EXECUÇÃO DO REVESTIMENTO ARGAMASSA DE FACHADA DE P R O M O Ç Ã O

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "EXECUÇÃO DO REVESTIMENTO ARGAMASSA DE FACHADA DE P R O M O Ç Ã O"

Transcrição

1 EXECUÇÃO DO REVESTIMENTO DE FACHADA DE ARGAMASSA P R O M O Ç Ã O

2 Início dos Serviços Alvenarias concluídas há 30 dias e fixadas internamente há 15 dias Estrutura concluída há 120 dias Contra marcos chumbados Instalações embutidas nas alvenarias de fachada concluídas Passantes de exaustão e coifas instalados Recomendável que contrapisos e revestimentos verticais internos estejam concluídos

3 Início dos Serviços Projeto de produção disponível Estrutura, alvenarias e esquadrias formalmente liberados Argamassa de revestimento definida Central de produção (se for o caso) implantada Argamassa para fixação e rejuntamento da placa cerâmica definida Placa cerâmica definida Selante definido

4 Início dos Serviços Platibanda não liberada

5 Início dos Serviços Falta de contramarcos

6 Início dos Serviços Problemas com a geometria

7 Início dos Serviços Falta de impermeabilização

8 Mão-de-Obra Treinamento da mão-de-obra conforme NR 18 EPI de uso Permanente Corda Cinto de segurança Trava quedas Capacete Uniforme Luva

9 Mão-de-Obra Treinamento da mão-de-obra conforme NR 18 EPI de uso Eventual Óculos de proteção Protetor auricular Capa de chuva Máscara

10 Montagem de Balancim Executar a montagem do balancim e andaime de acordo com NR 18 Projeto de locação e fixação pronto Fixar armadura de sustentação e cavalete Cabos de aço independentes Distância entre catracas e balanço máximo Rodapé, guarda corpo e tela Identificação do limite da carga

11 Montagem de Balancim Requisitos mínimos para a montagem do balancim de acordo com NR 18 Projeto deve ser elaborado por profissional legalmente habilitado Guarda corpo com 1,20m Rodapé de 0,20m Distância entre catracas máximo de 2,00m Comprimento máximo de 8,00m Carga pontual de 200kgf em qualquer ponto

12 Montagem de Balancim Forma correta de fixar os clips no cabo de aço Fixação dos Grampos (Clips) aos Cabos de aço

13 Montagem de Balancim Planta de identificação dos Balancim

14 Montagem de Balancim Instalação das Vigas do Balancim

15 Montagem de Balancim Alternativas para fixação das vigas dos Balancim

16 Montagem de Balancim Alternativas para fixação das vigas dos Balancim

17 Montagem de Balancim Alternativas para fixação das vigas dos Balancim

18 Montagem de Balancim Balancim

19 Montagem de Balancim Balancim

20 Montagem de Balancim Emendas no estrado do Balancim

21 Montagem de Balancim Rodapé e trecho em balanço do Balancim

22 Montagem de Balancim Proteção contra o desgaste da corda de segurança

23 Montagem de Balancim Montagem de dois Balancins na mesma vertical

24 Montagem de Balancim Balancim

25 Montagem de Balancim

26 Balancim 1 subida e 1 descida 2 subidas e 2 descidas

27 Preparo da base 1ª subida do balancim Preparo da base Remoção de sujeiras da base: desmoldante, óleos, materiais pulverulentos, madeiras, etc. Escovação com lixadeira Escovação com fios de aço

28 Preparo da base 1ª subida do balancim Preparo da base Remoção de irregularidades: rebarbas de concretagem, excessos de argamassa, pregos, arames Se não for possível remover as irregularidades metálicas, utilizar tinta anticorrosiva

29 Preparo da base 1ª subida do balancim Preparo da base Prenchimento de furos: rasgos, depressões localizadas, bicheiras. Executar a fixação da alvenaria pelo lado externo

30 Preparo da base 1ª subida do balancim Preparo da base

31 Preparo da base 1ª subida do balancim Preparo da base

32 Arames Locação de arames 10 cm 10 a 15 cm 150 a 200 cm Linha de alinhamento dos arames Arames montantes Arames de canto

33 Preparo da base 1ª descida do balancim Lavagem Lavagem da fachada com jato de pressão ou mangueira de água

34 1ª descida do balancim Arames Mapeamento da fachada Pontos de leitura à meia altura Pontos de leitura sobre vigas Plano de revestimento Arame Talisca Base para revestimento

35 1ª descida do balancim Arames Mapeamento da fachada

36 1ª descida do balancim Arames Mapeamento da fachada As medidas deverão ser compiladas em forma de planilhas para serem analisadas. A espessura mínima é de 25 mm com mínimos da tabela para pontos específicos Estrutura de concreto ptos localizados 10 mm Vigas e pilares em regiões extensas Alvenaria em regiões externas Alvenaria em pontos localizados 15 mm 20 mm 15 mm

37 Reprojeto Definição da espessura real do revestimento para o taliscamento.

38 Preparo da base 2ª subida do balancim Preparo da base

39 Preparo da base 2ª subida do balancim Preparo da base Chapiscamento: tradicional

40 Preparo da base 2ª subida do balancim Preparo da base Chapiscamento: industrializado

41 Preparo da base 2ª subida do balancim Preparo da base Chapiscamento: rolado

42 Taliscamento 2ª subida do balancim Taliscamento As taliscas devem ser fixadas com a mesma argamassa do revestimento. Na vertical, duas por andar e na horizontal, as taliscas devem acompanhar os arames.

43 Taliscamento 2ª subida do balancim Fixação de telas Reforço da argamassa Na interface alvenaria estrutura, em posições definidas em projeto, são efetuados reforços para assegurar o não afloramento de fissuras. São duas as possibilidades:

44 Fixação de telas Reforço da argamassa Argamassa armada: espessura mínima de 3 cm com a tela centralizada em relação à espessura. 30 a 50 cm Mínimo 3cm Tela metálica galvanizada 30 a 50 cm Mínimo 2cm Tela metálica galvanizada Fita de polietileno Fixação Ponte de transmissão: espessura mínima de 2 cm. Fixa-se tela de polietileno na interface alvenaria/estrutura. Após fixa-se a tela metálica pelas bordas.

45 Fixação de telas 2ª subida do balancim Nas posições definidas em projeto executar a fixação da tela de reforço com utilização de pistola finca pinos Fixação de telas

46 Fixação de telas Reforço da argamassa

47 Fixação de telas Reforço da argamassa

48 2ª descida do balancim Aplicação Aplicação da Argamassa Abastecer os balancins com argamassa de maneira que o tempo útil de utilização não ultrapasse 2 horas. Executar mestras com 15 cm de largura Em caso de revestimento com espessura maior que 3 cm executar uma primeira camada preparando a base para uma outra camada de revestimento Nos trechos delimitados pelas mestras deve ser feita compressão com colher de pedreiro.

49 2ª descida do balancim Aplicação Aplicação da Argamassa Aplicação manual

50 2ª descida do balancim Aplicação Aplicação da Argamassa Aplicação projetada

51 2ª descida do balancim Aplicação Aplicação da Argamassa Aplicação reboquejet

52 Acabamento 2ª descida do balancim Sarrafeamento Acabamento O ponto ideal para início do sarrafeamento é quando os dedos não penetram na camada, permanecendo limpos, porém deformando levemente a superfície.

