na posição da Engrenagem M4: Limite de Uso: Valor Encontrado: Meça o diâmetro externo na posição da engrenagem C2: Limite de Uso: Valor Encontrado: 23

24 Exercícios 12.18) Inspecione visualmente os rolamentos: Verifique os rolamentos quanto a desgastes e substitua-o se necessário: 12.24) Inspecione visualmente o tambor seletor quanto a desgastes, trincas e danos: Verifique também o rolamento do tambor seletor com relação a desgastes ) Meça os garfos seletores e o pino de fixação e verifique-os quanto a desgastes, trincas ou danos: Meça o diâmetro interno: Limite de Uso: Valor Encontrado: Meça o diâmetro do pino em três pontos diferentes: Limite de Uso: Valor Encontrado: 24

25 CB 1300 Árvore de Manivelas Tipo Unitário Esta árvore está projetada para ser apoiada sobre bronzinas de metal, sendo ambas lubrificadas por uma película de óleo. A presença de arranhões, asperezas ou pó, causará desgaste prematuro ou engripamento nas bronzinas. Bronzina Árvore de Manivelas Bronzinas As bronzinas são responsáveis pela folga ideal entre determinadas peças, permitindo uma espessura ideal do filme de óleo entre elas. Por essa razão as bronzinas estão disponíveis em diferentes espessuras. Este tipo de bronzina (duas peças) é utilizado em modelos como CB 500, CBR s, Motores de popa etc. Quando devemos realizar uma seleção de bronzinas? Existem 3 situações onde a seleção de bronzinas é necessária: - Quando a folga do filme de óleo estiver fora do padrão. - Quando for substituída uma carcaça. - Quando for substituída a árvore de manivelas. 25

26 CB 1300 Procedimento Seleção dos Munhões da Árvore de Manivelas O lado esquerdo da carcaça do motor vem demarcado com letras que indicam o diâmetro interno sem as bronzinas intaladas. Cada letra corresponde a um apoio do moente da árvore de manivelas, iniciando-se sempre do lado esquerdo para o direito. A árvore de manivelas também vem demarcada com números que representam o diâmetro externo de cada munhão, sempre do lado esquerdo para o direito. A seleção de bronzinas então, é realizada por uma relação entre o diâmetro interno da carcaça e o diâmetro externo da árvore de manivelas. Para tal procedimento utilizamos uma tabela de referência para cada modelo de motor. (DI) CARCAÇA A B C (DE) ÁRVORE DE MANIV. 39,000-39,007 mm 39,008-39,015mm 39,016-39,024 mm 1 35,992-36,000 mm ROSA AMARELO VERDE 2 35,084-35,091 mm AMARELO VERDE MARROM Para selecionarmos a bronzina correta, devemos cruzar as informações na tabela, de modo a encontrarmos a cor. Ex: Código da carcaça - A Código da árvore de manivelas - 1 De acordo com a tabela a cor da bronzina é: ROSA 26

27 Exercícios Folha de Trabalho Preparando-se Manual de Serviços e Conjunto de Ferramentas Comuns e Especiais. 1. Faça a seleção de bronzinas do munhão de acordo com a tabela abaixo: Diâmetro interno Diâmetro externo da Cor das bronzinas da carcaça árvove de manivelas 1 A 1 2 A 2 3 B 1 4 A 35,995 mm 5 A 36,000 mm 6 B 35,988 mm 7 B 2 8 A 35,885 mm 9 B 35,992 mm 10 C 35,990 mm 11 C 2 12 C 1 13 A 35,992 mm 14 C 36,000 mm 15 B 35,982mm 16 A 2 17 B 2 18 C 35,992 mm (DI) CARCAÇA. A B C (DE) ÁRVORE DE MANIV. 39,000-39,007 mm 39,008-39,015mm 39,016-39,024 mm 1 35,992-36,000 mm ROSA AMARELO VERDE 2 35,984-35,991 mm AMARELO VERDE MARROM 27

28 CB 1300 Procedimento Seleção dos Moentes da Árvore de Manivelas A seleção de bronzinas da biela é muito parecida com a vista anteriormente, ou seja, a biela possui uma marca de referência (número), correspondente ao diâmetro interno da mesma sem a bronzina instalada. As letras localizadas na árvore de manivelas representam os diâmetros externos dos moentes da árvore de manivelas. A seleção de bronzinas então, é realizada por uma relação entre o diâmetro interno da biela e o diâmetro externo da árvore de manivelas. Para tal procedimento utilizamos uma tabela de referência para cada modelo de motor. (DE) ÁRVORE DE MAN. A B (DI) BIELA 39,995-40,003 mm 39,987-39,994 mm 1 43,000-43,007 mm AMARELO VERDE 2 43,008-43,016 mm VERDE MARROM Para selecionarmos a bronzina correta, devemos cruzar as informações na tabela, de modo a encontrarmos a cor. Ex: Código da biela - 2 Código da árvore de manivelas - B De acordo com a tabela a cor da bronzina é: MARROM 28

29 Exercícios Folha de Trabalho Preparando-se Manual de Serviços e Conjunto de Ferramentas Comuns e Especiais. 1. Faça a seleção de bronzinas do moente de acordo com a tabela abaixo: Diâmetro interno Diâmetro externo da Cor das bronzinas da biela árvove de manivelas 1 1 A 2 2 A 3 1 B ,995 mm ,002 mm ,888 mm 7 2 B 8 1 B ,992 mm ,982 mm ,999 mm ,990 mm ,985 mm ,998 mm ,989 mm ,995 mm ,993 mm ,980 mm (DE) ÁRVORE DE MANIV. A B (DI) BIELA 39,995-40,003 mm 39,987-39,994 mm 1 43,000-43,007 mm AMARELO VERDE 2 43,008-43,016 mm VERDE MARROM 29

30 CB 1300 Sistema de Balanceiro A fonte da vibração no motor é a força de inércia recíproca gerada pelo movimento de subida e descida das bielas. Geralmente é montado um contrapeso na árvore de manivelas para reduzir a força de inércia. A instalação deste contrapeso da forma apresentada na ilustração abaixo, permite que a força centrífuga do contrapeso reduza a força primária de inércia das bielas. Entretanto, os contrapesos produzem suas próprias vibrações horizontais. O sistema de balanceiros se contrapõe à força de inércia e também à vibração horizontal dos contrapesos da árvore de manivelas. Vibração horizontal Princípio de Funcionamento dos Balanceiros 1) Angulo de giro 0 o A força de inércia (100%) aplicada na ascendente ou descendente do pistão é compensada pela força de inércia descendente no contrapeso da manivelas. A força remanescente é de 50%. Esta força será adiante contrabalançada pela força de inércia descendente dos balanceiros (de 25% cada), de modo que a força de inércia será nula. 30

31 CB ) Angulo de giro 90 o A força de inércia ascendente ou descendente sobre o pistão é nula, mas uma força de inércia (de 50%) é aplicada nos contrapesos. Portanto, colocando os dois balanceiros na direção oposta (com 25% de força cada, contra os 50% contrários) o desequilíbrio da força de inércia será nulo. 3) Angulo de giro 180 o A força de inércia sobre o pistão é de 100% no sentido descendente. Os 50% de desequilíbrio remanescentes, contrapostos pela força de inércia no contrapeso da árvore de manivelas, serão compensados pelo balanceiro, da mesma maneira que ocorre quando o ângulo de giro é de 0º. 4) Angulo de giro 270 o A força de inércia no contrapeso da árvore de manivelas é compensada pelo balanceiro da mesma maneira que ocorre quando o ângulo de giro é de 90º. A força de inércia sobre o pistão nesta posição será nula. Na motocicleta: A CB 1300 conta com um balanceiro ligado na parte traseira do motor, conectado a árvore de manivelas. O balanceiro possui 2 rolamentos e um separador localizado entre eles. 31

32 CB 1300 Após a desmontagem, lubrifique os rolamentos e os coxins de amortecimenro localizados dentro da engrenagem do balanceiro. Verifique o conjunto, quanto a desgaste e substitua se necessário. Pré Regulagem do Sistema de Balanceiro Antes da montagem do balanceiro e fechamento da carcaça, é necessário realizar um pré ajuste para evitar travamento do motor por excesso de pressão entre as engrenagens da árvore de manivelas e do balanceiro. Como o eixo é excêntrico, ou seja, conforme girado aproxima ou afasta a engrenagem do balanceiro da engrenagem da árvore de manivelas, gire-o de modo a folga ficar no máximo (quando movimentada com a mão faz um barulho característico). O ajuste final é relizado com o motor aquecido. Como mostrado na figura ao lado, solte o parafuso de fixação da abraçadeira e com uma chave de fenda gire o eixo até a folga máxima. 32

33 CB 1300 Montagem do Motor Para montagem do motor, instale o conjunto do câmbio tomando cuidado com as travas dos rolamentos. Ambos os rolamentos dos eixos primário e secundário possuem estas travas. NOTA: O posicionamento incorreto dos rolamentos pode ocasionar quebra da carcaça. Eixo Primário Eixo Secundário Após a montagem do câmbio, instale a corrente da bomba de óleo e a corrente de comando na árvore de manivelas, e então fixe a árvore de manivelas com as capas da biela. NOTA: Aplique bissulfeto de molibdênio nas bronzinas. 33

34 CB 1300 Para montagem do balanceiro na carcaça inferior, alinhe as marcas de referência da engrenagem, com a referência do contra peso para montagem do conjunto. Instale o balanceiro e também o guia da corrente de comando. Alinhar Verifique se os pinos guias estão instalados, alinhe os garfos seletores e monte a carcaça. NOTA: Lembre-se que para fechamento das carcaças e montagem do balanceiro, o motor deve estar no ponto, ou seja o pistão nº 1 e nº 4 no PMS. Então esta é o posição que deve estar montada a árvore de manivelas. Além do motor, o balanceiro também possui ponto de referência quando conectada sua engrenagem com a da árvore de manivelas. 34

35 CB 1300 Aperte os parafusos de fixação da carcaça na sequência do Manual de Serviços dentro do torque especificado. Monte a engrenagem da bomba de óleo com a marca OUT voltada para fora. Instale a bomba de óleo, os dutos de lubrificação, válvula de alívio e pescador de óleo. Para montagem da embreagem, instale a carcaça externa sem a bucha, de forma que sua engrenagem, alinhe perfeitamente com a engrenagem da árvore de manivelas. Como a engrenagem da carcaça é bi partida, o alinhamento pode ser realizado utilizando uma chave Philips no furo da engrenagem. Nunca realize este procedimento forçando o dente da engrenagem diretamente com a chave. Instale a bucha e o rolamento da carcaça externa. NOTA: Não esqueça da arruela de encosto localizada atrás da carcaça externa da embreagem. 35

36 CB 1300 É importante certificar se a engrenagem da carcaça externa da embreagem e a engrenagem da árvore de manivelas ficaram perfeitamenta alinhadas, caso contrário, gire levemente a engrenagem da bomba de óleo, de forma a garantir um perfeito alinhamento entre as peças. Instale a arruela de encosto na carcaça, o cubo da embreagem, as arruelas de vedação e OUT SIDE, fixe-o com ferramenta especial e aperte a porca de fixação no torque correto. Lembre que os discos das extremidades são diferentes dos demais e possuem o cor de referência preta. Os demais possuem a cor verde como referência. Sempre instale primeiro o disco antes do separador e verifique o posicionamento da mola Judder, o separador sempre vem apoiado sobre ela. Instale o pino de acionamento do sistema hidráulico de embreagem e feche o platô. Para fixação do gerador de pulsos da árvore de manivelas (CKP) instale primeiro o alternador e com a cinta de fixação, aperte ambos os parafusos: do alternador e do gerador de pulsos. 36

37 CB 1300 Instale a tampa lateral direita e o conjunto posicionador de mudanças. Para montagem do cilindro utilize a base de fixação e o compressor de anéis para evitar danos no pistão. Lubrifique bem o cilindro e o pistão. A junta do cabeçote possui letras de referência para montagem ( R - direita e L - esquerda). Instale o cabeçote e aperte os parafusos de fixação na sequência indicada pelo Manual de Serviços dentro do torque especificado. Alinhe a marca de referência T do volante com a marca da tampa esquerda do motor. Instale os eixos de comando no cabeçote, mas não fixe as engrenagens de comando. 37

38 CB 1300 NOTA: Os eixos de comando possuem referências para montagem: IN (admissão) e EX (escape), portanto cuidado para não invertê-los. Os suportes de comando são marcados com referência de forma a evitar um posicionamento incorreto das peças durante a montagem. As peças são marcadas com símbolos ( IN - admissão e EX - escape e as letras L - esquerda e R - direita). Todos os mancais são marcados com todas estas informações, porém uma tinta azul encobre informações que não devem ser consideradas durante a montagem. Ex: O mancal ao lado deve ser instalado sobre o eixo de escape do lado esquerdo do motor. As informações pintadas são deconsideradas. NOTA: A montagem fora de ordem pode ocasionar folgas de óleo incorretas e desgaste prematuro nas peças. Após torquear os parafusos fixe as engrenagens de comando de modo a alinhar as marcas IN e EX com o cabeçote e aperte os parafusos de fixação. Gire o motor e aperte os demais parafusos das engrenagens para finalizar a montagem. 38

39 CB 1300 Ajuste do Balanceiro Após instalação do motor no chassi da motocicleta solte o parafuso de fixação da abraçadeira e ligue o motor. NOTA: O ajuste inicial deve ser feito com o motor frio (abaixo de 35º) e com o motor desligado, conforme mostrado anteriormente. Gire o eixo do balanceiro no sentido anti horário até sentir resistência e retorne três graduações. Utilize a marca de punção como referência. NOTA: Não exerça pressão excessiva sobre as engrenagens para não danificá-las e não danificar os rolamentos. Aqueça o motor e deixe-o em marcha lenta. Se o balanceiro estiver com ruído excessivo, ajuste a folga de acordo com os procedimentos à seguir: - Solte o parafuso de fixação e gire o eixo no sentido anti horário até fazer um ruído estridente. - Gire o eixo no sentido contrário até o ruído desaparecer. - Aperte o parafuso de fixação, acelere o motor alguas vezes e verifique se o ruído não reaparece. NOTA: Quando o eixo é girado no sentido anti horário, ocorre pressão entre as engrenagens gerando um ruído estridente Quando o eixo é girado no sentido horário, cria-se uma folga excessiva eum barulho pareciso com um chocalho. 39

40 CB 1300 NOTAS 40

41 CB 1300 Ordem de Ignição O motor da CB 1300 apresenta a configuração de 4 cilindros em linha com pistões 1 e 4 gêmeos e 2 e 3 gêmeos, desta forma a ordem de ignição é da esquerda para a direita. A árvore de manivelas gira duas voltas completas para que cada um dos cilindros passe por todas as fases (Admissão, Compressão, Expansão e Escape). Verificação da Folga das Válvulas Para verificação da folga das válvulas remova a tampa do cabeçote e gire a árvore de manivelas até que a marca T alinhe com a marca da tampa lateral esquerda do motor. Verifique se as marcas IN e EX das engrenagens de comando alinham com o cabeçote, como mostrado na figura abaixo. Verifique a folga nas válvulas de admissão dos cilindros 1 e 3. Gire a árvore de manivelas 180º, alinhando a segunda marca de refrência I com a marca da tampa esquerda e verifique as válvulas de escape dos cilindros 2 e 4. 41

