PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO NO ESTADO TOCANTINS

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO NO ESTADO TOCANTINS"

Transcrição

1 PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO NO ESTADO TOCANTINS RELATO GERENCIAL MUNICÍPIO DE GOIATINS/TO 1. Trata o presente Relato dos resultados gerenciais dos exames realizados sobre os 19 Programas de Governo executados na base municipal de GOIATINS/TO em decorrência do 10º Evento do Projeto de Fiscalização a partir de Sorteios Públicos. 2. As fiscalizações tiveram como objetivo analisar a aplicação dos recursos federais no Município sob a responsabilidade de órgãos federais, estaduais, municipais ou entidades legalmente habilitadas. 3. Os trabalhos foram realizados in loco no Município, por técnicos da Controladoria- Geral da União CGU em parceria com servidores do Ministério da Saúde, sob a Coordenação da CGU, no período de 14 a 18/06/2004, sendo utilizados em sua execução as técnicas e procedimentos por meio de inspeções físicas e documentais, realização de entrevistas, aplicação questionários e registros fotográficos, etc. 4. Os Programas de Governo que foram objeto das ações de fiscalização, estão apresentados no quadro a seguir, por Ministério Supervisor, discriminando, a quantidade de fiscalizações realizadas e os recursos aproximados aplicados, por Programa. 4.1 Recursos recebidos e quantidade de fiscalizações realizadas Ministério Supervisor Programa/Ação Fiscalizado Quantidade de Valores Fiscalizações envolvidos Alimentação Escolar ,80 Recomeço ,24 Ministério da Educação Projeto Alvorada ,00 Ministério das Comunicações Fiscalização da Universalização dos Serviços de Telecomunicações 02 - SAS Q. 1 Bl A, Ed. Darcy Ribeiro, 9º andar, Brasília - DF - CEP: (61) Fax (61)

2 Implantação, Ampliação ou Melhorias nos sistemas de coleta, tratamento e destinação final de resíduos sólidos para controle de agravos ,00 Ministério da Saúde Implantação de melhorias sanitárias para o controle de agravos módulos sanitários ,21 Piso Assistencial Básico PAB VARIÁVEL - Saúde da Família ,00 Piso Assistencial Básico PAB FIXO ,00 Piso Assistencial Básico PAB VARIÁVEL Ações de Prevenção e Controle das Doenças Transmissíveis ,64 Piso de Atenção Básico PAB VARIÁVEL Farmácia Básica ,00 Ministério da Previdência Social Ministério do Desenvolvimento Agrário Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome Ministério da Integração Nacional. Ministério do Trabalho e Emprego Fiscalização do Recolhimento das Contribuições Previdenciárias Pagamento de Aposentadorias e Pensões (Beneficiários do INSS e Cartórios ,00 Agricultura Familiar PRONAF ,00 Bolsa Família ,00 Agente Jovem de Desenvolvimento Social e Humano ,00 Bolsa Escola ,00 PETI Programa de Erradicação do Trabalho Infantil ,00 Capacitação de Conselheiros, Gestores e 01 - Técnicos de Assistência Social. Fundo Constitucional do Norte FNO ,03 Estudos e Pesquisas na área do Trabalho 01 Não se Aplica TOTAL ,92 5. Os resultados das fiscalizações realizadas, sempre que os trabalhos tenham evidenciado fatos relevantes que indiquem impropriedades/irregularidades na aplicação dos recursos federais examinados, são demonstrados a seguir, em fascículos específicos por Ministério. Assim sendo, não foram preparados fascículos sobre os recursos oriundos do Ministério do Trabalho e Emprego. 6. Os fascículos a seguir contemplam um detalhamento das seguintes constatações: 2

3 Ministério da Educação: 1.1) Produtos para preparativos da Merenda não são entregues na sede da escola.; 1.2) Merendeira ganha menos de um salário mínimo mensal; 1.3) Merenda insuficiente nas escolas e com entrega fora do prazo determinado; 1.4) Recebimento parcial de merenda; 1.5) Inexistência de processo licitatório para aquisição de alimentos; 1.6) Falhas na atuação do Conselho Municipal de Educação; 1.7) Pagamentos sem prévio empenho; 1.8) Armazenagem inadequada da merenda escolar; 1.9) Alunos com idade inferior ao estipulado no Programa; 1.10) Despesas realizadas, referentes ao Programa Recomeço, sem o devido amparo legal; 1.11) Recursos do Recomeço aplicados em despesas não especificadas no Programa; 1.12) Desatendimento a dispositivo legal na compra de materiais do Programa Recomeço; 1.13) Objetivo ainda não atingido na construção de laboratório de informática. Ministério das Comunicações: 1.1) Inexistência de postos de atendimento a usuários de Serviços de Telefonia Fixa Comutada - STFC no município de Goiatins-TO. Ministério da Saúde: 1.1) Pagamento indevido de despesas com recursos do Piso de Atenção Básica Fixo (PAB-Fixo); 1.2) Ausência de prestação de contas das despesas realizadas; 1.3) Deficiências na execução das ações de epidemiologia e controle de doenças transmissíveis por vetores; 1.4) Deficiências no planejamento das ações e no acompanhamento das metas do Programa; 1.5) Deficiências na vigilância epidemiológica; 1.6) Falta de medicamentos básicos para distribuição à população; 1.7) Ausência de participação do Governo Estadual no Programa; 1.8) Falhas na armazenagem e gerenciamento de estoque de medicamentos; 1.9) Atuação incorreta/desvirtuada das equipes do Programa Saúde da Família; 1.10) Entraves para execução adequada do Programa; 1.11) Inconsistências em registros e informações cadastrais; 1.12) Desvio de recursos de convênio; 1.13) Inexecução do objeto do convênio; 1.14) Cobrança indevida de taxa a beneficiários do objeto do Convênio; 1.15) Irregularidade na execução do objeto do convênio. Ministério da Previdência Social: 1.1) Pagamento a beneficiário já falecido. Ministério do Desenvolvimento Agrário: 3

4 1.1) Impropriedades na execução do projeto e não atingimento de objetivos. Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome: 1.1) Atraso no pagamento da bolsa às famílias beneficiárias; 1.2) Local inadequado para funcionamento da Jornada Escolar Ampliada; 1.3) Materiais adquiridos com os recursos do Programa não são entregues no local de execução do Programa; 1.4) Descumprimento das Normas que regem o Programa; 1.5) Falta de disponibilização de documentos; 1.6) Atraso no pagamento das bolsas aos beneficiários; 1.7) Local inadequado para funcionamento da Capacitação do Agente Jovem; 1.8) Falta de disponibilização de contrapartida; 1.9) Descumprimento das normas que regem o Programa; 1.10) Controle falho quanto aos dados de freqüência dos beneficiários do Bolsa-Escola; 1.11) Falta de disponibilização de documentos. Ministério da Integração Nacional: 1.1) Projetos não implantados, apesar da liberação dos recursos aos beneficiários. Palmas, 29 de junho de

5 PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO NO ESTADO DO TOCANTINS RELATÓRIO DE FISCALIZAÇÃO Nº 160 MUNICÍPIO DE GOIATINS TO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO 10º sorteio do Projeto de Fiscalização a Partir de Sorteios Públicos 26/MAIO/2004

6 RELATÓRIO DE FISCALIZAÇÃO Nº 160 MUNICÍPIO DE GOIATINS TO Na Fiscalização realizada a partir de Sorteios Públicos de Municípios dos Programas de Governo financiados com recursos federais foram examinadas, no período de 14 a 18/06/2004, as seguintes Ações sob responsabilidade do Ministério da Educação: Programa Nacional de Alimentação Escolar PNAE. Garantia de Padrão Mínimo de Qualidade para o Ensino Fundamental de Jovens e Adultos RECOMEÇO. Expansão e Melhoria da Rede Escolar Estadual do Ensino Médio PROJETO ALVORADA. Este relatório, de caráter preliminar, destinado aos órgãos e entidades da Administração Pública Federal, gestores centrais dos programas de execução descentralizada, contempla, em princípio, constatações de campo que apontam para o possível descumprimento de dispositivos legais e contratuais estabelecidos para esse tipo de execução. Esclarecemos que os executores municipais dos programas, quanto aos programas sob sua responsabilidade, já foram previamente informados sobre os fatos relatados, cabendo ao ministério supervisor, nos casos pertinentes, adotar as providências corretivas visando à consecução das políticas públicas, bem como à apuração das responsabilidades. Constatação da Fiscalização: 1) Programa/Ação: Programa Nacional de Alimentação Escolar PNAE. Objetivo da Ação de Governo: Suprir parcialmente as necessidades nutricionais dos alunos, com vistas a contribuir para a melhoria do desempenho escolar, para a redução da evasão e da repetência, e para formar bons hábitos alimentares. Objeto Fiscalizado: Aquisição de gêneros alimentícios para escolas, fornecimento de merenda aos alunos e atuação do controle social. Agente Executor Local: Prefeitura Municipal de Goiatins TO. Ordem de Serviço: OS e Qualificação do Instrumento de Transferência: Repasse direto à prefeitura (Fundo a Fundo). Montante de Recursos Financeiros Aplicados: R$ ,80. Extensão dos exames: O Município de Goiatins/TO conta com 34 (trinta e quatro) escolas municipais atendendo a cerca de 1471 alunos, as escolas estão distribuídas na zona urbana, zona rural e povoados. Para a efetiva comprovação da compra e fornecimento da merenda escolar, foi analisado o total dos recursos repassados à Prefeitura Municipal no exercício de 2003 até a data da realização da fiscalização, também, foram entrevistados os professores e alunos das escolas escolhidas na amostra Secretaria Federal de Controle Interno 1

7 pela SFC/DSEDU, para a devida confirmação que a merenda é servida diariamente. Abaixo as constatações comprovadas por nossa fiscalização. 1.1) Produtos para preparativos da Merenda não são entregues na sede da escola. Fato(s): A merenda da Escola Municipal Pólvora não está sendo entregue em sua sede. Conforme entrevistas realizadas por nossa fiscalização, foi possível constatar que os alimentos são levados para o comércio local do Povoado Cartucho, sendo este, distante 15 km da Escola, logo após a entrega, os moradores do Povoado Pólvora, a professora e até mesmos os alunos ficam responsáveis pelo transporte da merenda até a sede da escola. Manifestação do Prefeito: Esclarecemos que a localização da Escola Municipal Pólvora é difícil acesso, sendo entregue a merenda para o Diretor da Escola do Povoado Cartucho, que se encarrega de encaminhar a merenda até o seu destino. (sic) Análise da Equipe: Deixamos de acatar as justificativas, pois a competência e responsabilidade da Prefeitura é entregar a merenda diretamente na escola. A entrega em outro local pode favorecer o desvio da mesma. Evidência(s): Entrevistas realizadas na Escola Municipal Pólvora e moradores ali residentes. 1.2) Merendeira ganha menos de um salário mínimo mensal. Fato(s): A Sr.ª Maria Pereira Câmara, contratada para prestar serviços de merendeira na Escola Municipal Pólvora, nos informou que recebe da prefeitura R$ 100,00 (cem) reais mensais. Conforme determina o inciso IV do Art. 7º, e 5º do Art. 201 da Constituição Federal, nenhuma remuneração será paga com valor mensal inferior ao salário mínimo. Manifestação do Prefeito: Trata-se de uma ajuda de custo, e não de salário, pois a mesma não é contratada pela Prefeitura, participando voluntariamente para melhorar a qualidade da merenda da escola, opcionalmente é dado a ela tal ajuda citada. (sic) Secretaria Federal de Controle Interno 2

