HISTÓRIA EM QUADRINHOS COMO OBJETO DE APRENDIZAGEM HIPERMIDIÁTICO

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "HISTÓRIA EM QUADRINHOS COMO OBJETO DE APRENDIZAGEM HIPERMIDIÁTICO"

Transcrição

1 HISTÓRIA EM QUADRINHOS COMO OBJETO DE APRENDIZAGEM HIPERMIDIÁTICO Luciane Ropelatto UFSC, Departamento de Expressão Gráfica Ricardo Triska UFSC, Departamento de Expressão Gráfica Alice Theresinha Cybis Pereira UFSC, Departamento de Expressão Gráfica Marília Matos Gonçalves UFSC, Departamento de Expressão Gráfica Resumo O presente artigo aborda o uso da hipermídia, em específico a história em quadrinhos como estratégia didática pedagógica. As mídias exercem forte influência na formação intelectual e podem ser um elemento motivador para a aprendizagem, auxiliando como instrumento de apoio na dinâmica das aulas. A escolha do tema se deu pelo fato de que as tecnologias midiáticas estão cada vez mais presentes na vida das pessoas, como possíveis processos de disseminação aberta do conhecimento. Dessa forma, este artigo está baseado em uma revisão sistemática, cujo importante recurso da prática baseada em evidências, propicia subsídios que proporcionem reflexões para a construção e/ou aplicação da história em quadrinhos como objeto de aprendizagem hipermidiático. Pode-se perceber que as construções de conteúdos em formatos de quadrinhos com apoio de softwares de fácil aprendizado podem despertar o interesse, possibilitar a interatividade, desenvolver aptidões, pois estimulam o imaginário a ter maior participação na sala de aula. Palavras-chave: Objetos de aprendizagem. Recurso didático. História em quadrinhos.

2 Abstract This article explain about the use of hypermedia, specifically the comics as pedagogical teaching strategy. The media has a strong influence in the intellectual formation and can be a motivator for learning, assisting as a support tool in class dynamics. The theme was selected by the fact that media technologies are increasingly present in people's lives as an open possible dissemination process of knowledge. Therefore, this article is based on a systematic review, where the important resource of the practice based on evidences provides reflections that afford subsidies for the construction and/or application of the comic book as an object of learning hypermediatic. We can notice that the constructions of content in comics formats with easy learning software support can spark interest, enable interactivity, develop skills, that stimulate the imagination and have more participation in the classroom. Keywords: Learning Objects. Teaching resource. Comics. 1 Introdução Cada vez mais os recursos computacionais se tornam uma realidade nos ambientes educacionais auxiliando o processo de aprendizagem de vários conteúdos disciplinares. A organização dos conteúdos em diferentes formas usando a hipermídia como apoio quebra os paradigmas do ensino linear e da segmentação do conhecimento, levando o aluno ao contato com uma sociedade informatizada. Conforme Kenski (2011, p.43-44), Educação e tecnologia são indissociáveis. A tecnologia deve ser usada na educação para que ocorra uma integração, utilizando-as como base para o ensino, com o conhecimento de suas potencialidades, do modo de usá-las e quais suas inovações. Esta última precisa ser informada seja ela [...] um tipo de processo, produto, serviço ou comportamento para que se saiba a melhor maneira de empregá-las como auxilio para necessidades de seus usuários. A inovação se tornará uma espécie de produto natural do cotidiano à medida que se assimila a informação sobre esta e se faça uso das mesmas, à medida de necessidades e potencialidades. Usamos muitos tipos de tecnologias para aprender e saber mais e precisamos da educação para aprender e saber mais sobre as tecnologias. A este novo ângulo de visão, se pode dar o nome de socialização da inovação. O que faz a diferença qualitativa é a capacidade de adequação do processo educacional aos objetivos de aprender. O professor tem o papel de agir como o intermediador, facilitador, orientador, articulador do processo de aprendizagem impulsionando o aluno a buscar novas informações, formar um pensamento crítico, pesquisar assuntos para resolver problemas. Por outro lado, o aluno tem que ser

3 também pró-ativo e deixar de ter uma postura passiva de receber informação. (SCHWARZELMÜLLER, 2012). Para os autores Araujo; Costa; Costa (2008), a utilização de histórias em quadrinhos na educação como instrumento de prática educacional pode ser uma importante ferramenta de alfabetização e leitura motivacional, por apresentar uma associação de imagens e textos que permitem uma comunicação visual fácil de ser assimilada, sem falar na presença de técnicas artísticas como enquadramento, relação entre figura e fundo entre outras [...], induzindo os alunos que não sabem ler e escrever a aprenderem a ler e escrever a partir de imagens, ou seja, estariam se alfabetizando visualmente. As histórias em quadrinhos são alvo de interesse de leitura por boa parte dos estudantes e também de alguns adultos, que se trazidas para a sala de aula em forma interativa tende a despertar mais o interesse dos alunos e aproximação do professor com o universo destes. Segundo a 3ª. edição da pesquisa Retratos da Leitura no Brasil 1, realizada pelo Instituto Pró-livro (IPL) em 2011, de uma amostra de população de 88,2 milhões, as histórias em quadrinhos mostra que entre os gêneros de leitura as HQ s estão mais presentes nas seguintes idades em: 36% entre 5 e 10 anos das 12,5 milhões de crianças; 33% de 8,6 milhões de adolescentes e 27% de 10 milhões jovens entre 14 a 17 anos. A pesquisa teve como base uma amostra da população brasileira com 5 anos ou mais (178 milhões de pessoas) dos quais 50% são leitores. Mesmo assim, em número de leitores as HQ s estão à frente dos interesses por leitura em textos escolares, internet, livros digitais, áudios e livros técnicos e um pouco abaixo de revistas, jornais, livros indicados em escolas e demais literaturas. Muitas mudanças aconteceram nos modos de ensinar e aprender desde que as tecnologias de informação e comunição começaram a se expandir. Seja qual for o tempo e a forma de contato com os equipamentos midiáticos, professores e alunos lidam com diversos tipos de mídia diariamente. Guardam em suas memórias, vivências e informações incorporadas destes meios, os quais se tornam referências que servem de apoio para novas descobertas de aprendizagens em sala de aula. (KENSKI, 2011). Observa-se que a velocidade da informação midiática é superior às que se recebem no espaço escolar e as histórias em quadrinhos podem ser um bom recurso de aprendizagem e interatividade se trabalhadas criativamente de diversas formas e em disciplinas. Nesse contexto, o uso de sistemas de hipermídia é um bom recurso de aproximação entre educação, tecnologia e aluno, é o que aborda os itens a seguir. 1 Retratos da Leitura no Brasil. 3ª. Edição da Pesquisa Retratos no Brasil. Disponível em: Acesso em: maio/2013.

4 2 A hipermídia na educação Os sistemas hipermídia criam novos caminhos para a educação permitindo a propagação e o gerenciamento das informações no sentindo de compartilhar, criar, alterar e canalizar dados novos por meio do diversos conteúdos multimidiáticos 2. Considerada apropriada para o ensino educacional a tecnologia hipermidiática propõe flexibilidade e exploração dos conteúdos relevantes de forma não sequencial permitindo o acesso e controle de navegação. (ALMEIDA, 2008). De acordo com Schwarzelmüller (2012), com o auxilio da tecnologia é possível desenvolver nos alunos capacidades de pesquisa, comunicação e interpretação da informação, inserindo conteúdos e atividades em forma de documentos hipermidiáticos adequados ao contexto de sua disciplina, seja, sociocultural, sócio-histórico e outras. Nesta perspectiva pode-se usar softwares específicos que permitem estabelecer links entre objetos de informação que podem ter em qualquer formato de mídia. Importante é que se faça uma ligação compreensível entre a informação e o objeto de estudo e que as ferramentas sejam acessíveis para alunos e professores. A maioria das tecnologias é utilizada como auxiliar no processo educativo. Não são nem o objeto, nem a sua substancia, nem a sua finalidade. Elas estão presentes em todos os momentos do processo pedagógico, desde o planejamento das disciplinas, a elaboração da proposta curricular até a certificação dos alunos que concluíram um curso. (KENSKI, 2011, p. 44). A introdução da tecnologia traz significativa mudança na organização do ensino, pois vai além de ser usada somente como apoio docente, mas um meio que propicia comunicação, diálogos, discussão entre os alunos e que permitem o uso de outros recursos como vídeos, histórias em quadrinhos, música, tornando a aula mais interativa. E a estas ferramentas de apoio chamamos de objetos de aprendizagem. 3 A relevância dos objetos de aprendizagem O acúmulo de informações, a rapidez dos avanços tecnológicos, as mudanças na sociedade, refletem no ensino exigindo uma adaptação a um ambiente mais interativo e estimulador. Para manter a qualidade de seus serviços e métodos de ensino, a área de educação necessita investir em novas ferramentas que os auxiliem na organização de conteúdos mais estruturados. A inserção dos computadores na escola como uma dinâmica de interação oferece condições de estimulação da criança à investigação 2 Materiais pedagógicos representados por meio de recursos digitais multimídia para apoiar a aprendizagem de determinado tópico de estudos, conceito ou fenômeno. (ALMEIDA, Maria Elizabeth Bianconcini de. Tecnologias e conteúdos multimidiáticos na Educação Básica. Disponível em: Acesso em: Maio/ 2013)

