Regulamento do Programa de Bolsas de Estudos da da Faculdade Arthur Thomas REGULAMENTO DO PROGRAMA DE BOLSAS DE ESTUDOS DA FACULDADE ARTHUR THOMAS

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Regulamento do Programa de Bolsas de Estudos da da Faculdade Arthur Thomas REGULAMENTO DO PROGRAMA DE BOLSAS DE ESTUDOS DA FACULDADE ARTHUR THOMAS"

Transcrição

1 REGULAMENTO DO PROGRAMA DE BOLSAS DE ESTUDOS DA FACULDADE ARTHUR THOMAS CAPÍTULO I DO PROGRAMA Art. 1. O presente Regulamento disciplina o processo de seleção, concessão, manutenção e acompanhamento dos discentes envolvidos no Programa de Bolsas de Estudos. Art. 2. Constitui Bolsa de Estudo o benefício concedido pela Faculdade Arthur Thomas aos alunos regularmente matriculados nos Cursos de Graduação e Pós-Graduação da Instituição, por atenderem aos pré-requisitos estabelecidos no presente Regulamento ou por meio de Editais específicos. Parágrafo Único. Deverão ser observadas as condições, pressupostos, limites e peculiaridades inerentes a cada modalidade de Bolsa de Estudo prevista no presente Regulamento. Art. 3. Nos Cursos de Graduação o benefício concedido pelo Programa de Bolsas de Estudos incidirá exclusivamente sobre o valor das mensalidades. Parágrafo Único. O Programa não cobre o custo de disciplinas cursadas em Regime de Adaptação, em Regime de Dependência, de materiais didáticos, de taxas acadêmicas, de alimentação, de transporte, de estacionamento, de estadas, de despesas com Trabalho de Conclusão de Curso, entre outras. Rua Prefeito Faria Lima, 400, Jardim Maringá, Londrina PR Fone: (43) CEP:

2 Art. 4. Nos Cursos de Pós-Graduação o benefício concedido pelo Programa de Bolsas de Estudos incidirá exclusivamente sobre o valor das parcelas. Parágrafo Único. O Programa não cobre o custo de disciplinas optativas, de disciplinas isoladas ou com módulos pendentes, de atividades extracurriculares, de materiais didáticos, de taxas acadêmicas, de alimentação, de transporte, de estacionamento, de estadas, de despesas com Monografia ou com Trabalho de Conclusão de Curso, entre outras. CAPÍTULO II DOS CANDIDATOS Art. 5. Somente poderão participar do Programa de Bolsa de Estudos os alunos que realizarem a matrícula ou a rematrícula nos prazos estabelecidos pelos respectivos Editais. 1. Podem ser beneficiários das Bolsas de Estudos os alunos contemplados pelo FIES e PROUNI, desde que se incluam na modalidade parcial, excluídos os discentes com cobertura integral. 2. A concessão de bolsa de estudo a determinado aluno não obriga a Faculdade Arthur Thomas a conceder a outro em igual situação ou similar. Rua Prefeito Faria Lima, 400, Jardim Maringá, Londrina PR Fone: (43) CEP:

3 CAPÍTULO III - DA SOLICITAÇÃO Art. 6. A solicitação inicial para a participação no Programa de Bolsas de Estudos deverá ser realizada: I. No ato da matrícula para os alunos ingressantes na Instituição; II. Nos prazos definidos pela Faculdade Arthur Thomas para os demais alunos. CAPÍTULO IV - DA RENOVAÇÃO Art. 7. A concessão de Bolsas de Estudos deverá ser renovada, semestralmente, mediante requerimento específico a ser protocolizado no Setor de Protocolo, nos prazos previamente definidos e divulgados pela Faculdade Arthur Thomas. 1. Constitui condição indispensável para a renovação e manutenção das Bolsas de Estudos concedidas pela Faculdade Arthur Thomas, a apresentação dos documentos específicos e o preenchimento dos pré-requisitos necessários à respectiva concessão, nos prazos pré-estabelecidos e divulgados pela Instituição. 2. A concessão de Bolsas de Estudos é semestral, submetendo o aluno/beneficiário ao Regulamento vigente no semestre da respectiva concessão, revogando as disposições em contrário. CAPÍTULO V DO PERÍODO DE CONCESSÃO Art. 8. Os alunos/beneficiários terão direito ao percentual de desconto sobre o valor das mensalidades, a partir do mês subseqüente à aprovação da Bolsa de Estudo, não havendo desconto retroativo, em nenhuma hipótese. Rua Prefeito Faria Lima, 400, Jardim Maringá, Londrina PR Fone: (43) CEP:

4 CAPÍTULO VI - DA INALIENABILIDADE DO BENEFÍCIO Art. 9. O Programa de Bolsas de Estudos tem caráter pessoal, intransferível, inalienável e em nenhuma hipótese será substituído por valores em dinheiro. CAPÍTULO VII - DA NÃO CUMULATIVIDADE Art. 10. As Bolsas de Estudos não serão cumulativas, exceto a Bolsa de Estudo Pontualidade que poderá ser cumulada com outra modalidade de Bolsa de Estudo, até o limite do valor da mensalidade e/ou da parcela do curso. Parágrafo Único. No caso do disposto no caput do presente artigo, o cálculo para o desconto final cumulado, será da seguinte forma e na seguinte ordem: I. Primeiro será calculado o valor do desconto da Bolsa de Estudo Pontualidade. II. Sobre o valor da Bolsa de Estudo Pontualidade será aplicado o percentual de desconto da modalidade da Bolsa de Estudo respectiva. Art. 11. O aluno apto a participar de mais de uma modalidade de Bolsa de Estudo deverá obrigatoriamente optar por uma delas, formalizando a opção por meio de requerimento, no Setor de Protocolo. Parágrafo Único. No caso do aluno não formalizar a opção por meio de requerimento é facultado à Faculdade Arthur Thomas proceder à concessão da bolsa que melhor aprouver à Instituição. Rua Prefeito Faria Lima, 400, Jardim Maringá, Londrina PR Fone: (43) CEP:

5 Art. 12. Caso não haja nenhum candidato apto para receber o benefício em determinado semestre, a bolsa respectiva não ficará cumulada para o semestre seguinte. CAPÍTULO VIII DO IMEDIATO CANCELAMENTO DO BENEFÍCIO Art. 13. A Bolsa de Estudo será automaticamente cancelada, a qualquer tempo, se alguma das condições para sua concessão deixar de ser cumprida. 1. Em caso de atraso de duas mensalidades ou parcelas, consecutivas ou não, a concessão da Bolsa de Estudo será cancelada. 2. O retorno ao Programa, de aluno com bolsa de estudo cancelada, somente será permitido em situações extraordinárias, a critério exclusivo da Instituição. CAPÍTULO IX DAS MODALIDADES Art. 14. Integram o Programa as seguintes modalidades de Bolsas de Estudos: I. Ingresso ; II. "Mérito"; III. "Estágio"; IV. "Acadêmica"; V. Aperfeiçoamento e Crescimento Profissional do Colaborador ; VI. "Grupo Familiar"; VII. "Institucional"; VIII. "Melhor Idade"; IX. Responsabilidade Social ; Rua Prefeito Faria Lima, 400, Jardim Maringá, Londrina PR Fone: (43) CEP:

6 X. Pontualidade ; XI. XII. XIII. Regulamento do Programa de Bolsas de Estudos da Ajuda de Custo ; "Pós-Graduação"; "Egressos. Seção I - da Bolsa de Estudo Ingresso Art. 15. A Bolsa de Estudo Ingresso tem por objetivo incentivar a inserção de alunos por meio da efetivação de estratégias de captação e segundo as necessidades e interesses da Instituição. Art. 16. O Programa beneficiará os participantes com a isenção da Taxa de Inscrição de Processo Seletivo e com descontos nas mensalidades no semestre vigente para os Cursos de Graduação e com descontos nas parcelas dos Cursos de Pós-Graduação. Parágrafo Único. A Instituição poderá adotar critérios e condições específicas para alunos que se matricularem por Transferência Externa, Portadores de Diploma de Curso Superior e Aprovados em Processos Seletivos de Outras IES. Art. 17. Poderão ser beneficiados por essa modalidade os alunos que ingressarem nos Cursos de Graduação e/ou Pós-Graduação que tenham sido indicados pelos alunos da Instituição, mediante apresentação de documento específico de cada campanha, devidamente preenchido e assinado. Parágrafo Único. Também poderão ser beneficiados por essa modalidade os alunos da Instituição que indicarem os novos ingressantes, mediante apresentação de documento específico de cada campanha, devidamente preenchido e assinado. Rua Prefeito Faria Lima, 400, Jardim Maringá, Londrina PR Fone: (43) CEP:

7 Art. 18. Ficará a critério exclusivo os períodos em que oferecerá esta modalidade de bolsa de estudos. Parágrafo Único. As Bolsas de Estudos Ingresso terão seus critérios definidos em editais específicos, que definirão os percentuais de desconto nas mensalidades e/ou parcelas, quais cursos participarão, os períodos da campanha, os documentos exigidos, entre outros. Seção II - da Bolsa de Estudo "Mérito" Art. 19. A concessão da Bolsa de Estudo "Mérito" consiste na premiação, a cada semestre, dos alunos com os melhores desempenhos acadêmicos da Faculdade Arthur Thomas. Art. 20. O objetivo da Bolsa de Estudo "Mérito" é incentivar o compromisso e a otimização do desempenho acadêmico dos alunos. Art. 21. As Bolsas de Estudo "Mérito" premiarão, semestralmente, o melhor aluno de cada Curso de Graduação, considerando o rendimento acadêmico avaliado pela melhor média geral do semestre anterior, e desde que, simultaneamente, também atenda os seguintes critérios, independentemente do semestre considerado para a seleção: I. Não tenha atrasado o pagamento de 02 (duas) ou mais mensalidades, consecutivas ou não; II. Não tenha cometido nenhuma transgressão ao Regimento Geral e ao Código de Ética. Rua Prefeito Faria Lima, 400, Jardim Maringá, Londrina PR Fone: (43) CEP:

8 Parágrafo Único. Para efeitos do disposto no presente artigo, não serão consideradas as disciplinas dispensadas por Aproveitamento de Estudos ou Equivalência de Disciplinas. Art. 22. A média geral das notas finais das disciplinas cursadas no semestre anterior será obtida pela média aritmética simples ou pela média ponderada, de acordo com o Programa Pedagógico do respectivo curso. Art. 23. Aos alunos considerados aptos para a obtenção do benefício serão concedidas, exclusivamente, no semestre seguinte, após a rematrícula, a título de Bolsa de Estudo Mérito não reembolsável, um desconto incidente sobre as mensalidades do curso, no percentual de 50% (cinqüenta por cento). 1º. Apenas poderão concorrer à Bolsa de Estudo "Mérito" os alunos considerados aptos, desde que preencham os seguintes requisitos: I. Matrícula regular no semestre vigente; II. Aprovação em todas as disciplinas do semestre anterior com média igual ou superior a 9,0 (nove). 2º. Estão automaticamente excluídos do processo seletivo para concorrer à modalidade de bolsa referida nesta seção todos os alunos que se enquadrem nas hipóteses a seguir: I. Tenham sido reprovados por freqüência ou por nota no semestre anterior; II. Sejam concluintes; III. Tenham efetuado trancamento ou cancelamento de matrícula; IV. Tenham obtido média final inferior a 9,0 (nove) no semestre anterior; V. Estejam com pendências acadêmicas ou financeiras junto à Instituição; Rua Prefeito Faria Lima, 400, Jardim Maringá, Londrina PR Fone: (43) CEP:

9 VI. Tenham desrespeitado os termos do Regimento Geral e do Código de Ética da Faculdade Arthur Thomas. 3º. Na hipótese de ocorrer empate entre 02 (dois) ou mais alunos, será contemplado aquele que, nessa ordem: I. Tiver maior freqüência às aulas no semestre anterior; II. For mais idoso; III. For casado; IV. Tiver filhos menores de 18 (dezoito) anos. 4º. A relação dos premiados com as Bolsas de Estudos Mérito será divulgada por meio da página eletrônica, no final de cada semestre, com implementação do benefício a partir do semestre seguinte, após a rematrícula, sem hipótese de desconto retroativo. Seção III - da Bolsa de Estudo Estágio Art. 24. A Bolsa de Estudo Estágio atenderá o aluno que seja aproveitado pela Faculdade Arthur Thomas na condição de estagiário, por meio de sua alocação em setores administrativos da Instituição. 1º. Esta modalidade de bolsa será gerida a partir de políticas de suprimento de recursos humanos da Diretoria Administrativa e terá sua duração estabelecida no Termo de Compromisso de Estágio elaborado pela Coordenação Acadêmica do Curso ou por Agente de Integração, observado o disposto na Lei Federal n.º /08. Rua Prefeito Faria Lima, 400, Jardim Maringá, Londrina PR Fone: (43) CEP:

10 2º. Para a concessão da Bolsa de Estudo Estágio, deverá ser observado, além do interesse da Instituição, os seguintes critérios para o aluno-estagiário: I. Matrícula regular no semestre vigente; II. III. Ter sido aprovado em todas as disciplinas do semestre anterior; Não ter cometido nenhuma transgressão ao Regimento Geral e ao Código de Ética. 3º. Aos alunos aproveitados pela Faculdade Arthur Thomas na condição de estagiário será concedida, durante o período do estágio, Bolsa de Estudo Estágio com valor definido no Termo de Compromisso celebrado entre o aluno-estagiário e a Faculdade Arthur Thomas. Seção IV - da Bolsa de Estudo Acadêmica Art. 25. As Bolsas de Estudos Acadêmicas terão seus critérios definidos em editais específicos, segundo calendário de funcionamento dos programas de Monitoria, Iniciação Científica e Extensão, dentre outros. Seção V - da Bolsa de Estudo Aperfeiçoamento e Crescimento Profissional do Colaborador Art. 26. Esta modalidade de bolsa tem por objetivo atender aos dispositivos legais e incentivar a formação do pessoal docente e técnico-administrativo da Faculdade Arthur Thomas e seus dependentes. Rua Prefeito Faria Lima, 400, Jardim Maringá, Londrina PR Fone: (43) CEP:

11 Art. 27. A Bolsa de Estudo Aperfeiçoamento e Crescimento Profissional do Colaborador subdivide-se em: I. Bolsa de Estudo Aperfeiçoamento e Crescimento Profissional do Colaborador- II. Titular ; Bolsa de Estudo Aperfeiçoamento e Crescimento Profissional do Colaborador- Dependente. Art. 28. Serão contemplados com a modalidade de Bolsa de Estudo Aperfeiçoamento e Crescimento Profissional do Colaborador-Titular, os professores e funcionários do corpo técnico-administrativo, regularmente matriculados em qualquer Curso de Graduação ou Pós-Graduação da Instituição, desde que ultrapassado o período de experiência. Art. 29. Serão contemplados com a modalidade de Bolsa de Estudo Aperfeiçoamento e Crescimento Profissional do Colaborador-Dependente, os dependentes dos professores e funcionários do corpo técnico-administrativo da Faculdade Arthur Thomas, regularmente matriculados em Cursos de Graduação ou Pós-Graduação da Instituição, desde que ultrapassado o período de experiência. Parágrafo Único. Para efeitos de concessão da bolsa constante do caput deste artigo, consideram-se dependentes pais, filhos e cônjuges. Art. 30. Os professores terão direito a desconto de 70% (setenta por cento) nas mensalidades dos Cursos de Graduação e/ou nas parcelas do Cursos de Pós-Graduação oferecidos pela Instituição. Rua Prefeito Faria Lima, 400, Jardim Maringá, Londrina PR Fone: (43) CEP:

12 1º. Os dependentes dos professores terão descontos nas mensalidades dos Cursos de Graduação e/ou nas parcelas do Cursos de Pós-Graduação oferecidos pela Faculdade Arthur Thomas, calculados pela carga horária do respectivo professor na Instituição: I. acima de 20 horas/aula semanais: 70% (setenta por cento); II. III. IV. de 15 a 20 horas/aula semanais: 50% (cinqüenta por cento); de 8 a 14 horas/aula semanais: 30% (trinta por cento); de 1 a 7 horas/aula semanais: 20% (vinte por cento). 2º. Na hipótese de serem professores da Instituição, pai e mãe, não se somará carga horária de cada um para se ampliar o percentual de desconto e muito menos, serão concedidos descontos cumulativos ou mais de um desconto, limitando-se sempre o desconto ao que está previsto no parágrafo anterior. 3º. Na eventual redução da carga horária durante o período letivo do professor prevalecerá o desconto concedido no início do ano letivo. Em caso de aumento de carga horária do professor durante o ano letivo, aumentar-se-á o percentual do benefício. Art. 31. Os funcionários terão direito a desconto de 70% (setenta por cento) nas mensalidades dos Cursos de Graduação e/ou nas parcelas do Cursos de Pós-Graduação oferecidos pela Instituição. Rua Prefeito Faria Lima, 400, Jardim Maringá, Londrina PR Fone: (43) CEP:

13 Parágrafo Único. Os dependentes dos funcionários terão descontos nas mensalidades dos Cursos de Graduação e/ou nas parcelas do Cursos de Pós-Graduação oferecidos pela Faculdade Arthur Thomas, nos percentuais e sob critérios a seguir: I. 20% (vinte por cento) para os dependentes de funcionários da Faculdade Arthur II. Thomas cujo tempo de contrato de trabalho seja inferior a 03 (três) anos, contados do término do período de experiência; 30% (trinta por cento) para os dependentes de funcionários da Faculdade Arthur Thomas cujo tempo de contrato de trabalho seja igual ou superior a 03 (três) anos, contados do término do período de experiência. Art. 32. Os professores e o corpo técnico-administrativo, bem como seus dependentes, terão direito à bolsa até o final do curso e/ou enquanto durar o vínculo empregatício do Colaborador-Titular com a Instituição, desde que sejam observados os critérios estabelecidos nos Editais de Rematrícula. Art. 33. O benefício fixado nesta modalidade de bolsa não tem natureza salarial e não integra a remuneração do professor, nem do funcionário técnico-administrativo, para nenhum efeito legal. Seção VI - da Bolsa de Estudo Grupo Familiar Art. 34. Serão contemplados com a modalidade de Bolsa de Estudo Grupo Familiar, os alunos que possuam familiares, regularmente matriculados em Cursos de Graduação e Pós-Graduação da Instituição. Rua Prefeito Faria Lima, 400, Jardim Maringá, Londrina PR Fone: (43) CEP:

14 Parágrafo Único. Entende-se por familiares aqueles relacionados pelos seguintes graus de parentesco: pai, padrasto, mãe, madrasta, filho(a), enteado(a), irmão(ã), cônjuge e companheiro(a). Art. 35. Os alunos a que se refere o artigo anterior terão direito ao desconto nos percentuais de: I. 5% (cinco por cento) para 02 (dois) alunos; II. 8% (oito por cento) para 03 (três) alunos; III. 10% (dez por cento) para 04 (quatro) ou mais alunos da mesma família. Parágrafo Único. O percentual de desconto incidirá sobre o valor das mensalidades e/ou parcelas de todos os componentes do grupo familiar, a partir do mês subseqüente à solicitação da bolsa, sem hipótese de desconto retroativo. Art. 36. A Bolsa de Estudo Grupo Familiar deverá ser solicitada, semestralmente, mediante requerimento no Setor de Protocolo, no período previamente definido e divulgado pela Faculdade Arthur Thomas, desde que observadas as seguintes condições para os alunos beneficiários: I. Estejam regularmente matriculados; II. Não tenham atrasado o pagamento de 02 (duas) ou mais mensalidades e/ou parcelas, consecutivas ou não; III. Apresentem os documentos oficiais que comprovem o parentesco; IV. Não tenham cometido nenhuma transgressão ao Regimento Geral e ao Código de Ética. 1º. Para a manutenção da bolsa nenhum dos componentes do grupo familiar poderá solicitar trancamento ou cancelamento de matrícula. Rua Prefeito Faria Lima, 400, Jardim Maringá, Londrina PR Fone: (43) CEP:

15 2º. Na hipótese do descumprimento de qualquer dos itens estabelecidos no presente artigo, automaticamente, todos os beneficiários perderão o direito à Bolsa de Estudo Grupo Familiar, independentemente de que apenas 01 (um) beneficiário tenha descumprido alguma das exigências. 3º. Na hipótese de componente do grupo familiar tornar-se apto a participar de mais de uma modalidade de Bolsa de Estudo e optar por outra modalidade, os demais membros do grupo deverão, obrigatoriamente, permanecer na modalidade de Bolsa de Estudo Grupo Familiar. Seção VII - da Bolsa de Estudo Institucional Art. 37. A Bolsa de Estudo Institucional tem por objetivo incentivar a inserção de alunos mediante a celebração de convênios, contratos, acordos e parcerias entre a Faculdade Arthur Thomas e outras Instituições de direito público ou privado. Art. 38. Para os beneficiários provenientes de convênios ou acordos celebrados entre a Faculdade Arthur Thomas e outras Instituições, o percentual de bolsa de estudo poderá variar segundo o disposto no documento formalizado com a Empresa/Instituição, e consoante os critérios estabelecidos no respectivo instrumento. Parágrafo Único. O percentual de desconto incidirá sobre o valor das mensalidades e/ou parcelas dos cursos, a partir da matrícula, sem hipótese de desconto retroativo. Rua Prefeito Faria Lima, 400, Jardim Maringá, Londrina PR Fone: (43) CEP:

16 Art. 39. A Bolsa de Estudo Institucional poderá ser renovada, semestralmente, por meio de requerimento devidamente formalizado pelo aluno no Setor de Protocolo, nos prazos previamente definidos pela Faculdade Arthur Thomas, desde que observadas as seguintes condições: I. Estar regularmente matriculado; II. III. Não houver atrasado o pagamento de 02 (duas) ou mais mensalidades, consecutivas ou não; Não ter cometido nenhuma transgressão ao Regimento Geral e ao Código de Ética. Art. 40. A Bolsa de Estudo Institucional será automaticamente cancelada nas seguintes hipóteses: I. Em caso de trancamento ou cancelamento de matrícula; II. Se houver o atraso de 02 (duas) ou mais mensalidades, consecutivas ou não; III. Em face do desligamento do aluno da Empresa/Instituição conveniada; IV. Pelo término do prazo de vigência do convênio ou instrumento correlato; V. Em caso de transgressão ao Regimento Geral ou do Código de Ética da Faculdade Arthur Thomas. Seção VIII - da Bolsa de Estudo Melhor Idade Art. 41. A Bolsa de Estudo Melhor Idade tem por objetivo materializar políticas de inclusão e democratizar o acesso ao ensino superior de pessoas na melhor idade. Art. 42. Os alunos dos Cursos de Graduação e Pós-Graduação terão descontos nas mensalidades e/ou parcelas, conforme as faixas etárias a seguir: I. Igual ou superior a 60 (sessenta) anos, desconto de 10% (dez por cento); Rua Prefeito Faria Lima, 400, Jardim Maringá, Londrina PR Fone: (43) CEP:

17 II. Idade igual ou superior a 70 (setenta) anos, desconto de 15% (quinze por cento). Parágrafo Único. O percentual de desconto incidirá sobre o valor das mensalidades e/ou parcelas, a partir do mês subseqüente à solicitação da bolsa, sem hipótese de desconto retroativo. Art. 43. A Bolsa de Estudo Melhor Idade poderá ser renovada, semestralmente, por meio de requerimento devidamente formalizado pelo aluno no Setor de Protocolo, nos prazos previamente definidos pela Instituição, exceto nas seguintes hipóteses: I. Trancamento ou cancelamento de matrícula; II. Atraso no pagamento de 02 (duas) ou mais mensalidades, consecutivas ou não; III. Desrespeito aos termos do Regimento Geral ou do Código de Ética da Faculdade Arthur Thomas. Parágrafo Único. Verificada uma das hipóteses constantes deste artigo, a bolsa de estudo será automaticamente cancelada. Seção IX - da Bolsa de Estudo Responsabilidade Social Art. 44. Modalidade voltada para pessoas com capacidade acadêmica, disposição para o estudo e identificação com a proposta educacional da Instituição, que não tenham capacidade financeira para arcar com os investimentos envolvidos em um Curso de Graduação de qualidade. Parágrafo Único. A Bolsa de Estudo Responsabilidade Social corresponde a um desconto integral sobre o valor das mensalidades. Rua Prefeito Faria Lima, 400, Jardim Maringá, Londrina PR Fone: (43) CEP:

18 Art. 45. A Instituição oferecerá 01 (uma) Bolsa de Estudo Responsabilidade Social para cada Curso de Graduação que seja ofertado nos Processos Seletivos da Faculdade Arthur Thomas. Parágrafo Único. A Bolsa de Estudo Responsabilidade Social é destinada, exclusivamente, aos candidatos que ingressarem na Instituição a partir do Processo Seletivo imediatamente posterior à aprovação deste Regulamento. Art. 46. A solicitação inicial para análise da Bolsa de Estudo Responsabilidade Social deverá ocorrer nas seguintes datas: I. Início: no primeiro dia do período de inscrição de cada Processo Seletivo da Instituição; II. Término: até 10 (dez) dias anteriores à data final de cada Processo Seletivo da Instituição. Art. 47. A documentação que deve ser apresentada pelo candidato e membros do grupo familiar, para análise dos pedidos de Bolsa de Estudo Responsabilidade Social será a mesma que a utilizada para o PROUNI, na Fase de Comprovação de Informações. Art. 48. Podem concorrer às Bolsas de Estudos Responsabilidade Social os candidatos que, simultaneamente, atendam aos seguintes critérios: I. Apresentem renda do grupo familiar com média mensal bruta igual ou menor que um salário mínimo e meio por pessoa. II. Tenham sido aprovados no Processo Seletivo da Instituição, com média igual ou superior a 9,0 (nove) na redação e acerto mínimo de 90% (noventa por cento) das questões objetivas. Rua Prefeito Faria Lima, 400, Jardim Maringá, Londrina PR Fone: (43) CEP:

19 1º. A renda familiar por pessoa é calculada somando-se a renda bruta dos componentes do grupo familiar e dividindo-se pelo número de pessoas que formam este grupo familiar. 2º. Entende-se como grupo familiar, além do próprio candidato, o conjunto de pessoas residindo na mesma moradia que o candidato que, cumulativamente, usufruam da renda bruta mensal familiar, e sejam relacionadas ao candidato pelos seguintes graus de parentesco: pai, padrasto, mãe, madrasta, cônjuge, companheiro(a), filho(a) e mediante decisão judicial, menores sob guarda, tutela ou curatela, enteado(a), irmão(ã), avô(ó). Art. 49. No caso de ocorrer empate entre 02 (dois) ou mais candidatos, será contemplado aquele que, nessa ordem: I. Tiver obtido a melhor média no Processo Seletivo da Instituição; II. Tiver maior idade; III. For casado; IV. Tiver filhos menores de 18 (dezoito) anos. Art. 50. A Instituição divulgará em edital e/ou na página eletrônica da Faculdade, até o último dia de cada Processo Seletivo, a relação dos candidatos contemplados com a Bolsa de Estudo Responsabilidade Social. Parágrafo Único. Para o candidato contemplado com a Bolsa de Estudo em um Processo Seletivo que não houve abertura de turmas do curso escolhido, ficará assegurado o direito ao benefício para o próximo semestre letivo que o curso tenha início. Rua Prefeito Faria Lima, 400, Jardim Maringá, Londrina PR Fone: (43) CEP:

20 Art. 51. A Bolsa de Estudo Responsabilidade Social poderá ser renovada semestralmente, nos prazos a ser previamente definidos pela Faculdade Arthur Thomas, mediante solicitação expressa no Setor de Protocolo, se as exigências para a manutenção forem atendidas pelo aluno bolsista, segundo os seguintes critérios: I. Não tenha trancado ou cancelado a matrícula; II. III. IV. Tenha sido aprovado em todas as disciplinas do semestre cursado, com média geral igual ou superior a 9,0 (nove); Não tenha cometido nenhuma transgressão ao Regimento Geral e ao Código de Ética ; Não tenha apresentado documentos ou informações falsas; V. Tenha contribuído nos Projetos da Instituição, principalmente os de caráter VI. social; Tenha divulgado a Instituição, principalmente sua missão e seus ideais. Seção X - da Bolsa de Estudo Pontualidade Art. 52. A modalidade Bolsa de Estudo Pontualidade têm por objetivo incentivar e orientar condutas e comportamentos específicos e/ou premiar esforços, inclusive para que as mensalidades e/ou parcelas mensais sejam antecipadas ou pagas até datas certas, levando em consideração determinadas situações sócio-econômicas ou de mercado, sem prejuízo do planejamento financeiro e equilíbrio orçamentário da Instituição. Parágrafo Único. Serão contemplados alunos, regularmente matriculados nos Cursos de Graduação e Pós-Graduação, com descontos no valor das mensalidades e/ou parcelas, como forma de incentivo à continuidade dos estudos, bem como ao cumprimento pontual de suas obrigações contratuais. Rua Prefeito Faria Lima, 400, Jardim Maringá, Londrina PR Fone: (43) CEP:

21 Art. 53. As Bolsas de Estudos Pontualidade terão seus critérios definidos em editais específicos da Diretoria Administrativa para cada semestre, tais como percentuais de desconto nas mensalidades, quais Cursos participarão de cada Programa, entre outros. Art. 54. A Bolsa de Estudo Pontualidade poderá ser renovada semestralmente, exceto se o aluno beneficiário: I. Trancar ou cancelar a matrícula; II. Atrasar o pagamento de 02 (duas) ou mais mensalidades, consecutivas ou não; III. Desrespeitar os termos do Regimento Geral ou do Código de Ética da Faculdade Arthur Thomas. Parágrafo Único. Verificada uma das hipóteses constantes deste artigo, a bolsa de estudo será automaticamente cancelada. Seção XI - da Bolsa de Estudo Ajuda de Custo Art. 55. A finalidade da Bolsa de Estudo Ajuda de Custo é contemplar alunos regularmente matriculados nos Cursos de Graduação e Pós-Graduação da Faculdade Arthur Thomas que não residam no município de Londrina - PR. Art. 56. A Bolsa de Estudo Ajuda de Custo corresponde a descontos de 5% (cinco por cento) do valor da mensalidade e/ou parcela do curso. Parágrafo Único. O desconto referido no caput do presente artigo independente da distância entre a cidade que o aluno reside ou do custo de deslocamento até a Faculdade Arthur Thomas. Rua Prefeito Faria Lima, 400, Jardim Maringá, Londrina PR Fone: (43) CEP:

22 Art. 57. Para participar desta modalidade de bolsa o aluno deverá apresentar o comprovante de endereço residencial do mês corrente ou do mês anterior, mediante requerimento no Setor de Protocolo. 1º. Caso o aluno não possua comprovante de endereço residencial em seu nome poderá apresentar comprovante de endereço em nome do pai, da mãe, dos avós ou do cônjuge, desde que apresente também documento de identificação comprovando a relação de parentesco. 2º. Caso o aluno não possua comprovante de endereço residencial em seu nome ou de parentes poderá apresentar cópia simples do comprovante de endereço em nome de terceiros e declaração de ambos a respeito da condição de residente naquele endereço. Art. 58. A Bolsa de Estudo Ajuda de Custo poderá ser renovada semestralmente, nos prazos a ser previamente definidos pela Faculdade Arthur Thomas, mediante solicitação expressa no Setor de Protocolo, se as exigências para a manutenção forem atendidas pelo aluno bolsista, segundo os seguintes critérios: I. Apresente comprovante de endereço residencial do mês corrente ou do mês anterior; II. Não tenha trancado ou cancelado a matrícula; III. Não tenha atrasado o pagamento de 02 (duas) ou mais mensalidades, consecutivas ou não; IV. Não tenha cometido nenhuma transgressão ao Regimento Geral e ao Código de Ética ; V. Não tenha apresentado documentos ou informações falsas. Rua Prefeito Faria Lima, 400, Jardim Maringá, Londrina PR Fone: (43) CEP:

23 Seção XII - da Bolsa de Estudo Pós-Graduação Art. 59. A Bolsa de Estudo Pós-Graduação poderá ser concedida aos alunos regularmente matriculados nos Cursos de Pós-Graduação da Faculdade Arthur Thomas, mediante os critérios e percentuais a serem definidos em editais específicos da Coordenação de Extensão, Pesquisa e Pós-Graduação, segundo as propostas e programas de cada Curso. Art. 60. A Bolsa de Estudo Pós-Graduação será inicialmente solicitada no ato da matrícula, por meio de requerimento próprio, podendo ser renovada semestralmente, nos prazos a ser previamente definidos pela Faculdade Arthur Thomas, mediante solicitação expressa no Setor de Protocolo, exceto nas seguintes hipóteses: I. Abandono de Curso; II. Atraso no pagamento de 02 (duas) ou mais parcelas, consecutivas ou não; III. Desrespeito aos termos do Regimento Geral ou do Código de Ética da Faculdade Arthur Thomas. Seção XIII - da Bolsa de Estudo Egressos Art. 61. Os alunos que concluírem qualquer Curso Superior na Faculdade Arthur Thomas, ao retornarem para outro Curso de Graduação ou para um Curso de Pós- Graduação, terão direito, a título de Bolsa de Estudo Egressos, ao desconto no percentual de 10% (dez por cento) sobre a mensalidade e/ou parcela do curso. Rua Prefeito Faria Lima, 400, Jardim Maringá, Londrina PR Fone: (43) CEP:

24 Art. 62. A Bolsa de Estudo Egressos será inicialmente solicitada no ato da matrícula, por meio de requerimento próprio, podendo ser renovada semestralmente, nos prazos a ser previamente definidos pela Faculdade Arthur Thomas, mediante solicitação expressa no Setor de Protocolo, exceto nas seguintes hipóteses: I. Trancamento ou cancelamento de matrícula; II. III. Atraso no pagamento de 02 (duas) ou mais mensalidades, consecutivas ou não; Desrespeito aos termos do Regimento Geral ou do Código de Ética da Faculdade Arthur Thomas. CAPÍTULO X DAS DISPOSIÇÕES FINAIS E TRANSITÓRIAS Art. 63. Para casos excepcionais, a juízo exclusivo da Direção Geral, ouvida a Direção Acadêmica e a Direção Administrativa, poderão ser concedidas Bolsa de Estudos sob forma diferenciada em relação ao Regulamento. Art. 64. Para efeitos do presente regulamento, não integram o Programa de Bolsas de Estudos os Programas de Governo (PROUNI, FIES e outros), pois, nesses casos, a concessão de bolsas de estudos e financiamentos é regida por leis e regulamentos próprios, sendo concedidas pelo Governo Federal. Rua Prefeito Faria Lima, 400, Jardim Maringá, Londrina PR Fone: (43) CEP:

25 Art. 65. Aos alunos beneficiados por Programas de Governo (PROUNI, FIES e outros), exclusivamente com bolsa de estudo parcial, o percentual de desconto, inerente às modalidades de Bolsas de Estudos previstas neste Regulamento, incidirá sobre o valor da mensalidade, após a dedução do percentual do respectivo Programa de Governo, conforme fórmula abaixo: M = (VMI - %PPG) - %PBE, onde: M = Mensalidade efetivamente paga VMI = Valor da Mensalidade Integral %PPG = Percentual do Programa de Governo %PBE = Percentual de Bolsa de Estudo Art. 66. O presente Regulamento não se aplica aos Cursos de Graduação e de Pós- Graduação oferecidos mediante celebração de convênios entre a Faculdade Arthur Thomas e outras Entidades. Art. 67. Os descontos referentes às modalidades de bolsas de estudos do presente Programa terão início a partir do semestre imediatamente posterior à aprovação deste Regulamento. Parágrafo Único. Nas modalidades de bolsas que utilizarem critérios acadêmicos para obtenção dos descontos, tais como: médias, notas, freqüências, entre outros, será considerado, para efeito de apuração, o semestre de aprovação deste Regulamento. Art. 68. Todas as práticas de concessão de bolsas de estudos realizadas até a aprovação deste Regulamento, deverão se adequar às regras aqui estabelecidas. Rua Prefeito Faria Lima, 400, Jardim Maringá, Londrina PR Fone: (43) CEP:

26 Art. 69. Os casos omissos serão resolvidos pela Direção Geral. Art. 70. Este Regulamento entrará em vigor na data de sua publicação. Rua Prefeito Faria Lima, 400, Jardim Maringá, Londrina PR Fone: (43) CEP:

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE BOLSAS DE ESTUDO INGRESSO 2015/2 DA FACULDADE ARTHUR THOMAS CAPÍTULO I DO PROGRAMA

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE BOLSAS DE ESTUDO INGRESSO 2015/2 DA FACULDADE ARTHUR THOMAS CAPÍTULO I DO PROGRAMA REGULAMENTO DO PROGRAMA DE BOLSAS DE ESTUDO INGRESSO 2015/2 DA FACULDADE ARTHUR THOMAS CAPÍTULO I DO PROGRAMA Art. 1º. Este Regulamento disciplina o processo de seleção, concessão, manutenção e acompanhamento

Leia mais

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE BOLSAS DE ESTUDOS DA FACULDADE SÃO VICENTE CAPITULO I DO PROGRAMA

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE BOLSAS DE ESTUDOS DA FACULDADE SÃO VICENTE CAPITULO I DO PROGRAMA FACULDADE SÃO VICENTE Mantenedora: Sociedade Educacional e Assistencial da Paróquia de Pão de Açúcar-Al TEL; FAX 82-3624-1862 E - mail: fasvipa@hotmail.com Portaria Nº 1.766/ 01 /11/2006 REGULAMENTO DO

Leia mais

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE BOLSA DE ESTUDO INGRESSO 2014/1 DA FACULDADE ARTHUR THOMAS CAPÍTULO I DO PROGRAMA

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE BOLSA DE ESTUDO INGRESSO 2014/1 DA FACULDADE ARTHUR THOMAS CAPÍTULO I DO PROGRAMA REGULAMENTO DO PROGRAMA DE BOLSA DE ESTUDO INGRESSO 2014/1 DA FACULDADE ARTHUR THOMAS CAPÍTULO I DO PROGRAMA Art. 1º. O presente Regulamento disciplina o processo de seleção, concessão, manutenção e acompanhamento

Leia mais

PROCESSO SELETIVO VESTIBULAR 2014.1

PROCESSO SELETIVO VESTIBULAR 2014.1 FACULDADES IBMEC PROCESSO SELETIVO VESTIBULAR 2014.1 REGULAMENTO DO PROGRAMA DE BOLSAS DE ESTUDOS PARA ALUNOS ORIUNDOS DO ENSINO MÉDIO DE ESCOLAS PÚBLICAS ESTADUAIS DO RIO DE JANEIRO (PRO-RIO). CAPÍTULO

Leia mais

RESOLVE, TITULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES

RESOLVE, TITULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES RESOLUÇÃO COP Nº 003/2015 REGULAMENTA AS CONDIÇÕES PARA CONCESSÃO E MANUTENÇÃO DAS MODALIDAES DE BOLSAS DE ESTUDO E DESCONTOS EDUCACIONAIS DA FACULDADE METROPOLITANA DE ANÁPOLIS O Presidente do Conselho

Leia mais

Regulamento do Programa de Bolsas de Estudo Pós-Graduação Lato Sensu Ingresso 2015/1 da Faculdade Arthur Thomas

Regulamento do Programa de Bolsas de Estudo Pós-Graduação Lato Sensu Ingresso 2015/1 da Faculdade Arthur Thomas REGULAMENTO DO PROGRAMA DE BOLSAS DE ESTUDO PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU INGRESSO 2015/1 DA FACULDADE ARTHUR THOMAS CAPÍTULO I DO PROGRAMA Art. 1º. Este Regulamento disciplina o processo de seleção, concessão,

Leia mais

RESOLUÇÃO nº 07/2014. Regulamenta o Programa Institucional De Descontos Financeiros - PIDF da Faculdade Fucapi (Instituto de Ensino Superior Fucapi)

RESOLUÇÃO nº 07/2014. Regulamenta o Programa Institucional De Descontos Financeiros - PIDF da Faculdade Fucapi (Instituto de Ensino Superior Fucapi) Regulamenta o Programa Institucional De Descontos Financeiros - PIDF da Faculdade Fucapi (Instituto de Ensino Superior Fucapi) O Presidente do CONSUP, no uso de suas atribuições regimentais, artigo 8 inciso

Leia mais

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE BOLSAS DE ESTUDO INGRESSO 2016/1 DA FACULDADE ARTHUR THOMAS CAPÍTULO I DO PROGRAMA

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE BOLSAS DE ESTUDO INGRESSO 2016/1 DA FACULDADE ARTHUR THOMAS CAPÍTULO I DO PROGRAMA REGULAMENTO DO PROGRAMA DE BOLSAS DE ESTUDO INGRESSO 2016/1 DA FACULDADE ARTHUR THOMAS CAPÍTULO I DO PROGRAMA Art. 1º. Este Regulamento disciplina o processo de seleção, concessão, manutenção e acompanhamento

Leia mais

2. Dos Cursos da UNISA, Turnos, Duração, Vagas, Locais de Funcionamento, Número de Alunos por Turma, Atos de Legalização e Modalidade de Ensino

2. Dos Cursos da UNISA, Turnos, Duração, Vagas, Locais de Funcionamento, Número de Alunos por Turma, Atos de Legalização e Modalidade de Ensino EDITAL DO PROCESSO SELETIVO DE INGRESSO AOS CURSOS PRESENCIAIS E SEMIPRESENCIAIS DE GRADUAÇÃO/HABILITAÇÕES/MODALIDADES E GRADUAÇÃO TECNOLÓGICA, DA UNIVERSIDADE DE SANTO AMARO 2009 - TURMAS DE AGOSTO -

Leia mais

CAPÍTULO I DA BOLSA DE ESTUDO

CAPÍTULO I DA BOLSA DE ESTUDO RESOLUÇÃO Nº 01, de 01 de agosto de 2012 Estabelece procedimentos para o processo seletivo de Bolsas de Estudos do INSTITUTO SUPERIOR DE EDUCAÇÃO NOSSA SENHORA DE SION. A Diretora do INSTITUTO SUPERIOR

Leia mais

CAPÍTULO I DOS MATERIAIS DIDÁTICOS

CAPÍTULO I DOS MATERIAIS DIDÁTICOS REGULAMENTO DOS MATERIAIS DIDÁTICOS DA FACULDADE ARTHUR THOMAS PERÍODO LETIVO 2016/1 CAPÍTULO I DOS MATERIAIS DIDÁTICOS Art. 1. Entende-se por materiais didáticos livros impressos ou virtuais (e-books),

Leia mais

NÃO PERCAM ESTA OPORTUNIDADE! SABEMOS QUE ERA ISSO QUE FALTAVA PARA QUE FÔSSEMOS A UNIVERSIDADE ESCOLHIDA POR VOCÊS! FIES - (Financiamento Estudantil)