8 Análise da Equipe: A nossa conclusão, após entrevista com a merendeira, é que se trata de contratação e não de serviço voluntário. Assim, mantemos a irregularidade de descumprimento da Constituição Federal. Evidência(s): Entrevistas realizadas na Escola Municipal Pólvora. 1.3) Merenda insuficiente nas escolas e com entrega fora do prazo determinado. Fato(s): O abastecimento de alimentos, efetuado pela Prefeitura Municipal de Goiatins nas escolas da zona rural, é feito a cada 20 dias úteis. Ocorre que a quantidade calculada de alimentos a cada escola é insuficiente para atender à alimentação diária dos alunos, pelo período de tempo determinado pela Secretaria. O atraso na entrega dos alimentos nas Escolas também é um agravante, pois ocasiona diminuição do quantitativo de alimentos feito diariamente nas escolas, causando até mesmo, sua falta. A exemplo, citamos a Escola Adão Machado que, na última guia de remessa de alimentos, consta a programação de entrega no dia 13/05/2004, com previsão de duração de 20 dias úteis, ao passo que, até o momento da fiscalização (17/06/2004), não havia sido entregue a merenda, ocorrendo um atraso, na entrega, de 5 dias úteis. Manifestação do Prefeito: Estamos procedendo a verificação de tais fatos e regularizando os mesmos para que possamos atender de forma correta todas as escolas. (sic) Análise da Equipe: A Prefeitura corrobora as constatações da Fiscalização. Evidência(s): Entrevistas realizadas nas Escolas Municipais (conforme amostra da CGU/DSEDU), com os alunos e professores, guia de remessa de alimentos, compras efetuadas pela Secretaria Municipal de Educação e o estoque de merenda delas. Secretaria Federal de Controle Interno 3

9 1.4) Recebimento parcial de merenda. Fato(s): Constatamos entrega parcial da merenda nas escolas Maurício da Andrade (Povoado Barra da Estiva) e São Miguel (Fazenda São Miguel). Conforme a relação de remessa da merenda escolar da Secretaria Municipal de Educação (jun/2004), os itens abaixo constavam na relação dos alimentos, mas não houve sua efetiva entrega. Escola Maurício de Andrade Escola São Miguel Produto Carne Frango Congelado Lingüiça Carne Frango Congelado Lingüiça Quantidade/Unidade 13 kg 20 kg 4 kg 17 kg 29 kg 6 kg Manifestação do Prefeito: A merenda entregue nas Escolas Maurício de Andrade e São Miguel, seguem o cronograma da merenda escolar fornecido pelo Ministério da Educação, a quantidade é compatível ao número de alunos existente. (sic) Análise da Equipe: O que foi constatado é que alimentos constantes da relação de remessa às escolas não foram entregues. Dessa forma, mantemos o ponto. Evidência(s): Conferência de mercadorias entregues pela Prefeitura Municipal de Educação nas escolas Municipais São Miguel e Maurício de Andrade, guia de remessa de alimentos, compras efetuadas pela Secretaria Municipal de Educação e estoque de merenda nas escolas. 1.5) Inexistência de processo licitatório para aquisição de alimentos. Fato(s): Evidenciamos que não estão sendo realizados quaisquer procedimentos licitatórios para a aquisição dos gêneros alimentícios adquiridos com recursos do programa Merenda Escolar. O município recebe mensalmente o montante de R$ 5.673,20, durante 10 (dez) meses do ano, perfazendo o total de R$ ,00. As compras dos produtos ocorrem diretamente com os fornecedores locais, em Secretaria Federal de Controle Interno 4

10 virtude de pesquisa realizada no dia da aquisição, o valor está acima dos limites previstos para dispensa de licitação, ensejando no descumprimento dos ditames da Lei n.º 8.666/93. Manifestação do Prefeito: Esclarecemos que as aquisições de alimentos são feitas de forma parcelada e não num todo, obtendo valores de dispensa de licitação, pois somente é efetuada a aquisição após levantamento de quais escolas serão entregues naquele dia, objetivando assim a compra direta, o que de maneira cômoda, não há aquisição de produtos com validade vencida. (sic) Análise da Equipe: Deixamos de acatar as justificativas, tendo em vista que a Lei de Licitações foi infringida, pois houve parcelamento da despesa. Sabendo o total a receber no ano, a prefeitura deveria fazer uma licitação, no mínimo, na modalidade Convite, e assinar contrato para entrega mensal de produtos, mediante o pagamento com o valor de cada parcela recebida. Evidência(s): Notas fiscais, Prestação de Contas do exercício de 2003, extratos bancários, cópia de cheque, previsão de aquisição de alimentos e demais documentos de despesas. 1.6) Falhas na atuação do Conselho Municipal de Educação. Fato(s): Dentre as competências do Conselho Municipal de Alimentação Escolar CAE, constatamos, mediante atas de reuniões, que não há acompanhamento, no sentido de cuidar para que a qualidade dos alimentos seja mantida, desde a compra até a distribuição, assim como quanto ao armazenamento dos alimentos nos depósitos. Também, há falhas em sua atuação no sentido de distribuição de alimentos, pois foram constatados, por nossa fiscalização, entrega de alimentos em local diverso (fato 1.1) e fora de prazo (fato 1.3). Manifestação do Prefeito: Estamos levando ao conhecimento dos conselheiros, para que tomem as devidas providências, quanto ao acompanhamento da distribuição, quantidade distribuída, estocagem, entre outras determinações. (sic) Análise da Equipe: A Prefeitura reconhece as falhas apontadas, mas as mesmas ainda não foram elididas. Evidência(s): Secretaria Federal de Controle Interno 5

11 Atas de reuniões do Conselho Municipal Alimentação Escolar CAE 2003/2004, Decreto Municipal n.º 021/2003, Lei Municipal n.º 447/98, de 23 de março de 1998 (cria o Conselho Municipal de Alimentação Escolar do município de Goiatins TO), Lei Municipal n.º 491/2001, de 20/04/2001 (altera a estrutura do Conselho de Alimentação Escolar CAE) e vistoria in loco, por parte de nossa equipe de fiscalização. 1.7) Pagamentos sem prévio empenho. Fato(s): Em relação à compra da merenda efetuada no Armazém Central em 02/09/2003 (NFs e ), tendo como valor R$ 1.965,00, pagamento com cheque em 03/09/2003, foi emitido o empenho posterior ao pagamento (10/09/2003), havendo descumprimento do processo normal da despesa pública (estágios), estabelecido nos Artigos 58, 63 e 64 da Lei 4.320/64, ou seja: empenho, liquidação e pagamento, nesta ordem. Manifestação do Prefeito: Informamos que estamos levando o fato para conhecimento do departamento de contabilidade, bem como para a tesouraria, para que não se repita tal situação. (sic) Análise da Equipe: A Prefeitura reconhece as falhas apontadas, mas as mesmas ainda não foram elididas. Evidência(s): Empenho emitido em 10/09/2003, notas fiscais n.º e , cópia do cheque , e extrato bancário da C/C Ag (Banco do Brasil). 1.8) Armazenagem inadequada da merenda escolar. Fato(s): Constatamos que a armazenagem dos alimentos nas 04 (quatro) escolas escolhidas na amostra pela SFC/DSEDU não é adequada. Abaixo, o detalhamento do local encontrado de cada escola: a) Escola Adão Machado: O local de armazenagem não tem forro, tampouco prateleiras para a guarda dos alimentos; a merenda fica exposta em caixas de papelão, próximo ao fogão onde são preparados os alimentos, ocasionando altas temperaturas, impróprias para o local de guarda dos alimentos. b) Escola Maurício de Andrade: O local de armazenagem não tem forro e as prateleiras não são adequadas para a guarda e conservação dos alimentos. Constatamos que, apesar de a escola Secretaria Federal de Controle Interno 6

12 ter 2 (dois) filtros de água, os alunos bebem a água do córrego Estiva, imprópria para o consumo. c) Escola São Miguel: O local de armazenagem não tem forro nem prateleiras para a guarda dos alimentos; a merenda fica exposta em caixas de papelão em cima de telhas; o ambiente não é ventilado, provocando altas temperaturas da sala onde são guardados os alimentos, diminuindo o prazo de validade destes. d) Escola Pólvora: As condições da escola são precárias: os alimentos são preparados e guardados na casa da Sr.ª Maria Pereira Câmara (merendeira), pois a escola não possui condições físicas para a guarda e preparo dos alimentos. Também, não há guia de remessa dos alimentos, agravando-se ainda mais com a entrega dos alimentos, que se realiza a uma distância de 15 km da sede da Escola. Manifestação do Prefeito: Após as observações feitas por esta CGU, estamos procedendo as devidas regularizações, para que o Programa da Merenda Escolar seja cumprindo de forma correta. (sic) Análise da Equipe: Evidência(s): A Prefeitura reconhece as falhas apontadas, mas as mesmas ainda não foram elididas. Entrevistas realizadas nas Escolas Municipais (conforme amostra da SFC/DSEDU) com os alunos e professores, compras efetuadas pela Secretaria Municipal de Educação e estoque de merenda nas escolas, local de armazenagem das escolas. Foto 01- Escola Municipal Adão Machado Foto 02 Escola Municipal Adão Machado / Alimentação Foto 03 Escola Municipal Adão Machado / Cozinha Foto 01- Escola Municipal Maurício de Andrade Foto 02 Escola Municipal Maurício de Andrade / Alimentação Foto 03 Escola Municipal Maurício de Andrade / Cozinha Secretaria Federal de Controle Interno 7

13 Foto 01- Escola Municipal São Miguel Foto 02 Escola Municipal São Miguel / Alimentação Foto 03 Escola Municipal São Miguel / Cozinha Foto 01- Escola Municipal Pólvora Foto 02 Escola Municipal Pólvora / Local onde fica armazenado a merenda Foto 03 Escola Municipal Pólvora / Cozinha (casa da merendeira) 2) Programa/Ação: Garantia de Padrão Mínimo de Qualidade para o Ensino Fundamental de Jovens e Adultos RECOMEÇO. Objetivo da Ação de Governo: Ampliar a oferta de vagas na educação de jovens e adultos que foram excluídos precocemente da escola. Ordem de Serviço: OS Objeto Fiscalizado: Formação continuada de docentes, aquisição e distribuição de material didático e merenda escolar. Agente Executor Local: Prefeitura Municipal de Goiatins TO. Qualificação do Instrumento de Transferência: Repasse direto à prefeitura (Fundo a Fundo). Montante de Recursos Financeiros Aplicados: R$ ,24. Secretaria Federal de Controle Interno 8