42 CB 1300 Gire a árvore de manivelas 180º, alinhando a marca T com a marca de referência da tampa e verifique a folga das válvulas de admissão dos cilindros 2 e 4. Gire a árvore de manivelas 180º, alinhando a marca I com a marca de referência da tampa e verifique a folga das válvulas de escape dos cilindros 1 e 3. NOTAS 42

43 CB 1300 Sistema de Lubrificação Diagrama do Sistema de Lubrificação 43

44 CB 1300 TABELA DO SISTEMA DE LUBRIFICAÇÃO ITEM Óleo Sugerido PADRÃO MOBIL SUPERMOTO 4T Óleo de Motor Óleo recomendado Classificação API: SF ou superior Viscosidade: SAE 20W50 Após a drenagem Após drenagem/troca de Capacidade de óleo no motor filtro Após a desmontagem Pressão de óleo no interruptor de pressão de óleo 3,7 litros 3,9 litros 4,8 litros Kpa (5,1 Kgf/cm 2 ) a rpm (80º C) 44

45 CB 1300 Sistema de Lubrificação O sistema de lubrificação começa com o acionamento da bomba de óleo (tipo trocoidal simples), que é realizado pela movimentação da árvore de manivelas, sendo a rotação transmitida através da carcaça externa da embreagem, para a engrenagem que movimenta o eixo dos rotores da bomba de óleo e bomba d água, ou seja, quando o motor está em movimento o sistema de lubrificação e de arrefecimento já estão em funcionamento. A pressão negativa gerada pela movimentação dos rotores da bomba, succiona o óleo através do pescador. Na saída da bomba, o óleo passa pela válvula de alívio que mantém a pressão máxima do sistema (em torno de 5,0 a 6,0 Kgf/cm2), para chegar ao radiador, onde é feita a troca de calor e resfriamento e então ao filtro de óleo. A lubrificação da árvore de manivelas, bielas, pistão, cilindro, anéis é realizada através do óleo que passa pelas bronzinas dos munhões e moentes do eixo. O balanceiro é lubrificado pelo óleo que corre através de galerias, chegando aos rolamentos localizados internamente a peça, assim como aos eixos primário e secundário do câmbio, incluindo a embreagem. Através de reguladores de pressão localizados na carcaça, o cabeçote recebe o óleo concluindo o ciclo do sistema de lubrificação do motor. Desmontagem/Montagem Não esqueça de posicionar corretamente a arruela do eixo da bomba e o pino de trava do rotor com o eixo. Verifique também o posicionamento dos pinos guia. 45

46 CB 1300 Óleo de Motor O óleo recomendado para utilização no motor da CB 1300 e demais modelos importados é o MOBIL Supermoto 4T. Classificação de Qualidade: API SF Classificação de Viscosodade: 20 W 50 Período de Troca: verificar plano de manutenção do modelo. NOTAS 46

47 Exercícios Folha de Trabalho Preparando-se Manual de Serviços e Conjunto de Ferramentas Comuns e Especiais. 5.10) Verificar a folga entre rotor e carcaça: Padrão: Encontrado: 5.11) Verificar a folga entre os rotores da bomba de óleo: Padrão: Encontrado: 5.11) Empenamento dos rotores e carcaça: Padrão: Encontrado: 47

48 Exercícios NOTAS 48

49 CB 1300 Sistema de Arrefecimento Diagrama do Sistema de Arrefecimento 49

50 CB 1300 TABELA DO SISTEMA DE ARREFECIMENTO ITEM PADRÃO Capacidade de líquido de arrefecimento Radiador e motor 2,74 litros Reservatório Pressão de alívio da tampa do radiador 0,31 litros Kpa (1,1-1,4 Kgf/cm², psi) Início de abertura 80-84º C Termostato Completamente aberto 95º C Aditivo recomendado Abertura da válvula Mínima de 8 mm Etilenoglicol contendo inibidores de proteção contra corrosão de alta qualidade Concentração padrão 50-50% de etilenoglicol e água destilada 50

51 CB 1300 Sistema de Arrefecimento O acionamento da bomba d água é feito da mesma forma que o da bomba de óleo descrito anteriormente. O sistema trabalha com uma bomba centrífuga que expulsa a água da carcaça através da rotação de seu rotor. A primeira passagem da água após a saída da bomba, é a entrada pela parte frontal do cabeçote de moto a circular líquido de arrefecimento pelos cilindros e cabeçote, realizando a troca de calor do motor. Através de uma bifurcação na saída da bomba o líquido é direcionado também para o radiador de óleo e retorna novamente para bomba. Localizado próximo ao radiador, está o termostato, onde se encontra a válvula termostática que tem a função de manter sempre ideal a temperatura de funcionamento do motor. Funcionamento da Válvula Enquanto o motor está frio, a válvula permanece fechada, retornando o líquido para a bomba de forma a aliviar a pressão e evitar um acionamento incorreto da mesmo. Quanto é atingida a temperatura de 80-84º C, através da dilatação de uma cera térmica (THERMO WAX) a válvula é aberta de modo a liberar a passagem da água para o radiador, onde é realizada a troca de calor com a passagem do ar através das aletas, retornando novamente para a bomba. A mal funcionamento desta válvula pode acarretar em problemas para o motor, trabalhando frio ou aquecido demais interferindo na mistura ar/combustível, ou até causando danos mais sérios com travamento por super aquecimento. Para verificarmos o funcionamento da válvula basta aquecer um recipiente com água utilizando uma resistência elétrica, inserir a válvula e com um termopar instalado verficar a temperatura de início de abertura da válvula termostática, que deve ser em torno de 80ºC. THERMO WAX 51

52 CB 1300 Funcionamento da Tampa do Radiador A tampa do radiador tem a função de manter a pressão do sistema sempre ideal para evitar danos a componentes como mangueiras, juntas, etc. A tampa é composta de duas válvulas, uma de pressão e outra de ventilação, por onde é enviado ou retornado o líquido de arrefecimento do motor para o tanque de expansão. A pressão de abertura da válvula de pressão é de 1,1-1,4 Kgf/cm² e está especificada na própria tampa, que quando aberta envia o excedente da pressão do sistema de arrefecimento para o tanque de expansão. Quando a pressão do sistema é normalizada, fecha-se a válvula de pressão e abre-se a válvula de ventilação que faz retornar novamente o líquido para o motor. Lembre-se sempre de manter o nível do tanque dentro dos valores especificados no próprio e fazer a verificação e manutenção periódica de acordo com o Manual de Serviços. O teste da tampa pode ser realizado utilizando um dispositivo, onde pode-se verificar o pressão de acionamento da válvula de pressão. Caso o valor da pressão estiver abaixo ou acima do especificado, a tampa deve ser substituída. 52

53 CB 1300 Líquido de Arrefecimento A proporção da mistura do líquido de arrefecimento utilizada pela Honda é de 50% de água destilada e 50% de etileno glicol. O etileno glicol é utilizado para elevar o ponto de ebulição, diminuir o ponto de congelamento do líquido de arrefecimento e principalmente possui propriedades anticorrosivas e lubrificantes. A eficiência do líquido de arrefecimento diminui com o acúmulo de ferrugem ou alteração na proporção da mistura especificada. A Honda já fornece o líquido de arrefecimento na mistura certa evitando erros, desperdícios e contaminações pelo etileno glicol. Funcionamento da Ventoinha A ventoinha é um sistema auxiliar que aumenta a velocidade da troca de calor, quando o radiador não consegue fazê-lo apenas com a troca de calor gerada pela ação das aletas. O acionamento do sistema é feito através de um sensor, localizado no termostato e ligado ao Módulo de Injeção (ECM). Quando o motor atinge temperaturas superiores a 102º C, o relê de acionamento do motor da ventoinha é acionado pelo módulo e então é o motor da ventoinha é ligado. 53

54 CB 1300 NOTAS 54

55 CB 1300 Sistema de Controle de Emissões de Gases (Válvula PAIR) Consiste em um sistema de suprimentos de ar secundário que introduz ar filtrado dentro de saída de gases de escape. O ar filtrado chega até a saída de escape através da passagem pela válvula PAIR (Pulse Secondary Air Injection). Essa carga de ar filtrado promove a queima de gases não queimados durante a combustão e transforma uma quantidade considerável de monóxido de carbono e hidrocarbonetos em dióxido de carbono e vapor d água. A válvula de palheta evita o retorno dos gases, para a caixa do filtro. A válvula PAIR é operada por uma solenóide, que por sua vez é controlada pelo módulo (ECM) e a passagem de ar filtrado é controlada através de informações dos sensores ECT, IAT, MAP, THP e das rotações do motor. Nenhum ajuste deve ser realizado na válvula PAIR, apenas inspeções periódicas medindo o valor de sua resistência e limpeza, se necessário. 55

56 CB 1300 NOTAS 56

57 CBR 600 RR 7 1 Sumário Motor CBR 600 RR Desmontagem... 3 Seleção dos Munhões da Árvore de Manivelas... 9 Seleção dos Moentes da Árvore de Manivelas Folha de Trabalho Inspeção da Folga de Filme de Óleo Montagem Ordem de Ignição Verificação de Folga de Válvulas Sistema de Lubrificação Sistema de Arrefecimento Sistema de Controle de Emissões de Gases (Válvula PAIR)

58

59 CBR 600 RR 7 Motor CBR 600 RR 7 Desmontagem O procedimento de desmontagem da CBR 600 RR 7 é bem parecido com o da CBR 1000 RR 7. Após a remoção da tampa do cabeçote, retire a janela de vusualização da tampa direita do motor e gire-o no sentido horário até alinhar a marca T com a tampa direita do motor colocando os pistões do cilindro 1 e 4 no PMS. Ao mesmo tempo as marcas IN e EX das engrenagens de comando devem estar faceadas com o cabeçote conforme mostrado. NOTA: Enquanto as marcas estiverem alinhadas, os ressaltos do comando do primeiro cilindro (esquerda) devem estar voltados para fora. Remova o parafuso do tensor e utilizando a ferramenta especial alivie a tensão da corrente de comando. 3

60 CBR 600 RR 7 Gire o motor de forma a sair do ponto de referência e remova os parafusos de baixo das engrenagens de comando de admissão e escape. Retorne o motor no ponto e remova os demais parafusos e então retire as engrenagens de comando. Remova os suportes de comando seguindo a numeração especificada na própria peça em ordem decrescente (iniciando do número 20 ao 1 em várias etapas). Atenção: A remoção incorreta desta peça pode quebrar o eixo de comando. Remova o cabeçote soltando primeiro os parafusos M6 localizados do lado direiro do motor e então remova os parafusos M8 seguindo a sequência de fora para dentro em sequência cruzada. Quando retirado o cabeçote, repare que os pistões 1 e 4 estão localizados no PMS, enquanto que os pistões 2 e 3 estão no PMI. 4

61 CBR 600 RR 7 Remova a tampa lateral esquerda do motor e utilizando a ferramenta especial fixe o volante do motor e remova o parafuso de fixação. Utilizando um sacador, remova o volante do motor. NOTA: Não bata diretamente com o martelo na ferramenta especial, isto pode danificar a rosca do volante. Remova a tampa lateral direita do motor, tomando cuidado com as arruelas da engrenagem intermediária de partida. NOTA: Não se deve girar o motor enquanto a engrenagem intermediária de partida estiver instalada, pois poderá acarretar em quebra da carcaça. Esta informação está escrita no próprio gerador de pulsos da árvore de manivelas. REF. SHOP MANUAL BEFORE TURNING - Verifique o Manual antes de girar. 5

62 CBR 600 RR 7 Utilizando um fixador de engrenagens solte a porca do gerador de pulsos da árvore de manivelas (CKP). Remova os parafusos de fixação do platô da embreagem e retire todos os discos e separadores. Com a ferramenta especial, fixe o cubo na parte externa e solte a porca e fixação Remova o cubo e a carcaça externa da embreagem. Solte o parafuso de fixação da engrenagem da bomba de óleo e remova-a. Retire o motor de partida, termostato, bomba d água e radiador de óleo. Solte os parafusos de fixação da carcaça superior e inferior. 6

63 CBR 600 RR 7 Remova os parafusos de fixação da capa da biela e retire a capa, árvore de manivelas e pistões. Para remoção do câmbio, retire o eixo secundário. Remova a trava do conjunto seletor, o excêntrico posicionador de marchas e os parafusos de fixação do eixo dos garfos seletores. Após a remoção do eixo retire os garfos seletores e remova o tambor seletor. Solte os parafusos de fixação da trava do rolamento do eixo primário. Desloque o rolamento para fora e incline o eixo primário para remoção, conforme mostrado abaixo. 7

64 CBR 600 RR 7 Desmontagem do eixo primário de transmissão Desmontagem do eixo secundário de transmissão 8

65 CBR 600 RR 7 Procedimento Seleção dos Munhões da Árvore de Manivelas O lado esquerdo da carcaça do motor vem demarcado com letras que indicam o diâmetro interno sem as bronzinas instaladas. Cada letra corresponde a um apoio do moente da árvore de manivelas, iniciando-se sempre do lado esquerdo para o direito. A árvore de manivelas também vem demarcada com números que representam o diâmetro externo de cada munhão, sempre do lado esquerdo para o direito. A seleção de bronzinas então, é realizada por uma relação entre o diâmetro interno da carcaça e o diâmetro externo da árvore de manivelas. Para tal procedimento utilizamos uma tabela de referência para cada modelo de motor. (DI) CARCAÇA A B C (DE) ÁRVORE DE MANIV. 34,000-39,006 mm 39,006-39,012mm 39,012-39,018 mm 1 30,999-31,005 mm ROSA AMARELO VERDE 2 30,993-30,999 mm AMARELO VERDE MARROM 3 30,987-30,993 mm VERDE MARROM PRETO Para selecionarmos a bronzina correta, devemos cruzar as informações na tabela, de modo a encontrarmos a cor. Ex: Código da carcaça - A Código da árvore de manivelas - 1 De acordo com a tabela a cor da bronzina é: ROSA 9

66 CBR 600 RR 7 Procedimento Seleção dos Moentes da Árvore de Manivelas A seleção de bronzinas da biela é muito parecida com a vista anteriormente, ou seja, a biela possui uma marca de referência (número), correspondente ao diâmetro interno da mesma sem a bronzina instalada. As letras localizadas na árvore de manivelas representam os diâmetros externos dos moentes da árvore de manivelas. (DI) CARCAÇA A B (DE) ÁRVORE DE MANIV. 33,500-33,508 mm 33,508-33,516 mm 1 30,995-31,003 mm AMARELO VERDE 2 30,993-30,995 mm VERDE MARROM Para selecionarmos a bronzina correta, devemos cruzar as informações na tabela, de modo a encontrarmos a cor. Ex: Código da biela - 2 Código da árvore de manivelas - B De acordo com a tabela a cor da bronzina é: MARROM 10

67 Exercícios Folha de Trabalho Preparando-se Manual de Serviços e Apostila. 1. Faça a seleção de bronzinas do munhão de acordo com a tabela abaixo: Diâmetro interno Diâmetro externo da Cor das bronzinas da carcaça árvove de manivelas 1 C 1 2 A 2 3 A 3 4 B 31,005 mm 5 C 30,993 mm 6 A 30,999 mm 7 C 2 8 C 3 9 B 30,986 mm 10 A 30,998 mm 11 A 30,989 mm 12 B 31,002 mm 13 B 30,995 mm 14 C 30,985 mm 15 B 31,000 mm 16 A 30,996 mm 17 B 1 18 A 3 (DI) CARCAÇA A B C (DE) ÁRVORE DE MANIV. 34,000-39,006 mm 39,006-39,012mm 39,012-39,018 mm 1 30,999-31,005 mm ROSA AMARELO VERDE 2 30,993-30,999 mm AMARELO VERDE MARROM 3 30,987-30,993 mm VERDE MARROM PRETO 11