NÃO PERCAM ESTA OPORTUNIDADE! SABEMOS QUE ERA ISSO QUE FALTAVA PARA QUE FÔSSEMOS A UNIVERSIDADE ESCOLHIDA POR VOCÊS! FIES - (Financiamento Estudantil) NÃO PERCAM ESTA OPORTUNIDADE! SABEMOS QUE ERA ISSO QUE FALTAVA PARA QUE FÔSSEMOS A UNIVERSIDADE ESCOLHIDA POR VOCÊS! FIES - (Financiamento Estudantil) A USJT é conveniada com o Programa de Financiamento

Leia mais

O GOVERNADOR DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO

O GOVERNADOR DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO DECRETO Nº 1950-R de 24 DE OUTUBRO de 2007. Regulamenta a Lei Nº 8263, de 25/01/2006 publicada no Diário Oficial do Estado em 26/01/06, alterada pela Lei n o 8642, publicada no Diário Oficial do Estado

Leia mais

REGULAMENTO FINANCEIRO DA FITO

REGULAMENTO FINANCEIRO DA FITO REGULAMENTO FINANCEIRO DA FITO DOS CONTRATANTES Art. 1º - Pela matrícula, a Fundação Instituto Tecnológico de Osasco, doravante denominada FITO e o Aluno e/ou Responsável Financeiro estabelecem recíprocos

Leia mais

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU REGULAMENTO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU Institui o Regulamento dos cursos de Pós-graduação lato sensu em da Escola de Direito de Brasília EDB, mantida pelo Instituto Brasiliense de Direito

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS REGULAMENTO GERAL DOS PROGRAMAS DE PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU

UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS REGULAMENTO GERAL DOS PROGRAMAS DE PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS P R Ó - R E I T O R I A D E P Ó S - G R A D U A Ç Ã O COORDENADORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU REGULAMENTO GERAL DOS PROGRAMAS DE PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU CAPÍTULO

Leia mais

DIÁRIO OFICIAL N o 3.476. Ano XXIII - Estado do Tocantins, sexta-feira, 30 de setembro de 2011

DIÁRIO OFICIAL N o 3.476. Ano XXIII - Estado do Tocantins, sexta-feira, 30 de setembro de 2011 52 REGIMENTO DA PÓS-GRADUAÇÃO Lato sensu. Dispõe sobre o Regimento dos Cursos de Pós-Graduação Lato sensu na esfera da Fundação Universidade do Tocantins - Unitins. CAPÍTULO I DOS OBJETIVOS, DA CONSTITUIÇÃO,

Leia mais

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE ASSISTÊNCIA EDUCACIONAL Capítulo I Do objetivo Art. 1º - O Programa de Assistência Educacional do Centro Universitário

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE ASSISTÊNCIA EDUCACIONAL Capítulo I Do objetivo Art. 1º - O Programa de Assistência Educacional do Centro Universitário REGULAMENTO DO PROGRAMA DE ASSISTÊNCIA EDUCACIONAL Capítulo I Do objetivo Art. 1º - O Programa de Assistência Educacional do Centro Universitário Franciscano para estudantes dos cursos de graduação, executado

Leia mais

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ECONOMIA NÍVEL MESTRADO DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS TÍTULO I DA NATUREZA E DOS OBJETIVOS DO PROGRAMA

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ECONOMIA NÍVEL MESTRADO DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS TÍTULO I DA NATUREZA E DOS OBJETIVOS DO PROGRAMA REGULAMENTO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ECONOMIA NÍVEL MESTRADO DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS TÍTULO I DA NATUREZA E DOS OBJETIVOS DO PROGRAMA Art. 1º O Programa de Pós-Graduação em Economia (PPE),

Leia mais

EDITAL Nº 006, DE 29 DE JANEIRO DE 2014.

EDITAL Nº 006, DE 29 DE JANEIRO DE 2014. EDITAL Nº 006, DE 29 DE JANEIRO DE 2014. Torna público a abertura de inscrição para Processo Seletivo do Programa UNINGÁ de Benefício ao Estudante PROUBE, referente ao período letivo 2014. O Professor

Leia mais

TÍTULO I Do Programa. TÍTULO II Do Curso

TÍTULO I Do Programa. TÍTULO II Do Curso Regulamento do Programa de Pós-Graduação em Planejamento e Análise de Políticas Públicas, Curso Mestrado Profissional, da Faculdade de Ciências Humanas e Sociais de Franca TÍTULO I Do Programa Artigo 1º

Leia mais

Regulamento do Curso

Regulamento do Curso Regulamento do Curso Mestrado Profissional em Administração CAPÍTULO I DAS FINALIDADES DO PROGRAMA Artigo 1º - O Programa de Mestrado Profissional em Administração (MPA) tem os seguintes objetivos: I.

Leia mais

REGIMENTO INTERNO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM BIOTECNOLOGIA E MONITORAMENTO AMBIENTAL. TÍTULO I Dos Objetivos

REGIMENTO INTERNO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM BIOTECNOLOGIA E MONITORAMENTO AMBIENTAL. TÍTULO I Dos Objetivos Regimento Interno do Curso de Mestrado em Biotecnologia e Área de concentração: Biotecnologia e REGIMENTO INTERNO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM BIOTECNOLOGIA E MONITORAMENTO AMBIENTAL TÍTULO I Dos Objetivos

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO TRIÂNGULO MINEIRO UBERABA-MG RESOLUÇÃO N. 4, DE 16 DE ABRIL DE 2013, DO CONSELHO UNIVERSITÁRIO DA UFTM.

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO TRIÂNGULO MINEIRO UBERABA-MG RESOLUÇÃO N. 4, DE 16 DE ABRIL DE 2013, DO CONSELHO UNIVERSITÁRIO DA UFTM. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO TRIÂNGULO MINEIRO UBERABA-MG RESOLUÇÃO N. 4, DE 16 DE ABRIL DE 2013, DO CONSELHO UNIVERSITÁRIO DA UFTM. Aprova as regras de transição do Sistema de Matrícula

Leia mais

NORMAS DO SISTEMA DE MONITORIA CAPÍTULO I DO CONCEITO

NORMAS DO SISTEMA DE MONITORIA CAPÍTULO I DO CONCEITO NORMAS DO SISTEMA DE MONITORIA CAPÍTULO I DO CONCEITO Art. 1º A monitoria é uma atividade acadêmica, no âmbito da graduação, que pretende oferecer ao aluno experiência de iniciação à docência. 1º A monitoria

Leia mais

O regime adotado pela Faculdade Metodista Granbery é o seriado semestral. A matrícula é feita por períodos e renovada semestralmente.

O regime adotado pela Faculdade Metodista Granbery é o seriado semestral. A matrícula é feita por períodos e renovada semestralmente. INFORMAÇÕES ACADÊMICAS BÁSICAS 1. CURRÍCULO Para cada curso de graduação é organizado um currículo. O currículo abrange uma sequência de disciplinas/módulos hierarquizados(as) por períodos letivos, cuja

Leia mais

Decreto Nº 13.840 de 21/09/2009

Decreto Nº 13.840 de 21/09/2009 Decreto Nº 13.840 de 21/09/2009 Dispõe sobre estágios no âmbito da Administração Pública Direta e Indireta do Estado do Piauí para estudantes regularmente matriculados e com frequência efetiva, vinculados

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ESTUDOS DE CULTURA CONTEMPORÂNEA UFMT TÍTULO I DOS OBJETIVOS DO PROGRAMA

REGIMENTO INTERNO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ESTUDOS DE CULTURA CONTEMPORÂNEA UFMT TÍTULO I DOS OBJETIVOS DO PROGRAMA REGIMENTO INTERNO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ESTUDOS DE CULTURA CONTEMPORÂNEA UFMT TÍTULO I DOS OBJETIVOS DO PROGRAMA Art. 1º O Programa de Pós-Graduação em Estudos de Cultura Contemporânea da UFMT,

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO SECRETARIA DE RELAÇÕES INTERNACIONAIS

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO SECRETARIA DE RELAÇÕES INTERNACIONAIS UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO SECRETARIA DE RELAÇÕES INTERNACIONAIS Vitória, 16 de outubro de 2015. EDITAL 5/2015/SRI A Secretaria de Relações Internacionais (SRI) da Universidade Federal do Espírito

Leia mais

REGIMENTO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM FÍSICA

REGIMENTO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM FÍSICA REGIMENTO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM FÍSICA TÍTULO I DOS OBJETIVOS Art. 1º O Programa de Pós-Graduação em Física (PPGFIS) da Universidade Federal do Amazonas (UFAM) tem por finalidade a formação de

Leia mais

PORTARIA CNMP/PRESI Nº 48, DE 07 DE MAIO DE 2012.

PORTARIA CNMP/PRESI Nº 48, DE 07 DE MAIO DE 2012. PORTARIA CNMP/PRESI Nº 48, DE 07 DE MAIO DE 2012. Regulamenta o Programa de Pós-Graduação no âmbito do Conselho Nacional do Ministério Público O PRESIDENTE DO CONSELHO NACIONAL DO MINISTÉRIO PÚBLICO, no

Leia mais

EDITAL DO PROGRAMA DE BOLSAS DE ESTUDOS ANO LETIVO DE 2012. (Em conformidade com a Lei 12.101/2009 e o Decreto 7237/2010)

EDITAL DO PROGRAMA DE BOLSAS DE ESTUDOS ANO LETIVO DE 2012. (Em conformidade com a Lei 12.101/2009 e o Decreto 7237/2010) EDITAL DO PROGRAMA DE BOLSAS DE ESTUDOS ANO LETIVO DE 2012 (Em conformidade com a Lei 12.101/2009 e o Decreto 7237/2010) A Associação Beneficente e Educacional de 1858 é uma instituição que atua na educação

Leia mais

NORMAS INTERNAS DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO ABC - UFABC

NORMAS INTERNAS DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO ABC - UFABC NORMAS INTERNAS DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO ABC - UFABC O Programa de Pós-Graduação stricto sensu em Ciências Humanas e Sociais, cursos de Mestrado

Leia mais

EDITAL DE PROCESSO SELETIVO PARA O PROGRAMA SANTANDER UNIVERSIDADES DE BOLSAS DE EDUCAÇÃO 2015

EDITAL DE PROCESSO SELETIVO PARA O PROGRAMA SANTANDER UNIVERSIDADES DE BOLSAS DE EDUCAÇÃO 2015 EDITAL DE PROCESSO SELETIVO PARA O PROGRAMA SANTANDER UNIVERSIDADES DE BOLSAS DE EDUCAÇÃO 2015 O Diretor Geral da Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Ibitinga - FAIBI, mantida pela Fundação Educacional

Leia mais

Anexo I da Organização Didática Resolução nº 031/2010 33

Anexo I da Organização Didática Resolução nº 031/2010 33 ANEXO I ORGANIZAÇÃO DIDÁTICA DO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO CIÊNCIA E TECNOLOGIA SERTÃO PERNANBUCANO Resolução nº 031/2010 De 30 de setembro de 2010 NORMAS ACADÊMICAS DOS CURSOS SUPERIORES DE TECNOLOGIA,

Leia mais

MESTRADO PROFISSIONAL EM ECONOMIA. Regulamento do Curso

MESTRADO PROFISSIONAL EM ECONOMIA. Regulamento do Curso MESTRADO PROFISSIONAL EM ECONOMIA Regulamento do Curso CAPÍTULO I DAS FINALIDADES DO PROGRAMA Artigo 1º - O Programa de Mestrado Profissional em Economia (MPE) tem os seguintes objetivos: I. formar recursos

Leia mais

REGULAMENTO DE TRANSFERÊNCIA E REOPÇÃO DE CURSOS DE GRADUAÇÃO CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES GERAIS

REGULAMENTO DE TRANSFERÊNCIA E REOPÇÃO DE CURSOS DE GRADUAÇÃO CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES GERAIS REGULAMENTO DE TRANSFERÊNCIA E REOPÇÃO DE CURSOS DE GRADUAÇÃO CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES GERAIS Art. 1º As vagas remanescentes existentes em cada curso da SLMANDIC serão preenchidas obedecendo a seguinte

Leia mais

RESOLUÇÃO 04/2001 CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES. Art. 1º - Fixar normas para o Funcionamento do Programa de Bolsas de Monitoria na UESB.