5 além de possibilitar pausas e retornos para interpretação do conteúdo atendendo ao ritmo de cada uma. Os objetos de aprendizagem servem como ferramentas pedagógicas com intuito de facilitar e dar suporte ao ensino, podendo ser produzidos em qualquer mídia ou formato, desde uma animação simples a um software complexo, com objetivo de estimular o aluno à reflexão, ao pensamento crítico, a criatividade e ao raciocínio lógico. É a adequação de um modelo padrão onde se disponibilizam organizadamente materiais educacionais, como o caso do ensino a distância. Uma das definições mais usadas e aceitas na literatura está nas palavras de Wiley (2000), Qualquer recurso digital que possa ser reutilizado e dar suporte à aprendizagem [...] na maior parte são constituídos e recursos digitais como vídeos, software, animações, imagens. Os autores Harman & Koohang (2007) concluem o termo como uma infinidade de materiais de apoio a aprendizagem se encaixando também nesta categoria currículos, livros, páginas web, apresentações, artigos e recursos multimídia. Para o professor Romero Tavares 3, Objeto de aprendizagem é um artefato cognitivo que se encaixa em uma necessidade educacional claramente identificável e tem o potencial de poder ser reutilizado em diferentes contextos. Objetos de aprendizagem são criados para serem flexíveis a fim de proporcionar a possibilidade de serem reutilizados em diferentes ambientes de aprendizagem permitindo novas conexões e usos. Uma das suas principais características é fornecer elementos modulares para separação do assunto, ou seja, uma quebra de conteúdo educacional em unidades menores, mais discretas. (HARMAN & KOOHANG, 2007, p. 8, trad. própria). Um objeto de aprendizagem deve ser construído com as características essenciais de um tema, e escolhendo um enfoque mais inclusivo possível 4. Independente do uso do método de ensino, o processo de aprendizagem ocorre dentro do indivíduo baseado em experiências ou metodologias usadas anteriormente para compreender qualquer assunto. Para aprender determinado tópico o aluno irá focar seus sentidos para o professor em uma aula com o único propósito de adquirir conhecimento. Essa é a natureza dinâmica dos processos de assimilação, síntese e retenção, os quais se tornam o foco principal dos educadores e desenvolvedores quando tentam projetar objetos de aprendizagem que se adaptem a essas formas variadas de aprendizagem. (HARMAN & KOOHANG 2007, p.383). Através de 3 TAVARES, Romero. Professor do Departamento de Física do Centro de Ciências Exatas e da Natureza (CCNE) da UFPB. Objetos de Aprendizagem (s.d). Disponível em: Entrevista concedida ao site Conexão Professor. Acesso em: maio/ Id, s.d

6 atividades como histórias em quadrinhos, jogos, animações, filmes e outros, o uso dos objetos de aprendizagem nas aulas é uma forma de introduzir o conceito de um assunto, como tentar despertar o interesse pelo aprendizado e auxiliar o aluno na fixação de determinado conteúdo. Especialistas em psicologia como Vigotsky, há muitos anos já utilizavam métodos que testavam a capacidade real dos sujeitos através de sessões experimentais aplicando testes especialmente organizados [...] nos quais os sujeitos vissem sentido, e que permitissem várias soluções, cada um indicando um aspecto de atividade cognitiva. Um planejamento de conteúdo classificado de modo que pudessem resolver ou de forma gráfica funcional ou abstrata categórica, podendo o sujeito solucionar problemas de raciocínio dedutivo, seja por informações fornecidas acerca do seu conhecimento ou usando informações fornecidas nos problemas. (VIGOTISKI; LURIA; LEONT EV, 2012, p ). Os objetos de aprendizagem podem ser usados em qualquer disciplina e idade. Na escolha do objeto o professor deve ter atenção somente à adequação do recurso quanto a faixa etária de seus alunos e aos objetivos de aprendizagem visados. Devese observar cuidadosamente o tipo de recurso, a adequação da linguagem ao nível dos alunos, a abordagem do assunto com interesse dos alunos, se as informações estão corretas e atualizadas, se o conteúdo está livre de preconceitos e estereótipos e se requer conhecimento prévio por parte dos estudantes, entre outros itens. (NASCIMENTO, 2007). O Ministério da Educação há oito anos estimula a produção de objetos de aprendizagem em diversos formatos que estão sendo produzidos e publicados no Banco Internacional de Objetos Educacionais 5 e que alimenta o portal do Professor, são várias atividades multimídia, interativas, na forma de animações e simulações. Neste portal, há uma seção chamada Espaço Aula, onde há publicações e sugestões de aulas de vários professores utilizando objetos de aprendizagem e podem ser acessadas livremente por outros professores que queiram experimentar tais estratégias em sala com seus alunos 6. Com os objetos de aprendizagem em forma de simulação é possível fazer coisas que se consideram difíceis de serem projetadas na vida real ou em outros formatos de mídia. A possibilidade de experimentar e constatar a aplicação de um conhecimento é um fator importante para o aluno obter um aprendizado efetivo. Um ambiente no qual poderá controlar seu próprio tempo, interferir na resolução dos problemas e observar a evolução do processo. (NASCIMENTO, 2007). 5 Disponível em: Acesso em: maio/ Disponível em: Acesso em: maio/ 2013

7 4 Utilizando história em quadrinhos na educação Os educadores passam por constantes desafios na educação, como a desmotivação e a falta de atenção em sala, muitas vezes encontram nas tecnologias da informação e comunicação maneiras para inovar suas aulas. O uso de histórias em quadrinhos como objeto de aprendizagem em todos os níveis de educação pode ser um meio estimulante a participar das aulas, pois está presente em boa parte do cotidiano dos alunos. Como recurso pedagógico pode-se utilizar as histórias em quadrinhos para desenvolver aptidões para leitura, criatividade, produção e outras, além de reforçar conteúdos específicos e aplicar conceitos teóricos desenvolvidos em aula. Por serem encontradas com facilidade, desde bancas de jornal, lugares públicos e comerciais, as HQ s se tornaram comuns no conhecimento e na linguagem de famílias de diversas classes sociais. Para as crianças o diálogo que propõe, por exemplo, em forma simbólica de um balão é familiar, pois lembra um pensamento ou uma fala e a linguagem é simples de ser compreendida. Além disso, a imagem associada à escrita aumenta a compreensão do conteúdo a ser transmitido. (BARBOSA; RAMOS; VILELA, 2005). Para Vergueiro (2005), as HQ s constituem um meio de comunicação de massa com dois códigos de mensagem, o linguístico presente nas palavras utilizadas nos elementos narrativos, na expressão dos diversos personagens e na representação dos diversos sons; e o pictórico, constituído pela representação de pessoas, objetos, meio ambiente, ideias abstratas e/ou esotéricas etc. O autor completa que o maior desafio está em encontrar uma temática em quadrinho adequada à área da disciplina que deseja trabalhar. O processo didático se torna mais vivo algo diferente e com maior participação dos alunos. A professora de ensino Angela Santos 7 escreve em seus blogs assuntos relacionados a mídias educacionais de aprendizagem significativa, objetos de aprendizagem e novas tecnologias em educação e descreve como usa as histórias em quadrinhos como estratégia diferenciada para suas aulas. Nas fases iniciais trabalha inicialmente com uma história pronta e depois propõe aos alunos que em conjunto elaborem sua própria história. Com séries mais avançadas, trabalha na compreensão da história associando textos e imagens. Para os adolescentes faz a sugestão aos professores que utilizem quadrinhos que abordem temas estudados em sua própria disciplina, como História, Matemática, língua portuguesa, geografia, ciências, idiomas e outras. (SANTOS, 2011). 7 SANTOS, Angela. Professora de ensino Niterói, Rio de Janeiro, Brasil. Angela Santos. Disponível em: Acesso em: maio/2013.

8 Um exemplo de como se pode usar as histórias em quadrinhos como forma participativa é o software HagáQuê 8, um editor de histórias desenvolvido com o objetivo de auxiliar o processo de criação de quadrinhos por crianças inexperientes no uso de computadores, mas com recursos fáceis de serem editados. Apesar de estar desatualizado, tem sido usado como ferramenta de ensino por alguns professores, pois permite liberdade de expressão. Com ele há possibilidade do professor passar um determinado assunto e solicitar uma montagem de uma historia em quadrinhos incluindo imagens relatando o que compreenderam. Este tipo de atividade propõe uma interação entre os alunos e auxilia no desenvolvimento da criatividade, elaboração textual, socialização, interesse pela leitura e pesquisa. A figura 01 mostra a interface do HagáQuê com um exemplo de história em quadrinhos realizada por alunos. Figura 01: Interface do software HagaQuê Fonte: Assim como o HagáQuê encontram-se outros softwares de serviço on-line para construção de histórias em quadrinhos e que podem ser utilizados como ferramenta diferencial para ensino em sala de aula, como o Make a Comic e Comic Life. O Make a Comic permite criar HQ s simples, no qual os alunos escolhem os personagens, cenários e diálogos de narração em uma sequência de três quadrinhos. Apesar de estar em inglês, as ilustrações o tornam autoexplicativos. (Figura 02). 8 Software desenvolvido no núcleo de informática aplicada à Educação (NIED) da Unicamp/SP, como parte da dissertação de mestrado em 2001 de Silvia Amélia Bim, com o auxilio de Eduardo Hideki Tanaka e a orientação da Profª Dr. Heloisa Vieira da Rocha. Disponível em Acesso em: maio/2013.

9 Figura 02: Interface Software Make a Comic Fonte: Comic Life é um software baseado em revistinhas de história que permite criar quadrinhos e diálogos utilizando imagens de arquivos pessoais apenas arrastando e soltando fotos para o programa. Sua interface é muito intuitiva, acompanha o usuário passo a passo, tem uma variedade de elementos programados e efeitos para imagens. Como os demais, possibilita também colocar legendas, letreiros de texto, frases em balões pré-definidos ou criar próprios modelos 9 (figura 03). Figura 03: Interface Software Comic Life Fonte: Barbosa; Ramos; Vilela, (2005) apontam algumas vantagens de utilizar as HQ s: interesse pela leitura dos quadrinhos; enriquecimento do vocabulário; desenvolvimento de hábito de leitura; palavras e imagens juntas ensinam de forma mais eficiente; 9 Comic Life in Education. Os Benefícios da Comic Life na Educação. (s.d). Disponível em: Acesso em: maio/2013.