53 2ª descida do balancim Acabamento Desempenamento Acabamento Obtido pela movimentação de desempenadeira de madeira em movimentos circulares.

54 Acabamento Desempenamento - Grosso: para revestimentos decorativos com mais de 5 mm de espessura, como cerâmicas. Utiliza apenas desempenadeira de madeira. - Fino: para revestimentos texturados e pintura acrílica em mais de duas demãos. Utiliza também apenas desempenadeira de madeira, mas o número de movimentos circulares é maior. - Camurçado: acabamento final para recebimento de pintura com tintas minerais, latex PVA ou acrílico. Obtido através de esponja ou desempenadeira com espuma.

55 2ª descida do balancim Detalhes Detalhes Construtivos Quinas e Cantos Utilizar desempenadeira adequada, com lâmina dobrada no ângulo entre as fachadas. Os lados adjacentes devem ser executados sequencialmente.

56 2ª descida do balancim Detalhes Detalhes Construtivos Juntas de trabalho

57 2ª descida do balancim Detalhes Juntas de trabalho Detalhes Construtivos

58 2ª descida do balancim Detalhes Juntas de trabalho Detalhes Construtivos

59 2ª descida do balancim Detalhes Detalhes Construtivos Juntas de trabalho A profundidade da junta é ¾ da espessura do revestimento com largura de 1,5 a 2 cm. As juntas do revestimento devem acompanhar as juntas estruturais.

60 2ª descida do balancim Detalhes Detalhes Construtivos Junta e pingadeira

61 3ª descida do balancim Cerâmica Preparo da Argamassa Colante Ferramentas necessárias

62 Cerâmica Preparo da Argamassa Colante

63 3ª descida do balancim Cerâmica Preparo da Argamassa Colante Mistura após 10 minutos

64 3ª descida do balancim Cerâmica Limpeza da Base Limpeza da base para remoção de partículas soltas

65 3ª descida do balancim Cerâmica Aplicação da Argamassa Colante

66 3ª descida do balancim Cerâmica Aplicação da Argamassa Colante

67 3ª descida do balancim Cerâmica Aplicação da Argamassa Colante

68 Limpeza da peça Cerâmica Cerâmica Remoção do engobe do tardoz da cerâmica

69 Dupla Colagem Cerâmica Dupla colagem e preenchimento do tardoz rabo de andorinha

70 3ª descida do balancim Cerâmica Aplicação da Cerâmica

71 Cerâmica Aplicação da Cerâmica Deslocamento da peça cerâmica perpendicular ao sentido dos cordões para um total esmagamento dos mesmos e preenchimento do tardoz

72 3ª descida do balancim Cerâmica Detalhe da Junta de Movimentação O projeto de paginação permite um posicionamento perfeito da junta de movimentação

73 4ª descida do balancim Cerâmica Rejuntamento

74 4ª descida do balancim Cerâmica Tratamento da Junta de Movimentação Quando não há projeto de paginação, a junta pode ser cortada posteriormente NÃO é indicado

75 4ª descida do balancim Cerâmica Tratamento da Junta de Movimentação Após o corte retiramos argamassa da junta

76 4ª descida do balancim Cerâmica Tratamento da Junta de Movimentação Junta limpa e aguardo o tratamento adequado

77 4ª descida do balancim Cerâmica Tratamento da Junta de Movimentação Colocação do limitador de profundidade na junta

78 4ª descida do balancim Cerâmica Tratamento da Junta de Movimentação Limpeza da superfície da cerâmica

79 4ª descida do balancim Cerâmica Tratamento da Junta de Movimentação Colocação da fita adesiva para não sujar a cerâmica

80 4ª descida do balancim Cerâmica Tratamento da Junta de Movimentação Aplicação do mastique

81 4ª descida do balancim Cerâmica Tratamento da Junta de Movimentação Aplicação do acabamento no mastique

82 Cerâmica 4ª descida do balancim Tratamento da Junta de Movimentação Base Argamassa de regularização Argamassa colante Selante Limitador de profundidade Peça cerâmica

REVESTIMENTO DEFACHADA. Prof. MSc. Eng. Eduardo Henrique da Cunha Engenharia Civil 7º Período Turma A01 Disc. Construção Civil I

REVESTIMENTO DEFACHADA. Prof. MSc. Eng. Eduardo Henrique da Cunha Engenharia Civil 7º Período Turma A01 Disc. Construção Civil I REVESTIMENTO DEFACHADA Prof. MSc. Eng. Eduardo Henrique da Cunha Engenharia Civil 7º Período Turma A01 Disc. Construção Civil I FUNÇÕES DO REVESTIMENTO DE FACHADA Estanqueida de Estética CONDIÇÕES DE INÍCIO

Leia mais

Revestimento de fachadas: aspectos executivos

Revestimento de fachadas: aspectos executivos UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA Setembro, 2009 Revestimento de fachadas: aspectos executivos Eng.º Antônio Freitas da Silva Filho Engenheiro Civil pela UFBA Julho de 1982; Engenheiro da Concreta Tecnologia

Leia mais

Principais funções de um revestimento de fachada: Estanqueidade Estética

Principais funções de um revestimento de fachada: Estanqueidade Estética REVESTIMENTO DE FACHADA Principais funções de um revestimento de fachada: Estanqueidade Estética Documentos de referência para a execução do serviço: Projeto arquitetônico Projeto de esquadrias NR 18 20

Leia mais

ALVENARIA EXECUÇÃO. Prof. MSc. Eng. Eduardo Henrique da Cunha Engenharia Civil 7º Período Turma A01 Disc. Construção Civil I

ALVENARIA EXECUÇÃO. Prof. MSc. Eng. Eduardo Henrique da Cunha Engenharia Civil 7º Período Turma A01 Disc. Construção Civil I ALVENARIA EXECUÇÃO Prof. MSc. Eng. Eduardo Henrique da Cunha Engenharia Civil 7º Período Turma A01 Disc. Construção Civil I ALVENARIA CONDIÇÕES DE INÍCIO Vigas baldrames impermeabilizadas e niveladas,

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ CONSTRUÇÃO CIVIL II

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ CONSTRUÇÃO CIVIL II REVEST. EM Ministério ARGAMASSA da Educação e GESSO Universidade Federal do Paraná Setor de Tecnologia Construção Civil II ( TC-025) EXECUÇÃO EM ARGAMASSAS E GESSO Chapisco; Emboço; Reboco; Pintura. Etapas

Leia mais

LUIZA. Execução do Revestimento de Fachada de Argamassa. Santos / SP. Universidade Santa Cecília Santos / SP. Universidade Santa Cecília Santos / SP

LUIZA. Execução do Revestimento de Fachada de Argamassa. Santos / SP. Universidade Santa Cecília Santos / SP. Universidade Santa Cecília Santos / SP Execução do Revestimento de Fachada de Argamassa Aluno(s): Lucio Vinicius Andrade Carlini Luiza Pautz Aguiar Professor : Damin Santos / SP LUIZA 1 Revestimento Função Proteger os elementos da vedação e