RESOLUÇÃO 04/2001 CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES. Art. 1º - Fixar normas para o Funcionamento do Programa de Bolsas de Monitoria na UESB. Dispõe sobre o Programa de Bolsa de Monitoria da Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia UESB, revogando as disposições em contrário, em especial as Resoluções CONSEPE/UESB 18/94 e 48/97. O Conselho

Leia mais

A Fundação concederá apenas bolsas de estudo integrais (100%).

A Fundação concederá apenas bolsas de estudo integrais (100%). ENEM 1 - Quando serão feitas as inscrições para o Enem 2014? Do dia 12 de maio até às 23h59 do dia 23 de maio, observado o horário oficial de Brasília-DF. 2 - Quando será a aplicação das provas do Enem

Leia mais

Regimento Interno do Programa de Pós-Graduação em. Engenharia de Minas, Metalúrgica e de Materiais

Regimento Interno do Programa de Pós-Graduação em. Engenharia de Minas, Metalúrgica e de Materiais Regimento Interno do Programa de Pós-Graduação em Engenharia de Minas, Metalúrgica e de Materiais I DOS OBJETIVOS E ORGANIZAÇÃO GERAL Art. 1 O Programa de Pós-Graduação em Engenharia de Minas, Metalúrgica

Leia mais

A.1 Regimento Interno do PPgSC. Regimento do Programa de Pós-graduação em Sistemas e Computação

A.1 Regimento Interno do PPgSC. Regimento do Programa de Pós-graduação em Sistemas e Computação A.1 Regimento Interno do PPgSC Regimento do Programa de Pós-graduação em Sistemas e Computação Capítulo I: Disposições Preliminares Art 1 -Do Alcance O Programa de Pós-graduação em Sistemas e Computação

Leia mais

DO OBJETIVO... 3 DOS DESCONTOS... 3 DA CONCESSÃO... 5 DOS PERCENTUAIS UTILIZADOS NA CONCESSÃO DAS BOLSAS... 5 DO REQUERIMENTO... 6

DO OBJETIVO... 3 DOS DESCONTOS... 3 DA CONCESSÃO... 5 DOS PERCENTUAIS UTILIZADOS NA CONCESSÃO DAS BOLSAS... 5 DO REQUERIMENTO... 6 REGULAMENTO PROGRAMA DE BOLSAS Instituto Cimas 1 SUMÁRIO DO OBJETIVO... 3 DOS DESCONTOS... 3 DA CONCESSÃO... 5 DOS PERCENTUAIS UTILIZADOS NA CONCESSÃO DAS BOLSAS... 5 DO REQUERIMENTO... 6 DOS DOCUMENTOS

Leia mais

Universidade de Caxias do Sul Programa de Pós-Graduação em Direito Mestrado

Universidade de Caxias do Sul Programa de Pós-Graduação em Direito Mestrado REGULAMENTO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU MESTRADO EM DIREITO Sumário CAPÍTULO I DOS OBJETIVOS DO PROGRAMA... 1 CAPÍTULO II DA ADMINISTRAÇÃO DO PROGRAMA...2 CAPÍTULO III DO CORPO DOCENTE,

Leia mais

TERMO DE CIÊNCIA - PROGRAMA DE DESCONTOS FAMÍLIA 10

TERMO DE CIÊNCIA - PROGRAMA DE DESCONTOS FAMÍLIA 10 TERMO DE CIÊNCIA - PROGRAMA DE DESCONTOS FAMÍLIA 10 Fica aprovado o Regulamento do Sistema de Concessão de Descontos denominado Família 10, destinado aos alunos da UNINOVE e a seus parentes diretos, nas

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO CARIOCA EDITAL PROCESSO SELETIVO JORNAL EXTRA 4ª. edição

CENTRO UNIVERSITÁRIO CARIOCA EDITAL PROCESSO SELETIVO JORNAL EXTRA 4ª. edição CETRO UIVERSITÁRIO CARIOCA EDITAL PROCESSO SELETIVO JORAL EXTRA 4ª. edição O Centro Universitário Carioca UniCarioca, recredenciado através da Portaria MEC º 1.565/04, torna públicas as normas a seguir,

Leia mais

RESOLUÇÃO CONSEPE Nº 05/2007 REGULAMENTO GERAL DA PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU DA UNIVERSIDADE ESTADUAL DO SUDOESTE DA BAHIA - UESB

RESOLUÇÃO CONSEPE Nº 05/2007 REGULAMENTO GERAL DA PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU DA UNIVERSIDADE ESTADUAL DO SUDOESTE DA BAHIA - UESB Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia - UESB Credenciada pelo Decreto Estadual nº 7.344 de 27.05.1998 CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO CONSEPE RESOLUÇÃO CONSEPE Nº 05/2007 REGULAMENTO

Leia mais

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE MONITORIA PARA OS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA UNIVERSIDADE ESTADUAL DE ALAGOAS - UNEAL

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE MONITORIA PARA OS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA UNIVERSIDADE ESTADUAL DE ALAGOAS - UNEAL REGULAMENTO DO PROGRAMA DE MONITORIA PARA OS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA UNIVERSIDADE ESTADUAL DE ALAGOAS - UNEAL Este Regulamento e a Resolução do Conselho Superior da Uneal (CONSU/UNEAL) que o aprovou foram

Leia mais

RESOLUÇÃO NORMATIVA N.º 17/CUn DE 10 DE ABRIL DE 2012. Regulamenta o Programa de Monitoria da Universidade Federal de Santa Catarina

RESOLUÇÃO NORMATIVA N.º 17/CUn DE 10 DE ABRIL DE 2012. Regulamenta o Programa de Monitoria da Universidade Federal de Santa Catarina RESOLUÇÃO NORMATIVA N.º 17/CUn DE 10 DE ABRIL DE 2012 Regulamenta o Programa de Monitoria da Universidade Federal de Santa Catarina O PRESIDENTE DO CONSELHO UNIVERSITÁRIO da Universidade Federal de Santa

Leia mais

EDITAL DE SELEÇÃO PARA MONITORIA 2013.1

EDITAL DE SELEÇÃO PARA MONITORIA 2013.1 A Faculdade Unida da Paraíba, mantida pela Sociedade Paraibana de Educação e Cultura ASPEC com sede em João Pessoa, PB, torna públicas as regras de funcionamento do sistema de Monitoria no Curso de Graduação,

Leia mais

ESTADO DE SÃO PAULO PORTARIA IAC/DG... REGIMENTO DA PÓS-GRADUAÇÃO EM AGRICULTURA TORPICAL E SUBTROPICAL

ESTADO DE SÃO PAULO PORTARIA IAC/DG... REGIMENTO DA PÓS-GRADUAÇÃO EM AGRICULTURA TORPICAL E SUBTROPICAL ESTADO DE SÃO PAULO PORTARIA IAC/DG... REGIMENTO DA PÓS-GRADUAÇÃO EM AGRICULTURA TORPICAL E SUBTROPICAL O Diretor Técnico de Departamento resolve elaborar e implantar o Regimento do Programa de Pós-Graduação

Leia mais

REGULAMENTO PROPOSITIVO 2014

REGULAMENTO PROPOSITIVO 2014 REGULAMENTO PROPOSITIVO 2014 1 NO QUE CONSISTE O PROPOSITIVO 1.1 O ProPositivo - Programa de Bolsas de Estudos do Centro Tecnológico Positivo - é um programa de responsabilidade social do Centro Tecnológico

Leia mais

Regimento Interno do Programa de Pós-Graduação em Estudos Urbanos e Regionais - UFRN

Regimento Interno do Programa de Pós-Graduação em Estudos Urbanos e Regionais - UFRN Regimento Interno do Programa de Pós-Graduação em Estudos Urbanos e Regionais - UFRN CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1 o O Programa de Pós-Graduação em Estudos Urbanos e Regionais (PPEUR),

Leia mais

REGIMENTO DA PÓS-GRADUAÇÃO - MESTRADO PROFISSIONAL

REGIMENTO DA PÓS-GRADUAÇÃO - MESTRADO PROFISSIONAL 1 / 9 INSTITUTO DE PESQUISAS TECNOLÓGICAS DO ESTADO DE SÃO PAULO S/A - IPT REGIMENTO DA PÓS-GRADUAÇÃO - MESTRADO PROFISSIONAL CAPÍTULO I - Das Finalidades 1.1 - Os Programas de Mestrado Profissional do

Leia mais

EDITAL Nº 11/2015 BOLSA DE ESTUDO INSTITUCIONAL 2016/1

EDITAL Nº 11/2015 BOLSA DE ESTUDO INSTITUCIONAL 2016/1 EDITAL Nº 11/2015 BOLSA DE ESTUDO INSTITUCIONAL 2016/1 O Diretor da Faculdade São Luiz, Claudio Marcio Piontkewicz, faz saber aos interessados que, de acordo com a legislação vigente e com o Programa de

Leia mais

PROGRAMA DE MONITORIA DO IFMS Campo Grande - MS 2014 PROGRAMA DE MONITORIA DO IFMS Capítulo I DA APRESENTAÇÃO Art. 1º O presente Programa estabelece as finalidades, objetivos, atribuições e normas para

Leia mais

FUNDAÇÃO KARNING BAZARIAN FACULDADES INTEGRADAS DE ITAPETININGA CENTRO DE ATIVIDADES E EXTENSÃO PROGRAMA DE ATIVIDADES ACADÊMICAS ESPECIAIS- PROAE