10 podem ser utilizados em qualquer nível escolar e tema; enriquecimento do vocabulário dos estudantes; tem um caráter globalizador; tem alto nível de informação nos quadrinhos. Além das vantagens citadas, os autores Araujo; Costa; Costa (2008, p.33) comentam que a informação é captura em um curto espaço de tempo quanto transformada em história em quadrinhos, pois estimulam a inteligência e imaginação com raciocínio direto e amplo destes. Mas por mais didático seja uma animação, uma história em quadrinhos, um filme é preciso inserir critérios de planejamento. Sua apresentação deve ser direcionada aos objetivos de aprendizagem a ser alcançados, ao conteúdo que se deseja trabalhar, ao tipo de aluno, assim como uma preparação prévia dos alunos para colocarem-se em atenção ao que observar e ao que fazer a crítica do que foi visto. É preciso depois canalizar todo o envolvimento dos estudantes com cenas vistas para a formulação de debates, conversas e atividades comunicativas entre eles, de forma que orientem a reflexão, sobre o conteúdo que deve ser assimilado e trabalhado criticamente. (KENSKI, 2011 p. 86). Segundo Nascimento (2007, p. 137) ainda são poucos os objetos de aprendizagem que os alunos podem interferir no seu ambiente, limitando-se somente a [...] cliques para que o sistema apresente informações e realize cálculos. A base para uma boa construção de objetos de aprendizagem está nas estratégias de planejamentos, nos objetivos a ser alcançados e na equipe de apoio. O que faz uma atividade ser diferente e motivadora é a forma de abordagem do conteúdo e a apresentação de sua problemática. Portanto, pode-se dizer que ainda existem atividades focando em mais regras do que na compreensão e aplicação de conhecimento. E a construção de conhecimento pela produção de quadrinhos pode ser um meio evolutivo e incentivador para novos projetos. 5 Considerações finais Há várias opções de se trabalhar com histórias em quadrinhos na educação, usando materiais já publicados no mercado ou fazendo com que os alunos produzam seu próprio material com apoio de um software de fácil linguagem. Estes softwares possibilitam podem ser facilmente encontrados no mercado com acesso gratuito. O aspecto mais importante é assimilação do conteúdo e a participação interativa dos alunos estimulando-os a produção de conhecimento novo. É um recurso de estimulação da inteligência e da imaginação como afirmaram alguns autores citados, pois é de fácil assimilação. Logo, podem-se empregar também outros meios como documentários, filmes, animações, capítulos de livros, até mesmo visitas técnicas e

11 incentivar os alunos a desenvolvam um conteúdo em linguagem de quadrinhos a partir do que compreenderam, respeitando as orientações iniciais do educador. Como leitura as HQ s podem ser motivadoras, na escrita podem auxiliar na produção de textos, já que para boa parte dos estudantes escrever é parte mais difícil. Desta forma, com as HQ s eles podem desenvolver o processo do pensamento organizando melhor suas ideias e formulando textos com inicio, meio e fim. Quanto às tecnologias digitais, elas sempre vão apresentar novas inovações e consequências, pois é difícil medir seu impacto e repercussão tecnológica. E por um bom tempo vão continuar trazendo alguns desafios, problemas individuais ou em grupos para serem resolvidos. Mas os problemas com a educação, segundo a autora Kenski (2011) vão além das particularidades das tecnologias e da vontade dos professores em utilizá-las adequadamente em situações de aprendizagem. O importante é que as histórias em quadrinhos possam servir como um recurso didáticopedagógico prático e facilitador do aprendizado promovendo possibilidades interativas e imaginárias. Referências ALMEIDA, Maria Elizabeth Bianconcini de. Tecnologias e conteúdos multimidiáticos na Educação Básica. Abril, Disponível em: Acesso em: Maio/ ARAÚJO, Gustavo Cunha de; COSTA, Maurício Alves; COSTA, Evânio Bezerra. As Histórias em quadrinhos na Educação: Possibilidades de um recurso didáticopedagógico. Revista Eletrônica de Ciências Humanas e Artes. A MARgem - Estudos, Uberlândia,MG, ano 1, n. 2, p , jul./dez Disponível em: Acesso maio BARBOSA, Alexandre; RAMOS, Paulo; VILELA, Túlio. Como usar as histórias em quadrinhos na sala de aula. VERGUEIRO, Valdomiro; RAMA, Angela (Org). São Paulo: Contexto, KENSKI, Vani Moreira. Educação e Tecnologias: O novo ritmo da informação. 8ª. Ed. Campinas, S.P: Papirus, KOOHANG, Alex; HARMAN, Keith. Learning Objects: applications, implications, & future Directions. California, EUA: Informing Science Press, NASCIMENTO, Anna Christina de Azevedo. Objetos de aprendizagem: a distância; Entre a promessa e a realidade (s.d). In: PRATA Carmem Lúcia; NASCIMENTO, Anna Christina de Azevedo (Org). Objetos de aprendizagem: uma proposta de recurso pedagógico. Brasília: MEC, SEED, 2007.p SANTOS, Angela. Uso das histórias em quadrinhos nas salas de aula um software lega. 15 maio Disponível em:

12 Acesso em maio SCHWARZELMÜLLER, Anna Friedericka. HIPERMÍDIA E EDUCAÇÃO. Portal de Educação e Tecnologia. 30 de maio de Disponível em: Acesso em: Maio/2013. Entrevista concedida ao Instituto Airton Sena VERGUEIRO, Waldomiro. Histórias em quadrinhos e serviços de informação: um relacionamento em fase de definição. DataGramaZero - Revista de Ciência da Informação. v.6, n.2, abr/2005. Artigo 04. Disponível em: Acesso em mai/2013. VIGOTSKY, Lev Semenovich; LURIA, Alexander Romanovich; LEONT EV, Alex N. Linguagem, Desenvolvimento e Aprendizagem. 12ª. Ed. São Paulo: Ícone, WILEY, D.A. Connecting learning objects to instrutional design theory: A definition, a metaphor, and Taxonomy. In: WILEY, D.A (Ed.) The Instrutional Use of Learning Objects Disponível em:<http;//reusability.org/read/chapters/wiley.doc> Acesso em: maio/2013..

Como encontrar maneiras de associar um importante conteúdo didático a um software que ensine e divirta ao mesmo tempo? Estão os professores

Como encontrar maneiras de associar um importante conteúdo didático a um software que ensine e divirta ao mesmo tempo? Estão os professores Profª Levany Rogge Os softwares são considerados programas educacionais a partir do momento em que são projetados através de uma metodologia que os contextualizem no processo ensino-aprendizagem; Tajra

Leia mais

SOFTWARE HAGÁQUÊ: FERRAMENTA PEDAGÓGICA DE AUXÍLIO AO PROCESSO DE ENSINO E APRENDIZAGEM COMO PRÁTICA INOVADORA

SOFTWARE HAGÁQUÊ: FERRAMENTA PEDAGÓGICA DE AUXÍLIO AO PROCESSO DE ENSINO E APRENDIZAGEM COMO PRÁTICA INOVADORA SOFTWARE HAGÁQUÊ: FERRAMENTA PEDAGÓGICA DE AUXÍLIO AO PROCESSO DE ENSINO E APRENDIZAGEM COMO PRÁTICA INOVADORA Marília Gerlane Guimarães da Silva graduanda UEPB mariliagerlany@hotmail.com Jocélia Germano

Leia mais

PALAVRAS-CHAVE tarefas tecnológicas, práticas didáticas, tarefas criativas.

PALAVRAS-CHAVE tarefas tecnológicas, práticas didáticas, tarefas criativas. 12. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido 1 ÁREA TEMÁTICA: (x) EDUCAÇÃO. A relação entre o contexto do livro didático e a tarefa digital criativa no PIC Reinaldo Afonso Mayer (ramayer1952@gmail.com)

Leia mais

O USO DA INTERNET E SUA INFLUÊNCIA NA APRENDIZAGEM COLABORATIVA DE ALUNOS E PROFESSORES NUMA ESCOLA PÚBLICA DE MACEIÓ

O USO DA INTERNET E SUA INFLUÊNCIA NA APRENDIZAGEM COLABORATIVA DE ALUNOS E PROFESSORES NUMA ESCOLA PÚBLICA DE MACEIÓ O USO DA INTERNET E SUA INFLUÊNCIA NA APRENDIZAGEM COLABORATIVA DE ALUNOS E PROFESSORES NUMA ESCOLA PÚBLICA DE MACEIÓ Rose Maria Bastos Farias (UFAL) rmbfarias@hotmail.com RESUMO: Trata-se de uma pesquisa

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO E CULTURA UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE CURSO MÍDIAS NA EDUCAÇÃO CADA UM NO SEU QUADRINHO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO E CULTURA UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE CURSO MÍDIAS NA EDUCAÇÃO CADA UM NO SEU QUADRINHO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO E CULTURA UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE CURSO MÍDIAS NA EDUCAÇÃO CADA UM NO SEU QUADRINHO VIDEIRA, JUNHO DE 2008 ERMELINA PIRES FERREIRA GISLAINE GONZALEZ SIRLEI MUNZLINGER

Leia mais

Novas tecnologias no ensino de matemática: possibilidades e desafios

Novas tecnologias no ensino de matemática: possibilidades e desafios Novas tecnologias no ensino de matemática: possibilidades e desafios Marcelo Antonio dos Santos Mestre em Matemática Aplicada UFRGS, Professor na Faculdade Cenecista de Osório (FACOS) e professor da rede

Leia mais

2- GESTÃO DOS AMBIENTES VIRTUAIS DE APRENDIZAGEM NOS CURSOS DE FORMAÇÃO DE PROFESSORES DA EDUCAÇÃO BÁSICA NO ÂMBITO DO PROINFO INTEGRADO