14 Extensão dos exames: Análise documental abrangendo os processo licitatório e demais comprovantes de despesas referentes a gastos e compras efetuadas pela Prefeitura Municipal de Goiatins TO, tendo como referência temporal o período de jan/2003 até maio/2004. As escolas contidas na amostra enviada pela SFC/DSEDU não fazem mais parte do Programa. Conforme a lista entregue a nossa fiscalização pela Secretaria Municipal de Educação, as escolas que realizam ações do programa são: Escola Municipal Professor Alfredo Nasser (sede), Escola Municipal Pedro Bento da Luz (Povoado Cartucho), Escola Municipal Gregório de Assis (Povoado Alto Lindo) e Escola Municipal José de Carvalho (Povoado Craolândia). Nossa equipe de fiscalização procedeu a vistoria in loco nas seguintes Instituições de Ensino: Escola Municipal Professor Alfredo Nasser e Escola Municipal Gregório de Assis. 2.1) Alunos com idade inferior ao estipulado no Programa. Fato(s): Foi constatado por nossa fiscalização, mediante a documentação escolar dos alunos, que existem estudantes matriculados no Programa de Educação de Jovens e Adultos (EJA) com idade inferior ao estipulado pelo programa que é de 15 anos ou mais. Manifestação do Prefeito: Estamos levando ao conhecimento do Secretário Municipal de Educação, para que tome as devidas providências, para regularização ora do fato ocorrido, e mais para que não torne a acontecer, procedendo da mesma forma a adequação dos alunos com idade inferior a 15 anos, para que retornem ao ensino seriado, não prejudicando o seu aprendizado. (sic) Análise da Equipe: Evidência(s): A Prefeitura reconhece as falhas apontadas, mas as mesmas ainda não foram elididas. Históricos dos alunos matriculados na Escola Municipal Professor Alfredo Nasser e na Escola Municipal Gregório de Assis. 2.2) Despesas realizadas, referentes ao Programa Recomeço, sem o devido amparo legal. Fato(s): Constatamos que, na prestação de contas do exercício de 2003, enviada ao Ministério da Educação, e nas despesas realizadas no exercício de 2004, foram aplicados recursos do Programa em despesas não contempladas no art. 5º da Resolução/CD/FNDE n.º 09, de 13/03/2002 e Resolução/CD/FNDE nº 05 de 02/04/2003. Secretaria Federal de Controle Interno 9

15 As aplicações dos recursos foram em material permanente, inversões financeiras, serviços e materiais de consumo diversos, sendo estes destinados à secretaria das escolas, ao esporte dos alunos e a setores de limpeza das Instituições de Ensino. No quadro abaixo, citamos algumas despesas realizadas em desacordo com a legislação específica. Aquisição de Material Permanente Serviços Inversões financeiras Equipamento/Serviços/Outros Quantidade Valor R$ Armário de aço AL ,00 Rádio gravador Toshiba RG ,00 Retroprojetor ,00 Tela para retroprojetor ,00 Lâmpada para retroprojetor 01 55,00 Filmadora JVC ,00 Máquina Fotográfica Kodak ,00 Refrigerador Eletrolux 260 litros ,00 Transporte de livros 2 caixas 15,00 Frete (entrega de material do EJA na zona rural) 398 km 318,00 Serviço prestado em xerox de documentos para a secretaria Municipal - 502,60 de Educação Pagamento de diária a funcionários da Secretaria Municipal de Educação para 12 diárias 600,00 tratar assuntos do EJA Serviços prestados na instalação de portais, portas e colocação de vidros das janelas da escola Municipal Luzia 400,00 Machado Feitosa Manifestação do Prefeito: Informamos que estamos tomando as devidas providências para adequação das aquisições que foram realizadas fora do programa de despesas e solicitando à Secretaria Municipal de Educação que tome ciência do fato. (sic) Análise da Equipe: Evidência(s): A Prefeitura reconhece as falhas apontadas, mas as mesmas ainda não foram elididas. Notas fiscais, recibos, Prestação de Contas do exercício de 2003, cópias de cheque, extratos bancários, Resolução/CD/FNDE n.º 09, de 13/03/2002 e Resolução/CD/FNDE n.º 05 de 02/04/2003, relação das escolas, emitidas pela Prefeitura Municipal de Goiatins-TO, das que possuem classes de educação de Jovens e Adultos-EJA. Foto 01 Rádio gravador Toshiba Foto 02 Retroprojetor Foto 03 Material de esporte Secretaria Federal de Controle Interno 10

16 Foto 04 Escola Municipal Luiz Machado Feitosa Foto 05 Vidros das janelas das Escola Municipal Luiz Machado Feitosa Foto 06 Material de consumo (diversos), Escola Municipal Professor Alfredo Nasser 2.3) Recursos do Recomeço aplicados em despesas não especificadas no Programa. Fato(s): Com recursos do Programa, foi adquirido um refrigerador Eletrolux de 260 litros, em 22/12/2003, conforme legislação específica, já mencionada anteriormente, este tipo de gasto não é elegível. Ademais, o refrigerador foi encontrado na Escola José Santana Cavalcante da Luz, que não está contemplada pelo Programa. Também, constatamos a execução de serviços de instalação de portais, portas e colocação de vidros das janelas na Escola Municipal Luzia Machado Feitosa, ocorre que esta escola não executava ações do Programa Recomeço em 2003, assim fica evidenciado que houve destinação de recursos financeiros para atender a fins estranhos aos objetivos do programa. Dessa forma, o total da despesa inelegível foi de R$ 1.200,00 (um mil e duzentos reais), sendo R$ 800,00 (oitocentos reais) pela aquisição do refrigerador, e R$ 400,00 (quatrocentos reais) pela execução dos serviços citados acima. Manifestação do Prefeito: Após as observações feitas por esta CGU, estamos informando a Secretaria Municipal de Educação para que tome as devidas providências, quanto a remoção do refrigerador para uma escola Secretaria Federal de Controle Interno 11

17 que possua o programa Recomeço, bem como a destinação da verba para as ações que estão ligadas diretamente ao Programa, não desvirtuando a mesma. (sic) Análise da Equipe: A Prefeitura reconhece as falhas apontadas, mas as mesmas ainda não foram elididas. Evidência(s): Nota fiscal de compra n.º (Sammóveis), cópia de cheque n.º (R$ 800,00), extrato bancário da conta específica do programa, Resolução/CD/FNDE n.º 09, de 13/03/2002 e Resolução/CD/FNDE n.º 05 de 02/04/2003, relação das escolas, emitidas pela Prefeitura Municipal de Goiatins TO, das que possuem classes de educação de Jovens e Adultos EJA. Nota fiscal avulsa n.º 186 (Prefeitura Municipal de Goiatins), cópia de cheque n.º (R$ 400,00). Foto 01 Refrigerador Eletrolux de 260 litros Foto 02 Portais e portas da Escola Municipal Luiz Machado Feitosa 2.4) Desatendimento a dispositivo legal na compra de materiais do Programa Recomeço. Fato(s): O Município de Goiatins/TO conta com 4 (quatro) escolas municipais que executam ações do EJA no exercício de 2004, sendo distribuídas na zona urbana e povoados, com atendimento a 231 alunos. Para execução do Programa, a Prefeitura Municipal de Goiatins TO recebeu R$ ,00 em 2003 e ,24 em Nos processos de pagamento das despesas do EJA, verificamos que em várias aquisições por dispensa não foram atendidos os preceitos da Lei 8.666/93, e, em algumas, além do descumprimento da legalidade, ficou caracterizado fracionamento de despesas, uma vez que se referiam ao mesmo objeto. Como exemplo, citamos a compra efetuada nas empresas Papelaria e Magazini Opção e Soma Papelaria: Discriminação da Compra Empresa Cheque nº Data Valor Secretaria Federal de Controle Interno 12

18 Materiais de consumo diversos Soma Papelaria /05/ ,00 Materiais de consumo diversos Papelaria e Magazini Opção /06/ ,00 TOTAL 8.500,00 Manifestação do Prefeito: As aquisições são realizadas de forma fracionada por força de necessidade da Secretaria de Educação, sendo efetuado o pagamento após trinta dias, o que acumula os valores, o que não é conveniente, pois passam a ter valores substancial onde deveria haver licitação para aquisição. Estamos solicitando a Secretaria de Educação, que faça um planejamento na aquisição de qualquer tipo de material para que não se repita os erros que estão sendo executados. (sic) Análise da Equipe: Evidência(s): A Prefeitura reconhece as falhas apontadas, mas as mesmas ainda não foram elididas. Notas fiscais de compra, cópias de cheque, extrato bancário da conta específica do programa, prestação de contas das despesas. 3) Programa/Ação: Expansão e Melhoria da Rede Escolar Estadual do Ensino Projeto Alvorada. Objetivo da Ação de Governo: Apoiar projetos estaduais, no âmbito do ensino médio, de forma a garantir o atendimento integral dos egressos do ensino fundamental, além de reduzir as desigualdades regionais por intermédio da melhoria das condições de vida das áreas mais carentes do Brasil. Ordem de Serviço: e Objeto Fiscalizado: Colégio Estadual Ada de Assis Teixeira, contemplado com ações do Projeto Alvorada para a melhoria e expansão do ensino médio. Agente Executor Local: Secretaria Estadual da Educação no Estado do Tocantins. Qualificação do Instrumento de Transferência: Convênio nº 081/2002 (SIAFI Nº ) e 159/2001 (SIAFI ). Montante de Recursos Financeiros Aplicados: R$ ,00 Extensão dos exames: Análise do Termo de Convênio e Aditivos, dos dados sobre o convênio registrados no SIAFI, das Guias de Movimentação de Bem Patrimonial, dos extratos da conta corrente nº X, agência do Banco do Brasil, conferência do acervo, além de visita in loco à escola beneficiada Colégio Estadual Ada de Assis Teixeira. 3.1) Objetivo ainda não atingido na construção do laboratório de informática. Fatos: A empresa RMC Locações e Incorporações e Serviço LTDA (CNPJ nº / ), vencedora do Convite n.º 03/2002, ficou responsável pela execução das obras de construção do laboratório de informática. O contrato foi assinado em 12/07/2002, com prazo de execução de 45 dias. Secretaria Federal de Controle Interno 13

19 Nossa fiscalização constatou que o objeto foi construído conforme as especificações e o plano de trabalho aprovado. Tendo em vista que já se passou muito tempo após a conclusão da obra, quase 2 anos, e ainda não foram disponibilizados pela Secretaria Estadual de Educação os computadores, o objetivo pactuado ainda não foi atingido, entretanto, ressaltamos que o Convênio n.º 159/201 ainda está em execução. No local funciona, temporariamente, a biblioteca da Escola onde existe apenas um computador para uso dos alunos, porém, segundo a Srª. Naide Porto Alencar (Professora), o aparelho nunca funcionou. Evidência(s): Vistoria in loco dos bens adquiridos e enviados pela Secretaria Estadual de Educação, processos licitátorios, relação dos livros adquiridos e enviados pela Secretaria Municipal de Educação, extratos da conta corrente especifica do Sub-Convênio 089/2002, cópias de cheque das despesas realizadas, entrevistas com os alunos e professores. Foto 01 Laboratório de Informática transformado em biblioteca. Foto 02 Acervo bibliográfico, adquirido pela Escola e enviado pela SEDUC. Foto 03- Laboratório de informática (parte externa). Foto 04 Sala de Informática (instalação de cabeamento) Foto 05- Mobiliário a espera dos computadores. Foto 06 Mobiliário/equipamentos (rack, TV, som, vídeo) Secretaria Federal de Controle Interno 14

20 PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO NO ESTADO DO TOCANTINS RELATÓRIO DE FISCALIZAÇÃO Nº 160 MUNICÍPIO DE GOIATINS-TO MINISTÉRIO DAS COMUNICAÇÕES 10º sorteio do Projeto de Fiscalização a Partir de Sorteios Públicos 26/MAIO/2004