Leia mais

RECOMENDAÇÕES PARA A EXECUÇÃO DE REVESTIMENTOS DE ARGAMASSA PARA PAREDES DE VEDAÇÃO INTERNAS E EXTERIORES E TETOS

RECOMENDAÇÕES PARA A EXECUÇÃO DE REVESTIMENTOS DE ARGAMASSA PARA PAREDES DE VEDAÇÃO INTERNAS E EXTERIORES E TETOS RECOMENDAÇÕES PARA A EXECUÇÃO DE REVESTIMENTOS DE ARGAMASSA PARA PAREDES DE VEDAÇÃO INTERNAS E EXTERIORES E TETOS Luciana Leone Maciel Mércia M. S. Bottura Barros Fernando Henrique Sabbatini São Paulo,

Leia mais

PROCEDIMENTOS PARA EXECUÇÃO DE REVESTIMENTO INTERNO COM PROGESSO PROJETÁVEL

PROCEDIMENTOS PARA EXECUÇÃO DE REVESTIMENTO INTERNO COM PROGESSO PROJETÁVEL PROCEDIMENTOS PARA EXECUÇÃO DE REVESTIMENTO INTERNO COM PROGESSO PROJETÁVEL DESCRIÇÃO DO MÉTODO DE EXECUÇÃO: 1. Condições para o início dos serviços A alvenaria deve estar concluída e verificada. As superfícies

Leia mais

1. FERRAMENTAS. Elevação e Marcação. Trenas de 5m e 30m. Nível a laser ou Nível alemão. Pág.4 1. Ferramentas

1. FERRAMENTAS. Elevação e Marcação. Trenas de 5m e 30m. Nível a laser ou Nível alemão. Pág.4 1. Ferramentas ÍNDICE: 1. Ferramentas 2. Equipamentos de Proteção Individual - EPI 3. Serviços Preliminares 4. Marcação da Alvenaria 5. Instalação dos Escantilhões 6. Nivelamento das Fiadas 7. Instalação dos gabaritos

Leia mais

Sistema de Gestão da Qualidade PES - Procedimento de Execução de Serviço

Sistema de Gestão da Qualidade PES - Procedimento de Execução de Serviço Revisão: 02 Folha: 1 de 5 1. EQUIPAMENTOS Esquadro metálico; Martelo e serrote; Serra de bancada com proteção para disco; Corda; Chave de dobra; Policorte; Tesoura manual; Jerica e carrinho de mão; Desempenadeira

Leia mais

PES - Procedimento de Execução de Serviço

PES - Procedimento de Execução de Serviço Revisão: 00 Folha: 1 de 6 1. EQUIPAMENTOS Esquadro metálico; Martelo e serrote; Serra de bancada com proteção para disco; Corda; Chave de dobra; Policorte; Tesoura manual; Gerica e carrinho de mão; Desempenadeira

Leia mais

Execuções de Obras e Segurança no Trabalho

Execuções de Obras e Segurança no Trabalho Execuções de Obras e Segurança no Trabalho Revestimento cerâmico em Integrantes do Grupo: Domingos M. da S. Vicente Filho RA 086833 Rômulo Braga Salvador RA 089759 Danilo Nunes Cardoso RA 084401 Santos

Leia mais

Interface com Outros Subsistemas Dicas e recomendações

Interface com Outros Subsistemas Dicas e recomendações Seminário: Interface com Outros Subsistemas Dicas e recomendações Carlos Chaves LOG Gestão de Obras O Sistema Paredes de concreto moldadas no local Um sistema racionalizado. Racionalização: Simplificação

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO 025/2009

MEMORIAL DESCRITIVO 025/2009 MEMORIAL DESCRITIVO 025/2009 PROPRIETÁRIO: CENTRAIS ELÉTRICAS DE RONDÔNIA S. A. CERON. OBRA: ENDEREÇO: CONTRATAÇÃO DE EMPRESA ESPECIALIZADA EM SERVIÇOS DE ENGENHARIA PARA REALIZAR REFORMA E ADEQUAÇÃO NA

Leia mais

Prof. Dr. Luiz Sérgio Franco 1

Prof. Dr. Luiz Sérgio Franco 1 Escola Politécnica Universidade Federal da Bahia Tecnologia da Construção Civil AULA 7 REVESTIMENTOS VERTICAIS Prof. Dr. Luiz Sergio Franco Escola Politécnica da USP Dep. de Engenharia de Construção Civil

Leia mais

CAPÍTULO IV ARGAMASSA DE REVESTIMENTO

CAPÍTULO IV ARGAMASSA DE REVESTIMENTO CAPÍTULO IV ARGAMASSA DE REVESTIMENTO I. CONSIDERAÇÕES GERAIS A alta competitividade do panorama econômico atual faz com que as empresas busquem um maior ganho de qualidade com redução de custos. A obtenção

Leia mais

COMPONENTES. Chapa de gesso: 3 tipos

COMPONENTES. Chapa de gesso: 3 tipos Paredes internas Estrutura leve GESSO ACARTONADO Fixado em perfis de chapa de aço galvanizado (esqueleto de guias e montantes) Parede: chapas de gesso em uma ou mais camadas Superfície pronta para o acabamento

Leia mais

SOLUÇÕES PRÁTICAS E INOVADORAS PARA A SUA OBRA

SOLUÇÕES PRÁTICAS E INOVADORAS PARA A SUA OBRA Soluções para Construção Fortaleza Março - 2015 SOLUÇÕES PRÁTICAS E INOVADORAS PARA A SUA OBRA Assentar e rejuntar Sobrepor Revestir Renovar QUALIDADE, CRIATIVIDADE E INOVAÇÃO sempre foram as forças que

Leia mais

IFES/CAMPUS DE ALEGRE - ES PROJETO BÁSICO

IFES/CAMPUS DE ALEGRE - ES PROJETO BÁSICO IFES/CAMPUS DE ALEGRE - ES PROJETO BÁSICO Especificação Destinada Construção do Núcleo de Empresas Junior INTRODUÇÃO A execução dos serviços referente Construção do Núcleo de Empresas Junior, obedecerá

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO PRÉDIO DE APARTAMENTOS. Local: Rua General Auto, N 101 e 111 Centro Porto Alegre

MEMORIAL DESCRITIVO PRÉDIO DE APARTAMENTOS. Local: Rua General Auto, N 101 e 111 Centro Porto Alegre MEMORIAL DESCRITIVO PRÉDIO DE APARTAMENTOS Local: Rua General Auto, N 101 e 111 Centro Porto Alegre INDICE 1. GENERALIDADES 1.1. OBJETOS E DADOS 1.2. NORMAS 1.3. PLANTAS 2. INTERPRETAÇÃO 3. PRÉDIO 3.1.

