UNIOESTE Universidade Estadual do Oeste do Paraná Bacharelado em Informática 4 ano

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "UNIOESTE Universidade Estadual do Oeste do Paraná Bacharelado em Informática 4 ano"

Transcrição

1 UNIOESTE Universidade Estadual do Oeste do Paraná Bacharelado em Informática 4 ano Alexandre Specian Cardoso, Jhonata Rodrigo de Peder, Marcelo Schuck PES II Cesta Básica Especial Final Cascavel PR

2 Sumário 1. Motivação A Empresa e o Problema Cronograma Metodologia Requisitos Funcionais Técnica I* Modelo de Dependência Estratégica (SD Strategic Dependency) Modelo de Razões Estratégicas (SR Strategic Rationale) Requisitos Não-Funcionais NFR Framework Casos de Uso DIAGRAMA DE CLASSES PRIMEIRO ELABORADO Fornecedor Gerente Secretária Cesta Estoque de cestas Estoque de produtos CONCLUSÃO DA PRIMEIRA ITERAÇÃO DO TRABALHO Nova Introdução Design Pattern Utilizado no Sistema Diagramas e Descrições textuais Diagrama de Classe Descrição textual do Diagrama de Classes: Diagrama de Seqüência Adicionar Item Descrição textual do Diagrama de Seqüência Adicionar Item Diagrama de Seqüência Alterar Item Descrição textual do Diagrama de Seqüência Alterar Item Diagrama de Seqüência Excluir Item Descrição textual do Diagrama de Seqüência Excluir Item Diagrama de Seqüência Exibir Itens Descrição textual do Diagrama de Seqüência Exibir Item Diagrama de Estado Descrição textual do Diagrama de Estado Diagrama de Classe (Entidade Relacionamento) Descrição textual do Diagrama de Classes representando Diagrama de Entidade Relacionamento Arquitetura do Sistema Testes Conclusão Introdução Final Diagramas e Descrições textuais Diagrama de Classe Final Diagrama de Seqüência Vender Cesta Descrição textual do Diagrama de Seqüência Vender Cesta Diagrama de Seqüência Criar Cesta Descrição textual do Diagrama de Seqüência Criar Cesta

3 19.4. Diagrama de Seqüência Editar Cesta Descrição textual do Diagrama de Seqüência Editar Cesta Diagrama de Seqüência ExcluirCesta(com retorno) Descrição textual do Diagrama de Seqüência Excluir Cesta com retorno Diagrama de Seqüência ExcluirCesta(sem retorno) Descrição textual do Diagrama de Seqüência Excluir Cesta sem retorno Diagrama de Seqüência Gerar Arquivo Externo Descrição textual do Diagrama de Seqüência Gerar Arquivo Externo Diagrama de Seqüência Imprimir Descrição textual do Diagrama de Seqüência Imprimir Diagrama de Seqüência Exibir Relatorio Descrição textual do Diagrama de Seqüência Exibir Relatorio Diagrama de Seqüência Adicionar Usuario Descrição textual do Diagrama de Seqüência Adicionar Usuario Diagrama de Seqüência Alterar Usuario Descrição textual do Diagrama de Seqüência Alterar Usuario Diagrama de Seqüência Excluir Usuario Descrição textual do Diagrama de Seqüência Excluir Usuario Diagrama de Classe (Entidade Relacionamento) Descrição textual do Diagrama de Classes representando Diagrama de Entidade Relacionamento Testes Finais Conclusão Final

4 1. Motivação Visando facilitar o controle e gerenciamento do estoque de cestas básicas e produtos, esse software passa a ser desenvolvido buscando integrar as funcionalidades tecnológicas presentes no mundo atual com um serviço indispensável como comercialização de alimentos. 2. A Empresa e o Problema O projeto é para uma pequena empresa que comercializa cestas básicas chamada Cestas Básicas Especial. A empresa não possui nenhum software nessa área. O contato da empresa foi com um dos empregados da empresa responsável pela manipulação de cestas que fara uso do software. Através da entrevista chegamos a seguinte relação de problemas: Existe a necessidade de um software para gerenciar o estoque e emitir relatórios, devido e inexistência de algum. Ineficiência no controle de estoque, tanto de produtos quanto de cestas. Falta de relatórios. Baseando-se na entrevista realizada, foi criado este documento que possui, de forma mais detalhada, as necessidades da empresa com relação ao sistema. 3. Cronograma A seguir é demonstrado o cronograma que será utilizado para o desenvolvimento desse sistema, desde os passos iniciais da identificação do problema até a implantação do software na empresa. 4

5 Figura 1 Cronograma de desenvolvimento do sistema proposto. 4. Metodologia A metodologia escolhida é a metodologia XP devido ao fato de ser um projeto que necessita de aperfeiçoamentos durante o processo de implementação. Também devido ao envolvimento do solicitante do software na implementação do sistema, fato este que caracteriza a metodologia XP. A necessidade de se entregar protótipos em períodos pré-determinados além do processo iterativo de desenvolvimento também contribuiu para a escolha dessa metodologia. Pelo fato que nossa equipe trabalhara apenas 15 horas por semana no projeto e da nossa capacitação atual, a metodologia foi alterada um pouco, atrasando um pouco a entrega da primeira versão. 5. Requisitos Funcionais Descrevem os serviços que o sistema deve oferecer. Estes requisitos foram elaborados juntamente com empregado entrevistado. 5

6 [RF-001] Gerenciar Estoque Prioridade: Ator(es): Requisitos Associados: x Essencial Importante Secretaria, Gerente Gerenciar Cesta, Gerar Relatórios Desejado Descrição: O sistema deverá gerenciar o estoque, informando a quantia de cada produto que entrou. Também deve subtrair a quantidade adequada de cada produto a medida que uma cesta for criada. Sempre mostrando mensagens indicando a ação efetuada. [RF-002] Gerenciar Cestas Prioridade: Ator(es): Requisitos Associados: x Essencial Importante Secretaria, Gerente Gerenciar Estoque, Gerar Relatórios Desejado Descrição: O sistema deverá gerenciar o estoque de cestas básicas. Informando ao usuário o numero de cestas presentes em estoque, o numero de cestas vendidas e o numero de cestas que ainda poderão ser feitas. Sempre mostrando mensagens indicando a ação efetuada. [RF-003] Gerar Relatórios Prioridade: Ator(es): Requisitos Associados: Essencial x Importante Secretaria, Gerente Gerenciar Estoque, Gerenciar Cestas Desejado Descrição: O sistema deverá imprimir relatórios, a medida que o usuário desejar, onde esteja especificado dados dos produtos, como quantidade de cada um, entrada e saída. Também devem estar presentes dados do estoque de cestas, como numero de cestas vendidas, numero de cestas presentes em estoque e o numero de cestas que ainda poderão ser feitas. Sempre mostrando mensagens indicando a ação efetuada. 6. Técnica I* Representa os requisitos funcionais do sistema detalhadamente. Utilizada na realização de uma modelagem organizacional, para compreender as regras de negócio do ambiente a ser analisado, afim de obter um modelo para implantar o sistema de software, atendendo requisitos organizacionais. Identifica os relacionamentos entre os atores (entidades que desempenham função) em dois níveis de modelagem, vistas a seguir Modelo de Dependência Estratégica (SD Strategic Dependency) Grafo onde cada nó representa um ator, e as arestas indicam relação de dependência entre dois atores (depender e dependee) em determinado objetivo, tarefa, recurso ou objetivo soft(semelhante ao requisito não-funcional). O modelo aqui proposto, consiste na descrição de uma configuração particular de relacionamentos de dependências ente os atores organizacionais. 6

7 O nosso modelo I* consiste de 6 atores, sendo eles: Fornecedor, Secretária, Vendedor, Cliente, Gerente e Sistema. O ator Cliente depende do ator Vendedor para poder comprar uma cesta. O ator Vendedor depende do ator Secretária para saber quantas cestas estão disponíveis para serem vendidas. 7

8 O ator Secretária depende do Fornecedor para saber quando dada mercadoria irá chegar e a quantidade, depende também do Sistema para poder gerenciar o estoque de cestas e de itens com mais facilidade e agilidade. O ator Gerente depende do ator Secretária ou do ator Sistema para poder ter um controle maior sobre o estoque de itens e de cestas Modelo de Razões Estratégicas (SR Strategic Rationale) Fornece um nível mais detalhado do modelo SD, permitindo analisar internamente os processos e relacionamentos dos atores, ou seja, a razão ou motivação de cada ator tem sobre suas metas e sobre seus relacionamentos com outros atores, é descrita. Os elementos (objetivos, tarefas, recursos e objetivos soft) são expandidos como funções dos atores, explicitando a forma que cada um funciona individualmente. Apresenta dois tipos de ligação: Ligação meio fim: onde fim é o objetivo alcançado por uma ou mais tarefas (meios) Ligação da decomposição da tarefa: seria um conjunto de tarefas necessárias para a realização de outra. Que respectivas e analogicamente seriam os conectivos lógicos OU e E. 8