21 RELATÓRIO DE FISCALIZAÇÃO Nº 160 MUNICÍPIO DE GOIATINS - TO Na Fiscalização realizada a partir de Sorteios Públicos de Municípios dos Programas de Governo financiados com recursos federais foram examinadas, no período de 14 a 18/06/2004, as seguintes ações sob responsabilidade do Ministério das Comunicações: Oferta dos Serviços de Telecomunicações/Fiscalização da Prestação dos Serviços de Telecomunicações. Este relatório, de caráter preliminar, destinado aos órgãos e entidades da Administração Pública Federal, gestores centrais dos programas de execução descentralizada, contempla, em princípio, constatações de campo que apontam para o possível descumprimento de dispositivos legais e contratuais estabelecidos para esse tipo de execução. Esclarecemos que os Executores Municipais dos Programas, quanto aos Programas sob sua responsabilidade, já foram previamente informados sobre os fatos relatados, cabendo ao Ministério supervisor, nos casos pertinentes, adotar as providências corretivas visando à consecução das políticas públicas, bem como à apuração das responsabilidades. Constatações da Fiscalização 1) Programa: Oferta dos Serviços de Telecomunicações. Ação: Fiscalização da Prestação dos Serviços de Telecomunicações. Objetivo da Ação de Governo: Garantir o atendimento pessoal ao usuário do Serviço Telefônico Fixo Comutado - STFC. Ordem de Serviço: Objeto Fiscalizado: Existência de posto de atendimento pessoal ao usuário. Agente Executor Local: Concessionária dos Serviços de Telecomunicações. Qualificação do Instrumento de Transferência: Não se aplica. Montante de Recursos Financeiros: Não se aplica. Extensão dos exames: Entrevistas com pessoas da comunidade. 1.1) Inexistência de postos de atendimento a usuários de Serviços de Telefonia Fixa Comutada - STFC no município. Fato(s): Por meio de entrevistas com pessoas da comunidade, constatamos a inexistência de postos de atendimento a usuários de STFC no Município de Goiatins/TO. Secretaria Federal de Controle Interno 1

22 Evidência(s): Entrevistas com várias pessoas da comunidade, escolhidas ao acaso, nas zonas urbana e rural do Município de Goiatins/TO. Secretaria Federal de Controle Interno 2

23 PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO NO ESTADO DO TOCANTINS RELATÓRIO DE FISCALIZAÇÃO Nº 160 MUNICÍPIO DE GOIATINS TO MINISTÉRIO DA SAÚDE 10º sorteio do Projeto de Fiscalização a Partir de Sorteios Públicos 26/MAIO/2004

24 RELATÓRIO DE FISCALIZAÇÃO Nº 160 MUNICÍPIO DE GOIATINS TO Na Fiscalização realizada a partir de Sorteios Públicos de Municípios, dos Programas de Governo financiados com recursos federais foram examinadas no período de 14 a 18/06/2004 as seguintes Ações sob responsabilidade do Ministério da Saúde: Atendimento Assistencial Básico referente à Parte Fixa do Piso de Atenção Básica PAB nos Municípios em Gestão Plena da Atenção Básica; Incentivo Financeiro à Municípios Habilitados à Parte Variável do Piso de Atenção Básica PAB, para Ações de Prevenção e Controle das Doenças Transmissíveis; Incentivo Financeiro à Municípios Habilitados à Parte Variável do Piso de Atenção Básica PAB para Assistência Farmacêutica Básica Farmácia Básica; Incentivo Financeiro à Municípios Habilitados à Parte Variável do Piso de Atenção Básica PAB, para a Saúde da Família; Implantação de melhorias sanitárias para o controle de agravos módulos sanitários. Implantação, Ampliação ou Melhorias nos sistemas de coleta, tratamento e destinação final de resíduos sólidos para controle de agravos. Este relatório, de caráter preliminar, destinado aos órgãos e entidades da Administração Pública Federal, gestores centrais dos programas de execução descentralizada, contempla, em princípio, constatações de campo que apontam para o possível descumprimento de dispositivos legais e contratuais estabelecidos para esse tipo de execução. Esclarecemos que os Executores Municipais dos Programas, quanto aos Programas sob sua responsabilidade, já foram previamente informados sobre os fatos relatados, cabendo ao Ministério supervisor, nos casos pertinentes, adotar as providências corretivas visando à consecução das políticas públicas, bem como à apuração das responsabilidades. Constatações da Fiscalização 1 Programa/Ação: Atendimento Assistencial Básico referente à Parte Fixa do Piso de Atenção Básica PAB nos Municípios em Gestão Plena da Atenção Básica. Objetivo da Ação do Governo: Ampliar o acesso da população rural e urbana à atenção básica, por meio da transferência de recursos federais, com base em um valor per capita, para a prestação da assistência básica, de caráter individual ou coletivo, para a prevenção de agravos, tratamento e reabilitação, levando em consideração as disparidades regionais. Secretaria Federal de Controle Interno 1

25 Ordem de Serviço: Objeto Fiscalizado: ações de atenção básica em saúde, desempenhadas pelo município nos meses de maio/2003 a maio de 2004, com enfoque na análise das despesas realizadas para o custeio dessas ações. Foi averiguada, ainda, atuação do Conselho Municipal de Saúde no que se refere à execução do Programa. Agente Executor: Secretaria Municipal de Saúde de Goiatins TO. Qualificação do Instrumento de Transferência: Transferência Fundo a Fundo. Montante de Recursos Financeiros: R$ ,00. Extensão dos Exames: Análise das despesas realizadas com atenção básica nos meses de maio 2003 a maio de Análise da atuação do Conselho Municipal de Saúde desde a implantação do Plano Municipal de Saúde vigente. 1.1) Pagamento indevido de despesas com recursos do Piso de Atenção Básica Fixo (PAB- Fixo) Fato: Analisando a documentação comprobatória da despesa, verificamos que o município vem utilizando os recursos do PAB-Fixo para a realização de despesas que não se enquadram nas ações de atenção básica, como é caso da destinação de considerável parte dos recursos do PAB-Fixo para a manutenção administrativa do Hospital Municipal de Goiatins (pagamento de energia elétrica, telefonia etc), quando, de fato, as ações de atenção básica estão concentradas no Centro de Saúde de Goiatins. Verificamos, ainda, que parte dos recursos foi utilizada para despesas da Secretaria Municipal de Educação, como é o caso da aquisição de tecidos para confecção de faixas ilustrativas. Outro fato que torna visível o desvirtuamento da aplicação de recursos do PAB-Fixo refere-se à aquisição de gêneros alimentícios para o Hospital Municipal retrocitado. Para melhor visualização desses gastos, elencamos na tabela abaixo os pagamentos indevidos detectados: Tabela 1 Item Descrição da Despesa Irregularidade caracterizada Valor Original 01 Prestação de serviços com processamento de AIHs Pagamento indevido de despesas administrativas, com recursos destinados ao Piso de Atenção Básica PAB Fixo, contrariando o disposto na Lei 8.080/90, art. 52; PT/GM 3925/98 e Decisão TCU 600/2000 R$ 393,90 Data do Pagamento Evidências NE , OP , cópia de cheque e nota fiscal Gêneros alimentícios para o Pagamento indevido de despesas para o 3.752, NE , Hospital Municipal. Hospital Municipal, com recursos destinados OP , ao Piso de Atenção Básica, contrariando o cópia de disposto na Lei 8.080/90, art. 52; PT/GM cheque /98 e Decisão TCU 600/ e notas fiscais , , Tecido para confecção de faixas Pagamento indevido de despesas para a para Secretaria de Educação. Secretaria de Educação, com recursos 33, NE , destinados ao Piso de Atenção Básica, OP , contrariando o disposto na Lei 8.080/90, art. nota fiscal 52; PT/GM 3925/98 e Decisão TCU 600/ e cópia de Secretaria Federal de Controle 2 Interno

26 cheque Fornecimento de carne bovina para o Hospital Municipal. Pagamento indevido de despesas do Hospital Municipal, com recursos destinados ao Piso de Atenção Básica PAB, contrariando o disposto na Lei 8.080/90, art. 52; PT/GM 3925/98 e Decisão TCU 600/ , NE , OP , nota fiscal 028 e Cópia de cheque Materiais diversos (construção) para manutenção do Hospital Municipal. Pagamento indevido de despesas do Hospital Municipal, com recursos destinados ao Piso de Atenção Básica PAB, contrariando o disposto na Lei 8.080/90, art. 52; PT/GM 3925/98 e Decisão TCU 600/ , NE , OP , nota fiscal 403 e cópia de cheque Ajuda de custos a pessoas carentes. Pagamento de despesas com Tratamento Fora de Domicílio - TFD, sem formalização de processo, com recursos destinados ao Piso de Atenção Básica PAB, contrariando o disposto da PT/GM 3925/98 e PT/SAS 055/ , NE , OP , recibo, declaração e cópia de cheque Ajuda de custo a pessoas carentes para tratamento de saúde. Oxigênio para manutenção do Hospital Municipal. Ajuda de custo a pessoas carentes para tratamento de saúde. Ressarcimento do INSS ao F.P.M.. Pagamento de despesas com Tratamento Fora de Domicílio - TFD, sem formalização de processo, com recursos destinados ao Piso de Atenção Básica PAB, contrariando o disposto da PT/GM 3925/98 e PT/SAS 055/99. Pagamento indevido de despesas do Hospital Municipal, com recursos destinados ao Piso de Atenção Básica PAB, contrariando o disposto na Lei 8.080/90, art. 52; PT/GM 3925/98 e Decisão TCU 600/2000. Pagamento de despesas com Tratamento Fora de Domicílio - TFD, sem formalização de processo, com recursos destinados ao Piso de Atenção Básica PAB, contrariando o disposto da PT/GM 3925/98 e PT/SAS 055/99. Pagamento indevido de despesas administrativas, com recursos destinados ao Piso de Atenção Básica PAB, contrariando o disposto na Lei 8.080/90, art. 52; PT/GM 3925/98 e Decisão TCU 600/ ,00 130,00 150, , NE , OP , recibo, declaração e cópia de cheque NE , OP , nota fiscal 1843, cópia de cheque e comprovante de depósito. NE , OP , declaração, recibo cópia de cheque NE , OP , comprovante de recolhimento. 11 Tarifa telefônica do Hospital Municipal. Pagamento indevido de despesas administrativas do Hospital Municipal, com recursos destinados ao Piso de Atenção Básica PAB, contrariando o disposto na Lei 8.080/90, art. 52; PT/GM 3925/98 e Decisão TCU 600/ , NE , OP , faturas de pagamento e cópias de cheque Tarifa de energia elétrica Pagamento indevido de despesas administrativas do Hospital Municipal, com 1.583, Secretaria Federal de Controle Interno NE , OP , 3

27 recursos destinados ao Piso de Atenção Básica PAB, contrariando o disposto na Lei 8.080/90, art. 52; PT/GM 3925/98 e Decisão TCU 600/2000. fatura pagamento cópia cheque de e de Ajuda a pessoas carentes para tratamento de saúde. Ajuda a pessoas carentes para tratamento de saúde. Pagamento de despesas com Tratamento Fora de Domicílio - TFD, sem formalização de processo, com recursos destinados ao Piso de Atenção Básica PAB, contrariando o disposto da PT/GM 3925/98 e PT/SAS 055/99. Pagamento de despesas com Tratamento Fora de Domicílio - TFD, sem formalização de processo, com recursos destinados ao Piso de Atenção Básica PAB, contrariando o disposto da PT/GM 3925/98 e PT/SAS 055/ ,00 150, NE , OP , declaração, recibo e cópia de cheque NE , OP , declaração, recibo e cópia de cheque Ajuda a pessoas carentes para tratamento de saúde. Ajuda a pessoas carentes para tratamento de saúde. Manutenção do autoclave horizontal do Hospital Municipal. Pagamento de despesas com Tratamento Fora de Domicílio - TFD, sem formalização de processo, com recursos destinados ao Piso de Atenção Básica PAB, contrariando o disposto da PT/GM 3925/98 e PT/SAS 055/99. Pagamento de despesas com Tratamento Fora de Domicílio - TFD, sem formalização de processo, com recursos destinados ao Piso de Atenção Básica PAB, contrariando o disposto da PT/GM 3925/98 e PT/SAS 055/99. Pagamento indevido de despesas administrativas do Hospital Municipal, com recursos destinados ao Piso de Atenção Básica PAB, contrariando o disposto na Lei 8.080/90, art. 52; PT/GM 3925/98 e Decisão TCU 600/ ,00 150,00 570, NE , OP , declaração, recibo e cópia de cheque NE , OP , declaração, recibo, cópia de cheque e cópia de documentos pessoais. NE , OP , nota fiscal e cópia de cheque Secretaria Federal de Controle Interno 4