68 Exercícios 1. Faça a seleção de bronzinas do moente de acordo com a tebela abaixo: Diâmetro interno Diâmetro externo da Cor das bronzinas da biela árvove de manivelas 1 B 2 2 A 1 3 B 31,984 mm 4 A 31,000 mm 5 A 30,995 mm 6 A 31,002 mm 7 B 1 8 B 31,983 mm 9 B 30,992 mm 10 B 30,993 mm 11 B 30,996 mm 12 A 30,990 mm 13 B 31,003 mm 14 A 30,998 mm 15 A 30,991 mm 16 B 31,982 mm 17 B 1 18 A 2 (DI) BIELA A B (DE) ÁRVORE DE MANIV. 33,500-33,508 mm 33,508-33,516 mm 1 30,995-31,003 mm AMARELO VERDE 2 30,984-30,995 mm VERDE MARROM 12

69 Exercícios Folha de Trabalho Preparando-se Manual de Serviços e Apostila, Micrômetro Milesimal mm, Plastigauge. 1. Faça a seleção de bronzinas dos munhões e moentes do motor da CBR 600 RR 7 utilizando as tabelas do Manual de Serviços do Modelo: SELEÇÃO DE BRONZINAS DOS MUNHÕES DA ÁRVORE DE MANIVELAS Códigos da carcaça Medida dos munhões Bronzinas SELEÇÃO DE BRONZINAS DOS MOENTES DA ÁRVORE DE MANIVELAS Códigos das bielas Medida dos moentes Bronzinas FOLGA DO FILME DE ÓLEO DOS MOENTES Moentes Valor da Folga 13

70 Exercícios Inspeção da Folga do Filme de Óleo A inspeção da folga de filme de óleo é a melhor maneira de verificarmos se é necessário ou não uma seleção de bronzinas ou, se após a seleção de bronzinas confirmar se a folga ficou dentro do padrão pré-determinado pelo Manual de Serviços. A ferramenta utilizada para isto é o plastigauge. O munhão ou moente da árvore de manivelas deve estar bem limpo e uma pequena fatia do plastigauge deve ser colocada conforme mostra a figura. A carcaça ou a capa da biela (dependendo qual inspeção está sendo realizada) deve ser apertada no torque especificado, tomando cuidado para o eixo não girar. Após o aperto basta soltar os parafusos de fixação e verificar o esmagamento do plastigauge utilizando a régua da própria embalagem. NOTA: Ao verificar a espessura do esmagamento, atenção para o lado da embalagem onde a graduação está especificada em mm. NOTAS 14

71 CBR 600 RR 7 Montagem Para montagem do motor instale os pistões com auxílio da cinta compressora de anéis. Não esqueça de lubrificar o cilindro, a saia do pistão, como a própria cinta. NOTA: Lembre-se de defasar a abertura dos anés em 120º fora da área do pino do pistão. A marca IN gravada no pistão deve estar voltada para a admissão. Coloque a árvore de manivelas, aplique bissulfeto de molibdênio nos moentes e munhões e o torque nas capas de acordo com o Manual de Serviços. 15

72 CBR 600 RR 7 Instalação do Câmbio Para montagem do câmbio, inicialmente deve ser instalado o eixo primário de transmissão, inclinando-o conforme mostrado e logo em seguida instale o rolamento. Instale o trava de fixação do rolamento do eixo primário e em seguida o tambor seletor, garfos seletores e eixo dos garfos. NOTA: Os garfos seletores possuem marcas de referência para montagem. Atenção as letras gravadas. R - Garfo direito C - Garfo central L - Garfo esquerdo 16

73 CBR 600 RR 7 Instale o eixo secundário, alinhando as marcas de referências das travas dos rolamentos conforme mostrado. NOTA: O não alinhamento das travas de fixação da pista externa do rolamento pode ocasionar quebra da carcaça, quando apertada. Não esqueça de instalar a trava inferior do rolamento secundáiro. Após a instalação do câmbio, fixe o excêntrico posicionador e o braço posicionador de marchas. Instale também o eixo do pedal de mudanças e aperte o parafuso da trava de fixação do conjunto. NOTA: Confira os pinos guias e reguladores de pressão antes da montagem. Ele mantém a pressão mínima constante nos pontos mais afastados em relação a bomba de óleo. 17

74 CBR 600 RR 7 Instale a carcaça inferior e aperte os parafusos de fixação inferiores e superiores de acordo com o torque especificado no manual de Serviços. Instale a bomba de óleo, válvula de alívio e pescador de óleo. Montagem da Embreagem Instale inicialmente a engrenagem movida da bomba de óleo, com atenção para a marca OUT que deve estar voltada para fora. Coloque a corrente de ligação e a bucha da engrenagem motora. Instale a engrenagem de partida antes da carcaça externa da embreagem. Para instalação da carcaça externa da embreagem, atenção com o alinhamento das engrenagens da árvore de manivelas com a carcaça externa. Este alinhamento indica o encaixe perfeito entre a carcaça externa em a engrenagem motora da bomba de óleo. NOTA: Se as peças não estiverem alinhadas, não ocorrerá o acionamento da bomba de óleo e da bomba d água, podendo causar danos ao motor. 18

75 CBR 600 RR 7 Atenção para a instalação da mola Judder, que deve ser colocada conforme indicada na figura abaixo, ou seja na posição de um prato sobre o seu assento em contato direto com o primeiro separador. A CBR 600 RR 7 possui três tipos diferentes de discos de embreagem (A, B e C).onde os disco B e A estão localizados nos extremos do conjunto, em contato direto com o alumínio do cubo e do platô, respectivamente. Possuem maior diâmetro. Os discos centrais (discos C ) são todos iguais não havendo posição específica para montagem. NOTA Antes da montagem dos discos e separadores, fixe o cubo da embreagem na parte externa utilizando ferramenta especial e aperte a porca de fixação no torque especificado. Após a montagem dos discos e separadores, instale o pino de acionamento da embreagem hidráulica, o platô de pressão e aperte os parafusos no torque especificado. Instale a engrenagem da corrente de comando alinhando o dente mais largo com o eixo da árvore de manivelas, coloque a corrente, o guia e o tensor. Instale o gerador de pulsos da árvore de manivelas alinhando também o dente mais largo com o eixo da árvore de manivelas e aperte no torque especificado. Não esqueça de instalar a arruela atrás do gerador de pulsos da árvore de manivelas. 19

76 CBR 600 RR 7 Fixe a engrenagem intermediária de partida e instale as arruelas ondulada e lisa. NOTA Antes de fechar a tampa lateral direita, confira se os quatro pinos guias estão instalados. Montagem do Alternador Instale o alternador e utilizando a ferramenta especial fixe-o para apertar a parafuso no torque especificado. NOTA Antes de fechar a tampa lateral esquerda, confira se os pinos guias estão instalados. Montagem do Cabeçote Instale o cabeçote conferindo a posição da junta e dos pinos guias. Aperte os parafusos na ordem e torque indicados no Manual de Serviços. Instale os eixos de comando de admissão e escape com os ressaltos do primeiro cilindro voltados para fora. NOTA Os eixos de comando apresentam referências IN para admissão e EX para escape, para não ocorrer inversão durante a montagem. 20

77 CBR 600 RR 7 Instale os suportes de comando e aperte na sequência numerada na própria peça em ordem crescente. NOTA: Se a sequência de aperto não for seguida de forma correta poderá ocorrer a quebra do eixo de comando. Coloque a árvore de manivelas no ponto, alinhando a marca TI com a marca da tampa direita. (Pistão 1 no PMS final da fase de compressão). Instale a engrenagem de admissão faceando a marca IN com o cabeçote e aperte o parafuso de fixação da engrenagem. Coloque a engrenagem de escape faceando a marca EX com o cabeçote e aperte o parafuso de fixação. Instale o guia da corrente de comando e gire o motor para fixar os parafusos inferiores da engrenagem. NOTA: Caso o parafuso de fixação da engrenagem de comando não esteja alinhado com a rosca do eixo de comando, gire lentamente a árvore de manivelas até alinhar a furo. Coloque o parafuso e retorne ao ponto inicial, ou seja, marca T alinhada com a referência da tampa direita. 21

78 CBR 600 RR 7 Ordem de Ignição A ordem de ignição do motor da CBR 600 RR 7 segue a mesma sequências dos motores de quatro cilindros em linha (da esquerda para a direita). Verificação de Folga de Válvulas A sequência de verificação de folga de válvulas é a mesma descrita na CB NOTAS 22

79 CBR 600 RR 7 Sistema de Lubrificação Diagrama do Sistema de Lubrificação 23

80 CBR 600 RR 7 Tabela do Sistema de Lubrificação ITEM Óleo sugerido PADRÃO MOBIL SUPERMOTO 4T Óleo de Motor Óleo recomendado Classificação API: SF ou superior Viscosidade: SAE 20W50 Após a drenagem Após drenagem/troca de Capacidade de óleo no motor filtro Após a desmontagem Pressão de óleo no interruptor de pressão de óleo 2,7 litros 2,8 litros 3,5 litros 505 Kpa (5,1 Kgf/cm 2 ) a rpm (80º C) 24

81 CBR 600 RR 7 Sistema de Arrefecimento Diagrama do Sistema de Arrefecimento 25

82 CBR 600 RR 7 Tabela do Sistema de Arrefecimento ITEM PADRÃO Capacidade de líquido de arrefecimento Radiador e motor 3,15 litros Reservatório Pressão de alívio da tampa do radiador 0,3 litros Kpa (1,1-1,4 Kgf/cm², psi) Início de abertura 80-84º C Termostato Completamente aberto 95º C Aditivo recomendado Abertura da válvula Mínima de 8 mm Etilenoglicol contendo inibidores de proteção contra corrosão de alta qualidade Concentração padrão 50-50% de etilenoglicol e água destilada 26

83 CBR 600 RR 7 Sistema de Controle de Emissões de Gases (Válvula PAIR) Esta motocicleta também é equipada com um conversor catalítico de três vias. Através de reações químicas ele converte HC, CO e NO X em dióxido de carbono (CO 2 ), nitrogênio (N 2 ) e vapor d água. Nenhum ajuste neste sistema deve ser feito, somente inspeções periódicas nos componentes são recomendadas. 27

84 CBR 600 RR 7 NOTAS 28

85 XL 1000 (Varadero) 1 Sumário MOTOR XL 1000 (VARADERO)... 3 DESMONTAGEM... 3 Seleção de Bronzinas da XL 1000 (VARADERO)...8 MONTAGEM DO MOTOR Ordem de Ignição Verificação de Folga de Válvulas Regulagem de Válvulas por Seleção de Pastilhas Realizando a Seleção de Pastilhas Exercícios...19 SISTEMA DE LUBRIFICAÇÃO SISTEMA DE ARREFECIMENTO Sistema de Controle dos Gases de Escape (PAIR)

86

87 XL 1000 Motor XL 1000 (VARADERO) Desmontagem A tampa do cabeçote frontal e traseiro apresentam referência indicadas por uma seta que indicam os parafusos que devem ser apertados primeiro e soltos depois. O motor da XL 1000 (VARADERO) possui os cilindros defasados em 90º, portanto temos uma configuração de motor em L. Desta forma temos duas referências importantes no motor, a marca FT, que indica que o pistão frontal (Front) está no PMS e a referência RT, que indica que o pistão traseiro (Rear) está no PMS. Basta remover as tampas de visualização localizadas do lado esquerdo do motor, girando o motor no sentido anti-horário. Coloque o motor com a referência FT alinhada com a tampa esquerda do motor e verifique se os ressaltos do comando está voltados para fora. As referência F.I e F.E das engrenagem de comando devem estar alinhadas com o cabeçote. 3

88 XL 1000 Remova a tensão da corrente de comando utilizando a ferramenta especial. Para remoção das engrenagens de comando, devemos girar o motor de forma a realizar primeiro a remoção dos parafusos inferiores, para então voltar ao ponto e remover os parafusos superiores e finalmente as engrenagens. Remova os suportes do comando soltando os parafusos na sequência correta e remova os eixos de comando. O mesmo procedimento deve ser realizado com o cabeçote traseiro, alinhando a refrência RT com a tampa esquerda, girando o motor 270º. NOTA: Os eixos de comando do cabeçote traseiro ficam com os ressaltos voltados para dentro, diferente do procedimento realizado com o cabeçote dianteiro. 4

89 XL 1000 Após abertura da tampa lateral direita, remova os parafusos de fixação do platô da embreagem. Retire todos os discos e separadores e com utilização de ferramenta especial fixe a parte externa do cubo para remoção da porca de fixação. Após a remoção do cubo, fixe as engrenagens da carcaça externa e da árvore de manivelas com ferramenta especial para remoção do gerador de pulsos do sensor (CKP) e a engrenagem da árvore de manivelas. Remova a engrenagem de acionamento do rotor da bomba d água, sua corrente que está ligada a árvore de manivelas (neste modelo a bomba de óleo e água são acionadas separadamente pela árvore de manivelas). Aproveitando a fixação feita pela carcaça externa da embreagem, remova a engrenagem de acionamento da bomba de óleo. 5

90 XL 1000 Após a remoção da engrenagem da bomba de óleo, remova a carcaça externa. NOTA A engrenagem da árvore de manivelas é bi partida e possui molas de amortecimento, desta forma, utilize uma chave de fenda no furo da face da engrenagem de forma a alinhar o conjunto para remoção da carcaça externa e também da engrenagem da árvore de manivelas. Remova o eixo de mudanças, excêntrico posicionador de marchas, braço de mudanças e a corrente de comando. Terminado o lado direiro, retire os parafusos de fixação da tampa lateral esquerda e utilizando a cinta de fixação do volante remova o parafusos de fixação e o volante com o extrator universal. Após a retirada do volante, remova a corrente de comando do lado esquerdo. Remova o cárter, e todos os parafusos de fixação das carcaças superior e inferior. 6

91 XL 1000 Com as carcaças abertas remova as travas dos rolamentos do eixo primário e retire o câmbio. Remova as capas de bielas, pistões e árvore de manivelas. Configuração dos Eixos Primários e Secunadários da XL 1000: 7

92 Exercícios Seleção de Bronzinas da XL 1000 (Varadero) As referências para seleção de bronzinas dos munhões estão gravadas na carcaça e na árvore de manivelas mostrados abaixo. O procedimento de leitura da tabela deve ser feito igual ao realizado nos outros motores. As letras gravadas na carcaça representam o diâmetro interno enquanto que os números gravados no eixo representam os diâmetros externos dos munhões. As informações devem ser cruzadas na tabela abaixo: (DI) CARCAÇA (DE) ÁRVORE DE MANIV. A B C 55,994-56,000 mm 56,000-56,006 mm 56,006-56,012 mm 1 53,010-53,016 mm AMARELO VERDE MARROM 2 53,004-53,010 mm VERDE MARROM PRETO 3 52,998-53,004 mm MARROM PRETO AZUL As cores das bronzinas do exemplo acima seriam: MARROM e MARROM (sempre da esquerda para a direita). Faça a seleção de bronzinas dos munhões relacionados abaixo: 8 Diâmetro interno Diâmetro externo da Cor das bronzinas da carcaça árvove de manivelas 1 A 2 2 C 1 3 B 2 4 A 53,016 mm 5 A 52,998 mm 6 B 52, 996 mm 7 B 1 8 A 3 9 B 53,010 mm 10 B 53,001 mm 11 B 53,004 mm 12 C 53,007 mm 13 A 53,012 mm 14 A 52,980 mm 15 C 53,013 mm 16 B 53,008 mm 17 A 3 18 C 3