Leia mais

TR Tecnologia dos Revestimentos

TR Tecnologia dos Revestimentos ng. lberto Casado, Prof. Dr. PROGRM D PÓS-GRDUÇÃO M NGNHRI CIVIL Universidade de Pernambuco scola Politécnica de Pernambuco TR Tecnologia dos Revestimentos ula 06 Tecnologia de produção de revestimento

Leia mais

ANEXO I CONVITE N 001/2008-ER02/RJ. Caderno de Encargos de Infra-estrutura para Implantação de Estação Remota de Radiomonitoragem - ERM

ANEXO I CONVITE N 001/2008-ER02/RJ. Caderno de Encargos de Infra-estrutura para Implantação de Estação Remota de Radiomonitoragem - ERM ANEXO I CONVITE N 001/2008-ER02/RJ Caderno de Encargos de Infra-estrutura para Implantação de Estação Remota de Radiomonitoragem - ERM 1.Serviços Preliminares 1.1.Acesso CIDADE: CAMPOS/RJ O local onde

Leia mais

Manual do impermeabilizador

Manual do impermeabilizador 1 Manual do impermeabilizador Preparação e aplicação em superfícies cimenticia Índice INTRODUÇÃO PROJETO DE IMPERMEABILIZAÇÃO ESTATÍSTICAS NORMAS TÉCNICAS ELABORAÇÃO DO PROJETO DE IMPERMEABILIZAÇÃO NBR

Leia mais

bloco de vidro ficha técnica do produto

bloco de vidro ficha técnica do produto 01 Descrição: votomassa é uma argamassa leve de excelente trabalhabilidade e aderência, formulada especialmente para assentamento e rejuntamento de s. 02 Classificação técnica: ANTES 205 Bloco votomassa

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO 1 DESCRIÇÃO

MEMORIAL DESCRITIVO 1 DESCRIÇÃO Página 1 de 9 MEMORIAL DESCRITIVO OBRA: Reforma na Unidade Sanitária Sede de Guarujá do Sul PROPRIETÁRIO: LOCAL: Rua Governador Jorge Lacerda, 448, Centro, Guarujá do Sul (SC) ÁREA TOTAL DA EDIFICAÇÃO:

Leia mais

Trabalhos em Altura com a Utilização de Cadeira Suspensa (Balancim)

Trabalhos em Altura com a Utilização de Cadeira Suspensa (Balancim) PROCEDIMENTO DE SMS Trabalhos em Altura com a Utilização de Cadeira Suspensa (Balancim) PR-99-993-CPG-009 Revisão: 00 Aprovação: 30/05/2014 Página: 1/7 1. OBJETIVO Estabelecer requisitos de segurança para

Leia mais

Construção de Edícula

Construção de Edícula Guia para Construção de Edícula Guia do montador Mais resistência e conforto para sua vida. As paredes com Placas Cimentícias Impermeabilizadas e Perfis Estruturais de Aço Galvanizado para steel framing

Leia mais

Instruções de Instalação Pisos Vinílicos

Instruções de Instalação Pisos Vinílicos Instruções de Instalação Pisos Vinílicos LinhadePisosLaminadosemPVC 2,3mmeClick Recomendações e Responsabilidades Os serviços de colocação devem ser repassados a profissionais instaladores de pisos com

Leia mais

Execução de Alvenaria - Elevação

Execução de Alvenaria - Elevação PRÁTICA RECOMENDADA PR - 5 Execução de Alvenaria - Elevação A metodologia proposta para a execução da alvenaria alterou significativamente a seqüência do serviço na etapa de marcação das paredes. Nenhum

Leia mais

OFÍCIO DE PEDREIRO AUTOR: JOSÉ VIEIRA CABRAL

OFÍCIO DE PEDREIRO AUTOR: JOSÉ VIEIRA CABRAL OFÍCIO DE PEDREIRO AUTOR: JOSÉ VIEIRA CABRAL 3. ASSENTAMENTOS DE BLOCOS COMUNS. 4. COMO CALCULAR VOLUMES DE PEDRA E AREIA EM UM CAMINHÃO. 5. NORMAS REGULAMENTADORAS. 6. VOCABULÁRIO DE CONSTRUÇÃO CIVIL.

Leia mais

Belo Horizonte - MG Interface com Outros Subsistemas

Belo Horizonte - MG Interface com Outros Subsistemas Belo Horizonte - MG Interface com Outros Subsistemas 10/11/2009 Carlos Chaves LOG Gestão de Obras Subsistemas Deus está nos detalhes Mies van der Rohe (1886-1969) Pavilhão alemão na Feira Mundial de Barcelona

Leia mais

PROPRIETÁRIO AUTARQUIA MUNICIPAL DE TURISMO - GRAMADOTUR OBRA...CONTRATAÇÃO DE EMPRESA HABILITADA PARA EXECUÇÃO DE REFORMAS NO PAVILHÃO 01

PROPRIETÁRIO AUTARQUIA MUNICIPAL DE TURISMO - GRAMADOTUR OBRA...CONTRATAÇÃO DE EMPRESA HABILITADA PARA EXECUÇÃO DE REFORMAS NO PAVILHÃO 01 MEMORIAL DESCRITIVO PROPRIETÁRIO AUTARQUIA MUNICIPAL DE TURISMO - GRAMADOTUR OBRA...CONTRATAÇÃO DE EMPRESA HABILITADA PARA EXECUÇÃO DE REFORMAS NO PAVILHÃO 01 LOCALIZAÇÃO CENTRO DE EXPOSIÇÕES E CONGRESSOS

Leia mais

Alvenaria racionalizada

Alvenaria racionalizada Como construir Alvenaria racionalizada A alvenaria de vedação pode ser definida como a alvenaria que não é dimensionada para resistir a ações além de seu próprio peso. O subsistema vedação vertical é responsável

Leia mais

REGULAMENTAÇÃO DE PREÇOS E CRITÉRIOS DE MEDIÇÃO

REGULAMENTAÇÃO DE PREÇOS E CRITÉRIOS DE MEDIÇÃO DE PREÇOS E SUBGRUPO: 48.01.00 SERVIÇOS PRELIMINARES 48.01.01 Andaimes tubulares m 3 x mes Fornecimento, montagem e desmontagem de andaime tubular de base quadrada, como também a plataforma de serviços

Leia mais

PROJETO DE REVESTIMENTO ED. ROYAL LIGHT

PROJETO DE REVESTIMENTO ED. ROYAL LIGHT PROJETO DE REVESTIMENTO ED. ROYAL LIGHT 1 SUMÁRIO Especificações e Procedimentos de Recebimento e Armazenagem dos Materiais Escolha/Definição do sistema de revestimento de argamassas Detalhes Especiais

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO. Anexo I-A: Projeto Arquitetônico

MEMORIAL DESCRITIVO. Anexo I-A: Projeto Arquitetônico Fornecimento e Instalação de Brises na Fachada Oeste do Edifício Sede do MPDFT Sumário MEMORIAL DESCRITIVO Anexo I-A: Projeto Arquitetônico 1.Descrição dos Serviços...2 2.Serviços Preliminares...2 2.1.Tapumes

Leia mais

MANUAL DE OPERAÇÃO. Modelo: BALANCIM INDIVIDUAL GUINCHO DE CABO PASSANTE

MANUAL DE OPERAÇÃO. Modelo: BALANCIM INDIVIDUAL GUINCHO DE CABO PASSANTE MANUAL DE OPERAÇÃO Balancim Individual do Tipo Cadeirinha Mecânica Cabo Passante O Balancim Individual Manual AeroAndaimes é um equipamento para movimentações verticais realizadas através do guincho de

Leia mais

CONSULTORIA TÉCNICA. INTERESSADO: Tribunal de Justiça de Minas Gerais. OBRA: Fórum de Uberaba MG CONTEÚDO:

CONSULTORIA TÉCNICA. INTERESSADO: Tribunal de Justiça de Minas Gerais. OBRA: Fórum de Uberaba MG CONTEÚDO: Escola de Engenharia Depto. de Engenharia de Materiais e Construção Entidade Interveniente: Fundação Christiano Ottoni CONSULTORIA TÉCNICA INTERESSADO: Tribunal de Justiça de Minas Gerais. OBRA: Fórum

Leia mais

Conceito AULA 4. Escola Politécnica Universidade Federal da Bahia Tecnologia da Construção Civil

Conceito AULA 4. Escola Politécnica Universidade Federal da Bahia Tecnologia da Construção Civil Escola Politécnica Universidade Federal da Bahia Tecnologia da Construção Civil AULA 4 Gesso Acartonado Prof. Dr. Luiz Sergio Franco Escola Politécnica da USP Dep. de Engenharia de Construção Civil Construção

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO CONCLUSÃO DA QUADRA DA ESCOLA ALTO BONITO. Rua Florêncio Busatto - Caçador SC.