28 18 Gás de cozinha para o Hospital Municipal. Pagamento indevido de despesas administrativas do Hospital Municipal, com recursos destinados ao Piso de Atenção Básica PAB, contrariando o disposto na Lei 8.080/90, art. 52; PT/GM 3925/98 e Decisão TCU 600/ , NE OP , nota fiscal 333 e cópia de cheque Tarifa telefônica do Hospital Municipal. Pagamento indevido de despesas administrativas do Hospital Municipal, com recursos destinados ao Piso de Atenção Básica PAB, contrariando o disposto na Lei 8.080/90, art. 52; PT/GM 3925/98 e Decisão TCU 600/ , NE , OP , faturas de pagamentos e cópia de cheque Tarifa telefônica do Hospital Municipal. Material de limpeza destinado à manutenção do Hospital Municipal. Pagamento indevido de despesas administrativas do Hospital Municipal, com recursos destinados ao Piso de Atenção Básica PAB, contrariando o disposto na Lei 8.080/90, art. 52; PT/GM 3925/98 e Decisão TCU 600/2000. Pagamento indevido de despesas do Hospital Municipal, com recursos destinados ao Piso de Atenção Básica PAB, contrariando o disposto na Lei 8.080/90, art. 52; PT/GM 3925/98 e Decisão TCU 600/ , , NE , OP , faturas de pagamento e cópia de cheque NE , OP e nota fiscal Ressarcimento do INSS ao F.P.M. Pagamento indevido de despesas administrativas, com recursos destinados ao Piso de Atenção Básica PAB, contrariando o disposto na Lei 8.080/90, art. 52; PT/GM 3925/98 e Decisão TCU 600/ , NE , OP , comprovante de recolhimento (GFIP) e comprovante de depósito bancário. 23 Ressarcimento do INSS ao F.P.M. Pagamento indevido de despesas administrativas, com recursos destinados ao Piso de Atenção Básica PAB, contrariando o disposto na Lei 8.080/90, art. 52; PT/GM 3925/98 e Decisão TCU 600/ , NE , OP , comprovante de depósito bancário, comprovante de pagamento (GFIP) e cópia de cheque Conserto de um aparelho de fax para o Hospital Municipal. Pagamento indevido de despesas administrativas do Hospital Municipal, com recursos destinados ao Piso de Atenção Básica PAB, contrariando o disposto na Lei 8.080/90, art. 52; PT/GM 3925/98 e Decisão TCU 600/ , NE , OP , nota fiscal e cópia de cheque Oxigênio destinado ao uso do Hospital Municipal Pagamento indevido de despesas do Hospital Municipal, com recursos destinados ao Piso de Atenção Básica PAB, contrariando o disposto na Lei 8.080/90, art. 52; PT/GM 3925/98 e Decisão TCU 600/ , NE , OP , nota fiscal e cópia de cheque Secretaria Federal de Controle Interno 5

29 26 Prestação de serviços na confecção de rouparia para o Hospital Municipal. Pagamento indevido de despesas do Hospital Municipal, com recursos destinados ao Piso de Atenção Básica PAB, contrariando o disposto na Lei 8.080/90, art. 52; PT/GM 3925/98 e Decisão TCU 600/ , NE , OP 00005, recibo e cópia de cheque Prestação de serviço como pedreiro para reparos no hospital Municipal. Pagamento indevido de despesas do Hospital Municipal, com recursos destinados ao Piso de Atenção Básica PAB, contrariando o disposto na Lei 8.080/90, art. 52; PT/GM 3925/98 e Decisão TCU 600/ , NE , OP , recibo, cópia de cheque e cópia de documento pessoal. 28 Tarifas telefônicas do Hospital. Pagamento indevido de despesas do Hospital Municipal, com recursos destinados ao Piso de Atenção Básica PAB, contrariando o disposto na Lei 8.080/90, art. 52; PT/GM 3925/98 e Decisão TCU 600/ , NE , OP , faturas e cópia de cheque Materiais diversos para manutenção do Hospital Municipal. Pagamento indevido de despesas do Hospital Municipal, com recursos destinados ao Piso de Atenção Básica PAB, contrariando o disposto na Lei 8.080/90, art. 52; PT/GM 3925/98 e Decisão TCU 600/ , NE , OP , notas fiscais 422 e 423 e cópia de cheque Aquisição de carne bovina para o Hospital Municipal. Pagamento indevido de despesas do Hospital Municipal, com recursos destinados ao Piso de Atenção Básica PAB, contrariando o disposto na Lei 8.080/90, art. 52; PT/GM 3925/98 e Decisão TCU 600/ , NE , OP , nota fiscal 253 e cópia de cheque Tarifa de água para o Hospital ref 01/2004. Pagamento indevido de despesas do Hospital Municipal, com recursos destinados ao Piso de Atenção Básica PAB, contrariando o disposto na Lei 8.080/90, art. 52; PT/GM 3925/98 e Decisão TCU 600/ , NE , OP , fatura de pagamento e cópia de cheque Material hospitalar para o Hospital Municipal. Pagamento indevido de despesas do Hospital Municipal, com recursos destinados ao Piso de Atenção Básica PAB, contrariando o disposto na Lei 8.080/90, art. 52; PT/GM 3925/98 e Decisão TCU 600/ , NE , OP , nota fiscal 6296 e cópia de cheque Gêneros alimentícios para o Hospital municipal. Pagamento indevido de despesas do Hospital Municipal, com recursos destinados ao Piso de Atenção Básica PAB, contrariando o disposto na Lei 8.080/90, art. 52; PT/GM 3925/98 e Decisão TCU 600/ , NE , OP , nota fiscal 498 e cópia de cheque Tarifa de energia elétrica ref. 02/2004. Pagamento indevido de despesas do Hospital Municipal, com recursos destinados ao Piso de Atenção Básica PAB, contrariando o disposto na Lei 8.080/90, art. 52; PT/GM 3925/98 e Decisão TCU 600/ , NE , OP , fatura de pagamento e cópia de cheque Secretaria Federal de Controle Interno 6

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO NO TOCANTINS

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO NO TOCANTINS PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO NO TOCANTINS RELATO GERENCIAL MUNICÍPIO DE AGUIARNÓPOLIS/TO 1. Trata o presente

Leia mais

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO NO ESTADO DA BAHIA

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO NO ESTADO DA BAHIA PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO NO ESTADO DA BAHIA RELATO GERENCIAL MUNICÍPIO DE PINDOBAÇU/BA 1. Trata o presente

Leia mais

Número: 00213.000058/2010-38 Unidade Examinada: Município de Portel/PA.

Número: 00213.000058/2010-38 Unidade Examinada: Município de Portel/PA. Número: 00213.000058/2010-38 Unidade Examinada: Município de Portel/PA. Relatório de Demandas Externas n 00213.000058/2010-38 Sumário Executivo Este Relatório apresenta os resultados das ações de controle

Leia mais

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO NO ESTADO PARÁ

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO NO ESTADO PARÁ PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO NO ESTADO PARÁ RELATO GERENCIAL MUNICÍPIO DE BANNACH/PA 1. Trata o presente Relato

Leia mais

RELATO GERENCIAL MUNICÍPIO DE JULIO DE CASTILHOS/RS

RELATO GERENCIAL MUNICÍPIO DE JULIO DE CASTILHOS/RS PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO NO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL RELATO GERENCIAL MUNICÍPIO DE JULIO DE CASTILHOS/RS

Leia mais

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO RELATÓRIO DE FISCALIZAÇÃO 01365 MUNICIPIO DE NOVA CANAA PAULISTA - SP E02º Sorteio do Projeto de Fiscalização

Leia mais

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO NO ESTADO DE MINAS GERAIS

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO NO ESTADO DE MINAS GERAIS PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO NO ESTADO DE MINAS GERAIS RELATO GERENCIAL MUNICÍPIO DE SABINÓPOLIS 1. Trata o

Leia mais

Número: 00190.004342/2013-31 Unidade Examinada: Município de Marília/SP

Número: 00190.004342/2013-31 Unidade Examinada: Município de Marília/SP Número: 00190.004342/2013-31 Unidade Examinada: Município de Marília/SP Relatório de Demandas Externas n 00190.004342/ 2013-31 Sumário Executivo Este Relatório apresenta os resultados das ações de controle

Leia mais

Número: 00190.010346/2010-14 Unidade Examinada: Município de Avanhandava/SP

Número: 00190.010346/2010-14 Unidade Examinada: Município de Avanhandava/SP Número: 00190.010346/2010-14 Unidade Examinada: Município de Avanhandava/SP Relatório de Demandas Externas n 00190.010346/2010-14 Sumário Executivo Este Relatório apresenta os resultados das ações de controle

Leia mais

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO NO ESTADO DE MINAS GERAIS

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO NO ESTADO DE MINAS GERAIS PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO NO ESTADO DE MINAS GERAIS RELATO GERENCIAL MUNICÍPIO DE IAPU/MG 1. Trata o presente

Leia mais

RELATO GERENCIAL MUNICÍPIO DE ROCA SALES /RS

RELATO GERENCIAL MUNICÍPIO DE ROCA SALES /RS PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO NO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL RELATO GERENCIAL MUNICÍPIO DE ROCA SALES /RS 1.

Leia mais

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO NO ESTADO DE MINAS GERAIS

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO NO ESTADO DE MINAS GERAIS PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO NO ESTADO DE MINAS GERAIS RELATO GERENCIAL MUNICÍPIO DE SÃO THOMÉ DAS LETRAS/MG

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 002/2014

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 002/2014 INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 002/2014 DISPÕE SOBRE A CONCESSÃO DE SUBVENÇÃO SOCIAL, AUXÍLIO FINANCEIRO, CONTRIBUIÇÃO E OUTRAS FONTES DE RECURSO NO ÂMBITO DO PODER EXECUTIVO. A Controladoria Geral do Município

Leia mais

RELATÓRIO DE AUDITORIA ANUAL DE CONTAS Nº 243930-2ª PARTE

RELATÓRIO DE AUDITORIA ANUAL DE CONTAS Nº 243930-2ª PARTE RELATÓRIO DE AUDITORIA ANUAL DE CONTAS Nº 243930-2ª PARTE 1 ASSIST. AMBULAT. E HOSPITALAR ESPECIALIZADA 1.1 ATENÇÃO À SAÚDE DA POP NOS MUNICÍPIOS 1.1.1 ASSUNTO - PROGRAMAÇÃO DOS OBJETIVOS E METAS 1.1.1.1

Leia mais

QUALIDADE NA APLICAÇÃO DOS RECURSOS PÚBLICOS DIAGNÓSTICO DA MERENDA ESCOLAR

QUALIDADE NA APLICAÇÃO DOS RECURSOS PÚBLICOS DIAGNÓSTICO DA MERENDA ESCOLAR QUALIDADE NA APLICAÇÃO DOS RECURSOS PÚBLICOS DIAGNÓSTICO DA MERENDA ESCOLAR 1 Justificativa O Observatório Social do Brasil lança uma ação conjunta para a Rede de Observatórios Sociais que consistirá num

Leia mais

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO RELATO GERENCIAL MUNICÍPIO DE TANGUÁ/RJ 1. Trata o

Leia mais

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO NO ESTADO DE SÃO PAULO

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO NO ESTADO DE SÃO PAULO PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO NO ESTADO DE SÃO PAULO RELATO GERENCIAL MUNICÍPIO DE APIAÍ/SP 1. Trata o presente

Leia mais

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO NO ESTADO GOIÁS

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO NO ESTADO GOIÁS PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO NO ESTADO GOIÁS RELATO GERENCIAL MUNICÍPIO DE SANCLERLÂNDIA/GO 1. Trata o presente

Leia mais

CHECKLIST CONVÊNIOS E CONTRATOS DE REPASSE RECURSOS FEDERAIS

CHECKLIST CONVÊNIOS E CONTRATOS DE REPASSE RECURSOS FEDERAIS CHECKLIST CONVÊNIOS E CONTRATOS DE REPASSE RECURSOS FEDERAIS VERIFICAÇÕES PRELIMINARES Art. 3, caput e 1 ; 1. O objeto do convênio ou contrato de repasse guarda relação com a atividade do convenente? 2.