93 Exercícios Para seleção dos moentes da árvore de manivelas, as informações estão relacionadas ao número gravado na biela que representa o diâmetro interno e as letras da árvore de manivelas que representa o diâmetro externo do moente. As informações acima devem ser cruzadas na tabela abaixo: (DI) BIELA A B C (DE) ÁRVORE DE MANIV. 46,000-46,006 mm 46,006-46,012 mm 46,012-46,018 mm 1 42,998-43,004 mm AMARELO VERDE MARROM 2 42,992-42,998 mm VERDE MARROM PRETO 3 42,992-42,986 mm MARROM PRETO AZUL As bronzinas do exemplo abaixo seriam: MARROM e PRETA (sempre da esquerda para direita). Faça a seleção de bronzinas dos moentes abaixo: Diâmetro interno Diâmetro externo da Cor das bronzinas da carcaça árvove de manivelas 1 B 3 2 A 2 3 C 1 4 C 43,000 mm 5 A 42,999 mm 6 A 42,989 mm 7 B 3 8 C 1 9 A 42,980 mm 10 C 42,998 mm 11 B 43,002 mm 12 A 42,995 mm 13 A 43,002 mm 14 C 42,990 mm 15 B 42,993 mm 16 B 42,006 mm 17 C 2 18 A 3 9

94 XL 1000 Montagem do Motor Para montagem do motor, instale o conjunto do câmbio tomando cuidado com as travas dos rolamentos. Ambos os rolamentos dos eixos primário e secundário possuem estas travas. NOTA: O não posicionamento correto dos rolamentos pode ocasionar quebra da carcaça. Eixo Primário Eixo Secundário O pistão possui como referência a marca IN que deve ser voltada para admissão e também as marcas F e R, indicando os cilindros dianteiros e traseiros. 10

95 XL 1000 As bronzinas devem ser instaladas com suas travas na posição correta de encaixe com a biela e a capa da biela. Para montagem do pistão na biela, alinhe a marca IN com o furo de lubrificação localizado na biela. Defasar em 120º as aberturas dos anéis e instale o pistão utilizando a cinta compressora de anéis lubrificando tanto o cilindro como a ferramenta. Instale o pistão com a marca IN voltada para admissão. Aplique bissulfeto de molibdênio nas bronzinas e aperte a capa da biela no torque especificado após a instalação da árvore de manivelas. Verifique se os pinos guia e os reguladores de pressão estão instalados, monte a carcaça e aperte dentro do torque especificado. 11

96 XL 1000 Instale a corrente de comando, os guias e o tensionador dos lados direito e esquerdo do motor e aperte os parafusos de fixação. Monte a engrenagem da bomba de óleo e a carcaça externa da embreagem, lembre-se do alinhamento entre as engrenagens da carcaça externa da embreagem e a engrenagem da árvore de manivelas. NÃO ALINHADO (MONTAGEM INCORRETA) ALINHADO (MONTAGEM CORRETA) Aperte a porca de fixação do cubo da embreagem no torque especificado, utilizando a ferramenta de fixação da peça. Instale a arruela de assento e a mola Judder. Os discos da embreagem das extremidades são diferentes dos dicos centrais e também um separador é diferente dos demais (possui várias marcas para lubrificação) e deve ser montado diretamente em contato com a mola Judder. 12

97 XL 1000 Instale primeiro a corrente e engrenagem de do eixo da bomba d água, para depois instalar a engrenagem da árvore de manivelas. Alinhe as engrenagens bi partidas da engrenagem da árvore de manivelas, utilizando uma chave Philips no furo localizado na face da engrenagem. Aplique o torque no parafuso de fixação do gerador de pulsos, utilizando a trava de engrenagem. Verifique a posição dos pinos guias e instale a tampa lateral direita. Coloque o volante, aplique o torque do Manual de Serviços, verifique a posição dos pinos guia e monte a tampa esquerda. NOTA: A tampa possui um regulador de pressão, verifique o seu posicionamento antes de fechar a tampa. 13

98 XL 1000 Instale o volante do motor e utilizando a cinta fixadora aperte o parafuso de fixação no torque especificado. Monte os cobeçotes dianteiros e traseiros e aperte os parafusos de fixação na sequência mostrada com o torque especificado. Para montagem do ponto do motor, são duas as opções para sincronizá-lo de forma correta. Como a defasagem entre os cilindros é de 90º, então podemos iniciar a montagem colocando o cilindro frontal no ponto (PMS - final de fase de compressão), alinhando a marca FT com a tampa esquerda do motor. Instale os eixos de comando de modo que os ressaltos fiquem voltados para fora. Instale as engrenagens faceando as marcas IN e EX com o cabeçote. Vale ressaltar que os eixos de comando e os suportes de fixação do comando possuem marcas de referência para montagem. 14

99 XL 1000 Aperte os parafusos de fixação da engrenagem de comando e os suportes de fixação do eixo de comando Após a montagem do cabeçote dianteiro, libere o tensor da corrente de comando, gire o motor 270º e alinhe a referência RT do volante com a tampa lateral esquerda do motor colocando o cilindro traseiro no ponto (PMS - Final de compressão) e realize os mesmos procedimentos feitos para montagem do cabeçote dianteiro. NOTA: A montagem dos eixos de comando traseiro deve ser realizada com os ressaltos voltados para dentro, diferente dos eixos de comando do cabeçote dianteiro. A outra forma de sincronizar o motor, é iniciar a montagem pelo cabeçote traseiro, referenciando as engrenagens e o eixo de comando conforme mostrado acima. Gire o motor 450º e monte as engrenagens e o eixo de comando sincronizando o cabeçote dianteiro. 15

100 XL 1000 Ordem de Ignição O motor da XL 1000 (Varadero) apresenta a configuração de 2 cilindros em L (ou seja, defasagem de 90º do centro de um cilindro para o outro). Desta forma após queimar o cilindro frontal, a árvore de manivelas gira 270º para queimar o cilindro traseiro. A queima só retorna ao cilindro frontal após a árvore de manivelas girar 450º. Verificação de Folga de Válvulas Para verificação da folga das válvulas devemos colocar o motor no ponto (PMS final da fase de compressão), alinhando a marca de referência FT com a marca de referência na tampa conforme mostrado. Ao mesmo tempo as marcas de referência da engrenagem de comando FI e FE devem estar faceadas com o cabeçote. Verifique a folga das quatro válvulas do cilindro frontal. Gire o motor 450º no sentido horário e coloque o cilindro traseiro no PMS (final de fase de compressão), alinhando a marca RT com a marca da tampa lateral esquerda. Da mesma forma que no cabeçote traseiro, as marcas RI e RE estarão faceadas com o cabeçote. NOTA Este procedimento deve ser realizado com o tensor da corrente de comando desacionado e com o guia da corrente instalado. Após a verificação da folga das válvulas, realize, se necessário, a seleção de pastilhas de acordo com os procedimentos indicados a seguir. 16

101 Exercícios Regulagem de Válvulas por Seleção de Pastilhas Muito utilizada nos motores DOHC, a pastilha que também pode ser chamada de rotor de válvula, é montada sobre a haste de válvula. A Honda fornece 69 tipos de pastilhas, com espessuras que diferem uma da outra em 0,025 mm. Temos espessuras que variam de 1,200 mm até 2,900 mm. Os códigos gravados nas pastilhas indicam sua espessura. São compostos de 3 dígitos e terminam sempre em 0, 2, 5 e 8. Exemplos: Medida Código da Pastilha/Referência 1,900 mm 190 1,225 mm 122 2,250 mm 225 2,875 mm 288 Em geral, para passar da espessura para o código, basta desconsiderar o último número da espessura e retirar a vírgula, mas há uma excessão, sempre que a espessura terminar em X,X75 mm, retira-se o 75 e o último número do código será 8. Exemplos: Espessura Código/Referência 1,375 mm 138 1,275 mm 128 2,475 mm 248 Exercício: Informe o código da Pastilha Espessura Código 1,800 mm 2,225 mm 2,750 mm 1,275 mm 2,000 mm Espessura 1,375 mm 1,550 mm 2,175 mm 1,825 mm 2,600 mm Código 17

102 Exercícios Exercício: Informe a espessura da Pastilha Código Espessura Código Espessura Realizando a Seleção de Pastilhas 1º Medir as Folgas de Válvulas; 2º Verificar as espessuras das pastilhas em cada válvula; 3º Verificar a Folga Recomendada no Manual de Serviços e a tolerância admissível. Exemplo 1: Válvula de admissão # 1 dados: Folga Medida = 0,11 mm Pastilha Atual = 2,300 mm Folga Especificada no Manual = 0,16 mm ± 0,02 mm cálculo: Folga Medida 0,11 + Pastilha Atual + 2,300 2, Folga do Manual 0,16_ Espessura Calculada da Pastilha Nova 2,250 mm Logo, o código da pastilha nova é 225 Exemplo 2: Válvula de admissão # 2 dados: Folga Medida = 0,25 mm Pastilha Atual = 2,000 mm Folga Especificada no Manual = 0,16 mm cálculo: Folga Medida 0,25 + Pastilha Atual + 2,000 2,250 - Folga do Manual - 0,16_ Espessura Calculada da Pastilha Nova 2,090 mm Neste caso, a Honda não disponibiliza pastilha com espessura de 2,090 mm. Devemos então escolher a pastilha mais próxima desta espessura. = = 18 Espessura Calculada da Pastilha 2,090 mm Pastilhas Fornecidas pela Honda com Espessuras Próximas à Calculada 2,075 mm 2,100 mm esta deve ser a escolhida (código 210)

103 Exercícios Exercícios Faça a seleção de pastilhas conforme dados abaixo: Folga medida (mm) Pastilha atual (micrômetro milesimal) Folga do Manual ±0,03 (mm) a 0,20 2,025 mm 0,16 b 0, ,31 c 0,30 2,000 mm 0,31 d 0, ,16 e 0,20 1,400 mm 0,16 f 0, ,16 g 0,29 1,800 mm 0,31 h 0, ,31 i 0,13 2,000 mm 0,16 j 0, ,16 Espessura calculada da Nova Pastilha Espessura da Nova Pastilha Escolhida Código da Nova Pastilha 19

104 Exercícios Folha de Trabalho Preparando-se Manual de Serviços e Conjunto de Ferramentas Comuns e Cálibre de Lâminas. 1) Faça a seleção de pastilhas do motor da XL 1000 Varadero: Frontal Traseiro Válvulas ADM 1 ADM 2 ESC 1 ESC 2 ADM 1 ADM 2 ESC 1 ESC 2 Medições Folga Medida Pastilha Atual Folga do Manual Pastillha Nova Código Pastilha Nova ADM 1 e 2 (Frontal) ESC 1 e 2 (Frontal) ADM 1 e 2 (Traseiro) ESC 1 e 2 (Traseiro) 20

105 XL 1000 Sistema de Lubrificação Diagrama do Sistema de Lubrificação 21

106 XL 1000 Tabela do Sistema de Lubrificação ITEM Óleo Sugerido PADRÃO MOBIL SUPERMOTO 4T Óleo de Motor Óleo recomendado Classificação API: SF ou superior Viscosidade: SAE 20W50 Após a drenagem Após drenagem/troca de Capacidade de óleo no motor filtro Após a desmontagem Pressão de óleo no interruptor de pressão de óleo 3,4 litros 3,6 litros 4,1 litros 588 Kpa (5,0-6,0 Kgf/cm 2 ) a rpm (80º C) 22

107 XL 1000 Sistema de Arrefecimento Diagrama do Sistema de Arrefecimento 23

108 XL 1000 TABELA DO SISTEMA DE ARREFECIMENTO ITEM PADRÃO Capacidade de líquido de arrefecimento Radiador e motor 2,8 litros Reservatório Pressão de alívio da tampa do radiador 0,5 litros Kpa (1,1-1,4 Kgf/cm², psi) Início de abertura 75-82º C Termostato Comppletamente aberto 82º C Aditivo recomendado Abertura da válvula Mínima de 8 mm Etilinoglicol contendo inibidores de proteção contra corrosão de alta qualidade Concentração padrão 50-50% de etilenoglicol e água destilada 24

109 XL 1000 Sistema de Controle dos Gases de Escape (PAIR) Esta motocicleta também é equipada com dois aquecedores do conversor catalítico de três vias, um conversor catalítico de três vias e um sensor de oxigênio com aquecedor. O conversor catalítico de três vias está dentro do sistema de exaustão. Através de reações químicas eles convertem HC, CO e NO X em dióxido de carbono (CO 2 ), nitrogênio (N 2 ) e vapor d água. Nenhum ajuste neste sistema deve ser feito, somente inspeções periódicas nos componentes são recomendadas. 25

110 XL 1000 NOTAS 26

111 VTX Sumário Motor VTX 1800C... 3 Desmontagem... 3 Tensor Tipo Cunha... 4 Descompressor Automático... 5 Prisioneiros da carcaça... 6 Embreagem... 6 Engrenagem de Distribuição... 8 Seleção de Bronzinas dos Moentes da Árvore de Manivelas Seleção de Bronzina da Carcaça Seleção de Peso da Biela Montagem Válvula de Palheta e Injetor de Óleo Ordem de Ignição Regulagem da Folga de Válvulas: Sistema de Lubrificação Sistema de Arrefecimento Sistema de Controle de Emissões de Gases (Válvula PAIR)

112

113 VTX 1800 Motor VTX 1800C O motor da VTX 1800C, possui a configuração SOHC (simples comando no cabeçote), com 1795 cm 3 de volume, motor em V, com defasagem entre os cilindros de 52º. O motor possui 3 válvulas por cabeçote, sendo 2 de admissão e 1 de escape. Desmontagem A característica deste motor é a configuração em V com defasagem entre os cilindros de 52º. Sendo assim existem duas marcas de referência para desmontagem do motor. Após a remoção da tampa do cabeçote, retire a janela de visualização da tampa direita do motor e gire-o no sentido horário até alinhar a marca FT com a referência da tampa direita do motor colocando os pistões do cilindro frontal no PMS (final da fase de compressão). Verifique se os balancins estão soltos, indicando que as válvulas de admissão (2) e escape (1) estão fechadas. Caso alguma válvula esteja presa gire mais uma volta o motor e alinhe novamente as marcas de referência. Após conferir o ponto do motor, gire a árvore de manivelas para inicialmente remover o parafuso inferior da engrenagem de comando. Após remover o parafusos, retorne o motor ao ponto e solte o parafuso superior. 3

114 VTX 1800 Tensor Tipo Cunha Remova a tensão do tensor tipo cunha, pressionando a cunha B e ao mesmo tempo, com um alicate de pressão levante a cunha A colocando um pino 2 mm para manter o tensor desarmado. Conforme o desgaste da corrente de comando a cunha A é projetada. Caso a altura exposta desta for de 9 mm ou mais, a corrente deve ser substituída. Realize o teste utilizando um paquímetro. Remova a engrenagem de comando e o mancal da árvore de comando com os balancins, soltando os parafusos indicados ao lado na ordem especificada no Manual de Serviços. Remova o eixo de comando e solte o cabeçote na sequência correta. 4