2- GESTÃO DOS AMBIENTES VIRTUAIS DE APRENDIZAGEM NOS CURSOS DE FORMAÇÃO DE PROFESSORES DA EDUCAÇÃO BÁSICA NO ÂMBITO DO PROINFO INTEGRADO 2- GESTÃO DOS AMBIENTES VIRTUAIS DE APRENDIZAGEM NOS CURSOS DE FORMAÇÃO DE PROFESSORES DA EDUCAÇÃO BÁSICA NO ÂMBITO DO PROINFO INTEGRADO Maria do Rozario Gomes da Mota Silva 1 Secretaria de Educação do

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2015. Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente 2015. Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2015 Ensino Técnico Etec Etec: Paulino Botelho Código: 091 Município: São Carlos Eixo Tecnológico: Informação e Comunicação Habilitação Profissional: Habilitação Profissional

Leia mais

UM ESTUDO SOBRE A LOUSA DIGITAL 1

UM ESTUDO SOBRE A LOUSA DIGITAL 1 UM ESTUDO SOBRE A LOUSA DIGITAL 1 MARTINS, Sandro Luís Moresco 2 ; VARASCHINI, Patricia 3 ; SANTOS, Leila Maria Araújo 4 1 Trabalho de Pesquisa _ UFSM 2 Programa Especial de Formação de Professores (UFSM),

Leia mais

Unidade 4: Contextualização de Objetos de Aprendizagem

Unidade 4: Contextualização de Objetos de Aprendizagem Coordenação: Juliana Cristina Braga Autoria: Rita Ponchio Você aprendeu na unidade anterior a importância da adoção de uma metodologia para a construção de OA., e também uma descrição geral da metodologia

Leia mais

Softwares educativos com tecnologias Multimídia: uma ferramenta para apoio ao ensino da Matemática

Softwares educativos com tecnologias Multimídia: uma ferramenta para apoio ao ensino da Matemática Softwares educativos com tecnologias Multimídia: uma ferramenta para apoio ao ensino da Matemática Carlos Vitor de Alencar Carvalho1 1 Universidade Severino Sombra, Docente do Programa de Pós-Graduação

Leia mais

USO DO COMPUTADOR NA CONSTRUÇÃO E INTERPRETAÇÃO DE GRÁFICOS NOS ANOS INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL

USO DO COMPUTADOR NA CONSTRUÇÃO E INTERPRETAÇÃO DE GRÁFICOS NOS ANOS INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL USO DO COMPUTADOR NA CONSTRUÇÃO E INTERPRETAÇÃO DE GRÁFICOS NOS ANOS INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL Olga Cristina Teixeira Lira Carlos Eduardo Monteiro Universidade Federal de Pernambuco olgactlira@hotmail.com;

Leia mais

Utilização de objetos de aprendizagem no ensino da matemática para o curso de Pedagogia.

Utilização de objetos de aprendizagem no ensino da matemática para o curso de Pedagogia. Utilização de objetos de aprendizagem no ensino da matemática para o curso de Pedagogia. Cinthia Domit Zaniolo Renaux 1 GD6 Educação Matemática, Tecnologias informáticas e Educação à Distância Resumo do

Leia mais

ENSINO DE MATEMÁTICA PONTO BLOG

ENSINO DE MATEMÁTICA PONTO BLOG ENSINO DE MATEMÁTICA PONTO BLOG Moema Gomes Moraes 1 RESUMO: Este trabalho faz uma reflexão sobre os aspectos relacionados ao uso de Blogs no ensino de Matemática. Para isto, ele inicia fazendo uma reflexão

Leia mais

A ABORDAGEM DAS HISTÓRIAS EM QUADRINHO NOS LIVROS DIDÁTICOS DE QUÍMICA. Palavras-chave: Ensino de química; histórias em quadrinhos; livro didático.

A ABORDAGEM DAS HISTÓRIAS EM QUADRINHO NOS LIVROS DIDÁTICOS DE QUÍMICA. Palavras-chave: Ensino de química; histórias em quadrinhos; livro didático. A ABORDAGEM DAS HISTÓRIAS EM QUADRINHO NOS LIVROS DIDÁTICOS DE QUÍMICA Fabricio Santos Almeida 1 Márcia Cristiane Eloi Silva Ataide 2 1 Licenciando em Química, Universidade Federal do Piauí - UFPI. 2 Professora

Leia mais

ELABORAÇÃO DE CATÁLOGO DESCRITIVO DE SITES PARA O ENSINO DE ESPANHOL COMO LÍNGUA ESTRANGEIRA

ELABORAÇÃO DE CATÁLOGO DESCRITIVO DE SITES PARA O ENSINO DE ESPANHOL COMO LÍNGUA ESTRANGEIRA ELABORAÇÃO DE CATÁLOGO DESCRITIVO DE SITES PARA O ENSINO DE ESPANHOL COMO LÍNGUA ESTRANGEIRA Dayane Ribeiro da Silva (PICV/PRPPG/ UNIOESTE), Greice da Silva Castela (Orientadora), e-mail: greicecastela@yahoo.com.br

Leia mais

SOFTWARE DE AUTORIA. Andréa C. Primerano aprimerando@bol.com.br Faculdade Sumaré Rua Gonçalo Nunes, 368 03407-000 São Paulo SP

SOFTWARE DE AUTORIA. Andréa C. Primerano aprimerando@bol.com.br Faculdade Sumaré Rua Gonçalo Nunes, 368 03407-000 São Paulo SP SOFTWARE DE AUTORIA Marilena M. Pamboukian mari@macsystemeduc.com.br Universidade de São Paulo Escola Politécnica Prof. Luciano Gualberto, tr. 3, 158 05508-900 São Paulo SP Sergio V. D. Pamboukian sergiop@mackenzie.com.br

Leia mais

EMEI PROTÁSIO ALVES Linguagem - Tecnologias e Mídias na Educação. Porto Alegre 2012

EMEI PROTÁSIO ALVES Linguagem - Tecnologias e Mídias na Educação. Porto Alegre 2012 EMEI PROTÁSIO ALVES Linguagem - Tecnologias e Mídias na Educação Porto Alegre 2012 Jacqueline Gomes de Aguiar jacqueaguiar@smed.prefpoa.com.br Profª de Educação Infantil, alfabetizadora, de Língua e Literatura,

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO DE CARATINGA

CENTRO UNIVERSITÁRIO DE CARATINGA CENTRO UNIVERSITÁRIO DE CARATINGA RELAÇÃO DE RESUMOS DE MONOGRAFIAS E ARTIGOS DE PÓS- GRADUAÇÃO Lato sensu Curso: Língua Inglesa/2005 Nome Aluno(a) Título Monografia/Artigo Orientador/Banca Annelise Lima

Leia mais

ASSESSORIA PEDAGÓGICA PORTFÓLIO DE PALESTRAS E OFICINAS

ASSESSORIA PEDAGÓGICA PORTFÓLIO DE PALESTRAS E OFICINAS Dificuldades de Palestra EF e EM Todas Conscientizar sobre as dificuldades de aprendizagem aprendizagem que podem ser manifestadas pelos alunos numa sala de aula e sugerir ações de encaminhamento, conforme

Leia mais

Como adquirir os materiais didáticos do Moderna.Compartilha

Como adquirir os materiais didáticos do Moderna.Compartilha Como adquirir os materiais didáticos do Moderna.Compartilha MODERNA.COMPARTILHA: INTEGRAR TECNOLOGIA E CONTEÚDOS A FAVOR DO APRENDIZADO. Os alunos deste século estão conectados com novas ideias, novas

Leia mais

GeoGebra: alternativa para o estudo dos parâmetros de funções na educação básica

GeoGebra: alternativa para o estudo dos parâmetros de funções na educação básica GeoGebra: alternativa para o estudo dos parâmetros de funções na educação básica Ana Paula Santos Rebello Universidade do Vale do Rio dos Sinos Brasil prof.anapaula@ibest.com.br Márcio Alexandre Rodriguez

Leia mais

ESCOLA ESTADUAL DR. MARTINHO MARQUES SIRLEI RODRIGUES CARDOSO DO PRADO VITORINO PIXTON PARA ESCOLAS: DIVERSÃO E CRIATIVIDADE

ESCOLA ESTADUAL DR. MARTINHO MARQUES SIRLEI RODRIGUES CARDOSO DO PRADO VITORINO PIXTON PARA ESCOLAS: DIVERSÃO E CRIATIVIDADE ESCOLA ESTADUAL DR. MARTINHO MARQUES SIRLEI RODRIGUES CARDOSO DO PRADO VITORINO PIXTON PARA ESCOLAS: DIVERSÃO E CRIATIVIDADE TAQUARUSS/MS MARÇO DE 2011 ESCOLA ESTADUAL DR. MARTINHO MARQUES SIRLEI RODRIGUES

Leia mais

Possibilidades de uso na sala de aula

Possibilidades de uso na sala de aula Capítulo3 Possibilidades de uso na sala de aula As possibilidades de uso da lousa digital são inúmeras. Segundo a Revista Nova Escola, da Editora Abril, o professor pode preparar apresentações em PowerPoint,

Leia mais

ESCOLA ESTADUAL JOAQUIM GONÇALVES LEDO PLANO DE AÇÃO 2015

ESCOLA ESTADUAL JOAQUIM GONÇALVES LEDO PLANO DE AÇÃO 2015 ESCOLA ESTADUAL JOAQUIM GONÇALVES LEDO PLANO DE AÇÃO IVINHEMA MS ESCOLA ESTADUAL JOAQUIM GONÇALVES LEDO PLANO DE AÇÃO Planejamento anual de atividades a serem desenvolvidas pelo Professor Gerenciador de