9 9

10 Com a expansão do modelo I* e criação do modelo SR, observou-se que o objetivo Gerenciar Estoque consiste de outras tarefas sendo estas: Criar Cesta, Incluir, Alterar e Excluir. Incluir é o ato de adicionar um item ao estoque, Excluir é o ato de retirar um item do estoque, Alterar consiste em modificar o nome ou a quantidade de um item presente no estoque. Criar Cesta é composta de outras tarefas: Especificar o tipo de Cesta, que diz o tipo de cesta que irá ser criado, Juntar itens, que verifica se existem itens suficientes no estoque para criar a cesta desejada, Reduzir itens do Estoque, que irá subtrair os itens do estoque de itens, Incrementar número de Cestas, que irá aumentar o número de cestas do tipo escolhido no estoque de cestas. Todas estão relacionadas com a tarefa Mostrar mensagem no contexto, em que o Sistema diz ao usuário o que esta acontecendo. O objetivo Gerenciar Relatórios é composto das seguintes tarefas: Gerar Relatórios de vendas, Gerar Relatório de itens, Gerar relatório de cestas. Gerar relatório de vendas gera um arquivo que tem o número de cestas vendidas em cada dia. Gerar relatório de itens gera um arquivo que diz o dia e a quantidade que cada item entrou ou sai. Gerar relatório de cestas gera um relatório que diz o número e a data que foram feitas ou vendidas as cestas. O objetivo Gerenciar Cestas consiste das seguintes tarefas: Incluir, Alterar, Excluir com retorno, Excluir sem retorno e Dar Baixa. Incluir incrementar o número de cestas existentes, Alterar modifica os produtos que constituem uma cesta, Excluir com retorno decrementa o número de cestas existentes e retorna os produtos que a constituíam para o estoque, Excluir sem retorno decrementa o número de cestas existentes, Dar Baixa decrementa o número de cestas existentes e marca uma venda. 7. Requisitos Não-Funcionais São requisitos que não podem ser alcançados diretamente pelo sistema, resultados de otimizações ou técnicas que auxiliam o processo. Relaciona o desenvolvimento do sistema com a viabilidade operacional (estudo de viabilidade). Equivalentes ao objetivo soft da técnica i* (visto anteriormente), um requisito desejável, mas não é indispensável para o sistema, porém serão definidos como satisfeitos ou não pelo usuário que estará acompanhando o desenvolvimento do sistema. [RNF 001] Usabilidade O sistema será implementado de forma que sua interface seja limpa e de fácil manuseio. Deixando as informações mais relevantes em destaque e de fácil acesso. As mensagens do sistema serão precisas e informativas. [RNF 002] Segurança O sistema deverá se consistente ao guardar os dados, com backups. Haverá logins para os usuários em dois níveis de segurança, um para secretaria, e outro para o gerente, o qual permitira o acesso a todas as áreas do sistema, como também sua modificação. [RNF 003] Desempenho O sistema não deverá gastar muito tempo para executar qualquer solicitação feita pelo usuário. [RNF 004] Custo O software será desenvolvido utilizando ferramentas free, sem qualquer custo para o solicitante do sistema. 10

11 8. NFR Framework Uma forma muito utilizada na representação de requisitos não-funcionais é a proposta de Chung et al.(2000),cujo trabalho define uma técnica denominada NFR-Framework. Essa representação trata um requisito não-funcional sob o termo softgoal. Em contraste com as abordagens voltadas a funcionalidade, a NFR-Framework usa os requisitos não-funcionais para guiar todo processo de projeto e oferece uma estrutura Gráficos de Independência de Softgoals (SIG) para representar e armazenar os passos e raciocínio do projeto. Um grafo SIG não representa apenas um meio de tratar requisitos não-funcionais, mas pode ser visto como um registro do histórico do desenvolvimento que pode ser usado para posterior revisão, justificativa e mudanças. Além do gráfico, a NFR-Framework oferece também catálogos (de tipos, métodos e interdependências) que são usados para expressar, previamente, o conhecimento sobre os requisitos não-funcionais, e assim, servirem como apoio para a posterior definição de SIGs 11

12 9. Casos de Uso Casos de uso são utilizados para descrever o uso de um sistema por atores. Um ator representa qualquer elemento externo que interage com o sistema. Um caso de uso descreve uma seqüência de passos/operações que um usuário realiza quando interage com um sistema visando realizar uma determinada tarefa/objetivo. Assim, o aspecto comportamental de um sistema a ser desenvolvido pode ser descrito. Segue abaixo a descrição dos casos de uso utilizados neste projeto: [Caso de uso 001]: Criar Cesta Descrição: O sistema cria uma cesta subtraindo os produtos necessário do estoque. Atores envolvidos: Gerente e Secretaria Pré-Condição: Deve haver itens suficientes no estoque e o usuário deve estar logado. Cenário Principal do sucesso: 1) O usuário cria uma cesta. 2) O usuário informa o tipo de cesta a ser criada. 3) O sistema verifica a disponibilidade de itens necessários. 4) O sistema subtrai os itens. 5) O sistema incrementa o numero de cestas do tipo informado. Cenário Principal de erro: 3.1) O sistema verifica que não há itens disponíveis no estoque. 3.2) O sistema mostra uma mensagem informando que não há itens no estoque. [Caso de uso 002]: Incluir Item Descrição: Um novo item é adicionado ao estoque. Atores envolvidos: Gerente e Secretaria Pré-Condição: O usuário deve estar logado. Cenário Principal do sucesso: 1) O usuário inclui item. 2) O sistema apresenta uma tela para o cliente especificar o item. 3) O sistema adiciona o item especificado no estoque. [Caso de uso 003]: Alterar Quantidade do Item Descrição: Altera a quantidade de um item. Atores envolvidos: Gerente e Secretaria Pré-Condição: O usuário deve estar logado e o item deve existir. Cenário Principal do sucesso: 1) O usuário altera quantidade do item. 2) O usuário informa o produto e a quantidade. 3) O sistema atualiza o estoque. Cenário Principal de erro: 3.1) O sistema verifica que não existe o item no estoque. 3.2) O sistema mostra uma mensagem informando que não há itens no estoque. 12

13 [Caso de uso 004]: Excluir Item Descrição: Exclui um item. Atores envolvidos: Gerente e Secretaria Pré-Condição: O usuário deve estar logado e o item deve existir. Cenário Principal do sucesso: 1) O usuário requisita uma listagem de itens existentes. 2) O sistema exibe essa lista. 3) O usuário indica o item a ser excluído. 4) O sistema pede confirmação da exclusão. 5) O sistema atualiza o estoque. Cenário Secundário do sucesso: 5.1) O sistema retorna a ultima configuração válida do estoque. [Caso de uso 005]: Gerar Relatório Descrição: Gera um relatório das cestas que foram vendidas e criadas, e também do itens recebidos.. Atores envolvidos: Gerente e Secretaria Pré-Condição: O usuário deve estar logado. Cenário Principal do sucesso: 1) O usuário solicita um relatório ao sistema 2) O sistema exibe um relatório contendo as vendas, os itens em estoque e as cestas em estoque [Caso de uso 006]: Alterar Cesta Descrição: Modifica os produtos que compõem uma cesta Atores envolvidos: Gerente. Pré-Condição: O usuário deve estar logado, e o tipo da cesta deve existir Cenário Principal do sucesso: 1) O usuário altera cesta 2) O sistema exibe as cestas já existentes 3) O usuário escolhe o tipo de cesta que deseja modificar. 4) O usuário retira itens. 5) O usuário entra com os itens a serem adicionados 6) O usuário confirma a modificação 7) O sistema atualiza os dados Cenário Principal do erro: 2.1) O sistema verifica que não existem cestas a serem modificadas. 2.2) O sistema exibe mensagem informando a não existência de cestas. 5.1) O sistema verifica que os itens não estão presentes no estoque. 5.2) O sistema exibe mensagem informando a não existência dos itens. 6.1) O usuário cancela a modificação da cesta. 6.2) O sistema retorna a ultima configuração valida das cestas e dos itens. [Caso de uso 007]: Incrementar Cestas Descrição: Aumenta o número de cesta disponíveis no estoque Atores envolvidos: Gerente e secretaria Pré-Condição: O usuário deve estar logado, e o tipo da cesta deve existir Cenário Principal do sucesso: 1) O usuário incrementa o numero de cestas 2) O usuário informa o tipo da cesta. 3) O sistema incrementa numero das cesta tipo informado presentes no estoque. 13