115 VTX 1800 Gire o motor 232º no sentido horário, alinhando a marca RT do gerador de pulsos com a marca de referência da tampa lateral direita. As marcas F e R da engrenagem de comando devem estar faceadas com o cabeçote indicando que o pistão traseiro encontra-se no PMS. Para desmontagem do conjunto siga os mesmos passos descritos para remoção do cabeçote frontal. Descompressor Automático O eixo de comando de escape possui cames de descompressão. A função deste sistema é aliviar o peso do motor no início da fase de compressão. Com a utilização deste sistema e limitação de torque, é possível usar um motor de partida menor e uma bateria menor. Após o funcionamento do motor, o descompressor é desativado, ou seja, não abre mais a válvula de escapamento. Nota: A compressão do cilindro torna-se baixa porque o came de descompressão segura a válvula de escape aberta por um momento após a fase de admissão ser completada. 657 kpa (6.7 kgf/cm 2 a 320 rpm), genericamente 12 a 13 kgf/cm 2 sem descompressão. 5

116 VTX 1800 Remova os cilindros, retirando as travas e a junção de passagem do líquido de arrfecimento. Remova o cilindro e os pistões. NOTA: Coloque um pano em volta da biela para evitar que a trava caia dentro do motor. Prisioneiros da carcaça Se for necessário a substituição dos prisioneiros da carcaça, aplique óleo de motor para a instalação. Verifique a altura dos prisioneiros medindo do ponto mais alto até a superfície da carcaça. Caso os valores estiverem fora do padrão, aperte os novos prisioneiros até adequálos ao valor correto. Embreagem A VTX1800 possui embreagem multi-disco com 8 discos e 7 separadores. O último disco (o mais externo) possui ranhura adicional para a correta instalação no cubo. Para a remoção do conjunto, fixe o cubo utilizando ferramenta especial e solte a porca de fixação. 6

117 VTX 1800 Para diminuir os impactos e ruídos durante a troca de marchas (principalmente primeira), a embreagem possui um sistema de amortecimento. O sistema de amortecimento da embreagem reduz os choque mecânicos e ruídos durante o acoplamento das engrenagens. Quando o sistema da embreagem recebe um torque alto, as molas são totalmente comprimidas e o sistema de amortecimento central da embreagem vai até o fim. Então a força é transmitida para a transmissão. O sistema funciona em ambos os sentidos, tanto acelerando quanto desacelerando. 7

118 VTX 1800 Engrenagem de Distribuição O motor possui uma série de engrenagens para transmitir o movimento da árvore de manivelas aos demais componentes. É de grande importância que durante a montagem dessas engrenagens de distribuição sejam observados as marcas de referência para o correto sincronismo. Para absorver os grandes torques do motor existe um sistema de amortecimento no sistema de transmissão. O amortecedor primário é instalado na extremidade direita da árvore de manivelas. Isto serve para melhorar a dirigibilidade em baixas velocidades. 8

119 VTX 1800 A engrenagem intermediária movida é construída com um balanceiro. Remova o alternador e o contra peso. Após a retirada e desmontagem das tampas laterais esquerda e direita do motor e das engrenagens de distribuição, deve-se proceder à separação das carcaças do motor. Existe um parafuso na carcaça esquerda e os demais na carcaça direita do motor. Separe as carcaças removendo a carcaça direita do motor. 9

120 VTX 1800 A árvore de manivelas possui contrapesos montados nela que não devem ser desmontados. O contrapeso do balanceiro é montado na ponta do eixo do balanceiro. Não é possível ser montado de maneira errada devido ao encaixe assimétrico dos dentes entalhados, conforme as figuras a seguir: Remova o eixo primário do balanceiro e as travas dos rolamentos da transmissão. Remova a arruela, a engrenagem C1, engrenagem C4, arruela e rolamento de agulhas do eixo secundário.. 10

121 VTX 1800 Remova apenas as engrenagens C2, C3, C5 e arruelas do eixo secundário. O eixo deve permanecer no lugar. Remova o eixo primário completo com as engrenagens. EIXO PRIMÁRIO 11

122 VTX 1800 EIXO SECUNDÁRIO NOTAS 12

123 VTX 1800 Procedimento Seleção dos Moentes da Árvore de Manivelas A seleção de bronzinas da biela é muito parecida com a vista anteriormente, ou seja, a biela possui uma marca de referência (número), correspondente ao diâmetro interno da mesma sem a bronzina instalada. As letras localizadas na árvore de manivelas representam os diâmetros externos dos moentes da árvore de manivelas. (DI) BIELA A B (DE) ÁRVORE DE MAN. 55,000-55,008 mm 55,008-55,016 mm 1 51,982-51,990 mm ROSA AMARELO 2 51,974-51,982 mm AMARELO VERDE Para selecionarmos a bronzina correta, devemos cruzar as informações na tabela, de modo a encontrarmos a cor. Ex: Código da biela - 2 Código da árvore de manivelas - B De acordo com a tabela a cor da bronzina é: VERDE 13

124 Exercícios Folha de Trabalho Preparando-se Manual de Serviços e Apostila. 1. Faça a seleção de bronzinas dos moentes de acordo com a tabela abaixo: Diâmetro interno Diâmetro externo da Cor das bronzinas da biela árvove de manivelas 1 A 2 2 A 1 3 B 2 4 A 51,990 mm 5 A 51,988 mm 6 B 51,978mm 7 B 1 8 A 1 9 B 51,980 mm 10 B 51,977 mm 11 B 51,975 mm 12 A 51,996 mm 13 A 51,995 mm 14 A 51,993 mm 15 B 1 16 B 2 17 A 2 18 B 1 (DI) BIELA A B (DE) ÁRVORE DE MAN. 55,000-55,008 mm 55,008-55,016 mm 1 51,982-51,990 mm ROSA AMARELO 2 51,974-51,982 mm AMARELO VERDE 14

125 VTX 1800 Seleção de Bronzina da Carcaça Não existe seleção para a bronzina localizada na carcaça. O procedimento é medir o diâmetro externo do mancal principal (munhão) e verificar se está dentro do limite de uso do Manual de Serviços. Meça o diâmetro externo do munhão da árvore de manivelas e anote valor. Meça o diâmetro interno da carcaça com a bronzina instalada e anote valor. Calcule a folga entre o mancal principal e a carcaça subtraindo os dois valores. Verifique se o valor encontrado está dentro do limite de uso indicado no Manual de Serviços. Seleção de Peso da Biela Um código alfabético de peso é estampado na capa da biela. Se for necessário a substituição da biela, a nova deve, possuir o mesmo código da original. Caso, o código não coincidir, utilizar a nova biela de acordo com a tabela de códigos descrita abaixo: 15

126 VTX 1800 NOTAS 16

127 VTX 1800 Montagem Instale a árvore de manivelas. Instale o eixo primário na carcaça esquerda e as engrenagens C5, C3, C2 no eixo secunário conforme mostrado. Instale o rolamento, arruela e as engrenagens C4 e C1no eixo secundário. Verifique o movimento do conjunto após a instalação. Antes da montagem dos garfos seletores verifique o posicionamento de cada um através das letras gravadas na peça. Instale a capa e a biela com as marcas de referência das bronzinas alinhadas. 17

128 VTX 1800 Confira se os pinos guias estão instalados na carcaça e feche o conjunto fixando a carcaça direita. NOTA: Limpe bem as carcaças antes de aplicar junta líquida. Aperte os parafusos de fixação seguindo a ordem especificada no Manual de Serviços. Instale as correntes de comando. Instale a mola de retorno, arruela, braço posicionador e o parafuso. Pressione a braço posicionador com uma chave de fenda e instale o excêntrico posicionador de marchas alinhando o pino guia da peça com o furo no tambor seletor. Instale o eixo posicionador, não esquecendo da arruela de encosto. 18

129 VTX 1800 Instale a engrenagem motora primária na árvore de manivelas, alinhando a referência presente na ranhura do eixo da árvore de manivelas. Instale a engrenagem movida primária A no eixo intermediário, alinhando sua referência com a referência da engrenagem motora. Após referenciar as engrenagens instale a engrenagem movida B e com o fixador de engrenagem aperte o parafuso de fixação da engrenagem motora primária e a porca de fixação da engrenagem movida primária. Instale a engrengem de acionamento da bomba de óleo e a carcaça externa da embreagem. NOTA: Verifique o faceamento entre as engrenagens da carcaça externa da embreagem e da engrenagem intermediária. 19

130 VTX 1800 Utilizando o fixador da embreagem aperte a porca no torque especificado e instale os 8 discos e 7 separadores alternadamente. Para montagem do contra peso do lado esquerdo do motor basta alinhar a ranhura da peça com a do eixo intermediário. Instale o volante utilizando o fixador de engrenagens na mesma posição que a utilizada para aperto das engrenagens intermediárias e aperte o parafuso no torque especificado. Na montagem da tampa lateral direita, verifique o posicionamento dos parafusos de fixação da tampa e dos parafusos especiais de fixação das tampas dos coxins de borracha de acordo com a figura abaixo. NOTA: Os parafusos utilizados nas tampas dos coxins são diferentes, então tenha atenção durante a montagem. 20

131 VTX 1800 Monte os anéis e verifique se correm livremente pelas caneletas. Distâncie suas aberturas em 120º uma com a outra e verifique se as marcas de referência estão voltadas para cima. NOTA: Os pistões da VTX não possuem marca de referência para montagem, podendo ser montados em qualquer posição em relação ao cilindro. Deve-se ter uma atenção especial durante a desmontagem para que o mesmo seja montado na posição original. Instale os cilindros aplicando óleo para motor no pistão, anéis e camisa e utilizando a base de fixação para pistão. NOTA: Os cilindros possuem marcas de identificação F e R para não ocorrer inversão durante a montagem. Válvula de Palheta e Injetor de Óleo A carcaça do motor apresenta uma válvula de palheta que tem a função de manter a pressão negativa no bloco do motor durante a subida do pistão e aliviar a pressão durante a descida, evitando danos a retentores e vazamento de óleo do motor. O motor também possui injetores de óleo localizados abaixo do pistão que garantem a lubrificação do pistão, anéis, camisa e pino. 21

132 VTX 1800 Instale os cabeçotes e aperte dentro do torque especificado no Manual de Serviços. Iniciar a montagem pelo cabeçote dianteiro, alinhando a marca FT do gerador de pulsos com a marca da tampa direita do motor. Instale a engrenagem de comando alinhando as marcas F e R com o cabeçote e então instale o eixo de comando com os ressaltos voltados para baixo. NOTA: Atenção para a posição de instalação do gerador de pulsos do sensor CMP. Gire o motor 232º alinhando a marca RT da engrenagem motora primária com a marca de referência da tampa lateral direita. Verifique se as marcas da engrenagem de comando se alinham com o cabeçote e siga os mesmos procedimentos realizado com o cabeçote dianteiro. NOTA: Se a montagem for iniciada pelo cabeçote traseiro é necessário girar o motor 488º para então montar o cabeçote dianteiro no ponto. Os eixos de comando também possuem as marcas F e R para evitar inversões na montagem. 22

133 VTX 1800 Ordem de Ignição A ordem de ignição do motor da VTX 1800 ocorre da seguinte forma: Quando ocorre a fase de compressão no cilindro frontal e ao final desta a queima da mistura ar-combustível, o motor gira exatos 232º para que o cilindro traseiro também atinja a fase de compressão, conforme mostrado no diagrama. Para chegar novamente a fase de compressão no cilindro dianteiro são necessário 488º de giro da árvore de manivelas, ou seja, 360º (volta completa) + 128º (defasagem entre os cilindros). Portanto a ordem de ignição fica da seguinte forma à partir da queima do cilindro frontal: Frontal + 232º Traseiro + 488º Frontal + 232º Traseiro e assim por diante. Regulagem da Folga de Válvulas: A regulagem das válvulas deve seguir a mesma ordem mostrada na ignição, ou seja, colocar o cilindro frontal no ponto alinhando a marca FT e o alinhamento das marcas da engrenagem de comando e regulas as três válvulas (2 de admissão e 1 de escape). Girar o motor 232º alinhando a marca RT e realizar o mesmo procedimento com o cabeçote traseiro. Outra forma é iniciar pelas válvulas do cabeçote traseiro alinhando a marca RT, então gire a árvore de manivelas 488º para então regulas as válvulas do cabeçote dianteiro. 23

134 VTX 1800 NOTAS 24

135 VTX 1800 Sistema de Lubrificação Diagrama do Sistema de Lubrificação 25

136 VTX 1800 Tabela do Sistema de Lubrificação ITEM Óleo Sugerido PADRÃO MOBIL SUPERMOTO 4T Óleo de Motor Óleo recomendado Classificação API: SF ou superior Viscosidade: SAE 20W50 Após a drenagem Após drenagem/troca de Capacidade de óleo no motor filtro Após a desmontagem Pressão de óleo no interruptor de pressão de óleo 3,5 litros 3,7 litros 4,5 litros 530 Kpa (5,4 Kgf/cm 2 ) a rpm (80º C) 26

137 VTX 1800 Sistema de Lubrificação A VTX1800 possui cárter seco, proporcionando desta maneira uma redução na altura do motor. O sistema possui duas bombas de oleo, uma principal alimentando todo o sistema e uma bomba escrava mandando o óleo do compartimento da árvore de manivelas para o compartimento da transmissão. O reservatório de óleo lubrificante fica junto com a transmissão, conforme as figuras a seguir. 27

138 VTX 1800 Para efetuar a verificação de óleo proceda da seguinte maneira: 1 - Coloque a moto numa superfície plana. 2 - De partida no motor e deixe funcionar em lenta por 5 minutos. Se a temperatura ambiente estiver abaixo de 10ºC, deixe funcionar por mais 5 minutos (total de 10 min). Não acione o acelerador ou a medição será errada. 3 - Desligue o motor, e após alguns minutos meça o nível de óleo. Lembrar de retirar a vareta de nível, limpá-la e não rosquear ao efetuar a medição. NOTAS 28

139 VTX 1800 Sistema de Arrefecimento Diagrama do Sistema de Arrefecimento 29

140 VTX 1800 Tabela do Sistema de Arrefecimento ITEM PADRÃO Capacidade de líquido de arrefecimento Radiador e motor 2,60 litros Reservatório Pressão de alívio da tampa do radiador 0,46 litros Kpa (1,1-1,4 Kgf/cm², psi) Início de abertura 80-84º C Termostato Completamente aberto 95º C Aditivo recomendado Abertura da válvula Mínima de 8 mm Etilenoglicol contendo inibidores de proteção contra corrosão de alta qualidade Concentração padrão 50-50% de etilenoglicol e água destilada 30

141 VTX 1800 Sistema de Controle de Emissões de Gases (Válvula PAIR) Consiste em um sistema de suprimentos de ar secundário que introduz ar filtrado dentro de saída de gases de escape. O ar filtrado chega até a saída de escape através da passagem pela válvula PAIR (Pulse Secondary Air Injection). Essa carga de ar filtrado promove a queima de gases não queimados durante a combustão e transforma uma quantidade considerável de monóxido de carbono e hidrocarbonetos em dióxido de carbono e vapor d água. A válvula de palheta evita o retorno dos gases. A válvula PAIR é operada por uma solenóide que por sua vez é controlada pelo módulo (ECM) e a passagem de ar filtrado é controlada através de informações dos sensores ECT, IAT, MAP, THP e das rotações do motor. Nenhum ajuste deve ser realizado na válvula PAIR, apenas inspeções periódicas medindo o valor de sua resistência. 31