FUNDAÇÃO KARNING BAZARIAN FACULDADES INTEGRADAS DE ITAPETININGA CENTRO DE ATIVIDADES E EXTENSÃO PROGRAMA DE ATIVIDADES ACADÊMICAS ESPECIAIS- PROAE FUNDAÇÃO KARNING BAZARIAN FACULDADES INTEGRADAS DE ITAPETININGA CENTRO DE ATIVIDADES E EXTENSÃO PROGRAMA DE ATIVIDADES ACADÊMICAS ESPECIAIS- PROAE Regulamento do Programa de Monitoria Capítulo I Das Disposições

Leia mais

REGULAMENTO DE CONCESSÃO DE BOLSAS DE ESTUDO DA AÇÃO EDUCACIONAL CLARETIANA EDUCLAR

REGULAMENTO DE CONCESSÃO DE BOLSAS DE ESTUDO DA AÇÃO EDUCACIONAL CLARETIANA EDUCLAR REGULAMENTO DE CONCESSÃO DE BOLSAS DE ESTUDO DA AÇÃO EDUCACIONAL CLARETIANA EDUCLAR CÁPITULO I SUMÁRIO Art. 1. Do Objetivo 02 CAPÍTULO II Art. 2. Da Bolsa Social 02 Art. 3. Do Âmbito 02 Arts. 4 a 8. Das

Leia mais

FACULDADE VALE DO SALGADO

FACULDADE VALE DO SALGADO EDITAL Nº 2, 14 DE FEVEREIRO DE 2014 - EDITAL PARA SELEÇÃO DE MONITORES QUE INTEGRARÃO O PROGRAMA DE MONITORIA DA FACULDADE VALE DO SALGADO PARA O PERÍODO LETIVO DE 2014.1 e 2014.2. A Coordenação de Pesquisa

Leia mais

Educa Mais Brasil REGULAMENTO

Educa Mais Brasil REGULAMENTO Educa Mais Brasil REGULAMENTO 2015 Regulamento do Programa EDUCA MAIS BRASIL I DO PROGRAMA Art. 1.º - O Programa EDUCA MAIS BRASIL é um programa de INCLUSÃO EDUCACIONAL e tem por objetivos: I estimular

Leia mais

UNIVERSIDADE METROPOLITANA DE SANTOS CAMPUS BANDEIRANTE I, II, III E IV

UNIVERSIDADE METROPOLITANA DE SANTOS CAMPUS BANDEIRANTE I, II, III E IV REGULAMENTO DE CONCESSÃO DE BOLSAS DE ESTUDOS A Reitora da Universidade Metropolitana de Santos, no uso de suas atribuições e cumprindo o que estabelece a Portaria MEC n 2, de 01 de fevereiro de 2012 e

Leia mais

DOCUMENTOS COMPLEMENTARES

DOCUMENTOS COMPLEMENTARES DOCUMENTOS COMPLEMENTARES REGULAMENTO DO CURSO DE DOUTORADO EM ADMINISTRAÇÃO CDA EM ASSOCIAÇÃO DE IES (PUCRS e UCS) Janeiro de 2009 2 CAPÍTULO I Dos objetivos Art. 1 o - O curso confere o grau de Doutor

Leia mais

Art. 1º - Aprovar Norma que Regulamenta o Programa de Monitoria da Universidade Vale do Rio Doce- UNIVALE.

Art. 1º - Aprovar Norma que Regulamenta o Programa de Monitoria da Universidade Vale do Rio Doce- UNIVALE. Resolução CONSEPE: Nº. 049/2014 Aprova Norma que Regulamenta o Programa de Monitoria da Universidade Vale do Rio Doce. O Conselho de Ensino Pesquisa e Extensão - CONSEPE, da Universidade Vale do Rio Doce

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE DA INTEGRAÇÃO INTERNACIONAL DA LUSOFONIA AFRO-BRASILEIRA - UNILAB

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE DA INTEGRAÇÃO INTERNACIONAL DA LUSOFONIA AFRO-BRASILEIRA - UNILAB RESOLUÇÃO N 030/2013, DE 25 DE NOVEMBRO DE 2013. Normatiza os procedimentos relativos à matrícula de estudantes dos cursos de graduação da Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira

Leia mais

PROGRAMA FAMUR DE BOLSAS DE ESTUDO GRATUIDADE E DE AUXÍLIOS

PROGRAMA FAMUR DE BOLSAS DE ESTUDO GRATUIDADE E DE AUXÍLIOS 1 PROGRAMA FAMUR DE BOLSAS DE ESTUDO GRATUIDADE E DE AUXÍLIOS REGULAMENTO CAPÍTULO I DO PROGRAMA FAMUR Art. 1º. O Instituto Leonardo Murialdo, Entidade mantenedora da Faculdade Murialdo, no uso de suas

Leia mais

REGULAMENTO DE FUNCIONAMENTO DOS CURSOS E PROGRAMAS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU

REGULAMENTO DE FUNCIONAMENTO DOS CURSOS E PROGRAMAS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA BAIANO REGULAMENTO DE FUNCIONAMENTO DOS CURSOS E PROGRAMAS DE PÓS-GRADUAÇÃO

Leia mais

lfif UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO - UNIRIO RESOlUÇÃO N 3.117, DE 10 DE JUNHO DE 2009

lfif UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO - UNIRIO RESOlUÇÃO N 3.117, DE 10 DE JUNHO DE 2009 lfif UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO - UNIRIO RESOlUÇÃO N 3.117, DE 10 DE JUNHO DE 2009 Dispõe sobre a matrícula nos cursos de Graduação da UNIRIO. o Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão,

Leia mais

REGULAMENTO DA ORGANIZAÇÃO DIDÁTICO-PEDAGÓGICA DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA UTFPR

REGULAMENTO DA ORGANIZAÇÃO DIDÁTICO-PEDAGÓGICA DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA UTFPR REGULAMENTO DA ORGANIZAÇÃO DIDÁTICO-PEDAGÓGICA DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA UTFPR ALTERAÇÃO APROVADA - RESOLUÇÃO Nº 018/13-COGEP 19/04/2013 CURITIBA Abril de 2013 Capítulo I DA NATUREZA DOS CURSOS Art. 1.o

Leia mais

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA UNEB CONSELHO UNIVERSITÁRIO CONSU

UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA UNEB CONSELHO UNIVERSITÁRIO CONSU UNIVERSIDADE DO ESTADO DA BAHIA UNEB CONSELHO UNIVERSITÁRIO CONSU RESOLUÇÃO N.º 507/2007 Publicada no D.O.E. de 08/09-12-2007, pág. 24 Altera a Resolução Nº. 634/04 CONSEPE, que aprova o Regulamento de

Leia mais

PORTARIA-DG-002/2016

PORTARIA-DG-002/2016 PORTARIA-DG-002/2016 REGULAMENTA O PROGRAMA SOU ALUNO E INDICO AS FACULDADES INTEGRADAS SANTA CRUZ DE CURITIBA O Diretor Geral das Faculdades Integradas Santa Cruz de Curitiba FARESC, no uso das atribuições

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU EM SAÚDE COLETIVA MESTRADO E DOUTORADO TÍTULO I. Introdução

REGIMENTO INTERNO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU EM SAÚDE COLETIVA MESTRADO E DOUTORADO TÍTULO I. Introdução REGIMENTO INTERNO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU EM SAÚDE COLETIVA MESTRADO E DOUTORADO TÍTULO I Introdução Art. 1. Este regimento estabelece as atribuições, responsabilidades e normas específicas

Leia mais

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE FINANCIAMENTO EDUCRED

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE FINANCIAMENTO EDUCRED REGULAMENTO DO PROGRAMA DE FINANCIAMENTO EDUCRED OBJETO O financiamento concedido pela EDUCRED é um programa de crédito educativo suplementar aos programas do Governo Federal já existentes. Destina-se

Leia mais

EDITAL PROCESSO SELETIVO TRADICIONAL 2016/1 AGENDADO

EDITAL PROCESSO SELETIVO TRADICIONAL 2016/1 AGENDADO EDITAL PROCESSO SELETIVO TRADICIONAL 2016/1 AGENDADO 1. O (a) Diretor (a) do (a) Faculdade Cenecista de Vila Velha FACEVV, com sede no município Vila Velha/ES, torna público, na forma regimental e em consonância

Leia mais

RESOLUÇÃO UnC-CONSUN 001/2015

RESOLUÇÃO UnC-CONSUN 001/2015 RESOLUÇÃO UnC-CONSUN 001/2015 Aprovar ad referendum do Conselho Universitário- CONSUN, o Regulamento para a Pós-Graduação Lato Sensu da Universidade do Contestado - UnC. A Presidente do Conselho Universitário

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM PSICOLOGIA SOCIAL E INSTITUCIONAL CAPÍTULO I OBJETIVOS

REGIMENTO INTERNO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM PSICOLOGIA SOCIAL E INSTITUCIONAL CAPÍTULO I OBJETIVOS REGIMENTO INTERNO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM PSICOLOGIA SOCIAL E INSTITUCIONAL CAPÍTULO I OBJETIVOS Art. 1º - O Programa de Pós-Graduação em Psicologia Social e Institucional, vinculado ao Instituto

Leia mais

EDITAL N.º 43/2014 EDITAL DE RENOVAÇÃO DE MATRÍCULA DE 2015-1

EDITAL N.º 43/2014 EDITAL DE RENOVAÇÃO DE MATRÍCULA DE 2015-1 EDITAL N.º 43/2014 EDITAL DE RENOVAÇÃO DE MATRÍCULA DE 2015-1 DIVULGA O PRAZO DE RENOVAÇÃO DE MATRÍCULA E DE OUTROS PROCEDIMENTOS ACADÊMICOS REFERENTES AO 2º SEMESTRE DE 2014 E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS.