14 [Caso de uso 008]: Adicionar Novo tipo de Cesta Descrição: Cria um novo tipo de Cesta Atores envolvidos: Gerente Pré-Condição: O usuário deve estar logado Cenário Principal do sucesso: 1) O usuário cria um novo tipo de cesta 2) O usuário informa o nome do novo tipo 3) O usuário compõe a nova cesta com itens do estoque. 4) O usuário confirma 5) O sistema atualiza os dados com o novo tipo agregado Cenário Secundário do sucesso: 4.1) O usuário cancela a criação. 4.2) O sistema retorna a ultima configuração valida das cestas e dos itens. [Caso de uso 009]: Excluir Cesta Descrição: Exclui uma cesta do estoque de cestas Atores envolvidos: Gerente, secretária Pré-Condição: O usuário deve estar logado, deve existir o tipo de cesta que se deseja excluir Cenário Principal do sucesso: 1) O usuário deseja excluir uma cesta 2) O usuário informa o tipo da cesta a ser excluída 3) O usuário diz se deseja excluir com ou sem retorno 4) O sistema atualiza o estoque com os produtos retornados 5) O número de cestas do tipo informado é decrementado Cenário Secundário do sucesso: 3.1) O usuário cancela a operação. 3.2) O sistema retorna ao estado inicial. 4.1) O sistema não altera a quantidade de produtos no estoque. Cenário Principal do erro: 2.1)Não há cesta a ser excluída 2.2) O sistema exibe uma mensagem ao usuário informando que não há cestas. [Caso de uso 010]: Dar Baixa Descrição: Uma venda é efetuada Atores envolvidos: Gerente, secretária Pré-Condição: O usuário deve estar logado, deve existir o tipo de cesta vendido Cenário Principal do sucesso: 1) O usuário deseja dar baixa 2) O usuário informa o tipo e a quantidade de cestas vendidas 3) O sistema decrementa o numero de cestas vendidas do estoque. 4) O sistema registra uma venda para posterior exibição no relatório. 14

15 10. DIAGRAMA DE CLASSES PRIMEIRO ELABORADO Um diagrama de classes é utilizado para mostrar a existência das classes e as relações entre elas sob o ponto de vista lógico. Durante a etapa de análise, esses diagramas são utilizados para indicar os papéis e as responsabilidades das entidades que fornecem o comportamento do sistema e assumem a função de capturar a estrutura das classes que compõem a arquitetura do sistema durante a etapa de desenvolvimento. Neste trabalho foram geradas e estudadas determinadas classes que são apresentadas nas seções subseqüentes. 15

16 10.1. Fornecedor Esta classe representa os fornecedores. Seus atributos são Nome, CNPJ, Endereço, Produto entregue. Estes atributos consistem nos dados necessários para se identificar o fornecedor. Seus métodos são do tipo set e get usados para obter e alterar os atributos. Esta classe possui uma relação com a classe gerente e secretária, no sentido de que existem vários fornecedores para pelo menos um gerente ou funcionária, e tem que existir um gerente ou uma secretária para atender os fornecedores Gerente Representa um dos tipos de usuário do sistema, o gerente tem poder absoluto sobre o sistema, podendo alterar todos os dados existentes. Possui set s e get s para manipulação dos seus atributos e também métodos para incluir itens, criar uma nova cesta, alterar quantidade de um item, excluir um item, alterar uma cesta, excluir uma cesta, gerar relatórios, incluir um novo tipo de cesta, dar baixa no sistema. Possui relação com todas as demais classes do sistema Secretária A secretário representa o outro tipo de usuário do sistema. Tem quase todos os mesmos privilégios que o gerente possui, com exceção dos métodos incluir novo tipo de cesta e alterar cestas. Também se relaciona com todos as outras classes do sistema Cesta A classe cesta consiste no produto que estará a venda. Os atributos que esta possui são tipo de cesta, valor da cesta e produtos presentes na cesta. Possui métodos para manipular seus dados. Se relaciona com o gerente, com a secretaria e com a classe estoque de cestas Estoque de cestas É a classe responsável pelo gerenciamento do número de cestas presentes no recinto, e que poderão ser vendidas. Tem como atributo apenas o número de cestas feitas. Com métodos para manipulação do mesmo Estoque de produtos. Tem como função gerenciar os produtos disponíveis para se criar uma cesta. Tem como atributo uma matriz que contém os produtos e as quantidades dos mesmos disponíveis. Possui métodos para manipular seus atributos. 16

17 FIGURA 6 Diagrama de classes(primeiro elaborado) 17

18 11. CONCLUSÃO DA PRIMEIRA ITERAÇÃO DO TRABALHO A especificação dos requisitos funcionais e não-funcionais de um sistema, juntamente com a modelagem orientada a objetos, torna o processo de implementação mais prático, eficiente e seguro, devido a todos os passos seguidos na engenharia de requisitos durante o projeto, que está bem próximo do que o usuário final realmente deseja. FORMULÁRIO DE RELATÓRIO DA EQUIPE Descrição de papéis e contribuições de cada membro da equipe: Nome % Esforço da equipe Assinatura Alexandre Specian Cardoso 33,33% Jhonata Rodrigo de Peder 33,33% Marcelo Schuck 33,34% 12. Nova Introdução Metodologias ágeis surgiram da necessidade de desenvolver software de forma gradativa, possibilitando um processo de desenvolvimento incremental com participação do usuário final. Este trabalho é referente a documentação do sistema Cesta Básica Especial no domínio da sua primeira interação. No processo de desenvolvimento incremental das metodologias ágeis, esta interação abrange o processo de desenvolvimento do controlador de itens bem como as classes necessárias ao seu desenvolvimento. Apresentaremos na seção 2 o padrão de projeto utilizado no sistema, na seção 3 apresentaremos os diagramas e suas descrições textuais, sendo na seção 4 apresentado a arquitetura em que o sistema foi construído e os testes serão apresentados na seção 5. Com o andamento do trabalho, muitas mudanças fizeram-se necessárias, varias alterações no cronograma e nos diagramas, além de mudanças significativas na implementação do sistema. 18

19 13. Design Pattern Utilizado no Sistema Adotamos o padrão de projeto Prototype em nosso sistema. O padrão Prototype contém os seguintes elementos: prototype: uma classe que declara uma interface para objetos capazes de clonar a si mesmo; prototype concreto: implementação de um prototype; cliente : cria um novo objeto através de um prototype que é capaz de clonar a si mesmo. A idéia da utilização do Prototype é criar novos objetos iguais a si mesmo, seus clones. A classe prototype é uma factory(padrão que permite a criação de famílias de objetos relacionados ou dependentes, através de uma única interface). FIGURA 7: Exemplo do padrão prototype. 19

20 14. Diagramas e Descrições textuais Diagrama de Classe FIGURA 8 : Diagrama de Classes do Sistema de Cestas Básicas 20

21 Descrição textual do Diagrama de Classes: No diagrama de classes exibimos as classes do sistema separadas por camadas, onde cada camada só tem comunicação com a camada ligeiramente acima ou abaixo dela. O diagrama exibe também as classes ainda não implementadas (os stubs), o diagrama não exibe os atributos nem as operações que essas classes virão a ter, com exceção de classes pertencentes ao controle de usuários, pois essas precisaram ser esboçadas para a realização dos teste do sistema parcial. As ligações entre as classes e suas cardinalidades só são representadas entre as classes já implementadas. É importante ressaltar que algumas classes serão alteradas em etapas futuras da implementação do software, tomando como exemplo a classe BD que fica na camada Persistência. VisãoGerente Descrição: Essa é a principal classe da camada de visão, nela estão todos os principais comandos que o usuário dará ao sistema. É responsável por 90% do interfaceamento entre usuário e sistema. Atributos: ce: ControladorEstoque Atributo que se refere a classe ControladorEstoque cu: ControladorUsuário Atributo que se refere a classe ControladorUsuário cc: ControladorCesta Atributo que se refere a classe ControladorCesta retorno: String Variável que recebe o retorno vindo da classe Produto retornobd: String Variável que recebe do banco se houve sucesso ou falha na pesquisa pai : Login Atributo que se refere a classe Login table: DefaultTableModel O modelo usado para manipular a tabela que mostra os itens na tela. Operações: VisaoGerente() : void Método construtor default da classe VisaoGerente(ehgerente : Método construtor inicializavel da classe boolean, pai : Login) InserirProduto(evt) : void Evento do botão Inserir Produto, chama a classe Produto AlterarProduto(evt) : void Evento do botão Alterar Produto, chama a classe Produto ExcluirProduto(evt) : void Evento do botão Excluir Produto, chama a classe Produto ExibirProduto(evt) : void Evento do botão Exibir Produto, chama a classe Produto setretorno(ret : String) : Método que altera o valor da variável retorno. É acessada void pela classe Produto. enviace(i : int) : void Método que chama o controlador, passando os dados referentes a ação. InsP() : void Método que atualiza a tabela mostrada ao usuário. getprod(prod : String) : Método que quebra o retorno do banco para poder exibir String os itens na tela. 21