COMO USAR ESTE MANUAL ÍNDICE GERAL INFORMAÇÕES GERAIS...2 CB400

COMO USAR ESTE MANUAL ÍNDICE GERAL INFORMAÇÕES GERAIS...2 CB400 CB400 COMO USAR ESTE MANUAL Este suplemento contém informações complementares para a manutenção, inspeção e reparos das motocicletas HONDA CB400. Consulte o Manual de Serviços das motocicletas HONDA CB450E

Leia mais

7. CABEÇOTE/VÁLVULAS INFORMAÇÕES DE SERVIÇO 7-1 NX-4 FALCON

7. CABEÇOTE/VÁLVULAS INFORMAÇÕES DE SERVIÇO 7-1 NX-4 FALCON NX-4 FALCON 7. CABEÇOTE/VÁLVULAS INFORMAÇÕES DE SERVIÇO 7-1 DIAGNOSE DE DEFEITOS 7-3 COMPRESSÃO DO CILINDRO 7-4 REMOÇÃO DA TAMPA DO CABEÇOTE 7-5 DESMONTAGEM DA TAMPA DO 7-6 CABEÇOTE REMOÇÃO DA ÁRVORE DE

Leia mais

SISTEMA I MOTION. FOX - I Motion

SISTEMA I MOTION. FOX - I Motion SISTEMA I MOTION FOX - I Motion Professor SCOPINO Técnico e Administrador da Auto Mecânica Scopino Professor do Umec Universo do Mecânico Ex-Professor do Senai Diretor do Sindirepa-SP Consultor do Jornal

Leia mais

Seção 9 PISTÕES - ANÉIS - BIELAS

Seção 9 PISTÕES - ANÉIS - BIELAS Seção 9 PISTÕES - ANÉIS - BIELAS Índice da seção Página Bielas Montagem da biela no pistão... 4 Verificação Instalação... 7 Remoção Torque... 8 Pistões Montagem do pistão na biela... 4 Verificação do desgaste

Leia mais

General Motors do Brasil Ltda. Assunto: Motor completo. Catálogo Eletrônico de Peças Edição: Maio 2004 Data de Impressão: 29/7/2006

General Motors do Brasil Ltda. Assunto: Motor completo. Catálogo Eletrônico de Peças Edição: Maio 2004 Data de Impressão: 29/7/2006 Clube Calibra Brasil www.clubecalibra.com.br Assunto: Motor completo Assunto: Motor completo 1 1994/1995 W AS/M-14004973 MOTOR conjunto 90500556 1 1 1994/1995 W AP/M-14004974 MOTOR conjunto 90501783

Leia mais

Em caso de não encontrar, ligue ( 0xx11 ) 2018-0501

Em caso de não encontrar, ligue ( 0xx11 ) 2018-0501 DSL0067 BUCHA BRAÇO TENSOR TOPIC DSL0058 Bucha Barra Estabilizadora topic DSL0083 Bucha Jumelo Traseiro topic DSL0001 ROLAMENTO GUIA DSL0008 Junta do Carter topic DSL0009 Fechadura Porta Deslizante topic

Leia mais

CSR/Instruções de inspeção para técnicos

CSR/Instruções de inspeção para técnicos INSTRUÇÕES DE INSPEÇÃO Escavadeiras CSR/Instruções de inspeção para técnicos Esta instrução é um recurso técnico informal. Para obter especificações e procedimentos corretos, refira-se sempre às instruções

Leia mais

Descrever o princípio de funcionamento dos motores Ciclo Otto Identificar os componentes básicos do motor.

Descrever o princípio de funcionamento dos motores Ciclo Otto Identificar os componentes básicos do motor. Objetivos Descrever o princípio de funcionamento dos motores Ciclo Otto Identificar os componentes básicos do motor. Descrição Neste módulo são abordados os princípios de funcionamento do motor Ciclo Otto,

Leia mais

APOSTILA DE MANUTENÇÃO - Compactador RAM 70 (Honda) -

APOSTILA DE MANUTENÇÃO - Compactador RAM 70 (Honda) - APOSTILA DE MANUTENÇÃO 1- OBJETIVO. Apresentar os passos necessários para a manutenção do compactador RAM70 com motor Honda GX120. 2- PASSOS DE DESMONTAGEM / MONTAGEM. Retirar filtro de ar. Retirar mangueira

Leia mais

AJUSTADORES AUTOMÁTICOS DE FREIO JUNHO 2012

AJUSTADORES AUTOMÁTICOS DE FREIO JUNHO 2012 AJUSTADORES AUTOMÁTICOS DE FREIO JUNHO 2012 Conheça o funcionamento, diagnóstico e reparo do ajustador de freio automático, um componente primordial para segurança, aplicado em veículos pesados. Que a

Leia mais

Carolina Vilanova. 26/12/13 www.omecanico.com.br/modules/revista.php?action=printout&recid=423. Desmontagem e dicas da caixa VW

Carolina Vilanova. 26/12/13 www.omecanico.com.br/modules/revista.php?action=printout&recid=423. Desmontagem e dicas da caixa VW Desmontagem e dicas da caixa VW Vamos apresentar nessa reportagem as características, dicas de manutenção, desmontagem e montagem da caixa de câmbio MQ200, que em suas várias aplicações, equipa a maioria

Leia mais

EMBREAGEM ELISEU FIGUEIREDO NETO

EMBREAGEM ELISEU FIGUEIREDO NETO EMBREAGEM ELISEU FIGUEIREDO NETO EMBREAGEM O conjunto embreagem é o componente mecânico, responsável pela transmissão da potência do motor para a caixa de câmbio. A embreagem possui basicamente 3 funções;

Leia mais

Linha de Empilhadeiras LEG25 e LED30

Linha de Empilhadeiras LEG25 e LED30 Linha de Empilhadeiras LEG25 e LED30 Manual de peças Empilhadeira ÍNDICE 01 02 03 04 05 06 07 08 09 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 31 32 33 34 Montagem Da Transmissão Transmissão

Leia mais

Seção 12 Conjunto do motor

Seção 12 Conjunto do motor Seção 12 Conjunto do motor Página CONJUNTO DO MOTOR... 164 Instalação do virabrequim... 164 Instale o pistão e a biela... 164 Instalação do eixo de cames... 164 Instalação da bomba de óleo... 165 Instalação

Leia mais

ASSISTÊNCIA TÉCNICA TABELA DE TEMPOS VEÍCULOS LINHA LEVE

ASSISTÊNCIA TÉCNICA TABELA DE TEMPOS VEÍCULOS LINHA LEVE ASSISTÊNCIA TÉCNICA TABELA DE TEMPOS VEÍCULOS LINHA LEVE Na realização destes trabalhos foram utilizadas todas as ferramentas especiais e equipamentos recomendados pelo Departamento de Assistência Técnica

Leia mais

Instruções para Implementadores Volvo Truck Corporation

Instruções para Implementadores Volvo Truck Corporation Instruções para Implementadores Volvo Truck Corporation Características Construtivas Tomada de Força VM Contents Generalidades, página 2 Tomada de força montada na caixa de mudanças, página 2 Tomada de

Leia mais

Bomba injetora: todo cuidado é pouco

Bomba injetora: todo cuidado é pouco Bomba injetora: todo cuidado é pouco Bomba injetora: todo cuidado é pouco Veja como identificar os problemas da bomba injetora e retirá-la corretamente em casos de manutenção Carolina Vilanova A bomba

Leia mais

MANUAL DE SERVIÇOS VBLADE 250CC

MANUAL DE SERVIÇOS VBLADE 250CC MANUAL DE SERVIÇOS VBLADE 250CC INTRODUÇÃO Este manual foi elaborado pela Sundown para ser utilizado pelas suas revendas autorizadas, em seu departamento técnico onde se pressupõe que seus mecânicos tenham

Leia mais

CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS

CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS Página 1 de 9 Informativo nº 9 VENTILADOR DE MESA 30cm VENTNK1200 ASSUNTO: Lançamento. CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS Alimentação: Cor: Potência do aparelho: Consumo de energia: Característica diferencial: Período

Leia mais

Projeto de retífica motor MPLM 301 Javali CBT

Projeto de retífica motor MPLM 301 Javali CBT Projeto de retífica motor MPLM 301 Javali CBT Análise de falas e comparativo com motores Bloco de cilindros: O bloco de cilindros do Javali é do tipo construtivo Bloco Cilíndrico, onde o cilindro é usinado

Leia mais

A manutenção preventiva é de suma importância para prolongar a vida útil da máquina e suas partes. Abaixo, algumas dicas de manutenção preventiva:

A manutenção preventiva é de suma importância para prolongar a vida útil da máquina e suas partes. Abaixo, algumas dicas de manutenção preventiva: Manutenção Preventiva e Corretiva de Rosqueadeiras Manual de Manutenção: Preventivo / Corretivo Preventivo: Toda máquina exige cuidados e manutenção preventiva. Sugerimos aos nossos clientes que treinem

Leia mais

Seção 9 Cilindros e protetores/reservatórios do cárter

Seção 9 Cilindros e protetores/reservatórios do cárter Seção 9 Cilindros e protetores/reservatórios do cárter Página CILINDROS... 150 Inspeção e medição... 150 Retificação de cilindros... 150 Acabamento... 151 Limpeza... 151 MANCAIS DE MOTOR... 152 Mancal

Leia mais

DEPARTAMENTO ESTADUAL DE TRÂNSITO DE ALAGOAS - DETRAN/AL QUESTÕES SOBRE MECÂNICA

DEPARTAMENTO ESTADUAL DE TRÂNSITO DE ALAGOAS - DETRAN/AL QUESTÕES SOBRE MECÂNICA A quilometragem percorrida pelo veículo é indicada pelo: 1 velocímetro. 2 hodômetro. 3 manômetro. 4 conta-giros. O termômetro é utilizado para indicar a temperatura: 1 do motor. 2 do combustível. 3 no

Leia mais

GP MOTORCRAFT PROVA ONLINE E GABARITO (2015)

GP MOTORCRAFT PROVA ONLINE E GABARITO (2015) GP MOTORCRAFT PROVA ONLINE E GABARITO (2015) Respostas certas destacadas em amarelo 1) Qual o serviço adicional deve ser feito ao substituir o compressor do ar condicionado? Trocar o filtro secador. Examinar

Leia mais

Galoneira Industrial série ZJ-W562

Galoneira Industrial série ZJ-W562 Galoneira Industrial série ZJ-W562 Instruções de Segurança IMPORTANTE Antes de utilizar sua máquina, leia atentamente todas as instruções desse manual. Ao utilizar a máquina, todos os procedimentos de

Leia mais

Manual de Reparações. MR 2 2002-07-31 EuroTech Motor Nova edição 31-08-2009. Motor. EuroTech. Descrição de Reparações

Manual de Reparações. MR 2 2002-07-31 EuroTech Motor Nova edição 31-08-2009. Motor. EuroTech. Descrição de Reparações Manual de Reparações MR 2 2002-07-31 EuroTech Motor Nova edição 31-08-2009 Motor EuroTech Descrição de Reparações Índice Características gerais 7 Dados técnicos de montagem 10 Diagnose 17 Seção longitudinal

Leia mais

3. TESTE DE MOTOR INFORMAÇÕES DE SERVIÇO DIAGNÓSTICO DE DEFEITOS 3-1 INFORMAÇÕES DE SERVIÇO 3-1 DIAGNÓSTICO DE DEFEITOS 3-1 TESTE DE COMPRESSÃO 3-2

3. TESTE DE MOTOR INFORMAÇÕES DE SERVIÇO DIAGNÓSTICO DE DEFEITOS 3-1 INFORMAÇÕES DE SERVIÇO 3-1 DIAGNÓSTICO DE DEFEITOS 3-1 TESTE DE COMPRESSÃO 3-2 3. TESTE DE MOTOR INFORMAÇÕES DE SERVIÇO 3-1 DIAGNÓSTICO DE DEFEITOS 3-1 TESTE DE COMPRESSÃO 3-2 INFORMAÇÕES DE SERVIÇO 3 O teste de compressão fornece informações importantes sobre a condição mecânica

Leia mais

Componentes do Ponto de Distribuição

Componentes do Ponto de Distribuição Componentes do Ponto de Distribuição Ferramenta(s) Especial(ais) Placa de Alinhamento, Árvore de Comando de Válvulas 303-D039 ou similar Remoção CUIDADO: durante os procedimentos de reparo, a limpeza é

Leia mais

PLANO DE MANUTENÇÃO. incl. Planos A + B + B1 execução. rotinas + procedimentos FROTA SIM - SISTEMA INTEGRADO DE MANUTENÇÃO

PLANO DE MANUTENÇÃO. incl. Planos A + B + B1 execução. rotinas + procedimentos FROTA SIM - SISTEMA INTEGRADO DE MANUTENÇÃO PLANO DE MANUTENÇÃO C incl. Planos A + B + B1 execução rotinas + procedimentos FROTA OPERAÇÃO URBANA 1) Principais objetivos : Avaliação anual (aproxim.) do estado mecânico do veículo Acertos mecânicos

Leia mais

Embalagem Breve histórico: Nytron é uma empresa líder no mercado de reposição de polias e tensionadores; Produzindo 306 itens para reposição; Abastece todo mercado nacional,através dos mais importantes

Leia mais

6 Manutenção de Tratores Agrícolas

6 Manutenção de Tratores Agrícolas 6 Manutenção de Tratores Agrícolas 6.1 Introdução Desenvolvimento tecnológico do país Modernização da agricultura Abertura de novas fronteiras agrícolas Aumento no uso de MIA Aumento da produtividade Maiores

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE BARRA DE SÃO FRANCISCO

PREFEITURA MUNICIPAL DE BARRA DE SÃO FRANCISCO Objetivo: Contratação de empresa para fornecimento de peças e serviços, para manutenção da frota de veículos desta municipalidade, confome Termo de Referência e Anexo I deste Edital. Lote: 00001 Item(*)

Leia mais

COMO MEDIR A PRESSÃO DO ÓLEO

COMO MEDIR A PRESSÃO DO ÓLEO Página 1 de 6 COMO MEDIR A PRESSÃO DO ÓLEO MOTOR WILLYS 6 CILINDROS BF-161 Com uma simples medição da pressão do óleo você pode avaliar o estado geral do seu motor Willys seja ele novo ou usado e evitar

Leia mais

www.zoje.com.br Manual ZJ8700 Montagem e Operacional

www.zoje.com.br Manual ZJ8700 Montagem e Operacional Manual ZJ8700 Montagem e Operacional MANUAL DE INSTRUÇÕES Para obter o máximo das muitas funções desta máquina e operá-la com segurança, é necessário usá-la corretamente. Leia este Manual de Instruções

Leia mais

Manual de Montagem, Operação e Manutenção. Aparelho de Levantamento. Série B200

Manual de Montagem, Operação e Manutenção. Aparelho de Levantamento. Série B200 Manual de Montagem, Operação e Manutenção Aparelho de Levantamento Série B200 Português Índice Página 1 Aplicação e características gerais 1 Aplicação e características gerais 3 1.1 Aplicação 3 1.2 Características

Leia mais

CATÁLOGO TÉCNICO COMPRESSOR - MSV 6/50 - DENTAL SPLIT - 1 ESTÁGIO - 120 psig

CATÁLOGO TÉCNICO COMPRESSOR - MSV 6/50 - DENTAL SPLIT - 1 ESTÁGIO - 120 psig SCHULZ: INÍCIO DE FABRICAÇÃO - ABRIL/005 CATÁLOGO TÉCNICO COMPRESSOR - MSV 6/ - DENTAL SPLIT - 1 ESTÁGIO - 10 psig CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS ISENTO DE ÓLEO L C DESLOCAMENTO TEÓRICO pés /min PRESSÃO MÁX.