MEMORIAL DESCRITIVO CONCLUSÃO DA QUADRA DA ESCOLA ALTO BONITO. Rua Florêncio Busatto - Caçador SC. MEMORIAL DESCRITIVO O presente Memorial Descritivo tem por objetivo descrever os serviços, materiais e técnicas construtivas a serem utilizadas na execução da obra abaixo qualificada. DADOS FÍSICOS LEGAIS

Leia mais

DIMENSÃO MÁXIMA PLACAS CERÂMICAS E PORCELANATOS. 45 x 45 cm. 45 x 45 cm. 60 x 60 cm. 60x 60 cm

DIMENSÃO MÁXIMA PLACAS CERÂMICAS E PORCELANATOS. 45 x 45 cm. 45 x 45 cm. 60 x 60 cm. 60x 60 cm 01 DESCRIÇÃO: Argamassa leve de excelente trabalhabilidade, ideal para assentamento de revestimentos cerâmicos, porcelanatos, pedras rústicas em áreas internas e externas em pisos e paredes; Aplicação

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE CAÇADOR SECRETARIA MUNICPAL DE EDUCAÇÃO MEMORIAL DESCRITIVO

PREFEITURA MUNICIPAL DE CAÇADOR SECRETARIA MUNICPAL DE EDUCAÇÃO MEMORIAL DESCRITIVO MEMORIAL DESCRITIVO OBRA: REFORMA DA ESCOLA ALCIDES TOMBINI LOCALIZAÇÃO: Rua Augusto Driessen Bairro: Sorgatto 1. DEMOLIÇÕES Todas as paredes internas dos banheiros deverão ser demolidas. Todo o revestimento

Leia mais

Soluções Recomendadas

Soluções Recomendadas Cement Wood Board Soluções Recomendadas Fachadas Fichas de Aplicação Fachadas Ventiladas Sistema de s Fachadas Aplicação: Exterior Estrutura de suporte: Madeira ou metal Fixação: s de cabeça externa Espessura:

Leia mais

9.7 FORMULÁRIOS DE CONTROLE DE QUALIDADE DA EXECUÇÃO

9.7 FORMULÁRIOS DE CONTROLE DE QUALIDADE DA EXECUÇÃO 9.7 FORMULÁRIOS DE CONTROLE DE QUALIDADE DA EXECUÇÃO Instrução de trabalho de concretagem de peça estrutural Fonte: Modelos elaborados e cedidos pela Construtora Giacomazzi Ltda., de Curitiba-PR. 1. OBJETIVO

Leia mais

ASPECTOS SOBRE A PRODUÇÃO DA ALVENARIA

ASPECTOS SOBRE A PRODUÇÃO DA ALVENARIA ASPECTOS SOBRE A PRODUÇÃO DA ALVENARIA A produção da alvenaria está dividida em quatro passos fundamentais, que são: - Planejamento; - Marcação; - Elevação; - Fixação. 3ODQHMDPHQWR 1. Equipamentos Colher

Leia mais

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS DA OBRA.

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS DA OBRA. INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO NORTE DEPARTAM ENTO DE ENGENHARIA E INFRAESTRUTURA BR 406 - Km 73 n 3500 Perímetro Rural do Município de João Câmara / RN, CEP: 59550-000

Leia mais

Aplicações Xadrez Pigmento em Pó

Aplicações Xadrez Pigmento em Pó Dê asas à sua imaginação nas diversas aplicações do Pó Xadrez. Aplicações Xadrez Pigmento em Pó O PÓ XADREZ é um pigmento concentrado que proporciona efeitos decorativos em diversas aplicações. Mais econômico,

Leia mais

http://www.revistatechne.com.br/engenharia-civil/100/imprime31592.asp

http://www.revistatechne.com.br/engenharia-civil/100/imprime31592.asp 1 de 11 01/11/2010 22:14 Juntas em drywall O termo drywall é aqui adotado para designar genericamente sistemas construtivos de paredes internas não-estruturais constituídas de chapas de gesso acartonado

Leia mais

Fachadas Fichas de Aplicação

Fachadas Fichas de Aplicação Fichas de Aplicação Ventiladas - Sistema de s Ventiladas - Viroclin Ventiladas - Virocnail Ventiladas - Sistema Misto Consulte o Dossier Técnico Viroc disponível em www.viroc.pt, na página de Downloads.

Leia mais

ANEXO 01. Figura 1 - Planta da área a ser trabalhada. DW indica os locais a serem trabalhados com drywall.

ANEXO 01. Figura 1 - Planta da área a ser trabalhada. DW indica os locais a serem trabalhados com drywall. ANEXO 01 Sala MEV DW DW B B Figura 1 - Planta da área a ser trabalhada. DW indica os locais a serem trabalhados com drywall. 1 Figura 2 Detalhes das portas em drywall. A porta P11, destinada a acesso à

Leia mais

Sika Manta PS Tipo II 3mm Alumínio. Manta asfáltica com acabamento em alumínio para impermeabilização. 10 metros 1 metro. 3 mm.

Sika Manta PS Tipo II 3mm Alumínio. Manta asfáltica com acabamento em alumínio para impermeabilização. 10 metros 1 metro. 3 mm. Ficha do Produto Edição 16/09/2015 Sika Manta PS Tipo II 3mm Alumínio Manta asfáltica com acabamento em alumínio para impermeabilização. Descrição do Produto Sika Manta PS Tipo II 3mm Alumínio é uma manta

Leia mais

BRICKA ALVENARIA ESTRUTURAL

BRICKA ALVENARIA ESTRUTURAL BRICKA ALVENARIA ESTRUTURAL BRICKA ALVENARIA ESTRUTURAL Indice ALVENARIA ESTRUTURAL MANUAL DE EXECUÇÃO E TREINAMENTO...1 O QUE É ALVENARIA ESTRUTURAL?...1 Seu trabalho fica mais fácil...1 CUIDADOS QUE

Leia mais

Pisos Externos. Manual de assentamento de Revestimentos Cer micos

Pisos Externos. Manual de assentamento de Revestimentos Cer micos Pisos Externos Manual de assentamento de Revestimentos Cer micos INTRODUÇÃO Revestimento cerâmico vem sendo usado desde a antigüidade para revestir pisos e paredes. A grande vantagem de sua utilização

Leia mais

ESQUADRIAS MÉTODO EXECUTIVO. Prof. MSc. Eng. Eduardo Henrique da Cunha Engenharia Civil 8º Período Turmas C01, C02 e C03 Disc. Construção Civil II

ESQUADRIAS MÉTODO EXECUTIVO. Prof. MSc. Eng. Eduardo Henrique da Cunha Engenharia Civil 8º Período Turmas C01, C02 e C03 Disc. Construção Civil II E ESQUADRIAS MÉTODO EXECUTIVO Prof. MSc. Eng. Eduardo Henrique da Cunha Engenharia Civil 8º Período Turmas C01, C02 e C03 Disc. Construção Civil II MÉTODO EXECUTIVO Cuidados no Recebimento Formas de Instalação