22 Produto Descrição: Classe da camada de visao que é acionada para que o usuário possa dar entrada em um produto, visualizar um produto e modificar um produto. Atributos: pai: VisaoGerente Atributo que se refere a classe VisaoGerente retorno : boolean Variável que controla se ao voltar para a classe VisaoGerente haverá retorno ou não. ( exibir não tem retorno) status : int Controla a tela para diferentes tipos de visão, exibir(campos não editáveis) incluir e alterar(campos editáveis) beta : string Variável que guarda o nome do item que está sendo editado Operações: Produto() : void Método construtor default da classe Produto(p: VisaoGerente Método construtor incializavel da classe status : int, prod : String) : void OK(evt) : void Método que prepara a string e retorna para a classe VisaoGerente ControladorEstoque Descrição: Classe que define as regras de negocio do sistema. Atributos: retorno : String Variável com o conteúdo que retorna do modelo e é enviada para a visão ce : Estoque Atributo que se refere a classe Estoque Operações: ControladorEstoque() void : Método construtor default da classe ControladorEstoque( C Método construtor incializavel da classe omando : String) : void Estoque Descrição: Classe que tem o controle sobre o estoque, é invocada sempre que é necessário realizar alguma operação no estoque. Atributos: retorno: String Operações: Adicionar(Comando String) : String Variável com o conteúdo que retorna da persistência e é enviada para o controlador : Método que organiza o objeto que esta sendo inserido e manda para o banco de dados Remover(Comando String) : String : Método que envia ao banco o objeto que deve ser removido Editar(Comando String) : String : Método que manda a busca do objeto a persistência e altera os valores mandando-os a persistência para atualizar o banco Exibir() : String Método que requisita os objetos no banco a persistência e os retorna para o controlador 22

23 Item Descrição: O objeto item em sua essência real, contém as informação de um produto específico encontrado no estoque. Atributos: Nome : String Variável que contém o nome do item Quantidade : String Variável que contém a quantidade de itens Fornecedor : String Variável que contém o fornecedor do item CNPJ : String Variável que contém o cnpj do fornecedor do item Endereço : String Variável que contém o endereço do fornecedor do item Telefone : String Variável que contém o telefone do fornecedor do item Status : String Variável que contém o status do item Id : int Variável que caracteriza a categoria (item) Operações: getnome() : String Método que retorna o nome do item. getquantidade() : String Método que retorna a quantidade do item. getfornecedor() : String Método que retorna o fornecedor do item. getcnpj() : String Método que retorna o cnpj do fornecedor do item. getendereço() : String Método que retorna o endereço do fornecedor do item. gettelefone() : String Método que retorna o telefone do fornecedor do item. getstatus() : String Método que retorna o status do item. setnome(nome : String) : Método que altera o valor da variável nome do item void SetQuantidade( q Método que altera o valor da variável quantidade do item uantidade : String) : void SetFornecedor( fo Método que altera o valor da variável fornecedor do item rnecedor : String) : void setcnpj(cnpj : String) : Método que altera o valor da variável cnpj do item void setendereço(endereço String) : void : Método que altera o valor da variável endereço do item settelefone(telefone String) : void : Método que altera o valor da variável telefone do item setstatus(status : String) : Método que altera o valor da variável status do item void tostring() : String Método que transforma o objeto que vem do banco em uma String que possa ser escrita na tela. quebra() : String Método que transforma o objeto que vem do banco em uma String que possa ser escrita na tela, se parando o nome e a quantidade para poder ser colocada na tabela. 23

Unioeste Universidade Estadual do Oeste do Paraná

Unioeste Universidade Estadual do Oeste do Paraná Unioeste Universidade Estadual do Oeste do Paraná CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLÓGICAS Colegiado de Informática Curso de Bacharelado em Informática Especificação de Requisitos e Modelagem Orientada

Leia mais

Processo de Engenharia de Software II

Processo de Engenharia de Software II UNIOESTE - Universidade Estadual do Oeste do Paraná CCET Centro de ciências Exatas e Tecnológicas Colegiado de Ciência da Computação Curso de Bacharelado em Ciência da Computação Processo de Engenharia

Leia mais

Especificação de Requisitos e Modelagem

Especificação de Requisitos e Modelagem Unioeste Universidade Estadual do Oeste do Paraná CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLÓGICAS Colegiado de Informática Curso de Bacharelado em Informática Especificação de Requisitos e Modelagem Hudson João

Leia mais

Sistema Gerenciador de Hotel. Adriano Douglas Girardello. Ana Paula Fredrich. Tiago Alexandre Schulz Sippert

Sistema Gerenciador de Hotel. Adriano Douglas Girardello. Ana Paula Fredrich. Tiago Alexandre Schulz Sippert UNIOESTE Universidade Estadual do Oeste do Paraná CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLÓGICAS Colegiado de Informática Curso de Bacharelado em Informática Sistema Gerenciador de Hotel Adriano Douglas Girardello

Leia mais

Processo de Engenharia de Software II

Processo de Engenharia de Software II UNIOESTE - Universidade Estadual do Oeste do Paraná CCET Centro de ciências Exatas e Tecnológicas Colegiado de Ciência da Computação Curso de Bacharelado em Ciência da Computação Processo de Engenharia

Leia mais

Especificação de Requisitos e Modelagem Sistema de Entrega de Pizza - SISEP

Especificação de Requisitos e Modelagem Sistema de Entrega de Pizza - SISEP Unioeste Universidade Estadual do Oeste do Paraná CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLÓGICAS Colegiado de Ciências da Computação Curso de Bacharelado em Ciências da Computação Especificação de Requisitos

Leia mais

Documento de Requisitos

Documento de Requisitos UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO CENTRO DE INFORMÁTICA GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA DA COMPUTAÇÃO Documento de Requisitos Sistema Gerenciador de Atendimento de Chamados Técnicos Grupo: Luiz Augusto Zelaquett

Leia mais

PROJETO DA DISCIPLINA. PES II Processo de Engenharia de Software II

PROJETO DA DISCIPLINA. PES II Processo de Engenharia de Software II UNIOESTE - Universidade Estadual do Oeste do Paraná CCET - Centro de Ciências Exatas e Tecnológicas Colegiado de Informática Curso de Bacharelado em Informática PROJETO DA DISCIPLINA PES II Processo de

Leia mais

Processo de Engenharia de Software II

Processo de Engenharia de Software II UNIOESTE - Universidade Estadual do Oeste do Paraná CCET Centro de ciências Exatas e Tecnológicas Colegiado de Ciência da Computação Curso de Bacharelado em Ciência da Computação Processo de Engenharia

Leia mais

PROJETO DA DISCIPLINA. PES II Processo De Engenharia de Software II

PROJETO DA DISCIPLINA. PES II Processo De Engenharia de Software II UNIOESTE - Universidade Estadual do Oeste do Paraná CCET - Centro de Ciências Exatas e Tecnológicas Colegiado de Informática Curso de Bacharelado em Informática PROJETO DA DISCIPLINA PES II Processo De

Leia mais

Universidade Federal Rural de Pernambuco. Bacharelado em Sistemas de Informação. Disciplina: Análise e Projeto de Sistemas de Informação

Universidade Federal Rural de Pernambuco. Bacharelado em Sistemas de Informação. Disciplina: Análise e Projeto de Sistemas de Informação Universidade Federal Rural de Pernambuco Bacharelado em Sistemas de Informação Disciplina: Análise e Projeto de Sistemas de Informação Docente: Rodrigo Aluna: Thays Melo de Moraes Diagramas do Projeto

Leia mais

SISTEMA VANIA MODAS. Processo de Engenharia de Software II 4º Ano do Curso de Bacharelado em Informática

SISTEMA VANIA MODAS. Processo de Engenharia de Software II 4º Ano do Curso de Bacharelado em Informática UNIOESTE Universidade Estadual do Oeste do Paraná CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLÓGICAS Colegiado de Informática Curso de Bacharelado e Informática SISTEMA VANIA MODAS Processo de Engenharia de Software

Leia mais

Processo De Engenharia de Software II

Processo De Engenharia de Software II UNIOESTE Universidade Estadual do Oeste do Paraná CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLÓGICAS Colegiado de Ciência da Computação Curso de Bacharelado em Ciência da Computação Processo De Engenharia de Software

Leia mais

Cenários do CEL. Acessar ao sistema

Cenários do CEL. Acessar ao sistema Cenários do CEL Acessar ao sistema Permitir que o usuário acesse ao Sistema de Léxicos e Cenários nas seguintes condições: logando-se, quando já estiver cadastrado; ou incluindo usuário independente, quando