Leia mais

Número: 00213.000123/2010-25 Unidade Examinada: Município de Bujaru/PA

Número: 00213.000123/2010-25 Unidade Examinada: Município de Bujaru/PA Número: 00213.000123/2010-25 Unidade Examinada: Município de Bujaru/PA Relatório de Demandas Externas n 00213.000123/2010-25 Sumário Executivo Este Relatório apresenta os resultados das ações de controle

Leia mais

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO RELATO GERENCIAL MUNICÍPIO DE IEPÊ - SP

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO RELATO GERENCIAL MUNICÍPIO DE IEPÊ - SP PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO RELATO GERENCIAL MUNICÍPIO DE IEPÊ - SP 1. Trata o presente Relato dos resultados gerenciais dos exames realizados

Leia mais

Banco Mundial. Capacitação em Gestão de Convênios e Projetos

Banco Mundial. Capacitação em Gestão de Convênios e Projetos Banco Mundial Capacitação em Gestão de Convênios e Projetos Versão: Agosto/2011 O QUE É O PROGRAMA PRODUZIR? O PRODUZIR é um programa do Governo do Estado da Bahia, coordenado pela CAR - Companhia de Desenvolvimento

Leia mais

Número: 00190.001435/2011-42 Unidade Examinada: Município de Pindamonhagaba/SP.

Número: 00190.001435/2011-42 Unidade Examinada: Município de Pindamonhagaba/SP. Número: 00190.001435/2011-42 Unidade Examinada: Município de Pindamonhagaba/SP. Relatório de Demandas Externas n 00190.001435/2011-42 Sumário Executivo Este Relatório apresenta os resultados das ações

Leia mais

OBRIGATORIEDADE DA EXIGÊNCIA DA CERTIDÃO NEGATIVA DE DÉBITOS TRABALHISTAS NAS LICITAÇÕES

OBRIGATORIEDADE DA EXIGÊNCIA DA CERTIDÃO NEGATIVA DE DÉBITOS TRABALHISTAS NAS LICITAÇÕES OBRIGATORIEDADE DA EXIGÊNCIA DA CERTIDÃO NEGATIVA DE DÉBITOS TRABALHISTAS NAS LICITAÇÕES A Lei 8.666/93 foi alterada em 11 de julho de 2011 (artigos 27 e 29), pela Lei 12.440, sendo implementada a exigência

Leia mais

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO RELATÓRIO DE AUDITORIA ANUAL DE CONTAS

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO RELATÓRIO DE AUDITORIA ANUAL DE CONTAS PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO RELATÓRIO DE AUDITORIA ANUAL DE CONTAS TIPO DE AUDITORIA : AUDITORIA DE GESTÃO EXERCÍCIO : 2008 PROCESSO Nº

Leia mais

TERMO DE COMPROMISSO DE AJUSTAMENTO DE CONDUTA OBJETIVANDO GARANTIR MERENDA ESCOLAR DE QUALIDADE PARA TODOS

TERMO DE COMPROMISSO DE AJUSTAMENTO DE CONDUTA OBJETIVANDO GARANTIR MERENDA ESCOLAR DE QUALIDADE PARA TODOS TERMO DE COMPROMISSO DE AJUSTAMENTO DE CONDUTA OBJETIVANDO GARANTIR MERENDA ESCOLAR DE QUALIDADE PARA TODOS que firmam o MINISTÉRIO PÚBLICO ESTADUAL, por meio da Promotoria de Justiça de... e o MUNICÍPIO

Leia mais

ATA DE REGISTRO DE PREÇOS n 037. Processo n 35 /2016 Pregão 13/2016

ATA DE REGISTRO DE PREÇOS n 037. Processo n 35 /2016 Pregão 13/2016 ATA DE REGISTRO DE PREÇOS n 037 Processo n 35 /2016 Pregão 13/2016 Aos dezessete dias do mês de março do ano de 2.016, o MUNICÍPIO DE RIO NEGRO-PR, neste ato representado pelo seu PREFEITO MUNICIPAL, MILTON

Leia mais

Ação Governamental Fiscalizada

Ação Governamental Fiscalizada PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO NO ESTADO DA BAHIA RELATO GERENCIAL MUNICÍPIO DE BONINAL/BA 1. Trata o presente

Leia mais

Ação Governamental Fiscalizada. Transferência de Renda Diretamente às Famílias em Condições de Pobreza e Extrema Pobreza (Lei nº 10.

Ação Governamental Fiscalizada. Transferência de Renda Diretamente às Famílias em Condições de Pobreza e Extrema Pobreza (Lei nº 10. PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO NO ESTADO DO PARANÁ RELATO GERENCIAL MUNICÍPIO DE ORTIGUEIRA/PR 1. Trata o presente

Leia mais

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO NO ESTADO DE SÃO PAULO

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO NO ESTADO DE SÃO PAULO PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO NO ESTADO DE SÃO PAULO RELATO GERENCIAL MUNICÍPIO DE PIRATININGA/SP 1. Trata o

Leia mais

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO RELATO GERENCIAL MUNICÍPIO DE CLARO DOS POÇÕES/MG

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO RELATO GERENCIAL MUNICÍPIO DE CLARO DOS POÇÕES/MG PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO RELATO GERENCIAL MUNICÍPIO DE CLARO DOS POÇÕES/MG 1. Trata o presente Relato dos resultados gerenciais dos exames

Leia mais

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO TIPO DE AUDITORIA : AUDITORIA DE GESTÃO EXERCÍCIO : 2006 PROCESSO Nº : 08297.001142/2007-01 UNIDADE AUDITADA

Leia mais

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO NO ESTADO DE PENAMBUCO

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO NO ESTADO DE PENAMBUCO PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO NO ESTADO DE PENAMBUCO RELATO GERENCIAL MUNICÍPIO DE BUENOS AIRES PE 1. Trata o

Leia mais

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO TIPO DE AUDITORIA : AUDITORIA DE GESTÃO EXERCÍCIO : 2006 PROCESSO Nº : 25106.000.849/2007-19 UNIDADE AUDITADA

Leia mais

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO NO ESTADO DE SÃO PAULO

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO NO ESTADO DE SÃO PAULO PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO NO ESTADO DE SÃO PAULO RELATO GERENCIAL MUNICÍPIO DE MONGAGUÁ/SP 1. Trata o presente

Leia mais

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO TIPO DE AUDITORIA : AUDITORIA DE GESTÃO EXERCÍCIO : 2007 PROCESSO Nº : 00217.000181/2008-02 UNIDADE AUDITADA

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE COQUEIRO BAIXO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL Município da Canção Italiana CONTRATO ADMINISTRATIVO Nº 44/2015

PREFEITURA MUNICIPAL DE COQUEIRO BAIXO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL Município da Canção Italiana CONTRATO ADMINISTRATIVO Nº 44/2015 CONTRATO ADMINISTRATIVO Nº 44/2015 CONTRATO DE AQUISIÇÃO DE GÊNEROS ALIMENTÍCIOS DA AGRICULTURA FAMILIAR PARA A MERENDA ESCOLAR O MUNICÍPIO DE COQUEIRO BAIXO-RS, pessoa jurídica de direito público interno,

Leia mais

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO RELATÓRIO DE AUDITORIA ANUAL DE CONTAS TIPO DE AUDITORIA : AUDITORIA DE GESTÃO EXERCÍCIO : 2007 PROCESSO Nº

Leia mais

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO TOMADA DE CONTAS ANUAL AGREGADA TIPO DE AUDITORIA : AUDITORIA DE GESTÃO EXERCÍCIO : 2006 PROCESSO Nº : 71000.002060/2007-90

Leia mais

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO NO ESTADO DE GOIÁS

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO NO ESTADO DE GOIÁS PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO NO ESTADO DE GOIÁS RELATO GERENCIAL MUNICÍPIO DE UIRAPURU-GO 1. Trata o presente

Leia mais

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO RELATO GERENCIAL MUNICÍPIO DE SAQUAREMA/RJ 1. Trata

Leia mais

Estado do Rio Grande do Sul MUNICIPIO DE ERECHIM PREFEITURA MUNICIPAL Praça da Bandeira, 354 Fone: 54 520 7000 99700-000 Erechim RS

Estado do Rio Grande do Sul MUNICIPIO DE ERECHIM PREFEITURA MUNICIPAL Praça da Bandeira, 354 Fone: 54 520 7000 99700-000 Erechim RS MINUTA 175/2014 CONTRATO ADMINISTRATIVO N.º /2014 PROCESSO N.º 8287/2014 - PREGÃO PRESENCIAL N.º 153/2014 AQUISIÇÃO DE PEÇAS PARA CONSERTO DA MÁQUINA M-65 - SECRETARIA MUNICIPAL DE OBRAS PÚBLICAS E HABITAÇÃO

Leia mais

Indicador(es) Órgão(s) 26 - Ministério da Educação

Indicador(es) Órgão(s) 26 - Ministério da Educação Programa úmero de Ações 13 1060 Brasil Alfabetizado e Educação de Jovens e Adultos Objetivo Indicador(es) Garantir acesso e permanência de jovens e adultos a programas educacionais que visam atender as

Leia mais

LEI Nº 1047/2012. O Prefeito do Município de Pinhalão, Estado do Paraná. Faço saber que a Câmara Municipal decreta, e eu, sanciono a seguinte Lei:

LEI Nº 1047/2012. O Prefeito do Município de Pinhalão, Estado do Paraná. Faço saber que a Câmara Municipal decreta, e eu, sanciono a seguinte Lei: LEI Nº 1047/2012 O Prefeito do Município de Pinhalão,. SÚMULA: Dispõe sobre as Diretrizes Orçamentárias para o exercício de 2013 e dá outras providências. Faço saber que a Câmara Municipal decreta, e eu,

Leia mais

ESTADO DO MARANHÃO SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO PORTARIA N.º 652, DE 19 DE MAIO DE 2011 RESOLVE: CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES INICIAIS