Leia mais

Crescendo com Você. Montagem de Sistemas

Crescendo com Você. Montagem de Sistemas Crescendo com Você Montagem de Sistemas Estocagem Armazene as chapas em local seco e abrigado. Transporte as chapas de duas em duas. Transporte as chapas na posição vertical. Os calços devem ter 5 cm de

Leia mais

Curso: Gestão de Estruturas Racionalizadas de Concreto

Curso: Gestão de Estruturas Racionalizadas de Concreto COMUNIDADE DA CONSTRUÇÃO - SALVADOR Curso: Gestão de Estruturas Racionalizadas de Concreto Trabalho Final: Marcações e Execuções Racionalizadas em Estruturas de Concreto. COMUNIDADE DA CONSTRUÇÃO - SALVADOR

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO DE ARQUITETURA REFORMA E AMPLIAÇÃO / OBRA INSTITUCIONAL EM ALVENARIA, FORRO DE GESSO E COBERTURA EM TELHA METÁLICA.

MEMORIAL DESCRITIVO DE ARQUITETURA REFORMA E AMPLIAÇÃO / OBRA INSTITUCIONAL EM ALVENARIA, FORRO DE GESSO E COBERTURA EM TELHA METÁLICA. MEMORIAL DESCRITIVO DE ARQUITETURA REFORMA E AMPLIAÇÃO / OBRA INSTITUCIONAL EM ALVENARIA, FORRO DE GESSO E COBERTURA EM TELHA METÁLICA. Dados da Obra: Endereço da obra: Rua Amazonas, nº512, Centro. Parte

Leia mais

Sugestões de Montagem. Perfis para Estrutura de Telhados

Sugestões de Montagem. Perfis para Estrutura de Telhados Sugestões de Montagem Perfis para Estrutura de Telhados 1 Apresentação As sugestões que apresentamos aqui são direcionadas para os profissionais que já possuem experiência com telhados. Nosso objetivo

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO PROJETO ARQUITETÔNICO - REFORMA

MEMORIAL DESCRITIVO PROJETO ARQUITETÔNICO - REFORMA MEMORIAL DESCRITIVO PROJETO ARQUITETÔNICO - REFORMA Projeto:... REFORMA POSTO DE SAÚDE Proprietário:... PREFEITURA MUNICIPAL DE IRAÍ Endereço:... RUA TORRES GONÇALVES, N 537 Área a Reformar:... 257,84

Leia mais

Assentar pisos e azulejos em áreas internas.

Assentar pisos e azulejos em áreas internas. CAMPO DE APLICAÇÃO Direto sobre alvenaria de blocos bem acabados, contrapiso ou emboço desempenado e seco, isento de graxa, poeira e areia solta, para não comprometer a aderência do produto. Indicado apenas

Leia mais

AVISO DE PREÇOS UNITÁRIOS REGISTRADOS

AVISO DE PREÇOS UNITÁRIOS REGISTRADOS AVISO DE PREÇOS UNITÁRIOS REGISTRADOS Divulgamos os preços registrados pelo Banco do Brasil, em conformidade com o art. 15 da Lei nº 8.666/93 CONCORRÊNCIA n.º 2014/15658 (7421); Registro de Preços visando

Leia mais

DCC - RESPONDENDO AS DÚVIDAS 14. MUROS

DCC - RESPONDENDO AS DÚVIDAS 14. MUROS DCC - RESPONDENDO AS DÚVIDAS 14. MUROS Av. Torres de Oliveira, 76 - Jaguaré CEP 05347-902 - São Paulo / SP MUROS Os muros são construções feitas de alvenaria de blocos de concreto ou tijolos, que tem a

Leia mais

Edificações - revestimento de paredes

Edificações - revestimento de paredes MT - DEPARTAMENTO NACIONAL DE ESTRADAS DE RODAGEM DIRETORIA DE DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO - IPR DIVISÃO DE CAPACITAÇÃO TECNOLÓGICA Rodovia Presidente Dutra km 163 - Centro Rodoviário, Parada de Lucas

Leia mais

MANUAL DE MONTAGEM (BALANCIM MANUAL)

MANUAL DE MONTAGEM (BALANCIM MANUAL) MANUAL DE MONTAGEM (BALANCIM MANUAL) MEDIDAS DE SEGURANÇA QUANTO À MONTAGEM E USO DE ANDAIMES SUSPENSOS 1. O andaime não deve ser montado muito próximo à redes de energia elétrica. 2. Não utilizar o andaime

Leia mais

Esquadrias Metálicas Ltda. Manual de instruções.

Esquadrias Metálicas Ltda. Manual de instruções. Manual de instruções. PORTA DE ABRIR A Atimaky utiliza, na fabricação das janelas, aço galvanizado adquirido diretamente da Usina com tratamento de superfície de ultima geração nanotecnologia (Oxsilan)

Leia mais

Bloco e tijolo de solo-cimento

Bloco e tijolo de solo-cimento MATERIAL OPÇÕES Veja abaixo os tipos de parede sem função estrutural (paredes de vedação) > ALVENARIA DE BLOCOS E TIJOLOS DE SOLO- CIMENTO > ALVENARIA DE BLOCOS DE CONCRETO > ALVENARIA DE BLOCOS CERÂMICOS

Leia mais

Porcelana para quem exige o melhor. Edição 2011 Revista e ampliada.

Porcelana para quem exige o melhor. Edição 2011 Revista e ampliada. Porcelana para quem exige o melhor Edição 2011 Revista e ampliada. APRESENTAÇÃO A história mostra o passado, o presente e o futuro. Assim acontece com a NGK, que nos seus 50 anos de existência no Brasil

Leia mais

ANEXO I-B. Descrição dos Serviços Material Mão de Obra Quant. Unid. Unitário Total Unitário Total PAVIMENTO TÉRREO. Item. Total

ANEXO I-B. Descrição dos Serviços Material Mão de Obra Quant. Unid. Unitário Total Unitário Total PAVIMENTO TÉRREO. Item. Total ANEXO I-B PLANILHA DE PREÇOS, COM OS SERVIÇOS E MATERIAIS NECESSÁRIOS PARA A COMPLETA EXECUÇÃO DO OBJETO, DE ACORDO COM AS ESPECIFICAÇÕES DO MEMORIAL DESCRITIVO Item 1 Descrição dos Serviços Material Mão

Leia mais

25 anos. Líder de Mercado de Telas de Segurança para Obras. + 20.000.000 m² Telas para Proteção de Fachada

25 anos. Líder de Mercado de Telas de Segurança para Obras. + 20.000.000 m² Telas para Proteção de Fachada 25 anos Líder de Mercado de Telas de Segurança para Obras + 20.000.000 m² Telas para Proteção de Fachada SLQA Tela de Fachada Problemas & Soluções EXIGIR FICHA TÉCNICA DO FABRICANTE FICHA TÉCNICA TELA

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO E ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS PARA AS OBRAS DE REFORMA DO GINÁSIO POLIESPORTIVO LOIOLA PASSARINHO E CONSTRUÇÃO DO ANEXO.