Leia mais

PROJETO DA DISCIPLINA. PES II Processo de Engenharia de Software II

PROJETO DA DISCIPLINA. PES II Processo de Engenharia de Software II UNIOESTE - Universidade Estadual do Oeste do Paraná CCET - Centro de Ciências Exatas e Tecnológicas Colegiado de Informática Curso de Bacharelado em Informática PROJETO DA DISCIPLINA PES II Processo de

Leia mais

Especificação de Requisitos e Modelagem Sistema Academia SportLife

Especificação de Requisitos e Modelagem Sistema Academia SportLife Unioeste Universidade Estadual do Oeste do Paraná CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLÓGICAS Colegiado de Ciências da Computação Curso de Bacharelado em Ciências da Computação Especificação de Requisitos

Leia mais

Processo de Engenharia de Software II

Processo de Engenharia de Software II UNIOESTE - Universidade Estadual do Oeste do Paraná CCET Centro de ciências Exatas e Tecnológicas Colegiado de Informática Curso de Bacharelado em Informática Processo de Engenharia de Software II Sistema

Leia mais

Especificação dos Requisitos do Software. White Label

Especificação dos Requisitos do Software. White Label Ubee Especificação dos Requisitos do Software White Label Review 0.3 Autores: Airton Sampaio de Sobral (asds@cin.ufpe.br) Alan Gomes Alvino (aga@cin.ufpe.br) Glauco Roberto Pires dos Santos (grps@cin.ufpe.br)

Leia mais

Unioeste - Universidade Estadual do Oeste do Paraná Curso de Bacharelado em Informática Estudo de Requisitos CASCAVEL 2009

Unioeste - Universidade Estadual do Oeste do Paraná Curso de Bacharelado em Informática Estudo de Requisitos CASCAVEL 2009 Unioeste - Universidade Estadual do Oeste do Paraná CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLÓGICAS Colegiado de Informática Curso de Bacharelado em Informática Estudo de Requisitos Alunos: Professor: Disciplina:

Leia mais

Sistema Gerenciador de Hotel. Adriano Douglas Girardello Ana Paula Fredrich Tiago Alexandre Schulz Sippert

Sistema Gerenciador de Hotel. Adriano Douglas Girardello Ana Paula Fredrich Tiago Alexandre Schulz Sippert UNIOESTE Universidade Estadual do Oeste do Paraná CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLÓGICAS Colegiado de Informática Curso de Bacharelado em Informática Sistema Gerenciador de Hotel Adriano Douglas Girardello

Leia mais

Especificação de Requisitos e Modelagem Sistema Livraria

Especificação de Requisitos e Modelagem Sistema Livraria Unioeste Universidade Estadual do Oeste do Paraná CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLÓGICAS Colegiado de Ciências da Computação Curso de Bacharelado em Ciências da Computação Especificação de Requisitos

Leia mais

CONTRA CONTROLE DE ACESSOS E MODULARIZADOR DE SISTEMAS

CONTRA CONTROLE DE ACESSOS E MODULARIZADOR DE SISTEMAS MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO AGRÁRIO SUBSECRETARIA DE PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E ADMINISTRAÇÃO COORDENAÇÃO-GERAL DE MODERNIZAÇÃO E INFORMÁTICA CONTRA CONTROLE DE ACESSOS E MODULARIZADOR DE SISTEMAS MANUAL

Leia mais

Processo e Engenharia de Software II

Processo e Engenharia de Software II Unioeste Universidade Estadual do Oeste do Paraná CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLÓGICAS Colegiado de Ciência da Computação Curso de Bacharelado e Ciência da Computação Processo e Engenharia de Software

Leia mais

Documentação do Sistema de Reserva de Salas da Intranet do ICMC-USP

Documentação do Sistema de Reserva de Salas da Intranet do ICMC-USP UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação Departamento de Ciências da Computação e Estatística Documentação do Sistema de Reserva de Salas da Intranet do ICMC-USP André

Leia mais

Universidade Federal de Pernambuco Centro de Informática. Professor Jaelson F. B. de Castro

Universidade Federal de Pernambuco Centro de Informática. Professor Jaelson F. B. de Castro Universidade Federal de Pernambuco Centro de Informática COTAÇÃO EXPRESS ESPECIFICAÇÃO DE REQUISITOS Professor Jaelson F. B. de Castro Equipe Agay Borges Ciência da Computação Felipe Muniz Engenharia da

Leia mais

Universidade Estadual do Oeste do Paraná

Universidade Estadual do Oeste do Paraná Universidade Estadual do Oeste do Paraná Estudo de Requisitos de um software para uma loja de lentes de contato Bruno Eduardo Soares Leonardo Zanotto Baggio Maykon Valério da Silva Cascavel, 10 de Junho

Leia mais

Treinamento GVcollege Módulo Administrador de Programas e Sistemas

Treinamento GVcollege Módulo Administrador de Programas e Sistemas Treinamento GVcollege Módulo Administrador de Programas e Sistemas AVISO O conteúdo deste documento é de propriedade intelectual exclusiva da GVDASA Sistemas e está sujeito a alterações sem aviso prévio.

Leia mais

Elaborado por SIGA-EPT. Projeto SIGA-EPT: Manual do Usuário Almoxarifado

Elaborado por SIGA-EPT. Projeto SIGA-EPT: Manual do Usuário Almoxarifado Elaborado por SIGA-EPT Projeto SIGA-EPT: Manual do Usuário Almoxarifado Versão Dezembro - 2009 Sumário 1 Introdução 5 1.1 Entrando no sistema e repassando as opções................... 5 1.2 Administração......................................

Leia mais

Análise de Requisitos de Software

Análise de Requisitos de Software Universidade Estadual do Oeste do Paraná UNIOESTE Centro de Ciências Exatas e Tecnológicas CCET Curso de Bacharelado em Informática Docente: Victor Francisco Araya Santander Análise de Requisitos de Software

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO DE PROGRAMAS. PROGRAMADOR Joel Victor. Introdução

ESPECIFICAÇÃO DE PROGRAMAS. PROGRAMADOR Joel Victor. Introdução Página 1 de 15 Introdução Documento para especificação de programa do Caso de Uso Manter Usuários. Além da descrição de programa o documento terá o diagrama de classes e o diagrama de sequência. Caso de

Leia mais

Manual do Sistema de Almoxarifado P á g i n a 2. Manual do Sistema de Almoxarifado Módulo Requisição. Núcleo de Tecnologia da Informação

Manual do Sistema de Almoxarifado P á g i n a 2. Manual do Sistema de Almoxarifado Módulo Requisição. Núcleo de Tecnologia da Informação Divisão de Almoxarifado DIAX/CGM/PRAD Manual do Sistema de Almoxarifado Módulo Requisição Versão On-Line Núcleo de Tecnologia da Informação Universidade Federal de Mato Grosso do Sul Manual do Sistema

Leia mais

Sistema Datachk. Documento de Requisitos. Versão <1.2> Z u s a m m e n a r b e i t I d e i a s C o l a b o r a t i v a s

Sistema Datachk. Documento de Requisitos. Versão <1.2> Z u s a m m e n a r b e i t I d e i a s C o l a b o r a t i v a s Documento de Requisitos Versão Z u s a m m e n a r b e i t I d e i a s C o l a b o r a t i v a s 2010 2 Histórico de Revisões Data Versão Descrição Autores 27/04/2010 1.0 Criação da primeira versão

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO DE PROGRAMAS

ESPECIFICAÇÃO DE PROGRAMAS Página 1 de 7 Especificação de Programa Sistema de Vendas de Pizzas Online () - Versão 1.0 Autenticar Usuários Versão do Documento:1.0 Página 2 de 7 Histórico de Revisão Data Versão do Documento 26/08/2011

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO DE PROGRAMAS. PROGRAMADOR Joel Victor. Introdução

ESPECIFICAÇÃO DE PROGRAMAS. PROGRAMADOR Joel Victor. Introdução Página 1 de 16 Introdução Documento para especificação de programa do Caso de Uso Manter Usuários. Além da descrição de programa o documento terá o diagrama de classes e o diagrama de sequência. Caso de

Leia mais

2. INSTALAÇÃO E CONFIGURAÇÃO

2. INSTALAÇÃO E CONFIGURAÇÃO INDICE 1. INTRODUÇÃO 2. INSTALAÇÃO E CONFIGURAÇÃO 2.1. COMPARTILHANDO O DIRETÓRIO DO APLICATIVO 3. INTERFACE DO APLICATIVO 3.1. ÁREA DO MENU 3.1.2. APLICANDO A CHAVE DE LICENÇA AO APLICATIVO 3.1.3 EFETUANDO

Leia mais

Documento de Requisitos

Documento de Requisitos UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO GRADUAÇÃO EM Ciência DA COMPUTAÇÃO CENTRO DE INFORMÁTICA 2013.1 Documento de Requisitos IF716 ESPECIFICAÇÃO E VALIDAÇÃO DE REQUISITOS Alunos: Felipe Duarte (fds) Gabriela

Leia mais

Os casos de uso dão conta da maioria dos requisitos de um sistema computacional.