ESTADO DO MARANHÃO SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO PORTARIA N.º 652, DE 19 DE MAIO DE 2011 RESOLVE: CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES INICIAIS PORTARIA N.º 652, DE 19 DE MAIO DE 2011 A SECRETÁRIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO, no uso de suas atribuições legais, especialmente em referência ao disposto no artigo 25, da Constituição Federal de 1988, e ao

Leia mais

ESTADO DE MATO GROSSO PREFEITURA MUNICIPAL DE COLIDER/MT

ESTADO DE MATO GROSSO PREFEITURA MUNICIPAL DE COLIDER/MT CONTRATO DE AQUISIÇÃO DE GÊNEROS ALIMENTÍCIOS DA AGRICULTURA FAMILIAR PARA A ALIENTAÇÃO ESCOLAR CONTRATO N.º15/2015 A Prefeitura Municipal de Colíder/MT, pessoa jurídica de direito público interno, inscrito

Leia mais

CONSELHO DE ALIMENTAÇÃO ESCOLAR CAE

CONSELHO DE ALIMENTAÇÃO ESCOLAR CAE MANUAL DE ORIENTAÇÃO SISTEMA DE GESTÃO DE CONSELHOS SIGECON CONSELHO DE ALIMENTAÇÃO ESCOLAR CAE Programa Nacional de Alimentação Escolar PNAE MANUAL DE ORIENTAÇÃO SISTEMA DE GESTÃO DE CONSELHOS SIGECON

Leia mais

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO NO ESTADO DO PIAUÍ

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO NO ESTADO DO PIAUÍ PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO NO ESTADO DO PIAUÍ RELATO GERENCIAL MUNICÍPIO DE SIMPLÍCIO MENDES/PI 1. Trata o

Leia mais

ESTADO DE RONDÔNIA TRIBUNAL DE CONTAS

ESTADO DE RONDÔNIA TRIBUNAL DE CONTAS 1 INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº13./TCER-2004 Dispõe sobre as informações e documentos a serem encaminhados pelos gestores e demais responsáveis pela Administração Direta e Indireta do Estado e dos Municípios;

Leia mais

RESPONSABILIDADES NO PBA 2012 PREFEITURAS E SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO

RESPONSABILIDADES NO PBA 2012 PREFEITURAS E SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO RESPONSABILIDADES NO PBA 2012 PREFEITURAS E SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO Quando da adesão municipal ao programa suas atribuições são: Indicar e/ou selecionar o coordenador de turmas junto à Seduc;

Leia mais

MANUAL PRESTAÇÃO DE CONTAS DO PROGRAMA DINHEIRO DIRETO NA ESCOLA PDDE

MANUAL PRESTAÇÃO DE CONTAS DO PROGRAMA DINHEIRO DIRETO NA ESCOLA PDDE ESTADO DE SANTA CATARINA SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO Diretoria de Educação Básica - DIEB Gerência de Administração Escolar - GEADE Programa Dinheiro Direto na Escola - PDDE Rua Antônio Luz, 111-5º

Leia mais

DECRETO Nº 15.114,DE 8 DE JANEIRO DE 2013 CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES GERAIS

DECRETO Nº 15.114,DE 8 DE JANEIRO DE 2013 CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES GERAIS DECRETO Nº 15.114,DE 8 DE JANEIRO DE 2013 Disciplina a celebração de convênios e operações de crédito com previsão de ingresso de recursos financeiros que beneficiem órgãos e entidades da Administração

Leia mais

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO TIPO DE AUDITORIA : AUDITORIA DE GESTÃO EXERCÍCIO : 2006 PROCESSO Nº : 23040.000699/2007-11 UNIDADE AUDITADA

Leia mais

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO CONTROLADORIA REGIONAL DA UNIÃO NO ESTADO DO ACRE

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO CONTROLADORIA REGIONAL DA UNIÃO NO ESTADO DO ACRE PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO CONTROLADORIA REGIONAL DA UNIÃO NO ESTADO DO ACRE RELATO GERENCIAL ESTADO DO ACRE 1. Trata o presente Relato

Leia mais

ORIENTAÇÕES QUANTO À PRESTAÇÃO DE CONTAS FUNDO ROTATIVO E PROGRAMAS FEDERAIS

ORIENTAÇÕES QUANTO À PRESTAÇÃO DE CONTAS FUNDO ROTATIVO E PROGRAMAS FEDERAIS SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO 1 ORIENTAÇÕES QUANTO À PRESTAÇÃO DE CONTAS FUNDO ROTATIVO E PROGRAMAS FEDERAIS 1. INTRODUÇÃO Com o final do ano se aproximando, faz-se necessário observar alguns procedimentos

Leia mais

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO RELATÓRIO DE AUDITORIA ANUAL DE CONTAS TIPO DE AUDITORIA : AUDITORIA DE GESTÃO EXERCÍCIO : 2008 PROCESSO Nº

Leia mais

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO TIPO DE AUDITORIA : AUDITORIA DE GESTÃO EXERCÍCIO : 2006 PROCESSO Nº : 25160.000544/2007-44 UNIDADE AUDITADA

Leia mais

Edital n.º 001/2014 - CMDCA MANUTENÇÃO DE PROGRAMAS EM EXECUÇÃO

Edital n.º 001/2014 - CMDCA MANUTENÇÃO DE PROGRAMAS EM EXECUÇÃO Edital n.º 001/2014 - CMDCA MANUTENÇÃO DE PROGRAMAS EM EXECUÇÃO O Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente - CMDCA, no uso de suas atribuições conferidas pela Lei Complementar Municipal

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE MONTES CLAROS

PREFEITURA MUNICIPAL DE MONTES CLAROS ANEXO IV MINUTA CONTRATO DE FORNECIMENTO DE HORTALIÇAS E FRUTAS DA AGRICULTURA FAMILIAR PARA A ALIMENTAÇÃO ESCOLAR. O MUNICÍPIO DE MONTES CLAROS, pessoa jurídica de direito público interno, inscrito no

Leia mais

a autarquia, de forma a evitar dependência em relação ao prestador, bem como garantir a segurança das informações. Acórdão 1937/2003 Plenário

a autarquia, de forma a evitar dependência em relação ao prestador, bem como garantir a segurança das informações. Acórdão 1937/2003 Plenário a autarquia, de forma a evitar dependência em relação ao prestador, bem como garantir a segurança das informações. Acórdão 1937/2003 Plenário Cumpra fielmente as cláusulas pactuadas nos contratos, evitando

Leia mais

CÂMARA DOS DEPUTADOS Consultoria de Orçamento e Fiscalização Financeira ESTUDO TÉCNICO Nº 4/2014

CÂMARA DOS DEPUTADOS Consultoria de Orçamento e Fiscalização Financeira ESTUDO TÉCNICO Nº 4/2014 Solicitação de Trabalho nº 252/2014 CONOF Solicitante: Deputado Pauderney Avelino ESTUDO TÉCNICO Nº 4/2014 ASPECTOS ORÇAMENTÁRIOS E FINANCEIROS SOBRE A INCLUSÃO DA ALIMENTAÇÃO ESCOLAR COMO DESPESA DE MANUTENÇÃO

Leia mais

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO RELATÓRIO DE AUDITORIA ANUAL DE CONTAS TIPO DE AUDITORIA : AUDITORIA DE GESTÃO EXERCÍCIO : 2008 PROCESSO Nº

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE COMISSÃO PERMANENTE DE LICITAÇÕES PREGÃO ELETRÔNICO Nº 10/2008

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE COMISSÃO PERMANENTE DE LICITAÇÕES PREGÃO ELETRÔNICO Nº 10/2008 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE COMISSÃO PERMANENTE DE LICITAÇÕES PREGÃO ELETRÔNICO Nº 10/2008 ATA DO REGISTRO DE PREÇOS CONTRATAÇÃO DE EMPRESA DO RAMO DE PRESTAÇÃO DE

Leia mais

Agência Nacional de Energia Elétrica ANEEL. Procedimentos do Programa de Eficiência Energética PROPEE

Agência Nacional de Energia Elétrica ANEEL. Procedimentos do Programa de Eficiência Energética PROPEE Agência Nacional de Energia Elétrica ANEEL Procedimentos do Programa de Eficiência Energética PROPEE Módulo 10 Controle e Fiscalização Revisão Motivo da Revisão 1 Correções e aperfeiçoamentos Instrumento

Leia mais

MINISTÉRIO PÚBLICO DO TRABALHO

MINISTÉRIO PÚBLICO DO TRABALHO PROPOSTA DE DISPENSA DE LICITAÇÃO Nº 066/2008. Ref: conserto de coletor de dados portátil. Senhor Chefe da DMP, Considerando a solicitação constante do Memo n 045/2008 - SMP (fls. n 02), o Projeto Básico

Leia mais

CONTROLADORIA REGIONAL DA UNIÃO EM ALAGOAS. Curso de Fiscalização de Programas da Área da Saúde e. Educação

CONTROLADORIA REGIONAL DA UNIÃO EM ALAGOAS. Curso de Fiscalização de Programas da Área da Saúde e. Educação CONTROLADORIA REGIONAL DA UNIÃO EM ALAGOAS Curso de Fiscalização de Programas da Área da Saúde e Palestrantes: José William Gomes da Silva Chefe da CGU-Regional/AL Lúcio de Oliveira Técnico de Finanças

Leia mais

QUESTIONÁRIO DO MERENDA ESCOLAR. MERENDA ESCOLAR Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE)

QUESTIONÁRIO DO MERENDA ESCOLAR. MERENDA ESCOLAR Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE) Este questionário tem por objetivo orientar a participação do cidadão na gestão pública a partir do controle das despesas públicas efetuadas e da oferta de sugestões aos órgãos do governo, para que estes

Leia mais

CHEFE DA SEÇÃO DE MANUTENÇÃO ESCOLAR compete acompanhar a tramitação de documentos e processos, observando o protocolo do mesmo; classificar, informar e conservar documentos; controle de matériais, providenciando

Leia mais

O Congresso Nacional decreta:

O Congresso Nacional decreta: Dispõe sobre os valores mínimos a serem aplicados anualmente por Estados, Distrito Federal, Municípios e União em ações e serviços públicos de saúde, os critérios de rateio dos recursos de transferências

Leia mais

ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA

ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA AQUISIÇÃO DE GÊNEROS ALIMENTÍCIOS, MATERIAL DE LIMPEZA E COPA E COZINHA PARA SUPRIR AS NECESSIDADES DA SECRETARIA DE OBRAS, TRANSPORTE E URBANISMO, DA SECRETARIA DE ADMINISTRAÇÃO

Leia mais

Manual Cartão de Pagamento do Governo Federal. Banco do Setor público

Manual Cartão de Pagamento do Governo Federal. Banco do Setor público Manual Cartão de Pagamento do Governo Federal Banco do Setor público 2 Sumário Introdução 04 Cartão de Pagamento do Governo Federal CPGF 04 Passo a Passo 10 Perguntas e Respostas 12 Legislação I Ementa

Leia mais

EDITAL DE CHAMADA PÚBLICA N o 003/2015

EDITAL DE CHAMADA PÚBLICA N o 003/2015 EDITAL DE CHAMADA PÚBLICA N o 003/2015 O Município de Três de Maio comunica aos interessados que está procedendo à CHAMADA PÚBLICA, para fins de habilitação e recebimento das propostas de gêneros alimentícios