MEMORIAL DESCRITIVO E ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS PARA AS OBRAS DE REFORMA DO GINÁSIO POLIESPORTIVO LOIOLA PASSARINHO E CONSTRUÇÃO DO ANEXO. SECRETARIA MUNICIPAL DE PLANEJAMENTO CASTANHAL (PA) MEMORIAL DESCRITIVO E ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS PARA AS OBRAS DE REFORMA DO GINÁSIO POLIESPORTIVO LOIOLA PASSARINHO E CONSTRUÇÃO DO ANEXO. ABRIL/2014 REFORMA

Leia mais

Relatório de Vistoria

Relatório de Vistoria Relatório de Vistoria Cond. Ed. Centro Médico Empresarial Rua Vicente Nogueira Braga, 324, Fátima, Fortaleza/CE Setembro/2012 1 Índice: 01. Informações iniciais; 02. Patologias, diagnóstico técnico com

Leia mais

O QUE SIGNIFICA RACIONALIZAR?

O QUE SIGNIFICA RACIONALIZAR? Escola Politécnica Universidade Federal da Bahia Tecnologia da Construção Civil AULA 3 ALVENARIAS: EXECUÇÃO, Prof. Dr. Luiz Sergio Franco Escola Politécnica da USP Dep. de Engenharia de Construção Civil

Leia mais

TRANSPORTE COLETIVO URBANO

TRANSPORTE COLETIVO URBANO TRANSPORTE COLETIVO URBANO ABRIGOS PARA PONTOS DE PARADA PROJETO ARQUITETÔNICO Julho 2007 PARADAS DE ÔNIBUS Memorial Justificativo A proposta é a construção de mobiliário urbano para abrigo da população

Leia mais

3.4 REVISÃO NAS CALHAS E TUBOS DE DESCIDA DE AGUA PLUVIAIS E INSTALAÇÃO DE RALOS TIPO ABACAXI vb 1,00 1.560,00 2.100,00 3.

3.4 REVISÃO NAS CALHAS E TUBOS DE DESCIDA DE AGUA PLUVIAIS E INSTALAÇÃO DE RALOS TIPO ABACAXI vb 1,00 1.560,00 2.100,00 3. Planilha Orçamentaria sintética UNIDADE DO BRB: AGÊNCIA ANAPOLIS Obra/Serviço: REFORMA DA FACHADA Endereço: Rua 15 de Dezembro, nº 50, Centro ANÁPOLIS/GO ANEXO II DATA: 04/01/11 Nº OS: 119/2009 REVISÃO:

Leia mais

Piscinas. Manual de assentamento de Revestimentos Cer micos

Piscinas. Manual de assentamento de Revestimentos Cer micos Piscinas Manual de assentamento de Revestimentos Cer micos 1 INTRODUÇÃO Há mais de dois mil anos atrás, revestimento cerâmico já eram usados para revestir piscinas e paredes dos banhos romanos. A grande

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO CONSIDERAÇÕES IMPORTANTES

MEMORIAL DESCRITIVO CONSIDERAÇÕES IMPORTANTES MEMORIAL DESCRITIVO Contratante: Federação das Indústrias do Estado Santa Catarina CNPJ: 83.873.877/0001-14 Empreendimento: Edifício Sede do Sistema FIESC Endereço: Rua Admar Gonzaga, nº 2765 Bairro Itacorubi

Leia mais

CONSTRUÇÃO - BLOCO DE PESQUISADORES - PAVIMENTO TÉRREO

CONSTRUÇÃO - BLOCO DE PESQUISADORES - PAVIMENTO TÉRREO ANEXO XII PLANILHA ORÇAMENTÁRIA PLANILHA DE ORÇAMENTO UNIDADE: Embrapa Algodão Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária- Embrapa Coordenadoria de Engenharia e Arquitetura-CEN/DRM OBRA: AMPLIAÇÃO DOS

Leia mais

FICHA DE VERIFICAÇÃO DE SERVIÇO - COMPACTAÇÃO DE ATERRO

FICHA DE VERIFICAÇÃO DE SERVIÇO - COMPACTAÇÃO DE ATERRO SISTEMA DA QUALIDADE FVS 01 FICHA DE VERIFICAÇÃO DE SERVIÇO - COMPACTAÇÃO DE ATERRO = APROVADO = REPARADO / REPROVADO = NÃO APLICÁVEL 01 O local está limpo, sem entulhos, vegetação ou madeira? O material

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO Pavimentação Asfáltica

MEMORIAL DESCRITIVO Pavimentação Asfáltica PREFEITURA MUNICIPAL DE GALVÃO ESTADO DE SANTA CATARINA MEMORIAL DESCRITIVO Pavimentação Asfáltica Rua Manoel Lustosa Martins Julho 2015 MEMORIAL DESCRITIVO Obra: Execução de pavimentação asfáltica sobre

Leia mais

Recuperação das Casas destinadas ao atendimento de residências estudantis, no Campus da Fazenda Experimental.

Recuperação das Casas destinadas ao atendimento de residências estudantis, no Campus da Fazenda Experimental. PROJETO BÁSICO Recuperação das Casas destinadas ao atendimento de residências estudantis, no Campus da Fazenda Experimental. 1. IDENTIFICAÇÃO DO PROJETO 1.1 Título do Projeto Recuperação das Casas destinadas

Leia mais

ASSENTAMENTO DE PLACAS DE PORCELANATO DE GRANDE DIMENSÃO SOBRE MEZANINO EM PERFIS DE AÇO

ASSENTAMENTO DE PLACAS DE PORCELANATO DE GRANDE DIMENSÃO SOBRE MEZANINO EM PERFIS DE AÇO I CONFERÊNCIA LATINO-AMERICANA DE CONSTRUÇÃO SUSTENTÁVEL X ENCONTRO NACIONAL DE TECNOLOGIA DO AMBIENTE CONSTRUÍDO 18-21 JULHO 2004, SÃO PAULO. ISBN 85-89478-08-4. ASSENTAMENTO DE PLACAS DE PORCELANATO

Leia mais

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS A respeito das especificações de materiais, julgue os itens a seguir. 51 Os cimentos CP III cimentos portland de alto-forno e CP IV cimento portland pozolânico são menos porosos e resistentes, sendo ideais

Leia mais

CONTRAPISO Documentos de referência Condições para o início dos trabalhos Preparo da base Marcação do nível do contrapiso

CONTRAPISO Documentos de referência Condições para o início dos trabalhos Preparo da base Marcação do nível do contrapiso CONTRAPISO 1 camada (s) de argamassa (s) que pode ser aplicada sobre a laje ou lastro de concreto, sobre camada de impermeabilização* ou sobre camada de isolamento térmico/acústico* (* na maioria das vezes

Leia mais

TECNOLOGIA DAS EDIFICAÇÕES III Prof. Antônio Neves de Carvalho Júnior I) REVESTIMENTOS DE PAREDES E TETOS

TECNOLOGIA DAS EDIFICAÇÕES III Prof. Antônio Neves de Carvalho Júnior I) REVESTIMENTOS DE PAREDES E TETOS TECNOLOGIA DAS EDIFICAÇÕES III Prof. Antônio Neves de Carvalho Júnior I) REVESTIMENTOS DE PAREDES E TETOS 1) INTRODUÇÃO ARGAMASSAS. Aglomerantes + agregados minerais + água (eventualmente aditivos). Intervalo

Leia mais

ANDAIMES SUSPENSOS (Alterado pela Portaria SIT n.º 30, de 20 de dezembro de 2001)