Os casos de uso dão conta da maioria dos requisitos de um sistema computacional. Unidade 3: Modelagem de requisitos e de soluções (Parte a) 1 Casos de uso 1.1 Conceitos básicos e parâmetros de descrição Os casos de uso dão conta da maioria dos requisitos de um sistema computacional.

Leia mais

Estudo de Caso Sistema de Caixa Automático

Estudo de Caso Sistema de Caixa Automático Estudo de Caso Sistema de Caixa Automático Curso de Especialização DEINF - UFMA Desenvolvimento Orientado a Objetos Prof. Geraldo Braz Junior Referências: Notas de Aula Ulrich Schiel Notas de Aula Ariadne

Leia mais

Rem Commodatum. Rem Commodatum - Versão 1.0. Manter Visitas Técnicas. Iteração 01 - Release 1.0. Versão do Documento: 1.0

Rem Commodatum. Rem Commodatum - Versão 1.0. Manter Visitas Técnicas. Iteração 01 - Release 1.0. Versão do Documento: 1.0 Rem Commodatum Rem Commodatum - Versão 1.0 Iteração 01 - Release 1.0 Manter Visitas Técnicas Versão do Documento: 1.0 Data Versão do Documento Histórico de Revisão Descrição Autor 20/09/2011 1.0 Elaboração

Leia mais

Especificações de Casos de Uso UC04 Cadastro de Funcionários

Especificações de Casos de Uso UC04 Cadastro de Funcionários Especificações de Casos de Uso UC04 Cadastro de Funcionários Sistema Gerenciador de Locadora Documento de Caso de Uso UC04 Versão 1.1 Responsável: Gustavo Teles UC04 Cadastro de Funcionários Página 1 de

Leia mais

Concepção e Elaboração

Concepção e Elaboração UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA INSTITUTO DE BIOCIÊNCIAS, LETRAS E CIÊNCIAS EXATAS DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS DE COMPUTAÇÃO E ESTATÍSTICA Análise e Projeto Orientado a Objetos Concepção e Elaboração Estudo

Leia mais

Smart Laudos 1.9. A Forma Inteligente de Criar seus Laudos Médicos. Manual do Usuário

Smart Laudos 1.9. A Forma Inteligente de Criar seus Laudos Médicos. Manual do Usuário Smart Laudos 1.9 A Forma Inteligente de Criar seus Laudos Médicos Manual do Usuário Conteúdo 1. O que é o Smart Laudos?... 3 2. Características... 3 3. Instalação... 3 4. Menu do Sistema... 4 5. Configurando

Leia mais

Processo de Engenharia de Software II

Processo de Engenharia de Software II UNIOESTE Universidade Estadual do Oeste do Paraná CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLÓGICAS Colegiado de Ciência da Computação Curso de Bacharelado em Ciência da Computação Processo de Engenharia de Software

Leia mais

Gerenciador Financeiro CITi. Gerenciador Financeiro CITi

Gerenciador Financeiro CITi. Gerenciador Financeiro CITi (Sistema de Gerenciamento Financeiro) Especificação dos Requisitos do Software Gerenciador Financeiro CITi Versão 1.0 Autores: Bruno Medeiros de Oliveira Igor Rafael Medeiros Pedro Araújo de Melo Tiago

Leia mais

Departamento de Tecnologia da Informação DTI Coordenadoria de Relacionamento com o Cliente CRC. Treinamento Básico do Correio Eletrônico

Departamento de Tecnologia da Informação DTI Coordenadoria de Relacionamento com o Cliente CRC. Treinamento Básico do Correio Eletrônico Departamento de Tecnologia da Informação DTI Coordenadoria de Relacionamento com o Cliente CRC Treinamento Básico do Correio Eletrônico Brasília Março de 2012 SUMÁRIO 1. Introdução... 3 1.1 Como acessar

Leia mais

Manual do usuário. Softcall Java. versão 1.0.5

Manual do usuário. Softcall Java. versão 1.0.5 Manual do usuário Softcall Java versão 1.0.5 Sumário Iniciando SoftCall...3 Tela Principal...3 Configurando o SoftCall...4 Agenda...5 Incluindo um contato...5 Procurando um contato...6 Apagando um contato...6

Leia mais

MANUAL - BIKESYS. Versão 1.0 Beta. Março 2013

MANUAL - BIKESYS. Versão 1.0 Beta. Março 2013 MANUAL - BIKESYS Versão 1.0 Beta Março 2013 Acesso ao sistema O acesso ao sistema é bem simples, basta inserir o seu usuário e senha, previamente cadastrados na aplicação para ter acesso as funcionalidades

Leia mais

SisLegis Sistema de Cadastro e Controle de Leis

SisLegis Sistema de Cadastro e Controle de Leis Sistema de Cadastro e Controle de Leis Desenvolvido por Fábrica de Software Coordenação de Tecnologia da Informação Pág 1/22 Módulo: 1 Responsável: Desenvolvimento Ti Data: 01/11/2012 Versão: 1.0 Empresa:

Leia mais

Codificar Sistemas Tecnológicos

Codificar Sistemas Tecnológicos Codificar Sistemas Tecnológicos Especificação dos Requisitos do Software Sistema de gestão para a Empresa Cliente SlimSys Autor: Equipe Codificar Belo Horizonte MG Especificação dos Requisitos do Software

Leia mais

Modelos de Sistemas Casos de Uso

Modelos de Sistemas Casos de Uso Modelos de Sistemas Casos de Uso Auxiliadora Freire Fonte: Engenharia de Software 8º Edição / Ian Sommerville 2000 Slide 1 Casos de Uso Objetivos Principais dos Casos de Uso: Delimitação do contexto de

Leia mais

Manual NOV - PDV. Versão 1.0

Manual NOV - PDV. Versão 1.0 Manual NOV - PDV Versão 1.0 Sumário 01 Captura de Nota Fiscal...3 02 Remessa de Entrada...6 03 Remessa de Saída......9 04 Pedido Normal...12 05 Pedido Especial...16 06 Nota Fiscal Avulsa...18 07 Controle

Leia mais

Malote Digital. Manual do usuário

Malote Digital. Manual do usuário Malote Digital Manual do usuário Brasília, Novembro de 2014 HISTÓRICO DE REVISÃO Data Versão Descrição Autor 03/10/2011 1.4.1 Elaboração do Documento Rodrigo Antunes 01/07/2013 1.8.0.0 Atualização do Documento

Leia mais

Especificação de Caso de Uso

Especificação de Caso de Uso Versão: 1.1 Especificação de Caso de Uso UCCITES015 Versão: 1.1 Histórico da Revisão Data Versão Descrição Autor 27/08/2008 0.1 Criação do documento. Ana Ornelas 02/09/2008 0.2 Atualização de alguns termos

Leia mais

Usar Atalhos para a Rede. Logar na Rede

Usar Atalhos para a Rede. Logar na Rede GUIA DO USUÁRIO: NOVELL CLIENT PARA WINDOWS* 95* E WINDOWS NT* Usar Atalhos para a Rede USAR O ÍCONE DA NOVELL NA BANDEJA DE SISTEMA Você pode acessar vários recursos do software Novell Client clicando

Leia mais

DOCUMENTO DE REQUISITOS

DOCUMENTO DE REQUISITOS 1/38 DOCUMENTO DE REQUISITOS GED Gerenciamento Eletrônico de Documentos Versão 1.1 Identificação do Projeto CLIENTE: NOME DO CLIENTE TIPO DO SISTEMA OU PROJETO Participantes Função Email Abilio Patrocinador

Leia mais

Documento de Requisitos Sistema WEB GEDAI

Documento de Requisitos Sistema WEB GEDAI Universidade Federal de São Carlos Centro de Ciências Exatas e de Tecnologia Departamento de Computação GEDAI-Grupo de Estudo e Desenvolvimento em Automação Industrial Documento de Requisitos Sistema WEB

Leia mais

Modelagem e Implementação (Incremental de um Software para Controle) de Aquário de Peixes

Modelagem e Implementação (Incremental de um Software para Controle) de Aquário de Peixes Modelagem e Implementação de Aquário de Peixes- por Jorge Fernandes - Página 1 Modelagem e Implementação (Incremental de um Software para Controle) de Aquário de Peixes Jorge Fernandes Natal, Agosto de

Leia mais

Sistema de Controle. Como entrar no sistema. Tela inicial. Funcionalidades do sistema. Controle de permissões. Menu Aplicativo

Sistema de Controle. Como entrar no sistema. Tela inicial. Funcionalidades do sistema. Controle de permissões. Menu Aplicativo Sistema de Controle Logístico de Medicamentos Como entrar no sistema 1 Tela inicial Funcionalidades do sistema Controle de permissões Menu Aplicativo Gerenciador de relatórios 0800 61 2439 siclom@aids.gov.br

Leia mais

Ricardo Roberto de Lima UNIPÊ 2008.1 APS-I. Históricos e Modelagem Orientada a Objetos

Ricardo Roberto de Lima UNIPÊ 2008.1 APS-I. Históricos e Modelagem Orientada a Objetos Históricos e Modelagem Orientada a Objetos Histórico Diversas metodologias e métodos surgiram para apoiar OO. Evolução a partir de linguagens C++ e SmallTalk. Anos 80 Anos 80-90: diversidade de autores.