Leia mais

REGULAMENTO DE CONCESSÃO DE BOLSAS SOCIAL DA AÇÃO EDUCACIONAL CLARETIANA EDUCLAR

REGULAMENTO DE CONCESSÃO DE BOLSAS SOCIAL DA AÇÃO EDUCACIONAL CLARETIANA EDUCLAR REGULAMENTO DE CONCESSÃO DE BOLSAS SOCIAL DA AÇÃO EDUCACIONAL CLARETIANA EDUCLAR CÁPITULO I SUMÁRIO Art. 1. Do Objetivo 02 CAPÍTULO II Art. 2. Da Bolsa Social 02 Art. 3. Do Âmbito 02 Arts. 4 a 8. Das Disposições

Leia mais

GUIA ACADÊMICO MATRÍCULA E REMATRÍCULA DISPENSA DE DISCIPLINA REQUERIMENTOS

GUIA ACADÊMICO MATRÍCULA E REMATRÍCULA DISPENSA DE DISCIPLINA REQUERIMENTOS GUIA ACADÊMICO MATRÍCULA E REMATRÍCULA A matrícula é o ato formal do aluno com a UNIUV. Importa em direitos e deveres, tanto para o aluno como para a instituição. Sua efetivação ocorre após classificação

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM FÍSICA. TÍTULO I Dos Objetivos

REGIMENTO INTERNO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM FÍSICA. TÍTULO I Dos Objetivos REGIMENTO INTERNO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM FÍSICA TÍTULO I Dos Objetivos Art. 1 - O Programa de Pós-Graduação em Física (PPGF) do Centro de Ciências Exatas e de Tecnologia, da Universidade Federal

Leia mais

Estado da Paraíba. Prefeitura Municipal de João Pessoa. Secretaria de Desenvolvimento Social EDITAL DE SELEÇÃO N.º 001/2016

Estado da Paraíba. Prefeitura Municipal de João Pessoa. Secretaria de Desenvolvimento Social EDITAL DE SELEÇÃO N.º 001/2016 Estado da Paraíba Prefeitura Municipal de João Pessoa Secretaria de Desenvolvimento Social EDITAL DE SELEÇÃO N.º 001/2016 Cumprindo o que determina a Lei Municipal 11.608/2008 que instituiu o Programa

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAPÁ CONSELHO UNIVERSITÁRIO RESOLUÇÃO N. 02/2010 CONSU/UNIFAP

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAPÁ CONSELHO UNIVERSITÁRIO RESOLUÇÃO N. 02/2010 CONSU/UNIFAP MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAPÁ CONSELHO UNIVERSITÁRIO RESOLUÇÃO N. 02/2010 CONSU/UNIFAP Regulamenta o Estágio Supervisionado, no âmbito da Universidade Federal do Amapá.

Leia mais

PROPOSTA DE EMPRÉSTIMO MODALIDADE PRÉ-FIXADO (Preenchimento Obrigatório) Nome. Matrícula Lotação Tel. Comercial. Email: Carteira de Identidade CPF

PROPOSTA DE EMPRÉSTIMO MODALIDADE PRÉ-FIXADO (Preenchimento Obrigatório) Nome. Matrícula Lotação Tel. Comercial. Email: Carteira de Identidade CPF ELETRA - FUNDAÇÃO CELG DE SEGUROS E PREVIDÊNCIA www.eletra.org.br - versão: 05/2015 12.08.2015 - pág.: 1 PROPOSTA DE EMPRÉSTIMO MODALIDADE PRÉ-FIXADO (Preenchimento Obrigatório) ( ) ATIVO ( ) APOSENTADO

Leia mais

FACULDADE DE CIÊNCIAS HUMANAS ESUDA Associação Recifense de Educação e Cultura

FACULDADE DE CIÊNCIAS HUMANAS ESUDA Associação Recifense de Educação e Cultura EDITAL DE RENOVAÇÃO DE MATRÍCULA PARA O SEGUNDO SEMESTRE DE 2011 O Diretor da Faculdade de Ciências Humanas ESUDA, no uso da suas atribuições, torna públicos o calendário e as normas para renovação de

Leia mais

Fundação Presidente Antônio Carlos - FUPAC Faculdade Presidente Antônio Carlos de Aimorés

Fundação Presidente Antônio Carlos - FUPAC Faculdade Presidente Antônio Carlos de Aimorés Regulamento do Programa de Monitoria para os cursos de Graduação A Monitoria é uma atividade Acadêmica dos cursos de Graduação que visa dar oportunidade de aprofundamento vertical de estudos em alguma

Leia mais

EDITAL Nº 05/2015 PROGRAMA DE INCENTIVO DE QUALIFICAÇÃO DOCENTE EM NÍVEL DE PÓS - GRADUAÇÃO STRICTO SENSU

EDITAL Nº 05/2015 PROGRAMA DE INCENTIVO DE QUALIFICAÇÃO DOCENTE EM NÍVEL DE PÓS - GRADUAÇÃO STRICTO SENSU EDITAL Nº 05/2015 PROGRAMA DE INCENTIVO DE QUALIFICAÇÃO DOCENTE EM NÍVEL DE PÓS - GRADUAÇÃO STRICTO SENSU A Coordenação de Pesquisa e Extensão - COPEX torna público, no âmbito interno da Faculdade Leão

Leia mais

EDITAL PROCESSO SELETIVO AGENDADO 2016/1 CONSOLIDADO

EDITAL PROCESSO SELETIVO AGENDADO 2016/1 CONSOLIDADO EDITAL PROCESSO SELETIVO AGENDADO 2016/1 CONSOLIDADO 1. O (a) Diretor (a) do (a) Faculdade Cenecista de Sete Lagoas, com sede no município (Sete Lagoas/MG), torna público, na forma regimental e em consonância

Leia mais

INFORMAÇÕES ACADÊMICAS

INFORMAÇÕES ACADÊMICAS INFORMAÇÕES ACADÊMICAS INGRESSO O ingresso na UNILAGOS é feito mediante processo seletivo (Vestibular) ou por outro processo previsto em lei. Também é possível ingressar por meio de transferência, dispositivo

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ RESOLUÇÃO Nº 17/CEPE, DE 03 DE MAIO DE 2006 Aprova normas para os cursos de especialização da Universidade Federal do Ceará. O Reitor da UNIVERSIDADE

Leia mais

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE BOLSAS INSTITUCIONAIS

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE BOLSAS INSTITUCIONAIS REGULAMENTO DO PROGRAMA DE BOLSAS INSTITUCIONAIS Cria o Programa Institucional de Bolsas de Graduação e Pós Graduação no âmbito da Faculdade de Castanhal, estabelece normas para concessão e dá outras providências.

Leia mais

RESOLUÇÃO. Santa Rosa, RS, 21 de setembro de 2009.

RESOLUÇÃO. Santa Rosa, RS, 21 de setembro de 2009. RESOLUÇÃO CAS Nº 32/2009, DE 21 DE SETEMBRO DE 2009. DISPÕE SOBRE O REGULAMENTO DO NÚCLEO DE PESQUISA PÓS-GRADUAÇÃO E EXTENSÃO NPPGE DAS FACULDADES INTEGRADAS MACHADO DE ASSIS. O CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº. 04/12/CP INSEP

RESOLUÇÃO Nº. 04/12/CP INSEP FACULDADE INSTITUTO SUPERIOR DE EDUCAÇÃO DO PARANÁ MANTENEDORA: INSTITUTO PARA O DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO E DA CIDADANIA IEC CNPJ: 02.684.150/0001-97 Maringá: Rua dos Gerânios, 1893 CEP: 87060-010 Fone/Fax:

Leia mais

FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAI NADIR DIAS DE FIGUEIREDO PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU

FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAI NADIR DIAS DE FIGUEIREDO PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU DO OBJETIVO REGULAMENTO Art. 1.º Os cursos de pós-graduação lato sensu do SENAI de São Paulo, obedecem o que dispõe a Resolução CNE/CES n.º 1, de 8 de junho de 2007, do Conselho Nacional de Educação e

Leia mais

FACULDADE SÃO SALVADOR - FSS SEEB - Sociedade de Estudos Empresariais Avançados da Bahia Ltda CNPJ: 03.871.465/0001-06

FACULDADE SÃO SALVADOR - FSS SEEB - Sociedade de Estudos Empresariais Avançados da Bahia Ltda CNPJ: 03.871.465/0001-06 EDITAL COMPLETO PROCESSO SELETIVO PARA TRANSFERÊNCIA EXTERNA E PORTADORES DE DIPLOMA 2014.2 Nº 05/2014 O Diretor Geral da Faculdade São Salvador, no uso de suas atribuições legais, na conformidade do que

Leia mais

Candidatos aprovados no Vestibular 2015.2 - Prova 19/07/2015 nas seguintes condições:

Candidatos aprovados no Vestibular 2015.2 - Prova 19/07/2015 nas seguintes condições: 1. Objetivo Estabelecer diretrizes, critérios e condições para a concessão de bolsa parcial de estudo no primeiro ano do curso (de julho de 2015 até junho de 2016) aos candidatos aprovados com os melhores

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO DOS CURSOS DO CEFET-SP

REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO DOS CURSOS DO CEFET-SP REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO DOS CURSOS DO CEFET-SP Capítulo I DA NATUREZA E SUAS FINALIDADES Art. 1º O estágio baseia-se na Lei nº. 11.788, sancionada em 25 de setembro de 2008. Parágrafo

Leia mais

EDITAL Nº 058/2015 PROCESSO SELETIVO PARA O PROGRAMA DE BOLSA NA MODALIDADE INCENTIVO ACADÊMICO

EDITAL Nº 058/2015 PROCESSO SELETIVO PARA O PROGRAMA DE BOLSA NA MODALIDADE INCENTIVO ACADÊMICO EDITAL Nº 058/2015 PROCESSO SELETIVO PARA O PROGRAMA DE BOLSA NA MODALIDADE INCENTIVO ACADÊMICO A Reitoria do Centro Universitário Senac torna pública a abertura das inscrições para o processo de seleção

Leia mais

RESOLUÇÃO DO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO

RESOLUÇÃO DO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO O Conselho de Administração do Instituto Infnet, no uso de suas atribuições e demais legislações correlatas, considerando necessário o estabelecimento de critérios para concessão de bolsas de estudo, resolve:

Leia mais

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM SERVIÇO SOCIAL

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM SERVIÇO SOCIAL REGULAMENTO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM SERVIÇO SOCIAL PARA INGRESSANTES EM 2003 DOS OBJETIVOS Art. 1º - O Programa de Pós-graduação em Serviço Social da Faculdade de História, Direito e Serviço Social,

Leia mais

CAPÍTULO II DA COORDENAÇÃO

CAPÍTULO II DA COORDENAÇÃO REGULAMENTO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU EM DIREITO, DA PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE MINAS GERAIS CAPÍTULO I DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU Art. 1º - O Programa de Pós-graduação

Leia mais

REGIMENTO DO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE MATERIAIS DA FUNDAÇÃO CENTRO UNIVERSITÁRIO ESTADUAL DA ZONA OESTE.

REGIMENTO DO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE MATERIAIS DA FUNDAÇÃO CENTRO UNIVERSITÁRIO ESTADUAL DA ZONA OESTE. REGIMENTO DO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE MATERIAIS DA FUNDAÇÃO CENTRO UNIVERSITÁRIO ESTADUAL DA ZONA OESTE. TÍTULO I FINALIDADES Art. 1º - O Centro Setorial de Produção Industrial

Leia mais

TRIBUNAL SUPERIOR DO TRABALHO PRESIDÊNCIA ATO Nº 360/DILEP.CDEP.SEGPES.GDGSET.GP, DE 7 DE JULHO DE 2014

TRIBUNAL SUPERIOR DO TRABALHO PRESIDÊNCIA ATO Nº 360/DILEP.CDEP.SEGPES.GDGSET.GP, DE 7 DE JULHO DE 2014 TRIBUNAL SUPERIOR DO TRABALHO PRESIDÊNCIA ATO Nº 360/DILEP.CDEP.SEGPES.GDGSET.GP, DE 7 DE JULHO DE 2014 Institui o Programa de Incentivo à Participação de Servidores do Tribunal Superior do Trabalho em

Leia mais