Leia mais

CONSTRUINDO UM JOGO EDUCATIVO UTILIZANDO O SOFTWARE DE AUTORIA ADOBE FLASH

CONSTRUINDO UM JOGO EDUCATIVO UTILIZANDO O SOFTWARE DE AUTORIA ADOBE FLASH CONSTRUINDO UM JOGO EDUCATIVO UTILIZANDO O SOFTWARE DE AUTORIA ADOBE FLASH Francielly Falcão da Silva¹, Samuel Carlos Romeiro Azevedo Souto², Mariel José Pimentel de Andrade³ e Alberto Einstein Pereira

Leia mais

PROCESSO DE ALFABETIZAÇÃO E INCLUSÃO DIGITAL NA EJA: EXPERIÊNCIA DIDÁTICA NA ESCOLA MUNICIPAL FRANCISCO JOSÉ DE SANTANA EM POMBAL/PB

PROCESSO DE ALFABETIZAÇÃO E INCLUSÃO DIGITAL NA EJA: EXPERIÊNCIA DIDÁTICA NA ESCOLA MUNICIPAL FRANCISCO JOSÉ DE SANTANA EM POMBAL/PB PROCESSO DE ALFABETIZAÇÃO E INCLUSÃO DIGITAL NA EJA: EXPERIÊNCIA DIDÁTICA NA ESCOLA MUNICIPAL FRANCISCO JOSÉ DE SANTANA EM POMBAL/PB Introdução Jacqueline Liedja Araújo Silva Carvalho Universidade Federal

Leia mais

Um modelo para construção de materiais didáticos para o ensino de Matemática baseado em Tecnologias de Informação

Um modelo para construção de materiais didáticos para o ensino de Matemática baseado em Tecnologias de Informação Um modelo para construção de materiais didáticos para o ensino de Matemática baseado em Ednilson Luiz Silva Vaz Universidade Estadual Paulista Julio de Mesquita Filho, UNESP Brasil ednilson_vaz@hotmail.com

Leia mais

Currículo e tecnologias digitais da informação e comunicação: um diálogo necessário para a escola atual

Currículo e tecnologias digitais da informação e comunicação: um diálogo necessário para a escola atual Currículo e tecnologias digitais da informação e comunicação: um diálogo necessário para a escola atual Adriana Cristina Lázaro e-mail: adrianaclazaro@gmail.com Milena Aparecida Vendramini Sato e-mail:

Leia mais

Universidade de Santa Cruz do Sul Departamento de Informática

Universidade de Santa Cruz do Sul Departamento de Informática Universidade de Santa Cruz do Sul Departamento de Informática II Seminário dos Grupos de Pesquisa da UNISC Ficha de Inscrição do Grupo de Pesquisa Sistemas Computacionais de Apoio à Educação Santa Cruz

Leia mais

PROPOSTA DE UM MODELO DE SISTEMA HIPERMÍDIA PARA APRESENTAÇÃO DO CURSO DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO

PROPOSTA DE UM MODELO DE SISTEMA HIPERMÍDIA PARA APRESENTAÇÃO DO CURSO DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO PROPOSTA DE UM MODELO DE SISTEMA HIPERMÍDIA PARA APRESENTAÇÃO DO CURSO DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO Fabiana Pacheco Lopes 1 1 Universidade Presidente Antônio Carlos (UNIPAC) fabipl_21@yahoo.com.br Resumo.Este

Leia mais

pesquisa histórias arte jogos

pesquisa histórias arte jogos O Colégio Trevo oferece quatro anos de ensino na Educação Infantil: Mini Maternal,Maternal, Jardim I e Jardim II. Cada sala de aula possui ambientes exclusivos, onde alunos desenvolvem suas habilidades

Leia mais

ANEXO VIII PREGÃO PRESENCIAL Nº. 001/15 COTAÇÃO ESTIMADA

ANEXO VIII PREGÃO PRESENCIAL Nº. 001/15 COTAÇÃO ESTIMADA ANEXO VIII PREGÃO PRESENCIAL Nº. 001/15 COTAÇÃO ESTIMADA 1. DO OBJETO Constitui-se como objeto da Ata de Registro de Preço a aquisição de materiais didáticos e paradidáticos em tecnologia educacional para

Leia mais

Palavras Chave: Material Concreto. Aprendizagem e Ensino de Matemática.

Palavras Chave: Material Concreto. Aprendizagem e Ensino de Matemática. O USO DO MATERIAL CONCRETO NO ENSINO DA MATEMÁTICA Francisca Marlene da Silva Bolsista da PRAE-FECLESC/UECE Déborah Almeida Cunha Bolsista da PRAE-FECLESC/UECE Aline Araújo da Silva Graduanda-FECLESC/UECE

Leia mais

As tecnologias Informacionais e Comunicacionais (TIC) como instrumento de experimentação e investigação matemática¹

As tecnologias Informacionais e Comunicacionais (TIC) como instrumento de experimentação e investigação matemática¹ As tecnologias Informacionais e Comunicacionais (TIC) como instrumento de experimentação e investigação matemática¹ Ana Caroline Lazaro Stoppa², Idalci Cruvinel dos Reis³ ¹Pesquisa realizada por acadêmica

Leia mais

ANAIS DA VII JORNADA CIENTÍFICA DA FAZU 20 a 24 de outubro de 2008 ARTIGOS CIENTÍFICOS COMPUTAÇÃO SUMÁRIO

ANAIS DA VII JORNADA CIENTÍFICA DA FAZU 20 a 24 de outubro de 2008 ARTIGOS CIENTÍFICOS COMPUTAÇÃO SUMÁRIO ARTIGOS CIENTÍFICOS COMPUTAÇÃO SUMÁRIO AS NOVAS TECNOLOGIAS NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES PESQUISADORES... 2 AS NOVAS TECNOLOGIAS NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES PESQUISADORES SILVA, M.M Margareth Maciel Silva

Leia mais

ANÁLISE DE SITES EDUCACIONAIS PELO PROFESSOR E PELO ALUNO

ANÁLISE DE SITES EDUCACIONAIS PELO PROFESSOR E PELO ALUNO Análise do professor: Parâmetros para avaliação Ao navegar por Web sites é importante observar alguns tópicos para determinar se um site é bom ou não. Navegação, design, conteúdo, velocidade de acesso,

Leia mais

PRODUZINDO VIDEO-AULAS EDUCACIONAIS A PARTIR DE SOFTWARES DE VÍDEO DISPONÍVEIS GRATUITAMENTE

PRODUZINDO VIDEO-AULAS EDUCACIONAIS A PARTIR DE SOFTWARES DE VÍDEO DISPONÍVEIS GRATUITAMENTE PRODUZINDO VIDEO-AULAS EDUCACIONAIS A PARTIR DE SOFTWARES DE VÍDEO DISPONÍVEIS GRATUITAMENTE Producing Educational Video-Lessons from Video Software Available for Free Roberto Guimarães Dutra de Oliveira,

Leia mais

ANÁLISE DE SOFTWARE EDUCATIVO NO ENSINO DE MATEMÁTICA. Palavras chave: Software Educativo; Construção do Conhecimento; Aprendizagem.

ANÁLISE DE SOFTWARE EDUCATIVO NO ENSINO DE MATEMÁTICA. Palavras chave: Software Educativo; Construção do Conhecimento; Aprendizagem. ANÁLISE DE SOFTWARE EDUCATIVO NO ENSINO DE MATEMÁTICA. Débora Janaína Ribeiro e Silva Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia da Paraíba debora_jr10@yahoo.com.br Resumo Este trabalho teve como

Leia mais

Sequências Didáticas para o ensino de Língua Portuguesa: objetos de aprendizagem na criação de tirinhas

Sequências Didáticas para o ensino de Língua Portuguesa: objetos de aprendizagem na criação de tirinhas Sequências Didáticas para o ensino de Língua Portuguesa: objetos de aprendizagem na criação de tirinhas Manoela Afonso UNESP - Campus Bauru-SP manoela_afonso@hotmail.com Comunicação Oral Pesquisa Concluída

Leia mais

PALAVRAS-CHAVE: Ensino. Matemática. App Inventor. Aplicativos.

PALAVRAS-CHAVE: Ensino. Matemática. App Inventor. Aplicativos. 13. CONEX Pôster Resumo Expandido 1 ISSN 2238-9113 ÁREA TEMÁTICA: (marque uma das opções) ( ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( X) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( ) SAÚDE ( ) TRABALHO

Leia mais

Apoio tecnológico para treinamento vocacional. Projeto-piloto indica possibilidades de ampliação de acesso a cursos online. Artigo

Apoio tecnológico para treinamento vocacional. Projeto-piloto indica possibilidades de ampliação de acesso a cursos online. Artigo Artigo Apoio tecnológico para treinamento vocacional Projeto-piloto indica possibilidades de ampliação de acesso a cursos online Rodrigo Laiola Guimarães*, Andrea Britto Mattos**, Victor Martinêz***, Flávio

Leia mais

1 Noções de software musical Conteúdo

1 Noções de software musical Conteúdo Introdução Conceitos básicos de software educacional e informática na educação O software musical como auxílio aos professores de música Software para acompanhamento Software para edição de partituras

Leia mais

Título: A formação do professor para o uso do jornal na sala de aula no ensino

Título: A formação do professor para o uso do jornal na sala de aula no ensino Título: A formação do professor para o uso do jornal na sala de aula no ensino fundamental Resumo O projeto de iniciação científica está vinculado à pesquisa Uso do jornal em sala de aula e compreensão

Leia mais

O ENSINO DE ESPANHOL COMO LE COM OS RECURSOS EDUCACIONAIS ABERTOS NA PLATAFORMA MOODLE*

O ENSINO DE ESPANHOL COMO LE COM OS RECURSOS EDUCACIONAIS ABERTOS NA PLATAFORMA MOODLE* 1 O ENSINO DE ESPANHOL COMO LE COM OS RECURSOS EDUCACIONAIS ABERTOS NA PLATAFORMA MOODLE* Resumo Este trabalho se propõe a analisar o curso de extensão universitária CESB (Curso de Espanhol Básico) para

Leia mais

Curitiba- Pr outubro de 2015. 1 Carmem Lúcia Graboski da Gama Instituto Federal do Paraná Campus Paranaguá carmem.gama@ifpr.edu.br.