Leia mais

UC05 Manter Páginas. Diplomata CADASTRO. Versão 1.0

UC05 Manter Páginas. Diplomata CADASTRO. Versão 1.0 UC05 Manter Páginas Versão.0 Página / 0 HISTÓRICO DE REVISÕES Data Versão Descrição Autor.0 Criação do documento. Eduardo Gomes de Souza Página 3 / 0 SUMÁRIO. FINALIDADE... 4. REFERÊNCIAS... 4 3. GLOSSÁRIO...

Leia mais

MANUAL DE UTILIZAÇÃO - VISÃO DE EMPRESAS. Todos os direitos reservados à Softbox

MANUAL DE UTILIZAÇÃO - VISÃO DE EMPRESAS. Todos os direitos reservados à Softbox MANUAL DE UTILIZAÇÃO - VISÃO DE EMPRESAS 2012 Todos os direitos reservados à Softbox 1101001112211110000212451 Seja bem vindo! Você está recebendo o MANUAL DE UTILIZAÇÃO VISÃO DE EMPRESAS. Este manual

Leia mais

CERTIDÕES UNIFICADAS

CERTIDÕES UNIFICADAS CERTIDÕES UNIFICADAS Manual de operação Perfil Cartório CERTUNI Versão 1.0.0 MINISTÉRIO DA JUSTIÇA Departamento de Inovação Tecnológica Divisão de Tecnologia da Informação Sumário LISTA DE FIGURAS... 2

Leia mais

João Filho Borges Leite

João Filho Borges Leite João Filho Borges Leite DESENVOLVIMENTO DE UM SISTEMA WEB DE GERENCIAMENTO PARA AS DISCIPLINAS DE MODELAGEM E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Palmas 2006 i João Filho Borges Leite DESENVOLVIMENTO

Leia mais

Manual. ID REP Config Versão 1.0

Manual. ID REP Config Versão 1.0 Manual ID REP Config Versão 1.0 Sumário 1. Introdução... 3 2. Pré-Requisitos... 3 3. Instalação do ID REP Config... 4 4. Visão Geral do Programa... 8 4.1. Tela Principal... 8 4.2. Tela de Pesquisa... 12

Leia mais

Documento de Casos de Uso. MC436 Introdução à Engenharia de Software Profª Ariadne Maria Brito Rizzoni Carvalho

Documento de Casos de Uso. MC436 Introdução à Engenharia de Software Profª Ariadne Maria Brito Rizzoni Carvalho Documento de Casos de Uso MC436 Introdução à Engenharia de Software Profª Ariadne Maria Brito Rizzoni Carvalho 1. Índice 2. Introdução 3 3. Descrição dos atores 3 4. Diagrama de caso de uso 4 5. 5.1 5.2

Leia mais

inux Sistemas Ltda. MANUAL DO USUÁRIO www.inux.com.br

inux Sistemas Ltda. MANUAL DO USUÁRIO www.inux.com.br 2013 inux Sistemas Ltda. s MANUAL DO USUÁRIO www.inux.com.br Sumário 1 Introdução... 2 2 Visão Geral do Sistema... 2 3 Tela de Configuração... 3 4 Tela de Mensagens... 5 5 Tela de Importação... 8 6 Tela

Leia mais

1. INTRODUÇÃO. 1.1. Sobre a Organização. 1.2. O Problema Identificado

1. INTRODUÇÃO. 1.1. Sobre a Organização. 1.2. O Problema Identificado HISTÓRICO DE REVISÕES Revisão Data Descrição Autor (Login) 01 04/11 Levantamento dos requisitos Jcblc 02 06/11 Reunião para Estruturação do documento de Requisitos bpn, Jcblc 03 10/11 Elaboração do capítulo

Leia mais

Easytrade Admin Client

Easytrade Admin Client Easytrade Admin Client Manual de instalação e utilização Sumário 1.0 Instalação...3 1.1 Download e instalação do Java JRE...3 1.2 - Download e instalação do Easytrade Client...3 1.3 Criar atalho na area

Leia mais

Manual Do Usuário ClinicaBR

Manual Do Usuário ClinicaBR Manual Do Usuário ClinicaBR SUMÁRIO 1 Introdução... 01 2 ClinicaBR... 01 3 Como se cadastrar... 01 4 Versão experimental... 02 5 Requisitos mínimos p/ utilização... 03 6 Perfis de acesso... 03 6.1 Usuário

Leia mais

Circulação de Materiais

Circulação de Materiais Manual Pergamum Manual PER-MAN-001 Empréstimo Sumário 1 APRESENTAÇÃO...2 2 UTILIZANDO O MÓDULO DE CIRCULAÇÃO DE MATERIAIS...4 1.1 1.2 1.3 CADASTRANDO UM NOVO USUÁRIO/OPERADOR...4 ACESSANDO O SISTEMA...6

Leia mais

SISTEMA DE GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS

SISTEMA DE GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS SISTEMA DE GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS MANUAL DE PROCEDIMENTOS V PORTAL WEB Revisão: 07 Versão: 7.9.109 JM Soft Informática Março, 2015 SUMÁRIO 1 AVALIAÇÕES... 9 2 PLANO DE DESENVOLVIMENTO INDIVIDUAL...

Leia mais

Ferramenta: Spider-CL. Manual do Usuário. Versão da Ferramenta: 1.1. www.ufpa.br/spider

Ferramenta: Spider-CL. Manual do Usuário. Versão da Ferramenta: 1.1. www.ufpa.br/spider Ferramenta: Spider-CL Manual do Usuário Versão da Ferramenta: 1.1 www.ufpa.br/spider Histórico de Revisões Data Versão Descrição Autor 14/07/2009 1.0 15/07/2009 1.1 16/07/2009 1.2 20/05/2010 1.3 Preenchimento

Leia mais

Manual de usuário MaxDialer Versão 1.0.2

Manual de usuário MaxDialer Versão 1.0.2 Manual de usuário MaxDialer Versão 1.0.2 1 Sumário 1. Introdução... 3 2. LOGIN... 3 3. Cadastro... 3 3.1. Máquinas... 4 3.2. Tipo Telefone... 5 3.3. Feriados... 6 3.4. Campanhas... 7 3.5. Usuários... 16

Leia mais

2 Diagrama de Caso de Uso

2 Diagrama de Caso de Uso Unified Modeling Language (UML) Universidade Federal do Maranhão UFMA Pós Graduação de Engenharia de Eletricidade Grupo de Computação Assunto: Diagrama de Caso de Uso (Use Case) Autoria:Aristófanes Corrêa

Leia mais

Documento de Requisitos Projeto SisVendas Sistema de Controle de Vendas para Loja de Informática.

Documento de Requisitos Projeto SisVendas Sistema de Controle de Vendas para Loja de Informática. Documento de Requisitos Projeto SisVendas Sistema de Controle de Vendas para Loja de Informática. 1 Introdução 1.1 Propósito O propósito deste documento de especificação de requisitos é definir os requisitos

Leia mais

Introdução. Nesta guia você aprenderá:

Introdução. Nesta guia você aprenderá: 1 Introdução A criação de uma lista é a primeira coisa que devemos saber no emailmanager. Portanto, esta guia tem por objetivo disponibilizar as principais informações sobre o gerenciamento de contatos.