ANDAIMES SUSPENSOS (Alterado pela Portaria SIT n.º 30, de 20 de dezembro de 2001) NR-18 Andaime Suspenso Mecânico ANDAIMES SUSPENSOS (Alterado pela Portaria SIT n.º 30, de 20 de dezembro de 2001) NR-18.15.30 Os sistemas de fixação e sustentação e as estruturas de apoio dos andaimes

Leia mais

PLANO DE TRABALHOS COM RISCOS ESPECIAIS Execução de pinturas

PLANO DE TRABALHOS COM RISCOS ESPECIAIS Execução de pinturas Página 1 de 7 PLANO DE TRABALHOS COM RISCOS ESPECIAIS Execução de pinturas Página 2 de 7 PROCESSO CONSTRUTIVO 1. EECUÇÃO DE PINTURAS Esta actividade consiste nos trabalhos de pinturas nas paredes simples

Leia mais

3.0 LIMPEZA 3.1 Limpeza geral e permanente da obra m² 475,00 7,26 3.448,50 SOMA 3.448,50

3.0 LIMPEZA 3.1 Limpeza geral e permanente da obra m² 475,00 7,26 3.448,50 SOMA 3.448,50 DEPARTAMENTO DE PATRIMÔNIO HISTÓRICO / ASSESSORIA DE PROJETOS ESPECIAIS ITEM DISCRIMINAÇÃO DOS SERVIÇOS UNID QUANT REVITALIZAÇÃO DE 08 FACHADAS DO ENTORNO DO MERCADO MUNICIPAL ADOLPHO LISBOA - SEM FORNECIMENTO

Leia mais

ANEXO I ESPECIFICAÇÕES DO OBJETO

ANEXO I ESPECIFICAÇÕES DO OBJETO ANEXO I ESPECIFICAÇÕES DO OBJETO Item Código comprasnet Qtde Mínima Qtde Máxima Unidade Descrição do Item Valor Unitário Valor mínimo Valor Máximo 01 295318 450,00 860,00 m² Paredes em gesso acartonado

Leia mais

CENTRO UNIVERSITARIO DE BELO HORIZONTE

CENTRO UNIVERSITARIO DE BELO HORIZONTE CENTRO UNIVERSITARIO DE BELO HORIZONTE Estúdio de Arquitetura: Sustentabilidade Steel Framing Aluna: Gabriela Carvalho Ávila Maio de 2014 ÍNDICE 1 Introdução... 4 2 Sistema Ligth Steel Framing... 5 2.1

Leia mais

porcelanato interno ficha técnica do produto

porcelanato interno ficha técnica do produto 01 DESCRIÇÃO: votomassa é uma argamassa leve de excelente trabalhabilidade e aderência, formulada especialmente para aplicação de revestimentos cerâmicos e s em áreas internas. 02 CLASSIFICAÇÃO TÉCNICA:

Leia mais

Projeto para. Pavimentação de Calçamento. de Pedra Irregular. da Rua Cândida Correa Becker. dos Trechos Esquina Modesto Vargas. até Manoel Schumacker

Projeto para. Pavimentação de Calçamento. de Pedra Irregular. da Rua Cândida Correa Becker. dos Trechos Esquina Modesto Vargas. até Manoel Schumacker Projeto para Pavimentação de Calçamento de Pedra Irregular da Rua Cândida Correa Becker dos Trechos Esquina Modesto Vargas até Manoel Schumacker MONTE CARLO SC Janeiro de 2014 Proprietário: PREFEITURA

Leia mais

Nº 170768. www.ipt.br

Nº 170768. www.ipt.br COMUNICAÇÃO TÉCNICA Nº 170768 Patologia de paredes dry-wall: formas de prevenção Claudio Vicente Mitidiéri Filho Trabalho apresentado no Seminário Patologias Precoces de Obras: o Risco do Passivo Técnico

Leia mais

TIPO ESP. LOCAL APLIC. 6mm Coberta da Cloaca

TIPO ESP. LOCAL APLIC. 6mm Coberta da Cloaca FABRICANTE Eternit TIPO ESP. LOCAL APLIC. Ondulada 6mm Coberta da Cloaca COR - As telhas serão de fibrocimento 6mm, Eternit ou equivalente técnico de procedência conhecida e idônea, textura homogênea,

Leia mais

Excelente para o assentamento e rejuntamento simultâneo de pastilhas de porcelana e vidro;

Excelente para o assentamento e rejuntamento simultâneo de pastilhas de porcelana e vidro; 01 Descrição: NOVO PRODUTO votomassa é uma argamassa que proporciona alta aderência e trabalhabilidade no assentamento de de porcelana e vidro 02 Classificação: votomassa combina cimento Portland, agregados

Leia mais

CAPÍTULO 7 FABRICAÇÃO DOS DORMENTES

CAPÍTULO 7 FABRICAÇÃO DOS DORMENTES CAPÍTULO 7 FABRICAÇÃO DOS DORMENTES Este capítulo mostra e descreve o molde metálico e a estrutura de protensão, utilizados para a fabricação dos protótipos do dormente. Também apresenta os procedimentos

Leia mais

EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL. Erica Cristina Possoli Técnica em Segurança do Trabalho

EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL. Erica Cristina Possoli Técnica em Segurança do Trabalho EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL Erica Cristina Possoli Técnica em Segurança do Trabalho Norma Regulamentadora 06 Segundo a NR 06, EPI é: todo dispositivo ou produto, de uso individual utilizado pelo

Leia mais

Guarda-corpo. São aplicados em locais de uso privativo e coletivo, em edificações

Guarda-corpo. São aplicados em locais de uso privativo e coletivo, em edificações MATERIAL OPÇÕES Veja abaixo os tipos de caixilhos GUARDA-CORPO JANELAS PADRONIZADAS FACADAS-CORTINA FACADAS COM PLACAS DE ROCA FACADAS COM PLACAS CERÂMICAS FIXADAS COM INSERTES METÁLICOS CECKLIST Itens

Leia mais

Casas com paredes de concreto Reportagem: Jamila Venturini

Casas com paredes de concreto Reportagem: Jamila Venturini Casas com paredes de concreto Reportagem: Jamila Venturini O sistema de construção com paredes de concreto moldadas in loco permite executar com agilidade e economia obras de grande escala como condomínios,

Leia mais

INDICE 1. CAPA 1. CAPA 2. PRODUTO 3. ARMAZENAMENTO 4. ASSENTAMENTO 5. REJUNTAMENTO 6. LIMPEZA

INDICE 1. CAPA 1. CAPA 2. PRODUTO 3. ARMAZENAMENTO 4. ASSENTAMENTO 5. REJUNTAMENTO 6. LIMPEZA INDICE 1. CAPA 2. PRODUTO 3. ARMAZENAMENTO 4. ASSENTAMENTO 5. REJUNTAMENTO 6. LIMPEZA 7. PROTEÇÃO 8. DECK 9. COTTO 10. EKKO 11. REVESTIMENTOS 12. ENTREGA E SAC 1. CAPA PARABÉNS! Você adquiriu um produto

Leia mais

Gesso Acartonado CONCEITO

Gesso Acartonado CONCEITO CONCEITO As paredes de gesso acartonado ou Drywall, são destinados a dividir espaços internos de uma mesma unidade. O painel é composto por um miolo de gesso revestido por um cartão especial, usado na

Leia mais