Curitiba- Pr outubro de 2015. 1 Carmem Lúcia Graboski da Gama Instituto Federal do Paraná Campus Paranaguá carmem.gama@ifpr.edu.br. O uso do Facebook como um Objeto Educacional para ajudar alunos em dificuldade na aprendizagem do Cálculo Diferencial e Integral como também da Geometria Analítica em diferentes localidades. Curitiba-

Leia mais

ELABORAÇÃO DE VÍDEOS DIDÁTICOS COMO UMA FERRAMENTA NO ENSINO-APRENDIZAGEM DE QUÍMICA 1

ELABORAÇÃO DE VÍDEOS DIDÁTICOS COMO UMA FERRAMENTA NO ENSINO-APRENDIZAGEM DE QUÍMICA 1 ELABORAÇÃO DE VÍDEOS DIDÁTICOS COMO UMA FERRAMENTA NO ENSINO-APRENDIZAGEM DE QUÍMICA 1 BRASIL, Robledo de Moraes 3 ; DALLA LANA, Regis 2 ; LIMA, Roberta Medianeira dossantos 2 ; PAGNONCELLI, Claudia 2

Leia mais

www.sbempb.com.br/epbem APRENDIZAGEM COLABORATIVA EM AMBIENTES VIRTUAIS E AS POSSIBILIDADES PARA OS PROFESSORES DE MATEMÁTICA

www.sbempb.com.br/epbem APRENDIZAGEM COLABORATIVA EM AMBIENTES VIRTUAIS E AS POSSIBILIDADES PARA OS PROFESSORES DE MATEMÁTICA APRENDIZAGEM COLABORATIVA EM AMBIENTES VIRTUAIS E AS POSSIBILIDADES PARA OS PROFESSORES DE MATEMÁTICA Ronaldo Vieira Cabral Abdias de Brito Aguiar Júnior José Sidney Nunes de Araújo Resumo: A parte das

Leia mais

SUA ESCOLA, NOSSA ESCOLA PROGRAMA SÍNTESE: NOVAS TECNOLOGIAS EM SALA DE AULA

SUA ESCOLA, NOSSA ESCOLA PROGRAMA SÍNTESE: NOVAS TECNOLOGIAS EM SALA DE AULA SUA ESCOLA, NOSSA ESCOLA PROGRAMA SÍNTESE: NOVAS TECNOLOGIAS EM SALA DE AULA Resumo: O programa traz uma síntese das questões desenvolvidas por programas anteriores que refletem sobre o uso de tecnologias

Leia mais

Alfabetização e Letramento

Alfabetização e Letramento Alfabetização e Letramento Material Teórico A Escrita no Processo de Alfabetização Responsável pelo Conteúdo e Revisor Textual: Profª. Ms Denise Jarcovis Pianheri Unidade A Escrita no Processo de Alfabetização

Leia mais

HISTÓRIA EM QUADRINHO: A CRIAÇÃO E A EXPRESSÃO NA WEB

HISTÓRIA EM QUADRINHO: A CRIAÇÃO E A EXPRESSÃO NA WEB HISTÓRIA EM QUADRINHO: A CRIAÇÃO E A EXPRESSÃO NA WEB Luzivone Lopes GOMES - PPGFP UEPB luzivone@gmail.com Kennedy Machado OLIVIERA prof.kennedy@hotmail.com RESUMO: Este artigo trata de um relato de experiência

Leia mais

CURSO DE PEDAGOGIA EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS 2015.1 BRUSQUE (SC) 2015 1 EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS DO CURSO DE PEDAGOGIA

CURSO DE PEDAGOGIA EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS 2015.1 BRUSQUE (SC) 2015 1 EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS DO CURSO DE PEDAGOGIA 1 CURSO EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS 2015.1 BRUSQUE (SC) 2015 2 SUMÁRIO 1ª FASE... 4 01 INVESTIGAÇÃO DA PRÁTICA DOCENTE I... 4 02 LEITURA E PRODUÇÃO DE TEXTO... 4 03 PROFISSIONALIDADE DOCENTE... 4 04 RESPONSABILIDADE

Leia mais

ESCOLA ESTADUAL SENADOR FILINTO MÜLLER-EXTENSÃO CLAUDEMIR FORATINI DE OLIVEIRA. INTEGRANDO AS TICs NO ENSINO DE MATEMÁTICA

ESCOLA ESTADUAL SENADOR FILINTO MÜLLER-EXTENSÃO CLAUDEMIR FORATINI DE OLIVEIRA. INTEGRANDO AS TICs NO ENSINO DE MATEMÁTICA ESCOLA ESTADUAL SENADOR FILINTO MÜLLER-EXTENSÃO CLAUDEMIR FORATINI DE OLIVEIRA INTEGRANDO AS TICs NO ENSINO DE MATEMÁTICA IVINHEMA MS MAIO DE 2010 ESCOLA ESTADUAL SENADOR FILINTO MÜLLER-EXTENSÃO CLAUDEMIR

Leia mais

CONSTRUÇÃO E DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARES EDUCACIONAIS PARA APLICAÇÃO NO ENSINO DE TERMOQUÍMICA E QUÍMICA ORGÂNICA.

CONSTRUÇÃO E DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARES EDUCACIONAIS PARA APLICAÇÃO NO ENSINO DE TERMOQUÍMICA E QUÍMICA ORGÂNICA. CONSTRUÇÃO E DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARES EDUCACIONAIS PARA APLICAÇÃO NO ENSINO DE TERMOQUÍMICA E QUÍMICA ORGÂNICA. Hawbertt R. Costa, Natália C. Martins, Adilson L. P. Silva 1 e Joacy B. Lima 1* * E-mail

Leia mais

SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO SUPERINTENDÊNCIA DE EDUCAÇÃO DIRETORIA DE TECNOLOGIA EDUCACIONAL PORTAL DIA A DIA EDUCAÇÃO

SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO SUPERINTENDÊNCIA DE EDUCAÇÃO DIRETORIA DE TECNOLOGIA EDUCACIONAL PORTAL DIA A DIA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO SUPERINTENDÊNCIA DE EDUCAÇÃO DIRETORIA DE TECNOLOGIA EDUCACIONAL PORTAL DIA A DIA EDUCAÇÃO Sequência de Aulas de Língua Portuguesa Produção de uma Fotonovela 1. Nível de

Leia mais

www.educacao.ba.gov.br

www.educacao.ba.gov.br Esta cartilha digital tem o objetivo de apresentar aos professores e estudantes da Rede Pública de Ensino as Mídias e Tecnologias Educacionais Livres da Secretaria de Educação da Bahia disponibilizados

Leia mais

O ENSINO DE PORTUGUÊS MEDIADO PELA INFORMÁTICA

O ENSINO DE PORTUGUÊS MEDIADO PELA INFORMÁTICA O ENSINO DE PORTUGUÊS MEDIADO PELA INFORMÁTICA Fernanda Mara Cruz (SEED/PR-PG-UFF) Introdução Os processos de ensinar e aprender estão a cada dia mais inovadores e com a presença de uma grande variedade

Leia mais

PROJETO ARARIBÁ. Um projeto que trabalha a compreensão leitora, apresenta uma organização clara dos conteúdos e um programa de atividades específico.

PROJETO ARARIBÁ. Um projeto que trabalha a compreensão leitora, apresenta uma organização clara dos conteúdos e um programa de atividades específico. PROJETO ARARIBÁ Um projeto que trabalha a compreensão leitora, apresenta uma organização clara dos conteúdos e um programa de atividades específico. ARARIBÁ HISTÓRIA O livro tem oito unidades, divididas

Leia mais

Articulando saberes e transformando a prática

Articulando saberes e transformando a prática Articulando saberes e transformando a prática Maria Elisabette Brisola Brito Prado Na sociedade do conhecimento e da tecnologia torna-se necessário repensar o papel da escola, mais especificamente as questões

Leia mais

O olhar da tecnologia na concepção do software educativo Hércules e Jiló no Mundo da Matemática.