Leia mais

4 O Workflow e a Máquina de Regras

4 O Workflow e a Máquina de Regras 4 O Workflow e a Máquina de Regras O objetivo do workflow e da máquina de regras é definir um conjunto de passos e regras configuráveis. Ao longo de sua execução, um usuário consegue simplificar o seu

Leia mais

Trabalho de Engenharia de Software

Trabalho de Engenharia de Software Trabalho de Engenharia de Software Jonathan de Carvalho Luz Diretor Executivo 19/10/2009 Especificação de Requisitos do Software Contextualização Em entrevista com o cliente nós pudemos levantar a eminente

Leia mais

INTRODUÇÃO 2 ACESSO AO SIGTECWEB 3 TEMPO DE CONEXÃO 5 NAVEGAÇÃO 7 BARRA DE AÇÕES 7 COMPORTAMENTO DOS BOTÕES 7 FILTROS PARA PESQUISA 8

INTRODUÇÃO 2 ACESSO AO SIGTECWEB 3 TEMPO DE CONEXÃO 5 NAVEGAÇÃO 7 BARRA DE AÇÕES 7 COMPORTAMENTO DOS BOTÕES 7 FILTROS PARA PESQUISA 8 ÍNDICE INTRODUÇÃO 2 ACESSO AO SIGTECWEB 3 TEMPO DE CONEXÃO 5 NAVEGAÇÃO 7 BARRA DE AÇÕES 7 COMPORTAMENTO DOS BOTÕES 7 FILTROS PARA PESQUISA 8 ACESSO ÀS FERRAMENTAS 9 FUNÇÕES 12 MENSAGENS 14 CAMPOS OBRIGATÓRIOS

Leia mais

Modelagem do Sistema EMD Vanice Pinheiro do Amaral Silva, Alberto da Silva Lobo

Modelagem do Sistema EMD Vanice Pinheiro do Amaral Silva, Alberto da Silva Lobo Modelagem do Sistema EMD Vanice Pinheiro do Amaral Silva, Alberto da Silva Lobo NTI Núcleo de Tecnologia e Informação Fundação Unirg 1. Introdução A utilização da informática surgiu como uma ferramenta

Leia mais

Os itens adicionados nesta lista serão retirados do estoque até que você os devolva.

Os itens adicionados nesta lista serão retirados do estoque até que você os devolva. Funções do Rackine. Será abordado aqui de forma simples e abreviada, as principais funções de cada tela do Rackine. Focando apenas em descrever o que cada parte do software faz. Para informações relativas

Leia mais

Modelagem de Casos de Uso (Parte 1)

Modelagem de Casos de Uso (Parte 1) Modelagem de Casos de Uso (Parte 1) Roteiro Introdução Descrição: Sistema de Ponto de Vendas Casos de Usos Atores Fluxo de Eventos Cenários Formato de Documentação de Casos de Uso Diagramas de Casos de

Leia mais

A Linguagem de Modelagem Unificada (UML)

A Linguagem de Modelagem Unificada (UML) Aécio Costa A Linguagem de Modelagem Unificada (UML) Percebeu-se a necessidade de um padrão para a modelagem de sistemas, que fosse aceito e utilizado amplamente. Surge a UML (Unified Modeling Language)

Leia mais

DESCRIÇÃO DO CASO DE USO

DESCRIÇÃO DO CASO DE USO Z:\Projetos\Wilson_Sons\Intranet\Análise\Casos de Uso\Fase_2 Página: i de 9 DESCRIÇÃO DO CASO DE USO Wilson, Sons - Intranet _05_Manter Ouvidoria Versão Identificação do Projeto Cliente Wilson Sons

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO ESCOLA DE ENGENHARIA DEPARTAMENTO DE ELETRÔNICA. Sistema de Gerenciamento Eletrônico de Documentos

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO ESCOLA DE ENGENHARIA DEPARTAMENTO DE ELETRÔNICA. Sistema de Gerenciamento Eletrônico de Documentos UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO ESCOLA DE ENGENHARIA DEPARTAMENTO DE ELETRÔNICA Sistema de Gerenciamento Eletrônico de Documentos Autor: Evandro Bastos Tavares Orientador: Antônio Claudio Gomez

Leia mais

Especificação de Requisitos Sistema de Gerenciamento Para Escritórios de Advocacia

Especificação de Requisitos Sistema de Gerenciamento Para Escritórios de Advocacia UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO CENTRO DE INFORMÁTICA Ciência da Computação, Engenharia da Computação e Pós-Graduação Especificação de Requisitos Sistema de Gerenciamento Para Escritórios de Advocacia

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE IVY MARTINS SALLES SATCAR: SISTEMA DE GERÊNCIA DE UMA EMPRESA DE RASTREAMENTO VEICULAR

UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE IVY MARTINS SALLES SATCAR: SISTEMA DE GERÊNCIA DE UMA EMPRESA DE RASTREAMENTO VEICULAR UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE IVY MARTINS SALLES SATCAR: SISTEMA DE GERÊNCIA DE UMA EMPRESA DE RASTREAMENTO VEICULAR NITERÓI 2010 IVY MARTINS SALLES SATCAR: SISTEMA DE GERÊNCIA DE UMA EMPRESA DE RASTREAMENTO

Leia mais

Engenharia Requisitos Estudo de caso

Engenharia Requisitos Estudo de caso Engenharia Requisitos Estudo de caso Auxiliadora Freire Fonte: Engenharia de Software 8º Edição / Ian Sommerville 2000 Slide 1 Sistema de Matricula Auxiliadora Freire Fonte: Engenharia de Software 8º Edição

Leia mais

Versão <1.0> Documento de Requisitos. Documento de Requisitos. Equipe:

Versão <1.0> Documento de Requisitos. Documento de Requisitos. Equipe: Versão Documento de Requisitos Documento de Requisitos Equipe: Bruno Harada (bhhc) Edilson Augusto Junior (easj) José Ivson Soares da Silva (jiss) Pedro Rodolfo da Silva Gonçalves (prsg) Raphael

Leia mais

UTILIZANDO ICONIX NO DESENVOLVIMENTO DE APLICAÇÕES DELPHI

UTILIZANDO ICONIX NO DESENVOLVIMENTO DE APLICAÇÕES DELPHI UTILIZANDO ICONIX NO DESENVOLVIMENTO DE APLICAÇÕES DELPHI Dr. George SILVA; Dr. Gilbert SILVA; Gabriel GUIMARÃES; Rodrigo MEDEIROS; Tiago ROSSINI; Centro Federal de Educação Tecnológica do Rio Grande do

Leia mais

MANUAL DE UTILIZAÇÃO Aplicativo Controle de Estoque Mobile

MANUAL DE UTILIZAÇÃO Aplicativo Controle de Estoque Mobile MANUAL DE UTILIZAÇÃO Aplicativo Controle de Estoque Mobile 1 1 INICIANDO O APLICATIVO PELA PRIMEIRA VEZ... 3 2 PÁGINA PRINCIPAL DO APLICATIVO... 4 2.1 INTERFACE INICIAL... 4 2.2 DISPOSITIVO NÃO REGISTRADO...

Leia mais

Engenharia de Software III

Engenharia de Software III Engenharia de Software III Casos de uso http://dl.dropbox.com/u/3025380/es3/aula6.pdf (flavio.ceci@unisul.br) 09/09/2010 O que são casos de uso? Um caso de uso procura documentar as ações necessárias,

Leia mais

Manual Controle de Estoque

Manual Controle de Estoque 2014 Manual Controle de Estoque ICS Sistemas de Gestão em Saúde ICS 01/01/2014 Sumário Manual de Utilização... 3 1 - Cadastro... 3 1.1 Cadastro de Fornecedores... 4 1.2 Grupo de Materiais... 6 1.3 Unidades

Leia mais

SUMÁRIO Acesso ao sistema... 2 Atendente... 3

SUMÁRIO Acesso ao sistema... 2 Atendente... 3 SUMÁRIO Acesso ao sistema... 2 1. Login no sistema... 2 Atendente... 3 1. Abrindo uma nova Solicitação... 3 1. Consultando Solicitações... 5 2. Fazendo uma Consulta Avançada... 6 3. Alterando dados da

Leia mais

Especificação de Caso de Uso

Especificação de Caso de Uso Versão: 1.1 Especificação de Caso de Uso UCCITES03 Versão: 1.1 Histórico da Revisão Data Versão Descrição Autor 06/10/2008 0.1 Criação do documento. Soraya Silva 08/10/2008 0.2 Ajuste na formatação do

Leia mais

Usuários. Manual. Pergamum

Usuários. Manual. Pergamum Usuários Manual Pergamum Sumário 1 APRESENTAÇÃO... 1-2 2 CADASTRANDO UM NOVO USUÁRIO/OPERADOR... 2-1 3 UTILIZANDO O MÓDULO DE USUÁRIOS... 3-2 3.1 CONFIGURAÇÃO DE GUIAS NO EXPLORER... 3-3 4 CADASTRO...

Leia mais

Sistematic Tecnologia e Sistemas de Informação LTDA

Sistematic Tecnologia e Sistemas de Informação LTDA Manual do Usuário SisCommercePDV NFC-e Sistematic Tecnologia e Sistemas de Informação LTDA MANUAL DO USUÁRIO SisCommercePDV Emissor de Nota Fiscal do Consumidor Eletrônica (NFC-e) *Manual em desenvolvimento

Leia mais

Modelagem de Requisitos com Casos de Uso. Descrever em detalhe a técnica de Modelagem com Use Cases

Modelagem de Requisitos com Casos de Uso. Descrever em detalhe a técnica de Modelagem com Use Cases Engenharia de Software Modelagem de Requisitos com Casos de Uso 1 Objetivos Descrever em detalhe a técnica de Modelagem com Use Cases 2 1 Use Case É uma forma específica de uso do sistema através da execução

Leia mais