Leia mais

PROGRAMAS DE AUDITORIA ÁREA: GESTÃO DE SUPRIMENTO DE BENS E SERVIÇOS

PROGRAMAS DE AUDITORIA ÁREA: GESTÃO DE SUPRIMENTO DE BENS E SERVIÇOS 1 PROGRAMAS DE AUDITORIA ÁREA: GESTÃO DE SUPRIMENTO DE BENS E SERVIÇOS Rio de Janeiro - RJ Setembro de 2009 2 JOAQUIM VIEIRA FERREIRA LEVY Secretário de Estado de Fazenda RENATO AUGUSTO ZAGALLO VILLELA

Leia mais

Compra e Venda da Produção da Agricultura Familiar para a Alimentação Escolar

Compra e Venda da Produção da Agricultura Familiar para a Alimentação Escolar Compra e Venda da Produção da Agricultura Familiar para a Alimentação Escolar Hilda Lorena Freitas Agente PNAE/REBRAE Cecane/UNB A partir da Lei n. 11.947/2009 Art. 14. Do total dos recursos financeiros

Leia mais

ATA DE REGISTRO DE PREÇOS n 003/2016. Processo n 386 /2015 Pregão Eletrônico 102/2015

ATA DE REGISTRO DE PREÇOS n 003/2016. Processo n 386 /2015 Pregão Eletrônico 102/2015 ATA DE REGISTRO DE PREÇOS n 003/2016 Processo n 386 /2015 Pregão Eletrônico 102/2015 Aos onze dias do mês de janeiro do ano de 2.016, o MUNICÍPIO DE RIO NEGRO-PR, neste ato representado pelo seu PREFEITO

Leia mais

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO RELATÓRIO DE AUDITORIA ANUAL DE CONTAS TIPO DE AUDITORIA : AUDITORIA DE GESTÃO EXERCÍCIO : 2008 PROCESSO Nº

Leia mais

Avaliação da integração do Programa de Erradicação do Trabalho Infantil (PETI) ao Programa Bolsa-Família (PBF)

Avaliação da integração do Programa de Erradicação do Trabalho Infantil (PETI) ao Programa Bolsa-Família (PBF) Avaliação da integração do Programa de Erradicação do Trabalho Infantil (PETI) ao Programa Bolsa-Família (PBF) Por: Maria das Graças Rua 1 Este relatório descreve o novo modelo do Programa de Erradicação

Leia mais

DECRETO EXECUTIVO Nº. 100/2009

DECRETO EXECUTIVO Nº. 100/2009 DECRETO EXECUTIVO Nº. 100/2009 Homologa a Instrução Normativa do Sistema de Controle de Almoxarifado SCA N.º 001/2009 VERSÃO 01/2009, que dispõe sobre os procedimentos de Controle do Almoxarifado da Prefeitura

Leia mais

As atividades a serem desenvolvidas pela Organização da Sociedade Civil selecionada são:

As atividades a serem desenvolvidas pela Organização da Sociedade Civil selecionada são: Edital 02 A Organização Europeia de Cooperação Internacional - CISP (Comitato Internazionale per lo Sviluppo dei Popoli) e o SER (SE ESSA RUA FOSSE MINHA) tornam público pela segunda e última vez, o processo

Leia mais

TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DO CEARÁ TERMO DE REFERÊNCIA

TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DO CEARÁ TERMO DE REFERÊNCIA TERMO DE REFERÊNCIA AQUISIÇÃO DE VALE-REFEIÇÃO ELEIÇÕES 2016 1 OBJETO 1.1 Contratação de empresa especializada no fornecimento de 11.958 (onze mil, novecentos e cinquenta e oito) vales-refeições de valor

Leia mais

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO RELATÓRIO DE AÇÃO DE CONTROLE FISCALIZAÇÃO

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO RELATÓRIO DE AÇÃO DE CONTROLE FISCALIZAÇÃO 1 de 7 01/10/2013 17:24 PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO RELATÓRIO DE AÇÃO DE CONTROLE FISCALIZAÇÃO NÚMERO DO RELATÓRIO : 201205023 FUNCIONAL-PROGRAMÁTICA

Leia mais

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO RELATÓRIO DE AUDITORIA ANUAL DE CONTAS TIPO DE AUDITORIA : AUDITORIA DE GESTÃO EXERCÍCIO : 2008 PROCESSO Nº

Leia mais

EDITAL N.º 01/2015 PROCESSO SELETIVO PARA CONCESSÃO DE BOLSA DE ESTUDOS PARA O ANO LETIVO DE

EDITAL N.º 01/2015 PROCESSO SELETIVO PARA CONCESSÃO DE BOLSA DE ESTUDOS PARA O ANO LETIVO DE EDITAL N.º 01/2015 PROCESSO SELETIVO PARA CONCESSÃO DE BOLSA DE ESTUDOS PARA O ANO LETIVO DE 2015 (Em conformidade com a Lei nº 12.101/2009, Lei nº 12.868/2013 e Decreto nº 8.242/2014) A Associação Antônio

Leia mais

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO TIPO DE AUDITORIA : AUDITORIA DE GESTÃO EXERCÍCIO : 2006 PROCESSO Nº : 54150.000243/2007-38 UNIDADE AUDITADA

Leia mais

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO RELATÓRIO DE AUDITORIA ANUAL DE CONTAS TIPO DE AUDITORIA : AUDITORIA DE GESTÃO EXERCÍCIO : 2007 PROCESSO Nº

Leia mais

PORTARIA TRT 18ª GP/DG/SOF Nº

PORTARIA TRT 18ª GP/DG/SOF Nº PORTARIA TRT 18ª GP/DG/SOF Nº 06, de 17.2.09 O DESEMBARGADOR-PRESIDENTE DO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 18ª REGIÃO, no uso de suas atribuições legais e regimentais, CONSIDERANDO o disposto nos arts.

Leia mais

ATA DE REGISTRO DE PREÇOS Nº 32/14

ATA DE REGISTRO DE PREÇOS Nº 32/14 ATA DE REGISTRO DE PREÇOS Nº 32/14 Processo n o. 89/14. Pregão 48/14. ATA DE REGISTRO DE PREÇOS QUE ENTRE SI CELEBRAM O MUNICÍPIO DE SANTA ROSA DE VITERBO E A EMPRESA AIR LIQUIDE BRASIL LTDA. Aos 27 (vinte

Leia mais

LEI N 2163/2015 DISPOSIÇÕES PRELIMINARES

LEI N 2163/2015 DISPOSIÇÕES PRELIMINARES LEI N 2163/2015 Reformula o Plano de Cargos, Carreiras e Salários dos Servidores da Caixa de Assistência, Previdência e Pensões dos Servidores Públicos Municipais de Porciúncula CAPREM e estabelece normas

Leia mais

Execução de Despesa. DNT/SSSCI/SF Abril 2013

Execução de Despesa. DNT/SSSCI/SF Abril 2013 DNT/SSSCI/SF Abril 2013 Realização Secretaria da Fazenda Subsecretaria do Sistema de Controle Interno Departamento de Normas Técnicas Apresentação David Fabri Monique Junqueira Ferraz Zanella INTRODUÇÃO

Leia mais

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO RELATÓRIO DE AUDITORIA ANUAL DE CONTAS TIPO DE AUDITORIA : AUDITORIA DE GESTÃO EXERCÍCIO : 2008 PROCESSO Nº

Leia mais

ATRIBUIÇÕES DAS FUNÇÕES GRATIFICADAS

ATRIBUIÇÕES DAS FUNÇÕES GRATIFICADAS ATRIBUIÇÕES DAS FUNÇÕES GRATIFICADAS ASSESSORIA DE IMPRENSA: Função GERENTE. Assessorar a Diretoria da Ceasa; Promover e divulgar notícias relacionadas a Ceasa; Estreitar o relacionamento da mídia com

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE COLORADO ESTADO DO PARANA

PREFEITURA MUNICIPAL DE COLORADO ESTADO DO PARANA DISPENSA Nº: DP 077/2013 ÓRGÃO SOLICITANTE: SECRETARIA MUNICIPAL DE ADMINISTRAÇÃO. OBJETO: AQUISIÇÃO DE QUADROS COM IMAGENS AÉREAS DO MUNICÍPIO E CD DE IMAGEM DE ALTA RESOLUÇÃO PARA A SECRETARIA DE ADMINISTRAÇÃO

Leia mais

CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES GERAIS

CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES GERAIS O MOVIMENTO DAS DONAS DE CASA E CONSUMIDORES DE MINAS GERAIS MDC, doravante denominada OSCIP, pessoa jurídica de direito privado, sem fins lucrativos, inscrita no CNPJ sob o n. 20.966.842/0001-00, com

Leia mais

SECRETARIA ESTADUAL DE ASSISTÊNCIA E DESENVOLVIMENTO SOCIAL

SECRETARIA ESTADUAL DE ASSISTÊNCIA E DESENVOLVIMENTO SOCIAL Resolução SEADS - 8, de 5-8-2005 Dispõe sobre as Normas Operacionais Básicas para o Projeto Ação Jovem e dá providências correlatas A Secretária Estadual de Assistência e Desenvolvimento Social, com fundamento

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO CONSELHO DELIBERATIVO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO CONSELHO DELIBERATIVO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO CONSELHO DELIBERATIVO RESOLUÇÃO/ FNDE/CD/ Nº 044, DE 29 DE DEZEMBRO DE 2006. FUNDAMENTAÇÃO LEGAL: Constituição Federal de 1988 artigos

Leia mais

PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INICIAÇÂO À DOCÊNCIA (PIBID) EDITAL PROEX Nº 014/2013

PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INICIAÇÂO À DOCÊNCIA (PIBID) EDITAL PROEX Nº 014/2013 PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSAS DE INICIAÇÂO À DOCÊNCIA (PIBID) EDITAL PROEX Nº 014/2013 A Universidade Estadual de Londrina por meio da Pró-Reitoria de Externsão, considerando a necessidade de selecionar

Leia mais

Apresentar recibo original emitido pela organização do evento, constando inclusive à assinatura do recebedor.

Apresentar recibo original emitido pela organização do evento, constando inclusive à assinatura do recebedor. Apresentar recibo original emitido pela organização do evento, constando inclusive à assinatura do recebedor. acompanhado dos cartões de embarque originais utilizados; f) A FAPERJ não aceitará o pagamento

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE MIMOSO DO SUL

PREFEITURA MUNICIPAL DE MIMOSO DO SUL CONTRATO Nº 009/2014. PROCESSO Nº 5649/2013. DISPENSA DE LICITAÇÃO. CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS DE TERCEIROS (SERVIÇO DE FORNECIMENTO DE LINK DEDICADO E COMPARTILHADO), QUE ENTRE SI CELEBRAM O MUNICÍPIO DE

Leia mais

ESTADO DE MATO GROSSO PREFEITURA MUNICIPAL DE COLIDER/MT

ESTADO DE MATO GROSSO PREFEITURA MUNICIPAL DE COLIDER/MT CONTRATO DE AQUISIÇÃO DE GÊNEROS ALIMENTÍCIOS DA AGRICULTURA FAMILIAR PARA A ALIENTAÇÃO ESCOLAR CONTRATO N.º17/2015 A Prefeitura Municipal de Colíder/MT, pessoa jurídica de direito público interno, inscrito

Leia mais

CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS PREGÃO ELETRÔNICO Nº 13/2013 PROCESSO N 787-09.00/13-4

CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS PREGÃO ELETRÔNICO Nº 13/2013 PROCESSO N 787-09.00/13-4 CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS PREGÃO ELETRÔNICO Nº 13/2013 PROCESSO N 787-09.00/13-4 Contrato AJDG n.º 031/2013 O ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL, por intermédio da PROCURADORIA- GERAL DE JUSTIÇA, órgão

Leia mais