Leia mais

Manual de Instruções e Lista de Peças

Manual de Instruções e Lista de Peças Manual de Instruções e Lista de Peças Linha Overloque de Alta Velocidade 321C- 131M-04 132M-015 133M-04 /TF 134M-04 241M-24 / 25 243M-24 / TF 244M-24 251M-35 251M-55 251H-56 Singer é uma marca registrada

Leia mais

Manual de Instruções e Lista de Peças. Máquina de Corte Circular de Tecido 950C

Manual de Instruções e Lista de Peças. Máquina de Corte Circular de Tecido 950C Manual de Instruções e Lista de Peças Máquina de Corte Circular de Tecido 950C 104A 104B Singer é uma marca registrada da The Singer Company Limited ou suas afiliadas. 2009 Copyright The Singer Company

Leia mais

Sumário. FS 6209 Manual de Serviços

Sumário. FS 6209 Manual de Serviços FS 6209 Sumário Seção A Visão geral da transmissão FS6209 Transmissão Eaton Synchromesh 9 velocidades Descrição do modelo 1 Identificação da transmissão 1 Descrição Geral 2 Características 2 O Sistema

Leia mais

Máquina de Costura Industrial Reta ZJ-9600. Manual de Montagem

Máquina de Costura Industrial Reta ZJ-9600. Manual de Montagem Máquina de Costura Industrial Reta ZJ-9600 Manual de Montagem ÍNDICE . Instalação do Reservatório de Óleo Primeiramente fixe as duas borrachas diretamente na mesa usando os pregos, conforme a figura. Em

Leia mais

GUIA DE LOCALIZAÇÃO DE PEÇAS PARA GVE

GUIA DE LOCALIZAÇÃO DE PEÇAS PARA GVE ESTADO DE SANTA CATARINA SECRETARIA DE ESTADO DA ADMINISTRAÇÃO DIRETORIA DE GESTÃO PATRIMÔNIAL GERÊNCIA DE BENS MÓVEIS GUIA DE LOCALIZAÇÃO DE PEÇAS PARA GVE G E 2007 1 2 ESTADO DE SANTA CATARINA SECRETARIA

Leia mais

A Importância dos Anéis nos Motores a Combustão Interna

A Importância dos Anéis nos Motores a Combustão Interna A Importância dos Anéis nos Motores a Combustão Interna Rendimento e Potência Motor máquina térmica Vedação da compressão Taxa Dissipação do calor 450º - 320º Maior taxa=potência =economia Consumo de Óleo

Leia mais

19. INFORMAÇÕES DE SERVIÇO 19-1 LUZES/INDICADORES/ INTERRUPTORES NX-4 FALCON

19. INFORMAÇÕES DE SERVIÇO 19-1 LUZES/INDICADORES/ INTERRUPTORES NX-4 FALCON NX-4 FALCON 19. LUZES/INDICADORES/ INTERRUPTORES LOCALIZAÇÃO DO SISTEMA 19-0 INFORMAÇÕES DE SERVIÇO 19-1 SUBSTITUIÇÃO DAS LÂMPADAS 19-3 PAINEL DE INSTRUMENTOS 19-5 TACÔMETRO 19-9 SENSOR DO NÍVEL DE COMBUSTÍVEL

Leia mais

Esse catálogo compreende motores e geradores com funcionamento diesel.

Esse catálogo compreende motores e geradores com funcionamento diesel. Esse catálogo compreende motores e geradores com funcionamento diesel. ÍNDICE BLOCO MOTOR E COMPONENTES... 01 CABEÇOTE E COMPONENTES - COMANDO DE VÁLVULAS... 02 VIRABREQUIM E COMPONENTES SISTEMA DE ARRANQUE...

Leia mais

Manual de Serviços. Sundown 90cc. Hunter 90

Manual de Serviços. Sundown 90cc. Hunter 90 Manual de Serviços Sundown 90cc Hunter 90 INTRODUÇÃO PREFÁCIO... ii USO DO MANUAL... iii NOTAS IMPORTANTES DE SEGURANÇA... iv PROTEÇÃO AO MEIO AMBIENTE... v NÍVEL DE RUÍDOS... v NÍVEIS DE EMISSÕES... v

Leia mais

PLANO DE MANUTENÇÃO DE EQUIPAMENTOS DA PRODUÇÃO

PLANO DE MANUTENÇÃO DE EQUIPAMENTOS DA PRODUÇÃO Pág.: 1 de 10 Identificação do equipamento ELEVADOR DE PASSAGEIROS E CARGAS Com Relação às Torres: Prumo; Espessura da parede do tubo; Resistência e nivelamento da base; Estaiamento; Aterramento elétrico

Leia mais

COMPANHIA DE ENGENHARIA DE TRÁFEGO Certificação de Competências

COMPANHIA DE ENGENHARIA DE TRÁFEGO Certificação de Competências COMPANHIA DE ENGENHARIA DE TRÁFEGO Certificação de Competências CARGO AGENTE DE MANUTENÇÃO DE VEÍCULOS Área de Concentração: Mecânica de Autos 1. Um dos primeiros motores conhecidos foi a máquina a vapor

Leia mais

Instruções para o Motorista

Instruções para o Motorista Eaton Fuller Heavy Duty Transmissions Instruções para o Motorista Fuller Heavy Duty Transmissions FTS- XX108LL Abril 2009 CUIDADOS Leia completamente as instruções para o motorista antes de operar a transmissão.

Leia mais

Motores de Combustão Interna MCI

Motores de Combustão Interna MCI Motores de Combustão Interna MCI Aula 3 - Estudo da Combustão Componentes Básicos dos MCI Combustão Combustão ou queima é uma reação química exotérmica entre um substância (combustível) e um gás (comburente),

Leia mais

Manual do Usuário. Produto LUBE-SEAL. Versão: LUBE-SEAL Manual V1.0 Data: 13/10/2006 Escrito por: Marcelo da Silveira Petter Prada dos Santos

Manual do Usuário. Produto LUBE-SEAL. Versão: LUBE-SEAL Manual V1.0 Data: 13/10/2006 Escrito por: Marcelo da Silveira Petter Prada dos Santos Manual do Usuário Produto Versão: Manual V1.0 Data: 13/10/2006 Escrito por: Marcelo da Silveira Petter Prada dos Santos SUMÁRIO SUMÁRIO 2 1. TERMOS E CONVENÇÕES 4 2. INFORMAÇÕES GERAIS 5 2.1. Dados do

Leia mais

REBITADEIRA HIDROPNEUMÁTICA RF06

REBITADEIRA HIDROPNEUMÁTICA RF06 m a n u a l REBITADEIRA HIDROPNEUMÁTICA RF06 1 2 ÍNDICE Rebitadeira Hidropneumática RF06... 04 Características da ferramenta... 04 Recomendações... 05 Especificações de regulagem... 06 Manutenção... 12

Leia mais

Sistema de Lubrificação dos Motores de Combustão Interna. Sistemas auxiliares dos motores

Sistema de Lubrificação dos Motores de Combustão Interna. Sistemas auxiliares dos motores Sistema de Lubrificação dos Motores de Combustão Interna Sistemas auxiliares dos motores SISTEMA DE LUBRIFICAÇÃO O sistema de lubrificação tem como função distribuir o óleo lubrificante entre partes móveis

Leia mais

Manual PORTA PLACAS. Rev 00-12/07/2012 pág - 1 de 21

Manual PORTA PLACAS. Rev 00-12/07/2012 pág - 1 de 21 Rev 00-12/07/2012 pág - 1 de 21 Manual PORTA PLACAS Rev 00-12/07/2012 pág - 2 de 21 Índice CERTIFICADO ISO 9001:2008 DESENHO DE OPERAÇÃO MANUAL DE OPERAÇÃO DESENHO DE CONJUNTO TABELAS DIMENSIONAIS Histórico

Leia mais

Ciclo de motor de combustão interna, que se completa em duas revoluções(rotação) da árvore de manivelas.

Ciclo de motor de combustão interna, que se completa em duas revoluções(rotação) da árvore de manivelas. 1 3.0 Descrição do Funcionamento dos Motores O conjunto de processo sofrido pelo fluido ativo que se repete periodicamente é chamado de ciclo. Este ciclo pode acontecer em 2 ou 4 tempos. Figura 3: Nomenclatura

Leia mais

Para peças de reposição e Discos de Plantio acesse nossa Loja Virtual: www.knapik.com.br

Para peças de reposição e Discos de Plantio acesse nossa Loja Virtual: www.knapik.com.br Para peças de reposição e Discos de Plantio acesse nossa Loja Virtual: www.knapik.com.br INDÚSTRIA MECÂNICA KNAPIK LTDA - EPP Rua Prefeito Alfredo Metzler, 480 - Bairro Santa Rosa - Porto União - SC Site:

Leia mais

MANUAL TÉCNICO ELÉTRICO MUNDI ÔNIBUS RODOVIÁRIO APLICAÇÕES INSTALAÇÃO MANUTENÇÃO

MANUAL TÉCNICO ELÉTRICO MUNDI ÔNIBUS RODOVIÁRIO APLICAÇÕES INSTALAÇÃO MANUTENÇÃO MANUAL TÉCNICO ELÉTRICO MUNDI ÔNIBUS RODOVIÁRIO APLICAÇÕES INSTALAÇÃO MANUTENÇÃO 2 IMPORTANTE A BRAPAX e seus Distribuidores Autorizados advertem que a seleção imprópria, falha ou uso incorreto dos produtos

Leia mais

Informações de serviço... 4-2. tabela de manutenção... 4-4. Linha de combustível... 4-6. Funcionamento do acelerador... 4-6. Filtro de ar...

Informações de serviço... 4-2. tabela de manutenção... 4-4. Linha de combustível... 4-6. Funcionamento do acelerador... 4-6. Filtro de ar... 4. manutenção Informações de serviço... 4-2 tabela de manutenção... 4-4 Linha de combustível... 4-6 Funcionamento do acelerador... 4-6 Filtro de ar... 4-7 4 Tubo de drenagem da carcaça do filtro de ar...

Leia mais

Pulverizadores costais manuais. Prof.: Brandão

Pulverizadores costais manuais. Prof.: Brandão Pulverizadores costais manuais Prof.: Brandão PULVERIZADORES COSTAIS Operação Manutenção Regulagem da pulverização PJH O QUE É UM PULVERIZADOR COSTAL MANUAL? - Os pulverizadores Costais Manuais são equipamentos

Leia mais

Manual de instalação, operação e manutenção. Bomba centrífuga CS

Manual de instalação, operação e manutenção. Bomba centrífuga CS Manual de instalação, operação e manutenção Bomba centrífuga CS .Segurança. Informação Importante.2 Sinais de Aviso Este manual salienta os procedimentos incorretos e outras informações importantes. Os

Leia mais

SPORT 110 CABEÇOTE/CILINDRO

SPORT 110 CABEÇOTE/CILINDRO SPORT 110 CABEÇOTE/CILINDRO SEQ. CODIGO PEÇA DESCRIÇÃO 1 FOX-M1187-00 COBERTURA, CILINDRO LE 1 2 SUP-M1186-00 TAMPA, VALVULAS 2 3 12313-063-0000 PORCA CAPA 4 4 12246-063-0000 ANEL 30.8X3.2 2 5 12135-063-0000

Leia mais

DESMONTADORA/MONTADORA DE PNEUS

DESMONTADORA/MONTADORA DE PNEUS DESMONTADORA/MONTADORA DE PNEUS MANUAL DE OPERAÇÃO 1 Índice Introdução... 3 Limitações de Uso... 3 Instruções Gerais de Segurança... 3 Especificações Técnicas... 4 Descrição da STC-210... 5 Acessórios

Leia mais

CATÁLOGO DE PEÇAS XY200-5 RACING

CATÁLOGO DE PEÇAS XY200-5 RACING RACING CHASSI ÍNDICE ELÉTRICA ÍNDICE CHASSI... 04 GUIDÃO... 06 CARENAGEM DO FAROL... 10 SISTEMA DE DIREÇÃO... 12 SUSPENSÃO DIANTEIRA... 14 PARALAMA DIANTEIRO... 16 CAVALETES... 18 PEDALEIRAS... 20 SUSPENSÃO

Leia mais

P0001 Controle regulador de volume de combustível Circuito aberto P0002 Controle regulador de volume de combustível Faixa/desempenho P0003 Controle

P0001 Controle regulador de volume de combustível Circuito aberto P0002 Controle regulador de volume de combustível Faixa/desempenho P0003 Controle P0001 Controle regulador de volume de combustível Circuito aberto P0002 Controle regulador de volume de combustível Faixa/desempenho P0003 Controle regulador de volume de combustível circuito baixo P0004

Leia mais

-MANUAL DE INSTRUÇÕES; -LISTA DE PEÇAS. PALETEIRA MÜLLER 3T

-MANUAL DE INSTRUÇÕES; -LISTA DE PEÇAS. PALETEIRA MÜLLER 3T -MANUAL DE INSTRUÇÕES; -LISTA DE PEÇAS. PALETEIRA MÜLLER 3T NOTA: O operador deve LER o Manual de Instruções antes de utilizar a Paleteira Müller 3T. Obrigado por ter escolhido e utilizar a Paleteira Müller

Leia mais

ZJ20U93 Montagem e Operacional

ZJ20U93 Montagem e Operacional www.zoje.com.br ZJ20U93 Montagem e Operacional ÍNDICE 1. Aplicação...2 2. Operação segura...2 3. Cuidados antes da operação...2 4. Lubrificação...2 5. Seleção da agulha e do fio...3 6. A Inserção da agulha...3

Leia mais

PRODUTOS E SERVIÇOS EM FORÇA E ENERGIA

PRODUTOS E SERVIÇOS EM FORÇA E ENERGIA PRODUTOS E SERVIÇOS EM FORÇA E ENERGIA CATÁLOGO DE PEÇAS GASOLINA GERADORES MOTORES Esse catálogo compreende motores e geradores com funcionamento T (gasolina). ÍNDICE BLOCO MOTOR E COMPONENTES... 0 CABEÇOTE

Leia mais

Concurso Público para Cargos Técnico-Administrativos em Educação UNIFEI 13/06/2010

Concurso Público para Cargos Técnico-Administrativos em Educação UNIFEI 13/06/2010 Questão 21 Conhecimentos Específicos - Técnico em Mecânica A respeito das bombas centrífugas é correto afirmar: A. A vazão é praticamente constante, independentemente da pressão de recalque. B. Quanto

Leia mais

DESMONTAGEM E MONTAGEM DE MOTOR DE VECTRA. RETIRADO DO FORUM DO VECTRA.