O olhar da tecnologia na concepção do software educativo Hércules e Jiló no Mundo da Matemática. O olhar da tecnologia na concepção do software educativo Hércules e Jiló no Mundo da Matemática. Magalhães, R. L; Souza, A. M. 1 O olhar da tecnologia na concepção do software educativo Hércules e Jiló

Leia mais

O USO DE NOVAS TECNOLOGIAS NO ENSINO DE MATEMÁTICA: ANÁLISE DE UM APLICATIVO

O USO DE NOVAS TECNOLOGIAS NO ENSINO DE MATEMÁTICA: ANÁLISE DE UM APLICATIVO O USO DE NOVAS TECNOLOGIAS NO ENSINO DE MATEMÁTICA: ANÁLISE DE UM APLICATIVO Tecnologias da Informação e Comunicação e Educação Matemática (TICEM) GT 06 RESUMO O estudo partiu da necessidade de a escola

Leia mais

TECNOLOGIAS DIGITAIS E INOVAÇÃO NO CURRÍCULO ESCOLAR COM O USO DO SOFTWARE P3D

TECNOLOGIAS DIGITAIS E INOVAÇÃO NO CURRÍCULO ESCOLAR COM O USO DO SOFTWARE P3D TECNOLOGIAS DIGITAIS E INOVAÇÃO NO CURRÍCULO ESCOLAR COM O USO DO SOFTWARE P3D Luzivone Lopes GOMES UEPB luzivone@gmail.com Filomena Mª Gonçalves da Silva Cordeiro Moita - UEPB filomena_moita@hotmail.com

Leia mais

RELATO DE EXPERIÊNCIA DISCIPLINA LÍNGUA INGLESA

RELATO DE EXPERIÊNCIA DISCIPLINA LÍNGUA INGLESA Instituição/Escola: Centro Estadual de Educação Básica Para Jovens e Adultos de Toledo Nome do Autor: Jaqueline Bonetti Rubini Coautor: Nilton Sérgio Rech E-mail para contato: jaquelinebonetti@hotmail.com

Leia mais

O uso de blogs no ensino de Matemática 2

O uso de blogs no ensino de Matemática 2 Claudinei Flavia Batista Santos Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia Brasil bs_flavia@hotmail.com Sirlândia Souza Santana sirlandiasantana@hotmail.com Resumo Este trabalho tem como principal objetivo

Leia mais

Ciência, Educação e Tecnologia Tecnologia e Educação: Possibilidades Pedagogia Portal do Professor Objetivo

Ciência, Educação e Tecnologia Tecnologia e Educação: Possibilidades Pedagogia Portal do Professor Objetivo Ciência, Educação e Tecnologia Teleaula 6 Profa. Mônica Caetano Vieira da Silva tutoriapedagogia@grupouninter.com.br Tecnologia e Educação: Possibilidades Pedagogia Portal do Professor

Leia mais

23/09/2011. Tecnologias da Educação. Tecnologias e mídias. Diferença entre tecnologia e mídia. Diferença entre tecnologia e mídia.

23/09/2011. Tecnologias da Educação. Tecnologias e mídias. Diferença entre tecnologia e mídia. Diferença entre tecnologia e mídia. Tecnologias da Educação Marco Antônio Tecnologias e mídias Comunicar não é de modo algum transmitir uma mensagem ou receber uma mensagem. Isso é a condição física da comunicação, mas não é comunicação.

Leia mais

LICENCIATURA EM COMPUTAÇÃO

LICENCIATURA EM COMPUTAÇÃO Coordenador: Duração: Carga Horária: LICENCIATURA EM COMPUTAÇÃO Victor Emanuel Corrêa Lima 6 semestres 2800 horas Situação Legal: Reconhecido pela Portaria MEC nº 503 de 15/02/2006 MATRIZ CURRICULAR Primeiro

Leia mais

PRÁTICAS DE LINGUAGEM ORAL E ESCRITA NA EDUCAÇÃO INFANTIL

PRÁTICAS DE LINGUAGEM ORAL E ESCRITA NA EDUCAÇÃO INFANTIL PRÁTICAS DE LINGUAGEM ORAL E ESCRITA NA EDUCAÇÃO INFANTIL CRUVINEL,Fabiana Rodrigues Docente do curso de pedagogia da faculdade de ciências humana- FAHU/ACEG Garça/SP e-mail:fabianarde@ig.com.br ROCHA,

Leia mais

CURSO DE PEDAGOGIA EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS DO CURSO DE PEDAGOGIA

CURSO DE PEDAGOGIA EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS DO CURSO DE PEDAGOGIA 1 CURSO DE EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS BRUSQUE (SC) 2012 2 SUMÁRIO 1ª FASE... 4 01 BIOLOGIA EDUCACIONAL... 4 02 INVESTIGAÇÃO PEDAGÓGICA: DIVERSIDADE CULTURAL NA APRENDIZAGEM... 4 03 METODOLOGIA CIENTÍFICA...

Leia mais

UTILIZAÇÃO DE OBJETOS DE APRENDIZAGEM NO ENSINO DE QUÍMICA: EXPERIÊNCIA DO PIBID COMPUTAÇÃO/IFBA/CAMPUS PORTO SEGURO

UTILIZAÇÃO DE OBJETOS DE APRENDIZAGEM NO ENSINO DE QUÍMICA: EXPERIÊNCIA DO PIBID COMPUTAÇÃO/IFBA/CAMPUS PORTO SEGURO BRASIL & BAHIA (2013) UTILIZAÇÃO DE OBJETOS DE APRENDIZAGEM NO ENSINO DE QUÍMICA: EXPERIÊNCIA DO PIBID COMPUTAÇÃO/IFBA/CAMPUS PORTO SEGURO D.T. RODRIGUES 1, M. ROCHA 1, D.M. BRITO 1 e G.P. PINTO 1,2. 1

Leia mais

9º Congresso de Pós-Graduação AGENTE PARA MEDIAÇÃO DE APRENDIZAGEM ELETRÔNICA

9º Congresso de Pós-Graduação AGENTE PARA MEDIAÇÃO DE APRENDIZAGEM ELETRÔNICA 9º Congresso de Pós-Graduação AGENTE PARA MEDIAÇÃO DE APRENDIZAGEM ELETRÔNICA Autor(es) MICHELE CRISTIANI BARION FREITAS Orientador(es) CECÍLIA SOSA ARIAS PEIXOTO 1. Introdução A partir de ferramentas

Leia mais

A INFORMÁTICA E O ENSINO DE MATEMÁTICA: ALGUNS ESTUDOS RECENTES

A INFORMÁTICA E O ENSINO DE MATEMÁTICA: ALGUNS ESTUDOS RECENTES A INFORMÁTICA E O ENSINO DE MATEMÁTICA: ALGUNS ESTUDOS RECENTES Silvia Regina Viel Rodrigues - Uni-FACEF Introdução Localizado no Departamento de Matemática, Unesp, Rio Claro, sob a coordenação do professor

Leia mais

relato êa internet como atividade integrante de uma prática docente

relato êa internet como atividade integrante de uma prática docente A internet como atividade integrante de uma prática docente Flávio Chame Barreto Instituto Educacional Vivenciando RJ flaviocbarreto@yahoo.com.br Resumo Um consenso entre os docentes do Ensino Fundamental

Leia mais

TÍTULO FORMAÇÃO EM EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA PARA PROFESSORES DO ENSINO PROFISSIONALIZANTE DA REDE PÚBLICA FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL

TÍTULO FORMAÇÃO EM EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA PARA PROFESSORES DO ENSINO PROFISSIONALIZANTE DA REDE PÚBLICA FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL TÍTULO FORMAÇÃO EM EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA PARA PROFESSORES DO ENSINO PROFISSIONALIZANTE DA REDE PÚBLICA FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL Modalidade do Trabalho: Comunicação Oral. Área: Formação de Professores

Leia mais

PORTAL EDUCACIONAL CLICKIDEIA. Ensino Fundamental (séries finais)

PORTAL EDUCACIONAL CLICKIDEIA. Ensino Fundamental (séries finais) PORTAL EDUCACIONAL CLICKIDEIA Ensino Fundamental (séries finais) O Clickideia é um portal educacional (www.clickideia.com.br), desenvolvido com o apoio do CNPq e da UNICAMP, que apresenta conteúdos didáticos

Leia mais

AS CONTRIBUIÇÕES DAS TDICs PARA O ENSINO DE LÍNGUAS ESTRANGEIRAS*

AS CONTRIBUIÇÕES DAS TDICs PARA O ENSINO DE LÍNGUAS ESTRANGEIRAS* AS CONTRIBUIÇÕES DAS TDICs PARA O ENSINO DE LÍNGUAS ESTRANGEIRAS* Layanna Martha Pires de Araujo 1 Silvania Cápua Carvalho 2 Resumo: O presente artigo visa mostrar como as Tecnologias Digitais da Informação

Leia mais

A PÁGINA DISCIPLINAR DE MATEMÁTICA DO PORTAL DIA A DIA EDUCAÇÃO

A PÁGINA DISCIPLINAR DE MATEMÁTICA DO PORTAL DIA A DIA EDUCAÇÃO A PÁGINA DISCIPLINAR DE MATEMÁTICA DO PORTAL DIA A DIA EDUCAÇÃO Resumo: Dolores Follador Secretaria de Estado da Educação do Paraná e Faculdades Integradas do Brasil - Unibrasil doloresfollador@gmail.com

Leia mais

Ementário do Curso de Pedagogia, habilitações: Educação Infantil e Séries Iniciais 2010.2

Ementário do Curso de Pedagogia, habilitações: Educação Infantil e Séries Iniciais 2010.2 01 BIOLOGIA EDUCACIONAL Fase: 1ª Carga Horária: 30 h/a Prática: 30 h/a Créditos: 4 A biologia educacional e os fundamentos da educação. As bases biológicas do crescimento e desenvolvimento humano. A dimensão

Leia mais

DIGITAL STORYTELLING: O GÊNERO NARRATIVA AUTOBIOGRÁFICA DIGITAL EM AULAS DE INGLÊS

DIGITAL STORYTELLING: O GÊNERO NARRATIVA AUTOBIOGRÁFICA DIGITAL EM AULAS DE INGLÊS DIGITAL STORYTELLING: O GÊNERO NARRATIVA AUTOBIOGRÁFICA DIGITAL EM AULAS DE INGLÊS Débora Bortolon (Colégio Estadual Castelo Branco /Paraná) Terezinha Marcondes Diniz Biazi (/UNICENTRO/GP) e-mail: emebiazi@hotmail.com

Leia mais

ENSINO DE CIÊNCIA DOS MATERIAIS, COM AUXÍLIO DA PLATAFORMA MOODLE, A EXPERIÊNCIA DA ESCOLA POLITÉCNICA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO

ENSINO DE CIÊNCIA DOS MATERIAIS, COM AUXÍLIO DA PLATAFORMA MOODLE, A EXPERIÊNCIA DA ESCOLA POLITÉCNICA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO 1 ENSINO DE CIÊNCIA DOS MATERIAIS, COM AUXÍLIO DA PLATAFORMA MOODLE, A EXPERIÊNCIA DA ESCOLA POLITÉCNICA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO MAIO 2008 Ericksson Rocha e Almendra - Escola Politécnica

Leia mais

PLANEJAMENTO NA EDUCAÇÃO INFANTIL: UMA CONSTRUÇÃO COLETIVA.