DESMONTAGEM E MONTAGEM DE MOTOR DE VECTRA. RETIRADO DO FORUM DO VECTRA. Dimensionamento de Turbocompressores. DESMONTAGEM E MONTAGEM DE MOTOR DE VECTRA. RETIRADO DO FORUM DO VECTRA. Meu VCD já vinha apresentando o problema de fumacear na partida há algum tempo (o problema

Leia mais

CRF450X5 CRF450X6 CATÁLOGO DE PEÇAS 00X1B-MEY-001. Moto Honda da Amazônia Ltda. 2006

CRF450X5 CRF450X6 CATÁLOGO DE PEÇAS 00X1B-MEY-001. Moto Honda da Amazônia Ltda. 2006 5 6 CATÁLOGO DE PEÇAS 1 00X1B-MEY-001 Moto Honda da Amazônia Ltda. 2006 ÍNDICE 1 GRUPO DO MOTOR 2 GRUPO DO CHASSI 3 ÍNDICE DOS NÚMEROS DAS PEÇAS 4 Instruções para o Uso do Catálogo de Peças ÍNDICE Este

Leia mais

Tratores Agrícolas 1

Tratores Agrícolas 1 Tratores Agrícolas 1 TRATOR AGRÍCOLA 1 DEFINIÇÃO???? Máquina autopropelida provida de meios que, além de lhe conferirem apoio estável sobre uma superfície horizontal, capacitam-no a tracionar, transportar

Leia mais

Manual de Montagem e Manutenção de Cancelas PPA. Cancela com acionamento mecânico por sistema biela Modelo Rekta

Manual de Montagem e Manutenção de Cancelas PPA. Cancela com acionamento mecânico por sistema biela Modelo Rekta Manual de Montagem e Manutenção de Cancelas PPA Cancela com acionamento mecânico por sistema biela Modelo Rekta 1.1- Motor e Redutor Peça única conjugada conforme ilustra a Figura a seguir. MOTOR ½ HP

Leia mais

Manual de instruções. Máquina de desmontar e montar pneus MDE-600

Manual de instruções. Máquina de desmontar e montar pneus MDE-600 Manual de instruções Máquina de desmontar e montar pneus MDE-600 Apresentação Primeiramente queremos lhe dar os parabéns pela escolha de um equipamento com nossa marca. Somos uma empresa instalada no ramo

Leia mais

Manual de instruções. Rampa de alinhamento

Manual de instruções. Rampa de alinhamento Manual de instruções Rampa de alinhamento Apresentação Primeiramente queremos lhe dar os parabéns pela escolha de um equipamento com nossa marca. Somos uma empresa instalada no ramo de máquinas para auto

Leia mais

GUIA DE LOCALIZAÇÃO DE PEÇAS PARA O GVE

GUIA DE LOCALIZAÇÃO DE PEÇAS PARA O GVE ESTADO DE SANTA CATARINA SECRETARIA DE ESTADO DA ADMINISTRAÇÃO DIRETORIA DE GESTÃO PATRIMÔNIAL GERÊNCIA DE BENS MÓVEIS GUIA DE LOCALIZAÇÃO DE PEÇAS PARA O GVE G E VEÍCULOS LEVES 2007 1 2 ESTADO DE SANTA

Leia mais

INTRODUÇÃO. As versões são identificadas como "TIPO" (TYPE) através de informações da placa de especificação do produto, conforme abaixo:

INTRODUÇÃO. As versões são identificadas como TIPO (TYPE) através de informações da placa de especificação do produto, conforme abaixo: MANUAL DE DIAGRAMAS EXPLODIDOS E LISTA DE PEÇAS INTRODUÇÃO Este manual contém em ordem crescente de modelo, todos os diagramas explodidos e lista de peças de todas as ferramentas industriais DEWALT importadas

Leia mais

Manual de Instruções e Lista de Peças. Máquina de Costura Industrial Galoneira BC 500-01 CB

Manual de Instruções e Lista de Peças. Máquina de Costura Industrial Galoneira BC 500-01 CB Manual de Instruções e Lista de Peças Máquina de Costura Industrial Galoneira BC 500-01 CB ÍNDICE DETALHES TÉCNICOS, INSTRUÇÕES DE SEGURANÇA... 01 MONTAGEM MOTOR E ROTAÇÃO DA MÁQUINA... 02 LUBRIFICAÇÃO...

Leia mais

bambozzi MANUAL DE INSTRUÇÕES CONJUNTO DIESEL USINEIRO

bambozzi MANUAL DE INSTRUÇÕES CONJUNTO DIESEL USINEIRO bambozzi MANUAL DE INSTRUÇÕES BAMBOZZI PRODUTOS ESPECIAIS LTDA. Av. XV de Novembro, 155 - Centro - CEP 15990-630 - Matão (SP) - Brasil Fone (16) 3383-3800 - Fax (16) 3382-4228 bambozzi@bambozzi.com.br

Leia mais

Transmissão Automática

Transmissão Automática Manual de Reparações Transmissão Automática HONDA - PX4B 1 2 Apresentação Este manual foi produzido com o objetivo de difundir o conhecimento da operação e facilitar o reparo dos veículos equipados com

Leia mais

CATÁLOGO DE PEÇAS DE REPOSIÇÃO

CATÁLOGO DE PEÇAS DE REPOSIÇÃO CATÁLOGO DE PEÇAS DE REPOSIÇÃO EMPILHADEIRA RETRÁTIL MAIO / 2008 (revisado em 12/2008) ÍNDICE INTRODUÇÃO... CHASSI E COMPONENTES 1... ESTEIRA PORTA MANGUEIRAS... SUPORTE DA BATERIA... LIGAÇÃO DO FREIO...

Leia mais

MANUAL DE SERVIÇO MOTORES

MANUAL DE SERVIÇO MOTORES 1 Prefácio As descrições e instruções contidas neste manual são baseadas nos métodos de construção até Maio de 2010. Os equipamentos produzidos após esta data poderão ter valores e métodos de reparo diferentes.

Leia mais

RELAÇÃO DE CÓDIGOS DE FALHA DO DIAGNÓSTICO A BORDO SEGUNDA GERAÇÃO (OBD2) TRADUZIDOS PARA O PORTUGUÊS CORTESIA APTTA BRASIL AO TÉCNICO REPARADOR

RELAÇÃO DE CÓDIGOS DE FALHA DO DIAGNÓSTICO A BORDO SEGUNDA GERAÇÃO (OBD2) TRADUZIDOS PARA O PORTUGUÊS CORTESIA APTTA BRASIL AO TÉCNICO REPARADOR RELAÇÃO DE CÓDIGOS DE FALHA DO DIAGNÓSTICO A BORDO SEGUNDA GERAÇÃO (OBD2) TRADUZIDOS PARA O PORTUGUÊS CORTESIA APTTA BRASIL AO TÉCNICO REPARADOR ESTES CÓDIGOS SÃO REFERENCIA PARA TODOS OS SISTEMAS DO VEÍCULO

Leia mais

Aproveitamento de potência de tratores agrícolas *

Aproveitamento de potência de tratores agrícolas * Aproveitamento de potência de tratores agrícolas * 1. Introdução Uma das principais fontes de potência, responsáveis pela alta produção agrícola com significante economia de mão-de-obra, é o trator agrícola.

Leia mais

Eaton Embreagens para serviço pesado CLSM0200 fevereiro 2010

Eaton Embreagens para serviço pesado CLSM0200 fevereiro 2010 Manual de serviço Eaton Embreagens para serviço pesado CLSM000 fevereiro 00 Embreagem de 95 mm para serviço pesado Easy-Pedal Value Clutch UltraShift DM para serviço pesado Embreagem USP com atuador eletrônico

Leia mais

RETA ELETRÔNICA ZJ- 9700 MF-RS-PF

RETA ELETRÔNICA ZJ- 9700 MF-RS-PF RETA ELETRÔNICA ZJ- 9700 MF-RS-PF 02-01 1 - Enchedor De Bobina Enchedor de bobina e o tensor estão ilustrados na figura a baixo 2 - Especificações Aplicação Velocidade Máxima de Costura Comprimento Máximo

Leia mais

APLICAÇÃO DA FERRAMENTA PARA RETIFICAR ASSENTO DA ESFERA EM BOMBAS DENSO Produtos relacionados: 323.02.13 Óleo de corte 323.01.941 Ferramenta para retificar assento da esfera em bombas Denso 410.03.19

Leia mais

Vícios e Manias ao Volante

Vícios e Manias ao Volante Vícios e Manias ao Volante EMBREAGEM Muitos brasileiros deixam o pé apoiado sobre o pedal da embreagem quando dirigem. É um dos vícios mais comuns e difícil de ser superado. As alavancas desse sistema

Leia mais

Comandos. MOTOCULTIVADOR GASOLINA - BFG 920 MASTER Caixa Engrenagens Completas

Comandos. MOTOCULTIVADOR GASOLINA - BFG 920 MASTER Caixa Engrenagens Completas MOTOCULTIVADOR GASOLINA - BFG 0 MASTER Caixa Engrenagens Completas Comandos 00 00 PEÇA (CAIXA DE ENGRENAGEM COMPLETA) Caixa Engren. Rotativas Porca M Chapa Espacadora União Caixas Chapa União Caixas Engrenagens

Leia mais

PRINCIPAIS DEFICIÊNCIAS EM CIRCUITOS HIDRÁULICOS QUE OCASIONAM FALHAS EM BOMBAS HIDRÁULICAS

PRINCIPAIS DEFICIÊNCIAS EM CIRCUITOS HIDRÁULICOS QUE OCASIONAM FALHAS EM BOMBAS HIDRÁULICAS INFORMATIVO TÉCNICO N 019/09 INFORMATIVO TÉCNICO PRINCIPAIS DEFICIÊNCIAS EM CIRCUITOS HIDRÁULICOS QUE OCASIONAM FALHAS EM BOMBAS HIDRÁULICAS 1/21 INFORMATIVO TÉCNICO N 019/09 O PRINCIPAL COMPONENTE DE

Leia mais

Manual de Operação. Lixadeira pneumática de alta velocidade 5"- TESM5P

Manual de Operação. Lixadeira pneumática de alta velocidade 5- TESM5P Manual de Operação Lixadeira pneumática de alta velocidade 5"- TESM5P . DADOS TÉCNICOS LIXADEIRA ORBITAL Modelo: Velocidade sem carga: Pressão de ar: Entrada de ar: Disco de lixa: Consumo de ar: TESM5P

Leia mais

Gire o corpo de válvulas Remova a válvula manual (23). Desconecte as 8 eletroválvulas (setas)

Gire o corpo de válvulas Remova a válvula manual (23). Desconecte as 8 eletroválvulas (setas) Reforma e verificação do Corpo de Válvulas (continuação) Vista em corte do corpo de válvulas principal Corpo de válvulas principal 23- Válvula manual - 24- Válvula seqüencial n 2-25- Válvula seqüencial

Leia mais

PULVERIZADOR MOTORIZADO PARA TRANSPORTAR NAS COSTAS

PULVERIZADOR MOTORIZADO PARA TRANSPORTAR NAS COSTAS PULVERIZADOR MOTORIZADO PARA TRANSPORTAR NAS COSTAS Manual do Operador COMPONENTES e ACESSÓRIOS Tampa do tanque de produtos químicos Bocal Lança Tanque de produtos químicos Vela de ignição Acionador de

Leia mais

XLX250R CATÁLOGO DE PEÇAS MOTO HONDA DA AMAZÔNIA LTDA. 1998

XLX250R CATÁLOGO DE PEÇAS MOTO HONDA DA AMAZÔNIA LTDA. 1998 XLX250R CATÁLOGO DE PEÇAS 5 MOTO HONDA DA AMAZÔNIA LTDA. 1998 ÍNDICE ÍNDICE POR BLOCO 1 INSTRUÇÕES (USO DO CATÁLOGO DE PEÇAS) 2 GRUPO DO MOTOR 3 GRUPO DO CHASSI 4 ÍNDICE DE NÚMERO DE PEÇAS 5 ÍNDICE

Leia mais

Ciclos de operação. Motores alternativos: Razão de compressão. Máquinas Térmicas I Prof. Eduardo Loureiro

Ciclos de operação. Motores alternativos: Razão de compressão. Máquinas Térmicas I Prof. Eduardo Loureiro Ciclos de operação Motores alternativos: O pistão move-se pra frente e pra trás no interior de um cilindro transmitindo força para girar um eixo (o virabrequim) por meio de um sistema de biela e manivela.

Leia mais

PLANO DE MA NU TEN ÇÃO

PLANO DE MA NU TEN ÇÃO SIM - SISTEMA INTEGRADO DE MAUTENÇÃO PLANO DE MA NU TEN ÇÃO C incl. Planos A + B + B1 execução roteiro + pro ce di men tos 1) Principais Ob je ti vos: => Avaliação anual (aproxim.) do estado mecâ nico

Leia mais

Desenho Explodido: MG-2500CL 3000CL 3000CLE 5000CL 6000CLE MGG-8000 CLE MGT-6000 CLE MGT-8000 CLE

Desenho Explodido: MG-2500CL 3000CL 3000CLE 5000CL 6000CLE MGG-8000 CLE MGT-6000 CLE MGT-8000 CLE Desenho Explodido: MG-2500CL 3000CL 3000CLE 5000CL 6000CLE MGG-8000 CLE MGT-6000 CLE MGT-8000 CLE MODELOS: MG-5000 CL MG- 6000 CLE MGT-6000 CLE MGG- 8000 CLE MGT-8000 CLE Nº Código Referência Aplicação

Leia mais

Eixos e correntes. Como o mecânico de manutenção deverá proceder para reparar os defeitos citados acima?

Eixos e correntes. Como o mecânico de manutenção deverá proceder para reparar os defeitos citados acima? Eixos e correntes A UU L AL A Uma máquina em processo de manutenção preventiva apresentava vários eixos e algumas correntes, além de mancais que necessitavam de reparos. Entre os eixos, um cônico e um

Leia mais

APLICATIVOS RENAULT. Siemens/Fênix 5

APLICATIVOS RENAULT. Siemens/Fênix 5 CAPÍTULO 13 APLICATIVOS RENAULT Siemens/Fênix 5 MEGANE 1.6 K7M 702/703/720 1995 em diante COMO FUNCIONA ESTE SISTEMA Este sistema é multiponto seqüencial, com 4 válvulas injetoras que possui autodiagnose

Leia mais

Como é feito Instruções de montagem para substituição de freios

Como é feito Instruções de montagem para substituição de freios Como é feito Instruções de montagem para substituição de freios www.cobreq.com.br Instruções de montagem para subs tuição de freios Inves mos muito no desenvolvimento dos nossos produtos. Realizamos testes

Leia mais

MANUAL DE INSTRUÇÕES MÁQUINA DE COSTURA INDUSTRIAL RETA ELETRÔNICA DIRECT-DRIVE SSTC7810M-D3. www.sunspecial.net.br

MANUAL DE INSTRUÇÕES MÁQUINA DE COSTURA INDUSTRIAL RETA ELETRÔNICA DIRECT-DRIVE SSTC7810M-D3. www.sunspecial.net.br MNUL DE INSTRUÇÕES MÁQUIN DE COSTUR INDUSTRIL RET ELETRÔNIC DIRECT-DRIVE SSTC780M-D www.sunspecial.net.br Índice Informe de segurança Operações de Segurança Descrição do Produto e Especificações da Máquina

Leia mais

Motores Térmicos. 9º Semestre 5º ano

Motores Térmicos. 9º Semestre 5º ano Motores Térmicos 9º Semestre 5º ano Aula 20. Sistema de Lubrificação Introdução Tipos de Sistemas de Lubrificação O percurso do óleo lubrificante Componentes do Sistema de lubrificação Óleo lubrificante

Leia mais