PLANEJAMENTO NA EDUCAÇÃO INFANTIL: UMA CONSTRUÇÃO COLETIVA. PLANEJAMENTO NA EDUCAÇÃO INFANTIL: UMA CONSTRUÇÃO COLETIVA. OLIVEIRA 1, Jordânia Amorim da Silva. SOUSA 2, Nádia Jane de. TARGINO 3, Fábio. RESUMO Este trabalho apresenta resultados parciais do projeto

Leia mais

Arquitetura para Adaptação de Cursos na Modalidade de Educação a Distância empregando Objetos de Aprendizagem

Arquitetura para Adaptação de Cursos na Modalidade de Educação a Distância empregando Objetos de Aprendizagem 266 - Encontro Anual de Tecnologia da Informação Arquitetura para Adaptação de Cursos na Modalidade de Educação a Distância empregando Objetos de Aprendizagem Naidú Gasparetto de Souza1, Sidnei Renato

Leia mais

EXPERIÊNCIAS DE LEITURA, ESCRITA E MÚSICA

EXPERIÊNCIAS DE LEITURA, ESCRITA E MÚSICA EXPERIÊNCIAS DE LEITURA, ESCRITA E MÚSICA Aline Mendes da SILVA, Marcilene Cardoso da SILVA, Reila Terezinha da Silva LUZ, Dulcéria TARTUCI, Maria Marta Lopes FLORES, Departamento de Educação UFG - Campus

Leia mais

PROJETO KIDSMART PROMOVENDO A INCLUSÃO DIGITAL NA EDUCAÇÃO

PROJETO KIDSMART PROMOVENDO A INCLUSÃO DIGITAL NA EDUCAÇÃO PROJETO KIDSMART PROMOVENDO A INCLUSÃO DIGITAL NA EDUCAÇÃO Resumo MUNIZ, Cláudia Pereira - SME cmuniz@sme.curitiba.pr.gov.br SANTOS, Taís Wojciechowski SME taissantos@sme.curitiba.pr.gov.br Eixo Temático:

Leia mais

DISCIPLINAS CURRICULARES (PCN) INFORMÁTICA PRODUÇÃO DE MATERIAL

DISCIPLINAS CURRICULARES (PCN) INFORMÁTICA PRODUÇÃO DE MATERIAL A nossa meta é envolver alunos e professores num processo de capacitação no uso de ferramentas tecnológicas. Para isto, mostraremos ao professor como trabalhar as suas disciplinas (matemática, português,

Leia mais

O COMPUTADOR E SUAS PARTES: COMPREENSÃO E MANIPULAÇÃO POR MEIO DE UM OBJETO DE APRENDIZAGEM

O COMPUTADOR E SUAS PARTES: COMPREENSÃO E MANIPULAÇÃO POR MEIO DE UM OBJETO DE APRENDIZAGEM O COMPUTADOR E SUAS PARTES: COMPREENSÃO E MANIPULAÇÃO POR MEIO DE UM OBJETO DE APRENDIZAGEM Patrícia Gallo (UFAL) patiprof@yahoo.com.br Resumo Cada vez mais o computador e a internet compõem os recursos

Leia mais

Portal de conteúdos Linha Direta

Portal de conteúdos Linha Direta Portal de conteúdos Linha Direta Tecnologias Educacionais PROMOVEM SÃO Ferramentas Recursos USADAS EM SALA DE AULA PARA APRENDIZADO SÃO: Facilitadoras Incentivadoras SERVEM Necessárias Pesquisa Facilitar

Leia mais

CONCEPÇÃO E DESENVOLVIMENTO DE UMA APLICAÇÃO MULTIMÍDIA VISANDO À APRENDIZAGEM DE SISTEMAS DE NUMERAÇÃO

CONCEPÇÃO E DESENVOLVIMENTO DE UMA APLICAÇÃO MULTIMÍDIA VISANDO À APRENDIZAGEM DE SISTEMAS DE NUMERAÇÃO CONCEPÇÃO E DESENVOLVIMENTO DE UMA APLICAÇÃO MULTIMÍDIA VISANDO À APRENDIZAGEM DE SISTEMAS DE NUMERAÇÃO Maria do Carmo Barbosa Trevisan UNIFRA - mcbtrevisan@hotmail.com Vanilde Bisognin UNIFRA - vanilde@unifra.com

Leia mais

Novas tecnologias no contexto educacional da pós-graduação: resumos de dissertações e teses apresentadas na UMESP

Novas tecnologias no contexto educacional da pós-graduação: resumos de dissertações e teses apresentadas na UMESP Novas tecnologias no contexto educacional da pós-graduação: resumos de dissertações e teses apresentadas na UMESP 182 NOVAS TECNOLOGIAS NO CONTEXTO EDUCACIONAL RESUMOS DE DISSERTAÇÕES E TESES APRESENTADAS

Leia mais

CRISTIANE MANDARINO BISSOQUI HISTÓRIAS EM QUADRINHOS INTERAÇÃO E PRODUÇÃO

CRISTIANE MANDARINO BISSOQUI HISTÓRIAS EM QUADRINHOS INTERAÇÃO E PRODUÇÃO CRISTIANE MANDARINO BISSOQUI HISTÓRIAS EM QUADRINHOS INTERAÇÃO E PRODUÇÃO Londrina 2013 CRISTIANE MANDARINO BISSOQUI HISTÓRIAS EM QUADRINHOS INTERAÇÃO E PRODUÇÃO Trabalho apresentado ao Curso de Especialização

Leia mais

A Era Da Informação: Uma Leitura Da Educação Contemporânea Por Meio Da Comunicação Informatizada 1

A Era Da Informação: Uma Leitura Da Educação Contemporânea Por Meio Da Comunicação Informatizada 1 A Era Da Informação: Uma Leitura Da Educação Contemporânea Por Meio Da Comunicação Informatizada 1 Otavio OLIVEIRA 2 Cintia BARIQUELO 3 Jamile SANTINELLO 4 Universidade Estadual do Centro-Oeste Resumo

Leia mais

Índice. 1. Metodologia na Educação de Jovens e Adultos...3

Índice. 1. Metodologia na Educação de Jovens e Adultos...3 GRUPO 6.1 MÓDULO 4 Índice 1. Metodologia na Educação de Jovens e Adultos...3 1.1. Desenvolvimento e Aprendizagem de Jovens e Adultos... 4 1.1.1. Educar na Diversidade... 5 1.2. Os Efeitos da Escolarização/Alfabetização

Leia mais

Sistema Maxi no Ensino Fundamental I

Sistema Maxi no Ensino Fundamental I Sistema Maxi no Ensino Fundamental I Características do segmento Ensino Fundamental: Anos Iniciais compreende do 1º ao 5º ano a criança ingressa no 1º ano aos 6 anos de idade Fonte: shutterstock.com Material

Leia mais

AS REDES SOCIAIS COMO ESPAÇO DE COMUNICAÇÃO E INTERAÇÃO ENTRE PROFESSOR E ALUNOS NA EDUCAÇÃO SUPERIOR

AS REDES SOCIAIS COMO ESPAÇO DE COMUNICAÇÃO E INTERAÇÃO ENTRE PROFESSOR E ALUNOS NA EDUCAÇÃO SUPERIOR 1 AS REDES SOCIAIS COMO ESPAÇO DE COMUNICAÇÃO E INTERAÇÃO ENTRE PROFESSOR E ALUNOS NA EDUCAÇÃO SUPERIOR Maceió AL Maio 2013 Carloney Alves de Oliveira Universidade Federal de Alagoas (UFAL) carloneyalves@gmail.com

Leia mais

José Moran Orientador de Projetos Educacionais Inovadores com metodologias ativas

José Moran Orientador de Projetos Educacionais Inovadores com metodologias ativas Desafios que as tecnologias digitais nos trazem José Moran Orientador de Projetos Educacionais Inovadores com metodologias ativas nas modalidades presencial e a distância Do livro Novas Tecnologias e Mediação

Leia mais

EMENTAS DAS DISCIPLINAS

EMENTAS DAS DISCIPLINAS EMENTAS DAS DISCIPLINAS CURSO EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA (EAD) SISTEMAS PARA INTERNET INTRODUÇÃO À COMPUTAÇÃO 68 A disciplina estuda a área da informática como um todo e os conceitos fundamentais, abrangendo

Leia mais

Oficina Recursos Educacionais Abertos REA. Débora Sebriam Centro Educacional Pioneiro Julho/2011

Oficina Recursos Educacionais Abertos REA. Débora Sebriam Centro Educacional Pioneiro Julho/2011 Oficina Recursos Educacionais Abertos REA Débora Sebriam Centro Educacional Pioneiro Julho/2011 Objetivos do Encontro Criar uma sólida compreensão dos REA, dos direitos de autor e das licenças abertas

Leia mais

Utilização de modelos virtuais no ensino de desenho técnico para engenheiros florestais

Utilização de modelos virtuais no ensino de desenho técnico para engenheiros florestais Utilização de modelos virtuais no ensino de desenho técnico para engenheiros florestais UNIPLAC fabiterezo@hotmail.com 1. Introdução Com o advento dos computadores, dos programas de desenho, das impressoras

Leia mais

CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM SISTEMAS PARA INTERNET MATRIZ CURRICULAR

CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM SISTEMAS PARA INTERNET MATRIZ CURRICULAR CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM SISTEMAS PARA INTERNET MATRIZ CURRICULAR 1º SEMESTRE P101 Desenvolvimento Web 80 CE05 CE06 P102 Língua Portuguesa 40 CG08 CG13 P103 Algoritmos e Lógica de Programação 80

Leia mais